Page 1

Tânia Rêgo /Agência Brasil

Auxílio emergencial mineiro

Antônio Cruz /Agência Brasil

Dona Sebastiana

Saiba quais são os critérios que dão direito a receber o valor de R$ 600, em uma única parcela

Todos os dias, por 30 anos, o batido era o mesmo. Ela levantava, rezava e tinha boletos para pagar

NOSSOS DIREITOS 13

CRÔNICA 13

MG Minas Gerais Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021 • edição 355 • brasildefatomg.com.br • distribuição gratuita La Cruz

Servidores públicos do futuro

DIA DAS CRIANÇAS Dia 12 de outubro é oportunidade também para nos lembrarmos dos sonhos e esperançar por um futuro melhor. A pandemia completou um ano e meio, vivemos com um governo que tem retirado direitos da população, mas sim, sonhos estão sendo gestados neste momento. Crianças se inspiram em professores, garis, enfermeiras e em outros servidores públicos. I CIDADES 4 e 5

Recuperação fiscal

Cristãos são Fora Bolsonaro

Guedes lucra com a fome

Projeto de Zema prevê privatizações, congelamento de salários e até sequestro das receitas de Minas pela União, por 9 anos

Evangélicos têm se somado, a cada dia mais, na luta contra o fundamentalismo religioso e pelo impeachment

Ministro da Economia mantem recursos em paraísos fiscais, preservando, assim, seu patrimônio em dólares

MINAS 8

MINAS 9

BRASIL 2


2

OPINIÃO

Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

OPINIÃO

Recurso públicos, benefícios privados João Paulo Cunha Paulo Guedes e Roberto Campos Neto mantêm recursos em paraísos fiscais, preservando assim seu patrimônio em dólares e liberados de impostos. Segundo eles, tudo feito como manda o figurino. O fato de serem, respectivamente, ministro da Economia e presidente do Banco Central, no entanto, muda a moral da história. A regra é clara, autoridades financeiras não podem ter esse tipo

ESPAÇO DOS LEITORES “Óbito não é alta!” Paulinha Silva comenta a capa da edição 354 do Brasil de Fato MG -“A pergunta é: baseado em que dado ou pesquisa ele disse isso? Eu respondo: NENHUMA, NENHUMA. Puro elitismo e preconceito de classe” Jeff Aleff comenta vídeo em que Romeu Zema aparece dizendo que beneficiários do Auxílio Emergencial deixa dinheiro em bares -“Mais destruição em Minas” Lena Marques comenta matéria “Zona da Mata (MG): mineradora faz audiência sem condições de que atingidos participem” -“Para o ZEMAJECA avarento tudo é minúsculo! Ele é minúsculo!” Natividade Garcia Vieira sobre a entrevista “‘Irregularidades na Cemig são gravíssimas e estão comprovadas’, diz Beatriz Cerqueira” -“Eu, como trabalhadora do Cersam, recebo com alegria essa notícia!” Tatiane Marques Abrantes comenta a matéria “Juristas divulgam carta criticando postura da OAB quanto à política de saúde mental em BH”

Escreva pra gente também: redacaomg@brasildefato.com.br ou em facebook.com/brasildefatomg

Guedes e Campos Neto: não só ilegal e imoral, mas indecente de investimento, caso possuam informações privilegiadas, ou possam determinar ações que os favoreçam. Quando sobem os juros ou o dólar se valoriza, não são apenas as empregadas domésticas que deixam de ir a Disney ou os porteiros que ficam em dificuldade para mandar seus filhos para a universidade, os donos de offshores vão, duplamente, ao paraíso. Na mesma operação, os brasileiros ficam mais pobres, o combustível mais caro e os investidores mais ricos. Não é só ilegal e imoral, mas indecente. Até outro dia, Guedes e Campos Neto eram uma espécie de dupla dinâmica dos interesses financeiros. Não importa que tenham demonstrado durante mil dias uma incompetência abissal, traduzida em queda do PIB, inflação, desemprego e aumento da miséria. O Brasil voltou para o mapa da fome, os brasileiros disputam ossos e pelancas.

O jornal Brasil de Fato circula semanalmente com edições regionais, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro, no Paraná e em Pernambuco. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país e no nosso estado.

Nem a poesia salva. É preciso raiva Mesmo assim, eles mantinham-se protegidos pelo mercado. O que parecia um fracasso, na verdade, era apenas um dano secundário do plano maior: transferir recursos da sociedade para o capital financeiro. Vale tudo nesse jogo: tirar dinheiro da saúde em meio à pandemia, não reajustar o Bolsa Família, cortar o auxílio emergencial, financiar a liberalização do mercado de trabalho, jogar o Brasil no apagão por falta de investimentos, privatizar empresas estratégicas. O apagão moral atingiu também a imprensa, não fossem seus barões igualmente useiros e vezeiros de paraísos fiscais. A mídia familiar passou pano, cobriu o caso como se não

Apagão moral atingiu também a imprensa fosse um crime contra a ordem econômica e um desvio ético inaceitável numa república digna do nome. Como a denúncia foi fruto de um coletivo internacional de jornalistas, ficou fácil ver a diferença no tratamento do caso. Um ministro da economia que enriquece no exercício do cargo, em razão de suas ações e informações exclusivas; um presidente do Banco Central que lucra pessoalmente com suas decisões sobre o câmbio, alimentando a alta de preços e a inflação que deveria controlar. Enquanto isso, o bicho-homem chafurda numa fétida carroceria de caminhão de sobejos. Nessa hora, nem a poesia salva. É preciso raiva.

PÁGINA: www.brasildefatomg.com.br CORREIO: redacaomg@brasildefato.com.br PARA ANUNCIAR: publicidademg@brasildefato.com.br TELEFONES: 31 9 8468-4731 e 31 9 8888-1817

conselho editorial minas gerais: Aruanã Leonne, Beatriz Cerqueira, Bernadete Esperança, Bruno Abreu Gomes, Ênio Bohnenberger, Felipe Pinheiro, Frederico Santana Rick, Helberth Ávila de Souza, Jairo Nogueira Filho, Jefferson Leandro, Joana Tavares, João Paulo Cunha, Joceli Andrioli, Jô Moraes, José Guilherme Castro, José Luiz Quadros, Juarez Guimarães, Laísa Campos, Marcelo Almeida, Makota Celinha, Maria Júlia Gomes de Andrade, Milton Bicalho, Neila Batista, Nilmário Miranda, Padre Henrique Moura, Padre João, Pereira da Viola, Renan Santos, Robson Sávio, Rogério Correia, Samuel da Silva, Talles Lopes, Titane, Valquíria Assis, Wagner Xavier. Edição: Amélia Gomes, Elis Almeida, Frederico Santana, Larissa Costa, Rafaella Dotta e Wallace Oliveira Redação: Amélia Gomes, Ana Carolina Vasconcelos, Larissa Costa, Rafaella Dotta, e Wallace Oliveira. Colaboração: André Fidusi, Anna Carolina Azevedo, Débora Borba, Joana Tavares , Marcelo Gomes. Colunistas: Antônio de Paiva Moura, Beatriz Cerqueira, Bráulio Siffert, Eliara Santana, Fabrício Farias, Frei Gilvander Moreira , Iza Lourença, João Paulo Cunha, Jonathan Hassen, José Prata Araújo, Macaé Evaristo, Makota Celinha, Moara Saboia, Portal do Bicentenário da Independência, Renan Santos, Rogério Hilário, Rubinho Giaquinto, Sofia Barbosa, Tarifa Zero Administração e distribuição: Paulo Antônio Romano de Mello e Vinícius Moreno Nolasco. Diagramação: Tiago de Macedo Rodrigues. Revisão Cristiane Veredianos Tiragem: 10 mil exemplares. Razão social: Associação Henfil Educação e Comunicação


Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021 Divulgação

Declaração da Semana “Fora Bolsonaro e toda sua gangue de nazistas sádicos e assassinos! 600 mil mortos, fome, miséria, inflação, corrupção, violência e ódio. Chega!”

GERAL

3

Números da Semana

345

dos 10 mil cientistas considerados mais produtivos e influentes são da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Esse dado coloca a universidade na 5ª posição em relação às Instituições de Ensino da América Latina e na 8ª posição ao considerar os países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), segundo ranking da organização independente AD Scientific.

Instituto Médico Veterinário Legal

Divulgação /Prefeitura do RJ

Johnny Hooker, pelo Twitter.

Foi inaugurado no Hospital Público Veterinário de Belo Horizonte, na sexta (1), o primeiro Instituto Médico Veterinário Legal do país. O local irá receber animais vítimas de maus-tratos recolhidos pelos órgãos competentes para a realização de exame de corpo de delito, além de documentar, com fotografias e filmagens, dando suporte às investigações. Caso o animal chegue ao Instituto Médico Veterinário Legal em óbito, será feita uma autópsia para apontar possíveis causas da morte. O instituto não faz atendimento direto ao cidadão, que deve acionar a Polícia Civil se presenciar algum tipo de maus-tratos aos animais.

Feijão guandu é nutritivo e delicioso

Danilo de Paula Moreira

Comum em Minas Gerais, Bahia, Mato Grosso e Tocantins, o feijão guandu, ou andu, pertence à família das leguminosas. É rico em proteína de origem vegetal, fibras, vitamina A e vitaminas do complexo B, além de minerais como ferro, zinco e cálcio. Pode ser preparado para acompanhar o arroz, ou pode ser processado e dar origem a pratos menos convencionais, como hambúrguer vegetariano. Como salada fica uma delícia. É só deixar de molho 12h, cozinhar em água por 20 minutos e misturar com tomate, pimentão, salsinha, regar com azeite e limão e temperar com um pouquinho de sal. E pronto!


4

CIDADES

Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

Servidores públicos do futuro: DIA DAS CRIANÇAS Esse dia é uma oportunidade também para NOS lembrarmos dos sonhos e esperançar por um futuro melhor Arquivo pessoal

Amélia Gomes e Rafaella Dotta

H

á algo maravilhoso acontecendo agora. Difícil acreditar, não é? A pandemia completou um ano e meio, vivemos com um governo que tem retirado direitos sistematicamente da população em geral, mas sim, sonhos estão sendo gestados neste momento. E o servidor público é parte dessa esperança. “Eu quero ser professora para ensinar as crianças e ajudar. Eu acho importante cuidar dos alunos”. Essa é a sorridente e divertida Beatriz Monteiro, de 11 anos, que como toda criança passou um ano difícil sem ir à escola, mas quando é perguntada o que quer ser quando crescer, responde rapidinho: professora.

Aniversário de Miguel

Quero ser igual à minha professora Andréia

“Quero ser igual à minha professora Andréia”, diz a pequena Bia. “A minha inspiração é ver todas as professoras trabalhando duro, mas com muito carinho e Iulstrações: La Cruz

Beatriz Monteiro, de 11 anos, quer ser igual à sua professora Andréia

por isso eu quero fazer a mesma coisa que elas”. As crianças percebem o esforço dos adultos e, além do esforço, elas tendem a se identificar com pessoas que a incluem em seu afeto, nos explica a psicanalista Tânia Ferreira, que é mestre e doutora em educação e é professora no IEC PUC Minas. E deve ser por isso que o pequeno Miguel Henrique Costa com apenas 3 anos e já quer ser gari. Ele veste o seu mini-uniforme laranja, a tarja com o seu nome no peito, as luvas, as botas e espera o “amigão” passar. “Ele sempre ficava doido vendo o caminhão, aí depois começou a gostar dos garis também. Ele chama os

Em todo lugar que ele vai é assim: se ele vê os garis, fica louco

garis de meus ‘amigão’. Se ele estiver dentro de casa e escutar o barulho dos garis, sai correndo atrás deles!”, diverte-se a mãe de Miguel. “Em todo lugar que ele vai é assim: se ele vê os garis, fica louco (risos)”, conta a mamãe Jéssica Natália Costa. Como outras crianças, que decoram o seu aniversário com o Ben 10, o Batman ou o Capitão América, o pequeno Miguel também aniversariou com seu herói favorito: o gari. “A gente perguntava pra ele do que queria que fosse sua festa de aniversário, ele sempre respondia: de lixeiro. Aí nós fizemos a festinha temática”, descreve a mãe. Foi na festa que ele ganhou o seu primeiro uniforme. Construindo o ideal de futuro De acordo com a psicanálise, a criança tem um desejo de crescer, ser grande. Num primeiro momento, ela lida com um “eu ideal”, pensado pelos seus pais no qual a criança se aliena, para depois construir seu “ideal do eu”. Crianças que querem ter profissões como essas, relacionadas ao serviço público, provavelmente tiveram boas e afetivas experiências com esses profissionais. “A criança brinca e fantasia a partir do que ela ouve ou vê. Tem criança que fala que quer ser lixeiro. Por quê? Porque o modo como a criança foi incluída no afeto do lixeiro faz com que ela construa esse ideal de futuro. As crianças veem esses lugares como lugares


Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

CIDADES

5

a geração que está se inspirando em você de identificação, nos quais ela quer estar, quer viver, quer ser”, relata a psicanalista Tânia. Dinossauros e novas soluções Outros pontos de interesse também aparecem ao longo da vida de uma criança. A pandemia, apesar dos pesares, tem sido uma oportunidade para novas possíveis soluções, e isso a criançada adora. “Mesmo crianças quepassam por situações muitoadversas têm recursos como brincar ou fantasiar que as colocam no caminho de construir um futuro de melhores tempos”, explica Tânia. “Esses dias eu escutei um menininho falando isso: ele queria trabalhar no Centro de Saúde perto da casa dele

para dar a vacina para o avô dele e assim eles poderem se abraçar”, relembra. Essa não é, mas poderia ser uma frase do Antônio Buono Ribeiro, de 6 anos. Ele adora ver vídeos documentários sobre a natureza, o universo e o porquê das coisas. O Antônio quer inventar um dinossauro – sem dentes, claro, para não machucar ninguém, quer entrar num buraco negro para ver como é, e prometeu que vai inventar um laser para transformar o presidente Bolsonaro em poeira. “Sim! Ele, os militares e a polícia!”, disse pra gente. E o que te leva a pensar em tantas soluções, Antônio? - perguntamos a ele. “Eu penso em uma lógica: como eu poderia salvar as pessoas?”, questiona-se o pequeno. O ímpeto de ajudar as pessoas tem tudo a ver com o que os servidores públicos fazem hoje. Eles

Miguel Henrique Costa tem 3 anos e já sabe o que quer ser: gari

Eu penso em uma lógica: como eu poderia salvar as pessoas?”, questiona-se Antonio, de 6 anos são a maioria na saúde, na educação, na limpeza urbana e até na ciência. “Servidor público é uma missão”, confidencia Israel Arimar, presidente do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Belo Horizonte (Sindibel). “Mesmo com todos os ataques e adversidades, existem muitos servidores públicos que conseguem tirar felicidade em atender a população. Quando a criança sonha em ser gari ou professor, é importante não só para a nossa categoria, mas para toda a sociedade”, diz Israel. E os nossos servidores públicos estão sonhando? Informações da Secretaria de Previdência, do Ministério da Fazenda, mostram que os transtornos mentais são a terceira maior causa de afastamento do trabalho por doença no Brasil. O 1º Boletim Quadrimestral sobre Benefícios por Incapacidade, de 2017, apontou que episódios depressivos são a principal causa de pagamento de auxílio-doença não relacionado a acidentes de trabalho, correspondendo a 30%, seguido de outros transtornos ansiosos (17,9%).

Antônio Buono Ribeiro, de 6 anos, quer ser cientista para inventar soluções para o mundo

Nós conversamos com o gari Vander Lúcio dos Santos para saber se ele, como o pequeno Miguel, também está com a cabeça no futuro, mas a realidade não tem ajudado Vander a sonhar. Ele já é aposentado, mas acompanha de perto a situação das colegas e dos colegas que continuam na ativa. Em Belo Horizonte os garis são contratados de forma terceirizada ou por meio de concurso público pela empresa de Serviço de Limpeza Urbana (SLU). Segundo Vander, os concursados estão passando por problemas de afastamentos, baixo salário e uma possível extinção. “A maioria dos funcionários já têm mais de 50 anos e eles estão sendo afastados e não se renova a profissão. O servidor vai perdendo a estima. Nós estamos na fase final da SLU”, lamenta Vander Lúcio. A situação também é difícil para os trabalhadores da saúde, para as professoras municipais, para os poucos pesquisadores e servidores públicos de Belo Horizonte em geral.

A tramitação da Reforma Administrativa tem tirado o sono e o sonho de muita gente, e isso não é bom. “Essa coisa de já prever o futuro”, diz a psicóloga Tânia, “uma certeza antecipada de que tudo será pior, adoece as pessoas. A psicanálise trabalha com isso: não é possível antecipar uma certeza. O futuro não aconteceu ainda. As coisas estão difíceis, mas nem por isso estão perdidas. O desejo é indestrutível. Não é pandemia, não é coronavírus que vai acabar com ele”. E como essa reportagem tentou demonstrar, os servidores públicos têm motivos de 3, 6 e 7 aninhos para retomar os sonhos. Segundo o médico psicanalista Sigmund Freud, os adultos responsáveis por crianças têm pelo menos três funções determinantes: despertar o interesse da criança pelo mundo externo, dar amparo e proteção e acender o desejo de viver, desejo esse que pode ter relação com o prazer e com o sofrimento, mas ainda assim desejo.


6

MINAS

Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

Petroleiros distribuem 100 botijões de gás em Betim (MG) SOLIDARIEDADE Ação faz parte da Campanha Nacional “Combustíveis a preços justos” Camila Moraes

Na quarta-feira (6), o Sindicatos dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro MG) realizou ação de solidariedade na comunidade Jardim Teresópolis, em Betim (MG). A ação, que distribuiu 100 botijões de gás aos moradores da comunidade, é parte das atividades de comemoração do aniversário de 68 anos da Petrobrás, da

Bolsonaro coloca Petrobras a serviço dos acionistas privados

Perfuração feita pela Vale foi gatilho do rompimento em Brumadinho AÇÃO CRIMINOSA Relatório de universidade espanhola chega à mesma direção que a investigação da PF Redação

Campanha Nacional “Combustíveis a preços justos” e da jornada de luta pelo impeachment do Presidente Jair Bolsonaro. A distribuição foi realizada em parceria com a Associação Amigos do Terê e região. “O projeto que hoje controla a Petrobrás, sob gestão do Bolsonaro, coloca a empresa a serviço dos acio-

nistas privados e estrangeiros, e não do povo brasileiro. Isso significou a crueldade de a Petrobrás aumentar o preço dos combustíveis, causando consequências para a inflação e piora das condições de vida, com o aumento da gasolina, do diesel e do gás”, declarou o diretor do Sindipetro MG, Felipe Pinheiro.

A perfuração de um furo na barragem de Córrego do Feijão, da mineradora Vale, está sendo apontada como um potencial gatilho do rompimento da mesma, em 2019. O furo B1SM-13 foi feito pela própria mineradora e mais duas empresas. A informação é de um estudo elaborado pela Universitat Politécnica de Catalunya (UPC), uma universidade espanhola, que realizou pesquisas aprofundadas com materiais, cálculos e informações da história da barragem. O re-

latório contradiz o motivo apontado pela Vale em um estudo anterior, que seria o fenômeno do “creep” – deformações internas contínuas, que se desenvolvem com o tempo, sob determinada carga, causando uma “cimentação dos rejeitos”. A Polícia Federal ainda não encerrou sua investigação sobre o caso de Brumadinho, porém, há poucos dias, uma reportagem da Agência Pública revelou que a Polícia Federal chegou à mesma conclusão que a universidade espanhola. ANÚNCIO


Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021 Reprodução

OPINIÃO

7

Annie Oviedo

A BHTrans será extinta, mas nossos problemas acabaram?

Todos os anos, a história de tristeza se repete com a chegada das chuvas A chuva vem e o que deveria ser motivo de felicidade, afinal a água traz alívio ao calor e à poeira, se torna uma verdadeira tragédia na vida de muitas famílias. Mais uma vez, o povo de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, sofre com a força da natureza. Vi da minha janela casas sendo destelhadas por causa da chuva de granizo que acometeu a cidade na semana passada. Meu bairro é um lugar de gente batalhadora, meus vizinhos são pedreiros, babás, porteiros, domésticas. Fica- No bairro Neviana, mos mais de 24 horas sem luz. Quando a energia voltou, 14 famílias perdetodos tinham perdido seus produtos da geladeira. Alimentar-se está cada vez mais caro e perder os alimentos ram suas casas no fim do mês é um peso a mais para as chefas de família. No bairro Neviana, a situação foi ainda mais dramática e 14 famílias perderam suas casas. Móveis foram arrastados, telhas arrancadas pela força do vento e casas totalmente destruídas. Como se não bastasse todo prejuízo material, tivemos vítimas que, graças a ação do Corpo de Bombeiros, não sofreram ferimentos graves. Não há uma política de habitação em Neves. As pessoas são obrigadas a construir suas casas em leitos de rios, encostas, lugares que definitivamente não são apropriados. Tudo porque a prefeitura e o governo do Estado não são capazes de garantir o reassentamento para um local seguro. Como se não bastasse toda tragédia, ela ainda escancara a falta de investimento em equipamento básico para Defesa Civil e para o Corpo de Bombeiros conseguirem salvar vidas. A culpa não é da chuva. Poucas pessoas sabem, mas Ribeirão das Neves é o nome de um rio que corta a cidade. Mas nós tapamos nossos córregos e rios em nome da falsa modernidade que coloca em risco cidades inteiras no período de chuvas. Andréia de Jesus é deputada estadual de Minas Gerais pelo Psol

Leia os artigos completos no site brasildefatomg.com.br Estes são artigos de opinião. A visão dos autores não expressam necessariamente a linha editorial do jornal Brasil de Fato

Annie Oviedo é passageira de ônibus e integrante do Tarifa Zero BH

ACOMPANHANDO

Andréia de Jesus

Foi votado, no último dia 27, no segundo turno na Câmara Municipal de Belo Horizonte o Projeto de Lei 160/2021 que extingue a BHTrans e cria em seu lugar a Superintendência de Mobilidade Urbana de Belo Horizonte, (Sumob). Tudo resolvido, então? A tarifa vai diminuir, a qualidade do transporte vai melhorar, acabou o trânsito? Responsáveis pelas irregularidades encontradas pela CPI serão punidos? Adoraríamos dizer que “sim, é isso mesmo”. Infelizmente, porém, não é essa a resposta. Extinguir a BHTrans, uma empresa pública de economia mista, e criar a Sumob, uma autarquia, em termos de sistema de ônibus, não faz nenhuma diferença. A tarifa vai continuar a mesma, assim como a gestão, os empresários, tudo. A nova lei não muda ou incide no contrato de concessão do transporte, celebrado entre a prefeitura e as empresas concessionárias. A BHTrans, no contrato, é indicada como órgão fiscalizador. Com a nova lei, essa competência deverá passar para a Su- Criar a mob. O dinheiro do sistema está nas Sumob não mãos das empresas, assim como faz nenhuma a bilhetagem eletrônica, e assim diferença continuará, porque a lei não aborda essas questões. Do mesmo modo, apesar das irregularidades (crimes) descobertas pela CPI da BHTrans, os empresários que operam o sistema continuam os mesmos. A lei mantém o fundo para subsidiar a tarifa, o que é uma coisa boa, mas não há nada escrito sobre de onde esse dinheiro deveria vir. Ou seja, seguimos sem subsídio, com a mesma fórmula de reajuste anual da tarifa – que, inclusive, vem aí. Fica aqui nosso apelo à prefeitura, à câmara e ao MPMG: vocês têm os instrumentos para mudar a situação em que estamos. Façam isso de verdade, não apenas de fachada. A cidade pode se tornar um exemplo em transporte de qualidade, garantindo subsídios, gestão transparente e controle social. Vamos fazer acontecer?

Na edição 351... Em BH, custo da cesta básica tem alta de 20% em um ano ..E agora Cesta básica fica 3,49% mais cara em BH no mês de setembro Em setembro, a cesta básica de alimentos ficou 3,49% mais cara em Belo Horizonte, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Com esse percentual, a capital mineira registrou a quarta maior inflação entre 17 cidades, atrás apenas de Brasília (3,88%), Campo Grande (3,53%) e São Paulo (3,53%). Pelo levantamento, a cesta de alimentos em BH está custando R$ 582,61, ou seja, 57,26% do salário mínimo.


8

MINAS

Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

Zema acelera projeto que transfere dívida para governos futuros e corta no social ESVAZIAMENTO Texto prevê privatizações, congelamento de salários e até sequestro das receitas de Minas pela União Guilherme Dardanhan

Wallace Oliveira O plenário da Assembleia Legislativa recebeu do governo Zema, na quarta (6), um novo texto para o Projeto de Lei (PL) 1.202/19, que prevê a adesão de Minas Gerais ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) do governo federal. Se esse texto for aprovado, a dívida do estado com a União, de mais de R$ 130 bilhões, poderá ser temporariamente sus-

pensa e, depois, retomada com o pagamento de todos os encargos e o valor aumentado, comprometendo futuros governos. Pelo alongamento da dívida, o Regime imporá a Minas Gerais uma série de exigências, como a não realização de concursos públicos, o congelamento de salários, a venda de estatais, a proibição de novos investimentos nas áreas sociais e o aumento

das alíquotas de contribuição previdenciária dos servidores. O PL 1.202/19 tramitará na Assembleia em turno único, passando pelas Comissões de Constituição e Justiça (CCJ), de Administração Pública e de Fiscalização Financeira e Orçamentária (FFO), antes de ir a plenário para votação. Na sexta-feira (1), o governo apresentou um pedido de urgência para o projeto.

Minas sob intervenção federal REGRAS Com o Regime, dívida do Rio de Janeiro saltou de R$ 106 bi para R$ 172 bi Pelas regras do Regime, a gestão financeira do estado será subordinada a um conselho de supervisão, composto por um representante do Tribunal de Contas da União (TCU) e outras duas pessoas, de livre escolha, podendo ser até mesmo empresários ou banqueiros. Situações como a contratação de professores, médicos e pesquisadores passarão pelo crivo desse conselho. “A adesão ao Regime é um pacote fechado. O Estado deverá observar as normas de contabilidade editadas pelo órgão central de contabilidade da União. Então, o Tribunal de Contas do Estado não vai mais definir se o plano de contas é deste ou daquele jeito”, afirma a auditora fiscal Maria Aparecida Meloni, Papá, presidente da Associação dos Funcionários Fiscais do Estado de Minas Gerais (Affemg). Papá alerta que, com a adesão, Minas não poderá questionar judicialmente nenhuma cláusula do contrato da

Pedro Gontijo / Imprensa MG

Minas Gerais vai perder autonomia, ficando sob intervenção federal por nove anos dívida com a União. Se o estado cumprir todas as obrigações e, mesmo assim, atra-

sar o pagamento, a União poderá até sequestrar receitas tributárias do Estado. Dessa forma, Minas Gerais vai perder autonomia, ficando sob intervenção federal, por nove anos, perpassando três mandatos de governadores. Seria como assinar um cheque em branco para o governo federal, substituindo o próximo governador que a população eleger por um seleto grupo que não estará sujeito a nenhum tipo de controle popular.

“As questões relacionadas à educação pública, superior ou básica, as questões da relação entre o estado e os municípios, as questões relacionadas à saúde e quaisquer políticas públicas não poderão ser feitas”, criticou a deputada Beatriz Cerqueira (PT), durante a sessão da última quarta (6). A perda de autonomia afetará não apenas o Poder Executivo. Papá cita o parágrafo 1º do Art. 4º da LC 178. “Para aquilo que afeta as receitas ou despesas do Estado, será necessário um aval da PGFN [Procuradoria Geral da Fazenda Nacional]. A autonomia federativa estará comprometida. A própria autonomia da Assembleia Legislativa também”, observa a auditora. O mesmo caminho do Rio de Janeiro O Regime de Recuperação Fiscal foi criado pelo governo Temer em 2017, por meio da Lei Complementar 159, e altera-

do pelo governo Bolsonaro, com a Lei Complementar 178/2021. Em setembro de 2017, o Rio de Janeiro foi o primeiro e único estado a aderir ao Regime de Recuperação Fiscal, sob a alegação de que isso ajudaria a resolver o problema da dívida explosiva do Estado. Na última terça-feira (5), a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou a adesão a um novo Regime de Recuperação Fiscal (RRF). Desde que o Rio de Janeiro aderiu ao RRF, a dívida consolidada líquida saltou de R$ 106 bilhões para R$ 172 bilhões (um acréscimo de R$ 66 bi), chegando a 281% da receita corrente líquida (antes, eram 270%). Os dados são do último relatório de monitoramento do Plano de Recuperação Fiscal do Rio de Janeiro. (WO)


Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

MINAS

99

A favor da vida, evangélicos de Minas se articulam pelo Fora Bolsonaro BÍBLIA E POLÍTICA Para Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, cristãos não devem apoiar política de morte do governo federal Thiago dos Anjos Larissa Costa Evangélicos de Minas Gerais, principalmente de Belo Horizonte, têm se somado, a cada dia mais, na luta contra o fundamentalismo religioso e pelo Fora Bolsonaro. A avaliação é feita por integrantes do núcleo mineiro da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito que articulam pessoas evangélicas progressistas que assumem uma postura de defesa do Estado laico, da democracia, dos direitos humanos e da promoção de vida,

Cada dia mais, a gente vê igrejas se descolando do bolsonarismo

31% dos brasileiros são evangélicos

a partir da interpretação bíblica. Para Raquel Mourão, que é economista e estudante de teologia, o cenário atual está favorável para o diálogo com evangélicos que votaram em Bolsonaro em 2018, frente aos escândalos divulgados pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da covid-19 e o aumento das desigualdades sociais, da fome e do desem-

prego. “Eu como cristã, não posso apoiar um governo que se coloca contra a vida”, afirma Raquel, que também integra a Frente de Evangélicos. “O que a gente tem visto, são pessoas nos procurando mais abertas ao diálogo, porque antes nem sequer nos ouviam. Mas agora, com tanta coisa exposta do Bolsonaro nos noticiários, a própria CPI da covid, parece que as esca-

mas dos olhos estão caindo. E está ficando evidente que Bolsonaro e seus ministros não têm projeto, a gente está vendo a fome aumentar, o desemprego. A situação das pessoas está piorando, e quando afeta o bolso, a cabeça pensa”. O pastor Fillipe Gibran lembra que, em 2018, o número de evangélicos que votou em Bolsonaro diminuiu 11 pontos percentuais do primeiro ao segundo turno. Essa queda, segundo o membro do grupo Cristãos Contra o Fascismo, ocorreu devido ao trabalho intenso desenvolvido por igrejas e evangélicos

no diálogo com a população cristã. Isso mostra também que muitos evangélicos votaram em Bolsonaro por influência de pastores e líderes, sobretudo de igrejas reacionárias. “Se você perguntar para um evangélico [que votou em Bolsonaro] se ele é a favor da tortura, é capaz de ele dizer que não. Ou seja, ele não faz ideia do projeto que ele abraçou. Evangélicos arrependidos têm se tornado um número considerável. Cada dia mais, a gente vê igrejas se descolando do bolsonarismo, já não apoiam mais o presidente”, avalia. Duas pesquisas recentes, divulgadas no último mês, apontam recordes de rejeição ao Bolsonaro. Na pesquisa do PoderData, o capitão reformado aparece com 58% de rejeição.

Evangélicos são diversos BRASILEIROS Crescimento da população evangélica passou de 15,4% em 2000 para 22,2% em 2010, data do último Censo Em todo o país, segundo pesquisa Datafolha, divulgada no ano passado, 31% dos brasileiros são evangélicos. Desse total, 58% são mulheres, 59% se declaram preto ou pardo e 69% recebem até 3 salários mínimos. O crescimento da população evangélica é uma realidade, já que passou de 15,4% em 2000 para 22,2% em 2010, de acordo com o Censo, último realizado no país. Apesar de os evangélicos serem a base eleitoral do governo federal, nem todos são conservadores ou fundamentalistas. Pelo contrário, como argumenta Raquel, os evangélicos são plu-

Thiago dos Anjos

rais, a reforma protestante deixou como herança dois princípios, um que é livre exame das escrituras da Bíblia e outro que é o livre exame de consciência. “Isso resulta em diferentes interpretações bíblicas, inclusive so-

bre a política”, destaca. Para Fillipe, pastores e líderes religiosos que ganham destaque na defesa do presidente Bolsonaro – como Silas Malafaia, pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, e Edir Macedo, bispo

da Igreja Universal do Reino de Deus – têm uma prática contrária ao evangelho e estão “preocupados com um projeto de poder”. “Esse movimento reacionário fundamentalista, apesar de levar o nome, não deveria ser visto como evangélico. Porque a proposta de Jesus é justamente contrária à arma, ao ódio, às perseguições e ao governo militar”, aponta. Articulação em Belo Horizonte Em todo o Brasil, desde 2016, grupos de evangélicos progressistas têm atuado em defesa da democracia, dos direitos humanos e, mais re-

centemente, têm se somado aos movimentos populares, partidos e sindicatos nas manifestações Fora Bolsonaro. Entre os grupos que fazem parte da Coalizão Evangélica na capital, estão o Evangélicas pela Igualdade de Gênero, Rede Fale, Núcleo Evangélico do PT, O Reino em Pessoa, o Movimento Negro Evangélico, Evangélicxs, Cristãos contra o Fascismo e a Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, entre outros. Em julho, 37 entidades religiosas do país lançaram um manifesto contra a “política de morte” do presidente Jair Bolsonaro. (LC)


14 10

BRASIL

Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

“Guedes lucra com a fome”: ministro da Economia é escrachado em Brasília PANDORA PAPERS Ação aconteceu na quinta (7) na entrada do Ministério da Economia O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realizou uma ação de escracho contra o ministro da Economia, Paulo Guedes, na quinta-feira (7), na entrada do Ministério, em Brasília. Os manifestantes fizeram uma encenação teatral que denunciou Paulo Guedes, cantando “Gritou o Paulo Guedes, falando baboseira. E a elite brasileira lucrando sem pudor. Tira o dinheiro e bota no estrangeiro e a fome vai

Divulgação / MST

causando muita dor. Tá tudo caro!”. Na lateral do prédio do ministério, houve uma intervenção com as frases “Guedes no

paraíso e o povo no inferno” e “Guedes lucra com a fome”. No domingo (3), documentos revelados pelo projeto Pandora Papers, do

Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos, revelou que Guedes mantém recursos em contas offshore no exterior. O escândalo ficou conhecido como Pandora Papers.

Escândalo surge no momento em que o Brasil passa por uma severa crise

“O escândalo surge no momento em que o Brasil passa por uma das mais severas crises sanitárias, econômicas e institucionais que esbarram em uma atuação inerte do Ministério da Economia, que não tem trabalhado para a melhoria da qualidade de vida da população. Nem mesmo uma das principais promessas de Guedes, o tal crescimento em V, foi cumprido”, afirma a integrante da coordenação nacional do MST pela juventude, Jailma Lopes.

Renan Calheiros: CPI pedirá indiciamento de Bolsonaro e analisa denúncia por genocídio Brasil de Fato

Paulo Motoryn e José Eduardo Bernardes O senador Renan Calheiros (MDB-AL) confirmou ao Brasil de Fato que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) será indiciado no relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia no Senado. O relator da CPI disse ainda que deve definir nos próximos dias, em diálogo com os demais mem-

bros da comissão, se Bolsonaro será enquadrado em crime de genocídio. “Nós estamos avaliando a

possibilidade de responsabilizar (Jair Bolsonaro) pelo crime de genocídio, mas essa decisão não está total-

mente tomada. A partir do dia 15, vou consultar os senadores que integram a comissão para que nós façamos isso de maneira coletiva”, declarou. Segundo ele, para a CPI não “acabar em pizza”, é “importante que nós mantenhamos a sociedade mobilizada”. Ele citou a responsabilidade de pressionar o Ministério Público Federal e os demais órgãos de Justiça para que os indiciados sejam, de fato, responsabilizados.

Calheiros citou ainda a responsabilidade dos senadores em garantir que os crimes sejam punidos. O senador apontou que pesquisas mostram altos índices de apoio popular à CPI: “Essa comissão parlamentar de inquérito obteve índices superlativos de aprovação, nós chegamos a 70% de aprovação. Isso é uma coisa inacreditável do ponto de vista da avaliação dos parlamentos, não apenas no Brasil, mas no mundo todo”.

Bolsonaro veta gratuidade de absorventes INSENSIBILDADE Benedita da Silva (PT-RJ) lamentou: “Quando falta dinheiro pra comida, absorvente é artigo de luxo” Evaristo Sa /AFP

Redação Foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) da quinta-feira (7) que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vetou a distribuição gratuita de absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade.

O projeto, que determina a criação do Programa de Proteção e Promoção da Saúde

Menstrual, foi sancionado por Bolsonaro. Mas o veto à distribuição gratuita de ab-

sorventes é o coração da proposta, que fica enfraquecida sem a medida. No texto original, havia previsão de gratuidade para estudantes de baixa de escolas públicas; mulheres em situação de rua; mulheres privadas de liberdade em unidades do sistema prisional; e adolescentes detidas em uni-

dades de medida socioeducativa. A deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) se manifestou. “É uma decisão que prejudica milhões de mulheres que vivem em situação de pobreza menstrual. Num momento em que falta dinheiro para comida, absorvente é artigo de luxo.


ANÚNCIO

14

Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

ENTREVISTA 11

João Pedro Stédile afirma que vivemos a pior crise da história do Brasil PROJETO NACIONAL “Não estamos diante de uma crise de governo, mas do modus operandi do Estado burguês falido”, afirma líder do MST Mídia NINJA

Stela Pastore

a aSSemBleia

criou o de r$ 600,00

auxílio emergencial *

Outros poderão dizer que criaram esse auxílio. Não se engane!

O auxílio emergencial do Força Família foi criado pelas deputadas e deputados da Assembleia Legislativa, pago em parcela única, de 14 a 29 de outubro, a mais de um milhão de famílias com renda mensal de até R$ 89,00. *Parcela única, paga em outubro para famílias com renda mensal de até R$ 89,00.

Acesse almg.gov.br/ auxiliofamilia e saiba mais

“Tributar os ricos é um tema mais que necessário e faz parte dos problemas cruciais do Brasil”, registrou o dirigente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, João Pedro Stédile. Para João Pedro, o país vive a pior crise de sua história por atingir os pilares do capitalismo. “Para enfrentar essa crise histórica, temos que propor mudanças estruturais para combater as mazelas do capitalismo. Começando pela reforma tributária, um dos instrumentos principais para corrigir a desigualdade social e fazer justiça. Não basta ganhar eleição”, enfatizou. Em sua análise, apontou quatro fatores que marcam a correlação de forças no país: a crise estrutural do capitalismo, a crise da covid, a natureza do governo Bolsonaro e o comportamento da burguesia e da classe trabalhadora, as duas grandes forças nacionais. Alertou para o ataque ao meio ambiente, apropriado como mercadoria pelo mercado, levando a uma grave crise ambiental. “Não estamos diante de uma crise de governo, mas do modus operandi do Estado burguês falido. Uma crise de credibilidade, de instabilidade

o 1% mais ricos devem ser tributados

institucional que engloba a economia, sociedade, meio ambiente, o Estado, além da civilizatória”. E completou: “usam o poder econômico para comprar deputado, presidente e ministro. O povo se dá conta que seu voto não decide mais”.

São apenas cinco mil famílias que controlam a maior parte do PIB

Poucos controlam tudo Ao mesmo tempo em que o país é o terceiro exportador de carne bovina, o povo passa fome. “O IBGE revelou que 67 milhões de trabalhadores adultos foram jogados na sarjeta da vida: estão desempregados, subempregados, desalentados ou com trabalho precarizado”, registrou Stédile, lembrando que esse contingente é formado majoritariamente por mulheres, jovens, negros e da periferia. Mais do que taxar os 0,3% super-ricos, alvo da campanha Tributar

os Super-Ricos, Stédile entende que o 1% mais ricos devem ser tributados. Economista, João Pedro lembra que segundo o Atlas dos Ricos no Brasil, mapeados pelo IPEA, “são apenas cinco mil famílias, 400 empresas – metade estrangeiras –, que controlam a maior parte do PIB, os bancos, as terras, a indústria, o comércio, o agronegócio. Na agricultura são 50 empresas que controlam todo o PIB agrícola”, enumerou.


14 12

VARIEDADES

Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

CRÔNICA

DONA SEBASTIANA Todos os dias, o batido era o mesmo. Por mais de 30 trinta anos, Dona Sebastiana levantava, tomava café ralo com pão dormido, escovava os dentes, prendia os cabelos que estavam ficando brancos e rezava para Ogum. Ela não tinha ninguém na vida. Tinha boletos para pagar. Pegava o ônibus às 6:45 certinho. Ela seguia para a estação de metrô para chegar até a casa da patroa. No fundo, estava cansada da vida que levava. Não tinha um momento de lazer ou de ócio. O mundo não lhe permitia tal ousadia. Um dia, muito chateada com a vida, resolveu ligar o “foda-se” e não ir trabalhar. Queria conhecer a cidade. Pegou um ônibus e foi para a lagoa da Pampulha. Desceu perto da igrejinha de São Francisco. Admirou sua beleza. Ajoelhou e rezou para a alma da mãe, que morreu de fome no sertão brasileiro. Viu o parque de diversão. De longe, avistou a roda-gigante e pensou: como essa coisa grande gira e não cai? Não resistiu e comprou o ingresso. Sentou numa cadeira fria e descascada. A roda parou no ponto mais alto e ela pôde ver a cidade lá de cima, o Mineirão e toda a lagoa de que tanto ouviu falar. Quando estava indo embora do parque, ouviu no alto-falante uma propaganda: “não percam! Daqui a meia hora a apresentação da mulher que se transforma em gorila”. Observou que a fila para ver o espetáculo estava enorme. Ficou intrigada: deve ser verdade esse Chateada com a trem desse negócio, né? Dona Sebastiana era muito desconfiavida, ela ligou o da. Mesmo assim, comprou o ingresso. “foda-se”, não foi Achou muito caro, mas não desistiu de trabalhar e foi ver a mulher virar gorila. O lugar era esconhecer a lagoa curo e não dava para ver nada. da Pampulha Logo, o espetáculo começou. Uma voz bem aveludada pediu que todos ficassem em silêncio. As luzes começaram a piscar rapidamente e surgiu uma mulher presa entre grades. A mulher estava quase nua. A voz aveludada começou a descrever a transformação da mulher em gorila. Começaram a aparecer pelos pelo corpo todo da mulher. Dona Sebastiana ficou atônita! As pessoas começaram a gritar. Dona Sebastiana começou a suar frio e a se tremer toda. A cada segundo, a mulher ia ficando mais parecida com um gorila. Apavorada, Dona Sebastiana saiu correndo e nem viu o final do espetáculo. Sua pressão subiu e ela passou muito mal no parque. Tiveram que chamar o Samu. Ela acordou no Risoleta Neves, onde contou o ocorrido para a médica que a atendeu. A médica sorriu e explicou como funcionava a brincadeira. Dona Sebastiana ficou com muita vergonha. Prometeu que ia ligar o “foda-se” mais vezes na vida. No ponto de ônibus, ela leu num cartaz: parque de diversão contrata mulher para se transformar em gorila. Nunca mais Dona Sebastiana viu a cara da patroa.

Nossos direitos QUEM VAI RECEBER O AUXÍLIO EMERGENCIAL MINEIRO? O governo de Minas anunciou que fará os pagamentos do auxílio emergencial mineiro neste mês de outubro, no valor de R$ 600, em uma única parcela. Receberão o valor somente as famílias cadastradas no CadÚnico até o dia 22 de maio de 2021, que tenham renda per capita (por pessoa) de até R$ 89,00. A pessoa cadastrada como Responsável Familiar receberá o valor em uma conta digital do Caixa Tem. Não é preciso fazer nenhum tipo de cadastro. Todas as pessoas que cumprirem o critério

de renda e data de cadastro no CadÚnico serão contempladas. É possível consultar o recebimento por meio do site auxilioemergencialmineiro.mg.gov.br, com o número do CPF ou NIS. Prioritariamente, receberá a partir do dia 14 de outubro quem não é beneficiário do Bolsa Família ou famílias de mães solo. Os demais receberão a partir do dia 22 de outubro. O calendário de pagamento depende do mês de nascimento. É possível conferi-lo no portal Agência Minas, em encurtador.com.br/eglsF.

Jonathan Hassen é advogado popular

AMIGA DA SAÚDE Sofia Barbosa é enfermeira do Sistema Unico de Saúde I Coren MG 159621

Transei sem camisinha com um colega no mês passado. Agora descobri que ele está com sífilis. Tenho risco de ter pegado em uma única relação? Karina Silva, 22 anos, estudante. Tem risco sim, Karina. A sífilis, por ser uma doença causada por bactéria (Treponema pallidum), tem risco de transmissão muito alto em um único contato sexual. Então, é muito provável que você esteja com sífilis também. O primeiro sintoma da doença é o aparecimento de uma lesão na região genital que, por ser indolor, pode não ser notada. Essa lesão melhora espontaneamente e a bactéria segue se multiplicando, mantendo períodos longos, de meses ou anos sem que sintomas sejam manifestados na pessoa.. Na fase secundária aparecem lesões de pele e e, no estágio mais avançado, a doença pode comprometer os órgãos e até levar à morte. Procure um centro de saúde para realizar os exames. O SUS oferece testes rápidos. Você fica sabendo do resultado na hora e, se for positivo, já inicia o tratamento no mesmo dia. :: CONHEÇA O CANAL DA AMIGA DA SAÚDE NO SPOTIFY! ::

Rubinho Giaquinto é covereador em Belo Horizonte

Se você tem alguma dúvida sobre saúde e vida saudável, manda um zap para mim! O número é (31) 9 8468.4731.


Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

15 VARIEDADES 13

www.malvados.com.br Separamos aqui uma combinação infalível para você conquistar o coração da sua parceira. Trata-se da junção entre limpeza e um bom jantar. Em outras palavras, a demonstração de

BOLO DE MANDIOCA COM COCO (VEGANO E SEM GLÚTEN)

afeto e cuidado. Pode ter certeza que é a melhor declaração!

por Sayonara Salum

por Sayonara Salum

VetoNogueira /Pixabay

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

(?) de sebo, brincadeira junina

10

Fazer bolhas nas mãos pelo trabalho Robin (?), herói dos ladrões (Lit.) Fonte de oxigênio Advérbio de lugar

14

Colorir a roupa Vagarosa; demorada

18

(?) a cerca: cometer adultério (gíria)

13

6

10

5

14 6 13 5 19

7

9

1

9

8

11

5

12

14

7

7

5

5 5

14

17

Seguem o artista Divisão do baralho

9

19

9

16

J

1

Abraçar causa política

19

7

5 8

Paraná (sigla)

19

5

5

18

13

18

5

7

1

11

7

2

17

9

9

3

9

17

11

10

5

17

14

11

5

12

17

16

14

14

Ã

12

Preta Gil, cantora de "Sinais de Fogo"

7 201, em algarismos romanos

Gato, em inglês Consoantes 13 de "rima"

Mulher eleita em concurso de beleza

7

15

9 7

9

Viagem de avião

Desprender mau cheiro

Rum Parte de trás da cadeira

3

Berílio (símbolo) Então (pop.)

Dicionário (abrev.) Extensão 16 de arquivos

18

Nome da letra "N" Obstrui (a garganta)

17 11

7

Pistas do hipódromo Pedra de 1 cor verde

18

7

1

15

17

A família (fig.) Classe de números

5

Sandália com tiras de couro 5a vogal

Combate entre duas pessoas

5

14

16

X

Da cor do ouro (?) Gore, político

4

19

3

10

7

10 5

6

11

Pequenas cavernas

13

8

11

7

7

1

5 16

16 5

12

12 6

Solução

R E C O S T O

(?) do sol: crepúsculo vespertino

5

2

G R U T A S

13

2

Consumir cigarros

Guta Stresser: foi a Bebel de "A Grande Família" O plano (TV) alternativo

B G U E S B D I R A D A I A R D V O F Ã S E P DE R I R R C A R C AT M I S

4

Duque de (?): patrono do Exército

1

© Revistas COQUETEL

Quebrar o osso Lamento do cão

F U R I A V T O U R J A A R D E N A G I P P E R

Sanduíche típico das Direito do idoso lojas de fast-food internado

UF H A M B C A X P O R M D P A U C A L E N L H O O A R O N D E T I N L E N TA A L P U L A

www.coquetel.com.br

Ingredientes 1 kg de mandioca crua ralada 1 coco fresco grande ralado 1 xícara e 1/2 de açúcar (pode ser mascavo) 250 ml de leite de coco Canela em pó a gosto

Modo de preparo • Em uma tigela, misture bem a mandioca e o coco ralados, o açúcar e o leite de coco e já está pronta a massa; • Unte uma forma com óleo de coco e coloque a massa. A quantidade de óleo de coco vai depender do tamanho da assadeira e do volume que a massa vai ocupar; • Leve ao forno por 180° por mais ou menos 40 a 50 minutos; • Depois de assado, salpique canela em pó para dar aquele gostinho especial. • Dica: o bolo não cresce. Para acertar o ponto, vale espetar a massa com um garfo ou palito de dente. O bolo pode ficar mais seco ou mais úmido, depende da sua preferência. Se ficar mais tempo no forno, o bolo pode ficar com uma crosta crocante por fora.


14 CULTURA 14

Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

Filme sobre o trabalho de agricultoras familiares de Viçosa (MG) é lançado no YouTube

Roteiro Divulgação

VISIBILIDADE Vídeo apresenta depoimentos de mulheres que descobriram o valor da sua produção em casa, no quintal e na lavoura Reprodução

Literatura acessível para crianças O projeto Literatura Acessível 3.0, composto por três livros inéditos e animados em libras, e três videoclipes, em libras e com audiodescrição, será lançado na próxima terça (12), dia das crianças. Escritos pela ativista social, psicóloga e doutoranda em educação Carina Alves, os livros têm como protagonistas crianças com deficiência que descobriram uma vida feliz por meio do esporte e de formas diversas de participação social. Os livros e os clipes estarão disponíveis gratuitamente em um aplicativo de celular, nas versões Androide e IOS.

Redação “Tudo que a gente faz tem valor”, afirma a agricultora familiar Célia Dionísio Gomes de Souza da comunidade rural Pau de Cedro, localizada em Viçosa, na Zona da Mata de Minas Gerais. A experiência de Célia, e de outras mulheres das comunidades Córrego dos Nobres e Buieié, foi contada em vídeo, lançado na última semana, gratuitamente, no canal do YouTube do Centro de Tecnologias Alternativas (CTA). O filme é um dos resultados do projeto “Cadernetas Agroecológicas: construindo a autonomia econômica de agricultoras agroecológicas em Viçosa” – desenvolvido pela pesquisadora Liliam Telles, pela estudante Nayara Lopes de Castro e coordenado por Alair Ferreira de Freitas, professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV), e em parceria com o CTA – que oferece um caderno para as

agricultoras no qual elas anotam tudo o que foi consumido, trocado, doado ou vendido. Essa prática, que parece simples, visibiliza o trabalho feminino, seja aquele realizado dentro de casa, no quintal, na horta, na criação de pequenos animais ou na lavoura. “O inhame, nossa, não sabia que tinha tanto valor”, disse Fátima Aparecida dos Santos Cunha, agricultora da comunidade de Córrego dos Nobres. “A gente sempre foi rural, mas com as anotações, a gente deu uma organizada, passamos a desembalar menos e descascar mais”, comenta sobre o fato de ter deixado de comprar no sacolão da cidade e passado a plantar mais variedade de comida em seu quintal. Ela conta que começou a sobrar dinheiro e que conseguiu fazer uma pequena reforma na casa.

Beth Cardoso, coordenadora do CTA explica que a caderneta agroecológica é considerada uma tecnologia social, desenvolvida junto com agriculturas do Movimento de Mulheres da Zona da Mata e Leste de Minas. “Além de contribuir para o monitoramento da produção e de serviços, a caderneta aumenta a autoestima e o reconhecimento das mulheres”, relata. “A gente percebe que parte da resiliência da agricultura familiar vem dessa produção para o autoconsumo. Mesmo em uma situação de crise econômica, a agricultura familiar sempre sobreviveu, porque, principalmente, sempre produziu seu próprio alimento. E esse papel de produção de alimento é, na maioria das vezes, assumido pelas mulheres e por não ser transformado em dinheiro, fica invisível”, completa.

Programação da semana da criança

Uriel Silva

Entre os dias 9 e 17 de outubro,o Circuito Municipal de Cultura de BH oferece atrações totalmente gratuitas em formato híbrido, com opções presenciais e virtuais. No dia das crianças, terça (12), às 11h, a Carroça de Mamulengos, do Ceará, mostra a montagem “Histórias de Teatro e Circo”. O bairro Taquaril recebe no dia das crianças, terça (12), das 13h às 17h, na praça Che Guevara, o “Grupo Bolhaterapia”, do Cordão Brincante. Toda a programação está disponível no portal da prefeitura.pbh.gov.br.


Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

Imagem da semana Rosele Sanchotene_CBE

A equipe brasileira de esgrima em cadeira de rodas fez bonito na Copa Satélite, encerrada no último fim de semana, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. Nas competições por equipes, ouro para as paratletas do Grêmio Náutico União; na espada, ouro para os esgrimistas da

Associação dos Deficientes Físicos do Paraná. O esgrimista Jovane Guissone também garantiu o topo do pódio no florete e na espada individual. A Copa Satélite foi a primeira competição da modalidade em território brasileiro desde os Jogos de Tóquio, encerrados no mês de setembro.

Brasileira abre mundial de judô com medalha

ESPORTE

UFMG sediará Festival Paralímpico

No dia 4 de dezembro, o Centro de Treinamento Esportivo (CTE) da UFMG receberá a terceira edição do Festival Paralímpico Loterias Caixa. Poderão participar do festival crianças e adolescentes de 8 a 17 anos, que terão a oportunidade de conhecer e experimentar as práticas paralímpicas de atletismo (campo e pista), voleibol sentado e bocha, podendo ex-

15 15

Daniel Zappe / MPIX _ CPB

perimentar até três modalidades. Para se inscrever, é necessário preencher o formulário eletrônico disponível na página: tinyurl. com/3tm6exa6. Dúvidas podem ser encaminhadas para o e-mail: festival.paralimpico@cpb.org.br. O evento marcará a comemoração do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, na véspera, dia 3 de dezembro.

UFMG firma parceria com Cruzeiro no atletismo Divulgação /CBJ

A UFMG firmou com o Cruzeiro e o Instituto Palestra Itália uma parceria para atender 120 adolescentes e jovens, dos sexos feminino e masculino, na faixa etária de 14 a 20 anos. O objetivo é proporcionar formação esportiva no atletismo olímpico e paralímpi-

co. Os treinamentos acontecerão no Centro de Treinamento Esportivo (CTE) da UFMG. O projeto deve ter duração de seis anos e vai abranger as modalidades de saltos, corridas e arremessos). ANÚNCIO

Na quarta-feira (6), o Brasil estreou o Mundial Júnior de judô, na Itália, subindo ao pódio. A jovem atleta Rafaela Batista, de 18 anos, venceu a francesa Lea Beres, na categoria até 48kg, garantindo a medalha de bronze. Em toda a competição, a jovem brasileira passou pela estadunidense Monica Reyes, na estreia, derrotou a romena Giorgia Hagianu. Foi derrotada, nas quartas de final, pela russa Irena Khubulova, mas, na repescagem, se recuperou, ao vencer a espanhola Gemma Maria Gomez Antona, garantindo o direito de disputar o bronze.


16

Belo Horizonte, 8 a 14 de outubro de 2021

Futebol feminino: Cruzeiro e Atlético se enfrentam pelo estadual

ESPORTES

16

DECLARAÇÃO DA SEMANA Terry Kearney

Daniela Veiga / Agência Galo - Atlético

Domingo (10), em jogo válido pela 3ª rodada do Campeonato Mineiro Feminino, Atlético e Cruzeiro voltam a se enfrentar. O jogo acontece na Arena Vera Cruz, em Betim, às 15h. O Cruzeiro, líder da competição com 6 pontos, venceu o último jogo, contra o Social, por 2 a 1. Já o Atlético vem de um empate em 1 a 1 no clássico com o América e ocupa a vice-liderança, com 4 pontos. O confronto entre Cruzei-

ro e Atlético marca o reencontro das duas equipes no estadual, após a decisão do ano passado. Na ocasião, as

atleticanas bateram as cruzeirenses por 5 a 3, nos pênaltis, após o empate em 2 a 2 no tempo regulamentar.

Gol contra

“Eu não tomo vacina só para me proteger, tomo para proteger todos em volta também. Não entendo como pode ser considerado restrição de liberdade” Jurgen Klopp, treinador do Liverpool.

O jogador William Ribeiro, do São Paulo-RS, foi preso e teve seu contrato rescindido, após a partida de seu time contra o Guarani, pela Segunda Divisão do Campeonato Gaúcho. O atleta deu um chute na cabeça do árbitro da partida, Rodrigo Crivellaro, quando esse se encontrava caído no gramado.

TÁ ME DEVENDO DUAS, HEIN?

Gol de placa O futebol brasileiro dominou as competições sul-americanas em 2021! Na Sul-Americana, a final será entre Athletico e Bragantino. Já na Libertadores, Palmeiras e Flamengo disputarão a taça mais desejada do continente. Ambas as finais serão realizadas no estádio Centenario, em Montevideo, Uruguai.

Evitar a soberba

Coelhão voando!

Enxugando gelo

Bráulio Siffert

Rogério Hilário

Fabrício Farias

No jogo contra o Palmeiras, na quarta-feira (6), que marcou o reencontrou com a torcida, o ótimo desempenho foi desse novo e consistente América do segundo turno; o roteiro, sofrendo gol de vacilo e perdendo pênalti, parecia ser do antigo América; mas o resultado, Decacampeão com uma virada espetacular para cima de um finalista de Libertadores e vice-líder da Série A, acabou sendo o de um América do futuro! Agora, são sete jogos sem perder. E, pasmem, dois pontos de distância para o nono colocado, que pode conseguir uma vaga na Libertadores de 2022! Antes dessa arrancada, o objetivo era se manter na Série A. No meio, passou a ser a Sul-Americana. E, agora, estão nos deixando sonhar com uma Libertadores.

O Atlético passar aperto já se tornou pleonasmo vicioso. Apesar dos desfalques, empatar, no sufoco, com o lanterna do Brasileiro é teste para cardíaco. Na sequência, temos Ceará e Santos, em BH, e Atlético-GO, em Goiânia. Todo cuidado é É pouco, embora Palmeiras e FlaGalo doido! mengo, que têm duas partidas a menos, venham tropeçando em adversários considerados medianos. Afinal, favoritismo só existe na antecedência. No dia do jogo, o número de jogadores é o mesmo para cada um dos times. Só a motivação é diferente. E ainda teremos os confrontos diretos com os principais concorrentes ao título, afora as semifinais da Copa do Brasil contra o Fortaleza – lembremos, a partida decisiva será no Nordeste. Evitemos, pois, a soberba.

Salve, nação! Há tempos, discutir atuação de jogadores e esquema tático não é o mais importante no Cruzeiro. Derrotas, empates e vitórias têm sempre o sabor da frustração. A notícia da semana foi a demissão do diretor Rodrigo Pastana. criticado por Pedrinho LaMuito Bestia Negra BH, ele foi o quinto dirigente a ocupar a função nos últimos dois anos. O saldo disso tudo? Contratações que nada acrescentam e falta de planejamento. Pedrinho BH já disse que não vai mais enxugar gelo para essa gestão. A diretoria atual prefere lavar as mãos, recorrer ao mecenas quando a coisa aperta e vender a ilusão de que a solução é o clube-empresa. Você, meu leitor e minha leitora, compraria um carro usado dessa diretoria? Saudações celestes!

Para receber as matérias do BRASIL DE FATO MG diretamente no seu celular, envie uma mensagem para

31 98468-4731

/brasildefatomg

Profile for Brasil de Fato MG

Edição 355 do Brasil de Fato MG  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded