Page 1

LONDON PUB

HOJE TEM

Um pedaço de Londres no Vieiralves Clima e espírito dos pubs britânicos chegam a Manaus com a oferta de comidas de bar e música ao vivo. Elenco 4

ANO XXIV – N.º 7.682 – MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012 – PRESIDENTE: OTÁVIO RAMAN NEVES - DIRETOR EXECUTIVO: JOÃO BOSCO ARAÚJO - PREÇO DESTA EDIÇÃO: R$ 2,00

Câmara vive clima de ‘salve-se quem puder’ RICARDO OLIVEIRA

Presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Isaac Tayah admite não ter como evitar a ausência de vereadores que se lançarem candidatos à reeleição no pleito deste ano. As chamadas “sessões brancas” podem dar lugar a um plenário esvaziado. Política A6

MAURICIO VAL/VIPCOMM

SÉRIE D

Penarol faz estreia contra o Atlético-AC Lance! 5

FLA X GRÊMIO

Encontro entre velhos amigos no Olímpico Lance! 8

ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

PREPARO

Tapioca pode gerar câncer, diz pesquisa Dia a dia C3

PRODUÇÃO

Amazonas lidera exportação de cítricos na Região Norte Economia B4 e B5

PAUDERNEY

O povo está de ‘saco cheio’ da política omissa

FALE COM A GENTE - ANÚNCIOS CLASSITEMPO, ASSINATURA, ATENDIMENTO AO LEITOR E ASSINANTES: (92) 3211-3700 ESTA EDIÇÃO CONTÉM - 1º CADERNO, ECONOMIA, DIA A DIA, PLATEIA, SAÚDE, ILUSTRÍSSIMA, ELENCO, LANCE! E CONCURSOS

Com a Palavra A7 TEMPO EM MANAUS

MÁX.: 32º

MÍN.:

24º


A2

Opinião/Última Hora

Contexto 3090-1017/8115-1149

contexto@emtempo.com.br

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Projetos sociais serão a base de campanha do PSB O ex-gestor de Manaus Serafim Corrêa e o deputado estadual Marcelo Ramos, foram confirmados, ontem, candidatos a prefeito e vice-prefeito, nestas eleições IONE MORENO

Candidatos deixam para o último dia a escolha de vices Pré-candidatos à Prefeitura de Manaus vão deixar para escolher seu vice aos 45 minutos do segundo tempo, ou seja, somente no último dia de prazo dado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para a realização das convenções partidárias: 30 de junho. Apesar de já ter lançado seus candidatos, PSDB, DEM, PMN e PP ainda não apontaram seus vices e devem esperar até o dia 30 para oficializarem a escolha. O tucano Arthur Neto, que tem sido visto constantemente em conversa com Serafim Corrêa (PSB), diz que a situação ainda está indefinida. Serafim, por sua vez, diz que seu vice será o deputado Marcelo Ramos. PMN, que lançou Jerônimo Maranhão, também não tem vice. O mesmo acontece com Rebecca Garcia, do PP, que aguarda a definição do PMDB, do senador Eduardo Braga, para decidir pelo vice na chapa. Até o dia 30, a situação parece que ficará indefinida. JUNTO COM O PHS Apesar de dizer que a situação está indefinida, Arthur confirma que tem conversas estreitas com o PHS, liderado pelo ex-deputado Liberman Moreno. O tucano cogita ter o PHS como vice na sua chapa e diz ter preferência pelo vereador Homero de Miranda Leão. Homero não confirma o convite. ALIANÇA Pauderney ainda não tem vice. Cogita-se a possibilidade de composição com o PR. Mas há quem diga, também, que o DEM pode garantir uma aliança com o PSDB em Manaus. Ou seja, Pauderney pode até ser vice de Arthur. CONVERSA Pauderney estava sendo cogitado para ser vice de Arthur Neto. A conversa não foi adiante e o democrata ainda corre atrás de um vice para sua chapa. Ele não quer ser vice na chapa do tucano. DIETA ELEITORAL A campanha eleitoral ainda nem começou e Arthur já vem sentindo os efeitos da maratona. Ele disse que estava 10 quilos acima do seu peso ideal, mas só na semana passada, quando anunciou que será candidato a prefeito, já havia perdido três quilos. VEREANÇA Enquanto isso, as coligações para quem vai concorrer a um cargo de vereador também ficam para o último dia. Os partidos nanicos e os de grande representatividade na Câmara Municipal de Manaus deixam sempre para o último dia as definições de alianças. REUNIÕES O PT, que deve receber ordens da executiva nacional,

C

om propostas ousadas para a administração da cidade de Manaus, o ex-prefeito Serafim Corrêa e o deputado estadual Marcelo Ramos, foram confirmados, na manhã de ontem, candidatos a prefeito e vice-prefeito, numa chapa puro-sangue do PSB. Serafim, que administrou a capital amazonense de 2004 a 2008, vai fundamentar sua campanha eleitoral em três propostas básicas: a “mãe manauara”; a dotação de um computador para cada aluno do ensino fundamental da

rede municipal de ensino; e a recuperação e valorização do Centro Histórico de Manaus. Durante coletiva à imprensa, antes de se realizar a convenção do partido, o candidato explicou que o projeto “mãe manauara” consiste na desapropriação da Santa Casa de Misericórdia para transformá-la numa espécie de maternidade e atender às mães da capital. Em relação à inclusão digital dos estudantes do ensino fundamental da rede municipal, o candidato explicou que, nos 4 anos de sua adminis-

tração, vai dotar o orçamento da Secretaria Municipal de Educação (Semed) para adquirir computadores a esses alunos. Quanto à valorização do Centro Histórico da cidade, o ex-prefeito quer transformar prédios localizados em ruas de intenso comércio, na área central de Manaus, em galerias para abrigar camelôs, numa espécie de lojas e, dessa forma, contribuir para que esses empresários informais se formalizem na atividade comercial. Como exemplo, ele citou uma galeria na rua Marcílio

RIO+20 MARCOS DE PAULA/AE

CANDIDATURA Os petistas locais seguem em frequentes reuniões para definir o futuro da sigla na eleição municipal. Antes do PT nacional decidir os rumos, cogitava-se, inclusive, uma candidatura própria do partido, com José Ricardo e Sinésio Campos. HOMENAGEM O Ministério Público do Estado (MPE) vai homenagear uma série de personalidades Será entregue a Medalha do Mérito do MPE ao desembargador Domingos Jorge Chalub; ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Antonio Herman de Vasconcellos e Benjamim, subprocuradora-geral da República, Elizeta Maria de Paiva Ramos; e ao desembargador João Simões, entre outros.

VAIAS

Zona do Euro

Petrobras

Para a Petrobras, que anunciou aumento do preço de combustíveis cobrados nas refinarias. A gasolina subirá 7,83%.

Dias, no Centro, na qual foi reformada e criada 60 boxes, alugados para camelôs. A proposta, enfatizou Serafim, é expandir esse conceito e incentivar outros proprietários em fazer algo semelhante. Ainda na convenção, o partido ratificou a chapa de vereadores para concorrer a, pelo menos, três das 41 vagas que a Câmara Municipal de Manaus (CMM) vai ofertar nestas eleições. O partido é representado, hoje, na casa, por dois vereadores: Elias Emanuel e Joaquim Lucena. A aliança na chapa proporcional foi celebrada com o PSOL.

TRÁFEGO

Rua dos Andradas é liberada

ainda tenta emplacar o vice na chapa de Rebecca Garcia. O deputado estadual Sinésio Campos (PT) continua a realizar reuniões diárias em sua casa, no bairro São José, Zona Leste.

APLAUSOS

Para a União Europeia, que concordou com o pacote de 130 bilhões de euros para promover crescimento.

Serafim Corrêa e o deputado estadual Marcelo Ramos confirmaram, ontem, suas candidaturas majoritárias para a cidade de Manaus

Conferência Mundial que discutiu sobre sustentabilidade, se encerra com saldo negativo de lixo

60 toneladas de lixo produzidas Cerca de 60 toneladas de lixo foram produzidas na última semana nos locais da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, além da Cúpula dos Povos e dos acampamentos dos participantes do evento. Os espaços de coleta feitos pela Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) foram o Centro Integrado de Educação Pública (Ciep) José Pedro Varela, sambódromo, Campus da Praia Vermelha da Universidade Federal do

Rio de Janeiro (UFRJ), Ciep Trancredo Neves, a Quinta da Boa Vista e o Parque dos Atletas. Segundo o coordenador de Sustentabilidade da Rio+20, o biólogo Francisco Nilson, a organização do evento teve como objetivo conscientizar os participantes sobre a gestão correta do lixo e a importância de se reduzir o consumo. Os materiais utilizados durante o evento são biodegradáveis ou compostáveis. Os copos de água são feitos de baga-

ço de cana ou de milho, que são fontes renováveis e não agridem o meio ambiente. “Nós estimulamos o uso de squeezes, que são aquelas garrafinhas portáteis para armazenar água ou outros líquidos, que muitos delegados já tinham ou ganharam durante a conferência”, disse o coordenador. No parque do Flamengo, onde foi realizada a Cúpula dos Povos, funcionários da Comlurb recolheram cerca de 20 toneladas de lixo na última semana.

ENSINO SUPERIOR

Resultado do Sisu sai amanhã Mais de 642 mil estudantes se inscreveram para participar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece 30 mil vagas em instituições públicas de ensino superior para o segundo semestre de 2012. O prazo foi encerrado na última sexta-feira e a lista dos aprovados em primeira chamada será divulgada amanhã. A concorrência ficou em 21 candidatos por vaga.

O Sisu é uma ferramenta criada pelo Ministério da Educação (MEC) para unificar a oferta de vagas em universidades federais por meio do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que substituiu o vestibular tradicional de algumas instituições. No total, o sistema registrou 1,2 milhão de inscrições, já que cada aluno pode escolher até duas opções de cur-

so, elegendo sua prioridade. A instituição que recebeu o maior número de inscrições é a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Os candidatos aprovados nesta etapa terão entre os dias 29 de junho e 9 de julho para efetuarem as matrículas nas instituições para onde foram selecionados. Uma segunda chamada está prevista para 13 de julho.

O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) liberou, ontem, um trecho da rua dos Andradas, que compreende o segmento entre a rua Pedro Botelho e a avenida Lourenço da Silva Braga (Manaus Moderna), no Centro, Zona Sul. Os veículos estavam impedidos de acessar o local desde o dia 21 de abril, em decorrência da enchente no rio Negro, que chegou a atingir o local. Agentes do Manaustrans estiveram naquela área durante toda a manhã, com o objetivo de coordenar a reabertura do trecho, orientando os condutores. Com o fim da interdição, o órgão informou que as ruas adjacentes, Isabel e José Paranaguá, ambas no Centro, que tiveram o sentido de tráfego alterado para compensar a falta de acesso da rua dos Andradas, já estão de volta ao sentido normal de tráfego. Durante a manhã de sábado, o Manaustrans registrou acidente na avenida Cosme Ferreira, nas proximidades do Clube do Trabalhador (Sesi), Zona Leste, prejudicando ambos sentidos da via. Além desse, um capotamento foi registrado na avenida das Torres, Zona Norte.


Opinião

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

A3

Fala leitor

Editorial

falaleitor@emtempo.com.br

www.emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br

Enquanto os camelôs fazem leis na cidade Os camelôs, que ultimamente legislam sobre o espaço urbano da capital amazonense, sofreram um revés neste fim de semana ao terem negado pelo Ministério Público Federal o uso de aparelhos (galpões) do porto de Manaus para armarem suas bancas de produtos, cuja origem não é declarada e são vendidos sem a devida nota fiscal (e ainda existe quem, seriamente, argumente contra a “infiltração” de mercadorias chinesas, principalmente, no mercado nacional). Como a administração municipal perdeu a noção de planejamento há muito tempo, preocupada em transformar questões sociais em cooptação de voto, os camelôs proliferaram no centro histórico da cidade, porque ainda hoje a mobilidade de Manaus é pensada e praticada em torno desse espaço saturado. Os camelôs querem o camelódromo que lhes foi prometido, inconsequentemente, porque tentou-se esquecer que o espaço tinha sido já tombado pelo órgão competente, o Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Mas nenhuma derrota faz com que parem de ciscar em torno do mesmo quintal de que já tomaram posse e só falta que registrem em cartório apoiados pela lei de uso capião. Nesse momento está sendo pensado em transformar o entorno da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, a porta de entrada da cidade, numa concentração dos produtores de artesanato, ora instalados na praça Tenreiro Aranha, num risco claro de conflito por o lugar já está saturado por vendedores de toda espécie. Enquanto essas “soluções” de improviso continuam sendo experimentadas, o Plano Diretor da cidade de Manaus, jaz em berço esplêndido sem que ninguém se dê conta de que Manaus, a capital da zona franca, cujo polo industrial produz bilhões e bilhões de dólares e é um dos quatro ou cinco PIBs entre as capitais brasileiras continua fingindo que é uma grande cidade, enquanto não passa de uma cidade grande e “mal ajambrada”, como a descreveu Euclides da Cunha há um século.

Dizem que a gente deixa a roça, mas a roça não deixa a gente. Nasci e passei minha primeira infância no sítio. A casa ficava perto de um pasto e tinha um belo pomar na porta da cozinha, muito comum na época. Logo de manhã, uma das diversões era espantar os canários da terra que alegravam a paisagem com seu canto. Outro passatempo era caçá-

los (naquele tempo não era crime, nem politicamente incorreto). Bons tempos. Com o desenvolvimento acelerado, com o aumento das lavouras, com o uso de cultivares mais uniformes e mais produtivos, também foi acentuado o problema com pragas e doenças das culturas. Novas tecnologias e novos defensivos eram desenvolvidos e utilizados.

Mas começava a perceber algo muito triste. Estava desaparecendo uma das boas memórias de minha infância: os canários da terra estavam sumindo. Quis o destino que eu, agora, depois de quase uma vida vivida, depois de ter aprendido muito mais que ensinado, passasse mais tempo no sítio, novamente. Com um pouco de tempo

para contemplação do pasto, do pomar e, surpresa, dos canarinhos da terra! O canarinho voltou. Canta novamente no pasto, no pomar. E nossa agricultura cada vez mais produtiva, sustentando esse país. Ciro Antonio Rosolem

Charge regi@emtempo.com.br

Olho da Rua

Dora Kramer

opiniao@emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br RICARDO OLIVEIRA

Chegou-se ao máximo da saturação: não há mais paciência ou bom-senso que aguente essa água parada entre o residencial Cidade Jardim e o Círculo Militar. Essa nesga imunda do Mindu pede uma ação urgente de limpeza pelos órgãos municipais competentes.

CENTRAL DE RELACIONAMENTO Atendimento ao leitor e assinante ASSINATURA e CLASSIFICADOS

3211-3700 assinatura@emtempo.com.br classificados@emtempo.com.br

REDAÇÃO

Editores-Chefes Aldisio Filgueiras — MTB 213 aldisio@emtempo.com.br Náis Campos — MTB 033 nais@emtempo.com.br Tricia Cabral — MTB 063 tricia@emtempo.com.br Chefe de Reportagem Michele Gouvêa — MTB 626 michelegouvea@emtempo.com.br

3090-1010 redacao@emtempo.com.br

CIRCULAÇÃO

3090-1001

Diretor Administrativo Maurício Alves mauricio@emtempo.com.br Diretor de Marketing/Comercial Renato Bassille comercial@emtempo.com.br

circulacao@emtempo.com.br Norte Editora Ltda. (Fundada em 6/9/87) – CNPJ: 14.228.589/0001-94 End.: Rua Dr. Dalmir Câmara, 623 – São Jorge – CEP: 69.033-070 - Manaus/AM

Diretor de Arte Kyko Cruz kykocruz@emtempo.com.br EM TEMPO Online Yndira Assayag — MTB 041 yndiraassayag@emtempo.com.br

DO GRUPO FOLHA DE SÃO PAULO

www.emtempo.com.br

Presidente: Otávio Raman Neves Diretor-Executivo: João Bosco Araújo

@emtempo_online

/amazonasemtempo

/ /tvemtempo

Os artigos assinados nesta página são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal.

Mítica do articulador Muito tem se falado sobre os recentes atos políticos imperfeitos do ex-presidente Lula. Ora os tropeços são atribuídos a presumidos efeitos de medicação decorrente do tratamento de um câncer na laringe, ora a uma suposta crise aguda de onipotência pós-Presidência da República. Seja qual for a tese defendida, seus autores partem do princípio de que Lula sempre acertou e, de repente, começou a errar sem uma explicação plausível para as falhas em seu instinto tido como infalível. Há um assombro geral com a desfaçatez do ex-presidente ao passar por cima de tudo e de todos, da lógica, dos procedimentos institucionais sem a menor preocupação com as circunstâncias de seus companheiros de partido e com a repercussão de suas ações sobre a opinião pública. Da mesma forma que se acha capaz de submeter processos eleitorais à sua vontade, não avalia consequências, não dá ouvidos às críticas preferindo enquadrá-las na moldura da conspiração engendrada por adversários políticos dos quais a imprensa seria agente engajado. Falta, nessas análises, um exame mais acurado do ambiente político como um todo e do histórico de ações de Lula. Se olharmos direito, não é de hoje que age assim - fez e disse barbaridades enquanto estava na Presidência - nem é o único a atuar de costas para o contraditório como se qualquer ação estivesse a salvo de reações. O Congresso vem construindo há muito tempo sua crescente desmoralização agindo exatamente da mesma forma: toma decisões que excluem o interesse público, voltadas para seus próprios interesses como se a sociedade simplesmente não existisse. Os escândalos ali produzem no máximo recuos temporários, promessas não cumpridas e recorrentes avaliações de que o parlamento é um poder aberto e, por isso, vítima de ataques injustos. Sob essa argumentação os

erros se acumulam, mas não cessam. Quando se imagina que deputados e senadores tenham ciência do repúdio que provocam, eis que de novo tentam patrocinar uma farra de salários mal saídos de crises em série decorrentes de farras de privilégios outros. Lula achou que pudesse descartar impunemente a senadora Marta Suplicy, aproximar-se de Gilberto Kassab ao custo do constrangimento da militância e do discurso petista, anular uma prévia reconhecida como legal no Recife, pedir bênção a Paulo Maluf, direcionar a posição de um ministro do Supremo Tribunal Federal e administrar uma comissão de inquérito ao molde de seus interesses como se não houvesse amanhã. E escolheu agir assim por quê? Porque é assim que as coisas têm funcionado na política. Lula não é o espetacular articulador que se imagina. Apenas tinha, e agora não tem mais, todos os instrumentos de poder nas mãos, os quais utilizou com ausência total de escrúpulos. Quem age ao arrepio das regras ganha sempre de quem é obrigado a segui-las. Assim como faz o Congresso quando inocenta parlamentares de culpa comprovada, adapta a Constituição às suas conveniências, adia a reforma política, não acaba com o voto secreto para processos de cassação de mandatos e inventa regras segundo as quais a comprovação de desvios de vida pregressa não serve como critério de avaliação da conduta presente. Nem Lula comete erros novos nem o parlamento deixa de ser reincidente. Ambos se unem no mesmo equívoco, imaginando que seja possível fazer a opção por atos erráticos acreditando que não chegará o momento em que aquilo que parece sempre certo começa irremediavelmente a dar errado. Borralheiro. Caladinho, o PMDB se ressente do isolamento imposto pelo PT na eleição de São Paulo. Até a volta. Duas semanas de intervalo, antes da eleição e do julgamento do mensalão.

Dora Kramer Jornalista, escreve simultaneamente no jornal “O Estado de S.Paulo”

Lula não é o espetacular articulador que se imagina. Apenas tinha, e agora não tem mais, todos os instrumentos de poder nas mãos, os quais utilizou com ausência total de escrúpulos”.


A4

Opinião

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Para nós, eleitores, esta é A vida humana não é a nossa hora e a nossa vez um objeto descartável Assim como, segundo o povo, há o dia da caça e o dia do caçador, também há o dia do político e o dia do eleitor. Lamentavelmente, enquanto a caça e o caçador se alternam possivelmente a cada dia, o político tem o domínio sobre 1.460 dias seguidos para que, ao fim de cada quatro anos, possa o eleitor ter o seu dia, embora, nesse preciso dia, tenha o poder total sobre o político, para dar-lhe subsistência ou para simplesmente interromper a sua existência. Pena que os eleitores, quase todos, padeçam de dois males que muito contribuem para que suas vidas não transcorram num padrão de qualidade que seria o mais justo e desejável: um distúrbio da atenção faz com que, depois de votar, passem quatro anos sem acompanhar e sem medir o real desempenho de cada candidato por eles eleito; a outra deficiência, em parte é também uma consequência da desatenção já mencionada e aparece como uma fraqueza da memória, que os faz chegar ao tão esperado dia, o dia da eleição, sem um arquivo mnemônico de tudo o que aconteceu nos quatro anos anteriores e que deveria nortear as novas escolhas. O que desejo trazer ao foco é o fato de que, neste ano, teremos o nosso dia, em relação aos políticos e mandatários do plano municipal. Sobretudo, vamos eleger o prefeito da nossa cidade, da cidade onde vivemos e onde criamos nossos filhos e que deixaremos como casa para eles, para nossos netos e demais. Para vivermos nela, temos um custo considerável, sob forma de impostos e taxas, que transferimos ao prefeito para que cumpra suas obrigações de lei e nos ofereça em troca boas condições de habitabilidade. Agora mesmo recebemos os boletos bancários para pagamento do IPTU, com erros nas medidas e avaliações e aumento de mais de 100%, pelo menos no meu singelo caso. Mas o pior não está aí. O que realmente maltrata e revolta é não ter sequer o direito de usar o “espaço público”, que já não é público porque dele fomos expropriados por um lumpesinato politicamente manipulado. Quem deveria cuidar da cidade, entregou-a para uma minoria que não chega a 1% da população e que fez da nossa casa um pardieiro inabitável, sujo e fedorento. Ironicamente, a área concedida tem sido precisamente aquela que maiores cuidados exige, o centro histórico, que todas as cidades levadas a sério tentam cuidar e preservar. Já tivemos gestor que devolveu a cidade aos seus habitantes e que, por isso, foi crucificado por populistas irresponsáveis, embora hoje se saiba que mais de 80% da população aprovou as medidas. Quem agora se apresentar com a lucidez e a coragem para repetir o feito, vai desagradar talvez a 10 mil pessoas num universo de 2 milhões e poderá fazê-lo com planejamento e sensibilidade. O prefeito Amazonino Mendes, no momento em que diz e repete que é chegada a hora de encerrar sua atividade político-partidária, deve isso à sua cidade. E como deve!

João Bosco Araújo Diretor-executivo do Amazonas EM TEMPO

O que desejo trazer ao foco é o fato de que, teremos nosso dia, em relação aos políticos e mandatários do plano municipal. Vamos eleger o prefeito da nossa cidade”,

Hoje, domingo 24 de junho, celebramos a festa do nascimento de são João Batista. Por ter sido um grande homem, o precursor de Jesus tem ainda direito a outra festa no dia 29 de agosto que recorda sua morte. Sua vida, contada nos evangelhos e mencionada em outros livros do Novo Testamento, impressiona por muitos motivos. Seu nascimento aconteceu fora dos padrões comuns. A mãe Isabel era mulher idosa e estéril; o pai Zacarias pertencia à classe sacerdotal e não acreditava muito em milagres. Conta são Lucas em seu Evangelho que, durante ofício no santuário do templo, Zacarias foi avisado pelo anjo Gabriel que sua esposa ficaria grávida e teria um filho cujo nome seria João. Tantas foram as maravilhas anunciadas a respeito da criança que o homem duvidou serem verdade. Como castigo ficou mudo. Pobre Zacarias! Teve que ruminar por nove meses sua incredulidade. O fato é que Isabel engravidou e todos acharam a gravidez dela um presente do céu. A futura mãe, tímida como era, tinha vergonha de mostrar sua barriga que crescia de volume com o passar dos meses. Sua parenta, Maria de Nazaré, que estava grávida de Jesus, veio ajudá-la nos últimos três meses antes do parto. O nascimento da criança tornou-se uma festa e festa grande, atraindo parentes e vizinhos. João foi recebido como benção divina. A euforia era tanta que todos queriam dar nome ao recém-nascido. Pelo jeito, o pai do menino era muito popular e tentaram convencer a mãe a chamar o menino de Zacarias. Isabel recusou a proposta não porque amasse pouco o marido ou seu nome, mas porque o anjo tinha dito que o nome do filho seria João. Sabe que o pessoal não se contentou e foi atrás do pai? Zacarias, como estava mudo, pediu uma tabuinha e um estilete (naquele tempo não havia papel nem caneta esferográfica) e escreveu nela que “seu nome é João”. Aí, o velho pai começou a falar e bendizer a Deus. Bela história, não é verdade? Surge, porém, uma questão: Por que celebramos esse nascimento justamente hoje, 24 de junho? Quer saber mesmo? João nasceu seis meses antes do parto de Jesus. Faça as contas: Daqui a seis meses teremos o Natal. Se você for ler esta história para as crianças, não esqueça de explicar o que é estilete. Existem muitas lições a tirar da narrativa de Lucas. Todas as crianças concebidas ou dadas à luz deveriam ser recebidas com a alegria com que foi João. Uma nova vida significa que Deus continua a acreditar na humanidade. Para ser franco, não consigo entender como se chegue a praticar o aborto. Um filho ou filha deve ser buscado, programado. Quando não se deseja ser pai ou mãe, existem métodos que evitam a concepção. Por que gerar e depois matar? Não existe lógica. Entretanto vivemos numa sociedade em que a irresponsabilidade faz adolescentes engravidarem, filhos serem concebidos por drogados, estupradores desgraçarem mulheres. Está na hora de aprender com o nascimento de João que a vida não é coisa descartável, mas um tesouro a ser recebido com alegria.

Painel RENATA LO PRETE

Contra o relógio

Dom Luiz Soares Vieira Arcebispo de Manaus

Um a menos Como a volta do recesso é justamente 1º de agosto, o julgamento começaria no dia 6, com os novos prazos. Isso pode impedir que Cezar Peluso, que faz 70 anos em 3 de setembro, vote antes de se aposentar.

João nasceu seis meses antes do parto de Jesus. Daqui a seis meses teremos o Natal. Se você for ler esta história para as crianças, não esqueça de explicar o que é estilete”.

Frases Foram agredidos todos os princípios da defesa e todos perceberam a gravidade dos fatos. Estou disposto a responder pelos meus atos, que não se negue o direito à defesa Fernando Lugo, presidente do Paraguai, diz que a “democracia foi ferida” após ser destituído pelo Senado, por 39 votos a quatro, na noite de sexta. O vice-presidente, Federico Franco, assumiu o cargo.

Eco 92 deu um grande salto e depois não vimos iniciativas semelhantes dos governos. Mas reconhecemos que a crise econômica mundial pesa contra esse plus (avanço nas metas atingidas) Dom Leonardo Steiner, secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, disse na sexta-feira (22) que teme que a Rio + 20, “em vez de ser um plus (na preservação do meio ambiente) seja um menos.

A data da liberação do processo do mensalão pelo revisor Ricardo Lewandowski pode adiar o início do julgamento, marcado para 1º de agosto. Para que o calendário seja cumprido, o ministro precisa entregar o relatório até amanhã. Pelo regimento do Supremo Tribunal Federal, a devolução tem de ser publicada. A partir daí, o STF tem 48 horas para comunicar aos 38 réus e ao Ministério Público. Se o revisor liberar o voto na sexta, esse procedimento fica para depois do recesso.

Pote até aqui... Por sua vez, Lewandowski não esconde de colegas do Supremo e de advogados a insatisfação com o rito fixado para o caso. Diz que o calendário foi definido à sua revelia e que pela primeira vez na corte, um julgamento é marcado antes que o revisor libere os autos.

Tipo exportação Do deputado Eduardo Cunha (RJ), fazendo piada com o impeachment a jato no vizinho Paraguai e aproveitando para extrair caráter didático do episódio: “Fernando Lugo percebeu a falta que faz um PMDB, na base de apoio”. Rebolado Guardado a sete chaves pelo QG tucano, um dos jingles da campanha de José Serra será apresentado hoje durante a convenção. Versão do hit “Eu quero tchu, eu quero tchá”, da dupla João Lucas e Marcelo, diz em seu refrão: “Eu quero Serra, eu quero é já!”

... de mágoa Queixandose de trabalhar “20 horas por dia”, Lewandowski avisou que o voto ainda não está pronto, mas que deve concluí-lo até o fim da semana. Ele recusou a oferta de mais juízes assistentes feita pela presidência do Supremo há algumas semanas.

Antes não tinha Para subsidiar seu discurso, Serra consultou ex-secretários de pastas estratégicas na prefeitura, como Educação, Saúde e Transportes. A ideia é usar números comparativos da gestão tucana nas searas sensíveis ao debate eleitoral.

Nova... Mulher de Carlinhos Cachoeira, Andressa Mendonça diz que o marido relatou ter sido chantageado pelo jornalista Luiz Bordoni, que ameaçou divulgar a relação do contraventor com o senador Demóstenes Torres. Segundo ela, os R$ 45 mil depositados na conta de Bordoni foram “provavelmente’’ pagos por Cachoeira.

Indeciso Desafeto de Serra, o secretário estadual de Energia, José Aníbal, diz que irá à convenção, mas tergiversa sobre sua escolha nas urnas: “O voto é secreto”.

... versão Aliados de Marconi Perillo (PSDB) esperam que Andressa repita isso em depoimento à CPI do Cachoeira, ainda não marcado. Até agora, Bordoni tem dito que o dinheiro foi depositado por um assessor do governador, Lúcio Gouthier, em 2010.

Trampolim Presidente do PTB, Roberto Jefferson prevê a manutenção da candidatura da sigla. “O D’Urso está doido para ser vice do Haddad.” Segundo ele, o presidente da OABSP procura “vitrine” para se lançar a deputado federal em 2014. Tô fora Jefferson diz que a aliança com o PT melindraria Geraldo Alckmin. “Mas com o Serra não dá”, avisa.

Tiroteio O Congresso paraguaio decretou o impeachment de Lugo e, ao mesmo tempo, deixou o país com um pé fora do Mercosul.

Vou levar isso para todas as instituições das Nações Unidas porque as pessoas precisam conhecer esse documento. Vou entregar para o Ban Ki-moon, secretáriogeral da ONU Camilo Capiberibe, governador do Amapá, entrega à ONU a Carta Amazônia, com os compromissos dos governos estaduais para um desenvolvimento sustentável na região.

DO DEPUTADO DR. ROSINHA (PT-PR), que integra o Parlasul, analisando as consequências diplomáticas para o Paraguai após o afastamento do presidente.

Contraponto

Leitura subliminar

Reunidos em sessão do Conselho de Ética, senadores ouviam atentamente o presidente da comissão, Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), relatar a decisão do ministro José Antônio Dias Toffoli de postergar a votação do relatório de cassação do mandato de Demóstenes Torres (sem partido-GO). Em determinado momento, Valadares cometeu ato falho, levando todos aos risos: O ministro exagerou, quer dizer, exauriu decisão! Presente à sessão, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) prontamente interveio: Olha o subconsciente, senador! Publicado simultaneamente com o jornal ‘Folha de S.Paulo’


Política

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

A5

Ex-gestores condenados no TCU devem R$ 4,6 bi Dívida bilionária foi contraída nos últimos 8 anos e ex-prefeitos do interior do Estado lideram a lista dos ‘corruptos’ FOTOS: DIVULGAÇÃO

CAMILA CARVALHO Equipe EM TEMPO

O

s 195 ex-gestores do Amazonas que figuram na lista dos barrados para as eleições deste ano, divulgada na última terça-feira pelo Tribunal de Contas da União (TCU), devem, aproximadamente, R$ 4,6 bilhões ao governo federal, referente aos recursos recebidos e desviados durante as gestões. A lista é liderada por 10 ex-prefeitos de municípios do interior do Estado que juntos devem R$ 13,9 milhões à União. Os valores são referentes a repasses federais para obras, convênios, pagamentos de pessoal, ajuda financeira e aquisições diversas no período de 2004 a 2012. De acordo com a assessoria de comunicação do TCU, até a tarde da última sexta-feira, nenhum deles havia pago sequer R$ 1 das dívidas. O ranking dos “10 maiores devedores” é encabeçado pelo ex-prefeito de São Paulo de Olivença, Hamilton do Carmo Fermin (PSDB), que teve 11 contas julgadas irregulares e deve R$ 3,5 milhões aos cofres públicos federais. Todos os processos são referentes à tomadas de contas especiais - quando o gestor não presta contas dos recursos que recebeu - realizadas

pelo tribunal. Entre os convênios firmados pelo ex-prefeito está o com o Ministério da Integração Nacional, em 2001, no valor de R$ 1 milhão para obras de contenção, controle de erosão e reurbanização da margem do rio Solimões. Segundo do relator da tomada de contas, ministro Guilherme Palmeira, o tribunal notificou o ex-prefeito em 2004 e o tucano disse que estaria finalizando a prestação de contas do convênio. “Decorrido seis meses da notificação, o responsável não voltou a se manifestar”, disse o ministro, ao determinar a devolução total dos valores recebidos. Dinheiro público O tucano é seguido na lista pelo ex-prefeito de Nova Olinda do Norte, Sebastião Rodrigues Maciel (DEM), que tem 19 contas julgadas irregulares e deve R$ 2,7 milhões aos cofres federais. Destas condenações, quatro são relacionadas aos recursos federais recebidos em cada um dos quatro anos de mandato e as outras 15 condenações, às tomadas de contas especiais. Procurado pela reportagem, Maciel disse que preferia não se manifestar a respeito do assunto, mas pediu que entrássemos em contato minutos depois. Ele não atendeu mais as ligações.

Municípios do Alto Solimões receberam verba para conter erosão

Histórico de irregularidades A condenação mais alta do ex-prefeito de Nova Olinda do Norte também é com o Ministério da Integração em um convênio firmado no ano de 2000, no valor de R$ 500 mil para construção de uma contenção para controlar a erosão e realizar a reurbanização da margem do rio Madeira na sede do município. O ministro do TCU, Guilherme Palmeira, informou que entre as irregularidades encontradas estão o saque dos recursos antes mesmo da formalização do contrato com a empresa responsável pela obra à época e a dispensa irregular do processo licitatório. “Embora tenha sido constatada a execução de 84% da obra, há inexistência de nexo casual entre os recursos transferidos e os serviços executados. Segundo a inspeção técnica realizada pela Caixa Econômica Federal (CEF), houve alterações injustifi-

cadas em relação ao projeto aprovado e as obras não alcançaram o benefício social esperado”, esclareceu o ministro em seu voto. Empresa fantasma Outra mudança inesperada detectada pelo TCU foi em uma obra que deveria ter sido realizada pela prefeitura de Tefé, durante a gestão do então prefeito Hélio Bessa (PRTB). O ex-prefeito recebeu R$ 450 mil, em 1998, da Fundação Nacional de Saúde (FNS) para construção de um hospital, que não chegou a ser concluído. De acordo com Palmeira, há indícios de pagamentos para uma empresa fantasma. “A obra fora realizada por empregados da prefeitura. Os fatos constatados por técnicos do tribunal corroboram a conclusão de que ocorreu, pelos indícios uníssonos, a contratação de empresa fictícia para obra”, revelou o ministro.

O município de São Paulo de Olivença aparece na lista do TCU como a cidade que recebeu recursos federais e não prestou contas

Velhos conhecidos da Justiça

O que determina a legislação

Na lista, consta o nome também dos ex-prefeitos de Coari, Adail Pinheiro (PRP); de Manicoré, Manoel Galdino (PSD), o “Nena”; e de Fonte Boa, Sebastião Lisboa (PCdoB). Juntos, os três ex-prefeitos acumulam uma dívida de R$ 5,3 milhões por má aplicação de recursos. Adail Pinheiro tem declarado que irá reverter as condenações, tirar seu nome da lista dos ficha-sujas e disputar as eleições este ano no município de Coari. Em Manicoré, o ex-prefeito Manoel Galdino deixou o cargo no início deste ano para tratar de problemas de saúde e disse que não pretende disputar as próximas eleições. Em Fonte Boa, o ex-prefeito Sebastião Lisboa está inelegível, mas irá apoiar

Segundo a Lei das Eleições (lei nº 9.504/97) cabe aos tribunais de contas estaduais (TCEs) e da União (TCU) apresentar à Justiça Eleitoral, até o dia 5 de julho do ano em que se realizarem as eleições, a relação dos responsáveis que tiveram suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável e por decisão irrecorrível do órgão competente. A Lei de Inelegibilidade (lei complementar nº 64/90) e a Lei da Ficha Limpa (lei complementar 135/2010) estabelecem que estão inelegíveis os que tiveram as contas rejeitadas por irregularidade insanável e que configure ato doloso de improbidade administrativa. Os gesto-

a pré-candidatura do filho, ex-prefeito e deputado estadual cassado Wilson Lisboa (PCdoB), que deve ter o nome incluído na lista dos inelegíveis por prestações

ESPERANÇA

Mesmo estando na lista dos inelegíveis, com os direitos políticos cassados para os próximos 8 anos, ex-prefeitos garantem que vão reverter esse quadro negativo em suas vidas públicas de contas julgadas irregulares no Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM). Ele afirmou que irá reverter todas as sentenças com recursos na Justiça local.

res com contas irregulares não podem se candidatar a cargos eletivos nas eleições que se realizarem nos 8 anos seguintes, a contar da data da decisão. A assessoria de comunicação do TCU informou que além de não poderem se candidatar a cargos eletivos, os devedores são incluídos no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin) e também não podem receber recursos federais por meio de convênios. A cobrança dos débitos é feita pela Procuradoria da Fazenda Federal e caso os ex-gestores não quitem as dívidas podem sofrer sanções, que vão desde o bloqueio de bens até a prisão, requisitados pela Procuradoria da República no Amazonas.

Os dez ex-prefeitos devedores do interior Ex-Prefeito

Município

Hamilton Fermin (PSDB)

São Paulo de Olivença

11

R$ 3,5 milhões

Sebastião Maciel (DEM)

Nova Olinda do Norte

19

R$ 2,7 milhões

Inês Baranda (PL)

Santo Antônio do Içá

6

R$ 1,9 milhão

Hélio Bessa (PRTB)

Tefé

10

R$ 1,8 milhão

Raimundo Gomes Lobo (PTB)

Itamarati

9

R$ 1,1 milhão

Raimundo Nonato Souza (PTB)

Tabatinga

11

R$ 1 milhão

Sandro Pires (PSTU)

Manaquiri

11

R$ 968,5 mil

Carlos José Esteves (PRP)

Maués

9

R$ 468,2 mil

João de Deus Plínio (PMDB)

Itapiranga

8

R$ 184,8 mil

José Maria de Castro Muniz (PV)

Iranduba

8

R$ 81,6 mil

Fonte: TCU

Processos

Dívida


A6

Política

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Cláudio Humberto COM ANA PAULA LEITÃO E TERESA BARROS

IONE MORENO

www.claudiohumberto.com.br

A questão não é o torturador. O torturador é um agente”

Jornalista

PRESIDENTE DILMA, ao afirmar que não sente ódio de quem a torturou, mas não o perdoa

PDT terá candidato próprio a presidente em 2014 Em reunião da executiva do PDT na semana passada, o presidente Carlos Lupi decidiu que lançará candidato a presidente da República em 2014. O partido avalia que, ao disputar as eleições, ganhará poder de barganha para negociar apoio num segundo turno. São cotados os senadores Cristovam Buarque (DF), que disputou o cargo em 2006, e Pedro Taques (MT), que tem se destacado na CPI do Cachoeira. Mi casa, su casa O PDT também cogita convidar a ex-presidenciável Marina Silva (ex-PV-AC) ou Ciro Gomes (PSB-CE) para disputar pelo partido. Voa Dilma, voa Dilma deverá ir à Nigéria até o final do ano: foi promessa ao presidente Goodluck Jonathan, que fez o convite na conferência Rio+20. Põe na conta A imprensa de Zâmbia festeja: o chanceler Antônio Patriota garantiu que o Brasil perdoará a dívida de US$ 11 milhões de dólares do país. PMDB com Chalita Os ministros do PMDB vão à convenção que aclamará Gabriel Chalita hoje, às 9h, na praça da Sé, como candidato a prefeito de São Paulo. Estatal de energia antecipa receita sem ir a banco A Eletrobras parece haver encontrado uma maneira de evitar bancos: toma dinheiro da clientela. Sua subsidiária, Ceal, de Alagoas, é acusada de emitir contas de R$ 800 a R$ 2.800 para clientes que pagavam no máximo R$ 150

ao mês. Para reexaminar contas abusivas, a estatal exige que sejam pagas antes. E avisa: ainda que reconheça o engano, o dinheiro não será devolvido. O assalto é transformado em “crédito”. Assim é fácil O deputado Miriquinha Batista (PT-PA) faz gentileza com o nosso chapéu: quer isentar os quilombolas de Imposto Territorial Rural. Viés petista Dos nove convocados para depor na CPI do Cachoeira nesta semana, seis são ligados ao governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). Nova convocação Ex-tesoureiro de Marconi Perillo em Goiás, Jayme Rincón vai depor na CPI do Cachoeira. Alegou aneurisma cerebral para não ir antes. Cid no Bird O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), não disputará o Senado, em 2014. Cumprirá todo o mandato contando com a promessa da presidente Dilma de indicá-lo para a diretoria do Bird, em Washington. Aliança PMDB-PSB O presidente do PMDB, Valdir Raupp (RO), acertou com o presidente do PSB, governador de Pernambuco, Eduardo Campos, apoio recíproco, nas capitais, tanto no Espírito Santo quanto no Mato Grosso. Toma lá, dá cá Em troca da aliança com Mauro Mendes (PSB) na disputa à Prefeitura de Cuiabá, o PMDB quer o apoio do governador capixaba Renato Casagrande (PSB) ao deputado Lelo Coimbra,| em Vitória.

PODER SEM PUDOR

É duro voltar à planície A dificuldade do ex-presidente Lula para desencarnar do exercício do poder é frequente entre algumas autoridades que não se conformam com o retorno à planície. O embaixador Jorge Taunay (pai) cunhou uma frase lapidar para definir aqueles que subitamente se veem de volta à vida comum: - O duro, quando a gente se aposenta, é passar de “your excellency” para “seu Jorge”...

Trem da alegria O Supremo Tribunal Federal examina recurso contra decisão do Superior Tribunal de Justiça, reconhecendo o direito de assistentes jurídicos se aposentarem como advogados da Advocacia-Geral da União, mesmo sem concurso. O impacto orçamentário é grande.

O clima de “recesso branco” começou na última semana, antes do início das férias de julho

Meta tucana O líder do PSDB, deputado Bruno Araújo (PE), diz que o partido tentará aumentar para mil o número de prefeitos, nas eleições de outubro: “É factível, hoje temos quase 800”. O PMDB tem 1.203 e o PT, 557.

Vereadores negam que irão ‘trocar’ os trabalhos em plenário em detrimento de suas reeleições, junto às bases

Entre todos O senador Delcídio Amaral (PT-MT) articula para votar quarta-feira a proposta que rateia o ICMS entre Estados de origem e de destino nas operações do comércio eletrônico, que pode faturar R$ 24 bi este ano. Sujou Suplente do senador Blairo Maggi (PR), o ex-prefeito de Marilândia (MT) José Aparecido dos Santos está na lista de políticos com contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas. “Cidinho” foi prefeito três vezes. Quem decidiu no Rio Circula na internet a constatação de que na Rio+20 só os traficantes tomaram alguma decisão sobre “sustentabilidade”: proibiram a venda de crack na cidade, para sustentar o rico comércio de cocaína. Pai do ano Piada paraguaia no Twitter: “Só os vários filhos do ex-bispo Fernando Lugo foram contra o impeachment dele.”

Campanha eleitoral deve esvaziar sessões da CMM ÁQUILA SICSÚ Equipe EM TEMPO

O

s vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM) garantem que os trabalhos legislativos da casa não serão afetados pelo início da campanha eleitoral, a partir do próximo dia 7 de julho. Apesar disso, alguns fatores podem contribuir para o esvaziamento do plenário, ou ainda, a realização estratégica de “sessões brancas”, como a que aconteceu no último dia de trabalho da Câmara, na quarta-feira, antes do recesso parlamentar de 15 dias. Neste dia, em lugar da votação de 34 projetos foram realizadas três tribunas populares. Neste segundo semestre, em concorrência com o período eleitoral estão previstas a apreciação e votação de matérias importantes na casa, a exemplo do Plano Diretor Urbano e a Lei Orçamentária Anual (LOA), além dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Água. Embora dos atuais 38 vereadores, Fabrício Lima (PRTB),

Francisco da Jornada (PDT), Mário Bastos (PRP) e Marise Mendes (PDT), já tenham sinalizado que não pretendem concorrer à reeleição, a briga será acirrada. Especialista eleitoral consultado pelo EM TEMPO explicou que, depen-

BUSCA INSANA

Neste segundo semestre as sessões legislativas deverão disputar a presença dos vereadores com a campanha nas ruas, as visitas em suas bases e a busca ‘sofrida’ pela reeleição de seus mandatos dendo de cada partido e coligação formada, siglas com candidatos com pouca representatividade precisarão, de pelo menos, 3,5 mil votos para eleger um vereador. Enquanto que partidos com nomes de grande potencial precisarão de 7 mil votos. O vereador Arlindo Júnior (PPL), que ficou afastado dois anos da Câmara, por ter as-

sumido a Secretaria Municipal de Turismo (ManausTur), disse que já esperava encontrar dificuldades para se reeleger este ano. “Vai ser complicado, não que toda eleição não seja, mas desta vez tem muita gente boa querendo entrar e muita gente boa que não quer sair. O diferencial de quem está, é que aquele que não fez nada, terá dificuldade para voltar”, destacou. A vereadora Mirtes Sales (PPL) sintetiza que esta eleição proporcional será um desafio e deverá prevalecer o trabalho feito nos quatro anos de mandato. A força da fé Questionado sobre o possível esvaziamento da casa, o presidente Isaac Tayah (PSD), afirmou que não pode cobrar a presença dos vereadores nas sessões plenárias e acredita que, mesmo com esse cenário, os trabalhos não serão prejudicados. “Projetos como o Plano Diretor continua sendo discutido, porque ele é formatado dentro de uma comissão, cujas atividades continuam no recesso”, disse o presidente.

Hissa vai pedir licença da casa Os pedidos de licença também poderão impulsionar a falta de quórum nas sessões da CMM, embora até o momento somente o vereador Hissa Abrahão (PPS), candidato à Prefeitura de Manaus, tenha confirmado que entrará com pedido de licença, sem remuneração, a contar do dia 1º de agosto. “Por eu concorrer a um cargo majoritário, sinto a

necessidade de me focar e me dedicar à campanha eleitoral em tempo integral. Então vou tirar uma licença de 60 dias”, informou. O regimento interno da casa assegura, em seu artigo 54, segundo explicou o subprocurador-geral, Eid Badr, que o vereador pode se licenciar por motivo de saúde, devidamente comprovada; quando a serviço ou em

missão de representação da Câmara e para tratar de interesse particular, desde que o período de licença não seja superior a 120 dias. Nesse período, o suplente do parlamentar não poderá assumir a vaga. “No caso de pedidos de licença inferiores a 120 dias, o suplente não poderá ser convocado”, ressalta o subprocurador-geral Eid Badr.


Com a palavra

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

A7

PAULO LIEBERT/AE

Pauderney AVELINO

‘Manaus está ENTREGUE À própria sorte’ FOTOS: ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

ISABELLA SIQUEIRA Equipe EM TEMPO

P

Minha candidatura nasce da necessidade que percebemos nos desafios que Manaus precisa enfrentar. Sem querer desmerecer ninguém, pois todos podem colocar seus nomes à disposição”

rimeira vez na disputa ao cargo de prefeito de Manaus, o deputado federal Pauderney Tomaz Avelino, 57, diz que colocou seu nome à disposição porque a cidade precisa de uma renovação administrativa. Com mais de duas décadas no cenário político do Estado, o parlamentar tem sua atuação focada na defesa dos direitos da população e da economia amazonense na Câmara dos Deputados, sendo por quatro vezes consecutivos incluído pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), entre os parlamentares mais influentes do Congresso Nacional. Visionário, revela que caso seja o escolhido do povo nas urnas irá se debruçar na questão de estruturar a mobilidade urbana da cidade e promete resolver definitivamente a situação do transporte público da cidade. Em uma conversa com a equipe do EM TEMPO, o candidato fala sobre seus possíveis adversários, projetos para a cidade, a defesa da Zona Franca de Manaus (ZFM) na Câmara dos Deputados e a escolha do nome do seu candidato a vice-prefeito na chapa. “Manaus está entregue a própria sorte e a população não aguenta mais ser enganada”, dispara.

EM TEMPO – Por que o senhor decidiu entrar na disputa eleitoral em Manaus? Quais suas as expectativas para esta eleição? Pauderney Avelino – Minha candidatura nasce da necessidade que percebemos nos desafios que Manaus precisa enfrentar. Sem querer desmerecer ninguém, pois todos podem colocar seus nomes à disposição, mas o

povo está de “saco cheio” da omissão pública, de votar em políticos e não ver as metas serem cumpridas. A cidade está entregue à própria sorte, não há solução para os problemas básicos. Estou colocando minha história, minha experiência e força de vontade a favor da população. Tenho conhecimento de administração pública de outras cidades e pretendo trazer esse aprendizado para a capital. Manaus merece uma sorte maior do que essa que está tendo. EM TEMPO – Quais são suas plataformas de melhoria para a cidade? PA - Estou montando um grupo de urbanistas, arquitetos e engenheiros daqui de Manaus e de outras cidades do Brasil para nos ajudar a resolver os problemas de mobilidade urbana, que incluiu desde os problemas de acesso a pedestres, cadeirantes, veículos e motocicletas, e também o transporte público. Nós vamos resolver o problema do transporte público em Manaus. A cidade tem alguns gargalos, e isso não se resolve com soluções mágicas, temos que resolver com soluções que passam desde a questão financeira até a técnica. EM TEMPO – O candidato que ganhar a eleição deste ano será o prefeito da Copa. Se o senhor for o eleito, quais são os projetos para esse evento? PA – Não tenho dúvida que será um projeto caro para termos aqui na cidade apenas quatro jogos. A Arena da Amazônia vai custar R$ 500 milhões. Agora, esse evento será muito importante para todos nós, porque irá apresentar uma formação de turismo receptivo, além de garantir a reformulação do centro histórico da cidade possibilitando que Manaus possa mostrar a

sua arquitetura portuguesa e inglesa que ficou dos tempos áureos. E também a questão da mobilidade urbana, que é um problema grave. EM TEMPO – Uma pesquisa recente da revista “Veja” apontou seu nome como o 11º político mais ativo em favor de um Brasil melhor. A que o senhor atribui isso? PA – Não sei quais os critérios que eles usam como medida, mas acredito que tenha sido em relação ao meu posicionamento como parlamentar na Câmara dos Deputados, seja pela via na tomada de posição em votações de projetos importantes ou em discursos na casa parlamentar. EM TEMPO – Como o senhor irá proceder na captação de recursos financeiros para a sua campanha política? PA – Ainda não comecei devido a questões de datas, mas estamos iniciando as conversas para quando estivermos aptos, com o comitê financeiro constituído. Até o dia 5 de julho será o prazo dado para as impugnações das candidaturas. Então, após essa data fazemos a inscrição na Receita Federal para solicitar o CNPJ da campanha, e só após esse processo poderemos receber os recursos de campanha. EM TEMPO – A grande expectativa agora está em relação ao nome do seu candidato a vice. Como vai ser essa escolha? PA – Estamos conversando com três partidos que não posso revelar ainda. O prazo final é até o dia 30 e até lá vamos buscar o nome. Se por acaso não conseguirmos fechar acordo na coligação vamos de chapa “puro-sangue”, porque

temos nomes dentro do partido que podem compor essa candidatura muito bem. EM TEMPO – O senhor sempre atuou na defesa da Zona Franca de Manaus. Como avalia as recentes decisões federais envolvendo esse modelo econômico? PA – Nós estamos fazendo um trabalho importante na Câmara dos Deputados. Os senadores estão fazendo a sua parte, mas claro estamos tendo algum reverso. Porém, no somatório geral, o governo cria dificuldades e temos que correr atrás para solucioná-las. Dificilmente, conseguimos com uma proposta nossa que venha melhorar as condições da Zona Franca de Manaus. Eu aprovei o polo de triciclos e quadriciclos preservando várias empresas. Estive com o secretário executivo do Ministério da Fazenda onde pedi mais R$ 3 milhões para a população usar como financiamento para a compra de motocicletas. Estamos trabalhando também sem perder de vista outras questões maiores, vivemos do Polo Industrial de Manaus e temos que cuidar dele com muito cuidado. Estou apresentando também um projeto para reativar o comércio de importados em Manaus e isso daria uma sobrevida como atrativo ao turismo do Estado. EM TEMPO – Como o senhor avalia essa especulação em torno de uma candidatura do senador Eduardo Braga ao cargo de prefeito? PA – Vejo com naturalidade, apesar das pesquisas apontarem certo favoritismo a ele (Eduardo Braga). O Braga tem certa experiência. Já foi governador e prefeito. Mas acredito que a população precisa ter novos paradigmas, por isso mais uma vez coloco meu nome na disputa.

Estou montando um grupo de urbanistas, arquitetos e engenheiros daqui de Manaus e de outras cidades do Brasil para nos ajudar a resolver os problemas de mobilidade urbana”

Estamos conversando com três partidos que não posso revelar ainda. O prazo final é até dia 30 e até lá vamos buscar o nome. Se não conseguirmos, vamos de chapa purosangue”


A8

Política

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Projeto do novo Código Penal chega ao Senado O documento, após 8 meses de trabalho, deve chegar às mãos do presidente do Senado, José Sarney, na quarta-feira

D

epois de quase oito meses de trabalho, a Comissão Especial de Juristas que elaborou o anteprojeto de lei do novo Código Penal (CP) entrega o texto ao presidente do Senado, José Sarney. A solenidade, com a presença de senadores e convidados, acontece na próxima quartafeira. O texto contém propostas para modernizar uma legislação criada há quase 72 anos, ainda na “Era Vargas”. O presidente da Comissão Especial de Juristas, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Gilson Dipp, chegou a dizer que, em vista de sua desatualização, o atual Código Penal deve ser “rápida e compulsoriamente aposentado”. Mais recentemente, manifestou a expectativa de que o anteprojeto seja o ponto de partida para a confecção de um código para o “Brasil de hoje e de amanhã”. Ainda ocupado com os retoques finais da redação, na última sexta-feira, o procurador regional Luiz Carlos Gonçalves, relator da comissão, destacou que o anteprojeto é uma proposta moderna, mesmo em comparação com outros códigos ao redor do

ANTÔNIO CRUZ/ABR

mundo, e que ao mesmo tempo guarda forte vínculo com a realidade brasileira. “Foi um trabalho muito discutido e refletido, que resultou em projeto sensível às demandas sociais por proteção em termos de legislação penal, e que ao mesmo tempo se preocupa com a proteção dos direitos humanos”, comentou. O texto, que agora deverá ser convertido em projeto de lei ordinária, inovou ao propor a criminalização de condutas ainda sem previsão na legislação, como no caso dos crimes cibernéticos. Os juristas também abordaram temas espinhosos como o aborto, sugerindo novas hipóteses de prática legal para a interrupção da gravidez. Quanto às drogas, foi admitida a legalização do porte para consumo pessoal em pequena quantidade. A comissão foi designada pelo presidente José Sarney a partir de sugestão do senador Pedro Taques (PDTMT). A composição com indicações feitas por líderes partidários, resultou num colegiado de especialistas de formação diversificada e com grande experiência, que inclui advogados, professores, promotores e defensores públicos.

Temas como corrupção e as drogas O anteprojeto está organizado em mais de 500 artigos, ante os 356 do atual Código Penal. Conforme o relator, a maior quantidade de artigos decorre da incorporação ao texto de aproximadamente 130 leis autônomas, como as leis de drogas e da lavagem de dinheiro e leis abrangentes, como Estatuto do Idoso e o Estatuto da Criança e dos Adolescentes. “Embora o código em si mesmo esteja maior, o sistema penal brasileiro ficará mais enxuto, com seu tamanho reduzido em cerca de 40%”, assegurou Dipp. Conforme o relator, a comissão se orgulha do projeto, que evoluiu por “caminho inspirador”. O presidente da comissão especial, ministro Gilson Dipp, diz que o CP deveria ser aposentado


Caderno B

Economia MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

economia@emtempo.com.br

(92) 3090-1045

RICARDO OLIVEIRA

Cultivo de citros tem nova técnica Economia B4 e B5

Olarias do AM ‘tomam gás’ com novos produtos Indústrias de Iranduba e Manacapuru investem R$ 1 milhão para diversificar a produção do setor com blocos estruturais ANWAR ASSI Equipe EM TEMPO

D

epois de perder, no mínimo, R$ 7 milhões com os impactos da cheia, as olarias de IIranbuba ranbuba e Manacapuru (a 25 e 60 quilômetros de Manaus) “tomam um gás” e injetam até R$ 1 milhão na diversificação da produção a partir do segundo semestre de 2012. Segundo a Associação de Ceramistas do Estado do Amazonas (Aceram), os investimentos irão se concentrar, principalmente, nas novas linhas de produtos - em particular, nas de blocos estruturais -, em cursos de capacitação profissional, segurança no trabalho e programas para levar saúde aos funcionários. “Com o aquecimento das atividades, haverá aumento das vendas e a geração de novos empregos”, afirma o presidente da Aceram, Frank Lopes, sem especificar quantos funcionários serão contratados no período. Além dos tijolos, outra produção que deverá se sobressair, no Amazonas, no próximo semestre é a de blocos estruturais. Segundo dados da Aceram, hoje, em torno de 15% das ola-

rias fabricam os itens, cujo preço da unidade varia entre R$ 1 a R$ 1,20. Conforme a Aceram, a vantagem do uso dos blocos estruturais é que esse tipo de produto ajuda na economia de outros materiais utilizados na construção, como a madeira, o cimento, a argamassa e o seixo. Além de “poupar”, os blocos possuem um nível maior de resistência, melhoram a acústica e a parte térmica

VANTAGEM

Segundo empresários do setor, a produção dos blocos estruturais agrega valor às olarias do Estado. Já para o consumidor, o item possui maior resistência, melhora a acústica e a parte térmica do ambiente. “Os blocos estruturais são bastante utilizados nas obras de grande porte, tanto públicas quanto privadas”, destaca Lopes. “É um produto que agrega valor ao setor produtivo e traz vantagens para quem constrói”, frisa o empresário Antônio da Mata, proprietário da Cerâmica Rio Negro, que planeja traba-

lhar com o produto. Crescimento Os novos investimentos estão inseridos dentro de uma política de expansão do setor, que até 2010, desembolsou em torno de R$ 20 milhões na compra de máquinas e equipamentos. O empresário Modesto Nóvoa, proprietário da Nóvoa Indústria de Cerâmica e da Amazonargilas, destaca que investiu R$ 1,3 milhão para diversificar os negócios e qualificar os funcionários. Boa parte dos investimentos foi utilizada para a aquisição de equipamentos modernos e na melhora técnica de alguns produtos, como os blocos estruturais, que passaram a integrar o portfólio no ano passado. “Precisamos investir para recuperar o mercado, que deve melhorar com o aquecimento da construção civil devido a Copa de 2014”, avalia Modesto Nóvoa Rivas. Outra empresa que decidiu investir pesado na diversificação dos negócios foi a Nova Cerâmica, em Iranduba. Conforme informações obtidas junto ao setor, a empresa desembolsou em torno de R$ 10 milhões na implantação de novas linhas de produtos, em especial, os blocos estruturais.

FOTOS: MÁRIO OLIVEIRA

Perdas com a cheia somam R$ 7 milhões

Aplicação de recursos irá se concentrar na diversificação

Investimento na mão de obra Após alocar recursos na compra de máquinas e equipamentos, o setor oleiro pretende agora investir na qualificação, segurança e saúde dos trabalhadores. “Vamos apostar na valorização do ser humano. Garantir a segurança e a saúde de nossos colaboradores é fundamental para o fortalecimento da atividade”, enfatiza o presidente da Aceram, Frank Lopes. O empresário Modesto Nóvoa Rivas destaca que

a capacitação dos funcionários é permanente em suas empresas, que, juntas, empregam em torno de 70 pessoas. “Pelo menos duas vezes ao ano realizamos atividades como palestras e cursos para qualificar a mão de obra”, salienta. Conforme a Aceram, as olarias planejam fechar parcerias com entidades de classes para promover assistência médica, odontológica e ações de prevenção às doenças.

Os recursos previstos pelas olarias são anunciados no momento em que o setor contabiliza perdas com a cheia. Conforme dados do Sindicato da Indústria de Olaria do Amazonas, os prejuízos somam, no mínimo, R$ 7 milhões. De acordo com a Aceram, por conta da cheia, a produção do setor, de aproximadamente 18 milhões de tijolos por mês, chegou a sofrer, no primeiro semestre, uma redução de 30% em relação ao mesmo período do ano passado. As olarias conseguiram evitar demissões em massa, mas optaram em dar férias coletivas a 20% dos 4 mil trabalhadores do setor. Algumas empresas chegaram a ter perdas de R$ 300 mil por causa das enchentes. Conforme a associação, as olarias devem recuperar de 30% a 40% das perdas, com a chegada do verão.


B2

Economia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Barato para consumidor, rentável para o comércio Produtos com riscos, amassados ou até sem funcionar podem ter desconto de até 80% nas lojas do varejo local SHANA REIS

RICHARD RODRIGUES Equipe EM TEMPO

C

om apenas um risco ou até sem funcionar, os produtos nas prateleiras de lojas do varejo amazonense podem ter descontos de até 80%. A oferta vista com bons olhos pelo consumidor que quer comprar, mas sem gastar muito, também satisfaz a intenção dos lojistas de limpar o estoque sem perder o lucro. A rede de lojas Bemol está entre as empresas que apostam na venda de produtos com avarias. Segundo a gerente de marketing do grupo, Sheila Sobreira, duas lojas em Manaus trabalham com esses itens. “Esses bens podem ser encontrados nas unidades do bairro do Educandos e Camapuã, localizada nas proximidades da Bola do Produtor, na Zona Leste. Nessas duas lojas, há espaços exclusivos para essas peças que, dependendo do estado, podem ser até 70% mais baratas”, ressalta. Desde pequenos riscos a problemas no funcionamento, os produtos podem ser comercializados. No caso daqueles que não funcionam, o consumidor é quem realiza os repa-

ros. “Todas as peças possuem uma etiqueta discriminando qual o defeito apresentado, o que deixa o cliente ciente do produto que está levando para casa”, frisa Sheila, ao informar que entre os produtos com avarias podem ser encontrados móveis, eletroeletrônicos e eletrodomésticos. Descontos em 28 lojas Para evitar prejuízos e dar opção de economia aos consumidores, o grupo City Lar também comercializa produtos com avarias. “São móveis, eletrodomésticos e demais itens do mostruário com preços até 70% mais baratos”, ressalta o gerente de marketing do grupo, Alkaid Batalha. “O grupo tem 28 lojas e essas peças podem ser adquiridas em todas as unidades”, assegura o gerente. Além das lojas, o grupo City Lar também realiza feirões onde produtos com “pequenos defeitos” também podem ser encontrados. “O feirão deste ano será realizado no mês de outubro, onde além de peças com avarias, também serão comercializados produtos em perfeito estado com desconto”, adianta.

Mostruário com menor preço O grupo Stock Casa também dispõe de móveis com preços mais acessíveis. “Essas peças estão disponíveis na Stock Casa Promocional da avenida Djalma Batista e da Grande Circular, que comercializam produtos que estão saindo de linha com descontos que podem chegar até a 50%”, diz o gerente de marketing, Clodoaldo Reis. Reis destaca que a Stock Casa Promocional realiza constantemente feirões de

“queima de estoque” para alavancar as vendas das peças que estão saindo de linha. Durante eventos como o feirão, as peças de mostruário, onde os descontos, que normalmente chegam a 50%, passam a ser de 70% e podem ser parcelados em até dez vezes no cartão de crédito. “O próximo feirão começa a partir de amanhã e vai até o próximo domingo nas lojas da Djalma Batista e Grande Circular”, divulga.

De acordo com orientação de especialista, é importante verificar funcionalidade e tempo de vida útil dos produtos com avarias

Quando vale a pena adquirir os produtos Para o economista Erivaldo Lopes, a maioria dos produtos com avarias é adquirida por quem está disposto a economizar ou não está tão preocupado com a estética das peças. “A funcionalidade

é fundamental para compra de peças com pequenos defeitos. O tempo de vida útil do objeto também tem que ser levado em consideração”, orienta, ao destacar que se enquadram no perfil desses

consumidores os que têm menor renda. O economista opina, ainda, que, na maioria das vezes, vale a pena adquirir tais produtos, pois eles não apresentam problemas que venham

a comprometer o funcionamento. “Mas o consumidor precisa avaliar antes se o preço do produto com avaria realmente vale em relação ao defeito que ele apresenta”, adverte.

Alfredo MR Lopes alfredo.lopes@uol.com.br

ZFM – os indicadores da desindustrialização - Parte 3 São inquietantes, crescentes e desafiadores os sinais da desconstrução da economia baseada no modelo industrial da Zona Franca de Manaus, no contexto da crise que se alastra pelo planeta e do encolhimento dos negócios anotado por aqui. Por isso, peço licença pra continuar com este tema. É que o momento impõe prontidão. Assim como fomos incapazes de investir na racionalização da produção do látex e seu beneficiamento local para perenizar a economia da borracha, das fibras vegetais, resinas... razão da quebradeira econômica há cem anos, estamos perdendo o bonde da história, mais uma vez, por incompetência em promover a mudança no modelo de produção atual na direção da economia baseada na inovação, na partilha e otimização do conhecimento. Um caminho que fica mais tortuoso com medidas incoerentes do governo, cujo discurso

defende o papel da inovação, mas na prática penaliza quem investe na qualificação de pessoal. Pela lei nº 12.513, já em vigor, patrões e empregados têm agora de recolher contribuição à Previdência se o valor mensal da bolsa de estudo for superior a R$ 933. Compulsão fiscal tem que ter um limite. Que país é esse que incentiva indústria automobilística com as vias de tráfego já tão entupidas e açoita com mais tributos a educação? O setor farmacêutico é o que mais foi castigado com mais essa cangalha fiscal, pois tem demandas vitais de qualificação, treinamento e reciclagem por sua cadeia produtiva fundada na tecnologia e inovação permanente. Como trazer para o presente a utopia da bioindústria numa gestão que trata de modo vesgo as oportunidades de negócios coerentes com a vocação do banco genético amazônico? Fica complicado dar um passo firme e

adiante da indústria da montagem que despenca a cada dia e consolidar a racionalidade da produção da base tecnológica, num cluster adequado de bioinformática e bionegócios na floresta... Na contramão dessas incoerências, emerge em alguns setores da gestão pública, agências de fomento, entidades de classe, e/ou pesquisa, incluindo a academia focada no cotidiano, a consciência da gravidade crucial do momento. Um desassossego que favorece apostar na transformação de tantos ovos de propostas num omelete da reinvenção do saber e fazer florestal. O Vale da Bioengenharia e da Nanotecnologia, de que fala Rodemarck Castelo Branco, o velho e atualizado sonho de Estevão Monteiro de Paula do Parque Tecnológico de Produtos Sustentáveis, e o da Bioindústria do Peixe, do visionário Deusamir Pereira, ganham força e emergênc ia, na discussão dos rumos

a tomar. São propostas e roteiros que demandam acurada leitura e interpretação dos pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e ameaças, para fazer emergir uma nova política de ciência e tecnológica regional e sustentável capaz de absorver o capital intelectual na base de novas cadeias produtivas, novos produtos e processos. Suframa e Inpa, referências federais de fomento e pesquisa científica da Amazônia, confirmaram no âmbito da Conferência do Rio+20 as alvissareiras promessas de sua cumplicidade institucional que resultarão da mistura de suas respectivas farinhas – leia-se a junção estratégica das metas de seus respectivos ministérios pra otimizar condutas, programas e recursos - a levar a produção científica ao chão de fábrica, pr opiciar oportunidades com o saber consolidado. O novo paradigma de Desenvolvimento, envolvendo par-

ceiros da indústria, Fieam, CNI e Senai, pretende atuar, então, intimamente atrelado à Ciência, Tecnologia e Inovação, a partir de indicadores de sustentabilidade, capazes de precificar e balizar no mercado o diferencial de valor das cadeias produtivas da floresta. Enfim, as agências federais compartilham talentos e esforços em favor do tecido social e da prosperidade geral. Organizada e cúmplice, em lugar de chorar o leite derramado, a sociedade terá razões e mecanismos para impedir investimentos nebulosos e perdulárias em obras onerosas, e desvinculadas de compromisso e planejamento estratégico do interesse geral. Só assim, a travessia urbana e o jogo do lazer se darão em outro patamar, juntando margens e desejos de uma nova partida, onde a bola é passada e repartida na persp ectiva de um placar justo, mais equânime e mais fraterno.

Alfredo MR Lopes Filósofo e consultor ambiental

Há cem anos, estamos perdendo o bonde da história por incompetência”


MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Economia

B3


B4

Economia

Mãos que colhem frutos A agricultura amazonense entra em uma nova era no campo da citricultura. Por meio do sistema de Produção Integrada (PI), produtores inseridos no projeto colhem sonhos e fartura de seus pomares NÁFERSON CRUZ Equipe EM TEMPO

P

arte dos produtores rurais amazonenses desconhece o quanto podem perder em suas lavouras, em função de diversos problemas que influenciam diretamente a ineficiência na aplicação de técnicas na produção e cultivo. Para evitar custos maiores, perdas de produtividade e do lucro, um novo sistema, baseado nas boas práticas agropecuárias, orientado por normas técnicas, chamado de Produção Integrada (PI), praticado há dois anos no Estado, tem evoluído gradativamente com bons resultados ao homem do campo. Segundo especialistas e produtores rurais, a PI, além de garantir qualidade na safra e reduzir despesas em até 20%, em relação ao sistema convencional, possibilita me-

lhor controle da propriedade e aperfeiçoa o processo produtivo dos citros (laranja, limão e tangerina). O pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da Amazônia Ocidental, Marcos Garcia, especialista em controle de pragas e doenças agrícolas, explica que o projeto contempla a produção agrícola com o uso apropriado e eficiente dos recursos naturais, a garantia de alimentos sem riscos à saúde e de boa qualidade nutricional, além de conservar o meio ambiente. Garcia lembra que a PI nasceu há dez anos com as culturas da Região Sul do país, em decorrência da redução no mercado dos produtos que estavam contaminados por doenças e do uso indevido e inadequado de agrotóxicos, responsáveis pelos altos índices de intoxicação verificados entre os produtores e traba-

lhadores rurais. “A iniciativa resultou na produção da fruta sem as contaminações”, conta o pesquisador. Criação do sistema O sistema passou a ser difundido em 2004, por meio

CULTIVO

O Brasil é o maior produtor mundial de citros com uma área plantada de 780 mil hectares e uma produção de 17 milhões de toneladas, movimentando R$ 3,5 bilhões, e com 1 milhão de empregos diretos e indiretos das diretrizes da Embrapa Mandioca e Fruticultura (Cruz das Almas, na Bahia), vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). No

Amazonas o PI teve início em 2008, mas somente foi colocado em prática há dois anos, por meio da demanda de produtores da cultura de citros em busca de boas práticas de produção e com o apoio da Embrapa Amazônia Ocidental e o financiamento de R$ 600 mil, disponibilizados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), e a contrapartida de R$ 200 mil da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror). A maioria dos produtores de citros está concentrada nos municípios de Rio Preto da Eva (que detém a maior área plantada do Estado), Iranduba, Itacoatiara, Manacapuru, Careiro e Presidente Figueiredo. O presidente da Associação dos Citricultores do Amazonas (Amazoncitrus), Ozires Silva, destaca que até o momento, apenas 15 produtores

aderiram ao projeto, e desses, 90% são considerados de médio e pequeno porte. Apesar do baixo número de adesão, Ozires diz que a medida está aberta aos interessados. O dirigente da Amazoncitros adianta que também há disponível novas iniciativas, como o projeto de Gestão Orientada para Resultados (Geor-Citricultura), por meio do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SebraeAM), com apoio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Ozires explica que o Geor atua na aplicação dos recursos orçamentários, produzindo indicadores sobre o andamento dos projetos e impactos que produzem nas comunidades e o diagnóstico agronômico da cadeia produtiva de citros e de mercado.

Maior parte da plantação de citros está concentrada nos municípios de Rio Preto da Eva, Iranduba, Itacoatiara, Manacapuru, Careiro e Presidente Figueiredo

Produção anual chega a 300 milhões de frutos Com a produção anual de, aproximadamente, 300 milhões de frutos, o Amazonas é o Estado que mais avança na citricultura em toda a Região Norte. A fazenda “Panorama”, situada no Distrito Agropecuário da Zona Franca de Manaus (ZFM), no quilômetro 85 da AM–010, está no rol das propriedades que mais produzem citros na região. A estimativa é de que a propriedade consiga colher, até o final deste ano, 8 milhões de frutos. Dessa quan-

tidade, 70% atende o mercado de Manaus e o restante de Boa Vista (RR). Para obter alta margem na produção, Sebastião Siqueira de Souza, 47, proprietário da fazenda “Panorama”, e de outras duas áreas, investiu em torno de R$ 10 milhões, entre propriedades, maquinários e mão de obra. Ele destaca que os resultados já eram satisfatórios e com a introdução do sistema de Produção Integrada de citros, a qualidade do produto ficou bem melhor.

“Apesar do PI ser um programa recente, tem o papel fundamental na implementação de tecnologia, capacitação e informação. O projeto nos deu maior controle sobre a propriedade, como o preparo do solo, manejo pós-colheita, medidas fitossanitárias, embalagem, beneficiamento do fruto, até a sua distribuição no mercado”, pontua. Sebastião Souza mantém 110 hectares com 94 mil pés de laranja, o que rende em média 6 toneladas do fruto,

por dia. O citricultor ressalta que, para obter rentabilidade no negócio, a tecnologia somada a técnica e dedicação são indispensáveis. Em sua fazenda, uma máquina ajuda no processo de seleção da laranja. Mas é na colheita a exigência da maior sensibilidade do cooperado. Em seguida é feita a lavagem, depois o polimento e posteriormente, a própria máquina faz a classificação dos frutos. Dando continuidade ao processo, o produto é embalado e segue para o mercado, cujo

o preço médio pode chegar a R$ 15, o cento. Além do cultivo da laranja, a fazenda “Panorama” atua com a produção de tangerina e limão. “A laranja tem mercado garantido e o suco dela não precisa de açúcar e nem de gelo”, garante Sebastião, experiente no ramo. “A citricultura é uma atividade viável à agricultura no Amazonas pela compensação dos preços dos frutos e pelas condições de clima adequadas para a produção ao longo do ano”, completa.

SETOR

2,5 MIL

Produtores estão atu almente envolvidos n ramo da citricultura Amazonas


MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

B5

FOTOS: RICARDO OLIVEIRA

Avanço com uso de técnicas A diversidade entre o sistema comum para a técnica de Produção Integrada de citros, consiste no uso de métodos para evitar o excesso de resíduos de agrotóxicos na fruta e na tecnologia de rastreabilidade, o que permite que a procedência do produto seja identificada em qualquer mercado comprador. “Além dos investimentos nos pomares que são devidamente monitorados, o sistema permite combater as pragas agrícolas, com a racionalização do processo, ou seja, temos como saber o nível da infecção na planta cultivada e de que forma

vamos tratar”, diz Ozires Silva, que também é produtor rural. O dirigente da Amazoncitrus ressalta que a aplicação do método é recente, mas os resultados precisos serão obtidos daqui a três anos. “O projeto está apenas no começo com 15 projetos experimentais que se transformarão em um modelo que poderá ser transferido para outras cadeias produtoras, e partir daí, o Amazonas dará um grande salto de produção agrícola, reduzindo a pressão demográfica e gerando emprego e renda no interior”, completou.

Segundo o pesquisador, técnica garante frutos mais saudáveis

Sistema previne doenças O pesquisador da Embrapa Amazônia Ocidental, Marcos Garcia, explica que a proposta do PI é conscientizar o produtor, por meio de cursos, para que passe a adotar na sua produção boas práticas. Ele explica que as técnicas empregadas na PI tornam mais eficientes a produção e evitam a contaminação dos alimentos, com a redução do uso de insumos contaminantes — o que leva à produção de frutos de melhor qualidade, sem riscos à saúde do consumidor. “No cultivo normal usa-se um calendário, já no sistema de PI, o instrumento é necessário somente se for para avaliar uma doença ou praga, a fim de sabermos em que nível está para decidirmos se usamos ou não agrotóxicos para combater, o que gera menos custos ao citricultor”. Parte dos produtores amazonenses já atua com as laranjeiras geneticamente modificas (GM), que oferecem resistência à doença

bacteriana causada pelo inseto vetor do greening “Diaphorina citri”, que ameaça a produção de cítricos, fazendo com que os frutos fiquem permanentemente verdes, amargos, medicinal e azedo. O atual combate ao vetor de greening é feito pelo uso de inseticidas e do corte de árvores contaminadas. O pesquisador destaca que ainda não há registro de vetores nocivos às lavouras no Amazonas, diferente das regiões Sul e Sudeste do país, onde o vetor de greening atinge alguns pomares. “Não temos o controle da bactéria e nem como curar um plantio infectado, a única forma é combater o vetor de forma preventiva com o monitoramento, a exemplo do sistema de PI”, explica. Garcia diz ainda que em 12 meses de análise nas propriedades experimentais não foi constatado nenhum caso específico da doença, isso é um aspecto que deve ser levado a sério.

no no

Produtores amazonenses utilizam a técnica do PI e aprovam


B6

País

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Inadimplência atrapalha expansão do consumo A maior dificuldade do brasileiro para regularizar os débitos hoje se deve à ressaca de dívidas em atraso com financeiras

O

calote do consumidor estabilizado em níveis altos atrapalha o plano do governo de estimular a demanda para acelerar a economia rapidamente, com o mesmo vigor obtido na crise de 2009, e escapar de um crescimento inferior a 2%, como já prevê o mercado. A perspectiva para a inadimplência, que bateu em 7,6% em abril, a maior marca desde dezembro de 2009, segundo o Banco Central, é de queda gradual. O calote deve recuar para níveis normais, em torno de 6,5%, só no fim do ano, concordam economistas, varejistas e bancos. A maior dificuldade do brasileiro para regularizar os débitos hoje, em comparação com outros períodos de pico de calote se deve à forte ressaca do consumo. Pesquisa da Serasa Experian de março com 350 mil inadimplentes revela que 64% deles tinham dívidas em atraso com bancos ou financeiras que superavam 100% da renda mensal. Ficaram de fora as pendências com contas de água, luz e outros serviços.

ANTONIO CRUZ/ABR

“Isso significa que, para limpar o nome, a maioria dos inadimplentes precisa desembolsar o salário inteiro do mês”, diz o economista responsável pelo indicador, Luiz Rabi. Esse é o pior resultado em dois anos. Essa é a quarta vez que o país tem um surto de inadimplência. Em 2001,

ESTABILIDADE

Na semana passada, o presidente do Santander Brasil, Marcial Portela, disse em evento na Fiesp, que a inadimplência deve começar a se estabilizar no fim deste ano. Até lá, o calote ainda deve subir

2005 e 2008/2009, a disparada do calote foi provocada pelo aumento do desemprego. Desta vez, no entanto, o desemprego bate recorde de baixa e a inadimplência, de alta, só que por excesso de endividamento. “Por isso, o calote deve demorar mais para cair”, observa Rabi.

Último pico de calotes no crediário ocorreu no mês de abril de 2009, segundo dados da Associação Comercial de São Paulo

Calotes devem aumentar até o fim do ano O comércio e o setor financeiro têm avaliação semelhante. Na semana passada, o presidente do Santander Brasil, Marcial Portela, disse em evento na Fiesp que a inadimplência deve começar a se estabilizar no fim deste ano. Até lá, o calote e

as provisões para possíveis perdas devem continuar subindo. “A inadimplência não deve ceder rapidamente. O retorno para níveis normais deve ocorrer mais para o fim do ano”, prevê o economista da Associação Comercial de São Paulo, Emílio Alfieri. Ele

lembra que o último pico do calote do crediário ocorreu em abril de 2009. Naquele mês, a inadimplência líquida, que considera os carnês não pagos, descontados dos renegociados, em relação às vendas financiadas de três meses anteriores, foi de 10,3%, mas

recuou para 6,5% cinco meses depois. Em abril deste ano, o índice atingiu 8,5% e teve uma ligeira queda em maio para 8,1%, motivada por uma campanha de renegociação. Dados preliminares mostram que, na 1ª quinzena de junho, o calote voltou subir.


Mundo

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

B7

HEDESON ALVES/AE

Investimentos do Brasil na China chegam a US$ 572 mi

A pesquisa identificou um total de 57 empresas brasileiras de 36 segmentos que atuam no país. Destas, 51% são de serviço

O

estoque de investimentos brasileiros na China atingiu US$ 572,5 milhões entre 2000 e 2010, ou apenas 0,04% dos cerca de US$ 1 trilhão de investimentos estrangeiros no país asiático acumulados no período, de acordo com pesquisa divulgada nesta semana pelo Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC). No mesmo período, o estoque de investimentos brasileiros no mundo atingiu US$ 189 bilhões. “Nossa presença realmente é muito pequena lá na China”, admitiu o consultor Claudio Frischtack, coordenador da pesquisa. Em 2000, o estoque de investimentos brasileiros na China era de apenas US$ 39 milhões, chegou a US$ 637,6 milhões em 2006, mas recuou para US$ 572,5 milhões em 2010. Já o estoque de investimentos brasileiros no mundo era de US$ 50 bilhões em 2000 e cresceu continuadamente deste então, até atingir aproximadamente US$ 190 bilhões. Enquanto os investimentos

brasileiros na China ainda são modestos, os do país asiático no país foram 22 vezes maiores somente em 2010, com um total de US$ 12,67 bilhões, segundo dados do CEBC. Deste total, 58% foi na área de recursos naturais, Em 2011 o fluxo anual

INTERESSES

O padrão do interesse do governo chinês muda no decorrer dos anos, segundo o coordenador da pesquisa, Claudio Frischtack. No começo dos anos 80 o interesse era por calçados, brinquedos e têxteis de investimentos chineses no país recuou para US$ 10,89 bilhões, com 67% do total no setor de manufatura “Isso mostra que os investimentos da China no mundo explodem, e que ainda vamos ver muito mais por um longo tempo”, disse Frischtack. “Os dados retratam a capacidade

do país em mudar o foco nos investimentos de um ano para o outro”, completou. Serviços A pesquisa identificou um total de 57 empresas brasileiras, de 36 segmentos, que atuam na China. Destas, 51% são prestadoras de serviços, como tradings; 28% produtoras e manufaturas, como Embraer e Weg, por exemplo; e 21% são transformadoras, como BRF Brasil Foods, Marfrig, Petrobras e Vale. Segundo Frischtack, a pesquisa mostra que as empresas brasileiras chegaram tarde na China, pois deveriam ter feito os investimentos no final do século passado, no início da abertura econômica do país. “Perdemos o timing de investimentos lá, pois as empresas deveriam entrar nos anos 90, quando começava a abertura, o que não ocorreu”, afirmou. Ainda segundo ele, há um problema no empresariado de identificar o real interesse do governo chinês no setor a ser investido, cuja meta é definida pelos planos quinquenais.

Entraves para os brasileiros A pesquisa ouviu executivos de 12 de 57 empresas, que apontaram os principais entraves para a entrada na China e a consolidação das companhias no país asiático. As principais barreiras para a chegada à China são a distância física e cultural entre os dois países e as incertezas quanto à participação e a interferência do governo chinês no ambiente de negócios. “Quando as empresas brasileiras vão à China e identificam o parceiro, há outro sócio, que é o governo chinês, que pode ser explícito ou oculto; mas temos de respeitar essa idiossincrasia”. Outro empecilho é falta do reconhecimento, na China, de práticas adotadas internacionalmente pelo sistema judiciário em relação à propriedade intelectual, que favorece o lado

chinês, segundo a pesquisa. “As coisas, no entanto, estão mudando. A China está se atualizando, inclusive juridicamente, e o país não será o mesmo no futuro”, avaliou Frischtack. Guanxi Entre as facilidades para a entrada das companhias brasileiras, estão o estabelecimento de uma rede de relacionamentos, chamada de “guanxi” e a ajuda de outras empresas e de agências como a Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos). As principais barreiras locais, após a instalação da empresa brasileira na China, apontadas pela pesquisa são a formação de uma rede de fornecedores, a criação de um canal de vendas para o mercado local, os limites impostos pelo gover-

no local à comercialização direta, além da qualificação e instrução da mão de obra, com alta rotatividade e produtividade baixa dos empregados locais. Segundo Frischtack, para o incremento dos investimentos brasileiros na China a pesquisa apontou, principalmente, que o governo brasileiro não apenas eleja, mas trate a China como prioridade, além de uma efetiva mobilização de instituições governamentais em busca por isonomia nas regras e práticas que enquadrem os investimentos. Para o embaixador Sérgio Amaral, presidente do CEBC, a ampliação dos investimentos brasileiros na China depende de uma rediscussão da interação entre o público e o privado, naquele país, em busca de um maior entrosamento.


B8

Mundo

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012


Caderno C

Dia a dia MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

diadia@emtempo.com.br

(92) 3090-1041

MÁRIO OLIVEIRA

Tapioca pode fazer mal à saúde Página C3

Era um vez, um menino depois do erro médico

Há seis anos, falha em cirurgia para retirada de amígdalas deixou menino em estado vegetativo. Médicos foram absolvidos FOTOS: SHANA REIS

IZABEL GUEDES Equipe EM TEMPO

H

á quase 6 anos a rotina da família do pequeno Lucas Enrique Geraldo dos Santos de Alencar, 10, mudou. Tudo por conta de uma cirurgia para retirada de amígdalas e da adenóide a que ele foi submetido. Desde lá, ele carrega sequelas cerebrais graves e hoje precisa de cuidados especiais, se submeter a sessões de fisioterapia, medicações e acompanhamento médico. A família denunciou o crime ao Conselho Regional de Medicina, mas os médicos responsáveis pelo caso foram absolvidos na última semana. A cirurgia, que aparentemente seria simples e sem complicações, foi feita pela otorrinolaringologista Súnia Ribeiro e pelo anestesiologista Juber Machado Gomes Filho, no dia 16 de agosto de 2006. Após o procedimento, segundo a mãe do pequeno, Janaína Jamilla Geraldo dos Santos, 28, o menino ficou 22 dias em coma induzido e a família sem saber ao certo o que tinha acontecido. Lucas desde muito pequeno apresentou problemas na garganta e, por isso, teve de ser submetido ao procedimento cirúrgico. Antes disso, a mãe do menino diz que muitos médicos foram consultados sobre a doença, que já comprometia o seu dia a dia. “Não foi uma coisa de última hora. O Lucas fez uma série de exames antes do processo. Entreguei meu filho saudável para os médicos”, diz a mãe, ao afirmar que vai recorrer ao Conselho Federal de Medicina (CFM). De acordo com Janaína, os médicos não informaram o ocorrido com o menino na hora da cirurgia, e só obtiveram uma reposta, sem muitas explicações, quando Lucas acordou do coma. “No início, a médica acompanhou o caso dele, mas afirmou que a causa do problema não era a cirurgia. Quando

entramos com o processo no CMR, ela abandonou o caso do meu filho”, relata. Já o anestesiologista Juber Machado, Janaína diz que ele, assim que ocorreu o incidente, desapareceu por meses. Quando voltou, disse apenas que o problema foi com o equipamento usado no procedimento. “Até hoje eles não dizem ao certo o que houve. Ele relatou que o Lucas teve uma complicação, um princípio de parada cardíaca, mas que ele conseguiu reverter em questões de segundos. O que para ele, não representava nenhum indício de lesão grave”, diz. Consulta a especialistas Para saber ao certo sobre o problema que deixou o menino

Na casa de Lucas, família guarda fotos dele antes da fatídica cirurgia, que o deixou em estado vegetativo para o resto da vida

Até hoje eles não dizem o que houve. Ele (o anestesiologista) disse que o Lucas teve complicação, que não representava risco Janaína Santos, mãe de Lucas

sem andar e falar, a família de Lucas procurou outros especialistas. Na época, em um primeiro laudo, neurologistas apontaram um edema cerebral, mas depois, com a realização de outros exames, foi constatada uma lesão cerebral, o que deixaria o menino em estado vegetativo. Hoje, Janaina voltou a trabalhar, mas na ocasião teve de abandonar o emprego para se dedicar incondicionalmente ao filho. Ela diz que na época até sua filha, que tinha 1 ano, teve de fazer tratamento psicológico. “Hoje tenho que trabalhar. É preciso para manter o que o Lucas precisa. A minha sorte é que meu marido, que morreu há 2 anos, me deixou condições para ajudar no tratamento dele“.

Lucas desde pequeno apresentava problemas na garganta

Sindicâncias já passam de 80 neste ano

Caso ‘Aylla’ ainda não terminou

Somente nos primeiros cinco meses deste ano, o Conselho Regional de Medicina instaurou 88 sindicâncias para apurar denúncias. No ano passado foram 190, sendo que o número deste ano corresponde ao mesmo quantitativo de ações registradas no CRM no mesmo período de 2011. As sindicâncias não são exclusivamente relacionadas a erros médicos, pois segundo informações repassadas pela assessoria da entidade, não há possibilidade de especificar quantas são as denúncias do tipo, pois caso somente é confirmado quando o processo ético-profissional transitou em julgado, com a condenação da pessoa denunciada.

Um dos casos registrados no Conselho Regional de Medicina, e julgado em janeiro deste ano, foi o da morte advogada Aylla Botelho Almeida, ocorrida no dia 11 de agosto de 2006. Os médicos envolvidos no procedimento que resultou em sua morte, Ageu Silva, Mauro Carvalho de Lima e José Francisco dos Santos Vieira, foram condenados a 30 dias de suspensão. Para familiares da advogada, a decisão não faz justiça ao caso e, por isso, a família vai recorrer ao Conselho Federal de Medicina. Para os parentes de Aylla Almeida, a punição correta seria a cassação do registro dos profissionais, o que os impediria os mesmos de atuarem.


C2

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

IONE MORENO

Greve UNIVERSIDADE

‘QUANDO o governo precariza é porque quer VENDER BARATO” ARQUIVO PESSOAL

AURIANE CARVALHO Equipe EM TEMPO

H

Quando o governo edita uma medida provisória (MP) reduzindo os direitos dos professores, quebra os direitos que eles já tinham adquirido. Nossa luta é para construir e estruturar a carreira do professor conforme a lei, principalmente, do professor que é DE (Direito Exclusivo) e abre mão de outras fontes”.

á mais de 30 dias com as aulas paralisadas — dia 17 de maio estourou o movimento —, cada vez mais as instituições de ensino federal têm aderido à paralisação nacional grevista. Na última sexta-feira, mais dois indicativos de greve foram aprovados e o movimento já chega a quase 100% das universidades públicas. À medida que o governo federal retarda uma conversa com os manifestantes, o grupo cresce em todo o país. O EM TEMPO traz uma entrevista com a mestra em Ciência Política da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UniRio), delegada do Comando de Greve, em Brasília, Clarice Gurgel, 33. Ela relata a força do movimento e o descaso do governo federal em priorizar megaeventos e deixar de lado o ensino superior. EM TEMPO: A senhora acredita que a adesão à greve das universidades federais brasileiras chegue a 100% nos próximos dias, uma vez que, no início desta semana, contava com 88% de participação dessas instituições? Clarice Gurgel: Hoje (22), o movimento já tem mais de 90% de adesão das instituições federais. Estamos com 58 universidades em greve e duas com indicativos, entre elas a Universidade Federal de Santa Catarina, que deflagrou o movimento hoje. Já estamos com uma adesão massiva das universidades. Para se ter uma ideia, no dia 17 (de maio) contávamos com dezenas de universidades. A medida que o governo cancela uma reunião conosco, a greve vai ganhando força. EM TEMPO: A manifes-

tação, a ser realizada no dia 28, em frente ao Banco Central, para denunciar a política do governo, pode pressionar o governo federal? CG: Estamos utilizando todas as formas para sensibilizar o governo. Queremos investimento na educação. Nossa reivindicação é que também seja investido pelo menos 10% do PIB (Produto Interno Bruto) na educação pública. O fato é que boa parte desse orçamento é utilizado para pagar a dívida pública, como salvar instituições bancárias, empresas em crise. O governo abre mão de receber milhões, com a isenção do IPI, para estimular o consumo de carros, mas não pode destinar recursos para a educação.

que quer vender barato. Tudo que foi privatizado foi precarizado antes, para baratear o serviço. Essa privatização não é feita no leilão, mas aos poucos, e tem tomado medidas para tornar as privatizações dessas instituições aos poucos. Prova disso é a terceirização dos serviços dos técnicos administrativos, ou seja, tornou a mão de obra barata para que o empresariado não reclamasse. Além disso, o governo acabou de criar uma autarquia, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares para administrar os hospitais universitários, ou seja, abriu um modelo de gestão para o setor privado. É uma

EM TEMPO: Na sua avaliação, para atender à demanda das universidades federais brasileiras falta vontade política ou a crise financeira tem afetado os cofres públicos? CG: Falta vontade política, pois o governo se preocupa em defender a política de salvação das empresas. Dinheiro o governo tem e todos sabem disso, afinal, patrocina e libera milhões em recursos para a realização de megaeventos, como a realização da Copa do Mundo e as Olimpíadas.

Segundo a delegada do comando de greve, em Brasília, Clarice Gurgel, o movimento grevista ganha ainda mais força a cada novo adiamento das negociações pelo governo federal

EM TEMPO: A senhora acredita que o governo federal esteja fazendo “jogo duro”, com o adiamento das reuniões com o comando de greve, e com fim de que as universidades federais sejam efetivamente privatizadas, a exemplo do que já acontece com os hospitais universitários? A privatização poderá resolver a precariedade dessas instituições? Clarice Gurgel: Quando o governo precariza algo é por-

FORTALECIDOS

lógica privatizante dentro das universidades. Os professores-médicos estão sendo perseguidos, estão cortando os pontos deles. Quando o governo edita uma medida provisória (MP), reduzindo os direitos dos professores, quebra os direitos que eles já tinham adquirido. Nossa luta é para construir e estruturar a carreira do professor conforme a lei, principalmente, do professor que é DE (Direito Exclusivo) e abre mão de outras fontes para se dedicar à pesquisa e ao ensino de seus alunos. EM TEMPO: A greve completou 30 dias no último dia 17 e o que avançou? Qual será o próximo passo do comando nacional da

paralisação na tentatica de pressionar o governo federal? Há um plano B? Houve avanços com a realização da Rio +20? CG: Nossa greve só cresce com apoio dos técnicos administrativos e servidores públicos federais. Vamos continuar com a força. Não há plano B. Vamos seguir com o plano A, que é lutar pela melhoria de nossas carreiras. Estamos negociando desde 2010 e o governo só descumpre o acordo. À medida que ele protela, nosso movimento cresce mais. Disseram que iriam se reunir conosco depois da realização da Rio +20, vamos aguardar. O governo está sem moral porque vive desmarcando as reuniões, inclusive, já nos pediu 20 dias para pensar e, ainda, solicitou que parássemos a greve nesse período. Realizamos uma grande marcha com a participação de mais de 80 mil pessoas, no Rio+20 e contamos com o apoio da Cúpula dos Povos. EM TEMPO: Qual o principal ponto de discussão da medida provisória (MP) 568/12? E o que poder ser modificado? CG: A redução salarial de diversas categorias, além de dobrar a jornada de trabalho e manter a mesma remuneração. Os médicos-professores, por exemplo, tiveram aumento na carga horária de 20 horas para 40 sem sobrar o salário. Isso traz um impacto negativo no atendimento da população, que deveria contar com um serviço qualificado. O salário do professor de dedicação exclusiva (DE) também sofreu com a edição da MP, pois teve perdas significativas. Vamos continuar lutando até que consigamos reestruturar nossos carreiras, além da redução de 17 níveis para 13, para que possamos chegar ao teto máximo.

O governo federal acabou de criar uma autarquia para administrar os hospitais universitários, ou seja, abriu um modelo de gestão para o setor privado. É uma lógica privatizante”.

Vamos continuar lutando até que consigamos reestruturar nossas carreiras, além da redução de 17 níveis para 13, para que possamos chegar ao nosso teto máximo”.


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

C3

Tapioca mal manuseada representa risco à saúde Segundo pesquisador da Ufam, a tapioca possui ácido que origina gás tóxico utilizado, inclusive, em antigas câmaras de gás SHANA REIS

WILLIAM GASPAR Especial EM TEMPO

E

m todo o Amazonas é comum o hábito de degustar uma boa tapioca no café da manhã. O que não se sabe é que esse hábito pode resultar em câncer, inclusive, a leucemia. Segundo pesquisa do professor aposentado da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Raimundo Nascimento, isso acontece porque a mandioca — matéria-prima da guloseima regional — possui em sua constituição o chamado ácido cianídrico, substância que origina gás altamente tóxico, o cianeto, utilizado, inclusive, em execuções nas câmaras de gás. De acordo com o pesquisador, para preparar a mandioca adequadamente, deve-se tirar toda a casca da raiz e não apenas fazer a raspagem, hábito muito comum na região. “Quando se compra a goma para o preparo da tapioca, a pessoa não sabe como ela foi produzida. Se quem vendeu a goma retirou apenas a película, induz o consumidor a ingerir o ácido cianídrico. É necessário, portanto, retirar

toda a casca, que representa, aproximadamente, 10% da fécula”, explica Raimundo. O nutricionista e pesquisador da composição alimentos da região amazônica, Arthur Miranda, explica que o cianeto é um veneno potente que interfere na condução do oxigênio às células do organismo. Ele explica, ainda, que o

ALERTA

Todo o perigo da tapioca está em apenas raspar a casca da mandioca ao invés de retirá-la. Comerciantes desconhecem riscos e consumidores se negam a adotar cuidados tóxico pode matar imediatamente se inalado em uma grande quantidade. “Durante a Segunda Guerra Mundial, foi utilizado pelos nazistas para o extermínio de judeus em câmaras de gás”. De acordo com Miranda, quando ingerido, o cianeto reage com a acidez do estômago e gera gás cianídrico,

por isso, foi utilizado na guerra como uma alternativa de suicídio rápido em situações de emergência. “A longo prazo, o consumo de alimentos com essa substância pode sim causar até mesmo câncer”. Comerciantes cautelosos Proprietária de um café da manhã regional, no bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste, Antônia Pontes diz que compra a mandioca crua e ela mesmo prepara a goma para fazer as tapiocas que vende em seu estabelecimento. “Eu não confio na goma pronta, comprada na rua, sem contar que quando eu mesma faço fica muito mais gostosa”, afirma. Antônia disse, ainda, desconhecer o fato de a mandioca causar males quando é apenas raspada. “Eu achei que só o tucupi que podia ter veneno se não fosse bem cozido. Mas eu sempre tive mesmo o costume de descascar tudo antes de moer, mesmo que renda menos”, ressalta. O funcionário público Marcondes Pinto, diz que não vai ao trabalho sem antes comer a tapioca de uma banca perto da sua casa. “Mesmo me deixando doente, eu não largo”.

Antônia desconhecia possíveis perigos da tapioca, mas ressalta tomar cuidados com a goma

Jambu é anestésico poderoso Os efeitos dos alimentos sobre o corpo não param com o mau preparo da tapioca do amazonense. A culinária regional ainda faz uso abundante das folhas do jambu, principalmente no preparo do famoso tacacá, deixando seus

apreciadores literalmente de água na boca e, algumas vezes, de lábios moles. De acordo com o nutricionista Arthur Miranda, isso acontece porque a folha do jambu possui, em sua composição, uma substância conhecida como espi-

lantol, que provoca excesso de salivação. “Para se ter noção do efeito dessa planta, o chá de suas folhas é bastante utilizado como anestésico bucal e para amenizar as dores de garganta”, conclui Miranda.


C4

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Jovens católicos ‘correm’ para ver o papa no Rio MÔNICA FIGUEIREDO Equipe EM TEMPO

A

inda falta um ano para que a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) aconteça, mas em Manaus os grupos de jovens ligados à Igreja Católica já estão com os preparativos a todo vapor para o grande encontro com o papa, com edição no Rio de Janeiro agendada para julho de 2013. Iniciada em 1984 e oficializada em 1985, a JMJ começou com um encontro promovido ainda pelo papa João Paulo 2º. A JMJ, como foi denominada a partir de 1985, foi realizada pela primeira vez em Roma e, depois, em Buenos Aires, conforme explicou o frei Jorge Luiz Soares, da Igreja Nossa Senhora das Mercês, Eldorado, Zona Centro-Sul. Segundo o frei Jorge, um grupo da paróquia se propôs a ir para a JMJ e montou uma caranava denominada “Caravana da Perfeita Alegria”, baseada nos fundamentos franciscanos. “São mais de 70 pessoas, nem todas são jovens, mas motivadas a ir, uma vez que a jornada será realizada no Brasil. Eles se dividiram em

cinco grupos e agora estão correndo atrás para conseguir verba para a viagem”. Para arrecadar dinheiro vale de tudo um pouco: vender lanches após a missa, pagar o carnê de mensalidade, fazer rifas, bingos e, até mesmo, pedir. O estudante Raniery Queiroz, 18, é um dos jovens que participarão da JMJ no Brasil. Ele é um dos integrantes da Pastoral da Juventude da Igreja São Pedro Apóstolo, no Petrópolis, Zona Sul. Queiroz esclarece que a preparação para o evento começou há quatro meses. “Desde então estamos vendendo lanches e organizamos eventos para juntarmos o dinheiro”. Segundo o coordenador da delegação, Ademir Jackson Lima, 27, os jovens pagam um carnê. O valor médio necessário para a viagem é de R$ 45 mil. “Sabemos que na nossa comunidade, nem todo mundo tem condições de pagar. Têm jovens que os pais podem comprar as passagens, mas não é o caso da maioria dos jovens daqui”, comenta. A delegação da pastoral do São Pedro é formada por jovens a partir dos 17 anos, divididos em grupos.

DIVULGAÇÃO

Fiéis católicos têm feito eventos e pagado carnês, a fim de arrecadar o valor necessário para ir à Jornada Mundial Jovem

Totalmente focados no evento que será realizado no Rio de Janeiro, jovens católicos unem forças nas suas paróquias

As nomenclaturas da jornada mundial Segundo o frei Jorge, a Cruz e o ícone de Nossa Senhora são os símbolos da jornada. A cruz da JMJ é conhecida por diversos nomes: Cruz do Ano Santo, Cruz do Jubileu, Cruz da JMJ, Cruz Peregrina, e muitos ainda a chamam

de Cruz dos Jovens, por ela ter sido entregue pelo papa João Paulo 2º para que os jovens a levassem por todo o mundo, a todos os lugares e a todo tempo. A cruz de madeira de 3,8 metros foi construída e co-

locada como símbolo da fé católica, perto do altar principal na Basílica de São Pedro durante o Ano Santo da Redenção (Semana Santa de 1983 à de 1984). O frei revela que ela está no Brasil e passará pelas capitais

brasileiras. As informações sobre a Jornada Mundial da Juventude no Brasil podem ser obtidas na página da internet http://www.rio2013. com/pt. A jornada será entre os dias 23 e 28 de julho de 2013, no Rio de Janeiro.


MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Dia a dia

C5


C6

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Escola mostra que política também é papo de criança Instituição promove eleição para representantes de classe nos moldes da eleições presidenciais, com chapas e propostas DIVULGAÇÃO

LUCAS PRATA Equipe EM TEMPO

A

fim de ensinar as crianças desde cedo a assimilar os direitos e deveres do mundo político, escolas particulares de Manaus têm inserido no calendário escolar simulações de voto com os alunos. Uma das instituições que aderiu a essa metodologia é o Centro Integrado Connexus, onde também funciona a creche Bebê Bombom, na Zona Sul. Na instituição, durante a escolha dos representantes de classe, são montadas chapas defendidas pelos alunos, que têm de expressar suas ideias e convencer os colegas a fim de, finalmente, serem eleitos. Segundo a diretora da escola, Annik Valentine, o objetivo da iniciativa é apresentar às crianças o que elas encontrão na sociedade. Para isso, todos os anos a escola transforma a eleição para representante de classe em uma simulação da eleição real. A criançada encara então, uma urna semelhante a “de verdade”, por meio de um programa de computador. Durante o processo, os pequenos têm não só de apresen-

tar propostas, mas cumprirem o que foi prometido a fim de não terem o mandato cassado. “Buscamos integrá-los ao o que acontece na sociedade, só que de uma forma que eles entendam. Com as eleições, eles aprendem qual o real significado do voto e o que

Duas chapas e documento para votar

EXPERIÊNCIA

Por meio de um programa instalado em computadores da escola, crianças têm acesso a uma tela parecida com a que terão de votar quando encararem uma eleição de verdade Crianças utilizam programa instalado nos computadores para votar no presidente da classe

os políticos fazem. Não temos uma matéria específica sobre política, mas todas as disciplinas envolvem de alguma forma o processo eleitoral”. Para a aluna representante de classe do 9º ano da Conexus, Camila Martins, 14, é importante o ensino de questões políticas na sala de aula. “É muito legal, pois quando a gente for votar pela primeira vez, já teremos a noção de como funciona o sistema”.

Método faz alunos responsáveis A dentista Adriana Vilhena, 40, mãe do aluno Gabriel Romano, 6, vice-governador na creche Bebê Bombom, elogia a metodologia adotada pela escola e afirma que as crianças, além de aprenderem sobre política,

criam responsabilidades. “É válido esse tipo de ensino porque faz parte da cidadania e forma o cidadão. Desde que meu filho passou a ser o vice-governador na turma dele, eu percebi que ele criou o instinto de

responsabilidade. O político tem que cumprir o que promete, não pode prometer o que não pode fazer. Ele observa muito o que os políticos falam na televisão, mas ainda não falou em ser político um dia”, comenta.

Segundo a coordenadora de eventos da escola, Liensander Carneiro, sempre é escolhido um tema para as eleições. A partir dele, cada chapa formula suas propostas e apresenta para a classe. Caso os alunos não cumpram as promessas, o mandato pode ser cassado. “As propostas elaboradas por eles estão dentro da realidade deles. Não há nada que os prejudique. Em cada sala são escolhidas duas chapas. Eles possuem um título eleitoral idealizado para a escola. Se no dia da eleição eles esquecerem o documento, têm de apresentar um registro que os identifique, caso contrário, não votam”.


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

C7

Caça ilegal aumenta no AM e preocupa ambientalistas Ibama e Batalhão Ambiental alertam para o aumento de apreensões. Infectologistas alertam para os riscos de consumir caça ARQUIVO EM TEMPO/MARCELO CADILHE

ISABELLE VALOIS Equipe EM TEMPO

“C

arne de caça é, definitivamente, prejudicial à saúde”. Mesmo a afirmação sendo reforçada por órgãos ambientais, pelo infectologista da Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado, Antônio Magela, e a caça sendo vista como crime, os números referentes à matança ilegal no Amazonas têm apresentado índices alarmantes. Segundo o comandante da 1ª Companhia de Polícia do Batalhão Ambiental, Marcos Pires, a quantidade de carne apreendida apenas nos quatro primeiros meses deste ano — de 352 quilos — já equivale ao total flagrado em 2008, que foi de 451 quilos de carne de caça. Ano passado essa carne de caça somou 802 quilos e o receio é que os números atinjam os 1.505 quilos apreendidos em 2009. O ano de 2010 foi o que apresentou menor número de flagrantes, de 145

quilos. O material foi incinerado. “Quando efetuamos a apreensão de carne de caça, mandamos logo para a incineração por conta do índice de doenças transmitidos por essa carne”, explica Pires. A lei 9.605 referente a Crimes e Infrações Administrativas de Crimes Ambientais, alterada em 2008, prevê que qualquer forma de caça e comercialização de animais silvestres é proibida. Quem não cumpre o ato e vende a carne clandestinamente, comete o crime. A única exceção na lei é a população de áreas rurais, que depende desse tipo de alimentação para sobreviver. Para eles, a caça não é considerada crime. Mas é no momento de diferenciar o que é apreendido para sobrevivência e o que é para comércio, que surgem as possibilidades de confusão. Para evitar punições, o povo ribeirinho tem adotado a criação de animais silvestres em cativeiros vistoriados pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Re-

cursos Naturais Renováveis (Ibama). É o instituto que, juntamente à vigilância sanitária, analisar se aquela carne é própria para o consumo. De acordo com o comandante do Batalhão Ambiental, Marcos Pires, há uma preocupação com base no consumo dessa carne. “A lei foi criada para prevenir a população, mas observamos nas porcentagens que o índice de apreensão da carne de animal silvestre ainda é alto”.

Doenças transmitidas pela caça Tuberculose Brucelose Febre Aſtosa Parasitose Hanseníase (proveniente da carne de tatu) Hantavirose (transmitida pelos roedores) FOTOS: DIVULGAÇÃO/BATALHÃO AMBIENTAL

A carne de tatu é uma das mais apreendidas pelo Batalhão Ambiental da Polícia Militar

Medo de desequilíbrio ecológico A carne de paca é a mais procurada pelos caçadores e essa procura assusta ao Ibama. De acordo com o superintendente do Ibama do Amazonas, Mário Lúcio Reis, a preocupação do instituto ainda está sobre a extinção de animais como peixe-boi e a arara azul. “Os animais que são totalmente proibidos já possuem a população reduzida e a retirada desses animais pode causar um desequilíbrio ecológico”, explicou. O superintendente reforça ainda, os prejuízos à saúde causados pelo consumo desses animais. “O animal pode estar até saudável, mas não se sabe a forma como ele foi morto. O manuseio dessa carne, assim como a forma que ela foi transportada, pode contaminar e causar infecção em quem for consumi-la”, alertou. Antes da reformulação da lei, a vistoria sobre a carne consumida por populações rurais não estava entre as prioridades do órgão. Na época, o estado sanitário dos animais era saudável, quadro que mudou com o tempo. “O desenvolvimento da tecnologia trouxe a utilização de químicos na agricultura, com o objetivo de controlar a diminuição dos predadores naturais”.

Local onde caça é colocada para manuseio é impróprio

Novas epidemias têm surgido O infectologista Antônio Magela disse que o surgimento de novas doenças é resultado do desrespeito à lei que proíbe a caça. “Vemos epidemias de novas doenças se alastrarem por conta da própria população, que não visa a saúde e se expõe a alimentação de risco e a carne de animais silvestres”, explica. De acordo com o infectologista, o consumo desses animais é, praticamente, um crime à saúde pública. “Quando a

carne que tem algum tipo de bactéria é consumida, coloca em risco não só a saúde de quem a compra, mas também de todos que a compartilham”, alerta. Além da carne de caça, o animal silvestre capturado pode transmitir doenças ao entrar em contato com o homem. “Até o próprio caçador, mesmo que não se alimente da carne da caça, apenas com o contato pode adquirir doenças do animal”, conclui o infectologista.

Exposta sem os devidos cuidados, carne é fonte de doenças


C8

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012


Caderno D

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

plateia@emtempo.com.br

(92) 3090-1042

REPRODUÇÃO

Plateia

Entrevista com o alemão Vana Gierig Plateia D5

Teixeira de Manaus no festival de jazz Ícone do estilo regional conhecido como “beiradão”, o saxofonista amazonense confirma sua apresentação no evento GUSTAV CERVINKA Equipe EM TEMPO

O

saxofonista Teixeira de Manaus confirma que será uma das atrações do 7º Festival Amazonas Jazz, previsto para o intervalo de 14 a 29 de julho. O músico afirma que sua apresentação está marcada para o dia 27 daquele mês, no Teatro Amazonas. Embora o repertório ainda não esteja definido, o show deve contar com os sucessos que impulsionaram sua carreira e obras inéditas. Considerado por muitos músicos locais, senão todos, um ícone do beiradão (gênero musical típico da região), Teixeira de Manaus está ausente dos palcos há pelo menos quatro anos, mas sua produção nunca parou, de fato. Previsto para lançar em outubro do ano passado, o 17º disco da história do saxofonista ainda não está no mercado, mas está finalizado. “Não vou lançar por nenhuma gravadora, como a maioria dos anteriores. Tive alguns atrasos na finalização do álbum, mas falta apenas a masterização, agora”, justifica Teixeira de Manaus, sobre o CD “Do Jeito que o Povo Gosta”, que vem com 18 músicas, incluindo “Notas Musicais”, “Comadre Chiquinha” e “Se tá Duro”. Som Beiradão, carimbó, cúmbia e lambada, por exemplo, são algumas das vertentes que compõem o som que pode ser considerado único, quando sai do saxofone de Teixeira de Manaus. Para o guitarrista da banda Os Tucumanus, que aposta na mistura de gêneros como o beiradão e o rock, Denílson Novo, a escalação

de Teixeira de Manaus para o festival é oportuna. “Ele é merecedor desse espaço. Tenho muitas memórias dos solos do sax do Teixeira desde os tempos de infância. Acredito que o sax do Teixeira de Manaus é o maior ícone da música de beiradão do Amazonas. O mundo precisa conhecer essa forma diferente de tocar esse instrumento tão vinculado ao jazz, blues e outros ritmos. Teixeira expressa com muita propriedade essa peculiaridade amazônica na utilização do sax. Que o festival de jazz, então, abra as suas portas e deixe o sax do Teixeira entrar”, faz um trocadilho com a canção “Deixe o Meu Sax Entrar”, praticamente uma assinatura de

Estou muito feliz pelo convite e bastante concentrado para finalizar a concepção desse show

Teixeira de Manaus, músico

Te i x e i r a de Manaus. Teixeira de Manaus afirma que ainda está definindo, também, a banda que irá acompanhá-lo nessa apresentação. “Estou muito feliz pelo convite e bastante concentrado para finalizar a concepção desse show, inclusive na escolha dos músicos parceiros”, diz.

Estilo autêntico de compor As músicas de Teixeira de Manaus têm a característica de incluir refrões em meio às frases musicais do saxofone. Com quase 50 anos de carreira, o legado de Teixeira de Manaus inclui sucessos como “Teixeira de Manaus” e “Lambada pra Dançar”, que foi o destaque do primeiro disco (de vinil, por sinal), em 1980, com o qual ganhou o Disco de Ouro por vender mais de 100 mil cópias em todo o país. Teixeira reforça o que disse em julho de 2011, em entrevista ao EM TEMPO, que está bem e totalmente recuperado da pancreatite aguda que o afetou há 4 anos. A carreira de Rudeimar Soares Teixeira, o Teixeira de Manaus, nascido na Costa do Catalão, comunidade que fica próxima ao muni-

cípio do Careiro, despontou em todo o Brasil e até no exterior a partir de um convite do então “Rei do Carimbó”, o paraense Pinduca, em 1980, para ir a São Paulo e gravar o primeiro disco, intitulado “Teixeira de Manaus – Solista de Sax”, e rendeu seis volumes distintos, até 1987, pela gravadora Copacabana. O Festival Amazonas Jazz é uma realização de Secretaria de Estado da Cultura (SEC), que reúne artistas da música nacional e internacional. Em 2011, estiveram em Manaus nomes como Cynthia Scott, Eddie Palmieri, John Fedchock, Todd Murphy, Kenny Davis, André Mehmari e Hamilton de Holanda, entre outros.

Atração internacional Outra atração confirmada para a sétima edição do festival é o contrabaixista norte-americano Ron Carter. A previsão é que o show do artista ocorra no dia 28 de julho. Ron Carter é natural do estado de Michigan, nos Estados Unidos, e é uma verdadeira lenda viva do jazz, detentor, inclusive, de um prêmio Grammy. Centenas de álbuns, gravados por artistas como Miles Davis (com quem

atingiu a fama, na década de 1960), Eric Dolphy, Wes Montgomery e até o brasileiro Hermeto Pascoal (no disco “Hermeto”, de 1971), contam com sua participação. Carter é considerado professor emérito do departamento de música da City College of New York, onde deu aulas por 20 anos, e detém o título Doutor Honoris Causa da Berklee College of Music. A previsão é de que o 7º Festival Amazonas Jazz ocorra no período de 14 a 29 de julho.


D2

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

MAURO SMITH

>> Vitrine

Fernando Coelho Jr. fernando.emtempo@hotmail.com - www.conteudochic.com.br

MAURO SMITH

>> Badaladíssimo o almoço de sexta-feira no espaço de Charufe Nasser. Em mesas diferentes, Alessandra Brandão, Márcia Martins, Adriane Antony Gonçalves, Isabel Prata e o filho Alexandre, Vitória Verçosa, Ana Noronha, Soraya Vianez, Marilena Perales, Nelsinho e Marlice Martins, Sandra e Carlos Rocha, Fátima Roman, entre muitos outros. >> Fátima Grosso Silveira, que mora no Rio há anos, está circulando de férias por Manaus. Ela é ótima e cheia de alto astral.

Mônica Galate, Paulo Ferreira e Rosinete Galate em evento chic no Diamond

>> O vereador Leonel Feitoza estreia idade nova neste domingo. Filas de cumprimentos

>> Apreciadores . O “Clube Apreciadores do Chopp”, realizado há mais de 10 anos pela Cervejaria Heineken em parceria com as franquias do sistema Coca-Cola, dá início à edição 2012 com o tema “O Maior de Todos os Apreciadores”. O programa elegerá os estabelecimentos que se destacam no serviço de chope, com base na avaliação de 60 quesitos. . Os 550 bares e restaurantes parceiros da Cervejaria Heineken de todo o Brasil passarão por essa avaliação duas vezes em 2012. Ao final do ano, os melhores colocados em cada região receberão, em um evento exclusivo, o título de “Mestre Apreciador”. . Uma das grandes novidades no programa de 2012 será a divulgação do ritual mundial para tirada do chope Heineken, o Star Serve. Além disso, os 10 melhores colocados na avaliação, ganharão uma viagem para Amsterdã, na Holanda. MÁRIO OLIVEIRA

O desembargador Ari Moutinho e sua Lourdinha na solenidade de entrega da Medalha Ruy Araújo a ele, na Assembleia Legislativa

>> O clube de descontos Acess será lançando hoje em Manaus com sunset com os DJs Leozinho e Paciornik, do Warung Beach Club. >> Amanhã é a vez de cumprimentos, o querido Waltinho Oliva Pinto, figura ótima da jovem society, que estará aniversariando. Márcia Martins, Alessandra Brandão, Mônica Melo, Suely Yurtsever e Ilnah Cunha em noite de festa que reuniu a society de Manaus

>> Olimpo . Muita gente questiona o sucesso da saga” Crepúsculo”, mas uma coisa é certa: . A atriz Kirsten Stewart, está em altíssima cotação. foi citada pela revista “Forbes” como a atriz mais bem paga de todas. É que entre os meses de maio de 2011 e 2012, ela faturou nada menos que US$ 35 milhões. . E por incrível que pareça, logo atrás dela vem Cameron Diaz com US$ 34 milhões e Sandra Bullock com US$ 25 milhões.

>> Objeto de desejo . Conhecido por seus sapatos de saltos altíssimos e materiais delicados, Christian Louboutin resolveu sair de sua linha de conforto. . O designer adaptou o neoprene – tecido usado para roupas de mergulho e que foi hit há algumas temporadas – em um par de sapatos que acaba de lançar. O modelo é amarelo-vivo, tem salto vermelho e recortes geométricos. O mimo, que custa US$ 900, já está disponível para venda on-line. Lindo e moderno.

>> O colunista Alexandre Prata irá comemorar seu aniversário com happy hour no dia 9 de julho no Village. Será congestionando de socialites.

>> Congresso . Cardiologistas das regiões Norte e Nordeste estarão reunidos em Manaus, entre os dias 28 e 30 de junho, participando do 32º Congresso Norte e Nordeste de Cardiologia, 24º Congresso Norte e Nordeste de Cirurgia Cardiovascular e 6ºI Congresso Amazonense de Cardiologia. . O evento acontece no Tropical Hotel e é promovido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Seção Amazonas, Sociedade Brasileira de Cardiologia Norte Nordeste, Sociedade Norte Nordeste de Cirurgia Cardiovascular e Hospital Universitário Francisca Mendes. . Dentro da programação dos Congressos também serão realizados o 1º Simpósio Internacional do Hospital Francisca Mendes e o 8º Simpósio Norte e Nordeste de Cardiologia Intervencionista. O evento é aberto a profissionais e estudantes da área de saúde em geral e os interessados em participar poderão realizar as inscrições por meio do endereço eletrônico www.cardionortenordeste2012.com.br.


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

D3

Toque alemão no Brasil Pianista Vana Gierig fala ao EM TEMPO sobre sua experiência em fazer música misturando elementos de culturas distintas, entre eles as sonoridades brasileiras que estão presentes no seu próximo trabalho com a cantora Karine Aguiar LIZ NORDEN/DIVULGAÇÃO

GUSTAV CERVINKA Equipe EM TEMPO

V

iajante do mundo, o pianista alemão radicado em Nova York, Vana Gierig, tem verdadeira paixão pela música brasileira, sobretudo dos que considera seus ídolos, como João Bosco, Tom e Vinícius. Há pelo menos 8 anos, o músico mantém laços com artistas do Brasil para desenvolver projetos. O último deles, inclusive, foi a gravação do primeiro disco da carreira da amazonense Karine Aguiar. Ao EM TEMPO, Vana comenta sobre como foi essa experiência e sobre as diferenças entre os tratamentos dispensados aos artistas da música nos dois países. Vana Gierig conta que, desde que começou a trabalhar em conjunto com o percussionista paulista Vinicius Barros, aprendeu bastante sobre como permitir e alinhar a fusão entre ritmos brasileiros com o jazz, sua linha de composição mais latente. “Ou você é mais tradicional na música brasileira ou fica muito no campo do jazz. É difícil achar essa linha de equilíbrio. Nas minhas composições, sempre tento mesclar isso”, diz o pianista que denota orgulho por conhecer sons do Brasil como a bossa nova e o batuque baiano, entre outros. A interatividade com a música do Brasil só aumenta a admiração de Vana Gierig pela qualidade sonora tupiniquim. “O som do baterista brasileiro é muito bom”, diz o músico ao lembrar a facilidade que o amazonense, natural do município de Maués, Ygor Saunier, teve para incorporar a “levada” do samba em pelo menos duas músicas do disco “Arraial do Mundo”, de Karine Aguiar. As demais canções do álbum foram gravadas pelo baterista do trio de Gierig, Marcello Peliteri, cuja “pegada”, obviamente, é mais direcionada ao jazz americano. “A dificuldade que, talvez, possa ter existido durante as gravações era a de encontrar um som que fosse do projeto como um todo, mas a química entre todos foi tão

boa, que até isso fluiu muito bem”, diz Gierig. Recém-chegado da China, onde fez alguns espetáculos, Vana Gierig é, de fato, um instrumentista cosmopolita. Atualmente, o pianista está em fase de negociação com selos para distribuir o quarto disco da carreira, intitulado “Making Memories”, que traz uma fusão de jazz com a chamada world music. “Apresento elementos da música brasileira e espanhola, ainda. O álbum tem, inclusive, várias participações do clarinetista cubano Paquito d’Rivera, com quem fui a Manaus pela primeira vez, acompanhando-o em sua apresentação no Festival Amazonas Jazz de 2010”, explica. Sobre as peculiaridades dos mercados da música brasileiro

O Brasil, ainda possui mais oportunidades para tentar receber fundos governamentais para patrocínios

Vana Gierig músico

e estadunidense, Gierig afirma que ambos os públicos têm uma atmosfera de orgulho da própria produção, contudo quando o assunto é captação de recursos para a execução de projetos, a história muda de configuração. “Existem pontos contra e a favor em relação ao apoio governamental ou privado para a gravação de discos, por exemplo. Os EUA são muito bons para encontrar patrocínio privado, mesmo porque não há incentivo público para isso. Por outro lado, isso não contribui para a descoberta de novos músicos, uma vez que a iniciativa privada e aposta naquilo que já faz sucesso. O Brasil, com todas as dificuldades, ainda possui mais oportunidades para tentar receber fundos governamentais para criar alternativas”, reflete.

Viajante do mundo, o pianista alemão radicado em Nova York, Vana Gierig, mantém projetos musicais com artistas brasileiros

“A música amazonense não molesta o jazz” EM TEMPO – Você já se imagina repetindo a dose gravando um outro disco de algum artista local? Vana Gierig – Não há nada previsto por enquanto, mas é algo que pode surgir tão rápido quanto foi dessa vez. A

DIVULGAÇÃO

verdade é que aprendi muito sobre outros ritmos amazônicos, cujas fusões com o jazz são muito admissíveis. O ritmo da Amazonas não molesta o jazz e vice-versa. EM TEMPO – De fato,

quando você ouviu a voz de Karine e achou que seria uma boa ideia gravá-la? V.G. – Estávamos em um bar, em Manaus, quando assistimos a uma apresentação de Karine. Sem conhecê-la, Marcello (Peliteri)

e eu nos apaixonamos pelo timbre dela. Como estávamos participando do festival de jazz, demos uma “palhinha” com ela, conversamos melhor depois e, assim, chegamos ao plano de gravar em Nova York.

CONCURSO

Festival seleciona bandas autorais

O Culture Collide Festival 2012 é uma promoção da revista internacional Filter.

Em outubro, a cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos (EUA), sedia a terceira edição do festival de música “Culture Collide” (algo como “colisão de cultura”, em inglês), que se propõe a unir dezenas de artistas de várias partes do mundo. O Brasil pode pleitear participação na mostra. As inscrições para bandas autorais estão abertas até o dia 31 de julho, pelo site oficial do evento www.culturecollide.com. O Culture Collide Festival 2012 é uma promoção da revista internacional especializada Filter. Ao todo, serão quatro dias programação, congregando artistas de pelo menos 25 países. A iniciativa surgiu para promover novos grupos, bem como oferecer oportunidades especiais para o público prestigiar filmes e até “happy hours” com

comida e bebidas típicas de diversas partes do globo. A concorrência é consideravelmente grande. São apenas duas vagas para bandas brasileiras disponíveis para par-

DESTAQUE

O Brasil pode pleitear participação na mostra. As inscrições para bandas autorais estão abertas, para participantes de todo país, até o dia 31 de julho, pelo site oficial www. culturecollide.com ticipar do festival. O critério básico para o grupo efetuar a inscrição é ter trabalho autoral. Além disso, existe um custo com a taxa de inscrição no valor de R$ 50. O valor ar-

recadado tem como objetivo auxiliar a banda selecionada com os custos da viagem. Todo o processo de seleção, nacionalmente, está sendo conduzido pelo Brasil Music Exchange, projeto que procura estimular atividades e trocas de experiências no mercado musical, com o objetivo de encorajar e organizar ações de difusão internacional de música brasileira, atraindo divisas ao Brasil, além de dar suporte às exportações através da ação cultural no exterior. O projeto é administrado pela associação Brasil, Música e Artes (BM&A), fundada em 2001, sem fins lucrativos, com sede em São Paulo. O Culture Collide Festival acontece no período de 4 a 7 outubro de 2012, em Los Angeles, nja Califórnia, nos Estados Unidos.


D4

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Cineasta Dheik Praia na produção de novo filme O curta-metragem conta a história real de um caminhoneiro que esteve no Amazonas. O projeto tem 20 minutos e conta com uma equipe de 54 pessoas DIVULGAÇÃO

I

VICTOR AFFONSO Equipe EM TEMPO

nspirado em uma história real de um caminhoneiro, o curta-metragem “Rota da Ilusão”, da cineasta Dheik Praia, começou a ser gravado no último dia 15 de junho. Premiado na última edição do Amazonas Film Festival, na categoria de Melhor Roteiro, o filme tem previsão de lançamento para novembro. Este é o quinto curta de Dheik, que concebeu a ideia durante uma viagem. “Ano passado, fiquei quatro meses fazendo um mochilão pelo Brasil com meu namorado da época e, em certo momento, pegamos uma carona com um caminhoneiro até a divisa do Maranhão com o Pará”, conta. “Quando disse que era de Manaus, o motorista começou a contar uma história de quando esteve aqui e foi aí que nasceu a ideia do “Rota...””, acrescenta. O filme conta com uma equipe de 54 pessoas: quatro atores principais, 15 personagens secundários, 20 figurantes e 15 pessoas na equipe técnica. Segundo a cineasta, mesmo com o prêmio do festival e com o apoio do setor privado, ainda sai muito caro produzir filmes no Amazonas. “Estamos tra-

balhando de maneira bastante colaborativa. Ao mesmo tempo em que busquei trabalhar com profissionais renomados, também estou trazendo pessoas novas, mas muito boas no que fazem, para a produção”, afirma Dheik, dizendo que preza por esse profissionalismo desde seu primeiro trabalho. Sinopse Com 20 minutos de duração, “Rota da Ilusão” conta a história de uma mulher que vêm do interior do Pará para trabalhar no Polo Industrial de Manaus.

DIVISÃO

O curta-metragem “Rota da Ilusão”, dirigido por Dheik Praia, conta com uma equipe de 54 pessoas dividida entre quatro atores, 15 secundários, 20 figurantes e 15 pessoas da parte técnica Ao chegar à capital, o dono de um garimpo das redondezas se apaixona pela moça, mas de uma forma grotesca. “Conta um caso de aliciamentos de mulheres da Região Norte, mas acaba envolvendo mistério e romance”, resume Dheik.

Dupla Kelly & Klinger são atração em praça, amanhã A dupla Kelly e Klinger fará, amanhã, na praça de alimentação do Manaus Plaza Shopping, um show dedicado à tradição das festas juninas. Parte do repertório relembrará as músicas de arrasta-pé, típicas do período. Para atender a todos os gostos, a dupla tocará, também, sua seleção de moda sertaneja – do clássico ao contemporâneo. O show é gratuito e será realizado às 18h30. O ambiente terá clima de nostalgia, pois os irmãos prometem cantar as músicas que fizeram sucesso nas décadas de 70 e 80, nas vozes de artistas como Elba Ramalho, Dominguinhos e “do rei do baião” Luiz Gonzaga.

Humorista realiza arraial com costumes amazônicos

Parte do curta está sendo gravada no bairro Puraquequara

Filmagens seguem até amanhã As filmagens devem acontecer até amanhã e é dividida em dois momentos: as cenas no garimpo e as no barco, ponto importante do curta. As primeiras estão sendo gravadas no bairro Puraquequara, enquanto que, para as outras, eles tiveram que alugar uma embarcação. “Acontece que pegamos um onde cabem de cem à 200 pessoas, mas só temos 20 figurantes”, explica a cineasta, rindo. Segundo ela, técnicas de filmagens aju-

dam neste momento, onde eles conseguem trabalhar com uma equipe pequena e fazem parecer maior. O trabalho deve ser entregue à Secretaria de Estado de Cultura (SEC) ainda em outubro, para serem feitos os trabalhos de finalização, como a edição e trilha sonora. Dheik admite que muitas outras ideias para filmes surgiram durante o mochilão, mas que preferiu se concentrar primeiramente em “Rota...”.

Criado para resgatar as tradicionais festas juninas de bairro, comuns em Manaus até o início da década de 90, o “Arraial do Márcio Braga” tem a proposta de manter os costumes das festas juninas amazônidas. O humorista promete muita diversão, hoje, no Teatro Direcional (Manauara Shopping), com direito a ciranda, bingos e concurso de boneca viva. “Teremos atividades para todas as idades. Os pequenos, por exemplo, vão achar o máximo todas aquelas brincadeiras de festa junina e barracas de comidas típicas”, afirmou Márcio Braga. O ingresso custa R$ 50 (inteira).

Alaídenegão embala mais uma ‘Feijoada da Neguinha’ Hoje, a partir do meio-dia, o público adepto de uma boa feijoada poderá conferir mais uma edição do projeto “Feijoada da Neguinha”, no Espaço Cultural Cauxi (rua Costa Azevedo, 147, Centro, próximo ao largo ão Sebastião). O ingresso custa R$ 10. Além do atrativo gastronômico, a manhã terão outras atrações, trata-se das bandas Alaídenegão, revelação do cenário alternativo local, e Bem Bolado. No repertório de ambas estão composições próprias e também covers. Mais informações podem ser obtidas por meio do número (92) 8210-2438.


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Leozinho e Paciornick são atração em evento, hoje

DANÇA

‘Milongas’ e ‘Descanso Eterno’ reapresentados drade, diretora do grupo. O espetáculo, que começou a ser concebido ainda em 2010, estreou em julho de 2011 e já contou com uma reapresentação este ano, em fevereiro.

O duo está em Manaus para mostrar a junção da música eletrônica com a percussão e afirma que está preparando surpresas para o público amazonense VICTOR AFFONSO Equipe EM TEMPO

D

O

RUTH JUCÁ/DIVULGAÇÃO

O cartão Segundo Luiz Conde Neto, um dos sócios do Access Club, o cartão reunirá nomes em diferentes setores do mercado, desde a alta gastronomia e hotelaria até vestuário, boates, joalherias, cursos e diversos outros serviços. A festa de lançamento exclusiva – somente

para 250 pessoas – acontece no bistrô Mon Plaisir, localizado no 16º andar do hotel Park Suites Manaus, na Ponta Negra, a partir das 16h. Além da dupla, os DJs Marcio S., Cezar Dantas e Korea também se encarregam da tarefa de não deixar nenhum convidado parado. A atração principal avisa: “Podem esperar muita música nova em comemoração aos nossos 14 anos de dupla, pois reservaremos algumas surpresas”.

AÇÃ

“Milongas” é um dos carros-chefes do corpo de dança

epois do Rio de Janeiro, Manaus é a capital escolhida para receber o Access Club, espécie de cartão-fidelidade que oferece benefícios e descontos em estabelecimentos de luxo. Para o lançamento, uma festa especial: a dupla Leozinho e Paciornik volta à cidade para um show especial, em comemoração aos 14 anos de estrada juntos, que será realizado hoje, a partir das 16h, no Mon Plaisir, localizado no Park Suítes, Ponta Negra. E garante surpresas. “Sempre fomos bem recebidos pelo público amazonense. Os adeptos da música eletrônica são bastante animados e dançam muito a cada música tocada”, revelam os DJs, dizendo, ainda, que recebem “uma atmosfera incrível” vindo da pista. Tocando lado a lado há tanto tempo, eles admitem que acabaram desenvolvendo uma grande parceria. “Temos um sincronismo perfeito. Ao longo desses 14 anos desenvolvemos uma grande amizade e colocamos isso na nossa apresentação, sempre inovando”, afirmam. Casar a percussão de Paciornick com as batidas eletrônicas de Leozinho exige

isso. “Sempre acompanhamos essas mudanças e nos atualizamos ao que está sendo tocado”, frisam.

ULG

Inspiração Já “Descanso Eterno” é inspirado na obra de Amadeus Mozart, “Requiem”, e enfoca a morte em seus múltiplos significados. O tema é explorado pelos dançarinos de forma rica em informações, “onde o amparo, as perdas e os sacrifícios se misturam em um turbilhão de sentimentos, onde a única saída é a morte”, explica Monique. “As apresentações de hoje encaixam-se como duas remoldagens”, explica a diretora, informando que outros espetáculos do grupo devem entrar na agenda cultural da SEC ainda este ano.

maestria. Para eles, a combinação sonora fica com mais ritmo e levadas interessantes. “A percussão cria um clima único e contagiante quando posto acrescentado à música eletrônica. É a junção perfeita”, acreditam. Eles dizem, ainda, que a música eletrônica muda a cada temporada e a dupla busca estar sempre antenada a

DIV

O Teatro da Instalação recebe, hoje, duas reapresentações do Corpo de Dança do Amazonas (CDA). Trata-se do “Milongas”, que será exibido às 11h, e “Descanso Eterno”, às 19h. Esta última trata-se do mais recente trabalho realizado pelo grupo e exibido no Festival Amazonas de Ópera deste ano. “Milongas” é inspirado no estilo musical tradicional originário na América Latina e Espanha que deu origem ao tango. O espetáculo vem ressaltar a contemporaneidade dos estilos, fundindo o tango tradicional com o eletrônico e a dança de salão com a dança contemporânea, sem perder a essência do gênero. “”Milongas”, em minha concepção, vem ressaltar a maturidade do CDA em explorar novos estilos, com mistura de linguagens”, afirma Monique An-

D5

Paciornik e Leozinho prometem agitar o público que comparecer ao Mon Plaisir, hoje


D6

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

Programação de TV SBT

GLOBO

05h00 – Aventura Selvagem – reprise

04h44 – Santa Missa em Seu Lar

06h00 – Pesca Alternativa

05h44 – Sagrado: Tradalimentos

07h00 – A Grande Ideia 07h30 – VRUM

05h55 – Amazônia Rural 06h25 – Pequenas Empresas – Grandes Negócios 07h00 – Globo Rural

08h30 – Chaves

07h56 – Auto Esporte

(local)

05h30 – Desenhos Bíblicos 07h20 – Record Kids – Pica-Pau 09h00 – Amazonas dá Sorte – Bingo - local

08h00 – PGM Manazinha – local 09h00 – Sorteio Amazonas dá Sorte

RECORD

10h00 – Record Kids – Pica-pau

08h30 – Esporte Espetacular (Meeting de Ginástica Rítmica) 11h30 – As Aventuras de Didi

11h00 – Tudo é Possível – PGM 355 15h30 – Programa do Gugu – PGM 144

10h00 – Domingo Legal

12h04 – Os Caras de Pau

14h00 – Eliana

12h52 – Temperatura Máxima. Filme:

19h30 – Domingo Espetacular – PGM

Lara Croft: Tomb Raider

423

18h00 – Vamos Brincar de Forca 18h40 – Sorteio da Telesena

15h00 – Futebol 2012: Amistoso da Seleção Brasileira – Brasil x México

22h15 – Repórter Record

19h00 – Programa Sílvio Santos

17h00 – Domingão do Faustão

23h30 – Série: Casais Perfeitos (1ª

23h00 – De Frente com Gabi

19h45 – Fantástico

Temporada – inédita)

00h00 – Série: O Mentalista/ The

22h06 – Programete UFC

Mentalist 01h00 – Série: O Alvo / Human

22h11 – Reality UFC - Em Busca de

02h00 – Série: Agentes Secretos /

01h15 – Sessão de Gala: Filme: O

03h00 – Encerramento da Programação

REDE TV

23h10 – Domingo Maior. Filme: O Negociador

Undercovers

00h00 – Programação IURD

Campões

Target

Filho de Rambow 02h51 – Corujão I: Fime: Deixados Para Trás III - Mundo em Guerra 04h30 – Festival de Desenhos

Horóscopo GREGÓRIO QUEIROZ

10h00 – Show de Ofertas da Cidade 11h00 – Igreja da Graça – local 12h00 – Fique Ligado – local 13h00 – Esporte Performance – local 14h00 – Semeando Bênçãos – local 14h30 – Amigos do Volante – local 15h00 – Sabores & Ideias – local 15h30 – Despertar – local 16h00 – TV Kids – local 16h30 – Break Obrigatório 16h45 – Ritmo Brasil 17h15 – O Encantador de Cães 18h00 – O Último Passageiro 19h30 – SNL – Saturday Night Live 21h00 – Sexo a Três – com Dr. Rey 22h30 – Dr. Hollywood 23h15 – É Notícia 00h15 – Bola na Rede – 2º Tempo 00h45 – Igreja Internacional da Graça – local

06h30 – Igreja Internacional da Graça – local 07h30 – Igreja Internacional da Graça – local 09h15 – Viva Amazônia – local 09h45 – Break Obrigatório

BAND 05h00 06h00 06h30 07h30 08h30 09h00 09h30

– – – – – – –

09h15 – Curta Criança

11h00 – Fala Malafaia

09h30 – Nova Amazônia – local – reprise

12h00 – Fórmula Truck

10h00 – Escola Pra Cachorro

13h30 – Band Esporte Clube

10h15 – Meu Amigãozão

15h30 – Fórmula Indy

10h30 – A Turma do Pererê

17h45 – Terceiro Tempo

11h00 – ABZ do Ziraldo 11h30 – Anima TV Tromba Trem

19h00 – Um Tio da Pesada

11h45 – Anima TV Carrapatos e

20h00 – Quem Fica em Pé?

Catapultas

21h00 – Pânico na TV

12h00 – A Turma do Pererê

22h45 – Perdidos na Tribo – reapre-

13h00 – Dango Balango 13h30 – TV Piá

sentação

14h00 – Stadium

23h15 – Canal Livre

15h00 – Os Protetores do Planeta

00h45 – Show Business – reap.

16h00 – Ver TV

01h30 – L.O.L.

17h00 – De Lá Pra Cá 17h30 – Cara e Coroa

03h00 – Igreja Mundial

18h00 – Papo de Mãe

TV CULTURA

Igreja Mundial Sol Brilhante Santa Missa no Seu Lar Fé na Verdade Conexão Cargas Esporte Total Auto +

Cinema ESTREIA

10h00 – Infomercial

05h55 – Abertura da Estação/ Hino Nacional 06h00 – Via Legal 06h30 – Brasil Eleitor 07h00 – Palavras de Vida 08h00 – Santa Missa 09h00 – Viola, Minha Viola

19h00 – Conexão Roberto D’Ávila 20h00 – Esportvisão 21h30 – MPTV – Reprise – local 22h00 – Roda Viva Amazônia – local ao vivo 23h00 – Doc. Especial 00h00 – Hino Nacional / Encerramento da Emissora

Cruzadinhas REPRODUÇÃO

ÁRIES - 21/3 a 19/4 As atribuições sociais e profissionais, assim como sua própria identidade, perdem sentido mais rapidamente a partir de agora. Você quer a liberdade para mostrar outra face sua. TOURO - 20/4 a 20/5 Desviar seu rumo de vida por conta da passividade diante dos obstáculos e resistências já criou muitos problemas para você. O momento agora pede mudar de atitude aqui. GÊMEOS - 21/5 a 21/6 As condições materiais e os projetos de vida se modificam muito rapidamente. Situações antigas perdem o sentido. Abre-se o espaço para você viver novas possibilidades. CÂNCER - 22/6 a 22/7 Seus vínculos e atribuições sociais e profissionais estão se transformando muito mais rapidamente a partir de agora. Será preciso encontrar um novo sentido para o viver. LEÃO - 23/7 a 22/8 A rotina de trabalho e a filosofia de vida podem perder o sentido de maneira rápida e radical. É preciso se orientar por valores novos e construir uma rotina transformada. VIRGEM - 23/8 a 22/9 Sua vida amorosa se transforma em profundidade. Nada será como antes. Por um bom tempo, as coisas seguem para além de seu controle. Mantenha-se em equilíbrio. LIBRA - 23/9 a 22/10 A estrutura familiar e o casamento entram em crise e precisam renovar seus significados. Você terá que firmar novos vínculos, assim como uma nova maneira de se vincular. ESCORPIÃO - 23/10 a 21/11 Sua rotina de vida não se sustenta mais e é preciso encontrar outras opções, antes de tudo se esfacelar. Você terá que aprender outros ritmos de vida e de cotidiano. SAGITÁRIO - 22/11 a 21/12 A vida financeira e a amorosa entram em crise mais aguda. O que antes fazia sentido, agora não faz mais. Você terá que rever seus valores de maneira bastante profunda. CAPRICÓRNIO - 22/12 a 19/1 Sua identidade pessoal e a situação familiar entram em transformação radical. Tudo muda em você e em suas raízes. Mantenha-se em equilíbrio, apesar de toda essa revolução. AQUÁRIO - 20/1 a 18/2 Algumas limitações se impõem de maneira drástica e forçam você mudar seu modo de viver. É preciso rever as condições e possibilidades com que pode contar para você. PEIXES - 19/2 a 20/3 Seu projeto geral de vida e as condições financeiras modificam-se rapidamente, e alteram seu significado e suas possibilidades. É hora de pensar em novas possibilidades.

E Aí... Comeu?: BRA. 14 anos. Recém-separado, Fernando não se conforma com o fracasso de seu casamento com Vitória, enquanto seu amigo Honório, um jornalista machão casado com Leila, não para de desconfiar que a esposa está traindo ele. Também amigo da dupla, Afonsinho sonha em ser um escritor de sucesso, tira onda de intelectual e se relaciona com prostitutas. Juntos, eles vão debater e descobrir qual é o papel deles neste mundo povoado por mulheres, sejam elas interesses amorosos ou não. Playarte 5 – 12h50, 15h, 17h10, 19h20, 21h30 (diariamente) e 23h40 (sex e sáb); Playarte 6 – 14h, 16h, 18h20, 20h30 (diariamente) e 22h40 (sex e sáb); Playarte 7 – 14h01, 16h11, 18h21, 20h31 (diariamente) e 22h41 (sex e sáb); Cinemark 8 – 11h50, 14h20, 17h10, 19h45 (diariamente) e 22h30; Cinemark 9 – 13h30, 16h, 18h20, 20h50 (diariamente) e 23h20 (sex e sáb); Cinemas Amazonas 5 – 14h, 16h15, 18h40 e 21h10 (diariamente); Cinemais Plaza 3 – 14h50, 17h10, 19h25 e 21h30 (diariamente); Cinemais Plaza 7 – 14h, 16h10, 18h20 e 20h30 (diariamente); Cinemais Millennium 4 – 15h10, 17h15, 19h30 e 21h40

(diariamente); Cinemais Millennium 7 – 14h20, 16h30, 18h40 e 20h50 (diariamente). Sombras da Noite: EUA. 14 anos. No ano de 1752, Joshua, Naomi Collins e seu filho Barnabas, foram embora de Liverpool, Inglaterra, para começar uma nova vida na América. Mas mesmo um oceano não foi suficiente para escapar da misteriosa maldição que atormenta sua família. Duas décadas se passaram e Barnabas tem o mundo aos seus pés, ou pelo menos a cidade de Collinsport, Maine. Capitão do Collinwood Manor, Barnabas é rico, poderoso e um playboy inveterado. Até que ele comete o erro grave de quebrar o coração de Angelique, uma bruxa, em todos os sentidos da palavra, Angelique condena-o a um destino pior que a morte, transformando-o em um vampiro e enterrando-o vivo. Dois séculos mais tarde, Barnabas é libertado de seu túmulo, e surge nos dias modernos. Cinemark 3 – 12h20, 14h50, 17h20, 20h (leg/diariamente) e 22h50 (leg/sex e sáb); Cinemais Plaza 4 – 14h40, 17h, 19h20 e 21h40 (leg/diariamente); Cinemais Millennium 8 – 15h, 17h20, 19h40 e 22h (leg/diariamente).

CONTINUAÇÕES Madagascar 3 – Livre: Playarte 1 – 13h, 15h05, 17h10, 19h15, 21h20 (3D/dub/diariamente) e 23h25 (3D/dub/diariamente); Playarte 3 – 14h05, 16h10, 18h15, 20h20 (diariamente/dublado) e 22h25 (dub/sex e sáb); Playarte 4 – 14h06, 16h11, 18h16, 20h21 (dub/diariamente) e 22h26 (dub/sex e sáb); Cinemark 1 – 13h20, 15h30, 17h40, 19h50 e 22h (dub/diariamente); Cinemark 4 – 13h, 15h20 e 17h30 (dub/diariamente); Cinemark 5 – 12h, 14h, 16h10 e 18h30 (dub/diariamente); Cinemas Amazonas 4 – 13h, 15h, 17h, 19h e 21h20 (dub/diariamente); Cinemais Plaza 1 – 14h e 16h

(3D/dub/diariamente); Cinemais Plaza 5 – 14h30, 16h40, 18h50 e 21h (dub/diariamente); Cinemais Millennium 3 – 14h50, 17h, 19h15 e 21h30 (3D/dub/diariamente); Cinemais Millennium 6 – 14h15, 16h20, 18h30 e 20h40 (dub/diariamente). As Idades do Amor – 14 anos: Playarte 2 – 15h e 20h35 (leg/diariamente). Os Vingadores – 12 anos: Playarte 2 -17h35 (dub/diariamente) e 23h10 (dub/sex e sáb); Cinemark 2 – 12h10 e 18h (dub/ diariamente). Branca de Neve e o Caçador – 12 anos: Playarte 8 – 13h30, 16h05, 18h40, 21h15 (leg/dia-

riamente) e 23h55 (leg/sex e sáb); Playarte 9 – 12h30, 15h05, 17h40, 20h15 (dub/diariamente) e 22h55 (dub/sex e sáb); Cinemark 2 – 15h, 21h (dub/diariamente) e 23h50 (dub/sex e sáb); Cinemas Amazonas 6 – 15h45 e 20h55 (diariamente); Cinemais 8 – 14h10, 16h45, 19h15 e 21h50 (dub/diariamente); Cinemais Millennium 2 – 14h10, 16h40, 19h10 e 21h45 (dub/diariamente). Homens de Preto 3 – 10 anos: Playarte 10 – 14h15, 16h25, 18h35 (dub/diariamente), 20h45 (leg/diariamente) e 22h55 (leg/sex e sáb); Cinemark 5 – 20h40 (dub/diariamente) e 23h10 (dub/sex e sáb); Cinemais

Plaza 6 – 14h25, 16h30, 19h e 21h20 (dub/diariamente). Prometheus – 14 anos: Cinemark 4 - 19h40 e 22h20 (dub/diariamente); Cinemark 6 – 12h30, 15h10, 17h50, 20h30 (dub/diariamente) e 23h30 (dub/sex e sáb); Cinemas Amazonas 6 – 13h10 e 18h20 (leg/diariamente); Cinemais Plaza 1 – 18h30 e 21h10 (3D/dub/diariamente); Cinemais Plaza 2 – 14h20, 16h50, 19h30 e 22h (dub/diariamente); Cinemais Millennium 1 – 14h e 19h20 (3D/ dub/diariamente); Cinemais Millennium 1 - 16h35 e 21h50 (3D/ leg/diariamente), Cinemais Millennium 5 – 13h30, 16h10, 18h50 e 21h20 (leg/diariamente).


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

D7

::::: Sala de Espera No almoço do Barbacoa, anteontem, Lúcia Viana, Menga Junqueira, Evelise Pessoa e Rosaline Lima se deliciavam com as iguarias e saladas do lugar. Em agosto, o editor deste espaço, comandará festim badalado para celebrar suas Bodas de Água Marinha (19 anos de colunismo social) tendo um jantar regionalíssimo como cenário. É esperar para conferir. A empresária Dacy Venâncio agendou para o próximo sábado, o Arraial do D&A, com muitas comidinhas típicas e quadrilha improvisada dos magos-funcionários do templo de beleza do Vieiralves. Na próxima quinta-feira, acontece o lançamento do livro “Essa Manaus que se vai”, do jornalista José Ribamar Bessa Freire, que estará em Manaus para a sessão autógrafo, às 19h, no Fran’s Café. Islene Botelho comandou divertido Arraial dos Botelho, no sítio Cincinato, no conjunto Eldorado, na última sexta-feira. Teve festival de danças regionais, comidinhas típicas e muita bossa comandada pela anfitriã nota 10. Anteontem, o bonito Saullo – filho do querido Sérgio Viana – festejou seu aniversário, despretensiosamente, com as delícias juninas do Empório dos Reis na companhia de Ieda, Isabel e Dodó Carvalho mais Dermi Melo. Acabaram de desabar nas prateleiras da Zen Maison as indispensáveis bolsas de praia Birkin Inspired, da Hermès; nas cores verde cítrico, amarela, pink e tangerina. Um luxo!

Jander Vieira

jandervieira@hotmail.com - www.jandervieira.com.br

FOTOS: WILLIAM REZENDE

João Carvalho de Araújo está trocando de idade hoje. Os cumprimentos da coluna.

::::: Olhai por eles! Os moradores da rua Vincá, localizada no bairro Crespo, pedem socorro! Eles vêm sofrendo (todos os dias) com a teimosia dos clientes do Banco do Brasil da agência Costa e Silva de estacionar em frente às garagens de suas residências, impedindo-os do direito de adentrar em suas casas. O mais engraçado é que o banco tem estacionamento, mas é exclusivo dos seus funcionários. Que tal? A tétrica situação está gerando, diariamente, um desconforto entre os clientes e os moradores do lugar.

::::: Matriz Com mais de 580 lojas em todo o País, a Ótica Diniz inaugura sua loja matriz, no próximo dia 30, seguido de coquetel concorrido na Getúlio Vargas. O encontro contará com as presenças da Miss e do Mister Amazonas no desfile-show, às 19h. O aimeudeus Luciano Szafir é o convidado especial, que servirá de colírio para a ala feminina e afins.

No “Caldinho Solidário”: Waisser Botelho sob os confetescom-flashes do prestigiado Le Boulevard assinado pela Tecnisa e Cyrela

No badalado début que movimentou o Classic Hall: Victor, Silvia e Jeferson Pinheiro Corrêa dividindo a cena sobrenomada com a linda debutante Vanessa. Aliás, a noite foi memorável, tudo perfeito!

::::: Bom saber A partir do mês de julho, as lojas do Millennium Shopping abrem as portas com promoções imperdíveis para o período de férias e descontos que chegam a 60%. Na primeira semana, entre os dias 2 e 7, os clientes que forem ao centro de compras terão a oportunidade para adquirir peças de vestuário, itens de tecnologia e outros produtos em condições diferenciadas. Que tal? Depois dessa primeira semana com descontos atrativos, o mall prevê o lançamento da promoção “Millennium Férias no Cinema”, entre os dias 9 e 29 – do próximo mês.

::::: Para poucos e bons O Amazonas entrará no grupo seleto de Estados que usufruem os benefícios do Access Club, primeiro clube de associados convidados do Brasil a reunir uma série de vantagens e descontos especiais em estabelecimentos de alto padrão. O lançamento acontece (hoje) com uma festa do tipo seletíssima, a partir das 16h, no bistrô Mon Plaisir.

::::: Conscientização A Sejus realiza a Semana Estadual de Combate às Drogas. O evento segue o calendário nacional e até a próxima terça-feira serão promovidas diversas atividades: palestras sobre drogas nas escolas da rede pública estadual, oficinas com professores da rede estadual para identificar o uso de entorpecentes entre a comunidade infanto-juvenil, anúncio dos vencedores do Concurso Estadual de Cartazes - 2012, com premiação de netbooks e bicicletas aos vencedores e entrega de medalhas de Honra ao Mérito às escolas.

Nos domínios do chique Porto de Lenha: Eliane Schneider e Denize Santana conferindo o jantar concorrido do restaurante, no Vieiralves


D8

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 24 DE JUNHO DE 2012

EM TEMPO - 24 de junho de 2012  

EM TEMPO - Caderno principal do jornal Amazonas EM TEMPO