Page 1


Relatório de Atividades 2016

6

4

VISÃO, MISSÃO E VALORES

MENSAGEM

5

POR QUE A AVENTURA DE CONSTRUIR AINDA É NOSSA PRIORIDADE?

2

10

7 A OFERTA DA ASSOCIAÇÃO -Público-alvo -Áreas de intervenção

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL -Atividades -Capacitações -Mentorias - Acesso ao Microcrédito


Aventura de Construir

13

24

36

32

DESTAQUES DO AUDITORIA PARCEIROS TRABALHO E RESULTADOS FORTALECIMENTO -Capacitações INSTITUCIONAL -Mentorias -Equipe -Acesso ao micro-Governança credito -Diretoria -Beneficiários -Conselho Fiscal -Avaliação de RELATÓRIOS -Instituição que trabalha impacto com Direitos Humanos -Comunicação -Sustentabilidade

33

3


Relatório de Atividades 2016

MENSAGEM É com muito orgulho que apresentamos o Relatório de Atividades de 2016 da Associação Aventura de Construir, no qual constam todas as ações realizadas e resultados obtidos dentro do nosso escopo de trabalho – o de impactar positivamente a vida de populações vulneráveis por meio do despertar do seu protagonismo, acompanhando empreendedores preparados. “Fácil” e “simples” são adjetivos que não são adequados para descrever este ano de 2016. A atual situação econômica do Brasil é, definitivamente, de crise. Somado a isso, o momento político histórico que estamos vivendo gera incertezas com relação à recuperação da economia nacional. É mera questão de tempo até que os índices de pobreza e desigualdade comecem a subir. A crise, tão brasileira quanto mundial, é um sintoma. Segundo o Papa Francisco é sintoma “não de uma época de mudanças, mas de uma mudança de época”. Mudanças para um novo mundo com menos certezas sobre o crescimento do PIB, sobre a sustentabilidade das empresas, sobre a manutenção dos benefícios sociais atuais, sobre a certeza de menores conflitos internacionais... Este momento reforça nosso compromisso histórico de encontrar novas respostas, sempre servindo-nos da criatividade e inovação. Por isso, o caminho que escolhemos é aquele que constrói pontes entre mundos distintos, que favorece o diálogo entre mundos que não se falariam. Neste ano muito foi feito. Não só foram batidos os recordes de beneficiários em capacitações e mentorias, mas também passamos a associar empreendedores que querem trilhar um caminho mais próximo de nós e fizemos muito na área de Comunicação Institucional: criamos nosso vídeo institucional, aparecemos diversas vezes em diferentes mídias, comemoramos as 5.000 visitas semanais em nosso website e fomos premiados pelo Programa TechSoup Brasil de Doação de Licenças de Software. Houve também outros passos, que você conhecerá nas páginas seguintes: a consolidação da metodologia do Sistema de Avaliação de Impacto Social, a organização da área de Captação de Recursos e intensificação deste trabalho e ainda o bom funcionamento das instâncias de Governança da Associação Aventura de Construir. No entanto, essas ações apenas demonstram que começar processos conjuntos, em um processo educativo realizado na convivência com nosso público-alvo, é a verdadeira resposta para despertar o protagonismo diante dos novos desafios mundiais ou organizacionais. O edificar das bases da Aventura de Construir para os próximos anos só pode ser feito através do diálogo com todos os stakeholders, desde possíveis financiadores aos microempreendedores. Agradeço a todas as pessoas que colaboram conosco, com seus recursos financeiros, seu tempo e seu conhecimento, para que as iniciativas da Aventura de Construir estejam sempre à altura do seu propósito. É tempo de fazer o extraordinário. Junte-se a nós! Marlene Ramos Bassoli, Diretora Presidente da Associação Aventura de Construir

4


Aventura de Construir

POR QUE A AVENTURA DE CONSTRUIR AINDA É NOSSA PRIORIDADE? A “Fondazione Umano Progresso” tem uma história de trinta anos. Ao longo destas três décadas tivemos a oportunidade de encontrar, conhecer e ajudar dezenas de associações e fundações. O que sempre nos guiou na escolha dos projetos a serem financiados, escolha difícil,assim como negar ajuda a quem a está pedindo, foi a partilha de valores, como a preservação da dignidade humana e a presença do princípio da caridade cristã, na base de cada projeto. Ao longo dos anos aprendemos muito e vimos muitas mudanças políticas e sociais, mas o que não mudou foi o desejo que encontramos nos homens e nas mulheres aos quais, através das associações e fundações que financiamos, procuramos dar ajuda, respondendo às necessidades deles. A Associação Aventura de Construir (ADC) nasceu de uma ideia e durante os anos soube, graças às pessoas que nela trabalham, modificar o próprio objetivo operativo, por enxergar a real necessidade das pessoas que a ela se dirigiram. A ADC encontra as pessoas uma por uma, sejam elas os próprios funcionários, os micro empreendedores, os voluntários ou os consultores e oferece com liberdade e gratuidade capacitações altamente profissionais e a diferentes níveis de aprofundamentos, além de um acompanhamento pessoalizado. A “Fondazione Umano Progresso” decidiu acompanhar e financiar as atividades da ADC porque acredita na importância do trabalho desenvolvido e reconhece o valor social e humano. Cinzia Abbondio, Fondazione Umano Progresso

5


Relatório de Atividades 2016

Visão, missão e valores Visão O empreendedor é o protagonista de seu desenvolvimento. Este processo implica em uma aventura de construção humana, além de profissional. Missão “A associação tem como objetivo a experimentação, não lucrativa, de novos modelos sócio-produtivos e de sistemas alternativos de produção, comércio, emprego e crédito, mediante a capacitação e o acompanhamento de microempreendedores no desenvolvimento dos seus próprios negócios, visando a sustentabilidade dos mesmos e a melhora nas suas condições de vida e de trabalho”. Estatuto da Associação Aventura de Construir. Valores Centralidade da pessoa, compromisso e excelência, criatividade e inovação, responsabilidade, transparência e trabalho em equipe.

6


Aventura de Construir

A OFERTA DA ASSOCIAÇÃO Público-alvo O público da Associação Aventura de Construir consiste principalmente em microempreendedores moradores de bairros periféricos na região Oeste da cidade de São Paulo. Eles geralmente são associados à ATST-SP, associação que organiza compras coletivas de grandes áreas para viabilizar o acesso à casa própria a baixo custo. Nesses bairros moram aproximadamente 27.000 famílias, a taxa de empreendedorismo é o dobro da média nacional (FOLLONI, 2011) e serviços de apoio a empreendedores, de crédito e bancários, têm dificuldade de chegar, apesar do seu grande potencial. Os beneficiários também podem ser associados à Associação Educar Para a Vida, que oferece descontos em mensalidades a alunos de cursos de graduação por meio de convênios

com universidades privadas: mais de 75.000 alunos já chegaram à formatura. Pessoas que pensam em iniciar uma atividade produtiva também fazem parte do público-alvo. Além destes microempreendedores, a Aventura de Construir tem trabalhado para, cada vez mais, diversificar o público e as regiões onde atua. Procurando atingir outras realidades, dentro e fora da cidade de São Paulo e do Brasil, a busca por replicar e escalar a metodologia de impacto social, que já demonstrou sucesso, continua. Como consequência, a Aventura de Construir ampliou suas atividades voltadas a públicos específicos: jovens e mulheres. Sendo que estes públicos frequentemente estão sujeitos a vulnerabilidades sociais em relação a suas atividades de geração de renda, a escolha de aprofundar a intervenção nestes grupos expõe a visão do protagonismo como solução também a

formas mais intensas de fragilidades socioeconômicas. Como resultado dessas escolhas, hoje 60% do público-alvo é constituído por mulheres. Mais informações podem ser consultadas em Destaques do Trabalho e Resultados. Garantindo o impacto social positivo em sua região, estes microempreendedores locais desenvolvem e abastecem as suas comunidades – em outras palavras, eles mantém vivas as periferias onde residem e trabalham. De acordo com pesquisa própria, o público-alvo da Aventura de Construir tem uma renda média de R$ 1.059 per capta; idade média entre 35-45 anos; 65% não concluiu o ensino médio; 27% afirmam ter restrição de crédito; 35% tem um faturamento de até R$ 3.000 (três mil reais) mensais; 36% não faz nenhum controle de compra de mercadorias; 50% não possuem funcionários e 45% dos empreendimentos são informais.

Estes são os bairros onde predominantemente incide a Aventura de Construir. São bairros periféricos do município de São Paulo nos distritos de Anhanguera, Perus e Pirituba, que continuam a atrair novos moradores e a expandir seu território. Apesar disso, microempreendedores de toda a grande São Paulo procuram a metodologia da ADC e são prontamente apoiados.

7


Relatório de Atividades 2016

MAIS DA METADE DO PÚBLICO DA ADC É FORMADO POR MULHERES

60%

8

40%


Aventura de Construir

Metodologia A Aventura de Construir atua sob o princípio de não replicar ações que já estão à disposição do seu público-alvo e intervém ativamente quando vê uma necessidade não atendida. Nesse contexto e como resultado do trabalho de anos com microempreendedores de baixa renda, a ADC desenvolveu sua própria metodologia com o objetivo de acompanhar estes microempreendedores na conquista de um negócio sustentável e, assim, melhorar suas condições de vida, trabalho e da comunidade em que atuam e vivem. O escopo metodológico visa instigar o beneficiário a tomar consciência de sua própria realidade e acompanhá-lo em seu desenvolvimento. Assim, o empreendedor é quem trilha o seu caminho em conjunto com o nosso apoio. Além disso, existe um alargamento metodológico que enquadra o constante incentivo a uma cultura de negócios baseado na sustentabilidade e na racionalidade para tomada de decisões. Este alargamento caracteriza-se em quatro aspectos: os recursos disponíveis ao empreendedor, as oportunidades do seu contexto, as aspirações pessoais e a identificação dos principais resultados a alcançar, conforme o diagrama abaixo.

De maneira prática e concreta, esse método desperta o dade nas pessoas, bem como dissemina uma saudável cultura tanto, o diferencial da Aventura de Construir, pois assegura vo em direção a seu desenvolvimento e sustentabilidade –

protagonismo e a originalide negócios. Este é, porser um processo educatio acompanhamento 360°.

9


Relatório de Atividades 2016

Fluxograma de atividades desenvolvidas aos beneficiários:

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Na lógica de promover um conjunto de ações que sejam cada vez menos pulverizadas e mais capilarizadas no território das periferias brasileiras, hoje temos um conjunto de ações pelas quais a Aventura de Construir oferece sua expertise ao público-alvo e que está conectada ao seu contexto mundial. Suas ações estão em convergência com o atingimento das metas da Agenda 2030, os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS. Hoje, os ODS são a principal agenda universal para o desenvolvimento sustentável e eles buscam concretizar os direitos humanos, são integrados e indivisíveis, e equilibram as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental. Na busca por favorecer e disseminar os compromissos internacionais de desenvolvimento, a nossa proposta está diretamente relacionada com os seguintes ODS: ODS n. 4 – Educação de Qualidade: acreditamos na oferta de conhecimento de

10

ponta sobre gestão de empresas e no conhecimento cultural geral, de forma que inovação e originalidade sejam parte do nosso cotidiano. ODS n. 5 – Igualdade de gênero: propomo-nos a incentivar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres a partir do seu contexto, especialmente em direitos iguais aos recursos econômicos. ODS n. 8 – Emprego digno e crescimento econômico: acreditamos na dignificação da pessoa por meio do trabalho e na importância do desenvolvimento econômico das nossas periferias para fomentar o crescimento a nível micro e macro econômico. ODS n. 10 – Redução das desigualdades: trabalhamos diretamente para sustentar o crescimento da renda da população mais vulnerável, como demostram os nossos indicadores de impacto social, e para promover a inclusão social e econômica de todos, oferecendo espaços de troca, compartilhamento e criação de redes. ODS n. 11 – Cidades e comunidades


Aventura de Construir

sustentáveis: proporcionamos o acesso universal a espaços públicos seguros, inclusivos e acessíveis e apoiamos relações econômicas, sociais e ambientais positivas nas periferias, tornando-as assim mais seguras, menos poluídas e economicamente pujantes. ODS n. 13 – Combate às alterações climáticas: Apoiamos, incentivamos e medimos comportamentos e atitudes sustentáveis entre os nossos empreendedores como a reciclagem, a

reutilização e a redução de recursos energéticos. ODS n. 17 – Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável: trabalhando pela lógica da subsidiariedade, apoiamos ativamente a criação de redes entre atores que incidem positivamente nos tópicos anteriores, sejam eles privados ou públicos, e os beneficiários com os quais trabalhamos.

Atividades Capacitações: Semanalmente a Associação Aventura de Construir oferece eventos de formação aos empreendedores, de forma direta ou através de parcerias, como com o SENAI, SEBRAE e profissionais diversos. As capacitações visam suprir uma lacuna educacional no que tange a aspectos técnicos da administração de micro e pequenos negócios e também para despertar a criatividade dos beneficiários e a inovação em seus negócios. Diante dos anos de trabalho com microempreendedores de baixa renda e baixa escolaridade, foi desenvolvida uma metodologia própria, de forma que os cursos tragam os conhecimentos teóricos e ferramentas práticas de soluções, porém sempre os ligando à experiência cotidiana dos presentes, para que os conteúdos sejam fixados com maior facilidade. Realizadas nos bairros onde moram os empreendedores em horários compatíveis com sua disponibilidade, estas palestras se tornam lugares de networking para abrir possibilidades de negócios conjuntos, parcerias e troca de experiências. Os empreendedores que possuem mais de 75% de presença ganham um certificado no final de cada semestre. Cada palestra conta com uma ficha de avaliação preenchida pelos presentes, através da qual medimos a compreensão dos temas apresentados e o interesse despertado. Mentorias: Oferecemos também orientação personalizada para o contexto específico de cada empreendimento por meio de mentorias e do acompanhamento no desenvolvimento do microempreendedor ao longo do tempo. Com metodologia própria, as mentorias são baseadas em planos de atividades com metas e prazos para garantir o impacto das tarefas identificadas e priorizadas, visando sempre a sustentabilidade do negócio e o resultado efetivo na qualidade de vida e trabalho do empreendedor. É este plano que permite o acompanhamento do empreendedor. Acesso ao microcrédito: Por meio de parceria com o Banco do Povo Paulista apoiamos a obtenção de microcrédito produtivo orientado e acompanhamento antes, durante e depois do processo, bem como a possibilidade de renegociação de dívidas com a parceria com o Centro de Apoio ao Trabalhador e Empreendedorismo àqueles que possuem restrição de crédito. Através do intermédio entre os empreendedores e as instituições financeiras, o acesso ao microcrédito responde a parte importante na viabilização de negócios e o Banco do Povo Paulista usa uma metodologia que responde às necessidades dos nossos beneficiários.

11


Relatรณrio de Atividades 2016

As atividades da Aventura de Construir, que se complementam, constituem em oferecer todo o apoio necessรกrio para o empreendedor lidar bem com os desafios do mercado e desenvolver uma postura ativa de encarar os desafios que se apresentam a ele.

12


Aventura de Construir

DESTAQUES DO TRABALHO E RESULTADOS

Desde o início de suas atividades a Aventura de Construir já atendeu diretamente 4.477 em todas as atividades e projetos já desenvolvidos ao longo do tempo. São estimadas 12000 pessoas que já foram impactadas indiretamente, as quais envolvem principalmente familiares e moradores dessas regiões. No ano de 2016 a Aventura de Construir impactou 1.234 pessoas, ou seja, 28% do total de pessoas atendidas só nestes últimos 12 meses.

Abaixo estão alguns dos destaques do trabalho desenvolvido com estas pessoas. Os beneficiários que participaram pela primeira vez de alguma atividade da ADC aumentaram 25% em relação a 2015, mostrando um aumento da procura e da necessidade pelas atividades ofertadas pela Aventura de Construir, bem como bons resultados da área de Comunicação.

Capacitações As capacitações da Aventura de Construir começaram a ser realizadas em Abril de 2013, primeiro através de parceiros que já ofereciam cursos de empreendedorismo, e em seguida sob a própria metodologia da ADC voltada às especificidades do trabalho com nossos beneficiários. Desde 2013, mais de 150 capacitações foram realizadas até hoje, atingindo mais de 2.600 presenças e com nota média de avaliação dos participantes de 9,4/10.

13


Relatório de Atividades 2016

O ciclo de capacitações do 1º semestre de 2016 teve como tema principal "O cliente: de um desconhecido a fã do seu empreendimento" e contou com temas sobre a atração de um cliente para seu negócio e sobre técnicas de negociação. Além disso, ilustres e oficineiros transmitiram conhecimentos fundamentais para atrair e fidelizar um cliente, como Carlos Otavio da Costa Silva (co-fundador da Bento Store e integrante do Conselho Fiscal da ADC) realizou uma oficina sobre redes sociais; Aron Zylberman, diretor executivo do Instituto Cyrela falou sobre atitude empreendedora; a educadora financeira Cássia D’Aquino falou sobre prevenção de dívidas e ainda o contador Reinaldo Santos falou sobre formalização e imposto de renda. Já o ciclo de capacitações do 2º semestre de 2016 trouxe temas com respostas à intensificação da crise econômica e seu título foi “Encarar a crise como protagonistas”. Estas oficinas se basearam em alguns conceitos importantes para superar a falta de clientes e expandir seus mercados: como inovar em micronegócios, pesquisa de mercado, como trabalhar em

14

parcerias e como organizar bem o trabalho cotidiano. Neste ciclo a ADC também contou com a participação de profissionais de destaque no mercado. Carlos Ferreirinha, “guru” do luxo e fundador da MCF Consultoria falou aos microempreendedores sobre como o luxo pode nos ajudar a gerir pequenas empresas. Em parceria com a Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH- USP), a ADC aprofundou seu método horizontal de oficinas e promoveu uma delas apenas sobre o tema de inovação, aplicando o método design thinking a seus beneficiários. Já por iniciativa própria, a ADC também utilizou a metodologia World Café para seguir as técnicas modernas de educação de adultos. Já no eixo de Desenvolvimento Humano, a ADC realizou em parceria com a musicista Marcela Bertelli o comparecimento ao espetáculo “Grupo Ilumiara e os Cantos de Trabalho”, fruto de pesquisa de repertório sobre cantos de trabalho tradicionais brasileiros. Este eixo de Desenvolvimento Humano é responsável por oferecer oficinas que façam expandir culturalmente e originalmente o potencial dos beneficiários da ADC.


Aventura de Construir

Projeto de Empreendedorismo para Mulheres Continuando com as capacitações voltadas ao Setor da Beleza, foram aplicadas capacitações com o tema “O que é ser empreendedor?” as turmas que participaram dos cursos técnicos oferecidos pela Escola da Beleza da ATST-SP, através de parceria com o Fundo Social de Solidariedade Estado São Paulo. Voltadas ao público feminino, foram impactadas 53 mulheres apenas nestas oficinas.

Projeto de Empreendedorismo para Jovens No mês de Julho, durante as férias escolares, a ADC realizou oficinas durante 1 mês para 13 jovens de até 24 anos. Eles foram treinados em cursos de mídias sociais e finanças durante 1 mês, com o propósito de ajudar os pais empreendedores na organização financeira familiar. Em 2016 foi mudado o parâmetro para a entrega dos certificados de presenças: como mais oficinas foram oferecidas perante 2015 (42 oficinas em 2016 x 39 em 2015), mais presenças em palestras eram necessárias para ganhar um certificado de presença. Por isso, foram entregues 41 certificados de presença neste ano e foram atendidas 362 pessoas. Temas trabalhados pela ADC em 2016: Finanças • Declaração de imposto de renda com Reinaldo Santos • Como prevenir e gerenciar as suas dívidas com Cássia D’Aquino Planejamento • Direitos do MEI e Formalização: um processo que continua com Reinaldo Santos • Como organizar o meu trabalho sem esquecer mais nada • Pesquisa de mercado: conheça os seus potenciais clientes • Como inovar o seu negócio – WORLD CAFÉ • Empatia e inovação: ousar, arriscar, tentar novos formatos com EACH-USP – Design Thinking • É a atitude que leva ao sucesso! com Aron Zylberman Comercial • Aprenda a comunicar de forma simples e inovadora • Aprenda como convencer a entrar na sua loja • A arte da negociação: como aumentar as suas vendas • Parcerias: saiba diferenciar as boas das ruins • Redes sociais para jovens e adolescentes Desenvolvimento Humano • Grupo Ilumiara e os Cantos de Trabalho com Marcela Bertelli • Aprender com a inteligência da gestão do luxo e premium com Carlos Ferreirinha

15


Relatório de Atividades 2016

Mentorias Desde Julho de 2013, foram realizados mais de 948 encontros de mentorias approfundando os principais desafios e desejos do empreendedor ou de quem planeja começar sua atividade produtiva, mantendo em mente que o empreendedor é sempre o seu próprio agente de mudança. Elas são realizadas no local de venda ou de produção do empreendedor e focam na criação de um plano de ações com metas, prioridades e prazos para o empreendedor seguir adiante com o acompanhamento sistemático

16

dos profissionais da Aventura de Construir. Só em 2016, 264 mentorias individuais foram realizadas com 123 empreendedores, um aumento de 17% no número de pessoas assessoradas em relação ao ano anterior. Destas pessoas, 70% mantiveram um relacionamento estável com a ADC. As pesquisas de avaliação de impacto social da ADC sistematicamente mostram que as mentorias têm impacto positivo no público alvo nos indicadores Ciência do Lucro Mensal, Valor do Lucro Mensal e Tomou Iniciativas Para o Meio Ambiente.


Aventura de Construir

17


Relatório de Atividades 2016

Escalabilidade

Acesso a Microcrédito

A ADC propôs como um dos seus desafios estratégicos a adoção de medidas que possibilitem atingir o maior número de pessoas possível, mas com a condição de manter a mesma metodologia pela qual tanto preza – as ações que visam, antes de tudo, despertar o protagonismo do seu público-alvo. Para gerar esta maior escalabilidade em seu trabalho, a ADC formatou e implantou um Programa Institucional de Voluntariado. As mentorias são uma das várias possibilidades de ação voluntária dentro da ADC e, depois de um breve treinamento na metodologia de mentorias, o voluntário começa o seu trabalho em campo assessorando microempreendedores e traz de volta para si todo o aprendizado que essa e outras atividades proporcionam. As atividades do Programa podem ser realizadas também por empresas, por meio da cessão de seu corpo de funcionários para agir como voluntários. Para fazer parte do Programa, entrar em contato através do e-mail contato@aventuradecontruir.org.br ou pelo telefone (11) 3895-0592. Mais informações podem ser consultadas no website da Aventura de Construir: http://aventuradeconstruir.org.br/voluntarios-na-adc/.

O acesso a microcrédito produtivo orientado visa atender a demanda por crédito acessível, sempre com a finalidade última de investimento em melhorias para o empreendimento, como investimentos em ativos fixos ou matérias-primas. Isso possibilita que o empreendedor gira suas próprias divisas para o pagamento do empréstimo. Os empreendedores são assessorados antes, durante e depois da iniciativa de tomar o empréstimo, inclusive de maneira especial para aqueles que possuem restrição no sistema financeiro. Desde 2013, 1310 empreendedores foram atendidos a procura de um empréstimo. Neste período, 104 acessos ao microcrédito foram finalizados através das parcerias vigentes com o Banco do Povo Paulista e o Centro de Apoio ao Trabalhador e Empreededorismo. Só em 2016, foram 153 atendimentos para a tomada do crédito. Em dezembro de 2016, a taxa de inadimplência dos contratos fechados por empreendedores participantes da ADC era de 6,3%, costumeiramente abaixo da média da instituição parceira na cidade de São Paulo. É possível observar uma queda contínua pela procura de microcrédito em comparação aos anos anteriores (8% de queda em relação ao ano de 2015, por exemplo) devido à recessão econômica que se aprofundou em 2016. Como consequência, há mais e mais casos de pessoas que têm interesse no acesso a empréstimos, mas possuem restrição no sistema financeiro. O endividamento das famílias, por exemplo, em setembro de 2016 atingiu o nível de 63,5% (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor – Peic divulgada em 27/09/2016 pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo – CNC).

18


Aventura de Construir

FRASES DOS BENEFICIÁRIOS ATENDIDOS

19


Relatรณrio de Atividades 2016

20


Aventura de Construir

SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE IMPACTO SOCIAL Movidos pelo desejo de verificar a eficácia das nossas ações, decidimos medir os resultados por meio de um Sistema de Avaliação de Impacto Social, desenvolvido com o apoio da ALTIS da Universidade Católica de Milão, do Kellogg Institute da Notre Dame University e da consultora Anna Peliano. Entendemos que uma ferramenta deste tipo favorece a sustentabilidade financeira dos projetos e a transparência da instituição na forma de operar. Além disso: • Identifica os principais indicadores nos quais focar o trabalho e melhor os serviços ofereci- dos; • Facilita a formulação de projetos mais interessantes para os financiadores (pela clareza dos objetivos a serem alcançados e a metodologia a ser aplicada); • Exige equilíbrio entre criatividade e racionalização de recursos nos projetos; • Incentiva o trabalho em parcerias pela importância de conseguir uma mensuração inteligen- te. • Alcança uma mudança de mindset por passar de uma avaliação focada na gestão para uma no impacto. A construção do Sistema de Avaliação de Impacto Social começou em final de 2012 com uma extensa pesquisa com os empreendedores para caracterizar o público-alvo e para melhor definir os serviços a serem desenvolvidos. Esta pesquisa constituiu a nossa “Linha de Base”: uma referência para entender o impacto do nosso trabalho em relação ao bem-estar dos nossos beneficiários.

21


Relatório de Atividades 2016

Desde 2015, foram feitas quatro pesquisas: 1.

Com um “Grupo de Controle” de empreendedores incluídos na Linha de Base mas que não recebeu serviços da ADC, para avaliar a evolução dos empreendimentos em ausência de intervenção da ADC;

2. Com uma amostra dos empreendedores que recebem serviços da ADC, o Grupo de Inter- venção.

*O Grupo de Controle foi escolhido para ser quanto mais possível similar ao de 2012.

Recolhemos periodicamente esses valores entrevistando 3 grupos de empreendedores impactados, e um grupo de controle que, durante a pesquisa de base realizada em 2012, exibiu caraterísticas similares aos empreendedores atingidos, em termos de faturamento e dimensão. A comparação entre a linha de base e o grupo de controle permite avaliar as mudanças devidas a fatores externos, enquanto o nosso impacto é medido através das diferenças atuais entre o grupo de controle e a amostra de empreendedores atingidos.

22


Aventura de Construir

Para avaliar a qualidade de vida e o desempenho dos empreendedores atingidos selecionamos o seguinte grupo de indicadores: • • • • • • • • •

Valor do faturamento no último mês; Valor do lucro no último mês; Percentagem de empreendedores que conhecem seu lucro no último mês; Percentagem de empreendedores que conhecem seu faturamento no último mês; Percentagem de empresas onde alguém, além do dono, trabalha estavelmente; Percentagem de empresas com CNPJ; Percentagem de empresas que aceitam pagamentos com cartões; Percentagem de empresas que fecharam no período; Percentagem de empresas que tomaram iniciativas para o meio ambiente no período.

A seleção foi efetuada considerando a importância do fator a ser medido, a sua capacidade de discriminar, a possibilidade de obter valores atendíveis (então comparáveis entre grupos e entre tempos diferentes) e a simplicidade da coleta. Estas são algumas das descobertas realizadas nas pesquisas do Sistema de avaliação de Impacto Social e que oferece subsídio às atividades da ADC voltadas especificamente ao grupo feminino, por exemplo.

23


Relatório de Atividades 2016

FORTALECIMENTO INSTITUCIONAL

Carlos Henrique Lopes Responsável pelas mentorias com os empreendedores, pelo desenvolvimento e aplicação das capacitações e do gerenciamento do sistema institucional de avaliação de impacto. Equipe

Adriano Gaved Desenvolve os conteúdos das capacitações e coordena todas as atividades relacionadas à organização e análise de dados, entre eles o sistema de avaliação de impacto. Equipe

Yara Nicolini Responsável pela comunicação institucional. Formula estratégias, define ações e articula canais de comunicação para veicular o diferencial e as atividades da Aventura de Construir, valorizando as sugestões dos mentores voluntários da Instituição. Equipe

24

Silvia Caironi É responsável pela direção estratégica junto com os financiadores e a diretoria. Articula os relacionamentos externos e as parcerias, coordena e orienta as atividades institucionais. Equipe

Matilde Silva Apoia a direção na administração, organização, controle e desenvolvimento das atividades e no acesso ao crédito dos microempreendedores. Suporta a coordenação dos fornecedores das áreas financeira, informática, jurídica e de auditoria. Equipe


Aventura de Construir

Marcelo Turri Estudou Engenharia Mecânica na Poli (USP) e tem MBA no IBMEC-SP. Atualmente é Diretor de Supply Chain na Alpargatas e Tesoureiro da ADC. Diretoria

Marlene Ramos Diretora Presidente da ADC (até maio de 2017). Trabalha há 30 anos em prol da moradia na ATST-SP. Diretoria

Jorge Kim Engenheiro mecânico (UNIP), possui MBA em Gestão da Qualidade (USP-SP) e MBA em Mercado de Capitais (FIPECAFI-SP). Empresário e sócio-proprietário da Bela&Bonita, vice presidente da ADC. Diretoria

25


Relatório de Atividades 2016

Rafael M. Marcoccia Jornalista e Professor de Sociologia e Filosofia do Centro Universitário da FEI. Dedica-se à pesquisa sobre os princípios da dignidade humana, da subsidiariedade e da solidariedade. Hoje é Secretário da ADC. Diretoria

Carlos Otavio da C. Silva Engenheiro (FEI-SP) e possui MBA (FGV). Co-fundador da Bento Store, rede de varejo eleita entre as mais inovadoras mundialmente. Conselho Fiscal

26

Fabrizio Pellicelli Presidente da AVSI BRASIL e Regional Manager da AVSI Foundation Brasil e Peru. Conselho Fiscal

Gisela Solymos Gerente Geral do Centro de Recuperação e Educação Nutricional (CREN), Psicóloga, mestre em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano (USP) e doutora em Ciências (UNIFESP). Ashoka Fellow e Empreendedora Social da Schwab Conselho Fiscal


Aventura de Construir

ATIVIDADES DE COMUNICAÇÃO

O ano de 2016 foi o marco para a comunicação da Aventura de Construir. Nos demos conta que era necessário montar este departamento pela urgência que sentíamos de comunicar, e comunicar bem. A área de comunicação institucional foi concebida para expressar a riqueza das histórias encontradas, os sonhos, risos, rostos, sucessos dos nossos empreendedores e, ao mesmo tempo, ser uma ferramenta a suporte da área de sustentabilidade. Encaramos isso como uma grande tarefa, mas com objetivos e estratégias bem claras. No começo do ano, realizamos o primeiro plano de comunicação para sistematizar e nortear as ações de divulgação a serem realizadas. A partir de lá, começamos a experimentar diversas ferramentas de marketing digital como Google Adwords e Mailchimp, criamos um blog para reunir o conteúdo próprio gerado (reflexões e experiências adquiridas no trabalho), ampliamos a nossa presença nas mídias sociais abrindo uma conta no Instagram e Linkedin, começamos a desenvolver a área de sustentabilidade institucional oferecendo à audiência a possibilidade de realizar doações online (em uma seção específica do nosso site e por meio da parceria com a plataforma Polen) e de se engajar mais com a instituição participando do Programa Institucional de Voluntariado. Também, estreamos

Além de manter a parceria com o jornal de bairro “Folha Nooeste”, em 2016 conseguimos ampliar os veículos com a publicação de matérias em alguns portais online do terceiro setor como o “Nossa Causa”, “Setor3”, “Observatório do Terceiro Setor” e “Instituto Ressoar”. Participamos de 5 programas radiofônico na Rádio 9 de julho e no Observatório do Terceiro Setor e de uma entrevista televisiva, sempre do Observatório do Terceiro Setor, divulgando as nossas capacitações ou participando de debate. Participando a estes eventos, tivemos o resultado direto e imediato de trazer maior público para os nossos cursos, mas entendemos que é preciso continuar no esforço para conseguir pautas nas principais mídias nacionais. Em março participamos da programação aberta do 9° Congresso GIFE “O sentido público do investimento social privado” com uma roda de conversa intitulada “Indicadores de impacto e a construção de políticas públicas de fomento ao empreendedorismo na baixa renda” onde foi apresentado o Sistema institucional de indicadores de impacto a uma plateia de cerca trinta pessoas e, em seguida, aberto espaço para o debate. Este evento foi a nossa “estreia” em público, uma vitrine para do nosso trabalho, a possibilidade de conhecer outras experiências de sistemas de indicadores de impacto e criar redes. Nos deu a oportunidade de crescermos a nível de instituição e de equipe pelo desafio organizativo envolvido, os esforços exigidos no cuidado com os mínimos detalhes e a manutenção de altos padrões de profissionalismo. O site da Aventura de Construir existe desde o final de 2015 com o intuito de ser a vitrine para a divulgação das atividades institucionais e, ao mesmo tempo, dialogar e atrair potenciais investidores. Atualmente possui 20 páginas, é gerenciado agilmente pela própria equipe sem necessidade de pessoal técnico externo e, desde dezembro de 2016, tem uma versão em inglês alimentada paralelamente àquela em português por voluntários. Para a reformulação do conteúdo ou do layout, um benchmarking é realizado periodicamente com os sites de outras ONGs nacionais e internacionais consideradas referências no setor. Por conseguinte,

27


Relatório de Atividades 2016

em 2016 o site foi acrescentado com “ícones” e banners com o escopo de tornar o visual mais moderno e dinâmico. Também, foram colocadas slide-bars na home page com frases inspiradoras relacionadas à essência do nosso trabalho, assim como notícias. Estas últimas também são reunidas por completo no Menu “Como fazemos”, junto às “Reflexões” (o nosso blog, lançado em junho). O processo de atualização e reformulação do nosso site é sempre on-going para buscar o alinhamento com as mais modernas referências nacionais e internacionais em webdesign.

A TechSoup é uma das maiores e mais conceituadas agências de assistência tecnológica sem fins lucrativos dos Estados Unidos. Oferece suporte em tecnologia da informação para ONGs por meio do Programa TechSoup Brasil de Doação de Licenças de Software, no qual as maiores empresas de tecnologia utilizam a plataforma para efetuar doações de licenças de software, ajudando assim a estruturar organizações em diversos países, após avaliação de alguns critérios. Em março de 2016, ADC foi avaliada positivamente e integrada no programa de beneficiados. Desde então, ADC utiliza o pacote “Grant” de Google (correspondente ao uso gratuito de GSuite por um valor de 2.500 R$ anuais e de Adwords por um valor de 10.000 USD mensais em anúncios) e programas de produtividade individual de Microsoft por um valor de R$ 1.079, para a divulgação online dos negócios dos nossos empreendedores associados colaboradores e para as nossas campanhas Adwords. No menu “Para quem” do nosso site são hospedados e detalhados os perfis dos nossos empreendedores associados colaboradores e os próprios negócios, os quais, graças ao funcionamento do mecanismo de SEO, conseguem ampliar a própria audiência. Além disso, a cada mês criamos e impulsionamos com o mesmo mecanismo “campanhas” mensais, alinhando as keywords, o texto do anúncio e o conteúdo da landing page para direcionar o visitante aos nossos blogs (no menu, disponíveis em “Reflexões”): uma síntese da realidade atual junto com a experiência do nosso trabalho no micro empreendedorismo na baixa renda. Estas campanhas de Adwords geram praticamente todo o tráfego do site, embora identificamos um baixo engajamento em relação às outras fontes. A partir do processo de otimização de busca das campanhas, conseguimos alcançar um patamar significativos mediamente 15.000 visitas mensais.

28

O mailchimp é uma das melhores plataformas existentes para o envio de e-mail marketing. Em abril de 2016 começamos a usar esta ferramenta principalmente para o envio de convites para as nossas capacitações por meio de campanhas por e-mail, tendo como destinatários os nossos empreendedores. O resultado foi geralmente baixo em termos de open rate, mas o esforço também é mínimo. Enxergamos esta iniciativa também como uma forma para o nosso público-alvo de se familiarizar com a tecnologia e aprender a administrar uma conta e-mail. Foram lançadas 30 campanhas de convites, campanhas de incentivo às doações e uma de Natal com síntese das atividades realizadas.


Aventura de Construir

A página Facebook da ADC existe desde março de 2014 e permanece um canal de comunicação direcionado principalmente para o nosso público-alvo, composto principalmente por empreendedores de baixa renda. O foco da divulgação é o nosso core business (capacitação, mentorias e acesso ao microcrédito), além de notícias do mundo do empreendedorismo, relatos de empreendedores beneficiados, conteúdo inspirador advindo da realidade na qual atuamos e os resultados do nosso trabalho. Graças às mentorias de comunicação com profissionais da área, em 2016 fomos aprimorando a nossa linguagem e o visual das postagens, tornando-os mais fluídos e atrativos. Entendemos a importância de termos um registro fotográfico de alta qualidade a ser usado para a produção de conteúdo institucional e para isso recebemos uma capacitação interna de fotografia por um profissional a nível internacional. Vendo um discreto retorno de público em termos de engajamento com vídeos, começamos a investir em produção audiovisual própria, inicialmente filmando uma serie chamada “Campanha de sonhos” (para investigar as metas profissionais e pessoais dos nossos empreendedores) e, no final do segundo semestre, lançando a nossa primeira campanha de doação para arrecadação de fundos, em concomitância com o disparo da homônima página do nosso site. Até dezembro de 2016 a Fan Page da ADC tinha alcançado 1.138 curtidas, registrando um crescimento do 27,5% desde o começo do ano. Analisando o público por um recorte de gênero, a maioria dos fãs é homem, mas o público feminino engajado e envolvido com as publicações é maior. Apesar de todos os esforços, o engajamento nas publicações permanece baixo e continua sendo um desafio da área.

A conta Instagram da ADC foi aberta em agosto de 2016 para alcançar uma fatia de público maior e diferente daquele já atingido e para posicionar melhor a “marca” da ADC nas mídias sociais. Foi feito um trabalho de adequação do conteúdo do Facebook à essa rede social, focando em uma comunicação mais rápida e frequente, visual (fotos e vídeos curtos), uso de hashtags para captura de audiência, diluição de conteúdo em mini histórias. Até dezembro 2016 foram mais de 80 postagens, conseguindo 150 seguidores e 340 perfis seguidos.

Em julho de 2016 foi aberta a página institucional da ADC no Linkedin, com o objetivo de aproximar-se a um público seleto composto por gerentes de sustentabilidade, responsabilidade social, filantropos, institutos empresarias e familiares, em uma ótica de sustentabilidade institucional e financeira. A ideia era de replicar nesta rede o conteúdo já existente em outras, focando em uma comunicação mais “técnica” e corporativa (sistema de avaliação de impacto social, metodologia e resultados), além dos blogs mensais. Até dezembro, a força do nosso perfil tinha sido avaliada como intermediária, tínhamos compartilhado 12 publicações (atingindo o pico de 316 visualizações e 78 curtidas com o nosso blog sobre desorganização), 5 atividades e conseguido 29 conexões.

29


Relatório de Atividades 2016

Em dezembro 2016 realizamos o primeiro vídeo institucional da ADC. A iniciativa veio da necessidade que sentíamos há um tempo de termos um produto versátil e desfrutável para expressar o diferencial da ADC e os resultados obtidos, a ser apresentado e divulgado visando a sustentabilidade financeira. Tivemos a oportunidade e a sorte de trabalhar com Bruno Tiezzi, fotografo e cineasta bem-conceituado, que ofereceu a própria capacidade e profissionalismo em prol deste projeto. Em dezembro de 2016, portanto, foram realizadas as filmagens nas áreas com três microempreendedoras atendidas pela ADC as quais, com o próprio testemunho, valorizaram o trabalho da ADC e destacaram as mudanças percebidas nas próprias vidas familiares e profissionais: elas são um condensado de todas as histórias cruzadas ao longo destes anos. Foram envolvidos também alguns amigos que cruzaram o nosso caminho e apreciaram o nosso trabalho como Aron Zylberman (Diretor executivo do Instituto Cyrela), Carlos Ferreirinha (Sócio fundador na Bento Store) e integrantes da Diretoria da ADC: Rafael Marcoccia (Secretário da ADC), Jorge Kim (Vice-presidente da ADC) e Silvia Caironi (Coordenadora geral da ADC) para agregar um embasamento técnico e objetivo ao nosso vídeo em relação à nossa metodologia e diferencial. O vídeo está disponível em nosso canal Youtube ao seguinte link: https://www.youtube.com/watch?v=NM_QFJnqDaw&t=321s

SUSTENTABILIDADE Nesta seção de Sustentabilidade deste Relatório de Atividades é possível destacar, em primeiro plano, a tradução do planejamento estratégico da ADC em atividades também voltadas à sustentabilidade financeira da instituição. Mesmo em um período de recessão econômica, este é um dos objetivos principais que a Aventura de Construir abraça com afinco. Dentre as atividades de Sustentabilidade, há algumas que foram fundamentais em 2016: as estratégias de comunicação foram pensadas a fim de oferecer o suporte necessário à sustentabilidade financeira da ADC, possibilitamos a oportunidade de doações online por pessoas físicas ou jurídicas, a parceria firmada com o aplicativo de doações online O Pólen, o início do relacionamento mais profundo com empreendedores que escolhem se tornar Associados Colaboradores, o início do Programa de Voluntariado Corporativo e Individual e ainda a submissão de projetos para responder a editais privados. • DOAÇÕES Para qualquer alteração na área de comunicação digital, sempre fazemos uma busca prévia dos melhores desempenhos de instituições nacionais e internacionais de referência (benchmarking). Observamos como quase todas as ONGs já tinham implementado em próprio site uma seção para as doações online e colocado botões-chamadas na home page para o usuário se engajar. Seguindo essas referências, em novembro decidimos incluir estes elementos, criando a página “Como ajudar”, na qual constam duas mini seções: uma para doações diretas a serem efetuadas com os meios de pagamento eletrônicos Paypal e PagSeguro e uma para as doações por meio da plataforma “O Polen”, além de um ícone em formato de árvore na home page de direcionamento. O Pólen é uma plataforma de doação online que funciona como ponte entre os consumidores e as ONGs. Sempre que alguém efetuar uma compra em uma das mais de 300 lojas online parceiras do Polen, parte do valor do produto é revertido em forma de doação para a ONG escolhida pelo usuário. Em setembro fomos incluídos entre as mais de 200 ONGs afiliadas para começarmos a receber doações. Aproveitamos da aproximação do Natal para lançar uma campanha natalina de vídeos que tinham como protagonistas os nossos empreendedores, realizando um chamado para o público doar.

30


Aventura de Construir

• ASSOCIADOS COLABORADORES Em julho de 2016 demos um passo importante no fortalecimento do processo institucional da ADC, organizamos a primeira reunião para a criação da categoria dos “Associados colaboradores”: uma tentativa de estreitar laços mais firme entre a ADC e um grupo de nossos empreendedores. Durante esta reunião foi apresentada a proposta de adesão para os empreendedores atendidos e foram levantadas as necessidades, os pedidos, as perplexidades deles em relação a esta iniciativa. O formato prevê produtos “premium” e customizados (como capacitações com executivos de alto padrão, consultorias pessoalizadas) e um espaço de divulgação em nosso site para o negócio de cada empreendedor, impulsionado por meio da ferramenta Google Adwords. Em troca, os empreendedores assumem o compromisso do pagamento de uma cota associativa simbólica como ajuda de custo em modalidade anual, semestral ou trimestral. • PROGRAMA INSTITUCIONAL DE VOLUNTARIADO Continuando perseguindo o caminho da sustentabilidade e do fortalecimento institucional, em meado de 2016 implantamos, com a ajuda da voluntaria Fernanda Quija funcionária da Alapragatas, o nosso Programa Institucional de Voluntariado. As atividades do Programa podem ser realizadas por indivíduos que acreditam no desenvolvimento e no protagonismo das populações de baixa renda e também por empresas que possuam estes mesmos objetivos, por meio da cessão de seu corpo de funcionários para agir como voluntários. Para fazer parte do Programa, entrar em contato através do e-mail contato@aventuradecontruir.org.br ou pelo telefone (11) 3895-0592. Mais informações podem ser consultadas no website da Aventura de Construir: http://aventuradeconstruir.org.br/voluntarios-na-adc/. • PARTICIPAÇÃO EM EDITAIS A Aventura de Construir sistematizou o conhecimento a respeito de mais de 100 entidades financiadoras nacionais e internacionais identificando aquelas que possuíam convergência sob três aspectos: de escopo de trabalho, de requisitos jurídicos e de regionalidades. Esta pesquisa se transformou em um grande arcabouço de entidades a desenvolver contatos e deu base para planejar a quais editais seria possível e do interesse estratégico da ADC apresentar projetos de financiamento e trabalho em conjunto. Como resultado destas ações, em 2016 a Aventura de Construir propôs projetos de fomento ao empreendedorismo e geração de renda para 5 entidades financiadoras. São elas Chanel Foundation, Fundo ELAS, Instituto Credit Suisse Hedging Griffo, Duratex e John Deere. Este trabalho também possibilitou viabilizar contatos com outras entidades do Terceiro Setor, as quais trabalham com o desenvolvimento local ou são agentes relevantes para a manutenção de parcerias estratégicas, como o Instituto Votorantim, IDIS, GIFE, ENEL Foundation, Engaja Brasil e outras. Para os próximos anos, a Aventura de Construir se propõe a continuar este caminho, bem como outros já trilhados ou novos, para buscar novos recursos financeiros que possibilitem o bom trabalho sobre o empreendedorismo de baixa renda continuar.

31


Relatรณrio de Atividades 2016

PARCEIROS

32


Aventura de Construir

33


Relatรณrio de Atividades 2016

34


Aventura de Construir

35


Relatรณrio de Atividades 2016

36


Aventura de Construir

37


Relatรณrio de Atividades 2016

38


Aventura de Construir

Rua Tenente Landy, 234 - Lapa de Baixo - 05068020 - SĂŁo Paulo Telefone: (11) 3895-0592 http://aventuradeconstruir.org.br contato@aventuradeconstruir.org.br https://facebook.com/aventuradeconstruir Instagram:@aventuradeconstruir Linkedin: Aventura de Conatruir

39


Relatório de Atividades 2016

Relatório de Atividades 2016 Associação Aventura de Construir Textos: Carlos Henrique Lopes Silvia Caironi Yara Nicolini Edição: Caio César Xavier Projeto Gráfico e Diagramação: Paola Silveira

40

Relatório de atividades 2016  
Relatório de atividades 2016  
Advertisement