Page 1

Desde 2006 - Edição 221 - Sábado, 2 de Outubro de 2021 - Barroso/MG - Distribuição Gratuita

DEPRESSÃO Precisamos falar sobre isso!

Levantamento exclusivo e inédito mostra que, somente este ano, 20 barrosenses tentaram tirar a própria vida. No ano passado, foram 25 pessoas. Páginas 4 e 5


Outubro

barrosoemdia.com.br

2021

Editorial “Precisamos falar sobre isso!” Essa é a manchete desta edição de outubro, dias depois do fim da campanha Setembro Amarelo. E realmente, por mais tabu que seja, temos que falar sobre o assunto. Diante dos números apresentados à reportagem pela Polícia Militar de Barroso, decidimos falar de forma responsável e muito cuidadosa. Cuidado para não expor as pessoas, as vítimas, enfim, cuidado para não fantasiar e adjetivar um assunto tão importante, mas que precisa ser abordado. O fato de termos mais de 40 tentativas de autoextermínio em dois anos em uma cidade com pouco mais de 20 mil habitantes nos faz acender, de fato, o sinal “Setembro, Outubro, Novembro, Dezembro e todos os outros meses Amarelo. Justamente para que não cheguemos no sinal vermelho, resolvemos falar e escrever sobre o assunto. O intuito é falar para prevenir. É preciso tocar no assunto. É preciso ouvir profissionais. É preciso mostrar que existem mecanismos de defesa. E é neste sentido que o nosso jornalismo quer atuar, ou seja, como forma de prevenção, sem expor vítimas e famílias, mas chamar para o diálogo, para a discussão sobre o assunto. Temos que falar! Os números, que não retratam a realidade, na verdade eles são bem maiores, nos faz refletir sobre a questão e nos leva a tentar ajudar famílias e salvar vidas.

Atualidades

Gian Brandão

“Obras debaixo da terra não dão votos”

O título desta coluna transformou-se em um dito popular há décadas. De fato, ao que parece, nossos governantes não são muito “ligados” à realização de obras de infra-estrutura. Analisando nossa cidade de Barroso, vemos que várias obras foram realizadas nos últimos 30 anos: escolas, creches, pontes, passarelas, dentre outras. Mas, se não me engano, a última grande obra de infra-estrutura realizada pela administração pública municipal foi a canalização do Córrego da Avenida Carlos Alberto, o famoso “Canal”, que, diga-se, apesar de ter quase 35 anos, ainda não foi concluído (faltam corrimões, pontes com passagem para apenas um carro, mal cheiro que nunca termina, etc.). Não se desconhece a existência de obras pontuais ocorridas no município, como a construção de redes de esgoto e pluvial em alguns bairros da cidade. Mas, ao que parece, o problema é muito maior. Somente neste ano de 2021, tivemos três grandes problemas relacionados a “obras debaixo da terra”: o desabamento de parte da pista da Rodoviária; a abertura de uma cratera na rua João Santiago (Rua dos Correios); e, a última, uma nova (ou velha, melhor dizendo) inundação da praça Salvador da Silva e Rua Daniel Pantaleão, em virtude das chuvas ocorridas no fim de setembro. Os dois primeiros eventos demonstram que a rede pluvial da cidade precisa de urgente intervenção. São obras que não aparecem, mas que precisam ser realizadas com celeridade. A manutenção de ruas, de redes pluviais e esgotamento sanitário são medidas que devem ser feitas com recorrência, para que efeitos mais graves não ocorram, como foi o caso da Rodoviária e Rua dos Correios. Mas, o problema havido na Praça Salvador da Silva e na Rua Daniel Pantaleão é o mais caótico. Há anos (ou décadas?) o problema se repete. Qualquer chuva mais forte inunda as ruas e a água invade pontos comerciais e residências. Existe um bueiro nas proximidades do Trailler que jorra água como se fosse um “chafariz”, dando mostras de que a rede pluvial existente não mais comporta o escoamento da água que chega naquele local. A Praça Salvador da Silva, e suas imediações, é a parte mais baixa do centro da cidade, fazendo com que toda a água que vem da parte alta seja canalizada para aquele local. E está claro que a rede não mais suporta mais a pressão da água, haja vista inúmeras construções hoje havidas e a falta de áreas de drenagem em virtude de tais construções. Ou seja, algo precisa ser feito para que referidos problemas sejam minorados. Os prejuízos dos comerciantes se avolumam. E o que vemos é que o Poder Público sempre comparece ao local para recolocar os briquetes... Mas o problema principal, que é a falta de escoamento subterrâneo, continua. Como se não bastasse, no fim de semana do dia 26 de setembro, aconteceu o que já era previsto... A Avenida Prefeito Genésio Graçano foi tomada por lama após a chuva. Era um evento esperado... Os loteamentos e construções que estão sendo feitos naquela região, com grande movimentação de terra, acabam sendo “lavados” pela chuva. E quando isso ocorre, a água barrenta acaba concentrandose na Avenida, mais precisamente nas proximidades do Clube Recreativo Barrosense, onde se forma uma verdadeira “lagoa”, que, após secar, deixa a Avenida imunda e intrafegável, seja pelo barro, seja pela poeira. E pior, o barro se avoluma no estacionamento do CRB e traz enormes prejuízos a seus usuários. Não se está aqui atribuindo culpa aos loteadores. De modo algum. A discussão é trazida para que a sociedade, capitaneada pelo Poder Público municipal, possa tomar atitudes para que eventos como esse não ocorram mais. Ou, pelo menos, não se repitam com tanta frequência. Olhar para a infra-estrutura é tão importante quanto fazer obras belas aos olhos da sociedade. De fato, nossa cidade, a princípio, não precisa de novas escolas, Postos de Saúde ou creches. Os existentes, se bem geridos, são suficientes para atendimento à população. Mas as obras de infra-estrutura são urgentes e, ainda que “não dêem voto”, são de extrema necessidade para a população barrosense. Fica aqui uma dica: que as emendas parlamentares de nossos vereadores sejam realizadas também em benefício de obras sanitárias, que, afinal, tem relação direta com a saúde, já que água limpa, esgoto tratado e escoamento correto da rede pluvial são inegáveis predicados para o bem estar de todos os cidadãos. Oxalá um dia nossos governantes possam pensar mais no hoje, no bem do povo, do que nas próximas eleições. EXPEDIENTE - PÁGINA DE OPINIÃO

www.barrosoemdia.com.br Barroso/MG Telefone: (32) 9.9199-1575 - WhatsApp

Co-fundador: Antônio Marcos Pinto (in memoriam) Editor Chefe/Jornalista responsável: Bruno Ferreira - 11.558/MG CNPJ: 12.772.555/0001-30 (E.I.) - Tiragem: 1.000 exemplares Colaborador: Gian Brandão E-mail: barrosoemdia@yahoo.com.br facebook.com/barrosoemdia / twitter/@barrosoemdia Instagram: @jornalbarrosoemdia

2

Menos Andão, bem menos! Soltar foguetes para inauguração de um buraco que foi tampado? Menos prefeito, menos! Imagina quando vocês inaugurarem uma escola? Vai ficar igual Revéillon de Copacabana isso aqui! Mas, parabéns pela transparência. Pelo menos tá trabalhando e tampando o buraco dos outros! E assim ficam concluídas as obras do metrô em Barroso: Estação Rodoviária, Estação Correios e ligação com a Estação Pinguela! Aliás, a Pinguela tá igual a Ponte Rio/Niterói: virou atrativo turístico da cidade. Dizem que até o Bardola tá querendo passar de cavalo lá! E a qualidade da Pinguela foi aprovada! Passaram por ela juntos prefeito e vice!

João?

Teve um caminhoneiro de fora que levou essa história de feita em cal, em cimento e amor a sério, hein! Despejou cal na entrada do Distrito Industrial. Agora já tem gente falando que são as obras da Atalaia que começaram! Ou então que os frangos são alimentados por cal. Eu já não sei de mais nada! Só quero saber dos 800 empregos que os governantes anteriores prometeram. É muita cara de pau! Neste caso aí a gente manda ir aonde: Guimarães ou Santa Maria? Boa pergunta, né?! Quando o filho é feio, ninguém quer ser o pai! Ah, mas se for filho bonito, tá cheio de pai por aí! E a gasolina tá chegando nos sete real! Vai ter mais carreata ou vamo à pé mesmo? Gás 150. Fila do osso com dólar a 5,00. E os defensores do Bozo só diminuindo. Aos poucos vão acordando para a realidade! Sugiro que eles tragam uma loja da Havan para o Distrito. Aí até eu vou votar no véio careca! Adolescentes vacinando, idosos retornando e um bucado de bobo aí indo na onda de um pervertido. - Não vacino! Mas, já vacinou, vai saber... Vou trazer cartão de vacina comprovando! E apaguem a luz! O mestre mandou!

Sessão Flash

O jogo da Malha sobrevive em Barroso! Graças a nomes como Góia, Camburão e companhia, o tradicional jogo da Malha, conhecido simplesmente como Maia, resiste em Barroso. É muito comum todos os domingos pela manhã, próximo à Ponte do Rosário, vermos esses barrosenses e visitantes se divertindo. No último domingo, eles receberam os adversários de Resende de Costa e venceram, de novo. Em uma clima de muita paz e harmonia, o jogo de Maia continua vivo em Barroso. Um salve para os Monteiros, família tradicional na Maia. A gente só aproveita para pedir às autoridades um olhar especial para essa turma, seja do Rosário, seja da Cohab, ao lado da quadra, onde também acontece a prática do esporte! Deem uma olhada com carinho para esses guerreiros que querem apenas se divertir! Alô, autoridades! Façam uma visitinha!


Outubro

barrosoemdia.com.br

2021

3

Divergência na volta às aulas! Pais, professores e autoridades divergem sobre o retorno do ensino presencial

O

Governo de Minas publicou, na sextafeira (10/9), a nova versão do protocolo que deve ser seguido pelas escolas mineiras para a manutenção de um retorno seguro às atividades presenciais. O documento foi aprovado durante a reunião do Comitê Extraordinário Covid-19, com base no cenário epidemiológico atual. Em conjunto, os dados permitem, segundo o Governo, neste momento, um pouco mais de flexibilidade para os ajustes propostos. E Barroso, que aderiu ao programa “Minas Consciente”, do Governo do Estado de Minas Gerais, está entre as cidades que já divulgaram o retorno das aulas para o mês de outubro. De acordo com o Decreto nº 4.579, de 17 de setembro de 2021, ficam autorizados os estabelecimentos públicos das redes municipal e estadual de ensino, sediados no município de Barroso, a retomarem em regime presencial as aulas e demais atividades pedagógicas. Tal medida leva em consideração diversos fatores como a alta taxa de servidores da Educação vacinados no município; a resolução SEE nº 4.506/2021 que institui o ensino híbrido como modelo educacional para os ciclos dos anos letivos de 2020-2021; e a autorização do Comitê Extraordinário do retorno gradual e seguro das atividades presenciais nas unidades de ensino. As escolas poderão retornar suas atividades de maneira gradual e segura desde que cumpram fielmente o protocolo sanitário estadual e municipal. Cada Instituição deverá elaborar um Plano de Contingência para retomada

Transporte Escolar também estará de volta

Um ano e sete meses depois, as aulas presenciais serão retomadas na cidade

segura das atividades presenciais, sendo aprovado previamente pelo comitê municipal do COVID-19 e posteriormente certificado pela Vigilância Sanitária. Dentre as principais medidas a serem adotadas pelos estudantes e pelas instituições estão:

o retorno das aulas presenciais está previsto para o dia 4 de outubro e o ensino será ofertado exclusivamente de forma híbrida respeitando os alunos que optarem pelo ensino remoto.

– Uso universal e correto de máscaras cobrindo boca e nariz;

Em contato com os diretores das escolas estaduais em Barroso, a reportagem apurou que a volta dos alunos só deve acontecer, em todas as escolas, a partir do dia 18 de outubro. “A semana do dia 4 a 8 será de acolhimento e planejamento para os professores. Entre os dias 11 a 15, acontecerá a semana do saco cheio e o retorno dos alunos está previsto para o dia 18 de outubro”, explica Rafaella Meireles Raposo, diretora da Escola Estadual Silvano Albertoni. Já o diretor da Escola Estadual Cônego Luiz Giarola Carlos, Maximiliano Garcia de Almeida, alerta para a volta que será facultativa e híbrida. “Ou seja, uma semana presencial e outra semana remota. Este é o formato que vamos seguir neste retorno previsto para os alunos no dia 18 de outubro”.

– Distanciamento físico de no mínimo 1,5m entre pessoas; – Lavagem das mãos e etiqueta respiratória; – Limpeza e manutenção frequente das instalações; – Rastreamento de contato em combinação com isolamento e quarentena. As aulas acontecerão seguindo o modelo híbrido de ensino, mesclando aulas presenciais e remotas simultaneamente. As escolas deverão oferecer o ensino exclusivamente remoto aos estudantes que optarem por esse modelo. Segundo informações da secretária municipal de Educação, Jaqueline Lira,

DIRETORES

Porém, nem todos são a favor da volta às aulas presenciais. O assunto divide opiniões e tem gerado inúmeros debates, principalmente nas redes sociais. “Como pode os adolescentes voltar para as escolas, eles ainda não tomaram nem a primeira dose da vacina. Nós pais e mães destes meninos não vamos ter sossego, pelo amor de Deus, tenha misericórdia da gente, olhe por isto, é uma mãe que está pedindo, por favor”, diz um dos comentários na matéria publicada no Facebook do Barroso EM DIA. Já um outro comentário diz que as autoridades deviam ter um pouco de consideração com o próximo. No entanto, há quem aguarde a volta ansiosamente. “Não vejo a hora do retorno às aulas”, diz um outro post. “Acho que poderiam esperar o ano que vem, já estamos em outubro, e não teremos nem dois meses de aula. Para que correr este risco. Todos poderiam voltar em fevereiro do ano que vem, com os números bem melhores com relação a pandemia”, diz uma outra mensagem que está nas redes sociais.

O decreto para retomada das aulas presenciais em Barroso também autoriza o funcionamento do transporte escolar desde que sejam atendidas as medidas estabelecidas no protocolo Sanitário Estadual. Dentre tais medidas, destaca-se que os veículos devam circular com 50% de sua capacidade total e o uso obrigatório de máscara durante todo o trajeto por parte dos alunos

e motoristas. O veículo deverá passar por desinfecção após cada viagem e deverá ser disponibilizado álcool em gel 70% no transporte escolar. Em nota, a Prefeitura declarou que, considerando a gravidade da pandemia do novo Coronavírus, se esforça para que o retorno às aulas presenciais seja o mais seguro possível para todos: alunos, professores e servidores da educação.

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PRESTAÇÃO DE CONTA SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO DE BARROSO, sede e foro à Rua Tiradentes, 78 - Bairro Rosário - CEP: 36212-000 - Barroso - Minas Gerais com base territorial em Barroso, pelo presente Edital ficam convocados todos os associados em dia quites e em pleno gozo de seus direitos em condições de voto, para participarem da Assembléia Geral Ordinária (AGE), a realizar-se no próximo dia 18/11/2021, (quintafeira) às 16h30min, em primeira convocação, ou em segunda convocação uma hora após, no mesmo dia e local com qualquer numero de associados presentes, a fim de deliberar e votar por escrutínio secreto ou aclamação sobre Demonstração do Resultado de Exercício do ano de 2020 e Previsão Orçamentária para o exercício de 2022, instruídos com o Parecer do Conselho Fiscal. Barroso, 28 de Setembro de 2021. José Ferreira Machado Neto – Diretor x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.x.

Vacine! Vacina salva vidas! Confirme as datas no seu cartão de vacinas!


Outubro

barrosoemdia.com.br

2021

4

Precisamos falar sobre isso! Só este ano, 20 barrosenses atentaram contra a própria vida

S

ó este ano, mais de 20 pessoas tentaram tirar a própria vida em Barroso. Os dados são da Polícia Militar e estão sendo divulgados, com exclusividade, pela primeira vez pela reportagem do Barroso EM DIA. Falar ou não falar sobre o assunto? Eis a questão. Posicionamentos diferentes à parte, os números são alarmantes. A cada 40 segundos, tempo aproximado que você vai levar para ler o primeiro parágrafo desta matéria, uma pessoa comete suicídio no mundo. A estatística da Organização Mundial da Saúde (OMS) chama atenção para a urgência de derrubar as barreiras que cercam o tema. E se, por muito tempo, falar sobre isso trazia desconforto, agora conscientizar é um caminho rumo à prevenção. Apesar dos mitos envolvendo o tema, a prevenção ao suicídio avança. Na década de 1980, um estudo nos EUA afirmava que esse tipo de morte poderia ocorrer por imitação. E esse trabalho reforçou a ideia de que “não deveríamos falar sobre o assunto”. Mais de 30 anos depois, a Organização Mundial da Saúde vai na direção contrária e diz que sim, que precisamos conversar sobre o suicídio.

E o “Setembro Amarelo” é a campanha que marca o mês dedicado à prevenção ao suicídio. No Brasil, ela é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida (CVV) da Associação Brasileira de Psiquiatria e do Conselho Federal de Medicina. Neste ano, o tema da campanha foi “Agir salva vidas”. Mas o que acontece quando o Setembro Amarelo, como agora, se vai e o “escuro”, ambiente preferido das pessoas depressivas, prevalece? Para tentar entender esse universo e as reações que levam o ser humano ao autoextermínio, o Barroso EM DIA ouviu profissionais ligados à causa, familiares e as próprias pessoas que tentaram ou cogitaram tirar a própria vida. Portanto, depois de inúmeros debates acerca do assunto, a direção deste meio de comunicação resolveu falar sobre o suicídio como forma de prevenção. “É um assunto muito delicado e pessoal. No entanto, analisando os números de nossa cidade, resolvemos falar sobre o suicídio de forma responsável e não fantasiosa”, declara o editor-chefe do Barroso EM DIA, Bruno Ferreira. “Me sinto incomodado já há alguns anos ao ver o crescimento dos casos e não falar sobre isso. A princípio o assunto era

um tabu dentro da redação, mas chegamos à conclusão de que precisamos falar sim, mas afirmo, de forma responsável e respeitosa”, declara. Desde 2003, o dia 10 de setembro é considerado o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. A data foi criada pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e pela Organização Mundial da Saúde para chamar a atenção de governos e da sociedade civil para a importância do assunto. NÚMEROS De acordo com os dados levantados pela reportagem, somente neste ano de 2021, restando ainda três meses para o fim do ano, 20 pessoas atentaram contra a própria vida. Os dados foram repassados pela Polícia Militar no último dia 16 de setembro e correspondem somente àqueles casos cuja a polícia é acionada ou avisada, o que reforça a ideia de que na realidade os números devem ser bem maiores, já que estudos mostram que a maioria dos casos não são divulgados, mas, pelo contrário, são acobertados pela própria pessoa ou pelos familiares que não querem falar sobre o assunto. Em outro olhar, os números das tentativas

de autoextermínio em Barroso mostram que a cada 15 dias um cidadão barrosense atentou contra a própria vida nos últimos nove meses. E mais, das 20 tentativas, quatro são de menores de idades – pessoas com idade inferior a 18 anos. A maioria, 11, são mulheres. Nove pessoas do sexo masculino também atentaram contra a própria vida. A mais jovem tinha apenas 14 anos de idade e a mais velha 68 anos. Dos 20 casos relatados, um foi consumado: um homem de 65 anos por enforcamento. Para o Doutor Felipe Fortes de Andrade, 43, psiquiatra de Barbacena, a pandemia de fato precipitou os casos de tentativas e consumados de autoextermínio porque houve um aumento no número de transtornos psiquiátricos. “Associado a isso a gente tem os transtornos depressivos e os ansiosos, além dos fatores econômicos que também podem levar ao aumento destes números”, diz Fortes. “Cabe aqui salientar que quando a pessoa está depressiva e faz o uso de drogas aumenta muito o risco dela cometer um suicídio”, relata o psiquiatra que reforça que estes casos devem ser acompanhados por um profissional da saúde mental. “Devemos

procurar ajuda, sejam os consultórios ou os serviços públicos como o CAPS”,

diz o doutor que também fala que, em casos graves, é necessária a internação do paciente. Um outro dado repassado à reportagem é com relação ao gênero sexual. Segundo Fortes, as mulheres atentam mais contra a vida, mas se salvam. Já os homens, atentam em menor número, mas são mais

efetivos. Por fim, um dado ao qual todos devem ficar atentos é com relação ao fator de risco. “Se a pessoa já atentou contra a vida uma vez, a chance dela reincidir e ter êxito é o principal ponto que devemos ficar atento”, relata o mèdico que reforça a importância de todos ao redor ficarem atentos.

Anúncio publicitário

Dr. Frederico já viabilizou mais de R$ 2 milhões para Barroso Deputado federal segue trabalhando pela qualidade de vida da população barrosense O deputado federal Dr. Frederico presta contas à população de Barroso. “Neste meu mandato de Deputado Federal, procuro estar atento às demandas do povo de Barroso. Com muito trabalho, venho buscando honrar meu compromisso de ajudar a Saúde do município, além de outras áreas essenciais, como a Assistência Social, que também precisa de um suporte especial nestes tempos difíceis de pandemia. Minha parceria com o município de Barroso se fortalece a cada dia. Já destinei um total de R$ 2.333.000,00, sendo que R$ 1.133.000,00 já estão pagos. Só para a Saúde, indiquei R$ 1.433.000,00. E sigo sempre à disposição para contribuir!”, destacou o parlamentar.

Acesse as redes sociais do Deputado Frederico


Outubro

barrosoemdia.com.br

2021

5

E os números continuam crescendo na cidade E se as contas continuarem neste ritmo, os números deste ano podem superar os do ano passado. Segundo informações da Polícia Militar, foram 25 tentativas em 2020, ou seja, a cada mês duas pessoas tentaram tirar a vida na cidade de Barroso. Nos dados divulgados o número de mulheres, assim como deste ano, até o momento, foram maiores. Foram 21 mulheres atentando contra a própria vida somente no ano passado. Os outros quatro casos foram de homens. Entre os 25, sete eram menores de idade. Foram duas tentativas consumadas: uma mulher de 40 por enforcamento e um homem de 32 por ingestão de remédios. O caso mais novo de tentativa é de um adolescente de apenas 13 anos e o mais velho de um homem de 48. O que vale reafirmar é que os números apresentados são aqueles em que a Polícia Militar lavrou os boletins de ocorrência no município. Nenhum nome, ou sequer bairro, foi divulgado para a reportagem do Barroso EM DIA. VÍTIMAS “Com a chegada da pandemia tive problema com o meu empreendimento e as coisas foram ficando cada vez mais complicadas dentro de casa. Você pensa em várias soluções, mas não consegue sair daquelas dívidas e vai enfiando dentro de uma situação desesperadora. E realmente vi que estava séria a coisa quando pensei em tirar a própria vida”, conta uma fonte à reportagem do Barroso EM DIA que, consumida pela depressão, pensou, mais de uma vez, em dar fim à própria vida. “Você

vê ali a sua família em situação complicada e vê que não pode fazer nada. É muito doloroso. É a pior sensação do mundo”, declara um barrosense que não terá seu nome revelado. No entanto, ele é apenas um daqueles que não se encaixam nos números, porque apenas pensou, mas não chegou a atentar contra a própria vida. “Tive que conversar demais com parentes e com a minha esposa para sair desta situação. Hoje, mais calmo, vejo que quase fiz uma grande besteira”, conta a vítima que se encaixa nos números dos casos que sequer são oficializados. Já outro parente de uma pessoa que tentou contra a prória vida relata que toda a família sofre com o que acontece, pois a situação fica muito tensa entre todos os que convivem no ambiente. “Aqui, convivemos com isso e realmente fica difícil lidar com o momento, pois ninguém fala, ninguém tenta conversar e você vê que a pessoa vai cada vez mais se afundando. E depois que tenta uma vez tudo piora, pois fica quase que irreversível a situação e muitas pessoas, da própria família, começam a julgar”, diz outra fonte que tentou ajudar um parente a sair da situação de enfrentamento à depressão. “Todo mundo aqui em casa ficava falando que era frescura, que era falta de serviço, que tinha que arrumar alguma coisa para fazer, mas ninguém procurava ouvir a pessoa. Depois que fez o que fez, olharam com outro olhar e resolvemos procurar ajuda médica”, descreve o parente de uma pessoa em depressão. Mas os casos de depressão são apenas um dos gatilhos para o autoextermínio. O

FAÇA UMA VISITA!

uso de drogas, lícitas e/ ou ilícitas, também leva o ser humano a tentar tira a própria vida. “É uma doença que tem que ser tratada como doença. Não se pode tentar resolver no grito, na porrada. Somos prova disso e sabemos que é preciso muita conversa e atitude para ajudar a pessoa a sair desta situação incômoda”, conta uma terceira pessoa que também convive com um ser humano que já atentou contra a própria vida devido ao vício de bebidas e drogas.

possa fazê-lo mais adequadamente, como um médico, enfermeiro, psicólogo ou até um líder religioso. De acordo com os médicos, o ideal é que a pessoa seja encaminhada a um psiquiatra e seja medicada.

AJUDA

MOTIVOS Mas o que leva uma pessoa a atentar contra a própria vida? Se a resposta fosse fácil talvez os números fossem menores. Esta é justamente uma das perguntas que muitos profissionais não conseguem responder. Os motivos são diversos, ou seja, desde fim de relacionamentos, passando por questões financeiras ou até mesmo insatisfação pessoal e uso de drogas. Pesquisadores americanos analisaram os dados de 15 mil pessoas que se mataram em todo o mundo entre 1959 e 2001. A conclusão: o maior percentual dos casos estava ligado à depressão (35,8%) e, em segundo lugar, estavam os transtornos decorrentes do abuso de substâncias lícitas, como o álcool e o cigarro, e também das ilícitas. Os familiares e amigos devem, sobretudo, se dispor a se aproximar de alguém que demonstra estar sofrendo ou que apresenta mudanças acentuadas e bruscas do comportamento. É preciso estar disposto a ouvir e, se não se sentir capaz de lidar com o problema apresentado, ir junto em busca de quem

CAPS Inaugurado em dezembro de 2020, o Centro de Atenção Psicossocial, o CAPS, de Barroso, é um serviço de saúde com as portas abertas à comunidade. O CAPS é constituído por uma equipe multiprofissional e que atua sobre a ótica interdisciplinar e realiza, prioritariamente, atendimento às pessoas com sofrimento ou transtorno mental, incluindo aquelas com necessidades decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Ele funciona na Rua Oliveira, 437, no bairro São José. O horário de funcionamento é de 8h às 17h. Para saber mais detalhes, basta procurar o local. O CAPS conta também com um leito de saúde mental no hospital de Barroso. Hoje a equipe é formada por um médico com formação em saúde mental,um médico supervisor clínico, psicólogo, assistente social, enfermeiro, técnico em enfermagem, recepcionista, coordenador e auxiliar de serviços gerais. E mais, o

órgão público tem atendimento individual, psicoterapia e atendimentos em grupos e oficinas terapêuticas. Além de visitas domiciliar, atendimento à família e atividades comunitárias com enfoque na integração do paciente na comunidade e sua inserção familiar e social. Procure o CAPS, ligue 3351-2500.

Mas entre os espinhos, existe vida, luz e flores. E o apoio vem de quem também enfrenta a depressão e fala com naturalidade do problema. Com o objetivo de ajudar outras pessoas, Ana Beatriz Pereira Cassemiro Lopes, 27, proprietária do Soho Brechó, que combate a doença desde os 15, teve a ideia de criar, ao lado da sua psicóloga, Cíntia Campos, um projeto que está nascendo em Barroso. Intitulado “Um dia de cada vez”, o projeto ganhou força depois da perda de uma amiga para a depressão. “Nós fomos muito amigas na nossa adolescência e eu sempre soube dessa luta que ela travava contra a depressão”, diz Ana que explica que o projeto vai ser no formato de roda de conversa onde os participantes darão seu relato sobre o que têm passado e os outros participantes poderão ajudar. “E tudo acontecerá com o apoio profissional de duas psicólogas que toparam ajudar, Cintia Campos e Joseany Tostes, que farão parte desse time. Estou muito feliz por estar tirando essa idéia do papel e podendo ajudar as pessoas que precisam, mas não tem condições de pagar um tratamento psicológico”, conta Ana que ainda não decidiu sobre o local e se será online ou presencial. O projeto será gratuito e será lançado em breve.


Profile for Bruno

Edição 221 Outubro  

Edição 221 Outubro

Edição 221 Outubro  

Edição 221 Outubro

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded