Issuu on Google+

Rafael Ribeiro / CBF

Divulgação

OPINIÃO

BH no cinema “A cidade onde envelheço”, filme de Marilia Rocha, narra uma Belo Horizonte presente no cotidiano de quem vive o Centro

Minas Gerais

7

CULTURA

14

Reprodução

Carnaval cancelado Prefeitura de Nova Lima alega falta de recursos para realizar folia. Blocos protestam e planejam sair às ruas mesmo sem incentivo

17 a 23 de fevereiro de 2017 • edição 173 • brasildefato.com.br • distribuição gratuita

Juntas contra retirada de direitos Mídia NINJA

4

CIDADES

Servidores ocupam Câmara de Uberlândia Prefeitura não pagou salário integral, parte do décimo terceiro e vale-alimentação. Trabalhadores cobram postura de vereadores e pressionam prefeito

BRASIL

9

Polícia não precisa ser militar Desmilitarizar a PM é condição para se ter uma polícia realmente cidadã. A sociedade precisa, a maioria dos policiais quer, quem estudou o assunto aprova Mídia NINJA

No Dia Internacional da Luta das Mulheres, 8 de março, trabalhadoras de todo o mundo organizam uma greve geral para resistir aos retrocessos impostos pelo neoliberalismo. Na pauta brasileira, estão paralisações contra as reformas da Previdência e trabalhista, contra o conservadorismo e a favor dos direitos reprodutivos. Em meio às ofensivas, mulheres lançam grupos auto-organizados para construir formas alternativas de gerar renda


2

OPINIÃO

Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

Editorial | Brasil

2018 é mais uma partida, não a final do campeonato No último dia 15 foram divulgados os resultados de mais uma pesquisa sobre as eleições presidenciais de 2018, de autoria da CNT/ MDA. Novamente, Lula é o preferido da maioria do eleitorado brasileiro. Os dilemas enfrentados hoje pela sociedade brasileira parecem se resumir na corrida presidencial de 2018, que ganha contornos de final de campeonato. É consenso que o país perdeu o

ESPAÇO dos Leitores “Vale a pena ler tudo. É esclarecedor. ”

Diana Souza comenta o editorial da edição 172 “É preciso reaprender a perguntar”

“Já tem alguma resposta do recurso?”

Questiona a leitora Sandra Garcia Doilino em relação à nota “Educadores recorrem à Justiça”

“Adorei o nome do filme

Cle Moura comenta o artigo “Lua em Sagitário, uma aventura e a luta de classes”, de Larissa Costa.

“O multiletrado FHC criou o DRU ( sigla que legitima uma prática de mão grande contra a previdência social) e ninguém comenta isso; os diletantes do privativismo ansiosos por entregar tudo só falam de déficit.” Jose Fernandes comenta a matéria “Aposentados contam como a vida muda depois do benefício”

Escreva para nós: redacaomg@brasildefato.com.br

Lula é o preferido da maioria do eleitorado brasileiro rumo e que as crises econômica, social, política e ambiental não se resolvem. Sobre o que fazer frente a isso é que não há consenso algum. A sociedade está cada vez mais dividida, com setores apontando caminhos diversos. Após Temer concluir seu desastroso e ilegítimo governo e implementar todo seu pacote de maldades contra o povo brasileiro, eis os cenários que se desenham: a) Assume um novo governo de continuidade do atual que, com a benção das urnas, siga com o programa neoliberal. A dificuldade está no nome da cabeça de chapa. Os mais fortes concorrentes (Aécio e Alckmin) cada vez mais se confundem ao mar de lama em que ajudaram a tornar a política brasileira, e não ganham a confiança do eleitorado e da elite. b) Com inveja dos EUA, parte dos eleitores flerta com o fascismo e, tal

O jornal Brasil de Fato circula semanalmente com edições regionais, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro, no Paraná e em Pernambuco. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país e no nosso estado.

como Trump lá, aposta em Bolsonaro aqui. O discurso de ódio foi alimentado ano após ano e agora

Jogo não acaba com as eleições de 2018 parece tomar corpo em um deputado medíocre, com ideias e práticas medíocres, mas que sabe usar da desilusão e do pior lado das pessoas para se construir. c) Volta Lula. A memória dos anos em que ele governou, com crescimento econômico, distribuição de renda e avanços sociais importantes parece crescer na cabeça dos brasileiros. Muitos sonham com a volta daqueles anos em que um operário governou. O limite dessa possibilidade está na estratégia dos setores golpistas de impedir que Lula seja candidato. Prendê-lo e inviabilizar sua candidatura, ou, em última instância, concretizar o golpe em curso e impedir as eleições de 2018. Os cenários ainda são confusos. Mas a grande tarefa colocada para o povo brasileiro está em perceber que 18 não é a final do campeonato. É uma partida importantíssima, decisiva, mas o jogo não acaba ali. Se a tendência observada na última pesquisa se concretizar e Lula voltar à presidência, será preciso que os demais operários percebam que as mudanças não virão das mãos de um só. As reais transformações que o Brasil merece e precisa só virão no dia em que todo o povo aceitar a missão histórica de tomar a faixa presidencial para si.

REDE SOCIAL: facebook.com/brasildefatomg correio: redacaomg@brasildefato.com.br para anunciar: publicidademg@brasildefato.com.br TELEFONES: (31) 3309 3314 / (31) 3213 3983

conselho editorial minas gerais: Adília Sozzi, Adriano Pereira Santos, Beatriz Cerqueira, Bernadete Esperança, Bruno Abreu Gomes, Cida Falabella, Durval Ângelo Andrade, Ênio Bohnenberger, Frederico Santana Rick, Gilson Reis, Gustavo Bones, Jairo Nogueira Filho, Joana Tavares, João Paulo Cunha, Joceli Andrioli, José Guilherme Castro, Juarez Guimarães, Marcelo Oliveira Almeida, Milton Bicalho, Nilmário Miranda, Padre Henrique Moura, Padre João, Pereira da Viola, Renan Santos, Rogério Correia, Samuel da Silva, Temístocles Marcelos, Wagner Xavier. Editora: Joana Tavares (Mtb 10140/MG). Redação: Larissa Costa, Pedro Rafael Vilela, Rafaella Dotta, Raíssa Lopes e Wallace Oliveira. Colaboradores: Alan Tygel, Anna Carolina Azevedo, André Fidusi, Bráulio Siffert, Diego Silveira, João Paulo Cunha, Léo Calixto, Rogério Hilário, Sofia Barbosa. Revisão: Luciana Santos Gonçalves. Administração: Vinicius Nolasco. Distribuição: Amélia Gomes. Diagramação: Tiago de Macedo Rodrigues. Tiragem: 40 mil exemplares.


?

Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

Por que você acha que a Rede Globo apoia a reforma da Previdência?

“Não confio na Globo. Porque eles são um bando de safados. Escondem as coisas e não falam a verdade sobre o que acontece.”

Rafaela Souza, Contadora

“Provavelmente tem coisa envolvida aí. Eles recebem muito dinheiro do governo para propagandas. Muita coisa ruim já aconteceu e a Globo estava encobrindo e defendendo os interesses deles.”

3

Declaração da Semana

PERGUNTA DA SEMANA

A Rede Globo tem feito defesa da reforma da Previdência, proposta pelo governo federal em conjunto com o Congresso. Em contrapartida, entidades trabalhistas e movimentos populares fazem críticas à proposta, pois ela aumenta o tempo de trabalho e retira direitos dos trabalhadores. O Brasil de Fato MG foi às ruas perguntar:

GERAL

Eu acho engraçado que o Temer fala pouco e fala devagar, calculado... E só diz besteira! Como é que pode?”

Reprodução

Afirmou o cantor Martinho da Vila em entrevista

#BombouNaRede

Reprodução

Gabriel Lourenço, Lojista

Todo dia é hora de voltar a estudar

O Grammy 2017, maior prêmio da indústria musical do mundo, foi marcado pela solidariedade entre as mulheres. A cantora britânica Adele, que levou as principais estatuetas, não concordou com o resultado e dedicou seu discurso de vencedora a Beyoncé, sua principal concorrente na edição. “Não posso aceitar este prêmio. A artista da minha vida é Beyoncé. O seu álbum ‘Lemonade’ é tão belo e tão cheio de alma”, afirmou a inglesa, que em seguida partiu o troféu ao meio para dividi-lo com a amiga. Beyoncé, claro, não conteve as lágrimas ao ouvir a declaração. “Oh não, Adele. Te amo”, respondeu da plateia. O álbum “Lemonane” foi lançado no ano passado e ficou conhecido pelo discurso crítico e político com que Beyoncé tratou a desigualdade racial.

Sabendo usar, não vai faltar! Jovens, adultos e idosos que desejam começar ou continuar os estudos podem se matricular para o projeto de alfabetização da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Iniciativa da Faculdade de Educação (FaE), o curso é totalmente gratuito e corresponde ao período que vai do 1º ao 5º ano do ensino fundamental. As inscrições, abertas na terça (13), serão realizadas mesmo após a data de início das aulas, no dia 13 de março. Para se matricular, é necessário que o interessado tenha 18 anos ou mais e apresente uma cópia da carteira de identidade, CPF e comprovante de endereço, além de duas fotos 3x4. Os documentos devem ser entregues durante a semana na sala 530 da FaE, campus Pampulha, das 15h às 19h. Após concluir a primeira etapa, o aluno também pode se cadastrar para os módulos que abrangem as matérias finais do ensino fundamental e seguir para o projeto de ensino médio. Mais informações: (31) 34096232 e secretariaproef1@gmail.com.

Curtir o carnaval é bom, mas sem esquecer de preservar o que é o nosso. O assunto é tema de uma campanha de conscientização do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico de Minas Gerais (IEPHA), que tem o objetivo de lembrar os foliões da importância de cuidar das praças, igrejas, monumentos e casarões seculares que fazem parte da história mineira. Até a quarta-feira de cinzas, no dia 1º de março, a entidade divulga cartazes com frases educativas e divertidas incentivando a ocupação consciente dos espaços públicos. Confira (e compartilhe a ideia): www.facebook.com/IephaMG.


46

CIDADES

Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

População se mobiliza contra privatização de águas minerais CIRCUITO DAS ÁGUAS Cidades do sul de Minas, famosas por suas águas terapêuticas, podem ser alvo de exploração de empresas

Recadastramento biométrico em Contagem, Betim, Uberaba e Uberlândia

Marcelo Mendes Britto

Rafaella Dotta

terá cerca de 24 mil litros retirados por dia.

ONG Nova Cambuquira está organizando um abaixo-assinado contra a exploração e venda das águas minerais da região. A ONG se posiciona contra uma consulta pública aberta pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) que pretende buscar empresários interessados em usar as águas de forma comercial. A Codemig detém o direito de exploração de águas minerais de Poços de Caldas, Caldas, Tiradentes, Araxá, Caxambu, Cambuquira, Lambari e Concei-

Cidadãos descontentes Para a ONG Nova Cambuquira, a licitação abre margem para o engarrafamento de água até que as reservas locais acabem. “Atualmente, a água mineral faz parte do código de mineração, o que significa que pode ser explorada até o seu esgotamento, assim como aconteceu com o ouro”, destaca, em nota. O abaixo-assinado online já conta com 2 mil assinaturas e pede que as águas, que possuem valor cultural e terapêutico, sejam protegidas pelo poder público.

A

ção do Rio Verde, no Sul de Minas. Para a cidade de Cambuquira isso significa a retomada do engarrafamento de água. De acordo com divulgação da Codemig, podem ser

retiradas das estâncias minerais, a cada oito horas, cerca de 28 mil garrafas de 310 ml e 33 mil garrafas de 510 ml, o equivalente à exploração de 25 mil litros por dia. Caxambu, que também será licitada,

Servidores de Uberlândia ocupam Câmara Municipal por salários atrasados Prisciele Melo

Luiz Fellippe Fagaráz

D

epois de quase uma semana de greve, servidores públicos ocuparam a Câmara Municipal de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, no dia 13. Eles exigem o pagamento integral do mês de dezembro, parte do décimo terceiro salário e vale-alimentação, atrasados desde junho de 2016. Os trabalhadores dizem que só deixarão o local após a prefeitura se posicionar “de forma nítida e transparente”, propondo uma solução sobre os pagamentos devidos. Os servidores cobram dos vereadores que abram um canal de negociação com o Executivo, explica Ronaldo Ferreira, professor da rede municipal. “Ao chegarmos aqui os senhores vereadores encerraram a sessão e se retiraram.

Reprodução

Mediante a recusa deles em nos atender, decidimos ocupar essa casa, até porque essa casa é nossa, é a casa do povo”, explica. Disputa entre gestões O prefeito Odelmo Leão (PP) optou por efetuar o pagamento referente ao mês de janeiro e manter o de dezembro atrasado, alegando falta de verba deixada pelo antigo prefeito Gilmar Machado (PT). Já o ex-prefeito argumenta que deixou dinheiro em caixa. Em meio a essa disputa, quem so-

fre são os trabalhadores. Segundo apurou a reportagem, alguns tiveram água e luz cortadas, estão sofrendo ameaça de despejo e dificuldades para comprar alimentos. “É impossível aguentar dois meses com R$ 900,

Dinheiro integral na conta é o que a gente quer”, diz servidora

pagando aluguel, água, luz e energia. Nós não podemos esperar e muito menos aceitar as propostas de receber parcelado em três, oito e até 48 vezes. Dinheiro integral na conta é o que a gente quer”, reforça a servidora Sirley Soares de Moura. Solidariedade No princípio da ocupação, seguranças terceirizados tentaram impedir a entrada de alimentos, desligaram o ar-condicionado e fecharam a janela que servia de comunicação. Após muito diálogo foi autorizada a entrada de alimentos e mantida a janela aberta. “Não estamos passando mais necessidades porque o pessoal lá fora veio ao nosso auxílio, trouxe alimento, água, suco”, diz Carolina Rabelo, também professora da rede municipal.

Reprodução / TRE - MG

Os eleitores que moram nas cidades de Contagem, Betim, Uberaba e Uberlândia precisarão refazer o cadastro biométrico para o título de eleitor. Os 1,4 milhão de eleitores precisam se recadastrar, exceto quem já passou pelo procedimento. Os cidadãos deverão comparecer aos cartórios eleitorais para coleta das digitais e da foto, além de comprovarem o vínculo com a cidade. O recadastramento ocorre até fevereiro de 2018.

Prefeitura de Contagem passa a cobrar por espaços públicos Uma portaria da prefeitura de Contagem divulgada no Diário Oficial do Município em 13 de fevereiro determina que as pessoas que queiram realizar eventos em espaços públicos precisam pagar. Os preços variam de R$ 600 a R$ 100. No caso do Museu Casa da Cultura Nair Mendes Moreira, o preço estipulado é de R$ 5 por pessoa que queira visitá-lo. A medida gerou descontentamento entre artistas. O poeta contagense Jessé Duarte lembra, em rede social, que a medida vai contra a lei 4647/13, que estipula o estímulo aos grupos culturais da cidade.


Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

Elas por elas

MINAS

5

AUTO-ORGANIZAÇÃO Por meio de grupos na internet, mulheres divulgam seus produtos e serviços para outras mulheres Reprodução

Larissa Costa

F

ortalecer uma rede de mulheres e divulgar seu trabalho. Essas ações parecem urgentes e necessárias em um contexto de desigualdade de gênero no mercado de trabalho. Apesar de trabalharem cinco horas a mais, a renda das mulheres equivale a 76% da dos homens, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Como as medidas para combater essa injustiça são insuficientes, algumas mulheres criam mecanismos que possibilitam a valorização de seus trabalhos au-

Mulheres vão às ruas no 8 de março Marcelo Camargo / Agência Brasil

No Dia Internacional das Mulheres, trabalhadoras realizam atos públicos em todo o mundo. Em BH, a partir das 16h, inicia-se, na Praça da Liberdade, o ato “Pela vida das mulheres”. Entre as pautas, o combate às reformas trabalhista e da Previdência do governo não eleito de Michel Temer (PMDB). As organizações envolvidas na construção do ato publicaram um manifesto convocando as mobilizações. “O Brasil vive hoje o aprofundamento do golpe parlamentar, midiático e jurídico que rompeu com a democracia em 2016, semeou ódio às mulheres e população LGBT e reforçou o racismo. Temos vivido uma conjuntura de avanço do conservadorismo e de perda de direitos sociais e trabalhistas historicamente conquistados, seguido do aumento da violência e do controle sobre a vida e o corpo das mulheres, além da repressão, criminalização aos movimentos populares e da desqualificação e perseguição das esquerdas”, destaca o documento.

Segurança é um dos motivos de procura por profissionais mulheres tônomos, através de coletivos compostos só de mulheres, chamados de “auto -organizados”. É o caso do grupo no Facebook “Juntas Geramos Renda”, criado no ano passado pela terapeuta holística e cientista social Nathalia Duarte. “Foi uma ideia que surgiu em um momento em que as pessoas estão perdendo

o emprego e se realocando financeiramente. Mas também é um espaço em que a gente pode trocar experiências e unir forças”, explica. Hoje, o grupo conta com quase 21 mil mulheres que oferecem serviços e produtos de todos os tipos, desde artesanato a reparação hidráulica. Larissa Ribeiro é um das empreendedoras que divulga suas atividades na página. Ela é uma das idealizadoras da Working Girl, empresa de manutenção residencial voltada ao atendimento exclusivo do público feminino. “Estamos no grupo desde o início e quando as novas integrantes procuram por trabalhos que realizamos, as mulheres que já estão lá nos indicam na hora”, conta. A Working Girl é constituída de uma equipe técnica especializada e presta serviços de hidráulica, pintura, montagem e desmontagem de móveis e reparos em geral. Viviane Almeida, motorista da Uber e da Cabify, também divulga seus serviços no “Juntas Geramos Renda”. Para ela, o fato de que mais mulheres ocupem funções que, historicamente, são consideradas masculinas, está ligado à autonomia. “Isso mostra o quanto estamos crescendo, quebrando an-

Segundo IBGE, salário das mulheres é 24% menor que dos homens tigos paradigmas. Somos fortes e podemos ser independentes se quisermos”, defende. Feminismo em alta Um dos motivos que levam o público feminino a procurar profissionais mulheres está relacionado à segurança. “Muitas de nossas clientes - e até nós - já fomos vítimas de assédio por profissionais mal-intencionados. E além disso, alguns homens abusam quando percebem que a cliente não compreende muito bem o que se passa dentro de casa”, conta Larissa. Além disso, mulheres têm cada vez mais incentivado o trabalho de outras, em uma perspectiva de construção de uma rede de solidariedade. “A maioria das minhas clientes se sente mais segura em andar de carro com uma motorista mulher do que com um homem. Mas outras me procuram pelo fortalecimento feminino mesmo”, aponta Viviane.

Anúncio


6

MINAS

Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

Opinião

País das capivaras João Paulo Cunha O Brasil está na barra dos tribunais. Mais grave ainda, na mão do guarda da esquina em suas mais variadas expressões. Da truculenta mão que bate em estudantes que buscam manter suas escolas funcionando com dignidade, ao vaidoso juiz de primeira instância que legisla como um Nero, trocando segredos risonhos com suspeitos enquanto lança chamas irresponsáveis sobre a economia e a institucionalidade. Polícia para quem precisa de política. Não é um acaso que parte significativa da pauta nacional esteja vinculada a questões judiciais. O protagonismo conferido aos magistrados é um sinal evidente dessa quadra policialesca que tomou conta da nação. Da escolha de ministros à definição de políticas públicas, passando pela composição da mais alta corte do país, tudo traz o carimbo inevitável da judicialização e da marca da desconfiança. Onde deveria contar o currículo, como reza nossa vã meritocracia, hoje vige a capivara -

termo popular para a folha corrida de “serviços” prestados.

O Brasil está na mão do guarda da esquina O mais recente exemplo desse destino tem sido a movimentação em torno da indicação de Alexandre de Moraes para a vaga de Teori Zavascki no Supremo Tribunal Federal. Haja lambança. A começar pela escolha do personagem. Pela cronologia: o candidato tem histórico de violência na condução da segurança pública de São Paulo, inclusive contra estudantes e sem teto; mostrou-se inepto frente à crise dos presídios; e mente de forma irresponsável, sobre o que fez e o que não fez. Negou pedidos de ajuda de governadores. Forjou currículo Lattes e foi plagiário em vários

de seus trabalhos acadêmicos. Furou fila e deu nó no tempo: foi doutor sem ser mestre e iniciou o pós-doutorado antes de ser doutor. Só por aí já se mostrava inadequado. Além disso, traços de caráter o descredenciam para a função: fala demais e de forma indevida e tem vínculos partidários com investigados na fila de processos que deve herdar. Para completar, o que talvez seja o grau máximo de sua desqualificação, não carrega com ele a necessária vocação para a primazia do público sobre ao privado. Em meio a uma grave crise da segurança pública, se achou liberado de cumprir sua função de ministro da Justiça, deixando a pasta acéfala, para embarcar na cabalagem de votos e beija-mão de senadores, inclusive a bordo de barco ancorado em suspeita moral. Em poucos meses de golpe, o país viu retroceder o jogo político civilizado para aquilo que mais importa num Estado de exceção: convencer que o arbítrio é justo.

Anúncio

Debate e lançamento da Campanha com a criação do comitê sindical popular Com Carlos Gabas (ex-ministro da Previdência), Paulo Cayres (presidente da CNM/CUT), José Feijó (ex-presidente Sindicato ABC), Beatriz Cerqueira (presdiente da CUT/MG), Marco Antônio (presidente da FEM/CUT-MG), Marília Campos (Deputada Estadual) e Margarida Salomão (Deputada Federal)

Dia 21/02, às 18h Sindimetal BH/Contagem R. Camilo Flamarion, 55 - J. Industrial - Contagem

Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e região Sede: R. Camilo Flamarion, 55 - J. Industrial - Contagem (MG) - CEP 32215310 - Tel.: (31) 3369.0510 Subsede: R. da Bahia, 570/5ºandar- Centro - BH(MG) - CEP 30160010 - Tel.: (31) 3222.7776 www.sindimetal.org.br


Acompanhando

Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

Foto da semana

7

OPINIÃO

PARTICIPE Viu alguma coisa legal? Algum absurdo? Quer divulgar? Mande sua foto para redacaomg@brasildefato.com.br. Maxwell Vilela

Na edição 165... 49 anos de serviço para poder aposentar ...E agora Deputados decidem calendário de votação da reforma da Previdência O deputado relator da Comissão Especial da Reforma da Previdência, Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), apresentou ao plenário o calendário de votação da matéria. A comissão analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16, que altera regras em relação à idade mínima e ao tempo de contribuição para se aposentar, entre outros pontos. A votação do texto na comissão está marcada para 21 de março. Depois, a proposta segue para o primeiro turno da votação em plenário, em 28 de março, e em segundo turno em 6 de abril. Caso aprovada em dois turnos pelos deputados, a PEC segue para o Senado, onde passa pelo mesmo trâmite. Protestos A Frente Brasil Popular, que reúne dezenas de organizações críticas às retiradas de direitos promovidas pelo governo não eleito, propõe um calendário de manifestações. Do dia 8 ao dia 15 de março, anunciam a realização de protestos e campanhas de rua contra a reforma da Previdência.

CARNAVAL FEMINISTA Os Blocos Bruta Flor e ClandesTINAS, da Casa de mulheres em situação de risco Tina Martins, desfilaram pelas ruas de BH, em 12 de fevereiro. Os blocos trazem a reflexão sobre o machismo da sociedade e o respeito à mulher.

Jamile Araújo

Raíssa Lopes

Mulheres que colocaram o homem na lua

A alma encantadora de “A cidade onde envelheço”

De forma simples e divertida, “Estrelas Além do Tempo” traz a história real de Katherine Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson. Três mulheres negras, matemáticas e cientistas da NASA, nos Estados Unidos, responsáveis pelos cálculos que levaram o homem ao espaço no período da corrida espacial entre EUA e URSS. Chamadas “computadores humanos”, esse grupo de mulheres realizava cálculos para as missões antes mesmo da existência dos computadores. Ao mesmo tempo que eram imprescindíveis, lidavam com o machismo e racismo na sociedade e dentro da NASA, com prédios e banheiros próprios para as negras. Além de não terem seus trabalhos reconhecidos, seus cálculos eram assinados por homens. É o exemplo de Katherine, que fez os cálculos necessários para o lançamento e retorno seguro de John Glenn, primeiro astronauta a orbitar em volta da Terra, e pelos cálculos da trajetória de pouso da Apollo 11 na Lua. Filme retrata mulheres Entretanto, jamais da NASA foi citada como fundamental para essas grandes conquistas. O filme se passa nos anos 1960, mas esses são dilemas ainda enfrentados pelas mulheres negras, seja na Ciência ou em qualquer lugar que estejam. Ainda é um desafio serem reconhecidas e terem os mesmos direitos, deveres e salários que os homens brancos que desempenham as mesmas funções. Estrelas Além do Tempo possibilita que mulheres e negros possam se enxergar em áreas que não costumam estar. Mostra que podemos sim ser matemáticas, engenheiras, programadoras e protagonistas de nossas vidas e histórias.

A pequena grande felicidade da minha semana veio a partir da decisão de ir ao cinema para assistir a um filme do qual eu nunca tinha ouvido falar. A história, que até então me era desapercebida, falava sobre duas meninas que decidiram sair de Portugal para viver em BH. Eram elas Teresa e Francisca, morando na “Cidade onde envelheço”. O longa, dirigido por Marilia Rocha, retrata afinal uma capital que eu conheço. E não só porque nela trabalho e passo a maior parte das horas do meu dia, mas porque é fiel. Fiel a cada esquina, a cada beco, cada bar, cada Centro que vive em cada um. Enquanto assistia, não consegui tirar da cabeça os versos de João do Rio, que já dizia que “a rua nasce, como o homem, do soluço, do espasmo”, e que são as pedras desgastadas das calçadas que nos constroem, não o contrário. E lá estava uma Belo Horizonte a construir duas mulheres, mais ou menos da minha idade, que tentavam se achar no mundo. Duas mulheres que elegeram Filme é carta a cidade onde quero ende amizade a BH velhecer para fazer parte da sua busca. É uma obra para quem respira o Centro. Para quem vive, sem fetichismo, sua alma e seu suor. Para quem está acostumado a partilhar o último cigarro com um desconhecido que lhe parou para contar da vida, para quem entende e muitas vezes se irrita com a lógica das gambiarras dos “quase prédios” mineiros, e para quem compreende a beleza de ver a vida passar sem grandes acontecimentos. O filme trata, com delicadeza, a chegada mansa da maturidade, que nos faz afago e bate à porta sem alarde, mas é concreta. É uma narrativa de amizade e uma carta aberta à cidade, um agradecimento respeitoso de quem pôde se conhecer mais pelos caminhos daqui.

Jamile Araújo é comunicadora popular.

Raíssa Lopes é jornalista do Brasil de Fato MG.


88

BRASIL

Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

Deputados querem barrar indicação de Alexandre de Moraes ao STF por plágio JUDICIÁRIO Indicado de Temer ao Supremo Tribunal Federal é acusado de uso indevido de produção intelectual alheia Redação, com informações da Agência Brasil

Marcelo Camargo / Agência Brasil

D

esde a semana passada, Moraes tem sido alvo de denúncias de ter copiado itens de livros de outros juristas em publicações de sua autoria. Além de impedir a manobra que tentava antecipar a sabatina de Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal (STF) no Senado, parlamentares da oposição também estão atuando fora do Congresso Nacional contra a indicação do advogado. Na segundafeira (13), os deputados Wadih Damous (PT-RJ) e Paulo Pimenta (PT-RS) e o ex-procurador-geral de Justiça de

São Paulo Márcio Sotelo Felipe entraram com representação contra o ministro licen-

ciado de Justiça e Segurança Pública na ProcuradoriaGeral da República (PGR).

Eles também ajuizaram ação contra Moraes no Conselho de Ética da Universidade de São Paulo (USP), por plágio acadêmico. A defesa feita por amigos e colegas é de que os trechos citados pelos acusadores são referentes a decisões de julgamentos de tribunais diversos. E, por isso, o material supostamente “copiado” consistiria em dados de domínio público. De acordo com os deputados autores dos dois pedidos, existem “elementos consistentes para enquadrar a conduta do representado como ofensiva à Lei do Direito Autoral e ao Código Penal no capítulo que trata da proteção à

Brasileiro poderá trabalhar 14 horas diárias sem receber horas extras André Campos Repórter Brasil

A

reforma trabalhista do governo Temer pode permitir que horas de trabalho antes remuneradas como horas extras sejam incorporadas à jornada sem pagamento adicional. Atualmente, todo empregado que faz hora extra tem direito a receber um adicional de, no mínimo, 50% sobre o valor da hora normal. A proposta permite que sindicatos e empregadores negociem jornadas de até 220 horas mensais, mas não estabelece critérios claros para diferenciar o que seria, dentro desse limite, horário regular ou trabalho extraordinário. “A intenção é justamente permitir acordos coletivos com jornadas longas, de 10,

12 ou até 14 horas num dia, sem o pagamento de horas extras”, avalia Valdete Severo, juíza do Trabalho no Rio Grande do Sul. Na ponta do lápis, o prejuízo ao trabalhador pode ser grande. Alguém que ganha dois salários mínimos, R$ 1.874 mil, pode perder cerca de R$ 366,28 por mês – o equivalente a 20% da renda. Isso aconteceria no caso de esse funcionário trabalhar todas as 220 horas mensais previstas na proposta, o que soma 2.640 horas ao ano. Segundo as regras atuais, ao menos 344

Perda salarial pode ser de mais de 20%

Reprodução

horas na jornada anual desse funcionário seriam extras. As perdas seriam ainda maiores se fossem levados em conta os feriados e os casos de trabalho aos domingos, quando as horas extras precisam ser pagas com 100%

de acréscimo. Outra mudança importante será na remuneração por produtividade, que passa a ficar sujeita aos arranjos feitos em acordos e convenções coletivas. O maior receio é que isso desobrigue empregadores a pagar o piso de categorias ou até mesmo

propriedade intelectual”. Em relação ao requerimento junto ao Conselho de Ética da USP, o pedido é para que o advogado perca os títulos acadêmicos que lhe foram outorgados, além da exoneração do cargo de professor. E no tocante à PGR, eles solicitam que o ministro licenciado seja investigado e denunciado pelo crime de violação de direito autoral, o que, dessa forma, quebraria o critério de atendimento ao requisito de “licitação ilibada” a ocupantes de vaga no STF. Caso o pedido seja acatado, Alexandre de Moraes terá sua indicação para a mais alta Corte do país impedida pela Justiça.

Reforma do Ensino Médio aprovada O presidente não eleito Michel Temer sancionou, em 16 de fevereiro, a reforma do Ensino Médio. A medida deixa que cada estudante escolha a área que quer estudar - sendo obrigatórios apenas português e matemática - aumenta a carga horária de permanência na escola, estipula uma base de conteúdo para todas as escolas. A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) se posicionou contra a reforma. Para Camila Lanes, presidenta da Ubes, “é como se o governo fosse fazer uma reforma em casa, mas sem comprar os materiais”, o que pode “colaborar com a evasão e retroceder, em vez de avançar”.


Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

BRASIL

9

Desmilitarizar a PM não é desarmá-la, explicam especialistas SEGURANÇA O motim da polícia no Espírito Santo reacendeu o debate sobre a necessidade de mudanças no funcionamento da polícia Latuff / Brasil 247

Pedro Rafael Vilela de Brasília (DF)

O

governo do Espírito Santo já abriu processo disciplinar militar para expulsar centenas de policiais que lideraram a paralisação no estado, que começou há duas semanas. Por não terem direito constitucional de organização e serem proibidos de fazer qualquer tipo de reivindicação salarial e de condições de trabalho, a tendência é que boa parte desses policiais seja expulsa da corporação ou até cumpram pena de prisão, “para servir como exemplo” aos demais. Esse episódio reabriu uma velha discussão sobre desmilitarizar a Polícia Militar no Brasil. Com o caos na segurança pública provocado pela ausência de vigilância nas ruas, alguns setores se apressaram em acu-

Modelo atual não resolve problema da violência

sar os defensores da desmilitarização de pedirem o desarmamento da polícia ou até seu fim. “Nós não defendemos o fim, mas a desmilitarização da Polícia Militar. Isso não significa que os policiais serão desarmados, proibidos de patrulhar as ruas ou impedidos de prevenir crimes. Desmilitarizar a PM é transformá-la numa instituição civil, já que atualmente ela é vinculada ao Exército. Essa

mudança melhoraria muito as condições de trabalho de policiais e poderia evitar crises como a que ocorre no Espírito Santo”, argumenta o deputado estadual do Rio de Janeiro, Marcelo Freixo (PSOL), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa fluminense (ALERJ). O fim do caráter militar das polícias é defendido por especialistas como forma de tornar as corporações

mais próximas da sociedade e dar a elas uma formação voltada para a proteção da cidadania e da garantia de direitos. “São cada vez mais raros no mundo os países que adotam o modelo militarizado como o nosso. E o motivo é simples: a doutrina militar historicamente foi criada para a defesa de território, governos e seus governantes. Na lógica militar, o adversário é sempre um inimigo a ser abatido. Esse modelo se mostrou, ao longo do tempo, defasado no que tange

Caráter civil à polícia poderia tornar a corporação mais próxima da sociedade

ao policiamento comunitário”, analisa o delegado Pedro Filipe de Andrade, professor da Escola Superior de Polícia Civil do Paraná e assessor jurídico da Associação dos Delegados de Polícia do Paraná, em artigo. Demanda também dos policiais Os próprios policiais militares, na maioria, defendem a desmilitarização. É o que revelou uma pesquisa do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgada em julho de 2014 e que entrevistou mais de 21 mil policiais em todo o Brasil. Do total de entrevistados, 73,7% são a favor da desvinculação da PM com o Exército, 76,1% deles defenderam a desmilitarização e 93,6% disseram que é preciso modernizar os regimentos e códigos disciplinares.

Baixa integração entre as polícias também é problema Mídia NINJA

N

a avaliação de especialistas, o ideal seria que os policiais cumprissem um ciclo completo, que vai desde o policiamento de rua até a investigação criminal. Porém, no país, cabe à PM fazer o patrulhamento e o policiamento ostensivo, enquanto os policiais civis cuidam da investigação criminal. Na prática, cada polícia funciona como meia polícia. A falência desse modelo está descrita nas estatísticas oficiais. O Brasil não con-

ra. A população carcerária, de 540 mil presos, já é a quarta maior do planeta, porém, ao mesmo tempo, a impunidade segue elevada, já que apenas 8% dos homi-

segue sair da posição que ocupa há décadas, do segundo país no mundo com a maior taxa de homicídios,

na faixa dos 25 assassinatos por 100 mil habitantes, ou 50 mil homicídios por ano, que são números de guer-

Brasil tem a segunda maior taxa de homicídios no mundo

cídios dolosos são elucidados. Um dos projetos que tramitam no Congresso Nacional para rever esse modelo é a PEC 51/2013, de autoria do senador Lindbergh Farias (PT-RJ). A proposta prevê uma carreira única civil para as polícias e concede autonomia aos estados para estruturarem seus próprios órgãos de segurança pública. A ideia é que, nesse formato, uma polícia única faria tanto o trabalho ostensivo quanto a investigação de crimes.


10 10

MUNDO

Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

Mulheres convocam greve para o dia 8 de março RESPEITO Parar na empresa e nos serviços domésticos são medidas propostas para que valor feminino seja reconhecido Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Da redação

M

ulheres de todo o mundo publicaram, em 3 de fevereiro, um chamado para uma greve internacional exclusivamente feminina. A ideia é que mulheres não compareçam ao trabalho, não realizem tarefas domésticas e manifestem-se publicamente (nas ruas ou através das redes sociais) no dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher. Assinado por importantes teóricas, como a ex -pantera negra Angela Davis e a filósofa Nancy Fraser, o manifesto chama-se “Para além do ‘faça acon-

Greve está sendo organizada em mais de 30 países

tecer’: por um feminismo dos 99% e uma greve internacional militante em 8 de março” e foi lançado na marcha de mulheres dos Estados Unidos. O documento afirma que o femi-

nismo precisa reconhecer as falhas que cometeu para avançar na luta em prol dos direitos femininos. O movimento ganhou adesão mundial. No site parodemujeres.com é possível acompanhar a organização da greve em mais de 30 países, notícias, atividades e uma série de sugestões de como protestar. O principal objetivo das paralisações é protestar contra a violência masculina e contra os governos que retrocedem em direitos femininos fundamentais, tendo como maior exemplo negativo o atual presidente estadunidense Donald Trump.

Brasil Diversas organizações brasileiras já vinham tratando do tema, que terá como foco a reforma da Previdência que, entre as diversas mudanças, pretende igualar o tempo de contribuição da aposentadoria das mulheres com a dos homens. Segundo especialistas, a medida não seria justa pois desconsidera que mulheres possuem duas jornadas de trabalho: uma na empresa e outra nas tarefas domésticas. Segundo o IBGE, as mulheres trabalham cinco horas a mais por semana que os homens.

Anúncio


MUNDO

Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

11 11

“Direitos não são permanentes, há que vigiar por toda a vida” RETROCESSO Mulheres são as mais prejudicadas com as medidas do governo não eleito de Michel Temer Wallace Oliveira

Lidyane Ponciano

O

atual governo não eleito de Michel Temer tem aprofundado medidas que aumentam a exploração dos trabalhadores e privatizam as riquezas nacionais. As mulheres são as principais afetadas pela agenda do governo que chegou lá através de um golpe. Para discutir essas questões, o Brasil de Fato MG conversou com Soniamara Maranho, dirigente do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB). Brasil de Fato MG - Qual é o cenário atual no setor energético, no que diz respeito ao petróleo e à energia elétrica do Brasil? Soniamara Maranho - No caso do petróleo, existe uma disputa entre duas grandes potências pelas riquezas do planeta: a China e os Estados Unidos. Ao mesmo tempo, há uma disputa geopolítica dos EUA pelo controle de todo o processo de comercialização e produção. Com Trump na Presidência, há uma tendência a investir cada vez mais no próprio Estados Unidos.

Vamos às ruas no 8 de março contra retirada de direitos

nos níveis nacional e mundial. O processo de negociação entre empresa e atingidos foi privatizado, colocando-se o próprio responsável pelo crime para cuidar das vítimas, numa perspectiva de construir as casas das famílias em cinco, seis anos. Elas enfrentam problemas com contaminação da água, produtos que ficam como resíduo, focos de febre amarela, entre outros. Portanto, o maior crime está acontecendo agora e consiste em negar os direitos dos atingidos.

Soniamara Maranho: “Empresa privada não investe, se apropria do que já existe. “

O maior crime da Samarco é não reconhecer os direitos dos atingidos Essa história do petróleo trouxe uma reviravolta na América Latina. Brasil e Venezuela têm, juntos, capacidade para produzir bilhões de barris de petróleo. Por conta disso, nesses países, pode haver guerras e existem várias investidas do imperialismo e um verdadeiro aniquilamento do Estado. Um exemplo: os presidentes passam a ser meros diplomatas, não são mais quem manda no país. No caso da energia hidrelétrica os chineses compram barragens que têm custo de

produção baixíssimo e podem vender a energia a um dos preços mais caros do mundo. Então, quem tem a energia a transforma em mercadoria. Importa ao capital sugar, privatizar o que tem e terceirizar. Empresa privada não investe, se apropria do que já existe. Em contrapartida, para as famílias, vai aumentar ainda mais as tarifas de energia. O Brasil tem uma das principais reservas de água do planeta, com dois dos maiores aquíferos já identificados: o Alter do Chão e o Guarani. Existe interesse do governo em privatizar essas reservas? Esses aquíferos têm sido estudados por universidades ligadas a empresas privadas, principalmente Nestlé e Coca Cola. Sabemos que há um grande mapeamento de todas as fontes de água no

país, a fim de privatizá-las no futuro. E não são apenas os aquíferos, mas todo o potencial hídrico disponível para consumo humano no Brasil, que tem 12% da reserva de água doce do mundo. Hoje, a água está mais cara que gasolina ou leite. Os ´gringos´ estão de olho nisso. O crime da Samarco (Vale e BHP Billiton) em Mariana já tem mais de um ano. Como está a luta dos atingidos hoje? O crime da Samarco foi um dos maiores já cometidos

Brasil tem 12% da água doce do mundo e os ´gringos´ estão de olho

Confira a íntegra da entrevista no site www.brasildefato.com.br

Você também participa da construção do 8 de março. Qual será o foco central da luta das mulheres nesse momento? Simone de Beauvoir dizia: “Basta uma crise política, econômica e religiosa para que os direitos das mulheres sejam questionados”. Esses direitos não são permanentes, há que vigiar por toda a vida. Quando há um golpe, guerra, crise do capitalismo, somos as primeiras a perder. No Brasil, a Previdência é uma área em que o capitalismo ainda estava por colocar a mão nos direitos. Como o capitalismo está em crise e só sairá dessa crise explorando ainda mais, não vai admitir que trabalhadoras tenham direitos. Vamos às ruas no 8 de março, dia internacional de luta das mulheres, contra todo o pacote de retirada de direitos conquistados. Também em março, nos dias 13 e 14, faremos a luta pelos direitos dos atingidos por barragens, e no dia 15 a Frente Brasil Popular está convocando atos em todo o país contra a reforma da Previdência.


12 12 VARIEDADES

Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

Amiga da Saúde

Nossos direitos Resgatar o FGTS? A partir do mês de março será possível resgatar o saldo das contas inativas do FGTS, encerradas até 31.12.2015. Um alerta que devemos fazer é que o Fundo de Garantia é um direito conquistado pelos trabalhadores e tem objetivo a proteção em casos de demissão ou longo período de desemprego. Por isso, o Fundo de Garantia não deveria ser usado como uma medida paliativa para a crise social instalada no país. Afinal, o go-

verno deveria preservar os direitos trabalhistas, fomentar o desenvolvimento nacional e gerar novos postos de trabalho, ao invés de abrir as contas de FGTS. Porém, se a sua situação financeira te levará a fazer o resgate, no site da Caixa (www.caixa.gov.br), você poderá ter mais informações sobre o saldo que você possui, o calendário de pagamento e o local mais conveniente para seu atendimento.

Adília Sozzi é advogada da Rede Nacional de Advogados Populares – RENAP.

Vou começar a usar um anticoncepcional e estou com medo de engordar. Isso pode acontecer? Brigida Leite, 23 anos, repositora. Cara Brígida, a ideia de que os anticoncepcionais engordam é um mito. Porém, muitas mulheres afirmam ter engordado com seu uso. Isso porque os hormônios podem provocar retenção de líquidos, podendo aumentar alguns quilos na balança. Geralmente esse efeito colateral ocorre nos primeiros meses de uso do anticoncepcional e pode ser revertido com exercício físico. Estudos que compa-

raram mulheres em uso de hormônios contraceptivos com outras que não usavam nada mostraram que houve ganho de peso equivalente nos dois grupos, da mesma forma que houve mulheres que perderam peso. As pessoas engordam somente quando comem uma quantidade de calorias acima do que conseguem gastar. Atribuir a culpa ao anticoncepcional é injusto.

Sofia Barbosa I Coren MG 159621-Enf. Aqui você pode perguntar o que quiser para a nossa Amiga da Saúde Mande sua dúvida: amigadasaude@brasildefato.com.br

Anúncio


Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

13 VARIEDADES 13 por Uschi Silva*

www.malvados.com.br

Dicas Mastigadas Suco de Capim Santo com Limão CAÇA-PALAVRAS

www.coquetel.com.br

© Revistas COQUETEL

Procure e marque, no diagrama de letras, as palavras em destaque no texto.

Cronista mineiro Nascido em 1923, o cronista e ESCRITOR mineiro FERNANDO Sabino começou a escrever CONTOS quando tinha apenas 13 anos de idade. Cinco anos mais tarde, SABINO publicou seu primeiro LIVRO: “Os GRILOS Não CANTAM Mais”. Com formação em DIREITO, o escritor morou durante dois anos na cidade de Nova York, além de ter trabalhado como correspondente da COPA de 1966, em Londres, para o "JORNAL do Brasil". Em 1967, fundou a EDITORA Sabiá com Rubem BRAGA. Alguns de seus principais ROMANCES são: “O Encontro MARCADO” (1957); “O Grande MENTECAPTO” (1979); “O Menino no ESPELHO” (1982) e “Os Movimentos SIMULADOS” (2004). Em relação às CRÔNICAS, vale destacar: “O HOMEM Nu” (1960); “A MULHER do VIZINHO” (1962) e “A INGLESA Deslumbrada” (1967). Ilustração: amorIm

R T Z N J M B M V S Y T S J M O

S H E S V R L Y I I T A N U H R

E E N N A R C M E M B D L T K V

C N D G Z L U F C I B H K W S I

N E A F S L T E N B E R G Y G L

A Z W E A M J O X R G R I L O S

M I W D W V W W X R Z S D T X D

O H O T W M E N T E C A P T O R

R S R M W T M V C E H L H V E M

Y X F V Z H X A G S V G I J D D

W H E M M N N D B C Z R N T I E

I B R X S T Y W F R G I G I T S

L X N R A C W R R I X N L S O P

A D A M Z C O P A T S V E R R E

N X N E O N D V Y O Z H S J A L

R O D C H R C W T R E R A L H H

O T O L N X O I I Z X W F T D O

J I J V I D N G K M N X R F T V

N E Z K Z C T C C R O N I C A S

I R J R I K O F Z V B I C N X N

I I K J V N S J V J N H O M E M

W D K M A R C A D O J T Y B C B 12

Solução

Ingredientes: • 1 maço de capim santo (também conhecido como capim limão) • 2 limões • 1 litro de água • gelo

Modo de fazer Ponha a água para esquentar, e um pouco antes de ferver desligue o fogo e coloque o capim santo. Deixe tampado em infusão por 10 minutos. Espere esfriar, e bata no liquidificador com 2 limões. Beba bem gelado!

A hidratação no verão

O N R E G R I L O L S

S E C N AMO R L A N R O S O T A O F E R N A N D O D M A A O HN L C O C O P A I T O R

G A R B U M I S I B A H S L U M O R V I

Mais de dois terços do corpo humano é composto por água. A água tem um papel fundamental no funcionamento de todos os sistemas, órgãos e reações químicas que ocorrem dentro da gente. Uma pequena baixa de água no corpo pode causar falhas de concentração e memória, raciocínio lento, impaciência, sonolência, fraqueza, tonturas, dores de cabeça, e, em casos extremos, pode levar ao coma. Experimente este delicioso refresco e mantenha-se bem hidratada neste verão!

M T E N N A T C E E S C R C A P I N G T O E D I T E S L E S A

O R A P E L HO

H O M E M

J I E R I D

M I Z I V A R N T O S C A D O

C R O N I C A S

* Uschi Silva é do Coletivo Nacional de Agricultura Urbana

Participe enviando sugestões para receita@brasildefato.com.br.


14

CULTURA

Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

Sem apoio da prefeitura, blocos de Nova Lima decidem desfilar

Inscrições para Festival de Fotografia

Eugênio Sávio

CARNAVAL Executivo informou que não possui recursos para manter folia, mas blocos criticam e criam frente independente Reprodução / Bloco atrás do Forum

Raíssa Lopes

O

carnaval de Nova Lima, um dos mais tradicionais de Minas Gerais, foi cancelado pela prefeitura sob justificativa de falta de recursos. A folia, que acontece na Região Metropolitana de Belo Horizonte, costumava reunir por dia mais de 40 mil pessoas de todo o estado. A decisão do município culminou na criação de uma frente independente dos blocos da cidade, que resolveram sair às ruas mesmo sem incentivo. A ideia é fazer um desfile unificado na sexta-feira (24), e também auxiliar a saída de bloquinhos menores nos outros dias do carnaval. Vanessa Moreira, integrante do “Atrás do Fórum”, um dos blocos do coletivo, afirma que neste ano a festa ganha caráter de protesto e revela que o Executivo municipal não liberou alvarás e nem apoio da Guarda Municipal e Polícia Militar. Para ela, a suspensão faz com que a cidade perca parte de sua cultura e tradição. “Sofremos uma mudança de governo que agora puxa mais para o lado neoliberal e fez com que o Legislativo da cidade se tornasse, em maioria,

conservador”, critica. “Nova Lima tem um orçamento que gira em torno de R$ 499 milhões, então não entendo o cancelamento do carnaval. Nossa união é uma espécie de manifesto”, reforça. Apenas um dos blocos mais famosos da cidade irá desfilar. É o Marylou, que também sai na sexta de forma autônoma. Já os demais - Bloco dos Sujos, Olosujos

O carnaval é um período em que todos têm o direito de sair, se fantasiar”, diz fundador de bloco e Bloco da Taioba - passarão 2017 em branco. “Incentivar o carnaval é incentivar o fortalecimento das raízes do povo. O Bloco dos Sujos, por exemplo, surgiu quando os garimpeiros da mina da Morro Velho [da mineradora AngloGold Ashanti] saíam do trabalho todo sujos de lama e iam brincar na festa”, complementa Vanessa. Luís Pereira, conhecido na cidade como “Luís dos Sete Irmãos”, é o fundador

do Olosujos, que surgiu em 1992, e conta com pesar que aos 51 anos de idade essa é a primeira vez que vai passar o carnaval longe de Nova Lima. “Acho que é uma manifestação plural, um período em que todos têm o direito de sair, se fantasiar. Acredito que a festa poderia sim acontecer este ano, talvez menor. Cancelar é doloroso para os moradores”, relata. Procurada, a Prefeitura de Nova Lima alegou que a medida é “essencial para que o município possa investir em serviços básicos” e que “caso a situação melhore”, pretende realizar um carnaval “como Nova Lima merece” em 2018.

Entre os dias 22 e 26 de março, acontece o Festival de Fotografia de Tiradentes – Foto em Pauta. O evento, que é realizado desde 2004 e se encontra em sua 7ª edição, conta com mostras, debates e atividades recreativas sobre fotografia. Os workshops estão recebendo inscrições. Mais informações no site: fotoempauta. com.br/festival2017.

Exposição aborda história do carnaval mineiro

ASSCOM / SUBSL

O carnaval em Minas Gerais, entre as décadas de 50 e 80, é o tema da exposição “Abram Alas”, na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, em BH, até o dia 28 de fevereiro. A mostra contém dezenas de títulos que permitem acompanhar a trajetória da festa no estado, como o livro “Bairro de Santa Tereza”, de Luiz Gois, ou o disco “84”, com sambas-enredo do carnaval de BH nos anos 1980. A exposição acontece no Hall das Coleções Especiais, segundo andar do prédio, e tem entrada gratuita.

“A Santa do Capital” Divulgação

Betim e Contagem A prefeitura de Betim também chegou a anunciar a possibilidade de não realizar a folia este ano. No entanto, segundo nota oficial, o carnaval seguirá normal e deve ter o apoio prometido. Em Contagem, a programação oficial conta com atrações até o dia 28 de fevereiro.

A Cóccix Cia Teatral apresenta o espetáculo “A Santa do Capital”, livre adaptação do texto “A Santa Joana dos Matadouros”, do dramaturgo alemão Bertolt Brecht. A atividade compõe a programação do Verão de Arte Contemporânea. O trabalho se propõe a pensar a luta de classes e a opressão vivida pelo povo em meio ao caos da especulação financeira. As entradas custam R$ 20 a inteira e R$ 10 a meia. Onde: Arquivo Público Mineiro. Av. João Pinheiro, 372, BH. Quando: 17 a 19 de fevereiro, às 20h Mais informações: migre.me/w41ol


Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

na geral

Paralímpicos arrasam em Mundial de Remo

Reprodução / CBR

Jogadores de futebol desenvolvem doença degenerativa, afirma estudo

15 15

Alasdair Middleton

O

jornal Acta Neuropathologica divulgou, na terça (14), pesquisa apontando que jogadores de futebol estão propensos a desenvolver uma doença neurodegenerativa, a Encefalopatia Traumática Crônica (CTE). A pesquisa toma como base estudos feitos em 14 ex-jogadores que tiveram demência, sendo que seis deles foram examinados após a morte. Alguns dos jogadores examinados também apresentaram sinais de Alzheimer. Segundo os pesquisadores, a doença pode estar associada ao fato de, na prática da atividade, esses atletas terem sofrido uma série de impactos na cabeça.

Ex-goleiro é assassinado na Ucrânia Reprodução

A equipe paralímpica do Brasil conquistou quatro pódios no Campeonato Mundial de Remo Indoor, CRASH-B. As provas foram realizadas no último dia 12, em Boston, Estados Unidos. O baiano Rene Pereira venceu a prova da categoria AS, para atletas que só possuem mobilidade nos ombros e braços. Outro ouro veio com a catarinense Josiane Lima, na categoria TA, para atletas com mobilidade de tronco e braços. Na categoria LTA, para atletas com mobilidade de pernas, tronco e braços, a carioca Diana Barcelos ficou com o bronze no feminino e o catarinense André Dutra no masculino.

ESPORTES

Curta e Grossa

Vai ter futebol feminino sim! Francisco Galvão /FBF

Aos 57 anos, faleceu, na última semana, o lendário goleiro Viktor Viktorovich Chanov. Ele ficou internado por três semanas e chegou a passar por cirurgia, após sofrer várias lesões no crânio, causadas por agressores ainda não identificados. Viktor ficou conhecido nos anos 80 por guardar a meta do Shakhtar Donetsk, do Dinamo de Kiev e da seleção da União Soviética, sendo eleito por três vezes o melhor goleiro de seu país. Depois que as repúblicas soviéticas se separaram, ele não teve a oportunidade de jogar pela seleção da Ucrânia, território onde vivia.

Você sabia? A Seleção Soviética de Futebol acabou em 1991, após a desintegração da URSS. Durante o tempo em que existiu, foi uma das forças mais respeitadas no futebol mundial, sobretudo até os anos 60. Seu maior triunfo foi a conquista da Eurocopa de 1960. Do total de convocados pela Seleção Soviética para Copas do Mundo, 47% eram russos, 31% ucranianos, 14% da atual Geórgia e os demais 8% das outras repúblicas soviéticas.

Marcelo Pereira Aproveitando que a pré-Libertadores começou neste mês de fevereiro com muitas emoções, como a heroica vitória do Atlético Tucumán, da Argentina, contra o El Nacional, do Equador, a coluna abre espaço para lembrar uma coisa importante. De acordo com o novo regulamento da Conmenbol, para disputar as competições continentais, os clubes devem ter inscritas na sua federação equipes feminina e juvenil feminina que participem das competições nacionais de sua associação. O clube deve, ainda, prover suporte técnico e todo o equipamento e infraestrutura necessários para o desenvolvimento das equipes. Essa exigência da Conmenbol é muito positiva. Porém, as torcedoras/es devem cumprir seu papel, cobrando de seus clubes do coração o fortalecimento de suas equipes femininas. Você, leitor/a, sabe dizer qual a classificação do seu time feminino no último campeonato?


André Cavalleiro

16

Belo Horizonte, 17 a 23 de fevereiro de 2017

Grêmio vai à CBF contra Atlético

ESPORTES

16

DECLARAÇÃO DA SEMANA Reprodução / CR Flamengo

Bruno Cantini

P

or decisão da Justiça do Rio Grande do Sul, o São Paulo deveria mandar metade dos R$ 20,5 milhões pagos por Lucas Pratto a uma conta. O valor depois seria repassado ao Grêmio. A medida veio depois que o clube gaúcho acionou a Justiça contra o Atlético para quitar uma dívida não paga pela

compra do goleiro Victor, contratado em 2012. O problema é que o alvinegro já havia recebido R$ 13 milhões do São Paulo e repassou a quantia ao Vélez, antigo clube de Pratto. O Grêmio pretende recorrer à CBF, a fim de que o Atlético seja impedido de comprar ou vender jogadores por até dois anos.

A vida para nós sempre foi bem difícil. Tenho certeza de que estou orgulhando e representando a todos que fazem parte do movimento. Maike Weber, goleira convocada para a Seleção Brasileira Feminina de futebol, assentada do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Gol de placa O Rio Claro FC, clube que disputa a Série A2 do Campeonato Paulista, lançou uma campanha contra a homofobia e como incentivo para que o público LGBT compareça aos jogos da equipe. Os gritos de “bicha” foram abolidos. A iniciativa partiu de alguns torcedores e foi acolhida pela diretoria do clube.

Gol contra EUA, quartas de final da Fed Cup, torneio feminino internacional de tênis. Em quadra, a alemã Andrea Petkovic e a estadunidense Alison Riske. Na abertura, a organização colocou o hino alemão errado, com a versão da época do Nazismo. “Me senti desrespeitada”, disse Petkovic.

Decacampeão

É Galo doido

La Bestia Negra

Bráulio Siffert

Rogério Hilário

Léo Calixto

As atuações do América nos empates com a URT e Caldense no Campeonato Mineiro deixaram claro que o time precisa evoluir, novas peças precisam ser testadas e alguns jogadores, como Tony e Felipe Amorim, devem ir para o banco. Por enquanDecacampeão to, o goleiro João Ricardo, o zagueiro Rafael Lima, o volante Gustavo Blanco, o meia Gerson Magrão e o atacante Hugo Almeida são os atletas que atuam com mais firmeza e que, a princípio, devem formar a base para o time da Série B. Marion, Mike, Renan Oliveira, Matheuzinho e Auro possuem potencial de evolução. Os jogos contra Flamengo, Atlético e Grêmio serão importantíssimos para se avaliar melhor a equipe, os jogadores e o treinador.

Para o clássico com o América, o técnico Roger anuncia a mesma formação do início do jogo com o Uberlândia. O sufoco da partida pouco importa para o treinador. A meu ver, o Campeonato Mineiro e a Primeira Liga servem de laboratóGalo rio. AcreditoÉque Freddoido! e Rafael Moura têm condições de atuar juntos. O problema maior está na armação das jogadas, pois Cazares e Otero oscilam muito e, em alguns momentos, aceitam a marcação passivamente. Os laterais Marcos Rocha e Fábio Santos seriam opções e dependeriam da contenção dos volantes. O jeito é experimentar, até Robinho voltar. A saída de Lucas Pratto já era esperada. Porém, esperava uma transferência mais vantajosa financeiramente.

Mais uma estreia na temporada, desta vez na Copa do Brasil. Jogando com a equipe considerada titular, o Cruzeiro venceu o Volta Redonda por 2 a 1 e garantiu a classificação. Em um jogo perigoso, devido ao novo regulamento da competição, a equiLa Bestia pe celeste cometeu falhasNegra que não podem ocorrer. Além dos erros nas conclusões de jogadas, falhas no sistema defensivo poderiam ter custado a classificação na competição em que temos muita história. Para a sequência, Mano já adiantou que fará um revezamento de atletas para que todos estejam preparados fisicamente e ambientados com o esquema tático. É preciso dar ritmo aos jogadores, em uma temporada que promete ser longa e vitoriosa.


Edição 173 do Brasil de Fato MG