Issuu on Google+

DATA

Pai pra toda obra Pais fazem dupla, às vezes tripla, jornada de trabalho para cumprir a função de mantenedor da família. Economia B1 Há quem faça questão de não ser pai, mesmo sendo. Exames de DNA costumam resolver a questão. Dia a dia C4 e C5 De pai para filho, as profissões se perpetuam. Os artistas também criam seus filhos nos palcos da vida. Plateia D1 Os homens estão mais curiosos com relação à maternidade. Pais e mães já vivem juntos esse momento único. Saúde

ANO XXIV – N.º 7.731 – MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012 – PRESIDENTE: OTÁVIO RAMAN NEVES - DIRETOR EXECUTIVO: JOÃO BOSCO ARAÚJO - PREÇO DESTA EDIÇÃO: R$ 2,00

Dilma vem a Manaus lançar usina de gás Uma nova usina de energia elétrica, que funcionará 100% a gás natural, terá a pedra fundamental lançada pela presidente da República, “muito em breve”, disse ao EM TEMPO o senador Eduardo Braga (PMDB). Essa geração de energia suprirá a demanda de Manaus e funcionará antes da Copa de 2014. Eleições 2 EDUARDO NICOLAU/AE

COMPORTAMENTO

Eles acham que são donos do mundo

VAREJÃO

Redes sociais se rebelam contra as vendas de R$ 1,99 Economia B3 ARQUIVO EM TEMPO/MARCELL MOTA

MAURÍLIO CLARETO/AE

Dia a dia C4 e C5

VEXAME

Brasil entrega o ouro da Olimpíada para o México Última Hora A2

FALE COM A GENTE - ANÚNCIOS CLASSITEMPO, ASSINATURA, ATENDIMENTO AO LEITOR E ASSINANTES: 92 3211-3700 ESTA EDIÇÃO CONTÉM - ÚLTIMA HORA, OPINIÃO, POLÍTICA, ELEIÇÕES, ECONOMIA, DIA A DIA, PAÍS, MUNDO, SAÚDE, ILUSTRÍSSIMA, PLATEIA, LANCE! E CONCURSOS

TEMPO EM MANAUS

MÁX.: 33º

MÍN.:

25º


A2

Opinião/Última Hora

Seguranças do Pegada’s suspeitos de agressão

Contexto 3090-1017/8115-1149

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

marioadolfo@emtempo.com.br

O estudante Thiago Silva, 19, e o publicitário Victor Lima, 22, afirmam que foram agredidos dentro da casa noturna JOEL ROSA

RÍCHARD RODRIGUES Equipe EM TEMPO

N TIM enganaram O senador Eduardo Braga (PMDB-AM) considerou de extrema gravidade. A operadora TIM ser acusada de interromper de forma proposital chamadas feitas no plano Infinity. Nesse plano, o usuário é cobrado por ligação, e não por tempo. Com a queda da chamada, os clientes fazem novas ligações, tendo mais gastos com os serviços e fazendo crescer o faturamento da empresa. Deu na ‘Folha’ O flagra estava no relatório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). E a denúncia foi feita pelo jornal Folha de S.Paulo. Tubarão Só para se ter uma ideia. Em apenas um dia de monitoramento a Anatel constatou que a TIM teve um faturamento extra de R$ 4,3 milhões. É só a TIM? Diante da denúncia, Eduardo Braga direcionou sua alça de mira para a Anatel. Para o senador, a própria agência precisará explicar se outras operadoras não recorreram à mesma estratégia da TIM. Inadmissível A mesma opinião de Braga tem o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), presidente da Comissão de Meio Ambiente , Fiscalização e Defesa do Consumidor (CMA). — Isso é absolutamente inadmissível, e é óbvio que questionaremos a instituição representativa das operadoras de telefonia celular em relação a essas denúncias – disse Rollemberg. Invadiu sua praia A prefeitura de Manaus invadiu a praia da Ponta Negra e expulsou a empresa Piu Invest, mas e aí? Esta semana, banhistas que visitaram o balneário queixaram-se do mal cheiro e da sujeira. Os banheiros, principalmente, há dias que não vêm sendo limpos. E agora, vão se queixar ao bispo? Corta! Agora será tratado como crime de abuso de autoridade

obrigar pessoa sob custódia policial ou judicial a ser filmada ou fotografada por órgãos de imprensa. É o que diz o Projeto de Lei aprovado nesta quarta-feira (8) na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados. Dignidade De acordo com o relator, o deputado amazonense Silas Câmara, o substitutivo pretende assegurar o respeito à intimidade e dignidade de pessoas relacionadas a algum inquérito policial. Silas quer punir os agentes públicos que facilitam a veiculação de imagens dessas pessoas. Julgamento O relator Silas Câmara vê situações de “exagero” cometidos na mídia. — Em muitos casos, temos um verdadeiro julgamento antecipado, que não é feito pelas instâncias judiciais cabíveis, mas sim a partir do que é veiculado –, completou Câmara. Vapor infernal O Shopping Manauara deve repensar o sistema de ventilação de seu estacionamento. Sem janelões, tijolo vasado ou qualquer outro recurso de arquitetura que faça o ar circular, a garagem se transformou num imenso caldeirão. Chaleira Isto significa dizer que, depois das compras, o consumidor sai do interior do shop-ping Manauara “geladinho” pelo clima do ar-condicionado e pega pela frente o vapor da garagem. É gripe na certa.

APLAUSOS

Não sei se vou Mais preocupada com a onda de greves do funcionalismo comandada pela CUT em todo o país, a presidente Dilma Rousseff abriu espaço em sua agenda, na quinta-feira, para receber o presidente nacional do PT, Rui Falcão. A presidente ouviu dele as cobranças dos candidatos petistas, que reclamam sua presença nas disputadas campanhas municipais. Dilma não é Lula Ao contrário do ex-presidente Lula, que já começou a gravar com os candidatos e anunciou que viajará a pelo menos 17 capitais, até agora a única definição é que Dilma fará gravações e já está tendo sua imagem veiculada pela campanha de Patrus Ananias, candidato a prefeito de Belo Horizonte, capital de seu Estado natal. De mulher pra mulher Em Manaus, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) tem esperanças de que Dila venha reforçar a sua campanha à prefeitura. Ninguém duvida, haja vista que em polític a, também em esse apelo de “mulher pra mulher”. Luto na ilha Parintins perdeu na sextafeira uma de suas figuras mais queridas. O empresário Roosevelt Godim Prestes, que morreu em um acidente de moto. Ele chegou a ser trazido para Manaus, mas veio no avião sem o colete imobilizador da coluna. Teve hemorragia cerebral e não resistiu. O corpo foi transladado no mesmo dia para a ilha. Roosevelt tinha uma agência de viagens.

VAIAS

Dilma Rousseuf

Mano Menezes AG ABR

Para a presidente, que vem a Manaus lançar a pedra fundamental de uma nova usina para resolver de vez os problemas de energia.

DIVULGAÇÃO

Para o técnico da seleção brasileira que acaba de dar o maior vexame na Olimpíada de Londres. Se nada for feito o vexame se repetirá na Copa

a madrugada de ontem, o estudante Thiago Silva, 19, e o publicitário Victor Lima, 22, afirmam que foram agredidos por seguranças da casa Pegada’s Sertaneja, na avenida do Turismo, Tarumã, Zona Oeste de Manaus. Os agredidos alegaram que os seguranças da casa de shows eram policiais e chegaram a disparar dois tiros durante a agressão. Ninguém foi atingido. Segundo Thiago Silva, o ocorrido começou após ele esbarrar em um rapaz na saída da casa noturna, por volta das 4h da madrugada. “Esbarrei em um rapaz sem querer, que começou a me agredir. Logo em seguida vieram os seguranças da casa para tentar apartar a briga, porém eles começaram a nos agredir com socos e chegaram a disparar dois tiros”, disse o estudante, que apresentava hematomas pelo corpo. O publicitário, que também apresentava escoriações pelo corpo, chegou a afirmar que um dos seguranças acusados da agressão se identificou como policial. “Eles deveriam garantir a integridade física dos frequentadores, não nos agredir. Um deles chegou até a nos ameaçar dizendo que era policial”, relatou.

POLÍTICA

Campanha de Vanessa ‘vai pegar’ O governador do Estado, Omar Aziz (PSD), e o senador Eduardo Braga (PMDB), fizeram questão de dizer em seus discursos, durante a inauguração do comitê de campanha eleitoral da candidata à Prefeitura de Manaus, Vanessa Grazziotin (PCdoB), na manhã de ontem, que o grupo político está unido na briga pelo Executivo municipal. Omar chegou a prometer “botar fogo” nesta eleição, enquanto Braga avisou aos seus adversários que eles estão “juntos por Manaus”. Em um discurso de um pouco mais de dez minutos, o governador do Estado, ressaltou ainda, que a candidata Vanessa, não precisa de “muletas” para ganhar o pleito municipal. “Ela não precisa de muleta de ninguém. Tem uns que ficam falando aí que ela precisa de muleta, tem gente que não era nem nascido e essa mulher já estava na rua apanhando da polícia para democratizar esse país. Ela precisa é de parceria com o Governo e com a presidente Dilma. Chegaram até a dizer no início da campanha que Vanessa não acredita em Deus. Ela acredita sim, ela é cristã”, enfatizou. Aziz acrescentou que “está todo mundo vendo a campanha morna, parece até que não tem eleição, então vamos botar fogo nesta eleição.”

Segundo os agredidos, o segurança se indentificou como policial

Casa noturna nega o ocorrido O caso foi registrado no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro da Compensa, Zona Centro Oeste. Após realizarem boletim de ocorrência (BO), as vítimas se dirigiram ao Instituto Médico Legal (IML) para a realização do exame de corpo de delito. O relações públicas do Pegada’s, Dom Pazuello, não confirmou o ocorrido, mas disse que a direção da casa vai averiguar se re-

almente houve agressão aos dois frequentadores. Ele informou ainda que a segurança da casa de shows é realizada por uma empresa terceirizada, que ele não soube informar o nome. “Portanto, se houve a agressão, a responsabilidade é da empresa. Mas, o Pegada’s se coloca à disposição para qualquer esclarecimento do fato”, comunicou. O nome dos seguranças não foram divulgados pela polícia.

OLIMPÍADA

Brasil perde para o México e é prata de novo no futebol ANDRE MOURAO/AE

O Brasil perdeu de 2 a 1 para o México, ontem, em Londres

O México conquistou ontem o seu primeiro ouro olímpico no futebol masculino ao derrotar o Brasil por 2 a 1 e se manteve invencível em finais contra a seleção. Além da final olímpica, a seleção mexicana derrotou os brasileiros em outras duas competições internacionais não organizadas pela Concacaf (confederação que cuida do futebol da América do Norte): a Copa das Confederações de 1999 e o Campeonato Mundial sub-17 de 2005. Na partida decisiva Copa das Confederações, na Cidade do México, os donos da casa derrotaram por 4 a 3 uma seleção brasileira que havia acabado de faturar a Copa América. O treinador Vanderlei Luxemburgo, porém, não tinha vários dos seus titulares, como Ronaldo, Rivaldo e Roberto Carlos. O Mundial sub-17 de 2005, no Peru, terminou com vitória do

México por 3 a 0 sobre o Brasil. As duas seleções também se enfrentaram nas finais da Copa Ouro de 1996 e 2003 -essa competição é organizada pela

DESTAQUE

O México conquistou ontem o seu primeiro ouro olímpico no futebol masculino ao derrotar o Brasil por 2 a 1 e se manteve invencível em finais contra a seleção brasileira Concacaf, e a seleção brasileira entrou como convidada. Em 1996, os mexicanos venceram por 2 a 0, na Califórnia, nos Estados Unidos. Já em 2003, o México venceu por 1 a 0, com um gol de ouro na prorrogação, de Daniel Osorno.


Opinião

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

A3

Fala leitor

Editorial

falaleitor@emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br

Usuários sem Facebook têm um dia para refletir O Facebook — site de maior sucesso entre as redes sociais disponíveis na internet — poderá ter de suspender o acesso dos usuários em todo o país por 24 horas por descumprimento da legislação eleitoral. Os administradores do Facebook pediram reconsideração da decisão. O caso só deve ser decidido nesta segunda-feira. O que isso significa? Mais de 45 milhões de internautas sem acesso no segundo país com mais usuários do Facebook. Assim é o Brasil, que perde somente para os Estados Unidos em número de usuários, já tendo ultrapassado a Índia, segundo país mais populoso do planeta. Se a decisão for mantida, o Facebook vai interromper o acesso e apresentar a informação de que o site está fora do ar por descumprir a legislação eleitoral. Se essa determinação não for atendida, a empresa terá que pagar multa diária de R$ 50 mil e o prazo de suspensão da rede social no país será duplicado. Explica-se: o Facebook descumpriu uma liminar que determinou que fosse retirada do ar a página “Reage Praia Mole”. A suspensão foi solicitada pelo vereador Dalmo Deusdedit Menezes (PP), de Florianópolis, que concorre à reeleição e argumentou que houve veiculação de “material depreciativo” contra ele, feita de maneira anônima por um usuário. O juiz eleitoral também determinou a identificação das pessoas que criaram a página no Facebook. A assessoria de imprensa da rede social informou que ainda aguarda um posicionamento oficial da sede, na Califórnia – Estados Unidos –, para se manifestar. Eis o perigo da rede social e sua falsa impressão de impunidade. A criação de perfis falsos, a utilização da internet para a propagação da violência e da prostituição infantil são os grandes entraves da liberdade que se dá ao cidadão que acessa a web. Mais de 45 milhões de usuários da rede social vão “pagar” pela irresponsabilidade de um único usuário – ou mesmo um grupo deles – com a suspensão do acesso. Irresponsabilidade social dá nisso.

É típico da máxima de que o feitiço virou contra o feiticeiro. Numa reunião tensa do governo com sindicalistas em greve, responsáveis por afetar 18 ministérios, um dirigente sindical radicalizou, dizendo que se não atendessem suas reivindicações, entre outras ameaças iria liberar dossiês sobre podres dos programas da área de infraestrutura (lógico que

www.emtempo.com.br

do PAC). Como se vê, o lulismo com a participação ativa da Dilma quando dirigia a Casa Civil, produziu dossiês falsos contra opositores, e agora os filhotes de Lula, aplicados que são pela cartilha petista, se voltam contra o partido criador dessas excrescências dentro das nossas instituições. E na maior cara de pau, e sem se ruborizar responde o

governo que essas “ameaças são inaceitáveis”. Quem diria! Pois é: nada como um dia após o outro... Ou melhor, picaretagem com picaretagem se paga (dentro do PT). Paulo Panossian, por e-mail Gostaria de saber em que se baseiam os motoristas que frequentam bares e restaurantes e estacionam seus

veículos sobre calçadas de residências ou na frente de garagens, especialmente à noite. Moro no Vieiralves e sofro principalmente de quarta a sábado, quando esses estabelecimentos lotam e os mal-educados se apropriam das ruas. Taís Lopes, por e-mail

Charge elvis@emtempo.com.br

Olho da Rua

Dora Kramer

opiniao@emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

O motorista desse coletivo resolveu ignorar as leis de trânsito. Logo ele, que deveria ser um exemplo nesse tráfego sem engenharia da Manaus do caos... Os pedestres se viram obrigados a desviar do ônibus para atravessar a rua sobre a faixa, que é lugar de pedestre e não de veículo

CENTRAL DE RELACIONAMENTO Atendimento ao leitor e assinante ASSINATURA e CLASSIFICADOS

Diretor de Redação Mário Adolfo marioadolfo@emtempo.com.br

3211-3700 assinatura@emtempo.com.br classificados@emtempo.com.br

REDAÇÃO

3090-1010 redacao@emtempo.com.br

Editores-Chefes Aldisio Filgueiras — MTB 213 aldisio@emtempo.com.br Náis Campos — MTB 033 nais@emtempo.com.br Tricia Cabral — MTB 063 tricia@emtempo.com.br Chefe de Reportagem Michele Gouvêa — MTB 626 michelegouvea@emtempo.com.br Diretor Administrativo Leandro Nunes administracao@emtempo.com.br

CIRCULAÇÃO

3090-1001 circulacao@emtempo.com.br

Norte Editora Ltda. (Fundada em 6/9/87) – CNPJ: 14.228.589/0001-94 End.: Rua Dr. Dalmir Câmara, 623 – São Jorge – CEP: 69.033-070 - Manaus/AM

Diretor de Marketing/Comercial Renato Bassile comercial@emtempo.com.br Diretor de Arte Kyko Cruz kykocruz@emtempo.com.br EM Tempo Online Yndira Assayag — MTB 041 yndiraassayag@emtempo.com.br

DO GRUPO FOLHA DE SÃO PAULO

www.emtempo.com.br

Presidente: Otávio Raman Neves Diretor-Executivo: João Bosco Araújo

@emtempo_online

/amazonasemtempo

/ /tvemtempo

Os artigos assinados nesta página são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal.

Desvio de função É incontestável: não tivessem acontecido as CPIs do PC e dos Correios não teria havido a destituição de Fernando Collor nem hoje estaria em julgamento o processo do mensalão. As denúncias de Pedro Collor sobre as negociatas do tesoureiro Paulo César Farias no governo do irmão teriam caído no vazio, bem como valeriam os desmentidos às revelações de Roberto Jefferson sobre um esquema de formação de maioria congressual em troca de vantagens financeiras e a vida seguiria. Sem o trabalho das comissões de inquérito e o levantamento de provas e tomada de depoimentos à vista do país, nenhum dos casos teria adquirido materialidade e hoje provavelmente ambos seriam enquadrados na categoria das meras suposições. O escrutínio público tornou irreversíveis as consequências. Natural, portanto, que o Brasil celebrasse o papel das CPIs, as reconhecesse como instrumentos essenciais no aperfeiçoamento institucional e reforçasse suas funções. Mas, ao que parece justamente pelas qualidades do instituto, vem ocorrendo o contrário: nos últimos anos houve esvaziamento na função das comissões de inquérito que têm a validade do produto de suas investigações contestada e praticamente perderam a condição de interrogar testemunhas e investigados. Hoje, na prática, há uma inversão de ofício, com as CPIs curvando-se às conveniências dos convocados que teriam a obrigação de prestar os esclarecimentos devidos às comissões. Chegou-se ao clímax dessa distorção agora na CPI do Cachoeira, cujo procedimento aprovado pela maioria é o de simplesmente dispensar a pessoa que invoca o direito constitucional ao silêncio. Em 1992, quando da CPI do PC, e em 2005, por ocasião das investigações que resultaram no processo do

mensalão, os depoentes depunham a despeito de a Constituição ser a mesma. O que mudou de lá para cá? Basicamente o aprendizado do caminho das pedras e o uso deformado de uma garantia individual que, entretanto, não se sobrepõe à prerrogativa da comissão de tocar seu inquérito. Os convocados “descobriram” a via do habeas corpus concedido pelo Supremo. A Justiça não tem opção a não ser curvar-se ao ditame legal do direito do cidadão de não produzir provas contra si. Mas o Legislativo tem meios de respeitar o silêncio sem precisar que o Judiciário lhe diga como cumprir a Constituição. Não precisa, como é a regra na CPI do Cachoeira, liminarmente abrir mão do interrogatório. A comissão poderia, sim, questionar testemunhas e investigados para explicitar as acusações preservando a decisão de cada um de não se defender. Se o caso for de conhecimento notório, o silêncio pode ser tomado como falso testemunho. Ademais, nem todas as questões implicam necessariamente a produção de provas contra o depoente. Quando a CPI assim decide trabalha deliberadamente contra si, escorando-se numa decisão judicial para não assumir sua vontade de não ouvir. Como o que alguns teriam a dizer não interessa a esse ou àquele partido, se ninguém falar atendem-se aos interesses da maioria. Memória. Ontem fez sete anos que o publicitário Duda Mendonça foi à CPI dos Correios dizer que recebera dinheiro de caixa 2 pelos serviços prestados à campanha presidencial de 2002, fornecendo o que o próprio governo à época considerou como a prova material que poderia sustentar a abertura de impeachment contra o então presidente Lula. Foi o momento crucial da história e também definidor da volta por cima.

Dora Kramer, jornalista, escreve simultaneamente no jornal “O Estado de S. Paulo”

Hoje, na prática há uma inversão de ofício, com as CPIs curvando-se às conveniências dos convocados que teriam a obrigação de prestar os esclarecimentos devidos às comissões”


A4

Opinião

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

Quando a consciência coloca Fazer felizes os outros seus valores acima de tudo é coisa divina No ano de 1944, a Segunda Guerra Mundial já definia seu desfecho na Europa, quando o Exército Vermelho, que partira da União Soviética, avançava pelo oriente em direção a Berlim e os aliados ocidentais invadiam a Itália e tinham desembarcado na Normandia, para retomar a França, que se achava ocupada pelos alemães. À medida que os exércitos avançavam sobre o território francês e se aproximavam de Paris, mais crescia a convicção íntima de Hitler a respeito da proximidade do fim do seu domínio sobre os países europeus de um modo geral. Na sua cabeça extravagante, onde o poder e a sua sede fizeram morada havia muito tempo, não tinha lugar para a resignação e muito menos para o humilde reconhecimento da derrota iminente. Quem ousava derrotá-lo teria que pagar alto preço e receber sobre si o peso da vingança, que, neste caso, deveria ser imediata, servida quente, antes de esfriar. E onde melhor exercê-la do que precisamente sobre a mais bela cidade do mundo, ícone das liberdades democráticas e dos valores republicanos, a magnífica Paris, capital da França que, ainda que ocupada, tanto teimava em resistir? Era governador de Paris, estabelecido no belo prédio do Hotel Crillon, na Place de La Concorde, nomeado pelo próprio Führer, o general Dietrich von Choltitz, que recebera ordem direta do ditador para dinamitar os principais monumentos e edifícios da “cidade luz”, incluindo as belas pontes sobre o Sena, o Louvre, maior acervo de artes do mundo, o Arco do Triunfo, a Notre Dame, os Invalides, a Torre Eiffel, ou seja, destruir a cidade e, com ela, todo um riquíssimo patrimônio que ultrapassa a nacionalidade francesa e é na verdade de todos os homens. Diante da reputação de Hitler, intolerante, arbitrário e violento, era de se esperar que Choltitz simplesmente, como bom militar de tradição prussiana, cumprisse a ordem absolutamente superior e detonasse toda a cidade, até porque estaria respaldado pela justificativa de ter sido mero cumpridor de ordem em tempo de guerra, contra edificações e não pessoas. Prevaleceu a consciência do comandante, que se colocou acima do puro formalismo da disciplina militar quando pesou corretamente os valores que a situação envolvia e que seriam sacrificados se prevalecesse a determinação de Hitler. O general não cumpriu as ordens e salvou Paris porque entendeu que não se tratava de uma ação militar e sim de pura e injustificada retaliação. Por essa decisão lúcida, corajosa e de respeito àquilo que se materializava como insubstituível propriedade cultural de toda a humanidade, anos mais tarde, fortuitamente, ao ser reconhecido num retorno a Paris, foi-lhe outorgada a mais alta condecoração francesa. É um fato concreto e histórico, aqui usado especificamente para mostrar que, no fluir da existência, não se pode abrir mão da consulta à consciência que, quando realmente é consciência moral, haverá de mostrar o bom caminho.

João Bosco Araújo Diretor-executivo do Amazonas EM TEMPO

Diante da reputação de Hitler, intolerante, arbitrário e violento, era de se esperar que Choltitz simplesmente, como bom militar de tradição prussiana cumprisse a ordem superior”

Não sei por que causas nossa sociedade esteja tomada por tantas pessoas mal humoradas. Talvez seja pela necessidade de sobreviver dentre de situações cada vez mais complicadas. Talvez seja pela violência crescente que atormenta e amedronta. Talvez seja pela ausência do sentido da vida imposta pela cultura do descartável que domina tudo. Acredito que precisamos de homens e mulheres que nos façam escapar do pessimismo e abram janelas em nossos corações para deixar a luz do sol entrar, como cantava a música de Hair. Eles e elas já existem, mas precisam aparecer mais. A história conserva alguns nomes, cujas existências foram ou são exemplos de bom humor. Um deles é o escritor norte-americano Mark Twain, cujas tiradas fazem rir até gente muito séria. Certa vez, ele fora convidado para falar sobre tema em que era famoso. Durante a palestra, um cidadão olhava continuamente o relógio, mostrando que desejava o final daquela história toda. O conferencista aguentou sem nada falar. Em determinado momento, o fulano, não se contentando em olhar o relógio, colocou-o ao ouvido para ver se não estava quebrado. Mark Twain aproveitou a oportunidade para dizer: “Meu amigo, ficar olhando o relógio a cada instante, até aí tudo bem; mas colocá-lo ao ouvido para ver se ele parou é exagerado, não?”. Se houve um bom número de pessoas assim, a sociedade seria muito mais bonita. Outro belo exemplo de humor é Oscar Niemeyer, o grande arquiteto brasileiro que já ultrapassou a barreira dos 103 anos. Convidado para assistir a peça teatral “A Comédia em Pé”, explicou por que não podia ir: “Só não vou porque minha artrite não me deixa ficar em pé por muito tempo”. Perguntado sobre os motivos de continuar lúcido e ativo em sua enorme longevidade, ele respondeu: “Existem dois segredos para manter a lucidez em minha idade: o primeiro é manter a memória em dia; o segundo, eu não me lembro.” Alguém queria saber se ele pensava na morte; a resposta foi: “Nunca penso na morte, nunca. Vou deixar para pensar nisso quando tiver mais idade”. Leão 13 foi papa no final do século 19 e início do século 20. Era famoso pelo bom humor que conservou até a morte acontecida bem depois dos 90 anos. Em certa ocasião recebeu de presente um seu retrato pintado por desconhecido artista. Então ele pediu uma caneta e anotou no rodapé do quadro “Marcos 6,50.” Correram atrás da Bíblia e buscaram no Evangelho de S. Marcos o que estava escrito no trecho citado. Encontraram: “Coragem! Sou eu. Não tenhais medo”. Jesus também sabia ver os acontecimentos e sociedade com bom humor. A dois de seus discípulos, João e Tiago, filhos de Zebedeu, colocou-lhes o apelido de Boanerges (Mc 3,17). Aos dois impetuosos e barulhentos irmãos, cabia bem o apelido de Boanerges que significa filhos do trovão. Rir é coisa humana. Fazer felizes os outros é coisa divina.

Painel RENATA LO PRETE

À companheira Dilma

Dom Luiz Soares Vieira

Arcebispo de Manaus

Todos por um Subscrito pela CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT, o documento apoia ainda o pleito de grevistas quanto à regulamentação, em lei, da Convenção 151 da OIT, que trata do direito de negociação coletiva para solução de conflitos.

Acredito que precisamos de homens e mulheres que nos façam escapar do pessimismo e abram janelas em nossos corações para deixar a luz do sol entrar, como cantava a música de Hair”

Justin Bieber, cantor, sobre a calvície do príncipe William.

Sabe o que mais gostei dos Jogos de Londres? Que não construíram nenhum elefante branco. No fim das contas, os jogos têm que ser algo que vai durar para a cidade. O Rio vai imitar Londres na questão das instalações. Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro, otimista com a possível perfeição da Olimpíada que ocorrerá em 2016.

Morde e assopra Auxiliares de Dilma avaliam que o governo deveria ter apostado em uma dobradinha entre Miriam Belchior e Gilberto Carvalho, como Lula fazia com Paulo Bernardo e Luiz Dulci, para dialogar com os grevistas. Enquanto Bernardo endurecia, Dulci amaciava. Concreto Um dos projetos que serão entregues ao setor privado no pacote que o governo anuncia nesta semana é a construção de pistas extras da rodovia Dutra na serra das Araras (RJ), avaliado em até R$ 2,5 bilhões. Luz Já a concessão do setor elétrico está prevista para setembro. O governo deverá prorrogar as concessões em vez de promover novo leilão, como quer Paulo Skaf (Fiesp). Bandeira Skaf já avisou que recorrerá ao Supremo Tribunal Federal e consultará três ex-ministros da corte, Ellen Gracie, Sidney Sanches e Nelson Jobim, para elaborar pareceres contra a decisão. Marca Embora o nome de Plano Nacional de Logística drible o carimbo de privatista, há no governo quem defenda slogan mais chamativo para o pacote. Brasil Eficiente é uma das opções. Uma mão... Na esteira da defesa de José Dirceu, outros advogados do mensalão preparam novos memoriais aos

ministros do STF. Evocarão teses de colegas que já falaram para contestar crimes atribuídos a seus clientes. ... lava a outra Luciano Feldens e Antonio Almeida Castro, que defendem Duda Mendonça e Zilmar Fernandes, vão usar o argumento de Alberto Toron de que Gilmar Mendes não aceitou o crime de lavagem de dinheiro contra João Paulo Cunha em 2007 porque o deputado mandou a própria mulher sacar dinheiro no Banco Rural. Jurisprudência Segundo os advogados, isso não caracteriza ocultação da transação. “No nosso caso, foi a própria Zilmar que foi sacar o dinheiro”, justifica Castro. Hora extra Após mais de cinco horas diárias de sessões do mensalão, vários ministros têm feito reuniões com as equipes nos gabinetes para organizar as informações e debater os fatos do dia. Oremos O ministro Marcelo Crivella (Pesca) negocia com o missionário R.R. Soares e com o apóstolo Estevam Hernandez o apoio das igrejas Internacional da Graça de Deus e Renascer em Cristo à candidatura de Celso Russomanno (PRB) em São Paulo. Comercial Preocupado em padronizar a propaganda dos 170 candidatos a vereador de sua coligação, ao QG de José Serra centralizará a produção das inserções de TV, que entram no ar dia 21. Massificação Na tentativa de compensar a ausência de Dilma em seu palanque eletrônico, Fernando Haddad (PT) espalhou 12 mil cavaletes e seis milhões de panfletos em que aparece ao lado da presidente e de Lula.

Tiroteio CPIs podem ter provas inválidas, mas quem não reclama na hora não pode reclamar depois. A Justiça não socorre a quem dorme.

Frases Já existem alguns produtos para prevenir a queda de cabelo. Não sei por que o príncipe William não usa esses produtos

Cinco centrais sindicais do país formalizarão apoio à greve dos servidores federais e repudiarão, em nota oficial, o que chamam de “autoritarismo” do governo nas tratativas com o funcionalismo. No texto, a ser divulgado hoje, as entidades dizem ser legítima a paralisação que afeta 30 categorias e criticam o corte do ponto dos grevistas. “É justamente a falta de negociação, postura adotada pelos governos passados, que gerou descontentamento generalizado dos servidores”.

Tenho uma vida muito confortável, mas sou uma mulher bem normal, sempre pensando no que é melhor para a família. Frito ovo, e à noite tenho que fazer um ‘gueri-gueri’, com o marido, uma dança especial, mesmo exausta Ivete Sangalo, cantora, falando sobre vida pessoal e trabalho.

DO DEPUTADO MIRO TEIXEIRA (PDT-RJ), defendendo o uso em juízo de documentos obtidos em investigações parlamentares, como no mensalão.

Contraponto

Corrida maluca A ministra Cármen Lúcia, do STF, destoa dos colegas por não utilizar carro oficial do tribunal. Certa vez, ela foi ao gabinete trabalhar num sábado e, na saída, pegou um táxi na praça dos Três Poderes. Ao começar uma conversa com o taxista, ele disse que era estudante de direito e mostrou livros jurídicos, um dos quais escritos pela passageira. – Sou ministra do Supremo e escrevi esse seu livro –, disse a atual presidente do TSE. Incrédulo, o motorista não conteve um comentário: – É, madame, a praça anda meio esquisita... Publicado simultaneamente com o jornal ‘Folha de S.Paulo’


Política

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

A5

Estratégias diferentes na propaganda de TV e rádio Faltando nove dias para o início da propaganda eleitoral no rádio e na TV, candidatos falam como pretendem utilizar o tempo JOEL ROSA

MEG ROCHA Equipe EM TEMPO

A

nove dias do início do período da propaganda eleitoral no rádio e na televisão, a corrida pelos preparativos começa ser intensificada por grande parte dos nove candidatos à prefeitura da capital, de olho na otimização do espaço nas mídias. O foco na objetividade e na clareza deve-se à distribuição do tempo, definida no último dia 7, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), que estabeleceu aos prefeituráveis uma média de três a um minuto, à exceção da candidata Vanessa Grazziontin (PCdoB), que ficou com 12’45’’ diários. A vantagem no tempo de propaganda eleitoral da senadora é em razão do leque de apoio partidário dando suporte à candidatura dela: PP, PSL, PCdoB, PT, PSD, PMDB, PTN e PV. Grazziotin antecipou que em seu programa eleitoral a presidente Dilma Rousseff (PT) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deverão aparecer confirmando o apoio deles à sua candidatura. A declaração foi concedida

em coletiva à imprensa, nesta sexta-feira (10). O presidente do Diretório Regional do PCdoB, Antônio Levino, informou que, apesar de terem a favor um expressivo tempo de TV, o que de fato vai fazer a diferença é o uso desse tempo. “Tudo depende de como vamos aproveitar isso, porque é o sonho de todo candidato ter muito tempo na TV, como é o nosso caso. Então, usaremos todos os artifícios para chegar até o cidadão. E é certo que um tempo reduzido prejudica, limita o candidato”, disse. Satisfatório Já o ex-senador Arthur Neto (PSDB), um dos principais concorrentes da comunista, tem três minutos e 45 segundos para apresentar suas propostas e tentar cativar votos. O tucano participa do pleito majoritário com o apoio do PPS, legenda de seu candidato a vice-prefeito, Hissa Abrahão, formando a coligação ‘O futuro é agora’. Hissa afirmou considerar o tempo disponibilizado a eles satisfatório para expor seus projetos. “Acredito que é tempo suficiente para conquistar

o eleitor com o nosso plano de governo, seremos diretos. Uma propaganda televisiva muitas vezes tem 30 segundos e com esse tempo mínimo consegue convencer seu público, e nós não podemos reduzir a política ao piso, a política é uma ciência social de contato porta a porta. A TV e o rádio são apenas meios e não são preponderantes, além do que, ainda haverá debates e esses, sim, têm um peso significativo”, observou. O terceiro candidato com maior tempo nas mídias é o deputado federal Henrique Oliveira (PR), com três minutos e 20 minutos. Ele deverá tratar das propostas com interação popular e dinamismo. “Será da forma mais direta possível, apresentando as soluções para os principais problemas da cidade. Será composto de matérias jornalísticas, terá a intensa participação popular, com clipes musicais, integração com a internet, depoimentos, e ainda muitas surpresas agradáveis para exemplificar o programa de governo do Henrique”, explicou o coordenador de marketing, Sabá Noronha.

Amor à cidade e briga na Justiça

IONE MORENO

Serafim Corrêa diz que vai focar na objetividade e resgatar o sentimento de amor a Manaus

Os representantes na disputa majoritária da chapa ‘Agora, somos nós e o povo’, Serafim Corrêa (PSB) e Marcelo Ramos (PSB), com dois minutos e 35 segundos, informaram que as gravações deles estão sendo realizadas e a de todos os candidatos à Câmara Municipal já foram concluídas. “Fizemos imagem de apoio para o programa nas caminhadas. Não usaremos o tempo enchendo linguiça com música. Vamos ser objetivos e claros. Queremos resgatar o sentimento por Manaus, de amor à cidade. Estamos apresentando

uma dupla com proposta, e não um produto”, afirmou Marcelo Ramos. Os deputados federais Pauderney Avelino (DEM) e Sabino Castelo Branco (PTB) têm, respectivamente, dois minutos e 26 segundos, e um minuto e 56 segundos. O candidato democrata admitiu que está investindo “o que tem, e o que não tem” na propaganda eleitoral com o intuito de usufruir ao máximo da TV e do rádio. O parlamentar até mesmo asseverou, na quinta-feira (9), que irá recorrer à Justiça Eleitoral, a

respeito da distribuição dos tempos do horário gratuito. “Estou tentando brigar na Justiça porque estão tirando o tempo do meu partido. É um absurdo do TRE. Eles estão nos subtraindo o tempo. Estou investindo o que tenho e o que não tenho no tempo de TV”, criticou o deputado, destacando que a equipe contratada é a mesma que trabalhou para a campanha de Lula em 2006. A reportagem tentou contato com o candidato Castelo Branco para tratar dos preparativos da propaganda, porém não obteve sucesso.

Tempo escasso para outros três Os três candidatos com menos tempo na propaganda eleitoral, Jerônimo Maranhão (1’09’’), Herbert Amazonas (1’06’’) e Luiz Navarro (1’06’’), também são os que estão menos certos quanto aos preparativos dos programas eleitorais. O vice de Jerônimo, Rodrigo

Frota disse não poder “revelar” informações sobre o andamento da propaganda. “Será inteligente e dinâmico, mas não posso dar mais informações para que os outros venham roubar nossa ideia”, ponderou. Herbert Amazonas (PSTU) e Navarro (PCB) afirmaram

que ainda estão analisando se contrataram um suporte profissional ou farão o programa eles mesmos. Já Navarro reconheceu que até o momento não decidiu se contratará uma produtora, devido o alto custo do serviço, por isso, possivelmente pagará um editor de imagem.

DIEGO JANATA

DIEGO JANATA

Vanessa Grazziotin é a que tem mais tempo na TV, seguida de Artur Neto e Henrique Oliveira

Moeda de troca menos influente Na avaliação do sócioproprietário da empresa de pesquisa Action, Afrânio Soares, uma das moedas de troca na formação de chapas – o tempo de TV – não deverá ter tanta influência na conquista do eleitorado nessa eleição devido à mudança no perfil do eleitor. Para Soares, é incontestá-

vel a vantagem que um bom tempo de TV dá ao candidato, entretanto, atualmente, um espaço relativamente curto na mídia pode ter maior resultado do que um longo tempo. “Ajuda bastante um bom tempo na televisão, tanto que esse é um dos motivos porque eles fazem a coligação para usar os recursos financeiros

e, inclusive, o tempo de cada partido coligado. Só que, para o eleitor atual, mais vale um tempo mediano bem aproveitado, de quatro minutos, do que um tempo extenso e cansativo. A vantagem de um tempo longo é que podem usar de computação gráfica e outros artifícios para detalhar os programas de governos”.


A6

Política

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

Julgamento do mensalão pode acabar após eleição

Cláudio Humberto COM TERESA BARROS E LEANDRO MAZZINI

www.claudiohumberto.com.br

A presidente está conosco” SENADOR HUMBERTO COSTA (PT-PE), candidato a prefeito do Recife

Poço de mágoas, Marta se nega a ajudar Haddad Impedida pelo ex-presidente Lula de disputar a prefeitura de São Paulo, a senadora Marta Suplicy (PT) disse a parlamentares que não vai “mover uma palha” para ajudar o correligionário Fernando Haddad. Na avaliação dela, Celso Russomano (PRB), apontado em empate técnico com o tucano José Serra nas últimas pesquisas, estaria catalisando votos que seriam dela, caso fosse a candidata do PT. Não dá ideia O Brasil “não será um imenso Portugal”, como cantou Chico Buarque, mas na terrinha os patrícios estão pagando impostos a prestações. Maior sujeira O leitor José Hélio Pereira, de Natal, lembra que, no jogo do bicho, o número da ação penal do mensalão (470), é porco. Lá longe O Brasil doou US$ 100 mil, por intermédio da ONU, para combater a seca em... Angola. Parte do fundo de U$ 1,2 milhão doados à África e Ásia. Campanha nacional Cotado para a Presidência em 2014, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) já gravou para 80 candidatos em municípios de diversos Estados. ‘Amigo do rei’ lança livro imperdível na Bienal Em seu livro “Lá sou amigo do rei”, o jornalista Carlos Marques, que cedo começou a luta pela vida no Recife até se mudar para Paris, relata de maneira deliciosa como virou filho adotivo do pedagogo Paulo Freire, como tentou ser guerrilheiro usando armas de sabão, e sua amizade com celebridades como Salvador Dali, João Paulo 2º, Jean Genet,

Lula, Dilma etc. E conta em detalhes as torturas cruéis e covardes que sofreu na ditadura, que lhe renderam várias sequelas. Assédio Carlos Marques lembra com graça, no livro, o dia em que, ainda garoto, foi assediado sexualmente por Aguinaldo Silva, hoje autor de novelas. Será best-seller “Lá sou amigo do rei” será certamente um dos melhores lançamentos editorais do ano. Chega às prateleiras dia 18, na Bienal do Livro de SP. Infidelidade A TAM agora exige 180 mil milhas para viagens internacionais em classe executiva, fora de temporada. Antes, não passava de 60 mil. Heterodoxia Provável candidato a presidente pelo PSOL em 2014, o senador Randolfe Rodrigues mantém relações cordiais com José Sarney. Em Santana, segundo maior município do Amapá, ele faz campanha para Robson Rocha (PTB), que tem apoio do pajé maranhense. A culpa é Dele No Tribunal de Nuremberg, os nazistas se defendiam dizendo “cumprir ordens”. Os réus do mensalão repetem o mantra, sem revelar o “santo”. Não dizem Deus porque o Criador não foi invocado como testemunha. Votem em mim Advogado do deputado João Paulo Cunha (PT-SP), Alberto Toron aproveitou a transmissão do julgamento do mensalão, pela TV Justiça, e pediu votos para a presidência da OAB-SP. Ministros criticaram o “oportunismo” e

PODER SEM PUDOR

Correção automática Espirituoso, de inteligência brilhante, o embaixador Marcos Azambuja era diplomata em Buenos Aires quando seu chefe, Azeredo da Silveira, após algumas articulações, foi nomeado ministro das Relações Exteriores do presidente Ernesto Geisel. Levou para o Itamaraty todos os que serviam com ele, exceto Azambuja, um cético quanto às suas chances. Azambuja se rendeu e pediu audiência a Silveirinha, que logo lhe passou na cara: - Você nunca acreditou em mim, meu caro... Ele respondeu na bucha, com seu jeito peculiar: - Errei, mas estou aqui para corrigir!

Jornalista

Ministro Marco Aurélio Mello previu que as longas sessões se estendem por todo o mês de setembro, terminando em outubro JOSÉ CRUZ/ABR

afirmam que é a terceira vez que ele faz isso no STF. Ricaço Os goianos afirmam que o senador Wilder Morais (DEM) – suplente de Demóstenes – é bem mais rico que Cachoeira, por quem Andressa Mendonça trocou o antigo marido. É dono de construtora. Milhas Transpetro Funcionários da estatal Transpetro em São Francisco do Sul (SC) arrumam as desculpas mais esfarrapadas para viajar ao Rio todos os meses. As milhas aéreas são usadas a viagem de férias com a família. Aparências Wasny de Roure (PT) lançou sua candidatura a presidente da Câmara Legislativa do DF, mas o que ele quer mesmo é o cargo vitalício de conselheiro do Tribunal de Contas. A presidência da Câmara pode sobrar para Agaciel Maia (PTC), ele mesmo, o ex-diretor do Senado. Não acabou Ainda vai dar rolo a aprovação no Senado de 50% de vagas sociais e raciais nas universidades federais, legitimadas pelo Supremo: reitores invocam a autonomia universitária do artigo 207 da Constituição. Excesso Com o marasmo em torno do Supremo Tribunal Federal, sem manifestantes contra ou a favor, agora parecem desnecessários os 40 seguranças adicionais contratados para o julgamento do “mensalão”. Lamaçal O advogado do ex-assessor de Valdemar Costa Neto, reclamou que “há sete anos (Jacinto) é chamado de mensaleiro”. Preferia só Lamas?

Ministro do STF, Marco Aurélio Mello (e) diz que a demora do julgamento é devido ao rito processual

O

ministro do STF Marco Aurélio Mello previu na última sexta-feira (10) que o julgamento do mensalão deve se estender durante todo o mês de setembro e pode até mesmo terminar após as eleições de outubro. A demora, sustentou Marco Aurélio, se deve tanto à decisão de não enviar à primeira instância os casos dos réus sem foro privilegiado e ainda ao rito processual, que com longas sustentações orais e a leitura dos votos dos ministros. Ele citou o artigo de Joaquim Falcão hoje na Folha de S.Paulo, que apontou que o modelo está ultrapassado. “Tem que haver uma solução [para os ritos], mas começamos mal, e tudo que começa errado, para consertar é difícil. Os ministros não aguentam mais, saem de lá exauridos de tanto ouvir, quando não se cochila”, disse. Marco Aurélio também manifestou posição contrária a

um possível adiantamento do voto do ministro Cezar Peluso, que se aposenta em 3 de setembro e, assim, não participaria do julgamento. “No lugar dele [Peluso] eu não levantaria o dedo”, disse, sobre um possível pedido do

RECLAMAÇÃO

Com uma semana de julgamento e longas sessões diárias, Mello reclamou da dedicação exclusiva do STF ao julgamento do processo do mensalão, deixando para trás outras 900 ações colega para votar antes do prazo previsto. Bala de prata Marco Aurélio Mello concordou com a tese do advogado Márcio Thomaz Bastos de que

o julgamento do mensalão nessa corte é uma “bala de prata”, onde os réus não terão a chance de recurso. Marco Aurélio, que não compareceu à sessão do julgamento do mensalão, na última sexta-feira, para participar do 5º Congresso Brasileiro de Sociedades de Advogados, em São Paulo, lembrou que só três dos 38 réus da ação penal 470 teriam direito a foro privilegiado. Em sua opinião, o processo poderia ser julgado em primeira instância. “É (um julgamento de bala de prata). Depois que o Supremo decide, não há a quem recorrer”, disse o ministro aos jornalistas. “Não temos um Supremo de semideuses. Temos homens e mulheres que não podem errar”, comentou o ministro durante a palestra. Mello disse que fez questão de participar do evento, mesmo faltando ao julgamento em Brasília, porque já tinha um compromisso assumido com os organizadores do congresso.

FREE SHOPS

Braga impede votação de projeto O projeto de lei do presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), que autoriza a instalação de free shops nas 28 cidades brasileiras que estão “coladas” na fronteira a localidades de países vizinhos ameaça abalar a base governista no Senado. O líder do governo na Casa, senador Eduardo Braga (PMDB-AM) impediu a votação do tema na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) na última terça-feira, quando era certa a aprovação do projeto. Na quinta-feira, a relatora, senadora Ana Amélia (PP-RS),

fracassou na tentativa de chegar a um acordo com o secretário da Receita Federal, Carlos Alberto Barreto, para dar encaminhamento ao texto. Ela entende que saída agora é decidir no voto, com ou sem o apoio do governo. “Cidades brasileiras geminadas como Chuí, Santana do Livramento, Jaguarão e Uruguaiana e várias outras localizadas em um total de nove Estados estão sofrendo efeitos econômicos negativos e sobrevivendo com grande dificuldade”, argumentou Ana Amélia. A proposta tem o apoio

do líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), e de senadores da base aliada, cujos Estados enfrentam o mesmo tipo de concorrência. O presidente da CAE, senador Delcídio do Amaral (PT), falou, na ocasião, do “drama” enfrentado pelas populações de cidades fronteiriças de Mato Grosso do Sul. O texto já foi aprovado na Comissão de Relações Exteriores do Senado (CRE) e, se aprovado na comissão em caráter terminativo, será encaminhado à sanção presidencial, se não houver recursos de pelo menos oito senadores.


Com a palavra

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

A7 MARIO OLIVEIRA

Abraham CAMPOS FILHO

‘A PRESSÃO faz parte do jogo DEMOCRÁTICO’ DIEGO CAJA

NÁFERSON CRUZ Equipe EM TEMPO

A

Essa questão de pressão faz parte de jogo democrático e vou ter maior tranquilidade e importante é cumprir o que a lei determina. Quanto à atuação, vamos começar ações no campo da fiscalização das campanhas, entre elas, a área da propaganda, que será composta por três juízes

tuar com independência, fiscalizar de forma intensa e aplicar as normas eleitorais para garantir segurança e tranquilidade durante a eleição em Manaus, está entre as metas do juiz do Pleito do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), Abraham Campos Filho. O magistrado, perto de completar dois meses frente ao cargo, declarou que vai cumprir todas as obrigações junto à lei e espera que a população saiba o que realmente quer, sem interferência do poder econômico e político. Sobre o caso que envolve o ex-secretário de Educação do Estado, Gedeão Amorim, sob suspeita de usar a pasta do executivo para fazer campanha a um candidato a vereador, Abraham, revela que a questão está sendo tratada no Ministério Público Eleitoral (MPE). Se comprovada as denúncias, o ex-secretário será julgado na corte do TRE, podendo ficar inelegível para o próximo pleito. Na entrevista, o magistrado enfatiza a atuação das tropas federais em Manaus, motivado pelo episódio das eleições de 2008, quando a Polícia Militar (PM) teve dificuldade de controlar tumultos causados pela falta do transporte coletivo. EM TEMPO - A ‘Lei da Ficha Limpa’ é o grande diferencial desta eleição e de que forma ela foi aplicada? Abraham Campos - Na verdade essa é a primeira eleição que nós aplicamos a lei do Ficha Limpa. Na eleição de 2010, teve toda aquela discussão se aplicava ou não, então foi somente com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que manifestou a favor da aplicação da lei somente nesta eleição. Basicamente, terminamos os trabalhos de registro de candidatura e, nestes

registros é que observamos a aplicação da ‘Lei da Ficha Limpa’. Observamos candidatos em Manaus, que foram impugnados pelo Ministério Público com base nesta lei, inclusive um vereador teve seu pedido negado. No momento, estão pendentes 21 registros de candidatos que pediram suas “escrituras” em vagas remanescentes e substituições. A parte do trabalho dos partidos que pediram registros nós já encerramos. EM TEMPO - As mudanças na lei ajudaram a inibir os políticos que se prestam em continuar atuando na ilegalidade? AC - O que a gente percebe é que houve um verdadeiro

SEGURANÇA

O juiz Abraham Campos filho disse que as tropas federais que atuarão na segurança do pleito, em Manaus, poderá, sim, efetuar prisões, já que os militares do Exército atuarão próximo às urnas filtro em que os próprios políticos, os quais muitos deles se conscientizaram e não colocaram o nome na disputa. Em relação aos partidos, observamos que eles já percebem essa questão, tanto que os pedidos de impugnação foram poucos, se a gente considerar o número de candidatos. Nós tivemos 929 pedidos de registro e tivemos apenas cinco impugnações, portanto, já há uma observação prévia dos partidos em não apresentar candidatos que pudessem ter problemas com o seu registro. EM TEMPO - Como está o planejamento da segurança para a eleição? AC - Estamos trabalhando

em cima disso, realizando reuniões periódicas na Secretaria de Segurança com representantes das polícias Civil, Militar e Federal. A partir daí, vamos começar a intermediar os diálogos com as forças federais e o exército para nos darem apoio. Os entendimentos estão sendo encaminhados. EM TEMPO – O juiz do TRE, Victor Liuzzi Gomes, responsável pela coordenação de segurança durante as eleições no Amazonas, declarou que há uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de que as forças armadas não poderão atuar na segurança pública, mas apenas nos locais de votação. Isso não vai interferir no andamento da eleição? AC – Não, até porque o Exército atua próximo às urnas, onde as ocorrências costumam acontecer, principalmente nas “bocas de urna” e eles (Exército) poderão, sim, efetuar as devidas prisões, desde que estejam municiados de um ofício ordenando a ação. EM TEMPO – O senhor está preparado para as pressões que virão e qual será o próximo passo do TRE? AC - Essa questão da pressão faz parte do jogo democrático e vou ter maior tranquilidade, o importante é cumprir o que a lei determina. Quanto à atuação, vamos começar ações no campo da fiscalização das campanhas, entre elas, a área da propaganda, que será composta por três juízes. Já os demais atos, crime eleitoral e outras situações que não incluem na propaganda, virão também para decisão. EM TEMPO - Que tipo de postura os candidatos podem esperar do TRE? AC - A postura é uma só, trabalhar com independência

e procurar a transparência, acima de tudo com ajuda da imprensa, para que possamos chegar no dia do pleito e o resultado da eleição seja aquele que o povo realmente quer, com a vontade popular sem a interferência do poder econômico ou de um político. EM TEMPO - Ao menos 17 juízes da capital foram destacados para acumularem funções no período eleitoral no interior do Estado, devido ao déficit de 19 magistrados. Como o senhor observa essa questão? AC - O Tribunal teve que lançar esses juízes em razão do déficit, pois o concurso que o tribunal anunciou ainda será realizado. O ideal era que nós tivéssemos um juiz fixo preparando a eleição, a exemplo da capital, quando nós começamos a trabalhar desde o mês de maio, já pensando na eleição. Portanto, o juiz que chega agora, já pega o barco andando, atrapalha um pouco, mas nada que não possa ser resolvido. EM TEMPO - O ex-secretário de Educação do Estado, Gedeão Amorim, é suspeito de ter usado a “máquina pública” (Seduc), para fazer campanha para um determinado candidato a vereador. O senhor já está de posse dessas informações e como será tratada a questão? AC – A notícia que tenho é que o MPE requisitou o material da denúncia, a cópia do áudio de uma emissora de rádio local, e que logo será analisado, e, mediante a formalização da denúncia, caso seja comprovada, o processo chegará logo em minhas mãos, para que possa dar continuidade no caso e julgá-lo. Se culpado, ele (Gedeão) poderá ficar inelegível para o próximo pleito e o candidato a vereador terá o registro cassado.

O que a gente percebe é que houve um verdadeiro filtro em que os próprios políticos, os quais muitos deles se conscientizaram e não colocaram o nome na disputa

O ideal era que nós tivéssemos um juiz fixo preparando a eleição, a exemplo da capital, quando nós começamos a trabalhar desde o mês de maio, já pensando na eleição


A8

Política P R O G R A M A

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

O BANCO DAS MELHORES TAXAS É TAMBÉM O QUE M IS CR S E NO R S L

VEJA O QUE DIZEM OS NÚMEROS DO PERÍODO JULHO DE 2011 A JUNHO DE 2012: � 45% de crescimento em crédito. � Evolução de 51% em empréstimos para Pessoa Física. � Crescimento de 61% em operações para empresas. � Aumento de 18% no número de contas-correntes, totalizando 20,8 milhões de novos clientes. � 37% de aumento na concessão de crédito para habitação.

O QUE MAIS NOS ORGULHA É O QUE ESSES NÚMEROS SIGNIFICAM NA VIDA DOS BRASILEIROS: � R$ 462 bilhões injetados na economia, criando empregos e gerando oportunidades. � Inclusão bancária de 1,5 milhão de brasileiros, com a Conta CAIXA Fácil. � 1,1 milhão de famílias conquistaram sua casa própria, sendo cerca de 800 mil por meio do Programa Minha Casa Minha Vida. � 145 milhões de pagamentos aos beneficiários do Bolsa Família. � 124 milhões de pagamentos de benefícios ao trabalhador - FGTS, PIS, Previdência Social e Seguro Desemprego.

A CAIXA quer compartilhar esses resultados com todos os brasileiros e agradecer aos seus 62 milhões de clientes, 90 mil empregados e 20 mil colaboradores. É a soma do esforço de todos que faz a CAIXA ser mais que um banco.

A VIDA PEDE MAIS QUE UM BANCO. A CAIXA É MAIS QUE UM BANCO.

SAC CAIXA: 0800 726 0101 (informações, reclamações, sugestões e elogios) Para pessoas com deficiência auditiva ou de fala: 0800 726 2492 Ouvidoria: 0800 725 7474 caixa.gov.br


MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

economia@emtempo.com.br

(92) 3090-1045

REPRODUÇÃO

Caderno B

Economia

Centavo ‘abandonado’ garante extra Economia B3

Pais abraçam dupla jornada pelos filhos

FOT

OS

: HU

DS

FON ON

SEC

A

Além de trabalhar mais de 14 horas por dia e em funções diferentes, pais amazonenses se desdobram para garantir as finanças da casa

RICHARD RODRIGUES Equipe EM TEMPO

E

les enfrentam mais de 14 horas de trabalho em ramos diferentes e ainda têm de exercer a principal função em casa: a de ser pai. Motorista e pipeiro, mecânico e churrasqueiro, funcionário público e professor universitário, pais amazonenses fazem “malabarismo” entre as funções para garantir a renda do mês e o futuro dos filhos. É como motorista durante o dia e pipeiro nas horas vagas e finais de semana que Marcos Aragão garante às duas filhas, uma de 19 anos e outra de 15 anos, momentos que ele não teve na infância. “Procuro proporcionar a elas tudo que eu não tive quando era criança e adolescente, como estudar em bons colégios e fazer uma faculdade. Mas, para isso tenho que trabalhar duro, pois com uma renda

apenas eu estaria impossibilitado de investir na educação delas”, diz. Aragão, que tem remuneração de R$ 1,2 mil como motorista e chega a faturar até R$ 1 mil com a produção de

As minhas filhas são a minha prioridade. Trabalho muito, mas isso não quer dizer que eu não reserve um tempo para ficar com elas Marcos Aragão, motorista e pipeiro

pipas, as filhas reconhecem o esforço feito, o que para ele é maior retorno que um pai pode ter. “Isso é gratificante, pois elas têm total consciência de que vivo para elas.

Quero que elas concluam os estudos, tenham bons empregos e construam uma família baseada nos princípios que lhes são passados. Essa será a maior recompensa”, completa. Embora passe a maior parte do tempo trabalhando, o pai, motorista e pipeiro sempre tem tempo e “uma grana extra” para o lazer com a família. “As minhas filhas são a minha maior prioridade. Trabalho muito, mas isso não quer dizer que eu não reserve um tempo para ficar com elas. O domingo é sagrado, pois sempre saímos para comer uma pizza, ir a um banho ou a um almoço em família”, lembra Aragão.

Correria que vale a pena Para garantir todas as necessidades do filho de 5 anos, o mecânico José Erenilson Santos concilia a profissão com a de vendedor de churrasco. “De dia, das 7h às 18h, trabalho como mecânico e à noite vendo churrasco para complementar a renda”, destaca.

Santos, que recebe como mecânico R$ 850, chega a faturar até R$ 2 mil com a venda de churrasco, salário que além de ajudar na renda doméstica, também é direcionado para a educação e lazer do único filho. “Embora trabalhe como churrasqueiro apenas entre as quartas-feiras e sábados, confesso que não é fácil ter duas ocupações. Mas, se não me desdobrar não poderei garantir uma vida confortável a minha família”, ressalta. Para Santos, a jornada dupla não é problema, pois é dessa forma que ele consegue quitar as despe-

sas de educação do filho. “A educação é prioridade”, enfatiza.

Além de funcionário público, há 10 anos, Armínio Souza atua como professor universitário, o que garantiu estudo dos filhos

Esforço de professor tem retorno em casa Há 10 anos, depois de concluir um curso de especialização, Armínio Souza, que já era funcionário público, teve a oportunidade de ser professor em uma faculdade de Manaus e desde então exerce as duas profissões. Ele comenta que a possibilidade de se tornar professor veio em um excelente momento, pois os seus três filhos estavam prestes a entrar na universidade.

“Sempre priorizei a educação dos meus filhos e por isso abracei a causa de ser professor, o que me garantiu aumento de renda justamente para investir para que meus filhos estudassem em boas faculdades”, diz o pai de Armínio Júnior, 29, Arthur Monteiro, 27, e Aracelli Monteiro, 24. Souza reforça, ainda, que embora tenha trabalhado vá-

rias horas por dia para dar força na formação dos filhos, nunca abriu mão de estar com eles. “Fiz ginástica para arrumar tempo, mas nunca abri mão de estar com os meus filhos”, completa. O funcionário público garante que todo o esforço de ver os filhos em boas universidades não foi em vão, pois hoje os três já estão trabalhando nas áreas que

escolheram. “Todo o meu esforço foi recompensado. Hoje Armínio Júnior trabalha como engenheiro da Nokia nos Estados Unidos, o Arthur é ator e a Aracelli é psicóloga. Acho que, mesmo trabalhando muito, cumpri a minha missão de proporcionar aos meus três filhos uma boa educação, além de valores como humildade e gosto pelo trabalho”, comemora.


B2

Economia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

Produção de 4 toneladas de brócolis em Figueiredo Brócolis cultivado no interior do Estado atende demanda de restaurantes e redes de supermercado na capital amazonense SHANA REIS

ANWAR ASSI Equipe EM TEMPO

E

mbora tenha origem europeia, o brócolis não só se destacou na culinária local, como também a sua produção ganhou espaço no Amazonas. No município de Presidente Figueiredo (a 107 quilômetros de Manaus), nove propriedades rurais detém 100% do cultivo do vegetal no Estado e chegam a colher, aproximadamente, 4 toneladas, por mês. A atividade gera em torno de 50 empregos no município e garante, em média, uma renda mensal, por família, de R$ 3 mil. É quanto ganha Joana Souza, que cultiva, há dois anos, os brócolis, em uma fazenda no ramal Boa Esperança, no quilômetro 120 da BR-174 (Manaus - Presidente Figueiredo). Ela comercializa toda semana, em média, 150 quilos do vegetal para mercadinhos situados em Manaus. Segundo Joana, o vegetal é comercializado a um preço de R$ 6 o quilo para o comércio e R$ 10 para pessoa física. A produtora garante que não usa agrotóxicos na plantação.

Escoamento De acordo com a Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), toda a produção local de brócolis é escoada para a capital amazonense, onde o produto é comercializado aos restaurantes e supermercados. “O brócolis produzido no Amazonas é um produto que chega ao mercado com qualidade, sem

Entraves dificultam crescimento O cultivo de brócolis sofre com os mesmos gargalos que impedem o desenvolvimento da produção orgânica no Estado. Segundo o chefe da Divisão de Políticas e Desenvolvimento Agropecuário do Ministério da Agricultura no Amazonas, Klerysson Santana, a falta de apoio técnico e de tecnologias adequadas são entraves que impossibilitam a expansão da produção orgânica na região. Santana defende a construção de centros que possam dar treinamento e suporte para os produtores. “Se o governo se engajar no apoio técnico, a produção orgânica pode melhorar no Amazonas”, ressalta.

ATIVIDADE

Cultivo de brócolis no município de Presidente Figueiredo é feito por produtores de nove propriedades rurais, onde 50 empregos são gerados. Renda mensal, por família, pode chegar a R$ 3 mil elementos que possam causar problemas para a saúde do consumidor. Porém, a quantidade ainda é incipiente. O Estado tem potencial para aumentar sua produção de brócolis”, afirma o gerente do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), José Maria de Sousa.

Quilo do brócolis é comercializado pelo produtor a R$ 6 para o comércio e a R$ 10 ao consumidor


Economia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

B3

REPRODUÇÃO

Centavo ‘abandonado’ garante extra ao lojista De centavo em centavo, alguns lojistas chegam a lucrar quase R$ 1 mil por mês. Isso porque, segundo a ACA, consumidores perderam o hábito de cobrar o troco ANWAR ASSI Equipe EM TEMPO

“A

ssim como de grão em grão a galinha enche o papo”, de centavo em centavo estabelecimentos

Consumidor quer cobrança ‘redonda’ Cientes do quanto acabam perdendo com a não devolução do troco, alguns consumidores manauenses querem o fim das ofertas “quebradas” na hora de pagar a conta. Eles defendem que seja aprovada uma lei que obrigue a cobrança “redonda” dos preços dos produtos e serviços, seja em ônibus, supermercados ou nas lojas de R$ 1,99. Na última semana, alguns consumidores chegaram a fazer campanha nas redes sociais. “Deveria haver algo na legislação proibindo a cobrança dessas cifras quebradas dos centavos. Essas ofertas que abatem apenas R$ 0,01 servem apenas para constranger o consumidor e engordar os lucros das empresas”, opina a autônoma Francisca Bentes. Respaldo O diretor do Departamento do Programa Estadual de Proteção e Orientação ao Consumidor (Procon-AM), Guilherme Frederico, explica que na falta de troco, os estabelecimentos comerciais devem arredondar para baixo o valor do produto ou do serviço.

Estratégia de venda no comércio Na avaliação do economista Guebryal Rezende, colocar oferta com preço “quebrado” é uma estratégia de venda que cria a ilusão de que o valor do produto ou serviço é mais barato. “O consumidor tende a olhar os primeiros números e passa a achar que o preço está mais em conta”, analisa, ao ressaltar que o preço fracionado tende a constranger o consumidor a abrir mão dos centavos. Rezende esclarece, ainda, que o que dificulta o pagamento do troco é o fato de que a população tem o costume de guardar moedas em casa, o que “segura” a circulação do metal. “O dinheiro precisa circular”, aconselha.

amazonenses chegam a lucrar um “extra” de quase R$ 1 mil mensais com o acúmulo de troco de R$ 0,01 abandonado pelos clientes. Se por um lado os lojistas “arredondam” o preço dos produtos, especialmente aqueles

que terminam com R$ 0,99, por outro muitos consumidores perderam o hábito de reivindicar o troco, conforme a Associação Comercial do Amazonas (ACA). O presidente da ACA, Ismael Bicharra, diz que só de centavos

“abandonados” alguns estabelecimentos chegam a lucrar, por dia, em torno de R$ 30. Na ponta do lápis, por mês, fica de troco para as lojas, ou melhor, lucro quase R$ 1 mil. “O brasileiro não tem a cultura de reivindicar o troco”, completa.

Raridade no mercado, moeda de R$ 0,01 vira lucro no comércio


B4

Economia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

Comodidade de terminais eletrônicos vira ‘pesadelo’ Sem dinheiro, após saque mal-sucedido, clientes são obrigados a recorrer à agência bancária para resolver o problema REPRODUÇÃO

ISABELLA SIQUEIRA Equipe EM TEMPO

S

acar dinheiro em caixas eletrônicos, embora seja cômodo, pode causar dor de cabeça aos usuários quando a máquina não libera o dinheiro e deixa a conta-corrente “no vermelho”. O problema é ainda maior para os clientes de banco nos casos de saque mal-sucedido em terminais instalados fora de uma agência bancária. A designer de interiores, Marcela Nogueira, tentou sacar R$ 200 em um caixa eletrônico da Rede 24 horas, e após realizar todo procedimento, simplesmente o terminal não liberou o valor solicitado. “A máquina chegou a acionar a contagem do dinheiro, mas não liberou. Ao olhar o extrato percebi que a quantia havia sido debitada da minha conta. Tive que ir à minha agência várias vezes para resolver o problema. Fui informada que o valor seria creditado em três dias, mas só fui receber o reembolso uma semana depois”, lembra.

Outra correntista que passou pela mesma situação foi a balconista Maria Inês Fernandes. Ela também tentou sacar um valor em um terminal eletrônico de uma drogaria, mas o dinheiro não foi liberado. “Efetuei todo procedimento para sacar o dinheiro, mas o valor não

O QUE FAZER

Advogado recomenda que, em casos de saques não efetuados por problemas na máquina, cliente deve procurar seus direitos. Primeiro passo é tentar resolver na própria agência bancária saiu. Ainda bem que não apresentou saldo negativo na minha conta, porque seria um problema conseguir reverter a situação, seria a minha palavra contra a do banco, já que o saque não foi realizado em um terminal na agência”, diz. O advogado Márcio Barros recomenda que em casos

como esse o cliente deve procurar os seus direitos imediatamente. Se a situação ocorrer no horário comercial, a orientação é procurar algum atendente e solicitar informações do que deve ser feito e abrir uma reclamação. Fora do horário comercial, o melhor é entrar em contato com a central telefônica do banco para fazer a reclamação. “A pessoa pode, inclusive, procurar a delegacia para registrar queixa contra a agência bancária, além de buscar compensações por eventuais danos. Anotar o número do caixa eletrônico e o horário que aconteceu o fato. Se for o caso, filme no celular a cena porque se a situação não for resolvida na agência, o cliente deverá procurar o Judiciário, e essas provas vão servir”, orienta o advogado. De acordo com as regulamentações da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), no decreto de número 6.523/2008, nesses casos o banco tem o prazo de 5 dias para verificar e realizar o estorno para o cliente.

Alfredo MR Lopes alfredo.lopes@uol.com.br

Bemol 70 anos, a saga da resistência Neste dia 13, há 70 anos, os filhos de Isaac Benchimol - um migrante hebreu cuja família viera do Marrocos, no Século XIX, em mais uma busca das promessas de prosperidade e liberdade, dessa vez amazônica - fundaram a Bemol. Originalmente chamada Benchimol & Irmãos, a empresa começou com Samuel, Israel e Saul Benchimol, com representação de produtos farmacêuticos, no espocar da II Guerra, e se credenciou a partir daí num empreendimento diferenciado e referencial no varejo regional de departamentos, no trato com os clientes e pela Ética do quadro de seus valores. Atualmente, emprega diretamente mais de 2,2 mil colaboradores e, ano a ano, segue à frente na arrecadação fiscal do Estado, sendo pioneira no país pela certificação de qualidade no setor em que atua. É uma trajetória que resume e simboliza a saga amazônica de obstinação e superação da adversidade, que faz do tropeço, apogeu e quebra da economia, a teimosia que retoma a caminhada de reinvenção. Um emblema da resistência e enfrentamento da penúria, focado na semeadura da transformação e na multiplicação dos talentos, como ilustra a parábola evangélica. O Amazonas deixará de ser, afinal, um simples capítulo da história da terra e...tornar-se-á um capítulo da história da civilização...”. A profecia de Getúlio Vargas ainda ressoava nas conversas da confraria baré, e agitava os espíritos naquele longínquo agosto de 1942, um ano que descreve um tempo de agitação e mudanças. Com a eclosão da guerra, os japoneses, aliados da Alemanha e Itália, cortaram o fornecimento da borracha com o embargo dos seringais asiáticos, empurrando a Amazônia para um novo ensaio de prosperidade e esplendor. “De todos os materiais críticos e estratégicos, a borracha é aquele cuja falta representa a maior ameaça à segurança de nossa nação e ao êxito da causa aliada”, alertava o governo dos Estados Unidos para justificar substantivos investimentos, nos Acordos de Washington, para a reativação desesperada e atabalhoada do II Ciclo da Borracha na Amazônia. inda era viva a saga do esplendor e depressão da economia do látex na memória dos Benchimol, cujos seringais do Rio Abunã, no Alto Madeira, fronteira com a Bolívia, foram perdidos na debacle que

começou no início do século. Samuel Benchimol - que irá recompor essa história em diversos estudos e publicações - tinha então 19 anos, era despachante nos voos da madrugada na Panair do Brasil, frequentava o curso de Direito da Universidade do Amazonas, trabalhava à tarde na nova empresa e ainda dava aulas à noite de Economia Brasileira no Colégio Sólon de Lucena. “...fui pracista, vendedor, correspondente, caixa trapicheiro de minha própria organização, até alcançar a gerência e montar uma estrutura organizacional de porte, após muitos anos de quotidiana e persistente atividade”, descreve em Amazônia, um pouco-antes e além-depois”, onde ele assinala os indicadores da economia em ascensão do Estado naquele momento. As exportações do Amazonas que beiravam os US$ 350 mil no final da década de 30, já alcança US$ 8 milhões em 1943, incluindo, além da borracha, uma robusta pauta de exportação onde figuravam itens da economia extrativa como o óleo essencial de pau rosa, madeira, castanha, fibras vegetais, resinas, peles de jacaré... A navegação fluvial, com a reativação da indústria naval e multiplicação das linhas de cabotagem e aeroviárias, tendo Manaus como eixo estratégico de negócios regionais e intercontinentais, confirmou, então, a vocação de oportunidades na logística dos transportes, como os ingleses e seus estaleiros do Reino Unido já haviam percebido décadas atrás. Louvor e glória à família Bemol, aos funcionários e novas gerações. A experiência de participar ativamente do novo – e fugaz – surto econômico da borracha levou Samuel a estudar Ciências Econômicas e Sociais na Universidade de Miami, em Oxford, Estado de Ohio, onde recebeu uma bolsa para concluir seu Mestrado, com a tese, escrita e defendida em inglês, “Manaus, o crescimento de uma cidade no Vale Amazônico”. De volta a sua terra, a despeito do convite do governo americano, para lecionar na Universidade de Siracusa e avançar na carreira acadêmica, optou por retomar as trincheiras de luta, incessante e devotada, que descrevem sua história, compromisso, zelo e paixão, pela Amazônia e ajudam a compreender o alcance e o significado da celebração destes 70 anos da Benchimol & Irmãos.

Alfredo MR Lopes Filósofo e consultor ambiental

É uma trajetória que resume e simboliza a saga amazônica de obstinação e superação da adversidade, que faz do tropeço, apogeu e quebra da economia”

Bancos têm prazo de 5 dias para estornar dinheiro, em caso de saque mal-sucedido nos caixas

Falha técnica e falta de dinheiro Segundo as agências bancárias consultadas pelo EM TEMPO, esse problema pode ocorrer por algum defeito técnico ocorrido no caixa ou até mesmo por falta de dinheiro no terminal. Para evitar maiores trans-

tornos, ao efetuar um saque nas máquinas de autoatendimento, o banco Bradesco, orienta o cliente a procurar a sua agência para que seja verificado o débito na contacorrente, e posteriormente, é realizado o estorno caso

seja comprovada a falha. Nas máquinas da Rede 24 Horas, o cliente também pode ligar diretamente no 0800 562400, central de atendimento exclusiva da Rede TecBan, para resolver a situação.


MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

Economia

B5


B6

País

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

Acesso a remédios para asma cresce 94% no Brasil O aumento ocorreu desde a inclusão dos medicamentos na lista de gratuidade das farmácias

D

esde a inclusão de três novos medicamentos para asma na lista de gratuidade das farmácias populares, há pouco mais de dois meses, o acesso a esses antiasmáticos cresceu 89% no Rio de Janeiro. Em todo o país, 141 mil pessoas passaram a ter acesso aos medicamentos, um aumento de 94% se comparado ao mesmo período, antes da iniciativa. Antes da distribuição gratuita, os remédios (brometo de ipratrópio, diproprionato de beclometasona e sulfato de salbutamol) eram vendidos com descontos de até 90%, mas ainda assim havia doentes que não conseguiam comprar os medicamentos, como se constata agora. Em 60 dias o número de beneficiados que receberam esses antiasmáticos nas farmácias do Rio passou de 3,5 mil para 6,7 mil. A distribuição gratuita começou no dia 4 de junho passado. O governo divulgou balanço no dia 17 de julho informando que a procura de remédios contra a asma já havia subido 60% no primeiro mês em que o medicamento passou a integrar a lista de distribuição gratuita do Ministério da Saúde.

ELZA FIÚZA/ABR

O coordenador do Programa Farmácia Popular, Marco Aurélio Pereira, explicou que o Ministério da Saúde decidiu pela inclusão de antiasmáticos no Programa Saúde Não Tem Preço - que oferece remédio gratuitos à população - devido à grande procura desses remédios nas farmácias do governo e pelo

MORTES

Em 2011, do total de 177,8 mil internações por asma no SUS, 77,1 mil foram naquela faixa etária. Ainda segundo o Ministério da Saúde, cerca de 2,5 mil morrem por ano em decorrência da doença Em todo o Brasil, 141 mil pessoas passaram a ter acesso pelas farmácias populares

fato de a asma ser uma das doenças crônicas não transmissíveis que mais afetam as crianças. “A presidente Dilma lançou agora em junho o Programa Brasil Carinhoso, com foco nas crianças (0 a 6 anos) e como a asma é uma patologia que acomete muito essa faixa etária e gera altos índices de internações, os antiasmáticos entraram na lista da gratuidade”, declarou ele.

Gratuidade para hipertensão O coordenador explicou que, depois que os remédios para hipertensão e diabetes passaram a ser oferecidos de graça, desde junho do ano passado, a venda dos antiasmáticos tiveram 322% de aumento em um ano. Em

todo o país, são mais de 20 mil farmácias, entre públicas e particulares, que distribuem os medicamentos. Mas de 10 milhões de brasileiros já foram beneficiados com os 14 medicamentos que fazem parte

do Saúde Não Tem Preço, três para asma e 11 para hipertensão e diabetes. Para retirar os medicamentos, é necessário apresentar documento com foto, CPF e a receita médica dentro do prazo de sua validade.

PLANOS

CID não pode ser exigido para exames Uma decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), proferida essa semana, proíbe as operadoras de plano de saúde de exigir o preenchimento da Classificação Internacional de Doenças (CID) em guias para exames e honorários médicos. A prática foi considerada abusiva por ferir o princípio da privacidade e constituir obstáculo indevido para a utilização dos planos contratados. Além disso, o Ministério Público Federal (MPF) argumenta que os exames servem justamente para elaboração dos diagnósticos. O recurso para manter a exigência foi apresentado pelas operadoras Blue Life, Bradesco, Golden Cross e Sul América contra uma decisão de 2005 da 6ª Vara Federal do Rio de Janeiro, que proibia o preenchimento da CID nas guias. A decisão do TRF2 abrange também as empresas Amil, Assim, Caarj, Dix, Geap e Marítima. A Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde) informa que não comenta decisões judiciais nem está apta a falar em nome de operadoras específicas, mas recomenda que as decisões da justiça sejam cumpridas. De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a Instrução Normativa nº 40, de abril de 2010, veda a exigência do número da CID nas guias de exames.


Mundo

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

B7

Argentina restringe dólar A partir desta segunda-feira, quem viajar para os países vizinhos ou da zona do euro, só poderá adquirir a moeda desses países com prévia autorização da Receita Federal. Norma será aplicada a pessoas físicas e jurídicas

O

governo argentino apertou ainda mais o cerco ao dólar, imposto a partir de outubro do ano passado e que afeta também turistas e residentes estrangeiros. A partir de segunda-feira (13), quem viajar da Argentina aos países vizinhos ou da zona do euro só poderá adqui-

Perda do país em 2011 foi de US$ 21 bi Em 2011, saíram da Argentina US$ 21 bilhões – uma cifra preocupante para um governo que, há uma década, não tem acesso a créditos internacionais e depende das exportações para obter divisas estrangeiras. A presidente Cristina Kirchner quer assegurar um superávit alto na balança comercial, apesar da crise internacional, para fazer frente aos gastos com importação de energia. Para alcançar o objetivo, o governo argentino reduziu as importações, o que diminuiu a saída de capitais no primeiro semestre deste ano (US$ 5,6 bilhões, bem menos que no ano passado). “Pelas nossas previsões, a Argentina terá um superávit comercial de US$ 12 bilhões, US$ 2 bilhões a mais que no ano passado”, disse o analista de comércio exterior, Marcelo Claveri. As restrições também afetam os turistas brasileiros, que não podem trocar os pesos que sobram das viagens por reais.

EUROPA

Efeitos de crise afetam até a China As exportações da China registraram um crescimento de apenas 1% no mês de julho deste ano, o que equivale a US$ 176,9 bilhões, sendo que no mesmo mês de 2011, o crescimento foi de 4,7%, equivalente a US$ 151,8 bilhões. Como os países europeus são os maiores compradores da China, os efeitos da crise passam a afetar e preocupar a segunda maior potência economia do mundo. Superávit De acordo com agência Dow Jones, o superávit previsto para o mês de julho deste ano era de US$ 35,2 bilhões, valor muito inferior do que o aguardado pelo governo chinês que era de US$ 25,1 bilhões. Conforme dados divulgados na sexta-feira (10) pela Administração Geral de Alfândegas, as vendas para o exterior no mês de julho alcançaram US$ 176,9 bilhões. O número é o menor dos últimos seis meses e ficou abaixo das expectativas dos analistas.

ARQUIVO EM TEMPO/GIOVANNA CONSENTINI

rir a moeda desses países com autorização prévia da Receita Federal, que também determina a quantidade que cada viajante poderá levar. A norma será aplicada também a pessoas físicas e jurídicas estrangeiras que residam na Argentina. O viajante terá que informar à Afip (a Receita Federal

local) o destino, os motivos e a duração da estada fora do país. Caso cancele a viagem, terá que reembolsar as divisas estrangeiras adquiridas em cinco dias úteis. A medida é a última de uma série de controle de câmbio, que começou a ser adotada em outubro passado, para frear a fuga de capitais da Argentina.“A

burocracia é tão grande que tornou-se quase impossível comprar dólar na Argentina”, disse o economista Fausto Spotorno. “De certa forma, o cerco serviu para frear a fuga de capitais, mas criou outro problema, o do mercado negro, que não existia, que vende o dólar 30% mais caro do que no mercado oficial”.

A medida é a última de uma série de controle de câmbio


B8

Mundo

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012


Caderno C

Dia a dia MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

diadia@emtempo.com.br

(92) 3090-1041

SHANA REIS

Criminoso adolescente sem rumo Página C4 e C5 DIVULGAÇÃO

por direito No Dia dos Pais, o EM TEMPO levanta uma questão que diz respeito aos filhos: a luta pelo direito de ter um pai por meio de um exame de paternidade. No Estado, ainda são muitos desses casos ‘extremos’ MÔNICA FIGUEIREDO Equipe EM TEMPO

O

direito de ter um pai, “nas mãos” de um exame. É dessa forma, por meio de testes de paternidade, que filhos têm sidos reconhecidos legalmente. Na Defensoria Pública do Estado do Amazonas, a média de agendamentos e realização de testes chegam até a quatro por dia. De aproximadamente 50 testes realizados nos últimos três meses pelo órgão, 32 foram positivos. E a busca pelo direito parece aumentar. Apenas do dia 10 ao dia 22 deste mês, 21 coletas para o teste de DNA já estão agendadas, uma média de dois exames diários. De acordo com a assessora jurídica da Defensoria Pública, Amazônia Monteiro, 29, uma realidade tem chamado a atenção do órgão. Nos últimos dois meses, os homens é que têm procurado a Defensoria para a realização do teste de DNA. Oferecendo o teste há aproximadamente quatro anos, ela diz que, no início, as mães é que iam atrás das investigações a fim de cobrar a pensão alimentícia dos possíveis pais. “Vim prestando atenção que tem muitos pais procurando, mas no intuito de não pagar a pensão alimentícia”, ressalta. Amazônia Monteiro ressalta que na maioria das vezes eles têm certeza que são pais das crianças, mas mesmo assim eles tentam “fugir” do pagamento da pensão por um mês ou dois meses, período que aguardam o resultado do exame. “É uma forma que eles enrolam, dizem que vão pagar um mês, não pagam, até que decidem fazer um acordo de pensão. Quando não, fazem um DNA de birra, tanto que a maioria dá positivo”, diz. Quando a criança não está registrada no nome do pai e o exame dá positivo, é feito na hora o termo de reconhecimento de paternidade junto ao da pensão alimentícia. “A mãe já sai acordada daqui para levar ao cartório e reconhecer o nome do pai”, explica. O exame de DNA permite que seja verificada a paternidade ou a maternidade de uma pessoa, com precisão de 98%. Pelo DNA são transmitidas as características genéticas de pais para filhos. Na maioria dos casos, o exame de DNA é realizado por meio de uma amostra de sangue (5ml), coletada da mãe, do filho e do suposto pai. A partir da análise e do cruzamento de informações obtidas nas amostras, é verificada a probabilidade de paternidade. Fruto de uma relação acabada Roberta Ferreira* tem 17 anos e optou pelo teste de paternidade com o seu filho de um 1 ano e três meses. Ela revela que teve um relacionamento de seis meses com Emerson Silva, engravidou dele, mas se separou em seguida. “Ele não assumiu meu filho, tanto que ele é registrado só com o meu nome. Então entramos com um pedido na Defensoria e ele teve de fazer o exame. Ele não tem nenhum contato com o bebê e diz que o filho não é dele”, comenta. A jovem aguarda o resultado que deverá sair nos próximos 45 dias. Emerson falou que foi a primeira vez que precisou passar por um processo e ressaltou a demora. Mas segundo Amazônia Monteiro, nem sempre os exames são realizados em crianças. Ela lembra que, na última semana, recebeu uma mulher de 42 anos, acompanhada do pai, para realizar o teste de DNA. “Muitos filhos que foram reconhecidos com o nome da tia, do avô, mas hoje desejam reconhecimento, passam por esse procedimento”. Pela Defensoria, o teste de paternidade com exames no pai, mãe e filho custa o valor de R$ 226. No filho e no pai, é de R$ 275, parcelado até duas vezes no boleto.

Justiça nos casos mais ‘graves’ Quando os casos não são resolvidos em comum acordo na Defensoria Pública, eles podem ser levados à Justiça. De acordo com o juiz da 1ª Vara de Família, Marcos Santos Maciel, os casos analisados por ele, geralmente, têm partido da manifestação dos próprios filhos. “Os filhos manifestam a vontade e quando estão na faixa etária até 16 anos precisam ser representados pela mãe. A partir dessa idade, até 18 anos, eles podem entrar

com ação desde que sejam assistidos pela mãe” No Brasil, um exame de DNA custa em média R$ 360 e R$ 460, podendo chegar a R$ 1 mil reais em alguns Estados, como o Pará. O Tribunal de Justiça do Amazonas possui um convênio com uma empresa de Belo Horizonte (MG) para a realização dos exames por um preço mais em conta. Maciel explica que para cada exame de DNA solicitado ao Laboratório Gene,

um outro exame é concedido gratuitamente. Segundo o juiz da 1ª Vara, o exame gratuito é destinado a pessoas que não têm condições de bancar as despesas. “O cupom fica com o próprio juiz e ele pode conceder o teste para alguém que não tenha condições de pagar”. O exame de DNA não é obrigatório. “Mas a lei prevê que a não concordância do exame faz presumir a responsabilidade da paternidade, ainda aliada a outras provas”. FOTOS: SHANA REIS

Com apenas 1 ano,bebê foi submetido ao teste

O pai da criança foi convocado para o exame

Programa possibilita testes grátis Dados divulgados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) revelam que o programa “Pai Presente”, coordenado pela Corregedoria Nacional de Justiça, possibilitou o reconhecimento espontâneo de paternidade a mais de 14,5 mil pessoas, que não possuíam o nome do pai na certidão de nascimento. A iniciativa, realizada em parceria com os tribunais de Justiça de todo o país, busca fomentar esse tipo de procedimento e estimular os pais que não registraram seus filhos, no nascimento, a assumirem essa responsabilidade.


C2

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

Transtornos mentais que acabam em arte e poesia Pacientes do Centro Psquiátrico Eduardo Ribeiro se superam no tratamento e descobrem “veia artística” fora das crises DIEGO JANATA

ISABELLE VALOIS Equipe EM TEMPO

“U

ma vez ou outra me encontro em alto mar, enfrentando enormes ondas turbulentas. Sei que não sou a única, mas sem que eu perceba vou sendo conduzida delicadamente até a praia...É neste momento que contemplo o céu e lá estão elas! São as estrelas que brilham de uma maneira inexplicável, creio que durante todos esses anos todas estiveram ao meu favor”. Esse é um dos trechos do poema “A Mente”, do livro de poemas “Ler e ver”, da portadora de transtorno mental, paciente de um dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps 3), a dona de casa Leda Solange Aguiar Santos, 57. Após 20 anos de tratamento da bipolaridade e depressão profunda, Leda descobriu, durante uma de suas visitas ao Hospital Psiquiátrico Eduardo Ribeiro, que poderia colocar no papel tudo o que sentia nas crises. E foi essa a maneira que Leda achou de desabafar e transcrever sentimentos e vivências marcadas em sua

vida. Natural de Porções (BA), Leda é de família humilde. Durante o seu parto, sua mãe sofreu complicações, teve hemorragia e ficou 27 dias em coma. “Meus pais tiveram de dar mais atenção para a minha mãe e me deixaram de lado. Devido a essa complicação, não fui amamentada com o leite materno”, diz Leda.

RESULTADOS

Seja por meio de poesias, de textos soltos, ou de pinturas. As pessoas em tratamento no Hospital Psiquiátrico Eduardo Ribeiro mostram por meio da arte os bons frutos colhidos No período da escola, Leda sempre teve dificuldade de fazer amigos e, ainda, teve de encarar problemas de falta de dinheiro para pagar as mensalidades da escola. Devido cobranças da escola, ela foi obrigada a abandonar os estudos na 5ª série, quando ela já tinha crises e dificuldades de relacionamento.

Com o aumento das crises depressivas, os pais de Leda resolveram mudar-se para São Paulo, a fim de que ela recebesse tratamento apropriado. “Comecei a ter medo de tudo: da noite, de me sentir sozinha. Até os meus 27 anos ainda dormia com os meus pais”, lembra. A dona de casa chegou a ser internada por diversas vezes no Hospital Pronto-Socorro 28 de agosto até a vez que, durante reunião, médicos informaram à sua família que ela seria transferida para o Centro Psiquiátrico Eduardo Ribeiro e iniciar tratamento. “Com o tratamento e o conhecimento que adquiri no centro psiquiátrico, a minha vida mudou. Aprendi que poderia compor minhas poesias. Hoje escrevo sobre tudo”, comemora Leda. A terapeuta e assistente social, Janete Morais de Melo, acompanha o tratamento de Leda e explica que a poesia foi a melhor forma de obter da paciente as emoções e sentimentos. “Esse tipo de trabalho só veio a colaborar com a saúde de Leda e mostra que o sistema Caps pode ajudar ainda mais os pacientes”.

O corredor que revela um paciente Ao andar pelo Caps, é possível observar nas paredes do corredor central, duas pinturas do paciente Jackson Sampaio. De um lado, ele pintou a Amazônia, quando estava se sentindo bem, e uma imagem confusa, que traduz um estado de crise. A coordenadora estadual de saúde mental, a psicóloga Lourdes Siqueira, atribui a mudanças e ações de reforma realizadas no centro psiquiátrico, a nova “fase” dos pacientes. “É o exemplo de que o trabalho colocado em prática no Eduardo Ribeiro, colabora na melhoria da saúde mental dos nosso pacientes”, conclui a psicóloga. Leda Solange compõe poesias e já escreveu até um livro


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

C3

‘Surpresas’ em alimentos geram brigas na Justiça Pregos, pedras, bichos e até preservativos. encontrados em pacotes de alimentos indignam consumidores no Amazonas JOEL ROSA

IVE RYLO Equipe EM TEMPO

P

ara quem leva uma vida agitada, o jeito é apostar na facilidade oferecida pelos alimentos industrializados, que prometem reunir praticidade e segurança. Mas tal garantia divulgada pela propaganda e reforçada com a validade e os selos de inspeção, desaparece quando se é surpreendido pela presença de corpos estranhos. Um caso que ganhou destaque nacional foi o da consumidora gaúcha indenizada em R$ 10 mil após encontrar um preservativo dentro de uma lata de extrato de tomate. A Unilever Brasil Alimentos foi condenada, no mês passado, pela 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, a pagar o valor de R$ 10 mil a uma consumidora que após utilizar metade do extrato de tomate no preparo da refeição, encontrou no fundo da lata mofo e um preservativo enrolado. Ela disse ter procurado a empresa, que teria orientado-a a procurar “seus direitos”. No Amazonas esses casos também são frequentes, mas pouco divulgados. De acordo

com o diretor do Departamento de Vigilância Sanitária (DVisa), Marco Fabris, são recebidas de cinco a dez reclamações por mês. E, pasmem, os insetos acomodados dentro enlatados e bebidas ocupam o topo da lista de reclamações. “Tem bastante reclamação sim. Muitas vezes chegam a nós embalagens que não foram violadas. Mas em outros casos sim, e são situações que precisam ser bem analisadas”, afirma. Além dos insetos, há objetos esquecidos dentro dos alimentos. “Recebemos recentemente uma embalagem que tinha um corpo estranho, semelhante a um metal. Mas como tinha sido violada, não temos como atestar”, informa Fabris. Um desses metais foi encontrado pela aposentada Maria Socorro Santos, 75, que espantou com um prego dentro do pacote de feijão. Bem-humorada, ela disse que o fabricante quis acrescer maior quantidade de ferro na dieta dela. “No feijão já encontrei prego e até um alfinete. Por isso é importante catar o feijão com atenção. Apesar da surpresa, não fui reclamar, não queria dor de cabeça”,

disse a aposentada. Aranhas no chocolate Mesmo atentando para data de fabricação e validade o estudante Marcos Negreiros foi surpreendido com corpos estranhos “habitando” a embalagem de chocolate. “Comprei um doce que era umas bolinhas de banana coberta com chocolate. Não me esqueço desse episódio, porque eu resolvi comer o doce assistindo filme, dentro do meu quarto, que estava com a luz apagada. Conforme ia comendo, senti um gosto estranho, quando acendi a luz e olhei para dentro do pacote, tinha uma teia de aranha, com várias delas dentro”, lembra. Se, nos alimentos industrializados é comum acontecer essas descobertas, imagine refeições preparadas. “Comprei uma pizza, dessas fabricadas em supermercado. Não sei porque, tive vontade de virar o meu pedaço no prato e pressionar a massa, que estava bem fofinha. Quando fiz isso, vi um ponto preto aparecer. Cortei a pizza e tinha um tufo de cabelo na massa. Senti muito nojo e joguei fora a pizza”, afirma a universitária Paula Cavalcante, 20.

DVisa deve ser comunicada Para o diretor da DVisa, Marco Fabris, ao encontrar corpos estranhos dentro dos alimentos o consumidor deve comunicar ao órgão de fiscalização, que deve realizar inspeção na empresa. “A gente faz inspeção para analisar a qualidade do estabelecimento, verificar algum tipo de contaminação do produto. Essa é uma análise complicada e trabalhosa”, afirma. A DVisa já realizou várias inspeções em fábricas de bebidas da capital. “Buscamos ver se houve falha. Em empresas fora de Manaus, comunicamos a Anvisa”, explica. Detectadas falhas, a empresa pode ser multada em até R$ 30 mil. Preservativo no extrato de tomate resultou em processo


C4

Dia a dia

Adolescentes

Com pena máxima de três anos de reclusão, isso se matar ou estuprar, menores de idade ‘mergulham’ cada v

A

ntes “cobaias”, hoje também chefes do crime organizado. Crianças e adolescentes têm sido cada vez mais flagrados em ações policiais e evidenciados pela mídia no comando de assaltos, estupros e até homicídios. A situação, na opinião de autoridades policiais e judiciais, trata-se de uma questão social, que não pode ser resolvida com a redução da maioridade penal – que hoje é de 18 anos –, afinal, mesmo com as penalidades aplicadas, ainda se faria necessária a intervenção decisiva do poder público. Mas o maior problema apontado pela sociedade atualmente, é que, mesmo penalizado, o infrator volta às ruas e quase sempre comete outros crimes. A situação leva ao questionamento de que, talvez, esses aprendizes do crime estejam sem rumo na capital amazonense. Com apenas dois lugares para abrigar adolescentes que cometem infrações em

Manaus, só vão para o regime de internação os que cometerem crimes considerados “mais graves”. Entre os “graves” estão o estupro e o homicídio. Hoje, 88 foram enquadrados nesse conceito e são mantidos em regime de internato. Diariamente, na capital, 20 audiências são realizadas no Juizado de Menores todos os dias. A recente identificação de três adolescentes em assalto, que vitimou com três tiros o tenente-coronel Luiz Gonzaga, durante um assalto no sábado (4), torna a polêmica “falta de destino” dos menores criminosos ainda mais evidentes. No quinteto, estavam dois adolescentes de 16 anos e um de 17. Todos foram apreendidos e encaminhados à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai). Rumo à delegacia Segundo autoridades, atos infracionais como o cometido por esses adolescentes, são em sua maioria, influencia-

dos por adultos ligados ao tráfico de drogas, que até hoje se aproveitam da vulnerabilidade e das penalidades menos rígidas para envolvêlos no mundo do crime. Hoje, casos de polícia que envolvem menores na capital amazonense seguem para a Deaai. É na delegacia que o crime — registros de roubo e envolvimento lideram as ocorrências — é apurado e, após isso, encaminhado ao Juizado da Infância e da Juventude Criminal. Um adulto por trás O juiz titular da Vara Infracional, Bismarque Gonçalves Leite, revela que 90% dos processos criminais encaminhados ao seu setor têm ligação com entorpecentes e, em todos eles, um adulto no comando da situação. “A desagregação familiar e a omissão do poder público são fatores com grande influência para que esse adolescente entre para o crime. Isso porque o traficante se aproveita de sua vulnerabilidade

e se aproxima oferecendo dinheiro fácil. Dependendo da base e do apoio, o adolescente será manipulado”, alerta. Segundo o magistrado, é por conta dessa influência que o tratamento judicial é diferenciado para os infratores. Leite diz que o tráfico é assunto sério, uma relação onde existe uma fidelidade impressionante. “O adolescente assume o crime. Temos casos estarrecedores, que você fica impressionado. Eles ficam coagidos. Nos quatro anos que atuo nesta Vara, nenhum adolescente falou o nome do traficante para o qual trabalhava”, disse. O juiz esclarece que, independentemente da influência de adultos, os jovens infratores respondem judicialmente pelo ato cometido e as infrações são sentenciadas com penalidades, que variam de acordo com os crimes. Todas seguem o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e podem resultar em até 3 anos de reclusão.

Adolescentes passam, no máximo, três anos em reclusão


MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

C5

s criminosos

vez mais no mundo do crime. Com apenas dois centros de acolhimento, a maioria deles é solta de imediato FOTOS: SHANA REIS

Bismarque diz que os crimes têm adultos no comando

‘A sociedade tem de trabalhar’

Dagmar com lotação máxima

Mesmo ao levantar a possibilidade de reclusão de três anos, o juiz Bismarque Leite admite que, na maioria dos casos, são aplicadas penalidades de seis meses de medidas socioeducativas. Nelas, o adolescente presta serviços em hospitais, escolas ou outras entidades públicas. E os casos de internação no Centro Socioeducativo Dagmar Feitosa ou no Centro Socioeducativo Senador Raimundo Parente ficam restritos a casos de homicídios e estupro. “Lá o tempo máximo de permanência é de três anos. Cumprindo esse período, judicialmente, ele não deve nada para a Justiça”, diz. O magistrado reforça que o problema não será resolvido com a maioridade penal. Para ele, é preciso reestruturar as famílias, dar escolas boas e o poder

Segundo informações da Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas), responsável por administrar os Centros Socioeducativos, 88 adolescentes cumprem pena com privação de liberdade. No Senador Raimundo Parente, com capacidade para 35 pessoas, atual-

público não se omitir. “A sociedade tem de trabalhar pelo jovem e é isso que fazemos aqui. Caso contrário, vamos criar marginais para amanhã”, diz. Apuração de fatos A titular da Deaai, Júlia Seixas, diz que, ao contrário do que a população pensa, os infratores são sim responsabilizados pelos atos cometidos. De acordo com ela, todos os casos — na maioria grande parte por roubo e envolvimento com drogas — são apurados e investigados na delegacia e após isso encaminhados para a Justiça em um prazo mínino de 24 horas. Ela, assim como o juiz Bismarque Leite, também diz acreditar que o jovem infrator entra no crime porque não tem estrutura familiar, ou acha divertido e acaba se envolvendo.

mente existem 17 internos. Somente infratores até 16 anos são encaminhados para o local. Já no Centro Socioeducativo Dagmar Feitosa, a capacidade é para 71 infratores com idade a partir de 16 anos. Atualmente 71 adolescentes cumprem medidas no local.

Os últimos casos registrados - Na última semana, a Polícia Civil apreendeu três adolescentes suspeitos de assaltar, no último dia 4, uma padaria, na Zona Centro-Oeste. Na ocasião o tenente-coronel da Polícia Militar, Luiz Gonzaga, foi baleado com três tiros. Um deles disse ter atirado por diversão. Ele já havia

participado de outros três assaltos na cidade. - Na última quinta-feira (9), Francisco Soares Bittencourt, “o Chiquinho”, 19, foi preso sob acusação de recrutar adolescentes para atuar em uma quadrilha de assaltantes de estabelecimentos comerciais.


C6

Dia a dia DIEGO JANATA

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

Ânimos são ‘adormecidos’ por um mundo imaginário Escola reserva tempo para acalmar as crianças, por meio do relato de historinhas. Com materiais didáticos, método incentiva a leitura e estimula a criatividade AURIANE CARVALHO Equipe EM TEMPO

Pequenos alunos aproveitam momentos de interação e histórias

Q

uem nunca se imaginou no paraíso, onde viveu apenas o casal Adão e Eva? Adão, o primeiro ser humano criado

por Deus e Eva, feita a partir da costela de Adão. Um local utópico, onde se vive harmonicamente e sem conflitos. É nesse contexto que a Escola Estadual de Tempo Integral Rafael Henrique Pinheiro dos Santos, na comunidade Jesus

Me Deus, Zona Norte, implantou o projeto “Viajando no Mundo da Imaginação”. O objetivo? Estimular o imaginário infantil. A idealizadora do projeto, a pedagoga Ida Laura Santos, explica que a ideia é transpor-

tar as crianças a um mundo onde a magia e a imaginação reinem. “Desde que passei a coordenar os projetos da escola, senti a necessidade de implantar algo que pudesse acalmar as crianças e estimulá-las a sonhar”, ressalta.

Todas as turmas têm sua ‘viagem’ A gestora da escola, Nizete Correa Nunes, informa que o projeto foi implantado em abril deste ano e é aplicado, uma vez por semana, em cada turma. A escola, segundo ela, tem 12 turmas do 1º ao 5º ano de Educação Infantil e um total de 465 crianças, de seis aos 12 anos. “Como a escola funciona em tempo integral, sentimos a necessidade de desenvolver algo que pudesse descontrair nossas crianças e, ainda, estimular o ensino/aprendizado. O projeto é um sucesso. Nos dias do programa, as crianças ficam ansiosas e participam de todos os momentos do relato de histórias”, declara. Violência esquecida Como o projeto promove a difusão da literatura por meio do relato de histórias, do uso de fantoches, do flanelógrafo, e do relato de histórias da cultura mundial, é possível notar o imaginário sendo estimulado e permite, por meio da contextualização da linguagem no mundo das histórias, que os pequenos esqueçam a violência sofrida no dia a dia.

Crianças aprovam iniciativa O pequeno Marcos Daniel da Silva, 9, aluno do 4º ano, diz que a participação na oficina “Viajando no Mundo da Imaginação” despertou, nele, interesse ainda maior pelo mundo da leitura. Ele revela que hoje adora as histórias. “Eu sempre gostei de estudar, mas passei a ter mais vontade quando comecei a participar do projeto. Gostei muito da história que a professora contou sobre Adão e Eva. Eu me imaginei naquela época”, diz. O estudante Jurgen Mateus Orofino, 9, diz que as histórias contadas parecem reais. “Para mim, o projeto é a parte mais legal de vir à escola; o momento mais divertido”, conclui.


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

C7

Lentes de contato vendidas na rua custam caro à visão População ignora cuidados com higiene e prescrição médica e se aventura ao comprar lentes de contato em barracas JOEL ROSA

IVE RYLO Equipe EM TEMPO

A

penas dois dias de uso da lente de contato — emprestada de uma amiga da escola — foram suficientes para a estudante E.S., 21, desenvolver sérios problemas e perder a visão do olho esquerdo. “Eu emprestei de uma amiga e ela tinha comprado uma lente de “beira de rua”. Mas eu não sabia que ela já tinha emprestado para outra pessoa, que não soube cuidar e fez soro caseiro com sal e açúcar para limpar a lente”, lembra. Na época do episódio, a jovem tinha 16 anos. Depois disso, no período de cinco anos ela se submeteu a duas cirurgias e hoje, se prepara para a terceira. “Eu comecei a sentir um incômodo, mas achei que não ia afetar tanto. Meu olho ficou vermelho e abriu um pontinho branco. Fui ao médico e ele passou remédio e repouso. Ia melhorar, mas tive que sair e acabei suando. No outro dia, o branco ficou enorme. Eu ainda comi salgado de camarão e ficou inflamado. Não teve jeito, tive de recor-

rer ao transplante de córnea”, lembra. Na primeira tentativa, houve rejeição. Após o segundo transplante, a jovem desenvolveu glaucoma. Em setembro, ela realiza outra cirurgia para reduzir os danos da pressão alta para, depois, aguardar pela liberação de outra córnea para transplante e, torcer para não haver nova rejeição. “Hoje sinto muita dor de cabeça, mas é uma dor diferente, que queima”, afirma. Dentre os cuidados com o olho, a jovem não dispensa os óculos escuros, usa dois colírios diariamente e toma um remédio para evitar a dor. “Eu tinha 16 anos e fui muito burra. Não sabia mesmo que era tão grave. Mas eu ainda tenho esperança de encontrar uma córnea disponível e que meu organismo não rejeite”. Vendida em barracas E.S. é apenas um dos exemplos de vítimas da venda de lentes de contato sem garantias. Em meio a cartazes de operadoras de celular e marcas de bebidas, um banner com o texto “Lentes de contato. Fique mais bonita”, pode até passar despercebido

aos olhos menos atentos. Mas a propaganda fica irresistível quando o comerciante anuncia o preço de apenas R$ 35, o par das lentes. É em uma “banquinha” simples, em via pública — na Zona Norte da cidade — que a vaidade, disputa espaço com salgadinhos, refrigerantes e doces. O vendedor explica que oferece o produto a um valor abaixo dos concorrentes, porque compra as lentes no atacado, na ilha de Margarita, na Venezuela. “É R$ 35 e está de promoção. Essa marca custa R$ 125 no shopping. O mais barato é aqui mesmo”. Para os menos experientes, ele dá, inclusive, dicas de como utilizar as lentes. “Só você pode colocar sua lente no seu olho, só você mesmo. É só pegar com o dedinho e olhar para baixo. Não precisa colocar na bolinha. Você solta e olha pra cima que sobe sozinha”. Porém, o vendedor alerta: as lentes não podem acompanhar o dono no banho ou o sono e, não possuem garantia. Mas se o cliente preferir “algo seguro”, ele oferece outra marca, com um ano de garantia, por R$ 600, parcelados em até quatro vezes no cartão.

Em barracas na capital amazonense é comum notar a venda de lentes sem prescrição médica

É necessário denunciar à Covisa Para o presidente da Sociedade de Oſtalmologia do Amazonas (SOA), o oſtalmologista Dennis Ramos, utilizar lentes sem garantias ao consumidor, pode trazer sérios riscos à saúde. “Na realidade, parte do princípio que a indicação das lentes de contato é ato

médico. Oferecer lentes sem a indicação ou supervisão de médico é crime. As lentes têm de ter registro Anvisa. Se o vendedor não oferece garantia, talvez não seja tão sério. Cabe representação na Coordenação de Vigilância Sanitária (Covisa) para fiscalizar”, alerta.

Segundo o médico, grande parte dos transplantes de córnea realizados no Amazonas é motivada por problemas ocasionados pelo uso errado de lentes de contato. “Sem a devida higiene, a pessoa pode contaminar outra. A lente leva a bactéria de um para outro”, conclui.


C8

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012


Caderno D

Plateia MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

plateia@emtempo.com.br

JOEL ROSA

Yara Costa no ‘teatro’ Plateia D3

(92) 3090-1042

Paixão passada

de pai para filho Pais e filhos que dividem os palcos locais falam das alegrias e desafios de se apresentarem em família e como foi para a musicalidade surgir nos filhos ainda pequenos VICTOR AFFONSO Especial EM TEMPO

O

amor pela música está no sangue, dizem. Sendo assim, é apenas natural – ou melhor, biológico – que a paixão por ouvir, tocar e cantar seja passada à diante para os filhos, como uma espécie de herança. Os palcos de Manaus provam isso, já que recebem bandas que contam com duas gerações de músicos da mesma família, como é o caso da Band & Donna, de Francisco e Guilherme Franco, pai e filho que compartilham, acima de tudo, o amor ao rock n’ roll. O cantor Cileno, que conta com seu filho no contrabaixo de sua banda, e Sofia Amoedo, que costuma dividir o palco com seu pai, reforçam essa tese e garantem: a paixão foi transferida do pai. No caso do paulista Francisco Franco, pode-se dizer que a alma roqueira também foi compartilhada com Guilherme, já que o pai sempre se preocupou com a educação musical dos filhos. “Não deixava os meninos ouvirem ‘tranqueiras’ musicais”, afirma. “Toda vez que apareciam músicas

medíocres em casa, ia para o aparelho de som provar, primeiro, porque a tal música era sem alma e comercial e, depois, mostrar mais rock n’ roll, com minhas histórias e influências”, recorda. Guilherme lembra bem a primeira vez que o pai o ensinou a ouvir música, quando ele tinha, no máximo, 5 anos. “Duas músicas em especial, ‘Brothers in Arms’, do Dire Straits, e ‘Fluffy’, do Black Sabbath, foram definitivamente as responsáveis por esse grande amor pela música que carrego até hoje”, conta Guilherme. “Se não fosse por ele, a música não seria tão presente em mim como ela é”, acrescenta. Francisco garante que eles estão sempre aprendendo um com o outro. “Passo mais o espírito e a intenção do rock que aprendi nos anos 60 e 70 e o Gui me passa a técnica e a inspiração de um grande músico, com todas as modernidades”, afirma. “Sempre trocamos conhecimentos sobre ritmos, riffs e solos, mas eu, honestamente, sei que aprendo muito mais com ele do que vice-versa”, acredita Guilherme, dizendo ver o seu pai como “um mestre insuperável”.

Francisco e Guilherme Franco: amor ao rock’n’roll

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Herança da música foi natural

Marcos Cileno cresceu vendo o sucesso do pai Cileno

Escolha sem nenhuma pressão Com o cantor Cileno e seu filho, Marcos Cileno, a história foi o inverso. “Quando eu nasci meu pai já fazia sucesso, então cresci vendo ele tocar”, lembra Marcos. “Mas ele sempre me deixou muito à vontade para escolher o que eu queria fazer, nunca me pressionou a seguir a carreira musical”, diz. Depois de se aventurar pela natação e skate, aos 18 anos Marcos pediu de presente ao seu pai um contrabaixo. “Sempre fiquei na minha, fui criado assim e segui a mesma doutrina, mas quando ele me pediu o instrumento, fiquei muito feliz”, admite Cileno, rindo. “Só quando vi que era isso que ele queria mesmo é que fui orientá-lo, falei que ele precisaria se esforçar e escutar de tudo, para poder ser um instrumentista completo”, afirma o veterano. Mas o talento era incontestável e, há 10 anos, Marcos integra a banda do pai, dividindo seu tempo com a Cabocrioulo, grupo

que ajudou a criar ao lado de Milton Jorge. “Querendo ou não meu pai é a minha maior influência, admiro ele. E esse lance do respeito do público, que diz ‘ah, você é filho do Cileno’ é legal também... às vezes”, brinca Marcos.

Já para a cantora Sofia Amoedo, o processo foi o mais tranquilo possível. “Foi algo natural, ela se interessou pela música e absorvia o que eu ensinava muito rápido, com muito interesse”, conta Lúcio Amoedo, seu pai. Quando Sofia tinha apenas 10 anos, ela pediu a ele para lhe ensinar a tocar violão e desde então a paixão pela música, compartilhada entre a família, só cresceu. “Ele sempre trabalhou com música, então minha vida foi ver ele tocar. E claro, quis seguir

essa mesma carreira por causa dele”, revela Sofia - que também integra o grupo Imbaúba, de Celdo Braga - dizendo que a linha de influência, que vai da MPB ao pop-rock veio dele, enquanto o gosto pelas canções internacionais, presentes no repertório de seus shows, é a sua contribuição. “Quando nos apresentamos juntos, temos uma sintonia quase perfeita”, avalia Sofia. “Ela tem a veia muito forte e a aptidão pela música sempre foi muito fácil. Além de orgulhoso, me sinto realizado”, completa Lúcio.

DESTAQUE

A interação entre alguns pais e filhos em Manaus é por meio da música. É no palco que Marcos e Cileno, Guilherme e Franco e Sofia e Lúcio mostram a maior sintonia “Mas a nossa sintonia é legal, tanto no palco quanto nos ensaios”, ressalta. Mas trabalhar entre família exige cobrança. “Eu o trato como qualquer outro músico que trabalha comigo. Se chegou atrasado, desconto no pagamento e chamo atenção”, admite Cileno.

Sofia se inspirou no pai Lúcio Amoedo aos 10 anos


D2

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

>> Vitrine

Fernando Coelho Jr. fernando.emtempo@hotmail.com - www.conteudochic.com.br

>> Simpósio

>> Ana Eunice Alves está circulando em temporada de férias em Nova York.

. Com o tema ‘A Amazônia no Cenário Global do Clima’, a Universidade Federal do Estado do Amazonas (Ufam) realiza o 10º Simpósio Brasileiro de Climatologia Geográfica no período de 19 a 23 de novembro.

O querido governador Omar Aziz, o aniversariante de amanhã, recebendo os cumprimentos antecipados da coluna

. O evento consiste em promover a divulgação, a socialização e a discussão do conhecimento na área de Climatologia Geográfica, por meio da integração de pesquisadores, professores, alunos e profissionais de diferentes áreas de atuação, em espaços de comunicação, possibilitando o intercâmbio de experiências, tanto regional quanto nacional.

>> Fábio Souza Lima estréia idade nova neste domingo. >> Iolandinha Oliveira desembarcou de sua viagem a Rússia ao lado dos filhos Louise e João Neto.

Alice Lins, enchendo de alto astral evento no Ephigênio Salles

>> Croco

>> Objeto de desejo

. O governo do Amazonas, por meio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), está oferecendo até o próximo dia 19, o “Treinamento sobre levantamento noturno de jacarés” a 15 comunidades, que fazem parte da área do rio Solimões de Baixo, no município de Fonte Boa.

. A febre da tapeçaria na moda é uma realidade.

. A capacitação é parte de um dos pré-requisitos de aprovação do projeto “Conceitos, Princípios e Técnicas para o Manejo de Crocodilos” que se encontra em fase final de elaboração, pela Gerência de Animais Silvestres (Geas) do Idam. . O treinamento será ministrado pelo biólogo responsável pelo projeto, Eduardo Conde Moura, com apoio do técnico em agropecuária Laerte Cruz. “Vamos levar os métodos teóricos e práticos precisamente aos habitantes do lago Grande, lago Acapú e lago Comprido, locais que estão sendo estudados para implantação do manejo de jacarés, porém, antes disso, precisamos levar conhecimentos científicos e práticos referentes ao réptil”, explicou o biólogo.

>> O governador Omar Aziz estará aniversariando amanhã. Um dos mais expressivos administradores públicos do Amazonas, Omar é um dos nomes mais especiais da política local. Assina uma administração de sucesso. É um amigo muito querido da coluna. Cumprimentos especiais.

>> Amanhã, uma das mulheres mais chiques da cidade estará trocando de idade: Vânia Lustoza Sabbá. Estará no alvo de cumprimentos. >> A chique dermatologista Patrícia Akel está no link ‘Look da Semana’do badalado site Conteúdo. Para acessar: www.conteudochic.com.br.

. A nova versão da bolsa ‘Miss Sicily’ da Dolce & Gabbana, é feita em ponto cruz e faz parte da coleção do inverno 2012/2013 da marca. Preço sob consulta.

>> Artes visuais . A exposição de fotografias “Manaus Retratos de uma Brasileira” entra em cena na próxima terça-feira. . A exposição é assinada pela top-fotógrafa Ruth Jucá, artista contemplada no ProArte 2010, programa de apoio a projetos artísticos do Governo do Amazonas, executado pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC). . Com curadoria do artista plástico Jandr Reis, a mostra poderá ser visitada até o dia 15 de setembro, na Casa das Artes (rua José Clemente, Centro). Vale conferir.

Raquel e Airton Claudino durante circulada na cena social da cidade


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

D3

Herdeira passa a dirigir a companhia Cisne Negro Filha de Hulda Bittencourt é a nova diretora do grupo paulista que foi destaque no 5º Festival Amazonas de Dança FOTOS: DIVULGAÇÃO

PRISCILA CALDAS Equipe EM TEMPO

A

pós passar por todos os ensinamentos e chegar a ter o balé como sua profissão, Daniele Bittencourt assumiu a direção artística do Estúdio de Ballet Cisne Negro, desde o início do ano. Ao lado da mãe, Hulda Bittencourt, idealizadora da academia de dança, a bailarina enfrenta o desafio de liderar os trabalhos e dar continuidade ao projeto, que inclui a companhia de nome homônimo. Contudo ela avisa: “Minha mãe não se aposentou”, disse. Dany, como é conhecida no meio artístico, ingressou na companhia aos 13 anos, onde dançou até os 33, período em que deu uma pausa devido a gravidez. A bailarina conta que desde a infância sempre foi apaixonada pela dança, sentimento que ela atribui à mãe, que construiu uma história no balé brasileiro. “Como dirigente, minha mãe nunca misturou as

coisas e não fui privilegiada em nada”, comenta. Experiente A diretora, até então apenas bailarina, chegou a passar alguns anos no Canadá. Ela conta que neste período vários assistentes atuaram na academia e ao retornar ao Brasil assumiu a vaga deixada por um profissional que havia saído da companhia. “Fui bailarina, assistente de coreografia, atuei na direção de ensaio e hoje, estou na direção artística. Foi muito trabalho para chegar até aqui”, disse. De acordo com Dany, a notícia que seria diretora do estúdio foi divulgada em uma lista, em reunião com o corpo docente da academia. A diretora recorda que ficou assustada porque não esperava o convite da mãe, ao ver que Hulda dava conta de todos os trabalhos, sem precisar de ajuda. “Acho que ela quis me premiar. Ao ver meu nome como diretora fiquei surpresa”, disse.

Hulda: nada de aposentadoria Dany Bittencourt ainda enfatiza que a palavra “aposentadoria” não combina com as características da sua genitora e nega a cogitação de que a matriarca poderia deixar a direção da escola sob sua total responsabilidade. “Não a vejo aposentada porque ela é muito ativa. Ela está muito bem e não vejo motivos para se aposentar”. A artista também confessa que de início, não acreditou que o trabalho ao lado da mãe fosse dar certo pelo grau de parentesco. Dany pensou que pudessem ter incompatibilidade de ideias, porém, afirma estar surpresa com o resultado da parceria. “Temos comunhão de opiniões, a nossa linha histórica contribui Dany Bittencourt integra o grupo desde os 13 anos de idade

para isso e o trabalho flui muito bem”, comemora. Currículo Em meio século, vários profissionais passaram pela Cisne Negro, inclusive internacionais. A diretora lembra que no início dos trabalhos Hulda chegou a hospedar muitos na própria casa, enquanto participavam dos espetáculos. Para Dany, essas lembranças representam a importância do projeto desenvolvido pela mãe. “O estúdio e a companhia são a nossa vida. Não me vejo longe disso. Meu pai, que era engenheiro químico, deixou a profissão para apoiar a ideia e investiu nesse sonho. Criamos muitos laços”, afirma.


D4

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

Peteleco abre temporada na Casa Ivete Ibiapina O ventríloquo Oscarino Farias, que se apresenta com o boneco há 55 anos, dá início a uma série de shows a partir de hoje, às 18h, com entrada gratuita DIVULGAÇÃO

VICTOR AFFONSO Especial EM TEMPO

O

ventríloquo Oscarino Farias Varjão deve muito ao seu boneco Peteleco. Caminhando lado a lado na mesma estrada há 55 anos, completados no último mês de maio, eles já se apresentaram em mais de três mil cidades brasileiras – a maioria visitada durante uma “turnê” contínua que durou mais de 2 anos, na década de 1960 – e começam hoje uma temporada de shows na Casa de Música Ivete Ibiapina, sempre aos domingos. O palco, em que a dupla se apresentará até o fim do ano, é o do Teatro de Bonecos Peteleco, em homenagem ao “pretinho”. Apesar dessas apresentações estarem destinadas ao público infantil, Oscarino afirma que a diversão é garantida para todas as faixas etárias. “Apresento-me para todo tipo de público, em locais que vão desde igrejas evangélicas até a Casa da Criança. Procuro desenvolver um trabalho que agrade a todos, sempre com o objetivo de fazer rir”, afirma. No repertório da dupla, piadas, histórias engraçadas e diálogos entre o ventríloquo e

o boneco garantem a diversão durante os 45 minutos de apresentação. Aos 77 anos de idade - apesar da sua carteira de identidade mostrar 75 anos, um erro do escrivão, segundo Oscarino -, ele diz que deve tudo que tem ao Peteleco. “O Peteleco

PALCO

A apresentação do boneco e seu criador Oscarino Varjão será realizada no palco Teatro de Bonecos Petelecos montado dentro do espaço Casa Ivete Ibiapina, aos domingos, gratuitamente Criador e criatura entram em temporada a partir de hoje

foi meu quarto boneco, mas foi o que ficou mais famoso e que me trouxe muita sorte, além do povo ter gostado mais, e então decidi continuar meu trabalho só com ele”, lembra Oscarino, dizendo, também, que já nasceu ventríloquo. “Na época de moleque, na escola, eu já fazia essas presepadas, mas sem saber o que era. Fazia só por brincadeira mesmo. Depois é que fui me aperfeiçoando na técnica e levei como profissão, a única que tive na verdade”, conta.

Mais de 3 mil cidades visitadas Oscarino já viajou se apresentando pelo Brasil todo, de Norte a Sul, e estima já ter passado por três mil cidades nacionais. “A maioria foi em 1962. Não tinha nada de valor aqui em Manaus e fui para Porto Velho, passar umas semanas. Voltei e menos de uma semana depois

segui para Belém, de onde fui até o Rio Grande do Sul, sempre com o Peteleco”, recorda. As apresentações no Teatro de Bonecos Peteleco, na Casa de Música Ivete Ibiapina, acontecem todo domingo, a partir de hoje, sempre às 18h, com entrada gratuita.

MÚSICA

Tucumanos em busca da ida aos Estados Unidos GUSTAV CERVINKA Equipe EM TEMPO

Recém-chegados de São Paulo, onde estiveram cumprindo agenda de shows e resolvendo burocracias necessárias para obtenção do visto de turista no passaporte para viajar aos Estados Unidos, os músicos da banda amazonense Os Tucumanus ainda precisam correr contra o relógio para garantir arrecadação de doações em dinheiro, a partir da plataforma virtual Catarse.me, cujo destino é ajudar na compra das passagens aéreas para Nova York, onde participam, em setembro, do evento Brazilian Day. Dos R$ 10 mil registrados como meta a ser atingida pelo site Catarse.me, o grupo conseguiu captar pouco mais de 10% do valor, apenas. Contudo, o prazo estabelecido para alcançar a cifra total expira no próximo dia 25 de agosto, um dia antes de os artistas embarcarem para Nova York. A situação, contudo, apresenta uma peculiaridade. Pelas regras da administração da plataforma de patrocínio colaborativo, se o valor estipulado como meta não for captado no tempo máximo, o projeto não recebe sequer o

dinheiro arrecadado até aquele momento. Ou seja, investidores recebem de volta o que depositaram e à banda nada é repassado. “Na pior das hipóteses, se conseguirmos atingir a metade disso, vamos fazer um esforço para nós mesmos completarmos os 50% restantes com algumas economias que temos em caixa, e garantir o repasse da arrecadação pelo site”, comenta o guitarrista Denílson Novo. Utilização A plataforma é utilizada em outras regiões do país e há pouco tempo vem se tornando conhecida pelos amazonenses. Para contribuir com o projeto de apoio à viagem da banda Os Tucumanus a Nova York, o site dispõe de diversas faixas de valores, variando de R$ 10 e R$ 5 mil. Para cada intervalo de recursos pré-estabelecidos existe uma “recompensa” para o investidor, como forma de agradecimento pelo apoio, incluindo contrapartidas como revista com letras e cifras das músicas da banda, CDs, adesivos com a logo da banda, camisetas, show completo e inserção da marca do patrocinador em todas as ações de marketing da banda, entre outras condições.


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

D5

Uma bailarina a serviço da teatralidade do Estado Yara Costa é mestre em performance artística e assume a coordenação do curso de teatro da universidade estadual JOEL ROSA

GUSTAV CERVINKA Equipe EM TEMPO

D

esde o início do mês, a bailarina Yara Costa assumiu a coordenação do curso de teatro da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). O novo desafio na carreira promete ser caracterizado pela luta por melhorias internas com reflexos na qualidade do ensino aos graduandos, passando pela luta para a conquista de professores concursados e até adequações de espaços físicos que beneficiem universitários dos demais segmentos das artes, abraçados pela instituição. Yara Costa admite que sua coordenação (em substituição a Gislaine Pozzeti, que pediu afastamento para concluir curso de mestrado) tende a ser temporária. “Ao contrário do curso de dança, do qual integro o corpo docente, o de teatro ainda não tem professores concursados e o cargo exige isso”, explica a bailarina, mestre em performance artística pela Universidade Técnica de Lisboa e especialista em coreografia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). De fato, a UEA já iniciou o processo de seleção de docen-

tes para diversas disciplinas dos cursos de artes, incluindo seis vagas divididas para “dramaturgia, história do teatro e ensino do teatro” (1), “cenografia e ensino do teatro” (1), e “teatro e ensino do teatro” (4). As inscrições encerraram no dia 16 de julho, mas a instituição afirma que ainda não há previsão para a realização

CARREIRA

O novo desafio da carreira artística de Yara Costa é coordenar o curso de teatro da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Ela assumiu o lugar de Gislaine Pozzeti, que pediu afastamento das provas. “De forma geral, ainda temos certa fragilidade no campo das artes cênicas no Amazonas. Precisamos de mais espaço e pesquisa. Penso que a dança parece mais fortalecida por causa do próprio curso, que está ampliando sua estrutura. Pretendo, no teatro, dar continuidade ao trabalho da coordenação anterior. Inclusive, estamos nos prepa-

rando para adequar a sala de dança (equipada com barras e espelhos) em um ambiente mais cênico”, enfatiza Costa. As mudanças na concepção desse espaço físico pode passar por, inclusive, mudança na cor base das paredes. “Vamos usar pintura preta porque precisamos da neutralidade para experimentar. Acaba se tornando um local mais próximo do que é a realidade dos palcos. Todas as transformações não vão causar prejuízo para as aulas de dança, de forma que todos possam ser beneficiados”, explica. A ampliação de laboratórios para ambos os cursos também é um dos objetivos pretendidos pela coordenadora. Existe, segundo ela, a intenção de abraçar o Teatro Américo Alvarez como uma extensão da sala de aula, por exemplo. “No momento, o local está em reforma, mas assim que possível voltaremos a articular essa possibilidade”, diz a coordenadora. A discrepância apontada entre o curso de dança e o de teatro possivelmente se deve ao fato de o primeiro existir desde 2001, enquanto o outro teve suas atividades iniciadas em 2010, apenas. Atualmente, existem seis professores específicos para o curso de teatro.

Artista é diretora de companhia Além de professora da UEA desde 2002, Yara Costa já esteve à frente da coordenação de cultura do Serviço Social do Comércio (Sesc-AM), em 2009, e é diretora e fundadora da Índios. com Cia. de Dança, há 11 anos em atividade, composta por 13 integrantes. O principal diferencial do grupo é a pesquisa da cultura indígena e sua releitura, a partir de conceitos de dança contemporânea. Alguns de seus espetáculos são “O Processo”, “Ritos de Passagem” e o mais recente “Rastros Híbridos”, contemplado com prêmio Funarte (Fundação Nacional das Artes) para a Mostra Nacional de Dança e Teatro – Mambembão 2012. Yara Costa assumiu o curso de teatro da universidade do estado


D6

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

Programação de TV SBT

GLOBO

05h00 – Aventura Selvagem – reprise

04h45 – Santa Missa em Seu Lar

06h00 – Pesca Alternativa

05h45 – Sagrado: Compacto – Religi-

07h00 – A Grande Ideia 07h30 – VRUM 08h00 – PGM Manazinha – local

ões e Direitos Humanos 06h25 – Pequenas Empresas – Gran-

07h55 – Auto Esporte

- local

08h30 – Esporte Espetacular 11h20 – As Aventuras de Didi 11h55 – Os Caras de Pau 12h45 – Temperatura Máxima. Filme:

18h00 – Vamos Brincar de Forca

Encantada

18h40 – Sorteio da Telesena

15h00 – Futebol 2012: Campeonato

18h45 – Programa Sílvio Santos

Brasileiro: Atlético-MG x Vasco da

00h00 – Série: O Mentalista/ The

17h00 – Domingão do Faustão 19h45 – Fantástico 22h05 – Domingo Maior. Filme: 16

01h00 – Série: O Alvo / Human

Quadras

Target

23h50 – Sessão de Gala. Filme: Que-

Undercovers

23h15 – Série: Todo Mundo Odeia o

brando a Banca 01h54 – Corujão I. Filme: Mulheres Perfeitas

03h00 – Encerramento da Progra-

03h24 – Série Americana

mação

04h13 – Festival de Desenhos

Horóscopo GREGÓRIO QUEIROZ

Chris (1ª temporada) HD

06h30 – Igreja Internacional da Graça – local 07h30 – Igreja Internacional da Graça – local 09h45 – Break Obrigatório 09h50 – TV Kids – local 10h00 – Show de Ofertas da Cidade – local 10h30 – TV Kids – local 11h00 – Igreja da Graça – local 12h00 – Fique Ligado – local 13h00 – Esporte Performance – local 14h00 – Encircuito – reprise

LIBRA - 23/9 a 22/10 Hoje é bom momento para você refletir sobre as ações no trabalho, os grandes projetos e os valores que orientam suas atitudes. Mantenha-se firme no bom caminho. ESCORPIÃO - 23/10 a 21/11 Bom momento para você se debruçar sobre situações e questões difíceis de lidar. Pode resolver problemas em seu trabalho ou mesmo receber algum apoio para ele. SAGITÁRIO - 22/11 a 21/12 O relacionamento a dois ganha dinâmica mais forte e positiva, por meio de outras relações anexas, como amizades e meios sociais que lhe seja favorável. CAPRICÓRNIO - 22/12 a 19/1 Seus pensamentos e gestos dão maior impulso às atividades de trabalho. Um dia para trabalhar bastante e contar com bons apoios e recursos que lhe sejam favoráveis. AQUÁRIO - 20/1 a 18/2 As expectativas no campo afetivo e amoroso crescem, abrindo-se a um futuro promissor. Os estudos e atividades intelectuais também estão bastante favorecidos. PEIXES - 19/2 a 20/3 A inquietação emocional leva-o a buscar outras alternativas para o que já estava estabelecido. Bom momento para as relações familiares e para melhorar seu conforto.

16h00 – Break Obrigatório

Futebol

10h15 – Meu Amigãozão

16h05 – TV Kids

14h30 – Futebol 2012

16h45 – Ritmo Brasil

16h50 – Terceiro Tempo

11h30 – Anima TV Tromba Trem

17h15 – O Último Passageiro

19h00 – Um Tio da Pesada

11h45 – Anima TV Carrapatos e

18h30 – Super Bull Brasil

20h00 – Conversa de Gente Grande

Catapultas

19h30 – Saturday Night Live

21h00 – Pânico na Band

21h00 – Cine Total

00h00 – Canal Livre

13h30 – TV Piá

01h00 – Série

14h00 – Stadium

ESTREIA

11h00 – ABZ do Ziraldo

12h00 – A Turma do Pererê 13h00 – Dango Balango

15h00 – Os Protetores do Planeta 16h00 – Ver TV

03h00 – Loucos ou Loucuras

00h45 – Igreja Internacional da Graça – local

17h00 – De Lá Pra Cá

03h30 – Igreja Mundial

17h30 – Cara e Coroa

TV CULTURA

BAND 05h00 – Igreja Mundial 06h 30 – Santa Missa no Seu Lar 07h30 – Fé na Verdade 08h30 – Desenho 09h00 – Esporte Total 09h30 – Auto + 10h00 – Infomercial 11h00 – Fala Malafaia 12h00 – Band Esporte Clube

05h55 – Abertura da Estação / Hino Nacional 06h00 – Via Legal 06h30 – Brasil Eleitor 07h00 – Palavras de Vida 08h00 – Santa Missa 09h00 – Viola, Minha Viola 09h15 – Curta Criança 09h30 – Nova Amazônia – local – reprise

18h00 – Papo de Mãe 19h00 – Conexão Roberto D’Ávila 20h00 – Esportvisão 21h30 – MPTV – Reprise – local 22h00 – Roda Viva Amazonas – local ao vivo 23h00 – Doc. Especial 00h00 – Hino Nacional / Encerramento da Emissora

Cruzadinhas Lola: EUA. 14 anos. Lola (Miley Cyrus) vive em um mundo cada vez mais conectado pelas redes sociais. Em meio aos romances e amizades de colégio, ela enfrenta dificuldades em manter uma relação saudável com sua própria mãe, Anne (Demi Moore). Playarte 9 – 13h, 15h, 17h, 19h, 21h (leg/diariamente) e 23h (leg/ sex e sáb); Cinemark 5 - 17h30, 19h50, 22h10

REPR

À Beira do Caminho: BRA. 12 anos. O caminhoneiro João mudará completamente seu destino ao dar uma carona ao menino Duda, órfão de mãe que sonha em encontrar o pai em São Paulo. Cinemark 1 - 13h10, 15h30, 17h50, 20h10, 22h30 (diariamente); Amazonas 5 – 14h20, 16h30, 18h40, 21h20 (diariamente). Outback – Uma Galera Animal: EUA. Livre. Uma comunidade de animais descobre um novo herói: Johnny (Rob Schneider), um coala albino, que sempre tinha sido excluído do grupo. Durante uma emocionante viagem pelo deserto australiano, o corajoso coala surpreende a todos, ajudando os outros animais e liderando o grupo na luta contra Bog (Alan Cumming), um crocodilo malvado. Cinemark 3 – 13h (3D/dub/diariamente) e 11h (3D/dub/sáb e dom). Apenas uma noite: FRA/EUA. 12 anos. Joanna (Keira Knightley) acusa o marido, Michael (Sam Worthington), de estar interessado em uma colega de trabalho. Pouco tempo depois, enquanto ele se prepara para fazer uma viagem a trabalho, ela assume que exagerou nas acusações e lhe pede desculpas. Eles

10h30 – A Turma do Pererê

02h20 – Show Business – reap.

Cinema

GÊMEOS - 21/5 a 21/6 Seu estado de ânimo é afetado positivamente pelas relações afetivas e pelas boas conversas com as pessoas. Este é um dia para você estabelecer bons relacionamentos.

VIRGEM - 23/8 a 22/9 A lida com a rotina profissional será favorecida pela superação de velhas limitações e pelo aporte de bons recursos materiais e de seus talentos pessoais.

10h00 – Escola Pra Cachorro

00h15 – Bola na Rede

REDE TV

TOURO - 20/4 a 20/5 A lida com dinheiro e bens materiais é favorecida por ideias ou planos fora do comum. Um dia para trabalhar mais do que o comum. Use bem seus melhores recursos e talentos.

LEÃO - 23/7 a 22/8 As relações de amizade e afeição são favorecidas por uma boa conversa e pelos aspectos radiantes e positivos de sua personalidade. Você se entende com as pessoas.

14h00 – Gol, o Grande Momento do

23h15 – É Notícia

00h15 – Programação Iurd

ÁRIES - 21/3 a 19/4 As viagens, os contatos e as comunicações são favorecidos por eventos ou condições renovadoras. Um bom dia para afirmar seus relacionamentos e fazer novos contatos.

CÂNCER - 22/6 a 22/7 Um dia para você lidar bem com seus problemas de momento. Mantenha a lucidez e procure a causa real dos problemas, para lidar com eles de maneira eficaz.

15h30 – Despertar – local

22h30 – Dr. Hollywood

Gama

Mentalist

02h00 – Série: Agentes Secretos /

19h30 – Domingo Espetacular – PGM 22h15 – Repórter Record

09h00 – Sorteio Amazonas dá Sorte

23h00 – De Frente com Gabi

18h30 – A Fazenda 5ª Temporada – HD

des Negócios 07h00 – Globo Rural

14h00 – Eliana

07h00 – Olimpíadas

05h55 – Amazônia Rural

08h30 – Chaves

10h00 – Domingo Legal

RECORD

ODU

ÇÃO

passam a noite separados devido à viagem, mas Michael não esquece o que a esposa lhe disse e resolve testar se a acusação é verdadeira. Nesta mesma noite Joanna reencontra um amor do passado, Alex (Guillaume Canet), que a faz balançar. Playarte 8 – 14h, 18h15 (leg/diariamente) e 22h30 (leg/sex e sab). A Delicadeza do Amor: FRA. 10 anos. Nathalie (Audrey Tautou) é jovem, bonita, tem um casamento perfeito e leva uma vida tranquila, com tudo no lugar. Contudo, quando seu marido vem a falecer após uma acidente, seu mundo vira de cabeça para baixo. Para superar os momentos tristes, ela decide focar no trabalho e deixa de lado seus sentimentos. Até o dia em que ela, sem mais nem menos, tasca um beijo em Markus (François Damiens), seu colega de trabalho e os dois acabam embarcando numa jornada emocional não programada, revelando uma série de questões até então despercebida por ambos, o que os leva a fugir para redescobrir o prazer de viver e entender melhor esse amor récem-descoberto. Playarte 8 – 16h, 20h15 (leg/diariamente).

CONTINUAÇÕES Ato de Coragem - 10 anos. Playarte 4 – 12h45, 15h (leg/diariamente). O Que Esperar Quando Você Está Esperando - 12 anos. Cinemark 3 – 19h, 21h30 (leg/ diariamente). Katy Perry – Part Of Me 3D - Livre. Cinemark 4 – 13h50, 16h10 (leg/diariamente) e 11h40 (leg/sex e sáb). 31 minutos - Livre. Cinemark 8 – 12h55, 15h (diariamente). Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge – 12 anos. Playarte 1 – 20h45 (leg/diaria-

mente) e 23h59 (leg/sex e sáb); Playarte 3 – 14h, 17h15, 20h30 (leg/diariamente) e 23h45 (leg/ sex e sáb); Playarte 4 –17h16, 20h31 (leg/diariamente) e 23h46 (leg/sex e sáb); Playarte 6 – 13h30, 16h45, 20h (dub/diariamente) e 23h15 (dub/sex e sáb); Playarte 7 – 13h31, 16h46, 20h01 (dub/ diariamente) e 23h16 (dub/sex e sáb); Cinemark 4 – 18h20, 21h40 (dub/diariamente); Cinemark 6 – 17h40, 21h10 (dub/diariamente); Cinemark 7 – 15h20, 18h50, 22h20 (dub/ diariamente); Cinemark 8 - 17h10 e 20h40 (dub/dia-

riamente); Cinemas Amazonas 6 – 14h, 17h20 e 20h35 (dub/diariamente). Valente – Livre. Playarte 5 – 12h30, 14h45, 17h, 19h15, 21h30 (dub/diariamente) e 22h45 (dub/sex e sáb); Cinemark 5 – 12h50, 15h10 (dub/diariamente); Cinemas Amazonas 5 – 15h (dub/diariamente). E Aí, Comeu? – 14 anos. Playarte 2 – 14h10, 16h20, 18h30, 20h40 (diariamente) e 22h50 (sáb e dom); Cinemark 2 – 13h30, 16h. 18h30, 20h50 (diariamente), 23h10 (sex e sáb)

e 11h10 (sáb e dom). O Espetacular Homem-Aranha – 10 anos. Playarte 10 - 13h, 15h45, 18h30, 21h15 (dub/diariamente) e 23h59 (dub/sex e sáb); Cinemas Amazonas 4 – 21h (dub/diariamente). As Aventuras de Agamenon, O Repórter – 14 anos. Cinemark 3 – 13h40 e 15h40 (diariamente). A Era do Gelo 4 – Livre. Cinemark 3 – 14h10, 16h30 (dub/ diariamente) e 12h (sab e dom); Cinemas Amazonas 4 – 13h, 17h, 19h (dub/diariamente).


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012

D7

FOTOS: REPERCUSSÃO COMUNICAÇÃO

::::: Sala de Espera

Jander Vieira

Amanhã, Antônio Nelson Jr. e Sanmya Tiradentes Leite estão trocando de idade. Os cumprimentos da coluna.

O Restaurante D’Guste está sob nova direção. As competentes irmãs Jacira e Janete Fernandes assinam a nova administração do templo gastronômico. Santa Cris

::::: Mulheres Tops

::::: Araras

A Top Internacional movimentou o Millennium Center com vaivém de lançamento da sua cabine SPA da grife no centro de compras. As convivas foram recebidas com trufas e espumante do tipo fino. O evento contou ainda com dicas de consultores de estética e aplicações de produtos exclusivos das marcas Shiseido, Matis e Sisley.

A esperada Diesel Kid virá a Manaus com mais de quatro mil peças entre baby, kids e teen no seu mix de produtos; a grife trará também seus disputados acessórios como mochilas, tênis e cintos. Que tal? A loja agendou para abrir suas portas, no próximo mês, com o luxo da grife internacional no Manauara Shopping, um privilégio para quem vive na Região Norte. A exclusividade da marca é da empresa JRM, de Cileide Moussallem e Janary Rodrigues. O badalado coquetel de inauguração, assinado pelo Empório dos Reis, acontecerá com desfile dos bambinos já com o look Diesel - Bravel Kid S.R.L. Uma bossa!

Márcia Martins

::::: Leque

O Fino da Bossa vai transpirar MPB, no próximo dia 24, às 22h30, com show impagável da ótima Cristina Siqueira. Eu vou! O escritor Gaitano Antonaccio convida para conferir os lançamentos de suas novas crias: os livros “Astros que se imortalizaram no cinema” e “Estrelas que se imortalizaram no cinema”, na sede da Academia de Letras, Ciências e Artes do Amazonas, no próximo dia 18, às 10h. O Arte&Fato realiza, hoje, sua primeira edição especial Madonna. O evento inicia às 19h.

WILLIAM REZENDE

jandervieira@hotmail.com - www.jandervieira.com.br

Os bonitos Alessandra Mourão e Olavo César Castro vão receber a visita da cegonha. Eles estão gravidíssimos.

A MSCasa agendou para o próximo dia 30, a sua troca de showroom, seguido de apresentação de 12 ambientes da MAC – famosa grife de móveis de varanda e jardins.

Esbanjando estilo próprio e elegância invejável: a bela Samira Mousse Carvalho

No próximo dia 16, tem coletiva de inauguração do Núcleo de Inovação Natura Amazônia, às 10h, na rua Rio Içá, no Vieiralves. O vento marcará um novo ciclo de conexões, que irão contribuir com a produção cientifica, a inovação e a geração de novos negócios na Amazônia.

::::: Agendão do Dia dos Pais

Eliane Schneider, Andréa Magalhães e Paula Jucá CACAU MANGABEIRA

A linda Ludmila Alcântara Aziz e sua Nina, em sessão de fotos-tendência pré-début. Aliás, Lud vai comandar festim movimentado no próximo dia 18, no Le Rêve

Hoje, na comemoração em homenagem ao Dia dos Pais, os restaurantes dos hotéis Sleep Inn, Quality e Park Suites oferecem um cardápio especial para o café da manhã e para o almoço, com valores diferenciados. O Hotel Holiday Inn programou pacote especial dedicado a eles. Além de promover sorteio de presentes, sortear uma feijoada completa com acompanhante, um mês gratuito na academia Companhia Athlética e um relógio da marca Dumont, o hotel também vai disponibilizar pacote para casal com direito a almoço, sobremesa, bebida não alcoólica para dois, mais hospedagem pelo preço de R$ 420. Para embalar a comemoração do almoço dos paizões, hoje, Ketlen Nascimento fará um show na praça de alimentação do Manaus Plaza. O show gratuito, de 13h às 15h, promete agradar toda a família.


D8

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 12 DE AGOSTO DE 2012


EM TEMPO - 12 de agosto de 2012