Page 1

UMA AGENDA TRANSFORMADORA

Redução das Desigualdades Sociais no Rio de Janeiro Relatório de Resultados 2017


missão Buscar a redução da desigualdade social por meio da capacitação, apoio para a geração de renda e da atuação direta em comunidades, transferindo conhecimento e metodologia para que organizações que atuem com populações em situações de pobreza extrema implementem programas de geração com efetivos.

de

renda

resultados


Redução das Desigualdades Sociais no Rio de Janeiro Relatório de Resultados 2017


apresentação Uma visão positiva para o Rio Ao apresentar o Relatório de Resultados de 2017 o Banco da Providência quer mostrar uma metodologia que há 10 anos alcança evolução na redução do número de famílias em situação de pobreza extrema, no município do Rio de Janeiro. Sobretudo, quer contribuir com um olhar positivo sobre nossa cidade e mobilizar parceiros para a construção de uma agenda transformadora. A Metodologia das 3 Fases é fruto do esforço colaborativo e foi elaborada baseada em alguns propósitos: Executar a missão institucional, pautada no comprometimento da equipe com a causa da redução das desigualdades sociais, com foco em famílias que vivem em situação de pobreza extrema e moradores de rua. Promover a diminuição da pobreza via capacitação para geração de trabalho e renda, empoderamento de mulheres, cuidado e atenção à juventude, inclusão social. Construir sinergias, articulações, redes e parcerias. Parcerias múltiplas e flexíveis envolvendo instituições e empresas, vários níveis da política pública, institutos e universidades, ONGs de base comunitária e lideranças. Disseminar

a cultura da gestão, com comprometimento

com resultados, executando investimentos na área social com eficiência e transparência. Atuando por meio da elaboração de indicadores, metas e monitoramento. A metodologia desempenha um papel importante para tornar o processo de redução das desigualdades sociais sustentável.

2


Principais resultados de 2017 Capacitação de famílias para a geração de trabalho e renda, com significativo efeito: das 427 famílias matriculadas no Programa, 298 (70%) estavam em situação de pobreza extrema, 70% delas superaram esta situação.

53 jovens foram capacitados no curso de Cultura Digital, oportunidade de aprendizado disponível para jovens moradores em comunidades, com idades entre 16 e 29 anos, diminuindo o risco de exposição à violência urbana e aumentando as chances no mercado.

Iniciativa do Instituto Doar e Revista Época premiou o Banco da Providência como uma das 100 melhores ONGs em 2017, reconhecendo o investimento na cultura de gestão por resultados como ferramenta fundamental para melhorias constantes e sustentabilidade.

70% das famílias superaram a pobreza extrema

92% dos jovens foram encaminhados a novas oportunidades

Prêmio Melhores ONG’s do Brasil

Compartilhando da crença do economista João Sicsu

Além dos resultados atingidos,

(UFRJ) de que “Não haverá solução isolada para o Rio de

nesse relatório, contamos histó-

Janeiro”, o Banco da Providência elegeu como ação

rias protagonizadas pelos jovens

prioritária do planejamento estratégico 2018/2020, a

e adultos capacitados em nosso

elaboração de uma agenda coletiva, articulando iniciati-

programa. Elas aumentam nos-

vas e programas em nosso município, para transformar

sa convicção de que uma trans-

histórias de desigualdade e pobreza em experiências

formação social na Cidade do

sustentáveis de desenvolvimento humano.

Rio de Janeiro é possível!

3


Cenário de desigualdades sociais “Quando quem está desempregado é o chefe da família, aumenta a insegurança e as dificuldades. É um cenário preocupante porque ameaça não apenas o presente, mas também o futuro dos brasileiros. No Rio de Janeiro, 48 mil estudantes trocaram escolas particulares por instituições públicas. Muitos, se conseguirem vagas, terão que conciliar estudos com a busca pelo trabalho. É um país pondo em risco a formação de seus jovens.” (Coluna Flávia Oliveira, O Globo)

17

REGRESSÃO SOCIAL

5,5 3,3

3,0

3,3

4,2

4,6

5,1

5,5

6,5

2,9 1,3

0,9 6 201

5 201

1,4 3

1,5 2

4 201

201

1,4 1

201

1,1 9

201

200

1,5

1,5

1,4 8 200

7

6

1,7 5

200

200

2,1 4

200

200

2,1

2,5

2,3 3 200

2

1

200

1,8 9

200

1,6 8

199

199

1,9

1,7 7 199

2,1 5

6 199

3

199

199

199

2

2,7

4,2

6,9

9,4

pobreza extrema pobreza

9,3

9,3

10,6

10,9 9,1

8,5

9,4

8,7

9,8

13,5

Evolução da população em situação de extrema pobreza e de pobreza no Rio de Janeiro

Fontes: Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. SAGI/MDS, Esudo Técnico nº7/2016

Os números que refletem as desigualdades nas famílias atendidas no Banco da Providência Chefes de famílias desempregados • 70% das famílias entraram no projeto em situação de pobreza extrema (menos de R$85,00 per capita por mês) • 66% das famílias entraram no programa com renda zero, sem renda oriunda de trabalho. (sobrevivem com benefícios do governo e/ou apoio de terceiros) • 76% dos adultos não geravam renda

Crianças, jovens e mulheres na pobreza • 38% dos membros das famílias são menores de idade • 30% dos membros das famílias estão na faixa da juventude (16 a 29 anos) • 73% das pessoas matriculadas nas Agências de Famílias são mulheres • Apenas 38% dos participantes fazem parte do programa Bolsa Família

4


A Gestão como Ferramenta de Transformação Social Metas Institucionais de superação da pobreza PREVISTAS 2017

ALCANÇADAS 2017

1

60% das famílias que não geravam renda passarem a gerar renda

73% das famílias passaram a gerar renda

2

60% das famílias superarem a condição de pobreza extrema

70% das famílias superaram a pobreza extrema

3

60% das famílias superarem pelo trabalho o valor do Bolsa Família

64% das famílias superaram o valor do Bolsa Família

Um outro patamar na gestão de resultados Superação da pobreza extrema Os dados apresentados neste relatório não representam suposições. São dados coletados e analisados por um sistema informatizado de gestão, que armazena as informações desde 2008 e serve como base para o estabelecimento de metas e acompanhamento dos resultados do Banco da Providência.

5


A contribuição para o desenvolvimento das famílias e das comunidades R$ 50,33

Renda média per capita das famílias na entrada do projeto

R$

317,45

Renda média per capita das famílias na saída do projeto

72% das famílias aumentaram a renda e dessas, 89% aumentaram em mais de 100%

Quando começaram no projeto, as famílias participantes geravam juntas

R$ 88.288,00 por mês (per capita x número de pessoas).

Depois de passar pela Metodologia das 3 fases, elas colocaram em circulação

R$ 556.490,00 por mês. Em um ano, isso significa que:

6,7 milhões estão girando na economia, onde antes girava 1 milhão. 6


programa de inclusão social Metodologia

1

Agência de Famílias Agência Emaús

Uma plataforma para o desenvolvimento humano

fase 1 DIMENSÃO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO

Habilidades em identificar o potencial como ser humano: o olhar para talentos e competências; Habilidades em desenvolver atitudes pró-ativas na família e na comunidade; Habilidades em se reconhecer como um sujeito de direitos. Identificar a rede comunitária.

Plano de Ação

2

Agência de Capacitação

fase 2 DIMENSÃO DA CAPACITAÇÃO PARA O TRABALHO

Habilidades específicas da profissão; Habilidades básica para participação e cidadania; Habilidades de gestão.

Qualificação

3

Agência de Empreendedorismo

fase 3 DIMENSÃO PARA GERAÇÃO DE TRABALHO E RENDA

Habilidades que compõem o perfil do trabalhador; Habilidades para demonstrar talentos e competências em processos seletivos; Habilidades de reforço, disciplina e comprometimento.

Exercício da Cidadania Jovens e adultos co-responsáveis para alcançar o desenvolvimento humano, com capacidades e condições de fazer escolhas e influenciar decisões que afetam suas vidas, a vida de suas famílias e de suas comunidades.

7


PROJETOS

fase 1 DESENVOLVIMENTO HUMANO

fase 2

CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

DE fase 3 GERAÇÃO TRABALHO E RENDA

Dividido em três fases, o programa começa com o desenvolvimento de habilidades sócio-emocionais.

Famílias

70%

das famílias entraram no programa em situação de pobreza extrema

76%

dos adultos não geravam renda

Agência de Famílias

10 encontros de descobertas

8

Formatura da Agência de Famílias

Com dez encontros, a primeira etapa

Essa primeira fase acontece dentro das comunidades,

trabalha as habilidades para a cons-

com aulas dinâmicas e participativas, que ajudam os

trução de uma imagem positiva de si

participantes a trilhar o caminho do autoconhecimen-

mesmo, a autoconfiança, a autovalori-

to. Nesse primeiro momento, são trabalhados a identi-

zação, a capacidade de comunicação,

dade, as relações de vínculo, pertencimento e partici-

a determinação, a postura, a supe-

pação, a rede pessoal e comunitária, a família e, nas

ração de obstáculos e a criação de

últimas aulas, o plano de atitudes, que será o fio con-

soluções cooperativas.

dutor das mudanças de vida do participante.


Nesse plano de atitudes, o participante reflete sobre seus objetivos e o que precisa fazer para realizá-los. A metodologia trabalha o comprometimento com o resultado, estabelecendo metas e combinando ações e forças para se atingir os resultados. Nos planos de atitudes as famílias informam o compromisso de superar obstáculos por meio das oportunidades oferecidas na Fase 2 (capacitação) e Fase 3 (geração de trabalho e renda) da metodologia.

O que muda positivamente na vida das famílias? As transformações positivas esperadas na

As famílias desenvolvem características como a

vida das famílias estão alinhadas com o desen-

capacidade de acreditar que são capazes de

volvimento de sua autonomia e da capacidade

alcançar

de serem os protagonistas das mudanças nas

superar obstáculos ou frustrações; inovar,

condições de vida.

trabalhar em grupo; modificar relacionamentos

O Curso de Formação para o Mundo do Trabalho (10 encontros) está pautado nos conceitos da Educação para o Século XXI

mudanças;

persistir

em

tarefas;

conflitivos. “É difícil achar quem discorde que essas competências são fundamentais para o desenvolvimento pleno de qualquer pessoa.”

(UNESCO), Cultura da Paz e Terapia Comu-

Em 2017 foram implementadas 6 Agências de

nitária. Desenvolve habilidades capazes de

Famílias, localizadas nos bairros de Bangu,

contribuir para a mudança em nível pessoal,

Gericinó, Guadalupe, Cidade de Deus (2 uni-

familiar e comunitário, que são medidas por

dades) e Gardênia Azul. Atendendo ao todo

indicadores de desenvolvimento.

427 famílias (1.753 pessoas).

Metas para gestão da própria vida PREVISTAS 2017

ALCANÇADAS 2017

1

Matricular 420 famílias no projeto Agência de Famílias

427 famílias foram matriculadas

2

Aprovar 70% das famílias no curso de Formação para o Mundo do Trabalho

97% das famílias foram aprovadas

9


PROJETOS

fase 1

fase 1 DESENVOLVIMENTO HUMANO

fase 2

CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

DE fase 3 GERAÇÃO TRABALHO E RENDA

Histórias de atitudes que transformam Georgina Angélica tem 46 anos e mora em Gardênia Azul com a filha de 25 anos Depois de 20 anos, não aguentou o baque do divórcio logo após a morte de sua mãe. Perdeu a autoconfiança e a vontade de viver. Não queria sair da cama e não queria acreditar que, depois de duas décadas aguentando ofensas, o amor tinha sumido e levado com ele tudo que o casal tinha construído junto, vendendo sanduíches naturais na praia.

Luiz Claudio Rocha tem 44 anos

como gesseiro do marido, gerando uma renda per capita

mora na Cidade de Deus

para a família de R$ 133,86. Eles haviam abandonando a

Luiz começou a trabalhar aos 13 anos, como

esperança pelo caminho não pavimentado que levava até a

ajudante de jardinagem e, apesar de ter

casa onde todos moram juntos. Mas no meio desse caminho

nascido em Vigário Geral, mora na Cidade de

tinha um poste, com um cartaz do Banco da Providência

Deus desde seus 11 anos. Com seis filhos de 25, 20, 19, 17, 11 e 8 anos e um neto de 5, a família estava devastada pelo envolvimento de um

“Esse lugar é diferente”

oferecendo um curso gratuito de mecânico de refrigeração. Ele ficou desconfiado porque “coisa de graça para pobre nunca é sinônimo de qualidade”. Mas um conhe-

dos adolescentes com drogas. A esposa de

cido o convenceu de que “esse lugar é diferente”. Luiz se

Luiz trabalhava como empregada doméstica,

inscreveu e ficou incomodado quando descobriu que, antes

e juntava o pouco dinheiro que conseguia

de começarem as aulas técnicas, precisaria participar dos

(R$ 937,00) àquele que vinha dos trabalhos

dez encontros da Fase 1.

Cristiane Mendes de Araújo tem 38 anos, mora em Gericinó e tem 5 filhos

Cris mora em Gericinó com seus 5 filhos de 20, 17, 14, 11 e 3 anos, seu genro e sua mãe, deficiente visual. Sem nenhuma renda fixa, não sobrava tempo ou dinheiro para sonhar com o futuro. Ela vendia lingeries e tentava todo tipo de trabalho que surgia. Como sempre gostou de área de beleza, alugou, com algumas vizinhas, um salão de cabeleireiros no bairro onde mora e trabalhava fazendo escova.

10


Nas próximas fases, continue acompanhando as histórias de superação dessas famílias.

Depois da separação, só a evocação do mar já era suficiente

bolos e tortas, mas durante o trabalho com a assistente

para fazer o desamparo chegar. Vivendo uma vida de dias todos

social, percebeu que nada a impedia de conseguir um

iguais, Georgina tinha perdido a noção do tempo. Esquecia-se se era sábado ou quarta-feira. O trabalho na igreja a ajudou a manter uma rotina mínima, mas o que chacoalhou

sua

vida

novamente

“Vivendo uma vida de dias todos iguais”

para

trabalho

com

carteira

assinada

e

colocou em seu plano de atitudes que gostaria de fazer o curso de camareira. A filha única já estava crescida. Não havia nenhum outro dependente.

colocá-la nos trilhos foi a insistência da filha, para que fizesse

A renda familiar per capita do início do projeto era zero.

um curso no Banco da Providência. Ela queria aprender a fazer

As duas viviam apenas da pensão do marido.

Pensou em desistir algumas vezes, mas, como tinha ouvido falar muito bem do curso experimentou ir às primeiras aulas. Na primeira, ficou mais desconfiado: não gostava de falar sobre si, conversar com estranhos, interagir. No segundo encontro, começou a relaxar e participar mais e percebeu, maravilhado, que quando tinha algo para falar, os colegas faziam silêncio e o escutavam. O Banco trabalha o resgate da pessoa e a possibilidade dela se ver como sujeito de direitos e compreende a importância da própria voz. Se antes, ele se perguntava ‘será que eu vou conseguir?’, agora, ele já respondia que sim. Tinha voltado a acreditar em sua capacidade. Na aula para montar o Plano de Atitudes decidiu ser encaminhado para a Fase 2, para fazer o Curso de Mecânico de Refrigeração.

Não se sentia qualificada para fazer cortes, coloração e pentea-

deixava ansiosa pela aula: era a forma como era tratada

dos então indicava outras profissionais até para as clientes que

lá dentro. Pela primeira vez na vida, começou a sentir

queriam arriscar com ela. Não havia perspectiva de mudanças porque ela tinha certeza que um bom curso na área era mais caro que o próprio aluguel. Uma amiga deu novas

que era importante e capaz. E gostou

“E gostou daquela nova sensação”

esperanças quando contou sobre o trabalho

daquela nova sensação. Descobriu que a vida que levava não precisava mais ser aquela e, principalmente, que uma vez dadas

as

ferramentas

básicas,

a

do Banco da Providência e seus cursos gratuitos. Já no segundo

mudança dependia dela e do seu esforço. Decidiu no

encontro, percebeu que não era apenas o estômago vazio que a

plano de atitudes, fazer o curso de cabeleireiro.

11


PROJETOS

fase 1 DESENVOLVIMENTO HUMANO

fase 2

CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

DE fase 3 GERAÇÃO TRABALHO E RENDA

Os participantes aprovados na fase 1 são encaminhados aos cursos profissionalizantes da Agência de Capacitação.

Agência de Capacitação

Aula do Curso de Bolos e Tortas

capacitação 12

Mais de 500 pessoas capacitadas

A Agência de Capacitação tem por finalidade ofere-

597 pessoas foram matriculadas em

cer um programa para melhorar as condições para

2017, sendo que 201 fizeram mais de um

o trabalho e geração de renda para jovens e adultos,

curso, na mesma área. O maior quantitati-

apropriado para pessoas com escolaridade de nível

vo de ações nos planos de atitudes está

de Ensino Fundamental. São oferecidos cursos nas

direcionado para a capacitação. O desejo

áreas

civil,

das pessoas é associado à eficiência no

mecânica de refrigeração, informática e turismo.

desenvolvimento de suas habilidades, o

Os alunos recebem além do material didático, vale

que, sem dúvida, garante os bons resulta-

transporte e lanche.

dos da metodologia.

beleza,

gastronomia,

construção


Fator determinante na transformação social: “Aprender Fazendo” O programa da Agência de Capacitação tem 3 eixos para desenvolver nos jovens e adultos as habilidades necessárias ao sucesso na geração de renda por meio da profissão aprendida: 1

Habilidades específicas:

São desenvolvidas em oficinas que reproduzem locais de trabalho. Cada aluno recebe as ferramentas e dispõe de bancadas para exercitar a teoria. As oficinas estão diretamente relacionadas com as demandas das famílias. 2

Habilidades básicas ao relacionamento:

São exercitadas em grupos de debates, com dinâmicas de desenvolvimento da capacidade de comunicação, liderança, trabalho em equipe, ética, apoio mútuo e solidariedade. 3

Habilidades de gestão:

São desenvolvidas para criar uma visão mais ampla do curso; para além do conhecimento específico já adquirido na oficina, é o momento que aprendem a exercitar a atitude empreendedora.

Metas para ampliar condições de trabalho e aumento da renda PREVISTAS 2017

ALCANÇADAS 2017

1

Oferecer 830 vagas em cursos de capacitação

830 vagas foram oferecidas

2

Matricular alunos em 90% das vagas oferecidas

102% das vagas preenchidas

3

Atingir 80% de aprovação em cursos

88% dos alunos foram aprovados

13


PROJETOS

fase 1 DESENVOLVIMENTO HUMANO

fase 2

CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

Oficinas para formação do perfil de empregabilidade: Alinhar o talento pessoal com o olhar do mercado As oficinas de formação têm por finalidade oferecer oportunidade para jovens e adultos exercitarem o processo seletivo em empresas. Foram realizadas durante todo o ano, priorizando períodos de encerramento dos cursos de capacitação. Em 2017, participaram das oficinas 242 pessoas. A formação, que prepara para processos seletivos, foi oferecida durante a Fase 2, onde os participantes receberam os seguintes conteúdos: • Elaboração de Currículos de acordo com o perfil do candidato; • Orientações sobre habilidades que os candidatos devem demonstrar em entrevistas de emprego; • Informações e estratégias sobre como procurar vagas de acordo com o perfil.

Metas para aumentar as chances de aprovação na seleção 1

PREVISTAS 2017

ALCANÇADAS 2017

Matricular 200 jovens e adultos nas Oficinas de Formação de Perfil de Empregabilidade

242 jovens e adultos foram matriculados

103 pessoas foram empregadas com um salário médio de R$ 1.151,61

14

DE fase 3 GERAÇÃO TRABALHO E RENDA


fase 2

Histórias de atitudes que transformam Georgina realizou o plano da sua vida: Foi aprovada no curso de camareira. Esse curso conta com a importante parceria do Hotel IBIS, que oferece estágio para os participantes. Nessa empresa Georgina teve sua primeira experiência profissional na área.

Estágio no Hotel Ibis

Luiz iniciou em maio o curso de Mecânico de Refrigeração, na Agência de Capacitação e concluiu com aprovação. Durante este período ele também frequentou o Curso Básico de Empreendedorismo, na Agência de Empreendedorismo, tendo seu plano de negócios aprovado para receber o kit ferraAula do Curso de Mecânico de Refrigeração

mental para dar início ao seu negócio.

Cristiane

concluiu e foi aprovada nos

cursos de Cabeleireiro e Mega Hair na Agência de Capacitação e sua filha, no de Maquiagem e Cabeleireiro. Durante o período, Cristiante capacitou-se também no curso Básico de Empreendedorismo. Com o aprendizado das aulas e seu plano de negócios aprovado, recebeu o kit ferramental em agosto na AgênFormatura do Curso de Cabeleireiro

Veja, na

cia de Empreendedorismo.

fase 3, a conclusão das histórias dessas famílias.

15


PROJETOS

fase 1 DESENVOLVIMENTO HUMANO

fase 2

CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

DE fase 3 GERAÇÃO TRABALHO E RENDA

Na terceira e última fase do programa, os profissionais capacitados que desejam empreender são encaminhados para a Agência de Empreendedorismo.

empreendedorismo Agência de Empreendedorismo

A busca por alternativas de Renda Familiar A Agência de Empreendedorismo tem como finalidade capacitar, prestar monitoramento e apoio material para formar empreendedores. No curso, onde são desenvolvidas habilidades empreendedoras, há um comprometimento com o acompanhamento técnico dos negócios para promover o aumento da renda. A demanda para o curso de empreendedorismo foi de 134 pessoas, mas tivemos recursos para matricular 82 pessoas.

Difícil realidade A violência nas favelas é um grande desafio, que regularmente afeta as ações empreendedoras. Especificamente na Cidade de Deus, muitos confrontos prejudicaram as vendas dos empreendedores, que se veem obrigados a fechar seus negócios por falta de segurança.

Apoio empreendedor A partir da participação e da realização das atividades propostas no Curso Básico de Empreendedorismo, somada à atividade prática de experimentação dos seus planos de negócio, alguns empreendedores são apoiados com um kit ferramental, importante para impulsionar os empreendimentos em fase inicial ou já iniciados.

16

Empreendedores capacitados e beneficiados com Kit Ferramental


A importância da mentoria Os acompanhamentos técnicos (mentorias) con-

divulgação, organização para produção

tribuem muito para a manutenção da cultura

e

organizacional

para

ricas trocas entre os empreendedores

empreender. É comum muitos empreendedores

de áreas afins, com sugestões de

atuarem sem saber ao certo o quanto gastam e o

fornecedores

quanto ganham. Nas mentorias é trabalhado a

matéria-prima, dentre outros.

financeira

necessária

vendas.

Sobretudo,

para

estimulamos

compra

de

importância da organização financeira, ações de

Protagonismo e empoderamento feminino 84% do público atendido pela Agência de

de ser mulher e moradora de favelas.

Empreendedorismo é formado por mulheres. Em

Em consequência do bom resultado

2017, o projeto participou da Semana Global de

deste evento, estas mulheres foram

Empreendedorismo, com a mesa de debate

convidadas a participar da Feira da

“Mulheres Empreendedoras moradoras de favelas

Providência,

e comunidades cariocas”, considerando a difícil

ganho enorme em termos profissionais

empreitada que é empreender, agravada pelo fato

para cada mulher participante.

que

proporcionou

um

Metas para desenvolver a geração de renda PREVISTAS 2017

ALCANÇADAS 2017

1

25% dos negócios apoiados, gerando renda líquida acima de 1 salário mínimo

41% alcançaram ou superaram a renda de 1 salário mínimo

2

55% dos negócios apoiados, gerando renda líquida acima de 1/2 salário mínimo

69% alcançaram ou superaram a renda de 1/2 salário mínimo

3

85% dos negócios apoiados, ativos até dezembro

95% dos negócios permaneceram ativos na mentoria em dezembro.

17


PROJETOS

fase 1 DESENVOLVIMENTO HUMANO

41 negócios apoiados em 2017 Segmentos:

30% 40%

16% 14%

Beleza Confecção Construção Civil Culinária

fase 2

DE fase 3 GERAÇÃO TRABALHO E RENDA

CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

Consolidação do Empreendedorismo Como consequência da retração do mercado de trabalho formal, temos constatado significativo aumento na demanda para a capacitação em empreendedorismo. Por essa razão e devido aos bons resultados obtidos, obtivemos apoio dos financiadores para aumentar a oferta desse curso para 100 vagas em 2018.

fase 3

Histórias de atitudes que transformam Georgina afirmou que a capacitação foi a ferramenta que precisava para mudar suas condições de vida: Foi selecionada no grupo que fez o estágio no Hotel IBIS e sua contratação aconteceu logo depois. Seu primeiro dia de trabalho foi dia 7 de setembro, o dia em que conseguiu a sua independência financeira. Em dezembro, a unidade do Hotel em que ela

trabalhava

fechou,

e

Georgina

foi

encaminhada para a outra unidade, onde permanece trabalhando. Sua renda famíliar atual é de R$1.100,00. “Mesmo com o fechamento do hotel e a demissão de muitos funcionários, eu fui aproveitada. Sinto meu trabalho valorizado. Estou muito feliz!”

assista no site* o vídeo depoimento de Georgina

18

*veja o depoimento no site: www.bancodaprovidencia.com/depoimentos


Luiz, após a formação, investiu forte na divulgação de seu serviço e junto às técnicas aprendidas no Empreendedorismo e ao kit ferramental obtido, ele deu início ao seu negócio. Em poucos meses já havia conquistado uma clientela. Antes do projeto, ele e sua família tinham uma renda familiar per capita mensal de R$133,86 (trabalho como doméstica da esposa). Na mentoria realizada em dezembro de 2017, sua renda familiar chegou a R$ 4.823,00, gerando um per capita mensal de R$ 689,00. Apesar da grande diferença, para Luiz Claudio a mudança mais positiva proporcionada foi com sua família. Ele ficou mais atencioso, mais amoroso com os filhos e mais companheiro da esposa. Enquanto mostra, feliz, os panfletos de seus serviços e seus cartões de visita, conta que, pela primeira vez na vida, ouviu de um filho: “pai, quando eu crescer quero ser igual a você”.

assista no site* o vídeo depoimento de Luiz Claudio

Cristiane e a filha estão trabalhando juntas no salão da sua comunidade. A renda da empreendedora em dezembro foi de R$ 1.200,00 e está entre as rendas mensais líquida das mais altas alcançadas pelas empreendedoras. Agora, ela trabalha com metas. O salão, arrendado por ela, mudou de nome e ganhou um slogan: “Onde toda mulher é uma diva”. Uma das paredes forrada com estampas de oncinha reflete a força e a confiança que Cristiane tem e aplica no trabalho. Agora, ela é empreendedora, sua preocupação é comprar um ar condicionado, para

dar

crescente.

mais Ainda

conforto paga

à

clientela

aluguel,

mas

comprar a sua casa, como ela mesma diz, é seu projeto de longo prazo.

*veja os depoimentos no site: www.bancodaprovidencia.com/depoimentos

assista no site* o vídeo depoimento de Cristiane

19


PROJETOS

fase 1 DESENVOLVIMENTO HUMANO

fase 2

CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

DE fase 3 GERAÇÃO TRABALHO E RENDA

Dividido em três fases, o programa começa com o desenvolvimento de habilidades sócio-emocionais.

Oficina de Artesanato: Mosaicos de Azulejo

Agência de Emaús

10 encontros emaús de descobertas

32%

já passaram pelo sistema penal

86%

são dependentes químicos

Uma trajetória no exercício da solidariedade

20

A finalidade da Agência de Emaús é acolher

A média de permanência das pessoas no

homens, com idade entre 18 e 50 anos, com

projeto, é de 9 meses. São 77 vagas e por

perfil de moradores de rua, egressos do sistema

estas vagas passaram em 2017, 265 mora-

penitenciário, com vínculos familiares desfeitos.

dores de rua.

Esse projeto oferece novas possibilidades de vida

Um dos grandes desafios é reduzir o índice

para aqueles que sofrem devido ao consumo de

de

drogas. É um local de resgate da dignidade

(evasão, quebra das regras, etc.) que em

humana e de formação para o trabalho, com

2017 foi de 46% dos acolhidos. Esse índice

forte ênfase no tratamento da dependência

tão elevado é devido às sérias consequências

química, por meio da política pública de saúde.

da dependência química.

desligamentos

por

não

adaptação


Oficina de Marcenaria

A Agência de Emaús não é uma Comunidade Terapêutica. Mas, o que fazer com quase 100% de seus participantes que chegam com histórias de dependência química? Condená-los a viver nas ruas é desumano.

Da dependência química para a transformação pessoal e social O ponto de partida para o processo de transformação pessoal e social é a criação de vínculos com o projeto. O tratamento da dependência química (via parceiros da política pública) é condição para a permanência no projeto. Ao chegar, falam na “necessidade de arranjar trabalho”. Reconhecidamente, estão fazendo um esforço para manter a dignidade de seres humanos. As características do perfil dos participantes se constitui no grande desafio para entrar no mercado de trabalho.

21


PROJETOS

fase 1 DESENVOLVIMENTO HUMANO

fase 2

CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

O que muda positivamente na vida de quem está em Emaús? O Curso de Formação para o Mundo do Trabalho é uma estratégia para a promoção do desenvolvimento pessoal e social • 171 acolhidos necessitavam tirar documentos: 101 obtiveram a documentação. Mudaram de identidade: de moradores de rua passam a ser identificados como “participantes do projeto”. • 37 foram encaminhados e matriculados na escola. • Funcionam em Emaús duas oficinas permanentes de Informática e Artesanato com reciclagem. São estratégias para desenvolver as habilidades de trabalho em equipe, compromisso com horários, persistência nas tarefas, respeito mútuo. São fundamentais para a reconstrução de vínculos.

Plano de atitudes: ferramenta de gestão para orientar a vida • Planos de capacitação: 76 participantes manifestaram desejo de capacitação, 57 foram matriculados e 37 concluíram os cursos. • Planos de inserção no trabalho: 101 participantes buscavam inserção no trabalho, 35 participaram das Oficinas de Perfil de Empregabilidade e 26 foram empregados.

Protagonistas da transformação • Dos participantes que permaneceram na Agência Emaús por mais de 3 meses, 22% foram incluídos socialmente: obtiveram documentação, foram inseridos em tratamento da dependência química, no mercado de trabalho, conquistaram um local para morar e deixaram as ruas como local de moradia.

22

DE fase 3 GERAÇÃO TRABALHO E RENDA


Emaús

Histórias de atitudes que transformam

assista o vídeo depoimento de Rodrigo

Rodrigo Teodoro entrou no projeto Agência

No período de 9 meses em que ficou no projeto

de Emaús em agosto de 2016, aos 29 anos, sem

Rodrigo tirou todos os seus documentos, retornou

filhos. Nascido em Maricá, Rodrigo morava com a

à escola e frequentou o grupo de mútua ajuda N.A

família em São Gonçalo.

a fim de tratar a sua dependência química.

Chegou a situação de rua quando mudou-se para o

Já com a dependência controlada, no mês março

Rio devido a conflitos na comunidade e família, em

de 2017, Rodrigo começou seu trabalho formal na

razão do uso abusivo de drogas e envolvimento com

empresa Habbis na função de auxiliar de serviços

o tráfico local, que o levaram também à prisão.

gerais com salário de R$ 1.194,00.

Depois de meses morando na rua, na região da

Sua inclusão social se deu em maio, quando

Lapa, Rodrigo foi encaminhado à Emaus pela

alugou um quarto e deixou Emaús. Atualmente

Assistência Social da Prefeitura (SMASDH), onde

Rodrigo reside em Guadalupe com seu cunhado e

frequentou o curso de Formação para o Mundo do

sua esposa, Camila, que conheceu na escola e com

Trabalho e, em seu plano de atitudes, falou do seu

quem casou-se no início de 2018. Seu sonho agora

forte desejo de voltar a trabalhar e ter uma família.

é ter uma casa própria e um casal de filhos.

Confira todos os vídeos depoimentos em nosso site: www.bancodaprovidencia.org.br

23


apoio ao desenvolvimento comunitário Transferência de Metologia Multiplicar pelas comunidades a oportunidade de transformação social No Planejamento Estratégico 2014/2017 o Banco da Providência definiu como um dos seus objetivos o apoio a instituições de base comunitária, como forma de aumentar o impacto positivo de sua metodologia. O programa tem duração de 2 anos e conta com dois eixos: • Realização do Planejamento Estratégico com capacitação em gestão (2017) e monitoramento (2018); • Transferência da Metodologia das 3 Fases com realização do projeto Agência de Famílias em parceria com o Banco (2017 e 2018).

Perfil das instituições selecionadas Instituição Semente da Vida (ASVI): desenvolve programas de reforço escolar, com complementações em dança, esporte, cultura, lazer e projeto de vida para crianças e adolescentes. Programa de comunicação comunitária. Sustentabilidade por meio de parcerias com instituições e políticas públicas, e trabalho voluntário da equipe. Instituição Raízes de Gericinó: desenvolve ações com crianças e adolescentes, como atividades do Museu Bumba meu Boi. A característica marcante é a preservação da cultura do Maranhão, por um grupo familiar que executa as ações socioeducativas e de manutenção do espaço. É apoiada por financiamentos esporádicos e grupo de voluntários.

24

Reunião de Transferência de Metodologia, Raízes de Gericinó


Reunião de Transferência de Metodologia, ASVI

Desafios e lições aprendidas Implementar a cultura de gestão por resultados é um desafio para qualquer estrutura organizacional, e quando essa estrutura é uma organização de base comunitária que enfrenta dificuldades de toda ordem, o desafio toma grandes proporções. Mesmo assim, o efeito positivo da metodologia já pode ser sentido no primeiro ano do projeto. O tempo para revisão da estrutura organizacional visando a adoção de medidas que se fazem necessárias na governança, não é o mesmo para todos, por essa razão tivemos resultados distintos nas duas Instituições.

Resultados • Planejamentos estratégicos elaborados e em execução. • Sistematização da metodologia da instituição, com foco em alcance de resultados na transformação das condições de vida das pessoas e do desenvolvimento das comunidades. • Melhoria no desempenho da instituição com a elaboração de metas, indicadores e de processos de monitoramento • Aperfeiçoamento da gestão • Orçamento realizado • Revisão da estrutura organizacional • Melhores práticas de governança • Ampliação de parcerias • Perspectivas de novos financiamentos

25


Projeto Luz Papel fundamental na mudança de horizontes: formar jovens em comunidades

Utilizar condições para gerar transformações: um novo modelo O projeto Luz surgiu da inspiração de uma financiadora. Apoiada pelo marido, que abraçou o seu sonho de contribuir com a causa da juventude, ela tornou realidade o projeto de formação de jovens. Para além do investimento financeiro, investe suas competências na execução conjunta do projeto. Mobilizou outras amigas e com elas dividiu a gestão do projeto piloto de 2 cursos para 50 jovens.

Onde estamos: um olhar para potencialidades nas comunidades Na Cidade de Deus, que tornou-se conhecida pela violência urbana, identificamos o talento da Instituição ASVI na promoção dos jovens. Em Gericinó, que tornou-se conhecido pelo “lixão” do Catiri identificamos o poder de articulação comunitária da Instituição Raízes de Gericinó.

Desenvolver competências nos jovens é essencial: “Muitos jovens e jovens mulheres, em particular, por não terem a oportunidade de completar sua educação formal, precisam que lhes ofereçam percursos de educação alternativos” (UNESCO). A comunicação é o fio condutor do curso: a comunicação se configura como um direito humano (Artigo 19, da Declaração Universal dos Direitos Humanos), interferindo na garantia ou negação de outros direitos. A comunicação pode atuar como instrumento estratégico na construção de uma cultura de respeito aos direitos humanos.

26


Modelo de formação participativa

Encontro dos alunos do Curso de Cultura Digital

Nos cursos são desenvolvidas habilidades espe-

de atitudes éticas: formar novos valores, desen-

cíficas como: Cultura Digital; Audiovisual;

volver ideias associativas e solidárias, trabalhar

Comunicação e Produção Textual. Informática;

em equipe; identificar e controlar presença ou

Fotografia e Blog. E habilidades básicas para

ausência das políticas; exercitar comportamen-

aumentar o potencial de participação cidadã e

tos que gerem potencial de empregabilidade.

Metas para ampliar condições de trabalho e aumento da renda PREVISTAS 2017

ALCANÇADAS 2017

1

Matricular alunos em 100% das vagas oferecidas para o curso

106% da meta atingida: 53 alunos matriculados

2

Formar 70% dos jovens inscritos nos cursos

77% de jovens foram formados

3

Encaminhar e acompanhar 60% dos capacitados que optarem por empresas ou estágios.

92% dos jovens interessados foram encaminhados

4

Empregar 30% dos jovens formados pelo programa

31% dos jovens formados foram empregados 27


gestão social compartilhada Unindo esforços Por termos a crença de que apenas juntando esforços podemos enfrentar o desafio da redução da desigualdade social em nossa cidade, que cada vez mais investimos na relação com nossos financiadores, parceiros e contribuintes. Traduzimos como “gestão compartilhada” não só o repasse de recursos, mas também o envolvimento desses apoiadores com nossos projetos, seja através da disponibilização de técnicos para palestras, oferecimento de vagas de emprego ou divulgação do nosso trabalho em suas redes. Esse investimento é oriundo não só de empresas privadas, mas também do poder público que através de convênio firmado com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, financiou 70% de nosso abrigo, Agência de Emaús. Foi pautado nessa experiência positiva de unir esforços que definimos o modelo de crescimento do Banco da Providência baseado em parcerias estratégicas. Entendemos que para atingirmos uma redução relevante das desigualdades sociais em nossa cidade se faz necessário fortalecermos a rede das instituições que tem em sua missão a justiça social. Uma forma de agradecermos o fundamental apoio de nossos parceiros é nosso empenho na melhoria continua de nossa metodologia, no cuidado com a avaliação de nossos indicadores e na transparência na divulgação dos resultados. Esse comprometimento resulta na superação, a cada ano, dos índices de melhoria na qualidade de vida das famílias que participam de nossos projetos.

28


Eventos A Feira da Providência de 2017, tal qual a de 2016, foi um grande desafio, pois, teve como cenário a grave crise financeira de nosso país e, particularmente, do Estado do Rio de Janeiro. Por essa razão continuamos a concentrar esforços

Mesmo com esse cenário difícil,

na redução dos custos do evento, e para isso contamos

com o apoio de todos os nossos

com o comprometimento dos fornecedores que entendem

parceiros e do público visitante con-

a importância do resultado da Feira para a continuidade

seguimos aumentar em 33% o

dos projetos do Banco da Providência.

resultado do evento.

Patrocinadores:

Apoio:

Doações e Voluntariado Além dos investimentos de empresas e poder público, o

Nosso sincero agradecimento a

Banco da Providência conta com o apoio fundamental de

todos que investem em nossos

pessoas, que com doações e trabalho voluntário colaboram

projetos e nos ajudam a cumprir a

com construção de um mundo mais solidário e fraterno.

missão do Banco da Providência.

Em 2017 participamos do Dia de Doar com o apoio do

Para doar é muito simples. É só

Instituto Cyrela, foi uma campanha de 24hs que a cada

acessar a página Doe de nosso site:

real doado o Instituto doava mais um. Com a contribuição

www.bancodaprovidencia.org.br e

de muitas pessoas conseguimos superar a meta, captando

escolher uma das formas de con-

R$ 53 mil, valor esse que foi dobrado pelo Instituto Cyrela.

tribuição.

29


gestão financeira Estratégia de Sustentabilidade Em nossa primeira experiência de planejamento estratégico, realizada em 2003 com o apoio da Fundação Brava e InDG (hoje Falconi) a preocupação com a sustentabilidade financeira foi definida como um dos nossos principais objetivos estratégicos. Desde então, o foco em ações como a diversificação das receitas e a constituição de um fundo operacional, aliado a uma aplicação de recursos de forma eficaz, tem se mostrado uma acertada estratégia para a continuidade de nossos projetos, principalmente em tempos de crise. O Banco da Providência vem equilibrando seus resultados de um ano para outro, ora utilizando e ora recompondo seu Fundo, mantendo assim a continuidade dos seus projetos. Ressaltamos que há 4 anos temos aumentado o Fundo Operacional.

Fundo Operacional 5.000.000,00

Despesa

4.000.000,00

Receita

3.000.000,00

Oscilação do Fundo de Contigência

2.000.000,00 1.000.000,00 0 - 1.000.000,00

2013

30

2014

2015

2016

2017


Gestão dos Recursos Nesse ano mantivemos esforços na estratégia

participantes, o que gerou maior conheci-

definida em nosso planejamento estratégico, de

mento e confiança em nosso trabalho. Essa

diversificar as receitas. Estreitamos os laços

aproximação tem se mostrado bastante

com nossos parceiros financiadores, tanto

positiva pois há 4 anos consecutivos conta-

públicos como privados, através do estimulo a

mos com o aumento dos investimentos dos

participação nos projetos, disponibilização dos

parceiros em nossos projetos.

indicadores de resultado e depoimentos dos

Outros eventos e campanhas

Feira da Providência

3%

Parcerias Pessoa Jurídica

26%

18%

23% 4% 5%

Receita Financeira Doações Pessoa Física

16%

Convênio Emaús / SMASDH (Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos)

5%

Financiamento Projetos (PF) Legados

Aplicação dos Recursos Nossa trajetória de constante investimento em gestão foi fundamental para atingirmos resultados positivos em 2017, que foi um ano marcado pelos piores indicadores financeiros em nosso país. Cada colaborador foi fundamental na gestão do orçamento de seu projeto o que possibilitou redução de custos sem prejuizo dos resultados sociais, dessa forma conseguimos reduzir os custos administra-

80%

Projetos Sociais

16% 4%

Administração

Comunicação

tivos e aumentar o investimento nos projetos (80% dos gastos).

31


Contabilidade Financeira Gerencial Com o comprometimento de todos com a sustentabilidade do Banco da Providência e o monitoramento do orçamento realizado pela equipe, em 2017 nos mantivemos na meta das despesas (-6% do aprovado) e superamos em 21% a captação de recursos (receitas). Todos os documentos foram contabilizados e fiscalizados pela empresa de auditoria externa Auditasse - Auditores Independentes, e as demonstrações contábeis e financeiras estão disponíveis no site do Banco. As demonstrações financeiras do quadro abaixo se referem aos lançamentos realizados por fluxo de caixa.

Projetos / Valores Agência Emaús

Realizado 2017

Variação

1.054.800,00

26%

1.013.205,69

27%

-4%

Agências de Famílias

337.200,00

8%

325.671,55

9%

-3%

Agência de Capacitação

909.600,00

23%

748.798,50

20%

-18%

Desenvolvimento Comunitário

369.600,00

9%

353.586,77

9%

-4%

0,00

0%

1.922,53

0%

-

Agência de Trabalho e Renda

165.600,00

4%

164.147,86

4%

-1%

Comunicação Institucional

160.800,00

4%

149.084,37

4%

-7%

Administração Geral

588.000,00

15%

604.761,50

16%

3%

3.585.600,00

90%

3.361.178,77

89%

-6%

415.000,00

10%

408.952,64

11%

-1%

4.000.600,00

100%

3.770.131,41

100%

-6%

Agência da Cidadania

SUB-TOTAL Rescisões e causas trabalhistas TOTAL

Rubricas

Orçamento 2017

Realizado 2017

Variação

Feira - Ano Anterior*

879.903,76

28%

879.903,76

23%

0%

Doação Mensal Pessoa Física

180.000,00

6%

186.522,31

5%

4%

0,00

-

199.030,00

5%

-

1.040.000,00

33%

974.536,50

26%

-6%

0,00

0%

102.533,27

3%

-

921.616,08

30%

706.612,06

18%

-23%

0,00

0%

799.030,00

16%

-

100.000,00

3%

142.264,81

4%

42%

3.121.519,84

100%

3.791.402,71

100%

21%

Financiamento Projetos PF Parceria Pessoa Jurídica Eventos e Campanhas Convênios Poder Público Legado Recebido Outras receitas (aplicação, venda carros e outros) TOTAL

Resultado no ano

-879.080,16

21.271,30

Saldo do ano anterior

1.792.453,35

1.792.453,35

913.373,19

1.813.724,65

1.200.000,00

Superada em 51%

Fundo Operacional em dezembro 2017 Meta Fundo Operacional Dezembro 2017

32

Orçamento 2017

Como a Feira é realizada em dezembro, ela é a base do orçamento do ano seguinte.


agenda transformadora Parcerias para processos sustentáveis de desenvolvimento O

Banco

da

Providência

realizou

o

planejamento

estratégico

2018/2020 com o desafio de aumentar o impacto positivo gerado pela sua Metodologia das 3 Fases. Após estudo realizado com uma consultoria externa e parte da equipe, desenhamos um novo modelo de atuação baseado na construção de parcerias estratégicas. Esses parceiros deverão ter como missão a redução da desigualdade social via capacitação para geração de trabalho e renda. Estamos falando de um processo de inovação no perfil do Banco da Providência que agrega em sua ação a transferência de metodologia. Assume assim um processo de articulação de novas parcerias, com as múltiplas oportunidades de ganhar escala e de criar novas estratégias para o desenvolvimento de jovens e adultos. Dessa forma, aumentam as oportunidades de conhecimento para as famílias fazerem negócios sociais crescerem e prosperarem. Sobretudo, mudar na sociedade, a lógica perversa “de que os destituídos de renda são também despossuídos de direitos” (Aldaíza Spozati). O Banco da Providência acredita que “não há caminho único nem receita infalível para superar a pobreza” (Ruth Cardoso). Mas, acredita, igualmente que construir uma agenda transformadora pode ajudar a unir uma rede parceiros que tenham por missão reduzir desigualdade e pobreza. Acreditamos, sobretudo, que a gestão é uma ferramenta capaz de fazer convergir investimentos para alcançar resultados em transformação social. Deste modo, esta agenda pode ser um dos caminhos para a Cidade do Rio de Janeiro!

33


34


Agências de Famílias Bangu Paróquia São Lourenço Avenida Ministro Ary Franco, 850 Gericinó Associação Raízes de Gericinó Estrada do Gericinó, 80 Guadalupe Paróquia N. Sra. das Mêrces Rua Clodoaldo de Freitas, 407 Gardênia Azul Paróquia Santa Luzia Avenida das Alagoas, 12 Cidade de Deus Associação Sementes da Vida - ASVI Travessa Mesopotamia, 32

Agência Emaús Avenida das Missões, 18 Cordovil - Rio de Janeiro - RJ coordenacaoemaus@providencia.org.br (21) 2584-4219

Agência de Capacitação Rua Barão do Triunfo, 383 Realengo - Rio de Janeiro - RJ centros@providencia.org.br (21) 3331-0188

Agência de Empreendedorismo Rua dos Arcos, 54 - Lapa Rio de Janeiro - RJ - 20.230-060 empreendedorismo@providencia.org.br (21) 3257-2734

35


DIRETORIA Diretor Geral: Cônego Manoel de Oliveira Manangão Diretora Social: Celina Vargas do Amaral Peixoto Diretor Jurídico: Paulo de Morais Penalva Santos Diretor Financeiro: Cândido Feliciano da Ponte Neto CONSELHO CURADOR Presidente: Dom Orani João Tempesta CONSELHEIROS EMÉRITOS Maria Christina Noronha de Sá Roberto Castilho CONSELHEIROS Ana Cecília Costa Carvalho Melo Ana Cecília Nabuco Magalhães Lins Lacerda Ângela Maria Machado da Costa Carlos Augusto Saade Montenegro Cecília de Paula Machado Sicupira Eduardo Eugênio Gouveia Vieira Eliane Furtado de Mendonça Ferdinando Valle Magalhães Gilberto Morand Paixão Gisella Amaral Glória Severiano Ribeiro Gustavo Miguez de Mello Heitor Cordeiro Chagas de Oliveira Isabel Gouveia Vieira Jomar Pereira da Silva José Thomaz Nabuco de Araújo Filho Maria da Glória Archer Raphael Carneiro da Rocha Filho Sérgio Pereira da Silva Suelly Medeiros Vasconcelos Técio Lins e Silva EQUIPE OPERACIONAL Superintendente: Clarice Linhares Gerente Social: Terezinha Nascimento Coordenadora de Marketing: Érika Stambovsky COORDENADORES DE PROJETOS Agências de Famílias: Ana Paula Figueiredo, Mariana Leiras, Neige Motta Agência Comunidade de Emaús: Sylvia Lopes da Silva Agência de Capacitação: Jocilene Salles de Assis Julião Agência de Empreendedorismo: Natalie Hanna Agência Jovem: Marcelle Gebara

36

EQUIPE TÉCNICA Arte e Editoração: Alluan Lucas Fotografia: Alluan Lucas Marcelle Gebara Capa: Naldinho Lourenço Redação: Terezinha Nascimento Clarice Linhares Mariana Amaro


Agência Emaús


Profile for Banco da Providência

Relatório de Resultados 2017  

O Banco da Providência é uma organização social sem fins lucrativos que há mais de 50 anos trabalha para contribuir na redução da desigualda...

Relatório de Resultados 2017  

O Banco da Providência é uma organização social sem fins lucrativos que há mais de 50 anos trabalha para contribuir na redução da desigualda...

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded