Issuu on Google+

Boletim Informativo de Osasco

Ano IX - N° 85 - Outubro - 1998

Deus, nosso Pai, nós vos louvamos e bendizemos, por toda animação missionaria que se realiza, por meio de vosso Filho Jesus, Caminho certo a seguir, Verdade que liberta e Vida que salva. Enviai sobre nós o Espírito Santo, para que nossas comunidades sejam sinal de vida e esperança

para todos.

S ENSINARA

Despertai vocações missionárias e protegei os que anunciam o Evangelho, tornando vosso nome conhecido, em todos os recantos do universo. Abençoai o nosso esforço

em assumir as Santas Missões Populares como tempo forte de oração e evangelização. Maria, Mãe de Deus e nossa, fazei-nos seguidores e seguidoras, do vosso Filho Jesus e fortalecei,

em todas as pessoas o compromisso de construir, hoje e no Novo Milénio, um mundo de justiça e de paz. Ele vos ensinará toda a verdade!


INFORMANDO CANCELAMENTO DA ASSEMBLEIA DAS IGREJAS

MINISTRO DA SAÚDE PEDE APOIO PARA CAMPANHA

DOM ALFREDO NOVAK RECEBE COMENDA

A Comissão Representativa do Regional Sul I, reunida no último dia 20, decidiu o cancelamento da próxima Assembleia das Igrejas marcada para os dias 23 e 24/10. Os motivos são os seguintes: os bispos estarão ausentes, tendo em vista a beatificação do Frei Galvão em Roma; Padres, Leigos e Leigas por causa das dificuldades em conseguir dispensa do trabalho, e a antecipação do 2e Turno das Eleições para o dia 25/10. O texto "Quatro Referências para o Trabalho Evangelizador", da pesquisadora Lúcia Pedrosa do CERIS, assim como todo material de reflexão e discussão da Assembleia serão encaminhados às Dioceses, Sub- Regionais e Conselho de Pastoral Regional, para serem estudados a fim de que não se perca a reflexão e a caminhada pastoral ora em curso.

Em visita ao Secretário Geral da CNBB, Dom Raymundo Damasceno Assis, o Ministro da Saúde, José Serra, pediu apoio da CNBB para a Campanha de Prevenção ao câncer do colo do útero que o Ministério da Saúde está realizando em todo o País. Segundo o Ministro, esta doença mata uma brasileira a cada hora e vinte minutos. Mas o câncer uterino tem uma evolução lenta e pode ser prevenido. Quando diagnosticado precocemente, a doença tem cura em 100% dos casos. No ano passado, 6760 mulheres morreram em consequência do câncer uterino. Dom Raymundo Damasceno enviou carta a todos os Bispos pedindo o apoio dos mesmos à campanha.

No dia 04 de setembro, na Associação Me dica do Paraná, em Curitiba, Dom Alfredt Novak, Bispo de Paranaguá recebeu < Comenda de Mestre-Maior, concedia pela Honorífica Ordem Filantrópica, insti ruída pela Federação das Misericórdias < Entidades Filantrópicas do Estado de Paraná. Há alguns anos, Dom Alfredo li dera um grupo que vem atuando na recu peração da Santa Casa de Misericórdia d< Paranaguá com o objetivo de servir espe cialmente à comunidade carente local Segundo o Presidente da Federação, í Comenda "é um reconhecimento ao espí rito de filantropia de Dom Alfredo qut procura praticar, estimular e fomentar í prática da Misericórdia"

XVI CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Será realizado de 11 a 15 de outubro, em Porto Alegre (RS), promovido pela Associação de Educação Católica (AEQ. Terá como tema Escola e Solidariedade e como lema Praticando a inclusão. SETOR DE EDUCAÇÃO Para um trabalho mais permanente e sistemático no campo da educação o Regional Sul I da CNBB criou o Setor de Educação tendo como bispo responsável D. Aloysio José Leal Penna (Bauru). São propostas para a atuação do Setor, entre outras, a criação e fortalecimento da Pastoral da Educação nas Dioceses e a divulgação de experiências educacionais realizadas pelas mesmas. Por outro lado entende-se como fundamental a divulgação do "Projeto Renda Mínima" como forma de assegurar a presença das crianças na escola, a participação na "Marcha Global pela Erradicação do Trabalho Infantil", o conhecimento e a divulgação do Estatuto da Criança e do Adolescente, bem como o incentivo às dioceses para que instituam programas do tipo "Zerar a Dívida com a Educação" e classes de alfabetização. DOM KOAIK MEMBRO DA CEP D. Eduardo Koaik, bispo diocesano de Piracicaba, foi escolhido para substituir D. Marcelo Pinto Carvalheira na Comissão Episcopal de Pastoral da CNBB. A ele votos de sucesso neste novo trabalho.

MATERIAL PARA O DIA NACIONAL DA JUVENTUDE No último domingo de outubro próximo será celebrado o Dia Nacional da Juventude. Cada ano, o DNJ tem tema e lema sugeridos pelos jovens que participam de grupos e são animadores desse dia. Neste ano, o tema é: "Juventude e Direitos Humanos"; o lema: "Nas asas da esperança gestamos a mudança" O cartaz e o subsídio com encontros para jovens podem ser solicitados ao Centro de Capacitação da Juventude - fone/fax (011)6917-1425 ENCONTRO CONTINENTAL DE JOVENS Será realizado em Santiago do Chile, de 06 a 11 de outubro próximo, com o tema: "O Espírito Santo lhes revelará todas as coisas" O Encontro tem o patrocínio do Pontifício Conselho para os Leigos, do Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM) e da Conferência Episcopal do Chile, e dele participarão jovens de todos os países da América Latina e Caribe, num total de 500 mil jovens durante todo o encontro e um milhão no encerramento. NOTÍCIAS DO EPISCOPADO * Dom Pedro Ercílio Simon, até então Bispo Diocesano de Uruguaiana, foi nomeado Bispo Coadjutor da Diocese de Passo Fundo (RS), no dia 16 de setembro. * Dom David Picão, celebrou no dia 18 de agosto seus 75 anos. Parabéns!

L'OSSERVATORE ROMANO INOVO RESPONSÁVEL

Por um longo tempo, o Pé. Pedro Batistela foi responsável pelas Assinaturas de L'Osservatore no Brasil. O Regional Sul agradece pelo empenho do Pé. Pedro junte a esse Meio de Comunicação da Igreja Católica e pede a Deus que abençoe c novo responsável: Geraldo Magella de Freitas, Rua Conselheiro Brotero, 1030 Tel: (011)3667-7519. CD ROM

O fone e fax correto da Administraçãc do Jornal, ao contrário do que foi publicado é: Fone {0039 06) 698.99.465/ fax 698.85.164. PASTORAL COMUNICAÇÃO A Equipe da Pastoral da Comunicação da Brasilândia elaborou um Projeto, vinculado às pastorais da região, setores, paróquias e comunidades, tendo como objetivo geral: Rearticular a Pastoral da Comunicação. Proporcionando encontros de formação, estimulando e articulando os veículos de comunicação popular existentes.

CENTRO CULTURAL SANTA CLARA Foi inaugurado dia 02 de setembro, pela Arquidiocese de Campinas (SP). A Casa de Apoio Santa Clara é um espaço cultural destinado a moradores de rua, onde desenvolverão atividades culturais, como teatro, pintura, leitura, com o objetivo de abrir caminhos para que essas pessoas excluídas da sociedade tenham condições de resgatar sua dignidade de cidadãos e cidadãs.


CAMINHANDO COM O PASTOR MISSÕES POPULARES: TAREFA DAS COMUNIDADES os e entendidos e as No mês de outubro, dedicado às Missões, devemos sentir em nossas comunidades o apelo de Deus para a realizarevelastes aos pequeninos". (Lc 10,21) ção de experiências semelhantes às Santas Missões Populares. E já são inúmeras as experiências de missões realizadas Missão é vida, é tanto nos centros como nas experiência de Deus que periferias de muitas cidades do é vida vivida em comur Brasil. nhão. É solidariedade. Santas missões As comunidades e muitos "Populares" porporque se identifimissionários reconhecem que as missões acontecam com a missão nisso não só o apelo de cem no meio do povo, de Jesus Cristo Deus mas também a necescom o povo e a partir dos sidade da Igreja em ter mais anseios e clamores do povo, principalmente dos excluídos e um meio de evangelização para responmarginalizados que lutam por mais vida, dignidade, fé, espeder aos sinais dos tempos. rança e vida de comunhão. 'Jesus percorria as cidades e poHá tempos atrás, as Santas Missões eram realizadas voados ensinando nas sinagogas e pregando o Evangelho principalmente no interior para avivar a fé do povo, que vivia do Reino, enquanto curava toda a sorte de doenças e enferisolado e sofria a tentação de esfriar sua vida cristã e de midades. Ao ver a multidão teve compaixão...Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie operários." (Mt 9,35-38} perder de vista as grandes verdades da fé. Hoje, nas cidades grandes, verifica-se a mesma situação. "Populares" porque todos são chamados à conversão de vida, segundo as opções de Jesus no Sermão da MontaAs pessoas permanecem isoladas. Mesmo tendo muitas informações e vivendo em contato com o mundo inteiro, através da nha. "Felizes, bem-aventurados...porque vosso é o Reino de Deus" {Lc6,20) TV e de outros meios de comunicação, elas permanecem como se estivessem sozinhas. O que escutam e vêem, As "Santas Missões Populares" inspiram-se no mié um incentivo para pensar em si mesmas, desenistério de Jesus na Galiléia. Missões tempo de jar um pouco de tudo e se esquecer dos outros, Como fazer? Por serem diversas as situações, ser enviado para até de Deus. Nunca houve tanta informação como , cada comunidade deverá procurar realizar as testemunhar a hoje e tão pouca comunicação entre as pessoas. \s Missões Populares"conforme as suas experiência de Deus Os problemas da vida, as mudanças fornecessidades e objetivos, seus recursos, sua çadas de moradia, de emprego, de vizinhança, criatividade na docilidade ao que o Espírito doenças e sofrimentos levam muita gente de volta de Deus lhe inspira. para Deus. Mas aí também se desgasta o relacionamento. MuiHá muitos modos de realizarem-se as "Santas Mistos pedem tudo a Deus e não estão dispostos a buscar a sua sões Populares". A novidade não é celebrá-las. A novidade vontade! é celebrá-las de forma nova, de tal modo que correspondam As Santas Missões Populares são portanto um jeito novo, às necessidades de cada comunidade HOJE. Jesus tamuma nova iniciativa evangelizadora, A comunidade preparada bém insistia sobre isso: "o que acabastes de ouvir está se toma iniciativa de evangelizar fortalecendo com isso a prórealizando HOJE" (Lc4,2) pria fé. As missões são um modo todo especial de lembrar o Para tanto precisamos do entusiasmo de todos os Concristão chamado para anunciar Jesus Cristo. selhos Comunitários para que organizem em nossas comunidaDeus, Senhor da vida, envia sobre as sementes o sol e a des as Santas Missões Populares. São convocados todos os chuva, isto é, sua graça vivificante. Os missionários e as missionárias catequistas, ministros e agentes de pastoral que, através do são os que regam, adubam, protegem, cuidam das plantas que já existe na comunidade, como surgidas das sementes. E afinal é a própria planta (a comunidade por exemplo, os grupos de Populares porque de fé) que deve crescer, dar frutos e espalhar novas sementes. reflexão ou grupos de rua, gruacontece no melo pos de oração, se instalem São "santas" porque se identificam com a mesma do povo, com o em nossas comunidades as missão de Jesus Cristo. "O Espírito do Senhor está sobre "Missões Populares" povo, a partir dos mim porque ele me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me para libertar os oprimidos e para proclamar um ano clamores do povo Somos todos chamados a ser missionários do de graça do Senhor" {Lc 4,18-19} Reino de Deus. É necessário "Missões" porque é um tempo de andar, de sair, de que ele seja anunciado e mostrado presente em nossas coser enviado, não para transmitir um conhecimento doutrinámunidades pela participação de todos e principalmente pela rio-teórico mas para testemunhar a experiência pessoal, ínticomum-união de todos na vida da comunidade. ma, filial de Deus. Como Jesus que "exultou de alegria sob a ação do Espírito Santo e disse: Eu te louvo, ó Pai, Senhor + FRANCISCO do céu e da terra, porque ocultastes essas coisas aos sábiC\iit u hrn


FESTA DE CRISTO R POR QUE CELEBRAR O DIA DOS LEIGOS? Dia 22 de novembro a Igreja celebra a Festa de Cristo Rei. Nesse domingo é comemorado em todo o Brasil o Dia Nacional dos Leigos e Leigas. Não se trata de uma homenagem, mas de uma convocação para que a Igreja viva a Comunhão e Participação na diversidade de Ministérios e Carismas. Os leigos são convocados a assumir sua missão evangelizadora na sociedade e na Igreja articulados pelo CA/L - Conse-

Iho Nacional de Leigos, para se fazer representar junto à hierarquia. A vocação do leigo é fundamental na Igreja. Eles são os protagonistas da evangelização. Assumindo uma ação profética-missionária, sendo sinal e instrumento de transformação na sociedade. O leigo é protagonista da evangelização, porque ele vive mergulhado na sociedade, em contato direto com as pessoas que esperam receber a Boa Notícia do

Reino e participa da vida social ati de sua profissão, engajado nas divt. formas associativas e espaços públ Nessa posição é necessário que hor e mulheres estejam bem preparados evangelizar. A Igreja precisa investir i mente na preparação dos leigos. He Igreja conta com muitos leigos atue na missão evangelizadora e compn tidos com a construção de uma soei de justa fraterna e solidária.

EDUCAR EVANGELIZANDO

# Símbolos: Bíblia, cartazes das organizações populares, reuistas, objetos escolares, televisão, etc. * Acolhida: Animador(a): É uma alegria estarmos

aqui para a nossa primeira reunião em preparação ao DIA NACIONAL DOS LEIGOS E LEIGAS. Hoje vamos refletir, iluminados pela Palavra de Deus e pelos documentos da Igreja, o tema EDUCAR EVANGELIZANDO. Os presentes se abraçam e trocam palavras de amizade. * Oração Inicial. Fato do cotidiano: Leitor(a) 1: Uma das áreas mais importantes para a atuação dos leigos é a educação. Profissionais da educação, estudantes, pais e mães de alunos, todos nós somos atingidos pela questão educacional. Animador(a): Na Campanha da Fraternidade de 1998, refletimos sobre o tema: A fraternidade e a educação: a serviço da vida e da esperança. Observamos a realidade da educação no Brasil hoje, analisamos a situação à luz do Evangelho e buscamos melhorar o que temos. Quais foram as nossas lutas e con-

quistas? Que barreiras enfrentamos? (Conversa a partir dos questionamen Leitor (a) 2: Vamos relembrar al< problemas da educação no Brasil: valorização da escola públ sucateamento das universidades públ salários baixos e falta de assistência professores; escolas abandonadas 01 chadas pelo governo; analfabetismo atinge 22 milhões de pessoas no pá Leitor(a) 1: Desses problemas lem dos, qual nos atinge mais de pé Como superá-lo? * Palavra de Deus: Lc 4,18-21 Animador (a): Nesse evangelho, Ji está falando de educação? Em que i tido? Que pistas o Evangelho nos dá j animar nossa missão, como leigos e gás, na realidade da educação? (Conversa sobre o Evangelho). * Preces espontâneas. Oração Pai Nosso. Oração Final. Cante

EU VIM CURAR OS DOENTES * Símbolos: Bíblia, eruas medicinais, bacia com água, jornais com manchetes que denunciem a situação da saúde pública. * Acolhida: Todos se cumprimentam de acordo com o costume. Quem quiser, pode contar a experiência de alguém que recuperou a saúde ou que a comunidade ajudou a melhorar. Animador(a): Sejam todos benvindos, irmãos e irmãs. Vamos participar com alegria, fé e esperança do segundo encontro em preparação ao DIA NACIONAL DOS LEIGOS E LEIGAS. A comunidade que se reúne para resolver os problemas do dia-a-dia já está trabalhando na construção do Reino em seu meio. * Oração Inicial. Fato do cotidiano: Leitor(a) l: A saúde é outra área onde

a atuação dos leigos é muito importante. Profissionais da saúde, agentes da pastoral da saúde ou da pastoral da criança; ministros dos enfermos... Todos eles procuram colaborar para melhorar a saúde de todo o povo. Animador(a): Vamos relembrar alguns problemas da saúde no Brasil: falta de médicos e dentistas para os mais po-

bres; falta de vagas nos hospitais; médios falsificados; desnutrição e d dratação das crianças no Nordeste; ( vio de verbas da saúde pública; pia de saúde muito caros e que não ci prem suas obrigações.... Leitor(a) 2: Que outros problemas demos lembrar? Dos que foram leml dos, qual nos atinge mais de per Como superá-lo? (Conversa a partir dos questionament * Palavra de Deus: Lc 9,1-6. Animador(a): Nesse evangelho, Je está falando de saúde? Em que se do? Que pistas o Evangelho nos dá p animar nossa missão, no campo da s de? (Conversa sobre o Evangelho). # Preces espontâneas. Oração Pai Nosso. Oração Final. Canto


ACIONAL DOS LEIGOS

«P2B

PRESENÇA DE DEUS EM NOSSA CULTURA •» Símbolos: Bíblia, cruz, imagem de N. Sra, objetos das culturas (negra e indígena), comidas típicas, jornais. * Acolhida:

Todos se cumprimentam de acordo com o costume. Quem quiser pode contar alguma coisa de seu próprio dia-a-dia que, em sua opinião, esteja de acordo com o projeto de Deus. Animado r (a): Irmãos e irmãs, sejam benvindos. Vamos com muita alegria participar, com os ouvidos bem abertos, do terceiro encontro de preparação ao DIA NACIONAL DOS LEIGOS E LEIGAS. * Oração Inicial. Fato do cotidiano: Leitor(a) l: Cultura é o jeito que cada povo tem de viver. É o modo como trabalhamos, comemos, nos vestimos, rezamos,

nos amamos, nosdivertimos... Todo mundo tem cultura. Cada povo escolhe o modo de viver mais adequado para sua situação. Animador(a): Hoje, no Brasil, nem sempre vivemos como gostaríamos ou como seria melhor para todos nós. Nossa cultura está marcada por alguns aspectos negativos, como violência dentro e fora de casa, machismo, racismo, intolerância religiosa, tolerância com a miséria, alienação política, corrupção. Leitor(a) 2: Que outros aspectos podemos lembrar? Quem ganha com a miséria, ignorância e sofrimento do povo? Qual aspecto nos atinge mais de perto? Como superá-lo? (Conversa a partir dos questionamentos). * Palavra de Deus: Lc 13,22-30. Animador (a): Que pistas esse Evange-

lho nos dá para animar nossa missão de leigos vivendo em sociedade, para evangelizar a cultura brasileira? {Conversa sobre o Evangelho). * Preces espontâneas. Oração do Pai Nosso. Oração Final. Canto

SOMOS SOLIDÁRIOS COM TODA A CRIAÇÃO

# Símbolos: Bíblia, planta, flores, bacia com água, vasilha com terra, etc. # Acolhida: Todos se cumprimentam de acordo com o costume. Cada um pode dizer que parte da natureza que o faz lembrar a presença de Deus.

Animador(a): Vamos iniciar com entusiasmo este nosso último encontro de preparação ao DIA NACIONAL DOS LEIGOS E LEIGAS. O que aprendemos nesses dias sobre nossa missão de leigos? Quais foram os temas de cada encontro? (Relembrar rapidamente os temas e algumas das conclusões). # Oração Inicial. Fato do cotidiano: Leitor(a) l: Deus nos cria todos os dias. Ele está nos criando neste momento. Deus criou para a vida, por isso quer que vivamos bem. Mesmo depois da morte, Ele continua nos criando na imensidão da vida eterna. Somos responsáveis, junto com Deus, pela nossa vida e pela vida dos outros. Somos responsáveis por toda a criação divina e

pelo que acontece com ela. Animador(a): Será que estamos cuidando bem do meio ambiente? Vemos problemas por toda parte: queimadas, poluição dos rios e do ar, desmatamento, extinção de animais e plantas, depósitos irregulares de lixo, falta de fiscalização nas indústrias... Lcitor(a) 2: Que outros problemas podemos lembrar? Desses problemas, qual nos atinge mais de perto? Como superá-lo? (Conversa a partirdes questionamentos). * Palavra de Deus: Lc 12,22-31. Animador(a): Que pistas a criação nos dá, de acordo com o Evangelho, para animar a realização do projeto de Deus? (Conversa sobre o Evangelho). * Preces espontâneas. Oração Pai Nosso. Oração Final. Canto.

ORAÇÃO INICIAL

ORAÇÃO FINAL

Senhor Jesus Cristo, Tu que caminhaste no chão deste mundo, testemunhando o projeto de Deus para a humanidade, ensinando os homens e mulheres a viverem os valores do Reino, chamando todos para assumir as exigências da missão. Faze com que nós, respondamos com a vida ao Teu chamado, na nossa vida pessoal, na família, na comunidade, no trabalho, na açáo política e na sociedade. Que a graça recebida no Batismo e na Crisma nos revigore hoje! Que possamos ser protagonistas da evangelização, para construirmos juntos uma sociedade justa e solidária. Que a graça de Deus nos ajude a amar concretamente os excluídos e a lutar contra a exclusão dos empobrecidos. Amém

Senhor Jesus Cristo, que ungido pelo Espírito do Pai, evangelizou os pobres, proclamando o Jubileu da graça do Senhor. Cristo, que também foi leigo, faça com que os leigos e leigas de hoje animados pela sua visita possam caminhar rumo ao Novo Milénio dando testemunho de esperança e alegria na construção da paz. Desça sobre nós o Espírito Santo que o Pai nos prometeu para que possamos ser modelo de cristãos, confirmando e assumindo o nosso batismo. Assim como Maria, modelo de fé, esperança e caridade, nós queremos dizer-lhe: Faça em nós segundo a sua Palavra. Amém.


ENCONTRO ECUMÉNICO III - ENCONTRO ECUMÉNICO DO REGIONAL SUL I 28 A 3O DE AGOSTO DE 1998 - AGUDOS - SP "Oi que prazer, que alegria o nosso encontro de irmãos!" (SI 133) Assim escreve Pé. Paulo: com estes sentimentos participamos do encontro ecuménico em Agudos. Participaram representantes da Igreja Católica e de 12 confissões evangélicas. Pé. Paulo Mercieca e Maria Paula Rodrigues representaram a Diocese de Osasco e o Revdo. Jair Alves representou a Igreja Metodista de Osasco. Após a oração e acolhida foi feita a apresentação dos participantes. No sábado pela manhã houve duas palestras sobre o ecumenismo. Foi refletido a respeito das rupturas e tentativas de aproximação e unidade. Tocou-nos o tom de sinceridade e abertura com o qual o assunto foi tratado pelo Revdo. Gerson Lacerda, da Igreja Presbiteriana Independente e D. Amaury Castanho. Foi um alerta de que, às vezes, as divisões podem ter razões teológicas, mas que a causa pode ser a luta pelo poder. A tarde foi dedicada à partilha e troca de experiências. O dia foi encerrado com uma celebração ecuménica na Matriz de Agudos dedicada a São Paulo Apóstolo. No domingo, houve um painel sobre o Espírito Santo na Vida da Igreja. O Revdo. António Carlos Behrens (IECLB) falou a respeito do "Tempo da Igreja,

tempo do Espírito"; o Revdo. João Leite (Brasil Para Cristo) fez uma exposição sobre HNós cristãos e o Espírito Santo"; o Pé. José Arnaldo J. Santos nos orientou a respeito do tema "O Espírito conduz a Igreja para a Unidade" O encontro terminou com a celebração, enfatizando o tema: todos bebemos do mesmo poço, cuja água é Cristo. Olhando para o futuro: a Campanha da Fraternidade do ano 2.000 será promovida pelas Igrejas filiadas ao CONIC, que pretende unir as Igrejas cristãs no testemunho de sua fé diante do desrespeito à dignidade humana e face aos conflitos violentos que ameaçam a convivência justa e pacífica entre as pessoas. Olhando para os acontecimentos desse Encontro, Paula diz que gostaria de fazer algumas observações que ajudassem a pastoral ecuménica caminhar: l. A Assembleia foi promovida pela Igreja Católica, via Comissão Ecuménica do Regional Sul I, mas planejada, organizada e realizada a partir da colaboração das várias Igrejas presentes. Creio que esse é o caminho para uma caminhada que quer ser ecuménica: sê-la desde o início, sem empurrar para o futuro incerto a data da colaboração mútua. O que podemos fazer a respeito (em cada cidade da diocese)?

CONSELHOS MISSIONÁRIOS COMIRE - REGIONAL

COMID - DIOCESANO

Foi realizado nos dias 14,15 e 16 de agosto em São José do Rio Preto a Assembleia anual do COMIRE. Como não poderia deixar de ser, a Diocese de Osasco estava presente representada, pelos membros do COMID (Conselho Missionário Diocesano). A troca de experiência com as Dioceses foi muito importante. Mas, só isso não basta, é necessário dar passos concretos. Dentro do Projeto Rumo ao Novo Milénio é preciso urgentemente despertar em cada agente pastoral: sacerdotes, religiosos e religiosas, cristãos leigos um novo ardor missionário que nos chama à anunciar o Cristo Libertador. A Diocese de Osasco foi mencionada, com voto de louvor, por estar colaborando no projeto Missionário Amazónia - São Paulo, com o envio de um sacerdote à Corumbiara, nosso querido Pé. Andrew Zammit.

O COMID vem realizando várias atividades em nossa Diocese a nível de formação como: O 06 de setembro: Tarde de formação missionária na Paróquia N. Sra. Mãe da Igreja. Palestrante: Pé. João Carlos; 013 de setembro: Encontrão da Infância Missionária. Participaram Paróquia São Francisco de Assis e Paróquia N. Sra. Aparecida; S 20 de setembro: Visita dos membros da Infância Missionária às relíquias de Santa Teresinha, padroeira das missões, em São Roque; O 04 de outubro: Na Igreja N. Sra. Aparecida (Carapicuiba) às 08:30 h haverá manhã de formação sobre Missões Populares e Infância Missionária. Deseja conhecer a equipe do COM/D? Ligue para Pé. João Carlos - tel; 427-5403 ou Serginho - tel: 427-2665.

2. Contamos com a presença de 12 Ig jas evangélicas, sendo 4 pentecostais. E detalhe nos ajudou a vencer o preconc to de que os pentecostais seriam totalmi te avessos a qualquer colaboraç ecuménica. Inclusive, os representantes presentes já estão engajados no movimi to ecuménico em suas cidades, não tando ali "por acidente". Sem dúvida, n sã região tem particularidades na qu tão pentecostal. Que tal realizarmos \o para ap 3. A Campanha da Fraternidade do a 2.000 terá em seu método a colabo cão ecuménica. Creio ser este o grar desafio para o qual devemos nos prej rar e preparar a diocese. O que po< mós fazer ainda este ano nesse sentic 4. Houve um aspecto da ação ecumên que ficou bastante claro para todos participantes da assembleia: a necessii de de oração pela unidade. Oração ef< vá e concreta, relacionada a projetos l manos concretos. Todos os participan tomaram como compromisso rezar f algum outro participante e por sua r pectiva Igreja. Como poderíamos estin lar uma campanha de oração pela u dade, dentro da dinâmica de cada ui das várias formas de espiritualidade c ta presentes em nossa diocese?

FORMAÇÃO MISSIONÁRIA "Será de 29 de novembro a 19 de < zembro próximos, no Centro Culti Missionário, em Brasília. Objetivos curso: proporcionar uma experiência' munitária entre os missionários que p tem em missão; oferecer elementos inf mativos que possam ajudar na adaptai; e engajamento na Igreja a que se de nam, apresentando motivações e valo para amar e valorizar a riqueza do pov da cultura em que irão se inserir; iden car os laços entre a Igreja que envia e c missionário(a) que parte; aprofundar elementos da espiritualidade missiona O curso destina-se a Presbíteros, Relic sos(as), Leigos(as) que irão em missão ' gentes". Os conteúdos principais são: I tura da realidade - a globalização no m do atual; Desafios da missão nos diver continentes; A Palavra de Deus e a F» são; Teologia da Missão: inculturaçãlibertação; Espiritualidade missionária.


CAMPANHA DO ADVENTO

K

SOLIDARIEDADE NA EVANGELIZAÇÃO A Igreja do Brasil vai iniciar neste ano de 1998, no Advento, uma nova Campanha que será levada a cabo em todo o país. Esta visa convocar todos os fiéis a colaborarem, com os próprios recursos, na missão evangelizadora da Igreja. Criar esta nova Campanha foi uma decisão da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, para que a Igreja possa assegurar o trabalho da evangelização nos lugares mais pobres e mais necessitados também de evangelizadores. A partilha de bens sempre foi uma característica dos cristãos, desde o começo da Igreja. São Paulo elogia a Comunidade de Corinto que, sensibilizada pela situação dos cristãos de Jerusalém, organiza uma coleta para suprir as necessidades da mês-* ma(cf. II Cor 8-9). Foi escolhido o período litúrgico do Advento, mais precisamente o 39 Domingo, por ser um tempo que nos convida a abrir os corações e a renovar nossas esperanças, estendendo nosso olhar além das fronteiras de nossa pequena comunidade, paróquia ou diocese, corresponsabilizando-nos também com toda a Igreja, na resposta aos novos desafios que a situação atual nos pede, exigindo uma presença mais comprometida e atuante da Igreja. Esta coleta quer ser um apelo à solidariedade cristã, que é um valor evangélico sempre presente na vida dos cristãos de todos os tempos. Aproximando-nos do Jubileu do Terceiro Milénio da era cristã, a participação nesta coleta quer significar também a colaboração de todo cristão na difusão do Evangelho.

É esta solidariedade entre os cristãos e com a Igreja que possibilitará a esta cumprir fielmente sua missão de levar a todos a Boa Notícia da Salvação. Coleta do Advento 1. Tem seu início neste ano de 1998, no 3g Domingo do Advento. 2. Deverá ser realizada dentro de uma Campanha de reflexões e oração no espírito do Advento, e inserida de modo especial nas Novenas de Natal, com subsídios preparados para os agentes de Pastoral e outros destinatários. 3. A Presidência da CNBB e a CEP designem uma Comissão para organizar a Campanha-coleta. 4. Os recursos obtidos com esta coleta serão assim distribuídos: * 50% do arrecadado permanecerá na própria Diocese; * 10% será remetido ao respectivo Regional; * 40% será enviado à sede nacional da CNBB. 5. A CNBB administrará esses recursos, garantindo uma repartição equânime, a fim de que todos os Setores, Comissões e Secretarias da CNBB Nacional sejam devidamente contemplados e, na medida do possível, dando atenção especial aos Regionais mais pobres. 6. A Presidência e CEP designem um Conselho para a aplicação dos recursos destinados à CNBB Nacional. 7. Anualmente deverá ser feita uma prestação de contas, completa e transparente, de todos os recursos obtidos pela Campanha-coleta do Advento.

CEB's EM AÇAO

CEB's são Comunidades Eclesiais de Base que se distinguem das pastorais e dos movimentos de Igreja, que não se constituem em "comunidades de vida", mas grupos de trabalhos. * Encontro Interdiocesano O Encontro do Sub Regional SPII realizou-se em Santos e foi de muito proveito. Tanto a assessoria, quanto a dinâmica e a participação foram muito positivas, estando presentes representantes de todas as Dioceses. A Diocese de Osasco fez-se presente com 17 pessoas.

# Calendário Atividades de toda organização das CEB's previstas para os próximos meses: > 10/10/98: * das 09:00 às 11:00 - Reunião da Região Pastoral Santo António. • das 15:00 às 17:00 - Reunião Diocesana, na Catedral. > 18/10/98 » das 14:00 às 17:00 - Na Área Pastoral São Paulo Apóstolo - Região Pastoral Barueri. > 07/11/98 * das 09:00 às 12:00 - Reunião da Equipe de Articulação Estadual Sub Regional de Campinas - SP. > 08/11/98 * das 14:30 às 17:00 - Paróquia São João Batista - Região Pastoral Barueri. A Diocese de Osasco tem um programa de CEB's todos os domingos das 12:00 às 14:00 em Jandira. Ligue e confirme. Rádio Paz - Fone: 7920-0115. "De mãos dadas com o objetivo de construirmos a pastora/ de conjunto"


S. TERESINHA PASSOU AQUI •

E já estamos com saudades! Realmente foi surpreendente o núme-

ro de fiéis que acompanharam a visita das relíquias de Santa Teresinha em nossa Diocese. Em todos os lugares por onde a urna passou, todos se preocuparam em fazer orações de ação de graças a Deus por visita tão importante e, inclusive, pedir que, por intercessão de Santa Teresinha acontecessem conversões até de famílias inteiras. Tivemos noites de vigília com celebrações de missas a cada três horas. As igrejas estiveram sempre repletas de pessoas, que com grande respeito, passaram para ver e sentir de perto as relíquias daquela jovem de Lisieux (Franca) que em vida quisera ser missionária. Santa Teresinha prometeu, que junto de Deus faria cair uma chuva de rosas, de copiosas bênçãos, sobre aqueles que na terra cultivassem o amor. SantaTeresinha queria ser missionária, não só durante alguns anos, mas desde a criação do mundo até o final dos séculos. Hoje vemos que na comemo-

ração de seu Centenário de entrada Reino de Deus, suas relíquias ca nham pelo mundo, como uma grar missão, suscitando conversões, vo coes e vida centrada na Eucaristia. A presença de tantas pessoas foi a r nifestação do amor que todos sent por Santa Teresinha do Menino Jesi da Sagrada Face. Muitas foram as graças recebidas aqueles que amam Santa Teresir pelo seu caminho de espiritualida* onde mostra que é possível vive cotidiano como Deus quer, ser Sai em nosso dia-a-dia. O que ela viw todos podem viver a seu modo, di tro de sua situação de sacerdote, r giosa ou casado. Na carta do doutorado de Sar Teresinha, o Papa João Paulo II esc vê: "ela fez resplandecer no nosso te pó o fascínio do Evangelho; teve a rr são de fazer conhecer e amar a Igre A Diocese de Osasco agradece o b< realizado pela visita de Santa Teresinl

3ÍÍ CALENDÁRIO PASTORAL - OUTUBRO - 98 01 -Q- Ministros do Batismo e Equipe - Setor Sagrada Família -Catedral -20h - Pastoral Familiar - Comissão Diocesana 03 - S- Conselho de Pastoral - Região Pastoral Carapicuiba - Aparecida -9h 04-D- 279 DOMINGO DO TEMPO COMUM - Coord. Catequese - Região Pastoral Santo António - Centro Catequético - 8:45h - Coord. Pastoral - Região Pastoral Barueri - 15h - Pastorais Sociais - Reg. Past. Barueri - Sagrado - 1 5h 06 - T- Coordenadores Diocesanos - CEO - 9h 07 -Q- PP Região Pastoral Barueri - Conselho do Voluntariado -14h - Comissão Diocesana da 3- SSB - Centro Pastoral - 20h 08 -Q- Conselho do Setor Imaculada -Imac. Conceição -20h - PP. Região Pastoral Bonfim - Pastoral Familiar - Equipe - Região Pastoral Bonfim - Pastoral Familiar - Equipe - Região Pastoral Cotia 09 - S- Diretoria da Caritas - 9h 1 0 - S - Coord. Curso de Teologia - Sto António - 8:30 às 1 2:30h - Catequese - Região Pastoral Barueri - 15h - Pastoral da Saúde - Região Pastoral Barueri - 1 5h - Comissão Diocesana de CEBs - Centro Pastoral - 1 5h - Pastoral Familiar - Equipe - Região Pastoral Barueri - CEBs - Reg. Past. Santo António - Centro Pastoral - 9h 11 -D- 289 DOMINGO DO TEMPO COMUM - PJ - Região Pastoral Barueri 12 -S- Pastoral Familiar- Equipe- Reg. Pastoral São Roque 1 3 - T - PP Região Pastoral Carapicuíba - Aparecida - 9h 14 -Q- Pastoral Familiar - Equipe Reg. Pastoral Carapicuiba - PJ - Região Pastoral São Roque - 9h

16 -S17 -S18 -D19 -S20 - T21 -Q22 -Q23 - S25 -D29 -Q30 -S-

Jjjjls

CTP -Retiro Espiritual- até o dia 18/10 Ene. da CF 99 - Regional Sul 1 - Itaici até o dia 1 &/' Reunião Diocesana PJ Coordenação Diocesana - 3Q Plano de Pastora Centro Pastoral - 9h Pastoral Familiar - Região Pastoral Barueri - 1 5h Encontro de Espiritualidade - Catequese 299 DOMINGO DO TEMPO COMUM Retiro Dioc. para Ministros de todas as Regiões CEBs -Região Pastoral Barueri Formação casos difíceis {Pastoral Familiar) - Regia Pastoral Carapicuiba - Aparecida - 20h Encontro de Espiritualidade - Catequese até às 1 3 Pastoral Familiar- Equipe - Reg. Past. Santo Antôn Conselho de Presbíteros - Seminário São José - £ Conselho de Pastoral - Setor N. Sra. das Graças Divino Mestre -20h Past. da Saúde -S. Imaculada- Imac. Conceição -14 Ministros e Equipe do Batismo - Setor Imaculada Imaculada Conceição - 20h Comissão Administrativa - CEO - 8:30h 309 DOMINGO DO TEMPO COMUM Ministros da Eucaristia, Saúde, Visitação - Set< Sagrada Família - Jaguaribe - 14h Dia Nacional da Juventude - Catedral - 8h COMlD-15h Apostolado da Oração - Reg. Pastoral Barueri - 1 E PP. Região Pastoral Cotia - Granja Viana - 9h RCC - Região Pastoral Barueri Cons. de Pastoral - Reg. Pastoral Cotia - Caucaia - 2C Cons. de Pastoral - Reg. Pastoral São Roque - 20h


85 bio outubro 98