Page 1

4 MINAS

Minas Gerais

12 CULTURA

Mobilizações pela educação

‘Malucos’ nas telas

Escolas públicas e particulares mineiras param nos últimos dias. No Paraná, policiais ferem professores em protesto.

Conhecidos como hippies, ‘malucos de estrada’ têm a vida retratada em série de filmes. Coletivo busca recursos para finalizar projeto

Coletivo Beleza da Margem

Joka Madruta / APP Sindicato

01 a 07 de maio de 2015 • edição 85 • brasildefato.com.br/mg • distribuição gratuita

Reprodução / Tarsila do Amaral

No dia do trabalhador, direitos em risco

Pesquisa mostra que terceirizados ganham menos e se acidentam mais. No 1º de maio, trabalhadores vão pra rua contra PL 4330 Pág. 9 Em Minas, organizações constroem 6º Encontro de Movimentos Sociais, que vai até dia 3 Pág. 6 Integrante do Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos Eliane Silva analisa cenário político Pág. 11

14 VARIEDADES

15 ESPORTE

8 BRASIL

20 anos de Malhação e a mesma história

Questão de Bom Senso

Transgênicos sem identificação

Os cenários mudam, mas a novela insiste em enredos iguais

Calendário precisa ser equilibrado para garantir condições aos jogadores

Produtos geneticamente modificados não virão mais com rótulos


2

OPINIÃO

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

editorial | Brasil

Povo tem pressa de um projeto popular

Sobre a Capa

“Operários” é um quadro da pintora Tarsila do Amaral, de 1933. A obra faz parte do Acervo do Governo do Estado de São Paulo ESPAÇO dos Leitores

Minas Gerais vai mudar ou continua o mesmo desmando? Celeste Matos comentando matéria “Fiscais fazem protesto em frente a Prefeitura de Belo Horizonte”

Não é mole não, o cinquentenário de “globobocalização”... #GloboGolpista50 Leo Nogueira Paqonawta comentando a matéria “TV Globo na mira de manifestações”

Parabéns Paulo Sergio Pereira comentando a matéria “Moradia para o povo no centro de BH”

Escreva para nós: redacaomg@brasildefato.com.br

Causa espanto como alguns se- rais nos rincões de Minas Gerais. tores conservadores da socieda Logo, percebe-se o uso pode, aproveitando do discurso de lítico que buscaram fazer em moódio que emergiu com mais força mento de acirramento da luta no recentemente, tentam constran- país; afinal, o ex-governador de ger quaisquer iniciativas progres- Minas, Itamar Franco, já havia consistas. cedido a mesma medalha ao MST, No dia 21 de abril, o governador em 21 de abril de 1999, sem tando estado de Minas Gerais, Fer- to alarde. Deveriam ter também se nando Pimanifestamentel (PT), Encontro de movimentos resgata o do quanousou con- caráter de luta do primeiro de maio do o Paceder a Mepa Francisdalha da Inconfidência ao dirigen- co recebeu João Pedro Stedile no te do Movimento dos Trabalhado- Vaticano, para ajudar a coordenar res Rurais Sem Terra (MST), João um encontro mundial de líderes Pedro Stedile. A escolha dos ho- populares. menageados é feita pelo Conselho E o Congresso mais conservaPermanente da Medalha Tiraden- dor dos últimos anos continua sua tes, composto por diversos reito- ofensiva sobre os direitos dos trares de universidades, coronéis da balhadores. As pautas conservaPolícia Militar, os presidentes do doras não param de ser desengaTribunal de Justiça e do Tribunal vetadas: terceirização, redução da de Contas do Estado, dentre ou- maioridade penal, modificação tros notáveis, que aprovaram a in- do estatuto do desarmamento padicação de Stedile. ra armar ainda mais a sociedade. A reação do conservadorismo E agora a Câmara dos Deputados foi imediata. Na Assembleia Legis- aprovou no dia 28 de abril a retilativa de Minas Gerais, a oposição rada da obrigatoriedade da identiameaça cassar a concessão atra- ficação de produtos transgênicos. vés de Decreto Legislativo. No dia Colocam também em risco a saúseguinte à concessão da honraria, de do povo. foi publicado em todos os jornais É nesse momento de ofenmineiros e nos siva das forveículos de coCongresso nacional segue em ças consermunicação vadoras que ofensiva contra os direitos dos acontece o nacionais nota de repúdio, 6º Encontrabalhadores assinada pelas tro de Moassociações dos patronais de Mi- vimentos Sociais de Minas Gerais, nas, como Faemg, Ciemg, Fiemg, de 1 a 3 de maio, na praça da AsAcminas, Fecomércio, Ocemg, FC- sembleia Legislativa. Resgatam DL, Fetcemg, Federaminas e CDL. o caráter de luta do primeiro de Perderam oportunidade de fi- maio e vão para as ruas em defecarem calados. A mesma meda- sa da Petrobras, contra a terceirilha, durante os 12 anos de gestão zação, pelo pagamento do piso aos do PSDB, foi entregue a assassinos educadores e educadoras de Miconfessos dos fiscais do trabalho nas Gerais e por uma reforma poem Unaí, os irmãos Mânica. Essa lítica via uma constituinte exclusimesma direita nada falou quando va. os governadores que antecederam Não podia ser mais apropriado Pimentel outorgaram a honraria a o lema deste 6º Encontro de Mopolíticos corruptos condenados, a vimentos Sociais: “O povo mineiex-torturadores da ditadura, a co- ro tem pressa de um projeto popuronéis da política que comandam lar”. a mão de ferro seus currais eleito-

O jornal Brasil de Fato circula semanalmente em todo o país e agora também com edições regionais, em SP, no Rio e em MG. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país e no nosso estado.

REDE SOCIAL: facebook.com/brasildefatomg correio: redacaomg@brasildefato.com.br para anunciar: publicidademg@brasildefato.com.br / TELEFONES: (31) 3309 3304 /3568 0691

conselho editorial minas gerais: Adília Sozzi, Adriano Pereira Santos , Adriano Ventura, Beatriz Cerqueira, Bernadete Esperança, Bruno Abreu Gomes, Carlos Dayrel, Cida Falabella, Cristina Bezerra, Deliane Lemos de Oliveira, Durval Ângelo Andrade, Eliane Novato, Ênio Bohnenberger, Frederico Santana Rick, Frei Gilvander, Gilson Reis, Gustavo Bones, Jairo Nogueira Filho , Joana Tavares, João Paulo Cunha, Joceli Andrioli, José Guilherme Castro, Juarez Guimarães, Laísa Silva , Luís Carlos da Silva, Marcelo Oliveira Almeida, Michelly Montero, Milton Bicalho, Neemias Souza Rodrigues, Nilmário Miranda, Padre Henrique Moura, Padre João, Pereira da Viola, Renan Santos, Rilke Novato Públio, Rogério Correia, Samuel da Silva, Sérgio Miranda (in memoriam), Temístocles Marcelos, Wagner Xavier. Editora: Joana Tavares (Mtb 10140/MG). Repórteres: Maíra Gomes, Pedro Rafael Vilela, Rafaella Dotta e Wallace Oliveira. Colaboradores: Acsa Brena, Anna Carolina Azevedo, André Fidusi, Bráulio Siffert, Diego Silveira , João Paulo, Léo Calixto, Marcos Assis, Rogério Hilário, Sofia Barbosa. Fotografia: Larissa Costa Estagiária: Raíssa Lopes. Administração: Vinicius Moreno. Diagramação: Bruno Dayrell. Tiragem: 40 mil exemplares.


CIDADES

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

3

Água e luz mais caras no próximo mês ECONOMIA Tarifas públicas chegam a 30% de aumento, enquanto salário mínimo cresceu 8,8% Rafaella Dotta

Rafaella Dotta Ana Alice Costa é dona de uma casa onde moram três pessoas: ela, o namorado e a filha. De março para abril, Ana Alice passou a receber contas de luz 35% mais caras. “Em março eu paguei R$ 170 de conta e neste mês já veio R$ 227”, reclama a cabeleireira. Mesmo desligando os aparelhos eletrônicos e reduzindo o tempo do banho a conta continua alta, diz. “E de onde tirar dinheiro para pagar esse aumento?”. Ana Alice afirma que, por conta dos aumentos, os clientes do seu salão também diminuíram gastos e estão usando menos o seu serviço. “O jeito é apertar as contas”, completa. Esta é a situação de milhões de mineiros desde o início deste ano, quando as

contas de energia e água começaram a ter grandes reajustes. Água e luz: vilãs do orçamento Segundo informações da Copasa e da Cemig, no mês de abril foi aprovado mais um aumento para cada uma das tarifas. A conta de luz ganha, assim, o seu segundo aumento do ano. O primeiro, aprovado em 2 de março, foi considerado um reajuste extraordinário e resultou em 21,39% a mais na conta. O segundo, feito todos os anos na mesma data, foi aprovado em 8 de abril e aumenta o preço da energia em 5,9%. Além destes reajustes, concedidos à Cemig pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), o governo federal aprovou a implantação das bandeiras tarifárias,

Ana Alice está indignada com mais esse aumento nas tarifas

que traz acréscimos de acordo com o uso ou não das usinas térmicas. Ou seja, quando a produção hidrelétrica do país não for suficiente e for preciso acionar a energia de combustão. A conta de água também ficará mais cara a partir de 13 de maio. O aumento aprovado pela Arsae (Agência Reguladora de Serviços

de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais) é de 15,04%. De acordo com a Copasa, o reajuste da energia elétrica foi o principal fator para a elevação das tarifas de água e esgoto. E o salário... Enquanto isso, a progres-

são do salário mínimo ficou em 8,8% de 2014 para 2015. O valor saltou de R$ 724 para R$ 788, a partir de janeiro deste ano. E segundo o economista João Antônio de Paula, professor da Faculdade de Economia da UFMG, o aumento das tarifas tende a atingir pessoas que dependem de salários mínimos. Para o economista, o imposto embutido nas contas de energia e água é um dos grandes problemas. “A carga tributária no Brasil, que é em torno de 37%, recai no consumo em geral e penaliza aqueles que ganham menos”, afirma. Uma das possibilidades, segundo João Antônio, seria a redistribuição tributária, em que os impostos caíssem mais sobre a renda, patrimônio, grandes fortunas, e menos sobre os serviços.

Obras do MOVE são investigadas pela Polícia Federal

O 1º de Maio marca o Dia do Trabalhador. Para alguns é dia de comemoração, mas para muitos é considerado um dia de luta. E a luta do trabalhador é de muito tempo, já acumula algumas conquistas, mas ainda há muito que fazer. Recentemente aprovado no Congresso, o PL 4330 retira uma série de direitos já conquistados.

TRANSPORTE Em documentos vazados, prefeito admite possibilidade de irregularidades

Na sua profissão, no seu trabalho, o que você acha que precisa ser valorizado?

Da redação A Polícia Federal em Belo Horizonte está investigando uma série de irregularidades nos repasses de recursos do PAC para as obras do Move nas avenidas Antônio Carlos e Pedro I. É o que aponta documentos sigilosos da investigação obtidos pelo jornal Hoje em Dia. A investigação, que ocorre a pedido do Ministério Público Estadual (MPE) e do prefeito de BH, Marcio Lacerda (PSB), apura indícios de fraude em licitação pública, superfaturamento, peculato, corrupção e lavagem de dinheiro. Os indícios de irregulari-

dades estão colocados em quatro pontos, de acordo com a documentação. Foi questionada a suposta liberação de recursos pela Caixa Econômica Federal condicionada à intermediação da empresa PR Construções e Consultoria Ltda, firma contratada pela Sudecap. Outro ponto questionado foi a aquisição de materiais para a execução das obras em quantidade e qualidade inferior ao preço pago com recurso público, incluindo os destinados aos viadutos construídos para a Copa e que apresentaram problemas. A PF também investiga a eventual superavalia-

ção dos imóveis desapropriados durante as obras do Move. O caso também é investigado pela Polícia Civil, mas ninguém foi responsabilizado. Outro documento obtido pela reportagem do jornal possui um ofício confidencial enviado pelo prefeito Marcio Lacerda ao promotor Leonardo Duque Barbabela. No documento, o prefeito admite a possibilidade de irregularidades em obras do PAC Mobilidade. Lacerda levanta suspeita sobra a empresa contratada para intermediar a liberação de recursos da Caixa Econômica Federal (CEF) para as obras do Move Antonio Carlos e Pedro I.

PERGUNTA DA SEMANA

Muita coisa, principalmente a questão do salário. O professor não recebe de acordo pelo que ele se esforça, com o que apresenta. Todos esses anos de luta e até hoje não se alcançou o piso, por ai a gente vê o quanto a profissão é desvalorizada. É lamentável. Suelen R. de Souza, 26, professora de filosofia

A relação trabalhista. No caso da Engenharia é muito comum casos em que, ao invés de assinar a carteira como engenheiro, coloca lá que é assistente mas o trabalho é de engenheiro, então não precisa pagar o piso salarial da categoria. Pedro H. Lima de Oliveira, 27, engenheiro


4

MINAS

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

Estudantes pautam defesa Professores das universidades estaduais mobilizados

PARALISAÇÃO Fundo Social do Minério para financiar a educação é uma das reivindicações

Reprodução

Maíra Gomes A União Estadual dos Estudantes (UEE) agenda paralisação em todas as universidades estaduais de Minas para o dia 5. “Nos últimos anos o estado não investiu sequer o mínimo constitucional em educação, e as universidades estaduais têm uma dotação orçamentária insuficiente ao projeto de universidade que defendemos”, critica Paulo Sérgio de Oliveira, presidente da UEE-MG. A entidade defende que as universidades mineiras tenham mais poder de influenciar no processo de desenvolvimento regional. Em reunião na Assembleia Legislativa no dia 28, foi debatido o Plano de Reestruturação das Universidades Estaduais e a proposta do Fundo Social do Minério, bandeira da UEE -MG para financiar o ensi-

Representantes da UEE se reuniram com deputados para cobrar medidas

no público mineiro. “É fundamental a garantia de uma política de Estado para o financiamento de forma perene, estável e independente das políticas de governo, por isso defendemos a criação do Fundo Social do Minério como forma de financiar a educação pública no

Repressão a professores no Paraná

estado”, propõe Paulo. O presidente da casa, deputado Adalcléver Lopes (PMDB), defendeu a ideia. “Pela relevância que o tema tem, seria bom que o Fundo Social do Minério entrasse em tramitação com a assinatura de todos os deputados da casa”, afirmou.

EDUCAÇÃO Trabalhadores da rede privada e pública fazem paralisação por salários Em campanha salarial desde o fim do ano passado, os professores da rede particular de BH e região fizeram paralisação no dia 29. Em assembleia no mesmo dia, a categoria rejeitou o reajuste salarial abaixo da inflação e definiu que vai ajuizar o dissídio coletivo a partir do dia 30 de abril. “Depois de oito reuniões sem avanços, entendemos que houve um impasse. Vamos levar a negociação para o tribunal”, afirma Valéria Morato, vice-presidente do Sinpro-Minas, sindicato que representa a categoria. Os professores exigem aumento real de salário e outras melhorias nas condições de trabalho. Rede pública em luta O dia 29 também foi de paralisação para os educadores da rede estadual.Eles exigem o pagamento do Piso Salarial Nacional e melhores condições trabalhistas. A última reunião com

o governo foi realizada no dia 27, e o documento apresentado novamente não foi aprovado pelos trabalhadores. “Toda vez que o governo propõe uma política remuneratória, ele penaliza quem está mais tempo na carreira e isso vem acontecendo desde 2004”, critica Beatriz Cerqueira, presidenta do SindUTE-MG. Greve Nacional A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação convoca uma greve nacional na quinta, 30 de abril. A entidade reivindica o cumprimento do Piso Salarial do Magistério e Planos de Carreira, das metas e prazos do Plano Nacional de Educação (PNE) e a equiparação à média salarial de outras categorias do funcionalismo público. A Confederação exige melhores condições de trabalho e melhorias na infraestrutura das escolas.

DIA DE LUTA CONTRA O PL 4330, RUMO À GREVE GERAL E EM DEFESA DA PETROBRÁS

Reprodução

O MOMENTO EXIGE DISPOSIÇÃO PARA IRMOS À LUTA. PORTANTO, VAMOS OCUPAR AS RUAS DE BELO HORIZONTE EM DEFESA DOS DIREITOS DA CLASSE TRABALHADORA! CONCENTRAÇÃO NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, ÀS 10H - PASSEATA ATÉ À PRAÇA SETE

As ruas que circundam o Palácio Iguaçu e a Assembleia Legislativa do Paraná se transformaram em um cenário de guerra na tarde de quarta (29). Desde segunda-feira, professores ocupavam o local contra a votação do projeto de lei que altera as regras de custeio da ParanáPrevidência e retira direitos do funcionalismo. Por volta das 15h de quarta, a Tropa de Choque fez um cordão para isolar o prédio da Assembleia e, com mais de dois mil PMs, lançou bombas de gás lacrimogêneo e jatos de água. Mais de 200 manifestantes ficaram feridos, grande parte apresenta ferimentos graves. Votado no mesmo dia, o projeto de lei foi aprovado.


Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

Toque dos sinos no celular PATRIMÔNIO Tradicional forma de comunicação acaba de ganhar aplicativo e plataforma online Reprodução / IEPHA

Maíra Gomes O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (IPHAN) declara o Toque dos Sinos em Minas Gerais como patrimônio imaterial. Assim, essa antiga tradição acaba de ganhar espaço no mundo moderno. No sábado (2), será o lançamento do projeto “Som dos Sinos”, que oferece diferentes plataformas para difundir essa peculiar forma de comunicação. “O sino marca o ciclo da vida, marca a passagem do dia. Há toques para chamar a missa, para o parto, para dar ritmo ao trabalho, para a morte. O sino marca o tempo”, reflete Márcia Marsur, produtora do projeto, que desenvolve com a documentarista Marina Thomé. Após meses de pesquisa sobre o tema, a dupla realizou diversas viagens para as cidades históricas de Minas Gerais a fim de captar a tradição do sino e a profissão dos sineiros. As mais de 80 horas de material estão disponíveis agora em uma plataforma online com recursos de narrativa multimídia, que deve servir de suporte ao turista e interessando na arte do toque dos sinos. Entre as sessões está “Sons”, uma onda sonora que reúne mais de 100 áudios com toques de

sinos e depoimentos da comunidade. Além do site, o projeto conta com a disponibilização de um aplicativo de celular, que funciona como um como um áudioguia a céu aberto no qual o usuário pode escutar diversos toques de sinos com GPS de localização para igrejas em nove cidades de Minas Gerais. “Queremos que o usuário viva a experiência o mais próximo da realidade. Estando ali, olhar a igreja e ouvir os sinos, é realmente incrível”, explica Márcia. Nas telas O projeto também sai do online e propõe outras formas de experimentar o conteúdo. Foram produzidos nove vídeos, que serão exibidos em projeções itinerantes pelas cidades históri-

cas que ainda mantêm o toque dos sinos. “A ideia é valorizar não só a cultura da linguagem dos sinos, mas também a figura do sineiro, que muitas vezes não é reconhecida”, conta Márcia. Também está previsto um longa metragem sobre o tema. “A experiência foi incrível. A maior emoção de todas é quando você está na torre ouvindo o sino tocar. Ver a cidade lá de cima, conhecer os sineiros, as torres, que são tão diferentes umas das outras. O som do sino é realmente muito emocionante. Queremos que as pessoas possam sentir um pouco isso”, convida a produtora. Na página somdossinos. com.br, o link Intervenções Públicas apresenta a agenda do projeto, que vai até o dia 16, em Sabará.

O registro do IPHAN tem como referência as cidades de São João Del Rei e as cidades de Ouro Preto, Mariana, Catas Altas, Congonhas do Campo, Diamantina, Sabará, Serro e Tiradentes. Na tradição dessas cidades, o repertório dos sinos é uma forma de comunicação. Há mais de 40 tipos de toques de sinos e, de acordo com a quantidade e ritmo das badaladas, os moradores sabem o que acontece na cidade, os horários de missa e trabalho as procissões e anúncios de mortes.

Prefeito assina contrato consigo mesmo O prefeito de São Sebastião do Paraíso (PSDB), Rêmolo Aloise, assinou contrato consigo mesmo para instalar um Hospital Municipal e a Secretaria de Saúde em um prédio de que é dono. Além disso, fraudou o Sistema Único de Saúde (SUS) em aproximada-

mente R$ 5 milhões, emitindo laudos falsos para pagamento com recursos do programa. Em novembro de 2013, a Justiça Federal condenou o político por improbidade administrativa em primeira instância. A sentença obriga o prefeito a ressarcir a verba desviada do SUS

e pagar multa equivalente a duas vezes à quantia, acrescida de juros. Segundo a determinação, Aloise também não poderia mais exercer qualquer tipo de função pública. O prefeito entrou com recurso e, no momento, a ação tramita em segunda instância. (Do Pautando Minas)

MINAS

5

Artigo Preparar a luta Não está sendo fácil. E vai ficar ainda mais difícil. A insistência em tentar fraturar a espinha da democracia com atitudes reacionárias e golpistas chegou a um ponto tal de sofisticação tática que cobra mais força da resposta popular e das organizações de esquerda. O que parecia ser a mera soma de atos desesperados dos setores conservadores está se mostrando uma articulação bem ordenada, que parece saber aonde quer chegar. É possível dividir a estratégia golpista em três flancos, que se interligam em direção aos mesmos objetivos: retomar o controle do Estado e a direção da economia. O primeiro é a tentativa de inviabilizar a normalidade democrática com constantes apelos à excepcionalidade. Um discurso de fundo ressentido e de constante apelo jurídico, que desvia a política para o campo moral. O segundo está dirigido às conquistas que criaram um padrão mais moderno e humano de civilização no Brasil. Assim, aproveitando-se do sensível enfraquecimento do ambiente institucional, retomam-se no Congresso as bandeiras mais arcaicas. Enquanto as condições de governança no Executivo estiverem frouxas, os parlamentares do boi, da bala e da sacolinha desengavetarão projetos sobre armamentos, demarcação de terras indígenas, aborto e redução Não se pode esperar mais da maioridade nem acreditar num jogo penal. E até da retirada de direicumulativo de avanços tos trabalhistas, que pareciam sólidos e universais. O terceiro mecanismo aponta para a ameaça ao futuro. Há um propósito bem assestado contra a divisão da riqueza social. Esse projeto se nutre de atitudes cínicas. Duas frentes se destacam. A primeira em direção à abertura de setores estratégicos ao capital estrangeiro, com a inviabilização das empresas nacionais de infraestrutura, em decorrência das ações da Operação Lava Jato. A segunda é ainda mais canalha e atinge a Petrobras. A artilharia contra a empresa não tem apenas o viés privatista, ela traz em si a tentativa de impedir que as reservas do pré-sal garantam o aprofundamento das políticas distributivas. O questionamento da competência da petrolífera é uma cortina de fumaça para o ataque ao regime definido para exploração do óleo em águas profundas e, sobretudo, para utilização de seus recursos em nome do desenvolvimento e não dos interesses das multinacionais e do mercado financeiro. Para cada perna conservadora é preciso distinguir caminhos de contestação e enfrentamento simultâneos. Não se pode esperar mais nem acreditar num jogo cumulativo de avanços. É necessário, ao mesmo tempo, fortalecer as bases políticas da democracia com uma consistente atuação no parlamento e no comando do Estado; impedir com todas as armas a retirada de direitos trabalhistas e defender a Petrobras com unhas e dentes. Os cretinos de hoje, além de também lançarem mão da cretinice midiática, estão de tal forma confiantes que não precisam sequer esconder-se na obtusidade de seu discurso. Partiram para a ação. A resposta tem que vir no mesmo patamar. Não se desmancha um mata-leão político só com palavras. Já se foi, há muito, o tempo da delicadeza.


6

MINAS

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

Organizações mineiras se reúnem em BH

FATOS EM FOCO

Novo aumento na taxa de juros

MOBILIZAÇÃO Cerca de duas mil pessoas participam do 6º Encontro dos Movimentos Sociais Comunicação / 5 EMS

Rafaella Dotta Dos dias 31 de abril a 3 de maio, é realizada a sexta edição do Encontro dos Movimentos Sociais de Minas Gerais, na praça da Assembleia Legislativa, em Belo Horizonte. Na programação, o evento conta com ato de rua e debates sobre os atuais problemas da cidade e do campo. Destacam-se a discussão sobre o Projeto de Lei 4330 e sobre a Reforma Política. “O Encontro acontece para unir as bandeiras dos movimentos. Um momento para alinhar nossas leituras sobre a realidade e pensar ações em conjunto”, afirma Carolina Martins Garcia, uma das organizadoras do 6º Encontro. Segundo ela, o evento espera reunir duas mil pessoas, como em 2014. Nos três dias, as discussões passam pela redução das tarifas públicas, educação, reforma do sistema político, reforma urbana e reforma agrária. A abertura acontece na Faculdade de Direito da UFMG, na quinta (31), com um debate sobre a terceirização dos em-

Encontros são realizados desde 2006

pregos e a aprovação do PL 4330, organizado pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) e pela OAB (Organização dos Advogados do Brasil). Encontros são realizados há 9 anos O Encontro dos Movimentos Sociais é organizado desde 2006, quando os ativistas ocuparam o prédio da Cemig pela redução da tarifa de energia. “Eu senti que ali estávamos

construindo um processo de unidade importante dos movimentos e fortalecimento das nossas lutas”, lembra Bernadete Monteiro, da Marcha Mundial das Mulheres. Em 2014, os principais temas do Encontro foram o Plebiscito Popular pela Redução da Conta de Luz, realizado em Minas Gerais, e o Plebiscito Popular pela Constituinte do Sistema Político, realizado em todo o Brasil. As consultas anga-

riaram 600 mil e 8 milhões de votos, respectivamente. Segundo os organizadores, neste ano espera-se um número de jovens maior que em outras edições, que se reunirão no “Encontrão da Juventude” dentro do próprio evento, e a elaboração de um calendário de lutas conjuntas. Mais informações e inscrição na página do Facebook “Encontro de Movimentos Sociais”.

Famílias de produtores correm risco de despejo NORTE DE MINAS 50 famílias podem ser retiradas à força de acampamento onde vivem Mídia Ninja

Maíra Gomes No norte de Minas Gerais, na cidade de Jequitaí, 50 famílias sem-terra vivem há nove anos no Acampamento Novo Paraíso, onde produzem arroz, feijão, milho, abóbora, batata, mandioca e outros alimentos. O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) já se comprometeu com a desapropriação da fazenda, o que faria da região um assentamento da reforma agrária. Mas, enquanto isso não acontece, as famílias correm risco de

Sem-terra produzem alimentos sem agrotóxicos

despejo. A Polícia Militar definiu o início do mês de maio como prazo final para o cumprimento do Mandado de Reintegração de Posse da Fazenda Belgominas,

local ocupado pelo acampamento. “A polícia está garantindo que vai tirar nós de lá no dia 5. Eles já estão arrumando o local onde colo-

car suas barracas pra vigiar a gente. As famílias não têm pra onde ir, vamos preparar a resistência lá”, conta Geraldo Pires de Oliveira, da coordenação do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na região e morador de Novo Paraíso. No dia 28, o MST participou de audiência com representantes do governo do estado, para tratar deste e de outros casos de despejo. Apesar de alguns acordos informais, não há garantias de que o despejo não ocorra.

O Banco Central informou nesta quarta (29) o aumento dos juros básicos da economia de 12,75% para 13,25% ao ano, uma nova alta de 0,50 ponto percentual. Foi o quinto aumento consecutivo da taxa Selic, que segue no maior patamar desde o início de 2009. Com uma taxa mais alta de juros, o Banco Central tenta controlar o crédito e o consumo, atuando assim para segurar a inflação. Por outro lado, ao tornar o crédito e o investimento mais caros, os juros elevados prejudicam o crescimento da economia, a geração de empregos e o investimento em políticas sociais.

Marcha das Mulheres Negras em BH No próximo 13 de maio, acontecerá em BH a Marcha das Mulheres Negras MG, cujo tema é “Contra o Racismo e a Violência e Pelo Bem Viver”. O evento é organizado por quase 30 organizações sociais e movimentos populares e será preparatório para a Marcha Nacional, que ocorrerá em Brasília, no dia 18 de novembro. A concentração será na Praça 7, às 14h.


Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

Acompanhando

Foto da semana

OPINIÃO

7

PARTICIPE Viu alguma coisa legal? Algum absurdo? Quer divulgar? Mande sua foto para redacaomg@brasildefato.com.br. Mídia Ninja

Na edição 47... Klauss Vianna pode fechar em agosto Aconteceu na quarta (29), uma audiência pública para discutir a situação do teatro Klauss Vianna, atualmente administrado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Os artistas, principalmente bailarinos, pedem que o teatro não seja transformado em auditório para audiências, dada a dificuldade de encontrar espaços para apresentações de dança em Belo Horizonte. Fontes afirmam que o novo governo estadual estaria disposto a um novo acordo para manter o teatro. A audiência pública foi convocada pelo deputado estadual Durval Ângelo (PT).

Na edição 84... Entrega de medalha da Inconfidência é aberta ao público ...E agora 70 personalidades e organizações sociais assinaram uma petição pública em apoio à homenagem feita pelo governo estadual a João Pedro Stedile, líder o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), feita em 21 de abril. A entrega da Medalha da Inconfidência gerou polêmica entre deputados da oposição e setores empresariais, que criticaram a escolha. Em resposta, a petição afirma que a homenagem é um “reconhecimento de sua contribuição e de seus companheiros à luta social, e mais diretamente à sua luta de anos em defesa da Reforma Agrária”. Na quinta (30), foi realizada também uma audiência pública na Assembleia Legislativa em defesa da permanência da homenagem.

No último domingo (26), atos em todo o país “descomemoraram” os 50 anos da Rede Globo, denunciando que a emissora defendeu a ditadura militar e se ergueu devido aos incentivos públicos e isenções fiscais. Os manifestantes exigiram o fim do monopólio da mídia e a democratização da comunicação como algo necessário para o avanço da democracia no Brasil. Em Belo Horizonte, manifestantes se reuniram na porta da Globo Minas, no bairro Caiçara.

Tica Moreno

Alan Tygel

Mineração e prostituição

Cada brasileiro consome 7,3 litros de agrotóxicos

A relação entre a prostituição e o desenvolvimento de atividades econômicas vinculadas às obras de infraestrutura e mineração no Brasil é histórica. Os anos 1980 e 90 foram marcados por grandes movimentos migratórios, na região norte do país, motivadas por projetos de infraestrutura, de mineração e da corrida pelo ouro. O mercado da prostituição, nestes locais, se desenvolveu acompanhando os fluxos migratórios, aumentando e diminuindo de acordo com o ritmo das obras e da garimpagem. O mesmo se verifica hoje, como, por exemplo, na estrada interoceânica, onde a concentração de garimpeiros se dá ao mesmo tempo em que aumenta a concentração de mulheres em casas de prostituição clandestinas. O relatório da Plataforma DESCHA, publicado em 2013, aponta que a prostituição, incluindo a exploração sexual infantil, aparece como uma das principais consequências sociais da atuação da Vale no corredor de Carajás, no Pará. Mineração incentiva a A prostituição que ganha prostituição visibilidade no contexto da mineração não pode ser separada da realidade imposta a muitas mulheres nas grandes e pequenas cidades. Ao lado de uma aparente permissividade no campo da sexualidade, o que se verifica hoje é um crescimento do mercado da prostituição e da pornografia, o aumento do conservadorismo e o ataque ao direito das mulheres de decidir sobre seus corpos. Existem muitos atores envolvidos nos sistemas de prostituição: clientes, cafetões, homens e mulheres e até Estados. Isso significa que a prostituição não pode ser pensada só a partir de um comportamento individual, mas como uma instituição que está ancorada nas estruturas econômicas e nas mentalidades coletivas. Mas neste sistema, há um sigilo sobre o papel dos homens, tentativas de normatização das estruturas econômicas, e sobre as mulheres em situação de prostituição recai o peso da estigmatização, desprezo e confinamento.

No início de 2011, a Campanha Contra os Agrotóxicos causou estardalhaço ao afirmar que cada brasileiro consumia 5,2 litros de agrotóxicos por ano. À época, o cálculo foi simples: a indústria dos venenos, orgulhosa do sucesso de seu mortífero negócio, alardeou aos quatro ventos que havia vendido 1 bilhão de litros de agrotóxicos. Divididos pelos então 192 milhões de habitantes, nos davam os 5,2 litros por pessoa. Ainda que este volume todo não chegue diretamente à nossa mesa, vai nos encontrar algum dia pela terra, pela água ou pelo ar. O veneno não desaparece, como querem fazer crer aqueles que enriquecem com ele. Pois bem, depois do baque, as associações patronais agrotóxicas deixaram de divulgar a quantidade de litros vendidos por ano. E, dada a escassez de dados oficiais sobre a venda destes produtos no Brasil, ficamos qua- Alimento orgânico não deve ser se sem alternativas para medir o nível geral de intoxicaprivilégio ção no país. Quase. Talvez para atrair mais “acionistas-vampiros”, a indústria continuou divulgando sua receita anual, que, em 2014, representou US$ 12,2 bilhões, R$ 36,6 bilhões. Com uma média dos preços, ponderada pela participação no mercado, chegamos ao valor de R$ 24,68 por litro de agrotóxico. A partir da população estimada pelo IBGE em 2013, de 201 milhões pessoas, temos R$ 36,6 bilhões / R$24,68 por litro de agrotóxico / 201 milhões de pessoas. O que resulta, então, em 7,36 litros de agrotóxico por pessoa. E ainda precisamos de mais apoio da sociedade. Nossa luta diária contra o agronegócio, os agrotóxicos e os transgênicos só estará completa quando o alimento orgânico não for mais um privilégio e a agroecologia estiver ao alcance de toda a população.

Alan Tygel é engenheiro e participa da coordenação Tica Moreno é integrante da Sempreviva Organização Feminista (SOF) e militante da Marcha Mundial das Mu- nacional da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida lheres


8

BRASIL

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

Transgênicos: aprovado projeto que acaba com rótulos nos produtos ALIMENTAÇÃO Produtos geneticamente modificados não precisarão ser identificados Reprodução / Gazeta do Povo

Da redação A Câmara dos Deputados aprovou, na terça (28), projeto que acaba com a exigência de afixar o símbolo de transgenia nos rótulos de produtos geneticamente modificados (OGM). O texto modifica a Lei 11.105/2005 que determinava a obrigação da informação em todos os produtos destinados a consumo humano que contenham ou tenham sido produzidos com OGM ou derivados, por exemplo, milho, soja, arroz, óleo de soja e fubá. De acordo com o projeto, o aviso aos consumidores será obrigatório apenas nas embalagens dos alimentos que apresentarem presença de organismos transgê-

nicos “superior a 1% de sua composição final, detectada em análise especifica” e deverá constar nos “rótulos dos alimentos embalados na ausência do consumidor, bem como nos recipientes de alimentos ven-

didos a granel ou in natura diretamente ao consumidor”. Nesses casos, deverá constar no rótulo as seguintes expressões: “(nome do produto) transgênico” ou “contém (nome do ingrediente) transgênico.”

Jovens se manifestam em todo país contra a redução da maioridade penal

O debate sobre o fim da exigência do rótulo colocou em oposição deputados da bancada ruralista e defensores do meio ambiente, que argumentaram que o projeto retira o direito do consumidor de sa-

ber o que está comprando. “Esse projeto visa a diminuir o nível de informações que temos hoje. Ele não está acrescentando nada; ele está retirando o direito do consumidor de saber que produto está levando para a sua casa”, disse o líder do PV, Sarney Filho (MA). De acordo com pesquisas divulgadas pelo Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), foram comprovadas doenças causadas por alimentos transgênicos, como aumento de alergias, ingestão de substâncias tóxicas, resistência a antibióticos e incidência de câncer. Agora, o Projeto de Lei segue para análise e votação no Senado. (Com informações da Agência Brasil)

Mais Médicos: para 82%, consultas estão resolvendo melhor os problemas de saúde

Reprodução

DIREITOS Na quarta, 200 praças amanheceram com cartazes em forma de pipas: “Voa juventude” Tomaz Silva / Agência Brasil

O evento “Amanhecer Contra a Redução” deu uma nova cara ao protesto. Em 40 cidades, muros e praças amanheceram com cartazes a favor de mais escolas, mais lazer e esporte, e contra a diminuição da idade para prisão permanente no Brasil. As colagens aconteceram na madrugada de quarta (29) e foram organizadas em 15 estados do país. Os jovens se manifestam contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 171, que reduz de 18 para 16 anos a idade criminal, possibilitando que adolescentes sejam encarcerados como adultos. Atualmente, o Estatuto da Criança e do Adolescente prevê a prisão socioeducativa para maiores de 12 anos.

A campanha “Amanhecer Contra a Redução” afirma que nenhum país que reduziu a maioridade penal reduziu a violência e lembra que mais cadeias não melhoram níveis de segurança pública. “Temos a 4ª maior popula-

ção carcerária do mundo e mesmo assim nossos índices de violências são altíssimos”, diz o manifesto. Na quarta (29), às 14h, aconteceu também o twittaço #ReduçãoNãoÉSolução, promovido pela campanha.

Pesquisa do Ministério da Saúde com 14 mil pessoas atendidas pelo Programa, revelou alto índice de aprovação da iniciativa. Para 82% dos pacientes, as consultas estão resolvendo melhor seus problemas de saúde. A atenção oferecida pelos médicos, cuja maioria é de cubanos, melhorou na avaliação de 87% dos entrevistados. A qualidade da assistência também teve avanços para 85% dos pesquisados. “Antes, não tínhamos a possi-

bilidade de garantir acesso à atenção primária na saúde a cerca de 63 milhões de brasileiros”, destacou o ministro da Saúde, Arthur Chioro. As entrevistas foram feitas entre novembro e dezembro de 2013, nos 699 municípios atendidos pela iniciativa, através de parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe). (Com informações de Rede Brasil Atual)


BRASIL

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

9

No dia do trabalhador, protestos contra terceirização MOBILIZAÇÃO Centrais sindicais e movimentos sociais vão às ruas, no dia 1º de maio, contra projeto que permite terceirizar o emprego no país Reprodução

Pedro Rafael Vilela de Brasília (DF) O 1º de maio deste ano acontece em um momento complicado para os trabalhadores. A Câmara dos Deputados aprovou, na semana passada, o projeto de lei (PL) nº 4330, que autoriza empresas a terceirizar o emprego em qualquer área da produção, inclusive os trabalhadores contratados diretamente. A medida é considerada um grave retrocesso não apenas por sindicatos e centrais sindicais, mas até mesmo por juízes do trabalho.

Na semana passada, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, a juíza Patrícia Almeida, presidente da As-

Terceirizado: acidentes de trabalho e menor salário Pesquisa recente do Departamento Intersindical de Estudos e Estatísticas Socioeconômicas (Dieese), em parceria do a CUT, comprovou em números o que já se percebia no dia a dia. Trabalhadores terceirizados ganham, em média, 25% menos do que um diretamente contratado. Mesmo recebendo salário menor, esse empregado costuma trabalhar três horas a mais por semana. Além disso, a pesquisa revela que 91% das empresas que terceirizam querem apenas reduzir custo com a mão de obra e não modernizar as relações de trabalho e a produção, como argumenta a Confede-

ração Nacional da Indústria (CNI), que defende os empresários. Outro aspecto grave da terceirização são os acidentes de trabalho. Empregados terceirizados são a maioria dos acidentados. No setor elétrico, por exemplo, das 79 mortes registradas em 2013, 61 eram terceirizados. Na construção civil, das 135 mortes, 75 foram de terceirizados. De acordo com o Dieese, os trabalhadores terceirizados são as principais vítimas justamente porque, na terceirização, diminuem custos com segurança no trabalho e outros direitos, aumentando a vulnerabilidade desses empregados.

em defesa do trabalho, do emprego e dos direitos dos trabalhadores, mas também em favor da democracia”, afirma.

lhor, com um produto melhor, ou tiram mais ainda do trabalhador. O que estão tentando fazer é tirar da conta do trabalhador”, acrescenta a juíza Patrícia Almeida, na mesma entrevista.

Atos do 1º de maio devem pautar reforma política e democratização dos meios de comunicação

Nas ruas por direitos A secretária de comunicação e imprensa da Central de Trabalhadores do Brasil (CTB), Raimunda Gomes, a Doquinha, acha que as manifestações do dia 1º de maio, programadas em todo o país, devem servir para alertar os trabalhadores do que está em jogo. “Vamos levar a pauta Mídia Ninja

Juíza afirma que terceirização ilimitada vai significar perda de direitos

sociação de Magistrados da Justiça do Trabalho de São Paulo, afirmou que a terceirização ilimitada vai significar perda de direitos. “[Com a terceirização] há um enxugamento geral dos custos com o trabalhador através da redução de seus direitos: redução de salários e a extinção de benefícios convencionais em geral, como vale alimentação e pagamento de horas extra, por exemplo”, afirma. Para o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner

Freitas, o PL 4330 “vai rasgar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e precarizar ainda mais o trabalhador”. Ele rebate o argumento dos empresários, que dizem que o projeto vai regularizar os 12 milhões de terceirizados no país. “Não se trata de regularizar esses trabalhadores, mas de abrir caminho para precarizar ainda mais esses 12 milhões e os outros 35 milhões que, hoje, são contratados diretamente”, aponta. “O que o empresariado quer é aumentar seu lucro, mas não existe conta mágica, ou eles aumentam esse lucro com uma gestão me-

Além da questão trabalhista, os ativistas querem debater reforma política e democratização dos meios de comunicação. “A Rede Globo veiculou matéria sobre a terceirização e não ouviu nenhuma opinião contrária, todas foram a favor. Queremos mais diversidade na mídia”, exemplifica Doquinha. Para Vagner Freitas, da CUT, a maioria dos deputados representa interesses empresariais que financiam as campanhas. “Precisamos de uma reforma política com o fim do financiamento empresarial de campanha”, reivindica. Em BH A concentração em Belo Horizonte está prevista para às 10h, na Praça Afonso Arinos, no Centro. Os trabalhadores seguem em marcha até a Praça Sete.


10

MUNDO

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

Lei chilena acaba com sistema eleitoral conservador

FATOS EM FOCO

Protesto na Guatemala exige renúncia de presidente

AMÉRICA LATINA Nova divisão de distritos e maior número de parlamentares podem aumentar a democracia no país Sebastian Rodriguez

Antiga reivindicação de movimentos sociais e políticos no Chile, a presidente Michelle Bachelet promulgou, na segunda (27), a lei que substitui o sistema eleitoral binominal por um modelo proporcional. O desenho institucional anterior, de acordo com a presidenta Michelle Bachelet, “prejudicava a democracia”. O projeto de lei foi aprovado no final de janeiro depois de uma longa negociação entre a Nova Maioria e alguns setores da direita opositora. A nova lei modifica o número de senadores e deputados e faz uma redistribuição dos distritos e circunscrições eleitorais. Do Sistema Binominal ao Método D´Hont Entre 1990 e 2013, o Chile escolhia seus representantes no Congresso pe-

Modelo de eleição não será mais binominal

lo sistema binominal, criado pelo senador ultraconservador Jaime Guzmán – considerado o arquiteto da ditadura e também autor da Constituição de 1980, ainda vigente. Através dele, o país foi dividido em 60 distritos, sendo eleitos dois deputados em cada um deles, para formar uma Câmara com

120 representantes. Para o Senado, foi feita outra divisão: 19 regiões senatoriais escolhendo 38 senadores, também duas para cada. Com o novo sistema eleitoral, haverá um processo de redistritamento do país, que será dividido em novos distritos, que elegerão de três a oito deputados cada, dependendo do número de

eleitores, totalizando 155. A mesma mudança de divisão acontecerá no Senado, que passará de 38 para 50 representantes. O Método D´Hont, usado em países como Argentina, Espanha e Bélgica, prevê que toda coalizão que tiver pelo menos 30% dos votos conseguirá uma das vagas em seu distrito. Hoje, apenas dois blocos políticos hegemonizam o Congresso. Com a lei, se espera que outras forças políticas consigam chegar mais facilmente a obter uma vaga no Parlamento. A lei diminuirá, também, a quantidade de exigências para se formar e manter um partido político no Chile, o que pode levar ao renascimento de muitas legendas que foram consideradas extintas pelo serviço eleitoral. (Com informações de Opera Mundi).

56% dos habitantes de zonas rurais não têm acesso à saúde básica DESCASO Estudo mostra que falta de investimento é duas vezes maior em áreas rurais Reprodução

Um novo relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT) mostra que 56% das pessoas que vivem em zonas rurais não têm acesso a serviços essenciais de saúde em todo o mundo. O relatório, que abrange 174 países, revela grandes disparidades de acesso, sobretudo nas nações em desenvolvimento. Segundo a OIT, é na África que se encontra o maior número de pessoas sem saúde básica: 83%. Os países mais afetados são também os que têm maior índice de pobreza. As maiores disparidades entre as áreas rurais e urbanas, contudo, são observadas na Ásia. Na Indonésia, a porcentagem de pessoas não cobertas é duas vezes

mais elevada no campo do que nas cidades. O estudo constata, ainda, que o acesso à atenção médica não se aplica às zonas rurais, quando existe legislação de saúde universal no país. Atualmente, metade da população

Metade da população do mundo vive no campo, que recebe apenas 23% dos recursos sanitários mundial vive em zonas rurais, mas apenas 23% da força de trabalho sanitária do mundo se destina a elas. A insuficiência de recursos está vinculada à

Falta de recursos econômicos é quase duas vezes maior nas zonas rurais

falta de acesso aos serviços, diz o relatório. A falta de recursos econômicos é quase duas vezes mais alta

nas zonas rurais do que nas urbanas. (Com informações de Rede Brasil Atual)

No sábado (25) uma onda de protestos tomou conta da Guatemala. Cerca de 30 mil cidadãs e cidadãos se aglutinaram na capital do país, diante do Palácio Nacional da Cultura, para exigir a renúncia do presidente e da vicepresidenta da República, que enfrentam denúncias de desvio de dinheiro. Além da capital federal, há informações de que protestos eclodiram em mais seis cidades. Comentaristas dizem que, desde os anos 1980, não se via tamanha mobilização popular no país.

Nova York vai importar vacina de Cuba contra câncer de pulmão Em viagem a Havana, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, assinou um acordo para importar a vacina terapêutica contra câncer de pulmão criada por cientistas cubanos. A vacina CIMAVaxEGF foi desenvolvida pela ilha em 2011 após 15 anos de pesquisa e será o segundo medicamento da indústria farmacêutica cubana a entrar nos EUA. A missão comercial encabeçada pelo político também resultou em um acordo para a entrega de um software dedicado à indústria médica cubana


ENTREVISTA 11

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

“O povão fica de fora, não participa das decisões” UNIDADE Militante do Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos defende participação popular Reprodução

Até que ponto os trabalhadores têm capacidade de intervir nas decisões tomadas por esse Congresso conservador? Esse Congresso é fruto de uma herança maldita da Ditadura Militar. A transição para a democracia foi feita em andar de cima, por acordos. Para que o Congresso não dê um golpe em quem elegemos, é preciso negociar o tempo todo um projeto com o qual não se concorda. Essa herança

Maíra Gomes Com a aprovação do Projeto de Lei 4330, conhecido como PL das terceirizações, um novo momento se apresenta para os trabalhardes brasileiros, de perda de direitos e aumento da exploração e precarização. Eliane de Moura Martin, da direção nacional do Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos (MTD), fala ao Brasil de Fato sobre a conjuntura política atual. Ela defende que os trabalhadores – tanto precarizados como sindicalizados – precisam se unir para pressionar para a manutenção e aprofundamento de direitos. Brasil de Fato - A economia no Brasil passa por um momento delicado, pois parece que há uma crise com a qual temos que lidar. O que é essa crise? Eliane Martins - A crise é parte do sistema capitalista. É um sistema mundial que, a cada vez que vive uma crise, procura retirar do mundo do trabalho mais lucro. Nas crises, também será preciso retirar mais recursos da natureza, mais matéria prima para depois vai virar mercadoria, para então virar

“Como nós trabalhadores vamos nos organizar para defender o mínimo que já temos é o maior desafio” lucro. Quem precisa desse lucro são os grandes países, aqueles com moeda forte, forças armadas poderosas e muita tecnologia, como os EUA, a Alemanha, a China. Diante dessa crise por mais lu-

Eliane Martins: “Devemos empunhar a bandeira da construção de uma Constituinte Exclusiva, pois o povo tem que participar dos processos de mudança na política”

cro, eles olham para lugares como o Brasil, a América Latina e a África e pensam: ‘Como vamos arrancar mais coisas desses países?’. A presidenta Dilma foi à televisão dizer que “vivemos um momento que será difícil para o povo, mas que vai passar”. É mesmo possível vencer essa crise? Vai demorar a passar? Esses grandes países encontram na presidenta Dilma um problema, porque ela assinou compromissos com o povo, de manter direitos dos trabalhadores, garantir empregos. Ela foi à TV e disse que o momento difícil vai passar. Talvez seja um desejo, mas não depende exatamente da presidenta, essa questão vai para além dela. E ela vai tentar administrar a crise sob pressão. Pressão que se exerce dentro do país, por partidos como o PSDB e o DEM, e pelo grande sistema de comunicação, como a Rede Globo, que faz propaganda que o crescimento só vai aconte-

cer se o país se subordinar ao capital internacional, aos EUA. A elite tem vantagens com essa proposta. Já o projeto que Dilma e Lula aplicaram no país nos últimos 12 anos é de melhoria da qualidade de vida do trabalhador.

“Não há nada que se salve nesse Congresso” No entanto, as medidas aplicadas e debatidas pelo Congresso e o governo desde o fim do ano passado - como as MP 664 e 665, o PL 4330 – vão em outra direção. Os trabalhadores pagarão a conta dessa crise? O sistema capitalista precisa do desemprego, porque quanto maior ele for, mais os trabalhadores têm medo e isso faz com que eles cedam. Cedam em seus direitos, conquistas, naquilo que já acumularam ao longo dos anos. A CLT [Consolidação das Leis de Trabalho] é a legislação mais avançada que

temos hoje, e está sendo atacada pela Lei da Terceirização, que vai precarizar e explorar ainda mais o trabalhador. Isso é uma ofensa às conquistas. Qual é o papel dos movimentos sociais e sindicais neste momento que vive o país? Como nós trabalhadores vamos nos organizar para defender o mínimo que já temos é o maior desafio. Deveríamos estar discutindo avanços, e não apenas a defesa do que já conquistamos. Depois de 70 anos já teríamos que estar cobrando mais direitos e não voltar atrás. Vamos voltar para 1910? Na condição de trabalhadores, nessa reflexão de movimento popular junto com sindical, está posta a necessidade de unidade da classe. Para pressionar o governo, pois a Dilma deve assumir uma posição clara em defesa dos direitos dos trabalhadores. Não devemos ter uma postura de aceitar, nossa postura deve ser crítica, de combate, de enfrentamento e luta.

“A Dilma deve assumir uma posição clara em defesa dos direitos dos trabalhadores” não tem solução a não ser o debate e a construção de uma Constituinte Exclusiva para a Reforma Política. Porque não tem o que arrumar nesse negócio. O que vamos esperar de projeto de país da Bancada Ruralista, da Bancada Evangélica, da Bancada da Bala? Não há nada que se salve nesse Congresso. Devemos empunhar a bandeira da construção de uma Constituinte Exclusiva, pois o povo tem que participar dos processos de mudança na política brasileira. Nós, até aqui na história do Brasil, vivemos acertos entre as classes lá em cima, o povão fica de fora, não participa das decisões. A Constituinte Exclusiva da Reforma Política é uma bandeira política que temos que assumir e desenvolver como uma pedagogia de trabalho popular de base, para que as pessoas entendam o que isso significa, e entendam que sem a presença do povo nos processos só vamos ter mais um acordo por aí em algum lugar, e seguiremos fora da história do Brasil.


12

CULTURA

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

Série de filmes retrata cultura dos “Malucos de BR”

#ficaadica

REGISTRO Cinco anos de gravação renderam três filmes sobre artesãos de rua Coletivo Beleza da Margem

Raíssa Lopes Estamos acostumados a vê-los pelas ruas e praças da cidade. Sempre com seus artesanatos de prontidão, não é difícil identificá-los. Possuem um estilo característico, e muitos os classificam como “hippies”. “Hippie é folclore da sociedade. ‘Maluco’, ‘maluco de BR’ e ‘maluco de estrada’ são os termos utilizados por eles. É uma identidade específica”, chama atenção Rafael Lage, diretor dos longas-metragens que retratam a história dessas importantes figuras, tão comuns e ao mesmo tempo ignoradas não só pelo poder público, como também pela população.

Gravações realizadas entre 2010 e 2015 originaram três filmes. O único que estreiou até agora foi o “Malucos de Estrada II Cultura de BR”. Os outros aguardam recursos para o

lançamento. O projeto foi realizado pelo coletivo Beleza da Margem, a partir de financiamento colaborativo. Sem roteiro e sem personagens pré-estabelecidos,

foram entrevistadas mais de 300 pessoas. “A dinâmica [da filmagem] era viajar e dos encontros ir construindo a narrativa, tudo muito anárquico e orgânico ao mesmo tempo”, conta Rafael. O diretor, que também é artista de rua, explica que os documentários nasceram da vontade de corrigir o processo de invisibilidade e criminalização dessa cultura. “Dia desses alguém me disse que esse era o melhor filme sobre o tema. Eu falei: ‘é claro, é o único!’”, brinca Rafael. Porém, ele admite o reconhecimento do longa e afirma que o resultado acaba por aumentar o respeito da população pelo movimento.

(LEMBRE): Em 2014, o Brasil de Fato MG denunciou a apreensão dos materiais de trabalho e pertences pessoais dos artesãos nômades de Belo Horizonte, que relataram sofrer diariamente com a violência policial e o descaso da PBH. Leia em: brasildefato.com.br/node/30466

Beleza da Margem

Coletivo Beleza da Margem

Rafael Lage: “Fiz essa pergunta a centenas de malucos e malucas. Nunca obtive uma resposta igual. Eles têm coisas em comum como a estrada, o desapego, a arte, a afirmação da autonomia perante os modelos hegemônicos... Enfim, poderia numerar uma série de rótulos e características, mas nada disso expressa

exatamente o que é o maluco. É preciso ter cuidado com os rótulos e definições, até porque a malucada muda muito de acordo com o momento histórico. O que se entende por maluco hoje, diverge muito do que foi o movimento nas décadas de 70, 80, 90. E continua em mutação, é um organismo vivo”.

Para quem deseja conhecer um pouco mais sobre a história do Grupo Giramundo de Teatro de Bonecos e ainda fazer um passeio bacana em Belo Horizonte, a dica da semana é o Museu Giramundo. Por lá, os visitantes são convidados a adentrar pela história da trupe a partir de bonecos, cenografias, fotos, projetos, desenhos, documentos, filmes, áudios e artes gráficas. O espaço foi inaugurado em 2011 e atualmente é guardião do maior acervo de teatro de bonecos das Américas.

De 01/04 a 31/12 De segunda a sexta, das 09h às 11h e das 13h às 16h Rua Varginha, 245, Colégio Batista O coletivo surgiu em 2009, com a exposição fotográfica “A beleza da margem, à margem da beleza”, cujo objetivo era incitar a reflexão sobre o universo dos ‘malucos’. No entanto, a intervenção foi apreendida pela Prefeitura de Belo Horizonte. O fato fez com que o grupo começasse a documentação das ações de fiscalização contra os artesãos na capital. Em dois anos, foram 18 operações registradas. O resultado pode ser visto no curta “A criminalização do artista”, no endereço www.vimeo.com/belezadamargem.

O que é maluco?

O mundo do teatro de bonecos

Palhaços tomam conta de BH A “I Mostra Tudo” monta picadeiros em vários espaços da capital mineira, como o Parque Municipal, Centro Cultural Pampulha e o Galpão Cine Horto. Realizado pela Cia. Circunstância realiza, o festival acontece entre os dias 2 de maio e 6 de julho. A programação traz espetáculos circenses e rodas de conversa, realizados pelos aniversariantes e outros artistas convidados. Um dos destaques é a montagem “1, 2, 3... testando!”, em que a Cia. Circunstância cria um espaço de experimentação, misturando diferentes linguagens da palhaçaria, do clássico ao contemporâneo. A programação pode ser consultada em ciacircunstancia.com.br.


Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

13

CULTURA

Ação cultural no Alto Vera Cruz AMOR AO ALTO Iniciativa destaca atividades artísticas do bairro apontado como o mais violento da capital Ramon Izidoro

Na sexta-feira (1), Dia do Trabalhador, moradores da comunidade do Alto Vera Cruz, na região Leste, realizam a 2ª Ação Cultural da Campanha #AmorAoAltoVeraCruz, criada com o objetivo de divulgar iniciativas positivas do bairro. Além das apresentações musicais, o público poderá acompanhar a grafitagem e pintura do muro da Escola Estadual Necésio Tavares e participar de oficinas de dança, percussão e de futebol de rua. O evento terá a presença dos rappers Evandro Emeci, Daniel do Rap, do grafiteiro Negro F e da artista plástica Wanatta Rodrigues, além de outros artistas convidados. Idealizada por artistas e lideranças locais e com

o apoio da comunidade, a campanha é um contraponto ao fato de a região ter sido destacada recentemente como a mais violenta da capital mineira, em um levantamento feito pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil. Pensando em mudar essa imagem, #AmorAoAltoVeraCruz foi lançada no dia 06 de março e é construída

Adeus para Abujamra O ator e diretor de teatro Antônio Abujamra, de 82 anos, morreu na manhã de terça-feira (28), em decorrência de um infarto no miocárdio, na cidade de São Paulo. Desde 2000, ele apresentava o programa de entrevistas “Provocações”, na TV Cultura. Abujamra era formado jornalismo e filosofia, e foi um dos primeiros a adotar em peças teatrais as técnicas contemporâneas de Bertolt Brecht e Roger Planchou. Na ditadura, suas montagens foram censuradas. Durante a vida, acumulou prêmios (como por “Roda Cor de Roda”, de Leilah Assumpção) e temporadas de muito sucesso popular. Reprodução

com a elaboração conjunta de ações sociais, culturais e esportivas. A programação é gratuita e inclui shows de rap, roda de samba, street dance, capoeira, grafite, orientação jurídica e mediação de conflitos. O evento acontecerá a partir das 10h da manhã, na Rua Fernão Dias, esquina com Astolfo Dutra, com previsão de duração até às 20h.

III Mostra Benjamin de Oliveira acontece no Oi Futuro Divulgação

BOA DA SEMANA

Entre os dias 13 e 24 de maio, a capital mineira recebe a Mostra Benjamin de Oliveira. O evento, que já está em sua 3ª edição, é uma homenagem ao primeiro palhaço negro do Brasil e propõe a valorização da arte negra produzida no país. Os espetáculos unem teatro, dança e circo e têm entrada gratuita. Neste ano, um dos destaques da mostra é o espetáculo solo ÊS QUIS / Q ́EU ISSE / CO ÊS, do bailarino Rui Moreira, inspi-

rado em pesquisa histórica e estética sobre o acervo de patrimônios imateriais da cultura afrodescendente em Minas Gerais. Além disso, também acontecem rodas de conversa sobre a cultura afro e lançamento do livro “Percursos do Sagrado: Irmandades do Rosário de Belo Horizonte e entorno”. No dia de encerramento, o músico Maurício Tizumba realiza show de lançamento do seu mais novo álbum, “Galanga Chico Rei”.

O projeto é desenvolvido pela Cia. Burlantins, grupo belo-horizontino fundado em 1996, que nasceu a partir do desejo de unir música a espetáculos de rua.

DVDs. Entre os artistas convidados estão a artesã Maria José Gomes da Silva, mais conhecida como Zezinha, e Dona Jandira, que irá se apresentar com os convidados Jeferson Gouveia e Jefferson Caria & Ronaldo. A tradicional Feira de Artesanato acontece desde 2000 e faz parte do programa Polo Jequitinhonha de Cultura e Desenvolvimento Regional e Geração de Ocupação e Renda. O evento é uma parceria da UFMG com as

prefeituras dos municípios participantes do programa e propicia uma oportunidade de troca entre os artesãos e a comunidade.

Serviço

De 13 a 24 de maio, no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (Av. Afonso Pena, 4.001 – Mangabeiras). A entrada é franca. Para conferir a programação, acesse o site www. burlantins.com.br/ benjamin.

Artesanato do Vale Do dia 4 ao dia 9 de maio, Belo Horizonte recebe a 16ª Feira de Artesanato do Jequitinhonha. O evento acontece na Praça de Serviços do Campus Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e conta com a participação de 22 municípios, todos integrantes do Projeto Artesanato Cooperativo. Além da exposição de trabalhos, fazem parte da programação apresentações musicais e lançamentos de

Serviço Dias 4, 5, 6 e 8 de maio, das 9 às 18h Dia 7 de maio, das 9 às 19h Dia 9 de maio, das 9 às 14h Na Praça de Serviços da UFMG (Campus Pampulha)


14 VARIEDADES

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

“Malhação” não amadureceu em seus 20 anos que

“Malhação” completou 20 anos na última semana. Desde abril de 1995 cravada no horário do fim da tarde, a novela já entrou para a história da teledramaturgia brasileira. Menos pela qualidade de suas histórias e

mais por conseguir manter-se no ar por tanto tempo. Nas primeiras temporadas, as tramas e dilemas dos personagens adolescentes se passavam em uma academia de ginástica, daí o nome do seriado. Depois, o enredo passou a ser ambientado em escolas de ensino médio. Na temporada atual, a 22ª, o cenário é uma academia de artes marciais e uma escola de artes. Mudou a paisagem, mas conservou-se a conhecida fórmula “um casal sofre a temporada toda para ficar juntos enquanto é alvo de violãozinh@s que pertur-

bam os pombinhos”. Apesar disso, “Malhação” discutiu muitas pautas importantes para os adolescentes, como sexualidade, virgindade, DSTs, aborto, preconceito, drogas e bulliyng. Nas comemorações do aniversário, muitos personagens marcantes foram relembrados. Mocotó (André Marques) é um deles. O rapaz irreverente e travesso foi figurinha carimbada em seis temporadas. Cabeção (Sérgio Hondjakov) também foi um personagem inesquecível e duradouro. Eu me lembro bem do ogromóvel, um chevette ve-

Novela vidade de um programa de TV seja menor e, por isso, a novela já vem amargando baixa audiência há algumas temporadas. O roteiro repetitivo não amadureceu com a idade e a diversidade de programas de entretenimento pela internet desfoca o telespectador adolescente. “Malhação” vem tendo de malhar muito para continuar em exibição. Boa sorte para ela!

lho que ele dividia com MauMau, interpretado por Cauã Reymond. “Malhação” também revelou muitos atores, como Fernanda Vasconcelos, Henri Castelli, Marjorie Estiano e Nathalia Dill. Eu assisti o 1º capítulo da trama, estava na 5ª série e tinha 11 anos. Na época, não havia referência de programa para adolescentes na TV. Por isso, “Malhação” começou a todo vapor. Depois, parece que foi se afastando do universo jovem. O tempo passa para tudo. Para “Malhação” passou também. Talvez a longe-

Converse comigo em quimvela@brasildefato.com.br Até semana que vem!

Amiga da Saúde Oi Amiga da Saúde, minha menstruação é irregular. Isso pode ser indício de algum problema de saúde?

Preencha os espaços vazios com algarismos de 1 a 9. Os algarismos não podem se repetir nas linhas verticais e horizontais, nem nos quadrados menores (3x3). www.coquetel.com.br

© Revistas COQUETEL

Jéssica Leandra, 19 anos, estudante Reprodução

1

2 3

5

7

4

6

4

8 6

5 8

2

1

7

2 6

9 8 9

7

7

4

8 3 3 1 6 7 2 8 9 5 4

8 4 2 3 9 5 1 7 6

5 7 9 4 1 6 2 3 8

9 6 1 8 5 4 7 2 3

4 3 5 2 7 1 8 6 9

7 2 8 6 3 9 5 4 1

Solução

6001249

2 8 7 1 6 3 4 9 5

Sofia Barbosa Coren MG 159621-Enf.

6 5 4 9 8 7 3 1 2

Mande sua dúvida: amigadasaude@brasildefato.com.br Aqui você pode perguntar o que quiser para a nossa Amiga da Saúde

1 9 3 5 4 2 6 8 7

Querida Jéssica, caso sua menstruação esteja mesmo irregular, pode ser devido a algum desarranjo que precisa ser investigado. Mas precisa ver se realmente está irregular, pois a maioria de nós se confunde quando a menstruação não chega sempre no mesmo dia do mês, mesmo isso sendo natural. Você deve contar o intervalo entre o primeiro dia de uma menstruação e o primeiro dia da próxima, esse é o ciclo menstrual, que pode ser de 25, 30, 35 dias, etc (varia muito em cada mulher). Se ele for sempre igual ou com pequenas variações, está regular. Irregular seria um ciclo com grandes variações, quando você nunca sabe o dia em que a menstruação chegará. É comum ela ser desregulada nos primeiros anos da adolescência ou próximo da menopausa.

1


ESPORTE

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

na geral Fofão se despede das quadras

Fim da linha para uns, longa jornada para outros

Boxe olímpico Divulgaçã / CBB

Neste fim de semana, terminam os campeonatos estaduais em quase todo o país. A partir de então, dezenas de clubes, que empregam milhares de profissionais do futebol, fecham as portas por falta de jogos. A maioria disputa, em média, 17 partidas ao ano. Os trabalhadores desses clubes, quando não assinam novos contratos, têm que arranjar outra ocupação para garantir seu sustento. No Brasil, mais de 80% dos jogadores profissionais não chegam a receber dois salários mínimos mensais. São, em grande medida, os mesmos que precisam acumular dois ou mais empregos. No outro extremo, os principais times da série A jogam, em média, 68 partidas em um só ano. Algo, vejam só, muito acima dos patamares das ligas mais importantes do mundo. Na Inglaterra, a média da primeira divisão é de 50 jogos anuais; na Espanha, 48; na Itália, 45; na Alemanha, 41. A melhor solução para esse problema talvez seja o

Mundial de Tênis de Mesa FC Bayern Brasil

Wallace Oliveira

Aos 45 anos de idade e três medalhas olímpicas no currículo, a levantadora Fofão, uma das melhores do mundo na posição, se despediu das quadras brasileiras. O cenário não podia ser melhor: final de superliga e uma vitória esmagadora por 3 sets a 0 sobre o Osasco. A rainha da camisa sete levou a placa de melhor em quadra. Fofão fará sua última partida definitiva no mundial de clubes, na Suíça, pela equipe do Rio.

na geral

QUESTÃO DE BOM SENSO Saída é reequilibrar o calendário

Reprodução

calendário do Bom Senso Futebol Clube. Entre outras coisas, o movimento propõe a ampliação do número de times e jogos das séries C e D do Brasileirão. O campeonato se estenderia entre fevereiro e dezembro, de modo que as rodadas ocorressem apenas nos finais de semana. Outra proposta é a concentração dos campeonatos estaduais no mês de julho, com o formato de copas: fase de grupos, mata -mata e final, parando todas as outras competições. Isto encurtaria o estadual, daria aos clubes menores

15

uma fonte de arrecadação no meio do ano e permitiria aos grandes realizar uma boa pré-temporada em janeiro. Essas medidas, se adotadas, trariam inúmeros benefícios ao futebol brasileiro. Convém destacar: a) para a elite do futebol, a diminuição do número de partidas, com menor exposição de atletas a lesões e redução de custos na folha salarial; b) para os clubes menores, geração de renda contínua; d) para torcedores e torcedoras que trabalham durante a semana, jogos em dias mais adequados.

CBTM / Divulgação

Começou, no domingo (26), o Campeonato Mundial de Tênis de Mesa, realizado em Suzhou (China). O Brasil conta com uma equipe de sete atletas e, pela primeira vez, classificou duas duplas para as oitavas de final do Campeonato. O objetivo dos brasileiros é dar sequência aos bons resultados conquistados pelo tênis de mesa nacional, terminando a competição entre os 16 melhores do mundo, fato que não acontece desde 1987.

Judô brasileiro em primeiro lugar Confederação Brasileira de Judô

Pratique esportes

Skate Onde: Parque das Mangabeiras, BH

Quando: de terça a domingo A equipe brasileira de boxe olímpico terminou o torneio Cheo Aponte, em Porto Rico, no segundo lugar geral por equipes. Ao todo, a equipe brasileira conquistou nove medalhas, sendo três de ouro, quatro de prata e duas de bronze. O torneio serve de preparação para a seletiva final, na Cidade do México. Esta seletiva valerá vaga nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, que ocorrerá entre os dias 10 e 26 de julho.

e feriados, das 8h às 18h

Informações:

(31) 3277-8277 ou (31) 3277-9697

Pista skate no estilo “Half Pipe”, em forma de “U”, área de 290 metros quadrados e 4 metros de altura. Para utilizá-la, é preciso fazer credenciamento na administração do Parque das Mangabeiras.

Ciclismo Onde: Praça da Liberdade, BH Quando: 20 de maio, 19h50min

Informações:

migre.me/pFuYN

Toda 3ª quarta-feira do mês de maio, no mundo todo, acontece o Pedal do Silêncio, uma manifestação silenciosa, em memória dos ciclistas que foram vítimas do trânsito.

O jornal Brasil de Fato não se responsabiliza por eventuais mudanças na programação. Recomendamos aos interessados que entrem em contato com os organizadores das atividades para confirmar data, horário e local.

A equipe do Brasil liderou o quadro de medalhas do Pan-Americano de Judô, disputado em Edmonton, Canadá. Um dos destaques individuais foi a piauiense Sarah Menezes, que ficou com a medalha de ouro em sua categoria, ao bater, na final, a atual campeã do mundo, a argentina Paula Pareto. O paulista Felipe Kitadai também emplacou o primeiro lugar. O torneio serve como preparação para os Jogos Pan -Americanos de Toronto, em julho.


16 ESPORTES

Belo Horizonte, 01 a 07 de maio de 2015

DECLARAÇÃO DA SEMANA

CURTO E GROSSO

Miguel Ruiz / FCB

O Melão vai ferver FINALÍSSIMA Caldense e Atlético travam o confronto mais importante da história de Varginha Reprodução / Clube Atlético Mineiro

Pela primeira vez na história do Campeonato Mineiro, a cidade de Varginha recebe a grande decisão. A escolha do Estádio Dilzon de Melo (vulgo Melão) para o jogo de domingo (3) ocorreu após o estádio Estádio Dr. Ronaldo Junqueira, em Poços de Caldas, ter sido vetado, por ter capacidade inferior a 10 mil torcedores. Bom para o Galo, que, ao que tudo indica, vai lotar o Sul de Minas e pressionar a Veterana do início ao fim. A Caldense, por sua vez, precisa de apenas um empate para levantar a taça e tem motivos de sobra para acreditar

Sinceramente, azar de quem vai jogar contra o Barça. Se sou treinador de qualquer time e vejo que o Barcelona será o adversário, ficaria triste.

Luís Enrique, treinador da excelente equipe do Barcelona, sobre as semifinais da Champions League. Ele parece ter esquecido que do outro lado está o Bayern de Munique, de Guardiola. Até agora, Caldense ainda não perdeu para times da capital

no título. Até agora, tem sido a melhor equipe do campeonato. Basta lembrar que não perdeu para nenhum dos três da capital. Quando um time pequeno enfrenta um grande numa decisão, provisoriamen-

te ele se torna o segundo time do coração de quase todos os torcedores brasileiros. Não se assuste o torcedor, portanto, se as cores de Cruzeiro, América e outros clubes povoarem as arquibancadas do Sul de Minas.

Gol de placa O francês Yvan Wouandji protagonizou um momento mágico no futebol para cegos. Em um jogo contra a Alemanha, ele deu a vitória à França, após marcar um verdadeiro gol de placa. Driblou três marcadores e bateu no canto direito, sem chances para o goleiro. O lance pode ser visto pelo link: migre.me/pFv9i.

Gol contra Anderson Silva, lutador de MMA, foi pego no antidoping e está suspenso da modalidade. Entretanto, ele poderá competir por uma vaga na equipe olímpica de Taekwondo. A Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem é contra essa possibilidade e afirmou: “vai contra a ética esportiva e o jogo limpo”.

OPINIÃO América Bráulio Siffert Dentro e fora de campo, o América faz os últimos acertos para iniciar a Série B, que começa no dia 9, em casa, contra o Bahia, e continuar a disputa da Copa do Brasil, encarando o Ceará no dia 12 de maio, também no Independência. Os contratados foram os meias Tony, ex-XV de Piracicaba e Henrique, ex-Botafogo -SP, o lateral-direito

Walber, ex-América de Natal e os atacantes Henrique Santos, ex-Portuguesa, Willie, ex-Vitória e Marcelo Toscano, ainda no Mirassol. A expectativa da torcida é que esses nomes, embora desconhecidos, sejam de qualidade e não tenham sido contratados apenas para beneficiar empresários e ocupar espaço de garotos da base, que foi o que aconteceu nos últimos anos no América.

OPINIÃO Atlético Rogério Hilário Sem Guilherme, Levir Culpi vê o retorno das condições do início da temporada: para a armação das jogadas, estão disponíveis Dátolo, Cárdenas e Dodô. A meu ver, o argentino é a escolha inteligente, pois exerceu bem a função na Copa do Brasil 2014. Seu desempenho tem deixado a desejar, mas vem sendo escalado como segundo volante. As-

sim, fica difícil render ofensivamente. O colombiano é distraído, pouco se liga no jogo e lhe falta a raça. Quanto à partida no Sul de Minas, menos mal ser em Varginha. Serão dois terços de alvinegros nas arquibancadas. Desse jeito, até o ET entrega os pontos. Só é bom lembrar: o futebol do Galo precisa melhorar. E, contra a Veterana, dá até vergonha de cantar: “Eu acredito”.

OPINIÃO Cruzeiro Léo Calixto O intervalo de exatamente 15 dias no calendário, que os jogadores do Cruzeiro tiveram não poderia ter vindo em melhor hora. A programação de treinos em dois períodos – manhã e tarde - até a véspera do primeiro jogo contra o São Paulo, servirá para descansar e recuperar jogadores com problemas físicos. Além do merecido

descanso pelo excesso de jogos, o treinador Marcelo Oliveira terá o espaço que tanto pediu para acertar algumas deficiências táticas do time. Recomposição mais rápida na marcação; a aproximação dos jogadores ao trabalhar a bola dentro do campo de ataque e a melhoria da precisão das finalizações são pontos importantes a serem trabalhados.

Edição 85 do Brasil de Fato MG  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you