Issuu on Google+

139897

Nº 83 - Ano 8 - 30 Abril 2011 • Distribuição gratuita • Periodicidade: Mensal • ISSN 1647–7022

o negócio

da China

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

www.jornalstrada.com


Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

EVENTS

INDEX FEIRAS:

A dimensão do SMOPYC ......................2

SPECIAL: Bridgestone Pneus mais ecológicos melhor controlo dos custos...................18 SPECIAL: Michelin X-MultiWay 3D ......................26 SPECIAL: Conti investe no Brasil .........................32

| Ana Bela Nogueira ana.bela.nogueira@jornalstrada.net

FEIRAS:

SAMOTER 2011 - sustentabilidade, inovação e segurança .........................34

Schmitz Cargobull e a Dongfeng Motor Company assinam parceria .......48 Krone: Marca de contorno obrigatória ................50 MAN com linha de montagem na Rússia ............52 SITRAK - Nova marca de camiões da MAN e da Sinotruk ......................................54 PUBLIREPORTAGEM: S-LOG com tripla certificação.58 EMMA disponibiliza rota da Ponte da Eurásia.....64

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

GEFCO Adquire 70% do Grupo MERCURIO SpA .66

A 15ª Edição do SMOPYC (Salão Internacional de Maquinarias, Construção e Obras Públicas), decorreu entre os dias 5 e 9 de Abril, em Saragoça. Esta prestigiada feira trienal, já considerada uma das maiores no seu sector contou com a participação de 1.253 expositores que ocuparam uma superfície de 300.000 metros quadrados.

Elisabete Jacinto à descoberta de uma nova Tunísia68 Elisabete Jacinto satisfeita com a segurança no Rali da Tunísia .............................................70

3

A dimensão do

SMOPYC

Abril 2011


/#06TWEM$WU#)s7OCGORTGUCFQITWRQ/#0          

YYYOCPOPRV

#VÅNKVTQUFGEQODWUVÉXGNOGPQU       #VÅaFGRQWRCPÃC    

1  U G I T G F Q  FC  G EQPQO KCFG EQODW U V KX GNGO NQPIQ  EWT U Q

0CGUVTCFCÅSWGUGICPJCQFKPJGKTQ 0CGUVTCFCÅSWGUGICPJCQFKPJGKTQ 1 1EWUVQFQEQODWUVÉXGNGUV½CUWDKTGCEQORGVKVKXKFCFGCCWOGP EWUVQFQEQODWUVÉXGNGUV½CUWDKTGCEQORGVKVKXKFCFGCCWOGP

VTCFW\PWOCRQVGPEKCNTGFWÿQCVÅaPQUEWUVQUOCKUWOC VTCFW\PWOCRQVGPEKCNTGFWÿQCVÅaPQUEWUVQUOCKUWOC

VCT'UV½PCJQTCFGTGFW\KTEWUVQU%QOQPQXQVTCEVQT6):'HǣEKGP VCT'UV½PCJQTCFGTGFW\KTEWUVQU%QOQPQXQVTCEVQT6):'HǣEKGP

TGFWÿQCVÅVQPGNCFCUFGGOKUUÑGUFG%1GOCPQU16): TGFWÿQCVÅVQPGNCFCUFGGOKUUÑGUFG%1GOCPQU16):

V.KPGRQFGGEQPQOK\CTCVÅNKVTQUFGEQODWUVÉXGNGOCPQU V.KPGRQFGGEQPQOK\CTCVÅNKVTQUFGEQODWUVÉXGNGOCPQU

'HǣEKGPV.KPGÅWOKPXGUVKOGPVQUWUVGPV½XGN 'HǣEKGPV.KPGÅWOKPXGUVKOGPVQUWUVGPV½XGN

149485

FGUGTXKÃQSWCPFQEQORCTCFQEQOWOVTCEVQTFGUGTKG1SWGUG F G  U G T X K Ã Q   S W C P F Q  E Q O R C T C F Q  E Q O  W O  V T C E V Q T  F G  U G T K G   1  S W G  U G

/#06TWEM$WU#) /#06TWEM$WU#)


EVENTS Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

3 O sector da Construção e InfraEstruturas em Espanha, começa a dar sintomas de melhoria, tendo em conta o que foi exposto no SMOPYC. A MAN foi uma das destacadas marcas presentes no certame, dando a conhecer toda a eficiência e qualidade dos serviços pósvenda bem como a fiabilidade e robustez dos seus camiões. No pavilhão 8 e com uma área de 1000 m2, a marca alemã teve em exposição cinco viaturas. Para além do TGS 18.480 4x4 do Team Oleoban / MAN Portugal, pilotado por Elisabete Jacinto, a construtora germânica também expôs um MAN TGX versão 18.480 BLS EfficientLine, um TGS 32.360 8x4 BB, um TGS 35.440 8x6H BL e um TGL 12.250 4x2 BB.

3

Abril 2011

centr ate


o das nções

Abril 2011

EVENTS

o leão


Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

EVENTS 141568

83279502 433 88 26 41 46

Abril 2011

26535897 9 3 23 159 8 14

9643339732 17 693 1 7 97

Consultoria, Contabilidade e Gest찾o 3.

0

& PI, LD A CM

Rua C처nego Maio, 115 R/c C S찾o Bernardo 3810-089 Aveiro Tel/Fax: +351 234 343 530

carlos@cmarques.org


EVENTS

3 Actualmente, a MAN detém uma quota de 24,6% em Espanha, sendo líder de mercado no segmento de Obras. Por sua vez, em Portugal registou, em 2010, um decréscimo de 55% no que respeita ao número de veículos MAN matriculados. No entanto, continua a ocupar a segunda posição no segmento das Obras, representando cerca de 28,4% de quota de mercado.

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

3

Abril 2011


EVENTS Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

Elisabete Jacinto e o seu MAN TGS centro das atenções no SMOPYC

Abril 2011


EVENTS

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

3 O MAN TGS 18.480 4x4 da piloto portuguesa foi um dos principais pontos de atracção neste trienal. Elisabete mostrou todo o seu entusiasmo por marcar presença no SMOPYC, satisfeita com a atenção dada a sua carreira e ao seu camião, a piloto portuguesa afirmou que o «espaço esteve bastante animado e o nosso camião ficou muito bem no stand. Acho que completou e realçou o leque de viaturas expostas. O local foi dinamizado com filmes das nossas corridas e sentimos uma grande adesão por parte do público, que ficou bastante curioso com este espaço». Para Luís Pereira, da MAN Portugal, «a presença da piloto foi uma mais-valia porque o MAN TGS da equipa é a pro-

va viva que os nossos camiões são 100% fiáveis e passam com distinção nos testes mais duros. Quer seja no deserto ou em trabalho as nossas máquinas têm a robustez necessária para fazer face a qualquer imprevisto». Elisabete Jacinto em conferência de Imprensa do SMOPYC, falou sobre a sua carreira enquanto piloto de motos e posteriormente, piloto de camiões. No auge da sua carreira, Elisabete Jacinto falou também sobre a sua participação no Rali da Tunísia que tem lugar entre os dias 30 de Abril e 6 de Maio. Relativamente ao Rali da Tunísia, a piloto mostrou-se segura e confiante, não apenas pela sua participação, mas também com a segurança da prova -

lembremos que, recentemente, a Tunísia viveu momentos sociopolíticos angustiantes. A piloto chegou mesmo a salientar que foi neste país magrebino onde ganhou a sua primeira especial à geral dos camiões, «a Tunísia é um país fabuloso para o todo-o-terreno. Tem pistas magníficas e variadas. Guardo boas recordações desta corrida. Foi nela que ganhei a minha primeira especial à geral dos camiões. Foi uma sensação inesquecível». Acrescentando ainda, «fiz a 1ª corrida com um camião em 2003 e tenho andado todos estes anos a fazer progressos (…), penso que cheguei a um bom nível de condução, tenho uma boa equipa e um bom camião, por isso tudo se conjuga para obter um bom resultado», rematou.

3

Abril 2011


Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

EVENTS

presenç

3 Durante cinco dias, a capital aragonesa foi convertida num centro de negócio e exposição da mais alta tecnologia no que respeita maquinaria e equipamentos para a construção. Durante cinco dias as principais empresas do sector tiveram os profissionais de 35 países com os olhos postos nas suas novidades. Durante cinco dias desenrolaram-se encontros comerciais ao mais alto nível internacional.

3

Abril 2011

da


estrela

Abril 2011

EVENTS

a de peso


150439

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

EVENTS


CAMIÕES. LEASING & FINANCIAMENTO. SOLUÇÕES DE FROTA. SERVIÇOS & PEÇAS.

BlueTecEco. Chega mais longe.

Uma marca da Daimler

Poupa combustível, poupa o ambiente.

Desempenho, conforto e fiabilidade em harmonia com o ambiente e com a boa prestação no seu negócio. BlueTecEco. Mais um contributo da Mercedes-Benz. www.mercedes-benz.pt

151442

Combinar economia com ecologia é a chave da nova tecnologia BlueTecEco. Os veículos Mercedes-Benz dotados com esta inovação, são mais eficientes e não perdem as suas histórias características.

* * Camiões de confiança


Abril 2011

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

EVENTS


EVENTS Considerada uma das maiores feiras no segmento, somente ultrapassada pela BAUMA, na Alemanha, a Feira de Maquinarias, Construção e Obras Públicas acolheu um sem número de empresas do sector com as suas inovações em produtos. De Portugal, destacaram-se dois expositores, a Galtrailer e a Recauchutagem Nortenha com a sua gama de produtos em exposição.

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

3

Abril 2011

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

3


EVENTS Abril 2011


EVENTS 3 Em síntese, mesmo ainda perante uma crise económica que atravessa os 4 cantos do mundo, o sector começa a dar melhorias e a retoma foi evidente neste certame. Com resultados satisfatórios, crê-se que o sector em 2014 (por ocasião de mais um SMOPYC), já esteja numa plataforma mais estável no que concerne aos negócios. 0

Abril 2011


Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

SPECIAL

mais e A Bridgestone responde aos desafios do presente e do futuro com o ECOPIA

Aquecimento global, emissões de CO2, aumento das regulamentações, redução das fontes energéticas fósseis, subida dos preços dos combustíveis, pressão crescente sobre os custos…estes são os desafios do presente e do futuro.

3

Abril 2011


melhor controlo dos custos As tecnologias de pneus da Bridgestone encontram-se entre as mais avan莽adas do mercado

Abril 2011

SPECIAL

col贸gicos


SPECIAL

3 A Bridgestone pretende tornarse um parceiro fiável e assumir um duplo compromisso: a redução de custos operacionais das frotas e actuar de modo mais responsável em relação ao ambiente. Ecopia é a marca estrela da Bridgestone que contribui para a prevenção do aquecimento global, ajudando a reduzir as emissões de CO2 através de um aumento da eficiência energética de veículos.

A importância da resistência ao rolamento (RR). As forças que provocam a resistência ao rolamento são a resistência ao ar, a perda de energia devido à fricção entre o pneu e o piso e perdas de energia (calor) devido a fricção interna entre os diferentes elementos do composto dos pneus.

Resistência ao ar, (~2%) Perda de energia (calor) devido à fricção interna entre diferentes elementos do composto durante a deformação repetitiva do pneu (~90%)

Perda de energia devido à fricção entre o pneu e o piso (~8%)

3 menor resistência ao rolamento, menos consumo de combustível.

100

100

80

80

60

60

40

40

20

20

0

0 83 litros

Abril 2011

pneu de reboque

26 litros

Proporção RR por eixo RR reduzida Total de redução de RR

50.0% -18.0% -9.0%

-7.7%

pneu de tracção

+

30.0% -5.3% -1.5%

R249

R249

M749

recauchutado

M749

pneu novo

-5.3% -18%

R109

Apenas são necessários 26 litros de petróleo para produzir uma recauchutagem, em comparação com 83 litros necessários para um pneu novo.

Os pneus Ecopia proporcionam uma menor resistência ao rolamento em 12%, quando comparados com a gama Bridgestone anterior considerando o piso total.

R168

Melhor para o ambiente.

pneu direccional

20.0% -7.7% + -1.5%

= -12.0%


Em média, as recauchutagens oferecem um custo inferior em 35% por quilómetro em comparação com pneus novos. Quanto mais recauchutada for uma carcaça, mais baixo será o custo da vida total do pneu. Custo por quilómetro - índice da vida útil de diferentes pneus Pneu novo

100

Pneu novo + recauchutado

100

65

Pneu novo + 1ª recauchutagem + 2ª recauchutagem (opcional)

100

65

Custo total da vida útil do pneu 100

65

83

17% de poupança

77

23% de poupança

Comparação da resistência ao rolamento de diferentes pneus.

Resistência ao rolamento

A RR é responsável por 20% a 50% do consumo de combustível. Quanto maior a duração de um pneu, mais baixa será a sua RR média e mais baixo o consumo de combustível. Segundo pneu

Média de resistência ao rolamento Média de resistência ao rolamento Vida útil do pneu

Exemplo teórico

Quilometragem adicional

A importância da manutenção dos pneus.

10 9 8 7 6 5 4 3 2 1

120 115 110 105 100 95 Início

8 semanas 16 semanas 32 semanas 48 semanas

90

Consumo de combustível em %

pressão de ar em bar

Um pneu com uma pressão de 9 bar perde 2 bar de pressão ao fim de 16 semanas, o que resulta num aumento do consumo de combustível de 5%. Uma verificação regular da pressão dos pneus reduz o consumo de combustível.

Abril 2011

SPECIAL

Os custos mais baixos relacionados com a vida total do pneu.


SPECIAL

3 Composto NANOPRO-TECHTM O composto NanoPro-Tech TM exclusivo da Bridgestone reduz as perdas de energia no composto do topo durante a rotação do pneu. Uma redução das perdas de energia significa uma resistência mais baixa ao rolamento. Este composto não compromete a performance do pneu em áreas como a quilometragem, resistência à abrasão, desgaste irregular e cortes nas paredes laterais. O composto NanoProtech TM da Bridgestone permite uma redução do consumo de combustível das frotas, assim como uma durabilidade e resistência à abrasão semelhantes às de compostos anteriores. Composto NanoPro-TechTM. O composto NanoPro-TechTM exclusivo da Bridgestone reduz as perdas de energia no composto do topo durante a rotação do pneu. Uma redução das perdas de energia significa uma resistência mais baixa ao rolamento.

Composto normal: a fricção desnecessária requer um excesso de energia.

Desenho de Piso de Baixa Energia (Low Energy Pattern). A tecnologia Bridgestone “Low Energy Pattern” foi especificamente concebida para controlar o movimento dos blocos do piso de modo mais eficiente. Como ocorre uma menor deformação, o desgaste do piso é reduzido e a consequente redução de energia absorvida também reduz a resistência à rodagem do pneu. Isto significa uma maior quilometragem do pneu e menor consumo de combustível. Suportado Não suportado

Direcção da rotação

Desenho de piso de baixa energia (LOW ENERGY PATTERN) A tecnologia Bridgestone “Low Energy Pattern” foi especificamente concebida para controlar o movimento dos blocos do piso de modo mais eficiente. Como ocorre uma menor deformação, o desgaste do piso é reduzido e a consequente redução de energia absorvida também reduz a resistência à rodagem do pneu. Isto significa uma maior quilometragem do pneu e menor consumo de combustível.

TALÃO + FINO (SLIM BEAD) A concepção “SLIM BEAD” da Bridgestone reduz o enchimento do talão, o que, por sua vez, reduz o peso do pneu sem comprometer a sua durabilidade. Esta concepção reduz a resistência ao rolamento a 2%, o que resulta num benefício em termos de economia de combustível. Talão + fino (Slim Bead). A concepção “Slim Bead” da Bridgestone reduz o volume do enchimento do talão, o que, por sua vez, reduz o peso do pneu sem comprometer a sua durabilidade. Esta concepção reduz a resistência ao rolamento em 2%, o que resulta num benefício em termos de economia de combustível. Talão normal

Composto NanoPro-TechTM: a diminuição de fricção permite uma deformação constante com menos dispêndio de energia.

Abril 2011

Slim Bead


A revolucionária tecnologia “Waved BeltTM” da Bridgestone consiste numa faixa em forma de onda constituída por 9 fios de aço, que é enrolada circunferencialmente de modo a criar a primeira e segunda camada do bloco de telas estabilizadoras. Isto reduz a pressão e tensão nas extremidades do bloco, aumentando ao mesmo tempo a estabilidade e durabilidade da carcaça. Deste modo, proporciona uma pegada estável ao longo da vida útil do pneu, reduzindo assim o crescimento da carcaça. Os pneus “Waved BeltTM” podem suportar cargas mais pesadas e possuem melhor capacidade para recauchutagem.

Tela convencional

Waved BeltTM

Tela Ondulada (WAVED BELTTM) A revolucionária tecnologia “Waved BeltTM” da Bridgestone consiste numa faixa em forma de onda constituída por 9 fios de aço, que é enrolada circunferencialmente de modo a criar a primeira e segunda camada do bloco de telas estabilizadoras. Isto reduz a pressão e tensão nas extremidades do bloco, aumentando ao mesmo tempo a estabilidade e durabilidade da carcaça. Deste modo, proporciona uma pegada estável ao longo da vida útil do pneu, reduzindo assim o crescimento da carcaça.

151449

3

SPECIAL

Tela ondulada (Waved BeltTM).


SPECIAL

3 Os pneus “Waved BeltTM” podem suportar cargas mais pesadas e possuem melhor capacidade para recauchutagem.

Ejectores de Pedras (Stone Ejectors). Os “Stone Ejectors” dos pneus Bridgestone são pequenos elementos flexíveis presentes na parte inferior dos canais. Evitam a retenção de pedras, ejectandoas do piso. Isto significa que as pedras não penetram através do bloco de telas estabilizadoras, danificando-as. A capacidade de recauchutagem da carcaça é aumentada, prevenindo danos provocados pela penetração de pedras.

Enrolado da Tela Radial (TURN-IN-PLAY) A tecnologia Bridgestone “Turnin-Ply” retira a “volta da tela” da zona de alta tensão da carcaça ao envolvê-la à volta do talão. Isto torna o talão mais forte e resistente, o que aumenta a durabilidade e capacidade de recauchutagem da carcaça do pneu, permitindo também suportar cargas mais pesadas.

Enrolado da tela radial (Turn-in-Ply). A tecnologia Bridgestone “Turn-in-Ply” retira a “volta da tela” da zona de alta tensão da carcaça ao envolvê-la à volta do talão. Isto torna o talão mais forte e resistente, o que aumenta a durabilidade e capacidade de recauchutagem da carcaça do pneu, permitindo também suportar cargas mais pesadas. Talão convencional

Turn-in-Ply

Tela Fim da Tela Zona de alta tensão

A tela situa-se numa área de alta tensão da parede lateral.

Abril 2011

Fim da Tela Zona de alta tensão

A extremidade da tela é enrolada em torno da armadura do talão, para fora da área de alta tensão da parede lateral.

Stone Ejectors Os “Stone Ejectors” dos pneus Bridgestone são pequenos elementos flexíveis presentes na parte inferior dos canais. Evitam a retenção de pedras, ejectando-as do piso. Isto significa que as pedras não penetrem através de blocos de telas estabilizadoras, danificandoas. A capacidade de recauchutagem da carcaça é aumentada, prevenindo danos provocados pela penetração das pedras. 0 Bridgestone


150631


Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

SPECIAL

MICHELIN | Ana Bela Nogueira ana.bela.nogueira@jornalstrada.net

Sempre na vanguarda da tecnologia, a Michelin continua a marcar pontos no mercado mundial dos pneus. Desta feita, no dia 15 de Abril, o Strada assistiu, em Madrid, ao lançamento da grande novidade da marca francesa: a nova gama MICHELIN X® MultiWay™ 3D. Ficando, portanto, a conhecer através de Luis Miguel de Blas, director de marketing da marca em Espanha, todos os beneficios dos novos pneus deveras polivalentes. A investir mais de 500 milhões de euros por ano em investigação e desenvolvimento, o desafio da marca de ClermontFerrand, para além de fornecer soluções inovadoras ao transporte rodoviário, passa também para que estas sejam verdadeiramente economizadoras para o sector.

Abril 2011

Multi


SPECIAL

Michelin

X

Nova referência em polivalência O pneu MICHELIN X® MultiWay™ 3D é uma nova referência em polivalência: proporciona uma grande motricidade, independentemente do nível de aderência do solo, está adaptado a todo o tipo de condições climáticas, o que permite ganhar tempo, economizar combustível, melhorando a sua fiabilidade e segurança. «Transportar com segurança ao menor custo e com respeito pelo meio ambiente» começou por apontar Luis Miguel de Blas. Na

verdade, o principal objectivo da nova gama prende-se com a necessidade de satisfazer as expectativas dos transportadores, ou seja, transportar mais, em qualquer condição climática, com a maior segurança, ao melhor custo e, ao mesmo tempo, agradando os clientes que exigem prazos de entrega cada vez mais curtos. Portanto, segurança, economia e ecologia são termos indissociáveis aos pneus MICHELIN X® MultiWay™.

3

Way 3D

Abril 2011


Michelin

SPECIAL

As lamelas 3D “TowerPump”

É imperioso que os pneus sejam capazes de oferecer uma motricidade excelente, seja qual for o estado do pavimento. O pneu MICHELIN X® MultiWay™ 3D XZE possui lamelas profundas que lhe dão performances excepcionais de aderência em superfícies derrapantes e diminuem o risco de arrancar os tacos de borracha. Consequentemente, para os pneus do eixo motor, as novas lamelas “TowerPump®” completam as lamelas auto-regenerantes de “onda dupla”, enquanto, nos pneus do eixo de direcção, as novas lamelas “Delta” fornecem aderência em todas as condições. De acordo com testes vários levados a cabo pela marca francesa, o pneu não só dura mais tempo, como a vida útil do eixo dianteiro com uma escultu-

Abril 2011

Michelin

3

ra direccional prolonga-se até mais 15% e a duração “testada” do pneu do eixo motor atinge até mais de 30% - o novo MICHELIN X® MultiWay™ 3D foi desenvolvido para ser reesculturado e recauchutado. Da nova gama, o MICHELIN X

Multiway 3D XZE 80 comercializa-se a partir de 1 de Maio de 2011 e o XDE 80, em Julho de 2011. Enquanto, o MICHELIN X Multiway 3D XZE 70 e o XDE 70 vão estar disponíveis a partir de Maio de 2011, indicou Luis Miguel de Blas.


HE

LIN

25

MIX RE

100

MIX RE

Michelin

SPECIAL

100

REESCULTURADO

25

H MIC ELIN

LIN

RECAUCHUTADO MICHELIN REMIX

H MIC ELIN

HE

REESCULTURADO

MI C

MI C

NOVO

Quilometragem realizada por uma carcaça Michelin

A poupança é o primeiro resultado depois de implementar MICHELIN X Multiway 3D nos seus veículos: poupa não só a nível financeiro; mas também rentabiliza tempo, pois poupa combustível e emite menos CO2. Como valor acrescentado à marca, os serviços associados da Michelin permitem poupar combustível durante a vida útil do pneu. Querendo com isto

dizer que a pressão correcta dos pneus permitirá aos transportadores poupar mais 0,24 litros/100 km de combustível. Ao passo que a verificação da geometria de cada eixo pode proporcionar até 0,59 litros/100 km adicionais de economia em combustível. Por último, a tecnologia Infinicoil incorporada no pneu MICHELIN X® MultiWay™ 3D Serie 70 aumenta a capacidade de car-

ga para oito toneladas para o eixo dianteiro. O MICHELIN X® MultiWay™ 3D cumpre assim todos os requisitos do transporte regional, nacional e de via rápida. Sendo que 60% está centrado na circulação em estradas nacionais e regionais e 40% em autoestradas e vias rápidas e também em zonas de montanha. Luis Miguel de Blas referiu ainda que a gama MICHELIN X® MultiWay™ 3D já se encontra homologada pelas principais marcas de veículos pesados.

3

Michelin

MICHELIN X MultiWay 3D é sinónimo de poupança

Abril 2011


Conciliar a preservação meio ambiental melhorando ao mesmo tempo a mobilidade é um desafio que a Michelin já decidiu enfrentar há tempo. Nas fábricas da Michelin há um esforço por reduzir o impacto meio ambiental do processo de fabricação. A nova gama da Michelin tem um impacto directo no meio ambiente, pois permite reduzir o consumo de combustível e limita as emissões de CO2. A poupança de combustível pode ser de até 25% em relação às

gamas anteriores. Mas o pneu também tem um impacto indirecto, pois a sua vida útil (longevidade, reesculturado, recauchutagem) ajuda a manter a matéria-prima e reduz o núPerfil original

mero de pneus fabricados. Em suma, por alguma razão o pneu MICHELIN X® MultiWay™ 3D é denominado o «4 vidas» da Michelin. A excepcional longevidade, polivalência, segurança e poupança dos pneus Michelin dão mais uma vez o galardão de qualidade e mérito à marca francesa. 0 Michelin

SPECIAL

A gama MICHELIN X MultiWay 3D e o meio Ambiente

Indicador de profundidade de reesculturado Indicador de desgaste

Perfil reesculturado

Profundidade de desenho

Perfil de desgaste do reesculturado

Espessura de boracha conservada Espessura de boracha conservada

BUS EDITION

150449

Platinum Winner of the European Seal of e-Excellence 2011 Innovation and Digital Communication www.jornalstrada.com


151483


SPECIAL

A Continental investiu 210 milhões de dólares na ampliação da fábrica de pneus em Camaçari, Brasil.

Conti investe no

Abril 2011


Brasil

nental Tire América Latina. «Nesta região o Brasil desempenha um papel importante». «Com estes investimentos podemos simplificar processos, instalar novos sistemas e criar 400 novos postos de trabalho na fábrica. Toda a região irá sair beneficiada», completa Pedro Matos, Managing Director da fábrica em Camaçari. Actualmente a fábrica emprega 1.150 colaboradores. A primeira fábrica de pneus Continental no Brasil foi inaugurada em Abril de 2006, depois de apenas 18 meses de construção, e abrange actualmente uma superfície de aproximadamente 800.000 m². Desde o início foi concebida para permitir uma potencial expansão. No ano passado, a Continental atingiu um nível recorde na quota de mercado no Brasil, relativamente ao mercado de substituição para veículos ligeiros. Com um aumento de 25% no volume de vendas em comparação com 2009 no segmento de veículos ligeiros e 38% no segmento de veículos comerciais, foi conseguido um dos melhores resultados operacionais até agora no Brasil. A Continental produz e vende, a nível mundial, mais de 100 milhões de pneus para veículos ligeiros. 0 Continental

Abril 2011

SPECIAL

Conti

| Matthias Schönberg

A Continental, fornecedor internacional do sector automóvel e fabricante de pneus, irá investir 210 milhões de dólares no aumento da capacidade de produção na fábrica de pneus na zona industrial de Camaçari na Baía, Brasil. «Este investimento faz parte da nossa estratégia para aumentar significativamente a produção de pneus a nível mundial e, em particular, nos países BRIC. Assim conseguiremos quase duplicar a capacidade de produção na fábrica de Camaçari até ao final de 2015», explica Matthias Schönberg, CEO da Continental Tire the Americas. Em 2010 a fábrica da Continental produziu aproximadamente 4,5 milhões de pneus para veículos ligeiros e 350.000 pneus para veículos pesados. Neste ano, a capacidade irá aumentar para mais de 5 milhões de pneus para ligeiros e 450.000 pneus para pesados. «Esta é a segunda vaga de investimentos, após os 260 milhões de dólares investidos em 2004. O objectivo é aumentar a produção até que esta fábrica consiga responder ao crescimento previsto na NAFTA – a união económica entre os EUA, Canadá e México – e América Latina», explica Renato Sarzano, General Manager da Conti-


Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

EVENTS SAMOTER

sustentab inovaç segura | Giancarlo Terrassan giancarloterrassan@jornalstrada.net

Durante os dias 2 e 6 de Março, a cidade de Verona, em Itália, recebeu a 28ª edição da Samoter – Salão trienal de máquinas, terraplanagem e construção. Durante 5 dias, 900 expositores de 37 países viram passar pela feira, quase 100.000 visitantes que, para além das exposições, foram também assistir a inúmeros congressos, debates, formações e, claro, fazer negócio.

3

Abril 2011

Sam ter


EVENTS

bilidade ção ança

2011

Abril 2011


EVENTS SAMOTER

3 «A Samoter recebeu mais de 50 delegações institucionais e comerciais estrangeiras de alto nível, focando a atenção as áreas onde se concentram os projectos de maior relevância no sector da construção» afirmou Giovanni Mantovani, Director Geral da Veronafiere. Renovada a confiança por parte das empresas do sector da construção, da 28ª Edição da Samoter saíram sinais positivos para a economia do sector. Durante estes 5 frenéticos dias, em colaboração com a ICE (Istituto nazionale per il Commercio Estero), a feira de Verona organizou a participação de delegações provenientes da área do MAGREB, da península arábica, da Ásia e do centro e leste da Europa, promovendo numerosas reuniões de negocio. Nótavel também a presença das Nações Unidas, que com a UNIDO (United Nations Industrial Development Organization), proporcionou pela primeira vez em Verona, a presença de uma missão de em3 presas iraquianas.

Abril 2011


w w w . s a m o t e r . c o m

Uma renovada confiança por parte das empresas do sector da construção, sinais claros de recuperação. Abril 2011

EVENTS

2 - 6 Marzo 2011 Verona, Italia


EVENTS SAMOTER

Missões ... 3 Turquia Ainda, este ano, a Samoter chamou a atenção sobre duas realidades muito interessantes para o mercado da construção no Qatar e na Turquia, países que forneceram enormes financiamentos no sector dos transportes, da energia e da construção residencial. Nos últimos tempos, a firme e constante presença da Turquia nos maiores certames internacionais, demonstra o enorme interesse deste país em desenvolver a sua economia. A Samoter de Verona, representou também uma etapa obrigatória dos turcos, que, com uma delegação do Ministério da Indústria e Comercio, chefiada pelo ministro Nihat Ergün e acompanhada pela associação de produtores e distribuidores de máquinas para a construção (IMDER), mais uma vês marcaram presença ao mais alto nível. Durante esta visita, o ministro turco teve a ocasião de expressar o enorme interesse e empenho que este pais emergente dedica ao seu desenvolvimento. «A industrialização é um dos factores chave para o desenvolvimento das nações. Por este motivo prepa-

ramos o “Machinery Industry Document”, o qual inclui algumas importantes acções para este sector, que muito cresceu nos últimos tempos e consequentemente representa uma elevada expectativa num ulterior desenvolvimento para o próximo futuro. O volume das exportações do sector das máquinas para a construção, na Turquia, comparativamente ao ano anterior, em 2010 cresceu 30%, representando cerca de 820 milhões de dólares, enquanto, comparativamente ao mesmo período, as importações aumentaram 54%, representando um valor de 1.600 milhões de dólares.» afirmou Nihat Ergün durante a sua visita a esta feira. O ministro italiano das infraestruturas, Altero Matteoli, declarou estar muito satisfeito com a presença das empresas turcas, neste certame, salientando que isto demonstra a qualidade dos produtos expostos e da importância da Samoter no sector da construção. Na reunião oficial mantida com Altero Matteoli, o ministro turco Nihat Ergün, manifestou o enorme interesse e convidou as empresas italianas a partici-

par nos grandes projectos de infraestruturas, nomeadamente, portos, linhas ferroviárias e autoestradas, que estão previsto na Turquia. Em algumas destas obras, a presença das empresas italianas é já uma realidade. Um exemplo a seguir para muitas empresas. A Turquia está concentrada num grande esforço de modernização e até 2023 tenciona realizar uma grande quantidade de obras. De realçar 15.000 km de novas linhas ferroviárias, 6.500 km de líneas de alta velocidade e cerca de 7.000 km em autoestradas, com um investimento previsto de 360 mil milhões de dólares. No sector do meio ambiente e da reciclagem estão previstos investimentos de 140 mil milhões de dólares. Para o sector da energia e a construção de aproximadamente 100 barragens estão previstos 130 mil milhões de dólares. Finalmente, para o sector logístico, estão previstos investimentos de 40 mil milhões de dólares. O sector habitacional é outro fulcro do desenvolvimento turco, o qual, necessita estimativamente mais de 500.000 novas casas. 3

e observadores

Abril 2011


w w w . s a m o t e r . c o m

s internacionais

Abril 2011

EVENTS

2 - 6 Marzo 2011 Verona, Italia


SAMOTER

EVENTS

3 Espanha A missão espanhola foi mais uma das mais importantes general contractor a nível mundial presente na Samoter, de destacar as empresas Ferrovial e a FCC, duas empresas que operam em todo o mundo. José Castaño Vega da Ferrovial, uma das empresas leader a nível mundial no sector da construção de infraestruturas no sector dos transportes, declarou que a sua visita à Samoter, deve-se ao interesse em adquirir maquinarias e tecnologia amiga do ambiente e sustentável, tendo ficado muito satisfeito com os produtos encontrados. «O aspecto da sustentabilidade é uma das principais linhas mestre seguidas e respeitadas pela nossa empresa» concluiu José Castaño Vega. USA Graças ao acordo de cooperação entre a Samoter e a World of Concrete, estiveram presentes inúmeros representantes de empresas oriundas dos Estados Unidos de América. Kevin MacDonald, vice-presidente da Cemstone, empresa leader no sector do cimento no estado do Minnesota, declarou: «Na Samoter, pude apreciar todos os diferentes tipos de máquinas disponíveis no mercados, possuidoras das últimas novidades, no que concerne o design, segurança, e-

Abril 2011

cologia, sustentabilidade, e integrável nas maquinarias americanas.» Marrocos Outros grandes investidores presentes pela primeira vez na Samoter, foram os representantes da FNBTP (Federation National des Batiments et Travaux Publiques), a qual representa mais de 5.000 empresas marroquinas no sector da construção. Cherred Toufic, representante desta federação, comentou: «Pela primeira vez viemos visitar, na qualidade de associação, a Samoter. No nosso pais importamos principalmente da Espanha e da França, enquanto as maquinarias importadas da Itália representam somente o 15%. A nossa intenção é duplicar a quota de produtos italianos.» Camarões Deste pais africano, estiveram presentes Onana Luc, representante do Ministério das Pequenas e Médias Empresas, da Economia Social e Artesanato (MINPMEESA - Ministère des Petites et Moyennes Entreprises, de l'Economie Sociale et de l'Artisanat) e Aristide Belias, representante da Taboh Batiment BT Services, uma das mais importantes empresas de construção do pais. Ambos sublinharam a importância e a necessidade que os Camarões

2 - 6 Marzo 2011 Verona, Italia w w w . s a m o t e r . c o m

têm em adquirir maquinarias para a construção de vias de comunicação, sendo estas, importantíssimas para o desenvolvimento do país. Além das maquinarias, expressaram a necessidade em receber também uma assistência técnica especializada. Singapura Do continente asiático, a presença de Andrew Khng, presidente da The Sinagapore Contractors Association Ltd (SCAL), grupo associativo que representa mais de 2.000 empresas, elevou ainda mais a importância da Samoter. «Pela primeira vez, participamos na Samoter, à procura de inovações tecnológicas para melhorar a utilização da nossa força de trabalho. Todas as nossas empresas são eticamente movidas por uma forte responsabilidade social e um elevado respeito perante o nosso meio ambiente. A SCAL, actualmente está desenvolvendo um programa de educação ambiental, dirigida a todas as nossas empresas associadas, sobretudo no âmbito do controlo das emissões.» frisou o presidente 3 da SCAL, Andrew Khng.

Missões ... e observadores internacionais


151460


150635


w w w . s a m o t e r . c o m

SAMOTER

3 Entre as grandes novidades da Samoter, foram destacadas as rígidas normas dirigidas ao controlo das emissões, aos processos de trabalho sustentável, poupança de energia e segurança. As grandes marcas do sector aproveitaram a oportunidade para apresentar, ao mundo, as suas fortes apostas. A Astra (Grupo Fiat Industrial) expôs o seu novo dumper RD40, reestruturado na cabina e equipado como nova tecnologia de bordo. A New Holland lançou uma série completa de novos produtos, sempre ficando atentos às novas regulamentações sobre as emissões na atmosfera. A Caterpillar exibiu a nova escavadora hidráulica 374 DL. A CASE apresentava toda a sua gama renovada e compatível com as novas normas antipoluição, equipando os seus veículos com sistemas EGR e SCR, visando reduzir as emissões de particulato até 90% e diminuir quase a zero 3 as emissões de NOX.

Novidades na SAMOTER 2011

Abril 2011

EVENTS

SAMOTER

2 - 6 Marzo 2011 Verona, Italia


EVENTS SAMOTER

3 JCB ostentava o seu novo Ecomax, com o qual ganhou o prémio “Diesel of the Year Award 2011”. Um propulsor tecnicamente avançado equipado com injecção de última geração CommonRail com 2.000 bar de pressão e turbina de geometria variável, mesmo a baixas rotações. Por sua vez, a Renault Trucks mostrava o Premium Lander OptiTrack, um camião 4x2 para as obras, que graças ao novo sistema, torna-o temporariamente num 4x4. A Volvo, com o departamento Construction Equipment lançava as suas mais recentes Além das grandes novidades apresentadas pelas marcas, estas também proporcionaram inúmeros momentos de interesse e descontracção, desde espectáculo Burlesque e comédia, oferecido pela Mercedes-Benz Spa, como a presença de Vittorio Brumotti, campeão mundial de bicicleta trial a IVECO proporcionava um atraente espectáculo de Mountanbike Freestyle aos visitantes, além de proporcionar várias demonstrações com os seus veículos de estaleiro e camiões de competição preparados para o Dakar, contando com uma simpática exibição do famoso team ho3 landês De Rooy.

Abril 2011


EVENTS

SAMOTER

2 - 6 Marzo 2011 Verona, Italia

SAMOTER

w w w . s a m o t e r . c o m

Abril 2011


EVENTS SAMOTER

3 A grandiosa associação italiana de motoristas, Highway Truck Team, ofereceu a todos os visitantes um exibição inédita com 15 camiões decorados oriundos do norte da Itália e da Eslovénia Por fim, o número de visitas ao site (www.samoter.com), traduzido em dez línguas, também confirmou o interesse pela Samoter. Foram apontados 2 milhões de visitantes, representando um aumento de 43% em relação aos de 2008. 0

Abril 2011


w w w . s a m o t e r . c o m

Abril 2011

EVENTS

2 - 6 Marzo 2011 Verona, Italia


NEWS

No Salão Automóvel de Xangai, os Conselhos de Administração das duas empresas assinaram uma carta de intenção para a futura cooperação em semi-reboques nos mercados asiáticos No Salão Automóvel de Xangai deste ano, as negociações entre a empresa alemã, Schmitz Cargobull AG e a chinesa Dongfeng Motor Company Ltd. - uma empresa do Grupo Dongfeng Motor Corporation - chegaram a uma conclusão bem-sucedida. A Direcção de ambas as empresas concor-

dou estabelecer uma joint-venture para semi-reboques e carroçarias de camiões pesados, longa distância e distribuição. Ambas as empresas estão entre os principais fabricantes de veículos comerciais na indústria e, portanto, vêem uma oportunidade de sinergias importantes para uma maior expansão, com soluções de transporte inovadoras no crescente mercado a nível mundial. O objectivo inicial é composto por uma produção de alta qualidade segundo as normas industriais do stateof-the-art, assim como vendas e

uma densa rede de serviços inovadores na República Popular da China. «Dongfeng é o fabricante líder de camiões na China e a Schmitz Cargobull é o fabricante líder na Europa de semi-reboques. A combinação dos melhores camiões com os melhores semi-reboques irá trazer um maior valor aos nossos clientes com uma solução onestop shopping» afirmou Huang Gang, gerente de Dongfeng Commercial Vehicles. Na Europa, as combinações de veículos modulares tornaram-se uma parte consolidada

Schmitz Cargobull

Schmitz Cargobull

Schmitz Cargobull Motor Company as

Abril 2011


3486

e a Dongfeng ssinam parceria do transporte altamente desenvolvido e das cadeias logísticas. Esta é a competência central da Schmitz Cargobull AG, que também oferece aos seus clientes uma das gamas mais completas de serviços «em torno do veículo», além dos próprios veículos. Com a expansão e as novas estratégicas sobre os mercados asiáticos, a Schmitz Cargobull está a reagir activamente à demanda global por modernos conceitos de veículos comerciais. «Dongfeng Motor Company Ltd. é uma parceira que corresponde à nossa estratégia em relação à alta qualidade e também à engenharia orientada para o cliente», afirmou o membro do Conselho Schmitz Cargobull, Ulrich Schöpker. Ambas as empresas são distinguidas por eleva-

dos padrões de qualidade, uso sustentável dos recursos e produção de veículos eficientes. Este «focus» oferece aos clientes o benefício de uma óptima utilização e disponibilidade dos veículos, bem como um baixo custo de vida. 0 Schmitz CargoBull

ue o reboq mática d le te ia a c n m Co eficiê da mais com ain

rte transpo

O seu

milagre.económico Mude para a faixa do sucesso.

Com os reboques Schmitz Cargobull controle o seu transporte com segurança e eficácia. Hoje e no futuro – just more.

www.cargobull.com

Mais informações: +351 243 999 530


Krone

Krone

Marca d obrigató

Krone

NEWS Krone

A partir de do mês de Julho a marca de contorno será obrigatória nos Estados-Membros da União Europeia para os veículos que estão a ser postos em circulação pela primeira vez. A designação oficial de “marca visível“ é também conhecida como "marca de contorno" ou "marca reflexiva". Esta marca com 50 mm de largura de faixas reflectoras, deve ser aprovada em conformidade com a ECE-R 104. Estas faixas devem ser colocadas numa instalação de iluminação técnica, de acordo com a ECE R48, e, portanto, estão sujeitas a inspecções gerais (MOT) e na estrada. A “marca visível“ deve sempre constar nas marcações laterais e traseiras, e está prescrita para todas as superestruturas de veículos e camiões da seguinte maneira: na retaguarda, como contorno completo de marcação em amarelo ou vermelho, e na lateral como contorno parcial de marcação em amarelo ou branco. No entanto, se não for possível fixar as marcações descritas acima por causa da forma ou do design do reboque (por exemplo, de contentores), então pelo menos uma linha de marcação é o mínimo prescrito. A marcação completa também é obrigatório para as laterais. As marcações completas são prescritas se a publicidade retro-reflectiva for afixada na lateral. 0 Krone

Abril 2011


Informações complementares:

NEWS

de contorno ória

O material de publicidade retro-refletivo deverá cumprir a classe D ou E da regulamentação ECE-R104. A publicidade retro-reflexiva só é permitida na lateral. Cabe a cada Estado-Membro da União Europeia permitir ou não o uso do branco como a cor de marcação da retaguarda nos seus territórios. As marcas brancas na parte traseira podem causar problemas no tráfego transfronteiriço e nas inspecções técnicas. O uso do branco não está aprovado na Alemanha.

Lá dentro vai a sua mercadoria mais importante: o baixo custo.

142769

Todo o ciclo de vida com custos mínimos, graças à qualidade KRONE.

Keytrailer, Lda. • Tel.: +351 244 482619 • geral@keytrailer.pt

www.krone-trailer.com


NEWS MAN Truck & Bus

MAN com montagem

Assinado Memorando de Entendimento com a cidade de S達o Petersburgo

Abril 2011


A MAN vai fabricar, na Rússia, camiões para o mercado nacional e outros países da CEI. No dia 14 de Abril de 2011, o porta-voz da direção da MAN Truck & Bus AG, Dr. Georg Pachta-Reyhofen e a Governadora da cidade de São Petersburgo, Walentina Matwijenko, assinaram um Memorando de Entendimento. O conteúdo da declaração de intenções assinada inclui um investimento planeado por parte da MAN Truck & Bus numa produção própria no valor de cerca de 25 milhões de euros, assim como a fundação de uma nova sociedade de produção MAN em São Petersburgo. A médio prazo está prevista uma capacidade de produção anual de cerca de 6.000 veículos, em São Petersburgo. A assinatura ocorreu no âmbito de uma visita do Primeiro Ministro do Estado da Baviera, Horst Seehofer, a São Petersburgo. «A Rússia tem um potencial de

crescimento muito grande e tem um papel central no contexto da nossa estratégia de internacionalização. Enquanto fabricante local e com a consequente proximidade com o mercado e os clientes, temos as melhores condições para participar a longo prazo na procura crescente de veículos comerciais da Europa de Leste», disse Dr. Pachta-Reyhofen após a assinatura do Memorando de Entendimento. «A favor de São Petersburgo jogam sobretudo as condições-quadro vantajosas das infraestruturas e a evolução da indústria automóvel», diz Lars Himmer, gerente da MAN Truck & Bus, na Rússia. «Iremos estabelecer a nossa linha de produção provisoriamente num edifício já existente, o que nos vai poupar a prolongada fase de construção e arranque», continua Himmer. A cidade de São Petersburgo declara no Memorando de Entendimento apoiar o abastecimento de eletricidade,

água e gás necessário para a fábrica, assim como a melhoria e conservação das estradas de acesso à nova fábrica MAN. Já em 2012, aproximadamente um quarto das vendas de camiões na Rússia deverão ser provenientes da produção local. Além disso, a MAN vai aumentar a participação local e para esse efeito, vai permitir o desenvolvimento de fornecedores locais. No passado, a MAN participou de forma extraordinária no crescimento do mercado russo. Com uma quota de mercado superior a 30 por cento nos camiões acima das seis toneladas, importados da Europa e mais de 50 por cento de autocarros interurbanos e de turismo com mais de 12 metros. No ano de 2010, a MAN aumentou a sua população de veículos para mais de 45.000 matriculados e é líder na Rússia, no mercado de camiões e autocarros importados. 0 MAN Truck & Bus

Abril 2011

NEWS

m linha de na Rússia


NEWS MAN Truck & Bus

Nova marca da MAN e

Abril 2011

SITRAK


K

NEWS

de camiões da Sinotruk

Na feira “Auto Shanghai 2011” Chunji Ma, Presidente do Conselho de Supervisão da Sinotruk e Georg Pachta-Reyhofen, Porta-voz da Direção da MAN SE, apresentaram uma nova marca conjunta de camiões para a China, assim como para outros mercados emergentes da Ásia, o Médio Oriente, África e os países CEI. O nome internacional da marca é SITRAK; no mercado da China os novos camiões são comercializados sob o nome chinês Shandeka (汕德卡). O logotipo consta de três folhas de Ginkgo estilizadas, que na Ásia são símbolo de resistência e força de viver. Os nomes da marca representam a boa parceria

3

Abril 2011


MAN Truck & Bus

NEWS

3 entre a MAN e a Sinotruk. Enquanto as vendas na China irão decorrer exclusivamente através da Sinotruk, os mercados de exportação ficarão nas mãos das redes de vendas existentes da MAN e da Sinotruk. A MAN vai participar igualmente nas vendas na China através da participação direta na Sinotruk. Até 2018, as empresas contam com vendas totais anuais de 200.000 camiões, dos quais 160.000 para o mercado chinês. No stand conjunto da feira em Xangai, a Sinotruk e a MAN apresentam o SITRAK T7H, o primeiro produto da nova marca. O camião pesado T7H combina a tecnologia MAN com os componentes da Sinotruk. O arranque de produção do T7H está planeado para dezembro de 2011 no local de produção chinês de Jinan. Os clientes chineses podem encomendar o novo camião já no primeiro semestre de 2012; o arranque das vendas de exportação está previsto para o segundo semestre de 2012. A cooperação entre a Sinotruk e a MAN realiza-se a dois níveis: A provisão do capital e a transferência da tecnologia e do know how de gestão. Em 2009, a MAN investiu 560 milhões de Euros na Sinotruk e participa diretamente na empresa chinesa de fabrico de camiões, com 25% das ações mais uma. A

Abril 2011


Abril 2011

NEWS

transferência da tecnologia e o know how de gestão baseia-se num contrato assinado pelas duas partes sobre a atribuição de licenças de tecnologia. Já em 1983, a MAN tinha criado uma parceria com a Heavy Duty Truck Corporation (atual Sinotruk) para a construção e o licenciamento de camiões Steyr. A Sinotruk e a MAN estão assim unidas por uma longa tradição de colaboração. A confiança é o pilar fundamental para essa colaboração. «A Sinotruk e a MAN desenvolveram em pouco tempo uma nova marca de camiões, que apresentamos hoje na feira automóvel de Xangai. Para a Sinotruk este dia da feira é um marco, uma vez que com a SITRAK, vamos poder oferecer aos nossos clientes camiões chineses com a mais recente tecnologia», diz Chunji Ma, Presidente do Conselho de Supervisão da Sinotruk. O Porta-voz da Direção MAN, Georg Pachta-Reyhofen acrescenta: «Com a SITRAK completamos hoje a nossa estratégia BRIC - um componente fundamental. Os camiões pesados 'made in China’ completam perfeitamente o portfólio de produtos e marcas da MAN. Graças à excelente colaboração com a Sinotruk podemos hoje dar outro passo importante na expansão global da MAN.» 0 MAN Truck & Bus


PUBLIREPORTAGE S-LOG

S-LOG

com tripla cer A S-LOG – Serviços e Logística, SA, empresa do Grupo Entreposto, alcançou as certificações do Sistema de Gestão Ambiental e do Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho pela APCER, segundo as normas NP EN ISO 14001:2004 e NP 4397:2008 / OHSAS 18001:2007, respectivamente. Esta distinção, que surge na sequência da certificação em 2009 do Sistema de Gestão de Qualidade da S-LOG, segundo a norma NP EN ISO 9001:2008, também pela APCER, vem confirmar a aposta da empresa num dos seus objectivos principais que é a satisfação dos clientes, mediante a melhoria e aprimoramento dos seus processos internos. A S-LOG reforça assim a competência e rigor na execução

Abril 2011

Logística do Grupo Entreposto com certificação em gestão ambiental e segurança e saúde no trabalho


Abril 2011

PUBLIREPORTAGE

rtificação

dos serviços que presta, assumindo o compromisso com o cumprimento de normas de elevado rigor e exigência, nos domínios ambiental e da segurança e saúde no trabalho, a par da qualidade. A empresa sedeada em Setúbal (Vale da Rosa) engloba duas divisões, que no seu conjunto incluem 15 colaboradores: a de Logística Integrada ou Fraccionada, que se ocupa da Recepção/Manutenção, Arrumação/Separação, Embalagem e Expedição de produtos multicliente e a de Logística de Viaturas, que se ocupa da Recepção, Parqueamento e Entrega, Preparação, Pintura, Ser viços Rápidos, Transformações/Montagens e Controlo de Qualidade de veículos novos e usados. A S-LOG tem tido como propósito desenvolver uma oferta especializada como operador logístico de média dimensão vocacionado para prestar ser viços a diversos clientes em diferentes sectores de actividade nas áreas de Logística Integrada – vocacionado para operações de picking e distribuição intensivas e operações de valor acrescentado, em formato de Logística de Contrato e/ou Logística In-house e Logística de Viaturas – vocacionado para prestação de serviços globais a Fabricantes, Distribuidores e Concessionários. 3


A S-LOG fornece serviços de gestão da cadeia logística, que acrescentem valor às operações dos clientes, através da redução dos seus custos operacionais, libertando-lhe recursos e permitindo a focalização no seu negócio, assegurandolhe para tal níveis elevados e constantes de serviço, contribuindo em suma com a eficácia da operação logística para o reforço da sua posição competitiva. Com uma já longa experiência em actividades logísticas exigentes e de grande rigor, gere segundo as melhores práticas do mercado, suportados nos conhecimentos e experiência dos seus quadros e colaboradores e na evolução tecnológica permanente que permite o estudo das melhores soluções face às ne-

cessidades do Cliente. A empresa distingue-se da concorrência pela sua experiência em Gestão de Cadeias Logísticas com elevados níveis de complexidade. Por outro lado, possui competência comprovada em Clientes/negócios com elevado grau de exigência na cadeia logística, garantindo o cumprimento rigoroso dos níveis de operacionalidade acordados em termos qualitativos e quantitativos. Finalmente, procede à integração operacional a montante e a jusante da cadeia de abastecimento, sincronizando as necessidades. A S-LOG é especializada na Gestão de Operações de Logística Integrada, com elevado número de sku's, grande volume de pequenas encomendas S-LOG

S-LOG

PUBLIREPORTAGE

3

Abril 2011


PUBLIREPORTAGE

S-LOG

e com inúmeros pontos de entrega e utiliza Sistemas Automáticos de Armazenagem, de alta produtividade para produtos de pequena dimensão. Com uma localização privilegiada proporciona uma cobertura geográfica optimizada e que garante acessos fáceis, rápidos e diversificados desde a sua infra-estrutura, disponível para crescimento da actividade (cerca de 115.000 m2 de área bruta) e com possibilidade de instalação integral da actividade de qualquer empresa no seu Parque Logístico. A S-LOG utiliza nos seus armazéns a solução WarePack Pro, vs3PL, especialmente desenhada para operações logísticas e que se caracteriza pela sua capacidade de adaptação

funcional a diversos tipos de operações, com características diferenciadas entre si, mantendo todas as vantagens de optimização de espaço e tarefas, e permitindo o desenho e controlo funcional de processos sem intervenção de "know how" informático. As suas funcionalidades abrangem um vasto leque de processos, destacando-se as seguintes: Comunicação com ERP s Clientes via EDI, XML, TXT, etc; Utilização de Códigos de Barras ou referências internas em todas as tarefas; Utilização de Leitores Ópticos, sistemas de "voice picking" ou RFID; Integração de ASN's via EDI/XML ou carregamento manual de Encomendas a Fornecedores; Integração de En-

3

Abril 2011


comendas de Clientes via EDI/XML ou carregamento manual; "Track and Trace" de números de série; Gestão de inventário por FEFO, FIFO, LIFO, a pedido, etc; e optimização de espaço utilizado. Além disso permite visibilidade sobre stock em quarentena, para abate, bloqueado, etc; Emissão de SSCC's; Impressão automática de documentos e etiquetas de expedição; Registo integral de tarefas efectuadas; Contagens de inventário gerais, parciais, por artigo, lotem, etc; Relatórios standards ou desenhados pelo utilizador; e funcionamento de contingência. O Grupo Entreposto, no qual a S-LOG se insere, facturou em 2010 mais de 600 milhões de euros com as suas múltiplas actividades em Portugal (Distribuição e Retalho Automóvel e de Máquinas e Equipamentos Agrícolas e Industriais, Rent-aCar, Promoção Imobiliária e Logística), Moçambique (Distribuição e Retalho Automóvel e de Máquinas e Equipamentos Agrícolas e Industriais, Rent-aCar, Sistemas de Informação, Turismo e Madeiras) e no Brasil (Retalho Automóvel e de Máquinas e Equipamentos Agrícolas e Industriais), contando com mais de 2 300 colaboradores nos 3 continentes. 0 S-LOG

Abril 2011

S-LOG

S-LOG

PUBLIREPORTAGE

3


152838


NEWS GEFCO

EMMA dispon rota da Ponte A GEFCO, grupo internacional de logística, e a SRR, empresa ferroviária em grande crescimento na Letónia, assinaram a 22 de Março de 2011 um Acordo Joint Venture, com o objectivo de incorporar a joint venture franco-letã “EMMA” (Eurasian MultiModal Alliance). A nova empresa, registada a 29 de Março de 2011, disponibiliza serviços multimodais entre a Letónia e a Ásia Central. “EMMA”: uma nova oferta multimodal entre a Letónia e a Ásia A GEFCO cobre actualmente uma extensa área da Europa e da América Central e está agora a crescer mais a leste, para servir as indústrias aí localizadas. Já presente na Letónia, a GEFCO está a criar uma filial no Cazaquistão (Almaty), onde o comércio com a Euro-

pa tem vindo a crescer substancialmente. A SRR já é líder nos fluxos Multimodais entre o Cazaquistão e a Letónia. Para William le Clere, Director Geral da GEFCO no Báltico, «Colocando os seus esforços em conjunto, ambas as empresas poderão fornecer aos seus clientes soluções multimodais eficientes, regulares e competitivas». A criação da Joint Venture A JSC „SRR” é uma das maiores companhias de transporte ferroviário na Letónia, e tem como principais clientes indústrias transformadoras e mineiras, e empresas cuja actividade está orientada para a exportação. A SRR mostrou-se verdadeiramente interessada na proposta que recebeu da GEFCO para criar uma estrutura comum, uma vez que a actividade da

SRR está focada na exportação de matérias-primas provenientes da Ásia e a GEFCO, na Letónia, está mais orientada para a importação do produto final. Esta é considerada uma parceria win-win para ambas as empresas, como explica o Chairman da SRR, Evgueni Slobine: «esta consolidação permite-nos maximizar e aumentar a eficiência do material que circula, assim como a utilização de equipamento dos contentores e, consequentemente, optimizar os processos logísticos de entrega de mercadorias – a associação das direcções de importação e expor tação resultarão no aumento da competitividade do corredor letão o que poderá, eventualmente, trazer benefícios económicos positivos para os nossos clientes». 0 Grupo GEFCO

FICHA TÉCNICA

Director: Giancarlo Terrassan e giancarlo.terrassan@jornalstrada.net - Directora adjunta: Ana Bela Nogueira e ana.bela.nogueira@jornalstrada.net - Redação: e editor@jornalstrada.net - Colaboradores: Marle Editora, Lda. - Paginação: e editor@jornalstrada.net - Ameise Editora, Lda. - Directora Comercial: Marisa Nogueira de Sousa - Marketing e Publicidade: t +351 234 197 770 - f +351 234 197 770 m +351 Propriedade e edição: Ameise Editora, Lda. - Rua da Cabreira, 83 R/C Dto - S. Bernardo - 3810-071 Aveiro - Portugal - Contactos: t +351 234 197 770 - f +351 234 197 770 m +351 916 834 742 - m +35 Cons. Reg. Com. de Aveiro N° 5940/040317 - NIF: 506 821 315 - Cap. Social: E 5.000,00 - Fundado: Dezembro de 2003 - Periodicidade: Mensal - Divulgação: Distribuição gratuita Depósito Legal: 203764/ Toda a reprodução, seja por fotocópia ou por qualquer outro processo, sem prévia autorização do editor, é ilícita e passível de processo judicial. - Todos os textos enviados pelos leitores e publicados no Strada ou em

Abril 2011


NEWS

nibiliza e da Eurásia

ene Mesquita da Silva, Vanda Lopes, Tavares Ribeiro, João Cerqueira, Nuno Almeida - Reportagem fotográfica: e editor@jornalstrada.net - Giancarlo Terrassan, Patrick Dreux, Nuno Almeida - Design e Layout: Ameise 968 708 537 - e comercial@jornalstrada.net 1 913 466 142 - m +351 968 708 537 - e ameise.editora@netvisao.pt - e giancarlo.terrassan@jornalstrada.net URL: www.jornalstrada.com /03 - Registo N° 124492 ERC - Entidade Reguladora para a Comunicação Social - ISSN: 1647–7022. m qualquer outro produto de propriedade da Ameise Editora, Lda., são de inteira responsabilidade dos mesmos; a Ameise Editora, Lda. declina qualquer responsabilidade em caso de acção judicial.

Abril 2011


NEWS GEFCO

A GEFCO, filial que pertence 100% à PSA Peugeot Citroën, assinou um acordo com o Italian Fund Venice, controlado pelo Palladio Finanziaria, e com o fundo RP3 para a compra de 70% do Grupo Italiano MERCURIO, uma das empresas líderes no transporte e distribuição de veículos em Itália e no estrangeiro. O grupo MERCURIO tem uma presença significativa em todo o mundo, nomeadamente em áreas de rápido crescimento como Mercosul, Índia, Sudeste Asiático e Europa Central e em 2010 gerou receitas de 127 milhões de euros em 2010. Com esta aquisição, a GEFCO, líder europeia em logística e transportes, vai acelerar o seu desenvolvimento na exportação de logística automóvel, assim como na diversificação da carteira de clientes e na expansão da sua presença internacional. Para além disso, sinergias importantes permitirão à GEFCO reforçar a competitividade da sua rede europeia. A aquisição da MERCURIO está sujeita, entre outros aspectos, à aprovação por parte das autoridades antitrust. 0 Grupo GEFCO

Adquire 70% do Grupo MERCURIO SpA

Abril 2011


150633


SPORT AIFA

À descoberta d Depois da revolução iniciada a 14 de Janeiro, a Tunísia prepara-se para receber, de 30 de Abril a 6 Maio, a terceira prova da Taça do Mundo de Todo-o-Terreno, competição que este ano comemora a sua 30ª edição. Vencedora no ano passado na categoria de camiões, Elisabete Jacinto já confirmou a sua par ticipação. Estão também confirmadas, entre muitos outros, a participação do francês Jean Louis Schlesser, também ele vencedor em 2010 e que recentemente conquistou o triunfo no Africa Eco Race; o russo Leonid Novitskiy, que num BMW X3 da equipa oficial é o actual titular da Taça do Mundo e o português Hélder Rodrigues, na categoria de motos. A piloto do MAN TGS prepara activamente a sua participação na prova tunisina através de um intenso programa diário de treino físico, enquanto que, nas oficinas da Hydraplan em Alverca, se ultimam os trabalhos mecânicos no camião: «Depois do Africa Eco Race o nosso MAN TGS foi sujeito a um muito promenorizado trabalho de revisão e ainda a algumas alterações, dando assim continuidade a um programa de desenvolvimento que te-

Abril 2011

mos vindo a executar desde a sua chegada a Portugal» salienta Jorge Gil, o Team Manager da equipa. Para Elisabete esta será a nona participação no Rali da Tunísia. Correu por quatro vezes de moto, tendo vencido a Classe 250cc em 98 e outras tantas de camião. Venceu pela primeira vez uma etapa à geral de camião em 2004 neste rali e conseguiu o seu triunfo absoluto nesta categoria em 2010. Apenas uma vez foi forçada a abandonar (ano 2000) quando, numa queda, partiu uma clavícula. «A Tunísia é um país fabuloso para o todo-o-terreno. Tem pistas magníficas e variadas. Guardo boas recordações desta corrida. Foi nela que ganhei a minha primeira especial à geral dos camiões. Foi uma sensação inesquecível.» O Rali da Tunísia terá este ano seis etapas, que se disputarão, como é habitual, no sul do país. Os concorrentes europeus embarcarão em Marselha rumo a Túnisia onde chegarão a 29 de Abril. O dia 30 está reser vado para as verificações administrativas e técnicas, realizando-se a primeira etapa no dia 1 de Maio. 0 A2 Comunicação

Elisab


TunĂ­sia

bete Jacinto

Abril 2011

SPORT

e uma nova


SPORT

Elisabete Jacinto satisfeita com a segurança no Rali da Tunísia Elisabete Jacinto esteve no dia 12 de Abril presente na apresentação à imprensa do Rali da Tunísia. Stéphane Clair, responsável pela organização da prova, veio a Portugal para divulgar as características gerais desta corrida da Taça do Mundo e explicar o enquadramento da mesma, num país cuja revolução despoletou grandes mudanças sociais e políticas no Norte de África. Vencedora no ano passado, na categoria de camiões, Elisabete Jacinto já tinha reservado a sua inscrição para a prova que irá decorrer entre os dias 30 de Abril a 6 Maio, mas as garantias dadas por

Stéphane Clair deixaram-na muito mais confiante. «Tem havido uma excelente cooperação entre as autoridades tunisinas e a organização da prova que nos garante que esta se vai realizar sem percalços. É um facto que a economia da Tunísia depende bastante do turismo e este sofreu uma forte quebra com a revolução. O Rali da Tunísia será assim o primeiro evento desportivo a realizar-se neste país depois da revolução e servirá para provar ao Mundo que a Tunísia é um país seguro para todos o que o quiserem visitar. A realização deste rali é um voto de confiança ao povo tuAIFA

AIFA

satisfeita com nisino. É uma honra participar num evento desportivo que marca o nascimento de uma nova Tunísia.» salienta Elisabete Jacinto que acrescenta: «Quanto ao traçado da prova pareceu-me bastante interessante. Vamos ter novos percursos e, desta vez, as maiores dificuldades estão anunciadas para as duas primeiras etapas. Confesso que as prefiro no final pois, como estou sempre bastante tempo sem conduzir, as primeiras etapas ser vem-me para retomar o ritmo». O Rali da Tunísia terá este ano seis etapas, que se disputarão com é habitual no sul do país. Os concorrentes europeus embarcarão em Marselha no dia 28 rumo a Tunis onde desembarcarão a 29 de Abril. O dia 30 está reservado para as verificações administrativas que terão lugar em Tozeur, realizando-se a primeira etapa no dia 1 de Maio. 0 A2 Comunicação

Abril 2011


Abril 2011

SPORT

m a seguranรงa


Nº151009 82 - Ano 8 - 31 Março 2011 • Distribuição gratuita • Periodicidade: Mensal • ISSN 1647–7022

WINNER of the platinum seal of e-excellence 2011

e e g n m i a t o chhas arrived t e r u t h e fu t

www.jornalstrada.com

MAN Truck & Bus

www.jornalstrada.com


Strada Truck #083