Page 1

Copa não terá monotrilho e BRT, diz Capobiango

Última Hora A2

ALEX PAZUELLO/AGECOM

ESTREIA

TV EM TEMPO vai priorizar o esporte local Atração será apresentada por Carol Queiroz, de segunda à sexta-feira e terá 20 minutos de duração. O esporte local ganhará destaque. Lance! 8 CIDADE UNIVERSITÁRIA

SHANA REIS

‘Esse projeto consolida a UEA’ Dia a dia C3

33 mil vagas de trabalho

ANO XXIV – N.º 7.588 – MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012 – PRESIDENTE: OTÁVIO RAMAN NEVES - DIRETOR EXECUTIVO: JOÃO BOSCO ARAÚJO - PREÇO DESTA EDIÇÃO: R$ 2,00

Fugitivos das Farc se abrigam em Manaus Fugindo de atentados e de ameaças de morte, muitos colombianos têm encontrado em entidades religiosas brasileiras o socorro necessário para se esconder do regime paramilitar das Farc. Manaus abriga hoje 30 colombianos que imigraram em busca de proteção. Dia a dia C4 e C5 LEICA-FOTOGRAFE

LENTIDÃO

Fotógrafos amazonenses se destacam em prêmio nacional

Justiça do Trabalho ‘engessada’ Economia B1

Nortista de respeito e competência Atuante no STJ, Mauro Campbell pondera sobre a magistratura e diz jamais ter lido o processo sobre a trama de sua morte. Política A7

DIVULGAÇÃO TJAM/RAPHAEL ALVES

MINISTRO

ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

ARQUIVO EM TEMPO?MARCELL MOTTA

Últimas A2

INVERNO

Chuva causa doenças em cachorros Se não estiverem vacinados e beberem águas empoçadas eles podem adquirir leptospirose, cinomese, entre outras. Elenco 29


A2

Opinião/Última Hora

Contexto 3090-1017/8136-7324

contexto@emtempo.com.br

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Técnicos da Fifa traçam plano de ação para Copa O grupo do Comitê Organizador visitou as obras da Arena da Amazônia para avaliar questões operacionais para 2014 HUDSON FONSECA

Monotrilho e BRT fora do projeto da Copa de 2014

A adaptação do projeto já foi aprovado pela Fifa, que também acatou a alteração em mais sete cidades-sede, do total de 12. Com isso, apenas quatro capitais terão que implantar um projeto de mobilidade urbana novo. Como a Fifa estabelece que o local da realização dos jogos tenha as vias interditadas num perímetro de um quilômetro, o governo decidiu utilizar o atual sistema de transporte coletivo, que levará os torcedores até as proximidades da Arena da Amazônia. De lá, eles serão transportados em outros ônibus, já na área interdidata até o estádio. CAPOBIANGO ADMITE Em entrevista a uma TV local, o coordenador da Unidade Gestora da Copa (UGP-Copa), Miguel Capobiango, admitiu que o monotrilho não faz parte do projeto de Manaus para a Copa. Tanto o BRT quanto o monotrilho estão listados no relatório do TCU como obras da Copa. ATUAÇÃO DA SEGURANÇA Na área interditada nas proximidades da Arena da Amazônia, haverá um esquema forte de segurança pública e orientação aos torcedores. O estádio receberá três jogos do evento e tem previsão para ser entregue em junho do ano que vem. PR REPROVADO O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reprovou, por unanimidade de votos, a prestação de contas do PR, cujo presidente nacional é o senador Alfredo Nascimento, referente a 2007. Segundo o tribunal, “as contas do PR apresentam escrituração contábil que não reflete a real movimentação financeira e patrimonial da legenda”. SEM CERTIDÕES O TSE informou que a sigla não apresentou também certidões de baixa do Prona e do PL, que se fundiram e deram origem ao PR. “As irregularidades não foram sanadas e, por isso, desaprovo a prestação de contas”, disse o relator, ministro Arnaldo Versiani. SEM HIDRELÉTRICA O ex-governador de Rondônia, Ivo Cassol (PP), contabiliza uma derrota na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Sua empresa, a Eletrossol - Centrais Elétricas Cassol Ltda, não obteve o registro para a realização de

estudos de inventário hidrelétrico do rio Acari, na bacia do rio Solimôes, sul do Amazonas. O local é muito utilizado para a pesca esportiva do tucunaré. DEFESA O advogado do deputado federal Sabino Castelo Branco (PTB), Délcio Santos, pretende alegar cerceamento de defesa. Segundo ele, a presidente do TRE, desembargadora Graça Figueiredo, tinha baixado uma portaria na qual o expediente da secretaria judiciaria iria até as 15h da última sexta (9). PRAZO MAIOR Santos queria mais tempo, até amanhã, para ingressar com recurso para reverter a cassação de Sabino e pediu extensão de prazo. A desembargadora não consentiu a extensão de prazo e modificou o horário de funcionamento da secretaria judiciária para até as 19h de sexta. Com isso, Santos teve que elaborar o recurso para ingressá-lo até o final da tarde de sexta, caso contrário, Sabino estaria cassado.

APLAUSOS

VAIAS

Procon-SP

Coca-Cola

Para o Procon de São Paulo, que vai multar 18 postos que aumentaram o preço do combustível de forma abusiva.

Para a fabricante de refrigerantes Coca-Cola, que terá que mudar um componente da sua fórmula, após risco de câncer.

Técnicos da Fifa, Fúlvio Danilo (e), Ricardo Trade e Miguel Capobiango avaliam a planta

N

a manhã de ontem, cerca de 60 técnicos da Federação Internacional de Futebol (Fifa) e do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de Futebol de 2014 visitaram as obras da Arena da Amazônia para avaliar as questões operacionais para realização do evento na cidade. Divididos em seis grupos com 12 áreas operacionais, os técnicos avaliaram questões de segurança, mobilidade urbana, tecnologia da informação, além de observarem como serão as operações técnicas durante os jogos da Copa do Mundo. De acordo com o represen-

tante da Fifa, Fúlvio Danilo, a análise técnica operacional iniciou em 2009 e deve se estender até 2014, pouco antes do início do evento. “Em Manaus, eles (técnicos) têm a vantagem de ver além da planta, mas também analisar o terreno e conhecer o entorno da obra” disse. O representante do COL, Ricardo Trade, informou que após a visita serão informadas as adequações necessárias para o funcionalidade do evento. Ele descartou qualquer alteração no projeto básico da obra. “A análise é para encontrar uma saída. Não vamos modificar o projeto até por conta dos custos,

mas vamos procurar soluções viáveis”, garantiu. Mobilidade urbana Segundo o coordenador da Unidade Gestora da Copa (UGP) em Manaus, Miguel Capobiango, o monotrilho e o BRT não são imprescindíveis para o projeto de mobilidade urbana para a Copa do Mundo de 2014. “O que estiver pronto até lá, ótimo. Mas utilizaremos as estruturas existentes e testadas em grandes eventos”, disse. Ele informou que o perímetro da arena será fechado. “O único diferencial será o reforço na segurança, com vistorias de bolsas para entrada no estádio”.

Motoristas vão aprender a falar inglês A Associação dos Condutores de Veículos Institucionais do Amazonas (Acvam) pretende promover para todos os motoristas e servidores da associação cursos de capacitação em línguas em preparativo para a COpa 2014. Todos devem participar de reunião no próximo dia 31 para a apresentação do projeto de Implantação do Centro de Formação e Treinamento de Condutores de Veículo em Manaus. A reunião será realizada às 10h na casa de saúde Dr. Miguel Carrate, na rua da Estanave, no bairro da Compensa III, próximo à Escola Estadual Elda Bitton, o Quarentão. De acordo o vice-presidente da Acvam, Carlos do Vale, o centro visa promover a formação e treinamento dos motoristas que atuarão em setores estratégicos durante a Copa de 2014. Ele informou, ainda, que os cursos e treinamentos preveem a formação de motoristas para as diferentes atividades do serviço público, com conhecimentos básicos em inglês, primeiros socorros e resgate, ética profissional, mecânica básica e eletricidade, informática e direção defensiva. O projeto inclui bolsa e ajuda de custo e se encontra na fase de seleção de cerca de trinta motoristas para participarem do curso de formação de instrutores.

CENTRO SOCIAL

Parceria para adoção de animais JEFTER GUERRA Equipe EM TEMPO

O Centro de Controle de Zoonoses de Manaus (CCZ) em parceria com a Prefeitura Municipal de Manaus, realizou, ontem (10), no Centro Social Urbano (CSU), no bairro do Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul, mais uma ação de doação de cães e gatos. De acordo com o diretor do CCZ, Francisco Zardo, 15 cães e cinco gatos estavam disponíveis para adoção. Mais de 200 vacinas antirrábicas foram distribuídas. “Uma parte desses animais foi encontrada nas ruas, e outra, os donos abandonaram. É uma pena os maus-tratos que alguns deles

sofrem dos seus antigos donos”, informou o diretor. Sobre os maus-tratos sofridos pelos animais, o diretor chamou a atenção ao pequeno cachorro da raça poodle branco, Juninho, que foi encontrado bem debilitado pelos agentes do centro. “Esse cachorro tinha um dono. Foi abandonado com sardas e alguns ferimentos pelo corpo. Graças a Deus ele encontrou alguém que irá cuidar dele”, disse Zador. Para adoção os voluntários precisaram assinar um termo de compromisso de que não iriam maltratar os animais. A feira teve o apoio de três Ongs: Proteção e Ação e Treinamento Animal, Compaixão Animal, e a Organização Bicho Amado.

PRESERVAÇÃO

SHANA REIS

O Amazonas não terá mais o monotrilho e o sistema BRT em seu projeto de mobilidade urbana para a Copa do Mundo de 2014. O governo do Estado trabalha, agora, com um projeto que contempla a atual situação de mobilidade da capital amazonense.

CONDUTORES

Pretendente a adoção, o cão Júnior aguardava um novo dono

MARGINALIDADE

Polícia Ambiental prende dez criminosos em Manacapuru

Rapaz assalta casa do irmão e é flagrado pela cunhada

Dez pessoas foram presas em flagrante e três embarcações apreendidas, na madrugada deste sábado (10), por uma equipe de policiamento do Batalhão Ambiental da Polícia Militar do Amazonas (BAPM-AM), por crime ambiental no município de Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus) em mais uma atuação no interior. Durante uma ação de fiscalização, o batalhão ambiental interceptou as embarcações que navegavam pelo rio Negro, e transportavam aproximadamente 40 metros cúbicos de madeira ilegal e uma arma longa.

Na noite de ontem, o estudante Adriano de Souza Azevedo, 19 anos, e um adolescente entraram em uma residência na avenida Manaus, no bairro Japiim, Zona Sul de Manaus. O caso foi registrado no 2º Distrito Integrado de Policia (DIP), no bairro do Educandos, Zona Centro-Sul da capital. Segundo os policiais, Adriano roubou uma televisão da casa do próprio irmão, que não quis se identificar. Mas a cunhada do estudante, a dona de casa Neucilene Laurem Sarmento, disse que por volta de 19h30, havia saído de casa para ir à igreja,

De acordo com o subcomandante do Batalhão Ambiental, coronel Denis Sena, as embarcações que estavam em péssimas condições de uso, transportavam a madeira sem o Documento de Origem Florestal (DOF). Doações O coronel informou ainda que a madeira já está sendo trazida para Manaus e será doada para instituições de caridade. As dez pessoas presas serão encaminhadas na segunda-feira (12) a Delegacia do Meio Ambiente (Dema), para prestar esclarecimentos.

quando o cunhado e o menor invadiram a casa dela. “Os vizinhos viram eles entrando em minha casa. E por isso eu e o meu marido resolvemos chamar a polícia. Não é porque ele é meu cunhado que não vai pagar pelo crime”, disse a dona de casa. Outro caso Ronaldo Oliveira Firmindo, foi preso por policiais da 15º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na tarde de ontem (10), na comunidade Raio do Sol, na avenida Grande Circular, Zona Leste da Cidade, com uma porção de pasta-base de cocaína e papelotes da substância.


Opinião

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

A3

Fala leitor

Editorial

falaleitor@emtempo.com.br

www.emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br

Bem-vindo à favela e ao samba, príncipe Harry Parodiando Olavo Bilac, o príncipe dos poetas brasileiros: “Criança, não verá favela como esta”. Pois foi o que a imprensa nacional noticiou sobre a presença do príncipe Harry e o seu primeiro interesse em sua primeira viagem ao país do Carnaval, do futebol e do samba, três ingredientes que, agora, terminam em favela (da mesma maneira como CPI no Congresso Nacional ou na Câmara Municipal de Manaus termina em pizza), transformada em atração turística (não pela primeira vez). Harry é o terceiro na ordem de sucessão monárquica britânica e seu interesse pela favela (onde apreciará ou participará de uma apresentação de samba e de capoeira) tem a ver com a campanha que está divulgando mundialmente, “Great”, destinada a promover a Grã-Bretanha e atrair investidores para os Jogos Olímpicos de 2012 em Londres e o jubileu da rainha Elizabeth 2a, segundo antecipou um porta-voz da embaixada britânica no Rio. Mas não é trabalho e filantropia que ocupará o jovem de 27 anos, considerado um “rebelde”, ao menos para o gosto da nobreza, a quem tem dado dores de cabeça, sempre que um paparazzo tem a sorte de encontrá-lo “muito à vontade”. O príncipe Harry não precisaria vir ao Brasil para ver uma favela. Antes mesmo que essa palavra significasse a pobreza da maioria das populações urbanas brasileiras, a própria literatura em língua inglesa já era pródiga em descrever o cenário que o príncipe olhará em sua curta temporada em terras tupiniquins. A pobreza sempre tocou a nobreza muito de leve e de longe. A burguesia que a sucedeu manteve a mesma distância e a falta de outros horizontes transformou-a em objeto de observação turística, como estão fazendo com as reservas de indivíduos indígenas. Isso compõe a descoberta “humanitária” da filosofia do emprego (ou oportunidade) e renda. Sim, o pobre pode ser feliz em sua pobreza. O príncipe Harry ainda verá muitos países como este. Afinal, o que tem para fazer um cidadão que ainda é príncipe num mundo em que só valem títulos que possam inflar e desinflar a Bolsa de Valores?

Em plena semana em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, o Senado Federal, por meio de sua Comissão de Direitos Humanos, aprovou um projeto de lei em caráter terminativo e sem alterações ao texto enviado pela Câmara dos Deputados, que estabelece uma multa para as empresas que pagarem salário menor a mulheres.

A matéria seguirá, agora, para sanção presidencial, antes disso, contudo, é preciso aguardar um prazo regimental em que os senadores podem apresentar recurso para que o texto seja votado em plenário. Se o recurso não for apresentado, o texto vai direto para sanção ou veto da presidente Dilma Rousseff. O projeto de lei prevê mul-

ta de cinco vezes o valor do salário da empregada que tiver recebimentos diferenciados ocupando a mesma função que um homem. As empresas são novamente chamadas a observar a rigorosa justiça remuneratória para todas as pessoas que lhe prestem serviços. Outro efeito é que as próprias mulheres que recebem menos para exercer

a mesma função que um colega de trabalho passam a reconhecer tal situação como uma ofensa de gênero incentivando-as a postularem medidas equalizadoras das distorções. Luiz Fernando Gomes Truiz

Charge regi@emtempo.com.br

Olho da Rua

Dora Kramer

opiniao@emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br SHANA REIS

Vá a uma escola de primeiro e segundo ciclos e pergunte às crianças o que desejam ser, “quando crescerem”. Muitos querem ser bombeiros e policiais. O programa Ronda no Bairro não só alimenta essa fantasia infantil, como pode dar o exemplo de que vale a pena realizá-la.

CENTRAL DE RELACIONAMENTO Atendimento ao leitor e assinante ASSINATURA e CLASSIFICADOS

3211-3700 assinatura@emtempo.com.br classificados@emtempo.com.br

REDAÇÃO

Editores-Chefes Aldisio Filgueiras — MTB 213 aldisio@emtempo.com.br Náis Campos — MTB 033 nais@emtempo.com.br Tricia Cabral — MTB 063 tricia@emtempo.com.br Chefe de Reportagem Michele Gouvêa michelegouvea@emtempo.com.br

3090-1010 redacao@emtempo.com.br

CIRCULAÇÃO

3090-1001

Diretor Administrativo Maurício Alves mauricio@emtempo.com.br Diretor de Marketing/Comercial Renato Bassille comercial@emtempo.com.br

circulacao@emtempo.com.br Norte Editora Ltda. (Fundada em 6/9/87) – CNPJ: 14.228.589/0001-94 End.: Rua Dr. Dalmir Câmara, 623 – São Jorge – CEP: 69.033-070 - Manaus/AM

Diretor de Arte Kyko Cruz kykocruz@emtempo.com.br EM TEMPO Online Yndira Assayag — MTB 041 yndira@emtempo.com.br

DO GRUPO FOLHA DE SÃO PAULO

www.emtempo.com.br

Presidente: Otávio Raman Neves Diretor-Executivo: João Bosco Araújo

@emtempo_online

/amazonasemtempo

/ /tvemtempo

Os artigos assinados nesta página são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal.

Segurança jurídica São Paulo (AE) - É mais importante do que à primeira vista possa parecer a decisão do Supremo Tribunal Federal que obriga o Congresso a seguir o que diz a Constituição sobre o rito de tramitação das medidas provisórias editadas pelo Executivo. Altera tão profundamente procedimentos desviantes, atinge tão decisivamente práticas ilegais consolidadas ao longo de mais de 20 anos que ainda não é possível dimensionar a extensão da mudança. Inclusive porque Planalto e Parlamento não vão se conformar com a chamada aos costumes que levaram do Judiciário e logo buscarão um atalho para continuar no desfrute do abuso no uso das MPs. Sistemática em vigor desde a promulgação da Constituinte de 1988, que deu ao Executivo um instrumento para legislar em casos de urgência e relevância para a nação e conferiu ao Congresso a prerrogativa de aceitar ou recusar receber as medidas provisórias mediante o exame do pré-requisito legal. Tudo muito claro. Mas não necessariamente simples como sugere a obrigatoriedade de todos. Por submissão ao Executivo, o Legislativo abriu mão da função constitucional e achou mais fácil burlar a norma para atender às necessidades do Planalto enquanto ao mesmo tempo salvava as aparências esperneando contra o excesso de MPs. O Supremo declarou inconstitucional a medida que criou o Instituto Chico Mendes por não ter sido examinada em comissão especial como manda o artigo 62, parágrafo 9º, mas conforme “desmandava” uma resolução do Congresso dispensando a exigência Derrubada a gambiarra, viu-se que 560 atos decorrentes de medidas provisórias e que, já em vigor, perderiam a validade. O STF, então, refez a decisão e determinou que apenas

daqui em diante suas excelências fizessem o obséquio de se manter nas balizas da lei. Levou em conta a realidade, mas, nem por isso deixou de ser acusado de patrocinar a “insegurança jurídica”. Aos fatos: insegurança a Justiça criaria se levasse a ferro e fogo a letra da lei, pois mediante provocação todas as medidas provisórias aprovadas sob a égide da ilegalidade poderiam ser contestadas. Ademais, insegurança jurídica quem cria é o Congresso quando não cumpre a Constituição. Não foi uma decisão, mas uma rendição à realidade: se Dilma gosta de gritar, o Congresso mostrou-se disposto a berrar. Dado o prejuízo geral da barulheira, daqui em diante é provável que ambos falem mais baixo. Por quanto tempo, vai depender das circunstâncias e do modo de operação governamental. A começar por substituir as ordens de “governo não aceita” por indicações de que “o governo prefere” seja feito assim ou assado. À sombra. Por ora, os planos do PSDB de investir na cisão da base governista para articular uma base de apoio à disputa presidencial de 2014 seguem conforme a aposta de que mais dia menos dia a relação se desgastaria. Se de um lado pode dar certo, de outro a estratégia evidencia opção preferencial pelo jogo de bastidor em detrimentos da construção de um discurso ativo para a sociedade. Considerando a natureza inconstante das marés, a oposição corre o risco de, sem traços nítidos, não ser reconhecida pelo eleitorado na hora H. Antes assim. Antonio Palocci nega participação na campanha de Fernando Haddad ou em qualquer outra. Diz isso em desmentido à notícia de que seria o abre-alas “informal” do comitê financeiro do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo.

Dora Kramer Jornalista, escreve simultaneamente no jornal “O Estado de S.Paulo”

Se Dilma gosta de gritar, o Congresso mostrou-se disposto a berrar. Dado o prejuízo geral da barulheira, daqui em diante é provável que ambos falem mais baixo”.


A4

Opinião

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Enfim, somos salvos: temos Metade do mundo faz um novo ministro da Pesca dieta, outra, passa fome Ainda não era Brasil, mas simplesmente terra sem dono, porque índio habita e vive sem se sentir dono, e depois, a partir do século 16, terra-colônia dos portuguesesproprietários e, tanto aí quanto antes, ora uns, índios, ora outros, portugueses, já conheciam os peixes e os pescavam e os comiam, sem que tivessem ministro da Pesca ou dele sentissem a falta. E assim foi por séculos e séculos, até os nossos dias, porque nem índios, nem portugueses, nem brasileiros, jamais tiveram aquele lampejo de gênio, aquele insight, que lhes permitisse a clarividência de que, em se criando o Ministério da Pesca, aí sim, teríamos a bíblica multiplicação dos peixes, a saciar e fartar o famélico apetite do nosso povo. Nada a reclamar quanto à demora do nascimento de tão brilhante ideia. Afinal, não é em qualquer sociedade, de índios, de portugueses ou de brasileiros, e nem em qualquer século, que há de surgir um gênio do porte e da fecundidade do nosso Lula, prova concreta e irrefutável de que fala a verdade o povão, quando diz que Deus é brasileiro. Se não o fosse, teria talvez permitido que o Homem tivesse nascido, quem sabe, na Croácia, ou mesmo na Macedônia, ou melhor, no Haiti que, com ele lá, certamente não estaria a enfrentar as agruras que hoje enfrenta. E a pergunta não se deixa calar: como foi possível ao Brasil, subsistir por tão longo tempo sem um Ministério da Pesca? Difícil responder, porque o assunto é por si só extremamente sutil e complexo. Por exemplo, tente o caro leitor descobrir se o tal ministério é mais importante para os peixes ou para os pescadores. Ou ainda, quem sabe, por ser polivalente, pode também valer como moeda de troca, nos arranjos, acordos e negociatas que se processam nos subterrâneos da política, neste caso, sempre com “p” minúsculo. Não há de ser difícil entender quão duro e complicado terá sido encontrar o homem certo para assumir os deveres e encargos inerentes ao comando de tão importante ministério, cuja complexidade bem aparece, quando se atenta para o fato de que aquele (ou aquela) que viesse a ser o gerente (ou a gerenta) da empreitada, teria de harmonizar águas, peixes e pescadores, elementos tão diferentes, por suas vocações: as águas não querem ser violadas, os peixes querem viver em paz e os pescadores conspurcam as águas e matam os peixes. Mas, enfim, abriram-se os caminhos e apareceu o homem certo para o lugar certo. Nenhuma importância tem o fato de que, como o próprio falou, não saiba enfiar o anzol na minhoca, uma vez que certamente é pessoa abençoada e inspirada, parente de dois santos homens, Edir Macedo e R. R. Soares, que, por acidente, não se toleram. Como se isso não bastasse, ainda há a considerar que o escolhido, por mera coincidência, é também Senador da República, figura de proa de um partido político (o inexpugnável PRB), líder evangélico, capaz arrebanhar os votos do rebanho (redundância verbal e política) para abrigá-los no aprisco onde um molusco manda com mão de ferro.

João Bosco Araújo Diretor-executivo do Amazonas EM TEMPO

Afinal, não é em qualquer sociedade, de índios, de portugueses ou de brasileiros, e nem em qualquer século, que há de surgir um gênio do porte e da fecundidade do nosso Lula”.

Está na moda fazer dieta, o que mostra a preocupação de muita gente ou com a saúde ou com a vaidade ou com ambas. Quase diariamente aparecem modos de reduzir ou conservar o peso. É viver com verduras ou sucos. É seguir as fases da lua ao alimentar-se. É evitar açúcar e massas. Impressiona até onde chegam as modelos para manterem a magreza e o emprego. Dizia um humorista que em nossos dias metade da população passa fome porque não tem alimentos e a outra parte passa fome porque não come para permanecer magra. É um exagero, mas, como todo exagero, existe aí parte de verdade. Sem dúvida a difusão do cuidado com a comida é uma bela conquista de educação e merece louvores. Dizem que os peixes e nós, humanos, morremos pela boca. Um povo obeso é um povo doente. O texto-base da atual Campanha da Fraternidade, que temos como tema “Fraternidade e Saúde Pública”, alerta sobre o problema da obesidade no Brasil e no mundo. A Organização Mundial de Saúde projetou que para 2015 no mundo haverá 700 milhões de obesos e no Brasil 15% do povo chegou lá. Hipertensão arterial, diabetes, acidentes vasculares cerebrais e outras enfermidades esperam esse pessoal. Hábitos saudáveis geram vida com bem -estar e isenta de problemas. Na Quaresma a Igreja também propõe o jejum como meio de purificação espiritual e de controle dos próprios instintos, seguindo, aliás, ensinamentos que nos chegam dos ensinamentos bíblicos e da sabedoria mundial. O jejum é outro nome dado à dieta. São Paulo escreveu um trecho em que apresenta os sacrifícios realizados pelos atletas a fim de estarem fisicamente bem para vencerem competições, e os compara aos esforços que nos compete fazer para atingir vitórias maiores. “Não sabeis que, no estádio, todos correm, mas que só um ganha o prêmio? Correi de tal maneira que conquisteis o prêmio. Todo atleta se impõe todo tipo de disciplina. Eles assim procedem para conseguirem uma coroa corruptível.Quanto a nós, buscamos uma coroa incorruptível.”(1 Cor 9,24-25). O jejum deve ser visto a partir da virtude da moderação. Saber controlar os próprios impulsos é princípio da sabedoria do bem viver. Gandhi, que não era cristão mas foi um homem de Deus, só tomava decisões importantes após diminuir o tamanho e o número de suas refeições. Jesus, nosso Mestre e Salvador, só iniciou seus três anos de pregação após 40 dias de jejum vividos em lugares ermos. A gula recebe o nome de pecado capital porque é fonte de inúmeros vícios e desgraças. Quem não controla o apetite, dificilmente será capaz de resistir a tentações vindas de outras necessidades reais ou criadas. O livro dos Provérbios fala assim do comilão: “Põe uma faca em tua garganta, se és guloso”. (Pr 23,2). Esta Quaresma apresenta-se como bela oportunidade para reeducar nossos hábitos alimentares, a fim de termos melhor saúde física e, sobretudo, espiritual. Vamos aproveitá-la porque “é melhor um pobre são e cheio de forças do que um rico fraco e atormentado em seu próprio corpo. A saúde do corpo é melhor do que ouro e prata”. (Eclo 30,14-15).

Jonathan Wheatley, jornalista do “Financial Times”, replica a provocação de Joe Leahy, que chamou, em artigo anterior, o crescimento do Brasil de “voo de galinha”.

Eu tenho que proteger a produção brasileira e a ministra do Meio Ambiente tem que proteger o Ministério do Ambiente. Ela tem preocupação com a produção de alimentos e eu tenho preocupação com o meio ambiente Mendes Ribeiro, ministro da Agricultura, minimiza a atual crise enfrentada pelo governo junto à base aliada no Congresso, alegando que será superada. “Isso passa”.

RENATA LO PRETE

Lei da mordaça

Dom Luiz Soares Vieira

Arcebispo de Manaus

Quem não controla o apetite, dificilmente será capaz de resistir a tentações reais ou criadas. O livro dos Provérbios diz ao comilão: “Põe uma faca em tua garganta, se és guloso”.

Uma ordem expressa de Dilma Rousseff ajuda a explicar a crise na relação entre o governo e o Congresso. A presidente proibiu os ministros que são políticos, mas ocupam pastas técnicas, de atuar na interlocução. Aliados dizem que Aldo Rebelo (Esporte) poderia costurar acordo no Código Florestal, a nova dor de cabeça para Dilma. José Eduardo Cardozo (Justiça) e Mendes Ribeiro (Agricultura), com bom trânsito na Câmara, também seriam úteis para distensionar o ambiente. Mas só Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Gleisi Hoffmann (Casa Civil) têm aval da presidente para negociar cargos, emendas e outras demandas da base. Pague para entrar... Os ministros também se queixam que são chamados para reuniões intermináveis no Planalto, muitas vezes para tratar de detalhes de temas secundários de suas pastas.

telemarketing para persuadir os filiados do PSDB. O QG serrista também vai disparar mensagens para 14 mil endereços eletrônicos de militantes cadastrados pelo partido.

... reze para sair “Você chega lá e primeiro fala com a presidente, depois com a Gleisi, depois com o sub da Gleisi”, descreve um habitué das sessões do palácio.

Homeopatia Fernando Haddad hesita em submeter agora a Lula os nomes do seu estafe de campanha. Com a disputa por postos-chave entre as correntes do PT a todo vapor, o pré-candidato quer apresentar ao ex-presidente, com visitas restritas, mais soluções que problemas.

Nada feito Dilma recusou pedido levado por Michel Temer e Renan Calheiros para transferir aos líderes a decisão sobre destinação de emendas. A palavra final sobre projetos beneficiados continuará no Executivo. Turras Demitido na última sexta-feira, o ex-titular do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, andava às turras com a colega Tereza Campello (Desenvolvimento Social), responsável pelo “Brasil sem Miséria”, por conta da demora em ações no campo. Bombachas Aliados reclamam do “gauchério” de Dilma, ampliado com Vargas. Aproveitam para minar a ida de Vieira da Cunha (PDT-RS) para a pasta do Trabalho. Deixa estar Quem esteve com Dilma nos dois últimos dias saiu convencido de que ela desistiu, por ora, de reconduzir o PR ao comando do Ministério dos Transportes. Spam Sem tempo para percorrer todas as regiões de São Paulo até as prévias do dia 25, a equipe de José Serra inaugurará serviço de

Faxina Na tentativa de turbinar uma de suas vitrines eleitorais, Gilberto Kassab criará núcleo de fiscalização do “Cidade Limpa” focado na retirada de toldos e propaganda irregular de valets. Sonho meu Em sua posse na Academia Paulista de Letras Jurídicas, na semana passada, o advogado Alexandre de Moraes anunciou que pretende disputar vaga no STF. Dirigente do DEM, ele falou, de cor, datas de aposentadoria de sete ministros que deixam a corte até 2018. Toga justa As queixas de desembargadores contra Geraldo Alckmin surpreenderam o Bandeirantes. Em fase de aproximação com o governo, o TJ-SP acaba de aprovar, com aval da base do tucano na Assembleia, 2.199 cargos de assistentes de juízes. Mais-valia Dirigentes da Fiesp, CNI e Abimaq discutem amanhã com as centrais sindicais, em São Paulo, adesão patronal ao movimento contra a desindustrialização.

Tiroteio Com a troca do ministro, Dilma reconhece o que nós temos reafirmado: os números da reforma agrária em seu primeiro ano de governo foram vergonhosos.

Frases As ineficiências do Brasil, como o Orçamento inchado do governo que, com todos os seus gastos, deixa de investir, vão segurar o país abaixo de uma trajetória de crescimento até que alguém comece a pensar em reformas

Painel

DO DIRIGENTE NACIONAL DO MST ALEXANDRE CONCEIÇÃO, atribuindo a saída de Afonso Florence, que deu lugar a Pepe Vargas (PT-RS) no Ministério do Desenvolvimento Agrário, ao tímido índice de assentamentos em 2011.

Essa rivalidade entre Messi e Neymar não existe, ele está acima de todos. Ele é o melhor do mundo, sou fã e fico muito feliz a cada partida que ele faz dessa forma

Neymar, atacante santista, dois dias após marcar os três gols da vitória contra o Inter, concede entrevista e enaltece Messi, o astro do Barcelona.

Contraponto

Bullying baiano O governador Jaques Wagner (PT) arrancou gargalhadas na posse de José Sergio Gabrielli na Secretaria de Planejamento da Bahia, anteontem, ao explicar a presença da presidente da Petrobras, Graça Foster, na cerimônia. —Ela veio confirmar que o cara saiu mesmo. Na mesma solenidade, Gabrielli respondeu à provocação de Geddel Vieira Lima (PMDB), que o chamou de “piano de cauda”: grande, vistoso e que ninguém sabe onde por. O ex-presidente da estatal desconversou: —Piano de cauda tem um som muito bonito! Publicado simultaneamente com o jornal ‘Folha de S.Paulo’


Política

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

A5

ARQUIVO EM TEMPO/MARCELL MOTA

Tribuna popular como estratégia pré-eleitoral

Vereadores da Câmara Municipal de Manaus têm lançado mão desse mecanismo para abordar temas vinculados a eles ARQUIVO EM TEMPO/BRENO JORGE

MEG ROCHA Equipe EM TEMPO

E

m um período que antecede o processo eleitoral, tem sido comum na Câmara Municipal de Manaus (CMM), o uso do espaço das tribunas populares para realizar homenagens a categorias, religiões, eventos de classes específicas e outros temas de interesse exclusivo de determinados setores. Somente no ano passado, conforme levantamento do Departamento de Cerimonial da casa, foram realizadas 105 tribunas. Com duração regimental de 15 minutos, o espaço muitas vezes acaba extrapolando a discussão coletiva de assuntos em pauta para tratar de temas isolados e vinculados à atuação setorial dos vereadores. Exemplos coletados pela reportagem mostram que parlamentares como Vilma Queiroz (PTC), Paulo Nasser (PSC), Nelson Amazonas (PMDB), Socorro Sampaio (PP), Lúcia Antony (PCdoB) e Massami Miki (PSL) aproveitaram o espaço e levaram à Câmara temas setorizados, como a homenagem aos 20 anos do Centro Beneficente Espírita União Vegetal; o trabalho desenvolvido pela maçonaria; os fuzileiros navais; a comunidade negra e a Escola Superior Batista do Amazonas, respectivamente. O governista Wilker Barreto (PHS) defendeu essas tribunas setorizadas pelo fato da lacuna que há no regimento interno da casa, em que determina assuntos de interesses geral da cidade e, não a critério das conveniências do parlamentar proponente. “As sessões que favorecem somente a um setor específico, cedendo um espaço na

sessão ordinária da casa, é uma forma de barganhar com as categorias, fazê-las ficar amarradas ao autor da proposta, por meio da abertura na legislação interna que está caduca. As tribunas deveriam ser com temáticas exclusivas ao interesse da cidade como um todo”, disse. “Do nada para o nada” Barreto pontuou ainda que, muitas vezes as discussões no parlamento nessas sessões são debates “do nada para o nada”, fato que, para o parlamentar, atrapalha na divisão do tempo do pequeno e do grande expediente. “Por

REGIMENTO

A presidência da Câmara reconhece que o regimento interno está defasado e estuda, em parceria com a procuradoria da casa, uma reforma do documento, que deve abranger diversos outros temas várias vezes discutimos o nada nas tribunas, o que termina interferindo negativamente nos minutos cedidos aos pronunciamentos nos expedientes. Vamos convir que dois minutos de pronunciamento não cabe para debatermos os reais problemas da cidade”, reclamou. Ele adiantou que irá propor uma projeto de resolução com intento de atualizar o regimento. O vereador Luiz Alberto Carijó (PDT), disse que acredita ser necessário que os assuntos-tópicos sejam tratados às quintas-feiras - quando não há sessão ordinária -, e que a ordem do agendamento da

tribuna passe por uma reavaliação dos critérios na definição do horário e do dia em que deverá ser apresentado. Carijó admitiu o cunho de demarcação eleitoral das tribunas, enfatizando que o parlamentar deve ter bom-senso ao apresentá-las. “Temos de demarcar sim os nossos eleitores, só que com consciência do que é importante para a gente e o que, realmente, é importante pra cidade”, reconheceu. O governista, porém, observou que a análise sobre a importância ou relevância dos temas é de foro íntimo. “É preciso verificar a relevância da proposta, uma coisa é a importância, e a relevância é outra. E, quem decide qual é a classificação adequada é o presidente da casa”, expôs, afirmando que mesmo se o regimento for modificado nesse quesito, ainda haverá aqueles que insistirão em trazer para o debate assuntos de interesse do autor da proposta, ocasionando no esvaziamento do plenário por parte dos demais vereadores. Ajustes no regimento O presidente da CMM, Isaac Tayah (PSD), reconhece a necessidade de uma revisão no regimento interno por causa de lacunas, como o da ausência de especificação quanto aos temas abordados nas tribunas, e outras incógnitas existentes na legislação da casa. Segundo Tayah, a proposta está sendo estudada pela presidência e a procuradoria. Outro ponto a ser alterado será o tempo dos parlamentares nos blocos, uma vez que, na próxima legislatura (2013) haverá mais três vereadores compondo o quadro da Câmara Municipal.

Em 2011, foram realizadas 105 tribunas populares abordando temas de vários campos

‘Todos os temas são importantes’ A primeira tribuna popular de 2012 tratou da comemoração de 30 anos da Fundação Centro Educacional La Salle, de autoria do vereador Hissa Abrahão (PPS). A homenagem ocorreu no último dia 27 de fevereiro. O propositor, ex-aluno do colégio homenageado, acentuou que todos os temas trazidos à casa são importantes, independente mente de abordar ou não problemáticas próprias da capital, porque segundo ele, o sentido de interesse público ou de importância é algo subjetivo. “A definição do que é importante é subjetivo, não posso dizer que determinado assunto não

Eles (parlamentares) se aproveitam dessas prerrogativas como chance de se reafirmar sem sofrer as sanções jurídicas, num espaço legal Gilson Gil, cientista político

vale pra instituição e para meus pares. Porque o que é importante para mim, pode não ser para outro, e assim, por diante, portanto, considero que todos os assuntos

são importantes desde que não atrapalhem o tempo das sessões”, argumentou. Artifício Na análise do cientista político Gilson Gil, essas questões são semelhantes às das comendas (homenagens) às personalidades no Legislativo. Para ele, os políticos usufruem da legitimidade dessas concessões para aparecer aos “parceiros” e ao eleitorado sem que infrinjam a legislação eleitoral. “Eles (parlamentares) se aproveitam dessas prerrogativas como chance de se reafirmar sem sofrer as sanções jurídicas, num espaço legal”, avaliou.


A6

Política

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Instituto Chico Mendes está ‘acéfalo’ há um mês

Cláudio Humberto COM TERESA BARROS E LEANDRO MAZZINI

www.claudiohumberto.com.br

Vocabulário, modos e educação fazem a diferença” MINISTRO ALDO REBELO (ESPORTE), sobre insultos de Jérôme Valcke secretário da Fifa

Demissão de Gabrielli afastou Lula de Dilma O ex-presidente Lula ficou tão irritado com a substituição, à sua revelia, de Sergio Gabrielli por Graça Foster na presidência da Petrobras, que desde então parou de procurar a presidente Dilma para conversar. Ela o visitou em São Bernardo (SP), na véspera da posse do ministro Marcelo Crivella (Pesca), e foi recebida friamente. Isso estaria por trás do abatimento e emoção dela na despedida do ex-ministro Luiz Sérgio. Abatimento Assessor que a acompanha há anos diz que Dilma ficou abatida após a visita a Lula, mas achava que era por causa da doença dele. Não era. Ceder é preciso Em seu discurso, Dilma embargou a voz ao lembrar que às vezes é preciso ceder a imposições políticas em nome dos interesses do país. Novo emprego Sergio Gabrielli assumiu sexta (9) a Secretaria de Planejamento do governo de Jaques Wagner, na Bahia, nomeado a pedido de Lula. Força de padrinho Na posse festiva, teve até mensagem de Lula saudando Sergio Gabrielli como “verdadeiro responsável” pela descoberta do pré-sal. Governo detestou e vai mudar Lei Geral da Copa O Palácio do Planalto anda falando muito mal do substitutivo do projeto da Lei Geral da Copa do Mundo, aprovado esta semana na comissão especial da Câmara, e principalmente do seu autor, deputado Vicente Cândido (PT-SP). Ele é acusado pelo governo de combinar detalhes do projeto no Planalto e não cumprir o trato. Muito ruim, o projeto

deverá ser modificado substancialmente até a votação final, no plenário. Divergências Presidente da comissão especial, Renan Filho (PMDB-AL) admite que houve divergências: “Ele ficou intermediando entre o governo e a Fifa”. Mudanças à vista Instruído pela Casa Civil, o líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), já avisou que a Lei Geral da Copa vai mudar. Papel passado A Lei Geral da Copa é produto de compromissos assumidos pelo então presidente Lula com a Fifa, essenciais na escolha do país-sede. Jogo de profissionais O PT subestima o PMDB, achando que o partido “rachou”. Os petistas já deveriam ter aprendido, após anos de convivência. Governistas e “independentes” combinaram as ações para atrapalhar o governo, na bancada de profissionais liderada pelo senador Renan Calheiros (AL). Check-in Como será difícil dar aumento a servidores este ano, Dilma liberou R$ 1,6 bilhão para gastarem com passagens: 29% a mais que em 2011. E pensar que o chefe de governo da Noruega viaja em avião de carreira. Quebra de acordo Para o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), não tem por que Paulo Piau (PMDBMG) mudar o texto do novo Código Florestal aprovado no Senado: “Ele e o líder do PMDB participaram de todas as negociações. Deveriam ter dito que não tinham condições de cumprir o combinado”.

PODER SEM PUDOR

Jornalista

Presidente do órgão, Rômulo Mello, entregou sua carta de demissão à ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira ANTONIO CRUZ/ABR

Otimismo no DF A posse do novo chefe da Casa Civil, Swedenberger Barbosa, deixou otimistas integrantes do governo do DF. “Berge” tem reputação de bom administrador, que trabalha com metas e acompanha ações, por isso sua chegada tem significado de recomeço do governo Agnelo Queiroz. Campo fértil Demitido por suspeita de irregularidades, Rennys Frota, ex-diretor de Desenvolvimento do Dnocs, apadrinhado do PSB, virou presidente da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos, do governo do Ceará. Tô fora De volta aos jornais por supostas ligações “nada republicanas” com o “empresário” do bicho Carlinhos Cachoeira, o deputado Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) desisitiu da candidatura a vice em chapa da Associação dos Delegados da PF, por “saúde” e “foro íntimo”. Voz da pindaíba Para a governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM), “é muito egoísmo” dos Estados produtores não aceitar dividir os royalties do petróleo. “Tem outros estados que estão na pobreza”, lembrou ela. Sem estrutura O governo do Pará está cobrando junto ao IPVA uma taxa para a inspeção de gases veiculados. Mas até agora não montou a estrutura que fará o monitoramento. Burros ‘for export’ Não bastam as ideias de jerico brasileiras: a China vai importar 300 mil jumentos do Nordeste. Felizmente, asnos não têm filiação partidária.

Servidores do Ibama protestaram contra a criação do ICMBio, braço do órgão, em 2007

C

omo se não bastasse o Supremo Tribunal Federal (STF) considerar inconstitucional a criação do Instituto Chico Mendes (decisão que durou apenas 24 horas), o órgão está acéfalo. Desde o Carnaval, o presidente do instituto, Rômulo Mello, entregou sua carta de demissão à ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que a aceitou. A ministra entregou à presidente Dilma Rousseff uma lista com três nomes para substitui-lo na próxima semana. Até que a troca seja feita, a gestão das 310 unidades de conservação federais está nas mãos da interina de Rômulo, Silvana Canutto. A saída de Rômulo, que é funcionário de carreira do Ibama há mais de 20 anos, se deve a um desgaste na relação dele com Izabella. Desde que o órgão foi criado, em 2007, coube a ele a coordenação de um ninho de problemas incrustado nos parques, florestas e

reservas ambientais do governo, que, somadas chegam a 75 milhões de hectares, 8,8% do território do país. Grande parte das unidades de conservação não conta com uma estrutura mínima, como fiscais e administrações, e se-

DESGASTE

A saída de Rômulo, funcionário de carreira do Ibama há mais de 20 anos, se deve a um desgaste na relação com a ministra Izabella Teixeira. Ele administrava um ninho de problemas quer estão demarcadas. Além disso, o próprio Instituto Chico Mendes estima que metade das unidades está ocupada por posseiros que têm de ser retirados e indenizados, o que custaria aos cofres públicos R$ 30 bilhões, dez

vezes o orçamento do órgão. O problema vem se acumulando desde que a primeira unidade de conservação foi criada, em 1937. O Parque Nacional de Itatiaia (RJ), o mais antigo do Brasil, foi criado naquele ano, e até hoje, tem dentro de seus limites gado e cerca de 150 colonos. Izabella já manifestou sua insatisfação com esse problema. Ela reclamava em público de Rômulo e cobrava mais criatividade para resolver a situação, que passa pela carência de recursos e pessoal. Outro ponto que contribuiu para a saída de Rômulo foi a dificuldade que o órgão enfrenta para gastar recursos da Compensação Ambiental, percentual que todo empreendimento que afeta unidades de conservação é obrigado a pagar ao governo. A cobrança foi parar na Justiça e só no final do ano passado o imbróglio foi resolvido, mas até hoje o gasto efetivo da verba é irrisório.

TRT-MG

Grampo torcedor

TCU suspende pagamentos

Quando se especializava na União Soviética, o genial pianista Arthur Moreira Lima e sua família eram monitorados pela ditadura, que grampeava seus telefones, no Rio de Janeiro. Certa vez, ele esperou horas por uma ligação para saber o resultado de um jogo decisivo do seu time querido, o Fluminense. Mas sua mãe de nada sabia, nem havia ninguém por perto para ela perguntar. Arthur praguejava lá de Moscou quando o sujeito que escutava a ligação clandestinamente, também Fluminense doente, gritou: - O Flusão venceu! Foi 2 a 1! E desligou.

Uma decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu, na semana passada, o pagamento de dívidas com pessoal do Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG), sob a alegação de que elas foram corrigidas com base em índices irregulares. O TCU acredita que o cálculo equivocado da porcentagem de juros e correção monetária tenha acarretado um prejuízo de R$ 270 milhões e suspeita que o mesmo problema pode ter ocorrido em outros tribunais trabalhistas. Segundo o TCU, o TRT-MG reconheceu que servidores e magistrados tinham o direito a correção de salários e benefícios, como adicional por tempo de serviço (ATS), e atualização da Unidade Real de Valor (URV), indexador que deu origem ao real. Mas a correção pode ter sido feita em bases bem superiores às previstas pela legislação. “Situações danosas ao erário vão sendo paulatinamen-

te consolidadas, tornando cada vez mais onerosa a reversão de eventuais prejuízos aos cofres públicos”, destacou o ministro do TCU, Weder de Oliveira. O despacho também aponta que uma resolução do Conselho Superior da Jus-

SUSPEITAS

O mesmo problema foi identificado no Tribunal de Justiça de São Paulo, onde desembargadores receberam, por dez anos, verbas salariais atrasadas com juros acima do permitido tiça do Trabalho (CSJT) pode ter incentivado o pagamento indevido em outros tribunais do país. Por meio de nota, o CSJT reconhece que a resolução foi interpretada de forma equivocada por alguns tribunais trabalhistas, problema que foi detectado

em uma auditoria do próprio conselho. O órgão informou que o erro gerou diferença de até 2% no pagamento de algumas parcelas, sendo que a legislação em vigor determinava atualização máxima de 0,5% até 2009 ou pela caderneta de poupança a partir de então. Por enquanto, o TCU realizará inspeção nos tribunais trabalhistas de São Paulo, Bahia, Paraná, Ceará, Amazonas, Alagoas e Sergipe. O Tribunal de Contas da União também pediu ao CSJT que identifique a situação dos passivos nas demais cortes regionais. No início do mês, o mesmo tipo de problema foi identificado no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP). Segundo apurado pela Comissão de Orçamento do tribunal, desembargadores receberam durante dez anos verbas salariais atrasadas com juros de 1% ao mês, em vez de 0,5% como determinado pela legislação em vigor.


A7

FOTOS:MÁRIO OLIVEIRA

Mauro CAMPBELL MARQUES

Orgulho DE ESTAR no STJ NÁFERSON CRUZ Equipe EM TEMPO

P

Porque não fazemos questão, digo, o STJ, de firmar e inventar teses, porque a missão do tribunal não é a de criar o direito, é cumprir o direito, aquilo que já foi dito. Temos um trabalho em uniformizar a interpretação da lei federal”

rocurador-geral de Justiça do Amazonas por três vezes, e há quatro anos atuando como ministro da principal corte infraconstitucional do país, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), Mauro Campbell Marques, aos 48 anos, não esconde o orgulho de ser o primeiro integrante do STJ que nasceu e desenvolveu toda a carreira profissional na Região Norte e a satisfação em ocupar uma vaga destinada ao Ministério Público, o que, para ele, não é apenas uma carreira, é um “estado de espírito”. Nesta entrevista concedida ao EM TEMPO, o ministro pondera sobre as decisões e interpretações jurídicas atribuídas aos “ditos juízes” entranhados na magistratura, que cuidam apenas de seus direitos e não dos direitos da cidadania brasileira. Campbell enseja sobre a consolidação da segurança jurídica, buscando, na aplicação das leis, os fins sociais, o bem comum e o fortalecimento da Justiça. O magistrado encerra a entrevista dizendo que jamais leu o processo sobre a trama que culminaria com sua morte, supostamente articulada pelo procurador de Justiça, à época, Vicente Cruz. EM TEMPO - A Justiça está vivendo um momento especial com mudanças no aprimoramento de mecanismos de conciliação e profissionalização da área jurídica? Mauro Campbell – Sem dúvida. Ao mesmo tempo em que os mecanismos de controle se consolidam, capitaneados pelo nosso Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Poder Judiciário vem se autotonificando com avanços tecnológicos que, em todos seus níveis, vem fazendo do sistema judicial um poder vanguardista em implementação até de políticas publicas por meio de seus julgamentos. Com certeza... Repito, esse é um tempo de justiça em que nós magistrados estamos tendo o benefício da tecnologia, que hoje é indispensável ao nosso trabalho. Com isso ganhamos tempo suficiente para que nós possamos desbravar os processos com mais cuidado e eficiência. Os instrumen-

tos tecnológicos fizeram com que a magistratura tivesse condições de abraçar e aprofundar seus conhecimentos sobre os processos. EM TEMPO – Que tipo de avanço o tribunal passou a dar, nos últimos anos, à população? MC - Agora, mais que nunca, juízes de primeiro grau e desembargadores passam a ter uma importância muito maior para nós, porque não fazemos questão, digo o STJ, de firmar e inventar teses, porque a missão do tribunal não é a de criar o direito, é cumprir o direito, aquilo que já foi dito. Temos um trabalho em uniformizar a interpretação da lei federal. Então não é concebível que, se eu tenho a competência de dizer se esse ou aquele desembargador julgou dessa ou de outra maneira o caso, contudo, só tenho a dizer: qual dessas teses é a melhor. E que não venham com uma terceira tese que me cera aos ouvidos, tornando complicado o caso. Não é essa a missão do nosso tribunal. Então é esse o avanço que o STJ passa a dar à população brasileira. EM TEMPO - A grande colaboração que juízes de todas as graduações podem prestar à cidadania brasileira é trabalhar muito, com dignidade, humildade e sensatez? MC – Veja bem, essa é a missão da magistratura. O bom juiz, não é o juiz de cara feia. O bom juiz é aquele que tem bom coração. Então, sem dúvida alguma, nós temos a consciência enquanto magistrados, daquilo que primeiro formamos: um quadro de magistrados invejável e invejado pelas nações outras, ou seja, dificilmente, você encontrará um quadro de magistrados tão elevado e de uma qualificação tão elevada quanto a brasileira, basta que você tenha consciência de que o Brasil forma dentre os quatros únicos países do mundo em que os debates nos tribunais, por exemplo, são abertos ao público. EM TEMPO - O senhor defende a punição rigorosa para juízes corruptos? MC – Claro, veja só, isso até com agravante, nós temos nas mãos competência para decidir pela liberdade

ou confiscar o patrimônio das pessoas. Sem dúvida alguma, a pessoa que é qualificada, que recebe a outorga da cidadania para mediar e dar solução aos conflitos, não pode se beneficiar dessa atribuição para desvirtuar processos criminais de forma alguma. EM TEMPO - O Judiciário é um dos pilares da democracia. Isso faz do juiz um cidadão de categoria superior? MC – Não, não nos faz de categoria superior. Faz sim de visibilidade superior, ou seja, temos que efetivamente, a exemplo da “mulher de César”, não só sermos como parecermos honestos, trabalhadores e imparciais e, principalmente, que sejamos abertos e sempre julgar com base na humildade. EM TEMPO - Hoje, fala-se mais em corrupção no Judiciário. Isso quer dizer que o problema aumentou? MC – Não, vamos simular a pergunta, “fala-se mais em corrupção”. O bom é que nosso campo, assim como os demais poderes, saiu do biombo onde estava antigamente, ou seja, em que a imprensa por vezes até acovardada por atitudes de alguns ditos juízes, que de juízes nada possuíam e, sim eram pessoas entranhadas na magistratura para fins evidentemente personalíssimos, que cuidavam de seus direitos e não dos direitos da cidadania brasileira, sem dúvida alguma isso fazia que esses focos de corrupção ficassem por trás dos biombos. EM TEMPO - Qual sua opinião sobre o papel do CNJ quanto à investigação e fiscalização? MC – A tarefa do CNJ é essencial e estou falando com a coerênc ia de quem se empenhou junto ao Congresso Nacional para que tanto o CNJ quanto o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) fossem implantados com a máxima urgência, a fim de que recursos e políticas públicas fossem implementados também na área do nosso Judiciário e do Ministério Público. EM TEMPO - Se o senhor pudesse fazer uma única mudança na legisla-

ção penal para diminuir a impunidade no Brasil, qual seria ela? MC - Fazer com que o apenado cumprisse a sua pena e o sistema judiciário o ressocializasse. EM TEMPO - No Brasil, costuma-se dizer que ricos não vão para a cadeia. Quanto isso tem de verdade? MC – Lamentavelmente isso ainda é uma verdade, e explicável, sobre o ponto de vista de que, no momento em que tivermos um sistema de defensorias públicas no Brasil, absolutamente abrangente, em que todos em que todo o cidadão brasileiro tenha acesso à Justiça, e possa aqueles que foram levados às barras dos tribunais que são criminosos de toda ordem e classes sociais, serem tratados igualitariamente, com certeza essa máxima ficará para trás. EM TEMPO - Como o senhor avalia o quadro do Judiciário no Amazonas? MC – Excepcional. Acho que já tivemos altos e baixos na magistratura do Estado do Amazonas e no Poder Judiciário, mas agora sem dúvida alguma vivemos um momento de avanços absolutos. EM TEMPO – O promotor Igor Stariling Peixoto diz que há elementos fortes para levar Vicente Cruz a júri popular por ter tramado a sua morte, quando o senhor era procurador do MPE. O plano teria começado no dia 25 dezembro de 2006. Para o senhor, a justiça será feita? MC – Eu jamais li sequer uma folha daquele processo, apenas me comportei como toda vítima em qualquer processo criminal. Então, acho que a minha opinião é parcial porque necessariamente eu estava como vítima naquele crime, mas efetivamente eu não tenho o juízo de valor para imaginar aquele tipo de situação.Só posso dizer uma coisa, que tenho um coração como sempre tive, liberto de qualquer forma pequena de pensamento e, aquilo embora tenha sido motivo de grande abalo pessoal e familiar, me serviu de muita coisa, sobretudo para que eu pensasse no valor da vida.

O bom juiz, não é o juiz de cara feia. O bom juiz é aquele que tem bom coração. Então, sem dúvida alguma, nós temos a consciência enquanto magistrados, daquilo que primeiro formamos”

Eu jamais li sequer uma folha daquele processo, apenas me comportei como toda vítima em qualquer processo criminal. (...) Serviu para eu pensar no valor da vida”

FOTOS: MÁRIO OLIVEIRA

Com a palavra

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012


A8

Política

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Judiciário do AM não se afetou com declarações

Adjetivos como “bandidos de toga” e “vagabundos”, foram usados pela ministra do CNJ, Eliana Calmon, para magistrados JOEL ROSA

MOARA CABRAL Equipe EM TEMPO

A

s últimas declarações da corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a ministra Eliana Calmon de que no Judiciário havia “bandidos de toga” e depois que eram “vagabundos”, não causaram qualquer tipo de “indigestão” entre os magistrados amazonenses, é o que defende a classe jurídica local. Para o presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas, (TJAM) desembargador João Simões, o tribunal do Amazonas tem trabalhado muito, prova disso é que em 2011 todas as metas, tanto as estipuladas pelo CNJ quanto as da presidência, foram alcançadas. Ele defendeu a classe local e afirmou que não há nem “bandidos” nem “vagabundos” entre os magistrados do Estado. “No nosso caso, a carapuça não serve, pois estamos mostrando que trabalhamos muito. Já fizemos concurso, já estamos com novos servidores e todas as metas para 2011 foram cumpridas”, defendeu. Afirmando que as declarações da ministra não foram generalizadas, mas que em

cada e qualquer atividade pública podem existir pessoas mal intencionadas, o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) Érico Desterro, defende que o importante é encontrar mecanismos que identifiquem pessoas com esse tipo de atitude e afastá-las das funções das quais são encarregadas. Probidade Desterro afirmou que, em se tratando desses termos, concorda com a ministra, mas isso não significa dizer que todos os magistrados e juízes são “bandidos” e “vagabundos”. “Se tiver qualquer servidor, no TCE mal intencionado, por exemplo, terá que ser substituído da função que exerce. Concordo com a ministra Eliana Calmon nesses termos, mas não quer dizer que todos os magistrados e servidores públicos são mal intencionados”, explicou. O vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OABAM) Alberto Simonetti Cabral, elogiou o trabalho da ministra e disse que ela recebe todo o apoio da OAB, apesar de as declarações dela terem sido um pouco “infelizes”. “Talvez, sem querer, ela tenha generalizado a classe”, observou.

STF repudiou afirmações da ministra As declarações da ministra causaram crise no Judiciário nacional e levaram o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Cezar Peluso a exigir a publicação de uma nota oficial contra as afirmações da corregedora. A publicação dizia que repudiava essas acusações, que foram levianas e que lançam sobre a honra de milhares de juízes que diariamente se dedicam ao ofício de julgar com imparcialidade e honestidade. Em sua defesa, a corregedora afirmou ao jornal “O Estado de São Paulo”, que não falava de toda a categoria, mas de alguns que estão querendo se esconder atrás da toga. Eliana Calmon defendeu suas afirmações e disse que não falou de toda a categoria, mas de alguns


Caderno B

Economia Saga do MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

economia@emtempo.com.br

(92) 3090-1045

Tablets invadem a ‘praça’ Economia B4

trabalhador Amazonenses acidentados no ambiente de trabalho são obrigados a enfrentar até uma década para ter seu direito garantido pela Justiça, conforme Ministério Público do Trabalho

ANWAR ASSI Equipe EM TEMPO

ARQUIVO EM TEMPO/MICHELL MELLO

G

arantir os direitos na Justiça tem sido um verdadeiro exercício de paciência para amazonenses acidentados no ambiente de trabalho. O trâmite de uma ação trabalhista pode se arrastar por uma década, caso percorra todas as instâncias até o processo em julgado. “É um processo lento que, devido aos desdobramentos, pode levar, em média, dez anos, se passar por todos os graus”, reforça o procurador do Ministério Público do Trabalho (MPT), Audaliphal Hildebrando da Silva, ao ressaltar que o Tribunal Superior do Trabalho (TST) tem pressionado os tribunais regionais para acelerar as ações por acidentes de trabalho. Embora o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 11ª Região não tenha informado quantos processos por acidente de trabalho tramitam no ór-

gão, d e acordo com dados do MPT, das cem denúncias que o órgão ministerial recebe por mês, em torno de 20% são referentes a acidentes de trabalho. Enquanto o processo tramita e a decisão não é expedida, o empregado acidentado, como se não bastasse a fatalidade sofrida, enfrenta o infortúnio de não encontrar mais vaga no mercado de trabalho ou, ao menos, de ser amparado pela empresa pela qual sacrificou alguma habilidade. O pedreiro José Francisco Corrêa, 33, aguarda, há dois anos, um desfecho de uma ação movida para receber seus direitos trabalhistas, depois de ter sofrido um acidente no canteiro de obras q u e cegou um de seus olhos. Ele trabalhava em uma construção no município de Juruá (a 651 quilômetros de Manaus), em março de 2010, quando um prego atingiu seu olho, o que fez com que ele perdesse a

visão do lado esquerdo. Segundo Corrêa, o descaso da construtora na qual ele trabalhava começou logo após o acidente, quando a empresa deixou de transportar o pedreiro para Manaus, uma vez que o hospital de

PROCESSOS

Embora o TRT não tenha informado quantos processos por acidente de trabalho tramitam, de acordo com dados do MPT, das cem denúncias mensais, quase 20% são referentes a acidentes de trabalho Juruá estava sem médicos para atendê-lo. Corrêa lembra que foram os irmãos que o trouxeram de avião para a capital. Mesmo assim, ao chegar ao aeroporto, a empresa também não disponibilizou ambulância para levá-lo ao hospital. “Fui contratado para trabalhar durante seis meses e não me deram equipamentos de segurança, não assinaram a minha carteira e não prestaram qualquer tipo

de assistência. A empresa não prestou auxílio. Quero receber meus direitos e o auxílio doença para poder sobreviver”, ressalta. “Depois do acidente, várias pessoas fecharam as portas. Queremos justiça porque ele (José Corrêa) dificilmente conseguirá emprego, pois não tem estudo e agora está acidentado”, lamenta a esposa do pedreiro, Marta Vieira, 42. De acordo com o advogado do trabalhador, Isael Zurra Gomes, a audiência da ação movida por ele será realizada somente no final de abril. O valor da indenização pedida é de R$ 50 mil. Longa espera O motorista Edmilson Cursino, 45, esperou 12 anos até receber uma indenização de R$ 80 mil após um acidente que sofreu quando dirigia o veículo da empresa para a qual trabalhava no Distrito Industrial. Cursino aguardou todo esse tempo devido aos “embates judiciais” , até aceitar um acordo de indenização da empresa, que ficou acima da metade do valor pleiteado de R$ 150 mil. “Até hoje ele tem sequelas nas pernas. Geralmente, as ações trabalhistas são demoradas”, afirma a advogada do trabalhador, Rosângela Campos.

INSS deve ser comunicado

REPRODUÇÃO

Dos 249 mil benefícios do INSS ao trabalhador, 1,44% são referentes a acidentes no país

A legislação brasileira considera acidente de trabalho aquele que ocorre no exercício de atividade a serviço da empresa e provoca

lesão corporal ou perturbação funcional, que pode causar a morte, a perda ou a redução permanente ou temporária da capacidade para o trabalho. As ocorrências de acidentes de trabalho devem ser informadas ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)

por meio da Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), que é o documento de registro oficial dos acidentes do trabalho no Brasil. Conforme dados do INSS, apenas 1,44% dos 249 mil benefícios concedidos pelo órgão, em 2011, foram referentes a acidentes de trabalho.


Economia

B2

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Chocolates artesanais garantem renda extra Para aproveitar a Páscoa, amazonenses apostam na produção de chocolates para garantir um “dinheirinho” a mais FOTOS: DIEGO JANATÃ/FREELANCER

RICHARD RODRIGUES Equipe EM TEMPO

P

áscoa não é só época para comer chocolate, mas também uma alternativa para quem quer uma “grana” extra. Para aproveitar o momento, pequenos empreendedores apostam na produção artesanal de trufas e ovos para ser ofertados a preços mais baixos do que os fabricados em grandes indústrias. A dona de casa Mara Santos está entre os microempresários dispostos a investir na produção de chocolate artesanal. “Fiz um curso de produção de chocolates no mês passado e comecei a trabalhar na preparação de ovos de Páscoa neste fim de semana”, diz, ao destacar que a atividade irá contribuir para aumentar a renda da família. Ao longo da última semana, Mara adquiriu material para dar início à empreitada, que será desenvolvida junto com as suas duas filhas. “Nós três fizemos o curso e vamos colocar em prática o que aprendemos para produzir ovos de Páscoa, que terão preços a partir de R$ 2,50 e trufas de R$ 1,50”, planeja a dona de casa, ao acrescentar que já tem encomendas tanto de ovos quanto de trufas. “De início, já temos a encomenda de 12 ovos e 25 trufas, mas acreditamos que mais

interessados devam surgir já que estamos divulgando o nosso trabalho para amigos”, ressalta. “Fabricaremos ovos de Páscoa normais e trufados e as trufas estarão disponíveis nos sabores de morango, cupuaçu, maracujá e coco”, garante Mara, ao assinalar que vai dar continuidade à empreitada mesmo depois da Páscoa. A vendedora de joias e perfumes Sônia Marinho, também pretende aumentar a renda com a produção de chocolates. “Na próxima semana vou começar a “correr” para começar a fabricar ovos de Páscoa, trufas e chocolate artesanal para ganhar um dinheiro a mais já neste mês”, projeta a autônoma, que também participou de um curso de capacitação para elaborar o produto, agora ela está fazendo o levantamento de quanto vão custar os chocolates. Sônia revela que os planos estão sendo desenvolvidos junto com o seu esposo, que é feirante. “Inicialmente os chocolates serão vendidos na banca que meu marido tem, em um box em uma feira da cidade”, afirma a empreendedora, que começará sua andança pelas lojas de materiais nesta semana.

Fabricação toma fôlego Enquanto Mara e Sônia ainda estão “engatinhando” na fabricação de chocolates, a empreendedora Luana Rios já espera crescimento na produção de trufas durante o período pascal. “Começamos a trabalhar com trufas há seis meses e hoje já fabricamos seis sabores do item”, diz, ao ressaltar que produz diariamente 360 trufas nos sabores de brigadeiro, coco, cupuaçu, maracujá, castanha e limão. Porém, com a produtividade garantida, Luana pro-

Mara adquiriu todos os produtos necessários e deve começar a fabricação neste fim de semana

jeta avanço na fabricação do item. “Entre este mês e o mês de abril, vamos focar na confecção de trufas por conta da Páscoa e esperamos um incremento de até 10% na quantidade produzida para o período”, estima a empreendedora, que vai apostar em itens diferenciados para atrair a clientela. “Vamos trabalhar com produtos vendidos em unidades e também em cestas com várias trufas”, garante, ao informar que, além das trufas, também que vai inserir brownies (biscoito) no seu portfólio de produtos.


Economia

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

B3

Empresas na ‘carona’ do setor de energia Para seguir o avanço do segmento, empresas do PIM aumentam produção de equipamentos para usinas hidrelétricas RICHARD RODRIGUES Equipe EM TEMPO

D

iante dos investimentos milionários previstos para o setor energético no país, a Voith Hydro, instalada há um ano no Polo Industrial de Manaus (PIM), se prepara para acompanhar os avanços do setor. Com a projeção de atingir a sua capacidade máxima de produção em 2012, a indústria pretende aquecer as turbinas das hidrelétricas do Brasil, especialmente as do Norte e Nordeste. “A fábrica de Manaus é parte da estratégia que temos para atender os planos de expansão dos investimentos em geração de energia no Norte e Nordeste brasileiro e demais países da América Latina”, frisa o executivo da Voith Hydro, Osvaldo San Martin. Entre os equipamentos fabricados pela indústria no PIM que terão “peso” no desempenho produtivo da empresa estão componentes destinados para usinas hidrelétricas como: turbinas Kaplan e Bulbo, carcaça do estator, nariz de bulbo, rotor de gerador, além de aro câmara, reguladores hidráulicos, tubos de sucção, entre outros. “Atualmente já abastecemos com esses equipamentos as hidrelétricas de Santo Antônio, em Roraima, Jirau, instalada em Rondônia, e Ferreira Gomes, no Amapá. Também já estamos planejando atender a demanda da usina de Belo Monte, no

Pará”, revela o executivo. FOTOS: JOEL ROSA

Unidade garante agilidade nas usinas Há pouco mais de um ano no PIM, a Voith Hydro avalia os resultados obtidos até o momento como positivos e promissores. “Quando a empresa optou pela região Norte para sediar sua segunda fábrica no Brasil, tinha como objetivo fomentar o desenvolvimento tecnológico e a geração de empregos, metas que já

Manaus faz parte da estratégia que temos para atender a expansão dos investimentos em geração de energia no Norte e Nordeste Osvaldo San Martin, executivo da Voith Hydro

foram alcançadas em um ano de atuação. Além disso, a unidade manauense vem garantindo mais rapidez no fornecimento de soluções para as usinas hidrelétricas”, ressalta San Martin. A Voith Hydro está instalada em um espaço de 81 mil metros quadrados e tem 16,3 mil metros de área construída. A planta industrial é constituída de três áreas de manufatura, denominadas “naves”, onde atuam 150 trabalhadores.

Voith Hydro fabrica turbinas para hidrelétricas do país

Mudança na matriz energética Enquanto a Voith Hydro avança na produção de equipamentos para hidrelétricas, a Wärtsilä se prepara para acompanhar a mudança na matriz energética das usinas termelétricas do Estado. A empresa já projetou, construiu e iniciou a operação de quatro plantas de geração de energia elétrica para atendimento à população de Manaus. “Temos como objetivo ampliar essa participação tendo em vista o forte crescimento da região que faz aumentar o consumo de energia. O primeiro passo para essa meta de fortalecer nossa atuação local foi a conversão de algumas dessas usinas para operar com o gás natural, que já operam em Manaus”, destaca o diretor de Power Plants da Wärtsilä Brasil, Jorge Acaide. Na área de geração de energia, a empresa tem um total de 25 plantas construídas no Brasil e já ultrapassou a marca de 2,4 GW em potência instalada em território nacional. “Do total de usinas, quatro estão em Manaus, que são as termelétricas Manauara (85 MW), Gera (85 MW), Raesa (85 MW) e Rio Ne-

gro (169 MW)”, informa o diretor. O executivo diz, ainda, que além das usinas de geração de energia, a multinacional tem ainda uma base de serviços de reparos e manutenção, que funciona como uma filial dedicada ao atendimento a clientes nas áreas de energia elétrica e propulsão marítima.

DOMÍNIO

Na área de geração de energia, a empresa tem um total de 25 plantas construídas no Brasil e já ultrapassou a marca de 2,4 GW em potência instalada no país Meta Além dos serviços já realizados no Amazonas, a Wärtsilä tem como foco trazer para o país a tecnologia chamada “Flexicycle”. “Essa tecnologia consiste na construção de novas usinas de geração de energia, tendo como combustível o gás natural e opera com alta eficiência e menor nível de emissões atmosféricas”, adianta o diretor, ao informar ainda que a Wärtsilä é responsável por 200 empregos no Amazonas.


Economia

B4

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Tablets invadem a ‘praça’ Projeto do governo do Estado, em parceria com Sest/Senat, irá fornecer uma linha de crédito para que os taxistas da capital adquiram os equipamentos, com foco na aproximação do passageiro às rotas turísticas do Amazonas LUANA GOMES Especial EM TEMPO

C

om foco na Copa de 2014, a tecnologia vai invadir a “praça” de Manaus. Os usuários de, pelo menos, quatro mil táxis terão na ponta dos dedos as rotas turísticas da capital, a partir dos “mimos” mais recentes do mercado – os tablets. Projeto do governo do Estado recebe os últimos ajustes. Na tentativa de debater os detalhes da proposta, inspirada em realizações de outros Estados do país, uma reunião deve ser realizada no próximo dia 30, no

auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), conforme a coordenadora do órgão, Márcia Soares. O projeto é desenvolvido por meio da parceria entre o Senat, o Serviço Social do Transporte (Sest) e a Unidade Gestora da Copa (UGP-Copa). De acordo com a coordenadora do Senat, a ideia é que os aparelhos sejam financiados mediante a qualificação desses profissionais com cursos de línguas e gestão de negócios, a partir de projetos como o “Taxista Nota Dez”. Segundo ela, o número de possíveis taxistas que se-

rão incluídos no projeto é o mesmo previsto para qualificação até o Mundial. O vice-presidente da cooperativa Tucuxi, Silvio Rodrigues Machado, detalha que na primeira reunião sobre a proposta foi exposto um possível projeto-piloto com aproximadamente 400 carros. Machado salienta que os tablets serão posicionados na cabeceira dos bancos traseiros, com sistema GPS, indicando os pontos turísticos da cidade, além de intervalos com programações de eventos diários. Embora ainda possa ser englobado nos

PROGRAMAÇÃO

Equipamentos serão posicionados na cabeceira dos bancos traseiros, com sistema GPS, indicando os pontos turísticos da cidade, além de intervalos com programações de eventos diários

próprios tablets, Machado também destaca que foi abordada a iniciativa de liberar um Iphone como instrumento para processamento on-line de cartão de crédito e débito, a partir de

parcerias com a Cielo e empresas de telefonia móvel. Atualmente, o sistema de pagamento não conta com essa facilidade, pois há necessidade de ligar antes para a cooperativa para esse tipo de transação. O diretor administrativo da cooperativa dos Taxistas Golfinho, Júnior Guimarães, argumenta que a iniciativa representa um grande benefício à classe, já que há uma necessidade de incorporar tecnologias novas ao segmento. Entretanto, ele destaca que o investimento, que deve passar ser realizado a partir da criação de uma linha

de crédito específica, deve vir acompanhado da educação dos taxistas e da própria população. Guimarães lembra que há uma projeção de instalar serviço de wireless no interior dos carros, para que os clientes possam ter acesso imediato e ilimitado a internet, especialmente quando o número de internautas cresce na capital amazonense. Por conta da necessidade de qualificação, segundo o diretor da Golfinho, já estão sendo realizadas tentativas para engajar pelo menos 30% dos membros nos cursos proporcionados pelo Sest/Senat.

CARROS

4 MIL

É a quantidade de taxistas que poderão ter acesso à nova tecnologia instalada em seus veículos

Passageiros terão na ponta dos dedos as principais rotas turísticas da capital e, ainda, os eventos diários realizados na cidade

Alfredo MR Lopes alfredo.lopes@uol.com.br

ZPEs, prenúncios fatais O Brasil padece a falta de articulação e planejamento estratégico no âmbito do pacto federativo e isso tem sido fator de incremento das desigualdades regionais. Existe no Brasil, em estágios distintos de implantação, algo próximo a três dezenas de áreas de livre comércio com o exterior, denominadas Zonas de Processamento de Exportação (ZPE), com isenções fiscais e regime aduaneiro e cambial especial para empresas que aí se instalem. Aprovados, quase sempre, ao sabor do fascínio eleitoreiro conjuntural, esses mecanismos bem poderiam organizar-se por polos complementares entre si para assegurar competitividade e resguardar interesses regionais de produção e mercado. Assim, em vez de ameaças e riscos de prejuízos entre as economias setoriais, o planejamento imprimiria a inte-

ligente organização da complementaridade operacional de produção e varejo. É preciso muita prudência para analisar/criticar esse modelo de desenvolvimento que são as ZPEs, pela sua similaridade pontual com a Zona Franca de Manaus. E muito cuidado, ainda, para acompanhar as mudanças que serão implementadas a partir das discussões que se iniciam neste mês no Senado e Câmara Federal. Aprovada a proposta que aumenta de 20% para 40% do percentual da produção que poderá ser comercializado no mercado interno, os fabricantes chineses de duas rodas instalados em Pernambuco e Bahia, para dar um exemplo, mandam pelos ares o polo de duas rodas da Zona Franca de Manaus. Considerando a logística de transportes desses Estados, a oferta de energia e velocidade

de conexão de banda larga, a derrota do modelo local é de goleada. Os caminhões sobem carregados do Sudeste em direção ao Nordeste e costumam voltar de contêineres vazios, pela escassez industrial da região. Isso seria, literalmente, mão na roda, a rigor, nas duas rondas das ZPEs nordestinas. Duas rodas e TV, com efeito, são os polos que ficaram pra contar a história do esvaziamento do modelo. E no toma lá dá cá dos acertos políticos, onde as bancadas regionais são numericamente poderosas e operantes, são sombrias as perspectivas. É que, além da exportação e vendas locais de itens tradicionais, similares aos produzidos na ZFM, as mudanças vão alcançar/privilegiar as empresas fornecedoras de “serviços” – leia-se tecnologia da informação - instaladas em

ZPEs. O circo já está armado com a Associação Brasileira de Zonas de Processamento de Exportação (Abrazpe). E de quebra, os acordos vão flexibilizar a regra para evitar que o ato de criação da zona de processamento perca a validade, se as obras não começaram em 24 m eses. Pela lei atual número 11.508, de 2007, a ZPE pode ser constituída apenas de empresas que produzam “bens”. É a vingança do Piauí, inspirada na revolta do Amapá, pilotada por Sarney, com quem começou a socialização dos benefícios fiscais com o fito essencialmente eleitoral. É importante distinguir o ato político de seu sucedâneo eleitoral, origem da esmagadora maioria das ZPEs. Dar-lhes estatuto de política pública virou compromisso eleitoral dos ministros do Desenvolvimento e da Integração Regional, atolados até o pescoço na

nova modalidade de redução das desigualdades regionais. Se a revisão proposta no projeto, de acordo com a autora, é essencial para tornar mais “ágil e competitivo” o mecanismo da ZPE – que ficou praticamente parado até o governo Lula – não há dúvida de que os prenúncios fatais dessas mudanças acabam de ser reafirmados pelo viés oportunista de mais uma temporada eleitoral. Contra fatos tão contundentes os argumentos perdem o sentido e o vigor, e nos remetem à prontidão, tanto na arena desfavorável da barganha parlamentar, onde somos tímidos e minoritários, como, principalmente, na imperiosa necessidade de sentar, conversar e agir em torno de uma nova saída e reinvenção, uma boa oportunidade para sacudir a poeira da dependência federal. Que tal?

Alfredo MR Lopes Filósofo e consultor ambientals

É preciso muita prudência para analisar/criticar esse modelo de desenvolvimento que são as ZPEs, pela sua similaridade pontual com a Zona Franca de Manaus”


MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Economia

B5

Pesquisa com tucumã tem aporte de R$ 4,5 milhões Estudo para transformar o tucumã em fonte de energia renovável chega à fase de aperfeiçoamento para sair do papel

C

om recursos de R$ 4,5 milhões garantidos até 2014, as pesquisas para transformar o tucumã em biocombustível entram na fase de aperfeiçoamento do plantio e da identificação dos locais de ocorrência da espécie que, no futuro, poderá se tornar fonte de energia renovável. Conforme dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) da Amazônia Ocidental, ao menos 22 municípios amazonenses com grande concentração de tucumã já foram visitados e mapeados pelos pesquisadores. O pesquisador Jéferson Luis Macedo explica que o processo de mapeamento é importante, porque vai possibilitar a caracterização das populações naturais do tucumã e determinar o pré-melhoramento genético da espécie. Segundo ele, com o aprimoramento genético será possível melhorar a espécie em relação à produtividade, ao teor e à qualidade de óleo. “A partir do tucumã poderemos extrair óleos que podem ser utilizados na alimentação, na geração de energia e na produção de

ALEXANDRE FONSECA/ARQUIVO EM TEMPO

cosméticos”, afirma. O pesquisador, que estuda palmeiras nativas da Amazônia, frisa que paralelo ao trabalho de mapeamento, vem concluindo estudos para otimizar o plantio do tucumã. Os experimentos vão permitir, entre outros resultados, avaliar o potencial de produção e produtividade de plantas em alguns maciços naturais, determinar a taxa de cruzamento aparente da espécie e garantir a produção de mudas de tucumã. Segundo ele, também estão sendo estabelecidos experimentos para avaliar o estado nutricional de mudas, com o objetivo de definir uma adubação de base e os melhores espaçamentos para o estabelecimento de plantios racionais de tucumã. Os estudos com o tucumã fazem parte de um projeto iniciado na década passada, que procura produzir óleo vegetal a partir de diferentes espécies de palmáceas para transformá-las em biocombustível. Participam dessa empreitada 12 unidades da Embrapa, nove universidades federais e três instituições de pesquisa.

Frutos amazônicos como fonte Junto com o tucumã, palmáceas amazônicas como a macaúba, inajá e o babaçu também vêm sendo pesquisadas devido ao grande potencial dessas espécies como fontes alternativas de matérias-primas para geração de tecnologias para agroenergia. Os estudos com o tucumã da região amazônica estão inseridos no projeto “Fontes alternativas potenciais de matérias-primas para produção de agroenergia”, que é financiado com recursos do Macroprograma 1 da Embrapa e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A partir do tucumã, é possível extrair óleo que pode ser utilizado como biocombustível


B6

País

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Fatos sobre tortura no país devem ser públicos Relatório sobre tortura no Brasil deve se tornar público, dizem organizações de defesa dos direitos humanos com base na Lei de Acesso à Informação

O

rganizações de defesa dos direitos humanos querem que o governo federal torne públicas as informações do relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre tortura no Brasil, com base na recém-aprovada Lei de Acesso à Informação. A Conectas, a Justiça Global e a Pastoral Carcerária enviaram cartas a três ministérios com a solicitação. As recomendações foram formuladas pelo Subcomitê para a Prevenção da Tortura (SPT) da ONU e enviadas oficialmente ao Brasil em 8 de fevereiro. O SPT visitou o Brasil em setembro de 2011 e teve contato com autoridades brasileiras e com representantes da sociedade civil. O grupo visitou centros de detenção, prisões e unidades de internação para adolescentes em conflito com a lei, entre outros estabelecimentos correcionais. O monitoramento da situação da tortura e de maus-tratos em unidades de privação de liberdade é feito de acordo com o estabelecido pelo Protocolo Facultativo da Convenção da ONU contra a Tortura. Segundo a diretora executiva da Justiça Global, Sandra Carvalho, o fato de o governo não ter divulgado o relatório não quer dizer ele que omita as informações.

ANA NASCIMENTO

AUXÍLIO

Municípios já podem cadastrar suas grávidas Municípios em todo o país já podem solicitar, desde sexta-feira (9), acesso ao sistema que permite cadastrar e monitorar gestantes que vão receber o auxílio-deslocamento. O benefício, de até R$ 50, serve para pagar o deslocamento tanto para a realização de consultas pré-

natal e para o parto. Até o momento, segundo o Ministério da Saúde, 23 Estados e 1.685 municípios iniciaram o processo de adesão. A expectativa é que cerca de 1 milhão de mulheres passem a receber o auxílio-deslocamento ainda este ano. ANTONIO MILENA ABR

O dinheiro será para transporte para fazer o pré-natal Em Xambioá (TO), geólogos passam o georadar a procura de ossadas de dois guerrilheiros

Transparência e sigilo se unem Na carta encaminhada aos ministérios das Relações e da Justiça e à Secretaria de Direitos Humanos, as organizações lembram que a Lei de Acesso à Informação estabelece um novo marco legislativo em que a transparência é a regra e o sigilo, a exceção. Para o assessor jurídico da Pastoral Carcerária, José

Filho, a lei reforça especificamente a publicação de documentos referentes à violações de direitos humanos. “A lei é clara nesse sentido. Há muitos processos envolvendo agentes públicos que tramitam em segredo de Justiça. Com a lei, esses processos se tornam públicos”. O Itamaraty informou,

por meio de sua assessoria, que há uma consulta com outros órgãos do governo para verificar se os documentos serão divulgados. A consulta pode demorar, mas o ministério não especificou quanto tempo. A Secretaria de Direitos Humanos e o Ministério da Justiça foram procurados, mas não deram retorno.

PROFESSORES

Nove Estados ainda não pagam valor do piso 2012 O Ministério da Educação (MEC) anunciou na última semana o valor do piso nacional do magistério para 2012: R$ 1.451. Apenas em 18 unidades da Federação os professores da rede estadual receberão na folha de pagamento de março valor igual ou superior ao definido pela lei. Informações repassadas

pelas secretarias estaduais de Educação, mostra que 12 Estados já praticavam valores superiores ao estipulado e seis reajustaram a remuneração do seu quadro logo depois que o MEC anunciou o aumento. A Lei do Piso foi sancionada em 2008 e determina um valor mínimo a ser pago aos professores da rede pública.


País

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

“PRÓ-VITA”

Operação da polícia federal apreende remédios abortivos Policiais federais cumpriram, em Mato Grosso, 66 mandados judiciais, entre os quais 11 ordens de prisão temporária, durante a operação “Pró-Vita”. A ação combate a comercialização de medicamentos ilegais e a prática de aborto em série. Em cumprimento a mandados de condução coercitiva, acusados de envolvimento nas irregularidades foram levados a vários locais para a obtenção de provas, tendo sido feitas 23 operações de busca e apreensão. A 2ª Vara Criminal da Comarca de Barra do Garças (MT) expediu os mandados, requeridos pela Polícia Federal (PF). De acordo com a PF, foi decretada a prisão de um médico, de alguns farmacêuticos e de atendentes de farmácias de Barra do Garças. Também foi determinado o sequestro de bens dos investigados. Os médicos utilizavam medicamentos de uso proibido no país, na estrutura do serviço público de saúde, em Barra do Garças, e praticavam crimes de

aborto. Eles também cobravam por atendimentos médicos no hospital municipal, que devem ser gratuitos dentro do Sistema Único de Saúde (SUS). Diversos casos de abortos criminosos foram identificados durante as investigações. A Operação PróVita apreendeu 187 comprimidos do medicamento Cytotec, 260 de Sibutramina, 56 de Desobesi-M, 60 de Xanax, 40 de Rheumazin Forte e 50 de Pramil, todos de uso proibido. Trabalharam na Operação Pró-Vita 110 policiais federais e cinco servidores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os mandados judiciais foram cumpridos em Barra do Garças, em Alto da Boa Vista e em Primavera do Leste, em Mato Grosso, e em Goiânia, Aragarças, Baliza e Aparecida de Goiânia, em Goiás. Os presos vão ser encaminhados à Cadeia Pública de Barra do Garças e deverão responder criminalmente pela prática de aborto e comercialização de medicamentos sem registro. ELZA FIUZA ABR

PF faz operação para reprimir uso de medicamentos proibidos

B7

Indústrias querem adiar discussão sobre cigarros Fabricantes de cigarros e produtores de tabaco querem deixar para depois a eliminação de aditivos que dão aroma e sabor e tornam o produto atraente

D

iante da possível retirada de aditivos do cigarro, a indústria do fumo se mobiliza para tentar adiar a aprovação da proposta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que quer acabar com ingredientes que dão aroma e sabor aos cigarros, como o mentolado, de chocolate e baunilha. Os fabricantes e fumicultores enviaram um manifesto contrário à proposta, à ministra-chefe da Casa Civil, Gleise Hoffman, e a outros setores do governo, em que pedem a criação de uma câmara técnica para debater o assunto por mais tempo e ainda querem levar a discussão para o Congresso Nacional. O setor afirma que a retirada dos aditivos inviabilizaria “a fabricação de 99% dos cigarros comercializados legalmente no Brasil”. O American Blend, espécie de mistura de tabaco, é o tipo mais usado no Brasil. De acordo com os fabricantes, esse fumo exige a adição de açúcar – cerca de 25% é perdido durante a secagem da folha – e de outros ingredientes, como flavorizantes.

ABR

A agência argumenta que cigarros com sabor estimulam jovens e adolescentes ao hábito de fumar

Agência reguladora se justifica Segundo a Anvisa, estudos científicos mostram que os cigarros com sabor estimulam jovens e adolescentes ao hábito de fumar, por serem doces. A Anvisa baseou sua decisão na experiência do Canadá, que baniu os aditivos.

Os fabricantes nacionais rebatem o argumento da agência, alegando que não existe relação comprovada entre o uso dos aditivos e o aumento do número de fumantes ou dos riscos à saúde. Eles dizem ainda que o Canadá usa outro tipo de

fumo, o virginia, que não precisa, na sua fabricação, dos ingredientes usados no Brasil. O setor concorda com a retirada dos sabores de frutas, de chocolate, de baunilha e de outros sabores, dos produtos, mas quer manter o açúcar, mentol e cravo.


B8

Mundo

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Fábricas vão alterar suas fórmulas de refrigerantes

DIVULGAÇÃO

As indústrias concorrentes Coca e Pepsi pretendem diminuir a utilização de uma determinada substância em seu corante amarelo, para evitar alerta de câncer

A

Coca-Cola e a Pepsi vão diminuir a presença de uma substância em seu corante caramelo, seguindo uma determinação legal do Estado americano da Califórnia. O motivo: nas doses

contidas nos refrigerantes, a molécula aumentaria o risco de câncer nos consumidores. A mudança envolve o 4metilimidazol (ou 4-MEI, para encurtar). A substância, em determinadas concentrações, é

capaz de levar ao surgimento do câncer, segundo mostraram testes com animais de laboratório. A legislação californiana impõe um limite de 29 microgramas por dia para o consumo de 4-MEI. No entanto, segundo

o Centro da Ciência pelo Interesse Público, ONG americana dedicada a questões de saúde e nutrição, latas de Coca-Cola e Pepsi nos EUA hoje contêm entre 100 microgramas e 150 microgramas da substância.

Coca-Cola e Pepsi garantem que mudança não afetará o sabor

Corante ‘absolutamente seguro’ “O corante caramelo utilizado em nossos produtos é absolutamente seguro. Mudanças no processo de fabricação de qualquer um dos ingredientes, como o corante caramelo, não têm potencial para modificar a cor ou o sabor da CocaCola”, afirmou a empresa em comunicado. “Continuamos a nos orientar por evidencias científicas sólidas para garantir que nossos produtos sejam seguros”, afirmou a empresa. “Não estamos mudando nossa receita ou nossa fórmula”, declarou Ben Sheidler, porta-voz da Coca-Cola nos Estados Unidos. “É só

uma mudança no processo de manufatura dos nossos fornecedores de caramelo, para seguir a legislação”. Sheidler disse que a CocaCola também vai diminuir as quantidades de 4-MEI nos refrigerantes vendidos em outros lugares dos EUA e do resto do mundo, mas afirmou que ainda não há prazo para que isso aconteça. A ABA (Associação Americana de Bebidas) saiu em defesa das grandes marcas de refrigerantes, afirmando que a limitação da substância no corante não é reconhecida como necessária pelas agências reguladoras dos EUA, do Canadá e da Europa.

FUKUSHIMA

Faz um ano que terremoto e tsunami assolaram o Japão Todo mundo que mora no Japão sabe dizer, sem vacilar, o que fazia e o que sentiu às 14h46m do dia 11 de março do ano passado, quando a rotina japonesa — tão marcada pela organização — virou de cabeça para baixo. Yoshihiro Murai, governador de Miyagi, a província mais afetada pelo terremoto, estava no carro, na cidade de Sendai, e achou que estivesse tendo uma alucinação quando viu os prédios balançarem como árvores, e o asfalto, como gelatina. Miyagi resistiu ao tremor, mas não ao que veio depois, a tsunami. Cerca de 9.500 pessoas morreram na província, e 1.700 corpos ainda não foram encontrados. Um ano depois, Murai tem esperanças de aprovar um plano de reconstrução que faria da região arrasada

um exemplo de renovação para o país: 60% da destruição causada pela tsunami foram concentradas em Miyagi. Enterros em massa, casas arrancadas pela água, centenas de milhares de desabrigados e cidades em chamas são algumas das cenas registradas ali. Um ano não é tempo suficiente para esquecer o trauma. Os destroços já foram retirados e estão reunidos em montanhas de lixo em vários pontos do litoral das três províncias atingidas (além de Miyagi, Fukushima e Iwate foram as mais afetadas). A recuperação da infraestrutura básica foi rápida e há luz, água e casas temporárias para os mais de 350 mil desabrigados. O governo prevê dez anos de reurbanização, estimada em US$ 300 bilhões.

EM VÊNUS

Tempestade solar afeta funcionamento de satélite Enquanto os terráqueos aguardam com apreensão potenciais danos ligados a uma das maiores tempestades solares dos últimos anos, em Vênus os problemas já começaram. A atividade aumentada do Sol está atrapalhando o funcionamento da sonda europeia Venus Express. Seus dois rastreadores estelares pifaram depois de uma erupção solar na terça-feira (6). A espaçonave usa essas câmeras para verificar a posição das estrelas e, com isso, orientar seu posicionamento em órbita. A atividade solar, que vem aumentando nos últimos tempos e é mais problemática em Vênus do que na Terra (uma vez que aquele planeta está mais perto do Sol), já causou panes temporárias da Venus Express antes.

O recorde de interrupção das operações dos rastreadores foi de 32 horas. A atual parada é o novo recorde e completou mais de 40 horas na tarde de sexta-feira (9). Foram interrompidas as observações científicas da sonda, enquanto o controle da missão trabalha para preservar a espaçonave. “O longo tempo inoperante e o fato de os dois sensores terem parado simultaneamente são preocupantes”, diz Petrônio Noronha de Souza, do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Segundo ele, é difícil fazer previsões. “Pode ser um fenômeno transitório, até que o Sol se acalme, mas também pode haver um dano permanente na circuitaria do sensor”, o que seria bem mais complicado para a sonda.


Caderno C

Dia a dia MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

diadia@emtempo.com.br

JOEL ROSA

Colombianos se refugiam em Manaus

(92) 3090-1041

Dia a dia C4 e C5

Trabalho que vai além de um simples corte de cabelo Cabeleireiros deixam de ser apenas profissionais do corte e passam a exercer a função de psicólogos dos seus clientes FOTOS:JOEL ROSA

WILLIAM GASPAR Especial EM TEMPO

Cadeira do salão vira um divã

M

ais do que profissionais, muitos cabeleireiros e barbeiros se tornam psicólogos, amigos, conselheiros e até mesmo confidentes de seus clientes. É no salão de beleza, onde especialistas na arte de cortar e escovar cabelos desenvolvem atividades de ajuda, escutam histórias de vida, e muitas vezes, aconselham, formando relações de confiança entre clientes e profissionais. A cabeleireira Dadan Batista, que há mais de 15 anos atua no bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste, revela que criou laços de amizade com clientes. “Existe uma cumplicidade muito grande entre o profissional e o cliente. Queremos é fazer com que as pessoas que procuram os nossos serviços se sintam bem e saiam satisfeitas com o resultado. Já fiz várias amizades no trabalho”, conta. Dadan afirma que algumas pessoas do bairro a acompanham desde o início de sua carreira. “Tenho clientes que há 14 anos frequentam meu salão. E me procuram toda semana, e quando por algum motivo não aparecem, fica faltando alguma coisa. Já somos quase da família, pois criamos um vínculo. Pela liberdade que tenho com meus clientes, às vezes eles me procuram não só para se embelezar, mas também para tomar um café e conversar”, explica. Para melhorar o seu atendimento, Dadan participou junto de outros profissionais de um curso em programação neurolinguística, na busca de entender as pessoas. “Acredito que o cabeleireiro é mais do que um amigo e pode ajudar a pessoa a descobrir por si só o próprio caminho”, opinou a cabeleireira.

Dono de um salão que leva seu nome no bairro São Jorge, Zona Oeste, Gezzy Farias do Nascimento, está no mercado de estética há 20 anos. “Tenho clientes de todos os tipos. As pessoas que frequentam meu salão são como integrantes da família, pois tanto me ajudam quanto eu as ajudo, é uma relação de troca e muita cumplicidade. Sempre procuro a simplicidade e ser atencioso com os meus clientes”. Ele, que atua tanto como barbeiro quanto como cabeleireiro, diz que o servi-

ço acaba se expandido de acordo com a sua relação de afinidade com o público. “Às vezes acabamos virando uma espécie de psicólogo dos clientes, confidentes, amigos. Acredito que quando o cliente “entrega” seu cabelo para ser cortado ao profissional é porque tem confiança e acredita no trabalho”,garante Jezzy. “Quando sentam na cadeira sempre acabam abrindo seus corações a nós e se sentem em uma espécie de divã. Nos sentimos felizes com nossos clientes”, completa.

Januário, trabalha há mais de 42 anos como barbeiro e conquistou uma carta de clientes fiéis

A experiência das barbearias Seja pelo domínio da técnica, por uma relação de amizade com o cliente, ou pela permanência de antigos hábitos, profissionais como barbeiros também criam laços com seus clientes. Houve uma época em que ir à barbearia era quase como ir à padaria. O lugar predominantemente masculino é parecido com um salão de beleza

para as mulheres. “Minha barbearia era, e ainda continua sendo, um lugar de socialização em que homens de todas as idades se encontram e conversam, conhecem aos outros e se informam. Quase todos os moradores do meu bairro são meus amigos. Muitos estão aqui diariamente, mesmo que não façam a barba”, explica Januário de Souza,

que há mais de 42 anos é barbeiro no Alvorada 2. Ele explica que muitos de seus clientes são de uma geração da mesma família. “Comecei fazendo a barba do avô, depois a do pai e agora faço a barba do neto também. Esse tipo de confiança para mim é muito gratificante. Sempre digo que não tenho clientes e sim amigos”, diz Januário. A relação de profissional e cliente é uma troca, diz Gezzy


C2

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Ondas da rádio ecoam a voz das comunidades

Instaladas em bairros e feiras da cidade, rádios comunitárias se tornaram o grande porta-voz de bairros da Zona Leste FOTOS: ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

AURIANE CARVALHO Equipe EM TEMPO

U

ma importante ferramenta de comunicação social, a rádio comunitária tem conseguido solucionar problemas dos moradores e cobrar respostas imediatas do poder público. Esse é o caso da rádio “A Voz das Comunidades”, primeira a ganhar, em 2011, a concessão de funcionamento no Brasil, e diariamente informa os moradores do bairro Amazonino Mendes, Zona Leste, de 6h às 18h. A falta de água era um problema comum na comunidade. Diariamente, os moradores denunciavam a situação. E, devido à intermediação da rádio com a empresa responsável pelo abastecimento, o problema foi resolvido. Luiz Emanuel Cunha, 54, que trabalha no local desde o início do projeto, lembra que a ação começou de forma tímida. “Embora a rádio seja pequena, tivemos grandes conquistas, principalmente, porque damos voz aos nossos moradores. Temos participação em muitas lutas sociais”, declarou.

Uma denúncia grave apresentada pela “A Voz das Comunidades”, que ganhou repercussão na imprensa local, foi em agosto de 2010, quando a mãe de um estudante de uma escola pública localizada no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste, denunciou que pombos invadiram a caixa d’água da unidade educacional e estariam prejudicando a saúde dos alunos. Emanuel relembrou que a rádio foi o primeiro veículo a transmitir a denúncia, na época. “Na ocasião, assunto foi ganhando notoriedade e a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) tomou medidas preventivas. Ficamos muitos satisfeitos porque conseguimos resolver um problema”, relembrou. Um dos voluntários da rádio, o locutor Noely Caldas, 62, disse que já chegou a receber 200 ligações em um único dia de participação popular. “Embora não tenhamos a mesma audiência que as rádios convencionais, sempre contamos com a participação da comunidade, que dá sugestões de programação. Essa troca é que garante nossa audiência e demonstra o bom trabalho que fazemos”, ressaltou.

Noely Caldas, voluntário da rádio comunitária na Zona Leste, contou que já recebeu 200 ligações de ouvintes em apenas um dia

Feira é lugar de prestação de serviço Há mais de 18 anos no ar, a voz comunitária MR Publicidade, da feira da Manaus Moderna leva informação, entretenimento e serviço aos seus permissionários e clientes. O locutor Márcio Roberto Rocha, 40, atua no local desde o início da transmissão e diz que já perdeu as contas de quantas pessoas já foram encontradas por suas famílias, graças aos serviços prestados pela rádio. “As pessoas não têm ideia da dimensão que essa voz dá, principalmente, para quem está vindo do interior e deseja encontrar algum parente aqui. Ou mesmo, quem vem fazer compras e acaba se perdendo do amigo, perdem documentos, chaves do carro, entre outros objetos”, destacou. Rocha disse que um dos momentos mais emocionantes de seu trabalho foi de uma senhora que veio doente do município de Autazes, e ninguém foi buscá-la no porto. Ele contou que anunciou na voz, e em poucas horas um amigo da família apareceu. A rádio possui caixas espalhadas por toda a feira, além de amplificadores na área externa, que alcança as embarcações atracadas no porto e pessoas que fazem compras na feira da Banana.

Locutores contam que a rádio se tornou prestadora de serviço

Três delas tem autorização De acordo com o site do Ministério das Comunicações (MC), em Manaus três rádios comunitárias possuem licença definitiva para funcionar na frequência 87.9 MHz FM. Uma das mais antigas é “A Voz das Comunidades”, instalada no bairro Amazonino Mendes, Zona Leste; a rádio Atividade, que funciona no bairro Santa Etelvina, Zona Norte; e rádio comunitária Belo Horizonte, que funciona no Aleixo, Zona Centro-Sul.

A abertura de uma rádio comunitária, de acordo com o MC, só poderá ser solicitada por fundações e as associações comunitárias sem fins lucrativos, mas que estejam legalmente registradas e com sede na comunidade. O veículo, conforme o Ministério, não pode ter nenhum tipo de vínculo político, religioso ou com empresas de comunicação. A autorização de funcionamento é apenas dez anos, podendo ser renovada por mais dez.


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

C3

O desafio de quem decide estudar no estrangeiro Jovens amazonenses que decidiram sair do país em busca de estudo contam como fazem para “driblar” as dificuldades

FOTOS: DIVULGAÇÃO

IZABEL GUEDES Equipe EM TEMPO

S

air do país com objetivo de cursar uma universidade ou especialização é um desafio para poucos. Apesar das dificuldades, e ainda com a possibilidade de não ter o curso reconhecido no Brasil, a procura de amazonenses que desejam “arriscar a sorte” em faculdades estrangeiras é grande. A persistência é um dos itens fundamental. Esse foi o caso da jovem estudante de medicina, Débora Hadassa 21, que estuda na Universidade Privada Franz Tamayo, na cidade de Cochabamba, na Bolívia. No segundo período da graduação, divide apartamento com mais três estudantes brasileiras. A facilidade de estudar em um dos cursos mais disputados nas universidades brasileiras atraiu a jovem para o local. “Todos aqui temos mesmo objetivo e a força de vontade para enfrentar as dificuldades de um curso tão exigente como medicina”, diz. Hadassa conta que não foi fácil deixar o seu país de origem, a família e os amigos para ir morar em outro lugar, mas a força de vontade de se formar médica deu motivação para encarar os problemas relacionados ao choque cultural. “Enfrento desafios diários, mas tenho o foco de me formar médica”, declara.

Sobre a descriminação por ser de outro país, a estudante conta que nunca vivenciou nenhum preconceito, mas acredita que esse tratamento diferenciado, é natural em qualquer lugar do mundo, devido ao choque cultural. “Não tem como vir para um país de cultura, hábitos alimentares e comportamentos distintos e não ser tratada com um diferencial. Isso acontece pela diversidade cultural”, opina.

Enfrento desafios diários por conta da diversidade cultural, mas tenho o foco de me formar médica e voltar para o meu país Débora Hadassa, estudante de medicina

A jovem estudante, que escolheu a Bolívia devido ao baixo custo da graduação, diz que não teme o fato de alguns cursos não serem reconhecidos no Brasil. Isso porque, no seu caso, a medicina, não deixa de ser desempenhada em nenhum lugar do mundo, pois todos os conhecimentos e treinamentos serão empregados para um único objetivo. “Quando se forma em medicina, você é um médico e tem conhecimentos para atuar nessa área

em qualquer lugar do mundo. A questão é que a política de autorização para médicos com diplomas estrangeiros é diferente em cada país, mas no Brasil não existem métodos de revalidação, que são feitos por universidades federais brasileiras através de avaliações teóricas e questões de especializações na área médica e prática”, explica. Assim como Débora, a estudante de mestrado, Rachel Mourão, 25, também foi em busca de oportunidades e melhores conhecimentos em outro país. Ela está concluindo o curso de mestrado em Latin American Studies - International Communications na Universidade da Flórida, em Gainesville, Flórida, EUA. A jovem formada em jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), mora no país há quase dois anos e atualmente trabalha como assistente de pesquisa em projetos de extensão, que ajuda a pagar o curso e demais despesas para se manter país. Segundo Rachel, estudar e morar em outro local é um choque cultural muito grande, mas que precisa de dedicação profunda. “É uma vida de muito estudo e sacrifícios. O aluno tem que produzir trabalhos com qualidade excepcional. Outra grande dificuldade é a linguagem. Apesar de falar inglês fluente, logo que cheguei aqui senti uma dificuldade grande em me comunicar”, conta.

Débora Hadassa escolheu a Bolívia para estudar medicina. Ela garante que o esforço é válido

Governo federal dispõe de bolsas Brasileiros que desejam estudar em outros países e não têm recursos financeiros, podem se inscrever em um programa do governo federal, que disponibiliza bolsas de estudo através do “Ciência sem Fronteiras”. A meta, até 2014, será oferecer mais de 70 mil bolsas para as melhores universidades do mundo. Raquel (1ª a direita) mora há dois anos nos Estados Unidos, onde cursa pós-graduação

A medida foi anunciada em dezembro do ano passado e já em janeiro deste ano mais 500 vagas foram disponibilizadas. A seleção está sendo feita para cursos de diversas áreas nas universidades dos Estados Unidos, Alemanha, Itália, Reino Unido e França. O Ciência sem Fronteiras atua em parceria com em-

presas federais, que custeiam a ida desses estudantes para universidades em outros países. O programa também oferece bolsas para pós-graduação. Um dos critérios para ingressar no processo é o bom desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o qual avalia a pontuação do aluno.


C4

Dia a dia

Manaus na rot Colombianos escolheram a capital do Amazonas como rota de refúgio para escapar de perseguições impostas por grupos das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc)

NÁFERSON CRUZ Equipe EM TEMPO

A

ssassinato, tráfico de drogas, sequestro e extorsão são as principais técnicas que constam na “cartilha” destes grupos. Estupros e tortura pegam carona à banalidade, como descreveu Emílio Martinez, 63, que está da lista dos 118 colombianos “desplazados” (deslocados) pela guerrilha interna na Colômbia, e que pediram refúgio ao Brasil, segundo dados da Cáritas Arquidiocesana de Manaus. Emílio Martinez, chegou a morar em Letícia, cidade colombiana que faz fronteira com Tabatinga, mas notou que grupos paramilitares, também começavam a agir naquela região e decidiu vir para Manaus. Agora, o grupo teme que eles possam cometer atrocidades na cidade. Atualmente, apenas 30 refugiados daquele país, entre crianças e adultos, continuam em Manaus, incluindo Martinez a mulher e a filha. Já seus compatriotas seguiram para outros Estados brasileiros. Martinez, que trabalhava como comerciante na Colômbia, ainda recorda das atrocidades que testemunhou. Uma delas aconteceu no vilarejo de San Vicente, onde perdeu dois irmãos fuzilados por não cooperarem com grupos paramilitares. Meses depois, o mesmo grupo investiu contra sua família. “Eles me deram o prazo de cinco dias para que eu e minha família deixássemos a nossa casa para eles utilizarem como base. Não pensei duas vezes e saí”, contou emocionado. “Fui para outra cidade e dois anos depois os guerrilheiros chegaram e fizeram o mesmo. Tentei construir nova vida em Letícia, mas nada adiantou”, diz.

Martinez não pode voltar à Colômbia “Sinto muita saudade, mas não posso voltar. Lá estaria em perigo”. Outro patriota é José Rojas, 40, que também pensa em ficar por aqui enquanto “la guerra”, não cessa. Seus parentes ficaram no país vizinho, e deles não tem notícias. “A última informação que tive foi de um primo, de 35 anos, que teve o corpo cortado em vários pedaços por uma motoserra. Em seguida os paramilitares espalharam os pedaços em diferentes

REFÚGIO

Segundo dados da Cáritas Arquidiocesana de Manaus, uma lista de 118 colombianos buscou abrigo em Manaus após ficar desalojada na guerrilha internacional da Colômbia vilarejos”, relatou. Segundo Rojas, ele e seus dois filhos e a mulher ficaram traumatizados. Antes de deixar a Colômbia, ainda assistiram ao fuzilamento e degola de parentes e amigos. “Quando não conseguem dinheiro, eles estupram as mulheres e recrutam seus novos membros entre garotos de 10 a 14 anos, para lutar pela causa e não retornam mais. Os jovens se embrenham na selva e têm o nome substituído pelo de guerra”, disse. De acordo com dados do Instituto de Estudo para o Desenvolvimento e a Paz (Indepaz), dedicado ao estudo do conflito armado , em 2011 aumentou a presença de paramilitares naquele país. Os grupos estão presentes em 406 municípios de 31 departamentos (Estados) do país, o que significa um aumento de 147 localidades.

Regime de terror e ameaças Os camponeses comunistas na fuga para as regiões montanhosas da selva em 1964, devido ao envio de tropas para vários povoados, constituem as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). A partir dos anos 80, a guerra civil ganha um novo protagonista: o tráfico de drogas. As Farc financiam a luta

armadas à custa dos serviços de proteção vendidos aos traficantes. Já os grupos paramilitares de extrema-direita surgiram durante os anos 80 como o braço armado dos grandes proprietários de terras e dos barões da droga. No início dos anos 90, as alianças que surgiram sobre a luta contra o chefão do cartel de

Medellín, o megatraficante Pablo Escobar (morto em 1993), especialmente entre grupos de perseguidos por Pablo levaram à consolidação da Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), que organizou outras forças, expandindo os grupos paramilitares na Colômbia e herdando os negócios do tráfico de drogas.

Sobreviventes por duas vezes A assistente social Andréa Cristina Gomes, da Cáritas Arquidiocesana de Manaus, entidade que coordena, em parceria com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), a permanência dessas pessoas (colombianos) no país, explica que receber refugiados não é uma ação de boa vontade, mas uma obrigação do Direito Internacional: “Essa responsabilidade está prevista na revisão da Convenção de Genebra, de 1949, e na Declaração de Cartagena, de 1984, que os países da América Latina incorporaram as suas legislações”. De acordo com Andréa, em Manaus,

o refugiado recebe carteira de trabalho, documento de identidade e tem direito à saúde, educação e moradia. “No período de adaptação, normalmente de três a seis meses, cada um recebe a ajuda financeira de R$ 300. Entretanto, apesar de toda a estrutura voltada para que o refúgio se dê da maneira mais tranquila e organizada possível, com as diferenças culturais e sociais, a saudade do passado e os traumas físicos e psicológicos das situações que impuseram o exílio, os refugiados são duas vezes sobreviventes: por chegar ao refúgio e por resistir a todas essas dificuldades”, diz. Por telefone, o

representante do Acnur no Brasil, o mexicano Andrés Ramirez, disse que com o diagnóstico participativo, feito há duas semanas em Manaus, a entidade poderá fazer um melhor planejamento dos desafios e necessidades do ponto de vista dos refugiados. Ramirez diz que a situação na Colômbia é complexa, mas que tem melhorado por conta das políticas públicas voltadas à segurança feita pelo presidente colombiano Juan Manoel Santos. “Isso vem gerando impactos favoráveis, embora existam ainda áreas de riscos e sem controle, a situação está mais controlada”, disse.


ta de refúgio Deslocamento forçado do país

Cerca de 118 imigrantes colombianos usaram Manaus como rota de fuga dos ataques no país JOEL ROSA

Colombiano encontrou em Manaus o refúgio contra os ataques das Farc colombianas

As Farc financiam sua luta à custa do sequestro de civis. Cerca de 3 mil resgates são pagos anualmente às guerrilhas e paramilitares. A violência já matou cerca de 30 mil pessoas desde os anos 60 e tem forçado maciços deslocamentos internos, como ocorreu com Maria Velásquez, 32, que após ter percorrido quase todos os departamentos da Colômbia, resolveu pedir ajuda a polícia do seu país, mas foi em vão. A polícia colombiana informou que só poderia agir em caso de morte, sequestro e pessoa ferida. Ao procurar o Departamento de Segurança Nacional daquele país, também, não obteve muito apoio, pois o órgão não possuía infraestrutura para investigar. Por não suportar mais, ter que viver escondida, desde 2001, quando começaram as ameaças e extorsões, feita em nome de Carlos Castano, um dos fundadores da Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC), grupo paramilitar de extrema direita, desmobilizado em 2006, quando insurgiu diversos grupos no país, Maria foi até Bogotá, onde foi inserida ao Programa de Proteção à Testemunha do governo colombiano. “As falhas no sistema judiciário colombiano são os motivos que inibem as denúncias”, ressaltou a colombiana. Nos anos que antecederam a ida de Maria Velásquez a Letícia (cidade escolhida por ela no programa de proteção), pequenos vilarejos abrigaram a vendedora de livros, chamada de mensageira a fugir do seu país. Yopal, capital do Departamento de Casanare, Caucásia (Antioquia) e a úl-

tima, Cartagena (Bolívar), em 2008, foi o local onde sua filha seria sequestrada. “Eles me ligavam altas horas da madrugada, me pediam a “vacina” uma espécie de dízimo, mas nunca repassei nada a eles. Após meses os paramilitares me deram o prazo de 48 horas para eu deixar a cidade, foi quando decidi deixar tudo para trás. Tive um prejuízo de R$ 50 mil e certo dia eles tentaram sequestrar minha filha de 9 anos, mas não conseguiram. Acho que foi Deus quem me ajudou”. Após peregrinar por quase todo país, Velásquez foi parar em Letícia com ajuda do governo, mas não demorou muito para que os paramilitares começassem a se mobilizar por lá. “Sofri por quase uma década e frequentemente ouvia ameaças de que caso não pagasse um “traspaso” (transferência) do meu carro iria ter a casa invadida. Ameaçavam me dizendo que o lugar de uma pessoa valente é no cemitério”, relatou Velásquez. Em fevereiro de 2011, Velásquez e as três filhas encontraram apoio na Igreja Católica em Tabatinga, que as encaminhou a Cáritas Arquidiocesana de Manaus e, posteriormente, ao Departamento da Polícia Federal do Amazonas. O marido de Velásquez, Rosário Lopes, hoje com 39, ficou para trás, ela sabe bem pouco sobre o paradeiro dele. Em Manaus, ela e as filhas encontraram a paz tão sonhada, mesmo assim, ela teme pela proximidade da capital amazonense com a Colômbia. *Os nomes foram trocados a pedido dos entrevistados

C5 FOTOS:JESUS CARLOS/AE

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012


C6

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Cidade Universitária vai começar a sair do papel A CGL anunciou que os consórcios TCL Associados e Architec foram classificados para elaborar o plano e o projeto da UEA ALEXOPAZZUELO/AGECOM

LUCAS PRATA Equipe EM TEMPO

O

s primeiros passos para a construção da Cidade Universitária, no município de Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus), idealizada pelo governador Omar Aziz, começam a ser dados. No último dia 9, a Comissão Geral de Licitação (CGL) divulgou as duas empresas que foram classificadas para a elaboração do Plano Diretor Urbano e o Projeto Básico Avançado de Implantação da nova sede da universidade. Segundo a CGL, os consórcios TCL Associados e Architec foram aprovados para a fase final de seleção. Ambas apresentaram propostas conforme os requisitos técnicos e o valor estimado pelo governo para o projeto, da ordem de R$ 9,154 milhões. A divulgação do consórcio vencedor será feita no próximo dia 16, quando se encerra o prazo junto à CGL. De acordo com o governador do Estado, Omar Aziz, o projeto vai dar um salto importante na educação. Por meio do conhecimento, o Estado se desenvolverá ainda mais. “Todo

mundo sabe da importância que a Universidade do Estado do Amazonas tem para o futuro da nossa região. Esse é um projeto que consolida definitivamente essa universidade. É um sonho que vai se tornar realidade, vamos fazer a universidade mais bela do Brasil”, destaca o governador. A Secretaria de Estado de Políticas Fundiárias (SPF), já iniciou o levantamento técnico para o empreendimento. O projeto envolve uma área de 1,5 mil hectares no município de Iranduba. Os engenheiros do órgão já estão pesquisando o número de famílias, fazendo a medição das propriedades e avaliando áreas para serem desapropriadas. Elas vão ser avaliadas individualmente para o pagamento das indenizações. A partir das informações, será elaborado o projeto para a construção do empreendimento. A Cidade Universitária vai comportar todas as unidades da UEA da capital e dos municípios da Região Metropolitana de Manaus, com alojamento para comportar 2 mil alunos e um hospital universitário com 200 leitos, restaurantes, biblioteca e laboratórios de pesquisa.

O governador Omar Aziz diz que a Cidade Universitária consolida definitivamente a Universidade do Estado do Amazonas

Centro de ensino mais importante do Brasil O reitor da Universidade do Estado do Amazonas, José Aldemir de Oliveira afirmou que o novo projeto, idealizado pelo governo do Estado, vai se consolidar como uma das instituições de ensino mais importantes do Brasil.

“A educação para o ensino superior vai melhorar muito com essa nova estrutura. Isso vai melhorar a qualidade de pesquisa. Hoje a UEA oferece 62 cursos em diversas áreas, que podem ser ampliadas, por meio de

uma discussão com a sociedade. Outro ponto positivo é que vamos poder concentrar as atividades em um só lugar”, ressalta. No projeto está prevista a construção de um hospital universitário, onde os

estudantes da área de saúde (medicina, odontologia e enfermagem) terão aulas teóricas e práticas, além da ampliação do parque tecnológico e reforço nos investimentos em pesquisa e inovação.


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

C7

Rotas do Distrito estão na mira de assaltantes Os “arrastões” praticados por quadrilhas nos coletivos, em média cinco por semana, estão amedrontando trabalhadores

ARQUIVOEMTEMPO/RAPHAELALVES

NILSON BELÉM Equipe EM TEMPO

U

m novo tipo de ocorrência vem deixando temerosos passageiros e motoristas de ônibus e microônibus que fazem o transporte especial de funcionários de empresas do Polo industrial de Manaus (PIM). São os ataques praticados por quadrilhas que fazem “arrastão” nos coletivos e amedrontam os funcionários. De acordo com a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores das Empresas de Transportes Especiais, Turismo e Locação (Sindespecial), Benjamin Andrade, em média são registradas cinco ocorrências do gênero por semana. Andrade afirma que os bandidos agem escolhendo horários e locais específicos para suas investidas. Os assaltos e “arrastões” estão ocorrendo com mais frequência nos bairros como Jorge Teixeira, João Paulo II e Valparaíso, todos na Zona Leste. Os ataques ocorrem na saída do segundo turno, à meia-noite e 2h, ou então no horário entrada do terceiro turno às 21h. Segundo motoristas, a estratégia dos assaltantes é colocar barricadas e, no momento que o ônibus passa, é obrigado a parar e começa o assalto. “O motorista tem que reduzir o coletivo e nessa hora que os bandidos aparecem, apontam as armas e o motorista tem mesmo que parar, se não

acaba morto”, afirma o empresário Francisco Vieira, ao explicar que as condições das vias nesses bairros, a maioria delas esburacada, facilita as ações dos bandidos. Francisco Vieira garante que, armados, os bandidos agem com violência, ameaçando e agredindo as vítimas e roubando dinheiro, celulares, joias e outros objetos dos passageiros. É o que aconteceu com o

É preciso contar com a sorte no trajeto O presidente do Sindespecial, Benjamin Andrade, afirma que sistema de microônibus de transporte especial é essencial para a economia e setor produtivo do PIM. Segundo ele, diariamente os ônibus e micro-ônibus das

250 empresas que atuam no setor, transportam uma média de 100 mil trabalhadores para as indústrias. “Mesmo com o medo e o temor não tem como parar, pois as empresas dependem desses funcionários”, afirma.

O comandante do Policiamento Metropolitano (COM), coronel George Chaves, disse que tomou conhecimento das ocorrências dos “arrastões” feitos aos micro-ônibus pelo EM TEMPO e prometeu tomar providências.

Ele garantiu que vai pedir ao Comando de Policiamento da Área Leste, que realize operações constantes para inibir as ações dos bandidos nos horários e locais denunciados pela direção do Sindespecial. DIEGO JATANÃ/FREELANCER

“Está ocorrendo uma onda de medo, porque os funcionários e motoristas dos ônibus já foram atacados. O pior está para acontecer Francisco Vieira empresário

motorista Sérgio Ramos, 31, que ficou só de cueca durante um assalto a um ônibus que fazia linha para uma empresa de eletroeletrônico. A ação ocorreu na semana passada no bairro Valparaíso. “Está ocorrendo uma onda de medo porque os funcionários e motoristas dos ônibus já foram atacados. E pior está para acontecer, se não garantirem a segurança para a categoria”, diz o empresário Francisco Vieira. “Já teve um caso em que um motorista foi baleado”, afirma.

O empresário Francisco Vieira diz que as péssimas condições das vias do Distrito Industrial facilitam as ações dos bandidos


C8

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 19 DE FEVEREIRO DE 2012


Caderno D

Plateia plateia@emtempo.com.br

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

DIVULGAÇÃO

Entrevista com Sebastião Júnior Plateia D5

(92) 3090-1042

DIVULGAÇÃO

UNIÃO do clássico e do contemporâneo

A Pré-Bienal, evento que será realizado de 30 de março a 30 de maio, no Centro Cultural dos Povos da Amazônia contará com obras de amazonenses

A

Pré-Bienal, que promete movimentar o mundo das artes plásticas do Estado no período de 30 de março a 30 de maio, no Centro Cultural Povos da Amazônia (CCPA), contará com um “time” de artistas formado por Arnaldo Garcez, Buy e Helen Rossy, Claudson Motta, Cristóvão Coutinho, Eli Bacelar, Evanil Maciel, Francimar Barbosa, Jair Jacqmont, Jandr Reis, Mário de Paula, Moacir Andrade, Nelson Falcão, Noleto, Otoni Mesquita, Rui Machado, Sebastião Alves, Sérgio Cardoso, Zeca Nazaré, Ligia Barros, Paulo César, Paulo Olivença, Erre Nascimento, além de grafiteiros convidados. O evento, realizado pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC), é uma prévia da Bienal programada para acontecer ano que vem. A curadoria leva assinatura de Cléia Viana e contará, ainda, com acervos do já anunciado Di Cavalcanti, Hahnemann Bacelar e do paisagista Roberto Burle Marx. Robério Braga, secretário de Cultura do Estado, explica que a iniciativa terá a participação dos artistas plásticos brasileiros mais clássicos como Di Cavalcanti, assim como os mais tradicionais do Amazonas como Sérgio Cardoso, Zeca Nazaré e Jair Jacqmont, por exemplo - e os contemporâneos, incluindo grafiteiros. “Essa é a primeira grande exposição do Estado, que terá a participação de nomes de destaque da arte contemporânea, que exporão juntamente com artistas de outra linguagem artística”, enfatiza. Artistas Participarão da pré-Bienal seis grafiteiros - Áudio, Raiz, Ysi, Caos, Arab e Boxe – que já tiveram trabalhos expostos na Galeria do Largo. Arab antecipa que o material preparado

para o evento será na verdade uma pintura artística, baseado no grafite, pois a partir do momento que sai das ruas e é colocado em uma galeria, não pode ser definido como grafite. Ele destaca, ainda, que os grafiteiros participarem do evento é parte do processo que está se desenvolvendo há alguns anos. “É um caminho que estamos construindo e agora está dando frutos. Espero que de agora em diante seja algo comum. Isso prova, na verdade, que podemos levar nosso trabalho longe, independe do preconceito das pessoas”, conclui. O secretário reforça que a principal proposta do projeto é impulsionar o interesse dos artistas locais para a bienal

Manaus, na visão de seus “filhos artistas” Sobre o que apresentará na pré-bienal, Turenko antecipa que fará uma instalação composta por dois painéis e uma escultura. Ele diz que o trabalho ainda não tem nome, pois está estudando uma série de possibilidades. Sobre o que será a instalação, adianta que é meio complicado descrevê-la, mas explica que é voltado para o tema da

mostra que é Manaus. “Tem algo a ver com a cidade, com o rio, com os peixes e em como a cidade está de costas para o rio”. Sobre a realização do evento inédito em Manaus, Turenko analisa que é um ciclo que se fecha em relação aos grandes eventos de arte. “Fico feliz dele acontecer, porque a Bienal ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

promove a integração entre os artistas, o intercâmbio e amplia horizontes de quem faz arte”, completa. Outro participante do evento, também com uma instalação, é o artista plástico Jandr Reis. Ele explica que seu trabalho terá o nome “Despaisagem”. “A ideia é fazer uma espécie de mumificação da floresta. São

árvores trabalhadas com ataduras e gases como se fossem múmias”, diz. Na opinião de Reis, a bienal deverá ser um marco na história da cidade e todos ganharão. “Estou muito feliz em participar e isso é um incentivo para os artistas produzirem ainda mais obras. Trabalharei bastante para estar presente na Bienal”. GIOVANNA CONSENTINI

DETALHES

A mostra de arte, realizado pela Secretaria de Cultura de Estado (SEC), acontecerá do dia 30 de março a 30 de maio, no Centro Cultural Povos da Amazônia (CCPA) com entrada gratuita do ano que vem e estabelecer marco estético e técnico para as artes plásticas. “Queremos ver o que acontecerá por causa da transformação feita pela internet”, avalia. Ele completa que a proposta é que seja uma exposição contemporânea. Na opinião de Turenko Bessa, um dos artistas selecionados para a pré-bienal, a participação dos grafiteiros é muito boa. Para ele, o contraste dos trabalhos é ótimo, pois haverá alguém do modernismo, o Di Cavalcanti, outro do movimento Tropicalista, Hahnemann Bacelar, e os grafiteiros, com a contemporaneidade. “O discurso artístico acaba sendo o mesmo de todos. Quem fala melhor das ruas do que os grafiteiros?”, questiona.

MARCELL MOTA/ARQUIVO EM TEMPO

CHRIS REIS Equipe EM TEMPO

Rui Machado, Moacir Andrade, Cristovão Coutinho e Turenko Bessa são alguns dos artistas confirmados para a pré-bienal


D2

Plateia

>> Camarote

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

FOTOS: MAURO SMITH

>> Vitrine

. Gusttavo Lima e César Menotti & Fabiano chegando, e Bete Dezembro com novas ideias.

Fernando Coelho Jr.

. A última deu como resultado o Camarote Stage Cia Athletica, uma parceria com a academia que movimentará mais ainda o espaço para o público VIP. Destaque para o open bar de uísque, vodca, chope Brahama, água e refrigerante até às 4h.

fernando.emtempo@hotmail.com - www.conteudochic.com.br

>> Coquetel

. O governador Omar Aziz assegurou aos alunos da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), durante aula inaugural, na terça-feira, que ainda neste ano o governo do Estado inicia a construção da Cidade Universitária e inaugura uma unidade em Presidente Figueiredo, como parte do plano de expansão da instituição.

>> A rainha do humor de Fortaleza, Skolástica, é a atração do Teatro Direcional no próximo dia 17, às 21h.

. O fotógrafo Célio Said comemorou aniversário, sexta-feira à noite, com festa no Mon Plaisir.

>> Cidade Universitária

>> Supercumprimentado na sexta-feira, o empresário André Marinho Gesta, que aniversariava na data.

. Vários lounges e pistinha de dança, além de coquetel, animaram a turma presente. Noite descolada e cheia de charme. O top Diego Candelot, novo modelo da Em Visão Fashion

O aniversariante Célio Said

Paulo Ferreira e Mônica Gallate

Luiz Otávio e Ângela Bastos

>> A coleção da Corporeum, com peças inspiradas no leste asiático e nas cidades da Índia já estão disponíveis em Manaus, na All In Multistore, no Manauara Shopping. >> O Space Hotel dá o start no funcionamento no coração do Vieiralves, com tarifas competitivas daqui a duas semanas. O hotel é a nova aposta do Grupo Unipar.

. Boas novas! A Cidade Universitária será construída no município de Iranduba, dotada de alojamento com vagas para 2 mil alunos do interior do Estado. Omar Aziz reafirmou, também, que vai implantar mais dez núcleos da UEA no interior do Estado e que o primeiro a ser inaugurado deve ser em Presidente Figueiredo. . Os anúncios feitos pelo governador foram durante a abertura do ano letivo de 2012, quando Omar Aziz destacou ainda o uso da tecnologia para facilitar o acesso ao ensino superior e os serviços prestados pela instituição à comunidade, como o Núcleo de Atendimento Odontológico a Pacientes Especiais (Naope), inaugurado também na terça-feira.

>> Hoje, Cleide Catunda estreia idade nova e será cumprimentadíssima em evento no endereço do Condomínio Ephigênio Salles. Reunirá os amigos em festa pra lá de animada.

Waisser Botelho com um grupo de amigos italianos e os cariocas Leandro Sobral e Miguel Ferreira

>> Na próxima quarta-feira, as amigas se reúnem para orquestrar o chá de cozinha de Rebeca Lot, no casarão de Ana Paula Pinheiro.

. As meninas que estavam curiosas para saber qual foi o batom usado por Angelina Jolie no Oscar já têm a resposta, a revista “InStyle USA” descobriu. É o famosíssimo vermelho Russian Red da MAC. Gostaram? Anotem.

>> O Centro de Ensino Literatus (CEL) vai lançar, na próxima segunda-feira, o 6º Concurso de Artigos Acadêmicos da Educação Profissional, com o tema “Solidariedade e Cooperação: Juntos pela Saúde da Humanidade”.

Lúcia Viana

Murylo Rayol

>> Objeto de desejo . Essa é para anotar:

LANÇAMENTO REPRODUÇÃO

A artista acaba de lançar o álbum intitulado “How about I be me (and you be you?)”

Sinéad O’Connor lança novo CD O aviso, em tom de ameaça, do empresário de Sinéad O’Connor, pedindo que a entrevista com a cantora - que acaba de lançar o disco “How about I be me (and you be you)?” - “se limite à música, sem perguntas pessoais ou então ela será encerrada” parece estranho. Afinal, ele deve estar careca de saber que, desde que rasgou uma foto do papa João Paulo 2º, ao vivo, na televisão americana, em 1992, a trajetória da cantora tem sido marcada mais pelas suas controvertidas atitudes pessoais do que pela sua música. O novo disco traz letras que falam sobre viciados, relacionamentos fracassados, fama, sexo e religião. E no caso de Sinéad, é difícil separar ficção e realidade sabendo-se que ela teve problemas com drogas, passou por um conturbado divórcio

(o quarto) no começo do ano, mesmo período em que se internou em uma clínica para lutar contra a depressão e, segundo os tabloides ingleses, teria tentado o suicídio. “Esse disco representa

PROBLEMAS

A carreira de Sinéad tem sido marcada mais por escândalos do que pelo seu trabalho. Vide o episódio no qual a artista rasgou um foto do papa João Paulo 2º, ao vivo, na TV a busca por um foco depois de tudo o que aconteceu comigo nos últimos tempos e não foi segredo para ninguém”, diz ela. Classificado pelo jornal “The Guardian” como “cru

e apaixonante”, o novo disco traz uma faixa, “Take off your shoes”, na qual Sinéad mais uma vez se envolve com a religião. “Gostaria de poder conversar com o papa sobre essa música e tantos outros assuntos, inclusive pedofilia, mas só de falar disso já me vejo envolvida em confusão e não quero mais nada disso”. Produzido por seu ex-marido John Reynolds, “How about I be me (and you be you)?” traz nove outras faixas, entre elas, “Reason with me”, contada a partir do ponto de vista de um viciado em busca de redenção. Antes de se despedir, Sinéad faz um pedido estranho e inocente como ela mesmo às vezes parece ser: “Me faça um favor? Mande um abraço para todas as crianças de rua do Brasil”. Por Carlos Albuquerque


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

D3

ALBERTO CESAR ARAÚJO

Fotógrafos locais em foco Os profissionais Alberto César, Raphael Alves e Gedeon Santos Filho recebem no próximo dia 22 premios do concurso nacional “Leica-Fotografe”

GUSTAV CERVINKA Equipe EM TEMPO

O

resultado do 9º Concurso LeicaFotografe (parceria entre a marca de câmeras e da revista nacional especializada em de fotografia) apresenta três amazonenses em destaque. Entre eles, está o profissional e subeditor fotografia do EM TEMPO, Alberto César Araújo, que ficou em terceiro lugar na categoria Cor. A imagem de Alberto ganha como companhia entre as vencedoras outras fotografias dos conterrâneos Gedeon Santos Filho e Raphael Alves. A cerimônia de premiação acontece dia 22 de março, em São Paulo. Jornalista premiado com o Esso de Fotografia (2001), Dom Helder Câmara, da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e Associação dos Magistrados do Brasil (AMB), ambos em 2000, e Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas), em 2011, Alberto César atinge a terceira colocação no LeicaFotografe com uma imagem de uma menina lavando louças na porta de casa. “A foto foi feita no município de Eirunepé (a 1.152 quilômetros de Manaus), onde várias crianças brincavam na água contaminada do bairro Perpétuo Socorro, onde as casas ficaram alagadas durante a época das chuvas”, explica. Alberto conta que foi ao município para tentar mostrar as dificuldades e a capacidade de o amazônida se adaptar a situações adversas, como as cheias. “Crianças como esta menina brincam no meio das águas poluídas em toda a periferia da cidade. Segundo a Defesa Civil Municipal, 13 mil pessoas (mais de um terço da população de Eirunepé) sofreram com a enchente do rio Juruá. A prefeitura decretou estado de emergência e o ano letivo não pode começar na área rural”, relembra o fotojornalista.

F O TO S

Gedeon Santos Filho é empresário e profissional da fotografia. Neste concurso, conquistou destaque em quatro imagens de sua autoria, submetidas ao crivo da seleção. Duas de suas imagens em cor chegaram a ser finalistas, uma em preto e branco ganhou o segundo lugar e outra, também em “p&b”, recebeu menção honrosa no concurso.

O : GEDE

N

Menção honrosa em cores Ex-fotógrafo do EM TEMPO, Raphael Alves recebeu menção honrosa na categoria Cor, com uma imagem de crianças jogando bola. A composição da fotografia valoriza o reflexo dos meninos na água empoçada na área onde brincam. No mesmo concurso, o fotógrafo foi finalista nas edições de 2011 (em cor) e 2010 (em cor e preto e branco). Raphael é jornalista e, atualmente, faz mestrado em fotojornalismo e fotodocumenta-

PALESTRA

ARQUIVO EM TEMPO/RAFAEL ALVES

Na ocasião da premiação, em São Paulo, haverá uma palestra do fotógrafo norteamericano, Constantine Manos, premiado, entre outras coisas, com uma medalha de excelência Leica A imagem de Gedon premiada em segundo lugar apresenta casal de meninos e um cachorro na canoa. “Eu estava voltando para casa e resolvi parar para observar os movimentos dos barcos, no rio Negro. Então, observei os adolescentes com o seu cachorro embarcando. Me chamou a atenção o fato do cachorro ficar equilibrado no centro da embarcação. Mas, por algum motivo, pensei “esse cachorro ainda vai dar problema”. Eu estava com a câmera preparada quando o cachorro perdeu o equilíbrio, caiu no rio e quase virou o barco. Aproveitei a dúvida do cão. Mas a história não terminou por aí, pois o garoto logo em seguida tirou a camisa, saltou no rio, resgatou o cão e ambos retornaram a salvo para o barco”, lembra Gedeon.

rismo, pela Universidade de Artes de Londres. Segundo o editor da revista “Fotografe”, Sérgio Branco, na ocasião da premiação dos vencedores, em São Paulo, haverá uma palestra do fotógrafo norte-americano, Constantine Manos, premiado, entre outras coisas, com uma medalha de excelência Leica. “Esquire”, “Life” e “Look” são algumas das revistas entre as diversas publicações que já contaram com seus olhares.

A fotografia de Raphael Alves recebeu menção honrosa

A força da cultura nipônica A fotografia, em preto e branco, que recebeu menção honrosa, apresenta um homem de descendência oriental, gritando. “Após uma tsunami atingir o Japão há quase um ano (em 11/3/2011) e destruir a cidade de Fukushima, a comunidade japonesa de Manaus organizou o evento “Força Japão” para arrecadar recursos para as vítimas do desastre. Fui dar minha contribuição ao evento e levei a minha câmera. Uma das atrações do evento foram os traAs fotos acima são do amazonense Gedeon Santos Filho e foram destacadas pela curadoria do concurso nacional

dicionais taiko (tambores japoneses)”, disse o Gedeon Santos Filho. “Durante a apresentação, resolvi concentrar-me em um músico em particular, pois observei que ele estava tocando com extrema paixão. Ao final da apresentação, imediatamente após a última batida de tambor, o músico liberou com um grito ritual toda a sua emoção contida, provavelmente extravasando a angústia e dor da grande tragédia. Esse foi o momento do clique”, completou.


D4

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

RODRIGO BRESSANE/DIVULGAÇÃO

DVD E CD

Registro de show por si só prende a atenção Existe uma vertente de DVD com a qual você já deve ter se deparado alguma vez: ele funciona como uma espécie de item de design de interiores de apartamento chique. Rodado em televisores gigantes de tela plana, cumpre ali sua figuração atenuante, dá um colorido na noite e ajuda a evitar certos silêncios constrangedores de festinhas particulares.

A dupla César Menotti & Fabiano é uma das atrações musicais mais aguardadas deste primeiro semestre de 2012

Mais próximo do artista, em espaços diferenciados

Grava em “casa” “Nação Zumbi no Recife”, primeiro registro audiovisual da banda em sua “casa”, não faz este tipo. Onde quer que você o execute, rapidamente ele irá cobrar sua atenção, seja pelo peso da música

ou até pela “imperfeição” do material. Não há cenário. É banda no palco e público no chão, apenas. E luz, muita luz. Câmeras flutuam com um objetivo definido: busca transmitir o impacto do som naquela maré de fãs amontoados e em êxtase. Pulam, abraçam bandeiras, levantam faixas com mensagens para seus ídolos, reagem a cada solo vertiginoso de Lúcio Maia. Uma conclusão parece óbvia: é um show de rock. A outra, um pouco mais sutil, revela o DNA de uma banda que fica melhor a cada disco: o groove é o que comanda as ações, ora pulsante, ora malemolente. REPRODUÇÃO

Quem for conferir o show da dupla sertaneja César Menotti & Fabiano e do cantor Gusttavo Lima, poderá ficar perto dos cantores de sucesso nacional

O

público terá opção dos espaços mais variados no show de Gusttavo Lima e César Menotti & Fabiano, que acontecerá sábado, às 22h, no sambódromo, com produção da Fábrica de Eventos. Da pista a um camarote dentro do palco do evento, tudo foi preparado para dar a maior segurança e conforto aos fãs do sertanejo. A maior novidade, sem dúvida, é a parceria com a Cia Athletica responsável pelo Camarote Stage Cia Athletica. Tudo de primeira com serviços especiais, a grande estrutura com atrações à parte permitirá “A festa dentro da festa”. O camarote vai contar com um ambiente todo decorado pela DHP&MP Promotion, além de bebida liberada até as 4h – que inclui uísque, vodca, chope Brahma, água e refrigerante -, acesso diferenciado, banheiros disponíveis, tudo para transformar a festa sertaneja na mais inesquecível da temporada. Os alunos da Cia Athletica terão 20% de desconto no

Camarote Stage. Seja na academia, localizada no Manauara Shopping ou na avenida Rodrigo Otávio, os ingressos custarão R$ 200 (meia) e R$ 400 (inteira). Para quem não é aluno da Cia Athletica, os custos continuam a R$ 250 (meia) e R$ 500

PARCERIA

Um dos espaços que promete fazer sucesso no show da dupla César Menotti & Fabiano e do cantor Gusttavo Lima é o que leva assinatura da academia Cia Athletica, em parceria com a Fábrica (inteira), mas também parcelados em duas vezes no cartão. No camarote haverá ainda as mais deliciosas guloseimas da cozinha do Kurokawa. VIP e pista Ficar bem perto do artista, cara a cara com eles, é uma

vantagem do espaço. Com entrada diferenciada ao lado do sambódromo, a Mega Área VIP terá bares e banheiros exclusivos. Quem quiser garantir essa mamata, já está no segundo lote a R$ 180 (meia) e a R$ 360 (inteira). Na Mega Área VIP, a bebida também é liberada para caipirinha, caipirosca, chope Brahma, água e refrigerante até as 3h. Quanto à pista, o agito também terá 400 seguranças exclusivos, além de banheiros químicos distribuídos por todo o espaço do Centro de Convenções. Os ingressos de pista já estão no segundo lote, vendidos a R$ 40 (meia) e R$ 80 (inteira). Camarotes normais já estão esgotados. Mas ainda dá tempo de correr e garantir vaga no show sertanejo de março, nas lojas Ótica Veja, Mika’s Chopp, Arco Íris Surf Wear (Plaza Shopping), Pelica, Picanha’s Burger (avenida Djalma Batista, Chapada) e ainda estande da Fábrica de Eventos, no segundo piso do Amazonas Shopping.

A banda registrou o show realizado em Recife

SERVIÇO CÉSAR MENOTTI & FABIANO E GUSTTAVO LIMA Quando: Dia 17 de março Onde: Sambódromo Quanto: R$ 40 (pista/ meia-entrada) e R$ 80 (inteira). Camarote a R$ 120 (meia-entrada limitada) e R$ 240 (inteira) e 2 vezes no cartão. R$ 150 (Mega Área VIP/meiaentrada) e R$ 300 (Mega Área VIP/inteira) em 2 vezes no cartão. R$ 250 (Mega Camarote Stage/ meia-entrada) e R$ 500 (inteira) em 2 vezes no cartão, à venda nas Óticas Veja, no Mika’s Chopp, Arco Íris Surf Wear, Pelica e Picanha’s Burger.

‘Bandido do amor’ está no novo repertório A dupla mais simpática do cenário sertanejo, César Menotti & Fabiano, chega a Manaus no dia do show, ancorada pelo hit “Maluco por você”, mas apresentando a novíssima “Bandido do amor”,

lançamento quentinho deste mês. Na verdade, a música foi cantada pela primeira vez no Orkut, ao vivo. Novidades Com CD novo e mais para

DIVULGAÇÃO

cima do que nunca, a dupla se une ainda a Gusttavo Lima para fazer o primeiro show sertanejo do ano em Manaus. Para isso, eles irão deixar o público louco com mais 20 hits no repertó-

rio. Na verdade, os irmãos César Menotti & Fabiano prometem um show dançante, apaixonante e cheio de sucessos que estão na boca do público, como “Ciumenta”.

Du Peixe comanda vocais À frente do microfone, Jorge Du Peixe evita excessos, não se deixa contaminar pelo clima de “jogo ganho”. Canta cada uma das 15 músicas com sobriedade. Sabe que a Nação não é um trio elétrico. Em jogo está uma história de vinte anos, que vai dos riffs politizados de Chico Science à psicodelia melancólica com tempero pop de “Fome de tudo”. Ainda que os hits de antigamente façam barulho necessário, com direito a “Maracatu atômico” (Jorge Mautner e Nelson Jacobina) em levada bossa, são as composições mais atuais que valorizam a versatilidade do grupo. Num curto espaço de tempo, você cerra os dentes com a pedrada “Hoje, amanhã e depois”, e relaxa com a hipnotizante “Inferno”. Ainda mais impressionante é a soturna “Infeste”. No palco, o octeto recebe as participações de Siba e a Fuloresta (“Trincheira da fuloresta”), Fred Zero Quatro

(“Rios, pontes e Overdrives”) - de longe, a melhor delas -, Arnaldo Antunes (“Antene-se”) e o trio do Paralamas do Sucesso, escalado para encerrar o show de um pouco mais de uma hora com a sempre empolgante “Manguetown”. Para os afeitos aos extras, a banda reserva um documentário que mescla bastidores, shows dos últimos dois álbuns, imagens de arquivo e uma breve incursão por Recife. Os quatro protagonistas, Lucio, Jorge, Dengue e Pupillo, são vistos à distância, diferente da abordagem mais direta com os percussionistas. Sem luxo, sem efeitos pirotécnicos, com exceção de um cidadão que cospe fogo ao acaso no meio da plateia, a Nação Zumbi demonstra a mais completa falta de pretensão: está ali para celebrar com seus conterrâneos. É difícil não se contagiar. Por Bomfim

Emanuel

CRIATIVIDADE

Concurso cultural nas Olimpíadas

As inscrições podem ser realizadas no site do McDonald’s

Já estão abertas as inscrições para o concurso cultural “Viver o espírito olímpico” que levará cinco participantes, com idades entre 8 e 14 anos, para curtir os Jogos Olímpicos em Londres. Para participar, é preciso acessar o hotsite www.mcdonalds. com.br/jogosolimpicos e incluir um trabalho criativo em vídeo, desenho, foto ou texto - sobre o tema “Eu vou curtir os Jogos Olímpicos de

um jeito único: em Londres com os atletas” até o dia 17 de maio. Patrocinador oficial dos Jogos Olímpicos até 2020, o McDonald’s iniciou a ativação do concurso no dia 9 de fevereiro em todos os restaurantes da rede, com anfitriões fazendo a pré-inscrição por meio dos pais ou responsáveis. Agora, os pré-inscritos, e também os novos interessados, já podem encaminhar

seus trabalhos para o hotsite do concurso. Votação O público pode votar em seus trabalhos favoritos até 23 de maio. Os 100 mais votados serão anunciados em 24 de maio e receberão, cada, um kit exclusivo McDonald’s. Entre estes, o campeão mundial de Natação e jurado do concurso cultural, Fernando Scherer, o Xuxa, apontará os

cinco vencedores que viajarão para Londres, com um responsável. Os felizardos serão conhecidos pelo público no dia 30 de maio. Além de patrocinador, o McDonald’s será o restaurante oficial dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e terá o maior espaço da rede no mundo, com mais de 3 mil metros quadrados, design inovador e mobiliário feito a partir de materiais recicláveis.


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

D5 DIVULGAÇÃO

Sebastião JÚNIOR

‘SOU fã do David ASSAYAG’

DIVULGAÇÃO

CHRIS REIS Equipe EM TEMPO

A

Eu ganhei (a camisa) de presente do Rivaldo (Pereira, presidente do Movimento Amigos do Garantido) e usei porque, sinceramente, não percebi nada de mais. Até porque não é da minha índole fazer xaveco e intriga”

o longo de toda a semana, o cantor Sebastião Júnior, levantador oficial do boi-bumbá Garantido, virou alvo de polêmica nas redes sociais após fazer uma apresentação, no domingo passado, com uma camisa com seguinte mensagem: “Eu canto, danço e venço. Só o contrário que não vê”. A frase foi interpretada, inclusive por torcedores do vermelho e branco, como uma “alfinetada” ao levantador do Caprichoso, David Assayag, que é deficiente visual. Em entrevista exclusiva ao EM TEMPO, ele explica o ocorrido.

EM TEMPO - Você imaginou que daria essa repercussão? Sebastião Júnior - Eu ganhei de presente do Rivaldo (Pereira, presidente do Movimento Amigos do Garantido) e usei porque, sinceramente, não percebi nada demais. Até porque não é da minha índole fazer xaveco e intriga. Essa minha forma de pensar aprendi com minha mãe, que foi minha professora e me en-

sinou a respeitar as pessoas e ser educado, Tento, inclusive, passar para meus dois filhos. Jamais atingiria alguém usando a questão da deficiência. Peço desculpas se pareceu que foi isso. Na minha interpretação, a camisa fazia referência ao fato de que mesmo eu cantando, dançando e vencendo, os contrários não querem ver meu talento. EM TEMPO - Ainda vai usar a camisa? SJ – Não vou usar porque depois é que percebi que as pessoas podem levar para outro lado. É triste ver a apelação sobre a situação e pessoas querendo me transformar em algo que não sou, um preconceituoso. Nunca me verão fazendo sarcasmos, em redes sociais e em lugar algum. EM TEMPO - Além da camisa, durante o show do domingo passado você disse no palco que o Festival Folclórico de Parintins está dividido em antes e depois de Sebastião Júnior, por cantar e dançar na Arena... SJ – Veja bem, me referi à apresentação do item levantador. Antes, a apre-

FESTIVAL

Inscrições até o próximo dia 19 Estão abertas as inscrições para a programação acadêmica da primeira edição do Festival Amazonas Rock – Grito Rock 2012, coordenado pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC), realizado em parceria com o Fórum Permanente da Música no Amazonas. Profissionais do rock, estudantes e interessados podem realizar, gratuitamente, suas inscrições no Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro até o dia 19 de março. Para obter mais informações, os interessados devem dirigir-se ao Cláudio Santoro – Bloco F do sambódromo, setor de formação cultural e eventos – de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h, ou por meio dos emails: fc.liceu@hotmail.com, fc.liceu@culturamazonas. am.gov.br, ou pelo telefone (92) 3232-2440. O festival terá também shows no Teatro Amazonas e largo Mestre Chico.

Grito Rock - Programação Oficina: Elaboração de Projetos Instrutora: Valéria Cordeiro Período: 19, 20 e 21.3.12 (segunda/terça/quarta), das 14h às 16h Local: Sala de cinema do Centro Cultural Palácio da Justiça Carga horária: 6 horas Número de vagas: 60 Workshop: Gestão de Carreira (seguido de um show) Instrutor: Anderson Foca / Ana Moreno (Camarones Orquestra Guitarrística) Data: 22.3.11 (qui) Local: Teatro da Instalação Carga horária: 2 horas Número de vagas: 60 Oficina: Produção Executiva para Eventos Culturais Instrutora: Cláudia Schulz Data: 20.3.12 (terça) Local: Museu Casa Eduardo Ribeiro Carga horária: 2 horas Número de vagas: 30 Painel: Novo Mercado da Música Instrutor: Talles Lopes Data: 19.3.12 (seg) Local: Museu Casa Eduardo Ribeiro Carga horária: 2 horas Número de vagas: 30

sentação era bem diferente, com o antigo levantador. Mas meu estilo é outro, gosto de interagir com o público durante a apresentação, e é sobre isso que me refiro. EM TEMPO - O Arlindo Júnior (ex-apresentador do Boi Caprichoso) já tinha uma performance ativa na arena, o próprio David Assayag em entrevista ao EM TEMPO, relembrou isso... SJ – Existe uma grande diferença entre o que ele fazia e o que faço. O Arlindo cantava e interagia com a galera, mas não me lembro do dele ter interagido com uma lenda (interpretando e dançando), como fiz com a lenda do boto (no ano passado). O festival é uma grande ópera e, na minha opinião, essa forma de apresentação chama atenção dos jurados. EM TEMPO - Se desculparia de David? SJ – Sou fã do David, que é um excelente cantor e tem uma carreira maravilhosa. Sempre admirei o trabalho dele e jamais irei desrespeitálo profissional ou moralmente. Estou construindo a minha

carreira agora. Só é o meu terceiro ano como levantador e ele tem 15 anos na minha frente. Vou respeitá-lo, mas também peço que me respeite como cantor. O dom que Deus deu a ele é único, assim como é o meu, que ainda estou lapidando. EM TEMPO - Qual a sua avaliação dos dois anos como levantador? SJ – Depois do resultado de 2011, a galera passou a confiar mais em mim. Penso que me tornei levantador do Garantido porque Deus quis, ele me colocou na hora e no lugar certo. É gratificante ser reconhecido como artista e participar de eventos defendendo, não apenas o nome do boi, mas do Amazonas. Estar no Garantido é realizar um sonho. EM TEMPO - Quais seus projetos profissionais fora do boi-bumbá? SJ – Apesar de ter tanto tempo de carreira (13 anos), não tenho nenhum CD e estou preparando um disco que deve ser lançado em outubro, mas ainda está na fase a préprodução. Será um trabalho com composições próprias. Será algo lançado em nível de Brasil.

Sou fã do David, que é um excelente cantor e tem uma carreira maravilhosa. Sempre admirei o trabalho dele e jamais irei desrespeitá-lo profissional ou moralmente.Só é o meu terceiro ano como levantador e ele tem 15 anos na minha frente. Vou respeitálo, mas também peço que me respeite como cantor.”


D6

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

Programação de TV SBT 04h00 – Aventura Selvagem – reprise 05h00 – Pesca Alternativa 06h00 – A Grande Ideia 06h30 – VRUM 07h00 – PGM Manazinha 07h30 – Programa Expressão (Local) 08h00 – Sorteio Amazonas dá Sorte (Local) 09h00 – Domingo Legal 13h00 – Eliana 17h00 – Roda a Roda Jequiti 17h40 – Sorteio da Telesena 17h45 – Programa Sílvio Santos 22h00 – De Frente com Gabi 23h00 – Série: O Mentalista / The Mentalist 00h00 – Série: Divisão Criminal / The Closer 01h00 – Série: Os Esquecidos 02h00 – Encerramento da Programação

GLOBO 03h42 – Santa Missa em Seu Lar 04h43 – Sagrado: Compacto – Felicidade 04h54 – Amazônia Rural 05h24 – Pequenas Empresas – Grandes Negócios 05h57 – Globo Rural 06h54 – Auto Esporte 07h30 – Esporte Espetacular (Triatlo Rápido Espetacular) 10h30 – Esquenta 11h48 – Temperatura Máxima. Filme: Bee Movie – A História de Uma Abelha 13h31 – Domingão do Faustão I 15h00 – Futebol 2011: Campeonato Carioca – Flamengo x Nova Iguaçu 17h00 – Domingão do Faustão II 18h45 – Fantástico 21h06 – Big Brother Brasil 21h52 – Domingo Maior. Filme: O Negociador 00h20 – Flash Big Brother Brasil 00h25 – Obrigado Senhor 00h30 – Hino Nacional 00h35 – Encerramento Previsto (Manutenção Mensal)

Horóscopo GREGÓRIO QUEIROZ

RECORD 04h30 – Desenhos Bíblicos 06h20 – Todo Mundo Odeia o Chris – HD 08h00 – Amazonas dá Sorte – bingo - local 09h00 – Record Kids – local 10h30 – Tudo é Possível – PGM 340 14h30 – Programa do Gugu – PGM 129 18h30 – Domingo Espetacular – PGM 407 21h15 – Repórter Record 22h00 – Amazônia – PGM 006 - HD 22h30 – Série: Aprontando na Índia 23h00 – Programação IURD

REDE TV 05h30 – Igreja Internacional da Graça – local 09h15 – Programa Viva Amazônia – local 09h45 – Break Obrigatório 09h50 – Campeonato Italiano – Inter x Novara

12h00 – Igreja Internacional da Graça – local 13h00 – Programa Esporte Performance – local 14h00 – Programa Semeando Bênçãos – local 14h30 – Programa Amigos do Volante – local 15h00 – Break Obrigatório 15h05 – Programa Na Geral – local 15h35 – Programa Fé e Milagres – local 16h05 – Break Obrigatório 16h15 – Ritmo Brasil 16h45 – Belas na Rede 17h50 – O Último Passageiro 19h00 – Pânico na TV 21h30 – Dr. Hollywood 22h30 – É Notícia 23h30 – Bola na Rede 00h00 – Igreja Internacional da Graça – local

BAND 03h45 I 05h00 05h30 06h30

– Espaço Vida Vitoriosa – Sol Brilhante – Santa Missa – Fé na Verdade

07h30 – Conexão Cargas 08h30 – Brasil Caminhoneiro 09h00 – Infomercial 10h00 – Auto + 10h45 – Band Clássicos (HD) 11h15 – Band Esporte Clube (HD) 14h00 – Gol, o Grande Momento do Futebol (HD) 14h30 – Futebol – ao vivo (HD) – 17h00 – Terceiro Tempo 19h00 – Bones (HD) 20h00 – Prision Break (HD) 21h30 – Canal Livre (HD) 22h30 – Isto é Manaus 23h00 – Show Business (HD) 23h45 – Cine Band – Henrique V

TV CULTURA 03h55 – Abertura da Estação/ Hino Nacional 04h00 – Via Legal 04h30 – Brasil Eleitor 05h00 – Palavras de Vida 06h00 – Santa Missa 07h00 – Viola, Minha Viola 08h00 – Curta Criança 08h30 – Janela Janelinha

Cinema

09h00 – Escola Pra Cachorro 09h15 – Meu Amigãozão 09h30 – Turma do Pererê 10h00 – ABZ do Ziraldo 10h30 – Anima TV Tromba Trem 10h45 – Anima TV Carrapatos e Catapultas 11h00 – Turma do Pererê 11h30 – Catalendas 11h45 – Cocoricó 12h00 – Viva Memória – reprise – local 13h00 – Stadium 14h00 – O Planeta Azul 15h00 – Ver TV 16h00 – De Lá Pra Cá 16h30 – Cara e Coroa 17h00 – Papo de Mãe 18h00 – Conexão Roberto D’Ávila 19h00 – Filarmônica de Berlim 20h30 – Curta TV 21h00 – MPTV – Reprise – local 21h30 – Roda Viva Amazonas – Reprise – Local 22h30 – Lado – B – Local – Reprise 23h00 – Programa de Apoio 23h30 – Programa de Cinema

Cruzadinhas

PRÉ-ESTREIA

ÁRIES - 21/3 a 19/4 Seus gestos, ideias e atitudes foram equivocados e agora é tempo de revisar o que precisa ser aprimorado. Há coisas a serem melhor conversadas e, talvez, modificadas.

DIVULGAÇÃO

TOURO - 20/4 a 20/5 Se era difícil comunicar-se com as pessoas no trabalho e no cotidiano, agora você terá que ser mais cuidadoso. Certas atividades terão que ser retomadas desde o começo. GÊMEOS - 21/5 a 21/6 Momento propício para repensar seus projetos de longo prazo. Se os assuntos práticos parecem começar a se resolver, a direção da carreira e da vida está por ser revista. CÂNCER - 22/6 a 22/7 Mercúrio retrógrado indica começo de período em que terá que desconstruir e refazer situações, em especial no trabalho. Há mesmo coisas que mudam no meio do caminho. LEÃO - 23/7 a 22/8 Alguns pensamentos deverão ser repensados. As viagens, comunicações e relações cotidianas são prejudicadas. Dúvidas e questionamentos quanto à direção de vida. VIRGEM - 23/8 a 22/9 Os detalhes nos relacionamentos começam a lhe pegar de jeito, em especial nos assuntos financeiros. Seja menos displicente na lida com os compromissos. LIBRA - 23/9 a 22/10 A pressa prejudica a comunicação e o entendimento, ainda mais nas relações pessoais. É necessário aprimorar o modo de se comunicar em seus relacionamentos. ESCORPIÃO - 23/10 a 21/11 A rotina de trabalho começa a emperrar e muitas ações terão que ser revistas antes de trazerem algum resultado realmente produtivo. É tempo de reflexão no trabalho. SAGITÁRIO - 22/11 a 21/12 Você precisa repensar os sentimentos e desejos afetivos. Estes não poderiam mais se desorientar tão facilmente assim. Não adianta ter sentimentos fortes se não têm direção. CAPRICÓRNIO - 22/12 a 19/1 Mercúrio retrógrado é indicação de mudanças inesperadas nas relações afetivas e familiares. Período que requer cuidado, pois você pode não saber exatamente o que quer. AQUÁRIO - 20/1 a 18/2 Os pensamentos e ações complicam-se e se desorganizam bastante. Começa uma fase difícil para a rotina. Você terá que mudar alguns de seus hábitos de comunicação. PEIXES - 19/2 a 20/3 Começa um período difícil para os negócios, a lida financeira e a organização das posses materiais. Tanto hoje quanto nos próximos dias, redobre o cuidado nestes assuntos.

John Carter: entre dois mundos: EUA. 12 anos. John Carter é uma aventura de ação envolvente ambientada no misterioso e exótico planeta de Barsoom. O filme conta a história de John Carter, que é inexplicavelmente transportado para Marte onde se vê envolvido em um conflito de proporções épicas entre os habitantes do planeta, incluindo Tars Tarkas e a atraente Princesa Dejah Thoris. Cinemais Millennium 1 – 14h, 16h40, 19h20 (3D/ dublado/diariamente), 22h (3D/leg/diariamente); Cinemais Plaza 1 - 13h40, 16h20, 19h e 21h40 (3D/dub/diariamente) Playarte 1 – 13h, 15h40, 18h20 (3D/dub/diariamente), 21h (3D/leg/diariamente) e 23h40 (3D/leg/sex e sáb); Cinemark 1 – 13h50, 16h40, 19h30, 22h20 (dub/diariamente) e 11h10 (dub/ sáb e dom); Cinemark 6 – 21h (3D/leg/diariamente), 23h50 (3D/leg/ sex e sáb), 12h20, 15h20, 18h10 (3D/dub/diariamente); Cinemas Amazonas 6 - 15h20, 18h05, 20h50 (dub/diariamente). O pacto: EUA. 14 anos. O professor Will Gerard leva sua vida tranquilamente com a esposa Laura, até o dia em que ela foi atacada na rua e terminou gravemente feriada em um hospital. Mas o que ele nunca iria imaginar era que ao conhecer um homem misterioso, que ofereceu ajuda para encontrar o bandido responsável pelo crime e se vingar dele, passaria a se tornar alvo de uma cobrança descabida: matar alguém como forma de pagamento. Cinemais Millennium 8 – 14h40, 17h, 19h15,

21h30 (leg/diariamente); Cinemais Plaza 2 – 15h, 17h20h, 19h40, 21h50 (dub/diariamente); Playarte 3 – 13h30, 15h45, 18h, 20h15 (leg/diariamente), 22h30 (leg/sex e sáb); Cinemark 8 – 13h40, 16h, 18h30, 21h10 (dub/diariamente) e 11h20 (dub/ sáb e dom), 23h35 (dub/sex e sáb). W.E - O romance do século: EUA. 14 anos. Segundo longa dirigido pela cantora e atriz Madonna. Trata-se de um drama romântico focado em duas épocas. O rei Eduardo VIII (James D’Arcy), da Inglaterra, se apaixona pela americana divorciada Wallis Winthrop (Abbie Cornish). Paralelamente, décadas depois, uma mulher casada vive um caso de amor com um segurança russo. Cinemais Millennium 7 – 14h50, 17h10, 19h30, 21h50 (leg / diariamente); Playarte 7 – 13h50, 16h15, 18h40, 21h05 (leg/diariamente) e 23h30 (dub/sex e sáb). Giselle: UK. Livre. Um dos balés mais famosos no mundo ganha sua versão pelos bailarinos do The Royal Opera de Londres. O papel-título apresenta o poder transcendental do amor da mulher face à traição, sendo um dos papéis mais tecnicamente exigentes e emocionalmente desafiadores da dança clássica. A direção sutil de Peter Wright, emoldurada nos cenários atmosféricos de John Macfarlane, acentua os contrastes à medida que a história evolui entre o mundo humano e o sobrenatural. Cinemark 4 - 14h (somente sábado), 18h (Somente domingo) e 19h (somente terça-feira).

CONTINUAÇÕES Drive - 16 anos: Cinemark 3 – 14h10 (leg/ diariamente). Anjos da noite – O despertar - 16 anos: Cinemais Millennium 3 – 15h20, 19h40, 21h40 (3D/leg/diariamente), 17h30, 19h40 e 21h50 (leg/diariamente); Cinemais Plaza 7 – 14h50, 17h, 19h20, 21h20 (dub/diariamente); Cinemas Amazonas 4 – 17h, 21h (dub/diariamente); Playarte 1 – 12h30, 14h30, 16h30 (3D/dub/diariamente), 18h30, 20h30 (3D/leg/diariamente) e 22h30 (3D/leg/sex e sáb); Cinemark 7 – 13h, 15h10, 17h30, 19h40, 22h (3D/dub/diariamente), 11h (3D/dub/sáb e dom), 0h (3D/ dub/ sex e sáb). A saga molusco – anoitecer - 14 anos: Cinemais Millennium 5 – 15h, 17h15, 19h10, 21h20 (leg / diariamente); Cinemais Plaza 6 – 14h30, 16h40, 18h50, 21h (dub/diariamente); Cinemas Amazonas 4 – 15h, 19h (dub/ diariamente); Playarte 5 – 13h30, 15h20, 17h10, 19h, 20h50 (dub/diariamente) e 22h40 (dub/ sex e sáb); Cinemark 7 – 15h30, 20h, 22h10 (dub/diariamente).

Billi Pig - 12 anos: Cinemais Millennium 6 – 14h30, 16h30, 18h50, 21h (diariamente); Cinemais Plaza 4 – 14h45, 16h45, 19h15, 21h15 (diariamente); Playarte 10 – 13h, 15h10, 17h20, 19h30, 21h40 (diariamente) e 23h40 (sex e sáb); Cinemark 5 – 13h10, 17h50 (diariamente). O poder sem limites - 14 anos: Cinemais Millennium 2 – 15h10, 17h20, 19h25, 21h25 (leg/diariamente); Cinemais Plaza 8 – 15h30, 17h30, 19h50 e 22h (leg/diariamente); Cinemark 3 – 12h10, 18h50 (leg/diariamente). Motoqueiro Fantasma – espírito de vingança – 12 anos: Cinemais Plaza 3 – 14h40, 16h50, 19h10, 21h10 (dub/diariamente); Cinemas Amazonas 5 – 14h30, 16h40, 19h20, 21h20 (dub/diariamente); Playarte 8 – 14h, 16h, 20h10 (leg/diariamente) e 22h10 (leg/sex e sáb); Cinemark 3 – 16h30, 20h50 (dub/diariamente) e 23h10 (dub/ sex e sáb); Cinemark 4 – 12h, 14h20 (3D/dub/diariamente, menos sáb), 19h10 (3D/dub/diariamente, menos dom e ter).

A invenção de Hugo Cabret – Livre: Cinemais Millennium 3 – 17h (3D/dub/diariamente). Cada um tem a gêmea que merece – 10 anos: Cinemais Millennium 4 – 14h45, 16h50, 19h e 21h10 (leg/diariamente); Cinemais Plaza 5 – 15h10, 17h10, 19h30, 21h30 (dub/diariamente); Playarte 6 – 13h15, 15h15, 17h15, 19h15, 21h15 (dub/diariamente) e 23h15 (dub/ sex e sáb); Cinemark 2 – 12h50, 15h, 17h10, 19h20, 21h30 (dub/diariamente) e 23h40 (dub/ somente sex e sab). A dama de ferro – 12 anos: Playarte 9 – 15h10, 19h20 (leg/diariamente) e 23h40 (leg/sex esáb). A mulher de preto – 14 anos: Playarte 9 – 13h10, 17h20, 21h30 (leg/diariamente). Viagem 2: A ilha misteriosa – Livre: Playarte 4 – 12h45, 14h45, 16h45, 18h45, 20h45 (dub/diariamente) e 22h45 (dub/sex e sáb). O despertar – 14 anos: Playarte 8 – 18h (leg/diariamente).


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

::::: Parceria fashion

::::: Na mesa A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Amazonas dará início as suas atividades em 2012 com um jantar de lançamento de quatro grandes projetos direcionados aos associados, empresários, autoridades, classe política e a imprensa amazonense. O evento acontece no próximo dia 13, às 20h, na Beer Dance. Ao todo serão quatro lançamentos: o Guia Gastronômico Abrasel 2012; a 4ª edição do livro “Segredos dos Chefs”, o pré-lançamento do Festival Brasil Sabor 2012, o maior festival de gastronomia do planeta, e a Campanha ”Potes da Vida”. Quem convida é Janete Fernandes, presidente da Abrasel-AM.

Jander Vieira

O supertalentoso Alexandre Herchcovitch e a grife feminina Via Uno fecharam uma parceria que promete ser o maior sucesso no inverno de 2012. A campanha ainda mantém muito suspense e poucos modelos foram divulgados, mas a promessa é de que traga muitas novidades entre sapatilhas, botas, peep toes, abotinados e modelos confeccionados em couro e full plastic. Os efeitos e detalhes metalizados são um dos destaques da nova coleção. Conforme a marca, ao longo do ano de 2012 serão lançadas cinco campanhas para a parceria A princesa do clã Senna, Rebecca, Herchcovitch/ Via Uno.

jandervieira@hotmail.com @hotmail.com - www.jandervieira.com.br

A bonita Luciana Bonates esbanjando elegância protagonizou um das mais belas sessões de 15 anos, ontem, no Dulcila da Ponta Negra. Ela é filha do casal Mary Ane e Louismar Bonates

D7

CACAU

MANG

::::: Novas sedes do PSC Tendo o presidente do diretório regional do Partido Social Cristão no Amazonas, deputado Francisco Souza, e o vicepresidente nacional da sigla, Everaldo Pereira, aconteceu (anteontem) a inauguração dupla das sedes do diretório do partido em Manaus e em Iranduba - com direito a ala puro-poder presente. O evento concorrido reuniu filiados, autoridades municipais e estaduais, formadores de opinião, além de toda executiva estadual. Com o slogan “O ser humano em primeiro lugar” os dois eventos marcaram um novo momento do PSC na seara política do Amazonas.

vai comandar début moderno e chique no Classic Hall, no dia 19 de maio. Serviço chique: da coreógrafa Manuela Mota, cerimonial de Lena Souza Lima, decoraçãoconcepção visual de Jamil Jr. com Bandeirão e mais o bolo artístico da grife Zilá e Cláudia Silva. Uma chiqueria tremenda

Kelson, Elma mais o deputado Francisco Souza com o vice-presidente do PSC, Everaldo Pereira, Keula Thaise e Marco Antônio Roberto

Os deputados Sidney Leite e Ricardo Nicolau – presidente da Aleam –, o vice presidente do PSC, Everaldo Pereira, com o deputado-anfitrião Francisco Souza

::::: Confirmado Prevista para os dias 27 de abril a 6 de maio, a 1ª Bienal do Livro Amazonas já desponta como o principal evento cultural do ano no Amazonas e em toda a Região Norte. Com centenas de renomados autores e os líderes do mercado editorial do país confirmados, o evento acontece no Centro de Convenções do Studio 5, em Manaus, e terá assessoria exclusiva da Press Comunicação, de Betsy Bell e Loredana Kotinski.

::::: Sala de Espera Whashington Regis, Enéas Gonçalves, Almino Ramos, Braz Silva e o deputado Marcos Rotta estão trocando de idade hoje. Os cumprimentos da coluna. “Liderança com Pessoas” e “Gestão Financeira” serão os novos programas oferecidos pela Fundação Dom Cabral, por intermédio da OBS em Manaus. O coquetel de lançamento rola dia 29, no Caeser Business para convidados, pi-

ABEIRA

lotado pelo diretor executivo da OBS, Fábio Guarnieri. A “Noite Do Tudo Pode” completa sete anos entretendo as noites de Manaus. E para iniciar as comemorações: a presença da deejay Ana Flor, direto da The Week do Rio. O evento acontece no próximo dia 17, no Empório Pizza e Bar. O show musical de humor

“Lady Parker: a origem”, da cantora-apresentadora Lady Parker, interpretada por Michel Guerrero, volta para nova apresentação gratuita neste domingo, no Centro Cultural Palácio da Justiça, às 18h. As famílias de Benedito Reis e Wilsia Reis e Simom Quiroga e Zildeth Quiroca, estão nas nuvens depois do casamento dos seus filhos Pablo Diego e Raquel Reis, ontem. O

enlace matrimonial dos pombinhos aconteceu na igreja de Nossa Senhora de Nazaré. A recepção foi no Morada Buffet.

grife Polo Ralph Lauren. Aos desavisados, a loja do Manauara Shopping, é a paixão da ala bambina chique da cidade.

A programação bovina já tem data para começar. Será no próximo dia 24, no sambódromo, com Garantido e Caprichoso juntos.

Lenúbia Alcântara Aziz está na organização da missa de celebração aos 77 anos da dona Delfina Abdel Aziz, que acontecerá no próximo dia 15, às 20h, no santuário de Aparecida. O evento religioso promete arrancar lágrimas dos convivas.

A Pezinho e Cia. acaba de receber novidade para seu mix de calçados: a


D8

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 11 DE MARÇO DE 2012

EM TEMPO - 11 de março de 2012  

EM TEMPO - Caderno Principal do jornal Amazonas EM TEMPO www.emtempo.com.br

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you