Page 1

O JORNAL QUE VOCÊ LÊ ANO XXV – N.º 7.930 – DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013 – PRESIDENTE: OTÁVIO RAMAN NEVES DIRETOR EXECUTIVO: JOÃO BOSCO ARAÚJO - PREÇO DESTA EDIÇÃO: R$ 2,00

DIVULGAÇÃO

FLAMENGO X BOTAFOGO

FOTOS: DHAVID NORMANDO/AE

Vale vaga na final da Taça Guanabara Pódio E5 SANTOS X CORINTHIANS

Clássico marca 100 anos de rivalidade

VENEZUELA

Chávez está ‘animado’, diz família Mesmo passando por nova sessão de quimioterapia para tratar um câncer, o presidente da Venezuela (foto) não desanimou, garante família. Última Hora A2

Pódio E4

Manausprev tem uma dívida de R$ 300 milhões acumulada de gestões passadas. A informação faz parte do relatório das contas da administração anterior, entregue pelo secretário municipal de Finanças, Ulisses Tapajós, ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). O mais grave é que o Manausprev fez investimento de risco no banco privado BVA, no valor de R$ 33 milhões e, pelo andar da carruagem, deve perder tudo definitivamente. Política A5

DIVULGAÇÃO

Manausprev tem rombo de R$ 300 milhões Ulisses Tapajós e Arthur Neto entregaram ao TCE relatório da administração passada

MANOBRA NA ACADEMIA DE LETRAS DIVULGAÇÃO

ELENCO

DIVULGAÇÃO

Polêmica na Academia Amazonense de Letras envolve a escolha do próximo ocupante da cadeira de número 21, deixada pelo poeta Luiz Bacellar. Alguns membros da AAL confirmam que, para favorecer alguns candidatos à “imortalidade”, a inscrição foi antecipada, contrariando o que estava previsto no comunicado oficial interno da entidade. Plateia D1

A desembargadora Graça Figueiredo (foto) diz que sua escalada na magistratura requer dedicação e cuidado. Elenco 16

SAÚDE PARINTINS

Falsos cartazes

ILUSTRÍSSIMA

A primeira reunião de cardeais preparatória do conclave que vai eleger o sucessor de Bento 16 será amanhã. Falsos cartazes pedindo votos para o cardeal Peter Turkson, de Gana, estão sendo vistos em Roma. Última Hora A2

MÚSICA

RICARDO OLIVEIRA

Chico da Silva volta ao estúdio Dificuldade em acessar internet em Cuba não impede entrada de informações via celulares. Ilustríssima G4 e G5

Depois de um hiato de 10 anos na carreira, cantor e compositor prepara novo CD para este ano. Plateia D3

No ano do (polêmico) centenário das agremiações vêm à tona o resgate e a reafirmação da trajetória dos bumbás. Dia a dia C1, C2 e C3 REPRODUÇÃO

Aveia melhora o funcionamento intestinal, diminui a absorção do colesterol total e controla a pressão arterial. Saúde F2

Um século de história na ilha

Ao contrário dos pichadores, grafiteiros expressam suas ideias sem depredar o patrimônio histórico. Dia a dia C4

FALE COM A GENTE - ANÚNCIOS CLASSITEMPO, ASSINATURA, ATENDIMENTO AO LEITOR E ASSINANTES: 92 3211-3700 ESTA EDIÇÃO CONTÉM - ÚLTIMA HORA, OPINIÃO, POLÍTICA, ECONOMIA, PAÍS, MUNDO, DIA A DIA, PLATEIA, PÓDIO, SAÚDE, ILUSTRÍSSIMA, ELENCO E CONCURSOS.

REINCIDENTES

Prefeitura lacra 4 boates irregulares Fiscais da prefeitura lacraram quatro casas noturnas por não terem cumprido os prazos de regularização. Última Hora A2 TEMPO EM MANAUS

MÁX.: 30

MÍN.:

24


Última Hora

A2

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Quatro casas noturnas novamente interditadas

Eleven, Musique, Rêmulos e Aquarelas não haviam assinado termo de ajuste de conduta, apesar de terem iniciado regularização

A

pós fiscalização na noite de sábado em cinco casas noturnas, que estavam com pendências junto aos órgãos municipais de fiscalização, a Prefeitura de Manaus interditou quatro desses estabelecimentos por não terem cumprido os prazos de regularização e não terem assinado os termos de ajustamento de conduta junto aos órgãos responsáveis. Eleven Bar (rua Pau-Rosa, Dom Pedro), Musique Nuit (avenida Mário Ypiranga, 1.010), boate Rêmulos (rua Lobo D’Almada, Centro), e Aquarelas (rua Tamandaré, Centro) além de interditadas foram multadas. Na Rêmulos e Aquarelas os equipamentos de som também foram apreendidos pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmas). No caso da Rêmulos, pela reincidência, as multas foram dobradas e chegaram a R$ 15 mil. Todas as casas não assinaram o termo de ajustamento de conduta e, apesar de já terem iniciado o processo de regularização, não deram continuidade aos procedimentos. Participaram da operação, que começou por volta das 21h de sábado, aproximadamente 30 agentes do Gabinete Militar, Secretaria Municipal de

ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

Meio Ambiente (Semmas), Secretraria Municipal de Finanças (Semef), Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb), DVisa (Departamento de Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde) e Corpo de Bombeiros. O primeiro estabelecimento visitado foi o All Night, localizada na Ephigênio Sales, que estava

REINCIDÊNCIA

No caso da boate Rêmulos, na Lobo D’Almada, que é reincidente, a multa foi dobrada e deve chegar a R$ 15 mil, segundo informaram os órgãos de fiscalização da Prefeitura de Manaus fechado. Os responsáveis informaram que estão dando prosseguimento aos procedimentos de regularização solicitados pela prefeitura e, na sexta-feira, solicitaram o laudo do Corpo de Bombeiros para verificar se as mudanças realizadas para atender às normas de segurança estão adequadas. As quatro casas fechadas ontem se preparavam para funcio-

nar, mesmo com pendências da primeira fiscalização realizada pela prefeitura. Porém, quando a equipe verificou a documentação foi percebido que todas ainda estavam irregulares junto ao Implurb, duas junto à Semmas e outras duas na Semef. O subsecretário do Gabinete Militar, major Alexandre Morais, completou que as operações de fiscalização às casas noturnas serão rotina a partir de agora, cumprindo uma determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto. Tragédia As ações de fiscalização intensas nas casas noturnas de Manaus iniciaram no dia seguinte à tragédia na boate Kiss, em Santa Maria (RS), que ocorreu no dia 28 de janeiro, quando mais de 200 jovens morreram em um incêndio. Na ocasião, os estabelecimentos foram autuados, multados e interditados pelas equipes. Durante a operação foram encontradas irregularidades como falta de documentação, ausência de licença ambiental e falhas na segurança dos locais. Durante três dias de fiscalização foram interditadas 52 casas noturnas em todas as zonas da cidade de Manaus.

NOVO PAPA

JULGAMENTO ALEXANDRE GUZANSHE/AE

O goleiro Bruno Fernandes pode assumir perante os jurados que sabia da morte de Eliza

Defesa aposta em uma confissão O goleiro Bruno Fernandes de Souza poderá confessar, pela primeira vez, que sabia da morte de Eliza Samudio. Deverá alegar, porém, que seu ex-assessor Luiz Henrique Romão, o Macarrão, planejou todo o crime sozinho. É essa a estratégia que seu principal advogado, Lúcio Adolfo da Silva, indica que deverá adotar no julgamento que terá início nesta segunda-feira. Ele não dá como certa a utilização da tese. Garante que vai manter a versão de que Bruno não é o mandante. O trabalho para defender Bruno se complicou desde novembro quando Macarrão confessou o assassinato de Eliza e apontou seu ex-patrão como o mentor do crime. Para o Ministério Público, a confissão de Macarrão, embora parcial (não quis entregar o assassino), só reforçou a tese sustentada desde o começo de que Bruno é o

Fiscalização comandada pela prefeitura, ontem, identificou irregularidades nos estabelecimentos

mentor do crime. Assim, a promotoria vê a condenação como certa. Para advogados envolvidos no caso, essa delação é o principal indício contra Bruno. Até então, o que mais pesava contra Bruno era o fato de ele ter mentido publicamente, após um treino do Flamengo, de que fazia dois ou três meses que não via Eliza. O defensor do goleiro falou dessa tese quando, a pedido da “Folha”, explicou como argumentaria que Bruno não tem responsabilidade na morte, mesmo, eventualmente, sabendo do crime. “Eu, você e mais um amigo entramos no seu carro e você dirige até o banco. Chega lá, eu desço, roubo o banco e mato alguém. Que crime você cometeu? Dirigir carro não é crime. Mas como você contribuiu para o crime, você responde pelo crime”. E continua: “Entretanto, tem que ver se a sua participa-

ção é de menor importância, se é diferenciada. Então, esse é um caminho. Dizer: ele é culpado? Sim. Mas a participação dele é diferenciada? Se os jurados disserem que sim, autorizam a Justiça a diminuir a pena”, disse. Embora faça mistério sobre toda a sua tese, ele diz que não pode “negar a realidade”: a existência do testemunho do Macarrão e sua condenação a 15 anos de prisão pela morte de Eliza. Advogados ouvidos pela “Folha” afirmam que, embora a defesa esteja em situação “desfavorável”, não é possível dar como certa a condenação de Bruno. “A tática, com certeza, será a desconstrução do interrogatório do Macarrão. Dizer que ele mentiu para ter benefício de pena”, disse Luiz Flávio Gomes. Para o advogado Roberto Garcia Soares, “não é incomum ter imputação cruzada. Um dizer que foi o outro”.

CHÁVEZ

Reunião preparatória de cardeais acontece amanhã A primeira reunião de cardeais preparatória do conclave que vai eleger o sucessor de Bento 16 será realizada na segunda-feira, 4, anunciou o arcebispo de Nápoles, cardeal Crescenzio Sepe. O religioso fez o anúncio durante a celebração eucarística na catedral de Nápoles, promovida para a despedida a Bento 16, que deixou oficialmente de ser papa às 20h (16h de Brasília) de anteontem. O decano dos cardeais, Angelo Sodano, vai começar na sexta-feira a chamar os cardeais, para organizarem o conclave. A partir da primeira reunião de cardeais, já se pode anunciar a data do conclave, explicou o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi. Em 25 de fevereiro, o papa autorizou os cardeais a anteciparem o próximo conclave, através de um “motu próprio” [por iniciativa própria]. A norma do Vaticano estipula que o

conclave deve começar entre 15 e 20 dias depois do início da sede vacante (expressão que designa que o lugar do papa está vago), para permitir aos cardeais chegarem a Roma. Mas como muitos cardeais já estão em Roma, para onde viajaram para acompanhar Bento 16 nos últimos dias do seu pontificado. Campanha falsificada Falsos cartazes eleitorais pedindo votos para o cardeal Peter Turkson, de Gana, na sucessão do papa Bento 16 foram colocados nesta sexta-feira no centro de Roma por um grupo de artistas. “No conclave vote por Peter Kodwo Appiah Turkson!” -, pediam os cartazes com a foto do prelado africano olhando para o céu. Os cartazes são uma clara paródia da propaganda eleitoral utilizada nas legislativas italianas disputadas domingo e na segunda-feira. DIVULGAÇÃO

Falsos cartazes do cardeal Peter Turkson pedindo votos

Venezuela reza pelo presidente O presidente venezuelanoHugo Chávez foi submetido a uma quimioterapia como parte dos “tratamentos complementares” necessários após ser operado pela quarta vez de um câncer, em dezembro passado. A informação foi dada pelo vice-presidente, Nicolás Maduro, nesta sexta-feira (1º), em uma missa pela saúde de Chávez, durante a inauguração da capela do Hospital Militar de Caracas, onde o líder venezuelano está internado. O vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse em entrevista coletiva nesta sexta-feira (1º) que Hugo Chávez se descuidou da saúde e ficou doente por dedicar a vida à pátria e aos pobres. Na ocasião, Maduro disse ainda, a jornalistas, que Chávez está “muito animado”, e criticou os rumores difundidos nas redes sociais sobre o estado clínico de Chávez, culpando opositores que têm acusado o governo de mentir sobre o assunto. O governo passou o dia negando rumores sobre a saúde de Chávez. “Ele tem muita força interior e se encontra muito animado”, resumiu Maduro. Segundo Maduro, no final de janeiro, Chávez passou a receber tratamentos complementares, “que são quimioterapias aplicadas a pacientes com câncer após a operação”. Ainda de acordo com Maduro, Chávez iniciou um ciclo de quimioterapia após sua última operação.


Opinião

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Contexto 3090-1017/8115-1149

A3

Editorial

marioadolfo@emtempo.com.br

opiniao@emtempo.com.br

O acerto da Polícia Militar O grande erro é se pensar que as instituições não podem ser atingidas pelos erros dos seus constituintes. As pessoas se confundem com as instituições e, na maioria das vezes, usamnas como escudos. Esta é a fundamentação do corporativismo que atinge os aparelhos do Estado, em suas três principais instâncias: Executivo, Legislativo e Judiciário. E se funciona assim “lá em cima”, por que não “aqui embaixo”?. Esse protecionismo desonesto patrocina o descrédito nas instituições públicas, mais principalmente em seus agentes. Se um juiz erra, prevarica, não quer dizer que o Judiciário seja o habitat da corrupção. Mas o será, se acobertar o malfeito. A figura do Judiciário estará limpa se houver a decência de punir quem desafinou no coro. O Conselho Nacional de Justiça, nos últimos anos, deu um exemplo de que os ideais republicanos podem, sim, ser consagrados no século 21 (o que se inventou depois deles?). Puniu juízes de saíram do trilho. O Supremo Tribunal Federal acordou de longa modorra e encarou o processo do mensalão de maneira que o país surpreendeu-se: há juízes no Brasil. Não é agradável cortar na própria carne. Mas é necessário, para a sobrevivência da instituição. O Comando da Polícia Militar do Amazonas deu um exemplo desse tipo ao expor soldados, cabo e oficiais (nove deles) que estão comprometidos com o tráfico de drogas, entre outros crimes. Se a polícia existe para combater o crime, nada mais correto do que enfrentálo dentro de casa. Como acreditar em uma polícia que seja conivente com criminosos? Valeu a lição.

Charge

‘Meu ritmo, minha missão’

regi@emtempo.com.br

Durante inauguração de uma creche no bairro da Fazendinha, Zona Norte, ontem, o prefeito Arthur Neto se emocionou. Em seu discurso, disse que tem a missão de fazer uma gestão diferente. — Manaus está sendo refundada em bases irreversíveis. Se fosse para fazer igual aos outros, uma gestão qualquer, preferia ter perdido a eleição. Esse é o meu ritmo e minha missão –, declarou ele. Ninho goiano Falando em Arthur, o prefeito participa nesta segunda do fórum estadual do PSDB em Goiás. Ele fará a palestra “O PSDB e seu papel no desenvolvimento brasileiro”. Peregrinação De Goiânia Arthur vai para Brasília, onde tem agenda em seis ministérios, fazendo uma peregrinação para apresentar projetos de captação de recursos para obras e projetos em Manaus. Tráfico de pessoas Vanessa Grazziotin (PCdoB) será recebida nesta segunda (4), às 19h, no Palácio do Planalto, pela ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. A senadora vai entregar uma cópia do relatório final da CPI do Tráfico de Pessoas, do Senado. Tráfico de pessoas 2 Grazziotin, que presidiu a CPI, quer o apoio do governo nas articulações para a aprovação dos projetos propostos pela comissão que modificam a atual legislação. O principal deles tipifica o crime como hediondo e para fins de trabalho escravo e remoção de órgãos. Tráfico de pessoas 3 Atualmente, a lei brasileira só considera tráfico de pessoas quando para fins de exploração sexual. — Como signatário do Protocolo de Parlemo, o Brasil precisa atualizar suas leis nessa área-,

disse a senadora. Lacre na noite Engana-se quem pensa que a fiscalização da prefeitura diminuiria com a saída, da tragédia de Santa Maria (RS), da mídia. Ontem os fiscais interditaram, novamente, a Eleven, Musique, Rêmulos e Aquarelas. Todas foram multadas. Rêmulos No caso da Rêmulos, a punição foi maior. Pela reincidência, as multas contra a casa noturna foram dobradas e chegaram a R$ 15 mil. Feira da Amazônia Por ocasião das comemorações do 46º aniversário da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), a autarquia anunciou oficialmente a realização da VII Feira Internacional da Amazônia (Fiam). O evento ocorrerá entre os dias 27 e 30 de novembro deste ano. Futurista A edição de 2013 da Fiam tem como mote o slogan “Passe para o futuro”, uma referência à Copa do Mundo da Fifa que será realizada no Brasil no ano que vem e tem na capital amazonense uma das cidades-sede. Seu ouvido Semmas e Polícia Militar fecharam um acordo sobre a fiscalização da poluição

APLAUSOS

sonora em Manaus. Em casas de shows e eventos o excesso de volume de som será fiscalizado pelo órgão municipal. Chame a PM Nos casos de som alto em residências, quem deve ser acionada é a PM. A ideia é resolver rapidamente as discussões e aplicar multas pesadas na poluição sonora causada com fins comerciais. Santo de casa O compositor Júnior Rodrigues, que mantém em sua casa o espaço cultural Quintal do Samba, onde só comparecem bambas, compôs um samba em que fala em todos o santos da Igreja Católica, revelando suas curas milagrosas pela fé. Santo de casa 2 Júnior Rodrigues não esqueceu santo Expedito, são Sebastião, são Judas Tadeu, são Jorge, santa Luzia, são Francisco, Nossa Senhora Aparecida, santa Bárbara… O samba é enorme e, no dia de seu lançamento, Júnior desfiou seu talento e suas rimas. No final, cansado de tanto falar em santo, recebeu os aplausos que merecia. □ Mas quando a plateia silenciou, uma velhinha lá atrás ergue a mão e gritou: — Esqueceu santa Terezinha!

VAIAS

RECUPERAÇÃO DA AM-352

ASSESSORIA DO MPE

REPRODUÇÃO

DIVULGAÇÃO

Para a recuperação da estrada de Novo Airão, AM-352. Há algum tempo, transitar na rodovia significa uma verdadeira corrida com obstáculos, tamanho é o número de crateras.

À assessora de imprensa do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), que dificulta o acesso dos profissionais às informações do órgão publico. A última, é que alguns jornalistas estão impossibilitados até de entrar nas dependências do órgão.

Dora Kramer opiniao@emtempo.com.br

O êxito que satisfaz Boas referências, pessoas, atos ou ideias nas quais a sociedade reconhece valores caros não necessariamente têm de se transformar em candidaturas à Presidência da República. Compreendese o “disse me disse”, o entusiasmo, quando não a firme crença, em alguns setores e ocasiões, na hipótese de que o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, venha – ou pelo menos almeje – a disputar o posto de chefe da nação. Em boa parte dos países, se não na maioria, o presidente é a figura máxima. Se por aqui boa parte da população, se não a maioria, achou o máximo a atuação de Barbosa como relator do processo do mensalão, natural que faça uma conexão entre uma coisa e outra. Em especial diante da carência de exemplos reconhecidos como merecedores de respeito. Ao estruturar uma narrativa inescapável da denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República, o relator do processo levou o país à compreensão do que foi o esquema de desvios, fraudes e escambo de vantagens indevidas em troca de apoio político devido. Foi acompanhado pelo tribunal na quase totalidade dos votos. O colegiado, com sua decisão, elevou o grau de confiabilidade do Judiciário, mas nem por isso se lançaram os nomes de outros ministros no fogaréu de vaidades do ambiente das disputas eleitorais no molde em que se dão. Muito bem, Joaquim Barbosa virou um símbolo. Para alguns, parcial, arbitrário e, como se diz agora, midiático. Para muitos, um emblema de justiça e de intolerância com a ilegalidade para a qual defende tratamento igualitário entre poderosos e não poderosos. Mas, daí a dizer que tal atributo seja um trampolim para a Presidência da República são outros 500 quilômetros a serem percorridos. O presidente do STF tem a favor de si o crédito junto a substancial parcela de população. Em compensação, para sermos re-

alistas, tem contra si diversos fatores. A começar pela suposição de que o que o move é a ambição política. Isso diminui a figura do juiz, não deixa de ser uma maneira, ainda que involuntária, de reduzir suas atitudes e opiniões a uma mera ânsia por notoriedade com aquele poder conferido pelo Diário Oficial. Além disso, Joaquim Barbosa não é do ramo. Há quem aponte nisso uma vantagem. Mas, sem comparações de forma e conteúdo, de exemplos de que o repúdio à atividade política por si só não credencia alguém a exercê-la de modo a fazer de fato a diferença, a História está cheia. Temos ainda o temperamento do presidente do Supremo a contar como desvantagem numa atividade em que a vocação para a diplomacia é essencial. Ao menos quando se pretende exercê-la na regra do jogo sem a ajuda do vale-tudo. O ministro não tem um partido e, a não ser que pretenda criar um ou alojar-se em algum apenas para ter uma legenda sem maior presença no cenário político (o que poderia causar péssima impressão), não se vislumbram espaços disponíveis. A fila nos partidos obedece a uma lógica e nenhum deles parece disposto por enquanto a subvertê-la. Isso tudo sem falar na possibilidade de uma empreitada malsucedida, que tiraria Joaquim Barbosa do Supremo Tribunal Federal e o levaria a lugar nenhum. Por que o ministro não pode servir ao País exatamente onde está, exercendo o papel a que vem se propondo? Figuras respeitadas não necessariamente precisam chegar à Presidência para, com seu êxito, satisfazerem demandas por condutas tidas como exemplares. São Tomé. Antes de se acreditar na ameaça do PMDB de não apoiar a reeleição de Dilma Rousseff caso o PT não retire a candidatura própria ao governo do Rio, é preciso ver para crer se o partido trocará a vice-presidência e ministérios por um palanque regional. Em 2014, se Dilma estiver com dianteira segura isso só ocorrerá no dia de São Nunca.

Dora Kramer Jornalista, escreve simultaneamente no jornal “O Estado de S.Paulo”

Compreendese o ‘disse me disse’, o entusiasmo, quando não a firme crença, em alguns setores e ocasiões, na hipótese de que o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, venha – ou pelo menos almeje – a disputar o posto de chefe da nação”


A4

Opinião

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Frase

Painel VERA MAGALHÃES

Dudu & Duda

Nosso sistema penal é muito frouxo. É um sistema totalmente pró-réu, pró-criminalidade. (...) E, por outro lado, esse sistema frouxo tem vários mecanismos de contagem de prazo para prescrição que são uma vergonha. São quase um faz de conta. Tornam o sistema penal num verdadeiro faz de conta

Avançaram as conversas de Eduardo Campos (PSB) com a dupla Duda Mendonça e Antonio Lavareda, sócios na empresa de publicidade e planejamento estratégico DM/Blackninja. Se o acordo vingar, Duda dará o tom do programa de TV do partido, em abril, sem aparecer. Lavareda já está em campo com pesquisas sobre a viabilidade da postulação presidencial do governador. A parceria é piloto para 2014, mas Campos hesita em fechar com o marqueteiro, absolvido no mensalão.

Guru Eduardo Campos não tomará nenhuma decisão sobre o marketing do PSB e de sua eventual campanha que contrarie o argentino Diego Brandy, responsável pela estratégia política do governador desde 2005. Círculo Brandy trabalhou na Argentina com João Santana, marqueteiro de Dilma que, por sua vez, já foi sócio de Duda Mendonça. Ensaio O briefing discutido em reunião da cúpula do PSB na semana passada, no Recife, é que o programa de TV do partido seja centrado na economia, para lapidar o discurso com que Campos pretende se lançar: apontando falhas do governo, mas sem soar como oposicionista. Termômetro Diante da estratégia de Campos de ter o Nordeste como base de lançamento de sua eventual campanha, a equipe de João Santana comanda uma pesquisa eleitoral específica na região, com foco sobre as mulheres. Afago Em seminário amanhã em Goiânia (GO), Aécio

Neves (PSDB) vai listar todos os programas sociais federais que tiveram início no governo de Fernando Henrique Cardoso. Fará uma homenagem a José Serra, opositor de sua candidatura à Presidência. Garoa Será no dia 25 o evento de Aécio em São Paulo, etapa considerada crucial para o mineiro se consolidar como candidato. FHC e Geraldo Alckmin confirmaram presença; Serra, ainda não. Vale a pena... Advogados do mensalão acusam Joaquim Barbosa de ignorar a hipótese de novos pedidos de vista na fase de embargos, ao prever a prisão dos condenados até julho. Entendem que ministros do STF, sobretudo Teori Zavascki, que substituiu Cezar Peluso, têm direito de se valer do recurso. ...ver de novo? Marco Aurélio Mello admite a possibilidade, mas a trata com ironia: “Depois de cinco meses julgando o caso, alguém vai pedir vista? Se houver, poderemos dizer que terão perdido de vista o processo”. Cronologia Além disso, advogados criticam a prioridade da

publicação do acórdão do julgamento em detrimento de outros que o precedem em antiguidade. “Furar a fila não tem respaldo na legalidade’’, diz Luiz Pacheco, defensor de José Genoino. Modelo... O governo federal vai compartilhar em meio virtual as informações sobre seus programas sociais, sobretudo os de combate à desigualdade, com o bloco Sul-Sul, que agrega países em desenvolvimento. O carro-chefe será o “Brasil sem Miséria”, recém-turbinado por Dilma Rousseff.

Joaquim Barbosa, presidente do STF, avalia que as penas dos 25 condenados no julgamento do mensalão devem começar a ser cumpridas até 1º julho deste ano, mas por causa de um sistema penal “frouxo” boa parte deles deverá ficar na cadeia pouco mais que 2 anos.

Olho da Rua opiniao@emtempo.com.br ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

...exportação A ministra Tereza Campello (Desenvolvimento Social) assinará na terça-feira o acordo de implantação da “Iniciativa de Conhecimento e Inovação para a Redução da Pobreza”, rede de políticas públicas consideradas bem-sucedidas pelo Banco Mundial. B.O. virtual O governo de São Paulo permitirá que vítimas façam o registro de ocorrências de roubo pela internet. Até agora, o procedimento online só é possível para casos de furto, ameaça, acidentes de trânsito sem vítimas e desaparecimentos.

Tiroteio

Só não falta água na cabeça de quem mora no São Jorge porque chove e vai continuar chovendo até, pelo menos, junho, quando meia cidade viaja para o festival de Parintins. Como depende da água da torneira, o comércio do bairro fecha as portas e espera melhorar a estação.

João Bosco Araújo opiniao@emtempo.com.br

Ao tentar se comparar a Abraham Lincoln, Lula vira sério candidato a ganhar o Oscar. Pena que não existe a categoria baboseira. DO LÍDER DO PPS NA CÂMARA, RUBENS BUENO (PR), ao comentar declaração do

ex-presidente sobre o americano, retratado em filme que levou duas estatuetas.

Contraponto

Meu garoto Em reunião da Comissão de Infraestrutura do Senado, Flexa Ribeiro (PSDB-PA) criticava a demora do governo em encaminhar o Código de Mineração ao Congresso. O tucano disse que o atraso é responsabilidade do ministro Edison Lobão (Minas e Energia). Integrante da comissão, o senador Lobão Filho (PMDB-MA) correu para defender o pai-ministro. - Eu quero dizer que o ministro Edison Lobão, que eu conheço de vista, já encaminhou o Código de Mineração há muito tempo para a Casa Civil -, respondeu o peemedebista, arrancando gargalhadas dos colegas... Publicado simultaneamente com o jornal “Folha de S.Paulo”

CENTRAL DE RELACIONAMENTO Atendimento ao leitor e assinante ASSINATURA e CLASSIFICADOS

Diretor de Redação Mário Adolfo marioadolfo@emtempo.com.br

3211-3700 assinatura@emtempo.com.br classificados@emtempo.com.br

REDAÇÃO

3090-1010 redacao@emtempo.com.br

Editores-Chefes Aldisio Filgueiras — MTB 213 aldisio@emtempo.com.br Náis Campos — MTB 033 nais@emtempo.com.br Tricia Cabral — MTB 063 tricia@emtempo.com.br Chefe de Reportagem Michele Gouvêa — MTB 626 michelegouvea@emtempo.com.br Diretor Administrativo Leandro Nunes administracao@emtempo.com.br

CIRCULAÇÃO

3090-1001 circulacao@emtempo.com.br

Norte Editora Ltda. (Fundada em 6/9/87) – CNPJ: 14.228.589/0001-94 End.: Rua Dr. Dalmir Câmara, 623 – São Jorge – CEP: 69.033-070 - Manaus/AM

Gerente Comercial Gibson Araújo comercial@emtempo.com.br Gerente de Marketing Clodoaldo Reis marketing@emtempo.com.br EM Tempo Online Yndira Assayag — MTB 041 yndiraassayag@emtempo.com.br

DO GRUPO FOLHA DE SÃO PAULO

www.emtempo.com.br

Presidente: Otávio Raman Neves Diretor-Executivo: João Bosco Araújo

@emtempo_online

/amazonasemtempo

/ /tvemtempo

Os artigos assinados nesta página são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal.

Inusitada renúncia de um papa Se não me trai a memória, a última vez em que um papa renunciou foi lá pelos idos de mil quatrocentos e qualquer coisa, ou seja, no século 15, aquele que se autodenominou Gregório 12, que já tinha passado dos 90 anos e usou a renúncia para aplacar as forças confrontantes do chamado Grande Cisma. A sucessão de um papa, mesmo quando acontece pelo modo absolutamente mais frequente, isto é, pela morte do titular vitalício, é sempre carreadora de consequências, uma vez que o sucessor trará para o seu pontificado as marcas indeléveis da sua própria personalidade e das maneiras como vivencia e encara o papel da Igreja. E daí transbordam muitas consequências e efeitos naturais porque, afinal, mesmo que proliferem mais e mais seitas autointituladas cristãs, é no catolicismo, na sua unidade, na sua maior tradição, no seu maior peso histórico e na autoridade central e única do Bispo de Roma, que o cristianismo encontra sua maior força doutrinária e teológica. Um papa é um sacerdote, um ministro, um chefe de Estado e, sobretudo, o grande responsável pela íntegra preservação de uma doutrina que está em suas mãos há milênios e que traz em seu conteúdo o que pretende ser resposta às grandes questões da Moral e da Teologia. A esse acervo, mantido e preservado com o maior empenho, muitas vezes à custa de embates desgastantes com as chamadas concepções modernosas, é que podemos designar como Cristianismo, enquanto Teoria e Práxis. Na longa história da Igreja Católica centenas de papas se sucederam, a grande maioria

constituída de homens sábios e santos, mas, aqui e ali, pontificaram verdadeiros malfeitores, aproveitadores da boa fé do rebanho, mas nem assim capazes de demolir a integridade da instituição. As gerações atuais puderam viver o fenômeno da sucessão papal por diversas vezes, desde Pio 12, o papa do período da 2ª Guerra Mundial, até Bento 16, que ora renuncia. Três personalidades, acredito, marcaram profundamente a Igreja nestes mais recentes tempos, cada uma realizando um ministério próprio. Em primeiro lugar, cronologicamente, surge a figura de João 23, o papa do Concílio Vaticano 2º, essencialmente renovador, na busca de levar a Igreja ao encontro do seu povo. Depois dele a Igreja viveu novos tempos, sem se afastar uma linha da doutrina original. João Paulo 2º, o papa peregrino, o são Paulo dos nossos tempos, que foi a praticamente todos os povos do planeta, para confirmarse como o pastor de todas as ovelhas, em qualquer lugar e em qualquer situação em que estivessem, mesmo quando assumiam crenças heterodoxas. Bento 16 assumiu a missão do teólogo, do guardião da doutrina e dos dogmas, no preciso momento em que mais aumentava a pressão de grupos, dentro e fora da Igreja, a tentar alterar o magistério no âmbito da Teologia e, sobretudo, da Moral. Aí, muito valeu o peso do intelectual Ratzinger. Nas relações políticas do mundo, onde o papa tem sido figura fundamental, configura-se a necessidade e a esperança de um sucessor que dignifique esta linhagem.

João Bosco Araújo Diretor Executivo do Amazonas EM TEMPO

Na longa história da Igreja Católica centenas de papas se sucederam, a grande maioria constituída de homens sábios e santos, mas, aqui e ali, pontificaram verdadeiros malfeitores, aproveitadores da boa fé do rebanho, nem assim capazes de demolir a integridade da instituição”.


Política

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

A5

Manausprev corre para reaver ativos milionários Órgão possui R$ 33 milhões presos em fundos de investimentos arriscados no banco BVA e dívida antiga de R$ 300 milhões ARLESSON SICSÚ/SEMCOM

NATHANE DOVALE Equipe EM TEMPO

O

imbróglio financeiro envolvendo o Fundo Único de Previdência do Município de Manaus (Manausprev) ganhou mais um capítulo nesta semana, após o secretário municipal de Finanças, Ulisses Tapajós, entregar o relatório das contas da administração anterior ao Tribunal de Contas do Estado (TCE). Tapajós deu o clímax da história e adiantou que o Manausprev tem uma dívida de R$ 300 milhões acumuladas de gestões passadas. Além da dívida, um outro capítulo promete debates mais acirrados, o que trata do investimento arriscado que o Manausprev fez no Banco privado BVA, no valor de R$ 33 milhões, e que corre o risco de perdê-los definitivamente. Esse montante foi bloqueado após o Banco Central realizar intervenção em fundos com ativos do BVA, justamente onde o órgão realizou os investimentos. Os planos para que se tenha um final feliz começam a ser buscados neste mês de março. Ulisses Tapajós adiantou que, acompanhado do prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB), vai a Brasília no próximo dia 6 para tentar parcelar a dívida recorrente dos R$ 300 milhões junto ao Ministério da Previdência Social. “Estamos concluindo a elaboração de uma proposta que será levada ao ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves. A maior dificuldade são as taxas de juros que são muito altas. Estamos discutindo com os técnicos da Previdência a melhor maneira de quitar essa dívida em 20 anos”, explicou Tapajós. Um dos pontos críticos desta narrativa, que está longe de ser ficcional, é que Manaus pode perder o Certificado de Regularidade Previdenciária, acarretando assim a suspensão de financiamentos por parte do governo federal, segundo informações do secretário. Tapajós deixou claro que essa dívida chegou a este montante porque a prefeitura deixou de pagar sua cota patronal desde que o órgão foi criado, e realizou a segregação de massa quanto ao pagamento adicional dos colaboradores que foram admitidos antes de dezembro de 2012, somando assim um

déficit muito grande. Procurada pela reportagem, a ex-presidente da Manausprev, a advogada Daniele Leite, contestou as afirmações sobre a dívida de R$ 300 milhões da instituição e alegou que a dívida da Previdência não existe. “Está havendo um equívoco. Quando o Manausprev foi criado já tinha uma folha de aposentados e não houve repasse suficiente para pagá-los. Não tem como ser do órgão, pois não foi efetivada a segregação de massa, então quem teria que ser obrigado a recolher a previdência era Manaus. Então, enquanto não se optou pelo plano de custeio, não pode existir a dívida para o Manausprev”, explicou a exdirigente, acrescentando que o Ministério da Previdência veio a Manaus para fazer a

Está havendo um equícovo. Quando o Manausprev foi criado já tinha uma folha de aposentados e não houve repasse para pagá-los Daniele Leite, ex-gestora do ManausPrev

audiência, mas não voltou para discutir a segregação de massa. Bloqueio Sobre o bloqueio dos R$ 33 milhões no banco BVA, Daniele informou que quando fez a aplicação nos fundos com ativos o BC avaliou o BVA afirmando que ele era correto, sólido e com baixo risco de perdas. “Prova disso é que estão entre seus cotistas mais de 600 pessoas físicas e jurídicas, grandes empresas privadas, os maiores fundos de pensão de empresas estatais e mais de 50 fundos de previdência de servidores de Estados e municípios”, afirmou a ex-presidente. Ela disse que quando assumiu o Manausprev, havia R$ 248 milhões em caixa. “Para a administração de Arthur foi repassado R$ 635 milhões, um acréscimo de quase 156%. Estão avaliando a situação do banco e se houve intervenção, não vamos perder todo esses R$ 33 milhões. Se houver liquidação, será avaliado e dividido proporcionalmente”.

Nesta semana, o secretário de Finanças, Ulisses Tapajós (à esq.) e o prefeito Arthur Neto (PSDB) falaram sobre a ManausPrev

‘Ainda confiamos na solução’

Banco BVA pode ser vendido

O atual diretor-administrativo do Manausprev, Jânio Guimarães, informou que dois fundos do BVA tiveram investimentos do órgão: no Fundo FIDC Master, onde foram investidos R$ 15 milhões no dia 16 de abril de 2010; e no FIDC Master II foram investidos R$ 10 milhões, sendo R$ 5 milhões em 6 de agosto de 2010 e R$ 5 milhões em 24 de janeiro de 2011. “Ainda confiamos em uma solução para a situação do banco. É fato que teremos perdas, mas a venda do BVA reduziria os prejuízos do Manausprev. Quanto a intervenção, não há nada que possamos fazer. Quanto aos fundos (Fundos FIDC Master e FIDC Master II), estamos tratando com outros institutos e fundações e definindo as providências que tomaremos em conjun-

Sob intervenção do Banco Central e avaliado desde o dia 20 de outubro do ano passado, o banco BVA teve sua auditoria liderada pelo banco de investimentos BR Partners, que concluiu que o déficit do banco é de aproximadamente R$ 1,5 bilhão. Nesta semana, a revista “Época” informou que o proprietário do Grupo Caoa, Carlos Alberto de Oliveira, fez uma proposta ao Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para adquirir o banco BVA. O empresário demonstrou interesse em comprar com um desconto de 65% o R$ 1,5 bilhão que o Fundo aportou da instituição e negociou por alguns meses, mas as partes ainda não chegaram a um acordo. Segundo a reportagem, ainda não houve um acerto

to”, disse Jânio. Os servidores inativos, segundo Jânio, não serão os perdedores desta história. “Aposentados e pensionistas, principalmente no que se refere ao pagamento dos benefícios, não terão prejuízos, visto que os valores arrecadados mensalmente dos ativos e inativos e do município são suficientes para fazer frente a esse compromisso”, disse. Diagnóstico Os planos do Manausprev é contratar uma nova empresa para realizar um diagnóstico da atual carteira de investimento e outra especializada em análise de risco de investimento. Além disso, o órgão vai restringir os investimentos a instituições financeiras reconhecidas pelo mercado como sólidas.

de propostas até o momento, e essa é uma das condições que precisam ser cumpridas para evitar a liquidação. A outra é a aprovação pelo BC. Andra-

AUDITORIA

O banco BVA sofreu intervenção do Banco Central em 20 de outubro do ano passado. Suas contas sofreram auditoria liderada pelo banco de investimentos BR Partners de é empresário do ramo automotivo e um dos maiores credores individuais do BVA, com R$ 500 milhões depositados em dinheiro e R$ 100 milhões em participação acionária.


Política

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Comissão estudará novo Estatuto da Magistratura

Cláudio Humberto COM ANA PAULA LEITÃO E TERESA BARROS

www.claudiohumberto.com.br

No final, entre mortos e feridos, todos serão salvos” EX-PRESIDENTE LULA, garantindo negociação com Eduardo Campos (PSB) em 2014

Clésio é cotado para Transportes |pelo PMDB-MG Presidente da Confederação Nacional do Transporte, o senador Clésio de Andrade tem sido cotado como uma terceira alternativa ao Ministério dos Transportes caso a presidenta Dilma ofereça a pasta ao PMDB de Minas. Também estão no páreo os deputados Antônio Andrade e Leonardo Quintão, que abriu mão de disputar a prefeito de Belo Horizonte, a pedido do Planalto, para apoiar o petista Patrus Ananias. Pode agradar Aliados de Clésio de Andrade alegam que ele teria o “perfil técnico” que a presidente Dilma faz tanta questão, na área dos transportes. Cristão-novo Pesa contra o senador Clésio o fato de ser recém-chegado no partido. Ele deixou o PR pelo PMDB em março do ano passado. Interlocutor O ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento) foi incumbido pelo Planalto de tocar as negociações entre governo e o PMDB mineiro. Quase lá O PMDB já dá como certa a cadeira nos Transportes, mas a vaga não está garantida. O PR luta com unhas e dentes para reaver a pasta. PT deve ‘honra ao mérito’ a ex-secretário de droga O PT deve homenagear o militante Pedro Abramovay, ex-secretário Antidrogas demitido por Dilma pela defesa da descriminalização do “pequeno traficante”. Ele é responsável por um site de abaixo-assinado, espécie de

pelotão de fuzilamento virtual, que mirou no presidente do Senado, Renan Calheiros, e fez o país esquecer meliantes mensaleiros condenados até à prisão, e que ainda exercem mandatos de deputado. Negociações A presidente Dilma combinou com o PMDB de discutir sobre a disputa ao governo do Rio. O petista Lindbergh Farias ameaça sair candidato. Muy amigos Durante jantar do PMDB, Dilma cochichou no ouvido de Luiz Fernando Pezão, pré-candidato do PMDB ao governo do Rio. Ele abriu sorrisão. O céu Se pudesse ser papa, Lula estaria no céu: poderia viajar o mundo no Aero Papa, usar o Papa Móvel e tomar vinho do Vaticano o dia inteiro. Subiu no telhado A provável nomeação de Gabriel Chalita para o cargo de ministro de Ciência e Tecnologia foi anunciada aqui em primeira mão, assim como o risco de vir a ser “queimado” pelo ministro Aloizio Mercadante (Educação). De fato, o emprego de Chalita subiu (e ficou) no telhado. Disputa interna Membro da tendência Mensagem ao Partido, o ministro Eduardo Cardozo (Justiça) defende a candidatura de Paulo Teixeira (SP) a presidente do PT contra Rui Falcão, que integra a facção majoritária. Monitoramento O Ministério do Turismo criou um sistema que permite acompanhar Contratos de Repasse para estados e

Jornalista

municípios brasileiros. Mais de 7 mil projetos poderão ser monitorados. Tratamento Presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, Homero Pereira (PSD-MT) se licenciou por 30 dias para iniciar quimioterapia contra câncer de estômago. Assume o deputado Luiz Carlos Heinze (PP-RS). Diversificação Dono da agência de marketing político Lua Branca, que fez as últimas campanhas de tucanos como José Serra e Geraldo Alckmin, Luiz Gonzáles resolveu entrar no ramo de assessorias de comunicação. Irregularidades O número de ocupações irregulares no DF mais que dobrou em 2012. Levantamento da Secretaria da Ordem Pública mostra que ano passado houve mais remoções que nos últimos cinco anos. Sentença se cumpre Se o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDBRN), quer respeitar a Justiça, como declarou, deve cumprir a decisão da Suprema Corte nas condenações do mensalão, afirma o jurista Erick Wilson Pereira. Grande mãe Dilma viveu momento exURSS, anunciando “safra recorde” de grãos, mas não explicou como armazenar, escoar e quanto importará de pesticidas e insumos. Se tivesse anunciado safra recorde de aviões... Pensando bem... ... está na hora de alguém escrever o livro: “2005, o ano que não existiu para o PT”.

PODER SEM PUDOR

Adesão coincidente Nem no governo do PT o DEM (ex-PFL) suporta a ideia de ficar na oposição. Em uma reunião da executiva do partido em 2002, o então prefeito do Rio, César Maia, fez um discurso imaginando maneiras de aderir ao novo governo. “Se o PT aderir às ideias pefelistas, nós poderemos aderir ao governo Lula”, disse. Na terceira vez que o prefeito maluquinho usou a palavra “aderir”, ACM corrigiu: -- Não diga aderir, diga coincidir. A gargalhada foi geral.

CAMPANHAS

Nova regra de doação na pauta Um novo modelo para financiamento de campanha deve ser discutido pelos integrantes da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) na próxima terça-feira. Na pauta da comissão está o projeto que cria o Fundo Republicano de Campanha, que muda as regras de doações e contribuições de pessoas físicas e jurídicas a campanhas eleitorais. De autoria do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), o Projeto de Lei do Senado 140/2012

altera a Lei das Eleições (lei 9.504/1997), acrescentando a ela novos artigos disciplinando as doações. Pelo texto original, as doações e contribuições de pessoas físicas e jurídicas aos candidatos serão divididas em três partes iguais: um terço vai para a conta de campanha do candidato; um terço é enviado para as contas do partido político a que ele pertence e o terço restante é enviado ao Fundo, para custeio da campa-

Grupo foi instituído pelo presidente do Supremo, ministro Joaquim Barbosa, que terá 90 dias para elaborar anteprojeto

VALTER CAMPANATO/ABR

A6

nha de todos os candidatos registrados nas eleições. A proposta prevê ainda que o fundo será constituído por um terço das doações e contribuições às campanhas dos candidatos, partidos e coligações; das doações de pessoas físicas e jurídicas diretamente a ele e de dotações orçamentárias. Os recursos do Fundo serão repassados aos candidatos na forma de pagamento, por parte da administração do fundo.

O presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, quer revisar o Estatuto da Magistratura

O

presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, instituiu a Comissão de Estudo e Redação de Anteprojeto de Lei Complementar sobre o Estatuto da Magistratura. A comissão foi instituida por meio da portaria 47, de 18 de fevereiro de 2013. De acordo com o artigo 93 da Constituição Federal, compete ao Supremo a iniciativa de lei complementar neste sentido. A comissão será presidida pelo ministro Gilmar Mendes e composta ainda pelos ministros Ricardo Lewandowski e Luiz Fux, e deverá apresentar, em 90 dias, minuta de anteprojeto da lei complementar do novo estatuto.

PROPOSTA

A comissão criada pelo Supremo será presidida pelo ministro Gilmar Mendes e composta ainda pelos ministros Ricardo Lewandowski e Luiz Fux e deverá apresentar, em 90 dias, um anteprojeto Defasagem Ao criar a comissão, o ministro Joaquim Barbosa considerou o lapso temporal decorrido desde a promulgação da Constituição, em 1988, e a necessidade de consolidação e sistematização dos vários esforços para análise

do tema e para a elaboração de anteprojeto e de projeto de lei para regulamentação da matéria. Destacou também a defasagem e os litígios decorrentes do exame da recepção da atual lei que rege a magistratura nacional, a Lei Complementar 35/1979. Entre as competências da comissão estão recuperar a memória dos trabalhos com o mesmo propósito realizados por comissões ou individualmente por ministros do Supremo Tribunal Federal e consolidar, atualizar e propor adaptações à minuta do anteprojeto de lei complementar sobre o Estatuto da Magistratura. Com informações da assessoria de imprensa do Supremo.


Com a palavra

A7 FOTOS:ALBERTO CÉSAR ARAÚJO

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Sylvio PUGA E Waltair MACHADO

‘Vamos MODERNIZAR A Ufam’ ISABELLA SIQUEIRA Equipe EM TEMPO

À

A principal meta será levar a universidade para fora dos muros da Ufam. Passamos por um período de muita introspecção dentro da universidade e ainda não se alertou para isso. Hoje, a Ufam vive muito para si. Isso tem acontecido por ineficiência das administrações”

s vésperas do processo eleitoral para a escolha do novo reitor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), o EM TEMPO inicia uma série e entrevistas com os candidatos que irão disputar a eleição para administrar o maior centro de ensino público federal no Estado do Amazonas nos próximos 4 anos. O primeiro candidato é o professor da instituição há 15 anos, Sylvio Puga, que já foi coordenador do Centro de Ciências Econômicas e pró-reitor de extensão, e agora disputa pela segunda vez o cargo de reitor. Como candidato a vice em sua chapa disputa o também professor universitário Waltair Machado, que possui 35 anos de experiência na Ufam. Entre as plataformas de projetos da chapa 1, “Uma nova Ufam vai nascer”, está fazer uma administração ágil fortalecendo os três tripés: ensino, pesquisa e extensão. “Temos sido uma escola de terceiro grau, e não uma local de pesquisa e extensão. Temos muita competência sendo desperdiçada”, disparou Puga. EM TEMPO – A chapa de vocês alia experiência e inovação. Como foi formada essa composição para a disputa? Sylvio Puga – Conheço o professor Waltair desde a época que eu era estudante da universidade e fui representante discente no Conselho Universitário. Ele sempre foi uma pessoa honesta e clara, que buscava resolver os problemas na pasta que administrava. E essa é uma característica comum em mim também, não gosto de deixar nada por baixo dos tapetes. Por isso, quando fui buscar uma pessoa para formar nossa chapa esse perfil semelhante foi fundamental. EM TEMPO – Quais as principais propostas da chapa “Uma nova Ufam vai nascer”? Waltair Machado – A principal meta será levar a universidade para fora dos muros da Ufam. Passamos por um período de muita introspecção dentro da universidade, e ainda não se alertou para isso. Hoje a Ufam vive muito para si. Isso tem acontecido por ineficiência das administrações. Ser pesquisador na universidade e levar esse conhecimento para fora do campus tem sido uma tarefa muito ingló-

ria. Queremos trazer os projetos de pesquisas para dentro da Ufam. Além de fortalecer o tripé pesquisa, ensino e extensão de forma bem distribuída. EM TEMPO – Se vencedores, qual será o primeiro ato de vocês na reitoria? SP – Vamos apresentar uma proposta de ampla reforma administrativa e encaminhar esse relatório ao Conselho Universitário, onde iremos discutir com toda a universidade essa questão. Na última década a Ufam cresceu na capital e no interior, o problema é que a estrutura não acompanhou, e vivenciamos na atualidade uma série de problemas. Enquanto a estrutura não for mudada, vamos permanecer com os mesmo problemas. Ainda fazemos coisas, como aproveitamento de estudo, da mesma maneira que há 20 anos. Vamos modernizar de imediato a Ufam. EM TEMPO – Antigamente um professor universitário era visto em um alto patamar. Hoje, a profissão é vista em decadência. Como a chapa irá resgatar essa imagem? WM – Anteriormente as pessoas tinham pouco acesso ao conhecimento, e aqueles que estudavam mais eram visto de forma destacada. Agora, muitas portas se abriram e houve uma popularização da universidade. Hoje, se demanda de um professor muito mais do que se demandava antes. Não dá para ser professor se ele não estiver uma formação de mestrado ou doutorado. Vamos buscar apoio financeiro, logístico e de qualificação para reverter isso e demonstrar que a Ufam existe. EM TEMPO – Qual o principal problema que a Ufam enfrenta hoje? WM – Falta criação de parcerias externas. Nosso Departamento de Relações Internacionais precisa ser mais ativo, tem que ir buscar convênios, e não esperar que venham entregar em nossas mãos. SP – Isso é a raiz do problema. Muitas vezes essas parcerias externas necessitam apenas de um convite. Falta mobilidade estudantil e de professores intraestadual e até mesmo com o exterior. Falta um modelo de gestão que desburocratize a instituição e dê ferramentas para que a comunidade possa interagir com a administração superior dentro

PAULO LIEBERT/AE

de um plano organizando. EM TEMPO – Na última década, as universidades brasileiras entraram num processo de sucateamento. Quais os projetos da chapa para revitalizar a Ufam? WM – É fácil culpar o governo por uma série de problemas, mas é fato que os recursos enviados pelo governo federal nunca serão suficientes. Sempre vamos estar carecendo neste quesito. Mas, temos alternativas. As parcerias devem acontecer. Vivemos em um local onde a demanda por qualificação é grande e ao invés de propormos as parcerias, ficamos sentados esperando. Eu mesmo já fui buscar projetos por conta própria, e quando consegui enfrentei um verdadeiro calvário dentro da Ufam para conseguir colocá-lo em prática. EM TEMPO – Se na capital a situação é de alerta. O interior deve estar em condições muito piores. Quais os projetos da chapa 1 para melhorar o ensino superior nos municípios? SP – A descentralização dos serviços será o maior avanço. Hoje, se uma lâmpada queima no município de Benjamin Constant o problema precisa ser resolvido aqui na capital. No modelo atual de gestão é assim que funciona. Queremos medidas administrativas mais simplificativas. Descentralizar o setor administrativo orçamentário é a saída que vemos para esses problemas. EM TEMPO – Qual é o orçamento deste ano da Ufam? SP – O orçamento anual aprovado pelo Congresso Nacional e está em torno de R$ 500 milhões, que vai para pagamento de pessoal ativo e inativo e custeio da máquina. Outros recursos vêm através de projetos e das agências de fomento e pesquisa. EM TEMPO – Quem são os principais apoiadores da campanha de vocês SP – Sozinho não se vence batalhas. Estamos contando com o apoio do ex-reitor da Universidade Federal do Amazonas, Nelson Fraiji, e dos professores Ozail Medeiros, Renan Freitas Pinto, Sérgio Freire, Andréa Belém, Eduardo Nagão, Lucia Makarem, Nabor Pio, Adalberto Bonfim, Robson Negreiros, Eurico Azevedo, Claudio Chaves, David Lopes, além dos companheiros de Parintins, Coari e Itacoatiara.

É fácil culpar o governo por uma série de problemas, mas é fato que os recursos enviados pelo governo federal nunca serão suficientes. Sempre vamos estar carecendo neste quesito”

Falta criação de parcerias externas. Nosso Departamento de Relações Internacionais precisa ser mais ativo, tem que ir buscar convênios, e não esperar que venham entregar em nossas mãos”


A8

Política

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Presidentes de partidos se ‘perpetuam’ no poder Muitos estão há bastante tempo à frente das siglas. Outros as tratam como verdadeiros “feudos” para seus interesses DIVULGAÇÃO

O presidente regional do PT, ex-senador João Pedro, não descarta disputar a reeleição SARA MATOS Especial EM TEMPO

O

s partidos políticos no Amazonas assim como em todo o Brasil são dominados pelas mesmas pessoas ou grupos há bastante tempo. É o exemplo do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU), presidido pelo servidor dos Correios, Herbert Amazonas há 12 anos, desde 2001 e do Partido Republicano Progressista (PRP), fundado em 1991, que tem Jackson Chagas Saldanha como presidente desde 2007 e conta com um período de fim de vigência indeterminado à frente da sigla, segundo consulta feita no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Não é apenas o domínio da presidência dos partidos políticos no Estado do Amazonas que predomina, muitos políticos tratam as siglas como verdadeiros feudos ‘amazônicos’, devendo seus filiados lealdade absoluta às siglas, segundo análise do antropólogo e coordenador do Núcleo de Política e Cultura da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Ademir Ramos. “Os partidos brasileiros são realmente feu-

dos, por meio deles os eleitores se tornam apenas objetos de manobras”, disse. Outra curiosidade é do Partido Pátria Livre (PPL) que migrou para o Amazonas em 2009 e desde então Lenivaldo da Silva Ribeiro preside a sigla com gestão prevista pelo partido até o ano de

ELEIÇÕES

Nos próximos 2 anos, pelo menos cinco siglas deverão ter eleições internas para eleger ou ratificar suas respectivas direções: PSDB, em abril; PT e PSTU, em novembro; PSB e PPL, em 2014 2014, quando, segundo a direção estadual do partido, ocorrerá eleição para quem quiser se candidatar. No PSTU, o vice-presidente da sigla, Gilberto Vasconcelos, disse que a permanência de Herbert neste período todo se deve a uma ratificação de todos os dirigentes da legenda em favor da manutenção de Amazonas na direção do partido. ANTÔNIO CRUZ/ABR

HUDSON FONSECA

Herbert Amazonas, figura folclórica da política amazonense, está à frente do PSTU há 12 anos

Siglas de ‘estrelas’ e caciques Siglas como o PMDB, PSDB, DEM, PTB e PT possuem lideranças estaduais com destaques no cenário nacional, a exemplo do presidente regional do PMDB, senador Eduardo Braga. Líder do governo Dilma desde o ano passado, Braga ascendeu à liderança máxima da legenda em nível estadual

após a morte do ex-senador Gilberto Mestrinho, em 2009. E lá deverá ficar até 2014, segundo informações do site do TSE. Outro que deve ficar à frente da direção estadual de seu partido por tempo indeterminado é o deputado federal licenciado, Pauderney Avelino (DEM), hoje secretário municipal

de Educação. Já o deputado federal Sabino Castelo Branco domina desde 2009 o PTB e ficará até 2015. Antes, o partido tinha como líder o ex-prefeito de Manaus, Amazonino Mendes, que – após brigas internas pela liderança - que deixou a sigla em 2011 para se filiar ao PDT.

Reeleições se tornaram comuns A maioria dos partidos, segundo consulta feita pela reportagem ao TSE, tem um período para novas eleições dos presidentes, que não é o mesmo período para todos. Uns realizam a eleição a cada 2 anos; outros a cada 3 anos. Mas as reeleições são indefinidas, ou seja, o presidente pode se reeleger quantas vezes conseguir. As

eleições são realizadas em congressos e conferências nacionais. Siglas como o PMDB, o PSDB e o PSTU têm votações a cada 2 anos. Mas, no PSTU, por exemplo, o encontro periódico é um momento para reafirmar a permanência de Herbert Amazonas como presidente estadual do partido. O presidente estadual do

PT, João Pedro, mesmo estando à frente do partido há apenas 6 anos, desde 2009, declarou sua vontade de se reeleger para um novo mandato, no final do ano quando terá a eleição interna para o próximo triênio. Já em outros partidos, não há regras para reeleição, a exemplo do PMN, segundo declarou o presidente da sigla, Jerônimo Maranhão.

Reforma política se faz urgente O antropólogo Ademir Ramos lembrou a urgência de se colocar na pauta do Congresso Nacional a reforma política em todo o Brasil, pois de acordo com ele os partidos têm direito privado, mas muitos deles recebem verbas públicas e que a questão da ficha limpa é um avanço que precisa ser expandido às direções dos partidos. “Partido político é de direito privado e mesmo assim muitas vezes eles recebem verbas públicas e o avanço da ficha limpa ainda é uma questão que está apenas em torno do candidato. Ela deve responsabilizar os partidos. Ou seja, também devem ser criminalizados”, encerrou.

R$ 270 MILHÕES

Extras milionárias na Câmara

Eleição da mesa diretora custou hora extra ao parlamento

A Câmara dos Deputados produziu um levantamento mostrando que, de 2008 a 2012, o órgão fez despesas de R$ 269,9 milhões com horas extras e sessões noturnas. O levantamento confirma aquele feito pelo site Congresso em Foco, ao apontar elevações de gastos nos períodos de 2009 e 2011, quando houve eleições da mesa diretora, em relação aos anos imedia-

tamente anteriores. Apesar disso, os dados da casa são superiores aos levantados pelo site. O portal tentou esclarecer essa diferença com a assessoria de imprensa da Câmara na noite da última quinta-feira, quando recebeu os números, mas não localizou os assessores. Apesar disso, o site apurou que o motivo foi a metodologia usada pela Câmara.

Os dois levantamentos tiveram origem no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi). Entretanto, o site utilizou os valores efetivamente pagos informados pelo sistema. Já a Câmara usou os valores “liquidados”, que, grosso modo, significam os gastos feitos dentro de um ano, mas não necessariamente pagos naquele período. Durante o mês de janeiro, o

Congresso Nacional funciona em ritmo mais lento. Não ocorrem sessões no plenário nem reunião das comissões permamentes e temporárias. Muitos funcionários entram em recesso. Gabinetes trabalham em esquema de revezamento. Os próprios parlamentares aproveitam o mês para tirar férias. A cada 2 anos, no entanto, as despesas aumentam.


Caderno B

Economia MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

economia@emtempo.com.br

(92) 3090-1045

IONE MORENO

Comer fora de casa custa caro em Manaus Economia B4 e B5 DIVULGAÇÃO

Indústria relojoeira amplia faturamento

Nos últimos seis anos, o crescimento do setor foi de 130,7%, desempenho que elevou a participação das fabricantes de relógios nos lucros do PIM DIVULGAÇÃO

JULIANA GERALDO Especial EM TEMPO

O

s ponteiros da evolução do segmento relojoeiro no Amazonas avançam rapidamente. Ao encerrar 2012 com um faturamento de US$ 617 milhões, o setor cresceu 130,7% nos últimos seis anos, de acordo com os indicadores da superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). Atualmente, o segmento representa 1,6% dos ganhos totais do Polo Industrial de Manaus (PIM), um crescimento de 0,6 pontos percentuais em relação à participação de 2007, ano em que a autarquia iniciou o acompanhamento dos dados. Pode parecer pouco, mais a fatia representa um acréscimo de aproximados US$ 300 milhões no faturamento final do parque fabril. Durante a primeira reunião do Conselho Administrativo da Suframa (CAS), nesta semana, o superintendente da autarquia, Thomaz Nogueira, havia destacado a importância do setor que começa a ocupar uma faixa entre os principais segmentos que compõem o bolo do faturamento do modelo. Em outra ocasião, ele havia ressaltado que o avanço é reflexo da alteração da imagem do produto no mercado. “Apesar de todos os equipamentos modernos informarem as horas, o relógio não perdeu sua capacidade de aceitação no mercado. É o único produto do polo que passou da categoria de commodities para joia e ganhou muito com a transformação”, aponta. Na avaliação do presidente do Conselho Superior do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), o empresário Maurício Loureiro, o setor volta a ocupar o seu lugar no mer-

cado, após passar por alguns momentos de sufoco. “Temos apenas sete indústrias instaladas e chegamos a contabilizar 17 fabricantes. Passamos por muitos problemas com a pirataria e com a concorrência dos produtos subfaturados trazidos principalmente dos países asiáticos”, explica. O vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam) e presidente do Sindicato das Indústrias de Relojoaria e Ourivesaria de Manaus (Sirom), Nelson Azevedo detalha que há seis anos, o preço para se produzir um relógio em Manaus era de US$ 8 dólares (quase R$ 16) contra um produto que custava em média US$ 2 (R$ 4) por unidade para ser importado. “Não tenho como detalhar o custo hoje, mas posso garantir que a discrepância é bem menor”, afirma. Os dois dirigentes concordam que a imagem de acessório incorporada ao produto auxiliou na retomada do crescimento. Nos últimos três anos, considerado o período de recuperação o avanço do faturamento foi de 21,8%, passando de US$ 506,4 milhões para os atuais US$ 617 milhões. Balanço O ano de 2012 foi considerado bom pelo empresariado embora os indicadores da Suframa tenham anotado um recuo de 4,22% no faturamento frente ao ano anterior quando a fabricação de relógios acumulou ganhos de US$ 644,2 milhões. O impacto foi considerado dentro da normalidade, conforme Nelson Azevedo. Segundo o dirigente, o ano passado foi ruim para a economia brasileira, em geral, em função dos impactos na economia mundial. “Apesar de o segmento estar saudável, não foi possível eliminar todos os efeitos”, ressalta.

Em 2013, a expectativa do setor é crescer 5% sobre o faturamento, enquanto que produção deve chegar a 12,5 milhões de relógios

Exportações do setor aumentaram 332% Mesmo com mais de 90% da produção destinada ao mercado interno, a venda de relógios para o exterior tem apresentado incrementos a passos largos. Um dos indicativos dos avanços das fabricantes do acessório está nas exportações do setor, que cresceram 332% no ano passado em relação a 2011. Na comparação com 2007,

quando foram vendidos apenas 5,6 mil relógios, a diferença chega a 1.000%. “A exportação tem um papel importante e promissor no segmento, que tem os países da América do Sul como principais compradores”, afirma o presidente do Sindicato das Indústrias de Relojoaria e Ourivesaria de Manaus (Sirom), Nelson Azevedo.

Empregos O número de postos de trabalho, que dobrou no intervalo de seis anos, é outro indicativo de melhora no segmento. De acordo com os indicadores da Suframa, o setor finalizou o ano passado com geração de 2,5 mil vagas contra 1,3 mil trabalhadores empregados em 2007, acréscimo de 48%. Já

no comparativo com 2011, quando 2,4 mil postos foram criados, o crescimento foi da ordem de 10,3%. Hoje, sete empresas compõem o Polo Relojoeiro, entre elas a Technos, a Seculus e a Dumont Saab. Juntas elas produzem em média um milhão de unidades por mês, com um preço médio de venda de R$ 100 por relógio.


B2

Economia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Um ano bom para investir em novos negócios no AM Conforme previsão do Sebrae/AM, 2013 é o momento ideal para os empresários criarem empreendimentos no Estado CAROL CASTRO Equipe EM TEMPO

P

ara quem planeja abrir o próprio negócio em 2013, é hora de tirar os projetos do papel e colocá-los em prática. De acordo com a previsão do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Amazonas (Sebrae-AM), o empreendedorismo será uma das atividades que estará em alta este ano no Amazonas. “Estamos otimistas. Nossa expectativa é de que 2013 promete alavancar os negócios de micro e pequenas empresas no Estado”, avalia o diretor-superintendente do Sebrae-AM, Vicente Schettini. De acordo com dados do Sebrae-AM, o Índice de Confiança dos Pequenos Negócios deverá fechar em torno de 53% no primeiro trimestre do ano. As políticas do governo federal e os grandes eventos esportivos que se avizinham como a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 serão os principais motivadores para os empresários que estão no mercado e para os novos empreendedores. Conforme Vicente Schetinni, serviços e a construção civil são os setores que devem atrair novos empreendimentos. “O aquecimento na construção civil está relacionado às várias frentes de obras em infraestrutura e ao setor imobiliário. Já o setor de serviços será beneficiado devido à facilidade para entrar no mercado, uma vez que é menor a exigência de capital do que, por exemplo, na indústria, que requer capital fixo e de giro para o desenvolvimento das atividades”, enfatiza o diretor. Atenta a esta tendência, a empresária Jéssica do Valle buscou a ajuda do Sebrae

para abrir uma nova empresa do grupo Casa do Eletricista, a AF do Valle, uma vez que encontrou alguns contratempos para levar o empreendimento adiante. Segundo ela, a parceria com o Sebrae-AM fortaleceu o negócio. “Por não estar preparada para entrar no mercado, busquei socorro com a entidade, pois precisava entender onde estava errando para tentar reverter a situação imediatamente”, lembra. Planejamento O empreendedor que quer investir deve seguir alguns passos antes de abrir o próprio negócio. Conforme di-

ESTIMATIVA

O sonho de ter o próprio negócio pode ser realizado com investimento inicial inferior a R$ 1 mil, conforme o Sebrae-AM. A entidade possui mecanismos para ajudar quem quer “alçar voo” sozinho

cas do Sebrae/AM, é preciso fazer um levantamento das atividades em que deseja ingressar para elaborar um plano de negócios com todas as informações colhidas. O primeiro passo deve ser observar consideravelmente o que acontece e como funciona um segmento já existente igual ou similar àquele que deseja montar. Esse zelo inclui fazer perguntas aos possíveis clientes e empresários que estão na ativa, além daqueles que não obtiveram êxito no mercado. “Fazer um registro de tudo que averiguou é importante para a elaboração do plano de negócios que irá direcionar o futuro empresário”, explica o diretor do SebraeAM, Vicente Schetinni.

Alfredo MR Lopes alfredo.lopes@uol.com.br

A abertura dos portos A medida provisória que trata do enfrentamento do gargalo logístico em vigor foi chamada apropriadamente de segunda abertura dos portos no Brasil, por sua relevância e emergência. Um fato que atinge diretamente esta região cortada por mais de vinte mil léguas fluviais e de descaso. Para a Amazônia, a existência e o funcionamento dos portos representam historicamente um fator essencial de comunicação, negócios e compreensão da cultura de toda sua memória e socioeconomia. Talvez por isso, um dos mais importantes ícones de representação regional, localizado na cidade de Manaus, é Monumento de Abertura dos Portos, construído no epicentro do Largo de São Sebastião, compondo, com a Igreja do Santo que lhe empresta o nome e o Teatro Amazonas que os contempla, a síntese afetiva de nossa identidade cultural amazônica. Rodeado de árvores, como o

fator humano que insiste e resiste na floresta, o monumento foi erguido em homenagem ao ícone dos portos e sua abertura, na Amazônia, para o comércio internacional, liberada apenas seis décadas após a abertura dos portos do Brasil às nações amigas, decretada pela família real portuguesa em nome de sua integridade e sobrevivência, em 1808. Os detalhes do Monumento são impressionantes e estão todos aos pés de uma guerreira amazona, ou seja, da própria Amazônia, cortejada por Hermes, deus grego dos negócios, a autorizar quatro caravanas que apontam em direções libertárias, batizadas com os nomes dos continentes. E tudo isso, sobre um piso que rodeia toda a praça com linhas ondulares em preto e branco que remetem ao Encontro das Águas, um padrão que inspirou mais tarde o calçadão da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, e que ilustra o banzeiro

de uma impaciência atávica. Pressionado pelo gargalo logístico que, entre outras precariedades de infraestrutura vigente, detona a competitividade da indústria, do agronegócio e da economia nacional e, no caso do polo industrial de Manaus, representa o começo do esvaziamento ou o fim do modelo, o governo se apressa em recuperar o tempo perdido, sua omissão crônica e conivência perversa com as anomalias financeiras em que se transformou a atividade portuária no país para, por exemplo, a lavagem de finanças marotas. Diante dos fatos e riscos, e das tragédias anunciadas por conta da omissão, não restou ao país senão reconhecer que carga tributária elevada, infraestrutura capenga e apadrinhamento de empresários e trabalhadores – a política do favor - estão na raiz da incompetência nacional de fazer o país crescer. É hora, pois, de o governo trabalhar

e fazer sua parte. A propósito, a abertura dos portos do país para investimentos privados, o cerne da medida provisória 595, é o começo de uma virada que precisa acontecer. Num modo de produção capitalista não há mais lugar para o regime feudal, configurado nas reservas de mercado, destinada aos privilegiados da Corte, a expensas do custo Brasil e do culto à ineficiência logística no escoamento da produção e florescimento de negócios. Completados 46 anos, a despeito do otimismo dos números da Suframa, suas previsões cabalísticas, que remete ao paradigma avestruz de enfrentamento de obstáculos, o modelo Zona Franca de Manaus dá sinais claros de esgotamento, justamente pela fragilidade de sua infraestrutura, que retira a competitividade dos produtos da indústria local, obrigando o incremento viciado da distribuição – frequentemente irônica

- de benefícios fiscais que incentiva empreendedores, mas pune o cidadão mais humilde atingindo-o com a ampliação da carga tributária nos itens da cesta básica. O mesmo governo que promove a oxigenação e saneamento dos descaminhos portuários, e ensaia mudanças para os vícios do país cartorial, é o mesmo que tem zombado dos interesses locais, vítimas de gargalos rentáveis e intocáveis. São atitudes incoerentes, que impedem a modernização portuária da economia cabocla, exatamente como aconteceu no passado, em nome da guarda de interesses inconfessos e amorais. Uma história que se repete como farsa e que é preciso, urgentemente, superar e equacionar, para autorizar o alcance e o sentido libertário da abertura dos portos, como sugere emblemático e profético o tal monumento.

Alfredo MR Lopes Filósofo e ensaísta

São atitudes incoerentes, que impedem a modernização portuária da economia cabloca, extatamente como aconteceu no passado em nome de interesses inconfessos


MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Economia

B3

Autônomos aderem a tecnologias para lucrar Conhecidos pelo trabalho porta a porta, vendedores independentes recorrem à modernidade para conquistar clientes ELAINE THOMPSON/AE

BRUNO MARZZO Especial EM TEMPO

A

utônomos que utilizam a tradicional venda porta a porta em Manaus sucumbiram às tentações dos tempos modernos e aderiram às novas tecnologias na hora de comercializar seus produtos. O uso da internet para acessar as redes sociais ou de máquinas de cartão de crédito se tornou comum entre alguns desses vendedores, que viram seus negócios alavancarem em até 50%. “Soube pela internet que uma nova tendência de colares estava surgindo no eixo Rio-São Paulo. Comecei a elaborar as peças em casa e vender para minhas amigas e alunas. Quando decidi montar uma página em redes sociais o volume de pedidos aumentou em 50%. Tive que passar madrugadas em claro para dar conta dos pedidos. Mas não me arrependi”, revela a professora universitária Eliza Luchini. Ciente desta realidade, a autônoma Sulamita Nunes afirma que já solicitou uma máquina de cartão de créditos para usá-la nas vendas de seus produtos. Ela salienta que fez o pedido por motivos de

segurança e evitar possíveis calotes dos clientes. “Costumo ir às escolas abordar professores e funcionários públicos. As vendas são certas. Porém, já levei alguns tombos porque alguns professores mudam de escola sem deixar rastros, o que me abriga a assumir a dívida com os meus fornecedores”, conta. O economista Ailson Rezende aponta que os vendedores autônomos devem computar seus ganhos e custos, pois desta forma conseguem planejar melhor suas ações e investimentos. “Cada despesa deverá ser anotada. Muitas vezes o vendedor autônomo não sabe estimar o que é lucro e o que é capital de giro porque mexe no dinheiro aleatoriamente. Quando chega o final do mês, ficam sem saber quanto as despesas lhe custaram” explica. De acordo com o especialista, as vendas on-line não conseguiram quebrar o ritmo das vendas de porta em porta. “Há uma resistência nas compras via internet porque as pessoas temem que suas informações sejam roubadas na internet. Portanto, enquanto as vendas pela internet não tiverem claras, a abordagem direta prevalecerá”, acrescenta.

Método tradicional é mantido Apesar dos avanços tecnológicos, a autônoma Heleny Menezes Marinho, que tem 15 anos de experiência, ainda resiste em aderir às novas ferramentas dos tempos atuais. Ela afirma que já pensou em adquirir uma máquina de cartão de crédito. “É uma opção a mais de venda, uma vez que meu público é muito eclético, pois trabalho com produtos para homens, mulheres e crianças”, opina. Mesmo assim, Leny, como é conhecida pela clientela, garante que seus negócios vão de “vento em popa”. Segundo ela, a comercialização continua boa, apesar de manter o jeito tradicional de vendas porta a porta. A utilização de máquinas de cartão de crédito tem aumentado entre os vendedores autônomos


B4

Economia

Comer fora sai c Números do IBGE mostram que gastos com refeições em estabelecimentos que vendem alimentos representam 35,9% do orçamento das famílias na capital amazonense HENRIQUE XAVIER Equipe EM TEMPO Online

A

praticidade de comer fora de casa pode sair “salgado” no final do mês, uma vez que esse hábito dos tempos modernos compromete hoje 35,9% do orçamento doméstico da família manauense. O índice local chega a ser maior do que a média nacional. Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística no Amazonas (IBGE-AM), comer fora de casa representa um terço do total de gastos das famílias brasileiras com alimentos. Para o funcionário público federal Agenor Noronha, a alimentação fora de casa tem um impacto de 20,8% no cômputo geral do orçamento mensal. Segundo ele, o valor do self service em muitos restaurantes chega a ser por vezes proibitivo para um “pai de família” que não tiver incluído vale-alimentação entre os benefícios que recebe da empresa onde trabalha. “Eu, que sou vegetariano, tenho gastos médios diários de R$ 23, o que representa uma despesa média de R$ 500 por mês com comida pronta. Como

perderia muito tempo no trajeto até minha casa, acabo ficando refém do preço praticado pelos restaurantes”, explica. Por sua vez, o ajudante de carpinteiro Elias Meiriño, que recebe vale-refeição, não esconde sua insatisfação com o valor e a qualidade do prato feito. Segundo ele, as despesas diárias obrigatórias com alimento pronto é de R$ 12, o que equivale a incluir no orçamento R$ 288 por mês. “Não posso comer além do que permite o valor dos tíquetes. Se eu quiser comer mais terei de despender mais um vale, o que comprometeria o orçamento. Mas além de ser muito cara, falta diversificar à comida popular aqui em Manaus. É tudo muito repetitivo e de baixa qualidade”, salienta. Centro De acordo com a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus (CDL-Manaus), a média do valor dos vales-refeições dos trabalhadores no Centro é de R$ 8. “Esse valor representa 20% do salário mensal de um funcionário do comércio. O pagamento do benefício é obrigatório, conforme convenção coletiva”, explicou o presidente da CDL-

Manaus, Ralph Assayag. Comparação De acordo com informações do IBGE, em valores nominais, as famílias amazonenses de maior renda gastam com alimentação fora de casa um valor aproximado de quase seis vezes mais que as famílias que recebem até R$ 830 mensais. As famílias manauenses de maior renda gastam R$ 1.198,14 em média com o item, ao passo que as de menores rendimentos destinam R$ 207,15 em média para os gastos com alimentação fora do lar. Dentro do item, o pescado e as carnes lideram com folga os gastos, pois 21,9% das despesas com alimentação são destinadas a compra desses produtos. “A diferença em relação a Belém é que a capital amazonense quase nada produz de alimentos. É praticamente uma metrópole consumidora, já que importa mais de 90% daquilo que consome. Então, o impacto sobre o bolso das famílias é muito maior que em outras regiões industriais”, explica o disseminador de informações do IBGE, Adjalma Nogueira.


MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

B5

caro em Manaus IONE MORENO

IONE MORENO

A receita para economizar Na opinião do economista Salomão Neves, apesar de a alimentação estar entre as atividades imprescindíveis, existem meios de reduzir os gastos com o item no fim do mês. Para o especialista, alguns pontos podem representar um grande diferencial no balanço final das contas. Entre as dicas importantes, ele sugere que a pessoa procure cozinhar em casa, fuja de programas alimentares caros, ao invés de ir à pizzaria todo fim de semana, chame os amigos em casa para um programa mais barato, use marmita quando não puder voltar para casa, compare preços e qualidade do alimento oferecido. O local onde a comida está sendo comercializada também precisa ser levado em conta. Se a pessoa for só pelo impulso de pegar o que gosta, corre o risco de amontoar o prato com comida já nas primeiras bandejas, não deixando espaço para alimentos que estão no final. Na hora de

escolher, não se entregue somente ao desejo imediato. Procure dar ordem e balanço ao que vai comer. Tente servir-se de pelo menos três bases de alimentos: legumes, verduras e fibras; os carboidratos (grãos, massas, farinhas); e as proteínas (carnes, gorduras, laticínios). Salomão Neves explica que reduzir as despesas e economizar nem sempre são vistas como atitudes louváveis, principalmente pelas pessoas que serão diretamente envolvidas com essas decisões, mas desconhecem as razões para essas alterações no orçamento familiar. “A imagem do ‘pão-duro’ aparece quando você não tem um projeto financeiro em família. É preciso ter diálogo, ou seja, expor suas intenções antes de reduzir os gastos. Alimentação é imprescindível, mas se o objetivo é fazer o dinheiro render mais, sempre há maneiras de economizar nas refeições fora de casa”, enfatiza o especialista em finanças. A correria dos tempos modernos obriga as pessoas a comerem na rua, o que onera o bolso


B6

País

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Crescimento da economia depende de investimentos

SEM FRONTEIRAS

Governo brasileiro reduz exigências de idiomas

A avaliação é do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, que apontou como extensa a agenda do Brasil REPRODUÇÃO

A

melhora na economia em 2013, que teve um crescimento de 0,9% em 2012 e desempenho negativo na indústria com queda de 0,8% no mesmo período, depende de expansão dos investimentos e do aumento da competitividade. A avaliação é do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade. Andrade disse que a agenda do investimento no Brasil é extensa e deve incluir incentivos à poupança interna, em consonância com os instrumentos de política cambial, monetária e fiscal. “O país precisa elevar os investimentos públicos e garantir o êxito dos programas de concessão e das parcerias público-privadas nas obras de infraestrutura”, disse. No entender do presidente da CNI, o fraco desempenho da economia em 2012 se caracterizou pelo descompasso entre a expansão do consumo das famílias, que cresceu 3,1%, e dos investimentos, que caíram 4%. Com isso, a participação dos investimentos no Produto Interno Bruto (PIB) baixou de 19,3% para 18,1%, comparado a 2011, no mesmo patamar de 2009. Essa participação é a menor taxa de investimento entre os países em desenvolvimento e entre os principais emergentes. Na China, esses índices representam 47,8% do PIB; na Índia, 36%; na Rússia, 23,5%; e na África do Sul, 21%. Um dos fatores que explicam a taxa de investimento no Brasil é a poupança interna, cuja participação no PIB foi apenas 14,8% em 2012, o mesmo nível de 2002, e com poupança baixa, faltam recursos para investimentos.

O governo brasileiro diminuiu a exigência de conhecimento de alemão, francês, inglês e italiano para seleção de bolsistas do programa Ciência Sem Fronteiras (CsF) que pretendem estudar em universidades na Alemanha, França, Austrália, Canadá, EUA e Itália. Com a medida, universitários com baixo nível ou até nenhum conhecimento nesses idiomas poderão ser selecionados para o intercâmbio - antes era exigido nível intermediário ou avançado da língua. Com a flexibilização, o governo quer preencher um maior número de vagas do programa - a falta de conhecimento no idioma é um dos principais obstáculos para os brasileiros. O programa, que tem foco na área tecnológica, atingiu, até janeiro deste ano,

apenas 22% da meta de enviar 101 mil bolsistas até 2015. Os bolsistas que forem para o exterior com baixo conhecimento da língua estrangeira terão de participar de um curso intensivo para melhorar a proficiência. O curso também será bancado pelo governo federal, e o aluno terá de fazer uma prova para ingressar na universidade. Especialistas ouvidos pela reportagem, no entanto, alertam que mesmo com o curso de imersão os estudantes poderão não alcançar um nível adequado para acompanhar as aulas em outro idioma. Isso porque, no caso dos bolsistas dos Estados Unidos e da França, de acordo com os editais, a duração prevista para o curso é de apenas dois meses, tempo considerado insuficiente para melhoria das habilidade linguísticas.

ERRO MÉDICO

Presidente da Embratur cria ONG para prevenção

Desequilíbrio climático provocou perdas significativas na renda do produtor e na cadeia produtiva

Recuo reflete na agropecuária A presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu (PDS-TO), disse que o recuo de 2,3% no desempenho da agropecuária reflete os efeitos da seca no período de desenvolvimento das culturas e do excesso de chuva na época da colheita. O desequilíbrio climático, segundo Kátia Abreu, provo-

cou perdas significativas na renda do produtor e na cadeia produtiva, o que reforça a necessidade de se aperfeiçoar os instrumentos de gestão de risco no agronegócio brasileiro; em especial do seguro rural. “É a única maneira de manter a renda estabilizada e o nível de investimentos, minimizando os reflexos do setor”, disse.

Kátia Abreu disse que o agronegócio caiu 1,89% no ano passado. Ela está otimista, porém, quanto à possibilidade do setor retomar o dinamismo neste ano, em função da estimativa de uma safra recorde, avaliada em 184 milhões de toneladas de grãos e de 596 milhões de toneladas de cana-de-açúcar.

Depois de um ano cobrando punição para evolvidos na morte de seu filho Marcelo, o presidente da Embratur, Flávio Dino, decidiu criar uma organização não governamental para debater e prevenir erro médico. “Se eu, advogado de formação, com todas as condições possíveis, tenho dificuldade de ver a Justiça feita, imagine pessoas em situações menos privilegiadas, sem tempo ou recursos para buscar seus direitos”, afirma. A entidade, batizada de Centro Brasileiro sobre Crimes para Saúde, deverá iniciar sua atuação neste mês. Com sede em Brasília, a ONG deverá manter um site com orientações para vítimas de erro médico. Além desse serviço, a entidade deverá promover debate sobre as causas estruturais que levam às falhas

e monitorar a aplicação de recursos públicos na área de saúde. “Temos organizações ambientais, de defesa do consumidor. Mas nada para defender o paciente dos abusos que são cometidos”, afirma. Marcelo, na ocasião com 13 anos, morreu em fevereiro do ano passado, menos de 24 horas depois de ser internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de um hospital de Brasília, com uma crise de asma. Dino conta que pouco antes de receber alta, o jovem recebeu uma medicação e passou mal. A médica de plantão não estava na sala, pois ajudava um colega a fazer um parto. Ele sustenta que o medicamento foi aplicado de maneira inadequada, o socorro demorou e a médica estava nitidamente atordoada, por vir de uma jornada de 23h.


País

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

B7

Áreas de pesquisas terão investimento de R$ 300 mi A

área de pesquisa e desenvolvimento em tecnologias da informação e comunicação (TICs) no país vai receber um investimento de R$ 300 milhões nos próximos cinco anos. A iniciativa faz parte de acordo assinado na última semana entre a Intel Brasil, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e o Ministério da Educação (MEC). Com a medida, a Intel vai aplicar os recursos de R$ 300 milhões para investir e financiar pesquisas em universidades brasileiras e, em contrapartida, o governo federal vai oferecer bolsas a estudantes e pesquisadores, por meio de edital que será lançado ainda este semestre. Os setores de educação, energia e transporte serão os focos da pesquisa. A medida deve envolver 300 pesquisadores, entre colaboradores, pesquisadores de universidades e bolsistas. O ministro Marco Antonio Raupp, do MCTI, destacou a necessidade de estabelecer parcerias de cooperação público-privada na área de ciência e tecnologia. “É fundamental esse esforço que o Brasil faz para entrar no desenvolvimento sustentável. (…) Fiquei felicís-

FABIO RODRIGUES POZZEBOM/ABR

Com a medida, a Intel vai aplicar os recursos para investir e financiar pesquisas em universidades brasileiras simo, pois tenho apoiado essa direção, de buscar a participação das empresas privadas. Aqui estamos praticando isso. A presidenta Dilma Rousseff foi claríssima em dizer que é a receita a ser executada mesmo”, disse Raupp. Soluções de soſtwares Nos setores envolvidos, o foco será o desenvolvimento de soluções de soſtwares, como ferramentas de visualização e simulação para extração de petróleo na camada do pré-sal, soſtwares educacionais, computação de alto desempenho, tecnologias para emplacamento eletrônico de carros e soluções baseadas em tecnologia de ponta para aumentar a eficiência na gestão de trânsito de passageiros e carga. Segundo o presidente da Intel na América Latina, Steve Long, a empresa pretende “acelerar a penetração da tecnologia”, transferindo conhecimento ao país. De acordo com o secretário de Política de Informática do MCTI, Virgílio Almeida, o setor de tecnologia da informação no Brasil faturou R$ 123 bilhões em 2012 e representa atualmente a sétima posição no mercado global.

O ministro Marco Antônio Raupp, do MCTI, destacou a necessidade de estabelecer parcerias de cooperação público-privada

MARCELO CAMARGO/ABR

USP

Alunos que hostilizaram feministas são processados A USP São Carlos (a 232 km de São Paulo) vai abrir um processo administrativo contra alunos que hostilizaram um grupo de feministas que protestava contra um trote na universidade. Em reação ao ato feminista, alguns veteranos ficaram nus, simularam se masturbar e atiraram objetos contra as manifestantes. O “Miss Bixete”, desfile organizado por membros do intitulado GAP (Grupo de Apoio à Putaria), formado por veteranos, aconteceu no campus na recepção dos novatos. Eles convidaram calouras a subirem ao palco e a exibir o corpo no desfile - muitas foram estimuladas a erguer a blusa e ouviram gritos de “peitão”, “bundão” de resposta. Em nota, a USP disse que a atividade não faz “parte da Semana de Recepção dos Calouros” e que “é veementemente contra qualquer ação

que cause constrangimento”. O evento ocorreu na última terça. Ao menos 50 manifestantes do grupo feminista, que teve o apoio de homens, erguiam faixas e entoavam músicas contra o desfile. Segundo uma estudante de 20 anos, membro da Frente Feminista de São Carlos e que pediu o anonimato, pelo menos seis veteranos se irritaram com o ato e começaram a hostilizar os manifestantes. “Chegaram ao ponto de jogar cerveja e bombinha nas manifestantes”, disse. “Rasgaram nossa faixa e simularam sexo com uma boneca inflável na nossa frente. Até tentaram se aproveitar de algumas das manifestantes, tentaram agarrá-las”. Pelo menos desde 2005, integrantes do centro acadêmico participam de protestos contra o evento. Neste ano, a Frente Feminista participou pela primeira vez.

Dependentes de crack terão leitos específicos em hospital

INAUGURADO

Hospital com leitos para dependentes de crack O Hospital Municipal Evandro Freire, na Ilha do Governador, na Zona Norte da capital fluminense, foi inaugurado na sexta-feira pela presidente Dilma Rousseff. A unidade tem 120 leitos, capacidade para 6 mil atendimentos mensais e irá beneficiar 900 mil pessoas da região.“Eu acho que aqui vocês recebem um presente histórico”, disse Dilma, destacando que o hospital tem leitos destinados ao tratamento de dependentes químicos, principalmente de crack. A presidenta ressaltou a consciência que cada brasileiro tem que ter para combater e vencer o crack, “droga que destrói principalmente os jovens e as suas vidas”. Presente à solenidade, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, assinou portaria que libera para a prefeitura do Rio de Janeiro recursos do minis-

tério, no montante de R$ 30 milhões, que ajudarão a fazer a manutenção do hospital. “O Ministério da Saúde vai ajudar com pouco mais da metade dos recursos para a manutenção desse hospital [prevista em R$ 55 milhões] que ajuda muito o ministério, o estado e o município a enfrentar o que nós chamamos Programa SOS Emergência, para melhorarmos o atendimento nos maiores prontos-socorros do país”, disse Padilha. Ao falar sobre a disponibilidades de leitos especializados para pacientes com dependência química, sobretudo de crack. O ministro declarou que o novo hospital vai ajudar a resolver esse problema grave que afeta muitas famílias no país, dando atendimento no momento mais crítico, para evitar que a pessoa corra risco de morrer.


Mundo

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Corte orçamentário vai afetar ações do Pentágono

RODOVIAS

Diálogo com setor cafeeiro é interrompido na Colômbia

REPRODUÇÃO

Declaração é do novo secretário de Defesa dos EUA, Chuck Hagel. De acordo com ele, a incerteza, com possibilidade de cortes, põe em risco todas as missões

Hagel disse, em sua primeira entrevista coletiva no cargo, que a Marinha terá de desativar, gradualmente, quatro unidades aéreas

O

novo secretário de Defesa dos EUA, Chuck Hagel, disse na sexta-feira que a incerteza orçamentária - com a possibilidade de novos cortes de 46 bilhões de dólares nas verbas da Defesa-põe em risco o cumprimento de todas as missões do Pentágono. Na sua primeira entrevista coletiva desde que tomou posse no cargo, na última quarta-feira (27), Hagel disse que, por causa dos cortes, a Marinha terá de gradualmente desativar quatro unidades aéreas, a Força Aérea terá de cortar imediatamente as horas de voo, e o Exército irá reduzir treinamentos. “Deixe-me deixar claro que essa incerteza põe em risco nossa capacidade de cumprir efetivamente todas as nossas missões”, disse Hagel, acrescentando que, enquanto os cortes continuarem em vigor, “seremos forçados a assumir mais riscos, com medidas que

irão progressivamente ter efeitos abrangentes”. Moderado Hagel, no entanto, adotou um tom mais moderado que outras autoridades de defesa, segundo as quais os cortes orçamentários seriam devastadores e poderiam transformar as Forças Armadas dos EUA em um poderio de segunda categoria. O novo secretário disse que os EUA “têm a melhor força de combate, a mais capacitada força de combate, a mais poderosa força de combate do mundo”, e garantiu que “a gestão dessa instituição, a começar com o Estado-Maior, não vai permitir a erosão de tal capacidade”. “Vamos gerir essas questões. Há ajustes. Antecipamos esse tipo de realidade, e vamos fazer o que precisamos para assegurar as capacidades das nossas forças”, acrescentou Hagel. As declarações do secretário

foram feitas num dia em que a Casa Branca e o Congresso não conseguiram um acordo que impeça o chamado “sequestro” de 85 bilhões de dólares do orçamento governamental,

LICENÇA

Ainda neste mês, segundo Hagel, o Pentágono deverá notificar preliminarmente milhares de funcionários civis sobre a concessão de uma licença não remunerada. Maioria dos funcionários será afetada que começa a vigorar à meianoite, conforme prevê uma lei de 2011 que resolveu uma crise fiscal anterior.Se realmente não houver acordo até o final da sexta-feira, o presidente Barack Obama deverá notificar o

Congresso sobre o sequestro orçamentário, que inclui um corte de US$ 46 bilhões em gastos do Pentágono até 30 de setembro. Hagel disse que uma prioridade do Pentágono será proteger as verbas para a guerra do Afeganistão. “O Exército vai restringir os treinamentos para todas as unidades, exceto as mobilizadas no Afeganistão, afetando adversamente quase 80% de todas as unidades operacionais do Exército”, disse ele. Hagel afirmou ainda que neste mês o Pentágono deverá notificar preliminarmente milhares de funcionários civis sobre a concessão de uma licença não-remunerada. Autoridades dizem que a maioria dos 800 mil funcionários civis do Departamento de Defesa deve ser afetada, provavelmente tendo de tirar um dia de folga por semana durante 22 semanas, a partir de abril.

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, determinou na tarde de sextafeira, que o diálogo com o setor cafeeiro seja interrompido até que as rodovias do país sejam desbloqueadas pelos produtores de café. Mobilizados desde a última segunda-feira (25), os cafeicultores bloqueiam as principais vias colombianas, reivindicando ajuda do governo para superar a crise que afeta o setor. Os produtores colombianos acumulam dívidas devido à queda da produção, ao preço da logística de transporte e à valorização do peso colombiano ante o dólar. O presidente Juan Manuel Santos tomou a decisão depois de uma reunião com ministros do governo. Segundo a imprensa local colombiana, Santos suspendeu o diálogo por começarem a faltar medicamentos, combustível e outros produtos em algumas regiões do país devido ao bloqueio das rodovias.

O governo anunciou um pacote na semana passada para ajudar aos cafeicultores. A proposta foi aceita pela Federação Nacional dos Cafeicultores do país (FNC), mas há grupos de produtores dissidentes que consideram as medidas insuficientes

DÍVIDAS

Os produtores colombianos acumulam dívidas devido à queda da produção, ao preço da logística de transporte e à valorização do peso colombiano ante ao dólar. Decisão foi tomada após reunião para resolver a crise. Os cafeicultores que estão protestando garantem que o preço pago pela arroba de café produzido, U$ 32,10, não é suficiente para cobrir os gastos. Segundo eles o valor mínimo deveria ser U$ 36,06. REPRODUÇÃO

B8

Presidente Juan Santos anunciou ajuda a cafeicultores


Caderno C

Dia a dia MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

diadia@emtempo.com.br

(92) 3090-1041

DIVULGAÇÃO

Grafiteiros rejeitam pichações Dia a dia C4

Em busca do centenário

O ano de 2013 é aclamado por Caprichoso e Garantido como o marco dos 100 anos de cada bumbá. Dos dois lados, histórias não faltam para revelar quando realmente começou a história dos bois rivais mais famosos da Região Norte FOTOS:DIVULGAÇÃO

Maria do Carmo Monteverde com a imagem e a foto do pai, Lindolfo Monteverde, criador do Garantido: brincadeiras que vieram da infância do pai

CHRIS REIS Equipe EM TEMPO

N

o ano em que é comemorado o (possível) centenário dos bois Garantido e Caprichoso, também acontece uma busca do resgate e reafirmação da trajetória dos bumbás, seja por meio da oralidade (depoimento) de pessoas que foram contemporâneas dos fundadores ou tenham alguma ligação com eles e a apresentação de documentos, que se não comprovam que existe uma data de “nascimento”, mostram que a história quando procurada sempre pode ser encontrada. Do lado do bumbá vermelho, Cleumara Monteverde, a neta do fundador do Garantido, Lindolfo Monteverde, realiza pesquisas há seis anos e afirma que antes de ser o boi da promessa, o boi vermelho nasceu de uma brincadeira de criança. Cleumara começou a fazer as pesquisas dentro do projeto “Garantindo a tradição cultural de Lindolfo Monteverde” para o curso de pedagogia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Ela conta que via a necessidade de a família ter mais dados concretos sobre Lindolfo e, consequentemente, sobre o surgimento do Garantido. Num primeiro momento, foram realizadas entrevistas com antigos brincantes do boi da Baixa, e numa segunda etapa, foi realizada uma oficina de leitura e escrita transmitindo a história do seu avô. Para Cleumara, que fundou

a Associação Regional Lindolfo Monteverde, existe uma grande dificuldade para encontrar algo concreto sobre a data de fundação dos bois. Para fundamentar sua busca, procurou os “arquivos vivos”: seus tios e contemporâneos do avô, que relataram fatos que vivenciaram. “As pessoas nunca imaginaram que eles chegariam ao que representam hoje, então é difícil ter alguma documentação que comprove datas específicas”, avalia.

Brincadeira de criança Entre os fatos mais importantes dentro de toda a pesquisa, Cleumara aponta a confirmação de o Garantido ter nascido a partir de uma brincadeira de criança. Nas lembranças de seus tios, descobriu que a criança Lindolfo ouvia história de seus avós, que não está claro se eram originários de alguma parte do Nordeste ou mesmo da África. “Contam que ele ouvia as histórias de um boi que dançava para divertir adultos e crianças. Ele criou o boi para manter a brincadeira que seu avô lhe contava. Seu primeiro boi foi feito de curuatá (o invólucro de uma planta chamada inajá) que colocava nas costas e saía brincando”, explica. Para ela, algumas pessoas ficam incrédulas ao ouvir que uma criança fez isso, mas avalia – como pedagoga - que é perfeitamente normal a imaginação das crianças fluir a partir de objetos inusitados. Ainda dentro do que confirmou com os parentes e contemporâneos do avô, Cleumara afirma que a mãe de Lindolfo, dona Alexandrina, conhecida como Xanda, foi a maior incentivadora da brincadeira. “Ela sempre fez ele acreditar que quando fosse maior teria o seu boi, igual aos bois

As pessoas nunca imaginaram que eles chegariam ao que representam hoje, então é difícil ter alguma documentação certa Cleumara Monteverde, pesquisadora

Entretanto, com o sobrenome Monteverde, para ela não foi difícil conseguir os tais “arquivos vivos”. Foi atrás da velha guarda do Garantido, onde estavam incluídos seus tios mais velhos, Reinaldo e Raimunda Monteverde, que faleceram durante o período da pesquisa, e Maria do Carmo, ainda viva. Entre as primeiras confirmações está o fato de que Lindolfo, diferente de cogitações, nasceu em Parintins em 2 de janeiro de 1902.

Cleumara Monteverde pesquisa a história do boi há seis anos

das histórias de seu avô, ou seja, um boi grande, o que hoje denominamos boi de pano, pois o seu era de curuatá”, diz. Ela refuta a ideia de que o Garantido nasceu de uma promessa a São João Batista. Segundo ela, o Garantido já existia, como boi de pano, quando Lindolfo, ao ficar doente (mais ou menos com 17 anos) prometeu que se

GÊNESE

Cleumara Monteverde refuta a ideia de que o Garantido nasceu de uma promessa. Segundo ela, o boi já existia quando Lindolfo adoeceu aos 17 anos de idade ficasse bom, haveria uma ladainha (missa cantada) e o boi sairia às ruas. Alguns apontam que a primeira ladainha da promessa aconteceu em 24 de junho de 1917. Para Lindolfo, brincar de boi estava ligado à religiosidade popular. Para sair pelos terreiros ele angariava recursos com os comerciantes. CONTINUA NA C2/C3


C2

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

História e muitos sentidos

Pesquisas resgatam fatos até pouco conhecidos de quem é torcedor dos dois bois de Parintins e deixam margem para interpretações individuais sobre a verdadeira data de origem de cada uma das associações folclóricas da Ilha FOTOS: DIVULGAÇÃO

CHRIS REIS Equipe EM TEMPO

S

egundo o filho de Lindolfo, Reinaldo Monteverde, numa das inúmeras entrevistas para Cleumara Monteverde, o nome Garantido é no sentido de ele se garantir mesmo. O amor àquele boi de pano era tão grande, que quando Lindolfo foi servir o Exército em 1920, deixou seu brinquedo nas mãos dos irmãos e primos. A filha de Lindolfo, Maria do Carmo Monteverde, além das lembranças de muitas passagens da vida de seu pai, também guarda (e ninguém a faz mostrar) fotos, toadas da fundação e várias relíquias. Entre elas, a certidão de batismo do fundador do boi da Baixa, que está registrada no livro da Cúria de Parintins. Maria do Carmo relata que o pai contava que brincou com o boi de curuatá até por volta de 12 anos. A partir daí, surge o boi de pano que saía pelas ruas da ilha. Ela lembra que o patriarca teve um derrame em 1966 e durante 13 anos sofreu por não poder acompanhar as brincadeiras de sua criação. “Ele não tinha mais movimentos do lado direito e não falava mais. Sofria muito e essa dor só aumentava em junho quando ouvia os fogos e não podia acompanhar”, recorda, comple-

tando que ele ficava deitado em sua rede, chorando. Sobre o relato de Odineia Andrade, pesquisadora do Caprichoso que defende a tese de que Lindolfo brincava no Caprichoso e, após ter “tirado uma gracinha” com a esposa do seu Emídio, foi expulso e prometeu criar outro boi, dona Maria do Carmo é de uma sinceridade cortante. “Quero ver essa senhora vir aqui e dizer uma besteira (sic) dessa aqui na minha frente”, revolta-se.

NEGAÇÃO

Sobre o relato de Odineia Andrade, pesquisadora do Caprichoso que defende a tese de que Lindolfo brincava no azul e branco, dona Maria do Carmo disse que se trata de “uma besteira” Dona Maria recorda que o pai mantinha uma plantação de juta, e a maior parte do que era vendido servia para dar suporte ao boi. “Apesar de ele receber alguma ajuda, era nossa família mesmo que mantinha a brincadeira. Já lavei e cortei muita juta para colocar o Garantido para brincar. E agora aparece muito dono do boi por aí”, lamenta.

Uma origem com diversão Da parte do Caprichoso, o Instituto Memorial de Parintins (Inpim), juntamente com a professora Odineia Andrade, que realiza uma intensa pesquisa há 13 anos, tentam provar - baseados em documentos e narrativas - que o bumbá da estrela também é oriundo de uma promessa, mas diferente do rival, foi criado por um grupo de amigos que gostavam de festas. À frente do Inpim, Irian Butel esclarece que a instituição foi procurada pela Associação Folclórica BoiBumbá Caprichoso para fazer o resgate, juntamente

com a professora Odineia Andrade, da história do “touro negro”, trajetória que estava perdida, entre vários nomes de fundadores e locais de criação. Como toda pesquisa séria precisa de um norte, o instituto partiu das investigações realizadas por Odineia Andrade, que são ricas em narrativas e mostraram, pela primeira vez um nome: Roque Cid, que seria o fundador do boi Caprichoso. “Com esse nome, tivemos que responder pergunta crucial: ele existiu, afinal? Como pesquisadores, temos que procurar fontes e fatos”, recorda Irian. Acinelson Vieira, um dos donos do Caprichoso por um bom tempo: bumbá teria nascido a partir de uma brincadeira de amigos

E assim tudo começou A resposta estava em documentos encontrados com o nome Roque Cid, na Câmara Municipal de Parintins, entre os anos de 1909 a 1911. Foram encontradas três portarias com esse nome. Num documento de 1909, Antonio Cid, irmão de Roque, foi convidado a fazer reparos no Mercado Municipal de Parintins. A residência dele também foi encontrada: rua Gomes de Castro. Em outro documento de 1902, na Cúria Diocesana, Roque Cid batiza alguém com o nome Felisberto. Próximo passo Pronto, Roque Cid existiu. O próximo passo foi buscar a ligação com o boi Caprichoso. Partiu-se então em busca de fontes que pudessem relatar fatos e datas. De acordo Odineia Andrade pesquisa a história do Caprichoso, descobrindo mais fatos de suas origens

com Irian, a provável data que os irmãos Roque (pescador), Pedro (pedreiro, que participa da construção do mercado municipal de Parintins) e Antonio Cid chegam à ilha foi em meados de 1897, vindos de Crato, no Ceará, em busca do Eldorado, ou dos seringais, porém se estabilizaram em Parintins. “Eles fizeram amizades, faziam festas, se reuniam para beber e falar de mulher, eram uns pândegos. Além disso, tinham feito uma promessa: se tudo desse certo, fundariam um boi, semelhante ao que tinha no Nordeste”, afirma Odineia, lembrando que o principal local desses festejos era a travessa Sá Peixoto, conhecido como beco do Esconde, lugar onde foi criado o Caprichoso, segundo a pesquisadora.

A criação e a primeira apresentação Baseados em narrativas, os pesquisadores chegaram à conclusão de que a criação do Caprichoso tem data definida: 20 de outubro de 1913, quando, numa reunião, tiveram a ideia de fundar o boi. Entretanto, Odinéia destaca que ele somente saiu às ruas no ano seguinte. “Ele foi gerado em 1913, mas apareceu em 1914”, resume. Nesta data, segundo ela, tudo foi decidido, inclusive a cor negra do boi. “O Caprichoso não nasceu de um curuatá, já nasceu como um boi de pano, mas com estrutura de estopa e samambaia, que foi usada nos primeiros bois”, alfineta.


MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Dia a dia

C3

E o centenário vai para...

Pesquisadores afirmam que intenção não é desmentir as histórias sobre a fundação dos bumbás e sim evidenciar as origens do que hoje é uma das maiores manifestações folclóricas do Brasil, conhecida em inúmeros países DIEGO JANATÃ

I

CHRIS REIS Equipe EM TEMPO

ndependente de datas que possam ou não ser definidas, os dois lados são unânimes em afirmar que ambos são frutos de pessoas simples que fizeram uma festa popular se tornar algo grandioso. Irian Butel adianta que a intenção com a pesquisa não é negar nada, mas, como pesquisadora, promover fatos e fontes. “Nossa principal proposta foi confirmar a trajetória e existência do fundador do Caprichoso. Independente do que se confirmar dos dois lados, não tira a importância de Garantido e Caprichoso”, afirma. Cleumara segue na mesma linha de pensamento e afirma que o centenário é simbólico, sendo o mais importante a manutenção da brincadeira. “Não tem como negar a importância dos dois, mas também não há como afirmar a data da fundação real de ambos”, avalia. Perguntada porque o Garantido seguiu uma trajetória linear, com um fundador reconhecido, Cleumara é enfática. “Com certeza foi a força de nossa família que não deixou a história de meu avô ser apagada. Quando o boi transformou-se em associação, nos tiraram de tudo, mas sempre brigamos para não sermos

apagados da história. Acho que as famílias do contrário não tiveram tanta força e aos poucos a história se perdeu, mas agora está sendo resgatada”, pondera. Para resgatar a vida de Lindolfo, Cleumara, por meio da fundação, criou uma réplica da casa de Lindolfo que está localizada no “curralzinho da Baixa”, onde morava Lindolfo e hoje moram seus descendentes. Críticas Sobre o fato das críticas aos inúmeros donos e currais, a pesquisadora Odineia Andrade vê pelo lado positivo. “As pessoas têm essa mania de, quando estão à frente de algo, esquecerem os que vieram atrás, e o Caprichoso teve vários donos e, com isso, fez história por onde andou. Começou com Roque Cid, a seguir por Emídio Vieira, passou por Antonio Boboim, Pedro Cid, Nascimento Cid, Luiz Gonzaga, Nilo Gama, Ervino Leocádio e Luiz Pereira. A seguir, saiu do boi da lamparina, da quinta das fogueiras e passou para ser gerido pelos presidentes com um tempo determinado. Por tudo isso, é o boi de Parintins”, conclui, lembrando que no começo, o boi tinha um padrinho, que ajudava em tudo que fosse necessário, e, além disso, as amizades que Roque Cid tinha com os políticos fazia a brincadeira acontecer.

Dançarina do Caprichoso dança, tendo ao fundo a imagem do rival Garantido: independentemente de origens, uma festa de grande alcance


C4

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Do vandalismo se fez arte FOTOS: DIVULGAÇÃO

Enquanto pichações não são tratadas como verdadeiros crimes, grafiteiros mostram que expressar ideias passa longe de ações depredadoras que afetam o patrimônio histórico de Manaus. Pelo contrário, usa-se o método para outros fins

Rogério Arab é um dos artistas conhecidos em Manaus pelo uso do grafite de maneira nobre, exemplo a ser seguido no processo de mudança dos atos de vandalismo em arte pura LUCIANO LIMA Especial EM TEMPO

N

ão diferente de outras capitais, Manaus possui diversos ambientes assinados por muitos tipos de expressões, seja por críticas ao sistema político, por figuras ou mesmo assinaturas que expressem a particularidade dessas pessoas. Porém, a pichação é um delito e de acordo com o Código Penal é crime de dano simples e de dano qualificado com pena prevista de três meses a 1 ano de reclusão. A lei estabelece que qualquer ato sem autorização de natureza danosa a edificações, patrimônio público, monumento histórico ou desfiguração do valor artístico das mesmas, enquadra o infrator nas leis de crimes ambientais, principalmente por relacionar a coletividade, porém dependendo da gravidade do ato, o pichador pode ser liberado após pagamento de multa ou termo circunstanciado de ocorrência (TCO). Uma dessas assinaturas tornou-se um verdadeiro mistério na cidade: a expressão “E o RAP” passou a estampar diversos locais na capital amazonense. No anonimato, a frase é constantemente utilizada em pichações de prédios e muros, mas há duas semanas um trio que pichava com essa “assinatura” a fachada de uma empresa de transporte coletivo, na Zona Oeste, foi preso por policiais militares. Na ação, André Rodrigues Simões, 19, Randerson Figueiredo Moda, 24, e Ildelmar Souza Rosa, 25, tentaram fugir em um Palio de placa JWT 5704, mas não conseguiram

e, capturados, foram encaminhados a um distrito policial e apresentados por crime ambiental. Após assinarem o TCO foram liberados. Nesse caso, não há recursos que provem que os três rapazes são os criadores da expressão difundida na cidade, pois a banalização dessa “marca registrada” tomou proporções imensas, deixando claro que a crítica passou a ser compreendida por diversos movimentos. Ilegal ou não, foi a forma de chamar a atenção das autoridades e mídia para esse caso tão recorrente. Segundo o tenente-coronel do Batalhão Ambiental, Ricardo Gomes, a prática já alcançou momentos alarmantes na cidade. “O Batalhão Ambiental, assim como qual-

MUDANÇA

Segundo o tenentecoronel do Batalhão Ambiental, Ricardo Gomes, a prática da pichação atingiu níveis alarmantes, mas hoje a ação começa a ser transformada em inserção social quer outro tipo de guarnição militar, está habilitado para esse tipo de ação, pois é um crime que pode ser considerado pequeno. Houve um tempo em que a pichação era um grande problema na cidade, porém com diversos programas de incentivos do governo, esse tipo de prática passou a ser transformada em inserção social, principalmente com a utilização do grafite como arte, e isso é muito benéfico”, falou.

Um pouco de história desde Roma

Turenko Beça é visto hoje como referência para movimentos de profissionalização do grafite

Forma de liberdade de expressão Na década de 1980, alguns artistas já traçavam seu grafites em Manaus. Um deles é o artista plástico Aníbal Turenko Beça, que nesse período oitentista expôs a sua arte urbana e até hoje é visto como referência para muitos movimentos que dia a dia surgem em prol da liberdade de expressão artística. “Em Manaus há muitos meninos bons fazendo arte, e os eventos de grafite estão crescendo cada vez mais, e de uma maneira profissional. Muitos desses jovens estão saindo da marginalidade, fazendo grafites que chamam a atenção e muito deles sendo levados para fora, para concorrer

em bienais e exposições”, falou Turenko. De acordo com o artista, esse fomento, partindo do governo e instituições privadas, levam oportunidades a pessoas que fazem dessa expressão uma forma de viver. “Em Manaus há empresas que apoiam bastante o movimento, e sempre estão dando força com eventos de artes integradas, de hip hop, RAP, danças de rua e grafite. Para a comunidade, é muito bacana, pois chama a atenção e é uma forma de descriminalizar e desmarginalizar”, explicou. A arte transcende, colore e salva vidas. “É uma resposta do ser humano em não querer ser um padrão,

fazendo com que essas pessoas busquem a manifestação na parede. O grafite não tem idade, a arte não tem idade e a melhor forma de combater a pichação (poluição visual) é com o grafite”, finalizou Turenko. Rogério Arab é outro artista conhecido em Manaus, com traços exclusivamente regionais ele conquista pela beleza e harmonia traduzidas com inspiração na fauna, flora e costumes amazônicos em seus grafites. “Como artista, meu trabalho hoje em dia é mais conceitual, é o que chamamos de iconografia, minha inspiração é a regionalidade, principalmente a cultura marajoara”, detalhou.

Caracterizado pelo uso de desenhos e inscrições em paredes, o grafite é uma forma de expressão que desde o Império Romano marca com diferentes maneiras o cotidiano, a crítica e a vontade de transcender a imaginação. Polêmica, essas expressões muitas vezes são assinaturas opinativas, marcas, ou versos que ilustram esses “retratos da vida” até os dias de hoje. O grafite ou “street art” ganhou uma dimensão maior na década de 1960 com a popularização de uma comunicação simbólica partindo entre movimentos contraculturais. Na década de 1970, algumas gangues de Nova York comunicavam-se de maneira clandestina com o uso de monogramas ou imagens em muros, metrôs e prédios, muitas vezes com uma linguagem complexa o suficiente para confundir qualquer cidadão comum e ser considerada uma forma violenta aos olhos sensíveis de uma sociedade movida ao teor puritano e conservador.


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

C5

Ponta Negra é liberada após os estudos técnicos Condições do rio Negro serão favoráveis à utilização do balneário a partir do dia 15, com praia disponível de 78 metros

N

o próximo dia 15, data provável em que a praia da Ponta Negra, Zona Oeste, será entregue aos banhistas, o nível do rio Negro será de aproximadamente 26,11 metros de profundidade, com largura de praia disponível de 78 metros. Tais condições são favoráveis à população e atendem aos critérios de segurança estabelecidos pela Prefeitura Municipal de Manaus com base em estudos técnicos solicitados pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação (Seminfh). O Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb) será o responsável pelo gerenciamento do espaço de lazer. O projeto total, que compreende praia perene e rio, é de 242,75 metros. Com a chegada da vazante, em meados de junho, a linha de água estará estimada em 17 metros, com largura de praia disponível de aproximadamente 185 metros. Os dados atualizados constam no relatório exigido pela Seminfh e foram apresentados na última reunião da Comissão Especial do Ministério Público do Estado

DIVULGAÇÃO

(MPE-AM), realizada na semana passada. As exigências para a liberação da praia atendem aos critérios estabelecidos por todos os órgãos envolvidos: MPEAM, Seminfh, secretarias municipais de Saúde (Semsa), Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Produção e Abastecimento (Sempab), Superintendência do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Corpo de Bombeiros e Capitania dos Portos, Polícia Militar e Implurb. Vale ressaltar que, além das condições físicas apropriadas, é necessário que os equipamentos de segurança estejam no local. Termo de ajustamento A praia perene da Ponta Negra foi entregue à população de Manaus em junho de 2012, com investimento de R$ 12 milhões, na gestão do exprefeito Amazonino Mendes. Após mortes de banhistas, o local foi interditado, temporariamente liberado e, em seguida, interditado novamente por quase três meses, a pedido do MPE-AM, com base em um laudo técnico do CPRM que identificou desníveis em trechos do balneário perene. No próximo dia 11, um ter-

mo de ajustamento de conduta (TAC), estabelecido pelo MPE-AM, será firmado entre as instituições do governo do Estado e da Prefeitura de Manaus com normas para garantir melhor segurança aos frequentadores. De acordo com a minuta, caberá ao Implurb, além do gerenciamento, sinalizar com placas e isolar áreas proibidas ao uso de banhistas, usando os mesmos procedimentos quando as águas estiveram impróprias à balneabilidade, que será medida por laudo apontando os níveis de poluição, expedido mensalmente pela Semmas; e formalizar e fiscalizar a comercialização de bebidas alcoólicas na Ponta Negra, que só poderá ser feita em pontos fixos (quiosques), conforme a lei, sendo proibida a venda por ambulantes. As cláusulas do TAC serão definidas em uma reunião, agendada para a próxima terça-feira, dia 5. Para garantir aos banhistas que a praia perene será entregue atendendo às normas de segurança, uma simulação de possíveis acidentes no balneário será realizada na sexta-feira (8).

Ilustrações mostram as condições da praia da Ponta Negra a partir do dia 15 de março


C6

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

RICARDO OLIVEIRA

A mão que destrói agora é a mesma que recupera

Projeto de reflorestamento ao custo de R$ 20 milhões visa a recuperação das áreas desmatadas no sul do Amazonas SDS/DIVULGAÇÃO

IVE RYLO Equipe EM TEMPO

C

astanha, cedro rosa, angelim, ipê e andiroba. Espécies surrupiadas da floresta devido ao valor agregado voltam agora à terra pelas mãos do próprio “algoz”. Mil produtores rurais de municípios que lideram o ranking de desmatamento no sul do Amazonas aprendem que em um mesmo hectare há espaço suficiente para a conservação da floresta e a geração de renda. O projeto de reflorestamento que está na fase final – custou R$ 20 milhões aos cofres públicos - é gerido pela Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS) e conta com o financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Fundo Amazônia. Uma área correspondente a 1,5 mil campos de futebol distribuída em mil propriedades nos municípios de Boca do Acre, Apuí, Lábrea e Novo Aripuanã receberá em outubro 1,4 milhão de mudas de espécies nativas. O projeto de reflorestamento iniciou em 2010 e também conta com a participação do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário do Amazonas (Idam). De acordo com a secretária executiva adjunta de Gestão Ambiental, Alessandra Bianchini, o sul do Estado foi escolhido para implantação do projeto por ser alvo de uma maior pressão de desmatamento, fato originado com o tipo de política expansionista adotada pelo governo federal na tentativa de abrir fronteiras. “Esse passivo ambiental (áreas desmatadas) detectado hoje nas áreas federais ocorreu em consequência dessa política de assentamento do governo federal. No caso de Boca do Acre e Lábrea, por exemplo, temos a abertura de novas fronteiras, pesso-

as vindo de Rondônia ocupar a região para trabalhar. Aí começam com a exploração florestal, depois tem a questão do gado e em seguida passa para a agricultura como tentativa de sobrevivência na área. É um ciclo. Mas agora a política ambiental é mais rigorosa”, aponta. Além de recuperar a área e tentar diminuir os danos deixados em anos de colonização por meio do reflorestamento, o projeto também bus-

Mudança de foco em longo prazo

PLANEJAMENTO Uma área correspondente a 1,5 mil campos de futebol distribuída em mil propriedades em Boca do Acre, Apuí, Lábrea e Novo Aripuanã receberá em outubro 1,4 milhão de mudas de espécies nativas Local de replantio em Apuí: sul do Estado foi escolhido pelo alto nível de desmatamento

ca oferecer aos agricultores oportunidade de gerar renda. “Por esse motivo foi escolhido o sistema agroflorestal, que oportuniza o consórcio de espécies florestais, agrícolas e criação de animais, de maneira que no ano inteiro possa ter produção e renda, além de recuperar a área. Isso é motivador”, afirma. Desse modo, as propriedades receberão as mudas de espécies nativas como cacau, açaí, cupuaçu, guaraná, banana e cedrinho, bem como de leguminosas, já conhecidas pelos agricultores. “Nada impede que entre o plantio das espécies ele possa introduzir novas culturas como o milho e a mandioca. As leguminosas são importantes porque enriquecem o solo com nutrientes”, lembra. O projeto também irá possibilitar a emissão de 800 títulos fundiários, sendo 400 em Boca do Acre e 400 em Novo Aripuanã.

Projeto foi iniciado em 2010 Os recursos necessários para a execução do projeto foram liberados pelo governo em 17 de novembro de 2010. Em 2011, equipes da secretaria trabalharam no planejamento de execução do projeto e nas licitações de contratação de serviços. No ano passado, foi realizada a seleção dos produtores e oportunizada a regularização ambiental através do Cadastro Ambiental Rural (CAR). Também iniciou-se a mecanização das áreas de passivo ambiental, locais com vegetação morta que deve ser removida para dar espaço ao plantio. Agora estão sendo preparadas as mudas. Para isso, já foi instalado um viveiro em Apuí e outro em Boca

do Acre, onde as mudas já começam a brotar para serem distribuídas aos agricultores em outubro deste ano. Também estão sendo preparadas 1.026 toneladas de insumo a serem entregues em maio. Enquanto isso, iniciam-se também os cursos de capacitação dos mil produtores envolvidos para que possam continuar a manter as áreas. Serão oferecidos os cursos de educação ambiental voltada para agricultura familiar; agroecologia; CAR; coleta de sementes; sistemas agroflorestais; integração, lavoura, pecuária e floresta e pastejo rotacionado. Segundo a SDS, quando receberem as mudas, em outubro, os produtores também

terão assistência técnica rural de profissionais do Idam. Financiamento Além de receberem a limpeza do solo, as mudas e cursos capacitantes, os produtores também terão acesso a linhas de crédito fornecidas pela Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), para manter a produção e prosseguir com a recuperação ambiental. “A Afeam vai apresentar a eles o projeto ‘Plantar o futuro’. O produtor precisa ter dinheiro para continuar a dar sustentabilidade ao projeto. Vamos identificar quais as linhas de financiamento que eles precisariam para dar esse suporte”, informa Nádia Ferreira.

A secretária da SDS, Nádia Ferreira, salienta que o projeto é um desafio por oportunizar uma mudança de foco empreendedor, com renda a curto médio e longo prazo. “Parte das pessoas trabalham com pecuária e vão passar a trabalhar com agricultura. Elas terão oportunidade de conhecer outras alternativas de geração de renda muito mais rentáveis. Em quatro anos, os produtores começam ter renda superior à pecuária, só com plantio, porque as culturas curtas como o cupuaçu, a banana e o guaraná já vão dando renda e é o tempo das outras crescerem”, destaca. Ferreira aponta que o programa não visa sucumbir a atividade da pecuária no Estado, e sim frear o crescimento vertiginoso das áreas de pastagens, bem como recuperar as áreas degradadas. “Não temos nenhum problema quanto à atividade produtiva da pecuária, o que nós tentamos mostrar aos pecuaristas é que hoje é inconcebível você ter uma cabeça de gado por um hectare. Temos que levar tecnologia para nossas pastagens. O que falta é as pessoas terem a disposição de mudar as práticas de produção e isso a gente espera contagiar com essa nova forma de produzir”, aponta.


Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

C7

Estudo mostra crescimento de internações por diarreia WILLIAM GASPAR Equipe EM TEMPO

U

m estudo do instituto Trata Brasil aponta que a precariedade do sistema de tratamento de esgoto afeta diretamente a saúde da população – sobretudo das crianças. Manaus ficou com o terceiro lugar entre as capitais da Região Norte com o maior número de internações por diarreia, com uma taxa de 128,9 pessoas afetadas pela doença para cada 100 mil habitantes. Ao analisar os índices de atendimento de coleta de esgoto em 2010, com base nos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), o estudo apontou que em 60 das 100 cidades avaliadas os baixos índices de coleta de esgoto resultaram em altas taxas de internação por diarreia. Na região, a capital amazonense perdeu apenas para Belém (PA) e Boa Vista (RR) com taxas de 354,8 e 151,3 pessoas infectadas por 100 mil habitantes, respectivamente. Após as três capitais, aparece Porto Velho (RO) em quarta posição, Macapá (AP)

e Rio Branco (AC), na quinta e sexta colocação do ranking da Região Norte. Palmas (TO) não foi avaliada. Édison Carlos, presidente executivo do Trata Brasil, comentou sobre o estudo. “Embora seja certo que há vários fatores que influenciam na ocorrência das diarreias,

diarreia”, comentou. Com a má avaliação, Manaus ficou à frente de cidades como São Paulo e Rio de Janeiro no número de casos registrados da doença. As duas capitais tiveram taxas de 32,1 e 11,5 respectivamente. Os dados divulgados pelo estudo são referentes a 2011 e apontam que 96% da população da capital é abastecida com água potável.

Infelizmente o atendimento em saneamento básico ainda divide o Brasil, onde cidades bem atendidas com esgoto economizam recursos

Custo O estudo apontou também o grande gasto causado por internações hospitalares causadas por diarreia por 100 mil habitantes. Em Manaus, são gastos R$ 51,6 mil com esses atendimentos, o que poderia ser evitado apenas com prevenção. “Infelizmente, o atendimento em saneamento básico ainda divide o Brasil. Cidades bem atendidas em água e esgotos economizam recursos com saúde e seus cidadãos são mais saudáveis, sobretudo as crianças. Enquanto isso, outras cidades gastam muito em internações e condenam seus cidadãos a conviver com mais doenças da água poluída”, criticou Carlos.

Édison Carlos, presidente do Trata Brasil

tais como a disponibilidade de água potável, intoxicação alimentar, higiene inadequada, limpeza das caixas d’água e outros, os resultados do estudo mostram que há uma forte relação entre a abrangência do serviço de esgotamento sanitário e o número de internações por

DIEGO JANATÃ

Trata Brasil aponta Manaus na terceira posição entre as capitais da Região Norte, atrás de Belém (PA) e Boa Vista

A falta de sistema eficiente de esgoto é apontada como causa para a ocorrência de diarreia

Crianças são mais vulneráveis Uma taxa de 71,1 crianças internadas com a doença para cada 100 mil habitantes também foi apontada pela pesquisa do instituto. “Os resultados reforçam que as crianças são mesmo a parcela mais vulnerável quando a cidade não avança em saneamento básico, principalmente

sofrendo com as diarreias. As carências em água potável e esgotos prejudicam o país agora e deixam sequelas para o futuro”, avaliou o presidente. O instituto divulgou que 6,6% da população de Manaus não possui banheiros. A empresa responsável pelo abastecimento de água

na capital, a Manaus Ambiental, e a Secretaria de Estado de Saúde (Susam) foram questionadas sobre as ações de melhoria no sistema de esgotos na cidade e os trabalhos de prevenção da diarreia, porém até o fechamento desta edição nenhuma atendeu as solicitações.


C8

Dia a dia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013


Caderno D

Plateia MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

plateia@emtempo.com.br

RICARDO OLIVEIRA

Chico da Silva de volta aos estúdios (92) 3090-1042

Plateia 3

Impasse entre

os imortais Membros da Academia Amazonense de Letras (AAL) questionam o encerramento antecipado das inscrições para novo imortal e afirmam que essa foi uma estratégia para favorecer um dos candidatos

GUSTAV CERVINKA Equipe EM TEMPO

A

da ao EM TEMPO, o presidente da AAL, Arlindo Porto, afirma que a instituição elabora um calendário provisório de atividades da academia para o ano e o encaminha aos membros em caráter informativo, enfatizando que o mesmo pode sofrer alterações. “Com o objetivo de abreviar o preenchimento do quadro de

Nada tenho contra a figura dela (Márcia Perales). Apenas questiono o posicionamento da direção da Academia Amazonense de Letras Zemaria Pinto, escritor e membro da AAL

acadêmicos, (...) a presidência expediu edital de inscrição no dia 25 de janeiro de 2013. O estatuto estabelece que as inscrições para eleição de membro efetivo devem ser abertas no prazo máximo de 180 dias após a vacância. Neste caso, as inscrições foram abertas após 138 dias,

rigorosamente dentro do prazo estatutário, não havendo nisso nenhum favorecimento a qualquer pessoa”, dispõe a resposta oficial. Arlindo Porto garante que o período foi o suficiente para que houvesse, inclusive, quatro candidatos à vaga: a professora Márcia Perales, o padre João Mendonça Filho, o poeta Cláudio Fonseca e o memorialista Mário Diogo de Melo, “que disputarão a cadeira em condições de igualdade”. Mas a versão é contestada por Zemaria, que afirma que só houve outras candidaturas porque ele e outros colegas, assim que souberam da alteração das datas, convidaram os outros possíveis nomes para o pleito. A informação é chancelada pela escritora Carmen Nóvoa e Silva, que ocupa a cadeira 33 da AAL. “Fiquei surpresa com a antecipação. Na hora que soube, eu mesma liguei para um dos candidatos que já havia manifestado interesse a mim em concorrer assim que abrissem as inscrições”, conta. O poeta, escritor e ex-presidente da AAL, Elson Farias, admite ter sido um incidente confuso para a entidade. “É um fato curioso, um equívoco

que deve ser reparado pela academia. Não pode mais se repetir”, limita-se. Zemaria Pinto sustenta a ideia de que havia intenção em deixar apenas um candidato à vaga. “O estatuto prevê a divulgação do período de abertura de inscrições no Diário Oficial do Estado e na imprensa comum. Mas, infelizmente a AAL publica essa informação apenas em um jornal de pouca circulação, além do DOE, e quase ninguém fica sabendo”, afirma. O escritor explica que o critério mais importante para efetuar a candidatura é que o interessado tenha pelo menos uma obra publicada, independente de conteúdo e estilo. Para ele, o requisito de relevância para a sociedade fica em segundo plano e o ingresso na AAL dá sinais de conveniência política, apenas. O último imortal a tomar posse na academia foi o advogado e jornalista Júlio Antônio Lopes, em dezembro de 2012, assumindo a cadeira 23, cujo patrono é Cruz e Souza, ocupada pela última vez pelo poeta Alencar e Silva. A reportagem tentou contato com a professora Márcia Perales, mas não obteve sucesso.

O que diz o estatuto da AAL

FOTOS: ARQUIVO EM TEMPO

direção da Academia Amazonense de Letras (AAL) está, no mínimo, em estado de observação na visão de alguns de seus próprios membros vitalícios. O motivo envolve a escolha do próximo ocupante da cadeira de número 21, cuja vaga foi deixada pelo poeta Luiz Bacellar, falecido em 9 de setembro de 2012. Algumas das celebridades literárias confirmam que o período para a inscrição dos interessados em conquistar a “imortalidade” teria sido antecipado, contrariando o que havia sido previsto em comunicado oficial interno da entidade. Há suspeitas, inclusive, de favorecimento de candidatos. O mais descontente com o assunto é o escritor Zemaria Pinto, que ocupa o assento 27, cujo patrono é Tavares Bastos. O imortal chegou a se manifestar abertamente, no blog dele (“Palavra do fingidor”). Segundo ele, no início deste ano, foi comunicado aos membros da AAL, por meio de um boletim, que o período de inscrição seria entre os dias 8 de março e 8 de abril. “No

dia 21 de fevereiro, entretanto, soube que as inscrições se encerrariam quatro dias depois (25/02)”, menciona. Zemaria Pinto conta que a alteração chegou a provocar mal-estar entre os presentes à reunião. “O esclarecimento foi singelo: uma decisão da diretoria, que é soberana nesses assuntos. Mas deveria também ser transparente e não o foi”, declara no documento informal. Em conversa com o EM TEMPO, o escritor – que pertence à AAL desde 2004 – questiona os interesses da entidade por trás dessa mudança de datas para as inscrições. Segundo ele, o fato poderia ser explicado como uma possível intenção de favorecimento à candidatura da reitora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Márcia Perales. “Nada tenho contra a figura dela. Apenas questiono o posicionamento da direção da Academia”, diz. Zemaria chega a repetir o dito na carta aberta publicada na sua página na internet. “Até mesmo no dia do enterro de Bacellar, repetia-se que a vaga deixada por ele já seria da professora Márcia Perales”, comenta. Conforme nota encaminha-

Carmen Nóvoa foi surpreendida com a antecipação do fim das incrições que, para Zemaria Pinto, é uma estratégia para favorecer Márcia Perales (à direita).

Da eleição de membro efetivo: O processo de eleição para membro efetivo obedecerá às seguintes normas: - até 180 dias após a vacância será aberta inscrição, pelo prazo de 30 dias, para preenchimento da vaga, mediante edital publicado uma vez no Diário Oficial do Estado e duas vezes na imprensa comum; - o pedido de inscrição será instruído com o curriculum vitae do candidato, devidamente documentado, inclusive com exemplares de suas obras publicadas; - vencido o prazo do edital, sem qualquer pedido de inscrição, a vaga poderá ser preenchida mediante proposta subscrita por cinco sócios efetivos, que deverá ser apresentada nos 30 dias seguintes ao vencimento do prazo do edital. considerar-se-á eleito o candidato sufragado pela maioria absoluta dos membros efetivos presentes à reunião, ou representados, desde que alcance o mínimo de 13 votos, não sendo computados os votos em branco; - se nenhum candidato alcançar a votação mínima prevista na alínea anterior, a Mesa providenciará, de imediato, a realização de nova votação, a que concorrerão os dois mais votados, mantida, para a eleição, o número mínimo de 13 votos.


D2

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

>> Novo número . A nova edição da badalada revista RG apresenta em seu novo número uma lista especialíssima com os gringos mais influentes do eixo Rio-SP. . A revista vem com dois itens interessantíssimos, além dos loucos desejos consumistas da cantora paraense Gabi Amarantos, a garota-propaganda da Chanel, a inglesa-brasileira Alice Dellal (FOTO) estampa a capa da edição de março da RG. Famosa pelo estilo roqueiro e pelos cabelos raspados de um lado só, Alice é filha de Andrea Dellal, jet setter e supermodelo brasileira casada com o megainvestidor Guy Dellal. A moça tem opinião forte: “O que me interessa no trabalho de modelo é o processo, não quero ser apenas um cabide”, divide a jovem modelo, que já teve nomes do calibre de Karl Lagerfeld, Mario Testino e Juergen Teller com suas lentes a seu favor. Para Dudi Machado, a modelo conta tudo sobre sua vida, agora mais carioca do que o habitual. E revela seus projetos musicais.

Fernando Coelho Jr. fernando.emtempo@hotmail.com - www.conteudochic.com.br

>> Posse

Dellal e c i l A A top

>> Desenvolvimento do Milênio . A Organização das Nações Unidas (ONU), em parceria com o governo do Estado do Amazonas, por meio da Secretaria de Articulação de Políticas Públicas aos Movimentos Sociais e Populares (Searp), realiza na próxima terça-feira, a Consulta Nacional Pós-2015 para estipular novas metas para os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). O evento conta também com o apoio do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade, através do núcleo Nós Podemos Amazonas. . O encontro será com a sociedade civil organizada e demais cidadãos interessados em participar e acontecerá das 9h às 16h, no auditório Senador João Bosco da Assembleia Legislativa do Amazonas. Para participar, deve-se fazer o credenciamento às 8h30 no dia e local do evento. . Segundo o coordenador Nacional da Consulta Pós-2015, Flávio Ribeiro, a pesquisa é feita através da internet, porém, nos locais onde os núcleos dos ODM são mais ativos, a consulta também será realizada presencialmente. No Brasil, por enquanto, apenas seis cidades fazem parte do calendário dos encontros presenciais: Manaus, Belo Horizonte, João Pessoa, Goiânia, Curitiba e Rio de Janeiro.

Gisele e Efrem Maranhão em tarde de almoço que reuniu famosos locais no Ephigênio Salles

. A presidente da Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica, Maria José Neves Duarte, está convidando para a solenidade de posse da nova presidente da entidade. . Assumirá o posto, a desembargadora Liana Mendonça de Souza, no dia 13 de março, no auditório do Tribunal Superior Eleitoral- TSE. No mesmo momento, a ministra Eliana Calmon será homenageada, em sessão solene.

>> Objeto de desejo . Após uma coleção de Verão que encheu os olhos pela riqueza de detalhes e qualidade das peças, a H.Stern traz criações inspiradas na obra de Roberto Burle Marx. . Para os menos informados, ele foi um dos maiores arquiteto-paisagistas do país, com criações espalhadas tanto pelo território nacional quanto pela Europa e EUA. . “Roberto Burle Marx por H.Stern” traz o traçado de criações feitas por ele em desenhos de mais de 2 mil peças com giz colorido sobre papel-cartão preto. A coleção virá dividida por temas: Caminhos, Grafismo, Jardim de Pedras, Pedra do Fogo e Luz e Sombra.

>> Gourmet . Os chefs de cozinha Natacha Fink (radicada no Rio de Janeiro) e Wiliam Katô (radicado em São Paulo), além do apresentador do programa nacional “A Confeitaria”, do Canal Bem Simples, Lucas Corazza, estarão em Manaus para participar como jurado do primeiro concurso de receitas da Arena Show Gastronômica. . O evento será realizado de 7 a 9 de março, a partir das 9h, no supermercado Nova Era, localizado na avenida Torquato Tapajós. Como participar? as inscrições estão sendo realizadas no site www.finkpordentro.com.br.

Gilce e Haroldo Jatahy circulando na cena social da cidade


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

D3

FOTOS: RICARDO OLIVEIRA

O cantor e compositor parintinense, que tem músicas gravadas por vários artistas nacionais, entre eles Alcione, irá gravar seu novo disco no Rio de Janeiro, a partir deste mês

Chico da Silva volta ao estúdio após uma década Samba e futebol são os principais temas do novo disco, ainda sem título definido, que será gravado no Rio de Janeiro PRISCILA CALDAS Equipe EM TEMPO

E

le tem uma história de amor com o samba que dura mais de três décadas. Em seu acervo, traz letras interpretadas por nomes como Alcione e Fafá de Belém, sem contar que chegou a atuar ao lado de Martinho da Vila. Do Amazonas para o mundo, o cantor e compositor parintinense Francisco Ferreira da Silva, popularmente conhecido como Chico da Silva, fala ao EM TEMPO sobre o seu retorno à mídia com a gravação do novo CD, ainda sem nome definido. O projeto será produzido e lançado na cidade do Rio de Janeiro até o mês de junho. “Tenho sido procurado por pessoas que acompanham minha carreira, mesmo como compositor. Recebo e-mails em que os fãs perguntam por onde ando. Isso me transmite confiança”, conta Silva. Para o cantor, o carinho e interesse dos fãs era o que faltava para que tomasse a decisão de voltar aos estúdios. O cantor relata que há mais de 10 anos foi acometido por uma doença que afetou suas habilidades

vocais, a partir de então, deu uma pausa nas composições. Mesmo assim, Silva afirma que sua produção não foi comprometida por ter um acervo composto por mais de 150 músicas gravadas. Rio de Janeiro Segundo o cantor, a decisão de retornar à cidade carioca, local onde sua vida artística ganhou expressão, foi motivada pela ligação existente entre o Rio de Janeiro versus samba. “No Brasil quando se fala em samba o povo lembra do Rio. Esse ritmo faz parte da cultura local, assim como em Parintins existem as toadas”, justifica. Silva explica que seu objetivo é fazer um “auto lançamento” de seu trabalho e voltar a ser conhecido pelos brasileiros, agora como cantor e não somente como compositor. Suas letras foram conhecidas na década de 70 e 80 por meio de sucessos como “Pandeiro é meu nome” e “Sufoco”, gravadas pela maranhense Alcione. “Nesta época, tive uma passagem rápida pela mídia televisiva nacional. Cheguei a programas como o Fantástico e o Globo de Ouro. Tive canções transmitidas em novelas e filmes”, relembra. DIVULGAÇÃO

Novo CD poderá ter 12 faixas O cantor informa que o novo projeto vem fazer um link entre o futebol e o samba. Os planos para a finalização dos trabalhos ainda no primeiro semestre deste ano estão ligados a dois eventos esportivos: a Copa das Confederações 2013 e a Copa do Mundo de 2014. “Acredito que nesta época o samba vai ter mais expressão do nunca, por ter força junto a essa prática esportiva”, cita. Apesar de ser produzido e gravado no Rio de Janeiro, o álbum terá conversações brasileiras ligadas às características de Chico da Silva. O compositor adianta que ainda não definiu que nome vai dar ao mais novo “filho”, mas afirma que pensa na possibilidade de usar o título “Um Brasileiro”. “As músicas falam das ações diárias do nosso povo. Há uma canção que tem esse tema e trato os brasileiros como lutadores que driblam barreiras como

o salário mínimo e a miséria a cada dia”, informa. A quantidade de faixas também está em fase de determinação. O CD terá entre dez e 12 composições, oito delas autorais e inéditas, as demais de outros artistas amazonenses. Silva comenta que sempre costuma fazer essa divisão ao produzir um álbum. “Com certeza, o que não pode faltar é o prestígio às toadas. Teremos duas composições do nosso ritmo”, cita. O cantor viaja para o Rio de Janeiro este mês. O repertório também será feito junto aos cariocas. Ele disse que o retorno às gravações e aos palcos lhe transmite uma sensação ímpar. “São coisas distintas. Sinto que preciso ter mais responsabilidade do que antes, porque o público espera um projeto diferente e inovador, com uma base concreta”, conclui.

Discografia do cantor • • • • • • • • • • •

CD Chico da Silva - Série A Popularidade (2008) CD Chico da Silva - A Toada Amazônica (1996) LP Missão de cantar (1988) LP Samba na hora H (1984) LP (1983) Sambaterapia (1983) LP Samba na casa nossa (1982) LP Os afazeres (1981) LP Sonhos de menino (1980) LP Tudo mudou (1979) LP Samba também é vida (1978) LP Samba: Quem sabe diz... (1977)

Chico parou de cantar devido a um problema na voz

TEATRO

Grupo local no festival de Curitiba

O Baião de Dois vai representar o Amazonas no evento

O Estado do Amazonas será representado no Festival de Teatro de Curitiba pelo Grupo Baião de Dois, que se apresentará no “Fringe”, mostra que faz parte da programação do principal evento brasileiro dedicado às artes cênicas. O grupo irá encenar a peça “Se essa rua fosse minha”, em que uma palhaça divide seu cômico cotidiano com a plateia. O Festival de Teatro de Curitiba chega em 2013 à sua 22ª edição consolidado como

um dos grandes eventos do calendário cultural brasileiro e o mais importante acontecimento de teatro do país. Entre os dias 26 de março e 7 de abril, a capital paranaense se transformará num vibrante palco espalhado por todos os cantos da cidade, promovendo o encontro entre as artes cênicas e o entretenimento. Artistas dos diversos cantos do Brasil e de outros países terão ali uma vitrine de repercussão nacional para seus espetáculos e criações.

Desde sua primeira edição, em 1992, o Festival de Curitiba vem crescendo a cada ano, reunindo centenas de produções que refletem o vibrante cenário das artes cênicas no Brasil. Esse ano, serão 32 espetáculos na Mostra 2013 e 370 no Fringe, aos quais ainda se somam as programações dos eventos Risorama, Mish Mash, Guritiba e Gastronomix. A mostra 2013 traz oito estreias nacionais, uma apresentação especial de processo criativo de um espe-

táculo inédito, além de três montagens internacionais. O Fringe está presente no Festival de Curitiba desde sua 7ª edição, em 1998. É um espaço aberto, democrático, no qual os participantes têm a oportunidade de expor seus trabalhos ao público, à crítica especializada e a “olheiros” que sempre fazem questão de acompanhar o evento. Os ingressos para o Festival de Curitiba estão à venda no site www.festivaldecuritiba.com.br.


D4

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Resenha

‘Os Miseráveis’: PARA SABOREAR lentamente

O filme rendeu a Anne Hathaway o Oscar de melhor atriz coadjuvante

Vencedor do Oscar, filme baseado na obra de Victor Hugo é um musical longo, mas que prende o espectador VERA LIMA Equipe EM TEMPO

A

premiação de Anne Hathaway como melhor atriz coadjuvante por sua atuação em “Os Miseráveis”, musical baseado na famosa obra de Victor Hugo, deve motivar boa parte do público a comparecer às salas de cinema para assistir ao filme. Hathaway perdeu mais de 12 quilos para interpretar Fantine e rouba a cena enquanto luta por sua vida e pela sobrevivência da filha Cosette. Eu tive o prazer de assistir ao filme na semana passada e confesso que adorei, mas faço ressalvas a quem não aprecia musicais – se é esse o seu caso, ou prepare-se para torcer o nariz em boa parte do espetáculo, ou sente-se calmamente e saboreie lentamente a obra que realmente vale a pena pela preciosidade com que foi realizado. E quando digo para saborear lentamente é porque o filme é longo e tive a oportunidade de perceber que algumas pessoas acabam se retirando da sala antes do filme acabar. O que é uma pena. O filme vale a pena ver até o final, que me emocionou. Nem poderia ser diferente. A obra-prima de Victor Hugo continua arrebatando multidões nos cinemas e emocionando pela sensibilidade com que ele tratou um dos temas mais sensíveis da história da humanidade: o flagelo dos oprimidos, pobres e esquecidos da sorte, assim como Jean Valjean, um ex-condenado que tenta se redimir na tumultuada França da metade do século 19 e enfrenta seu maior adversário, o chefe de polícia da cidade e perseguidor implacável Javert, que faz

questão de ir até o fim para cumprir a lei. O elenco inclui atores consagrados como Hugh Jackman, Russel Crowe e Anne Hathaway, que, aliás, comove a plateia em pouco mais de 20 minutos de participação na película, refletindo a dor e o embaraço de quem viu todos os seus sonhos desperdiçados em uma existência tão breve. Assim como o livro, publicado em abril de 1862, o musical foi criado na França, mas virou sucesso mundial nos palcos da Broadway. Em mais de 20 anos a produção já foi vista por 60 milhões de

SENSIBILIDADE

A obra de Victor Hugo arrebata multidões nos cinemas e emociona pela sensibilidade com que trata um dos temas mais sensíveis da humanidade: o flagelo dos oprimidos, pobres e esquecidos da sorte pessoas em 42 países. Embora eu não seja exatamente fã de musicais, abro espaço para alguns muito bem produzidos pela eterna fábrica de sonhos, Hollywood. Entre esses que são bem-vindos, como “Chicago”, incluo agora “Os Miseráveis”. Se eu disser que prefiro o filme nesse estilo estarei mentindo, mas ainda assim sou obrigada a admitir que gostei do trabalho realizado. Tive a oportunidade de assistir a versões anteriores, sendo a última protagonizada pelo excelente Gerard Depardieu e sempre me emocionei

com a história de Victor Hugo e a perseverança de Jean Valjean. A história revela a eterna luta entre o bem e o mal, a redenção e a luta pela liberdade, tudo isso em um momento histórico importante e vital para a França. Abro espaço para mencionar um casal encantador que também se destaca no filme: Thénardier e sua esposa, dois trambiqueiros interpretados por Sacha Baron Cohen e Helena Bonham Carter e Gavroche, o menino de rua interpretado por Daniel Huttlestone. São personagens densos que exibem as próprias misérias, mas encantam pela sutileza do humor e sensibilidade que apresentam. Uma coisa é certa, o romance de Victor Hugo foi ridicularizado em sua época em razão do excesso de sentimentalismo que carregava; a versão musical de “Os Miseráveis” pode desagradar uma boa parcela do público menos avisado. Eu fui conferir e posso assegurar que vale a pena assistir. Vive la France! DIVULGAÇÃO

ESTREIA

“Hitchcock” mostra a vida pessoal e os sets de gravação do diretor

Bastidores de ‘Psicose’ em filme Há uma diferença que salta a vista entre o filme de Sacha Gervasi e o livro em que se inspira. No livro de Stephen Rebello (“Hitchcock - Os Bastidores da Filmagem de Psicose”), a mulher de Hitchcock, Alma, é mencionada uma ou duas vezes, e de maneira superficial. No filme, ela ganha dimensão de coautora do trabalho do marido. Interpretada por Helen Mirren, Alma Reville é muito superior àquele clichê segundo o qual p o r trás

de um grande homem está sempre uma grande mulher. Ela, sempre segundo a versão cinematográfica, está ao lado do genial marido e, pelo menos em algumas ocasiões, à sua frente. Claro, este é um filme de corte feminista, bastante adequado ao momento presente. No mais, é um interessante mergulho nos bastidores de realização de um clássico, talvez o mais conhecido trabalho de Hitchcock, mas que ganhou fama em meio a um generalizado ceticismo dos estúdios. Aos 60 anos, Hitch já era, havia muito, um cineasta rico e consagrado. Morava em mansão e mandava trazer a comida do Maxim’s, de Paris, por via aérea. Era daqueles que, conforme o jargão em voga, “não tinha nada a provar a ninguém”. Bobagem. Os seres humanos, mesmo os mais geniais (e talvez estes mais que os outros), estão sempre tentando provar al-

guma coisa aos outros. O reconhecimento do próximo é o calcanhar de aquiles da humanidade e o motor de toda a inventividade. E também de muita confusão e crueldade, mas esta já é uma outra história. De qualquer modo, Hitch, que se tornara famoso não apenas por seus filmes, mas, acima de tudo, por seu ultra popular programa de TV, sentia-se desgastado. Experimentava necessidade de se reinventar. E encontrou no livro de Robert Bloch, Psycho, material interessante para esse renascimento. Não que o romance fosse uma maravilha, mas relatava, de forma ficcional, os crimes verdadeiros praticados em 1957 por um certo Ed Gein, serial killer do Estado de Wisconsin. “Hitchcock”, de Sacha Gervasi, não é exatamente uma cinebiografia do mestre do suspense, mas o registro (também ficcional) de um

momento decisivo de sua vida e carreira. Hitch é vivido por um Anthony Hopkins intenso, contido, talvez preocupado em não transformar o seu personagem em caricatura, o que é um desafio adicional. Hitch tinha um tipo físico peculiar, um modo de falar todo seu, um senso de humor constante e cortante. Era um tipo e tanto. Enfim, presta-se muito bem para clichês, assim como se prestava, entre nós, uma figura igualmente marcante como Nelson Rodrigues. A cena mais importante de “Psicose”, a morte no chuveiro, também é abordada pelo filme, mas não com a riqueza de detalhes que encontramos no livro. É que apesar de ser um filme sobre o cinema, o Hitchcock de Gervasi não deseja ser técnico em excesso. Enfim, conciso como deve ser um filme de público, Hitchcock não entra em grandes detalhes de “Psicose”.


Plateia D5

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Canal 1 plateia@emtempo.com.br

Edição especial Neste domingo, às 22 horas, o Sportv abre série inédita do programa “Sportv Repórter”, com uma edição especial sobre o caso Oscar Pistorius, atleta acusado de assassinato. Direto da África do Sul, o repórter Felipe Brisolla mostra como foi a vida de Pistorius, um ídolo no país que saiu do pódio para o tribunal. Pensando longe O “Sob Medida”, formato criado e registrado pela Rede TV!, foi desenvolvido por uma equipe já de olho no mercado externo. Levar para outros países é um dos objetivos da direção, tanto é que o programa está sendo finalizado de uma forma diferente, a fim de proporcionar eventuais alterações ao comprador local. Ainda não se sabe, porém, em qual feira o “Sob Medida” será lançado. Time em campo Uma das mais saudáveis atitudes da direção da Bandeirantes foi fazer voltar os seus narradores e comentaristas aos campos de futebol. Uma economia que existia com base na porcaria. Agora, segundo essa nova ordem, a exceção será a transmissão do estúdio quando o estádio em questão não

SBT

Fabiana Frota em humorístico Quem estava acostumado a ver o apresentador Raul Gil elogiar a sua assistente de palco, Fabiana Frota, 30, sentirá falta da morena na atração. É que ela deixa amanhã o “Programa Raul Gil’’ (SBT) para se dedicar ao quadro “Batman e Robin’’, do humorístico “A Praça É Nossa’’ (SBT), ao lado do marido e ator, Alexandre Frota. Fabiana entrou no programa de sábado em maio do ano passado para substituir a então assistente Simone Sampaio, que deixou a atração para integrar o elenco do reality “A Fazenda 5’’ (Record, 2012). Sua estreia foi como a dançarina mascarada do quadro “Quem Sabe Canta, Quem Não Sabe Dança’’. “A atração já estava no final, mas gerou um certo mistério. Depois que revelaram minha identidade, o Raulzinho me convidou para permanecer’’, conta, referindo-se ao diretor da atração. Bailarina de formação, Fabiana conta que viveu momentos inesquecíveis ao lado de “Raulzão e Raulzinho’’, como carinhosamente se refere ao apresentador e seu filho, que o dirige. Além disso, teve a oportunidade de conhecer diversos artistas, como a cantora Ivete Sangalo, de quem é fã. “Ela é minha paixão. Sempre que possível vou aos shows’’, conta. Da experiência na atração, ela também destaca o lado emotivo. Com os concursos de calouros, as provas e o carinho das crianças que participam do programa, Fabiana revela que sempre ficou envolvida com os concorrentes. “É muita emoção naquele palco. Eu chorava sempre”, disse.

Bate-rebate Banco de espera A equipe do “Jornal da Band” vive a expectativa do anúncio de mudanças nesse que é considerado o principal informativo da casa, porque a sua audiência continua patinando perigosamente. Mudanças no formato, que fique bem claro, e não de horário.

DIVULGAÇÃO

TV Tudo

Banco de espera 2 Ainda em relação ao “Jornal da Band”, os seus profissionais têm interesse de saber para quem, hoje, o telejornal está falando. É importante esse retorno.

oferecer condições, especialmente de segurança.

passado.

Tratativas O SBT solicitou junto à Prefeitura de São Paulo, a cessão de um vestiário do Pacaembu, para realizar a coletiva de lançamento do reality “Menino de Ouro”. Em meio à burocracia de sempre, ainda não veio uma resposta.

Não vale No SBT existem reclamações sobre o tempo de gravação do “Cante se Puder”, apresentado por Patrícia Abravanel e Márcio Ballas. Pessoal da plateia não sabe mais o que fazer. Um pela demora das montagens das provas e outra pelos erros ou “refações” da Patrícia.

Que medo A Bandeirantes tem realizado mudanças nos cenários dos seus programas e, de acordo com a ordem das coisas, “CQC” e “Agora é Tarde” virão cercados de madeira por todos os lados. É a chamada volta ao

Liberado O SBT não criou problemas para atender pedido da Bandeirantes e liberar Celso Portiolli para o “Agora é Tarde”, do Danilo Gentili. A intenção é fazer um dos primeiros programas da nova temporada com ele.

• Márcio Rosário também entra em “Flor do Caribe”, como um dos capangas de Dom Rafael. • Dom Rafael, vale lembrar, é o personagem do ator uruguaio César Troncoso, uma das apostas da dupla Walther Negrão e Jayme Monjardim. • Amaury Junior será o entrevistado do Danilo Gentili na volta do “Agora é Tarde”, da Band. • Cleo Pires é a convidada do “Marília Gabriela Entrevista”, neste domingo 10 da noite, no GNT. • Ainda do GNT, Flávia Alessandra será o destaque do “Mulheres Possíveis”, da Ingrid Guimarães, nesta segunda, 22h30. • Para poupar a garganta e evitar nova cirurgia, José Luiz Datena pensa em parar com o seu programa na rádio Bandeirantes. • A presença do ex-goleiro Ronaldo no “Band E.C.” está se tornando desnecessária. • Dá pra contar, nos dedos de uma mão só, o quanto ele é chamado a falar.

Lado diferente O reconhecimento dos companheiros de cena e também de toda a equipe nos bastidores pegou Ingrid Guimarães de surpresa nas gravações “Sangue Bom”, substituta de “Guerra dos Sexos”, na Globo. Após uma sequência, ela foi aplaudida por todos e se emocionou. Esse termômetro indica que sua personagem será um dos destaques da história de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, num papel bem diferente de todos que ela apresentou até aqui. É quase um desafio.

Flávio Ricco Colaboração: José Carlos Nery

C’est fini Além do novo grupo de participantes, o “Saia Justa” também voltará ao ar com um cenário bem diferente, que vai dar ao ambiente um clima de maior informalidade.A estreia desta nova temporada no GNT será nesta quarta-feira, dia 6.

TV

Novos apresentadores na MTV DIVULGAÇÃO

A nova aposta da casa, Juliano Enrico, será o novo apresentador do “Acesso MTV”

Com a ida dos humoristas Marcelo Adnet e Tatá Werneck para a Globo, e de Dani Calabresa para a Band, a MTV correu atrás de novos talentos para agitar sua programação com mudanças que vão ao ar a partir de segunda. Entre as novidades, as apostas da vez serão os humoristas Daniel Furlan, 32, e Juliano Enrico, 28. Os dois são fundadores do grupo de humor Quase, formado em Vitória (ES), e também do canal homônimo, no YouTube. Eles comandarão atrações distintas na emissora musical. Furlan substituirá Dani Calabresa no novo “Furo MTV’’, ao lado de Bento Ribeiro. O programa volta ao ar reformulado e com novos integrantes, como Paulinho Serra, PC Siqueira e Bruno Sutter. “Eles me receberam muito bem e ganhei liberdade para criar. Não penso que estou substituindo a Dani, estou tranquilo. As pessoas é que fazem esse alarde’’, diz. Considerado o mais tímido do grupo -mas não menos engraçado-, o humorista conta que a MTV fez parte de sua adolescência. “O humor do “Hermes e Renato’ está nas minhas referências. Por isso, penso que estar nessa emissora é confortável, faz parte do meu universo’’, comenta Furlan, referindose ao grupo que voltará à programação do canal em abril para uma temporada com 12 novos episódios. Juliano Enrico deve comandar sozinho o “Acesso MTV’’, ao vivo. “Venho me preparando para essa ma-

ratona. E ter feito parte de um grupo de humor me ajudou muito a desenvolver bem diante da câmera’’, revela o humorista, que deve comandar novos quadros dentro do programa. O VJ conta que não está deslumbrado com o fato de estrear na TV, por conta da rotina de trabalho. E que está confiante com a nova fase de sua carreira no humor. “As possibilidades de crescimento na emissora são bem

MUDANÇAS

Entre as novidades do canal está Daniel Furlan como subistituto de Dani Calabresa no novo “Furo MTV’’, ao lado de Bento Ribeiro. Juliano Enrico deve comandar sozinho o “Acesso MTV’’, ao vivo concretas. Cometi algumas gafes quando entrei aqui e que não conto nunca. Mas sinto que o trabalho está sendo feito com cuidado’’, diz, fazendo mistério sobre as tais gafes. “Não vou fazer um personagem. Serei eu mesmo, com meu sotaque e meu estilo’’, conta Enrico. Segundo o diretor de programação da MTV, Zico Goes, as novas apostas da emissora seguem a filosofia do canal: lançar artistas pouco conhecidos e com grande potencial. “Ninguém na emissora é insubstituível e sabemos que eles são os futuros contratados das outras emissoras”disse.


D6

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

Programação da TV REPRODUÇÃO

SBT

GLOBO

6:00 Arnold

4:45 Santa Missa

4:45 Bíblia em Foco

6:30 Pesca Alternativa

5:45 Sagrado

5:00 Nosso Tempo

6:25 Pequenas Empresas, Grandes

5:30 Desenhos Bíblicos

Negócios

9:00 Amazonas da Sorte

7:00 Globo Rural

10:00 Record Kids

8:30 Vrum

7:55 Auto Esporte

12:00 Tudo a Ver

9:00 Amazonas da Sorte

8:30 Esporte Espetacular

14:00 Programa do Gugu

11:30 Esquenta!

18:00 Domingo Espetacular

12:50 Temperatura Máxima

21:15 Tela Máxima

15:00 Futebol 2013 – Campeonato

23:15 Câmera Record

18:00 Vamos Brincar de Forca

Brasileiro

0:15 Programação IURD

18:45 Sorteio da Telesena

17:00 Domingão do Faustão

7:30 Brasil Caminhoneiro 8:00 Aventura Selvagem

10:00 Domingo Legal 14:00 Eliana

19:00 Programa Sílvio Santos 23:00 De Frente com Gabi

22:50 Domingo Maior

1:00 Série

0:30 Sessão de Gala 2:15 Corujão

3:00 Igreja Universal

GREGÓRIO QUEIROZ ÁRIES - 21/3 a 19/4 Um dia para dedicar ao que preenche seu gosto pessoal. Os amores ocultos surgem bem diante de você. Isto vale não somente para pessoas, mas por coisas ou situações.

6:30 Igreja Internacional da Graça 7:30 Igreja Internacional da Graça 8:30 TV Kids 9:00 TV Shopping Manaus 10:00 Super Oferta 10:30 TV Kids 11:00 Igreja Internacional da Graça 12:00 Fique Ligado 13:00 Esporte Performance 14:00 Encircuito 15:30 TV Kids 17:00 Ritmo Brasil 17:30 Star Trek 18:30 O Último Passageiro 19:45 Operação de Risco 20:30 Tá Gravado 21:00 TV Shopping Manaus 22:00 WWE Smackdown 23:00 Dr. Hollywood 0:00 É Notícia 1:00 Bola na Rede 1:45 Igreja Internacional da Graça

22:05 Big Brother Brasil 0:25 Flash – Big Brother Brasil

Horóscopo

REDE TV

19:45 Fantástico

0:00 Série

2:00 Série “Esquenta” é uma das princiapais audiências do domingo

RECORD

3:40 Série Americana 4:25 Festival de Desenhos

Cinema ESTREIAS

BAND 5:00 Igreja Mundial 5:50 Popcorn TV 6:30 Santa Missa no Seu Lar 7:30 Fé na Verdade 8:30 Desenho 9:00 Expressão Esportes 9:30 Mackenzie em Movimento 9:45 Infomercial 10:45 Verdade & Vida 11:30 Band Esporte Clube 14:00 Gol, O Grande Momento do Futebol 14:30 Futebol 2013 16:50 Terceiro Tempo 19:00 Um Tio da Pesada 19:30 Família Dinossauro 20:00 Os Simpsons 21:00 Pânico na Band 0:00 Canal Livre 1:35 Show Business 3:00 Igreja Mundial

Cruzadinhas REPRODUÇÃO

TOURO - 20/4 a 20/5 Um grande sentimento está para se formar e hoje você pode conhecer alguns prenúncios dele. Uma doce expectativa está no ar, mesmo que por hoje seja somente um instante. GÊMEOS - 21/5 a 21/6 As operações em conjunto estão favoravelmente estimuladas. Maior aproximação a pessoas queridas no trabalho ou ligadas a alguma atividade produtiva e prática. CÂNCER - 22/6 a 22/7 Você se encanta por coisas em seu trabalho que estão terminando ou por terminar seu ciclo. Mesmo assim, pode ser cativante envolver-se com elas. Divirta-se e aproveite. LEÃO - 23/7 a 22/8 Um dia especial para se encantar com alguns pensamentos e formulações mentais. Sua percepção é atraída por aquilo que lhe agrada esteticamente. VIRGEM - 23/8 a 22/9 Os mistérios do relacionamento íntimo lhe fascinam de modo especial. Mesmo que tudo esteja para mudar, é um bom dia para mergulhar junto com a pessoa amada. LIBRA - 23/9 a 22/10 Partilhar as atividades de rotina com a pessoa amada pode ser hoje bastante divertido. De todo modo, procure trazer as pessoas queridas para perto de seus afazeres. ESCORPIÃO - 23/10 a 21/11 No último momento disponível, uma atração especial pode estar surgindo, seja nas relações afetivas ou mesmo nas de trabalho. Vá em frente, tudo pode ganhar nova forma. SAGITÁRIO - 22/11 a 21/12 Aproveite os bons momentos deste dia. Eles podem ser bem divertidos e brilhantes, mesmo que de curta duração. Não se preocupe com duração ou estabilidade deles. CAPRICÓRNIO - 22/12 a 19/1 Dê sua contribuição para alegrar e satisfazer os lugares e as pessoas à sua volta. Procure tornar mais harmoniosos e agradáveis os ambientes em que você está. AQUÁRIO - 20/1 a 18/2 As negociações e os contatos humanos vão bem, na medida em que sejam feitos de modo espontâneo e seguindo as afinidades que se formam no correr do dia. PEIXES - 19/2 a 20/3 Aprenda a gostar do que é seu, mesmo que o que seja seu não lhe satisfaça inteiramente, a princípio. Vá gostando aos poucos, como quem não carrega tanta expectativa.

Dezesseis Luas – EUA. 12 anos. Ethan Wate (Alden Ehrenreich), é um estudante de colegial que fica enfeitiçado por Lena Duchannes (Alice Englert), aluna nova, de 16 anos, que acaba de chegar de outro Estado - e com quem ele estranhamente tinha pesadelos há meses. Os dois se unem para enfrentar uma maldição sobrenatural que persegue a família dela há gerações: sempre que uma Duchannes completa 16 anos, ela deve escolher se será para a vida toda uma feiticeira do Bem ou do Mal. Cinemark 1 – 13h30, 16h10, 19h10, 22h (dub/diariamente), Cinemark 6 – 12h20, 15h10, 18h10, 21h (dub/diariamente), 23h50 (dub/somente sexta-feira e sábado); Cinemais Plaza – 14h, 16h30, 19h e 21h30 (dub/diariamente). Amanhecer Violento – EUA. 12 anos. Uma invasão de soldados soviéticos e cubanos toma conta de uma cidade. À mediada que ela é invadida pelas forças militares, oito jovens escapam para as montanhas. Adotando o nome da sua equipe de futebol, os Wolverines, eles formam uma guerrilha armada em defesa dos seus pais, amigos e do próprio país. Cinemark 5 – 11h40 (dub/somente sábado e domingo), 14h, 16h20, 18h50, 21h10 (dub/diariamente), 23h30 (dub/somente sexta-feira e sábado), Playarte 5 – 13h40, 15h40, 17h40, 19h40, 21h40 (leg/diariamente), 23h40 (somente sexta-feira e sábado); Cinemais Plaza – 14h50, 17h, 19h50 e 22h (dub/diariamente). Amor. FRA. 14 anos. Georges (Jean-Louis Trintignant) e Anne (Emmanuelle Riva) são um casal de aposentados, que costumavam dar aulas de música. Eles têm uma filha musicista que vive com a família em um país estrangeiro. Certo dia, Anne sofre um derrame e fica com um lado do corpo paralisado. O casal de idosos passa por graves obstáculos, que colocarão o seu amor em teste. Playarte 7 – 14h, 16h30, 19h, 21h30 (leg/diariamente), 23h59 (leg/somente sexta-feira e sábado).

CONTINUAÇÕES O Reino Gelado – Livre: Cinemark 4 – 14h30, 16h30, 18h30 (3D, dub/exceto domingo), 20h30 (dub/diariamente), Playarte 1 – 13h30, 15h30, 17h30, 19h30, 21h30 (dub/diariamente), 23h30 (dub/somente sexta-feira e sábado), Playarte 1 – 13h30, 15h30, 17h30, 19h30, 21h30 (3D/dub/diariamente), 23h30 (dub/somente sexta-feira e sábado). Duro de Matar: Um bom dia para morrer – 12 anos: Cinemark 2 – 17h40, 20h, 22h20 (dub/diariamente), Cinemark 7 – 12h (dub/somente sábado e domingo), 14h20, 16h40, 19h, 21h20 (dub/diariamente), 23h40 (dub/somente sexta-feira e sábado); Cinemais Plaza – 15h, 17h10, 19h20 e 21h40 (dub/diariamente); Cinemais Plaza – 14h10, 16h20, 18h30 e 20h50 (dub/diariamente). Cirque Du Soleil: Outros Mundos – Livre:

REPRODUÇÃO

Cinemark 4 – 12h30 (exceto sábado). Inatividade Paranormal – 16 anos: Cinemark 3 – 12h50, 17h20, 22h10 (dub/diariamente), Playarte 3 – 13h, 15h, 17h, 19h, 21h (leg/diariamente) e 23h (leg/somente sexta e sábado), Playarte 6 – 14h, 16h, 18h, 20h (dub/diariamente) e 22h (dub/somente sexta e sábado); Cinemais Plaza – 14h40, 16h50, 19h15 e 21h10 (dub/diariamente). Os Penetras – 14 anos: Playarte 2 – 14h20, 16h20, 18h20, 20h20 (diariamente) e 22h20 (somente sexta e sábado). A Viagem – 16 anos: Playarte 4 – 17h20, 20h40 (leg/diariamente) e 23h59 (leg/somente sexta e sábado). O Mar Não Está Pra Peixe 2 – Livre: Playarte 4 – 13h20 e 15h20 (dub/diariamente).

Fogo Contra Fogo – 16 anos: Playarte 5 – 14h30, 16h30, 18h30, 20h30 (leg/diariamente) e 22h30 (leg/somente sexta-feira e sábado). A Sombra do Inimigo – 14 anos: Playarte 8 – 13h25, 15h30, 17h35 e 19h40 (dub/diariamente). O Homem Mais Procurado do Mundo – 14 anos: Playarte 8 – 21h45 (diariamente) e 23h50 (somente sexta-feira e sábado). O Resgate – 14 anos: Playarte 9 – 14h10, 16h10, 18h10 (dub/diariamente), Playarte 9 – 20h10 (leg/diariamente), 22h10 (leg/somente sexta-feira e sábado). João e Maria – Caçadores de Bruxas – 14 anos: Cinemark 4 – 22h30 (3D/dub/ diariamente), Cinemark 8 – 17h10, 19h30, 21h50 (dub/diariamente), 0h (dub/somente

sexta-feira e sábado); Cinemais Plaza 15h10, 17h20, 19h30 e 21h50 (dub/diariamente). Tainá 3 – A Origem – Livre: Cinemark 8 – 13h, 15h (diariamente); Cinemais Plaza – 14h30 e 16h40 (diariamente). De Pernas Pro Ar 2 – 12 anos: Cinemark 2 – 13h10 e 15h20 (diariamente). O Voo – 14 anos: Cinemark 3 – 18h e 21h (leg/diariamente); Cinemais Millennium 5 – 14h10 e 19h (leg/diariamente). Royal Opera House: Carmen – 12 anos: Cinemark 4 – 11h (somente sábado), 16h (somente domingo). Meu Namorado É Um Zumbi – 14 anos: Cinemark 3 – 14h50, 19h40 (dub/ diariamente); Cinemais Plaza – 19h10 e 21h20 (dub/diariamente).


Plateia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

::::: Representante Uma das exposições mais movimentadas do mundo, a Artexpo, que acontece de 21 a 24 de março, em Manhattan, contará com a participação de Arnaldo Garcez. O artista plástico vai representar o Amazonas pela sexta vez. Garcez produziu 10 obras inéditas para expor no salão americano e utilizou tintas criadas por ele mesmo, a partir de pigmentações de minerais da região amazônica, como a argila, comum na região do rio Negro.

::::: Sala de Espera

A sempre simpática Denize Santana desfilando alto astral nos domínios do Village

::::: Megafone O deputado Francisco Souza (PSC) chamou a atenção, durante seu pronunciamento na Aleam, sobre a precariedade da BR-317, que liga Boca do Acre a Rio Branco, sudoeste do Amazonas. Na semana passada, ele percorreu a estrada de carro. A viagem que poderia ser de apenas uma hora e meia, durou quase quatro horas. A obra já é dada como concluída pelo Dnit, segundo Souza, e custou cerca de R$ 78 milhões.

::::: Conscientização

Jander Vieira jandervieira@hotmail.com - www.jandervieira.com.br

::::: Capital anfitriã

::::: Choque de quilates A empresária Jaqueline Chagas está na Feninjer, em Sampa, participando da mais cobiçada feira de preciosidades da temporada. Aos desavisados: a Feninjer é a maior e principal feira do setor joalheiro na América Latina. Jack foi garimpar novidades para sua joalheria do Manauara Shopping que serão lançadas, em breve, com coquetel e muito champanhe para a ala fina de plantão.

Daniela Assayag, dona Rita Calderaro, Dora Paula, Liberman Moreno, Maurício Carvalho, Ricardo Azêdo, Socorro Siqueira, Luciane Novaes e Tiphaine Bustinza estão trocando de idade hoje. Amanhã é a vez de parabenizar a linda Giovanna Figliuolo Vieira. Os cumprimentos da coluna.

D7

Ontem, Dacy Venâncio ganhou sessão parabéns concorrida com direito a champanhe e comidinhas chiques no famoso D&A, no Vieiralves

Lucilene Castro, Cinara Nery, Fátima Silva e Márcia Siqueira apresentam uma nova edição do show “Elas Cantam de Samba”. O evento acontecerá, no próximo dia 8, Dia Internacional da Mulher, que será celebrado com muita música no bar Zero Grau, a partir das 22h30. O prefeito Arthur Virgílio Neto foi protagonista da boa notícia. A partir deste mês, as instituições filantrópicas de Manaus

A jovem e competente secretária Alessandra Campelo não descansa. No período de 22 a 24 de março, Manaus será a capital brasileira dos esportes paralímpicos – pela primeira vez – e receberá o Circuito Loterias Caixa – Fase Regional Norte-Nordeste de Atletismo, Natação e Halterofilismo. A competição é uma realização do Comitê Paralímpico Brasileiro, com o incondicional apoio do governo do Amazonas, via Sejel.

que atendem crianças serão cadastradas no programa municipal ‘Leite do Meu Filho’. Além disso, a PMM vai firmar convênios com as entidades para projetos nas áreas de saúde, educação e assistência social. O prazo para as inscrições para a 2ª edição do curso de Discotecagem do Sesc, com o DJ Marcos Tubarão, encerra no próximo dia 11. Os interessados devem ter

Superaplaudida, a primeira Caravana de Prevenção às Drogas, realizada pela administração Aziz, com atendimento ambulatorial às famílias que sofrem com dependência química, no bairro Colônia Antônio Aleixo. Esta é uma das bandeiras levantadas pela primeira-dama Nejmi Jomaa Aziz, grande incentivadora do projeto que atende às determinações do governador Omar Aziz

mais de 14 anos e estar com a carteira do Sesc atualizada. A inscrição custa R$ 200 e pode ser feita na Central de Atendimento da Henrique Martins. A Ágape convida para conferir, na loja do centro de compras Jacira Reis, no Kyssia, desfile de lançamento com champanhe e muitas bossas. Quando? No próximo dia 7, às 19h, e contará com a presença do aimeudeus

Yuri Fernandes, ex-BBB. Amanhã, Keula Thaise Souza Roberto – a queridinha da coluna – sem muitas comemorações, estará aniversariando. A Paradise informa que, a partir do próximo dia 16, a Azul Linhas Aéreas estará comandando o novo voo 4242 direto para a Terra de Todos Santos, Salvador.


D8

Plateia

MANAUS, DOMINGO, 3 DE MARÇO DE 2013

cultural receberá nova atualização Aplicativo

Lançado no ano passado, serviço virtual da Secretaria de Estado da Cultura disponibiliza 100 mil títulos de livros, entre outras atividades culturais

L

ançado a menos de um ano, na Bienal do Livro Amazonas, o aplicativo digital da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) está prestes a receber sua primeira atualização. O nome do aplicativo é culturaam – escrito tudo junto. Entre as novidades do projeto estão a ampliação do acervo de livros e periódicos dos atuais cem para mil publicações e a abertura do programa às novas plataformas como iPhone e smartphone. Atualmente está disponível apenas para iPads e tablets. A meta dos técnicos da secretaria é que a nova versão esteja na rede para download na Apple Store e nos endereços que utilizam o sistema Android (que variam de acordo com a marca e preferência de cada usuários) até o final do primeiro semestre, dobrando seu número de usuários. “É o aperfeiçoamento de uma ferramenta única no Brasil, desenvolvida no governo Omar Aziz e que coloca nas

FOTOS: M. ROCHA/DIVULGAÇÃO

mãos dos usuários, a qualquer hora do dia ou da noite, toda a estrutura cultural, de bibliotecas, museus e teatros a cinemas, mapas com a localização e a agenda de eventos semanais”, acrescentou o secretário Robério Braga, ao destacar que o aplicativo já foi utilizado como modelo para outras importantes instituições artísticas, culturais e turísticas do país como o Parque Lage, no Rio de Janeiro. Além do arquivo de livros e periódicos que conta com obras clássicas e totalmente digitalizadas da literatura brasileira e amazonense, entre elas “O Batalhão dos Atiradores Baianos” (1917), de Ruy Barbosa e Albuquerque Libório, “Pela Glória de Ajuricaba” (1930, Álvaro Maia), e “A Cilada Sangrenta”, há compilação de artigos, textos e investigações sobre o assassinato do jornalista local Otello Mavignier em 1932, o aplicativo conta com um grande acervo de imagens e informações divididas em oito sessões de fácil navegação.

Guia Um exemplo é o item “Festivais e Eventos”, no qual o usuário poderá conferir o histórico e demais informações sobre os grandes acontecimentos promovidos pela SEC todos os anos e também acessar um vasto acervo de imagens, dos festivais Folclórico de Parintins e de Cirandas de Manacapuru ao Concerto de Natal, Carnaval e Bienal do Livro.“Nesta atualização, novas fotos também serão adicionadas em todas as sessões do aplicativo para tornalo mais completo”, disse o secretário Robério Braga. Além das imagens e informações gerais, em todas as páginas dos museus, teatros, bibliotecas e demais espaços culturais mantidos pela secretaria, assim como dos corpos artísticos, são encontrados os horários de funcionamento, endereço, telefone de contato e o responsável pelo setor. Sucesso principalmente entre turistas nacionais e estrangeiros que visitam a REPRODUÇÃO

cidade, o “Mapa da Cultura” mostra a localização exata dos espaços sob coordenação da secretaria e ainda de outras atrações da cidade, como o zoológico, aeroporto, parques e praças. “Esse aplicativo é o meu grande companheiro de viagem em Manaus. Além de mostrar o que tem para ver e fazer na cidade, também é um guia turístico confiável diante da ausência quase total de informações oficiais na internet”, avaliou a turista catarinense, Ludmila Panza. Para auxiliar ainda mais visitantes e moradores da cidade, está em fase final de testes uma nova sessão “Agenda Cultural”, com mais interatividade e a possibilidade de conferir dia a dia, os shows, espetáculos, sessões de cinema, oficinas de arte e demais eventos realizados semanalmente pelo governo do Amazonas, com direito ainda ao horário dos eventos e resumo dos espetáculos.

O aplicativo conta com mapas de localização dos eventos

EXPOSIÇÃO

Ditadura que causa ‘Ausências’

Gustavo Germano (à esquerda), que perdeu um irmão, é o realizador das fotografias

O projeto percorreu as regiões Sul, Sudeste, CentroOeste e Nordeste para reunir as fotografias das 12 famílias que estão representadas na exposição que está em cartaz em São Paulo. O trabalho foi idealizado pela organização não governamental (ONG) Agência Livre para Informação, Cidadania e Educação (Alice) com base em um trabalho feito pelo fotógrafo argentino Gustavo Germano com famílias argentinas, a maioria de sua cidade natal: Entre Ríos. O fotógrafo perdeu um irmão para a repressão na Argentina. As famílias brasileiras foram escolhidas após pesquisa no livro Direito à Memória e à Verdade, editado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência (SDH), que também financiou o projeto fotográfico, via edital. O coordenador do projeto na ONG, Luciano Piccoli, conta que foi difícil reunir material que preenchesse os requisitos

para o projeto. A primeira dificuldade foi encontrar fotos de família onde apenas a vítima da ditadura não estivesse mais viva. Com o aumento da perseguição aos opositores do regime, os militantes passaram a evitar

SELEÇÃO

As famílias brasileiras foram escolhidas após pesquisa no livro “Direito à Memória e à Verdade”, editado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência (SDH), que também financiou o projeto registros que os vinculassem a pessoas queridas. “A partir de 68, com o extremo cuidado que eles tinham com os parentes, eles passaram a evitar o envio de fotos e cartas, qualquer referência”, ressalta Piccoli.

A transformação das cidades ao longo do tempo também limitou as fotografias que pudessem ser selecionadas. “Um lugar que antes era uma praça pública tinha sido demolido e agora é um prédio”, exemplifica Piccoli. Por isso, algumas fotos escolhidas para serem remontadas são em igrejas, espaços poucos propensos a mudanças radicais. O resultado é um conjunto de fotos com força educativa e apelo emocional, na opinião do coordenador do Projeto Direito à Memória e à Verdade da SDH, Gilney Viana. “As fotos têm uma carga afetiva brutal. Então, desindividualiza aquele sofrimento, torna uma coisa coletiva”, disse. Além disso, as fotos são mais uma forma de homenagear as pessoas que se opuseram à ditadura militar e, por isso, foram assassinados ou desapareceram. “Diz respeito à memória daqueles que se sacrificaram democracia”.

EM TEMPO - 3 de março de 2013  

EM TEMPO - Caderno principal do jornal Amazonas EM TEMPO

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you