Issuu on Google+

ANO XXIII – Nº 191

www.diocesedeosasco.com.br/bio

ABRIL 2012

Elaine Neves – Pascom Diocesana

DIOCESE DE OSASCO GANHA DOIS NOVOS PADRES

No dia 25 de fevereiro de 2012, às 9 horas da manhã, ocorreu a Ordenação Presbiteral de Daniel Bispo da Cruz e Douglas Pinheiro Lima. Pág. 10

Encontro com pré-candidatos das eleições

Missa diocesana de abertura da CF2012

visita pastoral

No dia 10/03, se reuniram na cúria diocesana, setenta e oito pré-candidatos as eleições a cargos políticos dos municípios da Diocese de Osasco. Pág. 10

As paróquias da diocese de Osasco se reuniram para celebrar a missa de abertura da Campa­ nha da Fraternidade 2012. Pág. 9

A visita pastoral de Dom Ercílio aconteceu entre os dias 9 e 17/02 nas Paróquias de São Judas e Cristo Rei de Itapevi. Pág. 11


PALAVRA DO PASTOR

“Cultivar um estilo de vida cristã” Cristo no tecido da realidade do mundo, na ordem social, política, econômica ou cultural. Existe um ethos cristão, uma maneira eficaz de manifestar a relação que une a fé proposta e os comportamentos vividos, sobretudo se os costumes e as leis do mundo se opõem ao Evangelho. Um “estilo de vida cristã” pede uma referência explícita à Palavra de Deus e à Tradição da Igreja. Em nossos dias, a “diferença cristã” é chamada a manifestar-se em novas condições. Quanto mais nossa sociedade vai esquecendo suas raízes cristãs, mais os batizados de-

A

fé em Jesus Ressuscita­do manifesta-se em nosso compromisso de viver sua vida, em nosso modo de viver na família, na sociedade e em nosso relacionamento com Deus. Muitos vivem indiferentes à Palavra de Deus, à Igreja e à religião. A indiferença afasta referenciais seguros para a vida que acaba menosprezada. Quando o Ressuscitado não é colocado como referencial, as pessoas buscam paliativos em atitudes e comportamentos que destroem a própria vida. Nosso testemunho de cristãos católicos pede um jeito de viver que expresse a experiência que tivemos de Jesus Ressuscitado e o desejo que temos de

2

trabalhar para que muitos encontrem a vida nova superando as trevas do pecado e todas as atitudes que destroem a graça, a vida cristã e também a vida humana. É no dia-a-dia que manifestamos a nossa fé em Jesus Ressuscitado, nosso compromisso com a vida cristã e com aqueles que necessitam de conversão para que tenham vida em abundância. Somos convidados a buscar um modo de viver que testemunhe nossa fé e evangelize: “cultivar um estilo de vida cristã”. A fé em Cristo modela e trans­forma a existência. Leva a adotar esse “estilo de vida”. Tal se dá quando os que professam a fé em Cristo tornam-

se sinais de Cristo no mundo. Como afirmava Paulo VI na Exortação Apostólica Evangeli Nuntiandi a evangelização começa com as perguntas que suscitam a simples presença dos cristãos. “Com um tal testemunho sem palavras estes cristãos fazem aflorar no coração daqueles que os vêem viver, perguntas indeclináveis. Por que é que eles são assim? Por que é que eles vivem daquela maneira? O que é – ou quem é que os inspira? Por que é que eles estão conosco? Pois bem: semelhante testemunho constitui já proclamação silen­ ciosa, mas muito valorosa e eficaz da Boa Nova.” Pode-se falar de uma primeira impressão do Evangelho de

vem dirigir-se às fontes de sua identidade cristã e manifestá-la. Este “estilo de vida” dos cristãos no mundo exige uma formação que os movimentos dos leigos e das famílias religiosas desenvolvem servindo-se de suas tradições próprias. “Por detrás desse empenho deseja-se mostrar as exigências de uma vida de fato cristã”. (Revista Grande Sinal, ano 65, janeiro-fevereiro, 2012, p. 45) Neste tempo pascal busquemos com entusiasmo esse modo de viver que anuncie ao mundo que o Senhor está vivo e deseja a vida para todos. Dom Ercílio Turco Bispo Diocesano de Osasco

Publicação do Boletim Informativo da Diocese de Osasco Distribuição Gratuita (12000 Exemplares) Bispo Diocesano: Dom Ercílio Turco Coordenação, Editoração: Pe. Valdivino A. Gonçalves e Diácono Marcio José Pereira Colaboração: Irmã Leticia, Pe. Emerson Pedroso, Sem. Marcio José Pereira, Gil Ortiz, Cristiana Brito, Carol Gonzaga, Rogério Roque Revisão: Sem. Ewerton da Silva Albuquerque Editoração Eletrônica: Janio Luiz Malacarne Email: bio.diocese@yahoo.com.br Cx. Postal: 56 – CEP: 06001-970 Impressão: PAULUS

 Abril 2012


ENTREVISTA

Entrevista com Gustavo Huguenin, autor da logomarca da JMJ Rio 2013

G

ustavo Huguenin, este é o nome do criador do logo da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013, natural do município de Cantagalo, região serrana do estado do Rio de Janeiro, o jovem frequenta a paróquia Santíssimo Sacramento, da diocese de Nova Friburgo. Formado em Design Gráfico pelo Instituto Federal Fluminense (IFF), ele trabalha como designer gráfico e web designer em um escritório próprio. A equipe do BIO conversou com este jovem que falou da importância deste, que é o maior encontro de Jovens do mundo. BIO: Gustavo, fale pra gente, como surgiu a ideia da criação do logo da JMJ Rio 2013?

Gustavo: “Primeiro, eu já estava muito motivado para participar deste concurso e poder apresentar um trabalho para a jornada mundial, como jovem católico ou co­mo um profissional de design gráfico, que poderia oferecer o seu trabalho para este grande evento da Igreja; então, a partir disso, o concurso exigia cumprir alguns requisitos e antes de fazer qualquer traço, qualquer desenho, me coloquei em oração, meditando a palavra origem do tema “Ide, fazei discípulos entre todas as nações”, Evangelho de São Mateus capítulo 28, fui meditando, lendo, todo o capítulo e pedindo realmente o auxilio do Espírito Santo que me inspirasse a fazer uma imagem que representasse este

Abril 2012

tema, este conceito da jornada. Nessa passagem vemos que Jesus foi se encontrar com os discípulos numa montanha. Então, já de início, não saía da minha cabeça a ideia do Cristo Redentor – Jesus que está numa montanha. Além de ser o símbolo universal do Rio de Janeiro, tem tudo haver com o tema. Primeiro, no processo de criação, coloco o conceito que de­ve ser transmitido. Deveria ter a figura de Jesus, a figura do discípulo e talvez alguma referência às nações. Essas três palavras, se pudessem ser transmitidas gra­ficamente, seriam essenciais. O Cristo consegui passar através do Cristo Redentor, o discípulo está representado através do coração, pois o discípulo é aquele que carrega Jesus no coração, e as nações representadas através das formas que lembram o Rio de Janeiro, que naquele momento será o coração do mundo para os jovens, acolhendo-os na referência da montanha e do mar”. BIO: Qual a sua expectativa para a jornada Mundial da Juventude aí no Rio de Janeiro no ano que vem?

Gustavo: “Olha, eu já posso dizer que a jornada já tem mudado a minha vida, eu acredito que essa jornada também vai mudar a vida de muitos jovens, não somente daqueles que já são do Rio de Janeiro e vão entregar o seu tempo, seu serviço, sua oração para a jornada, mas também de

todos aqueles que estarão reunidos, tanto do Brasil, quanto dos outros continentes, peregrinos do mundo inteiro, toda essa juventude católica reunida, na presença do Papa (...), então, eu acho que vai ser realmente um período para a Igreja, principalmente aqui no Brasil, mostrar a força que a sua juventude tem, e o jovem cada vez mais se empenhar neste serviço de evangelização de outros jovens , de agregar, de juntar, de chamar e mostrar que a Igreja é jovem, que o jovem não é o futuro, mas é o presente da Igreja”.

jovem católico e poder oferecer e reconhecer os talentos que Deus me deu oferecendo isso para o crescimento, para o trabalho da Igreja”.

BIO: Deus nos dá muitos dons, alguns escrevem bem, outros falam bem, outros de­senham bem, enfim cada um tem um dom, algumas pessoas às vezes demoram para perceber, mas todas as pessoas tem o seu dom particular. Agora você Gustavo, tem esse dom de desenhar de criar, como é utilizar este dom a serviço da evangelização?

Gustavo: “Nossa, é uma alegria imensa, eu vejo assim, não somente dentro da Arquidiocese do Rio de Janeiro, que é quem organiza a jornada, mas em todas as dioceses do Estado do Rio de Janeiro essa alegria toma conta e realmente já estão com esse coração aberto para receber a todos. Aqui toda a juventude já está se mobilizando, incentivando os jovens a participarem, a prepararem a suas pré-jornadas e encontros de jovens, porque os protagonistas da jornada, são os jovens, a juventude está aqui super motivada, já tem acontecido eventos em preparação a jornada. O comitê organizador local tem trabalhado intensamente pra fazer o melhor possível, então eu vejo como um grande sucesso este evento, aqui toda a segunda sexta-feira do mês, acontece uma vigília dos jovens, é intercessão pela jornada em preparação dos próprios jovens, pra que a juventude realmente, não seja apenas mobilizada, mas que esteja firme em oração e formada para isso, que tenha realmente essa catequese, essa formação. Já temos mais de sete mil voluntários cadastrados, esses voluntários vão participar de encontros, reuniões, enfim, vão se formar para poder receber estas pessoas, a Arquidiocese do Rio espera cerca de 60 mil voluntários para acolher toda essa juventude. Na verdade aqui no Rio a Jornada já começou!”.

Gustavo: “Olha, foi no período da minha formação acadêmica, eu fui percebendo que aquilo que eu tinha como formação acadêmica, era basicamente para aprimorar os talentos e o potencial que Deus já tinha me dado. Então nada mais do que justo de oferecer isso a Deus, me oferecer a serviço da Igreja, e assim, eu fui aprendendo muito nesta parte de comunicação, através do ministério de comunicação da renovação carismática, do grupo de oração da minha paróquia e da pastoral da comunicação. Eu acredito que a juventude tem muito para oferecer, e o que eu posso até dizer aos que me perguntam com relação a isso, que cada jovem tem um dom, um talento especial, não só aquele que vai estar a frente ou a vista, mas Deus capacita e dá talentos diferentes para cada um, para mim é uma alegria muito grande eu me sinto, realizado não somente profissionalmente, mas realizado como pessoa como

BIO: Gustavo, para os cario­cas é motivo de grande alegria receber um evento dessa importância, inclusive recebendo a presença do Papa e também jovens do mundo inteiro; como a Arquidiocese do Rio tem trabalhado nas paróquias, com os jovens, visando justamente esta JMJ?

BIO: Agora, com relação ao governo local, as nossas autoridades aí no Rio de Janeiro, como as autoridades políticas tem se organizado para este grande evento, afinal toda a infraestrutura, a segurança, assim como outras responsabilidades, exige uma atenção especial por parte deles, não é mesmo Gustavo?

Gustavo: “ Sim, com certeza, inclusive, durante o lançamento do logo oficial, o prefeito e o governador estiveram lá, e não foi a primeira vez, lá em Madri, eles também falaram isso, que esse evento é maior que a copa do mundo, maior que as olimpíada., O Rio de Janeiro nunca presenciou um evento tão grandioso com relação a quantidade de pessoas e atos acontecendo simultaneamente. Na cidade, existe uma comissão dentro do governo para auxiliar e ser esse braço, entre a estrutura que o governo pode oferecer e os eventos que vão acontecer na jornada mundial”. BIO: Gustavo muito obriga­ do por esta entrevista que você concedeu ao BIO e conte com nossas orações por todos vocês do Rio de Janeiro.

Gustavo: “Eu é que agradeço a vocês por toda a divulgação. Para mim foi uma grande alegria dirigir uma mensagem a todos os jovens desta diocese, na cidade de Osasco. Esperamos por todos ano que vem aqui no Rio de Janeiro um abraço a todos, fiquem com Deus”.

3


FORMAÇÃO LITÚRGICA

Domingo, Páscoa semanal dos cristãos

O

“primeiro dia da semana” tornou-se dia do Senhor (domingo). Portanto, agora é do Senhor este dia! E quando dizemos do Senhor, falamos do Cristo ressuscitado, vivo. Isto significa: Este é o dia especial, “primordial”, no dizer do concílio Vaticano II (cf. SC 106), em que as comunidades cristãs, reunidas em assembléia, fazem esta experiência: O Senhor Jesus Cristo está vivo em nós e nós temos vida em sua vitória sobre a morte. Este é o dia semanal da Páscoa, ou seja, dia em que a Páscoa do Senhor e nossa é experimentada como bem viva, presente, aqui e agora. Como diz São Jerônimo, cheio de entusiasmo: “O domingo é o dia da ressurreição, o dia dos cristãos; é o nosso dia”. Por isso que em algumas lín­guas esse dia até recebeu o nome, não de “domingo”, mas de “dia da ressurreição”. Por exemplo, entre os gregos bizan­ tinos, o domingo é chamado de “anastasimós”. Na língua russa, por influência da cultura religiosa bizantina, é chamado de “vosskresenije”. São nomes que significam a mesma coisa: “ressurreição”, “dia da ressur-

4

reição”. O domingo é o dia se­manal da Páscoa. Quando os discípulos e discípulas de Jesus, no primeiro dia da semana, perceberam que Jesus está vivo, encheram-se de intenso júbilo: Não estava tudo perdido, não! Muito pelo contrário: Agora é que começa o tempo bom, o tempo novo, o dia novo e eterno. Estamos salvos, para sempre. O futuro é garantido e certo. Na Páscoa de Cristo passamos da situação de frustração e de morte para uma situação de vitória certa e de vida. Esta é a grande riqueza deste dia, dia do Senhor, dia dos cristãos, dia das comunidades cristãs, dia de toda a criação renovada. Verdadeiro “sacramento da Páscoa”, este dia nos faz reviver, toda semana, a mesma experiência dos primeiros discípulos e discípulas: O Senhor está vivo nas lutas e vitórias da gente, e as lutas e vitórias da gente ganharam sentido na luta e vitória definitiva de Cristo. Neste dia, como aos apóstolos reunidos no cenáculo, ele aparece a nós reunidos em assembleia litúrgica e nos diz: “A paz esteja com vocês” (cf. Lc 24,36; Jo

20,19). Em outras palavras: Fiquem tranqüilos, não fiquem tristes, não se desesperem. Es­ tou vivo, sou eu! Sintam-se co­migo também vencedores... Como celebramos este “sacramento” semanal da Páscoa, que chamamos domingo? Pela Eucaristia, pois nela celebra-

mos precisamente a memória daquilo é a essência mesma do dia do Senhor: Páscoa... “Anunciamos, Senhor, a vossa morte, e proclamamos a vossa ressur­ reição...”, dizemos nós na oração eucarística. O domingo é também o dia da escuta da Palavra. Pois foi nesse dia que o Senhor ressuscitado abriu o sentido das Escrituras aos dois discípulos de Emaús (cf. Lc 24,25-27). É neste dia que Jesus continua a nos falar mediante a Palavra proclamada nas assembleias dominicais. Neste dia os cristãos celebram a sua páscoa semanal também pelo repouso. Pois, pelo repouso dominical, que renova nossas energias, celebramos (evocamos, simbolizamos) o repouso total que a Páscoa de Cristo nos garantiu a partir deste dia. Celebramos este dia como um dia de festa, por ser o dia mais bonito da semana: Páscoa semanal dos cristãos, dia do Sol verdadeiro, dia da eternidade, dia do Espírito Santo que reúne e anima nossas assembleias, dia

do Evangelho e da evangelização, dia da solidariedade pela visita aos doentes e participação em mutirões, dia da própria natureza em festa recebendo nossa visita. O canto dos pássaros, o murmúrio das águas, o calor do sol, a sombra das árvores, a brisa afagante, a beleza das flores, a dança borboletas, tudo evoca e celebra o mistério da vida, que a Páscoa de Cristo resgatou. É a natureza em festa, sob o olhar contemplativo do ser humano, celebrando o Senhor dos dias que deu novo brilho e sentido a tudo. Por isso, faz sentido neste dia entrarmos em comunhão também com a natureza criada e recriada no primeiro de todos os dias e, ao mesmo tempo, ouvir sua voz suplicante: Deixem-me viver, não me destruam, para poder celebrar sempre, com vocês, a nossa vitória, a vitória da Vida sobre a morte, que o domingo tão bem representa! Fonte: Frei José Ariovaldo da Silva, OFM – curso Liturgia em Mutirão da CNBB.

Perguntas para a reflexão pessoal e em grupos: 1. Por que será que este dia se tornou o dia semanal da grande festa dos cristãos? 2. O que os cristãos sentiram, e sentem, quando chega este dia tão importante da semana? 3. O que os cristãos fazem quando chega este dia? Como eles festejam este dia? Cite três motivos que levam os cristãos a celebrar o domingo. 4. Por que será que, neste dia, a gente faz questão de levar os acontecimentos concretos da vida para a celebração da comunidade? O que tem a ver a celebração do domingo com esses acontecimentos?

Abril 2012


OPINIÃO E REFLEXÃO

Pela vida da mãe e de seu filho

D

e novo, em pauta a questão do aborto. Estamos num ano eleitoral, os partidos vão costurando suas alianças e, como não podia deixar de ser, na pauta dos ajustes também entram questões polêmicas, em discussão há mais tempo na opinião pública e também no Congresso Nacional. Há quem gostaria que certos temas delicados não estivessem nos grandes debates políticoeleitorais, talvez para não exigir uma tomada de posição clara perante os eleitores; preferese, então, qualificá-las como “questões religiosas”, das quais o Estado laico não se deveria ocupar, nem gastar tempo com elas na discussão política... Não penso assim. Decisões sobre a vida e a morte de outros seres humanos, sobre o modelo de casamento, família e educação, sobre justiça social e princípios éticos básicos para o convívio social são questões do mais alto interesse e relevância política. Dizer que são “temas religiosos” significa desqualificar a sua discussão pública, relegando-os à esfera da vida privada, ou ao ativismo de grupos voltados mais para interesses particulares que para o bem comum. Tirar da pauta política esses temas também poderia sugerir que Abril 2012

pessoas sem religião não precisam estar vinculadas a valores e convicções éticas, o que é falso e até ofensivo. Preocupo-me quando ouço que, no Brasil, a cada ano, são realizados mais de um milhão de abortos “clandestinos” e que, tantas mil mulheres (número bem expressivo!), morrem em consequência de abortos mal feitos! Há algo que não convence nesses números e afirmações. Sendo clandestinos, como pode alguém afirmar com tanta certeza dados tão impressionantes? Maior perplexidade ainda é suscitada, quando isso é afirmado por uma autoridade representativa do Estado, mostrando que tem, supostamente, conhecimento seguro de uma violação aberta e grave da lei e nada fazendo para que ela seja respeitada para preservar tantas vidas! De fato, continua valendo a lei que veta o aborto indiscriminado no Brasil. Esses números assombrosos, ou estão prá lá de superdimensionados e manipulados para pressionar e atingir, de maneira desonesta, objetivos almejados; ou então, alguém está faltando para com seu dever de maneira consciente e irresponsável, dei­xando que a lei seja violada impunemente, em casos tão gra-

ves, onde vidas humanas inocentes e indefesas são ceifadas, às centenas de milhares, ou até na conta dos milhões! É lamentável a morte de cada mulher, em consequência de um aborto clandestino e mal feito. Lamentável também é, e muito, a sorte trágica de cada ser humano, que tem sua vida tolhida antes mesmo de ter visto a luz. Se há um problema de saúde pública a ser encarado, a solução não deveria ser a instrumentalização dessa tragédia humana para promover a legalização do aborto. Dar roupagem legal à tragédia curaria a dor e faria sossegar a consciência? Questão de saúde pública deve ser enfrentada com políticas voltadas para a melhoria da saúde e das condições de vida, e não para a promoção da morte seletiva. Uma campanha de conscientização sobre a ilegalidade das práticas abortistas protegeria melhor a mulher e o ser que ela está gerando; haveria muito a fazer para alertar contra os riscos do recurso às clínicas – nem tão clandestinas – de “interrupção da gravidez”. Alguém conhece alguma campanha do Governo, ou alguma política pública para desestimular práticas abortivas contrárias à lei e arriscadas para a saúde da mulher? Não seria o

caso de fazer? Está em curso a discussão sobre a reforma do Código Penal brasileiro; em muitas coisas, certamente, ele deverá ser revisto e adequado. No entanto, chama a atenção e merece uma reflexão atenta da sociedade a proposta relativa ao artigo 128, sobre novos casos de aborto “não puníveis”, além dos dois casos já previstos (risco de vida para a mãe e gravidez resultante de estupro; cf http:/ migre.me/845Dp). No inciso I do artigo 128, propõe-se que não haja crime “se houver risco de vida ou à saúde da gestante”. A alusão ao “risco à saúde da mulher” é absolutamente vaga e, por si só, já ofereceria base para a universalização do aborto legal. No inciso II propõe-se que não haja crime se a gravidez resultar de violação da dignidade se­ xual, ou do emprego de técnica não-consentida de reprodução assistida”. O que se pretende qualificar como “violação da dignidade sexual”? O delito, neste caso, não aparece configurado e poderia ser facilmente alegado, sem que ninguém fosse capaz de comprovar a real ocorrência dos fatos. Além disso, a “reprodução assistida” já está legalizada e regulamentada no Brasil? No inciso III do mesmo artigo, propõe-se que não haja punibilidade quando, “comprovada a

anencefalia, ou quando o feto padecer de graves e incuráveis anomalias que inviabilizem a vida independente, em ambos os casos atestado pelo médico”. Além da anencefalia, já em discussão no STF, acrescentam-se outras “graves e incuráveis anomalias”, o que é preocupante, pois isso abriria as portas para uma inaceitável, do ponto de vista ético, “seleção pré-natal” dos indivíduos considerados “aptos” a viver e o descarte de outros, considerados “inviáveis”. É o controle de qualidade aplicado ao ser humano, já prati­ cado em tempos passados por regimes condenados quase universalmente pelas suas práticas eugênicas. Vamos legalizar isso no Brasil agora?! No inciso IV, propõe-se que, “por vontade da gestante até a 12ª semana de gestação, quando o médico constatar que a mulher não apresenta condições psicológicas de arcar com a maternidade”, o aborto poderia ser praticado, sem penalidades. Passa-se ao médico o peso da decisão sobre a vida ou a morte de seres humanos. Acho isso absolutamente inadequado! É preciso refletir muito, para não legalizar a banalização da vida humana. Publicado em O ESTADO DE SÃO PAULO, ed. de 10.03.2012. Cardeal Odilo P. Scherer Arcebispo de São Paulo

5


NOTÍCIAS

Anuário Pontifício 2012: católicos crescem na ásia

O

número de católicos batizados continua crescendo globalmente, embora com significativas diferenças entre EuropaAmérica e Ásia-África. As estatísticas constam no Anuá­rio Pontifício 2012, apresentado ao papa Bento XVI na manhã

P

do sábado (10/03) pelo cardeal Tarcisio Bertone, Secretário de Estado, e por dom Angelo Becciu, substituto na Secretaria de Estado para os Assuntos Gerais. Os dados estatísticos se referem a 2010 e fornecem uma análise sintética das principais dinâmi-

cas da Igreja católica nas 2.966 circunscrições eclesiásticas do planeta. Os católicos em 2010 somavam 1,196 bilhão, em comparação com cerca de 1,181 bilhão em 2009, com um aumento absoluto de 15 milhões de fiéis. Ao longo

dos últimos dois anos, a presença dos católicos batizados em todo o mundo permanece estável em cerca de 17,5% da população global. A participação territorial dos católicos sofreu variações não desprezíveis entre 2009 e 2010: perderam importância na América do Sul (de 28,54% para 28,34%) e especialmente na Europa (de 24,05% para 23,83%). Porém, ganharam posição na África (de 15,15% para 15,55%) e no Sudeste da Ásia (de 10,41% para 10,87%). A tendência de crescimento no número de sacerdotes, que começou em 2000, continuou em 2010, ano em que foram contados 412.236 padres, dos quais 277.009 diocesanos e 135.227 do clero regular; em 2009 eram 410.593, sendo 275.542 diocesanos e 135.051 religiosos. No todo, o clero aumentou entre

2009 e 2010 em 1.643 padres. Os aumentos foram registrados na Ásia (1.695), África (761), Oceania (52) e América (40), enquanto a queda afetou a Europa (905 sacerdotes a menos). A tendência de declínio que afeta há alguns anos os religiosos professos que não são sacerdotes parece ter encontrado um freio em 2010. Eram 54.229 em 2009 e passaram a 54.665 em 2010. O número de estudantes de filosofia e teologia nos seminários diocesanos e religiosos tem aumentado continuamente nos últimos cinco anos. Ao todo, aumentou 4%, de 114.439 em 2005 para 118.990 em 2010. O número de seminaristas maiores diminui na Europa (-10,4%) e na América (-1,1%) e cresce na África (+14,2%), na Ásia (+13%) e na Oceania (+12,3%). Fonte: www.zenit.org

Nigéria: novo ataque mata onze fiéis católicos

elo menos 11 pessoas morreram no dia 11/03, e 22 ficaram feridas em um atentado suicida cometido contra uma igreja católica na cidade de Jos, na região central da Nigéria. Esses dados foram divulgados pela agência oficial de notícias NAN, que citou fontes ligadas a hospitais e à Cruz Vermelha. O atentado, cuja autoria ainda não foi atribuída a nenhum grupo, ocorreu quando dois suicidas lançaram um veículo carregado

de explosivos contra a porta da Igreja de Saint Finbar, no bairro de Rayfield. O presidente da Nigéria, Good­ luck Jonathan, condenou o atentado e pediu à população que mantenha a calma e não responda com “ataques de represália”. O sacerdote da paróquia, Peter Umorem, indicou que entre os mortos há uma criança, membro dos escoteiros. O pároco afirmou que a explosão ocorreu de manhã, pouco de-

pois do início da missa. “Estava no altar quando ouvi uma forte explosão. De repente, as coisas começaram a cair e se formou um pandemônio na igreja”, comentou o pároco, citado pela Agência de Notícias da Nigéria (NAN). Nenhum grupo reivindicou o atentado até o momento, mas um dos suspeitos é o grupo radical islâmico Boko Haram, que cometeu inúmeros ataques contra templos cristãos nos últimos meses. Fonte: Rádio Vaticano

Agencia Press

Papa toca o sino do Congresso Eucarístico Internacional

B

ento XVI tocou no dia 14/03, na Praça São Pedro, o Sino do 50º Congresso Eucarístico Internacional, que será em Dublin, na Irlanda, de 10 a 17 de junho. A delegação irlandesa veio ao Vaticano liderada pelo arcebispo de Dublin, Dom Diarmuid Martin, e no final da audiência geral, apresentou ao Papa o Sino do Congresso, cujo som está ritmando a preparação de dezenas de milhares de fiéis irlandeses.

6

Com o gesto de tocá-lo pessoalmente, Bento XVI quis convidar todos a participar deste evento. O Sino recorda o costume de São Patrício de deixar um em cada igreja que consagrava para chamar os fiéis à Eucaristia. Desde 17 de março de 2010, o Sino do Congresso está peregrinando pelas dioceses irlandesas: já esteve em mais de mil paróquias, cem escolas e diversos hos­pitais e postos de saúde, exor-

tando a participação popular no Congresso. À tarde, o Sino foi levado ao Colégio irlandês de Santo Isidoro, onde sábado haverá uma missa para comemorar a festividade de São Patrício. O Congresso Eucarístico Internacional terá o tema “A Eucaristia: comunhão com Cristo e entre nós”, retomando os ensinamentos do Concílio Vaticano II (1962-1965). Fonte: Rádio Vaticano

Abril 2012


NOTÍCIAS

Campanha da Fraternidade é um presente para o SUS

F

oi aberta, na tarde de QuartaFeira de Cinzas (22/02), a 49ª Campanha da Fraternidade (CF), cujo tema é “Fraternidade e Saúde Pública”, com o lema “Que a saúde se difunda sobre a terra”. A solenidade de abertura, na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília (DF), foi dirigida pelo Secretário-Geral da entidade, Dom Leonardo Steiner, e contou com a participação do Ministro da Saúde, Alexandre Padilha; do Secretário-Executivo da CF, Padre Luiz Carlos Dias, além de outros convidados. “A Campanha da Fraternidade é um tempo especial para a conversão do coração, através da prática da oração, do jejum e da esmola, como processo de abertura necessária para sermos tocados pela grandeza da vida nova que nasce da cruz e da ressurreição”, disse Dom Leonardo. Em seu

O

discurso, o Secretário-Geral da CNBB disse que houve “significativos avanços” nas últimas décadas da saúde pública no país, como o aumento da expectativa de vida da população, a drástica redução da mortalidade infantil, a erradicação de algumas doenças infecto-parasitárias e a eficácia da vacinação e do tratamento da AIDS, elogiada internacionalmente. Sobre o corte de cinco bilhões de reais da área da saúde, Dom Leonardo destacou que esta decisão do governo preocupa e frustra “a expectativa da população por maior destinação de recurso à saúde” após a discussão da Emenda Constitucional 29. O Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, agradeceu à CNBB, em nome do Ministério da Saúde, do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Conselho Nacional de Saúde (CNS), pela escolha do tema da Campanha da Fraternidade deste

ano. “Agradecemos esse gesto da CNBB por trazer a saúde, em especial a saúde pública, como tema central de reflexão da Quaresma e durante toda a Campanha da Fraternidade. Sabemos que isso provoca um debate permanente durante todo o ano na Igreja Católica e nas comunidades. Não poderia ter presente maior para o SUS do que esta iniciativa da Igreja Católica”, disse o ministro. Segundo Padilha, a responsabilidade e os desafios de consolidar o Sistema Único de Saúde são enormes. “Primeiro pela dimensão de nosso país, desafio que nenhum outro país com mais de 100 milhões de habitantes assumiu. O Brasil assumiu em sua Constituição, colocando a saúde como dever do Estado. E depois assumiu o SUS, que tem como princípio levar saúde de forma integral e universal para toda a sua população. Sabemos que o desafio do SUS não é pequeno”, destacou. “Tenho a esperança de que nesta Campanha da Fraternidade cada uma das comunidades do país possa discutir o SUS ‘real’, aquilo que é a única porta para 145 milhões de brasileiros. É a partir desse debate que poderemos enfrentar os problemas que temos a sanar na saúde pública no país”, observou o Ministro. Fonte: CNBB

Datas comemorativas Natalícia ABRIL 01/04 Pe. Aurélio Vieira de Moraes 02/04 Ir. Cecília Marta, cnsem

75

63

03/04 Ir. Beatriz Freitas de Mattos, fm

53

06/04 Ir. Letícia F. da Silva, cfnsm 06/04 Frei Nilson Ribeiro de Souza

42

08/04 Ir. Hercília Moneda, iascj

72

08/04 Pe. Flávio Silva dos Anjos

33

10/04 Ir. Joane (Maria Luciana G. Nasc.), toca

26

11/04 Pe. Arno Brustolin

64

11/04 Ir. Maria Conceição Brandão, cfnsm 14/04 Ir. Laura do Sgdo. Coração de J. ocd

73

17/04 Ir. Ana Paula (Carliane G. Rodrigues), toca

27

17/04 Ir. Maria de Deus, cfnsm 18/04 Ir. Maria da Imaculada e S. P., ocd

98

20/04 Pe. Francisco Pereira da Silva 55 21/04 Ir. Maria Verônica da Sta. Face, ocd

46

21/04 Pe. Marcos Martiniano da Silva

44

23/04 Ir. Mirani Cassimira Sobrinho, fmm

50

24/04 Ir. Maria Aparecida Delphino, fm

80

24/04 Pe. Emilsom Aparecido Ferreira

38

26/04 Ir. Margarida de Jesus, mop

28

28/04 Mons. Wilhem Paulo Link

73

Ordenação ou profissão religiosa

05/04 Pe. Geraldo MacCluskey

59

07/04 Pe. Ricardo Antonio Pinto

18

08/04 Pe. Ângelo Fornari, csj

21/04 Pe. Paulo Mercieca 26/04 Frei Pedro de Assis Vieira, ocd

50 33

20

Coordenador Estadual da RCC lança livro em Barueri

coordenador estadual da Re­novação Carismática Católica do Estado de São Paulo, Rogério Soares, lançou o livro “Cultura de Pentecostes”, no dia 15 de fevereiro. O lançamento da publicação, na Diocese de Osasco, aconteceu no Escritório Diocesano da RCC com a participação de lideranças de grupos de oração e de interessados pelo tema. Soares é fundador da Comunidade Kênosis em Osasco, bacharel em teologia pela Unisal/ SP e mestrando pela PUC/SP.

Abril 2012

Atualmente exerce a presidência do Conselho Estadual da RCC-SP e coordena o grupo de reflexão teológico-pastoral da RCC Brasil. Para Lucilene Vila-Real, coordenadora diocesana da RCC Osasco, “Rogério Soares é nosso irmão. O lançamento do livro ‘Cultura de Pentecostes’ em nossa diocese representa uma enorme graça que Deus nos concede para aprofundarmos o relacionamento com o Espírito Santo, apoiados em fundamentação teológica”, enfatiza. Fonte: Rogerio Roque

7


NOTÍCIAS

Osasco comemora os 50 anos da emancipação

A

Cidade de Osasco comemo­ rou, com muita alegria, o aniversário cinqüentenário da emancipação da cidade, além da programação extensa, a missa de ação de graças foi celebrada

N

a noite de Sexta-feira, dia 24 de Fevereiro, no centro de Eventos Pedro Bortolosso, foi celebrado o 50º aniversário da cidade de Osasco. A cerimônia, oficialmente aberta pela Orquestra do Instituto Pão de Açúcar, sob a regência do Maestro Daniel Misiuk, reuniu nomes importantes que fizeram e ainda fazem parte da história de Osasco. Ex-prefeitos, ex-presidentes da Câmara de Vereadores, Emancipadores, Religiosos, Artistas, Empresários e Atletas, foram homenageados pelo importan­te

N

o sábado, 11 de fevereiro de 2012, aconteceu 2ª implantação diocesana da Infância missionária,onde todas as paróquias foram convidadas para conhecer a Obra da Infância e Adolescência Missionárias, além de reciclagem para os assessores dos grupos já existentes. Quem ministrou o encontro foi a coordenadora estadual da IAM no Regional Sul 1, Nadia Maria Fusinato. Ela apresentou a História e Carisma da IAM, Organização da Missão em nosso país e os 12 passos para a Implantação da Obra nas paróquias.

8

no dia 19/02, na Catedral Santo Antonio. Estiveram presentes as autoridades políticas: Prefeito Emídio Souza, Faisal Cury, vice-prefeito, o deputado estadual Marcos Mar-

tins, Aloisio Pinheiro, presidente da câmara, o presidente da ordem dos emancipadores de Osasco, José Geraldo Setter, além de secretários, vereadores, e assessores. A missa foi celebrada pelo

Monsenhor Claudemir e concelebra pelo Pe. Claúdio. Na homilia, Monsenhor Claudemir salientou o resgate que Jesus realiza no Evangelho deste domingo, do paralítico que é tra­zido a Jesus através de uma abertura no teto, a salvação vem através do resgate da dignidade de vida daquele homem tornando nova todas as coisas e falou de sua preocupação com o materialismo tão presente nos dias de hoje. O monsenhor também lembrou os avanços da cidade e fez um apelo às autoridades presentes quanto ao problema das drogas, tão presente na cidade.

No ofertório foi apresentada a vida de todos os munícipes, representados pela bandeira de Osasco e, após a comunhão, as relíquias de Santo Antonio foram recebidas, pedindo as bênçãos de Deus para a cidade. O prefeito Emídio de Souza discursou o entusiasmo com o crescimento da cidade e salientou os novos serviços que serão fornecidos pela prefeitura nos próximos dias “O que mais me orgulha nesta comemoração é o orgulho que as pessoas hoje têm em dizer que moram em Osasco”, salientou o prefeito. Fonte e foto: Carol Gonzaga

Religiosos são homenageados na festa dos 50 anos de Osasco papel que tiveram na construção de Osasco desde a sua eman­ cipação político-admi­nistrativa, em 1962, até hoje, quando a ci­dade chega ao seu cinquentená­ rio. “Este ato não foi concebido como um ato de prestação de contas, e nem como um ato partidário. O que nos une nesta noite é muito mais do que qualquer interesse político ou partidário. O que nos une é a certeza de que temos que comemorar juntos, o aniversário desta cidade que nos enche de orgulho a cada dia. O aniversário de uma cidade que

percorreu em 50 anos o que muitas não percorreram em 400 anos de história”, explicou o prefeito Emídio de Souza.

Ao todo, 84 personalidades re­ceberam as homenagens, no maior evento previsto no projeto “Osasco 50 anos”, idealizado há

4 anos pela Secretaria de Governo com o objetivo de preparar a cidade para esta data. Entre os homenageados, estavam o Bispo diocesano Dom Ercílio Turco; o Bispo Emérito da Diocese de Osasco, Dom Francisco Manoel Vieira e o Padre Pio Milpacher da Paróquia Senhor do Bonfim. Para fechar a festa em grande estilo, foi servido um coquetel aos convidados, animados pelo show do grupo Demônios da Garoa. Fonte e Foto: Departamento de Comunicação Social de Osasco

Encontro da Infância Missionária A Obra nasceu em 19 de maio de 1843 pela iniciativa de Dom Carlos Forbin Janson, que foi tocado pelas cartas de missionários europeus que atuavam na China, falando das dificuldades das crianças chinesas. Ela nasceu do desejo das crianças francesas ajudarem as crianças chinesas com a oração diária e uma moe­da por mês. O carisma da Obra se mantém o mesmo até hoje e está pautado no tripé Sacrificio-Oração-Soli­ dariedade. Se faltar um dos pi­lares, o carisma não pode ser vi­vido.

Foi também apresentada a or­ ganização da missão em nosso país, os organismos e todos que estão envolvidos no trabalho missionário. Por último, após o almoço, os participantes foram divididos em equipes e estas apresentaram os passos para implan­tar a Obra da Infância e Adolescência Missionária nas comunidades e paróquias de nossa Diocese. Encerramos o dia de formação com a benção do Diácono Diego, que foi um fruto da IAM na sua comunidade mãe e nesta obra pôde identificar com mais clareza sua vocação sacerdotal.

Para as paróquias que não puderam participar este encontro, a equipe diocesana da IAM solicita que os interessados entrem em contato no e-mail iam.osasco@

gmail.com ou através de nosso blog HTTP://iam-osasco.blog ­spot.com. Fonte: Silvia Nunes Coordenadora Diocesana IAM

Abril 2012


NOTÍCIAS

Concentração Diocesana do Apostolado da Oração

N

o dia 12 de fevereiro, a Igreja Matriz da Paróquia São Roque (Município de São Roque/ SP) sediou a Concentração Diocesana do Apostolado da Oração. Às 15h, uma missa solene foi presidida pelo Padre Everaldo Felix da Silva (Paróquia de Cau­caia) e concelebrada pelos padres: Douglas Dias de Melo (Pa­róquia de Ibiúna) e Emilson Aparecido Ferreira (Paróquia São Roque). O Coral da Paróquia Santa Cruz, de Ibiúna, brilhantemente alegrou a Santa Missa. Este evento marcou o início dos trabalhos do Apostolado da Oração da Diocese de Osasco para o ano de 2012. Unidos a Cristo e centrados no Coração da Igreja, em comunhão

N

Região de Cotia promove 1º Retiro de Jovens do Setor Juventude

o dia 12 de fevereiro, ocorreu na Região Cotia, o 1º Retiro de Jovens do Setor Juventude. Estiveram presentes jovens das Paróquias: Santo Antônio, Santo Antônio e Nossa Senhora do Carmo, Nossa Senhora do Monte Serrat, São Pio X, Nossa Senhora Imaculada Conceição, Nossa Senhora das Graças e Santo Antônio

A

As palestras foram ministradas pelo Padre Maurício e pelo Padre Marcelo Pereira, assessor diocesano do Setor Juventude. A importância desse retiro foi começar a conhecer a realidade de cada grupo de jovens que compõe o Setor e que todas as Paróquias caminhem unidas em um mesmo ideal. Fonte: Martin F. Batista

de Santana Galvão. Esse evento aconteceu na Casa de Retiro da Paróquia Santo Antônio de Santana Galvão, localizada em Vargem Grande Paulista e teve como tema “Ide, pois, fazei discípulos entre todas as nações – Mt 28, 19”, que também será o tema da Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro no mês de julho de 2013.

Missa diocesana de abertura CF 2012

s paróquias da diocese de Osasco se reuniram nesta sexta-feira, 24, para celebrar a missa de abertura da Campanha da Fraternidade de 2012 “Fraternidade e Saúde Publica” e que traz como lema “Que a saúde se difunda sobre a terra!” (Eclo, 38,8). Celebrada pelo bispo, D. Ercílio Turco, na Catedral Santo Antonio e concelebrada pelos padres da diocese, cuja participação foi bastante significativa. O bispo, durante a homilia, disse que “A palavra da Igreja faz acordar as pessoas”. Daí a importância de que a Campanha da Fraternidade não fique somente dentro da igreja, mas que

Abril 2012

com o Papa. Estiveram presentes mais de 600 membros dos Núcleos do Apostolado da Oração de todas as Regiões que compõem a Diocese de Osasco: Carapicuí­ ba, São Roque, Cotia, Barueri, Bonfim e Santo Antônio. Este encontro, com uma espiritualidade própria, uniu homens, mulheres e jovens vestidos com camisetas brancas e suas insígnias, mostrando a alegria e o amor ao Sagrado Coração de Jesus. Cada núcleo trouxe a sua bandeira e a Diocese de Osasco, o seu estandarte. Foi possível sentir a vida, o entusiasmo, o crescimento e o empenho de todos os membros do Apostolado da Oração da Diocese de Osasco. Fonte: Vera Lucia Kono

chegue até aos poderes públicos e a sociedade. D. Ercílio pediu aos padres e leigos para que seja apresentado o conteúdo da CF às escolas, Câmaras Municipais, associações de bairros, entre outros. A Campanha da Fraternidade é uma ação evangelizadora de amor fraterno e solidário, é uma experiência do amor de Deus que é fraterno e precisa promover a renovação da vida interior e da realidade. A igreja não quer dizer ao Estado o que deve fazer, pois ele conhece o seu dever, a Constituição determina que “a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas

sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal igualitário às ações e serviços para a sua promoção, proteção e recuperação”. Mas o governo precisa estar atento aos recursos destinados à saúde publica e para isso é necessária a presença dos cristãos para defender os interesses do povo. O padre Vagner encerrou o momento reafirmando o objetivo do trabalho que tem sido realizado em nossa diocese “Só nos resta o compromisso de fazer uma bonita Campanha de Fraternidade 2012”, finalizou ele. Fonte: Meire Elaine

9


NOTÍCIAS

Santa Igreja acolhe Neo-Sacerdotes Daniel e Douglas

N

o dia 25 de fevereiro de 2012, (sábado) às 9 horas da manhã ocorreu à Ordenação Presbiteral de Daniel Bispo da Cruz e Douglas Pinheiro Lima. A cerimônia foi realizada na catedral de Santo Antônio e presidida por dom Ercílio Turco, Bispo da Diocese de Osasco. Um grande número de parentes e amigos dos novos padres compareceu para acompanhar de perto esta importante festividade. Dom Ercílio iniciou a homilia mencionado que a vocação é o chamado gratuito de Deus. E que o próprio Deus nos escolhe, chama, consagra e nos envia. A esse

Elaine Neves – Pascom Diocesana

N

dezoito padres da nossa diocese, o diácono Diego, o bispo diocesano D. Ercílio, Monsenhor Claudemir e Monsenhor Paulo Link. Padre Mauro salientou que o encontro não visava manifestar o apoio da igreja a nenhum candidato ou partido, mas agregar as diferenças pelo espírito de fraternidade de Jesus. E citou “Vós sabeis que os chefes das nações as oprimem e os grandes as tiranizam. Mas, entre vós, não deve ser assim: quem quiser ser grande seja vosso servo”. (Mc 10, 42-43). Na palestra o Frei Nilo salientou a importância dos candidatos me-

ditarem os valores cristãos como um diferencial dos candidato, ser parceiro de Deus na construção do mundo e finalizou “Não bastam palavras, é preciso vivê-las. Não basta a fé, é preciso professá-la nas obras. A ética identifica direitos, sem fugir dos deveres, desmascara os ídolos e seus fetiches, combate a corrupção, enxerga as pessoas na face a face e defende a vida”.No final do encontro Pe. Mauro ainda reforçou palavras do Frei Nilo “Na campanha não vale tudo, pois somos cristãos, temos princípios, somos norteados pela fé”. Fonte: Carol Gonzaga

Aloisio Maurício – Pascom Diocesana

Liturgia foi o tema da formação permanente do clero

os dias 28, 29 de fevereiro e 1º de março, o clero de Osasco se reuniu mais uma vez, para a 1ª Formação Permanente (FP) do ano de 2012, no antigo Seminário de Ibaté – São Roque, onde os padres juntos com o bispo diocesano fizeram um aprofundamento sobre liturgia. Também participam desta formação religiosos e religiosas. A FP teve como assessor o Pe. Dr. Valeriano dos Santos Costa, professor de liturgia e sacramentos na Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da

10

mesmos sentimentos de Jesus, ter sensibilidade para as carências espirituais e materiais dos irmãos. Antes da homilia, dom Ercílio realizou uma breve introdução do Rito da Ordenação, apresentando os Neo Sacerdotes e questionou aos presentes se eles eram dignos do mistério presbiteral. Após a homilia, a ordenação foi concretizada. Todo rito foi seguido como o propósito dos eleitos, a oração da ladainha de todos os santos, imposição das vestes, unção das mãos, e imposição das mãos do bispo e padres e entrega do Cálice e da Patena. Fonte: Débora Mattos

Diocese organiza encontro com pré-candidatos das eleições de 2012

o dia 10/03 se reuniram na cúria diocesana, setenta e oito pré-candidatos as eleições a cargos políticos dos municípios presentes na Diocese de Osasco. O encontro teve dois momentos marcantes, o primeiro foi um café da manhã, um momento de confraternização entre os précandidatos e depois a palestra do Frei Nilo Agostino, que falou sobre os cristãos na política e a doutrina social da igreja. Com o tema “A doutrina social da Igreja e Política – A ética cristã no exercício da função públicopolítica” e estiveram presentes

N

chamado deve-se ter uma resposta firme, decidida e definitiva. O bispo ressaltou que o sacerdote é configurado a Jesus Cristo, de tal modo, que sua existência é o sacramento da pessoa e da missão do próprio Cristo. É também assumir seu pensamento, sua prática e sua presença no meio do povo. Por isso o padre pela ordenação, de certo modo é “cristificado”, torna-se ungido em benefício dos irmãos. Disse também que o sacerdote empresta sua voz, sua vida e a entrega para ser Cristo para os outros, para ser Jesus para a igreja e para o mundo. Ele é chamado a ter os

Assunção, eleito presidente da Associação dos Liturgistas do Brasil (ASLI). Pe. Valeriano, trabalhou o con­teúdo em quatro eixos: beleza, ordem, adoração e êxtase, buscando destacar que o clero deve almejar a simplicidade e sobriedade nas celebrações litúrgicas, em especial na celebração eucarística. “O amor é simples, celebrado na simplicidade, porque Deus é simples”. Assim destacou que em Deus, a Unidade se manifesta na Simplicidade e não na Complexidade. Portanto, nas

celebrações da Igreja quando se perde a unidade celebrativa manifestada na simplicidade, chega ao complexo e disperso. “A liturgia tem sua multiplicidade mas não pode ser complexa. Deus criou tudo numa multiplicidade, mas a fonte é única”, destacou o padre. A busca da simplicidade e da sobriedade nas celebrações da Igreja, é o caminho para que apareça o Mistério que está sendo celebrado. “É preciso que os fieis consigam passar dos nossos paramentos e gestos a Deus. A beleza na liturgia é fundamental,

mas deve dar passagem a Deus”. A Formação terminou dia 1º de março, com avisos pastorais. Ainda neste ano (maio e novembro) a diocese promoverá mais duas

formações permanentes, que são momentos para “atualização” de assuntos de pertinência ao clero católico de Osasco Fonte: Pe. Emerson Borgonovi

Abril 2012


NOTÍCIAS

Visita pastoral nas paróquias: São Judas Tadeu e Cristo Rei

N

os dia 9 e 10 de fevereiro se realizou a visita pastoral na paróquia São Judas Tadeu em Itapevi, foi a primeira paróquia da região Barueri visitada por Dom Ercílio, ele foi recepcionado por Pe. Fábio Rosário, Pe. Alexandre de Oliveira e Diácono Daniel. As atividades realizadas na visita foram: audiência com a prefeita, Sra. Ruth Banholzer e o Vice-prefeito Sr. Jaci Tadeu. A Sra. prefeita destacou, em especial, as comemorações do 53.º aniversário de emancipação de Itapevi, e falou sobre o crescimento do município nos últimos sete anos e de sua projeção para o ano de 2012. D. Ercílio Turco, respondeu dizendo “sentir-se muito feliz ao ver o crescimento de Itapevi. Quando visito as cidades, faço

questão de conhecer as autoridades, assim me sinto à vontade”, salientou. O bispo também aproveitou para conhecer obras de construção e revitalização do Ginásio Municipal. D. Ercílio visitou algumas comunidades da paróquia deixando sua mensagem e sua benção às pessoas dessas comunidades que estavam ansiosas e alegres esperando a sua visita. Na paróquia Cristo Rei, a visita pastoral aconteceu nos dias 16 e 17 de fevereiro, o bispo foi recepcionado na Igreja Matriz pelo pároco, o Pe. Marcos Martiniano, e representantes das comunidades e pastorais, onde foi lida leitura ao Evangelho do Bom Pastor (Jo. 10, 11) terminando este momento fazendo a oração pela visita pastoral, D. Ercílio expressou: “Fico muito feliz de estar aqui junto com o padre para conhecer melhor o rebanho e confirmá-lo na fé. O Espírito Santo nos ilumine nesta visita” A Paróquia tem nove comunidades e o Bispo visitou todas elas e se

encontrou com membros dessas comunidades. Também se reuniu em momentos diferentes com os membros da Kolping Cristo Rei e com o Conselho Paroquial de Pastoral (CPP) ele agradeceu a eles sua dedicação e os incentivou a continuarem trabalhando pela igreja sendo sempre elo de unidade na comunidade paroquial e lhes disse: “Parabenizo Pe. Marcos pelo zelo e aos agentes de pastoral por aceitarem servir a Jesus”. A visita pastoral coincidiu com o aniversário da cidade de Itapevi e o bispo junto com os padres Fábio Rosário, Alexandre de Oliveira, Adilson, Marcos Martiniano, João Carlos foram convidados a participar da Sessão Solene na Câmara Municipal . Fonte: Ir. Leticia

Ginetta Calliari, serva de Deus

U

m “clima solene”, alegre e participativo caracterizou a celebração do 5 ano da instalação do processo de Beatificação de Ginetta Calliari, no dia 8 de março na Igreja de Nossa Senhora das Graças em Vargem Grande Paulista. Estiveram presentes autoridades civis, a primeira dama do município, Sra. Fátima Rocha o vice-prefeito Professor José Car-

Abril 2012

los de Souza sua esposa Fabiola, o diretor de cultura Professor Edson e representantes de outras religiões, o Presidente do Movimento budista Rissho Kosei-Kai no Brasil, o reverendo Kazuya Nagashima e um casal de hebreus o Sr Carlos Barbouth e Sra Elsa. Dom Ercílio Turco, evidenciou através de escritos da Serva de Deus, características que revelam sua força de mulher cristã, leiga e autentica filha do carisma do Movimento dos Focolares e da Igreja. “Ginetta encontrou no Evangelho a luz para o seu caminho, nela ressalta uma fé profunda na Palavra, vivida nas situações

mais simples e mais difíceis da vida”. Um breve vídeo possibilitou um momento de forte comunhão com Ginetta. Modelo de cristã, estímulo na caminhada, uma intercessora! Confirma isso o testemunho de um casal de uma paróquia de São Paulo, que encontrou em Ginetta a força para uma conversão profunda e a graça para superar um momento difícil na saúde. Na conclusão Dom Ercílio manifestou o desejo de todos, com um pedido confiante: “que Ginetta nos ajude a ressuscitar para ressuscitarmos os outros, a transfigurarmo-nos para transfigurar os outros a caminhar no caminho da fraternidade, da unidade, da comunhão”. Fonte: Darlene Ponciano

Pergunte ao Padre Porque os Católicos são acusados de idolatria? Responde : Pe. Dorival Ferreira Leite - CRL, pertence à Congregação dos Conegos Lateranenses e exerce a função de Mestre dos Estudantes de Teologia – Osasco- SP Não é raro sermos acusados de idólatras ou de adoradores de imagens. Na Sagrada Escritura, o Livro do Êxodo apresenta a promulgação do Decálogo que é a celebração da Aliança: “Eu sou o Senhor, teu Deus, que te fez sair do Egito, da casa da escravidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem esculpida de nada que se assemelhe ao que existe lá em cima, nos céus, ou embaixo, na terra, ou nas águas que estão debaixo da terra. Não te prostrarás diante desses deuses e não os servirás” (Ex 20, 2-5). O povo hebreu, libertado das garras do faraó, emancipado e livre, organizar-se-á como um povo, que viverá no meio de povos henoteístas (povos que têm pluralidade de deuses). Assim, o Senhor ordena aos hebreus que tenham apenas um Deus. E ainda, que também que seja excluído qualquer forma de compromisso com os deuses e que não haja sincretismos. A proibição de se fazer imagens é por conta de que Deus se revela ao seu povo em Palavras não em imagem. Logo vem a orientação: “Escute Israel, o Senhor teu Deus, vai falar”. Qualquer imagem representaria uma infidelidade ou distorção à observância ao mandamento do “shemma”. Com evento da Encarnação do Verbo de Deus, Deus se fez visível. “Em Jesus, Deus assumiu uma verdadeira humanidade, em razão disso, o rosto humano de Jesus pode ser desenhado. A Igreja reconhece como legítimo que ele seja representado em imagens sagradas. Com efeito, as particularidades individuais do corpo de Cristo exprimem a pessoa divina do Filho de Deus. Este fez seus traços de seu corpo humano a ponto de, pintados em uma imagem sagrada, poderem ser venerados, pois o fiel que venera sua imagem venera nela a pessoa que está pintada” (CaIC 477). A veneração que cultivamos aos santos, nada mais é do que o nosso reconhecimento de que eles cumpriram o mandamento da Nova Aliança: amaram a Deus acima de tudo e acima de todas as criaturas, por Ele amaram aos irmãos. A vida dos santos nos inspiram a buscar e amar a Deus com todo coração, com toda alma e com todo entendimento. No prefácio da missa – próprio dos santos – a Igreja reconhece: “Na assembleia dos Santos vós sois glorificado e coroando seus méritos, exaltais vossos próprios dons nos santos e santas ofereceis um exemplo para a nossa vida, a comunhão que nos une, a intercessão que nos ajuda. Assistidos por tão grandes testemunhas possamos correr, com perseverança, no certame que nos é proposto e receber com eles a coroa imperecível, por Cristo, Senhor nosso”. Com efeito, as imagens são sinais do efeito da graça de Deus. Faça sua pergunta ao padre: www.bio.diocese@yahoo.com.br

11


NOTÍCIAS FATOS EM FOTOS

17/02 – Dom Ercílio participa da sessão solene na Câmara dos Vereadores de Itapevi por ocasião do 53º aniversário da cidade

Museu de Barueri expõe arte sacra da época dos bandeirantes

E

m solenidade realizada na terça-feira, 6/03, o Museu Municipal de Barueri abriu a exposição “Arte Sacra na Terra dos Bandeirantes”. O evento contou ainda com a posse dos novos membros do Conselho Municipal de Patrimônio Histórico e Cultural de Barueri (Comphic).

26/02 – Posse do Pe. Reinaldo e Instalação da Paróquia Santa Maria Mãe de Deus

D

04/03 - Missa de Posse do Pe. Alexandre Siles - Paróquia São José – Mairinque

11/03 – 1ª missa do Pe. Douglas na Paróquia do Espírito Santo – paróquia de origem.

12

para a obra de Benedicto Amaro de Oliveira (1848-1923), o Dito Pituba, considerado o maior san­ tista popular do Brasil. O módulo Barueri soma obras de arte, objetos e indumentária religiosa. A exposição permanece aberta à visitação de terça a sexta-feira, das 9 às 17 horas, e aos sábados, domingos e feriados das 10 às 16 horas. A entrada é gratuita, e o endereço do Museu Municipal é Avenida Henrique Gonçalves Baptista, 359, no Jardim Belval. Mais informações sobre a exposição podem ser obtidas pelos telefones 4198-5975 e 4198-8298. Fonte: www.barueri.sp.gov.br

CNBB distribui cartilha sobre eleições municipais

ando continuidade à expe­ riência realizada em anos anteriores, organismos vinculados à CNBB disponibilizam a cartilha “Eleições Municipais 2012: cidadania para a democracia”. A publicação foi elaborada numa parceria pelo Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP), Centro Nacional de Fé e Política “Dom Helder Câmara” (CEFEP) e Pastorais Sociais. A proposta é ajudar o eleitor a realizar uma boa reflexão em vista do voto consciente. “Colocar na urna não só o nosso voto pessoal, mas a consciência de que

o nosso voto tem consequências para a vida do povo, para o futuro do país” – afirmam os organizadores na apresentação da cartilha. Fundamentado na metodologia ‘ver-julgar-agir’, o material traz uma análise sobre a crise do Es­ tado, da Democracia, a responsa­

bilidade de cada cidadão e os desafios para o cristão na política. A terceira parte é dedicada ao “agir atentos aos sinais do Espírito”, e chama a atenção para a ação coletiva, a importância da participação e do voto cidadão além diretrizes para a construção de projetos interessantes e úteis para as cidades e o país. O subsídio, de 35 páginas, pode ser um instrumento útil para a reflexão em grupos, movimentos e paróquias. Cada exemplar custa R$ 1,50 e pode ser adquirido através do Centro de Pastoral Popular, pelo telefone 0800-7038353 ou www.cpp.com.br.

Pastoral da Educação completa 10 anos de história

A

13/03 – Dom Ercílio corta o bolo de aniversário na festa seu 74º aniversário natalício

Abrindo a noitada histórica, os convidados assistiram ao espetáculo Bandeira Errantes, com direção de Edmilson de Andrade, interpretado por Edson Barros, Marcia Martins, Mario Baccareli e Clara Vilar. Um breve passeio pelas histórias dos bandeirantes paulistas, que desbravaram os sertões em busca de aventuras e riquezas. As obras da exposição “Arte Sacra na Terra dos Bandeirantes” fazem parte do acervo dos colecionadores Rafael Schunk e Joaquim Pereira Antunes Filho, com arte do universo bandeirante, índio e jesuíta. Destaque

Pastoral da Educação Diocesana completa dez de ca­minhada, a mesma tem ainda muito a conquistar principalmente representações em todas as seis regiões, com a adesão do nosso clero e de pessoas que adotam a proposta da PE. A historia da PE na diocese começa em 2003 com a chegada do novo bispo D. Ercílio, que

incentiva os párocos para o envio de professores (as) e educadores (as) sociais para um Encontro da pastoral do Regional SUL1 que estava acontecendo em Itaici - SP. Houve uma junção do antigo grupo do Ensino religioso que rea­ lizava trabalhos na área da educação e assim a partir dos objetivos da PE houve a refor­mulação da

proposta sendo acompanhada pelo bispo com apoio de alguns padres da diocese. Atualmente a PE tem como Assessor Diocesano o Pe. Bozano que ao chegar já se mostrou muito comprometido com a proposta de dar visibilidade e ganhar mais pessoas para a pastoral. Fonte: Heloisa Cordeiro e Vera L. Lopes.

Abril 2012


191. Bio - Boletim Informativo da Diocese de Osasco - Abril 2012