Issuu on Google+

O JORNAL QUE VOCÊ LÊ ANO XXV – N.º 7.896 – DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013 – PRESIDENTE: OTÁVIO RAMAN NEVES DIRETOR EXECUTIVO: JOÃO BOSCO ARAÚJO - PREÇO DESTA EDIÇÃO: R$ 2,00 DANILO MELLO

HORA DO RANGO

Prato feito no calçadão da avenida Um restaurante com fogão, bancada, pratos e talheres em pleno calçadão da avenida Eduardo Ribeiro. Apesar do PF da Val (foto) ser considerado o melhor do Centro, as opiniões se dividem se deve permanecer ocupando uma via pública. Dia a dia C4 e C5

‘HERANÇA’

Estado de emergência em treze cidades Chefes do Executivo recém-empossados alegam ter recebido prefeituras com gargalos na saúde, educação e saneamento básico. Política A5

ARTHUR SE UNE AOS CAMELÔS DIVULGAÇÃO/SEMCOM

E DISCUTE UMA SOLUÇÃO PARA A RETIRADA DE AMBULANTES DO CENTRO DE MANAUS 2013

Reino Unido viaja no mundo da literatura

Última Hora A2

JIMMY E COMPARSAS

Assassinos da família Belota correm risco na penitenciária

JOEL ROSA

DANILO MELLO

Última Hora A2

Escola do Morro da Liberdade contará na avenida a trajetória do livro, no enredo “O livro: porque no Morro o samba é lê-ler”. Carnaval 1

Jimmy Brito e seus cúmplices são mantidos em celas isoladas

BOI-BUMBÁ

CONCESSIONÁRIAS

INVESTIMENTO

Noventa dias à espera do carro novo

No Garantido, ‘quem manda é a galera’

Energia ‘verde’ tem prioridade em municípios

Redução do IPI resultou na falta de veículos para pronta-entrega, em Manaus, em função da alta demanda. Economia B1

Insatisfeitos com as toadas do CD oficial do bumbá neste ano, fãs preparam disco alternativo com as músicas que ficaram de fora. Plateia D8

Amazonas Energia afirma que o processo de mudança da matriz energética na Região Metropolitana ganha força até 2014. Economia B4

Arthur discutiu com os camelôs alternativas para reorganizar o Centro

CINEMA

Os 35 anos de ‘Guerra nas Estrelas’ No dia 30 de janeiro de 1978 estreava no Brasil um dos filmes de maior bilheteria da história do cinema. Plateia D4

O

M

I

N DIVULGAÇÃO

DIVULGAÇÃO

D

G

O BOTA X FLU

INDICADA

Clássico ‘vovô’ no Carioca

Cerveja preta faz bem à saúde Estudos afirmam que a cerveja preta apresenta benefícios nas funções cardíacas e na circulação. Saúde 2

FALE COM A GENTE - ANÚNCIOS CLASSITEMPO, ASSINATURA, ATENDIMENTO AO LEITOR E ASSINANTES: 92 3211-3700 ESTA EDIÇÃO CONTÉM - ÚLTIMA HORA, OPINIÃO, POLÍTICA, ECONOMIA, PAÍS, MUNDO, DIA A DIA, PLATEIA, PÓDIO, SAÚDE, ILUSTRÍSSIMA, ELENCO E CONCURSOS.

ANDRÉ MOURÃO/AE

Botafogo e Fluminense se enfrentam hoje, no Engenhão, pela terceira rodada da Taça Guanabara. Pódio E6

TEMPO EM MANAUS

MÁX.: 33

MÍN.:

25


A2

Opinião/Última Hora

Arthur discute solução para Centro com camelôs

Contexto 3090-1017/8115-1149

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

marioadolfo@emtempo.com.br

Prefeito circulou pelas ruas da área central e conversou com ambulantes. Proposta é fazer uma reorganização da região SEMCOM

Arthur Neto ouviu os ambulantes e discutiu com a categoria propostas para melhoria da área

O

Vanessa e o espírito da Bica A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) é uma frequentadora, de carteirinha, da Banda Independente da Confraria do Armando (Bica) há pelo menos 20 anos. Por isso entende bem o espírito de galhofa e sátira política que a banda aborda em seus enredos. Este ano, acabou virando enredo por conta da “ovada” que teria levado na chegada ao debate da TV EM TEMPO. Na sexta-feira, senadora falou pela primeira vez, a um portal, sobre o fato de ter virado tema da banda. ― Toda forma de preconceito tem de ser abolida e não quero crer que nenhum dos membros da banda teve a intenção de me discriminar pelo fato de ser mulher, comunista e ter olhos azuis.

Irreverência Vanessa disse que a Bica é marcada pela irreverência e pela democracia. Que sempre abordou temas de grande repercussão na sociedade manauense. ― Então, eu sabia que haveria a possibilidade de que o tema da banda – ao qual não me cabe questionamento – fosse a agressão, divulgada amplamente pela mídia, que eu sofri. Sua vez Ainda bem que a senadora Vanessa Grazziotin não esqueceu o espírito anárquico da Bica. Até porque ela já foi ao bar do Armando brincar com enredos que satirizaram líderes políticos de primeira grandeza, como Gilberto Mestrinho, Amazonino Mendes, Eduardo Braga, Alfredo Nascimento e Serafim Corrêa. No topo Agora, quem chegou ao topo da carreira foi Vanessa. Logo, tem que compreender que ser tema da Bica é também uma forma de dizer que ela chegou ao panteão de políticos importantes do Amazonas. Jamais Vanessa também tem que compreender que a Bica, pelo espírito democrático que tem, jamais usaria temas para discriminar mulheres. Principalmente por ser co-

munista e ter olhos azuis. A banda ataca fatos e transforma em humor. Mas nunca, em toda a sua história, invadiu o campo pessoal. É tudo uma gostosa brincadeira. Vai lá O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, e o vice, Hissa Abrahão, visitaram o bairro Puraquequara, na Zona Leste. O objetivo foi verificar as necessidades de infraestrutura do local. Trânsito pesado Na quinta-feira, por volta das 15h, duas carretas da empresa HTR, Transportes, Armazéns e Logística, transportando contêineres, deixavam lento o trânsito da avenida Darcy Vargas. Com um lado da pista travado, o engarrafamento foi inevitável. Paredão Para completar, na outra mão, um carro pipa seguido de um caminhão transportando lâminas de vidro – por isso trafegando lentamente -, fechava a única alternativa para ultrapassar as duas carretas. Um percurso que poderia ser feito em cincos minuto, levou mais de 25. Estranho no ninho Um posto de gasolina está sendo construído no meio de um cruzamento no conjunto D. Pedro, quase no início do

APLAUSOS

bairro Alvorada. A obra esdrúxula fica em frente à Fundação Bradesco e o Posto Médico do Samu. No momento em que a cidade está focada para encontrar soluções para o trânsito de Manaus, seria viável construir no local uma rotatória para disciplinar a desordem naquele cruzamento. Desmando A obra do posto de gasolina invade logradouro público, está próxima de um colégio, posto médico e residências. Além disso polui a paisagem urbana. A comunidade do D. Pedro e Alvorada não têm a força necessária para impedir tal desmando. Por isso os moradores apelaram ao EM TEMPO. Samsung na frente Com 213 milhões de unidades produzidas, a sul-coreana Samsung liderou o setor, com 57% de aparelhos a mais que a segunda colocada, Apple, e seus 135,8 milhões de iPhones. Terceirona A Nokia, que era dona do antigo recorde de 100,1 milhões de smartphones produzidos em um ano – que foi batido em 2012 pela Samsung – , permaneceu na terceira posição, apesar de ter reduzido sua produção de celulares inteligentes para menos da metade do realizado em 2011.

VAIAS

Camelôs

Transportes de cargas SEMCOM

HUDSON FONSECA

Para os vendedores ambulantes que estão unindo esforços ao prefeito Arthur Virgílio para encontrar uma solução digna e civilizada para a retirada dos ambulantes do centro da cidade.

Para empresas transportadoras que continuam trafegando, com seus pesados carros, na hora do rush, provocando engarrafamentos homéricos.

prefeito Arthur Virgílio Neto (PSDB) visitou o Centro de Manaus, na manhã deste sábado, para conversar com os camelôs e discutir alternativas para a remoção dos ambulantes das ruas centrais da cidade. Ele aproveitou, também, para verificar as ações de limpeza da região, constantes no plano de cem dias da nova gestão. Arthur esteve em uma galeria construída na rua Marcílio Dias com 60 quiosques para acomodação de vendedores ambulantes. “É uma ótima galeria. Tem um espaço limpo e organizado. Faltam alguns ajustes, mas é uma grande iniciativa para ajudar a organizar os vendedores ambulantes”, declarou o prefeito, que estava acompanhado do deputado estadual Luiz Castro (PPS), do vereador Mário Frota (PSDB) e dos secretários de

Limpeza Pública, Paulo Farias, e de Recuperação do Centro, Rafael Assayag. Arthur ouviu os vendedores instalados no local, que pediram apoio como subsídio para o aluguel. “Na nossa gestão, vamos fomentar para que cada vendedor ambulante se torne um microempreendedor. Vai ser bom para eles, que conseguirão financiamentos, e bom também para a economia da cidade”, disse o prefeito. Durante a visita, o prefeito conversou com várias lideranças dos camelôs. “Estamos ouvindo as lideranças dos camelôs para que as nossas ações cumpram os anseios deles. As galerias que pretendemos construir no Centro e também em outros bairros devem ter fatores para atração do público consumidor: praças de alimentação e serviços públicos, como correios”,

Limpeza Arthur também verificou a limpeza das ruas do Centro, ação incluída no plano de cem dias da nova gestão. Para o prefeito, já é visível a mudança. “Andei por estas ruas na campanha e vi alguns problemas. Estamos com mutirão de limpeza no Centro e em diversas ruas e já podemos ver que estão mais limpas.

CASO BELOTA

PUNIÇÃO JOEL ROSA

Parentes e amigos pedem punição ao causador do acidente

Família realiza protesto pedindo justiça por morte Familiares e amigos do ex-funcionário de uma empresa de TV a cabo, Paulo Motta, 51, morto em um acidente de trânsito há pouco mais de um ano, realizaram um protesto na manhã de ontem pedindo justiça e punição ao culpado. A manifestação começou às 7h30 com uma panfletagem nos sinais da avenida Brasil, na Compensa, Zona Oeste. “Paulo foi vítima de um motorista bêbado. Queremos mostrar que a bebida não combina com direção, as pessoas precisam se conscientizar”, afirmou o coordenador de vendas, Marcelo Assante, 32, amigo da vítima. De acordo com a esposa de Paulo, Christiane Rodrigues, 32, que também estava no carro no dia do acidente e há um ano está na cadeira de rodas, o casal voltava para casa no dia

comentou Arthur. Eliana Farilde da Silva, 50, trabalhou 30 anos como sacoleira nas ruas de Manaus e, há dois meses, está ocupando um dos boxes da galeria. “Aqui temos segurança e organização. Me sinto mais tranquila. Claro que os consumidores ainda não estão acostumados, mas esperamos que logo este seja o modelo adotado para os ambulantes”, disse Eliana.

13 de janeiro, quando, ao cruzarem a avenida Brasil, foram atingidos por um veículo que avançou o sinal vermelho. “O corpo do meu marido foi jogado para cima de mim, foi terrível. A única coisa que lembro é que consegui ver o rosto do rapaz que causou o acidente”, narrou. A revolta da família é porque o condutor do veículo causador do acidente, um rapaz de 19 anos, estava dirigindo alcoolizado , e até hoje não foi punido. Parentes denunciaram também que as gravações do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) foram editada. “Nas imagens é possível ver a batida, mas não se sabe o porquê de Paulo e Christiane não aparecerem. Estão querendo beneficiar o culpado”, contou o Cláudio Videl, cunhado de Motta.

Acusados estão em isolamento O publicitário Jimmy Queiroz, 33, o namorado Rodrigo Moraes, 19 e Ruan Cláudio, 18, indiciados pelo triplo homicídio da família Belota, permanecem sem previsão de saída das celas isoladas. De acordo com o secretário-executivo adjunto da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejus), coronel Bernardo Encarnação, a decisão de serem encaminhados para os pavilhões das unidades prisionais permanece sob estudo. “Tudo vai depender da movimentação nos presídios. Até agora não há previsão”, disse. O coronel explicou que os acusados não sofreram nenhuma ameaça até o momento, porém permanecem em celas individuais para o bem da integridade física deles. Jimmy está na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) na Zona Leste. No Centro de Detenção Provisória (CPD), no quilômetro 8 da BR-174, está Ruan Pablo, e Rodrigo foi encaminhado para o Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), também na BR-174. Duas missas serão realizadas em homenagem às vítimas. Hoje, às 10h30 na Igreja de Nossa Senhora das Graças, no Beco do Macedo, Zona Centro-Sul e a outra acontece amanhã as 19h na Paróquia de São Raimundo Nonato, no bairro de mesmo nome.


Opinião

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

A3

Fala leitor

Editorial

falaleitor@emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br

Mais que teimosia, é irresponsabilidade O aeroclube de Manaus (ou aeródromo de Flores) é um perigo para a cidade e seus habitantes, que já são ameaçados no dia a dia por um trânsito terrestre de veículos cada vez mais ameaçador. É um perigo, não por ser aeroclube ou aeródromo. Portos, aeroportos, rodoviárias, garagens domésticas, condomínios de luxo ou Prosamins de emergência não constituem perigos simplesmente por serem construídos; tudo pode balançar e cair um dia. Acidentes e incidentes são contingências, nada é absolutamente seguro. O que destaca o aeroclube é sua localização geográfica, que o torna obsoleto, tanto quanto perigoso. Essa escola de pilotos foi construída quando a cidade ainda não era dividida em pontos cardeais e colaterais, um modismo do urbanismo norte-americano que facilita o domínio do território urbano. Manaus “acabava” antes de alguém chegar a esse lugar onde hoje está o aeroclube. Era uma floresta em torno de uma clareira. O aeroporto oficial era o de Ponta Pelada, debruçado, praticamente, sobre o rio Negro, bem longe dali. A cidade cresceu ou explodiu, dependendo do ponto de vista da abordagem, e o aeroclube, hoje, está cercado de habitações de todos os tipos por todos os lados. O candidatos a aeronautas se exercitam sobre as cabeças de milhares de cidadãos, principalmente no finais de semana, quando o amadorismo tenta alcançar uma condição profissional. Os acidentes que têm acontecido envolvendo a escola de pilotos e sua localização não têm alcançado o status de grandes tragédias. Mas se está esperando que alcance, para, enfim, transferi-lo para um lugar mais seguro? Sabe-se que há anos um projeto de mudança “aterrissou” na gaveta de algum órgão excessivamente burocrata e ali perdeu a oportunidade de se tornar realidade. Manter o aeroclube ou aeródromo ou como quer que se denomine onde foi construído não é mais teimosia nem “apego ao passado” – nesse caso, por que não transformá-lo em museu da aviação, que tem uma bela história de integração da região ao país? A insistência resulta em irresponsabilidade, pura e simples. Irresponsabilidade, também, de quem assiste a esta situação de braços cruzados.

O mês de janeiro é um marco na triste história que cerca os acontecimentos do Holocausto. Mas, ao mesmo tempo, é motivo de celebração para nós, judeus, e para todos aqueles que prezam a liberdade. O dia 21de janeiro de 1943 assinala a primeira ação no Gueto de Varsóvia contra os nazistas. Esse foi e ainda é tido como grande foco de

www.emtempo.com.br

resistência e combate ao horror que assolava esses pobres seres humanos. Essa batalha, travada pelos oprimidos, demonstrou a força e gana de lutar pela própria vida, bem mais precioso que possuímos. O desejo de ter a vida em suas próprias mãos era tanto que a luta se estendeu até maio do mesmo ano. Infelizmente, a batalha não foi ganha,

mas a guerra, sim. Dois anos e milhares de mortos depois desse episódio, os soviéticos libertaram o campo de Auschwitz, onde encontraram um quadro desolador. Era 27 de janeiro de 1945, data instituída há oito anos pela Organização das Nações Unidas como um meio de prestar uma homenagem às milhares de vítimas que pereceram

nesse capítulo sombrio e recente de nossa história. Esse genocídio não aconteceu há séculos, mas há pouco, muito pouco tempo. Que possamos honrar a memória daqueles que perdemos, lutando para combater tudo aquilo que os vitimaram. Jack Terpins, presidente do Congresso Judaico Latino-Americano

Charge regi@emtempo.com.br

Olho da Rua

Dora Kramer

opiniao@emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br DIEGO JANATÃ

Só não pode chover canivete, quanto ao resto pode vir quente ou frio que este cidadão está preparado. E ainda lhe sobram braços e mãos para aparar outras novidades. A cidade não para de se reinventar em seus habitantes. Mesmo com a ajuda de experiências externas.

CENTRAL DE RELACIONAMENTO Atendimento ao leitor e assinante ASSINATURA e CLASSIFICADOS

Diretor de Redação Mário Adolfo marioadolfo@emtempo.com.br

3211-3700 assinatura@emtempo.com.br classificados@emtempo.com.br

REDAÇÃO

3090-1010 redacao@emtempo.com.br

Editores-Chefes Aldisio Filgueiras — MTB 213 aldisio@emtempo.com.br Náis Campos — MTB 033 nais@emtempo.com.br Tricia Cabral — MTB 063 tricia@emtempo.com.br Chefe de Reportagem Michele Gouvêa — MTB 626 michelegouvea@emtempo.com.br Diretor Administrativo Leandro Nunes administracao@emtempo.com.br

CIRCULAÇÃO

3090-1001 circulacao@emtempo.com.br

Norte Editora Ltda. (Fundada em 6/9/87) – CNPJ: 14.228.589/0001-94 End.: Rua Dr. Dalmir Câmara, 623 – São Jorge – CEP: 69.033-070 - Manaus/AM

Gerente Comercial Gibson Araújo comercial@emtempo.com.br Gerente de Marketing Clodoaldo Reis marketing@emtempo.com.br EM Tempo Online Yndira Assayag — MTB 041 yndiraassayag@emtempo.com.br

DO GRUPO FOLHA DE SÃO PAULO

www.emtempo.com.br

Presidente: Otávio Raman Neves Diretor-Executivo: João Bosco Araújo

@emtempo_online

/amazonasemtempo

/ /tvemtempo

Os artigos assinados nesta página são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal.

Monobloco Normalmente governos governam e oposição faz campanha para vir a governar. Por aqui é diferente: o governo faz campanha e a oposição, em sua extrema delicadeza, ajuda a governar. De vez em quando leva umas pancadas – na última foi acusada de traição à pátria –, mas nem assim fica esperta. Por campanha eleitoral entenda-se não só o tom do pronunciamento em que a presidente Dilma Rousseff anunciou a redução das tarifas de energia elétrica, mas todo o gestual do ex-presidente Lula, do PT e da assessoria palaciana. Fala-se na reeleição de Dilma como se o pleito fosse depois de amanhã. Fala-se em desentendimentos entre ela e Lula como se fossem adversários ou houvesse a mais pálida hipótese de virem a ser. Fala-se que o governador Eduardo Campos não será candidato a presidente como quem tem a posse do destino alheio. Fala-se que Aécio Neves só disputará o Planalto para valer em 2018, como quem se dá o direito de traçar o destino do vizinho. Nada do que se diz, no entanto, tem a menor relevância porque as nuvens da política estão hoje de um jeito, amanhã de outro e daqui a dois anos sabe-se lá como estarão. O que existe de concreto é só um jogo de ocupação de espaço e geração de uma atmosfera de continuidade inevitável, a fim de evitar que os ventos da expectativa de poder tomem outra direção: seja de Eduardo Campos, Aécio Neves, Marina Silva ou de quem quer que se apresente como alternativa. A reafirmação contundente da candidatura de Dilma em 2014 cumpre o objetivo de impedir o esvaziamento político do mandato daqui até lá. A insinuação de que Lula pode vir a ser candidato no lugar dela ou até mesmo em 2018 tem a finalidade de sinalizar impossibilidade de alternância. Já as supostas divergências

entre o ex-presidente e a sucessora são apenas suposições. Eles podem até pensar diferente nessa ou naquela questão, mas o projeto tem um arquiteto chefe em cujas mãos estão a régua e o compasso. Há o “lulismo”, mas não há o “dilmismo”. A não ser como expressão de um desejo - inútil, note-se – de separar criador e criatura. Dilma e o PT farão o que Lula disser que deve ser feito e certeza sobre o que fazer só haverá quando 2013 chegar ao fim e disser a que veio. Por enquanto o que existe é uma governante com direito a concorrer à reeleição – o que só não acontecerá em situação excepcional – e o líder de um partido em seu mais confortável papel. Como ex-presidente Lula transita em toda parte, é reverenciado, gera fatos, continua como protagonista, distribui ordens e é obedecido. Tudo isso sem precisar disputar eleição nem correr o risco de perder. Ou pior: ganhar e pôr em jogo o patrimônio conquistado em dois mandatos que o levaram ao topo. Efeito colateral – O governo dá sorte para o azar quando faz da redução do preço da energia uma bandeira política. Desenha cenário feliz de preços mais baixos, sem se preocupar com o possível aumento do consumo que amanhã ou depois pode obrigá-lo a pedir moderação aos consumidores. Dois senhores – Até outro dia mesmo ouvia-se no PSDB que o partido só aguardava a oficialização da entrega de um ministério ao PSD para formalizar o rompimento com o ex-prefeito Gilberto Kassab. Mantida a decisão, vai se configurar uma situação inusitada, caso se confirme a indicação de Guilherme Afif Domingos para a pasta e, ainda assim, ele permaneça como vice-governador do tucano Geraldo Alckmin. Ou o PSDB recua ou convence Afif a renunciar ou se submete à esquisitice dessa dupla militância em nome dos acertos eleitorais para 2014.

Dora Kramer Jornalista, escreve simultaneamente no jornal “O Estado de S.Paulo”

Há o ‘lulismo’, mas não há o ‘dilmismo’. A não ser como expressão de um desejo de separar criador e criatura. Dilma e o PT farão o que Lula disser que deve ser feito e certeza sobre o que fazer só haverá quando 2013 chegar ao fim”.


A4

Opinião

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

O apego à vida não é somente simples apego

Quaresma e Campanha da Fraternidade em ação

Uma velha fábula árabe (e os árabes adoram construí-las e propagá-las) conta que, após criar todos os animais, Alá, ou Deus, chamou-os um a um, a fim de arbitrar e comunicar-lhes o tempo de vida que a cada um caberia. À tartaruga foi dito que viveria 200 anos, dada a sua lentidão e a demora que necessitava para qualquer feito, ao que a cascuda respondeu que era muito tempo, que já nascera cansada e que só a metade disso lhe bastaria e assim ficou. O burro, de início contemplado com uma existência de 50 anos, para que muito pudesse produzir com o seu árduo trabalho, apesar do peso do seu nome, argumentou com desenvoltura que não suportaria tanto tempo sob o jugo impiedoso dos que dele se serviam. Atendido, seu tempo foi reduzido a 20 anos. O cachorro lamuriou-se e lastimou sua existência, alegando que a única maneira de usufruir de uma boa vida era através da completa submissão e total subserviência ao homem, ou então assumir o papel de “viralatas” pelas ruas, sempre faminto e ainda sujeito aos maus-tratos das pedradas e dos pontapés. Seu tempo também foi encolhido para a média de uns 20 anos. E assim Deus deu prosseguimento a sua obra, a desfiar a quase infindável fila das criaturas a que dotara de vida, até chegar ao Homem que, por ter sido o único a quem dera uma pequena parcela do dom da inteligência, deixara para ser o último. Ao lhe acenar com a perspectiva de uma vida média de uns 40 anos, eis que a presunção e a esperteza que só a inteligência confere se manifestou e o primo do macaco logo reclamou e propôs ao Criador que lhe creditasse aqueles anos a que outras criaturas haviam renunciado, o que estenderia a existência humana a uns 150 a 200 anos. Mas, como a total e absoluta inteligência ficara mesmo com Deus, a sua decisão foi compatível com a sua divina e imensa sabedoria: que a extensão da vida ficaria disponível para o homem, mas somente na medida em que ele, usando o dom que Deus lhe concedera, a inteligência, lograsse por si mesmo estendê-la, por mérito próprio. E assim transcorreu, ou melhor, está transcorrendo, pois, como fruto do seu incansável esforço, pela via do conhecimento e do saber, o homem tem estendido, e muito, a duração da sua permanência na terra, que hoje já vai para mais de 70 anos. Sobrou como problema o uso e a qualidade que a especial concessão divina tem recebido da parte da humanidade. Disso a fábula árabe nada fala, mas basta ter olhos para ver e ouvidos para ouvir e perceberemos que o homem, na ânsia de ter e consumir, porque o sentir-se rico tem sido o grande objetivo da sua existência, tornou-se o flagelador do planeta, está a destruir a sua única casa e, como já houve quem dissesse, virou também o lobo do próprio homem. A chama da inteligência, que só ele recebeu, lhe tem dado a vida cada vez mais longa, mas também o tem feito pensar que não faz parte do mundo natural, e que a sua individualidade deve imperar sobre tudo e sobre todos. Quem sabe, qualquer dia Deus se arrepende e lhe corta o barato.

Iniciaremos no dia 13 de fevereiro, Quarta-Feira de Cinzas nossa caminhada quaresmal rumo à Páscoa. É um dos tempos mais preciosos que a Igreja nos oferece para a conversão pessoal, familiar e comunitária. As palavras pronunciadas por Jesus no início de seus 3 anos de pregação (“Arrependeivos e crede no Evangelho” – Mc 1,14) serão repetidas na cerimônia das cinzas e deverão ecoar forte e continuamente pelos dias que precedem a Semana Santa. Precisamos celebrar a Páscoa com o coração e a mentalidade de Jesus, para isso exige-se retorno integral a Deus com o afastamento de tudo o que desvia a pessoa, a família e a comunidade dos caminhos da salvação. O documento escrito pelos bispos latino-americanos em Aparecida insiste na conversão pastoral das dioceses, paróquias e comunidades bem como de cada um de nós, sejamos bispos, padres, diáconos, religiosos, religiosas, leigos e leigas. Mas, a conversão pastoral exige antes de tudo a conversão individual. Nada se muda , se não se muda a pessoa. Os comunistas tentaram transformar a sociedade e não conseguiram porque se esqueceram disso. A fé compreendida como aceitação de Jesus na própria existência e, como consequência, transformação no Cristo (“já não sou eu que vive, mas é Cristo que vive em mim”) faz deixar de lado qualquer tipo de vida errada para abraçar outro tipo de vida marcado pela união com Deus. Se quisermos ser cristãos entusiastas de nossa fé, convertamo-nos de coração e mente. A conversão acontece através da meditação da Palavra de Deus, do arrependimento dos pecados, da frequência à oração bem feita e aos sacramentos (de modo especial Eucaristia e Penitência), e da abertura ao amor fraterno. Na Quaresma, teremos ocasião de meditar a paixão, morte e ressurreição de Jesus que nos despertam para a imensidão do amor de Deus por nós. É fundamental recordar que a conversão se constitui acima de tudo uma graça divina. Quem nos transforma é Deus. Daí a urgência de pedir com perseverança que Ele nos toque o coração e a mente. No mesmo dia do início da Quaresma, abriremos a Campanha da Fraternidade que nos ajuda a buscar caminhos de conversão nos relacionamentos familiares, comunitários e sociais. Neste ano o tema é “Fraternidade e Juventude” e o lema a ser repetido muitas vezes é “Eis-me aqui, envia-me” baseado em Isaías 6,8. O secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil escreveu o seguinte: A Igreja no Brasil, ao repropor juventude como tema da Campanha da Fraternidade, nesse tempo de mudança de época, deseja refletir, rezar com os jovens, reapresentadolhes o Evangelho como sentido de vida e, ao mesmo tempo, como missão. O Evangelho é nossa vida, nossa existência. A Campanha da Fraternidade é um convite a irmos ao encontro dos jovens e, ao mesmo tempo, um convite aos jovens para se deixarem encontrar por Jesus, caminho, verdade e vida: Vamos viver bem a Quaresma e empenhemo-nos firmemente na Campanha da Fraternidade.

João Bosco Araújo Diretor executivo do Amazonas EM TEMPO

A presunção e a esperteza que só a inteligência confere se manifestou e o primo do macaco logo reclamou e propôs ao Criador que lhe creditasse aqueles anos a que outras criaturas haviam renunciado”.

Painel VERA MAGALHÃES

Ponto de ebulição

Dom Luiz Soares Vieira Arcebispo Metropolitano de Manaus

Precisamos celebrar a Páscoa com o coração e a mentalidade de Jesus, para isso exigese retorno integral a Deus com o afastamento de tudo o que desvia a pessoa, a família e a comunidade dos caminhos da salvação”.

O ingresso de Romero Jucá (RR) na corrida pela liderança do PMDB no Senado divide o partido e abre margem para o lançamento de candidatura dissidente à de Renan Calheiros (AL) na eleição para a presidência, marcada para sexta-feira. Após impasse nas tratativas para ocupar cargo na mesa diretora, Jucá, ex-líder do governo, terá de enfrentar Eunício Oliveira (CE), rompendo pacto que pacificava os peemedebistas em torno dos principais postos reservados à sigla na Casa. Onde pega O pano de fundo da reviravolta no PMDB do Senado é a 2ª vice-presidência. Nos bastidores, senadores queriam instalar Jucá no posto, mas peemedebistas acusam Renan de negociar a vaga para um aliado de Gim Argelo (PTB-DF). Climão De um descontente peemedebista sobre a mudança de rota na bancada na reta final da disputa: “Renan, no olho do furacão, se elege no céu de brigadeiro e por aclamação enquanto a liderança vai para o voto a voto e racha a bancada?’’. Timing Integrantes do governo, sobretudo da área econômica, não entenderam o esforço de Dilma para anunciar na TV, com pompa, o corte na tarifa de energia, pouco antes do aumento dos combustíveis. “Quem tem carro vai lembrar do que na hora de votar?”, indaga um aliado da presidente. Sintonia Os ministros Aloizio Mercadante (Educação) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento) estão cada vez mais próximos. Integrantes do governo observam que a dupla, outrora distante, agora é presença frequente em restaurantes de Brasília. Na área Joaquim Barbosa antecipou sua volta ao Supremo Tribunal Federal. O ministro, cujo retorno era previsto para o dia 1º, reassumirá a presidência da corte amanhã. Ricardo Lewandowski, interino, concedeu as liminares relativas à medida provisória do Orçamento e ao FPE. Arco... Embora evite clima de “caça às bruxas” na prefeitura, Fernando Haddad encerrará o primeiro mês de mandato reformulando o Ci-

dade Limpa, uma das vitrines de Gilberto Kassab. O petista quer direcionar o programa para a revitalização da paisagem urbana no centro. ... do futuro Além de trocar o comando das 31 subprefeituras, afastando os coronéis dos cargos de chefia, Haddad já congelou os projetos da Nova Luz e do Piritubão, tidos como prioritários pelo ex-prefeito. Lá e cá Na semana em que Dilma Rousseff receberá prefeitos de todo o país com pacote de bondades, Geraldo Alckmin dará início a rodada de reuniões com os recémempossados dos partidos que compõem sua base de apoio no Bandeirantes. Falta um O movimento que formata o novo partido de Marina Silva já montou comissões estatutárias para receber fichas de adesão e coleta de assinaturas em 26 Estados -- a exceção é o Rio Grande do Norte, onde a equipe ainda não está fechada. Trinca Em São Paulo, o trabalho será conduzido por Basileu Margarido, ex-presidente do Ibama, Ricardo Young, vereador do PPS, e Maurício Brusadin, ex-presidente estadual do PV. Contas... Indicador da Internacional Budget Partnership, que avalia a transparência orçamentária, coloca o Brasil em 12º lugar no ranking, aumentando sua pontuação em relação a 2010. ... abertas O governo brasileiro lidera a estatística na América Latina, à frente do Chile, e está no mesmo patamar dos EUA no quesito divulgação de informações detalhadas sobre o Orçamento.

Tiroteio

Frases Ninguém nunca questionou a candidatura dela no partido. Já estou trabalhando para reelegê-la, e junto com o ex-presidente Lula Rui Falcão recebe apoio da ala majoritária do PT para continuar no comando da sigla, com a presença de três condenados no julgamento do mensalão (Dirceu, Delúbio e Genoino), e garante que Dilma Rousseff é candidata do partido à reeleição.

Além disso, toda forma de preconceito tem de ser abolida e não quero crer que nenhum dos membros da banda teve a intenção de me discriminar pelo fato de eu ser mulher, comunista e ter olhos azuis Vanessa Grazziotin, não esconde, em entrevista ao Portal da Amazônia, seu desconforto em ser tema da banda da Bica, que escolheu o episódio da ���farsa do ovo” como tema do desfile deste ano.

Poucas repartições públicas têm estrutura de gente tão competente como no Senado. Uma casa de administração complexa e acredito que vamos entregar o Senado administrativamente muito bem organizado.

José Sarney (PMDB-AP), com gestões no comando do Senado marcadas por acusações como o escândalo dos atos secretos, o senador disse que vai entregar a casa “muito bem organizada” ao seu sucessor, que espera ser Renan Calheiros.

Tucanos deram duplo tiro no pé. Erraram ao boicotar a redução da tarifa e agora atacam Dilma, ignorando o benefício ao consumidor” DO PRESIDENTE DO PT-SP, EDINHO SILVA, sobre as críticas do comando do PSDB ao pronunciamento em que a presidente anunciou contas de luz mais baratas.

Contraponto

Generosidade de anfitrião Em campanha pela presidência da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) passou por São Paulo para pedir apoio à bancada do Estado. Durante jantar em tradicional churrascaria paulistana, o deputado Devanir Ribeiro (PT-SP), que é coordenador do bloco paulista, discursou a favor do candidato. Ao encerrar sua fala, sugeriu que cada participante pagasse sua parcela na conta. O colega Paulo Maluf (PP-SP), que também estava presente, arrematou: — Eu fui convidado, como todos os deputados que estão aqui, por você. Então, essa conta é sua! Publicado simultaneamente com o jornal “Folha de S.Paulo”


MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

Política

A5

Lixo, educação e saúde: os gargalos dos prefeitos Até o momento, 13 municípios decretaram estado de emergência devido à precariedade com que encontraram as prefeituras IZABEL SANTOS Especial EM TEMPO

D

esde o início do ano, 13 municípios do Estado do Amazonas decretaram situação de emergência. No entanto, não são apenas esses municípios que enfrentam dificuldades. O EM TEMPO conversou com alguns prefeitos recém-empossados, que alegam ter recebido prefeituras com problemas de infraestrutura, na saúde e na educação, e principalmente acúmulo de lixo nas cidades. Além de problemas financeiros herdados de seus antecessores. A queixa mais recorrente entre os prefeitos é em relação à coleta de lixo. Segundo o prefeito Carlos Gonçalves (PMDB), o Carlinho, do município de Uairini (distante a 570 quilômetros de Manaus), quando tomou posse a cidade estava tomada pelo lixo até na zona rural. O mesmo problema aconteceu nos municípios de Maraã, Caapiranga e Manacapuru. Nesta última cidade, o prefeito Washington Régis (PMDB), disse que em decorrência do acúmulo de detritos nas ruas estavam surgindo doenças como a dengue. Em Uarini, o gestor da cidade decretou estado de emergência. Ele diz ter recebido o município, que possui 62 comunidades, com muitas carências. Como prioridade ele estabeleceu a área de educação, precariedade das escolas. “Pegamos uma prefeitura sem estrutura para trabalhar. Estamos atendendo em uma creche”, declarou. Carlinho também afirmou que a administração municipal está com dívidas de energia elétrica e telefone. “Não houve transição. Recebemos a prefeitura sem documento nenhum. Vamos pedir ajuda ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado, para não sermos penalizados por coisas que não fizemos”, disse Carlinho, como prefere ser chamado. Já em Atalaia do Norte (distante a 1.138 quilômetros de Manaus), o novo prefeito, Nonato Tenazor (PDT) - que foi vereador por dois mandatos na sua cidade - disse que a situação do seu município não difere das demais. “Está difícil”, declarou. Tenazor vai pleitear junto ao Estado e governo federal maneiras de recuperar o município. Em Urucará, Novo Airão e Mancapuru, os prefeitos eleitos disseram que não houve processo de transição. Felipe Antônio (PSD), de Urucará, disse que o ex-prefeito se recusa a devolver documentos que pertencem ao município. Nas palavras dele, a prefeitura foi entregue “saqueada e depredada”. “Hoje estamos trabalhando para recuperar a prefeitura”, explicou. Novo Airão foi um dos municípios que decretaram estado de emergência. De acordo com o procurador-geral do município, André Souza, o ex-prefeito Leosvaldo Roque (PSD) se recusou a instalar o processo de transição. Ele também contou que os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) foram bloqueados em virtude da não prestação de contas da administração an-

terior e pendências previdenciárias do município. Em Manacapuru, Washington Régis informou que os salários dos servidores estão atrasados desde dezembro. Ele instituiu uma equipe de levantamento para saber como está a situação administrativa da cidade. O município vem de um histórico de instabilidade política no último mandato do ex-prefeito Ângelus Figueira (PV), que ao longo dos últimos 4 anos teve que se revezar no mandato com o adversário Edson Bessa (PMDB). Mesmo com todos os problemas relatados, os gestores afirmam estarem cumprindo, na medida do possível, as promessas de campanha. Segundo eles, as prioridades estabelecidas são: saúde básica, iluminação pública, de-

LEGISLAÇÃO

Ao decretar estado de emergência, o município pode dispensar licitações respaldado pela Lei de Licitações nº 8.666/1993 que institui normas para licitações e contratos da administração pública sassoreamento de igarapés, coleta de lixo, mutirões de limpeza e capinação. Transição tranquila De todos os prefeitos de municípios com os quais o EM TEMPO entrou em contato, os únicos que relataram ter tido uma transição tranquila foram os de Presidente Figueiredo e Manicoré. O representante de Presidente Figueiredo em Manaus afirmou que o município foi entregue regularizado e com dinheiro em caixa para cumprir com os compromissos do município. O prefeito Neilson Cavalcante (PSB) afirmou que o município tem problemas como qualquer outro, mas a situação não está crítica como em outras cidades amazonenses. “Recebi um município bem estruturado”, declarou.

Obrigação de prestar contas Mesmo que o município se encontre em situação de emergência o administrador tem a obrigação de prestar contas das despesas realizadas durante o período, é o que informa o conselheiro-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), Érico Desterro. O conselheiro também afirma que os prefeitos devem informar ao tribunal o que foi feito e porque foi feito durante esse período. Desterro acrescentou que a situação não exime o gestor de provar que os valores praticados são compatíveis com os do mercado.

Municípios em estado de emergência Benjamin Constant Beruri Coari Envira Ipixuna Itacoatiara Maués Nova Olinda do Norte Novo Airão Parintins Rio Preto da Eva Tefé Uairini


Política

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

CNJ votará relatório na primeira sessão do ano

Cláudio Humberto COM ANA PAULA LEITÃO E TERESA BARROS

www.claudiohumberto.com.br

Tenho por norma, quando deixo cargos, não olhar para trás” JOSÉ SARNEY (PMDB-AP), ao final de sua quarta presidência no Senado Federal

Aneel não cogita devolver cobranças indevidas Tem que ser “pessimista”, ao contrário do que sugeriu Dilma na TV, ao anunciar a redução de 18% na conta de luz residencial: o Tribunal de Contas da União mostrou que deveriam ser devolvidos R$ 7 bilhões cobrados a mais, por erro na metodologia nos cálculos das tarifas. O ministro Valmir Campelo despachou o caso para a Agência Nacional de Energia Elétrica, que não cogita devolver o afano ao consumidor. Põe na conta A Aneel desqualificou a auditoria do TCU, afirmando que não cabe devolução dos cálculos errados de tarifas entre 2002 e 2009. No limbo A questão está no limbo do governo, mas se confirmada a auditoria, o governo está bancando a redução com o próprio bolso do contribuinte. A conta é nossa O governo põe num bolso e tira do outro: o Tesouro Nacional vai torrar R$ 8,46 bilhões para bancar a redução das tarifas de energia elétrica. Partir pra cima Lideranças ambientalistas organizam encontro em Brasília, na primeira quinzena de março, para discutir “agenda menos defensiva” para 2013. Crendice em Angola ‘explica’ fortuna de Santos Em Angola, difunde-se uma história que não conseguiria prosperar nem no Brasil dos mensaleiros, sobre a origem supostamente “limpa” da fortuna de Isabel dos Santos, filha do presidente José Eduardo dos Santos, que segundo

a revista Forbes, é a primeira bilionária da África. Os angolanos são levados a acreditar que a fortuna dela vem de uma cobra, pertencente ao seu marido, que “cospe dinheiro” todos os dias. Planos para 2014 Em Alagoas, aliados de Renan Calheiros (PMDB), favorito a presidir o Senado, dizem que ele lançará Renan Filho para governador, em 2014. Juntos e misturados Michel Temer presidente e o senador Valdir Raupp (RO) como vice vão reeditar a chapa para o comando do PMDB na convenção de maio. Ameaça baiana O ex-ministro Geddel Vieira Lima não descarta disputar o comando do PMDB contra Michel Temer, mas diz que só decidirá depois. Porta dos fundos A Funai sabe, mas fingese de morta: índios estariam contrabandeando nióbio “a pedidos” na Reserva Raposa do Sol, em Roraima. Morro dos Seis Lagos, em São Gabriel da Cachoeira (AM), tem a maior reserva do mundo do mineral, que, segundo experts, “poderia salvar o Brasil”. Mão que lava outra Agora com apoio do Planalto na disputa pela liderança do PMDB na Câmara, o deputado Sandro Mabel (GO) foi muito útil nas tentativas de ferrar o governador Marconi Perillo (PSDB) na CPI do Cachoeira. Só cargo resolve O presidente do PSD, Gilberto Kassab, vai este fim de semana à Bahia para tentar acalmar os ânimos do vicegovernador, Otto Alencar,

Jornalista

A reunião do Conselho acontece depois de amanhã em caráter extraordinário. O documento vai para o Congresso GIL FERREIRA/AGÊNCIA CNJ

A6

que diz ter sido abandonado pelo partido e preterido em relação a SP. País imaginário A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) diz que 24 milhões saíram da pobreza “graças aos benefícios do INSS”. E que quanto mais idade, menos pobre. Só 10% seriam “pobres” aos 70 anos. Conversa animadora O deputado Lincoln Portela (PR-MG) contou o entendimento animador com madame: “Tive uma conversa muito boa com a presidente Dilma, e o partido não tem nenhum sentimento de oposição”. Missão impossível A deputada Rose de Freitas (ES) – que disputa o comando da Câmara para “valorizar o passe” – terá dificuldades de concorrer ao Senado pelo PMDB em 2014. Paulo Hartung já passou a deputada para trás. Mão lava outra Candidato a presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN) se comprometeu, caso eleito, a fazer reunião com os 27 governadores ainda em março para tratar de FPE, dívidas dos Estados, royalties... Mais preparado Fábio Ramalho (PV-MG) abandonou o conterrâneo Júlio Delgado (PSB) para coordenar a campanha do adversário Henrique Alves (RN) ao comando da Câmara: “Ele tem 42 anos de Casa”, justifica.

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) retoma suas sessões na próxima terça-feira, dia 29

N

a primeira sessão plenária do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em 2013, que ocorrerá no próximo dia 29 de janeiro e em caráter extraordinário, será votado o Relatório Anual CNJ 2012 e outros temas da pauta. O documento será entregue ao Congresso Nacional, em 1º de fevereiro, durante a abertura da sessão legislativa, conforme estabelece o inciso VII do artigo 103-B da Constituição Federal. O balanço de 2012 relata atuação expressiva, com a realização, pelo plenário, de 21 sessões de julgamento. Nesse período, o Conselho também autuou 7.797 procedimentos, entre os quais os de controle administrativo, e

concluiu 6.539 deles. Ainda editou 25 novas resoluções e recomendações e, no campo correcional, puniu 10 magistrados, afastou preventivamente outros seis e abriu 11 procedimentos administrativos disciplinares. Também nesse ano, o CNJ desenvolveu uma série de ações, a maioria com vistas à maior transparência, eficiência e modernização das cortes brasileiras. Pela primeira vez, coordenou a aprovação de uma meta nacional para acelerar a conclusão das ações judiciais relacionadas aos crimes de improbidade e corrupção. Além disso, aprovou a aplicação das regras da ficha limpa para as pessoas nomeadas para ocupar cargo em comis-

são ou função de confiança no Poder Judiciário. O CNJ tem desenvolvido ações para sanar a morosidade, um dos principais problemas do Judiciário brasileiro. Entre essas medidas, destaca-se o Processo Judiciário Eletrônico (PJe), que chegou a 37 tribunais e seções judiciárias no ano passado. A primeira sessão plenária de 2013 foi convocada pelo presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, por meio da portaria nº. 215, publicada em 18 de dezembro. As sessões ordinárias, por sua vez, estão previstas para começar no dia 5 de fevereiro. O plenário se reúne na sede do CNJ a cada 15 dias.

DE VETOS JOSÉ CRUZ/ABR

Paralelo Assim como tem o dólar oficial e o paralelo – observa um leitor – o Brasil tem também a presidente oficial e Lula, o presidente paralelo.

PODER SEM PUDOR

Como lidar com bajuladores Os políticos estão sempre cercados de bajuladores, e gostam. Mas houve exceções como Antônio Carlos Andrada, presidente de Minas Gerais. Ele retornava de uma viagem à Europa quando um assessor bajulador tomou uma lancha no cais e foi recebê-lo ainda a bordo do navio, antes mesmo de o ilustre político reencontrar a própria família. O presidente se vingou: - Você está cada vez mais careca! O puxa-saco respondeu, nojento: - Sim, mas cada vez mais amigo de Vossa Excelência!

Vice-líder do DEM, deputado Ronaldo Caiado (à esq.), está à frente das articulações

Ruralistas articulam derrubada

TJPB

Correição no setor de precatórios A Corregedoria Nacional de Justiça inicia na próxima quarta-feira uma correição no Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) com foco no setor responsável pela gestão de precatórios. O corregedor Nacional de Justiça, ministro Francisco Falcão, estará em João Pessoa entre quarta e sexta-feira para acompanhar os trabalhos. A correição será feita junto às unidades administrativas da Justiça estadual de Primeiro e de Segundo Grau.

Durante o trabalho, a equipe técnica da Corregedoria vai verificar o repasse dos valores devidos pelo governo estadual para pagamento dos precatórios e o cumprimento, pelo Tribunal, da ordem cronológica de pagamento, conforme prevê a Emenda Constitucional nº 62 e a Resolução n° 115 do CNJ. Trabalhos O trabalho foi determinado pelo corregedor nacional

de Justiça, ministro Francisco Falcão, em portaria publicada no último dia 3 (Portaria 155). Entre os fatos que motivaram a correição, segundo a portaria, está a ordem de repasse imediato de verba orçamentária destinada a honrar precatórios requisitórios inscritos por determinação judicial, feita pela Presidência do TJPB ao governo do Estado, além de divergências sobre o montante a ser repassado.

Mal entrou em vigor, o novo Código Florestal (Lei 12.651/12) inicia 2013 em meio a polêmicas. No Congresso, a bancada ruralista se articula para derrubar os vetos da presidente da República, Dilma Rousseff, ao texto. O vice-líder do DEM e integrante da Frente Parlamentar do Agronegócio, deputado Ronaldo Caiado (GO), quer aproveitar a análise de mais de 3 mil vetos presidenciais, que o Congresso poderá fazer em fevereiro, para resgatar o texto aprovado pelos parlamentares, sobretudo quanto à recuperação de áreas de preservação permanente (APPs). “Foi acordado que a recuperação das áreas que já estão produzindo teriam uma escala em menor proporção, ou seja, elas teriam de ser avaliadas sobre a real necessidade de sua preser-

vação. E, no caso dos cursos d’água acima de 10 metros, teríamos uma graduação menor na metragem. Esse foi o acordo feito e que, infelizmente, não foi respeitado pela presidente”, argumenta Caiado. Vetos O projeto original (PL 1876/99) do novo código, aprovado pelos parlamentares em maio do ano passado, já havia sofrido vetos parciais, que foram complementados pela medida provisória 571/12. Essa MP (convertida na Lei 12.727/12), porém, após ser modificada pelos parlamentares, também teve nove itens vetados por Dilma, em outubro, sob o argumento de não anistiar desmatadores e garantir a inclusão social no campo. Desde então, um decreto presidencial resgatou a chamada “escadinha”, que

traz regras diferentes de recomposição das margens desmatadas de rios, de acordo com o tamanho da propriedade. O novo Código também é alvo de três ações diretas de inconstitucionalidade (Adins) movidas pela Procuradoria Geral da República (PGR), no Supremo Tribunal Federal (STF). O MP questiona vários dispositivos da nova lei, entre eles a definição de APPs, a redução da reserva legal e a chamada anistia para quem desmatou até julho de 2008. O coordenador de política e direito do Instituto Socioambiental, Raul do Valle, avalia que, apesar do atual momento de insegurança jurídica, o pior cenário seria a manutenção de uma lei que, segundo ele, possui itens inconstitucionais e que afetam o equilíbrio ecológico. “Haverá insegurança jurídica”, disse.


Com a palavra

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

A7

FOTOS: DANILO MELLO

Fabrício LIMA

‘O esporte PODE MUDAR O SER humano’ ISABELLA SIQUEIRA Equipe EM TEMPO

R

As coisas foram amadurecendo. O convite para que eu continuasse secretário só veio no mês de dezembro, acompanhado de uma série de recomendações”

ecém-empossado titular da Secretaria Municipal de Desporto, Lazer e Juventude (Semdej) na prefeitura de Arthur Neto, o vereador licenciado Fabrício Lima, 37, é um dos poucos secretários da gestão anterior que permaneceu no cargo. Apaixonado por esportes, Fabrício, que já está na quarta legislatura de vereador, trocou o paletó e gravata por tênis de corrida, e se diz realizado com a escolha. Para os próximos 4 anos, Fabrício revela que pretende dar continuidade ao trabalho que vem realizando na área de esporte e revela também, que pretende investir em campanhas de conscientização da população em preservar o patrimônio público, como as quadras e áreas poliesportivas. “Existem centros esportivos que recuperamos na administração passada, e que agora precisam de novos reparos porque tiveram roubadas lâmpadas, torneiras e portas. A população precisa enxergar que isso é um patrimônio de todos”, comenta. Com veia de atleta, Fabrício acorda às 4h30 da manhã todos os dias da semana para praticar esportes e, às 7h30 já está na secretaria, onde encerra expediente somente após as 20h. Casado e pai de uma menina de 7 anos, ele declara que, nos curtos espaços livres de tempo, tem como sua melhor programação ficar ao lado da família. Em entrevista ao EM TEMPO, Fabrício falou sobre as diferenças de administrar de Amazonino Mendes e Arthur Neto, dos projetos para o futuro na secretaria, da preparação da cidade para sediar a Copa do Mundo e dos programas sociais para área de lazer. “O esporte é um dos meios que mais ajuda na mudança e formação do ser humano. Quero despertar esse espírito de atleta na sociedade”, diz. EM TEMPO – O senhor foi um dos poucos secretários da gestão passada que permaneceu no cargo. Como foi essa “costura” para per-

manecer na cadeira? Fabrício Lima – Fui o primeiro parlamentar a declarar apoio à candidatura de Arthur Neto publicamente quando ele apresentou seu nome à disputa. Coloquei-me à disposição para contribuir na área de esporte. Mas, não fiz isso por interesse de cargo. As coisas foram amadurecendo. O convite para que eu continuasse secretário só veio no mês de dezembro, acompanhado de uma série de recomendações. O Arthur tem um grande carinho pelo esporte e está atento para que façamos um bom trabalho. Ele acompanha todo nosso trabalho de perto. Já recebi vários recortes de jornais com matérias voltadas ao esporte que vieram com recomendações escritas à mão por ele demonstrando sua atenção ao caso. EM TEMPO – Você teve a oportunidade de trabalhar com Amazonino Mendes e Arthur Neto. Qual a diferença de administrar dos dois? FL – São perfis diferentes, os dois me deram uma atenção excelente. Conheço ambos pelo olhar. O Amazonino foi o cara que me deu a oportunidade de ser secretário, acreditou no meu potencial. Ele administrou a cidade como um grande técnico de futebol, sempre na beira do campo dando direcionamento para equipe. Já o Arthur se encaixa no perfil de capitão de um time: sempre batendo bola com os demais jogadores e dando instruções de como atuarem em um dia de jogo decisivo. Ele lidera pelo exemplo. EM TEMPO – O que ficou pendente da administração passada e que agora vai sair do papel? FL – Com o alicerce que construímos e com a força de vontade do Arthur acredito que iremos realizar grandes investimentos na recuperação das praças esportivas, sem parar com a socialização do esporte na região. Quero também despertar nas pessoas a cultura de preservar o patrimônio público. Tem centros esportivos que recuperei no ano passado, mas já estão

precisando de manutenção. Algumas pessoas precisam entender que aquela estrutura servirá a eles e a preservação da estrutura é o melhor caminho. EM TEMPO – Qual é o orçamento da secretaria para o ano de 2013? FL – Vamos trabalhar com um repasse de R$ 22 milhões, mas esse valor será também para disponibilizar recursos à Secretaria de Juventude. EM TEMPO – Nessa nova gestão, as secretarias de Esportes e Juventude se fundiram. Como será a administração dessa pasta para que apenas uma não seja beneficiada? FL – Quero aproveitar esse gancho do esporte para unir a juventude. O esporte pode mudar o ser humano e quero oferecer essas oportunidades aos jovens. Tenho conversado também com outros secretários, como Cultura, Educação e Meio Ambiente para criar uma articulação dessas pastas voltada para juventude. EM TEMPO – Um dos investimentos da Semdej na gestão passada foi a implantação do “Bolsa Atleta”. Esse benefício vai se expandir? FL – Atualmente, temos 16 atletas recebendo esse benefício de R$ 4 mil por mês. Queremos crescer nisso, mas esse recurso não é distribuído, e sim, selecionado. O atleta precisa conquistar essa bolsa e para isso precisa desenvolver um alto rendimento na área de esporte. Para que o atleta seja selecionado é preciso que tenha sido convocado para a Seleção Brasileira de Esporte Olímpico, tenha acima de 13 anos e estar federado em Manaus. EM TEMPO – Nos últimos anos tivemos um aumento expressivo no número de pessoas praticando esportes. Corrida e passeios ciclísticos se tornaram “febre” na cidade. Qual a sua avaliação sobre isso? FL – De verdade, eu fico emocionado quando vejo isso. Sei que tenho uma participação nesse legado. Quero

cultivar nas pessoas essa prática de esportes. Uma pessoa que pratica atividades físicas apresenta ótimos resultados na saúde, na vida pessoal, no trabalho, na escola. Até os centros de saúde são beneficiados porque teremos menos gente doente. O esporte é uma questão de saúde preventiva. EM TEMPO – Quais são os principais projetos da secretaria para esse primeiro trimestre? FL – Esta semana estarei em Brasília para uma reunião com o presidente da Confederação Brasileira de Skate onde apresentarei duas propostas: a realização de uma etapa do campeonato brasileiro na reinauguração da nova pista na Ponta Negra, e trazer também a megarrampa com grandes nomes do esporte em Manaus. Estamos articulando a realização de mais uma etapa do campeonato do Beach Soccer na cidade, também quero tirar do papel o programa Segundo Tempo. EM TEMPO – O senhor será o secretário municipal de Esporte no período da Copa do Mundo. Como Manaus vai se apresentar para esse evento? FL – Ao contrário do que muitos dizem, eu não acredito que deveremos fazer vergonha na Copa. Temos dois grandes administradores no Estado. As obras do estádio estão bem adiantadas. Temos um povo que recebe o turista da melhor forma possível. Precisamos apenas fazer alguns ajustes e juntar forças para demonstrar um grande espetáculo. EM TEMPO – Mas, na sua secretaria existe algum trabalho focado para Copa? FL – Esse é um objetivo nosso, mas para mim o que mais importa não é o jogo. Mas, o legado que iremos receber. Ganhamos um estádio (da Colina) reformado, com capacidade para cinco mil pessoas, que será aqui na mini-vila do Coroado e mais um de dez mil lugares na Zona Norte. Ganhamos pistas olímpicas, e isso tudo só irá beneficiar a população.

Quero aproveitar esse gancho do esporte para unir a juventude. O esporte pode mudar o ser humano e quero oferecer essas oportunidades aos jovens”

Ao contrário do que muitos dizem, eu não acredito que deveremos fazer vergonha na Copa. Temos um povo que recebe o turista da melhor forma possível”


A8

Política

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

Congresso retornará ao trabalho com polêmicas

Na próxima sexta-feira, o Senado deve eleger seu novo presidente, enquanto na Câmara, a eleição fica para 4 de fevereiro

O

tema do momento no Congresso Nacional é a sucessão presidencial nas duas casas, mas os líderes já começam a discutir os próximos passos para o início do semestre legislativo. Nos próximos dias, as bancadas na Câmara e no Senado começam a se reunir para definir suas prioridades para 2013. Temas polêmicos não vão faltar: do veto à nova distribuição dos royalties do petróleo ao Orçamento de 2013, passando pela reforma política, até o novo modelo do Fundo de Participação dos Estados (FPE). No final do ano passado, levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) mostrou que a produção legislativa no Congresso diminuiu o ritmo. Por isso, uma série de temas polêmicos acabou ficando para os próximos meses. Alguns chegaram a ser colocados em pauta e até discutidos em plenário. Porém, na hora de votar, a falta de acordo entre parlamentares acabou levando as matérias de volta ao limbo. Exemplo disso foram o marco civil da internet e a reforma política. A criação de uma espécie de Constituição da rede mundial de computadores chegou a entrar na pauta do plenário da Câmara quatro vezes. No entanto, a pressão dos provedores acabou surtindo efeito. Pontos como a

FÁBIO RODRIGUES POZZEBOM/ABR

neutralidade da rede e a guarda dos registros dos usuários causaram polêmica e impediram a votação do projeto. Política A reforma política também entrou em pauta em dezembro, reduzida a apenas quatro temas: financiamento público de campanha, fim da possibilidade de coligação nas eleições proporcionais (para vereador, deputado estadual e deputado federal), o sistema belga de votação (em que o eleitor vota nas eleições proporcionais na lista do partido ou no candidato da sua preferência) e a coincidência das eleições. Outro tema polêmico é a criação de uma nova distribuição do Fundo de Participação dos Estados (FPE). A atual forma foi declarada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2010. Na época, a corte deu prazo até dezembro passado para o Congresso estabelecer um modelo alternativo. Porém, até hoje isso não aconteceu. Na Câmara, tramitam 19 propostas, enquanto no Senado outras dez. A indefinição acabou voltando ao Supremo Tribunal Federal. No início da semana, governadores de quatro Estados entraram com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) pedindo que o prazo dado pela mais alta corte do país seja prorrogado. ARQUIVO EM TEMPO/ALEX PAZUELLO

ICMS e Plano de educação na pauta Já a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, disse, na última quarta-feira, após encontro com o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), que as prioridades do governo para este ano no Congresso incluem a conclusão da votação do Plano Nacional de Educação (PNE), em análise no Senado, e a aprovação da proposta que unifica a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Entre os partidos de oposição, a tendência é que as bancadas se reúnam a partir da primeira semana de fevereiro. O líder do PPS, Rubens Bueno (PR), disse que os deputados do partido vão se reunir em 4 de fevereiro. Entre os projetos considerados prioritários, estão o fim do 14º e do 15º salários dos parlamentares e do voto secreto. Ambos estão parados nas comissões permanentes. Na véspera de mais um ano eleitoral, o Congresso tem muitos assuntos pendentes para votar

ALTO SOLIMÕES

TJAM vai construir fórum em Benjamin Constant

Moutinho anuncia construção de fórum no Alto Solimões

O presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Ari Moutinho, informou que a instituição pretende construir um fórum de Justiça em Benjamin Constant (1.116 km de Manaus). Desde a última quarta-feira, Moutinho e o vice-presidente, desembargador Wilson Barroso, estão em visita a várias comarcas do Alto Solimões, a fim de verificar o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Poder Judiciário nesses municípios e as condições estruturais dos

cartórios das comarcas. “Estamos aqui com o motivo primordial de verificar as condições do terreno doado pela prefeitura para a construção de um fórum. Para mim, trata-se de um momento especial porque tive a felicidade de nascer nesse município e assumo o compromisso de deixar um fórum digno aos anseios da população de Benjamin Constant”, declarou o presidente. A unidade do Poder Judiciário será construída ao lado do cartório eleitoral do município.

O presidente do TJAM afirmou que o interior do estado precisa de mais juízes. “Há uma necessidade urgente de dotar esses municípios (do Alto Solimões) de juízes. No município de Tabatinga (distante a 1.105 quilômetros de Manaus), há uma carência de magistrados. E o povo tem sede de Justiça. Temos que usar de nossos melhores esforços para dotar os municípios com mais magistrados. E é importante a presen-

ça deles na cidade, pois o juiz passa a ser um grande pacificador, traz a paz social e também inibe a criminalidade, tornase um educador social”, acrescentou. Digital O Tribunal de Justiça do Amazonas também está implantando nas comarcas do interior do Estado a digitalização de todos os processos que tramitam nos fóruns, classificado de Processo Judicial Digital (Projud).

DIEGO JANATÃ

EVENTO MUNDIAL

Juizados também se preparam

Tribunais planejam como vão atender durante a Copa Os tribunais com jurisdição em cidades que sediarão jogos da Copa das Confederações 2013 e da Copa do Mundo 2014 devem apresentar ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em fevereiro, seus planos para a prestação jurisdicional em casos decorrentes dos eventos esportivos. “A ideia é que o usuário dos serviços judiciais não saia do local de atendimento sem uma solução para seu problema”, explica Mariella Ferraz de Arruda Nogueira, juíza auxiliar da Corregedoria do CNJ. Os tribunais devem propiciar

Interior necessita de juízes

atendimento nos aeroportos (Juizados dos Aeroportos), estádios (Juizados do Torcedor) e nos locais de grande aglomeração de pessoas (Juizados Itinerantes). Para permitir resposta rápida às demandas, especialmente as que envolvam estrangeiros, serão feitas parcerias com defensores públicos, Ministério Público e Ordem dos Advogados do Brasil. Na última quarta-feira foi feita uma reunião com juízes que atuam nos locais dos jogos e integram o grupo de trabalho da Corregedoria para planejar esse atendimento.

Na reunião, ressaltaram que os juizados devem estar preparados para resolver demandas nas áreas cível, criminal e da infância e juventude. “A Justiça terá de estar presente em competência que supere a atuação dos juizados já em funcionamento”, comentou a juíza. De acordo com Mariella, alguns tribunais já acumularam experiência no atendimento de grandes eventos, como os Jogos Pan-Americanos, o que facilitará o trabalho durante os jogos da Copa Manaus será uma das sedes e está construindo uma arena

das Confederações. O grupo instituído pela Corregedoria vai trabalhar em sintonia com o Fórum Nacional de Coordenação das Ações do Judiciário na Copa do Mundo e das Confederações, sob a coordenação do conselheiro Bruno Dantas. A Corregedoria deve apoiar os tribunais nas questões práticas, enquanto o fórum cuidará das questões gerais. O modelo a ser adotado, segundo a juíza, deve ser semelhante ao utilizado por outros países que sediaram as últimas copas do mundo.


Caderno B

Economia MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

economia@emtempo.com.br

(92) 3090-1045

SHANA REIS/ARQUIVO EM TEMPO

PIM pode concentrar produção Economia B3

Manauenses esperam até três meses por carro zero Demora é justificada pela alta demanda por veículos novos com IPI menor, o que esgotou a pronta-entrega nas lojas

Segundo as concessionárias, veículos importados demoram mais para chegar por conta do trâmite da nacionalização

RECLAMAÇÕES

Para atender os clientes e não perder vendas, as concessionárias solicitam os carros direto das fábricas, mas a espera pode chegar a 90 dias. O longo prazo tem gerado insatisfação na cidade não deu importância para o pedido do casal. “A gerência chegou a alegar que não tinha dado prazo. Não pediu desculpas pelo atraso e ainda disse que se a gente quisesse poderíamos pegar o dinheiro de volta”, lembra. O atraso dos pedidos não ocorre apenas na Hyundai. Clientes de outras concessio-

nárias de Manaus estão passando pela mesma situação. O engenheiro civil Daniel Barreto esperou 180 dias por um Volksvagen modelo Jetta, fabricado no México. A espera pelo veículo se tornou um pouco mais angustiante, uma vez que o automóvel “espera” em torno de 45 dias em São Paulo pelo documento de nacionalização e só depois é faturado. “Eu não tinha pressa para ter o carro, pois não ia me desfazer do que eu usava, mas era chato não ter ideia de quando ele ia chegar. Dez pessoas que compraram na mesma época que eu desistiram”, destaca. Espera de cinco meses O advogado Victor Motta solicitou um veículo Palio, da marca Fiat, e passou quase seis meses esperando o pedido, que não tinha previsão de entrega. “Com quase cinco meses, quando a loja informou que iam emitir a nota fiscal do automóvel, decidi cancelar. Se eu tivesse deixado de lado, acabaria ficando dez meses sem carro. Troquei o pedido por um que entregavam na hora”, salienta.

JOEL ROSA

A

“corrida” dos manauenses às concessionárias, devido à redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), resultou na falta veículos a pronta-entrega na capital amazonense. Para atender os clientes e não perder a venda, as lojas solicitam os automóveis das fábricas, mas a espera pode chegar a até três meses. Foi o caso do advogado Marcio Azêdo, que deu entrada em um HB20, lançamento da Hyundai, mas acabou desistindo da reserva por conta da demora. “Negociei o veículo em outubro e paguei 50% do valor para garantir que teria o carro do meu gosto, esperei por 90 dias e desisti”, lamenta. De acordo com o advogado, a concessionária deu um prazo de 45 dias para a chegada do veículo mas, conscientes de que não conseguiriam atender ao pedido, funcionários da loja ligavam para oferecer modelos inferiores, já que não havia previsão para a chegada do modelo escolhido.

Na tentativa de resolver o problema, a esposa do advogado, Vanuce Azêdo, decidiu utilizar as redes sociais. “Fiquei revoltada com o descaso do gerente em relação a nossa compra e externei a minha insatisfação no Facebook”, explica. Vanuce diz, ainda, que a loja

Consumidores têm recorrido às redes sociais para expor as reclamações sobre a espera

Demanda maior do que a oferta A justificativa das concessionárias de Manaus para os atrasos é a alta demanda de pedidos devido ao IPI menor. De acordo com o gerente de vendas da Hyundai, Vivaldo Santos, a concessionária faz o possível para contornar a situação. Sobre a oferta de outros modelos, o gerente afirma que é uma prática da empresa, pois precisa dar prioridade aos clientes que estão na espera. “Estamos trabalhando com reservas e listas de espera. Mas, o cliente tem suas necessidades e acaba desistindo da com-

pra por conta da demora e por precisar de um carro com urgência”, ressalta. Em relação aos veículos importados da Volkswagen, o gerente-geral da Solimões Veículos, Paulo Cunha, explica que esses carros dependem de acordos entre as montadoras do Brasil e do México, país onde são industrializados alguns automóveis da marca. “É feito um trâmite para nacionalizar o veículo para que ele possa ser faturado. Somente após essa etapa o veículo é enviado a Manaus”, detalha. Cunha assegura, ainda, que os carros nacionais não cos-

tumam passar mais de 30 dias para serem entregues aos clientes, pois não dependem da burocracia da nacionalização. A concessionária Murano, revendedora da Fiat, por meio da assessoria de imprensa, justifica a demora na entrega pela falta de peças na fabricante dos veículos, o que deixa as concessionárias a mercê das montadoras.

DIEGO JANATÃ

CAROL CASTRO Especial EM TEMPO


B2

Economia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

Administradoras marcam presença em condomínios Empresas “desembaraçam” serviços burocráticos e facilitam a vida de manauenses que moram em apartamentos

C

om o “boom” imobiliário em Manaus, morar em condomínios fechados se tornou comum, mas pode ser uma verdadeira dor de cabeça para os proprietários e, principalmente, para os síndicos. Para “desembaraçar” as questões burocráticas desse tipo de moradia, o mercado de administradoras de condomínio ganha espaço na cidade. Segundo o Sindicato dos Empregados em Condomínios e Empresas Prestadoras de Serviços em Manaus (Sindecomprests), 15 grandes empresas prestam o serviço de administração para 1,7 mil condomínios na capital. “Nos últimos cinco anos registramos aumento de administradoras e de empresas prestadoras de serviço. Muitos condomínios têm a própria administração, mas o serviço terceirizado é uma tendência na cidade”, afirma o diretor do sindicato, Júlio César Nascimento. Para o administrador de empresas e consultor em condomínios, da Valor Administradora, Shimon Assayag, administrar um edifício é como gerenciar uma empresa. “É como se fosse uma mini prefeitura. O síndico precisa controlar contas, pagar contribuições, contratar profissionais terceirizados, tudo isso somado às suas atividades pessoais e profissionais. O que a administradora faz é dar um suporte para ele, executando tarefas que dificilmente seriam realizadas por um quadro de pessoal sem preparo para a função”, explica. A principal vantagem do serviço, segundo ele, é colocar o prédio nas mãos de um especialista. “O administrador sabe dos encargos, tem obrigação de pagar em dia, de fazer cobranças e realizar todas as funções para que o morador não seja surpreendido”, detalha.

RICARDO OLIVEIRA

Variação de valores Segundo o especialista, o valor do serviço varia com o tamanho do condomínio e da quantidade de moradores. “Em um edifício de 30 apartamentos com uma taxa de condomínio a R$ 500, o valor recolhido no final de cada mês seria R$ 15 mil. Desse total, caso os moradores escolham por adquirir o serviço, é descontado um porcentual”, contabiliza. Conforme a Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios (AABIC),

MERCADO Quinze grandes empresas prestam o serviço de administração para 1,7 mil condomínios na capital amazonense. Muitos condomínios têm a própria administração, mas o serviço terceirizado é uma tendência essa “fatia” gira em torno de 6% a 10% da arrecadação do condomínio, se contratado o pacote completo de serviço. “Essa variação também depende do tipo de serviço contratado. Os moradores podem optar apenas pela contratação do serviço contábil, por exemplo”, acrescenta Assayag. Ao todo, o serviço oferece vantagens que, dependendo do pacote, incluem gestão contábil, financeira, pessoal e logística, além de assessoria jurídica, prestação de contas e assistência geral a síndicos e moradores. O consultor em condomínios esclarece que existe, em alguns casos, uma parceria entre construtora e administradora, já definida na compra do imóvel. “Mas os moradores podem trocar de empresa após um ano”, completa.

A principal vantagem do serviço ofertado pelas empresas é colocar o prédio nas mãos de um especialista em administração

Dicas para contratar o serviço de gestão Mesmo com o serviço oferecido há anos, o consultor em condomínios da Valor Administradora, Shimon Assayag, aconselha a ter cautela na hora da contratação da administradora de condomínios . “É preciso saber se a em-

presa tem endereço fixo, pedir o contrato social, se informar se ela possui profissionais com registro do Conselho Regional de Administração (CRA), quem são os sócios, entre outros cuidados”, detalha. Outros dois aspectos

merecem atenção. A administradora precisa ser de confiança. “Isso porque ela cuida da contratação dos funcionários, em especial dos vigilantes. O morador tem que confiar em quem cuida da sua casa”, alerta o consultor em condomínios.

Um último conselho é verificar quantos clientes a administradora gerencia na cidade. “Existem empresas que dão suporte a um número excessivo de condomínios. Com isso, o resultado é um serviço de baixa qualidade”, destaca Assayag.

Alfredo MR Lopes alfredo.lopes@uol.com.br

Sinergia inadiável Os gregos esbanjavam precisão e clareza sempre que migravam conceitos da física para explicitar fenômenos no cotidiano das humanidades. É o caso do conceito de sinergia, que ilustra com eloquência a amplitude das vantagens desse exercício de inteligência e elucidação. Usado na fisiologia para descrever ações interligadas na execução dos movimentos de sistemas, de elementos anatômicos ou biológicos, a sinergia se aplica nas ações de cunho social para destacar os resultados substantivos da coesão dos membros de um grupo ou da coletividade em prol de um objetivo comum. Sua antonímia, a propósito, de acordo com os dicionários, é mais eloquente ainda e se resume a um único conceito: a desinteligência. São magros, pois, e asnos, os resultados das ações solitárias. Com efeito, quando se trata de ações ou projetos de intervenção no bioma amazônico, por sua fragilidade e complexidade, o axioma grego ganha estatuto de necessidade, fundado na comprovação empírica e histórica, e se configura como pano de fundo e requisito de sólidas parcerias como promessa e conquista de efetivos resultados. Tem sido assim. Nesta semana tive a oportunidade de acompanhar uma comitiva do , Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), uma instituição financeira criada, no âmbito das Américas, há mais de meio século, para o combate da pobreza e redução das desigualdades, comprometida em seu ideário com os parâmetros de crescimento

socioeconômico na perspectiva da sustentabilidade. Na agenda de visitas aos vários organismos e entidades locais – para a prospecção de parcerias interinstitucionais - o que mais chamou a atenção foi uma vontade coletiva, inexplicavelmente contida, de avançar no atendimento de um clamor generalizado de diversificação e interiorização da economia e da prosperidade. Uma convicção que, à luz da concentração de negócios na capital, se confirma na multiplicidade de iniciativas, de atores e setores empenhados em estudar, propor e materializar projetos coerentes com as vocações econômicas fundadas nos insumos regionais. Um cardápio variado e estimulante de oportunidades na perspectiva daquilo que, à boca pequena, se está chamando de Plano B, em consonância ou por consequência, do modelo incentivado da Zona Franca de Manaus. As experiências são múltiplas, os ensaios promissores e os avanços, muitos deles, robustos e elucidativos. O polo industrial se expande, mas tem data de vigência fiscal e restrições infraestruturais. No relato das entidades, emergiram as experiências do setor agrícola, as novas cadeias produtivas; em se tratando de novas tecnologias, o encanto das conquistas da Fucapi, na inovação e no design tropical... No âmbito estadual, os novos arranjos produtivos da conservação e manejo florestal, as promessas da geodiversidade, da aquicultura, do polo de fertilizantes, naval, gás-químico, as experiências simbólicas, proféticas e

arrojadas da Agência de Financiamento, seus percalços, crenças e conquistas, concomitantes à união de missões e propósitos do Inpa/ Suframa, otimizando presença e recursos federais na região, apostando na migração do conhecimento e dos projetos desde o laboratório até o chão de fábrica. Enfim, uma listagem de ações robustas que sugerem a iminência de significativas transformações. Faltam, porém, cientistas, são escassos os tecnólogos, ausentes os protocolos de ordenamento dos marcos regulatórios, e precária a oferta de gestores e empreendedores que sistematizem projetos e parcerias, que levem adiante a evidência das novas perspectivas de bons resultados propiciados por numerosas unidades demonstrativas na produção de alimentos, serviços ambientais, oportunidades em todos os níveis e arranjos funcionais. Falta, sobretudo, cumplicidade, que começa pela socialização da informação, das demandas, dos acertos e, inclusive, dos fracassos, na medida em que o somatório de inteligências e esforços são garantias efetivas de superação e ajustes. Essa conjunção de energias – a sinergia imperativa e inadiável - vai assegurar otimização de recursos, identificação de fragilidades, intercâmbio de sugestões e proposições de saídas, que vão motivar e autorizar o desembarque de novos apoios e de efetiva solidariedade institucional.

Alfredo MR Lopes Filósofo e ensaísta

Quando se trata de ações ou projetos de intervenção no bioma amazônico, por sua fragilidade e complexidade, o axioma grego ganha estatuto de necessidade”


Economia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

B3

Produção de tablets pode se concentrar em Manaus Direitos constitucionais e incentivos fiscais podem atrair mais fabricantes do eletroeletrônico para o polo neste ano

WERTHER SANTANA/AE

JULIANA GERADO Especial EM TEMPO

E

m posição favorável na guerra fiscal contra São Paulo, o Amazonas pode recuperar fabricantes de tablets “perdidas” no ano passado. Para representantes da indústria local, com o “sinal verde” do Supremo Tribunal Federal (STF) e uma resolução do Senado Federal, ainda em trâmite, o Polo Industrial de Manaus (PIM) poderá concentrar toda a produção do aparelho do país. “Estamos passando por um restabelecimento da competitividade. As condições hoje são favoráveis para que o PIM concentre toda a produção de tablets do país”, garante o presidente do Sindicato da Indústria de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares de Manaus (Sinaees), Celso Piacentini. Uma das “cartas na manga” do Estado é a decisão favorável do STF, proferida no dia 29 de outubro do ano passado, em relação à Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) 4.635/2011. A medida impediu São Paulo de zerar o imposto de bens de informática por meio da geração de

crédito tributário. Segundo Piacentini, o incentivo anteriormente em vigor para a indústria paulista, que atraiu empresas como a Foxconn para a produção de tablets da Apple, era ile-

Decisão favorável do STF em relação a Adin 4.635/2011 e resolução que garante a alíquota do ICMS em 12% para o Amazonas, garante vantagem ao Estado em relação a São Paulo

saindo de São Paulo e vindo para o Amazonas, mas como o governo paulista vive um momento de incerteza tributária, neste momento estamos mais confortáveis com a situação”, enfatiza. Enquanto isso, a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) aumenta a pressão sobre o governo de São Paulo por medidas de compensação aos efeitos da Adin. Segundo a associação, a medida impacta no custo de fabricação de produtos paulistas como tablets, smartphones e celulares, que podem sofrer reajuste de até 10% nos preços.

gal e estava prejudicando a atração de investimento do Amazonas. Para o dirigente, a decisão do STF, somada à resolução, ainda em andamento no Senado, em relação à guerra fiscal que mantém a alíquota interestadual do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em 12% para o Amazonas garante um momento bom para a atração deste tipo de investimento. “Não podemos dizer que as fábricas estão

Sem acordo Desde o ano passado, o governo paulista tenta negociar com o Amazonas uma saída para as “perdas” sofridas pelo Estado. Entretanto, o presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, afirma desconhecer qualquer intenção de acordo. Já Celso Piacentini reforça a ilegalidade “praticada” pelo Estado de São Paulo. “Os incentivos fiscais que eles estavam concedendo eram ilegais”, argumenta.

ATRATIVOS

O governo paulista atraiu Foxconn e Apple com incetivo fiscal concedido de forma arbitrária

Negociações sem sucesso O secretário da Fazenda do Estado do Amazonas, Afonso Lobo, admite que no final de 2012 a Sefaz-AM chegou a estabelecer contato com o secretário da Fazenda de São Paulo, Andrea Calabi, mas as negociações foram suspensas. “As negociações foram

interrompidas com a reação do governo paulista frente à situação da reforma tributária. Atualmente, a posição do Senado favorece o Amazonas, que continua a operar com alíquota de 12% de ICMS, enquanto o restante dos Estados, incluindo São Paulo, terá a

alíquota interestadual unificada em 4%. A tensão entre as partes suspendeu as conversas”, esclarece. O secretário estima que o “impasse” entre os Estados só seja resolvido após a aprovação da resolução do Senado para acabar com a guerra fiscal.


B4

Economia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

Energia será 100% ‘verde’ em municípios até 2014 Mudança da matriz energética para gás nas termelétricas da Região Metropolitana de Manaus ocorrerá até ano que vem

DIVULGAÇÃO

JULIANA GERALDO Especial EM TEMPO

A

té o final de 2014, todos os municípios da Região Metropolitana de Manaus (RMM) serão abastecidos por termelétricas a gás. A informação foi confirmada pela Eletrobrás Amazonas Energia, ao garantir que o processo de mudança da matriz energética dos empreendimentos ganhará força neste ano. De acordo com a concessionária, mais de 40% da energia consumida na RMM em 2012 já era gerada a partir do gás natural, porcentual que, neste ano, deverá atingir os 50%. “No ano passado, a energia menos poluente, o gás natural, respondeu por 42% da energia gerada em Manaus, enquanto 42% foi produzido a partir do óleo diesel e apenas 16% foi proveniente da hidrelétrica de Balbina”, informa o diretor de Geração, Transmissão e Operação da Eletrobrás Amazonas Energia, Tarcísio Rosa, ao pontuar que, há dois anos, 84% dos municípios da região metropolitana eram atendidos com energia gerada por meio do diesel. Tarcísio salienta, ainda, que, nos próximos meses, a mudança da matriz energética será impulsionada a partir da interligação do Estado ao Linhão do Tucuruí, prevista para o segundo semestre deste ano, e do início da construção da Usina Termelétrica Mauá 3, que deverá ficar pronta em 2015.

Ele estima que 60% da energia será gerada pelo gás natural e por Balbina, enquanto o restante será complementado pelo linhão. “O abastecimento passará a ser formado por essas três fontes. O óleo será usado apenas para contingência quando, por algum motivo, houver desligamento do Linhão do Tucuruí”, garante. Outra utilidade para o combustível reserva será a exportação. Segundo o diretor, com o excedente poderá ser vendido

No ano passado, a energia menos poluente, o gás natural, respondeu por 42% da energia gerada na capital amazonense Tarcísio Rosa diretor da Amazonas Energia

para outras regiões do país. “Hoje, nós somos isolados do sistema nacional, mas com a interligação, o linhão vai atender toda a capital amazonense. Acontece que nós já geramos energia para a cidade inteira, ou seja, vai sobrar o equivalente para abastecer mais meia cidade de Manaus e por isso poderemos exportar”, comenta Tarcísio, sem detalhar qual o porcentual será disponibilizado para exportação e

nem quanto a operação vai injetar no Estado. Investimentos Um montante de R$ 5,5 bilhões foi necessário para realizar a alteração de fontes energéticas, sendo R$ 3,4 bilhões para o Linhão de Tucuruí, R$ 1,1 bilhão para a construção da Usina Mauá 3 e mais R$ 1 bilhão em obras para ampliação da rede de transmissão para receber a energia vinda de Tucuruí. Somente em 2012 o investimento da concessionária foi de R$ 800 milhões em novas subestações, redes de transmissão e distribuição. “As obras serão tanto para atender a capital amazonense, escoando a energia do linhão quanto para prover a cidade para Copa do Mundo”, observa o diretor de Geração, Transmissão e Operação da Eletrobrás Amazonas Energia. Perdas energéticas Outra injeção de recurso em 2012 destacada por Tarcísio foi o total de R$ 70 milhões utilizado para a correção de perdas de energia por ligações clandestinas, reduzindo o percentual de perdas em 3% (de 42% para 39%). Ao todo, a empresa conseguiu reaver 119,66 megawats/hora (MWh), o que equivale a R$ 54 milhões de energia elétrica. Para este ano, a estimativa é de recuperação de 6% com investimentos de R$ 100 milhões até o final de dezembro do próximo ano.

Operação em ciclo combinado Com projeção de ser concluída até o início de 2015, a UTE Mauá 3 será a primeira usina a operar em ciclo combinado (gás e vapor). A concessionária prevê a geração de 583 MW na unidade a ser injetados no parque

gerador de Manaus e, com isso, deverão ser desativadas usinas termelétricas menos eficientes até 2014. É que, com a assinatura de contrato irá utilizar o gás natural vindo da plataforma petrolífera de Urucu, no mu-

nicípio de Coari. Além de Manaus, a usina vai atender os municípios da região metropolitana que estão interligados ao ‘Sistema Manaus’ (Iranduba, Manacapuru e Presidente Figueiredo). JOEL ROSA

Tarcísio Rosa disse que em 2012 os investimentos da empresa somaram R$ 800 milhões


MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

Economia

B5


B6

País

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

Recuperação de produção industrial será gradual

Avaliação Na avaliação do economista Rafael Bacciotti, analista da Tendências Consultoria Integrada, a confiança na indústria registrou leve aceleração nos últimos meses, mas ainda alavancada pelo setor de bens duráveis, beneficiados pela redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).“De maneira geral, é um crescimento pouco disseminado entre os segmentos”, afirmou Bacciotti. “Esse número de janeiro indica praticamente uma estabilidade. Não há muita novidade no

quadro da indústria”, acrescentou.O Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) acredita que a produção volte ao terreno positivo em dezembro de 2012, mas que ainda mantenha desempenho modesto no início de 2013. “Não estamos esperando nenhum resultado

NÍVEL

Em contrapartida, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) da indústria avançou 0,4 ponto porcentual, para 84,5% o maior patamar desde janeiro de 2011 A confiança na indústria registrou leve aceleração nos últimos meses, segundo avaliação do economista Rafael Bacciotti

que possa contrastar com o que temos visto no fim de 2012. A produção deve seguir em ritmo lento em janeiro, nada que possa indicar uma recuperação mais contundente de fato”, declarou Rogério César de Souza, economista-chefe do Iedi. O Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco recebeu os números com mais otimismo.

Atividade terá maior dinamismo em 2013 Em nota, o diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos da instituição, Octavio de Barros, afirma que a melhora na avaliação da situação corrente na prévia de janeiro sugere um maior

ESTAGFLAÇÃO

PIB fraco e IPCA alto geram debate O baixo crescimento do PIB e a alta inflação registrados em 2012 levaram um segmento de economistas a avaliar que o Brasil está em um processo de estagflação, o que não ocorria desde 1999, quando o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,3% e o IPCA avançou 8,94%. No ano passado, o país teria avançado 1%, segundo o Banco Central, e o índice de preços atingiu 5,84%. O tema não é uma unanimidade entre especialistas, mas a expansão do PIB bem abaixo do potencial, registrada desde 2011, tem um diagnóstico comum para todos os entrevistados: ela é pequena porque os investimentos são baixos e precisam subir substancialmente. “Estamos em plena estagflação, um fenômeno não muito comum. Existem obstáculos estruturais, pois a oferta não cresce. Isso ocorre em grande medida porque os investimentos são baixos. E eles são baixos porque a

expectativa de lucro dos empresários é baixa”, comentou o professor da PUC-RJ e economista-chefe da Opus Gestão de Recursos, José Márcio Camargo. Segundo ele, um dos principais fatores que fazem com que a Formação

HETERODOXOS

Economistas heterodoxos não concordam com a avaliação de que a forte desaceleração da economia, ocorrida nos últimos dois anos, seja fruto de falhas do atual governo

Bruta de Capital Fixo (FBCF) não avance é a elevação do custo unitário do trabalho em termos reais, que subiu 16% de junho de 2008 a dezembro de 2012. Esse indicador é medido pela divisão dos salários pela produtividade,

descontada a Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) da indústria. A elevação dos salários foi fruto da melhora da renda da população, movimento alavancado pela valorização real do salário mínimo iniciado na administração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que perdura atualmente. Mudança de patamar Já acadêmicos heterodoxos, mesma corrente de pensamento econômicos da presidente Dilma Rousseff e do ministro da Fazenda, Guido Mantega, acreditam que houve uma mudança muito importante do patamar de juros e de câmbio que existia há muitos anos no país e que estavam “destruindo o parque industrial nacional.” Para eles, a indexação da economia é um problema sério que induz a inflação a permanecer em patamar elevado e que não foi resolvido desde 1994 com a adoção do Plano Real.

Para alguns especialistas, é a indexação da economia que induz ao aumento da inflação

dinamismo na atividade no início de 2013. Continuidade “De forma geral, esse resultado sugere continuidade da retomada da ativi-

dade industrial no primeiro trimestre deste ano. Isto, por sua vez, está em linha com as nossas expectativas de que a permanência de estímulos governamentais, a melhora do setor externo

e a contribuição positiva da agropecuária e das vendas de caminhões devem favorecer a persistência da recuperação da economia brasileira neste início de ano”, avaliou Barros.

DIVULGAÇÃO/CNT

E

mbora a prévia da Sondagem da Indústria de janeiro, divulgada pela Fundação Getulio Vargas (FGV), aponte uma melhora na produção do setor no início de 2013, analistas acreditam que a recuperação ainda deva ser bastante gradual. O Índice de Confiança da Indústria (ICI) aumentou de 0,2% em relação ao resultado de dezembro, atingindo 106,6 pontos. Já o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) da indústria avançou 0,4 ponto porcentual, para 84,5%, o maior patamar desde janeiro de 2011.

GIOVANNA CONSENTINI/ARQUIVO EM TEMPO

Índice da Confiança da Indústria (ICI) aumentou em 0,2%, em relação ao resultado de dezembro, atingindo 106,6 pontos

INQUÉRITO

Caso de racismo na BMW A Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio informou que vai enviar um ofício à chefe da Polícia Civil do Estado para que abra um inquérito para investigar o suposto caso de racismo ocorrido há duas semanas em uma concessionária BMW Autocraft na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Em nota de repúdio, a pasta ainda defendeu que o possível crime seja denunciado ao Ministério Público. O consultor Ronald Munk, 55, e a mulher Priscilla Celeste, 53, afirmam que seu filho mais novo, de sete anos, foi vítima de racismo no local. O menino, filho adotivo do casal, é negro. Representantes da concessionária, em e-mail enviado à família, se desculparam e classificaram o episódio como um “mal-entendido”. Priscilla relata que ela e o marido conversavam com o gerente de vendas da concessionária sobre a compra de um novo carro quando o filho, que estava distante dos pais, se aproximou.

Exigência estará nos contratos de concessão a partir de abril

FEDERAIS

ANTT quer rodovias com câmeras a cada 2 km O governo Dilma quer que as concessionárias que vencerem os próximos leilões para administrar rodovias federais instalem câmeras de monitoramento a cada dois quilômetros das estradas. A exigência, da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), estará nos contratos de concessão de rodovias federais cujos leilões começam em abril. Conforme prevê o plano de investimento em logística do governo federal, as empresas deverão arcar com os custos de implantação, respeitando metas de investimento já estabelecidas e o valor máximo dos pedágios, de até R$ 6,40. Uma vez firmados os contratos, o que deve acontecer a partir do segundo semestre deste ano, as empresas deverão se adequar às normas até o segundo ano da concessão. As imagens, conforme a ANTT, serão concentradas em um centro de monitoramento instalado pela própria concessionária. A partir daí, a empresa

poderá compartilhar com a Polícia Rodoviária Federal a responsabilidade pela vigilância da rodovia. Não há, no entanto, por parte da agência, nenhum estudo de custo para a implantação da tecnologia necessária para esse tipo de monitoramento, como a instalação de redes de fibra ótica, nem do custo de pessoal para a vigilância das imagens. Hoje, algumas rodovias federais sob concessão, como o trecho conhecido como “freeway” da BR-290, no Rio Grande do Sul, já são monitoradas por câmeras, mas em intervalos maiores. Na estrada, cedida na década de 1990, o preço dos pedágios variam de R$ 4,30 a R$ 8,50. Nenhuma rodovia opera com câmeras de dois em dois quilômetros, segundo a ANTT. O governo também quer cobrar das empresas vencedoras dos próximos leilões metas de pistas livres e de segurança, que deverão ser fiscalizadas pela agência.


Mundo

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

NA RÚSSIA

Unicef precisa de 1 bilhão de euros para as crianças mente vulneráveis em situações de emergência, que, na maior parte dos casos, as deixam em condições de insegurança, em risco de contraírem doenças, expostas à violência, exploração e negligência”, disse Ted Chaiban, diretor dos Programas de Emergência da Unicef. Este primeiro mês de 2013 “já se revelou difícil para milhões de crianças que sofrem na Síria e para os inúmeros refugiados que tiveram de fugir para os países vizinhos”, lamentou. A agência da ONU destaca ainda a situação no Mali e na República Centro-Africana, onde “o conflito tem se agravado, ameaçando a vida das crianças e das mulheres”. Apesar das crises em curso, o Unicef destaca alguns “resultados alcançados entre janeiro e outubro” do ano passado, principalmente a imunização de 38,3 milhões de crianças, o tratamento de 2 milhões por má nutrição grave e aguda e a ampliação do acesso a água potável para 12,4 milhões de pessoas. REPRODUÇÃO

O Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef) lançou um apelo para angariar 1 bilhão de euros, este ano, para combater as crises humanitárias que afetam milhões de crianças em 45 países e regiões do mundo, entre os quais a Angola (África). No relatório anual Ação Humanitária para As Crianças 2013, que foi lançado sexta-feira e Genebra, o das Nações Unidas destaca que o apelo financeiro se destina a gerir o impacto das crises – alimentares, naturais e outras –, a melhorar a prevenção e a reforçar a resiliência das comunidades para enfrentar essas situações. O documento enfatiza que no ano passado, “a falta de financiamento em vários países, como Madagascar e Colômbia, deixou muitas necessidades por satisfazer”, referindo-se às dificuldades de acesso e segurança dos seus parceiros que prestam ajuda humanitária na região. “As crianças são extrema-

O primeiro mês de 2013 é considerado difícil para o Unicef

Gays terão manifestos limitados O Parlamento da Rússia aprovou, na sexta-feira, em primeira leitura, o projeto de lei que proíbe a chamada “propaganda da homossexualidade”, que limita as manifestações dos casais gays. A medida faz parte de uma série de leis criadas pelo governo do presidente Vladimir Putin diminuindo os direitos dos homossexuais na Rússia, um dos países mais preconceituosos em relação à orientação sexual da Europa. A proposta foi aprovada com 388 votos a favor, um contra e uma abstenção. O projeto de lei ainda passará pela Câmara alta do Parlamento antes de ser enviado à sanção de Putin. Caso aprovada, permitirá a cobrança de multas de até 50 mil rublos (R$ 3.379) por manifestações como beijos e abraços em público entre dois homens e duas mulheres. Durante o debate no Parlamento, o deputado do governista Rússia Unida Serguei Dorofeyev disse que era preciso proteger crianças e adolescentes do que chamou de “consequências da homossexualidade”. A deputada Elena Mizulina, do Rússia Justa, considerou que a exposição das crianças demonstrações afetivas com pessoas do mesmo sexo “limitam o direito dos menores a se desenvolverem livremente”.

Futuro dirigente da China pede ajuda em disputa A briga entre chineses e japoneses pelo arquipélago aumentou em setembro quando o Japão comprou o território REPRODUÇÃO

APELO

B7

Os dois países querem o controle do arquipélago chamado de Senkaku por Tóquio e Diaoyu por Pequim

O

futuro presidente da China, Xi Jinping, pediu que o Japão coopere para resolver a disputa por um arquipélago no mar do leste da China. As declarações foram feitas em encontro com um enviado do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, na sexta-feira (25). Os dois países querem o controle de um arquipélago, chamado de Senkaku por Tóquio e Diaoyu por Pequim. A disputa provocou protestos violentos na China, que afetaram inclusive a operação de empresas japonesas. O território também é reivindicado por Taiwan, onde são chamadas de Tiaoyutai. A disputa aumentou em

setembro, quando o governo nipônico comprou o território de um empresário local, gerando irritação dos chineses. Os três países dizem que o arquipélago possui grandes reservas de gás natural. No encontro, o atual secretário-geral do Partido Comunista disse que a posição da China sobre as ilhas é clara e consistente e que espera a cooperação do Japão para resolver o tema. “Os japoneses precisam lidar com a história e os fatos, tomar ações práticas e trabalhar para conseguir a solução do problema pelo diálogo”. Segundo a agência de notícias Ximhua, as declarações foram feitas em uma reunião com o enviado especial da

coalizão governista japonesa, Natsuo Yamaguchi, quem considera que as diferenças entre os dois países podem se resolver rapidamente. Ele também entregou uma carta de Shinzo Abe, em que o primeiro-ministro deseja sorte a Xi Jinping, que assumirá a China em março. Abe também pede o aumento da cooperação entre os dois países, apesar da disputa territorial. Disputa O conflito entre os dois países se intensificou em setembro, quando o Japão anunciou ter comprado as ilhas, que pertenciam a um dono particular japonês e eram patrulhadas pela Guarda Costeira do país.


B8

Mundo

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013


Caderno C

Dia a dia MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

diadia@emtempo.com.br

ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

Realizando sonhos de criança

(92) 3090-1041

Página C8

Lembranças eternas do horror nazista

Hoje o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto chama a atenção com lições sobre intolerância

DIVULGAÇÃO

Campo de concentração e extermínio de Auschwitz, no sul da Polônia, um dos locais para assassinato em massa de pessoas

ISABELLE VALOIS Equipe EM TEMPO

D

esignada como o dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, a data de hoje marca o oitavo ano consecutivo do memorial da morte de mais de seis milhões de judeus na Europa nazista durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Trata-se de da realização de uma cerimônia evocativa para as comunidades israelitas, relembrando a tristeza do extermínio de um povo que não teve escolha e a lembrança da luta que não pode ser esquecida. O tema, para a presidente do Comitê Israelita do Amazonas, Anne Benchimol, apesar de ser triste, não pode ser esquecido. “Reflexão é a principal palavra que utilizamos para definir o que aconteceu com os antepassados. Famílias foram mortas, há casos de sobrevivência perdidos entre as nações, e poucos ainda vivem hoje. Alguns fazem questão de mostrar o que aconteceu, mas outros evitam até as suas próprias interrogações”, disse. A data foi acolhida pela Organização das Nações Uni-

das (ONU) em 2005, pois foi o dia em que as tropas soviéticas libertaram o campo de extermínio de Auschwitz, na Polônia, revelando ao mundo as atrocidades cometidas pelos nazistas contra os judeus e outras minorias. “Olhamos para trás de forma proativa para que o episódio

Alguns sobreviventes fazem questão de mostrar o que aconteceu, mas outros evitam até suas próprias interrogações Anne Benchimol, presidente do Comitê Israelita

dessa natureza não volte a se repetir. E a data deve ser lembrada para que esse fato intolerante não volte a acontecer, como também uma forma de relembrarmos das vítimas”, explicou. Outra importância que a presidente revela é de que os fatos relativos ao tema sejam sempre inclusos nos livros de história escolares.

Mesmo existindo estudos que podem até tentar negar a existência do Holocausto, a necessidade está em mostrar o acontecimento para que não seja esquecido. “As crianças hoje em dia necessitam saber dos fatos que já ocorreram, e nossa religião não dispensa essa realidade, pois se o estudo revela os fatos que aconteceram antigamente, pode colaborar para que as novas gerações não tenham como base ou muito menos possam repetir um ato tão bárbaro como o que aconteceu”, disse. A presidente do Comitê Israelita contou que muitos nomes daqueles tempos de perseguição ficaram marcados para os israelitas. Entre esses são encontrados Souza Dantas e Aracy Guimarães Rosa, que concederam diversos vistos colaborando com a salvação de pessoas que conseguiram fugir das deportações aos campos de concentração e extermínio. “Além desses, o mundo judaico também considera outros nomes brasileiros que colaboraram para que o povo judeu conseguisse a entrada no Brasil, pois salvaram a vida de várias pessoas e somos gratos por esse ato”, explicou.

Exposição sobre Anne Frank Como parte dos projetos estudados pelo Comitê, está planejada a vinda para Manaus, pela a primeira vez, de uma exposição sobre o diário de Anne Frank (hoje no Museu Judaico do Rio de Janeiro), que conta a história da jovem judia alemã que fugiu com a família para a Holanda a fim de escapar da perseguição nazista, mas foram capturados e deportados para campos de extermínio. Em seu diário, presente do último aniversário, Anne relatou em cada página o que foi vivenciado até antes de sua captura, deportação e morte. O único familiar que sobreviveu ao Holocausto foi seu pai, que após a libertação encontrou o diário da filha e publicou. “Estamos tentando trazer essa exposição para que realmente a história, além de marcante, não seja esquecida”, informou Anne Benchimol. Dos sobreviventes, somente um vive em Manaus, com 90 anos de idade. Ele viveu dos 13 aos 15 anos

em Auschwitz, onde toda a família foi assassinada. Libertado, retornou para a casa onde vivia, na Alemanha. Lá, reencontrou o pai, que pensava haver morrido. Durante a Segunda Guerra Mundial, a perseguição nazista causou a morte de judeus, militantes comunistas, homossexuais, ciganos, eslavos, deficientes motores, deficientes mentais, prisioneiros de guerra soviéticos, membros da elite intelectual polaca, russa e de outros países do leste Europeu, além de ativistas políticos, testemunhas de Jeová, sacerdotes católicos, membros mórmons e sindicalistas, pacientes psiquiátricos e criminosos de delito comum. Foram milhões de mortes em fuzilamentos em massa, segregação em guetos e principalmente nas câmaras de gás dos campos de extermínio construídos para assassinar e torturar os indesejados pelo regime nazista de Adolf Hitler.


C2

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

União pelo meio ambiente recicla em área portuária Empresa agrega funcionários na iniciativa de recolher materiais recicláveis, reduzindo o impacto do lixo industrial na natureza

V

inte toneladas por mês. Essa é a média mensal de materiais reciclados desde a implantação do Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos no maior terminal portuário privado da Região Norte do país, localizado na Zona Sul de Manaus. Com uma área de 1 milhão de metros quadrados, na qual circulam quase 80% de todas cargas que chegam e saem da cidade via fluvial em navios de longo curso e cabotagem, o Grupo Chibatão está reaproveitando vidro, papel, madeira, plástico, metal, borracha e outros produtos resultantes não apenas das operações administrativas e portuárias da companhia – e que anteriormente eram descartados em lixeiras comuns – mas também da limpeza periódica de detritos e até eletrodomésticos retirados na margem e nas águas do rio Negro. O segredo para o sucesso do projeto implantado em maio de 2012 foi garantir o total comprometimento dos 2,5 mil colaboradores diretos das empresas que integram o grupo por meio de palestras de edu-

DANILO MELLO/DIVULGAÇÃO

cação e conscientização ambiental, campanhas internas, cursos de artesanatos e fabricação de utensílios utilizando garrafas de plástico e latas e até distribuição de mudas de espécies frutíferas da região para os funcionários. Em um segundo momento, a empresa investiu na aquisição e instalação de centenas

RESULTADOS

Todos os meses, pelo menos 20 toneladas de materiais são reciclados por meio do Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos do Grupo Chibatão, que foi iniciado em maio de 2012 de coletores com capacidade para 200 litros de resíduos específicos para cada material. “Diariamente, duas rondas motorizadas com veículos exclusivos para a tarefa substituem os coletores cheios por vazios, levando os resíduos para contêineres identificados com as cores determinadas pelas normas técnicas,

onde ficam armazenados até serem levados para o destino final”, acrescentou a assessora da vice-presidência e coordenadora do programa, Dicléa Pereira. Benefícios Além dos benefícios ao meio ambiente e redução de custos para a companhia –desde junho o grupo já destinou 36 toneladas de pneus para a reciclagem sem ônus para a empresa contra os gastos em transporte para retirar do local anteriormente – o Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos está garantindo emprego e renda para centenas de pessoas que dependem destes materiais para viver, como as 90 famílias da Associação Aliança, que recebem e comercializam o papel, papelão e plástico retirado na coleta. Como forma de aumentar ainda mais o engajamento das equipes que atuam diretamente no projeto, desde julho passado, a empresa distribui cestas básicas adquiridas para os colaboradores segundo critérios de produtividade e envolvimento em todo o processo.

Desde maio do ano passado, os mais de 2,5 mil funcionários estão comprometidos com o projeto

Reflorestamento e expansão A plantação de mil mudas de árvores no mês de março é a próxima ação ambiental programada pelo Grupo Chibatão para 2013. Na área, a ser definida juntamente com os órgãos públicos responsáveis, os colaboradores também

irão apresentar a mascote ambiental da companhia, elaborado e escolhido por eles próprios em concurso interno que se encerra no próximo dia 27 e que já conta com dezenas de sugestões. Ainda no primeiro se-

mestre, o Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos e outras ações ambientais como as palestras educativas serão implantadas nos outros dois terminais portuários do grupo localizados em Belém (PA) e Porto Velho (RO).


MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

Dia a dia

C3

Cada um com sua parte para uma Manaus verde ISABELLE VALOIS Equipe EM TEMPO

T

odo esforço para tornar a cidade mais arborizada e ambientalmente correta é um compromisso que tende a crescer. Com base nessa premissa, a nova titular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Kátia Schwickardt, pretende investir nas campanhas de educação ambiental nos cem primeiros dias da nova gestão da capital amazonense, criando o tema “Manaus Verde Viva”. “O simples fato de a população realizar a limpeza das calçadas em frente de suas casas já inicia um hábito, não adquirido, de importância e que pode ser caracterizado como educação ambiental. Estamos empenhados e confiantes que a população, junto com a secretaria, criará uma Manaus nova”, destacou a secretária. A secretaria, em suas ações já realizadas na praça da Saudade e na praça do Relógio (arredores da Matriz), já proporcionou as primeiras mudanças. “Nosso objetivo nessas ações, além de disponibilizar uma nova forma de cuidar do meio ambiente para a população, é contribuir

com oficinas sobre o descarte correto de materiais, além de valorizar as reciclagens dos lixos, mostrando para a população tudo o que pode ser feito”, informou Kátia. Parques, escolas e conjuntos habitacionais também estão no foco da Semmas. Para a secretaria, esse tipo de serviço vai mostrar outras formas de descarte para o lixo, além do reaproveitamento dos recicláveis. “O paisagismo será trabalhado nesses conjuntos e parques, como também a revitalização dos espaços públicos”, disse a secretária. Coletas diárias do lixo nos parques e o estabelecimento de um horário de funcionamento desses logradouros são medidas que podem evitar qualquer tipo de vandalismo. Outros objetivos são traçados para tornar a capital mais verde, entre esses, cem dias arborização, fiscalização e licenciamentos estão sendo priorizados. Nas diversas zonas da cidade, o manejo das árvores já começou. “Equipes da Semmas estão realizando um levantamento com o objetivo de saber o estado de cada árvore. Além desse trabalho, temos a intenção de plantar nos locais onde existem falhas”, explicou.

IONE MORENO

Educação ambiental será o foco de ação do município para mudar o cenário de poluição e falta de arborização na cidade

Plantio também é prioridade O plantio também deve ser priorizado nas margens do igarapé do Mindu. Para a realização do ato, a secretaria contará com o apoio dos participantes do Pedala Manaus. Estipular barreiras no igarapé para amenizar o acúmulo de lixos e realizar limpeza diária são outros pontos. Como a poluição sonora é a campeã em denúncias, a secretaria não poderia deixar de fora uma ação voltada ao combate a esse problema. Blitze já estão no calendário da Semmas. “Estamos com uma equipe nas ruas conversando com os comerciantes, principalmente na região central de Manaus para estabelecer um procedimento acessível a todos”, explicou a secretária.

Lixo jogado em área verde de Manaus: trabalho intenso a ser realizado com colaboração popular


C4

Dia a dia

Prato feito no

NÚMEROS

R$ 38.400 É quanto a banca de comidas de dona Val fatura por mês, vendendo uma média de 200 PFs por dia, de segunda a sábado

A cozinheira Val acorda às 5h para aprontar o “rango” às 10h. Procura manter as panelas brilhando e o tempero apurado para ninguém reclamar. Ela aceita trabalhar em uma barraca padronizad MÁRIO ADOLFO Equipe EM TEMPO

A

venida Eduardo Ribeiro, coração de Manaus, 11h40. Quem anda no lado direito calçadão da Catedral de Manaus, no sentido Porto, vai perceber que uma enorme cobertura toma conta de quase todo o espaço. A lona é presa nos quatro cantos por cordas de náilon amarradas nas grades de proteção da Matriz e em postes de sinais de trânsito fincados no meio-fio da avenida Eduardo Ribeiro. Embaixo da lona, uma cena curiosa chama a atenção: um restaurante com fogão de seis bocas, panelas, frigideira, prato, copos, talheres, balcão e bancos, funcionando como se estivesse em um prédio particular. Para não atrapalhar a hora do almoço, as pessoas desviam da calçada e caminham pelo asfalto ou rente à cerca de aço da Catedral da Matriz. O restaurante da Val (Valcirene Nogueira de Moraes) funciona há 15 anos, sem nunca ter sido incomodado por órgãos de fiscalização da prefeitura, nem mesmo pela Vigilância Sanitária na questão da higiene. Não é difícil perceber que a quantidade de “arremedos” de restaurantes no centro da cidade está aumentando cada vez mais. O da Val é apenas um deles e, por estar há muito, é o mais famoso e procurado em meio à parafernália de vendedores ambulantes em que se transformou a principal avenida de Manaus.

Funcionam abertamente, sem as mínimas condições de higiene, despejando restos de comida no chão, copos descartáveis e até embalagens de quentinhas. E o que é pior, com o aval da Vigilância Sanitária, que existe para regulamentar as normas de higiene destes estabelecimentos, mas faz vista grossa, como se tudo estivesse na mais perfeita ordem. A maioria da clientela que frequenta o “restaurante” da Val são vendedores ambulantes, como ela. Comem ali

LOCAL

O restaurante da Val ocupa o espaço de pedestres, é verdade, mas cuida da higiene, não atira lixo no chão e pratica bons preços. O estabelecimento funciona há 15 anos sem incômodo mesmo para ganhar tempo e retornar correndo à banca de camelô. Além de estar bem ao lado, o PF (prato feito) atrai os clientes por conta do preço da comida. Um prato de pirarucu à casaca, salpicão ou frango desfiado, acompanhando farofa, arroz e maionese custa R$ 8. No meio à barulheira infernal de camelôs anunciando seu produto, carros de propaganda berrando texto e jingles publicitários, o “rango” é servido aos clientes que ocupam os poucos bancos de madeira que existem em

torno da bancada ou então os bancos de concreto da praça do Relógio. Além do cardápio fixo – salpicão, pirarucu à casaca e frango desfiado –, dona Val também serve acarajé e tacacá. A informação que circula de boca a boca é de que o prefeito Arthur Virgílio vai ter que reconstruir o centro de Manaus para resgatar a verdadeira cara de Manaus, que ninguém vê mais por conta das barracas de camelôs que encobrem a fachada de prédios históricos. — Não posso sair, meu restaurante é de comida típica e seu lugar é na praça, até porque não sirvo só aos camelôs. Minha barraca também é frequentada por turistas – defende-se Val de uma possível transferência. O almoço no calçadão da Matriz é oferecido diariamente, à exceção de domingo, quando o Centro está vazio. O movimento mais intenso é a partir do meio-dia, mas a comilança começa às 10h. Para que tudo esteja pronto nesse horário, a dona do restaurante acorda às 5h e começa a cozinhar. O restaurante da Val também não tem horário para o almoço. Ele pode sair ao meio dia, mas também pode ser servido às 14h, às 15h e até as 16h. No final da tarde, o tacacá é o mais procurado. Mas ele só pode ser saboreado até as 20h, porque a partir daí, por questões de segurança, a cozinheira apaga o fogão, acomoda as panelas, guarda pratos e talheres e se prepara para a rotina do outro dia.

O casal Alexandre e Cláudia é contra a retirada do restaurante da Val

Eliete Moreno e a sobrinha Patrícia gostam da comida, mas preferem ver o centro de Manaus


MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

C5

o meio da rua FOTOS: DANILO MELLO

da e até pagar impostos. Só não quer sair do ponto. “Foi daqui que tirei o dinheiro para pagar a faculdade de minha filha”, diz a dona da banca que trabalha no calçadão da Matriz há 15 anos

O PF é bom e barato, só está no lugar errado — Esse restaurante para nós é um achado. Fica pertinho do local do nosso trabalho, o preço é o que podemos pagar e a comida é boa – diz a comerciária Cláudia de Jesus que, ao lado do namorado, o publicitário Alexandre de Barros saboreia, deliciosamente, um pirarucu à casaca. — Sou contra a retirada desse restaurante, porque facilita a vida de muita gente que trabalha aqui no Centro e não pode ir almoçar em casa ou frequentar restaurante, porque ficaria caro -, defende Alexandre, que também resolve dar uma dica. — O que tem que haver mais aqui, nesses lugares de comida do Centro é fiscalização. Porque onde existe fiscalização existe higiene. Com um prato de frango desfiado na mão e sentada em banco de concreto da rua, Patrícia Cruz diz que está indo embora para Goiânia (GO), porque visitou a terra de seu marido, e se apaixonou pela cidade. — Eu não aguento Manaus, por essa desorganização, sujeira, excesso de camelôs nas calçadas. Ninguém vê isso em lugar nenhum, só em Manaus. Pode ir na Avenida Atlântica, no Rio ou na Paulista, em São Pau-

lo. É limpo, arejado,calçadas livres, dá gosto andar –, diz a moça, que gosta da comida da Val mas preferia ter a cidade limpa e organizada, por isso defende a retirada do restaurante. “A comida é deliciosa, a banca é limpa, mas isso não pode continuar aqui”, opina. A tia de Patrícia, dona Eliete Moreno, também quer a retirada de ambulantes do

‘Já fiz promessa até para são Sebastião’ O restaurante da Val chega a vender 200 pratos feitos por dia. A R$ 8, trabalhando de segunda-feira a sábado, fatura por semana R$ 9.600. Isto significa R$ 38.400 por mês. Tirando o investimento com a compra de mantimentos e o pagamento de seis empregados, a cozinheira pode faturar, em meses de

pico, até R$ 25 mil/mês. ―Foi daqui que tirei o dinheiro para pagar a faculdade de minha filha. Trabalho há 15 anos no mesmo lugar e gero seis empregos, quer dizer, mais seis famílias dependem de mim – explica Val, que não gostaria de sair do calçadão da Eduardo Ribeiro. ― Lugar de restaurante

de comida típica é na praça pública. É aqui que os turistas comem quando estão fazendo compras ou quando desembarcam de navios -, diz a cozinheira. Val lembra que na reforma da praça do Relógio, sua banca foi transferida para a praça “Tenreiro Aranha” ela quebrou. Agora, com a in-

formação de que Arthur vai criar galerias para abrigar os vendedores ambulantes do Centro, Val está se agarrando a tudo para não perder o antigo ponto. No último dia 20, na procissão de são Sebastião, fez uma promessa para manter o local de trabalho. “Ele nunca me faltou. Tenho fé, vamos ver, não é?”

MUDANÇA

Patrícia diz que está indo morar em Goiânia por não suportar Manaus, uma cidade desorganizada, cheia de problemas centro da cidade. “Está vendo como Manaus está? Então, isso não é nenhum cartão postal. Temos que mudar a situação e levar esse comércio para lugares apropriados. Quem gosta vai lá e continua consumindo, não é?”, aconselha a aposentada, que aprova o sabor do restaurante da Val e, principalmente, seus preços. Mas é a favor da retirada do restaurante improvisado. “A comida é boa, tem um bom preço, tem higiene, mas está no lugar errado”, diz. Para evitar moscas e poeira, a banca de comida da Val cobre as panelas com plástico. Também não pode jogar lixo no chão


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

C6

Drogarias cancelam o delivery nas madrugadas Falta de retorno financeiro foi a justificativa apresentada para o cancelamento das entregas que são feitas 24 horas LUCAS PRATA Equipe EM TEMPO

C

erca de 2 milhões de manauenses deixaram de contar com um serviço em domicílio, imprescindível, que funcionava 24 horas: o de entrega de remédios das drogarias. Há quem reclame da falta do delivery, que foi extinto há alguns meses pelos estabelecimentos. Se o cliente precisar de um medicamento durante a madrugada e não tiver uma condução, tem que esperar o dia amanhecer. Quem passou pelo constrangimento da falta do delivery foi o assistente administrativo João Marinho, 29. Segundo ele, em dezembro do ano passado estava precisando de um medicamento para uma alergia, que causa muita coceira, surgida em sua perna. Como sempre utilizava os serviços de entrega em domicílio resolveu ligar para uma drogaria da cidade. Passava de meianoite, então foi informado

pelo atendente que naquele horário eles não estavam mais fazendo as entregas em domicílio. “Estou usando uma pomada para alergia, não prestei atenção e ela acabou. Como já havia comprado remédio por telefone durante a madrugada algumas vezes,

RECLAMAÇÕES

A maior parte das drogarias suspendeu o servico de entrega de medicamentos durante a madrugada, o que gerou várias reclamaçoes e desconforto por parte dos clientes resolvi ligar para uma drogaria, da qual sou cliente. Para minha surpresa, o telefone só tocava uma música e ninguém atendia, depois de alguns minutos um funcionário atendeu e disse que o serviço estava suspenso. Pelo fato de não ter uma

condução própria, tive que esperar amanhecer para ir à drogaria. Imagina você estar precisando de um remédio durante a madrugada e não ter como comprar? Imagina os turistas quando vierem para a Copa, e precisarem desse serviço?”, questiona. Surpresa Outro cliente que teve problema com o serviço foi a administradora Vânia Vieira, 44. Ela precisava de um remédio para dor, devido a um problema na coluna. Como estava sem carro nesse dia, tentou pedir o medicamento por telefone, porém as drogarias não estavam atendendo. “Sempre que eu preciso de algum remédio eu vou ao local comprar. Mas nesse dia eu estava sem carro e liguei para duas drogarias. Isso era entre 20h e 21h. Para minha surpresa os telefonistas atendiam ao telefone e me informavam que naquele horário não estavam mais fazendo entrega. Acho isso um absurdo, falta de respeito com o cliente”, reclama.

Atividade sem retorno financeiro O EM TEMPO entrou em contato com algumas drogarias para saber o motivo da suspensão dos serviços de entrega em domicílio, mas apenas uma comentou sobre o assunto. De acordo com a subgerente da entrega inteligente das drogarias Angélica, Jaqueline Albuquerque, o estabelecimento trabalhava no sistema de entrega em domicílio 24 horas, porém a diretoria resolveu acabar com o serviço desde o dia 2 de dezembro do ano passado. “Em uma reunião, a dire-

toria resolveu cancelar os serviços, visto que não tinha muito retorno financeiro. Uma equipe multiprofissional ficava no atendimento, e para o horário não tinha muita demanda. O estabelecimento fica aberto 24 horas, apenas não estamos trabalhando com os serviços de entrega”, explica. De acordo com o presidente do Sindicato das Drogarias de Manaus (Sindidrogas), Armando Reis, não existe nenhuma lei que impeça que os estabelecimentos cancelem esse tipo

de serviço durante a madrugada. Quem decide pelo funcionamento ou não durante esse horário são as próprias empresas. “Das sete redes de drogarias, fora as menores, cinco trabalham com o serviço de entrega dia e noite, garantiu Reis. O Sindidrogas está fazendo um levantamento, junto com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), para dar cursos profissionalizantes para os atendentes, como idiomas, relações humanas e outros, visando a Copa de 2014.


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

C7

‘Do you speak english?’ Escola de idiomas Yázigi oferece metodologia diferenciada e um orientador pedagógico em cada uma das suas quatro unidades na capital amazonense. Rede tem 63 anos de experiência no mercado brasileiro, com programas de intercâmbio

A

prender um segundo idioma não é mais um diferencial de um universo restrito de pessoas, mas uma necessidade básica para profissionais que atuam nas mais diversas áreas e para quem está se preparando para ingressar no cada vez mais competitivo mercado de trabalho. Bom, até aí, nada de novo! Mas, e se você tivesse a oportunidade de estudar em uma escola com mais de 63 anos de experiência no mercado brasileiro, mais de 15 anos em programas de intercâmbio e que conta hoje com quase 200.000 alunos/ano em suas escolas no Brasil, e já ensinou e modificou a vida de mais de 2 milhões de estudantes? É isso que o Yázigi tem para oferecer! Com uma metodologia diferenciada e um orientador pedagógico por unidade, a escola tornou-se referência em Manaus, e no Brasil, quando se fala em ensino de idiomas. Aulas dinamizadas e baseadas em assuntos do diaa-dia configuram sua metodologia. Dessa forma, o aluno aprende naturalmente, associando o idioma a situações do cotidiano. Passeios ecológicos, festas e eventos culturais também fazem parte de suas ações de aprendizado. Afinal, a língua também

DIVULGAÇÃO

precisa relaxar e se soltar para descobrir novas formas de aprender outro idioma. Para o professor André Gomes, o DNA do Yázigi carrega um forte posicionamento, pois busca sair do comum e mostrar que mais do que necessidade para uma viagem, trabalho ou entretenimento, o aprendizado de outro idioma é uma necessidade para a vida desde criança. “O nosso principal objetivo é fazer com que o estudante pense, fale e interprete outro idioma sem nem perceber que está aprendendo. E, quando perceber, já vai sair falando”, explica ele.

SERVIÇO ESCOLA DE IDIOMAS INGLÊS ESPANHOL FRANCÊS Unidade Planalto: 3656-7544 Unidade Parque Dez: 3236-0189 Unidade Cidade Nova: 3636-8902 Unidade Japiim: 3237-1777

A escola de idiomas Yázigi utiliza aulas dinamizadas e baseadas em assuntos do cotidiano, configurando assim sua metodologia

Um pouco de informação sobre o Yázigi Fundado em São Paulo, o Yázigi sempre buscou a excelência e a inovação na prestação de serviços na área de educação. Com a criação do portal House of

English.com, em 2000, em parceria com a Booz Allen & Hamilton, o sucesso foi conquistado. Com o site, é possível aprender inglês de forma diferente e interagir

com um grande número de pessoas usando a língua inglesa, seja em cursos 100% virtuais ou nos cursos plus, em que, além de aprender com os recursos do portal,

os alunos também têm aulas em nossas escolas. A Rede de Centro de Idiomas ainda oferece programas para todos os níveis, do iniciante ao avançado.


C8

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

...E o sonho se realizou

Trinta por cento dos profissionais seguem carreiras desejadas desde a infância, revela estudo do site LinkedIn. Em Manaus, trabalhadores hoje se sentem realizados por terem alcançado suas metas, traçadas tempos atrás ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

CHRIS REIS Equipe EM TEMPO

A

s idas às agências bancárias com a mãe levou o então menino Rafael Oliveira, atualmente com 38 anos, a admirar os bancários que usavam gravata e suscitou nele a vontade de trabalhar no banco para também usar o acessório. Após vários anos, vendo a vontade ficar adormecida, mas não esquecida (era segundo ele muito difícil conseguir uma vaga nas agências), começou a fazer faculdade de administração com habilitação em finanças e, coincidentemente, a maioria dos colegas da faculdade trabalhava como bancário. Surgiu então a chance de realizar o sonho de adolescência. Ele passou 2 anos numa agência do Banco Real trabalhando com dinheiro e usando (claro) gravata. Rafael faz parte dos 30% dos profissionais que seguiram a carreira desejada na infância, de acordo com o estudo “Profissões do sonho”, realizado pelo site LinkedIn com mais de 8 mil profissionais pesquisados, em 17 países. Eles seguiram a carreira por influência da família, vocação ou somente desejo. Para Rafael, manipular dinheiro era algo bom, mas o uso da gravata era a parte principal na realização do sonho de infância. “Como ia muito ao banco, ficava com aquela imagem das pessoas bem vestidas e, isso para mim era o ideal. Claro que gostava de mexer com os altos valores, mas não era o mais importante. Além disso, era cansativo”, recorda.

Atualmente, depois de deixar o emprego na agência, onde era responsável por cinco setores, entrando às 9h e saindo às 18h, trabalha na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) como assessor parlamentar e continua usando gravata. “Isso é muito engraçado. Comecei a ser assessor parlamentar e para ter acesso ao plenário tenho que usar gravata. Além disso, agora estou cursando direito e continuarei numa profissão que exige o uso desse acessório. Era um sonho de infância que acabou por me acompanhar no que escolhi fazer”, avalia. Uma vida dedicada Quando perguntavam ao advogado João Victor Tayah o que ele queria ser quando crescesse, a resposta estava na ponta da língua. “Advogado ou promotor de Justiça”, dizia. A vontade de fazer direito, segundo ele, era porque queria lutar pela concretização da Justiça. “Odiava injustiças e, além disso, achava bonita a profissão e também tinha certeza da minha aptidão”, afirma. Realizar o sonho não foi fácil. “Tive que entrar num estágio pra pagar meu próprio cursinho e cursar direito na Ufam. Depois trabalhei durante toda a graduação enquanto estudava”, relembra. Hoje, Tayah é oficial de Justiça, mas adianta que está estudando para ser procurador, porque a função permite o exercício concomitante da advocacia. “Fiz o curso que sonhava fazer e estou na área que eu queria. Apenas não estou no cargo que queria ter quando criança”, conclui.

Rafael Oliveira realizou o sonho de ser bancário graças ao desejo de usar gravata. Atualmente, ele é funcionário da Aleam DIEGO JANATÃ

Donos do próprio negócio Administrar o próprio negócio foi o que levou Matheus Huari a fazer faculdade de administração de empresas com ênfase em finanças e tributos. Ele lembra que nunca quis ser veterinário, advogado ou médico. “Sempre quis ser empresário, pois tive bons exemplos na família”, diz, citando os tios que vieram do Ceará para o Amazonas e conseguiram, por meio de trabalho árduo, como ele mesmo diz, tornarem-se empresários em diferentes setores. “Todos atuam como comerciantes e são proprietários de supermercados, açougues, fazendas”, explica o empresário que atualmente é proprietário, juntamente com o irmão Os irmãos Huari realizaram o sonho que carregavam desde a infância: ser empresários

O que aprendi me ajudou a tomar decisões com mais conciência e analisar todos os possíveis riscos que venhamos a correr Matheus Huari, empresário

Marcelo Huari, da loja Favorita House Modulados. “Nós dois construímos tudo juntos, na verdade o sonho sempre foi dividido”, revela. Segundo Matheus, o conhecimento adquirido na faculdade ajudou bastante

a lidar com o meio. “O que aprendi me ajudou a tomar decisões com mais consciência e analisar todos os possíveis riscos que venhamos a correr porque hoje tudo acontece muito rápido e não temos nenhum minuto a perder”, analisa. Porém, ele avalia que não é difícil para quem gosta de se arriscar. “Temos nove funcionários e eles são o nosso segundo maior patrimônio, pois o primeiro são nossos clientes. Temos funcionários que se comprometem, vestem a camisa da empresa e, por isso, sempre recebemos elogios da qualidade do atendimento, tanto na loja quanto das nossas equipes de montagem. Isso tudo aprendi na faculdade”, conclui.


Caderno D

Plateia MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

plateia@emtempo.com.br

DIVULGAÇÃO

Galera do Garantido cria CD alternativo (92) 3090-1042

Plateia 8

Chico Buarque:

paixão nacional Fãs amazonenses colecionam raridades do escritor, compositor, músico, poeta e pensador por natureza, que conquista cada vez mais seu público REPRODUÇÃO

REPRODUÇÃO

REPRODUÇÃO

ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

GUSTAV CERVINKA Equipe EM TEMPO

P

restes a completar 70 anos (em 2014, na verdade), o carioca Francisco Buarque de Hollanda segue como referência de inteligência e talento na leitura e na escrita de mundo, na cultura brasileira contemporânea. Fãs no Amazonas colecionam admiração e algumas boas histórias sobre os próprios envolvimentos com a vida e obra de Chico Buarque. Marcando a passagem para a fase adulta da vida, a assessora de marketing da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), Karla Colares, é um dos mais emblemáticos exemplos de que o impossível pode se tornar realidade. Colecionadora de discos – incluindo 22 de vinil – livros e vídeos de Chico Buarque, Colares não só assistiu a shows do ídolo como o conheceu pessoalmente. “Foi incrível a sensação. Não conseguia saber ao certo o que fazer quando fui apresentada a ele”, comenta. Há sete anos, quando esteve a trabalho no Rio de Janeiro, Karla soube que Chico estava em turnê de promoção do disco da época, “Carioca”, e procurou assisti-lo. Graças à disponibilidade de assentos extras para serem vendidos na hora do evento, na bilheteria da (hoje fechada) casa de espetáculos Canecão, a fã entrou na fila e garantiu um lugar ao sol (na verdade, à luz dos holofotes). “Quando ele entrou no palco, todos se levantaram e sentaram novamente, mas eu nem percebi que tinha permanecido em pé, extasiada, até que um amigo me alertou”, lembra. Karla se considera mais do que fã. “Sou tiete mesmo. Admiro tudo relacionado ao Chico, desde as letras e os livros, até a pessoa que ele é”, diz. Ao todo, a servidora pública tem 22 discos de vinil dele, incluindo o primeiro da carreira, que data de 1966 e

autografado pelo próprio artista. Por intermédio de um ator com trabalho e renome nacional, amigo em comum de ambos, Karla pôde conhecer Chico Buarque durante uma breve passagem pelo campo de futebol Politheama, que pertence a ele, em novembro de 2012. “Na iminência de vê-lo na minha frente, fiquei pensando no que poderia levar para ele assinar. A vontade era levar tudo, mas seria inconveniente. Decidi pelo disco que marca a sua estreia”, conta. Neste mês de janeiro, conseguiu repetir a dose, mas limitou-se apenas a ver a partida do ídolo. Ligações perigosas O cantor Kokó Rodrigues completa 52 anos de idade em 2013 e é autoconsiderado “Chicólatra” desde os 16, quando descobriu a poesia nas músicas de Chico Buarque, ao ter acesso ao disco “Meus caros amigos” (editado em 1976), cuja faixa “Corrente” foi uma flechada fulminante para se fazer apaixonar pela obra completa. “O gosto pela boa música é, sem dúvidas, uma das heranças culturais deixadas pelo meu pai”, comenta o artista local, pertencente a uma família de músicos. Natural do Pará, Kokó Rodrigues reside há mais de 30 anos em Manaus, onde há quase 15 anos realiza um evento em homenagem a Chico Buarque, sempre na data de aniversário do compositor carioca (19 de junho). “O nome do evento vai mudando, mas sempre tem a característica de não ser um show montado com começo, meio e fim. Simplesmente não tem hora para acabar”, comenta. O último evento realizado, intitulado “Meus caros amigos”, teve praticamente seis horas de duração. “E ainda, ao final, há quem diga que faltou alguma música. É perfeitamente compreensível, aliás. Afinal, são mais de 500 letras compostas e gravadas. Impossível interpretar todas”, diz.

Emoção à flor da pele Emocionado pelo simples fato de conversar sobre o ídolo, Kokó Rodrigues admite que já teve um acervo maior de discos em vinil do cantor, mas que possui a discografia completa em CDs e os vídeos em DVD que foram lançados. “Até foto tenho, ainda. Cheguei a ter muito mais de duas mil imagens dele. Ainda muito jovem, fazia questão de acompanhar minha irmã no salão de beleza só para poder “adquirir” alguma foto de Chico, caso aparecesse em alguma das revistas dispostas por lá”, lembra. Se o acervo de colecionador não é tão completo, a memória de histórias inusitadas (no mínimo) permanece intacta. “Estava há um ano em Manaus, em 1983, tocando regularmente no Tropical Hotel. Certa vez, eu e outros músicos vimos o Gilberto Gil passando em direção à sauna. Na volta, não resistimos e o abordamos, para tirar foto e pedir autógrafo. Fiz questão de

ser o último da fila. Falei da minha paixão por Chico e pedi o telefone dele. Gil pediu um tempo para ver na agenda e me deu o número do quarto em que estava para eu ligar em alguns minutos. Assim fiz e obtive o número da casa do Chico. Passei a ligar incessantemente, sem sucesso. Ele nunca estava. Uma madrugada, por volta das 3h daqui, falei para os amigos da rodada que tinha o número e me deram corda para ligar. Liguei e quem atendeu foi a então esposa dele (Marieta Severo). Só não me chamou de santo, mas se interessou pela história e me passou o número do bar onde ele estava naquele momento. Liguei, mas o dono disse que ele tinha acabado de sair, mas que ficou de dar o recado. Deixei para lá”, narra Kokó, que declara o amor pelo artista nacional até no vidro traseiro do carro, onde mantém uma foto de Chico Buarque com a camisa do Fluminense. DIVULGAÇÃO

O músico Kokó Rodrigues mostra seu acervo sobre Chico

História do cantor nos cinemas

Karla Colares juntamente com o ídolo Chico Buarque

Na onda das biografias documentadas, como “Gonzaga: de pai para filho”, “Vinicius” e “A música segundo Tom Jobim”, Chico Buarque deve receber em 2014 o longa-metragem “Chico: artista

e o tempo”, como homenagem pela sua carreira. O filme está orçado em R$ 4 milhões e ainda não tem data de estreia. A direção é de Miguel Faria Jr., o mesmo de “Vinicius”.


D2

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

>> Baile da Vogue

>> Vitrine >> Conhecido como “cerimonialista das celebridades”, Roberto Cohen é uma das atrações nacionais confirmadas na Expo Eventos Manaus 2013. Ele assinou cerimoniais de casamento como o de Juliana Paes, Carolina Dickmann, Maria Ribeiro e Caio Blat, entre muitos outros. >> Em torno de 250 nomes do society de Manaus estarão no badaladíssimo ‘Feijão Top’, a feijoada de Carnaval que esta coluna irá promover, no próximo sábado no Touchdown, em tarde exclusiva e cheia de charme, que irá movimentar o Vieiralves. A

festa terá produção da equipe expert do Bandeirão, que se supera a cada evento.

Fernando Coelho Jr.

>>A promoter Fefa Cacheado estreia idade nova hoje. >>A Cristal Engenharia está convidando para a entrega do residencial Rubi, no próximo dia 31, na avenida Perimetral. >>Quem também está aniversariando hoje é Ramiro Fernandes Neto. Cumprimentos da coluna. >>No próximo sábado, no sambódromo, acontece o bloco ‘Leva Eu’.

>> Encontro Nacional

fernando.emtempo@hotmail.com - www.conteudochic.com.br

Foi no moderníssimo Hotel Unique, quinta-feira em São Paulo, o chiquérrimo Baile da Vogue, com o beautiful people em peso entrando no clima de Carnaval. . Além das top models, socialites, empresários, jornalistas e famosos de várias facções levando suas lindas fantasias para sacudir a festa.

>> Casamento chic . Abrindo a agenda social do ano, o casamento da bela Geórgea Lins de Albuquerque com Bruno Silva irá movimentar o high society de Manaus no próximo sábado nos salões do Diamond. . A festa dividirá o Diamond em dois ambientes: o primeiro, no salão Rubi com cerimônia religiosa; o segundo, no salão Esmeralda, para a elegantíssima recepção com suporte de ambientação do Bandeirão, e paisagismo de Willys, da Bothânia, que criará um cenário clássico, com detalhes de modernidade, que deverá encantar os convidados. . A noiva usará modelo assinado pela estlista espanhola Patrícia Avendaño, deslumbrante! O sensacional cantor Edu Guedes fará a animação da festa. Estarão de anfitriões, George e Julia Lins de Albuquerque e José Francisco e Áurea Santos Silva. Com certeza uma das festas chiques do ano. CÉSAR CATINGUEIRA

A top Marcelle Bittar

. O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, estará em Brasília, entre os dias 28 e 30 deste mês, participando do Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas do País. . O encontro será aberto pela presidente Dilma Rousseff e tem como objetivo subsidiar os gestores municipais com informações sobre programas e ações federais que ajudarão a iniciar os mandatos, ou dar continuidade à gestão municipal com foco no desenvolvimento sustentável. . Com o tema “Municípios Fortes, Brasil Sustentável”, o evento vai reunir os principais Ministérios e órgãos do governo federal para apresentarem suas políticas, divididas em quatro eixos: desenvolvimento social, desenvolvimento econômico, desenvolvimento ambiental e urbano, e participação social e cidadania.

Bruno Silva e Geórgea Lins de Albuquerque, protagonistas da elegante sessão alianças do próximo sábado, no Diamond Lorenzo Merlino e Drausio Gragnani FOTOS: REPRODUÇÃO

LITERATURA

Jornalista vê manias da sociedade em romance Uma mulher de quase 30 anos chega em casa do trabalho, põe um short e um top, sai para uma hora de corrida, volta, acende um baseado, devora um pote de creme de amendoim e uma pizza, fuma de novo, come metade de outra pizza e começa a fazer abdominais até dormir. Ela não conta a ninguém que repete isso toda noite. Os únicos que poderiam conhecer esse pouco auspicioso ritual diário de prazer e sofrimento, portanto, seriam: 1) um narrador onisciente; ou 2) um homem invisível. O norte-americano Chuck Klosterman, 41, escolheu a segunda alternativa para desenvolver a narrativa do romance “O Homem Visível”, lançado pela Bertrand Brasil. É o primeiro livro do autor a sair por aqui - nos Estados Unidos, ele é conhecido por ensaios como “Sex, Drugs and Cocoa Puffs” (Scribner, 2003), um “manifesto sobre a baixa cultura”, e livros sobre música. A personagem-título de “O Homem Visível” (que não gosta de ser chamado de invisível, já que só é assim para olhos não treinados) é quem invade a intimidade das pessoas (como Valerie, a faminta malhadora maconheira) usando um traje de camuflagem óptica. Ele diz que é uma “empreitada científica”. Quer saber como as pessoas de fato são, despidas dos pudores sociais. Mas entra em crise e busca uma terapeuta, Victoria Vick - ela sim a narradora, nada onisciente, dessa história. A tentativa de Vick de escrever um livro sobre “Y---”, pseudônimo que dá ao paciente invisível, é a base do romance de Klosterman. E é a maneira que ele encontra de tratar de questões como so-

ciedade moderna, tecnologia, voyeurismo e exposição. “É curioso como as pessoas são quase sociopatas no que diz respeito a seu direito à privacidade, enquanto expõem ativamente cada detalhe de suas vidas na primeira oportunidade”, diz o escritor à reportagem, por e-mail. H.G. Wells O romance é construído a partir de fragmentos mais ou menos organizados do livro que a terapeuta planeja, com emails, transcrições de diálogos e observações. Vick sabe que sua

SINOPSE

De autoria do norte-americano Chuck Klosterman, a personagem-título de “O Homem Visível” é quem invade a intimidade das pessoas usando um traje de camuflagem óptica O jornalista Chuck Klosterman é o responsável pela obra

credibilidade profissional será destruída se o livro sair, mas aceita isso “pelas razões devidas”: não é seguro alguém como Y--- andando solto por aí. Klosterman faz com “O Homem Visível” clara homenagem a H.G. Wells, pioneiro da ficção científica. O jornalista leu “O Homem Invisível” quando criança, atentando só para a trama central. Ao reler, adulto, abismou-se ao notar como o cientista Griffin, o protagonista, era um perfeito idiota. “Entendi que qualquer história sobre um homem invisível é, na verdade, um estudo de caráter sobre o tipo de homem que tem esse interesse.”

Empreitada científica da personagem A declarada empreitada científica de Y--- não se mostra tão eficaz: conforme os relatos a Vick revelam, seus conceitos estabelecidos sobre a sociedade não o permitem ir muito além da percepção de que, quando estão sozinhas, as pessoas tendem à inércia pela repetição. Mas, para o leitor, Y--oferece descrições saborosas do comportamento

humano. Como esta, sobre o que se depreende de um casal em férias espiando-o por dez minutos: “Se eles quase transam logo depois de entrar no quarto, há uma chance de 95% de transarem mais tarde, à noite; se apenas largam a bagagem e saem para jantar, provavelmente vão passar o fim de semana inteiro sem transar”. Por Raquel Cozer


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

D3

Lia SAMPAIO

Novos rumos da DANÇA FOTOS: DIEGO JANATÃ

LÍDIA FERREIRA Equipe EM TEMPO

Depois de inaugurar o primeiro curso superior de dança, tanto com a graduação em bacharelado quanto em licenciatura, a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) se torna pioneira no Norte com a pós-graduação em dança e educação. Os dois primeiros dos 12 módulos iniciaram este mês, na Escola Superior de Artes e Turismo e, para a surpresa do próprio corpo docente, boa parte dos estudantes é de outras áreas que não estão necessariamente ligadas às artes, como direito e biblioteconomia, por exemplo, conforme conta a coordenadora da especialização, Lia Sampaio.

EM TEMPO – Há mais de um ano o edital foi divulgado. Por que a demora para iniciar o curso? Como ele está estruturado? Lia Sampaio - O projeto é antigo, desde 2008, e várias coordenadoras tentaram iniciá-lo (Ítala Clay, Yara Costa e eu mesma), só agora com a professora Meireane Carvalho conseguimos a quantidade suficiente de alunos. Não trabalhamos com nada técnico, nem um estilo específico, mas sim com o se pensar e se escrever sobre a dança. Queremos estimular a pesquisa, tanto que temos na grade sociólogos, antropólogos e outros professores das ciências humanas, além dos específicos de dança, claro. EM TEMPO –Isso atraiu

profissionais de outras áreas? LS - Ficamos surpresos e felizes, pois temos muitos alunos de outras áreas como direito, pedagogia, educação física, fisioterapia, jornalismo, por exemplo. Elas se atraíram para o curso pois trazem na sua história pessoal uma vivência com dança e querem, de alguma forma, aprimorar isso na academia. Isso é um ganho para todos, pois essa troca de experiências traz uma nova visão sobre essa arte, a possibilidade de ver a dança em várias leituras e olhares diferentes. EM TEMPO - O curso superior em dança completou 10 anos. Que mudança isso trouxe para o cenário?

LS- Desde seu primeiro momento de criação mudou tudo, para quem estava fazendo e para quem estava estudando dança. Passamos a dança dentro de uma academia, de uma universidade e, com isso começamos a enxergá-la como uma arte voltada para educação, para a pesquisa e para o aprimoramento profissional. EM TEMPO - Essa mudança trouxe reflexos no mercado de trabalho? LS - O mercado não está só querendo, mas está necessitando dos nossos alunos. Muitos estudantes do 2º e 3º período já estão trabalhando e os empregadores querem essas pessoas que estão na faculdade ou que são formados. Agora terão também os especialistas.

Não trabalhamos com nada técnico, nem um estilo específico, mas sim com o se pensar e se escrever sobre a dança”


D4

Plateia

‘Star Wars’ completa 35 anos de estreia no país

Um dos filmes de maior sucesso do cinema chegou ao Brasil no dia 30 de janeiro de 1978 intitulado “Guerra nas Estrelas”

R

onaldo de Matos Sartorio, 13, era um dos primeiros na grande fila no cinema Bristol, em São Paulo. Cinéfilo precoce, arrastou os amigos para ver o filme mais falado daqueles tempos, que havia estreado quase um ano antes nos Estados Unidos e finalmente entrava em cartaz em quatro cinemas da cidade - Bristol, Marabá, Paulistano e Del Rey. Naquela tarde de 30 de janeiro de 1978, começava a ser exibido no Brasil “Guerra nas Estrelas” - e não “Star Wars”, padrão internacional que o marketing impiedoso da Lucasfilm, empresa do criador da saga espacial, George Lucas, forçou o mundo a engolir no relançamento dos filmes nos anos 1990. “Foi um frisson em São Paulo. As filas no cinema chegavam até a calçada e, quando abriam as salas, as pessoas corriam desesperadas. A gritaria quando subia o letreiro era absurda”, recorda Sartorio, agora com 48 anos e trabalhando como administrador de empresas. Acompanhado Já Roberto Fabrício, 4 anos, era levado pela mãe para o

DIVULGAÇÃO

mesmo Bristol que Ronaldo frequentava. No entanto, por causa da pouca idade, não lembra de grandes detalhes da sessão histórica. “A imagem do início do longa, com a nave gigantesca se aproximado no espaço, ficou comigo para sempre e teve um grande impacto”, conta Fabrício.

LONGA

Dirigido por George Lucas, o longa-metragem “Star Wars” chegou ao Brasil em 1978 e arrastou uma multidão de jovens e adultos curiosos por conhecer a história da princesa Leah A visão da sequência foi tão impactante que, aos 42 anos, ele nunca deixou a paixão pelas aventuras de Luke Skywalker (Mark Hamill), Han Solo (Harrison Ford) e Leah (Carrie Fisher) contra o Império desaparecer. Fabrício trabalha como advogado, mas é um dos fundadores do Conselho Jedi, maior aglomerado de fãs de “Star Wars” do Brasil e coleciona produtos ligados à série. “Tenho um disco de

vinil com a trilha que veio com o selo repetido e dizem que vale R$ 5 mil”, especula. Novo fenômeno O mais impressionante é que, 35 anos depois, a saga de George Lucas não parece perder a força. Em dezembro passado, o cineasta vendeu a Lucasfilm para a Disney - e, com ela, seus filmes (além de “Star Wars”, há a franquia “Indiana Jones”), o estúdio de som e as produtoras de jogos e de efeitos especiais- por US$ 4 bilhões (R$ 8 bilhões). No mesmo dia em que anunciou a compra da Lucasfilm, a Disney revelou que um sétimo episódio da saga “Star Wars” sairá em 2015 e, a cada dois ou três anos, um novo longa centrado no universo jedi deve chegar aos cinemas - sem a participação ativa de Lucas, que vira consultor e vai se dedicar a projetos educacionais nos Estados Unidos. O filme, segundo o site “The Wrap”, será roteirizado por Michael Arndt (“Toy Story 3”) e dirigido por J. J. Abrams, que modernizou outra série cinematográfica de ficção científica: “Star Trek”. Por Rodrigo Salem

O filme “Star Wars” é considerado uma das franquias de maior sucesso do cinema internacional


MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

TV Tudo Mudanças à vista Falando em “Esporte Espetacular”, o programa, segundo pessoas da produção, irá apresentar novidades nos seus mais diferentes setores. Primeiro, por conta da chegada de Renato Ribeiro à direção da Central Globo de Esportes e, segundo, porque o seu formato anda engessado há um bom tempo. Humor na internet Letícia Snard, Ivana em “Avenida Brasil” e já escalada para “Sangue Bom”, próxima novela das 19h na Globo, participou das gravações de um novo trabalho do diretor André Miranda, voltado somente para internet. São pílulas cômicas de diversas situações com o objetivo de levar entretenimento aos internautas - tipo porta dos fundos. Lançamento previsto para fevereiro. Cinema De férias na Globo, após participação na novela “Salve Jorge”, Carolina Dieckmann, agora, se dedica às filmagens de “Júlio Sumiu”, baseado em livro do “Casseta” Beto Silva. No roteiro, temas fortes como tráfico de drogas e prostituição. “Menina-fantasma” Ana Lívia Padilha, que ficou conhecida como “meninafantasma” na pegadinha exibida pelo “Programa Silvio Santos”, depois do festival de sustos, agora vai aparecer cantando na nova versão de

DIVULGAÇÃO

Cabe mais um? Cercado por todos os lados, Bell, do “Chiclete com Banana”, se apresenta hoje no “Esquenta”, da Globo. “Chiquititas”. A exemplo das demais crianças do elenco, ela está sendo preparada pela professora Maria de Diniz e pelo diretor musical Arnaldo Saccomani. Estão todos encantados com ela. Esporte A parceria Globosat e Fox Sports, com troca de conteúdo, tem sido muito comemorada pelos dois lados, apesar de uma minoria, também das duas partes, ainda questionar o acordo. De fato, em 2012, o FS nadou de braçada no primeiro semestre, via “Libertadores”, com o Corinthians terminando o torneio campeão. Esporte 2 Mas, e se os brasileiros ficassem pelo caminho, quem iria se interessar, por exemplo, por Unión Española e Velez? Em televisão, como em outras áreas, não dá para contar sempre com a sorte. O Fox Sports necessitava de grade, de jogos, de material, algo que foi possível agora, através desse negócio com a Globosat. O acordo deve durar pelos próximos três

ou quatro anos. Esporte 3 Outro fator positivo. Em função dos eventos proporcionados por essa parceria, o Fox Sports se prepara para reforçar seu quadro de profissionais. Novas contratações estão previstas para muito em breve. Claro, também existe um acordo de cavalheiros no meio disso tudo, e estão, portanto, descartados ataques ao pessoal do Sportv. Curiosamente, nesse primeiro momento, parece não existir interesse na turma da ESPN. Chiadeira em “Salve Jorge” A informação é de pessoas próximas à atriz e, segundo elas, Ana Beatriz Nogueira não vê o momento de encerrar seu trabalho em “Salve Jorge”. De acordo com esse pessoal, ela não está nada feliz com os rumos da personagem, Rachel. Na verdade, outros atores também estão insatisfeitos, porque a divisão de cenas continua muito longe do que eles entendem como ideal.

Bate–Rebate .Ex-diretor de jornalismo do SBT, Alberto Villas voltou de um giro pela Europa. .Segunda temporada da série “Peixonauta” estreia amanhã, segunda-feira, às 11h30, no canal “Discovery Kids”. .Gravações de “Sangue Bom”, em São Paulo, terão início em fevereiro. .Larissa Manoela, um dos destaques de “Carrossel”, terá nada menos que a XYZ Live, de Nizan Guanaes, dando suporte à sua carreira musical. Isso, pra começar. .A empresa em questão atua nos segmentos de entretenimento, moda, conhecimento, cultura e esportes.

C’est fini “Chiquititas”, substituta de “Carrossel”, no SBT, terá dezenas de videoclipes durante sua exibição. Este trabalho, inclusive, será conduzido especialmente pelo diretor Ricardo Mantoanelli, que trocou a linha de shows pela dramaturgia. Então é isso. Mas amanhã tem mais. Tchau!

D5

Globo poderá ter programa radical De acordo com as informações que circulam no jornalismo e esporte da Globo, tudo indica que os novos planos, voltados para o “Planeta Extremo”, são mais ambiciosos. Tem um movimento forte na emissora que defende a transformação do quadro em programa, para apresentação em sistema de temporada, com vários episódios, como já acontece com outros produtos. A justificativa encontrase no fato de que, toda vez que entra o inédito no “Fantástico” e a reprise no “Esporte Espetacular”, a audiência sobe. Por enquanto, entre o que está combinado, o “Planeta Extremo” vai ganhar uma versão feminina, liderada pela repórter Carol Barcellos exclusiva para o “EE”, nas manhãs de domingo.

Flávio Ricco Colaboração: José Carlos Nery


D6

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

Programação da TV

REPRODUÇÃO

SBT 5:00 Aventura Selvagem – Reprise 5:30 Pesca Alternativa 6:30 Brasil Caminhoneiro 7:00 A Grande Ideia 7:30 Vrum 8:00 Programa da Manazinha – Local 8:30 Chaves 9:00 Sorteio Amazonas da Sorte – Local 10:00 Domingo Legal 14:00 Eliana 18:00 Vamos Brincar de Forca 18:40 Sorteio da Telesena 18:45 Programa Silvio Santos 23:00 De Frente com Gabi 0:00 Série - O Mentalista 1:00 Série – Alvo Humano 2:00 Série – Chase 3:00 Encerramento de Emissora

RECORD Silvio Santos apresenta seu programa todos os domingos

Horóscopo GREGÓRIO QUEIROZ ÁRIES - 21/3 a 19/4 Prepare-se para uma semana divertida! A fase será movimentada na vida social, com a entrada do sol na sua área dos amigos e das ajudas. Mas, hoje, a Lua inspirará uma programação íntima e romântica em casa. Valerá também curtir a família e o aconchego do lar.

4:45 Bíblia Em Foco 5:00 Nosso Tempo

CÂNCER - 22/6 a 22/7 A Lua em seu signo preencherá o dia com mais emoção, sonhos e uma dose extra de romantismo. Aproveite para cuidar das necessidades pessoais e também para planejar uma viagem exótica. A conexão positiva da Lua com Urano inspirará um clima de aventura. LEÃO - 23/7 a 22/8 A semana começará mais devagar, não se cobre além das suas forças. A entrada do Sol na sua área afetiva trará posicionamentos mais claros na relação íntima, além de aumentar as chances para um novo encontro. Mas, hoje, prefira a companhia dos sonhos e descanse mais! VIRGEM - 23/8 a 22/9 Mate a saudade dos amigos e de alguém especial. O dia será repleto de novidades, na vida social e no relacionamento íntimo. Mercúrio promete mais ordem nos papéis e no cotidiano. A entrada do Sol na sua área da saúde aumentará a vitalidade. LIBRA - 23/9 a 22/10 A conexão positiva da Lua com Urano, pela manhã, trará ótimas perspectivas na carreira. Comece o dia criando um projeto inovador. À noite, Sol, Mercúrio e Netuno garantirão muita diversão, com encontros interessantes, boas conversas e mais espontaneidade. ESCORPIÃO - 23/10 a 21/11 Com mais fé, otimismo e um pouco de boa vontade, começará a semana realizando sonhos. Ótimo momento para contatar amigos e investir nos relacionamentos. Sol, Mercúrio e Netuno enriquecerão a comunicação com a família, tornando o clima mais leve. SAGITÁRIO - 22/11 a 21/12 Emoções profundas e saudade de alguém especial marcarão o início da semana. A Lua inspirará novas estratégias para a evolução da carreira e crescimento financeiro. Sol, Mercúrio e Netuno enriquecerão as comunicações e atividades intelectuais. Na dúvida, siga a intuição! CAPRICÓRNIO - 22/12 a 19/1 A Lua na sua área afetiva promete momentos românticos e mais carinho no relacionamento íntimo. Sol, Mercúrio e Netuno movimentarão sua área financeira, com novas propostas e idéias originais para ampliar a receita. Impulsione um novo projeto de trabalho. AQUÁRIO - 20/1 a 18/2 Torne o cotidiano mais agradável cuidando das necessidades pessoais com carinho e atenção. A entrada do Sol em seu signo aumentará a vitalidade e a disposição para novas conquistas. Aposte também no amor! Marte promete paixão, prazer e criatividade. PEIXES - 19/2 a 20/3 Dia divertido, criativo e fértil: a Lua promete novidades no amor e muita inspiração para novos projetos. A semana favorecerá encontros profissionais poderosos e mudanças na carreira portanto, prepare-se! A vida social também estará em pleno processo de expansão: faça novas amizades!

GLOBO 4:45 Santa Missa em Seu Lar 5:45 Sagrado: Compacto 5:55 Amazônia Rural 6:25 Pequenas Empresas, Grandes Negócios 7:05 Globo Rural 8:05 Auto Esporte 8:38 Esporte Espetacular 11:30 Temperatura Máxima 13:53 Esquenta 15:17 Domingão do Faustão 19:30 Fantástico 21:50 Domingo Maior 0:05 Sessão de Gala 1:48 Corujão 3:15 Sob Medida 4:00 Festival de Desenhos

Cinema

REDE TV

TV CULTURA

6:30 Igreja Internacional da Graça – Local 7:30 Igreja Internacional da Graça – Local 8:55 Break obrigatório 9:00 TV Shopping Manaus – Local 10:00 Show de Ofertas da Cidade – Local 10:30 TV Kids – Local 11:00 Igreja Internacional da Graça – Local 12:00 Fique Ligado – Local 13:00 TV Kids – Local 14:00 Encircuito – Local (Reprise) 15:30 Amazonas Mix – Local 16:00 Break obrigatório 16:05 TV Kids 16:45 Ritmo Brasil 17:20 O Último Passageiro 18:40 Super Bull Brasil 19:40 Star Trek 21:00 TV Shopping Manaus – Local (Reprise) 22:00 Cine Total 23:30 Dr. Hollywood 0:15 É Notícia 1:15 Bola na Rede 1:45 Igreja Internacional da Graça – Local

5:55 Abertura da Emissora/Hino Nacional 6:00 Via Legal 6:30 Brasil Eleitor 7:00 Palavras da Vida 8:00 Santa Missa 9:00 Viola, Minha Viola 9:30 Nova Amazônia – Local 10:00 Escola Pra Cachorro 10:15 Meu Amigaozão 10:30 Turma do Pererê 11:00 ABZ do Ziraldo 11:30 Anima TV Tromba Trem 11:45 Anima TV Carrapatos e Catapultas 12:00 Turma do Pererê 13:00 Dango Balango 13:30 TV Piá 14:00 Stadium 15:00 Os Protetores do Planeta 16:00 Ver TV 17:00 De Lá, Pra Cá 17:30 Cara e Coroa 18:00 Papo de Mãe 19:00 Conexão 20:00 Esportvisão 21:30 MPTV – Local (Reprise) 22:00 Roda Viva Amazonas – Local (Reprise) 23:00 Doc Especial 0:00 Encerramento da Emissora/Hino Nacional

Cruzadinhas

ESTREIA DIVULGAÇÃO

TOURO - 20/4 a 20/5 A Lua incentivará sua área das comunicações. Ótimo dia para pesquisas, estudos, atividades comerciais e intelectuais. Aproveite para fazer contato com pessoas queridas que andam distantes ou para falar de amor no relacionamento íntimo: as palavras carregarão mais emoção. GÊMEOS - 21/5 a 21/6 Comece o dia visualizando o futuro com mais liberdade e crie novos projetos. A Lua, na sua área do dinheiro, inspirará ótimas idéias para aumentar a receita. Também será um dia favorável para compras e para suprir as próprias necessidades.

5:30 Desenhos Bíblicos 7:00 Voto na Record – Local 11:15 Tudo É Possível 14:00 Top Model – HD 15:00 Programa do Gugu 19:30 Domingo Espetacular – HD 22:15 Repórter Record 23:15 Série – Todo Mundo Odeia o Chris 0:15 Programação IURD

O Resgate EUA. 14 anos. Nicolas Cage é Will Montgomery, um ex-criminoso que tem apenas 12 horas para conseguir achar sua filha, mantida trancada no porta-malas de um táxi em Nova York por seu antigo parceiro no crime. Ele só vai entregá-la quando Will revelar o paradeiro dos 20 milhões de dólares que ele escondeu de seu último roubo. Cinemark 1 – 14h55, 17h20, 19h50 e 22h10 (dub/diariamente); aPlayarte 6 – 13h, 15h, 17h, 19h, 21h (leg/diariamente) e 23h (leg/somente sexta e sábado); Playarte 7 – 14h, 16h, 18h, 20h (dub/diariamente) e 22h (dub/ somente sexta e sábado); Cinemais Plaza - 15h, 17h10, 19h20 e 21h30 (dub/diariamente); Cinemais Millennium - 15h20, 17h30, 19h40 e 21h50 (leg/diariamente).

O Homem Mais Procurado do Mundo EUA. 14 anos. A CIA realiza uma operação conjunta com os SEALs, as forças especiais do exército norte-americano, que estão em pleno Paquistão. O grupo está atrás de pistas que possam levá-los à localização do inimigo número um dos Estados Unidos: Osama Bin Laden, considerado o mentor dos atentados terroristas ocorridos em território americano em 11 de setembro de 2001. Playarte 5 – 14h, 16h05, 18h10, 20h15 (leg/diariamente) e 22h20 (leg/somente sexta e sábado).

Lincoln EUA. 12 anos. Steven Spielberg dirige Daniel DayLewis em “Lincoln”, um drama revelador que incide sobre o 16º presidente dos Estados Unidos nos tumultuados meses finais de mandato. Em um país dividido pela guerra e pelos fortes ventos da mudança, Lincoln segue um curso de ação destinado a acabar com a guerra, unir o país e abolir a escravidão. Cinemark 2 – 12h, 15h10, 18h20 e 21h30 (leg/ diariamente); Cinemais Millennium - 15h30, 18h30 e 21h30 (leg/diariamente). João e Maria Caçadores de Bruxas: ALE/EUA. 14 anos. A história segue os passos dos personagens que ficaram conhecidos no Brasil como João e Maria. Após 15 anos do traumático incidente envolvendo uma casa feita de doces, Hansel e Gretel (nomes originais) formam uma dupla de impecáveis caçadores de bruxas, que migram pelo mundo procurando e matando tais seres malignos. Cinemark 6 – 12h20, 14h30, 16h40, 18h50, 21h10 (dub/diariamente) e 23h30 (dub/somente sexta e sábado); Cinemark 7 – 11h20, 13h30, 15h40, 18h, 20h10 (3D/dub/diariamente) e 22h20 (3D/leg/diariamente); Cinemais Plaza - 13h40, 17h40, 19h40 e 21h40 (3D/ dub/diariamente); Cinemais Plaza - 14h40, 16h40, 18h40, 20h40 (dub/diariamente); Cinemais Millennium - 14h, 16h e 20h (3D/dub/diariamente); Cinemais Millennium - 18h e 22h (3D/leg/diariamente); Cinemais Millennium - 15h, 17h, 19h e 21h (leg/diariamente).

CONTINUAÇÕES Uma Família Em Apuros – Livre: Cinemark 1 – 12h15 (dub/ diariamente); Cinemark 3 – 20h (dub/diariamente); Cinemais Plaza - 14h20, 16h50, 19h e 21h20 (dub/diariamente); Cinemais Millennium - 14h40, 17h10, 19h20 e 21h40 (dub/diariamente). O Último Desafio – 14 anos: Cinemark 3 – 17h30 e 22h30 (dub/diariamente); Cinemais Plaza - 14h50, 17h20, 19h30 e 21h50 (dub/diariamente); Cinemais Millennium - 18h50 e 21h10 (leg/diariamente). Sammy 2: A Grande Fuga – Livre: Cinemark 3 – 12h40 e 15h (dub/diariamente); Playarte 9 – 13h30, 15h30, 17h30 e 19h30 (dub/diariamente); Cinemais Pla-

za - 15h40 (3D/dub/diariamente); Cinemais Millennium - 14h30 e 16h40 (3D/dub/diariamente). Royal Opera House: La Boheme – 12 anos: Cinemark 4 – 19h (somente terça-feira, dia 29). Detona Ralph – Livre: Cinemark 4 – 13h10 e 15h30 (3D/dub/diariamente); Cinemark 5 – 12h1 e 14h40 (dub/ diariamente); Playarte 1 – 12h30, 14h45, 17h, 19h15, 21h30 (3D/dub/ diariamente) e 23h45 (3d/dub/somente sexta e sábado); Cinemais Plaza - 15h10 (dub/diariamente). Django Livre – 16 anos: Cinemark 4 – 17h50 e 21h20 (dub/não será exibido terça-feira); Cinemais Plaza - 17h50 e 21h (dub/diariamente); Cinemais Millennium - 14h50, 18h10

e 21h20 (leg/diariamente). A Viagem – 16 anos: Cinemark 5 – 18h10 e 21h40 (dub/diariamente); Playarte 2 – 20h20 (leg/diariamente) e 23h40 (leg/somente sexta e sábado); Playarte 10 – 14h, 17h20, 20h40 (leg/diariamente) e 23h59 (leg/somente sexta e sábado); Cinemais Plaza - 14h30, 18h00 e 21h10 (dub/diariamente). De Pernas Pro Ar 2 – 12 anos: Cinemark 8 – 12h30, 14h50, 17h10, 19h30, 21h50 (diariamente) e 0h (somente sexta e sábado); Cinemais Plaza - 15h30, 17h30, 19h50 e 22h (diariamente); Cinemais Millennium - 15h10, 17h20, 19h30 e 21h45 (diariamente). O Mar Não Está Pra Peixe 2

– Livre: Playarte 2 – 14h20, 16h20 e 18h20 (dub/diariamente). Os Penetras – 14 anos: Playarte 3 – 14h10, 16h10, 18h10, 20h10 (diariamente) e 22h10 (somente sexta e sábado). O Hobbit – 12 anos: Playarte 4 – 13h30, 16h50, 20h10 (dub/diariamente) e 23h30 (dub/somente sexta e sábado). A Sombra do Inimigo – 14 anos: Playarte 8 – 13h25, 15h30, 17h35, 19h40, 21h45 (dub/diariamente) e 23h50 (dub/somente sexta e sábado). A Vida de Outra Mulher – 12 anos: Playarte 9 – 21h (leg/diariamente) e 23h30 (leg/somente sexta e sábado).


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

Responsável por levar o bem aos menos afortunados, a minha, a sua, a nossa primeira-dama Nejmi Jomaa Aziz orquestrará, nos próximos dias 1º e 2, o Bazar da Páscoa Solidária – na MS Casa, a partir das 10h. Nas araras grifadas: as desejáveis bolsas, sapatos, acessórios e roupas da elegantíssima senhora Aziz

Jander Vieira

jandervieira@hotmail.com - www.jandervieira.com.br

::::: Livros O povo que adora consumir um bom livro não vê a hora de inaugurar o Ponta Negra Shopping, tudo porque ali será o endereço da badalada livraria Cultura, um dos melhores empreendimentos do setor de livros no Brasil. A Cultura é uma espécie de templo das letras, um espaço imperdível onde qualidade, informação e bom gosto estão presentes.

::::: Injeção de ânimo ROBERTO CARLOS/AGECOM

Disposto a envolver a torcida em Manaus e dar um balde de água fria nas críticas sobre as toadas selecionadas para o centenário, o presidente do Garantido, Telo Pinto, irá realizar no próximo dia 16, a gravação do DVD oficial do boi na capital amazonense. O evento que também acontecerá em Parintins é mais uma inovação da gestão e promete abalar as estruturas do sambódromo. Vamos aguardar.

::::: Folia Com o tema hilário sobre a polêmica do ovo lançado ou não na candidata Vanessa na última eleição, a banda da Bica, a mais tradicional de Manaus, volta à ativa depois do hiato provocado pela partida do Armando, que este ano assiste tudo lá do andar de cima. A grande pergunta que os biqueiros estão fazendo é: a senadora Vanessa Grazziotin, que sempre esteve nos carnavais da Bica, irá este ano? Mistério...

::::: Carnaval-mirim Sabe o que o Planeta das Fantasias, Sorvete Toya, D&A, Grafisa e DM2 têm em comum? O incondicional apoio à folia infantil que movimentará o próximo dia 10, o Domingo Gordo de Carnaval, nos redutos do Buffet Morada, a partir das 16h11. Trata-se do esperado baile “Figurinhas na Folia” – assinado pela coluna em parceria com o programa Figuras, de Milena Reis. Muito skindô, festival de brindes e concurso do rei e rainha-mirim do Carnaval vão agitar o auê. Os convites já estão circulando.

D7

::::: Sala de Espera Ramiro Fernandes Neto, Fefa Cacheado e Zezinho Cardoso estão trocando de idade hoje. Os cumprimentos da coluna. A Aleam se tornou o primeiro órgão público estadual e a primeira casa legislativa do Brasil a funcionar com tripla certificação para Sistema de Gestão Integrada por gestão administrativa (ISO 9001:2008), ambiental (ISO 14001:2004) e saúde e segurança ocupacional (OHSAS 18001:2007). Vale lembrar, que a busca pelas normas internacionais de qualidade iniciou na gestão do então presidente da Casa, deputado Ricardo Nicolau (PSD). Dona de predicados invejáveis, Liza Melo ganhou sessão parabéns dos mais animados na boate do Tropical Hotel. No próximo sábado, acontece a Feijoada VIP da Mocidade Independente de Aparecida. Onde? Na Cervejaria Fellice, as blusas estão à venda no bar da escola durante seus ensaios. Mary Tuma emprestará sua beleza para enfeitar o abre-alas da “A Grande Família”, no desfile que homenageará o apresentador Waisser Botelho, no próximo sábado, no sambódromo. Michelle e João Luiz Carvalho convidam para conferir o esperado début da bela Alissa, no dia 1° de março, no chique Diamond, às 20h45. A sessão parabéns do tipo deslumbrante vai movimentar a cena sobrenomada da cidade. Dúvidas?

Rosiane Lima e sua discreta aparição nos redutos do Village

A bonita Samira Mousse Carvalho esbanjando alto astral em noite divertida

A nova edição da “Bossa” já está circulando. Um dos recheios da revista é a entrevista da jornalista Menga Junqueira, comandada pela ótima Lúcia Viana. Katlen Nascimento sobe ao palco do Manaus Plaza Shopping, amanhã, mandando ver no menu samba original. A artista vai apresentar um show com sucessos de Cartola, Noel Rosa, Diogo Nogueira e Zeca Pagodinho.


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 27 DE JANEIRO DE 2013

‘Quem manda é a galera’ Inconformados com a seleção das toadas que farão parte do CD oficial do Garantido 2013, torcedores decidiram criar um disco alternativo com as composições que não foram escolhidas pela diretoria e pelo Conselho de Arte do bumbá

BRUNO MAZIERI Equipe EM TEMPO

U

ma semana após o anúncio das toadas que estarão no CD oficial do Garantido 2013, torcedores do bumbá que se mostraram insatisfeitos com a escolha decidiram criar, sem o aval da diretoria do boi, um disco alternativo intitulado “Quem manda é a galera”, com as composições que não foram selecionadas este ano. Ao todo, são 31 músicas que estão em votação por meio de um grupo criado no Facebook. Os interessados poderão votar até a meia-noite de quinta-feira, dia 31. Somente 15 canções farão parte do projeto. Entre os envolvidos na iniciativa está João Paulo Faria. Segundo ele, a ideia é contribuir de maneira positiva ao centenário do Garantido, que tem muita história para contar. “Logo que as toadas foram lançadas houve um descontentamento por diversas razões. O meu questionamento é pelo fato de figuras históricas como João Batista Monteverde, Zé Foguete, Maria Ângela Faria (avó de João), Coxaxata, Pitombeira e Toró, além de datas tradicionais que só o Garantido tem (Alvorada, Ladainha e Matança) sequer serem citados. É como falar da seleção brasileira e não citar Pelé e Garrincha”, comenta. A partir do anúncio oficial, vários compositores começaram disponibilizar suas toadas para audição de todos. “Isso, além de aumentar a repercussão do CD, foi algo inédito, pois eles

sempre guardam suas obras para tentar emplacar no ano seguinte. Porém, como o tema centenário é único, algumas não poderiam ser reutilizadas e, quando algumas toadas tornaram-se públicas, a reação dos torcedores foi ainda mais expressiva. O que deu vida ao projeto. É como disse o diretor de arte do Garantido, Fred Góes, na fita de 1991, “A simplicidade é a alma da tradição”. Estamos fazendo o simples que o Garantido parece ter esquecido. Paramos de falar, começamos a agir”, explica João. O CD, de fato, ganhou

NOVO CD

Sem o aval da diretoria do bumbá, torcedores criaram um disco alternativo intitulado “Quem manda é a galera”. Ao todo, 31 toadas estão em votação por meio de um grupo criado no Facebook uma proporção maior, após a publicação de uma nota oficial por parte da diretoria do Garantido. “No início, seria apenas uma tentativa de incluir no disco duas ou três toadas que abordassem melhor o nosso tema. Mas após uma nota oficial infeliz que se referiu a nós como “alguns poucos torcedores e compositores não contemplados”, resolvemos mostrar que a galera tem, sim, poder de mobilização. Acredito que a participação do Chico da

Silva, que nos cedeu uma linda toada composta em 1999 e que até esta semana era quase desconhecida, aumentou a repercussão sobre o projeto”. Votação Um dos pontos curiosos da votação é com relação a não divulgação do nome da cada compositor. A ideia é manter uma “neutralidade” durante todo o processo. A ideia é que o disco possa ser distribuído logo após o Carnaval. “Desde o início fizemos questão de deixar claro que nenhum centavo será lucrado com o CD, ele será de graça e a venda é proibida. As pessoas têm pedido para regravarmos as toadas escolhidas na voz do nosso levantador de toadas, Sebastião Jr., mas nosso patrocínio, até o momento, é apenas para confecção das capas e reprodução dos CDs. Quem sabe ele se interessa pelo projeto”, argumenta. Antes de finalizar, João fez questão de esclarecer que a iniciativa é, de fato, contribuir. “Esse trabalho é histórico. É para que daqui a 15, 20 anos escutemos essas toadas e lembremos que, no ano do centenário, tivemos obras que verdadeiramente falassem da nossa tradição e de como chegamos até aqui. Jamais torcerei contra o boi do qual minha avó, Maria Ângela, é madrinha, meu tio, Paulinho Faria, apresentou por 26 anos e meu pai, Zezinho Faria, comandou durante o único pentacampeonato da história do festival e no primeiro título disputado no bumbódromo. Tá no sangue, não tem jeito!”, disse.

‘Cada um tem sua autonomia’ Para o diretor da comissão de artes do boi vermelho e branco, Fred Góes, a iniciativa não irá alterar o projeto do Garantido para este ano. “Não posso impedir de alguém fazer qualquer coisa. Cada pessoa tem sua autonomia, assim como a diretoria teve a sua para selecionar as toadas deste ano”, explica.

Ainda segundo Góes, não existe a possibilidade da inclusão de novas composições. “Já estamos trabalhando no DVD com as toadas selecionadas. O que, provavelmente faremos será lembrar músicas que fizeram história dentro da associação ao longo desses 100 anos. Temos cerca de duas horas para mostrar um

bom trabalho”, comenta. Sobre a possibilidade de dois CDs confundirem os torcedores, o diretor é enfático. “Os ensaios serão realizados no curral do Garantido. As toadas apresentadas serão as que foram escolhidas. É nelas que iremos trabalhar para as apresentações nas três noites de festival”.

Torcedores escolhem e preparam um CD alternativo com toadas do bumbá Garantido

A iniciativa do disco é do publicitário João Paulo Farias

FOTOS: DIEGO JANATÃ

D8


EM TEMPO - 27 de janeiro de 2013