__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Evaristo Sa / AFP

Dayse Euzébio

STF investiga fake news, Flávio e Carlos Bolsonaro Inquérito vai apurar a existência de uma organização criminosa dedicada a propagar notícias falsas

A segunda dose da AstraZeneca causa reação? Mal-estar, dor no corpo e febre. Confira resposta da enfermeira Sofia Barbosa, nossa Amiga da Saúde

BRASIL 10

VARIEDADES 12

MG Minas Gerais Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021 • edição 341 • brasildefatomg.com.br • distribuição gratuita Evaristo Sa / AFP

Corrupção na compra de vacinas reforça pedidos de impeachment CPI da covid intensifica investigações que apontam que corrupção pode ter se estendido à compra de outros imunizantes e até a testes de covid. Diante das denúncias, pressão sobre Artur Lira por abertura do processo de impeachment cresce. Campanha Fora Bolsonaro antecipa dia nacional de mobilização para dia 3 de julho. I BRASIL 8

A morte como mercadoria

Por comida no prato, vacina no braço

Fatos mostram que interessa ao governo a propina, não a imunização dos brasileiros

Atos pelo impeachment de Bolsonaro acontecem em mais de 40 cidades de Minas Gerais

OPINIÃO 2

MINAS 4


2

OPINIÃO

Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

OPINIÃO

A morte como mercadoria João Paulo Cunha Bolsonaro tem sido definido como promotor da necropolítica, uma forma de governo que faz da morte um ativo para a manutenção do poder. Esse método agora chegou firme à saúde pública. Não se trata apenas de aceitar que morram os mais velhos, os pobres, os pretos, os povos originários, os fragilizados, os moradores, de comunidades e os trabalhadores que devem manter os privilégios de uma sociedade ainda escravocrata em seu cotidiano. Um passo além foi dado: a morte agora é uma questão de grana.

ESPAÇO DOS LEITORES “Obrigada, Brasil de Fato MG, por me ajudar a contar essa história e parabéns pelo jornalismo ousado e necessário” Stanley Albano comenta matéria “Mineiro lança filme sobre a história de resistência do famoso pastel de angu” -“Muito interessante a história, porque é muito real. Acontece algumas vezes de pessoas pobres estudarem e virarem alguém ‘visível’ para a sociedade. Gosto desse modo simples de contar os ‘causos’ do nosso contador de histórias reais. Parabéns Rubinho. Adorei, viu? Beijos Luci Bahia Miranda sobre a crônica “O céu é só uma promessa”, de Rubinho Giaquinto -“A cidade tem que se mobilizar em defesa desse paraíso” Dilene Tavares sobre a matéria “Carrancas: paraíso ecológico em MG é alvo de pressão por mineração predatória” -Parabéns João Paulo Cunha pela opinião “A saúde e a lógica miliciana”. Vamos permanecer na luta. Este governo genocida vai cair. Aluisio Heidemann Jocken, de Morro Grande (SC).

Escreva pra gente também: redacaomg@brasildefato.com.br ou em facebook.com/brasildefatomg

Interessa ao governo a propina, não a imunização Entra em cena a necroeconomia. Depois de dificultar a compra de imunizantes oferecidos diretamente por laboratórios privados e institutos públicos, com impacto direto no número de mortes pela covid-19, o governo entra no jogo de forma suspeita. Passou a privilegiar uma vacina sem registro, acertou a compra a preço muito mais alto que o de mercado, estabeleceu negociação com um intermediário com histórico de fraude e ligado a empresas instaladas em paraísos fiscais. Enviou projeto de lei para facilitar o esquema tendo à frente o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). E tem mais. Um servidor público, Luis Ricardo Miranda, chefe de importação do Ministério da Saúde, sofreu pressão para passar a boiada da negociata, denunciou dire-

O jornal Brasil de Fato circula semanalmente com edições regionais, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro, no Paraná e em Pernambuco. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país e no nosso estado.

tamente ao presidente a armação e ficou aguardando as providências cabíveis. Passou de denunciante a suspeito. Foi ameaçado e coagido por Onyx Lorenzoni, que falou em nome do governo e se enrolou em documentos e desmentidos. Propina O irmão do funcionário, o deputado Luis Miranda (DEM-DF), revelou em seguida que foi procurado por um lobista ligado a Barros, que ofereceu meia dúzia de centavos por vacina para calar a boca. Centavos que seriam multiplicados na casa das dezenas de milhões. A saga criminosa seguiu adiante. Um representante comercial de empresa farmacêutica denunciou o pedido de propina por parte de Roberto Ferreira Dias, do Ministério da Saúde, na casa de US$ 1 por dose, para um montante de 400 milhões de doses. Na reunião, participou o coronel da reserva Marcelo Blanco

Bolsonaro se revela nu e corrupto da Costa, certamente integrante do “meu Exército”, como costuma dizer o presidente. O laboratório tem contrato com a Fiocruz para produzir a mesma vacina, a Astrazeneca, e por isso não precisava de atravessador. Roberto foi afastado e sua capivara vem revelando uma sequência de irregularidades. Todos esses fatos deixam patente que o ingrediente farmacêutico ativo que interessa ao governo é a propina, não a imunização dos brasileiros. Bolsonaro é genocida e corrupto. E corrupto porque genocida.

PÁGINA: www.brasildefatomg.com.br CORREIO: redacaomg@brasildefato.com.br PARA ANUNCIAR: publicidademg@brasildefato.com.br TELEFONES: 31 9 8468-4731 e 31 9 8888-1817

conselho editorial minas gerais: Aruanã Leonne, Beatriz Cerqueira, Bernadete Esperança, Bruno Abreu Gomes, Ênio Bohnenberger, Felipe Pinheiro, Frederico Santana Rick, Helberth Ávila de Souza, Jairo Nogueira Filho, Jefferson Leandro, Joana Tavares, João Paulo Cunha, Joceli Andrioli, Jô Moraes, José Guilherme Castro, José Luiz Quadros, Juarez Guimarães, Laísa Campos, Marcelo Almeida, Makota Celinha, Maria Júlia Gomes de Andrade, Milton Bicalho, Neila Batista, Nilmário Miranda, Padre Henrique Moura, Padre João, Pereira da Viola, Renan Santos, Robson Sávio, Rogério Correia, Samuel da Silva, Talles Lopes, Titane, Valquíria Assis, Wagner Xavier. Edição: Amélia Gomes, Elis Almeida, Frederico Santana, Larissa Costa, Rafaella Dotta e Wallace Oliveira Redação: Amélia Gomes, Bruna Bentes , Larissa Costa, Rafaella Dotta, e Wallace Oliveira. Colaboração: André Fidusi, Anna Carolina Azevedo, Débora Borba, Joana Tavares , Marcelo Gomes. Colunistas: Antônio de Paiva Moura, Beatriz Cerqueira, Bráulio Siffert, Macaé Evaristo, Eliara Santana, Fabrício Farias, Iza Lourença, João Paulo Cunha, Jonathan Hassen, José Prata Araújo, Makota Celinha, Moara Saboia, Portal do Bicentenário da Independência, Renan Santos, Rogério Hilário, Rubinho Giaquinto, Sofia Barbosa, Tarifa Zero Administração e distribuição: Paulo Antônio Romano de Mello e Vinícius Moreno Nolasco. Diagramação: Tiago de Macedo Rodrigues. Tiragem: 10 mil exemplares. Razão social: Associação Henfil Educação e Comunicação


Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021 Divulgação

Declaração da Semana Como que a gente deixou Bolsonaro ser eleito presidente? O desprezo que ele tem pelas pessoas agora, ele já tinha no seu discurso e na sua prática

GERAL

3

Números da Semana R$ 1 bilhão

Valor de propina que teria sido cobrado pelo governo Bolsonaro, na compra de vacinas da AstraZeneca

Você sabia que a UPA Barreiro se chama Ernesto Che Guevara? Bernardo Dias /CMBH

Leandra Leal.

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Barreiro, em BH, foi uma conquista da comunidade. Seu nome, Ernesto Che Guevara, foi conferido pela Lei nº 7.376, de 1997, solicitação realizada pelo então vereador Rogério Correia. Hoje a UPA Barreiro é referência de atendimento para a região e tem sido fundamental nesta pandemia, mas ainda carece de melhor estrutura e valorização dos profissionais da Saúde, sobretudo da enfermagem.

28 de junho: orgulho de ser LGBTI+

Mídia Ninja

A data é simbólica para a luta por direitos LGBTI+ em todo o mundo. Nesse dia, em 1969, frequentadores do bar Stonewall Inn, em Nova Iorque, nos EUA, iniciaram uma onda de protestos pelo fim da violência policial contra a comunidade LGBTI+. No ano seguinte, aconteceu a primeira Parada do Orgulho Gay da história. No Brasil, manter viva essa memória se faz cada vez mais necessário, frente ao governo de Bolsonaro, que é homofóbico e genocida.


4

CIDADES

Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

Em Patrocínio (MG), trabalhadores da educação denunciam tentativa de censura pela prefeitura LIBERDADE DE EXPRESSÃO Uma investigação foi aberta depois que uma professora criticou a Secretaria de Educação nas redes Luanara Marysol

Wallace Oliveira

E

m Patrocínio, no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, a prefeitura da cidade abriu processos de sindicância sobre três profissionais da educação pública municipal. Movimentos e trabalhadores da área veem na medida uma retaliação por essas pessoas terem questionado o poder público, após o falecimento de uma servidora que foi vítima de covid-19. Morte de trabalhadora Segundo os trabalhadores, tudo começou quando, no início de abril, o secretário municipal de Educação, Rodrigo de Oliveira, anunciou a volta às aulas presenciais para o dia 27 daquele mês. Alguns desses trabalhadores, vinculados ao Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), criticaram a decisão e cobraram segurança sanitária, como condição para o retorno ao trabalho presencial. A volta às aulas acabou sendo adiada para o dia 10 de maio, mas, 17 dias depois, faleceu a servidora Milta Beatriz dos Reis, que trabalhava na cantina do Projeto Guri, no bairro Matinha. Pouco antes de ser internada e mesmo após apresentar os primeiros sintomas, ela continuava indo à escola. Na época, outros servidores tinham testado positivo para covid-19. Para Amália dos Reis, mãe de Milta, a morte da filha poderia ter sido evitada. “Ela tinha problemas de saúde, tinha o coração inchado e eles não quiseram afastá-la.

Quando todo mundo afastou, tinha gente com o vírus, e ela ficou. Num dia ela fez comida para os alunos e foi consultar no outro dia. Depois, ela internou no pronto-socorro, ficou lá oito dias. Eu cheguei a procurar o secretário de Saúde para implorar por ajuda”, conta, chorando. Censura? Revoltada com o adoecimento de Milta, a mãe deu entrevista em um programa de rádio, criticando o secretário por não ter tomado medidas para proteger a filha. Na mesma semana, a prefeitura

Soube que a sindicância era porque eu estaria ‘usando palavras acusatórias’ na fanpage da secretaria de Educação”, diz professora

Para nós, a sindicância é para calar uma categoria, cerceando a liberdade de uma liderança”, afirma sindicalista publicou uma nota rejeitando as acusações. Na postagem, os profissionais novamente se manifestaram, questionando a gestão por esse e outros casos de adoecimento na rede municipal de educação. No dia 18 de junho, foi divulgado no Diário Oficial do Município que a prefeitura estava abrindo uma sindicância contra três servidoras da Educação do município. “A sindicância, a meu ver, é uma perseguição. Eu fui a um post questionar o secretário, inclusive porque havia uma escola com seis pessoas infectadas. Depois eu soube que a sindicância era porque eu estaria ‘usando palavras acusatórias’

na fanpage da secretaria de Educação”, relata a professora Luanara Marysol, uma das profissionais citadas no processo. Outras duas trabalhadoras teriam sido acusadas de negligência na escola. Ambas testaram positivo para covid. “Para nós, a sindicância é para calar uma categoria, cerceando a liberdade de uma liderança. Quando ele cala uma liderança, ele está tentando calar a categoria. Ele acusa a professora de fazer acusações”, avalia Gilberto José de Melo, diretor do Sind-UTE na subsede de Patrocínio. Pouco depois da entrevista, Gilberto tomou conhecimento de uma decisão liminar, proferida na Comarca de Patrocínio, determinando que ele retirasse do YouTube um vídeo no qual critica o secretário de educação pela sindicância contra as professoras. Apoios Vista como perseguição, a sindicância ativou uma vasta rede de apoiadores dentro e fora da cidade. Os deputados Betão (PT-MG), Beatriz Cerqueira (PT-MG) e Andreia de Jesus (Psol-MG) se manifestaram em apoio à educadora. Uma carta em apoio a Luanara foi publicada, com as assinaturas de 34 organizações estaduais e 79 nacionais. Outro lado A reportagem fez contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Patrocínio, mas não foi respondida até o fechamento desta edição.

Nossos direitos EM BELO HORIZONTE É POSSÍVEL REALIZAR A CASTRAÇÃO DE CÃES E GATOS GRATUITAMENTE A Prefeitura de Belo Horizonte mantém na cidade o serviço de esterilização cirúrgica (castração), que é oferecido gratuitamente a toda a população nos Centros de Esterilização de Cães e Gatos. O procedimento é indicado para prevenir diversas doenças, bem como para evitar sua propagação, evitar crias indesejadas, melhorar o comportamento do animal, além de proporcionar um aumento na expectativa de vida. Em Belo Horizonte, o serviço está disponível nas regionais Leste, Oeste, Norte, Noroeste e Barreiro. Os documentos necessários para acessar o serviço são comprovante de endereço, CPF e RG. Na página da prefeitura na internet é possível fazer o agendamento online do procedimento, verificar as orientações aos tutores de animais, além das instruções necessárias para preparar o animal para a cirurgia.

Jonathan Hassen é advogado popular


Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

MINAS

5

Mais de 40 cidades mineiras já confirmaram atos pelo Fora Bolsonaro, no sábado ATOS NACIONAIS Campanha Fora Bolsonaro adiantou calendário de lutas contra governo de Bolsonaro Leonardo Koury

Redação Dando sequência ao calendário de lutas estabelecido pela Campanha Fora Bolsonaro contra o governo de Jair Bolsonaro, que culminou na morte de mais de 510 mil brasileiros por conta da pandemia, além do acirramento da fome e do desemprego no país, o ato que inicialmente havia sido agendado para o dia 24 de julho, foi antecipado para o dia de 3 de julho, este sábado, mais uma vez com o mote: “Vacina no braço, comida no prato” e pelo impeachment de Bolsonaro.

“Não era possível esperar o dia 24 de julho, data inicialmente prevista para novos protestos de rua. As novas denúncias de corrup-

ção do governo Bolsonaro são absurdas. Se antes sabíamos que o negacionismo é responsável pela maior parte das mais de 500 mil mor-

tes, agora, descobrimos que o governo negou vacinas reconhecidas para cobrar propina sobre o preço da dose. Milhares de pessoas morreram em razão desse esquema de corrupção”, afirma Frederico Santana Rick que integra a coordenação da Frente Brasil Popular e da Campanha Fora Bolsonaro em Minas Gerais. Recomendações de segurança sanitária Assim como o dia 29 de maio e o 19 de junho, quando milhares de pessoas participaram da ma-

nifestação, continua obrigatório o uso de máscaras PFF2. Além disso, é necessário manter o distanciamento social; evitar contato físico; higienizar constantemente as mãos com álcool em gel; não compartilhar objetos pessoais, como garrafas de água; e evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas. Pessoas com sintomas, que tenham ou que moram com pessoas comcomorbidades, ou que tiveram contato com alguém que teve confirmação de covid-19 com menos de 14 dias, não devem participar da ação.

“Agora é comum passar dez dias seguidos sem pegar um peixe sequer” DIA DO PESCADOR Como ficou a vida de pescadores nas regiões atingidas por barragens? Acervo Guaicuy

ximo a represa de Três Marias, região ao redor da bacia do Paraopeba.

Redação Quase dois anos e meio após o rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão em Brumadinho, as consequências para os atingidos ainda são plenamente presentes no cotidiano dessas pessoas. Dia 29 de junho é o Dia do Pescador, mas existe peixe onde há lama? Pescadores e pescadoras da bacia do rio Paraopeba e do lago de Três Marias vivem um período de estiagem desde a data do crime. “Alguns dias depois, o cheiro era tão forte que eu fiquei duas semanas de cama, passando mal. Depois disso, os peixes sumiram. Se antes eu e meu marido pescávamos por dia, juntos, uma média

de 50 kg de peixe, chegando a uma renda de cerca de R$ 2 mil por semana, agora é comum passar dez dias seguidos sem pegar um peixe sequer”. Esse é relato de Dulcilene Pinto, pescadora, que mora com seu marido, pró-

Quase não vem turistas mais para o lago de Três Marias

Impactos sociais e econômicos O marido de Dulcilene Pinto passou a trabalhar como piloto de lanchas e ela seguiu como pescadora, mas conta que recebe muito menos do que antes do crime. “Nosso peixeiro compra cada vez menos, as pessoas têm medo de comer o pescado vindo do lago de Três Marias, e por isso ele foi desvalorizado. Também quase não vem mais turistas para os lados de cá. Eu mesma não tenho mais coragem de entrar na água, nem deixo minhas meninas entrarem”.

Para Jonas Veloso, advogado popular, o impacto do crime só pode ser medido pelos próprios atingidos. “Cada grupo, cada construção social teve sua parcela de prejuízo em relação ao rompimento. Se alguém pescava uma quantidade de peixe e não consegue mais, ou se precisou buscar outra profissão, ou se teve que mudar de onde morava, se uma espécie de peixe que costumava pescar não aparece mais, se teve dificuldade de comercialização ou então teve redução do valor do pescado e muitas outras questões que atravessam a vida dessas pessoas, é importante lembrar que elas têm direitos de serem reparadas integralmente”.


6

MINAS

Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

Dinheiro para Rodoanel premia a Vale e perpetua o dano causado, afirmam organizações MINERAÇÃO Audiência debateu os impactos do acordo do governo com a Vale Clarissa Barçante

Wallace Oliveira

E

m audiência na Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa, por iniciativa da deputada Beatriz Cerqueira (PT), lideranças debateram os impactos do Projeto de Lei (PL) 2.508/2021. O PL, de autoria do Poder Executivo estadual, autoriza a abertura de crédito suplementar com recursos do acordo celebrado no início do ano entre a Vale, o governo de Minas e as instituições de Justiça do estado, sem a participação dos atingidos. Participaram da reunião, com intervenções, mais de 20 pessoas, entre parlamentares, atingidos pelo crime da Vale, movimentos populares, associações, assessorias técnicas

independentes (Aedas, Nacab e Guaicuy) e representantes da Igreja Católica. “Eu quero lembrar que Minas Gerais é a região onde ocorreu mais rompimentos de barragens no mundo. Neste momento, temos mais de 30 barragens em níveis de emergência 1, 2 e 3”, afirma Marta Freitas, do Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM). Isto, segundo ela, acaba funcionan-

do como um estímulo para que novos crimes aconteçam. Na mesma linha, Joceli Andrioli, do Movimento dos

Minas é onde ocorreu mais rompimentos de barragens no mundo

Atingidos por Barragens (MAB) afirma que o acordo representa um prejuízo aos atingidos. “Havia duas ações judiciais: uma ação que pedia dano moral coletivo aos atingidos, no valor de R$ 28 bilhões, e uma ação que pediu indenização ao Estado de R$ 26 bilhões. O fato de não ter participação fez com que os atingidos conquistassem apenas R$ 8 bilhões, um prejuízo direto de R$ 20 bilhões”, critica. A deputada Beatriz Cerqueira informou que os outros R$ 15 bilhões celebrados no acordo serão administrados pela própria Vale, fora de controle social e da fiscalização da Assembleia e do Tribunal de Contas do Estado.

Rodoanel: nova via do minério Praticamente todos os participantes criticaram a proposta de uso do dinheiro da reparação para construir o rodoanel da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Essa infraestrutura, segundo eles, só beneficiaria a própria mineradora. “O traçado do Rodoanel passa por áreas de preservação ambiental, gerando devastação e morte. Contudo, o terreno da mineração não só é poupado, como também beneficiado”, afirma Adriana Souza, integrante do movimento SOS Vargem Flores, em Contagem. A audiência ocorreu na sexta-feira (25), dia em que o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho completou dois anos e meio. ANÚNCIO


Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

OPINIÃO

7

Secretaria de Justica do Paraná/ Divulgação

André Veloso

Desvendar o poder econômico dos empresários de ônibus

Monitoramento eletrônico de presos: uma opção inteligente e necessária O sistema carcerário está falido no Brasil. Não ressocializa, não intimida possíveis criminosos, não protege as pessoas em geral. É uma escola do crime e serve como campo de recrutamento para organizações criminosas. Alternativas à prisão são urgentes e o monitoramento eletrônico é uma delas. Desde o surgimento desse método nos Estados Unidos, em 1983, o monitoramento é uma forma de execução de pena que, apesar dos seus problemas (risco de expansão do controle penal, dificuldades de fiscalização), vem trazendo bons resultados. É importante ressaltar que o uso de tornozeleira eletrônica significa economia para os cofres públicos. Enquanto cada aprisionado custa ao Estado cerca de R$ 4 mil por mês, o submetido ao sistema de tornozeleiras eletrônicas Tornozeleira eletrônica custa R$ 350 mensais. Durante a pandemia de covid-19, o monitoramento ele- traz bons trônico vem sendo aplicado para quem já tinha direito à resultados progressão de regime e mesmo para quem é preso sem condenação. Colocar essas pessoas em cumprimento de pena domiciliar, serviu para impedir focos de contaminação dentro das unidades prisionais, evitando casos como o de Vespasiano, onde mulheres puérperas e seus bebês foram contaminadas no centro de referência das gestantes presas. O uso da tornozeleira pelos presos permitiu, ainda, a redução da exposição à covid dos profissionais que trabalham no sistema prisional e de suas famílias. Problemas com reincidência existem, mas existem dentro e fora do cárcere. E a reincidência de pessoas com tornozeleira, em sua imensa maioria, se refere a pequenos delitos patrimoniais sem violência. Isso nem a prisão e nem a tornozeleira resolvem, só a redução da desigualdade social e a garantia de direitos básicos a todos. Andréia de Jesus é deputada estadual e Fernando Nogueira Martins Júnior é advogado e professor da Universidade Federal de Lavras

Leia os artigos completos no site brasildefatomg.com.br Estes são artigos de opinião. A visão dos autores não expressam necessariamente a linha editorial do jornal Brasil de Fato

André Veloso é economista e integrante do Tarifa Zero BH

ACOMPANHANDO

Andréia de Jesus e Fernando Nogueira Martins Júnior

O transporte coletivo das grandes cidades brasileiras vem passando, há mais de 20 anos, pelo que podemos chamar de “crise estrutural”. Um dos elementos mais claros desse processo é o círculo vicioso da tarifa: o sistema de ônibus é financiado, quase em sua totalidade, apenas pela tarifa paga pelos usuários. Com a piora da qualidade dos ônibus, por um lado, e a crise econômica, por outro, passageiros deixam de utilizar o transporte coletivo. E assim, menos passageiros sobram para dividir o custo do sistema, cuja tarifa aumenta para reequilibrar, reforçando as causas iniciais de perda de usuários. CPI da Pois bem, há uma série de responsabilidades que po- BHTrans demos apontar nos gover- mostrou nos – federal, estaduais e irregularidades municipais – para agravar essa crise. Mas, hoje, queremos trazer outra questão: se o transporte por ônibus está em crise há tanto tempo, por que os empresários de ônibus permanecem no sistema? No último dia 23 de junho, a CPI da BHTrans, da Câmara de Vereadores de Belo Horizonte, mostrou, sem muito esforço, que, dentre as notas fiscais coletadas para a realização da fraudulenta “auditoria” do sistema de ônibus de Belo Horizonte, realizada pela Maciel Consultores, haviam notas de abastecimento de veículos em Uberlândia e Conselheiro Lafaiete, distantes 530 e 100 quilômetros, respectivamente, da capital. Foram apresentadas notas fiscais de abastecimento com valores diferentes por litro, no mesmo dia e no mesmo local, para empresas diferentes. Isso sem falar em valores totalmente discrepantes de aluguel de garagem ou do seguro dos veículos. O fato de que a Maciel Consultores deixou tudo isso passar, e que a BHTrans concordou, só mostra o tamanho do buraco em que estamos e como os empresários nadam de braçada, fazendo o que querem.

...Na edição 337... No lugar de combater, Bolsonaro promove a pandemia E agora... Um terço das mortes registradas em cartório no 1º semestre é por covid Dos 927.568 registros de óbito no primeiro semestre no país, 314.036 foram por covid-19. Os números estão no Portal da Transparência do Registro Civil. Esse número não leva em conta as mortes causadas por outras doenças que podem ser associadas ao agravamento da covid-19, principalmente a síndrome respiratória aguda grave (SRAG), responsável por 16.868 óbitos em 2020 e 8.613 este ano. Em 2019, antes da pandemia, portanto, foram registrados 1.512 óbitos por SRAG.


8

BRASIL

Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

Denúncia na CPI da Covid foi garantida por estabilidade do servidor público DIREITOS Reforma Administrativa, proposta do governo Bolsonaro, fragiliza estabilidade do servidor público Edilson Rodrigues-Agência Senado

Laura Zschaber

A

sessão da CPI da Pandemia realizada na sexta-feira (25) ouviu o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda e seu irmão, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF). Eles fizeram denúncias que vão contribuir com as investigações do possível caso de corrupção envolvendo a importação da vacina indiana Covaxin. A sessão trouxe à tona o esquema, assim como levantou considerações sobre a importância da estabilidade do servidor público um direito que está sendo ameaçado pela Reforma Administrativa (PEC 32/2020). Desde seu depoimento, Luis Ricardo Miranda e o irmão passaram a ser ameaçados pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, e pelo assessor da Casa Civil, Élcio Franco. O servidor deixou claro que só teve coragem de denunciar a questão por conta da estabilidade, que o pro-

Luis Ricardo Miranda chega à CPI da covid

tege da demissão ou de uma possível retaliação. “Meu cargo não é indicação política. Não sou filiado a nenhum partido. Meu partido é o SUS. Minha função é trabalhar para que os insumos e vacinas cheguem de maneira mais rápida possível aos braços dos brasileiros, realizando toda parte de importação e de desembaraço o mais rápido possível. Trabalho em defesa do interesse público”, disse. Dois casos recentes A Reforma Administrativa (PEC 32/2020) pretende

acabar com a garantia de estabilidade dos futuros servidores públicos, mantendo o direito apenas para as carreiras típicas de Estado. Atualmente, a PEC está sendo analisada por uma Comissão Especial na Câmara dos Deputados. Por conta dos últimos acontecimentos, Luis Miranda, que também depôs na CPI, disse que mudou de ideia sobre a PEC 32. “Depois do que fizeram com o meu irmão, queria dizer para todos os servidores públicos, principalmente aqui do Distrito Federal, que se sintam abraçados. A partir

de agora, sou contra a Reforma Administrativa porque, se não fosse a estabilidade, o meu irmão não estaria aqui sentado, com a coragem que ele tem, de denunciar isso tudo que está ocorrendo. A estabilidade, para o funcionário público, é a garantia de que ele não pode ser coagido, como o ministro Onyx Lorenzoni tentou fazer”. A sessão da CPI foi apenas um dos acontecimentos que reacendeu as discussões no Congresso sobre a estabilidade no serviço público. A garantia também protegeu o delegado Alexandre Saraiva, ex-superintendente da Polícia Federal no Ama-

Estabilidade permitiu a Alexandre Saraiva enviar notícia-crime ao STF contra Ricardo Salles

zonas. Em abril, ele enviou uma notícia-crime ao Supremo Tribunal Federal (STF) com denúncias de organização criminosa, advocacia administrativa e obstrução de fiscalização por parte do até então ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. As denúncias resultaram em uma investigação e na renúncia do cargo pelo chefe da pasta. “Esses dois fatos recentes reforçam a importância da estabilidade dos servidores públicos. Eu apresentei um requerimento convidando o servidor Luís Roberto Miranda e o delegado Alexandre Saraiva a irem à Comissão Especial da PEC. Suas experiências com as denúncias vão contribuir com as discussões. O fim da garantia da estabilidade sempre foi um ponto criticado pela oposição e agora a luta começa a ganhar novos aliados”, afirmou o coordenador da Frente Parlamentar Mista do Serviço Público, o deputado federal Rogério Correia (PT-MG).

PEC traz impactos para os atuais servidores Foto Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

A Frente Parlamentar Mista do Serviço Público já havia protocolado uma emenda à PEC na última semana, a fim de que as políticas sociais sejam reconhecidas como atividades típica de Estado. Um dos argumentos é que a proposta traz mudanças profundas para serem aprovadas sem uma ampla discussão, que precisa envolver todos os interessados. Outro ponto é o fato de que a PEC traz, sim, impactos

para os atuais servidores. “Todas as categorias estão empenhadas em esclarecer o que está em jogo. Os atuais servidores correm risco, já que há violação da segurança jurídica e ao direito ad-

Categorias estão empenhadas em esclarecer o que está em jogo

quirido, resguardados pela Constituição. A conscientização da população sobre os impactos começa a trazer resultados”, explicou Alexandre Pires, coordenador de Assuntos Jurídicos da Fenajud e coordenador-geral do Sindicato dos Servidores da Justiça de 2ª Instância do Estado de Minas Gerais (SINJUS-MG). Na opinião dele, a luta dos servidores só terminará quando a proposta sair de pauta.


Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

BRASIL

99

‘Nenhuma plantação vai apagar as digitais do governo Bolsonaro no escândalo da Covaxin’, diz Renan CORRUPÇÃO Relator da CPI da Covid criticou a “desinformação” em meio ao depoimento do cabo Luiz Paulo Dominghetti Pedro França /Agência Senado

Redação

O

senador Renan Calheiros, relator da CPI da Covid, cobrou a Jair Bolsonaro na quinta-feira (1) a desmentir as acusações de corrupção na negociação da vacina Covaxin, reveladas pelo deputado Luis Miranda e seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luis Ricardo Miranda. Pelo Twitter, Renan Calheiros criticou a “desinformação” em meio ao depoimento do cabo da PM-MG Luiz Paulo Dominghetti, que afirma ser representante da empresa Davati, que negociou a venda de doses da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 ao Ministério da Saúde. “Fake news é desinformação. Nenhuma plantação desfaz, anula o que já se provou sobre o escân-

dalo Covaxin/Precisa com todas as digitais inapagáveis do governo, do alicerce ao acabamento. Aliás, quando o presidente Bolsonaro irá desmentir o envolvimento do seu líder?”, questionou o relator da CPI da Covid.

Senadores que integram a CPI da Covid avaliam que o representante da Davati, Luiz Paulo Dominghetti Pereira, foi “plantado” para prejudicar os trabalhos do colegiado. Dominguetthi depôs na quinta-feira (1) sobre a acusação fei-

ta por ele de um suposto esquema de corrupção envolvendo a compra de doses da vacina contra a covid-19 produzida pela AstraZeneca. Na sessão, ele exibiu um áudio insinuando que o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) também havia tentado adquirir vacinas por meio da Davati Medical Supply. “Com todo respeito, essa testemunha foi plantada. Olha aí qual a conversa, esse áudio se refere a quê?”, questionou o senador Fabiano Contarato (Rede-AP). O relator da CPI, Renan Calheiros, questionou as intenções de Dominghetti ao divulgar o áudio. “O depoente traz um áudio com mazelas que poderiam envolver Luis Miranda, em nome do quê? A CPI não vai aceitar este tipo de coisa”, afirmou.

Corrupção no Ministério da Saúde pode chegar a compra de testes de covid

CASO COVAXIN O deputado federal Luis Claudio Fernandes Miranda (DEM-DF) e o irmão Luis Ricardo Fernandes Miranda, chefe da divisão de importação do ministério da Saúde, trouxeram um ingrediente explosivo para a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, que investiga os responsáveis pelos números exorbitantes de casos e óbitos durante a pandemia no país. Em depoimento aos senadores, os irmãos apontam para um suposto esquema de fraude na negociação para a compra de 20 milhões de doses do imunizante Covaxin, envolvendo o Ministério da Saúde e a empresa brasileira Precisa Medicamentos, que seria a responsável pela venda da vacina no Brasil, produzida pelo laboratório indiano Bharat Biotech.

Indranil Mukherjee/AFP

Redação A corrupção no Ministério da Saúde sob o governo Bolsonaro pode ser muito maior do que o esquema da vacina Covaxin. Isso é o que disse, no domingo (27), o deputado Luis Miranda (DEM-DF), em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo. Miranda disse que seu irmão, Luis Ricardo Miranda, chefe do departamento de importação do Ministério, vê indícios de

operação “100% fraudulenta” para a compra de testes de covid-19. “Se existir algo realmente ilegal, não é só nessa vacina [Covaxin], é na pasta

Miranda vê indícios de operação “100% fraudulenta” na compra de testes de covid-19

toda”, disse o deputado. Os dois prestaram depoimento à CPI na sexta-feira (25). O deputado afirmou que seu irmão pode dar mais informações em uma sessão secreta da comissão. Ele mantém no ar a dúvida sobre se teria gravado Bolsonaro durante a conversa com ele. Miranda também declarou na entrevista que “os militares tinham uma presença meio não republicana” no Ministério da Saúde.


14 10

BRASIL

Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

Bolsonaro participou ‘em todos os momentos’ do caso Covaxin, afirma Renan

Reprodução

Redação O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou na terça-feira (29) que o envolvimento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no escândalo da vacina Covaxin é “muito mais grave” do que apenas a suspeita de prevaricação. “Ele não só teve conhecimento. Ele participou em todos os momentos”, afirmou Renan. Histórico Renan lembrou que, em 8 de janeiro, Bolsonaro enviou uma carta ao primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, pedindo celeridade na liberação de 20 milhões de doses da

Bolsonaro e o deputado Ricardo Barros, líder do governo na Câmara

Covaxin. Ao mesmo tempo, destacou que o Ministério da Saúde havia “recusado” a aquisição de 170 milhões de doses dos imunizantes da Pfizer, do Butantan (a Coronavac) e do consórcio Covax Falicity, da OMS. “No dia 25 de fevereiro, o acordo foi fechado”, destacou Renan. Depois disso, em 10 de março, o presiden-

te sancionou a medida provisória que autorizava a importação excepcional de vacinas contra a covid-19. Foi nesta MP que o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), incluiu uma emenda facilitando a importação do imunizante. Na sexta-feira (25), o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF)

Advogado da Precisa, que assinou contrato da Covaxin fez campanha para Bolsonaro facebook Túlio Silveira

Túlio Silveira é o representante legal da Precisa na negociação da vacina indiana Covaxin, da Bharat Biotech, com o Ministério da Saúde

O advogado Túlio Belchior Mano da Silveira, da Precisa Medicamentos, fez campanha para o presidente Jair Bolsonaro nas eleições de 2018. Ele é o representante legal da empresa na negociação da va-

cina indiana Covaxin, da Bharat Biotech, com o Ministério da Saúde. A operação é alvo de investigação da CPI da Pandemia. Silveira e a mulher, Elaine Medeiros Mano da Silveira, são bolsonaristas de cartei-

rinha. Ela foi filiada ao PSL, partido pelo qual o presidente se elegeu no pleito de 2018, até maio de 2020. Neste ano, nas redes sociais, os dois apoiaram o tratamento precoce contra covid e convocaram para atos pró-Bolsonaro. Na segunda-feira (28), a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber manteve a quebra de sigilo telefônico e telemático de Silveira. Ela rejeitou um pedido da OAB-DF (Ordem dos Advogados do Distrito Federal) pela suspensão da medida, autorizada pela CPI da Pandemia no Senado.

disse que Bolsonaro se referiu a Barros como o suposto responsável pela negociata. “Quando Miranda foi falar com ele, foram 10 dias depois, em 20 de março. Disse que o presidente sabia da negociação em detalhes, com todos os pormenores”, ressaltou o relator da CPI.

“ME RESERVO O DIREITO DE FICAR EM SILÊNCIO”: CARLOS WIZARD SE CALA NA CPI DA COVID Após finalizar o seu discurso de 15 minutos, o empresário Carlos Wizard arrogou para si o direito de ficar em silêncio, como garantido por um habeas corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Wizard é investigado por fazer parte do suposto “gabinete paralelo”, composto por empresários e médicos que aconselhariam o presidente acerca do uso de medicamentos comprovadamente ineficazes pela ciência contra a covid-19, como hidroxicloroquina e cloroquina. Sua convocação foi requerida pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

STF abre investigação sobre quadrilha que propaga fake news e que conta com Flávio e Carlos Bolsonaro Redação O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou na quinta-feira (1) a abertura de um novo inquérito com o objetivo de apurar a existência de uma organização criminosa dedicada a propagar notícias falsas pelos meios digitais. A investigação atinge o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) e o vereador Carlos Bolsonaro (Republica-

nos), apontados como integrantes do núcleo político desse grupo. O novo inquérito, segundo o ministro, vai apurar “a presença de fortes indícios e significativas provas apontando a existência de uma verdadeira organização criminosa, de forte atuação digital e com núcleos de produção, publicação, financiamento e político com a nítida finalidade de atentar contra a Democracia e o Estado de Direito”.


14

Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

“É o fim do processo contra Assange”, diz Snowden após confissão de nova testemunha William WEST / AFP

Redação

S

igurdur Ingi Thordarson, um ex-voluntário do WikiLeaks de cidadania islandesa, confessou que fabricou a alegação de que Julian Assange o tinha instruído a cometer invasões em computadores ou a hackear na Islândia, conforme o jornal Stundin.

“Sua nova alegação é, de que ele, de fato, tinha recebido alguns arquivos de uma terceira parte que alegou ter gravado parlamentares e propôs compartilhá-los com Assange sem ter nenhuma ideia do que eles realmente continham”, segundo jornal islandês. O então ministro do Interior irlandês, Ogmundur Jonasson, disse que os Estados Unidos “estavam tentan-

do usar as pessoas em nosso país para tecer uma teia, uma teia de aranha que apanharia Julian Assange”. O ex-administrador de sistemas da Agência de Segurança Nacional dos EUA Edward Snowden reagiu ao artigo do Stundin dizendo que “isto é o fim do processo contra Julian Assange”. Em janeiro, a Justiça britânica decidiu não extraditar Assange aos EUA, citando razões de saúde e risco de suicídio no sistema prisional norte-americano. Assange é acusado de espionagem e de fraude informática após o WikiLeaks ter publicado milhares de arquivos secretos e informações que lançam luz sobre possíveis crimes de guerra cometidos pelas tropas dos EUA no Iraque e Afeganistão. O fundador do WikiLeaks pode pegar até 175 anos em prisão de alta segurança caso seja condenado nos Estados Unidos.

MUNDO

11

Candidato comunista é favorito para eleição presidencial no Chile

Reprodução /Twitter

O Chile acaba de eleger governadores em todo o país e permanece em clima eleitoral. No dia 18 de julho serão realizadas as eleições primárias para as presidenciais de novembro deste ano. Sebastián Piñera caminha para o final da sua gestão com apenas 18% de aprovação popular. O prefeito do município de Recoleta, Daniel Jadue (Partido Comunista) é favorito com 14% das intenções de voto, segundo pesquisa de opinião da empresa Cadem na última semana de junho. Em seguida, está o conservador Joaquín Lavín (União Democrata Independente), prefeito de Las Condes e ex-ministro de Sebastián Piñera, com 13% e Yasna Provoste (Democracia Cristã), presidenta do Senado e ex-ministra de Michelle Bachelet, com 9% da preferência. ANÚNCIO


14 12

VARIEDADES

Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

DE OLHO NA MÍDIA

FIQUE

BEM Olá pessoal, a dica desta semana é sobre alimentação saudável!

VOCÊ SABE O QUE SÃO OS ALIMENTOS ULTRAPROCESSADOS?

São produtos feitos com ingredientes industriais e com pouco ou quase nada de alimentos in natura. O processamento dos alimentos é tão intenso que eles perdem o sabor, a cor e a estrutura, e precisam de diversas substâncias químicas, como emulsificantes, aromatizantes e corantes. Refrigerantes, biscoitos recheados e salgadinhos de pacote são alguns exemplos. Na dúvida, leia rótulo! Se tiver ingredientes que você não conhece desconfie.

ELES SÃO PERIGOSOS... O ALVO ERA LÁZARO, MAS A HISTÓRIA É DO BRASIL Atingido por 38 dos 125 tiros disparados por policiais, Lázaro Barbosa deve ser sepultado nesta semana. Acusado de ter assassinado uma família em Ceilândia e de outros crimes, foi procurado por 20 dias, em uma superoperação que envolveu centenas de policiais, horas de cobertura midiática, apelos violentos do presidente e tantos absurdos, mas vamos focar aqui em apenas um: o racismo religioso. No começo da perseguição ao assim nomeado pela mídia empresarial “serial killer do DF”, foram divulgadas imagens de artigos religiosos de religiões de matriz africana, como sendo de Lázaro e como se eles o ligassem a algo chamado de “satanismo”. Mais de dez terreiros da região foram atacados, lideranças violentadas, inclusive pessoas idosas. Depois de diversas denúncias sobre essa violência e da falta de relação entre as imagens e Lázaro – que, segundo sua esposa, seria evangélico – alguns veículos da mídia empresarial pediram desculpas pela cobertura e apagaram provas do seu racismo religioso, como foi o caso o G1 (a Globo tem expertise em cometer ou se associar a golpes e crimes, depois pedir desculpas e seguir o roteiro). Em nota de repúdio, o Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afrobrasileira – Cenarab se opõe “veementemente contra a exposição de tais imagens publicamente, sobretudo com o intuito de ligar as práticas homicidas e criminosas com práticas religiosas, sejam elas quais forem”. Para ler mais sobre a diferença entre racismo e intolerância religiosa, deixamos duas sugestões: um texto do Brasil de Fato Bahia, assinado por Diogo Fernandes e Jamile Araújo, e uma entrevista da Carta Capital com Sidnei Nogueira, autor do livro “Intolerância religiosa”.

FICA A DICA JORNALISMO NEGRO E OUTROS SITES Seguem alguns sites feitos a partir do ponto de vista de pessoas negras, periféricas, mulheres e que pautam temas fundamentais: https://nosmulheresdaperiferia.com.br/ https://www.geledes.org.br/ https://almapreta.com/ https://www.anf.org.br/ Indica outros? Manda pra nós! Joana Tavares é diretora do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais

Diversas pesquisas já demonstram que o consumo de ultraprocessados estão relacionados à ocorrência de diversas doenças, como diabetes, alguns tipos de câncer, hipertensão, doença cardiovascular, inflamação da mucosa intestinal e asma em crianças. Então, é melhor evitar.

MAS O QUE COMER?

Recorra aos alimentos de verdade! Frutas, legumes, verduras, feijões, farinhas, carnes, ovos, leites...

E OS PROCESSADOS?

Esses alimentos passaram por algum processo industrial, como pães, doces em calda, queijos, mas não fazem uso de tantas substâncias químicas. Mais uma vez, observe o rótulo! Chocolates, por exemplo, existem os processados e os ultraprocessados. Prefira os primeiros, cuide da sua saúde e fique bem. Um beijo da Jana Janaína Cristina escreve dicas de bem-estar e autocuidado

AMIGA DA SAÚDE Sofia Barbosa é enfermeira do Sistema Unico de Saúde I Coren MG 159621

Quando eu tomar a segunda dose da AstraZeneca terei as mesmas reações que tive à primeira dose, como mal-estar, dor no corpo e febre? Juliana Silveira, 42 anos, professora. É provável que você tenha alguns efeitos colaterais à segunda dose sim. Essas reações são provocadas pela resposta do seu sistema de defesa ao estímulo que é dado pela vacina. Em algumas pessoas elas são mais fortes, em outras, imperceptíveis. Nos estudos clínicos da AstraZeneca, 50% dos voluntários relataram dor no local da injeção, dor de cabeça e fadiga, 40% tiveram dor no corpo e mal-estar, 30% tiveram febre e calafrios, e 20% relataram dor nas articulações e náusea. Embora esses efeitos sejam comuns, somente após tomar a segunda dose da vacina você terá uma proteção mais duradoura e eficaz contra a covid-19. Então tome a segunda dose quando chegar a hora. Ela é fundamental, para você e para toda a comunidade, pois só conseguiremos acabar com a pandemia quando grande parte da população estiver imunizada.

Um abraço e até a próxima. Se você tem alguma dúvida sobre saúde e vida saudável, manda um zap para mim! O número é (31) 9 8468.4731.


Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

15 VARIEDADES 13

www.malvados.com.br Separamos aqui uma combinação infalível para você conquistar o coração da sua parceira. Trata-se da junção entre limpeza e um bom jantar. Em outras palavras, a demonstração de afeto e cuidado. Pode ter certeza que é a melhor declaração!

CARBONARA DE ARROZ

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br

Um, den- Maracanã tre vários A "voz" Frequência lamentosa 2 de rádio do lobo

Gritar Buenos 4 (?), cidade 3 argentina

3

1

5

6

5

7

8

9

5

6

6

3

5

10

11

12

13

12

6

15

5

6

5

14

10

3

6

5

13

10

3

9

12

Tirar o obstáculo a Amolar (faca) Inventar

Ingrid Guimarães, atriz

2

10 Médico (bras.) Prática da pessoa no chuveiro

(?)-shirt, camiseta Gravura; 13 imagem

5

7

6

12

12 14 Vitamina de ação antigripal

2

G 8 6 5

16

11

Palco do circo Arma 2 indígena

12 5

Puro; inocente Bronzeado, em inglês

13

12

15

14

1

3

10

5

6

3

Letícia Spiller, atriz 5 6 brasileira 7 Sentimento de pesar Ofega; 6 arqueja 17

2 14

Atmosfera Medo incontro5 lável

16

5

Formação da quadrilha 3 junina

13

5 6

9 Orlando Rangel, químico

7

14

5

6

8 13 3

14

7ª nota musical Corajoso; 9 valente

Sílaba de "índio"

4

12

6

16

5

5, em romanos Sexta letra

15

13 14

Ingredientes • • • • • • • • • •

2 xícaras de arroz dormido; 3 colheres (sopa) de manteiga; Talo de cebolinha laminado a gosto (opcional); ½ xícara de água; 1 abobrinha batidinha ou ralada; 1 xícara de folhas de ora-pro-nobis (também pode ser espinafre, escarola, rúcula ou a folha que você tiver); ½ xicara de queijo ralado; 2 a 3 ovos; Cebolinha verde a gosto; Sal, pimenta do reino e pimenta seca a gosto

14 O aconchego da família

Forma do ângulo de 90º

17

4

12

5

17

5

6 1

Solução

BE

12

14

Dificuldade do míope

P A E T E

3

Sufixo de "gatona" Exímio 6 (fig.)

A S

1

(?) drive, memória USB (Inform.) Embarcação luxuosa para passeios

A R I R R A E R S B I R N A V T O O L I A A R

13

E U S I T V A O D I V O E D R E F L U S T E O B R OL

14

C R A F A D M A N P O N A T E I M P C A I A R A R C A T O R A F N T A

4 Botânica (abrev.)

Utensílio de pesca Peça do 5 ventilador "Querer é (?)" (dito) Também 16 não 1

Informação do jornal

F I G U R C A

5

A P R B O P R I D E T A C R I D O

Consoante de "pai" Locador do imóvel

Aceitar de volta um empregado

© Revistas COQUETEL

Lantejoula Rádio 1 (símbolo)

Fixar através da chave de fenda

Modo de preparo • DSolte bem o arroz com as mãos, evitando grumos. • Refogue os talos de cebolinha na manteiga com uma pitada de sal. Junte o arroz e misture bem, deixando-o aquecer. • Junte a água, misture bem, abaixe o fogo e deixe dois minutos tampado pra hidratar e amaciar os grãos. • Junte a abobrinha e as folhas de ora-pro-nobis, misture bem, ajuste o sal e tempere com as pimentas. • Junte os ovos batidos e apague o fogo, misturando bem os ovos ao arroz, cozinhando-os no calor residual, formando um arroz cremoso. • Junte o queijo, misturando sempre. • Passe para o prato e finalize com a cebolinha e a pimenta seca se for do seu gosto.


14 CULTURA 14

Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

Com mistura de trap e pop, Lua Zanella lança clipe com figuras do folclore brasileiro MÚSICA Cantora de BH encarna “mula sem cabeça versão travesti”, com crítica ao machismo e ao moralismo da sociedade Redação A cantora e compositora Lua Zanella, mulher preta e trans belorizontina, lançou nesta semana, o videoclipe da faixa “IARA”, de seu primeiro EP Dama de Paus. No clipe, figuras folclóricas dançam em comemoração ao Dia Internacional do Orgulho LGBTI+, celebrado em 28 de junho, dia em que a produção foi ao ar. Na música, figuras folclóricas como Cuca, Saci Pererê, Boto-cor-de-rosa e a Matinta Pereira recebem uma homenagem cercada de elementos estéticos urbanos e da cultura drag. Lua Zanella encarna a “Mula sem cabeça versão travesti” e traz a estética do trap para o pop, mesclando os estilos e produzindo um som potente e melódico.

O trap, um sub-gênero do rap, se caracteriza por melodias desalinhadas e uso de sintetizadores, além de pautas políticas e sociais em suas letras. Segundo a cantora, o trap de “IARA” representa a celebração do corpo travesti e uma crítica ao patriarcado. O vídeo, que está disponível no canal do YouTube da cantora (veja aqui), teve produção e direção assi-

nadas por Guilherme Jardim e Samuel Fávero, da Almanaque, produtora audiovisual de Belo Horizonte focada na produção para artistas LGBTI+. O clipe conta, ainda, com intervenções em VFX, realizadas por Gabriel Cota. Sobre a cantora Nascida e criada em Contagem, na Região Metropolitana de BH, Lua começou sua carreira ao lado do irmão, Vinícius Morais, no duo InMo-

rais. Com a música “Riqueza Roubada”, Lua e Vinicius foram vice-campeões do Festival da Canção da PUC Minas, em 2019. O primeiro trabalho solo, a música “Popotchão”, foi lançada em 2019 e, no ano seguinte, a faixa “Capeta” deu sequência aos lançamentos da artista, em que Lua canta sobre a hipersexualização do corpo trans,

Segundo a cantora, o trap de “IARA” representa a celebração do corpo travesti e uma crítica ao patriarcado.

como objeto de desejo e fetiche, mas ainda extremamente marginalizado na sociedade. O primeiro EP de Lua Zanella, Dama de Paus, lançado neste mês, conta com seis canções inéditas e participações de Paige, Della Vitti e In Morais. O álbum aborda as vivências da artista, que canta sobre o corpo trans, a liberdade sexual, a força do folclore e a cidade de BH. “As músicas têm sonoridades diferentes entre si, porém costuradas com a mesma premissa: a mulher que eu era, a mulher que eu sou e todas as possibilidades da mulher que eu ainda posso ser”, comenta Lua. Dama de Paus encontra-se disponível nas plataformas digitais de streaming.

O céu é só uma promessa Marcos Santo /USP Imagens

Rubinho Giaquinto Maralina saiu da cidade de Almenara, Vale do Jequitinhonha, direto para uma favela de Belo Horizonte. Na sua cabeça e na sua fé, iria melhorar de vida. Uma mochila de sonhos e desafios. Já na primeira semana, arrumou um emprego de babá na casa de uns grã-finos falidos. O dono da casa tinha perdido tudo com jogatina de baralho. Era uma herança de seu pai. Só a mulher continuava trabalhando como professora universitária federal. Era esse salário que os mantinham vivos. Eles viviam endividados, mas não perdiam a pose. Maralina tinha uma beleza rara. Mistura de negros,

índios e brancos. O cabelo liso até a cintura e um corpo de deusa de ébano. Olhos verdes como a camisa do Palmeiras. Parava o trânsito onde passava. Isso nunca subiu à sua cabeça. Já no primeiro dia, o tal dono da casa reparou na beleza ímpar de nossa musa baiana. Sua vida se

transformou num inferno. Ele ficava o dia todo atrás de Maralina. Ele não tinha o que fazer. Aos domingos, vestia sua camisa da seleção brasileira para se manifestar a favor da família, da tradição e do patrimônio. Nossa Maralina tinha seus sonhos: trabalhar e passar no vestibular de arquitetura. Ele ria dela. Falava que não tinha nenhuma chance de

passar. Tinha experiência em casa. O filho mais velho estava no terceiro ano do melhor cursinho da capital mineira e não tinha conseguido. Isso não tirou a perseverança de Maralina. Um dia, todos da casa haviam viajado, sobrando o falido e Maralina. No meio da madrugada, ele invadiu o quarto dela e tentou estuprá-la. Ela deu um chute nele e um soco na boca, quebrando-lhe os dentes da frente. Ela chorou a madrugada toda, porque precisava daquele emprego. Resolveu não o denunciar para a polícia. O tempo passou. Chegou o dia do vestibular. Maralina foi de carona com a dona da casa e seu filho, já que os dois iriam prestar

vestibular para o mesmo curso. Ela não cabia dentro de si de tanta alegria. Passou um tempinho... saiu o resultado do Enem. Para a surpresa de todos e tristeza dos grã-finos falidos, Maralina passou em primeiro lugar e o filho deles nem constou na lista de suplência. Hoje Maralina é uma importante arquiteta que faz projetos de casas populares para atender à população mais pobre. O grã-fino falido é seu motorista particular. A mulher faleceu. O filho virou estelionatário conhecido nacionalmente. Rubinho Giaquinto é covereador da Coletiva em Belo Horizonte


Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

Imagem da semana

15 15

COPA AMÉRICA TV Globo

Com a demolição do “tobogã”, famoso setor do Pacaembu, a torcida que deu vida ao estádio pode dar adeus ao monumento, tal como ele ficou conhecido. Afinal, com a entrega realizada pela Prefeitura de São Paulo à iniciativa privada, o Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho dará lugar a um complexo esportivo, que

ESPORTE

vai custar R$ 400 milhões e também abrigará um centro esportivo e uma mega arena para jogos eletrônicos. O consórcio que ganhou a concessão foi a Allegra Pacaembu, representada, na época, por Rafael Carneiro Bastos Carvalho, sobrinho do presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Reinaldo Carneiro Bastos.

MINEIRA GARANTE VAGA NAS PARALIMPÍADAS DE TÓQUIO

SELEÇÕES ENTRAM EM CAMPO SEXTA E SÁBADO

A semana termina recheada de grandes jogos pela Copa América 2021. Em campo, pelas quartas de final da competição, oito seleções brigam por uma vaga para as semifinais. Nesta sexta (2), às 18h, Peru e Paraguai abrem a rodada no Estádio Olímpico, em Goiânia. O Bra-

Lucas Figueiredo /CBF

sil encara o Chile no Engenhão, às 21h. No sábado (3), tem Uruguai e Colômbia, às 19h, no Mané Garricha, e Argentina e Equador, às 22h, no Olímpico. Se passar pelo Chile, a Seleção Brasileira enfrentará o vencedor de Peru e Paraguai na próxima segunda-feira (5).

CBF

CABOCLO ACUSA DEL NERO DE OFERECER R$ 12 MILHÕES POR SILÊNCIO DE FUNCIONÁRIA DA CBF Lucas Figueiredo-Divulgação-CBF

Divulgação Futel

Reprodução

Marco Polo del Nero e Rogério Caboclo eram aliados na CBF Foto

A jovem paratleta Lara Lima, de 18 anos, do Clube Desportivo para Deficientes de Uberlândia, garantiu, nesta semana, vaga nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, que começam no dia 24 de agosto. A vaga da mineira foi conquistada por sua colocação

no ranking mundial de halterofilismo até 41 kg. Em maio, Lara conquistou dois pódios em mundial realizado na Geórgia: bronze na categoria adulto e ouro na categoria júnior também bateu o recorde das Américas, ao levantar 90 kg.

Alvo de denúncia de assédio moral e sexual feito por uma funcionária da CBF, o presidente afastado, Rogério Caboclo, acusou, na quinta (1), Marco Polo Del Nero, seu antecessor e antigo mentor, de ter feito uma proposta de R$ 12 milhões para que ela não apresentasse uma reclamação formal contra Caboclo. A denúncia de assédio foi apresentada na Comissão de Ética da

CBF no início de junho e dois dias depois, Caboclo foi afastado por 30 dias. Del Nero, desde 2018, está banido do futebol pela Fifa por recebimento de propina e envolvimento em corrupção. A defesa da funcionária sustenta que ela nunca fez nenhum pedido de dinheiro. A CBF, até o fechamento desta edição, não havia se pronunciado sobre o caso.


16

Belo Horizonte, 2 a 8 de julho de 2021

Galo atropela Dragão e cola no G4

ESPORTES

16

DECLARAÇÃO DA SEMANA Reprodução / Instagram

Pedro Souza /Atlético Mineiro

no contra-ataque, selou a goleada com Nacho Fernandez (43’). Com 13 pontos, o Atlético saltou da 10ª para a 5ª colocação. O próximo adversário é o Cuiabá, domingo (4), às 18h15, na Arena Pantanal.

Nesta quinta (1), o Atlético-MG recebeu o Atlético-GO no Mineirão e, sem dificuldades, bateu o xará por 4 a 1. Só no primeiro tempo, a equipe alvinegra balançou

as redes três vezes, com os argentinos Zaracho (26’ e 36’) e Nacho Fernandez (41’). Marlon de Freitas (45’) descontou para o Dragão. Na etapa final, o Galo manteve a pressão e,

Outros jogos No sábado (3), às 19h, o América recebe o Santos no Independência. No mesmo horário, pela série B, o Cruzeiro visita o Brasil de Pelotas em Bento Ribeiro.

“Ninguém vai poder querer nos dizer como amar. Te amo muito, minha princesa. Espalhe o vírus do amor até ele curar o preconceito” Formiga, única jogadora de futebol do mundo que participou de seis Olimpíadas, em declaração a sua esposa.

Gol contra O “grupo da morte” da Eurocopa contava com Portugal, atual campeã do torneio, e França, atual vice-campeã, além da poderosa Alemanha. Pois nenhuma delas resistiu às oitavas de final do torneio, contrariando as previsões

CRUZEIRO NA SÉRIE B

Gol de placa A Seleção Brasileira masculina de vôlei conquistou a Liga das Nações pela primeira vez. O Brasil garantiu o título ao vencer, por 3 sets a 1, a Polônia, atual campeã do mundo, em um jogaço. Que o próximo troféu seja a medalha de ouro olímpica!

Evolução, sim

Esperanças renovadas

PIOR DEFESA

@ANDREFIDUSI

MELHOR ATAQUE

Como uma gangorra

Bráulio Siffert

Rogério Hilário

Fabrício Farias

Que o elenco do América é limitado e que são necessárias mais umas três contratações de peso para a série A, não há dúvidas. Mas, mesmo assim, nas mãos do técnico Vagner Mancini, em três jogos, o time já passou a fazer o que uma equipe de meDecacampeão nor nível técnico precisa fazer: consciência e consistência defensiva e transição rápida e eficiente para o ataque. E, nesse esquema, jogadores que não vinham sendo usados por Lisca têm se destacado. O principal deles é Juninho Valoura, que tem dado ritmo e organizado o time. Ele fez, inclusive, dois gols e participou dos outros cinco. Boas novidades estão sendo também Ribamar e Eduardo de titulares, bem como Alê e Juninho no banco.

Depois de maus resultados, o Atlético tinha a chance, diante do xará de Goiás, de chegar ao 5º lugar e manter o sonho do título. E aproveitou. Com o retorno de Nacho Fernández e a escalação de Zaracho como titular, só no primeiro tempo foi 3 a 1. O argentino fechou o É Galo doido! placar no segundo tempo. Houve evolução no desempenho do time. Mesmo havendo empolgação com o resultado, o mais importante é o Galo se preocupar com os confrontos com o Boca Juniors, pelas oitavas da Libertadores, e com o Bahia, na Copa do Brasil. O Brasileiro é longo e tem mais variantes que a covid-19. Nas outras competições, a necessidade e a cobrança de competência são imediatas. Algo seguramente essencial na atual conjuntura macabra deste país.

Salve, nação celeste! O jogo de quarta (30) foi a representação perfeita da situação do Cruzeiro. Em campo, o melhor ataque da competição marcou três gols e a pior defesa sofreu outro três. Nos bastidores, a Fifa impõe um impedimento para registro La Bestia Negrade jogadores, em função do calote que a gestão de Gilvan Tavares deu no Defensor do Uruguai, na compra de Arrascaeta. Se, dentro de campo as coisas não estão acontecendo, que, ao menos nos bastidores, houvesse mudanças. Temos um elenco razoável, que tem lutado em campo. Porém, não há uma boa sequência de vitórias. Assim, ficamos nessa gangorra em que as subidas são de centímetros e a descida é de metros. Saudações celestes!

Para receber as matérias do BRASIL DE FATO MG diretamente no seu celular, envie uma mensagem para

31 98468-4731

/brasildefatomg

Profile for Brasil de Fato MG

Edição 341 do Brasil de Fato MG  

Edição 341 do Brasil de Fato MG  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded