Page 1

Divulgação

3 CIDADES

Minas Gerais

Reprodução

3 CIDADES 14 VARIEDADES

Polêmico, Uber divide opiniões

E o frio chegou!

Taxistas denunciam ilegalidade do aplicativo e perda de trabalho. Usuários aprovam iniciativa e a consideram mais barata

No inverno, cuidados com idosos e crianças devem ser redobrados. Veja dicas na página 3 e a resposta da Amiga da Saúde na página 14

10 a 16 de julho de 2015 • edição 94 • brasildefato.com.br/mg • distribuição gratuita

Reprodução

8 BRASIL

4 e 5 MINAS

Câmara aprova MP do Futebol

HOSPITAL

Aécio investigado por desvio de 14 bilhões Nova ação do Ministério Público coloca o ex-governador Aécio Neves (PSDB) como réu pelo desvio de R$ 14 bilhões. O político teria, junto com a coordenadora-geral do estado, maquiado as contas públicas estaduais para demonstrar maiores investimentos em saúde. O total desviado equivaleria a 80 “mensalões”

9 MUNDO

Lidyane Ponciano

rçamento e Saúde

Clubes devedores poderão ser rebaixados e dirigentes responsabilizados por má gestão. Voto dos atletas não passou

Papa e brasileiros na Bolívia Encontro de movimentos populares em Santa Cruz de La Sierra discute acesso a teto, terra e trabalho digno


2

OPINIÃO

Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

editorial | Minas

O Brasil tem jeito

ESPAÇO dos Leitores

Brilhantes temas foram abordados esta semana. A página 2 relatou muito bem as falhas do nosso poder judiciário. Brasil de Fato, nosso grande mecanismo de informação. Anderson Francisco, comentando a edição 93 do Brasil de Fato MG

Ótimo texto! Agora é hora de arregaçar as mangas! Por onde começar? Quando? Onde? Unamo-nos ou veremos tudo que foi conquistado nestes anos ralo abaixo. Rafael William, comentando o artigo “Partir para o ataque”, de João Paulo Cunha

À redação do Brasil de Fato MG, parabéns pelo jornal e pelo conteúdo alternativo e progressista das reportagens e dos artigos. Giovani Clark

Ótima alternativa à mídia tradicional e conservadora. Glauber Mendonça de Assis

Escreva para nós: redacaomg@brasildefato.com.br Giovani Clark

Na semana que passou, um lar. Mas só recentemente o poder enorme conjunto de organizações, Judiciário começou a experimentar parlamentares e lideranças nacio- formas ainda muito tímidas de sunais elaboraram um manifesto pelo pervisão, e basicamente pelos seus Brasil. Veja principais pontos: próprios integrantes. O mais gra“Nós não aceitaremos a quebra ve, contudo, é a disposição que seda legalidade democrática, sob que tores do Judiciário e do Ministério pretexto for. O povo brasileiro foi às Público vêm crescentemente deurnas e escolheu a presidenta, 27 monstrando, de querer substituir governadores, os deputados e de- o papel dos outros poderes, assuputadas estaduais e federais e se- mir papel de polícia e desrespeitar nadores. Os inconformados com o a Constituição. Convocamos todos resultado das eleições ou com as os setores democráticos a reafirações dos mar as libermandatos dades constiMídia busca interrupção da recém-notucionais bálegalidade democrática meados têm sicas, entre as todo o direiquais a de que to de fazer ninguém seoposição, manifestar-se e lançar rá considerado culpado sem devimão de todos os recursos previs- do julgamento: justiça sim, justiceitos em lei. Mas consideramos ina- ros não! ceitável e nos insurgimos contra as A Constituição Brasileira de 1988 reiteradas tentativas de setores da proíbe a existência de monopóoposição e do oligopólio da mídia, lios na comunicação. Apesar disso, que buscam criar, através de pro- os meios de comunicação no Bracedimentos ilegais, pretextos arti- sil são controlados por um oligoficiais para a interrupção da legali- pólio. Contra este pequeno númedade democrática. ro de empresas de natureza famiNunca se viu o que se está ven- liar, chamamos os setores demodo agora: a tentativa, por parte do cráticos e populares a lutar em depresidente da Câmara dos Deputa- fesa da Lei da Mídia Democrática, dos, às vezes em conluio com o pre- que garanta a verdadeira liberdade sidente do Senado, de usurpar os de expressão. poderes presidenciais e impor ao Um consórcio entre forças popaís uma paulíticas conta conservaservadoras, dora que não Contra o ajuste fiscal e o oligopófoi a vitoriosa lio da mídia, contra a corrupção nas eleições de setores do 2014. Contra judiciário e esta maioria eventual que no mo- da polícia trabalham para quebrar mento prevalece no Congresso Na- a legalidade democrática. Estamos cional – disposta a aprovar uma re- na linha de frente da luta por muforma política conservadora, a re- danças profundas no país, por oudução da maioridade penal, a vio- tra política econômica, contra o lação da CLT via aprovação do PL ajuste fiscal e contra a corrupção. 4330, a alteração na Lei da Parti- E por isso mesmo não aceitaremos lha, dentre tantas outras medidas nenhuma quebra da legalidade. – convocamos o povo brasileiro a Concluímos manifestando nossa manifestar-se, a pressionar os legis- total solidariedade à luta do povo ladores, para que respeitem os di- grego por soberania, democracia e reitos das verdadeiras maiorias. bem-estar. A Constituição Brasileira de 1988 Como se vê, o Brasil tem jeito, e a estabelece a separação e o equilí- onda de conservadorismo a que asbrio entre os poderes. Os poderes sistimos inconformados é apenas a Executivo e Legislativo são subme- agonia do inimigo acuado. Não tartidos regularmente ao crivo popu- da caírem do cavalo.

O jornal Brasil de Fato circula semanalmente em todo o país e agora também com edições regionais, em SP, no Rio e em MG. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país e no nosso estado.

REDE SOCIAL: facebook.com/brasildefatomg correio: redacaomg@brasildefato.com.br para anunciar: publicidademg@brasildefato.com.br / TELEFONES: (31) 3309 3304 /3568 0691

conselho editorial minas gerais: Adília Sozzi, Adriano Pereira Santos, Adriano Ventura, Beatriz Cerqueira, Bernadete Esperança, Bruno Abreu Gomes, Carlos Dayrel, Cida Falabella, Cristina Bezerra, Deliane Lemos de Oliveira, Durval Ângelo Andrade, Eliane Novato, Ênio Bohnenberger, Frederico Santana Rick, Frei Gilvander, Gilson Reis, Gustavo Bones, Jairo Nogueira Filho, Joana Tavares, João Paulo Cunha, Joceli Andrioli, José Guilherme Castro, Juarez Guimarães, Laísa Silva, Luís Carlos da Silva, Marcelo Oliveira Almeida, Michelly Montero, Milton Bicalho, Neemias Souza Rodrigues, Nilmário Miranda, Padre Henrique Moura, Padre João, Pereira da Viola, Renan Santos, Rilke Novato Públio, Rogério Correia, Samuel da Silva, Sérgio Miranda (in memoriam), Temístocles Marcelos, Wagner Xavier. Editora: Joana Tavares (Mtb 10140/MG). Repórteres: Pedro Cíndio, Pedro Rafael Vilela, Rafaella Dotta e Wallace Oliveira. Colaboradores: Acsa Brena, Anna Carolina Azevedo, André Fidusi, Bráulio Siffert, Diego Silveira, João Paulo, Léo Calixto, Marcos Assis, Olivia Santos, Rogério Hilário, Sofia Barbosa. Fotografia: Larissa Costa. Estagiária: Raíssa Lopes. Revisão: Luciana Santos Gonçalves. Administração: Vinicius Nolasco. Diagramação: Bruno Dayrell. Tiragem: 40 mil exemplares.


CIDADES

Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

3

Rodeado por polêmicas, Uber conquista usuários TECNOLOGIA Aplicativo de caronas pagas ainda não foi legalizado e gera revolta em taxistas Redprodução

Raíssa Lopes Belo Horizonte tem sido palco de inúmeros confrontos entre taxistas e motoristas do Uber Taxi, aplicativo norte-americano que fornece “caronas pagas” a usuários em mais de 300 cidades no mundo. No último sábado (4), um condutor chegou a ser perseguido por três taxistas, que o cercaram próximo à Praça da Bandeira. No mesmo dia, outro incidente, na Av. Getúlio Vargas, levou a agressões e até ameaças de morte. Os conflitos acontecem devido à insatisfação dos taxistas com a concorrência gerada pelo novo serviço, que fornece aos clientes carros de luxo, água e corridas mais baratas, pagas no cartão de crédito. Segundo o Sindicato Intermunicipal dos Condutores Autô-

nomos de Veículos Rodoviários, Taxistas e Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens de Minas Gerais (Sincavir-MG), a procura pelos serviços de taxi diminui 30% em BH. Para Cássia Voloch Rozenberg, diretora da Coopertáxi, uma das principais

cooperativas da capital, o grande problema é a não regulamentação do aplicativo. “Nós temos normas bastante rígidas a seguir. Os custos são bastante elevados e o Uber tira nosso trabalho”, comenta. Ela deixa claro que não concorda com a violência como resposta, mas cri-

Chegou o inverno: é bom cuidar da saúde PREVENÇÃO Idosos requerem atenção maior no frio Wallace Oliveira Com a chegada do inverno nos últimos dias, as mudanças abruptas de temperaturas, a baixa umidade do ar e o aumento da poluição exigem atenção com a saúde. Doenças como a gripe, rinite alérgica, sinusite, bronquite crônica e pneumonia estão entre as mais frequentes no período. “Essa época é endêmica para várias doenças. Por isso, requer mais cuidado”, explica a enfermeira Sofia Barbosa. A depender da situação, algumas pessoas estão mais vulneráveis a essas enfermidades, como é o caso dos idosos. “Se for um idoso acamado, é necessário uma prudência ainda maior e mais hidratação, pois a pele resseca muito. Se a pessoa é dependente, não sabe falar, demanda também mais ajuda no frio. Se está gripada, o risco de pneumonia para o idoso é maior”, atesta Sofia. Por isso mesmo, algumas precauções são recomendadas. Abaixo, seguem dicas sobre como se cuidar nesta estação:

Reprodução

tica a “demora de uma atitude dos órgãos responsáveis”. O Uber contesta o argumento e declara que ainda não houve tempo para a regulamentação, pois o serviço é novo e nasceu depois do smarthphone. Os responsáveis defendem que o usuário deve poder decidir pelo atendimento que deseja. Já sobre a truculência dos taxistas contra os condutores particulares, a empresa ressalta que irá “iniciar todas as medidas legais cabíveis contra os agressores”. Polêmica mundial O Uber foi criado há cinco anos e funciona em 58 países. Devido a protestos de taxistas, a plataforma chegou a ser proibida na França, Alemanha, Espanha, Bélgica e Portugal.

Porém, é liberado em Londres e algumas cidades dos Estados Unidos. Em Belo Horizonte, um PL de autoria do vereador Lúcio Bocão (PTN) também proíbe o Uber. Segundo a Câmara Municipal, ainda não há previsão de quando o documento será votado.

Depoimento de usuária do Uber “O Uber é um serviço de táxi melhorado. Além do conforto, os motoristas não recusam corridas pequenas, como muitos taxistas. Eles te tratam muito bem e por um preço bem abaixo do táxi.” Sara Carsalade, 26 anos, publicitária

PERGUNTA DA SEMANA Os deputados mostram-se favoráveis, enquanto que as organizações de jovens realizam protestos, como no Rio de Janeiro, nesta terça (7), que reuniu 5 mil pessoas na Candelária.

E você, é a favor da redução da maioridade penal?

Alimentação Cuidado com alimentos calóricos! No inverno, é importante ingerir alimentos que têm valor energético maior, para manter o corpo aquecido e ter uma reserva. Porém, se a pessoa tiver problema cardíaco ou colesterol alto, é necessário um cuidado maior. Hidratação constante Para se prevenir do contágio de gripes e resfriados, nada mais indicado do que estar com o corpo bem hidratado. Assim, a imunidade do organismo aumenta e quanto mais saudável a pessoa estiver na entrada do inverno, mais difícil mente será acometida por doenças.

Vestuário Sabe aquela roupa guardada há meses? Ao tirar cobertores e roupas de frio do guarda-roupas, o ideal é lavar antes de usar ou deixar ao sol por um tempo. Como esses tecidos acumulam poeira e ácaros, há riscos de crise por doenças alérgicas. Não se esqueça de tomar a vacina A vacina pode desencadear uma reação, poucos dias depois, com uma gripe um pouco leve, mas isto é uma resposta natural do corpo da vacina. Outras dicas Deixar o ambiente ventilado. Não deixar que a casa acumule poeira.

Eu já trabalhei com adolescentes em cumprimento de medida e sou completamente contra a redução, acho que os nossos políticos não conhecem a realidade dos adolescentes. Nisso, as crianças negras e pobres são as que mais sofrem. Quando eu trabalhava com adolescente infrator, quem podia pagar e ter advogado nem ficava cumprindo a pena. Os outros, pobres, é que ficavam e em condições muitíssimo precárias. Sônia Francisca de Carvalho, assistente social

Acho que alguma coisa tem que mudar, mas não é assim. Se a gente encarcerar um menino de 16 anos com outras pessoas que vêm de um histórico pesado, a chance de ele se regenerar é muito menor. Poderíamos criar locais apropriados. Cursos profissionalizantes, bola, terapias de ajuda, pra ele perceber que vale a pena sair daquela situação. Se for pra carceragem, vai ficando mais escuro, ao invés de ele ver uma luz no fim desse túnel. Daniel Bonifácio do Carmo, corretor de imóveis


4

MINAS

Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

Ação contra Aécio mostra desvio de 14 bilhões da saúde CORRUPÇÃO Ministério Público Federal questiona verba destinada para outros fins, como para a Copasa, que nunca recebeu o dinheiro Marcelo Camargo / Agência Brasil

Rafaella Dotta Aécio Neves, presidente do PSDB, senador e ex-governador de Minas Gerais, volta a ter o nome envolvido em um dos maiores casos de desvio de verba do Brasil. A investigação foi aberta pelo Ministério Público Federal (MPF), em 25 de junho, e envolve R$ 14 bilhões desviados do SUS de Minas Gerais. Além do extravio de recurso, questiona-se para onde o dinheiro foi. A fraude aconteceu nas planilhas de gastos dos mandatos de Aécio no governo de Minas e de seu sucessor, Antonio Anastasia, também do PSDB. A ação mostra que os ex-governadores não cumpriram a Emenda Constitucional 29, que obriga o investimento no SUS de pelo menos 12% do PIB estadual. Para não serem descobertos, as contas estariam sendo “maquiadas”. De 2003 a 2011, foram incluídos nas planilhas de saúde inúmeros gastos não relacionados ao SUS. Em 2004, por exemplo, aparecem R$ 530 mil em locação de veículos e R$ 1 milhão em serviços de fiscalização ambiental, segundo relatório da Comissão de Acompanhamento da Execução Orçamentária do Estado (CAEO). Ao todo, foram desviados R$ 14 bilhões do serviço de saúde pública de Minas Gerais, apura a investigação. Em alguns anos o valor investido na área não chegou à metade do obrigatório. Esse dinheiro foi repassado, em sua maioria, a serviços de saneamento básico da Copasa, para fundos de aposentadorias, pensões e institutos de clientela fechada. PSDB responde A nota do partido, divulgada no mesmo dia da ação, sustenta que o tema é assunto “amplamente divulgado e esclarecido” e que os governos Aécio Ne-

O que poderia ser feito com os 14 bilhões? 56 hospitais*: 10 mil consultas especializadas por mês

r m^

2800 UPAs*: 9 mil atendimentos por mês

b

1 milhão e 270 mil médicos:

ves e Anastasia realizaram o mesmo procedimento em outros estados. Afirma ainda que os investimentos feitos entre 2003 e 2010 foram aprovados pelo Tribunal de Contas do Estado e pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Caso isso não aconteça, sugerem que o governo fedecom média salarial de ral retenha os repasses paR$ 11 mil ao mês ra Minas Gerais. Os procuradores também corroboram outra investigação, ela*Os dados são baseados no custo do Hospital borada em 2010, em que se Metropolitano do Barreiro, em BH; no valor afirma improbidade administrativa por parte de Aéaproximados das últimas UPAs construídas em BH; e cio Neves. no piso salarial médico reivindicado pelo Conselho Processo pede reparaA ação aguarda agora a Federal de Medicina. ções intimação das partes pela Os autores da ação do Justiça federal. MPF, os procuradores Edmundo Antônio Dias, Helder Magno da Silva e Silmara Cristina Goulart, pedem que o governo estadual invista os R$ 14 bilhões na saúde, ainda que seja através de parcelamentos. HISTÓRIA Sem julgamento das provas, processo foi arquivado em 2014

Em 2010, ação já alertava para “sumiço” de 3,5 bilhões

emenda 29 A partir de 2000, a Emenda Constitucional nº 29 passou a determinar o valor que os governos deveriam repassar para a saúde pública. Hoje, o artigo 198 da Constituição Federal prevê que governos estaduais invistam 12%, no mínimo, sobre impostos estaduais (ITCD, ICMS e IPVA) e transferências constitucionais.

O caso de desvio mais importante é o da Companhia de Abastecimento. Consta que o governo estadual fazia repasses para o serviço de saneamento básico da empresa. Porém, este é um serviço tarifado, pago pelos consumidores, e a Copasa estaria recebendo duplamente: do governo e dos consumidores. A incoerência apareceu pela primeira vez em ação feita pela promotora do Ministério Público Estadual, Josely Ramos Pontes, em 2010. A prestação de contas do estado

mostrava um repasse de R$ 3,5 bilhões para a Copasa, mas a empresa negava ter recebido qualquer quantia. “Recebi as contestações do estado e da Copasa dizendo que nunca o estado transferiu recurso para a empresa”, declarou a promotora. Investigação interrompida Em 2013, os réus Aécio Neves e Maria da Conceição Barros, ex-coordenadora-geral do estado, pediram anulação da ação de Josely. Em resposta, os desembargadores do Tri-

bunal de Justiça de MG decidiram unanimemente pela manutenção do processo. Em fevereiro de 2014, porém, o juiz Adriano de Mesquita Carneiro arquivou o processo, sem julgá -lo. Afirmou que apenas o procurador-geral de Justiça, Carlos Bittencourt, indicado por Anastasia, poderia abrir investigação contra um ex-governador. Hoje, a verba possivelmente desviada para a Copasa soma R$ 8,5 bilhões, em valores reajustados, segundo análise do Ministério Público Federal.


Belo Horizonte, 10 a 16 de maio de 2015

Fragmentos da ação protocolada pelo MPF:

MINAS

5

Artigo Imagem não é tudo João Paulo Cunha

OPINIÃO

A corrupção que não passa na TV

Você já ouviu falar do desvio de R$ 14 bilhões da saúde de Minas Gerais, operada durante os governos de Aécio e Anastasia? Pelo menos quatro bi a mais do que se apura na Operação Lava Jato. E mais de 80 vezes o valor estimado no caso “Mensalão”, que levou 20 pessoas para a cadeia. Nenhum poder, em nenhum lugar do mundo, é homogêneo. Há muitos pesos e várias medidas. No caso da mídia, a resposta dos acusados aparece mais do que a própria denúncia. O Ministério Público de Minas Gerais já tinha levantado a acusação, aceita pela unanimidade dos desembargadores. Agora, o Ministério Público Federal entra

com outra ação, novas informações e um pedido de devolução do dinheiro desviado. De novo! O Judiciário é outro exemplo. Um poder que não é eleito nem fiscalizado pela população tem a prerrogativa de fazer valer seus interesses. Conseguiu perverter as normas da lei e da presunção de inocência para fazer o alvoroço que quis com os casos dos petistas envolvidos em corrupção e, agora, com a maior empresa pública brasileira. Juristas de todos os matizes políticos criticam duramente as manobras feitas nesses julgamentos de exceção. São critérios estranhos, para dizer o mínimo. Quando a ação parece interes-

sante a algum interesse muito específico, merece todos os holofotes e ajudas para que o julgamento seja feito em praça pública. E, de preferência, para que a punição seja “exemplar”. Quando não é o caso, se escondem estatísticas, se omitem informações, se pratica o mais frio e cúmplice silêncio. O PSDB alega que o desvio de R$ 14 bilhões da saúde pública de Minas Gerais foi “amplamente divulgado e esclarecido”. O Ministério Público Federal parece não concordar. E você, o que acha? (Joana Tavares, editora do BF MG)

Aécio Neves é um personagem ambivalente. Sua indignação não convence nunca e soa como inveja. Sua juventude estendida além do limite natural gerou uma máscara que, quando quer ser irônica, acaba figurando sarcástica – parece que vai envelhecer sem passar pela maturidade. Desde que foi batido nas urnas, tomou como sentido de vida anular as eleições. Construir a oposição responsável se afigura para ele como aceitação da derrota. Vem tentando, por todos os meios, adiar a consagração de uma verdade democrática. Com isso, busca interromper um fluxo democrático que custou o trabalho de várias gerações. Há um traço de caráter que aproxima Aécio do personagem de um romance do fim do século XIX. Quando o poeta irlandês Oscar Wilde publicou seu O retrato de Dorian Gray, sem querer antecipava o destino trágico do senador mineiro. O livro narra a história de um homem que leva uma vida dupla. Por obra de um pacto, Dorian tem sua existência voltada para a busca do pra- Desde que foi batido nas zer. Mesmo assim, urnas, Aécio tomou como mantém a aparência do corpo e sentido de vida anular as as cintilações da eleições virtude, enquanto um retrato pintado com sua imagem de corpo inteiro envelhece e abriga as rugas do tempo e as marcas de seus pecados de alma. Dorian é um esteta embriagado pela beleza e capaz de atrocidades. Ao final, imagem e realidade se encontram e selam seu destino. As cicatrizes do retrato colam de vez na pele de Dorian Gray, que é destruído por suas próprias ações. Aécio tem muito de Dorian Gray. O retrato que o protegeu do peso da realidade foi o fosso criado entre suas ações e a opinião pública. Fez dos meios de comunicação, cooptados por vários expedientes, o verniz que imantava sua imagem pública. Equívocos e desvios não grudavam nele. Podia errar em administração, política, ética e bons modos, que saía ileso. Não era o político que errava, era o retrato resguardado do olhar do público. O drama maior do personagem, contudo, era a crença na verdade da mentira. Aécio se convenceu de que era o Aécio que criou para uso externo. Mas, como no caso de Dorian Gray, a tragédia se instalou. Hoje, pela força do personagem, não resta ao ex-governador nada além de manter o papel de vítima e vociferar contra a derrota. Ele precisa atacar as eleições e o poder constituído, sem perceber que se aproxima da afronta à democracia. Está colada nele, para sempre, uma postura odiosa, iracunda, incapaz de diálogo. Ele tem agora sua última chance: perseverar nas tentativas de golpe ou se despedir da ambição de ser presidente da República. Daí o desespero, já que suas chances devem diminuir. Seus correligionários José Serra e Geraldo Alckmin, como sempre “muito amigos”, acompanham o desbotar inevitável da falsa imagem enquanto aguardam 2018. Aécio Neves não deve chegar com musculatura política até lá. Ele está ficando cada dia mais desagradável. Seu retrato, até então resguardado, foi descerrado em praça pública.


6

MINAS

Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

Audiência Pública discute situação dos atingidos pelo projeto Jequitaí NEGOCIAÇÃO Famílias reivindicam indenizações e cobram informações sobre a construção das barragens Cássio Moreira / Codevasf

Larissa Costa as famílias atingidas denunciam que há falta de Na próxima quinta-fei- informação sobre o anra (16), ocorrerá uma au- damento das obras - atudiência pública na Assem- almente paradas - e que bleia Legislativa de Minas até o momento não houGerais (ALMG) para dis- ve tentativa de conciliação cutir a situação das mil fa- com os arrendatários, memílias atingidas pelo pro- eiros e trabalhadores rujeto hidroelétrico Jequitaí. rais assalariados. “Por não Segundo Flávia Lessa, serem os donos das terras, do Movimento dos Atingi- eles são os atingidos de dos por Barragens (MAB), verdade”, afirma Flávia. o objetivo da audiência é dar continuidade às de- O projeto Jequitaí núncias de violações de As obras do projeto Jedireitos das famílias atin- quitaí começaram em ougidas, uma vez que as ne- tubro de 2013. A previsão é gociações com a Compa- que sejam construídas dunhia de Desenvolvimen- as barragens e que 30 mil to dos Vales do São Fran- hectares de produção de cisco e Parnaíba (CODE- frutas sejam irrigados. SeVASF), responsável pe- rão cinco municípios atinla obra, estão paralisadas. gidos: Jequitaí, Francisco, “Muitas pessoas assina- Dumont, Claros dos Poram o acordo em setem- ções e Engenheiro Navarbro do ano passado e até ro. hoje não receberam nem a Flávia conta que um dos terra e nem o dinheiro”, as- argumentos da CODEsegura. VASF é que as obras geraAlém das indenizações, riam riqueza e que os tra-

Famílias atingidas reivindicam informações sobre retomada das obras

balhadores da região seriam admitidos na construção. No entanto, de acordo com ela, não foi o que aconteceu. “A maioria

dos trabalhadores vem de outras cidades. Os que são mesmo de Jequitaí ficaram de fora”, alega.

CONFLITO Projeto de irrigação gerou perda de território das comunidades tradicionais Reprodução / Racismo Ambiental

No último domingo (5), 165 famílias da Comunidade Quilombola de Praia e dos Vazanteiros em Movimento ocuparam a Fazenda Vila Bela, no município de Matias Cardoso, norte de Minas Gerais. O objetivo foi reaver o território tirado dessas famílias, que viviam na região há décadas e protestar contra a degradação ambiental praticada no local. “Essa área é muito grande e uma parte foi abandonada. Os empresários não têm mais empreendimentos lá, a fazenda foi arrendada e os empregados demitidos”, explica Zilah Matos, agente da Comissão

Pastoral da Terra (CPT) no Norte de Minas. A fazenda ocupada estava sob arrendamento do fazendeiro João Evangelista Dourado. Terras perdidas para empreendimentos e áreas de conservação Os Quilombolas de Praia são uma comunidade com 60 famílias, que obtiveram a certidão da Fundação Palmares em 2005, que os reconheceu oficialmente como quilombolas. Já os Vazanteiros em Movimento são uma articulação de comunidades que vive em Manga e Matias Cardoso. Na década de 60, os quilombolas e Vazanteiros começaram a ser expulsos de suas terras por fazendei-

Cesarianas só com indicação médica Portaria do Ministério da Saúde determinou que os planos de saúde só pagarão pela cesária se houver justificativa médica. Caso a gestante opte pelo procedimento, mesmo sem indicação, terá que custear as despesas com o parto e assinar um termo de responsabilidade sobre os riscos da cirurgia.

Senado mantém reajuste para aposentados

Quillombolas e vazanteiros reocupam território tomado por fazendeiros Wallace Oliveira

FATOS EM FOCO

ros da região. A área recebeu investimentos do Projeto Jaíba, maior plano de irrigação da América Latina, que trouxe o interesse de grandes empresários. O movimento intensificou o processo de expulsão das comunidades tradicionais. Com isso, grande exten-

são da mata foi desflorestada e o governo estadual transformou parte da região em área de conservação. Criaram-se parques estaduais que se sobrepuseram aos territórios ocupados, deixando as comunidades ainda mais encurraladas.

Na noite de quarta-feira (8), o Senado aprovou a Medida Provisória (MP) 672 com alteração feita na Câmara dos Deputados para que o salário mínimo seja estendido a todos os aposentados. O documento também prorroga a política de valorização até o ano de 2019. O texto segue à Presidenta, que deverá aprová-lo ou vetá-lo.

MP denuncia mais dois policiais pela morte de Eliza Samúdio Após cinco anos da morte de Eliza Samúdio, o Ministério Público de MG denunciou mais duas pessoas pelo crime, o policial aposentado José Lauriano e o policial em atividade Gilson Costa. Segundo a denúncia, José teria sequestrado Eliza e o filho, ajudado a manter a modelo em cárcere privado e participado de seu assassinato. Já Gilson foi denunciado pelo crime de “grave ameaça”.


Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

Acompanhando

Foto da semana

OPINIÃO

7

PARTICIPE Viu alguma coisa legal? Algum absurdo? Quer divulgar? Mande sua foto para redacaomg@brasildefato.com.br. AP Photo / Elaine Thompson

Na edição 55... 80 mil professores sem direitos trabalhistas ...E agora O governador Fernando Pimentel anunciou que os professores atingidos pela Lei 100 e que têm o direito de se aposentar até o final deste ano poderão pedir a aposentadoria como efetivos do estado. A confirmação veio do Ministério da Presidência. Cerca de 8 mil professores poderão pedir a aposentadoria.

A jogadora da seleção americana, Abby Wambach, comemora o título de campeã da Copa do Mundo de Futebol Feminino com um beijo na esposa Sarah Huffman, com quem é casada desde 2013. A cena repercutiu no mundo inteiro, já que os Estados Unidos legalizaram há poucos dias (em 26 de junho) o casamento homoafetivo no país.

Na edição 93... Modelo de exploração do pré-sal continua em discussão no Senado ...E agora Lei que mexe no présal tem votação adiada. O Plenário do Senado decidiu na noite de quarta-feira (8) criar comissão especial para debater o projeto (PLS 131), do senador José Serra (PSDB), que revoga a participação obrigatória da Petrobras no modelo de partilha de produção de petróleo da camada pré-sal. A criação de comissão havia sido requerida por Walter Pinheiro (PT), em 30 de junho, mesmo dia em que o assunto foi debatido por sete horas em sessão realizada no Plenário do Senado, expondo uma série de divergências de opiniões entre senadores, especialistas e autoridades. A comissão que examinará a proposta funcionará por 45 dias e terá 27 integrantes, a serem indicados pelas lideranças partidárias.

Vida Castela

Getúlio Fioravante

Quero que todos saibam da minha posição, não só como mulher, mas como cidadã, humana, estudante. Acredito que ainda precisamos do feminismo! Fomos oprimidas, violentadas, agredidas e até mesmo mortas durante muito tempo, e até hoje temos países machistas e patriarcais que retardam a liberdade feminina, países onde nos estereotipam, vendem nossos corpos como objetos e nos julgam. Eu preciso do feminismo. As mulheres ainda precisam do feminismo. Nós ainda ganhamos 30% menos que os homens. Quem me dera não precisar do feminismo, e ter nascido num mundo em que fôssemos tratados com igualdade, onde houvesse respeito (não apenas entre gênero, mas de forma geral). Queria muito acordar e não ler noticias como “Garota estuprada enquanto voltava da escola” ou “Mulher é linchada por amigos do marido”. Queria muito não ouvir comentários como “Mulher só pilota fogão”, “Onde já se viu?! Agora tem até mulher presidente! “ ou “Ah, ela que pediu!” O mundo precisa do Mas o fato é que eu ainda feminismo preciso do feminismo. O mundo precisa do feminismo. Pra mim o feminismo faz parte do que chamamos de “a esperança de um mundo melhor”, e isso ficou ainda mais claro pra mim, quando um professor quis debater sobre o feminismo comigo (eu como feminista e ele como o preconceito em forma de gente) montando seus argumentos sem uma base verdadeira, sem saber de fato como funciona o feminismo. Ele dizia coisas do tipo: “Mas é que tem coisas pra homens e coisas pra mulheres. A mulher não pode fazer o mesmo que o homem nem o contrário! Feministas? Elas não podem ficar com homens” e ria debochadamente! Me senti desrespeitada por inteiro, ele não só “xingou” minha posição, mas também minha idade, por eu militar com “apenas” 11 anos, e disse que “minha experiência de vida era muito curta” e que “eu não sabia de nada”. Foi por isso que eu decidi intensificar minha luta, pois há muitos machistas, opressores escondidos que querem sabotar nossa liberdade; mas em relação a isso só digo uma coisa: Isso só me dá mais forças pra lutar, porque é nisso que eu acredito e vou lutar, pra melhorar o mundo! Vida Castela é estudante do 7º ano em Petropólis

Nos dias de hoje, a imprensa tem dado amplo destaque às forças de oposição que pregam o afastamento da presidenta Dilma Rousseff. O que vemos já vem sendo planejado desde a posse de Lula em 2002. A cada derrota, a mídia voltava mais radical nos seus ataques ao PT, ao governo e às organizações de esquerda.

Eu sou feminista e tenho orgulho disso

A caminhada dos golpistas

PETROBRAS 1) Acusam a empresa de não ter capacidade para operar o pré- sal, apesar de bater recordes na extração de petróleo. 2) A imprensa criou um tipo de terrorismo por causa do atraso da publicação do balanço de 2014. 3) O projeto do senador José Serra (PSDB), aproveita o desgaste da Petrobras para entregar o pré-sal às multinacionais. OPERAÇÃO LAVA JATO 1) Todos os partidos políticos receberam doações das empresas envolvidas na Lava Jato, mas só o tesoureiro do A estratégia da oposição é derrubar Dilma PT foi preso. 2) Essas empreiteiras doaram para Aécio Neves R$ 1 milhão a mais do que foi dado a Dilma na eleição do ano passado, mas acusam a presidenta de ter recebido dinheiro de propina. 3)Os vazamentos das delações premiadas são seletivos. 4)A Justiça Federal do Paraná não se conforma só em prender os donos das empreiteiras. Ela quer destruir essas empresas provocando desemprego e parando importantes obras de infraestrutura. A estratégia da oposição está montada: derrubar Dilma. Se não der, desgastá-la até as eleições de 2018 para colocar um representante da direita no poder. É importante combater a corrupção e prender os corruptos, mas isso não pode ser usado para destruir as nossas conquistas nos últimos 12 anos. Defender a Petrobras e a democracia vai ser a luta da classe trabalhadora e do povo brasileiro nos próximos anos. Getúlio Fioravante é do Sindipetro/MG, ex-diretor sindical e com formação em História, pela UFMG


8

BRASIL

Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

Câmara aprova MP do futebol: saiba o que muda CONTRAPARTIDAS Projeto autoriza parcelamento de dívidas dos clubes, mas exige gestão transparente Gustavo Lima / Câmara dos Deputados

Pedro Rafael Vilela, de Brasília (DF) Na terça-feira (7), a Câmara dos Deputados aprovou a Medida Provisória 671/15, que vincula o parcelamento de dívidas fiscais dos clubes desportivos a práticas de gestão transparente. As novas regras, que precisam passar pelo Senado, também tratam das entidades de gestão do esporte, como federações, confederações e ligas, e criam a Autoridade Pública do Futebol, para regulamentar e fiscalizar o cumprimento da lei. A MP institui o Programa de Modernização da Gestão e Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (Profut). Os clubes que aderirem ao programa poderão parcelar dívidas em até 240 vezes, com redução de 70% das multas, 40% dos juros e 100% dos encargos

Clubes da série B poderão votar na CBF, mas o voto dos atletas não foi aprovado

legais. Inicialmente, o governo estipulou um máximo de 180 parcelas, mas os deputados flexibilizaram a regra. Mesmo os clubes que não aderirem ao refinanciamento terão que cumprir as exigências, já que as federações e confederações serão obrigadas a cobrar, no ato da inscrição em campeona-

tos, documentos que comprovem pagamento de impostos, FGTS, salário e direitos de imagem. “O clube que não apresentar essa documentação será automaticamente rebaixado de divisão”, explica Ricardo Martins, diretor-executivo do movimento Bom Senso FC. Segundo Martins, o dirigente que descumprir os com-

promissos também está sujeito à responsabilização. O projeto ainda fixa um limite de quatro anos para o mandato de presidente ou dirigente de clubes e ligas, com uma única reeleição. Outra regra proíbe antecipar receitas de períodos posteriores ao término de um mandato, salvo o índice máximo de 30% da receita obtida no ano seguinte. Isto evita que um dirigente descapitalize o clube antes da chegada de uma nova diretoria. Ademais, a MP do futebol prevê que, a partir de 2016, o déficit dos clubes não ultrapasse 10% da receita bruta. Já a partir de 2019, esse percentual não poderá ser maior que 5%. Poder dos cartolas Para o jornalista Juca Kfouri, a MP do futebol frustrou expectativas. “Não passou o voto qualitativo

dos clubes, o voto dos atletas, embora tenha passado a ampliação do colégio eleitoral na CBF. Enfim, nada que mude, de fato, a cara autoritária e corrupta de nosso futebol”, avalia em seu blog. Juca lembra que a inclusão de times das séries A e B no colégio eleitoral da CBF é um avanço, mas ainda longe de impedir que “Havelanges, Teixeiras, Marins e Neros” continuem no comando das instâncias de gestão. Segundo Ricardo Martins, do Bom Senso FC, a ampliação do colégio eleitoral pode parecer pouco, mas representa uma inversão de poder entre clubes e federações. “Atualmente, os clubes têm 20 votos, contra 27 das federações, na eleição da CBF. Com a inclusão dos times da série B, serão 40 votos dos clubes contra 27 das federações”, explica.

Deputados e senadores votam regras eleitorais PEC DA CORRUPÇÃO Votação aconteceu na quarta-feira (8) Gustavo Lima / Câmara dos Deputados

A votação em segundo turno da PEC 182, também chamada “PEC da Corrupção”, aconteceu na quarta (8). 420 deputados votaram favoráveis à proposta, que prevê mudanças em regras eleitorais e diminui-

ção do número de assinaturas para Projeto de Iniciativa Popular. Os deputados também inseriram a fidelidade partidária e a doação de empresas a partidos políticos na Constituição Federal.

Na próxima semana serão votados os destaques, que poderão retirar trechos do texto. Senado Também na quarta (8), uma comissão especial do

Eduardo Cunha, presidente da Câmara planeja concluir votação na semana que vem

Senado para a reforma política aprovou um texto inicial. A proposta é diminuir a duração das propagandas eleitorais e regular os comerciais durante a programação de TV. A comissão também aprovou uma proporção

mínima de participação de mulheres nas câmaras de vereadores, assembleias estaduais, câmara de deputados e senadores. A medida seria aplicada de forma progressiva nas próximas três eleições, até chegar a 16%.


Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

MUNDO

9 9

Papa vai até os pobres do mundo UNIDADE Na Bolívia, Francisco participa do Encontro Mundial de Movimentos Populares Freddy Zarco / Ministerio de La Presidencia

Joana Tavares De Santa Cruz de La Sierra Moisés Chuiu é pedreiro em La Paz. Ele luta para que as empresas chinesas não se apropriem do trabalho dos operários. Leonilda Zurita é dirigente de um movimento de mulheres que se chama Bartolina Sisa, em homenagem à guerreira indígena torturada e assassinada em 1792 pelos conquistadores espanhóis. Hoje, ela é uma das muitas mulheres que ocupam cargos de poder na Bolívia, um país que tem metade dos congressistas homens e a outra metade mulheres. Orlando Viveiros veio da Colômbia e defende a paz. Mas uma paz combinada com justiça social, que contemple as comunidades, como a dele, “que levamos nas costas o peso da guerra”. Jaqueline Flores carregou em suas mãos muito lixo até perceber que aquilo não só era um trabalho – que, como todos, deve ser protegido com direitos – mas também cumpria papel social e ambiental. “Por que a mim me tocou existir, trabalhar e parir no subsolo da minha pátria?”, perguntava-se, antes de encontrar na organização de outras pessoas como ela a resposta. Evo Morales é da Bolívia. Líder sindical de agricultores cocaleros, tornou-se presidente de seu país e inimigo do Capitalismo. Ele pre-

mundo tanto necessita. Ele chama a atenção que todos – inclusive a Igreja – precisamos sair da redoma e fazer o debate das justiças sociais”, diz. E não só os cristãos foram chamados a participar do Encontro. Macota Celinha, coordenadora nacional do Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afrobrasileira, lembrou que o mundo vive hoje um crescimento de intolerância e de ódio, e que apenas com o diálogo e o respeito entre diversas religiões será possível mudar esse estado de coisas.

senteia seu “amigo Papa” com um crucifixo estilizado, na forma de foice e martelo. Em troca, recebe do pontífice um ícone bizantino do Menino Jesus com sua mãe e uma cópia do documento “Laudato se”, quer dizer “Louvado seja”. São histórias e alternativas como essas que o Papa Francisco busca conectar quando estende sua prática para o diálogo e quando critica o capitalismo como sistema que oprime os pobres e maltrata o meio ambien-

Participação brasileira Mais de 250 brasileiros, de várias regiões do país, participaram do 2º encontro. Entre eles, Beatriz Cerqueira, “Até então o Papa falava para o mundo. presidenta da CUT Minas e Agora o Papa quer ouvir o mundo” João Pedro Stedile, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que participaram do primeite. Ele participou do 3º dia são Episcopal Pastoral para ro encontro e ajudaram a ardo 2º Encontro Mundial de o Serviço da Caridade, Justi- ticular sua continuidade. Movimentos Populares, que ça e Paz da Conferência NaBeatriz conta que o fato aconteceu em Santa Cruz de cional dos Bispos do Brasil de outra reunião acontecer La Sierra, na Bolívia, dos dias (CNBB). em tão curto espaço de tem7 a 9 de julho. O Papa saudou os presen- po demonstra que a aproxi“É como um divisor de tes e recebeu uma carta com mação sugerida entre o Vaáguas. Porque até então o os compromissos e denún- ticano e os movimentos poPapa falava para o mundo. cias elencados pelos partici- pulares é real. “É muito sigAgora o Papa quer ouvir o pantes, 1500 pessoas de 400 nificativo quando a história mundo. Os Papas falavam organizações sociais de 40 nos presenteia com líderes para os pobres. O Papa Fran- países do mundo. como Papa Francisco. Escisco chama os movimentos Os três dias do encontro pecialmente neste momenpara ouvir os pobres, para se basearam em discussões to de grande acirramento da ouvir os excluídos”, avalia o em torno dos eixos “Ter- luta política, uma lideranbispo Dom Guilherme Wer- ra”, “Trabalho” e “Teto”. Es- ça como a dele ser utilizada lang, presidente da Comis- ses eixos foram inspirados para o bem comum é muito na exposição do Papa Fran- importante”, destaca. Lidyane Ponciano cisco no primeiro encontro, em que destacou que é pre- Primeiro encontro e conticiso lutar para que não ha- nuidade Encontro Mundial de Movimentos ja mais “nenhum camponês Entre 27 e 29 de outubro Populares reune 1500 pessoas na Bolívia sem terra, nenhum traba- de 2014, o Papa recebeu no lhador sem trabalho digno e Vaticano dirigentes sociais nenhuma família sem mora- dos cinco continentes, que dia digna”. representaram organizações de base principalmenDiálogo e esperança te de três setores - trabalhaA perspectiva de encon- dores precarizados, campotrar a figura mais importan- neses sem terra e pessoas te da Igreja Católica motivou que vivem em moradias preo eletricitário e diretor sin- cárias – mas também sindidical Jair Gomes Pereira Fi- calistas, ativistas de direitos lho a sair de ônibus de Be- humanos e de pastorais solo Horizonte e chegar a San- ciais. Está prevista a realizata Cruz de La Sierra dois dias ção de um encontro de modepois. “O Papa tem nos vimentos populares do Braorientado para que prati- sil com a Igreja em fevereiro quemos as mudanças que o do ano que vem.


10

MUNDO

Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

BRICS terá banco e universidade internacionais 7ª Cúpula do bloco Aconteceu na Rússia e manteve posição contra política promovida pelos EUA Os presidentes do BRICS estiveram reunidos para a realização de sua 7ª Cúpula anual, entre os dias 8 e 10 de julho, realizada na cidade de Ufa, na Rússia. Dentre outros pontos, os países reafirmaram sua aliança contra a política unilateral promovida pelos Estados Unidos e começam a concretizar uma alternativa ao Fundo Monetário Internacional (FMI). Foi firmada a criação do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD) e o Fundo de Reservas. Juntas, as organizações financeiras somam R$ 200 bilhões e servirão a projetos de desenvolvimento nos países membros (Brasil, Rússia, Índia, China e África do

Roberto Stuckert / Filho PR

Sul) e que devem começar no início de 2016.

“Foi firmada a criação do Novo Banco de Desenvolvimento e o Fundo de Reservas” Os países do bloco acordaram também em coordenar esforços para a segurança de informações, incluindo a internet. No setor educativo, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, declarou em entrevista à imprensa que será criada uma universidade do BRICS para melhorar o intercâmbio científico e tecnológico entre os estados membros.

‘Democracia não pode ser chantageada’, Equador enfrenta protestos às vésperas de visita do papa diz Tsipras após vitória do ‘não’; ministro OPOSIÇÃO No centro da questão estão propostas para taxar grandes fortunas e impedir a especulação imobiliária Dias antes da visita do papa, protestos esquentaram o clima do Equador, em Quito, na quinta (2). As manifestações se diziam pró e contra o governo nacional, presidido por Rafael Correa, que está implementando impostos para grandes fortunas e contra a especulação imobiliária. As propostas afetariam 2% da população. Diante dos atos, Rafael Correa retirou o projeto de tramitação e propõe a realização de referendos populares, para que a população vote a favor ou contra as propostas. José Serrano, ministro do Interior, afirma que a “inteligência do país” detectou supostos movimentos opositores para tomar aeroportos e fechar avenidas e que culminariam no domingo (5), dia da visita do papa Francisco.

Segundo ele, “há uma conspiração em marcha, cujo objetivo é tomar o Carondelet [palácio presidencial]”. Apoio à democracia Na segunda (6), o Ministério da Defesa e Forças Armadas do Equador declararam publicamente que não retiraram apoio ao presidente. Na semana anterior, setores da oposição divulgaram nas redes sociais um áudio que seria de integrante do exército, afirmando oposição a Correa. Em seu último dia de visita ao Equador, na quarta (8), o papa Francisco afirmou os ganhos sociais que o país vem tendo nos últimos anos e insistiu na necessidade do diálogo e de “profundas mudanças sociais e culturais que requerem a participação de todos os atores sociais”.

de Finanças renuncia

GRÉCIA 61% da população grega votou a favor do “não” a um acordo com credores europeus Reprodução

Os gregos decidiram neste domingo (05) rejeitar as propostas feitas pelos credores internacionais. O “não” a um acordo nos moldes da austeridade tradicional imposta pelas instituições financeiras internacionais venceu o referendo com 61% dos votos, contra 38% do “sim”, segundo dados divulgados pelo ministério do interior do país. Após o resultado, o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, declarou que a consulta popular “prova que a democracia não poder ser chantageada”. “Os gregos tomaram uma medida corajosa e é esta que irá mudar o debate na Europa”, afirmou. Repercussão Com o fracasso do “sim”, o ex-primeiro-ministro e líder do partido Nova Democracia, Antonis Samaras, renunciou à presidência da le-

genda oposicionista conservadora. “O povo decidiu em um referendo de divisão. O governo tem agora a responsabilidade de trazer um acordo que evite que o país afunde. Na Europa, alguns traduzirão a vitória do ‘não’ como vontade de sair da zona do euro. Chamo os parceiros a ajudar a Grécia a permanecer no euro”, afirmou Samaras. Após o resultado, a chanceler da Alemanha, Ange-

la Merkel, e o presidente da França, François Hollande, pediram a convocação de uma cúpula europeia extraordinária na terça (07), onde negaram um perdão da dívida grega. “Um perdão da dívida não vai acontecer. Isso é um programa de resgate da zona do euro e não está permitido”, declarou a chanceler ao término do Conselho Europeu extraordinário em Bruxelas. (Com informações do OperaMundi)


ENTREVISTA 11

Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

“Papa Francisco é um divisor de águas” Dom Guilherme fala sobre a Igreja, os pobres e a política

Lidyane Ponciano

Joana Tavares O bispo Dom Guilherme Werlang, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Serviço da Caridade, Justiça e Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) esteve na Bolívia onde participou do II Encontro Mundial de Movimentos Populares com o Papa. Durante o encontro, concedeu entrevista ao Brasil de Fato, em que fala do momento político no país, da situação da Igreja Católica no Brasil e das repercussões do papa Francisco no mundo. Brasil de Fato - Qual a importância de um papa participar e chamar um encontro de movimentos populares do mundo? Dom Guilherme Werlang É como um divisor de águas. Porque até então o papa falava para o mundo. Agora o papa quer ouvir o mundo. Os papas falavam para os pobres. O papa Francisco chama os movimentos para ouvir os pobres, para ouvir os excluídos. Então só esse fato já marca uma nova postura da Igreja diante da situação calamitosa que a humanidade e o planeta Terra estão passando.

“Os papas falavam para os pobres. O papa Francisco chama os movimentos para ouvir os pobres, para ouvir os excluídos” Esse encontro pode ter reflexos junto à Igreja no Brasil? A Igreja no Brasil vem caminhando junto aos movimentos populares, inclusive uma grande parte desses movimentos nasceram da Igreja, das pastorais. Com certeza esses encontros refletem na ação dos movi-

Dom Guilherme: “Nós não devemos apenas falar para os pobres, devemos estar com os pobres, no meio deles”

mentos, na ação das pastorais. Grande parte daqueles que militam nos movimentos populares são também membros da Igreja, das Comunidades Eclesiais de Base, das pastorais. Então as reflexões que aqui acontecem, as decisões que aqui se passam, repercutem em nossa base da Igreja no Brasil. A CNBB tem se posicionado de forma progressista inclusive em temas polêmicos, como a maioridade penal, a reforma política. E ao mesmo tempo há um movimento conservador puxado por pessoas ligadas inclusive à Igreja. A que o senhor atribui esse possível descompasso? Isso é normal. Eu não gostaria que permanecesse assim, mas sempre existiu e sempre existirá nas organizações sociais – e a Igreja não deixa de ser uma – pontos de vista divergentes. Pessoas que veem o mundo, a organização social e eclesial de uma forma diferente. Existem bispos, padres, a Igreja enquanto CNBB, profundamente compro-

metidos com a luta popular, com a libertação, com a opção preferencial pelos pobres. Mas dentro deIa, em toda sua estrutura – leigos, religiosos, bispos – também temos quem vê o mundo de outra forma, quem vê a missão da Igreja de forma diferente. Eu pessoalmente penso que quem lê com honestidade o Evangelho não temo como negar a opção

“Quem lê com honestidade o Evangelho não temo como negar a opção clara de Jesus Cristo” clara de Jesus Cristo. Quem lê, estuda ou reza a partir da Bíblia vê Deus, desde o Antigo Testamento, sempre fazendo uma opção muito clara pelos pobres, pelos doentes, pelos excluídos. A forma de expressar essa leitura diverge. Eu prefiro caminhar comprometido e junto. Nós não devemos apenas falar para os pobres, devemos estar com os pobres, no meio deles, sem jamais

tirar o protagonismo deles. Nós devemos ser apoio, estar próximos, ser solidários, mas não precisamos ensinar aos pobres o que devem fazer. Eles sentem todo dia, eles têm as maiores luzes e indicações do que é preciso fazer para construir um país justo, uma humanidade solidária. O senhor acha que estamos vivendo um momento mais conservador que outros? O senhor acha que corremos risco de um golpe na nossa vida democrática? Eu não gostaria. Eu penso que existem interesses, especialmente político-econômicos, por trás dessa mobilização não só para tirar a Dilma do poder. A questão está em um poder neoliberal conservador, entreguista, que quer voltar a entregar o Brasil para as grandes potências mundiais. Não santifico a Dilma, não santifico o PT, existem muitas falhas. Mas não dá pra negar os avanços que houve. Evidentemente a corrupção é um grande mal, é uma grande chaga. Mas ela não co-

meçou agora. Infelizmente. Esse governo acabou entrando num rol daquilo que já existia. É preciso ter uma profunda reforma política, uma profunda reforma cultural.

“A questão está em um poder neoliberal conservador, entreguista, que quer voltar a entregar o Brasil para as grandes potências mundiais” Há possibilidade de realização de um encontro de movimentos populares com a Igreja no Brasil? Já está sendo construído. Aqueles que foram representar o Brasil no 1º Encontro já se reuniram. Já houve reunião da CNBB com os movimentos populares, e provavelmente em 2016, em fevereiro, será realizado um encontro de movimentos no Brasil. E deverá ser em Belo Horizonte.


12

CULTURA

Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

Festival leva filmes de terror ao parque municipal CINEMA Maratona e exibições ao ar livre trazem produções dos anos 80

Um disco por mês MÚSICA Projeto de Luiz Caldas disponibiliza 490 músicas para download

Divulgação

Divulgação

Começou no dia 3 e segue até o dia 29 de julho a mostra “Anatomia do medo: Terror anos 80” no Cine Humberto Mauro, Palácio das Artes. O evento dá continuidade à pesquisa sobre o cinema de terror e horror que começou em fevereiro, com a mostra Fascínio do Medo: Terror nos anos 70. O cinema exibirá 37 filmes, com as principais referências cinematográficas do período e diversas vertentes do gênero. Às 17h de 24 de julho, O Iluminado, de Stanley Kubrick, dá início à primeira maratona realizada pela Gerência de Cinema em 2015. Traz ao público produções que não estão na lista da programação convencional, como Uma Noite Alucinante 2, It: uma obra prima do medo, e as partes 2, 3 e 4 de SextaFeira 13. No sábado, quem conferir a sessão de 5h45 pode participar do Café da Manhã Maldito, que acontece após a exibição de Sexta-feira 13 Parte 3. Terror ao ar livre Como parte da programação, dois filmes serão exibidos ao ar livre no Parque Municipal Renné Giannetti no dia 17 de julho. Pela primeira vez na

Luiz Caldas é um artista que dispensa apresentações. Ele é o criador do axé, ritmo que se popularizou no Brasil na década de 80 e trouxe hits inesquecíveis como “Tiêta” e “Fricote”. Artista versátil, que gravou desde axé até heavy metal, Luiz Caldas mostra que não tem limites para sua arte. Em 2013, o cantor e compositor iniciou o desafio de lançar um disco por mês, cada um em um estilo diferente. bossa nova, MPB, jazz, reggae, forró integram as 490 composições lançamostra, o público confere A Hora do Pesadelo, de Wes Craven e Sexta-feira 13, de Sean S. Cunningham a partir das 21h. A entrada será realizada pelo Jardim do Palácio das Artes e a distribuição de ingressos começa um dia antes das exibições. A censura é 18 anos. Os filmes têm entrada gratuita e os ingressos serão distribuídos meia hora antes de cada sessão.

Tuatha de Danann lança novo disco após 11 anos NOVIDADE Banda de Varginha, cidade do sul de Minas, divulga novo trabalho após turnê Divulgação Com um hiato de 11 anos, a banda nascida em Varginha Tuatha de Danann lança seu novo trabalho, Dawn Of New Sun, lançado de forma independente. Após um estrondoso sucesso do disco Tro-

Servidor público municipal de Belo Horizonte, fortaleça o seu sindicato! Conheça os canais de comunicação do Sindibel:

SINDIBEL Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte

das até o momento, que já resultaram em 10 milhões de downloads. Neste ano, o disco “Além da Porta” recebeu a indicação para o melhor cantor popular no 26º Prêmio da Música Brasileira. Em sua nova obra, “Cassino”, Luiz Caldas aposta em uma bossa nova clássica, depois de lançar um disco de forró, MPB e jazz. Tudo isso só em 2015. Para escutar, basta acessar seu site www.luizcaldas.com.br e clicar no disco. Para melhorar, é tudo de graça!

www.sindibel.com.br facebook.com/sindibel (31) 3272-9865

va di Danú, com turnê pela Europa e até a participação no maior festival do mundo, o Wacken Open Air na Alemanha, a banda retorna com um disco mais pesado e com mais elementos folk, que deram a característica da banda no Brasil. O título do álbum é um slogan para esse retorno: Aurora de um novo sol. É a mesma banda de antes, porém, bem mais madu-

ra e mais direta. Musicalmente, o disco está mais rico e mantém a essência dos ‘Gnomos de Varginha’. O álbum conta com nove faixas, 45 minutos de duração e tem a participação de Martin Walkyier na faixa Rhymes Against Humanity, uma das melhores do disco. Um álbum que promete a volta triunfal da banda, que neste ano comemora 20 anos de carreira.


CULTURA

Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

13

Mostra Puxadinho leva cultura a Venda Nova ARTE Com entrada franca, iniciativa promove atividades artísticas em vilas e comunidades de BH Madana Mohana

Raíssa Lopes Até o dia 26 de julho, a região de Venda Nova, em Belo Horizonte, recebe a 2ª edição da Mostra Puxadinho. O projeto, criado no primeiro semestre do ano passado pela Cóccix Companhia Teatral e Grupo Teatro Negro e Atitude, tem como objetivo levar atividades artísticas para os moradores de regiões periféricas da capital mineira. Em 2015, seis bairros recebem espetáculos de dança, contação de histórias, teatro, shows musicais e exibições de cinema. São eles Serra Verde, Minas Caixa, Jardim dos Comerciários, Comunidade Dandara, Céu Azul B e Jardim Leblom. “Nossa maior vontade é expandir e atingir os 41 bairros da região, que têm uma enorme ca-

rência de espaços culturais”, conta Sinara Teles, integrante da Cóccix Companhia Teatral. Segundo ela, foi visando à democratização da cultura que a mostra ganhou

sua principal característica: a realização de espetáculos de arte em locais “não convencionais”, como lotes, becos, ruas e praças de difícil acesso. “Nós montamos toda a estrutura

para as apresentações nesses lugares, com o intuito de aproximar a comunidade e também mostrar que é possível ter outro olhar sobre os espaços públicos que já fazem parte do coti-

diano do bairro”. A recepção do público tem sido positiva. Um dos espetáculos promovidos pela mostra conseguiu reunir, em apenas um lote vago, cerca de 120 pessoas. “Também realizamos uma atividade em um ponto final de ônibus, e foi muito interessante porque os próprios motoristas trocaram as viagens para assistirem até o final. Isso mostra que as pessoas gostam de ver teatro, dança, querem ter cultura. Então precisamos exigir mais iniciativas do poder público pro lazer, pra arte”, declara Sinara. Todos os espetáculos da Mostra Puxadinho possuem entrada gratuita. Para visualizar a programação completa, acesse o link: http://migre.me/ qHbV4


Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

Novela

E aí, você vê novela? que minha cena”. “VEJO novela porque é uma forma de me manter informado de conversas triviais que tenho no cotidiano. A gente costuma falar tanto de trabalho, de política, de coisa séria demais... Mas acho que é preciso, de vez em quando, comentar da cena de sexo, da reconciliação, da atuação dos artistas. Não que novela não seja coisa séria, mas é mais leve do que muita coisa por aí”. “NÃO VEJO novela porque não gosto de perder meu tempo com essas histórias inverossímeis e desconectadas dos

Amiga da Saúde

E você, VÊ ou NÃO VÊ novela? Manda um e-mail para mim respondendo: quimvela@brasildefato.com.br Joaquim Vela

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS Status de Narcisa Tamborindeguy (?) condicionado: é imprescindível no verão

Lacuna (?), banda italiana de metal gótico Notar; perceber Guy Ecker, ator Cada opção em questões de provas objetivas Peça do ventilador Ingresso da micareta Derrapagem intencional de carros, em pegas

Letraícone do Tumblr (internet)

Fiel "Uma mão (?) a outra" (dito)

Fruta envenenada nos contos de fadas Florsímbolo da França Corredor

Medidor usado pelo policial da Lei Seca

Piloto suicida japonês da 2ª Guerra

Acionador da zarabatana Tomba

Abrigo do tatu Empregada do lar

Órgão estudado pela nefrologia

Divisão (de prêmio lotérico) Equivalente

A torre da falta de comunicação (Bíb.) Bia Nunnes, atriz brasileira Tratar, em inglês Gravata, em inglês

Dobra na pele O típico final de vilões em telenovelas Especialidades dos ginastas Diego Hypólito e Arthur Zanetti, respectivamente

Peça do xadrez Organização (abrev.) (?) reta, estilo de boné de funkeiro

57

Solução

C P F R

ES

O I E R

S O C P A R I O B E A A B E O L

O A U M E N T A D A

S S O R M A C O I L I N I A T I VA MA Ç Ã L I T E

BANCO

Estado do Palácio das Esmeraldas (sigla)

3/tie. 4/coil. 5/treat. 6/rateio. 9/socialite. 11/solo e argola. 18/salivação aumentada.

Sofia Barbosa Coren MG 159621-Enf.

Níquel (símbolo) Caminhava

A zona erógena do beijo grego

Caixa de madeira de tampa chata

Cara Vilma, o inverno é o período em que as doenças respiratórias aumentam muito mesmo. Com o frio, normalmente permanecemos mais tempo em lugares fechados, com pouca circulação de ar. Isso facilita a transmissão dos vírus que provocam resfriados e gripes. Além disso, o tempo seco, com mudanças bruscas de temperatura nos deixam mais susceptíveis às viroses, especialmente crianças, idosos e gestantes, que normalmente já têm o sistema de defesa “mais fraco”. Evite, se possível, lugares com muitas pessoas, como ônibus, shoppings, etc. As creches e escolas são também lugares propícios para contrair doenças respiratórias, porém, não dá para deixar as crianças longe delas. Então, lavar as mãos com frequência e manter os ambientes arejados são formas de diminuir o risco de contrair as viroses. Mas, caso os vírus peguem os pequenos ou mesmo os adultos, é importante tomar muito líquido. Se aparecerem sinais de perigo, como febre insistente, falta de ar ou prostração, é necessário procurar atendimento num serviço de saúde.

Um dos primeiros sinais de gravidez A menor temperatura prevista

RG

Reprodução

© Revistas COQUETEL

Perplexa (fig.) Estrutura que abriga operários e máquinas Situação Local da para perdifícil; confusão flor, no furação de (gíria) terno do noivo poços petrolíferos em altomar

(?) de Belém, cantora de "Abandonada por Você"

Mande sua dúvida: amigadasaude@brasildefato.com.br Aqui você pode perguntar o que quiser para a nossa Amiga da Saúde

ganhar prêmios pela educação e saúde de qualidade ofertadas pelo estado, pela transparência no gasto dos recursos públicos, pelas igualdades de oportunidades para todos os brasileiros. Mas não, são os atores que ganham rios de dinheiro com a imagem que levam nosso nome lá pra fora.”

www.coquetel.com.br

Amiga da Saúde, com esse tempo mais frio, minha filha de 3 anos fica sempre gripada. Por que isso acontece? Como podemos evitar? Vilma Guimarães, 29 anos, do lar.

problemas que estamos passando. A gente não pode se deixar alienar pelas bobagens que os autores contam. Nem tenho ideia dos nomes das histórias que estão no ar. Até sei que elas têm trazido temas quentes, como a luta LGBT, a corrupção, mas se isso fosse o tema central, aí sim, eu teria mais apreço. Prefiro mil vezes um filme desses temas, que vão direto ao ponto.” “NÃO VEJO novela porque nunca gostei. Acho triste sermos reconhecidos lá fora como especialistas em fazer novela. Poderíamos, ao contrário,

T A F A R T A E R N L E A A L D A A L OD E M RA T E C A S A T T I G I C O E A

Na semana passada fiz uma enquete no trabalho. Lá é legal, pessoas diferentes passam o dia juntas, discutem assuntos diversos, dão aulas, pesquisam e pensam em políticas públicas. Quis saber do povaréu quem

via e quem não via novela e as razões para tal. Selecionei algumas respostas, de forma imparcial, claro. Algumas alegres, outras ácidas. Veja só! “VEJO novela porque meu avô, nas férias, nos pedia para assistir ao capítulo da noite, escolher uma cena e encenar para ele no dia seguinte. Eu gostava de sentar com ele no sofá depois do café da tarde e ficar olhando as caras que ele fazia para as cenas das novelas. Quando via que ele ria ou se emocionava, pronto!, escolhia a

P L A E PA R G E A L T P A R L A B A C A V A F A P O A M I R E G T U T R A S O L

14 VARIEDADES


ESPORTE

Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

na geral Lei de Inclusão da Pessoa com Deficiência

15

na geral

Três Toques

Começa o Pan Wikipedia

Aniversário dos sete a um

Wallace Oliveira

Sete minutos de silêncio, em homenagem à falecida Seleção Brasileira. Há um ano, o rolo compressor alemão passou por cima dos amigos do Neymar, em plena semifinal de Copa do Mundo. A goleada poderia ter sido evitada se o treinador escalasse uma equipe mais consistente na defesa. Todavia, o placar do jogo reflete a real distância entre as duas seleções. Depois daquele terremoto no Mineirão, alguma renovação foi iniciada? A julgar pelo desempenho na Copa América, não. E o que dizer do baixo nível técnico das competições nacionais? E o desempenho medíocre dos brasileiros na Libertadores (com exceção do Internacional)? A Lei de Inclusão da Pessoa com Deficiência, sancionada pela presidenta Dilma no dia 6, prevê o aumento do recurso das loterias federais para os esportes paralímpicos. Por meio de sua assessoria de imprensa, o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) comemorou a nova legislação: “Para o esporte, traz a sustentabilidade tão almejada pelos atletas e pela comunidade paralímpica”, avalia Mizael Conrado, vice-presidente da entidade.

Comissão para padronizar gramados

Um futebol em crise

Reprodução

O Brasil deixou de formar meio-campistas talentosos, capazes de marcar e armar o jogo com habilidade, eficiência e criatividade. Com a aposentadoria do meia Alex de Souza, descobrimos que a fábrica fechou. Somos um país que exporta bons atletas aos montes, em todas as posições. Porém, nenhum deles chega a ser fora de série, com exceção de Neymar. De resto, não temos sequer um treinador de ponta no cenário internacional. Pensando bem, sete a um foi pouco.

Reprodução

¡Viva Chile! Com a conquista da Copa América, enfim, a incrível La Roja teve seu trabalho coroado com um grande título. Na final contra a Argentina, o sistema de jogo da equipe treinada por Sampaoli é uma boa aula de intensidade na marcação, posse de bola e movimentação sincronizada dos jogadores. Os volantes Aránguiz e Vidal ensinaram a defender e construir jogadas de ataque. Os laterais brasileiros deviam prestar atenção no futebol de Isla e Beausejour. E como faz falta um jogador com Alexis Sanchez ao lado de Neymar! Jogando assim, o Chile vai disputar as melhores colocações nas eliminatórias da Copa. Após revindicação dos técnicos de times brasileiros, CBF cria comissão para dar seguimento ao projeto, previsto para agosto, que padronizará o tamanho e a qualidade dos gramados brasileiros. Os estádios devem seguir a medida padrão FIFA, de 105m x 68m. A CNIE (Comissão Nacional de Inspeção de Estádio) contará com engenheiros e agrônomos. Mesmo não tendo divulgado nomes, a CNIE realizará, no dia 15 de julho, sua primeira reunião.

Pratique esportes

Basquete

Onde:

Rua dos Agrônomos, 285, Alípio de Melo, BH.

Quando:

todo sábado, a partir das 9h.

Informações:

O projeto Basquete Popular no Bairro oferece aulas gratuitas no Parque Vencesli Firmino da Silva, abertas a pessoas de todas as idades.

(31) 3277-8403

O jornal Brasil de Fato não se responsabiliza por eventuais mudanças na programação. Recomendamos aos interessados que entrem em contato com os organizadores das atividades para confirmar data, horário e local.

Divulgação

Na última terça-feira (7), começaram os jogos panamericanos de Toronto 2015, oficialmente denominados XVII Jogos Pan-Americanos. A cerimônia de abertura acontece, na verdade, nesta sexta (10), mas algumas competições já estão sendo disputadas. O evento multiesportivo reúne mais de 6 mil atletas, dos 41 comitês olímpicos das Américas, em competições de 36 diferentes modalidades esportivas. O Brasil será representado por 600 atletas. A Rede Record pagou US$ 30 milhões para transmitir os jogos em todas as mídias e sublicenciou os direitos da TV fechada para a Globosat, que transmitirá o evento pelo canal SporTV. O Pan 2015 termina no dia 26 de julho.

VocêSabia? O basquetebol foi inventado em 1891, em Massachusetts (EUA), pelo canadense James Naismit. A primeira partida masculina ocorreu em 1892, com nove jogadores em cada time e uma bola de futebol. O primeiro jogo feminino aconteceu em 1892. A partir de 1897, cada equipe passou a ter cinco atletas.


16 ESPORTES

Belo Horizonte, 10 a 16 de julho de 2015

DECLARAÇÃO DA SEMANA

CURTO E GROSSO

Reprodução

Vai ser melhor Wallace Oliveira Até o fechamento desta edição, ainda não havia terminado o jogo entre Fluminense e Cruzeiro, pela 12ª rodada do Brasileirão. Independentemente do resultado dessa partida, o Cruzeiro volta ao Mineirão na próxima partida como favorito. Domingo (12), encara o Goiás, às 16h e precisa vencer para se afastar da parte de baixo da tabela e se aproximar do G4. Ao todo, Cruzeiro e Goiás já se enfrentaram 51 vezes, com 28 vitórias cruzeirenses, 13 empates e 10 derrotas. O último confronto foi o jogo do Tetra: o

Cruzeiro bateu o time alviverde por 2 a 1, com gols de Ricardo Goulart e Éverton Ribeiro, sagrando-se campeão brasileiro de 2014. É verdade que o Goiás vem de uma goleada sobre o Santos, por 4 a 1, mas vale lembrar: três dos quatro gols esmeraldinos surgiram de falhas bizarras da defesa santista. Tecnicamente, o time de Vanderlei Luxemburgo é superior, embora enfrente problemas no meio de campo consistente, fruto da não contratação de bons armadores. Agora, a tendência é que a Raposa jogue melhor nas próximas rodadas. Já passou a fase de adaptação ao

Washington Alves / Site do Cruzeiro

Nos Estados Unidos e na Europa, podemos falar com os árbitros. Não sabia que os árbitros eram intocáveis no Brasil. Em nenhum momento fui mal educado com ele.

Juan Carlos Osorio, técnico do São Paulo, comentando sua expulsão na partida contra o Palmeiras, em entrevista ao portal UOL.

novo treinador e pode contar com o retorno de peças importantes, outrora afastadas por contusão.

Gol de placa O jogador chileno Jean Beausejour dedicou o título da Copa América às vítimas da ditadura militar em seu país. O atleta se disse satisfeito por conseguir dar uma alegria ao Chile justamente no Estádio Nacional, onde muitos de seus conterrâneos foram presos e torturados.

Gol contra O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) quer impedir que os atletas que estarão nos Jogos Pan-Americanos do Canadá deem opiniões políticas. Ao querer censurar o posicionamento dos atletas, o COB explicita sua natureza autoritária. A instituição é presidida desde 1995 por Carlos Arthur Nuzman.

OPINIÃO América Bráulio Siffert As visões preconceituosas e os estereótipos negativos são manifestados em atitudes quase imperceptíveis, às vezes impensadas, mas, quando ocorrem, é preciso denunciá-las. O jogador Tony, meio campo do América, por suas feições, cabelo raspado e longa barba crespa, assemelha-se a um islâmico e, por isso, tem sido chamado pela rá-

dio Itatiaia e por alguns colegas e torcedores de apelidos como “Tony Talebã”, “Bin Laden” e “terrorista”. Este tipo de apelido reforça o que é muito comum no Ocidente: considerar todo povo árabe e islâmico como terrorista, estendendo a milhões de pessoas a atitude de alguns poucos. Tony, que jogou no Irã, deve saber muito bem que o povo islâmico, no geral, é um povo trabalhador e honesto.

OPINIÃO Atlético Rogério Hilário “A perfeição é uma meta, defendida pelo goleiro que joga na Seleção, e eu não sou Pelé nem nada, se muito for, eu sou Tostão. Fazer um gol nesta partida não é fácil, meu irmão.” Assim descreveu Gilberto Gil, na música “Meio-de-campo”, a situação do país em plena ditadura militar. Como Gil, o Galo também precisa perseguir o equilíbrio para ser campeão

brasileiro. Manter a média e o desempenho em BH e repetir a estratégia de Gonzaguinha: “No campo do adversário, é bom jogar com muita calma, procurando pela brecha, pra poder ganhar”. A liderança isolada pode ser mantida desta forma. Mas precisamos lembrar: a competição nem ao menos chegou à metade. Muito pode acontecer. No entanto, sonhos não envelhecem.

OPINIÃO Cruzeiro Léo Calixto A palavra de ordem mais falada no Cruzeiro, depois da série de tropeços, é reabilitação. Para voltar a sonhar com posições mais acima na tabela do Brasileirão, é preciso que a equipe acabe de vez com as oscilações em suas atuações dentro e fora de casa. É verdade que vontade não está faltando aos jogadores, mas, para conseguir atuações

mais constantes, é preciso aliar a vontade à qualidade. Apesar do retorno de atletas machucados, Luxemburgo ainda encontra dificuldade na montagem de um esquema tático para o time. Talvez a solução esteja mesmo fora da Toca. Entre alguns nomes que pesquisei, Renato Augusto é o que mais me agrada. Inteligente, forte e dinâmico, o meia pode ser a peça que falta ao elenco celeste.

Edição 94 do Brasil de Fato MG  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you