Page 1

No caminho da

GLÓRIA Com gol de Umtiti, a França está de volta a uma final de Copa do Mundo, fato que não acontecia desde 2006. O adversário sai do confronto de hoje entre Croácia e Inglaterra

Manaus, quarta-feira, uar aarrttaa-ffeeiiira rraaa,, 11 de julho 2018 hoo ddee 220 01188 01


2

Manaus, quarta-feira, 11 de julho de 2018

Pódio

A um passo do

bicampeonato

CHRISTOPHE SIMON/AFP

O jovem zagueiro do Barcelona marcou o único gol do duelo válido pela primeira semifinal da Copa da Rússia.

Com gol do zagueiro Umtiti, a França venceu a Bélgica e avançou para a final da Copa do Mundo, no próximo domingo (15), contra o ganhador do duelo entre Inglaterra e Croácia

S

ão Petersburgo (Rússia) - Na Copa do Mundo das zebras e das novidades, haverá tradição na final do próximo domingo (15). A França bateu a Bélgica por 1 a 0, gol do zagueiro Umtiti, em São Petersburgo, e é a primeira equipe a garantir vaga na decisão do título. Os campeões mundiais de 1998 controlaram o ímpeto da sensação do torneio e mesmo com uma média de idade do elenco de apenas 26 anos, mostraram maturidade para pro-

var que merecem, sim, disputar a taça. A vitória coloca a França na terceira final de Copa da sua história, todas nos últimos 20 anos. Se em 1998 e 2006 a equipe era liderada por Zidane e não chegou à decisão como grande favorito diante de Brasil e Itália, desta vez tem um repertório mais amplo de craques e o peso da expectativa. Quem eliminou Argentina, Uruguai e Bélgica faz a torcida esperar de forma eufórica por um dos azarões: Croácia ou Inglaterra, seleções que se enfren-

tam, em Moscou. Algoz da seleção brasileira na última sextafeira (6), a Bélgica viu se encerrar o sonho de buscar um inédito título mundial e agora fará a decisão do terceiro lugar contra os perdedores do duelo entre croatas e ingleses, no próximo sábado (14), às 10h (de Manaus), novamente atuando em São Petersburgo. A decisão será no domingo (15), às 11h, em Moscou. Aos 19 anos, Kylian Mbappé não foi protagonista na vitória da França, mas mais uma vez


Manaus, quarta-feira, 11 de julho de 2018

Pódio

3

GIUSEPPE CACACE/AFP

Martinez sente orgulho dos seus jogadores Roberto Martinez afirmou se sentir orgulhoso com desempenho de seus jogadores contra a França

mostrou por que é um dos melhores jogadores da atualidade: foram sete dribles completados no duelo, além de uma assistência inacreditável de costas para Giroud ficar de frente para o gol de Courtois. Em suas redes sociais, o craque disse estar vivendo um sonho. Depois da partida, ele conversou com a mídia francesa. “É o dia mais lindo da minha carreira, da minha existência, da minha vida futura! E espero que a final seja ainda mais bela. Todos nós sonhamos com isso desde a infância. Não será fácil. Resta uma partida, e ainda não temos a taça.

Temos o direito de acreditar… É o sonho de uma vida inteira!”, disse o camisa 10, sem conseguir conter a empolgação. Deschamps pode se igualar a Zagallo e Beckenbauer Classificada à decisão da Copa do Mundo da Rússia, a França apenas aguarda pelo vencedor do confronto entre Croácia e Inglaterra para decidir o título. Aos 49 anos, o técnico Didier Deschamps tem a chance de repetir um feito logrado por apenas dois homens na história do torneio. Mario Jorge Lobo Zagallo (campeão como atleta em 1958 e

O sonho da Bélgica na Copa do Mundo da Rússia acabou. Derrotado, o técnico espanhol Roberto Martinez lamentou o revés na semifinal, mas tratou de valorizar a postura de seus pupilos. “Estou muito orgulhoso dos jogadores. Se você vai perder um jogo, que seja com muito esforço, dando tudo que tem, tentando até o último segundo. Você tem que aceitar isso, parabenizar a França e desejar sorte para a final. Foi um jogo muito aperto, não houve muitos grandes momentos que pudessem decidir a partida. A diferença entre a derrota e a vitória ficou reduzida a

1962 e como técnico em 1970) e Franz Beckenbauer (campeão como atleta em 1974 e como técnico em 1990) são os únicos a ganhar nas duas funções. Com a chance de igualar os veteranos, Deschamps, capitão em 1998, exaltou seus pupilos após a classificação. “Isso é excepcional. Estou muito contente com meus jogadores. Sinto muita felicidade, muito orgulho. Esse grupo está junto há 49 dias. Eles passaram muitas coisas difíceis, mas já estamos na final. É mérito de todos”, declarou o ex-companheiro de Zinedine Zidane.

uma situação de bola parada”, declarou o treinador, diplomático. Após sair na frente, o time comandado pelo técnico Didier Deschamps soube como se defender até o final sem correr grandes riscos no campo de defesa. A Bélgica, na tentativa de evitar o revés, se lançou ao ataque e investiu principalmente em bolas levantadas na área, sem sucesso. “Temos que dar muito crédito à maneira que a França se defendeu, até com alguns jogadores de ataque bem atrás, o que mostra respeito a nós. Não conseguimos encontrar o que era necessário diante do gol ou um pouco de sorte em algumas ocasiões”, afirmou Martinez, que no sábado decide o terceiro lugar com o derrotado de Croácia e Inglaterra.

Na Rússia, Deschamps dirige uma equipe essencialmente jovem, com titulares como Benjamin Pavard (22 anos), Samuel Umtiti (24 anos), Kylian Mbappe (19 anos) e Lucas Hernandez (22 anos). Experiente, o antigo capitão tratou de valorizar o potencial do elenco. “O progresso deles é enorme. Esses jogadores vão estar ainda mais fortes em um período de dois ou quatro anos, mas hoje já são competitivos. Estou muito orgulhoso deles. Com essa mentalidade, podemos escalar montanhas e isso que temos feito até agora”, afirmou.


4

Manaus, quarta-feira, 11 de julho de 2018

Pódio

M

oscou (Rússia) - A Croácia tem mais uma missão dura na Rússia. Ela desafia os inventores do futebol, a Inglaterra, para chegar à sua primeira final de Copa do Mundo. Inglaterra e Croácia não estavam cotadas para serem semifinalistas, por isso, fazem nesta quarta-feira (11), em Moscou, a partir das 14h (Manaus), um confronto de surpresas. Os dois países foram beneficiados pela eliminação precoce de seleções tradicionais. A Suécia, adversária dos ingleses nas quartas, roubou a vaga da Alemanha, atual campeã. A Rússia, oponente da Croácia também nas quartas, havia eliminado a Espanha, campeã em 2010. Com isso, as duas tiveram um caminho teoricamente mais fácil até aqui. O retrospecto também comprova que não eram favoritas. A Inglaterra tenta chegar à final pela primeira vez desde 1966, quando conquistou o título em casa. Há 28 anos, o time não alcançava uma semifinal de Copa. A Croácia nunca foi finalista e chegou entre as quatro uma vez, em 1998, quando conquistou o terceiro lugar.

A Croácia, entretanto, nega o rótulo de zebra. O técnico Zlatko Dalic afirmou que sua equipe tem jogadores nos grandes clubes europeus. Ele acredita que a falta de bons resultados recentes levou a uma subvalorização do time. “A Croácia tem ótimos jogadores em grandes clubes da Europa. É verdade que não conseguimos um resultado importante como seleção nos últimos anos. Estivemos abaixo do que podemos. Mas não deveria ser surpresa que estamos entre os quatro finalistas, pela qualidade dos jogadores. Esses jogadores não foram bem avaliados por muito tempo, pela falta de resultados da seleção”, afirmou o treinador, em entrevista coletiva ontem, em Moscou. “Essa é a chance de estarem na história. O fato de termos jogadores em grandes clubes como Real Madrid e Barcelona mostra que eles têm qualidade”, afirmou. O elenco croata é badalado. Luka Modric, do Real Madrid, é o grande astro da seleção. Ao seu lado estão Rakitic, do Barcelona, Mario Mandzukic, da Juventus, e Ivan Perisic, da Inter de Milão.

Croácia e I

duelam p na nal d

Considerado azarões, croatas e ingleses sem enfrentaram em Moscou para definir quem será o adversário da França na decisão do Mundial


Manaus, quarta-feira, 11 de julho de 2018

e Inglaterra

m por vaga l da Copa

Pódio

Comeu pelas beiradas A Inglaterra chegou desacreditada à Rússia por dois motivos principais. O técnico Gareth Southgate dirigia a seleção sub-21, não tem títulos relevantes e só assumiu o cargo depois de o treinador principal ter sido afastado por envolvimento em irregularidades na transferência de jogadores. Foi uma prova de fogo para sua própria carreira. Além disso, a Copa é o primeiro grande teste de um time jovem, que tem em média 25 anos. Por isso, o treinador mostrou orgulho pelo que fez até aqui. “Não estou acostumado com isso na minha carreira. Estou muito orgulhoso da reação da torcida. Isso não é apenas sobre a maneira como jogam, eles são grandes embaixadores do nosso país”, elogiou. A ascensão do time inglês na competição pode ser medida pelo entusiasmo da torcida. Depois de um início tímido em várias sedes, os ingleses finalmente estão sendo ouvidos nos estádios. Eles adotaram o lema “Football is coming home” (O futebol está voltando para casa). A música foi tema da Eurocopa de 1996, sediada no país.

5

Hoje, faz referência a um possível título do país onde foi criado o futebol. “Essa é uma das músicas que eu não ouvia há uns 20 anos, mas tem sido legal ouvir as pessoas se divertindo com ela depois de tanto tempo”, disse Southgate. Pênaltis A Inglaterra tem sido consistente, mas ainda não teve uma grande atuação na Copa. A Croácia fez uma grande fase de grupos – venceu a Argentina por 3 a 0 –, mas suou nas últimas partidas diante de adversários teoricamente mais fracos, como Dinamarca e Rússia. Por isso, não será surpresa mais uma decisão por pênaltis. Os croatas avançaram dessa forma duas vezes graças ao goleiro Subasic. Os ingleses superaram o drama histórico de três eliminações seguidas em Copas na decisão diante da Colômbia, pelas oitavas de final. A comissão técnica estudou as cobranças antigas e descobriu que os ingleses eram mais afoitos que os batedores das outras seleções depois que o árbitro autorizava a cobrança. Agora, eles esperam, respiram e só aí batem.


6

Pódio

T

urim (Itália) - A novela sobre o destino de Cristiano Ronaldo finalmente teve um fim ontem (10), e com uma nova casa para o craque português. Depois de nove temporadas vestindo as cores do Real Madrid, o astro de 33 anos foi confirmado como novo reforço da Juventus, naquela que pode ser considerada a principal transação do futebol mundial nos últimos anos. A confirmação do acordo veio inicialmente por meio de comunicado oficial divulgado pelo clube espanhol. “O Real Madrid comunica que, atendendo a vontade e pedido expressados pelo jogador Cristiano Ronaldo, acertou sua transferência para a Juventus. Hoje, o clube quer expressar seu agradecimento a um jogador que demonstrou ser o melhor do mundo e que marcou uma das épocas mais brilhantes de nossa história”, apontou. Após o comunicado do Real, foi a vez de o clube italiano oficializar a negociação, por meio de nota publicada em seu site. O valor da transferência será de 100 milhões de euros (cerca de R$ 450 milhões), a ser pago em duas parcelas, e o tempo de contrato foi firmado em quatro anos, até junho de 2022. A Juventus também informou que vai arcar com custos que somam 12 milhões de euros (cerca de R$ 54 milhões), por encargos financeiros e por causa do mecanismo de solidariedade da Fifa para remunerar clubes formadores. O porcentual de 5% deverá ser dividido entre Sporting e Manchester United, porque foram as equipes onde o português jogou dos 12 aos 23 anos. Cristiano Ronaldo vai deixar o Real Madrid após nove temporadas. Em junho de 2009, o presidente Florentino Pérez cumpriu promessa de campanha, após eleição para voltar ao cargo do clube, e fechou contratação do português por 94 milhões de euros (cerca de R$ 256 milhões na cotação da época), valor pago ao Manchester United. Mesmo após enfrentar um pe-

Manaus, quarta-feira, 11 de julho de 2018

FOTOS: DIVULGAÇÃO

$ Tran$ação

histórica

Eleito cinco vezes melhor do mundo, o astro português Cristiano Ronaldo foi anunciado como novo reforço da Juventus após nove anos no Real Madrid


Manaus, quarta-feira, 11 de julho de 2018

Pódio

7

ríodo de domínio do Barcelona, em especial até 2011, quando o clube catalão ganhou o último título de Liga dos Campeões da Europa sob o comando de Pep Guardiola, Cristiano Ronaldo se impôs no Real Madrid e foi eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa quatro vezes desde 2009 (2013, 2014, 2016 e 2017). Negociação demorada Os rumores sobre a ida de Ronaldo para a Juventus já vinham ganhando força desde o fim da última temporada europeia. Após uma breve esfriada durante a Copa do Mundo, se intensificaram novamente após a eliminação de Portugal da competição na Rússia e, desde então, a imprensa da Europa dava como questão de tempo a confirmação. De acordo com os veículos midiáticos do continente, a contratação poderia ter sido anunciada até antes, se não fosse o fato de Ronaldo sair de férias após a Copa. Isso obrigou o presidente da Juventus, Andrea Agnelli, a viajar para a Grécia, onde se encontrou com o craque para discutir os últimos detalhes da transação. O acerto com o Real Madrid foi encaminhado nos últimos dias e selado ontem. O clube espanhol cumpriu a promessa de não dificultar a saída do atacante, após pedido do próprio português, que teria se sentido desvalorizado por algumas atitudes da direção do clube espanhol nos últimos tempos. Prova deste entendimento entre as partes foi a redução do valor da multa rescisória do jogador por parte do Real, noticiada pela imprensa espanhola no fim do mês passado. O agente do astro, o português Jorge Mendes, chegou a falar: “Se ele (Ronaldo) sair, será eternamente grato ao clube”. Parceria vitoriosa A parceria entre Ronaldo e Real foi bastante vitoriosa e benéfica para ambos os lados. O jogador chegou ao clube em 2009 após ter sido eleito o melhor jo-

gador do mundo no ano anterior vestindo as cores do Manchester United, mas só atingiu seu auge no time espanhol. De lá para cá, ganhou o prêmio de melhor do mundo em mais quatro oportunidades – 2013, 2014, 2016 e 2017 – e se estabeleceu como um dos grandes da modalidade em todos os tempos. Por outro lado, Ronaldo liderou o Real a uma das fases mais vitoriosas de sua rica história. Foi liderado pelo craque que o clube faturou o sonhado décimo título da Liga dos Campeões, em 2013/2014, e repetiu o feito nas últimas três edições – 2015/2016, 2016/2017 e 2017/2018 –, ampliando sua hegemonia no continente. A parceria ainda foi responsável por dois títulos espanhóis, dois da Copa do Rei, dois da Supercopa da Espanha, dois da Supercopa da Europa e três do Mundial de Clubes. Na Juventus, Ronaldo terá o

Produtos com o nome de Cristiano Ronaldo já estavam sendo vendidos desde a semana passada, quando a imprensa italiana já cravava o acerto

novo desafio esportivo que tanto buscava, com a responsabilidade de tornar a hegemonia nacional do clube em resultados expressivos a nível europeu. Se vem de

sete títulos italianos consecutivos, o time de Turim não fatura uma Liga dos Campeões desde 1995/1996 – a outra de sua história aconteceu em 1984/1985.


8

Manaus, quarta-feira, 11 de julho de 2018

Pódio

Tabela

Copa do Mundo 2018

Oitavas de nal

Quartas de nal

Oitavas de nal

1º JOGO DAS QUARTAS

2

1

URUGUAI

0 PORTUGAL

2

URUGUAI

30/6 (SÁB) 15H

4 FRANÇA

3

FRANÇA

ARGENTINA

6/7 (SEX) 10H

30/6 (SÁB) 11H

2º JOGO DAS QUARTAS

2

0

1

BRASIL

MÉXICO

2

3

BRASIL

2/7 (SEG) 11H

BÉLGICA

2

BÉLGICA

JAPÃO

6/7 (SEX) 14H

2/7 (SEG) 15H

4º JOGO DAS QUARTAS

1 3

1 4

2 3

PÊNALTIS

ESPANHA

RÚSSIA

2 4

1 3

PÊNALTIS

RÚSSIA

1º/7 (DOM) 11H

CROÁCIA

1 2

PÊNALTIS

CROÁCIA

DINAMARCA

7/7 (SEX) 10H

1º/7 (DOM) 15H

3º JOGO DAS QUARTAS

1

0

0

SUÉCIA

SUÍÇA

SUÉCIA

3/7 (TER) 11H

Seminal

1 3

2 INGLATERRA

1 4

PÊNALTIS

COLÔMBIA

INGLATERRA

6/7 (SEX) 14H

3/7 (TER) 15H

Final

Seminal

DISPUTA DO 1º LUGAR

1

0

FRANÇA 15/7 (DOM) 11H

FRANÇA

BÉLGICA

VENCEDOR DO 1º JOGO DAS QUARTAS

VENCEDOR DO 2º JOGO DAS QUARTAS

DISPUTA DO 2º LUGAR

10/7 (TER) 14H

INGLATERRA

CROÁCIA

VENCEDOR DO 3º JOGO DAS QUARTAS

VENCEDOR DO 4º JOGO DAS QUARTAS 11/7 (QUA) 14H

BÉLGICA 14/7 (SÁB) 10H

Pódio - 11 de Julho de 2018  

Edição Especial - Pódio Copa 2018 um produto do Grupo Raman Neves de Comunicação

Pódio - 11 de Julho de 2018  

Edição Especial - Pódio Copa 2018 um produto do Grupo Raman Neves de Comunicação

Advertisement