Page 1

YEAR / ANO 11|SPECIAL EDITION 1 / EDIÇÃO ESPECIAL 1| SEPTEMBER / SETEMBRO 2013 | PORTUGUÊS-ENGLISH

A Força das Comunidades de Língua Portuguesa em Toronto

ARTE Newton Moraes ASSOCIAÇÕES ACAPO

MÍDIA Alexandre Franco NEGÓCIOS Empreendorismo Luso-Canadiano

Mais um pouquinho de Brasil para você

POLÍTICA Ana Bailão APOIO SOCIAL Carla Neto 1 www.wavePLUS.ca


SEPTEMBER 2013 | 3 Editor

Juliana Dalla Contributors

Débora Mini Annita Velasque Juliana Dalla Marta Almeida Translation

4 COMMUNITY

The strength of the Portuguese communities

6 ARTS

Newton Moraes

Loretta Murphy Art Direction

Teresa Baker Botelho Graphic Design

ALyne Florencio Sales, National

Marta Almeida Regina Filippov ___________ Executive Directors & Founders

Regina Filippov Teresa Baker Botelho Distribution

Toronto GTA Frequency

Special Edition 1 September 2013 ___________

8 MEDIA

Communication and sports in the blood and in the soul

10 BUSINESS

A Diáspora de Língua Portuguesa em Toronto

12 POLITICS

A

Luso-Canadian Entrepreneurship Ana Bailão

14 SOCIAL WORK Carla Neto

Published by

BRZ GROUP INC. Brazilian Wave Box 30032 - High Park P.O. 1938 Bloor St. West Toronto ON, M6P 3K0 Fax: 416-241-3835 info@brazilianwave.ca www.brazilianwave.ca www.wavePLUS.ca

FOR ADVERTISEMENT, SUBSCRIPTION, PAST ISSUES, AND ALL OTHER INQUIRIES:

416-533-0555 brazwave@yahoo.ca

Copyright

©2003-2013 BRZ GROUP INC. ISSN (Print) 1923-1865 ISSN (Online) 1923-1873

SPECIAL EDITION SEPTEMBER 2013

We acknowledge the financial support of the Government of Canada through the Canada Periodical Fund of the Department of Canadian Heritage.

NOTA DO EDITOR

LETTER FROM THE EDITOR

comunidade de língua portuguesa representa uma grande e importante parcela da população canadense. Em qualquer região do Canadá, o português pode ser ouvido, sentido e vivenciado. A língua de Camões ganha ainda mais vida na cidade de Toronto, onde ruas e bairros formam um mosaico das riquezas culturais de países como Angola, Brasil, Moçambique e Portugal. Pela força de nossa comunidade nesta que é a quarta maior cidade da América do Norte, a Wave Magazine dedica aos leitores de Toronto quatro edições especiais da revista, publicadas bimestralmente a partir desta primeira edição. Ana Bailão, Alexandre Franco, ACAPO, Carla Neto, Newton Moraes e Luís Pavão são celebrados neste especial de estreia pelos trabalhos que desenvolvem em prol de nossa comunidade e do Canadá. Tenho certeza de que você vai se identificar com muitas dessas histórias de perseverança e sucesso, que tanto enchem de orgulho nosso coração imigrante. Até a próxima edição! Juliana Dalla

he Portuguese language community is a large and important part of the Canadian population. In any region of Canada, Portuguese can be heard, felt and experienced. The language of Camões is even more alive in the city of Toronto, where the streets and neighborhoods form a mosaic of the cultural wealth of countries like Angola, Brazil, Mozambique and Portugal. Given the strength of our community in this fourth largest city in North America, Wave Magazine is dedicating to the readers of Toronto four special editions of the magazine, published bimonthly from this first edition. Ana Bailão, Alexandre Franco, the ACAPO, Carla Neto, Newton Moraes and Luís Pavão are celebrated in this special premiere edition for the work they have been developing for our community and for Canada. I’m sure you will identify with many of these stories of perseverance and success that fill our immigrant hearts with pride. Until the next edition!

T

Juliana Dalla


4 | COMMUNITY

The strength of the Portuguese communities By Marta Almeida. Translated by Loretta Murphy

Portuguese people show their strength in organizing community associations that exalt the Portuguese culture with events such as the Portugal Parade.

O

ne of the most admirable things about the Portuguese who immigrated to Canada is the organization of the various communities into associations.

WCreated for groups from certain regions of Portugal or even based on folklore, music or sports affinities, these associations keep the Luso-Canadians busy. They include parties, dinners and events all year round, in a rich and varied calendar that celebrates Portuguese roots. Besides the fun, all the associations also involve themselves in community interest causes. Some offer community services, such as English and Portuguese classes, as well ad activities for seniors.

Fundamental alliance On the Portal for the State Secretariat for Portuguese Commu-

The Portugal Parade is the high point of Portugal Week, organized by ACAPO.

Portugal Week Each year, when Dundas Street West is closed for the Portugal Day celebration in June, you can see this strength highlighted by Eustáquio . The Alliance has among its main missions, the organization of Portugal Week, which each year brings together a larger number of people with its extensive and interesting programming. The highlight of the festival, the Portugal Parade, is a unique spectacle, where the affiliated associations take a little bit of Portuguese tradition to the streets. “ACAPO plays an important role in all issues pertaining to the community in general,” concludes the President, adding that “... the Alliance is open to all non-profit associations who share the Portuguese language or culture.” An example of integration for communities of any origin.

nities, there are approximately 200 organized associations registered in Canada. In Toronto, the ACAPO (Alliance of Portuguese Clubs and Associations of Ontario), created in 1987, brings together 33 entities. Among the objectives are: to facilitate the integration of all individuals of Portuguese origin into Canadian society; to promote and encourage the cultural and historical heritage of Portugal in the context of Canada’s multicultural policy; to analyze the problems that affect the Luso-Canadian community and propose possible solutions for individuals or organizations; to represent and defend the interests of the Luso-Canadian community in the Canadian and Portuguese government; and to promote communication and mutual cooperation between Portuguese organizations. “ACAPO is the socio-cultural strength of the Portuguese community in Ontario,” says the organization’s president, José Maria Eustáquio .

“ ACAPO is the socio-cultural strength of the Portuguese community in Ontário”


COMUNIDADE| 5

A FORÇA DAS COMUNIDADES PORTUGUESAS Por Marta Almeida.

U

mas das coisas mais admiráveis entre os portugueses que imigraram para o Canadá é a organização das diversas comunidades em associações. Criadas para grupos de deter-

minadas regiões de Portugal ou mesmo com base em afinidades folclóricas, musicais ou esportivas, estas associações não deixam os luso-canadianos sem atividades. São festas, jantares e eventos o ano inteiro, num calendário rico e variado que exalta as raízes portuguesas. Além da diversão, todas as associações também fazem questão de se envolver em causas de interesse da comunidade, algumas oferecendo inclusive serviços comunitários, como aulas de inglês e português e atividades para idosos.

Aliança fundamental No Portal da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, existem registros de aproximadamente 200 associações organizadas no Canadá. Em Toronto, a ACAPO (Aliança dos Clubes e Associações Portuguesas do Ontário), criada em 1987, reúne 33 entidades. Entre os objetivos estão: facilitar a integração entre todos os indivíduos de origem portuguesa na sociedade canadense; promover e incentivar a herança cultural e histórica de Portugal no contexto da política multicultural do Canadá; analisar os problemas que afetam a comunidade luso-canadiana e propor possíveis soluções para indivíduos ou organizações; representar e defender José Maria Eustáquio é o presidente da ACAPO.

os interesses da comunidade luso-canadiana no governo canadense e português e promover a comunicação e a cooperação mútua entre organizações portuguesas. “A ACAPO é a força sociocultural da comunidade portuguesa em Ontário”, afirma o presidente da entidade, José Maria Eustáquio.

Semana de Portugal Todos os anos, quando a Dundas Street West é fechada para

“A ACAPO é a força sociocultural da comunidade portuguesa em Ontário”

celebração do Dia de Portugal em junho, é possível conferir esta força destacada por Eustáquio. A Aliança tem entre suas principais missões a organização da Portugal Week, que a cada ano reúne um maior número de pessoas com uma programação extensa e interessante. O ponto alto da festa, a Parada de Portugal, é um espetáculo único, onde as associações afiliadas levam para a rua um pouco das tradições portuguesas. “A ACAPO desempenha um papel importante em todas as questões relevantes para a comunidade em geral”, conclui o presidente, que acrescenta: “a Aliança está aberta a todas as associações não lucrativas que compartilham a língua ou a cultura portuguesa”. Um exemplo de integração para comunidades de qualquer origem.


6 | ART

NEWTON MORAES

N

ewton Moraes first stepped into the world of dance while he was still in Porto Alegre, a city in southern Brazil. His heart and desire to improve his art caused the dancer to move to Canada in 1991. “I came to Canada at the invitation of the anthropologist Robert Shirley. He always encouraged me to develop my art and said that, here in Canada, I would have more chances to learn new techniques, as this is one of the leading countries in the dance world. Bob, as I affectionately called him, was my companion for 23 years, until his death in 2008, “ he says. In Toronto, Newton created the dance company Newton Moraes Dance Theatre, recognized and respected internationally for integrating Latin American and Canadian arts in his repertoire.

Newton Moraes Dance Theatre

The Company’s performances engage and raise awareness in a unique way. Newton believes this is because the performances reflect the multiculturalism that Canadians, born or raised here, experience daily in the country. “The company’s productions always present a Brazilian vision of universal issues and themes such as human relations and spiritual quests, and so there is always the possibility for the public to identify with some aspect of the work presented.”

In addition to the themes of universal content, the Newton Moraes Dance Theatre seeks to create an exchange between the diverse arts, such as theatre, music, video and crafts, turning his shows even more original and diverse.

Inspiration and Hard Work

Each verse spoken or whispered in the form of dance has, as its source of inspiration, the universe that surrounds the dancer. His condition as a gay man, his love for Bob, the

By Juliana Dalla Translated by Loretta Murphy

The Brazilian Newton Moraes is a poet of the human body, who ties sensitivity into the art of dance. Through choreography that blooms from the hardships and the pleasures of the soul, he has become one of the major references of contemporary ballet in Canada.


ART | 7

S DANCE THEATHRE DE PORTO ALEGRE PARA O MUNDO artistic trends in the world: everything can become raw material for his creations. Of all these inspirations, one in particular deserves mention: “I count on my mentor Jean Sasportes, a dancer in the German dance company Pina Bausch Wuppertal Tanztheater. He is one of my greatest inspirations,” says Newton. Even with the support of the public and of critics, the dancer works hard to prove the importance of his art and the need for dance in society. Without the support he receives from friends, partners, and some representations, institutions and companies, many of his performances would not make it to the stage. “Over these last 15 years, my company has received support from the Toronto Arts Council, Ontario Arts Council, the Canada Council for the Arts, the Consulate of Brazil in Toronto, the Embassy of Canada in Germany and in Colombia, the Department of Foreign Affairs Canada, the Municipality of Porto Alegre, the Choreographic Centre of Rio de Janeiro and the Goethe Institute in Toronto. At the moment, we are also receiving support from MelloHawk Logistics, the Consulate of Brazil in Toronto, Rio 40 Graus, Cintia de Souza, Bavia Arts, Wave Magazine, Brazil News, Discover Brazil Magazine, Brazil Day Canada, the BRAFFTV Festival and the Brazil Film Fest.

I insist on mentioning and thanking everyone, because I think this recognition is important. “ Newton also fondly remembers those who are no longer here to applaud him, but who were essential for the dancer to achieve his deserved success: “I would like to mention three people who were very important to me and who, unfortunately or fortunately, are already somewhere else: my eternal friend, companion and supporter Robert Shirley, my spiritual guide Father Beto de Xango and a great friend who left us too early, André Gravelin, Dre. “ Such generosity, gratitude and sensitivity charm those who have the fortunate opportunity to take a few steps, whether on stage, in the audience or in life, beside Newton Moraes. Brazil, The Land of Tears and Soul Local: Teatro Betty Oliphant Theatre 404 Jarvis Street, Toronto Datas: 11, 12, 13 e 14 de setembro Horário: 20 horas Ingressos: $25 Adultos / $20 Estudantes $10 Crianças Mais informações: www.newtonmoraesdancetheatre.com

Por Juliana Dalla

O brasileiro Newton Moraes é um poeta do corpo, que coloca a sensibilidade humana a serviço da dança. Através de coreografias que florescem das agruras e dos prazeres da alma, ele se tornou uma das grandes referências do balé contemporâneo no Canadá.

N

ewton Moraes deu seus primeiros passos no mundo da dança ainda em Porto Alegre, cidade localizada no extremo sul do Brasil. O coração e o desejo de aprimorar sua arte fizeram com que o bailarino se mudasse para o Canadá em 1991. “Vim para o Canadá a convite do antropólogo Robert Shirley. Ele sempre me incentivou a desenvolver minha arte e disse que, aqui no Canadá, eu teria mais chances de aprender novas técnicas, pois este é um dos países de vanguarda no mundo da dança. Bob, como eu carinhosamente o chamava, foi meu companheiro por 23 anos, até seu falecimento em 2008”, conta ele. Em Toronto, Newton criou a companhia de dança Newton Moraes Dance Theatre, reconhecida e respeitada internacionalmente por integrar as artes latino-americana e canadense em seu repertório.

Newton Moraes Dance Theatre

Os espetáculos da Companhia conseguem cativar e sensibilizar o público de maneira singular. Newton acredita que isso se deve ao fato das performances refletirem o multiculturalismo que os canadenses, nascidos ou criados aqui, vivenciam diariamente no país: “As obras da Companhia sempre apresentam uma visão brasileira de aspectos e temas universais, como as relações humanas e a busca espiritual, fazendo com que sempre exista a possibilidade do público se identificar com algum aspecto do trabalho que apresentamos.” Além das temáticas de conteúdo universal, a Newton Moraes Dance Theatre procura fazer um intercâmbio entre as mais diversas artes, como teatro, música, vídeo e artesanato, levando ainda mais originalidade e diversidade a seus espetáculos.

Inspiração e transpiração

Cada verso proferido ou sussurrado em forma de dança tem como fonte de inspiração o universo que rodeia o bailarino. Sua condição de homem gay, seu amor por Bob, as tendências artísticas no mundo: tudo pode virar matéria-prima para suas criações. De todas essas inspirações, uma, em especial, merece destaque: “conto com meu mentor Jean Sasportes, bailarino da


8 |ARTE companhia de dança alemã Pina Bausch Wuppertal Tanztheater. Ele é uma de minhas maiores inspirações”, revela Newton. Mesmo com o respaldo do público e da crítica, o bailarino precisa transpirar muito para provar a importância de sua arte e a necessidade da dança dentro da sociedade. Sem o apoio que recebe de amigos, parceiros e de algumas representações, instituições e empresas, muitas de suas performances não conseguiriam chegar aos palcos. “Durante estes 15 anos, minha companhia recebeu o apoio do Toronto Arts Council, Ontario Arts Council, do Canada Council for the Arts, do Consulado do Brasil em Toronto, das embaixadas do Canadá na Alemanha e na Colômbia, do Departamento das Relações Exteriores do Canadá, da Prefeitura de Porto Alegre, do Centro Coreográfico do Rio de Janeiro e do Goethe Instituto de Toronto. No momento, estamos também recebendo apoio do MelloHawk Logistics, do Consulado do Brasil em Toronto, do Rio 40 Graus, da Cintia de Souza, da Bavia Arts, da Wave Magazine, do Brasil News, da Discover Brazil Magazine, da Brasil Day Canada, do BRAFFTV Festival e do Brasil Film Fest. Faço questão de citar e agradecer cada um, pois acho importante este reconhecimento.” Newton também lembra, com carinho, daqueles que já não estão mais aqui para aplaudi-lo, mas que foram imprescindíveis para que o bailarino alcançasse o sucesso merecido: “Gostaria de citar três pessoas muito importante para mim e que, infelizmente ou felizmente, já se encontram em algum outro lugar: meu eterno amigo, companheiro e apoiador Robert Shirley, meu guia espiritual Pai Beto de Xangô e um grande amigo que nos deixou muito cedo, André Gravelin, o Dre.” Tamanha generosidade, gratitude e sensibilidade encanta dentro e fora dos palcos aqueles que têm a feliz oportunidade de dar alguns passos, seja no palco, na plateia ou na vida, ao lado de Newton Moraes.


MEDIA | 9

Communication and sports in the blood and in the soul Alexandre Franco is a reference in the Luso-Canadian media By Marta Almeida. Translated by Loretta Murphy

B

orn in Mozambique while still a Portuguese province, Alexandre Franco always says with great pride that he is Portuguese, but not from the Azores, nor Madeira, nor the Continent. He began his career in journa-

lism in Lourenço Marques, known as Maputo today. A trajectory marked by new beginnings in Portugal and here in Canada, where today he heads the newspaper “ Milénio Stadium”.

The beginning With a career of nearly 45 years, it all started with a joke. “It was one of the most beautiful things,” says Alexander. After recording the narration of a soccer game for friends, he was encouraged to invest in radio announcing and so he did. He was selected from hundreds of applicants for the Radio Club of Mozambique. From there, he went through several newspapers and radio stations in Portugal and also in the major Portuguese language media companies in Montreal and Toronto, including the Radio Club of Montreal, the Portuguese Radio Club of Toronto,

Alexandre Franco.

CIRV-FM, FPtv and OMNI-TV . In 1990, he created the “ Jornal Stadium”, which became the sports supplement to “Milénio”, a publication that he directs and to

Local communication

which is fully dedicated today, “with much pleasure”, emphasizes the journalist.

With the authority of someone who knows, as

Passion for sports

few do, the media directed towards the Portu-

In these nearly five decades in the profession, Alexandre highlights coverage

guese-speaking community, Alexandre Franco la-

of major sporting events. Sports was indeed a natural option. “I was born into

ments that there is some lack of professionalism

sports, started in sports journalism and then everything happened naturally,” says

in the industry, because often what prevails is the

Alexandre Franco who, in addition to being a journalist, was also an athlete and

thought that everyone is self-sufficient, which he

basketball coach. But as a complete professional, he accumulates work in all are-

considers wrong: “ The truth is that this has been

as and unforgettable interviews, such as the ones he did with the President of

happening since the dawn of Luso-Canadian me-

Portugal - Cavaco Silva, Pelé, Eusébio, Amália Rodrigues, actor Antonio Banderas,

dia,” he says. Thus, Alexander hopes that jour-

the then Prime Minister Brian Mulroney and the great South African leader, Nelson

nalists working in the community will develop a

Mandela.

better understanding of their missions.

Sempre servindo a comunidade brasileira

013 2 1 2 00

Faça agora sua reserva para a Copa do Mundo 2014 brasiltravel@brasiltravel.ca

1-800-582-9156 www.brasiltravel.ca

1452 Dundas St. W. Toronto, ON M6J 1Y6 Tel.: 416-537-0123


10 | MÍDIA

Comunicação e esporte no sangue e na alma ALEXANDRE FRANCO Por Marta Almeida.

Referência na Mídia Luso-Canadiana

Nascido em Moçambique, quando ainda era uma província portuguesa, Alexandre Franco sempre diz com orgulho que é português, mas não dos Açores, nem da Madeira, nem do Continente. Em Lourenço Marques, hoje Maputo, iniciou a carreira jornalística. Uma trajetória marcada por recomeços em Portugal e aqui no Canadá, onde hoje está frente do jornal “Milénio Stadium”.

Já são quase 45 anos de carreira e tudo começou com uma brincadeira.

J

á são quase 45 anos de carreira e tudo começou com uma brincadeira. “Foi uma das coisas mais lindas”, conta Alexandre. Depois de gravar a narração de um jogo de futebol para os amigos, foi incentivado a investir na locução e assim o fez, sendo selecionado entre centenas de candidatos para a Rádio Clube de Moçambique.De lá para cá, passou por diversos jornais e rádios também em Portugal e nas principais empresas de comunicação de língua portuguesa em Montreal e Toronto, entre elas Rádio Clube de Montreal, Rádio Clube Português de Toronto, CIRV-FM, FPtv e OMNI-TV. Em 1990, criou o “Jornal Stadium”, que se tornou suplemento esportivo do “Milénio”, publicação que dirige e a qual se dedica integralmente hoje, “com muito gosto”, enfatiza o jornalista.

Ao lado de Peter Ferreira, especialista em imigração.

Paixão pelo esporte Nestas quase cinco décadas de profissão, Alexandre destaca coberturas de eventos esportivos importantes. O esporte aliás foi uma opção natural. “Nasci no desporto, comecei no jornalismo desportivo e depois tudo aconteceu naturalmente”, conta Alexandre Franco que, além de jornalista, foi também atleta e treinador de basquetebol. Mas como profissional completo, acumula trabalhos em todas as áreas e entrevistas inesquecíveis, como as que fez com o presidente de Portugal Cavaco Silva, Pelé, Eusébio, Amália Rodrigues, o ator António Banderas, o então Primeiro Ministro Brian Mulroney e o grande líder sulafricano Nelson Mandela.

Comunicação local

Com Carlos Barroca, comentarista de esportes da RTP de Portugal.

Com autoridade de quem conhece como poucos a mídia voltada para a comunidade de língua portuguesa, Alexandre Franco lamenta que haja alguma falta de profissionalismo no setor, pois muitas vezes o que predomina é o pensamento de que todos são autossuficientes e o que ele considera errado: “A verdade é que isso acontece desde os primórdios da mídia luso-canadiana,” diz. Sendo assim, Alexandre torce para que os jornalistas que atuam na comunidade tenham melhor compreensão das suas missões.


BUSINESS| 11

Luso-Canadian Entrepreneurship The success of Portuguese entrepreneurs in Toronto By Marta Almeida. Translated by Loretta Murphy

S

ince the beginning of the of immigration process to Canada, even in the fifties, many Portuguese brought with them the dream of owning a business and being their own boss. In Toronto, projects were initially concentrated in the Kensington Market area, where many Portuguese chose to live. Over the years, business directed at the Portuguese community has expanded beyond Dundas Street West, reaching College as well, and that is how Little Portugal was born. Today, with the growth of the community in other areas of the city, you can buy a little of everything, speaking Portuguese, in regions such as Dupont Street, Rogers Road, and even outside of Toronto, including Mississauga, where there are several Portuguese businesses.

Breaking barriers The Portuguese-based commercial niche brought to Canada products and services sought by immigrants. There are companies in virtually every segment that are managed by Portuguese, some already representing the third or fourth generation of pioneers. The Portuguese Commercial Guide, published for over 38 years, is a testament to Portuguese entrepreneurship on Canadian soil. There are about 300 pages with telephone numbers and addresses of

Luís Pavão believes there is a market for Portuguese products in other communities in Toronto. Portuguese companies and professionals established in Canada. And there is no lack of optimism among them. Luís Pavão, owner of a traditional Portuguese sausage and butcher shop, states that the recent economic crisis has not affected business directed towards the Portuguese community in Toronto. “The Portuguese community is very hardworking, is highly connected with the construction industry, and not much has gone down in that sector,” said Pavão, whose company was founded by his grandparents in Portugal. Today he has four shops with 70 employees and 45 proprietary products, for a total of 30 tons sold per month. The entrepreneur credits this growth to the fact that his current focus is to serve other ethnic groups. In his opinion, business targeting only the Portuguese had its heyday 3 or 4 decades ago, and the secret to success is now to broaden horizons: “We are grateful to the Portuguese community, but I believe we can bring our expertise to other communities. The important thing is to show that our products are good. “


12 | POLITICS

O sucesso dos empresários po

EMPREENDORISMO LU

Luís Pavão, dono de uma tradicional salsicharia e talho português chega a afirmar que a crise econômica recente não afetou muito o comércio voltado para a comunidade portuguesa em Toronto. “... porque a comunidade portuguesa é muito trabalhadora, está com uma grande ligação na construção e este setor não baixou muito aqui,”


ortugueses em Toronto

USO-CANADIANO

Luís Pavão acredita que há potencial para os produtos portugueses em outras comunidades

D

esde que iniciaram o processo de imigração para o Canadá, ainda nos anos cinquenta, muitos portugueses trouxeram na bagagem o sonho de ter um negócio e ser o próprio

patrão. Em Toronto, os empreendimentos se concentraram inicialmente no “Kensington Market”, área escolhida por muitos portugueses para morar. Com o passar dos anos, o comércio voltado para a comunidade portuguesa se expandiu para além da Dundas Street West, atingindo também a College, nascendo assim a “Little Portugal”. Hoje, com o crescimento da comunidade em outras áreas da cidade, é possível comprar de tudo um pouco, falando português, em regiões como da Dupont Street, Rogers Road e até mesmo fora de Toronto como em Mississauga onde existem várias empresas de origem portuguesa.

NEGÓCIOS| 13 por Marta Almeida

Rompendo barreiras O nicho comercial voltado para a comunidade portuguesa trouxe para o Canadá, produtos e serviços procurados pelos imigrantes. Há empresas em praticamente todos os seguimentos que são geridas por portugueses, algumas já na terceira ou quarta geração dos pioneiros. O Guia Comercial Português publicado há 38 anos é uma prova do empreendedorismo português em terras canadenses. São cerca de 300 páginas com telefones e endereços de empresas e profissionais liberais portugueses estabelecidos no Canadá. E não falta otimismo entre eles. Luís Pavão, dono de uma tradicional salsicharia e talho português chega a afirmar que a crise econômica recente não afetou muito o comércio voltado para a comunidade portuguesa em Toronto. “... porque a comunidade portuguesa é muito trabalhadora, está com uma grande ligação na construção e este setor não baixou muito aqui,” afirma Pavão, cuja empresa foi fundada por seus avós ainda em Portugal. Hoje já são 4 lojas, com 70 funcionários e 45 produtos próprios, num total de 30 toneladas comercializadas por mês. Crescimento que o empresário credita ao fato de que o foco atual é atender outras etnias. Para ele, o comércio voltado apenas para os portugueses já teve sua fase áurea há 3 ou 4 décadas atrás e o segredo do sucesso hoje é abrir os horizontes: “Somos gratos à comunidade portuguesa, mas acredito que podemos levar nossas especialidade a outras comunidades. O importante é mostrar que nossos produtos são bons.”


14 | POLITICS

ANA BAILÃO By Juliana Dalla | Translated by Loretta Murphy

Wave: You are Portuguese, born in Vila Franca de Xira. However, you have lived in Canada for many years. When and why did you decide to immigrate? Bailão: It was not exactly me who decided to immigrate. My parents came to Canada in 1988 as visitors, and then decided to stay. When they legalized their situation, my sister and I joined them in 1991. Wave: What were the major challenges you had to overcome during the cultural adaptation stage in Canada? Bailão: Adaptation is never easy, particularly for a teenager, as was my case. When I arrived, I did not speak English. I had to learn a new language, assimilate to a new culture and make new friends. Over time, it became easier and the various contacts that I was establishing at school and at work helped. I always juggled my studies with work, even while I was at university. Wave: In addition to challenges, all immigrants discover new values and ways of experiencing the culture of a new country. How did such values and customs enrich your life as a human being and a professional? Bailão: The respect that exists towards all faiths, races and ideologies fascinated me immediately. It is admirable that this harmony is achieved in the midst of so many cultures and different ways of life. The actual values of the society in which we live are an asset on a personal and professional level, and I always try to apply them. Wave: What led you into politics? Could you tell us a little about this journey? Bailão: As I mentioned earlier, I always juggled my work with my studies. In my final year at the University of Toronto, I met the then Councillor Mario Silva.The involvement that he had at the community level helped me get a job in his office in the City Council. Then I developed a passion that already existed. I always saw politics as a tool that allows us to provide a public service and help in various ways. Municipal politics gives us the opportunity to be closer to people’s everyday lives. It is thinking of the residents of this city, which through politics, we put in place projects that meet their needs. The aim is to continuously improve the quality of life of those who contribute so much to society. Wave: Of the causes that you defend in the Toronto City Council, which were you able to implement and which one is your favourite? Bailão: I am in charge of the social housing portfolio, which is undoubtedly a cause that moves me. I believe there is room for much improvement in this area. We must always remember that

Ana Bailão

Luso-Canadian Councilwoman Ana Bailão is an active figure in the Toronto City Council, always ready to defend the interests of the residents in Ward 18. In an interview with Wave Magazine, the Councillor tells a little about her life story, her affection for Canadian values and the source of her passion for politics. everyone has the right to proper housing. The work we do on behalf of those who turn to social housing is done while thinking about the impact it has at other levels. Providing good housing structures indirectly contributes to a more active, more productive and safer society. Wave: You have a voice within the Portuguese-speaking community and seek to encourage the participation of our community in your political actions. What is the importance of constant and close contact with the community for the development of your work as a councillor? Bailão: My work only makes sense with the involvement of the Ward 18 community. In this respect, the Portuguese and Luso-Canadians who live in this area have always shown me special affection and a close relationship. It makes me happy, and serves as an incentive. Wave: What are the new political challenges that you face and how can our community help you confront those challenges? Bailão: One of the biggest problems that the city is facing is with regard to traffic and public transport. We have to accompany population growth with an effective system of transport and transit networks that contributes to moving millions of people daily. I’m always open to hearing the concerns and suggestions of the residents, in order to be able to develop strategies and solutions. Wave: Would you like to leave a message to the Portuguese-speaking community, which follows your work with great admiration and pride? Bailão: I would like to ensure that I want to continue to be an active voice for all the residents that I represent, and that I want to hear opinions, concerns and suggestions for Ward 18.


VEREADORA COUNCILLOR LUSO-CANADIANA

POLÍTICA| 15

Por Juliana Dalla

A vereadora luso-canadiana Ana Bailão é uma figura ativa na Câmara de Toronto, sempre prestes a defender os interesses dos moradores do bairro 18. Nesta entrevista à Wave Magazine, a vereadora conta um pouco sobre sua história de vida, seu carinho pelos valores canadenses e de onde surgiu sua paixão pela política. Wave: A senhora é portuguesa, natural de Vila Franca de Xira. Há muitos anos, porém, vive no Canadá. Quando e por que a senhora decidiu imigrar? Bailão: Não fui propriamente eu que decidi imigrar. Os meus pais chegaram ao Canadá em 1988 como visitantes, tendo depois decidido ficar. Quando legalizaram sua situação, eu e a minha irmã juntámo-nos a eles em 1991. Wave: Quais foram os grandes desafios que a senhora teve de contornar durante sua fase de adaptação cultural no Canadá?

By Juliana Dalla | Translated by Loretta Murphy

Bailão:Uma adaptação nunca é fácil, particularmente para uma adolescente, como era o meu caso. Quando cheguei, não falava inglês. Tive de aprender a nova língua, assimilar uma nova cultura e fazer novas amizades. Com o passar do tempo, foi ficando mais fácil e os vários contactos que fui estabelecendo na escola e no trabalho ajudaram. Sempre conciliei os estudos com trabalho, mesmo durante o meu percurso universitário. Wave: Além de desafios, todo imigrante descobre novos valores e costumes ao experienciar a cultura do novo país. Como tais valores e costumes enriqueceram a senhora como ser humano e profissional?

WA RD

18,

TOR ONT

O

Bailão: O respeito que existe para com todas as crenças, raças e ideologias fascinou-me desde logo. É admirável esta harmonia que se consegue no meio de tantas culturas e formas de vida distintas. Os valores próprios da sociedade em que vivemos são uma mais-valia a nível pessoal e profissional, e eu tento aplicá-los sempre.


16 | POLÍTICA Wave: O que levou a senhora para a política? Poderia nos contar um pouco sobre essa trajetória? Bailão: Como mencionei anteriormente, sempre conciliei o trabalho com os estudos. No último ano do curso na Universidade de Toronto, conheci o então vereador Mário Silva. O envolvimento que já tinha a nível comunitário, ajudou-me a conseguir um trabalho no seu gabinete da Câmara. Aí pude desenvolver uma paixão que já existia. Sempre vi a política como uma ferramenta, que nos permite prestar um serviço público e ajudar de várias formas. A política municipal dá-nos a oportunidade de estar mais próximos do quotidiano das pessoas. É a pensar nos moradores desta cidade, que através da política, colocamos em prática projectos que vão ao encontro de suas necessidades. O objectivo é sempre incrementar a qualidade de vida de quem tanto contribui com a sociedade. Wave: Das causas defendidas pela senhora dentro da Câmara de Toronto, quais conseguiram ser concretizadas e por qual delas a senhora tem um carinho especial? Bailão: Sou responsável pela pasta da habitação social, que é, sem dúvida, uma causa que me move. Acredito que há espaço para muitas melhorias nesta área. Devemos ter sempre presente que todos têm direito a uma habitação condigna. O trabalho que desenvolvemos em prol dos que recorrem à habitação social é feito a pensar no impacto que tem a outros níveis. Ao proporcionar uma boa estrutura habitacional, estamos indirectamente a contribuir para uma sociedade mais activa, mais produtiva e mais segura. Wave: A senhora tem voz ativa dentro da comunidade de língua portuguesa e procura estimular a participação de nossa comunidade em suas ações políticas. Qual a importância desse contato íntimo e constante com a comunidade para o desenvolvimento do seu trabalho como vereadora? Bailão: O meu desempenho só faz sentido com o envolvimento da comunidade do bairro 18. Nesse aspecto, os portugueses e luso-canadianos que vivem nesta área sempre me demonstraram um carinho especial e uma maior aproximação. Deixa-me feliz e serve de incentivo.

Wave: Quais são os novos desafios políticos da senhora e de que forma nossa comunidade pode ajudá-la a concretizar tais desafios? Bailão: Um dos maiores problemas que a cidade tem pela frente diz respeito ao trânsito e aos transportes públicos. É necessário acompanhar o crescimento populacional com um sistema de transportes e redes de trânsito eficazes e que contribuam para movimentar milhões de pessoas diariamente. Estou sempre aberta a ouvir as preocupações e sugestões dos moradores, para, consequentemente, poder elaborar estratégias e apresentar soluções. Wave: A senhora gostaria de deixar um recado à comunidade de língua portuguesa, que acompanha seu trabalho com grande admiração e orgulho? Bailão: Gostaria de assegurar que quero continuar a ser uma voz activa para todos os moradores que represento, e que quero ouvir opiniões, preocupações e sugestões para o bairro 18.


CARLA NETO

Carla Neto (esquerda) com Tchi, Yara e Denzel.

T

he dancer and social worker Carla Neto is one of those people who, when you mention her name in a circle of friends form the community, receives an avalanche of praise. And for good reason. After all, this Angolan-Canadian is dedicated heart and soul to the Portuguese language and culture and to girls and women who are victims of domestic violence in Toronto.

Life journey Born in Malanje, Angola, Carla Neto came to Canada in 1987, with the objective of living with her father in Ottawa and studying. At the beginning, the adjustment was difficult. “The first eight months were very difficult, mainly because I didn’t speak English and, though I was living with my father, I felt very isolated. I longed for my mother, my friends and family,” says Carla. But Carla was able to transform the obstacles into learning: “The first thing I noticed, and it was very different from Angola, was that I didn’t know my neighbours. People barely communicated. My father worked nights and I studied during the day, so I felt the lack of socializing with friends and neighbours even more. I used the solitude to concentrate on learning English. I watched a lot of TV, and it also helped me improve my language skills.”

SOCIAL WORK| 17

By Juliana Dalla. Translated by Loretta Murphy

In search of more opportunities, Carla and her father moved from Ottawa to Toronto later on. The multiculturalism of the metropolis made them feel less distant from the Angolan culture and identity. Carla then realized that there were not only differences between the Angolan and Canadian cultures: “In the beginning, I did not notice the similarities between the two cultures. Because I think the thing I feared most was losing my Angolan / African identity. Later, I realized that there are shared values between the two cultures, which manifest themselves differently. For example, both the Canadian and the Angolan people are hospitable. However, they differ from each other in how they show hospitality. The Angolan is more outgoing, and the Canadian, more reserved. “.

YWCA Toronto Carla is not only admired for her samba dance moves, but also for the exemplary work she performs at YWCA Toronto, a feminist organization dedicated to improving the lives of young girls, women and their children. Carla began working at the organization as an intern in her fourth year of Social Work at Ryerson University. Today, she manages an emergency shelter for women and children victimized by domestic violence. “We help women and girls escape violence, we help them seek safe and permanent housing, look for jobs, find their voices, improve skills and develop confidence. We have housing programs, community support programs, programs for girls and programs for families. We also devote efforts to making systemic changes that reduce the oppression of women, “ she explains.


18 | SOCIAL WORK

CARLA NETO Por Juliana Dalla

A dançarina e assistente social Carla Neto é uma dessas pessoas que, quando você cita o nome em uma roda de amigos da comunidade, recebe de volta uma verdadeira avalanche de elogios. E não é para menos. Afinal, essa angolana de coração canadense se dedica de corpo e alma à cultura de língua portuguesa e às meninas e mulheres vítimas de violência doméstica em Toronto.

Carla and Denzel.

Appreciation

Trajetória de vida

I have Brazil in my heart. It is with great honour and respon-

A

sibility that I have often represented the Brazilian culture as

rém, Carla soube transformar os obstáculos em aprendizado: “A pri-

best I could, through samba, which is rooted in the “semba”,

meira coisa que reparei, e que era muito diferente de Angola, foi que

and through my dance company The Samba Connection. Ta-

não conhecia os meus vizinhos. As pessoas mal se comunicavam. O

nia Nuttall, who entrusted me with the responsibility and the

meu pai trabalhava de noite e eu estudava durante o dia, por isso,

job of Artistic Director for four years for Brazilian Day Cana-

sentia ainda mais a falta de amigos e convívio com vizinhos. Usei a

da. Angela Mesquita, who relies on the work that The Samba

solidão para me concentrar mais ainda em aprender inglês. Assistia

Connection does at her events. The Wave Magazine, for the

muita TV, e isso também ajudou a me aperfeiçoar na língua.”.

Carla Neto reciprocates the recognition that the receives

from the community, with the generosity that is so peculiar to her: “I would like to thank the Brazilian community for having welcomed me and adopting me from the very beginning, in 1989, when I felt most lost. I love this community and I have a great affinity with it, because we share many cultural values. My children are Brazilian citizens, and I always say that

ngolana natural de Malanje, Carla Neto chegou ao Canadá em 1987, com o objetivo de viver com seu pai em Ottawa e se formar. No começo, a adaptação foi difícil. “Os primeiros 8 meses foram muito difíceis, principalmente porque não tinha o domínio do inglês e, mesmo

morando com o meu pai, me sentia muito isolada, morrendo de saudades de minha mãe, meus amigos e familiares”, conta Carla. Po-

consideration and for this interview. To my Brazilian friends,

Em busca de mais oportunidades, Carla e seu pai se mudaram de

who have been family to me, too many to mention, but I would

Ottawa para Toronto tempos mais tarde. O multiculturalismo da me-

like to thank a Brazilian who is particularly super-special to

trópole fez com que eles se sentissem menos distantes da cultura

me, my godmother and Bahian sister Celia Shimanuki. God

angolana e de sua identidade. Carla, então, percebeu que não havia

bless you! “

só diferenças entre as culturas angolana e canadense: “No início,

To learn more about the YWCA and to volunteer in one of its

não percebi semelhanças entre as duas culturas. Acho que porque

ANGOLANA

a coisa que eu mais temia era perder a minha identidade angolana/

programs, visit www.ywcato0to.org

africana. Mais tarde, me dei conta que existem valores em comum entre as duas culturas, que se manifestam de maneira diferente. Por exemplo, tanto o povo canadense quanto o angolano é hospitaleiro. No entanto, eles diferem uns dos outros em como demonstram a hospitalidade. O angolano, mais entregue, e o canadense, mais reservado.”.


APOIO SOCIAL| 19

Agradecimento

YWCA Toronto Carla não é apenas admirada pelo seu gingado e samba no pé, mas também pelo trabalho exemplar que realiza na YWCA Toronto, organização feminista dedicada a melhorar a vida de jovens meninas, mulheres e seus filhos. Carla começou a trabalhar na organização como estagiária, no quarto ano do curso de Assistência Social pela Ryerson University. Hoje, gerencia abrigos de emergência para mulheres e seus filhos vitimados pela violência doméstica. “Nós ajudamos as mulheres e as meninas a escapar da violência, ajudamos a procurar moradia segura e permanente, a encontrar emprego,

a estabelecer

suas vozes, a melhorar as habilidades e

Carla and Tchi.

desenvolver autoconfiança. Temos programas habitacionais, programas de apoio à comunidade, programas para meninas e programas para família e também dedicamos esforços para que mudanças sistêmicas, que diminuam a opressão da mulher,

O reconhecimento que Carla Neto recebe da comunidade, ela retribui com a generosidade que tanto lhe é peculiar: “Eu gostaria de agradecer a comunidade brasileira por terem me acolhido e me adotado bem no início, em 1989, quando eu mais me senti perdida. Eu amo essa comunidade e tenho muita afinidade com ela, porque partilhamos muitos valores culturais. Meus filhos são cidadãos brasileiros, e eu sempre digo que tenho Brasil no meu coração. É com muita honra e responsabilidade que, muitas vezes, representei a cultura brasileira da melhor maneira que pude, através do samba, que tem como raiz o “semba”, e da minha companhia de dança The Samba Connection. A Tania Nuttall, que me confiou o cargo e a tarefa de Directora Artística por 4 anos do Brazilian Day Canada. A Angela Mesquita, que confia no trabalho que o The Samba Connection faz nos seus eventos. A Wave Magazine, pelo consideração e por esta entrevista. Aos meus amigos e amigas brasileiros, que tem sido família para mim; muitos para mencionar, mas gostaria de agradecer particularmente uma brasileira superespecial para mim, a minha comadre e irmã baiana Celia Shimanuki. Deus vos abençoe!” Para conhecer mais sobre a YWCA e voluntariar em um de seus programas, acesse o site www.ywcatoronto.org

aconteçam”, explica.

Família Vida Nova Unindo vidas no amor de Cristo

Eventos Especiais: 1. No dia 8 de setembro, às 7pm - Teremos um debate

sobre criacionismo e evolucionismo. Vale a pena conferir! 2. No dia 14 de setembro, sábado às 7:30pm o tema que vai rolar interessa a todos nós - SOLIDÃO O MAL DO SÉCULO. Vamos conversar sobre este importante assunto que tem afetado quase todos em geral. Especialmente neste país gelado, a tendência é que o frio entre também nos corações. Venha e sairá incendiado pelo calor de uma mensagem quen�ssima! 3. Nos dias 12 a 14 de Outubro teremos um RETIRO no Camp. Muito mais que apenas ir para o camp. Quer saber mais? Entre no site - www.vidanova.ca ou ligue: 416 885-1016 e 647.991-1019

Estamos presentes em Toronto, sendo sal da terra e luz do mundo. Nosso maior obje�vo é que a Luz de Cristo brilhe intensamente na vida de todas as pessoas, famílias, cidade, país e no mundo todo. Manifestar a graça de Deus no meio das desgraças que sempre grassam na sociedade em geral é nosso alvo prioritário. Que Cristo seja conhecido, reconhecido e recebido pelo maior número de vidas para que toda terra experimente as maravilhas exponenciais do Senhor. Temos muitas a�vidades. Convidamos carinhosamente todos para par�ciparem conosco. Agenda semanal Segunda a Sexta ~ - 6h15 am Oraçao Quarta-feira ~ e estudo da Oraçao Palavra- 8 pm

Domingo Escola Bíblica Dominical 6 pm ~ Celebraçao 7 pm

Sexta-feira ~ - 8 pm Oraçao Pastores Ceny Tavares Bruno Ferreira

2363 Saint Clair West Ave - Toronto - Tel. (416) 766 5695 - www.vidanova.ca


Auto Escola

Psicoterapia

Imóveis

Estética e Beleza

Your MAKET PLACE PSICOTERAPEUTA BRASILEIRA

ALEX DRIVING

ASSOCIADA A

Instrutor Brasileiro Alexandre

Atende em Português Adulto, Casal e Família

nussdrivingschool@hotmail.com

Sociedade de Psicanálise de Toronto

York Mills / Bayview Nesbitt / Bayview College / Bathurst

Yone Teixeira

Tel.: (416) 834-3929

yoneteixeira@hotmail.com

LUMA HAIR DESIGN UNISEX SALON

1604 Dundas St. W. (Brock) Tel: 416-530-2954 ou (416) 985-7011

De 2ª a 6ª das 9h às 19h. Sáb. das 8h às 19h. Cabeleireiras portuguesa e brasileira, especializadas em highlights, cortes, permanentes, penteados, hidratação e escova progressiva. Manicure e pedicure, depilação à brasileira, tratamento com parafina, shellac, extração de calos.

Tel.: (416) 841-0666 Você já tem sua carteira de motorista?

Sergio Da Silva Sales Representative

Relaxamento Penteados

Centro Espírita

Repouso do Caminho Rest On The Way Spiritist Center 1268 St. Clair Ave. W. 2nd Floor Tel.: (416) 786-6009 Email: restontheway@yahoo.ca Website: www.restontheway.org 2a. feira: Tratamento Espiritual 4a. feira: 19:30h às 20:30h - Estudos em Inglês / Atendimento Fraterno / Passes Domingo: 10:30h às 11:30h - Reunião Publica e Evangelização Infantil.

Com mais de 10 anos de experiência na área.

Cabeleireira especializada em:

Highlights

- Profissional treinado em testes G2 e G Marcamos seu teste com rapidez Aulas no horário de sua conveniência ENTRE EM CONTATO!

2740 Matheson Blvd East, Unit 5 Mississauga, ON, L4W 4X3 Canada Tel: +1-416-465-3459 Ext: 225 Fax: +1-416-465-6206 Nadia Silva Ext. 230 | Claudia Ribeiro Ext. 228 info@mellohawk.com | www.mellohawk.com

Pensando em comprar ou vender a sua casa?

Tinturas Corte Unisex

Salão Os Patrícios - 1346 Dundas St, West, Toronto - ON

Tel: 416-420-4111

Christina’s Hair Studio Unisex

Entre em contato hoje mesmo para iniciarmos o processo de compra ou venda de seu imóvel

CEL: 416-893-7842 OFFICE: 416-535-8000

Mortgage

Specializing in foil highlights, perming, haircutting, up-dos. Skin care, facials, waxing, manicure, pedicure, electrolysis. 1420 Dundas St. West Toronto

Tel.: (416) 538-1633

Mudanças para o Brasil, Portugal e o Mundo . Frete aéreo e marítimo ( import / export ) . Liberação de alfandega “Atuamos em Todo o Canadá” Toll Free: 1-866-746-6722 . Trade Show / Feiras


Tradução

Dentista

Roupa Feminina

Quitutes

Your MAKET PLACE Contate Sandra

Kitty’s Cake Design

         O bolo ideal para celebrar eventos e ocasiões especiais!

www.aguanaboca.ca Tel.: 416.285.8271|Cel: 416.803.6881

Faça a sua encomenda para suas festas.

www.kittyscakedesign.com 647-993-2895 | kittysalvador@hotmail.com | Facebook - Kitty’s Cake Design

Unique Dental Hygiene Office

DeniseRDHNeves

Free parking Atendimento personalizado Aceitamos todos os seguros

Ligue e agende sua consulta!

647 890 2002

385 The Westmall Unit 5 - Etobicoke - M9C 1E7


Negócios

Oportunid ades

Toronto

Imobiliári as

Your MAKET PLACE GADEC

Management Consulting Group for Business Development and Competitiveness

Considering Brazil?

Opportunity Awaits.

Pensando em comprar ou vender sua casa?

Are You Ready to Expand Your Operations into Latin America? Brazil is Latin America’s biggest economy and has overtaken Britain and France to become the sixth largest economy in the world.

If your company is interested in exploring Brazil as a new market... Talk to us! GADEC offers support for foreign companies - Newcomers and Start-ups - in Brazil. Our group of highly qualified senior professionals is skilled to provide support services in areas such as: Business Strategy / Management / Organization, Sales / Marketing / Communications / PR; Location, Recruiting, Executive Search / Employee Selection, Purchasing / Procurement / Transportation, Logistics. Business and family cultural adjustments.

Visit our website:

GADEC.COM.BR

Contact us: info@gadec.com.br São Paulo, SP | Brazil

Regina Filippov Sales Representative

reginaf@sympatico.ca

416-201-1009 WWW.REGINAF.COM


Tradução

Imigração

Toronto-GTA

Quitutes

Your MAKET PLACE Loretta Murphy Translations LEARN ENGLISH Tradução Juramentada

Português e Espanhol AT

Inglês

Loretta Murphy, tradutora juramentada ATIO - ATIA - OTTIAQ

 Carteiras de Motorista  Certidões de Nascimento  Certidões de Casamento  Certidões de Divórcio  Ementas

 Históricos  Diplomas  Antecedentes  Declarações  Extratos

Tel.: 416-792-8545 lorettamurphy@rogers.com lorettamurphytranslations.com

INGREDIENTS FOR YOUR PASSION

WWW.RECIPIECES.CA


Wave special 1 september2013  

The strength of the Portuguese speaking community in Toronto

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you