Page 1

MANAUS, DOMINGO, 19 DE JANEIRO DE 2014

(92) 3090-1017

Imóveis em segurança Apesar da baixa procura em Manaus, o investimento é uma boa oportunidade de garantir tanto a integridade do imóvel, quanto dos móveis e eletroeletrônicos que fazem parte das residências

B

asta um único vacilo como esquecer de trancar o portão ou fechar a janela momentos antes de um chuva forte, para que uma residência possa sofrer graves danos. Porém, atualmente, uma das opções mais seguras para quem possui a casa própria é o seguro de imóveis. O que antigamente era um privilégio apenas dos automóveis ganha maior abrangência e chega às casas e apartamentos independentemente da localização ou da metragem. O EM TEMPO foi buscar duas empresas que realizam esse tipo de serviço em Manaus: o Bradesco e a Allianz Seguros. Segundo Raul Vignoli, superintendente comercial do Bradesco Auto/RE, os seguros da empresa podem ser encontrados tanto no balcão de uma agência ou por meio de corretores que podem ir até o local do interessado. “Porém, a procura por esse tipo de serviço ainda é muito pequena por parte dos brasileiros por ser uma questão “cultural”, por assim dizer. É difícil fazer com que as pessoas entendam que o custo benefício é muito mais baixo do que o de um carro, por exemplo”, explica. Entre os principais serviços oferecidos pelo Bradesco Seguros está o incêndio, queda de raio, explosão, roubo, dano elétrico, vendaval e vidros, mas Vignoli destaca que a empresa disponibiliza mais de 100 tipos de cobertura. “Existem dois tipos de seguro: o pré-formatado, que não precisa de vistoria. Basta o segurado determinar os bens existentes em sua residência. E temos também aquele no qual um corretor vai até a casa ou apartamento do interessado avaliar itens importantes como se o local possui cerca elétrica, se a guarita funciona 24 horas, se o empreendimento está em perfeitas condições etc.”, conta. Neste último caso, o parecer é enviado em até 12 dias. Um dos questionamentos é com relação ao custo. No caso do Bradesco, o valor mínimo é de R$ 116, que cobre

acidentes ligados a incêndio, raios, explosões e vendavais. O superintendente adianta que após o acidente ou roubo, basta o segurado entrar em contato com a seguradora em um número que consta na apólice – do corretor, no caso - e explicar a situação. “Em caso de um furto simples e pequeno, o reembolso é feito em 10 dias, no máximo. Caso o assalto ou incêndio tenha sido de grande proporção o morador pode levar, em média, até 30 dias para receber o valor do seguro”. E finaliza afirmando que “a vantagem de ter um imóvel segurado é proteger o patrimônio que, muitas vezes, leva anos para ser conquistado e mais anos para ser reconstruído. É totalmente diferente de um carro que pode ser automaticamente financiado rapidamente e sem muitos transtornos”. Allianz Outra empresa que também disponibiliza esse tipo de serviço em Manaus é a Allianz Seguros. Para Rafael Rodrigues, diretor de multiprodutos e transportes da companhia, o papel do corretor é fundamental como intermediador entre segurado e seguradora, havendo o interesse a seguradora fornecerá os cálculos (cotação) para apreciação de ambos e, na sequência, ocorrendo a aprovação dos valores, será emitida a apólice, já proporcionando ao segurado toda a cobertura e serviços vinculados ao seguro. “Toda a negociação é automatizada entre corretor e seguradora”, acrescenta. A Allianz possui dois tipos de seguro: o residencial para casas e apartamentos habitual e de veraneio. Rodrigues ressalta que a empresa não conta com tempo de carência. “Após a emissão da apólice, o segurado já tem proteção com as coberturas que foram contratadas. Além disso, pode usufruir da assistência 24 horas e dos serviços de sustentabilidade, que recolhe eletroeletrônicos, eletrodomésticos e móveis, dando destino correto e sustentável aos bens descartados, benefícios oferecidos gratuitamente para os clientes que possuem seguro-residência”. Dentre os valores ofertados por meio de pacotes, é possível contratar um seguro-residência a partir de R$ 130/ano. A Allianz oferece opção de pagamento em até 10 vezes, dependendo do valor do prêmio. “Em um eventual sinistro, basta o segurado entrar em contato com a central de atendimento da seguradora, que será informado de todos os procedimentos necessários para a regulação e indenização. A Allianz está entre as seguradoras mais rápidas na questão do ressarcimento aos seus segurados”, conta. E Rodrigues acredita que possuir um seguro-residência vai muito além de simplesmente garantir cobertura para incêndio. “Com a evolução do mercado segurador, o cliente terá incorporado na apólice benefícios como assistência 24 horas, contemplando mais de 35 serviços ofertados, serviços sustentáveis, que abrange o descarte ecológico, e a consultoria, que dará todo o suporte de economia de energia, água e até cotações de fornecedores para implantação de projetos para o lar”.


2

MANAUS, DOMINGO, 19 DE JANEIRO DE 2014

Governo carioca entrega mais prédios habitacionais móveis e eletrônicos. De acordo com o governador Sérgio Cabral, mais 2 mil unidades devem ser entregues até março na Cidade de Deus e no terreno onde ficava o antigo presídio Frei Caneca. “É muito gratificante poder entregar a essas famílias esses imóveis. Muitas dessas pessoas nunca tiveram uma casa, sempre

Mais duas mil unidades serão entregues no mês de março

HABITAÇÃO

Segundo informações do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, mais duas mil unidades serão entregues em locais como Cidade de Deus e onde ficava o antigo presídio Frei Caneca, Centro viveram na rua, e nós esperamos com isso dar um pouco mais de dignidade para essa população tão sofrida”, disse o governador. Regina Couto foi uma das beneficiadas. “Sempre morei embaixo da ponte e catei latinha para sobreviver. Com essa casa, eu posso agora tentar sonhar com algo melhor para a minha vida”, contou.

NACIONAL

Construção fecha 2013 com alta O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) fechou 2013 com inflação de 0,52%, segundo dados divulgados na última semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O valor é cinco pontos percentuais menor do que o registrado no fim de 2012 (5,68%). O custo da construção fechou 2013 em R$ 860,10

por metro quadrado, sendo R$ 474,10 dos materiais de construção e R$ 386 da mão de obra. Os materiais de construção tiveram inflação de 4,48% ao longo de 2013, mas o custo com a mão de obra caiu 3,94% no período. A queda na taxa foi influenciada justamente pela queda no custo da mão de obra, explicada pela desone-

ração da folha de pagamento das empresas de construção civil, prevista na lei 12.844 de 19 de julho de 2013. Analisando apenas o mês de dezembro, a inflação do setor foi 0,88%, com alta de 0,55% no custo dos materiais de construção e 1,28% na mão de obra. Por Agência Brasil REPRODUÇÃO

O

governo carioca entregou na última semana 1.260 casas a famílias que viviam em áreas de risco nas zonas Oeste e Norte da cidade. A entrega dos imóveis, que faz parte do programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida, ocorreu no conjunto habitacional Haroldo de Andrade, no bairro de Barros Filho. Segundo o governo, mais de cinco mil pessoas serão beneficiadas. São 36 prédios com parquinho para as crianças, quadras poliesportivas, além de Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI), creche e 12 lojas. Os apartamentos foram destinados para famílias com renda de até R$ 1,6 mil. Com o orçamento total de R$ 65 milhões, o terreno do condomínio fica em uma área privativa de 45 mil metros quadrados, a 170 metros da estação de trem de Barros Filho. Além disso, 38 unidades do conjunto habitacional foram adaptadas para garantir condições de acessibilidade, com cozinha e banheiro para pessoas que usam cadeiras de roda. Os moradores receberam também cartões da linha de financiamento Minha Casa Melhor, do governo federal, para a compra de eletrodomésticos,

REPRODUÇÃO

São 36 prédios com parquinho, quadras poliesportivas, além de Espaço de Desenvolvimento Infantil, creche e 12 lojas

O custo da construção fechou em R$ 860,10 por metro quadrado, sendo R$ 386 de mão de obra

EXPEDIENTE EDIÇÃO Bruno Mazieri

FOTOS DIego Janatã

DIAGRAMAÇÃO Mario Henrique Silva Adyel Vieira

REPORTAGEM Bruno Mazieri Luiz Otávio Martins

REVISÃO Gracycleide Drumond Saaramar Lahan

TRATAMENTO DE FOTOS Klinger Santiago


3

MANAUS, DOMINGO, 19 DE JANEIRO DE 2014

Casas cada vez mais seguras,

inteligentes e econômicas O mercado local já dispõe de sistemas de automação e de segurança com tecnologias modernas acessíveis para residências FOTOS: IONE MORENO

O sistema de segurança conta com apoio por meio da internet

V

ocê saiu do trabalho e está a caminho de casa. Mas, ao chegar, quer que as cortinas da sala de estar estejam abertas, as luzes acesas, quer que a TV esteja ligada no seu canal de entretenimento favorito e ainda que o forno da cozinha acenda para esquentar o prato principal do jantar. Em Manaus já é possível que esses dispositivos citados e outros mais sejam acionados da distância que você estiver e a partir do seu celular ou iPad. Trata-se de um serviço de automação residencial de iluminação, cortinas, portões, câmeras e controle do consumo de energia que, ao contrário do que muitos podem imaginar, não é coisa de cinema ou algum tipo de previsão para um futuro distante: já está disponível na cidade desde meados do ano passado. Única empresa na capital que oferece automação residencial e predial, a Conecta Home investe desde agosto de 2013 no Fibaro, um sistema polonês distribuído nacionalmente pela Munddo, sendo a única representante dessa tecnologia na região Norte. Esse sistema atua completamente por meio de wi-fi e, de acordo com a gerente comercial Leliane Queiroga, oferece atrativos como a instalação simples, rápida e barata, além de conforto, segurança e economia para o cliente. “A partir de R$ 2,8 mil você pode começar a automatizar uma residência”, revela a gerente, acrescentando que desde a instalação por um técnico eletricista até a manutenção do sistema tudo é feito in loco. Outra vantagem, de acordo com ela, é que o sistema se adapta à residências de tamanhos variados e a sua instalação dispensa qualquer

intervenção na infraestrutura dos ambientes. Leliane conta que, até o momento, o Fibaro tem sido mais procurado por construtoras do que por pessoas físicas. “Estamos com propostas em construtoras que têm interesse em comprar diretamente da gente para entregar o imóvel para o morador já com o sistema pronto”, afirma. A gerente observa ainda que esse sistema é muito novo na cidade, e o desafio da empresa para este ano é divulgar essa cultura da automação na cidade. “Muitas pessoas não têm noção ainda de que já é possível fazer isso aqui em Manaus”. Módulos sem fio A partir da central de controle do sistema, a Home Center 2, três módulos sem fio são ativados: o módulo dimmer (que ajusta a intensidade de luz), o cortina (para controle de cortinas, persianas e rolôs motorizados) e o relé (dedicado ao controle de lâmpadas, cafeteiras, fechaduras e equipamentos eletrônicos). Tais módulos são instalados dentro de caixas 4x2 ou 4x4. E em caso de aluguel ou mudança de imóvel, se o cliente quiser levar o sistema, a sua desinstalação também é simples. A ativação e o controle do sistema acontecem a partir de um soſtware/aplicativo de gestão (que pode ser baixado gratuitamente) por meio de iPhone, iPad, Android, Mac e PCs. “O celular e o iPad se comunicam com o sistema mesmo estando fora de casa. Então, não preciso dizer para o sistema abrir as cortinas ou ligar o ar-condicionado, já está tudo programado”, explica Leliane. Ela destaca que a interface de visualização dos comandos é bastante simples e prática.

A televisão pode ser facilmente acessada por meio do iPad

Monitoramento à distância

Até mesmo a cafeteira ganha um suporte tecnológico por meio do iPad

Cercas elétricas, alarmes 24 horas, interfones e detectores de metais estão entre os itens mais procurados para sistema de segurança em residências. E, graças ao avanço tecnológico, hoje em dia também já é possível acompanhar o monitoramento de uma casa ou apartamento via internet. Um dos produtos mais procurados atualmente para sistema de segurança em residências é o Alarme de Intrusão. Como o próprio nome adianta, trata-se de uma tecnologia contra invasões e, segundo Patrícia Carvalho, gerente comercial da 3D Alarmes, utiliza tecnologia GPRS, que por meio de sensores de presença infravermelho e magnético

dispensa o uso de linha telefônica. Um pacote básico com quatro sensores custa, em média, R$ 1,8 mil. Entre os lançamentos disponíveis na MB 3000 para este ano está o vídeo porteiro digital. O consultor de vendas da empresa, Jander Guimarães, explica que a ideia desse sistema é antiga, mas a tecnologia empregada é nova, e os planos de comercialização variam de R$ 1,5 mil a R$ 3 mil. Outro item bastante procurado no mercado é o Circuito Fechado de Televisão (CFTV), que inclui serviço de acesso remoto via internet e é oferecido em kits de quatro ou 16 câmeras, com variação de preço, respectivamente, de R$ 2,5 mil a R$ 5 mil.


4

MANAUS, DOMINGO, 19 DE JANEIRO DE 2014

MS Casa de ‘cara’ nova FOTOS: DIEGO JANATÃ

Localizado no Vieiralves, o espaço conta com dois pisos e uma variedade de móveis e artigos de decoração que priorizam todas as tendências de mercado da atualidade como couro, madeira, aço, laca e, até mesmo, quadros

A MS Casa está disponibilizando uma série de novos móveis

O

Vieiralves, sem dúvida, é o metro quadrado mais procurado na cidade quando o assunto é decoração. Seguindo essa tendência de mercado, a MS Casa inaugurou na quintafeira (16), sua mais nova loja na rua Pará, 500. Com um conceito moderno – primando pela mistura do aço e do vidro – o espaço leva assinatura do arquiteto Paulo Lindenberg e conta com dois andares além de um estacionamento frontal e um subterrâneo com entrada pela rua Rio Içá. Segundo Paulo Sachs, gestor de marketing do Grupo Vitor Souza, essa mudança da avenida Djalma Batista para a rua Pará, veio como uma espécie de renovação, como ele mesmo fez questão de ressaltar. “Sempre fomos uma loja que procurou inovar. Portanto, nada mais justo do que nos mudarmos para um local novo, que seja de fácil acesso ao cliente”, destacando que sua marca “é ser uma joalheria e gosta de ser vista como tal”. “Mas sentimentos a necessidade de quebrar barreiras e muros, literalmente. Estamos mais próximos e com grandes novidades”. Porém, Sachs destaca que a antiga loja – avenida Djalma Batista – seguirá aberta até o dia 25 de fevereiro. “Por enquanto, naquele espaço, funcionará durante esse período como a MS Casa promocional. Diversos produtos estarão à venda por preços mais em conta devido aos descontos que estamos dando. Logo após a data estipulada fecharemos de vez e ficaremos apenas com

a loja do Vieiralves”, conta. Novidades De casa nova e, consequentemente, com coleção nova. O gerente de marketing diz que todos os produtos disponibilizados para venda são novidade na cidade. “Optamos por manter no saguão os produtos MS e no último espaço artigos da Artefacto. Também contamos com um segundo andar repleto de coisas novas e modernas. Continuamos seguindo a mesma linha que é reunir em um único local artigos que vão do clássico ao contemporâneo, passando por espelhos e relógios”.

Obras de arte de amazonense Sachs foi mais longe e incorporou obras produzidas pelo artista plástico amazonense Rui Machado. “Quando o cliente chega na loja, ele automaticamente se depara com diversas telas do Rui e que podem ser adquiridas no próprio local, sem maiores transtornos. Para quem não sabe, ele possui um trabalho lindo e que revela seu olhar sobre o Amazonas, sobre a Amazônia”, diz. O gerente de marketing

acredita também que o ano está começando da melhor forma possível. “Sabemos da crise pela qual o comércio passa, mas temos a certeza que temos um diferencial. Estamos cada vez mais investindo no nosso marketing, nas nossas marcas e reafirmando um compromisso com a cidade de Manaus que é trazer produtos de qualidade e que são tendência não apenas no Brasil, mas no mundo”.

SERVIÇO MS CASA ENDEREÇO: Rua Pará, 500, Vieiralves HORÁRIO: Das 9h às 19h

NOVIDADE

A nova MS Casa está localizada na rua Pará, Vieiralves. Um dos motivos da mudança é a oportunidade de ficar mais próximo do público e assim, chamar mais a atenção de antigos e novos clientes E como não poderia deixar de ser, entre as tendências do mercado decorativo estão móveis com bastante madeira – comumente achada na Feirão de Milão 2013 –, tecidos diferenciados tanto em tapetes quanto em poltronas; móveis com muita textura, textura envelhecida, laca, vidro, aço, couro, fibras naturais e, claro, elementos que remetem a Amazônia. “Não poderíamos ter uma nova loja que não tivesse ao relacionado a região”.

O novo espaço conta com dois andares de móveis Obras de Rui Machado estarão à venda no showroom do local


5

MANAUS, DOMINGO, 19 DE JANEIRO DE 2014

Mais próximo da natureza e sem sair do ‘lar doce lar’ FOTOS: REPRODUÇÃO

O jardim de inverno é uma opção interessante para humanizar ambientes e melhorar a circulação de ar em residências

Os espaços estão contando com cada vez mais árvores e plantas de pequeno porte

J

ardins construídos no interior de residências são comumente chamados de “jardim de inverno”, pois em lugares onde realmente existe essa estação mais fria, o crescimento de plantas diminui. Para preservar mais o verde são providenciados, então, ambientes semelhantes a estufas. Em climas mais quentes e abafados como o da região amazônica, esse conceito é adotado ainda como decoração – mais comum em casas do que em apartamentos. Segundo a arquiteta e urbanista Samara Felix, o jardim de inverno também auxilia na humanização do espaço residencial. “Na nossa região é sempre interessante ter um espaço aberto como o jardim de inverno. Ele é introduzido em uma construção para humanizar o ambiente, deixar o verde mais perto das pessoas”, comenta. “Além disso, também é usado como solução para a falta de espaço e para se ter circulação de ar em alguns ambientes”. Samara observa que não são todos os clientes que costumam aderir ao jardim de inverno. “Por ser construído no interior da residência e demandar um pouco mais de cuidados com a vegetação, alguns acham que aumentará a quantidade de insetos, entre outros motivos”, explica a arquiteta. Ela diz ainda que, em apartamentos, são utilizados apenas jardins secos. “Por uma questão de espaço, drenagem

da água, redução de custos, etc.”, observa. Na composição desses jardins secos estão pedriscos e areia, que conferem uma aparência um pouco árida, e geralmente são usadas plantas que acumulam liquido e reduzem a perda de água. Não é preciso regar constantemente, mas é preciso manutenção. Praticidade A paisagista Marilúcia Xavier conta que muitos de seus clientes optam pela praticidade e existe uma tendência para jardins feitos com plantas artificiais. “São pessoas não têm tempo para cuidar das plantas naturais, adubar ou regar porque, de alguma forma, tem que haver uma manutenção no jardim de inverno”, explica. Por conta dessa tendência, Marilúcia revela que de dez jardins criados por ela, sete são artificiais. Mas, engana-se quem imagina que o material usado em plantas artificiais hoje em dia tem a mesma aparência de antigamente. A paisagista conta que o material é importado e nem de longe lembra a aparência até meio grosseira das plantas artificiais de outros tempos. Marilúcia afirma que prefere trabalhar com plantas naturais na composição do jardim de inverno. “A natureza é insubstituível”, diz. No entanto, a profissional garante que, esteticamente, não há perda na decoração do ambiente. “A beleza do jardim natural ou artificial é a mesma”.

Segundo a arquiteta Samara Félix, o jardim de inverno serve para humanizar ambientes e fazer o ar circular com mais facilidade


6

MANAUS, DOMINGO, 19 DE JANEIRO DE 2014

Balada no conforto do lar FOTOS: REPRODUÇÃO

Boates em casa ou apartamento não chegam a ser uma tendência, mas interessam a quem quer ter um ambiente confortável para receber os melhores amigos, se divertir em festas familiares e contar com um espaço diferenciado

A

ideia de ter uma boate dentro da própria casa ou apartamento pode parecer, à primeira vista, demasiadamente extravagante. Mas, só se o proprietário desejar abrir as portas para um aglomerado de convivas. Não é o caso da decorada Sihame Cruz, que possui uma boate em seu apartamento, porém, dedicada a receber um número confortável de amigos durante as noites em que quer dançar e ouvir música, mas sem sair de casa. Sihame adaptou o espaço do escritório para abrigar esse ambiente descontraído há quatro anos. Ela enfatiza que a primeira coisa que se tem que ter em mente ao se pensar em construir um local assim na residência é o isolamento acústico para que o som, obviamente, não incomode os vizinhos. E recomenda que sejam evitados os de material esponjoso e inflamável.

“Pode ser um material para isolamento específico. Existem placas para esse fim que são anti-chamas”, diz a arquiteta, completando que uma combinação com cortinas também auxilia a conter um pouco a

CUIDADO

Um dos cuidados por parte do interessado é com relação ao piso. O de porcelanato deve ser descartado por ficar liso com o contato direto de bebidas e amigos e familiares podem escorregar vibração do som. Ainda a respeito da sonoridade, a profissional afirma que é interessante investir num bom equipamento de som, que evite distorções “A distribuição das caixas tem

que ser adequada”. E sugere o uso de blu-ray, caso o interessado queira incluir um telão na sua boate particular para a exibição de clipes e shows, pela qualidade do som desse tipo de mídia. “Tem gente que gosta de fazer mixagens e existem programas na internet que você pode baixar e no iPad mesmo você pode mixar”, observa. Sihame alerta para os cuidados na escolha do piso da boate. O de porcelanato deve ser descartado. “É um piso liso e alguém pode escorregar com um copo de bebida na mão. O melhor é optar por um piso com um pouco de porosidade”, avisa. A iluminação é outro item ao qual tem que se dar uma atenção especial. A arquiteta lembra que kits de raio laser caem bem e afirma que toda a ligação elétrica tem que ser feita por um profissional qualificado. “A segurança é primordial!”.

Decoração é parte essencial Ter uma boate em casa não chega a ser uma tendência, mas Sihame Cruz comenta que várias pessoas na cidade possuem esse tipo de ambiente. E opções para incrementar uma boate particular não faltam. O clássico globo de discoteca, pinturas de tom escuro e o pole dance são algumas. “O pole dance é legal e pode deixar a festa mais engraçada”, diz Sihame. Espelhos também são bemvindos e podem ajudar a dar

a sensação de um ambiente mais ampliado em espaços menos generosos. A própria Sihame confessa que a sua boate é bem pequena. “O meu espaço tem cinco metros por três ou quatro metros”, revela. No entanto, a decoradora frisa que o tamanho não importa tanto quando se fala em boate na residência. A dela, por exemplo, comporta de seis a oito pessoas. “A gente não tem que levar em consideração

a metragem. Não temos que falar de espaço mínimo, mas sim, da vontade de ter tudo com qualidade”, explica. A estética final da boate particular vai depender do perfil de cada interessado nesse tipo de ambiente. “Um espaço desses é para receber os amigos mais próximos e não para abrir para 50 pessoas. Você tem que levar em consideração o conforto para receber os convidados”, finaliza.

O uso de elementos decorativos devem ser usados conforme o espaço disponível no local Os ambientes das boates devem contar com iluminação especial e piso diferenciado


7

MANAUS, DOMINGO, 19 DE JANEIRO DE 2014

Hospedagem ‘cama e café’ será uma opção para Copa A

s 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 estão sendo estimuladas pelo Ministério do Turismo a investir em hospedagens alternativas para receber os turistas nacionais e estrangeiros que irão visitá-las durante o torneio. Entre essas alternativas, está o sistema “cama e café”, oferecido geralmente em residências particulares, que fornecem ao hóspede uma cama para o pernoite e uma refeição na manhã seguinte, por um preço inferior ao da hotelaria convencional. Em Brasília, que sediará sete jogos do torneio, já existem 325 residências cadastradas nesse sistema, e está sendo preparado um camping com capacidade para receber cerca de 450 pessoas. O Rio de Janeiro acelerou ações para receber turistas em cruzeiros e já conta com uma rede especializada de “cama e café”, adaptação brasileira do sistema bed and breakfast, de origem irlandesa, em que o visitante se hospeda na casa de um habitante local. O Ministério do Turismo criou até um link para divulgar a modalidade, dentro do site hospitalidade.turismo. gov.br - em que são encon-

tradas descrições e fotos das acomodações e dos “anfitriões”, como são chamados os proprietários dos imóveis. No site, há um link para a página da Secretaria de Turismo do Distrito Federal, que lançou o Programa de Hospedagem Alternativa Cama e Café. A proposta, segundo a secretaria, “é ampliar os meios disponíveis de hospedagem para atender ao público diversificado que procura a capital federal como destino turístico, possibilitando ainda a integração direta dos moradores com a atividade que gera empregos e renda para todo o Distrito Federal”. Há residências que oferecem hospedagem com cama e café em apartamentos nas asas Sul e Norte (alguns dos principais bairros de Brasília) e até mesmo em residências às margens do lago Paranoá. Um comerciante de 33 anos, que mora com a mãe e uma irmã, por exemplo, “possui fluência no inglês e é fumante”, está oferecendo “apartamento, com um quarto para aluguel, com cama de casal”. O serviço inclui também, entre outros, ar-condicionado, TV a cabo, banheiro, computador com internet e estacionamento externo.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Em Brasília já existem residências cadastradas nesse sistema, e está sendo preparado um camping para receber 450 pessoas

Esse tipo de hospedagem oferece, basicamente, local para dormir, banheiro e o café da manhã sem preço adicional

Os quartos sào simples e podem conter ou não condicionadores de ar

Alta expectativa para o evento Segundo o Ministério do Turismo, a expectativa de demanda total por hospedagem para a Copa de 2014 alcança 540 mil visitantes estrangeiros e 1,86 milhão de turistas nacionais. Na Copa das Confederações, o público geral se dividiu assim, em termos de hospedagem: 58,4% em hotéis e similares, 37,1% em casa de amigos e 3,8% em apartamentos e casas alugadas, conforme pesquisa do Ministério do Turismo. Na Copa do Mundo, em 2010, na África do Sul, a procura por cama e café alcançou 10%. Em relação à hotelaria convencional, uma das vantagens do sistema “cama e café” é o ambiente familiar, sem os rigores dos hotéis tradicionais. Por isso, “pode ser mais acolhedor e hospitaleiro, além da possibilida-

de de convivência com os hábitos e cultura dos moradores do lugar”, ressalta o Ministério do Turismo. É o que promete a anfitriã de uma casa de Santa

HOSPEDAGEM

As hospedagens alternativas serão uma opção para brasileiros e estrangeiros. A expectativa é que 2,5 milhões de visitantes internacionais escolham esse tipo de acomodação Teresa, no Rio de Janeiro – onde será disputada a final da Copa do Mundo – a R$ 130,00: “A casa é agradável, espaçosa, com sala, área externa, duas redes na varan-

da. Localizada próxima ao largo do Guimarães, centro cultural do bairro, a casa tem wi-fi, cozinha de uso coletivo e disponibiliza serviços de lavanderia e, eventualmente, de alimentação”. As hospedagens alternativas serão uma opção para brasileiros e estrangeiros. Do total de visitantes internacionais (5,67 milhões) que estiveram no país em 2012, conforme o Ministério do Turismo, estima-se que quase a metade (44,2%), ou seja, 2,5 milhões, escolheram esse tipo de hospedagem durante sua estada no país. Os albergues e campings (4,9%) abrigaram 278,1 mil estrangeiros, as casas alugadas (11,9%) mais 675,4 mil e as casas de amigos e parentes (27,9%), 1,58 milhão de visitantes.


8

MANAUS, DOMINGO, 19 DE JANEIRO DE 2014

Salão Imobiliário - 19 de janeiro de 2014  

Salão Imobiliário - Caderno de imóveis do jornal Amazonas EM TEMPO

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you