Issuu on Google+

"Grande é a poesia, a bondade e as danças... Mas o melhor do mundo são as crianças" Fernando Pessoa

Concurso de poesia

Associação de Pais e Encarregados de Educação Da EB1/JI do Casal da Serra


Por ti, filha

Aprendi a respirar fora de ti Aprendi a ser menina retraída Aprendi a ser mulher antes do tempo Aprendi a respeitar antes do tempo Aprendi a respeitar o teu sofrimento A lutar a teu lado descontraída Ser filha e meiga ao mesmo tempo

Ajustando e dando força eu aprendi Em nossa luta, dia a dia, eu descobri. Fonte de orgulho, eu queria ser tão só por ti Braço de apoio, sempre ao teu lado no acontecer

Para ti, oh filha! Eu fui primeira nos teus cuidados e nos teus braços

E fui também quem escutou teus desabafos. Por ti, oh filha Eu sou a filha que orgulhosa segue os teus passos

Carla Conceição, mãe da Daniela Conceição - 2º Ano


És a melhor coisa do mundo

Quando tu nasceste, assustado eu me vi Mas quando a tua mão, o meu dedo agarraste Nesse momento soube que iria ficar toda a vida Ligado a ti E de amor encheste o meu coração;

Más noites tu me deste, sacrifícios fiz por ti Um riso teu, e as dificuldades já esqueci;

Tu me completas, fazes parte de mim Fazes de mim uma pessoa Com felicidade sem fim;

Dizem que não há pessoas insubstituíveis Mas tu és uma delas; Sem ti não sei viver Sem ti nada faz sentido;

Dás-me forças quando já não tenho Transformas o Verão em Inverno, És um raio de luz na escuridão E, por muito que gostes de mim, Só um dia, quando fores mãe, vais entender o que sinto por ti.

Filha, és a melhor coisa do mundo!

Pai e mãe da Inês Silva – 1º Ano


As crianças, nossos filhos

As crianças que brincam Lado a lado na rua E aquelas que pintam Um quadro da lua

Ser criança é fixe, Até depois de crescer Mas o que nos deixa tristes É quando um dia, deixamos de o ser

Com crianças em casa O aborrecimento desaparece Existe muita vontade Para uma brincadeira que aparece

A alegria e boa disposição são marcas Patentes no meu coração

Luís Oliveira, pai da Inês Oliveira - 3º ano


O melhor do Mundo, os filhos filhos

Aos meus filhos, com amizade aqui venho eu Deixar um poema cheio de amor, Quadras de amor, sentimento, alegria Irradiando de calor, esperança, afecto e magia, Que nos vai trazendo a lembrança Que tão bonitos foram esses dias, E, cada nascimento de uma filha, uma magia.

Poema ou poesia, é um filho ao nascer, É a dor, É alegria que uma mãe tem de o ter.

Poema ou poesia, está em tudo o que a vida alcança: Na clareza dos que falam; No sorrir de uma criança

Este poema é dedicado aos meus três filhos, que são a flor da minha vida: João Paulo, André Filipe a à minha pérola, Inês Sofia Mãe da Inês Sofia – Jardim de Infância


O melhor que o mundo tem

Eu tenho dois filhos lindos, Que enchem meu coração, Uma parece uma brisa, E o outro o furacão.

A mãe, o pai e os avós, Amam-nos de igual maneira, Um parece um turbilhão Outra é rosa na roseira.

Ela já é juventude, Ele ainda é uma criança, Ao vê-los meu coração Bate forte de esperança.

Dizem que são as crianças, O melhor que o mundo tem, Mas porque há tantas no mundo, Que não as ama ninguém?

Este poema é dedicado ao Simão à Catarina Isabel Branco, mãe do Simão - 3º ano


Esses olhos

Esses olhos penetrantes são entrelinhas brilhantes a iluminar o meu caminho E com todo o meu carinho crescem em liberdade Esses olhos são verdade Esses olhos sonhadores com sonhos de muitas cores São dois lacinhos de fita um ata o outro desata não há coisa mais bonita Esses olhos tão bonitos com sonhos sempre infinitos São a verdade sentida Esses olhos penetrantes são estrelinhas brilhantes a iluminar a minha vida

Para as minhas filhas Mãe da Leonor Barra - 3º ano


O Melhor do Mundo São as Crianças

O Melhor do Mundo São as Crianças São os Filhos e Eu tenho Dois São o Bernardo e o Francisco E em nada são iguais São o meu todo São a minha Alegria Fazem rir, Fazem brincar Fazem escutar mas Também chorar São a Melhor razão do meu Existir São o motivo de estar a Participar...

Filhos São a Minha Alegria Filhos São a Minha Felicidade Filhos dão-me energia Para toda a Eternidade

Sandra e João Sota, pais do Bernardo Sota – Jardim de Infância


O sentido da palavra amar

No Dia Mundial da Poesia, Um poema aos filhos vou recitar, É que com o seu nascimento, Cresceu o sentido da palavra amar.

O amor das crianças, É como música para o coração, Nunca devemos esquecer, Que são pessoas em ascensão.

A poesia é um jogo de palavras, Num sentido bem profundo, Mas há que não duvidar, As crianças são o melhor do mundo.

Num labirinto de emoções, Todos passamos pela infância, Com os filhos voltamos a sentir, Como é bom ser criança.

Num turbilhão de sentimentos, Vivi o nascimento da minha menina, Hoje sou ainda mais feliz, Graças à minha filha Martina.

Tânia e Zé Castanheira, Pais da Martina Castanheira – 1º Ano


Ser criança

Ser criança é correr, Ser criança é saltar, Ser criança é ter esperança, para o futuro enfrentar.

As crianças são como estrelas, que brilham ao luar. Quem as maltrata, não sente que as está a magoar.

Ser criança é ser feliz, Ser criança é fabuloso, Ser criança é imaginar, um mundo maravilhoso.

Maria Luisa Mourato, mãe da Alexandra Sofia Mourato Avô - 3º ano


O amor que sinto

Se amar um filho é mais do que o amor que sinto por ti, então um dia transbordo; Minha querida, o quanto custou estar longe de ti, agora que estás perto, nunca daqui sairás. A mana ama-te.

Da tua mana, Cris. Para Beatriz Bettencourt Correia – 2º Ano


À Minha Princesa

Realmente foste um sonho, tornado realidade A vida presenteou-me com algo de muito valor. Finalmente tu nasceste, trazendo-me muita felicidade A minha menina, desejada com muito amor. És uma criança doce e meiga, um tesouro de verdade, Linda, forte, fantástica, és uma flor Afinal és a minha princesa, és a minha realidade.

Deus te dê muita saúde, sorte, paz e amor Isso como mãe sempre te desejarei. Aqui vou estar para o que preciso for, Sempre ao teu lado, te acompanharei.

Com muito amor Paula Soeiro, mãe da Rafaela Dias – Jardim de Infância


A magia que há em ti

A grandeza do universo, está no mistério da criação do ser inocente, angelical e belo. Afortunada sou por te ter! Tão pura e singela. Grandiosa, és minha Fada, minha Estrela e minha Luz, que ilumina a minha estrada. A tua voz, Mágica, enfeitiça e alegra a natureza. Minha linda Fada! Não percas essa pureza! Solta a magia que há em ti e quebra o teu encanto de silencio. Deus! Que estrela linda tenho aqui! Que dádiva do firmamento!

Anabela Trinta, mãe da Rute das Neves Serrão - Jardim de Infancia


Associação de Pais e Encarregados de Educação Da EB1/JI do Casal da Serra


Concurso de Poesia