Issuu on Google+

JOEL ROSA

MUTIRÃO

‘Maquiada’ para receber a presidente

ANDRÉ LUIZ MELLO/AE

ANO XXIV – N.º 7.801 – MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012 – PRESIDENTE: OTÁVIO RAMAN NEVES DIRETOR EXECUTIVO: JOÃO BOSCO ARAÚJO - PREÇO DESTA EDIÇÃO: R$ 2,00

BRASILEIRÃO SILEIRÃO

Fluminense encara o Galo

Pódio E6 e E7

Às vésperas da chegada de Dilma Rousseff, um exército de garis (foto) foi mobilizado para deixar as ruas de Manaus limpas. Eleições 1

JOEL ROSA

DILMA X AÉCIO NO PALANQUE POLÍTICO EM MANAUS A presidente Dilma Rousseff desembarca amanhã em Manaus para reforçar a campanha de Vanessa Grazziotin (PCdoB) na reta final da eleição. O comício será realizado no entorno do igarapé do Passarinho, Colônia Terra Nova. O senador Aécio Neves (PMDB-MG) também vem a Manaus na quarta-feira, 24, para um ato de apoio a Artur Neto (PSDB). Eleições 1

EXPOSIÇÃO

Em visita à exposição realizada no Clube do Trabalhador, governador (com a filha) destacou os investimentos na formação de futuros cientistas. Última Hora A2

LEOGUMP CARVALHO/AE

DIVULGAÇÃO/PSDB

Omar visita ‘Estação da Ciência’

ARQUIVO EM TEMPO

Começou o horário de verão

‘DONOS DA RUA’

A guerra diária de flanelinhas e motoristas Em todas as ruas, flanelinhas estão sempre querendo “orientar” os condutores a estacionar em locais públicos na tentativa de ganhar um trocado. Dia a dia C3

Dilma foi a Salvador, na sexta-feira, apoiar o petista Nelson Pelegrino. Antes de Manaus, Aécio Neves foi a São Luís, onde apoia João Castelo

PERFUME

ELENCO O clima quente e úmido de Manaus interfere no cheiro do perfume. É preciso cuidado, porque se for muito forte e com uma nota muito adocicada “acaba se tornando um tanto enjoativo”, aconselha Milena Desterro (foto). 16 e 17

FALE COM A GENTE - ANÚNCIOS CLASSITEMPO, ASSINATURA, ATENDIMENTO AO LEITOR E ASSINANTES: 92 3211-3700 ESTA EDIÇÃO CONTÉM - ÚLTIMA HORA, OPINIÃO, POLÍTICA, ELEIÇÕES, ECONOMIA, PAÍS, MUNDO, DIA A DIA, PLATEIA, PÓDIO, SAÚDE, ILUSTRÍSSIMA, ELENCO E CONCURSOS.

DIVULGAÇÃO/STCK

MÁRIO OLIVEIRA

S U P L E M E N T O S CHOCOLATE

SAÚDE & BEM-ESTAR F2

891

Vagas de emprego na Secretaria de Cultura

TEMPO EM MANAUS

MÁX.: 34

MÍN.:

23


A2

Opinião/Última Hora

Omar visita exposição e destaca ações de C&T

Contexto 3090-1017/8115-1149

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

marioadolfo@emtempo.com.br

Grande parte dos 75 estandes da feira foi visitada pelo governador, ontem pela manhã, no Clube do Trabalhador

JOEL ROSA

Omar visitou a exposição dos trabalhos e conheceu experiências apresentadas por pesquisadores GUILHERME ALVES E ASSESSORIA Equipe EM TEMPO

Uma cabo eleitoral de peso! A presidente Dilma Rousseff (PT) já está com o pé na estrada para apoiar candidatos da base aliada. Na sexta-feira, ela iniciou uma série de comícios de apoio a correligionários e aliados no segundo turno das eleições municipais. Manaus está no roteiro. A presidente sobe, segunda-feira, 22, no palanque da comunista Vanessa Grazziotin. Política e acarajé Salvador foi a primeira parada da peregrinação de Dilma. Ao subir no palanque do candidato do PT a prefeito de Salvador, Nélson Pelegrino, na noite de sexta-feira, a presidente abandonou o estilo “gentileza” e bateu pesado. Governinho Em alusão à baixa estatura do adversário do PT, ACM Neto (DEM), que mede 1,67 m, a presidente disse que Salvador não “pode ter um governinho, um governo pequenininho”. — Nós temos que ter um grande governo –, disse a presidente referindo-se ao petista Pelegrino, que tem 1,90 m. Coração e alma Em relação ao altão, Dilma disse que Pelegrino é seu companheiro de “coração, cabeça e alma”, e tem 1,90 m. Pau puro O estilo “deixa que eu chuto” poderá ser adotado em Manaus. Como em Salvador, onde ACM tem 47% e Pelegrino 39%, Dilma sabe que tem que bater para reverter o difícil quadro. Artur Virgílio tem 70% e Vanessa 30%. Voo tucano Manaus não será a única rota de Aécio Neto na reta final da eleição 2012.

O principal nome do PSDB para a disputa presidencial de 2014 vai reforçar a campanha de candidatos tucanos em duas capitais na próxima quarta-feira. Ele vai fazer um ato com João Castelo, que busca a reeleição em São Luís (MA), e seguirá para Manaus (AM) para auxiliar na campanha de Artur Virgílio Neto. Requisitado Bola da vez, da sucessão presidencial, o senador mineiro Aécio está sendo requisitado em todo o Brasil, desde o primeiro turno. Baixaria Equipes que supostamente trabalham para a candidata Vanessa (PCdoB) distribuíam, ontem, um panfleto contra Hissa Abrahão. Com o título “Isso é Hissa”, o folheto acusa que o vice de Artur foi o “vereador que mais faltou”, “voltou pelo aumento do IPTU” e “tem dois processos pelo uso do dinheiro público”. Pela culatra Só que, ao tentar distribuir o panfleto contra Hissa na avenida Djalma Batista, os apoiadores de Vanessa foram colocados para correr por gente do povo. Erros na estratégia eleitoral de Vanessa vêm se

APLAUSOS

tornando lugar comum nesta campanha. Última cartada Será na sexta-feira, 26, a derradeira cartada da campanha eleitoral. Trata-se do debate entre os candidatos à Prefeitura de Manaus neste segundo turno, que começa logo depois da do último capítulo da novela “Gabriela”. Quem vem O debate da afiliada da rede Globo terá aproximadamente 50 minutos de duração, divididos em 3 blocos. O apresentador será o mesmo do primeiro turno: Heraldo Pereira. Trapalhão O comediante Dedé Santana foi o apresentador-surpresa do prêmio Qualidade 2012, da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), realizado na noite de sexta-feira. Trapalhão 2 Um dos momentos mais comoventes, foi quando o Trapalhão revelou que esteve à beira da morte, num hospital de São Paulo e recebeu uma enxurrada de telefonemas de apoio de todo o Brasil. — E o maior número de telefonemas foi justamente de Manaus! – disse Dedé, sendo interrompido por aplausos.

VAIAS

Fieam

Panfletos HUDSON FONSECA

DIVULGAÇÃO

Para a Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fiam), pelo belíssimo evento que organizou para anunciar o Prêmio de Qualidade 2012, um incentivo a empreendedores locais.

Para quem, às vésperas da eleição, continua distribuindo panfletos apócrifos, numa atitude desesperada e que só empobrece a democracia. O pior é que ninguém assume a irresponsabilidade.

A

Estação Ciência, uma exposição que integra a Semana de Ciência e Tecnologia (SNTC), recebeu ontem a visita do governador do Estado do Amazonas no Clube do Trabalhor (Sesi), localizado na alameda Cosme Ferreira, Zona Leste. Os investimentos na área de Ciência e Tecnologia (C&T) foi o principal assunto abordado pelo governador em entrevista. De acordo com Omar, os investimentos realizados na área refletem na formação de futuros cientistas. “Por meio dessa mostra (Estação Ciência), que revela o resultado de muitos desses investimentos, a gente consegue trazer a comunidade científica e os alunos e promover a troca

de ideias, para que possamos formar novos pesquisadores e cientistas”, informou. O projeto “Casa Tecnológica”, desenvolvido por uma empresa de Rio Preto da Eva e que usa isopor como matéria-prima principal, foi alvo de atenção do governador, que pediu ao presidente da Suhab, Sidney de Paula, a busca de mais informações sobre a inovação por causa do apelo ambiental e menor custo de construção. Na ocasião, Omar destacou a importância da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). “Com investimentos feitos pela Fapeam, principalmente, estamos conseguindo atrair a comunidade científica para que possa haver benefícios para a nossa população. Hoje temos mais pesquisas e mais doutores e mestres formados”, afirmou o governador.

‘TODINHO’

ZONA SUL DIVULGAÇÃO/SSP

Ação da polícia prendeu suspeitos de tráfico e assassinato

Polícia prende quadrilha e acusado de 24 homicídios NILSON BELÉM Equipe EM TEMPO

O suspeito de tráfico e de crimes de pistolagem Claudecir Fonseca da Costa, 26, o “Todinho”, foi preso ontem junto com oito pessoas durante a operação “Rede Marginal”, desencadeada pela Polícia Civil em parceria com a Polícia Militar. “Todinho” é apontado pela polícia como o mandante de 24 homicídios e de comandar o tráfico de drogas na Zona Leste da cidade. De acordo com o delegado da Seccional Norte, João Ferreira Neto, as prisões ocorreram em cumprimento a 13 mandados de prisão expedidos ontem pelo juiz da 3ª Vara Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes (Vecute), Julião Lemos Sobral. Foram presos durante a operação Márcio José Lopes Carneiro, o “Doido”; Tainara Lopes Barros; a esposa de “Todinho”, Vanessa

Segundo Omar, a presidente Dilma tem tomado decisões importantes em prol do Amazonas ao firmar parcerias e adotar medidas que interessam ao desenvolvimento Estado, como o projeto de lei que prorroga a Zona Franca de Manaus, os investimentos no fornecimento de energia elétrica, a reforma do estádio da Colina e a construção de habitações populares. Em dezembro deste ano, cerca de 4 mil residências devem ser entregues pelo governo do Estado, com recursos do programa federal “Minha Casa, Minha Vida”. A 9ª edição da SNCT encerrou ontem e teve como tema “Economia Verde, Sustentabilidade e Erradicação da Pobreza”. Com mais de 75 estandes espalhados pelos quase mil metros quadrados do Clube do Trabalhador, contou com intensa visitação do público.

Loureiro; Márcio William da Silva Carneiro; Cíntia Alves da Rocha; Kerolen Costa de Lima; e Wallace Kássio de Souza Lopes, o “Negão”, a maioria deles com passagem pela polícia. Ao ser preso ontem, “Todinho” disse que foi solto há três meses por força de um habeas corpus concedido por um desembargador. Ele levou um tiro na boca, no dia 12 de abril de 2011, na praça do conjunto Eldorado, quando participou da embocada para matar o traficante rival Maike da Silva Farias, 20 anos. Além do assassinato de Maike, “Todinho” é apontado como autor e mandante de 24 homicídios. Entre suas vítimas estão Wanderleite Ribeiro Pereira, morto em 9 de setembro de 2009, e de Kelven Moabe da Silva Costa, assassinado no dia 4 de março de 2011 em confronto armado no Mutirão,Zona Norte.

Chibatão tem novo deslizamento Um novo deslizamento de terra ocorreu, ontem de manhã, na área pertencente ao porto Chibatão, no bairro Colônia Oliveira Machado, Zona Sul de Manaus. Segundo a assessoria, o deslizamento foi de pequenas proporções e ninguém ficou ferido. A área onde foi registrado o incidente fica a 1 quilômetro do local de atuação do porto, e está passando por obras de concretagem de solo iniciada há menos de dois meses. Há três semanas, um primeiro desmoronamento aconteceu na mesma área. A empresa disse, por meio de nota, que houve uma acomodação de terra na área da Frigomasa, que pertence ao grupo, mas não faz parte da área de atuação do porto. “A acomodação de terra é um processo normal, uma vez que o local está em obras e o Chibatão utiliza a tecnologia de injeção de jetground com cimento puro e geoground, que é barro, cimento e areia, ocorrendo expulsão da camada de lama do solo, que é o processo normal do tratamento. É preciso ressaltar que essa área nada impacta com a operação do porto Chibatão”. Em 2010, o porto Chibatão, sofreu um desmoronamento que matou funcionários e destruiu e arremessou ao rio grande número de contêineres, causando um prejuízo avaliado de R$ 45 milhões.


Opinião

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

A3

Fala leitor

Editorial

falaleitor@emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br

Enquanto se contam as creches, os velhinhos... Já se passaram 50 anos desde que os velhinhos de hoje podiam dizer com certa arrogância que não confiavam em ninguém com mais de 30 anos. Pois é. O mundo continua girando em torno do sol e o tempo não para. Bob Dylan perguntava se caminhar sempre em frente era deixar tudo para trás. O mundo sempre está 30 anos mais velho, ou mais. Já estava naquele momento dos Beatles, do Tropicalismo, da Ditadura Militar, da disputa maniqueísta entre o e o mal e que tudo o mais fosse para o inferno. Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 18 anos, o número de pessoas no Brasil com 59 anos ou mais vai dobrar em relação ao de hoje (de 21,5 milhões para 42,9 milhões). A preocupação é que esse envelhecimento da população será um desafio para o setor público, que ainda não aprendeu sequer a tratar das crianças, adolescentes e jovens, que, por sua vez, não estão interessados em mudar um jogo em que parecem (só parecem) estar ganhando. O governo começa a olhar com desconfiança quem tenha mais de 30 anos. Mas essa população idosa é saudada como uma oportunidade meramente econômica de “crescimento, consolidação e aperfeiçoamento do segmento de saúde suplementar do país”, porque tudo dá dinheiro e tudo é mercado, até a velhice. Debruçados sobre esses dados do IBGE, especialistas avaliam que o governo não dará conta de suprir todas as necessidades, visto as projeções de gastos públicos com saúde até 2030, o que terá impacto positivo e significativo no mercado dos planos de saúde. O que fazer com tanta gente velha e fora do mercado produtivo? Não é uma equação fácil para qualquer Estado ou qualquer governo. O mundo vive melhor hoje do que há 200 anos. Isso conforma um conformismo: caminhamos devagar, mas vamos em frente. É verdade: há 200 anos vivia-se melhor do que há 400 e há 400 era um paraíso viver, comparando as condições de vida com os últimos 600 anos. Algumas culturas condenavam à morte solitária os que não podiam segurar o tranco da enxada. Hoje, já se tem um destino mais civilizado: alimentar um mercado promissor. O Estado e os governo ainda discutindo quantas creches devem ser construídas. É para frente que segue o progresso.

É chover no molhado dizer que a competitividade que o Brasil tanto tem buscado implica em desatar os nós de sua infraestrutura, reduzir o chamado Custo Brasil, ampliar e interligar de modo planejado a malha dos modais de transporte, reduzindo assim o transit time e o custo das operações logísticas que refletem no custo final dos produtos.

www.emtempo.com.br

Seria, caso este texto fosse assinado pela indústria, que vem sofrendo para somar competitividade com tantos custos e entraves. É preciso pensar também na questão da mão-de-obra qualificada para atender a todo esse “desenvolvimento e aprimoramento logístico”, que vai muito além da simples ligação entre sistemas modais. É possí-

vel até, que num primeiro momento, o país precise buscar profissionais no exterior ou quem sabe enviar nosso pessoal para se capacitar lá fora. O importante é não perder de vista a ligação entre infraestrutura, operação e logística, sabendo sempre que uma depende da outra para chegar ao próximo porto, aeroporto, rodovia e

ferrovia, sempre pensando no menor custo e melhor atendimento junto ao produto e consumidor final. É como dizem, vamos arregaçar as mangas e correr literalmente atrás do tempo perdido em busca de um presente melhor e mais alinhado para todos. Rodrigo Seabra

Charge regi@emtempo.com.br

Olho da Rua

Dora Kramer

opiniao@emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br DIEGO JANATA

Mensalão, disputas eleitorais (só não vale nome de mãe!), profecias indígenas que dão um ponto final no mundo sem travessão na outra linha, um elenco de datações propícias ao bode expiatório que é o outro, sempre o outro. Menos esse que vai aí na carona, espiando e não expiando o domingo de gente à toa.

CENTRAL DE RELACIONAMENTO Atendimento ao leitor e assinante ASSINATURA e CLASSIFICADOS

Diretor de Redação Mário Adolfo marioadolfo@emtempo.com.br

3211-3700 assinatura@emtempo.com.br classificados@emtempo.com.br

REDAÇÃO

3090-1010 redacao@emtempo.com.br

Editores-Chefes Aldisio Filgueiras — MTB 213 aldisio@emtempo.com.br Náis Campos — MTB 033 nais@emtempo.com.br Tricia Cabral — MTB 063 tricia@emtempo.com.br Chefe de Reportagem Michele Gouvêa — MTB 626 michelegouvea@emtempo.com.br Diretor Administrativo Leandro Nunes administracao@emtempo.com.br

CIRCULAÇÃO

3090-1001 circulacao@emtempo.com.br

Norte Editora Ltda. (Fundada em 6/9/87) – CNPJ: 14.228.589/0001-94 End.: Rua Dr. Dalmir Câmara, 623 – São Jorge – CEP: 69.033-070 - Manaus/AM

Diretor de Marketing/Comercial Renato Bassile comercial@emtempo.com.br Diretor de Arte Kyko Cruz kykocruz@emtempo.com.br EM Tempo Online Yndira Assayag — MTB 041 yndiraassayag@emtempo.com.br

DO GRUPO FOLHA DE SÃO PAULO

www.emtempo.com.br

Presidente: Otávio Raman Neves Diretor-Executivo: João Bosco Araújo

@emtempo_online

/amazonasemtempo

/ /tvemtempo

Os artigos assinados nesta página são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal.

Momento de decisão O ministro Celso de Mello não se abala com ataques aos procedimentos do Supremo Tribunal Federal no julgamento do mensalão nem se deixa impressionar pelos elogios. “Isso tudo é passageiro”, ameniza. Permanente mesmo – o mais importante na opinião dele – é o “alto poder pedagógico” do processo, cuja essência não está na distinção entre técnica e política, mas em seu caráter moral. “A peça fundamental em exame é a ética de governos”. Obviamente o ministro repudia a versão de que o STF estaria atuando como um “tribunal de exceção”, distanciando-se do rigor legal para enveredar pelo terreno da perseguição a um partido: “Os conceitos emitidos não estão distanciados da realidade constitucional. Ao contrário. A fidelidade à Constituição é que nos permite demonstrar a transgressão”. O juízo definitivo, considera, será dado pela percepção do país a respeito do que vem sendo dito há quase três meses pelo Supremo. “Há um esforço do tribunal para que a coletividade saiba perfeitamente por que os réus são condenados ou absolvidos”. Daí a utilidade e a necessidade de os ministros sustentarem seus votos em argumentos doutrinários e também em princípios como o defendido por ele no dia 1.º de outubro na condenação de deputados por corrupção passiva: “Quem tem nas mãos o poder do Estado não pode exercer o poder em proveito próprio”. Celso de Mello acompanha todas as críticas, lê os sites mais desaforados, cita autores, reproduz trechos de memória. Descontado o desconforto com as que “beiram a irracionalidade” e as que “resvalam para a ofensa pessoal”, celebra o “pluralismo de idéias” e aponta que aí reside a beleza da democracia. “Ruim era o tempo em que

injúrias a ministros do Supremo eram consideradas crimes de lesa-pátria”, diz, exibindo como prova o artigo da Lei de Segurança Nacional ainda em vigor, mas neste aspecto letra morta. “Ainda bem”, comemora. O decano, desde 1989 na corte, prepara-se para dar por encerrada sua missão – “este é meu último outubro aqui” – antecipando uma aposentadoria que por idade ocorreria só em 2015, a conselho do médico por causa das sucessivas crises de hipertensão. Não provocadas, mas agravadas pelo excesso de trabalho do processo em curso, “uma exaustiva maratona”. O esgotamento físico, contudo, é, na visão do ministro, largamente compensado pela oportunidade de estabelecer novos paradigmas no trato de crimes cometidos a partir do controle do aparelho de Estado. “Não estamos julgando simples delitos de corrupção, estamos diante de uma ação corruptora destrutiva do fundamento essencial da República, que é a separação dos Poderes e o equilíbrio entre eles”. A tentativa de subjugar o Legislativo às vontades do Executivo e ainda mediante a compra dessa submissão, na concepção de Celso de Mello, afronta a integridade do Estado de direito e põe em risco a garantia das liberdades. Como? O decano explica: “Se um dos Poderes concentra toda a força e, mais grave, constrói essa hegemonia por meio de iniciativa criminosa, o que se tem é uma aguda distorção institucional decorrente da ilicitude e do modo imperial de governar”. A expectativa do ministro é que esse julgamento funcione também como um estímulo à restauração dos preceitos republicanos. Torce para que a sociedade compreenda o panorama que emerge de todo esse debate. Para Celso de Mello a mensagem do STF está dada: “A absoluta intolerância do Poder Judiciário em face de atos de corrupção”.

Dora Kramer Jornalista, escreve simultaneamente no jornal “O Estado de S.Paulo”

A tentativa de subjugar o Legislativo às vontades do Executivo e ainda mediante a compra dessa submissão, na concepção de Celso de Mello, afronta a integridade do Estado de direito e põe em risco a garantia das liberdades”.


A4

Opinião

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Na partida do poeta, a perda é toda nossa

Semearam o mérito no campo do Senhor

Quando soube da morte do Luiz Bacellar, fui primeiramente atingido pelo impacto afetivo da certeza de que não mais poderia encontrar, conversar e conviver com alguém que, por várias décadas, me acostumara a ter como amigo muito querido, desde antes mesmo dos tempos em que participamos da criação do Clube da Madrugada, que nos proporcionava uma convivência frequente nas noites da praça da Polícia e do Café do Pina. Passado o primeiro momento do choque afetivo, comecei a trabalhar o fato pela via da avaliação crítica, ou seja, da razão, e uma conclusão assomou e preencheu totalmente minha consciência: acabávamos de perder nosso Poeta Maior e a perda, como as ondas produzidas pela pedra lançada no lago, avançaria muito mais longe e seria na realidade uma perda do Brasil e enfim de toda a humanidade, ainda que nem todo o Brasil e nem toda a humanidade cheguem a ter conhecimento disso. Se não houvesse tradução de Fernando Pessoa para fora do português, ainda assim, com a sua morte, todos os homens terão sofrido uma perda, mesmo aqueles que nunca o leram, pelo simples e direto fato de que nunca mais haverá um Fernando Pessoa no mundo, para produzir novos e insubstituíveis poemas de Fernando Pessoa. Mas, se essa linha de pensamento e essa conclusão encontram validade em sua fundamentação, e a poesia de Bacellar possui tal transcendência, ao ponto de usufruir de tanta substancialidade que independerá de ser ou não ser lida e conhecida, então é certo que ela escapa às categorias do tempo e do espaço e não sofrerá desgaste e nem será corruptível em nenhum momento ou lugar. Sem o risco de enveredar pelo caminho da esquizofrenia, posso agora propor a grande distinção: Luiz Franco de Sá Bacellar morreu e seu frágil corpo sofre agora a corrupção de que nenhum corpo, porque material, escapará; entretanto, sem qualquer contradição, o poeta Bacellar e sua obra, tenha ou não tenha sido ela materializada em papel ou em qualquer outro meio material ou virtual, estão perpetuados na imortalidade e não porque assim os consideramos, mas sim porque possuem autonomia existencial. Exatamente isto tem sucedido com grande frequência e só não vê quem não quer. Mais recentemente estão aí os casos de Fernando Pessoa, de Carlos Drummond de Andrade e de muitos e muitos outros, espargidos pelo mundo. Ainda mais surpreendente quando deixamos de lado sua universalidade espacial e constatamos que o tempo também não os afeta. Quantos séculos tem Molière? E Cervantes, Dante, Camões, Shakespeare? Não basta? Então lembremos que Platão viveu e produziu em quatro séculos antes de Cristo. E quis aqui fugir da discussão que suscitaria a citação de Jesus Cristo. Mesmo a querer escapar da imagem poética, inevitável reconhecer que Bacellar não morreu, porque os da sua estirpe não morrem. Como é da sua natureza, o poeta apenas se transmuda em poesia.

Neste domingo, celebramos o Dia Mundial das Missões. Vivemos numa região que se tornou cristã devido ao trabalho de homens e mulheres provenientes de outras partes do Brasil e do mundo. Alguns vieram para cá três séculos atrás, outros chegaram em tempos mais recentes. Não eram aventureiros em busca do desconhecido, mas, sim, pessoas impulsionadas pelo desejo de anunciar o Evangelho de Jesus Cristo aos habitantes de nossa Amazônia. Cometeram erros de visão frente à cultura local, entretanto seus méritos superaram em muito as deficiências. O que aconteceu aqui sucedeu também em todo o mundo. Não podem cair no esquecimento esses cristãos e cristãs entusiastas, apaixonados pela obra do Senhor, que tiveram e têm a coragem de deixar terra, família e bem-estar para transmitir as boas notícias do Reino de Deus. É dever de gratidão. A melhor homenagem, que podemos prestar aos missionários e missionárias da Amazônia, é ler e meditar o final da Segunda Carta de Timóteo (2 Tm 4,6-18). Paulo encontrava-se prisioneiro na região de Éfeso e, pressentindo a chegada da morte, deixou essa carta como testamento a Timóteo, seu discípulo a quem considerava como filho amado. O trecho pode ser considerado um dos mais empolgantes da Bíblia. A proximidade da morte e a solidão do cárcere, acentuada pelo abandono de alguns companheiros, lhe trouxeram fortes recordações: seu professor Gamaliel, as correrias para perseguir cristãos, o martírio de Estevão, o encontro com Jesus em Damasco, os desencontros com cristãos judaizantes, a missão de fundar comunidades, o Concílio de Jerusalém com decisões favoráveis à evangelização dos pagãos, as viagens apostólicas, as perseguições. Depois de recordar tudo isso, concluiu ter vivido inutilmente. “Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé”. Sentia-se um soldado de cristo que não se acovardara diante dos inimigos. Percebia-se com um atleta que, depois de correr no estádio, chegava à vitória. Crera até o final de seus dias. Nos rituais religiosos da época derramava-se vinho ou óleo sobre altares em adoração a Deus. Paulo via seu sangue pronto a ser oferecido em sacrifício à semelhança do sangue de Jesus que tingira a cruz e o chão para nossa libertação. O velho apóstolo olhava também para o futuro e via com esperança a coroa do prêmio ser colocada em sua cabeça. A esperança da libertação, para ele, não se restringia mais a este mundo. Quantos missionários e missionárias, que evangelizaram a Amazônia, puderam ou podem agradecer o duro combate empreendido ao longo de rios, lagos ou estradas! Combateram o bom combate, completaram a corrida, guardaram a fé. Deus, só Deus, poderá dar-lhes a coroa merecida. Nós apenas podemos dizer-lhes um muito obrigado com a promessa de continuar o combate, a correr no estádio e a guardar a fé. A missão foi deles; agora cabe a nós a obra evangelizadora de nosso povo.

João Bosco Araújo Diretor executivo do Amazonas EM TEMPO

O poeta Luiz Bacellar e sua obra, tenha ou não tenha sido ela materializada, estão perpetuados na imortalidade e não porque assim os consideramos, mas sim porque possuem autonomia existencial”.

Painel RENATA LO PRETE

Último capítulo

Dom Luiz Soares Vieira Arcebispo Metropolitano de Manaus

Depois de recordar tudo isso, concluiu ter vivido inutilmente. ‘Combati o bom combate, completei a corrida, guardei a fé’. Sentia-se um soldado de Cristo que não se acovardara diante dos inimigos”.

Diante da possibilidade de empate, o ministro Marco Aurélio Mello passou a ser visto como o fiel da balança para definir se a antiga cúpula do PT e outros réus do mensalão serão condenados ou absolvidos por formação de quadrilha. Advogados levantam casos anteriores em que o ministro votou contra imputações “abrangentes” desse crime pelo Ministério Público. A pressão sobre Rosa Weber e Cármen Lúcia, consideradas votos pela absolvição, é grande, segundo colegas do STF. Inspiração Técnicos que auxiliam ministros do STF citam frase clássica do filme “O Homem-Aranha” para explicar que os personagens principais do mensalão, como José Dirceu, deverão ter as penas mais duras na dosimetria: “Quanto maior o poder, maior a responsabilidade”. Euforia Diante da possibilidade de empate no item sobre formação de quadrilha, no entanto, pessoas próximas ao ex-ministro da Casa Civil retomaram o otimismo e dizem que, se ele for absolvido, cresce a chance de cumprir pena em regime aberto. Quem dá menos A semana será marcada pela chuva de novos memoriais de defesa dos réus, dessa vez com a cantilena uníssona pedindo a aplicação da pena mínima para os réus condenados. Todo mundo Para tentar chegar o mais próximo desse placar de pena mínima, advogados agem nos bastidores para que os ministros que votaram pela absolvição possam participar da dosimetria. Sem pompa A presidente Dilma Rousseff convocou apenas Marco Aurélio Garcia e Antonio Patriota (Itamaraty) para o encontro de amanhã com Nicolas Sarkozy. Nem pauta Sem estafe de chefe de Estado, o ex-presidente francês irá à reunião acompanhado somente de uma assessora pessoal. O assunto da conversa ainda é mistério para o Planalto. Alto nível Antes do debate SBT/Uol, quarta-feira, José Serra e Fernando Haddad devem duelar amanhã em evento da Nossa São Paulo. A ONG quer impedir questões

que não digam respeito ao “conteúdo programático de cada candidatura”. Perdas... Além de reforçar o risco de descontinuidade de programas da gestão de Gilberto Kassab, o QG de Serra pretende explorar na última semana da campanha eventuais prejuízos às parcerias da prefeitura com o governo do Estado, em caso de vitória de Fernando Haddad. ... e danos Tucanos vão repisar o escasso histórico de convênios da administração de Marta Suplicy com o Bandeirantes, sobretudo em projetos de mobilidade urbana. Recomeço A reforma do secretariado de Geraldo Alckmin, prevista para novembro, terá como pano de fundo a reconfiguração de forças à reeleição. Quatro partidos aliados ensaiam mudança de rota para 2014: PP, PSB, PDT e PSD planejam rediscutir a relação com o tucano. Fidelidade Alckmin tem convicção do apoio de DEM, PPS e PV, todos desidratados nas urnas, e PTB. Para fazer frente a possíveis baixas, o governador corteja PRB e PR. As siglas, que já votam com ele na Assembleia, podem ser agraciadas com cargos. Caipira Também mirando novo mandato, o tucano deseja incorporar prefeitos que deixam as funções em dezembro, como Barjas Negri (Piracicaba), Vitor Lippi (Sorocaba) e Eduardo Cury (São José dos Campos). Terceira via Pesquisas à disposição do PSDB mostram Celso Russomanno bem posicionado também no interior para a sucessão paulista.

Tiroteio

Frases Senti que minha vagina estava morta. Desligada, fora de serviço. “É possível mentir para os amigos e familiares sobre seu relacionamento, mas não dá para fazer o mesmo com sua vagina

Olivia Wilde, atriz que interpretou a médica Remy Hadley do seriado “House”, revela à revista “Glamour” que já não transava mais com o ex-marido, Tao Ruspoli, quando decidiram se separar em fevereiro de 2011.

Furnas esclarece que a interrupção no fornecimento de energia ocorrida nesta sexta-feira no Distrito Federal não é responsabilidade da empresa. A energia foi restabelecida e a análise da causa inicial do desligamento será realizada pela CEB Companhia Energética de Brasília explica a falha no fornecimento de energia de Furnas deixou sem luz por cerca de 20 minutos cidades no entorno de Brasília e diversas regiões da capital federal.

Não é justo, porque ele era a única pessoa boa naquela novela. Sustenta um monte de gente, foi traído dentro de casa e ainda por cima foi sequestrado. A gente tem que ajudar a encontrar o Tufão

Lula, ex-presidente, faz menção ao final da novela “Avenida Brasil” durante um comício na tarde de sexta, em Santo André, na Grande São Paulo, após desfilar no alto de um caminhão por quase duas horas.

O PT perdeu e está feliz. Nós ganhamos e estamos muito felizes. Vamos continuar assim e viveremos felizes para sempre. DO SENADOR AÉCIO NEVES (PSDB-MG), sobre Patrus Ananias ter dito que o partido está satisfeito com o resultado da eleição em Belo Horizonte.

Contraponto

Sucesso de público Ao entregar pauta de reivindicação dos aposentados para Fernando Haddad (PT), anteontem, o presidente do sindicato nacional da categoria, João Inocentini, fez um pedido adicional ao candidato à prefeitura: - Se o senhor quiser colocar na cesta de medicamentos para distribuição gratuita algumas unidades de Viagra, ficaríamos agradecidos... O candidato petista prontamente respondeu, arrancando gargalhadas na sede da entidade: - Olha, vou analisar com cuidado. Pela reação da plateia, me parece que é um pleito pertinente. Publicado simultaneamente com o jornal “Folha de S.Paulo”


Política

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

A5

Desterro planeja mudanças no controle externo do TCE ÁQUILA SICSÚ Especial EM TEMPO

C

om o objetivo de dar agilidade aos trabalhos do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), o tribunal deve formular, até o próximo mês, três projetos de lei que pedem a reorganização no controle externo do órgão. Conforme o presidente da instituição, conselheiro Érico Desterro, dois setores do tribunal devem ser desvinculados e um novo deve ser criado. As mudanças integram o pacote de comemorações dos 62 anos que o tribunal completa neste mês. O órgão, que tem a responsabilidade de fiscalizar e controlar a administração pública, na forma contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial do Estado e dos municípios do Amazonas, possui um quadro de 640 servidores ativos, sendo sete conselheiros, três auditores de contas, dez procuradores de contas. Por mês, o TCE julga, aproximadamente, 120 processos. Entre os setores que sofrerão alterações estão os de “Diretoria de Controle Externo da Administração do

DIVULGAÇÃO

Órgão completa 62 anos e a proposta da presidência é incrementar as ações para estrutura administrativa dos municípios Município” (DACMM) e “Diretoria de Controle Externo de Admissões, Aposentadorias, Reformas e Pensões” (Decap). Segundo Desterro, o DACMM seria dividido em Administração Direta e Indireta para cuidar dos assuntos da estrutura organizacional do Município. O mesmo aconteceria com a outra diretoria, que passaria a ser de Admis-

TRÂMITE

Érico Desterro explicou que, antes de esses projetos se concretizarem, terão que ser apresentados ao pleno do TCE e, aprovados, encaminhados à Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) sões e de Aposentadorias, Reformas e Pensões. “O tribunal precisa dessa reformulação para darmos mais agilidades em processos que estão há bom tempo tramitando”, disse. Ainda segundo o presidente, um setor específico destinado ao controle de presidência também deve ser criado.

O Pleno do TCE é composto por sete conselheiros e três auditores. O tribunal conta ainda com dez procuradores de contas

Produtividade melhorou, diz Érico Desterro O TCE julga contas de administradores e demais responsáveis por dinheiro, bens e valores públicos das administrações diretas e indiretas municipais e estadual, incluídas as fundações e sociedades instituídas e mantidas pelo poder público federal e as contas daqueles que derem causa à perda, extravio ou outra irregularidade de que resul-

te prejuízo ao erário. Empossado como presidente do órgão em dezembro do ano passado, Érico Desterro, que fica na função até dezembro de 2013, afirma que os trabalhos sofreram uma melhora, em relação à diminuição dos processos que estavam parados no órgão esperando julgamento. Mas, o órgão ainda luta para aprovar na Assembleia

Legislativa do Estado (Aleam) a reformulação da Lei Orgânica do órgão, projeto que tramita naquela casa legislativa desde fevereiro deste ano. O anteprojeto de lei complementar nº 03/2012 que altera e revoga dispositivos da lei n.º 2.243, a Lei Orgânica do TCE, de agosto de 1996, tem, como principal objetivo, dar mais celeridade ao

pagamento dos valores estipulados nas condenações de gestores públicos. Entre as modificações previstas no anteprojeto, o destaque é para a diminuição do prazo recursal, de 90 para 30 dias, além de tirar o efeito suspensivo dos recursos de revisão interpostos por gestores que tiveram suas prestações de contas julgadas irregulares.


Política

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Três cidades brasileiras terão voto biométrico

Cláudio Humberto COM ANA PAULA LEITÃO E TERESA BARROS

www.claudiohumberto.com.br

Funciona como balde de água quente, para estimular” JOSÉ SERRA (PSDB) sobre pesquisas que apontam sua derrota para Fernando Haddad

Braga se agarra a políticos para manter liderança A decisão da presidente Dilma de promover um “rodízio” de líderes, na Câmara e no Senado, tem deixado insones as noites do senador Eduardo Braga (PMDB-AM), que substituiu Romero Jucá (PMDB-RR) na liderança do governo no Senado e quase não foi notado. Informado de que poderá ser substituído no começo do ano, Braga se agarra às lideranças que hostilizou, em seu partido, para tentar manter o cargo. Isolamento Feito líder, Eduardo Braga desafiou José Sarney e Renan Calheiros, e no Amazonas se afastou do governador Omar Aziz, campeão de votos. Os alvos Dilma sinalizou que vai mudar líderes do governo no Senado, Eduardo Braga, na Câmara, Arlindo Chinaglia, e no Congresso, José Pimentel. Nem aí O PMDB não criará obstáculos à substituição de Eduardo Braga, nem o PT brigará para manter os líderes Arlindo Chinaglia e José Pimentel. Tom sombrio O noticiário sobre mandatários da América Latina continua versando sobre suas fichas médicas: Fidel, Lugo, Chávez, Cristina, Lula, Dilma. Senhas de arapongas davam ‘sopa’ na Abin A investigação do roubo de documentos “confidenciais” da Agência Brasileira de Inteligência pelo agente “William” poderá revelar uma trama digna de “Inspetor Clouzot”: além de um sistema vulnerável, a Abin, ligada à Presidência da República, mantinha senhas dos agentes em local de fácil acesso.

“William”, suposto ladrão de documentos, pode ter usado senha de outro agente para acessar o sistema. Medalhas de volta Militares da reserva vão pressionar o comando do Exército a confiscar as medalhas do Pacificador concedidas a mensaleiros condenados. Lista extensa Os mensaleiros condenados José Genoino, José Dirceu, João Paulo Cunha, Waldemar Costa Neto receberam a Medalha do Pacificador. Condenou, dançou Segundo decreto de abril de 2002, perdem medalhas os “condenados por sentença transitada em julgado por atentado contra o erário”. Vamos à la playa A conta com cartão corporativo na Abin, secreta “em nome da Segurança Nacional”, vai aumentar muito: os arapongas torram a cota de passagens e diárias para não ter que devolver nada ao Tesouro. Irmãos bem na foto Dilma falou bem, a políticos nordestinos, sobre a candidatura do atual prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rego (PMDB), ao governo da Paraíba, em 2014. Ele é irmão do senador Vital do Rego, cuja atuação na presidência da CPI do Cachoeira ela também elogia. PT quer sangue Lula prometeu ir a Fortaleza na terça (23) e os petistas locais querem que ele dê o troco no ex-deputado Ciro Gomes, cujas críticas ao ex-presidente calam fundo. Ciro sumiu da campanha neste segundo turno. AGU contra a União

Jornalista

A Advocacia Geral da União recorreu da decisão do Tribunal de Contas da União, que fixa prazos para invasores do Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, deixarem o local. Decisão curiosa, já que retarda a aplicação de uma decisão que favorecia a própria União. Melhor a morte Misto de porteiro e dono do PSDB-DF, Márcio Machado diz ter recebido a garantia do presidente nacional, Sérgio Guerra, de que qualquer nova filiação de político só será aceita “sob consenso” da direção local. Adelante, companheiros Senador de oposição da Bolívia, Roger Pinto poderá fazer companhia a Waldemar Costa Neto, do mensalão, na Organização dos Estados Americanos: sem salvo-conduto na embaixada do Brasil em La Paz, Pinto quer recorrer à corte internacional para denunciar Evo Morales. Uso do cachimbo Deputados distritais têm reclamado da ex-governadora do DF Maria Abadia (PSDB). Ela diz não querer mais saber de política, mas estaria assediando os gabinetes com pedidos de empregos para parentes. Humor negro na web Na divertida página “fake” (falsa) de Oscar Niemeyer no Twitter, alguém tascou em nome do arquiteto, dia 1º: “Putz! Morreu o Eric Hobsbawm! Abriu a porta pra comunista centenário. Melhor me esconder!” Pasto Uma pesquisa do IBGE revela que no Brasil o rebanho de gado supera a população: 212, 8 milhões. Sem contar as vaquinhas de presépio...

PODER SEM PUDOR

O delegado professor Tancredo Neves, recém-formado, foi para São João Del Rey exercer a promotoria. Com aquela conversa que o levaria ao poder anos mais tarde, foi chegando e arranjando namorada. Mal sabia que o delegado havia proibido namoro nas praças, por isso ele se misturou aos muitos casais que ocupavam um dos jardins públicos da cidade. A polícia chegou de repente e expulsou todo mundo.Tancredo se preparava para protestar contra a violência quando foi notado pelo delegado. Rápido no gatilho, o policial mostrou que tinha muito a ensinar a Tancredo: - Doutor, botei esse pessoal para fora para deixar o senhor à vontade...

MENSALÃO

Mello descarta ação internacional O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello disse na última sexta-feira não acreditar que os réus condenados na ação penal 470, o chamado processo do mensalão, irão recorrer a tribunais internacionais. “Nisso eu não creio, percebendo o que normalmente ocorre, que alguém condenado pelos crimes que estão estampados nesse processo recorra a um tribunal internacional”, ressaltou durante

palestra para estudantes de direito em Guarulhos, no Estado de São Paulo. Segundo o ministro Marco Aurélio, foram oferecidas oportunidades de defesa “à exaustão” aos acusado na ação. Por isso, buscar outras instâncias com o argumento de que esse direito não foi amplamente garantido é “uma visão pelo menos míope, uma visão essencialmente apaixonada”. No início do mês o deputado Valdemar da Costa

Neto (PR-SP) anunciou que pretende recorrer à Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) contra a condenação por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. O deputado alegou que teve o direito de defesa cerceado e que não cometeu os crimes pelos quais foi condenado. Valdemar, à época, era presidente nacional do extinto PL, atual PR.

Os eleitores de Curitiba, Porto Velho e Jundiaí, em São Paulo, irão votar neste segundo turno de forma digital

E

m todo o Brasil, 299 municípios de 24 Estados já fizeram o recadastramento biométrico e, dessa forma, a identificação do eleitor ocorre por meio da impressão digital. Desse total, apenas três cidades realizarão segundo turno no próximo dia 28 de outubro: Curitiba, no Paraná; Porto Velho, em Rondônia; e Jundiaí, em São Paulo. Portanto, essas três cidades realizarão a identificação biométrica de seus eleitores no segundo turno. O eleitorado recadastrado de Curitiba abrange 1.171.059 pessoas. Porto Velho tem um total de 277.384 eleitores recadastrados e Jundiaí tem 255.162 votantes. O recadastramento biométrico foi realizado de forma pioneira, com foco nas eleições municipais de 2008, em três cidades brasileiras: Colorado do Oeste-RO, Fátima do Sul-MS e São João Batista-SC. Na ocasião, foram recadastrados mais de 40,7 mil eleitores dessas localidades. Devido ao sucesso da revisão biométrica nas três cidades, a Justiça Eleitoral decidiu dar continuidade, em 2010, ao projeto de identificação biométrica do eleitor em outros 57 municípios. Dessa forma, nas eleições daquele ano 1,1 milhão de eleitores de 60 municípios de 23 Estados votaram após serem identificados pela tecnologia.

ANTONIO CRUZ/ABR

A6

Voto biométrico foi testado pela primeira vez em 2008

Até 2018, urna será digital A segunda etapa do recadastramento biométrico foi iniciada em 2011 e concluída em abril deste ano. O recadastramento foi realizado em todas as cidades de Alagoas e de Sergipe e nas capitais Curitiba-PR, Porto VelhoRO e Goiânia-GO. A expectativa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é que até 2018 todos os eleitores brasileiros possam votar após serem identificados pelas

impressões digitais. A biometria é uma tecnologia que confere ainda mais segurança à identificação do eleitor no momento da votação, já que o leitor biométrico acoplado à urna eletrônica deve confirmar a identidade de cada eleitor. A medida torna praticamente inviável a tentativa de fraude na identificação do votante, uma vez que cada pessoa tem impressões digitais únicas.


Política

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

A7

Arthur NETO

‘Disputar ESTA eleição NÃO foi UM processo FÁCIL’ FOTOS: JOEL ROSA

MEG ROCHA Equipe EM TEMPO

Eu saí daquela eleição de 2010 bastante traumatizado com a forma com que me tomaram o mandato (...). Tive momentos de depressão, não nego isso. Eu não entendi aquele processo e me senti muito desamparado mesmo, daí a depressão”

Um dos candidatos a prefeito de Manaus neste segundo turno das eleições, o ex-senador Artur Neto (PSDB), disputa este pleito após 2 anos de uma traumática perda do mandato de senador, nas eleições de 2010, justamente pela sua atual adversária, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB). Dois anos depois, o tucano aceita o desafio de disputar a Prefeitura de Manaus e, conforme as pesquisas de intenções de votos de diversos institutos de pesquisas, ele aparece com larga vantagem sobre a sua adversária, com grandes chances de ser o prefeito da Copa da Fifa de 2014. O tucano, em sua vida pública, passou pela prefeitura da capital (1988-1992), Câmara Federal (1995-2003) e pelo Senado (2003-2011). O candidato formou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e em diplomacia pelo Instituto Rio Branco. Artur Neto tem 67 anos de idade, é pai de quatro filhos, casado com a jornalista Maria Goreth do Carmo Ribeiro e avô de dois netos. EM TEMPO: O que motivou o senhor a decidir disputar novamente a Prefeitura de Manaus, 20 anos após o senhor ter entregado este cargo? O que o motivou a entrar neste processo eleitoral? Artur Neto: Foi todo um processo, mas não foi fácil. Eu saí daquela eleição de 2010 bastante traumatizado com a forma com que me tomaram o mandato. As denúncias do Ministério Público do Amazonas, que foram aceitas pelo Ministério Público de Brasília, mostraram a gravidade do que aconteceu naquele pleito. Então, procurei minha carreira na diplomacia, procurei o Itamarati e tive de trabalhar para viver e fui exercer minha carreira, ser conselheiro político da embaixada do Brasil em Lisboa, Portugal.Passei um ano de altos e baixos, minha mulher indo e vindo, minha filhota mais nova Carol ficou comigo e me amparou muito. Tive momentos de depressão, não nego isso. Eu tinha certeza absoluta de que cumpri com meus deveres, tinha feito uma defesa muito intransigente da economia do Amazonas, sobretudo da Zona Franca de Manaus, o meu nome passando sempre longe de tudo que é escândalo. Um nome, modéstia à parte, respeitado no plano nacional. Eu não entendi aquele processo e me senti muito desamparado mesmo, daí a depressão. Sou uma pessoa que acredita em Deus e eu dizia: “Meu Deus, por quê? Por que

em uma eleição que parecia tão tranquila? O que eu fiz, onde eu errei? Afinal de contas é minha vocação, não estou na vida pública para fazer negócio. Na explicação de Deus, talvez ele tenha me dito assim: “Olha, vou fechar para você essa porta do Senado momentaneamente e, vou abrir para você o dever de cuidar da sua cidade, em uma hora em que ela vive uma crise muito profunda. Você tem experiência, se preparou. Você pode perfeitamente ser esse prefeito”. Faltava para mim a outra perninha que fui buscar e estou muito satisfeito e honrado com ela, que é a do Hissa (Abrahão), um tanque para trabalhar, uma pessoa cheia de vontade de crescer na política, de acertar e fazer coisas boas. Decerto, vai ter um papel muito proeminente no governo. EM TEMPO: O PSDB tem sido usado como alvo dos seus adversários para atacar o senhor, principalmente no que diz respeito aos ataques à Zona Franca de Manaus pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, do seu partido. Como tem sido sua relação com o partido? O senhor já pensou em sair dele? AN: Geraldo Alckmin é o governador de São Paulo. A minha única “zanga” com ele, e isso me afastou dele pessoalmente, é a sua mediocridade, tendo sido candidato à Presidência da República, tem obrigação de entender melhor o país. Ele não comete nenhum erro defendendo São Paulo, eu sou um amazonense de maior idade e como senador, fui de maior idade, eu mostrei para paulista, gaúcho que era capaz de parar o Senado para proteger a Zona Franca de Manaus nunca fiquei pedindo a gaúcho, a paulista, a mineiro que protegesse por mim. Eu coordenava as pessoas e liderava para proteger a Zona Franca ao meu lado, mas nunca fiquei de pires na mão. Então, não condeno o governador que defende seu Estado. Critiquei Alckmin por ter sido meu candidato a presidente e não ter aprendido a conhecer o Brasil. Não ter aprendido que São Paulo só fica antipatizado perante o Brasil à medida que retira a migalha dos outros Estados. Eu pergunto por que os senadores do Amazonas não falaram contra Alckmin para ele? Ficam falando dele aqui no seu jornal, ou do vizinho e no outro concorrente. Isso é hipocrisia. Geraldo Alckmin não lê os jornais daqui. Eu falei para o Geraldo Alckmin nos jornais de São Paulo mesmo sem mandato, os jornais vieram ouvir a mim não a eles, eu falei nos jornais que ele lê. Por que não falam das tribunas lá? por que falam

só aqui isso? Me parece um jogo provinciano, tolo, que Manaus não merece presenciar. Veja, Alckmin não é PSDB, e o PSDB no Senado nunca deixou de me apoiar fortemente em relação à Zona Franca de Manaus. EM TEMPO: Como o senhor avalia a vinda da presidente Dilma nesse segundo turno da eleição municipal? AN: Pretendo me dá muito bem com ela (Dilma) e tenho certeza que vai ser assim pelo seu perfil e o meu. Agora, toda vez que acontecer alguma coisa contra o Estado vou protestar. A minha relação será boa com a presidente só que não vai me fazer caudatário de ninguém, não vão castrar minha independência de jeito nenhum. Vou sempre defender meu povo que me terá eleito. A participação da presidente Dilma, que será respeitosa em relação a mim, se é que meu nome vai vir à baila. Posso apostar que não vai ter uma palavra grosseira a meu respeito, duvido. Não vejo nenhuma razão para ter e não terá. O presidente Lula cometeu um erro político gravíssimo que foi vir falar de um filho da terra na sua terra, com palavreado que usou, não foi o momento mais feliz. É um animal político, mas não se portou como tal, desmereceu sua decantada habilidade, parece que está fora de forma e eu continuo orando pela saúde dele e pela sua felicidade familiar. Tenho que me preocupar, porque se eleito prefeito vou ter que lidar com a presidente que vejo que tem boa postura administrativa e tem interesse por bons projetos. No mais, que venha pedir votos para sua candidata para mim está tudo muito bem. Quero é que ela julgue se meus projetos são competentes ou não, se merecem seu apoio ou não, e há projetos que são generalizados no governo federal. EM TEMPO: De que modo será o seu relacionamento com a bancada amazonense na mediação de recursos federais, caso seja eleito? AN: Vou aderir à ‘Rede cegonha’: não tem que ficar pedindo nada para ninguém. Mas não vou exitar em bater a porta de todos os parlamentares federais, inclusive da minha adversária. Tenho certeza que, passado esse episódio, ela vai abrir o coração e vai perceber que não é a mim que ela boicotaria, negando verbas do orçamento, na parte que tem direito de alocar, porque prejudica é a população de Manaus. Ela será uma pessoa sensível, tenho certeza disso. Não tenho nenhum desapreço a ela, sempre gostei muito dela, pessoalmente, não consigo guardar um pingo de rancor. Acho que

essa campanha que ela esta fazendo é uma campanha tola não me atinge em nada. EM TEMPO: Como o PSDB olha a eleição em Manaus, tendo em vista que não é uma mera eleição, é um pleito que representa uma disputa entre o PT e o PSDB? AN: É indireta, porque a candidata é do PCdoB. O PT tem pessoas que eu admiro profundamente, por quem eu tenho amizade, respeito e tenho certeza absoluta que votaram e votarão em mim, não vou falar nomes. Mas tenho certeza que votaram e votarão em mim por entenderem que está em jogo o destino de Manaus. Não desqualifico o PT, não generalizo. Há um lado do PT que vejo que é o mesmo lado que usufrui do governo do Amazonino, que depois diz que é contra o prefeito, que tenta me fazer de candidato do Amazonino. Eu vejo que tem vários PTs, que tem um que eu respeito muito, outros respeito mesmo não votando em mim por cumprirem sua orientação partidária. EM TEMPO: A campanha agressiva que sua adversária tem realizado contra o senhor, principalmente neste segundo turno, a descredencia na disputa? AN: Passada a eleição, vou poder conversar com a senadora e dizer que eu tenho apreço pessoal por ela, que a vi nascer para a vida pública. Ela foi minha cabo eleitoral em 1978, esteve comigo na eleição 1986, quando disputou seu primeiro pleito. Foi vereadora eleita ao meu lado em 1988. Esteve comigo em 1990 e, em 2002. De certa forma, foram muitas eleições juntos. A candidata precisa aprender o que um sábio paraibano, Ronaldo Cunha Lima diz: “Que em política, ninguém mata ninguém”, tem recuperação sim, então ela deve reconstruir sua sua biografia, inclusive agora no final de campanha. Depois, tem o seu mandato de senadora para servir a cidade e desejo-lhe o melhor. Não consigo não ter carinho pela moça que conheci. EM TEMPO: A vinda do senador Aécio Neves, nesse segundo turno, é uma estratégia de campanha? AN: É um prestígio de liderança importante do partido e, ao mesmo tempo, um bom contato que um presidenciável do meu partido faz com o povo, de uma cidade que precisa conhecê-lo. Ele é um político que não tem nenhum preconceito contra a ZFM que representa o Estado, ou seja, vai ser um encontro interessante entre ele e o povo de Manaus, sobretudo, com a imprensa local e, a partir daí, entre ele e a sociedade amazonense.

Há um lado do PT que vejo que é o mesmo lado que usufrui do governo do Amazonino, que depois diz que é contra o prefeito, que tenta me fazer candidato do Amazonino”

Ele é um político que não tem nenhum preconceito contra a ZFM que representa o Estado, ou seja, vai ser um encontro interessante entre ele, o povo de Manaus e a imprensa local”


A8

Política

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Partido fez trabalho de formiguinha, diz Fraxe Presidente regional do partido, o deputado já planeja as próximas eleições e quer eleger um deputado federal em 2014 DIVULGAÇÃO

MAYANNE BADER Equipe EM TEMPO

O

Partido Trabalhista Nacional (PTN) em Manaus levou “ao pé da letra” o seu nome e realizou um trabalho de “formiguinha” para eleger a maior bancada de vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM), com cinco eleitos. É o que afirma o presidente do diretório estadual, deputado estadual Abdala Fraxe. A surpresa acontece porque o PTN é considerado um partido nanico, que tem, atualmente, apenas dois vereadores na Câmara, dois deputados estaduais e apenas 27 segundos de tempo de TV na propaganda eleitoral gratuita. Sem um “puxador de votos”, como é denominado um candidato que obtenha votação expressiva e elege outros candidatos com votação relativamente baixa, o partido teve que traçar outra estratégia para conseguir eleger uma boa quantidade de candidatos. Fraxe explicou que o PTN vem trabalhando há mais de um ano e meio com planejamento, organização e análise das eleições anteriores. Não

à toa o partido conseguiu o maior número de votos na capital amazonense: 107 mil, contando com os de legenda. “Nenhum outro partido conseguiu isso. O segundo colocado, o PSDB, conseguiu 75 mil votos em Manaus. São mais de 30 mil votos de diferença”, ressaltou o deputado. Os eleitos pelo PTN foram:

PROJETOS

O presidente do PTN, Abdala Fraxe, revelou que a sigla já começa a traçar a estratégia para a eleição de 2014. A meta é eleger quatro deputados estaduais e também o primeiro deputado federal Rosivaldo Cordovil, com 5.804 votos, Jairo da Vical, com 5.795, Joãozinho Miranda, com 5.004, Felipe Souza, com 4.997, e Júnior Ribeiro, com 4.759. “Montamos um time homogêneo, não tinha nenhum puxador de votos. Também não tinha os chamados pequenos candidatos. Comparado ao corpo humano, fomos um partido sem cabeça e sem

membros, só tronco. Com a possibilidade de muita gente ganhar as vagas, todo mundo trabalhou”, disse Fraxe. Eleito pela primeira vez, apesar de já ter se candidato para o cargo em 2004, Rosivaldo Cordovil disse que será o líder do partido na CMM e vai trabalhar pela Zona Norte de Manaus. Ele afirmou, ainda, que vai defender o trabalho dos idosos, dando continuidade ao trabalho social que já desenvolve. Ele, que é formado em administração e pós-graduado em gestão pública e gerência de cidades, além de ser empresário, afirmou que a nova bancada do PTN terá voz mais ativa na Câmara. Joãozinho Miranda, que ao assumir o cargo já terá concluído a faculdade de Serviço Social, afirmou que seu principal reduto eleitoral é a Zona Centro-Oeste, mas que terá um mandato para beneficiar toda a cidade. “O PTN vem se destacando com a sua atuação política e partidária. É o mais organizado do Amazonas, elegeu dois deputados estaduais e a maior bancada na Câmara. Tudo isso sem tempo de TV. Eu só apareci duas vezes”, ressaltou.

O vereador eleito Rosivaldo Cordovil (no centro) afirmou que será o líder do partido na CMM


economia@emtempo.com.br

Economia B3

(92) 3090-1045

DIVULGAÇÃO

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

HUDSON FONSECA

Caderno B

Economia

Varejo inicia seleção do ‘bom velhinho’

Carreiras ‘quentes’ no PIM Em cinco anos, serão abertas mais de 1,4 mil vagas para técnicos e engenheiros no parque fabril de Manaus. Setor de eletroeletrônico será um dos que mais vai requisitar trabalhadores, conforme levantamento de entidades empresariais

S

ede de um distrito industrial pujante com empresas de renome mundial, Manaus será um “porto seguro” para técnicos e engenheiros em mecânica e eletroeletrônica nos próximos 5 anos. Esses profissionais, nos níveis médio e superior, serão as mais requisitados no quinquênio vindouro, representando quase 75% de toda a demanda do Polo Industrial de Manaus (PIM) até 2017. Além deles, as fábricas instaladas na capital amazonense vão abrir as portas para profissionais qualificados em processos de produção e especialistas nas áreas de logística, fiscal e financeira, entre outros cargos. Ao todo, em cinco anos, o PIM pretende preencher 1.432 vagas em 16 áreas diferentes, com salários que vão de R$ 1,7 mil (eletricista, técnico em processo) até R$ 5 mil (engenheiro de projetos). Porém, a maioria dos salários está entre R$ 2 mil (técnico em mecânica, contabilidade, manutenção e administrativo financeiro) e R$ 3,5 mil (engenheiros mecânicos e eletroeletrônicos). Há também salários de R$ 3,2 mil (especialistas em logísticas, compras e comércio exterior), de R$ 3 mil (especialistas em automação e produção), de R$ 2,9 mil (técnico em eletroeletrônica), de R$ 2,5 mil (técnico em automação, RH e sistemas de informática) e de R$ 2,2 mil (ferramenteiro). Os dados foram levantados, entre julho e setembro deste ano, pela Coordenadoria de Relações do Trabalho e Emprego da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), junto a 34 empresas, que representam, aproximadamente, 5% do total de empresas do PIM. “Essa demanda pode ser bem maior, uma vez que algumas empresas não participaram da pesquisa”, afirma um dos coordenadores do estudo, o diretor

presidente da Masa da Amazônia, Ocimar Melloni. Segundo ele, a demanda por esses profissionais partiram, principalmente, de empresas dos polos eletroeletrônicos, duas rodas e componentistas, juntos, são responsáveis por mais de 65% do faturamen-

DEMANDA

A expectativa, conforme levantamento da Fieam, é de que sejam abertas oportunidades para profissionais em processo de produção e especialistas nas áreas de logística, fiscal e financeira to global do PIM. Conforme Melloni, os profissionais demandados são fundamentais para elevar a competitividade a nível global das fábricas instaladas na região, meta essa que só será alcançada me-

diante o trabalho de profissionais altamente qualificados e comprometidos em contribuir para um futuro melhor para o Amazonas. “É muito provável que se a escassez desses profissionais continuar, daqui a três ou cinco anos, os salários serão fortemente majorados, em razão da disputa das empresas em captar e reter os melhores talentos do mercado”, explica Melloni. Capacitação disponível O diretor da Coordenadoria de Relações do Trabalho e Emprego da Fieam, Genoir Pierosan, explica que há recursos disponíveis para a qualificação profissional nas instituições ligadas às indústrias, como o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Contudo, ele ressalta que falta interesse e participação dos empresários em recorrer a essas instituições para adequar os cursos às demandas da indústria.

Mercado exige qualificação A procura por emprego por parte de profissionais de áreas operacionais, como montador e soldador, por exemplo, e áreas técnicas tem sido grande nas empresas de recursos humanos. A diretora comercial da Strategic Advanced, Roseli Menegasso, afirma que, por outro lado, porém, quando o nível do profissional se eleva, a situação inverte. “Somos nós que procuramos esses profissionais no mercado, como é o caso dos engenheiros. O mercado está cada dia mais exigente, desejando não apenas conhecimento técnico, mas também perfil comportamental, ou seja, profissionais dinâmicos, flexíveis, criativos e com facilidade para se adequar às situações”, ressalta a especialista.

Promissor Ela salienta que o segmento de óleo e gás poderá ser um atraente campo de oportunidades de emprego futuramente no Amazonas. “Cargos como o de montador e técnicos, em geral, independentemente do segmento da indústria e m

Remuneração desses profissionais varia de R$ 1,7 mil a R$ 5 mil no parque fabril de Manaus

que busquem uma chance, são cargos que sempre possuem espaço dentro das companhias, devido às necessidades de manutenção e outras atividades”, frisa Roseli Menegasso. “Uma das várias maneiras que existem de ingressar nas indústrias é por meio de programas de estágios que as empresas disponibilizam em convênio com entidades especializadas”, destaca o empresário Melloni. Leia mais na B2

JOEL ROSA

ANWAR ASSI Equipe EM TEMPO


B2

Economia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Profissionais ‘caçados’ dentro das salas de aula JOEL ROSA

Procura por mão de obra é tão intensa, que empresas estão contratando estudantes para atuar no mercado ANWAR ASSI Equipe EM TEMPO

A

alta demanda obrigou o mercado a contratar até mesmo quem ainda está nos bancos das faculdades estudando para se graduar. O estudante universitário Takeshi Arashiro, 23, vai se formar somente em dezembro deste ano em engenharia mecânica, uma das áreas mais solicitadas pela indústria local. Mesmo faltando dois meses para concluir o curso, Arashiro já trabalha como estagiário no setor de fundição da produção de motocicletas da Moto Honda, a gigante nipônica do Polo Industrial de Manaus (PIM). Quando se formar, o estudante poderá ganhar quase sete vezes o valor que recebe hoje no estágio, caso o mercado local pague o piso da categoria de R$ 4,5 mil. Arashiro afirma que a Copa do Mundo de 2014 vai contribuir para aumentar a demanda por engenheiros mecânicos. Isto porque, além de atuar na produção industrial, os graduados nessa área poderão trabalhar em setores como o de transportes urbano e fluvial e também no polo naval, que está em ascensão no Estado. “A engenharia mecânica é uma área boa que dá muitas oportunidades de emprego”, argumenta o universitário.

Os universitários Thaise Cascaes e Takeshi Arashi escolheram o curso de engenharia mecânica, e apesar de não terem finalizado a faculdade já são disputados no mercado

Expectativa de mercado local No 8º período de mecânica, Thaise Cascaes, 22, trabalha como estagiária na Procter & Gamble. Quando for contratada pelo mercado, receberá salário de R$ 6 mil, quatro vezes mais do que ganha hoje.Outro pro-

fissional da engenharia que será bastante requisitado é o eletroeletrônico. Jorge Pimentel, 22, foi contratado por uma empresa de energia onde ganhará o dobro do salário em relação à época de estagiário.

Nível médio Qualificação

Nível superior Necessidade imediata 756 vagas

Eletricista Técnico em processo Técnico em contabilidade Técnico em manutenção Técnico em mecânica Ferramenteiro Técnico em automação Técnico em eletroeletrônica

16 24 32 50 544 59 6 25

Salário inicial R$ 1,7 R$ 1,7 R$ 2 R$ 2 R$ 2 R$ 2,2 R$ 2,5 R$ 2,9

mil mil mil mil mil mil mil mil

Qualificação

Necessidade imediata 676 vagas

Administrativo financeiro RH Sistema de informação Automação Produção Logística/compras e Com. Exterior Eng. mecânicos e eletroeletrônico Engenheiro de projetos

56 29 11 14 34 13 503 16

Salário inicial

R$ 2 mil R$ 2,5 mil R$ 2,5 mil R$ 3mil R$ 3 mil R$ 3,2 mil R$ 3,5 mil R$ 5 mil

FONTE: FIEAM

Alfredo MR Lopes alfredo.lopes@uol.com.br

Voo solitário Para quem esperava surfar nas promessas de uma nave poderosa, impressionante e irresistível, aquinhoada de equipamentos arrojados e azeitada por generosos recursos, a candidata do governo para ocupar a prefeitura municipal, Vanessa Grazziottin, vai à luta dirigindo um precário monomotor, movido apenas por sua costumeira obstinação e fibra, numa viagem de patrocinadores atrapalhados cujo desfecho parece incômodo antecipar. E que não venha ninguém arriscar que se trata de um inesperado acidente de percurso. Sem radar e sem reparo no trem de pouso, a nave da senadora está entregue a nevoeiros e tempestades de uma meteorologia sobejamente conhecida no relacionamento deste Estado com a União federal. Os mesmos empresários que insistiram para que ela

se mantivesse na Câmara dos Deputados, evitando os danos da aventura pelo Senado, imposta pelo Palácio do Planalto, já ensaiam deixar Manaus para produzir em centros próximos dos consumidores, como São Paulo e Rio. E a razão é muito simples. A consolidação da alíquota interestadual do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em 4% no estado de origem, a partir de 2013, editada pelo Senado Federal, através da Resolução n. 13, que colocou um fim à chamada “guerra dos portos”. E que nos fará permanecer “esperando, parados, pregados, na pedra do porto, com um único e velho vestido cada dia mais curto”, como profetizou o poeta. O golpe - diferente do esvaziamento paulatino dos polos industriais restantes, televisores e duas rodas - será fatal à

economia do modelo ZFM, fundado que é nas vantagens fiscais para aliviar as dificuldades locacionais. E pior do que isso: refém da timidez absoluta de investimentos em infraestrutura de energia, transporte e comunicação, que impedem até a formulação de alternativas ao modelo econômico em vigor, coerentes com a vocação de negócios da floresta. Um conjunto recente de medidas para turbinar a aeronave política acabou resvalando em lembranças e/ou reprises de antigas pirotecnias, como a prorrogação dos incentivos por mais ene anos, investimentos em C&T , fim do apagão, banda larga, telefonia e logística dos transportes, parques tecnológicos e otras cositas más, similares às do mesmo período da última eleição. Sem devolução das verbas contingenciadas, nem recur-

sos para contratar serviços de primeira necessidade, a Suframa já não sabe explicar porque o CNPJ do Centro de Biotecnologia não vinga, um a década depois que a Novartis partiu daqui pra Cingapura, produzir fármacos com rubiáceas tropicais – a partir de clones fornecidas pela Embrapa - e vendê-los pelo olho da cara ao Ministério da Saúde do Brasil. No primeiro debate do segundo turno, pra ilustrar a possibilidade de concretização das promessas de que ela mesma tem sido vítima, a senadora insistia na efetividade dos recursos da União no cotidiano da cidade, ao exemplificar com os equipamentos nas escolas e rede municipal de saúde, adquiridos com recursos supostamente federais. Com todo respeito, excelência, aquele que o senador Mestrinho nutria por sua pessoa e condu-

ta, fruto de uma convivência benéfica ao Amazonas, esses recursos apontados não são da União federal do Brasil. Absolutamente. São do povo deste Estado, do contribuinte que aqui vive e trabalha, dos operários e empreendedores do p olo industrial de Manaus, que recolhem 65% de todos os impostos pagos pelos Estados da Região Norte. De tudo que é apurado na ZFM, 53% vai direto para os cofres da Viúva, está provado. Na Aritmética elementar dos repasses federais, aliás, o Amazonas é o único estado do Norte/Nordeste brasileiro com saldo positivo entre o que recolhe e o que recebe da União. Um Estado que se recusa ao papel de tocar uma viola solitária a emitir uma nota só, numa canção desafinada e solitária, pela tibieza de sua representação e pelo vazio de anúncios interesseiros.

Alfredo MR Lopes Filósofo e consultor ambiental


Economia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Internet mais rápida para o interior do AM Transmissão do serviço, por meio de torres, estará disponível em oito meses nos municípios de Iranduba, Manacapuru, Manaquiri e Novo Airão RICHARD RODRIGUES Equipe EM TEMPO

E

m oito meses, quatro municípios amazonenses poderão contar com internet mais rápida. O serviço, que será levado inicialmente às localidades, por meio de torres de transmissão, atenderá as cidades de Iranduba, Manacapuru, Manaquiri e Novo Airão com internet de até 200 megabytes por segundo (Mbps). Hoje, a velocidade atual é de 11 Mbps. De acordo com o titular da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Informação (Secti), Odenildo Sena, a tecnologia, que já é utilizada no Estado da Paraíba, é viável para atender as localidades que têm dificuldade com o serviço de internet. “A intenção é implantar um projeto piloto no Estado com a construção de torres que abastecerão Novo Airão com internet mais rápida”, relatou o secretário, ao informar que a construção de cada torre deverá girar em torno de R$ 190 mil. Porém, o projeto piloto não beneficiará somente Novo Airão. “Como as torres, que deverão ter, no máximo, 50 quilômetros de distância uma da outra, serão instaladas em Iranduba, Manacapuru e Manaquiri, essas localidades também serão assistidas com o serviço mais veloz do que o atual”, garantiu o secretário da Secti, ao pontuar que a tecnologia da transmissão de internet por meio de torres foi desenvolvido pela Associação Nacional para a Inclusão Digital (Anid). Ainda segundo Sena, no Amazonas o serviço estará disponível para órgãos públicos, como universidades, hospitais, universidades, delegacias, órgãos governamentais, escolas e instituições públicas. “Porém, o projeto, que será executado pela Secti e Processamento de Dados do Amazonas (Prodam), também contemplará a instalação de pontos de internet em várias partes das cidades para atender o público com internet Wi-Fi”, destacou o secretário. “Além disso, a nossa meta também é levar internet por meio de torres para outros municípios amazonenses após os resultados do projeto piloto”, completou. Evolução Segundo a Prodam, o uso da tecnologia de transmissão de dados via rádio evoluiu bastante e atu-

almente existem equipamentos que conseguem transmitir com taxas de velocidade de até 200 Mbps para transmissões de longas distâncias. “Essa tecnologia já está em utilização em algumas unidades da Federação e é indicada para atender localidades onde a possibilidade de utilização de fibra óptica fica inviabilizada por custos ou características geográficas”, relatou o assessor da presidência do órgão, Aristóbulo Angelim. Conforme o assessor técnico, o grande benefício para o uso dessa tecnologia é a melhoria na velocidade de comunicação para os municípios amazonenses que hoje se utilizam da “lenta e cara” comunicação por satélites. “No momento estamos na fase de levantamentos preliminares para subsidiar o projeto que contemplará o município de Novo Airão. A capacidade nominal da velocidade

ETAPAS

Conforme informações da Prodam, o projeto no Amazonas está na fase de levantamento de requisitos. Inicialmente, a implantação acontecerá no município de Novo Airão e, posteriormente, será estudada a expansão para outras localidades

para atender o município será de 200 Mbps”, confirmou. A Prodam informou que o projeto no Amazonas está na fase de levantamento dos requisitos. “Após a implantação do projeto piloto em Novo Airão avaliaremos a expansão do projeto para outros municípios”, destacou Angelim. O assessor técnico da Prodam relatou que são levantadas mais informações para a posterior utilização da tecnologia. “Constatamos que o processo será mais vantajoso do que o uso de fibra óptica, por exemplo. Supondo que quiséssemos lançar uma fibra óptica de Manaus a Novo Airão, que está localizado a 170 quilômetros da capital amazonense, iríamos gastar, só para lançar a fibra, mais de R$ 5 milhões. Estimamos que com menos da metade deste valor poderemos fazer a conexão via rádio por meio de torres”, assegurou. O projeto O projeto de transmissão de internet via rádio, por meio de torres, atende a cidade de Campina Grande, na Paraíba. A ideia de trazer o serviço para o Amazonas surgiu na última reunião do Comitê

Gestor de internet, realizada na capital amazonense nos últimos dias 10 e 11. Na ocasião, a Anid apresentou o projeto ao governo do Estado, que se interessou na possibilidade de implantar o projeto em território amazonense. Na última semana, representantes da Prodam e da Secti foram a Paraíba conhecer a tecnologia e decidiram implantar um projeto piloto no Estado. Para a viabilização da tecnologia, o governo do Estado deverá lançar o processo de licitação até o final deste ano, segundo a Secti. A expectativa é de que o processo, que prevê a construção de torres no Estado, aquisição de materiais e contratação da empresa responsável pela obras do projeto, entre em funcionamento, de acordo com a Secti, até junho do próximo ano.

B3


B4

Economia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Procura-se o ‘bom velhinho’ RICHARD RODRIGUES Equipe EM TEMPO

A

65 dias do Natal, foi dada a largada na busca por papais noéis para atuarem nos centros de compras da cidade durante o período natalino. Pelo trabalho, que terá duração de 40 dias e carga horária de seis horas diárias, os “bons velhinhos” dispostos a transmitir a magia do Natal aos consumidores manauenses receberão até R$ 4 mil pela atividade nos centros de compras locais. Responsável por encontrar papais noéis para um shopping manauense, a empresa de comunicação corporativa Maice iniciou o processo para contratar dois “bons velhinhos” para o centro de compras. “Estamos selecionando profissionais dispostos a se vestirem de papai noel e que se enquadrem no padrão do personagem. Para o trabalho temporário, o candidato precisa ter mais de 18 anos, ser “gordinho” e ter simpatia com as crianças”, informou a diretora de Planejamento da Maice, Dessana Oliveira. A gerente informou que a remuneração oferecida aos profissionais varia entre R$ 3 mil e R$ 4 mil pelo período de 40 dias. “São dois papais noéis que se revezarão no horário de funcionamento do shopping,

HUDSON FONSECA

Lojas e shoppings já estão contratando papais noéis para atuarem no período natalino. Remunerações chegam até R$ 4 mil. Figura típica do Natal é uma das estratégias do varejo na capital para atrair maior volume de clientes que é de 12 horas”, informou a diretora. Os interessados nas vagas devem entrar em contato com a empresa por meio do telefone 3342-7737. Além do “bom velhinho”, a Maice também está em busca de noeletes, as ajudantes do papai noel. Para o cargo, a remuneração é de R$ 1,8 mil pelo trabalho que também terá duração de 40 dias e carga horária de seis horas diárias. Contratação Entre os centros de compras que vão contratar papais noéis está o Plaza Shopping. O superintendente do mall, Jorge Daou, informou que o empreendimento está investindo na contratação de papai noel, que atuará na realização de ações de entretenimento nas festas de fim de ano do estabelecimento. “O personagem deve ser uma das principais atrações da programação natalina. O profissional deverá iniciar as atividades no fim de novembro e permanecer no centro de compras até 24 de dezembro”, informou Daou. O superintendente destacou, ainda, que o serviço de papai noel alcançou importante nível de profissionalização, tendo em vista que o shopping faz a contratação do personagem por uma empresa especializada neste tipo de entretenimento. O salário também é de R$ 4 mil.

Garantia de vendas no comércio A Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus) vê o trabalho desenvolvido pelo papai noel durante o período natalino como benéfico para o setor, já que a presença do “bom velhinho” nos centros de compras contribui para o crescimento das vendas nas lojas. “A pedido das crianças, pais entram nas lojas e acabam comprando”, ressaltou a diretora da entidade, Mercedes Braz. Além da busca por papais noéis, a diretora salientou que o processo de ornamentação natalina dos estabelecimentos deverá iniciar no próximo mês. “Tanto os shoppins quanto as lojas já fizeram pedidos de artigos natalinos para enfeitarem os espaços e atrair clientes durante o período”, finalizou a diretora da CDL-Manaus.

O bom velhinho deve trabalhar por 40 dias em uma carga horário de seis horas no comércio


MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Economia

B5

Pacotes quase esgotados Agências de viagens registram aumento de até 15% na venda de passagens para as festas de Natal e Réveillon. Roteiros nacionais, como Fortaleza, Rio de Janeiro e Natal estão entre os destinos mais procurados pelos amazonenses RICHARD RODRIGUES Equipe EM TEMPO

A

s agências de viagens da capital amazonense ganharam o “presente de Natal” antecipado. Com a venda de pacotes turísticos para o fim de ano em alta, os estabelecimentos da cidade viram a procura por seus serviços avançar até 15% por quem está disposto a brindar o Natal e o Réveillon fora do Estado. De acordo com a gerente comercial da Aquático Turismo, Luciana Macedo, a demanda por pacotes está acima das expectativas da loja, que ainda tem disponível vagas para o Nordeste do país e exterior. “A demanda tem sido intensa e já registramos um avanço de até 15% nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado”, relatou a gerente, ao salientar que o Nordeste tem sido o principal destino escolhido pelos amazonenses. Luciana disse, ainda, que a procura tem sido tão alta que os interessados em adquirirem pacotes turísticos para o fim de ano devem “correr”. “Restam pacotes para Salvador, Fortaleza, Natal, Recife, Salinas e Santarém, cujos preços variam entre R$ 1 mil e R$ 3 mil, por pessoa, com direito a passagem áerea, translado e hotel”, observou. Sobre os produtos disponíveis para quem desejar curtir o período de fim de ano em território amazonense, a gerente da Aquático Turismo informou que cobra valores a partir de R$ 170 para passeios nos rios amazonenses. “Nesse caso, os nossos clientes poderão desfrutar das praias locais e passeios pelos rios e cidades próximas a Manaus. As formas de pagamento também são flexíveis”, comentou. A agência Flytour também registrou acréscimo no volume de vendas dos pacotes de fim de ano. Segundo a empresa, não há mais disponíbilidade de passagens para território nacional, pois todos os trechos, principalmente para o Rio de Janeiro e Nordeste do país, estão esgotados. A empresa alegou que os clientes anteciparam a compra por pacotes, para localidades nacionais. A Flytour informou, ainda, que restam apenas trechos para o exterior. Há disponibilidade de pacotes para Buenos Aires, que tem preço de US$ 1.260 e oferece ao turista passagem aérea, translado e hospedagem em apartamento duplo e também a Europa. Tudo pode ser parcelado em até dez vezes com entrada. Pacotes montados Assim como a Aquático Turismo e a Flytour, a Norte Viagens também está comemorando o desempenho registrado. “A procura por pacotes cresceu 10%, em relação ao ano passado”, informou o gerente da loja, Edson Alves. Edson salientou também que a Norte Viagens e Turismo “monta” o pacote de acordo com o gosto do cliente. “Ele (o cliente) é quem escolhe o seu pacote, sendo que há vagas para cidades de praia, que têm tido a preferência do amazonense, como Natal, Fortaleza, e outras capitais do Nordeste. Também preparamos pacotes para o Rio de Janeiro e exterior ”, disse.


B6

País

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Pequenos negócios vivem momento de oportunidades

PETRÓLEO

Reajuste de combustíveis é avaliado constantemente caso não haja reajuste dos combustíveis, o secretário disse não acreditar que a estatal recorrerá a tal medida. “Se a Petrobras produzir petróleo em grande quantidade, ela terá dinheiro para fazer seus investimentos (...) Não acredito que ela terá dificuldade em atender o plano de investimento. Evidente que vai ter que fazer algumas engenharias, mas a turma que está lá é muito competente e vai saber fazer”, disse. Ele afirmou que também está em estudo no âmbito do ministério o aumento do porcentual de álcool na gasolina e informou que o ideal é que a decisão saia antes da próxima safra da cana, que começa em abril, mas evitou definir uma data. REPRODUÇÃO

ELZA FIÚZA/ABR

Sebrae mapeia clientes da indústria em todo o país e identifica uma expectativa de geração significativa de recursos para investimentos industriais

O secretário de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia, Marco Antônio Almeida, afirmou, na sexta-feira, que o governo está constantemente avaliando o reajuste do preço dos combustíveis. “Permanentemente há uma avaliação”, disse Almeida, reconhecendo que há defasagem ante os preços internacionais. Ele destacou que essa é uma decisão que deve ser tomada conjuntamente pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, o ministro da Fazenda, Guido Mantega e a presidente Dilma Rousseff. Ao ser questionado sobre os eventuais cortes de investimentos que a Petrobras estuda fazer

Construção civil é um dos destaques de setores atendidos pelo Sebrae até dezembro de 2011, com geração significativa de recursos

A

s micro e pequenas empresas (MPE) brasileiras vivem um momento de oportunidades com a realização no país de grandes eventos esportivos, como a Copa do Mundo da Fifa 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, além da descoberta de reservas de petróleo na camada pré-sal. Com isso, existe uma expectativa de geração significativa de recursos para investimentos industriais e infraestrutura, beneficiando as empresas de pequeno porte e os empreendedores rurais. É o que revela o estudo feito, em setembro deste ano, pelo Atendimento Coletivo e Indústria, do Sebrae.

Segundo o levantamento, o perfil do cliente da instituição está segmentado. Em todo o Brasil, existem cerca de 6,8 milhões de pequenos negócios no Simples Nacional, sendo que deste total 1,3 milhão são negócios industriais, o que representa 19,5% no cenário empresarial nacional. O setor de metal mecânica, seguido do couro e calçados, tiveram destaque nos atendimentos do Sebrae até dezembro de 2011, com 6.552 consultorias. Com os ramos de madeira e móveis, gemas e joias, têxtil e confecção, eletroeletrônico, indústria alimentícia e bebidas, equipamentos médicos, odontológicos e hos-

SEGMENTADO

O perfil do cliente da instituição está segmentado. Em todo o Brasil, existem cerca de 6,8 milhões de pequenos negócios no Simples Nacional, sendo que 1,3 milhão são negócios industriais pital, construção civil, química e PVC e cosméticos somam 17.403 atendimentos feitos pela instituição entre micro empresas, empresas de pequenos porte e microempreendedores individuais (MEI).

De acordo com a gerente da área, Kelly Cristina Sanches, o mapeamento dos clientes da indústria em todo o país é de fundamental importância para o trabalho do Sebrae, pois cada setor está em um estágio e apresenta necessidades diferentes. “Hoje, nós trabalhamos com 21 setores e precisamos conhecer o cliente de cada segmento. Queremos expandir nosso atendimento, além de melhorá-lo e qualificálo para prestar consultorias”, destaca. A gerente completa: “O Sebrae terá condições de ter informações privilegiadas para ampliar o atendimento dos segmentos industriais brasileiros”.

Aumento do porcentual do álcool na gasolina é estudado

‘RETROCESSO’

Reitor da UFF critica lei de cotas em universidades O reitor da UFF (Universidade Federal Fluminense), Roberto Salles, afirmou que a lei de cotas sancionada pela presidente Dilma Rousseff representará um retrocesso para a universidade. Ele disse temer que a medida traga problemas para a instituição e cobrou o aumento dos recursos destinados às universidades. Segundo Salles, a UFF irá reservar 12,5% das vagas na próxima seleção “por imposição legal”, já que o procurador da universidade considera que não há como recorrer ao STF, que em abril julgou as cotas constitucionais. O percentual de 12,5% é o mínimo exigido pela lei em 2013 - com o passar dos anos, será elevado para 50%. Para o reitor, porém, o novo sistema é pior do que o que vinha sendo adotado pela UFF, que desde 2007 tinha políticas afirmativas próprias. Para 2013, a universidade tinha decidido reservar 25% das vagas para candidatos oriundos do ensino médio de escolas públicas da rede estadual e municipal e com renda familiar per capita inferior a 1,5 salário mínimo. Ele disse que os critérios da universidade são mais adequados do que os impostos pela nova legislação, que beneficiará egressos de todas as escolas públicas, inclusive técnicas e fede-

rais, de melhor desempenho. “Esses alunos já competem em igualdade com os das escolas privadas. Os prejudicados serão os alunos das redes municipais e estaduais”, disse. A lei federal prevê ainda que metade das vagas reservadas deve ser destinada a pretos, pardos e indígenas. Salles disse que, para não prejudicar os alunos de baixa renda oriundos da rede pública, a universidade reservará mais 10% das vagas de

‘IMPOSIÇÃO’

UFF vai reservar 12,5% das vagas na próxina seleção por imposição legal. A lei federal prevê que metade das vagas reservadas deve ser destinada a pretos, pardos e indígenas cada curso para esse público. Com isso, as cotas somaram 22,5% das cercas de dez mil vagas para ingresso em 2013. “Os congressistas criam essa lei, mas não preveem mais recursos para as universidades”, criticou ele, que tachou ainda de “ridícula” a discussão no Congresso para duplicar o percentual destinado à educação em dez anos, atingindo 10% do PIB. “A gente precisa dos recursos já.”


Mundo

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

B7

Europa criará supervisão bancária comum em 2013 Mecanismo é a condição para que bancos tenham acesso a fundo de resgate. O tema foi um dos poucos acordados

D

urante jantar incluindo assado com cogumelos e fatias de trufa branca, os líderes europeus buscaram um denominador comum para o desenvolvimento da união econômica e monetária europeia. Os participantes da cúpula discutiram até tarde da noite, mas nenhuma grande decisão foi tomada. Elas só virão na próxima cúpula da UE, em dezembro, disse a chanceler federal alemã, Angela Merkel, no início da reunião em Bruxelas. Já o presidente francês, François Hollande, afirmou que eles devem decidir agora sobre a criação de uma supervisão bancária comum em janeiro de 2013. Hollande assumiu o papel de porta-voz das nações em crise do sul do continente. Elas precisariam da supervisão bancária o mais rápido possível, porque querem pedir mais capital ao novo fundo de resgate, MEE, para ajudar seus bancos em crise. Verba que só receberão quando a supervisão bancária comum estiver funcionando. Controvérsias Alemanha, Finlândia e Holanda, os “países do norte”,

REPRODUÇÃO

são a favor de um ritmo mais lento no processo. Para a chanceler alemã, Angela Merkel, e seu ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble, “a pressa é inimiga da perfeição”. Na verdade, uma série de questões legais complexas ainda faltam ser definidas quanto à supervisão bancária. O Reino Unido e a Dinamarca, países que nunca quiseram adotar a moeda comum, criticam o fato de a supervisão bancária vir a ser parte do Banco Central Europeu, argumentando que o BCE, na verdade, só é responsável pelo euro. O serviço jurídico do Conselho tem objeções legais com relação à proposta, informa o jornal Financial Times, afirmando que provavelmente será necessária uma mudança no estatuto do BCE. Acordo à vista Altos funcionários da delegação alemã negam que a supervisão bancária já deva entrar em atividade em janeiro de 2013 – o que, segundo eles, não foi o que decidiu a última cúpula da UE em junho. França, Espanha e Itália, no entanto, insistem para que isso ocorra.

Novo fundo para Estados é proposto

Presidente francês François Hollande (no centro) disse que a supervisão deve ocorrer em janeiro

Presidente apela por avanço O presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, apelou para que os líderes europeus avancem na integração europeia inspirados no Prêmio Nobel da Paz, atribuído ao bloco recentemente. “O Prêmio Nobel da Paz deve servir como um incentivo”, declarou. Os líderes europeus discutiram sobre as sugestões de reforma

apresentadas em relatório formulado nas últimas semanas por Van Rompuy, juntamente com o presidente da Comissão Europeia, do Eurogrupo e do BCE. Rompuy pede um controle maior dos orçamentos e uma melhor coordenação das políticas econômicas, o que agrada a chanceler alemã, que sugere inclusive a criação

de um super-comissário com poderes de intervir nos orçamentos nacionais. A proposta, por outro lado, não agrada o presidente francês, François Hollande, que prefere uma outra sugestão de Van Rompuy, um endividamento conjunto e um fundo europeu de garantia de depósitos para países endividados.

Como alternativa, Merkel propôs um novo fundo para Estados do euro esta semana, que financiaria projetos de crescimento econômico em países em crise. O fundo é concebido como um incentivo para reformas ambiciosas, e seu possível volume ainda é desconhecido. O fundo poderia ser alimentado por meio do imposto sobre transações financeiras, a ser introduzido em 11 países do euro, segundo disse Merkel em discurso no Bundestag, a câmara baixa do Parlamento Alemão. Outros países reagiram com ceticismo quanto a esse novo fundo. “Não precisamos de tal orçamento agora”, desdenhou o premiê austríaco, Werner Faymann.


B8

Mundo

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012


Caderno C

Dia a dia MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

diadia@emtempo.com.br

(92) 3090-1041

IONE MORENO

O perigo que se esconde sob o lixo Página C6

Feiras de Manaus estão em situação de abandono Espaços da capital estão perdendo clientela por conta do péssimo estado de conservação e também da falta de higiene DIEGO JANATÃ

WILLIAM GASPAR Equipe EM TEMPO

B

oa estrutura, ambiente higiênico, com produtos de qualidade e preços acessíveis a todos. Esta deveria ser a descrição ideal para as feiras municipais, porém em Manaus, o que se nota na maioria desses locais é o descaso com a manutenção, infraestrutura e até com a saúde. Um bom exemplo da falta de manutenção nas feiras da capital amazonense é visto na feira municipal da Compensa, Zona Oeste. O teto do local está completamente deteriorado, e em alguns pontos não existe nenhuma telha. “Há pelo menos dez anos não se faz uma reforma aqui”, diz o permissionário João Ribeiro. De acordo com ele, além do telhado, o piso e as paredes da feira também estão deteriorados. “O cimento vai rachando e tem alguns desníveis perigosos. As paredes não recebem tinta há muito tempo também”, afirma ele, que trabalha no local desde a infância. No mercado municipal Dr. Araújo Lima, na Glória, Zona Oeste, a situação é ainda pior. Tanto dentro quanto fora da estrutura são visíveis os sinais de abandono. “Eu trabalho aqui há 20 anos e nunca foi feita uma reforma”, diz o feirante Waldemar Castro de Freitas. O mato e o lixo tomam conta da entrada do mercado, que amarga com prejuízos por causa da falta de manutenção. “Nós estamos comple-

tamente abandonados aqui. Com isso, as nossas vendas vão caindo a cada ano que passa. Eu até entendo os clientes, pois é difícil comprar em um lugar assim”, ressalta. Além dos problemas com estrutura no local, Waldemar afirma que clientes e feirantes sofrem com problemas de segurança na feira. “Atrás do mercado fica cheio de drogados o tempo todo. Ultimamente o número tem reduzido, mas já ficaram acumulados mais de 50 usuários de drogas na

Armazenagem e refrigeração inapropriadas Além do mau cheiro e da falta de higiene, aspectos como o tempo de armazenagem e refrigeração inapropriadas, manipulação e preparação inadequadas podem favorecer a proliferação de micro-organismos. Esses fatores podem estar presentes em toda a cadeia de processamento, desde a captura ou despesca, passando pelo ponto de

venda, até a mesa do consumidor, tornando-se assim um risco para a saúde. “Os feirantes também manipulam o peixe e dinheiro ao mesmo tempo, o que pode ocasionar contaminação do alimento”, reclama Giordanna. Quanto à proteção nos cabelos, ela afirma já ter visto feirantes usando cabelos compridos e sem proteção, sendo que alguns

usam boné, o que não é o suficiente para proteger. O diretor-presidente do Departamento de Vigilância Sanitária (Dvisa), Marco Fabris, disse que a entidade atua nos mercados e feiras de acordo com as solicitações que são feitas por permissionários ou clientes. “Quando existe uma solicitação verificamos a questão sanitária”, explica.

Irregularidades Segundo ele, o Dvisa notifica os estabelecimentos que apresentam irregularidades. “Quando constatamos que as exigências sanitárias não são atendidas, autuamos e damos um prazo para corrigir”, garante Marco. A Secretaria Municipal de Produção e Abastecimento (Sempab) não se pronunciou sobre o assunto. JOEL ROSA

ZONA OESTE

Na feira municipal da Compensa, o teto está deteriorado, e em alguns pontos não existe nenhuma telha. Segundo permissionários, há pelo menos dez anos não se faz uma reforma no imóvel nossa porta”, salienta. Manaus Moderna O que menos se vê na maioria nas feiras que comercializam pescado na cidade é limpeza e organização. Exemplos disso são as feiras da Panair e da Manaus Moderna. De longe se sente o mau cheiro e há também a presença de moscas e até ratos. Em decorrência disso, os consumidores estão insatisfeitos e reclamam da omissão do poder público e da falta de ações da vigilância sanitária.

Mau estado de conservação de equipamentos reflete a precariedade das instalações e dos riscos para a saúde da população


C2

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Consciência verde ainda é desafio para o progresso Dificuldade de conciliar modernidade e sustentabilidade é cada vez maior no desenvolvimento urbano em Manaus DIEGO JANATÃ

I

MÔNICA FIGUEIREDO Equipe EM TEMPO

mplantar a sustentabilidade no cotidiano da população tem sido o desafio do mundo moderno. A preservação do meio ambiente e seus recursos oferecidos tornou-se a base para novas construções que surgem na cidade e aos poucos tem se transformado em referência no quesito ambiental. Entretanto, algumas ações ainda são alvos de discussões de especialistas, como não saber adaptar o espaço natural ao urbano. Um retrato do que vem sendo feito por algumas construções na cidade é a retirada de árvores adultas e sua substituição por mudas. O presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento do Amazonas (IAB-AM), Claudemir Andrade, conta que os projetos de arquitetura bem elaborados sabem utilizar o espaço valorizando o que o ambiente oferece, mas se não estiver bem definida, a ocupação acontece de forma equivocada. “Às vezes uma obra, após sua inauguração, não vai causar dano nenhum ao ambiente, mas seu processo de execução causou”. Exemplos dessa situação

destacados pelo arquiteto são os loteamentos, principalmente os de cunho público, como o Nova Cidade, na Zona Norte da cidade. “Percebemos que quando vão fazer a implantação, a primeira coisa que observamos é que saem devastando tudo. Se não tiver um projeto para prever uma área verde e o respeito à área de preservação permanente, a ocupação acontece de forma equivocada”. Para o arquiteto, os loteamentos são exemplos mais drásticos. “Mais fácil sair tirando tudo do que sair desviando de uma ou de outra árvore, tentando manter a qualidade. Mas, às vezes o projeto não previu mesmo”, afirmou. O titular da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Marcelo Dutra, diz que esses casos são interessantes para serem observados, pois as pessoas arrancam todas as árvores, constroem e depois trazem mudas para tentarem ser adaptadas. “Essas demoram anos para se tornarem alguma coisa. Se olharmos ao nosso redor, em qualquer espaço percebemos as pessoas tentando adaptar na marra as árvores”.

Com o avanço de construções na área urbana, manutenção dos espaços verdes caracteriza uma tendência nos novos projetos

Equilíbrio com a natureza Segundo Dutra, um caso que vem sendo discutido atualmente é a arborização da Arena da Amazônia, como patrimônio ambiental. “Vão arborizar? Vão. Mas a questão é: só quando terminarem as obras? Aí terão aqueles gravetos com três galhos em cima que só irão vingar 12 anos após a Copa ter passado”. A ideia, de acordo com Dutra, é ir arborizando desde agora, paralelamente à execução das obras. O arquiteto Claudemir Andrade disse que o tema sustentabilidade “está na moda” e os próprios clientes buscam hoje um equilíbrio entre objetos e natureza. Para o arquiteto, houve um despertar da população. “O cliente despertou para o problema e percebeu que se não rever seus atos, os prejuízos estariam no futuro próximo”. Andrade destacou que a maioria das construtoras que atuam em Manaus está trabalhando com o princípio da sustentabilidade, com foco no ISO especifico para a questão ambiental. O especialista explicou que há alguns anos esses pontos não eram levados em consideração. “A sustentabilidade é item de venda. E até mesmo em licitações públicas, hoje é cobrada a certificação ambiental”.

Mentalidade curta e restrita Em 2002, houve um avanço em Manaus com a questão ambiental inclusa no Plano Diretor, passando a ser chamado “Plano Diretor Urbano e Ambiental de Manaus”. O arquiteto ressalta que quanto à questão da arborização a própria população tem que ter a consciência e realizar ações para manter as árvores em suas propriedades. Centro O secretário da Semmas, Marcelo Dutra, citou a situação do centro da cidade, onde empresários insistem em afirmar que as árvores atrapalham a fachada das suas lojas. “Isso é uma mentalidade muito curta, muito restrita, de cultura muito peque-

na. Em vez de aproveitarem o patrimônio arbóreo e compor a fachada da loja com a árvore, querem fazer o cenário de novela, com aquela fachada completamente livre. Para Dutra, a arborização deve compor o cenário de conforto, estética e de serviço ambiental. Por exemplo, mobilidade: ela tem que ter espaço para o tráfego do pedestre, participar da permeabilidade do solo, estar dentro do cenário arquitetônico, participar dos serviços ambientais e climatologia urbana. “Não é só uma planta, o vaso, são muitos aspectos. Quando falamos de arborização e arquitetura, temos que entender que Manaus é algo completamente diferente”, comentou. DIVULGAÇÃO

Marcelo Dutra, secretário da Semmas: estética ambiental


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

C3

Trabalhadores informais ou seres marginalizados? JOEL ROSA

Motoristas e flanelinhas não se entendem quando a questão é cobrar por um serviço em logradouros públicos da capital

A

guerra entre motoristas e flanelinhas persiste há alguns anos e não está perto de acabar. Em todas as ruas da cidade, os flanelinhas estão sempre querendo “orientar” os condutores a estacionar em locais públicos na tentativa de ganhar um trocado. Algumas pessoas relatam casos de constrangimentos e ameaças que já viveram nas mãos desses “trabalhadores”. Esse foi o caso da dentista Ana Castro, 24. Ela passou

por constrangimento com um flanelinha há algumas semanas, quando foi até a sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), no bairro Aleixo, Zona Centro-Sul, para resolver uma pendência. Ao chegar a um estacionamento na rua, que fica próxima à instituição, foi recebida por um flanelinha, que a abordou dizendo que ia guardar seu carro. Na mesma hora a dentista recusou, disse a ele que o local era público e que não ia pagar. “No momento em que eu disse que não iria pagar nada, ele começou a me xingar com palavrões. Falou também que

ARQUIVO EM TEMPO/MARCEL MOTTA

públicos, que é contra a legislação. Algumas pessoas ficam colocando cones, cavaletes e outros objetos para guardar vagas de estacionamento. Todo mundo tem direito de ir e vir. Em relação aos flanelinhas o órgão não pode fazer nada, onde podemos intervir é no espaço físico”, disse o diretor de operações do Manaustrans, Cleitiman Coelho. “As pessoas que se sentirem ameaçadas, ou intimidadas por flanelinhas devem acionar a polícia e registra queixa”, finaliza.

Motoristas são orientados a denunciar possíveis ameaças

CASO

A dentista Ana Castro contou que foi submetida a constrangimento por um flanelinha ao se recusar a pagar pela guarda de seu carro em uma rua no bairro Aleixo. Ele a xingou e a ameaçou mar uma providência quanto a isso”, desabafa. O autônomo José Luiz Cordeiro da Fonseca, 39, relata que certa vez foi ao calçadão

da Suframa, no Distrito Industrial, receber uma quantia em dinheiro com uma pessoa que estava lhe devendo. Quando chegou ao local estacionou seu carro na rua, e próximo de onde ele deixou o carro, havia um flanelinha, lavando outro veículo. No momento que Fonseca deixou o carro no lugar, o outro rapaz ficou só observando, porém não disse nada. “Fui até meu amigo receber o dinheiro e minutos depois retornei para o carro. Quando cheguei no local, percebi que o pneu traseiro estava esvaziado. Peguei o estepe e fui trocar, e nessa hora ele veio e se

ofereceu para me ajudar. Disse que não precisava e que eu mesmo iria trocar”, comenta, revoltado, sabendo que quem tinha esvaziado o pneu era o flanelinha, com a intenção de ganhar uma gorjeta. “Quando estava colocando o pneu novo, ele ainda tentou me extorquir dizendo que tinha reparado o carro. Eu disse a ele que não ia pagar e fui embora. Essa história de flanelinhas na ruas de Manaus está virando uma máfia. Aonde vamos essas pessoas estão querendo se aproveitar. As autoridades têm que adotar alguma providência para isso”, finaliza.

‘Motoristas não são obrigados a pagar’

Manaustrans inicia ‘Vaga Legal’ Com o objetivo de deixar as ruas e logradouros públicos organizados, o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) começou na última quarta-feira, 17, uma fiscalização para a retirada de cavaletes, cones e outros objetos que estejam obstruindo as ruas e servindo para guardar vagas nas ruas da cidade. “Estamos fazendo um choque de ordem em todas as zonas da cidade, e retirando objetos que estejam obstruindo os logradouros

ia marcar meu carro, e na próxima vez que eu fosse para aquele local, ele iria fazer alguma coisa. Eu me senti ameaçada e lhe disse que só pelo abuso dele não iria pagar mesmo e fui embora”, lembra. Ana reclama da falta de fiscalização dentro de estacionamentos públicos, onde os flanelinhas também atuam. “Nas ruas que nós paramos temos que pagar. Quando não pagamos, eles riscam o carro. Ainda tem mais essa questão dos estacionamentos públicos. Onde vamos tem flanelinha querendo ser dono. As autoridades têm que to-

O flanelinha Charles Gomes da Silva, 27, trabalha há quase dois anos reparando carros em uma feira localizada no bairro Compensa, Zona Oeste, motivado pelo desemprego. Nesse período, garantiu, nunca se envolveu em confusão com nenhum motorista. O local que trabalha foi cedido por um amigo que já estava há bastante tempo no ponto e permitiu que ele também trabalhasse lá. “Muitas pessoas reclamam que a rua é pública e podem estacionar onde quiserem. Eles não são obrigados a pagar, mas se sumir alguma coisa do carro eles querem nos culpar. Nunca risquei, nem ameacei ninguém que não quis pagar, deixo passar, depois recupero. No ponto onde trabalho, mesmo que as pessoas não me paguem eu deixo estacionar. Já livrei até gente de pegar multa, porém muitos não reconhecem”, desabafou. De acordo com o presidente da Associação dos Guardadores e lavadores de Veículos Automotores do Estado do Amazonas (Aglavam), Henri-

ARQUIVO EM TEMPO/MARCEL MOTTA

LUCAS PRATA Equipe EM TEMPO

que dos Santos, 37, existem atualmente 2 mil flanelinhas em Manaus, sendo 876 cadastrados no órgão. “Nós não estamos ali apenas para reparar ou lavar os carros. Também orientamos os condutores a não estacionar em local inapropriado. Os flane-

NÚMEROS

Segundo o presidente da Associação dos Guardadores e Lavadores de Veículos Automotores do Estado do Amazonas, Henrique dos Santos, existem hoje 2 mil flanelinhas em Manaus, sendo 876 cadastrados linhas cadastrados no órgão são orientados durante palestras para lidar com o cliente, principalmente com alguns que não gostam de pagar. Infelizmente muita gente se passa por flanelinha agindo de forma errada e acaba prejudicando a classe. Muitas vezes somos marginalizados por culpa de outros”, destaca.

Para flanelinhas, categoria é marginalizada pela sociedade


C4

Dia a dia

Pedro Ferreira,

Em busca de uma vida melhor e fugindo da seca, o cearense Pedro Ferreira é um exemplo de migrante nordestino que batalhou para ultrapassar barreiras ISABELLE VALOIS Equipe EM TEMPO

“O

nordestino é, antes de tudo, um forte”. Essa mudança na frase do livro “Os Sertões”, do escritor Euclides da Cunha, sempre é feita quando o tema de uma conversa é sobre o Nordeste e seu povo. No último dia 8, comemorou-se o dia de um povo que tem o seu histórico marcado pelo sofrimento, a cor da pele bronzeada por um intenso calor e pela capacidade de transformar todas as tristezas em esperança. Por causa da seca e por procurarem uma vida melhor para a família, muitos nordestinos deixaram suas cidades e migraram para os Estados do Acre e Amazonas, na década de 1940, para trabalhar na extração do látex. Estima-se que 75% da população amazonense atualmente é composta por nordestinos ou seus descendentes. Nessa porcentagem, encontramos o aposentado Pedro Ferreira, 73, natural de Fortaleza (CE), que chegou a Manaus em maio de 1952, aos 13 anos. Seus pais se mudaram para a capital amazonense com a mesma intenção de diversos nordestinos: a melhoria de vida para a família de nove filhos. O cearense relembra que o seu pai trabalhava em uma lavoura em Fortaleza antes de se muda-

rem para Manaus. “Por sempre ver o esforço do meu pai, mesmo sendo o caçula, resolvi começar a ajudar a minha família bem cedo. Aos 10 anos comecei a trabalhar por conta própria, vendendo queijadinha nos trens, conhecido aqui em Manaus como cascalho”, conta. Pedro relembra que passou por fatos inesquecíveis. “Uma

Por sempre ver o esforço do meu pai, mesmo sendo o caçula, resolvi começar a ajudar minha família bem cedo, aos 10 anos Pedro Ferreira, aposentado

vez o cobrador do trem começou a questionar o motivo de eu não ter pagado a passagem no momento que entrei para vender o meu cascalho. Expliquei que tinha apenas 10 anos e que não estava pegando carona, apenas trabalhando. Ele ficou meio emburrado, reclamou e depois esqueceu, mas o tempo todo que passava por mim, me encarava, e em um certo momento se descuidou e caiu do trem. Foi uma morte estranha de alguém que tentou me prejudicar”.

Lutando pela sobrevivência Após chegar a Manaus, Pedro continuou a ajudar a família de todas as formas. Chegou a trabalhar vendendo picolé, como vendedor de frutas e ajudante de caminhão. Após 14 anos na capital, os pais de Pedro resolveram retornar para Fortaleza, mas por já estar casado resolveu ficar com a família que acabara de construir. “Fiquei impressionado no momento em que os meus pais resolveram retornar para a nossa terra de origem e ainda queriam me levar junto com a minha família, mas a minha esposa não quis e jamais eu iria deixála pra trás, ainda mais com a minha primeira filha, com meses de nascida”, relembra o nordestino. Pedro começou a namorar a sua esposa Raimunda de Melo Ferreira, quando ela tinha 12 anos de idade. No momento em que o irmão dela soube do namoro, fez com que seus pais a colocassem em um colégio interno. “Nada foi mais forte que o nosso amor. Mesmo internada sempre tinha uma forma de me encontrar com o Pedro. Por isso estamos casados até hoje, completando 51 anos de nossa união”, relata Raimunda. Dos nove filhos, nenhum retornou para Fortaleza com os pais. Um ano após o retorno, a mãe de Pedro faleceu, e no ano seguinte Há 60 anos em Manaus, Pedro Ferreira pensa em voltar a Fortaleza, sua terra natal, em busca de possíveis parentes

foi a vez de seu pai, fato triste que acabou o fazendo fincar de vez as raízes no Amazonas. “ Talvez por não ter quem visitar, resolvi continuar por aqui, mas tenho curiosidade para saber se ainda tenho algum parente por minha terra”, explica. Trabalhando com caminhões e tendo uma família para sustentar, Pedro resolveu tirar a carteira de motorista e, após muito sacrifício, comprou o seu

HISTÓRIA

Pedro começou a namorar sua esposa Raimunda de Melo Ferreira quando ela tinha 12 anos. O irmão dela soube e fez com que os pais a colocassem em um colégio interno primeiro caminhão. O aposentado chegou a ter no total 14 tipos de caminhões, sempre comprando-os no estado em que estivessem, mas os reformava ao ponto de deixá-los como novo, vendendo-os depois. Seu último caminhão foi do modelo agrário, o qual o aposentado teve que vender logo após que descobriu que tinha problemas de pressão alta e coração grande, pois o médico o proibiu de continuar a dirigir.


MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

FOTOS: JOEL ROSA

, um vencedor

Para sobreviver, Pedro trabalhou com caminhões e até construiu sua casa com madeira de caixas

C5

Uma criatividade surpreendente Antes dos problemas de saúde, Pedro chegou a trabalhar por 15 anos como motorista na Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan). Emocionase ao relembrar que recebeu o primeiro telefone encaminhado para Manaus. “Os dez mil primeiros telefones que vieram para a capital, fui eu quem os recebi e ainda ajudei a instalar, e foi com as caixas dos aparelhos que construi minha casa”, relembra. Os vizinhos ficavam assustados com a criatividade de Pedro Ferreira, pois construiu toda a sua casa, apenas utilizando a madeira dessas caixas. Sua esposa conta que, por serem uma família humilde, chegaram a perder a única muda de roupas que tinham de festa por causa de uma lamparina que caiu sobre elas. “Minha filha tinha ficado muito doente, e por ter que lhe dar uma atenção mais redobrada, não percebi que a lamparina tinha caído nas roupas”, lembra Raimunda. Com muito trabalho, o nordestino foi construindo aos poucos a casa de alvenaria onde mora até hoje com sua família. “O irmão da minha esposa não acreditava que eu daria um futuro para Raimunda, então comecei a construção

da casa pelos fundos e quando a terminei, quando derrubei a fachada, foi a maior surpresa para a vizinhança”, conta. Força de vontade O aposentado revela que não se arrepende de nada o que fez, pois sempre batalhou por sua família, mostrando a força de vontade pela qual um nordestino sempre é reconhecido. Pai de um casal de filhos que dão continuidade à família, sempre tem um brilho nos olhos quando fala de sua terra natal. Até hoje Pedro ainda não retornou a sua cidade desde a primeira vinda a Manaus. “Hoje se tornou um sonho poder voltar a Fortaleza, mas tenho certeza que agora logo poderei pisar no solo da minha sonhada cidade”, diz. Seus filhos Eliana Ferreira e Eduardo de Melo Ferreira prometem realizar até o próximo mês vão um dos sonhos do pai. “Nosso pai batalhou aqui para nos criar, e agora nada mais justo que retornar com ele para Fortaleza, e quem sabe encontrar alguém da família por lá. Hoje, dos oito irmãos que o meu pai tinha, apenas um ainda é vivo e nada é mais justo do que dar esse presente para esse homem que é um exemplo de batalha”, diz Eliana.

Pedro Ferreira vai ganhar do casal de filhos a oportunidade de voltar ao Ceará, no próximo mês


C6

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Perigo sob o lixo de casa Além dos riscos de contaminação, descartes inadequados podem causar acidentes graves, como o da aposentada atingida pela explosão de uma botija oculta sob folhas em 1999, que lhe causou queimaduras de segundo e terceiro graus

ARQUIVO EM TEMPO/BRENO FREITAS

ISABELLE VALOIS Equipe EM TEMPO

N

a tarde de 28 de junho de 1999, a aposentada Lucimar Ortiz da Silva, 60, recolheu as folhas caídas de uma das árvores de seu quintal e, após juntá-las, resolveu atear fogo, como de costume. O que ela não havia percebido é que um pequeno botijão de gás de pipoqueira estava jogado na área de sua casa, na rua Barcelos, Cachoeirinha, Zona Sul. O resultado foi uma explosão que lhe causou queimaduras de segundo e terceiro graus.

ACIDENTE

Em junho de 1999, Lucimar Ortiz foi atear fogo em folhas que varrera em seu quintal, sem perceber uma botija jogada na área. A explosão a deixou com sequelas graves até hoje “Apenas ouvi um barulho de explosão e as chamas de fogo bem rápido. Pareciam coisas de cinema e na verdade estava acontecendo comigo”, relembra. Casos como o da aposentada reforçam a necessidade de cuidados no descarte do lixo doméstico, separado por tipo de matérias recicláveis. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 70% dos municípios brasileiros possuem lixões a céu aberto. Mas a situação é preocupante ainda no próprio lixo doméstico diário, pois ninguém se importa com o que é descartado até que surja algum problema.

Botijão jogado debaixo de folhas No caso de Lucimar, ela relembra que dias antes do acidente havia encontrado o botijão jogado no quintal, mas não sabia qual destinação dar. Achando que o objeto pertencia ao seu vizinho, o qual poderia retirá-lo do local, resolveu deixar o objeto ali. “Dias se passaram, e como sempre me esquecia de perguntar do vizinho se a botija era dele, não me preocupei e após um tempo, como não tinha mais visto a botija pelo quintal, pensei que a teriam pego de volta, mas só na hora descobri que estava debaixo das folhas já recolhidas durante a semana, quando houve a explosão”, conta Lucimar.

Com queimaduras de segundo e terceiro graus, Lucimar saiu de sua casa à procura de uma vizinha que é enfermeira. “No momento em que encontrei a enfermeira, começou a preocupação de logo me encaminharem para o hospital mais próximo, pois a situação era grave”, lembra. A aposentada passou das 14h até as 21h tomando banho de soro gelado no Pronto-Socorro 28 de Agosto, e em seguida passou 27 dias internada, e por causa da medicação muito forte acabou tendo outros tipos de problemas. Foi constatada uma artrose no fêmur direito, obrigando Lucimar

Fiscalização de irregularidades

a passar por uma cirurgia e colocar uma prótese, a qual acabou rejeitada pelo seu organismo. Hoje, além das marcas das queimaduras, a aposentada anda com auxílio de uma muleta. Todo esse problema foi resultante da falta de atenção com o lixo jogado no quintal. “Todos os dias agradeço a Deus por pelo menos estar viva e para contar essa história. Não desejo que ninguém passe pelo o que passei, e sempre digo que hoje aprendi mais sobre a importância de descartar o lixo da maneira correta, pois podem ocasionar situações não agradáveis para o próximo”, disse Lucimar.

IONE MORENO

Descarte inadequado do lixo oculta diversos perigos IONE MORENO

Material perigoso, como aerossóis e baterias veiculares, podem estar escondidos no lixo

A preocupação dos órgãos e secretarias responsáveis pela coleta seletiva está ligada à fiscalização do descarte de lixo, pois a população esquece a existência de certos materiais que podem ocasionar até a morte de um indivíduo. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) informou que o Código Ambiental do Município explica que descartes de resíduos sólidos uma liberação mediante comprovação de sua degradação. Para quem desrespeita a legislação, a multa gerada pela infração pode chegar até R$ 17 mil. Para denúncia de qualquer irregularidade no descarte do lixo, a secretaria disponibiliza o

telefone 08000-92-2000. A Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp) informou que para ser inserido na cadeia de coleta seletiva de Manaus, o cidadão deve entrar em contato com a Comissão Especial de Divulgação e Orientação da Política de Limpeza Pública (Cedolp), pelo telefone 3214-8105. A Semulsp ainda informou que o atual aterro sanitário não pode receber resíduos perigosos. Vale lembrar ainda que, a partir da promulgação da Política Nacional dos Resíduos Sólidos (lei nº 12.305/2010) cada cidadão passou a ser responsável pelo lixo que gera – é o que se chama de “responsabilidade compartilhada”.


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

C7

Polícia aponta aumento de casos de mortes em motéis Crimes cometidos nos estabelecimentos poderiam ser esclarecidos com medidas de segurança, como instalação de câmeras

ARQUIVO EM TEMPO/MARCELO CADILHE

NILSON BELÉM Equipe EM TEMPO

M

otéis e pousadas deixaram de ser locais tranquilos e seguros e se tornaram uma verdadeira dor de cabeça para a polícia. Isso ocorre pelo fato de as polícias Civil e Militar virem registrando com frequência casos de mortes nesses locais, como homicídios e mortes por overdoses de substâncias entorpecentes. O Instituto Médico Legal (IML) registrou desde 2011 seis casos de morte em motéis, sendo a metade delas por homicídio. Outros foram de causas naturais como de pessoas que tiveram morte súbita ao consumirem substâncias como Viagra (medicamento indicado para o tratamento da disfunção erétil). Drogas De acordo com autoridades de segurança pública, os motéis são muitas vezes usados para consumo de drogas e para prostituição infantil, simplesmente pela falta de controle em quem entra e sai desses estabelecimentos. Um dos registros mais recentes foi a morte de Maria

PROBLEMA

IONE MORENO

“Polícia e órgão nenhum têm como invadir a privacidade de uma pessoa quando a mesma entra no quarto do motel” Amadeu Soares, programa Ronda no Bairro

Divina Pereira da Silva, 24, estrangulada com a própria calcinha em uma das suítes da pousada Laser, localizada na avenida Autaz-Mirim, bairro Cidade de Deus, Zona Leste, no último dia 4 de outubro. O autor do crime saiu pela porta da frente do motel e

até hoje não foi preso. O secretário do programa Ronda no Bairro, coronel Amadeu Soares, afirma que os registros de crimes dentro de motéis decorrem da falta de fiscalização. “Polícia e órgão nenhum têm como invadir a privacidade de uma pessoa quando a mesma entra no quarto do motel. Porém, os donos desses estabelecimentos deveriam, por exemplo, serem mais rigorosos na entrada e saída das pessoas”, afirma. “Um dos casos mais comuns é do cliente que sai sozinho e diz na recepção que vai tirar dinheiro para pagar a conta. A providência do funcionário que está na recepção deveria ser de ligar para saber se a pessoa que ficou no quarto realmente atenderia. Depois deveria checar se tudo está em ordem na suíte ou no quarto. Aí, sim, liberaria a pessoa”, explica. Outra providência, segundo Amadeu Soares, seria instalar câmeras nos motéis. “Se ocorrer qualquer coisa anormal como um crime, por exemplo, as câmeras registram as imagens de quem entra ou sai, aí será mais fácil para a polícia identificar o suspeito”, declara.

Portaria proibiu fiscalização

JOEL ROSA

A impossibilidade de realizar uma fiscalização rigorosa facilita também a entrada de armas

A titular da Delegacia Especializada de Ordem e Política Social (Deops), delegada Catarina Saldanha Torres, disse que desde 2009 a Polícia Civil não realiza nenhuma fiscalização sozinha em motéis, pousadas e bordéis, a não ser quando é convocada durante ações conjuntas com órgãos como Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustantabilidade (Semmas), Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) e Corpo de Bombeiros, entre outros. Neste ano, uma portaria assinada pelo então delegadogeral da Polícia Civil, Mário César Nunes, proibiu a PC (no caso a Deops) de realizar essa fiscalização que antes eram feitas com frequência. A delegada afirma que crimes ocorrem em motéis pelo fato dos proprietários e funcionários não poderem realizar uma fiscalização ri-

gorosa, como revistar os casais na entrada nesses estabelecimentos. Isso facilita, segundo ela, a entrada de drogas, armas e outros tipos de substâncias. “Motéis foram feitos para

IMPEDIMENTO

Este ano, uma portaria assinada pelo então delegado-geral da Polícia Civil, Mário César Nunes, proibiu a Deops de realizar fiscalização em motéis, antes realizadas com frequência pessoas se amarem, e não para as pessoas se drogarem e praticarem outras coisas ruins”, diz Catarina. Mortes por Viagra Além dos registros de mor-

tes violentas, os de morte súbita dentro de motéis também preocupam a polícia. Na maioria das vezes, esses casos ocorrem quando as pessoas passam mal e acabam morrendo antes do socorro. Entre as vítimas estão principalmente idosos, pessoas cardíacas e hipertensas que passam mal e morrem durante a relação sexual, depois de consumirem estimulantes sexuais como Viagra. Foi o que ocorreu com o autônomo Antônio José Afonso Filho, 57, encontrado morto dentro de uma das suítes do motel Meu Lazer, localizado na rua Sátiro Dias, bairro São Francisco, Zona Sul de Manaus, no último dia 10 de julho. Na suíte os policiais encontraram quatro cartelas de Viagra, cada uma com duas pílulas. Quatro haviam sido consumidas.

Estabelecimentos acabam sendo usados para prática de crimes, algumas vezes até homicídios


C8

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Grupos se organizam em combate aos maus-tratos

Grupos de resgate de animais enfrentam a falta de colaboração e de estrutura para denunciar os autores das violências

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Antes

Depois

Antes

Depois

Antes

Depois

Antes

Depois

IVE RYLO Equipe EM TEMPO

F

eridas cobertas por tapurus tomaram o corpo magro e desidratado que um dia exibiu pelos longos e macios. A mandíbula dilacerada e os frequentes vômitos de sangue o impediam de comer ou latir. Assim vagava pelas ruas da capital o cãozinho Lucky, em companhia dos cerca de 350 mil cães e gatos órfãos abandonados. Há um ano, sua sorte mudou: ele foi resgatado e depois de oito longos meses de tratamento e um novo lar, parece ter esquecido as torturas feitas por quem considerava “melhor amigo”. E quanto ao exdono? Segue tranquilo, com a certeza da impunidade. Apesar da lei 9.605/98 prever pena de detenção de três meses a um ano, além de multa, a quem praticar maustratos a animais silvestres, domésticos, nativos ou exóticos, poucos resultados podem ser percebidos por quem testemunha atos criminosos contra os animais. Segundo a nova

dona de Lucky, a bióloga Anacy Muniz - que é presidente da ONG Pata (Proteção, Adoção e Tratamento Animal) -, no caso da mascote, o grupo bem que tentou levar o caso adiante, mas não conseguiu por falta de provas. “Nenhum dos vizinhos aceitou testemunhar, pois afirmavam que o cida-

DIFICULDADE

Apesar da lei 9.605/98 prever pena de detenção de três meses a um ano, além de multa, a quem praticar maus-tratos a animais silvestres, poucos resultados podem ser percebidos dão era muito violento e já os havia ameaçado por ter visto a nossa ação no resgate. Assim, apesar de registrar o boletim de ocorrência, nunca conseguimos levar a investigação a frente por falta de provas”, lamenta. O resgate de Lucky foi o primeiro da ONG, que surgiu

em outubro de 2011, a partir da troca de informações e ajuda mútua de pessoas que já atuavam na causa. Os próprios voluntários envolvem-se no resgate dos animais e custeiam os tratamentos. O grupo recebe o auxílio do Centro de Zoonoses, que oferece vagas fixas de castração semanalmente. “Só são resgatados animais em estado muito crítico, pois, embora coloquemos todos os nossos esforços, não conseguiremos atender à demanda de animais abandonados na cidade”, afirma. Com dezenas de denúncias de abusos a cães e gatos e inúmeros resgates, Anacy observa que os principais dificuldades em ver os criminosos pagarem pelos atos é a omissão por parte da população e a descrença em que o criminoso seja punido. “Outro gargalo importante na punição desse tipo de crime é a falta de informação das autoridades policiais. Muitos deles nem sabem da existência da lei de criminalização dos maus-tratos, ou ainda não oferecem a devida atenção aos casos”, lamenta.

Burocracia leva à impunidade Outra militante da causa é a coordenadora da Lista Cachorreiros Manaus, Erika Schloemp, que já participou de inúmeros resgates e lamenta que a bandeira ainda atraia poucos parceiros. “Não é difícil perceber a situação de abandono de nossa delegacia de Meio Ambiente (Dema) e o Batalhão Ambiental. São nossos principais parceiros no atendimento às denúncias, mas estão completamente desaparelhados. A Dema tem pouco pessoal, poucos carros, telefone precário, sem equipamento adequado. Para

Impedimentos Para Schloemp a burocracia é um dos impedimentos que contribuem com a impunidade. Ela relata que acompanha duas denúncias feitas na Dema e que aguardam parecer de juiz na Vara Especializada do Meio Ambiente e de Questões Agrárias (Vemaqa), há anos. Um caso em 2009, onde vários cachorros morreram em terreno baldio.

Faltam peritos veterinários Para a delegada adjunta da Dema, Silma Pacheco Ramos, não há diferenciação no tratamento das denúncias recebidas pelo órgão. “A Dema trata os crimes de maus-tratos contra animais da mesma forma que os demais crimes ambientais”, informa. Contudo, ela reconhece que se houvesse um aumento no número de peritos veterinários, haveria mais agilidade ao atendimento dos casos. Defesa Ela lembra que o Ministério Público, por meio da Promotoria de Justiça Especializada na Proteção e Defesa do Meio Ambiente e Patrimônio Histórico (Prodemaph), e a Vemaqa também atuam na defesa dos animais no que se refere ao crime de maus-tratos. Para a delegada, houve uma preocupação maior dos legisladores quanto à formação de leis de proteção aos animais. Antes do advento

Grupo de voluntários do grupo Pata com alguns dos animais resgatados após sofrerem violência

um Estado rico como o nosso, a situação é no mínimo uma calamidade ambiental”, denuncia.

da Lei de Crimes Ambientais, a conduta de maus-tratos contra animais encontravase prevista no artigo 64, da Lei das Contravenções, cuja punição era muito branda (prisão simples de 10 dias a 1 mês, ou multa), a condu-

PROTEÇÃO

Segundo a Dema, os crimes de maus-tratos contra animais são tratados da mesma forma que os demais crimes ambientais, mas ainda há falhas que impedem o sucesso ta era considerada simples contravenção. Atualmente, o artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais é o principal instrumento de defesa dos animais contra maustratos e abusos diversos, considerando o fato como crime”, explica.

Em 2011, a mesma pessoa repetiu o crime. E este ano, outra denúncia foi feita, em terreno do mesmo proprietário. “Enquanto a nossa Justiça achar que julgar casos de apreensão de madeira ilegal e poluição sonora têm prioridade sobre casos de seres sencientes, como os animais domésticos, digo que não vale a pena denunciar esse casos em Manaus. Mas, no dia em que for criada uma Delegacia e Promotoria para Crimes Contra a Fauna, aí acredito que as coisas podem mudar para melhor”, espera.

Como fazer as denúncias A bióloga Anacy Muniz explica que, ao presenciar uma cena de maustratos, as pessoas devem procurar colher o maior número de provas possíveis, como o nome e endereço do agressor, fotos e filmagens, além de testemunhar no inquérito policial. A denúncia deve ser realizada diretamente na Dema, e o processo de investigação deve ser acompanhado de perto, além de poder ser auxiliado pelo Batalhão de Policiamento Ambiental. “Aqui em Manaus, não temos conhecimento de nenhum crime contra animais domésticos que tenha recebido uma punição real. Infelizmente, essa é uma realidade que se repete em todo o país”, aponta.


Caderno D

Plateia MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

plateia@emtempo.com.br

DIVULGAÇÃO

Amazonas Jazz Band toca hits internacionais (92) 3090-1042

Plateia 3 FOTOS: DIVULGAÇÃO

Música barroca

em terras lusitanas Produzido de forma independente, em parceria com produtora europeia, Orquestra Barroca do Amazonas grava disco com seis faixas inéditas em Portugal

GUSTAV CERVINKA Equipe EM TEMPO

A

Orquestra Barroca do Amazonas (OBA), criada a partir de um projeto de pesquisa realizado com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) e aplicado no curso de música da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), pretende lançar no mercado, no fim de novembro, um álbum com sete faixas do gênero, sendo seis inéditas. O disco foi gravado no período de 28 de setembro a 2 de outubro, em Lisboa (Portugal) e contou com a participação do cravista Mário Trilha. Ocupando três dos cinco dias de estada do grupo na Europa, as gravações foram realizadas na Igreja Anglicana de Lisboa. “É uma igreja antiga com sonoridade excelente, dentro de um cemitério, pouco ou nada usado hoje. Fizemos três sessões de 12 horas cada, das 9h às 21h, parando só para comer, praticamente. Descobrimos que no mundo moderno ainda tem um barulho que você não consegue evitar: o avião. Às vezes parávamos por causa deles, mesmo que ao longe, pois podem sair na gravação”, afirma o maestro e flautista da orquestra, Márcio Páscoa. O repertório do disco, ainda sem título definido, contempla obras do compositor David Perez (“Concerto para flauta e cordas em sol maior”, “L’incerto il mio pensiero”, “O almen qualor si perde” e “Io so qual pena sia”), José Palomino (“Concerto para cravo e cordas”), Gaetano Schiassi (“Concerto para flauta e cordas em ré maior”) e Antonio

Leal Moreira (“Misera me/Ah, cangiar d’affetto”). O CD tem cerca de 70 minutos de duração. “Tudo é inédito exceto a última faixa, que na verdade é um trabalho conjunto de restauro e o colega que fez a usou num vídeo com seu grupo na Argentina. David Perez foi um dos grandes compositores do seu tempo, que depois de ter uma carreira firmada na Itália, se mudou para Portugal. A ária “Io so qual pena sai” sobrevive em um manuscrito de mãos brasileiras. As restaurações são recuperações de partituras originais. Esse material não pode ser ouvido em outro

DESTAQUE

A orquestra toca em cópias fiéis de instrumentos de época barroca, feitos sob encomenda, obedecendo a modelos pesquisados. O CD tem aproximadamente 70 minutos de duração

disco, porque simplesmente não tem. Nem tudo que está ligado ao Brasil ou à cultura brasileira está conservado em solo brasileiro”, explica. Segundo Páscoa, o disco é composto, portanto, de quatro árias e três concertos de solista com orquestra, dos quais ele mesmo executa dois solos e um de cravo e orquestra, com a participação do cravista Mário Trilha, que é brasileiro e tem experiência em apresentações em diversos países, sobretudo da Europa. Turnê Além de gravar o disco, a

OBA passou por quatro cidades diferentes da Itália, onde participou de quatro festivais igualmente distintos. Os concertos aconteceram na Antica Chiesa Plebana, de San Maurizio (Festival Invaghite Note), na Basílica de Superga, em Turim (Festival Kalendamaya), na Chiesa de San Giovanni del Boschetto, em Chivasso (Festival Almisonis Melos) e no Festival Musica a Camogli, nos arredores de Gênova, que acontece num lugar chamado Oratorio di San Prospero. A pretensão dos artistas é que o álbum esteja disponível no fim de novembro, com distribuição será feita pela Amazon.com e pelo iTunes. O disco vai chegar ao mercado sob o selo europeu Numérica, que também assina a coprodução do material, juntamente com a própria orquestra. “Estamos corrigindo a prova dos encartes, neste momento. Estamos na dúvida se damos um titulo em inglês, que representa uma abrangência de mercado mais amplo, ou se vai ser em italiano”, comenta Páscoa. A orquestra toca em cópias fiéis de instrumentos de época barroca, feitos sob encomenda, obedecendo a modelos pesquisados. “Todo esse processo de pesquisa com o qual nos envolvemos, inclui desde os instrumentos e sua sonoridade até as composições propriamente ditas. Em 2009, identificamos três “luthiers” brasileiros e dois estrangeiros para confeccionar os produtos”, conta. Os violinos e violas da orquestra, por exemplo, foram feitos sob modelo de Alessandro Gagliano (1725), Antonio Stradivarius (1730) e Grancino (1745), mas com cordas, pressão das cordas, etc, do fim do século 18.

‘Falta produtor para o erudito’ EM TEMPO – Por que a preferência por gravar em Portugal e não na Itália, onde vocês possuíam agenda de shows? Márcio Páscoa – Tudo é mais caro lá: estada, alimentação, aluguel de espaço, daí a gente corre para onde sai mais em conta. Então, com essas diferenças de custos, que vieram de recursos próprios, ou seja, sem patrocínio, nós tivemos que fazer opções de melhor valia. EM TEMPO – E qual a diferença básica encontrada relacionando a gravação de um disco como esse no Brasil e na Europa? MP – Nós já tivemos a experiência de gravar um disco aqui. Há ótimos equipamentos, gente

que estudou a coisa etc. Mas depois de masterizar, a coisa empaca. Selo e distribuição se tornam um problema. A verdade é que até as sessões de estúdio são diferentes na Europa. Descobrimos que a figura do produtor, que juntamente com o engenheiro de som, lê partitura e nos acompanha compasso a compasso, é imprescindível para um bom resultado e

aqui no Brasil não existe essa figura para música erudita. Se existe, por favor, se apresente porque quero conhecer. Simplesmente não temos isso em Manaus e no resto do Brasil desconfio se dá o mesmo resultado.

Márcio Páscoa é o maestro da Orquestra Barroca do Amazonas

Equipe de produção do CD durante gravação na Igreja Anglicana de Lisboa (Portugal)


D2

Plateia

MANAUS, SÁBADO, 1º DE SETEMBRO DE 2012

FOTOS: PEDRINHO AGUIAR

* Café da Manhã

O Café da Manhã deste sábado, eu o tomo com o arquiteto SÉRGIO MONTEIRO DE PAULA. Figura da melhor qualidade, ele foi o criador da griffe Elemento, mas agora partiu para criar belos ambientes e nessa arte faz sucesso. Portanto. Ele é meu Destaque da Semana.

Nádia Ferreira é finalista do Prêmio Claudia 2012

Internacional A Natura anuncia para outubro o lançamento do DeoParfum, uma fragrância sofisticada e elegante que amplia o convite da marca Natura Una para as mulheres expressarem sua personalidade e se autoconhecerem. Com caminho olfativo floral adocicado envolvente, Natura Una DeoParfum é uma co-criação da perfumista da Natura, Veronica Kato, e do perfumista da International Flavors and Fragrances (IFF), Yves Cassar.

*Hoje ó dia será para abraçar Socorro Góes Lira. Ela está aniversariando. Amanhã, será a vez da grande amiga Tônia Seixas trocar idade. Parabéns. Segunda-feira, Viviane Antony e Ana Paula Freire Artaxo.Terça-feira, o fotógrafo Barros, Silvia Tuma, Mônica Said e minha querida Norma Levy.Quarta-feira, Ronaldo Péres, Vitor Cunha Barros, Flávia Pacifico Seabra e e Juarez de Lima .Quinta-feira, Luiz Sampaio, Edna Machado, Auxiliadora Silva e Flávio Pascarelli. Sexta-feira, Carla Limongi, Cláudio Chaves,

ISMAEL NEVES

A Secretária do Desenvolvimento Sustentável do Amazonas, Nádia Ferreira (foto) está concorrendo ao Prêmio Claudia 2012 com mais duas participantes; a jurista Eliana Calmon, ministra do Superior Tribunal de Justiça e corregedora nacional do Conselho Nacional de Justiça e, Edusa Pereira, vice-presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Idosa de Pernambuco, na categoria Políticas Públicas. A votação on-line para apontar a vencedora termina no dia 30 de setembro. Agora, resta esperar o resultado que será divulgado em outubro com uma grande festa em São Paulo, para apresentar a vencedora. Parabéns a secretária Nádia Ferreira, por seu trabalho e por ser uma das principais responsáveis pela elaboração da Carta da Amazônia, documento entregue a um representante da Organização das Nações Unidas (ONU) durante a Rio+20, no qual a sociedade civil e os governadores da Amazônia brasileira se comprometem a gerar desenvolvimento sustentável para a região. Estamos na torcida por sua vitória, senhora secretária!

*MS Casa inaugura seu show-room 2013 A noite de quarta foi dos arquitetos e designers de interiores por conta da inauguração do Showroom 2013 e 4ª Mostra MSCasa. De anfitriões, o empresário André Souza, nome que dispensa maiores comentários no segmento comercial de Manaus e Arlindo Paiva, o descolado gerente da MSCasa. A casa comercial de André Souza ganhou décor fantástico, com dezenas de ambientes projetados por solfejados arquitetos amazonenses que não deixam nada a desejar a medalhões da arquitetura brasileira. O olhar e a sensibilidade de cada um dos profissionais chamados para compor a 4ª Mostra MSCasa estavam refletidos nos diversos ambientes. Uns, clássicos, outros, de vanguarda, porém, todos de bom gosto ímpar. Cerca de 500 convidados circularam pela ambiência sofisticada, adornada com as últimas tendências da movelaria brasileira e internacional. Mulheres bonitas, perfumadas e elegantes fizeram o diferencial da noitada, todas conferindo a decoração imaginada peles arquitetos. A música, em background, comandada pelo colunista DJ Alexandre Prata, agradou gregos, troianos e baianos. O serviço de coquetel levou a assinatura impecável do Empório dos Reis. Aplausos para o visionário André Souza pela perseverança em oferecer o melhor para a clientela de sua rede de lojas e também, por acreditar no desenvolvimento de nossa Manaus. Foi tudo de bom!

Bruna e Christiane Dantas, Anne Christine Cavalcante e Neyla César no agito da MSCasa

Antonio e Norma Silva no coquetel da MSCasa

*CAS aprova todos os projetos *Medidas de estímulo para o setor de Duas Rodas e o anúncio de propostas para a Copa do Mundo de futebol em 2014 foram o destaque da 258ª reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS), realizada nesta quinta-feira, 30. *O Conselho aprovou todos os 48 projetos em pauta com investimentos totais (incluindo capital de giro) de US$ 2.6 bilhões e a geração de 591 novas vagas de empregos. *Durante a reunião foi anunciada a redução em 50% da cobrança da Taxa de Administração da Suframa (TSA) para os fabricantes finais de motocicletas no Polo Industrial de Manaus (PIM) e a redução de 25% na cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o gasto de energia, dos fabricantes de componentes para o setor de Duas Rodas. *A medida terá validade já no dia 1º de setembro e até dezembro, deve representar uma renúncia de R$ 13 milhões em uma arrecadação anual média de R$ 530 milhões. Maravilha!

Kaio Nonato e Claudio Castro ladeiam Daniel Klilson, comandante da DK Informática. Trio poderoso quando se trata de soluções em Tecnologia

*Alta gastronomia *Capitaneada pela Família Guerreiro, a Engeco realiza neste final de semana dois grandes eventos que vão movimentar o agitadíssimo Parque 10. O primeiro acontece hoje , dia 1º, com feijoada para clientes e amigos. *No domingo é a vez de curtir todas as delícias do café da manhã regional. As maravilhas serão servidas no stand do Garden Club, super condomínio residencial que está prestes a ser entregue na avenida Perimetral.

Rizeldo Guimarães, radialiasta Augusto Pantoja, Roberto Kahané e meu considerado Mariano Rebelo. Para todos o meu carinho especial. *Bom mesmo foi rever, no coquetel da MS Casa, minha querida amizade Heliana Terceiro, que acompanhada do filho Daniel conferia as últimas tendências do setor moveleiro e artigos de decoração. *Atenção vaidosas de plantão: o D&A Hair Design, o salão mais conceituado da cidade, sorteou na sexta feira, 3 Kits de beleza para quem curtir a página da Cam-

panha Beleza em Prol da Vhida no Facebook.Será que você foi a ganhadora? *Hoje é dia de feijoada. E a melhor, com certeza, é a do restaurante Barbacoa, sob a supervisão atenta do chef proprietário, o boa praça Anilton Silva. Vale a pena uma presença! *Vale a pena conferir o espaço projetado pelos arquitetos Achilles Fernandes e André Sá, na 4ª Mostra MSCasa. Está uma graça, a dupla abusou de material reciclável, dando nova conotação na decoração de casas. Haja imaginação!

Que Lucilene Castro é brasileira, todo mundo sabe, mas a cantora resolveu destacar o orgulho patriota no show que apresentou nesta sexta-feira, dia 31, no Bar Botequim (rua Barroso, 279, Centro). Em “Brasileiríssima”, ela celebrou ritmos musicais que são a cara do país, numa seleção que incluiu sucessos do xote, do boi-bumbá e do samba, entre outros. Hoje,será a vez de Renatinho, que vai comandar a noitada na casa, trazendo uma seleção de pop rock para animar o público,hoje a casa abre às 19h, com música ao vivo a partir das 22h30. O couvert artístico é de R$ 10 por pessoa. O apresentador Waisser Botelho que vai comemorar os 21 anos de seu programa de televisão com show do Neguinho da BeijaFlor) e a empresária Ana Rita Dias em noite de festa

*Roberto Shinyashiki brilha no Plaza *Mais de 700 empresários, gerentes e líderes de grandes empresas de Manaus se reuniram no Manaus Plaza Centro de Convenções, na quarta (29), para acompanhar a palestra de um dos melhores conferencistas da atualidade, Roberto Shinyashiki. *O médico psiquiatra e consultor organizacional, listou as principais características e os sete maiores erros de um líder e definiu em uma única palavra o segredo da boa liderança: Resultado. “Essa é a chave desse jogo. Resolver problemas”, explicou. *O empresário Antônio Azevedo ficou surpreso com o nível do público presente e do palestrante. “Precisamos de qualificação de profissionais e com palestras assim é que conseguiremos alcançar esse objetivo”, completou Azevedo. *Essa foi a primeira de um ciclo de palestras que será realizado no Manaus Plaza Centro de Convenções.

‘Brasileiríssima’ no palco do Botequim

L AE

S

VE

NE

ISM

*De São Paulo, Zeca Nascimento anuncia que já terminou o seu cheek up no Sírio-Libanês. Está tudo bem, apenas o colesterol que está um pouco alto, porém, tudo vai se resolver com uma boa dieta, ora, ora! *Hoje é dia de comida portuguesa na Casa do Bacalhau. A casa de pasto da Família Guerra acena com uma gama de deliciosos pratos lusos, como os inimitáveis bolinhos de bacalhau para acompanhar uma cervejota gelada antes do prato principal. Confira! *A jornalista e apresentadora Hermen-

garda Junqueira será a entrevistada do próximo número do tablóide Plus, editado pelo colunista Pedrinho Aguiar. Me nga vai dar sua opinião sobre a eleição de 2012, segurança e outros tópicos interessantes.Vale a pena ler o Plus. *Comentam que o prefeiturável Sabino Castelo Branco ‘importou’ de Brasília, a peso de ouro, cerca de R$ 100 mil, o seu marketeiro político. Como o rapaz não sabe nada da vida do candidato, o telespectador é obrigado a engolir melodrama familiar, sem nenhuma proposta decente. Eu, hein!


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

D3

O pop da Orquestra Amazonas Jazz Band FOTOS: DIVULGAÇÃO

Pela primeira vez, grupo interpreta repertório com hits de Paul McCartney, Victor Lopez e Peter Cetera, no próximo dia 24

PRISCILA CALDAS Equipe EM TEMPO

N

o dia em que Manaus comemora seus 343 anos, a Orquestra Amazonas Jazz Band realiza um concerto, pela primeira vez, dedicado ao estilo pop. Canções de astros como Paul McCartney, Victor Lopez e Peter Cetera fazem parte do repertório a ser apresentado

no Teatro Amazonas, na próxima quarta-feira, a partir de 20h. A entrada é gratuita. De acordo com o maestro do grupo, Rui Carvalho, o musical não é uma homenagem ao aniversário da cidade, mas é um evento que cumpre a agenda determinada pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC). Porém, em lembrança à data a banda, formada por 20 músicos, também vai instrumentali-

zar o Hino do Amazonas com arranjos e versões em ritmo de samba. As adaptações são de autoria de Carvalho. “Vamos sim fazer menção ao aniversário de Manaus, mas a temática da noite é o estilo pop, que ainda hoje, lamentavelmente é considerado como inferior no meio artístico”, expressa. Carvalho também afirma que a ideia do evento é mostrar que a música jazz, assim

como o blues descendem de uma mesma matriz e são relevantes para a cultura brasileira. “Ao investirmos nesse tipo de programação mostramos que precisamos valorizar e incluir o jazz em repertórios bem elaborados. Essa é a nossa parcela de contribuição”, comenta. Os músicos ensaiam há duas semanas, tempo que segundo o maestro, é suficiente para que todos

estejam preparados para a noite do evento. “Como sempre estamos reunidos e em treinamento não é difícil trabalhar uma nova listagem de músicas. Mas, nesse caso, como é a estreia de um programa de jazz foi preciso ter maior atenção”, informa. O musical tem duração de, aproximadamente, uma hora. A escolha das canções a serem inclusas no progra-

ma foi feita pelo regente, que afirma ter considerado o critério “popularidade” para dar origem à lista. “Não houve rigidez ou exigências na seleção. O que levei em consideração foi o conhecimento do público, músicas que fizeram sucesso e que prometem contagiar a plateia”, informa. Trilhas sonoras expressivas do cinema internacional também estão programadas para a noite.

DIVULGAÇÃO

TEATRO

Humor no 2º Festival Tuchaua Diferentes vertentes do humor estarão reunidos no espetáculo “De 4 pro riso” que abre a segunda edição do Festival Tuchaua de Teatro Regional, no próximo dia 23, às 21h, no Teatro Direcional. O ingresso custa R$ 10 (meia) e R$ 20 (inteira) e o festival vai até o dia 26. Todas as esquetes têm duração de 20 minutos. A primeira atração é o show humorístico “Em tom de brincadeira”, com texto e direção de Nivaldo Mota. A encenação relata a história de Rathyo Blayzer, um ex-presidiário que tenta viver do tráfico de drogas em municípios do interior do Estado, mas é detido novamente pela polícia. Ao demonstrar bom comportamento na prisão, o cidadão é liberado para visitar a família e não retorna na data prevista. Cansado de viver pelas ruas, Blayzer pede para ser preso novamente. “Ele não é um bandido, mas um malandro que se envolveu com o comércio ilegal de entorpecentes. Não é uma pessoa má. A ideia é mostrar que o próprio ladrão pede para retornar à prisão porque a considera um local seguro”, explica Mota. O ator ainda comenta que a

montagem é uma sátira ao sistema prisional brasileiro, mas direcionado ao cenário local. “Para a personagem, a cela é um hotel cinco estrelas, onde ela pode comer, beber, ter horário para ficar exposto ao sol e ainda fazer exercícios físicos. Ele pensa: que outra vida posso querer?”, expressa.

“As figuras encenadas existem há 5 anos e nesse evento teremos a participação da atriz Rosa Malagueta, que fará as narrativas Arnaldo Barreto, ator

A segunda apresentação é o musical humorístico “De quem é essa voz”, que conta com a atuação do cantor e comediante Arnaldo Barreto. No show, o artista reúne as principais personagens em performances dinâmicas onde a plateia tem a oportunidade de interagir. Nesste quadro, Barreto também imita vozes

como Michael Jackson, Madonna, Amy Winehouse, Gal Costa, Simone, Fafá de Belém, Lula, Xuxa, entre outros famosos. “As figuras encenadas existem há 5 anos e nesse evento teremos a participação da atriz Rosa Malagueta, que fará as narrativas, tudo de forma cômica”, cita. Barreto explica que homens e mulheres são divididos em torcidas, o que segundo ele, permite a participação do público desde o início do espetáculo. “É um show bem diferente onde as pessoas tentam adivinhar o que enceno. Distribuímos brindes conforme as respostas. A descontração é total, vale a pena assistir”, anuncia.

SERVIÇO PROGRAMA DE ESPETÁCULOS “DE 4 PRO RISO” Quando: 23/10 (Terça-feira), às 21h Onde: Teatro Direcional – Manauara Shopping Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)

Artistas de diferentes companhias teatrais integram a montagem que irá abrir o festival

Sátiras do cotidiano em cena Situações inusitadas e confusão também fazem parte da dramatização de “O Velório”. O projeto é realizado pelo Teatro Experimental do Serviço Social do Comércio (Tesc-AM), com texto e direção de Márcio Souza e produção de Robson Medina. De acordo com o produtor, a história integra o roteiro de “Rodriguianas Amazônicas”, trabalho que faz parte do conjunto de espetáculos do Tesc. “É

uma encenação divertida que mostra uma viúva em situação constrangedora. Ela recebe as condolências de um amigo do falecido, ao qual ela desconhecia. Sozinha, ela enfrenta as excentricidades desse homem, que promete bagunçar a cerimônia”, enfatiza. O elenco é formado por Daniely Peinado e Emerson Nascimento. O figurino é de Oscar Ramos. No último momento, o pú-

blico assiste à simulação da gravação de um programa de televisão chamado “Márcia Bom de Bico”. Conflitos entre famílias e a carta do leitor, são os quadros que integram a atração, encenada pela Companhia de Teatro Art e Cena. “Vamos mostrar as discussões do dia a dia, até a briga entre vizinhos que fofocam da vida alheia”, disse o diretor da Companhia, Roger Barbosa.


D4

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Romance sofrerá idas e vindas em ‘Salve Jorge’ Nova novela da Rede Globo abordará, ainda, tráfico de mulheres e cotidiano em favela com assinatura de Gloria Perez

U

DIVULGAÇÃO

m relacionamento conturbado, com altos e baixos, prejudicado por pessoas dispostas a tudo para acabar com a felicidade alheia. Assim será o envolvimento entre Morena (Nanda Costa) e Theo (Rodrigo Lombardi), fio condutor de “Salve Jorge” (Globo), trama das nove que estreia amanhã. Nos primeiros capítulos da novela de Gloria Perez, Theo, um capitão da cavalaria do exército brasileiro, muito organizado com suas obrigações, ainda namora Érica (Flávia Alessandra), que também é da corporação. Porém, logo de cara, os soldados recebem a missão de pacificar o Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. E será nesse cenário que um amor, quase que à primeira vista, mexerá com o militar e Morena, moradora do local. “Quando eles se encontram, rola um embate. Mas rapidamente isso se transforma em uma paixão arrebatadora. Ele é todo certinho, planejado. E ela é independente, não quer ser bancada por homem nenhum. Morena também guarda mágoa do pai de seu filho, que abandonou a família. Theo mudará o jeito como ela encara a vida”, diz Nanda Costa. Disposto a largar tudo para se entregar a uma vida diferente daquela a que está acostumado, o soldado chegará a pedir Morena em casamento. O ator conta que eles viverão um triângulo amoroso, com Érica por perto. “O meu personagem tem fama de mulherengo, de conquistador. Mas ele sabe muito bem o que quer. E não terá dúvidas quanto à sua escolha por Morena. Não considero

Érica uma vilã, mas ela motivará as idas e vindas desse novo romance”, comenta. Para a atriz Flávia Alessandra, o embate entre sua personagem e a de Nanda promete agitar a trama. “A Gloria disse que precisaria ter uma guerra entre uma loira e uma morena. Estou preparada”, brinca. Mas Flávia faz questão de defender seu papel. “Ela só vai lutar pelo amor dela, é uma mulher bacana, do bem, não vai passar por cima de ninguém”, conta. Não é só Érica que atrapalhará o casal. O romance entre Theo e Morena sofrerá um abalo. Visando uma vida melhor, a jovem, com a promessa de trabalhar na Turquia por seis meses, embarcará ao país sem pestanejar. O que ela

DESTAQUE

Após se conhecerem e darem inicío a um romance conturbado, os personagens Theo e Morena ainda terão que enfrentar o tráfico da vilã Lívia e a inveja do também cavaleiro militar Élcio Theo e Morena, vividos por Rodrigo Lombardi e Nanda Costa, são o casal de protagonistas da nova novela das 21h da Globo

nem desconfia é que uma rede de tráfico de pessoas a espera nessa viagem. Surgirá, então, o heroísmo de Theo, que, após descobrir que ela foi sequestrada, largará tudo e enfrentará os medos de um mundo obscuro para tentar salvá-la das garras de Lívia (Cláudia Raia). Não bastasse tanta preocupação, o cavaleiro ainda terá de aturar a inveja de Élcio (Murilo Rosa), que também é cavaleiro do exército.

Fãs devem se identificar com personagens “O Élcio se sente injustiçado dentro do regime. Ele acredita que o general só faz as coisas visando o bem do Theo. Élcio vai querer tudo o que é do rival, inclusive a Morena”, afirma Murilo Rosa. Segundo ele, que diz torcer para que o público pegue ódio

do personagem, o cavaleiro terá dupla personalidade. “Estou construindo o personagem de forma sedutora, envolvente. Por traz disso tudo, existe um homem cruel e disposto a fazer qualquer coisa contra seu maior inimigo. Ele não tem desculpa

nem caráter”, conclui. Gloria Perez define o romance conturbado entre os protagonistas como a espinha dorsal da trama. Para ela, os diferentes estilos de vida que ambos levam em seus cotidianos farão com que os fãs da novela se

identifiquem com os personagens, já que nenhum amor é impossível de acontecer. “Essa paixão, cheia de encontros e desencontros, vai mexer com a cabeça dos telespectadores. Todos vão se emocionar, torcer e ficar aflitos com o casal.”

Quem é quem Morena (Nanda Costa) Cheia de carisma, mora no Complexo do Alemão e foi mãe aos 14 anos. Será vítima do tráfico de pessoas

Élcio (Murilo Rosa) Também é capitão da cavalaria. É mandão, genioso e traiçoeiro. Quer tudo o que é de Theo e tentará derrubá-lo

Bianca (Cleo Pires) Antenada e moderna, começa namorando Stenio (Alexandre Nero), mas surpreende a todos quando se diz apaixonada por Zyah

Stenio (Alexandre Nero) Dono de um escritório de advocacia. Vaidoso e intelectual, não tem muita ética na profissão que exerce

Lívia (Cláudia Raia) Bonita e sofisticada, apresenta-se como agenciadora de talentos artísticos, mas por trás pratica o tráfico de pessoas

Theo (Rodrigo Lombardi) Capitão da cavalaria do exército, é honesto, corajoso e ético. Namora Érica, mas se apaixonará por Morena

Érica (Flávia Alessandra) Tenenteveterinária do exército, é bonita, orgulhosa e determinada. Não medirá esforços para reconquistar o amor de Theo

Heloísa (Giovanna Antonelli) Honesta delegada de polícia, vai investigar a fundo o crime de tráfico de pessoas. Briga muito com seu ex-marido

Mustafá (Antônio Calloni) Comerciante rico de Istambul, na Turquia. É passional, explosivo e atua com Lívia (Cláudia Raia) no tráfico de pessoas

Demir (Tiago Abravanel) É vendedor na Capadócia, Turquia. Engraçado, esperto e conhecedor dos truques e macetes dos comerciantes locais

Jogador Neymar está namorando atriz global, diz site

McCartney em estúdio com produtores conhecidos

Filmes do ‘Menino Maluquinho’ homenageiam autor

Neymar, 20, e a atriz Bruna Marquezine, 17, estão namorando. Segundo informações do site “Ego”, o casal se formou há um mês e já teriam ido juntos ao show de Claudia Leitte na última quinta-feira. A imagem dos dois foi enviada pelo próprio jogador para amigos próximos. A assessoria do atleta disse que ele não iria comentar sobre o assunto: “Neymar não vai se pronunciar porque senão fica parecendo que ele tem que explicar alguma coisa e as coisas ficam maiores do que são”, divulgou. Marquezine também está no elenco de “Salve Jorge”.

Paul McCartney voltou aos estúdios e está gravando com os produtores Ethan Johns e Mark Ronson. A informação é do site da revista “NME”. Não se sabe, por ora, quando o ex-Beatle, que lançou o álbum “Kisses on the Bottom” - apanhado de canções dos anos 1930 e 1940 - no início do ano passado, vai lançar as gravações. “Esse álbum é muito diferente do último”, afirmou Johns sobre as músicas. O produtor disse que a sonoridade das faixas é a de “um Paul clássico”, e que tem uma sessão no estúdio marcada para as próximas semanas.

Pegando carona no aniversário de 80 anos do cartunista Ziraldo, o canal Gloob exibe dois filmes da franquia “Menino Maluquinho”. O primeiro deles, dirigido por Helvécio Ratton, foi ao ar ontem. Hoje, às 7h30 e 17h30 (horários de Manaus), é a vez da sua continuação, dirigida por Fernando Meirelles e Fabrizia Pinto. Em “O Menino Maluquinho 2: A Aventura”, o garoto vai passar as férias com o avô Tonico (Stênio Garcia) e, com seus amigos, tentará ajudá-lo a conseguir verba para as comemorações do centenário da cidade.


Plateia

RESENHA

Inesquecível

Marilyn Monroe VERA LIMA Equipe EM TEMPO

A

expressão doce, sonhadora, com um misto de tristeza e inocência é inconfundível. Talvez eu pudesse dizer desse mito de Hollywood, que Marilyn é aquele tipo de pessoa que ou você ama ou odeia. Sem a mínima possibilidade de um meio termo. E olhe, por mais incrível que pareça, entre milhões de adoradores em todo o mundo, com certeza existem ainda alguns desafetos da incrível estrela que brilhou tão fugazmente no cenário do cinema como um cometa que passou deixando um brilho inesquecível. Sou fã de Marilyn Monroe, embora nunca tenha me questionado o motivo. Não preciso de motivos para gostar dela. Simplesmente gosto. E também nunca olhei os seus filmes com um olhar crítico, analisando se ela era uma boa atriz ou não. Gosto de vê-la na tela porque ela é linda, é encantadora e é simplesmente irresistível. Se eu já gostava da estrela, fiquei ainda mais fasci-

nada quando li o livro “Os últimos anos de Marilyn Monroe – a verdadeira e chocante história”, de Keith Badman, uma das melhores biografias que já encontrei, com uma riqueza de detalhes impressionante e uma fidelidade aos fatos que poucos autores já tiveram. O livro revela uma mulher linda que pagou caro pela beleza. Um preço alto demais para quem passou a vida inteira – uma vida muito curta, já que morreu em 1962, com apenas 36 anos – procurando o amor em cada pessoa que cruzava o seu caminho e lhe dedicava um pouco mais de atenção e carinho. Marilyn era extremamente solitária e nas poucas vezes que casou não conseguiu a realização afetiva que buscava. No final das contas, o seu segundo marido, o lutador Joe Di Maggio, foi quem mais permaneceu ao seu lado durante sua vida, sendo muito mais o amigo das horas difíceis que o marido que aparentemente a amou até o seu último dia. Com um texto enxuto, fá-

cil de acompanhar e muito detalhado, o autor mostra as dificuldades de Marilyn na sua vida pessoal e profissional, suas angústias e a via crucis com as drogas, que, aparentemente a levaram ao trágico final que para muitos foi tomado como suicídio. Esse, aliás, é um capítulo que o autor aborda com precisão ao mostrar detalhadamente como foram os últimos dias de vida da estrela e, revela de maneira muito clara, que ela não teve a intenção de se suicidar, embora já tivesse manifestado essa vontade em ocasiões anteriores. A morte de Marilyn foi um trágico acidente motivado pelo excesso de pílulas que a atriz tomava diariamente para fugir de seus eternos problemas de ansiedade, medo, angústia, solidão, e insônia. Pelo menos essa é a conclusão que se chega – o autor e o leitor – ao final da saga de destruição que ele traça em quase 500 páginas; embora ele não deixe de analisar a teoria da conspiração e o envolvimento de poderosos no final

INFANTIL

DIVULGAÇÃO

História de Babar em concerto O palco do Teatro Amazonas abre as cortinas hoje para as crianças. O espetáculo “A História de Babar, o pequeno elefante” terá duas seções neste domingo: a primeira sessão às 11h e a segunda às 19h. A peça tem entrada gratuita e o espaço cultural está localizado no largo São Sebastião, Centro. A encenação contará com a participação do grupo Teatro Infantil e Iniciação Teatral, estudantes do curso de dança da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), além da participação dos alunos do Liceu de Artes Cláudio Santoro e da Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA). A direção musical e regência são assinadas pelo maestro Marcelo de Jesus e a orquestração tem como responsável o músico Sérgio Moreira. Roteiros A partir das 11h, o público poderá prestigiar a primeira sessão do espetáculo, que será dividido em duas partes: inicia-se com jovens solistas acompanhados pela Orquestra de Câmera do Amazonas. A segunda parte do espetáculo recria a história do personagem, Babar com todos do elenco presentes no palco. Na segunda sessão, que começa às 19h, a primeira parte do espetáculo começa sob regência da maestrina Elena Koynova com o concerto “As estações de Vivaldi”, com a Camerata do Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro. Após a apresentação do concerto se inicia a apresentação da história do elefantinho falante (Babar). O enredo ficou conhecido no Brasil com a animação exibida na TV.

O enredo de Babar ficou conhecido por uma animação na TV

Um elefantinho que vira rei Com texto de Jean Brunhoff, com tradução de Luci Collin, e música de Francis Poulenc, o espetáculo conta a história do elefantinho Babar, que sai da floresta onde morava e chega em uma cidade estranha, onde começa a se vestir como um homem. Ao regressar a sua cidade, o elefante falante é coroado rei dos elefantes. Todo esse roteiro compõe a montagem. O evento é realizado pelo governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

SERVIÇO CONCERTO ‘A HISTÓRIA DE BABAR’ Quando: Hoje, com sessões às 11h e às 19h Onde: Teatro Amazonas (largo São Sebastião, Centro) Quanto: Entrada gratuita

D5 DIVULGAÇÃO

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

dramático da atriz. Durante cinco anos, Badman ouviu relatos de amigos e pessoas próximas da atriz e vasculhou uma infinidade de documentos que revelam os últimos momentos da vida de Marilyn. Mas o que realmente impressiona no livro, que desmitifica inclusive um suposto affair dela com os irmãos Kennedy (Bobby e Jhon), é que ele ousa mostrar a outra face de Norma Jean Mortenson. A face de uma mulher extremamente vulnerável, petulante muitas vezes, mas doce, amorosa e muito, muito carente de atenção e cuidados. Li, gostei, e recomendo o livro de Badman como um dos melhores que li este ano e, até para quem nunca viu um filme da atriz, posso garantir que é uma leitura que não vai decepcionar o leitor mais exigente que gostaria de conhecer um pouco mais desse mito hollywoodiano que 50 anos após sua morte continua mais vivo que nunca.


D6

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Programação de TV SBT 5:00 Aventura Selvagem – Reprise 5:30 Pesca Alternativa 6:30 Brasil Caminhoneiro 7:00 A Grande Ideia 7:30 Vrum 8:00 Programa da Manazinha – Local 8:30 Chaves 9:00 Sorteio Amazonas da Sorte – Local 10:00 Domingo Legal 14:00 Eliana 18:00 Vamos Brincar de Forca 18:40 Sorteio da Telesena 18:45 Programa Sílvio Santos 23:00 De Frente com Gabi 0:00 Série - O Mentalista 1:00 Série – Alvo Humano 2:00 Série – Chase 3:00 Encerramento de Emissora

RECORD O apresentador Celso Portiolli comanda o “Domingo Legal”

Horóscopo GREGÓRIO QUEIROZ ÁRIES - 21/3 a 19/4 Mercúrio e Plutão se afligem e apontam para equívocos na avaliação do trabalho, negócios e compromissos durante este dia. Não confie cegamente em seu julgamento. TOURO - 20/4 a 20/5 Certas ideias não se encaixam bem, e você força as pessoas a aceitá-las. A imposição dificulta uma boa relação. Há coisas a serem entendidas que estão fora de sua visão. GÊMEOS - 21/5 a 21/6 Você julga de maneira incorreta aquilo que vem das outras pessoas. Abra os olhos. No trabalho, certas ações levam a prejuízos, se não forem repensadas com prudência. CÂNCER - 22/6 a 22/7 As pessoas com quem você gostaria de estar são agora inalcançáveis, mas você se fixa nelas. Os sentimentos amorosos denotam rispidez, manipulação e imposição. LEÃO - 23/7 a 22/8 Sentimentos de insatisfação no ambiente familiar e quanto ao que o futuro lhe reserva. Talvez tenha que se adaptar a mudanças bruscas no andamento da rotina e do trabalho. VIRGEM - 23/8 a 22/9 Palavras fora de hora e lugar geram indisposição e afastamento, em especial nas relações afetivas. Por outro lado, conversas são reveladoras quanto a seus sentimentos. LIBRA - 23/9 a 22/10 Mau momento para negócios. Você está predisposto a ser enganado. O ambiente familiar pode lhe parecer perigoso e insidioso. Não exagere a situação, ou ela piora mesmo. ESCORPIÃO - 23/10 a 21/11 O que antes era boa comunicação, hoje pode ser enxerido de sua parte. Prudência com as palavras e os gestos, pois você pode ir muito além do que seria adequado. SAGITÁRIO - 22/11 a 21/12 Mercúrio aflige Plutão e aponta para palavras injustas e de calúnia. Podem ser até pensamentos seus para com suas coisas. Procure cuidar bem do que é seu. CAPRICÓRNIO - 22/12 a 19/1 Atrito com amigos e associados. Os outros não lhe entendem, e vice-versa. Pequenos afastamentos. No trabalho, desentendimento e condução conflituosa das ações práticas. AQUÁRIO - 20/1 a 18/2 Erros sérios ocorrem na avaliação racional no trabalho, de sua parte ou de pessoas importantes. Algo secreto age contra você. Tente descobrir antes que esse algo atue. PEIXES - 19/2 a 20/3 A presença de outras pessoas tende a perturbar seu modo de pensar, mas pode também ajudar a revelar novas perspectivas e por às claras o que antes estava escondido.

D06 - PLATEIA.indd 6

4:45 5:00 5:30 7:00

Bíblia Em Foco Nosso Tempo Desenhos Bíblicos Voto na Record – Local

11:15 Tudo É Possível 14:00 Top Model – HD 15:00 Programa do Gugu 19:30 Domingo Espetacular – HD 22:15 Repórter Record – Máfia dos Cemitérios 23:15 Série – Todo Mundo Odeia o Chris 0:15 Programação IURD

REDE TV

GLOBO 4:45 Santa Missa em Seu Lar 5:45 Sagrado: Compacto – Violência Urbana 5:55 Amazônia Rural 6:25 Pequenas Empresas, Grandes Negócios 7:00 Eleições 2012 – Giro Nacional 7:05 Globo Rural 8:05 Auto Esporte 8:38 Esporte Espetacular 11:30 Temperatura Máxima 13:53 The Voice Brasil 15:13 Globo Notícia – Eleições 2012 15:17 Domingão do Faustão 19:30 Fantástico 21:50 Domingo Maior – Até o Limite da Honra 0:05 Sessão de Gala 1:48 Corujão 3:15 Sob Medida 4:00 Festival de Desenhos

Cinema

TV CULTURA

6:30 Igreja Internacional da Graça – Local 7:30 Igreja Internacional da Graça – Local 8:55 Break obrigatório 9:00 TV Shopping Manaus – Local 10:00 Show de Ofertas da Cidade – Local 10:30 TV Kids – Local 11:00 Igreja Internacional da Graça – Local 12:00 Fique Ligado – Local 13:00 TV Kids – Local 14:00 Encircuito – Local (Reprise) 15:30 Amazonas Mix – Local 16:00 Break obrigatório 16:05 TV Kids 16:45 Ritmo Brasil 17:20 O Último Passageiro 18:40 Super Bull Brasil 19:40 Star Trek 21:00 TV Shopping Manaus – Local (Reprise) 22:00 Cine Total 23:30 Dr. Hollywood 0:15 É Notícia 1:15 Bola na Rede 1:45 Igreja Internacional da Graça – Local

5:55 Abertura da Emissora/Hino Nacional 6:00 Via Legal 6:30 Brasil Eleitor 7:00 Palavras da Vida 8:00 Santa Missa 9:00 Viola, Minha Viola 9:30 Nova Amazônia – Local 10:00 Escola Pra Cachorro 10:15 Meu Amigaozão 10:30 Turma do Pererê 11:00 ABZ do Ziraldo 11:30 Anima TV Tromba Trem 11:45 Anima TV Carrapatos e Catapultas 12:00 Turma do Pererê 13:00 Dango Balango 13:30 TV Piá 14:00 Stadium 15:00 Os Protetores do Planeta 16:00 Ver TV 17:00 De Lá, Pra Cá 17:30 Cara e Coroa 18:00 Papo de Mãe 19:00 Conexão 20:00 Esportvisão 21:30 MPTV – Local (Reprise) 22:00 Roda Viva Amazonas – Local (Reprise) 23:00 Doc Especial 0:00 Encerramento da Emissora/Hino Nacional

Cruzadinhas

ESTREIA Relação Explosiva EUA. 14 anos. Charlie Bronson (Dax Shepard) abandonou a vida do crime, quando costumava ser o motorista oficial durante roubos. Hoje, ele adotou uma nova identidade graças ao programa de proteção às testemunhas. No entanto, quando sua namorada (Kristen Bell) precisa de sua ajuda para chegar a Los Angeles, Charlie coloca em risco sua proteção do governo para ajudá-la. No caminho, ele é perseguido tanto pelo FBI quanto por sua antiga gangue. Playarte 3 – 14h, 16h10, 18h20, 20h30 (leg/diariamente) e 22h40 (leg/sex e sáb); Cinemark 3 – 12h55, 15h, 17h30, 19h50 e 22h10 (leg/diariamente). Royal Opera House O Lago dos Cisnes: INGL. 12 anos. Balé em quatro atos com três horas de duração (incluindo dois intervalos). A temporada de cinema ao vivo do Royal Opera House estreia com a produção de “O Lago dos Cisnes”, de Anthony Dowell, concebido para o Royal Ballet em 1987. Certamente, o mais importante de todos os balés românticos. O balé é uma síntese perfeita entre coreografia e música. Cinemark 14h15 (somente terça-feira). Atividade Paranormal 4 EUA. 16 anos. Cinco anos após Katie matar a irmã Kristi e o cunhado Daniel e levar consigo o sobrinho Hunter, ela vive com o pequeno Robbie em uma casa. Do outro lado da rua mora a adolescente Alice, que acompanha os passos do garoto juntamente com o amigo Alex. Ambos acham Robbie bastante estranho, principalmente quando ele fica alguns dias na casa de Alice, após Katie ter um problema e ir parar no hospital. Aos poucos, Robbie se torna amigo de Wyatt, o irmão caçula de Alice, atraindo-o para um universo perigoso. Cinemark 6 – 12h50, 15h10, 17h20, 19h30, 21h40 (leg/diariamente) e 23h50 (leg/sex e sáb).

PRÉ-ESTREIA 007- Skyfall EUA/INGL. 16 anos. O vazamento de dados confidenciais revela a posição de diversos agentes infiltrados em células terroristas, colocando suas vidas em risco. O próprio James Bond (Daniel Craig) é um dos afetados e precisa demonstrar sua lealdade a M (Judi Dench) para ajudá-la a resolver o problema. Logo ele passa a investigar quem está por trás do ataque ao MI6 e percebe que o responsável está bastante familiarizado com o modo de funcionamento da agência de espionagem britânica, por ter sido um de seus agentes no passado. Cinemark 6 – 23h55 (dub/somente quinta-feira).

CONTINUAÇÕES

Até Que a Sorte Nos Separe - 12 anos. Cinemark 5 – 13h30, 15h50, 17h10, 18h10, 19h30, 20h40, 22h (diariamente) e 23h (somente sextafeira e sábado); Playarte 5 – 13h30, 15h45, 18h e 20h15 (diariamente) e 22h30 (somente sexta-feira e sábado); Playarte 6 – 12h30, 14h45, 17h, 19h15, 21h30 (diariamente) e 23h45 (somente sexta-feira e sábado); Playarte 7 – 12h31, 14h46, 17h01, 19h16, 21h31 (diariamente) e 23h46 (somente sexta-feira e sábado). Hotel Transilvânia - Livre. Cinemark 3 – 13h20, 15h30, 17h40,

20h (dub/diariamente); Cinemark 6 – 14h10, 16h30, 18h50, 21h10 (3D/dub/diariamente) 12h (3D/dub/ sex, sab e dom) e 23h30 (3D/dub/ somente sexta-feira e sábado); Playarte 1 – 13h, 15h, 17h, 19h, 21h (3D/dub/diariamente) e 23h59 (3D/dub/sex e sáb). Busca Implacável 2 - 14 anos. Cinemark 4 – 12h50, 15h10, 17h30, 20h20, 22h30 (dub/diariamente). Os Mercenários 2 – 16 anos: Playarte 10 – 12h, 14h10, 16h20, 18h30, 20h40 (dub/diariamente) e 22h50 (dub/sex e sáb).

Ted – 16 anos: Cinemark 8 – 17h20, 19h50, 22h20 (dub/diariamente).

mente) e 23h05 (somente sexta-feira e sábado).

O Diário de Tati – Livre: Cinemark 2 – 13h e 15 (diariamente); Playarte 2 – 12h45, 16h55, 21h05 (diariamente).

Projeto Dinossauro – 12 anos: Playarte 9 – 15h15, 19h25 (dub/diariamente) e 23h35 (dub/sex e sáb).

Looper – Assassinos do Futuro – 16 anos: Cinemark 3 –22h10 (dub/ diariamente); Playarte 8 – 18h50, 21h20 (dub/somente de sábado a quinta-feira) e 23h50 (dub/somente sábado). E a Vida Continua – 10 anos: Playarte 2 – 14h45, 18h55 (diaria-

As Aventuras de Agamenon – O Repórter – 14 anos: Cinemark 8 – 13h50 (diariamente). Billi Pig – 12 anos: Playarte 8 – 16h40 (diariamente). Poder Paranormal – 12 anos: Playarte 9 – 12h55, 17h05, 21h15 (leg/diariamente).

20/10/2012 02:38:25


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

D7

::::: Deselegante

FOTOS: JANDER VIEIRA

::::: Os Premiados da Catedral

A toda bonita Angela Bulbol de Lima, exemplo de elegância correta em suas aparições

A Associação Amigos da Catedral elegeu, em assembléia geral, os cincos premiados que receberão a Medalha do Mérito Imaculada Conceição. A presidente da AAC, acadêmica Carmen Novoa Silva, explica que o ineditismo também se dá pelo fato da honraria ter sido instituída e outorgada por organismo da própria Igreja e não por instituições públicas e governamentais. A cerimônia de entrega acontecerá no dia 5 de dezembro, na Catedral Metropolitana de Manaus, na lista Phelipe Daou, José Roberto Tadros, Amadeu Teixeira, Mário Ypiranga Monteiro (in memorian) e Cônego Walter Nogueira (in memorian). A apuração dos votos foi efetivada por D. Luiz Soares Vieira, D. Mário Pasqualotto e D. Mário Antonio.

::::: Chancela Os Correios acabam de lançar os tradicionais selos de Natal. A emissão comemorativa de 2012 é composta por um bloco e dois selos isolados. A sagrada família é retratada em um bloco com dois selos, com valor de R$ 3,85 cada. Crianças de várias etnias, regidas pelo Papai Noel, estampam o selo coral natalino. A tradição de trocas de presentes de Natal e o serviço postal brasileiro, responsável pela entrega das encomendas para pessoas queridas que estão longe, são destaque no selo caixa com presentes. Os selos têm, respectivamente, valor de 1º porte não comercial (R$ 0,80) e comercial (R$ 1,20).

Falando em estacionar, como é possível alguém comprar um carrão e não ter quatro ou cinco reais para pagar um estacionamento? Isso acontece frequentemente em alguns centros de compras da cidade. Basta dar uma olhada para notar os possantes parados nas cercanias dos shoppings. Eu, hein!

Jander Vieira jandervieira@hotmail.com - www.jandervieira.com.br

::::: Saturado Quem se atreve a tentar fazer compras nos shoppings localizados na Djalma Batista, entre eles o Plaza, Amazonas e Millennium, já percebeu que neles vaga para estacionar é um drama. Faz-se um esforço tremendo e dependendo do horário não é possível encontrar tal espaço. Que tal?

::::: Energia Será que finalmente Manaus sairá do clima de apagão que a cidade vive há mais de uma década? Com o anúncio de uma nova usina para a cidade e a chegada do linhão de Tucurui, o governo federal promete o fim de um drama que atinge a maior cidade do norte do país, sua população e o único polo de indústrias que aqui está situado. Ficará faltando apenas o serviço de internet que em Manaus é caro, lento e de dar nos nervos.

::::: Positivo Ainda não há estatística oficial, mas o programa ‘Ronda no Bairro’ já �� um sucesso entre a população que está sendo beneficiada. Nas áreas onde o programa está implantado, o sentimento é de segurança e nas que ainda será posto em prática, a palavra de ordem é esperança. O programa é de longe, a melhor ação preventiva de segurança pública praticada no Estado. O governador Omar Aziz está fazendo história.

::::: Sala de Espera Francisco Donato, Ana Lúcia Jesus, Pedro Braga Jr. e Jack Knob estão trocando de idade. Os cumprimentos da coluna. Amanhã, Betty Suely Lopes Quintas ganhará sessão parabéns intimista no endereço da Ponta Negra. E para fechar as festividades do Boi Manaus, no sambódromo, a folia

será comandada pelo Corre-Campo, Tribo Kamayura, Julieta Câmara, Carlinhos do Boi, David Assayag, Tony Medeiros, Arlindo Jr., Renato Freitas, Leonardo Castelo, Clécio Brasil, Hamiraldo da Mata e Gaspar Medeiros. Os organizadores do Festival Floresta Encantada abriram pontos de vendas de ingressos na loja Daray, do Amazo-

nas Shopping, e nas unidades do Japa Food. O preço proional de mocional R$ 30 continua para compras antecipadas, referentes à meiaentrada, com a apresentação da carteira de estudante, viu?

Lúcia Viana esbanjando chiqueria em noite alto astral na cidade


D8

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2012

Amazonese integra trio com músicos da LS Jack

Ao lado de Alexandre Katatau e Sérgio Morel, ex-integrantes da banda, Lúcio Vieira inicia projeto chamado Mono FOTOS: DIVULGAÇÃO

GUSTAV CERVINKA Equipe EM TEMPO

O

baterista Lúcio Vieira é um dos talentos nascidos no Amazonas que se une à leva de artistas que vem ganhando projeção nacional e internacional pelo trabalho que desempenha na música. Há cinco anos morando no Rio de Janeiro, o instrumentista se prepara para entrar em estúdio e gravar um projeto próprio cuja responsabilidade é dividida com os amigos Alexandre Katatau e Sérgio Morel (ex- LS Jack), chamado “Mono”. “Um só” é o significado do nome projeto de música instrumental, cuja ideia original surgiu em 2011, bem como um reflexo das intenções e da produção sonora do trio. Sob influências artísticas semelhantes e muita amizade, o resultado das composições de “Mono” tem sido basicamente este: um som único. “Eu já trabalhava com o (baixista) Katatau até pouco tempo (na banda de Rita Ribeiro). Ali, tive contato com equipamentos eletrônicos diferentes, uma vez que os shows dela tem muita percussão e começamos a usar um soſtware (programa de computador) chamado Live,

que permite adaptar timbres e efeitos sequenciais diferenciados. Incorporei isso às minhas habilidades e achei que acoplar a tecnologia para um projeto instrumental seria interessante”, diz Vieira, lembrando que a música instrumental também precisa ser cativante. “Acho que tem que ter uma vasta variedade de coloração, de timbres. Se for tudo igual é chato e ninguém aguenta”, afirma. A proposta sonora de “Mono” é daquelas que não são possíveis serem definidas por gêneros predefinidos convencionalmente. “É o que podem chamar de “world music”, mas tem muito do jazz e do rock. É fusion”, diz o baterista. Praticamente todas as composições são feitas a seis mãos. “Quando você se identifica com os amigos que tocam com você em vários outros trabalhos, afinando mais esse laço, vem a ideia de fazer um projeto instrumental e autoral que reunisse todas as influências em comum dos três. A gente desenvolve no ensaio os temas juntos, sem que haja uma pessoa que centralize tudo, apesar de o Morel levar sempre muitos temas”, diz Alexandre Katatau, que já tocou com a também amazonense Eliana Printes.

Nascido no Amazonas, há cinco anos o baterista Lúcio Vieira mora no Rio de Janeiro onde desenvolve sua carreira artística

Primeiro disco com convidados De acordo com o baixista, outros instrumentistas também devem aparecer no álbum em caráter de convidados especiais, incluindo nomes como o saxofonista e flautista Marcelo Martins e o tecladista Renato Fonseca, por exemplo. “Se houver voz, será apenas vocalizes, sem letra”, enfatiza Katatau a identidade instrumental do projeto. Lúcio Vieira revela que o disco será gravado no Rio de Janeiro, mas as etapas de mixagem e masterização estão previstas para serem realizadas em Los Angeles, na Califórnia (EUA). A possibilidade soa real, sobretudo, pelo apoio que o trio já vem ganhando do guitarrista Jean-Marc Belkadi, francês radicado nos EUA. De fato, construir uma carreira no exterior sempre foi um dos sonhos perseguidos pelo músico amazonense. “Nesse tempo todo que estou

‘Músicos precisam ser artistas’ A vida de “sideman” (profissional instrumentista que é contratado para compor uma ou mais bandas de cantores ou outros instrumentistas com carreiras solo) pode ter os dias contados para Lúcio Vieira. “Não dá para projetar a vida inteira dependendo dos outros artistas o tempo todo. Tem que buscar carreira própria. Como tenho a oportunidade de tocar com muita gente aqui, comecei a perceber que tem enxergar à frente e sacar que hoje está tudo bem, mas daqui a algum tempo o mercado se renova, e aí? Vou ficar esperando o telefone tocar? O músico tem que ganhar vida própria”, diz.

aqui no Rio, criei uma rede de contatos internacional pela internet e pessoalmente, também. Belkadi é um exemplo disso e, inclusive, o álbum deve trazer temas dele, também. Internacional A escolha por fazer essas etapas do processo fora do Brasil é pelo simples fato de que a sonoridade que queremos chegar é provavelmente mais fácil de se chegar do que no Brasil, pela experiência mais específica que se tem por lá em propostas semelhantes”, explica Vieira. A expectativa dos músicos é que o disco fique pronto no início de 2013. “Serão sete faixas ao todo. Conforme formos adiantando o trabalho, devemos divulgar tudo pela internet. Atualmente, estamos no meio do processo de registro de marca”, completa.

Alexandre Katatu é um dos integrantes do novo trio

Lado artístico Para o baterista, músico tem que aprender a ser artista. “Para mim,

ser músico simplesmente é o cara que só se preocupa em tocar, em estar com o instrumento e a técnica preparados. O artista, na minha concepção, é isso mas com pensamento empreendedor, sabendo que é necessário trabalhar a carreira como um todo, como uma miniempresa, não um mero prestador de serviços”, avalia. Sob esse aspecto, o próprio parceiro Katatau chancela o talento do amazonense. “Lúcio é um músico preparado para qualquer tipo de trabalho. Além de ter uma leitura muito boa sobre música e sobra profissão, ele se relaciona muito fácil. É um combo de coisas que faz dele um grande músico e esse é um dos motivos pelos quais estamos juntos no mesmo projeto”, diz.

DIVULGAÇÃO

CENTRO

Galeria com exposições gratuitas As cores e formas do corpo humano pintadas em óleo nas telas do artista plástico peruano Roberto Suarez fazem parte da exposição “Cuerpos”, que ficará aberta ao público no hall do Serviço Social do Comércio (Sesc), unidade do Centro, até o dia 15 de novembro. A exposição é organizada em parceria com o Consulado do Peru. A entrada é gratuita. No total, 16 telas que retratam a figura humana fazem parte da exposição.

O artista plástico Suarez vive em Manaus há nove anos. Esta é o primeiro trabalho independente que ele desenvolve fora do Peru. As obras começaram a ser produzidas pelo artista assim que chegou a Manaus. Os trabalhos tiveram a influencia do convívio que Suarez teve com os alunos do curso de artes plásticas do Jardim Botânico, Zona Leste da cidade. O Sesc-Centro está localizado na rua Henrique Martins, 427.

A exposição ficará disponível à visitação de segunda a sexta-feira de 9h às 20h. Metal A exposição “A Vida em Ácido e Metal”, da artista gaúcha Angella Schiling, está em cartaz na Galeria Moacir Andrade, no Sesc Centro, até o dia 31 de outubro. A exposição faz parte do projeto Amazônia das Artes e tem entrada gratuita. As visitações pode ser feitas de segunda a sexta-feira, de 13h30 às 17h.

Cores e formas estão impressas nas obras do artista peruano Roberto Suarez, no Sesc


EM TEMPO - 21 de outubro de 2012