__MAIN_TEXT__

Page 1

ISABELINHA! No último dia 12 de dezembro completaram-se 20 anos da morte de Isabel Vidal que para muitos se tornou um lindo passarinho azul, que voou e pousou ao lado de Nossa Senhora Senhora. Página 6

Desde 2006 - Edição 212 - Sábado, 9 de Janeiro de 2020 - Barroso/MG - Distribuição Gratuita

Profissionais da saúde revelam exaustão no combate à Covid-19 Pode faltar médicos na cidade e região. Muitos profissionais estão doentes. Pág. 3 Empossado, Anderson inicia trabalhos na cidade

Equipe montada!

Depois de tomar posse, Anderson voltou à Câmara Municipal para reforçar apoio aos vereadores da nova legislatura 2021/2024. Página 5

LANÇAMENTO

Com 70% do secretariado composto por mulheres, Anderson e Eduardo anunciam equipe. Página 5

LUIZINHO PRESIDENTE Nova Mesa Diretora é formada na Câmara A composição para 2021 tem Luizinho Moreira (PP) como Presidente da Casa, na vice presidência, Didio Barbeiro (PL), ocupando a função de Primeiro Secretário, Márcio Enfermeiro (Solidariedade) e como Segundo Secretário, Buiu Caminhoneiro (PSD). Página 5

Lançamento virtual aconteceu na Calx. Pág.4


Janeiro

barrosoemdia.com.br

2021

Editorial Remando contra a maré! Essa é a sensação, ou uma das sensações, daqueles que insistem em cumprir as normas e protocolos de combate ao vírus que vem tirando vidas em todo o mundo. O sentimento é de derrota, de que estamos perdendo e, de fato, estamos: São cerca de 200 mil mortes só no Brasil! Pouco? Muito, a verdade é que não são apenas números e só na região beiramos 100 óbitos, sendo três deles em Barroso. E assim, consequentemente, passa a ser inevitável não relacionar essa sensação frustrante às lideranças políticas do nosso país e da nossa cidade, que por sinal, através do ex-prefeito, iniciou bem o combate, mas depois se perdeu entre pandemia, política e obras. O combate ficou em segundo plano e o que se viu foram muitos funcionários contratados e poucas ações do executivo. No âmbito federal, o que aconteceu é que simplesmente resolveram travar uma batalha de politicagem em plena pandemia de coronavírus. Enquanto, por exemplo, o governo de São Paulo duela particularmente com o desgoverno federal, seja por remédios, isolamento ou pelo corte de cabelo e vestimentas, pessoas fecham os olhos para nunca mais abrir. E desta forma, ficamos para trás na corrida pela vida e ficamos na frente no número de óbitos provocados pela doença. Senão obstante, a guerra particular dos meninos rabugentos que aventuram no poder, passa a ter mais uma batalha, onde o capitulo da vez é a vacina, ou a falta e o descaso com ela, com a ciência, com os profissionais da saúde, que também estão morrendo, por dentro e por fora. Nesta edição, em Barroso e região, por exemplo, eles revelam a exaustão e o sentimento de descaso por parte da sociedade, perdida entre o que acredita e o que deve acreditar. É neste momento, que cérebros incinerados, aflorados pelas redes antis-sociais e atiçados por um doente “líder”, que também pode atender por inconsequene, defecam opiniões sobre vacinas, um campo sem margem para discussões. Sem margem. Política, futebol, religião, tudo bem, mas vacina não, vacina não se discute. Regulamentada pelos órgãos competentes, vacina simplesmente se aplica e salva vidas. - Ah mas... mas nada! Se regulamentada e autorizada por profissionais, se aplica e pronto. Não tem conversa. Não tem discussão. Em meio a briguinha de quinta série dos políticos incompetentes e bem debaixo dos nossos olhos, pessoas vão indo embora para nunca mais voltarem. Fica a dor de parentes e amigos, que em meio a todo este terror ainda precisam ouvir que só os fracos morrem. Uma frase típica de uma sociedade doente, cega e incrédul que não quer e não consegue enfrentar a realidade, optando assim por apontar o dedo para uma imprensa que publica os fatos, que incomoda. Enfim, por fim, um ser, que criado com tanto amor e por consequência do amor, se perdeu na sua origem e essência. Triste constatação: o ano de 2020, e sua virada para 2021 e a euforia por festas e aglomerações, serviu para mostrar e jogar na nossa cara que, definitivamente, ser humano é projeto que não deu certo! Não importa quantas vidas salvemos daqui por diante o fato é que nós já perdemos! Tirem da cabeça essa ideia de que sairíamos mais fortes de tudo isso! Mentira, saímos pior, perdemos, descobrimos o que já era evidente: é cada um por si e salve-se quem puder.

Sessão Flash

Adeus a Padre Fábio Damasceno Faleceu, na manhã da quarta-feira 9 de dezembro de 2020, aos 56 anos, o expároco e padre de Barroso por cerca de 30 anos: Fábio José Damasceno. O sacerdote, que até então exercia a função de pároco na cidade de Nazareno, estava hospedado na cidade de Prados, auxiliando na programação do Jubileu de Nossa Senhora da Conceição. A causa da morte foi um infarto. Na oportunidade, os barrosenses se despediram de Padre Fábio José Damasceno no velório realizado na matriz de Sant´Ana que reuniu, apesar da pandemia, centenas de fiéis, que foram dar o último adeus ao homem que foi mais que um padre na cidade. Nas redes sociais também foram inúmeras mensagens de cidadãos e fiéis católicos que tiveram a oportunidade de trabalhar com Padre Fábio tanto na igreja como nas causas sociais onde ele tinha um enorme envolvimento. EXPEDIENTE - PÁGINA DE OPINIÃO

www.barrosoemdia.com.br

Rua Maria José Melo, 13 - Centro - Barroso/MG Telefone: (32) 9.9199-1575 - WhatsApp

Co-fundador: Antônio Marcos Pinto (in memoriam) Editor Chefe/Jornalista responsável: Bruno Ferreira - 11.558/MG CNPJ: 12.772.555/0001-30 (E.I.) - Tiragem: 1.000 exemplares Colaborador: Paulo Terra E-mail: barrosoemdia@yahoo.com.br facebook.com/barrosoemdia twitter/@barrosoemdia Instagram: @jornalbarrosoemdia

2

O cheiro passou! Foi-se embora pra esquecer, né?! Mas o que o Rei fez de obra na reta final não tá no Gibi! Mandou bem, hein Rei! Por isso eu apoio: Rei2086! Que comece a campanha: Rei2086! Rei, rei, rei... O Cecrans ficou lindo: piso show de bola, limpinho... mas fizeram um puxadinho lá na entrada que Deus me livre!!! Como uma reforma estraga fácil assim a arquitetura do ginásio?! Ah... foram os Bombeiros que exigiram! OK, mas custava fazer um projeto bacana? Ridículo!!!

João?

O governo acabou e a árvore em cima do marco histórico da cidade, o pirulito da praça Gustavo Meireles, a Praça do Padre, continua crescendo! Não tiveram a descência de colocar uma escada e cortar o galho no monumento mais importante do município. E o Rei ainda deu nota 9 pra ele! Faz me rir! Sua nota é no máximo 5! Não passaria de ano! Reprovado! É o tipo do aluno que deixou pra estudar no último bimestre! Não dá. Reprovado! Partiu comprar sapatos... Mas, pelo amor de Deus, compra os sapatos todos, mas não volta! Presta atenção aí, galera da meia tonelada! Estamos aqui de olho e pisou na bola tá no João Interrogação! E já vou adiantando que tem uns secretários aí que não tem perfil para a função. Nada a ver. Forçaram a barra, mas vamos esperar pra ver. Tem que apostar! Mas não gostei! Falo mesmo... Também não acho certo esse negócio de parente como fez Eika, Reinaldo, não tá certo! Ahhhhhhh, mas tem competência! Não entro neste mérito... só não gosto! E vocês façam um favor à minha pova: começe limpando essa cidade! Limpa essas praças, passa uma tinta, dá um jeito aí! E o cantor Leone? Desce? Povo quer saber... Povo gosta dele na Obra! “Garotos como eu tão espertos....” E a vacina gente?! Tem um monte de Bozo aí falando que não vai tomar! Tô anotando a placa de cada um deles, inclusive políticos barrosenses querendo fazer média com Bolsonaro! Se eu vir na fila, vou chegar dando voadora! Por falar em políticos, alguém viu a cantora Wanderléia por aí? Sério, a mulher sumiu uai! “Por favor... pare agora...” E feliz 21 pra todo mundo! Que dizer, pra todos não, só pra alguns! Brincadeira. Que possamos ficar livres deste mal! Tô falando do vírus tá, gente! Pensamento do Mês:

“Funcionários do Banco do Brasil: cuidado. E não me refiro à Covid”.


Janeiro

barrosoemdia.com.br

2021

3

Exaustão! Profissionais da saúde de Barroso e região relatam exaustão no enfrentamento à Covid

E

nquanto boa parte da população descumpre as normas, protocolos e decretos da Covid-19, fingindo não enfrentar uma pandemia de coronavírus que já matou quase 200 mil pessoas somente no Brasil, profissionais da saúde se “jogam” de cabeça para tentar salvar vidas em Barroso e região. A reportagem do Barroso EM DIA ouviu profissionais da saúde do executivo, do Hospital Macedo Couto, médicos que atendem na região e profissionais que estão no enfrentamento da doença em Belo Horizonte, capital mineira. Os relatos a seguir foram publicados com a condição de anonimato por parte dos médicos e enfermeiros que pediram sigilo, mas fizeram questão de fazer um desabafo. São sete da noite de um domingo qualquer, ele se despede da família e segue para o trabalho. Em casa, mãe e filhos esperam que o pai, médico, retorne com saúde. Contudo, essa é uma realidade que não dá para afirmar. Mesmo que o doutor volte no dia seguinte, como voltou exausto na manhã de segunda-feira, não dá para ter certeza se ele está bem. “Você já sai apreensivo e retorna pior ainda. Quando meu filho começa a tossir e reclama qualquer sintoma, mesmo que sejamos médicos, o sentimento de culpa invade o peito. Fazemos as medicações necessárias, mas ainda assim, todo o pavor que essa doença causa nos deixa de mãos atadas”, relata um profissional que trabalha em um hospital da região e

NÚMEROS

Médicos e enfermeiros fazem desabafo sobre a luta contra a Covid

vem sofrendo psicologicamente com o coronavírus. “Daí a esposa também começa a passar mal, o ambiente em casa fica pesado e quando você sai novamente para trabalhar, salvar vidas, você vê o descaso da população com a doença que é sim perigosa, porque é silenciosa, pouca conhecida”, diz o profissional. Já com relação a Barroso, um depoimento que causa apreensão. “Além da taxa de ocupação de leitos, que é um dos grandes problemas no enfrentamento, estamos começando a conviver com a falta de profissionais para atender esses pacientes. Estamos exaustos ao extremo”, conta um outro profissional que está preocupado com a probabilidade de faltar médicos na cidade. “Estamos na linha de frente e estamos atendendo, com muito carinho e profissionalismo muitos dorenses, mas a situação de Dores

está fora de controle e muito deles são atendidos aqui. Estamos aqui para atender a todos, mas com o aumento da demanda, falta profissionais”, conta um funcionário do poder público que chama atenção para a situação da cidade vizinha. “Às vezes damos plantões, chegamos a intubar pacientes suspeitos com muita falta de ar, vemos de perto o drama de quem luta para respirar e quando saímos do Hospital, onde está a realidade, nos deparamos com os bares lotados e pessoas sem máscara andando pelas ruas. Aquilo é um sentimento de que estamos sozinhos na luta. E mais, parece que estão jogando contra nós, o sentimento é horrível”, diz um outro profissional que também atende na região. “Em São João, a maioria dos pacientes tem cerca de 30 anos, ou seja, jovens, que obviamente estão saindo, arriscando

suas vidas e de seus pais e avós. E é muito triste ver que eles sequer estão preocupados para quem vai passar o vírus”, declara um doutor que atende na cidade histórica e reforça que a situação também é alarmante. BELO HORIZONTE Por fim, a reportagem conversou com um profissional que atende em Belo Horizonte e região metropolitana e descobriu que os relatos são fortes. “Desculpe a comparação, mas você já viu um peixe morrendo fora d’água? Então você imagina um ser humano precisando de respirador. Aqui, onde trabalho, vejo isso acontecer pelo simples fato de não ter vaga para todos”, diz o profissional. Ainda segundo ele, tem locais que tem seis letos de Covid/Enfermaria, mas apenas quatro respiradores e cerca de 30 pessoas em situação gra-

ve. “Vi aqui e não desejo para ninguém o que chamamos de Escolha de Sofia, quando se decide quem vai viver”, relata o profissional à reportagem e também comenta que muita das vezes os jovens tem prioridade sobre os idosos. “Não é sempre, mas às vezes jovens vão para respiradores primeiro que os idosos”, diz.

Juntas, Barbacena, São João del-Rei e mais algumas cidades da região, incluindo Barroso, já se aproximam de 100 mortes e quase cinco mil casos da doença. “O mais triste de tudo isso, vendo médicos escolhendo quem vai viver e quem não vai, é ver que as pessoas se aglomeraram no Réveillon, como se tivessem algum motivo para comemorar. E aí, daí há 15 dias, como aconteceu na política, onde as pessoas foram para as ruas, estaremos todos lá no Hospital atendendo os idosos que tiveram contato com essas pessoas que saíram para “celebrar 2020”, diz o profissional que trabalhava na Prefeitura. Na semana passada as secretarias de saúde de Barbacena e São João del-Rei informaram que a taxa de ocupação dos leitos de UTI estavam acima de 90% da capacidade. Veja abaixo o quadro de óbitos da doença em Barroso e região:


Janeiro

barrosoemdia.com.br

2021

Subsídios para a história Sociólogo Antônio Claret lança livro com artigos sobre a cidade

Devido à pandemia do novo coronavírus, o lançamento do livro foi realizado pela internet

O

sociólogo Antônio Claret, que disputou as últimas eleições municipais para prefeito na cidade, lançou no último dia 16 de dezembro, na Calx Cervejaria, o livro Conhecer Barroso - Subsídios para a história recente do Município. Devido à pandemia do Covid-19, e com o intuito de evitar aglomerações, o lançamento foi virtual e feito através de uma live no Facebook. São 276 páginas com artigos, crônicas e depoimentos que vieram através de uma seleção de textos que foram publicados no site www.barrosoemdia. com.br nos últimos anos. Como mostra a “orelha”, o livro debate os mais diversos temas e dilemas vividos pela sociedade barrosense neste início de século XXI. “Para conhecer Barroso é preciso

transitar do micro ao macro, conhecer as histórias e tradições do povo, seus modos de vida, mas também a forma como a cidade e sua gente se inserem na região, no estado, no país e no mundo”, trecho da apresentação. Quem também escreve e assina o prefácio é o jornalista barrosense, Bruno Ferreira, editor-chefe do jornal e site Bar-roso EM DIA. “Este foi um trabalho idealizado pelo Antônio no início do ano passado. Contribuí com um texto de apresentação do jornal e falando também das qualidades do Antônio como colunista do Barroso EM DIA. Aliás, ao lado de nomes como Paulo Terra, que também faz uma apreciação sobre o livro, Luiz Moreira e Marcos Magalhães, Antônio ajuda a formar uma equipe de colunistas que comungam da linha edito-

ral do jornal. Parabéns ao Antônio. Todos os artigos agora estão impressos na história”, diz Bruno. PRIMEIRO LIVRO O livro de Antônio é uma espécie de continuidade do impresso de Geraldo Napoleão de Souza, avô dele, que escreveu o livro Subsídios para a História do Município em 1979. Na oportunidade, o ex-prefeito de Barroso, descreveu, em 122 páginas a recente história de Barroso. “Jamais tive a pretensão de situar-me na condição de historiador, mas, para mim é função gratificante, contribuir, de alguma forma, para a história de Barroso...”, escreve Geraldo na introdução do livro que fala das tradições, dos locais, das construções, enfim, é uma espécie de guia da época que tem fotos e ilustrações dos anos 70.

ASILO “É com muita alegria que anúncio o lançamento de meu livro “Conhecer Barroso: subsídios para a história recente do município. Devido ao momento de pandemia, será um evento restrito ao público e transmitido pela minha página aqui no Facebook”, diz Antônio nas redes sociais na véspera do lançamento. Para adquirir seu exemplar, entre em contato com Antônio nas redes sociais. Toda a renda da venda do livro será doada às instituições sociais do nosso município, especialmente ao Lar Nossa Senhora de Fátima, que através de funcionários do Asilo, entrega o livro na sua residência. Para falar com o Lar Nossa Senhora de Fátima basta ligar 3351-1259 e fazer o pedido do livro Conhecer Barroso.

Livro de Geraldo Napoleão de Souza, avô de Antônio

DEPUTADO DR. FREDERICO REALIZA TRABALHO FUNDAMENTAL NO COMBATE AO CORONAVÍRUS EM BARROSO E REGIÃO Além de buscar apoiar, indicar e relatar leis importantes para o enfrentamento do coronavírus, o Deputado Federal Dr. Frederico trabalhou muito no apoio e organização do serviço de saúde, auxiliando na elaboração do fluxo de atendimento aos pacientes na Região das Vertentes. Encaminhou ainda verbas significativas e 25 respiradores a 4 serviços regionais. Além disso, ciente de que os municípios ainda precisam de ajuda, o parlamentar indicou, e já se encontra pago, o valor de R$ 50 mil ao município de Barroso, para ajudar as equipes de saúde na prevenção e enfrentamento ao coronavírus, e R$ 150 mil reais para apoiar principalmente os cidadãos mais vulneráveis na Assistência Social. Dr. Frederico afirmou que segue à disposição e trabalhando muito para apoiar a população de Barroso, Minas Gerais e o Brasil a superar este desafio!

4


Janeiro

barrosoemdia.com.br

2021

Empossados!

SECRETARIADO 2021/2024

Prefeito, vice e vereadores tomam posse

Secretaria de Assuntos Estratégicos -Vice-prefeito Eduardo Pinto

A

conteceu na manhã da sexta-feira (1), a Reunião Solene de Posse dos vereadores que estarão à frente da Legislatura 2021/2024. Com protocolos de segurança devido a pandemia de coronavírus, eles foram empossados e fizeram seus discursos diante dos poucos familiares que estiveram presentes. Em seguida, os vereadores empossados votaram para a composição da nova Mesa Diretora que terá Luizinho Moreira (PP) como Presidente da Casa em 2021. O vice-presidente da Câmara de Barroso será Didio Barbeiro (PL), o Primeiro Secretário Márcio Enfermeiro (Solidariedade) e o Segundo Secretário Buiu Caminhoneiro (PSD). Luizinho, recebeu os votos de Buiu Caminhoneiro, Nem da Auto Escola (Avante), Leone Nascimento (DEM), Kiko do Bedeschi (DEM), Didio e Márcio Enfermeiro. Os vereadores Állan Campos (Rede) e João Campos, o Golô (PDT) votaram entre eles. Portanto, a nova Mesa venceu por 7×2 a disputa da Presidência da Casa em 2021.

Secretaria de Administração e Planejamento - Elizete Capelupi

Vereadores, prefeito e vice na manhã do dia 1 de janeiro de 2021

CHAVES Na manhã do sábado (2), aconteceu a transmissão de cargo entre o governo do ex-prefeito Reinaldo Fonseca (PSDB) e o atual Prefeito da cidade de Barroso, Anderson de Paula A solenidade contou também com a equipe de transição dos dois governos e aconteceu, de forma simbólica, a entrega das chaves da cidade. Assim, depois de cerca de duas horas avaliando e analisando documentos do executivo, o ex-prefeito deixou “as chaves” com Anderson, que a partir de agora comanda a cidade nos próximos quatro anos. O ex-secretários entregaram alguns docu-

Nova Mesa Diretora da Câmara

POSSE EXECUTIVO Já na noite da sexta-feira, Luizinho, que foi eleito Presidente, deu posse ao Prefeito Anderson de Paula (DEM) e ao vice Eduardo Pinto (Cidadania). Eles foram empossados na noite chuvosa daquela sexta-feira. A reunião também seguiu os protocolos de combate a pandemia de coronavírus e foi restrita aos familiares e poucos convidados. Eduardo e Anderson fizeram discursos voltados pela gratidão a população barrosense e prometeram trabalhar em prol de toda a cidade. “Quero chegar a 2024 com a sensação de dever cumprido”, diz.

mentos aos atuais governantes e foram assinados por profissionais do executivo. Em um momento histórico, estiveram presentes na transmissão de cargo os ex-prefeitos Zé Meneghin e Eika Oka de Melo, que fizeram seus discursos voltados para a harmonia e em prol da cidade. “Estamos entregando a Prefeitura sem nenhuma dívida. Todas as obras que estão em andamento já estão pagas, o dinheiro já está em caixa”, disse Reinaldo. Já Meneghin discursou no sentido de momento histórico. “A vida pública é feita de renovações e é bom que se renove. Gan-

har e perder faz parte da vida pública”, ressalta Zé Meneghin, que foi prefeito de Barroso por duas vezes. Eika também fez seu discurso voltado a gratidão dos barrosense e ressaltou a importância da vitalidade da juventude no novo governo. “A dupla que apoiei, venceu a eleição e hoje estamos aqui apoiando este momento”, diz Eika. Por fim, Anderson de Paula falou sobre a importância do momento e da responsabilidade que eles terão a partir de agora. “Vamos trabalhar, trabalhar e trabalhar. E a única coisa que peço é saúde, para me dedicar aos quatro anos ao povo de Barroso”, ressalta.

EQUIPE Na oportunidade, foi apresentado a população o novo secretariado e a novo estrutura do município. A nova estrutura é composta pelos seguintes setores: Secretaria Municipal de Assuntos Estratégicos, Secretaria Municipal de Administração e Planejamento; Secretaria Municipal de Finanças; Secretaria Municipal de Assuntos Institucionais; Gabinete; Secretaria Municipal de Saúde; Secretaria Municipal de Educação; Secretaria Municipal de Infraestrutura; Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social; Secretaria Municipal de Cultura e Turismo; e Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude. “Cada secretaria foi articulada da melhor maneira para atender toda a população. Os secretários foram escolhidos estrategicamente de acordo com suas experiências e qualificações” afirma o novo Prefeito que assumirá provisioriamente a Secretaria de Infraestrutura. Ao lado, os secretários que já estão trabalhando. No site barrosoemdia.com.br consta o perfil de cada um deles. Acesse e leia!

Secretaria de Assuntos Institucionais - Luciana Lima

Secretaria de Saúde - Andressa Severo

Secretaria de Educação - Jacqueline Lira

Secretaria de Desenvolvimento Social - Joseany Tostes

Secretaria de Cultura e Turismo - Edna Américo

Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude - João Guilherme

Reinaldo deixou a Prefeitura aplaudido pela nova gestão

5


Janeiro

barrosoemdia.com.br

2021

6

Vinte anos sem Isabelinha Relembre a canção e a história desta barbacenense, figura folclórica, que deixou saudades

N

ão pode passar em branco e não passará, pelo menos aqui no Barroso EM DIA! Doze de dezembro de 2020 completaram-se 20 anos sem Isabel Vidal, a Isabelinha, que para muitos, tornou-se um Lindo Passarinho Azul, voou e pousou ao lado de Nossa Senhora. Ela faleceu no dia 12 de dezembro de 2000, aos 85 anos de idade, e desde então Barbacena e o mundo nunca mais foram os mesmos. Se estivesse viva, completaria, em fevereiro próximo, mais precisamente no dia 28, 105 anos de idade. (Nascimento – 28/02/1915) Pode parecer muito, mas em se tratando de Isabelinha, ainda seria pouco. Na verdade, seres humanos como Isabelinha deveriam ser eternos. Jornais e noticiários da época informaram que Isabel sofreu uma queda no dia 20 de novembro de 2000, o que resultou numa fratura do fêmur. Ela foi internada na Santa Casa de Misericórdia e submetida a uma cirurgia na perna. Isabelinha teve uma recuperação considerada excelente, mas no dia de sua alta, foi detectada uma pneumonia, que a manteve internada por vários dias. Não resistindo à doença, ela faleceu. Segundo os médicos que acompanharam o seu quadro, Isabelinha morreu muito fraca, mas não perdeu a sua lucidez. Seu velório, na Igreja da Boa Morte, teve a participação de familiares e amigos, além de 90 cadetes da Escola Preparatória de Cadetes do Ar. Isabelinha foi homenageada pela turma de formandos do ano de 1970, da EPCAr, com um quadro pintado pelo artista plástico Lourival Vargas e doado ao estabelecimento de ensino. A figura de Isabelinha e seu saudoso cachorro, chamado Nabão, salta do quadro como se estivesse se aproximando de nós, em seus passeios molhados pela madrugada. Isabelinha, com sua rica gramática, estava sempre presente em eventos, discursando e abençoando, disse o artista plástico. Pouca gente sabe, mas a história de Isabel Vidal é rica de acontecimentos e fatos. Entre eles, está o seu parentesco com o inconfidente Domingos

Homenagem a Isabelinha

Isabelinha ficou muito conhecida em Barroso

Vidigal. Com sua morte, o município perdeu um pouco de sua história, que tinha em ‘Isabelinha’ um referencial humano dos mais importantes. JÚLIO DUTRA Isabel Vidal também foi tema de uma música em um festival realizado em Barbacena no mês de novembro de 1981. A canção ‘Isabelinha’ obteve o terceiro lugar no 1º Festival de Verão, com letra e música do compositor barrosense Júlio César, também falecido. Aliás, com essa mesma canção, Marquinhos Dutra, irmão de Júlio, ganhou muitos festivais na região.

Isabelinha Vence o mundo tão sozinha Numa rua sem ninguém É talvez a dor calada Que na rua vai e vem Oh! Que linda velha colorida Cor de sonho bem sonhado Cor de fantasia mal fantasiada Cor de beijo que dou pra te dizer Que gosto de você Isabelinha Tão triste velha linda tão sozinha Que vence o mundo e por aí caminha Com jeito manso de perfeita flor E um lindo rosto azul do céu Um cão sem raça, um blusão sem cor Uma bolsa falsa, um gesto de amor Um tamanco torto Um grito Ai!

VEJA O CLIPE! Veja a letra da canção e a interpretação do cantor barrosense Marquinhos Dutra. Trecho do documentário da Uemg que você pode acessar pelo código QR. Basta posicionar sua câmera, através do aplicativo e abrir o canal do Youtube do Barroso EM DIA.

Isabelinha e seu cachorro Nabão

Continuando “ A Loucura de todo Dia”, hoje vou contar para vocês sobre uma pessoa que viveu aqui pelas ruas de minha cidade, sua loucura por um amor perdido ainda na juventude e tendo seu nome ultrapassado muitas fronteiras. Isabel Vidal, mais conhecida como Isabelinha, era filha única de um rico coronel da região, teve uma educação esmerada, mas se apaixonou por um cadete da Força Aérea Brasileira, e segundo contam, seu pai a impediu de viver este amor, proibindo seu casamento com o amado. Exímia pianista, muito culta, ao ficar orfã ainda jovem, veio para cá, onde morou perto da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR) até morrer, muito velhinha. Contam que sua loucura veio daí, sozinha andava pelas ruas da cidade na esperança de um dia rever o amado. Seria bonito se não fosse trágico. O fato que durante toda a sua vida, Isabelinha perambulou pelas ladeiras íngremes recitando seus poemas de amor , usando sua favorecida oratória e postura misteriosa chamando a atenção de todos que por ela passava. Era uma mulher pequena, magra, com longos cabelos brancos que se vestia sempre desconectada com a moda do dia. Me lembro dela usando um sapato de salto, meias grossas (uma sempre escorrendo por uma perna), um casaco de veludo já surrado pelo tempo, uma bolsa pequena, pendurada elegantemente nos ombros, echarpes chamativas no pescoço, algumas vezes até luvas. Sua boca carnuda chamava a atenção pintada de batom vermelho sangue, que se sobressaía de sua face, já marcada pelas grossas sobrancelhas negras. Atrás de si, sempre o velho amigo Rex, um cão vira-lata que pacientemente a seguia resignado com seu destino. Isabelinha como ficou conhecida, passou a ser a musa da EPCAR, por nunca ter escondido

sua paixão pela farda azul dos cadetes que aqui passaram. Eles por sua vez, jovens distantes de suas famílias, encontraram nela os mimos de uma mãe extremada. Foi uma troca intrigante. Eles a protegiam e supriam suas necessidades e ela os cortejava e paparicava com seus carinhos. Quando deparava em sua caminhada, com um cadete, recitava em alto e bom som seus poemas terminando sempre com os dizeres: “ Lindos passarinhos, azuis da cor do céu, querem contribuir com os pobres… os pobres sou eu, que tanto os amo”. Daí trocava com eles uma divertida prosa, ganhava sempre os trocados pedidos e seguia sua caminhada matinal em busca nunca se soube do que. Recebeu todas as homenagens das turmas da EPCAR que aqui passaram e principalmente da escola. No comando existe uma tela a óleo pintada sobre encomenda que exprime todo o carinho que tiveram com ela, a transformando na eterna musa dos cadetes. Até hoje quando aqui retornam para comemorarem os aniversários de suas formaturas, colocam uma faixa em sua homenagem, com os dizeres que nunca esqueceram: “Lindos passarinhos, azuis da cor do céu… “ Na cidade ganhou o respeito dos barbacenenses ao usar de sua palavra, nos discursos, nos velórios importantes de políticos ou de cidadãos renomados. Sua palavra era esperada como de uma carpideira. Assim viveu aqui, perambulando com sua passiva loucura até o fim de seus dias, falecendo assistida no hospital da EPCAR. Teve um enterro com honras militares e muitas lágrimas de pessoas, que só a entenderam quando a perderam. Até hoje é comum alguém ainda dizer: Coitada, morreu de amor!

Texto de Ruth Esteves sobre Isabelinha.

Profile for Bruno

Edição 212 Janeiro  

Edição 212 Janeiro  

Advertisement