Issuu on Google+

\

Boletim informativo de

o

ANO V I I - N ° 57 MARÇO -1996

ó *Deus! Vou escutar o que diz Javé: *<Deus anuncia a paz ao seu povo e seusfiéist e aos que se convertem de coração*. & salvação está pró%jtna dos que o temem, e a gloria HaBítará em nossa terra, ftmor e fidetidade se encontram, Justiça e paz se aBraçam SI fideCidade Brotará da terra, e a Justiça se indinará do céu. J ave nos dará a cftuvaf e nossa terra dará o seu fruto.

ERNIDADE E POLITIC

& Justiça camwfiarà à frente de£e, a salvação seguirá os seus passos. (S(85)

J


BIO - Página - 2

0

10

INFORMANDO

OS M6IOS D€ COMUNICftÇfiO €fíMULH€fí

VID€OCftSS€T€S € CD~fíOM DOSMUS€US VfíTICflNOS

LfíTINfí NOfíNOS.OOO

No dia 24 de janeiro, festa de São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas católicos, o Presidente do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais, Dom John Foley, divulgou o tema da 30a Jornada Mundial das Comunicações Sociais, escolhido pelo Papa João Paulo II: Os Meios de Comunicação Social são aerópago moderno para a promoção da mulher na sociedade. Com o tema desse evento, celebrado no Brasil no dia 05 de maio, o Papa volta a insistir sobre a dignidade da mulher, seus direitos e suas qualidades específicas. Exorta aos Meios de Comunicação Social a mudar sua atual postura em relação à mulher e convida as mulheres a terem atitude crítica diante das propostas dos MCS.

No dia 18 de janeiro, o Cardeal Rosalio José Castillo Lara, SDB, Presidente da Pontifícia Comissão para o Estado da Cidade do Vaticano, apresentou, na Sala de imprensa da Santa Sé, uma série de 17 videocassetes e dos CD-ROM produzidos pelas Edições Museus Vaticanos. O Cardeal explicou que o motivo desta iniciativa é a aproximação do Jubileu do ano 2.000. "Como o Vaticano é de todos, mas nem todos podem visitá-lo, queremos levar este tesouro cultural a todos os lares". E acrescentou que a "produção de video-cassetes estará disponível nos principais idiomas do mundo, em breve". A série de vídeos -17 fitas, entre as quais uma sobre a restauração da Capela Sixtina - ilustra os Museus Vaticanos através de imagens e de som, percorrendo as obras da antiguidade egípcia, grega e romana, até a arte contemporânea.

Consultor do BID, argentino Bernardo Kliskberg, em conferência a especialistas na sede do Sistema Económico Latino-americano, Caracas, ofereceu estes dados: entre 1980 e 1990, o número de pobres na América Latina aumentou em 60 milhões, atingindo 50% da população. No ano 2000 serão 57%; seis em cada dez latino-americanos viverão na pobreza. Atualmente, a pobreza mata 1.500.000 por ano no Continente; 44% da população sofrem de desnutrição, 10 milhões ficam sem emprego por ano; cerca de 3.000 crianças morrem diariamente por problemas de desnutrição. Houve uma reunião do BID em fevereiro, em Washington, para analisar a explosão da violência na América Latina como efeito da pobreza, que acarreta desequilíbrios sociais graves e põe em risco a estabilidade democrática.

ÇLIMINfífí fí POBfieZfi T€Mfí Dfí ONU Pfífífí 1996 A Organização das Nações Unidas (ONU) definiu o tema: "Eliminar a pobreza" para o Ano Internacional de 1996. Anunciando o tema perante a Assembleia Geral das Nações Unidas, o Secretário Boutros Ghali convidou todos os governos, setores da sociedade, meios de comunicação social, organizações assistenciais, educativas e religiosas a iniciar uma campanha eficaz contra a pobreza no mundo.

Pfí€S€NT6 QU€ NOS COMPROM€T€ Dom António Juan Baseotto Presidente da Comissão Episcopal de Missões, da Argentina, ao ser proclamado o pais sede do COMLA 6, disse: "Recebemos a escolha da Argentina para sede do COMLA 6 como uma graça de Deus. Graça esta que se torna um dom e um compromisso. Presente de Deus que manifesta um amor de predileção. Tarefa nossa para que este dom não seja em vão. O COMLA 6 deverá significar para a Argentina um forte impulso no espírito missionário que já está despertando. O enorme potencial mis-

sionário que a Igreja da Argentina tem deverá canalisar toda esta força. Já temos recebido do Brasil, na história, presentes significativos de Fé. Há mais de cem anos, chegavam até nós duas imagens de Maria. Uma se estabeleu em Sumampa: a Virgem da Consolação. Outra quis ficar nos pampas argentinos. A Virgem de Luján, Padroeira do Prata. Hoje, do Brasil, recebemos o desafio do COMLA. Colocamo-lo nas mãos de Maria, Estrela da Evangelização, para que o torne fecundo para o bem de toda a Igreja".

NOTÍOfíS DO €PISCOPftDO Dom Benjamin de Souza Gomes - Bispo emérito de Paranavaí, PR faleceu no dia 17/11/95.

Dom Pedro Conti foi nomeado Bispo da Diocese de Conceição do Araguaia, PA no dia 27/12/95.

Dom Osvino José Both - Bispo auxiliar de Porto Alegre foi nomeado dia 22/11/95 Bispo da Diocese de Novo Hamburgo, RS.

Dom Lúcio Ignácio Baumgartner - foi transferido da Dioce se de Toledo, PR para a Arquidiocese de Cascavel, PR com a renuncia de Dom Armando Círio, por motivo de idade, no dia 27/12/95. Mons. José Nicodemos Rodrigues de Souza foi eleito administrador Diocesano de Guarabira.

Dom Glanfranco Masserdoti, foi no dia 22/11/95 nomeado Bispo - Coadjutor da Diocese de Balsas, MA. Dom Eugène Lambert Adrian Rixen - foi nomeado Bispo Auxiliar da Diocese de Assis, SP, no dia 29/11/95. Dom Lelis Lara - Bispo Auxiliar de Itabira - Coronel Fabriciano, MG, foi nomeado dia 6/12/95, Bispo Coadjutor da mesma. Dom José Palmeira Lessa deixou a Diocese de Própria, SE por ser nomeado Arcebispo - Coadjutor de Aracaju, SE no dia 6/12/95. Dom Mauro Montagnolli, CSS foi nomeado Bispo da Diocese de Ilhéus, BA. no dia 20/12/95. 19% - Março

Dom Jaime Vieira Rocha, Bispo de Caicó, RN foi ordenado pelo Papa João Paulo II, no dia 06/01/96. Dom Roberto Gomes Guimarães, foi ordenado Bispo para a Diocese de Campos, RJ e tomou posse dia 07/01/96. Dom Moreira de Melo - o Papa João Paulo II nomeou - o Bispo para a Diocese de Itapeva, SP, no dia 17/01/96. Dom Alberto Frederico Etges Bispo emérito da Diocese de Santa Cruz do Sul, RS faleceu no dia 08/02/96.


3 - Página - BI O

<$>

(CAMINHANDO COM O PASTOR

QUARESMA E CAMPANHA DA FRATERNIDADE Reino de Deus, ReiA quaresma nos convida à conversão e a meditar no de justiça e de nos sofrimentos de Jesus e em sua obra de Redenção, paz. -ealizada na cruz Para isso é neA quaresma é chamada também de grande retiro cessário levar a sério 3o povo de Deus. Com piedade e contrição, o povo sima escolha de pessoas ples medita a "Via Sacra", o caminho de dor de Jesus e que, no exercício da dese enternece diante do Bom Jesus revestido de ignomímocracia, saibam resnia e coroado de espinhos. peitar a participação do Diante do sofrimento de Jesus, condenado, povo não apenas por rlagelado, obrigado a carregar a cruz, instrumento da inocasião das eleições, justa condenação, é necessário mudar de mas em todo o procesvida; diante de Jesus cruciso dos seus mandatos ficado é imperioso converA quaresma exige legislativos ou executivos. As reivindicações no tocante ter-nos. de nós, cristãos, às exigências fundamentais à vida, como: saúde, educaPortanto, a quaresuma revisão de ção, trabalho, direitos da família e da pessoa humana, ma exige de nós, cristãos, vida, de palavras, devem ser acolhidas com decisão, por aqueles que, eleiuma revisão de vida, de pade atitudes. tos, têm excelente oportunidade de testemunhar o seu lavras, de atitudes. O crispatriotismo, acima de qualquer interesse pessoal ou de tão é discípulo de Jesus. grupo económico, seja ele nacional ou internacional. Para ser coerente com nome A justiça exige atitudes de coragem em favor dos ao significativo precisa identificar-se com Jesus. Ser inspequenos e dos pobres, que defendidos em seus direitos rumento da redenção de Jesus em meio à humanidade de cidadãos e honrados em sua dignidade de pessoas e ;m toda a sua história. de trabalhadores, constituem a grande nação brasileira. Para uma conversão sincera e eficaz é necessário Nesse esforço político de grande e eficaz fraternidade é }ue vivamos os mistérios que celebramos nestes quaque construiremos o Brasil que sonhamos e que está enta dias da quaresma. Limitados e esquecidos de nosplenamente delineado no Plano de amor e de justiça que ;os deveres, principalmente, para com nossos Deus estabelece para os homens. Esse Brarmãos e irmãs mais abandonados, a Igreja do sil, construído por todos os brasileiros que Brasil nos convoca a gestos concretos de fraA Campanha da temem a Deus e o seguem com fidelidade, ernidade que nos levem à conversão. Essa Fraternidade nos pede a transformamostrará a todas as nações da terra a felici;onversão, porém, não deve ser um ato ou ção da sociedade dade do abraço entre a justiça e a paz. jma experiência ocasional mas compromisatravés do comproA quaresma nos pede que sejamos verio para toda a nossa vida de cristãos. misso "político". ^^ dadeiramente cristãos. Comprometidos com Este ano, a Campanha da Fraternida*^r^ a salvação do mundo: "vós sois o sal da terJe nos pede a transformação da sociedade ra", comecemos, pela nossa conversão e pelo nosso comatravés do compromisso "político". É necessário, a cada promisso social, a mudar o Brasil, aprendendo a discernir lia, melhorar a sociedade dos homens, fazendo-a digna o nosso voto segundo a justiça e a paz a serem implanta>ela convivência pacífica e justa de todos os seus memdas e não segundo os nossos interesses ou oportunida)ros. Quando numa sociedade, todos se colocam a servides egoístas. ;o uns dos outros, os mais pobres são defendidos e pronovidos eis o ambiente propício para a implantação do + FRANCISCO

OSnSCO T€M Tfí€S NOVOS DlfiCONOS

*Servif ao Senhor com alegria*. Dia 3 de março de 1996 a Igreja de Osasco foi enriquecida pela ORDENAÇÃO DIAGONAL de: Gilvan Leite de Araújo; Ubirajara Vieira de Melo e Valmírar Santos Almeida, que pela oração da Igreja e imposição das mãos de Dom Francisco Manuel Vieira receberam a Ordem do Diaconato. A Celebração Eucarística foi realizada na Catedral Santo António às 16:00 horas, com a participação das famílias dos Novos Diáconos, grande número de sacerdotes e membros das diversas comunidades onde exerceram suas atividades pastorais. Março - 19%


BIO - Página - 4

EVANGELHO INTfíODUÇfíO Nos domingos de 1996, a Igreja do mundo inteiro estará refletindo o Evangelho de Mateus. É que a Igreja, para dar ao povo uma visão global da Bíblia, preparou uma escala, dos diferentes livros e trechos bíblicos, assim, os textos não se repetem todos os anos, mas apenas de três em três anos. ano A, é o Evangelho segundo Mateus;

ano B, é o Evangelho segundo Marcos; ano C, é o Evangelho segundo Lucas. O Evangelho de João aparece em festas e ocasiões espe ais da vida da Igreja. Vamos procurar ter um contato com a mensagem central evangelho segundo Mateus.

7 ° €NCONTfíO - €VfíNG€LHO SEGUNDO MfíT€US - O Ç>U€ € ORAÇÃO: "Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste essas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelastes aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado." (Mt 11,25-26). MEDITAR O que Jesus quer dizer com "essas coisas"? O que é que os sabidos procuram, mas só os pequeninos conseguem entender? O que deve mudar na vida dos sabidos para entenderem "essas coisas" de que Jesus fala? Fazer o grupo refletir e contar o que sabe sobre um personagem importante, conhecido do grupo: sua vida, seus trabalhos. Vamos ver que haverá diferentes maneiras de lembrar um mesmo fato, mas mesmo assim o fato continua sendo verdadeiro. Não conseguimos contar toda a vida da

pessoa. Percebemos que há muitas informações que não temos. A falta dessas informações não diminui, para nós, a importância dessa pessoa. Não teremos uma biografia completa da pessoa, mas os fatos em si nos dão pistas para nossa vivência hoje. Ligação com o Evangelho segundo Mateus: O Evangelho segundo Mateus é anúncio: <• de uma pessoa: Jesus Cristo •fr para uma comunidade definida: ju deus convertidos, pobres, da zona ru ral no país da Síria (Oriente Médio), expulsos da Palestina pelo exército romano. A comunidade aprendeu a Boa Nova da experiência de Mateus, que foi seguidor de Jesus Cristo, que testemunhou sua ressurreição. Os evangelhos, ao falarem de Jesus Cristo também não contam tudo o que

Jesus viveu, nem conseguem con exatamente como aconteceu. O imp tante é atualizar a acão de Jesus, p que ela nos mostre como agir nos d de hoje. CONCLUSÃO O Evangelho segundo Mateus nã uma biografia completa de Jesus C to. É uma memória, uma seleção fatos importantes para a vida da munidade que Mateus liderava. AÇÃO TRANSFORMADORA Neste ano ler o Evangelho comple para ter uma visão geral do Evange segundo Mateus. Conhecer melho comunidade de Mateus para comp ender o significado desse Evange para nós, hoje. Ligar a CF 96 "Justiça e Paz se ab carão" com o Evangelho de Mate onde Jesus nos explica o que é a ju ca do Reino dos Céus.

3° €NCONTRO - JUSTIÇfí € L€l SfíO fí M€SMfí COISfí? ORAÇÃO: motivar a leitura participada do Salmo 2 MEDITAR A comunidade de Mateus rezava muito os salmos. Quando lia o Salmo 2, entendia melhor o que havia acontecido com Jesus, morto pelas autoridades humanas mas ressuscitado pelo Pai. As autoridades de hoje agem a favor ou contra o Projeto de Deus, como no Salmo 2? REFLEXÃO As leis brasileiras são sempre justas? Quando a lei não é justa, devemos simplesmente desobedecer ou procurar modificá-la? Ligação com o texto de Mateus

Ler Mt 5,9.10.17.20. 38-48. Jesus está mais preocupado com a Lei ou com a justiça? Que lições Jesus daria diante de tanta injustiça social e de leis injustas? 19% - Março

CONCLUSÃO Toda sociedade tem suas le costumes, que são importan para manter a ordem e o resp to à vida humana. Contudo Evangelho segundo Mateus questão de lembrar que o mais portante não é o respeito ã lei si, mas à Vida que ela proteje. seremos "perfeitos como o Pai é feito" (Mt 5,48) se vivermos a)u ca que a lei quer resguardar. AÇÃO TRANSFORMADORA Você conhece os vereadores de s cidade? Informe-se sobre a tarefa lês, o horário das reuniões, e se a am em defesa da vida ou dos própr interesses. No trabalho, observe e exija que os reitos dos empregados sejam respe dos. Não somente os direitos express na lei, mas principalmente os direitos todo o ser humano (dignidade, descans privacidade, salário justo...).


N DO MATEUSZT»

$

10

jO

2° €NCONTfíO - O MfíPfí DO TESOURO ORAÇÃO: Motivar a recordação mental de uma pessoa a quem se ama. MEDITAR

Qual foi a primeira coisa que soubemos dela? Quanto mais convivemos com a pessoa, mais a amamos. Quanto mais amamos, mais queremos conviver com ela. Como fazer para nos "apaixonarmos" pelo Evangelho segundo Mateus? Vejamos na comunidade de Mateus: Quais eram os sinais de morte e os sinais de vida que aparecem no texto.

5JjJrJ££KuJ3AT£jM £3/mJJ&J££ ££ úM^US

S.,\..=.S Jc U J.-: ,\.O cU"lL<£5L-.£ 5oS^.i Jw ACwcL^

Povo dominado pelo poder político estrangeiro. Deus olhando o povo do alto de seu trono.

Deus se faz gente como nós e desafia o poder político que ' oprime {Mt 1-2).

Leis que legitimam acumulação de bens, poder e prestígio. Preocupação com a obediência às leis e não com a Vida.

Leis só são verdadeiras se obedecem ao projeto de Deus. Obedecê-las, não só na aparência, mas em todos os momentos da vida. (Mt 3-7).

Pessoas doentes, excluídas da vida política e social, na miséria, esperando a libertação que vem de Deus.

Os seguidores de Jesus são a resposta concreta de Deus aos pobres que necessitam de cura e libertação (Mt 8-10).

0 Reino enfrenta divisões, rejeição da sociedade, resistência por parte dos poderosos.

0 Reino dos Céus será vitorioso, porque não faz o jogo dos poderosos, mas usa as armas dos humildes (Mt 11-13,52).

Relacionamento entre os seguidores de Jesus é difícil e cheio de tensões. Comunidade reproduz, dentro de si, as -elações de dominação presentes na sociedade.

0 perdão mútuo e a misericórdia tornam possível a realização da vida comunitária. Comunidade - maior sinal do Rei no para a sociedade (Mt 13-53-18,20).

A sociedade injusta pressiona a comunidade para que volte a viver na injustiça. Poderosos não querem viver de acordo com o Reino nem querem que os outros vivam.

Rompimento da comunidade com a sociedade é inevitável. Comunidade deve corresponder à justiça do Reino de forma radical, gratuitamente (Mt 19-25).

imunidade é perseguida até a morte, e os que sobrevi.rti se dispersam.

0 Pai ressuscita seu Filho Jesus, que permanece até os dias de hoje entre seus seguidores (Mt 26-28).

CONCLUSÃO

O Evangelho deve ser estudado em comunidade, pois foi escrito para uma comunidade. AÇÃO TRANSFORMADORA

Estudar a história da comunidade de Mateus, através de subsídios, cursos e círculos bíblicos; Investigar quais os sinais concretos de morte que sua comunidade está vivendo atualmente; Motivar a comunidade a optar e lutar pelo bem comum de toda a sociedade.

4° €NCONTfíO - fíÇfíO POLÍTICfí é G€STO GfífíTUITO tCÃO: Motivar um gesto fraterno ro do grupo de reflexão (cumpriito, abraço, bênção). HTAR forçado ou espontâneo o gesto peQual foi a dificuldade? los medo de nos relacionar com ronhecidos? ficamos preocupados eles ou preferimos não nos envolcom suas vidas? /ar novamente o gesto fraterno, cnover a partilha de um lanche co• tário trazido por algumas pesso3o grupo. •XÃO nos sentimos ao participar de um com o qual não colaboramos? to nos sentimos repartindo com não colaborou? pessoa que consegue "vencer na l" por seu próprio esforço deve ajuros que ainda não conseguiram, ou K apenas contentar-se em "dar o

São Francisco de Assis louvou a Deus cantando: "É dando que se recebe". Um político empregou a mesma frase, dando-lhe um sentido bem diferente. Qual a diferença entre a maneira de São Francisco e do político entenderem a frase? Ler Mt 20,1-16 e Mt 25,31-46. Ligação com os textos de Mateus À luz da parábola, que crítica podemos fazer ao mercado de trabalho? E à comunidade? De acordo com o depoimento da comunidade de Mateus em 25,31-46, o que significa "vencer na vida"? Quais são as atitudes que nos levam a essa vitória? CONCLUSÃO -í* As duas passagens lidas são encontradas apenas no Evangelho de Mateus. Demonstram que esta comunidade estava especialmente preocupada: <• Com a solidariedade gratuita, e não

•O- Com a necessidade das pessoas, e não com sua produtividade. -C- Com a participação de todos na busca do bem comum, e não no "cada um por si". Uma frase para marcar bem o Evangelho segundo Mateus é "Busquem primeiro o Reino de Deus e sua justiça, e Deus dará a vocês, em acréscimo, todas as coisas necessárias (Mt 6,33). AÇÂO TRANSFORMADORA 1996 é um ano de eleições. Ao escolher candidatos e partidos, observar: O partido e o candidato estão afinados com o Reino de Deus e sua justiça, ou estão afinados com o "é dando que se recebe" do político? Motivar os amigos e irmãos na fé a participarem ativamente do processo eleitoral, não só durante a votação, mas depois, cobrando dos eleitos os compromissos prometidos durante a


BIO - Página - 6

x%

0

DEBATE SOBRE CRISMA

Catequistas de muitas paróquias das seis Regiões Pastorais debateram, no dia 24 de fevereiro, os rumos da catequese em preparação à Crisma, na diocese. O encontro, contou com mais de 100 participantes, reunidos no Centro Catequético Diocesano - CECAD, no período da manhã. Dentre as diversas dificuldades apresentadas pelos catequistas, na preparação ã Crisma, foram apontadas: - desinteresse dos crismandos e/ou de suas famílias; - despreparo dos catequistas; - falta de subsídios adequados à realidade das comunidades; - falta de diretrizes concretas por parte da Diocese; - desentendimento entre catequistas e pároco, no tocante às questões práticas da preparação; - dificuldade em promover o engajamento dos crismandos na comunidade. Foi, inclusive, preparada uma pesqui-

sã sobre a realidade da Crisma em toda a Diocese. O resultado da pesquisa foi discutido na reunião e servirá para uma visão global do tema. Um dos pontos que mereceu maior atenção foi o engajamento dos crismandos na comunidade. Foi esclarecida a importância central desse ponto, uma vez que a Crisma é o sacramento de Pentecostes, ou seja, da confirmação dos apóstolos (At 1-2). Deve, portanto, ser administrada aos apóstolos de hoje, ou seja, aos seguidores de Jesus que assumem seu batismo e os desafios da vivência comunitária. Contudo, o crismando nem sempre tem a possibilidade de descobrir sua maneira concreta de servir. A comunidade deve estar presente, nesse momento, para ajudar na descoberta. Deve se tornar aberta para oferecer sempre novos espaços. Mas, e quando os espaços não existem? Na reunião, foi sugerida a formação de umas 10 equipes onde os crismandos,

5fíUD€ No dia 24 de fevereiro a equipe diocesana da Prioridade Saúde realizou sua primeira reunião do novo ano. Foi bem diferente da reunião do ano passado. O pessoal está mais amigo, já percorreu um bom caminho, está engajado nos diferentes ambientes de saúde, e na reunião estava impaciente para partilhar suas experiências. Foi até difícil manter a ordem nos debates: o tempo foi curto, e os assuntos eram muitos. Enfim chegou-se a propor o programa do primeiro semestre. Objetivos propostos e aprovados: Incentivar o estudo da Cartilha dos Direitos do Paciente. Acompanhar de perto a implantação do SUS nos municípios e convidar os agentes de pastoral da saúde a fazer parte dos Conselhos Municipais de Saúde.

€NCONTRO DIOC€SfíNO D€ LITUfíGIfí As Equipes de Liturgia das Comunidades estão convidadas para o Curso de Liturgia, que será realizado no dia 10 de março próximo, das 8 às 13 h, no Colégio N. Sra. da Misericórdia. Tema: Função e Vocação Litúrgica. Assessor: Pé. António Sagrado Bogaz Taxa de inscrição: R$ 2,00 Os participantes estão convidados a trazer alguma coisa para o lanche comunitário. 1996 - Março

Ensinar remédios naturais como alternativa mais acessível e eficaz. Atividades, propostas e aprovadas: Visitas aos agentes de pastoral da saúde dos municípios da Diocese. 02/03 na Região Pastoral Barueri 09/03 no Setor Remédios 27/04 no Setor Bonfim 25/05 na Região Pastoral Cotia 26/05 na Região Pastoral Carapicuiba 01/06 na Região Pastoral São Roque 20/07 Encontro Dioc. de Formação. A distribuição dos remédios naturais será proposta aos Clubes de Mães, depois de encontros de preparação. Tendo em vista a realização da 10a Conferência de Saúde no segundo semestre, a equipe diocesana incentivará os agentes de pastoral a participarem das conferências municipais e estadual.

CfíB - NÚCl€O Q5/95CÕ~ O primeiro Encontro de religiosos(as) deste ano está marcado para o dia 23 de março, das 9 às 11:30 h na Casa das trmãs Orionitas - Via Raposo Tavares - Km 26 n2 26.200 - Granja Viana. O tema a ser estudado será: "A mulher na Igreja e na Sociedade , com assessoria de Irmã Nilda N. Reinehr. A coordenação do Núcleo Osasco aguarda a presença e participação de maior número possivel de religiosos{as).

coordenados por catequistas possam prestar serviços ao próprio grupo de Crisma e à comunidade em geral. Foi lembrado que a comunidade, antes de trabalhar com as sugestões, deve preparar os catequistas e as famílias dos crismandos. Os catequistas, também, devem ter uma formação rigorosa sobre o conteúdo da catequese e seu método. A reunião contou no final com a participação de D. Francisco, que falou sobre o conteúdo da catequese em preparação à Crisma, à luz do documento 54 da CNBB: "Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil". Os participantes concluíram que serão necessárias outras reuniões para debater as demais questões levantadas. Em breve, a data da próxima reunião será informada pelo BIO. Quanto a um subsídio adequado à realidade das comunidades da Diocese, o CECAD está providenciando um Caderno Catequético com o tema: Crisma.

8 D€ MfifiÇO - Dlft INTEfíNfíaONfil DfíMULHÇfí Temos, em 96. mais do que nunca, motivos para celebrar o Dia Internacional da Mulher. Recentemente aconteceu a 4a Conferência Mundial sobre a Mulher, em Beijing, onde participaram por volta de 40 mil mulheres. Somente esse evento já é motivo de celebração, de louvor e gratidão a Deus. Nunca antes houve condições de tantas mulheres estarem juntas com um mesmo objetivo, de lutar, de negociar seus direitos, de expressar suas visões de igualdade, desenvolvimento e paz. É extremamente necessário que mulheres se reunam frequentemente em celebrações, seminários e conferências. Busquem ser solidárias à procura de uma nova proposta de vida. Busquem condições de viver uma vida plena, em que homens e mulheres, velhos e cnanças, raças e etnias tenham o seu digno espaço. Abre os olhos, mulher, para o mundo que te cerca, para o mundo em que vives. Abre os olhos, mulher! Que possas ter olhos para ver o que se passa ao teu redor. A ressurreição de Jesus Cristo rompe barreiras. Há de romper também a tua cegueira.


7

Página - BIO

VIDA DAS CEBs 7. Organização da 6quipe Diocesana.

A Equipe Diocesana de CEBs, iniciou os trabalhos do ano com uma reunião realizada dia 12/02/96 na Catedral, com a presença de representantes das Regiões Pastorais: Santo António, Bonfim, Carapicuiba e Barueri. Sob a coordenação do Pé. Cláudio, assessor diocesano, a reunião tratou da seguinte pauta:

Composição: A Equipe Diocesana de CEBs deve ser composta, no mínimo, por três (3) membros de cada região pastoral indicados pela Equipe de CEBs ou pelo Conselho Pastoral da Região. Este número, faz-se necessário, devido a complexidade de cada Região Pastoral. Objetivos: As CEBs são a Igreja na base. Seu objetivo é, portanto, o objetivo da Igreja na Diocese de Osasco. A função da Equipe Diocesana, é promover a articulação entre comunida-

des, através de Retiros de Espiritualidade, seminários, encontros de formação e celebrações que levem à profunda vivência da fé. A partir do Plano de Pastoral Diocesano, promover a integração com as prioridades diocesanas, motivando as comunidades à participação e comunhão, na pastoral de conjunto. As CEBs São "FORÇA DE EVANGELIZAÇÃO" e enfrentam vários desafios, conforme n2 283, Doe. 54, CNBB.

2. fltividades para 1996 As reuniões da Equipe Diocesana, já constam no calendário pastoral diocesano. Formar equipes de CEBs nas Regiões Pastorais e nos Setores, de acordo com a realidade local, para favorecer a participação e intercâmbio na base. Utilizar subsídios, para colaborar na animação de grupos de rua. Criar temas de reflexão e celebração que estejam relacionados com as necessidades locais. Levar em conta a Pastoral Urbana: promover celebrações a nível Regional, Setorial e Diocesano, abordando temas relacionados à vida da cidade e, portanto, dos cidadãos. Incentivar as Festas valorizando a Cultura Popular. A Equipe Diocesana de CEBs, considerou que deve trabalhar junto à Equipe de Fé e Política da Diocese, tendo em vista a Campanha da Fraternidade/96 e as eleições para o executivo e legislativo, municipais. Também deverá promover, junto ao COMIDI, encontros que *avoreçam a Animação Missionária, segundo o COMLA V, característica das CEBs. Encontro diocesano para refletir o tema do 98 Intereclesial de CEBs, "CEBs: Vida e esperança nas massas", no 1= se-

mestre de 1997. Apresentar os delegados que irão a São Luiz-MA, de 15 a 19 de julho de 1997, pela Diocese de Osasco. Participar dos movimentos populares da cidade, comprometidos com o Bem-Comum, no sentido de serem fermento na massa. Não compactuar com o favorecimento de pessoas, partidos políticos ou grupos de interesse, que estejam em desacordo com os critérios do Evangelho. Incentivar membros de comunidades a integrar e ou acompanhar os Conselhos Municipais (saúde, moradia, criança e adolescente...). Apoiar os cristãos candidatos nas próximas eleições, a partir de critérios estabelecidos. Participar integrado com outras pastorais das Semanas: Bíblica, da Mulher, de Fé e Política, do Trabalhador, da Consciência Negra, com o objetivo de contribuir na formação dos cristãos, no exercício da cidadania. Sugeriu-se ainda, que cada Região Pastoral, realize um Encontro de CEBs para intercâmbio e celebração da caminhada regional. A Região poderá recorrer à equipe diocesana, no que diz respeito a organização e assessoria.

3. Sub-fíegional - SP II

4. Calendário 96

^e. Cláudio e João Roberto da Costa representante da Diocese na SP II, estiveram presentes na reunião ampliada, xorrida em 10 de fevereiro p.p., na Cúria Diocesana de Santo Amaro. Pé. Cláudio esteve presente também na reu-'ão dos assessores do SP II, que encaminhou os temas de estudo para os coordenadores de CEBs e preparou o Encon•-: entre Equipes diocesanas, conforme o calendário do Sub=egional. - Equipe Diocesana de CEBs, deseja participar do Conselho Diocesano de Pastoral, conforme representatividade estabelecida pelo mesmo.

09/03 - Celebração do Dia Internacional da Mulher, na comunidade São José, às 19 h, Vila Cretti, Carapicuiba. 29, 30 e 31/03 - Seminário Estadual das CEBs em Presidente Bernardes-SP, com assessoria do Pé. Fernando Altemeyer e Francisco Whitaker. 13/04- Reunião Equipe Diocesana 14:30 h Centro Pastoral. 27/04 - Visita aos Sem-Terra, Iperô. 01/05- Celebração na Catedral, 9 h. Ato Público - Carapicuiba. 19/05 - Encontro das Equipes de CEBs do SP II, das 9 às 15 h, no Centro Pastoral Diocesano de Guarulhos. 21/07 - Lazer da Equipe Diocesana.

CONS€LHO fí€GIONfíL D€ L€IGOS - SUL J - IO FINOS -á 10 anos os leigos do Estado de S. >aulo vêm fazendo sua caminhada na :onstrução do Conselho Reg. de Leigos CRL e dos Conselhos Diocesanos. <3 início de dezembro o CRL esteve reu•oo em Assembleia Geral para refletir •core o tema do 32 Ene. Nac. de Leigos jue será realizado em Goiânia - GO de 6

a 9 de junho: "Cidadania: Construção e Compromisso do Cristão". Os leigos cristãos, pelo próprio carisma e vocação recebida no Batismo, são chamados a atuar prioritariamente no mundo. São protagonistas da evangelização inculturada e chamados a trabalhar na construção de um país de cidadãos plenos.

A Comissão Executiva do CRL Sul l convoca para a Assembleia Geral Ordinária que será realizada nos dias 22, 23 e 24 de março, no Centro Santa Fé com a finalidade de: retomar a preparação do Encontro Nacional: celebrar os 10 anos do CRL, eleger a nova Comissão Executiva 96/97. Março - 1996


BIO - Página - 8

FRATERNIDADE E POLÍTICÃ1':.°^

m

Gesto Concreto O lançamento oficial da CF-96 na Diocese de Osasco aconteceu no dia 23 de fevereiro, às 20 horas, corn a Celebração Eucarística na Catedral Santo António, presidida por Dom Francisco Manuel Vieira. O tema da CF-96 "Fraternidade e Política" foi escolhido com o objetivo de despertar os cristãos para o compromisso da cidadania. Além do trabalho de conscientização e educação política, durante toda a quaresma, a Igreja convida os fiéis à penitência e conversão, próprias desse tempo liturgico. Como fruto da penitência quaresmal a CF pede aos fiéis para que façam um gesto concreto, contribuindo genrosamente na coleta do dia 31 de março nas celebrações do Domingo de Ramos. Dessa coleta uma parte caberá ã CNBB Nacional e Regional, outra à Diocese e outra à Paróquia. O que couber à Diocese será assim distribuído: 40% ao Movimento dos Sem-Terra de São Paulo 40% ao Movimento Campo-Cidade de Ibiúna 20% à Equipe de Fé e Política da própria Diocese.

Encontra-se à disposição na Cúria Diocesana, o Anuário - 1996 da Diocese de Osasco, que contém o Calendário Pastoral e Liturgico, os endereços das comunidades e das Casas Religiosas Masculinas e Femininas; mapas e a organização estrutural da Diocese. O Anuário será, portanto, um instrumento útil nas comunidades, casas religiosas e nas mãos dos agentes de pastoral, que poderão adquirí-lo pelo preço de R$ 5,00.

r

04 -S 05 -T 07 -Q 08 -S 10 -D 14 -Q 15 -S -

Dfí Diocese De osfísco 1.2.2.1 - Paróq. São José Operário

Tel: 7209-7049 2.2.3.1- Paróq. N. Sra. dos Remédios

Tel: 707-8761 Congregações Femininas 3.1. Miss. de Jesus Crucificado Coordenadores de Pastoral Pé. Geraldo Augusto de Oliveira l Tel: 7209-7049 | Casa de Formação São José, | Seminário Diocesano São José |_Tel:_707-7_19_7_

^°^o^\CfíLeNDfifílO 01 -S 02 -S 03 -D -

Tel: 429-4727 6.5 - Miss. de Jesus Sacerdote Tel: 795-1033 - ramal 312 Outros Telefones Casa de Encontros - Itaici (019) Tel: 894-8555 Fax: 894-8866

_

PfíSTC?nfíL - MfífíÇO - 7 W<5 Y° jo^

Conselho da Região Pastoral Carapicuiba Assembleia Geral Caritas - 9 h Escola Catequética - ECO - São Roque - 14 h 25 DOMINGO DA QUARESMA Legião / Apostolado da Oração / Vicentinos Reg. Past. S. Roque- 14 às 17 h Ordenação Diaconal: Gilvan.Ubirajara e Valmirar Catedral- 16 h Província de São Paulo - Barueri - 9 h Coordenadores Dioc. de Pastoral - CEO - 9 h Conselho da Reg. Pastoral Santo António - 20 h PP. Reqião Pastoral Carapjcuiba Dia da Mulher - Região Pastoral Carapicuiba Ministérios - Reqião Pastoral São Roque - 20 h 35 DOMINGO DA QUARESMA Pastoral Vocacional - Região Pastoral Cotia Encontro Diocesano de Liturgia - Colégio N. Sra. da Misericórdia - 8 às 13 h PP. Região Pastoral Santo António - 9 h PP. Região Pastoral Cotia - 9 h PP. Região Pastoral Bonfim PP. Região Pastoral Barueri 79 Aniversário da criação da Diocese de Osasco Prioridade Moradia - Igreja N. Sra. Aparecida - Carapicuiba -20h

1996 - Março

A CF/96 acontecerá no momento em que se escolhem os candidatos a prefeito e a vereadores. Será o momento idea para aproveitar a oportunidade de formação política locai, valorizando o dever de votar. "Para o cristão, votar não é uma simples opção, mas uma exigência". Que tipos de eleitor nós temos? Eleitor que vota no mais forte: Tais candidatos podem ser "testas de ferro" para defender os interesses de grupos privilegiados e que querem manter-se sempre no poder. Eleitor que vota na aparência: muitas pessoas se enganarr com as aparências do candidato. O que vale mais: o pape que embrulha o presente ou o conteúdo? Eleitor que vai na conversa dos cabos eleitorais. Eleitor que anula o voto ou vota em branco: isto contribo para manter as coisas como estão. É preciso não abrir mãe do direito de votar a fim de mudar para melhor ou evitar males maiores. Eleitor consciente: é aquele que valoriza o voto. É precise analisar, refletir sobre o passado e o presente e acreditanum futuro melhor. Depois das eleições é necessário acompanhar os eleitos.

-*

16 -S 17 -D -

18 -S 19 -T 21 -Q 22 -S 24 -D 25 -S 26 -T 27 -Q29 -S 31 -D -

j

VO

Equipe Diocesana Prioridade "Saúde" Escola Catequética - CEO - Osasco - 9 às 16 h 4e DOMINGO DA QUARESMA Retiro para Ministros da Celebração da Palavra Regiões Pastorais Santo António e Bonfim - Centro de Pastoral - 9 às 16 h Reciclagem - Bioética - Ibaté - 15 h até dia 21 Encontro Past. Urbana - Atibaia - 18 h até dia 22 Conselho do Setor N.Sra. das Graças - 20 h Comissão Dioc. Administração - Ibaté - 14:30 h Reunião Regional SP 2 - Campo Limpo - 9 h Conselho dos Setores Sagrada Família e Imaculada Conceição - 20 h Reciclagem - Bioética - Ibaté - término 12 h Encontro Pastoral Urbana - Atibaia - término 12 h 59 DOMINGO DA QUARESMA Past. Familiar - R.P. S. Roque - V. Aguiar 14 às 17 h ANUNCIAÇÃO DO SENHOR Moradia - Req. Past. S. Roque - Capela S. José Conselho de Presbíteros - Semin. São José - 9 h Reunião - Religiosos(as) -Núcleo CRB 9 às 11:30h Conselho da Região Pastoral Cotia - 20 h Conselho da R. Past. S. Roque - Iqreja S. Benedito DOMINGO DE RAMOS E DA PAIXÃO COLETA PARA A CF-96


57 bio março 1996