Page 1

Perfil | p. 4

Opinião | p. 2

Cardeal do povo

Democracia em jogo

Livro resgata trajetória de Dom Evaristo Arns, um dos maiores personagens na América Latina

TRF-4 define futuro de Lula em julgamento marcado por seletividade Ricardo Stuckert

Ano 2 | Edição 66 Juliano Vieira

Fabio Braga | Folhapress

PARANÁ

14 a 20 de dezembro de 2017

distribuição gratuita

REFORMA DA PREVIDÊNCIA ESTÁ POR UM FIO, MAS EXIGE CAUTELA Anúncio feito por Jucá de que a votação da reforma da Previdência deverá ficar para 2018 divide governistas. Para oposição e organizações dos trabalhadores, o recuo sinaliza fraqueza do Governo Temer, mas exige cautela e novas mobilizações. Brasil| p. 9

Lava Jato | p. 6 e 7 Lava Jato | p. 6 e 7

Paraná | p. 8

Indústria da delação premiada

Conquista para a educação

Por que Rodrigo Tacla Durán é o homem mais temido pela Lava Jato, denunciando o método das delações

Em Maringá, Escola Milton Santos completa 15 anos ensinando agroecologia

ECONOMIA SOLIDÁRIA Leandro Taques

4 dicas para presentear com solidariedade e consciência neste Natal Cidades | p. 5

Camila Hoshino

Divulgação


2 | Opinião

Brasil de Fato PR

Paraná, 14 a 20 de dezembro de 2017

Julgamento de Lula expõe seletividade e ameaça à democracia EDITORIAL

O

Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) julgará, no dia 24 de janeiro de 2018, os recursos do ex-presidente Lula, condenado pelo juiz Sérgio Moro por supostos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Pela Lei da Ficha Limpa, isso pode tornar Lula inelegível, embora há recursos cabíveis pela defesa. O objetivo da acusação é o caso do tríplex do Guarujá, da construtora OAS, supostamente presenteado a Lula. Porém não foram apresentadas provas que vinculem Lula à corrupção. Não há documentos, não há registros em cartórios em nome

Não foram apresentadas provas que vinculem Lula à corrupção. Não há documentos, não há registros em cartórios em nome dele. Apenas convicções políticas

dele. Há apenas convicções políticas, em um roteiro traçado desde a queda de Dilma Rousseff, em 2016. Não se pode, então, seguir com arbitrariedades presentes na Operação

Lava Jato. O trâmite do julgamento tem velocidade inédita: até outubro de 2017, o tempo médio dos processos da Lava Jato, no TRF-4, foi de 14 meses e meio. Lula será julgado em apenas 4 meses. Essas arbitrariedades reforçam a criminalização atual de militantes dos movimentos populares e do povo brasileiro. As jornadas pela democracia que ocorreram em Curitiba (maio e setembro) e as caravanas de Lula pelo país revelam seu vínculo com o povo. A proibição da candidatura, baseada em um julgamento parcial, causaria um corte profundo em nossa já frágil democracia. Ricardo Stuckert

Governo do Paraná tenta remendar buracos na gestão ambiental

OPINIÃO

Henrique Simão Pontes,

geógrafo, mestre em Gestão do Território e Doutorando em Geologia, integrante do Observatório de Justiça e Conservação (OJ&C)

A

arquitetura, agronomia, geologia ou geografia deve ganhar mais de 7 mil reais de salário se trabalhar seis horas diárias. Isso mostra uma preocupante desvalorização dos profissionais graduados nas áreas ambientais. O objetivo do programa é a “agilidade nos processos de licenciamento ambiental no Paraná”. Ou seja, o que vale é agilizar a licença ambiental, que muitas vezes é

gestão ambiental no Paraná está em um estágio de decadência, é referência daquilo que não se deve ser, e o atual governo tem piorado a situação, sucateado órgãos ambientais estaduais. Os resultados são crimes ambientais, Gestão ambiental ações corruptas e está em ilegais por parte de decadência. O gestores públicos e uma impunidade resultado são que permite a concrimes ambientais, tinuidade de prátiações corruptas e cas ilícitas nos órgãos ligados à área impunidade ambiental. A última “boa ação” do atual governo foi o lançamento do emitida para empreendiprograma Residência Técni- mentos irregulares, atropeca em Engenharia e Gestão lando a legislação ambienAmbiental, que tem como tal e até mesmo questões objetivo capacitar profissio- culturais, históricas e sonais para atuar no IAP, Ins- ciais. Fazer sombra tampando tituto de Terras, Cartografia e Geologia (ITCG) e Institu- o sol com a peneira. Esta é a lógica do programa apreto das Águas do Paraná. Este programa desres- sentado pelo Governo Estapeita o piso salarial garan- dual para a gestão ambientido por lei, pois um pro- tal no Paraná. O problema fissional da engenharia, continuará e poderá piorar.

EXPEDIENTE O jornal Brasil de Fato circula em todo o país com edições regionais em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Ceará e Paraná. Esta é a edição nº 66 do Brasil de Fato PR, que circula sempre às quintas-feiras. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais.

Brasil de Fato PR | Desde fevereiro de 2016 EDIÇÃO Ednubia Ghisi, Franciele Petry Schramm e Pedro Carrano REPORTAGEM Daniel Giovanaz, Carolina Goetten e Julia Rohden COLABOROU NESTA EDIÇÃO Paula Padilha, Júlio Carignano, Henrique Simão Pontes e Gabriel Ruiz ARTICULISTAS Roger Pereira, Marcio Mittelbach e Cesar Caldas REVISÃO Maurini Souza e Priscila Murr FOTOGRAFIA Leandro Taques e Camilla Hoshino ADMINISTRAÇÃO Clara Lume DIAGRAMAÇÃO Vanda Moraes CONSELHO OPERATIVO Gustavo Erwin Kuss, Daniel Mittelbach, Luiz Fernando Rodrigues, Fernando Marcelino, Naiara Bittencourt e Robson Sebastian TIRAGEM SEMANAL 20 mil exemplares REDES SOCIAIS www.facebook.com/bdfpr CONTATO redacaopr@brasildefato.com.br IMPRESSÃO Grafinorte (Nei)


Brasil de Fato PR

Brizza Cavalcante | Câmara dos Deputados

Réu A Justiça Federal em Brasília aceitou, no dia 11, a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra Rodrigo Rocha Loures (PMDB), ex-deputado do Paraná e ex-assessor de Michel Temer. A acusação é de corrupção passiva. Ele foi flagrado, em abril, recebendo mala de dinheiro, supostamente enviada pela J&F ao presidente Temer. A denúncia foi apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF) e também cita Temer. Pedro de Oliveira | Alep

Paraná, 14 a 20 de dezembro de 2017

FRASE DA SEMANA

“Eles estão oferecendo esse sacrifício pra que o nosso povo sobretudo os mais pobres, os mais fragilizados tenha vida, tenha os seus direitos”,

disse o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Sergio da Rocha, quando esteve na Câmara Federal para prestar solidariedade às sete pessoas que fazem greve de fome contra a reforma da Previdência. Quatro dos grevistas são do Movimento dos Pequenos Agricultores e duas são do Movimento de Mulheres Camponesas. O protesto chegou ao nono dia nesta quarta-feira (13) e envolve ato em solidariedade e jejum em várias capitais.

Gabriel Jabur | Agência Brasília

Protestos cobram agilidade nas investigações da Operação Quadro Negro Leandro Taques

Júlio Carignano, Curitiba (PR), via Porém.net

Nas costas do servidor A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) aprovou, no dia 11, a proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA), que define as despesas e receitas do governo estadual para 2018. A proposta foi aprovada sem nenhuma previsão de pagamento de reajuste, progressões e promoções para o funcionalismo público para o próximo ano. Servidores públicos estiveram nas galerias da Alep para protestar contra o calote do governador Beto Richa (PSDB) na data-base das categorias.

Atos em defesa da educação pública foram organizados na terça-feira (12) em seis municípios do Paraná. As manifestações, que reuniram professores, funcionários de escolas, estudantes e militantes de movimentos sociais, aconteceram simultaneamente em colégios estaduais inacabados ou obras paralisadas, são alvo de investigações da Operação Quadro Negro, que apura um esquema de desvio de recursos públicos para abastecimento da campanha de reeleição do governador Beto Richa (PSDB). As investigações foram iniciadas em 2015 e até o momento foi apontado que o prejuízo aos cofres públicos passam de R$ 20 milhões. O montante desviado deveria ser utilizado em refor-

mas e ampliações de escolas e novas unidades. O esquema aconteceria com a liberação de pagamentos para construtoras a partir de medições fraudulentas do andamento dos trabalhos. O Ministério Público investiga 18 unidades escolares e o envolvimento, de pelo menos, 13 construtoras contratadas pelo governo Richa.

As manifestações aconteceram em Curitiba, Campina Grande do Sul, Coronel Vivida, Jacarezinho, Rio Negro e Santa Terezinha do Itaipu – todas com obras paralisadas. Porém as investigações ainda envolvem obras em Bandeirantes, Campo Largo, Colorado, Maringá, Medianeira, Ibiporã, Londrina, Paranaguá e Ponta Grossa.

3 | Geral

R A DA R DA LUTA Pedro Carrano

Após despejo, famílias ainda sofrem perseguição Depois de recente despejo forçado de 140 pessoas no bairro Ferraria, em Campo Largo (PR), a partir de reintegração de posse a favor da construtora Green Valley, o presidente da associação de moradores local Jardim Vitória relata que é processado no valor de 100 salários mínimos. De acordo com os moradores, neste momento árvores são cortadas do terreno e o objetivo é culpabilizar os ocupantes. A área estava abandonada anteriormente há mais de vinte anos.

Articulista do Brasil de Fato é ameaçado no oeste do Paraná Desde 6 de dezembro, o defensor de direitos humanos, Luciano Palagano, de Marechal Cândido Rondon (PR), sofre calúnias via redes sociais e até ameaças diretas de grupos locais pró-Bolsonaro e contrários aos povos indígenas. Um dos motivos foi o fato de Palagano ter registrado a manifestação contra a demarcação de terras indígenas, ocorrida em Guaíra (região Oeste). Esses grupos o identificaram como organizador de “ocupações”, o que mostra como cresce a intolerância dos grupos ruralistas e de direita da região contra os povos guarani.


4 | Cidades

PERFIL

Brasil de Fato PR

Paraná, 14 a 20 de dezembro de 2017

Dom Paulo Evaristo Arns: um homem amado e perseguido

Um ano após morte do arcebispo, livro lembra trajetória do religioso, que é um dos maiores personagens na América Latina Norma Odara, São Paulo (SP)

N

Divulgação

trajetória de Dom Paulo: “Ele realmente é uma personalidade fundamental da Igreja no século 20”, disse Sidow.

o dia 14 de dezembro, Trajetória Dom Paulo iné lembrado um ano da gressou na Ordem Franciscamorte do arcebispo Dom na em 1939, foi bispo e arcePaulo Evaristo Arns (1921bispo de São Paulo entre os 2016), que ficou conhecianos de 1960 e 1970. Sua vida do como “homem do povo”. foi dedicada aos mais pobres Ele foi de extrema importâne à Justiça. cia na resistência contra vioEle apoiou ações como, lações de direitos humanos por exemplo, a e na ajuda aos criação da Copresos políticos “Hoje talvez missão da Juse perseguidos a gente ainda tiça e Paz, em na Ditadura não tenha essa 1972, que atuaMilitar brasileiva na proteção ra (1964-1985). noção do quanto a perseguidos A história de políticos, e utilutas do arce- Dom Paulo foi lizou a influênbispo inspirou importante” as jornalistas Evanize Sidow cia que tinha na Igreja para Evanize Sidow evitar desrese Marilda Ferri peitos. Evanize relembra um a escreverem uma biografia desses casos emblemáticos, sobre ele. Intitulado “Dom quando Dom Paulo interveio Paulo, um homem amado e na prisão do ex-presidente perseguido”, o livro traça a

Luiz Inácio Lula da Silva, em 1980, para evitar que ele fosse morto: “No caso do Lula, quando ele foi preso, o Frei Betto estava na casa dele, quando a polícia o levou. A primeira coisa que o Frei Betto fez foi ligar para o Dom Paulo, para botar justamente na imprensa o que estava acontecendo,

para assegurar que ele não fosse morto”, aponta. O teólogo e escritor Frei Betto, da ordem dos dominicanos, lembra de Dom Paulo como “um pai, uma figura ímpar durante os anos da ditadura militar, um irmão que tomou a defesa das vítimas da ditadura, especialmente de nós, o grupo de Frades

Dominicanos que esteve encarcerado durante quatro anos”. A biografia foi lançada pela editora Expressão Popular e está à venda na internet, pelo site www. expressaopopular.com.br/ loja, por R$ 40.

Palácio Avenida: Ato de Sindicato denuncia 9 mil demissões do Bradesco Paula Padilha, Curitiba (PR) Nesta quarta-feira (13), o Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e região realizou um ato lúdico com o coral em frente ao Bradesco Palácio Avenida, para denunciar à população o descaso do banco com seus funcionários e clientes. O prédio do banco está localizado na rua XV de Novembro, Centro da Capital, e ganha visibilidade no período natalino pelas apresentações de um coral de crianças. Chamado de “Palácio dos

Bancários reeditaram “coral dos demitidos” em frente ao Palácio Avenida Horrores”, o ato retomou as mais de 9,2 mil demissões que o banco promoveu em um ano, em todo o país. Vagas fechadas, sem reposição. Enquanto isso, o lucro bilionário continua subindo e atingiu R$ 14,16 bilhões de janeiro a setembro

de 2017. O Sindicato também alertou a população que o banco é devedor de R$ 465 milhões à Previdência Social. “Esse ato é uma denúncia à população sobre o descaso do Bradesco que, com as demissões, onerou clientes e funcionários. Muitos serviços não estão sendo realizados adequadamente por falta de condições de trabalho. Trouxemos anjos de preto para representar o luto por essas demissões”, afirma Cristiane Zacarias, diretora do Sindicato e representante do Paraná na COE Bradesco.


Brasil de Fato PR

Paraná, 14 a 20 de dezembro de 2017

5 | Cidades

4 dicas para presentear com solidariedade e consciência no Natal A

menos de um quilômetro de dois shoppings centers de Curitiba, cerca de 50 pessoas – a maioria mulheres – fogem à regra das relações de mercado. Elas fazem parte

da Feira Permanente de Economia Solidária, que ocupa o vão livre do Museu Municipal de Arte – MUMA, do bairro Portão, toda semana, desde 2015. Esta Economia batizada com sobrenome “Solidária” tem características que a torna bem diferente daque-

FEIRA DE ECONOMIA SOLIDÁRIA Com produtos para todos os gostos, expostos por 11 grupos, a lista de possíveis presentes é grande: variedade de artesanatos; acessórios em geral – inclusive da cultura indígena -; crochês; roupas em tear e infantil; almofadas terapêuticas e tapetes. Entre uma barraquinha e outra está aquela típica comida de feira. Além do pastel frito na hora, há opções naturais e sem conservantes, como sucos, bolos, mini -panetones trufados, pães de batatas recheados. Local: Vão livre do Museu Municipal de Arte – MUMA, localizado ao lado do terminal do Portão. Dias e horários: Sábado, dia 16, e de 18 a 23 de dezembro, das 8h às 17h. Preços: de R$3 a R$ 100. Contato: (41) 996936088 (Madalena) 99658-8657 (Magali) 98440-3023 (Bernadete) 9675-0961 (Silvana).

la vivida dentro dos shoppings ou de outro negócio tradicional: nela não há patrão e empregados, e sim trabalho conjunto e autogestão. “Nossa principal característica é o companheirismo”, explica Silvana Ferreira dos Santos, integrante de um dos grupos da Feira. Silvana frisa a

SACOLA DA REFORMA AGRÁRIA pelo site do grupo. As entregas ocorrem A Uma “sacola” de alimentos saudátoda semana em pontos específicos veis, vindos direto de 19 coopede Curitiba, onde existem grurativas de assentamentos ou pos de consumidores. A ação de grupos da economia é organizada pela Coopesolidária. Este é um prerativa Central de Reforma sente de natal inusitado, Agrária do Paraná. A últivoltado para quem quima entrega de 2017 será ser demonstrar na práno dia 22 de dezembro. tica formas de se levar uma vida mais saudável. Preços: de R$ 2,20 a R$ 30. São mais de 100 produContato: (41) 99531-7950 tos, entre verduras, frutas, (whatsapp) doces, cachaça, geleias, cossite: produtosdaterrapr.com.br méticos, grãos em geral. As en- Foto ilustrativa | MST comendas são feitas via whatsapp ou

ALIMENTOS E BEBIDAS SAUDÁVEIS

Camilla Hoshino

15 de dezembro é Dia Nacional da Economia Solidária

ACESSÓRIOS E COSMÉTICOS NATURAIS A Coletiva Arte atua com duas linhas indicadas para quem procura presentes diferenciados e exclusivos. São cosméticos artesanais e naturais e acessórios em tecido e reaproveitamento de caixas tetrapak - brincos, colares, carteiras, porta óculos entre outros. “Autogestão, cooperação e solidariedade definem nossas práticas. Nossos produtos expressam o cuidado com o meio ambiente e o com as relações sociais”, conta Andrea Barros, integrante do coletivo. Divulgação

opção dos coletivos por produtos naturais, feitos com menor impacto ambiental e vendidos a preços justos. O Brasil de Fato apresenta a seguir quatro empreendimentos que podem fazer o Natal ser mais solidário e consciente, também na hora de presentear:

Preços: entre R$5 e R$70 Contatos: Facebook: Coletiva Arte Andréa (41) 98882-8323 e Tatiana (41) 98811-1303.

O coletivo Sinergia Alimentos Saudáveis tem como uma de sua principais características a flexibilidade nas formas de atendimento. “Estimulamos Células de Consumo de orgânicos em bairros, condomínios ou instituições, e também atendemos o convite para expor em eventos. Nossa intenção é que mais pessoas conheçam e consumam a economia solidária”, ressalta Luis Pequeno, um dos fundadores do coletivo. Para a chegada do Natal, a boa pedida do coletivo é a montagem de cestas de presentes. A escolha do tamanho e dos tipos de produtos ficam a cargo dos consumidores, conforme as opções apresentadas no site do grupo. Uma grande variedade de alimentos e bebidas orgânicos e/ou naturais estão entre os produtos oferecidos pelo coletivo. Divulgaçã o

Ednubia Ghisi, Curitiba (PR)

Preços: De R$ 4 a R$60 Contato: Facebook: sinergiaas | Site: sinergiaas.com.br (41) 99711-1316 (whatsapp e fone).


6 | Lava Jato

Brasil de Fato PR

Paraná, 14 a 20 de dezembro de 2017

Paraná, 14 a 20 de dezembro de 2017

7 | Lava Jato

Por que Rodrigo Tacla Durán é o homem mais temido pela operação Lava Jato Ex-advogado da Odebrecht acusa amigo de Sérgio Moro de cobrar propina para negociar com delatores Fabio Rodrigues Pozzebom | Agência Brasil

Resposta O juiz federal Sérgio Moro se pronunciou sobre o caso em 27 de agosto de 2017, assim que vazaram as primeiras informações do livro de Tacla Durán e o caso foi parar na coluna da jornalista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo. Moro foi questionado pelo jornal Brasil 247 sobre as supostas denúncias, e enviou uma nota para tentar desmentir as acusações. Sérgio Moro alega que Zucolotto é um advogado “sério e competente” e que o rumor de que ele teria intermediado um acordo de delação é “absolutamente falso”. O magistrado acrescentou que Tacla Durán não havia apresentado nenhuma prova ou fonte de suas afirmações.

Daniel Giovanaz, Curitiba (PR)

R

odrigo Tacla Durán, ex-advogado da empreiteira Odebrecht, é a maior ameaça à Lava Jato desde que a operação foi deflagrada, em 17 de março de 2014. Acusado de participar de esquemas de lavagem de dinheiro e pagamento de propina na empreiteira, ele foi preso pelo juiz Sérgio Moro em novembro do ano passado, mas acompanha o processo em liberdade na Espanha – porque tem dupla cidadania. Lá, ao contrário do Brasil, informações obtidas em delações premiadas têm quase nenhum valor, se não forem acompanhadas de provas materiais. Há pelo menos dois meses, Tacla Durán reuniu em um livro uma série de acusações contra a Lava Jato, no que diz respeito, particularmente, a interferências ilícitas nas negociações entre Estado e réu. Os rumores de que ele poderia colocar em xeque a reputação de Moro e de toda a operação se concretizaram na manhã de 30 de novembro de 2017.

Acusações Durante três horas e cinquenta e minutos, Tacla Durán prestou depoimento via teleconferência para a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investiga desvios na atuação da empresa JBS. Porém dedicou a maior parte do tempo para tratar de outro assunto: os bastidores de uma delação premiada na Lava Jato. O ex-advogado da Odebrecht relatou que não fez acordo de delação porque considerou que estava sendo extorquido. Segundo um anexo de 45 páginas entregue por Durán ao final do depoimento, a extorsão teria sido realizada por outro advogado, Carlos Zucolotto Jr., ao tentar vender certas “facilidades” no acordo. Ligação com Moro Carlos Zucolotto é padrinho de casamento do juiz de primeira instância Sérgio

Sérgio Moro acuado: juiz de primeira instância negou que Tacla Durán fosse ouvido em ação penal que investiga Lula

Moro e foi sócio da esposa dele, Rosângela Moro, em um escritório de advocacia. Durán apresentou cópias de conversas por celular, em que Zucolotto afirma estar negociando as condições do acordo com “DD”. Embora essas sejam as iniciais de Deltan Dallagnol, chefe da força-ta-

refa da operação, o ex-advogado da Odebrecht não fez suposições no depoimento à CPMI: apenas pediu que Zucolotto seja chamado a esclarecer a quem se referia naquelas conversas. Conforme a versão de Tacla Durán, o padrinho de casamento de Moro teria o poder de negociar con-

dições favoráveis aos delatores da Lava Jato junto ao Ministério Público. No caso dele, Zucolotto teria conseguido diminuir a multa paga ao final do acordo de 15 para 5 milhões de dólares, mediante o pagamento de outros 5 milhões em propina – no diálogo, ele se refere à propina como “honorários”. Alessandro Dantas

Antônio Cruz | AgênciaBrasil

Perícia Após o depoimento do último dia 30, o cenário mudou: além de apresentar cópias dos diálogos com Zucolotto, o ex-advogado da Odebrecht submeteu as imagens a um perito. O trabalho pericial foi feito pela Associação Espanhola de Peritos, que sorteou o perito judicial Castor Iglesias Sanzo para aquela função. De acordo com a perícia, as mensagens foram enviadas por meio de um aparelho Samsung SM-G800H nos dias 24 e 25 de maio de 2016. “Tanto as imagens como as datas de captura não foram modificadas ou alteradas em seu contexto geral ou específico. Este é o meu relatório que contém 8 páginas e que registro, prometendo dizer a verda-

Carlos Zucolotto Jr. é acusado de cobrar propina para reduzir a multa paga por delatores Tacla Durán prestou depoimento via teleconferência durante a CPMI que investiga a empresa JBS

Investigado afirma que foi extorquido pelo padrinho de casamento de Moro durante acordo de delação

de, ao meu melhor conhecimento e convicção, agindo com a maior objetividade, levando em consideração que posso favorecer ou prejudicando qualquer das partes, sabendo as sanções penais previstas pela infração do meu dever como especialista, acreditando cumprir a ordem determinada os efeitos que prosseguem”, concluiu Sanzo, no laudo pericial do dia 3 de novembro de 2017. Mesmo antes das provas serem submetidas à perícia, o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como “Kakay”, havia afirmado à imprensa que a ação de Zucolotto deveria ser interpretada como crime de obstrução de Justiça, “com prisão preventiva decretada”. Novidades O ex-presidente Lula (PT) indicou Rodrigo Tacla Durán como testemunha de defesa em uma das ações penais que responde na Lava Jato, mas Sérgio Moro recusou o pedido no dia 7 de novembro. O processo é referente ao suposto pagamento de parte do terreno que seria utilizado para construção de uma sede do Instituto Lula, em São Paulo. A defesa do petista afirma que o ex-advogado da Odebrecht poderia ajudar a esclarecer supostas fraudes no levantamento de provas sobre o esquema de propinas dentro da empreiteira. Para os advogados do ex-presidente da República, a decisão de Moro demonstra que “Lula não está

A SUPOSTA FRAUDE NAS DELAÇÕES, CONFORME A VERSÃO DE TACLA DURÁN Como Lava Jato conseguiria arrecadar dinheiro “por fora” durante as negociações As primeiras negociações indicavam que Tacla Durán teria que pagar US$ 15 milhões em multas no acordo de delação proposto pela Lava Jato

Zucolotto, amigo de Moro, foi indicado para negociar “facilidades” e tentar reduzir o valor da multa a ser paga pelo exadvogado da Odebrecht

Conversas por celular demonstram que Zucolotto conseguiu reduzir a multa para US$ 10 milhões, mediante o pagamento de US$ 5 milhões em propina

tendo o mesmo tratamento dado à acusação, para a qual foram deferidas as oitivas das testemunhas arroladas”. O juiz paranaense, por outro lado, justificou que não há “elemento probatório mínimo que indique envolvimento específico dele [Tacla Durán] nas operações que constituem objeto da presente ação penal”.

Juristas que participaram do Tribunal Popular da Lava Jato, em Curitiba, concordam que a comprovação das hipóteses levantadas por Durán seria suficiente para desmoralizar toda a operação. Afinal, as delações premiadas configuram a principal fonte de indícios para prisões e denúncias e são o pilar que sustenta as investigações há quase quatro anos.


Brasil de Fato PR

Paraná, 14 a 20 de dezembro de 2017

De terreno abandonado à educação agroecológica: Escola Milton Santos completa 15 anos

PR-170 está fechada há uma semana em protesto contra despejos Fim do bloqueio na região de Pinhão depende do Incra

Adilson de Matos

Júlia Rohden, Curitiba (PR)

A

Instituição é gerida pelo MST e seu nome homenageia um dos maiores geógrafos brasileiros

discussão e na prática da própria educação do campo”, comenta Matos. Pedagogia A escola funciona em regime de alternância, uma metodologia reconhecida pelo Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (PRONERA). Assim, os estudantes alternam entre o período na escola e outro período de volta à sua comunidade para desenvolver tarefas das disciplinas.

“Para além da agroecologia, é uma escola popular com as portas abertas” Vagner de Matos João Flávio Borba, que participou da coordenação pedagógica da escola nos primeiros sete anos, ressalta que o período que os estudantes voltam para suas casas não significa que estão de

Negociações O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) iniciou as tratativas com os maO trânsito de veículos na nifestantes no dia 7. Uma das rodovia PR-170, entre Guapistas chegou a ser liberada, rapuava e Pinhão, no Cenmas o bloqueio foi retomatro-Sul de Paraná, está interdo após decisão coletiva do rompido desde o último dia MST e dos posseiros. Os tra6. Cerca de oito mil posseiros balhadores avaliam que o Ine integrantes do Movimencra não deu garantia de que a to dos Trabalhadores Rurais posse da terra será reconheSem Terra (MST) bloqueacida e não haverá mais desram a estrada em protesto pejos. contra uma série de ações de O deputado estadual Tareintegração de posse autodeu Veneri (PT) rerizadas em betomou o assunto na nefício da InAssembleia Legisladústrias João Até 14 mil tiva do Paraná (Alep) José Zattar famílias no dia 7: “É extremaS.A., madeireipodem ser mente preocupante a ra que atua há morosidade das au84 anos na re- despejadas toridades que devem gião. em Pinhão responder por esse De acorprocesso”, criticou. do com o preO Comando do 16º Bafeito Odir Gotardo (PT), existalhão de Polícia Militar de tem sentenças e liminares Guarapuava e o Poder Judipara despejar até 14 mil famíciário, por meio da Comarca lias de posseiros em Pinhão – de Guarapuava, se posiciotodas em áreas reivindicadas naram a favor da desobstrupela família Zattar. No dia ção imediata da rodovia. Os 1º de dezembro, o primeiro manifestantes aguardam mandado foi cumprido, e 22 resposta do Incra para encercasas foram destruídas na corar os protestos de forma pamunidade do Alecrim, zona cífica. rural do município. Daniel Giovanaz, Pinhão (PR)

Escola de Maringá, construída por voluntários, adota pedagogia que atende necessidades do campo

s obras abandonadas de uma indústria que nunca funcionou se transformaram em espaço voltado para o ensino da agroecologia para os moradores do campo. Essa é a história da Escola Milton Santos, que comemora 15 anos, neste sábado (16), em Maringá, próximo à divisa com Paiçandu. O evento irá reunir autoridades, apoiadores e estudantes para debates seguidos de um almoço coletivo. As estruturas da escola foram construídas por trabalhos voluntários de camponeses de várias regiões do Paraná. Foram centenas de pessoas que passaram pela instituição, levando aprendizados técnicos e deixando alguma contribuição, seja no espaço físico, na parte pedagógica ou na produção da horta agroecológica. Quase metade dos 70 hectares que foram cedidos pela prefeitura de Maringá para a ocupação da escola é destinada à produção em sistema agroflorestal. Ali se colhe café, hortaliças, mandiocas e outras variedades de alimentos. Integrante do setor pedagógico, Vagner de Matos explica que a produção é para consumo dos próprios alunos e o excedente é vendido em feiras. “Para além da agroecologia, há o elemento de ser uma escola popular que tem portas abertas para fazer formação em diversas áreas e também para contribuir na

8 | Paraná

férias. Ele explica que o regime de alternância permite os moradores do campo conciliar estudos com o trabalho para seu sustento. A escola recebe alunos de várias regiões do Paraná e oferece cursos formais e encontros de capacitação, qualificação e pesquisa. Além da formação técnica em agroecologia, também são oferecidos cursos de pedagogia do campo e de Educação de Jovens e Adultos (EJA). A escola Criada em 2002, a Escola Milton Santos foi uma das primeiras do Paraná voltadas à realidade do meio rural. A instituição é gerida pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em articulação com outras entidades do campo. Além da área de cultivo agrícola, a Escola Milton Santos tem espaço para refeitório, alojamento, laboratório, biblioteca e salas de aula. O nome é uma homenagem ao geógrafo brasileiro, que faleceu em 2001 e é reconhecido por seu pensamento crítico.


Brasil de Fato PR 9

Paraná, 14 a 20 de dezembro de 2017

9 | Brasil

Anúncio de recuo na votação da reforma da Previdência exige cautela, diz oposição Parte dos deputados acredita que a base aliada ainda poderia arquitetar manobras Cristiane Sampaio,

(MG), acrescentando que a notícia exige cautela e vigilância.

anúncio feito pelo governo golpista de Michel Temer de que a votação da reforma da Previdência deverá ficar para fevereiro de 2018 dividiu parlamentares da oposição no Congresso Nacional. Parte dos deputados acredita que a base aliada ainda poderia arquitetar manobras para tentar colocar o texto em votação na próxima semana, a última antes do recesso de final de ano. “É só uma batalha que nós vencemos”, disse ao Brasil de Fato o líder do PSB na Câmara, Júlio Delgado

Possível derrota do governo Caso o Congresso consiga votar o Orçamento

Brasília (DF)

O

da União para o ano que vem ainda nesta quarta (13), a expectativa é de que não haja quórum para novas sessões no plenário da Câmara até o final do ano. Isso porque os parlamentares costumam fiDivulgação

nalizar os trabalhos do ano legislativo logo após a votação do Orçamento, desacelerando a agenda e diminuindo as chances de qualquer outra votação. No entanto, o adiamento anunciado nesta quarta não é unanimidade entre os líderes da tropa de choque do governo. Parte da base defende a política do “tudo ou nada”, ou seja, que a matéria seja colocada em votação mesmo sem uma segurança sobre o número de deputados favoráveis à proposta. Esses parlamentares ainda estariam contabilizando votos nos bastidores, na esperança de tentar votar a reforma na próxima semana. Na mesma sintonia, o de-

“Essa derrota pode significar o início de outras derrotas”, deputado Bohn Gass

putado Bohn Gass (PT-RS) acredita que o anúncio dos governistas pode sinalizar o início de um ciclo ainda mais espinhoso para o Planalto. “Toda a chantagem que o governo fez, inclusive colocando empresários na parada, não conseguiu virar votos de parlamentares. Essa derrota pode significar o início de outras derrotas”, projeta.

Entidades não descartam manobra de Temer para votar reforma Para a CUT/SP, o recuo do governo indica falta de votos para colocar a pauta em votação Camila Salmazio*, São Paulo (SP) Centrais sindicais e movimentos populares avaliaram o anúncio do adiamento da votação da reforma da Previdência como uma vitória parcial, fruto de mobilizações que vêm ocorrendo ao longo dos últimos meses. “Eu acho que demonstra que a nossa luta está surtindo efeito, o governo não conseguiu apoio necessário na sociedade e isso reflete no posicionamento dos parlamentares que, mesmo com a pressão e a chantagem do governo, a pressão dos empresários que financiaram esses de-

putados, eles não querem entrar golpista, sempre golpista. Nós temos nessa bola dividida”, diz Douglas que ficar de olho e atento”. Izzo, presidente da CUT de São Paulo. Mercado dentro do “Só a luta e a Apesar do adiaCongresso mento, o presidente mobilização Durante entrevista coda CUT não descarta letiva concedida à imimpedirá mais uma possível manoJucá afirmou essa destruição prensa, bra do governo golpisque “o mercado sabe ta de Michel Temer, de direitos no que o governo está do PMDB, para votar nosso país”, fazendo um esforço a medida ainda este grande para ter o núGilmar Mauro mero, mas botará para ano. “Nós entendemos que o governo não tem votar a reforma no os votos [necessários momento em que tipara aprovar a medida], porque, se ver os votos”. tivesse, teria colocado em votação, Para Gilmar Mauro, da coordenamas, de qualquer forma, uma vez ção nacional o Movimento dos Tra-

balhadores Rurais Sem Terra (MST), a declaração do líder do governo no Senado revela o interesse empresarial por trás da aprovação da medida. “Uma prova cabal de que o capital financeiro está por trás da reforma da Previdência e que as bancadas eleitas pelo capital financeiro são reféns hoje desses que os elegeram e, possivelmente, não colocarão recursos nas próximas campanhas”. Gilmar Mauro ainda ressalta a importância dos movimentos se manterem mobilizados: “Só a luta e a mobilização impedirá mais essa destruição de direitos no nosso país”. *Com colaboração de Julia Dolce


10 9 | Cultura

Paraná, 14 a 20 de dezembro de 2017

AGENDA CULTURAL

Histórias de Gabriel e Noel Divulgação

Literatura russa nos 100 anos da Revolução As dicas são de três livros clássicos, que estão disponíveis na Biblioteca Pública do Paraná Pedro Carrano, Curitiba (PR)

O quê: Uma história simples contada pelo menino Gabriel e o Senhor Noel, mostrando as simbologias e as cantigas natalinas, sem perder a magia e a beleza do Natal, através da simplicidade do nascimento do menino Deus. A peça é da Cia TibiriBão. Quando: Sábado, dia 16 de dezembro, às 13h, 15h e 17h. Onde: Teatro de Bonecos Dr. Botica, no Shopping Estação, Av. Sete de Setembro, 2775, Rebouças. Quanto: R$ 15,00 | R$ 7,50.

Listamos aqui uma pequena celebração, nessa época dos 100 anos da Revolução Russa, que se completou em novembro, pelo calendário ocidental – ainda que conhecida mundialmente como “A Revolução de Outubro”. São três livros clássicos, que podem ser encontrados na Biblioteca Pública do Paraná. Alguns deles tiveram a participação de autores que viveram no Paraná.

ma e conteúdo refletindo a mudança política e social.

de Marina. Filha de aristocratas russos, dissidente soviética, ela viveu em arina Tzvietáieva Na tradu- Paris e veio a morrer de volta em solo ção de Décio Pignatari, que fa- russo. A autora não a tinha admiraleceu em Curitiba, em 2012. O tradu- ção de Maiakovski, mas é impressiotor recria a poesia turbulenta e sonora nante como os dois se assemelham no formato e qualidade de seus Divulgação poemas.

M

M

istério-Bufo Texto teatral e alegórico do poeta Vladimir Maiakovski, que dialoga com a linguagem do circo, que o poeta revolucionário também admirava, bem como o cinema e a publicidade em cartazes. O autor buscou reunir nos seus trabalhos for-

Kilânio – Orquestra de Violões

Feira de terapias holísticas

O quê: No espetáculo “Violões na Cidade”, o público terá oportunidade de apreciar novas composições do maestro Tiziu e releituras de clássicos da música brasileira. A orquestra de Violões, originalmente formada por oito alunos, diminui e aumenta de tamanho com o passar dos anos, mas nunca perde a qualidade. Quando: Sábado e domingo, 16 e 17, às 17h. Divulgação Onde: Teatro Cleon Jacques – Centro de Criatividade de Curitiba, R. Mateus Leme, 4.700. Quanto: Entrada franca.

O quê: Meditação, reiki, yoga, hipnose. Moradores de Curitiba e região terão a oportunidade de experienciar de modo acessível estas e outras práticas curativas durante a Feira de Terapias e Produtos Holísticos “Saúde e Consciência”. Durante todo o dia também serão oferecidos atendimentos individuais gratuitos, como aplicações de reiki, reflexologia, hipnose, fitoterapia, toque quântico entre outros. Quando: Dia 16/12, sábado, das 9h às 18h. Evento do Facebook “Saúde e Consciência” – Feira de Terapias e Produtos Holísticos. Onde: Inova RH & Treinamentos, Rua do Rosário, 80. Entrada: 1 kg de alimento ou 1 brinquedo em ótimo estado que serão doados para a Organização de Desenvolvimento do Potencial Humano. Para participar dos atendimentos individuais é necessário agendar o atendimento. (41) 99977-4455 ou (41) 99728-1835.

C

rime e Castigo O romancista Fiodor Dostoievski (1821-1881) é autor de livros como “Notas do Subterrâneo”, “Crime e Castigo” e “O Jogador”. Seu romance “Irmãos Karamazov”, além de ter fornecido elementos para a ciência da psicanálise, também pode fornecer um panorama para entender a história anterior à Revolução Russa, afirmava o poeta Paulo Leminski, no livro “Leon Trotsky, a paixão segundo a revolução”.


Brasil de Fato PR

Paraná, 14 a 20 de dezembro de 2017

11 | Cultura 11

Artista de Londrina ressignifica retratos de negros do século 19 Projeto (Re)Significa tem dez peças disponíveis na internet Gabriel Ruiz, Londrina (PR)

A

musicista, artista e designer Luiza Braga é a autora do projeto (Re)Significa, lançado dia 9 de dezembro, em Londrina, norte do Paraná. Trata-se de uma coleção de arte cujas peças são constituídas por intervenções coloridas e visuais em retratos de negros do século 19. Inicialmente, são 10 trabalhos lançados, com fotografias de jovens, idosos e mulheres. “Me deparei com um catálogo fotográfico de domínio público sobre negros e negras, onde eram retratados como ‘tipos’, como ‘escrava da Bahia’, ‘escravo

de Pernambuco’ ‘negra doméstica’, sem quaisquer outras informações. Claro que não eram pessoas conhecidas, mas essa falta de profundidade me incomodou muito”, conta Luiza. Refletindo sobre esse contexto histórico, a artista diz que sentiu a necessidade de transformar essas narrativas e valorizá-las. “Para desenvolver as peças, fiquei pensando como seria a vida dessas pessoas se elas não estivessem em estado de escravidão, quais seriam os seus interesses, profissões, alegrias, paixões, tristezas, a partir do que as fotos me transmitiam”, relata.

Divulgação

“Precisamos dar foco a essas histórias” De acordo com a artista, o projeto fortalece a narrativa dos negros e das minorias em geral, na medida em que ressignifica e dá outro sentido para esses retratos. “Nós, como indivíduos negros, como povo, temos muito mais profundidade. Muito mais história do que contam. Precisamos dar foco a essas histórias que estão ao nosso redor, às narrativas das nossas comunidades, seus hábitos e vivências. Ressignificar para fora, mostrando toda a profundidade que vem de dentro”, completa Braga.

Na Internet Todas as imagens estão disponíveis no site http://oju.art.br

HORÓSCOPO Áries O ano está chegando ao fim e é o seu coração quem vai tomar conta desses dias. Bons imprevistos devem acontecer. Mas, junto com seus desejos estão os dos outros, então todo cuidado com a impulsividade! Touro Alguma surpresa pode acontecer para que lhe ajude a realizar mudanças na vida que você ainda não tomou coragem de fazer! Tenha um cuidado especial com sua saúde e tente planejar melhor seus gastos. Gêmeos Se normalmente as dúvidas já te acompanham, se prepare que talvez você fique um pouco mais em conflito com as escolhas que fez até aqui. Desejos de liberdade e cuidado podem mudar relações e acordos. Câncer Mudanças no trabalho ou no seu relacionamento podem estar para acontecer, e sem dúvida elas trarão mudanças profundas no seu jeito de estar no mundo. Observação, organização e cuidado devem lhe ajudar. Libra Apesar do seu esforço de preparação com planejamentos mais equilibrados, é importante ficar atento, pois podem aparecer novidades que te tirem desse lugar e retirem a estrutura construída com tanto esforço.

Leão A sensação deve ser de que tudo está saindo do lugar, e pode ser que tudo saia mesmo viu? Prepare-se. Durante esse processo, tente manter firme quem você é, e pense para onde quer ir nessa maré de possibilidades.

O QUE DIZEM OS ASTROS?

Virgem Agora que você conseguiu dar uma arrumada na vida, pode ser que você tenha que lidar com questões íntimas, de conflitos com você mesmo e que só você poderá resolver. Tente ser menos rígido!

Escorpião Alguma perda deve marcar seus dias, mas essa ausência ou impossibilidade de algo já está anunciando: um novo jeito? Um novo projeto? Uma nova pessoa? Vá atrás, mas não alimente a competitividade. Sagitário Apesar do mundo está exigindo respostas aceleradas, é seu interior que está pedindo atenção. A repetição dos erros desgasta, mas tenha paciência consigo, e com os outros para não falar o que não precisa. Capricornio Continue indo atrás das mudanças mais materiais da sua vida, mas se prepare para que mudanças na forma de ver o mundo lhe deixem menos acelerada. Encontros e viagens devem interferir positivamente. Aquário Apesar das coisas não estarem nada fáceis, você está bem esperançosa e conseguindo manter coletivos ao seu redor com projetos semelhantes. Mas cuidado com a impaciência que a diferença provoca. Peixes Seus projetos estão avançando e novos passos já ficam claros. Mas nem tudo é você quem decide, e é preciso ter paciência para lidar com limites. Se algo está para finalizar, vai acabar por esses dias, fique atento!


12 | Esportes

Brasil de Fato PR

Paraná, 14 a 20 de dezembro de 2017

Propina da TV Globo teria garantido direitos de transmissão Maior emissora de televisão da América Latina aparece envolvida em um grave esquema de corrupção José Eduardo Bernardes

Pedro Rafael Vilela, Brasília (DF)

H

á poucas semanas, a Rede Globo foi diretamente acusada de participar do pagamento de propina a dirigentes de federações esportivas em troca da assinatura de direitos de transmissão de importantes torneios de futebol, como a Libertadores da América e a Copa América de seleções. Em depoimento à Justiça dos Estados Unidos, no último dia 14 de novembro, o empresário argentino Alejandro Burzaco, ex-diretor da empresa de eventos esportivos Torneos y Competencias, afirmou que dinheiro pago pela Globo teria sido destinado a altos executivos da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da Con-

federação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). A investigação é parte de um esquema apurado pelas autoridades estadunidenses sobre corrupção envolvendo a Fifa e outras federações de futebol, que foi apelidado

de FifaGate, e que pode estar relacionada ainda a propinas pagas pelos direitos de transmissão da Copa do Mundo. Ao responder uma das indagações do promotor que investiga o caso, sobre quais grupos de mídia teriam par-

rin – este último cumprindo prisão domiciliar em Nova York –, além do atual mandatário da confederação, Marco Polo Del Nero. Todos negam as acusações. Nas planilhas da conta“Iluminados” Outro delabilidade paralela da offshotor do caso, o também argenre Torneos y Competencias, tino José Eladio Rodriguez, apareciam os nomes dos disócio de Alejandro Burzarigentes contemplados com co, afirmou à Justiça dos EUA propina, sob a rubrica “iluque uma offshore foi criaminados”. Segundo os invesda na Holanda especialmentigadores, a palavra ‘Globo’ te para receber os recursos de aparece pelo menos quatro propina e repassar aos dirivezes, assogentes. Entre ciada a pagaos cartolas braGrupo Globo é mentos que sileiros acusacontrolado pela chegam a dos de receber milhões de dófamília Marinho, 12,8 milhões de dólares relares em proa mais rica do lativos aos dipina estão os país, segundo a reitos da Liex-presidentes bertadores e da CBF, Ricarrevista Forbes da Copa Sul do Teixeira e -Americana. José Maria Maticipado do esquema, o empresário Alejandro Burszaco citou explicitamente seis empresas de comunicação, entre elas a Globo.

Equilíbrio

Recomeços

Cadê o diálogo

Por Cesar Caldas

Por Marcio Mittelbach

Por Roger Pereira

O pleito de 9 de dezembro, que elegeu Samir Namur como novo presidente do Coritiba, mostrou um clube tripartido. A pouca diferença de votação entre as chapas – 38% para a vencedora, 32% para a segunda colocada e 30% para a terceira – evidenciou a necessidade de diálogo político. Essa interlocução já teve início entre a “Coritiba do Futuro” (de Namur) e a “Novo Coritiba” (de Pedro Castro, ligada ao ex-presidente Vilson Andrade), que chegaram a um acordo para a composição da Mesa do Conselho Deliberativo: três dos integrantes (inclusive o presidente Marcelo Licheski) são da “Novo”, uma cadeira é de conselheiro vitalício e a outra da chapa majoritária. O equilíbrio só não se completou porque a chapa encabeçada por João Carlos Vialle, até a véspera da posse, ainda estudava a possibilidade de impugnar judicialmente a eleição.

O primeiro jogo da série A ainda está longe. A previsão é para meados de abril. Mas nos bastidores, o Paraná Clube já vive clima de Série A. A fase das vacas magras promete dar um tempo. Se em 2017 a folha salarial era de R$ 450 mil, para 2018 a previsão é chegar em R$ 1,2 milhões. Imaginem um time três vezes melhor que esse ano? Só que para isso nossa diretoria vai ter de ralar muito pelo mercado afora. O alicerce desse time já está acertado, ou melhor, reacertado: é o técnico Wagner Lopes. Se em time que está ganhando não se mexe, nada melhor do que repatriar o cara que deu o pontapé inicial para o ano da reconstrução tricolor. O contrato de Lopes vai até o fim de 2018 e dessa vez não há brechas para fugidas internacionais. O tricolor volta aos gramados no dia 17 de janeiro contra o União de Francisco Beltrão.

A diretoria do Atlético chegou a dar um sinal de que passaria a ouvir seus sócios e torcedores e rediscutir algumas decisões arbitrárias e equivocadas deste ano. Anunciou a criação de uma comissão para reavaliar a política de preços e o plano de sócios, entre outras questões que tanto perturbam os rubro-negros. Mas o ano chega ao fim e não tivemos nenhum resultado prático. Pelo contrário. Os mandatários do clube ainda foram à Justiça contra um movimento legítimo de sócios que tentou fazer valer o próprio estatuto do clube e juntou 3.667 assinaturas para a convocação de uma assembleia. Questionando a legalidade de algumas assinaturas e a validade de outras e inflando o número de sócios para aumentar o mínimo necessário de requerentes, o clube conseguiu anular a assembleia. Começaremos 2018 como terminamos 2017: com a maioria dos atleticanos sem vontade (ou condições) de frequentar a Arena da Baixada.

Brasil de Fato - Edição 66  
Brasil de Fato - Edição 66  
Advertisement