Issuu on Google+

nov 11


quarteto de cordas da cidade de são paulo 03 / novembro leitores e leituras 09  23 / novembro história(s) da arte no brasil: do século 19 a primeira metade do século 20 08  10  22  24 / novembro ler o mundo 17 / novembro série voz e violão – o século xix 25 / novembro


quarteto de cordas da cidade de são paulo (concerto) Formado pelos músicos Betina Stegmann e Nelson Rios (violinos), Marcelo Jaffé (viola) e Robert Suetholz (violoncelo), o Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, considerado um dos mais ilustres da América Latina, é uma entidade oficial da Secretaria Municipal de Cultura. A atual formação conta com músicos que realizam intensa atividade no cenário musical brasileiro, através de concertos, recitais ou atividades pedagógicas, com grande experiência e prestígio internacional. Obras do acervo da Biblioteca são destacadas conforme o repertório. programa francisco mignone  Quarteto No.1 (20m.) franz schubert  Quarteto “Morte e a Donzela”, op. Posth. (41m.)

03 nov, quinta-feira, das 19h às 20h local  Auditório apoio cultural  Theatro Municipal


leitores e leituras (sarau) Com o objetivo de compartilhar experiências de leitura, a Biblioteca Mário de Andrade promove, na sala de convivência da Circulante, encontros de leitores. De modo espontâneo e livre, os participantes têm a oportunidade de dividir leituras, impressões e informações sobre sua leitura ou sobre seus próprios textos. A ideia dos saraus é fornecer aos leitores um ambiente para expressar seus pontos de vista sobre livros que queiram compartilhar com outros leitores. Após cada encontro, os livros comentados e lidos pelos participantes são expostos em destaque, estimulandose, desta forma, a consulta e o empréstimo na Biblioteca Circulante. 09 e 23 nov, quartas-feiras, 17h30 às 19h30 local  Sala de Convivência


história(s) da arte no brasil: do século 19 a primeira metade do século 20 (ciclo de palestras) O ciclo visa atrair pesquisadores, ajudar na redescoberta de obras e autores e destacar a multiplicidade das narrativas sobre a História da Arte no Brasil. Composto por dois módulos, um no mês de novembro e o outro programado para o primeiro semestre de 2012, cada uma dessas etapas do ciclo está estruturada em quatro encontros temáticos, compostos por duas apresentações de palestrantes convidados de diversas universidades do país. O primeiro módulo abrange o período de um século, de 1840 a 1940. A obra de Araújo Porto Alegre é o ponto de partida e, como marco final, as publicações e atuação do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - sphan. A ideia das palestras não é apenas comentar sobre autores, mas também focar em aspectos da crítica de arte e da atuação de instituições de preservação, divulgação e legitimação de bens para a construção da História da Arte no Brasil. curadoria e mediação: thiago gil Graduado em Artes Plásticas pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Em 2008, fez parte da equipe de pesquisadores da 28ª Bienal de São Paulo. Atualmente, desenvolve pesquisa de mestrado em Artes Visuais na eca-usp.

08  10  22  24 nov, terças e quintas-feiras, das 19h às 21h local  Auditório


programação 08/nov  terça-feira, das 19h às 21h escola brasileira de pintura Do cume dos Andes ao centro das florestas virgens: Araújo Porto Alegre (1806-79), a escola brasileira e a construção de uma cultura figurativa para o Império palestra de leticia squeff

Entre versões e contradições: historiografia da arte brasileira no século 19 palestra de ana cavalcanti

10/nov  quinta-feira, das 19h às 21h crítica de arte como historiografia Gonzaga Duque: histórias de literatura e artes plásticas palestra de vera lins

Félix Ferreira e a arte brasileira no século 19 palestra de tadeu chiarelli


22/nov  terça-feira, das 19h às 21h discurso paulista Primeiros anos da Pinacoteca do Estado: Cesário Motta Júnior e a formação do acervo (1893-1905) palestra de alexander gaiotto miyoshi

Afonso de Escragnolle Taunay: contribuição para história da arte e a formação da coleção iconográfica do Museu Paulista (1917-1945) palestra de miyoko makino

24/nov  quinta-feira, das 19h às 21h barroco, nacional, moderno Mário de Andrade e a arte patrimonial: história e historiografia da arte no Brasil palestra de antonio gilberto ramos nogueira Patrimônio da nação: a brasilidade redesenhada pelo sphan palestra de letícia julião


ler o mundo (lançamento de livro e bate-papo) O professor e filósofo José Castilho Marques Neto conversa com o escritor Affonso Romano de Sant’Anna a respeito do seu novo livro: Ler o mundo, uma coletânea de crônicas, ensaios e depoimentos históricos do escritor sobre a noção de “leitura” em diferentes áreas: como a antropologia, o cinema, a religião, a psicologia, os meios de comunicação audiovisuais, dentre outras. affonso romano de sant’ anna Bacharel em letras neolatinas pela Universidade Federal de Minas Gerais e doutor em Literatura Brasileira pela mesma universidade. Presidiu a Fundação Biblioteca Nacional em 1990 e 1996. Atuou como crítico e lecionou em universidades brasileiras e do exterior. Tem cerca de 40 livros publicados, entre poesia, ensaios e crônicas. josé castilho marques neto Possui graduação e doutorado em Filosofia pela usp. Atualmente é professor e diretor presidente da Fundação Editora da unesp. Tem experiência na área de História da Filosofia e Filosofia Política e atua, principalmente, nos temas relacionados à formação do pensamento de esquerda e marxista, notadamente no Brasil.

17 nov, quinta-feira, das 19h às 20h30 local  Auditório


série voz e violão – o século xix (apresentação musical) A Série Voz e Violão é organizada e interpretada pela cantora lírica Adélia Issa e pelo violonista Edelton Gloeden – duo reconhecido como um dos mais destacados da música de concerto no país. Sempre em uma sexta-feira de cada mês, na hora do almoço, os artistas apresentam obras de diferentes épocas, estilos e em vários idiomas, incluindo composições que trazem poemas de grandes nomes da literatura mundial. Na próxima apresentação os músicos interpretam obras escritas por grandes expoentes do violão romântico, como o espanhol Fernando Sor (1778-1839) e o italiano Mauro Giuliani (1781-1829). Este programa apresenta também transcrições de canções de Franz Schubert (1797-1828) e Ludwig van Beethoven (17701827) realizadas pelo compositor Anton Diabelli (17811858), além de modinhas e lundus brasileiros. 25 nov, sexta-feira, das 12h30 às 13h30 local  Auditório


franz schubert  Áustria, Himmelpfortgrund1797– Viena 1828 Das Fischermädchen (Henrich Heine)* Ungeduld (Wilhelm Müller)* julián arcas  Espanha, Alemería 1832 – Málaga 1882 Andante para violão solo ludwig van beethoven  Alemanha, Bonn 1770 – Áustria, Viena 1827 Andenken (Friedrich von Matthisson)* Adelaide (Friedrich von Matthisson)* mauro giuliani  Itália, Bisceglie 1781– Nápoles 1829 Il Sentimentale para violão solo Le dimore amor non ama (Pietro Metastasio) fernando sor  Espanha, Barcelona 1778 – França, Paris 1839 Estudo em Re Maior para violão solo Mis descuidados ojos Se dices que mis ojos Muchacha y la vergüenza francisco tárrega  Espanha, Vilarreal 1852 – Barcelona 1909 Prelúdio Nº 5 para violão solo antonio carlos gomes  São Paulo, Campinas 1836 – Pará, Belém 1896 Conselhos (Carlos Gomes)** cândido inácio da silva  Rio de Janeiro, Rio de Janeiro 1800-1838 Lá no Largo da Sé Velha (Araújo Porto Alegre)

* Transcrição de Anton Diabelli (1781-1858) ** Transcrição de Edelton Gloeden


por que visitar a sala de artes sérgio milliet? A Sala de Artes Sérgio Milliet oferece ao público interessado em história da arte, estética, arquitetura, fotografia, cinema, design, moda, um acervo de mais de 37 mil volumes, entre livros, periódicos e catálogos, reunidos a partir dos esforços do crítico de arte Sérgio Milliet, quando dirigiu a Biblioteca Municipal nos anos 1940 e 1950. A importância da Sala de Artes, porém, vai além da presença em seu acervo de livros como Le Vite de' più Eccellenti Pittori, Scultori e Architettori, de Giogio Vasari, considerado marco inaugural da historiografia da arte, ou mesmo dos volumes de Philosophie de L'Art, do filósofo francês Hippolyte Taine, referência para o pensamento estético de figuras como Mário de Andrade e o próprio Milliet. A Sala de Artes da Biblioteca teve importância histórica na cidade de São Paulo como um centro de difusão cultural, promovendo palestras e mesas-redondas em que foram recebidos críticos de arte da maior importância na cidade, como Luís Martins e Lourival Gomes Machado, e possibilitando a artistas que frequentavam o espaço, como o gravador Marcelo Grassmann, contato com periódicos franceses, italianos e norteamericanos. Tudo isso faz da Sala de Artes da Biblioteca Mário de Andrade um espaço da maior importância para a vida cultural de São Paulo. thiago gil curador do ciclo história(s) da arte no brasil


informações gerais horário de funcionamento da biblioteca mário de andrade coleção circulante, sala de atualidades e sala de estudos segunda a sexta, das 8:30h às 20:30h. Sábado, das 10h às 17h coleção geral segunda a sexta, das 8:30h às 17:00h, consulta local. coleção de artes segunda a sexta, das 8:30h às 19:00h, consulta local. coleção de obras raras, mapoteca e multimeios segunda a sexta, das 8:30h às 17:00h, consulta local mediante agendamento. visita monitorada terças e quintas-feiras, às 11h ou às 15h. Informações e agendamento: 11 3256-5270 Todas as atividades da Biblioteca são gratuitas. Entradas estão sujeitas à lotação. capacidade Auditório – 175 lugares Sala de convivência – 30 lugares Para conhecer a programação das Bibliotecas, Ônibus Biblioteca, Espaços, Pontos e Bosques da Leitura, que são administrados pela Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas, acesse: www.bibliotecas.sp.gov.br


design gráfico  Celso Longo + Daniel Trench

Biblioteca Mário de Andrade Rua da Consolação, 94 Próximo às estações do metrô Anhangabaú e República telefone  11 3256 5270 email  bma@prefeitura.sp.gov.br site  www.bma.sp.gov.br



Programação Biblioteca Mário de Andrade