Page 1

Em boa jogada, o craque do Brasil bate no contrapé do goleiro

THIAGOBERNARDES/FRAME

DIVULGAÇÃO

DIVULGAÇÃO

Neymar recebe passe de Luiz Gustavo e só empurra para o gol

O atacante da seleção comemora com o já tradicional soco no ar

O ARTILHEIRO RESOLVE Com mais uma atuação acima da média, o atacante Neymar marcou seu quarto gol na Copa do Mundo e assumiu a liderança na disputa pela artilharia da competição. De quebra, se tornou o sexto maior artilheiro do Brasil em Mundiais. Ao final do jogo, foi escolhido o melhor jogador da partida pela Fifa. E4 e E5

esportes@emtempo.com.br

DJALMAVASSÃO/GAZETAPRESS

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

Holanda bate o Chile e mantém 100%

DIVULGAÇÃO

RICARDO OLIVEIRA

Com a vitória por 2 a 0, os holandeses ficaram com a primeira colocação do Grupo B e enfrentarão o México, no próximo domingo (29), pelas oitavas de final da Copa do Mundo de 2014. E6

Suíça e Honduras chegaram

NUNOGUIMARAES/GAZETAPRESS

Seleções, que se enfrentam amanhã (25), já estão em Manaus e fazem reconhecimento do gramado da Arena da Amazônia Vivaldo Lima hoje (24). E9

Itália e Uruguai se enfrentam por vaga Só a vitória interessa para as duas seleções. Quem vencer, garante vaga na fase do mata-mata da Copa do Mundo e de quebra manda o adversário de volta para casa mais cedo. E8


E2

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

CHARGE

HERÓIS DA COPA * MARCUS VINÍCIUS PESSOA

Roger Milla O Leão Indomável Grandes craques do futebol são lembrados por suas glórias, suas passagens memoráveis por grandes times, por suas façanhas dentro de campo no auge do seu vigor físico e técnico. Não é o caso de Roger Milla, um jogador que passou despercebido ao longo de sua carreira e só foi aparecer para o mundo aos 38 anos na maior vitrine de todas: uma Copa do Mundo. No Mundial de 1990, na Itália, Milla marcou quatro gols, con-

de porte, nunca foi unanimidade no futebol francês, passando grande parte de seus anos no banco de reservas. Depois da Copa de 1994, Milla ainda seguiu jogando por clubes da Indonésia, encerrando definitivamente a carreira em 1997, aos 45 anos. Era o fim da estrada para o jogador que, contrariando todos prognósticos, veloz, Milla fez história e contribuiu para colocar Camarões no mapa do futebol mundial

duzindo a seleção de Camarões a uma inédita quartas de final, fazendo dos Leões os primeiros africanos a ficarem entre as oito melhores da Copa. Mas foi o desempenho de Milla na Copa de 1990 que rendeu a ele o sonhado status de estrela mundial, garantindo ao craque o segundo o prêmio de Melhor Jogador da África. Milla atuou no futebol europeu no final da década de 90, mas mesmo conquistando títulos e jogando por equipes

* MARCUS VINÍCIUS PESSOA É REDATOR PUBLICITÁRIO

Tabela da Copa do Mundo

4

ARTILHARIA

NEYMAR

VA N PERSIE

A RJEN ROBBEN

BRASIL

HOLANDA

HOLANDA

GOLS

Brasil

Camarões

Austrália

Chile

Colômbia

Costa do Marfim

Costa Rica

Inglaterra

Croácia

México

Espanha

Holanda

Grécia

Japão

Itália

Uruguai

Brasil

3

1

Espanha

Croácia

1

0

0

0

0

4

México

Austrália

1

4

Espanha

Croácia

1

3

3

2

Holanda

Colômbia

Austrália

Brasil

Japão

Holanda

Japão

2

1

C. Marfim

0

0

Grécia Colômbia

Uruguai

1 1

Inglaterra

2

1 2 Inglaterra 20/6/2014 - 12h Arena Pernambuco

Uruguai Itália

1 0 C. Rica 24/6/2014 - 12h Arenas das Dunas Uruguai

Itália C. Rica

Inglaterra

França

Argentina

Bósnia-Herzegovina

Alemanha

Estados Unidos

Argélia

Bélgica

Honduras

Suíça

Irã

Nigéria

Gana

Portugal

Coreia do Sul

Rússia

2

Suíça

1

Equador

Argentina

3

0

Irã

Honduras

2

5

Argentina

França

1

2

Nigéria

Equador

0

1

Irã Bósnia

Paulo Vinícius Coelho

Portugal

16/6/2014 - 18h Arena das Dunas Gana

1

2

EUA

Alemanha

2

2

EUA

2

2

Irã

EUA

Gana Portugal Alemanha

26/6/2014 - 12h Estádio Mané Garrincha Portugal

Bélgica

2

1

Argélia

17/6/2014 - 18h Arena Pantanal Rússia

1

1

C. do Sul

22/6/2014 - 12h Maracanã

26/6/2014 - 12h Arena Pernambuco

Argentina

Bósnia

0

22/6/2014 - 18h Arena da Amazônia

25/6/2014 - 12h Arena Fonte Nova

França

4

21/6/2014 - 15h Arena Castelão

0

1

Nigéria

Suíça

25/6/2014 - 17h Maracanã Equador

Nigéria

25/6/2014 - 12h Arena Beira Rio

25/6/2014 - 15h Arena da Amazônia Honduras

0

0

21/6/2014 - 18h Arena Pantanal

20/6/2014 - 18h Arena da Baixada Honduras

Alemanha

21/6/2014 - 12h Mineirão

20/6/2014 - 15h Arena Fonte Nova Suíça

Bósnia

16/6/2014 - 15h Arena da Baixada

15/6/2014 - 15h Arena Beira Rio França

1

2

17/6/2014 - 12h Mineirão

16/6/2014 - 12h Fonte Nova

15/6/2014 - 18h Maracanã

Itália

19/6/2014 - 15h Arena Corinthians

Equador

15/6/2014 - 12h Estádio Mané Garrincha

C. Rica

24/6/2014 - 12h Mineirão

C. Marfim

Grécia

3

14/6/2014 - 18h Arena da Amazônia

24/6/2014 - 17h Arena Castelão

Chile

0

2

1

Japão

23/6/2014 - 12h Arena Corinthians

México

2

26/6/2014 - 15h Arena Pantanal

Espanha

3

0

Grécia

19/6/2014 - 18h Arena das Dunas

Chile

2

0

0

19/6/2014 - 12h Estádio Mané Garrincha

23/6/2014 - 12h Arena da Baixada

23/6/2014 - 17h Arena Pernanbuco Croácia

C. Marfim

18/6/2014 - 15h Maracanã

23/6/2014 - 17h Estádio Mané Garrincha Camarões

Austrália

3

14/6/2014 - 21h Arena Pernambuco

18/6/2014 - 12h Arena Beira Rio

18/6/2014 - 18h Arena da Amazônia Camarões

1

3

Chile

Camarões

17/6/2014 - 15h Arena Castelão Brasil

Colômbia

13/6/2014 - 18h Arena Pantanal

13/6/2014 - 12h Arena das Dunas México

Holanda

5

1

14/6/2014 - 15h Castelão

14/6/2014 - 12h Mineirão

13/6/2014 - 15h Fonte Nova

12/6/2014 - 16h Arena Corinthians

Gana

0 1 Rússia 22/6/2014 - 15h Arena Beira Rio

Bélgica

C. do Sul

2

4

Argélia 26/6/2014 - 17h Arena Corinthians

C. do Sul

Bélgica

26/6/2014 - 17h Arena da Baixada Argélia

Rússia

COLUNISTA DO JORNAL “FOLHA DE SÃO PAULO”

O remédio Fernandinho entrou e mudou o jogo. Paulinho vai sair por ser o símbolo do abalo emocional A diferença do Brasil do primeiro para o segundo tempo é da água para o vinho, do sal para o açúcar, de Paulinho para Fernandinho. O volante do Manchester City foi convocado para ser o reserva de Luiz Gustavo e será o titular na vaga de Paulinho. A mudança não foi na qualidade individual, mas na maneira como a seleção jogou: muito mais coletiva.

As bolas longas de Thiago Silva, diretas para os atacantes, como se não houvesse meio de campo, deram lugar às saídas pelo chão. De Daniel, Thiago Silva, David Luiz... Sempre havia Fernandinho como opção para o passe. Não pode deixar de ser titular. Parreira, e não Felipão, entrou no túnel do intervalo dizendo a palavra-chave: “Se puser mais a bola no chão o

jogo vai ficar melhor para a seleção.” É esse o segredo. O Brasil sabe ser o time de Felipão, agressivo na marcação por pressão e na tentativa de chegar à finalização o mais rapidamente possível. Às vezes precisa mais do estilo Parreira. Ter paciência para trocar passes e fazer a infiltração sem pressa, com troca de passes. Mas se Fernandinho vai ser o titular, qual sua vantagem

sobre Ramires e Hernanes, convocados à suplência de Paulinho? Hernanes é mais passador, Ramires, carregador de bolas. Fernandinho se parece mais com Paulinho: infiltrador, aparece como elemento-surpresa. Paulinho sairá por ser símbolo do abalo emocional. Fernandinho não tem esse problema. Em 2003, fez até o gol do título mundial sub-20 da seleção.

Paulinho sairá por ser símbolo do abalo emocional. Fernandinho não tem esse problema. Em 2003, fez até o gol do título mundial sub-20 da seleção


E3

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

Festa inglesa com Em 1966, a Inglaterra conquistou seu único título mundial. O Brasil, pela única vez, foi eliminado na primeira fase da Copa do Mundo. Eusébio foi o artilheiro com nove gols

P

ode-se dizer que a Copa do Mundo da Inglaterra foi um torneio de zebras, embora o mascote tenha sido um Leão – Willie, o primeiro da história dos Mundiais – e o herói tenha sido um cachorro – Pickles, que encontrou a Taça Jules Rimet em um jardim, após o troféu ter sido roubado. Mas foram mesmo os resultados inesperados, popularmente conhecidos como zebras, que apareceram em profusão nos campos britânicos e marcaram a competição. Os bicampeões Brasil e Itália, por exemplo, foram eliminados ainda na primeira fase. Os italianos foram derrotados pela Coreia do Norte e desembarcaram em casa sob chuva de tomates atirados pelos irados torcedores. O Brasil, mesmo com Pelé e Garrincha na delegação, não conseguiu mostrar o mesmo futebol das Copas anteriores e também deu adeus mais cedo, depois de ser atropelado pela seleção portuguesa de Eusébio. Craque e artilheiro do torneio, com nove gols, Eusébio conseguiu levar Portugal ao terceiro lugar, até hoje a melhor colocação da história dos lusitanos. Outro nome que apareceu durante o Mundial de 1966 foi o do alemão Franz Beckenbauer. Aos 20 anos, o Kaiser começou a encantar o

planeta e levou a Alemanha Ocidental à final da competição. Havia chegado a vez dos ingleses, os inventores do futebol. Depois de não se interessar pelas primeiras edições da Copa do Mundo, passar vergonha com uma derrota para os Estados Unidos em 1950, no Brasil, e fazer figuração de 1954 a 1962, a seleção britânica aproveitou a vantagem de jogar em casa e, com uma geração de ouro formada por nomes como Bobby Moore, Alan Ball, Geoff Hurst e Bobby Charlton, enfim levantou a taça Jules Rimet. Os anfitriões passaram pela Argentina nas quartas de final e contaram com dois gols do craque Bobby Charlton para superar a seleção portuguesa de Eusébio. Mas, na final, um lance polêmico marcou a vitória sobre a Alemanha Ocidental. Geoff Hurst foi o herói do triunfo inglês por 4 x 2 no estádio de Wembley ao marcar três gols na final, dois deles na prorrogação. Hurst detém o recorde de mais gols marcados em uma decisão de Copa do Mundo da Fifa, embora até hoje permaneçam dúvidas quanto à legitimidade do seu segundo gol. A bola bateu no travessão e não teria cruzado a linha, mas o tento foi validado pelo auxiliar Tofik Bakhramov. Emoção nas arquibancadas e festa de norte a sul da Inglaterra.

Brasil decepciona no torneio

Pelé não conseguiu brilhar na Inglaterra e Brasil caiu na primeira fase

Bicampeão do mundo, em 1958 e 1962, o Brasil era favoritíssimo para a Copa da Inglaterra. Ainda mais porque contava com a dupla Garrincha e Pelé. E a estreia animou a torcida brasileira. Em Liverpool, terra dos Beatles, Pelé e Garrincha marcaram os gols que garantiram a vitória sobre a Bulgária por 2 x 0. Foi a última vez que

os dois jogaram juntos. E o Brasil jamais perdeu com Pelé e Garrincha em campo. Mas, na Copa do Mundo de 1966, a alegria durou por apenas uma partida. Uma entrada violenta que recebeu na estreia tirou Pelé do segundo jogo da seleção brasileira, diante da Hungria. O resultado foi desastroso: 3 x 1 para os húngaros e a primeira der-

rota brasileira em Copas depois de 13 jogos. De volta para a partida contra Portugal, o Rei Pelé foi caçado em campo e desapareceu diante do brilho de Eusébio, que marcou duas vezes na vitória de 3 x 1 dos lusitanos. Acabava ali a participação na Copa do Mundo do time que havia encantado o mundo nos anos anteriores.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

polêmica na final


E4

Brasil goleia

e assegura primeir Com o resultado, a seleção brasileira somou sete pontos e ficou com liderança do Grupo A e vai enfrentar a o Chile, no próximo sábado (27), pelas oitavas de final da Copa do Mundo de 2014

A

seleção brasileira enfim teve uma atuação convincente na Copa do Mundo. No final da tarde de ontem (23), a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari justificou os gritos de “o campeão voltou” que ecoavam das arquibancadas do Mané Garrincha, superou o descompromisso do eliminado time de Camarões e fez 4 a 1 para ir às oitavas de final. Os gols foram de Neymar (2), o melhor em campo, Fred, que desencantou, e Fernandinho, pronto para ser titular na vaga de Paulinho. Na próxima fase, o adversário brasileiro será o Chile, segundo colocado do grupo B. Na chave A, o Brasil totalizou os mesmos sete pontos do México, que bateu a Croácia por 3 a 1 na Arena Pernambuco e avançou para enfrentar a Holanda. Croácia, com 3 pontos, e Camarões, com 0, acabaram eliminados. O Brasil terá menos de uma semana para se preparar para o início da fase de mata-mata do Mundial, já que a partida contra o Chile será às 12h (de Manaus) de sábado, no Mineirão. Análise do jogo O técnico Luiz Felipe Scolari

disse durante toda a semana que era impossível repetir o mesmo padrão de jogo da campanha vitoriosa da Copa das Confederações do ano passado em uma Copa do Mundo. Ao menos no início da partida contra Camarões, eles provaram o contrário. Nos primeiros minutos, o Brasil pressionou o adversário. O atacante Hulk, de volta ao time, foi o primeiro a levar a marcação na base da raça pelo lado direito do campo. Derrubado, sacudiu os braços para pedir o apoio do público. Com a gritaria vinda das arquibancadas, o Brasil continuou em cima de Camarões. Quase abriu o placar aos dois minutos. Neymar fez um ótimo passe para Daniel Alves, que avançou pelo lado direito da área e rolou para trás. Paulinho só não marcou o gol porque foi travado pela zaga africana. Logo depois de voltar a aparecer de surpresa no ataque, Paulinho falhou na defesa. O passe errado para David Luiz obrigou o volante a dar um carrinho para evitar que o ataque de Camarões ficasse na frente do goleiro Júlio César. Era a primeira amostra de que a seleção adversária

não estava completamente resignada em sua despedida da Copa do Mundo. Aos 16 minutos, Luiz Gustavo roubou a bola no lado esquerdo do ataque brasileiro e fez um cruzamento rasteiro. Neymar mostrou oportunismo para esticar o pé dentro da

EMPURRÃO

Aos 15 minutos do primeiro tempo, após bola perdida na linha de fundo, Nyom empurrou Neymar sem razão aparente. O árbitro falou com o camaronês, mas não mostrou nenhum cartão área de Camarões, bater Itandje e abrir o placar. A empolgação foi tamanha que, pouco depois, ele quase fez outro com um chute plástico, de primeira. O goleiro espalmou. Quem também queria aproveitar o bom momento brasileiro na partida era Fred, cobrado pelas más apresentações das duas primeiras rodadas. O centroavante se esforçou para completar

um cruzamento da esquerda de Paulinho após passe de Oscar. Enroscou-se com o goleiro e desperdiçou a oportunidade. Sem nada a perder, o time de Camarões resolveu contraatacar. E foi bem-sucedido, principalmente porque a marcação brasileira era muito confusa. O primeiro grande susto veio quando Matip subiu para cabecear no meio da defesa amarela e acertou o travessão. Foi um prenúncio do gol. Aos 25 minutos, Nyom pedalou na frente de Daniel Alves, enganou o lateral adversário com facilidade e cruzou rasteiro da esquerda. Matip apareceu por trás da desatenta zaga da seleção brasileira e só teve o trabalho de empurrar para a rede. O gol camaronês fez a torcida silenciar e deixou mais nítidos os problemas do Brasil. Neymar se incumbiu de escondê-los novamente. Aos 33 minutos, ele recebeu a bola de Marcelo, encarou a marcação até a entrada da área, clareou e concluiu no contrapé do goleiro para desempatar o jogo e descer para o vestiário ovacionado. Mesmo com a vantagem no placar, Felipão decidiu mudar a sua equipe no intervalo.

jogou dez partidas em dois Mundiais (1982 e 1986). Chico atuou em quatro partidas em 1950. Antes, com três gols, o ex-santista empatava em número de gols com outros 12 jogadores: Amarildo, Baltazar, César Sampaio, Didi, Dirceu, Falcão, Luis Fabiano, Peracio, Preguinho, Roberto Dinamite, Romeu e Tostão. Logo à frente de Neymar, com cinco gols, na lista de artilheiros na Copa estão Garrincha, Romário e Zico. Os dois maiores da história brasileira

JUCA KFOURI

CAMARÕES BRASIL

Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)

Árbitro: Jonas Eriksson (SUE)

Brasil: Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho (Fernandinho) e Oscar; Hulk (Ramires), Fred e Neymar (Willian) Técnico: Luiz Felipe Scolari

Craque Neymar balançou as redes duas vezes no jogo de ontem

Gols: Camarões: Matip, aos 25 minutos do primeiro tempo Brasil: Neymar, aos 16 e aos 34 minutos do primeiro tempo; Fred, aos três, e Fernandinho, aos 38 minutos do segundo tempo

COLUNISTA DO JORNAL “FOLHA DE SÃO PAULO”

Que Brasil é este? O time foi um no primeiro tempo e outro no segundo. O último melhor que o primeiro. Felipão concorda? Com Paulinho a seleção brasileira foi uma coisa. Insegura, incolor, irritante, embora nada seja apenas isso quando Neymar está em campo com seu repertório inesgotável de chapéus, canetas, toques de primeira e, fundamentalmente, gols, muitos gols, como se já tivesse longa vida no time. Com Fernandinho a seleção foi outra coisa. Vibrante, rápida, certeira, colorida, e nem precisou dos gols de Neymar, porque Fred e ele

mesmo trataram de marcá-los para estabelecer o 4 a 1 que se queria 4 a 0, mas quem tudo quer, nada tem. O gol de Camarões serviu para revelar mais uma vez o tamanho da avenida Daniel Alves, urgentemente necessitada de um Maicon para congestioná-la. A troca de Paulinho por Fernandinho falou por si só e não passa pela cabeça de ninguém que será desfeita contra o Chile, no sábado, em Belo Horizonte. Mas infelizmente foi impossí-

1 4

Camarões: Itandje; Nyom, Nkoulou, Matip e Bedimo; Mbia, Enoh e Nguemo; Moukandjo (Salli) e Choupo-Moting (Makoun); Aboubakar (Webo) Técnico: Volker Finke

são Ronaldo (15) e Pelé (12). Na história Na história da seleção, Neymar já se transformou no sexto maior artilheiro com 35 gols, deixando Rivaldo (34), para trás. Pelé é o líder disparado da lista com 77 gols, seguido por Ronaldo (62), Romário (55), Zico (48) e Bebeto (39). Antes de começar a Copa, o atacante estava em 11º na lista, com 31 gols, logo atrás de Tostão e Ademir Menezes (32 gols cada).

FICHA TÉCNICA

SERGIO BARZAGHI/GAZETAPRESS

Neymar é top 10 na artilharia Com os dois gols feitos contra Camarões, Neymar já conseguiu entrar para o top 10 dos artilheiros do Brasil em Copas e passou a ser o sexto maior da história da seleção. De quebra, já passou a liderar sozinho a artilharia deste Mundial. Apesar de ter passado em branco contra o México, na segunda rodada, o atacante do Barcelona havia feito outros dois na vitória sobre a Croácia por 3 a 1. Com 4 gols, Neymar alcançou Chico e Sócrates, que

Mandou Fernandinho a campo no lugar de Paulinho e foi recompensado com uma melhora considerável da seleção. Com a mesma pressão inicial do primeiro tempo, o Brasil precisou de três minutos para ampliar o marcador. Fernandinho dominou a bola na entrada da área e acionou David Luiz na esquerda. O zagueiro cruzou para Fred desencantar, de cabeça. O placar dilatado desanimou a eliminada equipe de Camarões, que passava a chamar o Brasil para o ataque. O técnico alemão Volker Finke buscou algum sinal de reação com Salli no lugar de Moukandjo. Felipão também mexeu, com Ramires na vaga de Hulk. Depois, trocou Oscar por Neymar, aplaudido de pé. Àquela altura, o jogo já estava decidido a favor do Brasil. Restava aos comandados de Felipão evitar as divididas mais duras com os atletas de Camarões, que começavam a abusar da violência. A torcida, satisfeita, começou até a ensaiar novos coros de incentivo. E retornou ao “campeão voltou” depois que Fernandinho, aos 38, tirou proveito de jogada com Fred e Oscar para bater no canto e transformar a vitória em goleada.

vel ver Willian no lugar de Oscar porque, quando Felipão iria ver, preferiu poupar Neymar, no que fez muito bem. Oscar ainda esteve melhor que Fred, sem confiança, incapaz de decidir como sempre fez, apesar de, enfim, ter desencantado, mesmo em impedimento, daqueles dificílimos de serem visto na hora. O Chile vem aí, para nos enfrentar pela quarta vez em fases finais de Copas do Mundo. Nas outras três perdeu por muitos gols: 4 a 2, em 1962, pelas semifinais, no Chile; 4

a 1, em 1998, na França e 3 a 0, em 2010, na África do Sul, ambas pelas oitavas, como agora. Claro que a história não decide, mas pesa e pesará ainda mais depois que os andinos, eternos aspirantes a subir um degrau no pódio do futebol mundial, foram superados pelos holandeses, muito mais próximos da glória definitiva. O Chile pode, mas só se houver um milagre ou se seleção brasileira facilitar sua vida e não tratar dos defeitos que ainda estão visíveis.

Oscar ainda esteve melhor que Fred, sem confiança, incapaz de decidir como sempre fez, apesar de, enfim, ter desencantado, mesmo em impedimento


E5

a Camarões MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

ro lugar da chave VIPCOMM

‘Foi gol de bigode’, disse Fred O centroavante Fred festejou o desempenho da seleção e também a sua atuação individual na vitória de 4 a 1 sobre Camarões.Ele foi o autor do terceiro gol da equipe brasileira ao aproveitar um cruzamento, colocar o rosto na bola, a desviando ao gol, aos três minutos do segundo tempo. Depois do jogo, ele brin-

cou e disse que fez o gol com o seu bigode. “O cruzamento do David foi forte. Por incrível que pareça, bateu no meu bigode. Foi gol de bigode”, disse o atacante, que chegou a jogar de bigode em partidas pelo Fluminense para homenagear o seu pai. Esse foi o primeiro gol do centroavante no Mundial. “A carga de críticas estava

pesada em cima de mim. Procurei ter tranquilidade. Eu estava trabalhando e o grupo me ajudou”. Segundo ele, o jejum de gols estava incomodando. “Eu não estava conseguindo jogar bem, hoje eu consegui jogar de uma forma coletiva boa, e a equipe inteira mostrou evolução”, completou Fred. WANDER ROBERTO/GAZETAPRESS

Com novo visual, Fred desencantou e fez seu primeiro gol no Mundial

Chileno insinua favorecimento

Jogadores comemoram primeiro gol da partida marcado por Neymar

Tostão

Poupado na derrota por 2 a 0 diante da Holanda ontem (23), o volante chileno Arturo Vidal viu de fora o trabalho do juiz Bakary Gassama, da Gâmbia, contestado pelos seus compatriotas. Ainda antes da definição do adversário de sua equipe nas oitavas de final, ele insinuou um possível favorecimento da arbitragem ao Brasil, provável rival na próxima fase. “É difícil marcar 12 jogadores, declarou sorrindo. “Tomara que coloquem um árbitro de qualidade, que saiba administrar esse tipo de partida, sempre complicada. E que passe quem mereça, quem jogue melhor”, acrescentou.

O meia palmeirense Valdívia também questionou a qualidade da arbitragem. “É difícil não falar de arbitragem. O jogo era importante para o nosso grupo e para o grupo de Brasil, México, Croácia e Camarões. E colocaram um juiz da Gâmbia, sem personalidade nem critério”, criticou. Meia minimiza história Brasil e Chile se enfrentarão pela quarta vez em uma Copa do Mundo na tarde do próximo sábado (28). Logo depois de cair contra a Holanda nesta segunda-feira, antes mesmo da confirmação do próximo adversário, o meia Valdivia minimizou a freguesia de sua seleção

diante dos anfitriões. No primeiro jogo contra o Chile na história do campeonato, válido pela semifinal de 1962, o Brasil bateu o adversário por 4 a 2 na condição de visitante. A seleção repetiu o triunfo sobre o rival nas oitavas de final das edições de 1998 (4 a 1) e 2010 (3 a 0) da Copa do Mundo. “Vai ser difícil, mas história fica no museu. Esperamos mudar o retrospecto negativo que temos contra o Brasil “, declarou Valdivia. O jogador do Palmeiras, o meio-campista é profundo conhecedor do futebol nacional, já que sua primeira passagem pelo clube paulista data de 2006.

COLUNISTA DO JORNAL “FOLHA DE SÃO PAULO”

Show de Neymar No primeiro tempo, o Brasil teve duas ótimas jogadas. A primeira, dar a bola para Neymar. A segunda, dar a bola para Neymar. Como Camarões marcava muito à frente e deixava enormes espaços nas costas dos defensores, ficou muito fácil. David Luiz se transformou em um grande lançador, com excelentes passes longos, com a perna direita e com a esquerda. Por outro lado, Camarões, com velocidade e troca rápida de passes, geralmente nos espaços deixados pelos laterais

brasileiros, fez um gol e poderia ter feito outros, assim como também o Brasil. No segundo tempo, além do show de Neymar, um espetáculo, entrou Fernandinho. Ele desarmou, trocou passes e ainda fez um belo gol. Tomou conta da posição. Luís Gustavo fez mais uma ótima partida. Desarmou e ainda deu um excelente passe para Neymar, no primeiro gol. Thiago Silva e Júlio César também foram bem, além de Marcelo, no apoio. Já os outros, pela facilidade da

partida, deveriam ter jogado muito melhor. O Brasil vai enfrentar, novamente, o Chile, nas oitavas de final. A avalanche chilena foi bloqueada pela forte defesa da Holanda. Vidal, melhor jogador chileno, fez muita falta. Em janeiro de 2010, estava de férias no Chile. Um taxista, encantado com sua seleção, na época, dirigida pelo Loco Bielsa, mestre do louco Sampaoli, disse que o Chile seria campeão na África do Sul. Falei a ele que, provavelmente, o

Chile enfrentaria o Brasil, nas oitavas, e que, para o Brasil vencer, bastaria jogar bolas na área para os grandalhões, contra os baixinhos chilenos. Assim, saiu o primeiro gol, ontem, da Holanda. O taxista não gostou. Tentei consertar, mas já era tarde. Foi o que aconteceu na Copa de 2010, repetindo 1998. As chances do Brasil são maiores, o que não significa que já está tudo definido. A história conta o que ocorreu. Na frente, continua tudo escuro.

O Brasil vai enfrentar, novamente, o Chile, nas oitavas. A avalanche chilena foi bloqueada pela forte defesa da Holanda. Vidal, melhor jogador chileno, fez falta


E6

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

DIVULGAÇÃO

Holanda bate Chile e garante liderança O Chile viu sua torcida dominar o estádio e se sentiu tão em casa na Arena do Corinthians que foi ao ataque. A Holanda, que só precisava do empate, venceu

Jogo truncado A vantagem de garantir a liderança mesmo empatando deu à Holanda a oportunidade de iniciar o duelo com a estratégia que gosta: preencheu seu campo, inclusive transformando o atacante Kuyt em meiocampista para marcar Isla, e

ficar à espera de um contra-ataque. Sem Van Persie, que cumpre suspensão por ter recebido dois amarelos, Lens atuou, mas sem a mesma qualidade. O Chile entrou em campo no 3-4-3 e à medida que trocava passes, percebeu que poderia soltar mais Aránguiz e Díaz e Isla abriu espaço no ataque ao virar lateral, e fazendo o time atuar no 4-4-2. Os defensores holandeses se preocupavam mais com Sánchez e Vargas e se esqueceram de quem vem de trás. Assim, Aránguiz levou perigo, aos 14, e Gutierrez recebeu cobrança rasteira de escanteio, completamente livre na marca do pênalti, para finalizar acima do travessão, aos 22.O time europeu, então, resolveu acordar. Kuyt virou efetivamente atacante e, ao lado de Robben e Lens, passou a jogar em cima dos três zagueiros chilenos, abrindo espaço para jogar também, em vez de só esperar. Aos 39 minutos, Robben escapou da falta de Jara para arrancar passando por quem

FICHA TÉCNICA HOLANDA CHILE atacar, principalmente, nas jogadas individuais. Uma delas ocorreu aos 19, quando Sánchez colocou a bola entre as pernas de Lens na grande área e finalizou em cima do goleiro Cillessen. A medida, porém, dava espaços e Robben quase aproveitou ao dar arrancada e bater com perigo, aos 21 minutos. Van Gaal, com o empate a favor, até abriu mão de Sneijder para preencher o meio-campo com Fer. Aos 30, Depay forçou Bravo a fazer grande defesa. Na cobrança do escanteio, Fer subiu sozinho para colocar a bola nas redes e fazer 1 a 0. Na ânsia de buscar a virada, Sampaoli sacou Vargas para apostar na altura de Pinilla, mas de nada adiantou. A Holanda entrou em campo com o resultado que precisava e soube aproveitar a ânsia chilena. O característico contra-ataque laranja ainda apareceu nos acréscimos, quando Robben cruzou para Depay fechar o placar.

viu pela frente até finalizar à esquerda do gol. A seleção chilena respondeu aos 43, quando Gutiérrez, sozinho, cabeceou por cima do travessão.

OITAVAS

Na próxima fase, a Holanda vai enfrentar o México, seleção do goleirão Ochoa. Já o Chile, terá ninguém menos que os donos da casa pela frente, no próximo sábado, no Mineirão, em Belo Horizonte (MG) Gutiérrez foi trocado por Beausejour para o segundo tempo. Mas o sistema tático não mudou, e a Holanda saiu dos vestiários disposta a marcar e encaixar sua disposição para forçar a saída de bola rival no jogo. O Chile, então, resolveu

HONRA

DIVULGAÇÃO

Titular na partida de ontem, atacante David Villa marcou um belo gol de letra e saiu irritado

Chute a gol mesmo apenas aos 19 minutos, com Jordi Alba, que entrou pela esquerda e fuzilou para boa defesa de Ryan. Na sequência, a zaga afastou o perigo. A Roja estava mais solta, mas finalizava pouco. Aos 28 minutos, Villa pedalou, levou para o fundo e cruzou na pequena área

IRRITADO

Após marcar o gol mais bonito da partida, atacante do Atlético de Madrid, David Villa, foi substituido por Mata. Ele saiu na bronca com o treinador da Fúria, Vicente Del Bosque, e nem o cumprimentou para ninguém aproveitar. Até que, aos 35 minutos, Juanfran recebeu lançamento açucarado e cruzou para David Villa, de letra, tocar para o fundo das redes e abrir o placar. Aos 42 minutos, Villa serviu Carzola, que toucou na saída do goleiro, mas não contava com a recuperação da defesa.

Local: estádio de Itaquera, em São Paulo (SP) Árbitro: Bakary Gassama

HOLANDA: Cillessen; Janmaat, De Vrij, Vlaar e Blind; De Jong, Wijnaldum e Sneijder (Fer); Robben, Lens (Memphis) e Kuyt (Kongolo) Técnico: Louis Van Gaal CHILE: Bravo; Silva, Medel e Jara; Isla, Aránguiz, Díaz e Mena; Gutiérrez (Valdívia) (Beausejour); Sánchez e Vargas (Pinilla) Técnico: Jorge Sampaoli

Gols: Fer, aos 31, e Memphis, aos 46 do 2º Tempo Cartões: amarelos: Silva (CHI); Blind (HOL)

Depay marcou seu segundo gol na Copa do Mundo

CLASSIFICADO

Espanha se despede com vitória

Coube a Curitiba, no fechamento do Grupo B da primeira fase da Copa do Mundo 2014, servir de palco para a Espanha, atual campeão do mundo, dar com um time misto o seu adeus, não só ao Mundial, mas a uma geração que venceu quase tudo na última década e revolucionou a maneira de jogar futebol. A vitória por 3 a 0 sobre a Austrália impediu a pior campanha de uma seleção campeã na história e, no belo do gol de Villa, deixou um gostinho do que poderia ter sido, mas, não foi. A morte de duas seleções abraçadas em campo, no entanto, não refletiu no clima dos torcedores, especialmente os australianos. Ninguém em volta do estádio antes da bola rolar ou durante a partida estava preparado para um velório, mas sim uma celebração. Logo após o apito inicial, ficou claro o panorama da partida, com a Espanha tocando bola em seu estilo tiki-taka e a Austrália marcando pressão, tentando se superar na base da força e da vontade. Aos quatro minutos, Taggart foi lançado, mas Reina protegeu bem a saída.

2 0

Para a segunda etapa, a Austrália voltou com Halloran no lugar de Taggart. Buscando seu primeiro ponto na competição, o time da Oceania retornou com mais vontade. Porém, o primeiro chute veio aos oito minutos, com Iniesta, pela linha de fundo. Aos 11 minutos, Mata entrou em campo para a saída de David Villa, que deixou o gramado emocionado, reverenciado pelos colegas e entrou para a história como o maior artilheiro da seleção espanhol em todos os tempos, com seis gols. Aos 20 minutos, McKay cruzou e Reina deixou a meta para segurar. Até que, aos 23 minutos, Fernando Torres entrou na área e tocou na saída do goleiro para marcar. Mais abraços em uma tentativa de mostrar a união do grupo, abalada por problemas internos. Iniesta, que completou 100 jogos pela Roja, assim como nas duas primeiras partidas destoava dos colegas, sempre mostrando categoria para tentar resolver, sem apatia, em mais um resquício da Espanha que todos esperavam ver.

México vence Croácia e avança O México entrou no gramado da Arena Pernambuco sabendo que, se não levasse gol, garantiria vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo. Diferente dos dois confrontos anteriores, contra Camarões e Brasil, a defesa norte-americana acabou superada, com gol de Perisic, mas o tento não foi suficiente para diminuir a festa tricolor. Os comandados de Miguel Herrera venceram por 3 a 1 e garantiram a classificação para o mata-mata, eliminando os balcânicos. Os tentos do triunfo foram anotados por Rafa Márquez, Guardado e Chicharito Hernández. Com os três pontos somados, as águias encerram a fase inicial na segunda posição do grupo A, com sete pontos conquistados, atrás da seleção brasileira nos critérios de desempate. Neste contexto, seu adversário será a também

invicta Holanda, líder da chave B. Por sua vez, a equipe de Luiz Felipe Scolari terá pela frente o Chile, no primeiro estágio do mata-mata. Os gols só saíram na

DESEMPATE

Com o mesmo número de pontos da seleção brasileira, o México só ficou em segundo lugar no grupo por conta do saldo de gols. O Brasil terminou com cinco bolas positivas, contra três dos mexicanos

segunda etapa. Aos 26 minutos, em escanteio bem cobrado por Héctor Herrera, o experiente zagueiro Rafa Márquez ganhou de Corluka e testou firme, no canto esquerdo. Pletikosa encostou na bola,

mas não conseguiu evitar o primeiro tento. Abatidos com a iminente eliminação, os croatas sofreram o segundo gol aos 29 minutos. Após receber de Chicharito, Oribe Peralta cruzou rasteiro para Guardado e viu o meia concluir com consciência, no canto de Pletikosa, que nada pôde fazer. O tento que ampliou a vantagem veio aos 36 minutos. Consolidando a boa atuação, Javier Hernández aproveitou um desvio de Rafa Márquez, após escanteio cobrado por Guardado, e só teve o trabalho de empurrar a bola, de cabeça, para o fundo da rede europeia. No fim da partida, aos 41 minutos, a Croácia conseguiu seu gol de honra. Rakitic recebeu no meio campo e executou um belo passe para Perisic, que teve calma para bater cruzado e vencer o goleiro Ochoa. DIVULGAÇÃO

O

time que estreou impondo 5 a 1 sobre a Espanha soube segurar o ímpeto chileno. O Louis Van Gaal teve sucesso em suas substituições, já que Depay, que saiu do banco, gerou o escanteio que Fer, outro que era reserva, transformou em gol ao subir sozinho na grande área aos 31 minutos do segundo tempo. Nos acréscimos, Robben ainda cruzou para Depay fechar o placar. O time laranja volta a entrar em campo em jogo domingo, às 12h (de Manaus) em Fortaleza, contra o México, segundo colocado do Grrupo A. O Chile, segundo colocado de seu grupo com seis pontos, atua no sábado, também às 12 horas, no Mineirão, contra a seleção brasileira.

Zagueiro Rafael Márquez comemora primeiro gol da partida contra a seleção croata


E7

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

Colômbia pega o desesperado Japão Líder do grupo C com seis pontos e jogando um futebol envolvente, os colombianos jogam por mais uma vitória man, técnico da Colômbia. A Colômbia terá mudanças em seu time para este jogo. O goleiro David Ospina vai ganhar um descanso para que Faryd Mondragón seja homenageado. O goleiro reserva tem 43 anos e se jogar se tornará o jogador mais velho a disputar uma partida de Copa do Mundo. O recorde pertence ao artilheiro camaronês Roger Milla, que jogou o Mundial de 1990 com 42 anos. Outras duas mudanças acontecem por precaução. O zagueiro Mario Yepes, com dores na coxa direita, será preservado, assim como o volante Carlos Sanchez, pendurado com dois cartões amarelos. Assim, Eder Balanta deve entrar na zaga, enquanto que Fred Guarín ocupa o posto de Sanchez. Já pelo lado d o

DIVULGAÇÃO

C

Japão, o técnico italiano Alberto Zaccheroni demonstra confiança. “A sensação que estou tendo no convívio com os jogadores é a de que faremos uma grande partida. Falo isso porque eles estão animados e dispostos a lutar até o fim pela vitória. A Colômbia é um grande rival, mas não é imbatível”, falou. Apesar de não ter confirmado qual a escalação que pretende mandar a campo, o treinador do Japão deverá manter a base que vem atuando no Mundial.

DIVULGAÇÃO

lassificada para as oitavas de final e liderando o Grupo C da Copa do Mundo de 2014, com seis pontos e cem por cento de aproveitamento, a Colômbia encara o Japão hoje (24), às 16h (de Manaus), na Arena Pantanal, em Cuiabá (MT), precisando de um empate para assegurar a primeira colocação. O time vem de triunfo de 2 a 1 sobre a Costa do Marfim e pode ficar com o primeiro posto mesmo em caso de derrota. Mas para isso vai precisar que os marfinenses não vençam a Grécia em duelo previsto para o mesmo horário. Para os japoneses, que empataram sem gols com os gregos no meio de semana e somam apenas um ponto, o duelo vale a chance de classificação. Eles precisam ganhar por dois gols de diferença e torcer por empate no outro confronto. Aos colombianos existe a incógnita se realmente vale à pena ser primeiro do grupo. Isso porque nas oitavas de final o time vai duelar com o segundo do Grupo D, onde a Costa Rica acena com a primeira colocação. Assim, a liderança para a Colômbia pode representar um encontro precoce com um campeão do mundo, Itália ou Uruguai. “Não estamos preocupados com o que vem nas oitavas e sim em ganhar o jogo contra o Japão. Em uma Copa do Mundo não se pode ficar dosando para escolher adversário. Temos que procurar fazer a nossa parte. Conseguimos a classificação, que era o primeiro objetivo, e agora queremos o segundo objetivo, que é o primeiro lugar de nossa chave”, disse José Peker-

Yaya Touré está devendo neste Mundial e espera melhorar

O goleiro Mondragón, de 43 anos, será o titular na partida de hoje

GRUPO C

A briga é pela segunda vaga Com a Colômbia já garantida nas oitavas de final, a disputa na última rodada do Grupo C da Copa do Mundo de 2014 é pela segunda vaga. De olho nela Grécia e Costa do Marfim se enfrentam nesta terça-feira, às 16h (de Manaus), no Estádio Castelão, em Fortaleza (CE), pela última rodada. Com três pontos, os marfinenses, que tentam se recuperar da derrota de 2 a 1 para os colombianos, aparecem no segundo posto com três pontos, dois a mais que gregos e japoneses, que empataram sem gols no meio de semana. Para se classificar Costa do Marfim precisa de um simples

triunfo. Em caso de empate, se garante se o Japão não derrotar a Colômbia, em duelo previsto para o mesmo horário. Já os gregos se classificam se ganharem e o Japão tropeçar. Sabri Lamouchi, técnico da Costa do Marfim, pediu aos seus jogadores muita movimentação para poder furar o bloqueio defensivo dos gregos. Ele vem dando aos atletas a dimensão deste duelo. “Se nós conseguirmos a classificação vamos entrar para a história da Costa do Marfim, que jamais foi para as oitavas de final. Portanto, é um jogo muito importante, histórico. Ganhar da Grécia não tem segredo. Precisamos de

muita velocidade e movimentação para furarmos o bloqueio defensivo deles”, disse. Porém, com a necessidade de vitória, a Grécia deverá modificar um pouco seu estilo de jogo. “Não podemos ficar apenas esperando que Costa do Marfim erre, pois apenas a vitória nos interessa. Não vamos mudar drasticamente o nosso estilo de jogo, mas precisaremos de um pouco mais de ousadia. Já agimos assim no passado e tivemos bons resultados, portanto, me sinto otimista”, disse Fernando Santos, português que dirige a Grécia. Em termos de escalação,

Fernando Santos deverá manter a base que vem atuando, porém, com os homens de criação com mais liberdade para encostarem no ataque. Na Costa do Marfim, o volante Didier Zokora, que vinha atuando de maneira improvisada na lateral esquerda, fica de fora para cumprir suspensão por acúmulo de cartões amarelos. Ousmane Diarrassouba assume o posto. Os atacantes Salomon Kalou e Didier Drogba, que estão iniciando os jogos no banco de reservas por não estarem com cem por cento da forma física, devem permanecer como armas para o segundo tempo.


?

Qual campeão mundial

dará adeus à Copa Itália e Uruguai decidem quem continua na Copa do Mundo de 2014 e quem mergulhará na crise após uma eliminação precoce no torneio

A

mbos somam três pontos e têm em comum terem sofrido nas mãos do azarão Costa Rica, que lidera a chave com seis pontos e já está classificada. A Azzurra vem de derrota de 1 a 0 para os costarriquenhos e jogam pelo empate contra o Uruguai por ter vantagem no saldo de gols. A Celeste, que estreou perdendo de 3 a 1 para o time da Concacaf, ganhou novo fôlego com os 2 a 1 aplicados na Inglaterra. Os uruguaios só avançam em caso de triunfo. Diante desta decisão, os dois treinadores sabem que estão diante do jogo do ano. “Vamos jogar a nossa vida diante do Uruguai e estamos preparados para o nosso jogo mais importante nesta Copa do Mundo. O que vai acontecer nesta partida vai definir como foi o nosso trabalho ao longo dos últimos anos”, disse Cesare Prandelli, técnico da Itália.

Óscar Tabárez, comandante do Uruguai, pensa parecido. Mesmo lamentando o tropeço diante dos costarriquenhos, ele se mostra bem confiante para esta decisão. “Sempre soubemos que seria muito complicado passar neste grupo, portanto, chegar na última rodada precisando da vitória não chega a ser surpreendente. Poderíamos estar melhores, pois não planejamos a derrota na estreia. Mas não adianta discutir mais o passado”, disse Tabárez. A Itália vem bem diferente. Disposto a tornar o time mais ofensivo, Prandelli fará algumas mudanças na equipe. O zagueiro Leonardo Bonucci entra na vaga do volante brasileiro naturalizado italiano, Thiago Motta. O lateral Ignazio Abate dá vaga a Mattia De Sciglio, recuperado de uma lesão na coxa esquerda. Com o esquema variando para o 3-5-2, o meia Marco Verratti entra

no posto do volante Daniele De Rossi, que com uma lesão na panturrilha direita, fica de fora. Já Antonio Candre-

va cede sua vaga ao atacante Ciro Immobile, o que torna o time mais veloz. Pelo lado do Uruguai, o zagueiro Diego Lugano, com dores no joelho direito, fica de fora mais uma vez. Existe uma dúvida de ordem técnica na lateral. Álvaro Pereira pode perder o posto para Maxi Pereira, que volta a ficar à disposição depois de ter cumprido suspensão.

Atacante Ciro Immobile começa como titular no jogo de hoje

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

DJALMAVASSAO/GAZETAPRESS

E8


E9

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

Suíça e Honduras chegam a Manaus para jogo decisivo Seleções desembarcaram ontem na cidade; Honduras chegou no final da tarde e seleção da Suíça no início da noite FOTOS: RICARDO OLIVEIRA

Seleção da Suíça chegou ontem à noite a Manaus e foi direto para o hotel; a equipe joga com Honduras amanhã no último jogo da Copa do Mundo que será realizado na Arena da Amazônia THIAGO FERNANDO Equipe EM TEMPO

A

s seleções de Honduras e Suíça já estão em Manaus para o jogo decisivo que acontecerá amanhã às 16h na Arena da Amazônia Vivaldo Lima. A partida é valida pelo Grupo E da Copa do Mundo, que tem ainda Equador e França que se enfrentarão no Maracanã, Rio de Janeiro no mesmo horário. Os hondurenhos foram os primeiros a desembarcarem em solo manauense. Chegando ao aeroporto internacional Eduardo Gomes às 17h. Do aeroporto os jogadores seguiram para o Hotel Blue Tree, avemida Humberto Calderaro Filho, Adrianópolis, Zona Centro-Sul, onde menos de dez torcedores esperavam pela delegação. Já os suíços chegaram duas horas depois em Manaus e por volta de

19h30 já estavam no Hotel Quality Premium, também localizado na aveninda Mario Ypiranda Monteiro. Apenas 12 torcedores foram prestigiar a chegada da equipe comandada pelo treinador alemão Ottmar Hitzfeld. O goleiro Diego Benaglio, que defende o Wolfsburg da Alemanha, foi o primeiro a descer e fez questão de acenar para os presentes. Para Daniele Dias, 34, ir receber a seleção no hotel é importante para mostrar todo carinho manauense. Indo com a mãe e os filhos, a jovem fez questão de ver de perto os jogadores de uma seleção que está disputando a Copa do Mundo mesmo não conhecendo nenhum. “Vim pela oportunidade de ver a seleção Suíça. Apenas conheço as cidades e o chocolate. Essa Copa é a chance perfeita que a tivemos para mudar a imagem da cidade para o mundo. Geralmente Manaus aparece apenas quando acontece algum escândalo ou

tragédia. Podemos mostrar que somos hospitaleiros com os turistas”, disse Daniele, que mostrava toda animação com seu filho no colo. Ambas as seleções farão o reconhecimento do gramado do palco do jogo na tarde de hoje. Pelo lado da equipe de Honduras, o treinador colombiano Luis Fernando Suárez não terá desfalques para o duelo. A esperança do país centro-americano fica sobre as costas do meio campista Wilson Palacios, que atualmente joga no Stoke City da Inglaterra. O meio campista chegou a ser contratado pelo gigante londrino, Tottenham Hotspur por 12 milhões de libras, em 2011. Já o comandante alemão Ottmar Hitzfeld, que treina a seleção suíça desde 2009, terá apenas a ausência do zagueiro Steve von Bergen, que sofreu um duro golpe durante o jogo contra a França, na última sexta-feira. As esperanças do país do chocolate ficam entorno da atuação do atacante

Xherdan Shaqiri, que defende o gigante alemão Bayern de Munique. O atleta que surgiu no Basel em 2012 foi o principal jogador da seleção nas eliminatórias para esse mundial e ficou conhecido pelos seus dribles e chutes fortes de fora da área. Último jogo em Manaus O confronto entre Honduras e Suíça será o último em Manaus. A cidade recebeu os duelos entre Itália x Inglaterra, Croácia x Camarões e Portugal x Estados Unidos. Em todos os jogos a Arena da Amazônia Vivaldo Lima estava lotada. A festa na cidade foi grande nesse período. Manaus recebeu muitos turistas vindos especialmente da Inglaterra e dos Estados Unidos. Alguns pontos turísticos da cidade viraram praças de encontro dos torcedores, como por exemplo, a praia da Ponta Negra onde foi instalado a Fifa Fan Fest e o largo São Sebastião.

Poucos torcedores foram à porta do hotel prestigiar jogadores


E10 10

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

Torcida aprova seleção A equipe comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolare reconquistou a confiança do manauense, ontem, com o placar de 4 a 1 contra Camarões. Até a comunidade indígena Sateré-Mawé parou para assistir à partida da Copa do Mundo FOTOS: RICARDO OLIVEIRA

Comunidade indígena sateré-mawé, no bairro de Santo Antônio também entrou no clima da Copa

A

atuação da seleção brasileira convenceu a torcida manauense, especialmente com o placar de 4 a 1 contra Camarões, na tarde de ontem. Em diversas partes da cidade avistavam-se amazonenses com camisas e bandeiras do Brasil, fosse com a família ou com os amigos. Na via mais decorada da cidade, a rua 3, no bairro da Alvorada, Zona Centro-Oeste, cada gol arrancava aplausos, gritos e muito barulho. No meio da torcida manauense, a alemã Denise Marchi, 30, era uma das mais entusiasmadas. Com uma câmera na mão, pretendia registrar tudo o que os seus olhos azuis admirassem. “Conheci São Paulo e Salvador. Em Manaus, vim ver a decoração temática do Mundial, conhecer pessoas e assistir ao jogo com o povo”, disse a turista. Devidamente caracterizado e com olhos fixos no jogo que ocorria no estádio Mané Garricha, em Brasília, o estoquista Mecherds Oliveira, 35, afirmava que o craque da camisa 10 iria fazer a nação vibrar. “Acredito no talento do Neymar. Camarões é adversário fraco ao Brasil. Se a Croácia os venceu a nossa seleção também irá e vai ser de goleada’’, antecipava a vitória. Quando o craque da seleção marcou o segundo gol contra o adversário, o funcionário público Glimedes Sabóia, 49, já especulava que iria perder a aposta feita com os amigos de trabalho. O bom rendimento da seleção em campo indicava mais gols durante a partida. “Apostei no bolão e acabo de perder. O Brasil tem mostrado que pode vencer Camarões e irá para

as oitavas de final”, disse o morador do Aleixo, que atravessou a cidade para torcer na companhia da esposa. Alívio Na famosa rua Santa Isabel, Praça 14, Zona Sul, conhecida também por sua beleza na decoração para o Mundial, outros tantos amazonenses pareciam aliviados com o placar de 4 a 1. Entre eles o industriário João Gouvêa, 56, frisava que a seleção brasileira finalmente ressuscitava o estilo de jogo que marcou o time na última Copa das

Sob o olhar curioso da tribo sateré-mawé O futebol tem o poder de unir povos e culturas diferentes. A exemplo disso, na comunidade indígena Sateré-Mawé, no bairro de Santo Antônio, Zona Oeste, as famílias se reuniram na frente de televisor para assistir à atuação do Brasil em sua Copa do Mundo. O

líder da comunidade, Moisés Sateré, diz que toda a divulgação do Mundial tem influenciado a adotarem como hobby o futebol na aldeia urbana. “Não é da nossa cultura, mas o futebol entrou. Aqui na comunidade tem ocorrido partidas de futebol entre

as crianças, homens e até entre as mulheres. Estamos preparando uma quadra improvisada para brincar de futebol”, disse. “Nos reunimos para assistir porque temos aprendido a gostar de futebol e torcer pelo Brasil. Ao nosso olhar ele está jo-

gando bem’’, acrescentou Moisés Sateré. Com a vitória, a seleção brasileira está classificada para as oitavas de final e terá menos de uma semana para se preparar para o início da fase mata-mata. Já no sábado (28) vai enfrentar o Chile, no Mineirão.

Conheci São Paulo e Salvador. Em Manaus, vim ver a decoração temática do Mundial, conhecer pessoas e assistir ao jogo com o povo Denise Marchi, turista alemã

Confederações. “No segundo tempo, a seleção começou a mostrar o futebol visto naquela competição. O importante é ganhar. O que falta é armar o meio de campo para distribuir a bola”, comentou o torcedor. Abraçado com a bandeira do Brasil e entre os amigos, o militar Elton Zacarias, 21, vibrava após o quarto gol e destacava o crescimento da seleção. ‘‘Nesse jogo, o Brasil mostrou preparo, me convenceu com essa goleada. Sabemos que a próxima etapa tem risco. O Chile é um adversário forte nesta Copa”.

Na rua Santa Isabel, na Praça 14, a torcida ficou aliviada com a goleada da seleção brasileira sobre Camarões


E11

FOTOS: DIEGO JANATÃ

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

Espaço da Fifa Fan Fest é um dos que mais tem atraído público durante os jogos da Copa do Mundo bo Brasil; as atrações nacionais são um grande atrativo para os manauenses, que lotam o lugar

Manauense festeja vitória e enaltece participação local Comportamento hospitaleiro e ordeiro do amazonense é ressaltado por turistas nacionais, estrangeiros e pela população nativa EMERSON QUARESMA Equipe EM TEMPO

O

80 MIL

Foi número aproximado de pessoas que prestigiaram a partida do Brasil, na Fan Fest, avenida Itaúba e no Centro, de acordo com dados do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICC-R) para Parintins somente depois da última partida na Arena da Amazônia. E vamos curtindo a Copa, mas sem perder o nosso folclore”, comenta. Para Edione, os encontros no largo ganharam a sua admiração pela organização e segurança do ambiente. “É um clima muito bom, com tantas pessoas reunidas num ambiente desse que é a cara de Manaus. O nosso sentimento é de orgulho.

A nossa maior vitória está nisso tudo que podemos ver e sentir nessa Copa”, sustenta. Ao contrário das amigas, a recepcionista Solange Beleza, 45, não vai a Parintins esse ano, mesmo assim não deixou de curtir o clima de “dois pra lá, dois pra cá”, sobre o piso de pedras portuguesas do largo. “Vou ficar em Manaus e pretendo prestigiar todas as partidas do Brasil nesse espaço que é totalmente família. É muito bom observar o povo sempre muito educado”, observa. O casal de norte-americanos, moradores da cidade de Nova Iorque, Hillary Gooch e Felipe Oliveira, gostaram do que viram no palco do largo. Segundo Hillary, esse foi o primeiro contato deles com ritmo amazonense. “Costumamos prestigiar o folclore dos países por onde passamos. Mas é a primeira vez que ouvimos coisa do tipo”, diz Felipe. Eles chegaram em Manaus, na sexta-feira da semana passada, para assistir à partida entre EUA e Portugal na Arena da Amazônia. Filho de português, Felipe disse que depois do empate em 2 a 2 entre as seleções eles voltam hoje para casa, levando com eles a vontade voltar a Manaus para conhecer mais do folclore do povo.

Palco de emoções

Torcida mirim tem sido presença constante na Ponta Negra, no espaço da Fifa Fan Fest

IONE MORENO

timismo, tensão, felicidade, nervosismo e clima de boi-bumbá. Tudo misturado. Era esse o clima no largo São Sebastião, Centro, antes e durante o primeiro tempo do jogo entre a seleção brasileira contra Camarões, que ao final, com a vitória por 4 a 1 rendeu ao Brasil o primeiro lugar no A da Copa do Mundo. Antes da partida, sob um sol de 35 graus, no espaço que reuniu mais de 20 mil pessoas, de acordo com cálculos da Polícia Militar, o ritmo de boi-bumbá fez o esquenta do público que procurou viver o clima da Copa e também daqueles que contam os dias para ir a Parintins (a 369 quilômetros de Manaus) prestigiar o 49º Festival Folclórico da ilha Tupinambarana. É o caso da química Celma Pereira, 38, e da administradora Edione Martins, 36. Ao som das todas de Garantido e Caprichoso, elas aguardavam o início da partida ao sabor de um tambaqui assado ao lado do palco, com outras cinco amigas. “Foi a minha primeira vez no largo durante essa Copa do Mundo no Brasil e foi muito bom. O ritmo de boi é nosso

e deveria ter mais boi-bumbá na Fan Fest da Ponta Negra”, sugere Celma. Segundo a química, as amigas partem para a ilha Tupinambarana, no próximo dia 27, dois dias depois de o grupo ir à Arena da Amazônia Vilvaldo Lima assistir à última partida da Copa do Mundo em Manaus, entre Suíça e Honduras, às 16h. “Nós vamos

Amigas vão prestigiar o Festival de Parintins, mas só depois que a Copa acabar em Manaus

No espaço do Fifa Fan Fest, na Ponta Negra, Zona Oeste, o público de 21.398 pessoas que passou pelas catracas, de acordo com a Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), manteve o clima de tranquilidade e animação, principalmente após a seleção brasileira marcar o quarto gol. O autônomo Alessandro Santos, 30, morador do bairro Petrópolis, Zona Sul, observou que no local há

muito respeito entre as pessoas. Ele, que foi à Fifa Fan Fest pela segunda vez, de veículo próprio, disse que não enfrentou nenhum congestionamento para chegar ao local. Para ele, poder prestigiar uma Copa do Mundo no Brasil é motivo de muita emoção e orgulho. “Assistir a uma Copa no meu país e tendo Manaus como cidade-sede não tem preço”, declara. Mesmo com o mar de gente que lotou a arquibancada

do anfiteatro da Ponta Negra, a publicitária Marina Falavina, 32, se sentiu a vontade para levar as duas filhas bem próximo ao palco. “A segurança do local me deixou a vontade para trazer as minhas filhas, porque, mesmo com todos os problemas que o país passa, é com muita satisfação que nós recebemos a Copa no Brasil”, comentou Marina, que tem dupla nacionalidade, brasileira e israelita.


E12

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

KARLA VIEIRA/SEMCOM

Torcedores lotam Avenida Itaúba Mais de cinco mil pessoas assistiram à partida da seleção contra Camarões

M

população. Nenhuma ocorrência grave foi registrada. Um efetivo de 24 agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans) trabalhou para organizar o fluxo de veículos no local. De acordo com a coordenadora do evento, Giza Almeida, a Fundação Municipal de Cultura e Turismo e Eventos (Manauscult) tem se empenhado

Quem esteve na av. Itaúba pôde aproveitar para torcer pela seleção brasileira em um lugar tranquilo e com atrações musicais

CAMPANHA

A prefeitura, por meio de Secretarias, aproveitou a oportunidade para intensificar a campanha de combate à exploração sexual e do trabalho infantil, com a distribuição de panfletos em fazer uma grande festa para os torcedores da Zona Leste que se apresentam em um número cada vez mais crescente. “Esse é o resultado de um trabalho integrado que garante a segurança e a comodidade do público que retorna e acaba trazendo outros torcedores”, destacou. O torcedor Alan Rodrigues vem assistindo a todos os jogos do Brasil na avenida Itaúba e acredita que isso tem dado sorte. “Sinto que está dando sorte assistir aqui, então vou continuar a vir até o Brasil conquistar o hexa”, disse o torcedor. A Manauscult espera o mesmo número de torcedores no próximo sábado dia 28, quando o Brasil enfrenta o Chile nas oitavas de final. KARLA VIEIRA/SEMCOM

ais de cinco mil pessoas lotaram a avenida Itaúba, no Jorge Teixeira, Zona Leste, para ver a vitória do Brasil sobre a seleção de Camarões, por 4 a 1, e ainda assistir aos shows de Márcia Nôvo, Dendê a Dois e Forró Gaiato. Antes do jogo, a DJ Naty Veiga agitou o público com o melhor da dance music em um esquenta para a torcida que aguardava o início da partida. Enquanto isso, membros do Comitê Local Integrado PróCopa, coordenado pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh), fizeram uma caminhada de conscientização, quanto ao combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes. O grupo também percorreu todos os bares e restaurantes próximos ao local onde acontecia o evento, para alertar aos donos dos estabelecimentos sobre as proibições da permanência e venda de bebidas a menores de idade. “Aqui estamos trabalhando a rede de proteção de crianças e adolescentes com a fiscalização e principalmente com a prevenção, aqui na Itaúba e em outros lugares de grande aglomeração por conta de eventos da copa”, disse Vera Queiroz, diretora de Direitos Humanos do Comitê. A prefeitura também atuou na área de saúde com uma base de atendimento instalada na escola municipal Helena Augusta Walcoltt. No local, além do ambulatório, duas ambulâncias do Samu também ficaram à disposição da

DIEGO JANATÃ

Muitas famílias curtiram de forma tranquila o jogo na Zona Leste

Mulheres foram as que mais receberam atendimento médico

MÉDICOS

Mais registros de atendimentos No jogo que classificou a seleção brasileira para as oitavas de final da Copa, o governo e a prefeitura, por meio do Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (CiocsManaus), contabilizaram até as 19h45 de ontem, o total de 43 ocorrências nos serviços de saúde monitorados. O Posto Médico Avançado (PMA Ponta Negra) registrou o maior número de ocorrências e, embora a faixa-etária dos atendidos tenha ficado entre 20 e 39 anos, pela primeira vez o número de mulheres atendidas superou o de homens. Nos hospitais públicos e par-

ticulares foram realizados 21 atendimentos. Desses, 15 em hospitais públicos, sendo oito clínicos e sete traumas (hospitais Dr. Platão e 28 de Agosto lideraram os atendimentos). Nas unidades privadas foram seis atendimentos clínicos (hospital Unimed recebeu a maioria das ocorrências). As principais causas clínicas foram vertigens, dor abdominal, febre e hipertensão, além de traumas por quedas e queimaduras com fogos de artifícios. Na Fifa Fan Fest, que recebeu público de 47 mil pessoas, o PMA Ponta Negra realizou 18 atendimentos, sendo

CAUSAS

As principais causas clínicas foram vertigens, dor abdominal, febre e hipertensão. Mas também foram registrados atendimentos decorrentes de traumas causados por quedas e queimaduras 15 clínicos (mal-estar, cefaleia e febre) e três traumas, com uma remoção (acidente leve). Já o PMA da avenida Itaúba, que registrou público

de mais de cinco mil pessoas, realizou quatro atendimentos clínicos (mal-estar, vômitos e hipertensão). O perfil de pacientes atendidos nas unidades monitoradas corresponde a pessoas na faixa etária de 20 a 39 anos, sendo cerca de 70% espectadores dos eventos, 18% trabalhadores e voluntários e 12% policiais e seguranças. Segundo os registros, 55% foram mulheres e 45% homens. Seis ocorrências com estrangeiros foram realizadas com quadros clínicos sem gravidade. Todos foram atendidos e liberados após a avaliação médica.


E13 FOTOS: DIEGO JANATÃ

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

As apresentações culturais serão realizadas durante os meses de Junho e Julho, gratuitamente

O último espetáculo da noite de hoje, o musical “Amazônia Mundo das Águas”, terá início às 21h

Três espetáculos gratuitos hoje Les Artistes Café Teatro apresentará o espetáculo de dança “Rastros Híbridos”

A

KARLA VIEIRA/SEMCOM

população de Manaus e os visitantes que estão acompanhando os jogos da Copa do Mundo na cidade vão poder aproveitar a programação cultural noturna do Les Artistes Café Teatro, localizado na avenida Sete de Setembro, n° 377, Centro. Realizado pela prefeitura e coordenado pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), o agendão traz três espetáculos gratuitos que serão apresentados hoje. São dois de dança e um de música. Para começar a noite, o espetáculo de dança “Rastros Híbridos” da companhia de dança Indios.com acontece a partir das 19h. Dirigida pela coreógrafa Yara Costa, o grupo foi contemplado no edital municipal Prêmio Dança na Cidade/2013. O espetáculo foi montado a partir do contato do grupo com os índios Ka‘lina, que moram na fronteira da Guiana com o Suriname, onde Yara Costa direcionou as pesquisas de corpo, movimento, conceitos, figurino, elementos cênicos e música do trabalho. Rastros Híbridos é todo feito no chão e é marcado por delimitações que criam “territórios” no palco. A pesquisa musical, a cargo de Eliberto Barroncas, investe no uso de tambores para dialogar com a atmosfera Ka’lina e na sua relação com a música. Depois é a vez de “AÊÊÊ: Para falar do que não foi perdido”, outro projeto da companhia “Indios.com”. O espetáculo é baseado em elementos da cultura dos índios Yanomami e visa desenvolver,

Agentes de trânsito indicavam vias com menor fluxo de carros

principalmente, a percepção corporal e musical dos participantes, valorizando e fortalecendo a criatividade e a singularidade da dança e da música. A apresentação começa às 20h. Fechando a noite, a partir das 21h, acontecerá o espetáculo musical “Amazônia Mundo das Águas” do cantor e compositor Armando de Paula, que trará músicas criadas em parceria com grandes nomes do cenário musical do Amazonas como Célio Cruz, Gonzaga Blantez e o saudoso Aníbal Beça. Além da apresentação musical, haverá a exposição “Encontro das Águas” da artista plástica Rosa dos Anjos e interferências poéticas com o escritor Dori Carvalho e o grupo “Formas e Poemas” Durante os meses de junho e julho, a prefeitura vai oferecer gratuitamente várias atividades artísticas à população, em diversos espaços administrados pelo município.

SERVIÇO ESPETÁCULOS DE DANÇA O quê ‘Rastros Híbridos’ e ‘Aêêê – Para falar do que não foi perdido’; show musical ‘Amazônia Mundo das Águas’. Quando Quando: Hoje A partir das 19h Onde Les Artistes Café Teatro

APÓS VITÓRIA

Manaustrans orienta condutores Os torcedores se concentraram em vários pontos da cidade no início da noite de segunda-feira para comemorar a vitória de 4 a 1 da seleção brasileira contra Camarões e a classificação do Brasil para a próxima fase do mundial. Cerca de 90 agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), divididos em várias equipes, fizeram o monitoramento do trânsito em ruas do Centro da cidade, da Zona Centro-Sul, da Zona Leste e no Fifa Fan Fest tomadas por centenas de pessoas que participavam

das comemorações. Os agentes fizeram desvios de trânsito na rua 10 de Julho, que ficou interditada no trecho entre as avenidas Eduardo Ribeiro e Getúlio Vargas. O público ocupou a rua e o largo São Sebastião, após a partida e pôde comemorar com segurança. Condutores foram orientados a utilizar a rua Luís Antony para evitar a área da comemoração. Na praça do Caranguejo, no conjunto Eldorado, Zona Centro-Sul, centenas de torcedores fecharam as ruas que contornam a área

dos bares. O bloqueio foi sinalizado com cones. Os agentes do Manaustrans orientaram condutores a fazer desvios pelas ruas Rio Negro e Rondônia. Na avenida Itaúba, no Jorge Teixeira, Zona Leste, onde também houve transmissão pública, a concentração de torcedores não provocou alterações no trânsito. A área ofereceu alternativas de desvios pela rua Mirra à esquerda ou à direita, em direção aos bairros João Paulo ou Santa Inês. Na área da Fifa Fan Fest, no

anfiteatro da Ponta Negra, o monitoramento do tráfego garantiu acesso seguro para 47 mil pessoas que foram acompanhar a transmissão da partida e se divertir com as atrações artísticas. As equipes de agentes de trânsito, posicionadas em postos fixos, viaturas e motos, acompanharam a circulação dos veículos e pedestres. Os desvios de veículos foram feitos na avenida Coronel Teixeira, retornando pela rotatória com a avenida do Turismo. O acesso para moradores da área foi garantido pela alameda Alaska.


E14

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

HONDURAS X SUÍÇA

Trânsito interditado mais cedo Os desvios começam mais cedo, às 10h, em função do horário do jogo, que desta vez é às 16h

A

a rua Francisco Orellana (em frente à Fundação de Medicina Tropical); Lóris Cordovil, no trecho entre a avenida Constantino Nery e a rua Vivaldo Lima (SPA do Alvorada); todo o trecho da Belmiro Vianez e da Alameda do Samba. Programação A avenida Constantino Nery, no sentido Centro/bairro, da avenida Darcy Vargas até o complexo viário de Flores, será interditada a partir das 11h. A interdição da avenida Djalma Batista está programada para o meio-dia, no trecho entre a Darcy Vargas e o complexo viário de Flores, que ficará restrito para o embarque e desembarque de passageiros do transporte coletivo. O Manaustrans orienta que os motoristas evitem utilizar as avenidas Djalma Batista e Constantino Nery, a partir das 10h, mesmo nos trechos liberados. “Sugerimos que o tráfego seja feito por itinerários alternativos. Será mais

cômodo para quem vai assistir ao jogo em casa e vai ajudar a reduzir a quantidade de veículos nas vias próximas à arena”, orienta o diretor-presidente do Manaustrans, Paulo Henrique Martins. No último jogo da Copa do Mundo na Arena da Amazônia, o Manaustrans vai atuar com o efetivo de 265 agentes de trânsito, distribuídos em vários turnos. Opções de desvios Quem se dirige para a Zona Norte e quer evitar a área de restrição, as avenidas Darcy Vargas, Stênio Neves, Maneca Marques, Umberto Calderaro e rua Maceió, em direção à rotatória do Eldorado, são opções de itinerário. Há também alternativas de acesso pelas avenidas Tefé, André Araújo, Rodrigo Otávio e das Torres. Para as Zonas Oeste e Centro-Oeste, a sugestão é utilizar as avenidas Darcy Vargas, Teomário Pinto, Kako Caminha, Brasil e Coronel Teixeira.

Agentes estarão nas principais vias próximas à arena para orientar motoristas e pedestres

ARQUIVO EM TEMPO/JOEL ROSA

interdição das vias que fazem parte do perímetro de segurança no entorno da Arena da Amazônia começará mais cedo, às 10h, amanhã, dia do último jogo em Manaus da Copa do Mundo, entre Honduras x Suíça (às 16h pelo horário local). Ao meio-dia, todo o entorno do estádio e a avenida Djalma Batista estarão fechados pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) para o tráfego de veículos. A antecipação do início da interdição deve-se ao fato de que este jogo começará mais cedo, às 16h, diferente do horário das demais partidas em Manaus, realizadas às 18h. A primeira fase de bloqueios inclui as seguintes interdições, a partir das 10h da manhã: avenida Constantino Nery, sentido bairro/Centro, no trecho entre o viaduto de Flores e a avenida Darcy Vargas; avenida Pedro Teixeira, no trecho entre a avenida Constantino Nery e

Leonel Feitoza disse que nenhum acidente envolvendo álcool e direção foi registrado na Copa

OPERAÇÃO

‘Lei Seca’ tem êxito em Manaus O governo do Amazonas, por meio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), divulgou ontem, o balanço da operação Lei Seca em Manaus. Nenhum acidente envolvendo a combinação de consumo de álcool e direção veicular foi registrado no período da Copa do Mundo em Manaus. A informação foi divulgada pelo presidente do Detran-AM, Leonel Feitoza. Segundo dados do órgão, ao todo 340 motoristas foram flagrados dirigindo alcoolizados na capital, na operação que iniciou no dia 12 de junho. Apesar desse número, Feitoza afirmou que uma vez identificados os motoristas chamaram amigos ou familiares para conduzirem os veículos, o que colaborou para o não registro de acidentes. O trabalho de conscientização também é feito. “A determinação do gover-

nador José Melo é que o Detran fosse às ruas para dar segurança no trânsito e isso estamos fazendo. Graças a Deus nesta

“No primeiro dia, ficamos assustados, mas as pessoas entenderam a nossa mensagem e esse número veio caindo” Leonel Feitoza, presidente do Detran-AM

Copa do Mundo não tivemos nenhum acidente associado ao consumo de álcool e direção. No primeiro dia nós ficamos assustados, pois flagramos 112 motoristas alcoolizados,

mas as pessoas entenderam a nossa mensagem e ao longo do período esse número veio caindo”, comentou. “Além de fiscalizar, estamos investimento muito na educação dos motoristas. Todos os dias o Detran está presente em todos os locais de aglomeração de pessoas, seja no largo São Sebastião, no Fifa Fan Fest, Eldorado e arena para levar a nossa mensagem da educação”, destacou Feitoza. Orientação Ainda de acordo com o presidente do Detran-AM, o órgão atua também para orientar os turistas que visitam a capital. “Nós temos pessoas bilíngues no Detran para que falem aos turistas para que eles saibam que no Brasil há uma lei que proíbe álcool e direção, e as pessoas entenderam.

FOTOS: KARLA VIEIRA/SEMCOM

Ao meio-dia, todo o entorno do estádio e a avenida Djalma Batista estarão fechados para o tráfego de veículos


E15

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

Maradona diz que não é pé-frio O ex-ídolo argentino se diz inconformado por ter sido chamado motivo de chacota, tal qual Mick Jagger

A

inda incomodado por ter sido chamado de pé-frio pela família Grondona, Diego Maradona leu uma carta aberta para Julio Grondona, presidente da AFA (Associação de Futebol Argentino), em seu programa “De Zurda”, transmitido pela estatal venezuelana TeleSur durante a Copa do Mundo. No sábado (22), após a vitória da seleção argentina sobre o Irã, por 1 a 0, o cartola disse que o gol de Messi só saiu depois que o ex-jogador havia deixado o Mineirão. Chamou Maradona de “mufa” (pé-frio, em espanhol). As declarações foram espalhadas pelo filho do dirigente, Humberto, no Twitter. À noite, no mesmo dia, Maradona havia respondido a Grondona ao vivo na TV e feito um gesto obsceno para ele. No programa de domingo (23), leu uma carta. “Os rapazes que vão a campo representando a seleção argentina não são 11 desconhecidos. São meus amigos, são meus irmãos e quem me conhece bem sabe disso. Pelo meu país, pela minha família, pelos meus amigos dou a vida e jamais lhes de-

“Pelo meu país, pela minha família, pelos meus amigos dou a vida e jamais lhes desejaria uma desgraça”

mais belos gols da história dos Mundiais, ao arrancar do campo de defesa e ir driblando ingleses até chutar para a rede. “Tornozelos inchados, unhas encravadas, lágrimas de alegria e tristeza esportiva são os troféus que levanto, porque o talento não pode ser manchado. A magia de uma pessoa como Messi é indiscutível e não é produto de um pé-frio. Não é produto da sorte porque se falamos de sorte, eu sou um tipo afortunado. Sinto o carinho do povo, esse mesmo povo que me amou como jogador e segue me amando”, concluiu Maradona.

Diego Maradona, ex-craque da Argentina

partida das quartas de final da Copa de 1986 contra a Inglaterra, quando Maradona fez o gol que ficou conhecido como “mão de Deus”. Deu um soco na bola dentro da área e o juiz não viu. Minutos depois, anotou um dos

MÚSICA

Entre os detidos, há dois holandeses, um polonês, um inglês e sete brasileiros

Venda ilegal de ingressos no DF sumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (Corf), as prisões em flagrante foram resultado de várias ações policiais, de maneira que não há, até o momento, nenhum indício de que os quatro estrangei-

APREENSÃO

No total, foram apreendidos 350 ingressos legítimos e cerca de 50 falsos, além de aproximadamente R$ 26 mil e de US$ 3,7 mil em dinheiro. Foram apreendidos também 50 cartões ros agiam conjuntamente ou com a participação dos brasileiros. Todos os 11 presos vão responder pelos crimes de

estelionato e cambismo, cujas penas variam de 1 a 5 anos. Eles vão ser encaminhados a unidades prisionais do Distrito Federal. Os estrangeiros, se condenados, terão de cumprir suas penas em território brasileiro para, na sequência, serem extraditados. De acordo com o delegado, as autoridades ainda vão investigar como os estrangeiros conseguiram ingressos originais em seus nomes. “Tendo em vista a quantidade de ingressos que alguns deles portavam e os vários cartões internacionais em posse dos estrangeiros, é possível supor que exista uma organização criminosa por detrás deles”. Os ingressos eram vendidos por preços que variavam entre R$ 800 e R$ 1,5 mil.

Rivais empolgam até os brasileiros Do alto de uma cadeira, o voluntário Gabriel Rocha se empolga com a animação dos argentinos. E o megafone usado para orientar engrossa o coro com os “hermanos”. “Brasileiro, brasileiro”, começa. Sem entender a letra, emenda um “lá-lá-lá”. Os argentinos adoram, escalam a cadeira para abraçar o voluntário. Rocha capta a última estrofe e solta: “Maradona és más grande que Pelé”. “Acho que tem bobagem na letra, mas são tão animados que resolvi cantar junto”, dizia Rocha, de plantão numa entrada do Maracanã, no Rio de Janeiro, sábado (15), quando a Argentina bateu a Bósnia. A variedade da cantoria de torcedores rivais, principalmente latino-americanos, por ora vem deixando para trás o monocórdio “Sou brasileiro” da torcida nacional – que começou a mostrar um repertório mais variado. Após assistir ao Brasil e México no Castelão (Fortaleza), o me-

xicano José Jimenez, 39, se dizia espantado com a apatia da torcida. “Se o Brasil têm o melhor futebol, por que os brasileiros não cantam?”. Jimenez se gabava do “abafo” promovido pelos gritos mexicanos na arena e do cancio-

REPERTÓRIO

A variedade da cantoria de torcedores rivais, principalmente latino-americanos, por ora vem deixando para trás o monocórdio “Sou brasileiro” da torcida nacional neiro asteca: “Temos mais de 20 músicas diferentes”. Provocações Uruguaios cantam “Voltaremos a ser campeões como na primeira vez”, alusão ao “Maracanazo”, a vitória sobre

o Brasil na Copa de 1950. Chilenos também trouxeram alfinetadas aos brasileiros. “Como é se sentir um visitante/jogando em sua própria casa?”. Europeus também montaram repertório, embora menos variado. Alemães pulam ao comando “levante quem for alemão” e passam o jogo cantando o riff “Uô ô ô ô ô ô ô”, de “Seven Nation Army”, do grupo White Stripes. Americanos, otimistas, berram “Eu acredito que vamos vencer”; belgas cantam em francês e em flamengo algo como “Onde é a festa/ Aqui é a festa”, balançando tridentes de plástico da seleção dos “diabos vermelhos”. No domingo (22), antes da partida contra os belgas, russos ensaiavam uma versão de “Katyusha”, música de incentivo aos soldados da Segunda Guerra Mundial. “Só cantaremos depois da vitória”, explicava Pavel Golubev, 37. A Rússia perdeu e a “Katyusha” foi para a gaveta. J.P.ENGELBRECHT/PCRJ

DIVULGAÇÃO

PRISÃO

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu, ontem, 11 pessoas que vendiam ingressos nas imediações do estádio nacional de Brasília, o Mané Garrincha, onde Brasil e Camarões se enfrentaram pela Copa do Mundo de futebol. Entre os detidos, há dois holandeses, um polonês, um inglês e sete brasileiros – sendo seis de São Paulo e um do Distrito Federal. No total, foram apreendidos 350 ingressos legítimos e cerca de 50 falsos, além de aproximadamente R$ 26 mil e de US$ 3,7 mil em dinheiro. Com os holandeses também foram apreendidos 50 cartões de débito internacional cuja origem vai ser apurada. Segundo o delegado Jefferson Lisboa, da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Con-

sejaria uma desgraça. Tem de ser muito perverso para afirmar o contrário. Eu daria a vida pela seleção argentina dentro e fora de campo”, desabafou o ex-meia. A resposta aconteceu no mesmo dia em que era comemorado o aniversário da

Russos ensaiaram a versão de uma música de incentivo aos soldados da 2ª Guerra Mundial


E16

MANAUS, TERÇA-FEIRA, 24 DE JUNHO DE 2014

FOTOS: DIVULGAÇÃO

A matéria fala das diversas características e fatos de uma cidade situada no meio da floresta e que está além do que muitos esperavam

Manaus é capa de revista da Fifa Reportagem de 11 páginas escrita por jornalista suíço fala sobre os encantos e as boas surpresas da cidade

A

“The Fifa Weekly”, revista semanal da Federação Internacional de Futebol Associado (Fifa), destaca Manaus como matéria de capa. Sob o título “The Magical Manaus” – “A Magia de Manaus” – a matéria fala das diversas características e fatos de uma cidade situada no meio da floresta e que está além do que muitos esperavam. A matéria, de 11 páginas, foi escrita pelo jornalista suíço Thomas Renggli que “se perdeu” na cidade em busca de bons relatos como fazem os bons jornalistas quando pretendem escrever boas histórias. Apesar do calor na região, o que mais impressiona os visitantes é a acolhida calorosa do povo amazônico e as belezas naturais espalhadas por todos os cantos, destaca. Para o prefeito Arthur Virgílio Neto, a publicação só

reforça a potência internacional em que Manaus pode ser transformada nos próximos anos. Sempre muito assediado por turistas estrangeiros quando vai à Arena da Ama-

O mundo está namorando Manaus. Tenho certeza que o turismo em nossa cidade só aumentará com essa exposição positiva que tivemos Arthur Virgílio Neto, prefeito de Manaus

zônia ou à Fifa Fan Fest, o prefeito aponta que a Copa no Amazonas também vem servindo para levantar a autoestima da população, pois os elogios vêm de todas as

partes do mundo. “Fomos bombardeados com notícias ruins e sem nexo de parte da mídia, mas provamos que nada disso é verdade. Já conversei com turistas de vários países e todos são unânimes em afirmar que a cidade e as pessoas são apaixonantes. Não podemos negar que nossa floresta é o diferencial. Temos que saber usar isso a nosso favor”, aponta Arthur Neto. O prefeito acredita que o grande fluxo de turistas em Manaus, a partir de agora, deve ser encarado como um processo irreversível. “O mundo está namorando Manaus. Tenho certeza que o turismo em nossa cidade só aumentará com essa exposição positiva que tivemos. As pessoas estão felizes e isso nos impulsiona a trabalhar com mais dedicação. Nossas belezas encantam qualquer um. Todos se rendem”, diz.

Resgate da história da cidade A reportagem mostra ainda relatos de turistas a respeito de Manaus e o lado histórico da cidade com o período áureo da borracha, quando se tinha ligação direta com Liverpool, na Inglaterra, e Nova York, nos Estados Unidos. Futebol, Teatro Amazonas e gastronomia também completam o material, que é de deixar os leitores curiosos e com vontade de conhecer a tal “mística cidade”. “Não tinha dúvidas sobre isso. Nossa cidade realmente impressiona. Quando fomos

escolhidos como sede do Mundial, recebemos muitas críticas, mas hoje, depois do terceiro jogo em nossa cidade, vejo o quanto estamos nos destacando. Turistas satisfeitos e sendo bem-recebidos, bons jogos no estádio, o pôster mais bonito da Copa e, para completar, a arena mais bonita do Brasil”, comenta o diretor-presidente da Manauscult, Bernardo Monteiro de Paula, que também é coordenador municipal da Copa. Ainda segundo Monteiro de Paula, o povo manauen-

se se mostra satisfeito por ter recebido a Copa. “Somos conhecidos por ser hospitaleiros e aprendemos isso desde cedo. Temos isso em nosso perfil. Os manauenses estão orgulhos em receber a Copa e vemos isso em todos os locais: as ruas estão enfeitadas, há festas em vários espaços, atividades culturais nos pontos históricos. Além disso, posso destacar que todas as operações que envolvem os jogos e a organização da cidade estão indo muito bem”, afirma o diretor-presidente.

ESPECIAL COPA 2014 EDIÇÃO Michele Gouvêa Tricia Cabral

REPORTAGENS Deny Câncio Emerson Quaresma Thiago Fernando

REVISÃO Gracicleide Drummond Lorena Lima

DIAGRAMAÇÃO Kleuton Silva, Klinger Santiago, Leonardo Cruz, Pablo Filard e Mario Henrique Silva

Pódio - 24 de junho de 2014  

Pódio - Caderno de esportes do jornal Amazonas EM TEMPO