Page 1

MG Minas Gerais

Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro • edição 313 • brasildefato.com.br • distribuição gratuita

Adail Dos Santos Junior. Adair Custodio Rodrigues. Ademario Bispo. Adilson Saturnino de Souza. Adnilson Silva Nascimento. Adriano Aguiar Lamounier. Adriano Caldeira do Amaral. Adriano Gonçalves Dos Anjos. Adriano Junio Braga. Adriano Ribeiro Da Silva. Adriano Wagner Da Cruz De Oliveira. Alaércio Lucio Ferreira. Alano Reis Teixeira. Alex

Crime da Vale

Mario Moraes Bispo. Alex Rafael Piedade. Alexis Adriano da Silva. Alexis Cesar Jesus Costa. Alisson Martins de Souza. Alisson Pessoa Damasceno. Amanda De Araujo Silva. Amarina de Lourdes Ferreira. Amauri Geraldo Da Cruz. Anailde Souza Pereira. Anderson Luiz da Silva. Andre Luiz Almeida Santos. Andrea Ferreira Lima. Angelica Aparecida Avila. Angelita Cristiane Freitas de Assis. Angelo Gabriel da Silva Lemos. Anizio Coelho Dos Santos. Antonio Fernandes Ribas. Armando da Silva Raggy Grossi. Aroldo Ferreira de Oliveira. Bruna Lelis de Campos. Bruno Eduardo Gomes. Bruno Rocha Rodrigues. Camila Aparecida da Fonseca SilvaCamila Santos de Faria. Camila Taliberti Ribeiro da Silva. Camilo de Lelis do Amaral. Carla Borges Pereira. Carlos Augusto dos Santos Pereira. Carlos Eduardo de Souza. Carlos Eduardo Faria. Carlos Henrique de Faria. Carlos Roberto da Silva. Carlos Roberto da Silveira. Carlos Roberto Deusdedit. Carlos Roberto Pereira. Cassia Regina Santos Souza. Cassio Cruz Silva Pereira. Claudio Jose Dias Rezende. Claudio Leandro Rodrigues Martins. Claudio Marcio Dos Santos. Claudio Pereira Silva. Cleidson Aparecido Moreira. Cleiton Luiz Moreira Silva. Cleosane Coelho Mascarenhas. Cristiane Antunes Campos. Cristiano Braz Dias. Cristiano Jorge Dias. Cristiano Serafim Ferreira. Cristiano Vinicius Oliveira De Almeida. Cristina Paula da Cruz Araujo. Daiana Caroline Silva Santos. Daniel Guimarães Almeida Abdalla. Daniel Muniz Veloso. David Marlon Gomes Santana. Davyson Christhian Neves. Denilson Rodrigues. Dennis Augusto da Silva. Diego Antonio de Oliveira. Diomar Custódia dos Santos Silva. Dirce Dias Barbosa. Djener Paulo Las-Casas Melo. Duane Moreira de Souza. Edeni do Nascimento. Edgar

272 mortes 1 ano de impunidade

Carvalho Santos. Edimar da Conceiçao de Melo Sales. Edionio Jose dos Reis. Edirley Antonio Campos. Ednilson dos Santos Cruz. Edson Rodrigues dos Santos. Edymayra Samara Rodrigues Coelho. Egilson Pereira de Almeida. Eliandro Batista de Passos. Eliane de Oliveira Melo. Eliane Nunes Passos. Elis Marina Costa. Eliveltom Mendes Santos. Elizabete de Oliveira Espindola Reis. Elizeu Caranjo de Freitas. Emerson Jose da Silva Augusto. Eridio Dias. Eudes Jose De Souza Cardoso. Eva Maria de Matos. Evandro Luiz dos Santos. Everton Guilherme Ferreira Gomes. Everton Lopes Ferreira. Fabricio Henriques da Silva. Fabricio Lucio Faria. Fauller Douglas da Silva Miranda. Felipe Jose de Oliveira Almeida. Fernanda Batista do Nascimento. Fernanda Cristhiane da Silva. Fernanda Damian de Almeida. Flaviano Fialho. Francis Erick Soares Silva. Francis Marques da Silva. George Conceição de Oliveira. Geraldo de Medeiros Filho. Gilmar Jose da Silva. Giovani Paulo da Costa. Gisele Moreira da Cunha. Gislene Conceição Amaral. Glayson Leandro da Silva. Gustavo Andrie Xavier. Gustavo Sousa Junior. Heitor Prates Maximo da Cunha. Helbert Vilhena Santos. Herminio Ribeiro Lima Filho. Hernane Junior Morais Elias. Hugo Maxs Barbosa. Icaro Douglas Alves. Izabela Barroso Camara Pinto Janice Helena do Nascimento. Jhobert Donadonne Gonçalves Mendes Joao Marcos Ferreira Da Silva. Joao Paulo Altino. Joao Paulo de Almeida Borges. Joao Paulo Ferreira de Amorim Valadão. Joao Paulo Pizzani Valadares Mattar. Joao Tomaz de Oliveira. Joiciane De Fatima dos Santos Jonatas Lima Nascimento. Jonis André Nunes. Jorge Luiz Ferreira. Jose Carlos Domeneguete. Josiane De Souza Santos. Josué Oliveira da Silva. Juliana Creizimar de Resende Silva. Juliana Esteves da Cruz Aguiar. Juliana Parreiras Lopes. Julio Cesar Teixeira Santiago. Jussara Ferreira dos Passos Silva. Katia Aparecida da Silva. Katia Gisele Mendes. Lays Gabrielle de Souza Soares. Leandro Antonio Silva. Leandro Rodrigues da Conceição. Lecilda de Oliveira. Lenilda Cavalcante Andrade. Lenilda Martins Cardoso Diniz. Leonardo Alves Diniz. Leonardo da Silva Godoy. Leonardo Pires de Souza. Leticia Mara Anizio de Almeida. Leticia Rosa Ferreira Arrudas. Levi Gonçalves da Silva. Lourival Dias da Rocha. Lorenzo (nascituro). Luciana Ferreira Alves. Luciano de Almeida Rocha. Lucio Rodrigues Mendanha. Luis Felipe Alves. Luis Paulo Caetano. Luiz Carlos Silva Reis. Luiz Cordeiro Pereira. Luiz De Oliveira Silva. Luiz Taliberti Ribeiro da Silva. Manoel Messias Sousa Araujo. Marcelle Porto Cangussu. Marcelo Alves de Oliveira. Marciano de Araujo Severino. Marciel de Oliveira Arantes. Marcileia da Silva Prado. Marcio Coelho Barbosa Mascarenhas. Marcio de Freitas Grilo. Marcio Flavio Da Silva. Marcio Flavio da Silveira Filho. Marcio Paulo Barbosa Pena Mascarenhas. Marco Aurelio Santos Barcelos. Marcus Tadeu Ventura do Carmo. Maria Elisa (nascituro). Maria de Lurdes da Costa Bueno. Marlon Rodrigues Gonçalves. Martinho Ribas. Mauricio Lauro de Lemos. Max Elias de Medeiros. Milton Xisto de Jesus. Miraceibel Rosa. Miramar Antonio Sobrinho. Moises Moreira de Sales. Natalia Fernanda da Silva Andrade. Nathalia de Oliveira Porto Araujo. Nilson Dilermando Pinto. Ninrode de Brito Nascimento. Noe Sancao Rodrigues. Noel Borges De Oliveira. Olavo Henrique Coelho. Olimpio Gomes Pinto. Pamela Prates Da Cunha. Paulo Geovane Dos Santos. Paulo Natanael De Oliveira. Pedro Bernardino de Sena. Peterson Firmino Nunes Ribeiro . Priscila Elen Silva. Rafael Mateus de Oliveira. Ramon Junior Pinto. Rangel do Carmo Januário. Reginaldo da Silva . Reinaldo Fernandes Guimarães. Reinaldo Gonçalves . Reinaldo Simao de Oliveira . Renato Eustaquio de Sousa. Renato Rodrigues Da Silva. Renato Rodrigues Maia. Renato Vieira Caldeira. Renildo Aparecido do Nascimento. Ricardo Eduardo Da Silva. Ricardo Henrique Veppo Lara. Robert Ruan Oliveira Teodoro. Robson Maximo Gonçalves. Rodney Sander Paulino Oliveira. Rodrigo Henrique De Oliveira. Rodrigo Miranda dos Santos. Rodrigo Monteiro Costa. Rogerio Antonio dos Santos. Roliston Teds Pereira. Ronnie Von Olair da Costa. Rosaria Dias da Cunha. Roselia Alves Rodrigues Silva. Rosiane Sales Souza Ferreira. Rosilene Ozorio Pizzani Mattar. Ruberlan Antonio Sobrinho . Samara Cristina dos Santos Souza . Samuel da Silva Barbosa. Sandro Andrade Gonçalves. Sebastião Divino Santana. Sergio Carlos Rodrigues. Sirlei de Brito Ribeiro. Sueli de Fátima Marcos. Thiago Leandro Valentim. Thiago Mateus Costa. Tiago Augusto Favarini. Tiago Barbosa da Silva. Tiago Coutinho do Carmo. Tiago Tadeu Mendes da Silva. Uberlandio Antonio da Silva. Vagner Nascimento da Silva. Valdeci de Sousa Medeiros . Vinicius Henrique Leite Ferreira .Wagner Valmir Miranda .Walaci Junhior Candido da Silva. Walisson Eduardo Paixão. Wanderson Carlos Pereira. Wanderson de Oliveira Valeriano. Wanderson Paulo da Silva. Wanderson Soares Mota . Warley Gomes Marques .Warley Lopes Moreira .Weberth Ferreira Sabino .Wellington Alvarenga Benigno. Wellington Campos Rodrigues. Wenderson Ferreira Passos .Weslei Antonio Belo .Wesley Antonio das Chagas .Wesley Eduardo de Assis .Willian Jorge Felizardo Alves .Wilson Jose da Silva .Wiryslan Vinicius Andrade de Souza .Zilber Lage de Oliveira


2

OPINIÃO

Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

Bolsonaro tem medo do escuro João Paulo Cunha

ESPAÇO DOS LEITORES

“Obrigada por dividir seu conhecimento. Um tema realmente complexo, escutar você ajuda a entender um pouco mais” Marcilene Pessoa comenta a entrevista com Ana Penido: “O governo brasileiro nos torna alvo de ataques internacionais”, avalia especialista “Vai vendo. Quanto valeu seu voto?” Coeli Bitaraes comenta o editorial da edição 313: “O que esperar de 2020?” “E o salário/dia de R$ 18,88” Escreve @eloamcamps sobre a matéria “Em BH, briga por preço da tarifa. Na Região Metropolitana, aumentos exorbitantes”

A atitude do presidente com a cultura, o conhecimento e a ciência registra capítulos infames todos os dias. Desrespeito com a universidade, redução do financiamento de pesquisas, demissão de cientistas, afronta a artistas e intelectuais que dignificam a história do país. A saga destrutiva segue com revisionismo da história, negação estúpida de resultados científicos e estímulo a modelos autoritários de organização do ensino público. Tem sido assim com a Fundação Palmares, as universidades federais, a Fundação Casa de Rui Barbosa, a Funarte e a Biblioteca Nacional, entre outras. O novo episódio nessa história deplorável é a nomeação de Laura Rufino como diretora colegiada da Agência Nacional do Cinema, a Ancine, mesmo que ocupando o car-

Filmes ampliam consciência, disso o presidente tem medo go interinamente. Funcionária de carreira, protegida do secretário especial de Cultura, Roberto Alvim, ela chega sob solo de trombetas da Opus Dei, a mais conservadora das prelazias da Igreja Católica. Por que tanto ódio ao cinema? A resposta é simples: Bolsonaro tem medo do escuro. Do escurinho ensolarado da tela grande. O que o

mundo do cinema vem mostrando nos últimos anos é a retomada de sua vocação humanista e crítica. O cinema tem recuperado seu papel de propor discussões profundas, atento à razão e à emoção. A indicação do filme brasileiro Democracia em vertigem, de Petra Costa, ao Oscar de melhor documentário, é por isso triplamente importante. Em primeiro lugar, mostra a força humana do cinema e permite ampliar um olhar localizado para um debate que interessa

Democracia em vertigem relaciona o país com o mundo a todos. Além disso, coloca o país em relação com o ambiente político do mundo: o que nos atinge faz parte de uma grande onda que precisa ser compreendida e combatida universalmente. Por fim, o fato de se tratar de uma obra documental é exemplar de como o jornalismo tradicional não tem dado conta de expressar seu tempo. Em todos os círculos e espaços se debatem filmes como Dois papas, Bacurau, Atlantique, Parasita, O Coringa, O irlandês, História de um casamento, Os miseráveis e outras produções. São filmes que ampliam a consciência. É aí, felizmente, que mora o perigo. É disso que o presidente tem medo, não de Bruna Surfistinha.

Escreva pra gente também: redacaomg@brasildefato.com.br ou em facebook.com/brasildefatomg O jornal Brasil de Fato circula semanalmente com edições regionais, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro, no Paraná e em Pernambuco. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país e no nosso estado.

PÁGINA: www.brasildefatomg.com.br CORREIO: redacaomg@brasildefato.com.br PARA ANUNCIAR: publicidademg@brasildefato.com.br TELEFONES: (31) 3309 3314 / (31) 3213 3983

conselho editorial minas gerais: Aruanã Leonne, Beatriz Cerqueira, Bernadete Esperança, Bruno Abreu Gomes, Ênio Bohnenberger, Felipe Pinheiro, Frederico Santana Rick, Helberth Ávila de Souza, Jairo Nogueira Filho, Jefferson Leandro, Joana Tavares, João Paulo Cunha, Joceli Andrioli, Jô Moraes, José Guilherme Castro, José Luiz Quadros, Juarez Guimarães, Laísa Campos, Marcelo Almeida, Makota Celinha, Maria Júlia Gomes de Andrade, Milton Bicalho, Neila Batista, Nilmário Miranda, Padre Henrique Moura, Padre João, Pereira da Viola, Renan Santos, Rogério Correia, Robson Sávio, Samuel da Silva, Talles Lopes, Titane, Valquíria Assis, Wagner Xavier. Editora: Joana Tavares (Mtb 10140/MG). Redação: Amélia Gomes, Larissa Costa, Rafaella Dotta, Raíssa Lopes e Wallace Oliveira. Colaboradores: Anna Carolina Azevedo, André Fidusi, Bráulio Siffert, Diego Silveira, Fabrício Farias, Izabela Xavier, João Paulo Cunha, Jonathan Hassen, Jordânia Souza, Pedro Rafael Vilela, Renan Santos, Rogério Hilário, Sofia Barbosa e Z Carota. Revisão: Luciana Gonçalves. Administração e distribuição: Paulo Antônio Romano de Mello e Vinícius Moreno Nolasco. Diagramação: Luiz Lagares Izidio. Tiragem: 35 mil exemplares. Razão social: Associação Henfil Educação e Comunicação


?

Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

3

Número da Semana

PERGUNTA DA SEMANA

17

GERAL

Divulgação

A última segunda-feira (13) bateu o recorde de temperatura em Belo Horizonte em 2020. Assim como no dia 12, os termômetros chegaram a 34,3°C graus, a maior temperatura registrada no ano. Para seguir no ritmo, a semana se manteve com termômetros colados na casa dos 30 graus. Como Minas não tem mar… O Brasil de Fato saiu às ruas para perguntar:

O que os belo-horizontinos estão fazendo pra dar conta desse calorão?

65%

dos brasileiros estão endividados. É o que informa pesquisa divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. O número é o maior registrado desde que o estudo começou a ser realizado, em 2010.

Estágio aberto na PBH Divulgação/PBH

Reprodução

Ar condicionado, ventilador e muita água gelada. Sempre que posso, eu fujo para o banco ou qualquer lugar que tenha ar condicionado.

Nossa, pra refrescar com esse calor só mesmo banho e muita água! Às vezes eu tomo um sorvete, que também ajuda.

Paula Elisa, Telemarketing

Fernanda Lopes, Telemarketing

As inscrições para fazer parte do Banco de Estágios 2020 da Prefeitura de Belo Horizonte já estão abertas. Podem se inscrever estudantes dos anos finais do ensino fundamental na modalidade profissional da Educação de Jovens e Adultos (EJA), níveis médio, técnico ou superior, de qualquer área ou período. A quantidade de vagas varia ao

longo do ano e os candidatos serão encaminhados para processos seletivos conforme ordem de inscrição e perfil da demanda. Em janeiro, estão disponíveis 250 vagas, 182 de nível médio e 68 de nível superior. A carga horária é de 4, 5 ou 6 horas diárias, com bolsas entre R$ 420 e R$ 1 mil. Para mais informações, acesse prefeitura.pbh.gov.br/ oportunidades-de-trabalho.

Declaração da Semana As pessoas precisam saber que no Brasil tem gente resistindo e essa luta é justa”

Frase de Carlos Marighella, guerrilheiro baiano assassinado pela ditadura. O filme inspirado em sua vida e na biografia escrita por Mario Magalhães estreia oficialmente em 14 de maio nos cinemas do Brasil.

Reprodução


4

CIDADES

Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

Caso da Backer abre discussões sobre qualidade das cervejas artesanais BELORIZONTINA Suspeitas de contaminação devido ao consumo da bebida estão sendo investigadas pela Polícia Civil de MG Reprodução

Larissa Costa

A

repercussão da contaminação por dietilenoglicol encontrado na linha de produção da cerveja Belorizontina, da Backer, uma empresa mineira, está dando o que falar nas últimas semanas. Até quinta (16), foi confirmada a presença da substância em quatro pessoas. Uma delas faleceu em Juiz de Fora, na semana passada. Outras três pessoas faleceram, mas ainda não foi comprovada a presença de dietilenoglicol no sangue. Outros 14 casos de intoxicação estão sob investigação. Mas, esse caso específico da cervejaria Backer é um motivo para duvidar de todas as cervejas artesanais? Para a cervejeira Liliam Telles, é importante considerar que o caso é complexo e envolve também questões comerciais, pois os donos da Backer se recusaram

“A Backer não produz cerveja artesanal, é uma cervejaria industrial de larga escala”, afirma produtor de cerveja a vender a empresa para a Ambev, cervejaria que controla o mercado de bebidas no Brasil. “A Ambev conseguiu comprar a Wälls [em 2015]. Um dado da Associação Brasileira de Cervejas Artesanais (Abracerva) mostra que o mercado cer-

vejeiro, para as cervejas convencionais, tem diminuído 3% ao ano, enquanto o mercado das cervejas artesanais tem aumentado cerca de 20% ao ano”, afirma. A Backer é artesanal? “As informações preliminares foram utilizadas para alardear e colocar medo na população de não consumir cerveja artesanal. Chegaram a circular outras informações dizendo que poderia ter sido queijo, cachaça, sempre atacando os produtos artesanais”, comenta Liliam. Samuel França Alves, que também é produtor artesanal de cerveja para consumo próprio, explica que é importante diferenciar uma produção de cerveja artesanal de uma que, mesmo sendo puro malte – chamada especial –, é fabricada de forma industrial. “A Ba-

“O que eu preciso agora é que não bebam Belorizontina, quaisquer que sejam os lotes”, disse CEO da Backer cker não produz cerveja artesanal, é uma cervejaria industrial de larga escala, mas que faz um produto diferenciado, que é valorizado pelos consumidores de cerveja”, aponta. Segundo Samuel, as cervejarias especiais se diferenciam da Ambev pela qualidade do produto, pelo cuidado em fazer um produto mais puro, sem uso de aditivos, como o milho transgênico. “Muitas cervejas da Ambev levam no rótulo ‘carboidratos’, que quer dizer

que eles adicionam qualquer coisa que vai fornecer a quantidade de açúcar necessária para a fermentação, mas que não é malte de cevada. Isso porque a Ambev quer reduzir ao máximo seus custos”, ressalta.

18 pessoas podem ter sido contaminadas após consumo do produto

Andamento do caso O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em nota emitida na segunda (13), intimou a Backer a recolher do mercado todos os produtos fabricados de outubro de 2019 até a presente data. A Backer afirma que não usa dietilenoglicol na linha de produção, e que neste momento prestará aos pacientes e familiares o suporte necessário, mesmo antes de qualquer conclusão. “A cervejaria informa que continua colaborando, sem restrições, com as investigações. A empresa segue apu-

rando internamente o que poderia ter ocorrido com os lotes de cerveja apontados pela Polícia”, diz o texto. Em coletiva na terça (14), a CEO da cervejaria, Paula Lebbos, garantiu nunca ter comprado ou aplicado dietilenoglicol em seus tonéis para resfriamento. “Nós sempre estivemos abertos às investigações. Peço a todos que não julguem as outras cervejarias artesanais pelo que está acontecendo com a Backer. O que eu preciso agora é que não bebam Belorizontina, quaisquer que sejam os lotes”, reforçou.


5

BRASIL

Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

Salário mínimo sem reajuste acima da inflação PERDA Com o fim da política de reajuste acima da inflação, governo deixa de injetar R$ 14 bi por ano na economia Mídia NINJA

Da redação

O

reajuste do salário mínimo feito pelo governo Bolsonaro foi menor que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) em 2019, passando de R$ 998 para R$ 1.039. A inflação acumulada em 2019 foi de 4,48%, e o reajuste foi de apenas 4,1% acrescidos em 1º de janeiro ao salário mínimo.

70% dos brasileiros ganham até dois salários Bolsonaro mantém a posição de rompimento com a política de valorização real do mínimo implementada em 2004, durante o governo

Aumento do salário mínimo acima da inflação (aumento real) - 2005 a 2020 13,04 8,23 5,10

4,03

5,79

7,59

6,02 0,37

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2,64

1,16 2,46

0,36 -0,10 -0,25 1,14

2013

2014

2016

2012

Dilma

Lula

de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e transformada em lei durante o governo de Dilma Rousseff (PT). O governo, no entanto, prometeu na terça-feira (14) que vai enviar uma nova Medida Provisória ao Congresso Federal para aumentar o valor

para R$ 1.045, repondo só a inflação. A lei que obrigava a valorização do salário mínimo acima da inflação perdeu validade ao fim de 2019 e o ministro da Economia, Paulo Guedes, já declarou ser contra a edição de

R$ 14 bi fora da economia Reprodução

Segundo o diretor técnico do Dieese Clemente Ganz Lúcio, se fosse seguida a lei que regulava os aumentos do mínimo, somando a reposição do INPC e a variação do Produto Interno Bruto, o aumento real para 2020 seria em torno de 1,3% – o salário mínimo chegaria a R$ 1.061. O Dieese estima que cerca de 48 milhões de brasileiros têm a remuneração referenciada no salário mínimo. Com a descontinuação do aumento real, a perda da massa salarial chega a R$ 14 bilhões por ano.

2015

2017

2018

Temer

48 milhões de brasileiros têm a remuneração referenciada no salário mínimo

2019

0 2020

Bolsonaro

nova norma nesse sentido. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), entre 2004 e 2019, o salário mínimo teve reajuste acumulado de 283,85%, enquanto a inflação (INPC-IBGE) foi de 120,27%

Alimentos, transporte e saúde mais caros Os preços de alimentação e bebidas apresentou alta de 6,37%. Esse é justamente o setor que mais impacta o orçamento das famílias com renda menor. A variação nos preços dos transportes foi de 3,57%, puxada pelo aumento das passagens dos ônibus urbanos e da gasolina. O setor de saúde teve alta 5,41%, reflexo direto da elevação de 8,24% nos valores de planos de saúde.

Em entrevista ao Brasil de Fato, o analista do Dieese Alexandre Ferraz explicou que acabar com a política de valorização do salário mínimo coloca o Brasil

em uma situação preocupante e gera impactos negativos no consumo das famílias, no Produto Interno Bruto (PIB) e na distribuição de renda.

“A economia está andando de lado e não está gerando empregos formais. O trabalhador não está se beneficiando do andamento da economia. Se você não implementar

uma política macroeconômica que crie investimentos, você não vai ter geração de empregos. Setenta por cento dos brasileiros ganham até dois salários mínimos”, explica.


6

MINAS

Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

Romaria pela ecologia integral denuncia a Vale e discute relação entre ser humano e natureza BRUMADINHO Organizada pela Arquidiocese de Belo Horizonte, ação marca um ano do crime que deixou 272 mortos Mauro Pimentel /AFP

Larissa Costa

P

ara marcar um ano de um dos maiores crimes socioambientais do país, o rompimento da barragem da Vale no Córrego do Feijão, acontece em Brumadinho, no dia 25 de janeiro, a 1ª Romaria da Arquidiocese de Belo Horizonte pela Ecologia Integral. As ações propõem a discussão sobre a “casa comum”, em que seres humanos fazem parte da natureza, e não algo à parte dela.

A programação, que começa a partir das 8h, no sábado (25), conta com celebração da palavra, missas, plantio de árvores, ato das famílias, mística e momento cultural. A Santa Missa das 17h será presidida por Dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). A expectativa da organização é que participem 5 mil pessoas de vários municípios, inclusive os atingidos pelo crime da Samarco (Vale/BHP) da Bacia do Rio Doce. Dom Vicente Ferreira, bispo auxiliar da arquidiocese de Belo Horizonte, referencial para a Região Episcopal Nossa Senhora do Rosário (Renser), cuja sede é Brumadinho, explica que a romaria denuncia a atuação da Vale na região. Ao mesmo tempo, a atividade responde aos

“Vale continua interferindo no território, comprando, dominando e maquiando o crime”, afirma bispo apelos do Papa Francisco e da CNBB, que convocam a igreja para uma nova consciência em relação ao meio ambiente. “A cidade [Brumadinho] se tornou um símbolo de luto, mas também de luta, de denúncia e de profecia. A romaria quer propor pautas para que nossas instituições não demorem a tomar novas iniciativas, principalmente para barrar esse sistema minerário que devasta, que mata, que leva o lucro e deixa para nós os danos e a dor”, aponta. O crime da Vale, ocorrido em 25 de janeiro do ano passado, deixou 272 mortos e devastou o Rio Paraopeba, prejudicando cidades, comunidades ribeirinhas, plantações e deixando milhares de atingidos. Para Dom Vicente, a romaria possui uma proposta política de unir vozes de denúncia, em defesa da vida humana e do meio ambiente. “Queremos garantir uma narrativa dos

atingidos que está sendo sufocada pela narrativa da Vale. A mineradora maquia, dizendo todo dia na televisão, pagando fortunas para dizer que está reparando, mas o crime continua, com um sofrimento interminável das comunidades, das pessoas que perderam tanta coisa, inclusive parentes. A Vale continua interferindo no território, comprando, dominando e apresentando à sociedade seu plano de ação”, denuncia.

Nossos direitos JÁ PAGOU O DPVAT 2020? VOCÊ PODE TER DIREITO A RESTITUIÇÃO Se você já realizou o pagamento do seguro obrigatório de 2020, você deve ter direito a restituição de valor que pagou a mais. Isso porque o STF, em 9 de janeiro deste ano, votou em favor da redução do valor do seguro. Os descontos foram propostos pelo Conselho Nacional de Seguros Privados para esvaziamento de um fundo que já atingiu a marca de bilhões. Quem pagou o valor de R$ 16,21 referente à taxa de um automóvel simples, com o desconto, pagaria R$ 5,23. Para solicitar a restituição do valor, você deve acessar o site - https:// restituicao.dpvatsegurodotransito. com.br/, preencher dados pessoais, informações relacionadas ao pagamento realizado e informar dados bancários para a devolução. Feito o cadastro, é gerado um número de protocolo em que você conseguirá acompanhar o andamento da solicitação.

Jonathan Hassen é advogado popular

Destaques na programação Às 14:30, acontece o lançamento do livro “Brumadinho: 25 é todo dia”, escrito por Dom Vicente. O texto é um testemunho pessoal, em linguagem poética, sobre o drama que vivem os moradores, inclusive ele, após o crime da Vale. Para o momento cultural, que também será de celebração, estão confirmadas as presenças de Fernanda Takai, Sérgio Pererê, Pereira da Viola, Wilson Dias, banda São Sebastião de Brumadinho, Orquestra de Inhotim e muitos outros. As atividades são abertas à toda população.


Minas Gerais

Fotos cedidas pela Avabrum

ESPECIAL

MG Belo Horizonte, janeiro de 2020 • brasildefatomg.com.br • distribuição gratuita

O lucro não vale a vida Essas são fotos das 272 pessoas que perderam a vida no dia 25 de janeiro de 2019. Confira conteúdo especial sobre o primeiro ano após o crime da Vale em Brumadinho.


2 8

ESPECIAL

Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

Um ano do crime da Vale em Brumadinho COMO ESTÁ A SUA VIDA UM ANO APÓS O CRIME? 25

JAN

Rompimento da barragem B1 da Vale, na mina Córrego do Feijão, em Brumadinho. A onda de rejeitos atingiu a área administrativa e o refeitório da empresa, as comunidades Córrego do Feijão e Parque das Cachoeiras, e o rio Paraopeba, deixando um rastro de destruição com 272 mortos, sendo 11 ainda não encontrados.

20

A luta dos atingidos conquistou a Assessoria Técnica Independente e a determinação de que a Vale deverá pagar um auxílio emergencial aos moradores de Brumadinho e todos que tenham casas até 1km do rio Paraopeba.

25

População se une em ato contra a impunidade. Às 12h28min, horário exato do rompimento, foi realizada uma celebração no letreiro da cidade, que acontece até hoje, todo dia 25.

12

Realização da primeira Conferência Livre de Saúde dos Atingidos e Atingidas de MG para discutir, apresentar propostas e escolher delegados para a Conferência Estadual de Saúde. A atividade reuniu mais de 250 atingidos na bacia dos rios Doce, Jequitinhonha, Pardo e Paraopeba.

FEV

MAR ABR

06

MAI

03

JUN

Data que marca os 22 anos de privatização da Vale. Assembleia Legislativa de Minas Gerais instala uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar o crime. Deputados trabalharam junto com o Ministério Público de Minas Gerais para investigar as causas do crime, na chamada CPI de Brumadinho.

25

Seis meses do crime reuniu mais de 300 em homenagem às vítimas. Com a presença do Corpo de Bombeiros, parlamentares e membros de diversas religiões, os atingidos entregam 24 jangadas de flores ao rio em memória às vítimas até então não encontradas.

16

Conselho Nacional dos Direitos Humanos emite parecer recomendando a aprovação definitiva da Política Nacional dos Atingidos por Barragens (PNAB), reivindicação histórica do MAB. O projeto, aprovado na Câmera dos Deputados em junho, estava no Senado Federal.

12

Relatório final da CPI de Brumadinho é aprovado por unanimidade na ALMG. Após meses de trabalho, mais de 140 depoimentos, visitas técnicas, reuniões e análises de estudos, a CPI aponta seis crimes que tiveram como causa direta o rompimento da barragem, entre eles homicídio, dano ambiental e falsidade ideológica.

JUL

AGO

SET

25

Encontro das Mulheres Atingidas por Barragens, programação da Jornada de Luta dos Atingidos: A Vale Destrói O Povo Constrói que denuncia os crimes das bacias dos rios Doce e Paraopeba, marca os 9 meses do crime da Vale em Brumadinho.

19

Atingidos ocupam por 11 horas linha férrea da Vale, no município de Mário Campos. Eles reivindicavam um representante com poder de decisão para a audiência do dia 21, a continuidade do auxílio emergencial e a contratação imediata das assessorias técnicas.

21

O maior ato desde o crime de Brumadinho reuniu mais de 2000 atingidos em marcha por Belo Horizonte até a porta do TJMG, para audiência que debatia a manutenção do auxílio emergencial e a contratação das assessorias técnicas nos territórios.

OUT

NOV

NOV

17

DEZ

É aprovado em primeiro turno o projeto de lei 3312/2016 que institui a Política Estadual dos Atingidos por Barragens e outros Empreendimentos, que estabelece garantias de direitos e assistência para os ameaçados e atingidos por barragens em Minas Gerais. O projeto precisa ser aprovado em segundo turno e ser sancionado pelo governador.

Elisabeth de Fátima Cordeiro de Oliveira, POMPÉU

“A Vale destruiu nosso rio, os turistas foram embora e eu fiquei aqui com meus produtos. Eu corro daqui, corro dali e os produtos não saem. Eu vou pra outros lugares tentar vender e mesmo assim não ganho um terço do que eu ganhava. Nós perdemos muito, a cachoeira era tudo pra nós” Sidalino Ferreira de Oliveira, POMPÉU

“Moro aqui no assentamento Queima Fogo e nós perdemos o rio que a Vale estragou. Além disso estamos no prejuízo, porque nem o emergencial ela quis nos dar até hoje. Perdemos nossos peixes, nosso trabalho, não tem como vender e nem pescar mais nada lá. A Vale não aceitou a assessoria técnica e a maioria está sem receber nada até agora” Rogério Rezende, JUATUBA

“Sou agricultor, mexia com couve e alface, e depois do rompimento da barragem eu parei com as minhas plantações. Mexo muito pouco hoje, por causa da água, que eu não tenho. Hoje a Vale não fala nada, não faz nada sobre a minha situação. Falaram que iam resolver meus problemas e até hoje nada. Não tenho perspectiva nenhuma agora, não sei o que fazer” Sueli Rodrigues Leite, CITROLÂNDIA

“Depois do crime estamos passando por vários problemas de saúde, físicos e psicológicos. As doenças na minha comunidade cresceram muito depois do crime, está todo mundo constantemente com dores, diarreias, dores de cabeça e coceira por causa da água e da poeira contaminada, fora os problemas respiratórios” Jefferson Custódio CÓRREGO DO FEIJÃO

“Perdi minha avó no crime e um ano depois a gente viu que o poder do capital é maior que o poder da justiça. A Vale não foi punida, não existe assessoria técnica e nossos direitos não são respeitados. Ela fecha estrada, destrói patrimônios, mata pessoas e trata os atingidos com total descaso e impunidade”


Belo Horizonte,17 a 23 de janeiro de 2020

ESPECIAL

93

Vale reduz de 108 mil para 15 mil o número de pessoas que receberão auxílio emergencial CRIME “É evidente que isso vai ter um impacto na vida dessas pessoas”, afirma promotor Mídia Ninja

Da redação Em fevereiro de 2019, um acordo firmado entre o Ministério Público de Minas Gerais, a Defensoria Pública de Minas Gerais e a Vale determinou que a mineradora pagaria, durante 12 meses, um auxílio emergencial no valor de um salário mínimo para 108 mil pessoas. Em novembro do ano passado, na renovação do contrato, a empresa reduziu o número de beneficiários para 15 mil pessoas. André Sperling Prado, promotor do MPMG, que esteve nas negociações, lamentou o resultado final do acordo. “Houve uma diferencia-

1,3 milhão de pessoas estão sujeitas a contaminação com metais pesados

ção. Para as pessoas que estão na zona quente, com rejeitos na porta de casa, conseguimos a manutenção por mais dez meses. As outras , ou seja, mais de 90 mil pes-

soas, vão receber 50% do valor. É evidente que isso vai ter um impacto na vida dessas pessoas”, diz. Ainda de acordo com o promotor, o benefício deve-

ria ser cumprido até o pagamento de uma indenização pelos crimes cometidos pela Vale. “O pagamento emergencial não é indenização, não pode ser encarado desta forma, é uma forma de subsistência para pessoas que foram atingidas”, aponta. Atualmente, cerca de 1,3 milhão de pessoas, que vivem às margens do Rio Paraopeba, estão sujeitas a contaminação com metais

pesados, seja por vias aéreas, pelo contato da lama com a pele ou pela água. A maioria delas não são assistidas com nenhum tipo de reparação. André espera que, com as visitas das assessorias técnicas, o cenário possa ser revertido. “Esperamos que com a entrada dessas equipes em campo - que espero que seja agora no começo do ano - os atingidos consigam fazer pleitos mais concretos e com conexão com o dano que eles sofreram. Assim, espero que esse pagamento emergencial, que tem um critério territorial apenas, passe a ter relação com o problema que as pessoas estão sofrendo”.

Atingidos realizam marcha com denúncia do crime em Brumadinho “POR JUSTIÇA E DIREITOS” Pessoas de 15 países e ex-presidente Lula devem participar de seminário na sexta (24) Isis Medeiros

Claudia Rocha Na segunda-feira (20), os atingidos por barragens darão início à “Marcha dos atingidos: 1 ano do crime da Vale em Brumadinho” que vai percorrer cinco cidades do interior e da região metropolitana da capital mineira. Com a palavra de ordem “por justiça e direitos”, uma caravana de ônibus com cerca de 350 atingidos reivindica a reparação do crime por parte da empresa responsável, a mineradora Vale. Em janeiro do ano passado, 272 pessoas morreram com o rompimento da barragem I da Mina do Córrego do Feijão; ainda há 11 pessoas

De 20 a 25 de janeiro, 350 pessoas percorrem diversas cidades desaparecidas. Saindo de Belo Horizonte, os atingidos passarão por Pompéu, Juatuba e Betim até chegar a Brumadinho no sábado (25). A programação do evento conta com caminhadas, atos políticos, intervenções culturais, um Seminário Internacional, além de homenagens às vítimas.

“Após um ano do crime em Brumadinho, a movimentação da Vale continua sendo no sentido de gastar com campanhas publicitárias para florear a situação ao invés de dialogar com os atingidos”, afirma Eloá Magalhães, da coordenação do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) em

Minas. Durante a marcha, haverá debates sobre pautas específicas, como: a contaminação da bacia do rio Paraopeba e as consequências na saúde dos atingidos; a necessidade da contratação de Assessorias Técnicas nas regiões; os impactos econômicos e ambientais do crime.

Na sexta-feira (24), na comunidade de Citrolândia, em Betim, será promovido um seminário com representantes de 15 países, com um balanço e análise do modelo de mineração no Brasil. O ex-presidente Lula também está confirmado para a atividade.


14 4 ESPECIAL

Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

Falta d’água e contaminação: como está o abastecimento nas cidades ao longo do rio PARAOPEBA A poluição causada pelo rompimento da barragem de Brumadinho chega a 250 km depois do rio Mauro Pimentel /AFP

Rafaella Dotta

B

rumadinho, Paraopeba, comunidades ao longo do rio e as cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte sentem os efeitos sobre o abastecimento de água depois da poluição do Rio Paraopeba com os rejeitos do rompimento da barragem de Córrego do Feijão. Cidade abastecida por caminhões pipa A cidade de Paraopeba, a 130 km de Brumadinho, está em estado de alerta há seis meses por conta dos problemas no abastecimento. O Rio Paraopeba era a principal fonte de captação do município

O IGAM continua orientando que numa faixa de 160 km a água não deve ser usada que, com a contaminação, ficou apenas com o ponto de captação no ribeirão do Cedro, conforme explica o Secretário Municipal de Obras e Serviços Urbanos, Roberto Franco. De setembro a meados de dezembro a cidade foi abastecida por caminhões pipa fornecidos pela Vale. Atualmente, a Copasa voltou a captar água do Cedro, mas

o próximo período de seca do ribeirão, no segundo semestre de 2020, promete ser novamente um problema. Para o consumo humano, o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (IGAM) continua orientando que numa faixa de 160 km - entre Brumadinho e Pompéu - a água não deve ser usada para qualquer finalidade. E destaca que “não há previsão de retorno dessa captação para abastecimento”. Perspectiva de racionamento em BH Podendo atingir milhões de pessoas, a situação da Região Metropolitana de Belo Horizonte é das mais

preocupantes. O abastecimento da RMBH é um sistema integrado que depende cerca de 70% do Rio das Velhas e 30% da bacia do Rio Paraopeba. A estação da Copasa no Rio Paraopeba foi construída em 2015 para resolver uma crise hídrica, mas foi destruída com o

rompimento da barragem. Em outubro, a secretária-adjunta de Planejamento e Gestão de Minas Gerais Luíza Barreto afirmou que existe risco real de que BH e região metropolitana entrem em racionamento. A medida poderia começar em março de 2020.

Os números que interessam à Vale não são os das vidas perdidas Douglas Magno /AFP

Leonardo Fernandes

P

or meio de relatório, um jornal de grande circulação afirmou recentemente que a mineradora Vale é uma “máquina de fazer dinheiro”. Pois bem, um ano após a maior tragédia socioambiental da história do Brasil, podemos dizer que a máquina que faz dinheiro é a mesma que ceifa vidas e provoca destruição por onde passa. No dia 25 de janeiro de 2019, com o rompimento da barragem do Córrego do Feijão, a mineradora se tornou reincidente no crime. Três anos antes, houve o rompimento de outra barragem, a de Fundão, em Mariana, em de-

zembro de 2015, que matou 19 pessoas, provocando ainda um aborto, e despejando mais de 39 milhões de metros cúbicos de lama tóxica sobre a bacia do Rio Doce. Em Brumadinho, a quantidade de lama foi menor: 12 milhões de metros cúbicos, o suficiente para causar um dano ambiental de imensa proporção e matar 272 pessoas, das quais 11 ainda não foram encontradas. Lucro Embora esses números causem impacto em toda a sociedade, não são eles que despertam o interesse dos executivos da empresa. Já no primeiro trimestre de 2016, poucos meses após o crime de Mariana, a empresa

anunciou um lucro líquido de mais de R$ 6 bilhões. No acumulado do ano, foram R$ 13,3 bilhões em ganhos distribuídos entre os acionistas da mineradora. Em outubro de 2019, ano

do crime de Brumadinho, enquanto famílias ainda choravam a perda de seus familiares, os executivos da Vale comemoravam um lucro de mais de R$ 5 bilhões somente no terceiro

trimestre. Já nos primeiros dias de 2020, o mercado de ações comemorava o fato de a empresa ter “recuperado o seu valor de mercado” que tinha antes da tragédia.


Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

15 11

MUNDO

Governo da França recua na idade mínima para aposentadoria após onda de protestos CONQUISTA Contrárias à reforma da Previdência francesa, lideranças sindicais disseram que vão continuar as negociações Loic Venance/AFP

Rede Brasil Atual

O

primeiro-ministro Édouard Philippe anunciou no sábado (11) uma suspensão provisória do aumento da idade mínima de 62 para 64 anos para se ter acesso à aposentadoria integral. Na França, foi a primeira vez que o governo se mostrou aberto a negociar algum ponto da alteração das regras previdenciárias. O anúncio veio no 38° dia de greve contra o projeto de reforma da Previdência,

Anúncio veio no 38° dia de greve contra reforma da Previdência uma paralisação que atinge parcialmente a rede de transportes públicos de Paris, além de outros setores. Diversos protestos contra o projeto foram registrados em todas as regiões do país, sendo o principal na capital francesa. A mobilização teve episódios de violên-

cia, com a polícia disparando gás lacrimogêneo contra manifestantes.

“Estou disposto a retirar do projeto de lei a medida que havia proposto,

que consiste em convergir progressivamente a partir de 2022 até uma idade de equilíbrio de 64 anos em 2027”, escreveu o premiê, condicionando a retirada da medida de forma definitiva a um “acordo sobre o equilíbrio e o financiamento das pensões”. Contrárias à reforma da Previdência francesa, lideranças da central sindical CFDT consideraram um sinal “da vontade do compromisso do governo” e disseram que vão continuar as negociações. ANÚNCIO


14 12

VARIEDADES

Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

HAMBÚRGUER DE FEIJÃO FRADINHO

www.malvados.com.br

Reprodução

www.coquetel.com.br

CAÇA-PALAVRA

© Revistas COQUETEL

Procure e marque, no diagrama de letras, as palavras em destaque no texto.

Elza Soares A EXCÊNTRICA e despachada Elza Soares, nascida em 23 de junho de 1937, sempre foi uma FORÇA a ser RECONHECIDA na Música brasileira. Com mais de 30 discos e 50 anos de CARREIRA, a CANTORA dedica sua vida aos BATUQUES do SAMBA e aos versos da bossa nova. Ainda jovem, já mostrava inclinação para os PALCOS — participou de CONCURSOS de TALENTOS e PROGRAMAS de CALOUROS, como o de Ary Barroso —, até que começou, de fato, uma carreira profissional na DÉCADA de 1950. Dali para a frente, ELZA se tornou uma IMPORTANTE artista brasileira: viajou levando o nome do Brasil para outros países, como CHILE e Estados Unidos; gravou com outros ICÔNICOS cantores, como CAETANO Veloso; e ganhou prêmios internacionais por seu talento. Em 1997, lançou uma BIOGRAFIA, “Cantando para Não Enlouquecer”, onde revela detalhes sobre sua vida pessoal e profissional.

Ingredientes

ilustração: nei lima

C S E U Q U T A B D C C D A

R S N N G F H B D T O A L R

S R E Y N L R M S T N E D O

A T G L L D T A R B C T L T

M E C L Z N N S R F U A T N

A X D R D A Y C B S R N B A

R C D N R D R D L C S O D C

G E S C A C L N D C O F N M

O N R H D R G R T T S O T L

R T G I M P O R T A N T E N

P R F L R R F D L D D C B T

L I R E D N T A L E N T O S

S C F S N N D N D T T N T O

O A R I C O N I C O S N C C

R T F F D N T N Y F T F R L

U N I A I F A R G O I B B A

O G F L C N L C C T D D N P

L L O T D E C A D A N N T L

A F R R C B A R I E R R A C

C R Ç C C G C Y C L E Y C T

L G A D I C E H N O C E R T

G H C N F H C S B C L M R F 20

Solução

• • • • • • •

2 xícaras (chá) de arroz 2 xícaras de feijão fradinho previamente cozido 1/2 xícara de farinha de rosca 1 xícara de cheiro verde picado 1/2 cebola picada 1 dente de alho amassado Sal a gosto

Modo de preparo 1. Refogue o alho e a cebola e reserve.

S A M A R G O R P S E X C E N T R E E U L C H I L Q Z M U A P T O A B M A S R B T A C O N C U R S O S N C A E T A N O T E

A R O T N A C

2. Acrescente todos os ingredientes em uma vasilha, misture e amasse com um garfo até ficar uniforme. 3. Em seguida, abra a massa em uma superfície plana e modele os hambúrgueres. 4. Coloque azeite em uma frigideira e frite hambúrgueres.

S O R U O L A C I C A F O R Ç E I A C I D O F E T N A C A A I R A R L C G D I E O O A E N S I R T B R O A S O C L A P C

6. O tempo de preparo é cerca de 30 minutos e rende seis porções

A D I C E H N O C E R


Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

FIQUE

BEM

13 VARIEDADES 15

CIÊNCIA, COISA BOA! A MENSTRUAÇÃO PARA DEBAIXO DA ÁGUA? Freepik

A partir desta semana, nossa colaborada Janaína Cristina vai mandar suas dicas para que você Fique Bem!

BANQUINHO SALVA VIDAS Cá entre nós: você tem dificuldade para ir ao banheiro? Acontece de você se sentar no vaso e passar um bom tempo lá, mas não conseguir evacuar? Uma boa dica pode ser colocar suas pernas sobre um banquinho baixo. A posição se aproxima de um sentar-se de cócoras, que, segundo especialistas, é a melhor para o esvaziamento do intestino. Afinal, foi nessa posição que o ser humano fez suas necessidades por milhares de anos. Se o seu problema inclui hemorroidas, ficar vários dias com prisão de ventre ou uma dificuldade mais grave, procure um profissional. Ficar enfezado não é bom pra ninguém!

OLHE PARA O VASO Já que estamos nesse terreno, segue outra dica que pode não ser das mais gostosas, mas é boa para sua saúde. Assim como é importante conhecer nosso corpo, também é necessário conhecer o que sai dele. Tente criar o hábito – se ainda não tem – de olhar para o vaso depois de fazer cocô. A cor é muito importante: o saudável é marrom. Se suas fezes estiverem avermelhadas, amarelas, brancas, pretas ou esverdeadas, pode ser sinal de algo. O formato também – o cilíndrico é o ideal. A consistência que buscamos é algo entre o pastoso e o moldável, nada de muito dura ou muito mole. E bom mesmo é quando afunda. Quando boia, é sinal de que tem gordura demais na alimentação. Beijo da Jana!

AMIGA DA SAÚDE Sofia Barbosa é enfermeira do Sistema Unico de Saúde I Coren MG 159621

Estou tendo candidíase com muita frequência. O que pode estar acontecendo? Geralda Souza, 40 anos, vendedora. A candidíase vaginal ocorre quando fungos que habitam a região genital começam a se reproduzir muito, causando coceira intensa na vagina, podendo atingir também a vulva e toda a região genital. Pode haver um corrimento branco tipo leite talhado. Algumas causas comuns desse problema são o uso de antibióticos, uso de roupas sintéticas e muito justas, má alimentação, consumo excessivo de álcool, diabetes, gestação, vivência de estresse, etc. Normalmente, quando a candidíase se repete com frequência é sinal de que a imunidade pode estar baixa. É necessário procurar um médico para investigar qual a causa do problema e orientar o tratamento adequado.

Mande sua dúvida para amigadasaude@brasildefato.com.br

O tema de hoje foi sugerido pela leitora e amiga Giovana. Obrigado pela sugestão! Nos últimos dias estávamos em um grupo Caso a de amigos na praia, curtindo nossas merecimulher tenha das férias, quando o assunto surgiu. “Quando um fluxo entro na piscina ou no mar minha menstruaaumentando ção para de descer”. E então, é verdade que a ou faça muito água tem esse poder? esforço físico, A menstruação é resultado da descamação pode ser que da parede interna do útero. Ao longo do ciclo menstrual, esse órgão se prepara para receber a secreção um embrião. Assim, sua parede interna cresce se torne de espessura e se vasculariza. Caso não ocorra perceptível uma fecundação, ao fim do ciclo o organismo trata de eliminar os tecidos criados. Essa eliminação é a menstruação. Ou seja, ali não há só sangue, como o que corre nos vasos sanguíneos. Há uma mistura de sangue, células do útero, secreções vaginais, entre outras substâncias. Em média, uma mulher elimina entre 30 e 80 mL de menstruação a cada ciclo. O período em que há a menstruação, que dura de dois a sete dias, é apenas uma parte do ciclo menstrual como um todo, que tem em média 28 dias de duração. Músculos se contraem para realizar a descamação do útero, o que pode levar às cólicas que muitas sentem durante essa fase. Quando se está dentro da água, tais músculos não param de trabalhar. Ou seja, a descamação do útero continua normalmente quando a pessoa está debaixo d’água. Porém, como a quantidade de secreção que é eliminada naquele pequeno intervalo de tempo em que se está submersa é muito pequena, isso se torna praticamente imperceptível. O pouco de fluxo que seja liberado rapidamente se dissolverá na água e não será notado. Alguns fatores, como a temperatura baixa e a pressão da água, podem retardar mais ainda o processo, tornando-o ainda mais imperceptível. Porém, ele não para. Caso a mulher tenha um fluxo aumentando por determinada razão, ou faça um esforço físico considerável na água, pode ser que a secreção se torne perceptível. Mas isso é mais difícil de ocorrer. Se for o seu caso, algo que pode ser feito para se evitar essa eliminação excessiva na água é o uso de absorvente interno ou de um coletor menstrual. Mas não há porquê se privar de algo prazeroso como um banho de mar por causa da menstruação. Tal fenômeno biológico é completamente natural e não deveria ainda ser tratado com tanto tabu.Vamos lidar melhor com nossos corpos e aproveitar as coisas boas da vida! Renan Santos é professor de biologia da rede estadual de Minas Gerais


14 CULTURA 14

Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

Uma semana do melhor do teatro em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha PALCO E RUA Festival reúne companhias de teatro de diversas regiões do Brasil. Espetáculos têm entrada a R$5 e R$ 10

Começa dia 20 e vai até o dia 25 a 6ª edição do Festival Internacional de Teatro de Palco e Rua (FESTA) de Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha. Durante os dias de evento, dez companhias teatrais de várias regiões do Brasil se apresentam na cidade a preços populares (R$ 5 e R$ 10). O festival oferece ainda um palco aberto para a população, além de oficinas sobre a arte do teatro de rua e sobre a música e a dança do Vale. O festival é competitivo e os grupos disputam em 20 categorias, como melhor atriz/ator, melhor figurino e melhor espetáculo, que

Coral Trovadores do Vale é o homenageado desta edição

gum governo venha interferir na nossa liberdade de pensar, agir e manifestar. A nossa indignação persiste com a desastrosa canetada anti-cultural de Jair Bolsonaro”, reforça.

é uma referência em cultura e teatro. Já recebemos na cidade grupos do México, Portugal, Moçambique, etc. Pessoas que vêm em busca da linguagem popular”, diz. Luciano afirma que fazer arte nos dias de hoje está bem difícil e que o FESTA tem o objetivo e o dever de se posicionar contra o impedimento do pensamento livre e crítico. “Os artistas do Vale jamais permitirão que al-

Trovadores do Vale O Coral Trovadores do Vale é o homenageado desta edição. Os troféus das 20 categorias foram batizados com o nome do grupo, fundado no ano de 1970 pela artesã Lira Marques, de Araçuaí, e o holandês Frei Chico. Na época, eles saíram pelo Vale recolhendo cantos e cantigas do povo. Assim, se tornaram um dos grupos mais respeitados da cultura popular brasileira.

Divulgação

Raíssa Lopes

premia os ganhadores com R$ 3 mil. Mas o que importa mesmo, de acordo com o diretor e coordenador do FESTA, Luciano Silveira, é a troca de arte que o festival proporciona, é a cidade que fica tomada pelo teatro, é a cultura que os moradores

do Jequitinhonha respiram e ensinam. “O Vale faz um teatro que tem muito a ver com a vida do povo. Aqui não tem faculdade, escola técnica – o que é, inclusive, uma demanda nossa. Nós lutamos por um ensino de artes cênicas aqui, porque Araçuaí

“É crucial proteger nossas democracias”, diz Petra Costa após indicação ao Oscar 2020 BRASIL NO OSCAR Filme “Democracia em Vertigem” faz um retrato pessoal do Brasil pré e pós golpe de 2016 Divulgação

Marina Duarte de Souza O filme “Democracia em vertigem”, da diretora mineira Petra Costa, foi indicado ao prêmio de melhor documentário no Oscar 2020. O anúncio foi feito na manhã de segunda (13). Lançado no Festival de Sundance, nos Estados Unidos, em janeiro de 2019, e em junho na Netflix, a produção costura o passado da diretora por meio de imagens de acervo e seus relatos pessoais com a democracia brasileira de 2002 a 2018. Petra traz imagens inéditas de momentos que antecederam e sucederam o golpe de 2016 contra a presi-

“É por meio de histórias que civilizações se curam” denta Dilma Rousseff (PT). A diretora teve acesso aos bastidores dos processos que abalaram a democracia brasileira e culminaram na prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em abril de 2018, e a eleição do político e ex-militar de extrema direita Jair Bolsonaro (eleito pelo PSL e atualmente sem partido). “Estamos absolutamente emocionados e extasiados

por nossos colegas terem reconhecido a urgência deste filme, e honrados por estarmos na companhia de documentários tão importantes. Numa época em que a extrema direita está se espalhando como uma epidemia, esperamos que esse filme pos-

sa nos ajudar a entender como é crucial proteger nossas democracias. Está se tornando cada vez mais evidente o quanto o pessoal é político para tantos ao redor do mundo, e acredito que é por meio de histórias, linguagem e documentá-

rios que as civilizações começam a se curar”, postou a diretora em seu perfil no Facebook. Desde a estreia, “Democracia em Vertigem” ganhou avaliações positivas da crítica e imprensa internacional.


Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

ESPORTE

15 15

Judô brasileiro fatura nove medalhas em competição internacional

na geral

Começa o Pré-Olímpico de futebol

Danilo Borges

Lucas Figueiredo/CBF

A seleção brasileira de judô participou, no último domingo (12), da competição 2020 IBSA Judo American Championship. A equipe brasileira, representada por atletas do Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e São Paulo faturou nove medalhas, sendo cinco de ouro. Destaque para os paulistas Antônio Tenório, maior medalhista paralímpico da modalidade, que conquistou o ouro na categoria até 100 kg, e Lúcia Teixeira, oitava melhor judoca do mundo na categoria até 57 kg, que também subiu ao topo do pódio.

Neste sábado (18), tem início na Colômbia a 13ª edição Torneio Pré-Olímpico Sul-Americano Sub23. O torneio vai até o dia 9 de fevereiro. Os dois melhores colocados garantem vaga nos Jogos Olímpi-

cos de Tóquio 2020. No grupo B, o Brasil estreia contra o Peru, domingo (19), no Estádio Centenário, em Armênia. No dia 22, pega o Uruguai; no dia 28, encara a Bolívia; no dia 31, encerra a participação na primei-

ra fase, contra o Paraguai. O escrete canarinho, comandado pelo técnico André Jardine, conta com dois representantes do futebol mineiro: o goleiro Cleiton e o lateral direito Guga, ambos do Atlético.

Infantino quer Copa feminina a cada dois anos AFP

ANÚNCIO

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, cogita fazer a Copa do Mundo feminina a cada dois anos. A ideia foi dada pelo presidente da Federação Francesa de Futebol e é vista com bons olhos por Infantino. De acordo com o dirigente, seria mais uma forma de impulsionar o futebol feminino. Enquanto a frequência não muda, o que se sabe é que a próxima Copa contará com 32 seleções, oito a mais do que na última edição.


16

Belo Horizonte, 17 a 23 de janeiro de 2020

ESPORTES

16

Atlético Mineiro Oficial

DECLARAÇÃO DA SEMANA Reprodução

Galo é eliminado da Copinha Último mineiro ainda na Copa São Paulo de Futebol Jr., o Atlético caiu fora da competição nesta quinta-feira (16). O time alvinegro foi goleado por 4 a 1 pelo Grêmio, de vira-

da, com gols de Matheus (41’) e Rildo (44’), ainda no primeiro tempo, e Rildo (17’) e Heitor (25’) na etapa complementar. O gol atleticano foi anotado por Echaporã, logo no

início do jogo, aos 4’. Com a derrota nas oitavas-de-final, o Galinho está fora da competição. O Cruzeiro já havia sido eliminado na fase anterior, ao perder para o Oeste nos pênaltis, na terça-feira (14).

Gol de placa

“Se esse governo não gosta do nosso cinema, da nossa música, dos nossos escritores, eu quero dizer que eu e uma enorme parte dos brasileiros gostamos” Isabel, ex-atacante da Seleção Brasileira de vôlei, em carta aberta a Bolsonaro, na qual ela critica o desmonte da cultura no país.

O Bahia inaugurou seu novo centro de treinamento. A novidade é mais uma conquista do clube que, após passar por uma crise semelhante à do Cruzeiro, adotou a democracia e a transparência como saídas, dando mais poder ao torcedor. Além disso, o clube inicia a temporada com orçamento recorde.

Gol contra Tem base? O Cruzeiro decidiu suspender as atividades do sub-16 e sub-18 do futebol feminino. Por que será que, com tantos gastos milionários no masculino profissional, o feminino é uma das primeiras áreas a sofrerem cortes, quando algum clube entra em crise no Brasil?

Emoção, curiosidade, esperança Bráulio Siffert Embora o torcedor ainda esteja engasgado com o “quase-acesso” do ano passado, voltar a ver o América jogando é sempre um misto de emoção, curiosidade e esperança. Esperança em ver boas contratações, revelações de garotos da base, disposição dos Decacampeão atletas remanescentes e futebol competitivo e corajoso. Mais do que as vitórias a qualquer custo, no Campeonato Mineiro, o fundamental é fazer testes, colocar a meninada para jogar e dar oportunidades reais para muitos atletas, para assim avaliar se o elenco é qualificado para o que mais importa no ano: ficar entre os quatro primeiros colocados da Série B. Nos últimos anos, o Mineiro não foi assim aproveitado. Que sejam novos ventos!

Para receber as matérias do BRASIL DE FATO MG diretamente no seu celular, envie uma mensagem para

Galo ainda sem rumo Rogério Hilário Dudamel iniciou sua trajetória no Atlético sem ter o elenco definido. Isto era óbvio com as negociações em curso. As aquisições causam pouco impacto, por enquanto. A diretoria alardeou R$ 100 milhões de arrecadação e abaixou para É atéGalo R$ 72,5doido! milhões a expectativa. Ainda considero um exagero. Não há jogadores valorizados no elenco a ponto de garantir tal quantia. Pois bem, o que interessa mesmo ao torcedor é quem estará em campo na temporada, que tem o Campeonato Mineiro, Copa do Brasil, Brasileiro e Sul-Americana. Já são dois anos sem títulos. Os atleticanos merecem melhores opções que comemorar o fracasso alheio ou sonhar com a inauguração do estádio alvinegro.

31 98468-4731

O Cruzeiro vai falir? Gladstone Leonel Júnior Os especialistas de WhatsApp, se aproveitando do desespero nas redes sociais, já decretaram que o Cruzeiro está falido. Lamentamos decepcionar esses especialistas, mas, tecnicamente, é impossível a falência do Cruzeiro. ALa falência e recuperação Bestia Negra judicial, regulamentadas pela lei 11.101/05, aplicam-se somente a empresários individuais e sociedades empresárias, que têm como objetivo central o lucro. O Cruzeiro, como associação civil sem fins econômicos, pode entrar em situação de insolvência civil, mas sem possibilidade de aniquilamento do clube. Isto, evidentemente, não isenta os gestores praticados com o patrimônio e a quase centenária história do Cruzeiro.

/brasildefatomg


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.