Page 1

100 anos da revolução que abalou o mundo A revolução bolchevique na Rússia em outubro de 1917 colocou no poder, pela primeira vez na história da humanidade, a classe trabalhadora e operária, resultando em abalos socioeconômicos sem precedentes no mundo

Minas Gerais

Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017 • edição 207 • brasildefato.com.br • distribuição gratuita

Olha o gás!

Preço não para de subir

Em menos de um mês, o gás de cozinha já ficou mais caro duas vezes. Desde junho, houve cinco reajustes. Economista explica que, entre 2003 e 2015, o governo segurou o preço nas refinarias para que as famílias não pagassem mais caro. Com Temer na Presidência e Pedro Parente na Petrobras, botijão acompanha as mudanças do mercado internacional. Quem perde? Os quase 60 milhões de lares que precisam do produto i brasil 8, 9

BRASIL

OPINIÃO

Variedades

Caravana Lula em Minas

O caminho da escravidão

Teste sua internet!

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dará início à segunda etapa de sua caravana “Lula pelo Brasil”, que pretende percorrer o território brasileiro e dialogar com as diferentes realidades da população. De 23 a 30 de outubro, o petista percorre 14 cidades de Minas

Um duro golpe no combate ao trabalho escravo. Decreto do Ministério do Trabalho facilita a vida de quem explora mão-de-obra escravizada e dificulta a fiscalização

Anatel alerta que a maioria das operadoras entrega apenas metade do serviço contratado. Advogada popular dá dicas para conferir se você está sendo enganado e como pode lutar por seus direitos


2

OPINIÃO

Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

Editorial | Brasil

A escravidão ainda não acabou no Brasil

ESPAÇO dos Leitores

A melhor forma de se evitar essas viroses é lavar sempre as mãos... Viu?!! Ana Maria Duarte comenta a coluna de ciências “O frio causa gripe?” “Com muito amor fizemos essa reportagem, depois de passar uma semana incrível com as pessoas maravilhosas presentes, que nos possibilitaram muito mais que uma matéria, mas também conhecimentos a que não se tem acesso todo dia e que vão me acompanhar pra sempre. Minha gratidão eterna!” Carol Santos escreve sobre a matéria assinada por ela, Beatriz Ortiz e Roberto Vicente: “Ocupação reivindica mais espaços de arte e cultura na UFU”

Aprendemos na escola que o processo de abolição da escravidão no Brasil foi lento, e ocorreu por pressão dos capitalistas ingleses. Sua primeira medida foi a proibição do tráfico de escravos, em 1850, seguida pela lei do ventre livre, em 1871 e pela lei dos sexagenários, em 1885. Mas foi somente em 1888, com a Lei Áurea, que a escravidão foi abolida no nosso país. Será? Sabemos que a abolição não significou melhorias na vida dos ex -escravizados, pois a assinatura da lei não veio acompanhada pela reforma agrária ou pela capacitação dos negros libertos para o trabalho industrial. Também continuou o preconceito racial e cultural. Seguem existindo no Brasil situações análogas à escravidão, ou seja, pessoas que trabalham em situações sem nenhum direito tra-

Mais uma ponte para o passado escravocrata balhista, para pagar sua comida e moradia, ou seja, para garantir sua própria sobrevivência, igual aos escravos. Por um tempo, acreditava-se que essas situações só ocorriam em áreas geograficamente isoladas. Mas muitas pessoas continuam sendo libertadas da escravidão até mesmo em grandes cidades como São Paulo, onde imigrantes bolivianos já foram encontrados escravizados em fábricas de roupas. As empresas que praticavam a

escravidão eram fiscalizadas pelo Ministério Público do Trabalho e tinham seus nomes incluídos numa “lista suja” que tinha repercussões no mundo. Mais um golpe O Ministério do Trabalho deu um duro golpe no combate à escravidão. Um decreto fez com que apenas o ministro do trabalho possa incluir empresas na “lista suja”. Assim, o critério deixa de ser técnico e passa a ser político. O conceito se altera, e só será considerada escravidão quando houver a submissão de trabalhador sob ameaça de castigo, a proibição de transporte obrigando ao isolamento, a vigilância armada para manter o trabalhador no local ou a retenção de documentos pessoais. Só que o governo esquece que a escravidão atual não conta com um capitão do mato com chicote, e sim ocorre mediante a pressão financeira. O governo abandona assim os conceitos da OIT e do Código Penal. Praticamente impossibilita a fiscalização, pois a restringe a situações específicas que envolvem,

Situações análogas à escravidão existem nas cidades majoritariamente, a violência física. É mais uma ponte ao passado que o governo do golpe do impeachment nos impõe.

Escreva para nós: redacaomg@brasildefato.com.br O jornal Brasil de Fato circula semanalmente com edições regionais, em Minas Gerais, no Rio de Janeiro, no Paraná e em Pernambuco. Queremos contribuir no debate de ideias e na análise dos fatos do ponto de vista da necessidade de mudanças sociais em nosso país e no nosso estado.

REDE SOCIAL: facebook.com/brasildefatomg correio: redacaomg@brasildefato.com.br para anunciar: publicidademg@brasildefato.com.br TELEFONES: (31) 3309 3314 / (31) 3213 3983

conselho editorial minas gerais: Adília Sozzi, Adriano Pereira Santos, Adriano Ventura, Aruanã Leonne, Beatriz Cerqueira, Bernadete Esperança, Bruno Abreu Gomes, Cida Falabella, Ênio Bohnenberger, Frederico Santana Rick, Gilson Reis, Gustavo Bones, Jairo Nogueira Filho, Joana Tavares, João Paulo Cunha, Joceli Andrioli, Jô Moraes, José Guilherme Castro, Juarez Guimarães, Marcelo Oliveira Almeida, Makota Celinha , Maria Júlia Gomes de Andrade, Milton Bicalho, Neila Batista, Nilmário Miranda, Padre Henrique Moura, Padre João, Pereira da Viola, Renan Santos, Rogério Correia, Rosângela Gomes da Costa, Samuel da Silva, Talles Lopes, Temístocles Marcelos, Titane, Valquíria Assis, Wagner Xavier. Editora: Joana Tavares (Mtb 10140/MG). Redação: Amélia Gomes, Larissa Costa, Rafaella Dotta, Raíssa Lopes e Wallace Oliveira. Colaboradores: Alan Tygel, Anna Carolina Azevedo, André Fidusi, Bráulio Siffert, Diego Silveira, Fernanda Costa, João Paulo Cunha, Léo Calixto, Luiz Fellippe Fagaráz, Marcelo Pereira, Nadia Daian, Pedro Rafael Vilela, Rogério Hilário, Sofia Barbosa. Revisão: Luciana Santos Gonçalves. Administração: Vinicius Nolasco. Distribuição: Felipe Marcelino. Diagramação: Tiago de Macedo Rodrigues. Tiragem: 40 mil exemplares.


?

Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

Em várias casas legislativas do Brasil, o Movimento Escola sem Partido, com o apoio de partidos de direita e parlamentares que disputam votos das igrejas, tenta aprovar projeto que estabelece o controle privado sobre o que se ensina na escola. O argumento é que os alunos não teriam a capacidade de discernir e, por isso, tornariam-se “público cativo” de professores mal intencionados. O Brasil de Fato MG foi às ruas perguntar:

Se tiram a liberdade do professor de ensinar, privam o aluno de formar uma opinião própria. Acho que depende da idade. Quando a gente forma capacidade de pensar, a gente consegue formar opinião. Mesmo que o outro tente te influenciar, ele não vai conseguir. Ana Carolina da Costa, 17, estudante

Eu acho que o aluno acaba seguindo. A maioria dos alunos, principalmente em fase de segundo grau, não têm opinião própria, mas a opinião do professor. Então, eu acho que os pais deveriam entrar mais no meio, pois os filhos podem ou não entender.

Adelita Pires, 27, vendedora

Tem muito livro? Doe para a Casa da Árvore

Após o incêndio que destruiu a Casa da Árvore, no mês passado, moradores e apoiadores tentam reconstruir a biblioteca, que encantava a todos que passavam. Com milhares de exemplares, a biblioteca a céu aberto atendia a toda a população dos arredores da Avenida Barão Homem de Melo, no Nova Suíça, em BH. Quem quiser doar livros, é só acessar a página facebook.com/ defendoacasadaarvore e ficar por dentro das atividades.

3

Declaração da Semana

PERGUNTA DA SEMANA

Você acha que os alunos têm capacidade de pensar com a própria cabeça ou seguem tudo o que o professor diz?

GERAL

“Isso é lamentável. E existem soluções melhores, como o Bom Prato. Mas alguém deve lucrar mais com o ultraprocessamento da ração. Deprimente” Divulgação

A apresentadora Rita Lobo comentou, em sua conta no Twitter, a proposta do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), de criação de um tipo de “ração humana” para a população de baixa renda.

Para ver BH do alto

O Edifício Acaiaca, um dos prédios históricos mais conhecidos da capital, abre seu último andar para visitação do público, neste sábado (21). Do alto, é possível ver a capital em um ângulo de 360 graus. O evento conta com exposição de produtos, bebidas e comidas e a entrada é gratuita. O endereço é Avenida Afonso Pena, 867.

Inscrições para mostra de samba estão abertas

Para os amantes do ritmo, as inscrições para a 3ª Mostra Samba Lagoinha de Composições Inéditas vão até 6 de novembro. Com o tema “Desde que o Samba é Samba”, o evento acontece no dia 25 de novembro, no Centro Cultural Liberalino Alves de Oliveira, localizado no Mercado Popular da Lagoinha. Podem se inscrever compositores de Belo Horizonte e Região Metropolitana, com idade acima de 16 anos. É só ligar (31) 3277 6077.


4

CIDADES

Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

Gás aumentou 6,8% em Minas desde agosto GOLPE Segundo petroleiro, atual direção da Petrobras quer se desfazer do setor, ignorando o interesse da população Pedro Ventura / Agência Brasília

Wallace Oliveira

N

Preço agora é submetido ao câmbio e às variações do mercado europeu

ova política de preços da Petrobras fez o gás de cozinha ficar mais caro. Segundo economista, regras deixam o país atrelado às flutuações do mercado internacional e quem perde é a população. Preço do botijão Entre agosto e outubro, o preço do botijão de 13 kg (gás de cozinha) cresceu 7,15 % no país e 6,8% em Minas Gerais, segundo a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O que o consumidor final paga pelo produto é a soma de diversos preços: o que é cobrado pela Petrobras (33%), impostos como ICMS, PIS/PASEP e COFINS (20%) e distribuidores e revendedores (47%). “Entre 2003 e 2015, não houve reajuste no preço do produtor, na refinaria. Havia uma política de subsídios do

Gás de cozinha aumentou 6,8% em Minas entre agosto e outubro

governo federal para segurar o gás. O que aumentou foram principalmente os distribuidores e revendedores”, afirma o economista Cloviomar Cararine, que presta assessoria técnica para a Federação Única dos Petroleiros (FUP). Nova política Em junho, com o golpista de Temer (PMDB) na Presidência da República e Pedro Parente na Petrobras, a empresa alterou sua política para esse derivado do pe-

tróleo. A partir de então, todo mês, a estatal reajusta o valor cobrado às distribuidoras, tendo como referência a cotação da matéria-prima (butano e propano) no mercado europeu e o câmbio (relação entre real e dólar). Reajustados, os novos preços são repassados por distribuidores e revendedores para o consumidor final. A mudança, segundo o economista, explica os sucessivos aumentos nos últimos meses. “Ficamos sub-

metidos ao câmbio e às variações no mercado europeu. Começamos a perceber, então, que há um aumento mensal por conta desses parâmetros”, detalha. Ele compara essa situação ao que ocorreu com a gasolina, cuja política de preços, embora tenha diferenças, também está atrelada a flutuações no mercado internacional. “Quando acontece um furacão nos EUA, como no mês passado, e para a produção de algumas refinarias, a gente paga mais caro pela gasolina aqui no Brasil. A mesma coisa com o gás de cozinha: se acontece alguma coisa na Europa, a gente é afetado aqui”, comenta.

Privatismo Para Felipe Pinheiro, diretor do Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro-MG), com Temer, a Petrobras a passa ter como única preocupação o lucro. “Não pensam que o gás de cozinha é usado pela população pobre”, critica. Ele também ressalta o efeito negativo da privatização, que tem impacto no preço final. “Vão produzir lá fora, gerar empregos e receita fora e depois vender aqui por um preço alto”, avalia. Felipe lembra que a Liquigás, outrora pertencente à Petrobras, já foi vendida à Ultragaz. “Essa empresa praticamente vai monopolizar o mercado. Além disso, a Petrobras quer vender parte do setor de refino de petróleo, fazer parcerias com o capital privado. A BR Distribuidora está para ser privatizada. Aos poucos, a Petrobras está se desfazendo de todo o setor e isso tem um reflexo nos preços”, conclui o sindicalista.

Políticas para população de rua avançam na capital PROGRESSO Organizações avaliam que proposta da PBH é promissora e acompanham cumprimento das promessas Midia NINJA

Raíssa Lopes

A

Prefeitura de BH apresentou recentemente um pacote de medidas com ações voltadas para a população em situação de rua e gerenciamento do espaço urbano. A avaliação dos movimentos e entidades que acompanham a vida de quem mora nas ruas da capital é de que a estratégia é positiva e seria um progresso das propostas para o setor. Até então preparado com a participação da sociedade civil, o debate tem focado no desenvolvimen-

ma Claudenice Lopes, educadora social da Pastoral de Rua, uma das entidades ativas na elaboração do plano. Ela aponta que um dos objetivos é fazer que a construção de albergues e abrigos não seja uma finalidade, mas um dos meios para que a população de rua possa viver com dignidade. Outros pontos são a criação de banheiros públicos

Um dos objetivos é a construção de abrigos como caminho para vida digna

to de políticas públicas nas áreas de moradia, saúde, educação, trabalho e renda, segurança alimentar e assistência social.

“É uma possibilidade real de que as pessoas deixem de ser apenas vistas pela assistência e sejam atendidas de forma integral”, afir-

População de rua cresceu 31% de janeiro a julho

e locais para a guarda de pertences. De acordo com o militante do Movimento Nacional da População de Rua, Samuel Rodrigues, a ideia é analisar a subjetividade dos moradores de rua. “Grande parte cata material reciclável, e devemos pensar como inserir esse sujeito no mercado de trabalho respeitando a atividade que ele já faz, o local que ele já ocupa, que considera”, diz. Segundo a Secretaria Municipal de Políticas Sociais, o número de pessoas em situação de rua em Belo Horizonte cresceu 31% desde o início do ano.


Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

MINAS

5

Opinião

Desobediência é o que resta de dignidade João Paulo Cunha A movimentação em torno das votações no Congresso para devolver o mandato ao senador Aécio Neves e barrar a denúncia ao presidente não eleito e dois de seus ministros revelou momentos de pura barbárie. Não bastasse o jogo escancarado de utilização de recursos e cargos públicos para comprar votos, medidas anunciadas pelo governo promovem uma torpe viagem regressiva no tempo e nos direitos humanos. Na contramão das normas consensuais no mundo civilizado e da Organização Internacional do Trabalho, o país redefine o conceito de escravidão contemporânea. Para pior. As condições de trabalho podem ser degradantes, com carga horária desumana, com retenção de documentos e estabelecimento de dívidas impagáveis com o patrão. Vale tudo. Se não tiver tronco ou cárcere privado, não é trabalho escravo. O entendimento moderno, que

Governo redefine para pior o conceito de escravidão propõe o combate às condições análogas às da escravidão perde o sentido e retroage ao século 18. A medida, por meio de uma simples portaria, atende às demandas da bancada ruralista, que se apressou em comemorar. A portaria operacionaliza o horror, destruindo os instrumentos existentes de fiscalização e controle do trabalho escravo. O trabalho dos fiscais fica prejudicado em termos legais e práticos, passando a exigir a formalização de uma ação policial, por meio de boletim de ocorrência, entre outros cerceamentos. Além disso, a divulgação da lista das empresas que escravizam trabalhadores passa a ser de atribuição única do ministro do trabalho, que vê sua

Não é pelo direito dos outros. É pelo direito de TODOS. O seu também. A Secretaria de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (Sedpac) foi criada pelo Governo do Estado para garantir e ampliar os direitos de toda a população de Minas Gerais. Uma importante iniciativa para a construção da justiça social, do respeito à diversidade e de uma cultura de paz. Afinal, fazer do mundo um lugar de todos é a melhor forma de fazer dele o lugar de cada um.

direitoshumanos.mg.gov.br

função minguar da regulação de direitos para a de capitão do mato de ruralistas. Em outro contexto, mas com inevitável similaridade, o prefeito de São Paulo, João Dória (que apoiou a portaria escravagista), anuncia o uso de uma farinha feita com alimentos perto da data de vencimento para reforçar a merenda nas escolas e combater a fome. Em sua defesa da proposta, mistura o papel dos empresários e as necessidades da população. Na mentalidade empreendedora, fome é oportunidade de negócio. É fácil saber onde vai atuar o fermento dos recursos públicos. De forma arrogante deixa escapar sua ampla incompetência, contrapondose a todas as ações do setor que recomendam sempre o uso de alimentos saudáveis e minimamente processados. Um estado democrático de direito deve ser o império da lei. Quando essa condição é fraturada há muito se rompeu o pacto civilizacional. Nessa hora, a desobediência é o único resquício de humanidade.

Anúncio

SEDPAC

Feita pra você. E para cada um de nós. direitoshumanos.mg.gov.br (31) 3270-3616

Secretaria de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania


6

MINAS

Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

“A escola é um espaço público, onde convivem os diferentes”, diz professora sobre Escola sem Partido CENSURA Projeto ainda tramita em Belo Horizonte e Uberlândia e educadores criticam proposta Gil Leonardi / Imprensa MG

Diego Leão e Wallace Oliveira

E

mbora tenha sido considerado inconstitucional por liminar do STF em relação à lei aprovada em Alagoas, o projeto Escola sem Partido é discutido em diversas casas legislativas no Brasil. Em Belo Horizonte, a pauta volta a ser debatida na Câmara, sob pressão da bancada religiosa. Em Uberlândia, acabou de ser colocado em pauta por dois vereadores da base do prefeito. Para educadores, modelo vai na contramão de uma educação que lide, de fato, com os problemas que cercam o ambiente escolar e pode significar perseguição a educadores. Público x privado O projeto apresentado em Belo Horizonte afirma que deve ser garantida “a liberdade e o pluralismo de ideias”. No entanto, o texto diz que o professor deve

sive. Desse conflito nasce o conhecimento sobre como o diferente de mim pensa”, afirma. Ela observa que o modelo proposto no projeto torna a escola conivente com os problemas que envolvem a vida dos estudantes. “O educador lida com

Quem discute temas sociais pode ser perseguido

Escola é um espaço público, onde convivem os diferentes

respeitar “o direito dos pais dos alunos a que seus filhos recebam a educação religiosa e moral que esteja de acordo com as suas próprias convicções”. De acordo com a pedagoga e historiadora Analise da Silva, ao reivindicar uma educação que se limi-

te a reproduzir os valores que a família quer, fere-se o respeito à diversidade de ideias. “Na esfera privada, a família, em seus diversos arranjos, educa seus filhos da forma como quiser. A escola é um espaço público, onde convivem os diferentes, em conflito, inclu-

seres humanos e faz parte do meu dever profissional contribuir para a formação de cidadãos éticos, críticos, propositivos. Não posso permitir que a violência que assola a sociedade e que, muitas vezes, acontece dentro das famílias de alguns alunos seja reproduzida na escola. Então, não é da conta da escola se o pai não ensinou ao menino que ele não pode passar

a mão nas meninas?”, questiona. Profissionais da educação ressaltam ainda que a proposta pode resultar em graves problemas para o exercício da docência nas escolas, entre eles o cerceamento da discussão de questões sociais. “Na verdade, a ‘escola sem partido’ é uma escola com censura”, afirma Ronan Hungria, professor da rede municipal de Uberlândia. “O que se pretende é uma escola sem debate, especialmente sobre temas como diversidade sexual, gênero, preconceito étnico-racial, tolerância a tantas formas de diferenças e, principalmente, política, em sentido amplo”, afirma Edilson José Graciolli, professor da Universidade Federal de Uberlândia. Os professores consideram que o projeto institucionaliza a perseguição contra educadores que discutem temáticas sociais com seus alunos.

Tramitações do projeto em Minas O

Diego Leao / Brasil de Fato MG

deputado estadual Léo Portela (PRB) protocolou o PL 4.247/2017 na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Na Comissão de Constituição e Justiça, o PL recebeu parecer contrário do relator, deputado Durval Ângelo (PT), e depois foi retirado da pauta a pedido do deputado Cabo Júlio (PMDB).

PL em BH já recebeu parecer contrário

PLs são apoiados por vreadores conservadores ou religiosos

Em Belo Horizonte, o exvereador Sérgio Fernando de Pinho Tavares (PV), da Igreja Batista da Lagoinha, apresentou projeto nos moldes do Escola Sem Partido, em 2016, mas a proposição foi arquivada. Outro projeto (PL 274/2017) foi apresentado pelo vereador Fernando Borja (PT do B), com o apoio da “bancada cristã”, grupo dos parlamentares que disputam os votos dos frequentadores de igrejas. Apoiado por 21 vereadores, ele tramita em 1º turno na Câmara e recebeu parecer contrário da Comis-

são de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura, Desporto, Lazer e Turismo. Ele segue para votação em duas outras comissões. Para ser aprovada em plenário, precisa do voto favorável de 21 vereadores, em dois turnos, antes de ser levado à análise do prefeito. Em Uberlândia, foi apresentado um projeto no dia 9, pelos vereadores Márcio Nobre (PDT) e Wilson Pinheiro (PP), da base do prefeito Odelmo Leão (PP). O projeto segue agora para votação nas comissões.


Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017 Reproducao AMAU

OPINIão

7

Aloísio Lopes

Sem recurso$ para os pequenos, os grandes dominam

Agricultura urbana: caminho para a alimentação saudável

De onde vêm os alimentos que chegam à sua mesa? 70% são provenientes da agricultura familiar. Quando se fala em agricultura, o senso comum remete à fazenda, à roça, ao interior. Aos poucos esse conceito vem sendo rompido. A falta de água e solos agricultáveis, além da crescente demanda tem feito com que a agricultura urbana seja vista como alternativa viável. Da colheita no meio rural até a mesa do consumidor, o desperdício chega a 40%. Quanto menor a distância entre o plantio e o consumo, menor o desperdício. Além disso, a demanda por alimentos frescos, sem agrotóxicos, tem sido crescente. Nesse sentido, a agricultura urbana ganha força. Em Minas temos acompanhado grandes avanços, sobretudo no que se refere à agricultura familiar e produção sustentável. Vigora no estado a Lei 15.973/2006, regulamentada pelo Decreto 44.720/2008, que institui a Política Estadual de Apoio à Agricultura Urbana. O texto de nossa autoria tem como objetivo promover a pro- 70% dos alimentos vem dução sustentável sem agrotóxicos, a ge- da agricultura familiar ração de emprego e renda e a segurança alimentar. Dados divulgados pela Emater mostram que nos 34 municípios da Região Metropolitana de BH, atuam 3.418 agricultores familiares e 501 não familiares. Juntos eles produziram 136.289 toneladas de hortaliças, em 2016, sendo que 83,15% vêm exclusivamente da agricultura familiar praticada no meio rural, urbano e periurbano. As hortas comunitárias são exemplos exitosos de que o meio urbano também é propício à produção de alimentos. É preciso explorar o potencial produtivo do meio urbano. Teremos o barateamento dos produtos, uma vez que o custo do deslocamento da produção será menor; serão oferecidos alimentos mais frescos e saudáveis à população; além de reduzir o desperdício. Padre João é deputado federal pelo PT/MG

Aloísio Lopes é jornalista e membro do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação – FNDC MG.

acompanhando

Padre João

Os debates da esfera pública, onde se formam opiniões que influenciam decisões políticas, estão ancorados nos meios de comunicação social, que propagam e potencializam ideias. No entanto, as campanhas de divulgação do governo se concentram na mídia comercial. Seriam eles atores privilegiados pelo Estado? Seriam mais “eficientes” para atingir os objetivos de democracia? O maior volume de recursos empregados pela administração estadual vai para publicidade. O orçamento do estado de Minas Gerais, na administração direta, para 2018, é de R$100 milhões, recursos que historicamente são destinados às grandes empresas de mídia. No setor de radiodifusão não comercial temos centenas de emissoras de rádio e tvs no interior de Minas com programação de caráter educativo, comunitário e cultural. Só de rádios comunitárias, são 750, segundo o Ministério das Comunicações. Essas não são contempladas pelas verbas de publicidade. A discriminação não se anco- Verba publicitária ra em óbices legais, mas precisa ser sim na má vontade, igno- democratizada rância ou desprezo com a mídia popular, por parte de quem comanda a comunicação do governo. Caminhos legais via convênios já vêm sendo usados em outros estados. A reivindicação dos movimentos é a divisão desse bolo. Esse seria um primeiro passo para uma política pública de comunicação de estímulo à economia, e à democracia, favorecendo a pluralidade política e cultural nos 17 territórios. A médio e longo prazos, a justa alocação de recursos públicos passa pela criação de um fundo formado com parte do ICMS sobre serviços de comunicações. Isso será capaz de sustentar uma política pública duradoura. Alcançaremos?

Na edição 199... Em defesa das tradições de matriz africana... E agora Passeata pela tolerância Acontece neste domingo (22), em Belo Horizonte, uma passeata contra a violência e a intolerância religiosa. A iniciativa é organizada por representantes de diversas religiões, como Umbanda e Candomblé, e denuncia a invasão e depredação de terreiros. A concentração está agendada para as 14h, na Praça Sete.


8 6

BRASIL

Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

Aécio Neves volta para o Senado PROTEÇÃO Acusado de corrupção, tucano consegue votos na Casa, anulando decisão do STF Wilson Dias / Agência Brasil

Redação

A

écio Neves (PSDB -MG) volta à sua função de senador. A decisão foi tomada no Senado, na terça (17), e derruba a deliberação do Supremo Tribunal Federal tomada no mês passado, que afastou o tucano do cargo e determinou seu recolhimento noturno. O parlamentar foi denunciado por corrupção passiva e obstrução de Justiça, com base nas delações premiadas da empresa J&F. Foram 44 votos a favor de Aécio e 26 contrários, sendo que nove senadores não compareceram à sessão e dois não votaram,

Eunício Oliveira (PMDBCE) e o próprio Aécio, que estava afastado. Representantes do PDT, Pode, PP,

PSB, PT, PMDB, PSD, PR, Rede e DEM se posicionaram a favor da decisão do STF. A favor do Aécio, ou

seja, contra a decisão do STF, votaram representantes do PMDB, PSDB, PR, PP, DEM, PRB, PTC, PROS, PSD, PSC, PR, PP e PTB. Relembre Aécio Neves foi gravado pedindo ao empresário Joesley Batista R$2 milhões, em troca de sua atuação política. O parlamentar tucano nega qualquer ato ilícito, afirmando que a quantia se refere a um empréstimo pessoal. Para o líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (RJ), a decisão da Casa foi um “descaramento”, resultado de um acordo de salvamento mútuo entre os principais partidos de sustentação a Michel Temer.

Aécio foi gravado pedindo R$ 2 milhões para Joesley por favorecimento Caiu na rede Nas redes sociais, mais uma vez Aécio virou meme. Com toda criatividade, internautas fizeram montagens com a capa o filme “O Poderoso Chefão”, que com o rosto de Aécio passou para “O Poderoso Ladrão”. No Twitter, os usuários ficaram indignados. “Bandidos unidos permanecem unidos!”, tuitou um deles.

Trabalhadores rurais realizam ações em todo o país Comunicação / MST

Da redação

D

esde 16 de outubro, Dia Mundial da Alimentação Saudável e pela Soberania Alimentar, organizações do campo, como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e o Movimento de Pequenos Agricultores (MPA), realizam uma jornada em todo o Brasil, com ocupações de prédios e latifúndios.

Eles denunciam o agronegócio, a bancada ruralista e os cortes no orçamento da reforma agrária pelo governo golpista de Temer (PMDB). Para 2018, o atual projeto de orçamento da União prevê um corte de 90% para a obtenção de terras para reforma agrária, 86% para o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária, 69% na infraestrutura e 100% no Minha Casa Minha Vida.

Na terça (17), em Belo Horizonte, famílias do MST de toda a região metropolitana ocuparam a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Eles exigem o assentamento das 7 mil famílias acampadas no estado e o fim dos despejos. Cerca de 3500 famílias estão ameaçadas de perder suas casas.

Reunião Na quarta (18), os movimentos foram recebidos pelos ministros da Casa Civil e Planejamento. Eles prometeram liberar o orçamento da reforma agrária ainda em 2017 e enviar ao Congresso uma nova proposta orçamentária. “Apesar de o governo ter cedido à pressão, não podemos baixar a guarda, ou

o problema permanecerá: não terá recurso para a promoção da vida no campo, o que é uma carta branca para a violência e a morte de trabalhadores rurais”, afirma Alexandre Conceição, da direção nacional do MST.

Anúncio


Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

BRASIL

9

Lula começa caravana por MG DEMOCRACIA Ex-presidente pretende percorrer 14 cidades de ônibus na próxima semana Ricardo Stuckert

Da redação

O

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) dará início à segunda etapa de sua caravana “Lula pelo Brasil”, que pretende percorrer o território brasileiro e dialogar com as diferentes realidades da população. Desta vez, o petista segue para Minas Gerais, o maior estado da região sudeste do país. A caravana terá início na próxima segunda-feira (23) e termina no dia 30. No total, o ex-presidente vai percorrer, de ônibus, 14 cidades, passando por sete diferentes regiões do estado. Segundo Márcio Macedo, vice-presidente do PT e coordenador do projeto, a escolha de Minas Gerais para que seja a segunda caravana do ex-presidente neste ano se dá pela importância e a dimensão que o estado tem para o país, por ser o segundo maior estado

da Federação e ter dimensões territoriais de uma região. “A caravana do presidente Lula é uma caravana de diagnóstico, de verificar in loco a situação do país, como andam as políticas públicas que ele idealizou e colocou em prática nos oito anos de governo,

como estão as pessoas nesse momento de desmonte das políticas públicas e do patrimônio nacional feita pelo governo de Michel Temer”, explica. Lula inicia a caravana com um ato em defesa da soberania nacional, realizado na região do Vale do Aço, em Ipatinga. Depois

do ato de abertura, a caravana segue para o Vale do Rio Doce, Vale do Mucuri, Vale do Jequitinhonha, passa pelo Norte de Minas, Região Metropolitana de Belo Horizonte e termina em um ato na capital mineira, no dia 30. Histórias A caravana é uma iniciativa do Partido dos Trabalhadores para dialogar com a população brasileira sobre as estratégias para o futuro do país e a retomada da democracia. “O Lula tem essa característica de conversar com as pessoas e com o povo, é um momento de dialogar, ouvir e ser ouvido pela população. Um líder com essas características do Lula se alimenta das massas, do imaginário coletivo. É importante esse diálogo direto com a população”, acredita Macedo. Minas Gerais é o segundo

Caravana quer dialogar com a população sobre estratégias para o futuro do país estado visitado por Lula. Entre os dias 17 de agosto e 5 de setembro, o ex-presidente esteve no Nordeste brasileiro, onde percorreu nove estados conhecendo a realidade e os desafios da região. A ideia é Lula visitar todas as regiões do Brasil até o final do primeiro semestre de 2018. Ao longo dos sete dias da passagem do ex-presidente pelo estado, o Brasil de Fato estará presente com uma cobertura em tempo real, mostrando histórias e realidades do povo mineiro.

Agência Brasil

CCJ livra Temer de investigação A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) recomendou na quarta (18) que a Câmara dos Deputados não autorize a abertura de processo no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral), com base na denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República, que os acusa de organização criminosa e obstrução de Justiça. O relatório do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que desqualifica a denúncia, foi aprovado por 39 votos a 26. Assim como na votação da primeira denúncia, por corrupção passiva, o relator do caso ficou a cargo de um tucano de Minas Gerais.

Retrocessos no combate ao trabalho escravo Fiscais do trabalho paralisam as atividades de combate ao trabalho escravo em 21 estados. A categoria decidiu suspender, a partir de quarta-feira (18), as ações de fiscalização de trabalho escravo até que o Ministério do Trabalho revogue a Portaria 1.129, publicada na segunda (16). As novas regras contradizem normativas superiores à Portaria, como a convenção 169 da OIT - Organização Internacional do Trabalho, e até o próprio Código Penal Brasileiro e tornam mais difícil o combate ao trabalho em situações análogas à escravidão.


10 10

MUNDO

Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

Revolução Russa de 1917: a grande experiência dos trabalhadores no poder HISTÓRIA No mês do centenário de um dos maiores acontecimentos do século passado, especialistas avaliam legado da União Soviética para a humanidade Sputnik Vladimir Semenyuk

Pedro Rafael Vilela

D

e país extremamente pobre, economia atrasada e depende da exportação de produtos agrícolas, no começo do século XX, a Rússia viria a se tornar, quase 100 anos depois, umas das maiores potências econômicas, políticas e militares do planeta. A revolução bolchevique de outubro de 1917 colocou no poder, pela primeira vez na história da humanidade, a própria classe trabalhadora, resultando em abalos socioeconômicos sem precedentes no mundo inteiro. Liderados por Vladimir Lênin, os bolcheviques ajudaram a derrubar, por meio de grandes greves e manifestações, ainda em março de 1917, o governo imperialista e autoritário do czar NicoSocialismo ou barbárie Sobre a atualidade do socialismo como modelo viável, Luciano Rezende não deixa dúvidas. “Atualmente, 50% de toda a riqueza do mundo estão nas mãos de apenas 1% da população. A maior parte do povo está condenada à miséria e fome, além de submetidos a guerras sangrentas”, observa. Conquistas históricas Nem todo mundo se dá conta, mas vários dos direitos e conquistas sociais que já se tornaram comuns na vida das pessoas são legados diretos da Revolução Russa na história da humanidade ao longo do século passado.

lau II, que condenava a população a condições miseráveis de vida. O que se seguiu foi um governo provisório que pouco mudou a vida do povo, resultando em outra insurreição meses depois, desta vez levando ao

Direitos das mulheres A Revolução Russa de 1917 defendia igualdade total entre homens e mulheres. De imediato, foi instituído o voto da mulher, regulamentou-se mais tarde o direito ao aborto e ao divórcio. Só depois que a União Soviética implantou o voto feminino que outros países fizeram o mesmo, como Inglaterra e Alemanha (1918), Estados Unidos (1920) e França (1944). No Brasil, o voto feminino só surgiria no governo Vargas, em 1932.

poder os trabalhadores. Cinco anos após uma sangrenta guerra civil, em 1922, nascia a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), que, além da Rússia, era formada por territórios que fizeram parte do império russo ante-

Direitos trabalhistas Foi a partir da pressão popular e da luta de sindicatos, influenciada pelos socialistas, que direitos como o descanso semanal remunerado, férias, salário mínimo, licença maternidade, assistência de saúde e segurança no trabalho foram instituídos como garantias para os trabalhadores.

rior, como Ucrânia, Bielorússia, entre outros. Sob o lema “paz, terra, pão e trabalho”, os bolcheviques conseguiram unir a classe trabalhadora em torno de um projeto de Estado que aboliu a propriedade

Derrota do nazi-fascismo A União Soviética foi a principal responsável pela derrota da Alemanha nazista durante a II Guerra Mundial (19391945). A “grande guerra patriótica”, como se diz na Rússia, ceifou mais de 24 milhões de russos, “Foi a URSS que libertou a maioria dos campos de concentração nazistas”, aponta Luciano Rezende.

privada, realizou uma completa reforma agrária, estatizou bancos e investimentos e passou a destinar vultosos recursos para desenvolver a indústria e oferecer saúde, educação e bem-estar social para a sua população. “A Revolução Russa é, até hoje, a experiência mais profunda que a humanidade já experimentou de transição ao socialismo, de acesso ao poder da classe trabalhadora”, explica o advogado Ricardo Gebrim, dirigente da Consulta Popular. “Analisar os erros e acertos da Revolução Russa é fundamental para pensar a construção do socialismo no futuro”, avalia Luciano Rezende Moreira, da Universidade Federal de Viçosa e da direção do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) em Minas.

Saúde e educação A melhora na qualidade de vida dos soviéticos ao longo das primeiras décadas após a Revolução fez com que os países capitalistas ocidentais implantassem o chamado Estado de bem-estar social, assegurando direitos como saúde e educação públicas de qualidade para a população. Antes da Revolução de 1917, menos de 1% da população russa era alfabetizada. O país se livrou do analfabetismo ainda nos anos 1970. O Brasil, por outro lado, até hoje ostenta índices vergonhosos de analfabetismo.


Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

Tragédia na Somália

Da redação

O

recente ataque na capital da Somália, em Mogadíscio, aconteceu no último sábado (14) e não é um fato isolado na região. O país se encontra em uma guerra civil há mais de 20 anos, desde a queda do ditador Mohammed Siad Barre, em

1991, e está em situação de caos político com o conflito entre o grupo terrorista Al Shabaad e o governo transitório. Ao menos 315 pessoas morreram por causa da explosão de dois caminhões bomba em lugares movimentados da capital somali. O atentado já é considerado

o maior na história do país e a quantidade de mortos ainda deve aumentar, já que o número de feridos ultrapassa os 500. “Eles apontaram para a área mais populosa de Mogadíscio, matando somente civis”, afirmou o primeiro ministro somali, Hassan Ali Khaire. Nenhum grupo assumiu a autoria dos ataques. No entanto, o governo acusa o Al Shabaad, grupo terrorista responsável pala maior parte dos atentados na região da Somália. Em reação, os somalis realizaram manifestações contra o ataque e mutirões de doação de sangue para auxiliar as vítimas. É grande o número de corpos que ainda não foram identificados, o que fez com que a população se unisse também para pedir mais rapidez na identificação dos corpos de seus parentes desaparecidos. (Com Opera Mundi).

MUNDO

11 11

Em eleições regionais, partido chavista conquista 18 dos 23 estados venezuelanos

Telesur

O resultado das últimas eleições regionais na Venezuela já mostrava ampla vantagem do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV). Neste pleito, que aconteceu no domingo (15), o PSUV conquistou, ao todo, 18 dos 23 estados. No país, o voto é facultativo, mesmo assim, houve a participação de 61% do eleitorado. “A participação é a maior dos últimos anos, é histórica, muito superior à que ocorreu em dezembro de 2012, quando escolhemos os governadores e governadoras”, disse o chefe do Comando de Campanha Zamora 200, Jorge Rodríguez. O resultado das eleições foi validado por observadores internacionais, que consideraram que o pleito “ocorreu de maneira bem-sucedida e que a vontade dos cidadãos expressada pacificamente nas urnas foi respeitada”, conforme afirmou o presidente do Conselho de Especialistas eleitorais da América Latina, Nicanor Moscoso, na segunda (16).

Anúncio

www.anulareforma.cut.org.br


12 12 VARIEDADES

Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

NOVELA Onda de censura chega também às novelas

Amiga da Saúde Ouvi uma história de que algumas vacinas podem provocar autismo. É verdade? O que fazer? Karine Pacheco, 30 anos, diagramadora

N

inguém ficou sem notar a barulhenta “onda de censura” a diversas exposições e manifestações artísticas nas últimas semanas no Brasil. Protagonizada por grupos com um fundamentalismo religioso e conservadorismo caricato e, por vezes, violento, essa onda cresce na sociedade. Nas novelas - que também são um produto artístico - essa tentativa de censura demagógica e moralizante não é tão nova. Diversas tramas já foram acusadas de “deturpar os valores da família” e de “fazer apologia” a isso e àquilo. E claro, com essa nova onda, as novelas não ficariam de fora. A forma como esses grupos agem é de pressão e imposição daquilo que consideram “decente”, de acordo com a sua visão religiosa e conservadora. Os temas que os incomodam geralmente Já existem projetos mais pertencem ao universo LGBT e a de lei que dizem o sexualidade, especialmente a das que pode e não pode mulheres. Em recente vídeo, um ser mostrado na TV pastor deputado federal acusou a

Globo de ensinar como “traficar”, “a trair o marido ou a esposa”, bem como de confundir as crianças sobre o gênero e a sexualidade ensinada pelos pais e pela Igreja. Inclusive, é bom sabermos, as bancadas políticas desses grupos vêm propondo projetos de lei que dizem o que pode e não pode ser mostrado na TV. As novelas, gostemos delas ou não, têm um papel social importante, que é explorado pelos seus autores e diretores, ao expor dramas e realidades diversas. Se, por exemplo, uma novela concede a aparição de figuras LGBTs, é por saber que o debate acerca da sexualidade e do gênero já está instaurado na sociedade. Temos nossas críticas ao papel político das grandes emissoras na conjuntura atual, mas não podemos fechar os olhos para esses ataques de viés moralizante... Se essa onda pega, perderemos em diversidade, qualidade e inteligência em nossas novelas e produções artísticas, de forma geral. Imagina só como ficariam as tramas, sem as suas polêmicas, sem as novidades, sem a liberdade: ficariam chatas! Fiquemos atentos! Um abraço

*Felipe Marcelino é coordenador da distribuição do Brasil de Fato MG

Isso não é verdade, Karine. Tem crescido o número de pessoas que acreditam que as vacinas podem fazer mal à saúde. Essa ideia é perigosa, porque está fazendo retornar doenças que já deixavam de ser preocupação. É o caso do sarampo, que tem aparecido em surtos em vários países da Europa. O boato de que a vacina triviral (contra sarampo, caxumba e rubéola) estaria relacionada ao autismo percorreu pa-

íses do mundo inteiro e provocou redução da procura pela vacina. Mas um estudo britânico realizado com quase 6 mil crianças mostrou que a vacina não provoca autismo, assim como vários outros estudos também chegaram a conclusões parecidas. É fundamental que a criança receba todas as vacinas, além disso, é um direito dela garantido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

Sofia Barbosa I Coren MG 159621-Enf. Aqui você pode perguntar o que quiser para a nossa Amiga da Saúde Mande sua dúvida: amigadasaude@brasildefato.com.br

Nossos direitos Teste a velocidade de sua internet! Segundo dados da ANATEL, a maioria das operadoras que oferecem serviços de internet, seja em casa ou no celular, entregam apenas a metade da qualidade da internet contratada. Com isso, você acaba pagando caro por uma qualidade do serviço, mas acaba por receber na prática, uma velocidade bem inferior. Não aceite ser enganado: teste sua conexão, descubra a real velocidade de sua internet e exija uma melhor qualidade do serviço. Sugerimos um dos melhores sites de

teste, mas existem outros: www.copeltelecom.com/site/speedtest/ Caso você perceba a má prestação do serviço contratado, ligue para sua operadora e exija, além da atualização da qualidade do serviço, um abatimento nas próximas faturas, proporcional ao serviço oferecido. Caso suas reivindicações não sejam atendidas, procure o PROCON ou o Juizado Especial do Consumidor de sua cidade. Fique ligado e não perca seus direitos!

Adília Sozzi é advogada da Rede Nacional de Advogados Populares – RENAP


Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

13 VARIEDADES 13

www.malvados.com.br

Dicas Mastigadas

por Alan Tygel*

PATÊ VEGANO DE PÃO E TALOS DE SALSINHA www.coquetel.com.br

CAÇA-PALAVRA

© Revistas COQUETEL

Procure e marque, no diagrama de letras, as palavras em destaque no texto.

I T H U C C S T H Z I R T A O T G D G C E O D R F A Y N T S E

G E T E D H E F S N T Y R T N M O Ç A F O L A G A R T O S G M

T A E L L I R M Ã S N D U L C E F E A E H E N H E M Y C E H L

M H F N R E O E Y O T L R L S R Y D R A N E C U Ç A C N D H I

R O L E D O M T E B R R O C A I L I M A F B C O O G B F A N F

C I T T B T A M T O Ã Ç A H L A M I Y E N G I L A E P P A H I 22

Solução

Ingredientes • • • • • • • •

1/2 xícara de água 4 colheres (sopa) de azeite 1 pitada de pimenta-do-reino 1 colher (sopa) de vinagre 1 pitada de sal talos de 1 maço de salsinha 1 a 2 talos de cebolinha (opcional) 3 pães de forma ou 1 e 1/2 pão francês

Modo de preparo Misture os 5 primeiros ingredientes. Depois, pique o pão bem miúdo e mergulhe no molho formado, deixando absorver bem o líquido por alguns minutos. Pique os talos bem pequenos e leve tudo ao liquidificador, batendo bem até ficar homogêneo. Além do aproveitamento dos talos, esta é uma ótima forma de aproveitar pães amanhecidos ou ressecados. Experimente combinar outros ingredientes no lugar dos talos de salsinha. Receita retirada do site: http://www.veggietal.com.br/pate-talos-salsinha/

O que é veganismo? B U Z I O S A

Segundo The Vegan Society, da Inglaterra, veganismo é uma forma de viver que busca excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e de crueldade contra animais, seja para a alimentação, para o vestuário ou para qualquer outra finalidade.

A L

A I M E C U E E D A D

I

L

L A E P P A O Ã Ç A H A L I A L M I M A F O L E D O M A

D L A C S A R R S N N A M K C E I D N O B O L G O S R C I F S

F

A M C E L M C O M C H E C H N M Y E E S F D G E E S N R N M O

I

D Y L M F I O Y B C F C M M U L H E R E S T D P A S S I O N E

I M A C I R O M Ã Z S I R D T U A L C M E O Ç A A N L E A C G U A Ç R A T O T S E D

E N B I B L R F A R G A R H D M F C I N G N M S B E N O G M I

E M L

Descoberta por um olheiro em BÚZIOS, no Rio de Janeiro, Carolina DIECKMANN começou a carreira como MODELO aos 13 anos de IDADE, em 1991. Dois anos depois, estreava como ATRIZ na minissérie “Sex APPEAL”, da Rede GLOBO. O trabalho nessa OBRA abriu portas para a novela “Tropicaliente” (1994), em que interpretava AÇUCENA, uma doce MOÇA, filha de pescadores. A partir daí, enfileirou uma sequência de sucessos nas tramas de “MALHAÇÃO” (1995), “Vira-lata” (1996), “Por Amor” (1997) e “Laços de FAMÍLIA”. Nesta última, ganhou notoriedade pela personagem CAMILA, que sofria de LEUCEMIA. Teve ainda destaque nas novelas “MULHERES Apaixonadas” (2003), “Senhora do DESTINO” (2004), “Cobras & LAGARTOS” (2006), “Três IRMÃS” (2008-2009) e “PASSIONE” (2010). No Cinema, participou dos FILMES “Onde Andará DULCE Veiga?” (2007) e “Sexo com AMOR?” (2008), entre outros.

A T Y A N A C T C Y A D M S F T R C L B U Z I O S D S M S M E

O B R N N A M M K U C L E H I E D R E O S B O L P G A S S I O N I N E S

foto: renato rocha miranda/ tv globo

Carolina Dieckmann

Participe enviando sugestões para receita@brasildefato.com.br.


14 CULTURA 14

Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

Vida e obra da militante socialista Rosa Luxemburgo é contada em radionovela HISTÓRIA Narrada em dez capítulos, trama recria trajetória da juventude à morte da economista polonesa Para ouvir A ideia de usar o recurso da rádio novela para falar sobre a vida de Rosa Luxemburgo se deu pela importância que o rádio tem, tanto na realidade brasileira quanto no MST, como explica Estevam: “É preciso utilizar outras formas de linguagem para a comunicação popular, aproveitando das novas tecnologias, para produzirmos materiais com maior alcance”, destaca. O diretor do escritório regional da Fundação Rosa Luxemburgo para o Brasil e o Cone Sul, Gerhard Dilger, destaca que a revolucionária polonesa teve um papel fundamental e debateu suas ideias políticas com todos os imporDa redação ções de esquerda e participou das lutas sociais na Euo mês em que se cele- ropa no final do século 19 e bra o centenário da Re- começo do século 20. Douglas Estevam, do colevolução Russa, a Fundação tivo de cultura do MST e um Rosa Luxemburgo e o Modos organizadores da rádio vimento dos Trabalhadores novela, destaca a importânRurais Sem Terra (MST) lancia de se retomar a trajetória çam uma rádio novela contando a trajetória da filósofa e o pensamento de Rosa nos e economista Rosa Luxem- debates atuais sobre o centenário da Revolução Russa: “A burgo. Rosa foi uma grande defenO lançamento da radionosora, junto com o Lenin, de vela foi no começo da semauma concepção revoluciona e, todos os dias, às 11h, é nária do socialismo, e essa lançado um novo capítulo. temática tem ainda hoje uma No total, serão dez episódios. grande atualidade”, defende. Nascida no dia 5 de marEle explica que um dos ço de 1871, na Polônia, Rosa principais legados de Rosa Luxemburgo foi uma das é a defesa intransigente do mais influentes pensado- socialismo e a luta que ela ras marxistas de sua época. desempenhou contra o reFundou diversas organiza- visionismo, em um momento em que o pensamento socialista começava a ser questionado por seus próprios teóricos. Ele aponUm dos princita ainda a importância da pais legados de questão de gênero, que esRosa é a defesa intransigente do tava estritamente ligada à militância que Rosa trazia socialismo em seus debates.

N

tantes ideólogos do Partido Social Democrata Alemão. Dilger lembra também o legado que a intelectual deixou ao mundo: “Em primeiro lugar, a convicção profunda de que você não pode construir uma sociedade comunista sem a participação constante das massas, ou seja, não há socialismo sem democracia. O seu internacionalismo também continua sendo um grande exemplo”, diz.

Para ouvir os programas: goo.gl/Z3245i Anúncio

Chegou episódio novo! UM diálogo sobre o movimento lgbt entre os Técnico-Administrativos em Educação e no ambiente universitário.

Tem Base? SINDIFES PODCAST

Acompanhe o tem base em: •SOUNDCLOUD •iTUNES •DEEZER •tuneIN Radio •PODFLIX

www.sindifes.org.br

PODCAST DO SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO.


Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017 Everton Monteiro

ESPORTE

15 15

Curta e Grossa

O gramado não é para mulheres?

Fernanda Coimbra / CBF

Praia Clube estreia com vitória Terceiro colocado na Superliga Feminina de Vôlei 2017/2018, o Dentil Praia Clube, de Uberlândia, estreou com vitória na competição. A equipe treinada por Paulo Coco venceu a Renata Valinhos / Country, em Valinhos, por 3 sets a 0, se recuperando da derrota sofrida para o Minas Tênis Clube na final do campeonato mineiro. O destaque da partida ficou com a ponteiro praiana Amanda, recebendo o Troféu Viva Vôlei, como melhor jogadora em quadra.

NFL autoriza protesto durante hino dos EUA Em conflito com o presidente Donald Trump, jogadores negros da National Football League conquistaram uma vitória na quarta (18). A federação que cuida da maior liga de futebol americano no país autorizou o protesto dos atletas, que consiste em se ajoelhar durante o hino nacional dos Estados Unidos. Eles lutam contra a violência policial exercida seletivamente contra negros e a conivência do presidente do país com os movimentos supremacistas brancos, de cunho racista. Em declaração Trump considerou a medida uma “total falta de respeito”.

Júlia Cabral Depois de 30 anos sob o comando de homens, a seleção feminina de futebol foi treinada por Emily Lima, ex-jogadora que atuou em times do Brasil e da Europa. A primeira treinadora foi demitida pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no dia 22 de setembro, apesar da tentativa das jogadoras da Seleção de pedirem a sua manutenção. No período de dez meses em que treinou a seleção, Emily e as jogadoras disputaram 13 jogos. Deste total, foram sete vitórias, um empate e seis derrotas para times fortes, como os Estados Unidos e a Austrália. A pouca permanência da técnica e a não justificativa da CBF com relação à demissão levanta a questão se o gramado é espaço para as mulheres. É bom lembrar que o time ficou na quarta colocação nas Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016, mas, mesmo assim, sofre com a falta de investimentos a longo prazo. Apesar da demissão, as mulheres continuam com a bola no pé e jogadoras como a Marta, sem holofotes da mídia e do público, comemora 13 indicações como melhor jogadora do mundo pela FIFA.

Anúncio

Mundialito de Rolimã O fim de semana tem competição de rolimã na capital. É a 6ª edição do Mundialito de Rolimã do Abacate, evento que resgata a brincadeira que marcou a infância de várias gerações na cidade. Além da competição nas ladeiras do bairro, os participantes incentivam a construção do próprio carrinho. O Mundialito também tem programação cultural. As inscrições são gratuitas e serão feitas na hora. Onde: Rua Magi Salomon, 215, Salgado Filho Quando: sábado (21), das 11h às 19h Informações: goo.gl/uQbRiA

acesse www.brasildefatomg.com /brasildefatomg (31) 98468-4731


16

Belo Horizonte, 20 a 26 de outubro de 2017

STJ manda soltar Nuzman, presidente do COB

O

Superior Tribunal de Justiça (STJ) mandou soltar o ex-presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman. Ele foi preso sob acusação de compra de votos para a escolha do Rio como sede das Olimpíadas. O STJ decidiu que Nuzman não pode sair

do Brasil, ter acesso à sede do COB ou entrar em contato com os demais investigados. A decisão vem um dia após ele ter sido denunciado pelo Ministério Público Federal por corrupção, organização criminosa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

ESPORTES

16

DECLARAÇÃO DA SEMANA Agência Brasil

“O esporte brasileiro sempre foi, em termos políticos, muito maltratado. Já tivemos de tudo [no Ministério dos Esportes]. Um cargo que deveria estar nas mãos de gente que pensa o esporte, que tem planos e projetos”. José Trajano, jornalista, em entrevista ao Brasil de Fato.

Gol de placa Gabriel Jesus está arrebentando no Manchester City! O ex-jogador do Palmeiras evolui nas mãos de Pep Guardiola. Tanto os gols quanto as assistências do jovem de 20 anos melhoraram substancialmente, e isso com apenas 21 jogos vestindo a camisa azul de Manchester.

Gol contra A torcida do Fortaleza fez uma festa linda no Castelão, na final da série C, sábado (14). No entanto, o mosaico escrito “Toda a glória a Deus” não foi legal. Afinal de contas, torcedores não são todos religiosos, e há pessoas que não acreditam em nada ou creem em outra coisa. Não dá para impor.

Decacampeão

É Galo doido

La Bestia Negra

Bráulio Siffert

Rogério Hilário

Léo Calixto

Pelo natural desgaste da temporada e a ansiedade em garantir o acesso à Série A, o América caiu de rendimento nos últimos jogos, deixando de impor o seu ritmo, ter a posse de bola e manter o padrão ofensivo. Ainda assim, pela superioridade e dedicaDecacampeão ção do elenco, conseguiu vencer duas partidas e empatar uma, fazendo o time ficar a 11 pontos do sonhado acesso. A situação ainda é relativamente confortável: o Coelhão precisar fazer metade dos pontos dos oito jogos que ainda faltam. Mas não tem nada ganho. É hora de mais concentração e dedicação. Esse bravo time, que está quase todo o campeonato no G4, merece levar o América de volta à elite do futebol brasileiro.

Perder no Horto virou rotina e, para alegria de muitos, corrobora a urgência de estádio próprio. E, quem sabe, serve como mandinga para o clássico de domingo (22). É preciso reza forte, quando um jogo vale para esperança por vaga na LibertadoÉ do Galo doido! Veja bem: res e distância rebaixamento. o treinador poupou Adilson por estar pendurado com cartões. Daí, entrou Elias. E, no jogo contra a Chapecoense, ele acabou expulso. Pelo visto, vai fazer falta. Ainda contamos com os lampejos de Fábio Santos, Robinho, Valdívia e Fred. Tudo na atual temporada, num curto espaço de tempo, parece tão longe e, ao mesmo tempo, tão perto. Depende dos resultados a cada rodada do Brasileiro.

Anúncio A derrota celeste para o Coritiba, na última quarta (18), mostrou que os acontecimentos dentro de campo são muito parecidos com os as ações dos bastidores da Toca da Raposa. Um time que funciona – embora muita gente não concorde com o esBestia Negra tilo de jogo La –, mas que está pecando muito na linha ofensiva, por falta de opções técnicas que deem conta do recado. Fora dele, a mesma coisa. As relações iam bem até as eleições. Depois, desandou por falta de coerência de pessoas que assumiram o poder. É preciso que a diretoria vencedora no pleito dê jeitos em ambos os problemas, contratando profissionais capacitados para a administração e reforçando nosso setor ofensivo para 2018.


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.