Page 37

PEREIRA, M. P.

tos da história brasileira. O PROÁLCOOL - Programa

O combustível de origem vegetal deixava depósitos

Nacional do Álcool - definido em novembro de 1975

de carbono nos cilindros e nos injetores, requerendo

e acelerado a partir de 1979, corresponde à primeira

uma manutenção intensiva. A pesquisa realizada para

tentativa do governo brasileiro no que diz respeito

resolver esses problemas conduziu à descoberta da

ao desenvolvimento de fontes alternativas de energia

transesterificação, um processo de produção paten-

líquida. Por este programa, pretendeu-se, inicialmen-

teado pelo cientista belga G. Chavane, em 1937, e

te, produzir álcool para misturar à gasolina e, poste-

que consiste na quebra da molécula do óleo, com a

riormente, introduzir o uso comercial do álcool puro

separação da glicerina e a recombinação dos ácidos

como combustível.

graxos com álcool. Este tratamento permitiu superar

Atualmente, em função do interesse domésti-

as dificuldades com a combustão (KNOTHE, 2001).

co e internacional que o biodiesel tem gerado, muitas

A reação do óleo com o álcool dá origem a um éster

questões que foram debatidas a respeito do PROÁL-

monoalquílico do óleo vegetal, cuja molécula apre-

COOL voltam a ser discutidas em razão da semelhan-

senta muita semelhança com as moléculas dos deriva-

ça entre os dois programas. Algumas destas questões

dos do petróleo. O rendimento térmico deste novo

são: Quais serão os efeitos na produção de alimentos?

combustível, posteriormente chamado de biodiesel,

Como e até que ponto haverá inclusão social? Quais

é de 95% em relação ao do óleo diesel. Os primeiros

as conseqüências da produção de grãos em larga es-

a utilizar a denominação de biodiesel para esses com-

cala em relação à biodiversidade? Como compatibi-

bustíveis foram os pesquisadores chineses, em 1988

lizar desenvolvimento industrial e econômico com

(KNOTHE, 2001).

preservação ambiental?

Estima-se que atualmente na Europa circulem

O presente trabalho tem por objetivo discutir a

mais de dois milhões de veículos movidos a biodiesel,

viabilidade social e ambiental da produção de biodie-

produzidos a partir de óleo de colza. Existem postos

sel no Brasil tendo como diretriz a sustentabilidade.

de fornecimento na Alemanha, Áustria e França. Os

Pretende-se demonstrar que se a produção não for

Estados Unidos também produzem e utilizam o pro-

sustentável em todos os aspectos o custo social e am-

duto a partir do óleo de soja.

biental superará os benefícios.

Notícia histórica e características do biodiesel

No Brasil a produção ainda é incipiente, sendo a maior parte baseada em experiências com plantaspiloto, embora o país tenha sido pioneiro em pesquisas sobre biodiesel com os trabalhos do professor

O aproveitamento de óleos vegetais como ma-

Expedito Parente, da Universidade Federal do Ceará,

téria-prima para combustíveis não é uma experiência

autor da patente PI-8007957, primeira patente, em

nova. No ano 1900, Rudolph Diesel apresentou um

termos mundiais, do biodiesel e do querosene vegetal

protótipo de motor na Exposição Universal de Paris,

de aviação, mas já de domínio público.

que foi acionado com óleo de amendoim, cultura que,

A escassez de petróleo estimulou a realização

à época, era muito difundida nas colônias francesas na

de diversos estudos que aconselharam a utilização

África. No entanto, a abundância da oferta de petró-

de biocombustíveis como substitutos do combustível

leo e o seu preço acessível, determinaram que, nos

diesel. A cada ano o consumo aumenta e as reservas

anos seguintes, os derivados do petróleo fossem os

diminuem. Além do problema físico, há o problema

combustíveis preferidos, reservando-se os óleos ve-

político: a cada ameaça de guerra ou crise internacio-

getais para outros usos (KNOTHE, 2001).

nal, o preço do barril de petróleo dispara. Além disso,

Por outra parte, havia dificuldade para se ob-

a queima de derivados de petróleo contribui para o

ter uma boa combustão por meio dos óleos vegetais,

aquecimento do clima global por elevar os níveis de

em função da elevada viscosidade que apresentavam,

CO2 na atmosfera (para cada 3,8 litros de gasolina

fato que impedia uma adequada injeção nos motores.

que um automóvel queima, são liberados 10 kg de Revista da ANPG, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 35 - 45, segundo sem. 2009

Revista ANPG.indd 37

37

21/10/2009 11:26:06

Revista da ANPG  

Vol1 da Revista Científica da ANPG

Advertisement