Page 1

Outubro de 2018 | Ano XXIX

www.diocesedeosasco.com.br

No 257

Panamá é aqui! Está Está chegando chegando oo maior maior evento evento da da juventude juventude da da diocese diocese PÁG. 09

SAV

TESTEMUNHO DE FÉ

Serviço de Animação Vocacional realiza encontro diocesano PÁG. 08 IGREJA EM AÇÃO

O papel do cristão na vida da sociedade PÁG. 10 RUMO AOS 30 ANOS

Acompanhe a trajetória da Diocese de Osasco PÁG. 06 PROGRAME-SE

Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil!

Semana dos Ministérios acontece em novembro PÁG. 05

PÁG. 12


EDITORIAL

BIO

Caro leitor...

C

elebrar o mês missionário é testemunhar o encontro que tivemos com Cristo como experiência marcante na vida. Quem encontra Jesus descobre que faz parte de uma comunidade. Cristo chama todos e os congrega numa família. Este sinal é a Igreja: a comunhão dos discípulos de Jesus Cristo. É uma Igreja em estado permanente de missão. A missão nasce deste encontro com Jesus, pois, quem o encontra sai para apresentá-lo ao mundo. O discípulo quer formar comunidade, “também hoje o encontro dos discípulos com Jesus na intimidade é indispensável para alimentar a vida comunitária e a atividade missionária” (Doc. Aparecida nº 154), não se contenta com a alegria pessoal, quer que todos realizem especial experiência. A missão é o objetivo central do cristão que encontra, conhece, converte, comunga para evangelizar. Lembremos das várias imagens que são sinais deste processo pedagógico: Maria ao saber do anúncio do anjo saiu em missão para visitar sua prima (cf. Lc 1,39); os Reis magos seguindo a estrela levam ao mundo inteiro a realidade da encarnação

Antônio Cruz

(cf. Mt 2,10.12); as mulheres que vão ao túmulo são as primeiras a anunciarem a Ressurreição (cf. Lc 24,9); os discípulos de Emaús ao partir o pão reconheceram Jesus e partiram sem demora (cf. Lc 24, 30; após a ascensão Jesus encube seus discípulos anunciarem o Evangelho a todas as criaturas (Mt 28, 19). Todos são chamados a realizar tamanha experiência, reconhecendo na Igreja os vários frutos e esforços pastorais de assumir tal missão. Sabemos que as sombras da caminhada são muitas, já que, as condições que se encontram nossos povos: abandonados, excluídos, injustiçados, perseguidos nos levam a não se esquivar de um maior compromisso em favor de uma cultura de vida. O projeto do Reino de Deus contradiz com estas situações desumanas e exige uma promoção de valorização da dignidade humana proporcionando amplo desenvolvimento nas esferas sociais e apresentando algo alternativo aos padrões culturais do nosso mundo de contradições. Pe. Henrique Souza da Silva Assessor eclesiástico do BIO

Boletim Informativo de Osasco Diretor Geral: D. Frei João Bosco B. de Sousa, OFM Assessor Eclesiástico: Pe. Henrique Souza da Silva Moderadora: Ir. Letícia Perez, MJS Supervisão: Pe. Ricardo Rodrigues Secretária Executiva: Meire E. Souza Revisão: Walkyria Aparecida do Rosário Jornalista: Daniela Nanni Colaboração: Pe. Alexamdre Pessoa Garcia, Pe. Fávio Silva dos Anjos, Pe. Marcelo Pereira, Sem. Carlos Augusto de Andrade, Sem. Diego Medeiros, Sem. Eder Bruno Rodrigues, Sem. Thiago Jordão, Sem. Vitor Kano, Dalva Maria de Almeida E-mail: bio@diocesedeosasco.com.br Diagramação: Bruna Aparecida Rocha Tiragem: 13.000 exemplares Impressão: Jornal Última Hora do ABC: (11) 4226-7272 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Cúria Diocesana de Osasco Rua da Saudade, 60, Vila Osasco CEP: 06080-000 - Osasco/ SP Tel: (11) 3683-4522 | (11) 3683-5005 Site: www.diocesedeosasco.com.br

2

Em pauta

Missa da instituição do Ministério do Acolitato na Paróquia Santo Antônio em Carapicuíba, no dia 30 de junho de 2017. Na foto seminaristas Carlos, José Cosme, Thiago e Diego

N

a manhã do dia 15 de setembro de 2018, na Missa de abertura do 6º Encontro de Comunicadores da Diocese de Osasco, Dom João Bosco anunciou que os quatro seminaristas do ano pastoral: Carlos Augusto de Andrade, Diego Medeiros, José Cosme de Lima e Thiago Jordão da Silva foram

aprovados pelo Conselho de Ordens e Ministérios para serem ordenados diáconos no dia 08 de dezembro às 10h, na Catedral Santo Antônio – Osasco/SP. Contamos com a sua presença e oração! Setor de Comunicação da Cúria

“Vocacionados do Pai: a missão no coração do presbítero”

A

conteceu na Diocese de Mogi das Cruzes o IV Congresso Missionário de Seminaristas (COMISE) da Regional Sul I da CNBB, de 28 de junho a 1º de julho de 2018, cujo tema foi “Vocacionados do Pai: a missão no coração do presbítero”. O lema escolhido foi a citação bíblica em At 1,8 “Vós sereis as minhas testemunhas”. A finalidade do encontro foi cultivar, nos seminaristas, a consciência missionária, em vista da eclesiologia proposta pelo Papa Francisco de uma “Igreja em saída”. O Congresso contou com a participação de 26 dioceses do estado de São Paulo, que foram articuladas pela executiva do COMISE da Regional Sul I, sob a coordenação do Padre Hechilly, da diocese de Guarulhos. Houve sete conferências que trataram da pertinência da mentalidade missionária nas dimensões da formação do futuro presbítero, à luz das questões humano-afetiva, espiritual, comunitária e pastoral.

Foi proposta, para os seminaristas, experiência missionária na diocese sede do Congresso, que aconteceu na Paróquia São Pedro Apóstolo. Foram formados dois grupos: um em que os participantes permaneceram no entorno da comunidade matriz e visitaram o conjunto CDHU, no distrito de César de Souza, e o outro grupo foi para uma área mais afastada no Conjunto Habitacional Vereador Jefferson da Silva, onde ocorreram visitas às famílias, com realização de terço e da Santa Missa. Houve, também, intercâmbio cultural com as tradições típicas da cidade de Mogi das Cruzes, ressaltando a Festa do Divino Espírito Santo, visita ao Museu do Carmo e às Igrejas históricas da Cidade, além do convívio com as famílias que acolheram os seminaristas em suas casas, com muito carinho e afeto. Sem. Eder Bruno Rodrigues 3º Ano de Teologia Outubro 2018


VOZ DO PASTOR

A

BIO

Uma semana para pensar no sentido da vida

primeira semana de outubro, de 1 a 7, é chamada, no Brasil, a Semana Nacional da Vida. E o dia 8 de outubro completa esta semana com a celebração do Dia do Nascituro, o bebê que está para nascer. Nossas comunidades seguem uma programação especial que tem como sugestão de roteiro o subsídio “Hora da Vida”, publicado pela CNBB. A primeira razão para esta semana especial é celebrar a vida como dom de Deus. Vida é dom, é graça, todo ser vivo é um sinal do dedo de Deus. Não houve notícia até agora, e nem haverá, de que algum cientista ou inventor, algum mágico ou místico tenha algum dia fabricado um ser vivo. E olha que a ciência vem, há séculos, tentando encontrar o princípio que possa ser identificado como capaz de fazer viver um micróbio que seja. Nada. Toda vida vem de uma vida anterior e anterior, podemos seguir sua história até perder de vista… ou até chegar nas mãos de Deus Criador. Todo tipo de ser vivente tem um só Pai criador: Deus vivo. Então não devia ser uma semana só, mas o ano inteiro, a vida inteira dedicada à vida. Sim, com razão, porém não é assim. A vida, dom de Deus, é também agredida. A natureza sofre agressão, é transformada em imenso lixão. Espécies animais estão em extinção. E o pior: o ser humano destrói a vida sua e as dos outros. Então a Semana Nacional da Vida se torna também compromisso. Defender a vida, cuidar da vida, reverter o caminho de morte que vem sendo trilhado, é esse o propósito desta semana tão especial, não só para quem crê no Deus criador, mas especial

para a humanidade toda. Os sinais de alarme no mundo atual já vêm soando há bastante tempo. Índices de violência, de acidentes, suicídios e mutilações, miséria e fome, acidentes ecológicos, conflitos e mortes estão cada dia à nossa frente. Achamos quase normal, quando acontecem longe de nós. Mas de fato rondam constantemente a nossa vida. Que fazer? Temos uma semana pra pensar, e a vida toda pra agir. Como o tema é muito amplo, escolho algumas ações fundamentais para contemplarmos na sequência desta Semana da Vida:

A fecundidade da vida

É o tema escolhido neste ano para as nossas celebrações e reflexões. Uma vida fecunda pode se expressar pela geração de novas vidas. Mas não é só isso. É também fecundidade a vida que se dedica aos outros irmãos, gera amor e fraternidade, realiza-se na prática do bem, na construção da paz.

A atitude de cuidado

Cuidar é próprio de quem ama a vida. Cuidar não é algo natural no ser humano. Deve ser aprendido, cultivado. É natural o descaso, o desperdício, a indiferença. A criança que aprende desde cedo a cuidar, sobretudo quando encontra exemplos de cuidado, será um adulto comprometido com Imagem Internet

Outubro 2018

Imagem Internet

a vida. Temos ocasião de aprender e ensinar o cuidado com a vida mais frágil, com lições práticas, o dia todo. Dar a vez para um idoso, ajudar o portador de deficiência, afagar um animalzinho, pedir licença, fazer um favor, são atitudes que pra muita gente parecem estar esquecidas, ou quem sabe nunca aprenderam. Projete essa falta de cuidado para o ambiente do mundo, e você verá o resultado nas estatísticas de morte e destruição. Recomeçar em casa, então, é urgente.

A fragilidade mais indefesa: o nascituro

Há uma campanha, no mundo inteiro, para que seja aprovado e legalizado o crime do aborto. É estranho esse nosso mundo que faz campanha pra preservar as baleias e mico-leões dourados, levam para a prisão os que matam certas espécies de animais, e quer tornar livre e natural matar crianças no ventre da mãe, desde que sejam indesejadas. Neste ano, travamos verdadeira batalha judicial entre os que defendem a vida e os que querem promover o aborto. A grande maioria do nosso povo não quer que seja aprovada a morte dos nascituros. Mas na hora de discutir as leis, do lado da vida estão quase só as religiões, do lado da morte estão movimentos feministas, organizações de cunho ideológico, grupos economicamente poderosos, redes de clínicas de aborto interessadas no mercado da morte. Vamos defender a vida, desde a sua concepção.

A Família

É berço da vida. O lugar mais aconchegante do mundo. Devia ser, mas hoje a família é destruída pelos meios de comunicação, pelos interesses do consumo e do vício, pela falência dos princípios básicos do respeito e do relacionamento. Filhos que matam os pais, pessoas que sobram isoladas em casas e asilos, crianças nas ruas ou trancadas em casa, sem rumo e sem amor, são a ponta trágica dessa falta do amor familiar. Recuperar o amor familiar, que grande missão.

A religião

As religiões são as maiores parceiras da vida. Não deviam gastar tanto tempo combatendo umas às outras, mas dando-se ao cuidado da vida. Não deviam só realizar liturgias bonitas, usar rendas e incensos, cantos afinados. Claro, tudo isso é louvar a Deus. Mas não esquecer a antiga lição que vem desde os primeiros séculos (Santo Irineu de Lion): “A glória de Deus é o homem vivente, e a vida do homem é a visão de Deus.” Louvar a Deus e servir à vida são duas metades da nossa expressão de fé religiosa. Ainda temos nas nossas comunidades, embora com belíssimas exceções, muito mais louvor com os lábios, do que serviço à vida. Vivamos, pois, não só a Semana da Vida, mas a vida toda servindo ao Senhor que veio ao mundo para trazer vida em abundância. (Jo 10,10) Dom João Bosco, ofm Bispo Diocesano de Osasco 3


VISITA PASTORAL

BIO

A

s visitas pastorais da Diocese de Osasco tiveram início no dia 22 de abril de 2018. Este é um meio do bispo diocesano estar mais presente em meio ao povo de Deus, exercendo seu ministério pastoral, velando pelo bom andamento da ação evangelizadora. É uma ocasião de reavivar as energias, encorajar e consolar, como também a oportunidade de chamar todos os fiéis à renovação da sua vida cristã e a uma atividade apostólica mais intensa. Durante o período da visita, Dom João Bosco realiza momentos de celebrações eucarísticas, partilhas e formação junto aos fiéis das comunidades paroquiais. Além disso, esses dias promovem encontros sociais e de ações missionárias de evangelização, que destacam a presença da Igreja na sociedade, em busca do bem comum, e o aviamento do compromisso missionário de todos os membros de nossas comunidades e de nossas famílias. Neste ano de 2018 já foram realizadas as visitas pas-

Fabio G. Camargo

róquia Nossa Senhora Aparecida, popularmente conhecida como a ‘igreja amarela’. Segundo o cronograma, a próxima região a ser visitada por Dom João Bosco será São Roque, a começar no dia 25 de outubro. As visitas à região Cotia e Barueri serão realizadas a partir do mês de novembro de 2018. Meire E. Souza Equipe BIO Juliana Simões Pascom São Pedro

Pastoral Encontro dos Ministros Extaordinários na Paróquia São Lucas

PASCOM Paróquia São Lucas Evangelista

A missa de abertura teve a participação dos padres da região pastoral

torais nas regiões Bonfim, São José Operário, Santo Antônio, Itapevi, Ibiúna e recentemente, a região de Carapicuíba, cuja missa de abertura aconteceu na Paróquia São Lucas Evangelista. Entre as diversas atividades regionais e paroquiais, em 06 de outubro foi realizado o dia da ‘Missão Regional’ na Paróquia Nossa Senhora das Graças. A visita pastoral da Região Pastoral Carapicuíba aconteceu dos dias 23 de setembro a 07 de outubro com a missa de encerramento na Pa-

Visita a Kolping

Ajude-nos a contar essa história!

N

este ano, durante a Romaria Diocesana ao Santuário Nacional de Aparecida, no dia 01 de maio, nosso bispo diocesano, Dom João Bosco, deu abertura ao ano jubilar de nossa diocese, que em 2019 completará 30 anos. Pensando nisso foi criado o projeto "Diocese de Osasco: rumo aos 30 anos de Evangelização" que tem como objetivo restaurar a história da diocese. Por isso estamos juntando todo o material histórico desde o tempo de Dom Francisco, passando por Dom Ercílio até os tempos atuais com Dom João Bosco. Serão divulgados em todas as mídias sociais diocesanas (site, redes sociais, rádio, jornal) em áudios, vídeos, imagens, matérias, e, gostaríamos de receber a sua foto, a sua

4

história, algo que lembre esses 30 anos. Nós queremos reunir todo esse material e colocar à disposição de todos e criar um conteúdo para deixarmos registrado todas as maravilhas realizadas por Deus nesse período. Envie-nos através do site www.diocesedeosasco.com.br/30anos , pelo Whats App (11) 94713-7406 ou poste em suas redes sociais com a #RumoAos30Anos. Participe! Colabore! Você faz parte dessa história. Bruna Rocha Equipe BIO

Outubro 2018


TESTEMUNHO DE FÉ

BIO

Mãe de todos: devoção a Nossa Senhora Aparecida avança pelo mundo

O

s milagres da Santa, que surgiu das águas brasileiras, são tantos e tão comuns, que é provável que você conheça alguém que já tenha alcançado uma graça por meio da intercessão dela. E essa grandiosa devoção a Nossa Senhora Aparecida, que já tem mais de 300 anos, tem avançando pelo mundo afora ganhando ainda mais apreciadores. E é assim, entre tantas bênçãos, que desde 12 de outubro de 1980 - após a visita do então Papa João Paulo II para a consagração da Basílica de Aparecida – celebramos o dia de Nossa Senhora Aparecida, a Padroeira do Brasil.

Nossa Senhora surge das águas e multiplica os peixes

Sua imagem, que apareceu na rede de pesca de três pescadores que estavam no rio Paraíba do sul - na antiga Vila de Guaratinguetá - na segunda semana de outubro de 1717, já chegou fazendo seu primeiro milagre.

Os títulos de Nossa Senhora do Brasil Além do título de Padroeira do Brasil, Nossa Senhora acumula outros títulos: Rainha do Brasil, em 1904: a festa da coroação e do título real aconteceu durante os 50 anos da declaração do dogma da Imaculada Conceição. A imagem recebeu uma coroa de 24K, com 300 g de ouro e 40 diamantes, presente que ganhou da Princesa Isabel, em 1888. Generalíssima do Exército Brasileiro, em 1967: título completamente civil e único na história do país. Trata-se de uma das mais altas patentes militares.

Basílica de Aparecida é o Santuário Mariano mais visitado do mundo

Atualmente, o Santuário Nacional de Aparecida é mais visitado que o Santuário de Fátima, que recebe anualmente 8 milhões de visitantes, e o Santuário de Lourdes, que recebe 6 milhões, em média. Em 2017, a Basílica de Aparecida bateu recorde de visitação, com um movimento de 13 milhões de peregrinos, entre brasileiros e estrangeiros. Aparecida já foi presenteada por 4 Papas A rosa de ouro é uma honraria conferida pelo Papa e consiste em uma escultura de uma roseira feita em ouro puro. Comumente ofertada a membros da realeza – como a Princesa Isabel, que ganhou uma de Leão XIII quando assinou a lei áurea –, a entrega da rosa de ouro tem sido reservada, desde o Concílio Vaticano II, a Santuários Marianos. Aparecida já ganhou 3 rosas de ouro: de Paulo VI (1967), de Bento XVI (2007) e de Francisco (2017). Além disso, os mosaicos que adornam a Capela do Santíssimo, na Basílica, foram um presente de João Paulo II, em 1980.

Após várias tentativas infrutíferas de pesca, os pescadores rezaram para a Virgem Maria e a rede voltou à superfície com o corpo da Santa. Jogando a rede novamente, a cabeça da imagem foi pega. Após juntarem os dois pedaços da imagem, ela teria ficado tão pesada que não conseguiam movê-la. Após esse momento, os pescadores pegaram muitos peixes e tiveram que voltar às pressas ao porto, visto que o volume do pescado ameaçava afundar a embarcação. A partir daí, há mais de 300 anos, milhares de graças têm sido alcançadas por intercessão de Nossa Senhora Aparecida, que teve uma Basílica construída em sua homenagem. Santuário Nacional

“Com que alegria fui a Aparecida! Com que fé vocês todos rezavam! Eu dizia a Mãe de Deus, que é a Mãe de vocês e minha Mãe, Mãe nossa, eu rezo com toda esta fé dos meus filhos. Te queremos muito, muito. E parecia escutar, do fundo do coração: com obras!”. (São Josemaria Escrivá - 1974)

Devoção a Nossa Senhora Aparecida em outros países Nossa Senhora Aparecida não é mais privilégio apenas dos brasileiros. Uma imagem da padroeira do Brasil encontra-se, também, no Santuário do Menino Jesus de Praga, na República Checa, e já completa 11 anos. Também é possível encontrar imagens em igrejas da Colômbia, Eslovênia, Estados Unidos, Por-

tugal, Eslováquia, Argentina, França, Líbano e, até mesmo, nos Jardins do Vaticano. Em 2016, o Papa Francisco inaugurou um monumento dedicado a Nossa Senhora Aparecida, nesse local. Feito de aço, o monumento tem mais de 4m de altura. É uma grande barca que traz as silhuetas dos pescadores enaltecendo o primeiro Santuário Nacional milagre da abundância dos peixes. No centro, uma imagem de Nossa Senhora, de 8Kg, foi reproduzida em bronze dourado. Uma réplica também foi instalada nos Jardins do Santuário de Aparecida, em homenagem ao jubileu de 300 anos. O maior responsável por levar Aparecida pelo mundo tem sido o Cardeal Raymundo Damasceno Assis, que foi Arcebispo de Aparecida, Monumento a Nossa Senhora Aparecida que se encontra nos Jardins do Vaticano, inaugurado pelo Papa Francisco, em 8 de entre 2004 e 2016, e presidente da outubro de 2016, sob a assinatura do artista plástico Cláudio Pastro CNBB, entre 2011 e 2015.

e produzida em Verona, na Itália. Retrata uma canoa na base, os três pescadores e uma rede, recordando o momento do encontro da imagem nas águas do Rio Paraíba do Sul. Outubro 2018

Dani Nanni Redação BIO 5


Diocese de Osasco: rumo aos 30 an

A

Chegada aos anos 2000

Diocese de Osasco viveu um de seus momentos mais significativos no dia 23 de janeiro de 2000, ao celebrar os vinte e cinco anos de ordenação episcopal de nosso pastor, pois tivemos a oportunidade de juntos render graças a Deus pelo dom da vida e vocação de Dom Francisco Manuel Vieira. Participaram da celebração solene o arcebispo metropolitano de São Paulo, Cardeal Dom Cláudio Hummes, além de mais onze bispos, de autoridades civis, dos padres de nossa Diocese, religiosos e religiosas, da família de Dom Francisco, representantes da comunidade evangélica de Osasco, seminaristas e leigos de todos os municípios que compõe nossa Diocese. A Diocese de Osasco recebeu a partir do dia 02 de julho de 2000, a Cruz Peregrina, a mesma Cruz que esteve presente na primeira missa, celebrada em terras brasileiras, em primeiro momento chamada de “Terra da Santa Cruz”. Com ela veio também à imagem de Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil, por ocasião da comemoração dos 500 anos de evangelização do Brasil. Em 18 de fevereiro de 2001, faleceu o Pe. Eli Mandu da Silva, assassinado brutalmente. Nascido no dia 07 de fevereiro de 1966, no Rio Grande do Norte, filho de Maria de Nazaré dos Santos e José Mandu Filho; seu lema sacerdotal era: “Tu me seduziste, Senhor, e eu me deixei seduzir.” (Jr 20,7) No dia 03 de março de 2002, na Catedral Santo Antônio, Dom Francisco Manuel Vieira, celebrou a missa rendendo graças a Deus pelo jubileu de Ouro Sacerdotal do Pe. Ângelo (Vicente) Grando. Neste mesmo ano, no dia 24 de abril, Dom Ercílio Turco foi nomeado, por Sua Santidade o Papa João Paulo II (hoje santo) como o 2º Bispo Diocesano de Osasco. Dom Ercílio, nasceu em Campinas, filho de Francisco Turco e de Ignez Canossa Turco. Foi ordenado sacerdote diocesano no dia 1º de dezembro de 1963 e sagrado Bispo no dia 04 de fevereiro de 1990, tomando posse em Limeira 6

Arquivo BIO

Chegada de Dom Ercílio Turco ao Ginásio José Liberatti.

no mesmo ano, seu lema episcopal é: “Evangelium Dei Evangelizare” (Anunciar o Evangelho de Deus). Dom Ercílio Turco realizou seu 1º contato com o povo da Igreja Diocesana de Osasco no dia 1º de maio, festa de São José Operário – 13º aniversário de instalação da nossa Diocese. Sua posse canônica realizou-se no dia 30 de junho de 2002, festa litúrgica dos apóstolos São Pedro e São Paulo, às 15h, no Ginásio de Esportes Professor José Liberatti, em Osasco, sendo acolhido com estas palavras de Dom Francisco: “Este báculo de Pastor que, durante 27 anos de feliz episcopado me acompanhou, revelando-me a serenidade e a bondade de nosso Deus, eu passo às suas mãos, alegre e confiante na graça do mesmo Deus que nos haverá de conceder anos ainda maiores de feliz evangelização”. No dia 09 de outubro de 2003, foi inaugurada e consagrada, por Dom Ercílio Turco, a nova Igreja Matriz da Paróquia São Lucas Evangelista, em Carapicuíba. No dia 10 de outubro do mesmo ano, aconteceu a dedicação do Altar da Paróquia Nossa Senhora Apa-

recida, do Helena Maria, em Osasco, por Dom Francisco Manuel Vieira. Em março de 2004, especificamente no dia 18, aconteceu no Salão de Atos da Cúria Diocesana, a entrega do título de Cidadão Osasquense a Dom Francisco Manuel Vieira, bispo emérito da Diocese de Osasco. No dia 20 do mesmo ano, o Seminário Diocesano São José, comemorou seus 25 anos existência com Missa Solene. No dia 29 de agosto de 2004, por incentivo de Dom Ercílio Turco, bispo Diocesano, o Seminário São José, realizou a 1ª edição da grandiosa festa vocacional, o COMVOCAÇÃO, que contou com a participação de várias bandas católicas, entre outras atrações. Em 13 de setembro de 2005, a Drª. Zilda Arns (irmã do Cardeal Arns), idealizadora e propagadora da Pastoral Criança, recebeu o Título de Cidadã Osasquense; Em outubro do mesmo ano, no dia 09, o Monsenhor Paulo Link, pároco da Paróquia Santa Rita de Cássia, em Carapicuíba, comemorou solenemente seus 40 anos de Sacerdócio e serviço ao povo de Deus, enquanto Dom Francisco Manuel Vieira,

nosso bispo emérito, comemorou seus 30 anos de Episcopado. Em maio de 2007, foi inaugurado o sinal da Rádio da Milícia da Imaculada para toda região da Diocese de Osasco. De 09 a 28 de novembro de 2009, o Papa Bento XVI, recebeu Dom Ercílio Turco em visita “ad limina” apostolorum. • 07/12/02 - Jubileu de Ouro de Dom Francisco Manuel Vieira, pelos seus 50 anos de sacerdócio. • 19/04/2005 – Cardeal Joseph Ratzinger, torna-se Papa Bento XVI; • 31/03/2006 – Criou-se a Paróquia Cristo Ressuscitado, em Carapicuíba; • 31/05/2006 – Elevação da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, Jandira; • 09/11/2007 – Criou-se a Área Pastoral Nossa Senhora de Fátima, no Jardim Coimbra, Cotia; • 15/09/2007 – Criação da Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora Aparecida, Carapicuíba; Sem. Robison Fernandes Equipe 30 anos da diocese Arquivo BIO

O báculo usado durante 27 anos por dom Francisco passa às mãos de Dom Ercílio2º bispo da Diocese de Osasco Outubro 2018


nos de Evangelização 30 anos 1989 - 2019

Paróquia em destaque

Imagem da Internet

Paróquia Nossa Senhora da Penha

E

m meados de 1590, o mameluco Affonso Sardinha, o velho, conhecido como Capitão-Mor de São Paulo de Piratininga registra ter encontrado ouro de lavagem nas proximidades do Morro do Vuturuna. Em 04 de Dezembro de 1605 (data considerada como marco-zero luso-católico histórico da formação de Araçariguama) Affonso Sardinha, o moço, inaugurou a capela aos devotos de Santa Bárbara, protetora dos mineradores e dos militares, ao pé do Morro do Vuturuna, nos arredores do local hoje conhecido como morro do Cantagalo, onde descobriu-se um vasto veio aurífero em Araçariguama. A vila começou a se formar entre 1625 e 1640, com a dispersão e fixação dos fazendeiros e bandeirantes, estes atraídos pelo ouro, a partir de Santana de Parnaíba por áreas próximas, principalmente as margens do rio Tiete e ao ribeirão Araçariguama, afluente da margem esquerda do rio Pirapora. Muitos desses bandeirantes paulistas se fixaram em Araçariguama em função da exploração do minério. Dali saíram em direção ao interior brasileiro e para suas fazendas, posteriormente retornaram com seus carregamentos de ouro, pedras preciosas ou mesmo centenas de índios capturados. Em 1648 foi edificada a capela de Nossa Senhora da Penha, onde Rodrigo Gonçalo Bicudo Chassin, deu início ao vilarejo que mais tarde se tornaria Imagem da Internet

Igreja Matriz Nossa Senhora da Penha Outubro 2018

o povoado de Araçariguama, sendo construída em taipa de pilão. Tendo por bispo Dom Pedro da Silva Sampaio, da Diocese de São Salvador da Bahia (7º Bispo do Brasil). Entre 1650 e 1653 foi construída em parte da Fazenda Araçariguama, adquirida pelo Capitão-mor Guilherme Pompeu de Almeida, a Capela de Nossa Senhora da Conceição; nas proximidades do Ribeirão do Colégio, onde hoje está localizado o Bairro do Rio Acima, constituindo-se no decorrer do tempo a mais importante edificação religiosa em território araçariguamense, principalmente pela notoriedade e respeito da família que mandou construí-la, pois detinham posses em toda a região que ia de São Paulo às Minas Gerais. “A respeito de Araçariguâma, menos acertadamente escreve Azevedo Marques, aliás paciente e criterioso investigador: "Pequena povoação que deve a sua origem à influência dos notáveis paulistas capitão-mór Guilherme Pompêu de Almeida, seu filho o Padre Dr. Guilherme Pompêu de Almeida e Francisco Rodrigues Penteado, que alhi edifcaram a capella, depois matriz da paróchia, por esforços do Padre Belchiór de Pontes. Do liv. 1.° de Registro de Provisões da Câmara Episcopal consta que, em 1653, foi a paróchia desmembrada de Parnahyba, com a invocação de N. Senhora da Penha."’ Em 1653 a capela de Nossa Senhora da Penha foi elevada à condição de paróquia e hoje é a matriz do município, localizada na área central, foi considerada uma das mais importantes do território, então pertencente a vila de Parnaíba, nas proximidades do Morro do Vuturuna, onde outrora se encontravam os principais veios auríferos de São Paulo, explorados por Affonso Sardinha desde 1590. Em 1738 foi edificada pelo Padre Guilherme Pompeu de Almeida, a capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição tendo sido construída para atender as atividades religiosas dos administradores e escravos das fazendas da família, local hoje conhecido com Sítio dos Barbosa. Durante toda a história da paróquia Nossa Senhora da Penha houve vários visitadores, dentre eles, considerados mais importantes: Dom Frei Antônio de Guadalupe, Bispo do Rio de Janeiro (18/02/1728); Dom Frei Manuel da Ressureição, Bispo de São Paulo (12/05/1772) e Dom Antônio Paes Camargo, todos bispos fizeram observações e exigiram dos padres que fizessem reformas e melhorias na Igreja, uma vez que a mesma se encontrava em mal estado de conservação. Depois de várias reformas em suas bases, principalmente as registradas em 1772 e 1833 e a última entre 1965, 1967 e 1997, a Igreja de Nossa Senhora da Penha foi vitimada por algumas transformações em sua estrutura arquitetônica, resguardando, porém, as característi-

Igreja Matriz Nossa Senhora da Penha

cas básicas do período de sua construção. Foram muitos os padres que trabalharam na Paróquia de Nossa Senhora da Penha, no decorrer de sua história muitos vigários providos de Santana de Parnaíba, Pirapora e São Roque também contribuíram com a evangelização, homens notáveis que doaram suas vidas no recém povoado de Araçariguama. Dentre eles: Frei João Soares (1708); Frei Francisco da Victória (1710); Padre Alexandre de Gusmão (1712); Padre Ignácio de Almeida Lara (1719); Padre Francisco José Guedes (1750); - Padre Dr. Manuel da Costa Aranha (1748 – 1764); Padre José Rodrigues de Oliveira (1791 – 1795); Padre Francisco Metello Homem (1827-1831); Padre Manoel Zeferino de Oliveira (1856-1888); Padre António Maria Vieira (1914). E os padres mais recentes, Pe. Jonh Mc Guire; Pe. Osmar Alves; Pe. José Eduardo da Silva, Pe. Luiz Sochiarelli, Pe. Sebastião Correa (pároco atual), e hoje, vigário paroquial o Pe. Eduardo Sobrinho que desempenhará seu ministério a partir desse mês. A paróquia está localizada em grande área territorial 146,3 km², dentro de um contexto plural: urbano, industrial e rural, sendo celebrada a padroeira da paróquia e do município no dia 16 de setembro, festa solene e grandiosa, antecedida por uma bonita novena. A Paróquia Nossa Senhora da Penha consta de 16 comunidades: Igreja Matriz Nossa Senhora da Penha (centro), Igreja São José (Jardim Brasil), Igreja Nossa Senhora da Conceição (Bairro da Aparecidinha), Igreja Nossa Senhora Aparecida (Bairro St’Ella), Igreja Nossa Senhora Imaculada Conceição (Bairro do colégio), Igreja Nossa Senhora de Lourdes e São Joaquim (Bairro do Butantã), Igreja Santíssima Trindade (Bairro Ibaté), Igreja São Benedito (Bairro Mombaça), Comunidade Nossa Senhora de Fátima (Bairro Igavetá), Comunidade Santa Rita de Cássia (Bairro da Lagoa), Comunidade São Sebastião (Bairro Cintra Gordinho), Comunidade Nossa Senhora das Graças (Bairro Viçoso), Comunidade São Bento e Santa Luzia (Bairro Caxambú) e Comunidade Santo Expedito (Castelo Branco – km56). Sem. Carlos Augusto de Andrade Ano Pastoral 7


IGREJA EM MISSÃO / SAV

BIO

SAV realiza encontro diocesano no Colégio Misericórdia

N

o domingo (23), aconteceu o Encontro Diocesano de Coroinhas e Acólitos de 2018, no Salão do Colégio Misericórdia (Osasco). Aproximadamente, 600 pessoas estiveram presentes nesta manhã de ação de graças a Deus pelo chamado ao serviço do altar, feito a muitas crianças e jovens de nossa Diocese. Os grupos de coroinhas, acólitos e cerimoniários, junto com alguns pais e coordenadores, começaram a chegar bem cedo e muito animados para o encontro. Alguns vieram das proximidades de Osasco e outros de cidades mais distantes como Mairinque e Alumínio. Logo no início, os jovens começaram tomando o café da manhã e em seguida, já se consagraram à Virgem Maria. O ministério de música da Paróquia São Paulo da Cruz, ajudou na animação do encontro, com muito louvor e animação desde cedo. Depois, todos meditaram a Paixão de Cristo e o amor de Deus por nós, contemplando o terço da misericórdia, rezado por alguns coroinhas e acólitos. Em continuidade, o seminarista Kennedy (2° ano de Teologia), fez uma pregação sobre o tema do Encontro: "Portanto, sede perfeito, assim como vosso Pai celeste é perfeito!" Mt 5,48. Durante a manhã, alguns padres

Outubro, mês das missões

8

Karen Gomes

Karen Gomes

Karen Gomes

Karen Gomes

(Monsenhor Claudemir, Padre Leonardo, Padre Romildo, Padre Rogério Lemos) passaram pelo Encontro para dirigir uma palavra e bênção a todos. Já, no final do Encontro, todos puderam encontrar-se com o Amado, a quem servem em cada Santa Missa das várias paróquias de nossa Diocese. O Diácono David (Missionário do Espírito Santo) conduziu a Adoração e deu a bênção com o Santíssimo Sacramento. Por fim, a manhã encerrou-se com o ponto ápice do domingo, a Santa Missa presidida pelo Padre Marcelo Fernandes. Em sua homilia, ele destacou a importância de todos aqueles que servem o altar, ter uma vida de acordo com a vontade de Deus e não se preocupar em quem é melhor que o outro, para não ficarem como os apóstolos do Evangelho do dia, calados diante da pergunta de Jesus aos discípulos. Isso foi perfeitamente em conformidade com a mensagem em vídeo de Dom João Bosco, passada no encontro; pois nosso Pai e Pastor lembrava a todos que é importante ter uma vida fora da igreja, de acordo com nossa vida dentro dela, porque o coroinha, acólito e cerimoniário são sinal da luz de Deus em meio ao mundo. Sem. Vitor Kano 1º Ano de Teologia

O

mês de outubro quer nos animar na realização das atividades missionárias no Brasil e no mundo. Neste ano em que as Pontifícias Obras Missionárias (POM) celebram 40 anos de missão, queremos lembrar a vida de tantos missionários que construíram essa história. Com o tema “Enviados para testemunhar o Evangelho da paz”, o objetivo do mês missionário é sensibilizar, despertar vocações missionárias e realizar a Coleta no Dia Mundial das Missões, no penúltimo domingo de outubro (nos dias 20 e 21). O papa Francisco desde o início de seu pontificado tem nos convidado a agir sem medo e sem rigidez, com coragem e igualmente “dóceis” ao Espírito, para além das estruturas que nos asfixiam. Uma Igreja não burocrática,

mas uma Igreja em saída, próxima das pessoas. Neste espírito, e em comunhão com a Campanha da Fraternidade de 2018, queremos viver juntos o grande projeto de Deus de construir a civilização do amor. Oração do Mês Missionário 2018 Deus Pai, Filho e Espírito Santo, nós Vos louvamos e bendizemos pela Vossa comunhão, princípio e fonte da missão. Ajudai-nos, à luz do Evangelho da paz, testemunhar com esperança, um mundo de justiça e diálogo, de honestidade e verdade, sem ódio e sem violência. Ajudai-nos a sermos todos irmãos e irmãs, seguindo Jesus Cristo rumo ao Reino definitivo. Amém. Fonte: Site POM Pontifícias Obras Missionárias Outubro 2018


PANAMÁ É AQUI

BIO

O Setor Juventude com muita alegria anuncia o Evento Diocesano Panamá é Aqui. Este evento tem como foco a Jornada Mundial da Juventude que a cada dois anos têm sede em um país acolhedor, neste caso, em 2019 a JMJ ocorrerá no Panamá. Imagem da Internet

Para atender a este chamado, mais uma vez o Espírito Santo enviou-nos uma resposta e o Setor Juventude lançou em comunhão com a JMJ 2019 o Panamá é Aqui, que acontecerá nas cidades de Mairinque e Alumínio nos dias 26 e 27 de janeiro de 2019.

O QUE É A JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE? No ano de 1986 o papa São João Paulo II convocou toda a Igreja jovem, para celebrar e professar a fé em Cristo Jesus. A cada tempo determinado da Igreja, ou seja, a cada três anos esta convocação é feita mais uma vez, para que todas as nações se reúnam para reviver o chamado de Cristo. Em 2013 fomos agraciados, pois o Brasil – Rio de Janeiro foi escolhido como sede de acolhimento para a JMJ. No ano de 2016 na Polônia – Cracóvia a JMJ foi realizada pelo Papa Francisco, que anunciou que no ano de 2019 o próximo país a sediar a JMJ será o Panamá. Mais uma vez a Igreja sairá dos teus quatro cantos e se reunirá para professar a mesma fé. POR QUE PANAMÁ É AQUI? Antes de respondermos a esta pergunta, vamos voltar ao ano de 2016 em que estávamos vivendo o espírito da JMJ em Cracóvia na Polônia, que nos trouxe grandes realidades de fé e devoção a Igreja de Cristo. Com a crise econômica em nosso país, as passagens aéreas para Cracóvia estavam com um custo muito alto e muitos jovens de nossa diocese infelizmente não poderiam participar do evento mundial. Para melhor atender as necessidades dos jovens de nossa diocese, o Setor Juventude impulsionado pelo Espírito Santo criou o evento Cracóvia é Aqui, na cidade de Ibiúna, que teve total cunho com a JMJ que estava ocorrendo em Cracóvia, Polônia. Durante os três dias de peregrinação em Ibiúna, os jovens cumpriram um cronograma de fé. Após o evento, foram muitos os testemunhos deixados na esperança de um próximo encontro diocesano. Outubro 2018

INSCRIÇÃO Para participar do evento é necessário que o peregrino se inscreva no site: www.osetorjuventude.com do dia 01 de março de 2017 a 04 de dezembro de 2018. Podem-se inscrever: A idade mínima de participação do evento é de 14 anos. Os jovens desta idade não poderão se inscrever na opção Individual, pois somente as pessoas maiores de 18 anos tem esta autorização. Os jovens menores de 14 anos, só poderão ir ao evento acompanhado pelos pais ou responsável. Se caso eles forem, todos devem ser inscritos pelo Responsável do Grupo no campo Grupo de Peregrinos. GRUPOS DE PEREGRINOS: Este campo é para os grupos de jovens das paróquias de nossa diocese, onde para efetuar este cadastro é necessário que o responsável pelo grupo inscreva todos os participantes, inclusive ele, que responderá por todos os seus. *Não há limite de componentes no grupo* INDIVIDUAL: Este campo é para as pessoas que irão por conta própria e que não estão participando de nenhum grupo de peregrinos. Os mesmos poderão participar de uma Família Acolhedora, mas para que isso ocorra, o peregrino deve baixar a autorização, que se encontra no site do Setor Juventude. A mesma deve ser assinada e carimbada pelo seu pároco, reco-

nhecendo que o jovem é um membro da comunidade. A autorização assinada deve ser enviada ao e-mail: setorjuventude. osasco@gmail.com TAXA DE PARTICIPAÇÃO: Por se tratar de um evento diocesano e de muita articulação, é necessário que tenhamos uma ajuda de custo para poder investir no evento e organizá-lo, para que tudo ocorra de forma segura e correta. Por estes motivos, a taxa de participação será no valor de R$ 60,00 por pessoa. Abaixo temos as formas em que esta taxa pode ser contribuída: DEPÓSITO BANCÁRIO E TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA Banco: Itaú Agencia: 0253 Conta Corrente: 14118-8 CNPJ: 61.378.774.0074-09 DESTINATÁRIO: Mitra Diocesana de Osasco Acertos da secretaria paroquial: Local: Paróquia São Pio X Endereço: Estrada do Morro Grande; 138 – Atalaia – Cotia, SP. Pedimos que após a Inscrição, o responsável do grupo leve no máximo 30 dias para o acerto da taxa, e se o cadastro for realizado entre 5 a 10 dias antes ou no dia do encerramento das inscrições, a contribuição deve ser feita até 03 dias depois. MENORES DE IDADE Como citado acima, a idade mínima de inscrição para o evento é de 14 anos. O responsável pelo grupo de peregrinos deve ter total ciência que será responsável pelos menores durante todo o cumprimento do cronograma do evento. Aos menores de idade, no Site do Setor Juventude, tem um arquiImagem da Internet vo em Word, com uma autorização para ser baixada, que os pais ou responsável pelo menor, devem assinar estando cientes que o mesmo participará do Evento Diocesano. A autorização assinada pode ser enviada pelo Coordenador do Grupo ou por e-mail.

PESSOAS PORTADORAS DE NECESSIDADES ESPECIAIS As pessoas Portadoras de Necessidades Especiais devem ir com um acompanhante, para que possa participar de todo o cronograma do evento. Caso queiram fazer alguma especificação de sua necessidade, e vejam que é importante que tenhamos ciência, pedimos que nos comunique pelo e-mail do Setor Juventude. KIT PEREGRINO Cada peregrino inscrito receberá um Kit Peregrino. O que contém o Kit Peregrino? Surpresa! Participe do evento e você saberá! TRANSPORTE Cada região, paróquia, grupos de peregrinos e inscritos individualmente são responsáveis pela forma de transporte até as cidades que sediarão o evento. Transportes dentro do evento Da mesma forma, tal qual foi o Evento Cracóvia é Aqui, após o cumprimento do primeiro cronograma (sábado), todos os jovens serão levados pelo transporte que o Setor Juventude providenciará para participarem da vigília e shows. Após o encerramento, todos retornarão com os mesmos transportes. ACESSO AOS ESPAÇOS Cada peregrino receberá um crachá de Peregrino que o identificará como participante do evento. Somente as pessoas com o crachá de Organização poderão ter acesso aos lugares restritos do evento. Se você não faz parte da Organização, não insista para adentrar aos lugares restritos, participe intensamente dos cronogramas do evento. Pe. Marcelo Pereira Assessor Diocesano do Setor Juventude 9


IGREJA EM AÇÃO / ANO DO LAICATO

BIO

Na crise do compromisso político

O

segundo capítulo da exortação apostólica Evangelii Gaudium traz o título “na crise do compromisso comunitário”; uma concreção dessa crise se apresenta no compromisso político. Podemos falar de desinteresse pela política e pelos políticos e, em muitos casos, de repugnância. Sou capaz de compreender e, não raro, compartilho tal sentimento. Não é bom, porém, parar no desinteresse ou na repugnância. A política não nos deve ser alheia, justamente porque não o é. Alheio é o que é de outrem ou lhe diz respeito, na política não é assim: desde os recursos, passando pelos instrumentos, decisões, consequências, tudo nos diz respeito; tudo parte do povo e volta (com frequência, sem benefícios) para o povo. À semelhança dos atletas, o recuo, manifestado no desinteresse e na repugnância, pode servir para se tomar impulso e dar um salto. Nos últimos anos, a Igreja vem convidando seu povo à participação política. É verdade que nem sempre se consegue deslindar as grandes ideias, nem sempre o geral se torna

Imagem da Internet

aplicável no específico, e o global acaba ficando aéreo, porque não se concretiza no local. O papel do leigo é também aqui imprescindível. Em 2017, dirigindo-se aos políticos da América Latina, o Papa Francisco disse: “é necessário que os leigos católicos não permaneçam indiferentes à vida pública nem fechados nos seus templos, nem sequer esperem as diretrizes e as recomendações eclesiais para lutar a favor da justiça e de formas de vida mais humana para todos”. Hoje temos meios que não tínhamos antes para participar mais efetivamente; estes meios devem ser mais buscados, e tal busca

deve ser protegida e incentivada. É preciso recordar que nenhum projeto político esgota o Evangelho de Jesus Cristo, daí a Igreja, por ser católica, não se identificar com um partido; o Evangelho é perene, os problemas e a busca de soluções variam no tempo e nos lugares. A alternância e a convivência dos vários projetos e propostas no poder podem ajudar ao longo dos anos na busca do bem comum de modo mais integral. A Igreja “não propõe sistemas ou programas econômicos e políticos, nem manifesta preferências por uns ou por outros, contanto que a dignidade da pessoa seja devidamente res-

peitada e promovida” (Solicitudo Rei Socialis, 41). A participação popular não acontece só na militância partidária, mas também nas inciativas familiares, sociais, culturais e de outras ordens, que devem atuar no cenário da participação política (cf. GS 75). Partidos e ideias se sobressaíram e se sustentaram através de medo, mentiras e “meias verdades”. Quantos exemplos teríamos de discursos conforme a posição que se ocupa, de desejo de aplicação seletiva de leis, de relevos e omissões conforme conveniências. Quantas polarizações. Entre nós não deve ser assim. Sistemas, sínteses, preferências partidárias não são vinculantes. Vinculantes são o amor, que é a “via mestra da doutrina social da Igreja” (Caritas in Veritate, 2), e a verdade, que liberta (Jo 8, 32). Desse modo, “pela relevância pública do Evangelho e da fé e pelos efeitos perversos da injustiça, vale dizer, do pecado, a Igreja não pode ficar indiferente às vicissitudes sociais” (DSI 71). Conversemos mais sobre essas coisas e não só em épocas de eleição! O crime é organizado. E nós? Pe. Alexandre Pessoa Garcia Pároco da Paróquia São José Operário do Jd. D’Abril Doutor em Teologia Fundamental

Teologia do laicato em Aparecida: a vocação e missão dos discípulos missionários a serviço da Igreja

A

o andamento do processo do texto de Aparecida, existe a menção aos cristãos leigos, tendo um direcionamento muito específico. O documento em sua segunda parte, reflete sobre “a vida de Jesus Cristo nos discípulos missionários”, isto é, encontra-se a parte doutrinal seguindo a ordem teológica adotada pelo CELAM, em que a teologia do laicato assumida pela conferência se encontra mais desenvolvida, principalmente no quinto capítulo sobre: “A comunhão dos discípulos missionários na Igreja”. Neste aspecto da teologia das vocações específicas, o documento de Aparecida segue a lógica de interpretação, da dignidade das vocações comuns, onde há diversidade de ministérios e carismas do universal, ao particular como na LG. De modo que passo a passo, a conferência apresenta uma maior ligação da doutrina conciliar sobre o laicato. Na verdade, isso significa o amadurecimento teológico-pastoral sobre os leigos na Igreja da América Latina (DAP, 99), porém, vê-se nas conferências uma contínua e progressiva assimilação, dos recursos teológicos presentes na colocação da Lumen Gentium, do qual são citadas 31 e 33 voltando-se para os principais meios: homo christianus e homo ecclesia e participação no tríplice exercício de Cristo, segundo a vocação secular, des10

te período existencial. Se na Conferência do “Santo Domingo” afirmava-se o protagonismo dos leigos na Nova Evangelização, em Aparecida, os bispos pontuam com mais rigor, que a missão evangelizadora da Igreja é inadmissível sem a participação do laicato. De modo que, a conferência coloca a missão do leigo no mundo, e na Igreja, a superação de certa mentalidade clericalista. Não que a influência do clero e do laicato, tenham sido reduzidos da Igreja, mas a questão somou certo equilíbrio teológico na construção do pensamento e ações. Em Aparecida, a missão eclesial dos leigos e o seu apostolado têm sentido como exercício do tríplice encargo da vocação: tanto a família, quanto a sociedade consistem em ordenar essas realidades segundo o Reino de Deus. Somente num segundo ponto do DAP, 213 afirma-se que os leigos são chamados a participar de ações da vida pastoral da Igreja; essa ação “participação” é observada de forma teológica, uma vez que a Igreja é Mistério de Comunhão, é também de forma pastoral, colaboradora nos serviços e ministérios. A missão dos leigos não os separa dos demais membros da Igreja, por suas “hierarquias”, porque a missão realiza-se na comunhão eclesial. Se tratando da missão na

Igreja, o documento exorta e orienta a hierarquia à abertura de espaço a participação dos leigos, confiando-lhes os ministérios sacramentais. Porém, não basta a abertura ao espaço e participação, é necessário oferecer aos leigos uma formação cristã integral e permanente. Essa formação deve ajudar para o exercício missionário da Igreja nos meios comunitários, nas ações pastorais ao mundo, levando a superação de uma consciência clericalizante dos leigos, e mostrando que os ensinamentos tendem a somar nas tarefas realizadas ad intra. Por fim, a grande contribuição da conferência de Aparecida sobre os cristãos leigos, foi oferecer meios de formações integral, resgatando os métodos mistagógicos da Tradição Cristã Antiga. Sem. Diego Medeiros Ano Pastoral Outubro 2018


PAPA

BIO

Juntamente com os jovens, levemos o Evangelho a todos

Q

ueridos jovens, juntamente convosco desejo refletir sobre a missão que Jesus nos confiou. Apesar de me dirigir a vós, pretendo incluir todos os cristãos, que vivem na Igreja a aventura da sua existência como filhos de Deus. O que me impele a falar a todos, dialogando convosco, é a certeza de que a fé cristã permanece sempre jovem, quando se abre à missão que Cristo nos confia. «A missão revigora a fé» (Carta enc. Redemptoris missio, 2): escrevia São João Paulo II, um Papa que tanto amava os jovens e, a eles, muito se dedicou. O Sínodo que celebraremos em Roma no próximo mês de outubro, mês missionário, dá-nos oportunidade de entender melhor, à luz da fé, aquilo que o Senhor Jesus vos quer dizer a vós, jovens, e, através de vós, às comunidades cristãs. Todo o homem e mulher é uma missão, e esta é a razão pela qual se encontra a viver na terra. Ser atraídos e ser enviados são os dois movimentos que o nosso coração, sobretudo quando é jovem em idade, sente como forças interiores do amor que prometem futuro e impelem a nossa existência para a frente. Queridos jovens, não tenhais medo de Cristo e da sua Igreja! Neles, está o tesouro que enche a vida de alegria. Digo-vos isto por experiência: graças à fé, encontrei o fundamento dos meus sonhos e a força para os realizar. Vi muitos sofrimentos, muita pobreza desfigurar o rosto de tantos irmãos e irmãs. A partir da cruz de Jesus, aprendemos a lógica divina da oferta de nós mesmos (cf. 1 Cor 1, 17-25) como anúncio do Evangelho para a vida do mundo (cf. Jo 3, 16). Ser inflamados

Outubro 2018

pelo amor de Cristo consome quem arde e faz crescer, ilumina e aquece a quem se ama (cf. 2 Cor 5, 14). Na escola dos santos, que nos abrem para os vastos horizontes de Deus, convido-vos a perguntar a vós mesmos em cada circunstância: Que faria Cristo no meu lugar?

o anúncio; gera a partilha na caridade com todos aqueles que, longe da fé, se mostram indiferentes e, às vezes, impugnadores e contrários à mesma. Ambientes humanos, culturais e religiosos ainda alheios ao Evangelho de Jesus e à presença sacramental da Igreja constituem Imagem da Internet

O Sínodo dos Jovens acontece de 3 a 28 de outubro de 2018, no Vaticano, com o tema “Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”

Pelo Batismo, também vós, jovens, sois membros vivos da Igreja e, juntos, temos a missão de levar o Evangelho a todos. Estais a desabrochar para a vida. Crescer na graça da fé, que nos foi transmitida pelos sacramentos da Igreja, integra-nos num fluxo de gerações de testemunhas, onde a sabedoria daqueles que têm experiência se torna testemunho e encorajamento para quem se abre ao futuro. A propagação da fé por atração requer corações abertos, dilatados pelo amor. Ao amor, não se pode colocar limites: forte como a morte é o amor (cf. Ct 8, 6). E tal expansão gera o encontro, o testemunho,

as periferias extremas, os «últimos confins da terra», aos quais, desde a Páscoa de Jesus, são enviados os seus discípulos missionários, na certeza de terem sempre com eles o seu Senhor (cf. Mt 28, 20; At 1, 8). Nisto consiste o que designamos por missio ad gentes. O mundo digital, as redes sociais, que nos envolvem e entrecruzam, diluem fronteiras, cancelam margens e distâncias, reduzem as diferenças. Tudo parece estar ao alcance da mão: tudo tão próximo e imediato... E, todavia, sem o dom que inclua as nossas vidas, poderemos ter miríades de contatos, mas nunca estaremos imersos numa

verdadeira comunhão de vida. Agradeço a todas as realidades eclesiais que vos permitem encontrar, pessoalmente, Cristo vivo na sua Igreja: as paróquias, as associações, os movimentos, as comunidades religiosas, as mais variadas expressões de serviço missionário. Muitos jovens encontram, no voluntariado missionário, uma forma para servir os «mais pequenos» (cf. Mt 25, 40), promovendo a dignidade humana e testemunhando a alegria de amar e ser cristão. De corações jovens, nasceram as Pontifícias Obras Missionárias, para apoiar o anúncio do Evangelho a todos os povos, contribuindo para o crescimento humano e cultural de muitas populações sedentas de Verdade. As orações e as ajudas materiais, que generosamente são dadas e distribuídas através das POMs, ajudam a Santa Sé a garantir que, quantos recebem ajuda para as suas necessidades, possam, por sua vez, ser capazes de dar testemunho no próprio ambiente. Queridos jovens, o próximo mês missionário de outubro, em que terá lugar o Sínodo a vós dedicado, será mais uma oportunidade para vos tornardes discípulos missionários cada vez mais apaixonados por Jesus e pela sua missão até aos últimos confins da terra. A Maria, Rainha dos Apóstolos, ao Santos Francisco Xavier e Teresa do Menino Jesus, ao Beato Paulo Manna, peço que intercedam por todos nós e sempre nos acompanhem. Trechos da Mensagem para o Dia Mundial das Missões, celebrado no dia 21 de outubro. (Papa Francisco Vaticano, 20 de maio de 2018 – Solenidade de Pentecostes)

11


PROGRAME-SE

BIO

Semana dos Ministérios Extraordinários 2018

Agenda Diocesana 13 e 14/10 • Escola Discípulos de Emaús – Módulo II – Aula V 14/10 • 8h - IV Encontro Diocesano de Crismandos – S. Roque 18/10 Festa de São Lucas Evangelista 19/10 a 21/10 • Retiro Diocesano da Liturgia – “Casa de Retiro - Centro de Formação Ozanam” 20 e 21/10 • Escola Discípulos de Emaús – Módulo II – Aula VI 20/10 • 9h - Retiro Diocesano da Pastoral da Saúde – Centro Pastoral 21/10 • 10h - Formação e reunião para coordenadores da Pascom – Região Santo Antônio – Catedral Santo Antônio • 15h - Missa Diocesana de Envio dos Jovens para Panamá – São Roque 22/10 a 25/10 • 19h30 às 21h30 - Semana de Fé e Compromisso Social - Salão de Atos da Cúria 25/10 a 03/11 • Visita Pastoral Região São Roque

27/10 • Missão Regional São Roque – Paróquia São João Batista • 7h30 às 18h - Pastoral Familiar Assembleia Diocesana – Paróquia Espírito Santo 01/11 Dia de Todos os Santos 02/11 Solenidade dos Fiéis Defuntos 03/11 Encontro da CRB Osasco – local e horário a definir 03 e 04/11 • Escola Discípulos de Emaús – Módulo II – Aula VII 04/11 • 8h – XV Concentração Diocesana do Apostolado da Oração – Cotolengo/ Cotia 05 a 09/11 • Semana dos Ministérios 06 a 18/11 • Visita Pastoral da Região Cotia 09/11 Festa da Dedicação da Basílica de Latrão – Catedral de Roma 10 e 11/11 • Escola Discípulos de Emaús – Módulo II – Aula VIII – Entrega de Certificados 17/11 • 8h às 16h – Assembleia Diocesana - Ibaté

O

Ano de 2018 foi todo dedicado aos cristãos leigos e leigas e a reflexão sobre sua presença e sua organização no Brasil, nas suas diversas dioceses; aprofundando pela formação e momentos de espiritualidade: “sua identidade, vocação, espiritualidade e missão; a fim de que possam testemunhar Jesus Cristo e seu Reino na sociedade”. Na continuidade desta proposta nos preparamos para acolher a Semana dos Ministérios Extraordinários 2018 que acontecerá em sintonia com a Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate do Papa Francisco sobre a santidade no mundo atual. «ALEGRAI-VOS E EXULTAI» (Mt 5, 12), «anda na minha presença e sê perfeito» (Gn 17, 1).

A Semana dos Ministérios acontecerá de 05 a 09/11/2018 nas 9 Regiões Pastorais de nossa Diocese tendo como Tema: “O Ministério como sal e luz no mundo cotidiano” e Lema: “Não se acende uma lâmpada para colocar debaixo de uma vasilha” (Mt 5,15). O estudo desta semana será baseado na Exortação Apostólica do Papa Francisco – Gaudete et Exsultate, “Alegrai-vos e Exultai-vos”. Esta semana Ministerial deve ser participada por todos os ministros, tanto os novos quanto os que renovarão o ministério por mais um mandato. Além do estudo da Exortação será tratado também sobre os critérios para ser Ministro(a); as dimensões que os caracterizam; a formação para exercício dos mesmos; as obrigações e deveres dos Ministros, dentre outros. Na segunda-feira dia 05/11/2018 será realizada a Abertura da Semana dos Ministérios nas Paróquias e do dia 06/11 a 09/11/2018 a formação será conforme o local agendado de cada Região com seu respectivo Assessor. Seguem informações sobre os locais onde acontecerão a Semana dos Ministérios e os padres Coordenadores Regionais dos Ministérios Extraordinários. A Assessoria para semana de cada Região deverá ser escolhida pelo padre Coordenador Regional e a Coordenação Leiga dos Ministérios de cada Região. Os horários serão informados pelas Regiões. Fiquem atentos e não deixem de participar! Maiores detalhes com a Coordenação Regional de sua Região e Paróquia. Seguem informações do Coordenador Regional e dos locais onde acontecerá a Semana Ministerial em cada Região: Região Pastoral Barueri: Assessor Pe. Denis Aparecido Mendes Pereira, local: Paróquia São João Batista - Avenida Henriqueta Mendes Guerra, 212 – Centro – Barueri – SP; Região Pastoral Bonfim: Assessor Pe. Sérgio Vinicius Dantas de Oliveira, local: Paróquia São João Batista - Praça Prof. Anésio Cabral, 355 - Rochdale – Osasco – SP; Região Pastoral Carapicuíba: Assessor Pe. Ewerton Leandro de Queiroz Silveira, local: Paróquia São Lucas Evangelista – Av. Inocêncio Seráfico, 2450 – Vila Silva Ribeiro – Carapicuíba – SP; Região Pastoral Cotia: Assessor Pe. Alexandre Oliveira, local: Paróquia São Pio X - Estrada do Morro Grande, 138 – Jardim Atalaia – Cotia – SP; Região Pastoral Itapevi: Assessor Pe. Pedro Rodrigues Lopes, local: Paróquia São Judas Tadeu - Praça Padre Romeu Mecca, 1 – Centro – Itapevi – SP; Região Pastoral Ibiúna: Assessor Pe. Alexandre Augusto Siles, local: Paróquia Nossa Senhora das Dores - Praça Marechal Deodoro, 9 – Centro - Ibiúna – SP; Região Pastoral Santo Antônio: Assessor Pe. Vagner João Pacheco de Moraes, local: Catedral Santo Antônio – Av. Santo Antônio, 1090 – Vila Osasco – Osasco; Região Pastoral São José Operário: Assessor Pe. Alan Ramos do Nascimento, local: Matriz da Paróquia São José Operário - Av. Prestes Maia, 901 – Jardim D’Abril – Osasco / SP; Região Pastoral São Roque : Assessor Pe. Eduardo Aparecido dos Santos, local: Colégio São José – Av. João Pessoa, 105 - Centro - São Roque, SP. Pe. Flávio Silva dos Anjos Coordenador Diocesano dos Ministérios Extraordinários Dalva Maria de Almeida Coordenadora Regional dos Ministérios Extraordinários Região Santo Antônio

12

Outubro 2018

BIO 257 - Outubro de 2018  

257 - Boletim Informativo da Diocese de Osasco - BIO – Ano XXVIII - Nº 257 - Bio Outubro de 2018

BIO 257 - Outubro de 2018  

257 - Boletim Informativo da Diocese de Osasco - BIO – Ano XXVIII - Nº 257 - Bio Outubro de 2018

Advertisement