Page 55

MEIRA, R. B.

excessos da produção açucareira. Como se sabe,

superprodução da indústria açucareira, estabelecendo o

durante o Governo Provisório, o álcool era feito so-

equilíbrio entre a produção e o consumo” e da mesma

mente com os resíduos do açúcar e as sobras dos

forma “diminuir a importação de carburante estrangei-

canaviais.

ro”. (Conselho Federal do Comércio Exterior, 1944,

Segundo Guimarães, essa nova fase da indús-

p. 83-84).

tria alcooleira foi um reflexo direto da ampliação dos

Em 1940, o país já possuía 38 destilarias de álco-

poderes do Estado após o golpe que daria início ao

ol anidro, com capacidade anual de produção de 85,8

Estado Novo. Dessa forma, o IAA também ganharia

milhões de litros anuais. O plano de safra 1940/41 au-

mais força para atuar. Assim, o autor defende que:

torizou os produtores a dissolver o açúcar de excesso

isso permite reconhecer que, a partir do Estado Novo, a idéia do dirigismo econômico, combatido pelos produtores açucareiros, passaria a se configurar na política dominante do IAA. As mudanças ocorridas na estrutura administrativa do IAA, fazendo com que ocorressem mudanças na composição da Comissão Executiva, bem como a criação de diversas seções referentes à produção açucareira e alcooleira, de demonstra a inserção da agroindústria canavieira no projeto corporativo do Estado Novo (Guimarães, 1991, p. 94).

de sua produção, transformando-o em álcool de qualquer tipo. Dessa forma, 43% da produção do álcool registrada naquela safra foi proveniente diretamente da cana ou de açúcar dissolvido. A produção de álcool anidro também atingiu 67 milhões de álcool anidro, superando, pela primeira vez, a produção de álcool hidratado. Já nesse ano, 60% da gasolina importada, que orçou em 598 milhões de litros, possuía uma percentagem de álcool. (Santos, 1997, p. 61-64). Em 21 de fevereiro de 1941, com a resolução

O forte crescimento industrial do período in-

da Comissão Executiva, o Instituto daria um novo im-

centivaria a indústria alcooleira, em razão dos eleva-

pulso para a indústria alcooleira, com a elevação para

dos gastos com a importação de petróleo. Durante

20% do teor da mistura álcool-gasolina. Tal medida

o período da Guerra até 1943, o país gastou Cr$

foi tomada em razão do aumento da produção de ál-

4.137.528.000,00 só com a importação de petróleo

cool anidro nas destilarias do país e a conseqüente

e derivados. Assim, o álcool passou a ser visto tam-

necessidade de escoar essa produção. Pode-se dizer

bém como uma forma de poupar divisas. Além disso,

que a partir desse momento, iniciou-se uma política

o IAA desenvolveria estratégias para convencer a po-

mais acentuada do setor alcooleiro, pois não levaria

pulação da importância do álcool-motor, através de

em conta a capacidade de consumo do país ou as in-

congressos, patrocínios de corridas, como no caso

dicações técnicas, mas sim as necessidades de esco-

da Subida da Tijuca, em 1938 e o Grande Prêmio da

amento da produção das destilarias. (Velloso, 1952,

Cidade do Rio de Janeiro, em 1939. O principal obje-

p. 524).

tivo do Instituto era aumentar o consumo nas cidades

Alguns meses depois, o Estado criaria a Comis-

mais industrializadas, como no caso de São Paulo, que

são Nacional de Combustíveis e Lubrificantes. Essa

já consumia no período 50% da gasolina importada.

Comissão era composta pelo Presidente do Conselho

(Guimarães, 1991, p. 97-103).

Nacional do Petróleo, pelo Presidente da Comissão

Em 1938, o IAA, numa atuação conjunta com

Executiva do IAA, por um membro da Comissão Na-

o Conselho Federal de Comércio Exterior, obrigaria

cional de Gasogênio e por um membro do Conselho

as companhias importadoras de gasolina a manterem

de Minas e Metalurgia. No entanto, percebe-se a im-

bombas destinadas à distribuição de álcool anidro.

portância vital dessa Comissão ao verificarmos que

Nesse caso, essas medidas pretendiam conciliar as

dentre os seus quadros constava um representante

disposições referentes ao petróleo e o álcool anidro.

do Ministério da Guerra, um do Ministério da Mari-

Mas o principal foco era atender a “imperiosa necessi-

nha e um do Ministério da Aeronáutica. Além disso, a

dade de proteger e desenvolver a indústria de fabricação

sua sede localizar-se-ia na Sede do Conselho Nacio-

do álcool anidro”, como forma de “debelar as crises de

nal de Segurança, cujo Secretário Geral teria o voto Revista da ANPG, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 46 - 57, segundo sem. 2009

Revista ANPG.indd 55

55

21/10/2009 11:26:07

Revista da ANPG  

Vol1 da Revista Científica da ANPG

Advertisement