Issuu on Google+

Boletim Informativo de Osasco

ANO VII -N° 58 ABRIL -1996

'EA TUA PÁSCOA SEJA CONTÍNUA" Toco inesgotável... Táscoa continuada... Se a Táscoa do Senhor fez jorrar para nós, para o mundo, umafonte inesgotável de vida nova, vida ressuscitada; se a comunidade eclesialfoi gerada nestaf orça recriadora, por que torná-(a apenas uma celebração anual? Verdadeiramente seria beta aj esta profética, a amorosa coerência de p roíongá -ia em cada dia de nossa vida intensificando nossos íaços comunitários como um cotidiano anúncio da Rtianca; festa do desejo de 'Deus e do desejo da gente. (R.schtz)


BIO - Página 2

03 01°

#

• NFORMAN PO"> :

34° fíSS€MBL€lfí GCfífii Dfí CNBB O Presidente e o Secretariado-Geral da CNBB enviaram aos Bispos convocação para a 349 Assembleia Geral da Conferência Episcopal, de 17 a 26/ 04/1996, em Itaici, Indaiatuba. SP. O tema central será: O Projeto de Evangelização para a Igreja no Brasil em preparação do Jubileu do ano 2000 do nascimento de Cristo. Outros pontos da pauta são: Reforma estatutária no que se refere à reeleição para cargos na CNBB, coletas nacionais, assuntos de liturgia, matrimónio e suas implicações jurídico-pastorais, meios de comunicação social. Entre as comunicações estão: relatório econômico-financeiro, análise da conjuntura sócio-política, análise da conjuntura religiosa, 9a Intereclesial de CEB's, 13a Congresso Eucarístico Nacional, o relatório da Comissão Episcopal de Doutrina.

DlfiMUNDIfíl DfiS VOCfíÇÔeS Foi publicada no dia 07 de dezembro a mensagem de João Paulo II para a 33a Jornada Mundial de Orações pelas Vocações, 48 Domingo de Páscoa, 28/ 04/96. A Mensagem, começa por recordar que o ambiente natural das vocações é a comunidade cristã. Ressalta, depois, o chamado de Deus para a missão universal da Igreja e para os serviços específicos na Igreja. A respeito da Pastoral Vocacional, indica algumas condições para que ela seja desenvolvida e também interpela a todos nós para a responsabilidade dessa pastoral. Exorta os jovens a serem generosos em entregar a vida a Deus, a não ter medo de nada e a cultivar projetos elevados.

JOV€N5 S€ CNCONTRfíM COM O. ffífíNCISCO

Num gesto concreto de solidariedade, conforme o "Projeto Missionário Norte l- Sul l", a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e a Conferência dos Religiosos do Brasil, enviaram no dia 04 de março, quatro religiosas, de diferentes congregações, para prestarem um serviço apostólico missionário à Igreja da Amazónia, no Município de Maniquiri. As missionárias viverão comunitariamente seus diferentes carismas congregacionais, na partilha da mesma missão.

No dia 11 de março D. Francisco recebeu em sua residência os jovens Reinaldo e Ana Cláudia, representantes da Equipe Diocesana da Pastoral da Juventude de Osasco e do Sub Regional. Também estavam presentes Pé. Raimundo, assessor da Região Bonfim e Pé. Mário Pizetta, assessor diocesano da PJ. Na ocasião foi apresentado a D. Francisco, um panorama da Pastoral da Juventude, seus objetivos, problemas e esperanças. D. Francisco manifestou sua satisfação pelo trabalho que está sendo realizado e encentivou a continuidade da formação específica para os jovens da Diocese.

NOTfOfíS DO €PISCOPflDO

// F€lfífí DOS 6XCLUÍDOS

Dom Jaime Collim CSSR em 14 de fevereiro renunciou ao governo pastoral da Diocese de Miracena do Tocantins. Dom João José Burke, OFM sucede Dom Jaime na Diocese de Miracema, TO Dom Benedito Ulhoa Vieira renunciou ao governo pastoral da Arquidiocese de Uberaba, MG em 28 de fevereiro. Dom Aloísio Roque Oppermann Bispo de Campanha, MG foi nomeado arcebispo de Uberaba, MG Dom Alfredo Vicente Cardeal Scherer. Bispo Emérito da Arquiocese de Porto Alegre, faleceu no dia 09 de março. Dom Geraldo do Espírito Santo Ávila foi nomeado administrador Apostólico da Diocese de Ipameri, GO dia 13 de março. Dom João Bergese, Arcebispo de Pouso

Com o lema "Somos os sonhos... abraçando a paz!" dezenas de entidades participarão desse evento, nos dias 18 e 19 de maio de 1996, em São Paulo, no Centro Pastoral São José - metro Belém, a partir das 9 h. Lã os excluídos mostrarão seus trabalhos através de exposições, teatro, dança, vídeo, comidas típicas, etc. Serão vendidos artesanatos, objetos reciclados, e outros, como forma de sobrevivência dos excluídos. O Serviço Pastoral dos Migrantes está participando da organização do evento. O grupo do Vale (empregadas domésticas) irá apresentar a peça "o grito dos excluídos". O grupo de mulheres latino-americanas também irá expor material de artesanato e de

D€SfíFIOS Dfí MISSfíO

;

"fí PfíATÍCfí Dfí CIDfíDfíNIfí COMO €DUCfíÇftO POLÍTICfí" O Setor Pastoral Social da CNBB, publicou, pela Editora Vozes, o livro, "A PRÁTICA DA CIDADANIA COMO EDUCAÇÃO POLÍTICA". É o primeiro de uma coleção de 04 cadernos sobre educação para a cidadania. Dom Demétrio Valentini, Bispo responsável pelo Setor, diz na apresentação: "De fato, a proposta da Campanha da Fraternidade sobre a Política abre um campo muito vasto para se trabalhar este tema, sobre o qual pesa uma herança de preconceitos, dificultando sua abordagem serena e objetiva. Com ambiente mais receptivo e com ajuda de subsídios, é hora de superar resistências e fazer do estudo da Política um passo importante para a prática da ddadania. É esse o objetivo deste caderno e da coleção".

€VfíNG€LHO €M fí/TMO D6 DfiNÇff Música e dança estão se firmando como formas importantes de anunciar o Evangelho na índia atual. Uma das iniciativas mais conhecidas é a do padre verbita Charles Vás. Seu espetáculo mais famoso, intitulado "Prem ragim" ("Melodia de amor"), agrada sobretudo pelo encontro da música e a beleza dos efeitos cénicos. Nele é contada a história sagrada desde a criação de mundo até o nascimento de Cristo "Você louva ao Senhor cantando e dançando. Isso é maravilhoso", disse Joãc Paulo II ao padre Charles, em 1982 depois que este acompanhou com sue música uma missa na capela particular do papa, no Vaticano. A música e os espetáculos promovidos por Charles encontram amplo espaço em emissoras de rádio e televisão indianas.

DOM F€fíNfíNDO FIGU&RCDO NO CafíM Por indicação da Conferência Episcopal da Colômbia, Dom Fernanc; Figueiredo, Bispo da Diocese de Sant; Amaro (SP), passa a integrar a Equipe Teológica do Conselho Episcopal La* no-Amerícano (CELAM).

CONCURSO - CfífíTfíZ CF/97 Foi lançado o concurso para o Carta: da CF/97 que tem como tema "Fraternidade e os encarcerados" e como lê- i


3 - Página

BIO

AMINHANDO COM O PASTOR SOLIDARIEDADE CAMINHO PARA A PÁSCOA Por ocasião da libertação do povo de Deus da escravipitalidade a exemdão dos egípcios, dando início à grande passagem pelo plo dos discípulos deserto a caminho da terra prometida, foi realizada a de Emaús primeira páscoa. Vamos, pois, seguir Graças à fé em Jesus Cristo, nosso o exemplo de Cristo. Redentor, Páscoa hoje Partir o pão e partilhásignifica a passagem de lo, colocando-nos a Páscoa hoje signifinossa escravidão do peserviço uns dos ouca a passagem de nossa escravidão cado para a liberdade de tros, tornando-nos do pecado para a filhos de Deus. pão, alimento necesliberdade de filhos Importante porém que a sário para a vida de de Deus. todos os irmãos pela Páscoa hoje não aconteça somente nos ritos da solidariedade. liturgia. É necessário que ela aconteça em cada insQuando os discípulos de Emaús o reconheceram, ao tante da vida do homem para que haja conversão conpartir do pão, Jesus desapareceu aos seus olhos. A tínua e definitiva. partir daí, não havia mais necessidade de Cristo perNos evangelhos do tempo da Páscoa, vamos perceber manecer entre nós de maneira corpórea. Ele continua que Jesus se dá a conhecer. Ele realiza o mistério da presente, de maneira sacramental, através dos seus ressurreição onde existe acolhimento, onde se discípulos que partilham o pão, a solidariedade e o presta serviço aos irmãos. Jesus permaneamor. O amor manifesta a presença de ce em meio àqueles que vivem o novo manDeus em todos e em tudo. Jesus se dá a damento da caridade. b Os discípulos receberam o mandato e enconhecer àqueles A quem Jesus se dá a conhecer de modo ' vio de Jesus: "Ide, vós sereis minhas tesque acolhem os todo especial? temunhas até os confins da terra". "Leirmãos na caridade As que primeiro tomam conhecimento da i e compartilham com vantaram-se na mesma hora e voltaram a ressurreição, são as mulheres que vão Jerusalém. Eles contaram aos irmãos e eles a sua vida. ao sepulcro para ungir o corpo de Jesus irmãs o que lhes havia acontecido no cacom aromas. minho e como tinham reconhecido a JeJesus se dá a conhecer à Madalena. Jesus se manisus, ao partir do pão". (Lc 24,33-35) festa a Pedro e a João que vão ao sepulcro. Jesus Nós também recebemos esse mandato para testemuaparece à comunidade reunida no cenáculo. Tomé, nhar Jesus Cristo numa sociedade onde todos posestando ausente da comunidade, não usufrui da presam crescer na sua cidadania, onde a dignidade humana seja respeitada para sença do Senhor. Só recebe essa graça quando retorna que haja justiça e paz soà comunidade. Testemunhar Jesus ciai. C evangelho dos discípulos de Emaús (Lc 24,13-45) é Cristo numa Que a Páscoa do Senhor o mais significativo sobre à manifestação do Ressussociedade onde seja rica de bênçãos para citado. todos possam todas as comunidades, Aqueles a quem Jesus se dá a conhecer são aqueles crescer na sua todas as famílias de nos:.e, a seu exemplo, acolhem os irmãos na caridade e cidadania. sa querida Diocese, e compartilham com eles a sua vida. que o Cristo Ressuscitado permaneça entre Cisto ressuscita nos que andam à sua procura, aos nós pelo sacramento da fraternidade, do amor e da [que se dedicam ao serviço dos irmãos, nos que sajustiça. bem repartir o pão. Feliz e Santa Páscoa iCnsto vai ressuscitando e se manifestando ao mundo + FRANCISCO i sempre que, entre as pessoas, houver gestos de hos1° VÊ MAIO

SLXTA-FEIRA SANTA

Com Celebração Eucarística às 9 h. na Catedral a Diocese de Osasco comemorará o 7S Aniversário de sua Instalação na Festa de São José Operário e Dia do Trabalhador.

Na Celebração da Paixão do Senhor, dia 5 de abril próximo, os cristãos estão convidados a contribuir na coleta destinada ã conservação dos Lugares Santos conforme solicitação da Santa Sé.


BIO - Página - 4

01°

<Bl°

01°

«1°

9-

.1° O mês cie Maio é vivido por toda a Igreja como o MÊS COM MARIA. Leituras da Bíblia, reza de terço nas casas, romarias, coroação de Nossa Senhora... São alguns dos vários modos de honrar e conviver mais de perto com a Mãe de Jesus e nossa também. Vamos descobrir maneira de viver com vibração este momento forte da vida da Igreja. Não vamos ter uma devoção desligada da vida, como às vezes acontece, nem colocar Maria no lugar de Jesus, como alguns fazem até sem perceber... O importante é aprendermos a conhecer Maria, que tanto tem para nos ensinar! Mfífílfí Nfí BÍBUfí: fí MULH€fí fiBR€ CSPftÇO Pfífífí J6SUS Sem Maria, não poderia haver Jesus entre nós. A Igreja não pode esquecer disso. Se Maria não continuar presente na comunidade e no mundo de hoje, o Evangelho não acontecerá em nossas vidas! Mas, como é essa presença de Maria? Para entendermos, vamos ter um exemplo rural e um urbano. Quem é do campo sabe que a terra, para dar frutos, precisa ser arejada. Terra endurecida não serve para cultivo. Por isso, precisa ser abençoada com a presença da minhoca, que vai abrindo túneis e deixando o ar entrar. A terra fica fofinha e pronta para ser cultivada! Ninguém vê o trabalho da minhoca, mas saboreia os frutos da terra. Maria, na História e hoje, é assim: com sua ação discreta e decidida, vai abrindo caminho para o ar do Evangelho penetrar nos lugares mais profundos da sociedade e de cada pessoa. No mundo urbano, tudo depende da eletricidade. Quem não tem luz própria, logo faz uma ligação clandestina, porque não consegue ficar sem energia. Acontece que, sem fiação, a eletricidade não vem... Se os fios forem mal instalados ou de má qualidade, a energia é desperdiçada

e pode causar acidentes. Maria é assim, como os fios da rede elétrica: traz com segurança a energia do Evangelho para a vida acontecer! Se não tiver a qualidade de Maria, a energia evangélica é desperdiçada. Na Bíblia, a missão de Maria fica bem clara. Cada evangelho fala dela de uma forma especial. Vamos descobrir?

No Evangelho de Mateus: 4-1,16: Maria na genealogia de Jesus •$• 1,18-25: Jesus nasce de uma mulher simples do povo; -> 12,46-50: a família de Jesus é a comunidade e Maria é parte integrante dela; <• 13,53-58: mulher do povo é incapaz de ser mãe de profeta? <* 27,55-56: Maria e as outras mulheres vão até o fim! No Evangelho de Marcos: *> 3,31-35: compromisso com o Reino é mais forte que parentesco; •^ 6,1-6: Nazaré rejeita os dons que lhe são dados através da mulher Maria. No Evangelho de Lucas: <• 1,26-38: o projeto de Deus, para

acontecer, depende do consentimento e compromisso de Maria; 4-1,39-45: só percebe a presença de Jesus o empobrecido que partilha sua pobreza; •O-1,46-56: Maria glorifica a Deus porque é sensível à miséria do povo; <• 2,1-7: Maria é excluída da comunidade, juntamente com seu filho; •*• 2,19.34-35: a ação transformadora da mulher nasce das profundezas do coração; <* 2,41-51:oadolescenteJesustambém entrava em conflito com sua família; <* 8,19-21: Maria, para continuar sua missão, precisa entrar no ritmo da vida de Jesus; 4> 11,28-29 e 23,27-29.49: Maria tem alegrias e sofrimento, ao assumir sua missão; No Evangelho de João: <• 2,1-12: Maria lidera a implantaçãc do Reino de Deus; •> 19,25-27: seguir a Jesus é adotaMaria como mãe. Nos Atos dos Apóstolos: •$• 1,14: ser Igreja e ser família de Jesus é uma coisa só.

fí€Zfí DO T6fíÇO: OfífíÇftO QU6 LIGfl F€ 6 VIDfi O terço é uma oração onde a gente relembra os momentos mais fortes da vida de Jesus. Em cada fato recordado, Maria está presente, agindo, apoiando ou simplesmente acompanhando. São momentos de alegria, de sofrimentos e de vitória, aos quais nós chamamos de mistérios. No dia-a-dia, usamos a palavra mistério para falar sobre algo que acontece sem a gente entender como. Achamos que são segredos bem guardados por Deus. Mas não é bem assim. Mistério é algo que, quanto mais a gente conhece, mais sente necessidade de continuar a conhecer. Sempre há um ponto a ser descoberto e aprofundado. É parecido com conhecer uma cidade. Sempre há uma rua por onde a gente ainda não passou, uma casa na qual não havíamos reparado, um morador novo... Nunca dá pra dizer que já conhecemos tudo completamente. A cada passo há um novo a ser descoberto. Cada vez que rezamos o terço, conhecemos um pouco melhor essa grande "cidade" que é a ação de Deus no meio de nós. Deus não age só nos momentos alegres, mas também através do sofrimento, sempre para nos levar à vitória sobre

a escravidão e a morte. Por isso, temos os mistérios gozosos (alegria), dolorosos (sofrimento) e gloriosos (vitória). A vitória que Deus quer é a felicidade do ser humano. Mas ela só acontece quando homens e mulheres perdem o medo de viver os desafios da vida. Através do compromisso com a Vida, com as alegrias e sofrimentos que a acompanham, chegaremos à vitória. A reza do terço não deve ser imposta a ninguém. Muitas famílias lamentam o fato de jovens e crianças não gostarede rezar o terço, por acharem uma oração muito repetitixe Afinal, estamos no mundo do videogame, do videoclip. c= velocidade... E o terço não deve ser rezado correndo, se~ refletir sobre a proposta do Evangelho para a nossa vida A riqueza do terço deve ser descoberta pelos jovens, rã: pela imposição, mas oela sedução...


5 - Página - BIO

:>yvt fíOMfífílfí: CfiMINHflNDO CONTfífí O V€NTO... Maria está em todos nós: no dia-a-dia, no agir cristão, na oração, nas capelas, nas mães... Por que ir atrás dela tão longe, lá em Aparecida ou em outro santuário? Que tal fazer essa pergunta para quem já fez uma romaria? Muitos vão porque a família estava indo, não iria ficar para trás sozinho... Outros, porque acham que, para serem ouvidos em suas necessidades, precisam ir até lã, para obterem o que desejam. E outros, ainda, vão porque é um passeio gostoso. O sentido da romaria é muito maior. Muitos romeiros sabem disso. Em toda a Bíblia, o Povo de Deus é representado como um povo que caminha. Diversos salmos foram compostos para serem cantados nas romarias do povo: "Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa de Javé!' Para ela sobem as tribos de Javé, segundo o costume de Israel, para celebrar o nome de Javé." (SI 122,1.4) Maria passa sua vida caminhando com Jesus. Tudo isso revela que a romaria tem um valor muito grande. Trata-se de: > sair de uma posição muitas vezes confortável e segura, para buscar, de corpo e alma, um encontro com o Senhor; > pegar estrada junto com a comunidade de fé, partilhando com os irmãos as riquezas encontradas; > expressar o desejo de encontrar uma vida melhor, sabendo que, para encontrála, é preciso vencer o comodismo; > descobrir os valores existentes na devoção popular, analisando criticamente o

que vemos e fazemos, à luz da Palavra de Deus; > refletir sobre a situação dos semterra, dos sofredores de rua e menores abandonados, que não têm moradia fixa nem segurança, vivendo numa peregrinação obrigatória. No mês de maio, o povo gosta muito de fazer romarias aos santuários marianos. Vai louvar e agradecer a Deus pela presença de Maria entre nós. Algumas sugestões: > nem sempre é possível irá Aparecida do Norte, como muitos preferem. Por que não fazer a romaria a um local mais próximo, onde todos (inclusive crianças e jovens) tenham condições de ir? 'f no caminho, animar o povo com cantos e orações participadas; > procurar conhecer a Pastoral dos Migrantes, que procura dar apoio aos que vêm de longe para viver uma vida melhor; > aprofundar o sentido da romaria através da oração bíblica. Por exemplo, conhecer a história de Abraão (Gn 12,1-9).

COROfífí Mfífílfí: R€CONH€C€R fí DIGNIDfiD€ Dfí MULHÇfí A coroação de Nossa Senhora, no último domingo de maio, é oportunidade para o Povo de Deus demonstrar o carinho e o respeito que temos por ela. É um momento que deve ser cultivado por todas as comunidades. Mas, qual é o significado da homenagem? Maria é a rainha do céu e da terra. Mas não como a milionária rainha da Inglaterra, nem como a famosa "rainha dos baixinhos". É uma mulher totalmente envolvida com a história de seu povo. Sofreu as mesmas injustiças e humilhações que as mulheres de sua época sofriam. Mas não sofreu calada! Maria soube denunciar o seu sofrimento e o de suas companheiras, sabendo que Deus estava do lado delas. "Minha alma proclama a grandeza do Senhor porque olhou para a humilhação de sua serva". (Lc l,46b.48a) Coroar Maria, hoje, é reconhecer que ela estava com a razão! É reconhecer que as servas do Senhor estão sendo humilhadas, mas que o Senhor não deixa de olhar por elas um só

minuto. O Senhor é grande: não ignora o sofrimento da mulher e de toda a humanidade, mas vem Ele mesmo trazer a transformação. Aqui, algumas sugestões para uma autêntica coroação de Nossa Senhora: •:* fazer tudo com muita alegria, calor e entusiasmo - é uma festa! *> organizar bem, para ser rápida e participada - abrir espaço para as crianças; •í* preparar antecipadamente a comunidade a partir dos grupos de rua; •I* refletir os textos bíblicos indicados, especialmente de Mateus - o Evangelho de 1996; •I* promover durante o mês uma campanha de conscientização sobre a dignidade da mulher, que atinja todos os níveis da sociedade local: diversas igrejas, escolas, creches, locais de trabalho, famílias; *> combater e denunciar a violência contra as mulheres, especialmente a que acontece dentro das próprias famílias.


BIO Página 6

ao - -10

DIRETRIZES GERAIS

DIR€TRIZ£S GCRRIS 6M LINGURG€M SIMPUHCftDft

B^^^^^ Vr V^V^p w VAkV^B^V^p

MRAACATIQUUS

A CNBB acaba de publicar pela Editora das Paulinas, com 110 páginas, as Diretrizes Gerais em Linguagem Simplificada. Esta publicação foi elaborada pela Diocese de Osasco - SP, que tem grande experiência na elaboração de textos em linguagem simplificada. Com esta publicação, a CNBB atende pedido dos Bispos na última Assembleia, que solicitaram um texto em linguagem mais acessível aos agentes de pastoral. Esta versão simplificada conserva a fidelidade ao texto oficial mas, tanto pela forma como pelo conteúdo, facilita a leitura e compreensão do mesmo.

20 desenhos para ilustrar o estudo das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil Documento da CN8B-54

CHDCftNC» CftnOUCTKOS N' t

KfG/OMAL 18° ENCONTRO DÇPfiSTORfíi VOCfíOONfíi A Pastoral Vocacional do Regional Sul l promoverá o seu 18a Encontro com o tema: Metodologia da Pastoral Vocacional. O Encontro que será realizado no Centro de Espiritualidade "Emaús" na cidade de Araras, SP terá início às 18 horas no dia 11 de abril, terminando no dia 14 com o almoço. Estão convidados a participar as Equipes Diocesanas de Coordenação da Pastoral Vocacional. (05 pessoas). É necessário levar roupa de cama e banho, e a taxa é de R$ 50,00.

CftT€QU€TICflS As seis Regiões Pastorais da Diocese de Osasco, estão criando ou aperfeiçoando cursos de preparação para novos catequistas. As comunidades devem procurar informações com a coordenação de catequese de cada Região. Para participar, é fundamental que o catequista tenha uma formação básica sólida, que será aperfeiçoada durante a caminhada. Para os coordenadores paroquiais ou formadores de catequistas, a Diocese está oferecendo a ECO - Escola Catequética Diocesana, em três núcleos: Osasco, Cotia e São Roque. Para frequentar a ECO, exige-se uma experiência mínima de três anos como catequista, além de estar assumindo ou se preparando para assumir uma tarefa de conrHonarãn na rnmi inirlartp nu narófiuia.

SUL / €NCONTRO MISSIONÁRIO

Considerando a importância da realização do COMLA V em julho de 1995, em Belo Horizonte, e tendo em vista a caminhada missionária, a Linha II da CNBB fará realizar um Encontro Missionário destinado aos responsáveis dos Conselhos Missionários de cada (arqui) diocese do nosso Regional Sul 1. Objetivo deste encontro: Implementação das prioridades e compromissos do COMLA V em nossas Igrejas Particulares. Data: 3 a 5 de maio/96 na Casa Pé. José Kentenich - Jaraguá - Capital - SP

PJ PROMOV€ CURSO PfíRfí COORD€NRDOR€S Com o objetivo de preparar melhor as lideranças dos nossos grupos de jovens a Equipe Diocesana de Pastoral da Juventude promoverá dia 21 de abril, no Colégio Nossa Senhora da Misericórdia, Rua Madre Rosselo, 111 - Osasco - Centro (próximo à Catedral Santo António) um curso de aprofundamento sobre o Projeto da PJ do Brasil para o triénio 96-98. Será importante que esteja presente, no mínimo, um representante de cada grupo. Acreditar na formação de nossas lideranças é qualificar a ação da Pastoral da Juventude. Horário: das 8:00 às 17:00 horas. OBS: Trazer lanche para almoço comunitário.

Diante do documento 54 da CNBB "Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil", o Centro Catequético da Diocese de Osasco oferece a todos os catequistas do Brasil o Caderno Catequético n- 6: "DAS DIRETRIZES PARA A CATEQUESE". com 20 desenhos que pretendem facilitar o estudo de tão importante trabalho realizado pelos Bispos em favor da evangelização no Brasil. O Caderno n2 6 não tem texto, são desenhos ou sínteses, que podem ser reproduzidos e ampliados à mão livre ou em xerox ou ainda em cópia pantográfica para cartazes, folhetos, murais, etc., ou mesmo copiados em transparências para apresentação por retro-projetor.

CfíRTfí DO PfíPfí fíOS SfíC€RDOT€S POR OCfíSlfíO Dfl 5° F€IRfi SftNTfi Foi divulgada no dia 21 de março, e tem como tema os 50 anos de ordenação sacerdotal de João Paulo II. Cor 20 páginas, a Carta desenvolve os seguintes assuntos: 1) A Vocação singular de Cristo Sacerdote; 2) O Sacerdócio Comum e o Sacerdócio Ministerial; 3) A Vocação pessoal ao Sacerdócio; 4) A Vocação Sacerdotal dos Apóstolos: 5) O Sacerdote realiza-se a si mesm: por uma resposta sempre renovada e vigilante; 6) O Sacerdócio como "Officium Laudis"; 7) O Sacerdote guia os fiéis para a plenitude da vida em Deus; 8) O Jubileu Sacerdotal: tempo de alegria e de ação de graças. Conclui com uma oração de agradec mento a Deus pelo dom do Sacerdócio

3° €NCONTRO DO ÇÇC No próximo mês de abril, nos dias 12,13 e 14 terá lugar o 3» Encontro de Casais com Cristo ã Av. Pé. Vicente Melillo, 183 Bussocaba. O Encontre visa levar os casais já engajados nas atividades paroquiais e diocesanas a uma reflexão profunda sobre o homerr que vive numa sociedade cheia de irv justiças e de opressão. É necessán: assumir compromisso de uma açãc concreta pela transformação das estruturas injustas de nossa sociedade sem destruir ou humilhar as pessoas


7_Página - BIO

PASTORAL CARCERÁRIA >>« --

IGREJA FIEL - A Pastoral Carcerária, que trabalha junto aos presos nas delegacias de polícia, em cadeias públicas e nos presídios e prisões, apresenta um constante desafio para a Igreja. Ela desafia os cristãos a serem fiéis a Jesus e ao seu povo, na pessoa dos mais pobres. Assim os presos, de maneira geral no Brasil, "sobram", porque são de fato, os últimos dos pobres. Sobram, tanto para a sociedade cilvil quanto para a Igreja. NÃO HÁ TEMPO Todos têm medo do preso. Acham que ele não é mais gente... é bicho ou coisa assim. É animal... As desculpas sempre aparecem: "há tanta coisa, tanto trabalho nas comunidades e nos cursos de noivos e nos retiros para os jovens, e nos encontros de todo tipo, e no expediente e na quermesse também... e assim por diante." Não há lugar, não há tempo, na Igreja para os últimos dos pobres, os presos. E assim sendo, questiona-se se esta Igreja está sendo realmente fiel a Jesus e ao povo de Jesus! Pois Jesus teve espaço em sua vida e em seu coração, e dentro do seu povo, para os presos! - "O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção, para anunciara Boa Nova

.—

aos pobres: enviou-me para proclamar a libertação aos presos e aos cegos a recuperação da vista: para libertar os oprimidos..."- Lc 4,10 Na Cadeia Publica de Osasco, tem 436 presos e apenas 206 "pedras" (cama de concreto) para dormir. Realmente um "campo de concentração" onde "justiça e paz nunca se abraçarão. OPORTUNIDADE MISSIONÁRIA A Pastoral Carcerária é uma enorme oportunidade para a Igreja fazer uma contribuição missionária que ajudaria jogar muita luz na questão do sistema carcerário. A Pastoral Carcerária é uma "Pastoral Limite", de "Fronteiras", pois lida com as pessoas mais odiadas, temidas, mal-faladas de todas as épocas. Lida com as pessoas que não têm futuro. Lida com os que foram presos/ condenados por seus crimes contra a sociedade, contra os seus semelhantes. A PRÁTICA DE JESUS - A Pastoral Carcerária da Igreja aqui no Brasil, trabalha em muitos presídios e cadeias mas não consegue "cobrir" todas as áreas pois faltam muitíssimos agentes de pastoral. A Pastoral Carcerária desenvolve uma pastoral baseada na prática do respeito acolhedor e libertador

Corte e Costura

_.

íO

-^

de Jesus... Este Jesus que foi Crucificado sim, mas que ressuscitou e é mais forte que a morte e as forças da morte. PILARES DESSE TRABALHO - A Pasto ral Carcerária tem como pilares de seu trabalho, a prática e os gestos concretos de Jesus, em sua escolha e acolhida deliberada pelos pobres, marginalizados e desclassificados de sua própria época, como os preferidos do Pai e portadores da Boa Nova do Mistério do Reino. Prática essa de Jesus quê é modelo da única prática missionária válida para a sua Igreja. JESUS AMOU AS PESSOAS ERRADAS Jesus amou "as pessoas erradas* na concepção dos escribas e fariseus. Muitos cristãos de hoje dizem e pensam a mesma coisa em relação aos presos. Apesar de muita oposição e conflito, a PASTORAL CARCERÁRIA tenta profeticamente tornar presente e vital essa prática acolhedora e libertadora de Jesus nas cadeias. SUGESTÃO - A Pastoral Carcerária su gere à Igreja do Brasil e a todas as Igrejas locais, deixarem-se interrogar pelos apelos mudos de Cristo sofrendo na pessoa dos presos... os "leprosos e impuros" de hoje.

NOSSfí StNHORfi Dfí CONC&ÇfiO

(HÉ,u.- Cai»)

o oo

yyS f , ff

1(0 O

O d)

5 5

l

Q: 8

Qulnt* fclr. «u l* *• 1«

Ginástica

Este ano está fazendo 350 anos que D. João IV, em obediência ao voto unânime e por aclamação das Cortes de Lisboa, reunidas em 1646, proclamou Nossa Senhora •\\a Conceição Padroeira de Portugal, perante a imagem que está no Santuário de Vila Viçosa, cidadezinha do inte-

f5?*?01tTVGAL

O T3 .5 CO 'C 0) 14 4a Ifl I» 03 Congelaraento CD tlfl e C 0)

03

CO Culinária

>3

01 Rua Ali Saad, 37 (atrás da Igreja) Jd. Califórnia

n°r CÍO AlenteJ° e secle do

Ducado de Bragança. No programa das comemorações, que teve início na Festa da Imaculada em 08/ 12/95 e terá o encerramento na mesma data do presente ano, consta a PEREGRINAÇÃO NACIONAL ao Solar da Padroeira com a presença do Episcopado Português, no dia 09 de junho de 1996.

XVI - CONGRESSO SACERDOTAL BRASILEIRO Nossa Senhora e o Sacerdócio é o tema do 16a Congresso Sacerdotal que será realizado em Franca, SP nos dias 22, 23 e 24 de agosto de 1996. Em torno dessa temática se desenvolverá o Congresso Sacerdotal Brasileiro pela décima sexta vez e, agora no XXV Ano Diocesano, na Diocese de Franca. Franca desde que nasceu historicamente está dedicada à Imaculada Conceição da Nossa Senhora! Nossa Senhora é nossa Mãe e Patrona,

XVI Congresso Sacerdotal Brasileiro do Serra Clube Internacional, diz Dom Diógenes Silva Mathes Bispo de Franca. Nossa Senhora e o Sacerdócio, parece-nos o melhor tema, pois, não há ninguém que mais entende desse assunto, somente Ela, a Mãe do Único, Sumo e Eterno Sacerdote, Nosso Senhor Jesus Cristo. Todos os Participantes Ordenados, em um dos três graus do Sacramento são bem vindos como Amados no Senhor sob o manto da Senhora Imaculada


BIO - Página - 8

^[CONGRESSO EUCARÍSTICO) O cartaz representa o lema do Congresso: Eucaristia, vida para a Igreja. Os símbolos usados mostram a Eucaristia, Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo, como pão repartido que alimenta a Igreja. A Igreja viva está representada pela multidão. A foto desfocada fala da Igreja reunida pela Eucaristia a partir de uma realidade pluralista e heterogénea. De fato, ela é formada de pessoas diferentes em idade, costumes e condições sociais. Pela Eucaristia todos são chamados e fortalecidos para serem irmãos, na fraternidade e na justiça. Alimentada pela Eucaristia a Igreja vive a partilha e inaugura a nova cidade, onde a vida se desenvolve. ************************** Sobre o Congresso escreve D. Silvestre: quero destacar um aspecto essencial a Eucaristia como Banquete Sagrado, no qual nos é oferecido o Cordeiro imolado, como alimento. "O pão que eu vou dar", disse Jesus, "é a mi-

Vida Paa

13* CONGRESSO

MAdONAL IC \ l* JUtfW !ít*-TTOtU ES

nhã própria carne, para que o mundo tenha vida" (Jo 6,51). O corpo e o sangue de Cristo nos são oferecidos como comida e bebida para sustentar e fazer crescer nossa vida espiritual e como remédio para curar nossos males. "To-

mem, isto é o meu corpo... Isto é : meu sangue" (Mc 14,22). Jesus prometeu: "Quem come a minhê carne e bebe o meu sangue tem a v : -eterna, e eu o ressuscitarei no últirr: dia... Quem come a minha carne e bebe o meu sangue vive em mim e eu nele* (Jo 6,54-56). E o apóstolo Paulo, em l Cor 10,17, acrescenta: "E como há urúnico pão, nós, embora muitos, somos um só Corpo, pois participamos todos desse único pão". Eis aí alguns frutos maravilhosos da Comunhão do Corpo de Cristo: a cura de nossos males (cf. l Cor 11,3); viver em união íntima com Cristo; ressusc1tar para a vida eterna; formamos c Corpo de Cristo (a Igreja), capacitando-nos para viver a fraternidade e o serviço aos irmãos. A Comunhão faz parte essencial da Eucaristia. Comungar a Cristo exige também comungar o irmão, a irmã com quem vivo. trabalho, a quem sirvo. É compromisso de me doar como Jesus se doou.

DFI Diocese oe osnsco Você já tem o Anuário 1996 da Diocese? Não? Vá correndo buscá-lo na Cúria Diocesana, pois ele vai ajudar sua comunicação pastoral porque tem endereços e telefones atualizados. Mudou o telefone da sua Paróquia, Comunidade ou Casa Religiosa? Comunique logo à Cúria para ser atualizado. Vivemos na era da comunicação. Não fique de fora.

L

io 02 -T 03 -Q 04 -Q 05 -S 06 -S 07 -D 08 -S 12 -S 13 -S 14 -D 16 -T 17 -Q 18 -Q 10 .R .

CfíLeNDfífílO

PAROQUIAS 1. - Paróq. N. Sra. da Conceição - Tel: 7208-7111 l - Paróquia Santa Isabel -Tel: 7208-7598 - Paróq. N. Sra. Imac. Conceicão-Tel: 7921-0819 CONGREGAÇÕES FEMININAS Irmãs. Beneditinas da Divina Providência Instituto São Pio X - Tel: 7208-0376 Lar Madre Benedita - Tel: 7208-0268 1.4.- Pias Discípulas do Divino Mestre - Tel: 810-3673 1.7.- Instituto Coração de Jesus - Tel: 7209-5134 6.5.- Missionárias de Jesus Sacerdote - Tel: 795-1033 Ramal: 5544

1.1.-

PfíSTOfífíL

Festa de S. Francisco de Paula - Alumínio Conselho da Região Pastoral Sto. António 20 h Celebração dos Santos Óleos - Catedral - 20 h~ Ceia do Senhor Sexta Feira Santa - Paixão do Senhor COLETA PARA OS LUGARES SANTOS Sábado Santo - Vigília Pascal PÁSCOA - RESSURREIÇÃO DO SENHOR Passeio dos PP. - até dia 12 Conselho da Região Pastoral Carapicuiba - 20 h Reunião para Diretoria da Cantas Equipe Dioc de CEBs - Centro Pastoral-14:30 h 29 DOMINGO DA PÁSCOA Conselho Pastoral Setor N. Sra. das Graças- 20h Assembleia Geral da CNBB - até dia 26 PP. Reg. Past. S. Roque - Araçariquama -10 h Conselho P. Setores S. Família e l maculada-20 h PrinriHaHp MnrflHifl - lnr(>ia N. fira. Aoarecida -

-

20 -S 21 -D -

26 -S 28 -D -

- fíBRIL Carapicuiba - 20 h Equipe Diocesana - Prioridade "Saúde" Escola Catequética - ECO - Osasco - 9 às 16 h Escola Catequética - ECO - S. Roque -14 h 39 DOMINGO DA PÁSCOA TIRADENTES Retiro para ministros da Celebração da Palavra Regiões Pastorais de Barueri e Carapicuiba - Sul americana das 9 às 16 h Assembleia Geral da CNBB. Término -12 h Comissão Diocesana de Administração -15 h Conselho da Região Pastoral Cotia - 20 h Conselho da Região Pastoral S. Roque - Igreja São Benedito - 20 h 49 DOMINGO DA PÁSCOA Jornada Mundial de Oração pelas Vocações Past. Juventude - S. Roque - das 9 às 17 h Conselho da Reqião Pastoral Barueri


58 bio abril 1996