Page 1

Pxhere / Creative Commons

Programação para o dia dos pais

Ricardo Stuckert

“Transferência de Lula é vingança”

Visitar o museu do futebol, passear pela biblioteca ou assistir a um filme. Confira dicas

A afirmação é do jurista Pedro Serrano, que avalia a tentativa como ação política da Lava Jato

CULTURA 14

BRASIL 9

MG Minas Gerais

Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019 • edição 294 • brasildefato.com.br • distribuição gratuita

REFORMA AVANÇA, MANTENDO PRIVILÉGIOS E PENALIZANDO TRABALHADORES Câmara aprova desmonte da Previdência em segundo turno. Texto agora vai para o Senado. Entre as mudanças, a pensão por morte com valor abaixo do salário mínimo, regras mais duras para aposentadoria integral e o principal: retirada dos direitos previdenciários da Constituição. Só não perde quem já ganha muito, como juízes e militares I BRASIL 2, 7, 8, 9 Divulgação / Sofia Feldman

Pesquise sua cidade Informações ambientais sobre sua cidade acessíveis em um clique. Conheça o blog Lei.A

Por mais maternidades adequadas em BH Somente duas das sete maternidades públicas atendem às exigências da Anvisa. Mulheres pressionam pela abertura da Maternidade Leonina, pronta e fechada há 10 anos MINAS 5

CIDADES 4

Aproveite as filas Sabe aquele tempinho que você passa na fila do médico ou da lotérica? Pode ser uma pausa interessante para o seu dia VARIEDADES 12


2

OPINIÃO

Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

Editorial | Brasil

Dê de presente para seu paiv o direito a aposentadoria A reforma da Previdência é algo que está dando uma verdadeira dor de cabeça a todas e todos, pois irá afetar diretamente a classe trabalhadora, deixando nosso futuro cheio de incertezas.

ESPAÇO DOS LEITORES “Parabéns pela ótima e corajosa matéria de capa, companheirada! Só orgulho desse jornal” Isabella Mendes sobre a matéria de capa da edição 293 “Pornografia, a inimiga do prazer” ----------------------------------------“A proposta é destruir tudo que foi conquistado pelo povo, não sobrará nada de avanço social e nossas empresas públicas entregues ao capital privado e especuladores. Temos que parar o governo do clã de milicianos” Andrea Hermogenes sobre a entrevista do reitor da UFC sobre o Future-se ----------------------------------------“O laranjal em BH não deu certo. Ainda falta o da família Bozo” Sidney Dias sobre a matéria “Vereador de BH preso por corrupção defende a ditadura militar” ----------------------------------------“No começo, o golpe parlamentar era vital para salvar o país. A turma acreditou. Depois, a reforma trabalhista era vital para salvar o país. Em seguida, veio a reforma da Previdência para salvar o país. A turma acreditou”. Waldir José Franco comentando a matéria “Sem precisar se aposentar, celebridades cobram para defender a reforma da Previdência

Hora de pressionar o senado contra a reforma da Previdência Em julho, a proposta de reforma foi aprovada em primeiro turno na Câmara de Deputados, e no dia 6 de agosto, em segundo turno. Tendo sofrido poucas mudanças desde o início da tramitação, a proposta segue sendo muito prejudicial à classe trabalhadora e aos mais pobres. Perde sua capacidade de distribuição de renda, de amparo, e na prática, vai impedir que a ampla maioria do povo brasileiro se aposente. Os que conseguirem se aposentar vão receber por menos tempo o benefício, que, para piorar, será em um valor muito menor que as já magras aposentadorias da ampla maioria. Reforma institui idade mínima de 65 anos e 40 anos de contribuição

A reforma acaba com a aposentadoria só por tempo de contribuição

e obriga que o trabalhador também tenha uma idade mínima. Para se aposentar com 100% serão necessários 40 anos de contribuição e ter pelo menos 65 anos de idade (para os homens), aumentando em dez anos o tempo de contribuição em relação ao tempo atual. Além disso sabemos que teremos que trabalhar muito além da idade mínima já que os empregos tendem a ser cada vez mais precarizados reduzindo o tempo de contribuição. O texto deve chegar ao senado até o dia 9 de agosto para ser apreciado. Se aprovado, se tornará uma emenda à Constituição. Caso ocorram no Senado alterações na proposta da reforma da Previdência,

Reforma é aprovada após liberação de R$ 3 bilhões pelo governo o texto aprovado terá que retornar para votação na Câmara. Temos a oportunidade de seguir pressionando para que a reforma da Previdência não seja aprovada. Continuar o diálogo com a população, explicando os males dessa reforma, e nos mantendo em luta para garantir que não só os pais, mas todo povo brasileiro, siga tendo o direito de se aposentar dignamente.

Escreva pra gente também: redacaomg@brasildefato.com.br ou em facebook.com/brasildefatomg O jornal Brasil de Fato circula semanalmente com edições regionais, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro, no Paraná e em Pernambuco. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país e no nosso estado.

PÁGINA: www.brasildefatomg.com.br CORREIO: redacaomg@brasildefato.com.br PARA ANUNCIAR: publicidademg@brasildefato.com.br TELEFONES: (31) 3309 3314 / (31) 3213 3983

conselho editorial minas gerais: Aruanã Leonne, Beatriz Cerqueira, Bernadete Esperança, Bruno Abreu Gomes, Ênio Bohnenberger, Frederico Santana Rick, Helberth Ávila de Souza, Jairo Nogueira Filho, Joana Tavares, João Paulo Cunha, Joceli Andrioli, Jô Moraes, José Guilherme Castro, José Luiz Quadros, Juarez Guimarães, Marcelo Almeida, Makota Celinha, Maria Júlia Gomes de Andrade, Milton Bicalho, Neila Batista, Nilmário Miranda, Padre Henrique Moura, Padre João, Pereira da Viola, Renan Santos, Rogério Correia, Rosângela Gomes da Costa, Robson Sávio, Samuel da Silva, Talles Lopes, Titane, Valquíria Assis, Wagner Xavier. Editora: Joana Tavares (Mtb 10140/MG). Redação: Amélia Gomes, Larissa Costa, Rafaella Dotta, Raíssa Lopes e Wallace Oliveira. Colaboradores: Anna Carolina Azevedo, André Fidusi, Bráulio Siffert, Diego Silveira, Fabrício Farias, Izabela Xavier, João Paulo Cunha, Jonathan Hassen, Jordânia Souza, Pedro Rafael Vilela, Renan Santos, Rogério Hilário e Sofia Barbosa. Revisão: Luciana Gonçalves. Administração e distribuição: Paulo Antônio Romano de Mello e Vinícius Moreno Nolasco. Diagramação: Tiago de Macedo Rodrigues. Tiragem: 40 mil exemplares. Razão social: Associação Henfil Educação e Comunicação


? PERGUNTA DA SEMANA

Os Estados Unidos foram o primeiro país a comemorar o dia dos pais. Isso aconteceu no dia 19 de junho de 1910. Segundo uma versão corrente, um veterano da guerra civil cuidou sozinho dos filhos após a morte da esposa. Uma de suas filhas, Sonora Louis Dodd, propôs, então, que o aniversário dele se tornasse um momento para homenagear os pais da cidade de Spokane, onde eles vivam. No Brasil, com o tempo, a comemoração passou a ser feita no segundo domingo de agosto.

O Brasil de Fato foi às ruas perguntar: você quer mandar algum recado para os pais?

Eu queria falar para todos os pais para amarem incondicionalmente seus filhos. Que não os abandonem, porque é uma carga muito pesada para uma mulher ser pai e mãe. Que os pais amem mais seus filhos, independente se separou da mãe ou não...

Simone Ribeiro psicóloga

Mando o recado para todos: Fazer um filho, qualquer um faz, mas ser pai não é para qualquer um. Não são todos que sabem ser pai. Ter um filho não é só dar pensão, é criar, cuidar, é ser presente na vida do filho.

Lúcia de Almeida autônoma

Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

GERAL

3

Número da Semana 41,5%

Das pessoas encarceradas no Brasil são presos provisórios, ou seja, ainda aguardam julgamento definitivo. São 337 mil pessoas, de acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O sistema carcerário atual só tem capacidade para abrigar metade dos detentos. Em Altamira, 26 dos 62 mortos não tinham julgamento definitivo, ou seja, poderiam vir a ser inocentados.

Personagem que as mulheres odeiam

“A imprensa tem que entender que eu ganhei. Eu, Johnny Bravo, Jair Bolsonaro, ganhou, porra! Ganhou, porra! Vamos entender isso”, declarou o presidente do país em coletiva na semana passada. Ao se comparar com um desenho animado dos anos 90 que representa um personagem bobo, vaidoso, estúpido e que costuma ser rejeitado pelas mulheres pelos seus modos desagradáveis, Bolsonaro virou zoação na internet e motivo de memes de todo tipo.

Por que o segundo domingo de agosto?

No Brasil, essa é a data do Dia dos Pais, desde 1953. A iniciativa, ao que tudo indica, partiu de um publicitário, que era diretor do jornal O Globo e queria atrair anunciantes. Segundo o próprio jornal, a data – então chamada de “Dia do Papai”, foi criada para atender aos “anseios da comunidade que sentia a necessidade de celebrar o chefe da família”. A princípio, fazia referência a São Joaquim, que seria o pai de Maria, avô de Jesus. Nos anos 1970, a data se firmou no país e passou a ser celebrada no segundo domingo de agosto, em analogia ao Dia dos Mães, em maio. A data não é a mesma em outros países.

Catarina Barbosa

Declaração da Semana “Ele entrou no ônibus. Como apareceu morto?” Questiona a diarista Madalena, mãe de Dorival, que estava preso em Altamira. No dia 29 de julho, no Centro de Recuperação Regional de Altamira (PA), 62 pessoas foram assassinadas, parte delas decapitadas e outra carbonizadas. Na madrugada de quarta (31), outros quatro presos foram mortos asfixiados dentro de um caminhão durante a viagem de transferência para a capital paraense.


4

CIDADES

Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

Pesquise sua cidade: em MG, blog fornece dados sobre questões climáticas municipais INFORMAÇÃO Observatório da página Lei.A monitora leis, projetos e agendas ambientais no estado Arquivo Agência Brasil

Projeto monitora projetos de lei que tratam dos resíduos sólidos, tanto no estado quanto nos municípios

Rafaella Dotta

A

pesar de ser um tema importantíssimo, as informações sobre meio ambiente sempre parecem confusas e difíceis, não é? Uma dificuldade que pode se tornar uma muralha para quem quer se informar e agir. Para ajudar nessa ponte surgiu o Blog

Lei.A, que funciona como um serviço de informações ambientais, fruto de uma parceria entre Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Associação dos Observadores do Meio Ambiente e do Patrimônio Cultural de Minas Gerais. Além dos textos, o Blog Lei.A, www.leia.org.br, traz uma novidade interativa, em que é possível pesqui-

sar dados de cada cidade de MG em oito questões ambientais: barragens de rejeitos, biodiversidade, desmatamento, mudanças climáticas, recursos hídricos, resíduos sólidos, unidades de conservação e uso da terra. Um dos idealizadores do Observatório, Leonardo Ivo, explica a produção do mapa. “A gente fez um algoritmo

que busca as informações das Estações Climáticas espalhadas pelo estado e, por distância, identifica para aquele município quais foram nos últimos cinco anos os indicadores de temperatura e de pluviosidade”, comenta. A página permite comparar as médias de temperatura e chuva com dois períodos de 30 anos.

Blog Lei.A permite pesquisar dados sobre oito questões ambientais de cada cidade do estado

Informação para mudança

Junto aos resultados, o Observatório Lei.A traz informações sobre as leis que regem os oito temas e os projetos de lei em discussão por deputados estaduais e federais. Essa é a primeira parte do objetivo do Lei.A, diz Gustavo Nolasco, transmitir e traduzir informações de acadêmicos, pesquisadores, leis e movimentos para a população em geral. Nas suas palavras, garantir o direito à comunicação. Gustavo conta que o Lei.A,

inclusive, nasceu de uma necessidade real. “No rompimento da barragem da Samarco [2015] existiam três atores: as empresas, o governo e os atingidos. Dois deles tinham armas de comunicação. As empresas tinham assessoria, verba para publicidade e um lobby forte nos veículos de comunicação; os governos, a mesma coisa. Do outro lado, os atingidos, que nessa ‘guerra’, não tinham arma nenhuma, e com isso o seu direito à comunicação,

seu protagonismo nunca eram iguais. Essa desigualdade de quem detém as armas de comunicação e quem não detém ficou muito evidente”, analisa. O blog aposta que a informação pode levar mais pessoas a terem o interesse de monitorar os parlamentares, e que isso as estimule a agir. A plataforma mostra os deputados estaduais mais votados em cada cidade, com a sua forma de financiamento de campanha e a opção de

mandar mensagens aos parlamentares. Uma das primeiras ações do Lei.A foi o monitoramento do Projeto de Lei Mar de Lama Nunca Mais (veja aqui: https://tinyurl.com/ y45rmj57). O próximo objetivo, diz Gustavo, é que as pessoas “entendam mais e passem a cobrar o seu cumprimento”.

Plataforma mostra os projetos de lei em discussão sobre os oito temas e como foi o financiamento dos deputados

O EXEMPLO DA CIDADE DE MONTES CLAROS Pesquisando Montes Claros, por exemplo, é possível ver que a temperatura aumentou ao longo dos anos. De 1981 a 2010, a cidade ficou praticamente um grau mais quente em todos os meses do ano, na comparação com o período de 1961 a 1990. E entre 2014 a 2018 as temperaturas estão ainda maiores. Já em outros temas, podemos descobrir que o município teve mais de 8 mil hectares de cerrado desmatados de 2010 a 2015; possui dois aterros sanitários; três pontos de captação pública de água e 34 captações particulares; e possui uma unidade de conservação ambiental.


Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

MINAS

5

Maternidades não seguem normas que garantem autonomia das mulheres na hora de parir BH Mulheres pressionam por abertura de maternidade que possui estrutura adequada, mas que está fechada há 10 anos. Somente duas, entre as sete maternidades públicas, seguem normas Divulgação / Nasce Leonina

Larissa Costa

A

pressão das mulheres pela inauguração da maternidade Leonina Leonor Ribeiro, em Venda Nova, Região Norte de Belo Horizonte, continua a todo o vapor, mobilizando moradoras, profissionais e ativistas pelo parto humanizado. Na quinta (8), uma plenária de mulheres lotou o auditório do Hospital Risoleta Neves para debater a questão. Para somar nas ações, na sexta (9), acontece uma visita técnica da Comissão de Mulheres da Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Apesar das obras estarem concluídas, a maternidade está fechada há dez anos confira reportagem aqui: https://tinyurl.com/y5guju6f. Seus sete quartos, sendo seis suítes com banheira, possuem macas e diversos equipamentos que estão se degradando sem nunca terem sido utilizados. A estimativa é que a maternidade possa fazer 500 partos por mês. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, foram realizados estudos das necessidades da Rede Materno-Infantil que apontaram para a inexistência de uma deman-

Mulheres continuam nos pré-partos ultrapassados e em espaço apertado

OMS recomenda taxa de cesárias entre 10 e 15%, BH teve taxa de 46% em 2018 do espaço físico, social, profissional e de relações interpessoais.

A maternidade Leonina Leonor, em Venda Nova, cumpre normas nacionais para humanização do parto

da que justifique a abertura de uma nova maternidade e que o local deveria ter outra destinação. No entanto, essa justificativa é criticada por especialistas, que apontam que as maternidades em Belo Horizonte sofrem com superlotação e ainda apresentam um modelo assistencial que não segue as normas do Ministério da Saúde. Segundo a pediatra Sônia Lansky, da Rede Nacional pela Humanização do Parto e do Nascimento (Rehuna), a recomendação é que uma maternidade tenha, no máximo, uma taxa de ocupação em torno de 85% para não diminuir a qualidade da as-

sistência às mulheres. Ela também pondera que a superlotação piora, inclusive, as condições de trabalho dos profissionais da saúde. “Além disso, esses leitos não são qualificados por causa do modelo assistencial. As maternidades, exceto o Sofia Feldman e o Risoleta Neves, não têm suíte de parto. As mulheres continuam nos pré-partos ultrapassados, antigos, em espaço apertado”, discute a médica, que se refere à Resolução nº 36, de 2008, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A resolução assegura a promoção de uma ambiência acolhedora para as mulheres, que envolve a adequação

Situação real Belo Horizonte conta, atualmente, com sete maternidades públicas que atendem exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Dessas sete, duas são entidades filantrópicas, o hospital Sofia Feldman e a Hilda Brandão Santa Casa BH. Para Carolina Giovannini, bióloga e ativista pelos direitos das mães e pela humanização do parto, a ausência de ambiência é o maior problema das maternidades. “Em geral, as mulheres ficam todas juntas, em uma enfermaria, e têm o neném separadas por um biombo. A maioria das maternidades não tem banheira, que é essencial para as mulheres parirem com tranquilidade. Algumas nem chuveiro têm direito, às vezes há apenas um para muitas mulheres”, relata. A estrutura da Leonina foi construída seguindo a normativa da Anvisa e o Sofia Feldman foi reformado após a resolução para atender aos critérios.

VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA E EPIDEMIA DE CESÁREA Para Sônia Lansky, a violência obstétrica começa com a estrutura inadequada e não diz respeito somente à formação dos profissionais de saúde. “O parto tem que ter privacidade, precisa de acolhimento, afetividade e de respeito. É um exercício da dignidade humana. Se a mulher está exposta, comandada, controlada, com seu corpo contido, é uma forma de controle, por isso a violência”, critica. O aumento do número de cesarianas vem acontecendo no mundo todo e é, inclusive, uma preocupação da Organização Mundial de Saúde (OMS), pois grande parte é realizada desnecessariamente. Segundo a organização, a taxa ideal de cesárias [https://tinyurl. com/y4for54a] recomendada seria entre 10 e 15%, por se tratar de uma intervenção que pode causar complicações permanentes, sequelas e mortes, especialmente em locais sem infraestrutura. Em Belo Horizonte, no ano de 2018, foram 49.300 nascidos vivos, dos quais 22.760 (46%) foram cesáreas, contando a rede pública e particular, conforme Painel de Monitoramento de Nascidos Vivos do governo federal.


6

OPINIÃO

Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

Opinião

Moro não deve ser subestimado João Paulo Cunha Depois que o Estado de Direito sofreu dezenas de derrotas pelo sistema da Justiça, é preciso cautela em celebrar o 10x1 imposto pelo STF contra a transferência do presidente Lula para um presídio em São Paulo. A decisão da juíza federal Carolina Lebbos, que age servilmente em nome dos desígnios do ministro Sergio Moro, era tão inepta e cruel que ganhou repúdio até mesmo de adversários do ex-presidente. A juíza errou muito, mas não deve ser tratada como ingênua. Há uma série de equívocos processuais e jurídicos na decisão. Torna o cumprimento da sentença mais severo, na contramão da execução penal brasileira, que pressupõe a progressão de regime. Ameaça a vida do condenado sob sua guarda, já que ficaria exposto de forma temerária às condições carcerárias inseguras. E politiza uma decisão que deveria ser técnica. Além disso, inverte o sentido da justiça em direção à vingança, para se contrapor às pressões que afetam

Moro violou a justiça, quebrou a economia e apoiou candidato fascista seu grupo; não considera as prerrogativas de um ex-presidente da República como estabelece a lei. Propõe um roteiro de humilhação anunciada, aos moldes do que ela deve considerar os bons tempos da Lava Jato, motivo hoje de repulsa universal no mundo jurídico civilizado. Extrapolando a sua competência (o que, aliás, é matéria obrigatória da escola Moro), se dá ao desplante de indicar como deveria ser o cumprimento da pena em outro estado. Dória, em mais um episódio de sub-bolsanarismo moral e destempero intelectual, vomitou indignidades. Desde que as reportagens do The Intercept começaram, a estratégia de Sergio Moro e dos

procuradores da Lava Jato tem sido negar o conteúdo das mensagens em função da forma de obtenção , atirar contra a liberdade de expressão e sigilo das fontes garantidos pela Constituição e atacar o bom jornalismo. Batalha perdida de antemão, ainda que incompreensível para quem sempre contou com a sabujice da imprensa comercial. A ação de Moro precisa ser tomada sempre com cautela. O ex-juiz já mostrou que não respeita leis. Moro exibe um carregamento de faltas: é um juiz sem justiça; um ministro sem ética, um colega sem solidariedade. É obcecado pelo poder. Fez tudo o que fez – violentou a justiça, quebrou a economia, apoiou um candidato sabidamente fascista – para se tornar presidente no futuro. E ainda não deixou de lado esse desejo. A decisão do STF tem elementos políticos, morais e jurídicos inegáveis, mas carregam também muito de autopreservação. Não é hora de comemorar a virada dos ventos em direção à Justiça. A pressão deve continuar e o ministro não deve ser subestimado. Lula livre nunca foi tão necessário para o país.

Anúncio


Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019 Divulgação / Levante

OPINIÃO

7

Sara Costa Felix Teixeira

Minas foi o estado mais prejudicado com a lei Kandir

É hora de irmos às ruas contra a reforma da Previdência O governo Bolsonaro e o mercado financeiro estão atrás dos deputados da base para aprovar a reforma da Previdência no segundo turno, que pode acontecer ainda esta semana. No primeiro turno, o governo abriu o cofre com generosidade para comprar a base. Foram 379 votos favoráveis contra 131. Pelo fato de ser PEC, são necessários 308 votos, no mínimo. O governo teve uma margem de 71 votos, mas com um custo caro para o país. A reforma da Previdência está sendo vendida como solução para a crise. Essa crise foi provocada intencionalmente com intuito de aplicar o ultraneoliberalismo de mercado. Vender tudo que o possuímos: empresas, reservas de minérios, petróleo; destruir as políticas públicas, acabar com as leis trabalhistas, afrouxar as leis ambientais, liberar mais agrotóxicos, usurpar terras indígenas e quilombolas e repri- Esta reforma mir manifestações contrárias, minando a liberdade de im- não vai gerar prensa e expressão. nenhum Com esforço da oposição, alguns pontos da reforma fo- emprego para ram minimizados. Mas, mesmo assim, ela continua sendo o brasileiro um ataque violento contra os trabalhadores, contra as mulheres, professores (as) e contra os mais pobres. O governo vai tirar quase R$1 trilhão dos mais pobres, daqueles aposentados e pensionistas que recebem benefício de até dois salários mínimos para fazer caixa para o mercado financeiro. O governo e o mercado financeiro querem a reforma a todo custo. Ela é boa para eles. Querem a privatização da previdência pública. Por isso, vão investir em propaganda e comprar votos, de novo, para aprovação também no segundo turno. Temos certeza absoluta de que esta reforma não vai gerar nenhum emprego para o brasileiro. Pelo contrário, vai gerar mais pobreza e miséria. Precisamos nos mobilizar, sermos resistência e unidos lutarmos contra a retirada de direitos. Padre João é deputado federal pelo PT-MG.

Sara Costa Felix Teixeira é vice-presidente da Associação dos Funcionários Fiscais do Estado de Minas Gerais (Affemg) Na edição 222...

ACOMPANHANDO

Deputado Federal Padre João

Em audiência realizada no dia 5, governadores concordaram com proposta da União de instituir comissão especial para analisar os valores do ressarcimento aos estados em razão da isenção tributária concedida pela Lei Kandir, na exportação de produtos primários e semielaborados. O benefício tributário foi instituído em 1996, com o objetivo de equilibrar a balança comercial e estimular a exportação. A lei previa que a União compensaria os estados pelas perdas de arrecadação, mas isso nunca chegou a acontecer, pois a compensação sempre representou valores irrisórios. Em 2019, até agora, não houve repasse da União de nem um centavo. Perdem os estados e os municípios, que seriam donos de 25% da arrecadação que deixou de ocorrer. Em 2013, o Pará impetrou uma ação no STF, e obteve a adesão de mais 14 estados e da OAB, reclamando a definição de critérios para que a União Estado perdeu faça o ressarcimento das perdas. O STF, por unanimidade, R$135 bilhões deu razão aos estados e reco- com lei Kandir nheceu a omissão da União. Minas Gerais é o mais prejudicado. Em 23 anos, a perda ultrapassa R$135 bilhões. Embora o direito ao ressarcimento tenha sido reconhecido em decisão unânime do STF, o prazo para cumprimento já se esgotou e foi prorrogado por um ano, até fevereiro de 2020. No entanto, o Executivo Federal não demonstrou nenhum interesse em cumprir a decisão. Sem alternativa, estados e municípios devem aguardar o cumprimento da tão protelada decisão. Até lá, vamos trabalhar para resgatar o pacto federativo.

Motoristas assumem função dupla e alertam para aumento de doenças e de acidentes E agora... A Comissão de Participação Popular da Assembleia Legislativa de Minas Gerais entregou um relatório para a Promotoria do Consumidor, do MPMG, sobre a situação do transporte na capital com a ausência dos cobradores. O MPMG afirmou que serão estudadas as penalidades para as empresas de multas que não cumprirem a legislação, que podem ir de multas até a suspensão das atividades. Mais de 6 mil trocadores já foram demitidos em BH. De acordo com a lei municipal, os ônibus deveriam ter agente de bordo entre 6h e 20h30 nos dias úteis.


8

BRASIL

Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

Câmara rejeita mudanças que poderiam “reduzir danos” da reforma da Previdência APOSENTADORIA EM RISCO Com base em discurso fiscalista e sob liberação de emendas, governistas comemoram resultado; PEC vai ao Senado Fabio Rodrigues Pozzobom / Agência Brasil

Cristiane Sampaio

O

plenário da Câmara dos Deputados rejeitou, na quinta-feira (7), todos os pedidos de alteração feitos pela oposição para a reforma da Previdência. Durante a sessão de votação dos destaques (sugestões de mudança), os parlamentares recusaram, por exemplo, a supressão do trecho da PEC 6 que prevê pensão inferior ao salário mínimo nos casos em que há acumulação com outras fontes de renda. A sugestão de mudança foi rejeitada por 339 votos contrários e 153 favoráveis. Partidos como PP, MDB, PTB, PSL, PL, PSD, PRB, DEM, PSDB, Pros, PSC, Solidariedade, Podemos, Cidadania, Novo, Avante e Patriota orientaram os membros a votarem contra o pedido da oposição, que aglutinou apoio das siglas PT, PSB, PDT, Psol, PCdoB, PV e Rede. Para votarem contra, os apoiadores do texto do go-

No dia da votação, Bolsonaro encaminhou projeto de lei que autoriza R$ 3 bilhões extras para emendas parlamentares

verno argumentaram, entre outras coisas, que a aprovação do destaque levaria a uma economia de R$ 38 bilhões no montante previsto em uma década, caso a PEC seja definitivamente aprovada. “É a argumentação que eles sempre fazem, que desconhece a realidade social do país, que é de profunda desigualdade na distribuição de renda e extrema pobreza. Esse argumento é absolutamente cruel, mesmo porque nós sabemos

que esse valor não significa um ponto percentual na taxa de juros que os bancos levam todo ano”, comparou o líder do PCdoB, Daniel Almeida (BA). Abono salarial Entre as recusas, está a que envolve o abono salarial, um dos principais pontos de tensão em torno da PEC. O benefício é pago anualmente a trabalhadores que recebem até dois salários mínimos (R$ 1.996) e está na berlinda do governo. O texto da refor-

ma, que defende mudanças com base numa projeção de R$ 76,4 bilhões para os cofres públicos em dez anos, baixa o limite para R$ 1.364,43. A oposição apontou que a regra proposta pela PEC deixará de fora do abono cerca de R$ 10 milhões de trabalhadores. “Isso é muito ruim. Infelizmente, os deputados estão votando com base nos mais de R$ 3 bilhões liberados em emendas. Eles não tiveram o mínimo de sensibilidade social, apesar de nós termos discuti-

Base aliada do governo Bolsonaro votou pela manutenção de pensão de valor inferior ao salário mínimo

do, conversado com todos os partidos pra colocar essas questões todas. Vamos fazer um trabalho agora no Senado para tentar reverter esse processo”, afirmou o secretário de Assuntos Jurídicos da CUT, Valeir Ertle.

Emendas A liberação de emendas por parte do governo marcou as críticas de opositores contra correligionários do Planalto. Na terça (6), o presidente Jair Bolsonaro encaminhou ao Legislativo um projeto de lei que autoriza a liberação de R$ 3 bilhões em recursos extras para que as emendas parlamentares – prometidas durante as barganhas do primeiro turno de votação da PEC – sejam pagas pelos ministérios.

Após massacre, presos de Altamira passaram uma semana vestindo apenas cueca Exatos oito dias após o massacre no Centro de Recuperação de Altamira, a 830 km de Belém, onde 58 pessoas foram brutalmente assassinadas, foi realizada a primeira vistoria no presídio. Na última terça-feira (6), o Brasil de Fato esteve no local e acompanhou o trabalho de entidades ligadas aos direitos humanos e das defensorias públicas do estado e da União.

O objetivo era verificar as condições dos detentos.

caram. Os presos passaram uma semana inteira vestindo a mesma cueca. Foram mais de 168 horas sem colchões, dormindo em um chão infecto que mistura urina e fezes de gato. Os doentes estão privados de suas medicações. No interior do presídio, cuja capacidade divulOs relatos são de maus-tra- gada pela Comissão Natos e de retaliação aos que fi- cional de Justiça (CNJ) é

de 163 pessoas, permanecem 209 homens, após as transferências da última semana. No dia do motim, havia 309 pessoas na unidade. Quase duas vezes a capacidade informada pela CNJ.

REPORTAGEM COMPLETA NO SITE WWW. BRASIL DEFATO.COM.BR


Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019 Ricardo Stuckert

Vigília Lula Livre acompanha ex-presidente desde sua prisão, em abril

Serrano: Tentar transferir Lula foi forma “cruel e insana de vingar os vazamentos” SEM ÉTICA Para o jurista, STF precisa estar atento com “nível de ativismo político que há em Curitiba” Igor Carvalho No final da tarde de quarta (07), o Supremo Tribunal Federal enviou um importante recado ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Por 10 votos a 1, a Corte negou o pedido da Polícia Federal, subordinada ao ex-juiz, de transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da carceragem do órgão em Curitiba para a penitenciária Tremembé II, em São Paulo. Para Pedro Serrano, criminalista e doutor em Direito do Estado pela Pontifícia Universidade de São Paulo (PUC-SP), a tentativa de mudar o endereço do petista foi uma forma de vingar os vazamentos do Intercept Brasil, que apresentam uma série de irregularidades nos processos da Operação Lava Jato. “Houve uma tentativa cruel e insana de tentar vingar, na pessoa do

ex-presidente Lula, os vazamentos. Os vazamentos nada mais fazem do que tornar públicas as ilicitudes que eles praticavam. Eles estão irritados com isso e tentaram se vingar no ex-presidente Lula. Achei uma atitude desumana”, afirma Serrano, que alerta para o comprometimento ideológico da Operação Lava Jato. “Isso mostra o nível de ativismo político que há em Curitiba. Quão pouco o Direito vale no Judiciário de lá. Não se pode confiar em decisões que venham dali.” Para o jurista, a derrota que o STF impôs a Moro não significa uma cisão entre a

Eles estão irritados e tentaram descontar em Lula em atitude desumana”

Corte e a equipe dos procuradores de Curitiba. “Houve uma situação muito grave no âmbito da Lava Jato, muito grave, porque foi utilizada estrutura do Estado para investigar a pessoa de ministro. Em um Estado de Direito, não se investigam pessoas, se investigam fatos, que eventualmente são criminosos”, explica Serrano. O UOL divulgou, nesta quarta-feira (7), mensagens que mostram o procurador do Ministério Público do Paraná Deltan Dallagnol e outros membros da força tarefa investindo clandestinamente contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. Desta vez, os procuradores usam o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) como laranja para protocolar uma ação contra Gilmar no próprio tribunal.

BRASIL

99

Liminar impede investigação contra Greenwald vem punir quem receptou e O ministro do STF Gilmar Mendes concedeu uma medida cautelar impedindo que autoridades responsabilizem o jornalista Glenn Greenwald, fundador do portal The Intercept Brasil, pela divulgação de mensagens da Vaza Jato. Mendes citou a proteção do sigilo de fonte jornalística como uma prerrogativa constitucional e afirmou que as autoridades não de-

transmitiu informações vindas de fonte anônima. Apesar de não haver nenhuma investigação pública ou inquéritos, os órgãos não negaram a possibilidade de se abrirem procedimentos contra Greenwald. O pedido acatado pelo ministro do STF partiu do partido Rede Sustentabilidade, que alega que procedimentos contra o jornalista estadunidense seriam retaliatórios.

44% dos agrotóxicos liberados no Brasil são proibidos na Europa É o que mostra levantamento organizado por Gerson Teixeira, ex-presidente da Associação Brasileira de Reforma Agrária (Abra). Nem todos os 497 princípios ativos autorizados no Brasil são passíveis de comparação com o quadro europeu. Isso porque 65 deles referem-se a substâncias derivadas e outros 79 não estão classificados pelas agências de saúde de lá. Dos 353 princípios que so-

bram, 194 também são liberados nos países da União Europeia; e 155 são proibidos (44% do total). Entre a substâncias liberadas aqui e não autorizadas lá, 22 (ou 14,2%) são completamente banidas na Europa. “Enquanto todos os países estão tentando ser mais restritivos aos agrotóxicos, no Brasil vamos na contramão”, analisa Teixeira, sobre o Projeto de Lei (PL) 6.299/2002.

13 de agosto será o Dia Nacional de Luta contra a reforma da Previdência Centrais sindicais, a Frente Brasil Popular, a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) e a União Nacional dos Estudantes (UNE) farão no dia 13 de agosto um Dia Nacional de Mobilização, Pa-

ralisações, Assembleias e Greves Contra a Reforma da Previdência, em Defesa da Educação Pública e por Empregos. Em Belo Horizonte, o ato terá concentração a partir das 16 horas, na Praça da Assembleia Legislativa.


14 MUNDO 10

Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

Venezuela: 25 mil toneladas de alimentos são retidos ilegalmente no Canal do Panamá BLOQUEIO Segundo organização estadunidense, sanções do governo Trump já levaram 40 mil venezuelanos à morte Pixabay /Telesur

Da redação

U

m barco com 25 mil toneladas de torta de soja, visando à produção de alimentos na Venezuela, foi sequestrado no Canal do Panamá. Foi o que denunciou, na quarta-feira (7), o governo venezuelano. O dono da embarcação teria sido informado de que o transporte da carga para o país caribenho está proibido. A captura de alimento para os venezuelanos ocorreu dois dias após o governo dos Estados Unidos estabelecer um bloqueio total de ativos da Venezuela nos EUA, assim como as relações comerciais do país com outras nações. O bloqueio foi formalizado em um decreto de Donald Trump. Em abril, o Centro de Pesquisa Econômica e Po-

Bloqueio foi formalizado por decreto de Donald Trump

lítica dos Estados Unidos, uma organização não governamental, estimou que as sanções do governo Trump contra a Venezuela (desde 2017, foram mais de 150) resultaram na morte de 40 mil pessoas, com redução no consumo de calorias, aumento de doenças e emigrações forçadas. “A Venezuela está enfrentando um golpe jurídi-

co transnacional planejado pelo governo dos Estados Unidos. Eles são mentirosos, golpistas e ladrões”, declarou a vice-presidenta da Venezuela, Delcy Rodríguez, em entrevista à rádio Unión Radio. Respostas Na quarta-feira (7), milhares de venezuelanos saíram às ruas em protesto contra o

bloqueio econômico. Nessa data, o país também comemora os 200 anos da Batalha de Boyacá, episódio que marca a origem da independência da América do Sul, sob o comando de Simón Bolívar. Ao mesmo tempo, a Venezuela encaminhou uma carta ao Conselho de Segurança da ONU, cobrando a condenação do bloqueio imposto por Trump. O ministro de Relações Exteriores, Jorge Arreaza, disse que o governo trabalha para construir novas alternativas contra o bloqueio total, mas ressaltou que o abastecimento local inevitavelmente será afetado. “Não podemos

comprar alimentos e remédios se nos proíbem de usar o mecanismo financeiro internacional”, reclamou o diplomata. China critica bloqueio O governo da China repudiou veementemente os ataques dos Estados Unidos à economia do país sul-americano. “A história mostrou que em repetidas ocasiões as sanções não ajudaram a resolver o problema venezuelano e só podem agravar a situação”, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying. Chunying também sugeriu que os EUA respeitem o direito internacional e permitam que o povo da Venezuela decida sobre seu próprio futuro. Ela também qualificou os métodos do governo estadunidense como “terror psicológico contra outros países”.

Amazon cortou internet do Irã para agradar EUA, denuncia Snowden PERSEGUIÇÃO Governos dos EUA impõe restrições comerciais ao país Atta Kenare /AFP

Da redação

A

Amazon administra metade da Internet em sua plataforma de nuvem. Agora, eles estão cortando a vida da oposição democrática do Irã em uma tentativa equivocada de agradar para além do que a lei exige - um de seus maiores clientes: o governo dos EUA”, escreveu o analista de sistemas e ex-funcionário da CIA Edward Snowden.

Sanções O Irã está sob novas san-

ções econômicas dos EUA, desde que o governo Trump decidiu se retirar de um

acordo nuclear com o país. As proibições atingem principalmente o comércio do petróleo. O Irã é um dos maiores produtores e ex-

O Irã é um dos maiores produtores e exportadores de petróleo no mundo

portadores da matéria-prima no mundo. Dossiê O Instituto Tricontinental de Pesquisa Social lançou nesta semana um estudo intitulado “Iranianos não esquecerão: a guerra híbrida contra o Irã”. O documento aborda as inúmeras intervenções dos Estados Unidos contra a república islâmica. O dossiê está disponível na internet. Basta acessar a página: thetricontinental.org.


Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

ENTREVISTA 15 11

Projeto “Future-se” é o fim do acesso dos pobres às universidades, avalia reitor DESEDUCAÇÃO Para Henry Campos, da UFC, a pluralidade socioeconômica dos estudantes das federais está em risco com política de Bolsonaro Ribamar Neto /UFC

Lu Sudré

O

programa Future-se foi anunciado em julho por Bolsonaro em meio a uma profunda crise na área da educação, devido ao corte de 30% feito pelo seu governo no orçamento das universidades federais. O projeto prevê a criação de um fundo de cerca de R$ 102 bilhões para atrair investimentos privados nas instituições de ensino superior do país, mas causou mal-estar e preocupação em setores da comunidade acadêmica. Com a ideia central de diminuir a participação do Estado na manutenção das federais, o plano de financiamento defendido por Abraham Weintraub, ministro da Educação, permitirá que Organizações Sociais (OSs) compartilhem a gestão das universidades. O Future-se também permitirá a contratação de professores sem concurso público. Em entrevista ao Brasil de Fato, Henry Campos, reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), analisa que o projeto abre espaço para a privatização do ensino superior. Brasil de Fato - O que o Future-se representa para o ensino superior brasileiro? Qual sua análise sobre essa proposta? Henry Campos - É uma proposta muito pouco clara. Muito evasiva. E que suscita, por isso mesmo, muita dúvida e muita insegurança no meio acadêmico, o que faz pensar que esse fundo

Hoje, 60% dos alunos são oriundos de escola pública. Isso vai acabar mo de ascensão social dos mais relevantes. Uma parte, diria mais que 50% dos alunos, tem renda familiar de um salário mínimo e meio. São os primeiros de várias gerações a ter acesso à universidade. A sociedade precisa estar atenta para isso. Estamos correndo um sério risco.

Tendência é que as universidades morram de inanição seria constituído em parte pelo orçamento atual das universidades e outra parte pela alienação de imóveis da União, preferencialmente das universidades. É inadmissível conviver com uma proposta dessa em um momento em que as universidades são duramente penalizadas, com cortes sucessivos em seus orçamentos. Além dos 30%, já houve cortes adicionais de custeio. A minha universidade, por exemplo, há duas semanas, foi penalizada com um corte adicional de R$ 1,3 milhão em custeio.

O que está sendo discutido é principalmente a questão do investimento privado nas universidades? Tudo aponta para uma privatização. Essa questão da universidade ser administrada por uma Organização Social (OS), por exemplo. Será uma única? Será uma organização social por universidade? Tem muita coisa que se coloca que as universidades já fazem e que precisam de condição para fazer melhor. A universidade já arrecada recursos. O problema é que quando podemos arrecadar, tem um determinado limite. Depois, o governo confisca porque vai para a conta única da União. Então, nos deem liberdade e nós arrecadamos. Diminuiremos o custo das universidades para o Ministério da Educação. Vamos fazendo

isso progressivamente. Não precisamos de uma proposta de Organização Social.O Brasil é um dos grandes produtores de ciência no mundo: 95% das pesquisas são feitas nas universidades públicas. Como é que se propõe abolir concurso público na universidade? É muito claro que tudo está caminhando na direção da privatização. Então, sua avaliação é que a proposta é danosa… É uma proposta absurda, inaceitável. Pelo menos 16 leis teriam que ser mudadas para que isso aconteça. Esse projeto significa claramente o fim da democratização das universidades, processo que nós temos tido nos últimos anos. Hoje, na nossa universidade [UFC], 60% dos alunos são oriundos de escola pública. É um mecanis-

Com as sinalizações que o governo Bolsonaro tem colocado para as universidades, como o senhor analisa que será o futuro das federais? O futuro não existirá. A tendência é que as universidades morram de inanição aos poucos. Como já começam a sofrer nesse momento. Não temos a menor segurança de como chegaremos ao fim do ano. Na UFC, por exemplo, teremos recursos para trabalhar até o fim de agosto. E mais nada.

95% das pesquisas são feitas nas universidades públicas ENTREVISTA COMPLETA NO SITE WWW. BRASIL DEFATO.COM.BR


14 VARIEDADES 12

Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

FIQUE

DE OLHO NA MÍDIA

BEM Divulgação

LIMPE SUA LÍNGUA

ATIVISTAS DIGITAIS E JORNALISTAS PERSEGUIDOS MUNDO AFORA O caso do cofundador do The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, expõe como tem gente que só defende a liberdade de expressão de quem pensa exatamente igual. Até a mãe do jornalista foi atacada, assim como seus filhos e seu marido. Além de ameaças virtuais, as violências vieram de autoridades como o ministro da Justiça e o presidente da República. Diversas organizações têm feito abaixo-assinados e campanhas pelo direito de Glenn e do Intercept seguirem fazendo seu trabalho. O Brasil não é o único país com histórias assim. No Equador, há um processo em curso contra o ativista digital sueco Ola Bini, que ficou preso quase 70 dias. A detenção aconteceu sem provas, sem acusações formais, sem direito a intérprete ou advogado. Ola Bini é um programador reconhecido mundialmente. Ele trabalha com softwares livres e pelo direito à privacidade. O programador foi acusado de colaborar com Julian Assange, o australiano que teve seu asilo diplomático cancelado pelo Equador e foi preso em abril pela polícia britânica. Assange é fundador do Wikileaks. Perseguido pelo governo dos EUA, ele ficou sete anos na Embaixada do Equador em Londres. Recentemente, foi revelado que todos os seus movimentos durante o exílio foram monitorados por uma empresa espanhola de vigilância. Assange enfrenta 18 processos por revelar documentos secretos do Departamento de Estado dos EUA, inclusive sobre as guerras do Iraque e Afeganistão. Os EUA pedem a sua extradição para o país – onde ele pode pegar 175 anos de prisão ou pena de morte, mas ele permanece detido em Londres. Um jornalista que visitou Assange disse que ele está sendo tratado em condições piores que a de um assassino.

NÃO DEIXE DE VER

Não temos espaço para falar aqui de outro ativista perseguido, Edward Snowden, que expôs atos de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA). Assista ao filme sobre ele. O nome escolhido em português não é dos melhores, mas vale a pena: “Snowden Herói ou traidor”. Está disponível no Netflix.

VAMOS?

Sábado (10), o Brasil de Fato estará no curso do sindicato dos jornalistas – Ideias para Enfrentar a Crise, na discussão sobre jornalismo popular. Na parte da manhã, a aula é sobre jornalismo econômico. É possível se inscrever na hora. Mais informações em: https://tinyurl.com/y2vnptya. Joana Tavares – Escreva suas sugestões e impressões para: joanatavaresc@gmail.com

Pode ser que você esteja entre os 34% da população que já tem o costume de fazer a limpeza da língua, mas mesmo assim vale a pena seguir a leitura aqui. Ao longo do tempo, vão se acumulando restos de alimentos e sujeiras no músculo que podem virar uma coisa chamada saburra. Ela começa devagarinho e depois pode ocupar quase a boca inteira. Além de causar mau hálito, pode até mudar o gosto das comidas. Bom, faz sentido pensar que para limpar a boca não bastam os dentes, né? Assim, invista em um higienizador de língua. Pesquise o melhor tipo para você e comece com muita delicadeza. Uma vez por dia basta. Lembre-se também de lavar seu higienizador e siga firme com a dupla fio dental – boa escovação.

APROVEITE AS FILAS Não foi pegadinha, a dica é de verdade. Já que estamos num mundo ultra-acelerado e tudo parece sempre muito urgente, qualquer demora não planejada costuma ser motivo de muito stress e angústia. Só de ver, uma fila longa já pode causar palpitação. Pois experimente pensar nesses momentos de espera como uma chance para relaxar e curtir o momento. Não pegue seu celular. Respire fundo algumas vezes, sinta seu corpo. Depois, observe ao redor. Olhe para as pessoas, para o ambiente. Se for demorar mais de dez minutos, oba, você pode até fazer o exercício das respirações concentradas e garantir sua meditação do dia!

AMIGA DA SAÚDE

Sofia Barbosa é enfermeira do Sistema Unico de Saúde I Coren MG 159621

As pessoas idosas precisam se vacinar contra o sarampo? Andréia Santos, 25 anos, caixa de supermercado. Até o momento, não precisam, Andréia. No calendário vacinal vigente está previsto que toda pessoa com até 49 anos precisa ser vacinada. As crianças recebem a primeira dose com 1 ano e um reforço com 1 ano e 3 meses. Todos até 29 anos devem ter duas doses para garantir a imunidade. Para quem tem entre 29 e 49 anos uma única dose é suficiente. É muito importante que todos confiram seus cartões, pois estamos novamente vivendo um surto de sarampo no Brasil, começando a chegar também em Minas Gerais.

Mande sua dúvida: amigadasaude@brasildefato.com.br


Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

13 VARIEDADES 15

www.malvados.com.br

Dicas Mastigadas SONHO ABERTO DE BANANA DA TERRA Diva Braga

Ingredientes • • • • • • • •

1 banana da terra 1 copo de trigo 1 colher de açúcar 1 pitada de sal 1 copo de água 2 colheres de requeijão cremoso Mel a gosto Canela a gosto

Modo de Preparo 1. Em uma vasilha, coloque o trigo, o sal, açúcar e vá colocando a água aos poucos até formar uma massa mole como a de um bolo. 2. Bata com um fuê ou batedor, até a massa ficar aerada. 3. Corte uma banana da terra em rodelas. 4. Despeje a massa em uma frigideira cobrindo a base da panela. Não precisa ser muita massa, ela deve ficar fina. 5. Unte a panela com um fio de azeite. 6. Sobre a massa, disponha as rodelas, tampe a frigideira e depois vire para assar do outro lado. 7. Salpique mel e canela a gosto e sirva com um café quentinho.

Obs: A banana pode ser trocada por queijo ou carne. Participe enviando sugestões para redacaomg@brasildefato.com.br.


14 CULTURA 14

Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

Roteiro

O que fazer no domingão? DIA DOS PAIS Confira dicas de filmes e passeios para fazer em casa ou em passeios por Belo Horizote Filmes

Gonzaga de pai para filho Além de retratar a fantástica trajetória do grande Rei do Baião - Luiz Gonzaga, a história também mostra a intensa relação entre o sanfoneiro e seu filho Gonzaguinha. A trama é baseada em conversas verídicas que aconteceram entre o pai e o filho, mostrando que apesar dos conflitos de personalidade, o laço entre ambos era extremamente forte.

Capitão Fantástico

Meu pé de laranja lima

Nas florestas, um pai cria seus seis filhos longe da civilização e propondo a eles outra visão sobre o mundo. Por causa da doença da esposa, ele é forçado a deixar o isolamento. No choque entre os modos de vida, a relação entre o pai e os filhos se ressignifica e fortalece.

A trama conta a história de Zezé, um garoto levado de oito anos. Zezé passa as tardes com o seu querido pé de laranja lima até que conhece Portuga, um senhor que passa a ajudá-lo e logo se torna seu melhor amigo. Apesar de não terem laços sanguíneos, a amizade entre Zezé e Portuga é um exemplo verdadeiro do que deve ser a relação entre pai e filho.

Passeios Museu do Futebol Que tal levar seu pai, ou o seu filho, para conhecer o Museu do Futebol? O estádio do Mineirão abriga um grande acervo sobre o esporte. Nos sábados e domingos as visitas acontecem de 9h às 13h. Os ingressos custam R$20 inteira e R$10 meia.

Agriminas Que tal degustar produtos direto do campo, vindo da produção de agricultores familiares de todas as regiões do estado. É só ir para a Agriminas! Mais de 600 artesãos e produtores participam do evento. A entrada custa R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia). Crianças de até 10 anos e idosos acima de 60 anos tem entrada gratuita. A exposição fica aberta até as 22h. Expominas, Av. Amazonas 6.200 - Gameleira. ANÚNCIO

Biblioteca Pública Infantil e Juvenil Além de conferir o acervo da biblioteca, o espaço também oferece oficinas literárias e de produção de textos, palestras e narração de histórias! Lembrando que a biblioteca só funciona de terça a sábado. Fica no Centro de Referência da Juventude (CRJ), na Praça da Estação, no Centro de BH.

Defender a Previdência Social é um dever da classe trabalhadora brasileira. Se a reforma for aprovada as trabalhadoras e trabalhadores pagarão uma conta que não é sua, por isso é imprescindível a resistência a esse ataque. A MATÉRIA JÁ FOI APROVADA EM DOIS TURNOS NA CÂMARA E SEGUE PARA O SENADO.


Belo Horizonte, 9 a 13 de agosto de 2019

ESPORTE

15 15

CURTO E GROSSO

na geral

Bolsa Atleta:brasileiros ultrapassam o 100º pódio Pedro Ramos /rededoesporte.gov.br

Futebol e política em tempos de autoritarismo Presidência da República

Na quarta-feira (7), a cinco dias do final dos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, o Brasil chegou a uma marca importante. Os beneficiários do programa Bolsa Atleta ultrapassaram a 100ª medalha na competição. Ao todo, 333 bolsistas brasi-

leiros disputam o Pan. O Bolsa Atleta é um programa criado pelo governo Lula em 2005, que patrocina atletas e paratletas de alto rendimento, em competições nacionais e internacionais. Trata-se da maior iniciativa de patrocínio individual no esporte de alto

rendimento em todo o mundo. Desde sua criação, o programa já concedeu mais de 63 mil bolsas para 26 mil atletas, com investimento total de R$ 1,1 bilhão, segundo dados do Ministério do Esporte.

Personagem da semana

Mineiro de Uberaba, o tenista João Menezes brilhou nos Jogos PanAmericanos de Lima esta semana. No domingo (4), ele venceu o chileno Tomaz Barrios por 2 a 1 na final, garantindo a medalha de ouro da competição. Na quarta-feira (7), o atleta foi recebido com festa em sua cidade, no Triângulo Mineiro, com direito a cortejo no carro de bombeiros, acompanhado por moradores nas ruas.

Fabrício Farias Salve, meu povo! Tudo bem aí? Já ouvi de um jornalista esportivo da mais poderosa emissora do país que futebol e política não se misturam. A declaração, à época, levantou certa polêmica por ser absolutamente sem sentido. Como não enxergar a relação entre política e futebol, se pensarmos na figura de Sócrates na luta pelas Diretas Já, bem como no movimento da Democracia Corintiana? Quem não se lembra das comemorações com o punho cerrado de Reinaldo, saudando os Panteras Negras? Impossível pensarmos na separação entre futebol e política simplesmente porque tanto um quanto o outro compartilham o mesmo momento da história. Nesse momento de escalada brutal do autoritarismo na sociedade brasileira, não é nenhuma surpresa que os efeitos da política sejam sentidos também no futebol. Parece que quem está

ocupando a presidência, como populista que é, enxerga no futebol uma possibilidade para se aproximar do povo, enquanto toca um projeto de destruição nacional. Menos mal que, nas vezes em que se atreveu a pisar nos gramados brasileiros, foi devidamente vaiado. Foi o que ocorreu na Copa América contra a Argentina ou na partida entre Palmeiras e Vasco, pelo Brasileiro. Porém, não podemos subestimar os efeitos que esse autoritarismo pode ter na sociedade. No último final de semana, um torcedor corintiano foi agredido e detido em Itaquera por “homenagear” o presidente com o tradicional corinho que você bem sabe. Que futebol e política se misturam, não há a menor dúvida. O único problema é quando essa mistura transforma o esporte mais popular do planeta em uma arma contra o povo.


16

Belo Horizonte, 13 a 27 de junho de 2019

ESPORTES

16

MP arquiva inquérito contra Neymar ESTUPRO Jogador foi acusado pela modelo Najila Tridade no dia 31 de maio Lucas Figueiredo / CBF

Redação

A

s promotoras Flávia Merlini e Estefânia Paulin, da Promotoria de Justiça de Enfrentamento à Violência de Doméstica de Santo Amaro, anunciaram o arquivamento de inquérito contra o jogador Neymar Júnior. No dia 31 de maio, em boletim de ocorrência policial, o atacante do Paris Saint-Germain foi acusado de estupro pela modelo Najila Trindade.

Segundo as promotoras, não havia provas suficientes para incriminar o jogador. “O arquivamento não implica em absolvição do acusado. O arquivamento pode ser rea-

berto a qualquer momento, é uma previsão legal, desde que haja novas diligências ou surjam novas provas”, ressaltou Flávia Merlini em entrevista coletiva na quinta-feira (8).

O caso Neymar e Najila se conheceram nas redes sociais. Em maio, a modelo viajou para Paris, a fim de se encontrar com o atleta. Segundo Najila, Neymar forçou uma penetração, após ela se recusar a fazer sexo sem preservativo. Isso teria acontecido no dia 15 de maio.

A investigação da polícia civil sobre o caso foi conduzida pela delegada Juliana Bussacos, da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher. No dia 29 de julho, Juliana Lopes concluiu o inquérito. Ela decidiu não indiciar o jogador pelos supostos crimes.

DECLARAÇÃO DA SEMANA Reprodução

Gol de placa O Corinthians emitiu nota de repúdio à prisão do torcedor Rogério Lemes Coelho, detido pela PM paulista por criticar Jair Bolsonaro. Segundo a nota, “o episódio caracteriza-se como um grave atentado às liberdades individuais no Estado Democrático de Direito”.

Gol contra Jucielen Romeu, boxeadora medalhista de prata nos Jogos Pan-Americanos de 2019, foi censurada pelo treinador da Seleção Brasileira, Mateus Alves, quando respondia a uma pergunta sobre racismo e empoderamento feminino. Segundo Alves, a seleção não é lugar para tratar de política.

Zé Ricardo e as reviravoltas

Falar do Cruzeiro, só no campo, é complicado. O Cruzeiro enfrenta um problemaço aí, com o envolvimento de sua diretoria em escândalos grandes. Não adianta a gente querer esconder porque isso reflete no campo” Alex de Souza, ex-jogador do Cruzeiro, comentando a crise no clube e a derrota da última quarta-feira (7), contra o Internacional, pela Copa do Brasil.

Um dia de cada vez

Fim da era Mano

Bráulio Siffert

Rogério Hilário

Fabrício Farias

Volante de 23 anos, o prata da casa Zé Ricardo é um dos melhores e mais esforçados jogadores do elenco americano. Sua atuação contra o Londrina é reflexo da campanha do América na Série B. No primeiro tempo, um erro de passe resultou no primeiro gol do Decacampeão adversário. A falta de confiança que abateu o jogador representa o que vinha sendo o time na temporada: desestabilizado emocionalmente, sem conseguir fazer valer as qualidades do elenco. Mas, no futebol, minutos podem ser suficientes para reviravoltas. E Zé Ricardo, que nunca havia feito um gol no profissional, marcou o da vitória aos 40 do segundo tempo. O time, pela primeira vez no campeonato, ficou fora da zona de rebaixamento.

Por ser jovem, o técnico do Atlético, Rodrigo Santana está afeito a novas experiências. E, por isso, não se intimida em aproveitar jogadores que antes apenas compunham o grupo. É o caso do goleiro Cleiton e dos volantes Vinícius e Jair. Remodelou o meio-de-campo e É Galo doido! descobriu opções para manter o desempenho da equipe, apesar das carências do elenco. Superou até mesmo o jejum dos atacantes. O Brasileiro é longo e muito pode acontecer até o final. A Sul-Americana também se alongará. Portanto, fiquemos no próximo obstáculo, sábado (10), contra o Fluminense, no Independência. Mas, sem muita empolgação, mesmo depois da vitória no clássico. Será, sempre, um dia de cada vez.

Chegamos ao fim da era Mano Menezes. Se seu estilo defensivo nos fez passar oito jogos sem gols, ele também conquistou quatro canecos em meio a uma crise institucional e ainda nos salvou de dois rebaixamentos. Acredito que o descompasLa Bestia Negra so entre técnico e diretoria vem de muito tempo. Como explicar a contratação de Fred com salário absurdo, quando perdemos Ábila por falta de pagamento, sendo que Mano não gosta de trabalhar com centroavante? Que ele não é o maior culpado de nossa situação não resta dúvida. Que a diretoria do clube deve ser afastada também não. Ela não tem moral alguma para apontar o dedo para ninguém. Infelizmente, uma nova era se inicia sem a certeza de grandes mudanças.

Para receber as matérias do BRASIL DE FATO MG diretamente no seu celular, envie uma mensagem para

31 98468-4731

/brasildefatomg

Profile for Brasil de Fato MG

Edição 294 do Brasil de Fato MG  

Edição 294 do Brasil de Fato MG  

Advertisement