Page 1

Paraná | p. 6

Esportes | p. 8

Documento em mãos

Futebol sem TV

Quilombo Paiol de Telha recebe primeira titulação de terras do Paraná Divulgação

Partidas do Brasileiro ficam sem transmissão

PARANÁ

Ano 4

Edição 122

9 a 15 de maio de 2019

distribuição gratuita

www.brasildefato.com.br/parana

EDUCAÇÃO SOB ATAQUE

Giorgia Prates

Bolsonaro trata escola pública como inimigo a ser “destruído” Oito mil pessoas fazem manifestação em Curitiba, na quarta (8) em defesa das escolas federais Brasil | p. 5 Universidade se une para garantir liberdade de expressão Geral | p. 7

Geral | p. 3

Geral | p. 3

Brasil | p. 4

O jogo pesado da previdência

Controle estatal

Registros de uma prisão

Deputados “levam” milhões para cortar direitos

Pesquisador defende em livro que Petrobras controle refino e preços

Documentários em vídeo e áudio são lançados sobre caso Lula


Brasil de Fato PR 2 Opinião

Desmonte das universidades: crime contra o povo EDITORIAL

P

rimeiro, foi a reforma do ensino médio, arbitrária e obedecendo aos interesses do mercado. Depois, o congelamento por vinte anos dos investimentos em educação. Agora, o corte dos orçamentos das universidades federais. O projeto de destruição da educação pública brasileira anda a pleno vapor. O Ministério da Educação vai congelar R$ 5,8 bilhões de seus gastos. Será a sua parte no criminoso corte de R$ 29,5 bilhões dos recursos do poder executivo. Instituições de ensino federais, com esta medida, estarão sem um terço (30%) de suas verbas, o que impedirá o pagamento das contas básicas. Na prática, avalia-se que só con-

Brasil de Fato PR

Paraná, 9 a 15 de maio de 2019

seguirão ficar abertas até agosto. Bolsonaro aumenta os estragos de Temer. Esses governos expressam puro desprezo pelo que nosso povo conquistou. Com estes cortes, tentam sufocar a universidade pública que produz tecnologia, remédios, por exemplo. Produz, sobretudo, professores para um país tão carente de escolas e livros. Quem produzirá a próxima vacina? Quem dará aulas nos cmeis, escolas e colégios Brasil afora daqui para frente? Destruir as universidades não é só um ataque a servidores, professores e estudantes, é um crime contra o povo. Contra este desmonte, lutemos todas e todos na greve nacional da educação, dia 15 de maio!

SEMANA

Voz diferente, Obrador completou 100 dias de governo no México OPINIÃO

Reprodução

Joaquín Piñero,

Integrante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)

A

contundente vitória de Andrés Manuel López Obrador como presidente do México representou uma voz dissonante em um continente dominado por governos conservadores de direita. O México tem um peso importante na geopolítica da região. Rico em petróleo, o país é a segunda maior economia e a segunda maior população da América Latina, superado apenas pelo Brasil. Com um perfil proativo e concentrador, Obrador é um escritor e cientista político de 65 anos. Foi prefeito da Cidade do México e disputou as eleições presidenciais duas vezes antes de ser eleito com uma expressiva margem de votos. Para grande parte da população que o elegeu, Obrador representa uma esperança para combater a corrupção, recuperar a confiança no sistema político, apaziguar os conflitos sociais existentes e pôr fim à violência e ao poder dos narcotraficantes que tomaram o Esta-

do de assalto. Para os setores mais críticos, a eleição de López Obrador foi a única saída da burguesia moderna para continuar no poder. Após 100 dias no governo, o projeto de Obrador chamado de “Quarta Transformação” enfrenta um processo recheado de contradições que envolvem as alianças para governar, as tensões e enfrentamentos com organizações sociais, sindicais e da sociedade civil. Uma das dificuldades do governo é a imensa dependência da economia dos EUA, devido ao vínculo existente através do Tratado de Livre Comércio da América do Norte (TLCAN) e as obrigações resultantes desse acordo nefasto como a reforma trabalhista. Além da questão dos mexicanos que migram diariamente para os EUA e que já somam mais de 40 milhões. Obrador aposta na interlocução direta com o povo para obter apoio para seu plano de governo que propõe desde a reforma para a educação, criação de uma guarda nacional para enfrentar o narcotráfico até os projetos de desenvolvimentos e de infraestrutura para gerar postos de trabalho em todo o país.

EXPEDIENTE O jornal Brasil de Fato circula em todo o país com edições regionais em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Paraná. Esta é a edição 122 do Brasil de Fato Paraná, que circula sempre às quintas-feiras. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais.

Brasil de Fato PR | Desde fevereiro de 2016 EDIÇÃO Frédi Vasconcelos e Pedro Carrano REPORTAGEM Ana Carolina Caldas, Franciele Petry Schramm e Laís Melo COLABORARAM NESTA EDIÇÃO Bárbara Lia e Joaquín Piñero ARTICULISTAS Cesar Caldas, Marcio Mittelbach e Roger Pereira REVISÃO Lea Okseanberg, Maurini Souza e Priscila Murr ADMINISTRAÇÃO Bernadete Ferreira e Denilson Pasin DISTRIBUIÇÃO Clara Lume FOTOGRAFIA Giorgia Prates DIAGRAMAÇÃO Vanda Moraes CONSELHO OPERATIVO Daniel Mittelbach, Fernando Marcelino, Gustavo Erwin Kuss, Luiz Fernando Rodrigues, Naiara Bittencourt, Roberto Baggio e Robson Sebastian TIRAGEM SEMANAL 20 mil exemplares REDES SOCIAIS www.facebook.com/bdfpr CONTATO pautabdfpr@gmail.com IMPRESSÃO Grafinorte | Nei 41 99926-1113


Brasil de Fato PR

Brasil deGeral Fato |PR 3

Paraná, 9 a 15 de maio de 2019

FRASE DA SEMANA

Bolsonaro será recebido com protestos no dia 10 em Curitiba O presidente Jair Bolsonaro (PSL) deve vir a Curitiba na sexta-feira (10) para inauguração de um centro de inteligência. Ele será recebido pelo governador do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), no Palácio do Iguaçu, a partir das 17h30. Bolsonaro deve ser alvo de protestos de estudantes contra o corte de 30% nas universidades federais. A visita ao Paraná estava sendo mantida em sigilo. A comitiva presidencial não queria divulgar o local da cerimônia por causa das manifestações. O evento é continuidade de um projeto-piloto proposto pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública em encontro do governador do Paraná com o ministro Sérgio Moro, no dia 26 de abril. No Paraná, quatro instituições – UFPR, UTFPR, IFPR e UNILA – tiveram recursos cortados. Os estudantes organizam uma paralisação geral para o dia 15 de maio. De acordo com a UPE, os universitários estão agindo em diversas frentes. Uma delas é divulgar nota assinada por diversas entidades. Outra é publicizar o que a universidade produz de conhecimento. Wilson Dias | Agência Brasil

“Esse canalha, traidor da pátria, pagará por tudo isso”

Pesquisador defende preços da Petrobras controlados pela União

Disse o exjogador Juninho Pernambucano no Twitter, referindose ao ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro. Divulgação

Reforma que prejudica trabalhadores vai pra segunda fase na Câmara Redação Depois de passar na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, a reforma da previdência vai para o segunda fase na casa, na comissão especial que analisará o mérito da proposta. Estão previstas 11 audiências públicas com cerca de 60 convidados para debater a tentativa de “reforma” do governo Jair Bolsonaro. Depois desta fase, a previsão é votar em plenário, em que Bolsonaro tentará contar com 308 votos para alterar a Constituição e retirar direitos dos trabalhadores. A previsão das lideranças do governo é que isso ocorra em julho. Para isso, segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, está oferecendo R$ 40 milhões em de emendas públicas para os deputados que votarem a favor. Segundo o jornal, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM), ofereceu os milhões a líderes partidários em reunião na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM). Entregar bilhões para os bancos Além de reduzir direitos e dificultar a aposentadoria dos mais pobres, a reforma tem como um dos seus principais objetivos acabar com a previdência pública e entregar a

aposentadoria de quem entrar no sistema para os bancos por um sistema chamado de “capitalização”. Cada um teria uma espécie de conta em que “depositaria” suas contribuições numa instituição financeira. Ao final do período de trabalho, com 60, 70, 80 anos, veria seu saldo e dividiria pela expectativa de vida, sem nenhuma garantia de receber nem um salário mínimo. Esse sistema já levou os aposentados à falência em muitos países. Implantado no Chile, em 1981, os trabalhadores de lá são obrigados a depositar ao menos 10% do salário por no mínimo 20 anos. Aproximadamente 91% dos aposentados recebem benefícios de cerca de meio salário mínimo. Luis Macedo | Câmara dos Deputados

O pesquisador, engenheiro e ex-petroleiro Paulo César Ribeiro de Lima estará em Curitiba hoje (9) para lançar o livro “A importância do refi no para a Petrobras e para o Brasil”. O evento acontece às 16h, na sede do Sindipetro Paraná e Santa Catarina, que fica na Rua Lamenha Lins, 2064, no Rebouças. O autor aponta que, de 1954 ao início da década de 1980, a Petrobras foi uma empresa de refino. O último período desse setor, com início em 2018, caracteriza-se pela proposta de privatização das refinarias das regiões Nordeste e Sul, bem como dos ativos de logística (dutos e terminais). Esse monopólio privado das subsidiárias privatizadas, sem regulação, poderá levar à escassez de suprimento e ao aumento do preço dos derivados. Paulo César sugere que os preços praticados pela Petrobras podem ser administrados pela União. Para se evitar abusos por parte do controlador, propõe a regulação dos preços dos derivados no Brasil, de modo que sejam compatíveis com os do mercado da Costa do Golfo dos Estados Unidos.


de Fato PR 4Brasil Brasil

Brasil de Fato PR

Paraná, 9 a 15 de maio de 2019

Radiodocumentário sobre prisão de Lula é lançado em Curitiba Dividido em cinco capítulos, material aborda aspectos como a descoberta do pré-sal, a prisão de Lula até a eleição de Jair Bolsonaro Divulgação

Franciele Petry Schramm

DIÁLOGO

O

s participantes da Vigília Lula Livre, em Curitiba, conferiram em áudio o balanço dos 365 dias que mudaram os rumos da política no Brasil. Isso porque o espaço montado em frente ao prédio da Polícia Federal foi o local de lançamento do rádiocumentário ‘Um ano por Lula Livre: por que prenderam o maior líder popular da história do Brasil?’. O material produzido pelo Brasil de Fato com o apoio da Frente Brasil Popular está dividido em cinco capítulos, entre 10 a 20 minutos cada. Responsável pela criação do roteiro e pela apresentação, o jornalista Gabriel Carriconde explica que o radiocumentário faz uma análise sobre aspectos anteriores da prisão de Lula – como a descoberta do

pré-sal – e traz o relato dos desdobramentos desse fato, como a eleição de Jair Bolsonaro. “Esse radiodocumentário se propõe a isso: a ver os motivos por trás da prisão do ex-presidente Lula que não foram apenas jurídicos, mas resultado de uma interferência externa, de interesses internacionais”. O engenheiro eletricista Antônio Goulart, que parti-

cipou do lançamento, aprovou o resultado. “Material muito bem feito, com muita qualidade técnica e com boa leitura política”, avalia. Agora, ele pensa em formas de aproveitar esse conteú-

do para outras atividades de formação. Ele também destaca o fato de essa análise ser feita por meio de áudio. “Eu sou do tempo da radionovela e era um barato. O rádio cumpre um papel”.

Para ficar por dentro Ouça o radiocumentário ‘Um ano por Lula Livre’ completo na internet: brasildefato.com.br/parana

A militante Glicéria Polak aponta que esse material em áudio será mais uma importante ferramenta de diálogo com a população. Toda sexta-feira, ela distribui o jornal impresso do Brasil de Fato no Centro de Curitiba. Essa é uma forma de levar informações alternativas sobre o que acontece no país. “Vocês do Brasil de Fato têm feito um papel muito importante para nós”, destaca. O radiodocumentário será novamente transmitido para os participantes da Vigília neste sábado, às 10h30.

PUBLICIDADE

Uma mesma luta sob dois olhares Laís Melo e Pedro Carrano Em maio, dois grupos de realizadores em cinema registram a memória da Vigília Lula Livre, instalada no bairro Santa Cândida, em Curitiba, no formato de curta-metragens. “Vigília”, com direção de Rafael Urban, colaboração de Isabella Lanave e João Menna, é um deles. O filme, exibido no dia 5 de maio na vigília, estreia no festival de cinema Indie Lisboa, em Portugal. Trata-se de um registro da Vigília durante o processo das elei-

ções 2018. “Na vigília estão concentradas pessoas que lutam pela democracia, nesse momento das eleições fazia muito sentido registrar uma das maiores fontes de resistência em uma cidade como Curitiba, superreacionária”, diz Urban. Já o documentário “Nunca antes na História desse país” é um curta-metragem de 15 minutos, filmado no evento de um ano da Vigília Lula Livre (7 de abril), em Curitiba. Dirigido por Cesar de la Plata, o filme mostra a relação

dos apoiadores com o ex-presidente Lula, a partir do enfoque do afeto a ele, para além das questões econômicas. “A ideia do projeto surgiu durante as reuniões que participei nos comitês Lula Livre. Percebi que dentro de cada fala nessas reuniões, a figura do Lula representava algo para além da questão política e social, representava uma relação direta dele com o povo mesmo, o que faz dele ser uma figura até mesmo familiar para essas pessoas”, afirma De la Plata.


Brasil de Fato PR

Brasil de Fato|PR Brasil 5

Paraná, 9 a 15 de maio de 2019

Educação pública sob ataque Corte de verbas em todos os setores da educação, governo parece tratar setor como inimigo a ser destruído Redação

O

governo do presidente Jair Bolsonaro cortou, no começo do mês, 30% das verbas das universidades federais em todo o Brasil. Além de também tirar dinheiro de outros setores da educação, como os institutos federais. Como consequência, a direção da Universidade Federal do Paraná já declarou que, se a medida não for revista, terá de fechar as portas no segundo semestre deste ano por falta de recursos para pagamento de contas como água, luz, eletricidade (leia entrevista abaixo). Na Universidade Tecnológica Federal (UTFPR), alunos fizeram assembleia e paralisaram as aulas na quarta-feira (8) com a intenção de produzir materiais e fazer atividades de esclarecimento para a população sobre a situação da universidade. Em outras universidades e nos institutos federais a situação também é grave, com os gestores não sabendo o que fazer para conseguir manter as atividades até o final do ano.

Ataque às universidades Responsáveis por 95% da pesquisa científica no Brasil, as universidades públicas vêm perdendo recursos há alguns anos, mas nunca sofreram ataque como o que está ocorrendo no governo Bolsonaro. E, segundo o reitor da Universidade Federal do Paraná, Ricardo Fonseca, é necessário esclarecer para a sociedade o que vem acontecendo. “Para que cesse de uma vez por todas essa caricaturização das universidades públicas. Para que se perceba que são fundamentais por-

que são as protagonistas da formação do conhecimento. São as que, inclusive, viabilizam o desenvolvimento econômico e que salvaguardam a soberania nacional”, afirma. Para a assessora de comunicação do campus Curitiba da UTFPR, Maurini Souza, “a universidade pública tem cumprido seu papel, se destacando por excelência dentro e fora do Brasil. O que questiono é por que mexer no que está dando certo? Não tem nada errado no país para que os governantes invistam em atacar justamente o que dá certo?” Divulgação

Recursos foram cortados sem nenhum aviso

ENTREVISTA

Reitor da Federal conta como recursos saíram da conta e inviabilizam universidade Ana Carolina Caldas “É como se você acordasse um dia, verificasse sua conta, e o dinheiro que você tinha programado para despesas até o fim do ano tivesse sido retirado”, explica o Professor Doutor Ricardo Marcelo Fonseca, reitor da Universidade Federal, sobre o corte de 30% do orçamento para custeio imposto pelo governo Bolsonaro (PSL). Brasil de Fato-PR: Como a reitoria da Universidade Federal do Para-

ná ficou sabendo desse bloqueio de 48 milhões em suas contas? Ricardo Marcelo Fonseca: No início da semana passada acontecia uma movimentação quando o ministro da Educação anunciou corte de verbas para a Universidade da Bahia, a Universidade Federal Fluminense e a Universidade de Brasília, com a justificativa de supostas balbúrdias e supostos maus desempenhos. Ficamos atentos. Num segundo momento, foi anunciado que o corte seria de maneira linear. E na quinta-feira, 2 de maio, amanhece-

mos com 30% menos nessa parcela que vem para manutenção e custeio das universidades públicas. Houve algum comunicado do Ministério da Educação para que as universidades se preparassem? Não. É uma operação orçamentária. Os valores que tinham sido alocados na conta única da universidade foram retirados. É como você acordar de manhã, pegar o aplicativo da sua conta corrente e ter 30% menos daquele valor que tinha planejado para viver até o fim do ano.

FIQUE ATENTO

Cortes inviabilizam universidades Universidade Federal do Paraná (UFPR) Perdeu 48,3 milhões. Se medida não for alterada pelo governo Bolsonaro pode fechar as portas no segundo semestre. A UFPR atende a mais de 33 mil alunos, em 164 cursos de graduação e 89 programas de pós-graduação com 89 mestrados e 61 doutorados gratuitos. Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) Corte de 37 milhões. A UTFPR oferece gratuitamente cursos de graduação, mestrado acadêmico, mestrado profissional e doutorado em treze campi na capital e no interior do Paraná. Instituto Federal do Paraná (IFPR) Corte de 20,8 milhões, 36% do orçamento previsto para 2019. O IFPR tem 21 mil alunos em nível técnico e o corte atinge diretamente estrutura e infraestrutura da instituição.


Brasil de Fato PR 6 Paraná

Paiol de Telha é o primeiro quilombo titulado no Paraná Francielle Petry Schramm

Franciele Petry Schramm

F

amílias do quilombo Paiol de Telha, localizado na cidade de Reserva do Iguaçu, no centro-sul do Paraná, receberam no final de abril a notícia de que o quilombo é o primeiro território a ser titulado no estado. O título expedido pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), após determinação judicial, transfere para a Associação Quilombola o título de reconhecimento de domínio coletivo de duas áreas que somam 225 hectares de terra - uma pequena parte dos PUBLICIDADE

Brasil de Fato PR

Paraná, 9 a 15 de maio de 2019

2.959 hectares a que a comunidade tem direito. Expulsos da terra conquistada há mais de 150 anos, o grupo esteve instalado na beira da PR 459, por ausência de opções e como meio de pressão ao governo, por quase duas décadas. Agora, com o título do território quilombola em mãos, as famílias avançam na conquista de serviços básicos como fornecimento de água e energia elétrica. Porém, é preciso garantir a titulação de todo o território. “Ainda há um longo passo, mas isso comprova que não podemos perder a esperança, só está PUBLICIDADE

Justiça federal suspende despejo

Divulgação

começando a nossa luta”, garante Danielly da Rocha Santos, vice-presidente da Associação. Festa A titulação foi motivo de festa para a comunidade. No domingo (5), os quilombolas comemoraram essa vitória com música, dança e muita emoção. No Paiol de Telha, fizeram a entrega simbólica de uma cópia do título a cada família. Ao receber o documento, Manoel Ferreira dos Santos não conteve as lágrimas. “Eu choro por causa de tanta descriminação que a gente sofreu por essa luta”, contou.

NÚMEROS

1.716

número de processos de titulação abertos no Incra

2019

Apenas R$ 3,4 milhões foram destinados para a política de titulação. Baixo orçamento nacional contribui para a lentidão Fonte: Terra de Direitos

Redação Liminar do juiz Flávio Antônio da Cruz, da 11ª Vara Federal de Curitiba suspendeu, na segunda-feira (6), o despejo de duas famílias do Quilombo Gramadinho, no território Quilombola Varzeão, na cidade de Doutor Ulysses (PR). O despejo seria realizado por ação movida pelas supostas proprietárias da Fazenda Itapirapuã contra 17 famílias. Apesar de a ação já ter sido julgada pelo Supremo Tribunal Federal, o juiz considerou que não seria possível realizar o despejo, uma vez que as famílias não haviam sido comunicadas oficialmente do processo. Além disso, também aponta a necessidade de respeitar o direito à moradia e ao

território tradicional, previstos na Constituição. A situação das outras 15 famílias ainda será analisada, mas há risco iminente de despejo. Reconhecido como Comunidade Quilombola pela Fundação Cultural Palmares em 2006, o Varzeão vive com incertezas e enfrenta a morosidade do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no processo de titulação. Advogado popular da Terra de Direitos, que atua no caso, Fernando Prioste destaca o papel da Justiça. “Se o Estado não atua com rapidez para fazer a titulação dos territórios, o poder judiciário pode encontrar alternativas para manter essas pessoas e comunidades na posse de seus territórios tradicionais”, avalia.


Brasil de Fato PR

Universidade se une para garantir liberdade de expressão Federal regulamenta gravação de atividades acadêmicas por conta de pressão do movimento “escola sem partido” Ana Carolina Caldas Por conta do movimento “escola sem partido” e da pressão feita pelo atual governo nas universidades, inclusive incentivando a “delação de professores”, a Universidade Federal do Paraná resolveu regulamentar por meio de uma resolução a gravação de aulas. Entre os objetivos está garantir o “livre exercício das atividades de ensino, pesquisa e extensão”, incluindo a regulamentação da gravação de aulas e outras atividades acadêmicas... e a previsão de ações no âmbito da universidade que promovam a liberdade de expressão e pensamento, a liberdade de cátedra, por meio de políticas de informação e conscientização”. Para Marcos Sunye, diretor do setor de Exatas da UFPR, “A universidade carece de mais resoluções que definam melhor as relações en-

BrasilCultura de Fato |PR 7

Paraná, 9 a 15 de maio de 2019

tre discentes e docentes. Uma vez publicada, a resolução serve de referência para alunos e professores nas dúvidas cada vez mais presentes sobre liberdade de expressão.” Previsto na Constituição A resolução foi aprovada pelo Conselho Universitário e já está em vigor. Nelson Luis Barbosa Rebellato, diretor do setor de Ciências da Saúde, ao falar sobre a resolução, lembra que a universidade sempre foi e deve continuar sendo o espaço da diversidade. “Compreende o livre pensar, análise e senso crítico, bases para o conhecimento científico... Não podemos aceitar que a liberdade, princípio base das sociedades modernas, pudesse ser cerceada no meio acadêmico”, diz. Para Nelson, a resolução aprovada na UFPR só reafirma o que já diz a Constituição e o princípio da autonomia universitária.

LUZES DA CIDADE Bárbara Lia

A revolução começa no quintal Giorgia Prates

No quintal da minha amiga Ana Madureira, entre um café com bolo de cenoura e uma aula de Hukilau: reciclagem de tecidos têxteis. O fio de nylon demora seiscentos anos para decompor-se no mar. O pequeno mutirão é parte da Revolução da Beleza. Se há por parte dos governantes esdrúxulos o gérmen da destruição, devemos nos contrapor e fazer Arte, proteger o meio ambiente e melhorar o mundo. Se mergulharmos na esponja asquerosa do momento, sucumbiremos, apagaremos nosso sol e seremos cúmplices da hora escura. Por falar nisso: alguns generais e coronéis alemães recusaram-se a seguir cúmplices. Decidiram eliminar Hitler. Claus von Stauffenberg (que comandou a operação Valkiria) e todos que se rebelaram, morreram. Hitler não morreu na explosão do bunker, mas eles tentaram. Os descendentes (sobrinhos netos de Hitler) decidiram não ter filhos para não prolongar sua descendência. É preciso proteger o futuro: da degradação e dos megalomaníacos. Purificar terra & mar... E amar.

Reprodução

DICAS MASTIGADAS

Escondidinho de batata doce com frango Ingredientes 1 kg de peito de frango, 1kg de batata doce, 2 cebolas inteiras, alho, azeite, molho de tomate, 1 xícara de creme de leite sem lactose, espinafre (opcional), temperos a gosto. Modo de Preparo Cozinhe o frango na panela de pressão por aproximadamente 20 minutos e desfie. Faça o molho dourando as cebolas e o alho no azeite com temperos escolhidos. Quando as cebolas estiverem douradas, adicione o frango desfiado e deixe fritar. Quando estiver dourado, adicione o espinafre, o molho de tomate e a água. Deixe ferver até se tornar um molho consistente. Desligue o forno e reserve. Prepare o purê cozinhando as batatas por aproximadamente 20 minutos. Veja se a consistência está mole e use o espremedor de batatas ou o amassador. Coloque a cebola e o alho pra dourar na panela com sal a gosto. Quando as cebolas estiverem douradas, acrescente as batatas amassadas junto com o creme de leite. Mexa até chegar na consistência de purê (no máximo 3 minutos) e reserve. Montagem Em uma assadeira de vidro monte o escondidinho na sequência 1 camada fina de purê, 1 camada grossa de frango e, pra finalizar, uma camada fina de purê. Leve ao forno por 20 minutos e estará pronto.


Brasil de Fato PR 8 Esportes

Brasil de Fato PR

Paraná, 9 a 15 de maio de 2019

Os sem-TV no Brasileirão Fim do monopólio da Globo tem deixado partidas sem transmissão até no pay per view Frédi Vasconcelos

M

ais que a disputa entre o primeiro e segundo colocados na tabela do Brasileirão, a partida entre Atlético-MG e Palmeiras, em Belo Horizonte, no domingo, chama a atenção porque não será transmitida por nenhum canal de TV, nem mesmo no sistema pay per view (PPV), em que se paga pela transmissão de todos os jogos do campeonato. O motivo é que o time paulista assinou contrato de direitos de transmissão apenas para TV a cabo com o grupo Turner, dos Estados Unidos, (responsável pelo Esporte Interativo e o canal TNT), mas não acertou a venda dos direitos com a Globo para nenhuma plataforma. Do outro lado, o Atlético-MG tem exclusividade com a emissora do Jardim

Botânico. E o enrosco acontece porque para a transmissão do futebol, a emissora tem de ter adquirido os direitos dos dois times. E, até o momento, não houve acordo. A alternativa será ir ao estádio ou se contentar

com transmissões que estão sendo tentadas pelo Facebook de clubes ou mesmo transmissões diretas feitas por torcedores nos estádios, que a Globo tem tentado derrubar. Sem transmissão OuDivulgação

tros times também fecharam com a Turner, e não com a Globo, para a TV a cabo. Mas acabaram acertando para a TV aberta e para o PPV. Com exceção do Athletico-PR, que só fez acordo para a TV aberta. Assim, o Palmeiras só terá partidas exibidas quando enfrentar Athletico, Fortaleza, Inter e Santos, que também têm con-

trato com a Turner. E o Athletico, além desses times, terá transmissão apenas na TV aberta. Nas duas últimas rodadas, CSA x Palmeiras e Chapecoense x Athletico não foram transmitidos. E, até a parada do Brasileirão para a Copa América, na nona rodada, mais cinco jogos também ficarão fora das telas (veja tabela).

Jogos em que não está prevista transmissão pela TV

12/05

Atlético-MG

25/05

Botafogo

2/06

Palmeiras e Athetico endurecem negociações com a Globo e partidas ficam sem transmissão

Chapecoense

13/06

Palmeiras

13/06

Goiás

X X X X X

Rodrigão-dependência

Camisa 12

Tirar o pijama

Redação

Por Marcio Mittelbach

Por Roger Pereira

Vitória contra a Ponte Preta e empate com o Atlético Goianiense (fora de casa), quatro pontos em dois jogos, podem até ser um começo razoável para o Coritiba na série B, mas o perigo mora na dependência do atacante Rodrigão na hora de fazer gols. Ele foi responsável pelos três marcados até agora no Brasileirão e, no ano, por 11 dos 26 gols do time em todas as competições. O técnico Umberto Louzer já declarou que está feliz com a performance do centroavante, mas também procura alternativas para balançar as redes. “Não podemos ficar na dependência do Rodrigo, até porque os adversários vão encaixando e vão dificultando cada vez mais”, declarou ao Globo Esporte. Para conferir se as alternativas vão funcionar para acabar com a Rodrigão-dependência, só assistindo, já na próxima quinta-feira, às 21h30, o jogo com o Londrina, no Couto Pereira.

Na semana passada dissemos aqui que a relação time torcida poderia fazer a diferença nessa série B. A grata surpresa é que a química já aconteceu no primeiro jogo em casa. A vitória magra sobre o CRB foi o suficiente para conectar o elenco à torcida. Os quase seis mil guerreiros que compareceram no último sábado podem virar dez mil diante do Guarani no dia 18 de maio. Para isso basta uma vitória, um pontinho ou minimamente uma apresentação convincente diante do Cuiabá neste sábado, 11. Independentemente do número de convidados, a festa já está sendo providenciada. Uma campanha do coletivo Patronos da Gralha chamada ‘Festa na Vila’ está arrecadando dinheiro para a compra de fumaça colorida e fogos de artifício. Cabe agora aos jogadores fazer a parte deles e manter viva a esperança de um novo acesso. O reforço das arquibancadas já está garantido!

Palmeiras Palmeiras Palmeiras Avaí Athletico

As três primeiras rodadas do Brasileiro acenderam o alerta sobre a “Baixadadependência”, tão comum nas últimas campanhas do Athletico. Se o Furacão abriu a competição com uma convincente goleada sobre o Vasco, nas duas rodadas seguintes, fora de Curitiba, não repetiu o desempenho, perdendo para o Fortaleza e empatando com a Chapecoense. Na Libertadores, apesar da classificação antecipada, o problema se repete: 100% no Caldeirão, 0% fora dele (a coluna foi escrita antes da partida diante do Boca Juniors). O mata-mata da Libertadores está chegando, as oitavas da Copa do Brasil, também, assim como a decisão da Recopa e, nesses confrontos eliminatórios, um vacilo fora pode ser irreversível. E para querer algo mais no Brasileiro, pontuar fora é fundamental. Passou da hora de o Athletico tirar o pijama.

Profile for Brasil de Fato Paraná

Brasil de Fato PR - Edição 122  

Brasil de Fato PR - Edição 122  

Advertisement