Page 1

WILTON JR./AE

JOÃOSINHO TRINTA

Arte perde talento de carnavalesco

NA CASA DE SHOW

‘Irmãos do História e tráfico’ são moda no assassinados Castelinho Patrícia e Charles Oliveira, irmãos de “Frankzinho do 40”, foram mortos a tiros na madrugada de sábado, no Alvorada. Última Hora A2

Luxo, requinte e modernidade unem moda e um dos cartõespostais da capital do Amazonas. Elenco 20, 21 e 31

RAPHAEL ALVES

A cultura ficou órfã de três nomes de peso: Joãosinho Trinta, o ator Sérgio Britto e a cantora Cesária Évora. Última Hora A2

BOM GOSTO

ANO XXIV – N.º 7.509 – MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011 – PRESIDENTE: OTÁVIO RAMAN NEVES - DIRETOR EXECUTIVO: JOÃO BOSCO ARAÚJO - PREÇO DESTA EDIÇÃO: R$ 2,00

Delegado e ‘capanga’ Delegado titular de Boa Vista do Ramos, Fabiano Evangelista é acusado de ser segurança particular do prefeito Elmir Mota. Segundo o vereador Marlon Trindade, Evangelista “não cuida do município e, se fica na delegacia durante três ou quatro dias por mês, é muito”. Política A5 ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

PARINTINS

Berço das culturas japonesa e italiana Imigrantes escreveram na “Ilha Tupinambarana” uma história de sonhos, alegrias e tristezas, e hoje trabalham para construir um futuro auspicioso. Caderno Especial

GOVERNO DO ESTADO

DOM LUIZ

‘Escola Solidária’ faz última edição de 2011

‘Deixo de ser arcebispo de Manaus em maio de 2012’ Com a Palavra A7 ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

GIOVANNA CONSENTINI

Última Hora A2

MUNDIAL DE CLUBES OPORTUNIDADES

AM contratará executivos com salários de R$ 25 mil Economia B2

Batalha final B entre Neymar e Lionel Messi Lance! 2 a 7

50 mil

vagas de trabalho


A2

Opinião/Última Hora

Contexto 3090-1011/9982-2702

contexto@emtempo.com.br

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

Irmãos de ‘Frankzinho’ são executados a tiros Líderes do tráfico da Zona Sul, Charles Oliveira da Silva, chamado de “Camarão”, e Patrícia Oliveira da Silva, vulgo “Patrícia do 40”, foram abordados por um motoqueiro

O

Reforço da PM em cidades do AM em conflito político Pelo menos dois municípios do Amazonas já solicitaram do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) reforço efetivo da Polícia Militar (PM) por conta das desavenças eleitorais locais. Borba e Boa Vista do Ramos já fizeram as solicitações. Eles argumentam que os ânimos políticos estão exaltados por conta das denúncias que estão sendo feitas. Em Borba, o presidente da Câmara, Carlos Lopes (PCdoB), está sendo denunciado por corrupção de menores, favorecimento da prostituição, pedofilia, improbidade administrativa e extorsão. Já em Boa Vista do Ramos, o prefeito Elmir Lima Mota (PSC) e o vereador Joaquim Teixeira aparecem em um vídeo em que Elmir entrega dinheiro a Teixeira. No caso de Borba, o pedido foi feito pelo segundo vicepresidente da Câmara, Simão Peixoto. Amanhã, o presidente da Câmara de Boa Vista do Ramos, Marlon Trindade, oficializa o pedido. Tradicionalmente, mais um município recebe reforço em ano eleitoral: Tabatinga. ENCONTROS Na próxima semana, a primeira-dama e presidente do Fundo de Promoção Social do Amazonas (FPS), Nejmi Jomaa Aziz, encerra o conjunto de encontros com gestores das coordenações distritais de Educação do Estado do Amazonas.

SHANA REIS

s irmãos e líderes do tráfico da Zona Sul de Manaus, Charles Oliveira da Silva, 27, mais conhecido como “Camarão”, e Patrícia Oliveira da Silva, 30, vulgo “Patrícia do 40”, foram executados a tiros enquanto saíam de uma casa de shows às 4h de ontem. O homicídio duplo ocorreu na avenida Desembargador João Machado, no bairro do Alvorada, Zona Centro-Oeste da capital amazonense. De acordo com informações divulgadas pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), os irmãos foram abordados por um motoqueiro, não identificado, que disparou vários tiros contra a dupla, que foi assassinada em via pública. Os disparos partiram de uma pistola automática modelo PT 40, arma de uso exclusivo da Polícia.

droga, além de uma pistola modelo 9 milímetros. Patrícia estava presa em 2009, e ganhou liberdade no último dia 23 de setembro. O alvará de soltura de “Patrícia do 40” foi concedido pela desembargadora Encarnação das Graças Sampaio Salgado, da Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Amazonas. “Camarão”, também estava

Liberdade A dupla de irmãos foi presa em outubro de 2009, durante operação “40 graus”, que combatia o tráfico de drogas na cidade, realizada pela Polícia Civil. Na ocasião, o pai e o marido de Patrícia também foram presos. Na casa da acusada, além de pasta-base de cocaína, foram encontradas três malas com cerca de R$ 200 mil e dez quilos da mesma

preso, mas ganhou liberdade há cerca de quatro meses.

SUSPEITO Os irmãos foram abordados por um motoqueiro, não identificado, que disparou vários tiros contra a dupla, que foi assassinada em via pública. Os disparos partiram de uma pistola automática modelo PT 40

Parentesco Acusados pelo tráfico de entorpecentes, “Camarão” e “Patrícia do 40” são irmãos do também traficante Frank Oliveira da Silva, o “Frankzinho do 40”, 40 anos — que está preso no Complexo Penitenciário Anísio Jobim— com quem disputavam território na Zona Sul.

Crime aconteceu quando os irmãos saíam de uma casa de shows

EDUCAÇÃO Estes eventos acontecem como forma de congratular escolas e diretores de escolas pelo bom desempenho educacional, reconhecido pelo Prêmio Escola de Valor do governo de Omar Aziz (PSD).

Municípios enfrentam dificuldades Arte perde

MÉRITO O presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador João Simões, foi ao aerporto, na noite da última quinta (15), especialmente para recepcionar o ministro do STF Mauro Campbell, que está em Manaus para receber, amanhã, a Medalha do Mérito Eleitoral de Manaus do TRE.

O presidente da Associação Amazonense de Municípios (AAM), Jair Souto, se pronunciou ontem, sobre declaração de suposta incapacidade técnica dos prefeitos do Amazonas, quadro do qual ele também faz parte, já que é prefeito de Manaquiri. Souto ressalta que defendeu os prefeitos ao apresentar dados que comprovam que a reeleição nos municí-

ingressou no TRE para reaver o mandato e colocou o nome do filho do vereador. EMOCIONADO O ex-senador Arthur Neto (PSDB) tomou posse na Academia Amazonense de Letras (AAL), na noite da última sexta-feira (16), com direito a discurso emocionado.

BALANÇO Aliás, Simões dará uma entrevista coletiva, amanhã, para prestar contas do TJAM, referentes a este ano. O desembargador passou o ano reclamando da falta de recursos para o Judiciário amazonense, mas deve fechar o ano no azul, com a promessa, inclusive, de implantar novos projetos.

DROGAS A Prefeitura de Manaus firmou convênio com o Instituto Novo Mundo para fortalecer a rede de atenção a usuários de crack e outras drogas sem comprometimento clínico grave. Os beneficiados vão receber atendimento por meio de internação “leitos de acolhimentos”, em comunidades terapêuticas.

DE SAÍDA Mesmo com a derrota do PRTB no TRE em relação ao mandato na CMM, o vereador Paulo De’Carli (PSDB), reafirmou que renunciará no próximo dia 21. O PRTB, ex-partido de De’Carli, errou o nome do vereador no processo que

FÉRIAS Amanhã tem início a última semana de trabalhos dos parlamentares da Câmara Municipal de Manaus e da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam). Os parlamentares ficarão de recesso até fevereiro.

APLAUSOS

VAIAS

Energia

Delegado

Para a mudança de matriz energética no interior do Estado. Até abril, quatro municípios aderem ao gás.

Para o delegado de Boa Vista do Ramos, Fabiano Evangelista, acusado de participar de esquema de corrupção.

AAM

LUTO

pios é menor que em outros Estados, por motivos como o controle da sociedade e dos órgãos públicos. Dificuldades Jair Souto ainda declara que a população e os órgãos fiscalizadores precisam entender as dificuldades e desafios que os prefeitos do Amazonas, um Estado com dimensões continentais enfrentam. “Muitas vezes os prefeitos são rotulados de

corruptos, mas ninguém leva em conta as dificuldades que enfrentamos no interior e os desafios técnicos e geográficos que enfrentamos. Por isso esse rótulo não nos cabe”, afirmou. O presidente da AAM se declara defensor da classe que pertence. “Não por corporativismo, mas por conhecer e sentir na pele, todos os dias, o que é ser um prefeito no interior do Amazonas”, concluiu.

ATENDIMENTOS

Última edição da ‘Escola Solidária’

GIOVANNA CONSENTINI

A última edição do projeto “Escola Solidária”, que realiza serviços de atendimentos básicos à população, foi realizada neste sábado (17), das 8h às 15h, no Centro de Educação de Tempo Integral Elisa Bessa Freire, localizado na avenida Itaúba, Jorge Teixeira, Zona Leste. Na ocasião, a população contou com apresentações culturais voltadas para o Natal e a participação especial do Papai Noel, que distribuiu doces para mais de 4 mil crianças. A estimativa da Secretaria de Estado da Assistência Social e Cidadania (Seas) era atender 20 mil pessoas, com mais de 30 tipos de serviços gratuitos como emissão de documentos, encaminhamentos para emprego, além de atendimento médico. Além da Seas, o projeto conta com o apoio das secretarias de Estado da Saúde (Susam), Trabalho e Emprego (Setrab), Educação (Seduc), Cultura (SEC), Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS), da Defensoria Pública, Ouvidoria Geral do Estado, Departamento Estadual de Trânsito (DetranAM), dentre outros órgãos.

População contou com apresentações culturais de Natal

Projeto continuará em 2012 Durante o projeto “Escola Solidária”, houve também outras apresentações culturais, como fanfarras do projeto Escola Cidadã, corais e grupos de danças. Um dos destaques foram os bonecos de neve e duendes. Para 2012, a programação já está sendo preparada. “Vamos continuar com o projeto em 2012 e teremos

mais escolas atendidas a partir de março”, disse a secretária executiva da Seas, Graça Prola. De acordo com Prola, em 2011 o projeto foi sucesso nas escolas que passou e ofereceu serviços à população. “Atendemos a um público estimado em 100 mil e ano que vem será muito mais”, enfatizou.

três nomes marcantes

Morreram ontem, três grandes personalidades. O carnavalesco Joãosinho Trinta, o ator e diretor Sergio Britto e a cantora cabo-verdiana Cesária Évora. Joãozinho Trinta com 78, morreu em São Luís (MA), sua cidade natal. Polêmico, criativo e fiel à máxima de que “pobre não gosta de pobreza, gosta de luxo”, o maranhense foi um dos principais responsáveis por modernizar o Carnaval do Rio. Ele estava no UDI Hospital desde o dia 3. Segundo o hospital, morreu às 10h (11h de Brasília) em decorrência de choque séptico (infecção generalizada), causado por uma série de problemas, como pneumonia e infecção urinária. O ator e diretor Sergio Britto morreu aos 88 anos. Ele estava internado no hospital Copa D’Or, no Rio, havia cerca de um mês, por problemas cardiorrespiratórios. Segundo nota do hospital, sua morte foi causada por insuficiência respiratória aguda. Por conta da morte do ator, o governador Sérgio Cabral decretou luto oficial de três dias no Rio de Janeiro. “Morre um dos maiores atores da história da dramaturgia brasileira. Culto, elegante, sarcástico, explorou todos os canais de comunicação para a sua arte. Entretanto, no teatro foi o maior”, disse A cantora cabo-verdiana Cesária Évora morreu no Hospital Baptista de Sousa, na ilha de São Vicente, Cabo Verde. A chamada “diva dos pés descalços” era uma das cantoras de maior reconhecimento internacional de seu país. Ela estava internada devido a uma “insuficiência cardiorrespiratória aguda e tensão cardíaca elevada”.


Opinião

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

A3

Fala leitor

Editorial

falaleitor@emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br

Com um pouco mais, sai um impeachment Ao declarar, sexta-feira, num encontro com jornalistas, que não é “hora de dar aumento salarial para categoria nenhuma. Isso vale para todo mundo, eu não acho ninguém melhor do que ninguém”, a presidente Dilma Rousseff despertou a fúria do presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), Gabriel Wedy, que divulgou nota manifestando preocupação com o fato de a presidente terminar o ano sem repor a inflação anual do teto do funcionalismo público, principalmente excluindo do Orçamento da União a proposta enviada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Cezar Peluso. Segundo a associação, “são crimes de responsabilidade do presidente da República os que atentam contra a Constituição Federal e especialmente contra: o livre exercício do Poder Judiciário, a lei orçamentária e o cumprimento das leis”. O argumento do governo de que não existem recursos para o Judiciário “é falacioso”, diz a Ajufe. A proposta do STF é de R$ 7,7 bilhões, apenas os juízes federais arrecadam em média todos os anos nas Varas de Execução Fiscal R$ 10 bilhões. “Como se não bastasse, a imprensa nacional, em tempos de demissão em série de ministros de Estado, divulgou que R$ 40 bilhões escoaram pela vala da corrupção nos últimos anos, apenas na esfera federal. Esses recursos poderiam ser investidos na Justiça do país”, diz a nota, como se a Justiça também não tivesse parte de responsabilidade nesse contexto. O documento afirma ainda que “a democracia está em risco”, assim com um “dos seus principais pilares – a independência do Poder Judiciário”. Com um pouco mais de disposição, a reposição salarial do corpo funcional do Judiciário inspiraria Wedy a propor o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Não se discute quanta razão tem a Ajufe: todo trabalhador tem direito de reivindicar melhores salários, inclusive juízes de todas as instâncias do Judiciário. Mas existem questões que envolvem a “legalidade” no país que não despertam tanto, digamos, entusiasmo dessa associação classista. A Ficha Limpa, por exemplo, e o “mensalão”, que está às vésperas da prescrição. Juízes deveriam pensar mais de uma vez, antes de proclamar que a “democracia está em risco”.

O Dia Mundial de Combate à Corrupção (9 de dezembro) é uma referência à Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção que foi assinada por diversos países em 9 de dezembro de 2003. A Frente Parlamentar de Combate à Corrupção acompanha a implementação da Convenção e de outros compromissos internacionais assumidos pelo país, que tenham como objeto a prevenção e o combate à

www.emtempo.com.br

corrupção. Composto por 71 artigos, o texto da Convenção é considerado um dos mais importantes documentos vinculando à luta contra a corrupção, fenômeno que não é exclusivo e característico da cultura brasileira. Por atingir escalas mundiais, o objetivo da Convenção é fortalecer o combate à corrupção no mundo inteiro. No Brasil, assim como em vários países, o Dia Internacional

Contra a Corrupção, desde 2004, é marcado por diversos eventos, debates, congressos, mobilizações e levantamento de resultados alcançados no combate à corrupção. Segundo relatório publicado neste ano pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o custo médio da corrupção no país representa de 1,38% a 2,3% do PIB, o equivalente a um valor

entre R$ 50,8 bilhões e R$ 84,5 bilhões. Segundo levantamentos do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), mais de 16 mil processos de apuração de crimes de corrupção, improbidade administrativa e lavagem de dinheiro tramitaram, no ano passado, na Justiça Federal e nos tribunais superiores. Antônio Jacinto Índio, por e-mail

Charge regi@emtempo.com.br

Olho da Rua

Dora Kramer

opiniao@emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br RAPHAEL ALVES

O fenômeno La Niña, que baliza o regime das águas nestes tempos de mudanças climáticas, inspira também o olhar a descobrir o que não pode ser visto com olhos que veem, mas não enxergam, porque é o olho humano que dá o toque de beleza na natureza.

CENTRAL DE RELACIONAMENTO Atendimento ao leitor e assinante ASSINATURA e CLASSIFICADOS

3090-1000 assinatura@emtempo.com.br classificados@emtempo.com.br

Presidente: Otávio Raman Neves Diretor-Executivo: João Bosco Araújo Editores-Chefes Tricia Cabral — MTB 063 tricia@emtempo.com.br Náis Campos — MTB 033 nais@emtempo.com.br Chefe de Reportagem Michele Gouvêa michele@emtempo.com.br

REDAÇÃO

3090-1010 redacao@emtempo.com.br

CIRCULAÇÃO

Diretor Administrativo Maurício Alves mauricio@emtempo.com.br Diretor Comercial Márcio Barroso marciobarroso@emtempo.com.br

3090-1001 circulacao@emtempo.com.br

Norte Editora Ltda. (Fundada em 6/9/87) – CNPJ: 14.228.589/0001-94 End.: Rua Dr. Dalmir Câmara, 623 – São Jorge – CEP: 69.033-070 - Manaus/AM

Diretor de Arte Kyko Cruz kykocruz@emtempo.com.br EM TEMPO Online Yndira Assayag — MTB 041 yndira@emtempo.com.br

DO GRUPO FOLHA DE SÃO PAULO

www.emtempo.com.br

@portalemtempo

/amazonasemtempo

//tvemtempo

Os artigos assinados nesta página são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal.

Modo de usar Dilma Rousseff bate recorde de aprovação popular, batendo até o antecessor tido como imbatível. Consolida, assim, o crescimento da hegemonia governo/petista que se expandiu do Congresso para a sociedade e aumenta gradativamente desde a eleição de Luiz Inácio da Silva em 2002. A última pesquisa Ibope mostra Dilma com índices de popularidade inéditos na comparação com os primeiros anos dos dois mandatos de Lula e de Fernando Henrique e carrega consigo duas notícias. A boa é que a maioria se sente bem e isso é ótimo. A má é que com números tão robustos o governo se sente no direito de tocar o barco em frente sem prestar atenção ao que de positivo o contraditório contém como material de trabalho para avançar por terrenos onde hoje viceja o atraso. Popularidade é bom e todo mundo gosta. Rende votos, vitórias eleitorais, aumenta a perspectiva de poder, infla egos, mas cria cacoete de comportamento, alimenta vocações autoritárias e, por isso, o ideal é que seja usada em prol do coletivo e não do projeto de um só partido. Evidentemente, não se propõe que o governo divida suas glórias com a oposição, muito menos que não faça uso eleitoral da vantagem que detém. O jogo democrático, óbvio, tem na disputa política sua preliminar. Mas, não precisa necessariamente limitar-se a esse objetivo. Até porque popularidade não é atributo que tenha por si garantia de permanência. Como vem, vai. Se há espírito público, o ideal é que no momento do auge essa força seja usada como instrumento de transformação. Uma arma de aperfeiçoamento, cujo manejo leve em conta uma velha lição: quanto mais poderoso é o poder mais o governante deve compartilhá-lo com seus governados.

Do contrário, o mandatário altamente popular tende a ouvir só o que lhe interessa e a dizer só o que lhe convém, sem se considerar na obrigação de conferir substância e coerência às suas palavras. Foi o que aconteceu na entrevista que a presidente deu na sexta-feira. Para começo de conversa, previu um crescimento de 5% no PIB para 2012. Qual o raciocínio utilizado para chegar à conclusão? Nenhum. “Meu cenário é otimista”, afirmou Dilma, reduzindo sua tese a mera conjectura. Algo autoritário, porque parte do pressuposto de que uma frase presidencial tenha o condão de conduzir uma realidade. A presidente tampouco foi fiel aos fatos ao comentar o caso do ministro Fernando Pimentel que, segundo ela, “não tem nada a ver com o governo”. Teria a ver com o quê, então? Posta diante da comparação com o episódio envolvendo Antonio Palocci, fantasiou: “Ele quis sair”. Não quis, resistiu por 23 dias, saiu quando já era impossível ficar e foi incorporado à dita “faxina” como indicativo da intolerância da presidente em relação a “malfeitos”. Mas, se for verdade que Palocci só saiu porque quis, chega-se à conclusão de que por vontade de Dilma teria ficado. Onde coerência da intolerante? Com a mesma superficialidade própria dos que estão com a vida ganha e, portanto, não se acham devedores de conferir maturidade ao diálogo com o país, a presidente falou sobre a reforma ministerial. Rechaçou a hipótese de reduzir o número de ministérios - “não me venham com essa conversa, não é isso que faz a diferença no governo” -, choveu no molhado - “não tenho compromisso com qualquer prática inadequada” - e não disse o que pensa mesmo sobre o modus operandi da coalizão. Avisou apenas que todos terão “uma surpresa”.

Dora Kramer Jornalista, escreve simultaneamente no jornal “O Estado de S.Paulo”

Evidentemente, não se propõe que o governo divida suas glórias com a oposição, muito menos que não faça uso eleitoral da vantagem que detém”


A4

Opinião

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

Na esteira da sucessão presidencial americana

Vamos agora a Belém para ver o acontecimento

Até hoje, para mim, não tem sido fácil compreender como um negro que escapa, por várias características, até pelo extravagante nome que o vincula a raízes africanas e islâmicas, do padrão do estereótipo das elites norte-americanas, tenha logrado alcançar, através do sufrágio direto da população, o elevado cargo de presidente dos Estados Unidos da América, uma das mais sólidas democracias do planeta. Sem participar diretamente dos padrões, critérios e valores que modelam a cultura norte-americana, ainda assim é possível supor que a desastrosa gestão George Bush, que envolveu seu país em guerras absurdas, gerou um aumento descabido do déficit público, adotou políticas públicas de favorecimento escancarado das classes sociais mais ricas, enfim, assumiu postura de governo inaceitável no mundo atual, tudo isso e muito mais, favoreceu diretamente a candidatura de Obama. Embora pequenos partidos políticos existam nos Estados Unidos, concorrem diretamente apenas os dois grandes, o Democrata e o Republicano, que têm vez e decidem as eleições americanas. Contrariamente ao que acontece no Brasil, onde os partidos políticos não se definem ideologicamente e, quando o fazem é apenas na sua constituição estatutária, frequentemente descartada em nome dos interesses fisiológicos, lá são bem nítidas as diferenças entre os ideários dos democratas e dos republicanos. Neste momento, quando já bem próximo se encontra o tempo das eleições para um novo mandato presidencial, acirra-se a disputa entre as duas facções e mais nítidas mostram-se as diferenças políticas entre ambas. Enquanto os democratas, com Obama à frente, tentam, ainda que cautelosamente, reduzir as diferenças entre as classes que constituem a sociedade americana, pela via da concessão de benefícios aos mais pobres, sustentada por maiores impostos a incidirem sobre os mais ricos, os republicanos defendem o status quo e os “direitos” dos detentores de grandes fortunas, sob a primária alegação de que esses representam o talento e o “way of life” da América. Até a política de saúde que o governo americano pretendeu desenvolver, em proveito da população mais pobre, tem sido bombardeada pelos republicanos, com a afirmação de que o Estado não deve ser paternalista em relação àqueles que não souberam ter sucesso na vida. Hoje o objetivo dos republicanos é derrotar os democratas (na figura de Obama) a qualquer custo e, para isso, não têm hesitado sequer em agravar a crise econômica que o país enfrenta. E o pior, para Obama, é que os republicanos detêm, neste momento, o controle do Congresso estadunidense. Como diz o meu amigo Abdul Hauache, a eleição americana é tão importante para o mundo, que todos deveríamos ter o direito de também dela participar.

Estamos a uma semana do Natal e nada melhor do que lembrar a decisão dos pastores, depois de ouvirem a mensagem do anjo. “Vamos já a Belém e vejamos o que aconteceu, o que o Senhor nos deu a conhecer” (Lc 2,15). Ver o que aconteceu em Belém é descobrir a presença de Deus em cada acontecimento, mas acima de tudo nas pessoas próximas ou não, preferencialmente, nas excluídas e necessitadas. Esta época do ano desperta um espírito de solidariedade que encanta, com arrecadações de cestas básicas e brinquedos e com a alegria de quem recebe esse gesto de amizade. Mas o espírito de solidariedade deve ultrapassar o ciclo natalino e avançar ano a fora. Dá para acreditar em dias melhores quando descobrimos que nosso povo é solidário em momentos complicados da vida. Aconteceu em abril deste ano. Fábio Rafael com sua esposa e os dois filhos ainda pequenos voltava da casa de seus pais. Dirigia o carro em meio das chuvas da época. Na avenida Brasil o carro derrapou, caiu dentro do igarapé e emborcou. Presos pelo cinto de segurança, tiveram dificuldades para soltarem-se e viram-se perdidos no meio das águas que enchiam o automóvel. Fábio conseguiu soltar-se, mas os outros não. A esposa desmaiou. Aí aconteceu o milagre da solidariedade. Borracheiros, que trabalham nas redondezas, correram, ajudaram o motorista, e tiraram as crianças. Um casal, que passava, parou o carro; a esposa que é médica prestou os primeiros socorros e acompanhou os acidentados ao hospital. A Compensa, que já foi conhecida pela violência e pelo tráfico de drogas, mostrou o coração enorme de seus habitantes. Quatro vidas foram salvas pela solidariedade de pessoas que tudo fizeram sem interesse algum, por puro amor fraterno. É verdade que a família acidentada carregou por algum tempo a hepatite, as doenças de pele e disenterias, sequelas do indesejado mergulho no esgoto a céu aberto que ainda recebe o honroso nome de igarapé do Franco. Se o Franco estivesse vivo, o fato de ter dado o próprio nome ao igarapé o faria esconder-se tomado de vergonha. Entre parêntese, fica aqui um apelo para que se implante em Manaus um sistema de tratamento de esgotos. Cai mal para nós, amazonenses, ter avenidas e parques muitos bonitos, construídos ao longo de esgotos a céu aberto. Retornando ao ocorrido na Compensa, estou certo de que, diante de gestos desse valor, dá para acreditar em dias melhores. A maioria de nosso povo tem sentimentos elevados e dignos de elogios. Desejei relatar o fato acima porque retrata bem o espírito que precisa tomar conta de nossas festas natalinas. Deus está perto de nós. Jesus é chamado por Isaías como Emanuel que significa Deus-conosco. A grande tarefa, que nos compete, é percebê-lo em tudo e em todos. Tem razão o padre Zezinho quando canta que o Natal não pode ser um dia e que as mães sejam Maria e os pais José. A solidariedade é marca de quem atende ao convite dos pastores: “Vamos já a Belém e vejamos o que aconteceu”.

João Bosco Araújo Diretor-executivo do Amazonas EM TEMPO

Contrariamente ao que acontece aquil, onde os partidos não se definem ideologicamente, lá, são nítidas as diferenças entre os ideários democratas e republicanos”.

Aécio Neves, afirma que o PT deu aval às administrações de Fernando Henrique Cardoso ao manter a política econômica e o programa de privatizações.

A Presidência jamais esteve nos planos de Dilma. Quando criança queria ser bailarina, porque achava bonito, ou entrar para o Corpo de Bombeiros, que nem era profissão de menina Ricardo Amaral, ex-assessor da Casa Civil, fala do livro “A Vida Quer É Coragem”, sobre a trajetória de Dilma Rousseff, de jovem militante à primeira mulher a ocupar a Presidência do Brasil.

RENATA LO PRETE

Onde pega

Dom Luiz Soares Vieira

Arcebispo de Manaus

Em conversas reservadas, Gilberto Kassab (PSD) atribui parcela expressiva de sua atual reprovação ao fator saúde pública. Entre os problemas identificados pela equipe do prefeito paulistano está o gargalo do atendimento nas AMAs --ambulatórios de especialidades cuja expansão foi promessa de campanha em 2008. Ciente de que será difícil desafogar essa demanda em 2012, quando tentará fazer seu sucessor, Kassab procurará atacar outra questão sensível para o eleitorado da periferia: segurança. A ideia é ampliar a “operação delegada”, que permite dar bônus salarial a PMs pela prestação de serviços extras em áreas violentas. Horário eleitoral Além da ofensiva na segurança, Kassab planeja entregar 150 escolas no próximo ano.

A Compensa, que já foi conhecida pela violência e pelo tráfico de drogas, mostrou o coração enorme de seus habitantes. Quatro vidas foram salvas pela solidariedade de pessoas”.

Frases O PT governa o país há nove anos e não reviu nenhuma privatização, não investigou nenhuma irregularidade. Pelo contrário, agora o PT amplia as privatizações para os aeroportos

Painel

Igual... Um veterano da base aliada que acompanha a guerra particular em curso na Caixa Econômica Federal observa: o grau de beligerância entre as partes –no caso, PT e PMDB– em quase tudo lembra a situação dos Correios que, no primeiro mandato de Lula, puxou o gatilho do escândalo do mensalão. ...mas pior A diferença, afirma o governista, é que no caso da CEF as cifras envolvidas no litígio são incomparavelmente mais elevadas. Dando bobeira Sem prejuízo das manifestações públicas e privadas de apoio de Dilma Rousseff a Fernando Pimentel, existe no Planalto quem considere que a atitude entre displicente e desafiadora do ministro do Desenvolvimento não está ajudando a virar a página do noticiário sobre suas nebulosas consultorias. Pelo contrário. Dando bobeira 2 Se antes o governo dava como certo que o assunto morreria junto com o ano, agora já se admite a possibilidade de que, passado o recesso das Festas, um ou outro estilhaço volte a incomodar em janeiro. Empenhado Na contramão de outros caciques petistas, o deputado

João Paulo Cunha (SP), um dos réus no processo do mensalão, está dando a maior força ao colega Protógenes Queiroz (PC do B-SP) na empreitada de coleta de assinaturas para um requerimento de CPI sobre o conteúdo do livro “A Privataria Tucana”, do jornalista Amaury Ribeiro Júnior. Também quero Não somente do Judiciário vêm pressões para que governistas incluam, de última hora, previsão de aumentos salariais no Orçamento de 2012: líderes partidários estão recebendo demandas semelhantes de categorias como a Receita e a Polícia Federal. Também quero 2 Apesar da categórica manifestação de Dilma Rousseff na sexta-feira passada contra todo e qualquer reajuste para o Judiciário, o Congresso ainda não entregou os pontos. Existe a expectativa de que o assunto seja tratado na reunião de coordenação do governo, marcada para amanhã. Auxílio... O Procon de São Paulo monitorou 288 consumidores considerados “superendividados”. O órgão negociou contratos em atraso, sobretudo com bancos, promovendo acordos extrajudiciais em 30% das audiências. Os inadimplentes, que se apresentaram voluntariamente para participar do projeto, tiveram ainda aulas de educação financeira.

Tiroteio O que o ministro Fernando Pimentel recebeu foi uma indecente mesada paga pelo peleguismo patronal com recursos do contribuinte”

(Sobre reajuste salarial), 2012 continuará como manda a lei. Tem de apresentar (projeto de aumento) até agosto. Se o Congresso não aprovar para 2012, só para 2013 Dilma Rousseff reafirma a posição de que não é “hora de dar aumento salarial para categoria nenhuma. Isso vale para todo mundo, eu não acho ninguém melhor do que ninguém”.

DO DEPUTADO JUTAHY JR. (PSDB-BA), sobre as justificativas da Federação das Indústrias de Minas Gerais para ter contratado como consultor o ex-prefeito de BH, hoje integrante do primeiro escalão de Dilma.

Contraponto

Aposentadoria precoce Logo depois de uma breve interinidade na Presidência da República, resultado da ausência simultânea da titular do cargo e do vice, Marco Maia (PT-SP) encontrou Dilma Rousseff durante uma solenidade no Palácio do Planalto e foi logo brincando: — Gostaria de saber quais são exatamente as prerrogativas de um ex-presidente... Publicado simultaneamente com o jornal ‘Folha de S.Paulo’


Política

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

A5

FOTOS: REPRODUÇÃO

Delegado acusado de ser segurança de Elmir Lima Denúncia será formalizada amanhã na SSP-AM após divulgação de vídeo no qual prefeito “compra” mandato de vereador

O

presidente da Câmara de Boa Vista do Ramos, vereador Marlon Trindade (PT), protocolará amanhã, na Secretaria de Estado Segurança Pública (SSP-AM) o pedido de afastamento do delegado titular do município, Fabiano Evangelista, e solicitará reforço policial para a cidade. Segundo ele, o delegado e pelo menos um policial militar fazem parte do grupo de segurança particular do prefeito do município, Elmir Lima Mota (PSC). “Ele (delegado Fabiano Evangelista) só faz o que o prefeito manda. Não cuida da segurança do município e se fica na delegacia durante três ou quatro dias por mês é muito”, disparou. O presidente do Legislativo informou que esteve reunido no último dia 7 deste mês com o secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Paulo Roberto Vital, para relatar os desmandos dos policiais civis e militares no município. Ele denunciou a apreensão irregular de carros da Câmara e o abuso de autoridade dos policiais com os desafetos políticos do prefeito. “Fiz vários boletins de ocorrência aqui (em Boa Vista do Ramos) e em Manaus, mas nada foi feito. Apreenderam meu carro achando que eu estava dentro e tenho recebido ameaças por mensagens e ligações restritas. Vivemos em um estado de insegurança total”, revelou. Providências O secretário de Segurança Pública do Estado, coronel Paulo Roberto Vital, confirmou que esteve reunido com o presidente do Legislativo de Boa Vista do Ramos, mas disse que não recebeu a denúncia de que o delegado estaria envolvido

na equipe de segurança do prefeito. “Isso não chegou ao meu conhecimento. Se ele (Marlon Trindade) me provar que o delegado não está exercendo seu papel a SSP irá investigar e punir caso seja comprovado. Não iria nomear um policial ou um delegado para trabalhar para o prefeito. Ele (delegado) está lá para servir a sociedade”, garantiu. O coronel informou que as denúncias recebidas no último dia 7 tratavam de desavenças políticas e que por isso não tomou nenhum tipo de providência. “Tudo o que me foi relatado trata de questões políticas e nisso não irei me envolver. Tomarei providências quando isso tudo interferir na segurança

DENÚNCIA

Prefeito de Boa Vista do Ramos, Elmir Lima Mota (PSC), foi flagrado pagando aproximadamente R$ 100 mil em espécie para o vereador Joaquim Teixeira Barbosa (PSC) pública do município”, disse. A reportagem ligou para a delegacia de Boa Vista do Ramos e a atendente —que preferiu não se identificar — informou que o delegado estaria em Manaus acompanhando o prefeito. Ela confirmou que o titular da Delegacia não comparece diariamente ao local, mas disse que não estava autorizada a entrar em detalhes sobre a rotina dos policiais do local. O EM TEMPO tentou contato com o prefeito Elmir Lima Mota (PSC) por meio de sua assessoria, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição.

Vídeo flagra prefeito “comprando” vereador O prefeito Elmir Lima Mota (PSD) se envolveu em um escândalo político durante a última semana. Ele foi flagrado pagando aproximadamente R$ 100 mil em espécie para o vereador Joaquim Teixeira Barbosa (PSC). No vídeo disponibilizado na última quinta-feira (15), o parlamentar aparece recebendo o dinheiro e “guardando-o” na cueca após contar a quantia durante uma transação realizada supostamente no escritório dos advogados Alysson Karré e Jhones Karré, em

Manaus. Eles representam o Executivo de Boa Vista do Ramos e em dado momento, aparecem nas imagens. Durante entrevista a um programa de televisão local, o prefeito chegou a dizer que o dinheiro era referente à venda de um carro. Em outra entrevista, o prefeito informou que estaria sendo ameaçado de morte e que o dinheiro era para que as ameaças cessassem. Segundo o vereador de oposição, Júnior Andrade (PT), — que entregou o vídeo na Superintendência da Polícia Federal

no Amazonas e no Ministério Público do Estado (MPE-AM) — argumentou que o dinheiro era referente à compra de mandato do vereador. O vídeo foi gravado no domingo (11) e na manhã da segunda-feira (12) seguinte, o vereador entregou o cargo na Câmara. Na quarta-feira (14), em seu lugar, foi empossado o vereador governista Rivaldo Anselmo (PSC). De acordo com os vereadores de oposição, com a “compra” o prefeito garante um voto favorável a sua absolvição nas investigações de

uma Comissão Processante em trânsito no Legislativo. Questionado a respeito de uma possível punição para os advogados por terem permitido a transação irregular dentro do escritório, o vicepresidente da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Amazonas (OAB-AM), Alberto Simonetti Neto, informou que não teve acesso ao vídeo. “Não vi as imagens e só irei me pronunciar quando tiver acesso ao conteúdo, até porque não sei se os advogados tinham conhecimento da atitude ilícita do cliente”, disse.

Prefeito descumpre legislação Um segundo vídeo disponibilizado na última quintafeira (15) mostra o prefeito de Boa Vista do Ramos, Elmir Lima Mota (PSC), efetuando pagamentos em dinheiro a supostos servidores da prefeitura. No vídeo, entregue ao Centro de Apoio Operacional e Combate ao Crime Organizado (Cao-Crime) do Ministério Público do Estado (MPE-AM) — coordenado pelo promotor Fábio Monteiro — o prefeito chega a pedir até o troco de uma das servidoras. Em dado momento, ele atende o celular e em tom de ameaça discute com uma terceira pessoa. Procurado pela reportagem para comentar o segundo vídeo, o prefeito informou que não responderia aos questionamentos da reportagem. O titular do Cao-Crime do MPE, promotor Fábio Mon-

teiro, disse que irá analisar o vídeo e apurar os fatos. Segundo ele, ainda que as transações financeiras sejam referentes aos salários

ANÁLISE

Os dois vídeos serão analisados pela Superintendência da Polícia Federal (PF) no Amazonas e em 90 dias será emitido um laudo preliminar da perícia técnica dos servidores, a operação é irregular. “Ele (Elmir) está humilhando os servidores que precisam entrar em uma fila para receber o seu salário. Isso é ilegal até mesmo porque não está previsto na legislação trabalhista”, disse.


A6

Política

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

Parlamentares avaliam as tribunas na Câmara

Cláudio Humberto COM TERESA BARROS E LEANDRO MAZZINI

www.claudiohumberto.com.br

Não me venham com essa conversa” PRESIDENTE DILMA , sepultando a pretendi-

da reforma ministerial

Se bobear, Henrique Alves perde a presidência A escolha de Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) como sucessor de Marco Maia (PT-RS) na presidência da Câmara dos Deputados não é uma questão fechada, apesar do acordo (por escrito) firmado entre os dois partidos. Foi isso o que insinuou o próprio Maia a jornalistas, nesta semana. O desejo de inviabilizar o projeto de Alves cresce no PT na mesma proporção que aumenta a popularidade da presidente Dilma.

Pimentel cumpriu agenda intensa em Genebra Verdade seja dita, o ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento) cumpriu exatamente a agenda que estava prevista, aliás, intensa, na Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio, em Genebra, bem ao contrário do que circulou. Segundo o embaixador do Brasil na OMC, Roberto Azevedo, ele manteve reuniões com ministros da África do Sul e Suécia, e foi a eventos multilaterais até históricos.

Rolo compressor “Desde a campanha, sempre que Dilma cresce nas pesquisas, o PT tenta ‘patrolar’ a gente”, lembra importante líder do PMDB.

Brics na OMC Pimentel representou o Brasil na primeira reunião dos países Brics na OMC, agora com a Rússia, e de importante encontro do G-20.

Discurso padrão Para o líder do PT, Paulo Teixeira (SP), só o próprio PMDB pode inviabilizar Henrique Alves. “O PT está firme no acordo”, desconversa.

Papéis definidos Chanceleres como o brasileiro Antônio Patriota é que se revezaram em discursos na OMC. A presença de Pimentel nem sequer era prevista.

Mangas de fora Atual vice, Rose de Freitas (PMDB-ES) adverte que eleição para presidente da Câmara “é uma disputa, não um processo automático”.

A vida como ela é Ministros só comparecem a eventos como a Conferência Ministerial da OMC para legitimar o que já está negociado pelo corpo diplomático.

Má influência Contrário “à vala comum de Eduardo Cunha”, Osmar Terra (RS) diz que Henrique Alves terá apoio descolando-se do deputado fluminense.

Pára-quedas O PSDB tenta convencer o senador Álvaro Dias (PR) a disputar o governo do DF, em 2014. Ofereceu quatro inserções para o tucano

Jornalista

CMM já promoveu neste ano 104 tribunas e 49 audiências, mesmo assim, parlamentares afirmam ter poucos resultados

HUDSON FONSECA

discorrer sobre combate a corrupção. A última vai ao ar segunda-feira. Eterno retorno O hábito do cachimbo faz a boca torta: o Ministério do Trabalho prorrogou o convênio de R$ 4 milhões com a Fundação Pró-Cerrado para qualificação profissional. A mesma cujo dono “providenciou” um avião para o ex-ministro Carlos Lupi, de triste memória. Strudel com chatice O almoço de Robson Braga, presidente da Confederação Nacional da Indústria, com jornalistas, quarta, tinha a sobremesa Strudel de maçã com chatily (sic)”, como constava do cardápio. Deve ser de chatice. Simples demais Boas ideias não custam caro: Fauzi Nacksour, diretor-geral do DER-DF, colocou três viaturas da Polícia Rodoviária às margens dos eixões Norte e Sul, de Brasília. E em duas semanas não houve um só acidente grave. É que, vendo a viatura, o motorista desacelera. Privataria Referindo-se ao livro-denúncia “A privataria tucana”, o deputado serrista Jutahy Júnior (BA) ataca: “É preciso descobrir os mandantes desse jogo sujo. Quem se envolveu nessa lama tem que aparecer”.

PODER SEM PUDOR

Democracia garantida Nos anos 40, apesar do fim da ditadura Vargas, o poder político era definido segundo a vontade dos “coronéis”, no interior. Era o caso de São Caetano, no agreste pernambucano. Lá, mandava o “coronel” João Guilherme. Na primeira eleição após o Estado Novo, ele destacou capangas para o trabalho, digamos assim, de “boca de urna”: ficavam nas proximidades dos locais de votação perguntando aos eleitores se eles votariam no candidato do coronel. Se a resposta fosse “não”, os eleitores ouviam a “sugestão”: - Acho melhor o senhor não votar, não. É para não atrapalhar a democracia.

Vereador Paulo De’Carli afirma que as tribunas promovem vereadores e só servem para “enfeitar” MEG ROCHA Equipe EM TEMPO

E

mbora a maioria dos 38 parlamentares da Câmara Municipal de Manaus – sem distinção de bancada - concorde que as realizações de tribunas populares e de audiências públicas resultem em pouco ou nenhum resultado prático à sociedade, a casa legislativa já promoveu, no período de fevereiro a dezembro deste ano, 104 tribunas e 49 audiências. As informações são dos setores responsáveis pela organização das respectivas sessões. Dessas, pelo menos 30 ocorreram em dose dupla em um mesmo dia e seis em tripla. O tema mais recorrente nas atividades é o relativo a datas comemorativas, somando o total de 27, seguido das reivindicações de categorias específicas, totalizando 18, e o terceiro refere-se a projetos de entidades. O restante aborda assuntos distintos, desde o problema da falta de água nos bairros e até temáticas atuais como a questão do bullying no ambiente escolar. Os vereadores com a maior quantidade de propostas é o presidente da casa, Isaac

Tayah (PSD), com 16, o vicelíder do governo, Homero de Miranda Leão (PHS), com 11, e a oposicionista Lúcia Antony (PCdoB) com 10. Para o governista Wilker Barreto (PHS), apesar de ser uma forma de abrir as portas da CMM à população, ela declarou que, o avanço nas reivindicações levadas pelo cidadão comum e por repre-

PROMOÇÃO Paulo De’Carli, diz que boa parte das tribunas e audiências constituemse em meios de promoção dos políticos que as propõe, já que maioria das propostas visam atender classes específicas

sentantes da sociedade organizada ao parlamento é inexpressivo. “Avançamos pouco nas problemáticas trazidas ao Legislativo, o percentual de proveito é irrisório. Pergunto: o que de concreto resultou essas tribunas e audiências? Infelizmente, constato que parcela significativa dessas atividades não tem a continuidade necessária para que

seja viabilizado algum benefício real aos “reclamantes”, e por isso, perde-se a praticidade que poderia existir com essas ações”, ponderou. Na avaliação do tucano Paulo De’Carli, boa parte das tribunas e audiências constituem-se em meios de promoção dos políticos que as propõem, já que, quase todas as propostas visam atender classes específicas, questões pontuais, e não de interesse da coletividade. “A grande maioria é de interesse somente de um determinado segmento, promovendo apenas o mandato do autor da sessão, obrigando assim os demais vereadores a participarem de autopromoção parlamentar. São as chamadas tribunas “florzinha”, que só servem pra enfeitar”, alfinetou. O vereador ainda acrescenta que por conta da predominância desse tipo de sessões, acredita que seja necessária a criação de um conselho para decidir o que de fato é importante e prioritário à cidade. “Realmente não vejo praticidade e aplicação em sessões com essa característica, então, considero primordial que um grupo defina o que é ou não relevante a Manaus”, sugeriu.

Muito debate e pouca prática De’Carli criticou também o excesso de tribunas na CMM, que segundo ele, prejudica o andamento no plenário, por dispensar um longo tempo às discussões pontuais em detrimento do debate global em prol da cidade. “Uma tribuna por dia é até louvável, mas, no momento como esse em que estamos fazendo mutirão para zerar a pauta, ter duas tribunas seguidas é incompatível, um erro de quem as programa”, disse ao se referir às duas tribunas ocorridas na última quartafeira (14), uma em dedicação

ao Ministério Público e outra ao Dia da Bíblia. Hissa Abrahão (PPS) também apontou que o exagero na quantidade dessas tribunas tem sido um fator negativo no Legislativo da capital. Para ele, é preciso que essas ações sejam instrumentos de participação da sociedade na CMM. Mas, acentuou que a ausência de acompanhamento póstribunas e audiências é o ponto-chave da ineficácia das atividades. “As sessões quando realizadas

na medida certa, são sem dúvida, uma maneira de aproximar o cidadão da Câmara e para engrandecer as ideias no plenário, porém, só irá funcionar com devida aplicação quando houver um acompanhamento”, salientou. A oposicionista Lúcia Antony (PCdoB), que se classificou como uma defensora das tribunas e audiências ressaltou que elas servem como fomentadoras de reflexão e de direcionamento ao caminho, mesmo que não tenham resultados imediatos.


Com a Palavra

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

A7

Dom LUIZ Soares VIEIRA

‘Sociedade SEM ALMA e OPINIÃO’ FOTOS: ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

NÁFERSON CRUZ Equipe EM TEMPO

C

om mais de meio século de sacerdócio, o arcebispo da Região Metropolitana de Manaus (RMM), dom Luiz Soares Vieira, aos 74 anos de idade, destaca nesta entrevista, que a falta de temor a Deus está sendo exercitada no limite pela sociedade, o que compromete o seio familiar. O arcebispo ainda realça ao EM TEMPO os aspectos sociais, econômicos e culturais e, os momentos marcantes da história que vivenciou, como a morte do papa Pio 12, revoluções comunistas, crises econômicas, religiosas e políticas, além de sua intimidade com o papa João Paulo 2o. Saúde, educação e segurança pública também foram abordados. Bispo há 27 anos, dom Luiz diz ainda, que seu ciclo frente à administração da arquidiocese de Manaus está chegando ao final, no dia 2 de maio de 2012, quando ele pretende se aposentar.

Há crianças sem pais presentes, a escola não tem a possibilidade de substituir a família. Uma criança que não é amada no momento certo vai ser uma criança infeliz a vida inteira e vai trazer consequências para a sociedade”

EM TEMPO – A saúde pública será o tema da Campanha da Fraternidade de 2012. O que será feito para que o quadro problemático da saúde no país seja revertido? DOM LUIZ – Primeiramente, vamos mostrar que a saúde é um dom de Deus e, ensinar que a pessoa tem de pensar em defender sua própria saúde. Também vamos expor na campanha como a saúde vem sendo tratada pelo poder governamental, pelas pessoas que deveriam zelar por ela e não o fazem. O Sistema Único de Saúde (SUS) é conhecido como um dos melhores planos de saúde no mundo, mas, por que ele às vezes não funciona como deveria? Então vamos discutir isso com a sociedade. A saúde tem alguns gargalos, como a falta de médicos e enfermeiros, além de recursos que não são colocados suficientemente para o pleno funcionamento. No entanto, houve ganho em algumas áreas da saúde, mas existem outras deficitárias e isso é uma vergonha. As casas de saúde em Manaus é um projeto interessante, se investissem mais nisso não teríamos hospitais lotados, pois precisamos de um trabalho de prevenção à saúde. EM TEMPO – Falta vontade política para que o mecanismo público funcione para todos? DOM LUIZ - O grande enigma é que os problemas sociais ficam escondidos. Se nós tivéssemos escola de qualidade para toda população, e não apenas

para quem pode pagar, talvez não existissem crianças e adolescentes consumindo drogas e entrando para a marginalidade, o que agrava o problema da violência. Um milhão de pessoas assassinadas ao longo dos últimos anos, como foi noticiado, é muita coisa. A falta de estrutura habitacional é outro ponto crucial. Leva-se água encanada à população, mas não se pensa no esgoto, porque é uma obra que ninguém vê, portanto, não traz voto. EM TEMPO – O senhor está afirmando que isso se transformou em um problema endêmico? DOM LUIZ – Sim, as pessoas ganham a eleição, tomam posse e já começam a fazer campanha política para ganhar a próxima, então não realizam aquilo que deveria ser feito em prol da sociedade, é uma distorção na vida política que é muito séria. Precisamos de uma nova geração de políticos que não tenham vícios do passado. EM TEMPO – A família é o ponto chave para enfrentar as mazelas do cotidiano, como o tráfico de drogas, exploração sexual, trabalho infantil, entre outros? DOM LUIZ – Os jovens estão cada vez mais consumindo e vendendo drogas e entrando para outras atividades ilícitas para obter dinheiro fácil. Sem dúvida, a família é o ponto-chave, mas está se fragilizando. Há crianças sem pais presentes, a escola não tem a possibilidade de subsidiar a família. Ainda temos o lado psicológico, pois sem a presença do pai e da mãe, uma criança que não é amada no momento certo vai ser uma criança infeliz a vida inteira e vai trazer consequências para a sociedade. EM TEMPO – Essa violência que o senhor menciona se deve à carência e à falta de temor a Deus? DOM LUIZ – Dizer que as pessoas que temem a Deus são menos violentas é meio questionável, existem pessoas que se explodem com bombas no meio de multidão em nome de Deus, isso é fanatismo aliado a violência. Eu diria que o conhecimento, o temor ao Deus verdadeiro, não um Deus de vingança, ajudaria até na recuperação de valores. EM TEMPO – O senhor acredita que estamos passando por uma mudança de valores muito rápida e “violenta”? DOM LUIZ – Sim, fatos que sempre acreditávamos que eram certos e bons, de repente já não são mais, isso também atinge a sociedade, porque a

gente cai naquele relativismo, isso aqui é bom para você, isso é bom para mim, então nós vamos viver em uma sociedade sem alma e que está sujeita a tudo, inclusive a cair na mão de fanáticos ou de ditadores, uma sociedade sem opinião. Isso é um caso muito sério e que traz problemas para a convivência social e a paz no mundo. EM TEMPO – Pesquisadores do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (Cern) anunciaram recentemente, que encontraram sinais da existência da partícula de bóson de Higgs, mais conhecida como a “partícula de Deus”, teoricamente responsável pela criação do universo. Isso não preocupa a Igreja e traz um novo paradigma? DOM LUIZ – Quem criou essa partícula e de onde veio? Isso não tem respostas, mas deve existir alguém ou alguma coisa que fez acontecer, como é que de repente houve uma explosão e aconteceu tudo isso, você pode aceitar que realmente o mundo veio de um átomo que é teoria? Isso é uma questão de intelectuais, pois os cientistas que são sérios não vão dizer que vão encontrar o começo, o princípio de tudo, porque isso vai além da ciência. O que está acontecendo é que muitos cientistas estão saindo do terreno da ciência para fazer teoria, aí eles dizem que só valem o que a ciência prova, mas, e antes? O dado é científico, mas não é teoria, esse é o grande problema. EM TEMPO – O senhor acompanhou diversas transformações, crises políticas, revoluções, entre outros. O que mais lhe impressionou nesses 52 anos de sacerdócio? DOM LUIZ – O mundo mudou bastante a partir da década de 60, assim como a Igreja Católica. Assisti coisas impressionantes como o fim da 2ª Guerra Mundial, o auge e o fim do comunismo. Nessa época já estava na Itália, vivíamos em um perigo de guerra porque os ingleses e os franceses invadiram o canal de Suez, em razão da sua nacionalização feita pelo general e presidente do Egito, Gamal Abdel Nasser. Foi um conflito armado que opôs Israel a uma frente de países árabes, foi um período difícil. Anos antes, tivemos a revolução na Hungria e Tchecoslováquia e, ao mesmo tempo Mao Tse Tung, dominava a China. A impressão que nós tínhamos era que o comunismo iria dominar o mundo, mas, de repente tudo isso ruiu e houveram crises em todos os terrenos: religioso, político e econômico.

EM TEMPO – O que o senhor acha desses movimentos que estão surgindo, a exemplo do “Ocupe Wall Street”? DOM LUIZ – Isso é uma coisa nova e boa, pois o mundo estava muito apático. Os bancos estão mandando, instalaram um sistema mais financeiro do que econômico, hoje é tudo virtual você tira de um país seu dinheiro sem nunca ter estado lá. EM TEMPO – O senhor passou um bom tempo estudando em Roma, na Itália. Como era sua relação e ligação com o papa João Paulo 2O? DOM LUIZ – Estudei teologia em Roma até 1960 quando me tornei padre aos 22 anos, antes da idade permitida 24 anos - e precisei de uma licença especial do papa João Paulo 2O, para poder exercer o ministério. A partir dessa data, seis outros papas passaram na minha vida. Lembro-me de quando o papa Pio 12 morreu, estava naquele momento na Universidade Gregoriana de Roma, logo depois foi eleito o papa João 6o. Foi uma experiência interessante. Tive a oportunidade de conhecer o papa João Paulo 2o. Ele recebia os bispos em reuniões e individualmente. Nós éramos muito próximos, ele era mais aberto que o atual papa Bento 16. Sempre que o visitava a primeira coisa que ele perguntava até mesmo pela quantidade de bispos, era a nossa idade e de onde éramos. Quando falava que era de Manaus, ele dizia – que calor, que calor. Ele se interessava muito pelo Brasil. EM TEMPO – O senhor está prestes a deixar a administração da diocese da RMM? DOM LUIZ – Sim, estou chegando na reta final à frente a administração na arquidiocese. No dia 2 de maio de 2012 faço 75 anos de idade, quando vou entregar a carta de aposentadoria ao governo da diocese. Ficarei como bispo, mas não à frente da administração. EM TEMPO – Qual a reflexão que o senhor faz destes 52 anos de sacerdócio? DOM LUIZ – Isso é muito interessante porque a gente adquire muita sabedoria, começamos a dar um peso de vida às coisas que vão acontecendo, a gente não se empolga com certas coisas. Depois, há a mudança moral, que, a meu ver é a coisa mais importante hoje. Temos ainda, a questão da ética na política, você faz um discurso político puritano, mas a prática é corrupta. Não há respeito à vida humana.

Muitos cientistas são orgulhosos por acharem que são os donos da verdade, que só existe o conhecimento científico e que não pode existir outro, por isso não encontram os verdadeiros fatos”

O mundo mudou bastante a partir da década de 60, assim como a igreja. Assisti coisas impressionantes como o fim da 2a Guerra Mundial, o auge e o fim do comunismo”


A8

Política ARQUIVO EM TEMPO/REINALDO OKITA

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

Vereadores se preparam para as próximas eleições Segundo os parlamentares, as articulações só começam em março e abril do próximo ano, quando as candidaturas serão definidas com as convenções, em junho LUANA GOMES Especial EM TEMPO

Leonel Feitoza deve voltar como candidato nas eleições de 2012

A

exemplo dos possíveis candidatos a prefeito, os vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM) estão “tí-

midos” em relação às eleições de 2012, e desconversam quando os assuntos giram em torno das articulações políticas para o período eleitoral. O presidente da casa legislativa, vereador Isaac Tayah (PTB), destaca que ainda

está cedo para falar sobre o futuro político da capital amazonense. O parlamentar declara que ainda está analisando o processo de candidatura, prospectando a situação do partido e como vereador na eleição futura.

O líder do governo na CMM, vereador Leonel Feitoza (PSD), afirma que as articulações só começam a acontecer em março e abril, quando as candidaturas serão definidas com as convenções, em junho.

Diretrizes para as reeleições O vice-presidente da Câmara, vereador Massami Miki (PSL), detalha que está determinado a ser candidato à reeleição. Embora líder regional do partido, Massami comenta que traçou diretrizes para que o diretório municipal possa realmente fazer um trabalho, juntamente com os filiados, e os futuros pretensos candidatos da legenda, aproximadamente 38. De acordo com o parlamentar, a ideia de renovação é sempre um “terror” para cada membro da casa. Massami destaca que toda reeleição é difícil e cada mandato tem um desgaste. Entretanto, ele salienta que, em seu quarto mandato, tem procurado se diferenciar dos anteriores, saindo às ruas da cidade e apresentando mais projetos ao Legislativo. Mesmo assim, ele afirma que vai ouvir lideranças do Estado,

CANDIDATO Vereador Leonel Feitoza detalha que, naturalmente, deve voltar como candidato, mas ainda é um planejamento apenas para o próximo ano como o senador Eduardo Braga (PMDB) e o governador Omar Aziz (PSD) para saber em qual rumo “marchar”. O vereador Homero de Miranda Leão (PHS), vice-líder do Executivo na CMM, destaca que o partido está organizado, e deve se unir junto aos outros partidos da base do prefeito para formar um “chapão” para caminhar na próxima eleição. Se o prefeito optar por não se candidatar, Homero minudencia que eles seguem com o candidato indicado pelo Executivo. Apesar da concorrência, o parlamentar enfatiza que a sociedade amazonense é quem faz o julgamento dos candidatos que colocou na casa e avalia sobre a permanência desses legisladores. “O controle de qualidade do parlamento está na mão da sociedade, dos eleitores”, ponderou.


Caderno B

Economia economia@emtempo.com.br

(92) 3090-1045

Corrida pelos investimentos em hotéis Página 3

ILUSTRAÇÃO: ELVIS

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

‘Start’ para as usinas a gás no interior em 2012 Quatro municípios que perpassam o gasoduto Coari-Manaus terão usinas de geração de energia elétrica movidas a gás RICHARD RODRIGUES Equipe EM TEMPO

F

oi dada a “largada” para a mudança da matriz energética no interior do Estado. Até abril do próximo ano, os municípios de Anori, Anamã, Caapiranga e Codajás, percorridos pelo gasoduto CoariManaus, terão um “upgrade” nos seus sistemas energéticos com a inauguração de quatro usinas termelétricas movidas a gás. Os empreendimentos, que demandaram aporte de R$ 32 milhões, aumentarão em 134% a capacidade de energia, conforme a Eletrobras Amazonas Energia. Segundo o diretor de Geração e Operação do Interior da concessionária, Radyr Oliveira, as obras das usinas estão em pleno vapor e algumas devem ser entregues já no início de 2012. “A expectativa é de que as primeiras usinas, como é o caso da termelétrica de Codajás, sejam entregues em fevereiro. As obras estão em andamento e algumas em fase de finalização”, revela o dirigente, ao destacar que os empreendimentos beneficiarão 330 mil unidades consumidoras do interior. Ainda sobre as obras nos

municípios, Oliveira destaca que todos os procedimentos foram tomados para a viabilização das obras e não há riscos de interrupções ou atrasos no cronograma. “Todas as licenças foram concedidas pelos órgãos competentes, as obras estão em pleno vapor e todos os equipamentos a ser instalados nas termelétricas

INVESTIMENTO

A mudança da matriz enérgetica em quatro municípios do Amazonas demandou aporte de R$ 32 milhões. Com a conversão, as usinas termelétricas aumentarão em 134% a capacidade de energia

Avanços para mais municípios até setembro Os outros três municípios por onde o gasoduto Coari-Manaus passa — Manacapuru, Iranduba e Coari — também terão avanços no que diz respeito à geração de energia, conforme garante a estatal. “Até setembro do próximo ano, os municípios de Iranduba e Coari estarão interligados a Manaus, o que ocasionará também em melhorias nessas duas cidades”, destaca o diretor de Geração e Operação do Interior, ao acrescentar que a interligação facilitará incluir os municípios ao Sistema Interligado Nacional (SIN)

após a conclusão das obras do Linhão do Tucuruí, previstas para 2013. O diretor também não descarta a possibilidade de instalação de uma usina termelétrica a gás em Manacapuru, já que há uma área própria nas proximidades do gasoduto, caso haja a necessidade de ampliação da capacidade de energia na cidade. “A Petrobras disponibilizou um city gate (espaço) para a construção de uma termelétrica, o que não descartamos no futuro”, revela o executivo. Em Coari, um Produtor In-

dependente de Energia Elétrica (PIE) deverá entrar em atuação dentro de dois anos. “Vamos realizar um leilão para que um PIE possa vir a atuar não só em Coari, mas também em mais 33 localidades próximas ao município”, ressalta Oliveira. Planos para o interior Somados às entregas das termelétricas, a Amazonas Energia também tem outros planos voltados para o interior. Para solucionar problemas pontuais em tempo hábil, a concessionária instalará pontos de aten-

dimento nos municípios de Parintins, Manacapuru, Tefé, Itacoatiara e Tabatinga. “A ideia é agilizar o atendimento e a prestação de serviços no interior. Vamos descentralizar a atuação da Amazonas Energia para o fortalecimento no interior com a instalação das cinco regionais”, informa o diretor de Geração e Operação do Interior da concessionária, Radyr Oliveira, ao frisar que os escritórios atenderão não só os municípios nos quais passarão a funcionar, mas também as cidades e comunidades adjacentes. DIVULGAÇÃO

já estão em Manaus”, assegura o dirigente, ao pontuar que, somente em equipamentos, foi destinado aporte de R$ 26 milhões. Com as novas usinas, a capacidade de geração de energia nos quatro municípios será duplicada. Na termelétrica de Codajás, por exemplo, a potência, que atualmente é de 3.200 kilowatts, passará a ser de 5.484 megawatts.

Combustível aumenta potência Além da termelétrica de Codajás, as outras três usinas a ser entregues no primeiro quadrimestre de 2012 também proporcionarão às cidades aumento da potência energética. Em Anori, onde a capacidade de energia atual é de 1.880 kilowatts, o volume passará a ser de até 4.570 kilowatts, após a instalação de cinco grupos geradores de 914 kilowatts cada. No empreendimento de Caapiranga serão instala-

dos cinco geradores com capacidade de 433 kilowatts. A expectativa é de que sejam gerados no município até 2.165 kilowatts, enquanto atualmente a concessionária dispõe de apenas 1.880 kilowatts. Já em Anamã, onde a Amazonas Energia disponibiliza 1.250 kilowatts, a implantação da nova termelétrica possibilitará ao município também 2.165 kilowatts, por conta da operação de cinco geradores. Em dois anos, um Produtor Independente de Energia Elétrica (PIE) deverá entrar em funcionamento no município de Coari


B2

Economia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

O ano das oportunidades para o mercado executivo Amazonas está entre os Estados que devem contratar executivos com salários que vão até R$ 25 mil, conforme estudo de uma empresa de recrutamento RICHARD RODRIGUES Equipe EM TEMPO

DIVULGAÇÃO

A

s turbulências que vários países enfrentam parecem não afetar os planos das empresas nacionais, que pretendem ampliar os investimentos no próximo ano. Segundo o estudo ‘Mapa de Perspectivas 2012’, executado pela empresa de recrutamento Michael Page, 63% do empresariado brasileiro está disposto a investir em contratações, e o Amazonas está entre os Estados onde a oferta de vagas para executivos, com remuneração de até R$ 25 mil, pegará “carona” no bom momento. O representante da Michael Page, Leonardo Souza, afirma que os investimentos são mais esperados nos setores de petróleo e gás, mineração e de bens de consumo, que é o caso do Amazonas, onde se concentra o Polo Industrial de Manaus (PIM). “Nós também acreditamos que haverá expansão econômica, o que implicará no aumento da necessidade de profissionais com remunerações que vão de R$ 12 mil até R$ 25 mil”, acrescenta. Ainda sobre o mercado amazonense, Souza destaca um dos fatores que deverá gerar resultados na contratações de profissionais no Estado - a execução dos projetos aprovados pelo Conselho de Administração da Suframa (CAS) e Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam).

Recrutamento na Região Norte Além do Amazonas, que segundo a Michael Page, deverá ter destaque em contratações de executivos por conta do PIM, a empresa projeta alta demanda por profissionais no Estado do Pará. “O que move tanto a Região Norte quanto a Nordeste é o mercado interno, que vem crescendo e ainda tem muito potencial de expansão. Especificamente na Região Norte, o destaque de

contratação de executivos deverá ocorrer no Amazonas, desempenho ocasionado pelo PIM, e no Pará, em função dos investimentos nos setores de mineração e portuário”, frisa o representante da recrutadora, Leonardo Souza. Efeitos da crise ‘respingam’ no Brasil Mesmo diante das adversidades econômicas enfrenta-

das em países europeus e nos Estados Unidos, o empresariado nacional acredita que os impactos deverão “respingar” no Brasil. Conforme a pesquisa ‘Mapa de Perspectivas 2012’, mesmo diante de alguns entraves que podem ser causados por conta da instabilidade econômica internacional ao mercado brasileiro, nada deverá frear os planos já traçados para o país.

Alfredo MR Lopes alfredo.lopes@uol.com.br

A nova batalha da borracha Em outubro último completaram-se 35 anos da morte de Cosme Ferreira, um visionário amazônida que nasceu no Ceará e veio criança para este Estado que chamava de seu e onde ficou por mais de 80 anos. Obstinado pelo aproveitamento racional dos recursos naturais da floresta, seu beneficiamento e agregação de valor, Cosme integrou uma legião de pensadores que fizeram da pena e da conduta um arsenal de resistência e persistência para reinventar a Amazônia, após as quebradeiras da economia do látex. É preciso revisitar sua obra, contextualizar seus apelos, ajustá-los aos novos tem pos, de questionamento do modelo ZFM, dos indícios de seu esvaziamento e obrigatoriedade de reflexão. Impõe-se ouvir o brado deste visionário, que jamais aceitou o fracasso da borracha nativa e tudo fez para cotejar e superar em solo amazônico os acertos da cultura extensiva da seringueira plantada nos domínios asiáticos da Inglaterra. Deputado estadual e federal, empresário, jornalista e refinado poeta, Cosme escreveu, entre outros, Em Defesa da Borracha Silvestre Americana (1928); Notas Parlamentares sobre a Constituinte Amazonense (1935); Borracha, Problema Brasileiro (1938); Problemas da

Amazônia (1940); A Borracha na Economia Amazônica (1952); Novas Bases para a Política Econômica da Borracha (1953); Novos Ângulos do Problema Amazônico (1954); Economia da Produção (1956); Amazônia em Novas Dimensões (1961); Porque Perdemos a Batalha da Borracha (1965). Que beleza! Â Implantou a Companhia Nacional de Borracha, de Plantações e de Guaraná, e previu o esvaziamento da Zona Franca por não investir na industrialização dos produtos do extrativismo. “O melhor caminho para cuidar da floresta é dela extrair racionalmente seus frutos”. Cultura de grãos nas várzeas, juta e malva, pecuária bubalina, guaraná , castanha e borracha, a heveicultura, especialmente a heveicultura. “Temos tudo para superar em qualidade e produtividade as plantações da Hevea brasiliensis na Malásia”. O grito de alerta de Cosme Ferreira ecoa na ante-sala do novo milênio. É possível promover a renascença do látex, com determinação e estudos, diz Muni Lourenço, da federação da Agricultura, ao lado de Pedro Falabella na Afeam, e sua poronga de led, Valdelino Cavalcante, da Agência de Desenvolvimento Sustentável, além da curiosidade e excitação de alguns setores da academia, as bênçãos da Santa Aliança, a

reunião das entidades do setor produtivo, que até mudou de nome e agora se chama Ação Empresarial, para sinalizar a vontade politica e determinação efetiva de fazer. Por enquanto 2011 encerra com 1,5 mil toneladas e a empresa que se instala no polo industrial d e Manaus vai demandar 3 mil para atender a produção de pneus para motos e bicicletas. O mais gratificante é assegurar junto à Conab o preço mínimo de R$ 3/kg, que dobrou este ano e já alcança R$5,5/kg para as mais de 2 mil famílias de novos seringueiros com o DNA cearense e adjacências nordestinas de uma batalha que não acabou. Se a Embrapa foi à África para compartilhar biotecnologia, o Inpa entende tudo de agroindústria no bioma tropical. Na sua obra Poweshiſt: As Mudanças de Poder, A lvin Tofler já alertava para o papel do conhecimento na mudança significativa no conceito e exercício do poder. E no caso da Amazônia, conhe cimento não é apenas mais um recurso, ao lado dos tradicionais fatores de produção: trabalho, capital e terra, mas sim o maior recurso, a única possibilidade da mudança em seu paradigma de desenvolvimento na sustentabilidade e prosperidade de seus bionegócios... como prenunciava Cosme Ferreira.

Alfredo MR Lopes Filósofo e consultor ambiental

Impõese ouvir o brado deste visionário, que jamais aceitou o fracasso da borracha e tudo fez para cotejar e superar em solo amazônico a cultura extensiva da seringueira”


Economia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

B3

Corrida por empréstimos para estruturar hotelaria

Empresários do setor, da capital, aproveitam a facilidade ao crédito e juros acessíveis para investir nos empreendimentos ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

ANWAR ASSI Equipe EM TEMPO

E

De “olho” na Copa do Mundo de 2014, empresário Eduardo Torres faz planos para emprestar investimento de R$ 2 milhões

stimulados pela facilidade ao crédito e juros “convidativos”, empresários do setor hoteleiro da capital impulsionam a corrida pelos empréstimos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO) para consolidar seus empreendimentos. Do total de R$ 616 milhões aplicados este ano pelo fundo, no Amazonas, em torno de 10%, ou R$ 61 milhões, foram destinados para a área de hotelaria, conforme dados do Banco da Amazônia, que administra o FNO. “Em 2011, os empréstimos do setor cresceram em torno de 30%, na comparação com o ano passado. Este montante é resultado em boa parte do desejo dos empresários em fortalecer a infraestrutura hoteleira para apoiar a Copa de 2014”, afirma o superintendente regional do

banco, José Alves Bezerra. Segundo ele, as condições facilitadas para a concessão do crédito, os juros acessíveis – que variam de 6,75% a 10% conforme o porte do empreendimento -, e o prazo de até 12 anos, com quatro de carência, para quitar o empréstimo, são fatores que contribuíram para o aumento na busca pelos financiamentos. José Bezerra explica que para obter o crédito é preciso apresentar um projeto e preencher requisitos como, estar com os impostos regularizados. “Depois da aprovação, o contrato é assinado e, em uma semana, o dinheiro é liberado”, afirma. O presidente do Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares do Amazonas, Roberto Tadros, afirma que é comum o empresário recorrer ao empréstimo do FNO para estimular seus empreendimentos. “Os juros são mais convidativos”, ressalta.

Setor tem aporte de R$ 200 mi Além do FNO, os proprietários de hotéis têm outras fontes para buscar recursos e incrementar os negócios. Em setembro deste ano, a Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) lançou o Programa de Apoio à Construção de Hotéis para a Copa de 2014 (PACH Mundial 2014) que vai disponibilizar, por meio do Fundo de Desenvolvimento da Amazônia (FDA), uma verba de R$ 200 milhões para financiar a construção ou a modernização de hotéis em Manaus e Cuiabá.

Atualmente, a rede hoteleira da capital possui mais de 200 hotéis que oferecem 5,6 mil quartos ou 11,2 mil leitos. O setor privado deve investir na infraestrutura hoteleira R$ 317 milhões até 2014, conforme estimativa da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), elevando para 16 mil a oferta de leitos em Manaus. O setor emprega 64 mil funcionários, conforme dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Amazonas (ABIH-AM).

ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

Hotéis estruturam espaços para atrair turistas na Copa

‘De olho’ na Copa do Mundo Ao acreditar nos “bons ventos” que a Copa de 2014 pode trazer para o seu negócio, o empresário Eduardo Torres, 43, faz planos para pegar recursos de R$ 2 milhões do FNO e poder ampliar o hotel de sua propriedade, o Dez de Julho, no Centro. Ele quer elevar para 90 o número de apartamentos no local, com a construção de mais 30 unidades. “Tudo tende a melhorar com a Copa. Por este motivo, procurei me antecipar. Espero que depois dos jogos, seja criado um novo atrativo para o turismo”, completa. Caso consiga o dinheiro, será a segunda vez que

o empresário recorre aos créditos para expandir os negócios. Há sete anos, ele já havia emprestado do FNO R$ 350 mil, na época, com carência de dois anos e juros abaixo de 1%, para reformar o empreendimento, com a instalação de condicionadores de ar e frigobar novos. “Só não peguei ainda este novo empréstimo por causa da burocracia do governo quanto aos prédios históricos. Os juros são baixos e o prazo é bom. Esse recurso me ajudou a melhorar o meu hotel, que passou a receber uma clientela um pouco mais elitizada”, enfatiza Eduardo Torres.


B4

Economia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

Qualquer negócio para conquistar consumidores

Lojistas da capital apostam nas facilidades de pagamento e até em brindes, para atrair consumidores neste fim de ano SHANA REIS

LARISSA VELOSO Especial EM TEMPO

F

im de ano é época de presentear, aproveitar o décimo terceiro e a facilidade ao crédito para comprar ou realizar um desejo de consumo. É com essa expectativa que as lojas da capital apostam nas vendas parceladas, descontos à vista e até brindes para oferecer aos clientes os produtos considerados “queridinhos do ano” – os smartphones e tablets. Tudo para competir no mercado e levar a tecnologia às mãos do consumidor. Além da grande variedade de produtos, dos mais acessíveis aos mais caros, neste final de ano os consumidores contam com inúmeras facilidades de pagamento. Para aproveitar o melhor período das vendas, lojistas garantiram maior volume de mercadorias e até aumentaram o número de parcelas, sem juros, no cartão de crédito. O setor estima que o pagamento da segunda parcela do décimo terceiro também deve estimular as compras a partir do dia 20, mas a expectativa é de que o cartão ainda seja a principal escolha para as

compras dos consumidores. É que as opções de parcelamento vão de pelo menos três vezes até 12 vezes. Para o presidente da Associação Comercial do Amazonas (ACA), Gaitano Antonaccio, esta será a forma preferida pelos consumidores, por conta do endividamento da população neste período. Mas, segundo ele, é preciso ter cautela ao optar pelas compras no cartão de crédito, especialmente se o consumidor já tiver adquirido outras dívidas. Antonaccio lembra que o Natal é a única data na qual todos são presenteados. Apesar de não responder pela maioria das vendas, ele ressalta que o setor de informática deve ter grande procura. Considerados como uma aposta nacional do comércio de eletrônicos para o período, os smartphones e tablets podem ser encontrados nas lojas da capital a preços que vão de R$ 500 e ultrapassam os R$ 3mil. E os comerciantes do segmento garantem: celulares são sempre a maior procura do período e, com preços mais acessíveis, até quem nem imaginava poderá iniciar 2012 com um smartphone na mão.

‘Queridinhos’ com preços acessíveis As câmeras digitais estão entre as apostas para o fim de ano. Após sucessivas quedas no preço, já é possível comprar o aparelho a partir R$ 198, na loja Ramsons, por exemplo. Já os tablets custam a partir de R$ 600 até R$ 3 mil. A média de preços foi encontrada nas lojas Info Store, Mirai Panasonic e Ramsons, onde o cliente pode pagar em até oito, dez e 12 vezes sem juros, respectivamente. Além da facilidade, vale até “presentear” o cliente. A loja Mirai Panasonic oferece como brindes, um cartão de memória e uma capa para quem comprar uma câmera digital, em qualquer loja da rede de eletrônicos. Com as facilidades de pagamento, até quem não esperava pode adquirir um smartphone


MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

Economia

B5

Novos empreendimentos tomam conta da capital Patrimônio e Urbis encerram o ano com saldo de construções positivo e projeto de três lançamentos para 2012

O

setor da construção civil promete “sitiar” a capital amazonense com mais empreendimentos no próximo ano. Como parte dos investimentos, a Patrimônio Incorporadora e a Urbis Engenharia planejam lançar em 2012 três novos conjuntos habitacionais, voltados para os públicos A, B e C. O diretor executivo da Urbis, Marco Bolognese, destaca que um dos lançamentos será um residencial vertical na Vila Municipal, no bairro Adrianópolis. De acordo com o diretor, seguindo a linha das duas parcerias, o projeto promete ser ousado e campeão em vendas. Presente em São Paulo, Ribeirão Preto, São Bernardo, Fortaleza, Teresina, Natal, Belém e Manaus, Patrimônio e Urbis Engenharia pretendem transformar a capital amazonense em um dos principais polos de investimento imobiliário. Um dos reflexos dessa meta é a entrega, na segunda quinzena de janeiro de 2012, do residencial The Place - um edifício comercial com 180 salas, no bairro Adrianópolis, com infraestrutura de alto padrão.

DIVULGAÇÃO

Vendas Todos os empreendimentos da Patrimônio e Urbis – o Smile Parque de Flores, o Smile Village Cidade Nova, o Mundi Resort, o Vila Gaia e o Concept – estão com percentual médio de venda de mais de 70%. E valorizações que ultrapassam a casa dos 30%, como destaca o diretor executivo da Patrimônio Incorporadora, Marcelo Junqueira. Para ele, as vendas são resultados dos investimentos em produtos de qualidade, com conceito e focados em seus públicos-alvo. Como é o caso dos residenciais Smiles, que têm foco no público B e C, e por essa razão estão localizados estrategicamente em bairros de grande potencial de crescimento e com diversidade de classes socais. Já o Mundi Resort Residencial está na sua terceira e última fase de unidades habitacionais comercializadas, com 75% de todo o residencial vendido. O mais novo e luxuoso produto da parceria Patrimônio e Urbis, o Concept, lançado no final do ano passado, teve 100% de sua primeira fase comercializada, ainda no mês do lançamento.

Empresas fecham o ano no ‘azul’ O diretor executivo da Urbis, Marco Bolognese, revela que a parceria Patrimônio e Urbis fecha o ano com um saldo de 280 mil metros quadrados em construção e 1,8 mil empregos diretos e indiretos gerados, em cinco empreendimentos. As empresas encerram o ano consolidando a primeira fase do Vila Gaia, condomínio na região da avenida das Torres e entregam até o final do ano o residencial de lotes Reserva do Parque, no bairro Ponta Negra. Para Bolognese, com a entrega dos produtos, o mercado imobiliário se expande com qualidade. “O mercado em Manaus deve continuar em expansão desde que haja qualidade de obra”, ressalta. Residenciais que serão lançados pela Patrimônio e Urbis serão voltados às classes A, B e C


País

B6

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

Governo quer fronteira brasileira mais protegida O país pretende estimular o desenvolvimento econômico nas fronteiras para inibir organizações criminosas internacionais

O

governo federal estuda formas de promover a ocupação efetiva das regiões de fronteira do país, desenvolvendo a economia e garantindo a infraestrutura necessária, tanto para atrair novos habitantes quanto para que quem já vive ao longo dos mais de 16 mil quilômetros de fronteiras nacionais não deixe a área. A informação, que já havia sido parcialmente antecipada em outubro deste ano, foi confirmada na última quinta-feira (15), pelo vice-presidente da República, Michel Temer, durante o anúncio dos resultados dos seis primeiros meses de execução do Plano Estratégico de Fronteiras, do qual Temer é o coordenador-geral. A Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) está concluindo um plano de ocupação sustentável das áreas de fronteiras na Amazônia. De acordo com o ministro Moreira Franco, a proposta é aproveitar os esforços que os governos federais, estaduais e municipais têm feito para combater a prática de crimes como a entrada de drogas e de mercadorias contrabandeadas no país e levar serviços públicos aos residentes em comunidades isoladas

DIVULGAÇÃO

de áreas fronteiriças amazônicas, além de estimular o desenvolvimento econômico por meio de atividades sustentáveis. “Estamos aguardando a segunda fase do Plano Estratégico de Fronteiras para que tenhamos condições de sair da ação exclusivamente dissuasória e repressiva e juntar a elas o esforço de consolidarmos as populações nessas áreas, garantindo assim resultados sociais e econômicos a essa ação de proteção da fronteira”, disse Moreira Franco. Presentes ao anúncio, os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Defesa, Celso Amorim, destacaram a importância de ocupar ou fixar as populações que já vivem nessas regiões como forma de coibir atividades ilícitas. “Fixar essas pessoas na área é uma forma adicional de demarcar território e de vivificá-lo, demonstrando à criminalidade que o Estado está presente, o que é um fator de grande dissuasão para os criminosos nas fronteiras”, disse Amorim, confirmando a intenção de ampliar a presença das Forças Armadas nas áreas. “Acho que, no longo prazo, deverá haver um aumento do número de pelotões”.

Investimento em número de policiais Já o Ministério da Justiça planeja investir recursos na ampliação do número de policiais federais e rodoviários federais nessas áreas, construindo residências e melhorando os salários desses profissionais a fim de motivá-los a se fixarem. “Não é simples fixar e dar boas condições de trabalho aos policiais que atuam nas fronteiras. Faltam residências, os custos de vida às vezes são muito elevados. Por isso, temos que melhorar a remuneração dessas pessoas e, criar condições para que elas vivam em condições dignas”, comentou Cardozo, destacando a importância da integração das forças federais, estaduais e municipais no combate ao crime. Operação “Ágata 3” levou soldados da força de segurança a ocuparem a fronteira com a Bolívia

DEZEMBRO

BOLSA FAMÍLIA

Programa evita clientelismo O governo federal assinou com os Estados da Região Centro-Oeste termos de compromisso para tirar da miséria 557 mil pessoas das áreas urbana e rural de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e do Distrito Federal. Em seu discurso, Dilma sublinhou caráter de política de Estado do combate à miséria, agora com adesão de todos os Estados. “Governadores de diferentes partidos podem e são capazes de conviver em um programa com a mesma bandeira”, disse. Segundo a presidente, o enfrentamento da extrema pobreza ocorre por meio de várias ações, entre elas o programa Bolsa Família cuja sistemática de repasses aos beneficiários (cerca de 13 milhões de famílias) é feita por “método impessoal” e que “evita clientelismo”. Dilma Rousseff associou o crescimento econômico à

inclusão social com inclusão produtiva dos mais pobres na economia. “Nosso país mudou de paradigma de visão quando nós percebemos que para o país crescer nós precisávamos crescer junto com eles, e nós teríamos que elevar o nível de renda das populações mais pobres do país. Na nossa concepção, não há como este país ser rico se tiver pobres”. Durante ao evento, a presidente comemorou o fato de o governo ter ampliado este ano o cadastro de famílias beneficiárias do Bolsa Família em mais 407 mil registros (50% da meta de 800 mil famílias); ter inscrito 71 mil pessoas em vagas do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec); ter incluído 82 mil agricultores no Programa de Aquisição de Alimentos de Agricultura Familiar (PAA); e viabilizar a instalação de 315 mil cisternas.

WILSON DIAS/ABR

Dilma, ao lado dos governadores da Região Centro-Oeste

Programa amplia em 2012 A ampliação das ações sociais foi atribuída à busca ativa como é chamado o conjunto de estratégias para localizar e atender as populações pobres. Para Dilma Rousseff, a es-

tratégia dará sustentabilidade às ações sociais do programa Brasil sem Miséria, intensificando o atendimento à população carente. “Em 2012, vamos fazer muito mais que isso”, disse.

Índice de Expectativa do Consumidor fica estável A confiança do consumidor permaneceu estável entre os dias 2 e 5 deste mês, na comparação com a pesquisa anterior, feita entre os dias 17 e 21 de novembro, informou a Confederação Nacional da Indústria (CNI), que na sexta-feira (15) divulgou o Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec). Em dezembro, o índice ficou em 113,4 pontos, igual ao de novembro. Segundo a CNI, o índice está acima da média histórica, mas 3,2% abaixo do de dezembro de 2010. Compõem o Inec expectativas sobre desemprego, compras de bens de maior valor, renda pessoal e inflação, além de uma avaliação da situação financeira e do endividamento no período pesquisado. Pela metodologia da CNI, o aumento do indicador reflete melhora no item avaliado. Em novembro, a expectativa de desemprego entre os consumidores passou de 126,9

pontos para 123,7 pontos. No item renda pessoa, a expectativa passou de 114,9 pontos para 115,9 pontos e, no caso da inflação, de 102,1 pontos para 105,4 pontos. A situação financeira foi de 114,4 pontos para 114,7 pontos e a de compra de bens de maior valor, como móveis e eletrodomésticos, de 114,5 pontos para 114,9 pontos. Houve recuo de 107,4 pontos para 105,5 pontos na expectativa de endividamento. Para a CNI, o pessimismo dos brasileiros quanto ao desemprego e ao endividamento está comprometendo as compras de Natal. Recentemente, o governo anunciou medidas para estimular o consumo como forma de combater os efeitos da crise mundial na economia brasileira. Foram reduzidos o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) da chamada linha branca e o Imposto sobre Financeiras (IOF) de operações.


País

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

ESTRANGEIROS

HEMOFILIA

Cerco a importados com falsa declaração de origem nio do produto, será protegido por meio contratual. Com isso, o importador poderá pedir ressarcimento por alguma incorreção. Agora, os dois estão vinculados. O importador é solidariamente responsável pelas informações apresentadas pelo exportador-produtor relativas aos produtos que tenha importado”, explicou. O mecanismo de falsa declaração de origem é utilizado por alguns países para driblar o recolhimento dos custos relacionados à aplicação, pelo Brasil, do direito “antidumping” – usado quando um país comprova que o exportador fixa preços muito abaixo dos valores de mercado do país importador, para eliminar a concorrência. Além disso, as investigações de defesa comercial serão baseadas na origem declarada do produto. VALTER CAMPANATO/ABR

A partir de março do ano que vem, os importadores serão corresponsáveis pelas informações dos produtos fornecidos pelos vendedores de países estrangeiros. O objetivo é fechar o cerco à entrada de importados com falsa declaração de origem. Segundo o coordenador-geral de Administração Aduaneira da Receita Federal, Dario da Silva Brayner, o respaldo dos empresários brasileiros deve ser feito por meio de contrato com o exportador. As mudanças constam da lei 12.546, publicada no Diário Oficial da União de quinta-feira (15). As alterações entram em vigor em 70 dias. As mudanças complementam a medida provisória 540, que trata do Plano Brasil Maior, política industrial lançada pelo governo federal em agosto. “Quando não se tem domí-

Tratamento será feito em casa

Feira dos importados conhecida como feira do Paraguai (DF)

O Sistema Único de Saúde (SUS) passou a oferecer em dezembro medicamento preventivo para tratamento de crianças com hemofilia grave dos tipos A e B em casa. O medicamento é indicado para quem tem até 3 anos de idade e tenha sangramento ou hemorragia em articulações do corpo. O remédio já estava disponível no SUS, a novidade é que agora os pais podem levar o medicamento para tratar a criança em casa. O tratamento é recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A criança toma o medicamento para repor regularmente o fator de coagulação no sangue. Com isso, previne lesões nas articulações e diminui as chances de sangramentos. Para ter direito ao remédio, a criança precisa ter cadastro em um dos 35 centros de tratamento de hemofilia – a maioria deles vinculados aos hemocentros dos Estados ou municípios. Depois de uma avaliação médica e psicológica, os pais ou responsáveis assinam termo de compromisso sobre o uso do medicamento pela criança em casa. A hemofilia é uma doença genética e hereditária no sangue que provoca falha na coagulação.

B7

Lei federal vai proibir o cigarro em local público O Ministro da Saúde espera que lei ajude, com advertências e penalidades, a diminuir número de fumantes no Brasil MARCELLO CASAL JR/ABR

Campanhas do Dia Nacional de Combate ao Fumo em locais públicos traz um cigarro gigante

C

om o fim dos fumódromos em locais fechados, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, espera diminuir o consumo de cigarros e outros produtos derivados do tabaco entre os jovens. “Essas medidas devem contribuir para diminuir o consumo nesse público”, disse o ministro. Segundo ele, o teor das mensagens de advertência e as penalidades para os estabelecimentos que descumprirem a lei devem ser definidas no primeiro trimes-

tre de 2012. O ministério, de acordo com Padilha, pretende promover uma campanha, no rádio e na televisão, para orientar a população sobre as novas regras. Desde a última quinta-feira (15) está proibido o fumo em locais fechados de acesso público em todo o país, como bares, restaurantes e boates, inclusive nos chamados fumódromos, áreas reservadas para os fumantes. É o que prevê lei sancionada pela presidente Dilma Rousseff. Até agora, a restrição vigorava apenas nos

Estados de São Paulo, do Rio de Janeiro e do Paraná, determinada por leis estaduais. A nova lei prevê preço mínimo para os cigarros, aumento da carga tributária sobre os produtos derivados do tabaco e proíbe a propaganda nos locais de venda. Em 2012, o cigarro deve ficar 20% mais caro. Por sugestão do Ministério da Saúde, Dilma vetou o artigo da lei que permitia aos fabricantes de cigarros fazer propaganda em ocasiões como festivais de música e eventos esportivos, sem citar os produtos.


B8

Mundo

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

DIVULGAÇÃO

Soluções para crises do clima

Grupo de pesquisadores aponta medidas simples para baixar temperatura global

E

A fuligem produzida por ônibus e caminhões na Ásia é a causa de mortes por complicações respiratórias para a população

nquanto os governos procrastinam até 2020 para começar a resolver a crise do clima, um grupo de pesquisadores apontou uma maneira de retardá-la. Eles afirmam que medidas simples podem abaixar a temperatura global em 0,5ºC até 2050. As ações atacam emissões de fuligem (carbono negro) e de metano, que ficam pouco tempo no ar, mas ajudam a esquentar o planeta. Essas substâncias são conhecidas conjuntamente como forçadores climáticos de vida curta, ou SLCFs, na sigla em inglês. O combate a elas tem a vantagem de não depender de acordos internacionais complicados e de não enfrentar lobbies poderosos. Além disso, tem dois efeitos colaterais desejáveis: salva vidas em países pobres e beneficia a agricultura. Isso porque a fuligem, produzida em fogões a lenha na África e por ônibus e caminhões na Ásia, é uma causa importante de mortes por complicações respiratórias. O metano, por sua vez, é um dos precursores do ozônio troposférico, um poluente que é tóxico para humanos -mas também para plantas. Um relatório lançado com pouco alarde pelo Pnuma (Pro-

grama das Nações Unidas para o Meio Ambiente), durante a conferência do clima de Durban, identificou um pacote de 16 ações para combater esses poluentes. Se implementadas até 2030, elas poderiam evitar, por ano, 2,4 milhões de mortes e perdas agrícolas de 32 milhões de toneladas. Além disso, poderiam aju-

POLUIÇÃO

A fuligem produzida em fogões a lenha na África e por ônibus e caminhões na Ásia, é uma das causas importantes de mortes por complicações respiratórias em todo o mundo

dar a atrasar por algumas décadas a elevação da temperatura global de 2,5ºC a 4ºC neste século -resultado que a conferência de Durban não fez nada para evitar. “Os SLCFs não são parte da negociação, mas eles são relevantes, porque nos ajudam a recuperar parte do tempo perdido”, disse o diretor-executivo do Pnuma, o alemão Achim Steiner.

Resoluções globais em Durban O combate internacional à mudança climática teve seu maior avanço político desde a criação do Protocolo de Kyoto, no fim dos anos 1990. A COP-17, a conferência do clima de Durban, África do Sul, terminou na madrugada de sexta-feira (15) lançando a base para um futuro acordo contra as emissões de gases-estufa, que envolve metas para Estados Unidos e China, os dois maiores poluidores do planeta -mas só após 2020. Também foi aprovada uma controversa extensão do acordo de Kyoto, que envolve apenas a União Europeia e mais um punhado de países e que por enquanto não tem nem intervalo de tempo definido para vigorar. E foi lançado o chamado Fundo Verde do Clima, que tem a promessa de US$

100 bilhões anuais a partir de 2020 para combater as emissões e promover ações de adaptação à mudança climática nos países em desenvolvimento. Embora não façam rigorosamente nada para combater o aquecimento global hoje - exceto manter os compromissos fracos que os países já haviam adotado na conferência de Copenhague, em 2009, e que deixam o mundo no rumo de um aquecimento de 2,5ºC a 4ºC neste século -, as decisões adotadas em Durban têm caráter histórico. A principal delas, um texto de uma página e meia batizado de Plataforma de Durban, estabelece um calendário para criar “um protocolo, outro instrumento legal ou um resultado acordado com força legal” em 2015, que possa entrar em vigor até 2020.

CORREDOR

Sentença de pena de morte cai ao menor nível nos EUA As novas sentenças de pena de morte nos Estados Unidos caíram para o menor nível em 35 anos, segundo estudo do Centro de Informações sobre Pena de Morte, localizado na capital federal. O levantamento aponta que neste ano 78 pessoas receberam a pena capital, o que representa queda de 30% em relação ao ano passado, quando 112 pessoas foram assim sentenciadas. Em 2000, haviam sido 224. O resultado de 2011 representa o menor patamar desde que a pena de morte foi reinstalada em 1976 nos EUA. O centro aponta mudanças

na legislação e em procedimentos nos Estados, a maior resistência dos jurados à pena e o alto custo para executar os condenados como fatores que contribuíram para a redução. O número de Estados que adotam pena de morte vem caindo, segundo Richard Dieter, diretor-executivo do centro. Dos 50 Estados nos EUA, 34 adotam a pena. Illinois teve a pena de morte abolida no Oregon houve declaração de moratória. Houve declínio no número de execuções, com 43 até o dia 15 de dezembro, sem nenhuma marcada para 2011. Em 2010, 46 pessoas foram mortas - no Texas foram 13.


Caderno C

Dia a dia MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

diadia@emtempo.com.br

IONE MORENO

Cozinheiras comunitárias no Educandos (92) 3090-1041

Página C2 FOTOS: ALBERTO CESAR ARAÚJO

Amantes à moda antiga No mundo moderno, onde mensagens instantâneas e redes sociais são a forma mais utilizada para se comunicar entre as pessoas, algumas ainda fazem questão de manter a tradição e o sentimentalismo e optam por escrever as cartas ISABELLA SIQUEIRA Equipe EM TEMPO

C

ada vez mais consumido pelo “reinado” das comunicações instantâneas e virtuais, dos e-mails, mensagens de celular e redes sociais, pessoas que ainda tentam manter viva a antiga tradição de escrever cartas ou cartões-postais fazem, hoje, o diferencial no mercado. Afinal, uma carta feita à mão desperta o interesse do destinatário e sempre representa mais afeto. O consultor empresarial Lúcio de Sá Barbosa, 61, é um exemplo dos adeptos a tradição. Ele diz ter acesso à internet, uma conta de e-mail, scanner, blog, fax e pertencer a outras redes sociais, mas quando vai fazer um comunicado a alguém ou a um órgão, prefere a carta. “Sou uma pessoa que gosta de interagir e percebi que, hoje, os contatos são similares e precisam de um aparato eletrônico para se comunicar. Percebi que usando a boa e velha carta à mão, poderia fazer o diferencial e ser atendido com mais atenção”, comenta. Lúcio revela que, semanalmente, envia mais de 50 cartas para jornais, revistas, igrejas, escolas e políticos. Todas elas, com sugestões e estratégias de melhorias para o ambiente. Acostumado à leitura, ele aproveita o conhecimento para colaborar com a vida de alguém. “Quando leio alguma coisa sobre projetos sociais, que envolvem crianças e jovens, e acho a ideia interessante, tiro cópia desse material, escrevo uma carta à mão e deixo nas escolas para que aquele projeto seja também estendido a outras comunidades. Foi uma forma que encontrei de ajudar”, comenta. Para o espanto do consultor, as respostas recebidas também são feitas por carta.

“Muitos retornos que recebo também são de cartas feitas à mão”, revela. Quem também utiliza cartas para se corresponder com amigos e família é a aposentada Ivanilde Reis Saldanha, 62. Ela comenta que, apesar de possuir computador em casa, não sabe acessar a internet. A família, que mora do interior do Pará, também não tem acesso à tecnologia. As cartas são, portanto, a forma encontrada para manter contato. “Tenho irmãos, primos e amigos no Pará, mas até conseguir uma ligação é complicado. Por isso, escrevemos cartas e mantemos contato constante. Acho muito mais bacana receber uma correspondência assim, porque demonstra um afeto maior, você sabe que a pessoa tirou um tempo corrido do dia a dia para se dedicar a você”, diz. A professora de dança Beatriz Lira, 52, confessa também ainda não ter se adaptado às ferramentas da internet. Ela utiliza cartas para se comunicar com parentes no Sul do país. “Apesar da facilidade do telefone e celular, eu gosto de escrever cartas, e principalmente receber. Quando vou até a minha caixa de correios e, em meio a tantas contas, recebo uma carta da minha irmã, fico muito feliz e emocionada, até esqueço das contas”, comenta. Sobre a tradição da correspondência pessoal, a diretora dos Correios, Luquezie Mustafá Lemos, explicou que, em Manaus, são distribuídas 6 milhões de correspondências por mês na capital amazonense, sendo somente de pessoas físicas, 30 mil cartas. No período de fim de ano, a demanda cresce. “Com o advento da tecnologia, sabemos que quantidade de cartas pessoais vem diminuindo, mas em Manaus, a tradição ainda não perdeu o encanto”, explica.

Aos 61 anos, Lúcio Barbosa faz questão de manter a tradição de se corresponder com as pessoas por meio de cartas

Geração que nunca selou um envelope O adolescente Rian Reis Dias, 16, comenta que nunca recebeu ou enviou uma carta, e diz achar antiga essa maneira de se corresponder. “Eu nunca comprei um envelope para enviar uma carta. Acho isso antigo, ninguém lê. O máximo que enviei foi um

cartão de Natal”, revela. A psicóloga Laura Gomes comenta que esse processo não faz parte do cotidiano da turma que nasceu na era da internet, mas comenta que a carta escrita à mão tem um valor sentimental muito maior que um e-mail ou um

twitter de 140 caracteres. “Hoje as pessoas procuram praticidade e querem otimizar o tempo. Talvez até estejam esquecendo valores importantes da vida. Para muitos, parar 15 minutos para escrever uma carta, comprar um envelope e ir até

uma agência dos Correios, é perder muito tempo. Mandar um e-mail em cinco minutos é muito mais prático. Porém, quando a pessoa recebe uma carta, o sentimento de carinho é muito maior do que receber uma correspondência eletrônica”, enfatiza.


C2

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

Mais do que uma simples cozinha, um segundo lar MÔNICA FIGUEIREDO Equipe EM TEMPO

U

m projeto que vai muito além de um restaurante popular. A cozinha comunitária, localizada próximo a feira da Panair, no Educandos, Zona Sul, há quase um ano tem levado a moradores de ruas, crianças, deficientes físicos e desempregados da área, além de uma refeição diária, dignidade e conhecimento sobre os seus direitos de cidadãos, graças ao projeto “Cozinheira Comunitária”. Uma iniciativa da Prefeitura de Manaus, o projeto se mantém com incentivos e doações de amigos e parceiros. À frente do “Cozinheira Comunitária”, a coordenadora Marília Ribeiro diz que, todos os dias, mais de 200 pratos de comida são servidos no local. Os alimentos como carnes, peixes e perecíveis chegam até a cozinha por meio da doação de um supermercado local. As verduras são doadas pela Secretaria Municipal de Produção e Abastecimento (Sempab). Na cozinha, cinco cozinheiras da comunidade recebem uma bolsa da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) para prepararem os almoços. Marília explicou que a ideia da prefeitura é criar a cozinha em bairros onde o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é baixo. “Começamos aqui no Educandos com o projeto-piloto, que vai completar um ano em janeiro, e é um sucesso. Percebemos que as pessoas valorizam esse espaço”, comemora. A cozinha comunitária abre às 11h30, mas todos os dias é possível encontrar crianças andando pelo salão bem antes desse horário. “Eu falo para eles: se vocês não têm para onde ir é melhor ficar aqui na cozinha do que na rua sem fazer nada. Aqui eu coloco um vídeo, principalmente de músicas, para eles ficarem ouvindo”, diz. Os cardápios são variados e não há reclamação de quem frequenta o local. Para trabalhar na cozinha, todas as

FOTOS: INONE MORENO

Projeto “Cozinheira Comunitária” leva, além da comida, espaço para descontração e aprendizado mulheres precisam usar touca e todos os alimentos são bem conservados. Uma das alternativas encontradas para a arrecadação de verdura é a parceria com os feirantes. Uma caixa de papelão é deixada na feira e os alimentos que não são vendidos, mas estão em boas condições como frutas, verduras e legumes são utilizados na alimentação dos beneficiados pelo programa. Os alimentos deixados na caixa são recolhidos às terças, quintas e sextas-feiras. Quem precisa tem acesso Para ter acesso ao almoço na cozinha comunitária, não precisa ter cadastro, apenas

FOME

Segundo Marília Ribeiro, entre as pessoas assistidas pelo projeto, existem algumas que até mesmo desmaiaram na frente do local após ter passado alguns dias sem comer Marília administra a cozinha comunitária com a ajuda de cinco cozinheiras da comunidade, que recebem bolsas da Semasdh

o controle de pessoas. “Não vamos barrar ninguém, mas aqui é um espaço para quem realmente precisa. E eu sei que o “Cozinheira Comunitária” já mudou a vida de muitas pessoas aqui. Tem gente que chega a desmaiar aqui na porta às segundas-feiras, porque não comeu nada no fim de semana”. Há três dias, a diarista Elaine Cristina, 34, começou a frequentar a cozinha comunitária. Ela diz que nem todo dia consegue trabalho nas casas, e que ter um local para comer já alivia sua situação. “Eu me preocupo com meus filhos. Tenho três e quando eu almoço aqui já é um dinheiro que entra para levar para casa”. Aos 52 anos, Raimundo Souza trabalha próximo à feira da Panair cortando madeiras. Para ele, não há almoço melhor que o da cozinha comunitária. “Eu quero que isso aqui fique por um bom tempo. Todo dia eu almoço aqui e acho muito bom”.

Local para apoio e orientação Quem participa do projeto “Cozinheira Comunitária” ganha muito mais que um prato de comida. “Aqui, eles recebem incentivos e orientações como tirar a carteira de trabalho e emitir documentos”. Para realizar as atividades, Marília Ribeiro tem a ajuda das amigas voluntárias. O projeto “Cozinheira Comunitária” também está na Colônia Oliveira Machado, Zona Sul. Existem estudos para ser implantado, também, nas zonas Sul e Oeste. Criançada, além de comer no local, também utilizam o espaço para passar o tempo e aprender


MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

Dia a dia

C3


C4

Dia a dia

Amor que ignora a morte

Oito anos após a morte do filho Robson, em um acidente de trânsito, a servidora pública Raimundo Braga mantém em sua casa uma cúpula em homenagem ao filho. Até a moto do jovem, com 19 anos na época, está exposta no local FOTOS: JOEL ROSA

NILSON BELÉM Equipe EM TEMPO

U

ma cúpula de vidro na entrada de uma casa, na rua Canário, no Vale do Amanhecer, Petrópolis, Zona Sul, chama a atenção de quem passa por ali. Dentro dela, estão muitos objetos que trazem à tona a lembrança do estudante Robson da Silva Diniz, com 19 anos na época. O espaço é a forma encontrada pela mãe dele, a servidora pública Raimunda Maria Silva Diniz Braga, 50, de homenageá-lo. Robson morreu atropelado por uma caçamba, que transportava areia, quando pilotava uma moto, no dia 31 de dezembro de 2003, na avenida Penetração 2, no São José 2, Zona Leste. Desde lá, a vida de Raimunda e da família é ajudar as pessoas a superar a dor da perda de um ente querido. “Quero sim ajudar as pessoas a superar a dor pela perda de uma pessoa amada, como era o Robson. Por isso quero levar aos outros a boa lembrança que tenho do meu filho, um menino cheio de vida, de alegria e que partiu muito cedo”, diz a servidora pública. A dor de “dona Rai” começou na noite do último dia do ano de 2003. “Meu filho estava muito feliz e ajudando um colega a comprar uma moto.

Ele decidiu testá-la quando foi atropelado por uma caçamba”, lembra. Para superar a perda, ela decidiu homenagear o filho criando a cúpula. Dentro dela estão, entre outros objetos, o uniforme de brigadista da empresa 3-C, empresa terceirizada que presta serviços à Moto Honda, onde Robson trabalhava. Também existem

REVERÊNCIA

A servidora pública Raimundo Maria diz que a cúpula, montada na entrada da casa dela, é uma forma de lembrar de forma especial do filho vítima de um acidente de trânsito em 2003 A moto de Robson é o objeto que mais chama a atenção

imagens de santos e fotografias das fases do rapaz. Fora da cúpula estão, ainda, dois cartazes expostos com imagens de Robson e do pai dele, também morto de forma trágica. Edson Souza Diniz, 51, foi assassinado a tiros em um assalto a uma lan house, na rua Topázio, no Jorge Teixeira, Zona Leste, no dia 1º de maio de 2009. Entre as recordações, o que mais chama a atenção é uma moto Honda, modelo Titan, cor azul, que pertencia a Robson.

Maria diz que espaço e fotos são para homenagear o filho

Planos de publicar um livro sobre Robson O tempo fez com que a dor da família se transformasse em vontade de contar a história de Robson e ajudar as pessoas que passam pelo mesmo problema, a perda de um ente querido. A irmã, a pedagoga Rosane Silva Diniz Figueiredo, 30, diz que o grande objetivo dela e da

mãe é escrever um livro que conte a história do jovem, mas faltam recursos. “Queremos ajuda para escrever e publicar um livro, mas tenho fé em Deus que vamos conseguir escrever, publicar e mostrar ao mundo essa bela história”, afirma. A família desenvolve ou-

tras iniciativas sempre ligadas a Robson. Uma delas é ajudar a comunidade carente da igreja de Nossa Senhora Aparecida, no Armando Mendes, para qual a família destina, todo mês, os R$ 700 da pensão de morte do estudante. E a luta da família tem dado

resultado. “Muitas pessoas nos procuram com mensagens de otimismo, amor e esperança ao verem o que estamos fazendo. Outros anônimos e pessoas que passaram pelo mesmo drama nosso, também fazem o mesmo e deixam mensagens junto ao túmulo dele”.


MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

C5

Animais protegidos por lei Na tentativa de reduzir ou até mesmo acabar com os maus-tratos a animais, sejam praticados por proprietários ou não, lei municipal foi aprovada e pode resultar em multas e punições aos responsáveis por violência e descaso DIVULGAÇÃO

Ive Rylo Equipe EM TEMPO

N

esta semana, a enfermeira Camilla Corrêa Alves de Moura Araújo dos Santos foi flagrada espancando até a morte um filhote de yorkshire, em Goiás. Não menos cruel foi o acidente ocorrido no Parque das Laranjeiras, Zona CentroSul, no início de dezembro, em que um motorista atropelou uma cadela, desceu do carro e arremessou-a, ainda viva, para dentro de uma lixeira, juntamente com as formigas. Na tentativa de garantir aos animais um tratamento digno, sem maus-tratos ou abandonos — levando em consideração que atualmente existem, nas ruas da capital amazonense, cerca de 350 mil cachorros e gatos órfãos abandonados à própria sorte —, foi aprovada na Câmara Municipal de Manaus (CMM) uma lei que prevê a posse responsável de cães e gatos e visa conscientizar e punir os proprietários que não cuidarem adequadamente de seus bichinhos de estimação. O projeto de lei, de autoria do vereador Wilton Lira, disciplina a criação, propriedade, posse, guarda, uso e transporte de cães e gatos em Manaus. Apesar de ter tido veto parcial do Executivo, o projeto ganhou

aprovação de todos os parlamentares da casa legislativa, e agora é lei. “Em uma visita ao Centro de Zoonoses, vi a irresponsabilidade das pessoas que agendam viagens e se esquecem dos animais ou os abandonam pelas ruas. Esse projeto veio da minha paixão por animais e de solicitações de veterinários e de ONGs (organizações não governamentais)”, afirmou.

ZELO

Segundo a veterinária Raquel Gaia, ao decidir criar um animal de estimação, a pessoa precisa ter em mente o cuidado e os custos que serão necessários para mantê-lo em segurança e saudável

Entre outros pontos, o projeto trata de todas as responsabilidades dos criadores sobre os animais, como o registro, a vacinação, o controle reprodutivo e a obrigatoriedade de se oferecer um espaço adequado para a criação. Multas e sanções estão previstas para quem desrespeitar as novas normas. O vereador afirma que caberá ao Centro de Zoonose e à Secretaria de

Saúde fiscalizar e repreender os infratores da maneira prevista . “Cabe à sociedade, ONGs e associações, cobrar do Poder Executivo a execução da lei”, lembrou. A veterinária Raquel Gaia disse acreditar que a nova lei, se aplicada, pode incentivar a criação responsável dos animais. “Um cachorro vive no mínimo 12 anos. Nesse tempo, a pessoa tem que ter consciência que vai ter gasto com vacina, alimento, espaço adequado. Precisamos de uma lei que se faça cumprir”, disse. Gaia explica que se deve pensar muito antes de adquirir um animal e escolher de acordo com as necessidades de cada pessoa. “Cada raça tem um especificidade. Já chegou ao meu consultório uma família que disse que dava pouca comida para um fila, para ele não fazer muito cocô. O cachorro estava desnutrido”, disse. Gaia lembra o caso do pitbull Bruce, 7, resgatado de uma construção no Parque 10, Zona Centro Sul, abandonado, doente e desnutrido. “Jogaram óleo quente nele e o deixaram no sol, sem água ou comida. O dono de uma paciente me alertou. Tentamos falar com o proprietário, mas não conseguimos. Se houvesse multas, as pessoas não fariam isso”. Após receber cuidados, Bruce foi adotado pela veterinária.

Órgãos precisam se adaptar A vice-presidente do Grupo de Proteção aos Animais (GPA), Érica Schloemp, aprovou a nova lei e solicitou a execução de uma emenda, que pede pela substituição da marcação e registro de animais em carteirinha para o microchip. “A lei certamente precisará de um tempo para que os órgãos competentes se ajustem a essas propostas. Para que as leis sejam aplicadas, é prioritário que a Secretaria Municipal de Saúde devolva o poder de fiscalizar e multar os maus tutores de animais para o Centro Municipal de Zoonoses, que atualmente está restrito a capturar e matar animais de rua. As únicas autoridades que atendem a crimes são a Delegacia de Meio Ambiente (Dema) e o Batalhão da Polícia Ambiental”, disse. Donos desrespeitam cada vez mais os bichos de estimação


C6

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

SSP-AM estuda interligar postos à polícia do Estado Violência e ameaça de paralisação de serviços faz com Estado estude o interligamento de câmeras dos postos às do Ciops HUDSON FONSECA

NÁDUA MOURA Equipe EM TEMPO

C

om o aumento de assaltos a postos de combustíveis em Manaus, empresários ameaçam paralisar atividades durante o período noturno, momento em que os bandidos mais agem para cometer furtos ou roubos. Para evitar prejuízos à sociedade, principalmente aos consumidores, a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas (SSP-AM) anuncia a possibilidade de interligar o sistema de monitoramento por câmeras dos estabelecimentos ao Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops). Os números da SSP-AM apontam um aumento de ocorrências de roubo a postos de combustíveis em toda a cidade. O comparativo é referente ao período entre 2009 e 2011. Durante esses anos, os roubos, ataques com armas em punho e com violência, aumentaram de 146 em 2009, para 502 este ano. Já os furtos — quando bandidos apenas levam objetos de valor ou dinheiro sem estarem armados — apresentaram oscilação. Em 2009,

foram registrados 421, em 2010 foram 567 e neste ano, o número foi reduzido para 108, até o momento. Os números mostram que os ataques ficaram cada vez mais violentos, pois o aumento de roubos mostra a vulnerabilidade de funcionários e clientes dos postos de combustíveis. Com os ataques, empresários do setor chegaram a anunciar a paralisação das atividades à noite, uma vez que para eles seria muito caro contratar seguranças particulares. O empresário Humberto Sales, proprietário do Grupo Trairi, possui oito postos de gasolina em sua rede. Para cada um deles, seriam necessários quatro seguranças armados, custo aproximado de R$ 20 mil por mês (cada segurança está avaliado em R$ 5 mil). “Nós somos o setor que mais arrecada impostos para o Estado. Se tivermos, ainda, que pagar segurança particular, é melhor fechar as portas”. Sales, que há dois meses perdeu um de seus funcionários durante um assalto, ressalta, também, a falta de pessoas para atuar no segmento, uma vez que, com o aumento dos ataques, todos temem exercer a profissão de frentista.

Vital vai discutir soluções

Cada vez mais, a violência atinge funcionários e clientes dos postos de combustíveis

Policias trabalham à paisana Uma das propostas divulgadas anteriormente pelos empresários e pelo sindicato de combustível, a ligação das câmeras dos postos de gasolina ao sistema da SSPAM é praticada em outros Estados brasileiros.

Em Manaus, devido ao grande número de arrastões aos postos de combustível, o secretário de segurança Paulo Roberto Vital diz que algumas medidas estão sendo tomadas para combater a prática.

“Nós já iniciamos um trabalho nos postos, colocando policiais à paisana e viaturas descaracterizadas, assim ficará mais fácil prender o grupo, que acredito ser o mesmo que atua em toda a cidade”.

Para que o problema dos assaltos possam ser reduzidos, o secretário de Segurança, coronel Paulo Roberto Vital, disse ao EM TEMPO que vai convocar uma reunião com o sindicato e empresários do setor de combustível para discutir as medidas que poderão ser tomadas para garantir segurança aos clientes e aos funcionários. Vital tratou o encontro como uma “troca de interesses”, pois sabe da importância de garantir a segurança nesses estabelecimentos, para que cidadãos de bem não sejam punidos por criminosos. “Não posso permitir que os usuários sejam prejudicados com o fechamento dos postos à noite”.


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

C7

Fim polêmico da palmada Aprovada na última quarta-feira pela Câmara dos Deputados, a lei que proíbe correções físicas a menores ainda causa polêmica a cada nova aprovação. Profissionais e pais discutem direitos sobre os filhos, na hora de aplicar disciplina AURIANE CARVALHO Equipe EM TEMPO

A

lei que proíbe o uso de castigos físicos em crianças, mesmo em ambientes familiares, conhecida nacionalmente como a “Lei da Palmada”, ainda é motivo de polêmica em todo o país. Aprovada

Educar agora para não sofrer depois A fisioterapeuta Ana Paula Rocha diz que cria a filha com a “lei do merecimento”, pois ensina a menina que tudo tem consequência. Segundo ela, se a criança fizer algo errado, pode perder alguma coisa que gosta. “Eu não bato, mas converso muito. Se ela fizer algo de errado, fica sem ganhar o que muito queria ou perde algo que gosta”, ensina. Já a pedagoga Viviane da Silva dos Santos, 37, teme a proporção que a lei pode causar. Embora seja mãe de dois filhos, de 11 e 4 anos, nunca precisou usar a força bruta, mas é totalmente a favor de uma palmada. “Sou contra a lei, porque proíbe a correção que damos aos nossos filhos. Nós precisamos dar limites a eles. Não significa dizer que é preciso espancálos, mas corrigi-los. Sou contra a violência”. Para a pedagoga, o diálogo e a conscientização são os caminhos para evitar que os filhos sigam exemplos errados, mas em alguns casos, é preciso ter pulso forte para que eles não caiam na marginalidade. “Eu prefiro que meus filhos sejam corrigidos por mim agora, a serem pela “polícia” futuramente. Vejo que muitos pais perdem esse controle e acabam se arrependendo”, destaca. Sobre a lei A lei, de autoria da deputada Maria do Rosário (PT-RS), altera a lei 8069, de 13/07/1990, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), e da lei 10.406, de 10/01/2002, o Novo Código Civil, estabelecendo o direito da criança e adolescente de não serem submetidos a qualquer forma de punição corporal. “A criança e o adolescente têm direito a não serem submetidos a qualquer forma de punição corporal, mediante a adoção de castigos moderados ou imoderados, sob a alegação de quaisquer propósitos, no lar, na escola, em instituição público, privado ou em locais públicos”, esclarece a lei.

na última quarta-feira (14), na Câmara dos Deputados, a lei segue para o Senado e, se passar, vai punir os pais que repreenderem seus filhos com castigos violentos ou degradantes. Nos casos de reincidência, os pais que praticarem esse tipo de agressão poderão ser, até mesmo, afastados dos

filhos. A lei busca proteger crianças e adolescentes de repressões físicas que resultem em lesão, sofrimento ou ridicularização. O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil no Amazonas (OAB-AM), Epitáfio Almeida, diz ser contra qualquer ato que possa pre-

judicar a formação da criança. Ele afirma que os pequenos necessitam de correção, mas que, no entanto, ela precisa ser equilibrada. “Os pais não podem descarregar a ira em seus filhos. Acredito que o diálogo e a conscientização são as melhores formas de correção. No entanto, sou a favor da palmada,

desde que não seja cometida em excesso. Afinal, a violência pode causar marcas para o resto da vida das crianças e adolescentes”, comenta. A fisioterapeuta Ana Paula Rocha, 39, mãe de uma menina de 5 anos, afirma que a lei veio em “boa hora” e salienta que os pais que espaçam seus filhos devem ser punidos.

“Qualquer agressão física ou verbal gera traumas severos nas crianças. Eu sou totalmente a favor da conversa e do diálogo, pois toda ação gera uma reação. Se você trata uma criança de forma violenta, ela será violenta. É preciso ter fiscalização e punir esses pais que espaçam seus filhos”, opina.


C8

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011


MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

plateia@emtempo.com.br

DIVULGAÇÃO

Caderno D

Plateia

Entrevista com Luiza Possi Página D3

(92) 3090-1042

FOTOS: DIVULGAÇÃO

HEROÍSMO

amazônico no palco europeu CHRIS REIS Equipe do EM TEMPO

A

peça “A Paixão de Ajuricaba”, um clássico do teatro amazonense, escrita e dirigida pelo dramaturgo e diretor Márcio Souza, fará em janeiro uma turnê pelas cidades de Rennes, Toulouse, Aix en Provence e Paris, na França. Um dos grandes sucessos do Teatro Experimental do Sesc (Tesc), o espetáculo que teve sua primeira montagem feita em 1974, recebeu o convite há dois anos para ir ao “velho mundo” pela professora Rita Godet, diretora do departamento de línguas e literatura portuguesa da Universidade de Rennes. De acordo Márcio Souza, a demora para a realização da turnê deve-se a logística necessário para levar figurinos e cenários para a Europa. “Tivemos que deixar tudo preparado para não haver contratempos, afinal são várias cidades que serão percorridas”, diz. Não é a primeira vez que a peça, que foi o primeiro grande sucesso do Tesc, é montada em outro país. Em 2006, “A Paixão de Ajuricaba” foi encenada na Colômbia, pelo grupo “Teatro do oprimido”, com direção de Augusto Boal. Mas, é a primeira vez que parte em turnê pela Europa, diz o dramaturgo que espera uma boa receptividade do público europeu ao texto amazônico. Ele avalia que, por não ser um evento comercial, os expectadores são bem receptivos ao que for apresentado. “É um evento que contemplará várias universidades. Em Toulouse, por exemplo, existem mais teatros do que cinemas e a própria universidade tem teatro, onde funciona o centro de teatro experimental. Em Aix en Provence existe o curso de língua portuguesa e um teatro moderníssimo que decidiu participar do projeto.

É uma plateia que tem longa tradição em frequentar teatros e é assídua nessa frequência. Por isso deve ter boa aceitação”, afirma. Na opinião do diretor, que assiste a muitos espetáculos na França e afirma que os teatros nunca estão vazios, a plateia que acompanhará os eventos está acostumada a assistir a peças em idiomas estrangeiros. Ele também enfatiza que é uma excelente oportunidade para que o elenco do Tesc faça um intercâmbio, juntando as experiências do Brasil e da Europa com o teatro.

NOVIDADE

Além das apresentações, o Tesc negocia a assinatura de dois convênios, um deles com a faculdade de Rennes para o intercâmbio de mestrados na área de Geografia e Teatro

“Não podia ficar apenas nessa troca de experiências e pronto, buscamos instituições para benefícios futuros”, sugere. O resultado foi a proposta de dois convênios. O primeiro será feito entre Sesc e Senac que farão convênios com uma faculdade de Turismo, na área de culinária e administração cultural. A faculdade de Rennes também fará um convênio, mas com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) para troca de alunos em mestrados na área de Geografia e Teatro. “Está previsto que os dois convênios sejam assinados em março”, afirma. Ele explica parte do elenco do grupo estuda na UEA. Nos dias 6 e 7 de janeiro haverá apresentações de “A Paixão de Ajuricaba” somente parta convidados e no dia 8 de

janeiro o grupo segue para a Europa para iniciar a turnê dia 11. O Tesc volta para Manaus no dia 24 de janeiro. Trajetória Após 37 anos desde sua primeira montagem é natural que “A Paixão de Ajuricaba” tenha sofrido mudanças, mas a essência do texto permanece o mesmo, avalia Márcio Souza. Ele recorda que o espetáculo teve várias apresentações, sendo apresentado, inclusive, em São Paulo e no Rio de Janeiro por outras companhias. Márcio também diz que por várias vezes, o Tesc, já tentou “afogar” Ajuricaba, mas ele sempre acaba ressuscitando. “Nunca conseguimos deixar de montar”, diz. O dramaturgo analisa que em 1974 era época da ditadura militar e, com isso, a história do herói indígena Ajuricaba, que mostrava a resistência dele a dominação dos europeus, era uma montagem épica. “Nesse período, a história confrontava com os rigores da época”, explica. Com o tempo, as montagens subsequentes vão respondendo o que o momento pede. Em 2003, com novo elenco, já tinha conotação distinta, segundo o dramaturgo. “Ainda tinha uma conotação épica, entretanto não tinha mais a questão do combate e resistência à ditadura. Essa montagem atual é mais dramática e não trabalhamos com a tragédia. Ela é menos épica”, completa. Souza também lembra que em 1974 “A Paixão de Ajuricaba” alcançou um grande sucesso na cidade e que nenhuma sessão ficava vazia. “O teatro tinha uma língua coerente daquele período. O que mudou foi o público que frequentava as peças que estavam em cartaz em Manaus, que era formado essencialmente por estudantes universitários e professores.

Com 37 anos de existência, peça “A paíxão de Ajuricaba”, que mostra o herói da Amazônia, será apresentada em três cidades francesas

A influência de um guerrilheiro A montagem de 1974 conta a história do herói amazonense Ajuricaba. Ele reuniu mais de 30 tribos indígenas contra os invasores europeus. Ele influenciou várias tribos sobre a sua verdadeira identidade e

libertou muitos de seus irmãos. O herói foi pego pelos portugueses e transportado para Belém para ser vendido como escravo. Seguindo viagem em uma canoa com outros índios prisioneiros, o guerreiro

consegue influenciá-los e juntos rebelam-se contra os soldados. Mas, em desvantagem, são derrubados a tiros. Vendo que não tinha saída, Ajuricaba lança-se ao rio, aos 28 anos, preferindo a morte à escravidão.

A montagem local será apresentada em quatro cidades francesas, entre elas a capital Paris


D2

Plateia Pla

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

Interino GUTO OLIVEIRA

Sídia Góes com vestido poderoso da estilista Mabel Magalhães para boutique Flag, em jantar poderoso

Fernando Coelho Jr.

>> Balada acústica . O calendário de festas na boate Musique Nuit, no próximo dia 22, será palco do lançamento oficial do projeto Plug Acústico. No comando da noite, a badalada cantora e compositora Luiza Possi.

fernando.emtempo@hotmail.com - www.conteudochic.com.br

Emannuelle Gil e Ale Brandrão em evento chique de contraternização

. De acordo com a proposta do projeto, a diversidade musical e a interação com o público são fatores pontuais. Portanto, o repertório escolhido por Luiza, inclui sucessos que marcaram os dez anos de carreira da artista, além de novas composições do último DVD, intitulado “Seguir cantando”. O pré-show será do talentoso Pedro Lobo que começa a conquistar o cenário nacional.

>> Competições na cidade A Fundação Dr. Thomas promove no próximo dia 25, a tradicional festa de Carnaval, o CarnaIdoso, regado a samba e animação. Neste ano a instituição inova mais uma vez. O formato do evento será diferente, iniciando no estacionamento da instituição e seguindo até o Parque Municipal do Idoso. . A festa será iniciada às 15h no estacionamento da Fundação Dr. Thomas, com a participação dos idosos residentes, usuários do parque, grupos de idosos de vários bairros da cidade e convidados. As atrações serão a banda da Polícia Militar e trio elétrico.

>> Réveillon chique . A Rede Atlântica promete realizar um dos Réveillon mais chiques da cidade. Para agitar a festa da virada, três atrações musicais garantiram o tom certo da noitada no hotel Park Suites, na Ponta Negra.

. Às 17h seguindo o trio elétrico, a micareta do CarnaIdoso vai levar os foliões até o Parque do Idoso. A festa seguirá no ginásio coberto, com a presença da bateria da Escola de Samba da Grande Família e seus principais destaques e a atração nacional Mumuzinho da Mangueira.

. O evento, que terá temática inspirada nos cassinos de Las Vegas, contará com a presença de Márcia Nôvo durante o almoço, na piscina com borda infinita, às margens do rio Negro. Além disso, haverá ceia especial e apresentação da banda Amazon Beach, com o cantor Edilson Santana, e do DJ Alexandre Prata na festa da última noite do ano. Imperdível!

O governador Omar Aziz e o ministro Mauro Campbell na sessão homenagem da “Medalha Mérito Judiciário” do Tribunal Regional do Trabalho

>> Diversão & inauguração

>> Objeto de desejo

. Hoje, a partir das 9h, Manaus ganhará um parque temático exclusivo para crianças, em uma iniciativa inédita para esse público no município.

Ângela e Juarez Lima no encontro que movimentou o casarão do Ephigênio Sales

. A Cidade da Criança é um ambiente de muita diversão, onde os pequenos poderão ter contato direto com a natureza, além de atividades sócio-educacionais. O parque ocupa uma área de quase dois hectares, no local onde funcionava o antigo Horto Municipal, no Aleixo. . A estrutura conta com praça de alimentação e de jogos, cinema, biblioteca, labirinto, playgrounds, além de trilhas ecológicas, área para plantio de horta e a Vila Feliz, onde ocorrerão atividades como noções de trânsito e preservação do meio ambiente.

>> Honras A solenidade do prêmio “Escola de Valor” foi marcada por dupla e criativa homenagem. O Conselho Estadual de Educação condecorou o governador Omar Aziz com o prêmio “Governador de Valor” e dona Nejmi Jomaa Aziz com placa de condecoração e com o informal título de “Primeira-Dama da Educação”.

AGITO

Márcia Nôvo será atração de Réveillon no Tarumã Em um ambiente aconchegante no clima do Rio de Janeiro, Márcia Nôvo promete agitar a virada do ano. Para isso, convidou a banda Vai Garotão, MC Jones, JB DJ e, para encerrar a festa, a Bateria da Vitória-Régia, além da parceria com Théo Alves, criador do “Jack Free”, que proporcionará bebida liberada até as 6h. A Copacabana Chopperia será inaugurada na próxima semana, com uma temática

que remete ao melhor da noite carioca. “No Brasil, a virada do ano sempre foi o “primeiro grito de Carnaval” e será esse o clima da nossa festa. Esse Réveillon vai ter a cara do Rio, com todo o seu swing, charme e elegância”, declara Théo. A bebida é liberada com água, refrigerante, coquetel sem álcool, cerveja Brahma, caipirinha, caipiroska, caipifruta, capeta, martini, run, vodka, campari e tequila. DIVULGAÇÃO

A cantora é conhecida por apresentar canções de samba-rock

. A Gucci criou dois modelos de bicicleta em parceria com a fabricante Bianchi. O design usado nas peças foi criado pela diretora-criativa Frida Giannini. . Os dois modelos Bianchi by Gucci levam as listras características da grife e são especificamente desenvolvidas para ciclismo urbano ou em “off road”, como a versão na cor preta, feita com fibra de carbono. . Como os ciclistas também precisam estar à altura da bike, Frida desenvolveu uma série de acessórios que inclui capacete e luvas. Um luxo!

DIVERSÃO

>> Luxo . O Grupo LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton S.A. agora detém a marca francesa Moynat, uma das melhores produtoras de malas de viagem. Bernard Arnault, presidente e diretor-executivo do grupo, nomeou Ramesh Nair como novo diretor criativo. . Há 15 anos, o mesmo aconteceu com Marc Jacobs, que ficou responsável por reinventar a Louis Vuitton e o resultado não poderia ser melhor. Dessa vez, Ramesh Nair é quem tem a missão de injetar contemporaneidade na marca de malas de viagem centenária.

TEATRO DIVULGAÇÃO

Triton’s Band e Nelly Miranda, hoje A Triton’s Band fará a animação do almoço de hoje, no Manaus Plaza Shopping, a partir das 13h. Em duas horas de apresentação, a família de artistas que compõem o grupo tocará as canções mais conhecidas dos fãs da Música Popular Brasileira, homenageando estrelas da MPB. Para criar o clima de descontração no início da noite, a cantora Nelly Miranda também fará apresentação musical, no horário de 19h30 às 21h30. Além do repertório “made in Brasil”, a seleção da Triton’s Band, para este domingo, inclui sucessos de bandas de rock nacional, para agradar os admiradores deste estilo musical – Barão Vermelho, Legião Urbana, Cazuza, Titãs, Ultraje a Rigor, entre outras. Já Nelly Miranda fará uma releitura de clássicos da MPB e cantará as músicas da nova geração, dando seu toque pessoal a canções que fizeram sucesso na voz de Ana Carolina, Seu Jorge e Djavan.

O espetáculo de humor já foi assistido por mais de um milhão de espectadores, no Brasil

‘Surto’ realiza última apresentação Com oito anos em cartaz e contabilizando mais de um milhão de espectadores, a peça “Surto”, do Rio de Janeiro, realiza hoje, no Teatro Direcional (Av. Mário Ypiranga Monteiro, 1.300, Adrianópolis), sua última apresentação na cidade. O texto retrata a história de quatro atores cansados do fracasso, da vida comum,da manipulação da mídia, de si-

tuações que viram referência de um mundo de cabeça para baixo, resolvem dar um giro de 360° em suas vidas, parar no mesmo lugar e tirar sarro dessa realidade. Dessa forma, brincando com o fato do ser humano se permitir rir do que carrega de pior como preconceito, luxúria, ganância e outros pecados que fazem com que a vida seja um pouco mais divertida, “Sur-

to” se transformou em uma peça cult, daquelas que as pessoas assistem inúmeras vezes. De um humor ácido e mordaz e de raízes, no melhor do besteirol dos anos 80. O elenco é formado pelos atores Rodrigo Fagundes, do humorístico global “Zorra total”, Wendell Bendelack e Flávia Guedes. O texto, a concepção e a direção são coletivos.


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

D3

Luiza Possi (des)plugada Em entrevista ao EM TEMPO, cantora fala do show acústico, montado para a sua primeira apresentação em Manaus em dez anos de carreira, e que será apresentado nesta quinta-feira, dentro da abertura do projeto “Plug acústico” EDUARDO LOPES_REPRODUCAO

GUSTAV CERVINKA Equipe do EM TEMPO

A

cantora e compositora carioca Luiza Possi aterrissa nesta quinta-feira na cidade. Ela solta a voz para o público local em uma apresentação peculiar e diferenciada, em relação às que vem apresentando pelas demais cidades do país. Aqui, ele será acompanhada apenas de um violão e teclados. De acordo com a própria artista, em entrevista para o EM TEMPO, a energia do show marcado para Manaus será proporcionalmente diferenciada. “Fazer apresentações em formato acústico é algo que traz sempre mais proximidade com o público. A ideia de fazer algo assim, na verdade, surgiu em abril, quando fiz algo no sentido no projeto “Estúdio Showlivre.com”, pela internet. É uma outra ‘vibe’, muito agregadora”, diz. Luiza traz no repertório muito do seu mais recente trabalho, “Seguir cantando”, lançado há dois meses. “O álbum reflete muito momentos da minha vida, aliás, como tudo nessa profissão, onde não existe muitos essa distinção do que é apenas profissional. São os nossos momentos pessoais que geram novas obras, novas composições. A ideia, inclusive, é justamente essa, de que o importante é seguir em frente, independentemente dos obstáculos”, afirma. A subjetividade em “Seguir cantando” tem uma correlação com a opinião de Luiza Possi sobre esperanças e expectativas. “É um ensinamento aprendido em casa, que continuo

incorporando até hoje. A expectativa é um desejo pronto. Dessa forma, é inevitável que haja a frustração, porque as coisas não acontecem como a gente quer”, diz. “Seguir cantando” parece ser um lema na atualidade da vida de Luiza, que acredita que este fim de ano não está com tanto clima de “desfecho”. “Estou encarando esse período fingindo que nada está acontecendo. Não fiz amigo secreto nem nada. Tem muito show marcado e só espero que 2012 seja uma continuação do que

Fazer apresentações em formato acústico é algo que traz sempre mais proximidade com o público

Luiza Possi irá se apresentar, na Musique Nuit, ao lado dos músicos Conrado Goys (violão) e Kecco Brandão (teclado)

ENTREVISTA

‘Pousar nua, não! Não rola’

Luiza Possi, cantora

me aconteceu este ano. Não estou com o sentimento de acabar o ano e continuo compondo bastante. Já dá até para pensar num próximo disco, mas é muito cedo para isso, eu sei”, analisa a cantora. Luiza Possi vem a Manaus para participar como um das atrações do projeto “Plug Acústico”, cuja ideia é trazer shows de artistas renomados e novos talentos, apenas neste formato. Luiza vem acompanhada de Conrado Goys (guitarra e violão) e Kecco Brandão (teclado). DIVULGAÇÃO

EM TEMPO: Na época de Twitter e Facebook, muitas coisas deixam de ser controladas e/ou escondidas. Quais os benefícios que você colhe por meio das novas mídias? Luiza Possi - Muitos. É gostoso ver como começa a formar uma teia de pessoas de mesmos gostos, que curtem seu trabalho e se descobrem, criando vínculos sólidos, até. É só preciso saber lidar com a privacidade. Foi difícil aprender com isso. Lembrar de só escre-

ver de onde está chegando, não que está indo para algum lugar, é importante, por exemplo. EM TEMPO: Embora não tenha vindo aqui durante este período de sua carreira, existe alguma relação entre você e a cidade de Manaus? LP- Na verdade, acho que já fui pequena para aí. Conheço algumas pessoas daí, sim. O Sérgio Carvalho é um deles. É um excelente baixista, que gravou no meu

primeiro disco. EM TEMPO: Em 2009, você concedeu uma entrevista para a “Playboy”, na qual você disse que não tem nada contra em posar nua, mas ainda não havia encontrado razão para fazer isso. Dois anos depois, você já encontrou essa razão? LP- Não tem nada a ver comigo isso. Fico honrada como mulher em saber que tem pessoas que esperam por isso, mas não rola.

SERVIÇO PLUG ACÚSTICO COM LUIZA POSSI Quando: Quinta-feira, às 22h Onde: Musique Nuit (avenida Mário Ypiranga, 1.010, Adrianópolis) Quanto: R$ 50 (mulher) e R$ 70 (homem) Vendas: Dress to (Manauara Shopping)/ Musique Nuit/ Petit Musique (altos do Temaki Lounge, Vieiralves) Informações: (92)3321-4556

PERSONALIDADE

Niemeyer completa 104 anos

O arquiteto Oscar Niemeyer fez aniversário na última sexta

Para o arquiteto Oscar Niemeyer, é tempo de sorrir. Na festa em que comemorou seus 104 anos, na noite de sexta, ele se disse feliz pelos avanços do país. “A arquitetura me ocupou a vida inteira, mas o (tempo) que sobrou eu procurei atuar na parte da política brasileira, para fazer um país mais progressista”, disse. “O Brasil tem melhorado ultimamente, com o Lula, que é amigo do brasileiro. Depois de um tempo a gente pode sorrir um pouco.” O aniversário foi comemorado em seu escritório em

Copacabana, na zona sul do Rio -antes, ele passara o dia em casa atendendo a telefonemas com felicitações vindos de todas as partes do mundo. Alegrou-se também ao ouvir de amigos que moradores de Avilés, na Espanha, reuniram-se em frente ao Centro Cultural Niemeyer, projetado por ele, para cantar parabéns. A manifestação fez parte dos protestos contra o fechamento do centro após menos de um ano de funcionamento -o novo governo da região anunciou que não vai renovar

a licença de operação devido aos custos. A administração atual vê motivos políticos. Para a mulher de Niemeyer, Vera Lúcia, a paixão pelo trabalho é o segredo da longevidade do arquiteto. “Isso absorve a cabeça dele, ele está sempre pensando em algum projeto novo ou na revista”, contou. A revista a que ela se refere é a “Nosso Caminho - revista de arquitetura, arte e cultura”. Impressionado com o “vigor juvenil” de Niemeyer, o ator Marcos Frota aproveitou a ocasião para tentar conven-

cê-lo a desenvolver os traços de um projeto de uma universidade do circo em Brasília. “Tem um espaço no parque da cidade onde quero fazer a Unicirco. Falei isso para ele e ele lembrou que o plano diretor já prevê um circo naquela área”, disse Frota. “Isso é que é memória.” Fisicamente, no entanto, Niemeyer demonstra alguns sinais de fragilidade. Movimenta-se com ajuda de uma cadeira de rodas, tem dificuldades de audição e a voz soa um pouco fraca. Nada, porém, que o impeça de sorrir.


D4

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

‘Melancolia’, dirigido por Lars Von Trier, em DVD O filme, comentado pela crítica mundial, retrata o fim do mundo por meio de um planeta que se choca com a Terra

“M

e l a n c o l i a” , agora lançado em DVD pela Califórnia, provavelmente é um dos melhores lançamentos deste ano, talvez o melhor. Acaba de ganhar o prêmio de melhor filme europeu de 2011, prova de que a besteira cometida por seu diretor, o falastrão Lars Von Trier em Cannes, quando disse que podia compreender Hitler, foi colocada em seu devido lugar. Que lugar? Na lata de lixo das inutilidades, desses frissons de momento de que são feitos muitas vezes os festivais de cinema, eventos nos quais cada vez menos o que importa de fato são os filmes. Em “Melancolia” o que se vê é um mergulho de cabeça em uma experiência intelectual e sensorial. As primeiras sequências soam como o prelúdio de uma ópera, que anuncia o que virá. O filme se desdobra em duas partes, um díptico cujas lâminas são intituladas com os nomes das duas irmãs - Justine (Kirsten Dunst) e Claire (Charlotte Gainsbourg). Irmãs de temperamentos opostos, sínteses também de disposições contrárias de estar no mundo. Na primeira parte do díptico, vemos Justine se preparando para um casamento suntuoso, realizado em uma casa de

DIVULGAÇÃO

campo. A linguagem estética, aqui, embora mais caprichada, parece a dos primeiros filmes do dogma, em especial pela câmera na mão. A festa burguesa se prepara, enquanto a noiva, com tudo agora ao seu alcance, felicidade, emprego, promoção, marido novo e encantador, se prepara para arruinar a vida, peça por peça. Claire tenta impedi-la. Em vão.

SINOPSE

O filme mostra a vida diferente de duas irmãs - Justine e Claire -, que juntas acompanham o fim do mundo, que acontece por meio de um planeta chamado Melancolia, ao se chocar com a Terra É uma demolição em regra que se anuncia. A segunda parte é a de Claire. Justine arruinou-se a tal ponto que precisa até ser alimentada na boca para sobreviver. Quem dela cuida é a irmã. O que Justine tem de desordenada, Claire tem de centrada. Há, no entanto, uma ameaça pairando, sob a forma de um enorme planeta, chamado Melancolia, que pode chocar-se com a Terra.

A linguagem do filme muda nessa segunda parte. Torna-se intensa, suntuosa, grave à medida que a ameaça se aproxima e torna-se concreta. Nesse ponto, há uma curiosa (porém compreensível) inversão. Justine, tão inadaptada para o mundo, parece serena e centrada para o que seria a iminência do fim. Claire, tão centrada, é o desespero em pessoa. Faz sentido. Uma, de acordo com sua perspectiva, não tem mais nada a perder; a outra, pelo contrário, tem sólidos motivos para se apegar a uma vida que parece ameaçada. Melancolia afeta o eixo gravitacional da Terra e também das irmãs. Que Von Trier dê o nome de Melancolia ao seu apocalipse não me parece gratuito. Já se chamou a depressão de mal do século. A nossa frágil felicidade, o nosso vão equilíbrio não sobrevive sem o Prozac e sem o Rivotril. São os paraísos artificiais que garantem a contrapartida para o progresso tecnológico e a vida ultracompetitiva. Mas será isso a vida? Porém, Von Trier não fala nem de depressão, mas de melancolia, o termo ancestral da tristeza sem objeto. É mesmo de um fim de mundo literal e simbólico que este filme impressionante trata. Por Luiz Zanin Oricchio

Uma das atuações mais comentadas foi a da atriz Kirsten Dunst, que protagoniza Justine

MÚSICA

Cileno apresenta sucessos, hoje Hoje, a partir das 19h, o palco Palmeira da Tacacaria Parintins, no Centro Social Urbano (CSU) do Parque Dez, terá um dos mais conhecidos compositores e intérpretes da música amazonense, Cileno, que realizará um poket show acústico ao sabor de voz e violão, regado ao tacacá. O cantor é o autor dos sucessos “Feira hippie”, “Luzis”, “www Ilove you”, “O amor está no ar”, “Mimo de beija-flor” e tantos outros, bastante conhecidos do público de Manaus. Segundo Bruna Iannuzzi, gerente do empreendimento, a ideia de trazer o cantor para um show na tacacaria foi de alguns clientes. “Como sempre estamos convidando nomes conhecidos do público local, para nós o nome de Cileno foi uma sugestão

dos clientes da casa”, explica Bruna. Para ela, receber o artista é uma honra. “Ele, como todos sabem, é um dos maiores expoentes da

MÚSICAS

No repertório do artista, estão músicas como “Luzis”, “www ilove you”, “Feira hippie” e “O amor está no ar”. A apresentação acontecerá na Tacacaria Parintins, no Parque Dez de Novembro moderna música que se faz em Manaus. Consegue falar desse lado mais romântico e ao mesmo tempo urbano da capital e, por isso, muita gente se identifica com o

som dele”, destaca a empresária. O show marca o encerramento em 2011 das atividades musicais no palco da Tacacaria Parintins, mas, segundo Bruna, a direção da casa já estuda novas ideias para o ano de 2012. O formato de sempre chamar artistas da terra, aos domingos, deve continuar assim como novas ideias estão em estudo. “Temos hoje um retorno muito bom do público, até porque nosso empreendimento ainda é recente, mas a participação está acima da média”, declara. Ainda segundo ela, novas iniciativas deverão marcar 2012. “Queremos as promoções que são, na verdade, um complemento do grande atrativo que é o nosso tacacá”, finaliza. DIVULGAÇÃO

O cantor amazonense é um dos nomes mais conhecidos do Estado, pelo apoio ao reggae


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

D5

Prosamim celebra o Natal Voluntários do Abrigo R15 organizam shows musicais, exposições e atividades lúdicas em plena rua, com o intuito de oferecer aos moradores do local uma opção de diversão natalina próximo as suas casas e em contato com artistas

DIVULGAÇÃO

GUSTAV CERVINKA Equipe EM TEMPO

U

ma ação sociocultural promete fazer a alegria dos moradores do chamado Parque Residencial Cachoeirinha, localizado no bairro de mesmo nome. Hoje, voluntários que compõem a comunidade cristã Abrigo R15 promovem a quarta edição do projeto “Natal na rua”, por meio do qual além de distribuir cestas básicas às famílias carentes, organizam diversas atividades culturais, que inclui shows, teatro, dança, exposições e brincadeiras para as crianças. O evento conta com programação em três ambientes distintos ao ar livre, sendo dois palcos e uma praça de alimentação. Além disso, são utilizadas as salas de aula do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), instalado no segmento da avenida Marques da Silveira, onde será executado o projeto, limitado perpendicularmente pelas avenidas Codajás e Japurá. Um dos palcos será dedicado às apresentações de rock, cujos nomes confirmados até agora são das bandas SPH, Tattva, MB-4 e Snatch. Neste mesmo espaço, haverá uma área reservada para a prática de skate e grafite. Outro palco

será reservado para apresentações diversificadas, como shows de MPB, ventríloquo (Odinei Aguiar) e exposições de esculturas em papel marche, produzidas pelo artista Oscar Filho; fotografias, selecionadas pelo fotoclube “A Escrita da Luz” e pinturas diversas. Uma praça de alimentação será criada pela organização, para garantir a energia do público, com produtos a preços simbóli-

AÇÕES

A noite temática terá três ambientes que contarão com atividades culturais. Entre elas shows musicais brincadeiras para crianças, além de cortes de cabelo e oficina de maquiagem cos. “Além disso, as crianças contam com diversas opções de lazer, incluindo piscina de bolinhas e cama elástica”, diz uma das voluntárias da organização, Marta Silva. Beleza Nas salas cedidas pelo Cetam, os visitantes encontram oportunidades como corte de cabelo, oficina de automaquiagem e até uma

brinquedoteca. “Um grupo de pedagogos voluntários dará todo o apoio para direcionar algumas brincadeiras e jogos educativos, entre as crianças”, afirma Marta. Social De acordo com Marta, o local é escolhido pela proximidade da sede do Abrigo R15 e pelo fato de que, naquele endereço, vivem pessoas atendidas e beneficiadas com as obras do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim). “Nossa intenção não é só levar produtos diversos e cestas básicas. A ideia é levar cultura para eles. Até um coral do próprio abrigo se apresentará, com repertório de músicas natalinas tradicionais”, afirma. Na programação geral, estão incluídas as performances de um grupo de dança do próprio Prosamim e da companhia de arte Três Pilares. Ao todo, cerca de 200 cestas básicas serão entregues às famílias cadastradas. Interessados em contribuir como voluntários ou de ordem financeira, devem entrar em contato pelo telefone (92)9102-3808. O Abrigo R15 é uma comunidade cristã que existe desde fevereiro de 2007, com o objetivo de criar um ambiente em que pessoas diferentes possam ter comunhão entre si e com Deus.

Na programação do evento estão apresentações musicais, espetáculos de teatro, entre outros

Orquestra realiza concerto, hoje Ainda hoje, a Orquesta Sinfônia da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), se apresenta na Igreja São João Batista, a partir das 20h, com entrada gratuita. Grandes obras da música internacional e o trabalho recente do brasileiro Danilo Guanais compõem um repertório marcado pela harmonia entre o clássico e o popular, que promete conduzir o público em uma espécie de viagem por

quase 300 anos de produção artística de alguns dos maiores compositores de todos os tempos. A orquestra, que é formada por profissionais de vários países e alunos do curso de música da escola superior de artes e turismo da UEA, tem a regência do maestro Zacarias Fernandes e abrirá a apresentação com “A Christmas festival”, do norte-americano Leroy Anderson, que reuniu melo-

dias tradicionais de Natal de várias regiões como base para “Um festival de Natal”, livre tradução para o nome de uma canção quase obrigatória em festas de fim de ano de todo o mundo, desde sua criação em 1950. O Concerto de Natal fecha sua apresentação com “Pompa e circunstância”, do britânico Edward Elgar, que na noite do próximo domingo deve simbolizar o sentimento de amor.


D6

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

Programação de TV SBT 04h00 – Arnold 04h30 – Aventura Selvagem – reprise 05h30 – Pesca Alternativa 06h30 – VRUM 07h00 – PGM Manazinha 07h30 – Programa Expressão (Local) 08h00 – Sorteio Amazonas dá Sorte (Local) 09h00 – Domingo Legal 13h00 – Eliana 17h00 – Roda a Roda Jequiti 17h40 – Sorteio da Telesena 17h45 – Programa Sílvio Santos 22h00 – De Frente com Gabi 23h00 – Série: O Mentalista / The Mentalist 00h00 – Série: Divisão Criminal / The Closer 01h00 – Série: V - Visitantes 02h00 – Encerramento

GLOBO 03h24 – Santa Missa em Seu Lar 04h26 – Sagrado: Compacto – Salvação 04h37 – Amazônia Rural 05h06 – Pequenas Empresas – Grandes Negócios 05h43 – Globo Rural 06h30 – Futebol 2011: Mundial de Clubes – Santos x Barcelona (final) 07h30 – Esporte Espetacular (Copa da República de Ciclismo) 10h30 – Aventuras do Didi 11h05 – Festival de Promessas – Especial Gospel 12h18 – Esquenta 13h35 – Temperatura Máxima. Operação Babá 15h22 – Domingão do Faustão 18h30 – Fantástico 20h56 – Domingo Maior. Filme: O Pacificador 22h50 – Sessão de Gala. Filme: O Caçador de Pipas 00h58 – Corujão I. Filme: O Lutador 02h37 – The Beast 03h25 – Festival de Desenho

Horóscopo GREGÓRIO QUEIROZ

RECORD 04h30 – Desenhos Bíblicos 05h40 – Todo Mundo Odeia o Chris – HD 08h00 – Amazonas dá Sorte – local 09h00 – Record Kides – local 10h30 – Tudo é Possível com Ana Hickmann – PGM 14h30 – Programa do Gugu – PGM 18h30 – Domingo Espetacular – PGM – HD 21h00 – Repórter Record – HD 22h00 – Série: AEX (1ª Temporada – inédita) 23h00 – Programação IURD

REDE TV

05h30 – Igreja Internacional da Graça – local 08h15 – Programa Viva Amazônia – local 08h45 – Break Obrigatório 09h50 – Campeonato Italiano – Juventus x Novara 12h00 – Igreja Internacional da Graça – local

13h00 – Programa Esporte Performance – local 14h00 – Programa Luta Tribal – local (reprise) 14h30 – Programa Amigos do Volante – local 15h00 – Break Obrigatório 15h05 – Igreja Internacional da Graça – local 16h15 – Ritmo Brasil 16h45 – Belas na Rede 17h50 – O Último Passageiro 19h00 – Pânico na TV 21h30 – Dr. Hollywood 22h30 – É Notícia 23h30 – Bola na Rede 00h00 – Igreja Internacional da Graça – local

11h40 – O Brasil Torceu na Band (HD) 13h15 – Gol, o Grande Momento do Futebol (HD) 14h45 – Futebol 2011 (HD) – ao vivo – Torneio Internacional de Futebol Feminino 16h45 – Terceiro Tempo (HD) 17h45 – As Aventuras de Jeff Corwin 18h15 – Caçadores de Relíquias 19h00 – Um Tio da Pesada 19h20 – Família Moderna 19h45 – Bones (HD) 20h45 – Domingo no Cinema HD – Feitiço Mortal 22h45 – Acerto de Contas (HD) 23h30 – Canal Livre (HD) 00h30 – Isto é Manaus 01h00 – Show Business – reapresentação

TV CULTURA

BAND 03h45 – Espaço Vida Vitoriosa I 05h00 – Sol Brilhante 05h30 – Santa Missa 06h30 – Fé na Verdade 07h30 – Conexão Cargas 08h30 – Brasil Caminhoneiro 09h00 – Infomercial 10h00 – Auto + 10h45 – Itaipava GP Brasil (HD)

03h55 – Abertura da Estação/ Hino Nacional 04h00 – Via Legal 04h30 – Brasil Eleitor 05h00 – Palavras de Vida 06h00 – Santa Missa 07h00 – Viola, Minha Viola 08h00 – Curta Criança 08h30 – Janela Janelinha

Cinema

09h00 – Carrossel da Saudade – Local 10h00 – ABZ do Ziraldo 10h30 – Anima TV Tromba Trem 10h45 – Anima TV Carrapatos e Catapultas 11h00 – Turma do Pererê 11h30 – Catalendas 11h45 – Cocoricó 12h00 – Viva Memória – Reprise – Local 13h00 – Stadium 14h00 – Amazônia com Brunce Parry 15h00 – Ver TV 16h00 – De Lá Pra Cá 16h30 – Cara e Coroa 17h00 – Papo de Mãe 18h00 – Conexão Roberto Dávila 19h00 – EsporTVisão 20h30 – Curta TV 21h00 – MPTV – Reprise 21h30 – Roda Viva Amazonas – Reprise – Local 22h30 – Lado – B – Local – Reprise 23h00 – Média Nacional 00h00 – Hino Nacional / Encerramento da Emissora

Cruzadinhas

PRÉ-ESTREIAS DIVULGAÇÃO

ÁRIES - 21/3 a 19/4 Um dia criativo para a atuação no trabalho, participando de grupos que lhe favoreçam. No amor, o dia é carregado de compromissos e deveres, ficando de fora a diversão. TOURO - 20/4 - 20/5 Seus planos podem ser impedidos de se realizar, mesmo que minimamente. Não espere realizar seus anseios e planos neste dia, assim poderá se frustrar menos. GÊMEOS - 21/5 A 21/6 Momento de supressão do prazer e de imposição dos deveres, em especial nas relações amorosas. Seus desejos ficam bloqueados. Há dias em que as coisas são assim mesmo. CÂNCER - 22/6 A 22/7 Talvez se sinta meio sozinho, vendo as pessoas afetivamente distantes. No lar, é preciso cumprir à risca seus deveres. As obrigações se impõem mesmo que a sua revelia. LEÃO - 23/7 A 22/8 Os compromissos formais se impõem sobre a afetividade no convívio humano. A organização no trabalho é condição para obter hoje os resultados que pretende. VIRGEM - 23/8 A 22/9 Os sentimentos amorosos esfriam um pouco, pois as condições não favorecem em nada realizar o que deseja. Mas esta é apenas uma condição passageira. Espere a hora certa. LIBRA - 23/9 A 22/10 Você tende a se sentir incomodado com certas situações emocionais e afetivas no ambiente familiar. Não fique tentando se defender tanto assim. ESCORPIÃO - 23/10 A 21/11 Obstáculos se interpõem em sua rotina, e aquilo que deseja se realizar pode ser impedido. A preocupação com o amor gera uma sombra que escurece suas relações. SAGITÁRIO - 22/11 A 21/12 O desejo de encontrar-se com certos amigos ou pessoas queridas pode ser frustrado. Também assim com algumas expectativas pessoais, em especial na vida financeira. CAPRICÓRNIO - 22/12 A 19/01 Você tende a recuar diante do que deseja, em especial na profissão, talvez por insegurança ou medo. As responsabilidades pesam sobre o convívio amoroso. AQUÁRIO - 20/1 A 18/2 As atividades que mais lhe agradam podem ser impedidas de se realizar. Uma frustração pode acontecer. Mantenha a grandeza de atitude, encarando a situação com filosofia. PEIXES - 19/2 A 20/3 As relações pessoais trazem sentimentos intensos, mas as situações sociais não colaboram e talvez não possa viver com as pessoas, como gostaria, esses sentimentos.

Missão Impossível 4 – Protocolo fantasma: EUA. Livre. Acusado pelo bombardeio terrorista ao Kremlin, o agente da IMF Ethan Hunt é desautorizado junto com o resto da agência quando o Presidente dá início ao “Protocolo Fantasma”. Deixado sem qualquer recurso ou apoio, Ethan tem que encontrar uma maneira de limpar o nome de sua agência e prevenir um outro ataque. Para complicar ainda mais as coisas, Ethan é forçado a assumir esta missão com uma equipe de colegas fugitivos da IMF cujos motivos pessoais ele não conhece completamente. Playarte 1 – 13h, 15h40, 18h20 (leg/ diariamente) e 21h (leg/ qua e qui); Playarte 6 12h, 14h40, 17h20 (dub/ diariamente) e 20h (dub/ qua); Cinemark 1 – 11h30, 14h30, 17h30, 20h30 (dub/ diariamente); Amazonas 6 - 13h, 15h45, 18h30 21h15 (dub/ diariamente) Compramos um zoológico: EUA. Livre. Benjamin, um pai solteiro (Matt Damon) que vive uma incrível história de superação. Após a morte da esposa, Benjamin e seus filhos mudam-se para o interior da Califórnia para renovar e reinaugurar um zoológico em decadência. Sem nenhuma experiência prévia, a família verá seus valores transformados pelo convívio com os animais. Playarte 9 – 16h (dub/ sex, sáb e dom). ESTREIA Roubo nas alturas: EUA. 12 anos. Josh

Kovacs gerencia um condomínio residencial de alto padrão em Nova York por mais de uma década. De repente, um dos inquilinos, Arthur Shaw é preso pelo FBI por fraude. Josh pensa se tratar de um engano, mas logo descobre que a aposentadoria de todos os funcionários do condomínio foi desviada por Arthur. Após um dos trabalhadores tentar cometer suicídio, Josh toma uma decisão: roubar o apartamento de Arthur, na luxuosa cobertura do prédio, e encontrar os US$ 20 milhões desviados. Porém, ele percebe que vai precisar da ajuda de alguém que realmente entenda do assunto. Playarte 3 – 14h, 16h10, 18h20 (leg / diariamente) e 20h30 (leg / qua); Playarte 5 – 14h, 16h10, 18h20 (leg / diariamente), 20h30 (leg/ 20:30 (sex, sab, dom e seg)e 22h40 (leg / sex e sab); Cinemark 3 – 12h10, 14h50, 17h10 e 22h10 (dub/ diariamente); Amazonas 5 – 14h, 16h20, 18h50, 21h20 (dub/ diariamente) e 16h30, 18h50 e 21h20 (dub/ qua e qui)

CONTINUAÇÕES Noite de Ano Novo – 10 anos: Playarte 9 - 13h30, 16h, 18h30 (leg/ diariamente), 21h (leg/ seg), 13h30, 18h30, 21h (leg/ sex, sab e dom), 23h30 (leg/ sex e sab); Cinemark 2 – 13h30,16h20, 19h, 22h20 (leg/ diariamente). A pele que habito – 16 anos: Playarte 8 -17h40 (leg/ diariamente), 20h10 (leg/ sex, sab, dom, seg, qua), 22h40 (leg/ sex e sab); Cinemark 3 – 19h30 (leg/diariamente). O Gato de Botas - Livre: Playarte 6 – 13h30, 15h30, 17h30, 19h30 (dub/ diariamente); 21h30 (dub/ sex, sab, dom e seg); Playarte 7 - 13h30, 15h30, 17h30, 19h30 (dub/ diariamente) 21h30 (leg/ qua); Cinemark 4 - 11h40, 13h50, 16h, 18h10 (dub/diariamente). Os Muppets - Livre: Playarte 7 - 13h (dub/diariamente) 15h20 (dub/ sex, sab, dom, seg, qua); Cinemark 4 – 15h (dub/diariamente). Operação presente - Livre: Playarte 7 – 14h, 16h10 (dub/ diariamente), 18h20 (dub/ sex, sab, dom e seg); Cinemark 4 – 12h40 (3d/dub/ diariamente). Os especialistas – 14 anos: Playarte 7 - 20h30 (leg/ sex, sab, dom, seg) e 23h (leg/ sex, sab). Meu país – 14 anos: Playarte 8 – 14h, 16h, 18h20 (diariamente) e 20h (ter e qui). Amanhecer – parte 1 – 14 anos: Playarte 4 – 12h50, 15h30, 18h10

(dub/ diariamente), 20h50 (dub/ sex, sab, dom, seg, qua), 23h30 (dub/ sex e sab); Cinemark 4 – 17h50, 21h10 (dub/ diariamente); Amazonas 5 – 14h (dub/ diariamente); Amazonas 6 - 13h30, 16h, 18h30, 21h (dub/ diariamente). O palhaço - Livre: Playarte 10 – 13h (diariamente). Não se preocupe, nada vai dar certo – 12 anos: Playarte 4 - 14h, 16h10, 18h20 (dub/ diariamente) e 20h30 (dub/ ter e qui). Entre segredos e mentiras – 16 anos: Cinemark 8 – 20h20 (dub/ diariamente). O filme dos espíritos – 10 anos: Playarte 2 - 13h, 15h10, 17h20, 19h30 (diariamente) e 21h40 (ter/qui). Todo mundo tem problemas sexuais – 14 anos: Playarte 4 – 20h (diariamente). Bruna surfistinha – 16 anos: Playarte 5 – 13h, 15h20 (diariamente) e 17h40 (ter). Família vende tudo – 12 anos: Playarte 6 - 14h, 16h, 18h (diariamente) e 20h (ter/ qui). Assalto ao Banco Central – 12 anos: Playarte 7 - 14h, 16h, 18h20 (diariamente) e 20h30 (ter e qui) . Brasil animado – Livre: Playarte 9 - 14h50, 16h40, 18h30 (dub/diariamente) e 20h20 (dub/ ter e qui). Onde está a felicidade? – 12 anos: Playarte 10 - 15h, 17h30 (dub/ diariamente) e 20h (dub/ ter e qui).

Local e valores Cinemark - Studio 5 - av. Rodrigo Otávio, 555 - Distrito Industrial - Informações: (92) 3613- 8345 / R$ 9 (matinê / seg., ter. e quin); R$ 12 (noite / seg., ter. e quin); R$ 14 (matinê / sex., sáb., dom. e feriados) e R$ 17 (noite / sex., sáb., dom. e feriados); R$ 10 (quarta). Cinemais Plaza – Manaus Plaza Shopping - av. Djalma Batista, 2.100, Chapada - Informações: (92) 3215- 1530 / R$ 6 (seg.); R$ 8 (quar.), R$ 10 (ter. e quin.), R$ 12 (matinê / sex., sáb., dom. e feriado) e R$ 13 (noite / sex., sáb., dom. e feriado). Cinemais Millennium – Millennium Shopping - av. Djalma Batista, 1.661, Chapada - Informações: (92) 3215- 1530 / R$ 7 (seg.); R$ 9 (quar.), R$ 12 (ter. e quin.), R$ 14 (matinê / sex., sáb., dom. e feriado) e R$ 16 (noite / sex., sáb., dom. e feriado). Playarte – Manauara Shopping - av. Mário Ypiranga, 1.300, Adrianópolis – Informações: (92) 3236-5143 / R$ 14 (matinê / seg. ter. e quin), R$ 16 (noite / seg., ter. e quin.), R$ 10 (quar.), R$ 16 (matinê / sex., sáb., dom. e feriado) e R$ 18 (noite / sex., sáb., dom e feriado). Severiano Ribeiro – Amazonas Shopping av. Djalma Batista, 482, Chapada - Informações: (92) 32151617 / R$ 10 (seg., ter. e quin.), R$ 8 (quar.) e R$ 12 (sex., sáb., dom. e feriados).


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

D7

::::: Como perguntar não ofende

::::: Alegria da classe Chegando final de ano, a classe toda espera os convites fartos para as confraternizações de entidades do poderoso circuito empresarial local. Depois da CDLM, agora será a vez da Fieam receber os jornalistas. Segundo amigo da coluna, essa é a mais concorrida porque, digamos, oferece uns mimos básicos no sorteio. Telas de LCD e viagens para Parintins e outras cidades do país. Sabe como é, não é? De graça até injeção na testa.

Jander Vieira

jandervieira@hotmail.com - www.jandervieira.com.br

::::: Ho-ho-ho Foi para celebrar a edição 2011 do tradicional encontro de troca de panetones grifados que Márcia Martins e Sandra Lúcia Saraiva pilotaram, no Empório dos Reis, uma happy hour das mais divertidas. Por lá, o alto astral da Confraria Sobrenomada regada às comidinhas de Selma Reis deram o tom ao vaivém do espírito natalino. Confira os confetes-com-flashes.

Em reconhecimento à intensa agenda de visita às escolas da rede pública estadual da capital e interior, para a divulgação em palestras e eventos de campanhas sociais relevantes na área de educação, saúde, meio ambiente e assistência social, a primeira-dama Nejmi Jomaa Aziz foi homenageada com uma placa de condecoração do Conselho Estadual de Educação, representado pela presidente Fernanda Melo, durante recente cerimônia do prêmio Escola de Valor

::::: Sala de Espera Adriane Antony e Menga Junqueira FOTOS: JANDER VIEIRA

Quando afinal de contas a tal BR-319 ficará pronta? Essa novela de mais de 10 temporadas não acaba nunca? Até quando ficaremos ilhados no norte do país? O pior é que o governo federal vem aqui, anuncia prorrogação da ZFM mas, nos dar logística que é bom nada! Depois que o povo ficar desempregado e partir para cima da floresta, as ONGs e os organismos internacionais vêm reclamar de desmatamento. Ai já será tarde.

Camila Saraiva e Marina Silva

::::: Poluição total, lamentável

Kátia Sebben e Zenaldo Mota Baby Rizzato e Sandra Lúcia Saraiva

Mistura de ritmos com Johnathan O cantor Johnathan Dantas fará show eclético amanhã, na praça de alimentação do Manaus Plaza Shopping. O músico adianta que o repertório incluirá diferentes estilos, para agradar todos os públicos – de Música Popular Brasileira a sertanejo universitário. A apresentação acontecerá no horário de 18h30 às 20h30. Para deixar a sua marca, Johnathan Dantas, mostrará como fazer uma mistura de ritmos, sem perder seu estilo pessoal. O artista dará voz a sucessos do pop rock de Skank, Cássia Eller, Jota Quest, Cazuza, entre outros. De sertanejo universitário, lembrará hits de Jorge & Mateus e Luan Santana. O artista também promete resgatar clássicos da Música Popular Brasileira, passando pela Bossa Nova e Jovem Guarda e mostrará, ainda, duas canções autorais – “Canção da mata” e “Sobrou sedução”.

A Vivo realizou, a esperada Confraria Vivo, no Restaurante Banzeiro, no meio da semana. O encontro gourmet pilotado pela Vivo Empresas deu aos convidados a oportunidade de combinar sabores com vinhos, por meio da harmonização gastronômica comandada pelo chef Felipe Schaedler, que ensinou os convidados a conectar sabores e refinar o paladar. Um sucesso! No climão natalino, a empresária Dacy Venâncio agendou para a próxima quarta-feira, no templo da beleza D&A o festão de confraternização. No menu: além da animação da anfitriã, várias garrafas de champanhe, comidinhas e muita bossa não faltarão. Eu vou!

::::: Confuso

MIX

Na próxima quarta-feira, tem festim de confraternização dos assíduos frequentadores do Empório dos Reis com hora para começar e terminar, digo das 20h às 23h. Quem está no comando é a linda Deborah Camely. Hoje, o atuante presidente da A Grande Família, Gilberto Ferreira faz apresentação dos protótipos das fantasias para o Carnaval 2012, às 20h, na festejada quadra do São José. Ontem, aconteceu a primeira eliminatória da Rainha Gay da escola com uma assídua disputa entre 15 candidatas. O evento já virou tradição por aquelas bandas carnavalescas.

Leitores da coluna pedem socorro. Em época natalina, onde as lojas e ruas da cidade ficam abarrotadas de gente, é quase impossível fazer compras e trafegar no centro de Manaus, principalmente, nas avenidas 7 de Setembro e Eduardo Ribeiro. Como se não bastassem o exagero das bancas de camelôs, o trânsito caótico, o lixo produzido por tudo isso junto, as lojas do lugar têm que agora dividir espaço com as bancas esfumaçantes de “churrasco de gato” e os carrinhos de verduras. Que tal? O pior que ninguém faz nada. Se é que vocês me entendem...

Com o final de ano batendo à porta, inúmeras são as promoções lançadas no mercado para incentivar o consumo de produtos aqui e acolá. Mas, muito cuidado porque em alguns casos, as dores de cabeça superam a alegria de ser sorteado nas tais campanhas. Fica a dica da coluna.

Lincoln Frota está trocando de idade hoje. Os cumprimentos da coluna.

::::: Apoio

Denize Santana e Selma Reis

Eliane Schneider e Márcia Martins

Letízia Barros e Renata Levy

A Refinaria de Manaus está apoiando a campanha realizada pelos Correios – “Papai Noel do Correios”. Das cem cartinhas levadas para a refinaria, mais da metade já foi “adotada” pelos funcionarios da Reman. O objetivo é que até amanhã, todas as cartinhas sejam atendidas, mantendo assim, acesa a magia do Natal para muitas crianças carentes de nossa cidade.

POLÊMICA

INTERNACIONAL

DIVULGAÇÃO

Beach Boys anunciam que farão turnê mundial Uma das bandas mais famosas do mundo, Beach Boys, anunciou na tarde da última sexta-feira, dia 16, que fará uma turnê em 2012 com seus membros fundadores - Brian Wilson, Mike Love, Al Jardine, Bruce Johnston e David Marks. O grupo será um dos headliners do New Orleans Jazz & Heritage Festival, que acontece entre 27 de

abril e 6 de maio, nos Estados Unidos. Além disso, a banda anunciou que pretende lançar um disco novo. “O aniversário é muito especial para mim, porque sinto saudade dos garotos e será emocionante fazer um novo disco com eles e estar novamente no palco com eles”, disse Wilson, um dos integrantes. DIVULGAÇÃO

Ex-Pink Floyd afirma que Obama deveria ter “colhões” e governar de maneira decente

Roger Waters fala sobre Obama

No próximo ano, a banda celebra os 50 anos de carreira

O ex-Pink Floyd Roger Waters disse em entrevista à revista “Rolling Stone” que gostaria que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, tivesse “colhões”. Waters se diz “muito decepcionado” com a política internacional do atual governo americano e diz que, embora Obama ainda seja sua opção de voto, queria que o presidente fosse mais

corajoso. “Estou muito, muito decepcionado com sua política internacional. Obviamente, vai contra tudo o que eu acredito. Por outro lado, as alternativas à reeleição de Obama seriam tão desastrosas se você olhar para os candidatos”, disse Waters. “Apoio Obama em sua candidatura. Mas espero que ele tenha mais “colhões” e comece a governar

da forma que eu e muitas pessoas que o apoiaram da outra vez gostaríamos”. Waters particiou do 12º Festival Amazonas de Ópera (FAO), apresentando “Ça Ira”, dividida em três atos, que conta história de franceses que lutaram por muito tempo a favor dos ideais de igualdade, liberdade e fraternidade, durante o período da Revolução Francesa.


D8

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 18 DE DEZEMBRO DE 2011

HQ sobre Kardec requer conhecimento da doutrina Trechos da adaptação de Carlos Ferreira e Rodrigo Rosa deixam a desejar para quem desconhece o espiritismo FOTOS: DIVULGAÇÃO

CHRIS REIS Equipe EM TEMPO

A

França do século 19, em plena ebulição do iluminismo e aberta aos questionamentos a respeito das “mesas giratórias” que eram febre na época e a história do cientista e professor Léon Denizard Rivail e que, depois de 50 anos de ceticismo, trocou de nome para Allan Kardec, tornou-se o decodificador da doutrina espírita. A história pode ser conferida de maneira lúdica na histórica em quadrinhos (HQ) “Kardec”, que foi lançado pelo selo Bárbara Negra, Editora LeYa Brasil. Não por acaso, o livro tem esse formato, afinal os quadrinhos são atualmente um gênero literário que explora novos temas. Com 127 páginas, o livro tem roteiro de Carlos Ferreira e (belos) desenhos de Rodrigo Rosa - vencedores do “HQ Mix 2011” com a adaptação do clássico “Os sertões”, de Euclides da Cunha. O prefácio é de ninguém menos do que Marcel Souto Maior, o mesmo que escreveu o livro “As vidas de Chico Xavier”.

A obra reconstitui, por meio de histórias em quadrinho feitas em preto e branco, tudo que levou à conversão do então cético Denizard e dá uma luz (sem fazer trocadilho) para entendermos a gênese do espiritismo, que se tornou motivo de

curiosidade após vários livros e filmes lançados. O livro acompanha o cientista durante sua investigação sobre os fenômenos sobrenaturais, que aconteciam na França naquele período de questionamentos e reuniões de “mesas

girantes”, em que objetos se moviam-se e sua busca por respostas para entender a existência humana. Leitura indicada para quem tem quer saber mais sobre a doutrina, e também para quem já conhece. Porém, em algumas passagens do livro, os leitores que não têm muito conhecimento da história de Allan Kardec e do Espiritismo podem se perder um pouco no roteiro, mas nada que uma procura por sites de busca não os ajude a entender. Afinal, como diz o espiritismo, conhecimento é bom para entender e depois acreditar. A ideia do livro, originalmente de Carlos, diferente do que muitos possam imaginar, surgiu bem antes do boom dos filmes espíritas no Brasil,em meados de 2007. Porém, foi apenas em 2009 quando o filme “Chico Xavier” foi lançado e com sucesso de bilheteria é que a editora resolveu entrar de cabeça no projeto. Os autores da HQ realizaram intensa pesquisa histórica e visual sobre Allan Kardec e a época em que tudo aconteceu.

A obra reconstitui, por meio HQ’s feitas em preto e branco, a conversão de Allan Kardec

EM TEMPO - 18 de dezembro de 2011  

EM TEMPO - Caderno principal do jornal Amazonas EM TEMPO www.emtempo.com.br

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you