__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

Desde 2006 - Edição 216 - Sábado, 8 de Maio de 2021 - Barroso/MG - Distribuição Gratuita

UM SOPRO DE ESPERANÇA 1ª DOSE

Quarta-feira, 5 de maio de 2021, cerca de um ano depois do início da pandemia de coronavírus em Barroso, todos os idosos barrosenses, cidadãos acima de 60 anos, estão vacinados na cidade. Ou seja, todos aqueles considerados idosos perante a lei receberam a primeira dose da vacina no município. Página 3

Idosos são vacinados em Barroso

À VENDA! DE SAÍDA DO BRASIL, LAFARGEHOLCIM, QUE TEM UNIDADE EM BARROSO, ESTÁ À VENDA. SETE DÉCADAS DEPOIS, SUPERMERCADO MELO SE TORNA ESQUINÃO. O Supermercado Melo, um dos mais tradicionais supermercados da cidade, agora é Esquinão, funcionando no mesmo local. Página 6

ATHLETIC CLUB SE GARANTE NA PRIMEIRA EM 2022 Equipe de São João del Rei terminou na oitava posição do Campeonato Mineiro e volta a disputar a competição em 2022. Página 4.

PÁG. 5


Maio

barrosoemdia.com.br

2021

Editorial Difícil não se comover com a morte do ator e humorista Paulo Gustavo, ocorrida essa semana. Quem viu o filme Minha Mãe é Uma Peça sabe que não partiu só Paulo, mas se foram também Dona Hermínia, Marcelina, Juliano, Carlos Alberto e, sinceramente, um pouco de cada uma de nós brasileiros que nos identificamos com um personagem ou com o enredo da trama, em que uma mãe separada vive e defende a história de um filho homossexual. Paulo Gustavo transcendeu, transformou o humor brasileiro, derrubou paradigmas, preconceitos e recordes de bilheterias nos cinemas. A vida não é uma ciência exata. Assim como a de Paulo, e me refiro a tantos outros Paulos, quantas vidas poderiam ter sido evitadas desde o início desta pandemia de coronavírus. Quantos Paulos, Josés e Marias, de maior ou menor idade, perdemos porque não tiveram a chance de tomar a vacina, ignorada inicialmente por um governo negacionista, que calculou que 800 pessoas iriam morrer por Covid e hoje, quando ele diz que não aguenta mais falar nisso (se referindo ao uso de máscaras) temos mais de 400 mil mortos, 400 mil Paulos por aí. Quando Paulo morreu, outras 3 mil e 25 pessoas morreram no mesmo dia. A indignação não é por um ser, é por todos, não é por um Paulo, mas ela também não pode ser individual, deve ser coletiva. Uma coletividade que pode ser explicada pela nossa realidade. Dos 25 óbitos registrados na nossa cidade até o momento, 18 foram de idosos, ou seja, pessoas que já deveriam, se houvesse o interesse desde o início do governo, ter tomado a vacina. Joe Biden assumiu a Presidência dos Estados Unidos em Fevereiro e hoje o país vacina crianças. Crianças! Não cabe a frase eles têm dinheiro. Um pouco de consulta e sensatez mostra que nosso governo ignorou mais de 10 compras de vacinas no ano passado. Vacinas que poderiam ter salvo mais vidas, mais pessoas, amenizado a dor de tantos seres humanos. É culpado sim! Assim como você, ignorante, que continua fingindo que se trata de uma “gripezinha” e se esconde atrás de posts covardes e mentirosos. Você que continua aglomerando, saindo com o vírus e matando pessoas. Covardes! A história, mais cedo ou mais tarde, vai mostrar o retrato real dos envolvidos, que serão julgados e condenados. E nós, assim como você, gente de verdade, que usa máscara e é motivo de deboche de “amigos”, temos a consciência tranquila de que fizemos jornalismo, informando e trazendo à tona os fatos, tentando salvar Paulos, Marias e Josés. Nossa solidariedade a todos os mais de 400 mil Paulos deste Brasil que ficou ainda mais sem graça.

Atualidades Gian Brandão

“Pai, afasta de mim este cálice, de vinho tinto de sangue...” “O Brasil é o país do futuro: e sempre será...” Esta frase não é nova e já foi repetida à exaustão. E quando vemos os últimos acontecimentos de nosso país, a conclusão é que, de fato, nunca chegaremos lá. Temos muitos atrativos. Terras férteis, lindos cartões postais, natureza exuberante. Mas a população brasileira, cada vez mais, demonstra sua incapacidade de conviver nesta sociedade tão miscigenada. No Dia Internacional do Trabalho, o que vimos em algumas cidades de nosso país, é a maior afronta já vista à vida, à saúde e à sociedade brasileira. E não estamos falando de política, de apoio ao Presidente ou coisa que o valha. O que se viu foi um desrespeito tamanho a pessoas doentes, a pessoas que perderam seus entes queridos e aos mais de 400 mil mortos pela pandemia. Não é possível que as pessoas que foram para as ditas manifestações não se preocuparam em respeitar o próximo. Que ética é essa? Pessoas aglomeradas e sem máscaras! Muito interessante bradar contra a corrupção, dizer que defendem “golpe militar”, fechamento do STF, e não respeitarem a vida de seus concidadãos... Defendem o absurdo, e são contra o mais importante que é a vida. Será que todos os cientistas do mundo inteiro estão errados? Será que o bom mesmo é aglomerar? Essas pessoas que se vangloriam de apoiar o Presidente, deveriam ter a memória um pouco melhor e lembrar que a eleição foi vencida quase sem comícios, sem participação em debates e com o Presidente dentro de casa... Será mesmo que, após a vitória, as redes sociais deixaram de ser importante e o que vale é a aglomeração miserável e irresponsável? Para mim que perdi um querido tio e grandes amigos nesta Pandemia dói ver a irresponsabilidade de muitos. Pior ainda de alguns “cultos” que são contra o óbvio. Ainda mais pra mim que nesta semana, fui “tocado” pelo Coronavírus e tenho passado os piores dias de minha vida. E estas pessoas que estão na rua se aglomerando para defender situações totalmente esdrúxulas e desnecessárias neste momento, sinceramente, me ofendem e desrespeitam minha saúde, minha vida e meu país. Pelo menos o país que eu imaginava existir. Pobre Brasil. Pobre sociedade brasileira. A que ponto chegamos por essa absurda divisão. E parafraseando Chico Buarque de Holanda: “Pai, afasta de mim este cálice, de vinho tinto de sangue...” Que tenhamos dias melhores, e não retrocessos como alguns insistem em querer. EXPEDIENTE - PÁGINA DE OPINIÃO

www.barrosoemdia.com.br

Rua Maria José Melo, 13 - Centro - Barroso/MG Telefone: (32) 9.9199-1575 - WhatsApp

Co-fundador: Antônio Marcos Pinto (in memoriam) Editor Chefe/Jornalista responsável: Bruno Ferreira - 11.558/MG CNPJ: 12.772.555/0001-30 (E.I.) - Tiragem: 1.000 exemplares Colaborador: Gian Brandão E-mail: barrosoemdia@yahoo.com.br facebook.com/barrosoemdia twitter/@barrosoemdia Instagram: @jornalbarrosoemdia

2

Como diria vovó: o troço tá feio! E não precisa ir longe pra ver não: olha pra cima, mais precisamente pra cabeça do Pintinho. Tô falando do vice-prefeito, tá gente! Os cabelos brancos estão lembrando um Gambá, um gambazinho! Só falta o Andão emagrecer... Aí é pacabá! Por falar no Gambá, e essa agora do nome dele sair numa enquete de Deputado Estadual?! Vocês viram? É pacabá! Mas acho que ele tá certo! Depois da Ponte Rio/Niteroi, ligando um lado da Rua Carlos Alberto ao outro lado, cerca de 3 metros de uma ponte, acho que ele deveria candidatar mesmo! Tô contigo e não abro Gambá! Pra cima deles, meu Rei! Ô meu Rei!

João?

E o vírus hein... Parabéns pras poucas autoridades, poucas, que estão sabendo lidar com isso! Sugestões: fiscais de rua da Covid não são pra ficar na esquina do Boticário. Eles têm que ficar de fora dos laboratórios, dos postos de saúde, da central da Covid, enfim, é uma guerra. Por favor, governantes barrosenses, coloquem seus soldados melhor posicionados, na trincheira, sejam estratégicos. Estamos perdendo a luta. Levem isso a sério. Esqueçam os ambiciosos que preferem salvar o CNPJ do que o CPF. Lá na frente o povo vai lembrar disso! E quero ver os vereadores que falaram que não iriam tomar a vacina! Estou contando nos dedos. Quero colocar a foto deles aqui! Me aguardem! Outra coisa que poucos têm coragem de falar, mas eu falo! Devemos agradecer à Marluvas imensamente pelos empregos gerados na nossa cidade, mas temos que lembrar que essa empresa precisa ser mais responsável no combate à Covid. Os depoimentos de pessoas que lá trabalham são absurdos. O Ministério Público poderia averiguar isso. Dezenas de casos de Covid e pouco combate. Neste caso a LH já é mais responsável! Tem depoimentos de pessoas que trabalham lá, aglomeraram e foram suspensas das suas atividades. Fazem testes toda semana! Parabéns neste sentido do combate ao vírus, porque no Rio?! E a Fábrica, hein?! Quem dá mais? Tô achando que, se eu aumentar a venda de chup-chup aqui em casa, consigo comprar o tapete da entrada. Pena que é inverno chegando. Mas a pergunta é: Por que esse povo, vendendo cimento igual água, tá indo embora? Estranho, né!? Esse é o país do BOZO! Ninguém acredita... Por fim, na era do Merchan digo a vocês: Comemorem o Dia das Mães com muito Pão de Queijo

Poemas

Em memória - Paulo Terra

O que tento descobrir no teu olhar? Tento em vão medir no teu olhar, a total amplitude do amor sem margens. Os teus olhos de mãe têm todos os contrastes! Eles sabem sorrir falando de esperanças, quando tua alma grita em desespero, E as convulsões do pranto sacodem as entranhas do teu ser. Eles sabem chorar na superfície, quando o golpe (tão raro, às vezes) De imensas alegrias dilata além de ti, as fronteiras sublimes da ternura. Em magia de tênues claridades, sem que o tempo consiga perturbá-los, eles guardam sempre o brilho febril da mocidade e simultaneamente têm a calma experiência da velhice. Eu tento em vão sondar em que paragens infinitas do mistério humano está a suprema razão do teu amor sem preço. Em vão... os teus olhos de mãe têm todas as bondades. E bondade é doação sem recompensas. O filho é mau; o filho é tão mesquinho! No entanto em teus olhos há perdão. Nos teus olhos há sempre chamamento para o regresso do teu filho pródigo. O filho é bom; o filho é muito ilustre! E trazes nos teus olhos a humildade. Como se nada merecesses de sua glória. Nos teus olhos ainda há novo estímulo para que a outras alturas ele chegue. O filho é apenas um ou são diversos: no mistério de uma quase eucaristia, na unidade múltipla do olhar és totalmente mãe para cada um, em multiplicação de amor. Em vão tento medir o teu olhar... Eu busco em vão a chave deste enigma!... Porque mesmo depois que nos teus olhos a morte fez correr de novo irrevogável o fecho permanente do adeus sem volta, lá de um mundo que meus olhos não perscrutam, eu sei que me contemplam com carinho. Ó minha mãe, quem me pode dizer qual a suprema razão verdadeira do teu amor sem preço, e a total amplitude do teu amor sem margem? (Publicado no Jornal Losango – Abril 1970)


Maio

barrosoemdia.com.br

2021

3

Idosos vacinados!

7 de Janeiro 2021 Mulher - 64 anos 8 de Janeiro 2021 Homem - 58 anos

Na última quarta-feira (5), Barroso atingiu a vacinação de todos os idosos

Q

uartafeira, 5 de maio de 2021, cerca de um ano depois do início da pandemia de coronavírus em Barroso, todos os idosos barrosenses, cidadãos acima de 60 anos, estão vacinados na cidade. Ou seja, todos aqueles considerados idosos perante a lei receberam a primeira dose da vacina no município que até essa quintafeira (6 de maio de 2021 - às 13h) horário de fechamento desta edição, tinha 25 óbitos constatados no último Boletim Epidemiológico divulgado pela Prefeitura Municipal de Barroso. Desses 25 óbitos confirmados pelo executivo, 18, até o

momento, são de idosos, ou seja, pessoas com mais de 60 anos que perderam a vida para a doença na cidade.

20 de Janeiro 2021 Mulher - 47 anos 24 de Janeiro 2021 Homem - 76 anos 25 de Janeiro 2021 Mulher - 66 anos 28 de Janeiro 2021 Homem - 61 anos 1 de Fevereiro 2021 Homem - 61 anos 2 de Fevereiro 2021 Mulher - 68 anos 15 de Fevereiro 2021 Mulher - 59 anos

70% DAS VÍTIMAS Desta forma, podemos afirmar, conforme os dados, que cerca de 70% das vítimas fatais foram de idosos no município. O óbito com mais idade foi de um homem de 89 anos e a vítima mais nova na cidade tinha 34 anos. Era uma mulher e faleceu no dia 23 de abril. Aliás, as mulheres são a maioria dos óbitos registrados até agora: 17 mulheres perderam a vida para a Covid em Barroso. Dessas, 12 eram idosas.

RELAÇÃO SEXO/IDADE

6 de Março 2021 Mulher - 56 anos 15 de Março 2021 Homem - 89 anos 26 de Março 2021 Mulher - 37 anos 7 de Abril 2021 Homem - 58 anos Doutor João Pinto foi um dos idosos vacinados ao longo dos últimos meses

MÊS LETAL O mês mais letal da doença em Barroso foi o mês que passou, o mês de abril, em que foram nove vítimas fatais do coronavírus. Somente neste ano foram 23 mortes no total. Duas pessoas morreram também de Covid-19 no ano passado: uma

primeira morte em 7 de setembro de 2020, de uma mulher de 68 anos de idade, e uma outra vítima fatal, cinco dias depois, em 12 de setembro de 2020, um homem de 64 anos. Os demais óbitos estão listados ao lado em um cronograma por data/ idade e sexo.

MAIS VACINA Apesar da conclusão da primeira dose das vacinas nos idosos de Barroso, nos últimos dias a informação que a reportagem levantou é que mais doses estariam chegando na cidade. A princípio, o objetivo é vacinar pessoas com comorbidades.

8 de Abril 2021 Mulher - 72 anos 13 de Abril 2021 Mulher - 60 anos 16 de Abril 2021 Mulher - 73 anos 22 de Abril 2021 Mulher - 74 anos 22 de Abril 2021 Homem - 77 anos 23 de Abril 2021 Mulher - 34 anos 24 de Abril 2021 Mulher - 67 anos 25 de Abril 2021 Mulher - 81 anos 2 de Maio 2021 Mulher - 76 anos 3 de Maio 2021 Mulher - 74 anos


Maio

barrosoemdia.com.br

2021

4

Athletic está garantido na 1ª divisão em 2022 Equipe sanjoanense terminou a competição no oitava posição do Campeonato Mineiro

E

ntre altos e baixos na disputa do Campeonato Mineiro 2021, o Athletic Club, de São João del Rei, que chegou a ser a sensação do Campo das Vertentes nas primeiras rodadas da competição, terminou na oitava posição da fase de grupos com 13 pontos conquistados. Foram quatro vitórias, um único empate e seis derrotas, ou seja, uma oscilação evidente durante a disputa. Veja os 11 jogos da primeira fase disputados pelo Athletic. As três derrotas para os times da capital foram todas por 1x0.

Equipe foi desclassificada nos pênaltis, pela URT - Foto: Fernanda Trindade - Athletic Club

SÉRIE D Se tivesse conquistado mais uma vitória na fase de grupos, por exemplo, contra a URT, em casa, o Athletic teria assegurado uma vaga na Série D do Campeonato Brasileiro, já que os times do quinto ao sétimo colocados (URT, Pouso Alegre e Caldense) estão todos na competição. Como classificou em oitavo, o Esquadrão de Aço ainda teve a oportunidade de disputar as semifinais do Troféu Inconfidência, mas foi eliminado, nos pênaltis, pela URT. O Pouso Alegre, que venceu a Caldense e posteriormente, a URT, ficou com o título. Para o diretor de futebol do Athletic Club, o objetivo de permane-

cer na primeira divisão do Campeonato Mineiro para 2022 foi alcançado, apesar de ele acreditar que a equipe tinha potencial para melhores resultados. “A gente ficou muito feliz pela permanência na primeira divisão com uma rodada de antecedência. Isso mostra que estamos no caminho certo de alguma forma. Teremos tempo hábil também para agora sim resolver problemas de iluminação, cabine de imprensa, enfim, subimos e foi tudo muito rápido e corremos contra o tempo, mas, de qualquer maneira, a cidade e região podem se orgulhar porque iremos mais longe”, diz Fábio, que também passou por momentos de saúde complicados durante a temporada. Ele

foi diagnosticado com Covid-19 e chegou a ser internado em São João del Rei. FUTURO Para o futuro, o diretor, que tem como objetivo as melhorias no clube, também pensa em parcerias para as categorias de base das cidades vizinhas. “Já temos uma parceria muito boa, por exemplo em Barroso, mas queremos reforçar isso, para que as categorias de 5 a 15 anos, de várias cidades, possam revelar talentos aqui no nosso Campo das Vertentes”, comenta Fábio Mineiro, ex-jogador de futebol e um dos responsáveis diretos pelo retorno e ascensão do Athetic nos últimos anos.

Anúncio publicitário

Com relatoria do Dr. Frederico, Câmara aprova aumento de pena para crimes de maus-tratos, abandono de incapaz e violência contra idoso

A Câmara dos Deputados aprovou, no dia 15 de abril, o Projeto de Lei 4626/2020 que aumenta as penas para abandono de incapaz e maus-tratos de crianças, idosos e pessoas com deficiência. A proposta foi aprovada na forma do substitutivo do relator, deputado federal Dr. Frederico que em discurso fez menção à morte do menino Henry Borel, de 4 anos, no Rio de Janeiro. “Chega de impunidade. A Câmara está agindo para que a morte de Henry não seja em vão, para que ele possa representar um futuro mais seguro a todos os vulneráveis”, declarou. A alteração no Código Penal tem como objetivo a proteção das crianças, idosos e pessoas com deficiência. A pena de abandono de incapaz, atualmente de seis meses a três anos de detenção, passa a ser de dois a cinco anos de reclusão. Se do abandono resulta lesão corporal de natureza grave, serão três a sete anos de reclusão - hoje são um a cinco anos. Se houver morte, reclusão de oito a 14 anos - atualmente são quatro a 12 anos. Dr. Frederico também observou que a violência contra idosos se agravou com a pandemia do coronavírus. Somente nos meses de março a junho de 2020, foram 25.533 denúncias de violência contra o idoso, contra 16.039 no mesmo período de 2019. “A violência contra o idoso é uma triste e lamentável realidade em nosso País, e uma forma gravíssima e brutal de violação aos direitos humanos”. A proposta ainda será analisada no Senado.


Maio

barrosoemdia.com.br

2021

5

Exclusivo !!! A reportagem do Barroso EM DIA apurou com exclusividade, que a cimenteira, que tem Unidade em Barroso, é mais um empresa que está deixando o Brasil

A

cimenteira multinacional LafargeHolcim, uma das líderes em venda de cimento na América Latina, está deixando o Brasil. Esta é a informação que a reportagem do Barroso EM DIA apurou com exclusividade e divulgou na última terça-feira, dia 20 de abril. Segundo informações, que ainda não foram confirmadas pela empresa, o grupo está colocando à venda todas as fábricas brasileiras. “Não vamos comentar a notícia publicada”, disse a Assessoria de Imprensa em resposta à reportagem que a questionou oficialmente. Porém, minutos depois da publicação local, a reportagem apurou que encarregados, de diversos setores, entraram em contato com seus funcionários e os informaram que de fato a empresa seria vendida, mas que nada por enquanto mudaria nas operações da fábrica na cidade de Barroso. A expectativa é que um comunicado ofcial interno seja feito aos funcionários das unidades em todo o Brasil nos próximos dias. O Barroso EM DIA ainda levantou que não há informações sobre demissões, produção e prazo para que as transações sejam concluídas. A princípio, a venda pode ser concluída em até um ano. A LafargeHolcim é uma empresa líder mundial em vendas de cimento. A cimenteira emprega hoje cerca de 90 mil funcionários em mais de 80 países do mundo. Com cerca de 1.600 empregados no Brasil, a LafargeHolcim Brasil tem presença em todo o país em três das cinco regiões: Sudeste (SP, RJ, MG e ES), Nordeste (BA, PE, PB e RN) e Centro-Oeste (GO). INTERESSADOS Logo após a divulgação da venda da empresa pelo Barroso EM DIA, surgiu a informação, através do site Pipeline/Negocios, que Benjamin Steinbruch, Presidente da CSN, deixou claro em teleconferência com analistas que a M&A está no radar para colocar a subsidiária de cimentos entre os “mais importantes players” do país no segmento. Steinbruch contratou a Lazard como assesssora

MEIO-AMBIENTE

Prefeito e vice verificam denúncia de descarte de óleo pela LafargeHolcim no Rio das Mortes

Flagrante de óleo por parte da Prefeitura

Venda pode acontecer em até um ano

financeira para abrir negociação pelos ativos da franco-suíça LafargeHolcim no Brasil. Terceira maior cimenteira no país, a LH colocaria em uma só tacada a CSN Cimentos bem perto do topo do ranking - hoje ocupado por Votorantim e seguida por InterCement - e escalaria o IPO da subsidiária, que ainda não empolga muito o mercado. Mas não é uma tratativa simples. Fontes ouvidas pelo Pipeline afirmam que a Votorantim tem que ficar fora da briga pelos ativos da Lafarge por questões de concentrações de mercado, mas a InterCement pode disputar ao menos um pedaço. Assim como a CSN Cimentos, a InterCement começou a engatar um IPO e já está mais adiantada no processo. A companhia controlada pela Camargo Corrêa já contratou os bancos J.P.Morgan, Bank of America, Itaú BBA, Bradesco BBI e UBS-BB para fazer a listagem de sua operação brasileira na B3 e tentar levantar cerca de US$ 700 milhões a US$ 1 bilhão. A CSN Cimentos ainda não finalizou a contratação de bancos para o IPO, afirmaram as fontes. Para as duas, no entanto, o problema é o cheque para o M&A — a LH, assessorada pelo Itaú BBA, quer dar preferência a uma transação totalmente em cash, o que para os players nacionais está fora do menu. Nos últimos anos, a LH fez injeções de capital em sua operação local, somando quase US$ 1 bilhão e quer levar pelo menos isso na transação. Executivos de mercado sinalizam um

valor para o negócio entre US$ 500 milhões e US$ 700 milhões, como mostrou o Valor, em linha com a venda feita pela irlandesa CHR no ano passado também para sair do Brasil. As companhias podem tentar amarrar a aquisição ao IPO, mas isso dependente de timing e também de garantias. O caminho simples seria a Lafarge topar uma transação parte em caixa e parte em troca de ações, o que não é o modelo preferencial de largada. Com dois estrangeiros saindo do país em sequência, banqueiros e executivos do setor consideram pouco provável um comprador internacional que queira apostar no mercado. O que muito se comenta, extraoficialmente nos bastidores da venda, seria a compra por parte de um grupo Chinês, que no momento, segundo analistas, vem comprando muitas outras empresas multinacionais. Portanto, não há nenhuma informação oficial sobre essa possibilidade de compra por parte dos chineses. Estima-se também que outros 12 grupos, incluindo os citados acima, estarão na concorrência. Todo o processo deverá levar cerca de seis meses a um ano, caso se concretize. DEIXARAM O BRASIL Desde 2019, ao menos 13 multinacionais de vários setores deixaram o Brasil, num movimento que agrava ainda mais o desemprego no país, que atualmente atinge cerca de 14 milhões de brasileiros. A crise gerada pela

pandemia numa economia já estagnada e a baixa competitividade do país afastam investimento estrangeiro e aceleram a ‘desindustrialização’ do Brasil. Entre 2000 e 2019, a participação da indústria de transformação no PIB (Produto Interno Bruto) passou de 13,1% para 10,1%. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou no mês passado uma queda de 4,1% no PIB em 2020, com a atividade econômica registrando a maior contração desde o início da série histórica atual do IBGE, em 1996. A indústria recuou 3,5% e o setor de serviços despencou 4,5%. MUDANÇA DE NOME Uma outra mudança que não tem relação com a venda, seria a troca de nome da empresa, mais uma vez. A suíça LafargeHolcim estaria simplificando seu nome para Holcim Ltda. A maior fabricante de cimento do mundo disse na semana passada que está voltando ao nome de sócio dominante na fusão de 2015 que formou a empresa, ou seja, simplesmente Holcim. A empresa disse que deseja mudar seu nome para “eficiência e impacto, ao mesmo tempo que desenvolve o legado do grupo”. A mudança de nome só se aplicará ao nome de sua empresa, enquanto suas marcas de mercado permanecerão inalteradas, acrescentou. Seria mais, segundo analistas, uma estratégia de mercado relacionada ao nome do cimento vendido.

O Prefeito Municipal de Barroso, Anderson de Paula (DEM), e o viceprefeito, Eduardo Pinto (Cidadania), foram pessoalmente verificar uma denúncia veiculada na manhã do sábado, 17 de abril, nas redes sociais. Segundo o que foi publicado, a empresa LafargeHolcim estaria descartando irregularmente algum tipo de óleo por tubulações que chegariam até o Rio das Mortes, que corta Barroso. Acompanhados do engenheiro florestal e subsecretário da prefeitura, Tássio Ladeira, ainda na parte da manhã, os dois foram ao local. No ponto mencionado na denúncia, existem duas manilhas onde escoa material vindo do interior da empresa. Além de um forte odor, prefeito e vice notaram com clareza a presença de óleo na água e na vegetação das margens do córrego que chega até o leito do Rio. A equipe coletou materiais que poderão servir para análises mais profundas. De acordo com a prefeitura, foi feito um Boletim de Ocorrência na Polícia Militar Ambiental e uma notificação foi feita ao Ministério Público. Anderson e Eduardo ainda foram em um outro ponto de saída da empresa, há alguns metros do local denunciado, e também colheram material para análise. “Faremos uma apuração rigorosa e responsável e não permitiremos que nosso Rio das Mortes, já tão prejudicado, seja ainda mais poluído. Por isso fomos

pessoalmente e acompanharemos de perto todo o caso,” ressaltou o prefeito. LAFARGEHOLCIM A reportagem entrou em contato com a empresa e recebeu uma nota informando que tomou conhecimento por meio das redes sociais e veículos de comunicação sobre o ocorrido no Rio das Mortes. “A empresa informa que já iniciou as inspeções em suas tubulações de águas pluviais que desembocam no Rio das Mortes e não encontrou vestígios de material que possa ter contaminado o local. A empresa segue investigando internamente o fato, para apurar qualquer possibilidade de falha em seus processos internos. Sempre priorizando a transparência na relação com a comunidade, representantes da companhia estiveram com autoridades locais, para prestar esclarecimentos e reforçar seu compromisso com o meio ambiente”. FOTOS Para ver outras fotos sobre a denúncia que a Prefeitura fez contra o possível crime ambiental, acesse o código QR abaixo.


Maio

barrosoemdia.com.br

2021

6

Uma nova história.... Sete décadas depois, Supermercado Melo se torna Esquinão

H

á 71 anos, José Orlando de Melo, até então préadolescente, arregaçou as mangas e começou a ajudar seu pai, Arthur, e seu tio, Pedrinho, em um dos principais mercados da cidade nos anos 50. Começava ali, poucos anos antes da emancipação do município (1953), a história de um dos maiores comércios locais. Das pequenas portas, até o ano de 1983, bem ao lado do atual ponto, o empreendimento do Senhor Arthur e do Tio Pedrinho se transformou em Melo e Filhos, precisou de mais espaço para crescer e abraçar mais barrosenses. No novo ponto, já conhecido como Supermercado Melo Ltda, Zé Orlando por muitos anos trabalhou ao lado do irmão Pedro Paulo. A empresa, além de comercializar produtos alimentícios e de necessidades básicas para diversas gerações e gerar empregos, também cumpriu seu papel no quesito responsabilidade social, apoiando causas comunitárias e entidades filantrópicas da cidade. Já em meados dos anos 2000, o Supermercado Melo ganhou um braço direito com a chegada de Ivan Pinel Machado, 48 anos, engenheiro civil e também genro de Zé Orlando. Os dois se tornaram sócios e o empreendimento ganhou mais força e inovação. Apesar de acompanhar as novas tecnologias e de trabalhar em reformas e ampliações, o destino os levou a uma nova decisão. “O que nos conduziu até aqui foram nossos clientes”, diz Ivan que está há dois anos estudando a venda do Supermercado Melo que foi concretizada nos últimos meses. “Aos meus queridos clientes e a todos os barrosenses, hoje comunicamos oficialmente nossa decisão de encerrarmos as atividades comerciais do Supermercado Melo, ou

de ter o Esquinão na cidade de Barroso e a oportunidade surgiu com a venda do Supermercado Melo, ressalta Imaculada Nascimento, sócia-proprietária do Esquinão. As novas atividades nos dois pontos, centro e São José, tiveram início na última segunda-feira (3). O Esquinão se destaca na área de panificação própria, hortifruti, açougue e competitividade nos preços. EMPREGOS

Supermercado Melo na década de 80 / Foto: Arquivo Melo

seja, chegou a hora de iniciarmos um novo ciclo”, diz Zé Orlando em um vídeo publicado nas redes sociais nos últimos dias. (Veja abaixo o QR Code do Vídeo). Na oportunidade, Zé, que também foi vereador do município, anuncia a venda ao Esquinão, tradicional grupo de empreendimentos na cidade de São João delRei.

ESQUINÃO “Dentre várias propostas, escolhemos o Esquinão por ser uma empresa de grande nome e tradição em São João del-Rei e região”, relata Ivan que acrescenta que, com a compra do Supermercado Melo e da filial no bairro São José, o grupo Esquinão passa a somar 10 lojas no Campo das Vertentes. “Assim como nós,

é também uma empresa familiar com gestão altamente profissional e que quer investir muito em nossa cidade”, diz Ivan. Nos últimos dias, o novo empreendimento, que funcionará no mesmo local, vem passando por modificações e adequações no layout e impressões da nova marca. O supermercado Esquinão é uma empresa familiar com mais de 40

anos e está presente nas cidades de São João del-Rei, Santa Cruz de Minas, Tiradentes e agora em Barroso. “São mais de 700 famílias empregadas diretamente, sem falar nos empregos indiretos que são os fornecedores, prestadores de serviço, dentre outros. Temos muitos clientes em Barroso e nas cidades próximas e sempre recebíamos pedidos dos clientes da vontade

Conforme divulgado pela Prefeitura Municipal, após reunião na sextafeira (30) com os empresários Paulo e Fábio Nascimento, proprietários do Esquinão, as empresas já começaram com quase o dobro de funcionários, saltando de 39 para 70 colaboradores. E mais, eles ainda revelaram que também faz parte dos investimentos do Esquinão em Barroso a abertura de uma unidade no bairro Jardim Bandeirantes no fim do ano. Já com contrato assinado, a nova loja vai gerar 100 novos postos de trabalho. As novas empresas de engenharia de Zé Orlando e Ivan será a responsável pela contrução da nova loja. VÍDEO O empresário barrosense Zé Orlando, que também foi vereador por dois mandados na cidade ( 1967-1970 / 1971-1972) e que agora, ao lado do genro Ivan, vai iniciar um novo ciclo na área da engenharia, gravou um vídeo que foi publicado nas redes sociais. Veja abaixo acessando o QR Code.

Esquinão está funcionando no mesmo local / Foto: Amanda Fraga

Profile for Bruno

Edição de Maio de 2021  

Edição de Maio de 2021

Edição de Maio de 2021  

Edição de Maio de 2021

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded