__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

139897

Nº 81 - Ano 8 - 28 Fevereiro 2011 • Distribuição gratuita • Periodicidade: Mensal • ISSN 1647–7022

Necessidade a hora chegou de mudar Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

www.jornalstrada.com


EVENTS

JORNAL

STRA

ganha prémio

Reconhecimento internacional com o prestigiado Seal of e-Excelle Fiel ao seu estatuto editorial, sendo tecnicamente rigoroso, pioneiro nas novas tecnologias e apresentando uma boa imagem do produto, o Jornal Strada viu ser reconhecido todo o seu trabalho: foi distinguido com o European Seal of e-Excellence 2011 na categoria de Platina. É com grande orgulho que comunicamos a conquista deste prestigiado Seal, salientando que o Strada é a primeira revista do sector dos transportes, em todo o mundo, a ganhar distinto prémio com reconhecimento internacional.

Fevereiro 2011


EVENTS

DA

PLATINA

ence

Fevereiro 2011


EVENTS Fevereiro 2011

O Prémio Este Selo Europeu de Excelência é reconhecido por promover empresas nos sectores de tecnologias de informação e comunicação (TIC) e de meios de comunicação digitais que se destacam no marketing inovador, isto é, empresas que combinam produtos ou ser viços inovadores com um marketing de excelência. O Seal é concedido anualmente desde 2003, pelo Fórum Europeu do Multimédia (EMF) e pelas suas Associações Parceiras (para Portugal: Agência de Inovação e ANJE). Um júri composto por representantes das mesmas selecciona os vencedores baseando-se nas candidaturas.


CAMIÕES. LEASING & FINANCIAMENTO. SOLUÇÕES DE FROTA. SERVIÇOS & PEÇAS.

O verdadeiro vencedor é você.

XXXXXXXXXXX

Uma marca da Daimler

O novo Atego. Camião do ano 2011.

* * Camiões de confiança


EVENTS

Clube de Vencedores Durante os últimos oito anos, mais de 300 empresas do mundo inteiro tiveram o privilégio de receber o Selo. São empresas bem conhecidas como a NOKIA (Selo de platina, 2004), a VASCO data security (Selo de platina, 2008), a Zanox (Selo de platina, 2008) ou a PANGORA (Selo de ouro, 2007).

Fevereiro 2011

A Cerimónia A cerimónia de entrega do prémio European Seal of e-Excellence decorreu no dia 1 de Março, no Webciety Forum of the CeBIT em Hannover, na Alemanha. A CeBIT é a maior e mais reputada feira comercial do mundo na área das Tecnologias, Sistemas de Informação e Telecomunicações Digitais. Por essa ocasião, perante largas centenas de convidados de todo o mundo, o Jornal Strada recebeu o mais elevado prémio: o prestigiado e honroso Selo de platina. 0


EVENTS Fevereiro 2011


ENVIRONMENT

O futur

passa p

Fevereiro 2011


Veículos comerciais que utilizam conceitos alternativos, contribuem para a redução dos níveis de CO2, além de representar a solução ideal para aliviar as estradas do intenso trânsito.

por aqui

Fevereiro 2011

ENVIRONMENT

| Giancarlo Terrassan giancarloterrassan@jornalstrada.net

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

ro


Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

Por ocasião da última edição da IAA, a MAN apresentou o Concept S, resultado do mais recente estudo sobre o futuros veículos comerciais pesados, efectuado pela marca bávara. Fugindo radicalmente do tradicional estilo cúbico das actuais cabinas, o Concept S tem uma frente fina, elegante e cheia de delicadas curvas, características que lhe conferem uma elevada capacidade de penetração no ar. Após a realização dos tradicionais testes aerodinâmicos ainda na fase de projecto e sucessivamente no modelo em tamanho real, chegou a hora de testar este maravilhoso veículo, na estrada, acoplado com um semitrailer igualmente futurístico e inovador. O governo alemão está envolvido num projecto que visa combater e solucionar o aumento das emissões, consumos de combustíveis e intensidade de trânsito nas estradas da federação, devido à maior e crescente necessidade de transporte de bens. Para conseguir concretizar este projecto, o governo alemão conta com um forte aliado, a MAN, capaz de proporcionar toda a tecnologia e experiência do sector, desenvolvendo conceitos de veículos comerciais alternativos, que não obriguem a excessivas alterações nas estruturas viárias. Com o mais recente MAN Concept S e seu semitrailer isto já é possível!

3

Fevereiro 2011

AERODINAMICA - INCIDÊNCIA DA RESISTÊNCIA MAN Truck & Bus

ENVIRONMENT

3

Resistência aerodinâmica 40%

8% Componentes auxiliários

Perdas na cadeia cinemática 7%

45% Resistência rolamento

Energia necessária para os veículos comerciais (a 85 km/h numa autoestrada plana sem perdas de força devido a outros agentes)


/#06TWEM$WU#)s7OCGORTGUCFQITWRQ/#0          

YYYOCPOPRV

#VÅNKVTQUFGEQODWUVÉXGNOGPQU       #VÅaFGRQWRCPÃC    

1  U G I T G F Q  FC  G EQPQO KCFG EQODW U V KX GNGO NQPIQ  EWT U Q

0 0CGUVTCFCÅSWGUGICPJCQFKPJGKTQ CGUVTCFCÅSWGUGICPJCQFKPJGKTQ 1 1EWUVQFQEQODWUVÉXGNGUV½CUWDKTGCEQORGVKVKXKFCFGCCWOGP EWUVQFQEQODWUVÉXGNGUV½CUWDKTGCEQORGVKVKXKFCFGCCWOGP

VTCFW\PWOCRQVGPEKCNTGFWÿQCVÅaPQUEWUVQUOCKUWOC VTCFW\PWOCRQVGPEKCNTGFWÿQCVÅaPQUEWUVQUOCKUWOC

VVCT'UV½PCJQTCFGTGFW\KTEWUVQU%QOQPQXQVTCEVQT6):'HǣEKGP CT'UV½PCJQTCFGTGFW\KTEWUVQU%QOQPQXQVTCEVQT6):'HǣEKGP

TTGFWÿQCVÅVQPGNCFCUFGGOKUUÑGUFG%1GOCPQU16): GFWÿQCVÅVQPGNCFCUFGGOKUUÑGUFG%1GOCPQU16):

VV.KPGRQFGGEQPQOK\CTCVÅNKVTQUFGEQODWUVÉXGNGOCPQU .KPGRQFGGEQPQOK\CTCVÅNKVTQUFGEQODWUVÉXGNGOCPQU

' HǣEKGPV.KPGÅWOKPXGUVKOGPVQUWUVGPV½XGN 'HǣEKGPV.KPGÅWOKPXGUVKOGPVQUWUVGPV½XGN

149485

F G  U G T X K Ã Q   S W C P F Q  E Q O R C T C F Q  E Q O  W O  V T C E V Q T  F G  U G T K G   1  S W G  U G FGUGTXKÃQSWCPFQEQORCTCFQEQOWOVTCEVQTFGUGTKG1SWGUG

/ /#06TWEM$WU#) #06TWEM$WU#)


Fevereiro 2011

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

ENVIRONMENT


ENVIRONMENT

Segundo a explicação de Georg Pachta-Reyhofen, CEO da MAN SE e da MAN Truck & Bus «Os conceitos de veículos comerciais alternativos não só permitem a expansão das infraestructuras de transporte de acordo com a procura, mas também dão um contributo de enorme importância para aumentar a capacidade do transporte de bens por estrada de uma forma amiga do ambiente. A MAN está convencida que, com os camiões longos, está a testar uma tecnologia de futuro que irá permitir baixar significativamente as emissões de CO2.»

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

3

3

Fevereiro 2011


MAN Truck & Bus

AERODINAMICA - DOLPHIN TRUCK STUDY MAN TGX Cw = 0,5 4,00 m 66 europallets (altura 1,00 m) 16,50 m MAN TGX Cw = 0,3 4,24 m 67 europallets (altura 1,00 m) 17,30 m

AERODINAMICA - COMPARAÇÃO

MAN Truck & Bus

Cw

Cw < 0.3

0,8

0,7

0,6

0,5

0,4

0,3

Cw< 0.3 é possível e resulta numa redução no consumo e no CO2 de 24%

3 Mais de 200 empresas estão prontas para participar neste exaustivo teste ao longo deste ano. A MAN irá participar nestes testes com dois conjuntos cuja dimensões são ligeiramente maiores, seja na altura como também no comprimento. Estes veículos foram denominados Dolphin Truck, pelo facto de terem sido desenvolvidos com base em estudos efectuados sobre a forma do corpo do golfinho e o seu efeito hidrodinâmico. No que concerne os veículos, ambos os conjuntos estão equipados com todos os tradicionais sistemas de segurança e assistência ao condutor, incluindo também o ESP (Elektronisches

MAN Truck & Bus

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

MAN Truck & Bus

ENVIRONMENT

AERODINAMICA - DOLPHIN TRUCK STUDY

Fevereiro 2011


3486

Stabilitätsprogramm - igualmente conhecido por ESC “Electronic Stability Control”), o CDC (Continuous Damping Control) para controlar constantemente o amortecimento, o LGS (Lane Guard System) para assistir o motorista a manter o veículo na faixa de rodagem e para garantir o máximo de segurança durante a condução destes conjunto o ACC (Adaptive Cruise Control) tomará o controlo automático das velocidades de cruzeiro em função da distancia de segurança em relação ao veículo que circula à sua frente. Além desta panóplia de dispositivos os dois veículos estão equipados com o sistema Telematic, também conhecido como ICT (Information and Communications Technology), com o fim de

registar todas as informações recebidas através dos vários sensores do veículo e, sucessivamente, realizar a transferência de todos os dados operacionais, permitindo efectuar uma análise mais profunda e precisa sobre o comportamento dos conjuntos em teste. O objectivo final destes testes, com o seu valiosíssimo volume de informações recolhidas, permitirá que os envolvidos neste projecto possam avaliar, com elevada precisão e eficácia, a verdadeira importância de mudar o conceito actual dos transportes, além de aumentar os necessários conhecimentos sobre a eficiência destes meios de

transporte, especialmente no que concerne a redução do consumo de combustível e das emissões de CO2. Com estes testes, será ainda possível detectar quais as anomalias existentes na rede rodoviária e

3

ansporte boque tr e r o d a lemátic Com a te mais eficiência a d com ain

O seu

milagre.económico Mude para a faixa do sucesso.

Com os reboques Schmitz Cargobull controle o seu transporte com segurança e eficácia. Hoje e no futuro – just more.

www.cargobull.com

Mais informações: +351 243 999 530


3

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

ENVIRONMENT

quais os percursos mais apropriados para este tipo de conjuntos. No que diz respeito à vertente humana, todos os motoristas envolvidos vão receber uma formação específica sobre a segurança da MAN ProfiDrive, preparando e habilitando-os a conduzir estas composições de maiores dimensões. Com os preços dos combustíveis e os custos de exercício a pesar sobre as empresas, hoje em dia, a solução do transporte rodoviário passa pela introdução de conjuntos articulados mais compridos e pesados. Os actuais limites de 16,50 m para os conjuntos tractor-semitrailer e os 18,75 m para conjuntos articulados, bem como o limite de 40 t (na maioria dos países europeus), são completamente ultrapassados. Os fabricantes e muitos empresários em toda a Europa, defendem a mudança desta legislação e a introdução destes métodos de transportes (do lado dos construtores, os veículos e a tecnologia estão prontos para enfrentar este novo desafio). Lembramos que Suécia e Finlândia já utilizam, em plena segurança, conjuntos de 25,25 m com peso bruto de 60 t e estão avaliando seriamente a possibilidade de subir o peso bruto para as 80 t. Outros países euro-

FICHA TÉCNICA

Director: Giancarlo Terrassan e giancarlo.terrassan@jornalstrada.net - Directora adjunta: Ana Bela Nogueira e ana.bela.nogueira@jornalstrada.net - Redação: e editor@jornalstrada.net - Colaboradores: Marle Editora, Lda. - Paginação: e editor@jornalstrada.net - Ameise Editora, Lda. - Directora Comercial: Marisa Nogueira de Sousa - Marketing e Publicidade: t +351 234 197 770 - f +351 234 197 770 m +351 Propriedade e edição: Ameise Editora, Lda. - Rua da Cabreira, 83 R/C Dto - S. Bernardo - 3810-071 Aveiro - Portugal - Contactos: t +351 234 197 770 - f +351 234 197 770 m +351 916 834 742 - m +35 Cons. Reg. Com. de Aveiro N° 5940/040317 - NIF: 506 821 315 - Cap. Social: E 5.000,00 - Fundado: Dezembro de 2003 - Periodicidade: Mensal - Divulgação: Distribuição gratuita Depósito Legal: 203764/ Toda a reprodução, seja por fotocópia ou por qualquer outro processo, sem prévia autorização do editor, é ilícita e passível de processo judicial. - Todos os textos enviados pelos leitores e publicados no Strada ou em

Fevereiro 2011


0

ene Mesquita da Silva, Vanda Lopes, Tavares Ribeiro, João Cerqueira, Nuno Almeida - Reportagem fotográfica: e editor@jornalstrada.net - Giancarlo Terrassan, Patrick Dreux, Nuno Almeida - Design e Layout: Ameise 968 708 537 - e comercial@jornalstrada.net 1 913 466 142 - m +351 968 708 537 - e ameise.editora@netvisao.pt - e giancarlo.terrassan@jornalstrada.net URL: www.jornalstrada.com /03 - Registo N° 124492 ERC - Entidade Reguladora para a Comunicação Social - ISSN: 1647–7022. m qualquer outro produto de propriedade da Ameise Editora, Lda., são de inteira responsabilidade dos mesmos; a Ameise Editora, Lda. declina qualquer responsabilidade em caso de acção judicial.

Fevereiro 2011

ENVIRONMENT

peus, estão a ponderar de forma muito empenhada na possibilidade de permitir a circulação de veículos de maiores dimensões e de sistemas de transportes rodoviários que utilizam conceitos alternativos. A intenção de instaurar a velocidade máxima de 80 km/h a nível europeu, com o intuito de diminuir os consumos e as emissões, é mais uma agravante que se aproxima a largos passos para o mundo dos transpor tadores rodoviários. Se esta obrigação entrará em vigor, seguramente, num breve período de tempo, teremos a ocasião de ver circular, em muitos países europeus, combinações deste tipo. Voltamos a lembrar que o governo alemão está lutando para permitir a redução do consumo de combustível e na redução das emissões de CO2 nos veículos dedicados ao transporte de bens, entre outras medidas. A MAN Truck & Bus, com o Concept S está pronta para oferecer ao mercado dos transportes de mercadoria, um veículo com uma característica aerodinâmica melhor de que um moderno automóvel, com a capacidade de gastar 25% de combustível a menos e consequentemente diminuir substancialmente as emissões de CO2.


O Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Cargas e Logística do Rio de Janeiro – o SINDICARGA – é a entidade representativa dos interesses das empresas desse sector perante a sociedade civil e autoridades constituídas em todas as esferas de governo. O Jornal Strada quis conhecer melhor como funciona o sector rodoviário no Brasil e, em entrevista com Francesco Cupello, Presidente do SINDICARGA, deu-nos a conhecer um pouco a realidade do sector neste País. STRADA: Como nasceu o SINDICARGA e qual o seu fundamento principal? Sindicarga: O objectivo da criação do SINDICARGA foi organizar as empresas existentes na época a fim de deliberarem e terem acesso às autoridades municipais e estaduais para resolverem as questões pertinentes ao sector.

STRADA: Onde está localizada a vossa sede social? Sindicarga: Rua Jequiriça, 167 - Penha, Rio de Janeiro - Brasil. STRADA: Quantas empresas de transporte existem no Rio de Janeiro e qual é a vossa quota em termos de associados neste momento? Sindicarga: No Rio de Janeiro, na nossa área, temos 2.005 empresas de transportes, sendo que destas 60% são associadas. STRADA: Que tipo de ser viços prestam aos vossos associados? Sindicarga: Prestamos um vasto conjunto de ser viços, nomeada-

3

Fevereiro 2011

SINDICARGA

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

INTERVIEW Marcelo Cury

| Ana Bela Nogueira ana.bela.nogueira@jornalstrada.net

STRADA: Sendo que a vossa entidade é um Sindicato e não uma Associação, em que é que se diferenciam, em especial das Associações existentes no Brasil. Sindicarga: O sindicato tem a carta sindical, sendo ele o representante oficial do sector patronal do transporte de carga. As associações são iniciativas civis que convocam debates e discussões de interesse de uma determinada categoria, como por exemplo: clube dos Gerentes.


150439

Sindicarga ĂŠ o representante oficial do sector patronal do transporte de carga do Rio de Janeiro e representa 60% das 2.005 empresas deste Estado brasileiro.

INTERVIEW

SINDICARGA


Marcelo Cury

mente, assessoria jurídica e de segurança, avaliação psicológica, cursos profissionalizados, locação de espaço, consulta do SERASA, seguro de vida em grupo e seguro para frota e carga. Para além de empréstimos consignados, licenciamentos e certificações, grupo de consórcio, assistência médica, plano odontológico e selo verde, fazemos ainda desconto na UNISUAM (Universidade), descontos em hotéis, pousadas, restaurantes, casa de shows, parque aquático e realizamos almoços de negócios. STRADA: O SINDICARGA representa as empresas de transportes numa área geográfica específica do Brasil ou abrangem todo o território? Sindicarga: O SINDICARGA representa o sector de transporte, no âmbito de 32 municípios do estado do Rio de Janeiro, ou 70% do PIB estadual no sector. STRADA: Como representantes das empresas de transpor te, quais são as principais preocupações e problemas que os transportadores enfrentam no Brasil? Sindicarga: A carga tributária afecta os empresários e procuramos, de imediato, a redução no preço do IPVA para que seja compatível com as demais

Fevereiro 2011

capitais do país e a diminuição da taxa do PIS/CONFIS e do ICMS sobre o diesel no estado do Rio de Janeiro são questões que preocupam os transportadores. Para além do excesso de leis e decretos que oneram o sector do transporte rodoviário e das restrições de tráfego impostas pela prefeitura (sem ordenamento correcto e aproximação com entidades representativas do transporte rodoviário de cargas). A questão da segurança e falta de mão-de-obra qualificada são também problemas preocupantes. STRADA: Relativamente ao flagelo dos roubos de cargas nas estradas, como é que os transportadores lidam com estes problemas? A situação tem melhorado? Sindicarga: As transportadoras lidam com o flagelo do roubo de cargas da seguinte forma: procurando soluções disponibilizadas por empresas privadas de segurança instalando monitorização electrónica nos veículos, proporcionando formação dos motoristas, com o intuito de diminuir riscos e contratando empresas de consultorias para elaboração de planos de segurança para o embarque, trajecto e desembarque das cargas. A situação tem melhorado, tendo em vista a queda no índice do roubo de carga do Estado do Rio de Janeiro.

SINDICARGA

INTERVIEW

3


STRADA: Têm planos de formação para os empresários e motoristas e que outras acções promovem? Sindicarga: Fica cada vez mais claro que a actividade é imprescindível para a sociedade, como foi comprovado no desastre natural com maior número de vítimas fatais ocorrido no Brasil, em que as entidades apoiaram a mobilização social no transporte dos donativos arrecadados. Se não fosse o auxílio dos camiões disponibilizados para o transporte até o local destinado, não se teria o

êxito no processo de ajudar as milhares vítimas dessa tragédia. Fica evidente a importância do sector perante a sociedade, bem como noutras áreas, como por exemplo a área dos combustíveis, já que dois dias sem fornecimento o país pára. O profissionalismo do sector também ser torna cada vez mais essencial no dia-a-dia, devido ao grau de exigências, seja no legislativo e nas operações rotineiras como pela modernização dos equipamentos. STRADA: Quais as vossas maiores aspirações enquanto representantes do sector de transportadores e como é que vêm o sector no futuro? Sindicarga: Hoje existe um grande trabalho feito pela Comissão de Jovens Empresários do Transporte Rodoviário de Cargas (COMJOVEM), que procura a aproximação com os jovens empresários no intuito de fornecer toda a orientação e informação sobre o sector. Além disso, o SINDICARGA está dando apoio técnico para os profissinais das transportadoras (responsável técnico) e também oferece cursos para a formação de novos profissionais do transporte rodoviário. Os que conduzem as máquinas cada vez mais modernas, não podem ser mais classificados como simplesmente motoristas. 0

Fevereiro 2011

INTERVIEW

STRADA: Que outros problemas enfrentam os motoristas (caminhoneiros), em termos de segurança nas vossas estradas? Sindicarga: Um dos principais problemas enfrentados é a falta dos efectivos na Polícia Rodoviária Federal, para que se permita um policiamento mais eficaz nas rodovias federais. Outro ponto importante é a ausência de infra-estruturas, de realçar que a valorizada instituição não possui sequer um helicóptero para compôr as operações. É importante salientar que não há um centro de operações e de informações integradas entre as forças estaduais e federais que representam o sucesso na captura de ladrões e receptadores de carga.


NEWS IVECO

No seguimento do sucesso inerente ao modelo ECODAILY, a Iveco introduz agora no mercado a nova gama ECOSTRALIS, alargando, assim, ao navio-almirante da sua gama de comerciais pesados – o Stralis – o bem sucedido leque de soluções ECO, já aplicadas aos comerciais ligeiros. Com a chegada do ECOSTRALIS, a Iveco aperfeiçoa a sua oferta de produtos, renovando a gama de veículos comerciais pesados, em que economia e ecologia se complementam. O novo ECOSTRALIS vem, assim, responder a uma crescente procura que actualmente o mercado regista, no domínio da mobilidade associada ao reduzido impacto ambiental do transporte rodoviário.

3

ECOlógico e Fevereiro 2011


NEWS

e ECOn贸mico Fevereiro 2011


NEWS

3

IVECO

A sustentabilidade no mundo dos transportes é uma área estratégica para a Iveco, marca que aposta na inovação tecnológica como chave para a minimização do impacto ambiental. O ECOSTRALIS é mais um importante contributo da Iveco para a mobilidade sustentável, um veículo que combina elevados índices tecnológicos, respeito para com o ambiente, produtividade e eficiência, assente nos seus propulsores de reduzido consumo energético. O novo ECOSTRALIS surge com optimizações variadas ao nível das suas motorizações, aerodinâmica e sistemas electrónicos, sendo um claro candidato a tornar-se na proposta mais eficiente e ambientalmente sustentável da sua categoria.

3

Fevereiro 2011


144431


NEWS IVECO

3 Avançada tecnologia e conforto de condução Com o novo ECOSTRALIS, a Iveco disponibiliza ao condutor um conjunto de soluções e serviços que incrementam os níveis de conforto e segurança a bordo, reduzem os consumos e, em simultâneo, aumentam a produtividade. Através da criação de um ambiente de condução confortável e eficiente e disponibilizando um sofisticado conjunto de sistemas de segurança activa que reduzem significativamente os riscos de danos ou ferimentos, a Iveco torna mais fácil as operações a bordo dos seus veículos. Para os condutores, o novo ECOSTRALIS disponibiliza cursos para desenvolvimento de estilos de condução simultaneamente mais seguros e económicos, passíveis de serem alcançados devido ao elevado pacote tecnológico que encerra. Em simultâneo, está disponível um conjunto de sistemas telemáticos inovadores, capazes de monitorar o desempenho e a rota tomada por cada veículo de uma frota, assinalando os consumos excessivos, optimizando rotas, minimizando a ineficiência e os tempos de espera, facilitando a gestão da frota dos próprios operadores de transporte rodoviário de mercadorias.

3

Fevereiro 2011


NEWS Fevereiro 2011


IVECO

NEWS

3 ECOnomia e ECOlogia, a fórmula perfeita A sustentabilidade é mais do que um simples objectivo para a Iveco, sendo antes o modo correcto de realizar o seu negócio, num objectivo conjunto que define as bases das decisões do seu dia-a-dia. É parte intrínseca da cultura da Iveco, nomeadamente no desenvolvimento de produtos, assente na garantia da máxima produtividade com um mínimo de custos operativos e de impacto ambiental. A grande novidade da Iveco é o alargamento dessa filosofia já presente na sua gama de comerciais ligeiros ao segmento dos veículos comerciais pesados, com o novo ECOSTRALIS.

150447

3


150445

NEWS


NEWS IVECO 141568

83279502 433 88 26 41 46

Fevereiro 2011

26535897 9 3 23 159 8 14

9643339732 17 693 1 7 97

Consultoria, Contabilidade e Gest찾o 3.

0

& PI, LD A CM

Rua C처nego Maio, 115 R/c C S찾o Bernardo 3810-089 Aveiro Tel/Fax: +351 234 343 530

carlos@cmarques.org


em resumo Assente nos baixos consumos e baixas emissões, a nova gama de motores ECOSTRALIS cumpre com as rígidas normas ambientais EEV. Deriva das variantes AS, AD e AT do reconhecido bloco Cursor 10 (420 a 460 cv) do modelo Stralis e, verá, em breve, a sua disponibilidade alargada ao bloco Cursor 13 de 500 cv. O ECOSTRALIS conta com um Sistema Electrónico de Travagem (EBS), solução que adapta a acção da travagem de acordo com o peso do veículo em movimento (incluindo o peso do reboque ou do semi-re-

boque). A informação gerada pelo EBS é depois utilizada pelo sistema ECO (operado por chave), permitindo a optimização da performance do veículo em função do peso total do veículo. Deste modo, o consumo de combustível é minimizado durante a aceleração, sem que tal afecte a capacidade global do veículo em termos de velocidade. Das especificações do ECOSTRALIS faz parte a transmissão Eurotronic, coadjuvada com o comando ECO, que ajusta a sequência lógica das mudanças engrenadas, permitindo-se apenas o modo automático, que adapta as passagens de caixa

3

150443

Bongás Energias S.A. EN 16, Km 3, Ed. Bongás, Esgueira - Ap.3063 3810-101 Aveiro - Portugal E-mail: info@bxpress.eu Telefone: +351 234 301 100 - Fax: +351 234 301 101 www.bxpress.eu

NEWS

3A tecnologia ECOSTRALIS


IVECO

NEWS

3 de acordo com o critério de poupança de combustível, permitindo ao modelo tornar-se ainda mais económico. Adicionalmente, o modelo pode integrar soluções que permitem outras importantes poupanças: os pneus de baixa resistência 315/70R22,5 que o equipam, complementados pelo Sistema de Monitorização de Pressão de Pneus (TPMS); os ‘spoilers’ frontais e os deflectores laterais que melhoraram a aerodinâmica; e ainda o sistema de telemática “Blue&Me Fleet”, desenvolvido pela Fiat/Microsoft, que permite tirar o melhor partido de toda a tecnologia presente a bordo do ECOSTRALIS. Destaque ainda para a assistência técnica e de serviço da Iveco, que permite ao novo ECOSTRALIS tornar-se num produto ainda mais eficiente em termos de custos. Isto porque na eventualidade de um problema técnico, que – no limite – imobilize o veículo, a própria tecnologia “Blue&Me Fleet” comunica directamente com a Rede Iveco, sem ser necessária qualquer intervenção humana, diminuindo significativamente o tempo perdido e, com isso, os custos. Porque tempo é dinheiro a bordo do novo ECOSTRALIS. 0 Iveco

Fevereiro 2011


NEWS 139978

Fevereiro 2011


FAHER

A FAHER é uma marca internacionalmente reconhecida pela comprovada qualidade dos seus produtos para o tratamento anti-fricção, que opera há 16 anos na área da automação, indústria, construção civil, etc., com resultados comprovados. Factor que contribui para o crescimento exponencial da mesma, dispondo de uma vasta carteira de clientes. As pequenas, médias e grandes empresas com a quais co-opera, partilham o objectivo comum de reduzir os custos de manutenção das suas máquinas e frotas. Da Gama FAHER, fazem parte vá-

rios produtos, entre os quais destacam-se os aditivos de lubrificantes, que contribuem para melhorar as qualidades destes. Os produtos químicos da FAHER, são adequados para tratamento anti-fricção, capazes de suportar temperaturas desde -15 °C até 400 °C, cujo uso é compatível com todo o tipo de óleos, minerais ou sintéticos, como também para massas lubrificantes. Estes produtos são inofensivos para as juntas ou as pinturas e não atacam quimicamente os metais, como o ferro, aço, alumínio e nem as suas ligas. Os produtos FAHER têm características especiais, que, para além de melhorar as propriedades dos óleos, têm outros efeitos benéficos, nomeadamente: inibidor da oxidação, aumentando a duração do lubrificante, inibidor da corrosão, protegendo as superfícies onde actua, anti-emulsionante, não se misturando com água, potenciador do indicador de viscosidade, atenuando os efeitos da temperatura sobre o óleo, reduz a fluidez, pelo que, melhora o funcionamento a baixas temperaturas, reduz a fricção e retarda o desgaste dos materiais sobre os quais actua, reduz o desgaste de componentes com condições marginais de lubrificação.

Fevereiro 2011

PRODUTOS FAHER AFL Multiusos super lubrificante spray Super lubrificante multiusos com um alto poder de penetração, que incorpora PTFE micronizado. Desenvolvido para trabalhos que exijam um alto grau de lubrificação, limpeza e longa duração. Spray que elimina o chiar provocado por fricção, sujidade, ou falta de uso, solta as peças e mecanismos bloqueados, repele a humidade, lubrifica e protege as partes móveis, penetra nas superfícies de metal oxidadas, congeladas, com sujidade ou bloqueadas. FAHER

SPECIAL

TRATAMENTOS

HD óleos, valvulina e massas Tratamento anti-fricção para mecanismos banhados com óleo, valvulinas e massas. Este producto diminui a fricção entre as peças até 90%, aumentando a vida útil das mesmas e dos motores, diminui o excesso de consumo, temperatura e ruído, possui um grande poder de detergência protegendo contra a corrosão, é válido para todo tipo de óleos, valvulinas e massas.


SPECIAL

ANTI-FRICÇÃO

FAHER

EC - EC/M Diesel Produto específico para o tratamento anti-fricção para sistemas de injecção (DIESEL). O EC - EC/M Diesel reduz a fricção em 90%, limpa carbonilha e protege contra a corrosão do sistema de injecção, elimina o efeito de enxofre no gasóleo, melhora a combustão aumentando o índice de cetano, reduz fumos e índices de contaminação (CO, HC, DPM, NOx, CO2), reduz o excesso de consumo de combustível. Pre-ITV.

IG - IG/M – Gasolina Produto específico para o tratamento anti-fricção para sistemas de injecção e carburação (gasolina). O IG - IG/M Gasolina reduz a fricção 90%, limpa carbonilhas e protege contra a corrosão do sistema de injecção ou carburação, melhora a combustão aumentando o índice de Octanas, reduz fumos e índices de contaminação (CO, NOx, CO2, HC e O2), reduz o excesso de consumo de combustível. Pre-ITV.

PTFE Tratamento anti-fricção com Téflon O PTFE (politetrafluoretileno) é um tratamento anti-fricção que contém partículas polares e não polares, que garantem uma dispersão estável nos óleos lubrificantes, tanto de base mineral, como sintética. O PTFE reduz o excesso de temperatura, a vibração, o desgaste, o ruído, o avanço, saltos, o consumo de energia, nalguns casos o consumo de óleo. Melhora o arranque e o funcionamento a baixa velocidade e a altas cargas. 0 FAHER

150365

GRA Massa Especial Anti-fricção Spray A massa especial semi-sintética em spray, tem uma reforçada anti-fricção com PTFE micronizado, um elevado teor de aderência e não descola, é resistente à força centrífuga para kits de transmissão (correntes de motos), reduz a fricção e perdas de potência por falta de lubrificação em qualquer sistema de mecanismos abertos. Suporta cargas elevadas e altas temperaturas, excessos de fricção e contaminação e repele a água

do mar, fluidos corrosivos, agentes químicos, pó, lama, terra e areia. É de fácil aplicação em acessos difíceis.

FAHER

FACB – Lubrificante anti-fricção para correntes FACB é um lubrificante anti-fricção para correntes de bicicletas, motos, etc.. Um óleo especial, detergente, lubrificante, anti-poeiras para correntes, cabos e pontos articulados.

MUNDIALUB, Comércio de Lubrificantes, Lda Avenida Santa Bárbara, N.º 18, 1.º Dto 2640-393 Mafra - Portugal Telefones: (+351) 309 920 013 ou (+351) 219 260 247 Telemóvel: (+351) 936 038 452

E-mail: info@faher.pt - www.faher.pt

Fevereiro 2011


Krautli Portugal

SPECIAL Valvoline

Paulo Santos - Krautli Portugal Fundada em 1866 por John Ellis nos E.U.A, a Valvoline é uma marca da Ashland Inc. que serve mais de 140 países em todo o mundo. Além de ser produtora e distribuidora líder de lubrificantes de primeira qualidade no mercado é, também, a

mais antiga marca da indústria petrolífera. A Valvoline para além de ser das mais antigas no mundo petrolífero é também das marcas mais inovadoras, pela qualida-

de evidenciada nos seus produtos e serviços. Os produtos incluem lubrificantes de motor, fluidos de transmissão, óleos de caixas de velocidades, lubrificantes hidráulicos, químicos automóveis, produtos especializados, massas lubrificantes e produtos para o sistema de arrefecimento. Noutra vertente, presta serviços de financiamento, assessoria, equipamento, merchandising, entre outros. Na realidade, a sua ampla gama de produtos e serviços e o seu eficaz modelo de gestão colocam a Valvoline num patamar de excelência no sector,

People who kno Fevereiro 2011

Valvoline


SPECIAL

Krautli representa Valvoline em Portugal Desde o dia 1 de Setembro de 2010, a Krautli Portugal passou a ser a representante oficial e exclusiva da Valvoline no nosso país, para além da distribuição da gama de lubrificantes e de produtos químicos, a empresa de Santa Iria de Azóia disponibiliza também apoio técnico e especializado ao mercado.

Sob a coordenação de Paulo Santos, Brand-Manager da marca de lubrificantes em Portugal, a Krautli estabeleceu com a Valvoline, uma estratégia de distribuição para o nosso país, que assenta numa rede de distribuidores regionais que fazem a cobertura de todo o mercado português (incluindo Madeira e Açores). Segundo José Pires, DirectorGeral da Krautli Portugal, a Valvoline para além de ser «uma marca com peso, que nos atraiu bastante também por ser Premium, o que vai de encontro à nossa política de pro-

Valvoline

não só capaz de responder às necessidades dos clientes como de incrementar benefícios para os mesmos.

duto (…) tem características únicas que não se consegue encontrar noutro lubrificante». O Director-Geral chega mesmo a afirmar que «há uma percepção de qualidade muito forte relacionada com a marca Valvoline».

3

w use Valvoline

Portugal

Fevereiro 2011


Principal gama de Lubrificantes Valvoline As novas tecnologias, as elevadas quilometragens, as diferentes condições de condução e os intervalos de manutenção prolongados influenciam definitivamente os requisitos do óleo para motores. Nesse pano-

ção que reduzem o consumo de óleo, como também possui agentes de limpeza extra que reduzem a formação de depósitos. Para além de melhorar o consumo de combustível, os aditivos do MaxLife mantêm a oxidação sob controlo e permitem um arranque fácil mesmo com baixas temperaturas. A sua maior vantagem reside

rama, os lubrificantes da Valvoline representam uma óptima solução a fim de obter a máxima performance e a melhor protecção. A gama de produtos da Valvoline é muito extensa, quer ao nível de lubrificantes, quer de outros produtos. No entanto, as gamas mais destacadas e que recebem maior procura por parte dos clientes são a MaxLife, SynPower e a DuraBlend. MaxLife® MaxLife é o primeiro óleo para motor especialmente concebido para motores da mais alta quilometragem. Concebidos para motores com mais de 100.000 km, é um lubrificante totalmente sintético que garante uma maior durabilidade do motor, não só porque é composto por condicionadores especiais de veda-

Fevereiro 2011

Valvoline

Valvoline

SPECIAL

3 na sua combinação de ingredientes extras que ajuda a atrasar o processo de desgaste, ao mesmo tempo que maximiza a performance e a vida útil dos motores com maior quilometragem. É de salientar que o MaxLife foi eleito como Produto do Ano pela Lubricant’s World e foi também homologado pela TÜV Nord, a entidade de homologação independente líder na Europa.


DuraBlend® DuraBlend é composto por uma combinação de óleos básicos sintéticos e minerais de alta qualidade e avançada tecnologia de aditivos. Este lubrificante de motor ajuda a manter constantes picos de desempenho por assegurar uma protecção melhorada para motores que funcionam sob condições difíceis, incluindo temperaturas baixas e altas, ciclos de marcha curtos em que a temperatura de serviço não é alcançada totalmente, condução urbana com pára-arranca e longos períodos de ralenti, bem como trajectos longos a altas rotações. É também o lubrificante mais indicado para veículos rebocadores onde há a necessidade de uma protec-

ção extra para o motor. A economia de combustível e uma durabilidade extra são os principais benefícios alcançados com o uso do DuraBlend. Para além desta gama, a Valvoline formula lubrificantes All Fleet, HD Multigrade, HD Singlegrade, Premium Blue, ProFleet, Eagle One, Pyroil, Tectyl, entre outros. John Ellis, quando lançou a Valvoline, jamais haveria pensado no sucesso que esta viria a alcançar pelo mundo inteiro. Porém, foi a vontade de criar soluções inovadoras para motores aliada à qualidade que colocaram os seus produtos num patamar de excelência no mercado. 0 Valvoline Portugal

tendo o motor sempre limpo. SynPower proporciona protecção sob condições de serviço mais duro, atendendo às exigências dos motores com tecnologia da próxima geração com consumo reduzido de combustível, emissões mais baixas e intervalos de manutenção prolongados.

«Há uma percepção de qualidade muito forte relacionada com a marca Valvoline» Fevereiro 2011

SPECIAL

SynPower® SynPower é um lubrificante de excelência preparado com a mais alta qualidade de óleos sintéticos, combinando, em si, a mais avançada tecnologia de aditivos. Os lubrificantes SynPower não só possuem excelentes propriedades nos arranques a frio, como em altas temperaturas. Por outro lado, a composição deste lubrificante tem uma elevada estabilidade térmica e uma eficaz resistência à oxidação, minimizando a formação de lamas e depósitos e man-


SPECIAL ACV-presse

Euro Fevereiro 2011


SPECIAL Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

| Giancarlo Terrassan

Considerando que o aumento de veículos pesados circulantes até 2025 deverá quase duplicar, segundo fontes da VDA (Verband Deutscher Automobilindutrie), torna-se evidente que a solução passa por uma melhor gestão dos mesmos.

3

Combi Fevereiro 2011


Mais importante e fundamental será a forma como estes serão utilizados, através de uma melhor optimização e aproveitamento, seguindo um critério de escolha, que passa pela zona de influência e da sua efectiva missão. Isto é, diferenciar o tipo de motor e relativa potência consoante a zona e o itinerário a percorrer, bem como a capacidade de carga, o tipo de combustível utilizado, o sistema de tracção e o nível de emissão de poluentes. Perante este panorama, é evidente que as soluções alternativas e mais ajustadas, passam a ser mais importantes de que a própria norma Euro6. Não será mais inteligente começar a pensar no desenvolvimento e introdução efectiva de sistemas de propulsão híbrida, da utilização de combustíveis alternativos e da implementação do sistema EuroCombi, ao lugar de persistir com a norma Euro6?

o ambiente agradece

3

One10

SPECIAL Volvo-Trucks

3


Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

A condução destes veículos de 25,25 metros de comprimento é extremamente fácil. Única atenção a tomar nas curvas, onde temos que “abrir” um pouco mais, mas asseguro que não é muito (logicamente depende do ângulo da curva). Outro momento mais complicado, poderá ser nas manobras, mas para quem está habituado com um conjunto

Fevereiro 2011

SPECIAL

composto de camião de 2 ou 3 eixos e trailer com o primeiro eixo direcçional, seguramente não encontrará nenhuma dificuldade (o sistema de condução em marcha a ré, é o mesmo). Para quem está acostumado a conduzir conjuntos de 17 ou 18 metros, ter cerca de 7 a mais não significa nada de maior. Nas ultrapassagens, os problemas continuam a não persistir, visto que os motores que equipam estes EuroCombi, em geral, são todos superiores aos 500 cv e com binários maravilhosos. Eu próprio testei uns EuroCombi (na Suécia) e posso confirmar a simplicidade de condução e manobra que este conjunto tem — circulei em rotundas, em circuito extraurbano (estrada nacional), em autoestrada e mabrei para estacionar. è claro que ao primeiro impacto mete respeito, mas passada uma “horita”, já entramos na condução normal. A experiência foi realmente divertida, mas sobretudo elucidativa.


Fevereiro 2011

Ă frente na

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

SPECIAL

20min


Para alguns políticos, tudo o que provem dos países escandinavos é do melhor que há, mas o sistema EuroCombi de 60 toneladas que eles usam há décadas no transporte de mercadoria, aqui não presta. É de lembrar que os suecos e finlandeses estão prestes para aumentar a tonelagem dos seus EuroCombi para as 80 toneladas, enquanto no resto da Europa, há quem continue a pensar que as 40 toneladas são o limite certo. Limite justificado erroneamente, para defender paradigmas ultrapassados e completamente fictícios perante a realidade actual. As marcas estão muito mais à frente na visão do futuro... Determinados sectores sociais e pessoas continuam a defender arquétipos do século passado, enquanto as marcas produtoras de veículos pesados, já no século XX, estavam olhando para o século XXI.

3

visão do futuro...

Fevereiro 2011

SPECIAL

3


SPECIAL

a potencial solução União Europeia

3 Estes construtores, sempre ficaram na vanguarda do desenvolvimento tecnológico e social, olhando sempre, pelo menos, duas décadas à frente do seu tempo, apresentando soluções inovativas e futuristas, no âmbito da segurança e metodologia dos transportes, mostrando claramente quem possui o verdadeiro know how.

Daimler

3

retira um veículo Fevereiro 2011


SPECIAL

Suécia e Finlândia

em cada três das estradas Fevereiro 2011


SPECIAL

3 Reduzir a quantidade de veículos comerciais circulantes, poderá parecer negativo para as marcas construtoras, mas na realidade elas estão zelando pelo meio ambiente, segurança e bem-estar. Estando nitidamente preparadas para enfrentar as problemáticas do nosso futuro próximo. Ao primeiro impacto, a solução do futuro dos transportes aparenta passar através de grandes e avultados investimentos e transferências das cargas para outros sistemas de transporte. Na realidade, a verdadeira resposta passa pela optimização dos recursos que já estão disponíveis.

combinações de veículos mais compri

3

veículos mais curtos, se necessário Fevereiro 2011


SPECIAL

Autoestradas, portos e zonas industriais.

MAN Nutzfahrzeuge

dos, se possĂ­vel

Zonas urbanas.

Estradas nacionais.

Fevereiro 2011


SPECIAL

3 Por muitos, as linhas ferroviárias, marítimas, fluviais e aéreas são vistas como respostas únicas e incontestáveis, para o transporte das mercadorias. Na realidade, não são alternativas, mas sim, sistemas complementares.

Kögel

Krone

3

Fevereiro 2011


SPECIAL

Kögel

Kögel apresenta a nova solução Big-MAXX, com um chassis de 14.900 mm, optimizado para o seu transporte em UCT (Unaccompanied combined transport), como também ROLA (Rolling Highway). Este semitrailer, tem uma capacidade de carga para 37 palettes (+4) e 100 m3 de volume., Outra grande característica deste semitrailer, reside no facto que utiliza em pleno as medidas standard dos lugares de estacionamento nas autoestradas.

Fevereiro 2011


SPECIAL

3 De facto, hoje em dia, especialmente na Alemanha, Holanda e Itália, entre outros, algumas autoestradas de 3 faixas, durante várias horas do dia, têm 2 faixas ocupadas somente com camiões. De realçar, que nestes países, o transporte ferroviário, marítimo, fluvial e aéreo, funciona muito bem. Uma solução imediata, realmente barata, efectiva e sustentável, passa pela introdução do sistema EuroCombi e pelo big Maxx com 1,3 m a mais de comprimento, solução apresentada na IAA de 2008 pela marca construtora de trailers e semitrailers Kögel.

HOJE — sem EuroCombi ——2

HOJE — com EuroCombi ——2

2015 — sem EuroCombi ——2

hermes-europe

3

34 Palettes/camião

34 Palettes/camião

52 Palettes/camião Fevereiro 2011


Fonte: BGA

Fonte: BGA

Previsão do aumento do número de camiões circulantes nas estradas europeias, devido ao crescimento de 60% na quantidade de mercadorias a trasportar.

1997

3.400 Palettes 100 Camiões

Cálculo efectuado em função ao crescimento de 60% das mercadorias transportadas Os km mencionados, incluem 50 metros de distância de segurança entre os veículos

6,6 km de estrada ocupada*

2015

5.400 Palettes 160 Camiões

2015

5.400 Palettes 105 Camiões

7,9 km de estrada ocupada*

Fonte: BGA

10,6 km de estrada ocupada*

Fevereiro 2011

SPECIAL

Fonte: BGA


SPECIAL Scania

3 Neste momento, o EuroCombi é a solução perfeita, com o comprimento máximo de 25,25 m e peso bruto até 60 toneladas, que permite transportar mais material desfrutando convenientemente a força do veículo. O EuroCombi permite retirar das nossas estradas um camião tractor em cada 3 — menos um a poluir, sem contar com a redução de veículos que esta solução possibilita. É preciso mais prática e menos teoria: 2 EuroCombi de 60 toneladas, carregam o mesmo de que 3 tractores com semitrailer de 40 toneladas; 2 camiões a consumir diesel, poluem muito menos de que 3 camiões — sendo assim, as emissões por tonelada transportada sofreriam uma queda percentual muito significativa. Os países escandinavos assimilaram o sistema EuroCombi há muito tempo e muitos países europeus, já começaram a efectuar testes com estas combinações, bem como com os semitrailers que a Kögel tinha apresentado ao público durante a feira internacional de veículos comerciais de Hannover.

3

Fevereiro 2011

16,50 m

18,75 m

23,19 m

25,25 m


2,97 segundos Tractor com semitrailer 82,5 m 3,37 segundos Camião com reboque 115,8 m 4,17 segundos

126,1 m 4,54 segundos

Fonte: BGA

EuroCombi (transporte containers)

EuroCombi (convencional) A distância percorrida e tempo necessário, por um veículo ligeiro, que viaja a uma velocidade constante de 100 km/h (27,7 m/s), para ultrapassar um conjunto que circula a 80 km/h (22,2 m/s), sem contar as mudanças de faixas.

Fevereiro 2011

SPECIAL

Duração da ultrapassagem e distância percorrida.

82,5 m


SPECIAL

3 Alemanha, Holanda, Itália, Polónia, Bélgica, República Checa, Dinamarca, entre outros, estão ponderando esta solução como medida de combate efectivo na redução da poluição e da sobrecarga das vias de comunicação, no transporte de longo curso.

O EuroCombi é a solução sustentável mais eficiente do momento. Permite diminuir os consumos em combustível, consequentemente, significa: menor poluição e o ambiente agradece; menores gastos em combustível e as empresas agradecem também!

Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

DVZ

3

Fevereiro 2011


SPECIAL TAZ

Fevereiro 2011


KP Transport

SPECIAL

3 As dificuldades principais que foram encontradas, residem especialmente nas rotundas, muitas das quais construídas como se de um embelezamento urbano se tratasse e despojadas de pormenores técnicos válidos (a verdadeira essência de uma rotunda é a diminuição da velocidade em zonas com tendência para isto, eliminação de semáforos, evitando a permanência de veículos parados e a poluir, entre outros). Muitas rotundas, cujo centro é um lancil elevado, necessitavam somente de uma pequena modificação técnica, que os franceses já incluíram nas suas rotundas, desde o início, para permitir que os EuroCombi pudessem transitar sem nenhuma dificuldade. Algumas estradas nacionais com curvas mais apertadas, necessitavam somente de ligeiras ampliações.

3

Fevereiro 2011

... enquanto nós, ainda re eventual utilidade do Euro


SPECIAL Daimler

Suécia e Finlândia já estão prontos para os EuroCombi de 80 toneladas...

flectimos sobre a Combi de 60 toneladas. Todos os grandes produtores de trailers e semitrailers, como a Schmitz-Cargobull, a Krone, a Kögel e a Fliegl, estão preparados para o fornecimento de soluções EuroCombi.

Fevereiro 2011


SPECIAL Krone

3 EuroCombi e as marcas No meio deste imbróglio, convém salientar que as marcas não estiveram de braços cruzados: já desde há uma década que têm vindo a propor motores de elevado rendimento (com mais de 500 cv), com baixos consumos e baixas emissões (segundo a norma Euro5). Todos capazes de ser utilizados para a tracção de EuroCombi. Todavia, devido às estradas com fortes e longos declínios que existem nalguns países europeus (ex: Itália, Alemanha), os 500 cv não chegam, por isso, algumas marcas metem à disposição camiões com potências superiores aos 700 cv com consumos equivalentes a muitos veículos com 400 cv. Com a sua tecnologia de ponta, as marcas estão prontas para resolver o problema da poluição, de uma forma diferente ao imposto por adversários fundamentalistas. Neste momento o EuroCombi é a solução mais imediata e adequada para enfrentar a retoma da crise e a protecção ambiental, entre muitíssimos outros motivos. 0

Euro

Fevereiro 2011

...o, necessário, sa


SPECIAL

Combi

alto para o futuro!

Fevereiro 2011


Giancarlo Terrassan - Jornal Strada

Profile for Ameise Editora

Strada Truck #081  

Strada Truck #081 2011-02-28

Strada Truck #081  

Strada Truck #081 2011-02-28

Profile for ameise
Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded