Page 1

ANO XXIII – Nº 180

www.diocesedeosasco.com.br/bio

Março 2012

Aberta a visita pastoral na região de Barueri

Deu-se início, no dia 08 de fevereiro de 2012, a visita Pastoral da Região Barueri composta pelos municípios de Itapevi, Jandira e Barueri. Pág. 7

JMJ 2013 Um coração que bate por você

quatro novos diáconos Foram ordenados no dia 4 de fevereiro quatro novos diáconos a serviço da Igreja. Pág. 7

igreja e saúde pública A divulgação da logomarc oficial da JMJ RIO 2013: um coração que bate por você, aconteceu no dia 7 de fevereiro, no auditório do Edifício João Paulo II, no Rio de Janeiro. Pág. 6

Elementos da Doutrina Social da Igreja pertinentes à saúde pública. Pág. 5


PALAVRA DO PASTOR

Diocese em estado permanente de missão

A

pós profunda reflexão em todos os setores pastorais e co­munidades a assembleia diocesana assumiu o compromisso de ser Igreja em estado permanente de missão: “A Igreja é indispensavelmente missionária. Existe para anunciar, por gestos e palavras, a pessoa e a mensagem de Jesus Cristo. Fechar-se à dimensão missionária implica fechar-se ao Espírito Santo, sempre presente, atuante, impulsionador e defensor (Jo 14,16; Mt. 10, 19-20). Em toda a história a Igreja nunca deixou de ser missionária, se hoje partilhamos a experiência cristã, é porque alguém nos transmitiu a beleza da fé, apresentou-nos Jesus Cristo, acolheu-nos na comunidade eclesial e nos fas­ cinou pelo serviço ao Reino de Deus”. (DGAE da Igreja no Brasil 2011-2015, nº 30) O 7º Plano Diocesano de Pastoral estabeleceu o ano de 2012 para trabalhar essa urgência pastoral dando continuidade ao que já se fez e encaminhamen-

2

tos de novas atividades para este ano e para os próximos anos. Isto significa que cuidaremos da organização de mediações para dinamizar a pastoral missionária. Para viabilizar o projeto pastoral: “Igreja Diocesana em estado permanente de missão” a assembleia diocesana, o Conselho Diocesano de Pastoral sugeriu alguns passos: “Continuar o trabalho missionário (SMP) com a missão permanente através dos grupos de evangelização de rua (GER), visitação e missão jovem. Reorganizar o COMIDI, o COMIR e o COMIPA para assessorar as paróquias, movimentos, associações e pastorais em sua ação missionária e também criar subsídios para fortalecê-la. Realizar encontros a nível regional e diocesano de formação dos agentes (missionários) para a missão permanente” (7º Plano Diocesano de Pastoral, pág. 24). No mês de fevereiro o Conselho Diocesano de Pastoral

deu várias sugestões para agilizar a ação missionária neste ano. O Coordenador do Setor Pastorais e Ação Missionária reunirá os padres de cada região encarregados da missão para estabelecer os passos que serão dados sendo importante fazer um levantamento de tudo que se realiza nesse campo. As Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora nos lembram que a comunidade precisa ser um anúncio vivo de Jesus que atraia as pessoas para ele e ao mesmo tempo cada pessoa deve ser testemunha daquilo que viu, ouviu e experimentou para que muitos aceitem Jesus como caminho para sua vida. Com alegria tenho visto como nossas comunidades, nos diversos locais onde estão, têm sido pontos de irradiação da fé e referência para que as pessoas possam realizar a iniciação cristã e celebração de sua fé. As comunidades para serem Igreja em estado permanente de missão devem ter a sensibi-

lidade de Jesus para perceber onde e a quem deve dirigir-se a ação missionária do testemunho e do anúncio. A realidade é diferente em cada região por isso deve-se pedir ao Espírito Santo o discernimento a fim de perceber as situações mais urgentes que necessitam do anúncio da Palavra para que as pessoas tenham vida. Já realizamos com entusiasmo as Santas Missões Populares que deixaram saudade nos agentes de pastoral e no povo de Deus. Passamos as etapas de conscientização do povo, formação dos missionários e a ação missionária propriamente dita. Foi um tempo de graças para todos. Tenho participado neste ano de diversas assembleias paroquiais que procuraram definir uma ação pastoral no setor missionário e percebi a ação do Espírito Santo que mostra caminhos para levar a Palavra aos afastados e, ao mesmo tem­po, ajuda os missionários a cres-

cer na sua adesão a Jesus e continuar sua missão. É importante “dar a tudo que se faz um sentido missionário, estabelecendo, neste conjunto de atividades desenvolvidas, algumas urgências que ajudem todos os batizados a efetivamente se reconhecerem como missionários” (DGAE 20112015, nº 35). Isso requer um esforço de verdadeira conversão pastoral, sem deixar de lado o que se faz dar um passo adiante na direção de pessoas e situações que necessitam de Jesus e de seu Evangelho. Peço a Maria, Estrela da Evan­ gelização, que interceda pelos empreendimentos missionários para tornar realidade todos os projetos diocesanos e, assim, possamos atingir nosso objetivo: “ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Nova a toda criatura! Quem crer e for batizado será salvo” (Mc. 16,15). Dom Ercílio Turco Bispo Diocesano de Osasco

Publicação do Boletim Informativo da Diocese de Osasco Distribuição Gratuita (12000 Exemplares) Bispo Diocesano: Dom Ercílio Turco Coordenação, Editoração e Revisão: Pe. Valdivino A. Gonçalves Colaboração: Irmã Leticia, Pe. Emerson Pedroso, Sem. Marcio José Pereira, Gil Ortiz, Cristiana Brito, Carol Gonzaga, Rogério Roque Revisão: Ewerton da Silva Albuquerque Editoração Eletrônica: Janio Luiz Malacarne Email: bio.diocese@yahoo.com.br Cx. Postal: 56 – CEP: 06001-970 Impressão: PAULUS

 Março 2012


ENTREVISTA

Entrevista com a Irmã Letícia Mercedes Pérez Jimenez Sacerdotal: Honramos o Mistério Sacerdotal de Cristo: EM SI MESMO, em seus MINISTROS e em nossos IRMÃOS E IRMÃS. Eclesial: Nossa missão é na Igreja e para a Igreja sendo mediadoras, laços de união entre o céu e a terra, vivendo nosso lema UT SINT UNUM “Que todos sejam um”. Mariano: “não há sacerdócio sem Maria” (Fundador). Como Missionárias de Jesus Sacerdote temos uma especial devoção a Maria como Mãe do Eterno Sacerdote. Imitamos a Maria em sua missão sacerdotal e maternal de engendrar a Jesus nas almas e assim Ele seja mais conhecido e amado por todos.

A

s Missionárias de Jesus Sacerdote é uma congregação de origem mexicana e de Direito Pontifício fundada no dia 14 de Janeiro de 1938. Neste ano 2012 está celebrando o ano jubilar pelo 75º aniversário de Fundação. Em nome de toda a congregação a Irmã Letícia concedeu, no último dia 13 de fevereiro, uma entrevista ao BIO. Ir. Letícia Mercedes Pérez Jiménez nasceu em Cordoba, México, aos 29/03/1966. Ingressou na Congregação das Missionárias de Jesus Sacerdote no dia 20 de Julho de 1991, realizou sua Primeira Profissão de Votos no dia 16 de Julho de 1994 e os Votos Perpétuos 01 de Julho de 1999. Chegou ao Brasil 11/02/1997, tem realizado sua missão no México, Mairinque, Ibúna, Alvinlandia (Diocese de Ourinhos) e atualmente na Residência Episcopal

BIO: Quem são seus fun­ dadores?

Irmã Leticia (I. L.): Os nossos fundadores são a Madre Dolores Echeverria Esparza, natural de Guadalajara – Jalisco e o Revdo. Pe. Edmundo Março 2012

Iturbide M. SP. S. (Missionário do Espírito Santo) natural de Morelia – Michoacan.

BIO : Desde quando está a presença da congregação no Brasil?

BIO: Qual é o Carisma?

I. L.: As primeiras irmãs chegaram ao Brasil em outubro de 1993 e o primeiro lugar de missão foi a paróquia de São Francisco de Paula em Alumí­ nio, estivemos presentes ali até o ano de 1997, pois a partir deste ano iniciamos duas novas comunidades, uma em Mairinque e outra em Ibiúna dando res-

I. L.: Nosso carisma é HONRAR A JESUS CRISTO SACERDOTE. Como missionárias somos enviadas a dar a conhecer o Mistério Sacerdotal de Cristo, a promover no povo de Deus a vivência do seu sacerdócio batismal, a orar e sacrificar-nos pela multiplicação e santificação dos que exercem o sacerdócio ministerial. Nosso carisma nos pede para transformar-nos em Cristo Sacerdote e isto é impossível sem a moção do Espírito Santo. Dó­ceis à sua ação, Ele nos impulsionará a essa transformação até chegar a ter os mesmos sentimentos de Jesus, oferecendonos “como hóstias vivas, santas e agradáveis ao Pai” (Rm 12,1) para sua gloria.

posta aos convites do Pe. Boris e do Pe. Luiz de Santana. No ano 2000 iniciamos uma experiência na Diocese de Ourinhos, na paróquia Santo Antonio em

Imitamos a Maria em sua missão

objetivo do nosso apostolado É A FORMAÇÃO DE AGENTES DE PASTORAL QUE VIVAM INTENSAMENTE O PRÓPRIO SACERDÓCIO DOS FIÉIS (sacerdócio batismal) dentro da Igreja e como fermento em toda a nossa sociedade (família, trabalho, política, etc.). Já contamos com grupos de leigos que se sentem chamados a viver o carisma sacerdotal, estes grupos recebem o nome de Missionários Leigos de Jesus Sacerdote.

sacerdotal

BIO: Deixe uma mensagem aos leitores do BIO.

e maternal

I. L.: Por este meio queremos agradecer a Deus por nos ter permitido caminhar com a Igreja nestes 75 anos GLORIFICANDO JESUS SACERDOTE em nossas vidas, orando e nos sacrificando pelos sacerdotes, formando agentes de pastoral e tudo isso, para que nossa Igreja seja a cada dia mais bonita e se possa apresentar para Jesus como a Esposa que Ele cuida e ama como a menina de seus olhos. Agradecemos a todas as pessoas que até agora já caminharam conosco. Que Deus nos abençoe.

Alvinlandia-SP. Que terminou em 2002. De ai em diante ficamos com duas comunidades, uma em Mairinque, na Paróquia N. Sra. Aparecida e a outra na Residência Episcopal. BIO: Como vivenciam seu carisma?

I. L.: Através de uma Evangelização Educadora e de uma Educação Evangelizadora. O

BIO: Qual é sua espiritua­ lidade?

I. L.: Anima-nos um espírito SACERDOTAL-ECLESIALMARIANO.

3


FORMAÇÃO LITÚRGICA

Canto e música na liturgia de escolher um canto litúrgico é preciso aprofundar o sentido dos textos bíblicos, do tempo litúrgico, da festa celebrada e do momento ritual. 2. A participação da assembléia no canto – o Concílio Vaticano II enfatiza a participação ativa, consciente, plena, frutuosa, externa e interna de todos os fiéis (cf. SC 14). O canto litúrgico não é propriedade particular de um cantor, animador, ou de um seleto grupo de cantores. A liturgia permite alguns momentos para solos (tanto vocais quanto instrumentais), porém a assembléia deve ter prioridade na execução dos cantos litúrgicos. O animador ou o cantor tem a importante missão, como elemento intrínseco ao serviço que presta à comunidade, de favorecer o canto da assembléia, ora sustentando, ora fazendo pequenos gestos de regência, contribuindo para a participação ativa de toda a comunidade celebrante.

A

liturgia ocupa um lugar central em toda a ação evangelizadora da Igreja. Ela é o “cume para o qual tende a ação da Igreja e, ao mesmo tempo, a fonte de onde emana toda a sua força” (SC 10). Nela, o discípulo realiza o mais íntimo encontro com seu Senhor e dela recebe a motivação e a força máximas para a sua missão na Igreja e no mundo (cf. DGAE nº 67). Há uma relação muito profunda entre beleza e liturgia. Beleza não como mero esteticismo, mas como modalidade pela qual a verdade do amor de Deus em Cristo nos alcança, fascina e arrebata, fazendo-nos sair de nós mesmos e atraindo-nos assim para a nossa verdadeira vocação: o amor (cf. SCa 35). Unida ao espaço litúrgico, a música é genuína expressão de beleza, tem especial capacidade de atingir os corações e, na liturgia, grande eficácia pedagógica para levá-los a penetrar no mistério celebrado. Acompanhamos, com entusiasmo e alegria, o florescer de grupos de canto e música

4

litúrgica, grupos instrumentais e vocais, que exercem o importante ministério de zelar pela beleza e profundidade da liturgia através do canto e da música. Sua animação e criatividade encantam muitos daqueles que participam das celebrações litúrgicas em nossas comunidades. Ao soar dos primeiros acordes e ao canto da primeira nota, sentimos mais profundamente a presença de Deus. Lembramos alguns aspectos importantes que contribuem para a grandeza do mistério celebrado. 1. A importância da letra na música litúrgica – a letra tem a primazia, a música está a seu serviço. A descoberta da beleza de um canto litúrgico passa ne­ cessariamente pela análise cuidadosa do conteúdo do texto e da poesia. A beleza estética não é o único critério. Muitas músicas cantadas em nossas liturgias estão distanciadas do contexto celebrativo. “Verdadeiramente, em liturgia, não podemos dizer que tanto vale um cântico como outro; é necessário evitar a im-

provisação genérica e o canto deve integrar-se na forma própria da celebração” (SCa 42). Não é possível cantar qualquer canto em qualquer momento ou em qualquer tempo. O canto “precisa estar intimamente vin­culado ao rito, ou seja, ao momento celebrativo e ao tempo litúrgico” (DGAE 76). Antes

3. Cuidado com o volume dos instrumentos e microfones – em muitas comunidades, o excessivo volume dos instrumentos, como também a grande quantidade de microfones para os cantores, às vezes, não contribuem para um mergulho no mistério celebrado, antes, provocam a agitação interior e a dispersão, além de inibir

a participação da assembléia no canto. Pede-se cuidado com o volume do som, a fim de que as celebrações sejam mais orantes, pois tudo deve contribuir para a beleza do momento ritual. 4. Cultivar uma espiritualidade litúrgica – os cantores e instrumentistas exercem um verdadeiro ministério litúrgico (SC 29). A celebração não é um momento para fazer um show, para apresentação de qualidades e aptidões. Os cantores e instrumentistas devem, antes de tudo, mergulhar no mistério, ouvir e acolher com a devida atenção a Palavra de Deus e participar intensamente de todos os momentos da celebração. Música litúrgica e espiritualidade litúrgica devem andar juntas, são duas asas de um mesmo vôo, duas nascentes de uma mesma fonte. Invocamos as luzes do Espírito Santo sobre todos os agentes de música litúrgica de nosso país. Reconhecemos o valor do ministério exercido a serviço de celebrações reveladoras da beleza suprema do Deus criador e da atualização do Mistério Pascal de Jesus Cristo. Texto extraído da: CARTA AOS AGENTES DE MÚSICA LITÚRGICA DO BRASIL de Dom Joviano de Lima Júnior – arcebispo de Ribeirão Preto (SP).

Perguntas para reflexão pessoal e em grupos: 1. Por que a música é parte integrante e significativa da ação ritual? 2. Como nossa comunidade está colocando em prática os 4 critérios apresentados? 3. Como estão os ministérios litúrgico-musicais em nossas comunidades? 4. O que precisa melhorar?

Março 2012


CAMPANHA DA FRATERNIDADE

A

Elementos da Doutrina Social da Igreja pertinentes à saúde pública

solidariedade, de acordo com a Doutrina Social da Igreja, é um princípio com dois aspectos complementares: um social e outro ligado à virtude moral. Esses aspectos da solidariedade devem nortear as pessoas em suas relações, além de leválas a compromissos em prol do bem comum e da transformação das estruturas injustas que ferem a dignidade da pessoa. A solidariedade precisa se efetivar em ações concretas, convergindo pa­ra a caridade operativa. “Jesus de Nazaré faz resplandecer, aos olhos de todos os homens, o nexo entre solidariedade e cari­ dade, iluminando todo o seu significado”. Constata-se a proximidade entre justiça e solidariedade, de maneira especial, no âmbito da saúde pública, quando a pessoa enferma e debilitada necessita de justo e qualificado cuidado médico, envolvido pelo solidário calor humano de quem serve. Esses princípios inseridos na ação são enriquecidos pela prática da caridade, pois ela marca a justiça com o amor na condução das relações entre as pessoas. Por isso, Bento XVI afirma que, mesmo em uma sociedade em que as relações e serviços se pautem pela justiça, faz-se necessária a caridade, pois: “Não há qualquer ordenamento estatal justo que possa tornar supérfluo o serviço do amor”. É oportuno salientar também a importância dos princípios de subsidiariedade e de participação. Ambos constituem princípios da Doutrina Social da Igreja que nos ajudam a compreender e a iluminar a realidade da saúde pública e a buscar caminhos para melhorá-la. A subsidiariedade é um princípio que aponta para um modo de relação e cooperação construtivo entre as instituições maiores, de mais ampla abrangência, e entre as menores de uma sociedade. Essa cooperação deve se realizar em duas vias. Primeiro, que as macro instituições subsidiem as pequenas no que é necessário,

Março 2012

sem interferir ou restringir o espaço vital das células menores e essenciais da sociedade, como família, associações e grupos organizados, para que elas cumpram a própria missão. Segundo, uma vez que estas instituições menores realizem suas funções, isto se reverte em benefício para as instituições macro. As instituições macro, como o Estado, devem, porém, se abster do que possa “restringir o espaço vital das cé­lulas menores e essenciais da sociedade”. Deste modo, a aplicação do princípio de subsidiariedade estabelece condições irrenunciáveis para a vivência da cidadania de modo democrático, “é impossível promover a digni­

dade da pessoa sem que se conceda o necessário espaço para sua própria constituição e livre atuação. São espaços onde se expressa a “subjetividade criadora do cidadão”. O princípio da participação exprime-se numa série de “atividades mediante as quais o cidadão, como cidadão ou associado com outros, contribui para a vida cultural, econômica, política e social da sociedade civil a que pertence. A participação é um dever a ser conscientemente exercitado por todos de modo responsável e em vista do bem comum”. Estes princípios oferecem bases para uma reflexão oportuna sobre as responsabilidades no

campo da saúde. Se é dever do Estado promover a saúde por meio de ações preventivas e oferecer um sistema de trata­ mento eficaz e digno a toda po­pulação, especialmente aos mais desprovidos de recursos, é, também, responsabilidade de cada família e cidadão assumir um estilo de viver que, por meio de hábitos saudáveis e de exames preventivos, contribua para evitar as doenças. Se cabe ao Estado providenciar toda a assistência médica aos enfermos, cabe à família o acompanhamento dedicado e carinhoso aos seus que adoecem. A família, o Estado e a Igreja têm funções distintas, mas complementares no processo

de tratamento de seus membros adoecidos. Pelos princípios de subsidiariedade e de participação, infere-se que os cidadãos e as entidades e organizações civis e religiosas precisam colaborar com o Estado na implementação das políticas de saúde, por meio dos espaços de controle social. Desta forma, cabe-lhes exigir do Estado o cumprimento de suas obrigações constitucionais, acompanhar e fiscalizar a qualidade dos serviços oferecidos, verificando a situação das estruturas de atendimento, a responsabilidade dos profissionais no exercício de suas funções. A reflexão sobre estes princípios orientadores são importantes para que a ação evangelizadora, da Igreja e dos cristãos, possa se revestir de contundência e profetismo na área da saúde. Além da caridade na atenção aos enfermos, é necessário empenho por mudanças nas estruturas que geram enfermidades e mortes. Tais estruturas tornam-se visíveis nas situações de exclusão, na falta de condições adequadas e dignas de vida e no descaso, em certas circunstâncias, no atendimento oferecido aos usuários do sistema de saúde. Tudo isto é exposto não só pelos MCS, mas também pelos rostos sofridos e pelas mor­tes causadas pelo indigno atendimento. “A Igreja no Brasil sabe que ‘nossos povos não querem andar pelas sombras da morte. Têm sede de vida e felicidade em Cristo’. Por isso, proclama com vigor que ‘as condições de vida de muitos abandonados, excluídos e ignorados em sua miséria e dor, contradizem o projeto do Pai e desafiam os discípulos missionários a maior compromisso a favor da cultura da vida’”. A fidelidade ao projeto de sal­vação de nosso Senhor, que indicou o caminho do cuidado aos doentes como um dos mais genuínos sinais da realização do Reino, reclama da evangelização ações pela justiça em favor dos injustiçados, vivê-la profeticamente é ser fiel ao Evangelho. Fonte : Texto base da CF 2012

5


NOTÍCIAS

Papa envia mensagem para Quaresma de 2012

F

oi divulgada na manhã de terça-feira (07/02)a mensagem de Bento 16 para a Quaresma de 2012. A Quaresma tem início na

A

outros como membros de um só corpo. Isto significa que o outro me pertence: a sua vida, a sua salvação têm a ver com a minha vida e a minha salvação”, escreve o pontífice. O terceiro e último ponto é o caminhar juntos na santidade. A atenção recíproca tem como finalidade estimular-se, mutuamente, a um amor efetivo sempre maior. “Os mestres espirituais lembram que, na vida de fé, quem não avança, recua”, assinala o papa, citando o Beato João Paulo II. Fonte: www.cancaonova.com

Cardeal Dom Raymundo Damasceno e o atual Secretário da Congregação para os Bispos, em Roma, Dom Lorenzo Baldisseri. Participaram também cerca de cem bispos que estão reunidos no Centro de Estudos do Sumaré para o 21º Curso para Bispos, promovido pela Arquidiocese do Rio.

O Governador do Rio, Sergio Cabral, o prefeito Eduardo Paes, além de secretários estaduais e municipais, políticos e demais autoridades civis também marcaram presença. Na ocasião, Dom Orani anunciou o vencedor do concurso da logomarca, Gustavo Huguenin,

25, natural da cidade de Cantagalo, região Serrana do Rio. “Quero aqui expressar minha eterna gra­tidão a Deus pela realização deste sonho, um dia impensável e agora tão real. Sou extremamente feliz por ser um jovem que pode proclamar para todo o mundo a alegria de fazer parte da Santa Igreja Católica”, declarou Gustavo Huguenin. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, disse a cidade vai se mobilizar para realizar a maior JMJ da história. “Será um encontro de amor, de paz, fé e valores cristãos”, afirmou Paes. Para o governador do Rio de Janeiro, esse é um momento de virada do Rio. “Depois que o Cristo se tornou uma das sete ma-

ravilhas do mundo, o Rio passou a ser mais ousado. E é esse evento que vai consolidar essa cidade pacificada. Vai ser o evento dos eventos e vamos fazer de tudo para ser a JMJ mais extraordinária de todas”, afirmou Cabral. O arcebispo do Rio ressaltou que a logomarca traz as florestas, o mar, o Pão de Açúcar e todas as maravilhas do Rio. “Todos nós estamos como essa marca. Aqui, há um coração batendo forte e dizendo: venham ter essa experiência com Deus”, assegurou. No momento da apresentação da logo, o Cristo Redentor foi iluminado com as cores verde e amarelo, em referência ao país sede da próxima JMJ. Fonte: www.rio2013.com/pt

Escolhido o novo Núncio Apostólico para o Brasil

Nunciatura Apostólica acaba de informar que o papa Bento XVI escolheu o novo Núncio Apostólico para o Brasil, sucedendo a Dom Lorenzo Baldisseri. Trata-se do atual núncio da Tailândia e Camboja e Delegado Apostólico em Myanmar e Laos, dom Giovanni D’Aniello. Dom Giovanni tem 57 anos, nasceu em Aversa (Itália), foi ordenado sacerdote em dezembro de 1978. É doutor em Direito Ca-

6

falta de fraternidade. “A responsabilidade pelo próximo significa querer e favorecer o bem do outro, desejando que também ele se abra à lógica do bem; interessarse pelo irmão quer dizer abrir os olhos às suas necessidades.” O segundo ponto é o dom da reciprocidade. “Uma sociedade como a atual pode tornar-se surda quer aos sofrimentos físicos, quer às exigências espirituais e morais da vida. Não deve ser assim na comunidade cristã! Os discípulos do Senhor vivem numa comunhão que os liga uns aos

Divulgada a logomarca oficial da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013

divulgação da logomarca oficial da JMJ RIO 2013: um coração que bate por você, aconteceu na terça-feira, 7 de fevereiro, no auditório do Edifício João Paulo II (Glória), no Rio de Janeiro. No lançamento do logo, além do presidente, o arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta, e dos vice-presidentes do Comitê Organizador Local (COL), Dom Paulo Cezar Costa e Dom Antonio Dias Duarte, estavam os responsáveis pelos setores que compõem o Comitê, informou a Assessoria de Imprensa do Evento. Entre as autoridades compareceram o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e arcebispo de Aparecida,

A

quarta-feira de Cinzas, que este ano será em 22 de fevereiro. O tema da mensagem foi extraído da Carta aos Hebreus, “Prestemos

atenção uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras” (Hb 10, 24). Este período, afirma o papa, é propício para renovarmos, com a ajuda da Palavra de Deus e dos Sacramentos, o nosso caminho pessoal e comunitário de fé: “Tra­ ta-se de um percurso marcado pela oração e a partilha, pelo silêncio e o jejum, com a esperança de viver a alegria pascal”. O primeiro ponto da mensagem é a responsabilidade pelos irmãos. Como já dizia Paulo VI, o mundo atual sofre sobretudo de

nônico. Ingressou no Serviço Diplomático da Santa Sé em 1983, tendo desempenhado a sua atividade junto às Representações Pontifícias do Burundi, Tailândia, Líbano, Brasil e Seção para as Relações com os Estados da Secretaria de Estado, no Vaticano. Foi nomeado Núncio Apostólico na República Democrática do Congo, em 2001, e em 2010, foi transferido para a Tailândia e Camboja. Fonte: CNBB

Março 2012


NOTÍCIAS

FGV publica índice de confiança no judiciário

N

uma pesquisa publicada em meados de fevereiro em relação ao índice de confiança do poder Judiciário, revelou também o termômetro da confiança dos brasileiros nas suas instituições Duas em cada três pessoas consideram o Judiciário pouco ou nada honesto e sem independência. Mais da metade da população (55%) questiona a competência desse Poder. De acordo com levantamento da Escola de Di-

reito da FGV, coordenado pela professora Luciana Gross Cunha, 89% da população considera o Judiciário moroso. Além disso, 88% disseram que os custos para acessar o Poder são altos e 70% dos entrevistados acreditam que o Judiciário é difícil ou muito difícil para se utilizar. A coordenadora da pesquisa explicou que a avaliação geral da população “sempre foi ruim” em relação ao Judiciário, mas piorou por conta

de problemas ligados a custos e morosidade. Ao comparar a confiança no Judiciário com outras instituições, a pesquisa mostra esse Poder atrás das Forças Armadas, da Igreja Católica, do Ministério Público, das grandes empresas e da imprensa escrita. Na sexta colocação, o Judiciário aparece como mais confiável do que a polícia, o governo federal, as emissoras de TV, o Congresso e os partidos políticos.

Dom Ercílio ordenou quatro novos diáconos diocesanos

F

oram ordenados no dia 4 de fevereiro quatro novos diá­conos a serviço da Igreja. A celebração aconteceu na Catedral de Osasco, presidida pelo nosso bispo diocesano, Dom Ercílio, e concelebrada por diversos padres de nossa e outras dioceses, além da presença de religiosos, seminaristas e algumas autoridades. A presença dos fiéis, que vieram das mais diversas paróquias, sur­ preendeu a todos. Era visível a felicidade desses que acompanharam proximamente e colaboraram na formação dos novos diáconos, nas mais diversas paróquias onde eles exerceram o estágio pastoral. Foi uma celebração emocionante,

marcada pela participação ativa de todos os presentes. O neo-diácono Marcio Pereira, representando os demais diáconos ordenados lembrou nos agradecimentos da fidelidade do Senhor na vida daqueles que foram por Ele chamados, remetendo-se ao lema escolhido para tão memorável ocasião: “aquele que vos chamou é fiel!”. Mencionou também a feliz coincidência de serem ordenados na mesma data em que Dom Ercílio completou 22 anos de ordenação episcopal. Os diáconos ordenados foram: Alexandre, Daniel, Diego e Márcio e irão exercer o ministério diaconal nas paróquias em que foram designados pelo bispo diocesano.

Missa solene abre a visita pastoral na região de Barueri

D

eu-se início no dia 08 de fevereiro de 2012, a visita Pastoral da Região Barueri, composta pelos municípios de Itapevi, Jandira e Barueri. A missa celebrada por Dom Ercílio Turco teve inicio às 20h na Paróquia São Judas Tadeu, em Itapevi, contando com a participação de 14 paróquias, representadas também pelos seus sacerdotes. Estavam presentes os padres Juscelino, Roberto Fornoni, Marcos Martiniano, Valmirar, Adilson, Edilson, Mauro Ferreira, Douglas Crispim, Atílio, Marcio, Marcos Galdino, Valdivino, Alexandre de Oliveira, Fabio Rosário, João Carlos. Participaram também, da celebração, o Diácono Daniel, os

Março 2012

seminaristas Vandilson, Leandro, Maicom, Marco Aurélio, Jaderson e Gabriel, além de outros religiosos e religiosas. Durante a homilia, Dom Ercílio disse que “somos uma igreja dentro de uma realidade grande e urbana” e destacou o índice da população católica na região, sendo 68% em Barueri, 65% em Itapevi e 60% em Jandira. Ainda em seu discurso, o bispo colocou a importância de “viver a comunhão na região, nas paróquias, nas comunidades. Ser Igreja sempre missionária, sempre inquieta para levar Jesus a todos os lugares”, concluiu ele. Agradecidos pela presença de Dom Ercílio e pelo início das

visitas, os padres, coordenadores de pastorais e paróquias, representados pelo Padre Valdivino (Coordenador da Região) transmitiu uma mensagem de boas vindas ao bispo “sabendo que o bispo é o sucessor dos apóstolos e que ao acolher o bispo estamos acolhendo o próprio Cristo, nós ficamos felizes com sua presença entre nós, pois é o próprio Cristo que vem confirmar a nossa fé”, disse ele. Sob a promessa de que as paróquias estarão rezando por Dom Ercílio para que estas visitas sejam um momento forte de animação das ações pastorais e desejando que haja um crescimento verdadeiro na fé e no discipulado, padre

Valdivino encerrou colocando o que expressa de fato o papel da Santa Igreja, que “ possamos ser mais testemunhas de Cristo Vivo

em nossas cidades que tanto precisam de uma nova evangelização”. Fonte: Meire Elaine de Souza Pascom

7


NOTÍCIAS

Monsenhor Link e autoridades defendem moradores da Savoy em Carapicuíba

N

a terça, 31 de janeiro, o Monsenhor Paulo Link da Obra Kolping do Brasil, participou de reunião com o Secretário de Habitação do Estado de São Paulo, Silvio Torres, juntamente com o prefeito de Carapicuíba Sergio Ribeiro, o deputado estadual Isac Reis, dentre outras autoridades dispostas a propor solução definitiva para os moradores que ocupam o terreno da Savoy Imobiliária há nove anos. Segundo a Polícia Militar, a reintegração de posse e a desocu-

N

sos para a compra do terreno, porém esforços estão para uma solução eficaz: “Entretanto, a prefeitura indispõe dos recursos necessários para a compra do terreno (cerca de seis milhões e meio de reais), cuja desocupação

está marcada para o próximo dia 6 de março. Cientes de nossas responsa­ bilidades, fizemos reuniões e apresentamos propostas ao governo estadual juntamente com o Monsenhor Paulo Link, repre-

sentante da Igreja Católica, em busca de uma solução eficaz para a questão e estamos aguardando, ansiosamente, o desfecho dos encaminhamentos. Conclui a nota fazendo um pedindo aos católicos:

Desse modo, considerando a nossa proximidade de relacionamento e amizade, é que venho pedir a intensificação das preces e súplicas em favor dos irmãos e irmãs da área da Savoy, bem como a sensibilização por parte dos proprietários do terreno. Há um trecho nas Sagradas Escrituras que diz “[...] agindo Deus quem impedirá [...]” (Isaías 43,13). E é por causa da fé em Deus que peço a compreensão de vocês pelo momento que enfrentamos, confiantes na graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor do Pai Misericordioso e no auxílio do Espírito Santo, de que tudo se resolverá da melhor forma possível.

Comunidade Nossa Senhora de Lourdes de Carapicuíba comemora 50 anos

chuva do sábado, 11 de fevereiro, foi insuficiente para inibir as comemorações dos 50 anos da Comunidade Católica N. Sra. de Lourdes em Carapicuíba. Para festejar, os fiéis participaram da missa solene que foi presidida pelo Pe. Mauro Sérgio, pároco local, e provaram as delícias das barracas montadas em frente à igreja (Rua da Lagoa)

8

Fonte: Rogério Roque

Prefeito de Carapicuíba envia carta aos Católicos explicando o caso Savoy

o dia 07 de fevereiro, o Prefeito Municipal de Carapi­ cuíba, Sergio Ribeiro, enviou uma carta endereçado aos padres, religiosos e a todo povo católico, onde procura esclarecer a posição municipal diante a ação de reintegração de posse da área da empresa Savoy Imobiliária e Construtora, região próxima ao Jardim Tonato e Estrada da Fazendinha. A nota diz que: “Há tempos temos conversado com os moradores da Savoy e com autoridades da área da Habitação para que, juntos, pudéssemos resolver o impasse, adquirindo o terreno pela Prefeitura e a consequente construção de moradias populares no local”. Explica também que a prefeitura não tem recur-

A

pação do espaço estão marcadas para o dia 6 de março. Daí a necessidade de colaborar com as autoridades civis para garantir o êxito das negociações com a participação de Link, sacerdote que coordenou atividades de ha­ bitação em Carapicuíba. Também está prevista a construção de moradias populares por meio de parceria com os governos federal, estadual, municipal e entidades cristãs.

com o apoio da prefeitura municipal que colocou, ainda, novo asfaltamento. Pe. Riomar Aristide também prestigiou os festejos da comunidade, juntamente com lideranças da Paróquia São Pedro, as quais puderam relembrar a história e o empenho de sacerdotes e leigos que dedicaram suas vidas em favor do Evangelho.

Março 2012


NOTÍCIAS

Congresso reúne 500 catequistas em Carapicuíba

C

erca de 500 catequistas da Região Pastoral Carapicuíba participaram do 13º Congresso Catequético que aconteceu na matriz paroquial de Santa Rita de Cássia no domingo, 12 de fevereiro.

Os congressistas refletiram o tema “Cristo, ontem, hoje e sempre”, assessorados pelo Pe. Henrique e pelo seminarista Denis, abriram os trabalhos da catequese em Carapicuíba. O encontro também contribuiu para o

fortalecimento da unidade entre os catequistas da região, com o apoio dos padres das paróquias do município. Para a coordenação regional de catequese, liderada por Geralda Lopes e Marli Pagnani, o 13º Congresso foi excelente, pois “as coordenações paroquiais zelaram pela organização do congresso, inscrevendo os representantes com antecedência, o que colaborou para o sucesso do evento, juntamente com as palestras que reforçaram a necessidade de vi­vência do Evangelho”, ressalta­ ram. Fonte: Rogério Roque

Ministros leigos de Cotia têm encontro de espiritualidade

N

o dia 05 de fevereiro na Paróquia Nossa Senhora das Graças em Vargem Grande Paulista, aconteceu o encontro de espiritua­lidade para os ministros leigos. Baseado na Carta Apostólica “Porta Fidei”.

A

O encontro teve início com a Santa Missa presidida pelo Pe. Reginaldo – Coordenador dos Ministérios da Região Cotia e em seguida foi conduzido pelo Frei Leandro – OCD, de São Roque, num clima de fraternidade e ora­

ção, que levou os ministros a uma profunda reflexão sobre a a Fé, baseado na Carta Apostólica “Porta Fidei”, como ponto fundamental para todo ministério. Estiveram presentes Pe. Odair Coordenador da Região Pastoral Cotia, Pe. Everaldo – Paróquia Imaculada Conceição de Caucaia e Pe. Sebastião – Coordenador Diocesano dos Ministérios. O encontro foi concluído com a Adoração e Benção do Santíssimo, já em preparação para a Semana Ministerial e renovação do mandato diocesano.

Datas comemorativas Natalícia MARÇO 01/03 02/03 03/03 05/03 08/03 10/03 11/03 12/03 13/03 14/03 16/03 17/03 19/03 22/03 22/03 22/03 22/03 24/03 24/03 25/03 25/03 25/03 25/03 27/03 29/03 29/03 29/03 30/03 31/03 08/03 08/03 08/03 19/03 20/03 20/03 25/03

Ir. Elvira Pessin, mc Ir. Letícia Mercedes Perez Gimenez Pe. Olacir Geraldo Agnolin, mi Ir. Maria Rita, mop Ir. Maria Auxiliadora R de Oliveira, fmm Ir. Emma Gerrescli, fnsn Pe. Arnaldo Balbino dos Santos Pe. Mario Mancini, ssp Dom Ercílio Turco Ir. Maria Silvia Gonçalves, cfnsm Pe. Jucelino Gomes da Silva, csf Ir. Agueda Vorini Ir. Maria das Mercês Campos Faray, cfnsm Pe. Antônio Carlos de Souza Ir. Conceição das Dores Nicomedes, jbp Ir. Irene Lorenzetti, icj Ir. Maria de Fátima Fonseca, cfnsm Pe. Agostinho Dinani, crl Ir. Quelle Fabiana Alves (Toca) Ir. Teresa do Menino Jesus, ocd Ir. Almida Maria Moratelli, mc Ir. Maria Elisabet do Calvário, cmss Pe. José Cássio Marinho Pe. Pio Milpacher, cjs Pe. Alexandre de Oliveira Ir. Hercília Moneda, ascj Ir. Maria Lúcia de Souza, cnssm Pe. Xavier Cutajar Ir. Marta Oliveira Dantas

72 45 75 67 74 41 71 74 40 70 46 42 67 54 24 24 89 46 35 89 31 45 65 35

Ordenação ou profissão religiosa Pe. Raimundo Nonato Pe. Antônio Carlos Souza Pe. Francisco de Assis Moraes Pe. André Heyligers Pe. Francisco Pereira da Silva Pe. Jucelino Gomes da Silva, csf Pe. Aurélio Vieira de Moraes

04 04 04 04 19 08 50

Paróquia São Judas realiza assembleia paroquial

conteceu no Sábado, dia 21 de janeiro de 2012, na Casa de Encontros Ibaté a assembleia paroquial da Paróquia de São Judas Tadeu - Itapevi. Participaram 100 pessoas vindas das comunidades, pastorais, movimentos e associações. Iniciou-se com a Acolhida e Café da manhã, depois as Irmãs Regina e Samanta, da Congregação da Sagrada Família de Bérgamo, fizeram um momento de espiritualidade e oração. A manhã foi encerrada com os encaminhamentos da assembleia

Março 2012

feitos pelo Padre Fábio Rosário – Pároco. No período da Tarde foi falado sobre o 7º Plano de Pastoral diocesano sobre o qual a paróquia refletiu e assumiu a missão de ser uma Igreja Missionária, acolhendo várias propostas dadas pelas lideranças. No final da tarde nosso Bispo Diocesano, Dom Ercilio Turco, acompanhou os trabalhos de conclusão deixando palavras de ânimo, falou-nos da sua alegria de estar conosco e presidiu a Santa Missa concelebrada pelos Padres Fábio e Alexandre.

9


NOTÍCIAS

Paróquia de São Roque tem novo Conselho de Pastoral Paroquial

Pergunte ao Padre Tenho 15 anos e sempre participei da igreja. Os meus amigos, a minha família e até o padre da minha paróquia vivem dizendo que eu tenho que ser padre. Eu até penso em um dia ser padre mas não gosto da insistência das pessoas. O que devo fazer? Como saber se tenho vocação de verdade? Responde: Pe. Cido Pereira

N

o dia 30 de janeiro, segundafeira, às 19h30, no Salão do Colégio São José, em um ambiente alegre e dinâmico, com um clima de unidade paroquial, realizou-se a 2ª Assembléia Paroquial para a Eleição do Conselho de Pastoral Paroquial 2012-2015. Este processo foi muito bem conduzido pelos membros do Conselho de Assuntos Econômicos da Paróquia. Terminada a votação e apuração, foram anunciados os nomes dos paroquianos que irão

J

compor o Conselho de Pastoral 2012-2015:- Setor 01 - MINISTÉRIOS: Domingos Rodrigues Trindade - Setor 02 - CATEQUESE: Maria Morales da Rosa - Setor 03 - MOVIMENTOS: Elaine Cristina da Silva Gonçalves Mota - Setor 04 - PASTORAIS: Clemira das Dores dos Santos Marques - Setor 05 - COMUNICAÇÃO: Thaíza Thiemi da Luz Diez Vecino Kono - Setor 06 - OBRAS SOCIAIS: Teresa Aparecida Dias Fernandes Hilá-

rio. Após o anúncio, o Pe. Daniel agradeceu os atuais membros do Conselho pelo trabalho desenvolvido ao longo destes últimos quatro anos e deu posse aos novos membros, agradecendo o “sim” e desejando-lhes muita luz. Juntamente com o Vigário Paroquial, Pe. Emilson, abençoaram a todos os presentes. Em seguida, foi servido um delicioso lanche, onde todos puderam se confraternizar. Fonte: Véra Lucia Kono Setor 5 – Comunicação

Salesianos realizam ações missionárias em Cotia

ovens dos GAM´s – Grupos de Ação Missionária da Pastoral Juvenil Salesiana estiveram em missão de 7 a 15 de janeiro na paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Cotia. “A Semana Missionária com o GAM foi a experiência mais forte e intensa de Deus que eu já fiz na minha vida. Em cada atividade que aconteceu – mística, bênção nas casas, brincadeiras com as crianças, celebrações com a co­ munidade, partilha, limpeza e preparo das refeições – em tudo

Deus se revelou, desafiando-me à transformação e me emocionando profundamente”, conta a jovem Talita Vilhena. Para Kevin Lopes, a Semana Missionária mudou os jovens e aqueles que tiveram contato. “As histórias de vida das pessoas cujas casas visitamos, a alegria de nos receber expressa em seus atos caridosos a nós e sua incredulidade do caráter voluntário de nossas ações me mostraram logo de início que algo esplendido estava acontecendo. Cada qual

com seus problemas, alegrias, pedidos e orações fizeram-nos crescer espiritualmente e culturalmente, mudando a nós e a eles próprios”. Durante o período em que fi­caram na paróquia, foram realizadas celebrações e encontros com os jovens, visita às famílias, formações para a juventude, gincanas para as crianças, oficinas de artesanato para os adultos, celebração e palestras para os casais, retiro para os missionários e uma grande celebração festiva.

Vigário Episcopal para a Pastoral da Comunicação em São Paulo, Diretor do jornal “O São Paulo” e apresentador do programa Bom dia Povo de Deus na rádio católica 9 de Julho. Mateus, você tem toda razão. Quem vai decidir sobre sua vida, sobre sua vocação, será você e mais ninguém. Até porque, meu irmão, quando os outros decidem pra gente, a gente vai acabar não sendo feliz. É bom, muito bom, que você dê tempo ao tempo sem deixar-se influenciar por sua família nem pelo padre da paróquia. Continue vivendo intensamente a sua fé. Peça a Deus que o ajude no discernimento de sua vocação. Penso também, Mateus, que a ajuda de um outro padre poderá ajudar você no discernimento. É importante que nesta hora a gente tenha um diretor espiritual. O que é preciso é que você considere todas as possibilidades que você tem pela frente para se realizar e ser feliz. A oração ajuda muito nesse discernimento. Para terminar, Mateus. Não é de todo mal que as pessoas vejam em você qualidades que indicam o caminho do sacerdócio. É sinal que a sua fé, o seu carinho pelas pessoas, a sua dedicação às coisas de Deus estão chamando atenção. Nada disso, porém, deve levar você a ser apressado nas decisões. É você, e mais ninguém, que deverá dizer: Eu vou ser padre... ou... Não, eu não vos ser padre. Que o Espírito Santo ilumine você? Faça sua pergunta ao padre: www.bio.diocese@yahoo.com.br

10

Março 2012


OPINIÃO E REFLEXÃO

Os meios de comunicação com fins educativos

É

cada vez maior o uso dos meios de comunicação com objetivos educacionais e de integração do cidadão à sociedade. O rádio, a televisão e a internet e tantas outras mídias conseguem levar a casa de todas as pessoas uma nova forma de transmitir informações, que foi capaz de se tornar uma alternativa de comunicação, principalmente se comparado ao jornal impresso. Os meios de comunicação, de modo especial o Rádio, estavam longe de exercer qualquer papel de cunho didático ou educativo. Essa visão do uso do Rádio como meio de difusão da educação, surgiu através de projetos ligados ao Rádio e TV, geralmente, num trabalho em conjunto. A tentativa era de fazer com que os meios, efetivamente, fossem capazes de vencer as distâncias territoriais gigantescas do Brasil e exercessem um papel verdadeiramente educativo. A Fundação Padre Landell de Moura foi criada em 1967 com o objetivo de difundir a educação por vários meios de comunicação. Na época, o departamento pedagógico da Março 2012

FEPLAN assessorava seus setores na fundamentação educacional, planejamento e analise de recursos educativos pelo rádio e televisão, supervisionando a adequação dos roteiros e confecção do material que acompanhava os cursos. Aos poucos sua rede de recepção foi aumentando e sua rede de supervisão foi diversifican­do os meios de comunicação utilizados. Trabalhava com o rádio, material impresso e televisão. A fundação Padre Anchieta também foi criada em 1967, pelo Estado de São Paulo, e através de equipamentos de Rádio e Tv, a Fundação preparou e formou equipes que se responsabilizaram pela instalação, operação e manutenção técnica. Formou pessoal especializado para realizar pesquisas que elaboravam e adaptavam textos para as linguagens televisivas e radiofônicas, incluindo aí, produção e gravação de programas que não visavam fins lucrativos. Em 1992, a Rádio Cultura FM integrou-se no Sistema Radiosat ( Embratel) o que possibilitou, uma melhor recepção de qualidade, para todo o território nacional.

Atualmente, o centro Paulista de Rádio e Televisão Educativa, Fundação Padre Anchieta, veiculam a programação educativa através da Rádio Cultura AM e FM, só que na AM é das cinco à meia noite. Modernamente, a Fundação Padre Anchieta e a Fundação Roberto Marinho, hoje mais a Fundação Padre Anchieta, com o apoio da Federação Nacional das Indústrias, levam ao ar o Telecurso, um projeto de educação que oferece a milhões de jovens trabalhadores a oportunidade de retornarem à escola e concluírem o Ensino Médio (1º e 2º graus), além de fazerem

um curso profissionalizante. O Telecurso é voltado para jovens trabalhadores de 15 a 30 anos. Trabalha também com a reciclagem de professores. Funciona seguindo cenas quotidianas co­mo base para as aulas, e com uma linguagem bastante familiar para o trabalhador, que se sente bem mais motivado. Quando falamos da educação através dos meios de comunicação, não podemos deixar de citar aquele, que, pra nós é um grande exemplo de educador, Paulo. Como educador Paulo leva seus seguidores e seus ouvintes a buscarem um sentido maior para suas vidas. A igreja tem se utilizado muito bem deste meio, que a exemplo de Paulo, tem formado a verdadeira educação, que requer educadores convictos, que sejam presença libertadora, elevando as pessoas a sua dignidade de seres humanos e filhos de Deus. A Igreja, através dos meios de comunicação, comunica esta grande verdade. A banalização dos programas de TV se reflete na péssima qualidade dos programas que são apresentados e a Igreja católica tem lutado pelo bom senso dos empresários de comunicação na busca de soluções para se produzir programas que valorizem a auto estima da pessoa respeitando o berço sagrado da

vida humana que é a família. Quando a comunicação perde as amarras éticas e se esquiva ao controle social, acaba por deixar de ter em conta a centralidade e a dignidade inviolável do homem, arriscando-se a influir negativamente sobre a sua consciência, as suas decisões, e a condicionar, em última análise, a liberdade e a própria vida das pessoas. Por esse motivo é indispensável que as comunicações, sejam sociais ou não, defendam ciosamente a pessoa humana e respeitem plenamente a sua dignidade. Aproveitemos os meios de Comunicação So­cial para reconhecer a sua importância, apoiar, seja pelas palavras ou materialmente, o jornal, a emissora de rádio e a TV que servem ao Evangelho. Sem dúvida, entre as obrigações de um fiel, de modo particular em nossos dias, está a cooperação com esses veículos que transmitem a Doutrina de Jesus Cristo. Gil Ortiz: é natural de São Roque, formado em Comunicação pela Universidade Bandeirante de São Paulo . Iniciou sua carreira com 17 anos na extinta Radio Universal de São Roque . Trabalha há 9 anos na Rádio Imaculada Conceição de São Roque – 1430am. É apresentador do programa Bom dia amigos – 10h.

11


VARIEDADES

O

Encontro com pré-candidatos das eleições de 2012

setor Pastorais sociais da Diocese de Osasco, convida os pré-candidatos das eleições de 2012 e que frequentam nossas comunidades, para um café da manhã com palestras e reflexões. O tema será “A doutrina Social da Igreja e Política – A ética Cristã no exercício da função públicapolitica”.

FATOS EM FOTOS

Data: 10 de Março Horário: 8h Local: Salão de atos da Cúria de Osasco, Rua da Saudade, 60 – Osasco Confirmar presença através do telefone: 3683-4522 (Rezilda). 26/01 - Pe. Ewerton da Paróquia São Domingos.

Visita Pastoral: Retrato da Igreja Católica em Itapevi

C

om população de 200.874 (Censo de 2010) e segundo pesquisa da FGV publicada em 2011, Itapevi possui: 58,3% são Católicos; 25,7% são evangélicos, 0,5% espíritas; 0,4 sem religião; 0,27% espíritas; 0,19% religiões afro. Numa pesquisa

interna realizada nas paróquias e enviada ao Vaticano, constatou que o número de católicos em 2010 estava em torno de 106.000. A Igreja Católica de Itapevi possui 4 paróquias e 38 comunidades com inúmeras pastorais e movimentos e são guiadas por 3

padres diocesanos e 1 religioso. Na mesma pesquisa verificou-se que 12.300 pessoas freqüentam todos os domingos as celebrações; houve 549 batizados, 358 pessoas receberam a 1ª eucaristia e 352 foram confirmados. No serviço de evangelização a Igreja da Itapevi conta com 222 catequistas e 247 ministros extraordinários e inúmeros agentes de pastorais. Também estão presentes no município colaborando na pastoral: 1 congregação masculina: Sagrada Família de Bérgamo e 3 congregações femininas: Filhas de Maria Auxiliadora (Salesianas); Irmãs da Sagrada Família de Bérgamo e Irmãs da Sagrada Família de Montes Claros.

Sessão solene sobre a Campanha da Fraternidade 2012

Pe. Max da Paróquia Nossa Senhora Aparecida.

07/02 - Homenagem dos padres coordenadores das regiões e setores à Dom Ercílio na comemoração do seu aniversário episcopal celebrado no dia 04.

Câmara Municipal de Barueri promoverá sessão solene sobre a Campanha da Fraternidade de 2012. “Que a saúde se difunda sobre a terra” Data: 23 de março de 2012 (Sexta-feira ) – 19h Local: Al. Wagih Salles Nemer, 200 – Centro Comercial – Barueri – SP – Brasil – CEP 06401-134 Fone: (0XX11) 4199-7900 Participe !!!!

12

08/02 - A prefeita de Itapevi, Dra. Ruth Banholzer, e o vice-prefeito, Jaci Tadeu, receberam a visita do bispo diocesano de Osasco, Dom Ercílio Turco, e dos padres do município.

Março 2012

190. Bio - Boletim Informativo da Diocese de Osasco - Março 2012  

Ano XXIII - Nº 190 - Bio Março 2012

Advertisement