__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

blueauto www.blueauto.pt

nº 37

novembro 2020

Portugal (cont.):

2,50€

à descoberta do futuro do automóvel

Rede de carregamento: como estamos? ao volante

Lexus UX 300e Honda Jazz Hybrid Renault Mégane Sport Tourer E-TECH

Híbridos plug-in Audi: família em crescimento entrevista

i-charging: novo conceito de carregador para VE

DACIA SPRING

O ELÉTRICO MAIS ACESSÍVEL DO MERCADO destaque

Mercedes-Benz: 6 novos modelos EQ novos modelos

Toyota Yaris Jaguar F-Pace / E-Pace

RENAULT E-WAYS: rumo a um futuro 100% elétrico guia atualizado

Todos os modelos elétricos e híbridos à venda em Portugal


C

M

Y

C

M

C

CM

K


sumário 06 12 16

atualidade Notícias

lançamento Os preços do Renault Twingo Z.E.

16

eletrificação Híbridos plug-in Audi: família em crescimento

22

mercado 21,5% dos carros vendidos em setembro foram elétricos e híbridos!

24 28

ao volante Lexus UX 300e

novidade Mercedes-Benz: 6 novos modelos EQ

30

entrevista Pedro Moreira da Silva, CEO da i-charging

24

33

fiscalidade Orçamento do Estado: incentivo à mobilidade elétrica vai manter-se em 2021

34 38 40

ao volante Honda Jazz Hybrid atualidade Em números... destaque Renault “eWays”: caminho para o futuro

46 48 50 52 54

novos modelos Toyota Yaris revista de imprensa Declarações em destaque

novos modelos Jaguar F-Pace / E-Pace concept-cars História dos protótipos Citroën ao volante Renault Mégane Sport Tourer E-TECH

3

54 58 60

tecnologia Volvo Android Automotive guia de compras Todos os modelos elétricos e híbridos à venda em Portugal

80

mobilidade elétrica Rede de carregamento de VE: como estamos?

82

evento Oeiras Eco Rally Portugal 2020

blueauto

3


blueauto À DESCOBERTA DO FUTURO DO AUTOMÓVEL www.blueauto.pt DIREÇÃO Francisco Vieira REDAÇÃO Paulo Manuel Costa COLABORADORES Hugo Vinagre José Barros Rodrigues José Pontes SECRETARIA DE REDAÇÃO Isabel Brito CONTACTOS  blueauto@pressfactory.pt facebook.com/blueauto MARKETING & PUBLICIDADE Luís Mesquitela Lima  93 702 94 44  luis.mesquitela@blueauto.pt PRODUÇÃO Rogério Bastos Studio PressFactory PROJETO & LAYOUT Studio PressFactory IMPRESSÃO & ACABAMENTO Lisgráfica – Impressão e Artes Gráficas SA Rua Consiglieri Pedroso, n.º 90 Casal de Sta. Leopoldina, 2730-053 Barcarena TIRAGEM 7.500 exemplares PERIODICIDADE Mensal DISTRIBUIÇÃO VASP – Distribuidora de Publicações, SA Quinta do Grajal - Venda Seca 2739-511 Agualva Cacém Apoio ao Ponto de Venda Tel.: 21 433 70 01 | contactcenter@vasp.pt A BlueAuto é impressa em papel com origem em fontes sustentáveis e com tintas amigas do ambiente. Depois de a ler, dê-lhe um final ecológico: partilhe-a ou coloque-a no Ecoponto Azul.

EDIÇÃO PressFactory PROPRIEDADE PRESS.in, Lda. Edifício LACS Rocha Conde de Óbidos 1350-352 Lisboa BlueAuto é uma marca registada. Direito de reprodução (textos e fotos) reservados.

4

editorial

A duas velocidades... Confirmando a tendência dominante na Europa, o mercado português de veículos elétricos recarregáveis cresce a ritmo acelerado. E isso acontece mesmo no contexto atual de uma crise sanitária que afeta todos os setores da economia, e em particular o mercado automóvel, fortemente atingido nos últimos meses por uma queda acentuada nas vendas (-39% nos ligeiros de passageiros comercializados entre janeiro e setembro deste ano, comparativamente ao período homólogo de 2019). Na realidade, as estatísticas oficiais de novos registos demonstram que a pandemia que nos atinge desde março último está a influenciar a evolução da quota de mercado das motorizações eletrificadas no total das vendas nacionais: enquanto as matrículas de carros a gasolina e a diesel diminuem significativamente, as dos veículos elétricos recarregáveis continuam a aumentar, a ponto de representarem já (dados a 30 setembro) 11,5% do mercado total; uma quota de mercado que no último mês de setembro chegou mesmo aos 14,6%. Números que deverão reforçar a posição que Portugal ocupa no “top” europeu: de acordo com um estudo da Federação Europeia de Transportes e Ambiente (T&E) sobre o desempenho dos fabricantes de automóveis face às metas de emissões e sobre o mercado europeu de veículos elétricos, o nosso país era o terceiro mais bem classificado em termos de média de emissões (99g CO2/km) dos automóveis de passageiros vendidos até ao final do primeiro semestre deste ano e o quinto no share (11%) de modelos elétricos recarregáveis no total das vendas. Uma posição de destaque conseguida – é bom referir – apesar do incentivo estatal à compra de um veículo 100% elétrico ser o segundo mais baixo de toda a Europa, a somar ao facto de não existir entre nós – ao contrário do que acontece em muitos outros mercados europeus, em linha com o compromisso assumido na transição para a mobilidade elétrica – nenhum pacote governamental de estímulo ao abate na aquisição de um modelo elétrico. Mas se é verdade que o mercado português se posiciona tão bem a nível europeu no crescimento do parque automóvel eletrificado, noutro importante capítulo da mobilidade elétrica o destaque já não é tão positivo... De facto, outro recente estudo paneuropeu, este promovido pela Associação Europeia de Construtores de Automóveis (ACEA), confirma como realidade uma infraestrutura de carregamento muito limitada: segundo este estudo, os pontos de carga para veículos elétricos existentes no nosso país equivalem a apenas 0,9% de toda a rede de recarga de elétricos a bateria e de híbridos plug-in na Europa, muito longe da oferta em países como Holanda (25,4%), Alemanha (20,3%), França (15,2%), Reino Unido (14,3%), Itália (4,7%), Suécia (4,4%), Bélgica (3,3%), Espanha (2,9%) ou Áustria (2,2%) – quase todos eles países onde se vendem proporcionalmente muitos menos carros elétricos – e bem mais próximo da realidade de mercados europeus onde a mobilidade elétrica é ainda residual; ainda mais significativo é que, segundo o mesmo estudo da ACEA, menos de 18% da rede nacional são postos rápidos (> 22 kW). Conhecendo a importância decisiva da rede de carregamento, tanto em quantidade (número de postos) como em qualidade (velocidade de carregamento), mesmo tendo em conta a quota crescente de elétricos recarregáveis é assim fácil constatar que em Portugal a mobilidade elétrica é ainda uma realidade a duas velocidades... 

blueauto


atualidade

FIAT estreia 500 3+1 A FIAT acaba de completar a gama do novo 500 elétrico com a estreia mundial do 3+1 “la Prima” Opening Edition, que se vem juntar às versões cabrio e berlina. Pronta para ser comercializada, esta terceira variante do novo FIAT 500 distingue-se pela porta extra, uma terceira porta pensada para facilitar o acesso ao interior do automóvel, com abertura ao contrário e sem painel central. A edição de lançamento 3+1 “la prima” do novo 500 elétrico oferece uma série de detalhes exclusivos e está disponível em três níveis de equipamento, anunciando duas opções de capacidade de bateria, com autonomia que pode chegar aos 320 km em ciclo WLTP.

Primeiro Volvo 100% elétrico já em produção O dia 1 de outubro assinalou o início da produção do Volvo XC40 Recharge, o primeiro modelo 100% elétrico da marca sueca. Produzido na fábrica belga de Ghent, este será o primeiro de vários automóveis totalmente elétricos que a Volvo Cars vai lançar, com o início da sua produção a representar um passo significativo na ambição do fabricante de conseguir reduzir em 40% a pegada de CO2 por automóvel até 2025. Nesse mesmo ano, a Volvo Cars pretende que metade das suas vendas mundiais seja já constituída por modelos elétricos, com a quota restante preenchida por modelos híbridos. O primeiro Volvo zero emissões tem registado – confirma a marca sueca – uma procura muito elevada, estando mesmo já vendida toda a produção calendarizada até final do ano. As primeiras unidades destinadas ao mercado europeu já começaram a ser entregues, enquanto a chegada a Portugal está prevista para o próximo mês de janeiro.

6

blueauto

Prio: carregamento elétrico com energia 100% renovável A Prio anunciou que vai passar a comercializar energia elétrica com origem apenas em fontes renováveis. Esta energia 100% renovável estará disponível a partir de novembro para os utilizadores do cartão Prio Electric (sem qualquer custo acrescido para os clientes), que permite o acesso aos mais de 1000 postos da rede pública de carregamento elétrico em território nacional. Adicionalmente, sempre que um utilizador desse cartão carregar o seu carro em qualquer ponto de carregamento MOBI.E, esteja ou não dentro de um posto Prio, irá estar a fazê-lo com energia com origem em fontes 100% renováveis, avança a Prio. Este novo passo surge enquadrado no investimento já anunciado em mobilidade elétrica que a Prio está a fazer até 2025, o qual irá passar também pelo reforço nos próximos anos da sua rede de postos de carregamento elétrico: além de investir na componente tecnológica, dos atuais 190 pontos essa rede irá crescer para 300 postos.


Novo Nissan Juke N-Connecta por

19.500€*

Com Financiamento | TAEG: 8,5%

+ Apple® CarPlay + Android® Auto + Câmara de visão traseira + Sensores de estacionamento + Jantes em liga leve 17” + Chave inteligente + A/C automático + Faróis LED

5

Anos de Garantia e Assistência**

*Crédito Automóvel para Nissan JUKE N-Connecta DIG-T (114cv), com financiamento RCI Banque sujeito a aprovação. Válido até 30/11/2020 para Particulares. 360€/mês a 48 meses, sem entrada inicial e 19.500€ de financiamento. Pagamento final de 5.850€. PVP 23.580€. Preço a pronto 20.500€ sem pintura metalizada, despesas administrativas e transporte. Até 30/11/2020 para Particulares, com entrega em Portugal Continental. TAN 5,90% e MTIC 23.641€. Comissão de Abertura 300€. Processamento de Prestações 3,2€/mês, incluídas na TAEG. Visual não contratual. Reservado a Concessionários que atuem como intermediário de crédito a título acessório da RCI Banque. Informe-se na RCI Banque.**Inclui oferta de 3 anos de garantia do fabricante (e/ou 100.000km), 2 anos de extensão de garantía Nissan 5* e assistência em viagem (válida mediante realização da manutenção num Concessionário Nissan, no 4º e 5º anos). Visual não contratual. Consumo combinado: 5,9 l/100 km. Emissões de CO2: 135 g/km.


atualidade

Mais um modelo Polestar Apresentado no início deste ano como protótipo, o Polestar Precept vai mesmo entrar em produção, dando origem àquele que será o quarto modelo da marca de performance elétrica da Volvo. A decisão de produzir um novo automóvel de série inspirado no concept-car Precept foi já confirmada pela Polestar e justificada pela excelente aceitação que o protótipo teve. Representando a visão para o futuro da marca Polestar, o Precept foi revelado como um veículo 100% elétrico baseado em três áreas chave – sustentabilidade, tecnologia digital e design.

Kia: 1/4 das vendas são veículos eletrificados Entre julho e setembro a Kia Motors registou o seu melhor trimestre de sempre em vendas no mercado europeu: de acordo com dados publicados pela Associação Europeia de Construtores de Automóveis (ACEA), as vendas totais da marca sul-coreana no 3.º trimestre deste ano perfizeram um total de 132.933 unidades; trata-se de um aumento de 10,0% em relação ao período homólogo de 2019. O construtor sul-coreano confirma que o aumento e a diversificação da sua gama eletrificada deram um impulso determinante à performance comercial da marca, com estes resultados de vendas a incluírem a cada vez maior gama de modelos híbridos e elétricos Kia, que conta com semi-híbridos (MHEV), híbridos paralelos (HEV), híbridos plug-in (PHEV) e 100% elétricos (VE). Os automóveis eletrificados têm aliás vindo a representar uma das principais áreas de crescimento da Kia em 2020, apesar do abrandamento geral do mercado: estes modelos são agora responsáveis por 28,6% do total de vendas da Kia na Europa, ou seja mais de 1 em cada 4 veículos vendidos. Também em Portugal a tendência para a eletrificação é clara: 1 em cada 4 Kia vendidos no nosso país são eletrificados.

Citroën ë-SpaceTourer: abertura das encomendas em Portugal Apresentado no passado mês de maio, o novo Citroën ë-SpaceTourer já está disponível em Portugal, com a abertura das encomendas para o mercado nacional em toda rede de concessionários da marca: os preços começam nos 34.884€ para empresas (com dedução de 100% do IVA) e a partir de 42.907€ para particulares. Integrando a estratégia de eletrificação da marca francesa, que prevê o lançamento ainda este ano de um total de 5 modelos eletrificados (além deste, também os ë-C4, C5 Aircross Hybrid, ë-Jumpy e ë-Jumper), o ë-SpaceTourer é um automóvel para transporte de passageiros 100% elétrico que junta os benefícios da condução zero emissões a todos os argumentos já conhecidos do SpaceTourer. É proposto em 2 versões distintas: Feel (vocacionada para famílias numerosas e para quem gosta de viajar em grupo) e Business (esta mais vocacionada para profissionais). E oferece 2 níveis de autonomia elétrica, consoante a capacidade das baterias: 230 km, no caso da versão de 50 kWh, disponível de imediato; e 330 km, para a versão com bateria de 75 kWh, a lançar em 2021. A chegada das primeiras unidades está agendada para dezembro.

8

blueauto


atualidade

Breves n O novo modelo híbrido plug-in Tiguan eHybrid tem chegada a Portugal prevista para o início de 2021.

Jaguar renova I-PACE A Jaguar renovou o SUV 100% elétrico I-PACE. Já disponível, a geração 2021 inclui pormenores estéticos exclusivos e um novo sistema de informação e entretenimento, que a marca desportiva anuncia ser tão simples de utilizar como um smartphone. Destaque também para os avanços tecnológicos, que privilegiam a segurança e permitem a atualização remota de software, fazendo com que o I-PACE evolua com o tempo. O Jaguar elétrico passa a oferecer ainda carregamento mais rápido, sendo agora possível recarregar 53 km de autonomia por hora com uma “wallbox” de 11 kW e em viagem até 127 km em apenas 15 minutos com o carregador de 100 kW.

n A seguir ao UX 300e (primeiro modelo 100% elétrico da marca), a expansão da linha de veículos elétricos Lexus vai continuar com o lançamento do primeiro híbrido plug-in e de um novo BEV. n É intenção da Mercedes-Benz avançar rapidamente na tecnologia de baterias, através da investigação e desenvolvimento de novos materiais e processos de produção que irão ajudar a aumentar a autonomia e a reduzir o tempo de carregamento. n Em setembro, as vendas de veículos eletrificados na Europa ultrapassaram pela primeira vez as dos carros a diesel. n A Citroën confirmou que toda a sua gama de veículos comerciais será 100% elétrica já em 2021.

Nissan ARIYA desembarca em solo europeu A Nissan anunciou que algumas unidades de pré-produção do seu novo modelo ARIYA acabam de desembarcar na Europa, para serem usadas como veículos de demonstração e também para testes no terreno, dando assim resposta ao interesse crescente dos clientes europeus por este recentemente revelado crossover-coupé totalmente elétrico. Na Europa o Nissan ARIYA vai estar disponível em 5 versões diferentes, com vários níveis de potência e capacidade de bateria. Este novo modelo 100% elétrico estará disponível para entrega aos clientes europeus na segunda metade de 2021. Os interessados portugueses podem desde já registar o seu interesse no Nissan ARIYA no site nacional da marca (https://www.nissan.pt/veiculos/novos-veiculos/ariya.html), de modo a serem os primeiros a receber atualizações.

n De modo a reforçar a rede pública, a MOBI.E lançou um concurso para instalação de 10 “hubs” de carregamento de veículos elétricos. Cada “hub” será constituído por 1 posto ultrarrápido (150 kW), 3 postos rápidos (50 kW) e 5 postos de carregamento normal (22 kW), permitindo carregar 18 veículos em simultâneo. n A Audi já confirmou para o próximo ano o início da produção de dois novos modelos 100% elétricos: Q4 e-tron e Q4 Sportback e-tron. n Primeiro automóvel desenvolvido em exclusivo para a marca desportiva da Seat, o recém-lançado Cupra Formentor vai estar disponível numa ampla gama de sete motorizações, incluindo a partir do próximo ano duas versões híbridas plug-in.

blueauto

9


atualidade VEÍCULOS ELÉTRICOS

“TOP 5” DAS VENDAS EM PORTUGAL

Os modelos BEV/PHEV mais vendidos em Portugal nos primeiros 9 meses de 2020...

1 Tesla Model 3

2 Renault ZOE

3 Nissan LEAF

CARREGAMENTO

Nissan oferece aos seus clientes a melhor tarifa do mercado A Nissan Portugal anuncia que os seus clientes de Nissan LEAF e e-NV200 já podem beneficiar das vantagens únicas nos custos de energia decorrentes do acordo que a marca estabeleceu com a Galp, com o lançamento do custo de recarga de automóveis elétricos mais baixo do mercado, exclusivo para clientes Nissan e acessível nos mais de 1300 postos de carregamento públicos existentes em Portugal: todos os clientes de automóveis elétricos Nissan, atuais e futuros, privados e empresas, usufruem a partir de agora e com o cartão Galp Electric de um desconto de 25% na tarifa de eletricidade para carregamento; caso os clientes Nissan optem pela Galp para o seu abastecimento doméstico de eletricidade, esse desconto é ainda mais significativo, passando a ser de 33%. Para aderirem, os atuais clientes Nissan EV com cartão Galp Electric apenas terão de contactar a sua concessão para levantarem o código pessoal de acesso (código solicitado quando o cliente liga para a linha Galp – 808 507 500 – para ativar este desconto exclusivo).

Skoda Octavia estreia motores mais eficientes

4 Mercedes-Benz A 250e

A Skoda anuncia que o modelo Octavia nunca foi tão eficiente e amigo do ambiente como na sua quarta geração, agora lançada em Portugal e disponível com novas alternativas de propulsão e motores mais eficientes. O Skoda Octavia vai incluir, pela primeira vez, uma variante híbrida plug-in, que chegará mais tarde. E alguns dos motores a gasolina, que foram otimizados, estão agora equipados com inovadora tecnologia do tipo “mild hybrid”, enquanto os motores diesel de última geração emitem até 80% menos óxido de nitrogénio.

5 BMW 330e

10

blueauto


FlexiPlan

Quando o futuro é incerto, a flexibilidade é o melhor plano.

Tempos desafiadores pedem respostas ágeis. Como o FlexiPlan: o aluguer de curta duração da LeasePlan. A solução para ter carro sempre que precisar – e deixar de ter quando entender, sem qualquer custo. São contratos a partir de um mês, com quilómetros ilimitados e todos os serviços incluídos. Vá a leaseplan.com e veja como ter carro pelo tempo que precisar, sem custos de rescisão e com a flexibilidade que os novos tempos exigem. Se preferir, envie um e-mail para servico.cliente@leaseplan.com.

What’s next?

leaseplan.com


especial lançamento

CHEGA EM JANEIRO

Os preços do Renault Twingo Z.E.

N

o mesmo mês em que revelou que a próxima geração Mégane será 100% elétrica, a Renault destaca também mais detalhes sobre o seu novo modelo zero emissões, Twingo Z.E., que já tinha sido anunciado há alguns meses e que está agora pronto para o lançamento comercial: a versão 100% elétrica do Renault Twingo vai chegar à rede nacional de concessionários da marca no próximo mês de janeiro, com um preço anunciado que irá torná-lo (enquanto não chega outra novidade do Grupo Renault, o Dacia Spring Electric) no mais acessível de todo o mercado de automóveis elétricos – a partir de 22.200€, preço com a bateria incluída (tal como acontece agora com toda a restante gama de automóveis elétricos da marca francesa, também o Twingo Z.E. vai estar disponível apenas no sistema de aquisição da bateria); para clientes empresariais, e graças à dedução integral do IVA, os preços começam nos 18.050€, aproximadamente. Montada sobre a mesma plataforma das já conhecidas versões a gasolina, a variante elétrica do Twingo reforça os argumentos que fazem deste pequeno automóvel um ci-

12

tadino por excelência (como as dimensões e o melhor raio de viragem do mercado, caraterísticas tão importantes nas manobras e no estacionamento em ambiente urbano), juntando-lhes as vantagens e a economia de custos da motorização 100% elétrica: a bateria de 22 kWh (recarregável em apenas hora e meia numa estação de carga a 22 kW) fornece energia a um motor de 60 kW (81 cv) e garante, segundo a Renault, uma autonomia WLTP de 190 quilómetros (até 275 km em trânsito citadino), com o condutor a poder escolher entre três modos de utilização da força de travagem para ter maior controlo sobre o aproveitamento energético, além de beneficiar também de um modo Eco selecionável. O Twingo elétrico já está disponível para encomenda em toda a rede de concessionários Renault. n VERSÕES E PREÇOS Twingo Electric Zen Twingo Electric Intens

blueauto

desde 22.200€ desde 23.200€


atualidade

Mondeo: Ford transforma motores a gasolina em híbridos completos A Ford acaba de anunciar a transformação de 100% da produção de motores a gasolina do seu modelo Mondeo em sistemas híbridos completos (que oferecem a possibilidade de conduzir em modo puramente elétrico, sem que os utilizadores tenham de carregar a bateria através de fontes de energia externas). O objetivo é, claro, otimizar a eficiência, com a marca a explicar que a tecnologia híbrida completa é uma das soluções que ajudam os clientes a avançar com confiança para a eletrificação, podendo ser especialmente benéfica para os condutores que querem aumentar a eficiência do consumo de combustível mas não dispõem de um ponto de carregamento elétrico em casa ou no trabalho. Os clientes do Mondeo, modelo Ford disponível com carroçaria de quatro portas ou na versão “station wagon”, terão agora a possibilidade de escolher entre o eficiente motor híbrido completo ou o diesel EcoBlue 2.0.

Transforma qualquer tomada elétrica num posto de carregamento

Instalação simples

Melhor do que uma wallbox

Mini vai lançar 2 “crossovers” elétricos A Mini prepara-se para anunciar dois novos modelos 100% elétricos, que irão assim juntar-se à oferta eletrificada atualmente existente na gama desta marca do Grupo BMW, oferta essa constituída pela variante híbrida plug-in do Countryman e pelo elétrico Mini Cooper SE. As duas novidades serão um pequeno “crossover” (mais pequeno que a carroçaria Countryman), que estará disponível apenas com motorização 100% elétrica; e um novo “crossover” para o segmento compacto, este disponível tanto numa variante zero emissões como com motores convencionais a combustão interna. Esta expansão agora confirmada na oferta de veículos total ou parcialmente equipados com motor elétrico surge numa altura em que os modelos eletrificados Mini representam cerca de 10% do total de vendas da marca.

blueauto

13


atualidade MOBILIDADE ELÉTRICA

BMW Portugal assina acordo de cooperação com a CME

o aumento da oferta de viaturas eletrificadas esperado Ford: todos os modelosCom europeus para os próximos anos, a BMW Portugal quer estar preparada lidar com todos os aspetos que desafiam a massificação vão ser eletrificados para da mobilidade elétrica, contando sempre com o envolvimento e compromisso da sua rede de concessionários e parceiros. Nesse sentido, em linha com a sua estratégia de eletrificação a BMW Portugal assinou recentemente um acordo de cooperação com a CME: esta parceria consiste em disponibilizar aos clientes nacionais (particulares ou empresas) das marcas do Grupo BMW serviços e soluções de carregamento inteligentes e sustentáveis, indo assim ao encontro das atuais tendências e expectativas dos clientes de viaturas eletrificadas. “Esta parceria é uma mais-valia para o Grupo BMW, estando totalmente alinhada com a nossa estratégia de eletrificação e com o serviço de excelência que pretendemos prestar aos nossos clientes. Esta colaboração permitirá à BMW Portugal, e à sua rede de concessionários, uma intervenção ainda mais rápida, profissional, flexível e sustentável no desenvolvimento da mobilidade elétrica”, afirma Massimo Senatore, diretorgeral da BMW Portugal.

EMEL abre 2 pontos de carregamento para VE na via pública A EMEL abriu à exploração dois pontos de carregamento de veículos elétricos, situados em Entrecampos, junto ao Edifício Central da Câmara Municipal de Lisboa. Esta iniciativa resulta de um protocolo assinado com a EDP Distribuição, no âmbito do projeto “Sharing Cities”, projeto que tem como objetivo a aplicação de soluções inovadoras nas áreas da mobilidade urbana que tornem as cidades mais inteligentes e eficientes. Estes dois pontos são compostos por um Posto de Carregamento Rápido (PCR), que permite o carregamento de um VE a uma potência de 50 kW (DC); e um Posto de Carregamento Semirrápido (PSR), que permite o carregamento em simultâneo de dois VE, a uma potência de 22 kW (AC). A EMEL dispõe atualmente de um total de 26 postos de carregamento de veículos elétricos (correspondendo a 52 tomadas) em cinco dos seus parques de estacionamento, aos quais se juntam agora estes dois novos pontos na via pública.

14

Uber Green chega a mais cidades portuguesas Em 2016 a plataforma de transporte Uber lançou o Uber Green, opção que oferece aos passageiros viagens em veículos 100% elétricos, tendo Portugal sido o país pioneiro na adoção desse serviço. Agora, depois de Lisboa e Porto, a Uber expande o Uber Green, anunciando a sua chegada a zonas de norte a sul do país onde se incluem Algarve, Coimbra, Braga e Aveiro. Esta expansão reforça o compromisso de sustentabilidade da Uber, que desde o mês de julho só aceita novos veículos que sejam elétricos nas maiores cidades do país, como é o caso das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto e dos distritos de Braga e Faro.

blueauto


LEXUS UX 250h E ES 300h

DIFERENTES A FAZER A DIFERENÇA. TROQUE O SEU DIESEL POR UM HÍBRIDO. E NADA VAI VOLTAR A SER IGUAL.

CONDIÇÕES ESPECIAIS DE RETOMA Poder conduzir até 50% do tempo em modo elétrico, ter silêncio a bordo e escolher uma durabilidade comprovada faz a diferença. Troque o seu diesel e veja como nada se equipara a um híbrido Lexus. Faça a diferença num Centro Lexus ou em lexus.pt

Consumo combinado (l/100 km): Mín. 4,3 / Máx. 6,5. Emissões de CO 2 (g/100 km): Mín. 107 / Máx. 147. Imagem não contratual. Condições de garantia: Garantia Legal (2 anos sem limite de quilómetros). Garantia de Fabricante (até ao 3.º ano ou até aos 100.000 km). Extensão de Garantia (do 4.º ano até ao 7.º ano ou até aos 160.000 km).


eletrificação

HÍBRIDOS

AUDI Família em crescimento

N

os últimos dois anos, a Audi tem-se dedicado a expandir a sua gama de automóveis híbridos, mas faltava um automóvel específico, que já era conhecido de outros tempos, mas que tinha desaparecido do mercado. Agora, já não é preciso ficar com saudades, pois a SIVA já começou a vender a nova geração do híbrido plug-in derivado do A3. Antes chamado e-tron (um nome entretanto reservado para os seus elétricos), foi agora batizado como A3 Sportback TFSIe, tornando esta tecnologia mais acessível às bolsas nacionais. O Audi A3 Sportback 40 TFSIe combina um motor 1.4 turbo a gasolina com um propulsor elétrico de 80 kW, alimentado por uma bateria de 13,2 kWh. Tem uma potência combinada de

16

218 cv, uma autonomia de 65 quilómetros e um consumo médio anunciado de apenas 1 litro por cada 100 km percorridos. O A3 híbrido está à venda com três níveis de equipamento, Base, Advance e S line, com preços que começam na casa dos 38 mil euros. Tal como com os outros Audi híbridos, modos selecionáveis de condução e uma bomba de calor, que reaproveita a temperatura gerada pela bateria para o sistema de ventilação e ar condicionado, ajudam a poupar a bateria no consumo energético. Em casa, pode-se recarregar completamente a

blueauto


A chegada do novo Audi A3 TFSIe ao mercado português traz de volta o híbrido plug-in mais acessível da marca alemã, que antigamente estava sozinho mas agora junta-se a uma grande família, na qual todos os membros oferecem algo de diferente a qualquer automobilista.

bateria numa wallbox de 7,4 kW em pouco mais de duas horas. O novo A3 é já o sexto híbrido na gama atual da Audi, e a marca tem planos ambiciosos ao pretender oferecer nada menos que 30 opções, entre híbridos e elétricos, até ao ano 2025. Agora que o A3 já está em Portugal, o sétimo modelo a chegar ao nosso mercado deverá ser o topo de gama A8. Aqui, a versão TFSIe usa a designação 60, recorrendo a um V6 a gasolina e a um motor elétrico de 100 kW, para uma potência total combinada de 449 cv.

Já a família executiva híbrida conta com nada menos que três variantes de carroçaria: a berlina A6, a carrinha A6 Avant e o coupé de luxo A7 Sportback. Todos eles recorrem a um motor de quatro cilindros, que é combinado com um propulsor elétrico de 105 kW e uma bateria de 14,1 kWh, mas aqui a Audi oferece dois níveis de potência distintos: o 50 TFSIe com 300 cv e o 55 TFSIe com 367 cv, ambos com tração integral permanente quattro. Os preços do A6 híbrido plug-in começam na casa dos 68 mil euros, os do A6 Avant perto dos 70 mil euros, e os do A7 nos 77 mil euros. Em todos, a autonomia elétrica anunciada ultrapassa os 50 quilómetros. Existem ainda dois modelos SUV com esta combinação, o Q5 e o Q7. No primeiro caso, o Q5

blueauto

17


eletrificação recorre à mesma variedade de opções híbridas: Q5 50 TFSIe com 300 cv, cujo preço começa em redor dos 63 mil euros; e o 55 TFSIe, na casa dos 70 mil euros. Já o Q7, devido às suas dimensões, usa uma bateria maior, de 17,1 kWh, o que deverá garantir uma autonomia em modo elétrico de 43 quilómetros. Ainda só está disponível na variante 55 TFSIe com motor de quatro cilindros, com uma potência total de 381 cv. Em breve, a Audi também vai oferecer uma variante 60 TFSIe semelhante à do A8, com 455 cv. E nesta lista vai seguir-se, sabe-se já, o Q8 TFSIe, que estará igualmente disponível em duas variantes de motorização híbrida plug-in. Desta forma, a Audi oferece um híbrido diferente para cada bolsa e para as necessidades de cada cliente, sempre combinados com acabamentos luxuosos e tecnologia de ponta na lista de equipamento. E às características destes automóveis

juntam-se ainda as vantagens fiscais reservadas à aquisição de veículos híbridos plug-in, nomeadamente para clientes empresariais (além da redução de 75% do valor de ISV, também a dedução do IVA a 100% e taxa de tributação autónoma mais baixa comparativamente a um veículo a combustão equivalente), com a Audi a dispor de ofertas enquadráveis nos limites da fiscalidade (preço de venda – sem IVA – inferior a 50 mil euros) para os seus modelos A6 e Q5, ajudando assim a tornar a gama TFSIe ainda mais apelativa. 

O novo A3 é já o sexto híbrido na gama atual da Audi, e a marca tem planos ambiciosos ao pretender oferecer nada menos que 30 opções, entre híbridos e elétricos, até ao ano 2025. 18

blueauto


PHEV: PHEV

fórmula indispensável... Sim, o futuro da Audi também vai ser elétrico (futuro esse que até já começou, com modelos 100% elétricos e-tron já disponíveis na gama da marca de Ingolstadt), mas a transformação para uma mobilidade “premium” sustentável e zero emissões não tem necessariamente de ser feita de forma radical... Um motor convencional a combustão interna ou um sistema propulsor totalmente elétrico? A Audi aposta decididamente numa terceira opção como resposta a essa questão fundamental: a tecnologia PHEV, ou seja a combinação de um motor convencional com um motor elétrico cuja energia é fornecida por uma bateria de iões de lítio. Porquê? Simples: porque os híbridos plug-in representam hoje um excelente compromisso entre os dois mundos (motor a combustão interna e motor elétrico), oferecendo uma solução ideal para as necessidades atuais de mobilidade ao juntar a eficiência e os benefícios da condução zero emissões (agora com autonomias em modo 100% elétrico de várias dezenas de km, mais que suficientes para as deslocações diárias em ambiente urbano) à possibilidade de continuar a percorrer viagens mais longas graças ao motor de combustão, tudo isso com potência acrescida, carregamento elétrico mais rápido e consumos (logo, também emissões) mais reduzidos. Não admira, pois, que para a Audi a presença de modelos PHEV na sua atual gama de automóveis eletrificados seja uma “fórmula” verdadeiramente indispensável...

GAMA PHEV - VERSÕES E PREÇOS A3 Sportback 40 TFSIe Base A3 Sportback 40 TFSIe Advanced A3 Sportback 40 TFSIe S line A6 50 TFSIe Base A6 55 TFSIe Sport A6 Avant 50 TFSIe Base A6 Avant 55 TFSIe Sport A7 Sportback 50 TFSIe A7 Sportback 55 TFSIe Q5 50 TFSIe Business Q5 50 TFSIe Design Q5 50 TFSIe Sport Q5 55 TFSIe Sport Q7 55 TFSIe Base Q7 55 TFSIe S line

blueauto

38.300€ 39.594€ 40.722€ 68.355€ 76.039€ 70.658€ 78.342€ 77.793€ 86.516€ 63.547€ 65.343€ 65.343€ 70.311€ 79.690€ 83.681€

19


atualidade

Os preços do Opel Mokka-e A nova geração Opel Mokka já pode ser encomendada na rede de concessionários da marca. O maior destaque da renovada gama do SUV compacto da Opel é, claro, a estreia de uma variante 100% elétrica (pela primeira vez na história da Opel, um modelo está disponível logo desde o lançamento em versão elétrica e em versões a gasolina e gasóleo), numa configuração com motor elétrico de 100 kW (136 cv) de potência e 260 Nm de binário instantâneo, bem como bateria de 50 kWh que anuncia autonomia WLTP até 324 km e múltiplas opções de recarregamento, oferecendo ainda ao condutor três modos de condução (Normal, Eco e Sport). As primeiras unidades têm chegada ao mercado prevista para o início de 2021. Toda a gama, Mokka e Mokka-e, está disponível em quatro níveis de equipamento: Business Edition, Elegance, GS Line e Ultimate. Quanto a preços para o mercado nacional, começam nos 21.100 euros da versão 1.2 Turbo de 100 cv, enquanto o elétrico Mokka-e tem como preços anunciados: Opel Mokka-e Business Edition 36.100€ Opel Mokka-e Elegance 38.600€ Opel Mokka-e GS Line 39.100€ Opel Mokka-e Ultimate 42.100€

Mitsubishi: Eclipse Cross PHEV chega em 2021 A versão híbrida plug-in do renovado Mitsubishi Eclipse Cross também vai ser comercializada em Portugal: o novo modelo PHEV da marca japonesa estará disponível no decorrer do segundo trimestre do próximo ano, juntando-se na gama eletrificada Mitsubishi ao popular Outlander PHEV, com quem partilha a mecânica 4WD PHEV Twin-Engine que associa motor MIVEC 2.4 a gasolina com dois motores elétricos divididos entre o eixo traseiro e dianteiro, além de bateria elétrica de 13,8 kWh, para uma potência total combinada de 224 cavalos.

Hyundai: veículo para transporte aéreo até 2028 A Hyundai Motor Company quer acelerar os voos experimentais do seu Veículo Aéreo Pessoal que integra o programa de Mobilidade Aérea Urbana (Urban Air Mobility – UAM) apresentado no início deste ano. Representando a visão da Hyundai para o futuro da mobilidade nas cidades, o programa “Urban Air Mobility” prevê a utilização do espaço aéreo como solução para aliviar o congestionamento de trânsito e proporcionar tempo de qualidade a quem se desloca diariamente nos grandes centros urbanos. Em parceria com o Aeroporto Internacional de Incheon – que serve a capital sul-coreana, Seul –, com a empresa de construção civil filial do grupo Hyundai – Hyundai Engineering & Construction – e com a Korea Telecom Corporation, a Hyundai vai agora trabalhar no desenvolvimento dos veículos aéreos, da infraestrutura de transporte e do modelo de negócio, com o objetivo de iniciar até 2028 a comercialização deste inovador serviço de mobilidade.

20

blueauto


Volvo Recharge. Apresentamos a nossa gama de automóveis híbridos plug-in e 100% elétricos. Desde 35.000€ + IVA.

Saiba mais em Volvocars.pt.


mercado MERCADO AUTOMÓVEL EM PORTUGAL

21,5% dos carros vendidos em setembro foram elétricos e híbridos!

S

egundo dados da ACAP, no último mês de setembro foram matriculados em Portugal um total de 13.174 veículos ligeiros de passageiros novos, o que representa uma quebra de quase 10% face ao mesmo período do ano anterior; no acumulado do ano (de janeiro a setembro 2020), a variação negativa é superior a 39%. Por tipo de motorização, 44,4% das vendas no mercado nacional em setembro foram carros a gasolina e 32,6% carros a diesel; enquanto as 749 unidades de elétricos a bateria (BEV) matriculadas suplantaram o resultado do mês homólogo (setembro 2019) e representaram um share de 5,7% nas vendas nacionais; já o share de quase 9% (1176 unidades) conseguido no último mês pelos modelos híbridos recarregáveis (PHEV) é um registo nunca antes alcançado por este tipo de motorização eletrificada. Em conjunto, os elétricos recarregáveis (BEV + PHEV) bateram outro recorde absoluto, ao atingirem uma quota de 14,6%. E se somarmos as 907 vendas de setembro referentes a modelos HEV (híbridos eletrificados não recarregáveis), a conclusão é deveras impressionante: 21,5% dos ligeiros de passageiros matriculados no último mês no mercado nacional foram mo-

ELÉTRICOS RECARREGÁVEIS

delos com eletrificação, entre 100% elétricos e híbridos! No acumulado do ano (janeiro a setembro), o grande destaque continua a ser a espetacular evolução nas vendas de modelos híbridos plug-in, cujo crescimento homólogo já ultrapassa os 160%; os PHEV aproximam-se assim, cada vez mais, da liderança entre as motorizações alternativas, preparando-se para suplantarem em termos absolutos os modelos HEV e passarem a ser o tipo de automóvel eletrificado mais vendido no mercado nacional. E a chegada ao mercado de novidades como o Renault Captur E-Tech plug-in, o Mercedes-Benz A 250e ou o Citroën C5 Aircross Hybrid vai seguramente ajudar a acelerar essa mudança. Ainda assim, o “top 3” de veículos elétricos recarregáveis continua a ser ocupado por três modelos 100% elétricos, com o campeão de vendas Tesla Model 3 destacado no primeiro lugar, à frente do Renault ZOE e do Nissan LEAF. Também aqui, o lançamento comercial de novos modelos muito apelativos promete mexer com o “status quo” atual, de que é já exemplo o Volkswagen ID.3, que foi o terceiro modelo BEV mais vendido em Portugal logo no seu primeiro mês de comercialização (setembro) em território nacional... 

OS MODELOS MAIS VENDIDOS EM PORTUGAL JANEIRO-SETEMBRO 2020

30%

BEV – 100% ELÉTRICOS

20%

Tesla Model 3 18,2% 10%

Renault ZOE 16,5%

Nissan Leaf 15,3% Peugeot e-208 7,1%

30%

Hyundai Kauai EV 5,1%

PHEV – HÍBRIDOS PLUG-IN

20%

10%

22

Mercedes-Benz A 250e

BMW 330e

Mercedes-Benz C 300e/de

Volvo XC40 Recharge

9,7%

9,5%

8,5%

8,3%

blueauto

Volvo XC60 Recharge 5,7%


Híbridos plug-in: evolução das vendas em Portugal 1200 2019

2020

1000

800

600

400

200

JAN

FEV

MAR

ABR

MAI

JUN

JUL

AGO

SET

AUTOMÓVEIS LIGEIROS DE PASSAGEIROS

VENDAS EM PORTUGAL JANEIRO-SETEMBRO 2020 SHARE POR TIPO DE MOTORIZAÇÃO

GASOLINA 47,2%

DIESEL 33,5%

ELÉTRICOS RECARREGÁVEIS 11,5%

43,3%

56,7%

BEV

PHEV

TOTAL UNIDADES VENDIDAS: 105.460 (-39,3%) OUTRAS 0,9%

HÍBRIDOS NÃO RECARREGÁVEIS 6,9%

Legenda: BEV – Elétrico a bateria PHEV – Híbrido ‘plug-in’ Fonte: ACAP e EV Sales

blueauto

23


ao volante

LEXUS UX 300e Nível seguinte... Na mesma altura em que assinala o seu 30.º aniversário e o milhão de carros vendidos na Europa, quase metade dos quais com tecnologia híbrida, a Lexus cruza agora outra importante meta histórica com a estreia do seu primeiro modelo 100% elétrico: lá para março do próximo ano irão chegar ao mercado nacional as primeiras unidades do UX 300e, novidade que combina a proverbial qualidade dos produtos da marca “premium” japonesa e os benefícios da condução zero emissões. E, pelo que já pudemos comprovar no primeiro contacto dinâmico com este novo modelo, a combinação promete... 24

blueauto


D

epois de se tornar conhecida como a marca dos híbridos, a Lexus sobe agora na escala da eletrificação ao lançar o UX 300e, o seu primeiro automóvel equipado exclusivamente com baterias. Esta nova variante 100% elétrica do “crossover” compacto que é o modelo Lexus mais vendido na Europa junta-se assim ao híbrido “self-charging” como opção de motorização ao dispor na gama UX. Além do sucesso comercial do modelo, a escolha da carroçaria UX para estrear a sua oferta totalmente elétrica fica também a dever-se ao facto de se tratar de um “crossover” eminentemente urbano (e a cidade é, como se sabe, o ambiente de eleição para os veículos 100% elétricos), mas também por ser um dos mo-

delos Lexus mais modernos, recorrendo à mesma plataforma leve para veículos compactos do UX 250h. Os engenheiros da marca criaram assim a nova versão elétrica sem sacrificar os elementos que conferem ao UX um nível elevado de conforto no trânsito, mantendo a excelente qualidade de construção característica da Lexus, refletida também no refinamento artesanal do habitáculo deste novo modelo, incluindo a nível de equipamento, elevado grau de insonorização a bordo (para o qual contribui a adoção de pneus especiais), bem como no excelente amortecimento (no novo modelo as suspensões ganharam mesmo uma nova afinação dos amortecedores). Esta nova variante integralmente elétrica destaca-se por alguns elementos

blueauto

25


ao volante

FICHA TÉCNICA Motor

Comprimento Largura Altura Bagageira Peso Consumo Autonomia Velocidade máxima Acel. 0-100 km/h Emissões CO2 Velocidade carregamento (0%-80%)

elétrico, síncrono de magnetos permanentes iões de lítio, 54,3 kWh, 355 V 150 kW (204 cv) 300 Nm dianteira, caixa de relação única MacPherson à frente, Multilink atrás 4,495 m 1,84 m 1,545 m 367 litros 1785 kg 16,8 kWh/100 km (anunciado) 305-315 km (ciclo WLTP) 160 km/h 7,5 segundos – n aprox. 23 horas (AC – 2,3 kW) n aprox. 8 horas (AC – wallbox 6,6 kW) n aprox. 50 minutos (DC – 50 kW)

Preço UX 300e

desde 52.500€

Bateria Potência máx. Binário máx. Tração Suspensão

26

de design específicos, mas o que destaca mesmo o UX 300e do seu “irmão” híbrido são, claro, as características técnicas específicas da eletrificação integral... Este UX elétrico dispõe de um conjunto de baterias de iões de lítio com 54 kWh de capacidade total, cuja fiabilidade e durabilidade levam o selo de garantia dos 15 anos de experiência da marca na eletrificação (e uma garantia de 10 anos ou 1 milhão de km!), capacidade essa suficiente para a Lexus anunciar cerca de 305 km de autonomia em ciclo WLTP (valor que poderá chegar aos 315 km, dependendo do tamanho de jante e outras configurações distintas). Na prática, a duração deste primeiro contacto dinâmico

blueauto


Ficha de carregamento AC Carregador AC Aquecedor de água

Ficha de carregamento DC Bateria

Unidade de Controlo de Potência (PCU)

Motor

ainda não deu para confirmar o alcance real com uma carga de bateria, mas não será difícil antecipar que o consumo energético numa utilização em ambiente urbano (afinal, o meio natural para o UX 300e), onde as potencialidades do sistema de travagem regenerativa são aproveitadas ao máximo, permitirá percorrer mais quilómetros... O conjunto de baterias alimenta um motor elétrico dianteiro com 150 kW (o equivalente a 204 cv, ou seja é mais potente que o conjunto híbrido do UX 250h), que associado à disponibilidade do binário de 300 Nm resulta em acelerações vigorosas (0-100 km/h em 7,5 segundos) típicas da eletrificação, mas neste caso sempre em suavidade, até porque as características da aceleração foram otimizadas em função de cada situação de condução. Já a colocação do sistema de baterias sob o piso (e também a posição baixa do motor elétrico) ajuda a ter um centro de gravidade rebaixado, traduzindo-se isso em estabilidade ao curvar, com a eliminação da sensação de inclinação da carroçaria, e com outros evidentes benefícios ao nível do comportamento, que se revela muito in-

teressante ao conjugar dinamismo q.b. e agilidade para uma condução divertida com a suavidade do acelerador e a precisão da suspensão e da direção. O conforto de rolamento potencia as boas sensações ao volante, com o condutor a poder selecionar o modo de condução que mais se adequa a cada situação, estando também disponíveis vários níveis de desaceleração, controlados através das patilhas localizadas atrás do volante. Uma experiência de condução a pensar sobretudo na eficiência ao estilo Lexus, que ao juntar às qualidades do “best-seller” híbrido UX a atualidade incontornável da eletrificação total faz com que este novo UX 300e leve para o nível seguinte – como a própria promove – a visão da marca de como devem ser os seus automóveis... Dotado de avançadas funcionalidades de conectividade (incluindo atualização remota) e de segurança, o primeiro modelo 100% elétrico da Lexus está já disponível em pré-venda, sendo proposto no mercado português em três níveis de equipamento (Executive, Premium, Luxury) e com preço final a partir de 52.500€. n

blueauto

27


novidade

MERCEDES-BENZ

6 NOVOS MODELOS EQ

O futuro ao virar da esquina...

A Mercedes-Benz está a caminhar a passos largos em direção ao futuro... Mesmo tendo lançado novos modelos num formato tradicional, o novo ano que está a chegar vai trazer novidades à família de veículos elétricos da clássica marca alemã, com o EQS a servir como ponto de partida para o crescimento rápido da gama EQ, na qual estão já confirmados outros novos modelos: EQA, EQB, EQE e ainda variantes SUV do EQS e também do EQE...

A

nova geração do Mercedes Classe S é uma chegada recente ao mercado europeu, mas a marca alemã não pretende apenas oferecer aquilo que é familiar e tradicional a um público que procura por luxo nos seus automóveis. Em 2021, a família Mercedes EQ de veículos elétricos vai crescer exponencialmente, com vários modelos a juntarem-se aos já existentes EQC e EQV. E o primeiro será o EQS, uma berlina de luxo, tão ou mais luxuosa que o Classe S, que em breve terá a companhia de um “irmão” mais pequeno, pensado para um público que procura um carro de família mais acessível, o EQA.

28

O EQS vai estrear a nova plataforma técnica para veículos elétricos de grandes dimensões, e está já em fase final de testes. Derivado do conceito Vision EQS apresentado em 2019, a sua aparência compacta disfarça uma carroçaria que se estima ter mais de cinco metros de comprimento e mais de três metros de distância entre eixos. O chassis deverá ter espaço suficiente para albergar um conjunto de baterias capazes de oferecer ao luxuoso Mercedes elétrico uma autonomia de até 700 quilómetros, e o condutor terá à sua disposição uma lista extensa de sistemas de assistência à condução e o agora omnipresente sistema de infoentretenimento MBUX, com reconhecimento de

blueauto


O primeiro dos novos modelos da família elétrica EQ será o EQS: chega em 2021, com autonomia anunciada de 700 km.

A produção do EQA será iniciada antes do final deste ano. comandos por voz. O EQS vai chegar ao mercado como uma berlina, mas rapidamente receberá a companhia de um EQS SUV, bem como de um “irmão” mais pequeno partilhando a sua arquitetura técnica, o EQE, que também será oferecido em dois “sabores”, berlina e SUV. A produção do EQS vai ter lugar na fábrica de Sindelfingen, modernizada para adaptar rapidamente as linhas de montagem a automóveis com vários tipos de arquiteturas e motorizações. Enquanto o EQS estreia a nova plataforma, outros modelos vão ser construídos em variantes eletrificadas de plataformas existentes, como já acontece com o EQC e o EQV. A Mercedes vai iniciar a produção do EQA antes do final deste ano, com lançamento no mercado previsto também para 2021. Enquanto o Concept EQA de 2017 apontava para uma versão elétrica

do Classe A, o novo modelo será uma variante completamente elétrica do atual GLA, e rapidamente terá a companhia de outro modelo baseado na mesma plataforma, o EQB, mais virado para uma utilização familiar. Com a chegada de todas estas novidades, a curto prazo a Mercedes-Benz vai ter nada menos que oito modelos distintos numa família Mercedes EQ. E com uma longa lista de modelos 100 por cento elétricos, a Mercedes-Benz aponta ao cumprimento do seu plano Ambition 2039, cujo objetivo é eliminar completamente as emissões de dióxido de carbono, sendo que o ponto intermédio desse plano passa por chegar a 2030 com mais de metade das vendas já representadas por automóveis equipados com propulsão elétrica, seja parcial (híbridos plug-in) ou total (100 por cento elétricos).n

blueauto

29


entrevista

Pedro Moreira da Silva Ceo da i-charging

“A gama de carregadores ‘blueberry’ tem características que não se encontram em nenhum outro produto no mercado” A empresa portuguesa i-charging (www.i-charging.pt) acaba de apresentar a sua primeira gama de carregadores elétricos de carga rápida: os carregadores “blueberry” são – promove a i-charging – os primeiros no mercado mundial a cobrir a gama de 50 a 600 kW de potência, uma solução que permite carregar todos os veículos atualmente em circulação bem como os que serão lançados pelas marcas no futuro com baterias até 1000 V. Assente na tecnologia “dynamicblue”, uma tecnologia já patenteada pela empresa sediada no Porto, esta inovadora gama de carregadores rápidos para veículos elétricos anuncia-se mesmo como disruptiva em relação ao que existe atualmente no mercado. Para conhecer melhor esta novidade, a BlueAuto entrevistou Pedro Moreira da Silva, CEO da i-charging...

30

“Esta nova gama de carregadores rápidos é disruptiva em relação à oferta atual do mercado”. A afirmação é sua e foi feita na apresentação da gama de carregadores i-charging. Quer explicar-nos por que a considera disruptiva e diferenciadora? A gama blueberry tem características que não se encontram em nenhum outro produto no mercado. Toda a gama pode fornecer até 1000 V, sendo por isso compatível com todos os veículos ligeiros e também pesados, o que ainda não acontece com todos os carregadores no mercado; a potência pode ir até 600 kW, podendo ir mais além se e quando o mercado necessitar, pois a gama é escalável; a flexibilidade de configurações e de número de saídas; as interfaces, sejam no carregador sejam através de dispositivos móveis, são poderosas quer para os utilizadores quer para as equipas técnicas; a diversidade de meios de pagamento oferecidas; a colecta intensiva de dados dos carregadores; a novíssima funcionalidade “plug&charge”; o sistema patenteado de gestão de cabos de carregamento longos; o seu design; a possibilidade de ser usado para passar conteúdos no seu generoso display; e acima de tudo a tecnologia dynamicblueTM que está patenteada e que permite uma optimização de operação que está para lá de tudo o que existe actualmente. O que é a tecnologia “dynamicblue”? Em que se distingue das outras tecnologias atuais? A tecnologia dynamicblueTM, que patenteamos, tem a ver com alocação dinâmica de potência a cada saída em utilização. É graças a ela que conseguimos escalabilidade, flexibilidade, e acima de tudo a carga simultânea e sequencial combinadas. Este conceito é totalmente novo e permite ganhos de operação significativos, por exemplo na carga de frotas, ou na exploração de áreas de carregamento com vários carregadores.

blueauto


Que diferentes tipos de carregadores estão disponíveis? A gama é vasta mas sempre feita com 3 modelos: blueberryTM de 50 kW e até 2 saídas; blueberryPLUSTM de 100 a 600 kW e até 2 saídas; blueberryCLUSTERTM de 100 a 600 kW e até 4 saídas. Mais tarde vão ser introduzidas combinações que permitem escalar a potência instalada e o número de saídas até onde se pretender num único sistema em vez de somar carregadores. Os carregadores rápidos hoje disponíveis na rede pública nacional disponibilizam potências à volta dos 50 kW, e a rede de supercarregadores Tesla chega aos 150 kW, nalguns casos 250 kW... Como é possível oferecer 600 kW potência de carregamento? Há uma característica muito importante no blueberryTM que é a tecnologia dynamicblueTM: um carregador pode ter várias saídas e alocar em cada instante a cada uma delas a potência necessária ao veículo em questão. Assim um carregador de 600 kW com por exemplo 2 saídas pode fornecer 300+300 kW ou 350+250 kW e por aí fora. Para além disso, actualmente há veículos ligeiros que aceitam até quase 300 kW, mas há veículos pesados que aceitam mais. E em breve a potência vai subir ainda mais, pelo menos no caso dos pesados. Se um veículo necessitar de 500 kW, o mesmo exemplo de configuração pode fornecer 500 + 100 kW.

“Esta nova gama de carregadores rápidos é disruptiva em relação à oferta atual do mercado e cobre todos os segmentos de veículos, ligeiros e pesados” A gama blueberryTM está por isso adaptada para os veículos actuais e para os futuros. Em termos práticos, qual é a velocidade de carregamento possível com potências de 600 kW? E isso pode ter aplicação prática, sabendo que a velocidade depende também do sistema interno do veículo elétrico? A velocidade de carregamento está sempre relacionada com a potência usada, que terá de ser possível quer pelo veículo quer pelo carregador, e com a capacidade da bateria a carregar. Se a tecnologia da bateria e o sistema interno do veículo aceitarem 600 kW, em 10 minutos carrega-se 100 kWh. Então

blueauto

31


entrevista para um consumo do veículo, por exemplo, entre 20 e 200 kWh / 100 km, nesse tempo carrega-se entre 500 e 50 km. A quem se destinam os carregadores “blueberry”? Também aos utilizadores particulares de veículos elétricos? Um utilizador particular usará os blueberryTM apenas em carregamento público, mas uma frota pode ter blueberryTM para seu uso próprio. E a que mercados? Nacional, internacional?... O mercado da i-charging é global. Que outras características desta gama de carregadores merecem destaque? Conforme a resposta 1. há várias, mas destacava o seu design e interfaces atractivos, e a possibilidade de poder passar conteúdos, o que pode constituir uma fonte de receita adicional para quem o explora. Uma questão mais genérica... A velocidade a que se consegue carregar as baterias é vista ainda como uma das grandes limitações à democratização da mobilidade elétrica. Alguém comentou mesmo que os veículos elétricos a bateria só serão verdadeiramente universais no dia em que o carregamento elétrico levar o mesmo tempo em que se abastece o depósito de gasolina. Na sua opinião de especialista, até onde poderá chegar a tecnologia, em termos de velocidade de carregamento? Embora não compartilhe da opinião que menciona, pois há muitos factores que tornam desejável a generalização dos veículos eléctricos que se sobrepõem ao “incómodo” de esperar alguns minutos, a começar pela sustentabilidade, essa questão existe interiorizada para os veículos ligeiros e deve ser esclarecida. Terá a ver com um modelo de utilização ao qual estamos acostumados há muito, de ir à bomba de combustível abastecer quando necessitamos, onde na realidade perdemos sempre alguns minutos mesmo se não fizermos a paragem técnica para nos reabastecermos também. Mas em geral os veículos são carregados em carga lenta enquanto estão parados, o que demora apenas alguns segundos a iniciar. Quando ocasionalmente usam a carga rápida, quanto maior for a potência utilizada mais autonomia repõem num dado tempo. A tecnologia das baterias actualmente usadas em ligeiros permite cargas entre 2C e 3C, o que não permite baixar uma carga completa abaixo de 20 minutos mesmo se estiver sem-

32

“É, para nós, um motivo de grande orgulho, como fabricantes portugueses, e apenas com um ano de existência, poder apresentar já esta solução diferenciadora num mercado em constante evolução”

pre a 3C, o que não é o caso. A evolução das baterias pode vir a permitir baixar este valor, mas não esqueçamos que isso implicará maior potência dos carregadores e sistemas internos dos veículos. A atividade da i-charging não se limita aos carregadores. Que outros produtos disponibiliza? A i-charging tem um foco grande nos sistemas de carregamento e soluções complementares de operação e de integração com a rede eléctrica. Por isso disponibiliza soluções de energia solar e armazenamento, e plataformas de auxílio à operação. n

blueauto


fiscalidade

ORÇAMENTO DO ESTADO

Incentivo à mobilidade elétrica vai manter-se em 2021

A

12 de outubro o Ministro de Estado e das Finanças entregou formalmente ao Presidente da Assembleia da República a Proposta de Lei n.º 61/XIV de Orçamento do Estado para 2021, acompanhada da Proposta de Lei n.º 60/XIV com as Grandes Opções para 2021-2023. O processo orçamental decorre agora no Parlamento, com a apreciação na generalidade a ser debatida em Plenário até 28 de outubro e a votação final global agendada para 26 de novembro. Para o Governo, 2021 será marcado – espera-se – pela recuperação económica e social do país, na sequência da pandemia de COVID-19 que nos atingiu a todos este ano. Com o Executivo a anunciar ainda que “a ação climática vai afirmar-se como motor dessa recuperação”, em alinhamento com aquelas que são as orientações europeias, tendo assim previsto prosseguir com um conjunto de iniciativas destinadas a acelerar a descarbonização e a transição energética, nomeadamente reforçando a aposta na mobilidade sustentável, na fiscalidade verde e na educação ambiental. Antes de mais, mantém-se o denominado “incentivo à introdução no consumo de veículos de baixas emissões”, com o Artigo 202.º do documento agora em discussão no Parlamento a prever que “no âmbito das medidas da ação climática, é mantido o incentivo à introdução no consumo de veículos de zero emissões, financiado pelo Fundo Ambiental, nos ter-

€ € € €€

mos a definir por despacho do membro do Governo responsável pela área do ambiente e da ação climática”. Falta assim conhecer valores: o valor unitário do incentivo (que este ano foi de 3.000€ no caso de veículos ligeiros de passageiros adquiridos por pessoas singulares) e o da dotação total (que em 2020 atingiu 4 milhões de euros), embora o Ministro do Ambiente e da Ação Climática tenha já avançado que esses valores deverão manter-se em 2021. O mesmo artigo 202.º enuncia que esse incentivo é “extensível a motociclos de duas rodas e velocípedes, convencionais ou elétricos, e a ciclomotores elétricos que possuam homologação europeia e estejam sujeitos a atribuição de matrícula, quando aplicável”, bem como “às bicicletas de carga”. E como o exemplo deve vir de cima, o programa de apoio à mobilidade elétrica vai voltar a estenderse à Administração Pública, com o O.E. 2021 a prever apoiar a introdução de 200 veículos elétricos no caso de organismos do Estado para os quais os veículos sejam indispensáveis à sua atividade operacional, apoio este que deverá privilegiar os territórios de baixa densidade. Da consulta à proposta de Orçamento do Estado para 2021, confirma-se ainda que o Governo prevê para o próximo ano “a consolidação e reforço da rede pública de carregamento”, nomeadamente através da ampliação dos postos de carregamento para veículos elétricos, e “enfatizando o carregamento rápido”... 

blueauto auto

33


ao volante

HONDA JAZZ HYBRID Silêncio na grande cidade A nova geração do Honda Jazz já está em Portugal e rompe com o passado aparecendo unicamente com um único motor híbrido. A marca japonesa continua a apostar na simplicidade do híbrido convencional, suficiente para reduzir o impacto ambiental, ao mesmo tempo que mantém o Jazz como uma boa proposta para a cidade.

34

blueauto


D

entro da Honda, o Jazz sempre se destacou por ter uma imagem diferente dos outros modelos da marca... Onde os outros eram desportivos, o Jazz era uma mistura de citadino com monovolume, um carro com um nível de espaço interior acima do normal. Mas agora o modelo mais acessível ganha um novo trunfo para continuar a ganhar no segmento dos citadinos, tornando-se um híbrido, recorrendo ao sistema e:HEV, ao mesmo tempo que é oferecido com um único e bem recheado nível de equipamento, o Executive. O sistema híbrido instalado no Honda Jazz (e no seu irmão com aparência mais aventureira, o Honda Crosstar) é semelhante ao que já pode ser encontrado no CR-V, embora adaptado a um automóvel mais pequeno. Um motor de 1,5 litros a gasolina serve como base para o sistema, algo que já existiu noutros híbridos anteriores da Honda, mas com o sistema e:HEV é o motor elétrico que gera a fatia mais significativa da potência. Com esta configuração, e a presença de uma nova caixa de velocidades de variação contínua, os motores conseguem funcionar de modo

integrado, oscilando entre motor a gasolina, motor elétrico e a combinação dos dois de forma orgânica, sem que o condutor note no modo de condução, exceto se estiver continuamente a prestar atenção às luzes no painel de instrumentos. O sistema também é silencioso, pelo que, quando estiver familiarizado com o carro, o condutor vai sentir-se muito confortável, principalmente no trânsito citadino. Dependendo do terreno e do tipo de condução, o novo Jazz consegue percorrer até cinco quilómetros só em modo elétrico. O consumo médio anunciado é inferior a quatro litros por cada cem quilómetros, e é possível manter os consumos entre os quatro litros baixos e médios sem muito trabalho. Só circulando frequentemente a velocidades elevadas ou em zonas com muitas elevações este valor começa a fugir de controlo, pelo que, na prática, qualquer utilizador do novo Honda híbrido vai ter custos reduzidos com o combustível. Mesmo com a tendência de alguns construtores para avançarem diretamente para os híbridos plug-in, esta poupança é suficiente

blueauto

35


ao volante

O consumo médio anunciado é inferior a 4 litros por cada 100 km, e é possível manter os consumos entre os 4 litros baixos e médios sem muito trabalho. para que o preço mais elevado de um plug-in justifique a escolha da Honda no sistema e:HEV.

Família para todo o lado No passado, a Honda desenvolveu uma imagem desportiva graças a modelos como o Civic ou o CR-X. Designações como “VTEC” ou “Type-R” tornaram-se sinónimo de performance e reforçaram a imagem da marca japonesa nessa direção. O Jazz, por seu lado, passou sempre ao lado dessa imagem, no entanto, isso nunca foi um obstáculo ao seu sucesso, oferecendo algo de diferente a outro tipo de automobilista. E, agora que é híbrido, o Jazz continua a ir numa direção de integração com o meio ambiente, não só na tecnologia que usa para locomoção, mas também na forma como circula, tanto na cidade como na estrada, pois a nova geração é a mais confortável de todos os tempos, algo a que não é estranho a presença da bateria, a baixar o centro de gravidade e a melhorar a estabilidade em curva, principalmente nas ruas mais apertadas dos grandes centros urbanos. Não é nem nunca vai ser desportivo como o Civic, mas nunca ninguém vai sentir a necessidade disso. A direção é leve,

36

mas podia ser um pouco menos assistida e mais comunicativa a velocidades mais elevadas. Graças ao motor silencioso e ao comportamento do chassis, o conforto é uma sensação que todos os ocupantes vão associar ao Jazz. O carro japonês sempre se destacou pelas dimensões generosas do seu habitáculo e a nova geração não é exceção. Mesmo com a bateria, os passageiros dos bancos traseiros ainda contam com um fundo plano para oferecer o mesmo espaço para os joelhos aos três ocupantes. Quanto ao condutor, tem à sua disposição vários espaços de arrumação, de aparência bastante ordenada, quase como se fosse mini-armários, copos ou jarras feitas para casa. O painel de instrumentos digital e o ecrã tátil de nove polegadas oferecem boa informação complementar, com o ecrã a recorrer a um interface mais fácil de utilizar, parecido ao do Honda-e. Aqui tem apenas um ecrã, mas a estrutura de menus é semelhante, com acesso rápido e fácil a qualquer tipo de informação disponível. A única área onde o novo Jazz perde para o antigo é na bagageira. A introdução da bateria obrigou a marca a fazer sacrifícios, reduzindo a capacidade de 354 para apenas 304 litros. Mesmo

blueauto


Crosstar Hybrid traz aventura para a cidade

O Honda Jazz só tem uma versão, mas não está sozinho na família híbrida da marca japonesa. A Honda optou por criar uma variante com aparência de SUV, mas em vez de ser um simples nível de equipamento o Honda Crosstar Hybrid é apresentado como um modelo de pleno direito. As dimensões e as suas formas são parecidas, mas existem detalhes visuais que são exclusivos do Crosstar, em vez de meros aplicativos plásticos para dar um ar de “durão” ao novo carro. Mecanicamente, o Crosstar é igual ao Jazz, usando o mesmo motor 1.5 e:HEV com 109 cv e caixa de variação contínua, com gestão inteligente do uso do motor a gasolina e do motor elétrico. O Honda Crosstar Hybrid está disponível no lançamento por 31.500 euros.

FICHA TÉCNICA Motor

assim, continua acima dos 300 litros, uma capacidade bem acima do que é normal encontrar na concorrência, e com o banco rebatido é possível albergar volumes acima dos 1200 litros. O Jazz continua a parecer um monovolume, uma forma que começa a perder o interesse dos clientes, que preferem cada vez mais as formas de um SUV. No entanto, o Jazz tem uma vantagem sobre o seu irmão Crosstar, ficando abaixo da barreira psicológica dos 30 mil euros.. n Paulo Manuel Costa (texto)

4 cilindros, 1498 cc, 16 v., inj. direta e híbrido Potência 109 cv (total combinado) Binário 253 Nm Tração dianteira, caixa de variação contínua Suspensão McPherson à frente, eixo de torção atrás Comprimento 4044 mm Largura 1814 mm Altura 1526 mm Bagageira 304 litros Peso 1678 kg Consumo 4,4 kWh/100 km (testado) Acel. 0-100 km/h 9,5 segundos Emissões CO2 104 g/km Preço desde 28.597€

blueauto

37


em números...

+157,4% Com mais de 27.000 unidades comercializadas, as vendas europeias do Renault ZOE cresceram 157,4% no terceiro trimestre deste ano.

200.000

1/2

A BMW assinalou as 200.000 unidades produzidas do seu modelo elétrico i3.

A Porsche estima que até 2025 mais de metade de todos os seus modelos serão eletrificados, entre veículos 100% elétricos e híbridos plug-in.

430 km

O Tesla Model 3 viu a sua autonomia aumentada, com a configuração da versão Standard a indicar agora 430 km.

34.990€

O novo Enyaq iV vai chegar a Portugal na primavera 2021, mas já é possível reservar online o SUV 100% elétrico da Skoda: o preço da versão de entrada (bateria de 52 kWh, autonomia WLTP de 340 km) é de 34.990 euros.

35%

Em setembro a Volvo Car Portugal voltou a bater o recorde de vendas, tendo alcançado o melhor mês de sempre ao atingir 407 unidades matriculadas. Novamente em destaque estiveram os modelos híbridos plug-in, com estas viaturas eletrificadas a representarem quase 35% das vendas totais da Volvo no mercado nacional.

38

1.000 A EDP Comercial dispõe atualmente de cerca de 340 pontos de carregamento para veículos elétricos de norte a sul do país. Até ao final do ano conta ter mais de 700 pontos e para o próximo ano a meta é chegar aos 1.000 pontos disponíveis.

5 O novo Volkswagen ID.3 conseguiu a pontuação máxima de 5 estrelas nos testes de segurança Euro NCAP.

blueauto


12 x 150 kW A MOBI.E lançou em outubro um concurso público para a instalação e exploração em municípios de norte a sul do país de 12 postos de carregamento ultrarrápido (potência mínima de 150 kW) de veículos elétricos. A empresa pública que gere a rede nacional de mobilidade elétrica estima que até 31 outubro 2021 todos esses postos de carregamento estarão a funcionar em pleno.

2022

A Volkswagen confirmou que o ID.Buzz, futuro modelo elétrico inspirado no emblemático “pão-de-forma”, tem estreia mundial agendada para 2022.

1.000.000

Em setembro a Lexus atingiu a marca de um milhão de veículos vendidos na Europa. Desse total, pelo menos 45% são híbridos.

1,4 l/100 km

Primeiro de 6 novos modelos eletrificados a lançar pela marca francesa nos próximos 6 meses, o Citroën C5 Aircross Hybrid já chegou a Portugal. Dispõe de um motor híbrido plug-in de 225 cv de potência e oferece autonomia de 55 km em modo elétrico, baixas emissões de CO2 e consumos a partir de 1,4 l/100 km.

20

Já estão instalados os 20 novos pontos de carregamento rápido resultantes da parceria entre a Galp e a Nissan. Uma parte significativa está já em operação, enquanto os restantes aguardam a conclusão dos processos de aumento de potência pelo operador da rede elétrica.

1/4

No último mês de setembro, 1 em cada 4 carros novos matriculados na Europa foi um veículo eletrificado (BEV, PHEV ou HEV).

blueauto

39


destaque

40

blueauto


RENAULT WAYS

Caminho para o futuro

H

oje, a Renault quer ter mais automóveis híbridos ou elétricos. Amanhã, o grupo automóvel francês quer fazer apenas metade da poluição que faz hoje. E depois de amanhã, não vai emitir qualquer poluição para a atmosfera. O plano eWays é uma ideia a longo prazo, feita de pequenos passos incrementais, que vai culminar com uma redução das emissões de dióxido de carbono para metade em 2030, em comparação com o ano de 2010. O caminho depois continuará até 2050, quando a Renault pretende atingir o objetivo de neutralidade carbónica. Para isso, o Grupo Renault vai acelerar o processo de eletrificação da sua gama, que conta já com vários modelos elétricos e híbridos à venda. Como parte do plano eWays, todos os novos automóveis criados pela Renault vão ser eletrificadas, e até 2025 metade das suas vendas deverão ser deste tipo de veículos. Os primeiros modelos apresentados são o Renault Mégane eVision, um protótipo que deixa antever como vai ser a próxima geração da berlina familiar, já pensada como um automóvel 100% elétrico; e o Dacia Spring, o novo modelo de entrada da marca romena, que deverá tornar-se o carro elétrico mais barato à venda na Europa. Ao mesmo tempo, a Renault inicia também a comercialização de novos modelos E-TECH para as gamas Captur e Mégane, bem como o novo Arkana, todos eles equipados com variantes híbridas, plug-in ou micro-híbridas.

blueauto

41


destaque

RENAULT MÉGANE eVISION

Janela para amanhã Algumas marcas aproveitaram a nova onda de eletrificação para adotar novas identidades, em que os seus carros elétricos devem ter nomes diferentes dos seus modelos convencionais com motores de combustão. Para a Renault, uma história de sucesso é uma aposta mais segura, pelo que, quando criar um automóvel familiar equipado com motores elétricos, o mesmo deverá continuar a ser chamado Mégane. Esta ideia é reforçada pelo “concept car” Mégane eVision, um protótipo facilmente reconhecível como um Mégane, com algumas soluções estéticas vistas há alguns meses noutro “concept car”, o Morphoz. Mas o mais importante é a sua tecnologia. O eVision vai, no futuro, dar lugar a um Mégane elétrico, recorrendo a uma nova arquitetura modular que poderá ser usada por muitos outros automóveis. A CMF-EV vai poder montar um conjunto de baterias de 60 kWh, que passam a fazer parte da estrutura de segurança do chassis, ocupando menos espaço. A Renault também equipa o Mégane eVision com um motor elétrico de dimensões compactas, mas que mesmo assim gera uma potência de 160 kW (equivalente a 218 cv). No protótipo, isto permite obter uma distância entre eixos de 2,77 metros, mas o comprimento total é de apenas 4,15 metros. Desta forma, oferece mais habitabilidade ao mesmo tempo que é mais apropriado para uso no tráfego urbano. O “patim” com a bateria também vai poder acomodar automóveis maiores, além de providenciar espaço para um segundo motor, dando origem a variantes de tração às quatro rodas. A bateria vai ser compatível com recarregamento de alta velocidade, até 130 kW, dando maior importância à redução do tempo de recarga do que à autonomia total, pois assim perde-se sempre menos tempo em pontos intermédios da viagem. Quando estiver a ser carregado em casa (compatível com um carregador caseiro de 22 kW), o sistema está programado para devolver energia à rede elétrica, para utilização nos eletrodomésticos. O Mégane eVision também estreia uma nova família de tecnologias, a que a Renault chamou “Livingtech”. Visualmente, faz-se notar através do conjunto de LEDs que contribuem tanto para uma iluminação mais eficaz como para reforçar a identidade do veículo, tornando-o mais fácil de identificar. No interior, o sistema de infoentretenimento é personalizável e alvo de atualizações constantes via wireless. O futuro modelo de produção inspirado neste “show-car” será apresentado em 2021.

42

blueauto

“Posicionámos no futuro um dos nossos modelos mais icónicos. O Mégane eVision reinventa o Mégane e a Renault reinventa a Renault. E é apenas o início. Está a chegar uma nova geração de inovadores veículos elétricos” Luca De Meo CEO do Grupo Renault


O automóvel de produção inspirado no Mégane eVision será o primeiro modelo comercializado pela Renault concebido sobre a CMF-EV, a plataforma de referência para os futuros automóveis elétricos da Renault e da Aliança RenaultNissan-Mitsubishi.

blueauto

43


destaque

DACIA SPRING ELECTRIC Base da pirâmide

Dentro do Grupo Renault, a marca Dacia posicionou-se como uma forma de acesso a um automóvel sem despender muitos recursos. Os seus modelos apostam na boa relação entre preço, equipamento, conforto e baixos custos de utilização. Nem todos estes itens são compatíveis com o automóvel elétrico, mas mesmo assim o Grupo Renault procura tornar o carro elétrico mais acessível, e para isso propõe um novo Dacia para o mercado europeu: o Spring Electric. Este carro é derivado do Renault Kwid, originalmente pensado para

os mercados emergentes, e a variante elétrica foi primeiro introduzida na China, antes da sua chegada à Europa. O Dacia Spring Electric é mais pequeno que o Sandero, mas com uma aparência de SUV urbano, tal como o Stepway. Ainda assim, a divisão romena do Grupo Renault promete oferecer um habitáculo grande o suficiente para quatro adultos, com muitos espaços para arrumação de objetos, e uma bagageira de 300 litros. O condutor conta ainda com um painel de instrumentos digital e ecrã tátil de sete polegadas com a opção de adicionar comandos vocais, através da integração com o telemóvel. Do lado de fora, o Spring diferencia-se do restante da gama Dacia pelos elementos decorativos que reforçam a sua identidade como veículo elétrico. Apesar das suas dimensões compactas, o Dacia Spring recorre a uma bateria de 26,8 kWh, que é suficiente para garantir uma autonomia de 225 quilómetros no ciclo WLTP. No entanto, a maioria dos utilizadores vão utilizar o carro no trânsito citadino, pelo que a Dacia propõe uma autonomia de quase 300 quilómetros nestas condições. A bateria tem uma capacidade

A versão de produção do Dacia Spring Electric será acompanhada de uma variante adaptada ao “car-sharing”, para uma mobilidade elétrica partilhada; e de uma versão comercial denominada Cargo, destinada às entregas de último quilómetro (“last mile”) sem emissões poluentes. 44

blueauto


de recarga de 30 kW, suficiente para necessitar apenas de uma hora num carregador público. Em casa, com uma wallbox de 7,4 kW, a bateria pode ser recarregada em cinco horas. O motor tem apenas 32 kW de potência (44 cv), o que pode não parecer muito, mas é suficiente para uso primário na cidade, onde não é necessário fazer acelerações rápidas. Em vez disso, a preocupação da marca passa por tornar o Spring Electric ainda mais eficiente, com o condutor a poder poupar energia ativando, através de um botão, o modo Eco que limita a potência máxima em 10 por cento e a velocidade máxima a 100 km/h. Apesar de ter sido concebido como um automóvel barato, o Dacia Spring recorre a vários equipamentos de segurança como faróis automáticos, travagem de emergência com radar e aviso de colisão, aplicativo “My Dacia” (que ajuda a localizar o carro em estacionamento público, ou a ligar o ar condicionado antes de entrar no carro) e elementos decorativos construídos em materiais reciclados. Para quem não puder adquirir o seu carro elétrico, a Dacia propõe o acesso através do serviço de partilha Zity, embora este ainda não esteja disponível em Portugal.

blueauto

3 NOVOS MODELOS HÍBRIDOS E-TECH

Estradas da eletrificação Enquanto ainda vamos ter de esperar pelos conceitos revolucionários do Dacia Spring Electric e do futuro Renault Mégane, chegam agora ao mercado outros produtos eletrificados da marca francesa, com a Renault a aumentar a sua gama híbrida E-TECH com nada menos do que três novos modelos que recebem esta inovadora tecnologia: Arkana, Captur e Mégane berlina, que se juntam assim ao híbrido Clio E-TECH e aos híbridos plug-in Captur e Mégane Sport Tourer. O “crossover” urbano Captur, que já está disponível como híbrido plug-in, ganha agora o mais acessível híbrido convencional já oferecido no Clio, com 140 cv de potência total combinada. Já o Mégane passa a oferecer o híbrido plug-in, de 160 cv, também na berlina, depois de ter começado apenas com a carrinha, disponibilizando uma autonomia elétrica de 65 quilómetros. Finalmente, na edição anterior mostrámos a nova proposta semidesportiva da Renault, o Arkana, um SUV-coupé de dimensões semelhantes ao Mégane, equipado com o motor híbrido convencional de potência total de 140 cv, lançado em simultâneo também com dois motores semi-híbridos (alternador-acumulador e bateria de 12 volts) 1.3 turbo de 140 ou 160 cv.

45


novos modelos

TOYOTA YARIS

Evolução na cidade

Já chegou a Portugal a nova geração do Toyota Yaris, um caso contínuo de sucesso, que agora fica ainda mais adaptado à vida em cidade, tornando-se mais ágil, ao mesmo tempo que recebe um novo motor híbrido mais potente.

M

udar o Yaris é sempre um risco para a Toyota. Cada nova geração tem sido uma merecedora herdeira do modelo anterior, e manter este sucesso contínuo não é fácil. Antecipar as necessidades do futuro tem dado resultado, e assim surge uma nova geração do seu automóvel citadino, que promete ser mais divertida de conduzir, e que apresenta como cartão de visita um motor híbrido bem mais interessante que o seu antecessor. A Toyota criou uma série de plataformas para automóveis híbridos, e o Yaris é o primeiro criado na GA-B, concebida para veículos citadinos. Assentando nesta nova base técnica, o novo Yaris é 40 mm mais baixo mas 50 mm mais largo que o anterior, baixando o centro de gravidade para oferecer mais prazer de condução ao mesmo tempo que melhora o conforto para os ocupantes. Mesmo sendo um modelo citadino, promete mais estabilidade na estrada, em curvas e travagens. Embora continue a usar o motor 1.0 para as versões de entrada, é o híbrido que mais chama a atenção, até porque, na geração anterior, correspondeu a mais de metade das vendas. É uma derivação de três cilindros

VERSÕES E PREÇOS Hybrid DF Comfort Hybrid DF Comfort Plus Hybrid DF Exclusive Hybrid DF Square Collection Hybrid DF Luxury Hybrid DF Premier Edition

46

20.990€ 21.690€ 23.190€ 24.840€ 25.190€ 26.690€

do sistema propulsor encontrado nas variantes de topo do Corolla e do C-HR, com a cilindrada reduzida de 2000 para 1500 cc. O sistema foi concebido tendo em vista a redução do peso dos componentes, tanto no motor como na caixa de velocidades, e promete uma eficiência térmica melhorada em 40 por cento em relação ao Yaris antigo. Na prática, isto traduzse numa melhoria de performance, subindo dos 100 para os 116 cv de potência total combinada, enquanto o consumo deverá baixar em 20 por cento, com um consumo médio anunciado entre 3,8 e 4,3 l/100 km, conforme o nível de equipamento escolhido. A Toyota finalmente substituiu a bateria de hidreto de níquel por uma mais convencional de iões de lítio, e beneficia de uma redução de peso de 27 por cento em relação à do anterior Yaris híbrido. A Toyota oferece o Yaris híbrido com uma grande variedade de níveis de equipamento, permitindo beneficiar de um motor com consumos reduzidos e emissões poluentes baixas, personalizando o carro japonês à medida do comprador: o mais acessível Comfort entra no mercado português com um preço de lançamento abaixo dos 21 mil euros, enquanto a série especial Premier Edition oferece uma lista de equipamento completo por menos de 27 mil euros. Mas o que todos os novos Yaris têm em comum é uma preocupação com a segurança dos seus ocupantes, dos outros veículos na estrada e dos peões: a lista de equipamento inclui o Toyota Safety Sense, que engloba um conjunto de funções como deteção de ciclistas, deteção noturna de peões, aviso de mudança de faixa, “cruise control” adaptativo, reconhecimento de sinais de trânsito e faróis máximos automáticos; o Yaris é também o primeiro automóvel do mundo com airbags centrais no habitáculo. No que diz respeito ao conforto, há uma maior preocupação em garantir uma posição confortável e segura para o condutor, com “head up display” e ecrã tátil de 10 polegadas para acesso fácil a informação de condução. Também pode ser equipado com carregamento sem fios para o smartphone. Finalmente, oferece uma bagageira de 286 litros, com o híbrido a ostentar a mesma capacidade das versões a gasolina. n

blueauto


blueauto

47


REVISTA DE IMPRENSA “Automóveis híbridos plug-in ‘de fachada’, tão ou mais poluentes que os automóveis convencionais, são já dominantes nas vendas de automóveis elétricos em Portugal” ZERO - Associação Sistema Terrestre Sustentável (comunicado ‘ZERO alerta para tendência preocupante na venda dos veículos elétricos em Portugal’)

“O esforço para atingir os objetivos de descarbonização já enunciados exige, ainda, que o País maximize as vantagens competitivas decorrentes da existência do recurso geológico lítio, implementando um projeto de investigação e desenvolvimento industrial que agregue toda a cadeia de valor, desde a parte mineira até à parte industrial e do mercado das baterias, sempre com a imprescindível sustentabilidade ambiental mas, também, com o máximo retorno económico e social para as populações e para a economia”

“A morte do diesel está decidida. A única incógnita é saber quando” Jean-Philippe Imparato Diretor-geral – Peugeot (em entrevista à publicação italiana Quattroruote)

Presidência do Conselho de Ministros (na Proposta de Lei n.º 61/XIV – Orçamento do Estado para 2021)

“Queremos continuar a investir na mobilidade elétrica como algo central para nós e que sabemos que é valorizado pelos nossos clientes de norte a sul do país” Luís Martins Administrador com o pelouro da Mobilidade Elétrica – PRIO

“Os veículos elétricos, por enquanto, são particularmente ajustados a um transporte citadino num raio de poucas centenas de quilómetros. (...) Para maiores distâncias e longo curso está a emergir um outro vetor energético, o hidrogénio verde (produzido a partir de fontes renováveis), que permite produzir VE com Fuel-cell com muito maior autonomia” Teresa Ponce de Leão Presidente do Conselho de Administração Associação Portuguesa do Veículo Elétrico (artigo publicado no Jornal Económico)

48

“Tanto do ponto de vista ecológico como económico, o automóvel elétrico será o melhor conceito já a partir de 2026, se não antes. (...) Os limites mais apertados para as emissões CO2 levarão inevitavelmente ao fim do motor de combustão interna” Herbert Diess Presidente do Conselho de Administração – Grupo Volkswagen (em entrevista à publicação alemã Der Tagesspiegel)

blueauto


“Iremos desenvolver a tecnologia de condução autónoma mais inovadora e fiável do mundo, oferecendo experiências de mobilidade inteiramente novas”

“Promover a adaptação dos edifícios, em especial os sujeitos a grandes renovações, para que sejam dotados das infraestruturas necessárias para o carregamento inteligente dos veículos elétricos, em linha com a Diretiva EPBD” Direção-Geral de Energia e Geologia (medida prevista na ‘Estratégia de Longo Prazo para a Renovação dos Edifícios’)

Euisun Chung Presidente – Hyundai Motor Group

“A eletrificação é um ponto de viragem histórico, uma mudança crucial para os automóveis e a mobilidade” Fiat (na apresentação da gama completa do novo 500e)

“Este campeonato representa uma oportunidade incrível não apenas para despertar atenções mas também para inspirar ação no combate contra as alterações climáticas – atualmente a maior ameaça ao nosso planeta” Nico Rosberg Ex-campeão do mundo de F1, ativista pela sustentabilidade e pela mobilidade elétrica (na apresentação da equipa Rosberg Xtreme Racing que vai competir na Extreme-E)

“Continuam insuficientes os incentivos à aquisição de um veículo elétrico pelos particulares (Incentivo à Introdução no Consumo de Veículos de Zero Emissões), cujo montante de 3.000€ se situa muito abaixo da atual média europeia que está nos 6.000€” Conselho Diretivo Associação Utilizadores de Veículos Elétricos (comunicado sobre o Orçamento de Estado para 2021)

“Em viagens urbanas, o novo Yaris pode circular uma quantidade significativa do tempo em zero emissões, como um veículo 100% elétrico, mas sem preocupações com a recarga. Alguns estudos recentes revelam que em cidade poderá circular até 80% do tempo em modo elétrico”

“A mobilidade elétrica não deve ser uma opção cara. Com o Dacia Spring, vai passar a ser uma verdadeira alternativa, acessível a todos” Denis Le Vot Membro do Comité Executivo – Grupo Renault

Toyota

blueauto

49


novos modelos

JAGUAR F-PACE

Um felino com mais energia Depois da Land Rover, agora é a vez da sua “irmã” Jaguar entrar em campo para o jogo dos híbridos. O F-Pace é o primeiro híbrido plug-in da marca britânica, numa gama renovada em que quase todas as versões têm algum tipo de eletrificação.

VERSÕES E PREÇOS D165 64.436€ D200 67.320€ D300 86.690€ P400e 75.479€ P400 86.246€

50

blueauto


A

Jaguar começou por “fazer a casa pelo telhado” ao tornar a sua gama mais ecológica... Tendo começado com um automóvel 100% eléctrico, o I-Pace, a clássica marca britânica está agora a reduzir a pressão ambiental dos seus outros modelos, incluindo o SUV F-Pace, que é o primeiro da gama a ostentar uma variante híbrida plug-in, aproveitando a tecnologia disponível há vários anos nos modelos mais luxuosos da sua associada Land Rover. O F-Pace foi alvo de uma profunda renovação, em que o destaque vai para a variante P400e, usando a já conhecida combinação de um motor 2.0 turbo a gasolina e um motor elétrico de 105 kW, que lhe oferecem uma potência combinada de 404 cv. Mesmo assim, e graças à bateria de 17,1 kWh, o F-Pace tem emissões poluentes baixas, apenas 50 g/km de dióxido de carbono, para um consumo médio anunciado que não ultrapassa muito os 2 litros por cada 100 quilómetros percorridos. A bateria tem capacidade suficiente para garantir 53 quilómetros de autonomia em modo exclusivamente elétrico, e pode ser recarregada em apenas meia hora num carregador público até 32 kW; numa wallbox caseira, só necessita de uma hora e 40 minutos.

Mesmo com estas credenciais “verdes”, o SUV mais potente da Jaguar consegue atingir os 100 km/h em apenas 5,3 segundos. Além do híbrido plug-in, quase todas as outras motorizações da gama receberam um nível básico de eletrificação. O 2.0 diesel e o 3.0 a gasolina e a diesel são agora modelos MHEV, recorrendo a uma bateria de 48 volts, alimentada pela força de travagem, transferida através de um alternador por correia, reduzindo os consumos e tornando o SUV da Jaguar mais eficiente em termos energéticos. O motor 2.0 está disponível nas variantes D165 e D200, com potências de 163 e 204 cv, e um consumo de 6,2 l/100 km. O D300 e o P400 são as duas variantes do motor 3.0, com 300 e 400 cv. Além da gama renovada de motores, o Jaguar F-Pace também viu o seu equipamento reforçado, com destaque para a conectividade, incluindo o novo sistema de infoentretenimento Pivi Pro, com ecrãs à escolha de 11,4 ou 12,3 polegadas, um menu de comandos simplificado, conexão permanente à internet e atualizações constantes de software. Finalmente, o controlo de tração ganhou um novo comando com quatro modos de seleção (Comfort, Eco, Rain/Ice/Snow e Dynamic). 

Jaguar E-Pace é o segundo plug-in Depois do F-Pace, o seu irmão mais pequeno, E-Pace, acabou de se juntar ao clube dos híbridos dentro da marca Jaguar. Enquanto o maior F-Pace usa o sistema híbrido plug-in do Range Rover Velar, o E-Pace P300e partilha a sua plataforma elétrica e o motor híbrido do Range Rover Evoque. Combina um propulsor de três cilindros e 1,5 litros com um motor elétrico de 80 kW, para um total combinado de 309 cv. Graças à bateria de 15 kWh, consegue percorrer um máximo de 55 quilómetros em modo totalmente elétrico, o que lhe permite reduzir consideravelmente os consumos, para apenas 2,0 l/100 km, com emissões de 45 g/km. A variante plug-in híbrida do E-Pace está disponível nas variantes R-Dynamic S, SE e HSE, com preços de 59.451, 62.196 e 66.927 euros, respetivamente. Além do híbrido, o E-Pace também está disponível com uma gama completa de motores semi-híbridos a gasolina e diesel: D165 (preços a partir de 50.408€), D200 (57.994€), P160 (42.510€), P200 (51.846€), P250 (56.188€) e o topo de gama P300 Sport (74.137€). O SUV mais pequeno da Jaguar também ganha uma imagem renovada, com modificações estéticas no exterior e no interior.

blueauto

51


concept-cars

HISTÓRIA DOS PROTÓTIPOS CITROËN

Futuro nascido no passado

O

s protótipos sempre foram usados pela indústria automóvel para testar novas soluções, desde novos motores a novas ferramentas para o conforto, incluindo também novas linguagens de design e até novos conceitos de habitabilidade. A Citroën, em particular, nunca teve problemas em explorar os limites do que é possível fazer com um automóvel, de modo a

que estes não sejam apenas uma caixa com quatro rodas, um motor e um banco, nem sequer um objeto que se torne uma extensão da personalidade e das necessidades do seu utilizador, mas uma criação com uma identidade própria. A marca francesa tem décadas de história a antecipar o seu futuro, e aproveitamos para mostrar aqui cinco modelos que marcaram pontos de viragem na história da Citroën...

C10 (1956) A Citroën procurou criar um automóvel revolucionário para se posicionar entre o acessível 2CV e o luxuoso DS. Para isso criou uma série de protótipos não-convencionais, sendo que o o último deles, o C10, foi uma espécie de antepassado de monovolumes como o Evasion ou o Picasso. Tinha, no entanto, uma abertura de cabine como uma avião caça, com portas inferiores, o que lhe dava uma ampla visibilidade para o exterior. Infelizmente, nenhum modelo desta série passou à produção, mas inspirou os designers da marca a não se restringirem ao convencional.

52

blueauto


KARIN (1980)

ACTIVA 1 (1988)

Apesar de ter sido concebido como um exercício de estilo sem qualquer hipótese de chegar à produção, o Karin serviu para mostrar a nova irreverência visual que se tornou uma parte importante da identidade Citroën durante os anos 80 e 90, em direção ao novo milénio. Compacto, com um centro de gravidade baixo, tinha um habitáculo minimalista, com o condutor na posição central. Acabou por ser inspiração para o BX.

Este protótipo propôs juntar tração às quatro rodas, quatro rodas direcionais e suspensão ativa para melhorar tanto a segurança como o comportamento dinâmico, beneficiando ainda o conforto, tudo envolvido por uma carroçaria desportiva e aerodinâmica. O habitáculo do Activa 1 procurou antecipar o design minimalista atual, ainda que repleto de pequenos botões. Muitos destes elementos tecnológicos foram depois usados no executivo Xantia.

REVOLTe (2009)

19_19 CONCEPT (2019)

Após a Segunda Guerra Mundial, a Citroën ajudou a reconstruir a França oferecendo um carro barato ao povo francês, o 2CV. Décadas mais tarde, procurou criar um protótipo que servisse as necessidades da população urbana mundial com a possibilidade de montar um motor híbrido ou elétrico. O REVOLTe é uma homenagem ao 2CV, inspirado no design deste, com uma carroçaria compacta (com 3,68 metros de comprimento e 1,73 de largura, mais curto mas mais largo que o original) e o portão da bagageira a ocupar toda a secção traseira.

O 19_19 foi pensado para combinar os sucessos do passado com as necessidades do futuro. Tendo em vista a mobilidade urbana, ostenta uma autonomia de 800 quilómetros e uma bateria que pode ser carregada rapidamente por indução, obtendo 75% de carga em 20 minutos. Para obter o típico conforto Citroën, usa uma suspensão ativa inteligente, capaz de detetar as irregularidades da estrada por meio de sensores, com jantes de 30 polegadas envolvidas por um novo tipo de pneu criado pela Goodyear, para reduzir o rolamento acústico.

blueauto

53


ao volante

RENAULT MÉGANE SPORT TOURER E-TECH Conforto permanente

A Renault entrou em força no segmento dos híbridos, adotando esta tecnologia nos seus modelos mais conhecidos. O Mégane Sport Tourer, em particular, tem um bom casamento com a tecnologia E-Tech, provando que não precisa de motores exclusivamente térmicos para os seus movimentos diários.

A

Renault começou por criar uma gama de carros 100% elétricos antes de se meter no negócio dos híbridos. Pode até parecer um passo atrás, mas o sistema híbrido E-Tech beneficia muito da experiência da marca francesa com o Zoë ou o Twizy, e é por isso que o E-Tech não se comporta como um sistema híbrido normal. É uma tendência que está a ganhar popularidade entre os construtores, para maximizar o uso do motor elétrico nos híbridos plug-in, e fazer com que estes carros fiquem o mais próximo possível de um verdadeiro veículo com emissões zero. A família E-Tech começou pelos modelos mais populares da Renault, com o Clio a receber o híbrido convencional, e o plug-in

54

oferecido no Captur e no Mégane Sport Tourer. Desta forma, a marca francesa procura habituar as famílias a este tipo de veículo, com um preço acessível, abaixo da barreira psicológica dos 40 mil euros, até mesmo na versão de topo, a RS Line. Mas a versão intermédia, a Intens, já oferece um híbrido bem equipado por 37.750 euros. O condutor tem à sua disposição elementos de série como o sistema de infoentretenimento EasyLink com ecrã tátil de 9,3 polegadas e painel de instrumentos digital para acesso rápido a toda a informação relativa à condução, incluindo o estado de carga da bateria. Em termos de conforto, o Mégane destaca-se pela quantidade de espaços para arrumação de objetos espalhados pelo habi-

blueauto


táculo, a maioria à mão do condutor, incluindo a bolsa central que também serve como encosto de braço, e outra na base da consola central. Para os ocupantes, a carrinha Mégane híbrida não perde qualquer espaço no habitáculo, com os passageiros dos bancos traseiros a beneficiarem de bom conforto para as pernas. Já a bagageira, normalmente a parte mais importante de uma carrinha, perde alguma capacidade, caindo dos 512 litros nas variantes com motor convencional para os 389 litros na E-Tech. Este espaço perdido não serve apenas para albergar a bateria, mas também para guardar os cabos de carregamento, embora estes tenham o seu próprio espaço debaixo da cobertura da mala, pelo que não interferem com o espaço de carga.

Controlo para o condutor O sistema híbrido das variantes E-Tech foi criado para que o motor a gasolina e o motor elétrico trabalhem em conjunto, como se fossem uma unidade integrada, de modo a reduzir desperdício energético. O resultado é um funcionamento muito suave, tão suave e silencioso que até o condutor é incapaz de notar onde um começa e o outro acaba. Além de guiar, o condutor só precisa de se preocupar em trabalhar com os três modos de utilização do seletor Multi-Sense, de modo a obter a performance ideal para a condução. O modo MySense deixa o sistema trabalhar sozinho, mas de vez em quando é preciso utilizar o Pure, para apostar essencialmente no motor elétrico,

blueauto

55


ao volante

ou Sport, para ter uma resposta mais rápida, mas que desperdiça mais energia. Na prática, com algum trabalho, é possível obter um consumo reduzido. A carrinha Mégane tem uma autonomia elétrica de 50 quilómetros, mas numa utilização diária vale sempre a pena recorrer ao botão E-Save para poupar a bateria para uso na cidade, principalmente quem passa mais tempo em estrada aberta. Assim, o consumo médio andou sempre um pouco longe da média anunciada de 1,3 l/100 km, mas se o condutor prestar atenção ao modo de condução é sempre possível manter os consumos do motor a gasolina nos dois litros baixos. Deixando o E-Tech a trabalhar sozinho, este sobe dos 2,1 para os 2,4 litros por cada 100 quilómetros percorridos. Com uma potência total de quase 160 cv, um terço da qual vem do motor elétrico (que tem mais binário, e sempre instantâneo), o Mégane responde facilmente a qualquer solicitação do condutor, eliminando a desvantagem do peso adicional da bateria, que, seja como for, até é bastante compacta. Como o conjunto gasolina/elétrico tem um funcionamento suave, as acelerações são rápidas mas sem causar qualquer sensação adicional, contribuindo para o conforto no interior. O mesmo se passa com o comportamento do chassis, com a Renault a trocar o alinhamento convencional de eixo de torção por uma configuração multibraços. Desta forma, o Mégane híbrido oferece melhor estabilidade em curva que o modelo convencional, com uma afinação regulada para eliminar qualquer impacto da estrada, pelo que os ocupantes dos bancos traseiros podem viajar ignorando completamente o que se passa do lado de fora do carro. A aposta no Mégane Sport Tourer híbrido poderá facilitar o acesso desta tecnologia aos clientes da Renault com famílias.

56

FICHA TÉCNICA Motor

4 cilindros, 1598 cc, 16 v., inj. direta e híbrido Bateria iões de lítio, 9,8 kWh Potência 159 cv (total combinado) Binário 144 Nm (gasolina) + 205 Nm (elétrico) Tracção dianteira, caixa de variação contínua Suspensão McPherson à frente, multibraços atrás Comprimento 4626 mm Largura 1814 mm Altura 1457 mm Bagageira 389 litros Peso 1678 kg Consumo 2,1 kWh/100 km (testado) Acel. 0-100 km/h 9,8 segundos Emissões CO2 28 g/km Carregamento 3 horas (3,7 kW) Preço 37.750€ (versão Intens ensaiada) Gama E-Tech 160 desde 36.350€

O sistema é bem mais confortável e consome menos combustível até que o diesel que é o favorito habitual nesta categoria, mas ainda há algum espaço de manobra para ser ainda mais eficiente, com menores consumos, especialmente se o condutor passar mais tempo fora da cidade. n

blueauto

Paulo Manuel Costa (texto)


A carrinha MĂŠgane E-TECH tem uma autonomia elĂŠtrica anunciada de 50 km.

blueauto

57


tecnologia

VOLVO ANDROID AUTOMOTIVE Nova forma de controlo

O sistema de infoentretenimento é cada vez mais um elemento importante na escolha de um automóvel, e os condutores já estão a pensar no tipo de funções que exigem encontrar. A Volvo optou por deixar os clientes fazerem o que quiserem, e recorreu à Google para criar um sistema completamente baseado na arquitetura Android.

D

urante quase toda a história do automóvel, a peça de engenharia mais importante na hora de escolher um carro novo foi o motor. Era o motor que dava a identidade ao carro, que fazia com que o condutor conhecesse os seus verdadeiros limites, sabendo até onde podia ir em termos de força e velocidade. Mas os motores elétricos não promovem a mesma ligação entre o veículo e quem o conduz. Na maioria dos automóveis novos, são apenas aquilo que o faz mover, mas não são a peça com que o condutor se identifica mais. Se há um equipamento eletrónico que se tornou uma parte integrante das nossas vidas, é o telemóvel. Já não há um mo-

58

mento do dia em que podemos passar sem ele, e isso inclui o automóvel, onde é, regra geral, proibido usá-lo. Os construtores automóveis deram a volta a essa regra aproveitando as capacidades de conectividade dos smartphones para integrá-los no sistema do carro. Mas e se fosse possível fazer com que o próprio sistema de infoentretenimento funcionasse como um smartphone?... Afinal, há muito tempo que estes fazem muito mais do que chamadas telefónicas, pois também servem como agenda, têm mapas para navegação, tocam música ou filmes para nos divertirmos e até já podem servir para ligar e desligar outros aparelhos eletrónicos dentro de casa. Ou seja, fazem tudo o que o sistema de infoentretenimento faz...

blueauto


O Android Automotive transforma o XC40 e o Polestar 2 em “smartphones com rodas”…

A Volvo aproveitou a sua nova plataforma automóvel, pensada especificamente para os carros elétricos, para repensar muitos dos conceitos que fazem parte de um veículo, e isso inclui o infoentretenimento. Ainda há alguma tendência para pensar neste aparelho como “o rádio” com alguns “pozinhos” a mais. Mas a marca sueca preferiu antecipar as necessidades do seu cliente, que passam por uma maior integração dos condutores e passageiros com o veículo. Para isso, o infoentretenimento precisa de ser adaptável às suas necessidades, como um smartphone. A Volvo Cars dotou assim os seus primeiros carros elétricos, o Volvo XC40 Recharge e o Polestar 2, com um ecrã de infoentretenimento que é, essencialmente, um smartphone tipo Android, com tecnologia fornecida pela Google. O software Android Automotive OS inclui as funções Google Maps e Google Assistant, e também tem acesso direto à Google Play Store, que permite personalizar o ecrã do mesmo modo que o smartphone, com programas criados externamente à Google. Tal como este, também vai ser atualizado diretamente pela Google, com ligação à internet via

WiFi, à qual o carro está conectado de forma permanente. Com este sistema, o condutor não precisa de aprender a usar o sistema de infoentretenimento, pois tudo estará num local familiar para quem já tem um smartphone. Assim perde menos tempo com os menus, encontra a função de que está à procura mais depressa e reduz o perigo, pois nunca fica vários segundos com os olhos fora da estrada. E, se for preciso, também pode recorrer a comandos vocais para ajustar o ar condicionado, inserir um destino no sistema da navegação ou encontrar a sua música preferida no Spotify. Como o Google Maps tem acesso a informações de trânsito e é atualizado frequentemente, também permite ao veículo aconselhar o condutor sobre situações de tráfego e perigos na estrada, tornando a condução mais segura a vários níveis. E como faz parte de um carro elétrico, também está integrado com o aplicativo Volvo On Call, que permite ao condutor controlar externamente várias funções, como o tempo de carregamento ou a pré-climatização. Essencialmente, o Android Automotive transforma o XC40 e o Polestar 2 em “smartphones com rodas”… e conforto. n

blueauto

59


guia de compras

Todos os modelos elétricos e híbridos à venda em Portugal guia de compras

SEMI-HÍBRIDOS AUDI A3

AUDI A4

AUDI A6

 Semi-híbrido, 1.5TFSI, 150 cv  Consumos 5,6 a 6,2 l/100 km  Emissões 128 a 142 g/km PREÇOS Sportback 35 TFSI desde 34.629€ Sedan 35 TFSI desde 35.264€

 Semi-híbrido, 2.0 TDI e 3.0 TDI, 163 a 347 cv  Consumos 3,7 a 7,1 l/100 km  Emissões 98 a 185 g/km PREÇOS 35 TDI desde 47.343€ S4 TDI quattro 87.788€ Avant 35 TDI desde 49.332€ S4 Avant TDI quattro 91.166€

 Semi-híbrido, 2.0 TDI e 3.0 TDI, 204 a 347 cv  Consumos 5,3 a 7,9 l/100 km  Emissões 139 a 205 g/km PREÇOS 40 TDI desde 61.463€ 50 TDI quattro desde 90.024€ S6 TDI quattro 109.541€ Avant 40 TDI desde 64.266€ Avant 50 TDI quattro desde 93.450€ S6 Avant TDI quattro 112.479€ Allroad 45 TDI quattro 95.453€ Allroad 50 TDI quattro 98.533€ Allroad 55 TDI quattro 108.909€

AUDI A7 SPORTBACK  Semi-híbrido, 2.0 TDI e 3.0 TDI, 204 a 347 cv  Consumos 5,4 a 7,8 l/100 km  Emissões 142 a 205 g/km PREÇOS 40 TDI 67.893€ 40 TDI quattro 73.009€ 50 TDI quattro 95.016€ 55 TDI quattro 98.926€ S7 TDI quattro 118.413€

60

AUDI A8  Semi-híbrido, 3.0 TFSI e 3.0 TDI, 286 a 340 cv  Consumos 5,4 a 7,8 l/100 km  Emissões 142 a 205 g/km PREÇOS 55 TFSI quattro 127.143€ 50 TDI quattro 126.862€ L 55 TFSI quattro 129.919€ L 50 TDI quattro 129.993€

blueauto

AUDI Q5  Semi-híbrido, 2.0 TDI e 3.0 TDI, 163 a 347 cv  Consumos 5,6 a 8,2 l/100 km  Emissões 146 a 213 g/km PREÇOS 35 TDI quattro desde 60.545€ 40 TDI quattro desde 64.311€ SQ5 TDI quattro 95.814€


guia de compras

SEMI-HÍBRIDOS AUDI Q7

AUDI Q8

BMW SÉRIE 3

 Semi-híbrido, 3.0 TFSI, TDI e 4.0 TDI, 231 a 435 cv  Consumos 6,8 a 9,1 l/100 km  Emissões 179 a 239 g/km PREÇOS 55 TFSI quattro desde 93.953€ 45 TDI quattro desde 90.344€ 50 TDI quattro desde 101.854€ SQ7 TDI quattro 140.595€

 Semi-híbrido, 3.0 TDI e 4.0 TDI, 286 a 435 cv  Consumos 8,1 l/100 km  Emissões 212 g/km PREÇOS 50 TDI quattro 114.998€ SQ8 TDI quattro 147.559€

 Semi-híbrido, 3.0 TwinPower, 2.0 d e 3.0 d,122 a 374 cv  Consumos 4,5 a 7,9 l/100 km  Emissões 117 a 181 g/km PREÇOS 316d 318d 320d M340d xDrive M340i xDrive M340i xDrive Touring 316d Touring 318d Touring 320d Touring M340d xDrive Touring

BMW SÉRIE 5 BMW SÉRIE 4  Semi-híbrido, 3.0 TwinPower e 2.0 d, 190 a 374 cv  Consumos 4,5 a 7,8 l/100 km  Emissões 118 a 177 g/km PREÇOS 420d 52.800€ 420d xDrive 55.300€ M440i xDrive 84.800€ 420d Cabriolet 59.300€ M440i Cabriolet xDrive 91.300€

BMW SÉRIE 7  Semi-híbrido, 3.0 d, 286 a 340 cv  Consumos 5,6 a 6,0 l/100 km  Emissões 147 a 158 g/km PREÇOS 730d 123.000€ 730Ld 126.000€ 740d xDrive 128.000€ 740Ld xDrive 131.000€

 Semi-híbrido, 2.0 d e 3.0 d, 190 a 340 cv  Consumos 4,7 a 5,9 l/100 km  Emissões 124 a 153 g/km PREÇOS 520d 530d 530d xDrive 540d xDrive 520d Touring 530d Touring 530d xDrive Touring 540d xDrive Touring

59.800€ 72.900€ 76.400€ 89.950€ 62.600€ 75.800€ 79.200€ 92.750€

43.980€ 46.000€ 48.920€ 79.076€ 79.000€ 80.500€ 45.500€ 47.500€ 50.460€ 80.870€

BMW SÉRIE 6 GRAN TURISMO  Semi-híbrido, 2.0 TwinPower, 2.0 d e 3.0 d, 190 a 340 cv  Consumos 5,3 a 6,8 l/100 km  Emissões 140 a 155 g/km PREÇOS 630i Gran Turismo 620d Gran Turismo 630d Gran Turismo 640d xDrive Gran Turismo

75.000€ 68.500€ 86.000€ 99.000€

BMW X3  Semi-híbrido, 2.0 d e 3.0 d, 150 a 340 cv  Consumos 5,4 a 6,5 l/100 km  Emissões 142 a 171 g/km PREÇOS sDrive 18d xDrive 20d xDrive 30d M40d

blueauto

BMW X4 56.000 € 61.040 € 73.000 € 81.000 €

 Semi-híbrido, 2.0 d e 3.0 d, 190 a 340 cv  Consumos 5,8 a 6,4 l/100 km  Emissões 153 a 168 g/km PREÇOS xDrive 20d 63.050€ xDrive 30d 75.000€ M40d 83.000€

61


guia de compras

SEMI-HÍBRIDOS BMW X5

BMW X6

FIAT PANDA

 Semi-híbrido, 3.0 d, 265 a 340 cv  Consumos 7,5 l/100 km  Emissões 197 g/km PREÇOS xDrive 30d 93.000€ xDrive 40d 106.500€

 Semi-híbrido, 3.0 d, 265 a 340 cv  Consumos 7,5 l/100 km  Emissões 196 g/km PREÇOS xDrive 30d 98.000€ xDrive 40d 114.200€

 Semi-híbrido, 1.0 GSE, 70 cv  Consumos 5,4 l/100 km  Emissões 122 g/km PREÇOS Hybrid desde 15.126€

FIAT 500

FORD FIESTA

FORD PUMA

 Semi-híbrido, 1.0 GSE, 70 cv  Consumos 5,3 l/100 km  Emissões 119 g/km PREÇOS Hybrid desde 17.910€ C Hybrid desde 20.414€

 Semi-híbrido, 1.0 Ecoboost, 125 e 155 cv  Consumos 4,4 a 4,6 l/100 km  Emissões 99 a 103 g/km PREÇOS Fiesta 125 desde 20.408€ Fiesta 155 desde 22.424€

 Semi-híbrido, 1.0 Ecoboost, 125 e 155 cv  Consumos 5,5 a 5,7 l/100 km  Emissões 125 a 130 g/km PREÇOS Ecoboost 125 desde 23.672€ Ecoboost 155 desde 24.598€

FORD KUGA  Semi-híbrido, 2.0 EcoBlue, 150 cv  Consumos 4,4 l/100 km  Emissões 115 g/km PREÇOS EcoBlue 150 desde 32.319€

HYUNDAI TUCSON  Semi-híbrido, 1.6 CRDi, 115 e 136 cv  Consumos 5,5 a 5,6 l/100 km  Emissões 144 a 147 g/km PREÇOS 1.6 CRDi 115 desde 27.130€ 1.6 CRDi 136 desde 29.730€

 Semi-híbrido, 2.0 Ingenium D, 204 cv  Consumos 4,9 a 5,5 l/100 km  Emissões 128 a 144 g/km PREÇOS D200 desde 51.599€

JAGUAR E-PACE

JAGUAR XF

 Semi-híbrido, 1.5 e 2.0 Ingenium, 2.0 Ingenium D, 160 a 300 cv  Consumos 6,4 a 9,1 l/100 km  Emissões 168 a 207g/km PREÇOS P160 desde 42.510€ P200 desde 51.846€ P250 desde 56.189€ P300 Sport 74.134€ D165 desde 54.076€ D200 desde 57.994€

 Semi-híbrido, 2.0 Ingenium D, 204 cv  Consumos 5,0 a 5,9 l/100 km  Emissões 130 a 155 g/km PREÇOS D200 desde 59.252€ Sportbrake D200 desde 62.654€

62

JAGUAR XE

blueauto


guia de compras

SEMI-HÍBRIDOS JAGUAR F-PACE

KIA CEED

KIA SPORTAGE

 Semi-híbrido, 3.0 Ingenium, 2.0 e 3.0 Ingenium D, 165 a 400 cv  Consumos 6,2 a 9,8 l/100 km  Emissões 164 a 230 g/km PREÇOS P400 desde 86.246€ D165 desde 64.436€ D200 desde 67.320€ D300 desde 86.690€

 Semi-híbrido, 1.6 CRDi, 115 e 136 cv  Consumos 4,6 a 5,1 l/100 km  Emissões 121 a 133 g/km PREÇOS 1.6 CRDi desde 22.160€ SW 1.6 CRDi desde 23.140€

 Semi-híbrido, 1.6 CRDi, 115 e 136 cv  Consumos 5,5 a 5,9 l/100 km  Emissões 143 a 153 g/km PREÇOS 1.6 CRDi desde 26.740€

LAND ROVER DEFENDER  Semi-híbrido, 3.0 Ingenium e 2.0 Ingenium D, 204 a 400 cv  Consumos 8,6 a 11,3 l/100 km  Emissões 228 a 257 g/km PREÇOS 90 P desde 84.184€ 90 D desde 76.499€ 110 P desde 90.608€ 110 D desde 82.910€

LAND ROVER DISCOVERY SPORT  Semi-híbrido, 2.0 MHEV e MHEV D, 165 a 250 cv  Consumos 6,7 a 9,2 l/100 km  Emissões 175 a 207 g/km PREÇOS P200 AWD desde 53.043€ P250 AWD desde 57.371€ D165 AWD desde 55.326€ D200 AWD desde 58.309€

MAZDA 2  Semi-híbrido, 1.5 SkyActiv-G, 115 cv  Consumos 5,3 l/100 km  Emissões 120 g/km PREÇOS Essence SkyActiv-G 18.048€ Evolve SkyActiv-G 19.783€ Advance SkyActiv-G 20.130€

MERCEDES CLASSE C MAZDA CX-30 MAZDA 3  Semi-híbrido, 2.0 SkyActiv-G, 122 a 180 cv  Consumos 5,4 a 6,5 l/100 km  Emissões 122 a 148 g/km PREÇOS HB SkyActiv-G desde 26.005€ HB SkyActiv-X desde 30.869€ SD SkyActiv-G desde 26.037€ SD SkyActiv-X desde 34.320€

 Semi-híbrido, 2.0 SkyActiv-G, 122 a 180 cv  Consumos 5,9 a 7,3 l/100 km  Emissões 133 a 165 g/km PREÇOS SkyActiv-G 2WD desde 27.667€ SkyActiv-G 4WD desde 31.327€ SkyActiv-X 2WD desde 33.870€ SkyActiv-X 4WD desde 36.449€

blueauto

 Semi-híbrido, 1.5 turbo, 184 cv  Consumos 6,0 l/100 km  Emissões 136 g/km PREÇOS C 200 44.250€ C 200 Station 45.850€ C 200 Coupé 47.050€ C 300 Coupé 56.250€ C 200 Cabrio 56.250€ C 300 Cabrio 64.922€

63


guia de compras

SEMI-HÍBRIDOS

MERCEDES CLS

MERCEDES CLASSE S

MERCEDES CLASSE E

 Semi-híbrido, 3.0 turbo, 367 a 435 cv  Consumos 8,4 a 9,3 l/100 km  Emissões 190 a 211 g/km PREÇOS CLS 450 92.900€ AMG CLS 53 4Matic+ 118.900€

 Semi-híbrido, 3.0 turbo, 435 cv  Consumos 8,0 a 8,1 l/100 km  Emissões 182 a 183 g/km PREÇOS S 500 139.650€ S 500 Longo 141.300€

 Semi-híbrido, 2.0 e 3.0 turbo, 197 e 435 cv  Consumos 7,2 a 9,4 l/100 km  Emissões 143 a 214 g/km PREÇOS E 200 60.850€ E 200 Station 63.900€ E 200 Coupé 59.600€ E 200 Cabrio 66.450€ AMG E 53 4Matic+ 98.950€ AMG E 53 4Matic+ Station 101.950€ AMG E 53 4Matic+ Coupé 101.050€ AMG E 53 4Matic+ Cabrio 107.250€

MERCEDES GLC  Semi-híbrido, 2.0 turbo, 197 e 258 cv  Consumos 8,0 a 8,1 l/100 km  Emissões 183 g/km PREÇOS GLC 200 4Matic 63.300€ GLC 200 4Matic Coupé 64.850€ GLC 300 4Matic 66.500€ GLC 300 4Matic Coupé 68.150€

MERCEDES GLE  Semi-híbrido, 3.0 e 4.0 turbo, 435 a 612 cv  Consumos 10,5 a 12,4 l/100 km  Emissões 240 a 280 g/km PREÇOS AMG GLE 53 4Matic+ 103.600€ AMG GLE 53 4Matic+ Coupé 132.850€ AMG GLE 63 Coupé 167.650€ AMG GLE 63 4Matic+ Coupé 201.300€ AMG GLE 63S 4Matic+ 187.300€ AMG GLE 63S 4Matic+ Coupé 214.900€

MERCEDES GLS  Semi-híbrido, 4.0 turbo, 489 a 612cv  Consumos 11,6 a 13,1 l/100 km  Emissões 264 a 297 g/km PREÇOS GLS 580 162.700€ AMG GLS 63 4Matic+ 197.850€ Maybach GLS 600 212.400€

RANGE ROVER EVOQUE  Semi-híbrido, 2.0 Ingenium e Ingenium D, 163 a 300 cv  Consumos 6,4 a 9,6 l/100 km  Emissões 168 a 217 g/km PREÇOS P200 AWD desde 53.432€ P250 AWD desde 57.725€ P300 AWD desde 62.687€ D165 AWD desde 54.619€ D200 AWD desde 58.631€

64

RANGE ROVER  Semi-híbrido, 3.0 MHEV e 3.0 MHEV D, 300 a 400 cv  Consumos 8,6 a 10,8 l/100 km  Emissões 205 a 246 g/km PREÇOS P400 desde 134.727€ D300 desde 135.601€ D350 desde 153.937€ D350 LWB desde 160.401€

blueauto

RANGE ROVER SPORT  Semi-híbrido, 3.0 MHEV e 3.0 MHEV D, 250 a 400 cv  Consumos 8,3 a 10,3 l/100 km  Emissões 199 a 234 g/km PREÇOS P400 desde 107.647€ D250 desde 99.048€ D300 desde 108.486€ D350 desde 128.362€


guia de compras

SEMI-HÍBRIDOS RANGE ROVER VELAR

SEAT LEON

SKODA OCTAVIA

 Semi-híbrido, 3.0 MHEV, 2.0 e 3.0 MHEV D, 200 a 400 cv  Consumos 6,4 a 9,9 l/100 km  Emissões 167 a 222 g/km PREÇOS P400 desde 86.826€ D200 desde 71.864€ D300 desde 90.604€

 Semi-híbrido, 1.0 e 1.5 eTSI, 110 a 150 cv  Consumos 5,5 a 5,8 l/100 km  Emissões 127 a 133 g/km PREÇOS 1.0 eTSI desde 29.500€ 1.5 eTSI desde 33.742€ 1.5 eTSI Sportstourer desde 34.902€

 Semi-híbrido, 1.0 eTSI, 110 cv  Consumos 5,1 a 5,3 l/100 km  Emissões 116 a 119 g/km PREÇOS 1.0 TSI desde 25.877€ Break 1.0 TSI desde 26.792€

SUZUKI SWIFT SUZUKI IGNIS

SUZUKI S-CROSS

 Semi-híbrido, 1.2 SHVS, 90 cv  Consumos 4,3 l/100 km  Emissões 97 g/km PREÇOS 1.2 GLE 1.2 GLE 4x4 1.2 GLX 1.2 GLX CVT 1.2 GLX 4x4

 Semi-híbrido, 1.4T SHVS, 129 cv  Consumos 5,6 a 6,2 l/100 km  Emissões 128 a 140 g/km PREÇOS 1.4T GLE 24.208€ 1.4T GLX 26.801€ 1.4T GLX 4x4 28.675€

 Semi-híbrido, 1.2 SHVS e 1.4T SHVS, 90 a 129 cv  Consumos 4,0 a 5,6 l/100 km  Emissões 90 a 127 g/km PREÇOS 1.2 GLE 16.051€ 1.2 GLE CVT 17.482€ 1.2 GLE 4x4 17.590€ 1.2 GLX 17.067€ 1.2 GLX CVT 18.499€ Sport 23.222€

SUZUKI VITARA

VOLKSWAGEN GOLF

VOLVO S60/V60

 Semi-híbrido, 1.4T SHVS, 129 cv  Consumos 5,7 a 6,2 l/100 km  Emissões 129 a 141 g/km PREÇOS 1.4T GLE 25.486€ 1.4T GLE 4x4 27.367€ 1.4T GLX 27.773€ 1.4T GLX 4x4 29.654€

 Semi-híbrido, 1.0 e 1.5 eTSI, 110 a 150 cv  Consumos 5,2 a 5,7 l/100 km  Emissões 118 a 130 g/km PREÇOS 1.0 eTSI Life DSG 28.557€ 1.5 eTSI Life DSG 33.779€ 1.5 eTSI R-Line DSG 40.566€

 Semi-híbrido, 2.0 B4, B4 diesel e B5, 190 a 250 cv  Consumos 5,1 a 6,4 l/100 km  Emissões 134 a 147 g/km PREÇOS S60 B5 desde 50.035€ V60 B4 Diesel desde 47.648€ V60 B4 desde 47.301€

15.313€ 16.851€ 16.782€ 18.019€ 18.320€

blueauto

65


guia de compras

SEMI-HÍBRIDOS VOLVO S90/V90

VOLVO XC40

VOLVO XC60

 Semi-híbrido, 2.0 B4/B5 diesel, 190 a 250 cv  Consumos 4,6 a 6,9 l/100 km  Emissões 121 a 181 g/km PREÇOS S90 B5 Diesel desde 63.794€ V90 B4 Diesel desde 62.010€ V90 B5 Diesel desde 68.405€

 Semi-híbrido, 2.0 B4, 190 cv  Consumos 7,3 l/100 km  Emissões 167 g/km PREÇOS B4 Momentum Plus B4 Inscription B4 R Design

 Semi-híbrido, 2.0 B4, B5 e B5 Diesel, 190 a 250 cv  Consumos 6,2 a 8,6 l/100 km  Emissões 162 a 196 g/km PREÇOS B4 desde 59.273€ B4 Diesel desde 58.829€ B5 Diesel desde 68.734€

46.538€ 49.087€ 49.395€

VOLVO XC90  Semi-híbrido, 2.0 B5 Diesel, 235 cv  Consumos 6,6 l/100 km  Emissões 174 g/km PREÇOS B5 Diesel desde 84.944€

66

HÍBRIDOS FORD MONDEO HEV

HONDA CR-V HYBRID

 Híbrido, 2.0 HEV, 187 cv (pot. total)  Consumos 5,6 a 6,0 l/100 km  Emissões 127 a 138 g/km PREÇOS HEV desde 42.161€ Station HEV desde 43.381€

 Híbrido, 2.0 i-MMD, 184 cv (pot. total)  Consumos 5,3 a 5,5 l/100 km  Emissões 120 a 126 g/km PREÇOS Hybrid 2WD desde 43.450€ Hybrid 4WD Executive 54.150€

HONDA JAZZ HYBRID

HYUNDAI IONIQ HYBRID

HYUNDAI KAUAI HYBRID

 Híbrido, 1.5 i-MMD, 109 cv (pot. total)  Consumos 4,5 a 4,8 l/100 km  Emissões 102 a 110 g/km PREÇOS Hybrid Executive 28.597€ Crosstar Hybrid 31.500€

 Híbrido, 1.6 GDi, 141 cv (pot. total)  Consumos 3,9 l/100 km  Emissões 92 g/km PREÇOS HEV 27.906€ HEV Pack Plus 30.956€

 Híbrido, 1.6 GDi, 141 cv (pot. total)  Consumos 5,0 l/100 km  Emissões 90 g/km PREÇOS HEV Premium 25.130€

blueauto


guia de compras

HÍBRIDOS KIA NIRO

LEXUS CT

LEXUS ES

 Híbrido, 1.6 GDi, 141 cv (pot. total)  Consumos 3,8 l/100 km  Emissões 86 g/km PREÇOS HEV Urban 25.370€ HEV Drive 27.470€ HEV Tech 29.420€

 Híbrido, 1.8 VVT-i, 136 cv (pot. total)  Consumos 3,6 l/100 km  Emissões 93 g/km PREÇOS CT200h Business 30.600€ CT200h Executive 31.900€ CT200h Executive+ 34.200€ CT200h F Sport 36.800€ CT200h F Sport+ 43.300€ CT200h Luxury 42.600€

 Híbrido, 2.5 VVT-i, 218 cv (pot. total)  Consumos 4,4 l/100 km,  Emissões 120 g/km PREÇOS ES300h Business 59.000€ ES300h Executive 63.500€ ES300h Executive+ 64.500€ ES300h F Sport 65.500€ ES300h F Sport+ 70.500€ ES300h Luxury 75.000€

LEXUS LC

LEXUS LS

 Híbrido, 3.5 VVT-i, 359 cv (pot. total)  Consumos 6,4 l/100 km  Emissões 145 g/km PREÇOS LC500h Luxury 121.500€ LC500h Sport 125.500€ LC500h Sport+ 133.500€

 Híbrido, 3.5 VVT-i, 359 cv (pot. total)  Consumos 7,0 l/100 km  Emissões 158 g/km PREÇOS LS500h Executive+ 134.711€ LS500h F Sport 147.711€ LS500h Luxury 154.711€ LS500h Superlative 168.711€

LEXUS RC

LEXUS RX

 Híbrido, 2.5 VVT-i, 223 cv (pot. total)  Consumos 4,8 l/100 km  Emissões 109 g/km PREÇOS RC300h Executive 53.900€ RC300h Executive+ 55.200€ RC300h F Sport 60.900€ RC300h F Sport+ 61.900€ RC300h Luxury 61.400€

 Híbrido, 3.5 VVT-i, 313 cv (pot. total)  Consumos 5,2 a 6,0 l/100 km  Emissões 132 a 138 g/km PREÇOS RX450h Business 83.500€ RX450h Executive 95.500€ RX450h Executive+ 99.700€ RX450h F Sport 101.000€ RX450h F Sport+ 106.500€ RX450hL Executive 99.000€ RX450hL Executive+ 102.000€ RX450hL Luxury 108.500€

LEXUS IS  Híbrido, 2.5 VVT-i, 223 cv (pot. total)  Consumos 4,3 l/100 km  Emissões 99 g/km PREÇOS IS300h Business 44.100€ IS300h Executive 47.000€ IS300h Executive+ 50.900€ IS300h F Sport 51.600€ IS300h F Sport+ 57.800€ IS300h Luxury 58.100€

LEXUS NX  Híbrido, 2.5 VVT-i, 197 cv (pot. total)  Consumos 5,5 a 5,7 l/100 km  Emissões 127 a 130 g/km PREÇOS NX300h Business FWD 53.600€ NX300h Executive FWD 58.800€ NX300h Executive+ FWD 61.000€ NX300h F Sport AWD 66.600€ NX300h F Sport+ AWD 73.600€ NX300h Luxury AWD 73.600€

blueauto

67


guia de compras

HÍBRIDOS

LEXUS UX

RENAULT CLIO E-TECH

TOYOTA CAMRY

 Híbrido, 2.0 VVT-i, 184 cv (pot. total)  Consumos 4,5 l/100 km  Emissões 120 g/km PREÇOS UX250h Business FWD 42.950€ UX250h Executive FWD 46.000€ UX250h Executive+ FWD 47.400€ UX250h Premium FWD 50.800€ UX250h F Sport FWD 51.100€ UX250h F Sport AWD 53.000€ UX250h F Sport+ FWD 60.200€ UX250h F Sport+ AWD 62.100€ UX250h Luxury FWD 60.700€ UX250h Luxury AWD 62.600€

 Híbrido, 1.6 E-Tech, 140 cv (pot. total)  Consumos 4,3 l/100 km  Emissões 98 g/km PREÇOS E-Tech 140 Intens 23.200€ E-Tech 140 RS Line 25.300€ E-Tech 140 Exclusive 25.800€ E-Tech 140 Initiale Paris 28.800€

 Híbrido, 2.5 VVT-i, 218 cv (pot. total)  Consumos 5,5 l/100 km  Emissões 125 g/km PREÇOS Hybrid DF Exclusive 43.990€ Hybrid DF Luxury 46.990€ Hybrid DF Limousine 49.990€

TOYOTA C-HR HYBRID

TOYOTA PRIUS

 Híbrido, 1.8 e 2.0 VVT-i, 122 e 180 cv (pot. total)  Consumos 4,8 a 5,3 l/100 km  Emissões 110 a 120 g/km PREÇOS Hybrid Comfort Hybrid Square Collection Hybrid Exclusive Hybrid DF Square Collection Hybrid DF Exclusive Hybrid DF Lounge

 Híbrido, 1.8 VVT-i, 122 cv (pot. total)  Consumos 4,8 l/100 km  Emissões 108 g/km PREÇOS Hybrid Exclusive 32.890€ Hybrid Luxury 36.890€ Hybrid Premium 38.390€

TOYOTA COROLLA HYBRID  Híbrido, 1.8 e 2.0 VVT-i, 122 e 180 cv (pot. total)  Consumos 4,9 a 5,3 l/100 km  Emissões 110 a 119 g/km PREÇOS Hybrid desde 27.130€ Sedan Hybrid desde 28.990€ Touring Hybrid desde 28.100€

30.580€ 32.360€ 34.080€ 35.160€ 36.660€ 39.660€

TOYOTA RAV4

68

TOYOTA PRIUS+

TOYOTA YARIS HYBRID

 Híbrido, 1.8 VVT-i, 136 cv (pot. total)  Consumos 5,8 l/100 km  Emissões 132 g/km PREÇOS Hybrid Luxury 37.990€ Hybrid Premium 42.390€

 Híbrido, 1.5 VVT-i, 116 cv (pot. total)  Consumos 3,7 l/100 km  Emissões 85 g/km PREÇOS Hybrid DF desde 20.990€

blueauto

 Híbrido, 2.5 VVT-i, 218 cv (pot. total)  Consumos 5,6 l/100 km  Emissões 128 g/km PREÇOS Comfort 42.990€ Square Collection 46.700€ Exclusive 48.190€ Lounge 52.200€


guia de compras

HÍBRIDOS PLUG-IN AUDI A3

AUDI A6

AUDI A7 SPORTBACK

 Híbrido, 1.4 TFSI, 204 cv (pot. total)  Consumos 1,0 l/100 km  Autonomia 65 km  Emissões 24 g/km PREÇOS Sportback 40 TFSIe desde 38.300€

 Híbrido, 2.0 TFSI, 300 e 367 cv (pot. total)  Consumos 1,6 a 2,1 l/100 km  Autonomia 40 a 53 km  Emissões 31 a 47 g/km PREÇOS Base 50 TFSIe quattro Sport 55 TFSIe quattro Avant 50 TFSIe quattro Base Avant 55 TFSIe quattro Sport

 Híbrido, 2.0 TFSI, 300 e 367 cv (pot. total)  Consumos 1,6 a 2,1 l/100 km  Autonomia 40 a 53 km  Emissões 31 a 47 g/km PREÇOS 50 TFSIe quattro 77.793€ 55 TFSIe quattro 86.516€

68.355€ 76.039€ 70.658€ 78.342€

AUDI Q5  Híbrido, 2.0 TFSI, 300 e 367 cv (pot. total)  Consumos 2,2 a 2,8 l/100 km  Autonomia 40 a 45 km  Emissões 51 a 64 g/km PREÇOS 50 TFSI e quattro desde 63.547€ 55 TFSI e quattro Sport 70.311€

BMW 330e  Híbrido, 2.0 TwinPower, 292 cv (pot. total)  Consumos 1,4 l/100 km  Autonomia 56 a 59 km  Emissões 31 g/km PREÇOS 330e 53.500€ 330e Touring 55.000€

AUDI Q7

BMW 225xe Active Tourer

 Híbrido, 2.0 TFSI, 381 cv (pot. total)  Consumos 3,1 l/100 km  Autonomia 40 km  Emissões 71 g/km PREÇOS 55 TFSI e quattro Base 79.690€ 55 TFSI e quattro S Line 83.681€

 Híbrido, 1.5 TwinPower, 224 cv (pot. total)  Consumos 1,9 l/100 km  Autonomia 53 km  Emissões 42 g/km PREÇOS 225xe 42.330€

BMW 530e

BMW 745e

 Híbrido, 2.0 TwinPower, 292 cv (pot. total)  Consumos 1,3 a 1,5 l/100 km  Autonomia 57 a 61 km  Emissões 30 a 35 g/km PREÇOS 530e 65.400€ 530e Touring 68.200€

 Híbrido, 3.0 TwinPower, 394 cv (pot. total)  Consumos 2,0 a 2,3 l/100 km  Autonomia 45 a 50 km  Emissões 45 a 53 g/km PREÇOS 745e xDrive 122.280€ 745Le xDrive 124.580€

blueauto

69


guia de compras

HÍBRIDOS PLUG-IN

70

BMW X1 iPerformance

BMW X2 iPerformance

BMW X3 iPerformance

 Híbrido, 1.5 TwinPower, 220 cv (pot. total)  Consumos 1,7 l/100 km  Autonomia 52 km  Emissões 39 g/km PREÇOS xDrive25e 49.350€

 Híbrido, 1.5 TwinPower, 220 cv (pot. total)  Consumos 1,7 l/100 km  Autonomia 51 km  Emissões 38 g/km PREÇOS xDrive25e 51.500€

 Híbrido, 2.0 TwinPower, 292 cv (pot. total)  Consumos 2,2 l/100 km  Autonomia 46 km  Emissões 49 g/km PREÇOS xDrive30e 63.220€

BMW X5 iPerformance

CITROËN C5 AIRCROSS HYBRID

DS 7 CROSSBACK E-TENSE

 Híbrido, 3.0 TwinPower, 394 cv (pot. total)  Consumos 1,2 l/100 km  Autonomia 87 km  Emissões 28 g/km PREÇOS xDrive45e 88.250€

 Híbrido, 1.6 PureTech, 225 cv (pot. total)  Consumos 1,4 l/100 km  Autonomia 55 km  Emissões 32 g/km PREÇOS Feel Hybrid 41.267€ Shine Hybrid 43.247€

FORD EXPLORER

FORD KUGA PHEV

 Híbrido, 3.0 PHEV, 457 cv (pot. total)  Consumos 3,1 l/100 km,  Autonomia 42 km  Emissões 71 g/km PREÇOS PHEV ST-Line 84.210€

 Híbrido, 2.5 PHEV, 225 cv (pot. total)  Consumos 1,2 l/100 km,  Autonomia 56 km  Emissões 26 g/km PREÇOS PHEV Titanium 41.093€ PHEV ST-Line 42.719€ PHEV ST-Line X 44.752€

blueauto

 Híbrido, 1.6 PureTech, 300 cv (pot. total)  Consumos 1,4 l/100 km,  Autonomia 58 km  Emissões 31 g/km PREÇOS E-Tense 4x4 Be Chic 51.550€ E-Tense 4x4 So Chic 53.550€ E-Tense 4x4 Performance Line 54.450€ E-Tense 4x4 Grand Chic 57.550€

HYUNDAI IONIQ HYBRID  Híbrido, 1.6 GDi, 141 cv (pot. total)  Consumos 1,1 l/100 km  Autonomia 63 km  Emissões 26 g/km PREÇOS PHEV 35.430€ PHEV Pack Plus 38.480€


guia de compras

HÍBRIDOS PLUG-IN JAGUAR E-PACE

JAGUAR F-PACE

KIA CEED

 Híbrido, 1.5 Turbo, 309 cv (pot. total)  Consumos 2,0 l/100 km  Autonomia 55 km  Emissões 44 g/km PREÇOS P300e desde 59.451€

 Híbrido, 2.0 Turbo, 404 cv (pot. total)  Consumos 2,2 l/100 km  Autonomia 53 km  Emissões 49 g/km PREÇOS P400e desde 75.479€

 Híbrido, 1.6 GDi, 141 cv (pot. total)  Consumos 1,3 l/100 km  Autonomia 50 km  Emissões 29 g/km PREÇOS SW PHEV Drive 32.240€ Xceed PHEV First Edition 33.240€

KIA NIRO

KIA OPTIMA

 Híbrido, 1.6 GDi, 141 cv (pot. total)  Consumos 1,4 l/100 km  Autonomia 49 km  Emissões 31 g/km PREÇOS PHEV Urban 34.650€ PHEV Drive 36.450€ PHEV Tech 37.950€

 Híbrido, 2.0 GDi, 205 cv (pot. total)  Consumos 1,4 l/100 km  Autonomia 62 km  Emissões 33 g/km PREÇOS SW PHEV 45.410€

LAND ROVER DEFENDER P400e

LAND ROVER DISCOVERY SPORT P300e

MERCEDES CLASSE A

MERCEDES CLASSE B

 Híbrido, 1.3 turbo, 218 cv (pot. total)  Consumos 1,0 a 1,1 l/100 km  Autonomia 76 km  Emissões 24 a 25 g/km PREÇOS A 250 e 40.800€ A 250 e Limousine 42.150€

 Híbrido, 1.3 turbo, 218 cv (pot. total)  Consumos 1,4 l/100 km  Autonomia 77 km  Emissões 32 g/km PREÇOS B 250 e 43.350€

 Híbrido, 1.5 Turbo, 309 cv (pot. total)  Consumos 1,7 l/100 km  Autonomia 64 km  Emissões 38 g/km PREÇOS P300e AWD desde 57.219€

blueauto

 Híbrido, 2.0 Turbo, 404 cv (pot. total)  Consumos 2,2 l/100 km  Autonomia 53 km  Emissões 49 g/km PREÇOS 110 P400e desde 76.707€

71


guia de compras

HÍBRIDOS PLUG-IN

MERCEDES CLASSE C

MERCEDES CLA

MERCEDES CLASSE E

 Híbrido, 2.0 turbo e Diesel, 320 e 306 cv (pot. total)  Consumos 1,3 a 1,6 l/100 km  Autonomia 53 a 57 km  Emissões 34 a 39 g/km PREÇOS C 300 e desde 53.550€ C 300 de desde 55.950€ C 300 e Station desde 55.450€ C 300 de Station desde 57.700€

 Híbrido, 1.3 turbo, 218 cv (pot. total)  Consumos 1,4 l/100 km  Autonomia 68 km  Emissões 31 a 35 g/km PREÇOS CLA 250 e 48.950€ CLA 250 e Shooting Brake 50.400€

 Híbrido, 2.0 turbo e Diesel, 320 e 306 cv (pot. total)  Consumos 1,4 a 1,6 l/100 km  Autonomia 50 a 54 km  Emissões 37 a 41 g/km PREÇOS E 300 e desde 67.650€ E 300 de 69.550€ E 300 de Station desde 72.550€

MERCEDES GLC MERCEDES GLA  Híbrido, 1.3 turbo, 218 cv (pot. total)  Consumos 1,4 l/100 km  Autonomia 61 km  Emissões 32 g/km PREÇOS GLA 250 e 51.700€

72

 Híbrido, 2.0 turbo e Diesel, 306 a 320 cv (pot. total)  Consumos 1,7 a 2,3 l/100 km  Autonomia 42 a 44 km  Emissões 46 a 52 g/km PREÇOS GLC 300 e 4Matic GLC 300 e 4Matic Coupé GLC 300 de 4Matic GLC 300 de 4Matic Coupé

MERCEDES GLE

65.100€ 66.750€ 67.500€ 69.200€

 Híbrido, 2.0 turbo e Diesel, 320 cv (pot. total)  Consumos 1,1 l/100 km  Autonomia 80 km  Emissões 28 g/km PREÇOS GLE 350 e 4Matic GLE 350 de 4Matic GLE 350 e 4Matic Coupé GLE 350 de 4Matic Coupé

85.350€ 87.150€ 95.100€ 96.900€

MINI COUNTRYMAN S E

MITSUBISHI OUTLANDER

OPEL GRANDLAND X PHEV

 Híbrido, 1.5 turbo, 224 cv (pot. total)  Consumos 1,8 l/100 km  Autonomia 51 km  Emissões 40 g/km PREÇOS Cooper S E ALL4 42.650€

 Híbrido, 2.4 MIVEC, 230 cv (pot. total)  Consumos 2,0 l/100 km  Autonomia 45 km  Emissões 46 g/km PREÇOS PHEV Intense 31.990€ PHEV Instyle 34.990€

 Híbrido, 1.6 Turbo PHEV, 225 a 300 cv (pot. total)  Consumos 1,3 a 1,4 l/100 km  Autonomia 57 a 69 km  Emissões 29 a 32 g/km PREÇOS PHEV GS Line PHEV Ultimate PHEV Ultimate AWD

blueauto

46.716€ 52.866€ 59.616€


guia de compras

HÍBRIDOS PLUG-IN PEUGEOT 508 HYBRID

PEUGEOT 3008 HYBRID

PORSCHE CAYENNE

 Híbrido, 1.6 PureTech, 225 cv (pot. total)  Consumos 1,3 l/100 km  Autonomia 52 a 54 km  Emissões 29 a 30 g/km PREÇOS Allure HY 46.505€ GT Line HY 49.305€ GT HY 53.805€ SW Allure HY 48.005€ SW GT Line HY 50.805€ SW GT HY 55.305€

 Híbrido, 1.6 Turbo PHEV, 225 e 300 cv (pot. total)  Consumos 1,3 a 1,4 l/100 km  Autonomia 40 a 59 km  Emissões 29 a 31 g/km PREÇOS Allure HY GT Line HY GT Line HY4 GT HY GT HY4

 Híbrido, 3.0 e 4.0 Turbo, 462 e 680 cv (pot. total)  Consumos 3,9 a 4,9 l/100 km  Autonomia 32 a 36 km  Emissões 89 a 111 g/km PREÇOS E-Hybrid E-Hybrid Coupé Turbo S E-Hybrid Turbo S E-Hybrid Coupé

PORSCHE PANAMERA

RANGE ROVER EVOQUE P300e

RANGE ROVER P400e/ SPORT P400e

 Híbrido, 1.5 Turbo, 309 cv (pot. total)  Consumos 1,4 l/100 km  Autonomia 66 km  Emissões 32 g/km PREÇOS P300e desde 58.744€

 Híbrido, 2.0 Turbo, 404 cv (pot. total)  Consumos 3,3 l/100 km  Autonomia 39 e 41 km  Emissões 75 e 74 g/km PREÇOS P400e desde 130.177€ P400e LWB desde 135.971€ Sport P400e desde 95.614€

 Híbrido, 3.0 e 4.5 Turbo, 462 e 680 cv (pot. total)  Consumos 3,3 a 3,8 l/100 km  Autonomia 38 a 44 km  Emissões 74 a 85 g/km PREÇOS 4 E-Hybrid desde 121.126€ 4 E-Hybrid Sport Turismo desde 124.078€ 4S E-Hybrid desde 138.589€ 4S E-Hybrid Sport Turismo 141.541€ Turbo S E-Hybrid desde 202.552€ Turbo S E-Hybrid Sport Turismo 205.504€

43.415€ 45.715€ 50.715€ 48.215€ 53.215€

100.382€ 105.303€ 186.326€ 188.297€

RENAULT CAPTUR E-TECH RANGE ROVER VELAR P400e  Híbrido, 2.0 Turbo, 404 cv (pot. total)  Consumos 2,2 l/100 km  Autonomia 53 km  Emissões 49 g/km PREÇOS P400e desde 75.433€

 Híbrido, 1.6 E-Tech, 160 cv (pot. total)  Consumos 1,4 l/100 km  Autonomia 50 km  Emissões 32 g/km PREÇOS E-Tech 160 Exclusive 33.590€ E-Tech 160 Initiale Paris 36.590€

blueauto

RENAULT MÉGANE SPORT TOURER E-TECH  Híbrido, 1.6 E-Tech, 160 cv (pot. total)  Consumos 1,3 l/100 km  Autonomia 50 km  Emissões 28 g/km PREÇOS E-Tech 160 Zen 36.350€ E-Tech 160 Intens 37.750€ E-Tech 160 RS Line 39.750€

73


guia de compras

HÍBRIDOS PLUG-IN

74

SKODA SUPERB iV

SUZUKI ACROSS

TOYOTA PRIUS

 Híbrido, 1.4 TSI, 218 cv (pot. total)  Consumos 1,4 a 1,5 l/100 km  Autonomia 55 km  Emissões 31 g/km PREÇOS Superb desde 39.163€ Superb Break desde 41.210€

 Híbrido, 2.5 VVT-i, 306 cv (pot. total)  Consumos 1,0 l/100 km  Autonomia 75 km  Emissões 26 g/km PREÇOS Plug-in E-Four 56.822€

 Híbrido, 1.8 VVT-i, 122 cv (pot. total)  Consumos 1,2 l/100 km  Autonomia 45 km  Emissões 28 g/km PREÇOS Plug-In Exclusive 40.890€ Plug-In Luxury 43.690€ Plug-In Premium 45.690€ Plug-In Power Sky 44.090€

VOLKSWAGEN GOLF GTE

VOLKSWAGEN PASSAT GTE

VOLVO S60/V60

 Híbrido, 1.4 TSI, 204 cv (pot. total)  Consumos 2,0 l/100 km  Autonomia 49 km  Emissões 46 g/km PREÇOS GTE 40.921€ GTE+ 42.564€

 Híbrido, 1.4 TSI, 218 cv (pot. total)  Consumos 1,5 a 1,6 l/100 km  Autonomia 55 a 57 km  Emissões 40 g/km PREÇOS GTE 45.977€ GTE+ 48.107€ Variant GTE 49.366€ Variant GTE+ 51.496€

 Híbrido, 2.0 T, 340 a 405 cv (pot. total)  Consumos 1,7 a 2,7 l/100 km  Autonomia 44 a 56 km  Emissões 38 a 56 g/km PREÇOS S60 T8 Recharge desde 62.726€ V60 T6 Recharge desde 57.560€ V60 T8 Recharge desde 60.020€

VOLVO S90/V90

VOLVO XC40

VOLVO XC60

 Híbrido, 2.0 T, 390 cv (pot. total)  Consumos 1,9 a 2,1 l/100 km  Autonomia 53 a 55 km  Emissões 43 a 47 g/km PREÇOS S90 T8 Recharge desde 70.229€ V90 T6 Recharge desde 71.090€ V90 T8 Recharge desde 74.165€

 Híbrido, 1.5 T, 262 cv (pot. total)  Consumos 2,0 l/100 km  Autonomia 46 km  Emissões 46 g/km PREÇOS T5 Recharge desde 46.588€

 Híbrido, 2.0 T, 340 a 405 cv (pot. total)  Consumos 2,4 a 3,3 l/100 km  Autonomia 36 a 53 km  Emissões 55 a 73 g/km PREÇOS T6 Recharge desde 65.377€ T8 Recharge desde 69.620€ Polestar Eng. 83.620€

blueauto


guia de compras

guia de compras

HÍBRIDOS PLUG-IN

ELÉTRICOS

VOLVO XC90

AUDI E-TRON

BMW i3

 Híbrido, 2.0 T, 390 cv (pot. total)  Consumos 2,7 a 3,4 l/100 km  Autonomia 43 km  Emissões 60 a 76 g/km PREÇOS T8 Recharge desde 83.520€

 Elétrico, 313 a 503 cv  Bateria 71 a 95 kWh  Autonomia 336 a 446 km PREÇOS 50 quattro desde 72.596€ 55 quattro desde 85.746€ S quattro 99.736€ Sportback 50 quattro desde 75.265€ Sportback 55 quattro desde 88.415€ Sportback S quattro 102.405€

 Elétrico, 170 a 184 cv  Bateria 33 kWh  Autonomia 279 a 308 km PREÇOS i3 i3s

BMW iX3

DS 3 CROSSBACK E-TENSE

CITROËN Ë-C4

 Elétrico, 286 cv  Bateria 75 kWh  Autonomia 450 km PREÇOS iX3 Inspiring iX3 Impressive

 Elétrico, 136 cv  Bateria 50 kWh  Autonomia 320 km PREÇOS E-Tense So Chic E-Tense Performance Line E-Tense Grand Chic

 Elétrico, 136 cv  Bateria 50 kWh  Autonomia 350 km PREÇOS Feel Feel Pack Shine Shine Pack

80.000€ 86.660€

38.800€ 39.450€ 43.700€

CITROËN Ë-SPACETOURER

FIAT 500

HONDA-E

 Elétrico, 136 cv  Bateria 50 kWh  Autonomia 230 km PREÇOS Business M Business XL Feel M Feel XL

 Elétrico, 95 a 118 cv  Bateria 42 kWh  Autonomia 320 km PREÇOS 500e 500e 3+1 500e Cabrio

 Elétrico, 136 e 154 cv  Bateria 35,5 kWh  Autonomia 210-222 km PREÇOS Base Advance

42.907€ 43.523€ 44.270€ 44.886€

desde 23.800€ desde 28.800€ desde 29.800€

blueauto

42.100€ 45.900€

35.607€ 36.607€ 38.007€ 39.407€

36.000€ 38.500€

75


guia de compras

ELÉTRICOS

76

HYUNDAI IONIQ ELECTRIC

HYUNDAI KAUAI ELECTRIC

JAGUAR I-PACE

 Elétrico, 136 cv  Bateria 38,3 kWh  Autonomia 311 km PREÇOS EV

 Elétrico, 136 a 204 cv  Bateria 39,2 a 64 kWh  Autonomia 289 a 449 km PREÇOS Electric 39 kWh Electric Premium Electric Premium Plus

 Elétrico, 400 cv  Bateria 90 kWh  Autonomia 470 km PREÇOS I-Pace S I-Pace SE I-Pace HSE

36.580€

KIA e-NIRO

KIA e-SOUL

 Elétrico, 204 cv  Bateria 64 kWh  Autonomia 455 km PREÇOS Tech

 Elétrico, 204 cv  Bateria 64 kWh  Autonomia 452 km PREÇOS e-Soul

44.500€

MERCEDES EQC

MERCEDES EQV

 Elétrico, 408 cv  Bateria 80 kWh  Autonomia 410 km PREÇOS EQC 400 4Matic

 Elétrico, 204 cv  Bateria 90 kWh  Autonomia 347 a 358 km PREÇOS eVito 300 Tourer eVito 300 Tourer Longo EQV 300 EQV 300 Longo

79.150€

blueauto

39.105€ 46.705€ 51.580€

81.788€ 89.920€ 96.223€

MAZDA MX-30

40.000€

 Elétrico, 143 cv  Bateria 35,5 kWh  Autonomia 200 km PREÇOS First Edition Excellence Excellence Pack Plus

34.535€ 35.245€ 37.655€

MINI COOPER S E 73.589€ 75.188€ 79.714€ 80.698€

 Elétrico, 184 cv  Bateria 32,6 kWh  Autonomia 235 a 270 km PREÇOS Electric S Electric M Electric L Electric XL

34.400€ 36.900€ 39.400€ 41.400€


guia de compras

ELÉTRICOS NISSAN LEAF

NISSAN e-NV200

OPEL CORSA-E

 Elétrico, 150 e 217 cv  Bateria 40 e 62 kWh  Autonomia 270 e 385 km PREÇOS Acenta Access Acenta N-Connecta Tekna e+ N-Connecta e+ Tekna

 Elétrico, 109 cv  Bateria 40 kWh  Autonomia 275 km PREÇOS e-NV200 e-NV200 Combi e-NV200 Evalia 5 lug. e-NV200 Evalia 7 lug.

 Elétrico, 136 cv  Bateria 50 kWh  Autonomia 330 km PREÇOS e-Selection e-Edition e-Elegance

30.100€ 30.900€ 32.000€ 34.500€ 37.500€ 40.000€

desde 26.294€ desde 27.614€ 37.365€ 37.906€

29.990€ 30.110€ 32.610€

PEUGEOT E-2008 OPEL MOKKA-E

PEUGEOT E-208

 Elétrico, 136 cv  Bateria 50 kWh  Autonomia 324 km PREÇOS Edition Elegance GS-Line Ultimate

 Elétrico, 136 cv  Bateria 50 kWh  Autonomia 340 km PREÇOS e-208 Active e-208 Allure e-208 GT Line e-208 GT

36.100€ 38.600€ 39.100€ 42.100€

 Elétrico, 136 cv  Bateria 50 kWh  Autonomia 310 km PREÇOS e-2008 Active e-2008 Allure e-2008 GT Line e-2008 GT

37.190€ 38.620€ 40.820€ 43.720€

32.520€ 33.720€ 35.520€ 37.920€

RENAULT KANGOO Z.E. PORSCHE TAYCAN  Elétrico, 435 a 761 cv  Bateria 71 a 83 kWh  Autonomia 407 a 450 km PREÇOS 4S Turbo Turbo S

RENAULT TWIZY

110.866€ 158.959€ 193.399€

 Elétrico, 13 cv  Bateria 7 kWh  Autonomia 90 km PREÇOS Life Flex Life Intens Flex Intens

blueauto

8.180€ 12.680€ 8.980€ 13.480€

 Elétrico, 95 cv  Bateria 33 kWh  Autonomia 200 km PREÇOS ZE Flex ZE ZE Maxi 2L Flex ZE Maxi 2L ZE Maxi 5L Flex ZE Maxi 5L

26.420€ 34.096€ 27.896€ 35.572€ 28.880€ 36.556€

77


guia de compras

ELÉTRICOS RENAULT ZOE

SKODA ENYAQ

SMART EQ

 Elétrico, 109 a 136 cv  Bateria 41 a 52 kWh  Autonomia 306 a 395 km PREÇOS ZE40 R110 Zen Flex ZE40 R110 Zen ZE50 R110 Zen Flex ZE50 R110 Zen ZE50 R110 Intens Flex ZE50 R110 Intens ZE50 R135 Intens Flex ZE50 R135 Intens ZE50 R135 Exclusive Flex ZE50 R135 Exclusive

 Elétrico, 180 a 204 cv  Bateria 58 a 77 kWh  Autonomia 390 a 510 km PREÇOS iV 50 iV 60 iV 80

 Elétrico, 82 cv  Bateria 17,6 kWh  Autonomia 150 a 160 km PREÇOS fortwo desde 21.975€ fortwo cabrio desde 26.395€ forfour desde 23.745€

23.940€ 32.240€ 24.940€ 33.240€ 25.940€ 34.240€ 26.440€ 34.740€ 27.890€ 36.190€

35.633€ 39.623€ 46.193€

TESLA MODEL 3  Elétrico  Bateria 75 kWh  Autonomia 415 a 560 km PREÇOS Standard Long Range Performance

TESLA MODEL Y 49.900€ 59.990€ 66.490€

TESLA MODEL S  Elétrico  Bateria 100 kWh  Autonomia 613 a 632 km PREÇOS Long Range Performance Plaid

78

65.000€ 71.000€

TESLA MODEL X 81.990€ 97.990€ 140.990€

VOLKSWAGEN E-GOLF  Elétrico, 136 cv  Bateria 35,8 kWh  Autonomia 300 km PREÇOS e-Golf

 Elétrico  Bateria 75 kWh  Autonomia 480 a 540 km PREÇOS Long Range Performance

42.816€

 Elétrico  Bateria 100 kWh  Autonomia 542 a 565 km PREÇOS Long Range Performance

90.990€ 106.990€

VOLKSWAGEN e-UP!  Elétrico, 83 cv  Bateria 36,8 kWh  Autonomia 260 km PREÇOS e-up!

blueauto

22.824€

VOLKSWAGEN ID.3  Elétrico, 126 a 204 cv  Bateria 45 a 77 kWh  Autonomia 330 a 540 km PREÇOS 1st desde 38.017€ Life 38.652€ Business 42.145€ Style 42.358€ Family 43.163€ Tech 44.848€ Max 47.083€ Tour 48.058€


NO PRÓXIMO NÚMERO... ao volante

BMW iX3

tecnologia

NISSAN ARIYA ESTREIA e-4ORCE

guia atualizado

TODOS OS MODELOS ELÉTRICOS E HÍBRIDOS À VENDA EM PORTUGAL

mercado

HÍBRIDOS PLUG-IN DEBAIXO DE FOGO! NAS BANCAS EM DEZEMBRO

e muito mais...

blueauto


mobilidade elétrica

Rede de Carregamento de Veículos Elétricos

Como estamos? Henrique Sánchez Presidente da UVE – Associação Utilizadores Veículos Elétricos

O

ano de 2020 está a ser um ano diferente de tudo aquilo que poderíamos imaginar. A pandemia da Covid-19 está a afetar-nos a todos nós, mas também tem afetado a evolução, a expansão e a concretização dos vários projetos previstos para arrancarem este ano de 2020. Quer dos Operadores de Postos de Carregamento (OPC), quer da Entidade Gestora da Mobilidade Elétrica, a MOBI.E, quer de diversas autarquias ou de entidades privadas. Apesar deste ambiente de forte incerteza, todos os diferentes parceiros envolvidos no setor da mobilidade elétrica, talvez incentivados pela urgente necessidade de eletrificar todos os transportes, públicos e privados, particulares e coletivos, de acelerar a transição energética, lançaram, apesar de todas as contingências:  Inúmeros concursos públicos para a aquisição de Carregadores e a Operação dos mesmos;  A constituição das primeiras Estações de Carregamento para Veículos Elétricos multi-carregadores, os chamados HUB;  Os primeiros Postos de Carregamento Super-Rápidos (PCSR);  Os primeiros Postos de Carregamento Ultrarrápidos (PCUR);  As primeiras Redes Privadas complementares da Rede Pública de Carregamento;  Parcerias entre Operadores de Postos de Carregamento e Áreas Comerciais;  Parcerias entre Operadores de Postos de Carregamento e Áreas de Serviço e Estações de Serviço. Atualmente existem 518 Postos de Carregamento Rápido (PCR), Super-Rápido (PCSR) e Ultrarrápido (PCUR) em Portugal, destes 330 estão ligados e em funcionamento, 34 já estão instalados e esperam apenas a sua ligação e 110 estão atualmente em instalação.

80

A Rede de Postos de Carregamento Normal (PCN) está em muito acelerada expansão, sendo o número de tomadas de PCN já instaladas e a funcionar superior às 3.000, incluindo aqui toda a Rede Pública de Carregamento e diversas Redes Privadas, sendo a mais desenvolvida a dos Carregadores no Destino da Tesla (Destination Chargers). Os principais concursos públicos que se concluíram este ano de 2020 foram:  O concurso público dos 663 postos de carregamento normal pertencentes ao Projeto Piloto e que foram entregues aos Operadores vencedores do concurso para a sua exploração comercial: EDP Comercial, Galp Electric, Power Dot e KLC.  O concurso público da Câmara Municipal de Oeiras que contratualizou a instalação de 42 carregadores em todo o Município, sendo:  23 Carregadores Rápidos (PCR de 50 kW);  19 Carregadores Ultrarrápidos (PCUR de 160 kW).

blueauto


Durante o ano de 2020 foram ainda lançados os seguintes concursos públicos: n Concurso público lançado pela MOBI.E para reforçar a infraestrutura pública de carregamento, constituído por 10 Estações de Carregamento, cada um constituído por: n 1 PCUR – Posto de Carregamento Super-Rápido (até 160 kW), com 2 tomadas DC, 1 tomada CHAdeMO e outra CCS2; n 3 PCR – Posto de Carregamento Rápido (50 kW), com 3 tomadas, 1 tomada CHAdeMO e outra CCS2, ambas DC, e a terceira AC43; n 5 PCN – Posto de Carregamento Normal (22 kW), com 2 tomadas por cada posto, Mennekes tipo 2 AC. n Concurso público lançado pela MOBI.E para a instalação e exploração, por um período de 10 anos, de 12 Postos de Carregamento Ultra-Rápido (PCUR). n Supermercados e Hipermercados aderem à Mobilidade Elétrica A melhora forma de otimizar o tempo que demora a carregar o seu Veículo Elétrico é fazê-lo enquanto está ocupado a fazer outra tarefa. Por isso, adaptar a sua rotina e optar por locais onde pode deixar o seu veículo a carregar enquanto faz outra coisa é a opção mais lógica. A pensar nesta forma cómoda de carregar os Veículos Elétricos, captar clientes e para promover a Mobilidade Elétrica, algumas das grandes cadeias de supermercados nacionais estão a contribuir para o crescimento da rede de carregamento. KLC e LIDL As Lojas Lidl em Portugal e o Operador KLC estabeleceram uma parceria para a instalação e exploração de 34 PCR (50 kW), estando 16 já instalados e em funcionamento, 5 atualmente em instalação e 13 planeados. KLC e Pingo Doce As Lojas Pingo Doce e o Operador KLC estabeleceram uma parceria para a instalação e exploração em 7 lojas do grupo de PCR e PCN, estando já em funcionamento a primeira instalação, em Sesimbra.

Helexia e Auchan O Grupo Auchan e o Operador Helexia estabeleceram uma parceria para a instalação e exploração de 39 Postos de Carregamento em 9 lojas Auchan em 2020, estando já em funcionamento a primeira instalação em Alverca. Continente Plug & Share Em setembro, foi inaugurada, no Continente de Matosinhos, a primeira Área de Carregamento para Veículos Elétricos, denominada Continente Plug&Charge, exclusiva para clientes Continente que descarreguem a app Continente Plug&Charge e a app Cartão Continente. Seguiu-se a Área de Carregamento Continente Plug&Charge no Hipermercado Continente da Amadora também em setembro, já tendo sido inauguradas as Áreas de Carregamento das Lojas Continente na Sobreda da Caparica e em Santo Amaro de Oeiras, outras seguir-se-ão até perfazer as 30 localizações no final de 2021. n EDP Comercial e BP Portugal A EDP Comercial e a BP Portugal celebraram uma parceria para a instalação de Postos de Carregamento Rápido (PCR) operados pela EDP Comercial, nas estações de serviço da BP. Os locais iniciais de instalação destes PCR da rede pública foram em Faro, Seixal, Loures, Matosinhos e Vila Nova de Gaia, estendendo-se atualmente a mais localizações por todo o país. Num balanço final, podemos afirmar que 2020 está a ser o ano do grande arranque da mobilidade elétrica em Portugal, quer com os consecutivos recordes de vendas dos veículos elétricos, quer com a expansão da Rede de Carregamento de Veículos Elétricos, seja a Rede Pública de Carregamento sob a gestão da MOBI.E ou as diversas Redes Privadas que vêm complementar a oferta para quem já adotou e para todos aqueles que irão adotar no futuro a mobilidade elétrica para as suas deslocações. n

blueauto

81


evento

OEIRAS ECO RALLY PORTUGAL 2020 3.ª edição do rali de veículos elétricos fez história

P

edro Morais e Sílvia Coutinho, em BMW i3, foram os vencedores da terceira edição do único rali de veículos exclusivamente elétricos em Portugal, que durante os dias 3, 4 e 5 de outubro contou com um recorde de participações: o Oeiras Eco Rally Portugal 2020 escreveu mais um capítulo na história do desporto automóvel em Portugal ao levar, pela primeira vez, uma competição de veículos elétricos ao Autódromo do Estoril; a terceira secção deste evento foi, assim, a primeira prova de regularidade de carros movidos a energias alternativas disputada em circuito fechado no Autódromo do Estoril, pista que voltou deste modo a abrir as portas a uma prova de um campeonato do mundo organizado pela FIA. Original foi também a iniciativa que permitiu rotular o evento como uma “prova de emissões negativas de CO2”, já que todos os concorrentes plantaram uma árvore, contribuindo assim para a transformação de CO2 em oxigénio e promovendo com esta ação um evento de emissões negativas. Na classificação geral, os segundo e terceiro lugares foram atribuídos, respetivamente, aos espanhóis Txema Foronda/Pilar Rodas, em VW e-Golf; e à dupla franco-polaca Artur Prusak/Thierry Benchetrit, conduzindo um Opel Corsa-e. Durante três dias, a etapa portuguesa integrada no campeonato do mundo FIA (E-Rally Regularity Cup) atendeu ao conjunto de duas componentes, regularidade e consumo, e contou com classificativas, por exemplo, nas serras da Arrábida e de Sintra. As equipas participantes tiveram de demonstrar a sua eficácia realizando a melhor gestão possível do consumo ao longo de todo o percurso e assegurando a regularidade, evitando penalizações nos distintos controlos efetuados pela organização da prova que contou com 4 secções, 12 setores seletivos e que finalizou com a disputa da “Marginal de Oeiras Power Stage”. Realizada em parceria pelo Classic Clube de Portugal (CCP) e pela Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK), esta é a única prova automóvel em Portugal com preocupações ambientais e ecológicas e contou uma vez mais com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras. 

82

blueauto


Profile for Blueauto

Blueauto#37  

à descoberta do futuro do automóvel

Blueauto#37  

à descoberta do futuro do automóvel

Profile for blueauto
Advertisement