Page 1

ANO XXX – Nº 9.851 – Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018 | Presidente: Otávio Raman Neves

2,00

R$

VENDE-SE UM POLÍTICO Fidelidade partidária é coisa rara na política

SENADO

O Brasil precisa de Vanessa, diz Gleisi Com a palavra 8

Intrigas e traições às vésperas da eleição

PAUDERNEY

“Essa vai será a eleição da lava Jato”

O que levaria um político, às vésperas de uma eleição, a abandonar seus aliados de longa data - alguns até o próprio partido – e apoiar um candidato a quem fazia oposição há até pouco tempo? Os críticos mais corrosivos arriscam que esse tipo de “ apoio” repentino tem uma cláusula de negociação: dinheiro. Outros amenizam e dizem que não é bem assim. De eleição em eleição, é comum ver políticos abandonarem aliados, partidos, até mesmo ideologias, para migrarem para outro rumo. No Amazonas, o pleito que se avizinha revelou novamente esse fenômeno.

Política 6

HERANÇA

Política de pai pra filho no Amazonas Política 7

Política 5 DIVULGAÇÃO

EM 2 MESES

Plano de Verão asfalta 4 mil ruas Em dois meses, o Plano Obras de Verão, lançado pela Prefeitura, já alcançou mais de 4 mil ruas. É o resultado do equilíbrio financeiro da gestão do prefeito Arthur Virgílio, que garantiu R$ 320 milhões em recursos próprios para ações de infraestrutura.

Dia a dia 10

“É trabalho para valer e não um arremedo de obras como estão prometendo aí”, disse o prefeito Arthur ao inspecionar obras

Pai é pai, seja qual for a profissão

Para homenagear o dia dos pais, Curumim conta a saga de três personagens das animações: Bibo Pai e Bobi Filho, Procurando Nemo e Rei Leão.

Do chef ao médico, passando pelo dentista, tem pai de todo tipo e profissão. A Elenco convidou alguns personagens do circuito local para falar dessa responsabilidade.

O desafio de Zé Ricardo no Fogão DIVULGAÇÃO

Meu querido pai em filmes de animação

ESTREIA

O técnico Zé Ricardo (foto) estreia hoje à frente do Botafogo contra o Paraná. O jogo acontece às 11 horas, no Durival Britto, em Curitiba.

Pódio 34

www.emtempo.com.br

/emtempooficial

/emtempooficial

@emtempooficial

/tvemtempo


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Última hora

2

Última hora redacao@emtempo.com.br | Thiago Fernando

David Almeida diz que a sua equipe de comunicação e marketing ainda segue em processo de criação do conceito sobre o seu plano de governo e ações

Com CNPJ em mãos, David está apto para sua campanha DIVULGAÇÃO

O

candidato ao Governo do Amazonas pela coligação “Renova Amazonas”, deputado David Almeida (PSB), já está apto a iniciar a sua campanha eleitoral de rua a partir do dia 16 deste mês, conforme estabelece a legislação eleitoral vigente. O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), David, teve o seu nome confirmado como candidato no último dia 3. A Receita Federal, de forma sincronizada com a Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TREAM), liberou na sexta-feira (10) para o candidato David Almeida o seu Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), para concorrer às eleições gerais deste ano. Logo depois da convenção do PSB, que confirmou o nome de David como candidato da legenda ao governo, e com a adesão dos partidos PMN, Podemos, Pros e PMB e PT, foi solicitado o registro do candidato junto ao TRE-AM. Quando o órgão eleitoral aceitou o registro, automaticamente ele pediu a liberação junto à Receita. Ao receber o CNPJ, o candidato começou a programar caminhadas em Manaus e no interior, a partir da próxima quinta-feira (16), dia oficial para início da campanha eleitoral. “Esta é uma campanha totalmente

Além da campanha tradicional de rua, o candidato vai investir no trabalho online, por meio de redes sociais

ASSALTO

EDUCAÇÃO

Concluintes do Ensino Médio reduziram em 2017 DIVULGAÇÃO

No país, o número de concluintes do Ensino Médio Regular em 2017, algo em torno de 1 milhão e 780 mil, é 2,6% menor do que o de 2016, 1 milhão e 830 mil, aproximadamente. Para o vice-presidente de Relações Institucionais e Sustentabilidade da Faculdade Estácio, Ronaldo Mota, esses números são assustadores em si, porém, não é tão simples indicar que eles, isoladamente, impliquem retração inevitável de interessados em Educação Superior nos próximos anos. “Claro que o desejável seria termos um crescimento contínuo e substancial de jovens se formando naquele nível, no entanto, há outros fenômenos ocorrendo simultaneamente e que devem ser levados em conta”, disse Mota. Ele relembra qu no último domingo (05), foi

diferente das campanhas dos anos anteriores. Sabemos dos desafios que temos pela frente, mas estamos dispostos a continuar firmes, mostrando para as pessoas que é possível vivermos em um Amazonas melhor”, disse David. Além da campanha tradicional de rua, o candidato vai investir no trabalho online, por meio de redes sociais como o Facebook, Instagram e Twitter. Para ele, as redes sociais são um importante canal de relação com os amigos que conquistou com o passar dos anos na nossa vida pública e os fãs que assegura ter conquistado de forma orgânica. “Tenho buscado nas redes sociais prestar contas do meu trabalho parlamentar, sem deixar de mostrar aos amigos um pouco do meu dia a dia. Devo manter o ritmo de conteúdo, que tem nos dado um ganho orgânico de seguidores muito significativo. Só no Facebook, já temos quase 70 mil curtidas, engajamento e desempenho constante, sem uso de robôs e compra de seguidores”, afirma o candidato ao Governo do Amazonas. David avalia que a campanha nos canais de rede social deste ano terão muito destaque e serão decisivas, principalmente depois que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou para as eleições de 2018 aos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) o combate às Fake News.

aplicado o Exame Nacional para a Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA), quando 1 milhão e 340 mil inscritos, número 7,6% maior do que no ano anterior, visam à obtenção do diploma de Ensino Médio. “Parte significativa deles declara a expectativa

de, posteriormente, pleitear vagas no Ensino Superior. Assim, é possível observar que a diminuição de formandos no Ensino Médio Regular é compensada pelo incremento, mais do que o dobro de um ano para outro, de potenciais postulantes vindos por um outro caminho”, acrescentou.

População se revolta e agride bandido na Torquato Tapajós Raphael Tavares

Durante um assalto a um ônibus da linha 430, populares se revoltaram com a ação dos assaltantes, detiveram um dos homens e o agrediram até a chegada da polícia, na noite da sexta-feira (10), na avenida Torquato Tapajós, Zona Norte. De acordo com o tenente Souza, da 18ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom),

a dupla, assim que entrou no coletivo, passou pela catraca e anunciou o assalto. Durante a ação, os passageiros conseguiram deter um dos suspeitos. O outro criminoso fugiu levando os pertences das vítimas. Alguns passageiros foram ameaçados pelo assaltante que foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Opinião

Ctext

marioadolfoemtempo@gmail.com / contexto@emtempo.com.br

didatura, o deputado federal Pauderney Avelino (DEM-M) aposta todas as suas fichas em Geraldo Alckmin (PSDB). Tucano soft Ney acredita que o tucano paulista leva. E explica por quê: — É o mais preparado, o mais sóbrio, sereno e civilizado -. Lava Jato em Manaus O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF), estará em Manaus no próximo dia 22 para ministrar uma palestra para promotores de justiça de entrância final, inicial e substitutos do Ministério Público do Amazonas (MP-AM). Organizado pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional do Ministério Público, o evento será realizado às 9h, no auditório do MP.

Dba, sou fora! Em nota enviada à imprensa, o PDT informou que o governador Amazonino Men-

des não participará de entrevistas exclusivas ou debates sobre a eleição, até o início oficial da propaganda na TV e no Rádio, no final de agosto. A justificativa é de que S. Exa. está focado em cumprir sua obrigação como gestor do Estado e não quer correr o risco de infringir a legislação eleitoral. Na mesma nota, o governador diz que dedicará todo o tempo na solução dos graves problemas que herdou de gestões anteriores, como se comprometeu com os eleitores na eleição do ano passado, para esse curto mandato tampão.

Perguntar não ofende Responda rápido, quem não “arrumou a casa” em 10 meses vai arrumar até o final de agosto?

Segundo Boulos, Henrique Meirelles, do MDB, não era o único candidato de Michel Temer: havia ali “50 tons de Temer”.

11 de setembro Para ajudar o eleitor a escolher em quem votar, a Tv Em Tempo promoverá o debate com os candidatos ao Governo do Amazonas no dia 11 de setembro.

Crediário das Casas Bahia Após debate na Band com presidenciáveis, uma ‘propaganda’ está circulando na internet, seria verdade que as Casas Bahia não vão vender mais a prazo até acabare as eleições? Mas isso não passa de uma fake news, provocada pela fala do candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes.

Uma data cabalística em que até torres que se dizem sólidas costumam desabar. Na Band No dia seguinte, os candidatos ao governo participam do debate na Tv Band Amazonas. 50 tons de Temer Foi de Guilherme Boulos, do PSOL, um dos melhores bordões do morno debate realizado pela TV Bandeirantes, na quinta-feira (9), entre os candidatos à Presidência. Dos oito participantes, seis defenderam o impeachment de Dilma Rousseff em 2016.

3

Anistia no SPC Ciro disse que, se eleito, vai tirar o nome de todos os inadimplentes da lista do SPC. Foi o bastante para circular na web uma imagem afirmando que a empresa Casas Bahia não irá mais vender a prazo até acabarem as eleições. É “fake”, mas é engraçado. É com esse que eu vou Depois que o candidato de seu partido Rodrigo Maia (DEM-RJ) retirou sua can-

“Democracia” do fuzil Em menos de uma semana no “cargo”, o general Hamilton Mourão já coleciona polêmicas dignas de seu companheiro de chapa e ex-capitão do Exército, Jair Bolsonaro. No último desastre, o general disse que a tentativa de o PT impor a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde abril, justificaria uma ação militar, se houvesse uma “revolta popular”. Palpite infeliz No início desta semana, por exemplo, o vice de Bolsonaro soltou duas pérolas, sutil como um elefante numa loja de cristais.

Atribuiu à herança indígena a “indolência” e aos africanos a “malandragem” dos brasileiros. Sinuca de bico As coisas lá pelas bandas do PSB estão o maior Imbróglio. O candidato ao governo, David Almeida, quer Francisco Praciano (PT) de vice. Mas o PT nacional só libera Praça com a Vanessa Grazziotin (PCdoB) candidata ao senado pela coligação. Mas David não quer Grazziotin, enquanto que o deputado Serafim Corrêa, presidente vitalício de seu partido, quer. Creio em Deus Vanessa já disse que, se o motivo para barrarem sua candidatura na coligação for religioso, isso é irracional. — Política é uma coisa, religião é outra. Não vivo em igreja, mas creio em Deus-. Palavras e ações La Grazziotin disse que colocar em prática essa fé, através de ações, às vezes é mais importante do que falar. — Porque palavras bonitas todo mundo diz, mas depois o vento leva. Já as ações do bem ficam para sempre –, observa a senadora. Mamãe eu quero E quanto a Praciano? Inicialmente o petista recusou a oferta. Mas, após ser vetado pela executiva nacional para concorrer ao senado, voltou atrás e já declarou que aceita marchar ao lado do presidente da Assembleia Legislativa.

Al

V

Para o empresário brasileiro Rubens Menin, fundador da MRV Engenharia. Ele é o primeiro sul-americano a receber o prêmio de empreendedor do ano no mundo, pela consultoria Ernst & Young. Rubens concorreu com lideranças de mais de 50 países.

Para a Polícia Militar do Paraná (PMPR), que abriu um novo certame com 16 vagas para cadetes. Além de provas objetivas, os interessados serão submetidos a um teste psicológico, onde será avaliada, entre outras coisas, a “masculinidade” do candidato. O item, presente no anexo II do documento, exige um resultado igual ou acima de “regular” para capacidade de “não se emocionar facilmente, tampouco demonstrar interesse em histórias românticas e de amor”.

Olh d R

fotografia@emtempo.com.br

Presidente Otávio Raman Neves Vice-Presidente Otávio Raman Neves Júnior Diretor Comercial Humberto Gandra Diretor de Redação Mário Adolfo Chefe de diagramação Mario Henrique Silva Fotografia Ricardo Oliveira Projeto Gráfico Adyel Vieira e Mario Henrique Silva

Fale conosco

(92) 3090-1010 | 3090-1017

A Bandeira Nacional do Brasil tem um longo histórico de evolução em seu desenho. A extensão e importância estratégica daquilo que foi, inicialmente, um território ultramarinho do Império Português. O Brasil é a pátria de evolução e do desenvolvimento de um povo que luta incessantemente por dias melhores; e nos dias de hoje mantém vivo o seu brado retumbante. Foto Ione Moreno

DO GRUPO FOLHA DE SÃO PAULO


4

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Articulistas

C

E

opiniao@emtempo.com.br

“O caos é uma escada” Quem é fã de Game Of Thrones deve lembrar dessa frase, dita pelo personagem Petyr Baelish, o Mindinho, homem manipulador, traiçoeiro, dedicou sua vida para servir a apenas uma pessoa: a si mesmo. Segundo ele, “o caos é uma escada”, porque vê nele uma oportunidade de “subir” socialmente e triunfar a partir do mal. O fato é que, quando um governo não vive em prol do seu Estado, o resultado é um caos, um poço à espera de nos engolir a todos. É exatamente o que está havendo no Amazonas, que tem seu próprio mindinho – o governador do Estado. Homem que coloca seus interesses políticos acima de tudo, de todos, inclusive acima da lei. E como foi dito, por nada ser feito em prol do Estado, do seu povo, o caos impera, e, através dele, o atual mandatário tenta chegar ao topo mais uma vez. A obscuridade nos devora de tal forma, que sequer sabemos a quem recorrer, ou melhor, não há a quem recorrer. E para que o pandemônio fique extremo, a lei do silêncio foi ordenada, nós, do meio de comunicação, não temos mais acesso a nada que envolva o governo, crimes ocorrem e, mesmo com nossa insistência, as informações nos são negadas. E qual o objetivo disso? Para tudo há uma razão. O que querem esconder? Uma coisa podemos afirmar com toda a certeza: na política “o caos não é um abismo, é uma escada. Muitos que a tentam escalar falham e nunca mais tentam novamente. A queda os quebra. E a alguns é dada a chance de subir, eles se agarram ao poder ou aos deuses ou ao amor. Apenas a escada é real. A escalada é tudo o que existe”. Como nesse governo, no qual tudo se vence com papel, caneta e ‘secretarias’

F Os militares são parte significativa da maioria do povo brasileiro que pretende usar o voto, a arma mais poderosa e legítima da democracia, para começar a superar a crise profunda em que estamos mergulhados. General Fernando Azevedo e Silva - chefe do Estado Maior do Exército

D S C

P P

Arcebispo Metropolitano de Manaus

Cláudio Perani Há dez anos atrás passava por Manaus quando soube da morte, aos setenta e seis anos, do Pe. Cláudio Perani, jesuíta que eu conhecia das Assembleias do Regional Norte I da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Desde a primeira vez que o vi, fiquei impressionado. Homem culto, sóbrio, radical em suas colocações, comprometido com os pobres e com os movimentos de libertação, sonhador e cheio de esperança tinha um olhar que transmitia paz e ternura. Aos poucos fui conhecendo sua biografia e suas convicções teológicas. Quando veio para Manaus, para ser o primeiro superior do grupo de jesuítas que aqui se instalara, já tinha um histórico de compromisso com os pobres que o tinha levado a ser perseguido pela ditadura militar. A notícia de seu falecimento me pegou de surpresa. Tive a sensação de que alguns projetos e sonhos dele entrariam numa nova fase ou não resistiriam. Ao menos três me vieram a mente; o SARES, a CPT e a equipe itinerante. Participei da missa de corpo presente e depois acompanhei o cortejo até o cemitério. Até hoje me lembro da simplicidade da liturgia eucarística e dos ritos finais junto à sepultura. Nunca antes eu participara de um ritual em que as palavras previstas correspondiam tanto à vida e ao mistério que estávamos celebrando. A Palavra proclamada foi vivida pelo Pe. Cláudio de forma intensa. Quantos retiros fez e orientou na vida. Era um mestre do discernimento. Ele fez parte de uma geração de ouro que ou já partiu para a casa do Pai, como foi o caso do Pe. Joao Sucarrats, salesiano, ou já se retiraram do campo de batalha, devido à idade e à doença como o Pe. Guidoti.

É arquiteto, empresário e escritor

O vergonhoso aumento do STF Eram homens apaixonados pela Igreja e fiéis a ela, não de forma teórica e idealista, mas enraizados na Igreja local. E na última etapa de sua vida ele descobriu a Amazônia e seu povo. Celebrar os dez anos de sua partida, não pode se resumir a homenagens, pois tenho certeza que ele as dispensaria. Mas já é tempo de olhar onde estamos e o que fizemos dos seus sonhos. No fundo queremos e devemos nos perguntar se somos fiéis a Jesus e se nossa Igreja é um sinal de esperança para os humilhados da terra. No dia das suas exéquias eu tinha a certeza que ele entrara no Reino que desejara tanto que acontecesse já aqui na terra. A Igreja existe para que o Reino aconteça no espaço e no tempo. Quando o Reino definitivo acontecer não teremos mais necessidade de mediações e mediadores. Mas enquanto caminhamos neste mundo Deus envia profetas que abrem caminhos. Cláudio Perani foi um destes enviados. Hoje vivemos outros tempos, mas a pobreza, a miséria e a exclusão de tantos seres humanos continuam a desafiar nossa fé e nossa razão. Não podemos ser ingênuos e é necessário conhecer os mecanismos da morte e da vida. A capacidade de resistência do humano pode nos surpreender. Levar a sério o que vem dos pobres, ouvir suas histórias, conhecer sua cultura, raspar a tinta da opressão que durante muito tempo gerou o silêncio e a dor. Os jesuítas da Amazônia são os guardiães deste legado que também pertence à Igreja de nossa região. Fazer memória é tornar presente. Uma presença que interpela e leva à conversão.

Todos os meios de comunicação do país têm produzido matérias sobre o impacto do aumento que os ministros do STF se autoconcederam com votos vencidos de Cármen Lúcia, Rosa Weber, Edson Facchin e Celso de Mello. A propósito, em entrevista a O Globo, Marco Aurélio Mello esclareceu que não se trata de autoconcessão porque o novo valor só comparecerá ao contracheque após a aprovação pelo Senado Federal. Como se houvesse brio em dose suficiente naquele plenário para se contrapor a todo o Poder Judiciário do país! Em entrevista publicada no site Congresso em Foco, o presidente do Senado, Eunício de Oliveira, já adiantou: “Compreendemos o momento que vivemos do ponto de vista da economia, mas também devemos compreender que cada Poder é autônomo e pode tomar suas próprias decisões. Não vamos fazer nada de confronto”, adiantou o senador, concluindo redundante: “Temos que respeitar a harmonia dos Poderes e o teto constitucional que foi estabelecido para cada um dos Poderes (sic)”. Cálculo feito pela assessoria das Comissões de Orçamento da Câmara e do Senado estima que a despesa com pessoal se elevará em R$ 717 milhões no Judiciário, R$ 258 milhões no Ministério Público da União e R$ 400 milhões no Poder Executivo por consequência da majoração do teto remuneratório. Nos estados da Federação, o impacto chegará a R$ 2,6 bilhões. Esse é o dano que está sendo divulgado. É um rombo fiscal. Há

outro, porém, de natureza moral. Já foi anunciada a necessidade de manter congelados, até 2020, os vencimentos dos servidores públicos da União (e não será diferente nos Estados e municípios). A penúria das contas públicas foi produto de laboriosa construção. De modo irresponsável, os poderes de Estado e seus órgãos de controle permitiram que o gasto se elevasse constantemente em tempos de ruinosa queda da renda nacional e, consequentemente, das receitas fiscais. Estabeleceu-se o caos dos salários parcelados, atrasados e da perda do poder de compra. No setor privado, o efeito é bem mais atroz: desemprego em massa. É aí que se produz o pior impacto desse vergonhoso aumento do STF. É um impacto moral! Como tolerar que ao topo remuneratório do poder público, aos terraços e coberturas do aparelho de Estado, sejam concedidas reposições de perdas remuneratórias que são recusadas aos miseráveis operadores dos porões? Como explicar isso aos que recebem menos, aos que recebem atrasado, aos que recebem parceladamente seus vencimentos e proventos, bem como aos desempregados? Como fazêlos entender que não bastante essa dura realidade terão que custear o ganho adicional das categorias beneficiadas em cascata pela decisão tomada por sete magistrados com acento no plenário do Supremo? Sim, porque não se imagine, repito, que os rabos-presos do Senado negarão a seus futuros julgadores o valor que pretendem ver incorporado a seus contracheques.


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Política

5

Política O preço da infidelidade politica@emtempo.com.br | Thiago Botelho

De eleição em eleição, é comum ver políticos abandonarem aliados, partidos, até mesmo ideologias, para migrarem para outro rumo. No Amazonas, o pleito, que se avizinha, revelou novamente esse fenômeno

O

que leva um político, às vésperas de uma eleição, abandonar seus aliados de longa data - alguns até do próprio partido – e apoiar um candidato a quem fazia oposição até pouco tempo? Os críticos mais corrosivos ariscam dizer que esse tipo de “apoio” repentino tem uma cláusula de negociação: dinheiro. Outros amenizam, dizem que, na verdade, a atração vem de promessas de cargos. Maldade ou não, é difícil acreditar que alguns membros de agremiações partidárias resolveram trair sua antiga sigla pelos belos olhos do outro candidato. Agora mesmo, no Amazonas, uma “revoada” de políticos migraram para o ninho do PDT, de Amazonino Mendes, a quem faziam oposição até semana passada. O vice-prefeito, Marcos Rotta, e o presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Wilker Barreto, que juraram lealdade a Arthur Virgílio na festa dos 40 anos de política do prefeito de Manaus, são duas aves que voaram do ninho tucano. Rotta dizia que Arthur era um mestre e que, com ele, “aprendia uma lição todos os dias”. Wilker, com lágrimas nos olhos, chegou a dizer que “para onde Arthur for, o PHS estará ao lado dele”. Não foi. Quem também resolveu se aliançar ao velho camarada foi Alfredo Nascimento (PR) - criatura que dizia os diabos do criador - e Rebecca Garcia (PP), que há poucos meses, jurando lealdade ao então governador interino David Almeida (PSB), disputou a eleição para o governo na eleição suplementar e jurava que representava a bandeira da modernidade, do novo e da independência da “velha política”, alfinetando Amazonino por todos os lados, taxando-o de retrógado e político ultrapassado. No início do mês, o Amazonas assistiu, boquiaberto, a Rebecca abraçada a Amazonino e declarando que o Amazonas “precisa muito dele, por isso ele precisa de mais quatro anos. Eu não tinha outra escolha”. Vale lembrar que a moça foi colocada na Suframa pelo então governador Omar Aziz (PSD), jurando lealdade a ele, e hoje promete desbancar

Sem título-28 5

Se um candidato é eleito com essas práticas, mostra que a índole dele não é índole de quem quer mudar a realidade da população, lutar pelas políticas públicas. Vai ser alguém que faz qualquer coisa para ganhar a eleição José Ricatdo Deputado estadual do PT

o senador de seu sonho de retornar ao cargo. Conhecido por sua coerência ideológica, o deputado estadual e candidato ao Senado Luiz Castro (Rede) diz que a volatilidade partidária é um ponto importante para avaliar a seriedade dos políticos. “Infelizmente, o que nós vemos é muita incoerência. Falta comprometimento com aquilo que se fala e pratica. Existem duas situações: um político completamente venal, que se vende por dinheiro, por favores, por vantagens pessoais, e aqueles que, por pura conveniência eleitoreira, passam a defender uma linha apenas para aproveitar uma onda. Em ambos não há sinceridade, porque colocam o interesse eleitoral acima de tudo”, destaca. Já o petista José Ricardo, candidato a deputado federal, crê que mudar repentinamente de lado escancara a índole do político. “Se um candidato é eleito com essas práticas, mostra que a índole dele não é índole de quem quer mudar a realidade da população, lutar pelas políticas públicas. Vai ser alguém que faz qualquer coisa para ganhar a eleição e depois vai fazer de tudo para se man-

ter no poder e, logicamente, se envolver em atos de corrupção e desvio de dinheiro que são situações que estamos vendo aí na sociedade”, alfinetou. Quem também maculou sua vida pública com a incoerência ideológica e de discurso foi o ex-deputado estadual Marcelo Ramos (PR). E Marcelo, pasmem, cometeu o pecado duas vezes. A primeira foi na eleição de 2014, quando mandou seu adversário, o ex-governador Eduardo Braga (MDB),, ajoelhar no milho. Na eleição suplementar do ano passado, ele apareceu aos beijos e abraços com Braga. A troco de que mesmo? Agora, circula nas redes sociais um vídeo do passado, no qual Ramos diz que seria um paradoxo, “se amanhã, eu, por um motivo qualquer do destino, virasse o maior defensor do ex-prefeito e do ex-governador Amazonino Mendes. As pessoas não entenderiam”. Pois é exatamente isso que está acontecendo. Na avaliação do cientista político Carlos Santigo, no Brasil não há fidelidade partidária, porque os políticos não têm uma ideologia, sim projetos de perpetuação no poder. “No Brasil, não importa a ideologia, não importa o pro-

grama, não importa as ideias, o que vale mesmo é o apoio da estrutura partidária do tempo de televisão e do fundo de campanha para determinadas candidaturas. Esse tipo de apoio representa interesses que vão desde interesses monetários, como foi denunciado na Lava Jato por delatores, até interesse de se manterem na máquina pública, ou na relação de proximidade com os poderes”, observa. Fidelidade existe Na verdade, no Amazonas, pouquíssimos políticos se mantiveram fiéis aos seus partidos. É o caso da senadora comunista Vanessa Grazziotin, que, em quase 40 anos de vida pública, se mantém fiel ao PCdoB. E do deputado Pauderney Avelino, que iniciou carreira há seis mandatos no PFL (Partido da Frente Liberal) e se manteve no Democratas, que substituiu a primeira sigla. É o caso também do lendário governador Gilberto Mestrinho, que, em mais de 50 anos de política, passou apenas por três partido: o PTB, o PP (depois da anistia, quando Ivete Vargas tomou a sigla, onde ficou pouquíssimo tempo) e morreu no MDB.

11/08/2018 00:08:50


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Política

6

FOTOS: MÁRCIO MELO

Fabiane Morais

N

a corrida pelo sétimo mandato na Câmara dos Deputados, o deputado federal Pauderney Avelino (DEM) conversou com o EM TEMPO e explicou sua desistência por disputar uma vaga no Senado Federal, observou que este será um pleito decisivo, por ter a capacidade de fazer uma depuração em candidaturas expostas e afirmou que a operação Lava Jato abriu os olhos dos eleitores, que estão mais exigentes com os candidatos. EM TEMPO - A retirada do seu nome da disputa pelo Senado lhe desmotiva, já que o senhor está indo para o sétimo mandato na Câmara Federal? Pauderney Avelino- Retirei minha candidatura por uma questão de avaliação dos cenários e porque muitos segmentos da economia daqui do estado ficaram temerosos de que eu fosse para uma eleição onde se sabe que há riscos. Como têm muitos candidatos, havia um risco de as pessoas ficaram com medo de que eu saísse de Brasília, onde poucos se preocupam com o estado do Amazonas. Mas de forma alguma irei desmotivado para a campanha, até porque não tenho vaidade. O que tenho é vontade de servir ao povo do Amazonas. Se eu estava numa pré-campanha para o Senado, era por entender que lá eu poderia ajudar muito mais. EM TEMPO - Quanto o senhor calcula que irá gastar neste período de campanha eleitoral? PA- Os recursos estão limitados. Pela lei, têm R$2,5 milhões destinados à candidatura de um deputado federal. A campanha deve ficar mais barata. Precisamos fazer com que fiquem mais baratas. O Brasil precisa se renovar. Entendo que é preciso sim fazer a renovação da mentalidade das pessoas, da cultura. Não há como buscar o voto pelo voto. É preciso mostrar trabalho. Neste ano, temos uma legislação que foi votada e, portanto, a campanha será feita sob essa nova legislação. São 45 dias de campanha, sendo 35 de rádio e televisão, onde temos também a proibição de doação de campanha feita por pessoa jurídica. É uma campanha com um novo perfil, e vamos ver como vai se comportar. Temos propostas e projetos e estamos continuamente trabalhando. EM TEMPO - É notável que você intermedeia muitos recursos direcionados para o Estado. Acha que isso se deve pelo seu tempo de atuação em Brasília? PA- Ajuda muito. O fato de eu ter uma atuação firme e segura no Congresso Nacional conquistou o respeito das pessoas por mim. Isso faz com que consigamos trabalhar essa transferência de recursos da União para o Estado e para os municípios. EM

Sem título-28 6

TEMPO

-

O

se-

PAUDERNEY AVELINO

‘Esta é a eleição da Lava Jato’ nhor acredita que existe criminalização do político ou da política? PA- Eu não chamaria de criminalização do político, mas da política. Em razão de tudo o que está vindo à tona. A política não é nenhum monastério, em que as pessoas são todas virtuosas. Ali é a representação, sobretudo, no Congresso Nacional, do povo brasileiro. Alguns fazem, e outros não fazem (irregularidades), isso leva à prática da corrupção e é isso nós precisamos coibir. Não dá mais para conviver com o Brasil, onde na política existe corrupção. Nós temos que passar uma Lava Jato nestas atitudes, para que possamos emergir num brasil melhor e sem esses vícios todos. EM TEMPO - A população pode confiar que o resultado deste pleito será uma depuração? PA- Esta é a eleição da Lava Jato. Eu entendo que a população, em todo o país, está avaliando aqueles políticos que realmente estão com muitos problemas e pleiteando reeleição. Percebo que, em muitas das reuniões com pessoas mais humildes ou graduadas, a Lava Jato está na cabeça das pessoas. E, quando se fala em corrupção política, a medida é bilhões, e é citado, ainda, roubo na Petrobras, nos Correios e nas estatais. Enquanto isso, as pessoas estão sem atendimento de saúde, sem

educação adequada, sem investimento. Nosso país está um desastre. Nos tornamos reféns do medo. EM TEMPO – Tem uma emenda inserida na Câmara que é preocupante à Zona Franca. Do que se trata especificamente? PA- Esta emenda prevê uma espécie de proteção para garantir os benefícios da Zona Franca de Manaus. A reforma vai mudar, extinguir e juntar impostos, trazendo assim uma nova forma de tributar. Isso é preocupante. E, como único integrante do Amazonas na comissão em que este projeto tramita, colhi 212 assinaturas e fiz um discurso para cada um dos deputados sobre a importância da Zona Franca, porque somos uma excepcionalidade. E, toda vez que tocamos neste assunto na Casa, os parlamentares ficam sobressaltados.

O fato de eu ter uma atuação firme e segura no Congresso Nacional conquistou o respeito das pessoas por mim. Isso faz com que consigamos trabalhar essa transferência de recursos da União para o Estado e para os municípios

EM TEMPO - O senhor acredita que existe cooptação na política? PA- Acho que sim. Não estou dizendo que este foi este caso (do Rotta), mas de modo geral, tem muita coisa errada na política. Não acredito também que tudo seja por dinheiro. As coisas não funcionam assim, pode ter também muito folclore nisso. Eu não participo disso. Sou um político de lado.

EM TEMPO - Como o senhor vê as últimas movimentações de cenário político, como a desfiliação de Marcos Rotta do PSDB e saída do presidente da CMM, o vereador Wilker Barreto, da base? PA- Acho que cada um desses políticos tem sua livre decisão. Se ele (Marcos Rotta) está saindo do PSDB é uma decisão dele, se o presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), o vereador Wilker Barreto está saindo da base, é uma decisão dele. Eles sabem onde colocar o barco deles.

11/08/2018 00:17:50


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Política

7

A política de pai para filho O ex-governador Gilberto Mestrinho é o pai político do grupo que governa o Estado há quase 40 anos

FILHOS DO BOTO NAVEGADOR

Fabiane Morais

U

ma definição para pai pode ser: “aquele que gera um ser, ensina-o a dar os primeiros passos e instrui o caminho que deve percorrer”. No fim de semana em que se comemora o Dia dos Pais, o EM TEMPO relembra que, na árvore genealógica da política local, os principais candidatos nestas eleições têm o mesmo DNA: o do exgovernador falecido Gilberto Mestrinho, conhecido como Boto Navegador. Na linhagem do “pai político”, está o atual governador Amazonino Mendes (PDT), o senador Eduardo Braga (MDB), os candidatos ao governo Omar Aziz (PSD) e David Almeida (PSB) e o deputado federal e candidato ao senado Alfredo Nascimento (PR). Amigo pessoal de Gilberto Mestrinho, Mario Alfredo Lopes, que lançará no dia 23 de fevereiro de 2019 um livro sobre o político, relembra datas importantes da vida dele e a aproximação dos novos nomes, que posteriormente se tornariam lideranças no Amazonas. “Em 1959, Gilberto foi eleito de forma direta. Nesta época, Amazonino era uma liderança estudantil que via no Gilberto uma liderança política popular com qual se identificou e ambos tornaram-se muito amigos. A partir do segundo mandato de Gilberto, em 1982, Amazonino tornou-se advogado dele”, lembra. De acordo com Mario, naquela época, Amazonino começou a “afastar” o vice de Gilberto, Manoel Ribeiro (Manoel Pracinha), para se credenciar à sucessão do Boto Navegador, fato que ocorreu em 1986, quando não havia reeleição,sim, indicação para a vaga. Ao citar como Gilberto sobreviveu a alguns imbróglios, o amigo do ex-governador cita que, determinada vez, o Boto deixou o governo do Estado para disputar um cargo menor, de deputado federal, em 1961, em Boa Vista (RR) - iniciativa para não perder o status de político e com a facilidade de ter em mãos uma base eleitoral no Estado. “Ele ia deixar o governo e, como não tinha reeleição, ele decidiu disputar um cargo na Câmara dos Deputados. Nesse momento, ele se aproximou de Almino Afonso e Arthur Virgilio Filho”. Cassado em 1979, no período da ditadura, e proibido de entrar no Amazonas, Gilberto se auto divulgou, fazendo palestras, conciliando com a atividade de empresário. “Neste período tinha uma aliança com Pedro Simões, Tancredo Neves e Ulisses Guimarães. Quando voltou a Manaus, tornou-se prefeito, dentro de uma mobilização poderosa, em que o MDB consegue eleger mais de 20 prefeitos pelo Brasil”, conta. Entre tapas e beijos Mario classifica como entre “tapas e beijos” a relação com o “primogênito” do ciclo político, Amazonino, quem ele considera que vivia à sombra do Boto Navegador. Quanto à primeira grande oportunidade dele, Mario relembra: “O cargo de prefeito pertencia ao governador, então

Linhagem familiar inicia com o primogênito Amazonino, que consagra Braga e tem como descendentes Alfredo, Omar e José Melo

GILBERTO MESTRINHO

AMAZONINO

MANOEL RIBEIRO

EDUARDO BRAGA

ALFREDO NASCIMENTO.

OMAR AZIZ

JOSÉ É MELO

em 1984, Amazonino foi indicado por Gilberto para comandar a prefeitura, e essa parceria entre tapas e beijos aconteceria porque Amazonino sempre quis fazer uma política diferenciada”, diz. Já em 1988, em uma nova disputa para a prefeitura, Gilberto se lançou ao cargo contra Arthur Virgilio. “Dizem que houve investidas de Amazonino para que o Boto saísse da cena política”, comenta. Foi naquele mesmo ano que Alfredo Nascimento surgiu na cena política, assumindo interinamente a prefeitura após Amazonino decretar uma intervenção e retirar Manoel Ribeiro do cargo. Escola de estratégia Sobre as estratégias políticas que começam a ser apresentadas para o pleito de outubro, Mario Lopes revela que parte delas é fruto da convivência dos políticos com Gilberto. Mario afirma que o desejo de ambos era dirigir o Estado do Amazonas, e a convivência de Amazonino com Gilberto formou uma escola de estratégia política. “Mas o jeito de Amazonino fazer política não é fruto apenas de um aprendizado com Gilberto, mas sim da situação atual do Brasil”, conta. Para ele, houve uma mudança no comportamento da classe política. “Os políticos passaram a se associar com empreiteiros, e esta relação acabou criando problemas de ordem administrativa financeira. Os políticos tinham essa visão de que administrar com empresas garantiria um amparo na gestão”, comentou. Novatos da escola Já na década de 1990, Gilberto voltou aos trabalhos na política ao ser eleito governador e contribuir com o êxito de seus sucessores. “Em 1995, Amazonino Mendes foi eleito e reeleito. No pleito seguinte, apoiou Eduardo Braga, vereador governista, considerado por ele, à época, o candidato do sistema, e assim o tornou governador em 2003, com a necessidade de se livrar de Gilberto”, relembra. Dessa linhagem, Mario aponta que veio ainda Omar Aziz, exintegrante do PCdoB, que atuou como secretário de infraestrutura e de segurança e com a benção de Eduardo, e conseguiu a cadeira de governador em 2010. Posteriormente, garantiu apoio a José Melo, dono da vaga a partir de 2014 e único governador cassado da história. Com a saída dele, o então líder dele na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), o deputado estadual David Almeida (PSB), assumiu o posto interinamente, até o comando voltar para as mãos do primeiro filho de Gilberto, Amazonino Mendes. Para Mario, com a chegada de Braga ao poder, aconteceu o previsível, “a criatura se afastou do criador”. “Logo Braga tratou de livrar-se de Amazonino e bandear-se para o lado de Gilberto, ao ponto de se desfiliar do PFL e integrar o MDB. Por isso, esta dança das cadeiras é a marca do grupo. Infelizmente, estes conflitos trazem prejuízos para o Amazonas. Aqui não há uma tradição de cumplicidade política, é um grupo que vive numa luta permanecente”, finalizou.


8

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Política

MARCIO MELO

Luana Dávila

A

bsolvida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) após ser citada em delações na Operação Lava Jato, a Presidente Nacional do Partido dos Trabalhadores e ex-ministra chefe da Casa Civil, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), reafirmou que será candidata a deputada federal e disse, em entrevista ao EM TEMPO, que mesmo preso, Luiz Inácio Lula da Silva vai até o fim com sua candidatura à Presidência da República. Além disso, reiterou que o PT irá apoiar a candidatura da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) no Amazonas e não a do petista Francisco Praciano. A senadora contou, também, detalhes da vida de Lula na cadeia e o que enfrentou durante as acusações que sofreu na Lava Jato EM TEMPO – Como tem sido o dia a dia do expresidente Lula? Ele está preparado para enfrentar uma eleição, se a justiça assim permitir? Gleisi Hoffman – O expresidente Lula está bem. Está muito disposto e vai enfrentar essa eleição. Ele tem direito de ser candidato. Ele pode disputar as eleições. Lula vai até o fim. Essa é a determinação dele. EM TEMPO – Como a senhora se sentiu por ter sido acusada pela Polícia Federal de ter recebido propina durante as investigações da operação Lava Jato? G.H. Eu sofri muito durante quatro anos com acusações levianas e mentirosas. Eu não tinha espaço para me defender com o mesmo espaço que tinham para me acusar. Graças a Deus eu comprovei a minha inocência. O Supremo me inocentou, e agora sobra o trabalho e o esforço para reconstrução da minha imagem pública, porque destruir é fácil, reconstruir que é difícil. Por isso que o processo de investigação tem que ter muito cuidado, por isso que a Lava Jato não pode continuar como está, apenas em delações premiadas. As pessoas, muitas vezes, falam das outras para prejudicá-las, principalmente no campo da política. EM TEMPO – A senhora conseguiu provar a sua inocência e foi absolvida pelo STF, e o ex-presidente Lula? Ele está na mesma situação? G.H. O presidente Lula ainda não foi julgado pelo Supremo. Quando for, ele será absolvido, porque o processo dele baseia-se apenas em delação. EM TEMPO – Como é o dia a dia dele na cadeia? A senhora vê firmeza nele diante dessa situação? G.H. O presidente lê, acompanha o noticiário, recebe seus advogados, trata da sua situação jurídica, mas Lula está muito preocupado com o Brasil. Ele pede para a gente (equipe técnica e partidária) mandar relatos do que está acontecendo. Quer ver as pro-

GLEISI HOFFMANN

‘O Brasil precisa que Vanessa volte ao Senado’ postas que o Partido dos Trabalhadores tem para a saída da crise econômica, enfim, Lula está ligado na vida do povo brasileiro. EM TEMPO – A senhora acredita que o PT possa vencer as eleições presidenciais? E se não for Lula? G.H. Eu não tenho dúvidas de que, se o presidente Lula estivesse solto, nós (PT) ganharíamos a eleição no primeiro turno. Com ele preso, nós vamos disputar a Presidência da República e, mesmo assim, ele vai ser o nosso candidato. E pelo que a gente tem visto nas pesquisas eleitorais, é da vontade popular ele ser eleito presidente. EM TEMPO – A senhora, em nome do PT nacional, declarou apoio à reeleição da Senadora Vanessa Grazziotin no Amazonas. Por quê? G.H. A senadora Vanessa Grazziotin é uma grande guerreira, uma batalhadora. Estava ao lado dos trabalhadores e esteve ao nosso lado todo esse tempo. Foi contrária ao impeachment da expresidente Dilma Rousseff, foi solidária ao presidente Lula. Vanessa é a senadora que o Diretório Nacional do PT apoia no Amazonas. EM TEMPO – Acredita que Vanessa é mais preparada do que o ex-deputado federal Francisco Praciano? G.H. O Praciano é um grande companheiro. Ele é muito preparado. Mas nós temos a consciência de que é difícil fazer dois senadores no campo

de esquerda no Amazonas. Se lançássemos o Praciano ao Senado, poderíamos correr o risco de não eleger nem Praciano e nem Vanessa. Por isso a nossa decisão de concentrar na Vanessa, pela lealdade dela, inclusive pela gratidão que nós temos pela caminhada que ela fez e faz ao nosso lado. O Brasil precisa que Vanessa volte ao Senado. EM TEMPO – A senhora disse que iria resolver a situação da Vanessa, que ia conversar com os presidentes nacionais do PCdoB, Luciana Barbosa, e do PSB, Carlos Siqueira, como está esse diálogo? A situação já foi resolvida? G.H. Nós conversamos entre nós três (Gleisi, Luciana e Siqueira) e tiramos uma resolução – que já estamos enviando aos partidos no Estado – para que Vanessa preencha a vaga do Senado, que foi ofertada pelo PT na coligação. Inclusive fizemos uma “cartinha”, que, depois de entregarmos aos presidentes do partido, vamos disponibilizar pela imprensa, e estamos fazendo as alterações nas atas que são necessárias para que a coligação consiga colocar a senadora Vanessa Grazziotin como candidata ao Senado. EM TEMPO – A senhora é candidata a deputada federal. Porque não tentará a reeleição ao senado? G.H. Sim, sou candidata a deputada federal. Minhas principais pautas são a do povo brasileiro. A Constitucional nº 95, a reforma trabalhista, do Ensino Médio, a revogação da

tentativa de privatização da Petrobras e estar ao lado do presidente Lula no Congresso Nacional, que será o próximo presidente aprovando projetos que beneficiem o povo brasileiro. Acreditamos que tendo uma bancada forte na Câmara Federal, possamos influenciar mais para uma pauta progressista. Uma pauta que dialogue com os interesses dos trabalhadores. Barrar essa pauta que está sendo aprovada no governo de Michel Temer e que depõe contra os direitos do povo. Portanp to,, ser candidata a deputada federal faz parte de uma estratégia nacional.

Se lançássemos o Praciano ao Senado, poderíamos correr o risco de não eleger nem Praciano e nem Vanessa. Por isso a nossa decisão de concentrar na Vanessa, pela lealdade dela, inclusive pela gratidão que nós temos pela caminhada que ela fez e faz ao nosso lado


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Dia a dia

Dia a dia

9

diadia@emtempo.com.br | Thiago Monteiro

Mirante Encontro das Águas segue no papel há 13 anos REPRODUÇÃO

Estimadas inicialmente em R$ 40 milhões, as obras deveriam ter sido entregues ainda em 2014 para o Fifa Fan Fest, da Copa do Mundo, mas, até hoje, o projeto não saiu do papel Luís Henrique Oliveira

J

á faz 13 anos que o renomado arquiteto Oscar Niemeyer rabiscou seus traços em um papel, projetando assim o Memorial Encontro das Águas. No entanto, mal sabia ele que seu projeto, tão bem executado e que ficaria às margens das confluências dos rios Negro e Solimões, na Zona Leste da capital amazonense, nem chegaria a ter suas obras iniciadas. Pensado para ser um ponto turístico na área do bairro Colônia Antônio Aleixo, na Zona Leste, conhecida como Mirante da Embratel, o projeto foi esquecido e segue sem conclusão. Embora tenha sido projetado em 2005, em 2011 o coordenador da Unidade Gestora da Copa (UGP Copa), Miguel Capobiango, informou que o Governo do Amazonas iniciaria as construções para que o local servisse como um dos locais definidos para as transmissões dos jogos da Copa do Mundo, o Fifa Fan Fest. “A nossa perspectiva era de que o Fan Fest fosse feito

no Memorial, até porque a estimativa de públicos em jogos do Brasil era de 20 mil pessoas”, explicou Miguel Capobiango. Para se ter uma ideia, somente o projeto de Oscar Niemeyer custou aos cofres públicos cerca de R$ 600 mil. Mas na mesma época em que as obras foram anunciadas, o valor das obras, como um todo, foi estimado em R$ 40 milhões, pois incluíam, ainda, a duplicação da avenida Cosme Ferreira, desde o Instituto Federal do Amazonas (Ifam), antiga Escola Agrotécnica Federal, até o memorial. A promessa do projeto contava ainda com um balneário com um mirante onde seria possível ver o fenômeno do Encontro das Águas, uma praia perene, um museu e a possibilidade da instalação de um teleférico. De lá para cá, a falta de interesse do governo em iniciar as construções tem deixado moradores do entorno desapontados. De acordo com a autônoma Nanci de Almeida, 43, que mora próximo ao atual Mirante da Embratel, caso o projeto fosse executado e entregue em dia, a renda em seu mercadinho seria dobrada. “É um projeto bonito, de um arquiteto super famoso. Por mais que a gente more praticamente ao lado do Encontro das Águas, o nosso bairro não possui nenhum ponto turístico para que as pessoas possam admirar o fenômeno natural. Se esse memorial fosse concluído e entregue, com certeza teríamos uma visibilidade positiva do bairro como um todo. Até a renda do meu mercadinho seria redobrada. Uma pena

esse projeto ter sido abandonado”, explicou. Outra pessoa que sonha com a construção do mirante é a dona de casa Antônia Figueiredo, 68. “O nosso bairro é praticamente esquecido. Se esse projeto fosse executado, teríamos mais segurança, que é o que mais queremos. Quando anunciaram que seria construído, ficamos muito felizes, mas hoje, depois de tanto tempo, nem acreditamos mais que isso (memorial) seja entregue”, lamentou. A reportagem procurou a Secretaria Estadual de Comunicação do Governo do Amazonas (Secom) para saber sobre o andamento de iniciação do projeto, mas não chegou a ter as respostas enviadas no tempo combinado. Projeto Inicialmente o memorial teria uma área de 9.383,33 m² de área construída. O conjunto arquitetônico seria composto por um pavilhão em formato de oca, com 35 metros de diâmetro na base e altura de 7 metros, elevado em relação ao piso da praça, proposta como espaço aberto à paisagem. A estrutura iria dispor também de um subsolo onde funcionaria o restaurante com visão panorâmica para o fenômeno do encontro das águas dos rios Amazonas e Negro. Tombamento Como o Encontro das Águas foi tombado em novembro de 2010, em uma decisão unânime dos 22 membros do Conse-

lho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), no Rio de Janeiro, foi decidido que ficariam protegidos os dez quilômetros contínuos do encontro das águas, além de 30 quilômetros quadrados em seu entorno, o que pode ter sido um dos fatores para que o projeto não fosse iniciado. O tombamento ocorreu após uma longa batalha que envolveu a Justiça, a empresa Lajes Logística, ambientalistas

Atualmente o local possui um pequeno mirante e abriga torres da empresa Embratel. Além disso, moradores do bairro lamentam a falta de interesse do governo pelas obras

e técnicos do Iphan. A empresa é responsável pela construção de um porto a 2,4 quilômetros do fenômeno e chegou a questionar judicialmente o tombamento, mas as ações foram negadas.


10

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Dia a dia

Prefeito Arthur Neto asfalta 4 mil ruas na capital do AM DIVULGAÇÃO

Com R$ 320 milhões de recursos próprios a Prefeitura de Manaus, em dois meses, realizou o trabalho de recapeamento na capital do Estado

R

esultado do equilíbrio financeiro da gestão do prefeito Arthur Virgílio Neto, que garantiu R$ 320 milhões em recursos próprios para ações de infraestrutura, em dois meses de intenso trabalho, o Plano Obras de Verão, da Prefeitura de Manaus, já alcançou mais de 4 mil ruas em toda a cidade. “É trabalho para valer e não um arremedo de obras como estão prometendo aí. Fizemos o dever de casa para sozinhos, sem ajuda de ninguém, levar melhorias para todas as zonas da capital. Se vier ajuda, que nunca foi dada, até agradeço, mas que faça o serviço completo e que não seja somente para inglês ver”, dispara o prefeito Arthur Neto. Dos 105 quilômetros de recapeamento previstos no plano, 24 já foram executados, resultando na completa recuperação de grandes corredores viários, como a Carvalho Leal, Itacolomy, Passarinho, Camapuã, entres outras que também recebem reforço na iluminação a LED, limpeza e paisagismo. Além disso, homens e máquinas da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) estão entrando nos bairros muito fortemente, com as ações de tapa-buracos, terraplanagem, drenagem profunda e superficial. “Reforçamos nossas equipes de obras com novos servidores e já foi possível dar uma resposta ainda mais rápida às demandas das comunidades mais afastadas. E, assim, continuamos com a nossa meta de fechar este ano com dez mil vias atendidas pelas obras de verão”, destaca o prefeito. Mutirão As obras ocorrem em forma de mutirão, cujas equipes de infraestrutura do município concentram esforços em uma única localidade para atender a todas as vias de determinada comunidade. Até

agora, 50 mil toneladas de massa asfáltica já foram utilizadas pelo Plano de Verão, em 63 bairros. Trinta quilômetros de vias também receberam a implantação de drenagem para o correto escoamento das águas das chuvas. “Nosso pacote de obras vem atendendo às expectativas e, com dois meses de trabalho, já chegamos a 63 comunidades, inclusive, em áreas com infraestrutura zero, seguindo a determinação do prefeito Arthur Neto”, reforça o secretário municipal de Infraestrutura, Kelton Aguiar. Na comunidade Lago Azul, no quilômetro 2 da AM-010 (estrada que liga Manaus a Itacoatiara), por exemplo, não havia qualquer infraestrutura, as vias tinham a base ainda em solo natural e, agora, já recebem infraestrutura total com implantação de drenagem profunda e pavimentação. Outra comunidade distante que vem recebendo atendimento é a comunidade Parque das Tribos, primeiro bairro indígena de Ma-

naus, localizado na Zona Oeste, que será um bairro modelo da cidade. No local, onde habitam 38 etnias, já foi feito o arruamento e terraplenagem de, aproximadamente, 40 ruas. Já na próxima semana, começa o asfaltamento, e as principais vias já receberam postes e iluminação a LED. Frente de obras Ao todo, aproximadamente 2,4 quilômetros da avenida Camapuã, um dos principais corredores viários da Zona Norte, estão sendo recuperados, das proximidades da Feira do Produtor até o retorno da empresa União Cascavel. Outra frente de obras, que vai melhorar o tráfego de veículos e dar mais condições de mobilidade aos moradores da Zona Leste, atua na rua Cristo Rei, no bairro Coroado. A via já começou a receber fresagem, etapa de retirada do asfalto antigo para realizar toda a regularização da base da avenida, garantindo uma maior resistência ao novo mate-

rial aplicado. Serão dez dias de serviço intenso, utilizando 1.069 toneladas de CBUQ aplicados em 1,7 quilômetros de extensão. Ainda na Zona Leste, os recapeamentos noturnos também avançam no bairro Armando Mendes. Atualmente, as equipes da Seminf aplicam a segunda camada asfáltica na avenida Contorno Norte. Ao fim dos trabalhos, a avenida será preparada para receber nova sinalização por parte do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans). Bairros como Grande Vitória, São José, Armando Mendes, Jorge Teixeira, Zumbi, na zona Leste; Cidade de Deus, Nova Cidade, Monte Pascoal, Colônia Terra Nova, na Zona Norte; Adrianópolis, Aleixo, Flores, Nossa Senhora das Granas, Parque Das Laranjeiras, na Centro-Sul; Betânia, Cachoeirinha, Crespo, Colônia Oliveira Machado, na Zona Sul; e São Geral, São Jorge, Vila da Prata, na Centro-Oeste, estão recebendo atendimento.

Ações de terraplanagem e recapeamento asfáltico foram realizadas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) em diversas vias da capital amazonense , por meio da prefeitura

Alfredo Nascimento A marca de 100 ruas recuperadas na comunidade Alfredo Nascimento, Zona Norte, foi atingida nesta semana, por meio do plano da Prefeitura de Manaus, executado pela Seminf. Com um efetivo de, aproximadamente, 60 servidores em campo, a meta é otimizar a infraestrutura de mais de 150 ruas com o mutirão de tapaburacos na comunidade. As equipes, de acordo com o secretário Kelton Aguiar, trabalharam a todo vapor para atender à meta estipulada na região e na cidade.


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Dia a dia

11

JANAILTON FALCÃO

Carregadores da Feira Manaus Moderna trabalham diariamente com diversos problemas e correm riscos de acidentes

Jael Lucena e Raphael Tavares

O

s portos de Manaus são locais com intensa movimentação de pessoas e de trabalhadores. Todos os dias, embarcações aportam e partem levando passageiros a diferentes destinos pelos rios do Amazonas. O receio com a segurança dos passageiros é corriqueiro. Mas e quem deveria se preocupa com a tripulação ou com os carregadores que vivem nessa área de risco? Conforme levantamento inédito, feito pelo Ministério da Saúde (MS), os tralhadores de embarcações são as maiores vítimas de acidentes de trânsito durante a jornada de trabalho. Com os dados dos Sistemas de Informação de Agravo e Notificações (Sinan) e de Mortalidade (SIM), o número de notificações de acidentes com trabalhadores desse tipo de transporte no Amazonas foi de 1.304. Os registros foram feitos de 2007 a 2016. São quase 145 acidentes com trabalhadores de embarcações por ano. A equipe do EM TEMPO foi até o porto da Manaus Moderna, localizado na avenida Lourenço da Silva Braga, no Centro, e constatou o descaso e a falta de equipamentos de segurança para os trabalhadores das embarcações. Em algumas embarcações foi possível verificar o uso de fardamento, mas há aqueles que ficam sem camisa, expostos ao sol da região, com temperatura de até 40 graus. Mesmo com a obrigatoriedade para que todos os passageiros utilizem coletes salva-vidas, os trabalhadores não utilizam esse equipamento, obrigatório durante as longas viagens entre os labirintos da Amazônia. De acordo com Fabrício Monteiro, tripulante de uma embarcação que faz o trajeto de Manaus para Anamã, todos os profissionais que trabalham nos barcos fazem um

Estivadores arriscam a vida em Manaus Trabalhadores de embarcações são as maiores vítimas de acidentes de trânsito durante a jornada empregatícia. No Amazonas, o número de notificações de sinistros durante o transporte de alguma mercadoria chegou ao patamar de mais de 1,3 mil casos, na capital o descaso é constante diariamente

curso antes de iniciarem as atividades. Ainda assim, eles optam por não usar os capacetes, cintas ou qualquer outro tipo equipamento de segurança, mesmo tendo o conhecimento de que os itens são necessários para a profissão de risco. “Aqui é cada um cuidando do outro, não tem equipamento de segurança. Todo mundo tem que trabalhar com atenção para ninguém se ferir. Mas, quando algum acidente acontece, se for muito grave e o barco estiver pelo rio, realizamos os primeiros socorros e temos que parar em alguma comunidade ribeirinha mais próxima. Assim, nós levamos a vítima até o hospital mais próximo”, explicou Fabrício. Em 2017 somado com os cinco primeiros meses de 2018, a Marinha do Brasil registrou 61 vítimas fatais provenientes de naufrágios no Amazonas. A instituição não diz quantos desses óbitos foram de trabalhadores das embarcações. Porém, há diversos casos em que tripulantes perderam as vidas durante viagens de trabalho. Raimundo Pereira, que é tripulante de uma embarcação que faz o trajeto entre Manaus e Anori, explicou que os donos das embarcações não se preocupam com a se-

A Lei 12.815, é facultada aos titulares de instalações portuárias, sujeitas a regime de autorização, a contratação de trabalhadores a prazo indeterminado, observado o disposto no contrato

gurança dos funcionários. A maior parte só cumpre as determinações obrigatórias no que se refere à proteção dos passageiros, tendo em vista a constante fiscalização de órgãos fluviais. “A questão de segurança foca mais nos passageiros. Os donos preferem priorizar os clientes, do que a gente. Está todo mundo aqui, porque precisa trabalhar. Nos preocupamos com a segurança de cada

um e é só isso que podemos fazer. Não existe nenhum outro tipo de equipamento que evite qualquer acidente e também não há fiscalização para a gente” completou. Morte no Amazonas O estudo do Ministério da Saúde aponta que, entre 2007 e 2016, do total de 1.304 acidentes, cerca de 55 óbitos foram registrados. Todos eram trabalhadores de embarcações e sofreram algum tipo de acidente fluvial. Ainda conforme o levantamento, o Amazonas registrou 217 mortes de trabalhadores em outros tipos de acidentes. A análise foi feita no mesmo período. Conforme informações da Marinha ao Em Tempo, somente de janeiro a maio de 2018, foram registrados 50 acidentes com embarcações que vitimaram 17 pessoas. Os casos aconteceram na área de jurisdição do Comando do 9º Distrito Naval (Com9ºDN), que compreende os Estados do Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima. Estivadores Em meio ao cenário movimentado dos portos de Manaus, é possível notar a grande presença dos estivadores, conhecidos popularmente como carregadores de mercadorias. Entre bagagens e mercadori-

as, os trabalhadores carregam mais que o dobro do próprio peso e trabalham mais de dez horas por dia. Eles vivem na zona de risco e engrossam os números negativos de acidentes na área fluvial. O estivador é responsável pelo carregamento e manuseio de cargas nas embarcações. Na teoria, esse trabalhador deve receber um treinamento rigoroso e ser remunerado e assegurado conforme o alto risco da profissão. Além disso, o estivador deve usar os equipamentos adequados, entre eles o macacão apropriado (farda), capacete, botas, luvas, protetor auricular, óculos de proteção e máscara. Mesmo com a legislação que obriga o uso desses itens, basta dar uma parada no porto da Manaus Moderna para ver que nenhum dos estivadores utiliza quaisquer desses objetos de segurança. De chinelos sem tração, com risco de o trabalhador escorregar na prancha colocada entre o porto e a embarcação, camisas do tipo de regata, bermudas e sem capacete ou protetor solar, o carregador arrisca a própria vida para levar o sustento à família. A realidade sofrida dos estivadores em Manaus passa longe de ter regulamentação. Apesar de possuir um sindicato, a profissão de estivador no Estado não é fiscalizada.


12

Manaus, sรกbado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Daniel Landazuri

“D

ia dos pais, infelizmente, agora é uma data para esquecer”, a declaração é do estudante Fabiano da Silva, 18, filho do motorista de ônibus Francisco Araújo da Silva, 51, morto a tiros há quase três meses, durante uma tentativa de assalto, na linha 450. Esse é apenas um dos casos da violência desenfreada, que a capital amazonense registrou no primeiro semestre deste ano, no governo de Amazonino Mendes. Mortes que interferiram e marcaram vida de centenas de famílias, que, atualmente sofrem e esperam por justiça. “Não tive tempo para me despedir do meu pai, porque ele saiu de casa para trabalhar e não retornou. Hoje preferimos guardar as boas lembranças dele. Todas as datas comemorativas nunca serão mais as mesmas”, lamentou o jovem. Francisco, conhecido carinhosamente pelos colegas de profissão como “Chicão”, deixou dois filhos biológicos e duas filhas de criação. Emocionado, o filho mais novo do motorista relatou sobre a generosidade do pai e a preocupação que o motorista tinha com cada filho. “Ele sempre ficava aflito quando saímos de casa durante a noite, nos alertava que a cidade esta violenta. Também dava conselhos pra cada um, e eram sentimentos recíproco, pois sempre nos preocupávamos com ele”, informou o estudante, que ainda lembrou o dia do aniversário do pai, que seria comemorado no dia 31 de

Dia a dia

Dia dos Pais que não tem comemorações Filhos retratam histórias trágicas que ocorreram neste ano e relatam como vai ser doloroso passar a data comemorativa longe dos genitores DIVULGAÇÃO

Atual Governo do Amazonas não cuida da segurança dos cidadãos e consequentemente está acabando com a vida de famílias no Estado

13

dezembro deste ano. “Eram duas comemorações, uma da virada do ano e outra do do aniversário dele. Agora será mais uma data que será difícil ser celebrada”, disse. Lembranças perdidas O único irmão de Francisco, o também motorista Enilson Araújo, 44, informou que a família segue sem reposta sobre as investigações em torno do caso. Além da impunidade, ele relatou que os pertences pessoais de “Chicão” nunca foram devolvidos pela equipe de investigação. “Nunca devolveram o celular dele, não estamos preocupados com o aparelho, mas com as lembranças que nele continha”, disse. Outra família que não deve comemorar é a do advogado criminalista e ex-deputado estadual Armando Oliveira Freitas, 79, assassinado dentro de casa, no bairro da Glória, Zona Oste da capital. “Será o pior dia dos pais de toda a minha vida. Toda a família esta muito abalada, a morte dele é lembranças recente. Ele foi atacado covardemente e morreu nos meus braços. Não vamos comemorar, vamos reunir a família e orar pedindo por justiça.”, disse Glen Wilde, filho da vítima.


14

Manaus, sรกbado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Educação

Educação

15

educacao@emtempo.com.br | Thiago Monteiro

A

Prefeitura de Manaus participará, na próxima semana, de um workshop técnico em Nova Iorque (EUA), promovido pela Teachers College, escola de pós-graduação em educação da Universidade de Columbia e que faz parte do Advanced Program in Public Policy Implementation, que busca estimular, entre gestores em cargos governamentais estratégicos, o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para a primeira infância. A formação é toda custeada pela Fundação Itaú Social, ou seja, tem custo zero para os cofres públicos do município. “A Educação de Manaus está entre as melhores do país, e estou confiante que teremos a prova disso com o resultado do Ideb, nos colocando entre as 10 primeiras com melhor desempenho. É natural que estejamos inseridos em projetos dessa natureza, o que muito nos honra e vem para reconhecer o esforço que fazemos para levar educação de qualidade às nossas escolas”, destaca o prefeito Arthur Virgílio Neto. O município será representado pela secretária municipal de Educação (Semed), Kátia Schweickardt, e pela subsecretária de Gestão Educacional, Euzeni Trajano, que desde o início do ano participam do curso de formação oferecido pela universidade norte-americana, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que busca o desenvolvimento de projetos voltados para a primeira infância, nas áreas de Educação e Saúde. Manaus é uma das duas cidades da Região Norte a fazer parte do grupo de sete municípios selecionados para participar do curso de pós-graduação, que conta ainda com representantes de Boa Vista (RR), Recife (PE), Fortaleza (CE), Taubaté (SP), Ponta Grossa (PR) e Belo Horizonte (MG). A escolha da capital amazonense foi feita por indicação da Fundação Itaú Social, uma das instituições participantes da formação e parceira da Semed no Programa de Tutoria. O trabalho que a prefeitura vem desen-

LTON SANTOS/ SEMED

Educação da capital amazonense está entre as melhores do país, segundo especialistas

Prefeitura vai ser destaque em Nova Iorque

de para as crianças manauaras”, pontua Kátia

Secretaria Municipal de Educação (Semed) vai participar de workshop promovido pela Teachers College, escola de pós-graduação da Universidade de Columbia

volvendo, por meio do programa de Gestão Integrada da Educação (Gide), e os bons resultados dos índices educacionais obtidos nos últimos anos foram determinantes para a seleção. A secretária Kátia Schweickardt destacou que a Semed ter sido

DIVULGAÇÃO

selecionada para o curso é o reconhecimento do trabalho realizado, além de ser a oportunidade de participar de uma formação de alto nível, com custo zero para a Prefeitura de Manaus, que terá como contrapartida a implementação do projeto educacional que

está sendo desenvolvido durante a pós-graduação. “Termos sido escolhidos muito nos orgulhou e mostra que as nossas ações estão gerando novas oportunidades de refletir e estudar mais, garantindo, assim, uma educação de melhor qualida-

Formação O Programa Avançado de Implementação de Políticas Públicas da Universidade de Columbia teve início em fevereiro, com um encontro no Rio de Janeiro, onde os participantes começaram o desenvolvimento dos projetos que devem ser implementados pelos municípios participantes. Desde então, encontros periódicos, além de assessoramento a distância, foram realizados para a elaboração das propostas. Durante o workshop nos Estados Unidos, os participantes se aprofundarão teoricamente e receberão orientações de professores de diferentes áreas, desde psicologia, cognição, comportamento, sociedade, gestão escolar, entre outros.

MODERNIZAÇÃO

Século sai do ensino tradicional e dá espaço à sala de aula invertida

Grande aposta do Século é a multimodalidade com texto escrito, som e imagem

A era digital passou a fazer parte do cotidiano das pessoas, alcançando, principalmente, os jovens estudantes. A partir dessa realidade, a educação passou a exibir um novo cenário, com a introdução da tecnologia e dos materiais digitais em sala de aula. Tal multimodalidade que engloba texto escrito, com um pacote (linguagem, som e imagem), marca a presença da digitalidade. Essa nova forma de ensinar, chamada de metodologias ativas, nos direciona a um

olhar revolucionário. O método é bastante atuante e se caracteriza com um projeto pedagógico coerente e participativo; uma infraestrutura atualizada, dinâmica, tecnologias acessíveis, rápidas e renovadas. O modelo adotado por instituições que saem do convencional, com mudanças nos espaços físicos, inserindo metodologias baseadas em atividades, desafios, problemas, entre outros, tem apresentando resultados positivos nos últimos anos. Seguindo a evolução, o Centro

Educacional Século nasceu com a visão de tornar o ensino mais atrativo. Dentro dessa perspectiva, professores e alunos saem do tradicional e dão espaço para a sala de aula invertida. Conforme a diretora Nívia Carvalho, o Século, quando decidiu fazer uso das metodologias ativas, utilizou dois dos principais métodos nela inseridos: ensino por projetos e sala de aula invertida, e, com isso, se preparou para entregar à sociedade uma educação inovadora e atualizada.


16

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Meio ambiente

Meio ambiente redacao@emtempo.com.br | Alyne Araújo

Melancia produzida de forma

sustentável

DIVULGAÇÃO

A comunidade recebe incentivos do Programa de Geração de Renda da Fundação Amazonas Sustentável

Sistema de irrigação ajuda comunitários a melhorar produção nos roçados do município de Itapiranga

A

produção de melancia vem trazendo uma nova perspectiva para famílias do Rio Uatumã, zona rural de Itapiranga (a 339 quilômetros de Manaus). Com pequenos investimentos definidos de forma participativa, os ribeirinhos da comunidade Bela Vista celebram a produção de 50 toneladas na safra deste ano que, além do autoabastecimento, tiveram como destino o abastecimento de Presidente Figueiredo e Manaus. A comunidade recebe incentivos do Programa de Geração de Renda da Fundação Amazonas Sustentável, que apoia

de forma participativa projetos que mantenham a floresta em pé. Por meio de decisão de comunitários em assembleia, com apoio do Fundo Amazônia/BNDES, foi construído, no ano passado, um sistema de captação de água e irrigação para os roçados que tiveram o reforço de oficinas de boas práticas para o plantio de melancia. A ideia é estimular a produção sustentável como alternativa para o desmatamento ilegal. “A ideia é engajar a comunidade em projetos que eles já fazem cotidianamente. A comunidade Bela Vista possui o diferencial, dentro da RDS do Uatumã, de ter solo fértil para a produção de safras como a da melancia. O sistema de irrigação implantado na região possibilita a profissionalização do processo que os comunitários já executavam e impacta diretamente

em geração de renda para as famílias produtoras”, afirma o assistente de mobilização da RDS do Uatumã, Alexandre Bastos. Incremento O faturamento com a melancia girou em torno de R$ 26 mil, que serão revertidos no desenvolvimento das próprias famílias e na contínua profissionalização da cadeia produtiva. João Paulo, morador da comunidade Bela Vista, conta como o sistema ajudou a melhorar a atividade. “O apoio tem ajudado a gente, porque antes não tinha motor-bomba de água, nem nada, então a irrigação era com a água da chuva, e a produção ficava mais longa e menor. O motor também ajuda nas nossas próprias casas, todos saem ganhando”, explica. Segundo a gerente do PBF,

Valcleia Solidade, investir em um processo produtivo de curta escala como a cadeia da melancia é uma forma de permitir que exista maior variedade na geração de renda e promover melhoria da qualidade de vida comunitária. “Tal produção é um dos exemplos do trabalho que a FAS desenvolve nas Unidades de Conservação (UC) do Estado do Amazonas para o desenvolvimento da agricultura familiar. A RDS do Uatumã é uma região que, naturalmente, gera renda comunitária por meio do turismo, e a melancia entra como alternativa para complementação da subsistência dos povos tradicionais da região.” A FAS, por meio do PBF, atua na RDS do Uatumã desde 2010 e há três anos auxilia a produção da safra de melancia na região.

TARUMÃ

APA integra Mosaico do Baixo Rio Negro A Área de Proteção Ambiental (APA) Tarumã-Ponta Negra, gerida pela Prefeitura de Manaus, passa a integrar o Mosaico de Áreas Protegidas do Baixo Rio Negro, conjunto de unidades de conservação que atende à Lei 9.985/2000, que caracteriza as unidades de conservação que se encontram próximas, justapostas ou sobrepostas numa área de, aproximadamente, 8 milhões de hectares. O Mosaico situa-se na área de abrangência do Corredor Ecológico da Amazônia Central, onde estão localizados os municípios de Manaus, Novo Airão, Iranduba, Barcelos e Manacapuru, reunindo mais de 80 comunidades ribeirinhas entre 13 unidades de conservação. A inserção da APA Tarumã-Ponta Negra amplia as possibilidades de estratégias de conservação e o acesso a recursos federais e internacionais, para a implementação dessa estratégia de conservação integrada nas áreas protegidas. “Abre-se o leque de oportunidades e avançamos nas parcerias, conforme orientação do prefeito Arthur Neto, e estratégias de conservação de uma área que é de extrema importância para a cidade de Manaus”, explica o secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Antonio Nelson de Oliveira Júnior. Segundo o secretário, por meio do Conselho Consultivo do Mosaico do Baixo Rio Negro, é possível a articulação conjunta entre as áreas de uso sustentável e de proteção integral nos âmbitos dos governos federal, estadual e municipal. “Passamos a ter mais um status e qualquer recurso financeiro aplicado no mosaico pode ser destinado à APA, com base nos objetivos de conservação que são compatíveis”, afirma Antonio Nelson. A Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé já integra o mosaico.


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Economia

Economia

17

economia@emtempo.com.br | Alyne Araújo

Postos de Manaus

Alguns postos da cidade estão sem o combustível há mais de três dias, enquanto outros já deixaram de comercializar o produto. Estoque deve se normalizar em breve

sem etanol

Naritha Migueis

N

o momento em que o litro da gasolina é vendido a R$ 4,69, quem optou por abastecer com etanol encontrou as bombas vazias. Em vários postos da cidade, o combustível está em falta há ao menos três dias, sem previsão de reabastecimento. Gerentes de postos reclamam da falta do combustível, que têm grande procura, principalmente, por quem trabalha com veiculo próprio. A reportagem visitou postos de bandeira Atem, BR e Ypiranga nos bairros Praça 14 de Janeiro e Flores. O posto Ypiranga da rua Emilio Moreira, por exemplo, não vende Etanol há mais de um ano. De acordo com o vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Amazonas (Sindicam), Geraldo Dantas, a demanda está alta e, por isso, as distribuidoras estão com as entregas em atraso. “Como a gasolina ainda está com o preço elevado, o consumidor opta pelo etanol que, em média, é R$1,30 mais barato. Como os pedidos estão em alta, as distribuidoras estão com essa dificuldade em atender. Porém, esperamos que, até metade da semana que vem, tudo estará regularizado”, explicou. Troca Por outro lado, o consumidor não se mostra satisfeito com a explicação, pois, muitas vezes, para continuar rodando, é necessário fazer a troca pelo combustível mais em conta. É o caso do empresário Mauro da Silva, que trabalha com produtos de beleza e necessita de veiculo próprio para visitar clientes e realizar entregas. Ele conta que, para rodar a cidade, decidiu trocar a gasolina pelo etanol, e a mudança valeu a pena e

NO

IONE MORE

fez diferença no orçamento mensal. “Como é mais em conta, achei melhor fazer essa troca. Até então tem valido a pena, consigo economizar uma boa quantia desde que fiz essa mudança. Só que, agora, estou com essa dificuldade de encontrar o combustível e saí prejudicado em algumas vendas, porque tive que reajustar o orçamento com o valor do etanol e, agora, com a falta, estou gastando mais para colocar gasolina ”, disse. Em falta O gerente de um posto que pre-

feriu não se identificar explicou que a falta de etanol é frequente. “Eu desisti de vender aqui, porque sempre faltava e ficávamos no prejuízo. Além disso, quando chegava, era mais caro, e notei que não valia a pena, já que o lucro não era o esperado. Não vendo mais e, em nenhum momento, me arrependi da decisão”, enfatizou. Em um posto Atem da Zona Sul, o gerente, José Beiramar, informou que o posto está sem etanol há três dias, e a procura é grande, principalmente agora que a gasolina está mais cara. Porém, não

ZONA FRANCA

Cieam completa 39 anos em defesa da indústria O Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam) tem como uma de suas frentes preservar o modelo Zona Franca e manter sua representatividade; e das empresas associadas junto aos poderes públicos e socieda-

de nos cenários nacional e internacional._ Há 39 anos, completados na última sexta-feira (10), o Cieam é a união de parceiros da indústria de tecelagem, serrarias, eletroeletrônicos, duas rodas e agro-

industrial do Estado, por mobilização do empresário Mário Expedito Neves Guerreiro, então diretor da Brasil Juta S.A Fiação e tecelagem de juta. Composto por 178 das mais importantes empresas do Polo

existe previsão para que o etanol chegue às bombas do posto. O único estabelecimento abastecido com etanol é o de bandeira BR. Segundo os frentistas, a distribuição está normal e, em nenhum momento, o estabelecimento enfrentou essa dificuldade. O combustível pode ser encontrado por R$ 3,54. Vantagem O vice-presidente do Sindicam disse, ainda, que em Manaus a troca de um combustível pelo outro não vale a pena, porque o

Industrial de Manaus (PIM), pertencentes a vários setores industriais que movem as economias amazonense e brasileira, o Cieam presta serviços às empresas que compõem seu quadro de associados em áreas específicas, tais como legislação tributária, logística, gestão ambiental, comércio exterior e recursos humanos, visando a elevar o grau de eficiência e eficácia do setor industrial que opera no Estado do Amazonas. O presidente do Cieam neste quadriênio (20152019), Wilson Périco, reafirma que o Cieam tem ido além de suas atribuições principais.

Gerentes de postos reclamam da falta do combustível, que têm grande procura, principalmente, por quem trabalha com veiculo próprio

etanol é leve e, no clima quente, a evaporação é mais rápida. “Quando o tempo não está tão quente, até que vale a troca, porém, no alto verão, é quase que se enganar. O etanol é leve e acaba evaporando mais rápido. Apesar de mais barato, se a pessoa colocar na ponta do lápis, vai perceber que a troca não é vantajosa”, concluiu.

“O Cieam, além de defender o interesse dos seus associados, briga pelos direitos dessa região. Todos têm que defender o próprio interesse, entretanto, o Centro da Indústria se orgulha de defender os direitos do modelo Zona Franca de Manaus, do desenvolvimento regional, da criação de novas modulações econômicas, o que acaba atravessando um pouco nosso papel, quando nos propomos a realizar políticas que não nos compete, mas fazemos por acreditar que aquilo é verdadeiramente direito e é o correto a ser feito”, destaca


18

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Economia

Indústria, comércio e construção civil estimam melhoras com novos governos estadual e federal e seguem “otimistas” com o cenário apresentando leve recuperação Naritha Migueis

C

om a economia em “suave” recuperação em 2018 e um governo que teve pouco tempo para fazer a diferença no Estado, líderes de entidades e federações da indústria, comércio e construção em Manaus fizeram um breve balanço sobre a gestão e falaram sobre as expectativas para 2019, que poderá passar por mudanças não só em nível estadual, mas também em nível federal. Assim, a confiança e instabilidade que ainda existem podem acabar. Para o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Nelson Azevedo, as expectativas para a produção no Polo Industrial de Manaus (PIM) são as melhores, pois o setor sofreu quedas constantes nos últimos 3 anos. Segundo ele, este ano está sendo de recuperação lenta, uma vez que o parque fabril ainda está sem grandes investimentos. Muitas das empresas que funcionavam em três turnos agora só funcionam em um, mostrando que ainda falta muito para voltar a ser como era antes. “Neste ano, tivemos acontecimentos que favoreceram alguns setores, como a Copa do Mundo e a chegada do sinal digital. Em contrapartida, sofremos um desabastecimento geral com a greve dos caminhoneiros. Apesar do crescimento tímido, é necessário entender que as empresas ainda estão com uma capacidade ociosa expressiva. Porém, com a ampliação e chegada de novas empresas a Manaus, é possível que esse cenário mude”, declarou.

Para Ataliba David Antônio, reformas tributária e previdenciária são importantes

Esperamos que os nossos governantes comecem a olhar com mais atenção para os investimentos feitos no Polo Industrial de Manaus para recuperarmos a confiança

Nelson Azevedo

Vice-presidente da Fieam

Azevedo disse, ainda, que o momento é de otimismo, uma vez que projetos de implantação e ampliação de novas fábricas foram aprovadas na Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). “Espero que os nossos governantes comecem a olhar com mais atenção para os investimentos do PIM e que tenham em mente que, com a recuperação da confiança para ampliação desses investimentos, será melhor para todos. Com isso eles precisam dar uma segurança jurídica maior, melhor acesso ao crédito e juros mais baixos, proporcionando um cenário com mais estabilidade”, falou o vice-presidente da

Fieam, ao acrescentar que espera celeridade por parte dos órgãos responsáveis por tornar real os projetos aprovados na Suframa. “O ano de 2018 está sendo bom, e esperamos que essa fase perdure em 2019, inclusive com maiores e novas oportunidades de empregos que, hoje, está sendo um dos nossos maiores pesadelos”, finalizou Azevedo. Alterações Por outro lado, o comércio vê urgência em reformas para que os profissionais liberais consigam fazer com que o próprio negócio se torne uma microempresa. Para o presidente da Associação Comercial do Amazonas (ACA), Ataliba David Antônio, as reformas tributária e previdenciária se fazem necessárias, pois, apesar de relevante, a reforma trabalhista não foi suficiente para alavancar a economia. “O nosso governo precisa repensar o tamanho do Estado. O Amazonas é um paquiderme gigante com uma fome insaciável, e os profissionais liberais estão puxando a taxa de desemprego para cima. Porém eles precisam formalizar o empreendimento. Para isso, o estatuto da micro e pequena empresa já está sendo revisado na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam)”, explicou. O presidente da ACA disse, ainda, que o Simples Nacional exige tributos enormes para o microempreendedor e que não vê necessidade de formalizar a empresa. “As micro e pequenas empresas são bastante penalizadas com os encargos do Simples. Sem uma revisão e reformulação, o número de empresas pequenas, que hoje são as que mais empregam, vão continuar sem regularização”, argumentou. Para Ataliba, como o atual governo foi mais curto, talvez não tenha tido tempo para fazer tais reformas. “Espero que o empreendedorismo seja o protagonista e que a confiança seja recuperada. Para mim, essas medidas e reformas precisam ser tomadas nos primeiros meses do novo mandato”, finalizou. Já para o presidente da Federação de Comércio de

Setores expect posit


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Economia

es com ctativa itiva

19

FOTOS: IONE MORENO

Bens, Serviços e Turismo do Amazonas (Fecomércio–AM), José Roberto Tadros, houve uma melhora pequena na economia local. O mercado do Amazonas está em uma lenta recuperação e, mesmo que o comércio esteja na ponta do consumo, ainda é necessário que mudanças sejam feitas para que a confiança do consumidor volte. “Quando há uma crise nacional, quem primeiro sofre é o comércio do Amazonas. E quando a economia começa a se recuperar, nós somos os últimos a conseguir alcançar essa recuperação. Isso acontece porque a confiança no nosso Estado ainda é pouca, mesmo com o PIM. Sofremos com uma grave crise que nos afetou e, por isso, nosso comércio caiu. Mesmo com a recuperação, é necessário cautela para os próximos meses”, disse. Tadros criticou a falta de estímulos para os microempreendedores. Para ele, o país não oferece tantos incentivos para quem pensa

em abrir uma micro e pequena empresa. “Vivemos em um país altamente regulamentado. É praticamente impossível uma pessoa que deseja tirar o projeto do papel e sem dinheiro conseguir tornar real, mesmo que seja muito bom. Lamento que nunca teremos projetos brilhantes em ação, por falta de incentivo do governo, que cobra taxas altíssimas para quem não tem como pagar”, finalizou.

Para Tadros, ainda é necessário bastante cautela ao comércio local DIVULGAÇÃO

Melhoria com mais investimentos No setor da construção, o presidente do Sindicato da Indústria e Construção Civil do Amazonas (Sinduscom –AM), Frank do Carmo Souza, espera que o novo governo invista mais em infraestrutura, garantindo assim geração de novos empregos. Para ele, o governo atual não investiu em grandes obras que poderiam beneficiar a economia local a médio a longo prazo. “Es-

tamos abaixo do percentual nacional em obras públicas, falta investimento em construção de novas creches, escolas, obras de saneamento e, principalmente, em obras do setor turístico. O turismo no Amazonas tem um grande potencial, e o novo governo precisa entender isso”, disse. Frank informou que espera uma maior atenção para o setor que gera

grande quantidade de empregos e necessita de obras para melhorar a cidade. “Apesar do mercado imobiliário ter melhorado, ainda não é o suficiente para melhorar a economia no geral. Em setembro já vamos apresentar as propostas para que, a partir de janeiro, os trabalhos comecem. O que esperamos de 2019 é que o mercado da construção cresça novamente”, finalizou.


20

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Economia

Apoio da empresa é fundamental para os pais DIVULGAÇÃO

Muitos pais se desdobram para conseguirem conciliar a carreira com as crianças. Algumas empresas buscam auxiliar os pais, incentivando a carreira e ajudando na criação dos filhos

O

equilíbrio entre a carreira e a vida familiar é um dos principais desafios para os jovens, principalmente aqueles que possuem filhos. A comemoração do Dia dos Pais, celebrado neste domingo (12), representa uma oportunidade para eles avaliarem como estão organizando o tempo livre para estarem presentes ao máximo nas situações que envolvam as crianças. E, para o gerente do McDonald’s, Francisco Santos, 26 anos, o apoio da empresa é fundamental. Há quase dez anos, ele trabalha na rede e conta que os benefícios o motivaram a buscar crescimento na carreira e oferecer maior qualidade de vida para a família. “O McDonald’s oferece capacitação, plano de saúde e um ambiente de trabalho agradável e flexível. Tudo isso foi decisivo quando decidi me tornar pai”, disse Francisco, que é pai da pequena Fernanda, 5, e padrasto de Matheus

Sem título-19 20

e Isabela, de 9 e 10 anos, respectivamente. Também há quase dez anos no quadro de funcionários do McDonald’s, o gerente Marcos Alcântara, 32, lembra sempre com carinho o suporte que recebeu da empresa, principalmente no dia do nascimento de seu primeiro filho. “Eu estava trabalhando no plantão, quando me ligaram para avisar que a minha esposa já estava no hospital em trabalho de parto. Toda a equipe, inclusive o executivo que estava visitando a cidade, me ajudaram a lidar com tudo aquilo. Sem uma flexibilidade na rotina de trabalho, teria sido difícil participar de um momento tão importante na minha vida”, comenta o gerente, que é pai de David, 9, e de Theo, 1. Outros projetos Além do apoio aos pais, o McDonald’s desenvolve o Projeto Gestante, que tem como objetivo garantir que a futura mamãe passe pela

Para funcionários do McDonald’s, o apoio da empresa na busca por conhecimento profissional e ajuda com os filhos é muito importante

gestação de maneira tranquila. Destinado às colaboradoras do escritório e do restaurante, a iniciativa prevê o acompanhamento da funcionária por uma equipe médica durante toda a gestação, absorvendo os custos das despesas médicas com consultas e exames. Nos restaurantes, a rede tem medidas de cuidados para que a gestante exerça atividades sem risco para bebê.

ALTA

Dólar fecha a semana em R$ 3,86 Agência Brasil - A moeda norte-americana subiu 1,6% no último pregão da semana, fechando a R$ 3,8640 para venda, sendo o maior valor registrado desde 16 de julho – quando chegou a R$ 3,8753. O dólar fecha a semana valorizado em 4,23%, invertendo uma queda de 4,39% acumulada nas últimas cinco semanas. Mesmo com alta da moeda, o Banco Central manteve sua política tradicional de swaps cambial, sem realizar nenhum leilão extraordinário para venda futura da moeda norte-americana. O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), fechou a semana com uma forte queda, registrando baixa de 2,86%, com 76.514 pontos, a menor desde o final do mês de maio. Todos os pregões desta semana terminaram em baixa na Bovespa, com acumulo de queda de 6% depois de uma sequência de seis semanas em alta.

10/08/2018 22:38:37


Manaus, sĂĄbado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Sem tĂ­tulo-20 21

21

10/08/2018 22:46:45


País

22

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

País redacao@emtempo.com.br | Thiago Fernando

Morte de Marielle pode ter motivação em disputa política DIVULGAÇÃO/AFP

tou mencionar detalhes sobre as apurações. “Não vou comentar nomes para não atrapalhar o andamento das investigações. Mas temos envolvimento de agentes públicos e também de políticos”, disse o ministro, reiterando a complexidade das apurações. “[É um crime] extremamente complexo, que tem reflexos tanto dentro dos órgãos públicos, dos agentes públicos, mas também em termos políticos. Isso faz com que a elucidação do crime, na sua totalidade, não apenas executores, mas também mandantes, tenha seu elevado grau de complexidade.”

Ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann, não citou nomes, mas fala em políticos e agentes públicos como suspeitos do crime

B

Crime O ministro novamente afirmou que a morte de Marielle e Anderson foi um “crime bárbaro” e que precisa ser elucida-

Segundo Jungmann, há “agentes públicos” e “políticos” envolvidos na morte da vereadora do PSOL

tona informações de que três políticos presos no Rio, denunciados pela CPI das Milícias, também são investigados

Marielle foi assassinada com tiros disparados contra o carro, no bairro de Estácio, no centro do Rio de Janeiro (RJ)

como suspeitos de participação na morte de Marielle Franco e do motorista Anderson Pedro Gomes, em 14 de março deste ano. A polícia investiga se os eventuais mandantes do assassinato queriam enviar um recado, na tentativa de conter o ativismo de Marielle Franco. Jungmann evi-

DIVULGAÇÃO/AFP

rasília (DF) - Após afirmar que há “agentes públicos” e “políticos” envolvidos na morte da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), o ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que o crime pode ter sido motivado por disputas políticas e negociações para indicações a cargos públicos. Ele não citou nomes, nem entrou em detalhes. “Quando você tem o envolvimento daqueles que detêm o poder, [eles] de fato têm uma capacidade de, digamos assim, uma resiliência e uma capacidade de mobilizar defesas ou mobilizar meios de resistir. Mas não tenho a menor sombra de dúvida de que não há nada que impeça a intervenção e a equipe que lá está de denunciá-los a todos”, observou o ministro, depois de entrevista à imprensa realizada na última sexta-feira (10) sobre 12º Anuário de Segurança Pública, divulgado durante a semana, em São Paulo (SP). Nas últimas horas, vieram à

do. Neste sábado (11), completou 150 dias dos assassinatos. Ambos foram mortos com tiros disparados contra o carro em que estavam, no bairro de Estácio, no centro do Rio, quando retornavam de um evento político-cultural. O assassinato de Marielle Franco é tratado por ativistas como execução e teve repercussão internacional. A mãe da vereadora, Marinete Silva, esteve com o papa Francisco no último dia 2. Ela entregou ao pontífice uma camiseta da filha morta e ganhou um terço bento.

DIVULGAÇÃO

DIREITOS DA MULHER

Doze anos de Lei Maria da Penha Brasília (DF) - Nesta semana, a Lei Maria da Penha completou 12 anos em meio a várias notícias de crimes cometidos contra mulheres, principalmente homicídios. Sancionada em 7 de agosto de 2006, a Lei 11.340 representa um marco para a proteção dos direitos femininos, ao endurecer a punição por qualquer tipo de agressão cometida contra a mulher no ambiente doméstico e familiar. Em pouco mais de uma década de vigência, a Lei motivou o aumento das denúncias de casos de violação de direitos. Segundo o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), que administra a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência - o Ligue 180 -, foram registradas no primeiro semestre deste ano quase 73

mil denúncias. O resultado é bem maior do que o registrado em 2006 (12 mil) , primeiro ano de funcionamento da Central. As principais agressões denunciadas são cárcere privado, violência física, psicológica, obstétrica, sexual, moral, patrimonial, tráfico de pessoas, homicídio e assédio no esporte. As denúncias também podem ser registradas pessoalmente nas delegacias especializadas em crime contra a mulher. A partir da sanção da Lei Maria da Penha, o Código Penal passou a prever esses tipos de agressão como crimes, que geralmente antecedem agressões fatais. O código também estabelece que os agressores sejam presos em flagrante ou tenham prisão preventiva decretada se ameaçarem a in-

tegridade física da mulher. Pela primeira vez, a Lei também permitiu que a justiça adote medidas de proteção para mulheres que são ameaçadas e correm risco de morte. Entre as medidas protetivas está o afastamento do agressor da casa da vítima ou a proibição de se aproximar da mulher agredida e de seus filhos. Além de crime, a Organização Mundial de Saúde (OMS) ainda considera a violência contra a mulher um grave problema de saúde pública, que atinge mulheres de todas as classes sociais. A lei leva o nome de Maria da Penha Maia, que ficou paraplégica depois de levar um tiro de seu marido. Até o atentado, Maria da Penha foi agredida pelo cônjuge por seis anos. Ela ainda sobreviveu a tentativas de homicídio pelo agressor por afogamento e eletrocussão. Segundo o Mapa da Violência, quase 5 mil mulheres foram assassinadas no país, em 2016. O resultado representa uma taxa de 4,5 homicídios para cada 100 mil brasileiras. Em dez anos, houve um aumento de 6,4% nos casos de assassinatos de mulheres.

Apesar da Lei, a violência contra as mulheres segue crescendo no Brasil


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Mundo

Mundo

23

redacao@emtempo.com.br | Thiago Fernando

Ex-cônsul suíço revela saber de tortura durante ditadura no Brasil

DIVULGAÇÃO

Segundo documentos confidenciais, os lideres tinham uma visão crítica da violência que aconteciam aos rivais do regime militar brasileiro, que durou de 1964 a 1985

D

ocumentos confidenciais de uma das chancelarias mais ativas na Europa mostram que diplomatas de Berna, na Suíça, tinham conhecimento do uso de violência contra opositores por parte dos militares brasileiros durante a ditadura (1964-1985). Para a diplomacia suíça, a cúpula do regime sabia dos casos de tortura, aprovava essa prática e adotou a “severa repressão” para se manter no poder. Num telegrama de 24 de outubro de 1973, o então cônsul suíço no Rio, Marcel Guelat, escreve ao secretário-geral do Departamento de Política do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Ernesto Thalmann, sobre a situação no país. O texto - intitulado “Tortura no Brasil” - era uma resposta a um pedido de Berna por informações. No texto de oito páginas, o cônsul afirma que a tortura foi “sempre praticada mais ou menos de forma aberta”. “Ainda que a situação eco-

nômica do Brasil acuse uma recuperação importante, em contraste com os países vizinhos, não é menos verdade que a ditadura militar pretende se manter no governo por meio de uma repressão muito severa.” Tradicionalmente neutra, a diplomacia suíça usou de sua posição política para dialogar ao longo dos anos 1970 com diferentes governos latino-americanos de esquerda e direita. Berna ainda foi escolhida por EUA e Cuba como o governo que manteria a comunicação entre Havana e Washington, no auge da Guerra Fria. No caso do Brasil, sua função foi manter os canais abertos. Os documentos indicam, aind, que os diplomatas mantinham uma postura crítica em relação às violações praticadas no país. No envio de informações ao governo suíço, o diplomata cita o Departamento de Ordem Política e Social (Dops), “conhecido por sua brutalidade”. “Certas unidades do Exército começam a recorrer a diversos métodos de tortura: punições corporais, queimaduras, eletrochoques, câmaras frias, etc.”, disse o diplomata aos seus superiores em Berna. Para ele, não existiam dúvidas sobre o envolvimento da cúpula do governo brasileiro. “Dada a disciplina militar que reina na tropa, me parece impensável que esses fatos sejam ignorados pelo escalão

mais elevado, mas, sim, nos faz acreditar que o governo brasileiro mudou de ideia e que aprova o emprego da tortura, enquanto continua a negar os fatos”, afirmou. O cônsul disse, também, que ouviu o relato da “ex-suíça Graciela Fadul”, casada com Wilson Fadul, então deputado e ex-ministro da Saúde do governo João Goulart. “Ela declarou ao consulado que seu filho, um brasileiro, havia sido torturado de forma selvagem durante dez dias pela

atos institucionais decretados pelo governo militar. O estado policial substituiu o estado de direito”, completou o diplomata no telegrama a Berna. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

ITÁLIA

ESPAÇO

Nasa lança projeto ousado que visa a ‘tocar o Sol’ Depois de alguns adiamentos, a Nasa planeja lançar, na madrugada deste sábado (11), uma missão com a qual pretende “tocar o Sol”. Batizada Parker Solar Probe (Sonda Solar Parker) - homenagem a Eugene Parker, professor emérito da Universidade de Chicago, que previu a existência do vento solar, o constante fluxo de partículas em alta velocidade emitido por nossa estrela –, a nave deverá chegar a apenas cerca de 6 milhões de quilômetros do Sol. O principal objetivo será estudar a chamada corona, a “atmosfera” de nossa estrela, para tentar resolver um mistério que há tempos intriga os cientistas: por que sua temperatura é muito maior do que a da própria

Polícia Militar, sob a acusação de pertencer a um grupo subversivo”, escreveu. “Como nada contra ele foi provado, ele foi liberado em um estado de saúde horrível.” O diplomata também fez uma avaliação crítica da Justiça do país durante a ditadura. “Ao longo da história do Brasil, o Poder Judiciário foi sempre respeitado e soube conservar seu prestígio”, afirmou. “Hoje, não é mais o caso, já que a Justiça perdeu suas prerrogativas por conta de

Os documentos indicam, ainda, que os diplomatas mantinham uma postura crítica em relação às violações praticadas no país

superfície do Sol? “Estamos estudando o Sol há décadas, e agora finalmente estamos indo até onde a ação acontece”, comemorou Alex Young, vice-diretor de ciências da Divisão de Ciência Heliofísica do Centro de Voo Espacial Goddard da Nasa, em uma recente teleconferência promovida pela agência espacial americana. O intenso brilho do disco solar disfarça uma estrela extremamente dinâmica, onde poderosos fenômenos acontecem a cada momento. Para além das reações de fusão nuclear que acontecem em seu núcleo, inundando de luz e energia não só nosso planeta, como toda nossa vizinhança cósmica, linhas de força de um gi-

gantesco campo magnético se cruzam, entrelaçam e eventualmente se rompem. Assim, lançam enormes quantidades de radiação e matéria ao espaço, em erupções que ameaçam o funcionamento de satélites e a saúde de astronautas, além de produzirem coloridas auroras, ao interagirem com o campo magnético da Terra. Mas não será nada fácil para a sonda revelar esse mistério. Para aguentar o calor e a intensa radiação nas proximidades do Sol, 500 vezes mais fortes do que a experimentada por naves na órbita de nosso planeta, a Parker Solar Probe será equipada com escudo térmico e blindagem inéditos na História da exploração espacial.

Navio Aquarius resgata 142 imigrantes no Mediterrâneo Um grupo de 142 imigrantes foi resgatado perto do litoral da Líbia, no Mediterrâneo Central, pelo navio Aquarius. A informação é da organização não governamental Médicos sem Fronteiras (MSF). A organização, que administra a embarcação com a SOS Mediterranée, informou no Twitter que os imigrantes foram resgatados em duas operações distintas. Na primeira, realizada na última sexta-feira (10), 25 pessoas foram retiradas do mar. Ontem (11), as equipes salvaram 116 refugiados que estavam em uma barcaça de madeira.

A Aquarius opera no litoral da Líbia com o objetivo de salvar imigrantes que, em embarcações precárias, deixam o país rumo à Europa. A Itália, seguindo as diretrizes do novo ministro do Interior, Matteo Salvini, fechou seus portos para os imigrantes resgatados por embarcações ligadas a organizações humanitárias. Em julho, a Aquarius foi obrigada a atracar em um porto de Valência, no leste da Espanha, para deixar 630 imigrantes. Itália e Malta se negaram a receber os refugiados, provocando uma crise diplomática e troca de acusações entre os governos da região.


24

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Mundo

Terremoto na Indonésia deixa mais de 300 mortos

DIVULGAÇÃO

As autoridades asiáticas informaram que, além das vítimas, foram registrados 270.168 desabrigados devido ao tremor, que registrou 6,9 de magnitude

A

s autoridades da Indonésia elevaram, ontem (11), para 321 o número de mortos e mantiveram em 270.168 os deslocados pelo terremoto de magnitude 6,9, que castigou, no domingo (5), a ilha de Lombok e suas réplicas posteriores. O porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres (BNPB, na sigla em indonésio), Sutopo Purwo Nugroho, advertiu, em comunicado, que o número de vítimas mortais ainda vai aumentar, pois há relatos de outras mortes que não foram incluídas no último balanço, porque estão em processo de verificação. A região norte de Lombok é a mais atingida, com 273 mortes;

As autoridades do país buscam ajuda para as vítimas do terremoto que aconteceu no último domingo (5)

seguida de Lombok Ocidental, com 26; Lombok Oriental, com 11; Mataram, com sete; Lombok Central, com duas; e Denpasar, capital da ilha vizinha de Bali, também com duas. “Espera-se que o número de deslocados também aumente, porque o registro não foi feito de forma adequada”, acrescentou Sutopo. Além das vítimas e deslocados, foram destruídas ou danificadas 67.857 casas, 468 escolas, seis pontes, 50 lugares de oração, 20 escritórios, 15 mesquitas e 13 hospitais. O cálculo provisório dos danos feitos pela BNPB ronda 3 trilhões de rupias (cerca de 181 milhões de euros). Sutopo detalhou que a assistência humanitária e voluntários continuam chegando à ilha, onde operam “centenas de ONGs e organizações comunitárias”. “A assistência que chega é distribuída imediatamente nos acampamentos de deslocados”, afirmou o funcionário indonésio. As equipes de busca e resgate seguem com as operações para encontrar mais sobreviventes e corpos sob os escombros dos edifícios. Lombok sofreu mais de 451 réplicas desde o terremoto de magnitude 6,9 de domingo, algumas delas fortes, como a de magnitude 5,9 que sacudiu a ilha na quinta-feira. A Indonésia está localizada no chamado Círculo de Fogo do Pacífico, uma região de grande atividade sísmica e vulcânica na qual, a cada ano, são registrados cerca de 7 mil terremotos, a maioria moderados.

ESTADO ISLÂMICO

Britânico admite ter planejado atentado ao centro de Londres Um britânico que jurou lealdade ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI) se disse culpado, diante de um juiz, de ter planejado um atentado terrorista na Oxford Street, no centro de Londres. Lewis Ludlow, de 26 anos, pretendia cometer um ataque com uma caminhonete em frente à loja Disney Store, nas imediações do museu de cera da capital britânica Madame Tussauds ou bem perto da catedral de São Paulo. A polícia encontrou anotações feitas por Ludlow, nas quais calculava que “quase cem pessoas poderiam morrer no ataque”. Entre o último dia 15 de março e 19 de abril, o acusado comprou um telefone usando um nome falso, estudou possíveis alvos em Londres e se informou sobre empresas de aluguel de caminhonetes e hotéis para se hospedar na cidade. Ludlow começou a traçar seus planos após ser detido pela polícia em fevereiro, no aeroporto de Heathrow, quando iria embarcar em um voo às Filipinas. O britânico, que será sentenciado em 2 de novembro, negou, no tribunal penal de Old Bailey, que essa viagem tinha propósitos relacionados com o terrorismo, mas admitiu ter arrecadado fundos para o EI.

Em Heathrow, Ludlow afirmou às forças de segurança que viajava para as Filipinas para fazer turismo sexual, mas, ao investigar seus vínculos com esse país, a polícia detectou que estava em contato com pessoas ligadas ao grupo jihadista. Segundo relato da promotoria durante o processo judicial, o acusado criou uma página na internet que simulava uma loja de antiguidades, com o intuito de enviar dinheiro a esses contatos. DIVULGAÇÃO

A carta detalhando os planos de Ludlow foi encontrada em sua casa


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Plateia

Plateia

25

plateia@emtempo.com.br | Luiz Otávio Martins

Muito além do nariz vermelho Após ter passado por diferentes cidades brasileiras, a artista Selma Bustamante escolheu , há 22 anos, Manaus como o lugar onde queria amadurecer seu trabalho como atriz e diretora de teatro João Gomes

S

omando mais de 40 anos de atuação no cenário das artes cênicas no Brasil – 22 anos só em Manaus –, a diretora de teatro, atriz e produtora cultural Selma Bustamante, 62, conversou com o EM TEMPO sobre sua trajetória artística e os planos para o futuro. Ela escolheu os aposentos do Teatro Amazonas como espaço para a entrevista. Tudo começou na década de 1970 quando, ainda em São Paulo - onde nasceu -, Selma Bustamante lidava com os reflexos repreensivos dos anos seguintes à ditadura no Brasil. Na época, a veia artística da intérprete já pulsava pela forte necessidade de ter liberdade de expressão. Não demorou muito para que logo se envolvesse com um grupo de teatro experimental da cidade e descobrisse, de fato, o amor pela arte da atuação. Sofrendo com as limitações de um sistema político ditador, que delimitava as possibilidades de pensamento e diálogo de acordo com objetivos político-econômicos, a atriz conta que os encontros do grupo teatral aconteciam de forma independente, nas ruas da cidade e longe dos holofotes. “Na época, ainda jovens e com sede de liberdade, nos encontrávamos em uma siderúrgica abandonada em São Paulo, para fazer acontecer as possibilidades que tanto gostaríamos de ter no campo artístico. Foi uma época de muito aprendizado onde eu pude me reconhecer como atriz e ter certeza de que era com isso que queria trabalhar. Sem dinheiro e apoio político, nosso público era a rua, as pessoas que não podiam ir ao teatro. Naquele momento eu vi que podia mudar a vida delas por meio das artes cênicas”, explica Selma, que considera o Teatro Amazonas a sua segunda casa em Manaus. No entanto, foi na Companhia de Teatro Ventoforte – do renomado diretor Ilo Krugle – que Selma Bustamante deu os seus primeiros passos profissionais nos palcos, onde começou a desenvolver um teatro voltado à infância e à juventude, ponto que permeia a trajetória da artista até os dias de hoje. “Trabalhávamos com desconstruções de pensamentos políticos em um momento em que, politicamente, tudo era muito delicado”, relembra. Completamente envolvida pelo cenário das transmutações, a artista prestou vestibular para o curso de Artes Cê-

FOTOS: OTOS: DIVULGAÇÃO

nicas na Universidade de São Paulo (USP), onde se formou, dividindo os afazeres acadêmicos com os projetos do grupo Ventoforte – que não eram poucos, segundo ela. Depois de alguns anos se estruturando na profissão e fiel à essência libertária, Selma decidiu que era hora de alçar novos voos e se mudou para o Nordeste. O destino foi o Piauí. “Minha passagem pelo Piauí foi importante para me identificar de fato como atriz. Lá, eu trabalhei na direção executiva de uma televisão e pude fazer muitos contatos, mas não era minha zona de conforto. Por isso nunca deixei de fazer projetos teatrais paralelos ao que eu fazia profissionalmente na época para me sustentar”, conta. Destino: Manaus A vida no Nordeste do Brasil já não contemplava mais a paulista, que, na época, era casada com o músico Edgard Lippo (1957-2008). Sem cogitar a hipótese de ir para o Sul, Selma conta que, junto ao ma-

rido, pegou um livro atlas e escolheu a dedo a Região Norte como destino de uma história que, hoje, já dura mais de 20 anos. Em 1996, a atriz desembarcou em Manaus com uma única certeza: viver do seu teatro. Como qualquer verdadeira história de amor, a chegada na “Paris dos Trópicos” não foi um mar de rosas. Problemas financeiros, de saúde e de rotina conturbaram a então recente estada da atriz, mas Selma não desistiu de ficar e conta que, 22 anos depois, não se arrepende de ter aterrissado na capital do Amazonas. “Quando cheguei aqui, fiquei apaixonada pela beleza da cidade, pela essência do povo amazonense, porém não foi isso que me fez ficar! A cidade continua linda até hoje, mas como qualquer outra, cheia de problemas a serem resolvidos. O que me fez ficar, de verdade, foi a vontade de batalhar pelas coisas que acredito que podem ser transformadas para melhor. Manaus tem uma herança maldita de matar as pessoas que realmente querem fazer alguma coisa por elas, e eu con-

tinuo aqui, se o preço for morrer”, declara Selma. Em Manaus, Selma Bustamante fundou o Grupo Baião de Dois, responsável por importantes espetáculos da história do teatro na cidade nas últimas décadas. A atriz foi responsável também por reforçar ainda mais a vontade de desenvolvimento de projetos de teatro de rua na capital amazonense. Ela é a intérprete de Kandura, clown - que já rendeu à artista vários prêmios. Projetos futuros “Ainda tenho muitos projetos para desenvolver e espero ter tempo de executar todos. Não tenho medo de recomeçar e, se me perguntares como me vejo daqui a dez anos, quem sabe eu não esteja morando em uma cidadezinha, um vilarejo, onde a paz, o silêncio e a contemplação pelas coisas simples da vida seja a minha rotina. Quero conhecer o mundo, mas tenho certeza que quero viver e morrer no meu Brasil”, finaliza a artista, ao colocar o nariz de palhaço e trazer Kandura à vida. Nesse momento, a entrevista começa a ficar quase silenciosa... É a personagem Kandura que começa a dominar o ambiente e, por meio de fortes expressões faciais, estabelece uma comunicação que só acontece com o desenvolvimento de ferramentas de diálogos sensoriais. Ela olha, cala, sorri, questiona. Traz à tona a linguagem do olhar e da comunicação corporal comum aos artistas que já possuem uma longa trajetória e são detentores de um talento ímpar. Fecham-se as cortinas. A história continua nos bastidores.

JACKSON VIEIRA

Intérprete da clown Kandura, Selma Bustamante é fundadora do Grupo Baião de Dois e investe em projetos de teatro de rua


26

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Plateia

Fernando Coelho Jr. @fernandocoelhojr | fernando.emtempo@hotmail.com | www.conteudochic.com.br

O senador Omar Aziz, aniversariante de amanhã, será cumprimentadíssimo pela data

Referência

.

Uma das capitais mais bem equilibradas fiscalmente do Brasil, Manaus tornou a ser referência em gestão administrativa para as demais localidades brasileiras ao ganhar o Prêmio de Excelência em Governo Eletrônico (e-Gov), durante o 46º Seminário Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação para a Gestão Pública (Secop), realizado pela Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação (Abep TIC), em Florianópolis. A capital do Norte do país se destacou pela implementação do ambiente de geocolaboração municipal, um dos sistemas que integram o “Plano de Modernidade” da Prefeitura de Manaus, lançado recentemente pelo prefeito Arthur Virgílio Neto. “O aperfeiçoamento das ferramentas administrativas é fundamental para enxugar a máquina pública e para dar transparência e eficiência à gestão, com a melhor prestação de serviços ao cidadão. E esse é o nosso principal compromisso”, destaca o prefeito. Aplausos!

.

Celebração

.

O SBT completa 37 anos no dia 19 de agosto e este ano a comemoração será feita em forma de livro.

.

A publicação especial “Silvio Santos vem aí”, obra que retrata a trajetória do dono da emissora e um dos principais comunicadores do nosso país, com as fotos e textos expostos no MIS, durante a mostra homônima realizada no museu em 2017, irá homenagear a data.

Inês Carolina Simonetti, Claudio Lamachia, presidente da OAB, e Beto Simonetti, anfitrião na inauguração de seu novo escritório de advocacia, em Brasília

JetLag

.

Chamados de “Brazilian Superstar Duo” pela New York Magazine, o projeto JetLag Music, formado pelos DJs Paulo Velloso e Thiago Mansur, dois nomes badalados do jovem society de São Paulo, teve ascensão meteórica nos últimos anos e se tornaram uma das principais atrações brasileiras no mercado internacional.

Veraneio

.

Pelé acaba de vender a casa que comprou nos Hamptons em 1979, quatro anos depois de ter se mudado para Nova York, onde atuou no New York Cosmos (1975-1977). Na época, o maior atleta do Brasil em todos os tempos pagou US$ 156 mil (R$ 594,2 mil) pela propriedade “pé na areia” localizada no número 156 da Waterhole Road, o equivalente a US$ 534 mil (R$ 2,03 milhões) em valores atualizados pela inflação de lá pra cá. A bela Laura Macêdo enchendo de charme, evento top na região da Ponta Negra

Yasmine e Vitor Vieiralves, em noite de festa no Jardim das Américas

.

Com 315 metros quadrados de área privativa, a casa fica de frente para a praia de Clearwater e ocupa um terreno de quase 4 mil metros quadrados. Pelé a listou nos classificados não faz muito tempo, por US$ 3,25 milhões (R$ 12,4 milhões), e acabou fechando o negócio na semana passada por US$ 2,85 milhões (R$ 10,85 milhões).

.

Reformada recentemente, a “beach house” do rei do futebol tem acesso privativo a uma marina local e conta ainda com piscina, cozinha moderna, sala de entretenimento e um amplo living com pé direito duplo. E isso sem falar na vizinhança estrelada de Clearwater, que tem outros residentes de férias famosos como Eli Manning, astro do futebol americano, a chef Rachel Ray e a estilista Tory Burch.

.

A sra. Inês Cañizo, que ganha festa no próximo dia 17, no Imperial Eventos, comemorando seus 90 anos

Os DJs estarão em Manaus no próximo dia 4, na festa Black Party, no Podium Arena da Amazônia, que deverá sacudir a geração descolada da cidade. JetLag é superatração!

.

Como tudo que a chiquérrima marca francesa lança vira sucesso absoluto, preparem-se para as novas sandálias com o famoso H da Hermès.

.

Os novos modelos surgem decorados com pinturas deslumbrantes! Já são itens disputados pelas poderosas da Europa.

DIVULGAÇÃO

CINEMA

Idris Elba entre os favoritos para interpretar James Bond O ainda sem nome 25º quinto filme da franquia 007 está atualmente em produção, com estreia prevista para novembro de 2019, e tudo indica que será o último em que o ator britânico Daniel Craig interpretará o espião James Bond. As especulações de quem será o próximo intérprete do famoso espião acontecem há anos, e um dos nomes favoritos que sempre é cotado nas casas de aposta é o de Idris Elba. Elba, conhecido pela sua atuação na séries “The Wire”, se tornaria o primeiro ator negro a fazer o personagem. Agora, o diretor Antoine Fuqua aumentou os rumores, ao revelar, em entrevista ao jornal Daily Star, que a produtora da franquia, Barbara Broccoli, disse para ele que chegou o momento de ter um Bond negro. “Ela me disse que é hora de ter um

ator negro interpretando o personagem e que vai acontecer eventualmente”, disse Fuqua. “Idris poderia fazê-lo, se estiver em forma. Você precisa de um cara com enorme presença física para o papel, e Idris tem isso”, especulou o diretor. Elba, por sua vez, sempre despistou quando perguntado sobre o assunto e afirma que preferiria ver uma mulher interpretando o papel. Batwoman A emissora norte-americana The CW definiu quem fará o papel da Batwoman na nova série do Arrowverse, baseado em quadrinhos da DC. Segundo o site TV Line, a atriz australiana Ruby Rose, conhecida pela sua participação como Stella em “Orange is the New Black”, foi contratada para o papel. Ruby fará sua estreia como

a personagem em um crossover de todas as séries da DC (“Arrow”, “The Flash”, “Supergirl” e “Legends of Tomorrow”), que a emissora está planejando para dezembro e será uma trama solo em 2019. Durante a San Diego Comic-Con, Greg Berlanti, produtor das séries, disse que era essencial achar uma atriz lésbica para interpretar a personagem, que também é gay na televisão. Originalmente criada em 1956, a versão atual da Batwoman foi criada por Geoff Johns e Grant Morrison em 2006 como a primeira super heroína assumidamente lésbica nos quadrinhos da DC. Seu alter ego, Katherine Kane, é uma ex-militar norte-americana, que tem problemas para se readaptar à vida civil e decide lutar contra o crime após ver o Batman em ação.

O ator da série “The Wire” diz que preferiria ver uma mulher interpretando o agente 007


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Plateia

27

DIVULGAÇÃO

‘Manas’ ocupa o Café-Teatro Festival de Hip Hop Todas São Manas reúne, em sua segunda edição neste domingo, shows, grafite ao vivo, exibição de filmes, rodas de conversa, batalhas de breakdance e tag

P

rotagonizada por artistas mulheres, a segunda edição do Festival de Hip Hop Todas São Manas será realizado hoje, no Les Artistes Café-Teatro e seu entorno (avenida Sete de Setembro, 377, Centro). O evento, que irá reunir diversas vertentes da cultura hip hop, conta com o apoio da Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult). O festival Todas São Manas reúne os quatro elementos da cultura hip hop (MC, DJ, grafite e breakdance) e conta com shows, grafite ao vivo – que abre a programação às 10h –, exibição de filmes, rodas de conversa, batalhas de breakdance e tag. Todas as mulheres que se inscreveram

poderão participar do evento, que será totalmente gratuito e aberto ao público. A produtora e idealizadora do festival, Debora Erê, fala sobre a importância da realização do evento e do apoio recebido com a contemplação pelo Edital Prêmio Manaus de Cultura Hip Hop de 2017. “A ideia do festival surgiu depois que presenciei uma atividade de hip hop na capital. Com o lançamento do edital, conseguimos concretizar a ideia e essa já é a segunda edição”. Todas as participantes receberão apoio da organização, como kit com camiseta, crachá e água. Além disso, será montado um Espaço Kids, onde os filhos das artistas participantes terão acesso a uma programação específica, com a presença de

O evento ocupará também o entorno do Café-Teatro e terá início às 10h, com grafite ao vivo

monitoras, enquanto suas mães participam do evento. “Além do kit, as artistas também irão receber lanches durante a programação. Vamos disponibilizar ainda material para o grafite, que terá premiação para aquele que mais se destacar, visando ao reconhecimento e incentivo para as artistas grafiteiras”, explica Erê. A primeira edição do Festival de Hip Hop Todas São Manas aconteceu nos dias 14 e 15 de maio de 2016, na Escola Municipal Dr. Vicente de Mendonça Jr., no bairro Grande Vitória, zona Leste, e foi um dos projetos contemplados pelo Edital Prêmio Manaus de Cultura Hip Hop 2015. Trinta e cinco artistas mulheres participaram do evento.

PROGRAMAÇÃO 14h – DJ Maria do Rio 15h – DJ Naty Veiga 16h – DeeJay Pãmmy 16h40 – Rebeca Yane 16h55 – MC Jessy 17h – Batalha de Tag 17h30 – Eliminatórias: Batalha de Tag 18h – Lucka Brasil 18h15 – Batalha de Freestyle 18h30 – SemiFinal e Final: Batalha de B-Girls 19h – Catarina 19h30 – Lady Go&Strela 20h – Premiações 20h15 – Rap Plus Size


28

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Plateia REPRODUÇÃO

A descoberta da parte de piano do Concerto Brasileiro para Dois Pianos e Coro foi feita pelo pesquisador Alexandre Dias, diretor do Instituto Piano Brasileiro

O Concerto Brasileiro para Dois Pianos e Coro estreou no Rio, em 1934, pelo próprio Villa-Lobos

U

m manuscrito do compositor Heitor Villa-Lobos considerado perdido foi encontrado depois de décadas, em Brasília. A descoberta da parte de piano do Concerto Brasileiro para Dois Pianos e Coro, estreado no Rio de Janeiro em 1934 pelo próprio compositor e pelo pianista José Vieira Brandão, foi feita pelo pesquisador Alexandre Dias, criador e diretor do Instituto Piano Brasileiro. “É como se perceber diante de um osso de um tiranossauro rex”, diz ele. A partitura manuscrita referente às intervenções do coro já pertencia ao acervo do Museu Villa-Lobos, mas, sem o restante da música, o catálogo do compositor a definia como incompleta e perdida. “Na verdade, sem a parte do piano, não dava para entender exatamente o que o compositor buscava alcançar com a partitura. Agora, é possível enxergar com mais clareza o que ele propunha”, explica, ainda, Dias. A história da descoberta começou há alguns meses, quando Márcio Brandão, filho de José Vieira Brandão, procurou o Instituto Piano Brasileiro, criado em 2015 com o objetivo de reunir, digitalizar e editar acervos de compositores e pianistas brasileiros. “José Vieira foi grande amigo, o braço direito de Villa-Lobos, estreou obras como suas Bachianas Brasileiras nº 3 e o Ciclo Brasileiro”, lembra Dias. “O Márcio tinha 145 pastas grandes com manuscritos, fotos, cartazes, programas, gravações. Para se ter uma ideia, já digitaliza-

Obra perdida de Villa-Lobos é encontrada mos cerca de 8 mil páginas, e isso corresponde a 10% do material que estava disponível.” Entre esse material, Dias encontrou uma partitura com a anotação Atrevido, escrita para dois pianos. “Ali o sinal de alerta acendeu, porque o Con-

REPRODUÇÃO

certo Brasileiro foi uma homenagem a Ernesto Nazareth, e sabíamos que, nele, o Villa evocava duas obras dele, Atrevido e Odeon. Comparamos então com a parte do coro, e elas se sobrepunham, encaixavam.” No mesmo acer-

vo, Dias encontrou outra raridade: a transcrição para piano dos estudos para violão, feita por Vieira Brandão. “Já conhecíamos os estudos de 1 a 8, mas agora encontramos os de número 9 a 12, ou seja, o ciclo completo, que vamos edi-

tar, trabalhando também com a pianista Sonia Rubinsky para que ela faça a estreia moderna dessas peças.” O Instituto Piano Brasileiro é uma iniciativa de Dias, que, ao lado de alguns parceiros, já descobriu peças inéditas de Nazareth, João Pernambuco e Fructuoso Viana, entre outros autores. Em três anos, mais de 200 mil documentos já foram digitalizados, além de centenas de gravações, muitas delas inéditas. Só do acervo da pianista Neusa França, foram extraídos 200 registros (todos colocados no YouTube), com gravações raras: entre elas, há Claudio Santoro regendo concerto com Nelson Freire como solista, recitais de Magda Tagliaferro e uma infinidade de registros de outros artistas, como o compositor Camargo Guarnieri. “O resgate da obra de um compositor segue três critérios. O primeiro é a criação de um catálogo e, em segundo, a edição com revisão crítica das obras. Para isso, é preciso, claro, encontrar todas as peças. E, em terceiro, vem a realização de uma gravação integral. No Brasil, hoje, o único compositor cujo trabalho de resgate cumpre esses critérios é Ernesto Nazareth. Sabemos do modo como o país lida com seu passado, mas essa situação não pode ser aceita, considerada normal. Sei que praticamente todos nossos autores têm coisas perdidas por aí, e isso é algo que não consigo tirar da cabeça”, conclui. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. (fonte: Estadão Conteúdo)

MUSICAL

Marisa Monte embala a trilha de ‘Romeu & Julieta’

O espetáculo está em cartaz no Teatro Frei Caneca, em São Paulo, até outubro

Quando o diretor Guilherme Leme Garcia e a produtora Aniela Jordan começaram a definir as canções que pontuariam o musical “Romeu & Julieta”, o resultado prometia ser uma deliciosa colcha de retalhos, dada a variedade de opções. O espetáculo, no entanto, ganhou o tom original quando o tradutor e adaptador do texto de Shakespeare, Gustavo Gasparani, fez a sugestão mágica: por que não usar apenas canções de Marisa Monte? O que parecia ser uma perigosa limitação, revelou-se, na verdade, uma mina de ouro – afinal, a peça que estreou sexta-feira (10), no Teatro Frei Caneca, em São Paulo, exibe uma trilha sonora que parece especialmente composta para ela. “São letras que tratam do amor na medida certa”, observa

Gasparani, que, ao trabalhar na versão ao lado de Eduardo Rieche, incluiu entre as falas os versos amorosos de Marisa. O segredo da perfeita fusão está no poder da compositora em organizar sínteses, um trabalho sem fronteiras definidas entre o erudito e o popular. E era justamente esse o desejo do diretor Guilherme Leme: criar um caminho aberto entre o presente e a trama de amor juvenil, que se passa nos anos 1500, como já fizera Antunes Filho em 1984, quando apresentou uma empolgante montagem de “Romeu & Julieta” recheada com canções dos Beatles. “Eu sinto claramente que essas músicas não são mais minhas, elas fazem parte da vida de muitas pessoas, de histórias vividas por outros, em situações e lugares muito além

da minha presença física”, disse Marisa ao jornal O Estado de S. Paulo, em março, quando o espetáculo estreou no Rio. “Nesse caso, ver as canções se cruzando com a história de personagens fictícios, num clássico de Shakespeare é, para mim, uma sensação inédita que me toca de uma maneira diferente e única que ainda nem sei explicar, mas que já adoro.” O espetáculo abre com “Um Só”, que ilustra a apresentação do ambiente e dos personagens, e termina em forte tom operístico, com “A Primeira Pedra”, quando a intransigência das famílias rivais provoca a morte dos dois jovens amantes. O espetáculo fica em cartaz no Teatro Frei Caneca até 21 de outubro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. (fonte: Estadão Conteúdo)


Manaus, sábado e domingo, go, 11 e 12 de agosto de 2018

Plateia

Guto Oliveira

29

@gutoelenco | gutomosaico@hotmail.com

CARNAVAL ELEIÇÕES 2018 O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu, por unanimidade, manter os horários de votação inalterados para a votação deste ano, obedecendo aos fusos horários locais, sempre das 8h às 17h, em todas as unidades da Federação. Uma sugestão de alteração havia sido apresentada pelo ministro Gilmar Mendes, que propôs o término da votação unificado pelo horário de Brasília, de modo a uniformizar a apuração.

Retratar as diferentes formas de felicidade é a aposta da escola de samba A Grande Família, para o Carnaval 2019. Apresentando o enredo “Eu só quero é ser Feliz!”, a escola, da zona Leste, faz uma homenagem ao querido Murilo Rayol.

EMPÓRIO ON-LINE O grupo Rodrigues acaba de lançar mais um loja, desta vez on-line. Basta instalar o aplicativo no seu smartphone e começar a fazer suas compras sem sair de casa. E as novidades da rede não param, antes do fim do ano, mais unidade física será inaugurada, no shopping Ponta Negra. Aplausos!

GELATO A Gusta + transformou em sorvete duas delícias que se completam: açaí e leite ninho. Esse é o novo sabor “Encontro das Águas”. A novidade já está disponível em todas as lojas.

LIFE STYLE A blogueira internacional Juliana Brito estará em Manaus para ministrar curso de

ppersonal stylist, no hotel Vieiralves Express, de 27 a 330 de agosto. A portuguesa vem acompanhada da ccelebridade do momento, Mileide Mihaile.

LARISSSA LAHW, NA BLACK PARTY A top DJ Larissa Law

é atração confirmada A juíza Lídia Carvalho Frota com o presidente da Aleam David Almeida, durante ta entrega da Medalha Ruy Araújo

na festa alto astral da Fábrica de Eventos, a Black Party. Dia 4 de setembro, no Podium da Arena.

Hellen Belota na homenagem a Lidia Carvalho Frota, na Assembleia Legislativa do Amazonas

Sandra Desideri e Lucia Viana na homenagem à juíza Lidia Carvalho Frota

DIVULGAÇÃO

CINEMA

Cine Casarão exibe comédia romântica e documentário Os filmes “Uma Escala em Paris” (2017) e “Bergman 100 Anos” (2018) serão exibidos hoje, no Casarão de Ideias, com sessões às 17h e 19h, respectivamente, O ingresso custa R$

Eduardo Brandão e Augustinho Júnior com Lídia Frota durante homenagem

10 (R$ 5 a meia entrada). A comédia romântica “Uma Escala em Paris” conta a história de Gina, uma comissária de bordo americana que, depois de uma temporada sozi-

nha e deprimida, se apaixona pelo garçom parisiense Jérôme. Mas, quando ela decide ficar na França para viver esse amor, surge Clémence, um antigo amor de Jérôme. O documentário “Bergman 100 Anos” resgata a obra do cineasta sueco Ingmar Bergman (”O Sétimo Selo”, “Persona”). O foco é o ano de 1957, quando ele lança dois filmes, filma mais dois, dirige um telefilme e quatro peças de teatro. O Casarão de Ideias fica na rua Barroso, 279, Centro.

O documentário “Bergman 100 Anos” tem como foco a produção do cineasta em 1957


30

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Plateia

Sabores da ulinria ameriana

João Gomes

D

A partir dessa segunda-feira, o hotel Holiday Inn promove o Festival Americano, com um menu formado por hambúrgueres e outras iguarias dos EUA DIVULGAÇÃO

Até o dia 17, o cardápio do festival oferecerá seis opções de hambúrgueres

epois de uma semana inteira dedicada à culinária italiana, chegou a vez dos americanos serem contemplados com um festival gastronômico. A partir de amanhã, até o dia 17 de agosto, Manaus receberá o Festival Americano, que será realizado todos os dias, a partir das 19h, no hotel Holiday Inn Manaus, localizado na avenida General Rodrigo Otávio, 3.721, Distrito Industrial, zona Sul. Esta é a segunda noite gastronômica temática do restaurante Naia, sob o comando do chef venezuelano Xavier Medina. Especialista na cozinha americana, Medina selecionou itens que vão dos tradicionais hambúrgueres (serão seis opções no total) à variedades como Buffalo Wings (asas de frango picantes), Onion Rings (anéis de cebola), Macaroni and Cheese and Fried (macarrão com cheddar e bacon) e Costelas Suínas Saint Louis (costelas suínas em molho barbecue). A estrutura do restaurante conta com espaço para 96 pessoas e deve oferecer ao público pratos que, apesar de tradicionais, devem receber um toque especial do chef da casa, para serem apresentados com exclusividade. As opções podem ser escolhidas à la carte, e os preços variam entre R$ 20 e R$ 70. Crianças de 0 a 12 anos pagam 50% do valor de qualquer pedido. As reservas podem ser feitas pelo telefone (92) 3182-0100 ou pelo e-mail reservas.manaus@ihg.com.

Mác Bz Cientista social e especialista em Gestão e Políticas Culturais

O homem que ri O homem que ri, peça escrita em 1925 pelo dramaturgo e jornalista paraense Benjamin Lima é levado à cena com o título Quem ri, afinal, apresentado no dia 30 de outubro de 1931 no Teatro João Caetano, com produção da Companhia Jayme Costa. Conforme nos situa o próprio autor, a peça fora inscrita num concurso de comédias, em 1925, pelos concessionários do Cassino Beira-Mar. Fora classificada em primeiro lugar por um júri formado por Goulart de Andrade, Leopoldo Fróes e o “senhor” Gastão de Carvalho. No entanto, a realização do concurso optou por trabalhar com “comédias musicais”, não chegando a montá-la. Se “O homem que marcha”, outra peça de Lima, suscitou polêmica e foi taxada de imoral, “O homem que ri” recebeu a pecha de “impróprio para menores e senhoritas”, epíteto que a “Censura Teatral impusera”. “O homem que ri” guarda muitas relações com O homem que marcha, e estão claramente mostradas em seu entrecho. A instância moral representada em “O Homem que Ri” é a “Sociedade Propugnadora da Moralização Integral das Famílias”, que tem como presidente a personagem Jere-

mias. Este é casado com Lucrécia/Laís, sendo o primeiro nome (Lucrécia) o preferido por ele, haja vista que Laís fora uma “cortesã célebre”, e não ficaria bem, portanto, à esposa do presidente da entidade, enquanto que Lucrécia, a “matrona virtuosíssima de Roma”, preferiu “a morte à desonra”. Jeremias criara uma sociedade chamada de “Liga Secreta de Campanha ao Adultério” com o objetivo de relatar ao marido traído, por meio de um “relatório minucioso”, todas as ações pecaminosas da esposa. Esta discussão em torno de uma entidade reguladora de efeitos morais não pode deixar de ser relacionada, como falamos, à censura da peça O homem que marcha, quanto à acusação de tratar de temas imorais e indicar ações perniciosas para o moral nacional. Benjamin Lima é um dos dramaturgos do norte de grande importância para a história dos intelectuais e do teatro da região. Suas peças e biografia tem passado ao largo dos interesses de pesquisa, como os muitos outros condenados à clandestinidade, com as exceções de praxe, claro. Mas a exceção não é a regra. Ainda não é.


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Entretenimento

Entretenimento

31

redacao@emtempo.com.br | Ed Blair

JOÃO MIGUEL JR/GLOBO

Sempre de bem com a vida, Torloni é muito querida por seus colegas

O talento da ativista Christiane Torloni Ela está de volta! E em um dos principais papeis de “O Tempo Não Para”. A eterna estrela empresta todo seu talento e competência a Carmem, no recém folhetim

C

armem é uma mulher determinada, que criou sozinha o filho Samuca (Nicolas Prattes) e o ajudou a se tornar um empresário de sucesso quando vendeu o único carro que tinha para ajudá-lo a desenvolver o adubo que o levou ao sucesso. É inteligente, cheia de vida, e sua independência chama a atenção de Dom Sabino (Edson Celulari); ele vai desenvolver uma paixão platônica por ela. No entanto, Carmem tem lá seus segredos. Um deles, é o relacionamento com o personal trainer Laércio (Micael Borges), que é safado e só quer se dar bem às custas dela. E o outro tem a ver com o pai biológi-

C  Gloob estreia em outubro série vendida para mais de 30 países O Gloob, da Globosat, marcou para 15 de outubro a estreia da série “Escola de Gênios”, fruto de parceria com a Mixer Filmes. Criada por Ângela Fabri, a produção, mesmo antes de entrar no ar, chamou atenção do mercado internacional, nas diversas feiras do calendário. Interesse impressionante, com venda para mais de 30 países. A expectativa das partes envolvidas é muito grande sobre seu lançamento por aqui e até mesmo do que poderá gerar em relação a outros produtos. Toda captada em resolução 4k, “Escola de Gênios” acompanha a vida de dez protagonistas — cinco meninas e cinco meninos — que estudam numa escola bem diferente do tradicional e onde podem desenvolver habilidades com as quais mantêm maior afinidade. Como destaque a história de Isaac (Kaik Pereira), de 12 anos, que é convidado a estudar na instituição. Incomodado com o ambiente no início, ele percebe que o lugar é ideal para melhorar algumas de suas habilidades a fim de ajudar sua irmã Maju(Alice Siqueira), de nove anos. Tetraplégica, o sonho dela é voltar a jogar videogame. Assim, Isaac se apaixona por robótica e cria uma mão mecânica para auxiliá-la. A série, aliás, demonstra uma preocupação com a diversidade: além da quantidade igual de meninas e meninos, o elenco principal conta com dois negros. Outra missão do programa é a abordagem de assuntos científicos, além de valorizar as diferenças e individualidades de cada personagem.

co de Samuca. Se na ficção Christiane Torloni é um tanto obscura, na vida real ela é um verdadeiro “livro aberto”. Feliz e bem resolvida, nunca escondeu os seus dramas, como quando perdeu o filho Guilherme, gêmeo do também ator Leonardo Carvalho, vitimado por um acidente de carro, aos doze anos de idade. Christiane Torloni nasceu dia 18 de fevereiro de 1957, a aquariana é simpática e muito extrovertida; a atriz sabe usar a seu favor os seus 1,70 m., além de ser dona de um talento incomum. Aos 18 anos iniciou sua carreira de atriz no caso especial da Rede Globo “Indulto de Natal”, dirigido por Walter Avancini. Emendou um trabalho no outro, desde o começo, fazendo jus ao título de “incansável Torloni”, como os amigos a chamavam. Em 1977, foi a Lívia em “Sem Lenço, Sem Documento”, novela dirigida por Dennis Carvalho e Régis Cardoso. Logo depois, foi a personagem central Gina, da novela de mesmo nome. Militante do movimento “Diretas Já” nos anos 80, Christiane apresentou e participou de vários de-

bates políticos e palanques eleitorais. Sua devoção à política não a impediu de dar voos maiores rumo ao estrelato. Em um único ano, era protagonista de novela e estava em cartaz no teatro e no cinema. Por duas vezes foi eleita “A Mulher do Ano” pela revista “Playboy”, em 1984 e em 1985. Ativista social O sucesso da atriz não tem fronteiras e já atravessou continentes. Em 1994 estreou, em Portugal, o espetáculo “Dez Elevado a Menos 43 Exctasis”, de sua autoria com José Possi Neto. No mesmo ano interpretou a conturbada e elegante personagem Dinah, em “A Viagem”, onde fez par romântico com Antônio Fagundes. A atriz está engajada no movimento “Amazônia Para Sempre”, encabeçou um abaixo-assinado exigindo providências para a preservação da região. A iniciativa nasceu, quando ela participou da minissérie “Amazônia – De Galvez a Chico Mendes”; também participa do movimento “Bem Querer Mulher”, que luta para acabar com a violência contra as mulheres.

Por: Flávio Ricco | Colaboração: José Carlos Nery JOÃO MIGUEL JR/GLOBO

Tiro certo “O Tempo Não Para” tem registrado bons índices de audiência em todo o Brasil, só confirmando a aposta da Globo no trabalho do autor Mário Teixeira. Como se não bastasse, a mídia não economiza espaço para seus protagonistas, vividos por Juliana Paiva e Nicolas Prattes (foto). Debates Dentro de duas semanas, o SBT pretende fechar todos os detalhes dos seus debates para Presidente e Governador com os partidos, junto com a Folha e UOL. O encontro relativo à corrida pelo Planalto foi marcado para 26 de setembro. Em caso de segundo turno, 17 de outubro. Para Governador, 19 de setembro, e 10 de outubro – se houver a necessidade. Carlos Nascimento vai mediar.

Fim de papo A Rede TV! concluiu o processo de reformas na sua sede, em São Paulo. Virou outra emissora, segundo pessoal de lá. Como próximo passo, agora, entregar o estúdio do digital. Homenageada Glória Perez, hoje envolvida com as séries da Globo, será a grande homenageada da segunda edição do “Prêmio Abra de Roteiro”, da Associação Brasileira de Autores Roteiristas. A cerimônia de premiação dos roteiristas vencedores vai acontecer no dia 17, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo. Local Apesar de ter a produtora Formata como parceira, a Rede TV! fará nos seus próprios estúdios a próxima temporada do “Entubados”. Programa que já teve, em tempos de Sony, Danilo Gentili e Celso Portioli, agora será entregue ao Gustavo Mendes.

Só cresce O “Vídeo Show” só tem ajudado a exBBB Ana Clara a aumentar seu número de seguidores. Já tem 7,3 milhões no Instagram e vai que vai. Está longe de incomodar os números de Marina Ruy Barbosa (26,3 mi) e Bruna Marquezine (30,3 mi), mas para quem surgiu “ontem”...

B – R ·Jayme Monjardim continua trabalhando forte na escolha do elenco da minissérie “O Anjo de Hamburgo”, produção para o streaming da Globo... ·...As locações devem ocorrer na Argentina... e terá muitas cenas de Mateus Solano falando em inglês. ·O “Saúde e Você”, apresentado por Duda Rodrigues aos domingos, meio-dia na Record News, gravou longa entrevista com Sabrina Sato. No ar dia 2 de setembro. ·O SBT vai produzir um espetáculo musical de “Poliana”,

para ser apresentado nas principais cidades do país, mas não há pressa na sua realização... ·... Mesmo porque, a novela ficará dois anos ou mais no ar... ·... Só quando o elenco estiver liberado, a emissora iniciará os ensaios. ·Pelo andar da carruagem e a disputa que se aproxima no mercado de streaming, Globo e Netflix vão se tornar “inimigas de infância”. ·Hoje, até se permite, por exemplo, um ator trabalhar ao mesmo tempo nas duas... ·...Mas a partir do instante que

o serviço da Globo entrar no ar e embalar, podemos aguardar mudanças nesse cenário. C’est fini Luciana Gimenez certamente ocupa o posto de apresentadora de TV que mais viaja do país, devido a compromissos profissionais, familiares e outros do gênero. Esse título é dela e ninguém tira, como se constata nas suas redes sociais. É fato. Então é isso. Mas amanhã tem mais. Tchau!


32

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Entretenimento

Receitinh Frango assado recheado com farofa Ingredientes 1 frango inteiro; 5 dentes de alho amassados; 1 folha média de louro; suco de 1 limão; suco de 1 laranja; 2 colheres (sopa) de azeite; sal e pimenta-do-reino a gosto. Recheio: Farofa de Miúdos Modo de fazer Misture o alho triturado, o louro, sal e pimenta-do-reino. Reserve. Retire os miúdos do frango. Lave bem por dentro e por fora. Coloque o frango numa tigela e salpique, por dentro e por fora, o tempero de alho. Regue com o suco de limão e deixe marinando por 1 hora. Passado esse tempo, escorra o frango, recheie a cavidade com a Farofa de Miúdos e feche prendendo a pele com palitos ou costurando com linha. Coloque o frango numa assadeira untada com óleo. Regue o frango com o suco de laranja, a seguir com o azeite. Leve ao forno preaquecido (180º) e asse até que fique bem dourado. Durante o tempo em que ficar no forno, regue o frango com o molho que vai se formando na assadeira. Coloque inteiro no prato de servir, retirando antes os palitos ou a linha. Dica: Se puder, deixe o frango marinar no tempero por mais tempo, conservando em geladeira. Sugestão: tire a casca superficial de 2 cabeças de alho e corte-a ao meio. Numa frigideira antiaderente, gratine as cabeças e alho cortadas ao meio e cogumelos inteiros. Enfeite o prato com o frango assado e sirva a seguir.

Cocada rápida

Horóscopo Áries

É possível que sinta alguma irritabilidade devido a algumas indecisões que possa sentir. Por isso tome muito cuidado com o estresse, ele pode matar! Se cuide, para não sofrer mais.

Ingredientes Meio quilo de coco fresco ralado; 1 lata de leite condensado; 2 latas de açúcar; 1 colher (sopa) de manteiga sem sal

Touro

Modo de fazer Numa panela, misture todos os ingredientes. Leve ao fogo médio, e sempre mexendo, cozinhe até soltar do fundo da panela. Retire do fogo e vá colocando colheradas do doce em mármore untado. Espere esfriar e coloque as cocadas num prato de servir. Outra opção é colocar o doce numa assadeira untada e alisar bem. Deixe esfriar e corte em quadradinhos ou losangos.

Gêmeos

As relações com as pessoas serão mais estáveis e duradouras durante este período. O seu espírito comunitário pode trazer algumas boas surpresas. Seja gentil com todos.

Uma amizade pode se transformar em amor, ou então um amor se tornar uma amizade. Embora esta seja um bom período na área afetiva, deverá ter precauções com a comunicação.

Câncer

A sociabilidade, os gostos estéticos e as criações artísticas serão sentidos durante este período. A sua capacidade de entrega e empenho facilitam a ascensão profissional desejada.

Leão

Poderá ocorrer uma quebra da vitalidade, pelo que deverá descansar mais. Não descuide das suas horas de sono, pois poderá sentir o sistema nervoso mais frágil. Curta bem esta semana.

Virgem

Crzinh

Tempo propício para o convívio e encontro de novos amigos que lhe vão proporcionar momentos de muita diversão e distração. Bom também para estar ao lado da família.

Libra

Você estará comunicativo e aberto aos outros, este vai ser um período harmonioso e com muitas oportunidades para ser feliz. Aproveite e tome uma decisão acertada em sua vida.

Escorpião

Se praticar esportes, tenha cuidados redobrados e procure precaver-se contra possíveis lesões nos tendões. Faça exercícios leves, que ajudem a aumentar a elasticidade de seu corpo.

Sagitário

Muita camaradagem e estabelecimento de novos laços de amizade serão possíveis durante este período. Aproveite a maré de sorte que bate à sua porta! O período será excelente para você!.

Capricórnio

Propício para concretizar uma nova relação e ver realizados os seus sonhos de amor e romance. Deverá, no entanto, ter alguma cautela nas palavras que diz para não ferir quem não merece.

Aquário

A sua perspicácia e poder de análise estarão aumentados durante todo o período. A sua vontade de vencer na vida e a sua ambição será o motor para assumir e concretizar os seus projetos.

Peixes

Possível atribuição de um novo cargo ou de novas responsabilidades no local de trabalho. Exercícios de relaxamento e meditação vão ajudar a manter o equilíbrio e aliviar a tensão.

Rsu d vlas

Tito tenta convencer Flora a se afastar do celular e das redes sociais por um tempo. Sofia se encanta por Garoto. Pérola admite para Maria Alice que sente saudades do pai. Garoto, Leandro e Érico combinam de ir ao Le Kebek e Jade sente ciúme. Tito planeja uma surpresa para Flora em sua casa. Brigitte ajuda Getúlio nos estudos. Heitor se encanta por Olívia. Alex beija Maria Alice, mas ela se esquiva. Heitor leva Olívia para sua casa e flagra Tito e Flora na intimidade.

Mariana revela a todos que Mário é um disfarce. Xavier pede a anulação das corridas de moto disputadas por Mariana. Jane conta para Lídia que está grávida e Ofélia ouve. Mariko tenta persuadir Ema a não ir para o Vale. Camilo, Ernesto e Januário lamentam o fiasco de seu projeto. Susana mostra a Petúlia as provas contra Elisabeta. Ludmila encontra Olegário em seu bangalô. Camilo se emociona ao saber que será pai. Cecília lamenta com Rômulo por não conseguir engravidar.

Samuca confirma a origem de Dom Sabino. Carmen percebe o sumiço de um objeto em casa. Samuca exige que Paulina seja readmitida. Marino e Monalisa encontram o baú com as roupas da família de Dom Sabino. Paulina conta para Marocas que voltará a trabalhar na Samvita. Samuca convida Elmo para ser o novo gerente do restaurante da empresa. Lucas volta para casa passando mal. Marciana encontra o objeto que Vera Lúcia pegou na casa de Carmen. Marocas encontra Nico.

Luzia se desespera ao saber que Juarez está planejando o assassinato de Manu. Laureta revela a Karola que Ariella é Luzia. Juarez arma para Manu fazer uma entrega de drogas sozinha em outro estado. Fátima se desespera ao saber da emboscada para Manu. Viana tenta cumprir o acordo que fez com Juarez e pede que Ionan atire em Manu. Luzia é baleada, mas consegue fugir com Narciso e Manu. Ionan impede que Juarez siga atirando. Manu avisa para Ícaro que sua mãe foi baleada.

Raquel diz para Guilherme que eles precisam contar para Vini e Mirela que se gostam ao invés de ficarem escondidos. Mirela manda Luigi escrever uma cena em que beija Guilherme no roteiro que o garoto está escrevendo. Lorena pede ajuda para Poliana conseguir tirar Benício da mansão do Pendleton. Waldisney tenta ser simpático com Nadine. Afonso visita Luísa com Hugo. Joana fica enciumada com Sérgio conversando com Nadine. Jeferson acompanha Brenda para sair da comunidade.


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Pódio

Pódio

33

podio@emtempo.com.br | André Tobias

reencontra Cruzeiro

no Maracanã

Egídio deve ser poupado por Mano Menezes neste domingo

BRUNO HADDAD/CRUZEIRO

R

io de Janeiro (RJ) – Flamengo e Cruzeiro voltam a duelar neste domingo (12), no Maracanã, no Rio de Janeiro, às 15h (de Manaus). Na última quarta-feira (8), os mineiros bateram os rubro-negros por 2 a 0 no jogo de ida pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América. Agora, o confronto é válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ao contrário do que tem acontecido com praticamente todas as equipes divididas em várias competições, o Flamengo não definiu prioridades. Descartou poupar jogadores e tem colocado sempre em campo todos os principais atletas disponíveis. A tática foi estabelecida pelo técnico Mauricio Barbieri. Os atletas, no entanto, parecem que decidiram se poupar por conta própria. Depois de uma excelente atuação contra o Grêmio, no início do mês, em confronto de ida das quartas de final da Copa do Brasil, que ficou no 1 a 1, o time carioca foi batido pelos reservas do Tricolor gaúcho dias depois, também em Porto Alegre (RS), por 2 a 0. Diante da situação parecida, a reação do Barbieri pode ser diferente. Como a partida de volta contra os gremistas está agendada para a próxima quarta-

Na berlinda, Flamengo

GILVAN DE SOUZA/FLAMENGO

Após perder a liderança do Campeonato Brasileiro e ficar em situação difícil na Libertadores, cariocas buscam fazer as pazes com a vitória e, quem sabe, retomar a liderança da competição

Piris da Motta pode fazer sua estreia com a camisa rubro-negra

feira (15), talvez, diante dos resultados negativos, o treinador opte por colocar um time misto neste domingo. O martelo ainda não foi batido, mas mudanças devem acontecer em número significativo em relação ao time que encarou o Cruzeiro e acabou escapando de levar uma goleada. Uma delas envolve o retorno de um atleta que é considerado titular absoluto e não pode atuar na quarta devido à suspensão pelo acúmulo de cartões amarelos: Lucas Paquetá. Reservas No Cruzeiro, não há qualquer dúvida. O técnico Mano Menezes, respaldado pela diretoria, elegeu as disputas da Copa Libertadores da América e da Copa do Brasil como prioridades. Assim, em partidas às vésperas dos confrontos por essas competições, tem escalado equipes mistas ou inteiramente reservas no Campeonato Brasileiro. Para o confronto deste domingo, um time repleto de reservas deve ir a campo, apesar de a Raposa estar em vantagem para o confronto de quarta-feira, no Mineirão, contra o Santos. Derrotou, na Vila Belmiro, o alvinegro por 1 a 0 e, agora, precisa apenas do empate para garantir sua vaga nas semifinais da Copa do Brasil. Essa estratégia, naturalmente, tem seu custo, que é uma participação apagada no Brasileirão. Com 25 pontos (sete vitórias, quatro empates e seis derrotas), o Cruzeiro ocupa uma modesta oitava colocação.

NEWTON MENEZES/FUTURA PRESS/ESTADÃO

FORA DE CASA

São Paulo tenta manter liderança diante do Sport São Paulo (SP) - Com a guilhotina sendo afiada e o pescoço do técnico Claudinei Oliveira a prêmio, o Sport encara neste domingo (12) o São Paulo, líder do Campeonato Brasileiro. A partida, válida pela 18ª da competição, será realizada às 15h (horário de Manaus), na Ilha do Retiro, em Recife (PE). Pressionado pela situação, o técnico Claudinei Oliveira indicou que deve fazer mudanças na escalação para essa partida. Uma das possíveis alterações é o retorno do atacante Rogério.

O jogador está em fase final de recuperação de lesão e, caso receba o sinal verde do departamento médico, deverá voltar a ser relacionado como titular. Outro que pode retornar ao time é o meia Michel Bastos. Uma contusão na coxa direita evitou que ele enfrentasse a Chapecoense. Há ainda possibilidade de mais duas mudanças. Recémcontratados, os volantes Elkin Blanco e o atacante Matheus Gonçalves devem ficar à disposição de Claudinei Oliveira. Pelo lado do Tricolor paulis-

ta, que voltou a liderar o Campeonato Brasileiro após 123 rodadas, o principal desfalque é do lateral-direito Eder Militão. O atleta foi negociado com o Porto. A diretoria do clube, no entanto, se antecipou, ao contratar Bruno Peres, que estava na Roma. Ele deverá ser escalado como titular diante do Sport. O meia-atacante Everton Felipe, contratado justamente junto ao Leão pernambucano, está regularizado, porém, não deve ser utilizado diante da ex-equipe neste domingo.

Lateral-direito Bruno Peres terá a responsabilidade de substituir Militão, negociado


34

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Pódio

JALES VALQUER/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Em momentos opostos,

RAFAEL RIBEIRO/VASCO.COM.BR

Palmeiras e Vasco

duelam no Allianz Parque Enquanto time paulista praticamente garantiu sua passagem às quartas de final da Copa Libertadores, cariocas foram eliminados da Sul-Americana na última quinta-feira

R

Gustavo Scarpa pode pintar no time titular do Palmeiras neste domingo

io de Janeiro (RJ) – Com a missão cumprida na Copa Libertadores da América, o Palmeiras deve colocar uma equipe mista ou mesmo inteiramente reserva para encarar o Vasco neste domingo (12), no Allianz Parque, em São Paulo (SP), às 18h (de Manaus), pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. A semana já está ganha para o torcedor palmeirense. Na última quinta-feira (9), o time derrotou o Cerro Porteño, do Paraguai, por 2 a 0, na partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. Essa competição é considerada prioridade no clube, que contratou o técnico Luiz Felipe Scolari para tentar repetir a conquista de 1999. O sucesso em Assunção concedeu ao clube larga vantagem no duelo de volta, que será realizado em São Paulo somente no dia 30 de agosto. Apesar da distância para a partida, os titulares devem ganhar folga no duelo deste domingo. Isso porque, na próxima quinta-feira (16), o al-

viverde tem confronto decisivo pelas quartas de final da Copa do Brasil. Após o empate sem gols em Salvador (BA), vai encarar o Bahia. A disputa do Campeonato Brasileiro acaba sendo um incômodo nos planos de Felipão. Com 27 pontos (sete vitórias, seis empates e quatro derrotas), o clube ocupa uma modesta sexta posição na tabela de classificação, oito pontos na comparação com o líder São Paulo. Apesar de não ser uma diferença irreversível, a conquista é considerada difícil e, por isso, irá direcionar seus investimentos para as copas. Só restou o Brasileirão O Vasco também entrou em campo na noite da última quinta-feira. Derrotou, em São Januário, a LDU, do Equador, por 1 a 0. Mas não foi suficiente. Como havia perdido a primeira partida por 3 a 1, em Quito, o cruzmaltino acabou sendo eliminado na segunda fase da Copa Sul-Americana, competição que passou a disputar depois de cair na Copa

Libertadores na primeira fase. Apesar da eliminação, o time carioca fez uma boa apresentação. Criou 36 oportunidades de finalização ao longo da partida. Porém, esbarrou em um problema que está virando crônico: a falta de pontaria. Apenas seis delas foram na direção certa. Para encarar o Palmeiras, a expectativa é de que o argentino Maxi Lopez, atacante contratado para tentar melhorar essa situação, faça sua estreia. Ele teve sua inscrição feita antes da partida da semana passada, em que o Vasco perdeu por 2 a 1 para o São Paulo, mas o técnico Jorginho preferiu deixá-lo de fora para que tivesse mais tempo visando melhorar seu condicionamento físico. Ele não deve ser a única estreia. O defensor Leandro Castan e o meia Vinícius Araújo, recém contratados, provavelmente estarão entre os relacionados para a partida deste domingo, em São Paulo. O primeiro tem chances, inclusive, de figurar entre os titulares.

Maxi Lopez fará sua estreia com a camisa cruzmaltina

NO PARANÁ

Na estreia de Zé Ricardo, Botafogo visita o lanterna do Brasileirão Rio de Janeiro (RJ) - Já sob o comando do técnico Zé Ricardo, o Botafogo encara o Paraná Clube neste domingo (12), às 10h (de Manaus), no estádio Durival de Britto, em Curitiba (PR), pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Glorioso faz campanha bem irregular, com 21 pontos, na parte intermediária da tabela de classificação. Mas ainda longe do drama vivido pelos paranaenses, que seguram a lanterna, com 13. No Glorioso, o lateral-esquerdo Gilson retorna após cumprir suspensão. Yuri, o substituto contra o Santos, no empate sem gols, fica como opção no banco. Quem pode ser relacionado é o outro lateralesquerdo do plantel, Moisés, recuperado da lesão na coxa esquerda.

O goleiro Gatito Fernández, recuperado de lesão no punho direito, mas sem jogar desde antes da Copa do Mundo, pode ser outra novidade. Neste caso, Saulo volta a condição de reserva. A má notícia fica justamente por conta do goleiro Jefferson. Segundo o o departamento médico alvinegro, ainda não há previsão de retirada do colete cervical que o arqueiro vem utilizando. Daqui a vinte dias será marcada uma nova revisão. Dessa maneira, o retorno dele aos gramados segue indefinido. No dia 21 de julho ele se chocou com Lucas Paquetá no clássico com o Flamengo e sofreu um trauma no tórax, fratura da cartilagem tireoide, teve um edema nas cordas vocais e teve dois dentes quebrados. VITOR SILVA/SSPRESS/BOTAFOGO

Zé Ricardo fará sua primeira partida à frente do comando técnico do time botafoguense


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Pódio FOTOS: WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO

CESAR CIELO

S

ão Paulo (SP) - Ídolo do esporte mundial e prestes a se aposentar, Cesar Cielo agora pensa no legado que vai deixar para as próximas gerações da natação. O atleta do Pinheiros afirmou que acredita nos bons resultados da modalidade visando os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. O campeão olímpico e dono de 17 medalhas em sete edições de Mundiais, sendo 11 de ouro, conta que está pensando em sua carreira profissional temporada por temporada. Aos 31 anos, Cielo ainda não sabe quando vai anunciar a aposentadoria, mas, apesar de não enxergar a sua participação na próxima Olimpíada, ele vê um futuro de conquistas para o Brasil. Se antes a sua preocupação era com os resultados nas competições, hoje podemos dizer que você se preocupa com o legado que vai deixar para as próximas gerações? Cesar Cielo - De certa forma eu acho que sim e ao mesmo tempo vejo que não tenho muito mais a acrescentar no meu legado. Quero ajudar essa nova geração a ter um entendimento do alto rendimento e de comportamento em competição. É uma coisa que eu gostaria de ajudar eles a ter o mais rápido possível. Como você vê essa nova geração e o futuro do Brasil na natação? CC - Estamos bem. É uma geração com campeões mundiais, com a Etiene (Medeiros) aí, o revezamento muito bem, o Bruno (Fratus) vem nadando muito bem também. Acho que já podemos imaginar grandes cenários para as próximas competições. O Mundial do ano que vem em piscina longa deve dar uma ideia muito boa do que deve ser 2020. Espero que a seleção saia de lá com algumas medalhas para começarmos a pensar em medalhas também na Olimpíada. O Brasil está disputando o Pan-Pacífico com muitos nadadores jovens. Que diferença

‘Temos uma geração

de nadadores

campeões mundiais’ você vê entre a sua geração e as gerações atuais? CC - Em questão de comportamento, são gerações parecidas. Brasileiro é sempre um pouco mais brincalhão. Na questão de grupo eu vejo bastante essa rivalidade entre a geração de 2007 até pouco tempo atrás e essa que está entrando agora. Alguns deles eu conheço bem menos, não tive muito contato ainda, mas, pelos resultados, estou vendo que é uma geração que promete boas marcas no futuro e o primeiro teste deles é agora no Pan-Pacífico. Vão pegar seleções fortes e vamos começar a mensurar se eles vão conseguir grandes resultados a partir de agora. Acredita que os nadadores brasileiros ainda apresentam dificuldades em relação às competições realizadas no país? CC - No Brasil temos poucas competições, tem praticamente três competições por ano e acho que isso acaba tirando um pouco aquele lado que nos Estados Unidos e na Europa é mais forte. Hoje é importante ver que meus companheiros de seleção e de treino estão mais confortáveis em competição, que estamos conseguindo grandes resultados. Quem você destaca nos próximos torneios? CC - Alguns medalhistas como o Bruno e a própria Etiene não estão na seleção, então

vou pôr o destaque para as categorias 4x100 metros livre e os 100 metros livre como nossas melhores provas agora no Pan-Pacífico. Qual mensagem pretende deixar para a próxima geração? CC - Quero deixar a mensagem de que independente do país que a gente vem, independente do que a gente traz para a competição, podemos ser tornar um campeão mundial, assim como eu já fui. Como você considera a sua participação (fora das piscinas) na formação desses jovens nadadores? CC - Tenho meu instituto desde 2009 com dois projetos sociais, um competitivo e outro que é de iniciação. Atualmente ajudamos mais de 200 crianças e, há alguns anos, eu tenho tentando mostrar para as crianças que é muita dedicação e treinamento. Eu não chegaria lá de outra forma se não fosse com o comprometimento. Tento ensinar os atletas para que futuramente possamos ter mais campeões. Como está a sua relação com a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA)? CC - Super bem, acho que o (Renato) Cordani tem sido um grande benefício para a CBDA. Ele tem feito grandes ações e tomado grandes responsabilidades para ele. Temos que agradecer por todo o traba-

lho que está tendo. Agora queremos que a cúpula da CBDA comece a tomar algumas atitudes para mudar algumas coisas em relação às competições para voltarmos a ter uma natação um pouco maior.

O Mundial do ano que vem em piscina longa deve dar uma ideia muito boa do que deve ser 2020. Espero que a seleção saia de lá com algumas medalhas para começarmos a pensar em medalhas também na Olimpíada”

35


36

Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Pódio

Negociações de jogadores da base ajudam a sustentar

clubes brasileiros Vinicius Júnior, Rodrygo e Paulinho foram alguns dos nomes que deixaram o futebol brasileiro e encheram os cofres de seus respectivos clubes

S

ão Paulo (SP) - A base tem pago boa parte das contas do futebol nacional e dado um alívio nas gastanças dos clubes. Revelar e vender sempre esteve no DNA dos dirigentes brasileiros. Recentemente, passou a ser uma necessidade. A janela de transferências para o mercado internacional é um dos períodos mais importantes para as diretorias negociarem jovens talentos e, assim, compensarem o excesso de débitos ao longo das temporadas. Apesar de os times diversificarem receitas, negociar atletas

ainda é a principal forma de encher os cofres. Pelo nos sete primeiros meses do ano, o balanço é bastante positivo para as equipes do país. As transferências feitas de jogadores de até 21 anos rumo a times estrangeiros envolveram a cifra aproximada de R$ 810 milhões. O número é do site alemão Transfermarkt, especializado no mercado de contratações. Grande parte desse montante foi investido em garotos como Rodrygo (Santos), Vinicius Junior (Flamengo) e Fernando (Palmeiras). Ou seja, meninos recém-saídos na base. Como ainda há quase um mês de janela aberta, é possível que 2018 atinja cerca de R$ 1 bilhão injetados no futebol brasileiro – na média, contratações de jovens que tiveram pouco tempo para consolidar seus nomes no país. O atacante Róger Guedes, de 21 anos, partiu para a China quando liderava a artilha-

ria do Brasileirão. Estava no Atlético-MG, que o comprou do Palmeiras meses antes. Os valores das negociações são significativos principalmente pelo quanto impactam na finança dos clubes. Segundo estudos da agência de marketing esportivo Sports Value, até 20% das receitas dos times dependem da venda de jogadores. A fatia pode ser ainda maior caso os cartolas brasileiros consigam valores melhores na hora de negociar. “O jogador é a única receita extraordinária para os clubes. Patrocínio e contratos de televisão, por


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Pódio

FOT

OS:

DIVU

LGA

ÇÃO

Atacantes Vinicius Júnior e Paulinho foram vendidos para o futebol europeu antes mesmo de completarem a maior idade��

exemplo, são acordos fechados e combinados para serem estendidos por anos ou períodos. Por isso, vender atleta acaba como uma salvação para as equipes”, explica o sócio-diretor da Sports Value, Amir Somoggi, que analisa há 15 anos as finanças dos clubes. As transferências deste ano mostraram uma diferença em comparação às tradicionais saídas de atletas a cada temporada. Os europeus vieram sedentos por menores de idade. O Real Madrid investiu cerca de R$ 330 milhões em Vinicius Junior e Rodrygo, atacantes que tiveram as contratações fechadas antes de completarem 18 anos. Com Paulinho, ex-Vasco, foi parecido. O Bayer Leverkusen precisou esperar o menino atingir a maioridade, em julho, para fazer o acerto de R$ 85 milhões. A situação é bem diferente da vivenciada no Brasil na última década. As maiores revelações da época foram vendidas com mais idade. Robinho, por exemplo, deixou o Santos e foi para o Real Madrid em 2005 aos 21 anos, mesma idade da despedida de Kaká do São Paulo rumo ao Milan, dois anos antes. Neymar também saiu aos 21, em 2013, após o time da Vila Belmiro tentar segurá-lo ao máximo. Os clubes brasileiros se planejam contando com algumas transferências na temporada. Cuidam do assunto com afinco. Na hora de elaborarem as previsões orçamentárias, citam o

37

valor esperado a ser arrecadado com as vendas. O Corinthians trabalha dessa maneira. No fim de 2017, o time estimou arrecadar cerca de R$ 50 milhões com a saída de atletas ao longo deste ano. O São Paulo apresentou uma meta mais ousada: R$ 90 milhões com as negociações. “Alguns clubes não sobrevivem sem a venda de jogadores, mesmo que a televisão seja a maior fonte de suas receitas. O dinheiro das transferências ajuda a tapar os buracos nas finanças”, diz Somoggi. Mesmo se os times não quiserem negociar, acabam por ceder ao desejo dos atletas que pedem para sair. “Não queremos vender ninguém, não estamos precisando disso, mas se o jogador quiser ir, não vamos segurar um atleta descontente. Isso acaba com o grupo. Quem quiser ir embora do clube, que bata na minha porta e fale. Aqui só vamos manter quem queira ficar”, disse o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, sobre a perda recente de atletas para o exterior. Moldagem Para empresários e dirigentes, essa procura por jogadores brasileiros cada vez mais cedo se justifica pelo planejamento. Clubes da Europa conseguem moldar e adaptar melhor os atletas ao estilo do seu time se já contarem com eles desde cedo. A pressa em contratar um garoto se explica também pela intensa concorrência entre os rivais estrangeiros por bons reforços.


38

Manaus, sรกbado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018


Manaus, sábado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

VENHA PRA NET SUPER PROMOÇÃO

TV MIX HD 199 CANAIS

59,

90

R$

TV FÁCIL HD COM 100 CANAIS MAIS INTERNET DE 10 MEGAS COM WI-FI POR

134,

90

R$

99139-9185

LICENÇA DE OPERAÇÃO N.º 453/10-02 Laminados Amazônia Ltda., torna público que recebeu do IPAAM, a Licença de Operação n.° 453/10-02, que autoriza a atividade de desdobro primário da madeira – serraria com beneficiamento de madeiras, serviços de secagem de madeira beneficiada e fabricação de móveis., localizada na Rua Portobras, n° 516, Distrito Industrial, no Município de Humaitá – AM, para Industria Madeireira, com validade de 03 Anos.

COOAP SOCIEDADE DE PEDIATRIA CLINICA DO AMAZONAS S/S LTDA

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA O Presidente da Sociedade de Pediatria Clinica do A m a z o n a s S / S LT D A , C O O A P, C N P J n º 04.614.569/0001-06, no uso de suas atribuições, faz a convocação da Assembleia Geral Extraordinária aos seus médicos sócios, a ser realizada no dia 16 de agosto de 2018, quintafeira, no auditório do ICAM sito à Av. Codajás S/Nº – bairro Cachoeirinha, CEP 69065-130, na cidade de Manaus – Amazonas, sendo às 18:30h, com 2/3 dos Sócios em 1ª chamada, às 19:00h, com metade mais um dos Sócios em 2ª chamada, e, às 19:30h, com número mínimo de dez Sócios em 3ª chamada, para deliberarem sobre as seguintes ordens do dia: 1.Admissão, demissão e exclusão de sócios; 2.Devolução, permuta e aquisição de carga horária da COOAP. Luiz Afonso Ituassú Galvão Britto Presidente

4. SERVIÇOS MODA, VESTUÁRIO BELEZA ACESSÓRIOS

5. NEGÓCIOS COMUNICADOS, MENSAGENS, EDITAIS

MÍSTICOS

6. EMPREGOS OFERTA DE EMPREGO NÍVEL MÉDIO






40

Manaus, sรกbado e domingo, 11 e 12 de agosto de 2018

Em Tempo - 12 de Agosto de 2018  

Um Jornal do Grupo Raman Neves de Comunicação

Em Tempo - 12 de Agosto de 2018  

Um Jornal do Grupo Raman Neves de Comunicação

Advertisement