Issuu on Google+

MTPDAILY Belo Horizonte - 26 de outubro de 2011

Moda para comer

Escolha o menu da sua temporada No mapa

Minas se consolida na cena fashion

Black glam MTP COMEÇA COM FESTA NA PASSARELA

FOTO JULIA LEGO


Editorial

Sim, estamos

no mapa! T

emporadas de moda já não são mais novidade. Nos últimos tempos, qualquer aglomerado de lojas, grupo de estilistas, associação de bairro faz o seu fashion week com direito a primeira fila, backstage e pit para fotógrafos, ainda que esses estejam munidos de smartfones. Esse crescimento desenfreado é bom para todo mundo. Aumenta a demanda de trabalho no setor, aproxima a moda do público final e dá trabalho para muita gente, mas não chega a fazer parte de um calendário real e pautar a agenda do setor e da mídia especializada como é o caso do Minas Trend Preview, que começa oficialmente hoje com sua bem pensada trinca: feira de negócios + desfiles + palestras. Incentivadora do fashion por aqui, cresci profissionalmente junto com o evento e não me esqueço das nossas inseguranças iniciais quanto à real importância do MTP fora do Estado, sua reverberação. Afinal, a intenção era mesmo recolocar Minas no mapa da moda nacional e recobrar a auto-

estima dos empresários locais. Nove edições depois, e muito, muito esforço investido, posso garantir que, sim, estamos no line up brasileiro e que antecedemos e pautamos os eventos mais tradicionais do calendário - Fashion Rio e São Paulo Fashion - sem rivalizarmos com eles, pois temos algo que faz o MTP ser único: o seu DNA. Nascido para adiantar coleções e tapar as brechas entre um lançamento e outro, o evento é o ponto de partida de todas as coleções; é onde toda as estações começam e para onde todos os confeccionistas e compradores querem se dirigir sempre que o circo da moda nacional se arma. Pois que sejam todos muito bem-vindos à Minas e ao MTPDaily. Natália d´Ornellas * Natália é jornalista e publicitária, com especialização em varejo de moda pela London School, e edita o caderno Pandora que circula aos domingos em O Tempo

MTPDAILY line-up Quarta, 26/Out 11 horas Mary Design (desfile externo no Museu de Artes e Ofícios)

19 horas Maria Garcia / Cláudia Arbex / Apartamento 03 21 horas

Última Hora / Rogério Lima / E.Store

Quinta, 27/10 11 horas

Patrícia Motta / GIG / Vivaz (desfiles externos no Museu Inimá de Paula) 19 horas

Chicletes com Guaraná / Áurea Prates / Vitor Zerbinato 21 horas

UMA / Camaleoa / Alessa

Sexta, 28/10 19 horas

Patogê / Fernando Pires /Samuel Cirnansck 21 horas

CAPA

Talentos do Brasil / Chouchou

EXPEDIENTE

MTPDAILY

FIEMG

Presidente do Sistema FIEMG: Olavo Machado Júnior Coordenação Geral: Superintendência de Desenvolvimento Empresarial Coordenação de Comunicação: Superintendência Integrada de Gestão Corporativa

ro de 2011

Belo horizonte - 26 de outub

Moda para comer

Escolha o menu da sua temporada

JORNAL O TEMPO

No mapa

Minas se consolida na cena fashion

Black glam MTP COMEÇA COM FESTA NA PASSARELA

A TOP VIVIANE ORTH VESTE MABEL MAGALHÅES

Fundador: Vittorio Medioli Presidente: Laura Medioli Vice-Presidente: Luiz Alberto de Castro Tito Diretor Executivo: Heron Guimarães Editora Geral: Lúcia Castro Chefe de Redação: Michele Borges da Costa Secretário de Redação: Murilo Rocha REDAÇÃO MTPDAILY

Editora chefe: Natália d´Ornellas Editor de arte: Anderson Carvalho Redatora chefe: Daniela Nahass Repórter: Isabela Grecco Estagiárias de redação: Lorena Siman, Pollyana Teixeira Colaboradores: Cris Guerra, Fabíola Paiva, Glico Gênio, Gustavo Brito, Mary Arantes, Mariana Rodrigues, Mary Figueiredo, Natália Assis, Natália Miranda, Regina Machado, Thiago Romano Stylist: Davi Leite Fotografia: Júlia Lego, Rafa Borges, Rodrigo Bethônico, Vitor Formiga Departamento comercial: Fabiano Guerra – Sempre Editora


Liga Fashion

Por Thiago Romano

Lea T que se cuide! A fama de conservador ainda anda lado a lado com o mineiro, mas ao menos no mundo da moda, a cabeça da turma tem ficado mais aberta. Prova disso é a contratação da modelo Carol Marra para os desfiles do MTP. Transgênera assumida, Carol, que até pouco tempo ganhava a vida como jornalista, entrou com tudo na carreira de modelo. Por aqui, desfilou ontem no evento de abertura comandado por Ronaldo Fraga e é esperada em mais três shows: E.Store (hoje), Chicletes com Guaraná (amanhã) e Fernando Pires (na sexta).

MinasTrend Preview 2011

O cara Ele começou pregando botão em roupas e fazendo barra nas calças costuradas pela mãe. Não fazia ideia de que começava ali uma carreira de sucesso, reconhecida por um prêmio de visibilidade internacional, o Smirnoff International Fashion Awards. Aos 26 anos, Luiz Claudio participou da final do concurso, em Hong Kong, e trouxe o terceiro lugar para o Brasil. Isso foi em 1999 e de lá pra cá, a história do estilista deu pano pra manga. Há sete anos fundou a grife Apartamento 03 e seus desfiles sempre estão entre os mais esperados do Minas Trend Preview. Típico mineiro, Luiz não gosta de aparecer e faz linha Miuccia Prada ao final de seus desfiles (dá só um tchauzinho na boca de cena) . A Apartamento 03 desfila nesta quarta, às 19 h.

Muito glam As irmãs Malloy, como são conhecidas no mundo da moda as gêmeas Carolina e Marcela Malloy, aproveitarão o MTP como vitrine para lançar a linha premium da Arte Sacra. Com mais de 20 anos de estrada, a grife de moda festa tem como marca registrada a exuberância de suas produções. Agora, a marca propõe uma nova experiência com a linha Arte Sacra Glam de edição limitada e produzida sob encomenda.

Pare para reparar A E.Store por Eduardo Amarante faz hoje à noite, no Expominas, o primeiro desfile de sua recente trajetória na moda. A grife, que pertence ao grupo Essenciale, tem 7 anos de mercado e um compromisso absoluto com a qualidade: só trabalha com tecidos importados e de primeiríssima. Para o inverno que chega no próximo ano, Amarante propõe um encontro entre o minimalismo, o rock e o street chic. Preste atenção também nos acessórios da apresentação que são da Mary Design.

Conexão Projac Temporada de moda que se preze tem que ter famoso, melhor ainda se for da novela das 21h, e da Globo. Prova disso foi o burburinho causado por Rodrigo Hilbert e Fernanda Vasconcelos ontem, no desfile de abertura. Os atores mostraram que têm estilo e esbanjaram simpatia com os convidados e a imprensa. Na sexta, é a vez de Jonatas Faro dar as caras no MTP. O ator desfila para a Patogê.

4

Casting bombado O que também não pode faltar em um evento de moda é uma boa seleção de tops! E nesta edição, várias delas batem ponto por aqui. Nomes como Ana Claudia Michels e Renata Kuerten vão dividir o backstage e a passarela com Daiane Conterato, Carmelita Mendes, Viviane Orth, Renata Sozzi, Marcelia Freesz, Camila Mingori e Vanessa Moreira, darling do estilista Alexandre Herchcovitch.

Com Fabíola Paiva, Glico Gênio, Natália Assis, Natália Miranda, Thiago Leão


MinasTrend Preview 2011

News

FOTOS ANDRÉ TRINDADE/ DAVID MOEMA

Bon APETIT CIRCUITO GASTRONÔMICO FAZ LINK COM A MODA E AMPLIA OS DOMÍNIOS DO MINAS TREND PREVIEW POR ISABELA GRECCO

C

riar receitas, unir sabores, combinar texturas, desafiar o paladar. Tudo isso faz parte da elaboração de um prato. Assim como na moda, tendência, regionalismo e sazonalidades são encontrados na gastronomia. Até o próximo domingo, chefs de 23 restaurantes locais oferecem pratos criados especialmente para os fashionistas que estão na cidade em busca dos lançamentos da temporada de Inverno 2012. É o “Moda para Comer”, uma maneira que o Minas Trend encontrou para ampliar seus domínios e cruzar duas jóias da coroa mineira: moda e gastronomia. Quanto, onde e o quê. Com preços variando entre R$ 25 a R$ 65, os pratos são verdadeiras homenagens aos estilistas, como é o caso do “Risoto do Serrado” criado por Leandro Pimenta, da Sorriso Risoteria, para o designer de bolsas, Rogério Lima. É feito de pequi com confit de porco de lata e tempura de quiabo tostado e ora-pronobis, “uma mistura contemporaneamente mineira”, diz o chef. Homenageada pela Easy Ice, Mary Figueiredo virou sorvete! A designer que, no inverno 2010 lançou coincidentemente a coleção “Para Comer Com os Olhos”, ganhou um menu completo que inclui combinações de chocolate e laranja com especiarias, mascarpone com morango, banana e queijo com canela, além do sabor inesquecível de um biscoito só seu, batizado de “Mary”. Detalhista como deve ser a boa cozinha mineira, a estilista Bárbara Maciel, da Chicletes com Guaraná, inspirou o prato Porquinho Prensado, assinado pelo chef Fred Trindade, do Trindade Bar Bistrô e Victor Dzenk ganhou um lasanha verde com lagostins e tomates concassés, pesto de manjericão e espuma de molho bisque, criada pelo chef Eric Marty, do Mes Amis. Isso foi só para abrir o apetite. Confira ao lado a lista de restaurante que fazem parte do “MPC”.

O chef Américo Piacenza se inspirou na Coven e apresenta o novelo negro com lulas e camarões dourados

Brasileirinho: Porquinho Prensado é o prato do Trindade Bar Bistrô

8


MinasTrend Preview 2011

News Victor Dzenk virou Food Dzenk para o Mes Amis

Mary Design vira sorvete para Easy Ice

O chef Leandro Pimenta homenageia o estilista Rogério Lima com Risoto da Roça

serviço B Bistrô Chef Adolph Telefone: 2531-1142

Hermengarda Chef Guilherme Melo Telefone: 3225-3268

Provincia di Salermo Chef Remo Peluzo Telefone: 3241-2205

Cantina Piacenza Chef Américo Piacenza Telefone: 2515-6092

Mes Amis Chef Eric Marty Telefone: 2526-4888

Sorriso Risoteria e Café Chef Leandro Pimenta Telefone: 3653-2023

Benvindo Chef Paulo Vasconcellos Telefone: 2515-8883

Fabbrica Spaghetteria Chef Frederico Rodrigues Telefone: 2515-3450.

Felipe Rameh apresenta o Peixe do Dia com legumes frescos , tangerina e alho negro

Ficus Chef Mauro Bernardes Telefone: 3225-4007 / 3261-6392

Lamilonga Parrilla Chef José Pedro Telefone: 2515-3450

O Dádiva Restaurante e Bar Chef Felipe Rameh Telefone: 3292-9810 Outono 81 Bar de Vinhos e Restaurante Chef André Cerqueira Telefone: 3227-3009 Pizza Sur Chef Gustavo Roman Telefone: 3222-8077

Rokkon Cozinha Japonesa Telefone: 3275-2940

Sorveteria Easy Ice Chef Frederico Telefone: 3281-0861

The Art Mars Bistrô Chef Frederico Rodrigues Telefone: 3337-9116

Trindade Bar Bistrô Chef Frederico Trindade Telefone: 2512-4479


MinasTrend Preview 2011

Fashiolândia 3 perguntas para ...

João Fialho

Fashion quiz

Presidente e fundador da AMEM, Associação Mineira de Empresas de Moda

1) Além de rezar para o mercado ficar melhor, o que faz a AMEM no dia a dia?

Teste seu conhecimento de moda, marcando V ou F nas afirmativas abaixo: mo estilista que deu vida 1) Quem criou o New Look foi o mes Dior. stian Chri r sieu ao Pretinho Básico: mon vescência fashion no 2) Minas Gerais viveu uma grande efer de Moda. eiro Min o começo dos anos 80 com o Grup o e Paris são, nessa ordem, 3) Nova York, Tóquio, Londres, Milã importantes do mundo. as sedes das semanas de moda mais eira de modelo, Gisele 4) Mesmo não se dedicando mais à carr do models.com como a Bundchen continua no top do ranking modelo número 1 do mundo. 1) F 2) V 3) F 4) F

Com Vocês:

S

empre no topo da lista dos mais arrogantes da moda, Karl Lagerfeld é daqueles personagens que a gente apenas entende, aceita. Afinal, ninguém tem que ser o melhor amigo de quem faz as roupas da Chanel, contanto que ele arrase nas coleções. Performático, monocromático, cramático, Mr Lagerfeld tem sangue nobre e nasceu em Hamburgo, na Alemanha, há 78 anos, embora queira passar uma imagem de 18.

10

KARL LAGERFELD

Inicialmente, a associação lançou seu olhar para os problemas estruturais de toda a indústria do vestuário. Criamos algumas propostas para serem trabalhadas em parcerias com as instituições de ensino, o poder público e entidades de classe, afim de alinharmos um planejamento estratégico para o setor. A AMEM surgiu de problemas

reais: escassez de mão de obra em todos os níveis e perda de competitividade. Asituação é séria e estamos em alerta De qualquer maneira, precisamos de uma postura mais pró-ativa; acredito que nós é que temos que fazer o nosso mercado. Não podemos mais cruzar os braços e esperar que o cliente nos comprem ou que o fornecedores cheguem até nós. Temos que ser mais agressivos e, sobretudo, olhar a moda por um outro prisma: negócios. O dia a dia da AMEM é assim, articular ações que elevem a moda ao seu devido patamar de importância sócio-ecônomico-cultural. 2)

Qual o seu mais recente projeto? (conta da viagem a China!)

A AMEM é antes de tudo um exercício de cidadania e cooperação. É preciso parar de olhar para os próprios umbigos e entender o problema de forma mais ampla, enxergar além das montanhas para encontrar as soluções certas. A preocupação já não é mais se estamos competindo entre nós mesmos. A cadeia tem que funcionar por inteiro para que todos estejam ganhando e é esse o nosso objetivo. Neste sentido, estamos fazendo ações mais pontuais com o intuito de fortalecer a relação entre o grupo e nos prepararmos melhor para o que vem por aí. Fizemos há duas semanas o 1º Trainning Day AMEM afim de capacitar nossas equipes de venda. Foi um verdadeiro sucesso! Estamos lançando a Leg Parade em parceria com a P&G (Gillete) e estou embarcando para a China na próxima semana para entender como de fato o gigante asiático trabalha e como podemos tirar proveito desta realidade. Por fim, estamos trabalhando em um livro que contará a história da moda mineira já para o próximo semestre. Aguardem! 3)

Qual a maior dificuldade da associação nesse começo de caminhada?

A comunicação é muito precária entre os principais agentes desta indústria. Além do que, a cultura associativista do brasileiro ainda é muito pequena. É preciso de fato uma melhor inteiração e creio que este seja a principal dificuldade não só da associação mais de todo o setor.

MTP PILLS Você sabia? Que um dos fatores que mais pesaram na mudança de endereço do MTP do Alphaville para o Expominas foi o crescimento? Espalhado por 12 mil metros quadrados na Lagoa dos Ingleses até a ultima edição de inverno, o evento pode expandir mais 15 mil metros quadrados e ganhar estandes quando desceu a BR 040 com destino ao pavilhão de exposições, onde está hoje.


MinasTrend Preview 2011

FOTO JULIA LEGO

Quase INVERNO

Desfile

11


Desfile

FOTOS RODRIGO BETHÔNICO

MinasTrend Preview 2011

Entrada final do desfile de abertura

Plumas e PAETÊS SE DEPENDER DAS 30 MARCAS QUE COMPUSERAM O MIX DO DESFILE DE ABERTURA DO MINAS TREND PREVIEW (MTP), O INVERNO DO PRÓXIMO ANO SERÁ NO MÍNIMO GLAMUROSO E BASTANTE QUENTE. PLUMAS DE AVESTRUZ, PAETÊS, FRANJAS E MATÉRIAS PRIMAS NOBRES COMO TWEED, JACQUARD, RENDA E LUREX DERAM O TOM DA APRESENTAÇÃO CUJA VEDETE ERA A NEO TOP TRANSGÊNERA CAROL MARRA. O TRICÔ, UMA DOS PONTOS ALTOS DA PRODUÇÃO DA INDÚSTRIA DE MODA LOCAL, ESTEVE PRESENTE EM LOOKS ABSOLUTAMENTE INVERNAIS. ENTRE OS ACESSÓRIOS, DESTAQUE PARA AS BOLSAS PEQUENAS (BATIZADAS DE MILK: MONEY, ID, LIPSTICK E KEYS) E OS WEDGE SHOES COM PLATAFORMAS CONSIDERÁVEIS.

Ficha técnica: Curadoria: Ronaldo Fraga

Cenário: Clarissa Neves e Paulo Waisberg Stylist e edição: Daniel Ueda

Direção de desfile: Roberta Marzolla

12

vestido Victor Dzenk e sapato Luiza Barcellos

vestido Cosh Claudia Mourão


MinasTrend Preview 2011

Desfile

casaqueto Cosh, blusa Graça Ottoni, calça Apartamento 03, sapato Claudia Mourão, gargantilha Claudia Marisguia, cinto Chicletes com Guaraná

vestido Mabel Magalhães Pulseiras Camaleoa

vestido Vivaz, pulseiras Mary Design, sapato Claudia Mourão

Blazer Apartamento 03 Sapato Paula Bahia

blusa Printing, saia Patricia Motta, scarpin Débora Germani, bolsa Celso Afonso

vestido Printing, colete Patogê, casaco Última Hora, brincos e colar com

casaco Apartamento 03, vestido Barbara Bella, pulseiras Claudia Marisguia, chapéu Mary Design, bolsa Rogério Lima, scarpin Débora Germani Vestido Printing

13


MinasTrend Preview 2011

Louge

FOTOS LUIZA FERRAZ E RAFAEL BORGES

DE PESSOAS

E DE LIVROS

F

oi numa verdadeira biblioteca, recriada com plotters de estantes e livros, que os convidados da noite de abertura do Minas Trend aguardaram o desfile que dá início a programação do evento, ontem, no Expominas. Celebridades, políticos e fashionistas fizeram o mix de presenças que logo em seguida foi convidado a entar na sala de apresentação. Lá dentro, livros reais (cerca de 900 deles) decoravam a passarela.

14

“Roupa é palavra. Moda é escrita. Esse é o momento de tentar ler essa escrita”, definiu Ronaldo Fraga, curador do evento, que escolheu a inspiração como tema dessa edição. O estilista acredita que a inspiração está em todos os lugares: livros, iPhones, fotos do Instagram, viagens e por aí vai. Confira quem passou pelo coquetel e se inspirou com a decoração do MTP.calendário fashion brasileiro


MinasTrend Preview 2011

Louge

Rodrigo Carneiro, Henrique Portugal e Ronaldo Gino

Adrina Willcox, Huberto Alves Pereira

Íris chaves, Marcel Vallias e Margarete Marinho

Presidente da Fiemg Olavo Machado Junior e o Governador Antonio Anastasia

Cláudia Mourão, Rogério Lima e Cláudia Moura

Barbara maciel e Louise cristine

Keyla Faria, Nádia França, Célia Bicalho e Jussara Naves Juliano Mourão e Leka Novo

Mary Arantes, Marilu Sette Câmara

Ronaldo Fraga, Fernanda Vasconcelos e Rodrigo Hilbert

Lu Alone

Tetê Vasconcelos

Julio Pessoa

Heloisa Aline

15 15


MinasTrend Preview 2011

Business

Hall de entrada da sala de desfiles

Ele cresceu E APARECEU EM APENAS QUATRO ANOS, MTP SE FIRMA COMO UM DOS MAIS IMPORTANTES EVENTOS DO CALENDÁRIO FASHION BRASILEIRO

H

POR DANIELA NAHASS

á quatro anos, uma iniciativa da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) mudou definitivamente o calendário fashion e influenciou toda a cadeia produtiva do setor têxtil brasileiro. Em novembro de 2007, aconteceu a primeira edição do Minas Trend Preview (MTP), o primeiro evento de prélançamento do país e um importante espaço de geração de negócios. O evento nasceu com um conceito inédito, incluindo a realização de desfiles, salão de negócios para lojistas nacionais e internacionais e a presença de jornalistas e formadores de opinião. A matemática comprova que a ousadia da Fiemg foi aprovada pelo mercado. O número de expositores praticamente triplicou desde a primeira edição, passando de 90 estandes para 255. Também surpreende o crescimento do número de compradores em potencial, que subiu de 3,5 mil em 2007 para 8 mil na última edição. “Nosso objetivo é gerar negócios e valorizar cada vez mais a moda brasileira”, afirma o presidente da Fiemg, Olavo Machado Jr., destacando os esforços da entidade para aumentar a presença de compradores nacionais e estrangeiros no evento. Se no início o novo evento de moda causou uma certa desconfiança da mídia especializada, atualmente ele é noticiado nos principais veículos nacionais e conta com a presença de jornalistas formadores de opinião que fazem a cobertura da feira e dos desfiles. Só na última edição, foram gerados

16

R$ 3,9 milhões em mídia espontânea. A própria cadeia têxtil levou um tempo para se adequar a um evento de pré-lançamento. Na primeira edição, por exemplo, algumas marcas tiveram que fazer o mostruário todo preto porque não havia tecido disponível para a confecção das roupas. “Com o MTP, a indústria têxtil teve que se adequar e se antecipar aos lançamentos. Isso foi muito bom para toda a cadeia produtiva”, explica o presidente do Sindicato da Indústria do Vestuário de Minas Gerais (SINDVEST-MG), Michael Aburachid.

Mudanças. A 9ª edição do MTP terá alterações no layout do salão de negócios, para melhor integrar e destacar os artigos, além de proporcionar aos compradores a possibilidade de comparações e compras mais assertivas. Outra novidade desta edição é o circuito gastronômico (ver pagina 10). Segundo o presidente da Fiemg, o maior desafio da atual edição é incrementar a vinda de compradores de países que ainda não tiveram a oportunidade de conhecer o evento. Os organizadores já estão identificando os expositores que têm interesse estratégico na exportação para otimizar a agenda desses buyers e estimular a concretização de negócios. Já estão confirmados compradores da França, Inglaterra, Portugal, Itália, África do Sul, Bolívia, Peru e Qatar.


Business

Fachada do Expominas

Panoramica do salão de negôcios

Look do desfile de abertura de verão


MinasTrend Preview 2011

Artigo

À Moda de Mary M

18 18

eu primeiro contato com a fantasia foi numa feira de um mercado municipal no Vale do Jequitinhonha. Os brincos de fantasia eram dependurados em um cordão, num varalzinho, feito cordel! Eram lindos e conhecidos como brincos de cabaça, devido ao formato, com um contorno na cor de coral. Eram um sonho para os meus olhos de menina, sonhos impossíveis banhados à ouro... A moda chegava lá praquelas bandas, pelas mãos dos mascates, que naquela época faziam as vezes dos tropeiros. Eles eram sábios, vinham sempre no fim do mês, quando minha mãe, que era professora, recebia. E o que eu presenciava, era o pagamento de uma duplicata e a mala se abrindo, e lá dentro a perdição: toalhas da Ilha da Madeira e todas as coisas bonitas das companhias distantes. Outra lembrança que tenho da infância é de dois vestidos, um branco, salpicado de joaninhas e outro amarelo, de laise bordada. Este foi reforma de minha irmã Vena e ficou na cerca de arame farpado quando eu e o Aluízio meu irmão, tentamos passar, provavelmente sem pagar ingresso num circo... Por ser caçula, essa história de reformar roupas acompanharam toda minha infância. Lembro-me de que minhas irmãs ganhavam cortes de tecido e os que elas não gostavam, eram os que seriam meus. Um verdadeiro trauma! Acho que meu lado fashion nasceu daí, dessa revolta! Sei que fizeram de um desses panos rejeitados, um terninho rosa chock para mim. Calça comprida e a parte de cima era uma jaquetinha. Fechem os olhos e imaginem a cena... um pavor, mas, como eu já era fashion, fui para a TV participar de um programa que se chama Seu Saber é Pra Valer com esta roupa. Respondia a perguntas de conhecimentos gerais e ganhava prêmios, coisa simples, como jogos de vareta e quebra cabeça. Na minha cabeça, nem tinha noção de que o terninho era “uó!” Hoje rosa é pink, graças a Schiaparelli, mas na época era como roxo, cor que não prestava. Era proibido criança vestir marrom, cor de gente velha, e as misturas de cores e estampas nem tinham nascido. A primeira roupa nova que tive orgulho de ter, feita sob encomenda pelo meu pai, que era alfaiate, foi uma jardineira vermelha de botões brancos. Feita para o dia da mudança, de Rio do Prado para Belo Horizonte. Lembro como hoje de ir ao quintal, abraçar e despedir de cada árvore, com aquela roupa nova, não sabia que mudar doeria tanto, e que o novo me assustaria. Tanto que quando cheguei aqui na capital, com 11 pra 12 anos e até mais ou menos uns 16 , não me lembro de muita coisa. Tenho certeza que fiz questão de apagar da memória a dura adaptação,

a infância perdida. Lembro de colegas de sala me olhando enviesado como a se perguntar, quem é aquela jeca?! Depois com o tempo fui me ajeitando e passei a criar tudo o que queria (hoje vejo que por pura necessidade). Fazia saias de chitão, tingia camisetas artesanais, bordava sapatilhas e claro, criava minhas bijus. Uma das primeiras foi a penquinha de santos. Nela dependurava tudo que era mais sagrado, a medalha do batizado, a santa de minha devoção, o dentinho encastoado. Mais tarde, esta penca viraria mania nacional. Com 17, 18 anos, morava num conjunto habitacional e minhas peças já eram usadas por Marília Pêra nos seriados da Globo. Era menina demais e não tinha noção do significado disso, só sabia que tinha que trabalhar duro para ajudar em casa, estudar para tirar o diploma e dar conta do recado. Nem dava tempo do sucesso subir à cabeça da pessoa. As pessoas têm mania de nominar e, naquela época, ao verem aquela menina com o cabelo imenso, anelado, batom vermelho, perfume patchouli e roupas estranhas, me chamavam de hippie. Eu também não sabia o que eu era, talvez algo como A Pequena Flor de Clarice Lispector, uma estranha no ninho. Percebo que naquela época havia criado para mim o que hoje chamamos de estilo. E assim continuei, me vestindo sempre de forma adversa. Minha mãe dizia que eu conseguia estragar tudo e nunca me entendeu. No dia em que fui a uma festa com uma camisola de seda pura, liseuse rosado, um cravo atrás da orelha, sandália dourada, da loja Gulp, que era da irmã do Renato Loureiro, ela definitivamente não entendeu nada e a casa veio abaixo. Outra coisa que sempre fui fã foi do chinelo, esta coisa baixa que sempre me aterrou e me dá a noção de estar próxima ao chão. Sempre gostei do que destoa, do que difere, do que não iguala, do que nos torna únicos. Quando descobri que bijus podiam ter sentimento, me libertei de qualquer compromisso com uma palavra que sempre odiei: tendência. Passei a contar histórias atrás de produtos, conversar com as mulheres, e desde então fui mais feliz. Passei a não me interessar em só fazer bijus. O como e o por que ficaram maiores. Engoliram a moda, e tendência passou a ser as vontades do coração. Também conhecida como Meire, Mary Figueiredo formou-se em odontologia, mas, graças à luz divina, caiu na moda e é hoje uma das maiores designers de acessórios do país. Nas horas vagas, e nas de aperto também, ela escreve artigos e contos cheios de poesia.



01 mtp 26 de outubro de 2011