Issuu on Google+

BOLETIM MENSAL

Vicariato para a Cultura, Educação e Comunicação / fevereiro de 2011

avisos

11/02 – Memória de Nossa Senhora de Lourdes – Dia Mundial do Enfermo

4

Dolorosa, Vila Pedroso 4/03 – Assembleia Geral do Clero. CPDF, 14h

12/02 – Estudo em preparação para a Campanha da Fra-

8/03 – Dia Internacional da Mulher

ternidade 2011. CPDF, das 8h30 às 16h30

9/03 – Dia de jejum e abstinência. Início da Quaresma

21/02 – Encontro de Formação para Secretárias (os) paro-

– Abertura da CF/2010. Tema: Fraternidade e a Vida no

quiais. CPDA, das 8h às 17h. Taxa de inscrição: R$ 15,00

Planeta. Lema: “A criação geme em dores de parto.” (Rm

– fazer inscrição antecipadamente na Coord. Pastoral

8,22). Auditório da Cúria Metropolitana de Goiânia, 9h

26/02 – Escola de Ministérios. Tema: Introdução ao Ano Li-

– Missa na Catedral, 19h

túrgico. Público: equipe de liturgia, catequese infantil e de

10/03 – Reunião Mensal de Pastoral – Tema: Apresenta-

adulto, equipes de animadores de canto. CPDF, das 8h às 16h

ção da Carta Pastoral de Dom Washington sobre a Cari-

28 a 4/03 – Retiro do Clero. Convento das Irmãs da Mãe

dade. CPDF, 8h30 às 12h30

BOLETIM pastoral

Vicariato para a Cultura, Educação e Comunicação

A fraternidade e a vida no planeta ASSESSORES

Wolmir Amado Mestre em História pela Universidade Federal de Goiás e licenciado em Filosofia pela Faculdades Unidas Católicas de Mato Grosso. Foi professor efetivo na UFG. Atualmente é Reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. É casado e tem dois filhos com a professora Suely Maria da Silva Amado.

tome nota REUNIÃO MENSAL DE MARÇO Dia 10 de março, das 8h30 às 12h30 no CPDF, ocorre a próxima Reunião Mensal de Pastoral. O tema será a apresentação da nova Carta Pastoral de Dom Washington, sobre a caridade. CAMPANHA DA FRATERNIDADE Dia de estudos O tema da Campanha da Fraternidade de 2011 será tema de dia de estudos neste sábado, dia 12 de fevereiro. O encontro será durante das 8h30 às 16h30, no CPDF, em seu auditório menor. Encontro pelo Bioma Cerrado O Grupo Cerrado da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) convida para participar do encontro de avaliação e planejamento da caminhada em defesa do Bioma Cerrado, dia 19, sábado, das 9 às 16 horas, na Casa de Retiros das Irmãs Missionárias de Jesus Crucificado (Rua 95, nº 84, Setor Sul, frente o Hospital Santa Helena). Abertura oficial A solenidade de abertura da Campanha da Fraternidade pelo arcebispo Dom Washington Cruz ocorrerá no Auditório da Cúria Metropolitana, no dia 9 de março, às 9 horas. CANTO LITÚRGICO Curso A 40ª edição do Curso de Canto Litúrgico ocorre dia 2 de abril, a partir das 8 horas, no CPDF, encerrando-se com o almoço. A formação é destinada a todas as equipes de

Sugestões e críticas: arquidiocesedegoiania@gmail.com (62) 3229-2683

canto das paróquias e comunidades. Material Apostila e CD de Salmos e Aclamações (Ano A – Volumes I e II) podem ser adquirido na Coordenação Pastoral.

Altair Sales Barbosa Possui graduação em Antropologia pela Universidade Católica de Chile e doutorado em Arqueologia Pré Histórica pelo Smithsonian Institution National Museum Of Natural History de Washington DC. Atualmente é professor titular da Pontifícia Universidade Católica de Goiás onde fundou o Instituto do Trópico Subúmido (ITS) que, dentre outras extensões, abriga o Memorial do Cerrado.

OFICINAS DE ORAÇÃO E VIDA Começa mais um ciclo das Oficinas de Oração e Vida, que são realizadas uma vez por semana para adultos (15 reuniões de 2 horas), para jovens (10 reuniões de 1h45) e para casais (6 reuniões de 2 horas). O início será de 13 a 19 de março 2011 (dependendo da paróquia escolhida). Inscrições pelos telefones (62) 3253-1771 e 3225- 7925 ou pelo e-mail: oficinasdeoracaoevida@gmail.com. FORMAÇÃO PARA SECRETÁRIAS/OS A Diaconia São Jerônimo realiza encontro com secretárias e secretários dos vicariatos e paróquias, dia 21 de fevereiro, das 8 às 17 horas, no Centro Pastoral Dom Antônio (Rua 24, nº 25, Centro). A formação tem como tema sacramento do batismo e do matrimônio. A taxa é de R$ 15, para despesas com alimentação. Inscrição antecipada na Cúria Metropolitana. JOGO DE PADRES Dia 21 de fevereiro, os padres da província de Goiânia e os vereadores de Senador Canedo realizam um jogo beneficente, no Estádio Municipal de Senador Canedo, às 19 horas. Ingresso a 4 reais, com renda destinada à construção da nova Igreja Matriz da cidade. Mais informações na Paróquia Nossa Auxiliadora ou pelo telefone (62) 3512-3583.

OUTRAS NOTÍCIAS: www.arquidiocesedegoiania.org.br Jornal Brasil Central Revista da Arquidiocese Programa INTEGRAÇÃO

Ano 1, Nº 5, fevereiro de 2011

A Arquidiocese de Goiânia novamente discute o tema da ‘CF 2011’. O reitor da PUC Goiás, professor Wolmir Amado, coordenará uma mesa-redonda com a participação dos professores Altair Sales Barbosa e Antonio Pasqualetto. A 47ª CF tem como tema “Fraternidade e a Vida no Planeta” e, lema, “A Criação Geme em Dores de parto” (Rm 8,22), A CNBB propõe a cada ano, através da CF, um itinerário evangelizador fortemente voltado para a conversão

pessoal e comunitária, em preparação à Páscoa. O objetivo visa o mandamento do amor fraterno, desperta e nutri o espírito comunitário no meio do povo e a verdadeira solidariedade na busca do bem comum; educa para a vida fraterna, a partir da justiça e do amor, que são exigências centrais do Evangelho; renova a consciência sobre a responsabilidade de todos na ação evangelizadora da Igreja, na promoção humana e na edificação de uma sociedade justa e solidária.

Antonio Pasqualetto Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal de Santa Maria, possui mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal) e doutorado em Fitotecnia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa. É professor titular da PUC-Goiás e coordenador do curso de Engenharia Ambiental. Também é coordenador da área de meio ambiente do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Goiás. Consultor do SENAI Goiás. Coordenador da especialização em perícia ambiental e professor do Mestrado em Gestão, pesquisa e desenvolvimento em Tecnologia Farmacêutica e do Mestrado em Planejamento e desenvolvimento territorial da PUC Goiás.


BOLETIM MENSAL

Vicariato para a Cultura, Educação e Comunicação / fevereiro de 2011

Mais de 150

Ainda na metade do século XIX, um líder indígena dos EUA redigiu um dos primeiros documentos que alertavam contra os demandos do poderio econômico frente à natureza. Com trechos dessa mensagem publicados abaixo, o Setor de Comunicação da Arquidiocese tenta dar sua colaboração à reflexão sobre o tema da Campanha da Fraternidade:

Carta do cacique Seattle a Franklin Pierce, presidente dos EUA, em 1854 “O grande chefe de Washington mandou dizer que desejava comprar a nossa terra. O grande chefe assegurou-nos também de sua amizade e benevolência. Isto é gentil de sua parte, pois sabemos que ele não precisa de nossa amizade. Vamos, porém, pensar em sua oferta, pois sabemos que se não o fizermos, o homem branco virá com armas e tomará nossa terra. O grande chefe de Washington pode confiar no que o Chefe Seattle diz com a mesma certeza com que nossos irmãos brancos podem confiar na alteração das estações do ano. Minha palavra é como as estrelas: elas não empalidecem. Como podes comprar ou vender o céu, o calor da terra? Tal ideia nos é estranha. Se não somos donos da pureza do ar ou do resplendor da água, como então podes comprá-los? Cada torrão desta terra é sagrado para meu povo, cada folha reluzente de pinheiro, cada praia arenosa, cada véu de neblina na floresta escura, cada clareira e

anos de alerta

inseto a zumbir são sagrados nas tradições e na consciência do meu povo. A seiva que circula nas árvores carrega consigo as recordações do homem vermelho. (...) Esta água brilhante que corre nos rios e regatos não é apenas água, mas sim o sangue de nossos ancestrais. (...) O rumorejar d'água é a voz do pai de meu pai. Os rios são nossos irmãos, eles apagam nossa sede. Os rios transportam nossas canoas e alimentam nossos filhos. Se te vendermos nossa terra, terás de te lembrar e ensinar a teus filhos que os rios são irmãos nossos e teus, e terás de dispensar aos rios a afabilidade que darias a um irmão. Sabemos que o homem branco não compreende o nosso modo de viver. Para ele um lote de terra é igual a outro, porque ele é um forasteiro que chega na calada da noite e tira da terra tudo o que necessita. (...) Ele trata sua mãe – a terra – e seu irmão – o céu – como coisas que podem ser compradas, saqueadas, vendidas como ovelha ou miçanga cintilante. Sua voracidade arruinará a terra, deixando para trás apenas um deserto. (...)

"O que ocorre com a Terra recairá sobre os filhos da Terra. Há uma ligação em tudo". (Cacique Seattle) Não há sequer um lugar calmo nas cidades do homem branco. Não há lugar onde se possa ouvir o desabrochar da folhagem na primavera ou o tinir das assa de um inseto. (...) O ar é precioso para o homem vermelho, porque todas as criaturas respiram em comum - os animais, as árvores, o homem. O homem branco parece não per-

Jornalista responsável: Pe. Rafael Vieira, CSsR – Coordenador do Setor de Comunicação da Arquidiocese de Goiânia Pauta: Coordenação Pastoral Produção, reportagem e clipagem: Elder Dias, Karina Santos e Coordenação Pastoral Diagramação: Natasha Xavier

2

ceber o ar que respira. Como um moribundo em prolongada agonia, ele é insensível ao ar fétido. Vamos considerar tua oferta para comprar nossa terra. Se decidirmos aceitar, farei uma condição: o homem branco deve tratar os animais desta terra como se fossem seus irmãos. (...) Sou um selvagem e não compreendo como um fumegante cavalo de ferro possa ser mais importante do que o bisão que nós, os índios, matamos apenas para o sustento de nossa vida. O que é o homem sem os animais? Se todos os animais acabassem, o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Porque tudo quanto acontece aos animais, logo acontece ao homem. Tudo está relacionado entre si. (...) Tudo quanto fere a terra - fere os filhos da terra. Se os homens cospem no chão, cospem sobre eles próprios. (...) A terra não pertence, ao homem: é o homem que pertence à terra (...) Não foi o homem quem teceu a trama da vida: ele é meramente um fio da mesma. Tudo o que ele fizer à trama, a si próprio fará. (...) Continuas poluindo a tua cama e hás de morrer uma noite, sufocado em teus próprios desejos. (...) Se te vendermos a nossa terra, ama-a como nós a amávamos. Proteja-a como nós a protegíamos. "Nunca esqueças de como era esta terra quando dela tomaste posse": E com toda a tua força o teu poder e todo o teu coração – conservaa para teus filhos e ama-a como Deus nos ama a todos. De uma coisa sabemos: o nosso Deus é o mesmo Deus, esta terra é por ele amada. Nem mesmo o homem branco pode evitar o nosso destino comum.”

Realização: Vicariato para Cultura, Educação e Comunicação (62) 3229-2673 Correspondências: Praça Dom Emanuel, s/n - Centro / Caixa Postal 174 Goiânia - GO / CEP 74001-970 / Fones: (62) 3229-2673 / 3229-2683 / E-mail: arquidiocesedegoiania@gmail.com Acesse o conteúdo do boletim também pelo site: www.arquidiocesedegoiania.org.br

BOLETIM MENSAL

Vicariato para a Cultura, Educação e Comunicação / fevereiro de 2011

3

roteiro de oração 1. Refrãos Meditativos A. Não nos cansemos de fazer o bem. / Não nos cansemos de fazer o bem. B. Os céus e a terra são teus, / de justiça é teu trono, ó Deus! 2. Acolhida... 3. Aclamação Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! (bis) Acolhei docilmente a Palavra semeada em vós, meus irmãos;/ela pode salvar vossas vidas! 4. Leitura: Mc 7,24-30 5. Silêncio 6. Pai-Nosso 7. HINO DA CF/2011 Tema: Fraternidade e a vida no planeta Lema: A criação geme em dores de parto (Rm 8,22) 1. Olha, meu povo, este planeta terra: Das criaturas todas, a mais linda! Eu a plasmei com todo amor materno, Pra ser um berço de aconchego e vida.

Nossa mãe terra, Senhor, Geme de dor noite e dia. Será de parto essa dor? Ou simplesmente agonia?! Vai depender só de nós! Vai depender só de nós!

2. A terra é mãe, é criatura viva; Também respira, se alimenta e sofre. É de respeito que ela mais precisa! Sem teu cuidado ela agoniza e morre. 3. Vê, nesta terra, os teus irmãos. São tantos... Que a fome mata e a miséria humilha. Eu sonho ver um mundo mais humano, sem tanto lucro e muito mais partilha! 4. Olha as florestas: pulmão verde e forte! Sente esse ar que te entreguei tão puro... Agora, gases disseminam morte; O aquecimento queima o teu futuro. 5. Contempla os rios que agonizam tristes. Não te incomoda poluir assim?! Vê: tanta espécie já não mais existe! Por mais cuidado implora esse jardim! 6. A humanidade anseia nova terra. (2Pd 3,13) De dores geme toda a criação. (Rm 8,22) Transforma em Páscoa as dores dessa espera, Quero essa terra em plena gestação!

8. Planeta Água Água que nasce na fonte serena do mundo / E que abre um profundo grotão / Água que faz inocente riacho e deságua na corrente do ribeirão Águas escuras dos rios que levam a fertilidade ao sertão / Águas que banham aldeias e matam a sede da população Águas que caem das pedras no véu das cascatas, ronco de trovão / E depois dormem tranqüilas no leito dos lagos, / no leito dos lagos Água dos igarapés, onde Iara, a mãe d'água é misteriosa canção. Água que o sol evapora, pro céu vai embora, virar nuvens de algodão. Gotas de água da chuva, alegre arcoíris sobre a plantação. Gotas de água da chuva, tão tristes, são lágrimas na inundação. Águas que movem moinhos são as mesmas águas que encharcam o chão. E sempre voltam humildes pro fundo da terra, / pro fundo da terra. Terra, planeta água (2x) / Terra, planeta água.


03 boletim pastoral fevereiro 2011