Issuu on Google+

DIEGO JANATÃ

MANAUS,, DOMINGO, 4 DE MAIO DE 2014 MANAUS

esportes@emtempo.com.br esportes@emtempo.com.br

Só isso? Público somado dos 22 jogos do Campeonato Amazonense deste ano foi capaz de encher somente 30% (média de 607 torcedores por partida) da capacidade total da Arena da Amazônia, que é de 44,5 mil espectadores. Pódio E8


E2

FOTOS: DIVULGAÇÃO

MANAUS, DOMINGO, 4 DE MAIO DE 2014

correr Hora de

Grupo Raman Neves de Comunicação promove a primeira edição da corrida pedestre em homenagem a Geraldo Teixeira, que dedicou sua vida ao atletismo amazonense

ANDRÉ TOBIAS Equipe EM TEMPO

E

stá na hora de intensificar os treinos para a 1ª edição da “Corrida Pedestre Geraldo Teixeira”. O evento, que acontece no próximo dia 25, espera reunir duas mil pessoas em percursos de cinco e 10 quilometros, ambos na avenida das Torres. Realizada pelo Grupo Raman Neves de Comunicação, o nome da competição homenageia um dos maiores olheiros do atletismo amazonense: Geraldo Teixeira. Filho do fundador do América Futebol Clube, Arthur Teixeira Alves, preteriu o futebol e dedicou sua vida ao atletismo. Formado em educação física pela Universidade do Amazonas (UA), Geraldo realizou um trabalho vitorioso no atletismo amazonense das décadas de 70 e 80. De acordo com a gerente comercial do Grupo Raman,

Caroline Breval, a homenagem é mais do que justa, uma vez que o nome de Geraldo Teixeira está eternizado como um dos maiores colaboradores do esporte local. “Quando pensamos em organizar a corrida, decidimos homenageá-lo. Ele era o tipo de treinador que pagava todas as despesas do atleta para ele poder competir fora do Estado”, lembra Caroline. A morte Morto em 1990, Geraldo formou atletas como: João Raimundo Bezerra, mais conhecido como “João do Peso”; Wellington Nóbrega, atleta olímpico, velocista nos 110 metros com barreiras; Nilba Reis Fernandes, arremessadora de peso e disco; Orlane Maria Lima dos Santos, salto em distância e 110 metros com barreiras; Magdiel Rabelo, 400 metros com barreira; Lincoln Jonhson, 100 metros com barreira; Paulo Márcio de Castro, 100 e

200 metros; Kennedy Campos, salto triplo e Gleide Maria, 100 metros com barreiras. Com pouca estrutura e recursos, Geraldo fez do atletismo amazonense uma potência do

DIA 25

O evento, que acontece no próximo dia 25, espera reunir duas mil pessoas em percursos de cinco e 10 quilometros, ambos na avenida das Torres tem a realização do Grupo Raman Neves de Comunicação esporte nacional e transformou o Estado em terceira força na categoria. Segundo Caroline, o evento será realizado à altura do descobridor de talentos manauense, que deixou um legado respeitado aos jovens e desportistas.

“Estávamos tendo dificuldades em relação à data, porque todo mundo quer realizar corrida em Manaus. Hoje temos vários grupos de corridas, devido a necessidade das pessoas em praticar alguma atividade física, principalmente aos finais de semana. E o professor Geraldo acabou incentivando as pessoas a participar desse tipo de evento”, justifica Caroline. Inscrições abertas A corrida, que será realizada no final do mês, já está com as inscrições abertas, os interessados podem acessar o site www. assessocor.com.br. A concentração será no local da prova às 7h30. A largada será dada às 8h. No percurso de 5 quilômetros, os três primeiros serão premiados com troféus. Quem tive pique e bem preparado, poderá correr 10 quilômetros. Os velocistas que subirem no pódio nesse percurso serão bem recompen-

sados. “O primeiro colocado embolsará R$ 2,5 mil; o segundo R$ 1,5 mil e o terceiro R$ 1 mil”, revela Caroline Breval. Descontos Sem maiores restrições, atletas acima de 60 anos terão 50% de desconto na inscrição. O número máximo de participantes será de dois mil atletas. Os menores de idade (entre 16 e 18 anos), somente poderão participar da prova de 5 quilômetros e se inscrever somente acompanhado dos pais ou responsável. Os participantes da corrida receberão o kit da prova no dia 23. “Esse kit é composto por uma blusa da corrida e um squeeze. Como diferencial, cada atleta receberá um chip eletrônico, que marca o tempo deles na prova, no dia da corrida. Os outros acessórios do kit devem ser retirados pelos corredores no dia 23”, finaliza.

Geraldo Teixeira dedicou sua vida à formação de atletas


E3

MANAUS, DOMINGO, 4 DE MAIO DE 2014

Ele quer o topo

do MMA mundial THIAGO BOTELHO Equipe EM TEMPO

R

onaldo Jacaré, Adriano Martins, Antônio Braga Neto, Allan Nuguette, Marcos Loro e José Aldo são alguns dos nomes mais conhecidos do MMA (Mixed Martial Arts) mundial. Atletas de ponta que saíram do Amazonas para ganhar o mundo das lutas. A lista é grande e num futuro bem próximo deve ser acrescentada com o nome de Emanuel Nepomuceno de Castro, garoto de apenas 16 anos, mas que já sabe muito bem o quer ser quando crescer: lutador de ponta do MMA. Para realizar o sonho, deixará a família em Manaus e no final deste ano viajará a San José, na Califórnia, E.U.A, para um intercâmbio de seis meses onde vai aprimorar a trocação. Lá vai treinar na academia AKA, onde Cain Velaquez, detentor do cinturão dos pesos pesados do Ultimate Fighting Championship (UFC), faz a preparação de suas lutas. Ele conheceu e fez um rola com o americano em 2013, quando esteve na Amé-

rica para a disputa do mundial de jiu-jítsu. “O Ricardo Vieira, meu mestre, tem um irmão, o Leandro, que é professor de jiu-jítsu do Cain. Ele que me levou na academia. Foi uma experiência única. Eu treinei com o Cain Velasquez, que pra mim é o cara mais mão pesada do UFC. Foi uma grande honra e guardo na memória aquele dia. Tentei aplicar alguns golpes, mas ele é um monstro, muito forte. Não deu pra fazer quase nada”, lembrou. Se mantiver o tino por vitórias, o caminho rumo ao sucesso tende a ser menos doloroso. O currículo no jiu-jítsu, sua especialidade, é de fazer inveja. São dez campeonatos brasileiros, quatro pan-americanos, quatro mundiais e oito amazonenses, na divisão dos meio-pesados, além de ser atual bicampeão estadual no absoluto, onde não há limite de peso entre os atletas. O feito conquistado recente, no último dia 20 de abril. Acostumado a vencer na arte suave, o objetivo do atleta é ampliar o quadro de medalhas, que já tem 116 de ouro, seis de prata e três

de bronze, com conquistas na mistura das lutas. “Quando eu fecho os olhos me vejo lutando MMA. Eu amo lutas e quero chegar no UFC e fazer desse esporte a minha profissão”, disse. A luta surgiu de forma inusitada na vida de Emanuel. Muito tímido, ele sofria bullying na es-

INTERCÂMBIO

Emanuel Nepomuceno de Castro, garoto de apenas 16 anos, já sabe muito bem o quer ser quando crescer: lutador de ponta do MMA e para isso vai se transferir para treinar nos EUA cola e o pai, seu Edson Rauston, resolveu matriculá-lo em uma academia de jiu-jítsu para, primeiramente, ajudar a desinibir o filho. Um mês depois, disputou o primeiro campeonato e em apenas 90 dias de treinamento foi campeão amazonense, e pouco depois campeão brasilei-

DIVULGAÇÃO

Emanuel Castro luta jiu-jítsu e já venceu praticamente tudo que um atleta do esporte pode conquistar. Agora fará intercâmbio na academia de Cain Velasquez

ro, tudo isso aos seis anos. Os títulos empolgaram o menino que começou a se dedicar com mais afinco ao esporte. “Com seis anos ele foi sozinho para o Rio de Janeiro disputar o brasileiro. No aeroporto todas as crianças estavam chorando, menos meu filho. Ele me disse: pai eu não tenho medo e vou ser campeão. Ela já nasceu com instinto de vencedor”, disse o pai do atleta. Título inédito Emanuel viajou na última quarta-feira (30), para São Paulo, onde disputará o campeonato brasileiro organizado pela Confederação Brasileira de Jiu-jítsu (CBJJ). A competição servirá com parte da preparação para o mundial de categoria, em Los Angeles, no próximo mês. Na terra do Tio Sam o jovem amazonense vai em busca do único título que ainda não possui, que é o de campeão mundial absoluto. “Estou voltando de uma lesão no braço esquerdo. Fiquei parado por 30 dias e vou testar meu desempenho no brasileiro”, declarou Emanuel.

Emanuel (dir.) ao lado de Cain Velasquez


E4

SÓ UM SE

Lutadores inscritos na 3ª edição do “Rei da Selva Combat” intensificam os treinos para a competição que acontece na primeira semana de junho em Manaus ANDRÉ TOBIAS Equipe EM TEMPO

A

cinco semanas da realização da 3º edição do “Rei da Selva Combat”, os lutadores do evento intensificaram os treinamentos. Tudo isso para não fazer feio e decepcionar a massa de fãs das Artes Marciais Mistas, o popular MMA, em Manaus. Com o apoio da Federação Amazonense de MMA (Femma), os combates serão realizados no Centro de Convenções do Manaus Plaza Shopping, na avenida Djalma Batista, Zona Centro-Sul da capital, a partir das 16h no dia 8 de junho. Neste domingo, o EM TEMPO, parceiro do evento, trará em destaque dois combates dos 10 previstos para acontecer no “Rei da Selva Combat”. De acordo com um dos promotores do espetáculo, Diogo Dias, a 3º edição vem recheada de novidades e promete duelos eletrizantes. Manoel X Wanderson No único combate da noite da categoria “mosca”, Manoel Rodrigues da academia Euler Viana MMA enfrente Wanderson Abreu da SFT – Profitness. Os dois lutadores demonstram confiança e continuam treinando forte para fazer um bom papel em cima do octógono. Para Manoel Rodrigues, o momento é de observar as características do adversário e melhorar alguns fundamentos. “Estou aprimorando mais a trocação, porque a informação que eu tenho dele é que o seu ponto forte é em cima. Espero que minha dedicação aos treinamentos surta efeito e eu possa fazer um bom papel na hora da luta. Vou entrar para arrebentar, não ligo para o que estão falando”, afirma o auxiliar de limpeza pública de 21 anos. Ciente dos pontos fortes do adversário, o faixa marrom de jiu-jítsu destaca que, semanas antes da luta, o foco de

treinamento é nas técnicas e detalhes utilizados pelo adversário na trocação franca. A tendência, por ser praticante da arte suave desde os oito anos, é que Manoel busque a luta no chão, sua especialidade. Cheio de confiança, o lutador encara o combate como mais um desafio em sua carreira. O açougueiro Wanderson Abreu, 24, demonstrou tranquilidade ao falar da luta contra Manoel. Conforme ele, os pontos fortes do adversário já são conhecidos e os treinamentos têm sido intensos. “Ele vem do jiujítsu, vai querer levar para o chão ao invés da trocação. Eu estou treinando bastante para não ser surpreendido e preparado para qualquer tipo de combate”, alega. Apesar de não ter a experiência do adversário, Wander-

DESTAQUES

O EM TEMPO, parceiro do evento, traz hoje em destaque dois combates dos 10 previstos para acontecer no “Rei da Selva Combat” que acontece no dia 8 de junho na Arena do Plaza, em Manaus son é praticante do jiu-jítsu há dois anos. Contudo, ele revela ter feito aulas de jiu-jítsu e boxe, e se mostrou confiante para o combate no evento. Jordan X Luciano Na categoria “pena” teremos dois duelos. Um deles é a luta entre Jordan Rocha, da academia Kratos Top Team e Luciano Moreira, da Champions Factory. O primeiro debuta esse ano no evento. Já o segundo, disputa seu segundo “Rei da Selva Combat” na carreira. O duelo promete um combate de trocação franca, uma vez que ambos os lutadores são praticante da arte marcial

tailandesa muay thai. Segundo o agente de portaria Jordan Rocha, 20, o adversário tem estilo de luta semelhante com o seu. No entanto, a expectativa é positiva, apesar de reconhecer as qualidades do adversário. “Sei que ele é um cara bom. Fui ao Rei da Selva Combat em que ele lutou. É um cara duro, tem boa movimentação em cima. Não deu para ver muito o chão dele”, aponta. Sua principal característica é o muay thai, arte que pratica há cinco anos. Contudo, ele demonstra qualidade do jiu-jítsu, onde é faixa azul. Otimista, Jordan espera estar bem preparado e realizar uma luta que agrade ao público. Ele reconhece a qualidade do adversário na trocação, mas acredita que estará preparado para qualquer tipo de situação e externou sua vontade de manter a luta de pé. Veterano Lutar no “Rei da Selva Combat” não é novidade para técnico em eletrônica Luciano Moreira, 21. No evento pela segunda vez na carreira, ele chega confiante em mais uma vitória no evento. “Esta é a segunda vez que participo. A primeira foi em outubro no ano passado, na 2º edição, onde meu nocaute foi escolhido como o melhor da noite. Estou treinando para isso, espero dar um show para os telespectadores”, sustenta. Assim como Jordan, Luciano também pratica a arte marcial tailandesa desde os 15 anos. Ele ressalta que, para o combate, está bem preparado física e psicologicamente e espera que a luta seja pura trocação, mas destaca que se o duelo se arrastar para o chão, a chance de vitória se manterá acesa.

CATEGORIA: MOSCA Lutador: Manoel Rodrigues Academia: Euler Viana MMA Categoria: Mosca (até 57 kg) Lutador: Wanderson Abreu Academia: SFT - Profitness Categoria: Mosca (até 57 kg)

CATEGORIA: PENA Lutador: Jordan Rocha Academia: Kratos Top Team Categoria: Pena (até 66 kg) Lutador: Luciano Moreira Academia: Champions Factory Categoria: Pena (até 66 kg)

Alguns dos lutadores do “Rei da Selva Combat”. Da direita para esquerda: Wamderson Abreu, Jordan Rocha, Luciano Moreira e Manoel Rodrigues


ERÁ O REI

E5 FOTOS: DIVULGAÇÃO

MANAUS, DOMINGO, 4 DE MAIO DE 2014


E6

MANAUS, DOMINGO, 4 DE MAIO DE 2014

FABIO CASTRO/AGIF/GAZETA

Para esquecer o passado Botafogo entra em campo hoje contra o Bahia sem esquecer das últimas duas derrotas sofridas pelo Glorioso para os baianos no ano passado por 2 a 1

Sheik admite que o Botafogo tem que respeitar o Bahia pela boa fase que passa o time nordestino

A

o longo da semana muito se falou sobre o desempenho do time do Botafogo no ano passado diante do Bahia. O Glorioso perdeu os dois jogos por 2 a 1 e agora tenta mudar essa história hoje (4), quando eles se reencontram na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA), pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Porém, entre os alvinegros a maior preocupação não é com o passado e sim com o presente. Isso porque o Tricolor baiano, depois de começar a temporada tropeçando, encontrou o rumo certo, conquistou o título estadual e chega para este duelo embalado pelo triunfo de 2 a 0, fora de casa, sobre o Figueirense.

INVICTO

Motivos que ligam o sinal de alerta dos cariocas. “Temos que respeitar o Bahia por conta do bom momento que o time atravessa na competição. Em qualquer situação já seria muito complicado jogar na Fonte Nova, onde a torcida deles incentiva bastante e costuma pressionar os adversários. Porém, quando o time deles atravessa um bom momento essa dificuldade apenas aumenta. Mas o Botafogo tem suas metas neste Campeonato Brasileiro, sabemos das nossas responsabilidades e vamos em busca de uma vitória”, analisou o atacante Emerson Sheik”. Pensamentos “O Bahia vem fazendo uma grande temporada. Foi campeão baiano, ganhou fora de casa na rodada passada e se classificou com autoridade na Copa do Brasil. Isso mostra que teremos pela frente um adversário qualificado e que vai nos criar problemas, ainda

mais jogando em casa. Mas trabalhamos muito para conseguirmos um grande resultado”, disse o zagueiro Dória. Em termos de escalação, justamente para dar mais poder para enfrentar a boa fase dos baianos, o técnico Vágner Mancini vai promover mudanças. Como já era esperado, o lateral-esquerdo Julio Cesar e o meia Jorge Wagner, que tiveram péssimo desempenho no empate com o Internacional, foram barrados. Julio Cesar foi dominado pelo ataque colorado a maior parte do tempo e passou a ser hostilizado pelos torcedores presentes ao Maracanã após falhar na marcação no lance que resultou o primiro gol dos gaúchos. Já Jorge Wagner foi uma figura nula em campo, sem conseguir criar nada para a equipe. Como o lateral-esquerdo Junio Cesar e o jovem meia Daniel, oriundo das categorias de base, entraram bem no decorrer do jogo contra o Inter, mudando inclusive a vontade da equipe, ganharam a chance

de começarem jogando. Novidades Outra novidade foi é a presença do volante argentino Mario Bolatti entre os titulares. O jogador ocupa assim a vaga de Aírton, que substituiu o novamente vetado Marcelo Mattos, que vem sofrendo com dores na região do quadril. Assim, o argentino vai formar dupla de volantes com Gabriel. O lateral-direito Lucas é mais um que não estará em campo. Mas ele não foi barrado e apenas terá que cumprir suspensão por conta de sua expulsão contra o Internacional. Assim, Edilson assume o setor. A única dúvida está na zaga onde Bolívar, com dores nas costas, pode ser vetado, abrindo vaga para Dankler. Sendo assim, o esboço do time do Botafogo para o duelo de domingo tem: Jéfferson, Edilson, Bolívar (Dankler), Dória e Junior Cesar; Mario Bolatti, Gabriel, Daniel e Lodeiro; Pablo Zeballos e Emerson Sheik.

SUPERAÇÃO

poupou o lateral-esquerdo Fábio Santos, o volante Guilherme e o atacante Romarinho, os dois últimos foram utilizados no decorrer da partida. Contra a Chapecoense, o trio deverá estar de volta à equipe titular. Já o meia Renato Augusto, recuperado fica no banco de reservas.

FICHA TÉCNICA CHAPECOENSE-SC CORINTHIANS-SP Local: Arena Condá, em Chapecó (SC) Horário: 18h30 (de Brasília) Árbitro: Wagner Reway (MT) Chapecoense: Danilo; Ednei, André Paulino, Rafael Lima e Neuton (Rodrigo Biro); Wanderson, Diones, Ricardo Conceição e Régis; Leandro e Bergson Fabinho Alves Técnico: Gilmar Dal Pozzo Corinthians: Cássio; Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Petros e Jadson; Romarinho e Guerrero Técnico: Mano Menezes

Mano Menezes quer escalar equipe para continuar vencendo

O técnico Jayme de Almeida está fazendo do mistério uma arma para tentar superar o Palmeiras em partida programada para este domingo, às 15h (de Manaus), no Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Na verdade o treinador está usando um misto de segredo e desespero por conta dos vários problemas que está enfrentando, já que perdeu muitos jogadores por conta de lesão e até de suspensão, caso do lateral-direito Leonardo Moura, que não poderá atuar por ter sido expulso na derrota de 2 a 0 para o Corinthians. A ausência de Leonardo Moura é um problema para Jayme, já que Leo, o reserva imediato, se submeteu a uma cirurgia no tendão do tornozelo direito e só volta depois da Copa. Assim, o treinador vai ser obrigado a improvisar e já decidiu que o escolhido para este posto será o volante Luiz Antonio. A escolha de Luiz Antonio para atuar na lateral direita acusou o esquema cobertor curto do Flamengo, já que abriu uma brecha no meio de campo. Para o jogo de domingo o setor só tem garantido os volantes Víctor Cáceres e Márcio Araújo. Isso porque Everton, que tinha sido liberado pelo departamento médico após se recuperar de lesão na coxa direita, voltou a sentir

RAMIRO FURQUIM/AGIF/GAZETA PRESS

Invicto no Campeonato Brasileiro, o Corinthians enfrentará um time que ainda não venceu na competição a partir das 17h30 (de Manaus) deste domingo. O objetivo da equipe dirigida por Mano Menezes é superar a Chapecoense na Arena Condá para seguir no topo da tabela de classificação. Com 4 pontos ganhos, consequência do empate sem gols com o Atlético-MG e da vitória por 2 a 0 sobre o Flamengo, o Corinthians só somou menos do que o Fluminense (6) até então. A Chapecoense, com 1 e à beira da zona de rebaixamento, ficou na igualdade por 0 a 0 com o Coritiba e perdeu por 2 a 1 para o Sport nas primeiras rodadas. Para aproveitar a instabilidade do adversário, Mano conta com a confiança adquirida também por causa da vitória por 3 a 0 sobre o modesto Nacional, que fez o Corinthians avançar à terceira fase da Copa do Brasil. “A nossa equipe cresceu de produção. A partir do momento em que os jogadores compreenderam o trabalho e se doaram mais, tudo melhorou”, aprovou o meia Jadson. Mano espera ainda mais doação de seus atletas. Afinal, o técnico reclamou de desgaste físico por causa da semana que teve viagens para o Norte e o Sul do país. Em Manaus, por exemplo,

LUIS MOURA/GAZETA PRESS

Corinthians: subir na tabela é o alvo Mistério: arma contra o Palmeiras dores na região no treino desta sexta-feira, que foi secreto e sem a presença da imprensa. Assim, o jogador vai se submeter a um teste neste sábado para ver se tem condições de atuar. Caso Everton seja vetado, seu posto será ocupado pelo argentino Lucas Mugni, que é visto por Jayme como um jogador irregular. A indefinição no meio de

Vamos estudar todas as possibilidades. O Nixon é um jogador que tem entrado bem no time, precisamos marcar gols

Jayme de Almeida técnico do Flamengo

campo aumenta por conta do excesso de desfalques. Elano, que se recupera de estiramento muscular na coxa direita sofrido no início do mês, e Gabriel, com incômodo na coxa direita, não poderão atuar. “Vamos estudar todas as possibilidades. O Nixon é um jogador que tem entrado bem no time, precisamos marcar gols”, disse Jayme.

Nixon entra jogando neste domingo como uma das opções do técnico do Flamengo


E7

MANAUS, DOMINGO, 4 DE MAIO DE 2014

EDU ANDRADE/GAZETA PRESS

‘Não estamos

preparados’ Capitão do Internacional, Andrés D’Alessandro destacou a dificuldade em disputar duas competições simultâneas

LUIZ COSTA/HOJE EM DIA/GAZETA PRESS

Capitão do Colorado reclama do excesso de jogos enfrentados pela equipe gaúcha

COM DORES

Ronaldinho Gaúcho pode ser desfalque contra o Goiás O técnico Levir Culpi poderá ter uma baixa para o jogo de domingo, às 17h30 (de Manaus), no Independência, contra o Goiás. O meia-atacante Ronaldinho Gaúcho sentiu dores na coxa esquerda e iniciou tratamento na tarde desta sexta-feira na Cidade do Galo, mas é dúvida para o duelo. Ronaldinho Gaúcho sentiu as dores no local ainda na partida contra o Atlético Nacional, na quinta-feira, já na reta final do segundo tempo, quando o time mineiro vencia por 1 a 0. Após finalizar um lance, o camisa 10 colocou a mão na coxa esquerda e repetiu o gesto outras vezes. Dúvida Apesar do departamento médico tratar como dúvida a participação diante do Goiás, dificilmente o jogador será utilizado por Levir Culpi. Os médicos alvinegros reavaliarão a necessidade de o atleta fazer exame de imagem. No treino desta sextafeira, em que apenas os reservas foram para o campo, enquanto os titulares

ficaram na academia, Dátolo foi a novidade. O atleta, que se recuperou de lesão na coxa direita fez o primeiro treino com o elenco. O lateraldireito Marcos Rocha, que se r ec up er a de lesão na coxa direita, sofrida ainda na partida contra o Zamora, no Independência, há mais de um mês, foi para campo sob cuidados do preparador físico Luis Otávio Kalil. O atleta, porém, não tem previsão de retorno aos jogos.

mas de disputa distintos: “Não vou mentir. Dizer que estamos preparados para ganhar Copa do Brasil e Brasileiro, falta muito. Precisamos (de reforços). Todo mundo que está contratado tem se mexido. O São Paulo, o Corinthians, o Palmeiras. Nossa diretoria está trabalhando junto à comissão para que o time seja mais forte e tenha mais possibilidades. Jogadores experientes, que ajudem, pois jogando duas competições, precisamos de elenco. São duas competições diferentes. Time com duas rodadas não pode estar pronto ainda” diz D’Alessandro. Uma das razões para a

queda do rendimento, segundo ele, pode ser o calendário. Em harmonia com o que disse Abel Braga sobre a sequência quinta-domingo, Copa do Brasil-Brasileirão, D’Alessandro ressaltou que a luta do Bom Senso Futebol Clube, iniciativa da qual faz parte, é para melhorar o nível do espetáculo apresentado e tornar o futebol brasileiro mais competitivo. “Pode ter baixado o nível do futebol brasileiro pelo calendário. Jogar a cada dois ou três dias por sete, oito meses seguidos, é ruim também para o torcedor que compra o ingresso e espera o domingo para ver um jogo de bom nível”, afirma.

CRICIÚMA E FIGUEIRA DIVULGAÇÃO

U

m time não se faz em duas rodadas. A afirmação do capitão colorado Andrés D’Alessandro é para justificar a oscilação do Inter nas últimas semanas. Se, por um lado, goleia o Grêmio no Gauchão e vence o Vitória em casa, pelo Brasileirão, também cede dois empates a Botafogo e Cuiabá atuando mal. Hoje, o Colorado enfrenta o Sport, pela terceira rodada do Brasileirão, no Beira-Rio, marcado para as 15h (de Manaus) deste domingo. O camisa 10 pediu reforços e destacou a dificuldade em atuar por duas competições diferentes em siste-

Wagner Lopes assumiu o Criciúma e só pensa em vencer para ficar no cargo de treinador

Novos técnicos na corrida por pontos no Brasileirão

Ronaldinho Gaúcho sentiu muitas dores na coxa esquerda é virou dúvida para o Atlético

Únicas equipes que ainda não pontuaram neste Campeonato Brasileiro, Criciúma e Figueirense tiveram uma semana de mudanças, pois trocaram seus respectivos treinadores antes do clássico deste domingo, às 15h (de Manaus), no estádio Heriberto Hulse. O primeiro rival a mudar o comando foi o Criciúma, que anunciou a demissão de Caio Júnior na terça-feira, motivada pelas duas derrotas na Série A. O substituto é Wagner Lopes, que chegou com a missão de conquistar um resultado positivo já neste clássico. “Sou muito disciplinador e exijo bastante. As pessoas que vestem a camisa do

Criciúma têm de dar a vida pelo clube. Trabalhamos com muita transparência e espero contar com o apoio de todos da cidade”, afirmou. Já o Figueirense definiu a saída de Vinícius Eutrópio na quarta-feira (30 de abril) e anunciou a contratação de Guto Ferreira. O clube também não tem mais o volante Marcos Assunção, que rescindiu o contrato depois da demissão do treinador. O novo comandante aproveitou os poucos dias de trabalho para promover ajustes à equipe. A partir deste domingo, o time deixa de jogar com dois atacantes e passa a atuar com três atletas avançados.

FICHA TÉCNICA CRICIÚMA-SC FIGUEIRENSE-SC Local: Estádio Heriberto Hulse, Criciúma (SC) Horário: 16h (de Brasília) Árbitro: Bráulio da Silva Machado (SC) Criciúma: Bruno; Eduardo, Fábio Ferreira, Gualberto e Cortez; Serginho, João Vítor, Rodrigo Souza e Paulo Baier; Silvinho e Bruno Lopes Técnico: Wagner Lopes Figueirense: Tiago Volpi; Artur (Leandro Silva), Nirley, Thiago Heleno e Rivaldo; Paulo Roberto, Nem e Marco Antônio; Dudu, Everton Santos e Ricardo Bueno Técnico: Guto Ferreira


E8

Além da beleza Público médio dos jogos na Arena da Amazônia é de 607 torcedores por partida e no total não encheria 30% do estádio THIAGO BOTELHO Equipe EM TEMPO

M

uito se tem discutido sobre o legado que a Arena da Amazônia deixará ao futebol local após a Copa do Mundo da Fifa. Orçado em mais de R$ 669 milhões o monumento chama a atenção pela beleza e tecnologia. Mas toda pompa do complexo ao que parece vai ajudar a potencializar o contraste do investimento na obra a capacidade de atrair torcedores dos clubes locais. O público somado dos 22 jogos do Campeonato Amazonense do primeiro turno em que há o borderô da partida disponível no site da Federação Amazonense de Futebol (FAF) foi de 13.361 torcedores. O número daria para encher somente 30% da capacidade da Arena da Amazônia, que é de 44,5 mil espectadores. A partida sem gols entre Manaus Fc e Sul-América no dia 19 de fevereiro, no estádio Valdizão em Manaquiri teve o público pagante de apenas 12 “testemunhas” e a pífia renda de R$ 60. Para o torcedor a partida teve baixa qualidade técnica. Apenas os jogos Princesa versus Manaus (1.137), Penarol versus Holanda (1.398), Nacional Borbense versus Penarol (1.725), Penarol versus Nacional (1.548) e o segunda partida da final entre

ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

MANAUS, DOMINGO, 4 DE MAIO DE 2014

Torcedores não têm prestigiado os times de futebol local em jogos disputados na Arena da Amazônia. Média é de 607 torcedores

Princesa e Fast (2.314) atraíram mais de mil pessoas ao estádio. Em nove partidas o público foi menor do que 300 torcedores. Pior desempenho São Raimundo com média de 217 torcedores em seus jogos e Sul-América, com 198 espectadores, em média nas quatro partidas do primeiro turno, foram as equipes com pior desempenho. Os números refletem bem a atuação situação vivida pelos rivais que fazem um dos mais conhecidos clássicos do futebol amazonense: o Galo Preto. O diretor de Competições da FAF, Ivan Guimarães aponta a falta de estádios na capital e a estrutura deficiente dos mesmos no interior como os principais motivos da baixa média de público. “Como só tínhamos o estádio da Ulbra, que foi construído em cima da hora, em Manaus tivemos que realizar a maioria dos jogos no interior”, explicou. Princesa Atual campeão Amazonense, o Princesa do Solimões teve bons públicos nas três vezes que atuou no estádio Gilberto Mestrinho, o Gilbertão, no primeiro turno. No segundo jogo da final que deu o título ao Tubarão, dos 2,4 mil ingressos colocados à venda apenas 86 não foram comprados.

Clubes tiveram mais despesas do que renda Não bastasse jogar sem o apoio da torcida, a maioria dos clubes teve sérios prejuízos financeiros no primeiro turno do Amazonense: 16 dos 22 jogos onde é possível ter acesso ao borderô no site da FAF, tiveram as despesas maiores do que a renda. A segunda rodada foi a mais falida. Todas as partidas ficaram

no negativo. O confronto em que o Fast venceu o Iranduba por 4 a 1 no estádio Valdizão, em Manaquiri, teve renda de R$ 1.630 e despesa de R$ 3.984,05 dando prejuízo de R$ 2.354,5 dividido entre as equipes. O tricolor de Manaus investiu pesado nas contratações de jogadores de reno-

me como Carlinhos Bala e Rosembrick, mas não viu o investimento dar retorno. O Fast “pagou para jogar” em cinco dos oitos jogos que fez no primeiro turno. O maior prejuízo foi de R$ 2.534,50 no jogo contra o Manaus FC, no Valdizão, quando ambas as estrelas da equipe marcaram dois gols na vitória por 4x3.

O mais “endividando” foi o rebaixado Sul-América. Nas quatro rodadas do primeiro turno acumulou saldo negativo de R$ 4.803. O presidente do clube, Luiz Costa, diz que as despesas do futebol amazonense são impraticáveis e chamou de absurdo o valor pago ao trio de arbitragem (R$ 1,6 mil).


Pódio - 4 de maio de 2014