Brasil de Fato PR - Edição 90

Page 1

Melhor do mundo, só Marta

Paraná | p. 6

Lucas Figueiredo | CBF

Esportes | p. 8

Transexuais, direito de trocar nome

Em indicações para prêmio da Fifa, futebol masculino fica fora

Regulamentação facilita regularização de documentos sem necessidade de abertura de processo

Ano 3 | Edição 90

PARANÁ

26 de julho a 1 de agosto de 2018

distribuição gratuita

Mídia Ninja

MESES DEPOIS, POLÍCIA PRENDE SUSPEITOS DE MATAR MARIELLE No Paraná, atentados a militantes de movimentos sociais permanecem sem punição Brasil | p. 5

Professores afastados por manifestações Governo do Estado afasta profissionais da educação com base em leis da ditadura militar

Brasil | p. 5

Brasil | p. 4

Gleisi Hoffmann será candidata a deputada federal

Joka Madruga

Em entrevista ao BDF, atual senadora fala que não há alternativa a Lula e que concorrerá à Câmara Federal por estratégia do PT


2 | Opinião

Brasil de Fato PR

Paraná, 26 de julho a 1 de agosto de 2018

Em um cenário incerto, a democracia deve prevalecer

EDITORIAL

D

ia 15 de agosto é o prazo para registro das candidaturas à presidência do país. O cenário é incerto, mas começa a se desenhar. Com a adesão do apelidado “centrão político” (DEM, PP, PRB e Solidariedade) à candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB), os setores ligados aos bancos e à alta classe média devem apostar nessa candidatura, mesmo com o risco de que, até o momento, não tenha decolado nas pesquisas. A candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) tende a perder adesão, devido às suas propostas sem sentido. Mas, em comum entre Alckmin e Bolsonaro, o fato de apresentarem uma agenda que deve manter a economia dependente dos setores internacionais.

Certamente, um dos dois deverá disputar o segundo turno contra uma candidatura de esquerda, que, ao contrário, apresenta uma plataforma de investimentos públicos a partir do Estado. No meio disso, o “centrão” navega de acordo com o oportunismo, sem um programa definido. Por isso, desde 2014, cresce a demanda de uma profunda reforma política que consiga abolir as siglas partidárias de aluguel. Em tempos incertos, é fundamental que as eleições de 2018 mantenham a democracia, permitindo a participação da candidatura de Lula (PT), primeiro lugar nas pesquisas, no pleito. E que envolvam o debate de projeto popular para o país.

FOME

OPINIÃO

Apenas respeite meu espaço Shirley Pinheiro,

poetisa e diretora de Política Sindical do Sindicato dos Urbanitários do Paraná

Q

quase a ponto da aposentadoria, me engajei no movimento sindical. Neste campo me dei voz. Soube que nada aqui são favores que me fazem, mas este espaço é meu. Passei a brigar pelos meus direitos e assumir meu papel enquanto mulher e, acima de tudo, mulher negra. Hoje tenho corpo, que já não pode ser invisibilizado, e dele emana uma voz que já não pode ser silenciada. Sou Shirley Pinheiro, mulher negra, apenas respeite o meu espaço.

uando menina eu não era incomodada. Ninguém se metia comigo, ninguém falava comigo, aprendi então a ser invisível perante essa sociedade racista e machista. Na adolescência estava sempre sozinha porque mesmo que os meninos demonstrassem algum interesse eu pensava “não é para mim”. E assim fui me contentando com aquilo que eu podia ter. Depois veio o casamento e os Não sou do lar. muitos problemas. Nesse moNem recatada. mento tive que sair de casa e Muito menos bela ir pra rua, trabalhar, batalhar, Sou mulher guerreira. mas não só por mim: para poSou mulher negra. der criar os filhos. Continuava Sou mãe. Fui parideira. invisível, mas agora tinha resDei conta das minhas crias. ponsabilidades e outras pesTrabalhando noite e dia. soas que dependiam de mim. Batalha vencida na vida. Nada diferente das outras muHoje sou viajante. lheres negras a quem o espaço Visito terras distantes. da rua sempre foi imposto. EnÉ meu direito adquirido. quanto que o feminismo branNão abaixo minha cabeça. co brigava para poder trabalhar Não mudei minha essência. fora de casa, ainda no início do Hoje tenho a aparência. século, para nós mulheres neDe quem nesta vida venceu. gras, desde a escravização, o Não me chame nem de bela, trabalho foi mais um peso em muito menos de recatada. costas muito cansadas. Apenas respeite o meu espaço. Sem voz, mas com muito Ele é meu. Nunca foi seu. por fazer todos os dias. Apesar Se queres ao meu lado caminhar. de tudo, dentro desta invisibiVai ter que me respeitar. lidade consegui passar (quaSou mulher aguerrida. se) ilesa. Mais um história igual Sou dona do meu corpo e da a tantas, a mesma estrutura minha vida. racista que nos esmaga e nos Não sou propriedade de ninguém. faz sentir pequenas, as mesNasci livre e livre morrerei. mas dores, a mesma solidão, as Não me curvo a ninguém mesmas obrigações e a mesma Meu nome! Mulher. invisibilidade, se não fosse pela Meu sobrenome? Liberdade! luta. Shirley Pinheiro 19/03/2017 Bem perto da maturidade,

EXPEDIENTE O jornal Brasil de Fato circula em todo o país com edições regionais em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Paraná. Esta é a edição nº 90 do Brasil de Fato PR, que circula sempre às quintas-feiras. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais.

Brasil de Fato PR | Desde fevereiro de 2016 EDIÇÃO Frédi Vasconcelos e Pedro Carrano REPORTAGEM Ana Carolina Caldas, Franciele Petry Schramm e Laís Melo COLABORARAM NESTA EDIÇÃO Shirley Pinheiro, Leila de Paula ARTICULISTAS Adriano Rima, Marcio Mittelbach e Cesar Caldas REVISÃO Maurini Souza, Lia R. Bianchini e Priscila Murr FOTOGRAFIA Giorgia Prates, Joka Madruga e Gibran Mendes ADMINISTRAÇÃO Bernadete Ferreira e Denilson Pasin DISTRIBUIÇÃO Clara Lume DIAGRAMAÇÃO Vanda Moraes CONSELHO OPERATIVO Gustavo Erwin Kuss, Daniel Mittelbach, Luiz Fernando Rodrigues, Fernando Marcelino, Naiara Bittencourt e Robson Sebastian TIRAGEM SEMANAL 20 mil exemplares REDES SOCIAIS www.facebook.com/bdfpr CONTATO redacaopr@brasildefato.com.br IMPRESSÃO Grafinorte (Nei)


Brasil de Fato PR

Paraná, 26 de julho a 1 de agosto de 2018

Caravana denuncia volta da fome Marcello Casal Jr. | Agência Brasil

Leonardo Fernandes e Júlia Rohden Há quatro anos, em 2014, o Brasil comemorava sua saída do Mapa da Fome. Políticas públicas como a correção do salário-mínimo acima da inflação, a formalização do trabalho e as iniciativas para maior distribuição da renda, além do incentivo à pequena agricultura, foram as principais responsáveis. Mas de 2016 para cá o fantasma da fome voltou. Segundo o coordenador executivo da Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA), Alexandre Pires, o crescimento do desemprego, os cortes em benefícios sociais e o congelamento dos investimentos públicos em áreas sociais foram os principais fatores para o aumento da pobreza extrema. Dados levantados pela organização ActionAid Brasil revelam que 11,8 milhões de brasileiros estão em situação de extrema pobreza. Pires

afirma que essa extrema pobreza está intrinsecamente vincula à fome. “As pessoas não conseguem garantir condições de alimentação suficiente para viver”, avalia. Frente aos dados alarmantes, a ASA realiza, de 27 de julho a 5 de agosto, caravana que percorrerá mais de 4 mil quilômetros para registrar e denunciar a volta da fome no Brasil. O roteiro começa em Caetés (PE), passa por Curitiba (PR) até o destino final, que é Brasília, no dia 5 de agosto.

FRASE DA SEMANA

“Arte é para incomodar, é para fazer pensar. Para libertar a cabeça de m...”, disse a cantora Daniela Mercury no domingo, dia 22, ao falar da proibição da peça ‘O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu’ no Festival de Inverno de Garanhuns. Escrita pela autora trans inglesa Jo Clifford, a peça traz Renata Carvalho interpretando Jesus e mostrando como seria se vivesse nos dias atuais como uma travesti.

População é contrária a fechamento dos CRAS pela prefeitura Em audiências públicas, apenas bairro Boa Vista não vê problemas em reordenamento Pedro Carrano Conselheiros da sociedade civil, servidores públicos e entidades preocupadas com os rumos da Fundação de Ação Social (FAS) mobilizaram-se contra o fechamento de sete equipamentos dos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS), política chamada oficialmente de “reordenamento”, situação impedida na reunião do Conselho Municipal de Assistência Social (CMAS). A partir de manifestações de servidores, comunidade, sindicato municipal (Sismuc) e Ministério Público do Paraná, a gestão retirou o projeto da pauta do conselho e se viu obrigada a realizar audiências públicas com a comunidade.

Comunicou também que, no dia 31 de julho, reapresentaria o projeto após incorporar as recomendações das audiências e fundamentar tecnicamente que a proposta não teria consequências sobre a população. Debates ocorreram nos dias 19 e 20 de julho em oito regionais. O Ministério Público acompanhou todas as reuniões. A assistente social Valdevânia de Assis representou o Sismuc no conselho e criticou a pouca participação da comunidade em regionais como Santa Felicidade, isso porque a prefeitura divulgou as audiências em cima da hora. “Duas reuniões por período impediram a participação integral nas reuniões pra quem desejava acompanhar todas”, afirma Valdevânia.

3 | Geral

COMUNIDADE CONTRÁRIA Na visão de Valdevânia de Assis, assim mesmo, na maioria dos locais a comunidade foi contrária ao reordenamento e possível transferência do CRAS. À exceção do bairro Boa Vista, onde está prevista apenas transferência para um território de maior vulnerabilidade. Nesses espaços, a prefeitura justifica o reordenamento do CRAS pela falta de equipe e de contratação de pessoal. “Mas se está faltando, é responsabilidade da prefeitura fazer concursos e aumentar o quadro de trabalhadores”, argumenta.

Divulgação

RADAR DA LUTA Sem terrinha entrega manifesto Como parte do primeiro encontro dos Sem Terrinha, 1.200 crianças realizaram um passeio por Brasília. Uma das paradas foi no Ministério da Educação, onde entregaram manifesto. “Lutamos por nossos direitos, que não são cumpridos: nossas estradas são ruins e esburacadas; o transporte quase sempre quebra e entra muita poeira; muitas escolas estão sendo fechadas e outras são longe de nossas casas; falta material e temos poucos livros pra ler”, diz trecho do texto.

Pastor sai esperançoso de visita a Lula O pastor Inácio Lemke, 2º Vice-presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), mostrou-se impressionado com a força espiritual de Lula. O ex-presidente disse que seu grande objetivo é levar esperança de vida aos brasileiros, melhorando novamente os índices de economia e combatendo a pobreza. “Saí de lá com a minha esperança alimentada e vou levar isso para as nossas igrejas”, afirma.

Prioridade dos bancários é emprego Na Campanha Nacional dos Bancários 2018, uma das prioridades é a defesa do emprego. Em pesquisa dos sindicatos filiados à FETEC-PR, 34,51% assinalaram a opção “emprego” como prioridade. Em consulta nacional, 15% dos bancários priorizaram garantia do emprego e 14% querem impedir a terceirização.


4 | Brasil

Brasil de Fato PR

Paraná, 26 de julho a 1 de agosto de 2018

Lula é e será nosso candidato Gibran Mendes

“É um escândalo”, diz senadora francesa sobre prisão de Lula Laurence Cohen, do Partido Comunista Francês, denuncia a prisão de Lula em ato na Vigília Lula Livre Joka Madruga

Leila de Paula

Redação

A

presidenta do PT e senadora pelo Paraná, Gleisi Hoffmann, fala, em entrevista exclusiva ao BDF, da estratégia para manter o ex-presidente na disputa e de sua candidatura a deputada federal.

Brasil de Fato | O PT registrará a candidatura de Lula à presidência em 15 de agosto. A senhora acredita que será validada pela Justiça? Quais as alternativas para o PT? Gleisi Hoffmann Vamos lutar para isso acontecer. Com certeza o registro acontecerá no dia 15 de agosto com uma forte mobilização popular. Depois disso, nossos advogados estão preparados para enfrentar todos os questionamentos. Lula é e será o nosso candidato. Aqui no Paraná, o quadro de candidaturas ainda não está claro. Como a senhora acha que serão as alianças e candidaturas para governador e para o Senado? Está tudo muito confuso e, infelizmente, os candidatos competitivos para o governo do Estado estão no mesmo campo político. O que vai dar pou-

ca alternativa ao povo paranaense. Em relação ao Senado, como ao governo, o PT vai lançar candidatos. Mas também tem o compromisso de reeleger o senador Roberto Requião, um lutador, um guerreiro lá no Senado da República. A informação é que a senhora não disputará novo mandato ao Senado, é pré-candidata a deputada federal? Por que essa opção? E quais suas principais bandeiras? Isso mesmo, sou pré-candidata a deputada federal. Minhas principais pautas são as do povo brasileiro. Revogação da emenda constitucional 95 (que congela gastos sociais), da reforma trabalhista, do ensino médio, da tentativa de privatização da Petrobras.Quero estar no Congresso ao lado do presidente Lula, que será o próximo presidente, aprovando projetos que beneficiem o povo brasileiro. Existe também uma estratégia para aumentar a bancada de deputados federais do PT. Acreditamos que, com uma bancada forte, possamos influenciar mais para uma pauta progressista, que dialogue com os interesses dos trabalhadores. Ser candidata a deputada federal também faz parte de uma estratégia nacional.

O bom dia ao ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva foi um coro de vozes femininas na manhã do dia 25 (quarta) e teve a participação da Senadora da província de Val Marne pelo Partido Comunista Francês, Laurence Cohen, do Coletivo de Mulheres da CUT-SP e MST. Em deúncia à ilegalidade da prisão de Lula, Laurence afirmou que é um escândalo o fato de uma parlamentar francesa vir ao Brasil e não poder visitar o petista, preso político há 110 dias na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Questionada sobre o cenário político nacional, que tem o petista liderando as pesquisas de intenção de voto nas próximas eleições, a senadora, enquanto democrata progressista, disse estar chocada com a situação do país. “Incluindo o reflexo negativo do golpe contra Dilma Rousseff para afastá-la do poder, o que está acontecendo no Brasil é extremante preocupante”. Laurence menciona ainda as injustiças contra o ex-presidente do Equador, Rafael Correia, muito semelhante ao que vem sendo feito contra Lula. A senadora garantiu que irá informar ao seu país sobre a conjuntura política brasileira. PUBLICIDADE

Dia da Mulher Negra O feminismo foi debatido na roda de conversa “Análise de conjuntura e as consequências do golpe na vida das Mulheres” ao longo da manhã na Vigília Lula Livre. As palestrantes resgataram a história da líder quilombola que deu nome ao Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, comemorado no dia 25 de julho (lei sancionada por Dilma Rousseff, em 2014), mesma data do Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. Juliana Mittelbach, da direção da CUT-PR, afirma que esses encontros discutem os mecanismos para dar visibilidade à mulher negra nos movimentos sociais, mas sobretudo para protagonizar a luta política. Adriana Oliveira, da coordenação do MST-PR abordou o impacto dos retrocessos políticos para as mulheres do campo.


Brasil de Fato PR

Paraná, 26 de julho a 1 de agosto de 2018

5 | Mundo

Meses depois, polícia prende suspeitos de matar Marielle No Paraná, há licença para matar. Crimes contra militantes sociais ficam impunes Redação

Q

uase cinco meses após o crime, dois suspeitos da execução da veradora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista, Anderson Gomes, foram presos pela polícia no Rio de Janeiro. São o ex-policial militar Alan de Moraes Nougueira e o ex-bombeiro Luís Cláudio Ferreira Barbosa. Os dois são acusados de assassinar dois homens em fevereiro do ano passado por ordem do chefe da milícia Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica. Curicica está preso por sua atuação à frente da quadrilha e também foi denunciado pelo homicídio de Marielle e Anderson. A ligação dos suspeitos com as mortes foi feita a partir do depoi-

mento de uma testemunha que teria integrado a quadrilha. Segundo esta testemunha, a execução ocorreu porque Marielle estaria atrapalhando as atividades da milícia em comunidades do Rio de Janeiro. Os acusados negam participação no caso.

Impunidade no Paraná Poucos dias depois da execução de Marielle, a caravana que o ex-presidente Lula fazia pelo estado foi atacada com pelo menos três tiros. Até agora ninguém foi acusado ou punido pelo atentado perto de Quedas do IguaDivulgaçao | PSOL

çu, no interior do Paraná. No mês seguinte, em 28 de abril, uma pessoa foi baleada no pescoço no acampamento Marisa Letícia, perto da PF, em Curitiba. Nenhum responsável foi preso. Mas o histórico de impunidade a quem comete crimes no Paraná contra militantes sociais vem de muito tempo. Na mesma Quedas do Iguaçu, onde a caravana de Lula foi atingida, em 2016 Vilmar Bordim e Leonir Orbach, militantes do Acampamento Dom Tomás Balduíno, foram executados em ação da PM e seguranças da empresa Araupel. O inquérito terminou sem que ninguém fosse indiciado, com a alegação de que a PM teria se defendido de um ataque. Porém, no inquérito ficou demonstrado que os

NÚMEROS

130 tiros foram disparados pelos policiais contra os trabalhadores sem terra em Quedas do Iguaçu

policiais dispararam mais de 130 tiros, as pessoas foram assassinadas pelas costas e não se provou nenhum tiro por parte dos sem-terra. “A não responsabilização de crimes contra militantes de esquerda vai desde a Polícia Militar, passa pela não investigação pela polícia civil, pela não denúncia do Ministério Público e pela morosidade da Justiça do Paraná nesses casos”, afirma o advogado Claudemar Oliveira, que defende movimentos sociais no Estado.

Governo do Paraná persegue professores por manifestações Processos administrativos, segundo sindicato, baseiam-se em leis escritas na ditadura militar Ana Carolian Caldas Logo após a greve dos professores em 2015 e a ocupação dos estudantes nas escolas em 2016, vários processos administrativos foram movidos pelo governo do Estado contra manifestantes. A maioria baseia-se em denúncias anônimas, sem comprovação, mas atingem professores e trabalhadores da educação. E muitas punições vêm sendo aplicadas neste ano. É o caso da professora de história Nádia Cristina Treméa, com 21 anos de trabalho na rede estadual, atualmente afastada da função, a partir de reclamações anônimas, por sua atua-

sos baseados em denúncias anônição nas manifestações. “Apareci ferimas. Dou aula sobre episódios pareda em fotos de jornais quando o gocidos com este”, verno do Paraná diz. Nádia cita jogou bombas “É inacreditável, eu, que, além dela, contra os profesprofessora de história, também a diretosores”, relata. ra e vice-diretora A historiadoestar vivendo isso: do Colégio Sanra também ajuprocessos baseados ta Gema, um dos dou os alunos nas em denúncias locais em que ocupações, danleciona, foram do apoio e proteanônimas. Dou aula afastadas e subsção. “Estive com sobre episódios tituídas por um os ocupas nos parecidos com este” interventor. Condois colégios que ta que os alunos trabalho e isso foi têm organizado citado nas ouvimobilizações para que as diretoras dorias. É inacreditável, eu, professora retornem ao cargo. de história, estar vivendo isso: proces-

Para o advogado Ramon Bentivenha, que atua na defesa dos professores, “a perseguição através de denúncias anônimas e porque os professores fizeram manifestações políticas pode configurar crime do governo contra a liberdade de expressão”. Segundo o setor jurídico da APP Sindicato, a entidade tem pressionado o governo a extinguir os processos, baseando-se no direito à livre manifestação. Os processos, informa o sindicato, baseiam-se no Estatuto do Servidor Público e no do Magistério, leis escritas na década de 1970, na ditadura militar. A maioria dos artigos já foram superados pela Constituição de 1988.


6 | Paraná

Paraná, 26 de julho a 1 de agosto de 2018

Pessoas trans agora podem alterar nome e sexo de maneira simplificada

Professores perseguidos na Federal do ABC

Após decreto do Conselho Nacional de Justiça, não é necessária autorização judicial para alterar registro civil Arquivo Pessoal

Ana Carolina Caldas Raffaela, à esquerda, com Megg Rayara, primeira travesti negra a obter o título de doutora pela UFPR

A

estudante de geografia Raffaela Pandora Rocha dos Santos, 30 anos, conseguiu em dez dias alterar nome e sexo no registro civil. “Não foi uma decisão, porque sempre me vi como Raffaela. Mas era necessidade, pois ter o documento com um nome masculino me atrapalhava em muitas coisas. Por exemplo, para conseguir emprego”, conta. Em junho, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) padronizou para todo o Brasil regulamentação para que pessoas transexuais e transgêneros tenham o direito de alterar nomes e sexo no registro civil sem a necessidade de realizar cirurgia ou autorização judicial. Há dois anos, Raffaela vinha tentando conseguir o registro e afirma ser uma conquista não só individual. “Não é simplesmente um documento, mas é para valer o sangue de muitas que morreram no Brasil por causa de transfobia”, referindo-se ao preconPUBLICIDADE

ceito enfrentado por transexuais ou transgêneros. Natural de Londrina, resolveu buscar o registro da sua identidade ao decidir sair da prostituição, na qual esteve por seis anos. “Quando vi amigas morrerem, quis buscar um outro trabalho e acertar a documentação.” Em 2014, passou em Geografia na Universidade Estadual de Londrina (UEL) e, sendo a única travesti, conta que sofreu dificuldades e preconceitos causados pela não aceitação do seu nome. PUBLICIDADE

Redação Os professores Valter Pomar, Gilberto Maringoni e Giorgio Romano, da Universidade Federal do ABC (UFABC), passam por uma comissão de sindicância, com base em denúncia anônima, por conta do lançamento do livro “A Verdade Vencerá: o povo sabe por que me condenam”, que contém entrevista com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O evento aconteceu no dia 18 de abril, no campus da universidade. A denúncia foi feita à Controladoria-Geral da União e transferida para a corregedoria da universidade. Os professores receberam em seus e-mails pessoais uma série de perguntas, dentre elas: “durante o evento houve apologia ao crime?” e “Durante o evento ocorreram manifesta-

Estão processando um professor que nem estava no evento. E não há nenhuma acusação, apenas perguntas enviadas por um anônimo

“Perdi bolsas de estudo por conta do não entendimento sobre minha identidade”. Direito Toda pessoa interessada poderá solicitar diretamente nos cartórios a alteração de gênero e prenome, não podendo ser alterado os seus sobrenomes. Além disso, o processo deve ser gratuito para quem não dispõe de condições financeiras. A Defensoria Pública pode ser procurada para a garantia do direito à gratuidade.

ções de desapreço contra o presidente Temer e integrantes do poder judiciário-MP?” Ouvido, o professor Giorgio Romano revela o absurdo da situação. “Estão processando um professor (Valter Pomar) que nem estava no evento. E não há nenhuma acusação, apenas perguntas mandadas por um anônimo, que a comissão de sindicância fez um ‘copia e cola’ e enviou.” O prazo da comissão vai até esta quinta, dia 26, mas os professores não responderão. “Teremos uma reunião no dia 31 com a direção da Universidade e representantes dos professores para discutir o que fazer.” PUBLICIDADE


Brasil de Fato PR

Paraná, 26 de julho a 1 de agosto de 2018

117 | Cultura

Julho das Pretas se encerra com marcha no próximo domingo Programação tem seminários, oficinas e rodas de conversa em Curitiba e outras cidades do Estado Redação Os últimos dias do mês têm programação Julho das Pretas 2018. Entre as atividades, destaque para a Marcha das Mulheres Negras, que acontecerá no próximo domingo, 29, no Parolin, em Curitiba. Confira a programação. 26/07 Seminário Classe, Gênero e Raça. Local: Sede da APP Sindicato, Av. Iguaçu, 880 – Rebouças – Curitiba, das 18h às 20h. 26/07 A Mulher Negra na Universidade: conquistas e desafios. Local: Universidade Federal do Paraná – Setor de Ciências Humanas, Rua General Carneiro, 460 – Edifício D. Pedro I – Reitoria – Curitiba. Às 19h.

25, 26 e 27/07 V Colóquio de Feminismo Negro. Local: Universidade Estadual de Maringá (UEM), Av. Colombo, 5790 – Jardim Universitário Maringá. Às 19h30.

Giorgia Prates

27/07 Oficina A Saúde da Mulher Negra Local: Sede da ANEPRO (Associação dos Negros Procopenses). Av. Antônio Silveira Brasil, 265, Jardim Bandeirantes – Cornélio Procópio. Das 13h às 17h30.

28/07 Roda de Conversa “Empoderamento da Mulher Negra”, Dança e Bate-papo sobre o Julho das Pretas. Local: Faisca – Feira Agroecológica de Inclusão Social Cultura e Artes, Avenida Ângelo Moreira, 5030 – Umuarama. Das 16h às 20h.

27/07 CuTUCando a Inspiração apresenta: Slam Resistência Surda. Local: Teatro Universitário de Curitiba – TUC, Galeria Júlio Moreira – Travessa Nestor de Castro, s/nº, Gal. Júlio Moreira – Centro – Curitiba. Das 19h às 22h.

AGENDA CULTURAL Pedro Luís e Grupo Fato

5ª Festa Nordestina

O quê: O show de lançamento do álbum + PRÓXIMO, em comemoração aos 24 anos do Grupo Fato, contará com a participação de Pedro Luís. Ingressos à venda pelo SAC do Sesc da Esquina, tel. 3304-2222 ou sac.esquina@sescpr. com.br e também no dia do evento Quando: 26 de julho, às 20h Onde: Teatro Sesc da Esquina, em Curitiba Quanto: R$ 25 (meia)

O quê: Quem gosta de comidas nordestinas como tapioca, mungunzá, canjica, caldos, além de bebidas e muita música com o grupo cearense Celiomar e Seu Regional tem a opção de ir à 5ª Festa Nordestina. Quando: dia 28 de julho, 20h Onde: Salão da Igreja Rosário do Belém, Rua Amador Bueno, 527, Centenário, Curitiba Quanto: R$ 15

Despedida do Ceará do Calamengau O quê: Quem já dançou forró no Espaço Calamengau sabe o quanto do Nordeste sempre esteve ali. Maerlio Barbosa, o Ceará, conduziu a casa por muitos anos e agora retorna para sua cidade natal. Para fazer a despedida, uma grande festa embalada pelo Trio Juazeiro vai acontecer no próximo domingo. Informações e reservas, (41) 99904-5129 Divulgação Quando: 29 de julho, a partir da 11h Onde: Espaço Cultural Calamengau, Rua Dr. Roberto Barrozo, 119, Curitiba Quanto: R$ 20

28/07 Dia das Princesas Negras. Local: Sede da RMN-PR Rua Professor Ovídio Brasílio da Costa, 2251, casa 3 – Santa Quitéria – Curitiba. Às 10h.

29/07 Marcha das Mulheres Negras. Local: Parolin, Curitiba. Rua Professor Plácido e Silva, 860 (em frente ao Armazém da Família). Às 14h.

DICAS MASTIGADAS | Por José Mendes

Receita de quibe assado Ingredientes 500 gr de carne moída 250 gr de farinha de quibe 100 gr de mussarela 1 pacote de queijo ralado 1 maço de hortelã 1 cebola média 2 dentes de alho Tempero baiano Sal a gosto Modo de preparo Reprodução Deixe a farinha de quibe de molho por 1 hora. Ao mesmo tempo tempere a carne moída com alho,cebola, tempero baiano e hortelã. Deixe para adicionar o sal depois. Escorra bem a água da farinha. Dica: use um pano de prato para torcer bem e retirar bem a água. Em uma vasilha grande coloque a carne, adicione o sal a gosto. Misture bem a farinha, a carne e o queijo ralado. Despeje em uma forma, envolva em papel alumínio e leve ao forno pré aquecido. Após 40 minutos, retire o papel alumínio e cubra o quibe com a mussarela e devolva ao forno para acabar de assar. Sirva com arroz e tomate à vinagrete.


Paraná, 26 de julho a 1 de agosto de 2018

8 | Esportes

Brasil fica entre melhores do mundo no futebol feminino Fifa divulgou os concorrentes; do Brasil, foram indicados Marta e Vadão, da seleção feminina Frédi Vasconcelos Pode ser por conta das quedas exageradas de Neymar ou porque o Brasil acabou na sexta colocação na Copa, bem abaixo das expectativas, mas nas indicações para melhores jogadores (as) e técnicos (as) do mundo, Neymar e Tite, da seleção brasileira de Futebol masculino, que ganham milhões, ficaram de fora. O Brasil está entre os melhores no futebol feminino, com jogadoras e técnicos que ganham muito menos. O destaque é a meia-atacante Marta, indicada entre as dez melhores do mundo pela 14ª vez (leia lista completa ao lado). Jogando atualmente no Orlando Pride, na liga de futebol dos Estados Unidos, é a maior vencedora do título de melhor jogadora, com cinco vitorias

entre 2006 e 2010. Só ficou fora da lista das 10 melhores em 2015 e 2017. Entre os técnicos, a única indicação brasileira foi novamente da seleção feminina, com Vadão. Em abril deste ano, a seleção disputou a Copa América, no Chile, e sagrou-se campeã pela sétima vez. Foram sete vitórias em sete jogos e 31 gols marcados. No masculino, além das obviedades entre os melhores, como Messi e Cristiano Ronaldo, as novidades ficam por conta de Mbappe, Griezmann, Varane, campeões pela França. Entre os técnicos, destaque para o campeão do mundo, Didier Deschamps, além dos que atuam no futebol espanhol e inglês. Os vencedores dos melhores do mundo serão conhecidos em 24 de setembro, em Londres.

Lucas Figueiredo | CBF

INDICADOS Melhores Melhores jogadoras jogadores Marta Lucy Bronze Pernille Harder Ada Hegerberg Amandine Henry Sam Kerr Saki Kumagai Dzsenifer Marozsan Megan Rapinoe Wendie Renard

Cristiano Ronaldo Kevin De Bruyne Antoine Griezmann Eden Hazard Harry Kane Kylian Mbappe Lionel Messi Luka Modric Mohamed Salah Raphael Varane

Histórico goleiro

O Mago está de volta

Seis por meia dúzia

Por Cesar Caldas

Por Marcio Mittelbach

Por Adriano Rima

Em 10 de agosto, Wilson se igualará a Rafael Cammarota em número de partidas disputadas (175). Será o sexto mais atuante dentre os goleiros na história do clube, atrás de Jairo (410), Vanderlei (301), Hamilton (233), Edson Bastos (202) e Fernando (186). Na última quarta-feira (24/7), defendeu um pênalti aos 50 minutos do 2º tempo, garantindo ao Coritiba sua primeira vitória como visitante na Série B deste ano. Quem não há de recordar a noite heroica em que marcou um dos gols que deu a classificação às quartas-de-final da Copa Sul-Americana na Argentina, além de defender dois pênaltis? Ou do tento redentor que anotou de cabeça aos 51 minutos do 2º tempo contra o Rio Branco no ano passado? Ou das duas penalidades batidas por Diego Souza, em Recife, que suas mãos salvadoras defenderam? Nesta década, ninguém fez em campo mais pelo Coxa que ele.

Enfim a diretoria do Paraná Clube conseguiu trazer um jogador com a qualidade que a torcida esperava para a Série A. Uma rara unanimidade em meio a um ambiente político cada vez mais dividido. Na última segunda-feira, 23 de julho, o meia-atacante Maicosuel voltou a falar como atleta do Paraná Clube depois de 11 anos. Com passagens pela Udinese, da Itália, Hoffenheim, da Alemanha e alguns dos principais clubes do país, chega para ser a liderança técnica que o ataque do tricolor tanto precisa. Em 2006 Maicosuel marcou nove gols em 45 jogos pelo tricolor. Era o camisa 10 do time campeão estadual e que classificou o Paraná para a Copa Libertadores. A data da estreia ainda não está definida. A torcida é para que o Mago, como passou a ser conhecido pelos torcedores, volte a encontrar o bom futebol, o jeito moleque e a objetividade que tanto já nos deram alegrias.

Se o torcedor atleticano esperava uma grande reformulação, deu com os burros n’água. Até agora, após a Copa, são duas derrotas para o Cruzeiro e um empate com o Internacional e mais do mesmo no elenco. Ribamar e Ederson saíram e vieram Marcelo Cirino e Bruno Nazário. Apesar das apostas, Cirino não é muito diferente de Ederson. Ambos tiveram boas passagens pelo clube, depois não renderam mais. Mesmo a possível vinda do atacante Roni, da 2ª divisão do Japão, seria uma aposta parecida com a de Ribamar. E sabemos no que deu. Nas laterais, perdemos Thiago Carleto e Cascardo, vieram Márcio Azevedo e Reginaldo. Embora admire muito o futebol de Azevedo, a melhor contratação até o momento, não podemos criar grandes. Desde 2014, é reserva em todas as equipes por que passou. O máximo a esperar é que a mudança de nomes renove o espírito do time. Tecnicamente é a mesma coisa.


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.