Edição 383 do Brasil de Fato MG

Page 1

Freepick

Pablo Bernardo

Novo golpe do cartão

Diversão de graça

Golpistas têm se aproveitado de cartões que fazem pagamentos por aproximação. Fique atento!

Duelo de MCs e festival de jazz acontecem em BH neste fim de semana. Confira nosso roteiro cultural

NOSSOS DIREITOS 6

CULTURA 7

MG Minas Gerais Belo Horizonte, 10 a 16 de junho de 2022 • edição 383 • brasildefatomg.com.br • distribuição gratuita Raimundo Pacco /AFP

DE VOLTA AO BRASIL DOS ANOS 1990

Quase 60% da população brasileira está passando fome ou está preocupada por não saber se terá o que comer amanhã. Pesquisa, divulgada nesta semana, revela um país que regrediu socialmente: são mais de 125 milhões de pessoas em insegurança alimentar e 33 milhões sem ter o que comer. Com o aumento do preço dos alimentos e do gás de cozinha, famílias mineiras são obrigadas a escolher entre se endividar para pagar as contas ou cozinhar à lenha EDITORIAL 2 | MINAS 4 | BRASIL 5


2

OPINIÃO

Belo Horizonte, 10 a 16 de junho de 2022

EDITORIAL

Precisamos seguir, juntos e na luta

ESPAÇO DOS LEITORES

“Dá dó ver prédios inteiros fechados, como o Othon Palace Hotel. Daria abrigo para muita gente. Mas, o lucro e o dinheiro são mais importantes que as pessoas” Monica de Castro, sobre a matéria “Número de pessoas em situação de rua ultrapassa a quantidade de vagas nos abrigos em BH” -“Ah, como sei, Joana Tavares. Há 23 anos, minha filha nasceu prematuramente e precisamos, nós duas, de associar a mamadeira com amamentação” Núbia Cruz comenta artigo “Amamentação: tão particular e tão universal” -“Alguma surpresa nessa lista? Já nasceram bolsonaristas e nem sabiam. Não ficará pedra sobre pedra onde esses nefastos colocarem as mãos” Saulo Sabino comenta a matéria “Saiba quais deputados de MG votaram a favor de projeto que permite penhora de imóvel”

Escreva pra gente também: redacaomg@brasildefato.com.br ou em instagram.com/brasildefatomg

Em mais um estudo, divulgado na quarta-feira (8), a lamentável realidade daquilo em que se transformou o país ficou escancarada: 33,1 milhões de brasileiros e brasileiras não têm o que comer. São 14 milhões a mais do que no passado. À distância dessa grande parte da população que vende o almoço para comer a janta, houve um crescimento de quase 8% no lucro dos maiores bancos privados do país. Esses índices, se colocados ao lado da desvalorização do salário mínimo, da alta histórica da inflação e do aumento do preço dos combustíveis, mostram que há um Brasil que cresce e outro que vai cada vez mais para o fundo do poço.

Há um Brasil que cresce e outro que vai cada vez mais para o fundo Um projeto que não é nosso Nesse campo de batalha, principalmente em ano eleitoral, é necessário identificar quem está ao lado dos trabalhadores. Como diria Tasha, nos versos da música “auri sacra fames”, que gravou com Don L, “pra vítima, nós não tem vocação”. Por isso, temos que dar nome aos bois que engordam às nossas custas. E eles são muitos, desde aqueles que assombram Minas há mais tempo – como Aécio Neves, que votou a favor do projeto de lei que permite que bancos retirem a casa de famílias inadimplentes –, até Jair Bolsonaro, um inimigo para todas as horas.

O jornal Brasil de Fato circula semanalmente com edições regionais, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro, no Paraná e em Pernambuco. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país e no nosso estado.

Tão antiga quanto a ambição insaciável de riqueza é a resistência a ela Romeu Zema, por exemplo, ao permitir a exploração do patrimônio cultural de Belo Horizonte está mais interessado em saber como ele pode se beneficiar, do que com o pagamento do piso salarial dos professores. O presidente e o Ministro da Defesa, general Paulo César Nogueira, colocam o exército para fazer treinamento na Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, para intimidar os trabalhadores que lutam contra a privatização da Petrobrás, mas não colocam os militares para procurar o jornalista e o indigenista que desapareceram no Amazonas enquanto desmascaravam o garimpo ilegal em terras indígenas. Aécio, Zema, Bolsonaro. Todos compartilham do mesmo projeto político da ganância. São contra os trabalhadores. O título da música de Don L “auri sacra fames” é um verso do poema “Eneida”, de Virgílio, escrito há mais de 2 mil anos, e que condena a ambição insaciável de riqueza, isto é, a fome por ouro que condena tantos à inanição. Tão antiga quanto essa ambição é a resistência a ela. Saber quem são os inimigos e saber o tamanho do nosso patrimônio que querem roubar é parte da luz que ilumina o caminho para fora desse poço. E, como diz a Tracie, “​tenho nada a perder, t​ ô cansada desses caras viver m ​ atando nóis pra sobreviver”. Precisamos seguir, juntos e na luta.

PÁGINA: www.brasildefatomg.com.br CORREIO: redacaomg@brasildefato.com.br PARA ANUNCIAR: publicidademg@brasildefato.com.br TELEFONES: 31 9 8468-4731 e 31 9 8888-1817

conselho editorial minas gerais: Aruanã Leonne, Beatriz Cerqueira, Bernadete Esperança, Bruno Abreu Gomes, Ênio Bohnenberger, Felipe Pinheiro, Frederico Santana Rick, Helberth Ávila de Souza, Jairo Nogueira Filho, Jefferson Leandro, Joana Tavares, João Paulo Cunha, Joceli Andrioli, Jô Moraes, José Guilherme Castro, José Luiz Quadros, Juarez Guimarães, Laísa Campos, Marcelo Almeida, Makota Celinha, Maria Júlia Gomes de Andrade, Milton Bicalho, Neila Batista, Nilmário Miranda, Padre Henrique Moura, Padre João, Pereira da Viola, Renan Santos, Robson Sávio, Rogério Correia, Samuel da Silva, Talles Lopes, Titane, Valquíria Assis, Wagner Xavier. Edição Geral: Larissa Costa (Mtb 22066/MG) Subedição: Amélia Gomes, Elis Almeida, Frederico Santana, Rafaella Dotta e Wallace Oliveira Redação: Amélia Gomes, Ana Carolina Vasconcelos, Maria Paula Araújo , Rafaella Dotta e Wallace Oliveira. Colaboração: André Fidusi, Anna Carolina Azevedo, Débora Borba, Joana Tavares, Marcelo Gomes. Colunistas: Antônio de Paiva Moura, Beatriz Cerqueira, Bráulio Siffert, Eliara Santana, Fabrício Farias, Frei Gilvander Moreira, Iza Lourença, João Paulo Cunha, Jonathan Hassen, José Prata Araújo, Luiza Dulci , Macaé Evaristo, Makota Celinha, Moara Saboia, Portal do Bicentenário da Independência, Renan Santos, Rogério Hilário, Rubinho Giaquinto, Sofia Barbosa, Tarifa Zero Administração e distribuição: Luiz Paulo Macedo Alves e Vinícius Moreno Nolasco. Diagramação: Tiago de Macedo Rodrigues. Revisão Luciana Gonçalves Tiragem: 23 mil exemplares. Razão social: Associação Henfil Educação e Comunicação


Belo Horizonte, 10 a 16 de junho de 2022 Divulgação

Declaração da Semana “Precisamos de todos os recursos necessários para encontrá-los o quanto antes. O descaso com ativistas ambientais precisa acabar”

Dira Paes, sobre o indigenista Bruno Pereira e o jornalista Dom Philips, desaparecidos no Vale do Javari, Amazonas, desde domingo (5).

GERAL

3

Números da Semana 47%

pretendem votar em Lula, de acordo com pesquisa da Quaest, divulgada na quarta (8). Os demais candidatos somam 41%, o que consolida a possibilidade de o ex-presidente vencer as eleições no primeiro turno.

Saque extraordinário FGTS Marcelo Camargo / Agência Brasil

Trabalhadores nascidos em novembro já podem receber o saque extraordinário do FGTS. Será autorizado o valor de até R$ 1 mil. É possível consultar se você possui direito e a data de recebimento pelo aplicativo FGTS ou nas agências da Caixa Econômica Federal. A liberação do recurso vai até 15 de junho, de acordo com o mês de nascimento.

Mostra Periférica de Música

Alice Guimarães

Artistas da área da música podem se inscrever para participar das atividades formativas gratuitas da segunda Mostra Periférica de Música. A iniciativa busca promover acesso e protagonismo para artistas e grupos no processo de profissionalização, de gestão e de qualificação de suas carreiras. As inscrições vão até às 23:59 do dia 17 de junho em www.bit. ly/mostraperifericademusica2022


4

MINAS

Belo Horizonte, 10 a 16 de junho de 2022

Alta no preço do gás faz famílias mineiras escolherem entre o endividamento e cozinhar à lenha MUITO CARO Na Região Metropolitana de BH, o valor do botijão de gás já ultrapassou R$ 130,00 Reprodução

Ana Carolina Vasconcelos “Todo dia que você liga para pedir, é um preço diferente”. É assim que Marlene Moreira Santos, de 49 anos, descreve a rotina de busca pelo acesso a algo essencial para a população: o gás de cozinha. Para a moradora de Ouro Branco, na região Central de Minas Gerais, o fato de os valores mudarem não é o problema. O que tem dado dor de cabeça em Marlene, e em boa parte da população mineira, é que os preços só aumentam. Um estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) demonstrou que, de abril de 2021 a abril deste ano, o preço do botijão de gás aumentou mais de 32% no Brasil. O reflexo desse dado os trabalhadores sentem no bolso. Uma pesquisa de preços, realizada em março deste ano pelo Mercado Mineiro, demonstrou que moradores da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) podem pagar mais de R$130,00 por um botijão de gás de 13 quilos. Além de educadora infantil, Marlene também vendia salgados. Com o aumento expressivo do preço do gás de cozinha, ela precisou abrir mão da atividade que permitia complementar sua renda. “Impactou diretamente na minha vida. Usava muito o forno e o fogão. É muito triste ter que parar de fazer algo que a gente gosta, e que complementa a nossa renda, por causa do aumen-

Atos contra os cortes na educação aconteceram em sete cidades mineiras Ana Carolina Vasconcelos

to do preço das coisas, principalmente do gás”, lamenta. Outro impacto direto desse cenário é a menor garantia ao acesso à alimentação, direito básico garantido à população pela Constituição Federal. Dados da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan) demonstram que no ano de 2022, mais da metade da população brasileira vive com algum tipo de insegurança alimentar. “A gente vê no Brasil a volta da fome, as pessoas sem condições de comprar alimentos ou sem condições de cozinhá-los. As famílias têm tentado reduzir o consumo do gás de cozinha, mas isso não é possível sempre. O gás e os alimentos são gastos permanentes”, explica Iasmim Chéquer Cavalcanti, da coordenação do Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos (MTD). Iasmin ressalta que o aumento dos preços dos alimentos e do gás, aliado à desvalorização do salário mínimo, tem levado as famílias a escolherem entre

Em um ano, o preço do botijão de gás aumentou mais de 32% no Brasil duas opções preocupantes: fazer dívidas ou cozinhar à lenha. “As pessoas têm tentado resolver esse problema parcelando o gás, usando cartões de crédito. Isso gera um endividamento geral. Isso também se acirra quando há pessoas que retornam ao velho fogão à lenha, que pode ter impacto negativo na saúde e no meio ambiente, porque a fumaça dentro de casa é prejudicial”, complementa. Motivos da alta nos preços do gás de cozinha Na avaliação do coordenador geral do Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro), Alexandre Finamori, os altos preços do gás e dos combustíveis em geral são consequências diretas das opções políticas tomadas pelo governo federal

na condução da Petrobrás. “A gestão Bolsonaro na Petrobrás opta por vender os produtos a preço de paridade de importação. Ou seja, nós vendemos o gás de cozinha, a gasolina e o diesel como se não tivessem petróleo e refinarias no Brasil. Isso leva a um lucro máximo para os acionistas, que viram as costas para a população brasileira”, explica Alexandre. Para mudar essa realidade, Alexandre afirma que é possível uma gestão da empresa que garanta ao mesmo tempo a sustentabilidade, o lucro para os acionistas e a função social da Petrobrás. Para isso, segundo o petroleiro, seria necessário reposicionar a estatal para que ela volte a ser uma empresa com centralidade nos interesses da população e na garantia da soberania energética do Brasil. “Fizemos isso no passado e voltaremos a fazer. Para isso precisamos trocar o presidente da Petrobrás e o presidente da República”, conclui.

Em pelo menos sete cidades de Minas Gerais, estudantes, professores e técnicos administrativos das instituições federais de ensino participaram de manifestações, na quinta (9), contra os cortes de verba para a educação anunciados pelo governo Bolsonaro. Ao todo, R$ 3,23 bilhões foram bloqueados do Ministério da Educação (MEC). O valor corresponde a redução de mais de 14% do orçamento das instituições. Além de Belo Horizonte, aconteceram ações em Alfenas, Juiz de Fora, Montes Claros, Poços de Caldas, Uberlândia e Viçosa. “Além do bloqueio orçamentário, o governo Bolsonaro tenta passar a boiada do sucateamento da educação pública brasileira. Outro exemplo disso é a tentativa de cobrança de mensalidade nas universidades públicas, que foi barrada pela luta dos estudantes brasileiros”, explicou Camila Moraes, vice-presidenta da União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (UEE).


BRASIL

Belo Horizonte, 10 a 16 de junho de 2022

5

No Brasil, 6 em cada 10 famílias não têm acesso pleno a alimentos PRATO VAZIO Em um ano, salta de 19 milhões para 33,1 milhões o número de pessoas que não têm o que comer Nelson ALMEIDA /AFP

Gabriela Moncau Em 2022, mais da metade da população brasileira – 58,7% – vive com algum tipo de insegurança alimentar. O número de pessoas passando fome passou de 19 milhões para 33,1 milhões de pessoas em pouco mais de um ano. Os dados divulgados na quarta (8), são do segundo Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, feito pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan). A pesquisa mostra que o Brasil regrediu para um patamar de insegurança alimentar equivalente ao da década de 1990. Isso significa que 15,5% da população no país está sem ter o que comer. O acesso pleno à alimentação se tornou exceção: essa é a realidade para apenas quatro de cada dez famílias.

País regrediu com nível de insegurança alimentar equivalente ao da década de 1990 A pesquisa foi realizada em campo, pelo Instituto Vox Populi, com entrevistas em 12.745 domicílios de 577 municípios de todos os estados brasileiros.

Em números absolutos, 125,2 milhões de pessoas no Brasil estão passando por algum nível de insegurança alimentar. Essa classificação inclui pessoas que estão passando fome e aquelas que estão preocupadas por não saber se terão o que comer no dia seguinte. O número de pessoas nessa situação aumentou 7,2% desde 2020, e 60% desde 2018. “Os caminhos escolhidos para a política econômica e

De acordo com pesquisa, 77% das famílias brasileiras estão endividadas Marcos Santos /USP Imagens

Vinicius Konchinski O percentual das famílias que têm dívidas com pagamento atrasado bateu novo recorde em maio, de acordo com Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor realizada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC). Dados do mês passado indicam que 28,7% das famílias têm contas atrasadas. Este é o maior índice desde que a pesquisa começou a ser realizada, em 2010. Ainda segundo a pesquisa da CNC, em maio, 77,4%

das famílias tinham dívidas a pagar. São consideradas na pesquisa contas com cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, crédito consignado, empréstimo, prestação de carro e de casa. Segundo o economista e professor da Universidade

Federal de São Paulo (Unifesp), André Roncaglia, o endividamento das famílias tem crescido no Brasil por três motivos: queda da renda, aumento dos preços e alta dos juros. “Famílias estão se endividando para pagar contas de energia, de combustível e alimentos”, afirmou.

a gestão inconsequente da pandemia só poderiam levar ao aumento ainda mais escandaloso da desigualdade social e da fome no nosso país”, destaca Ana Maria Segall, médica epidemiologista e pesquisadora da Rede Penssan. Desigualdades históricas se acentuam A fome no Brasil tem cor, gênero, idade, geografia e classe. O Norte e o Nordeste do país são as regiões mais atingidas pela falta de comida no prato, com 25,7% e 21% das famílias, respectivamente, passando fome. A desigualdade regional foi constatada também no contraste entre o campo e a cidade. Nas áreas rurais do Brasil, a insegurança alimentar é vivida em 60% das casas. Destas, 18,6% estão em situação grave. Nem mesmo quem produz alimentos escapou. A fome atingiu 21,8% dos domi-

cílios de agricultores familiares e pequenos produtores. Em 53,2% das casas onde a pessoa de referência se autodeclara branca, o acesso a comida não foi considerado um problema. O mesmo aconteceu em 67% dos domicílios com renda maior que um salário mínimo por pessoa. Já entre os lares em que a pessoa responsável se autodeclara preta ou parda, o índice cai para 35%. Comparando com a edição anterior do Inquérito da Rede Penssan, entre lares comandados por pessoas negras, a fome aumentou de 10,4% para 18,1%. A falta de comida atingia, em 2020, 7% das casas em que mulheres são as responsáveis. Em 2022, passou para 11,9%. Também nesse período, a dificuldade em conseguir alimentos em famílias com crianças dobrou: a fome afetava 9,4% delas e, atualmente, é a realidade de 18,1%. ANÚNCIO

COOPERATIVA DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DA AGRICULTURA CAMPONESA – COOPERTRAC CNPJ: 07.661.249/0001-97 - NIRE: 31400047930 Edital de Convocação para a Assembléia Geral Ordinária. A Cooperativa dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Camponesa - COOPERTRAC, inscrita no CNPJ: 07.661.249/0001-97 e atualmente composta de 19 sócios, vem através do seu Conselho de Administração, observado os artigos n° 24 e 27 de seu Estatuto Social, convocar seus sócios para a Assembléia Geral Ordinária (Assembléia Única), que se realizará por via Digital no dia, 23 de Junho, de 2022, as 16:00 horas. Assim, de acordo com o Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia – DREI, por meio da Instrução Normativa nº 81, de 10 de junho de 2020 (“IN 81”), em seu Anexo VI, Seção III, em atenção à Medida Provisória nº 931, publicada em 30 de março de 2020 (“MP 931”), e à Lei 14.010, de 10 de junho de 2020 (“Lei 14.010/2020”), regulamentou a participação e votação à distância em reuniões e assembleias das cooperativas. Diante da pandemia causada pelo Coronavírus (Covid – 19), e, como consequência, o isolamento social, tem-se a necessidade de inovação no meio virtual para o cumprimento dos objetivos planejados. A Seção III regulamenta as condições sob as quais as Cooperativas realizarão as reuniões ou assembleias de forma remota, no qual a Assembleia ocorrerá por vias Digitais - participação e voto exclusivamente à distância. De tal forma, realizada a Assembleia Digital, esta não será realizada em nenhum local físico, mas será considerado como realizada na sede da sociedade para todos os fins legais. A Instrução Normativa nº 81, de 10 de junho de 2020, afirma que a participação e a votação a distância dos associados ocorrerá mediante o envio de boletim de voto a distância e/ou mediante atuação remota, via sistema eletrônico. Mas nesta ocasião devido às todas as condições estabelecidas o voto somente será à distância por via acesso digital. A plataforma para acesso será Zoom pelo Entrar na reunião Zoom link: < https://us06web.zoom.us/j/86146560114?pwd=V2l0RDFvakNKd2hxcXVUenRWNXFKQT09 ID da reunião: 861 4656 0114, Senha de acesso: C#2K#h. Em virtude disso, a coordenação geral disponibilizará o link com a sala de acesso 3 horas antes do devido ato. A Assembleia Geral Ordinária realizar-se-á em 1ª convocação às 16 horas 00 minuto com o quórum mínimo 2/3 (dois terços) dos Associados, a 2ª convocação será para as 17:00 horas, sendo o quorum mínimo necessário para a instalação da assembléia geral de 50% mais um dos cooperados; e a 3ª convocação será para as 18h00, sendo o quorum mínimo necessário para a instalação da assembléia geral de 10 cooperados. Persistindo a falta de quórum legal será realizada uma nova convocação. Contudo, a fim de deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: 1) Leitura e aprovação da ordem do dia 2) Discussão e Deliberação sobre a Inclusão e Exclusão de Cooperados; 3) Apresentação do balanço e deliberação sobre a prestação de contas do exercício anterior, compreendendo o relatório da gestão e o balanço geral; 4) Analisar e aprovar o planejamento anual da cooperativa; Sem mais para o momento, ficam todos os sócios (as) convocados a participar. Contagem/MG, 08/06/2022.

Maíra Pereira Santiago Coordenadora Geral da COOPERTRAC


14 6

VARIEDADES

Belo Horizonte, 10 a 16 de junho de 2022

CANJICA DOCE LETÍCIA MASSULA

Ingredientes • • • • • •

500g de milho de canjica 2 litros de leite 3 xícaras (chá) de açúcar 1 xícara (chá) de leite de coco 1 xícara (chá) de coco ralado 3 cravos e 1 pau de canela

Modo de preparo: 1. Cozinhe a canjica com água na panela de pressão por 25 minutos, até que fique bem macia; 2. Em uma panela junte o leite, o açúcar e as especiarias e deixe ferver até reduzir pelo menos um terço do volume, encorpar e virar um caramelo de leite; 3. Junte o milho cozido e escorrido, deixe ferver junto uns 10 minutos; 4. Finalize com 1 xícara de leite de coco e 1 xícara de coco ralado, misture bem, deixe ferver novamente e apague o fogo. Sirva com canela.

Nossos direitos CUIDADO COM O NOVO GOLPE DO CARTÃO POR APROXIMAÇÃO Pagar despesas com o cartão por aproximação, sem precisar usar senha, é uma facilidade, mas requer certos cuidados. Golpistas têm se aproveitado disso, principalmente em locais muito cheios. Com uma máquina escondida, eles tentam realizar transações sem que a pessoa perceba. Para evitar essa situação, existem algumas medidas que podem ser tomadas, como utilizar uma capa protetora do cartão, que impede a transação, deixar a opção de pagamen-

to por aproximação desabilitada via aplicativo do banco, quando for para locais com aglomeração, e cadastrar o número do celular para receber SMS por cada transação realizada, o que possibilitaSUL-AMERICANA uma resposta mais imediata em caso de furto. Caso você Até o fechamento seja vítima desse golpe, é precidesta edição, ainda so entrar em contato com o bannão havia terminado co paraa partida que seja do feito o ressarAtlético cimento. Se necessário, o Procon contra o Unión Santa ou o Juizado Especial Cível tamFé. bém podem ser acionados.

Jonathan Hassen é advogado popular ANÚNCIO


Belo Horizonte, 10 a 16 de junho de 2022

CULTURA

715

Roteiro cultural

Made in Minas Gerais

Duelo de MCs

Neste domingo (12), das 11h às 19h, a Praça Diogo Vasconcelos, em BH, recebe mais uma edição do Made in Minas Gerais. O evento conta com chefs e restaurantes, atrações musicais, palestras e homenagem ao cartunista Ziraldo. A entrada é gratuita, mediante retirada de ingresso em @madeinminasgerais, no Instagram. O público também pode contribuir com 1 quilo de alimento não perecível. As doações serão destinadas ao programa Mesa Brasil Sesc.

O Duelo de MCs acontece neste domingo (12), às 14h, no Viaduto Santa Tereza. A edição marca a volta do evento às ruas de BH e, além da batalha de MC’s, a programação conta com roda de breaking. Em 2022, o Duelo de MC’s Nacional comemora dez anos e o evento abre parte das seletivas para a final, que conta com a participação de todos os estados brasileiros. Para mais informações, acesse @duelonacional e @familia_de_rua, no Instagram.

Divulgação

Festival de Jazz Lagoinha Pablo Bernardo

qu4rto estudio

Nos dias 11 e 12 de junho, o Mirante Lagoinha, localizado na rua Diamantina, 960, em BH, recebe o Festival de Jazz Música de Rua, Música de Alma. A programação conta com 15 atrações da cena local e internacional que vão se apresentar no palco e no chão do evento, de forma descontraída, durante mais de dez horas. O evento é gratuito e é possível retirar ingressos no link disponível no perfil do Instagram @festivaljazz_lagoinha.

ANÚNCIO


Belo Horizonte, 10 a 16 de junho de 2022

Gabrielzinho pode trazer quatro medalhas para o Brasil

ESPORTES

15 8

DECLARAÇÃO DA SEMANA Adriano Fontes / CBF Miriam Jeske / CPB

Líder do ranking mundial, o campeão paralímpico Gabriel Araújo, de Santa Luzia, disputará, entre os dias 12 e 18 de junho, o Mundial de Natação. A competição será realizada na Ilha da Madeira, em Portugal. Em sua estreia em mundiais, o mineiro, conhecido como Gabrielzinho, tem a chance de faturar quatro medalhas na natação S2 (para atletas com falta de coordenação motora de alto grau no tronco, pernas e mãos, e de baixo grau nos braços.). Ele participa das provas de 50m costas, 100m costas, 200m livre e 50m peito.

“Não tem futebol dos homens ou das mulheres, tem pessoas competentes para estar à frente do futebol. Vou seguir trabalhando com as competições do futebol feminino e vou olhar de forma mais macro as competições masculinas”

Gol de placa O tenista Rafael Nadal se consolidou como o maior ganhador de torneios da série Grand Slam, os quatro maiores do tênis. O espanhol conquistou Roland Garros ao vencer o norueguês Caspar Ruud por 3 sets a 0 no domingo (5), somando o 22º título de Grand Slam, o 14º só no Aberto de Paris.

Aline Pellegrino, ex-jogadora de futebol e nova gerente de competições femininas e masculinas da CBF.

Gol contra A partida Náutico 2 x 3 Vasco, na terça (7), começou atrasada porque os donos da casa esqueceram o uniforme de jogo! A camisa recém-lançada pelo Timbu chegou ao Arruda com 15 minutos de atraso, o que impediu que os jogadores ouvissem perfilados o hino nacional.

Dar a volta por cima

Altos e baixos

Reencontro com Fábio

Bráulio Siffert

Rogério Hilário

Fabrício Farias

Os times medianos, como é o caso de 95% das equipes da Série A, quase sempre vivem em altos e baixos, mesmo dentro de uma mesma temporada. O América não foge à regra. Na Libertadores, foi de uma classificação heroica a um último lugar na fase de grupos. No BrasiDecacampeão leirão, fez alguns bons jogos e chegou a ameaçar entrar no G4, mas jogou um balde de água fria na torcida ao atuar pessimamente e perder do Ceará em casa. Não é para alarde, mas para tirar aprendizados, para que os momentos baixos, como esse, sejam em menor frequêntes que os altos. Na Copa do Brasil vamos pegar o Botafogo. É difícil, mas plenamente possível de avançar. Já ganhamos deles recentemente e o time carioca não vem correspondendo à expectativa.

Não tem jeito. O Atlético de "Turco" Mohamed segue imprevisível, para não dizer enigmático. Duas partidas demonstraram a instabilidade. O empate contra o Palmeiras, admissível, e a derrota para o Fluminense, deplorável. Na partida desta quarta (8), sentiu-se deÉ Galo doido! sespero, esperança e desalento. Isso depois da decantada possibilidade de assumir a liderança. Agora, falhou a defesa. Como assim? Defesa não joga sozinha. Sempre depende da proteção do meio de campo que, ao que eu saiba, tem dois potenciais marcadores. Esquemas táticos são definidos de acordo com o adversário. E, certamente, no Rio de Janeiro, fomos surpreendidos. A jornada é longa e temos o Santos, no fim de semana. É a hora de dar a volta por cima.

Salve, nação celeste! A temporada vai aos poucos engrenando! Já somos líderes absolutos da série B e, domingo (12), temos um grande confronto contra o Vasco. Nesta temporada, o Cruzeiro teve o mínimo que um clube precisa para se reerguer: planejamento e organização. A cada dia, ficaLa maisBestia estranhoNegra o Cruzeiro ter chegado ao fundo do poço. Em mais uma daquelas situações que só o futebol produz, o sorteio da Copa do Brasil nos fará reencontrar o ídolo Fábio. Uma situação inimaginável, que foi possível não apenas pelos deuses do futebol, mas, principalmente, por aqueles que deixaram o Cruzeiro nessa situação. Em um processo de reconstrução, são vários os demônios a serem enfrentados. Saudações celestes!

Para receber as matérias do BRASIL DE FATO MG diretamente no seu celular, envie uma mensagem para

31 98468-4731

/brasildefatomg