Page 1

Relatรณrio de Atividades 2015


Relatรณrio de Atividades 2015

2


Aventura de Construir

Se você quiser construir um navio não convoque homens para juntar madeira, dar ordens e dividir o trabalho. Antes, ensine-os a se apaixonar e desejar o eterno e distante mar.” Antoine de Saint Exupéry

3


Relatório de Atividades 2015

Sumário Mensagem

6 8 Missão, Visão, Valores

A Oferta da Associação

9

O início de tudo 22

24 25 Equipe

Governança Diretoria

27

4


Aventura de Construir

Destaques do Trabalho e Resultados

30

Capacitações Mentorias Acesso ao Microcrédito

40 Beneficiários

48 Auditoria

Notas aos Relatórios

5

Fortalecimento Institucional

52

Relatórios Financeiros


Relatório de Atividades 2015

Mensagem

R

elembrando das ações concretizadas pela Aventura de Construir no percorrer do ano de 2015, é possível buscar nelas o sentido do por que fazemos aquilo que fazemos. Se o propósito da instituição é contribuir para o desenvolvimento da qualidade de vida e trabalho de empreendedores da base da pirâmide, por meio do despertar o protagonismo do indivíduo e do seu acompanhamento no tempo, certamente vamos cada vez mais a fundo neste objetivo. Os números falam por si: atendemos duas vezes mais pessoas neste período do que nos nossos dois primeiros anos de existência, nossa metodologia de acompanhamento de microempreendedores foi consolidada e referendada por um sistema de métricas de indicadores de impacto, colocamos no ar nosso website junto com uma completa política de comunicação e também realizamos diversas ações de tornar robusta nossa organização, como o reconhecimento do título de OSCIP.

Estas ações, dentre muitas outras, podem ser lidas no relatório a seguir. Mas o que está além dos números e dos reconhecimentos? Nossas energias estão voltadas nos dois seguintes fatores. 1) Nosso relacionamento com os beneficiários deve ser cada vez mais profundo, a fim de que suas necessidades fiquem cada vez mais claras e para que possamos atendê-las de maneira cada vez mais eficiente. Isto implica em contribuir mais e mais no processo de despertar o protagonismo de cada um dos empreendedores e, criativamente, acompanhá-los em seu caminho escolhido. Ou seja, a Aventura de Construir busca constantemente a intensificação da sua metodologia de trabalho, pois ela permite atender as necessidades reais. 2) A Associação deve, como instituição, se preparar para sua própria continuidade no tempo. Visando superar os desafios de fi-

nanciamento para além de 2018 e os desafios de escalabilidade da metodologia aplicada, continuaremos na construção de bases sólidas para o fortalecimento da Associação, como uma boa equipe de captação de recursos, de comunicação e sempre se abrindo às parcerias com outras instituições e profissionais. A Aventura de Construir possui um vasto horizonte pela frente e, através do profissionalismo e da paixão aos resultados, o ano de 2015 foi um ano em que trouxemos este horizonte às atividades concretas da organização, seja preparando suas bases, seja sistematizando e aprimorando sua metodologia. Não há distância que não possa ser percorrida com um bom trabalho. Que venham os próximos anos!

Marlene Ramos Diretora Presidente da ADC

6


Aventura de Construir

A

Aventura de Construir nasceu em 2011 como sociedade Ltda., denominando-se Aventura de Construir Consultoria Ltda., e desde 2012 oferece, gratuitamente, suas atividades para microempreendedores de baixa renda. Por desenvolver exclusivamente um trabalho

7

sem fins lucrativos e de interesse público, em 2015 foi criada a Associação Aventura de Construir, que dá continuidade a este trabalho. O presente Relatório de Atividades de 2015 mostra seus principais resultados.


Relatório de Atividades 2015

Missão

“A associação tem como objetivo a experimentação, não lucrativa, de novos modelos sócio-produtivos e de sistemas alternativos de produção, comércio, emprego e crédito, mediante a capacitação e o acompanhamento de microempreendedores no desenvolvimento dos seus próprios negócios, visando a sustentabilidade dos mesmos e a melhora nas suas condições de vida e de trabalho.”

Visão

Estatuto da Associação Aventura de Construir

O empreendedor é o protagonista de seu desenvolvimento. Este processo implica em uma aventura de construção humana, além de profissional.

Valores

Centralidade da pessoa, compromisso e excelência, criatividade e inovação, responsabilidade, transparência, trabalho em equipe.

8


Aventura de Construir

A Oferta da Associação Área de Atuação

A

Aventura de Construir acompanha microempreendedores de baixa renda em

E

stes são os bairros construídos pela Associação dos Trabalhadores Sem Terra de São Paulo (ATST-SP) nos quais 9

ter um negócio sustentável e a melhorar as condições de vida e de trabalho.

a Aventura de Construir desenvolve suas atividades. São bairros periféricos do município de São Paulo nos distritos de Anhanguera, Perus e Pirituba.


Relatório de Atividades 2015

Metodologia

A

Aventura de Construir atua sob o princípio de não replicar ações que já estão à disposição do seu público-alvo e intervém ativamente quando vê uma necessidade não atendida. Assim, devido a uma latente fragilidade da pessoa em lidar com os desafios do mercado, o escopo de atuação da ADC baseia-se em instigar o empreendedor a tomar consciência de sua realidade e acompanhá-lo em sua jornada. Ele é quem trilha seu caminho, com o apoio da Aventura de Construir. Além disso, nossa metodologia é complementada com o constante incentivo a uma cultura de negócios baseada na sua sustentabilidade e na racionalidade para tomada de

decisões. Isso é feito de maneira prática sob quatro aspectos: os recursos disponíveis ao empreendedor, suas oportunidades, suas aspirações pessoais e os principais riscos. Um plano de ação é então desenvolvido conjuntamente com o empreendedor. Essas ações são feitas com o propósito de gerar mudanças duradouras, a partir de um suporte sistemático e contínuo ao longo do tempo. De maneira prática e concreta, este método desperta o protagonismo e a originalidade nas pessoas, disseminando uma saudável cultura de negócios. Este é, portanto, o diferencial da ADC, pois assegura ser um processo educativo em direção à seu desenvolvimento e sustentabilidade.

10


Aventura de Construir

11


Relatório de Atividades 2015

Público-alvo

O

público da Associação Aventura de

que oferece descontos em mensalidades

Construir consiste em microempre-

a alunos de cursos de graduação por meio

endedores moradores de bairros periféri-

de convênios com universidades privadas

cos na região Oeste da cidade de São Pau-

(70.000 alunos já chegaram à formatura).

lo, nos distritos de Anhanguera, Pirituba e

De acordo com pesquisa própria, esse

Perus. Eles geralmente são associados à

público é constituído em 60% por mulhe-

Associação de Trabalhadores Sem Terra

res, têm uma renda média de R$ 1.059

de São Paulo (ATST-SP), associação que

per capta; idade média entre 35-45 anos;

organiza compras coletivas de grandes

65% não concluiu o ensino médio; 27%

áreas para viabilizar o acesso à casa pró-

afirmam ter restrição de crédito; 35% tem

pria a baixo custo.

um faturamento de até R$ 3.000 (três mil

Nesses

bairros

moram aproximadamente

27.000

famílias, a taxa de empreendedorismo é o dobro

Número de impactados indiretos é estimado em 7700 pessoas

da média nacional e serviços de apoio a

reais) mensais; 36% não faz nenhum controle de compra de mercadorias; 50% não possuem funcionários e 45% dos empreendimentos

são

informais.

empreendedores, de crédito e bancários

Indiretamente impactados estimamos

têm dificuldade de chegar, apesar do seu

em 7700 pessoas, que envolvem principal-

grande potencial. Pessoas que pensam

mente familiares e vizinhos. Além disso, o

em iniciar uma atividade produtiva tam-

impacto pode ser considerado em todo o

bém fazem parte do público-alvo. Outro

bairro, pois trabalhamos com microempre-

público complementar são os associa-

endedores locais que desenvolvem e abas-

dos da Associação Educar Para a Vida,

tecem as suas comunidades.

12


Aventura de Construir

13


Relatório de Atividades 2015

Atividades

T

endo definido nossos pilares de atu-

com o SENAI, Aliança Empreendedo-

ação, estabelecemos três projetos

ra, SEBRAE e profissionais diversos. As

pelos quais a Aventura de Construir ofe-

capacitações visam suprir uma lacuna

rece seu trabalho ao público, garantindo o

educacional no que tange aspectos téc-

acompanhamento 360º. São eles:

nicos da administração de micro e pequenos negócios e também para des-

CAPACITAÇÕES: semanalmente a Associa-

pertar a criatividade dos beneficiários

ção Aventura de Construir oferece eventos

e a inovação em seus negócios. Diante

de formação aos empreendedores, de for-

dos quatro anos de trabalho com mi-

ma direta ou através de parcerias, como

croempreendedores de baixa renda e 14


Aventura de Construir

baixa escolaridade, foi desenvolvida

disponibilidade, estes eventos se tor-

uma metodologia própria de forma

nam lugares de networking para abrir

que os cursos tragam os conhecimen-

possibilidades de negócios conjuntos,

tos teóricos e ferramentas práticas de

parcerias e troca de experiências. Os

soluções, porém sempre os ligando à

empreendedores que possuem mais

experiência cotidiana dos presentes,

de 75% de presenças ganham um certi-

para que os conteúdos sejam fixados

ficado de presença no final de cada se-

com maior facilidade. Realizadas nos

mestre. Cada palestra conta com uma

bairros onde moram os empreende-

ficha de avaliação preenchida pelos

dores e horários compatíveis com sua

presentes, através da qual medimos a

15


Relatório de Atividades 2015

compreensão dos temas apresentados

Com metodologia própria, as mento-

e o interesse despertado.

rias são baseadas em planos de atividades com metas e prazos para garan-

MENTORIAS: oferecemos também

tir o impacto das tarefas identificadas

orientação personalizada para o con-

e priorizadas, visando sempre a sus-

texto específico de cada empreendi-

tentabilidade do negócio e o resultado

mento por meio de mentorias e do

efetivo na qualidade de vida e trabalho

acompanhamento no desenvolvimen-

do empreendedor.

to do microempreendedor no tempo.

16


Aventura de Construir

ACESSO A MICROCRÉDITO: por meio

possuem restrição de crédito. Através

de parcerias com o Banco do Povo

do intermédio entre os empreendedo-

Paulista, principalmente, apoiamos a

res e as instituições financeiras, o aces-

obtenção de microcrédito produtivo

so ao microcrédito responde à parte

orientado e acompanhamento antes,

importante na viabilização de negócios

durante e depois do processo, bem

e o Banco do Povo Paulista usa uma

como a possibilidade de renegociação

metodologia que responde às necessi-

de dívidas com a parceria com o Cen-

dades dos nossos beneficiários.

tro de Apoio ao Trabalho àqueles que

17


Relatรณrio de Atividades 2015

Os Nossos Parceiros

18


Aventura de Construir

19


Relatório de Atividades 2015

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

A

Aventura de Construir, por meio de suas atividades transformadoras, visa contribuir para o atingimento das metas da Agenda 2030, os 17 Objetivos de

Desenvolvimento Sustentável. Abaixo alguns em que a ADC incide diretamente através de suas próprias ações.

20


Aventura de Construir

21


Relatório de Atividades 2015

O Início de Tudo

N

a primavera de 2010, indo para a

desenvolver um negócio.

consolidação do projeto do Centro

Esta oportunidade teria, em nossa opi-

Educacional João Paulo II em Salvador

nião, adicionado um pedaço ao caminho

(BA) foi decidido dar a vida, como Fun-

feito por essas pessoas, que já tinham a

dação “Umano Progresso”, a uma nova

possibilidade de obter casa própria e ga-

obra no Brasil.

rantir aos seus filhos o acesso ao ensino

Tendo conhecido a realidade da Asso-

universitário.

ciação dos Trabalhadores Sem Terra de

Os nossos amigos e apoiadores nos aju-

São Paulo (ATST-SP) e ficados fascinados

daram a identificar a pessoa responsável

pela sua história, pensamos neles como

pela iniciativa na figura de Silvia Caironi,

beneficiários de uma doação em dinheiro.

que já tinha adquirido uma experiência

Então, pedimos a opinião de Don Carrón e

ampla e qualificada em países em de-

de um amigo querido, que nos apoiaram

senvolvimento, a nível governamental,

nesta ideia e, com o apoio moral deles,

em entidade multilaterais e na Cáritas do

cogitamos de dar vida a uma instituição

Peru.

de microcrédito para as pessoas dos Sem

Dentro de alguns mesés, com a trans-

Terra que tivessem interesse em iniciar ou

ferência de Silvia para São Paulo, come-

22


Aventura de Construir

çou a atividade e logo ficou evidente que

ra de Construir é essencialmente dedica-

haviam grandes bancos brasileiros rela-

da à formação (orçamento, formação de

cionados a um projeto do governo com

preço, como lidar com o cliente e muito

fundos disponíveis para a atividade de

mais) e acompanhamento individualizado

microcrédito, com juros extremamente

de microempreendedores, a fim de ten-

baixos e que fazia mais sentido usar esta

tar responder às suas necessidades e à

oportunidade para criar uma parceria

realidade encontrada.

com um desses bancos.

Seguindo essas tensões da realidade,

No tempo percebemos que as neces-

encontramos-nos a conhecer e apoiar

sidades dos microempresários não eram

um vasto mundo de micro e pequenas

principalmente financeiras, mas que eles

empresas que, em um momento de crise

precisavam aprender uma cultura des-

como o atual no Brasil, estão aprendendo

conhecida para eles, ou seja a forma de

a sobreviver e crescer, tornando mais viva

gerir as suas atividades microempreen-

e dinâmica as periferias de uma grande

dedoras, tais como separar as contas da

cidade como São Paulo.

empresa daquelas familiares. Como resultado, a atividade de Aventu-

23


Relatório de Atividades 2015

Governança

A

estrutura de nossa área estratégica está divida em: Diretoria e o Conselho Fiscal.

24


Aventura de Construir

Compostos por:

Diretoria

Marlene Ramos

Jorge Kim

Diretora Presidenta da ADC. Traba-

É Engenheiro Mecânico (UNIP), pos-

lha há 30 anos em prol da moradia

sui MBA em Gestão da Qualidade

na Associação dos Trabalhadores

(USP-SP) e MBA em Mercado de Ca-

Sem Terra de São Paulo (ATST).

pitais (FIPECAFI-SP). Empresário e sócio-proprietário da Bela&Bonita, vice presidente da ADC.

Marcelo Turri

Rafael Mahfoud Marcoccia

Estudou Engenhearia Mecânica na Poli

Jornalista e professor de Filosofia no

– USP e tem MBA da IBMEC – SP. Atu-

Departamento de Ciências Sociais do

almente é Diretor de Supply Chain na

Centro Universitário da FEI. Dedica-se

Alpargatas e Tesoureiro da ADC.

à pesquisa sobre os princípios da dignidade humana, da subsidiariedade e da solidariedade. Secretário da ADC.

25


Relatório de Atividades 2015

Conselho Fiscal

Carlos Otavio da Costa Silva Engenheiro (FEI – SP) e possui MBA (FGV). Co–fundador da Bento Store, Gisela Solymos Gerente Geral do Centro de Recupe-

rede de varejo eleita entre as mais inovadoras a nível mundial.

ração e Educação Nutricional (CREN), Psicóloga, mestre em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano (USP) e doutora em Ciências (UNIFESP). Ashoka Fellow e Empreendedora Social da Schwab Foundation.

Fabrizio Pellicelli Presidente da AVSI BRASIL e Regional Manager da AVSI Foundation Brasil e Peru.

26


Aventura de Construir

Equipe

A

Associação Aventura de Cons-

uma responsável pela área de comuni-

truir possui hoje um equipe de

cação institucional, uma estagiária de

7 pessoas (uma coordenadora geral,

comunicação e uma responsável pelo

um especialista de negócios sênior,

suporte administrativo/contábil e as-

um consultor de desenvolvimento de

sessoramento de crédito), além de su-

negócios pleno, uma consultora de

portes terceirizados contábil, jurídico e

desenvolvimento de negócios júnior,

informático.

27


Relatório de Atividades 2015

Adriano Gaved

Carlos Henrique Lopes

Desenvolve os conteúdos das capa-

Responsável pelas assessorias com

citações e coordena todas as ativi-

os empreendedores e do gerencia-

dades relacionadas à organização e

mento do sistema institucional de

análise de dados, entre eles o siste-

avaliação de impacto.

ma de avaliação de impacto.

Beatriz Bonometti Responsável pelas atividades de captação de recursos e apoia a realização de mentorias com os empreendedores.

Mariana Amud Suporta a comunicação institucional, documentando as experiências do público alvo.

28


Aventura de Construir

Matilde Silva

Yara Nicolini

Apoia a direção na administração,

Responsável pela comunicação ins-

organização, controle e desenvolvi-

titucional. Formula estratégias, defi-

mento das atividades e no acesso ao

ne ações e articula canais de comu-

crédito dos microempreendedores.

nicação para veicular o diferencial e

Suporta a coordenação dos fornece-

as atividades da Aventura de Cons-

dores das áreas financeira, informá-

truir, valorizando as sugestões dos

tica, jurídica e de auditoria.

mentores voluntários da Instituição.

Silvia Caironi É responsável da direção estratégica junto com os financiadores e a diretoria. Articula os relacionamentos externos e as parcerias, coordena e orienta as atividades institucionais. 29


Relatório de Atividades 2015

Destaques do Trabalho e

N

o ano de 2015 a Aventura de

tras semestrais, sempre com o objetivo

Construir impactou duas vezes

de tratar de temas úteis que respondem

mais microempreendedores do que

a demandas reais dos empreendedores

nos dois primeiros anos de atuação,

ou para abrir os horizontes, ou seja, pro-

mostrando uma significativa capacida-

vocar o descobrimento de novas pers-

de de escalabilidade de suas ações.

pectivas do desenvolvimento humano e

Abaixo estão alguns dos destaques do trabalho desenvolvido com estas pessoas:

profissional. Desde 2013, mais de 120 capacitações foram realizadas até hoje, atingindo mais de 1.600 presenças e com nota

Capacitações

A

média de avaliação dos participantes de 9,4/10.

s capacitações da Aventura de

O ciclo de capacitações do 1º semes-

Construir começaram a ser realiza-

tre de 2015 teve como tema principal

das em Abril de 2013, primeiro através

“Os fundamentos de um negócio sus-

de parceiros que já ofereciam cursos de

tentável” e contou com cursos a res-

empreendedorismo, e em seguida sob a

peito dos quesitos básicos para um em-

própria metodologia da ADC voltada às

preendimento rentável, baseando-se

especificidades do trabalho com nossos

no atendimento de necessidades dos

beneficiários.

clientes, autoconhecimento e potencial

Elas são realizadas em ciclos de pales-

do mercado local. Além disso, foram de-

30


Aventura de Construir

Resultados senvolvidas capacitações especiais para

com a concorrência, negociação e como

o setor da construção civil, que é parti-

fidelizar clientes. Através da parceria vi-

cularmente vivo nos bairros onde atua-

gente com o SEBRAE, oferecemos duas

mos, devido sua constante expansão, e

capacitações técnicas sobre vigilância

sobre o tema de saúde e segurança no

sanitária no segmento de alimentos e

ambiente de trabalho – ambas por pro-

no segmento de beleza.

fissionais especializados e o SENAI nos respectivos assuntos.

No eixo Desenvolvimento Humano, o

O encerramento deste ciclo de capaci-

ciclo contou com duas palestras: uma

tações se deu com uma palestra pelo ar-

dada pelo professor Jorge Meléndez,

tista brasileiro Claudio Pastro, responsá-

professor do Instituto de Astronomia,

vel pela concepção artística da Basílica

Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG)

Nacional de Aparecida do Norte, sobre

da USP sobre como o trabalho de um

como o amor aos detalhes faz parte de

pesquisador usa evidências concretas

um artista plástico, mas também de um

para tomada de decisões e como isso

empreendedor no seu ofício.

pode ser usado nos negócios, e outra

Já o ciclo de capacitações do 2º se-

com testemunhos de empreendedores

mestre de 2015 teve o tema “Compe-

de todos os tamanhos sobre as conse-

tências indispensáveis para gerenciar

quências da crise econômica e as ações

um negócio” e girou em torno de assun-

que desempenham para superá-la.

tos de mercado essenciais, como lidar

31


Relatório de Atividades 2015

Projeto de Empreendedorismo para

de Solidariedade Estado de São Paulo.

Mulheres

Nessas capacitações, mais de 160 mu-

Em um projeto paralelo, foram apli-

lheres foram impactadas.

cadas capacitações básicas de empreendedorismo a turmas que participa-

Projeto de Empreendedorismo para

ram dos cursos técnicos do setor de

Jovens

beleza oferecidos pela Associação dos

Em 2015 a Aventura de Construir foi

Trabalhadores Sem Terra (ATST-SP),

uma das organizações vencedoras de

através de parceria com o Fundo Social

um edital proposto pela Aliança Em-

32


Aventura de Construir

preendedora para a capacitação inten-

meio de sistema de indicadores de im-

siva de jovens sobre temas de empre-

pacto as capacitações têm resultado

endedorismo, desde técnicos ao seu

positivo no público alvo em conhecer

autoconhecimento. Mais de 80 jovens

as suas próprias receitas, no valor do

já foram impactados pelo projeto.

seu faturamento mensal e na posse de

Só em 2015, foram entregues 79 certificados e mais de 450 pessoas foram atendidas em 56 capacitações. Através de pesquisa interna por

33

funcionários.


Relatรณrio de Atividades 2015

34


Aventura de Construir

35


Relatório de Atividades 2015

A

Aventura de Construir já promoveu as seguin parcerias.

Aventura de Construir Desenvolvimento Humano e Inovações

• O que significa ser empreendedor? • Aprendendo com experiências de sucesso. • De um pequeno negócio a uma grande empresa: um caminho possível para nós? • O amor aos detalhes serve para construir o seu empreendimento. • Para uma empresa duradoura, conheça seus pontos fortes e fracos. • O desafio de empreender. • Descobrindo juntos as nossas origens: preparação para visita ao centro histórico de São Paulo. • Ir além: a pesquisa científica e a originalidade do empreendedor.

Finanças

• Registro de entradas e saídas, fluxo de caixa e projeções financeiras.

• Tome controle das suas contas para dirigir o seu negócio. • Declaração de imposto de renda para pessoas físicas: tire suas dúvidas e evite os erros mais comuns. • Um empreendedor precisa fazer a contabilidade? E por quê? • Vendas e ganhos. • Quem vai comprar os seus produtos/serviços? • Critérios para um negócio rentável. • Como prevenir e gerenciar a sua dívida.

Planejamento

• Mil coisas para fazer... O que priorizar? • Como e porque investir no desenvolvimento da própria imagem. • Como competir. • Experiências de microempreendedores encarando a situação atual. 36


Aventura de Construir

tes capacitações, individualmente ou através de parcerias. • Virar empreendedor? • Aprenda a comunicar de forma simples e inovadora • Direitos do MEI e formalização: um processo que continua. • Como organizar o meu trabalho sem esquecer mais nada • É a atitude que leva ao sucesso. • Como organizar tudo e não esquecer mais nada.

Comercial

• Atendimento ao cliente. • Ações de marketing. • Formação de preço. • Como negociar. • Entendendo o significado do cliente – para o setor de construção civil • Os seus clientes são sua maior riqueza: como mantê-los • O que oferecer além da qualidade • Aprenda como convencer a entrar na sua loja • A arte da negociação: como aumentar as suas vendas 37

• Parcerias: saiba diferenciar as boas das ruins.

SEBRAE Desenvolvimento Humano e Inovações • Desperte seu potencial

Administração • Escolha os melhores caminhos para sua empresa. • Vigilância sanitária no setor de alimentação. • Vigilância sanitária no setor de beleza.

Planejamento • O primeiro passo para começar seu negócio. • Desenvolva sua empresa.

SENAI Saúde e Segurança • Introdução a saúde e segurança ocupacional


Relatório de Atividades 2015

Mentorias

D

esde Julho de 2013, foram realizados mais de 642 encontros de mentorias onde são aprofundados os principais desafios e desejos do empreendedor ou de quem está planejando começar sua atividade produtiva, mantendo em mente que o empreendedor é sempre o seu próprio agente de mudança. Elas são realizadas no local de venda ou de produção do empreendedor e focam na criação de um plano de ações com metas, prioridades e prazos para o empreendedor seguir adiante com o acompanhamento sistemático dos profissionais da Aventura de Construir. Só em 2015, 290 mentorias individuais foram realizadas com 148 empreendedores, e uma vez

ao mês foi selecionado um empreendedor para realizar um trabalho mais aprofundado sobre suas finanças a fim de garantir a sustentabilidade do seu negócio com o passar do tempo. Além disso, foi consolidado um portfólio de casos de sucesso com os empreendedores atendidos que pode ser consultado em http:// aventuradeconstruir.org.br/casos/. Como um complemento a uma capacitação de Desenvolvimento Humano sobre a história da cidade de São Paulo, foi feita uma visita guiada ao centro histórico da cidade pelo artista plástico Claudio Pastro com a presença de empreendedores, familiares e amigos. Com a experiência da Aventura

38


Aventura de Construir

de Construir nas sessões de mentorias, em 2015 também foram consolidadas as bases metodológicas para a construção de um programa de voluntariado empresarial focado na realização de mentorias visando a escalabilidade do número de beneficiários

que estamos construindo. Através de pesquisa interna por meio de sistema de indicadores de impacto, as mentorias têm impacto positivo no público alvo em ter ciência do lucro final e em tomar iniciativas em prol do meio ambiente.

atendidos por meio de parcerias

66% das mentorias se desenvolvem em um relacionamento estável entre o empreendedor e a Associação Aventura de Construir

39


Relatรณrio de Atividades 2015

40


Aventura de Construir

41


Relatório de Atividades 2015

Acesso ao Microcrédito

O

acesso a microcrédito produtivo orientado visa atender a demanda por crédito acessível, sempre com a finalidade última de investimento em melhorias para o empreendimento, como investimentos em ativos fixos ou matérias-primas. Isso possibilita que o empreendedor gere suas próprias divisas para o pagamento do empréstimo. Os empreendedores são assessorados antes, durante e depois da iniciativa de tomar o empréstimo, inclusive de maneira especial para aqueles que possuem restrição no sistema financeiro. Desde 2013, 1186 empreendedores foram atendidos a procura de um empréstimo. Neste perío-

do, 93 acessos ao microcrédito foram finalizados através das parcerias vigentes com o Banco do Povo Paulista e o Centro de Apoio ao Trabalho. Em Outubro de 2014, nosso grupo de microempreendedores foi escolhido pelo Banco do Povo Paulista para implementar um projeto piloto de formação financeira do SEBRAE-SP devido ao relacionamento bem nutrido com nosso público-alvo. Só em 2015, foram 168 atendimentos e 13 destes foram aprovados com sucesso para a tomada do crédito.

42


Aventura de Construir

Como resultado da metodologia 360° da Aventura de Construir, a taxa de inadimplência dos empreendedores assessorados por nós é 50% menor da média dos microempreendedores brasileiros. (fonte: Guilherme Afif Domingos, presidente do SEBRAE, em entrevista em 04/06/2016).

43


Relatório de Atividades 2015

Projeto de Desenvolvimento Educacional e Profissional em Mogi das Cruzes (SP)

E

m 2015 a Aventura de Construir realizou um projeto especial de Desenvolvimento Profissional com os pais dos alunos de

uma escola pública em um bairro periférico do município de Mogi das Cruzes (SP) chamado Jundiapeba.

44


Aventura de Construir

O projeto baseou-se no levantamento das principais dificuldades relacionadas ao acompanhamento dos alunos da escola pelos seus pais e na proposição de possíveis atividades para incentivar a participação dos mesmos, bem como

45

sua latente dificuldade em permanecer no mercado de trabalho. No projeto, mais de 300 questionários foram aplicados e analisados, com a proposição de um calendário de atividades à escola.


Relatório de Atividades 2015

Fortalecimento Institucional Aventura de Construir como uma Associação reconhecida como OSCIP

A

Aventura de Construir nasceu em 2011 como sociedade Ltda., denominando-se Aventura de Construir Consultoria Ltda., e desde 2012 oferece, gratuitamente, suas atividades para microempreendedores de baixa renda. Por desenvolver exclusivamente um trabalho sem fins lucrativos e de interesse público, em 2015 foi criada a Associação Aventura de Construir, que dá continuidade a este trabalho. Com a criação formal da Associação Aventura de Construir, foi feito um grande trabalho de identificação dos nomes para a Diretoria e para o Conselho Fiscal da instituição, bem como a aprova-

ção de um Estatuto Social. Essas ações fazem parte do objetivo de fortalecer os mecanismos de governanças da instituição e de inserir os novos diretores nas decisões estratégicas da ADC, visando sempre maior contato entre o corpo diretivo e os empreendedores. Idealizando um futuro sustentável para suas atividades, a Associação Aventura de Construir foi reconhecida como OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) certificada pelo Ministério da Justiça em 23 de Dezembro de 2015 pelo processo nº 08071.006102/2015-00.

40


Aventura de Construir

Elaboração e aplicação do Sistema de Métricas de Indicadores de Impacto

E

m 2015 a Aventura de Construir criou um Sistema de Métricas de Indicadores de Impacto do seu trabalho junto a microempreendedores com o objetivo de isolar e quantificar o impacto causado pelas atividades da ADC no público alvo, a fim de certificar-se de que estas atividades estão atingindo seu objetivo final – melhorar a qualidade de vida e trabalho dos empreendedores – e ajustá-las quando necessário. Participaram da criação deste Sistema diversos parceiros, como o Kellogg Institute For International Studies da Universidade de Notre Dame, ALTIS – Alta Scuola Impresa e Società da Universidade Católica de Milão e a consultora Anna Maria Medeiros Peliano.

41

O sistema é composto de nove métricas que apontam um bom desempenho do empreendedor e sua atividade produtiva, sempre relacionando-as diretamente às ações que visam impacto (capacitações, mentorias ou acesso ao microcrédito). Este sistema foi testado em três pesquisas iniciais para a definição da metodologia utilizada e superação das suas primeiras dificuldades. O levantamento de dados é feito em grupos de empreendedores impactados e um grupo de controle, composto por empreendedores que estiveram na pesquisa linha de base feita em 2012, na qual identificamos o público alvo e suas necessidades, mas que escolheram não participar das atividades da ADC.


Relatório de Atividades 2015

Os principais resultados deste trabalho constam nos gráficos nas seções Capacitações, Mentorias e Acesso a Microcréito. Abaixo es-

tão resultados atualizados sobre o perfil de empreendedores do grupo de impactados e grupo de controle, sob a ótica de gênero.

Outras conquistas de fortalecimento da Instituição

R

egistro da logomarca da Aventura de Construir no INPI — Instituto Nacional da Propriedade Industrial.

Orçamento financeiro aprovado pela Fundação “Umano Progresso” para financiar nossas atividades até 2018.

42


Aventura de Construir

Desenvolvimento das atividades de Comunicação SITE

D

esde o final de 2015 a Aventura de Construir está presente na internet através de um site institucional, além da página no Facebook, que já fazia parte de nossa estratégia comunicacional e estava voltado para os microempreendedores que atendemos através da Associação. Além dessas formas de comunicação

43

online, também possuímos contas em canais como Google+ e Youtube, alimentados com conteúdos produzidos pela ADC nas capacitações, eventos, assessorias, e que não requerem um editorial gráfico personalizado. A ideia de produzir um site institucional da ADC deu-se pela necessidade de criação de uma plataforma que mostrasse a Associação de forma profissional. O


Relatório de Atividades 2015

mesmo vale para a criação de um e-mail institucional. Nosso contato cada vez mais próximo a instituições públicas e privadas mostrou esse importante ponto para garantir a sustentabilidade econômica da ADC e divulgação das nossas ações. A partir dessa ideia propusemos um site com uma média de 15 páginas, disponível no endereço www.aventuradeconstruir.org.br, voltado aos parceiros institucio-

nais e parceiros potenciais, em português, com conteúdo institucional, delineando os serviços e utilizando plataformas que minimizem o desenvolvimento e permitam gestão autónoma editorial por pessoal não técnico. O site está distribuído em oito seções intituladas “Quem somos”, “Missão”, “Nossos projetos”, “Para quem”, “Como fazemos”, “Parceiros”, “Falam de nós” e “Contatos”, além dos “Casos de Sucesso” e da

44


Aventura de Construir

“Avaliação de Impacto”. Nessas seções principais também estão subseções direcionando o conteúdo. Nosso website possui conteúdo exclusivo da ADC, diferente de nossa página no Facebook, que também contém informações do meio de micro empresas e assuntos relevantes para nosso público alvo. Voltado para a ênfase no aspecto humano, com fotos e histórias dos microempreendedores

45

beneficiados pela ADC e com uso de palavras-chave e tags para inclusão nos resultados do Google. Tivemos como base para implementar nosso modelo outras referências de sites governamentais e não governamentais, que têm um conteúdo interessante e que poderiam servir de influência para o nosso, ou um design próximo ao que idealizamos. Buscamos modelos que deram certo pra usarmos de base.


Relatório de Atividades 2015

Facebook

A

página da ADC no Facebook existe desde Março de 2014 e em seus primeiros meses contava com 216 curtidas, mostrando um engajamento e aderência ainda embrionários do público à página. O conteúdo trabalhado na página é voltado para o público alvo da Aventura de Construir, microempreendedores de baixa renda. Logo, além de conteúdos institucionais da Associação, também divulgamos informações da área de empreendedorismo, relatos dos microempreendedores beneficiados pela Associação, conteúdos que inspirem e motivem o público a serem engajados em seus trabalhos. A partir dos números iniciais foi feito um investimento para aumentar o número de curtidas na

página e avaliar seus resultados. O investimento foi satisfatório e reverteu em um número maior de curtidas do que o alcançado em cinco meses de página ativa (289). Porém, apesar de um maior número de curtidas na página, a interação por meio de curtidas em posts, compartilhamentos e comentários ainda não teve um grande volume. O trabalho para melhorar o alcance da página e gerar maior engajamento continuou sendo feito durante os anos de 2014 e 2015, com campanhas patrocinadas para impulsionar a página e posts da mesma. Apesar de a página voltar-se para o público-alvo da Associação, são poucos os contatos que nos procuram através do Facebook e a interação com nossos posts durante esses dois anos também não se mostrou efetivo.

46


Aventura de Construir

Além dessas duas ferramentas de comunicação também possuímos outros canais para entrarmos em contato com nosso público-alvo, como telefonemas diretos, envio de SMS e mensagens por aplicativos de celular, além de convites entregues pessoalmente e em locais de grande movimento nos bairros.

47

Nossa participação em eventos e encontros relacionados à micro empreendedores tornou-se também um canal de comunicação da Instituição. Acreditamos que esse envolvimento permite o aprofundamento sobre o Terceiro Setor brasileiro e também a possibilidade de fazer conhecer o diferencial de atuação específico da ADC.


Relatório de Atividades 2015

Beneficiários comentam o Alvaro Alves Soares “O início é como uma semente, já tem tudo o que será o desenvolvimento da árvore. No começo de uma nova atividade é preciso energia vital, dar e doar a vida. Se não formos doar a vida, nada cresce”.

A

lvaro possui uma loja de material de construção no bairro Voith, em uma rua ainda sem asfalto, onde estão sendo construídas diversas casas por pessoas que compraram um terreno através da Associação dos Trabalhadores Sem Terra (ATST-SP). Alvaro tomou um empréstimo no Banco do Povo Paulista, participa de capacitações e faz mentorias desde 2014 com a Aventura de Construir.

Qual a principal mudança que você viu depois que começamos a trabalhar juntos? “Vi que para trabalhar era preciso mais do que iniciativa de começar a comprar e vender ou atender os clientes, era preciso também cuidar das contas do negócio e da família, senão o dinheiro não chega. Ou melhor, ele chega e some”. O que foi mais útil para você das nossas atividades? “Acho que foram duas coisas. Primeiro, o empréstimo que me ajudou a comprar as mercadorias que precisava para começar. Sem isso eu não estava aqui hoje. A segunda foram os cursos, porque neles eu aprendi como lidar com os clientes e com os fornecedores. Antes eu não tinha paciência para lidar com as pessoas, agora eu tento entender o lado deles também e eu vejo o resultado no final do mês”. 48


Aventura de Construir

trabalho da Aventura de Construir

49


Relatório de Atividades 2015

Antônio Severino “Sempre há algo na vida para aprender. Ainda bem que a Aventura de Construir organiza esses cursos, pois são ocasiões para continuar aprendendo e melhorando”.

A

ntônio é aposentado e possui uma serralheria para complementar sua renda mensal no bairro do Jardim Canaã. Ele participa desde 2014 das mentorias e das capacitações da Aventura de Construir. Qual a principal mudança que você viu depois que começamos a trabalhar juntos? “Eu vi que tinham pessoas que estavam verdadeiramente inte-

ressadas que meu negócio desse certo e que me ajudavam a tomar as melhores decisões para isso. A ajuda que é dada, de acompanhar a pessoa, dá um baita incentivo para continuar lutando.” Como isso afetou a sua família? “Eu e minha filha passamos a trabalhar junto sobre a parte financeira da empresa e da família. Ela me ajuda bastante nisso. Às vezes é difícil trabalhar junto com os filhos, mas deu para nós um objetivo comum e uma coisa bem prática para trabalhar. Hoje nos conhecemos melhor”.

50


Aventura de Construir

51


Relatório de Atividades 2015

Relatórios Financeiros Balanço Patrimonial de 2015 ASSOCIACAO AVENTURA DE CONSTRUIR (000629) CNPJ/CEI : 23.417.416/0001-05

FOLHA: 1

BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 ATIVO CIRCULANTE DISPONIVEL CAIXA GERAL 3.841,28 BANCOS CONTA MOVIMENTO 1.073,14 APLICACOES FINANCEIRAS 391.363,52 DISPONÍVEL 396.277,94 CIRCULANTE 396.277,94 * * * * * * * * * * * * * * * * * * * ****************************************************** TOTAL DO ATIVO 396.277,94

52


Aventura de Construir ASSOCIACAO AVENTURA DE CONSTRUIR (000629) CNPJ/CEI : 23.417.416/0001-05

FOLHA: 2

BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2015 PASSIVO CIRCULANTE EXIGIVEL A CURTO PRAZO OUTRAS CONTAS A PAGAR 2.605,00 EXIGIVEL A CURTO PRAZO 2.605,00

CIRCULANTE

2.605,00

PATRIMONIO LIQUIDO PATRIMONIO LIQUIDO SUPERAVIT OU DEFICIT DO EXERCICIO 393.672,94 PATRIMONIO LIQUIDO 393.672,94 PATRIMONIO LIQUIDO 393.672,94 * * * * * * * * * * * * * * * * ********************************************************** TOTAL DO PASSIVO 396.277,94 SAO PAULO, 31 de DEZEMBRO de 2015 ________________________________________ _____________________________________ ASSOCIACAO AVENTURA DE CONSTRUIR EDENO TEODORO TOSTES MARLENE RAMOS BASSOLI TC - CRC 1SP 100317/O-0 CPF: 843.997.328-49 CPF 055.161.298-34 REPRESENTANTE LEGAL

53


Relatório de Atividades 2015

Demonstração de Resultado do Exercício de 2015- DRE ASSOCIACAO AVENTURA DE CONSTRUIR (000629) CNPJ/CEI: 23.417.416/0001-05

FOLHA: 1

DEMONSTRAÇÃO DO SUPERAVIT OU DEFICIT ACUMULADO EM DEZEMBRO DE 2015 OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS

RECEITAS SOCIAIS DOACOES-PESSOA JURIDICA

RECEITAS FINANCEIRAS REND.TITS.VINC.MERC.ABERTO 1.363,52 1.363,52 OUTRAS RECEITAS OPERACIONAIS

414.631,00

414.631,00

415.994,52

TRABALHO VOLUNTARIO TRABALHO VOLUNTARIO DIRETORIA 12.000,00 TESOURARIA 2.000,00 SECRETARIA 4.000,00 CONSELHO FISCAL 1.500,00 ADMINISTRATIVO 4.500,00 24.000,00 TRABALHO VOLUNTARIO

24.000,00

RECEITA LIQUIDA

DESPESAS ADMINISTRATIVAS

DESPESAS ADMINISTRATIVAS CORREIOS/MALOTES/MALA DIRETA CONDUCAO/TRANSPORTES/ESTACIONAMENTOS MATERIAL DE COPA E COZINHA LEGAIS E JUDICIAIS FRETES/TRANSLADOS/MOTOBOY LANCHES/REFEICOES/BUFFET INTERNET/COMUNICACAO

131,30 157,00 430,79 217,14 72,00 21,49 60,00

1.089,72

SERVICOS PROFISSIONAIS-PJ ASSESSORIA CONTABIL 1.250,00 OUTROS SERVICOS PRESTADOS 1.355,00 2.605,00 DESPESAS ADMINISTRATIVAS

3.694,72

DESPESAS TRIBUTÁRIAS/FINANCEIRAS

IMPOSTOS,TAXAS E CONTRIBUICOES IOF 1.556,48 ITCMD 16.384,00 17.940,48 DESPESAS TRIBUTÁRIAS/FINANCEIRAS

17.940,48

DESPESAS FINANCEIRAS

DESPESAS FINANCEIRAS/BANCÁRIAS

54

439.994,52


Aventura de Construir

ASSOCIACAO AVENTURA DE CONSTRUIR (000629) CNPJ/CEI: 23.417.416/0001-05

FOLHA: 2

DEMONSTRAÇÃO DO SUPERAVIT OU DEFICIT ACUMULADO EM DEZEMBRO DE 2015

COMISSOES E DESPESAS BANCÁRIAS 90,00 JUROS E MULTAS 596,38 686,38 DESPESAS FINANCEIRAS

DESPESAS OPERACIONAIS

22.321,58

SUPERAVIT OPERACIONAL

417.672,94

686,38

TRABALHO VOLUNTARIO

TRABALHO VOLUNTARIO DIRETORIA 12.000,00 TESOURARIA 2.000,00 SECRETARIA 4.000,00 CONSELHO FISCAL 1.500,00 ADMINISTRATIVO 4.500,00 24.000,00 TRABALHO VOLUNTARIO

24.000,00

RESULTADO DESPESAS OPERAC.ADMINISTR.

(24.000,00)

SUPERAVIT DO PERíODO * * * * * * * * * * * * * * * * * *********************

393.672,94

ASSOCIAÇÃO AVENTURA DE CONSTRUIR MARLENE RAMOS BASSOLI CPF: 843.997.328-49 REPRESENTANTE LEGAL

55

EDENO TEODORO TOSTES TC - CRC 1SP 100317/0-0 CPF 055.161.298-34


Relatรณrio de Atividades 2015

Relatรณrios Financeiros e Auditoria

56


Aventura de Construir

57


Relatรณrio de Atividades 2015

58


Aventura de Construir

Contatos: Rua Tenente Landy, 234 – Lapa de Baixo – 05068-020 – São Paulo Telefone: (11) 3895-0592 http://aventuradeconstruir.org.br/ contato@aventuradeconstruir.org.br https://www.facebook.com/aventuradeconstruir 59


Relatório de Atividades 2015

Relatório de Atividades 2015 Associação Aventura de Construir

Textos: Carlos Henrique Lopes Marlene Ramos Bassoti Mariana Amud Fernandes Edição: Carlos Henrique Lopes Mariana Amud Fernandes Silvia Caironi Projeto Gráfico e Diagramação: Mariana Amud Fernandes

Relatório adc 2015 final  
Relatório adc 2015 final  
Advertisement