Issuu on Google+


OS CARAS Bianca Konstantyner

41011394

Bruno Rezende

41014814

Guilherme Carnaúba

41010622

Maria Tereza Temer

41015241

Nicolle Reuter

41011483

Renata Kochen

41013321

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Comunicação e Marketing com Habilitação em Cinema da Fundação Armando Álvares Penteado.

FACULDADE ARMANDO ÁLVARES PENTEADO FACULDADE DE COMUNICAÇÃO E MARKETING HABILITAÇÃO EM CINEMA

Orientador: Prof. Humberto Neiva, Prod. Executiva

São Paulo, 2013


Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Konstantyner, Bianca Rezende, Bruno Carnaúba, Guilherme Temer, Maria Tereza Reuter, Nicolle Kochen, Renata

Os Caras/ Bianca Konstantyner; Bruno Rezende; Guilherme Carnaúba, Maria Tereza Temer, Nicolle Reuter, Renata Kochen, 2013. Total de Folhas: 288 Orientador: Humberto Neiva Projeto de Trabalho de Conclusão de Curso de Comunicação e Marketing com habilitação em Cinema – Fundação Armando Álvares Penteado, São Paulo, 2013.

1.Caras Pintadas 2.Brasil 3.Curta-Metragem I.Fundação Armando Álvares Penteado II. Título


sUMÁRIO

enreDO 16 17 Sinopse 18 Argumento Roteiro Dramático 26 Roteiro Decupado 34 44 Storyboard

Storyline

Os CARAs 8 8 Justificativa 11 Objetivo Características 13 Equipe Técnica 13

Apresentação

DIREÇÃO Conceito

S n E g A n O s R E P s O D PERFIL Santiago Eric Dolores

61 64 67

Estratégia

73 78

FOTOGRAFIA Conceito Referências Mapas de ão câmera e iluminaç

83 86 91


ARTE

107 al er G ão pç ce Con 107 ito ce on C 112 es or C de la te ar C 4 1 1 s te en bi m A 116 go Casa de Santia 120 Cozinha 124 Quarto de Eric 128 Banheiro 134 Calçada idade 140 América Public 146 Restaurante 152 Rua 158 Figurinos 171 Maquiagem

sOM Conceito Referências

177 178

PRODUÇÃO Conceito

MONTAGEM Conceito Referências

Orçamento

189 197

183 184

TABELAs

210 211 Tabela de Filmagem 212 Tabela de Espaço 214 te Tabela de Ambien gem 216 Tabela de Persona 217 s Tabela de Figurino 218 Ordem do Dia 226 Análise Técnica

Cronograma


APREsEnTAÇÃO

comunhão de pensamentos e perspectivas de cada membro da equipe. Seu ponto central,

Justificativa

no qual se fundamenta toda a narrativa, OS CARAS é um projeto de curta-metragem, seria o dilema com o qual comumente nos

“Trazendo de países distantes nossas formas

de aproximadamente 15 minutos, realizado deparamos – o reconhecimento de nossa de convívio, nossas instituições, nossas ideias, e timbrando em manter tudo isso em ambiente muitas

em digital durante o segundo semestre de própria identidade, quanto brasileiros, vezes desfavorável e hostil, somos ainda hoje uns 2013, como Trabalho de Conclusão de Curso latino-americanos. desterrados em nossa terra” de formandos de Comunicação Social com

Seu título remete ao contexto histórico

Sérgio Buarque de Holanda

Bacharelado em Cinema da FAAP - Fundação onde se é passada a história – o impeachment Armando Álvares Penteado, sendo selecionado do presidente Fernando Collor de Melo, em por uma banca de professores para tanto.

A angústia de ser constantemente incoerente.

1992 – fazendo uma dupla alusão: refere-se Um problema arraigado não só em nosso

A equipe principal, constituída por Guilherme tanto aos “caras-pintadas”, quanto aos dois país, como na América Latina como um todo. Carnaúba (direção de arte), Renata Kochen “caras” cuja narrativa se constrói em volta. (direção de som e direção de elenco), Bianca

Mais do que questão sintomática, trata-se

O filme busca expor as nuances da angústia de uma situação de fato – a crise de identidade

Konstantyner (direção de produção), Nicolle causada pela constante crise de identidade, e permanece durante gerações, e conduz o Reuter (assistente de direção e montagem), discutir suas implicações tanto na vida pessoal, comportamento de toda uma nação a um Bruno Rezende (direção de fotografia) e Tereza quanto coletiva. Analisar, pelo ponto de vista crescimento sem desenvolvimento. Este é o Temer (roteiro e direção geral), esteve unida de jovens universitários, sobre como reagimos tema que OS CARAS busca evidenciar em e já formada em suas específicas funções a mudanças históricas, a desequilíbrios seu roteiro, na tentativa de compreender e desde a concepção do roteiro, dando espaço econômicos e políticos, e sobre quais medos repensar um pouco mais a essência e o papel para que todos pudessem contribuir, desde o e desejos estamos acostumados a lidar de cada um de nós quanto brasileiro. início, criativamente com a história, bem como perante tais circunstâncias, através do olhar

Sendo um sentimento herdado desde o

torná-la própria e com um significado pessoal. de uma geração que marcou a história de colonialismo, esta crise identitária interna se Seu enredo, portanto, gerou-se de uma nosso país.

10

vale tanto como causa quanto consequência


direta do panorama externo de nosso país. pensar e agir do brasileiro, de modo quase que se encontrem. Simbolicamente, temos Tendo em vista as características de nosso imperceptível. Nota-se no roteiro a heterogenia o desencontro de perspectivas e motivações colonialismo (mercantil e de exploração), de comportamento e personalidade das presentes no sujeito brasileiro. não houve nenhum tipo de preocupação a duas personagens principais: de um lado,

Apesar de agirem de maneiras opostas,

respeito dos interesses próprios de nossa temos Eric, um rapaz determinado, estudioso ambas personagens sofrem da mesma terra, sendo esta mero instrumento de e ambicioso, cujo maior sonho é seguir com ausência de certezas – lidam com seu sentimento sua metrópole e parceiros comerciais. sua carreira profissional no exterior; do outro, de “inferioridade brasileira” ou tentando E tais características repercutiram em todas Santiago, um jovem boêmio, carismático e enaltecer sua cultura, ou tentando simplesmente as áreas de nossa estrutura nacional – tanto artista, que embora se envolva intensamente negá-la. Nelson Rodrigues denomina econômica, quanto política e cultural, como com militância de esquerda, não consegue tal sentimento de complexo de vira-lata, no afirma Gilberto Freyre: “Quando o Brasil iniciou concluir nenhum de seus projetos pessoais. qual afirma que “É um problema de fé em si a tentativa de criar um Estado democrático, o Essa dicotomia constitui duas grandes facetas mesmo” (RODRIGUES, 1958). fez importando modelos e sem considerar o do perfil paradoxal do brasileiro, pautado

Quanto à escolha do contexto histórico

contexto próprio, atitude típica de um povo pela paixão, e o desapego; pela intensidade, como pano de fundo de seu enredo, OS alienado culturalmente. […] A invasão cultural e pela passividade; pelo trabalho, e pelo CARAS se passa em 1992 por se tratar de promove a alteração nos valores do invadido, descompromisso. fazendo com que ele veja a realidade sob a

um momento emblemático na história de

Tal discrepância se vê presente tanto nossa política: o primeiro impeachment da

ótica do invasor” (FREYRE, 1933). Deste modo, na complexidade interna das personagens América Latina, e o único até hoje no Brasil. é possível se afirmar que o Brasil nasceu bem como na relação que elas constroem Após mais de 20 anos de regime militar, o com o olhar para o exterior, coadjuvante de entre si – uma relação baseada pela falta de primeiro presidente eleito por voto direto sua própria história.

relação, observada na falta de encontro físico durante o processo de redemocratização

Algo que parece tão distante e abstrato, entre elas. Durante todo o roteiro, cria-se no Brasil, a esperança de uma nova era para porém, interfere nos menores detalhes de uma sensação que algo maior às vontades o povo brasileiro, torna-se protagonista do nossas vidas, influenciando a maneira de das personagens atua de modo a impedirem maior escândalo de corrupção visto até então.

11


O filme não busca fazer nenhum tipo de são as que moldam todo a conjuntura do realizações pessoais do indivíduo: “A auto apologia política, ou propor nenhuma tese país. “É preciso fazer falar a multidão imensa identidade não é um traço distintivo capaz de solucionar nosso histórico corrupto dos figurantes mudos que enchem o panorama apresentado pelo indivíduo. Trata-se do próprio – o que se busca desta situação é a observar da história e são muitas vezes mais interessantes e ser conforme apreendido reflexivamente pelo os diferentes modos de lidar do brasileiro mais importantes do que os outros, os que coletivo. O que define um ser humano é saber em um cenário de crise generalizada como apenas escrevem a história”, como afirmava – tanto o que se está fazendo, como por esta. Quanto às passeatas e protestos de Sérgio Buarque de Holanda (HOLANDA, 1936). que está fazendo algo” (GIDDENS, 2002). rua pela derrocada do então presidente, o

Ao mesmo tempo que se valem de Um tema pouco explorado para tamanha

elemento chave trazido para história seria a estruturas psicológicas complexas, buscando importância, eis nosso dilema. tinta utilizada para pintar suas caras – esta destrinchar os menores níveis de suas

Não há respostas concretas, ou verdades

possui um caráter muito mais simbólico do personalidades antagônicas, Eric e Santiago absolutas sobre o que é ser brasileiro – tanto que literal. A tinta, presente em pequenas são também personagens alegóricas, isto no passado, desde os primórdios de nossa doses ao longo de todo o filme, funciona é, representam um coletivo, uma noção geral colonização, até os tempos atuais. Pensando como uma máscara, através da qual as do ser brasileiro. Por este ponto, trata-se em em termos ainda mais abrangentes, ser personagens buscam “desenhar” a si mesmos, seu enredo uma discussão de identidade latino-americano significa lidar com uma se reconhecer. Contudo, ao fim da história, focada em sua vertente nacional – o fato angústia de não-pertencimento constante. vemos que nenhuma das máscaras servem de estarem em meio a crises existenciais Pelos conceitos de Manuel Castells, em para satisfazer as personagens, que específicas (nunca estarem seguros de suas Paraísos Comunais, temos um roteiro repleto se incomodam ao ponto de tornarem-se ações, tanto ao longo do roteiro como em de personagens que não possuem nenhuma melancólicas e ríspidas.

sua cena final, na qual é exposta a angústia categoria de identidade bem delineada –

Para imergir na mensagem do roteiro, o de seus conflitos internos) configura não demonstram identidade legitimada, de espectador se desvencilha dos fatos objetivos um sintoma de falta de reconhecimento. projeto, ou de resistência, espelhando um (o impeachment em si) para analisar as visões Elucidando tal aspecto, Anthony Giddens caráter comum a toda uma nação. A tinta de subjetivas, as micro-ações, que no fundo, relaciona a identidade nacional com as seus protestos, que ao mesmo tempo cria

12


uma representação perceptível e esconde a verdadeira faceta de seus rostos, não confere

obJetivo

por interferir em suas vidas pessoais, desconstruindo

barreiras

ideológicas.

nenhum significado de real crença às

A parte final do roteiro, cujo desenvolver

personagens. Tanto Eric quanto Santiago

demarca o anti-clímax do filme, culmina no

parecem estar exaustos de uma luta que

Compreender, questionar, acreditar – sentimento de vazio e a presença de uma

nunca optaram por entrar – apropriando-se todo povo tem direito a conhecer sua própria forte angústia por parte das personagens, da voz de Cazuza, “Não desisti, apenas não história, conhecer a si mesmo. O roteiro OS que conseguem através da partilha dessas insisto mais”. Nenhum deles está mais correto, CARAS foi concebido a partir da percepção sensações, distinguirem um ponto em ou mais próximo da solução, pois seu fim de uma deficiência, uma falta de definição comum pela primeira vez. é o mesmo, incondicionalmente. Dentro de clara sobre a identidade do brasileiro em

O processo catártico, nesse caso, já

nós, vive silenciosamente a angústia de Eric seus demais aspectos. A fim de evidenciar constitui uma das provas de nossa tese em e Santiago.

tal realidade, busca-se criar uma identificação si: se os valores tanto de Eric quanto de do espectador com as personagens principais, Santiago refletem os juízos do espectador, Eric e Santiago.

é comprovado o caráter dúbio do mesmo,

Essa identificação será dada em três uma vez que as personagens se revelam, diferentes momentos da narrativa, divididos ao longo do filme, opostas em suas mais dramaticamente entre contato, contaminação amplas características. Enquanto Santiago e vazio.

demonstra ter uma grande proximidade

A primeira delas diz respeito à apresentação com o Brasil como um todo (desde sua cultura das personagens, tanto umas às outras, até sua política), Eric parece crer ter nascido quanto ao espectador. Conhecidas suas no lugar errado: ignora tudo aquilo que é de motivações, objetivos e personalidade, origem nacional, e inclusive almeja mais do parte-se para a segunda parte da narrativa, que tudo, morar fora do país. Problematizando na qual a interação de cada uma delas acaba ainda mais a questão, ambos jovens são

13


colocados em um cenário de alta instabilidade cinematográfica que seja capaz de reafirmar coletiva, nacional, refletindo sobre o política. Dessa forma, torna-se ainda mais a tese de nossa história. De um modo geral, caminhar do Brasil. notória a relação específica de cada um cada recurso estético utilizado representa um

Considerando tal ponto, OS CARAS tem

com o Brasil, a maneira como lidam com determinado conceito narrativo – a câmera (que como foco a exibição em diversos festivais os obstáculos pelos quais o país passa. será sempre usada no estilo câmera na mão) brasileiros e internacionais, bem como O desencontro que perdura durante toda a possui os respiros e movimentos orgânicos, sua distribuição na internet – sua ampla narrativa vai muito além do plano físico.

que dão vida ao mecanismo, tornando-o divulgação pretende atingir o maior número

Como duas perspectivas tão díspares um índice da confusão e insegurança das de espectadores possíveis, para que possa podem conviver em uma mesma época, personagens; a temperatura de cor e a arte, concretizar sua meta a priori: botar nosso mesmo lugar, mesma classe social? Ou ainda, cruas a fim de exaltar o vazio interior retratado; o país em evidência para estrangeiros, e em como podem existir dentro de uma mesma som, plenamente diegético, atribuindo uma discussão para brasileiros. pessoa?

atmosfera fria ao contexto geral do filme.

Possuímos uma essência de paradoxos. Vale ressaltar que o filme busca estabelecer Uma vida pautada pela cordialidade e pela um diálogo com filmes latino-americanos, racionalidade, que habitam nosso interior tendo a grande maioria de suas referências tão intrinsecamente que impedem que dessa mesma origem. enxerguemos os limites de cada um. Em

Assim sendo, o filme em questão objetiva,

OS CARAS, pretende-se assumir essa em primeira instância, discutir os reflexos e natureza de incoerências. O convívio entre as nuances da identidade política e cultural a paixão de Santiago e a lógica de Eric (e brasileira, através do olhar de uma geração indo ainda além, o niilismo de Dolores) que vivenciou um período de crise geral analisa os rumos gerais que toma nosso país de seu país. E com isso, pelo princípio – o condutor e o conduzido de contrastes.

do debate sobre uma identidade individual

Para tanto, será utilizada uma linguagem e psicológica, repensar a identidade

14


CARACTERÍsTICAs

equipe técnica

Curta-metragem de 15 minutos

Maria Tereza Temer Cursino

Ficção

Bruno Horowicz Rezende

Bianca Konstantyner

Roteiro Original

Renata Frayha Kochen

Digital

Nicolle Biancardini Reuter

1:1,85

Guilherme Amaral Carnaúba

Direção Produção Diretor de Fotografia Diretora de Som Diretor de Arte Montagem

Equipe de Direção

Colorido

Nicolle Biancardini Reuter

Sonoro

Renata Frayha Kochen

Leandro Carnaúba Lobo

1ª Ass. de Direção 2ª Ass. de Direção Preparadora de Elenco

Equipe de Produção Robson Travassos

Produtor de Set

Aline Bertotti

1ª Ass. de Produção

Hugo Sant'ana Lima

2ª Ass. de Produção

Equipe de Fotografia João Lucas Carvalho Luis Cipullo

Chefe de Elétrica Chefe de Maquinaria

Diogo Pacífico Hellmeister

1º Ass. de Câmera

Marina Telles

2ª Ass. de Câmera

Equipe de Arte Luisa Morégola da Costa Neves

1º Assistente de Arte

Amanda Souza Biagiotti

2ª Assistente de Arte

Stela Aguiar Carneiro Ferreira

3ª Assistente de Arte

Paula Vidal Dizioli Fernandes Lívia Rett de Moraes Beatriz Capalbo Menezes Ricardo Oliva Beatriz Trindade Iaropoli

Maquiadora Figurinista Pesquisa de Figurinos Desenhista de Produção Designer Gráfica

Equipe de som Bruno Mariz

Ass. de Som

15


enredo


OS CARAS apresenta o convívio entre dois jovens completamente diferentes entre si. Mesmo sem nunca se conhecerem pessoalmente, sua relação trará à tona problemas existenciais de cada um, expondo o grande ponto em comum entre eles — a angústia da falta de identidade, uma

sTORYLIn

característica que parece ser inerente a

E

18

todos os brasileiros.


Em 1992, na cidade de São Paulo, dois para Inglaterra é indeferida pela empresa, jovens muito diferentes entre si — de um lado, devido à contenção de poupança feita pelo Santiago, um rapaz boêmio e carismático, então presidente Collor; no caso de Santiago, envolvido com militância de esquerda, e de este sofre pressões de seu pai a respeito de outro, Eric, um tímido e introvertido publicitário, sua vida universitária (cursa Direito na São cujo sonho é construir a carreira no exterior Francisco, porém mal vai às aulas) e seu – decidem dividir um mesmo apartamento. futuro profissional. Chegam a tal decisão mesmo sem nunca

sInOPsE

Nesses momentos, a presença de um

haverem se conhecido – Santiago necessita para o outro se tornará vital para a superação urgentemente de dinheiro para o aluguel, desses contratempos: Santiago dá dicas enquanto Eric precisa com a mesma urgência para o projeto publicitário de Eric, que acaba de um lugar para ficar até sua viagem.

por se apropriar de uma das obras do colega

Por trabalharem em horários opostos para entrega final de seu trabalho; e Eric, (Santiago faz bicos artísticos durante a percebendo (meio sem querer) a dificuldade noite, enquanto Eric trabalha durante todo de Santiago em fazer o trabalho demandado o dia em uma empresa publicitária), uma por seu pai, o finaliza sem maiores problemas. série de desencontros impede que se Ao fim, não só Eric consegue a aprovação conheçam, fazendo com que sua relação de seu projeto — e portanto, de sua viagem seja intermediada pela maneira como alteram — como Santiago consegue finalmente o ambiente onde vivem, e por Dolores, atender às cobranças do pai. Vale ressaltar, ex-namorada e grande amiga de Santiago. porém, o desencontro das personagens Ao longo dessa semana de convívio, mesmo nesse aspecto de resolução, à medida alguns obstáculos aparecem na vida de que Santiago não sabe do roubo intelectual cada um deles – no caso de Eric, sua viagem de sua obra, nem Eric é reconhecido por

19


ele como autor do término de seu trabalho

Santiago, um rapaz de 23 anos, de barba

— Dolores assume, enganosamente, sua

por fazer, anda meio desengonçado, porém

autoria, a fim de engrandecer sua imagem

apressado pela rua. Ao mesmo tempo, Eric,

perante o ex.

23 anos, alto porém cor-cunda, de roupa social,

Já na parte final da história, durante

está sentado em uma mesa de canto de um

o retorno dos jovens da passeata “Fora

restaurante, com um café vazio à sua frente.

Collor”, acredita-se tudo estar finalmente

A mesa fica ao lado de uma grande janela

em seu rumo correto – até que percebemos

de vidro, de modo que é possível ver tudo o que

a insatisfação e o desconforto que emergem

passa na rua. Eric olha no relógio, aborrecido.

tanto de Eric quanto de Santiago. Nenhuma das personagens, apesar de “alcançarem

ARGUMEnTO

Santiago olha no relógio, e acelera ainda mais o passo, começando a trotar. Ele corre

seus objetivos”, parece se sentir feliz, ou

pela calçada, com sua velha mochila saltando

completa. Nesse aspecto, sublinha-se o

freneticamente nas costas. Um garçom recolhe

único momento em que chegam a se falar

a conta já paga por Eric, quando este se

e a estarem em um mesmo lugar, que serve

dirige até a porta. No entanto, Eric para

de índice para o registro do único ponto em

e volta, dirigindo-se até o gerente atrás do

comum da personalidade de ambos: a falta de

balcão. Este, recebe um uma folha de papel

certeza e convicção, uma angústia causada

escrita por Eric, que parece lhe falar algo. O

pela carência de uma identidade concreta.

gerente acena positivamente com a cabeça

Mesmo durante esse encontro e seu diálogo,

para Eric, que o agradece, enquanto vai até

Santiago e Eric não se reconhecem —

a saída.

somente durante a fala final fica implícita

Santiago, ainda na rua, começa a diminuir

uma possível conscientização de quem são

o ritmo ao se deparar com uma grande porta

um para o outro.

de vidro, e a empurra, quase derrubando Eric, que estava para sair.

20


— Nossa, cara, desculpa — diz, distraído, Santiago, sem nem mesmo olhar para Eric.

— América Publicidade.

Eric levanta as sobrancelhas e passa a sei se você lembra, mas eu trabalho à noite,

Já no interior do restaurante, Santiago mão na nuca, levemente surpreso. olha ao redor, ainda tomando o fôlego da

— Então, pode vir hoje, se quiser! Não e daqui a pouco tô saindo, já. Vou deixar a

— Sou eu mesmo, quem é? Ah, oi, Santiago... chave debaixo no tapete, pode ser?

corrida. Olha mesa por mesa, e parece não encontrar quem desejava. Sem sucesso, vai

Após o telefonema, Eric anda calmamente

Naquela mesma noite, Santiago, com

até o gerente, e lhe pergunta alguma coisa. pela rua, fumando um cigarro, pensativo, um violão nas costas e uma mochila caída O gerente lhe responde indicando a porta, enquanto carrega duas pequenas malas. em um ombro, tranca a porta de casa e coloca lhe entrega a folha que Eric havia deixado lá Repassa em sua cabeça o diálogo do a chave debaixo do tapete da frente. Segue momentos antes. Santiago olha para o papel telefonema anterior. e para a porta. Tira a mochila das costas, e

até o elevador, e aperta várias vezes seu

— E aí, cara, tudo bem? — na voz de Santiago — botão. Com pressa, resolve ir de escadas.

senta-se na mesma mesa que Eric sentava. Desculpa por hoje, perdi completamente a hora... Alguns segundos depois, o elevador chega. Anoitece, e Eric se encontra na Empresa América, sentado em uma mesa de trabalho,

Mas consegui pegar seu bilhete lá!

Sua porta é aberta por Eric, com suas

— Ah, não, lógico, imagina...

pequenas malas, que se dirige ao apartamento.

— Bom, você tá precisando de um lugar Abaixa-se até o tapete da porta, encontra

a única iluminada entre tantas outras. pra ficar meio urgente, é isso? Você ainda uma chave e entra. Sozinho e cercado pela escuridão desértica vai ficar em casa, né? do resto da empresa, desenha incessantemente

Eric tranca a porta e tenta acender a luz

— Ah, não, vou sim. Tô com um plano de principal — percebe que está queimada.

com o auxílio de uma régua. O jovem tem ir morar fora uns tempos, pra Inglaterra, mas Acende outra e dá uma olhada ao redor. O um cigarro caído no canto da boca, olheiras e por enquanto, preciso de um lugar, sim. o ar cansado, mas mantém o olhar compenetrado

lugar é pequeno e muito caótico, pobremente

— Ah, legal. É, eu tô precisando da grana iluminado. Espalhados pela sala, existem

no papel. Sua concentração acaba com o meio urgente também... Enfim, só faltou a gente várias telas de quadros aparentemente toque de seu telefone. Eric estranha e olha se conhecer, né? O resto tá tudo acertado. no relógio. Descansa o cigarro, dá uma leve arranhada na garganta, e atende.

inacabados, e instrumentos musicais diversos.

— É, acho que sim, era o preço, divisão Há adesivos espalhados pelo vidro da janela, das coisas, horários...

peças de roupa, jornais e revistas estão jogados

21


em um canto do chão, e há copos meio cheios que tá invadindo a casa do meu amigo — em cada espaço vazio. Eric observa um bilhete ela continua, irônica. grudado com durex na tv, com pequenos

Dolores volta logo em seguida aos armários da cozinha, enquanto Eric vai

— Não... Eu tô morando aqui agora. — diz saindo do apartamento. Escuta-se de longe

desenhos à lápis, e o arranca do lugar: “Mal o Eric, envergonhado — Por pouco tempo, mas... sua voz da cozinha gritando “Prazer, Henrico!” caos! Seu quarto fica na segunda porta à direita.

— Aaah! Henrique, né?

Faço uma cópia da chave p/ você amanhã.”

— Eric. Eu achei que era o Santiago.

Eric olha ao redor, meio perdido.

— Desculpa o susto, cheguei invadindo. costas, vai entrando em seu prédio quando

Santiago, ouvindo walkman, de mochila nas

No dia seguinte, Eric acorda com um barulho Eu faço isso mesmo! — Voltando a mexer um garoto de 19 anos, passa por ele, e chama vindo da casa. Levanta atrapalhado, e caminha na despensa — Sou amiga do Santi. Quer o amigo. Santiago se vira, sorri, tira o fone em direção à sala, olhando pelos lados. chocolate? Tá meio molenga, maaas... Escuta um leve barulho na cozinha, e o segue.

dos ouvidos e vai até ele, cumprimentando-o

Eric fica sem palavras, constrangido com um aperto de mãos.

De súbito, para, surpreso. Vê uma garota, pela situação. Ela continua, como se nada

— E aí, Marquito!

de mais ou menos 22 anos, loira e alta, de tivesse percebido.

— Fala, Santi! Como tá indo tudo?

costas para ele, mexendo na despensa.

Santiago entrega animado panfletos de

— O Santi daqui a pouco tá aí. Foi fazer

— Santi, você não devia tá dando aula? uns bicos, tá dando aula particular de violão. impeachment que tira da mochila para Marquito. Cara, que zona isso aqui! Esse chocolate Fofo, né? Tempo de vacas magras, como Ao fundo, nota-se Eric saindo do prédio. Ele para precisa ir pra gela...

diria mamãe... Haha. Tem café aqui, quer um segundo para acender um cigarro, e sai na

A garota vira e se depara com Eric. Ela tomar um pouco e esperar, ou...?

direção contrária a Santiago. Santiago sai do elevador no seu andar e

veste uma camiseta do grupo NAFOTO, e

— Ah, não, brigado. Hoje eu perdi a hora.

tem a ponta do nariz suja de chocolate derretido.

Eric vai rapidamente até o quarto, troca dá de cara com Dolores, que dá um grito de

— Opa — diz a garota.

de camisa e volta para a cozinha com sua animação quando o vê.

Os dois se encaram por um tempo. Eric fica pasta. Para na porta de entrada, se dirigindo paralisado, e Dolores sorri para ele, ficando à garota, hesitante. ainda mais bela. — Só me diz que você não é um ladrão

22

— Prazer, então...?

— Apareceu a Margarida! — diz ela. Dolores está segurando uma grande sacola azul. Dá um selinho em Santiago e já continua

— Dolores — diz ela, sorrindo para Eric. andando.


— Ei, já vai? — pergunta Santiago.

pronto para depor. Os reis do bolero cantam murmura Américo, olhando pela janela.

— Já, tem um encontro lá na Bienal... — no Memorial da América Latina com uma

— Não, eu sei, entendi, diz Eric ligeiramente

responde Dolores, abrindo a porta do elevador das...”. Santiago abre a geladeira e observa inquieto. Mas é que não é possível... Eu tava — Ah, conheci o garoto aí. Meio mané.

uma garrafa de Coca na porta. Nela também com tudo certo, tudo arranjado, só tava faltando

Dolores para e agora olha para Santiago. encontra vários pequenos potes da mesma comprar a passagem! — Ô, você tá cheirando mulher. Espero cor, arrumados e com a letra “E” em cima.

— A gente não prevê essas coisas. Esse

que não tenha sido a anta da Mariana de novo. Santiago estranha, sorrindo, e anda em filho da mãe não vai devolver seu dinheiro Dolores entra no elevador. Santiago corre direção ao seu quarto, passando pela porta tão cedo. Nem o seu, nem o meu, nem o de atrás dela.

fechada do quarto de Eric. Santiago para, e ninguém.

— Você leu?! — pergunta aflito, entre a com o olhar curioso, abre lentamente a porta porta fechada do elevador.

— Eu te entrego o projeto de marketing

do quarto. Tudo parece muito arrumado - em uma semana. Aí eu consigo fechar a

— Aquelas duas linhas? Tá uma bosta.

roupas dobradas, livros clássicos, muitos de transferência com o pessoal de criação, né?

O elevador desce.

Direito, e uns sobre propaganda e marketing, — Eric pergunta exaltado.

Santiago entra na casa, joga suas coisas empilhados simetricamente. Tudo pare-

— Você pode ter largado Direito, mas

perto da porta, e despenca o corpo no sofá. ce alinhado, menos uma pilha de folhas no argumenta que nem um advogado quando Olha para a tv e percebe um novo bilhete. criado mudo — onde Santiago prende sua quer — diz Américo, sorrindo. Vai até a tv e lê: “Relax. Eu tiro a cópia. Trouxe atenção.

— Cinco dias. Eu consigo.

Coca e fiz café.” Liga a tv e percebe que

Américo suspira, cansado, concordando

está em um canal diferente, no qual passa

Eric está sentado em frente a uma mesa de com a cabeça.

um seriado americano. Santiago faz uma uma sala individual da empresa. Do outro lado, careta e muda de canal, no qual escuta-se, oposto a ele, está seu chefe, Américo, 55 anos,

Eric chega em casa exausto. Novamente

na voz de Dárcio Arruda: “... da Suécia, que ligeiramente calvo, porém alto e elegante. tenta acender a luz principal, esquecendo-se estão em São Paulo, embarcam amanhã Américo tem uma das mãos apoiada no rosto, que está queimada. Vai até a cozinha, para Ilhéus, na Bahia. Pedro Collor entrega enquanto Eric parece duro como uma pedra. esbarrando em algo no caminho. Assusta-se dossiê de denúncias à CPI e diz que está

— Na merda. O país inteiro tá assim — ao ver a bagunça: em cima da mesa há

23


uma apetitosa panela de macarrão e um

Os amigos de Santiago riem no sofá.

— Cala a boca, os dois. E tira desse canal.

vinho barato aberto. No entanto, todo o Enquanto fala, Santiago se distrai folheando

Santiago arranca a folha da revista com

resto está sujo de molho, várias panelas estão uma das revistas que trouxera. no fogão, pia entupida de louça e ingredientes

violência.

— A faculdade tá bem, preparando pra

jogados por todos os lados, assim como OAB, né... Não, pai, ainda não consegui

Na empresa, Américo examina os desenhos

panfletos de “Fora Collor”. Eric suspira e vai acabar. Eu sei, eu sei, não passa dessa de Eric, levanta as sobrancelhas, surpreso, para seu quarto, e sem perceber, quase semana. Não, pai, não me metendo com e os devolve para o empregado. escorrega em um dos panfletos. Em seu quarto, deixa sua pasta no chão

nada disso... Os amigos de Santiago ligam a tv, em

— Não tá ruim. Américo devolve os desenhos para Eric,

e senta na cama. Como se tomasse ânimo, um show estrangeiro. A voz de Santiago que coloca-os na mesa, ao lado da folha de pega seus rabiscos coloridos ao lado, e se passa a ter um tom preocupado. depara com um recado no primeiro deles. “Falta vermelho. S”

— Não precisa vir, pai. Tá tudo certo, não confia em mim?

revista arrancada por Santiago anteriormente. Já em casa, Eric desenha compenetrado no sofá da sala, com a tv ligada. Ele hesita

Ele para em uma página da revista, um momento. Rói as unhas. Dolores senta O telefone toca na casa vazia. Santiago analisando-a. entra apressado na casa, com mais dois

— Tudo bem, preciso ir, tá acabando o

amigos, cheios de revistas, latas de tinta e horário de almoço. Manda um beijo pra mamãe. cartolinas verde e amarelas. Santiago atende

— Aaalô? A expressão de Santiago torna-se apreensiva.

Eric para, volta a encarar o desenho. — Nossa, não param de falar dessa

seus amigos vira-se para Santiago, imitando droga de presidente. Já deu, já — diz Dolores a voz de seu pai:

já se levantando e indo para o quarto de

— “Santiago Neto, para se meter com Santiago.

Ele fecha os olhos, como se tomasse forças, comunista JÁ!” e vai até a cozinha, esticando o fio do telefone.

— Ô, Elias, para, que nojo.

Santiago desliga, com o ar preocupado, Bota as duas mãos no rosto, cansado.

o telefone enquanto seus amigos esperam passando as mãos atrás da cabeça. Um de no sofá.

ao seu lado, comendo um sanduíche.

Eric tira as mãos do rosto, e olha ao redor,

— Preparando pra OAB, é? Ah, deve ser suspirando. Sem querer, dirige o olhar para

— Oi, pai... Eu sei, é que não deu tempo, por isso que não vai mais pras aulas, é muita as telas de Santiago, no chão, encostadas o estágio tá apertando.

24

dedicação... — diz o outro, logo em seguida. na parede. Eric olha para o corredor, como


se quisesse se certificar que não houvesse caneta enfiada na espiral do próprio caderno,

— Mas eu não...

ninguém. Ele levanta, e começa a examiná retira sua tampa com boca, e começa a escrever.

Ela hesita, mas depois sorri.

-las, uma por uma. Uma tela em especial,

— E você acha mesmo que eu ia te deixar

menor que as outras, lhe chama atenção.

Na manhã do dia seguinte, Dolores chega na mão?

Olha para o corredor, e para a tela novamente. na casa, com uma sacola em mãos. Ele segura a obra, e tapa com o polegar o

— Santi! Ei, tá aqui? Trouxe as fotos que lhadamente, e a beija. Ela ri, e depois fica

canto inferior direito, a assinatura de Santiago. você tinha me pedido e també... Seu rosto tem uma expressão maliciosa.

séria, a poucos centímetros dele. De súbito,

Santiago chega rapidamente até Dolores a garota fica séria. e a cala com um grande beijo na boca,

Santiago chega em casa, meio bêbado, empolgado. junto com uma garota morena, cabelos

Santiago a levanta no colo destrambe-

— Hum... “Oi” pra você também? — reage

— Eu gosto de você, idiota. Mais do que eu gosto de admitir. Santiago sorri amplamente, colocando

compridos e ondulados. A garota liga a luz a garota, entre surpresa e confusa.

-a dobrada em seu ombro, e a leva para seu

principal, e Santiago estranha a lâmpada

— Você é o má-xi-mo!

quarto, enquanto Dolores dá gargalhadas.

acender. Ambos vão deixando seus pertences

— E por que, mesmo?

pelo caminho, e passam pela casa aos beijos

— Ficou incrível! Você pediu pro seu

Naquela mesma noite, Eric chega em

e risadas, esbarrando em móveis e paredes, irmão fazer, né?

casa, ansioso. Larga a pasta de trabalho

até chegarem ao quarto de Santiago —

— Quê? Do que você tá falando?

no chão e vai direto nas correspondências,

onde se trancam.

— Do parecer! Que o meu pai pediu pra procurando algo. Parecendo não encontrar

Eric sai de seu quarto, e aproxima-se eu fazer, pô! Não é à toa que seu irmão tá o que procura, passa a mão na testa, nervoso. da porta do quarto de Santiago, escutando ganhando o que ganha como advogado... Senta-se no sofá, pensativo. Ainda imerso uma risada feminina. Entendendo a situação, Era exatamente aquilo. Pelo menos eu acho, em seus pensamentos, ouve Dolores entrar na Eric se encaminha para a cozinha, abre a né, até hoje não entendo porra nenhuma de sala, descabelada e com pressa, vestida geladeira, e toma um copo de Coca-cola. Percebe caído no chão um caderno

Direito...

apenas com uma grande camiseta masculina,

Santiago a beija novamente. Dolores faz com certa tinta no rosto. Ela vai direto para

entreaberto. Pega-o para si, e começa a uma cara de confusa. Vê nas mãos de Santi sua bolsa, e tira de lá alguns preservativos. ler. Ele sorri, parecendo se divertir. Pega a o parecer escrito no caderno.

— Oi, Dolores.

25


— E aí, Eric? — responde, mal olhando para ele.

A pequena multidão da casa continua o

— E aí, cerveja pra comemorar ou afogar

grito de Dolores descoordenadamente “... as mágoas?

Eric agora olha espantado para a garota, SE EMPURRAR O COLLOR CAI!!”. Eric faz

Dolores levanta a mão esquerda, mostrando

que pela primeira vez o chamou pelo nome menção de voltar ao quarto. A garota escreve uma garrafa de cerveja. Eric muda o olhar correto. Dolores sai quase correndo da com dificuldade de equilíbrio em um dos da cerveja para Dolores, e sorri. cozinha e entra novamente no quarto de cartazes que segura. Santiago. Eric sacode a cabeça, confuso. Suspira, e encara o teto, reflexivo.

— Atenção que hoje ninguém trabalha, merda de país. Dudu... Até porque aqui tá quase todo mundo sem trabalho! Haha!

Na manhã seguinte, Eric acorda com muita

— Não acredito que vou embora dessa

Eric coloca a mão no rosto, entra no

— Nossa, posso fugir junto com você? — pergunta ela, sorrindo para Eric. Dolores o puxa para fora do quarto e sai

gritaria pela casa. Senta-se descabelado na quarto e bate a porta. Ainda com as duas bebendo e cantando com o resto dos jovens. cama, tentando entender o que acontece. mãos apoiadas na porta, respira fundo. De Eric volta para o quarto, apressado, pega Abre a janela, atordoado. Ainda de pijama repente, levanta a cabeça, como se acabasse uma roupa qualquer e, em meio a se vestir, de samba canção, abre a porta do quarto e de perceber algo. Abre a porta, e vê Dolores, volta para a festa. bota a cabeça para fora. Um jovem quase o ainda escrevendo no cartaz — ela usa como atropela, passando rapidamente em direção apoio um grande envelope amarelo. à sala. Vê que lá existem muitas pessoas de

Mais tarde, naquele mesmo dia, Santiago

— O que você tá usando de apoio pra abre a porta do apartamento, com o ar cansado,

cara pintada, gritando e bebendo muito. Não escrever? — pergunta-lhe Eric, atônito.

e um sorriso discreto. Pouco mais de meia

reconhece ninguém, até que Dolores passa

— Ah, uma carta, sei lá, que chegou aqui hoje. dúzia de jovens entra no apartamento - dentre

por ele, vindo do banheiro. Ela o cutuca,

Eric, perplexo, arranca o envelope de eles, Dolores e Eric – todos de cara pintada.

com Eric ainda meio sonolento.

Dolores, olhando a quem se endereça. Eric vai direto para o interior da casa,

— Heeey! Vem, vamo, tá na hora! — Dolores ri do rapaz. chama-o Dolores, visivelmente bêbada. — Hã? Na hora de que?

embriagado. Aparentando estarem igualmente

— Nossaaa, tá esperando alguma coisa? exaustos, entram quase sem falar, até que Eric olha sério para Dolores, imóvel. a voz de Dolores irrompe pelo recinto, no

— Acooorda, mané! É hoje o dia de ir Abre o envelope com violência, e lê ansioso entanto, igualmente cansada. pra rua! AI, AI, AI...!

26

seu conteúdo.

— Galera, essa é a casa do Santi, o


amigo barbudo aqui do meu lado. A gente brotando em meio à tinta verde. Seu olhar Quem sabe tá rolando alguma coisa ainda. descansa 10 minutinhos aqui e daí cada um se torna melancólico, beirando derrotado. vaza pra sua casa, tá? Santiago sorri cansado, passando a

Apoia as mãos na pia e abaixa a cabeça.

Todos soltam gemidos de preguiça e reclamação, mas ela insiste e todos acabam

O resto dos jovens está espalhado pela indo, menos Santiago e Eric.

mão na cabeça de Dolores e caminha em sala - uns quietos deitados no chão, outros

— Não vai com eles? — pergunta Santiago

direção ao banheiro. Tenta abrir a porta, cochilando, outros fumando baseado. Dolores a Eric. mas percebe que está trancada. Desgostoso, está fumando na janela, e Eric, prostrado no

— Ahn, não... Tô meio cansado...

volta para a sala, e recebe uma cerveja de sofá, passa a mão no rosto, sentindo o

— É, também tô um pouco. Cê é amigo

Dolores. Em seguida, Eric abre a porta, e incômodo da tinta em sua pele. Santiago, da Dor? também se dirige para a sala. Santiago, que com a cara ainda suja, senta ao seu lado.

— Acho que sou, sei lá...

bebia sozinho em um canto, olha em direção Os dois olham para frente, com o pensamento

— Ha, entendo bem — diz Santiago,

ao banheiro, e ao ver sua porta aberta, vai longe. Oferecem um baseado para Santiago, sorrindo — Ah... Vamo lá. até ele.

que o aceita. Após dar um trago, oferece a

Santiago fecha a porta do banheiro. Com Eric, que depois de titubear, aceita. Eric um esboço de sorriso, se olha no espelho, devolve o baseado para Santiago. passando a mão na barba, percebendo

Um silêncio perpetua na casa. Ninguém

quanta tinta caíra sobre ela. Olha para sua nem se mexe. Até que alguém se pronuncia. imagem sério.

— Ô, e agora? — pergunta um jovem

Sua face está pintada de verde e amarelo. jogado em um largo pufe. Ele abre a torneira e passa água no rosto,

Mais um pouco de silêncio.

tentando retirar a tinta. Esta, porém, parece

— Liga a TV, vê o que tá passando —

— É que a gente já andou tanto... Santiago levanta, ignorando a resposta de Eric — que levanta também. Os dois vão até a porta. — Desculpa, qual o seu nome? — pergunta Eric. — Santiago. E o seu? — responde o jovem, fechando a porta do apartamento.

não sair por nada. Santiago tenta arrancá-la responde outro, sentado no chão. com a unha, fazendo caretas de incômodo.

Santiago dá um olhar de repreensão

Sem sucesso, vai se irritando cada vez mais, para Dolores. Ela revira os olhos e joga o e seu gesto torna-se cada vez mais violento, cigarro pela janela. até se machucar. O vermelho do sangue vai

— Gente, vamo lá embaixo, um pouco?

27


CENA 1A - EXT. DIA - RUA SANTIAGO, 23 anos, barba por fazer, meio desengonçado, anda apressado pela rua. CENA 2A - INT. DIA - RESTAURANTE ERIC, 23 anos, alto porém corcunda, de roupa social, está sentado em uma mesa de canto de um restaurante, com um café vazio à sua frente. A mesa fica ao lado de uma grande janela de vidro, de modo que é possível ver tudo o que passa na rua. Eric olha no relógio, aborrecido. CENA 1B - EXT. DIA - RUA

o r i e t o r o c i t á m dra

Santiago olha no relógio, e acelera ainda mais o passo, começando a trotar. CENA 2B INT. DIA - RESTAURANTE Um garçom recolhe a conta já paga por Eric, quando este se dirige até a porta. No entanto, Eric para e volta, dirigindo-se até o gerente atrás do balcão. CENA 1C - EXT. DIA - RUA Santiago corre pela calçada, com sua velha mochila saltando freneticamente nas costas. CENA 2C - INT. DIA - RESTAURANTE O gerente, com um papel na mão, acena positivamente com a cabeça para Eric, que o agradece, enquanto vai até a saída. CENA 3 - EXT. DIA - RESTAURANTE (FACHADA) Santiago começa a diminuir o ritmo ao se deparar com uma grande porta de vidro, e a empurra, quase derrubando Eric, que estava para sair. SANTIAGO (distraído, sem nem mesmo olhar para Eric) Nossa, cara, desculpa. Já no interior do restaurante, Santiago olha ao redor, ainda tomando o fôlego da corrida. Olha mesa por mesa, e parece

28

(CONTINUED)


CONTINUED:

2.

não encontrar quem desejava. Sem sucesso, vai até o gerente, e lhe pergunta alguma coisa. O gerente lhe responde indicando a porta, lhe entrega a folha que Eric havia deixado lá momentos antes. Santiago olha para o papel e para a porta. Tira a mochila das costas, e senta-se na mesma mesa que Eric sentava. CENA 4 - INT. NOITE - EMPRESA AMÉRICA PUBLICIDADE (SALÃO PRINCIPAL) Eric se encontra sentado em uma mesa de trabalho, a única iluminada entre tantas outras. Sozinho e cercado pela escuridão desértica do resto da empresa, desenha incessantemente com o auxílio de uma régua. O jovem tem um cigarro caído no canto da boca, olheiras e o ar cansado, mas mantém o olhar compenetrado no papel. Sua concentração acaba com o toque de seu telefone. Eric estranha e olha no relógio. Descansa o cigarro, dá uma leve arranhada na garganta, e atende. ERIC América Publicidade. Eric levanta as sobrancelhas e passa a mão na nuca, levemente surpreso.

CONTINUED:

3. ERIC (VOICE OVER) Ah, não, vou sim. Tô com um plano de ir morar fora uns tempos, pra Inglaterra, mas por enquanto, preciso de um lugar, sim. SANTIAGO (VOICE OVER) Ah, legal. É, eu tô precisando da grana meio urgente também... Enfim, só faltou a gente se conhecer, né? O resto tá tudo acertado. ERIC (VOICE OVER) É, acho que sim, era o preço, divisão das coisas, horários... SANTIAGO (VOICE OVER) Então, pode vir hoje, se quiser! Não sei se você lembra, mas eu trabalho à noite, e daqui a pouco tô saindo, já. Vou deixar a chave debaixo no tapete, pode ser?

CENA 6 - INT. NOITE - CASA DE SANTIAGO (HALL)

CENA 5 - EXT. NOITE - CALÇADA DO PRÉDIO DE SANTIAGO

Santiago, com um violão nas costas e uma mochila caída em um ombro, tranca a porta de casa e coloca a chave debaixo do tapete da frente. Segue até o elevador, e aperta várias vezes seu botão. Com pressa, resolve ir de escadas. Alguns segundos depois, o elevador chega. Sua porta é aberta por Eric, com duas pequenas malas, que se dirige ao apartamento, Abaixa-se até o tapete da porta, encontra uma chave e entra.

Eric anda calmamente pela rua, fumando um cigarro, pensativo, enquanto carrega duas pequenas malas.

CENA 7 - INT. NOITE - CASA DE SANTIAGO (SALA)

ERIC Sou eu mesmo, quem é? Ah, oi, Santiago...

Em Voice Over, o diálogo do telefonema da cena anterior. SANTIAGO (VOICE OVER) E aí, cara, tudo bem? Desculpa por hoje, perdi completamente a hora... Mas consegui pegar seu bilhete lá! ERIC (VOICE OVER) Ah, não, lógico, imagina... SANTIAGO (VOICE OVER) Bom, você tá precisando de um lugar pra ficar meio urgente, é isso? Você ainda vai ficar em casa, né?

Eric tranca a porta e tenta acender a luz principal percebe que está queimada. Acende outra e dá uma olhada ao redor. O lugar é pequeno e muito caótico, pobremente iluminado. Espalhados pela sala, existem várias telas de quadros aparentemente inacabados, e instrumentos musicais diversos. Há adesivos espalhados pelo vidro da janela, peças de roupa, jornais e revistas estão jogados em um canto do chão, e há copos meio cheios em cada espaço vazio. Eric observa um bilhete grudado com durex na tv, com pequenos desenhos à lápis, e o arranca do lugar: "Mal o caos! Seu quarto fica na segunda porta à direita. Faço uma cópia da chave p/ você amanhã." Eric olha ao redor, meio perdido.

29


4. CENA 8 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (QUARTO DE ERIC, CORREDOR, COZINHA, SALA) Eric acorda com um barulho vindo da casa. Levanta atrapalhado, e caminha em direção à sala, olhando pelos lados. Escuta um leve barulho na cozinha, e o segue. De súbito, para, surpreso. Vê DOLORES, 22 anos, loira e alta, de costas para ele, mexendo na despensa. DOLORES Santi, você não devia tá dando aula? Cara, que zona isso aqui! Esse chocolate precisa ir pra gela... A garota vira e se depara com Eric. Ela veste uma camiseta do grupo NAFOTO, e tem a ponta do nariz suja de chocolate derretido. Opa.

DOLORES

Os dois se encaram por um tempo. Eric fica paralisado, e Dolores sorri para ele, ficando ainda mais bela. DOLORES (irônica) Só me diz que você não é um ladrão que tá invadindo a casa do meu amigo.

CONTINUED:

5. DOLORES O Santi daqui a pouco tá aí. Foi fazer uns bicos, tá dando aula particular de violão. Fofo, né? Tempo de vacas magras, como diria mamãe... Haha. Tem café aqui, quer tomar um pouco e esperar, ou...? ERIC Ah, não, brigado. Hoje eu perdi a hora.

Eric vai rapidamente até o quarto, troca de camisa e volta para a cozinha com sua pasta. Para na porta de entrada, se dirigindo à Dolores, hesitante. ERIC Prazer, então...? DOLORES (sorrindo para Eric) Dolores. Dolores volta logo em seguida aos armários da cozinha, enquanto Eric vai saindo do apartamento. DOLORES (VOZ OFF) (Escuta-se de longe) Prazer, Henrico! CENA 9 - EXT. DIA - CALÇADA DO PRÉDIO DE SANTIAGO

ERIC (envergonhado) Não... Eu tô morando aqui agora. Por pouco tempo, mas...

Santiago, ouvindo walkman, de mochila nas costas, vai entrando em seu prédio quando MARQUITO, 19 anos, passa por ele, e chama o amigo. Santiago se vira, sorri, tira o fone dos ouvidos e vai até ele, cumprimentando-o com um aperto de mãos.

DOLORES Aaah! Henrique, né?

SANTIAGO E aí, Marquito!

ERIC Eric. Eu achei que era o Santiago.

MARQUITO Fala, Santi! Como tá indo tudo?

DOLORES (Voltando a mexer na despensa) Desculpa o susto, cheguei invadindo. Eu faço isso mesmo! Sou amiga do Santi. Quer chocolate? Tá meio molenga, maaas...

Santiago entrega animado panfletos de impeachment que tira da mochila para Marquito. Ao fundo, nota-se Eric saindo do prédio. Ele para um segundo para acender um cigarro, e sai na direção contrária a Santiago.

Eric fica sem palavras, constrangido pela situação.

30 (CONTINUED)


6. CENA 10 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (HALL) Santiago sai do elevador no seu andar e dá de cara com Dolores, que dá um grito de animação quando o vê. DOLORES Apareceu a Margarida! Dolores está segurando uma grande sacola azul. Dá um selinho em Santiago e já continua andando. SANTIAGO Ei, já vai? DOLORES (Abrindo a porta do elevador) Já, tem um encontro lá na Bienal... Ah, conheci o garoto aí. Meio mané. Dolores para e agora olha para Santiago. DOLORES Ow, você tá cheirando mulher. Espero que não tenha sido a anta da Mariana de novo.

CONTINUED:

7. DÁRCIO ARRUDA (VOICE OFF) (cont’d) dossiê de denúncias à CPI e diz que está pronto para depor. Os reis do bolero cantam no Memorial da América Latina com uma das..."

Santiago abre a geladeira e observa uma garrafa de Coca na porta. Nela também encontra vários pequenos potes da mesma cor, arrumados e com a letra "E" em cima. Santiago estranha, e acende um cigarro. Apoia-se no armário da cozinha, pensativo. Vira para geladeira novamente, em sua lateral, onde há um ímã adesivo escrito "Como você está se sentindo hoje?", com várias expressões desenhadas, e um quadrado selecionando "preguiçoso". Santiago muda o quadrado de lugar, e anda em direção ao seu quarto, passando pela porta fechada do quarto de Eric. Santiago para, e com o ohar curioso, abre lentamente a porta do quarto. Tudo parece muito arrumado - roupas dobradas, livros clássicos, muitos de Direito, e uns sobre propaganda e marketing, empilhados simetricamente. Tudo parece alinhado, menos uma pilha de folhas no criado mudo - onde Santiago prende sua atenção. CENA 12 - INT. DIA. - EMPRESA AMÉRICA PUBLICIDADE (SALA GERENCIAL)

Dolores entra no elevador. Santiago corre atrás dela. SANTIAGO (entre a porta fechada do elevador) Você leu?!

Eric está sentado em frente a uma mesa de uma sala individual da empresa. Do outro lado, oposto a ele, está AMÉRICO, 55 anos, ligeiramente calvo, porém alto e elegante. Américo tem uma das mãos apoiada no rosto, enquanto Eric parece duro como uma pedra. AMÉRICO Na merda. O país inteiro tá assim.

DOLORES Aquelas duas linhas? Tá uma bosta. O elevador desce. CENA 11 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (SALA, COZINHA, QUARTO DE ERIC) Santiago entra na casa, joga suas coisas perto da porta, e despenca o corpo no sofá. Olha para a tv e percebe um novo bilhete. Vai até a tv e lê: "Relax. Eu tiro a cópia. Trouxe Coca e fiz café." Liga a tv e percebe que está em um canal diferente, no qual passa um seriado americano. Santiago faz uma careta e muda de canal. DÁRCIO ARRUDA (VOICE OFF) “... da Suécia, que estão em São Paulo, embarcam amanhã para Ilhéus, na Bahia. Pedro Collor entrega (MORE) (CONTINUED)

ERIC (ligeiramente inquieto) Não, eu sei, entendi. Mas é que não é possível... Eu tava com tudo certo, tudo arranjado, só tava faltando comprar a passagem! AMÉRICO A gente não prevê essas coisas. Esse filho da mãe não vai devolver seu dinheiro tão cedo. Nem o seu, nem o meu, nem o de ninguém. ERIC (exaltado) Eu te entrego o projeto de marketing em uma semana. Aí eu consigo fechar a transferência com o pessoal de criação, né? (CONTINUED)

31


CONTINUED:

8.

9. SANTIAGO (folheando uma das revistas que trouxera) A faculdade tá bem, preparando pra OAB, né... Não, pai, ainda não consegui acabar. Eu sei, eu sei, não passa dessa semana. Não, pai, não me metendo com nada disso...

AMÉRICO (sorrindo) Você pode ter largado Direito, mas argumenta que nem um advogado quando quer. ERIC Cinco dias. Eu consigo. Américo suspira, cansado, concordando com a cabeça. CENA 13 - INT. NOITE - CASA DE SANTIAGO (SALA, COZINHA, CORREDOR, QUARTO DE ERIC) Eric chega em casa exausto. Novamente tenta acender a luz principal, esquecendo-se que está queimada. Vai até a cozinha, esbarrando em algo no caminho. Assusta-se ao ver a bagunça: em cima da mesa há uma apetitosa panela de macarrão e um vinho barato aberto. No entanto, todo o resto está sujo de molho, várias panelas estão no fogão, pia entupida de louça e ingredientes jogados por todos os lados, assim como panfletos de "Fora Collor". Eric suspira, e pega uma garrafa de água na geladeira. Nota-se o ímã mexido por Santiago - o quadrado está fora do adesivo, selecionando expressão nenhuma. Eric vai para seu quarto, e sem perceber, quase escorrega em um dos panfletos. Em seu quarto, deixa sua pasta no chão e senta na cama. Como se tomasse ânimo, pega seus rabiscos coloridos ao lado, e se depara com um recado no primeiro deles. "Falta vermelho. S" CENA 14 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (SALA) O telefone toca na casa vazia. Santiago entra apressado na casa, com mais dois amigos, cheios de revistas, latas de tinta e cartolinas verde e amarelas. Santiago atende o telefone enquanto seus amigos esperam no sofá. Aaalô?

CONTINUED:

SANTIAGO

Os amigos de Santiago ligam a tv, em um show estrangeiro. SANTIAGO (muito preocupado) Não precisa vir, pai. Tá tudo certo, não confia em mim? Santiago para em uma página da revista, analisando-a. SANTIAGO Tudo bem, preciso ir, tá acabando o horário de almoço. Manda um beijo pra mamãe. Santiago desliga, com o ar preocupado, passando as mãos atrás da cabeça. AMIGO #1 (forçando a voz) "Santiago Neto, para se meter com comunista JÁ!" AMIGO #2 Preprarando pra OAB, é? Ah, deve ser por isso que não vai mais pras aulas, é muita dedicação... SANTIAGO Cala a boca. E tira desse canal. Santiago arranca a folha da revista com violência.

A expressão de Santiago torna-se apreensiva. Ele fecha os olhos, como se tomasse forças, e vai até a cozinha, esticando o fio do telefone. SANTIAGO Oi, pai... Eu sei, é que não deu tempo, o estágio tá apertando.

CENA 15 - INT. DIA - EMPRESA AMÉRICA PUBLICIDADE (SALÃO PRINCIPAL) Américo examina os desenhos de Eric, levanta as sobrancelhas, surpreso, e os devolve para o empregado. AMÉRICO Não tá ruim.

Os amigos de Santiago riem no sofá.

32 (CONTINUED)

Américo devolve os desenhos para Eric, que coloca-os na mesa, ao lado da folha de revista arrancada por Santiago anteriormente.


10. CENA 16 - INT. NOITE - CASA DE SANTIAGO (SALA) Eric desenha compenetrado no sofá da sala, com a tv ligada. Ele hesita um momento. Rói as unhas. Dolores senta ao seu lado, comendo um sanduíche. DOLORES Ow, Elias, para, que nojo. Eric para, volta a encarar o desenho. Bota as duas mãos no rosto, cansado. DOLORES Nossa, não param de falar dessa droga de presidente. Já deu, já. Dolores se levanta e vai para o quarto de Santiago. Eric tira as mãos do rosto, e olha ao redor, suspirando. Sem querer, dirige o olhar para as telas de Santiago, no chão, encostadas na parede. Eric olha para o corredor, como se quisesse se certificar que não houvesse ninguém. Ele levanta, e começa a examiná-las, uma por uma. Uma tela em especial, menor que as outras, lhe chama atenção. Olha para o corredor, e para a tela novamente. Ele segura a obra, e tapa com o polegar o canto inferior direito, a assinatura de Santiago. Seu rosto tem uma expressão maliciosa. CENA 17 - INT. NOITE - CASA DE SANTIAGO (SALA, CORREDOR, COZINHA) Santiago chega em casa, meio bêbado, junto com uma garota morena, cabelos compridos e ondulados. A garota liga a luz principal, e Santiago estranha a lâmpada acender. Ambos vão deixando seus pertences pelo caminho, e passam pela casa aos beijos e risadas, esbarrando em móveis e paredes, até chegarem ao quarto de Santiago - onde se trancam. Eric sai de seu quarto, e aproxima-se da porta do quarto de Santiago, escutando uma risada feminina. Entendendo a situação, Eric se encaminha para a cozinha, abre a geladeira, e toma um copo de Coca-cola. Percebe caído no chão um caderno entre-aberto. Pega-o para si, e começa a ler. Ele sorri, parecendo se divertir. Pega a caneta enfiada na espiral do próprio caderno, retira sua tampa com boca, e começa a escrever. CENA 18 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (HALL, SALA, CORREDOR) Dolores chega na casa, com uma sacola em mãos.

CONTINUED:

11. DOLORES Santi! Ei, tá aqui? Trouxe as fotos que você tinha me pedido e també...

Santiago chega rapidamente até Dolores e a cala com um grande beijo na boca, empolgado. DOLORES (surpresa) Hum... "Oi" pra você também? SANTIAGO Você é o má-xi-mo! DOLORES E por que, mesmo? SANTIAGO Ficou incrível! Você pediu pro seu irmão fazer, né? DOLORES Que? Do que você tá falando? SANTIAGO Do parecer! Que o meu pai pediu pra eu fazer, pô! Não é à toa que seu irmão tá ganhando o que ganha como advogado... Era exatamente aquilo. Pelo menos eu acho, né, até hoje não entendo porra nenhuma de Direito... Haha! Santiago a beija novamente. Dolores faz uma cara de confusa. Vê nas mãos de Santi o discurso escrito no caderno. DOLORES Mas eu não... Ela hesita, mas depois sorri. DOLORES E você acha mesmo que eu ia te deixar na mão? Santiago a levanta no colo destrambelhadamente, a beija. Ela ri, e depois fica séria, a poucos centímetros de Santi. DOLORES (séria) Eu gosto de você, idiota. Mais do que eu gosto de admitir.

33 (CONTINUED)


12. Santiago sorri amplamente, colocando-a dobrada em seu ombro, e a leva para seu quarto, enquanto Dolores dá gargalhadas. CENA 19 - INT. ENTARDECER - CASA DE SANTIAGO (SALA) Eric chega em casa, ansioso. Larga a pasta de trabalho no chão e vai direto nas correspondências, procurando algo. Parecendo não encontrar o que procura, passa a mão na testa, nervoso. Senta-se no sofá, pensativo. Ainda imerso em seus pensamentos, ouve Dolores entrar na sala, descabelada e com pressa, vestida apenas com uma grande camiseta masculina, com certa tinta no rosto. Ela vai direto para sua bolsa, e tira de lá alguns preservativos. ERIC Oi, Dolores.

13.

A pequena multidão da casa continua o grito de Dolores descoordenadamente "...SE EMPURRAR O COLLOR CAI!!". Eric faz menção de voltar ao quarto. A garota escreve com dificuldade de equilíbrio em um dos cartazes que segura. DOLORES Atenção que hoje ninguém trabalha, Dudu... Até porque aqui tá quase todo mundo sem trabalho! Haha! Eric coloca a mão no rosto, entra no quarto e bate a porta. Ainda com as duas mãos apoiadas na porta, respira fundo. De repente, levanta a cabeça, como se acabasse de perceber algo. Abre a porta, e vê Dolores, ainda escrevendo no cartaz - ela usa como apoio um grande envelope amarelo. ERIC (atônito) O que você tá usando de apoio pra escrever?

DOLORES (mal olhando para Eric) E aí, Eric. Eric agora olha espantado para a garota, que pela primeira vez o chamou pelo nome correto. Dolores sai quase correndo da cozinha e entra novamente no quarto de Santiago. Eric sacode a cabeça, confuso. Suspira, e encara o teto, reflexivo. CENA 20 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (QUARTO DE ERIC, CORREDOR) Eric acorda com muita gritaria pela casa. Senta-se descabelado na cama, tentando entender o que acontece. Abre a janela, atordoado. Ainda de pijama de samba canção, abre a porta do quarto e bota a cabeça para fora. Um jovem quase o atropela, passando rapidamente em direção à sala. Vê que lá existem muitas pessoas de cara pintada, gritando e bebendo muito. Não reconhece ninguém, até que Dolores passa por ele, vindo do banheiro. Ela o cutuca, com Eric ainda meio sonolento. DOLORES Heeey! Vem, vamo, tá na hora!

DOLORES Ah, uma carta, sei lá, que chegou aqui hoje. Eric, perplexo, arranca o envelope de Dolores, olhando a quem se endereça. DOLORES (rindo de Eric) Nossa, tá esperando alguma coisa? Eric olha sério para Dolores, imóvel. Abre o envelope com violência, e lê ansioso seu conteúdo. DOLORES E aí, cerveja pra comemorar ou afogar as mágoas? Dolores levanta a mão esquerda, mostrando uma garrafa de cerveja. Eric muda o olhar da cerveja para Dolores, e sorri. ERIC Não acredito que vou embora dessa merda de país. DOLORES (rindo) Nossa, posso fugir junto com você?

ERIC Hã? Na hora de que?

34

CONTINUED:

DOLORES (visivelmente bêbada) Acooorda, mané! É hoje o dia de ir pra rua! AI, AI, AI...!

Dolores puxa Eric e sai bebendo e cantando com o resto dos jovens. Eric volta para o quarto, apressado, pega uma roupa qualquer e, em meio a se vestir, volta para a festa.

(CONTINUED)


14. CENA 21 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (SALA, CORREDOR) Santiago abre a porta do apartamento, com o ar cansado, e um sorriso discreto. Pouco mais de meia dúzia de jovens entra no apartamento - dentre eles, Dolores e Eric - todos de cara pintada. Eric vai direto para o interior da casa, embriagado. Aparentando estarem igualmente exaustos, entram quase sem falar. DOLORES Galera, essa é a casa do Santi, o amigo barbudo aqui do meu lado. A gente descansa 10 minutinhos aqui e daí cada um vaza pra sua casa, tá? Santiago sorri cansado, passando a mão na cabeça de Dolores e caminha em direção ao banheiro. Tenta abrir a porta, mas percebe que está trancada. Desgostoso, volta para a sala, e recebe uma cerveja de Dolores. Em seguida, Eric abre a porta, e também se dirige para a sala. Santiago, que bebia sozinho em um canto, olha em direção ao banheiro, e ao ver sua porta aberta, vai até ele. CENA 22 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (BANHEIRO) Santiago fecha a porta do banheiro. Com um esboço de sorriso se olha no espelho, passando a mão na barba, percebendo quanta tinta caira sobre ela. Olha para sua imagem sério. Sua face está pintada de verde e amarelo. Ele abre a torneira e passa água no rosto, tentando retirar a tinta. Esta, porém, parece não sair por nada. Santiago tenta arrancá-la com a unha, fazendo caretas de incômodo. Sem sucesso, vai se irritando cada vez mais, e seu gesto torna-se cada vez mais violento, até se machucar. O vermelho do sangue vai brotando em meio à tinta verde. Seu olhar se torna melancólico, beirando derrotado. Apóia as mãos na pia e abaixa a cabeça. CENA 23 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (CASA) O resto dos jovens está espalhado pela sala - uns quietos deitados no chão, outros cochilando, outros fumando baseado. Dolores está fumando na janela, e Eric, prostrado no sofá, passa a mão no rosto, sentindo o incômodo da tinta em sua pele. Santiago, com a cara ainda suja, senta ao seu lado. Os dois olham para frente, com o pensamento longe. Oferecem um baseado para Santiago, que o aceita. Após dar um trago, oferece a Eric, que depois de titubear, aceita. Eric devolve o baseado para Santiago. Um silêncio perpetua na casa. Ninguém nem se mexe. Até que alguém se pronuncia. (CONTINUED)

CONTINUED:

15. JOVEM #1 Ow, e agora?

Mais um pouco de silêncio. JOVEM #2 Liga a tv, vê o que tá passando. Santiago dá um olhar de repreensão para Dolores. Ela revira os olhos e joga o cigarro pela janela. DOLORES Gente, vamo lá embaixo, um pouco? Quem sabe tá rolando alguma coisa ainda. Todos soltam gemidos de preguiça e reclamação, mas ela insiste e todos acabam indo, menos Santiago e Eric. SANTIAGO Não vai com eles? ERIC (sorrindo cansado) Ahn, não... Tô meio cansado... SANTIAGO É, também tô um pouco. Cê é amigo da Dor? ERIC Acho que sou, sei lá... SANTIAGO Ha, entendo bem. Ah... Vamo lá. ERIC É que a gente já andou tanto... Santiago levanta, ignorando a resposta de Eric - que levanta também. Os dois vão até a porta. ERIC Desculpa, qual o seu nome? SANTIAGO (fechando a porta do lado de fora) Santiago. E o seu?

35


* IMPORTANTE: TODAS AS CENAS SÃO REALIZADAS COM CÂMERA NA MÃO. EM CASO DE EXCEÇÃO, SERÁ ASSINALADO. *IMPORTANTE II: MESMO EM PLANOS PARADOS, HAVERÁ RESPIRO DE CÂMERA "ACOMPANHAR"/"SEGUIR" = PLANO SEQUÊNCIA COM CÂMERA NA MÃO "CORREÇÃO" = PANS OU TILTS CENA 1A - EXT. DIA - RUA P1: PM ACOMPANHANDO SANTIAGO DE COSTAS

rOteiro decupado

SANTIAGO, 23 anos, barba por fazer, meio desengonçado, anda apressado pela rua. CENA 2A - INT. DIA - RESTAURANTE P2: PM - PERFIL ERIC DE DENTRO DO RESTAURANTE NO CONTRALUZ ERIC, 24 anos, alto porém corcunda, de roupa social, está sentado em uma mesa de canto de um restaurante, com um café vazio à sua frente. A mesa fica ao lado de uma grande janela de vidro, de modo que é possível ver tudo o que passa na rua. Eric olha no relógio, aborrecido. CENA 1B - EXT. DIA - RUA CONT. P1 Santiago olha no relógio, e acelera ainda mais o passo, começando a trotar. CENA 2B INT. DIA - RESTAURANTE P3: PD DINHEIRO NA MESA > PAN ESQ. E PASSAMOS A ACOMPANHAR ERIC EM PM Um garçom recolhe a conta já paga por Eric, quando este se dirige até a porta. No entanto, Eric para e volta. CENA 1C - EXT. DIA - RUA P4: PC - TRAVELLING LATERAL PARALELO À CORRIDA DE SANTIAGO Santiago corre pela calçada, com sua velha mochila saltando freneticamente nas costas.

36


2. CONTINUED:

CENA 2C - INT. DIA - RESTAURANTE P5: PC ERIC NO BALCÃO; ERIC SE APROXIMA DA CÂMERA EM DIREÇÃO À SAÍDA O gerente, com um papel na mão, acena positivamente com a cabeça para Eric, que o agradece, enquanto vai até a saída. CENA 3 - EXT. DIA - RESTAURANTE (FACHADA) P6: PM FRONTAL SANTIAGO SE APROXIMANDO DA CÂMERA; PAN DIR. E TROMBANDO COM ERIC P7: PC DOS DOIS TROMBANDO UM COM OUTRO - ERIC SAI PELA DIREITA E SANTIAGO ENTRA NO RESTAURANTE Santiago começa a diminuir o ritmo ao se deparar com uma grande porta de vidro, e a empurra, quase derrubando Eric, que estava para sair. SANTIAGO (distraído, sem nem mesmo olhar para Eric) Nossa, cara, desculpa.

3.

P10: PC DE ERIC NA EMPRESA Sua concentração acaba com o toque de seu telefone. Eric estranha e olha no relógio. Descansa o cigarro, dá uma leve arranhada na garganta, e atende. ERIC América Publicidade. Eric levanta as sobrancelhas e passa a mão na nuca, levemente surpreso. ERIC Sou eu mesmo, quem é? Ah, oi, Santiago... CENA 5 - EXT. NOITE - CALÇADA DO PRÉDIO DE SANTIAGO P11: PC SANTIAGO NO APARTAMENTO AO TELEFONE SANTIAGO E aí, cara, tudo bem? P12: PC TRAVELLING PARALELO (SLOW MOTION)

Eric lhe responde com um leve sorriso, que mais parece um tique nervoso, e vai embora, enquanto Santiago entra, apressado. P8: PC SANTIAGO A PARTIR DA PORTA DA COZINHA Já no interior do restaurante, Santiago olha ao redor, ainda tomando o fôlego da corrida. Olha mesa por mesa, e parece não encontrar quem desejava. Sem sucesso, vai até o gerente, e lhe pergunta alguma coisa. O gerente lhe responde indicando a porta, lhe entrega a folha que Eric havia deixado lá momentos antes. Santiago olha para o papel e para a porta. Tira a mochila das costas, e senta-se na mesma mesa que Eric sentava. CENA 4 - INT. NOITE - EMPRESA AMÉRICA PUBLICIDADE (SALÃO PRINCIPAL) P9: PP DE ERIC + MESA EM CONTRA-PLONGÉ Eric se encontra sentado em uma mesa de trabalho, a única iluminada entre tantas outras. Sozinho e cercado pela escuridão desértica do resto da empresa, desenha incessantemente com o auxílio de uma régua. O jovem tem um cigarro caído no canto da boca, olheiras e o ar cansado, mas mantém o olhar compenetrado no papel. (CONTINUED)

Eric anda calmamente pela rua, fumando um cigarro, pensativo, enquanto carrega duas pequenas malas. Em Voice Over, o diálogo do telefonema da cena anterior. SANTIAGO (VOICE OVER) Desculpa por hoje, perdi completamente a hora... Mas consegui pegar seu bilhete lá! ERIC (VOICE OVER) Ah, não, lógico, imagina... SANTIAGO (VOICE OVER) Bom, você tá precisando de um lugar pra ficar meio urgente, é isso? Você ainda vai ficar em casa, né? ERIC (VOICE OVER) Ah, não, vou sim. Tô com um plano de ir morar fora uns tempos, pra Inglaterra, mas por enquanto, preciso de um lugar, sim. SANTIAGO (VOICE OVER) Ah, legal. É, eu tô precisando da grana meio urgente também... Enfim, só faltou a gente se conhecer, né? O resto tá tudo acertado.

37 (CONTINUED)


CONTINUED:

4. ERIC (VOICE OVER) É, acho que sim, era o preço, divisão das coisas, horários... SANTIAGO (VOICE OVER) Então, pode vir hoje, se quiser! Não sei se você lembra, mas eu trabalho à noite, e daqui a pouco tô saindo, já. Vou deixar a chave debaixo no tapete, pode ser?

CENA 6 - INT. NOITE - CASA DE SANTIAGO (HALL) P13: PC HALL (GRANDE ANGULAR, ENQUADRANDO TODO COMPRIMENTO DO HALL) Santiago, com um violão nas costas e uma mochila caída em um ombro, tranca a porta de casa e coloca a chave debaixo do tapete da frente. Segue até o elevador, e aperta várias vezes seu botão. Com pressa, resolve ir de escadas. Alguns segundos depois, o elevador chega. Sua porta é aberta por Eric, com duas pequenas malas, que logo se dirige à porta do apartamento, abaixando-se até o tapete. Ele acha a chave, e entra. CENA 7 - INT. NOITE - CASA DE SANTIAGO (SALA)

CENA 8 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (QUARTO DE ERIC, CORREDOR, COZINHA, SALA) P16: PP ERIC ACORDANDO Eric acorda com um barulho vindo da casa. Vê que está atrasado e se levanta. P17: PM ERIC SAINDO DO QUARTO, SEGUIMOS ELE ATÉ COZINHA E VEMOS DOLORES DE COSTAS Sai do quarto vestindo-se desajeitadamente e caminha em direção à sala, olhando pelos lados. Escuta um leve barulho na cozinha, e o segue. De súbito, para, surpreso. Vê DOLORES, 22 anos, loira e alta, de costas para ele, mexendo na despensa. DOLORES Santi, você não debia tá dando aula? Cara, que zona isso aqui! Esse chocolate precisa ir pra gela... A garota vira e se depara com Eric. Ela veste uma camiseta do grupo NAFOTO, e tem a ponta do nariz suja de chocolate derretido. Opa.

DOLORES

P14: PA DE ERIC ENTRANDO E SE APROXIMANDO DA CÂMERA > PAN EXPLORAÇÃO DA SALA > PAN TERMINA COM PM DE ERIC LENDO BILHETE

P18: PP REAÇÃO ERIC

Eric tranca a porta e tenta acender a luz principal percebe que está queimada. Acende outra e dá uma olhada ao redor. O lugar é pequeno e muito caótico, pobremente iluminado. Espalhados pela sala, existem várias telas de quadros aparentemente inacabados, e instrumentos musicais diversos. Há adesivos espalhados pelo vidro da janela, peças de roupa, jornais e revistas estão jogados em um canto do chão, e há copos meio cheios em cada espaço vazio. Eric observa um bilhete grudado com durex na tv, com pequenos desenhos à lápis, e o arranca do lugar: "Mal o caos! Seu quarto fica na segunda porta à direita. Faço uma cópia da chave p/ você amanhã."

Os dois se encaram por um tempo. Eric fica paralisado, e Dolores sorri para ele, ficando ainda mais bela.

P15: PC "SUJO" NO PRIMEIRO PLANO ERIC CONTEMPLANDO ZONA Eric olha ao redor, meio perdido.

38

5.

P19: PP REAÇÃO DOLORES

P20: PM ERIC/DOLORES - CÂMERA NA MÃO ALTERNANDO LIVREMENTE DOLORES Só me diz que você não é um ladrão que tá invadindo a casa do meu amigo. ERIC (envergonhado) Não... Eu tô morando aqui agora. Por pouco tempo, mas... DOLORES Aaah! Henrique, né?

(CONTINUED)


CONTINUED:

6.

CONTINUED:

7.

ERIC Eric. Eu achei que era o Santiago.

P22: SANTIAGO / MARQUITO EM PM COM ERIC EM PC SAINDO AO FUNDO

DOLORES (Voltando a mexer na despensa) Desculpa o susto, cheguei invadindo. Eu faço isso mesmo! Sou amiga do Santi. Quer chocolate? Tá meio molenga, maaas...

Santiago entrega animado panfletos de impeachment que tira da mochila para Marquito. Ao fundo, nota-se Eric saindo do prédio. Ele para um segundo para acender um cigarro, e sai na direção contrária a Santiago.

Eric fica sem palavras, constrangido pela situação. DOLORES O Santi daqui a pouco tá aí. Foi fazer uns bicos, tá dando aula particular de violão. Fofo, né? Tempo de vacas magras, como diria mamãe... Haha. Tem café aqui, quer tomar um pouco e esperar, ou...?

CENA 10 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (HALL) P23: PA DE SANTIAGO SE APROXIMANDO DA CÂMERA Santiago sai do elevador no seu andar e dá de cara com Dolores, que dá um grito de animação quando o vê. DOLORES Apareceu a Margarida! P24: PA DE DOLORES SE APROXIMANDO DA CÂMERA (CONTRAPLANO)

ERIC Ah, não, brigado. Hoje eu perdi a hora.

Dolores está segurando uma grande sacola azul. CONT. P23: ENCONTRO E INVERSÃO DE POSIÇÃO

Eric vai rapidamente até o quarto e volta para a cozinha com sua pasta. Para na porta de entrada, se dirigindo à Dolores, hesitante. ERIC Prazer, então...?

Dá um selinho em Santiago e já continua andando. CONT. P24: PM BUSTO DE SANTIAGO PARADO (CONTRAPLANO) SANTIAGO Ei, já vai?

DOLORES (sorrindo para Eric) Dolores.

CONT. P23 - PA DE DOLORES - SE AFASTANDO DA CÂMERA - OTS SANTIAGO

Dolores volta logo em seguida aos armários da cozinha, enquanto Eric vai saindo do apartamento. DOLORES (VOZ OFF) (Escuta-se de longe) Prazer, Henrique!

DOLORES (Abrindo a porta do elevador) Já, tem um encontro lá na Bienal... Ah, conheci o garoto aí. Meio mané. Dolores para e agora olha para Santiago.

CENA 9 - EXT. DIA - CALÇADA DO PRÉDIO DE SANTIAGO P21: PM FRONTAL ACOMPANHANDO SANTIAGO COM MARQUITO AO FUNDO - SANTIAGO SE AFASTA, EM DIREÇÃO A MARQUITO E ERIC SAI do PREDIO, ENTRANDO EM QUADRO Santiago, ouvindo walkman, vai entrando em seu prédio quando MARQUITO, 19 anos, passa por ele, e chama o amigo. Santiago se vira, sorri, tira o fone dos ouvidos e vai até ele, cumprimentando-o com um aperto de mãos. (CONTINUED)

DOLORES Ow, você tá cheirando mulher. Espero que não tenha sido a anta da Mariana de novo. Dolores entra no elevador. Santiago corre atrás dela. P25: DE DENTRO DO ELEVADOR, SANTIAGO ATRAVÉS DA JANELINHA (OTS DOLORES)

(CONTINUED)

39


CONTINUED:

8. SANTIAGO (entre a porta fechada do elevador) Você leu?!

P26: CONTRA PLANO DE DOLORES DE FORA DO ELEVADOR DOLORES Aquelas duas linhas? Tá uma bosta. O elevador desce. CENA 11 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (SALA, COZINHA, QUARTO DE ERIC) P27: CÂMERA PRÓXIMA À TV, SEMPRE DIRECIONADA EM SANTIAGO Santiago entra na casa, joga suas coisas perto da porta, e despenca o corpo no sofá. Olha para a tv e percebe um novo bilhete. Vai até a tv e lê: "Relax. Eu tiro a cópia. Trouxe Coca e fiz café." Liga a tv e percebe que está em um canal diferente, no qual passa um seriado americano. Santiago faz uma careta e muda de canal. DÁRCIO ARRUDA (VOICE OFF) “... da Suécia, que estão em São Paulo, embarcam amanhã para Ilhéus, na Bahia. Pedro Collor entrega dossiê de denúncias à CPI e diz que está pronto para depor. Os reis do bolero cantam no Memorial da América Latina com uma das..." P28: CÃMERA PRÓXIMA À GELADEIRA, SEMPRE ACOMPANHANDO SANTIAGO Santiago abre a geladeira e observa uma garrafa de Coca na porta. Nela também encontra vários pequenos potes da mesma cor, arrumados e com a letra "E" em cima. Santiago estranha, sorrindo. CONT. P28: PM DE COSTAS SEGUINDO SANTIAGO Anda em direção ao seu quarto, passando pela porta fechada do quarto de Eric. Santiago para, e com o ohar curioso, abre lentamente a porta do quarto. CONT. P28: RODEIA-O E CORRIGE PARA O QUARTO DE ERIC

40

9. Tudo parece muito arrumado - roupas dobradas, livros clássicos, muitos de Direito, e uns sobre propaganda e marketing, empilhados simetricamente. Tudo parece alinhado, menos uma pilha de folhas no criado mudo - onde Santiago prende sua atenção. CENA 12 - INT. DIA. - EMPRESA AMÉRICA PUBLICIDADE (SALA GERENCIAL) P29: PC ESCRITÓRIO VOLTADO PARA CIDADE COM ERIC SENTADO E AMERICO APOIADO NA JANELA (destacar na arte contradições de pobreza e progresso no país, p.e. trofeus, pilhas de notas fiscais, anúncios em revistas, posteres, etc.) Eric está sentado em frente a uma mesa de uma sala individual da empresa. Do outro lado, olhando para fora na janela, está AMÉRICO, 55 anos, ligeiramente calvo, porém alto e elegante. Américo tem uma das mãos apoiada no rosto, enquanto Eric parece duro como uma pedra. AMÉRICO Na merda. O país inteiro tá assim. P30: OTS AMERICO - PM BUSTO ERIC EM PLONGE Américo vai até Eric, sentando-se no canto da mesa enquanto o empregado fala. ERIC (ligeiramente inquieto) Não, eu sei, entendi. Mas é que não é possível... Eu tava com tudo certo, tudo arranjado, só tava faltando comprar a passagem! P31: OTS ERIC - AMÉRICO PM EM CONTRA PLONGE AMÉRICO (sentando na quina da mesa) A gente não prevê essas coisas. Esse filho da mãe não vai devolver seu dinheiro tão cedo. Nem o seu, nem o meu, nem o de ninguém. P32: ERIC PM Américo vai até sua poltrona, e senta-se de frente a Eric. ERIC (exaltado) Eu te entrego o projeto de marketing em uma semana. Aí eu (MORE) (CONTINUED)


CONTINUED:

10. ERIC (cont’d) consigo fechar a transferência com o pessoal de criação, né?

CONT. P31: OTS ERIC - AMERICO PM AMÉRICO (sorrindo) Você pode ter largado Direito, mas argumenta que nem um advogado quando quer. CONT. P32: ERIC PM ERIC Cinco dias. Eu consigo. CENA 13 - INT. NOITE - CASA DE SANTIAGO (SALA, COZINHA, CORREDOR, QUARTO DE ERIC) P33: LÂMPADA APAGADA EM PRIMEIRO PLANO > MF PARA ERIC NA ENTRADA - PLONGEE P34: PP ERIC Eric chega em casa exausto. Novamente tenta acender a luz principal, esquecendo-se que está queimada. Vai até a cozinha, esbarra em algo, como uma lata de cerveja, acende a luz e se assusta tremendamente. CONT. P34: SEGUE ERIC ATÉ COZINHA > CORRIGE PARA EXPLORAR BAGUNÇA Em cima da mesa há uma apetitosa panela de macarrão e um vinho barato aberto. No entanto, todo o resto está absolutamente sujo de molho, com várias panelas no fogão, pia entupida de louça, ingredientes jogados por todos os lados, assim como panfletos de "Fora Collor". P35: PM ACOMPANHANDO ERIC DE COSTAS Eric suspira e vai para seu quarto. Sem perceber, quase escorrega em um dos panfletos. P36: PD BILHETE NA JANELA COM ERIC NO REFLEXO SE APROXIMANDO Chegando em seu quarto, deixa sua pasta no chão e senta na cama. Como se tomasse ânimo, pega seus rabiscos coloridos ao lado, e se depara com um recado no primeiro deles. "Falta vermelho. S"

11. CENA 14 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (SALA) P37: PC "SUJO" NO PRIMEIRO PLANO > MF SANTIAGO QUE ENTRA AO FUNDO E ATENDE TELEFONE E CÂMERA SEMPRE CORRIGE PARA MANTER ELE COMO FOCO DA CENA O telefone toca na casa vazia. Santiago entra apressado na casa, com mais dois amigos, cheios de revistas, latas de tinta e cartolinas verde e amarelas. Santiago atende o telefone enquanto seus amigos esperam no sofá. Aaalô?

SANTIAGO

A expressão de Santiago torna-se apreensiva. Ele fecha os olhos, como se tomasse forças, e vai até a cozinha, esticando o fio do telefone. SANTIAGO Oi, pai... Eu sei, é que não deu tempo, o estágio tá apertando. Os amigos de Santiago riem no sofá, e Santiago olha bravo para eles. SANTIAGO (folheando uma das revistas que trouxera) A faculdade tá bem, preparando pra OAB, né... Não, pai, ainda não consegui acabar. Eu sei, eu sei, não passa dessa semana. Não, pai, não me metendo com nada disso Os amigos de Santiago ligam a tv, que está em um canal que passa um seriado americano. SANTIAGO (muito preocupado) Não precisa vir, pai. Tá tudo certo, não confia em mim? Santiago para em uma página da revista, analisando-a. SANTIAGO Tudo bem, preciso ir, tá acabando o horário de almoço. Manda um beijo pra mamãe. Santiago desliga, com o ar preocupado, passando as mãos atrás da cabeça.

(CONTINUED)

41


CONTINUED:

12. AMIGO #1 (forçando a voz) "Santiago Neto, para se meter com comunista JÁ!"

13.

Dolores se levanta e vai para o quarto de Santiago. Eric tira as mãos do rosto, e olha ao redor, suspirando. Sem querer, dirige o olhar para as telas de Santiago, no chão, encostadas na parede. Eric olha para o corredor, como se quisesse se certificar que não houvesse ninguém.

AMIGO #2 Preprarando pra OAB, é? Ah, deve ser por isso que não vai mais pras aulas, é muita dedicação...

CONT. P39: PM DE ERIC SE APROXIMANDO DOS QUADROS DE SANTIAGO Ele levanta, e começa a examiná-las, uma por uma. Uma tela em especial, menor que as outras, lhe chama atenção. Olha para o corredor, e para a tela novamente.

SANTIAGO Cala a boca. E tira desse canal. Santiago arranca a folha da revista com violência. CENA 15 - INT. DIA - EMPRESA AMÉRICA PUBLICIDADE (SALÃO PRINCIPAL) P38: PP LATERAL ALTERNANDO ROSTO DE AMÉRICO E ERIC Américo examina os desenhos de Eric, levanta as sobrancelhas, surpreso, e os devolve para o empregado. AMÉRICO Não tá ruim. CONT. P38: LEVE TILT PARA ERIC SENTANDO > PAN P/ DESENHO + CAPA DE REVISTA Américo devolve os desenhos para Eric, que por sua vez, coloca-os na mesa, ao lado da folha de revista arrancada por Santiago anteriormente. CENA 16 - INT. NOITE - CASA DE SANTIAGO (SALA) P39: PM FRONTAL DO SOFÁ Eric desenha compenetrado no sofá da sala, com a tv ligada. Ele hesita um momento. Rói as unhas. Dolores senta ao seu lado, comendo um sanduíche. DOLORES Ow, Elias, para, que nojo.

CONT. P39: CAMERA SE APROXIMA ATÉ OTS ERIC + PINTURA Ele segura a obra, e tapa com o polegar o canto inferior direito, a assinatura de Santiago. Seu rosto tem uma expressão maliciosa. CENA 17 - INT. NOITE - CASA DE SANTIAGO (SALA, CORREDOR, COZINHA P40: PM SEGUINDO CASAL ATÉ PORTA DO QUARTO > ERIC ENTRA EM QUADRO E PASSAMOS A ACOMPANHÁ-LO DE FRENTE Santiago chega em casa, meio bêbado, junto com uma garota morena, cabelos compridos e ondulados. A garota liga a luz principal. P41: PC CONTRA PLONGÉ COM FOCO NA LÂMPADA ACESA (CASAL EM PRIMEIRO PLANO DESFOCADO) Santiago estranha a lâmpada acender. CONT. P40 A garota puxa o rosto de Santiago para si, beijando-o. Ambos vão deixando seus pertences pelo caminho, e passam pela casa aos beijos e risadas, esbarrando em móveis e paredes, até chegarem ao quarto de Santiago - onde se trancam. Eric sai de seu quarto, e aproxima-se da porta do quarto de Santiago, escutando uma risada feminina. Entendendo a situação, Eric se encaminha para a cozinha. CONT. P40: ACOMPANHA ERIC DE COSTAS

Eric para, volta a encarar o desenho. Bota as duas mãos no rosto, cansado.

42

CONTINUED:

DOLORES Nossa, não param de falar dessa droga de presidente. Já deu, já. (CONTINUED)

Abre a geladeira, e toma um copo de Coca-cola. Percebe caído no chão um caderno entre-aberto. CONT. P40: CÂMERA ESTACIONADA, APENAS CORRIGINDO PARA ERIC DE ACORDO COM SUA MOVIMENTAÇÃO


14. Pega-o para si, e começa a ler. Ele sorri, parecendo se divertir. Pega a caneta enfiada na espiral do próprio caderno, retira sua tampa com boca, e começa a escrever.

CONTINUED:

15. DOLORES (séria) E você acha mesmo que eu ia te deixar na mão?

CENA 18 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (HALL, SALA, CORREDOR)

CONT. 42: PARADA NO EIXO DO CORREDOR

P42: PM ACOMPANHANDO DOLORES DE COSTAS DESDE O HALL / MASTER DE CÂMERA LIVRE

Santiago a levanta no colo destrambelhadamente, a beija. Ela ri, e depois fica séria, a poucos centímetros de Santi. DOLORES Eu gosto de você, idiota. Mais do que eu gosto de admitir.

Dolores chega na casa, com uma sacola em mãos. DOLORES Santi! Ei, tá aqui? Trouxe as fotos que você tinha me pedi...

CONT. 42: ELES SE AFASTAM ATÉ O QUARTO

Santiago chega rapidamente até Dolores e a cala com um grande beijo na boca, empolgado. DOLORES (surpresa) Hum... "Oi" pra você também?

Santiago sorri amplamente, colocando-a dobrada em seu ombro, e a leva para seu quarto, enquanto Dolores dá gargalhadas. CENA 19 - INT. ENTARDECER - CASA DE SANTIAGO (SALA) P43: MASTER - ERIC MEXE NAS CORRESPONDÊNCIAS > MF DOLORES CHEGANDO AO FUNDO

SANTIAGO Você é o má-xi-mo!

P44: MASTER CONTRA PLANO - DOLORES ENTRA EM PRIMEIRO PLANO COM ERIC AO FUNDO EM PC REAGINDO > DOLORES SAINDO DE QUADRO

DOLORES E por que, mesmo?

Eric chega em casa, ansioso. Larga a pasta de trabalho no chão e vai direto nas correspondências, procurando algo. Parecendo não encontrar o que procura, passa a mão na testa, nervoso. Senta-se no sofá, pensativo.Ainda imerso em seus pensamentos, ouve Dolores entrar na sala, descabelada e com pressa, vestida apenas com uma grande camiseta masculina, com certa tinta no rosto. Ela vai direto para sua bolsa, e tira de lá alguns preservativos.

SANTIAGO Ficou incrível! Você pediu pro seu irmão fazer, né? DOLORES Que? Do que você tá falando? SANTIAGO Do parecer! Que o meu pai pediu pra eu fazer, pô! Não é à toa que seu irmão tá ganhando o que ganha como advogado... Era exatamente aquilo. Pelo menos eu acho, né, até hoje não entendo porra nenhuma de Direito... Haha!

ERIC Oi, Dolores. DOLORES (mal olhando para Eric) E aí, Eric.

Santiago a beija novamente. Dolores faz uma cara de confusa. Vê nas mãos de Santi o discurso escrito no caderno. DOLORES Mas eu não... Ela hesita, mas depois sorri.

Eric agora olha espantado para a garota, que pela primeira vez o chamou pelo nome correto. Dolores sai quase correndo da cozinha e entra novamente no quarto de Santiago. Eric sacode a cabeça, confuso. Suspira, e encara o teto, reflexivo.

43 (CONTINUED)


16. CENA 20 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (QUARTO DE ERIC, CORREDOR)

CONTINUED: P49: PM ERIC - OTS DOLORES ERIC O que você tá usando de apoio pra escrever?

P45: PC FRONTAL DE ERIC Eric acorda com muita gritaria, que invade o quarto. Senta-se descabelado na cama, tentando entender o que acontece. Abre a janela, atordoado.

CONT. P48: PM DOLORES - OTS ERIC DOLORES Ah, uma carta, sei lá, que chegou aqui hoje.

P46: PP FRONTAL DA PORTA DO QUARTO DE ERIC FECHADA > ERIC ABRINDO A PORTA > JOVEM AGITADO PASSANDO > ERIC REAGE Ainda de pijama de samba bota a cabeça para fora. rapidamente em direção à pessoas de cara pintada,

canção, abre a porta do quarto e Um jovem quase o atropela, passando sala. Vê que lá existem muitas gritando e bebendo muito.

P47: PM ERIC À PORTA DO QUARTO OBSERVANDO SALA COM DOLORES AO FUNDO SE APROXIMANDO E PASSANDO RETO Não reconhece ninguém, até que Dolores passa por ele, cheia de pequenos cartazes e algumas canetas. Ela o cutuca, com Eric ainda meio sonolento.

CONT. 49 Eric, perplexo, arranca o envelope de Dolores, olhando a quem se endereça. CONT. 48 DOLORES (rindo de Eric) Nossa, tá esperando alguma coisa? CONT. 49

DOLORES Heeey! Vem, vamo, tá na hora!

Eric olha sério para Dolores, imóvel. Abre o envelope com violência, e lê ansioso seu conteúdo.

ERIC Hã? Na hora de que?

CONT. 48 DOLORES E aí, cerveja pra comemorar ou afogar as mágoas?

DOLORES (visivelmente bêbada) Acooorda, mané! É hoje o dia de ir pra rua! AI, AI, AI...! A pequena multidão da casa continua o grito de Dolores descoordenadamente "...SE EMPURRAR O COLLOR CAI!!". Eric faz menção de voltar ao quarto. A garota escreve com dificuldade de equilíbrio em um dos cartazes que segura. DOLORES Atenção que hoje ninguém trabalha, Dudu... Até porque aqui tá quase todo mundo sem trabalho! Haha!

Dolores levanta a mão esquerda, mostrando uma garrafa de cerveja. Eric muda o olhar da cerveja para Dolores, e sorri. CONT. 49 ERIC Não acredito que vou embora dessa merda de país. CONT. 48

P48: PM DE DENTRO DO QUARTO DE ERIC DE COSTAS DEBRUÇADO SOBRE A PORTA

44

17.

Eric coloca a mão no rosto, entra no quarto e bate a porta. Ainda com as duas mãos apoiadas na porta, respira fundo. De repente, levanta a cabeça, como se acabasse de perceber algo. Abre a porta, e vê Dolores, ainda escrevendo no cartaz - ela usa como apoio um grande envelope amarelo. (CONTINUED)

DOLORES (rindo) Nossa, posso fugir junto com você? P50: PC CÂMERA SEMPRE PARADA NO CORREDOR - OS DOIS SAEM DO QUARTO; ERIC VOLTA RAPIDAMENTE PARA O QUARTO E SAI NOVAMENTE, VESTINDO-SE NO CAMINHO.


18. Dolores puxa Eric e sai bebendo e cantando com o resto dos jovens. Eric volta para o quarto, apressado, pega uma roupa qualquer e, em meio a se vestir, volta para a festa. CENA 21 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (SALA, CORREDOR) P51: PC PARADO SALA ENQUADRANDO TV Vemos a sala em completo silêncio, com resquícios da festa por todos os lados. Depois de um tempo, ouve-se o som de uma porta se abrindo, e aos poucos, cerca de meia dúzia de jovens, com a cara pintada, aparentando estarem igualmente exaustos, entram quase sem falar, e vão se espalhando pelo lugar. Eric, um deles, passa e vai direto para o banheiro, embriagado.

CONTINUED:

19.

Com um esboço de sorriso se olha no espelho, passando a mão na barba, percebendo quanta tinta caira sobre ela. Olha para sua imagem sério. Sua face está pintada de verde e amarelo. Ele abre a torneira e passa água no rosto, tentando retirar a tinta. Esta, porém, parece não sair por nada. Santiago tenta arrancá-la com a unha, fazendo caretas de incômodo. Sem sucesso, vai se irritando cada vez mais, e seu gesto torna-se cada vez mais violento, se machucar. O vermelho do sangue vai brotando em meio à tinta verde. Seu olhar se torna melancólico, beirando derrotado. Apóia as mãos na pia e abaixa a cabeça. CENA 23 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (CASA) P56: PC CÂMERA PARADA DE JOVENS NA SALA O resto dos jovens está espalhado pela sala - uns quietos deitados no chão, outros cochilando, outros fumando baseado. Dolores está fumando na janela, e Eric, prostrado no sofá, passa a mão no rosto, sentindo o incômodo da tinta em sua pele.

CONT. P51: CORRIGE PARA DOLORES DOLORES Galera, essa é a casa do Santi, o amigo barbudo aqui do meu lado. A gente descansa 10 minutinhos aqui e daí cada um vaza pra sua casa, tá? CONT. 51: SANTIAGO ENTRA E PASSAMOS A ACOMPANHÁ-LO EM PM DE COSTAS Santiago sorri cansado, passando a mão na cabeça de Dolores e caminha em direção ao banheiro. P52: PM LATERAL DE SANTIAGO (ESQ) E ERIC (DIREITA) SE BLOQUEANDO E SEGUINDO CAMINHO Santiago sorri cansado, passando a mão na cabeça de Dolores e caminha em direção ao banheiro. Tenta abrir a porta, mas percebe que está trancada. Desgostoso, volta para a sala, e recebe uma cerveja de Dolores. Em seguida, Eric abre a porta, e também se dirige para a sala. Santiago, que bebia sozinho em um canto, olha em direção ao banheiro, e ao ver sua porta aberta, vai até ele.

P57: PA SANTIAGO VINDO DO CORREDOR > EM PANS, A CAMERA ACOMPANHA LIVREMENTE AS AÇÕES/FALAS DAS PERSONAGENS Santiago, com a cara ainda suja, senta ao seu lado. Os dois olham para frente, com o pensamento longe. Oferecem um baseado para Santiago, que o aceita. Após dar um trago, oferece a Eric, que depois de titubear, aceita. Eric devolve o baseado para Santiago. Um silêncio perpetua na casa. Ninguém nem se mexe. Até que alguém se pronuncia. JOVEM #1 Ow, e agora? Mais um pouco de silêncio. JOVEM #2 Liga a tv, vê o que tá passando. P58: PP DE SANTIAGO OLHANDO DOLORES Santiago dá um olhar de repreensão para Dolores.

CENA 22 - INT. DIA - CASA DE SANTIAGO (BANHEIRO) P53: PM DE DENTRO DO BANHEIRO COM SALA E ERIC AO FUNDO Santiago entra e fecha a porta do banheiro.

P59: PA DE DOLORES (SUGESTÃO DE SUBJETIVA SANTIAGO) Ela revira os olhos e joga o cigarro pela janela. DOLORES Gente, vamo lá embaixo, um pouco? Quem sabe tá rolando alguma coisa ainda.

P54: MASTER CONTRA-PLONGÉ PRÓXIMO À PIA P55: PP NO ESPELHO - CÂMERA NA MÃO LIVRE (CONTINUED)

(CONTINUED)

45


CONTINUED:

20.

P60: PC SOFÁ FRONTAL Todos soltam gemidos de preguiça e reclamação, mas ela insiste e todos acabam indo, menos Santiago e Eric. SANTIAGO Não vai com eles? ERIC (sorrindo cansado) Ahn, não... Tô meio cansado... SANTIAGO É, também tô um pouco. Cê é amigo da Dor? ERIC Acho que sou, sei lá... SANTIAGO Ha, entendo bem. Ah... Vamo lá. ERIC É que a gente já andou tanto... CONT. P60: PAN ACOMPANHANDO ELES ATÉ A PORTA Santiago levanta, ignorando a resposta de Eric - que levanta também. Os dois vão até a porta. ERIC Desculpa, qual o seu nome? SANTIAGO (fechando a porta do lado de fora) Santiago. E o seu? FIM

46

sTORYBOARD


CENA 01, PLANO 01

CENA 02, PLANO 02

CENA 01, PLANO 01 (CONT.)

PM - Acompanhando Santiago de Costas >

PM - Perfil Eric de dentro do restaurante no contra-luz

> PM - Acompanhando Santiago de Costas

CENA 02, PLANO 03

CENA 02, PLANO 03 (CONT.)

CENA 01, PLANO 04

PD - Dinheiro na mesa >

> PAN ESQ. e passamos a acompahar Eric em PM

PC Travelling lateral paralelo Ă  corrida de Santiago

47


CENA 02, PLANO 05

CENA 03, PLANO 06

CENA 03, PLANO 06 (CONT.)

PC Eric no balcão; Eric se aproxima da câmera em direção à saída

PM frontal Santiago se aproximando da câmera >

> PAN para direita > Santigago Trombando com Eric

CENA 03, PLANO 07

CENA 03, PLANO 08

CENA 04, PLANO 09

PC dos dois trombando um com outro

PC de Santiago a partir da porta da cozinha

PP de Eric + mesa em contra-plongé

48


CENA 04, PLANO 10

CENA 05, PLANO 11

CENA 05, PLANO 12

PC de Eric na empresa

PC Santiago no apartamento ao telefone

PC travelling paralelo (Slow motion)

CENA 06, PLANO 13

CENA 07, PLANO 14

CENA 07, PLANO 14 (CONT.)

PC hall (grande angular, enquadrando todo comprimento do hall)

PA de Eric entrando e se aproximando da câmera >

> PAN exploração da sala >

49


CENA 07, PLANO 14

CENA 07, PLANO 15

> PAN TERMINA COM PM DE ERIC LENDO BILHETE

PC “SUJO” NO PRIMEIRO PLANO ERIC CONTEMPLANDO ZONA

PP ERIC ACORDANDO

CENA 08, PLANO 17

CENA 08, PLANO 18

CENA 07, PLANO 14 (CONT.)

PM ERIC SAINDO DO QUARTO, SEGUIMOS ELE ATÉ COZINHA

50

PP REAÇÃO ERIC

CENA 08, PLANO 16

> PAN exploração da sala >


CENA 08, PLANO 20

CENA 08, PLANO 20 (CONT.)

CENA 09, PLANO 21

PM ERIC/DOLORES - CÂMERA NA MÃO ALTERNANDO LIVREMENTE

PM ERIC / DOLORES - CÂMERA NA MÃO ALTERNANDO LIVREMENTE

PM FRONTAL ACOMPANHANDO SANTIAGO COM MARQUITO AO FUNDO - SANTIAGO SE AFASTA, EM DIREÇÃO A MARQUITO E ERIC SAI DO PREDIO, ENTRANDO EM QUADRO

CENA 09, PLANO 22

CENA 10, PLANO 23

CENA 10, PLANO 24

SANTIAGO / MARQUITO EM PM COM ERIC EM PC SAINDO AO FUNDO

PA DE SANTIAGO SE APROXIMANDO DA CÂMERA >

PA DE DOLORES SE APROXIMANDO DA CÂMERA (CONTRAPLANO)

51


CENA 10, PLANO 23 (CONT.)

> ENCONTRO E INVERSÃO DE POSIÇÃO >

CENA 10, PLANO 26 CONTRA PLANO DE DOLORES DE FORA DO ELEVADOR

52

CENA 10, PLANO 23 (cont.)

CENA 10, PLANO 25

> PA DE DOLORES - SE AFASTANDO DA CÂMERA – OTS DE SANTIAGO

DE DENTRO DO ELEVADOR, SANTIAGO ATRAVÉS DA

CENA 11, PLANO 27

CENA 11, PLANO 28

CÂMERA PRÓXIMA À TV, SEMPRE DIRECIONADA À SANTIAGO

JANELINHA (OTS DE DOLORES)

CÂMERA PRÓXIMA À GELADEIRA, SEMPRE ACOMPANHANDO SANTIAGO >


CENA 11, PLANO 28 (CONT.)

CENA 11, PLANO 28 (CONT.)

CENA 12, PLANO 29

> PM DE COSTAS SEGUINDO SANTIAGO >

> CÂMERA RODEIA-O E CORRIGE PARA O QUARTO DE ERIC

PC ESCRITÓRIO VOLTADO PARA CIDADE COM ERIC SENTADO E AMÉRICO NA JANELA

CENA 12, PLANO 30

CENA 12, PLANO 31

CENA 12, PLANO 32

OTS AMERICO - PM BUSTO ERIC EM PLONGE

OTS ERIC - AMÉRICO PM EM CONTRA PLONGE

PM DE ERIC

53


CENA 13, PLANO 33

CENA 13, PLANO 34

CENA 13, PLANO 35

CENA 13, PLANO 36

CENA 14, PLANO 37

CENA 12, PLANO 32

LÂMPADA APAGADA EM PRIMEIRO PLANO > MF PARA ERIC NA ENTRADA - PLONGEE

PD BILHETE NA JANELA COM ERIC NO REFLEXO SE APROXIMANDO

54

CÂMERA SEGUE ERIC ATÉ COZINHA > CORRIGE PARA EXPLORAR BAGUNÇA

PC “SUJO” NO PRIMEIRO PLANO > MF PARA SANTIAGO QUE ENTRA AO FUNDO E ATENDE TELEFONE, A CÂMERA SEMPRE O MANTEM COMO FOCO DA CENA

PM ACOMPANHANDO ERIC DE COSTAS

PM DE ERIC


CENA 15, PLANO 38 (CONT.)

CENA 15, PLANO 38 (CONT.)

CENA 16, PLANO 39

> LEVE TILT PARA ERIC SENTANDO >

> PAN P/ DESENHO + CAPA DE REVISTA

PM FRONTAL DE ERIC E DOLORES NO SOFÁ >

CENA 16, PLANO 39 (CONT.)

CENA 14, PLANO 37

CENA 17, PLANO 40

> PM DE ERIC SE APROXIMANDO DOS QUADROS DE SANTIAGO >

> CÂMERA SE APROXIMA ATÉ OTS ERIC + PINTURA

PM SEGUINDO CASAL ATÉ PORTA DO QUARTO >

55


CENA 17, PLANO 41 (CONT.)

CENA 17, PLANO 41 (CONT.)

CENA 17, PLANO 41 (CONT.)

CENA 18, PLANO 42

CENA 18, PLANO 42 (CONT.)

CENA 19, PLANO 43

PC CONTRA PLONGÉ COM FOCO NA LÂMPADA ACESA (CASAL EM PRIMEIRO PLANO)

PM ACOMPANHANDO DOLORES DE COSTAS DESDE O HALL / MASTER DE CÂMERA LIVRE >

56

> ERIC ENTRA EM QUADRO E PASSAMOS A ACOMPANHÁ-LO DE FRENTE >

> CÂMERA PARADA NO EIXO DO CORREDOR, ELES SE AFASTAM ATÉ O QUARTO

> CÂMERA ACOMPANHA ERIC DE COSTAS

MASTER: ERIC MEXE NAS CORRESPONDÊNCIAS > MF DOLORES CHEGANDO AO FUNDO


CENA 19, PLANO 44

CENA 20, PLANO 45

CENA 20, PLANO 46

CENA 20, PLANO 47

CENA 20, PLANO 48

CENA 20, PLANO 49

MASTER CONTRA PLANO: DOLORES ENTRA EM PRIMEIRO PLANO COM ERIC AO FUNDO EM PC REAGINDO > DOLORES SAINDO DE QUADRO

PM ERIC À PORTA DO QUARTO OBSERVANDO SALA COM DOLORES AO FUNDO SE APROXIMANDO

PC FRONTAL DE ERIC

PM DE DENTRO DO QUARTO DE ERIC DE COSTAS DEBRUÇADO SOBRE A PORTA

PP FRONTAL DA PORTA DO QUARTO DE ERIC FECHADA > ERIC ABRINDO A PORTA > JOVEM AGITADO PASSANDO > ERIC REAGE

PM ERIC - OTS DOLORES

57


CENA 20, PLANO 50

CENA 21, PLANO 51

CENA 21, PLANO 51 (CONT.)

PC CÂMERA SEMPRE PARADA NO CORREDOR - OS DOIS SAEM DO QUARTO; ERIC VOLTA RAPIDAMENTE PARA O QUARTO E SAI NOVAMENTE, VESTINDO-SE NO CAMINHO.

PC PARADO SALA ENQUADRANDO TV, CORRIGE PARA DOLORES >

> SANTIAGO ENTRA E PASSAMOS A ACOMPANHÁ-LO EM PM DE COSTAS

CENA 21, PLANO 52

CENA 22, PLANO 53

CENA 22, PLANO 54

PM LATERAL DE SANTIAGO (ESQ) E ERIC (DIREITA) SE BLOQUEANDO

PM DE DENTRO DO BANHEIRO COM SALA E ERIC AO

MASTER CONTRA-PLONGÉ PRÓXIMO À PIA

FUNDO

CENA 22, PLANO 55 PP NO ESPELHO - CÂMERA NA MÃO LIVRE

58


CENA 23, PLANO 56

CENA 23, PLANO 57

CENA 23, PLANO 57 (CONT.)

PC CÂMERA PARADA DE JOVENS NA SALA

PA SANTIAGO VINDO DO CORREDOR >

> EM PANS, A CAMERA ACOMPANHA LIVREMENTE AS AÇÕES/FALAS DAS PERSONAGENS

CENA 27, PLANO 58

CENA 22, PLANO 53

CENA 23, PLANO 60

PP DE SANTIAGO OLHANDO DOLORES

PA DE DOLORES (SUGESTÃO DE SUBJETIVA SANTIAGO)

PC SOFÁ FRONTAL

CENA 23, PLANO 60 (CONT.) PAN ACOMPANHANDO ELES ATÉ A PORTA

59


PERsO

nGEns


Santiago nunca teve o cabelo arrumado. Talvez porque seja por causa de seu tique nervoso, no qual passa a mão estabanadamente no cabelo, ou talvez porque ele simplesmente esquece de cortá-lo. Já a barba, a deixa crescer de propósito, embora não tenha o suficiente para deixá-la uniforme. Apesar de ser levemente baixo, é sempre tão carismático

sAnTIAGO

e cheio de presença, que sempre se destaca. Possui um sorriso de se invejar, branco e perfeito – trunfo com o qual conseguira muitas

Nome completo Santiago Messa Neto

coisas na vida.

Idade 23 anos

arrumado. Não é vaidoso, mas sabe o impacto

Santiago se arruma para não parecer que tem sobre os outros (principalmente mulheres), e sabe usar de seus pontos fortes para seu benefício. É mulherengo, mas Cheio de lábia, Santiago sempre aparenta não se esforça para conseguir garotas. É tão confiança, e é ótimo em discussões, sendo apaixonante quanto facilmente se apaixona, capaz de convencer qualquer um de qualquer e com a mesma rapidez, se desencanta. Por coisa. Porém, quando está sozinho, não isso, inicia diversos projetos, se empolga e consegue acreditar nem em si mesmo – se faz mil planos, e os abandona muitas vezes envolve em muitos projetos, mas mais por antes de os começar.

entusiasmo que por firmeza, em uma busca

Nunca foi de brigar, e na maioria do tempo, desesperada por achar algo que um dia lhe é muito tranquilo. Está sempre atrasado. faça sentir que valha a pena.

63


HIsTÓRIA pregressa

intelectual com mais força. Impressionava-o rança, discutia com os argumentos que nem intelectuais de esquerda e escritores da sempre acreditava, e acabava falando muito

Santiago cresceu em uma família de classe literatura brasileira, fazia parte de diversas mais do que realmente sabia. Com a faculdade em segundo plano, média alta de São Paulo, tendo durante a bandas, e idolatrava os artistas - símbolo da infância tudo do bom e do melhor. Filho úni- resistência à ditadura militar. Assim que acabou Santiago se dedica à vida artística, que ao co, sempre fora muito paparicado pelos pais o colegial, prestou vestibular para faculdade seu ver, lhe dava pouco trabalho e muito prazer, – tinha todos os brinquedos que desejava, de Direito, na USP. Porém, apesar de ter pas- além de render poucos porém preciosos viajava todas as férias, e estudou nas melhores sado, postergou o curso para fazer um “mo- trocados. Em um momento de crise econômica, escolas. Em uma destas, ainda no primário, chilão” pela América Latina com mais dois seu retorno financeiro torna-se cada vez mais conheceu Dolores, sua primeira (e única) amigos. Ao regressar, saiu de casa e foi morar escasso, e começa a dar aulas particulares namorada, mas que hoje é sua melhor amiga por conta própria em um pequeno apartamento de espanhol (que não só aprendera com o avô, (embora por vezes ainda relembrem essa fase em um bairro longe da casa dos pais – que como se lembrava do colegial). Como músico, do passado).

apesar de muito insistirem, deixaram o garoto faz pequenos shows com sua banda (e outros

Como aluno, nunca foi especialmente ir com a promessa de que daria continuidade na qual é convidado a participar, esporadiinteligente, mas era o xodó de seus profes- aos estudos universitários. Seus pais também camente). Por trabalhar nessa área, acaba sores. Mesmo aprontando em aula, conseguiu contavam que mais cedo ou mais tarde, o filho tendo que trocar o dia pela noite, saindo para com que se livrasse de diversas reprovações não conseguiria suportar o contraste de sua trabalhar quando escurece, e voltando apenas de manhã cedo. Influenciado por amigos e com seu comportamento doce e carismático. nova vida com o conforto da antiga. Em seus primeiros anos de faculdade, pela vontade de mudar a Santiago sempre fora uma criança tranquila e bem educada, e muito chegada no avô frequentava mais o centro acadêmico do que situação sem boas perspaterno – também chamado Santiago. Graças as aulas em si, pois via no recinto um espaço pectivas de seu país, à influência dele, um antigo músico chileno, de reunião e discussão de jovens interessados Santiago ainda participa Santiago nutriu um grande amor por artes em em política tanto quanto ele. Começou a se ativamente em reuniões geral, principalmente por música.

envolver mais com o assunto, mas em seu semanais formadas por

Em sua adolescência, começou a de- interior se sentia levemente perdido em meio estudantes, a fim de dismonstrar sua tendência ao mundo artístico e tantas fortes opiniões, e por orgulho ou insegu- cutir a política brasileira.

64


ATOR

PEDRO CAMEROn Pedro Henrique Splendore Cameron, nasceu na cidade de São Paulo, em 23 de dezembro de 1984. Formado em Artes Cênicas pela Escola de Comunica-ções de Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), atualmente faz curso profissionalizante de ator na Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo (EAD/USP). Atua em diversas peças profissionais e é integrante da Cia. dos Outros, grupo de produção e pesquisa teatral. Em 2011, junto com Flavia Teixeira, Igor Pushinov e Yukari Carolina, funda a Cia. Inerente, codirigindo, com Yukari Carolina, o espetáculo “Ar Vazio”, texto de Lucas Arantes. Está em cartaz atualmente no teatro coletivo na peça “A pior banda do mundo”.

65


Eric é alto, mas para se igualar aos outros, cor, livros por tamanho. Adora ler clássicos com o tempo foi ficando corcunda. Sempre que da literatura e escutar clássicos do rock. lembra, corrige a postura, mas não consegue

Eric compensa sua falta de criatividade

mantê-la por muito tempo. Tem o cabelo liso artística com inteligência. Escreve muitíssimo e bem preto, sempre arrumado – menos bem, e no papel, possui um domínio invejável durante os banhos, onde nutriu a mania de das palavras, coisa que jamais conseguiria fazer um moicano com o xampu. É bem ma- falando. Além disso, fala muito bem inglês, gro, embora nunca tenha praticado esportes graças às músicas e filmes internacionais que e nem vá à academia – ele se sente ridículo cresceu vendo – e que até hoje prefere ao conteúdo

ERIC

com roupas de ginástica. Apesar de ter uma nacional, do qual mal tem conhecimento de

Nome completo Eric Tavares

bonito, e até hoje estranha quando alguma no lugar errado. Eric sempre se sentiu um

Idade 25 anos

beleza “padrão”, nunca se imaginou sendo fato. Sua maior convicção é de que nascera garota flerta com ele.

peixe fora d’água na família, sentimento que

É muito tímido, e só consegue se abrir permaneceu consigo na escola, faculdade, e com quem já tem muita intimidade (o que em diversos outros lugares. Por isso, sonha não são muitas pessoas). Para Eric, nada em morar no exterior, quase como um refúgio é pior do que entrar no elevador com mais de

um

estado

alguém. Quando conhece alguém novo, é de desconforto muito travado, e não raramente gagueja em constante, na conversas. O único momento em que sente tentativa

de

bem é quando está só. Profissionalmente, é encontrar

a

muito determinado. Odeia errar ou não conseguir si

mesmo

concluir um projeto, e seu perfeccionismo em um lugar chega até a lhe fazer mal. É extremamente c o m p l e t a organizado, tendo como hobby é arrumar mente novo. seus pertences por categorias, como filmes em ordem alfabética, roupas em ordem de

66


HisTÓRIA pregressa

que ele mesmo pagaria a faculdade, e que porém

mais

paternal

só ajudaria em casos extremos. Com o sucesso que o próprio pai de

Desde que sua primeira lembrança, Eric dos irmãos em suas respectivas carreiras, Eric, recebeu uma outra nunca soube se relacionar bem com as pessoas, sentia a pressão de se sair bem na vida. chance no setor jurídico da devido a sua grande timidez e introversão. Tal Eric sempre teve gosto por arte, e chegou empresa, onde mostrou-se característica teve início com sua família, a ter aulas de guitarra, pintura, piano, entre muito mais eficiente. Trabalhando muito com a qual nunca conseguiria se abrir – ela outros, mas como nunca foi mais do que sempre pareceu funcionar em um ritmo que mediano em nada, e contentou-se apenas mais do que ganha, Eric se mostra muito impossibilitava qualquer conversa mais em apreciar o que lhe parecia bom, o que talentoso no que faz, apesar de ainda não profunda. Vindo de classe média alta, filho em sua maioria era de origem internacional. perceber o fato. Sempre sonhara em morar mais novo de três irmãos, sempre foi vítima

Ao terminar o colégio, não sabia bem o que fora, e na primeira oportunidade vislumbrada

das armações de seus dois irmãos mais velhos, fazer, e aconselhado pelo pai, representante na empresa para se mudar para a Inglaterra, levando a culpa por tudo que aprontavam. de uma grande marca automotiva, resolveu mergulhou de cabeça no projeto. No entanto, Não era inteligente como o mais velho, nem prestar vestibular para publicidade e marketing, com as dificuldades financeiras do país na tão bonito como o do meio, e em meio as cujo mercado parecia crescer na época. época (sendo a mais forte delas, seu dinheiro reuniões familiares, parecia mais um figurante Na faculdade, não conseguia se ver como da poupança recolhido pelo então presidente publicitário, mas começou a se interessar por Collor), a perspectiva de concretizar o projeto perdido entre muitos protagonistas. Por algum motivo, sempre fora motivo um aspecto específico da área – legislação. tornou-se cada vez mais distante – e de chacota na escola – crianças implicavam No período universitário, começou a aprender desde então, passou a trabalhar o dobro, e com Eric por tudo, desde seu cabelo preto a lidar melhor com sua timidez, mas com inclusive permear outras áreas além da jogado na cara até o modo meio engasgado sua personalidade ainda muito frágil, só sua, para tentar recuperar o que lhe foi tirado. como falava. Nunca teve muitos amigos na conseguiu estágio depois de já formado Por isso, usa a desculpa de não ter tempo escola, e apesar de seus pais se preocuparem (boas notas não eram suficientes para passar para sair com os (poucos) amigos, não ver com o assunto, não faziam nada a respeito, em entrevistas). Começou estagiando na muito a família, e nem de se importar com ou talvez não soubessem por onde começar a área de criação, mas não tinha as aptidões qualquer coisa que esteja muito fora de seu lidar com a situação. Mesmo com um bom necessárias para o cargo. Graças ao chefe campo de interesse. nível social, sua família sempre lhe advertiu Américo – um homem firme e ambicioso,

67


ATOR

REnAn FERREIRA

Nascido na cidade de São Paulo, em 22 de abril de 1990, Renan é Formado em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações de Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP). Já atuou no ramo cinematográfico, mas seu principal foco atual são peças de teatro em SP.

68


Mais do que bonita, Dolores nunca passa despercebida por onde passa. Nunca se arruma muito, tanto porque não tem paciência, como sabe que não precisa de muito para ser admirada. Possui cabelos longos, lisos e loiros, e um corpo magro porém levemente voluptuoso, que contrasta muito com seu

DOLOREs

comportamento quase infantil. Quando fica bêbada propõe brincar de pega-pega. Sempre faz perguntas indiscretas sem pudor,

Nome completo Dolores Biaser Moraes

como uma criança que não sabe o significado

Idade 22 anos

comer, nunca recusa um doce.

das coisas, e embora não seja muito de Dolores tem um forte senso de humor, e faz tantas piadas que às vezes só ela entende sua graça. É muito independente, e gosta de se virar sozinha. Não é muito ligada à família, e às vezes faz coisas que nem ao de vida viver o mais intensamente possível, mesmo quer, só para provocar sua mãe. É e tem como meta principal simplesmente se muito impulsiva e agitada, e fala tanto que suas divertir o máximo possível. Toda essa fome conversas beiram tornarem-se monólogos.

de viver, no entanto, é apenas o caminho que

É muito segura de si, faz amizades muito encontrou para preencher o vazio de sua vida facilmente, e adora organizar reuniões e festas – a tentativa de dar sentido a algo que, para entre amigos e conhecidos. Tem como filosofia Dolores, na realidade, nunca o terá.

69


HIsTÓRIA pregressa Dolores nunca fora bonita quando pequena.

e defendendo aqueles que seu pai um dia lutara contra.

Aos 23 anos, Dolores cultiva a mesma personalidade de sempre, sendo o centro

Dolores crescera meio alheia a todos os das atenções por onde vai. No entanto,

Era magrela, com cabelos loiros e lisos jogados baques familiares, principalmente perante à esconde nessa faceta vívida uma amargura na cara, e andava sempre suja, de lama nos indiferença da mãe e do irmão quanto a ela. e pessimismo profundos, guardando em si pés, machucado no joelho ou tinta pelo corpo. Dentre os muitos refúgios que encontrara, uma espécie de descrença em tudo: não Muito mais moleca do que as amigas, pegou afeição por uma antiga máquina acredita em Deus, em política, e muito menos sempre preferiu a companhia de meninos – fato fotográfica que pertencia ao pai, fazendo em família. que continuou por toda a vida, principalmente crescer na garota um grande desejo de tornar-se na adolescência (quando tornou-se uma uma profissional na área – o que só se mulher muito atraente, encantadora para os concretizou muito mais tarde, já que no início garotos e objeto de inveja para garotas). Seu pai, Afonso, era professor universitário,

não encontrara oportunidades efetivas no Brasil Começou a beber e fumar ainda com 14

muito engajado na política brasileira. Em anos, e praticamente fora criada mais pelos 1970, durante a ditadura (quando Dolores pais de amigos do que pela própria mãe. tinha apenas 3 anos de idade), recebera Uma das famílias com quem mais convivera uma visita em sala de aula, e nunca mais fora a de Santiago, cujos pais até hoje sonham retornou, causando um grande abalo na família. em vê-los um dia se casando. Embora sempre Sua mãe, ainda guarda uma grande tristeza tenha um apreço muitíssimo especial por pelo desaparecimento do marido, mas Santiago, Dolores nunca o admitiu, e sempre encontrou no filho mais velho, David, um teve muitos namorados – que inclusive fazia reflexo de Afonso, tenho óbvia preferência por questão de levar para dormir em sua casa, ele dentre os dois filhos. Este último tornara-se o que muito irritava sua mãe (embora o um grande e bem sucedido advogado, irmão fizesse o mesmo).

70


ATRIz

GABRIELLA VERGAnI

Com 23 anos, Gabriella fez durante três anos a Escola de Atores Wolf Maia e um ano e meio o CPT (Centro de Pesquisa Teatral), ambos em São Paulo. Ape-sar de ser de São Sebastião, mudou-se à capital para estudar teatro. Além de diversas peças, a atriz já atou em diversos curtas-metragens e, em 2011, estrelou na Web-série apresentada pela revista Capricho, “It Girl”. Atualmente está em cartaz no Teatro Folha, com a peça “A Minha Primeira Vez”.

71


DIREÇÃ

O


74


O conceito de direção proposto para o complementar que têm entre si, e ao seu final, roteiro do projeto OS CARAS se fundamenta percebemos o único ponto em comum das no intuito de reafirmar e concretizar a essência personagens – ambos sentem-se perdidos de sua história e a mensagem à qual se e desorientados em meio ao “caos” brasileiro, deseja passar. Partindo de seu enredo, temos a angústia de não possuir nenhuma verdadeira a história do “convívio” duas personagens convicção, o cansaço de uma luta infindável opostas, Santiago e Eric, que mesmo sem se que parece não ter sentido.

COnCEITO D E DIREÇÃO

conhecer, acabam sendo influenciados tanto um

Assim sendo, a direção do filme visa

pelo outro, quanto pelo próprio contexto político enfatizar o clima de instabilidade e vazio de no qual passa o Brasil na época (1992).

seu roteiro, recorrendo para tanto, de diversos

Trata-se de um filme de personagens, ou recursos estéticos. Dentre eles, o uso contínuo seja, onde as pessoas e suas personalidade de câmera na mão. Através de uma câmera são mais fortes que a ação propriamente instável e observadora, pretende-se reproduzir dita da narrativa em si. Quanto a elas, pode-se a atmosfera orgânica das personagens e afirmar que os protagonistas em questão se seu contexto político-social. Nesse caso, a descrevem como a representação simbólica câmera torna-se uma extensão do próprio de duas faces distintas do jovem brasileiro: filme – como se ela fosse mais uma testemunha carismático, boêmio, artista, bom conversador, do filme do que apenas mero registro. Por sonhador, que faz um pouco de tudo, mas exemplo, durante um diálogo, ela hesita não conclui quase nada (Santiago), e na hora de escolher quem enquadrar; ela também trabalhador e esforçado, mas não conduz a cena, mas é conduzida pelas inseguro quanto à sua identidade, e que personagens, muitas vezes literalmente por isso valoriza aquilo que lhe é estrangeiro seguindo-as, como se curiosamente, quisesse (Eric). Ao longo do roteiro, nota-se o caráter descobrir o que está por vir.

75


Uma grande referência desse estilo

Nesse ponto, vale ressaltar que há uma será utilizado, o que consequentemente

câmera na mão seria a filmografia do mexicano diferença fundamental na câmera do filme diminuirá o número total de cortes na narrativa. Alejandro González Iñarritu – mais especi- de Iñarritu com a câmera proposta no filme Desse modo, a predominância dos planos ficamente, seu filme Amores Perros, (2000, OS CARAS. No primeiro caso, existem cenas sequência constituirão um movimento tal de Iñarritu). No filme em questão, o uso da de ação (perseguição de carros, luta de câmera que permitirá uma grande variação câmera da mão acentua os conflitos entre as cães, assassinatos, etc.) nas quais a câmera de correção de enquadramentos, o que personagens, principalmente durante seus na mão incita um certo dinamismo na sequência, acentua ainda mais a instabilidade do olhar diálogos, e aparenta ser quase um “acom- atribuindo-lhe um ritmo acelerado e tenso. do espectador. panhante” da trama, transparecendo um Esse resultado não aparece em nenhum

Nesse quesito, a referência é principalmente

efeito inusitado de visão subjetiva “ativa” do momento no filme aqui proposto: a ideia é se o diretor também mexicano Alfonso Cuarón, espectador, que deixa de apenas contem- distanciar de um clima frenético, com uma que possui uma assinatura cinematográfica plar a história, e penetra na mise-en-scène.

câmera que encontra-se tão perdida quanto de longos planos sequência na maioria de suas próprias personagens, e que portanto, seus filmes. No caso, a melhor referência se-

Amores Perros (2000, Iñarritu)

não faz movimentos bruscos – não se trata ria o longa Y tu mamá también, (2001,Cuáde uma câmera inquieta, e ron), no qual além de haver um estilo bem sim confusa; viva, porém delineado de planos sequência (alguns que duvidosa de seus próprios chegam até mesmo durar vários minutos), movimentos.

estes demarcam as cenas de diálogos en-

C o m p l e m e n t a n d o tre as três personagens principais, o que se esse recurso, há uma mostra ideal, tendo em vista a similaridade da continuidade de longos trama, para servir aqui como parâmetro. No planos sequência. O formato entanto, ainda vale usar como referência a clássico de plano/contra direção de Amores Perros, que se utiliza do plano praticamente não mesmo recurso.

76


Uma das cenas finais de Y tu mamá también (2001, Cuarón), feita em um único plano sequência de aproximadamente 7 minutos.

Um ponto chave do filme seria a relação de reconhecer – ou conhecer – a outra quando estiverem no mesmo quadro (como das duas personagens principais ao face de seu próprio ser, em seu sentido por exemplo, na cena de abertura, onde desenrolar do roteiro, que apesar antropológico. A fim de enfatizar tal situação, chegam a se trombar, mas não se de habitarem um mesmo espaço, os enquadramentos funcionarão da seguinte reconhecem), o enquadramento será nunca conseguem se encontrar. Esse maneira: quando estiverem sozinhos, o plano maior, como um plano conjunto ou plano desencontro transcende sua manifestação será mais fechado, próximo da personagem, geral, visando demonstrar a distância entre física: remete à incoerência psico e o que lhe confere mais dramaticidade e os dois, como se o espaço ao redor os ideológica de ambos, a impossibilidade aproximação em seu sentido de intimidade; já repreendessem de se perceberem.

77


Como referência de enquadramentos, há

Medianeras (2011, Taretto)

o filme argentino Medianeras (2011, Gustavo Taretto). Sendo este um filme no qual o desencontro das personagens Martín e Mariana é o centro do filme, são utilizados enquadramentos que ora privilegiam a frieza da cidade Buenos Aires (cenas de desencontro, em planos abertos), ora destaca a solidão do casal (cenas em que estão sozinhos em planos fechado). Logo, para o projeto em questão, será válida a mesma lógica. Ainda se referindo à relação de Santiago e Eric, para destacar a oposição e complementação de suas personalidades, a câmera tenderá sempre a posicioná-los de modo que fiquem cada um, muito sutilmente, de um lado do quadro (Santiago, do lado esquerdo; Eric, do direito). Assim, busca-se não só o efeito de que um seria o inverso de fotografia com a arte, que unidas darão a atmosfera blasé delineada pelas cores, e o reflexo do outro, mas também a leve um tom uniforme e único da narrativa. de maneira que a iluminação reforce ainda perspectiva de que durante a narrativa Sendo a história perpetuada por um clima de mais a entoação dada pela arte. percorrem um caminho que, eventualmente, vazio e incertezas, a arte trabalhará com uma resultará em seu encontro.

Dada essa definição, ambos setores

paleta de cores “lavadas”, dessaturadas, trabalharão em conjunto para contrapor as

Fechando o aspecto de estética técni- sem vida. Do mesmo modo, a fotografia, que diferenças entre Santiago e Eric – isto é, sendo ca do filme, há a convergência da área se pretende altamente realista, padronizará o primeiro mais envolvido com seu país,

78


mais ativo e ciente de sua cultura como um preparados diversos exercícios de cena e visualmente na tela, em cada detalhe de sua todo, terá como cores principais o verde e o pequenas esquetes com situações diversas, construção. O projeto OS CARAS pretende amarelo; já o segundo, sendo alguém que visando afinar a relação dos atores entre si, discutir despretensiosamente os reflexos e possui foco no exterior e no sucesso da bem como fazer com que compreendam as nuances da identidade política e cultural carreira, terá como cores principais o vermelho melhor cada personagem, possibilitando um brasileira, através do olhar de uma geração vínculo entre si. Tal preparação tem como que vivenciou um período de crise geral propósito fornecer uma base para um outro de seu país. Personagens alegóricos, quesito do filme: a atuação em improvisos.

desencontros e angústia existencial – um

Como se trata de um filme de personagens, filme leve que carrega um grande fardo, o serão estes o foco de toda a trama, aqueles conflito que vive silenciosamente dentro de que conduzirão o total do arco dramático todos nós. do filme. Para ele funcione, portanto, a relação entre eles terá de ser completamente crível. Assim, serão permitidos (e incentivados) criações próprias dos atores,

Referência de atuação: Cidade Baixa (2005, Machado)

principalmente no que diz respeito Medianeras (2011, Taretto)

a seus diálogos – a intenção de não

e o azul, que remetem à bandeira de países é se ater palavra por palavra, e sim como Inglaterra e Estados Unidos. Tais convencer o espectador de que as interferências serão demarcadas tanto em situações representadas são figurino e objetos de cena, como na temperatura completamente verossímeis. de cor da tela.

O conceito de direção como

Quanto à direção de atores, haverá um um todo busca dar uma unidade procedimento de preparação dos mesmos artística ao filme, de modo que a com certa antecedência às filmagens. Serão essência de sua história transpareça

79


Como estratégia para o delinear conceitual coordenarão suas criações para acentuar as de todos os setores, bem como para a características a priori de cada personagem. realização de filmagem, propõe-se uma divisão

Por exemplo, na arte, o figurino e cenário

dramática do roteiro em 3 etapas distintas. servirão para apontar traços da personalidade A primeira parte do roteiro pode ser denominada de cada um. Em fotografia, os enquadramentos como contato, pois é em seu início que as inicias serão convergentes com o sentimento personagens principais serão, ao mesmo interior de cada personagem, servindo tempo, apresentadas ao espectador e umas inclusive para ambientá-los em seus respectivos

A I G É T A R T Es O Ã Ç E R I D DE

às outras. Nesse primeiro contato, terão meios – assim como o som, que induzirá a suas motivações, objetivos e personalidade seu universo intrapessoal.
 Da mesma maneira, expostas para o espectador.

a montagem irá operar com o contraste de

Objetivamente falando, essa etapa vai planos de um para o outro. desde a cena inicial até a cena de número 12.

A segunda parte do roteiro é descrita

É o momento no qual, por exemplo, como contaminação, por se valer da interação conhecemos Santiago como um militante (direta ou indireta) das personagens, e político, um sujeito boêmio, artista e ligeiramente como elas se transformam a partir desta. A irresponsável, muito ligado à cultura e política influência que cada um exerce sobre o outro do Brasil como um todo. É também o período acaba por alterar, em maior ou menor nível, no qual Eric se apresenta como um jovem o rumo de suas vidas. tímido, dedicado e introspectivo, cuja maior

A duração dessa etapa vai desde a

ambição é aperfeiçoar sua carreira profissional cena número 13 até a de número 20. fora do país.

À título de demonstrar tal influência de

Nesse sentido, as demais áreas específicas um sobre o outro, os elementos utilizados do filme, como fotografia, arte, som e montagem, na etapa anterior, que antes serviam para

80


pontuar e separar cada um, agora serão

Nestas, vemos a angústia e a sensação inicia com uma câmera parada, que apenas

remanejados a fim de demonstrarem esta de estar perdido das duas personagens respira levemente; ao entrar de pessoas na contaminação de personalidades.
Ou seja, principais. Mesmo sendo ambos tão diferentes, sala, ela não se vira para observar o que componentes antes próprios de um, serão e com conceitos de vida opostos, nenhum está por vir, ficando à deriva de quem quiser inseridos em outro, sem uniformidade ou deles estava “correto”: sofrem da mesma influir no quadro (quase como as-sim como padrão – provocando um efeito de junção falta de convicção, das mesmas dúvidas, as personagens, estivesse desistindo de caótica e espontânea, sem planejamento do mesmo sentimento de incompletude. prévio.

buscar um destino, cansada).
A arte será

A atmosfera pautada por essa sensação uma arte de resquícios. Objetos usados e

Assim sendo, no campo da arte, cores de falta e ausência constitui uma quebra na sujos, que esperam ser retira-dos no local, referentes ao Santiago (verde amarelo) serão narrativa do roteiro. Até o momento, ambas imperam no ambiente. dosadas nas cenas de Eric (antes permeadas personagens pareciam estar plenamente

Tudo culmina para o clímax do filme. Ou

por vermelho e azul), e vice-versa. Ocorrerão conscientes de suas ações e desejos, e melhor dizendo, seu anti-clímax. invasões de quadro de um personagem trilhavam uma trajetória específica e coerente no plano em que antes enquadrava outro, com suas ambições pessoais.
No entanto, a montagem terá transições mais fluidas, e percebe-se que no fundo, caminhavam sem por vezes, o som de um plano fará conexão rumo, e se antes não se assemelhavam em com o plano seguinte.

nada, agora partilham uma profunda angústia

A terceira e última parte do roteiro se e insatisfação pessoal.

expressa principalmente pelo vazio. Apesar

Logo de cara, há uma brusca mudança

de ser a mais breve das três etapas (formada de clima da narrativa através do corte de som de apenas 3 cenas), configuram o ápice de – que provém da cena 20 (festa pré-passeata) todo o filme – é o momento para qual toda até a cena seguinte, na qual um silêncio história fora construída. Esta última etapa irrompe a tela.
Unida ao som, a câmera também permanece nas três últimas cenas.

opera uma quebra estilística: a cena 21 se

81


FOTOG

RAFIA


84


OS CARAS é um filme de personagens. não pretende se sobrepor ao roteiro e à direção O enredo não é movido por um conflito externo de atores (principais motores do filme), mas como numa chave clássica, mas procura sim reforçar de forma sutil esse clima. apresentar a oposição e a contaminação de

Existem três etapas bem claras no roteiro

Eric e Santiago. Dessa forma, tem como e isso transparece na linguagem visual. Na objetivo estabelecer um paralelo entre as primeira, contato, ocorre a apresentação dos personalidades dos jovens protagonistas personagens e as palavras-chave são contraste

CONCEITO D E FOTOGRAFI A

com a realidade política e cultural dos e oposição, acentuando as personalidades brasileiros como herança dos acontecimentos opostas de Santiago e Eric. O jogo de políticos de 1992.

enquadramentos opostos começa no seu

A direção de fotografia pretende contar extremo e a decupagem é mais “quebrada”, essa história numa chave naturalista, como de forma que os protagonistas são vistos a direção e os outros departamentos, ou em planos separados. A segunda parte é a seja, não tratar a imagem com um grande contaminação: aumenta a interação entre os artifício ou beleza. A história pede uma personagens e seus trajetos se transformam. atmosfera de vazio, conceito-chave da O jogo de oposição diminui e as posições direção, além de confusão e desencantamento, no quadro se confundem. Os planos-sequência como reflexo do espírito político da época e ligam os personagens de uma forma da busca frustrada pela identidade pessoal espontânea e não planejada, mesmo sem e nacional.

que eles se encontrem. Isso se dá de uma

OS CARAS não é um filme estético: forma aparentemente caótica, reforçando apesar de buscar uma identidade visual o caráter imponderável do desencontro forte com alguns recursos de linguagem de e a transformação dos dois. O anti-clímax câmera, cor, textura e iluminação, a fotografia (intitulado vazio) traz uma ideia de falta e

85


A câmera na mão é o principal motor do mour, remetendo o espectador à atmosfera

incompletude que será transmitido por

enquadramentos mais estáticos, a primeira filme. Procura-se com ela uma liberdade para desencantada desse universo. Somado à quebra da linguagem de câmera do filme, transmitir a sensação de imprevisibilidade e câmera na mão, traz total liberdade para o que confere um novo ritmo à narrativa. de estar perdido além de seu uso enfatizar explorar a indecisão e a passividade das Impera a angústia e a insatisfação pessoal. dramaticamente os desencontros de Eric e personagens, além do próprio apartamento, Utilizaremos também lentes mais angulares Santiago, uma vez que podemos mudar o elemento essencial da narrativa, como para criar um espaço maior que distancie personagem enquadrado no mesmo plano. ocorre em Y tu mamá también, (2002, Cuarón) Esse recurso auxilia a transmitir a insegurança e Amores Perros (2000, Iñarritu). Nos planos

os personagens.

O filme possui um roteiro com uma e a instabilidade emocional das personagens. de desencontro, o plano-sequência serve

série de intenções, especialmente a sensação A câmera não sabe qual a ação seguinte: como elo de ligação entre Eric e Santiago, de angústia das personagens. Logo, a direção ela explora, curiosa, procura ativamente um complementares e opostos em suas e a fotografia serão pautadas por uma série acontecimento inusitado dentro desse personalidades. de conceitos que aparecerão de diferentes universo sem sentido. Nesse sentido, faz tanto

A soma desses dois recursos permite

formas na tela, os quais organizamos na o papel de um espectador inserido na cena principalmente a exploração do espaço, quanto o de uma espécie de documentarista entrando no jogo da dança das personagens

seguinte tabela:

observacional, que espera pelo imponderável. e principalmente no desencontro. O paradigma A intenção é reproduzir é o que Dib Lutfi faz em Os Deuses e os Mortos

COnCEITO Clima de vazio Instabilidade Sensação de estar perdido

LInGUAGEM

como Black Swan (2011, e saem de quadro num mesmo plano, sucessivas Câmera na mão

Aronofsky), O Invasor vezes, estabelecendo um jogo cênico. (2001, Brant) e várias Aparentemente a câmera movimenta-se em obras de John Cassavetes. função dos atores, mas a cena é bem marcada

Ritmo lento Passividade e indecisão de ações

Planos sequência

Personagens complementares

Posicionamentos opostos no quadro

Visão subjetiva do espectador

Câmera ativa

86

a experiência de filmes (1970, Guerra), em que os personagens entram

O recurso seguinte antes de rodar. é a predominância de

Outro desejo é, quando possível criar

planos-sequência, que uma oposição interna dentro do quadro entre trazem um ritmo lento, Eric e Santiago. A ideia é colocar sempre naturalista, sem gla- Santiago mais alinhado à esquerda e Eric


mais à direita, de uma forma sutil, remetendo que é a dança dos atores que guia a câmera originalmente realizado sobre o negativo. a ideia de oposição e complementação das (mesmo que isso seja coreografado e ensaiado Tratava-se de um pulo de um dos banhos personalidades. Isso vai se confundindo anteriormente). A ideia é dar mais liberdade da revelação, de maneira que os grãos de com o decorrer do filme, à medida que os para os atores, enfatizando o naturalismo. personagens vão se contaminando.

prata continuem retidos na emulsão, O

A cor, a luz e a textura vão na mesma resultado é uma imagem preto-e-branco

O que sintetiza nossa linguagem de câmera linha: como referências temos Madame Satã sobre uma colorida, o que diminui a saturação é o que estamos chamando internamente na (2002, Ainouz) e O Invasor, nos quais há e a latitude, aumentando o contraste e a decupagem de “enquadramento OS CARAS”, uma dessaturação marcante. Queremos fazer granulação. Hoje, o Bleach pode ser realizado utilizado como uma assinatura em diversos a opção por uma iluminação mais natural digitalmente. Após esse processo, as cores momentos do filme: um Plano Médio, frontal (ou pelo menos por uma aparência dela), perdem vida, desgastam, desbotam e ou traseiro, que segue o personagem para não glamourizar a imagem e forçar empobrecem. Dessa forma, a direção de longamente numa cena, buscando manter o esse desencanta-mento presente na narrativa. arte e a direção de fotografia têm que enquadramento. É uma soma das intenções da Além disso, remete a um tempo passado. trabalhar em conjunto para atingir esse look, direção, colocando o espectador no mesmo O look que queremos atingir pode ser o que significa que a escolha dos figurinos, andar errante das personagens, em planos conquistado por meio de um processo de objetos e espaços tem que se esquivar das mais longos, passando sempre a sensação de tratamento de cor chamado Bleach Bypass, cores vivas e saturadas. Elephant (2003, Van Sant)

87


ILUMInAÇÃO APARTAmento Medianeras (2011, Taretto)

s a i c n ê r e ref a i f a r g o t de fo

Cão Sem Dono (2007, Brant)

88


ILUMInAÇÃO EXTERnAs

Medianeras (2011, Taretto)

O Invasor (2001, Brant)

89


Bleach Bypass

O Invasor (2001, Brant)

Madame Sat達 (2002, Ainouz)

90


Bleach Bypass - TEstes

original

Bleach Bypass

91


Bleach Bypass - TEstes

original

92

Bleach Bypass


LEgEndA

mapAs DE CÂMERA E ILUMInAÇÃO

´

93


Cena 1

Cena 2 94


Cena 3

Cena 4 95


Cena 5

Cena 5

96


Cena 6

Cena 7

97


Cena 8

Cena 9

98


Cena 10

Cena 11 99


Cena 13

Cena 12

100


Cena 15

Cena 14

101


Cena 17

Cena 16

102


Cena 18

Cena 19

103


Cena 21

Cena 20

104


Cena 23

Cena 22

105


ARTE


COnCEITO

os movimentos sociais e a importância histórica do período, instigando no espectador

OS CARAS é um projeto cuja força motriz sensações e sentimentos análogos ao está centrada principalmente em seu roteiro. vivenciados pelos jovens dos anos 90. Assim, pauta a direção de arte uma vontade

A narrativa adota este contexto histórico

não de sobressair-se a este, mas trabalhar em não limitando-se a trabalhá-lo como tema, busca de compreendê-lo, valorizando aquilo mas indo além: 1992 é aqui um pretexto

COnCEPÇÃO GERAL

que está narrativamente proposto no script.

para evidenciar características intrínsecas

Ambientada na São Paulo dos anos 90, à noção de identidade do povo brasileiro. a trama lança à direção de arte o desafio de Trata-se de um projeto que aborda a sensação recriar a peculiar estética do início da década: de angústia e de incoerência que compõe trata-se de um passado extremamente a identidade nacionalista, que trabalha presente, isto é, um passado que fora a dicotomia da crise de identidade tão vivenciado por grande parte da população incrustrada em nosso povo. brasileira (e, por conseguinte, do público);

Presente na relação entre Eric e Santiago

um passado que ainda ecoa nos dias de hoje. – protagonistas da trama –, a dificuldade de Recriar essa estética exige assim um estabelecer uma identidade legitimamente compromisso com uma pesquisa para que nacional e a incoerência constante sob aquilo posto na tela seja fiel à época tratada. a qual vive o povo latino americano são Um dos pontos de partida sob o qual apoia-se discursos ressaltados por elementos da a arte do projeto é portanto uma vasta pesquisa arte, tanto através da simbologia dos props sobre comportamento, política, cultura e em cena como através de uma utilização de estilo da época. Mais do que meramente recriar a época,

cores de maneira calculada. O universo psicológico de cada personagem

a arte caminha no sentindo de compreender manifesta-se nas cores que o permeiam. Por

109


traçar uma busca política nacionalista intensa, Santiago, por exemplo, revela através dos no sofá, encostadas em cantos e quinas o personagem de Santiago tem ao seu objetos a personalidade do rapaz: instrumentos em desordem. O sofá é improvisado com redor pequenas doses de verde e amarelo musicais em meio a banquetas projetam a alguns colchões empilhados. O ambiente – extraídas da bandeira do Brasil. Já Eric, vida boêmia e social do jovem; suas telas projeta a imagem de que ali mora alguém por motivar-se em sair do país, pauta-se por inacabadas, justapostas às tintas e pincéis acomodado, despreocupado com qualquer pílulas de vermelho e azul, retiradas da bandeira espalhados pela casa, sugerem um perfil arrumação ou seriedade. da Inglaterra ou dos Estados Unidos. Saber de artista em constante questionamento,

Por outro lado, o quarto de Eric, no mesmo

dosar essas cores de modo que sua utilização construção e desconstrução, um indivíduo apartamento, constrói-se como o oposto não se torne nem didática nem imperceptível em crise de identidade. Seus LP’s do Cazuza da sala. Os móveis daquele ambiente não é outro desafio da direção de arte. Sem ser trazem à tona a devoção a uma figura que ele pertencem a ele, já estavam ali quando ele óbvia, essa utilização de cores deverá ser almejava também ser: político e revolucionário, chegou. Eric não tem muitos pertences perceptível a um olhar mais atento. A cartela de cores do filme abrange

artístico, jovem e boêmio.

pessoais, sua vida cabe dentro de duas ou

A sala deste apartamento não deixa três malas. A estante de livros calculadamente

somente tons lavados, dessaturados, refletindo de ser, simultaneamente, uma analogia ao arrumado revelam um personagem estudioso, o estado de desencantamento no qual imergem Brasil da época. Um espaço bagunçado, dedicado e sério. Há uma máquina de escrever, os personagens. Todas as cores manifestam-se desarmônico, desencantado. Um ambiente que sobre a qual Eric descarrega seu talento em tons acinzentados, sem vida. Essa escolha ironicamente consegue ser cheio e vazio com as palavras. Tudo é milimetricamente estética é reforçada através da fotografia do ao mesmo tempo: se suas paredes brancas pensado e posicionado. O espaço reflete projeto.

dão uma sensação de espaço vazio, os uma impessoalidade semelhante a de um

Outra ferramenta de diálogo entre roteiro poucos móveis estão abarrotados de livros, quarto de hotel: têm-se a sensação é de que e arte é a construção dos ambientes revistas e outros objetos jogados, rasgando este é um ambiente ocupado por alguém explorados no curta. Cada espaço físico é esta perspectiva. Trata-se de um espaço que está ali temporariamente, de passagem, uma manifestação do universo particular de acúmulo. Telas pintadas por Santiago um indivíduo sem raízes fixas. de algum personagem. A sala da casa de nunca estão pregadas, mas apoiados

110

Outro espaço impessoal que revela a


intimidade de Eric é a sede da América,

A trama compreende 3 grandes blocos, trabalho X descompromisso. Assim, nesse

empresa de publicidade onde o jovem cujas características distintas também são primeiro período, azul e vermelho associam-se trabalha. Por ser um local de trabalho, o trabalhadas pela direção de arte. Num primeiro ao Eric, enquanto verde e amarelo pautam espaço também é impessoal, reforçando a momento, o de contato, há a introdução do Santiago. A simbologia dos objetos de cena falta de raízes do personagem. As mesas perfil dos personagens para o espectador. também pretendem reforçar essa dualidade: do local são grandes, possibilitando ali o Aqui, os traços ideológicos de cada um são revela-se ao expectador um Santiago boêmio, trabalho criativo da agência.

fixados e, consequentemente, são expostas cuja casa é caótica, bagunçada; enquanto

Para a fachada do apartamento, a as dualidades entre os protagonistas: paixão os ambientes nos quais Eric se insere referência são os prédios antigos da cidade versus desapego; nacionalismo ante pautam-se por uma extrema ordem e de São Paulo. Trata-se de um prédio que poderia alienação; intensidade contra passividade; organização. estar localizado no Centro, na Barra Funda ou na Santa Cecília: estes são os bairros nos quais os jovens da época viviam. O edifício é de poucos andares, alto o suficiente para haver um elevador. Um prédio que, bem como os edifícios em 92, não tem muros ou portaria, seria integrando-se à rua. O restaurante da cena inicial é um meio termo entre um boteco e um restaurante, uma espécie de lanchonete de bairro. É um ambiente não muito sofisticado mas também não é mal cuidado, típico espaço frequentado para um almoço ou um lanche durante o horário de almoço em meio a jornada de trabalho.

Frida Kahlo, As Duas Fridas, 1939, óleo sobre tela, Museo de Arte Moderna, Cidade do México. Em “As Duas Fridas”, Kahlo tem como pano de fundo a dicotomia da qual OS CARAS pretende tratar: o indivíduo que divide-se entre o sentimento latino, (representado pela figura da direita, com seus coloridos trajes); e o europeu, (evidenciado pela artista em seu auto retrato com renda branca). A artista europeia mas também latina, a noção de nacionalismo e internacionalização, de América Latina e Europa, e mesmo de Eric e Santiago são, na verdade, duas faces de uma mesma moeda. Assim, “As Duas Fridas” é aqui empregada como uma das referências para esta passagem. São lados opostos que complementam-se, iterligando-se visceralmente.

111


Num segundo momento do filme, inicia-se uma fase de contaminação, onde os protagonistas passam a se influenciar; isto é, as características antes opostas começam a se fundir. Assim, as cores e os objetos dos universos individuais de cada um passam a manifestar-se no âmbito do outro. A ideia aqui é firmar justamente o conceito de identidade do brasileiro; um universo que abrange tanto as características de Eric quanto as de Santiago A passagem final do curta caracteriza-se pela noção de vazio, de quebra de expectativas, de angústia, falta de perspectivas. Aqui, o espaço físico de cena (a sala de Santiago) parece esvaziar-se de personalidade própria, sendo fortemente caracterizada por restos, por resíduos e lixos deixados para trás.

Oscar Niemeyer, Mão, 1989, concreto armado com esmalte sintético, Memorial da América Latina, São Paulo. A icônica mão de Oscar Niemeyer traduz esteticamente a busca dos personagens por uma identidade cultural, em especial, tange a busca pessoal de Santiago em sua jornada pela legitimação de uma identidade nacionalista (latina). Nas palavras de Niemeyer, “Suor, sangue e pobreza marcaram a história desta América Latina tão desarticulada e oprimida. Agora urge reajustá-la num monobloco intocável, capaz de fazê-la independente e feliz”. A escultura é uma repre-sentação desta luta por uma autonomia política, social e econômica latino americana, e está diretamente ligada com a cena em que Santiago tenta remover a tinta de seu rosto e acaba se ferindo. É o momento em que o vermelho vivo se revela ao personagem de Eric, vermelho-sangue aqui presente sob o formato dos países latino americanos.

112


Edward Hopper, Falcões Noturnos, 1942, óleo sobre tela, Instituto de Arte de Chicago, Chicago.

Edgar Degas, O Absinto, 1876, óleo sobre tela, Museu D’Orsay, Paris.

Edward Hopper, Sol em Uma Sala Vazia, 1963, óleo sobre tela, coleção privada.

Se por um lado Edward Hopper viveu e trabalhou em um contexto diametralmente oposto do visto em OS CARAS; por outro, o efeito de suas obras é essencialmente o efeito do curta. Um dos traços marcantes do artista é um fascínio pelo vazio, por espaços públicos e privados desertificados. Nas telas, Hopper imprimia ambientes que, mesmo contendo vez ou outra com alguma presença humana, pautam-se pelo vazios. São obras que trabalham a solidão e a melancolia como fruto da vida moderna. Este vazio em Hopper é o mesmo vazio presente em OS CARAS.

Ao registrar este rapaz e esta moça sentados em um café, Degas expõe duas figuras tediosas, acometidas por um vazio interno. Nota-se que há um isolamento entre as duas figuras representadas. A expressão angustiada da mulher retratada salta aos olhos do espectador; seu olhar vago, norteado por uma tristeza e morbidez, contamina o público. O desencantamento presente na expressão da mulher também se manifesta-se esteticamente através da paleta de cores adotada pelo artista: apenas tons áridos compõem a obra. O desconforto que O Absinto provoca no espectador deve ser semelhante ao que a parte final do curta deve gerar em seu público. A falta de perspectivas futuras, a ausência de um horizonte é um tema-chave comum a ambos. Trata-se de uma desesperança.

113


cartela de cores

114


115


COnsTRUÇÃO VIsUAL DO FILME

Sala de Santiago

Sala de Santiago

Quarto Eric

Quarto Eric

Cozinha do apartamento de Santiago

Cozinha do apartamento de Santiago

ambientes

116


Banheiro apartamento Santiago

Banheiro apartamento Santiago

Restaurante

Restaurante

Vista da rua

América Publicidade

América Publicidade

Vista da rua

Fachada Prédio Santiago

Fachada Prédio Santiago

117


sALA DE sAnTIAGO

Cartela de cores

118


119


DREssInG aCÚMULO

InsT

RUM

EnT

Os boêmio

LP’s CAZUZ

TelefoneA DE ÉPOC A TV DE ÉPOCA Telas inacab a

das

120

Material de artes


LOCAÇÃO

121


COZinHA DE sAnTIAGO

122


123


DREssInG

Con

eletro

doMÉs TICOs DE ÉPO CA

Jun

pOTEsIC DO ER

to d

e pia Vidros FILTRO Antigos DE BAR RO

PAnELAs AnTIGAs

124

TALHEREs


LOCAÇÃO

125


QUARTO DE ERIC

Cartela de cores

126


127


DREssInG

as das P U RO pilha Em

CRIATIVO

CABECE DE ÉPOIRA CA LIVROs

128

Organ

IZADOs

E T N A T s E DA A P U C O POUCO


LOCAÇÃO

129


BAnHEIRO sAnTIAGO

Cartela de cores

130


131


DREssInG De s o t e J ob os) (pouc

pia

TOALH DE ROs A TO

esPELHO (ARMÁRIO) nAs A L E C R PO EsCURAs

132


LOCAÇÃO

133


PLAnTA BAIXA apartamento

134


LOCAÇÃO APARTAMEnTO

135


CALÇADA PRÉDIO sAnTIAGO

Cartela de cores

136


137


DE s A T n A A PL n R E T X ÁREA E

DREssInG

LAMBE

-LAMB

CARRO A DE ÉPOC

138

LIXEIRA/CInZEIRO

EM s O s A V O T E R C n CO

TAPET DE EnTE R

ADA

E


LOCAÇÃO

139


PLAnTA BAIXA

140


LOCAÇÃO

141


AMÉRICA PUBLICIDADE

Cartela de cores

142


143


PAInEL EM COR

DREssInG

TIÇA

PERsIAnA

loGO daa EMPREs RisQUqE ue RABis

fax

flip chart

IAs

DIVIsÓR

de l a i r e t ma itório escr

144

DE o v i u q Ar metal


LOCAÇÃO

145


PLAnTA BAIXA

146


LOCAÇÃO

147


REsTAURAnTE

Cartela de cores

148


149


DREssInG

temperos

comi

CARDÁP

da

IO

sALG

ADOs

m o ç r a g a BandeiJ

conta s

po a n a d R A U g PORTA -

150

porcelanas

de a i l í b o M ira made


LOCAÇÃO

151


PLAnTA BAIXA

152


LOCAÇÃO

153


rua

Cartela de cores

154


155


DREssInG CARRO DE ÉPO C

A

ICA M Â R E C E D VAZO

TRICICLO CHADA (PARA FACAsA) DE UMA

nUMER DE CAs AÇÃO as

L

ZU a a r i e lix 156

de a d a esp e g r o são J

saMAm

baia


LOCAÇÃO

157


PLAnTA BAIXA

158


LOCAÇÃO

159


sAnTIAGO Carismático, sociável e artista: Santiago é um jovem de perfil boêmio, característica marcante em seu figurino. Acessórios e detalhes em verde e amarelo o associam à bandeira do Brasil, reforçando a busca

FIGURIno

nacionalista do rapaz. Algumas manchas de tinta borram seus constantes jeans e revelam um dos grandes prazeres de Santiago:

Athos Bulcão, Painel de Azulejos, Centro Cultural Missionário da CNBB, 1995. Foto: Edgar César Filho

Athos Bulcão é um artista fundamental-

a pintura. Seus trajes são sempre informais; mente brasileiro. Sua obra possui um perfil o boêmio prima por roupas confortáveis a de caráter nacionalista: enquanto as formas roupas “da moda”. Possui um relógio de pulso abstratas que compõe os azulejos de seus do qual não se desgurda.

painéis são livres de moldes e referências

europeias; as suas cores – azul, verde e Palavras-chave: jeans, camiseta básica, calça de cintura alta, cinto de couro, all-star. amarelo –, em seus tons específicos, são uma clara alusão à nossa pátria. Por ter sua obra mais significativa situada em na capital, Athos Bulcão invariavelmente remonta-nos a Brasília – ícone-mor da política brasileira. O cunho nacionalista de Athos funde-se aos traços estruturais da construção do personagem Athos Bulcão, Painel de Azulejos da Universidade de Brasilia, 1998. Foto: Tuca Reinés

160

de Santiago, e as cores características de ambos confundem-se.


161


cartela de cores

162

REFERĂŠnCIAs


PROPs

KIT

163


Eric

Valendo-se de elementos fundamentais da pintura – isto é, linhas, planos e cores primárias – Piet Mondrian conseguiu criar uma

Ícone de sua racionalidade, Eric é um arte de linguagem universal. Seus quadros personagem sempre visto com seus óculos traduzem uma preocupação em calcular de grau. Terno, camisa e gravata mostram esteticamente efeitos de utilização de cor e a seriedade do personagem que, muitas volumetria. Mondrian traz para suas obras vezes imerso no escritório, possui uma veia o principio artístico matemático de ordem determinada e ambiciosa. Fora deste contexto geral que rege o universo, tendo como ponto de empresarial, Eric adota camisas grunge, partida temas como a metrópole e a pulsão que contém o xadrez – representação do dinâmica da vida. Suas linhas calculadas, plano cartesiano, uma manifestação do bem como seu vermelho e azul constantes, desejo de racionalizar tudo aquilo que o encaixam-se perfeitamente no perfil de Eric. cerca. É também o grunge manifestação do gosto musical de Eric: algumas referências

Piet Mondrian, Composição em Vermelho e Azul, 1933, óleo sobre tela, MoMA, Nova York.

ao universo do Rock estão em suas camisas e camisetas de banda. Vermelho e azul fazem alusão as bandeiras dos Estados Unidos e da Inglaterra, presentes em detalhes do figurino do personagem.

Palavras-chave: social, grunge, jeans, xadrez, rock.

164

Piet Mondrian, Composição N°II, em Vermelho e Azul, 1929, óleo sobre tela, MoMA, Nova York.


165


cartela de cores

166

REFERĂŠnCIAs


PROPs

KIT

167


DOLOREs

Mesmo odiado por grande parte de crítica, Jack Vettriano firma-se como um dos grandes artistas academicistas contempo-

Pernas expostas e barriguinha de fora râneos. Parece capturar uma atmosfera noir ressaltam a sensualidade da personagem. por excelência, uma última reminiscência Cores e formas retiradas da natureza, como romântica nos dias de hoje. Em sua obra, de flores e frutas, ressaltam o lado feminino trabalha o desejo sob a figura feminina, que de Dolores, manifestando-se em texturas e apresenta-se quase como um objeto sexual. estampas. Se os dois protagonistas possuem O erotismo de suas mulheres, sua construuma paleta de cores opostas (verde e amarelo ção sensualizada, (aqui pontuada por bebix azul e vermelho); Dolores, por ser o elo entre das e cigarros), bem como a figura da muos dois, possui uma paleta resultante da lher desejada traduzem em imagens traços interseção das cores dos dois personagens. do universo de Dolores.

Jack Vettriano, Um Passado Imperfeito, 2000, óleo sobre tela, coleção particular.

Entre os acessórios, figuram brincos grandes, argolas e pulseiras; complementados por bolsas estilo pouch bag.

Jack Vettriano, Rituais Noturnos II, 2012, óleo sobre tela, coleção particular.

Palavras-chave: shorts, cintura alta, brincos, pouch bag, camiseta amarrada

168


169


cartela de cores

170

REFERĂŠnCIAs


PROPs

KIT

171


FIGURAnTEs

172


Em termos de maquiagem, os anos 90 as tintas apenas sob o formato de linhas foram fortemente marcados por tons suaves; retas – geralmente eram duas listras em isto é, cores puxadas para os tons de pele, cada bochecha. Ao invés de reproduzir numa paleta nude. Cedendo espaço às este formato, a equipe de maquiagem maquiagens pesadas e às cores fortes, os adota como referência pinturas indígenas rostos eram limpos, lavados e crus.

para para as texturas nos rostos. Os índios

Assim, a maquiagem geral de OS CARAS são tidos como população legitimamente

MAQUIAGEM

deve valer-se principalmente de tons neutros, brasileira, nacional - identidade a qual os complementando os tons de pele dos próprios caras-pintadas almejavam. atores. A maquiagem deve trabalhar em função de enaltecer a beleza dos personagens, além de esconder possíveis imperfeições de pele. Para a personagem de Dolores, há a presença de um batom dentro destes tons nude. Uma maquiagem estilizada pauta a parte final do curta, quando os personagens estão a caminho da passeata dos Caras-pintadas (bem como quando voltam de lá). Nesse momento, tintas em azul, verde, amarelo, vermelho e preto invadem os rostos dos personagens e dos figurantes. Estas cores são as mesmas utilizadas pelos manifestantes à época. Em geral, os caras-pintadas utilizavam

173


MAQUIAGEM GERAL

174


CARAs PIntadas

175


sOM


A direção de som do projeto OS CARAS o som vindo deles ser captado da maneira se caracteriza por ser naturalista, com uma mais precisa possível. No caso das cenas predominância do som direto e presença passadas no hall do prédio, para ser o mais notável do silêncio. Como se trata de um naturalista possível, o eco ficará em evidência, roteiro character-driven, o som estará quase permitindo que o som reverbere pelas paredes. sempre ligado às ações dos personagens,

O local mais importante, praticamente mais

no sentido de que o ruído vem deles ou para um personagem na história, é o apartamento.

conceito

eles, e assim o som reforçará a importância O som dentro deste terá fases diferentes dos personagens dentro da cena. Para que conforme a história avança. No início, estamos isso aconteça, a direção de som tem de ser nas etapas do roteiro chamadas de contato bem seletiva: em maioria os sons existem e contaminação, e nesse caso o apartamento somente quando estiver ao redor dos faz mais “barulho”: panfletos, pia, louça, personagens e morrem ao sair de perto deles. geladeira, tudo tem seu pequeno ruído de Os sons que não provêm do foco da fundo, apresentando a casa como mais um cena ficam em segundo plano, abafados, ser vivo que tem muito a representar na história. menos importantes. Por exemplo, em cenas

Porém quanto mais o roteiro avança,

externas os ruídos de cidade, pessoas e adentramos na etapa do vazio, e mais os carros serão captados, mas ficarão sobrepostos personagens mergulham em um mundo a passos, respiração e movimento corporal interior, em preocupações, expectativas, e dos personagens: são eles que importam, a casa se torna cada vez mais silenciosa. não o externo a eles. Para isso usaremos o Eric e Santiago são, no fundo, muito solitários, Microfone Sennheiser MKH416 para captar as e o som pretende realçar isso com um silêncio ambientações e nos personagens sempre mais marcante quando estão somente eles usaremos as lapelas Sennheiser G3 para em cena. Essa sensação é contrastada

179


pelas cenas com Dolores, onde a personagem sempre fala muito e preenche o vazio. No encontro anterior à passeata que inicia o terceiro ato do filme, o som parece invadir a casa: os barulhos são fortes e as falas mais altas ainda, sendo que os personagens tem que elevar seu tom de voz para falar na cantoria. Nestas cenas o som será captado sem o fundo da cantoria dos jovens, que será inserido posteriormente na finalização. Em contraponto, na cena final onde só Santiago e Eric ficam na casa, o som seria o mais puro: só há silêncio e a fala dos garotos. O vazio que eles sentem, não só político como também de sentido, estará refletido no silêncio total, só quebrado pelas suas falas.

Diarios de Motocicleta (2004, Salles)

Quanto à trilha sonora, as músicas, quando aparecem no filme, são sempre os créditos finais, a intenção é uma música a música “La Muerte De La Poderosa”, do incidentais. Elas vêm do rádio ou da televisão instrumental parecida com a música “De mesmo filme e compositor. e serão inseridas na pós. Elas trazem uma Ushuaia A La Quiaca”, de Gustavo Santaolalla,

Com relação à espacialização do som,

quebra de ritmo, pois surgem e logo são que está no filme Diarios de Motocicleta (2004, optamos por realizar uma mixagem em stereo, desligadas ou abafadas, e ficam entrecortadas Salles). A música é de melodia leve porém, por conta da natureza sonora do filme, que dentro das cenas. No caso de trilha para carregada de melancolia. Outro exemplo é não exige grandes efeitos ou arranjos

180


que cresceriam com uma mixagem 5.1, típica dos grandes artifícios hollywoodianos. O que buscamos é o som mais simples e cru, e o stereo é o ideal para atingir esse resultado, uma vez que aproxima-se mais da realidade e estabelece um diálogo maior com o cinema latino-americano e europeu, dos quais tiramos nossas referências.

Interiors (1978, Allen) Amour (2012, Haneke)

Como filmes de referência temos

Amour (2012, Haneke) e Interiors (1978, Allen). Ambos conseguem transmitir o vazio e a angústia dos personagens por meio do som, o que pretendemos alcançar ao longo do filme, ao permitir que os sons naturais e diegéticos invadam as cenas, mas que o silêncio seja a grande voz da história.

181


MOnTA

GEM


Em OS CARAS, é possível falar de dois sala de montagem, por conta das minuciosas níveis de montagem: dentro do plano e entre os escolhas de decupagem. Ou seja, o processo planos. A opção maior por planos-sequência de junção dos planos não vai ser mais do confere à obra um trabalho de montagem que ordenar e ajustar cortes. que não terá tanta ênfase na pós-produção,

A montagem de OS CARAS é profunda-

mas sim num exercício de montagem interna mente alinhada com os demais aspectos do dos planos que já foi pensado no processo filme. Narrativamente, ela acompanha Santiago

conceito

de decupagem. Dessa forma, ela está e Eric nos seus processos de transformação fortemente em função dos personagens e de sua e é bem marcada quanto aos três principais movimentação, centro nerval da narrativa. Apesar momentos do filme: contato, contaminação da liberdade da câmera na mão que permite e vazio. No primeiro momento, há uma uma parcela de improviso, há uma preocupação intenção de separar os dois jovens nos grande em desenhar esses movimentos seus respectivos planos, tomando como cuidadosamente, ao mesmo tempo que eles exemplo máximo a sequência inicial. Aqui devem soar naturais e fluidos ao espectador, destaca-se um aspecto importante do de forma que o filme não grite e que a atenção filme: a montagem paralela, que favorece recaia especialmente sobre o triângulo de o desencontro, tema central. No momento personagens. Isso acarreta num desafio da contaminação, os personagens começam técnico: a necessidade de ensaios e pla- a se conectar pela ausência do corte, mesmo nejamentos (videoboard, storyboard, etc.) que eles nunca se encontrem. Na parte final, para nos certificarmos que o ritmo, a os planos tornam-se mais longos e vazios decupagem e o diálogo entre cada plano de ação, reforçando a noção de anti-clímax. funcionam. Outra consequência é que teremos Esse também é o momento em que ocorre a um filme mais “engessado” ao chegarmos na maior interação entre a montagem intra-plano

185


e inter-planos. Nesse sentido, de uma forma geral, a montagem não é lenta ou contemplativa (como poderíamos dizer de um filme de Tarkovsky) mas é coerente com o desencantamento gradual das personagens. Três referencias máximas são Elephant (Van Sant, 2003), Y tu mamá también (Cuarón, 2003) e O Invasor (Brant, 2001), justamente por essa química entre a liberdade da câmera

Referência

s

livre (na mão ou na steady) e a procura, que se manifesta na montagem interna. Outro aspecto importante é que trata-se de um filme de montagem linear, o que casa com as opções estéticas mais próximas do naturalismo. A única exceção é no momento que vemos Eric indo pelo apartamento pela primeira vez, quando ouvimos a ligação dos dois em off (que ocorreu na cena anterior). Y tu mamá también (2001, Cuarón)

186


O Invasor (2001, Brant)

Elephant (2003, Van Sant)

187


PRODU

ÇÃO


OS CARAS foi dividido em quatro eta-

Com esta parte resolvida previamente, o

pas básicas da produção cinematográfi- foco até dia 15 de julho será somente afinar os ca: Preparação, Pré-produção, Produção e últimos detalhes quanto aos atores e locações, Pós-Produção. A estratégia de produção foi para que toda a equipe possa tirar as férias apresentada e alinhada em comum acordo na segunda quinzena do mês de julho com com a equipe. O foco inicial e grande prioridade da

conceito

tranquilidade. Em agosto, então, será o mês para ensaio

produção do filme foi em viabilizar moneta- dos atores e testes de fotografia e arte com riamente sua realização. Assim, o primeiro as locações definidas, para que então a passo foi a concentração em alocar recursos filmagem aconteça do dia 09/09 ao dia 20/09. financeiros, por meio de acordos com empresas

Na semana seguinte às filmagens, todos

e com o envio da apresentação do filme da equipe estarão presentes para desprodução para possíveis parcerias com pequenas e total e resolução de possíveis problemas. grandes empresas.

Será concedida mais uma vez férias para

Em paralelo a isto, a estratégia foi dar toda a equipe, do dia 29/09 ao dia 06/10. maior intensidade na procura de atores no Após esta data estabelecida, será iniciada mês de Maio, para que quando a diretora a pós-produção. do filme tirasse suas férias (do dia 26/05 ao

Toda a parte de montagem, colorização,

dia 13/06), esta questão já estivesse resolvida. E sonorização, trilha sonora e finalização do então, do dia 15/06 ao dia 15/07, os ajustes filme será realizada entre a segunda semana necessários e a escolha dos atores fosse de outubro e a primeira semana de dezembro. finalizada com sucesso. Em paralelo a isto, O lançamento está previsto para a última todas as locações também foram fechadas semana de janeiro, bem como sua divulgação e neste mesmo mês, antes das férias da direção. aparição em festivais para todo o ano de 2014.

191


A preparação para o filme começou em

Também foi realizada uma pesquisa inicial

fevereiro de 2013. Com o roteiro em mãos, de possíveis locações e nomes de atores foram traçados quais seriam os métodos de para o filme. viabilização de recursos para a realização do curta-metragem, caso este fosse aprovado pela banca de professores da FAAP. A empresa 4K Têxtil, localizada na cidade de

PREPARAÇÃO

São Caetano de Sul e especializada na venda de tecidos para todo o país, foi a responsável por firmar o primeiro acordo que viabilizaria uma quantia em dinheiro usada para o filme. Esta quantia foi acertada em R$ 8.000,00, em forma de patrocínio do filme e realização (por parte dos diretores de equipe do curta) de um filme institucional para a organização. Em paralelo a isto, foi feito um estudo sobre a lei de incentivo fiscal à cultura (Lei Rouanet) e um trabalho junto com a Produtora Executiva do filme, Aline Bertotti, aluna do sexto semestre do curso de cinema da fundação. Era preciso traçar novas perspectivas de patrocínios através da aprovação na Lei, vislumbrando a possibilidade de se obter parcerias com grandes empresas.

192


Nesta etapa, processo de maior trabalho as locações estabelecidas; um produtor de para a Produção do filme, é onde se encontra base, responsável por todas as tarefas não o filme no momento.

específicas que viabilizarão as filmagens.

Estão sendo realizadas duas reuniões Para as filmagens, foi estabelecido também semanais com toda a equipe, para alinhar um produtor de set (ou platô), que também as áreas e fazer ressalvas/comunicados gerais. está acompanhando as reuniões e ciente Além disso, existe um grupo na rede social de todo o andamento da produção. Ele será

PRÉ-PRODU ÇÃO

Facebook, o qual permite uma troca de ideias responsável pelo set e por todo o material direta e de fácil acesso, para todos os membros. necessário para a filmagem, bem como é Em relação a equipe de produção, todos quem suprirá as tomadas de decisões rápidas os integrantes já foram fechados e estão do diretor de produção, caso este precise cursando atualmente o curso de cinema da se ausentar momentaneamente. FAAP, em semestres inferiores. Pelo menos

Uma grande a abrangente pesquisa de

uma vez por semana, esta equipe se reúne locação está sendo realizada. O “Bistro de para serem delegadas funções e feedbacks La Paix”, localizado na Rua Tupi, é uma opção serem discutidos. A equipe é composta completamente viável para a cena inicial. Já por: Um produtor de elenco, responsável fora conversado com o dono do estabelecimento por toda a orientação, pesquisa e apoio para filmagens no local, sem nenhuma objeção. de elenco, bem como presença essencial

Em relação ao apartamento, existem

caso o segundo assistente venha a faltar em variadas opções para escolha do que for algum teste/ensaio; um produtor de locação, res- suprir melhor às necessidades do filme. A ponsável por fazer uma pesquisa detalhada de pesquisa ainda está em andamento e previsão locações, bem como dar o apoio necessário para defini-la é o mês de Julho. Uma das para os detalhes a serem resolvidos com melhores opções é um apartamento de

193


um estudante na Rua Conselheiro Brotero cidade de São Paulo para decidir o melhor realizados primeiramente testes gerais, com - Higienópolis, que já fora contatado e local para fazê-la. A questão do fechamento da base na técnica utilizada pela preparadora disponibilizou para as filmagens. A produção rua também está em questão e o grupo tende a de atores Fátima Toledo, em que o personagem seria extremamente facilitada se esta for a não fechar, para dar maior naturalidade à cena. é retirado do ator e não o contrário. A partir escolhida, uma vez que a proximidade com Os proprietários das opções para o restaurante disso, uma pré-seleção será feita e então, os a fundação é bem grande, contribuindo para estão sendo contatados e o processo está testes serão específicos, focados no papel transporte de equipamentos e equipe, que é em negociação, afim de se estabelecer um identifica-do para cada ator selecionado. formada em sua maioria por alunos da fundação. acordo para filmagem em um dia de não

A preparação de atores será realizada

A segunda opção, que só será possível abertura do estabelecimento e uma pessoa pela Direção, juntamente com a preparadora vislumbrar a partir de julho, seria alugar, por responsável pelo local ser paga pela produção de elenco, Renata Kochen, durante o período dois meses, um apartamento vazio para as do filme para evitar possíveis complicações. de um mês, a partir do dia 1 de agosto. É filmagens. Será deixado um aviso em

Outro ponto importante ligado diretamente de extrema importância que esse período

prédios na região central da cidade, com à produção é a questão dos atores. Estes, se concretize efetivamente, para que estes dizeres que ofereçam para os moradores por sua vez, serão contatados, testados e sejam bem trabalhados com os respectivos que disponibilizarem seu apartamento (se escolhidos até o dia 25 de Maio. O período personagens. enquadrando nas características necessárias para a realização dos testes, na FAAP, serão

Os dois principais fatores que influenciarão

que procuramos), um pagamento e hospe- as segundas e terças-feiras, entre o dia 29 de o orçamento são a Arte e o pagamento dos dagem em local separado. É válido ressaltar abril ao dia 14 de Maio de 2013. A pré-seleção atores. Estima-se um salário de 1000 reais também que deixar os comunicados exige uma para o casting foi realizada de diversas para os três atores principais, uma média conversa prévia com o síndico responsável maneiras: ida a peças para observar os de 500 reais para o personagem de Américo pelo condomínio.

possíveis atores em potencial para os papeis, e 200 reais para o personagem de Marquito.

A pesquisa de fachadas também está busca de perfis em agências, dentro de escolas Para a verba de arte, chegou-se ao valor de em processo de realização. As áreas de de atores (Wolf, Fátima Toledo, Célia Helena 3700 reais. A alimentação, como fator essenprodução, direção, fotografia e arte estão e EAD) e por indicações variadas. alinhadas no processo de pesquisa pela

194

cial de qualquer set de filmagem, também

A partir desta seleção, estão sendo será colocada como ponto fundamental.


Provavelmente será adquirida através de

As filmagens foram marcadas para o

parcerias com restaurantes já conhecidos

mês de setembro de 2013, no período de

e que poderiam estar como apoio para o filme.

09/09/2013 a 20/09/2013. O ideal as filmagens

As opções serão ou ir até o restaurante em

sejam realizadas com intervalos para descanso

questão (próximo à locação), requerendo

geral da equipe, a título de rendimento maior

então uma pausa maior para refeição, ou a

de todos. O clima do mês de setembro é

utilização de marmitas em set, o que é prático

ideal para um harmonioso set, tanto em

e saudável. Lanches reforçados e bebidas

relação a internas como externas, sem

(principalmente água) para hidratação, estarão sempre disponíveis em set, com abundância.

PRODUÇÃO

grande probabilidade de chuva. Porém, como existem variáveis incontroláveis pela

O orçamento da Lei Rouanet foi finalizado

produção e a chuva é uma delas, serão

e será enviado para o Ministério da Cultura

reservadas diárias na planilha e os atores

no mês de junho, prazo mínimo de entrega

serão avisados desta possibilidade.

para aprovação. Enquanto isso, propostas

Uma reunião antes das filmagens será

para empresas já estão sendo vislumbradas,

realizada no salão de festas do prédio da

a partir do pressuposto de aprovação na lei

Diretora, para que todos se integrem e

de incentivo fiscal.

estejam cientes das regras em set, de

Em relação à fotografia, muitos orçamentos

comportamento, em relação a horários e

de câmeras em lugares diversos de São

endereços. Uma tabela de contatos de todos

Paulo foram cotados para a possível escolha

já estabelecida pela produção será entregue

da empresa de locação “Inspi(red)”. O fotógrafo

juntamente com estas informações, com

optou por utilizar uma Red Epic, câmera de

todos os dados necessários de todos os

cinema digital de última geração.

membros da equipe. Em relação ao transporte de equipamentos de fotografia e arte, está incluso no

195


orçamento uma verba de carretos para tal, última estância, por taxis pré-agendados, dos gastos, será feito um cartão de débito garantindo assim a preservação de todos sempre em acompanhamento de alguém para uso interno da produção do filme, para os itens utilizados na filmagem, bem como responsável pela produção. a não preocupação e estresse dos diretores

Toda a infraestrutura de primeiros socorros usada.

responsáveis, que terão seu material entregue em remédios será levada à todos os sets de no set com segurança.

filmagens, sem exceção. Bem como todo o

O transporte da equipe será planejado pela suporte de Segurança para as externas será produção, havendo assistentes responsáveis feito por seguranças da própria FAAP, que em locomover as equipes para os sets já trabalharam em outros filmes com a equipe. específicos, evitando atrasos e mantendo

Será sempre feito o possível para otimizar

o controle geral de todos os presentes. Isto o tempo, cortar os gastos e poupar trabalho poderá ser feito com o aluguel de uma van e dinheiro. Para isto, o mais importante em ou com a utilização com próprios veículos set é estar apenas com o número de pessoas dos integrantes da equipe, mantendo sempre necessárias para que o filme aconteça, sem a FAAP como ponto de encontro.

a necessidade de superlotar o ambiente, de

Para os atores, impreterivelmente haverá maneira a atrapalhar e atrasar o filme. uma carona responsável para buscá-los e

Para melhor localização da equipe, um

levá-los de volta em suas respectivas uniforme será produzido e de uso obrigatório moradias, respeitando rigidamente todos para todos os integrantes da filmagem. Será os horários pré-estabelecidos pela assistência composto de uma camiseta preta com o de direção. Isto se dará com assistentes de logotipo do filme na frente e as empresas que produção devidamente motorizados que patrocinam e apoiam o filme na parte de trás. serão responsáveis por tais tarefas, ou, em

196

controle da verba de produção que será

Além disso, para fins de organização


A finalização do filme está prevista para ano em que a Copa do mundo terá como ser entregue em Dezembro de 2013, bem sede nosso país. Com seu tema central voltado como todos os processos de colorização no fato de ser brasileiro, será mais um reforço que o filme em digital requer para um bom ao patriotismo que nos cerca durante esse resultado. Todo o processo que a fotografia período de copa. Um convite ao brasileiro necessita já foi dado como viável para a para refletir sobre o sentimento patriota que produção, estabelecendo-se o prazo de até surge em todos na época de copa e nos faz

pós-produ çÃO

três meses para a finalização total do defender o Brasil de todos e contra todos. curta-metragem. Dentre estes processos, a cópia no padrão DCP já foi confirmada sem custos para a produção, bem como a não utilização do Dolby Digital facilitou o processo de sonorização, que também será realizado sem custos. Além disso, a Ilha de Edição será realizada na FAAP, mais uma vez zerando os possíveis gastos com montagem. Além disso, em relação à trilha sonora original, o compositor já está sendo negociado, por um preço bem abaixo do normal de mercado, adequando-se bem ao orçamento. OS CARAS será estrategicamente lançado e distribuído no primeiro semestre de 2014,

197


ORÇAMEnTO

Itens

Descrição dos Itens

1

Desenvolvimento de Projeto

1.1

Equipe

unidade

qted unid/s

Valor Unitário

Sub-Total Acadêmico

Sub-Total Real

Total Acadêmico

Total Real

7.380,72

0,00

Fonte

7.380,72

0,00

Contrapartida

1.1.1

Produtor Executivo

1

semana

1

2.569,67

2.569,67

0,00

Contrapartida

1.1.2

Diretor de Produção

1

semana

1

1.913,12

1.913,12

0,00

Contrapartida

1.1.3

Diretor

1

semana

1

2.897,93

2.897,93

0,00

Contrapartida

12.406,96

0,00

Contrapartida

2

Pré-Produção

2.1

Equipe

30.908,56

3.709,40

2.1.1

Produtor Executivo

1

semana

1

2.569,67

2.569,67

0,00

Contrapartida

2.1.2

Diretor de Produção

1

semana

1

1.913,12

1.913,12

0,00

Contrapartida

2.1.3

Diretor

1

semana

1

2.897,93

2.897,93

0,00

Contrapartida

2.1.4

Ass. de Direção

1

semana

1

1.200,00

1.200,00

0,00

Contrapartida

2.1.5

Direto de Arte

1

semana

1

1.913,12

1.913,12

0,00

Contrapartida

2.1.6

Diretor de Fotografia

1

semana

1

1.913,12

1.913,12

0,00

Contrapartida

1.440,00

0,00

Contrapartida

1.440,00

0,00

Contrapartida

850,00

0,00

Contrapartida

2.2

Alimentação 2.2.1

2.3

Refeições

1

unidade

48

30,00

Transporte 2.3.1

2.4

Combustível

1

verba

1

850,00

850,00

Seguro 2.4.1

2.5

2.6

qtde item

Seguro Equipe

1

semana

Teste Elenco

680,00

0,00

Contrapartida

0,00

Contrapartida

0,00

Contrapartida

0,00

Contrapartida

2.5.1

Atores teste

4

cachê

1

80,00

80,00

0,00

Contrapartida

2.5.2

Teste de VT - Aluguel estúdio

1

dia

1

600,00

600,00

0,00

Contrapartida

13.059,10

2.584,40

Orçamento

Arte - Ambientes

199


Descrição dos Itens

América Publicidade

Restaurante

Rua

Itens

qtde item

unidade

qted unid/s

Valor Unitário

Sub-Total Acadêmico

Sub-Total Real

Lambe-Lambe

4

unidade

1

10,00

40,00

40,00

Total Acadêmico

Total Real

Orçamento

Fonte

Mesas c/ cadeiras

8

unidade

1

162,50

1.300,00

0,00

Contrapartida

Toalhas de Papel (pacote)

1

unidade

1

5,00

5,00

0,00

Contrapartida

Copos

8

unidade

1

2,00

16,00

0,00

Contrapartida

Pratos (conj. 6)

1

unidade

1

18,75

18,75

0,00

Contrapartida

Talheres (conjunto)

1

unidade

1

150,00

150,00

0,00

Contrapartida

Porta-guardanapos

8

unidade

1

3,75

30,00

0,00

Contrapartida

Porta Ketchup/Mostarda

16

unidade

1

2,50

40,00

0,00

Contrapartida

Pasta para conta

1

unidade

1

10,00

10,00

10,00

Orçamento

Bandeja

1

unidade

1

25,00

25,00

25,00

Orçamento

Bloco de Anotações

1

unidade

1

2,00

2,00

0,00

Contrapartida

Saleiro/Pimenteiro

5

unidade

1

2,50

12,50

0,00

Contrapartida

Mesas de Escritório

5

unidade

1

220,00

1.100,00

0,00

Contrapartida

Cadeiras de Escritório

5

unidade

1

150,00

750,00

0,00

Contrapartida

Mesa de Reunião

1

unidade

1

350,00

350,00

0,00

Contrapartida

Cadeira Chefe

1

unidade

1

250,00

250,00

0,00

Contrapartida

Cadeiras Reunião

5

unidade

1

180,00

900,00

0,00

Contrapartida

Armário Baixo

1

unidade

1

280,00

280,00

0,00

Contrapartida

Arquivo de Metal

2

unidade

1

450,00

900,00

150,00

Orçamento

Painel de Cortiça

2

unidade

1

47,50

95,00

0,00

Contrapartida

Flip Chart

1

unidade

1

55,00

55,00

55,00

Orçamento

Telefone com Fax

2

unidade

1

112,50

225,00

225,00

Orçamento

Bebedouro

1

unidade

1

150,00

150,00

150,00

Orçamento

Vaso de Plantas

2

unidade

1

50,00

100,00

0,00

Contrapartida

Veneziana

2

unidade

1

43,75

87,50

0,00

Contrapartida

Retroprojetor

1

unidade

1

180,00

180,00

50,00

Orçamento

Lixeira com Cinzeiro

1

unidade

1

65,00

65,00

0,00

Contrapartida

Porta Lápis

4

unidade

1

7,90

31,60

0,00

Contrapartida

Elásticos (pacote)

1

unidade

1

10,50

10,50

0,00

Contrapartida

Clipes (pacote)

1

unidade

1

9,90

9,90

0,00

Contrapartida

Grampeador

1

unidade

1

35,00

35,00

0,00

Contrapartida

Porta Carimbos

1

unidade

1

37,50

37,50

0,00

Contrapartida

Máquina de Xerox

1

unidade

1

187,50

187,50

187,50

Orçamento

Carimbo (conjunto)

1

unidade

1

75,00

75,00

0,00

Contrapartida

Pasta Porta Arquivo

5

unidade

1

2,50

12,50

0,00

Contrapartida

Risque Rabisque

5

unidade

1

9,80

49,00

0,00

Contrapartida

Caixa de Tarraxas

1

unidade

1

7,20

7,20

0,00

Contrapartida


Descrição dos Itens

Sala Santiago

Hall

Calçada

Itens

qtde item

unidade

qted unid/s

Valor Unitário

Sub-Total Acadêmico

Sub-Total Real

Total Acadêmico

Total Real

Fonte

Vasos com Plantas

2

unidade

1

50,00

100,00

0,00

Contrapartida

Lambe-Lambe

4

unidade

1

10,00

40,00

40,00

Orçamento

Tapete Entrada

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Impressão dressign placa

2

unidade

1

5,00

10,00

10,00

Orçamento

Cama (Sofá)

1

unidade

1

150,00

150,00

0,00

Contrapartida

Estante de Metal

1

unidade

1

187,50

187,50

30,00

Orçamento

Rack p/ TV

1

unidade

1

75,00

75,00

75,00

Orçamento

Cavalete

1

unidade

1

56,25

56,25

56,25

Orçamento

Painel Dardos

1

unidade

1

120,00

120,00

0,00

Contrapartida

Mesa Futebol de Botão

1

unidade

1

280,00

280,00

280,00

Orçamento

Banquinho

1

unidade

1

22,50

22,50

0,00

Contrapartida

Pufe

1

unidade

1

43,75

43,75

0,00

Contrapartida

Luminária de Chão

1

unidade

1

130,00

130,00

0,00

Contrapartida

Telefone

1

unidade

1

35,00

35,00

35,00

Orçamento

Cadeiras

2

unidade

1

87,50

175,00

0,00

Contrapartida

Mancebo

1

unidade

1

312,50

312,50

40,00

Orçamento

Manta p/ sofá

1

unidade

1

112,50

112,50

0,00

Contrapartida

Almofadas

3

unidade

1

20,00

60,00

0,00

Contrapartida

TV Anos 90

1

unidade

1

62,50

62,50

62,50

Orçamento

Vitrola

1

unidade

1

250,00

250,00

250,00

Orçamento

Luminária de Teto

1

unidade

1

55,00

55,00

0,00

Contrapartida

LP's

6

unidade

1

10,00

60,00

0,00

Contrapartida

Telas

6

unidade

1

15,00

90,00

90,00

Orçamento

Pincéis (CX.12)

1

unidade

1

24,40

24,40

24,40

Orçamento

Livros

25

unidade

1

10,00

250,00

0,00

Contrapartida

Revistas de época

2

unidade

1

30,00

60,00

60,00

Orçamento

Cinzeiro

1

unidade

1

10,00

10,00

0,00

Contrapartida

Cortina

1

unidade

1

43,75

43,75

0,00

Contrapartida

Violão

1

unidade

1

225,00

225,00

0,00

Contrapartida


Itens

Descrição dos Itens

Banheiro

Cozinha de Santiago

Corredor

Quarto Eric

Estante de Livros

qtde item

unidade

qted unid/s

Valor Unitário

Sub-Total Acadêmico

Sub-Total Real

1

unidade

1

150,00

150,00

30,00

Total Acadêmico

Total Real

Orçamento

Fonte

Cama

1

unidade

1

120,00

120,00

0,00

Contrapartida

Mesa de Cabeceira

1

unidade

1

62,50

62,50

62,50

Orçamento

Escrivaninha

1

unidade

1

280,00

280,00

0,00

Orçamento

Tapete

1

unidade

1

150,00

150,00

0,00

Contrapartida

Máquina de Datilografia

1

unidade

1

43,75

43,75

0,00

Contrapartida

Edredom

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Travesseiro

1

unidade

1

25,00

25,00

0,00

Contrapartida

Lençol

1

unidade

1

20,00

20,00

0,00

Contrapartida

Abajur

1

unidade

1

125,00

125,00

0,00

Contrapartida

Livros

25

unidade

1

10,00

250,00

0,00

Contrapartida

Porta-retratos

1

unidade

1

18,75

18,75

0,00

Contrapartida

Pôster Antigo

1

unidade

1

30,00

30,00

30,00

Orçamento

Geladeira

1

unidade

1

200,00

200,00

200,00

Orçamento

Fogão

1

unidade

1

250,00

250,00

250,00

Orçamento

Mesa de Jantar

1

unidade

1

62,50

62,50

0,00

Contrapartida

Cadeiras

1

unidade

1

22,50

22,50

0,00

Contrapartida

Filtro de Barro

1

unidade

1

31,25

31,25

31,25

Orçamento

Torradeira

1

unidade

1

120,00

120,00

0,00

Contrapartida

Pratos (conjunto de 6)

1

unidade

1

18,75

18,75

0,00

Contrapartida

Copos

8

unidade

1

2,00

16,00

0,00

Contrapartida

Talheres (conjunto)

1

unidade

1

150,00

150,00

0,00

Contrapartida

Tupperwares

10

unidade

1

5,00

50,00

0,00

Contrapartida

Potes de Vidro

3

unidade

1

18,75

56,25

0,00

Contrapartida

Pano de Prato

1

unidade

1

8,75

8,75

0,00

Contrapartida

Toalha de mesa

1

unidade

1

15,00

15,00

0,00

Contrapartida

Fruteira

1

unidade

1

22,50

22,50

0,00

Contrapartida

Lixeira

1

unidade

1

11,25

11,25

0,00

Contrapartida

Lixo de pia

1

unidade

1

6,25

6,25

0,00

Contrapartida

Armário Espelhado

1

unidade

1

35,00

35,00

35,00

Orçamento

Toalha

1

unidade

1

10,00

10,00

0,00

Contrapartida

Porta escovas

1

unidade

1

5,00

5,00

0,00

Contrapartida


Itens

Descrição dos Itens

qtde item

unidade

qted unid/s

Valor Unitário

Arte - Figurino (Locação)

Eric

Santiago

2.7

Sub-Total Acadêmico

Sub-Total Real

2472,50

1125,00

Total Acadêmico

Total Real

Orçamento

Fonte

Camiseta básica

1

unidade

1

20,00

20,00

0,00

Contrapartida

Bermuda de pano

1

unidade

1

22,50

22,50

0,00

Contrapartida

Mochila Velha

1

unidade

1

30,00

30,00

30,00

Orçamento

Relógio simples

1

unidade

1

35,00

35,00

35,00

Orçamento

Chinelo

1

unidade

1

25,00

25,00

25,00

Orçamento

Camiseta Bob Marley

1

unidade

1

20,00

20,00

20,00

Orçamento

Calça Jeans

1

unidade

1

30,00

30,00

30,00

Orçamento

Relógio

1

unidade

1

35,00

35,00

0,00

Contrapartida

Chinelos

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Jaqueta Jeans

1

unidade

1

60,00

60,00

60,00

Orçamento

Calça Jeans

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Camiseta Banda

1

unidade

1

40,00

40,00

40,00

Orçamento

Relógio

1

unidade

1

35,00

35,00

0,00

Contrapartida

Bolsa Lateral

1

unidade

1

50,00

50,00

50,00

Orçamento

All Star

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Calça de Pijama

1

unidade

1

25,00

25,00

25,00

Orçamento

Camiseta Velha

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Camiseta básica

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Bermuda Jeans

1

unidade

1

20,00

20,00

0,00

Contrapartida

All Star

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Camisa

1

unidade

1

30,00

30,00

30,00

Orçamento

Calça Social

1

unidade

1

40,00

40,00

40,00

Orçamento

Relógio bonito

1

unidade

1

35,00

35,00

0,00

Contrapartida

Pasta

1

unidade

1

80,00

80,00

80,00

Orçamento

Sapato

1

unidade

1

50,00

50,00

0,00

Contrapartida

Samba-canção

1

unidade

1

25,00

25,00

0,00

Contrapartida

Chinelos

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Camisa

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Calça social

1

unidade

1

40,00

40,00

0,00

Contrapartida

Relógio Bonito

1

unidade

1

35,00

35,00

0,00

Contrapartida

Sapato

1

unidade

1

80,00

80,00

0,00

Contrapartida

Pasta

1

unidade

1

80,00

80,00

0,00

Contrapartida

Camisa

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida


Descrição dos Itens

AMÉRICO

MARQUITO

DOLORES

ERIC

Itens

qtde item

unidade

qted unid/s

Valor Unitário

Sub-Total Acadêmico

Sub-Total Real

Camisa

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Total Acadêmico

Total Real

Fonte

Calça Social

1

unidade

1

40,00

40,00

40,00

Orçamento

Pasta

1

unidade

1

80,00

80,00

0,00

Contrapartida

Camiseta Básica

1

unidade

1

20,00

20,00

0,00

Contrapartida

Calça Jeans

1

unidade

1

30,00

30,00

30,00

Orçamento

Contrapartida

Tênis

1

unidade

1

35,00

35,00

35,00

Orçamento

Camiseta Nafoto

1

unidade

1

25,00

25,00

25,00

Orçamento

Shortinhos jeans

1

unidade

1

30,00

30,00

30,00

Orçamento

All Star

1

unidade

1

30,00

30,00

30,00

Orçamento

Macacão Jeans Curto

1

unidade

1

60,00

60,00

60,00

Orçamento

Camiseta Básica

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Chinelos

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Regata com costuras recortadas

1

unidade

1

15,00

15,00

0,00

Contrapartida

Calça Jeans cintura alta

1

unidade

1

30,00

30,00

30,00

Orçamento

All Star

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Camisa Masculina

1

unidade

1

25,00

25,00

0,00

Contrapartida

Bolsa Lateral

1

unidade

1

40,00

40,00

40,00

Orçamento

Camiseta Básica

1

unidade

1

20,00

20,00

0,00

Contrapartida

Colete Jeans

1

unidade

1

60,00

60,00

60,00

Orçamento

Shortinhos Jeans

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

All Star

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Camiseta Básica

1

unidade

1

20,00

20,00

0,00

Contrapartida

Colete Jeans

1

unidade

1

60,00

60,00

0,00

Contrapartida

Calça Jeans

1

unidade

1

40,00

40,00

0,00

Contrapartida

Sandálias

1

unidade

1

25,00

25,00

25,00

Orçamento

Camisa social

1

unidade

1

30,00

30,00

30,00

Orçamento

Terno

1

unidade

1

50,00

50,00

50,00

Orçamento

Calça social

1

unidade

1

40,00

40,00

40,00

Orçamento

Relógio bonito

1

unidade

1

35,00

35,00

0,00

Contrapartida

Sapatos

1

unidade

1

35,00

35,00

35,00

Orçamento

Camisa social

1

unidade

1

30,00

30,00

0,00

Contrapartida

Terno

1

unidade

1

50,00

50,00

50,00

Orçamento

Calça social

1

unidade

1

40,00

40,00

0,00

Contrapartida

Relógio bonito

1

unidade

1

35,00

35,00

0,00

Contrapartida

Sapatos

1

unidade

1

50,00

50,00

50,00

Orçamento


Itens

Descrição dos Itens Produção e Filmagem

3 3.1

qtde item

unidade

qted unid/s

Valor Unitário

Equipe

Sub-Total Acadêmico

Sub-Total Real

Total Acadêmico

Total Real

115.914,96

7.800,00

Fonte

14.506,96

0,00

Contrapartida

3.1.1

Produtor Executivo

1

semana

1

2.569,67

2.569,67

0,00

Contrapartida

3.1.2

Diretor de Produção

1

semana

1

1.913,12

1.913,12

0,00

Contrapartida

3.1.3

Diretor

1

semana

1

2.897,93

2.897,93

0,00

Contrapartida

3.1.4

Ass. de Direção

1

semana

1

1.200,00

1.200,00

0,00

Contrapartida

3.1.5

Diretor de Fotografia

1

semana

1

1.913,12

1.913,12

0,00

Contrapartida

3.1.6

Direto de Arte

1

semana

1

1.913,12

1.913,12

0,00

Contrapartida

3.1.7

Técnico de som

1

semana

1

2.100,00

2.100,00

0,00

Contrapartida

3.1.8

Atores

4

cachê

1

1.000,00

4.000,00

4.000,00

Contrapartida

90.808,00

7.164,00

FAAP

6.000,00

6.000,00

FAAP

Equipamento (Locação)

Cãmera

3.2

Kit EPIC (Câmera RED EPIC-X, 4 RED SSD Card 64gb, RED PRO LCD 5’’ Touchscreen, RED Battery Plate, 6 Baterias RED Brick, Carregador + cabo AC, RED arm 5’’, Cabo lemo para LCD, Cabo FW 800, Leitor de Cartão SSD + fonte)

2

semana

2

Controle de Foco Remoto BarTech

1

diária

10

FAAP

Videolink HD Cam-wave

1

diária

10

FAAP

BOMB EVF (viewfinder modular Red)

1

diária

10

FAAP

Follow Focus Arri

1

diária

10

Mattebox ARRI com porta-filtros 4x4

1

diária

10

Jogo Lentes Zeiss Super Speed 35mm (18mm, 35mm, 50mm, 85mm e 135mm)

1

semana

2

300,00

Lente Zoom 25mm -250mm

1

semana

2

3.000,00

70,00

700,00

0,00

FAAP

0,00

FAAP

600,00

0,00

FAAP

200,00

400,00

0,00

FAAP

Filtros ND

1

semana

2

20,00

40,00

0,00

FAAP

Filtro série 85

1

semana

2

15,00

30,00

0,00

FAAP

Filtro série 82

1

semana

2

15,00

30,00

0,00

FAAP

Filtro série 81

1

semana

2

15,00

30,00

0,00

FAAP

Filtro série 80

1

semana

2

15,00

30,00

0,00

FAAP

Filtro polarizador

1

semana

2

20,00

40,00

0,00

FAAP


Descrição dos Itens

Iluminação e Elétrica

Monitoramen- Mídia e Armato e Conexões zenamento

Itens

qtde item

unidade

qted unid/s

Valor Unitário

Sub-Total Acadêmico

Sub-Total Real

Macbook Pro + fonte

1

unid.

1

7.999,00

7.999,00

0,00

Total Acadêmico

Total Real

Fonte FAAP

HD Externo 1Tb

3

unid.

3

299,00

897,00

0,00

FAAP

Monitor Panasonic 8’ BT-LH80

1

diária

10

100,00

1.000,00

1.000,00

FAAP

Cabo BNC-BNC

3

unid.

3

20,00

60,00

0,00

FAAP

Cabo 3BNC-TO-00 Sync

1

unid.

1

2,00

2,00

2,00

FAAP

Prolonga BNC 10m

1

unid.

1

20,00

20,00

2,00

FAAP

Tabela de Cores

1

diária

10

30,00

300,00

0,00

FAAP

Cartão de Cinza

1

diária

10

21,00

210,00

0,00

FAAP

HMI ARRI 4000W + Ballast

1

diária

10

880,00

8.800,00

0,00

FAAP

HMI ARRI 1200W + Ballast

2

diária

10

550,00

11.000,00

0,00

FAAP

HMI ARRI 575W + Ballast

2

diária

10

347,00

6.940,00

0,00

FAAP

Fresnel ARRI Tungstênio 5000W

1

diária

10

150,00

1.500,00

0,00

FAAP

Fresnel ARRI Tungstênio 2000W

2

diária

10

133,00

2.660,00

0,00

FAAP

Fresnel ARRI Tungstênio 1000W

3

diária

10

115,00

3.450,00

0,00

FAAP

Fresnel ARRI Tungstênio 650W

4

diária

10

90,00

3.600,00

0,00

FAAP

Fresnel ARRI Tungstênio 300W

3

diária

10

69,00

2.070,00

0,00

FAAP

KinoFlo 10 lâmpadas

1

diária

10

440,00

4.440,00

0,00

FAAP

KinoFlo 4 lâmpadas

1

diária

10

145,00

1.450,00

0,00

FAAP

Arrisoft 1000W

1

diária

10

57,00

570,00

Miniflood Arri 1000W

1

diária

10

0,00

FAAP

0,00

FAAP

Black Foil

1

Rolos

1

70,00

70,00

0,00

FAAP

Tecron

1

metro

2

70,00

140,00

0,00

FAAP

Gelatinas CTO

1

metro

1

70,00

140,00

0,00

FAAP

Gelatinas CTB

1

metro

2

70,00

140,00

0,00

FAAP

Gelatina ND

1

metro

2

70,00

140,00

0,00

FAAP

Prolonga 60A

8

diária

10

30,00

2.400,00

0,00

FAAP

Prolonga 20A

15

diária

10

22,00

3.300,00

0,00

FAAP

Caçapa 60A

4

diária

10

27,00

1.080,00

0,00

FAAP

Caçapa 20A

4

diária

10

22,00

1.080,00

0,00

FAAP

Caçapa Pial

5

diária

10

8,00

400,00

0,00

FAAP

Prolonga Pial

4

diária

10

10,00

400,00

0,00

FAAP

Adaptador telem-pial

6

diária

10

5,00

300,00

0,00

FAAP

Divisor telem (cabo Y)

5

diária

10

8,00

400,00

0,00

FAAP

Caixa de Distribuição 200A + cabos e jacarés para quadro de força

1

diária

10

250,00

2.500,00

0,00

FAAP


Descrição dos Itens

Acessórios

Maquinária

Itens

qtde item

unidade

qted unid/s

Valor Unitário

Sub-Total Acadêmico

Sub-Total Real

Tripé Sachtler + Cabeça

1

diária

10

160,00

1.600,00

0,00

Total Acadêmico

Total Real

Fonte FAAP

Cangalha Mantis

1

diária

10

0,00

FAAP

Tripé Amazon Luva grande c/ roda

4

diária

10

35,00

1.400,00

0,00

FAAP

Tripé com pino 2 estágios

6

diária

10

20,00

1.200,00

0,00

FAAP

Tripé com pino 3 estágios

6

diária

10

20,00

1.200,00

0,00

FAAP

Tripé Baby Luva

1

diária

10

20,00

200,00

0,00

FAAP

Tripé Baby Pino

1

diária

10

20,00

200,00

0,00

FAAP

Garra Jacaré

6

diária

10

8,00

460,00

0,00

FAAP

Garra Locall

3

diária

10

10,00

300,00

0,00

FAAP

Garra Locall curta

3

diária

10

10,00

300,00

0,00

FAAP

Garra luva

3

diária

10

12,00

360,00

0,00

FAAP

Garra lowell

2

diária

10

9,00

180,00

0,00

FAAP

Garra Universal

2

diária

10

16,00

320,00

0,00

FAAP

Supergarra

2

diária

10

12,00

240,00

0,00

FAAP

Bandeira grande

5

diária

10

12,00

240,00

0,00

FAAP

Bandeira média

5

diária

10

8,00

400,00

0,00

FAAP

Bandeira pequena

5

diária

10

6,00

300,00

0,00

FAAP

Cabeça de efeito grande

3

diária

10

10,00

300,00

0,00

FAAP

Cabeça de efeito

6

diária

10

10,00

600,00

0,00

FAAP

Cabo de Segurança

10

diária

10

4,00

400,00

0,00

FAAP

Applebox/3T

6

diária

10

10,00

600,00

0,00

FAAP

Jogo de Banquetas

1

diária

10

12,00

120,00

0,00

FAAP

Vareta Grande

4

diária

10

8,00

320,00

0,00

FAAP

Vareta Pequena

4

diária

10

5,00

200,00

0,00

FAAP

Kimera 650W

1

diária

10

0,00

FAAP

Placa de Isopor

5

diária

10

5,00

250,00

0,00

FAAP

Saco de Areia

12

diária

10

10,00

1.200,00

0,00

FAAP

Praticável 1m

2

diária

10

20,00

400,00

0,00

FAAP

Fita Gaffer

2

unid.

2

70,00

140,00

140,00

FAAP

Fita Crepe

3

unid.

2

10,00

20,00

20,00

FAAP


Itens 3.3

Descrição dos Itens

unidade

qted unid/s

Valor Unitário

6.000,00

1.000,00

Contrapartida

1

unidade

200

30,00

6.000,00

10.000,00

Contrapartida

Alimentação

Sub-Total Acadêmico

Sub-Total Real

Total Acadêmico

Total Real

Fonte

3.3.1

Refeições

4.600,00

1.800,00

Orçamento

3.4.1

Locação de van p/ equipe

1

dias

7

400,00

2.800,00

0,00

Contrapartida

3.4.2

Locação caminhao peq. p/ equipamento

2

dias

3

300,00

1.800,00

1.800,00

Orçamento

1.000,00

1.000,00

Contrapartida

3.5.1

Aluguel Locação

1

unidade

1

1.000,00

1.000,00

1.000,00

Contrapartida

9.080,72

0,00

Contrapartida

3.4

Transporte

3.5

Locação

4

Pós-Produção

4.1

Equipe

22.016,52

2.000,00

4.1.1

Diretor

1

semana

1

2.897,93

2.897,93

0,00

Contrapartida

4.1.2

Diretor de Fotografia

1

semana

1

1.913,12

1.913,12

0,00

Contrapartida

4.1.3

Editor

1

semana

1

1.700,00

1.700,00

0,00

Contrapartida

4.1.4

Produtor Executivo

1

semana

1

2.569,67

2.569,67

0,00

Contrapartida

3.020,00

0,00

Contrapartida

4.2

Material Sensível 4.2.1

DVD's

1

unidade

20

1,00

20,00

0,00

Contrapartida

Cópia DCP

1

unidade

1

3.000,00

3.000,00

0,00

Contrapartida

5.913,00

0,00

Contrapartida

Ilha de edição de imagem

1

semana

1

1.913,00

1.913,00

0,00

Contrapartida

4.3.2

Edição de som e Mixagem

1

horas

10

350,00

3.500,00

0,00

Orçamento

4.3.3

Taxa de licenciamento Dolby

1

licensa

1

500,00

500,00

0,00

Orçamento

1.752,80

0,00

FAAP

4.3

Edição 4.3.1

4.5

Efeitos de imagem/som 4.5.1

4.6

Colorização

1

semana

1

1.752,80

Música original 4.6.1

4.7

Compositor de trilha original

1

cachê

1

1.000,00

Alimentação 4.7.1

4.8

5

qtde item

Refeições

1

unidade

30

25,00

Transporte

1.752,80

0,00

FAAP

1.000,00

2.000,00

Contrapartida

1.000,00

2.000,00

Contrapartida

750,00

0,00

Contrapartida

750,00

0,00

Contrapartida

500,00

0,00

Contrapartida

4.8.1

Combustível

1

verba

1

200,00

200,00

0,00

Contrapartida

4.8.2

Taxis

1

verba

1

300,00

300,00

0,00

Contrapartida

Despesas Administrativas

550,00

0,00


Itens 5.1

qtde item

unidade

qted unid/s

Valor Unitário

Cópias e Encadernações 5.1.1

Desp. Cópias e encadernações

5.2.1

Verba p/ projeto

5.2

1

verba

1

100,00

1

verba

1

100,00

Correio

5.3

Material de Escritório 5.3.1

Material escritório p/ projeto

Sub-Total Acadêmico

Sub-Total Real

100,00

0,00

Contrapartida

100,00

0,00

Contrapartida

100,00

0,00

Contrapartida

100,00

0,00

Contrapartida

350,00

0,00

Contrapartida

0,00

Contrapartida

1

verba

1

350,00

350,00

-

-

-

-

-

Total Acadêmico

Total Real

Fonte

Tributos e Taxas

6 6.1

Descrição dos Itens

6.1.1

Encargos Sociais

7

Lançamento

7.1

Equipe de Lançamento

Contrapartida 19.142,79

1.660,00

4.482,79

0,00

Contrapartida

7.1.1

Produtor Executivo

1

cachê

1

2.569,67

2.569,67

0,00

Contrapartida

7.1.2

Diretor de Produção

1

cachê

1

1.913,12

1.913,12

0,00

Contrapartida

7.2

1.760,00

1.660,00

Contrapartida

7.2.1

Material de divulgação Arte gráfica

1

arte

1

1.500,00

1.500,00

1.500,00

Orçamento

7.2.2

Convites lançamento

1

verba

1

100,00

100,00

0,00

Contrapartida

Banners

1

unidade

2

80,00

7.2.3 7.3

Tradução e legendagem

160,00

160,00

Orçamento

3.000,00

0,00

Contrapartida

7.3.1

Tradução: Inglês

1

tradução

1

300,00

300,00

0,00

Contrapartida

7.3.2

Tradução: Francês

1

tradução

1

300,00

300,00

0,00

Contrapartida

7.3.3

Tradução: Espanhol

1

tradução

1

300,00

300,00

0,00

Contrapartida

7.3.4

Legendagem para os 3 idiomas

1

legendagens

3

700,00

2.100,00

0,00

Contrapartida

4.200,00

0,00

Contrapartida

4.200,00

0,00

Contrapartida

5.700,00

0,00

Contrapartida

5.700,00

0,00

Contrapartida

7.4

Exibição 7.4.1

7.5

Sala de projeção

1

locação

1

4.200,00

Alimentação 7.5.1

Refeições Total

1

unidade

60

95,00

195.913,55

15.169,40


TABELA

s


CROnOGRAMA Tarefas Início do Projeto de Captação de Recursos Envio de Projeto para Lei de Incentivo Aprovação do Projeto Final da Captação Preparação Decupagem do Roteiro Análise Técnica do Roteiro Pesquisas Orçamento Definitivo Locações Teste de Elenco Pré-Produção Formação Equipe Técnica Cotação Câmeras Ensaio do Elenco Planta Baixa Produção Objetos e Cenário Produção Checagem de todos Itens para a Filmagem Filmagem Desprodução Devolução de Equipamento Preparação de Cartas Agradecimentos Pós-Produção Montagem Colorização Sonorização Trilha Sonora Finalização Som Mixagem Cópia DCP Lançamento Estréia Exibição festivais

Janeiro

2013

Fevereiro

Março

Abril

Maio

Junho

Julho

2014

Agosto

setembro

Outubro

Novembro

Dezembro

Janeiro

Fev- Dez


TABELA DE Filmagem Diária

1

Data

10.09.13

Efeito Dia Noite

Locação

5

Apartamento

4

Calçada do prédio

Dia

2

11.09.13

5

Apartamento

Noite

3

4 5

12.09.13

13.09.13

14.09.13

Dia

Dia

Dia

5

5

3

Apartamento

Apartamento

Empresa América

Noite

6

15.09.13

Dia

Ambiente

Personagens

9

Quarto de Eric

Eric

11

Cozinha

Eric, Dolores

6

Calçada

7

Hall

8

Sala

11

Cozinha

7

1

Restaurante Rua

16.09.13

Noite

Apartamento

17.09.13

Noite

5

Apartamento

Total de planos Ext.:

53

7

4

21,22

2 1

Eric

5

12

10

23,24,25,26

4

27

1

28

1

Santiago, Eric

6

13

1

8

Sala

Eric

7

14,15

2

9

Quarto de Eric

Eric

45

1

10

Corredor

46,47,48,49

4

8

Sala

12

Banheiro

12

Banheiro

8

Sala

5

Sala Gerencial

4

Salão principal

Eric, Dolores Eric, Santiago

20

50

1

21

52

1

22

53

1

Santiago

22

54,55

2

Eric, Santiago

23

56,57,58,59,60

5

Eric, Santiago, Dolores

21

51

1

12

29,31,30,32

4

Eric, Américo

15

38

1

Eric

4

9,1

2

2

Salão

Eric

2

2,3,5

3

3

Fachada

Eric, Santiago

3

6,7

2

2

Salão

8

1

1

Rua

1

1,4

2

14

37

1

8

8 9

Total de planos Int.:

17,18,19,20

Hall

Sala

Dia

8

1

Santiago, Dolores

Santiago Santiago

5

9

Total

16

11

Dia

7

8

Planos

Santiago

4 2

Eric, Santiago

Cena

Total de planos Dia: Total de planos Noite:

Sala Quarto de Eric

44 16

5

11

1

Santiago, Eric

17

40,41

2

Eric, Dolores

19

43,44

2

Santiago, Dolores

18

42

1

Eric, Dolores

16

Eric

13

Total de planos Santiago:

29

Total de planos Eric:

46

39

1

33,34,35

3

36

1

Observações

8 9

8 8 7 8 6 6

Total de planos Dolores:

18

Total de planos Américo:

5

Total: 60 planos


TABELA DE EsPAÇOs espaço: Locação

nº da locação: 1

Locação: Rua

Endereço: Bar Arpege: Rua Pedroso Alvarenga, 970 - Itaim Bibi

Total de planos: 2

Efeito

Cena

Planos

Total

Personagens

Roupa

Pertences

Maquiagem

Cenografia

Objetos

Elétrica

Maquinária

Câmera

Dia

1

1,4

2

Santiago

S1

Mochila

Barba por fazer

-

-

Gerador 1x HMI 4000 2x HMI 2000 2x HMI 575

Carro

Kit Red Básico

espaço: Locação

nº da locação: 2

Locação: Restaurante

Endereço: Bar Arpege: Rua Pedroso Alvarenga, 970 - Itaim Bibi

Efeito

Cena

Planos

Total

Personagens

Roupa

Pertences

Maquiagem

Dia

2

2,3,5

3

Eric

E6

Relógio

-

Eric

E6

Relógio

-

Santiago

S1

Mochila Relógio

Barba por fazer

Dia

3

6,7,8

espaço: Locação

3

nº da locação: 3

Locação: Empresa América

Cena

Planos

Total

Personagens

Roupa

Pertences

Maquiagem

Noite

4

9,1

2

Eric

E6

-

Olheiras

Dia

12

29,30,31,32

4

Eric

E7

-

-

Américo

A18

-

-

Dia

15

38

1

Eric

E8

-

-

Américo

A19

-

-

espaço: Locação

nº da locação: 4

Locação: Calçada do prédio

Cena

Planos

Total

Personagens

Roupa

Pertences

Maquiagem

Noite

5

12

1

Eric

E6

Duas malas

-

Santiago

S1

Violão Mochila Case Walkman

-

Eric

E7

Pasta

-

9

21,22

2

Objetos

Elétrica

Maquinária

Câmera

Mesa Eric Mesa Clientes Cadeiras Balcão Porta de vidro Janela

Conta Dinheiro Café

Kit FAAP completo Gerador 1x HMI 4000 2x HMI 2000 2x HMI 575

-

Kit Red Básico

Total de planos: 7

Cenografia

Objetos

Elétrica

Maquinária

Câmera

Mesa de trabalho Mesa de reunião Cadeiras Poltrona

Telefone Desenhos Folha de Revista

Kit FAAP Tungstênio Kit FAAP Completo

-

Kit Red Básico

Endereço: Rua Dr. Carvalho de Mendonça, 251 - Santa Cecília

Efeito

Dia

Cenografia

Endereço: Edifício Montreal: Av. Rouxinol, 1041 Sala 1008 - Moema

Efeito

Total de planos:6

Total

de planos: 3

Cenografia

Objetos

Elétrica

Maquinária

Câmera

Porta de entrada do prédio

Panfletos

Gerador 1x HMI 4000 2x HMI 2000 2x HMI 575

Carro

Kit Red Básico


espaço: Locação

nº da locação: 5

Locação: Apartamento de santiago

endereço: Rua Conselheiro Brotero, 730 Apto. 61 - santa Cecília

Pertences

Maquiagem

Efeito

Cena

Planos

Total

Personagens

Roupa

Noite

5

11

1

Santiago

S1

-

-

Santiago

S1

Violão Case Mochila

-

Eric

E6

Duas Malas

-

Eric

E6

Eric

E6/7

Dolores

D13

Santiago

S1

Dolores

D13

Noite

6

13

1

Noite

7

14,15

2

Dia

8

16,17, 18,19, 20

5

Dia

10

23,24, 25,26

4

Relógio Pasta Violão Case Mochila

Santiago

S1

Noite

13

33,34,35,36

4

Eric

E7

Pasta

Dia

14

37

1

Santiago

S2

-

Eric

F9

-

Dolores

D14

-

Santiago

S3

-

Eric

E9

-

Dolores

D15

Santiago

S4

17

40,41

2

Dia

18

42

1

Noite

19

43,44

2

Dia

20

45,46,47, 48,49,50

6

Dia

21

51,52

2

Dia Dia

22 23

53,54,55 56,57, 58,59, 60

3 5

Câmera

Elevador com janela na porta Escadas Cama Despensa Sofá Criado mudo Janela Geladeira Pia Porta do banheiro

Telefone Chave Capacho Bilhete Chocolate TV Lâmpada Louça suja Desenhos Telas Caderno Sacola Envelope Cartas Espelho Torneira

Kit FAAP completo

-

Kit Red Básico

-

2

Noite

Maquinária

-

27,28

1

Elétrica

-

11

39

Objetos

-

Dia

16

Cenografia

-

Violão Case Mochila

Noite

Total de planos: 42

Sacola

-

-

Eric

E10

Pasta

-

Dolores

D16

Bolsa

-

Eric

E11/12

-

Dolores

D17

-

Eric

E12

-

Dolores

D17

Cara pintada

Santiago

S5

Cara pintada

Santiago

S5

Cara pintada

Eric

E12

Cara pintada

Dolores

D17

Cara pintada

Santiago

S5

Cara pintada


tabela de AmBIEnTEs

Locação

Ambiente

Efeito

Cena

Planos

Quadros

1

Rua

1

Rua

Ext. Dia

1

1, 4

PM, PC

2

Restaurante

2

Salão

Int. Dia

2

2, 3, 5, 8

PM, PD, PC

3

Fachada

Ext. Dia

3

6, 7

PM, PC

Int. Noite

4

9, 10

PP, PC

Int. Dia

15

3, 8

PP, Tilt

Int. Dia

12

29, 30, 31, 32

PC, PM

Ext. Noite

5

12

PC, Travelling

Ext. Dia

9

21, 22

PM, PC

4

3

4

Salão Principal

Empresa América

Calçada do prédio

5

Sala Gerencial

6

Calçada do prédio


Locação

Ambiente

7

Hall da casa de Santiago

Efeito Int. Noite Int. Dia

Int. Noite

8

Sala da casa de Santiago Int. Dia

5

Casa de Santiago 9

Quarto de Eric

11

12

Corredor da casa de Santiago

Cozinha da casa de Santiago

Banheiro da casa de Santiago

Planos

Quadros

6

13

PC

10

23,24,25,26

PA,PM

18

42

PM

5

11

PC

7

14,15

PA, PC

13

33,34

Plongée, PP

16

39

PM

17

40,41

PM, PC PM

8

20

11

27

14

37

PD

18

42

PM

21

51,52

PC,PM

23

56,57,58,59,60

PC,PA,PP, Pan

Int. Tarde

19

43,44

Master,PC

Int. Noite

13

36

PD

8

16,17

PP,PM

Int. Dia

11

28

PM / Vigilância

20

45,46,47,48,49,50

PC,PP,PM

13

35

PM

17

40

PM

Int. Noite 10

Cena

Int. Dia

Int. Dia Int. Noite Int. Dia

8

17

PM

18

42

PM

20

45,46,47,48,49,50

PC,PP,PM

21

52

PM

8

17,18,19,20

PM,PP

11

28

13

34

PP

17

40

PM

22

53,54,55

PM, plongée, PP


tabela de PERsOnAGEM Personagem

santiago

eric

Dolores

Marquito Américo

nº da Roupa

Pertences

Descrição *

OBs

S1

-Mochila, Relógio

Barba por fazer

Figuração - Rua

S2

Telefone, revistas, latas de tinta, TV

-

Amigos na casa

S3

Pertences deixados pelo caminho

-

Garota morena de cabelos ondulados

S4

Caderno

-

-

S5

Baseado

Cara pintada, sangue no rosto

Amigos na casa

E6

Café, Relógio, conta, dinheiro

Olheiras

Figuração - Café/ Garçom/ Gerente

E7

Pasta

-

-

E8

Desenhos, folhas de revistas

-

-

E9

Caderno de Santiago

-

-

E10

Pasta de trabalho, Envelope

-

Doleres com a camiseta do figurino anterior de santiago

E11

Envelope, cerveja

Descabelado, pijama samba-canção

Amigos na casa

E12

Baseado

Cara pintada

Amigos na casa

D13

Chocolate

Camisa do grupo NAFOTO, ponta do nariz suja

Dolores está suja de chocolate

D14

Desenhos de Santiago

-

-

D15

Sacola, fotos

-

-

D16 (S4)

Preservativos, bolsa

Descabelada, tinta na cara

-

D17

Envelope, cerveja, cigarro

Cara pintada

Amigos na casa

M20

Panfletos

-

-

A18

-

Ligeiramente calvo

-

A19

Desenhos, folhas de revistas

-

-


tabela de FIGURIno sAnTIAGO

CEnA N째

1

S1

X

2

3

4

X

5

6

X

X

7

8

9

10

11

X

X

X

12

13

14

15

16

17

18

19

20

X

X

X

X

X

X

X X

X

X

ERIC

X

X

X X

E8

X

E9

X X

E10 E11 E12

X

D13

DOLORES

X

X

S4

E7

X X

X

X

X

X

X

X X

D14

X

D15

X

D16 (S4) D17

AM

23

X

S3

S5

M

22

X

S2

E6

21

X

A18

X

A19

X

M20 DIA 1

DIA 2

D3

DIA 4

DIA 5

DIA 6


ordem do dia

Data: 10.09.13 - Ter.

Diária Nº: 1

Início da Diária: 08:30

Locação: Rua Conselheiro Brotero, 730 Apto. 61 - Santa Cecília Refeição: 13:30

Retomada: 15:20

Previsão do tempo: Min.: 14ºC / Máx.: 24ºC

Término da Diária: 20:30

Nascer do Sol: 06:09

Pôr do Sol: 17:59

Hospital mais próximo: Hospital Santa Cecília: Praça Marechal Deodoro, 151 - Santa Cecília (500m) Equipe

Chegada

Saída

Elenco

SWF

Chegada

Make-up

Saída

Direção

08:30

20:30

1

Santiago

SW

14:40

15:00

18:00

Fotografia

08:30

20:30

2

Eric

SW

08:40

09:00

19:30

Arte

08:30

20:30

3

Dolores

SW

09:20

09:40

13:30

Produção

08:30

20:30

4

Marquito

SWF

14:40

15:00

18:00

Som

08:30

20:30

Qnt.

Make-up

09:00

19:30

18:15

19:30

Figuração

1

Cronograma

Passante

SWF

Resumo da ação

18:00

Hora

Cena

Plano

Elenco

Quadro

09:20

8

16

2

PP

Eric acorda

Fig. N

10:00

8

17

2,3

PM

Eric vai até a cozinha e vê Dolores

N

11:00

8

18

2

PP

Reação de Eric

N

11:40

8

19

3

PP

Reação de Dolores

N

12:20

8

20

2,3

PM

Eles conversam

N

Observações Gerais

Master

Almoço/Mudança de Locação (R. Dr. Carvalho de Mendonça, 251)

13:30 15:20

9

21

1,2,4

PM

Santiago e Marquito conversam, Eric passa

S

Master

16:40

9

22

1,2,4

PM

Santiago e Marquito conversam, Eric passa

S

Master

5

12

2

PC

N

Travelling

Troca de figurino

18:00 18:30

Eric anda na rua Desprodução

19:30

Notas de Filmagem Arte: Passar figurino E6 para o plano 12 Produção: Transporte da equipe de uma locação para a outra

equipe 1ª Assistente de direção Produtora Diretor de Fotografia Diretor de Arte Diretora de Som Diretora

Nicolle Reuter

(11) 99786-3639

(11) 5531-0819

Bianca Konstantyner

(11) 99857-0215

(11) 7717-2153

Bruno Rezende

(11) 99487-7772

Guilherme Carnaúba

(11) 98296-6789

(11) 2384-0787

Renata Kochen

(11) 99109-4913

(11) 3569-4948

Tereza Temer

(11) 98585-6789 Canais de rádio

Cabeças: 1

Direção: 2

Produção: 3

Fotografia: 4

Arte: 5

Som: 6


Data:11.09.13 - Qua.

Diária Nº: 2

Locação: Rua Conselheiro Brotero, 730 Apto. 61 - Santa Cecília

Início da Diária: 09:30

Refeição: 14:00

Retomada:15:00

Término da Diária: 21:30

Previsão do tempo: Min.: 14ºC / Máx.: 24ºC

Nascer do Sol: 06:08

Pôr do Sol: 18:00

Hospital mais próximo: Hospital Santa Cecília: Praça Marechal Deodoro, 151 - Santa Cecília (500m) Equipe

Chegada:

Saída

Elenco

SWF

Chegada

Make-up

Saída

Direção

09:30

21:30

1

Santiago

W

09:40

10:00

18:30

Fotografia

09:30

21:30

2

Eric

W

16:20

16:40

20:30

Arte

09:30

21:30

3

Dolores

W

09:40

10:00

14:00

Produção

09:30

21:30

Qnt.

Figuração

Som

09:40

21:30

-

-

-

-

-

-

Make-up

10:00

20:30

-

-

-

-

-

-

Cronograma

Hora

Cena

Plano

Elenco

Quadro

Resumo da ação

Fig.

Observações Gerais

10:20

10

23

1,3

PA

Dolores e Santiago se cruzam

N

Master

11:40

10

24

1,3

PA

Dolores e Santiago se cruzam

N

Master

12:00

10

25

1,3

OTS

Eles conversam pela janelinha

N

Master

13:00

10

26

1,3

OTS

Eles conversam pela janelinha

N

Master

Almoço

14:00 15:00

11

27

1

Santiago entra na casa

N

16:00

11

28

1

17:00

6

13

1,2

PM

Santiago olha o quarto de Eric

N

PC

Santiago e Eric se desencontram

N

18:30

7

14

2

PA/PM

19:30

7

15

2

PC

Eric entra e observa a casa

N

Eric olha ao redor

N

Desprodução

20:30

Notas de Filmagem Foto: Falsear noite no hall durante os planos 27 e 28

Equipe 1ª Assistente de direção Produtora Diretor de Fotografia Diretor de Arte Diretora de Som Diretora

Nicolle Reuter

(11) 99786-3639

(11) 5531-0819

Bianca Konstantyner

(11) 99857-0215

(11) 7717-2153

Bruno Rezende

(11) 99487-7772

Guilherme Carnaúba

(11) 98296-6789

(11) 2384-0787

Renata Kochen

(11) 99109-4913

(11) 3569-4948

Tereza Temer

(11) 98585-6789 Canais de rádio

Cabeças: 1

Direção: 2

Produção: 3

Fotografia: 4

Arte: 5

Som: 6


Data: 2.09.13 - Qui.

Diária Nº: 3

Início da Diária: 07:00

Locação: Rua Conselheiro Brotero, 730 Apto. 61 - Santa Cecília

Refeição: 14:20

Retomada: 15:20

Previsão do tempo: Min.: 14ºC / Máx.: 24ºC

Término da Diária: 18:30

Nascer do Sol: 06:07

Pôr do Sol: 18:00

Hospital mais próximo: Hospital Santa Cecília: Praça Marechal Deodoro, 151 - Santa Cecília (500m) Equipe

Chegada

Saída

Elenco

SWF

Chegada

Make-up

Saída

Direção

08:00

18:30

2

Eric

W

08:30

08:45

17:30

Fotografia

07:00

18:30

3

Dolores

W

09:30

09:50

14:20

Arte

07:00

18:30

1

Santiago

W

15:00

15:15

17:30

Produção

08:00

18:30

Qnt.

Figuração

Som

08:00

18:30

1

Jovem

SWF

09:00

09:20

12:00

Make-up

08:30

17:30

4

Jovens

SWF

09:20

09:40

12:00

Hora

Cena

Plano

Cronograma

Elenco

Quadro

Resumo da ação

Fig.

09:00

20

45

2

PC

Eric Acorda

N

09:40

20

46

2

PP

Eric abre a porta e olha a sala

S

Observações Gerais

10:20

20

47

2,3

PM

Dolores passa e chama Eric

S

Gravar som separado

11:20

20

48

2,3

PM

Eric e Dolores conversam

N

Master Master

12:20

20

49

2,3

PM

Eric e Dolores conversam

N

13:20

20

50

2,3

PC

Eric e Dolores vão para a sala

N

14:20

Almoço

15:20

Troca de maquiagem

15:30

21

52

1,2

16:30

22

53

1,2

PM

Os dois se esbarram no banheiro

N

Santiago fecha a porta

N

Desprodução

17:30

Notas de Filmagem Make-up/Cont.: Registrar muito a tinta dos personagens para reproduzir na diária seguinte

Equipe 1ª Assistente de direção Produtora Diretor de Fotografia Diretor de Arte Diretora de Som Diretora

Nicolle Reuter

(11) 99786-3639

(11) 5531-0819

Bianca Konstantyner

(11) 99857-0215

(11) 7717-2153

Bruno Rezende

(11) 99487-7772

Guilherme Carnaúba

(11) 98296-6789

(11) 2384-0787

Renata Kochen

(11) 99109-4913

(11) 3569-4948

Tereza Temer

(11) 98585-6789 Canais de rádio

Cabeças: 1

Direção: 2

Produção: 3

Fotografia: 4

Arte: 6


Data: 13.09.13 - Sex.

Diária Nº: 4

Início da Diária: 07:30

Locação: Rua Conselheiro Brotero, 730 Apto. 61 - Santa Cecília

Refeição: 14:30

Retomada: 15:30

Previsão do tempo: Min.: 14ºC / Máx.: 24ºC

Término da Diária: 18:30

Nascer do Sol: 06:06

Pôr do Sol: 18:00

Hospital mais próximo: Hospital Santa Cecília: Praça Marechal Deodoro, 151 - Santa Cecília (500m) Equipe

Chegada

Saída

Elenco

SWF

Chegada

Make-up

Saída

Direção

07:30

18:30

1

Santiago

W

08:00

08:15

17:30

Fotografia

07:30

18:30

2

Eric

W

10:00

10:15

17:30

Arte

07:30

18:30

3

Dolores

W

10:00

10:15

16:30

Produção

08:00

18:30

Qnt.

Som

08:00

18:30

6

Jovens

SWF

09:50

10:00

16:30

Make-up

08:00

17:30

-

-

-

-

-

-

Hora

Cena

Plano

Elenco

08:30

22

54

1

09:30

22

55

1

10:30

23

56

2,3

Cronograma Quadro

Figuração

Resumo da ação

Fig.

Santiago tenta tirar a tinta

N

PP

Santiago tenta tirar a tinta

N

PC

Jovens jogados na sala

S

11:40

23

57

1,2

PA

Santiago volta, os jovens falam

S

12:50

23

58

1

PP

Santiago reprime Dolores

S

13:30

23

59

3

PA

Dolores chama os jovens

S

15:30

21

51

1,2,3

PC/PM

Jovens chegam na casa

S

16:30

23

60

1,2

PC

Eric e Santiago se conhecem

N

Observações Gerais

Almoço

14:30

Desprodução

17:30

Notas de Filmagem Produção: Comida para todos os figurantes

Equipe 1ª Assistente de direção

Nicolle Reuter

(11) 99786-3639

(11) 5531-0819

Produtora

Bianca Konstantyner

(11) 99857-0215

(11) 7717-2153

Diretor de Fotografia

Bruno Rezende

(11) 99487-7772

Diretor de Arte

Guilherme Carnaúba

(11) 98296-6789

(11) 2384-0787

Diretora de Som

Renata Kochen

(11) 99109-4913

(11) 3569-4948

Diretora

Tereza Temer

(11) 98585-6789 Canais de rádio

Cabeças: 1

Direção: 2

Produção: 3

Fotografia: 4

Arte: 5

Som: 6


Data: 14.09.13 - Sáb.

Diária Nº: 5

Início da Diária: 11:30

Locação: Edifício Montreal: Av. Rouxinol, 1041 Sala 1008 - Moema

Refeição: 18:00

Retomada: 19:00

Previsão do tempo: Min.: 14ºC / Máx.: 24ºC

Término da Diária: 21:30

Nascer do Sol: 06:05

Pôr do Sol: 18:01

Hospital mais próximo: AGH Serviços Médicos: Av. Jurucê, 70 - Moema (260m) Equipe

Chegada

Saída

Elenco

SWF

Chegada

Make-up

Saída

Direção

11:30

21:30

2

Eric

W

12:10

12:30

20:40

Fotografia

11:30

21:30

4

Américo

SWF

12:10

12:30

18:00

Arte

11:30

21:30

Qnt.

Figuração

Produção

12:00

21:30

-

-

-

-

-

-

Som

12:00

21:30

-

-

-

-

-

-

Make-up

12:00

20:40

-

-

-

-

-

-

Cronograma

Hora

Cena

Plano

Elenco

Quadro

Fig.

Observações Gerais

13:00

12

29

2,4

PC

Resumo da ação Américo fala

N

Master

14:00

12

31

2,4

PM

Américo fala

N

Master

15:00

12

30

2,4

PM

Eric fala

N

Master

16:00

12

32

2,4

PM

Eric fala

N

Master

17:00

15

38

2,4

PP

Américo avalia os desenhos

N

Jantar

18:00 19:00

4

9

2

PP

Eric desenha

N

19:50

4

10

2

PC

Eric atende o telefone

N

Desprodução

20:40

Notas de Filmagem Produção: Lanche reforçado no início da diária, pois não haverá almoço. Foto: Almoçar em 40 minutos para adiantar a montagem do plano 9. Direção: Fazer master em todos os planos do diálogo.

Equipe 1ª Assistente de direção Produtora Diretor de Fotografia Diretor de Arte Diretora de Som Diretora

Nicolle Reuter

(11) 99786-3639

(11) 5531-0819

Bianca Konstantyner

(11) 99857-0215

(11) 7717-2153

Bruno Rezende

(11) 99487-7772

Guilherme Carnaúba

(11) 98296-6789

(11) 2384-0787

Renata Kochen

(11) 99109-4913

(11) 3569-4948

Tereza Temer

(11) 98585-6789 Canais de rádio

Cabeças: 1

Direção: 2

Produção: 3

Fotografia: 4

Arte: 5

Som: 6


Data:15.09.13 - Dom.

Diária Nº: 6

Início da Diária: 07:00

Locação: Bar Arpege: Rua Pedroso Alvarenga, 970 - Itaim Bibi

Refeição: 13:30

Retomada: 14:30

Previsão do tempo: Min.: 14ºC / Máx.: 24ºC

Término da Diária: 19:00

Nascer do Sol: 06:04

Pôr do Sol: 18:01

Hospital mais próximo: Multiclin Serviços Médicos: R. Prof. Carlos de Carvalho, 164 - Itaim Bibi (200m) Equipe

Chegada

Saída

Elenco

SWF

Chegada

Make-up

Saída

Direção

05:30

17:00

1

Santiago

W

08:20

08:40

17:00

Fotografia

05:30

17:00

2

Eric

W

06:00

06:15

12:00

Arte

05:30

17:00

Qnt.

Arte Extra

05:30

08:00

1

Garçom

SWF

06:40

07:00

12:00

Produção

05:30

17:00

1

Gerente

SWF

06:40

07:00

12:00

Som

06:00

17:00

5

Clientes

SWF

06:40

07:00

12:00

Make-up

06:00

16:00

3

Passantes

SWF

12:20

12:40

16:00

Cronograma

Hora

Cena

Plano

Elenco

Quadro

06:30

2

2

2

PM

07:20

2

3

2

PD/PM

08:10

2

5

2

09:00

3

6

1,2

10:00

3

7

1,2

11:00

3

8

1

13:00

1

1

14:00

1

4

Figuração

Resumo da ação

Fig.

Eric olha no relógio

N

Eric vai até a saída, mas volta

S

PC

Eric vai para a saída

S

PM

Santiago e Eric trombam

S

PC

Santiago e Eric trombam

S

PC

Santiago entra e senta

S

1

PM

Santiago andando na rua

S

1

PC

Santiago correndo na rua

S

Observações Gerais

Almoço

12:00

Travelling

Desprodução

16:00

Notas de Filmagem Arte: Equipe extra para ajudar no Dressing e no Make-up dos figurantes. Dispensar em seguida. Direção: O rosto do garçom não aparece. Usar figurante repetido. Foto: Travelling no carro. Produção: Fechar a rua para o travelling (Alternativa: Rua Carla).

Equipe 1ª Assistente de direção

Nicolle Reuter

(11) 99786-3639

(11) 5531-0819

Produtora

Bianca Konstantyner

(11) 99857-0215

(11) 7717-2153

Diretor de Fotografia

Bruno Rezende

(11) 99487-7772

Diretor de Arte

Guilherme Carnaúba

(11) 98296-6789

(11) 2384-0787

Diretora de Som

Renata Kochen

(11) 99109-4913

(11) 3569-4948

Diretora

Tereza Temer

(11) 98585-6789 Canais de rádio

Cabeças:1

Direção: 2

Produção: 3

Fotografia: 4

Arte: 5

Som: 6


Data: 16.09.13 - Seg.

Diária Nº: 7

Início da Diária: 6:00

Locação: Rua Conselheiro Brotero, 730 Apto. 61 - Santa Cecília

Refeição: 18:00

Retomada: 19:15

Previsão do tempo: Min.: 14ºC / Máx.: 24ºC

Término da Diária: 00:30

Nascer do Sol: 6:03

Pôr do Sol: 18:01

Hospital mais próximo: Hospital Santa Cecília: Praça Marechal Deodoro, 151 - Santa Cecília (500m) Equipe

Chegada

Saída

Elenco

SWF

Chegada

Make-up

Saída

Direção

16:00

00:30

1

Santiago

W

16:20

16:40

21:30

Fotografia

16:00

00:30

2

Eric

W

19:20

19:40

23:30

Arte

16:00

00:30

3

Dolores

W

20:50

21:10

23:30

Produção

16:00

00:30

Qnt.

Som

16:30

00:30

2

Amigos

SWF

16:20

16:40

18:00

Make-up

16:30

23:30

Cronograma

1

Morena

SWF

19:20

19:40

21:30

Hora

Cena

Plano

Elenco

Quadro

17:00

14

37

1

PD

Figuração

Resumo da ação Santiago fala com o pai

18:00

Jantar

19:00

Troca de figurino

19:15

5

11

1

PC

Santiago fala com Eric

19:45

Fig..

Observações Gerais

S

Figurantes com fala - ensaiar

N Troca de figurino

20:00

17

40

1,2

PM

Santiago chega com a menina

S

Master

21:00

17

41

1

PC

Santiago estranha a lampada acender

S

Insert

Eric procura o envelope, Dolores entra

N

Master

PC

Eric procura o envelope, Dolores entra

N

Master (contraplano)

21:30

19

43

2,3

22:30

19

44

2,3

Desprodução

23:30

Notas de Filmagem Arte: Organizar as trocas de figurino, o Santiago usa 3 figurinos na diária. Todos: Caso haja atraso ou planos de outras diárias para filmar, o plano 11 cai. Em seguida o 41.

Equipe 1ª Assistente de direção Produtora Diretor de Fotografia Diretor de Arte Diretora de Som Diretora

Nicolle Reuter

(11) 99786-3639

(11) 5531-0819

Bianca Konstantyner

(11) 99857-0215

(11) 7717-2153

Bruno Rezende

(11) 99487-7772

Guilherme Carnaúba

(11) 98296-6789

(11) 2384-0787

Renata Kochen

(11) 99109-4913

(11) 3569-4948

Tereza Temer

(11) 98585-6789 Canais de rádio

Cabeças: 1

Direção: 2

Produção: 3

Fotografia: 4

Arte: 5

Som: 6


Data: 17.09.13 - Ter.

Diária Nº: 8

Início da Diária: 16:00

Locação: Rua Conselheiro Brotero, 730 Apto. 61 - Santa Cecília

Refeição: 18:00

Retomada: 19:15

Previsão do tempo: Min.: 14ºC / Máx.: 24ºC

Término da Diária: 01:00

Nascer do Sol: 06:02

Pôr do Sol: 18:02

Hospital mais próximo: Hospital Santa Cecília: Praça Marechal Deodoro, 151 - Santa Cecília (500m) Equipe

Chegada

Saída

Elenco

SWF

Chegada

Make-up

Saída

Direção

16:00

01:00

1

Santiago

WF

16:20

16:40

18:00

Fotografia

16:00

01:00

2

Eric

WF

18:35

18:55

00:00

Dolores

WF

16:20

16:40

20:15

Arte

16:00

01:00

3

Produção

16:00

01:00

Qnt.

Som

16:30

01:00

-

-

-

-

-

-

Make-up

16:30

00:00

-

-

-

-

-

-

Cronograma

Figuração

Hora

Cena

Plano

Elenco

Quadro

Resumo da ação

Fig.

17:00

18

42

1,3

PM

Dolores e Santiago conversam

N

18:00

Jantar

19:00 19:15

Observações Gerais

Troca de figurino 16

39

2,3

PM

Eric e Dolores na TV, ele vê os quadros

20:30

13

33

2

PP

Eric entra na casa

N

21:30

13

34

2

PP

Eric esbarra na lata de cerveja

N

22:20

13

35

2

PM

Eric escorrega no panfleto

N

23:10

13

36

2

PD

Eric vê o bilhete no quarto

N

20:15

N

Troca de figurino

00:00

Desprodução

Equipe 1ª Assistente de direção Produtora Diretor de Fotografia Diretor de Arte Diretora de Som Diretora

Nicolle Reuter

(11) 99786-3639

(11) 5531-0819

Bianca Konstantyner

(11) 99857-0215

(11) 7717-2153

Bruno Rezende

(11) 99487-7772

Guilherme Carnaúba

(11) 98296-6789

(11) 2384-0787

Renata Kochen

(11) 99109-4913

(11) 3569-4948

Tereza Temer

(11) 98585-6789 Canais de rádio

Cabeças: 1

Direção:2

Produção: 3

Fotografia: 4

Arte: 5

Som: 6

Plongee


AnÁLIsE TÉCnICA


Contatos Nome

Função

Endereço

E-mail

Maria Tereza Temer Cursino

Direção

R. Apinajés, 1394 apto. 12 - Sumaré

zazatemer@gmail.com

Bianca Konstantyner

Produção

Rua Dr. José Manuel, 87 apto. 141 - Santa Cecília

bikonsty@hotmail.com

Bruno Horowicz Rezende

Fotografia

R. Prof. Vahia de Abreu 622 apto. 91 - Moema

brunohoro@gmail.com

Renata Frayha Kochen

Diretora de Som

R. Inhambu 902, apto. 33B - Moema

renatakochen@uol.com.br

Guilherme Amaral Carnaúba

Diretor de Arte

R. Dr. Veiga Filho, 815, apto. 32 - Santa Cecília

guicarnauba@hotmail.com

Nicolle Biancardini Reuter

Montagem

Av. Rouxinol, 201 apto. 161 - Moema

nireuter@gmail.com

Nicolle Biancardini Reuter

1ª Ass. de Direção

Av. Rouxinol, 201 apto. 161 - Moema

nireuter@gmail.com

Leandro Carnaúba Lobo

2ª Ass. de Direção

Rua General Jardim, 595, apto. 25 - Consolação

leoolobo@homtail.com

Robson Travassos

Produtor de SET

Rua Piauí, 305, apto. 33 - Higienópolis

robson_rtrt@hotmail.com

Ana Lara Demartini Brito

1º Assistente de Produção

R. Dr. Albuquerque Lins, 579 - Santa Cecilia, São Paulo

lara_anadb@hotmail.com

Hugo Sant'ana Lima

Assistente de Produção

R. Dr. Veiga Filho, 61 ap. 82 - Santa Cecília

hugo_s_lima@hotmail.com

João Lucas Carvalho

Chefe de Elétrica

Rua Aldo de Azevedo, 119

oaolucas.carvalho.7@facebook.com

Luis Felipe Monte Cipullo

Chefe de Maquinaria

Rua Rio Grande do Sul 590 ap 42, São Caetano do Sul

luis.cipullo@facebook.com

Diogo Pacífico

1º Ass. de Câmera

Rua da Consolação, 3143, apto. 42

diogodlmp@gmail.com

Marina Telles

2ª Ass. de Câmera

Rua Piaui, 471, apto. 2B

marina.laratelles@gmail.com

Luisa Morégola da Costa Neves

1º Assistente de Arte

Rua Paulo Orozimbo, 759, apto. 11 - Cambuci

lu_neves_74@hotmail.com

Amanda Souza Biagiotti

2ª Assistente de Arte

Rua Bela Cintra, 435, apto. 103 - Consolação

amandinhabiagiotti@gmail.com

Stela Aguiar Carneiro Ferreira

3ª Assistente de Arte

Rua Maria Antônia, 384, apto. 811 - Consolação

stela.aguiar.cf@gmail.com

Paula Vidal Dizioli Fernandes

Maquiadora

Rua Afonso Pena, 352, apto. 43 - Bom Retiro

paulavidaldizioli@gmail.com

Lívia Rett de Moares

Figurinista

Rua Dr. Veiga Filho, 122, apto. 601 - Santa Cecília

liviarmoraes@hotmail.com

Ass. De Som

Rua Padre Agostinho Mendicute, 61

bruno.mariz.71@facebook.com

Equipe de Direção

Equipe de Produção

Equipe de Fotografia

Equipe de Arte

Equipe de Som Bruno Mariz


Telefone

Celular

Operadora

Semestre

RG

CPF

MatrĂ­cula FAAP

Carro

Placa

(11) 2389-1863

(11) 98585-6789

Tim

8 Cinema

48508807-1

366.035.688-37

41015241

Sandero

EYJ8789

(11) 2362-9987

(11) 99857-0215

Vivo

8 Cinema

38173968-5

409.410.488-70

41011394

(11) 3846-0294

(11) 99487-7772

8 Cinema

39.501.069 - X

371.555.668-45

41014814

Peugeot 207

EIO7492

(11) 3569-4948

(11) 99109-4913

8 Cinema

38.890.444 - 6

407.452.668-94

41013321

(11) 2384-0787

(11) 98296-6789

Tim

8 Cinema

35.739.138 - X

399.840.098-23

41010622

-

-

(11) 5531-0819

(11) 99786-3639

Claro

8 Cinema

37 161 300 - 0

383 203 818-35

41011483

Fox

NJR1992

(11) 5531-0819

(11) 99786-3639

Claro

8 Cinema

37 161 300 - 0

383 203 818-35

41011483

Fox

NJR1992

-

(82) 9922-7449

Tim

3 Cinema

16 103 12

075.197.944-90

41210621

-

-

-

(83) 99861838

Tim

3 Cinema

3211017

41210664

-

-

-

(15)81191647

5 Cinema

35551734-5

428387298-96

41110521

-

-

-

(17) 8155-0797

3 Cinema

42 247 815 - 5

415.277.818-01

41214481

-

-

(11) 99626-4245

5 Cinema

34422846-0

410.334.878-08

41112352

Clio

DNA-5410

-

(11) 97618-7270

3 Cinema

39.258.434-7

442.561.298-12

41215852

-

-

-

(11) 99648-3307

5 Cinema

35.820.373-9

402.058.488-50

41111798

-

-

(11) 3256-8060

(11) 98612-9936

3 Cinema

39.026.165-8

418.830.898-24

41210397

Uno

EJG 8285

Tim

(11) 5539-4999

(11) 97645-3424

Oi

5 Cinema

38.357.501-1

41011194

-

-

-

(11) 99874-7317

Vivo

6 Cinema

49.741.007-2

231.748.648-01

41022051

-

-

-

(11) 95335-9599

Tim

3 Cinema

35.538.93-7

084.081.204-33

41214546

-

-

(11) 2985-2267

(11) 96374-1010

Claro

-

49.463.080-2

412.190.578-43

-

-

-

(19) 3207-1367

(19) 9130-6230

Claro

6 Moda

38.182.906-6

370.207.998-09

51020952

-

-

(11) 3868-3441

(11) 98962-0911

5 cinema

36264194-8

396.547.828-12

41111550

-

-



Os caras