Issuu on Google+

Baden-W端rttemberg - 1


Editorial Especial Baden-Württemberg Edição especial, cuja finalidade é a de promover esta região da Alemanha, encartada na revista Brasil-Alemanha Coordenação Dietmar Sukop (Gerente Adjunto e Relações Internacionais da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de Porto Alegre) Ewald Stirner (Ministerio de Economia do Estado de Baden-Württemberg, Assessor para Assuntos dos Países da América Latina) Textos Gerhard Bauer, Thomas Brandl, Alexander Braun, Magdalene Häberle, Melanie Hoffmann, Bernd Kalbfell, Rainer Laubig, Dr. Daniela Neuffer, Simone Ott, Dr. Christoph Runde, Ewald Stirner, Dr. Bernd Stockburger, Oliver Trust, Anita Vogl, Dr. Lars Ziegler Tradução Dankwart Bernsmüller Revisão Linda Katz, Ewald Stirner, Luciana Riccó Arte Decifrar Comunicação e Marketing Produção Gráfica Bandeirantes Indústria Gráfica

Fotos e Gráficos .marqs photocase, Bosch, Daimler, Forschungszentrum Karlsruhe, Forum Luft- und Raumfahrt Baden-Württemberg e.V., Handwerkskammer Region Stuttgart - Handwerk International, Herbert Rudel Pressefoto, Juwelier Leicht, Landesbank Baden-Württemberg, Landeszentrale für politische Bildung Baden-Württemberg, Ministerium für Wissenschaft, Forschung und Kunst Baden-Württemberg, RTT, Staatsministerium Baden-Württemberg, Stadt Brackenheim, Statistisches Landesamt Baden-Württemberg, Stuttgarter Ballett, Stuttgart-Marketing GmbH, TECNARO GmbH, Tourismus Marketing GmbH BadenWürttemberg, Uli Böhmerle, Universität Konstanz, Universität Stuttgart, Virtual Dimenson Center, VISENSO GmbH, Weinmann Holzbausystemtechnik GmbH, Wikimedia Commons, lizenziert unter CreativeCommons-Lizenz by-flickr (Tiago Chediak)-2.5-de, Wirtschaftsministerium Baden-Württemberg, WSG Weingärtner Servicegesellschaft mbH - Weinexportkontor Baden-Württemberg, yes or no Media GmbH, Nicolai-Fleckenstein/PIXELIO, Gerhard-Giebener/PIXELIO

Capa Museu da Mercedes em Stuttgart Primeira edição, abril 2009. Tiragem de 10.000 exemplares. Distribuição gratuita a todos os associados das Câmaras de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha. Os conceitos emitidos nas matérias não representam necessariamente a opinião oficial das Câmaras de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha.

2 - Baden-Württemberg


Índice Prefácio

4

Baden-Württemberg

6

Um feliz acaso histórico

8

Assembléia e Executivo Estadual

10

Atração de investidores da Alemanha e do exterior

11

Empresas de médio porte movem a economia

12

Contatos duradouros, vale a pena mantê-los

16

Feiras em Baden-Württemberg. No coração do mercado

17

Sotaque suábio em São Paulo

19

Madeira líquida, o plástico do século XXI

20

Quem bebe vinho tem boa aparência, é inteligente, sexy e saudável

22

Uma alternativa moderna. Na indústria da construção civil, eficiência energética com emprego de materiais oriundos de plantas

24

Matérias-primas renováveis nos conduzem ao futuro

26

Formação Dual. Estágio na empresa e teoria na escola garantem formação de alta qualidade

27

Esportistas brasileiros despontam em Baden-Württemberg

28

Entrevista com Dunga

30

Centro de Competência. Realidade Virtual e Engenharia Cooperativa

31

Decole Conosco. Fórum Aeronáutico e Aeroespacial de Baden-Württemberg

32

Base logística de primeira grandeza

34

Programa Internacional de Mestrado Profissional. Meio Ambiente Urbano e Industrial - EDUBRAS-MAUI

35

Em Baden-Württemberg, ciência e pesquisa tem tradição

36

Os quatro motores da Europa, quatro vezes “power”

38

Bem-vindos à terra dos admiradores da cultura, da natureza, do bem estar e da gastronomia

40

Endereços

43

Baden-Württemberg - 3


Prefácio Caros leitores, Cerca de 15 horas de vôo, quase 10.000 quilômetros e cinco fusos horários separam Stuttgart do Brasil. Lá se fala o dialeto suábio do alemão, aqui, o português. Mas nada disso representa um empecilho para que empresas do Estado de Baden-Württemberg se envolvam com a maior nação latinoamericana. No país do Pão de Açúcar, estabeleceram-se mais de 1.200 empresas germânicas, especialmente em São Paulo, o que faz dela a maior cidade industrial “alemã” fora da própria Alemanha. Nesta metrópole, há 850 empreendimentos, dos quais cerca de 200 provêm de Baden-Württemberg. Por meio de suas filiais, plantas pro dutivas ou unidades de distribuição,

Prezados leitores É com muita satisfação e orgulho que podemos apresentar nosso estado do Rio Grande do Sul, o mais meridional de nosso país. Somos um estado multirracial, formado principalmente por imigrantes alemães, italianos e portugueses em primeira linha, contando ainda com a presença de povos oriundos de todos continentes, o que faz da nossa gente um povo de muitas culturas que se misturam e harmonizam formando uma população empreendedora e criativa.

4 - Baden-Württemberg

as empresas se concentram no mercado brasileiro, mas, ao mesmo tempo, percebem estar diante de uma excelente plataforma para manter atividades em todo o continente sul americano. É notável o desenvolvimento do Brasil nos últimos anos. Os sólidos índices de crescimento baseiam-se em fundamentos muito fortes: os parâmetros econômicos ganharam significativa estabilidade e o caráter de diversificação da economia mundial oferece oportunidades crescentes – justamente para empresas de Baden-Württemberg, com destaque para as áreas automotiva, de maquinário, eletrotécnica e química. É imprescindível estar presente também na América Latina, tornan-

do-se fornecedor ou produtor para não ser relegado ao papel de mero espectador diante da competição global. As condições são favoráveis e as possibilidades de sucesso estão propícias como poucas vezes estiveram.

Na agricultura e pecuária estamos entre os principais estados produtores de uma infinidade de produtos, desde arroz, trigo e soja até gado de qualidade internacionalmente apreciada. Decorre daí que somos os maiores fabricantes brasileiros de máquinas e implementos agrícolas, como por exemplo, tratores, colheitadeiras e todos seus componentes e acessórios. Isto também faz de nosso estado um importante pólo metal mecânico, e o segundo produtor nacional de autopeças. Nossas fábricas de ônibus e equipamentos de transporte são de qualidades internacionalmente reconhecidas, não só exportando seus produtos como inclusive tendo plantas em diversos países. Nos últimos anos temos investido bastante na área da informática, tornando-nos um centro de desenvolvimento de softwares dos mais importantes, prestando serviços para o mercado mundial.

fazendo com que nossos criativos artistas nos proporcionem uma vida cultural intensa.

Devido a este amálgama de povos que nos deram origem temos uma cultura muito rica e diversificada,

Michael Horn

Cônsul honorário do Brasil em BadenWürttemberg e Vice-Presidente do Banco do Estado de Baden-Württemberg

A colonização alemã, iniciada no princípio do século XIX, é responsável por aproximadamente 20% de nossa população, que com a decorrente miscigenação está presente em todo estado. Decorre daí que o interesse cultural e econômico pela Alemanha é muito grande, tendo ao longo do tempo sido criadas muitas empresas por descendentes de alemães que, junto com as filiais de empresas alemãs em nossa economia, criaram uma parceria importante entre nosso estado e a Alemanha. Nossa Câmara de Indústria e Comércio BrasilAlemanha desempenha papel fundamental nestas relações econômicas, facilitando o encontro entre empresários e autoridades gaúchas e alemãs.

André Meyer da Silva

Presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de Porto Alegre


Estimados leitores, Tradição e pesquisa, vínculo à terra natal e abertura para o mundo, dinamismo econômico e encontro de pessoas, multiplicidade e coesão. No Estado de Baden-Württemberg, esses aspectos não são contraditórios, mas sim complementares e que exemplificam seu caráter e de seus habitantes.

Distingue-se ainda por oferecer alta qualidade de vida aos seus habitantes. Lá é possível sentir-se completamente em casa. Afinal, o Estado destaca-se pela variedade paisagística, exuberância da natureza e preocupação com a preservação, além da efervescente e internacional vida artística e cultural.

A região pode ser pobre em recursos minerais, mas é rica em pessoas cheias de ideias, inventivas e empenhadas. Predominam a criatividade e dinamismo, conhecimento e competência e também prontidão para participar da economia, da ciência, da educação, da cultura, da arte e da própria sociedade, o que transforma o sudoeste alemão numa das regiões com maior sucesso na Europa e no mundo.

Como se não bastasse, as pessoas têm à sua disposição excelentes instituições de ensino e de aperfeiçoamento e ampla oferta de trabalho - trata-se da região com o mais elevado índice de emprego na Alemanha. Além disso, elas também podem se sentir seguras, já que em nenhum outro local o grau de criminalidade é tão baixo. O significado ambiental da região acompanha o seu grau de importância uma lei sobre proteção ambiental está em vigor desde 1976.

Hoje, o Estado de Baden-Württemberg detém uma série de posições de destaque em comparação aos demais. Trata-se de uma das principais regiões tecnológicas da Europa, forte em exportações, com alto índice de instituições de pesquisa e de pessoas que trabalham em setores de tecnologia de ponta e áreas voltadas para o futuro. O grande número de empresas de pequeno e médio porte também obtém destaque no mercado mundial. Enfim, o Estado de BadenWürttemberg é inovador, caracterizando-se por abrigar uma indústria forte e sustentável e ininterrupto espírito de invenção.

O local também se destaca pela qualidade das moradias. Confortáveis habitações urbanas, áreas residenciais localizadas próximas às cidades, além de muitas casas cercadas pela natureza das regiões rurais, são chamarizes para a vida e para o bem-estar. A oferta de creches, escolas, centros de lazer e centros comerciais, aliada a um bom sistema viário são características evidentes. Por isso, não é de se admirar que tantas pessoas qualificadas, alemãs e estrangeiras, gostem de viver e de trabalhar em Baden-Württemberg.

Mas ainda há mais a destacar: em Baden-Württemberg é possível encontrar a maioria dos templos da boa cozinha, a melhor casa de óperas da Alemanha, vinhos premiados internacionalmente e a maior parte das instalações solares do país. O Brasil é o principal parceiro econômico da Alemanha na América Latina, com ênfase na relação com o Estado de Baden-Württemberg. Faz quase 30 anos que se instituíram trabalhos conjuntos com a maioria dos Estados brasileiros nos campos da ciência, da economia e da formação profissional. Com o objetivo de ampliar e fortalecer esses laços conjuntos queremos apresentar e mostrar-lhes nas próximas páginas o Estado de Baden-Württemberg e sua gente. Bem-vindos a Baden-Württemberg.

Ernst Pfister

Ministro da Economia do Estado de Baden-Württemberg

Vista do “calçadão” a beira do Lago Bodensee na cidade de Meersburg.

Baden-Württemberg - 5


As belezas da Floresta Negra em trilhas e paisagens deslumbrantes, como esta, na cidade de Bühl.

Baden-Württemberg Com seus 35.751 km2 de superfície, Baden-Württemberg é o terceiro maior Estado da Alemanha, atrás da Baviera e da Baixa Saxônia. A região delimita-se com a França e a Suíça e com os Estados da Renânia-Palatinado, Hessen e Baviera. Quase metade de sua área (47%) é de terra agricultável; 38% de florestas e 13% é urbana com facilidade de transporte. Há 18 grandes centros de concentração populacional que ocupam um total de 39% da superfície, no qual encontram-se 74% da população e 80% dos postos de trabalho.

Diversidade dos espaços naturais O Estado distingue-se pela diversidade de espaços naturais, o que o torna atrativo também como destino para férias. Grandes áreas florestais contínuas, como a Floresta Negra, a Mata Suábia e o Odenwald conferem-lhe um caráter especial. A maior elevação está na parte sul da Floresta Negra – o monte Feldberg, com 1.493 metros. Cerca de 40% da região está coberta por matas. Além disso, o Estado de Baden-Württemberg é

6 - Baden-Württemberg

rico em cursos d‘água. Os recursos hídricos representam um papel importante na localidade, tanto na forma de água potável para uso industrial, mineral e terapêutico, como para fins de lazer e recreação. Os maiores rios que banham a região são o Reno (437 km), o Neckar (367 km) e o Danúbio (251 km). A eles se acresce o Lago de Constança, um dos maiores lagos de água doce do mundo com seus 572 km2 de superfície.

Vista do “Konstanzer Trichter” ao entardecer.


Trekking na montanha Feldberg. A Feldberg com seus 1.493m é a montanha mais alta de BadenWürttemberg.

Clima As quatro estações do ano também podem ser bem aproveitadas. O verão e o inverno são bastante moderados, ou seja, no verão, as temperaturas acima dos 30 graus Celsius são raras e, no inverno, quase nunca fica muito abaixo de zero. A neve chega a cair em toda a superfície do Estado, mas acumulase apenas nas regiões de terreno mais elevado, como, por exemplo, na Floresta Negra, no Feldberg e na Schwäbische Alb.

População Baden-Württemberg possui 10,75 milhões de habitantes, havendo um pouco mais de mulheres (5,47 milhões) que homens (5,28 milhões). Dessa forma, ali vivem mais pessoas que, por exemplo, na Suíça ou na Áustria. Também a Finlândia, a Dinamarca e Luxemburgo têm menor índice populacional. Isso representa, mesmo no âmbito europeu, um número significativo de pessoas. As maiores cidades são Stuttgart (597 mil habitantes), Mannheim (310 mil), Karlsruhe (289 mil), Freiburg (219 mil) e Heidelberg (145 mil). Em torno de 1,3 milhão de habitantes do Estado são estrangeiros. Desses, os turcos (295 mil) perfazem o maior percentual, seguidos das pessoas provenientes da antiga Iugoslávia (230 mil) e da Itália (165 mil). Seis mil pessoas vieram do Brasil. A média de idade dos habitantes de Baden-Württemberg é de 42 anos, considerados os mais jovens da Alemanha. Além disso, a expectativa de vida é a mais alta dos 16 Estados alemães: 83 anos para as mulheres e 78 anos para os homens.

Inverno na Floresta Negra.

Baden-Württemberg - 7


Uma “perola” da região de Alb: O castelo Hohenzollern perto da cidade de Hechingen.

Um feliz acaso histórico O Estado de Baden-Württemberg foi criado no período imediatamente pós-guerra em função de uma circunstância histórica única. A data que marca sua origem é o dia 25 de abril de 1952, sendo o único Estado alemão estabelecido mediante a legitimação ocorrida em referendo popular. Um “feliz acaso histórico” e um “modelo do potencial alemão de criar soluções”, como bem o definiu o ex-Presidente Federal, Theodor Heuss, – ele mesmo um fã do Estado – e um exemplo de sucesso do federalismo alemão. Nos últimos cinquenta anos, a região, localizada no sudoeste do país, alcançou um lugar de destaque no cenário político, econômico e cultural da Alemanha com muito trabalho. Os Estados antecessores, Baden e Württemberg, assim como as regiões governadas pelos Hohenzollern, apresentam longa e respeitável história. Em sua configuração atual, o Estado usufrui dessa

multiplicidade histórica bem como da positiva “tensão” existente entre as diferentes regiões que o compõem. Os romanos, os stuafer, os alemânicos, duques e reis – todos deixaram a sua marca. Ainda se encontram restos do limes, a divisa fortificada dos romanos, e brilha o Castelo Hohenzollern, residência da família da última dinastia de imperadores alemães. Muitos castelos grandes e pequenos, palácios e ruínas são testemunho de nossa movimentada história – que, por vezes, continua viva em nossos costumes. Exemplo disso é a Fasnacht de origem suábia -alemânica, quando, na primavera, as pessoas simbolicamente exorcizam o inverno, vestidos em tradicionais trajes típicos e cobrindo o rosto com históricas máscaras de madeira.

Imigrantes de BadenWürttemberg em destaque no Brasil Os primeiros alemães chegaram ao Brasil pouco depois da independência do país, em 1822. Junto com pessoas de outras nações europeias – em especial da Itália – os alemães contribuíram muito para o desenvolvimento de áreas ainda não habitadas. Nos três estados que compõem a região sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, fundaram inúmeras colônias que contribuíram para a ocupação das terras. Além deles, outras regiões receberam imigrantes, como o Espírito Santo, que se destaca, com duas grandes colonizações, Santa Isabel e Leopoldina. Embora em número reduzido, os Estados de São Paulo e do Rio de Janeiro também se tornaram a nova pátria de colonos alemães.

O Brasão Estadual O emblema apresenta três leões em movimento sobre fundo dourado, símbolo dos staufer e dos duques suábios. Logo acima dessa imagem, encontram-se seis brasões das regiões históricas que formam o atual Estado de Baden-Württemberg: Áustria Anterior (escudo em vermelho-branco-vermelho), Palatinado (leão ascendente), Württemberg (três chifres de cervos), Baden (faixa vermelha inclinada), Hohenzollern (branco-vermelho, em quatro partes) e Francônia (três pontas prateadas sobre fundo vermelho). Os brasões de Baden e de Württemberg são apresentados em tamanho um pouco maior em relação aos demais. A moldura, por sua vez, é formada pela águia de Baden e pelo cervo de Württemberg. Theodor Heuss (*1884 - 1963†): entre 1949 e 1959 primeiro Presidente da República Federal da Alemanha.

8 - Baden-Württemberg


O “Castelo Antigo” no centro da cidade de Stuttgart

O primeiro povoamento ocorreu em terras pertencentes ao Estado na atual cidade de São Leopoldo, Rio Grande do Sul, em 1824. Nos cem anos seguintes, cerca de 250 mil alemães estabeleceram-se no país. A maior intensidade da migração ocorreu durante o apogeu da crise econômica da República de Weimar, nos anos de 1920. Afirmase que hoje, cerca de 10% dos brasileiros tem ascendentes alemães. Entre 1898 e 1899, o colonizador suábio Dr. Herrmann Meyer fundou no noroeste gaúcho a colônia Nova-Württemberg – a hoje conhecida cidade de Panambi. Atraídos pelo rápido desenvolvimento das instituições escolares, eclesiásticas

e associativas, mais e mais pessoas se estabeleceram na colônia, de forma que, em 1927, ela já contava com 14 mil habitantes. O teólogo Hermann Faulhaber (1877-1926) também imigrou com sua esposa Bertha, da família Reinhardt (1866-1944), de Cannstatt, hoje subúrbio de Stuttgart, para o Brasil. Inicialmente foi pastor e diretor da colônia NovaWürttemberg, sendo, mais tarde, cofundador da colônia Porto Feliz (a atual Mondai), nas margens do Rio Uruguai.

Gisele Bündchen – uma cooperação atraente entre Alemanha e Brasil

Como o nome já revela, Gisele Caroline Nonnenmacher Bündchen possui antepassados alemãs. A beldade de 1,80m de altura nasceu no dia 20 de julho de 1980 na cidade de Horizontina, Rio Grande do Sul. Seus tataravôs vieram da Alemanha “há muito tempo atrás”, como ela mesma diz.

A “Bruxa” e o “João-Bobo” são as duas figuras principais do Carnaval de Gengenbach.

Baden-Württemberg - 9


União Democrática Cristã Partido Social-Democrático

Partido Democrático Livre

VERDES Aliança 90 / Os Verdes

Assembléia e Executivo Estadual Assembléia Estadual Os eleitores do Estado de BadenWürttemberg definem a cada cinco anos a relação percentual dos representantes dos partidos do Parlamento. Do ponto de vista estatístico, cada delegado representa cerca de 67 mil habitantes.

cem à CDU (44,2% dos votos) e 38 ao SPD (25,2%). Ao mesmo tempo, 15 mandatos couberam aos FDP/DVP (10,7%) e 17 aos VERDES (11,7%). Os eleitos foram empossados no dia 14 de junho de 2006 e exercem suas funções até 2011.

A eleição parlamentar, ocorrida em 25 de março de 2006, resultou na continuidade da coalizão dos partidos CDU e FDP/DVP, que governa desde 1996. Desde então, a 14ª legislatura estadual é composta por 139 delegados. Desses, 69 perten-

O Executivo Estadual O poder executivo estadual compõe-se de um Primeiro Ministro (Governador), onze Ministros de Estado e um Chefe da Casa Civil, com direito a voto no gabinete, bem como uma Conselheira – car-

O Governo Estadual de Baden-Württemberg.

10 - Baden-Württemberg

go honorário. Além deles, o governo ainda é integrado por seis secretários políticos. O Primeiro Ministro Günther H. Oettinger (da CDU) é o sétimo Primeiro Ministro a exercer o cargo desde a criação do Estado de Baden-Württemberg, em 1952.

Da esquerda para a direita: o novo Cônsul Honorário Michael Horn, o Cônsul Geral do Brasil Marcelo Leonardo da Silva Vasconcelos e o Primeiro Ministro do Estado de BadenWürttemberg Günther Oettinger durante a recepção por ocasião da comemoração da Proclamação da República em Stuttgart.


Atração de investidores da Alemanha e do exterior A escolha do local para instalar uma empresa é uma questão decisiva, que pode representar, diante de um cenário de grande concorrência, o principal diferencial. E é justamente por isso que muitas organizações decidiram instalar-se em Baden-Württemberg. Localização privilegiada. BadenWürttemberg é o ponto de partida ideal para estabelecer contatos comerciais com uma das mais fortes economias do mundo: os mercados estáveis da União Europeia e os países que estão sendo admitidos no bloco econômico e que se encontram em franca expansão, ficam muito próximos. A capital estadual, Stuttgart, localiza-se no encontro dos eixos Paris – Viena, Roma – Copenhagen, Moscou – Lisboa. Além disso, todas as metrópoles europeias podem ser alcançadas em voos com duração de uma a quatro horas. Enfim, é praticamente impossível que uma empresa esteja mais bem localizada que em Baden-Württemberg.

crescimento econômico da região, que há anos supera a média alemã, atesta seu ativo desenvolvimento. A força econômica. A região detém forte posição econômica em função de sua proximidade com importantes regiões, como França, Suíça e Itália, bem como os mercados ascendentes da Europa central e oriental. Outra vantagem é o fato de a União Europeia possuir 500 milhões de consumidores e ser, dessa forma, o maior mercado interno do mundo. Assim se explica, também, a liderança alemã nas exportações. Embora conte com apenas 0,2% da população mundial, Baden-Württemberg pode orgulhar-se por creditar em sua conta 2% das exportações mundiais. Boa infraestrutura de transporte. A eficiência e a rapidez dos

meios de transporte é mais um ponto positivo para o Estado de Baden-Württemberg. Trata-se de temas que possuem papel relevante, especialmente hoje, quando o fluxo de mercadorias, o transporte de cargas e a produção estão fortemente ligados e a capacidade competitiva de uma empresa depende do perfeito funcionamento logístico. Baden-Württemberg tem uma infraestrutura de transportes eficiente para terra, mar e ar. Nesse sentido, o terceiro maior Estado alemão pode ser acessado de maneira rápida e confortável a partir de qualquer lugar. Uma série de plataformas logísticas dinamiza o fluxo de pessoas e de mercadorias, reduzindo o tempo de viagem e de transporte.

Mercado atrativo. O Estado tornou-se um mercado dinâmico no centro da Europa, com convincente desempenho econômico e elevado poder de compra. A densidade de indústrias e de prestadores de serviços cria um interessante mercado consumidor para investimentos e produtos industrializados. O

Baden-Württemberg - 11


Três rodovias cortam o Estado de norte a sul e duas, de leste a oeste, perfazendo mais de 1.000 quilômetros. Acrescenta-se a isso, a rede de estradas federais, que possui cerca de 5.000 quilômetros. No setor do transporte aéreo, o moderno aeroporto de Stuttgart oferece tudo o que se espera de um local com alto desempenho: ligação direta com cidades importantes, oferta de serviços abrangente, rapidez no desembaraço de cargas e alto grau de profissionalismo. A proximidade dos aeroportos de Frankfurt, Zurique, Munique e Basileia otimiza o planejamento de viagens para qualquer ponto do globo terrestre. A rede ferroviária constitui alternativa para viagens e para o trans-

mercadorias sobre trilhos ou sobre a água, visto que os 500 quilômetros de vias navegáveis constituem outra possibilidade que coloca dez portos à disposição com inúmeros pontos para carga ou descarga.

porte de cargas, tanto para trechos de curta distância dentro da Alemanha, como para qualquer ponto do mercado europeu. Já não existem mais limites para o transporte de

A localização, no coração da Europa, é uma grande vantagem e a infraestrura de transporte constitui ponto positivo adicional. As distâncias são muito curtas para a França, a oeste, e para a Suíça e a Áustria ao sul. As relações supra fronteira constituem-se em tradição no modo de viver da região e a ligação com os países da Europa central e oriental possibilitam a conquista de mercados com grande potencial para o futuro.

Empresas de médio porte movem a economia Ao lado de grandes e internacionalmente conhecidas empresas como Daimler, Porsche, Bosch, SAP, Zeiss, Würth ou Stihl, também se localizam em Baden-Württemberg diversos pequenos e médios empreendimentos. O desenvolvimento econômico e social do Estado depende essencialmente da capacidade produtiva e competitiva desse segmento.

Tecnologia de ponta na produção de motores da Daimler AG em Untertürkheim.

12 - Baden-Württemberg

Baden-Württemberg é importante pólo industrial O Estado é um dos maiores e mais importantes pólos industriais da Europa. Acima de tudo, a indústria de bens de equipamento, que possui importante demanda mundial. Nesse contexto, destaca-se a produção de máquinas para a indústria metalúrgica, que possui cerca de 1.800 empresas, na Alemanha,

das quais um terço localiza-se na região. O ramo da produção de máquinas como um todo, possui atualmente 269 mil funcionários, enquanto que a indústria automotiva gera 241 mil empregos e o setor eletrotécnico, 196 mil. Além da indústria de bens de investimento, o Estado abriga outros ramos como o de plásticos e de produtos químicos. Por outro lado, a indústria de bens de consumo, liderada especialmente pela área têxtil e de vestuário, é menos relevante na região. Embora relativamente pequena, a indústria moveleira, de joias, de instrumentos musicais, de artigos esportivos e de brinquedos contribui significativamente para a produção nacional dos respectivos segmentos. Um Estado exportador Nenhum outro Estado da Alemanha mantém tantos negócios com o exterior como o de BadenWürttemberg. Com uma receita de exportação de 17 mil euros por


habitante, coloca-se bem acima da média alemã que é de 12 mil euros. Os produtos “Made in BadenWürttemberg” têm grande aceitação em todo o mundo. Dessa forma, quase um em cada três funcionários trabalham, direta ou indiretamente, para a exportação. Em 2007, foram enviadas mercadorias ao exterior no valor de 150 bilhões de euros. Nos últimos dez anos, o volume de exportações dobrou. O índice de comércio com o exterior da indústria estadual também teve crescimento constante nos últimos anos. De suas vendas totais, 51% representam negócios internacionais (esse índice considerando a Alemanha como um todo é de 45%). Ainda em 1995, esse índice chegava a 31,5%. Os setores com maiores exportações são a indústria automotiva (36 bilhões de euros), a de máquinas (34 bilhões), a área eletrotécnica (21 bilhões) e a química (17 bilhões). Esses quatro setores juntos são responsáveis por 79% das mercadorias exportadas. Desse total, 72% das exportações vão para países europeus, 11% para América do Norte (NAFTA), 13% para a Ásia e cerca de 1,5% para a América Latina. Setores primordiais Os motores da economia do Estado de Baden-Württemberg são, tradicionalmente, as exportações e a alta dinâmica dos setores essenciais. O Estado distingue-se pela atividade da indústria automobilística e pela produção de ferramentas. Possui atuação relevante também nos segmentos aeronáuticos e aeroespaciais. O Estado é um centro de rápido desenvolvimento de setores conhecidos como TIME: telecomunicações, tecnologia da informação, mídia e eletrônica/ eletrotécnica. O mesmo acontece com as tecnologias de processos e com o meio ambiente bem como com o setor da saúde que abarca muitas

empresas inovadoras de biotecnologia, farmácia, mecânica de precisão, ótica e técnica médica. Setor automotivo - Baden-Württemberg é o Estado dos superlativos em relação à mobilidade, pois ali se encontram empresas como Audi, Daimler, EvoBus, Porsche, ZF – mais de cem plantas industriais para a produção de veículos e quase 200 unidades de fornecedores diretos. Além de montar automóveis, caminhões e ônibus, a indústria aeronáutica e aeroespacial também desempenha importante papel. Isso se deve ao fato de haver grande quantidade de fornecedores e vasto potencial para efeitos sinergéticos. Tecnologias de processos e fabricação - Também nessa área, o Estado de Baden-Württemberg destaca-se como sede de empresas, em que os setores de máquinas e instalações trabalham muito próximos às áreas da eletrônica/eletrotécnica, ótica/mecânica de precisão, tecnologia da informação, produção e transformação de metais e automação. São setores de grande crescimento e que se beneficiam do mercado potencial da diversificação de fornecedores e das múltiplas possibilidades de cooperação. Mais de meio milhão de pessoas muito bem treinadas e inúmeros especialistas trabalham nesse ambiente. Assim, por exemplo, um em cada vinte colaboradores da indústria do Estado de Baden-Württemberg é engenheiro. Não é de se admirar que empresas como FESTO, Heidelberger Druckmaschinen, Trumpf, Voith e muitas outras tenham se desenvolvido ali. O setor TIME - Esse setor abarca quatro áreas: telecomunicações, tecnologia da informação, mídia e eletrônica/eletrotécnica. Empresas como Hewlett Packard, IBM, SAP e outras prestadoras de serviço em tecnologias da informação estão instaladas no Estado de BadenWürttemberg. Além disso, a região abriga importantes empresas da área de imprensa e editoração.

O famoso ursinho da empresa Steiff da cidade de Giengen an der Brenz. O botão na orelha é a marca registrada dos bichos de pelúcia da Steiff.

Cuidados com a saúde - O Estado de Baden-Württemberg oferece ambiente propício à instalação de empresas do setor da saúde. Áreas como biotecnologia, farmácia, técnica de medicina, ótica/mecânica de precisão e eletrônica/eletrotécnica encontram ali condições ideais para enfrentar os desafios do futuro: infraestrutura de pesquisa única, instituições de ensino com nível mundial e mão-de-obra especializada. Trata-se de um setor econômico muito atraente, no qual grande quantidade de empresas de pequeno, médio e grande porte trabalha em conjunto de forma bem-sucedida na pesquisa e no desenvolvimento de produtos. Não é por acaso que empresas de renome mundial, como Aesculap, Paul Hartmann ou Carl Zeiss estão instaladas por ali. Tecnologia ambiental - Padrões elevados e uma forte consciência ecológica impulsionam a tecnologia ambiental para níveis avançados. Nesse sentido, as empresas deste Estado também apresentam soluções para problemas nas áreas de fornecimento de água, tratamento de efluentes e resíduos, bem como de despoluição do ar.

Baden-Württemberg - 13


Áreas voltadas para o futuro Para continuar atraindo empresas no contexto econômico mundial que se une cada vez mais em redes tecnológicas, um Estado como Baden-Württemberg, em que os salários são elevados, precisa atuar com desenvolvimento de ponta. Grandes potenciais encontram-se, em especial, nas tecnologias da informação/software e biotecnologia. Tecnologias da informação/software - Graças aos empreendimentos bem-sucedidos, da excelência na formação de profissionais e uma política bem direcionada, nos últimos anos, o Estado de Baden-

bilhões de euros anuais. Com uma participação de 7% no produto interno bruto do Estado, a tecnologia da informação é, junto com a produção de veículos e de máquinas, um dos setores mais significativos da região. Desde 1995, uma agência estatal possui a tarefa de dinamizar a tecnologia de informação e a mídia da região, coordenando o trabalho da economia “criativa” e das áreas tecnológicas. A agência une o que deve ser unido, isto é, quem produz programas e o especialista em tecnologia da informação, quem desenvolve e quem fabrica, quem oferece e quem adquire, quem estabelece

Desenvolvem-se pesquisas vinculadas à área das ciências da vida em oito universidades e seis escolas superiores especializadas. No Estado há, além disso, 18 institutos públicos de pesquisa - entre eles os Institutos Max Planck e Frauenhofer e outros de renome internacional, como o Centro Alemão de Pesquisa do Câncer e o Laboratório Europeu para Biologia Molecular, em Heidelberg. Hoje, há no sudoeste alemão 140 empresas recentemente criadas que estão voltadas para a pesquisa na área da biotecnologia com a oferta de 4 mil empregos, geralmente de alta qualificação. O potencial de crescimento se evidencia, quando se percebe que novos produtos da indústria farmacêutica se baseiam mais e mais na biotecnologia. Além de abrigar empresas da área da biotecnologia, o Estado de Baden-Württemberg abriga inúmeras outras que estão ativas nas chamadas ciências da vida: cerca de 210 empresas dedicam-se à técnica médica, 170 à produção de equipamentos para laboratórios e cerca de 40 à assessoria específica. A tudo isso somam-se mais de 110 pequenas empresas produtoras de medicamentos e oito grandes empreendimentos na área farmacêutica.

Baden-Württemberg: Destaque na produção de jóias.

Württemberg passou a ser sede preferencial de empresas dos setores de tecnologia da informação e de mídia na Europa. Os números dão a dimensão de sua relevância: 59% dos cidadãos estão conectados on-line, 80% dos municípios estão na internet, 90% das empresas utilizam novos meios de comunicação e mais de 220 cursos formam pessoas nas áreas da propaganda, design, editoração, impressão, técnica de informação bem como telecomunicação. Apenas o Vale do Silício vende mais software pelo mundo que BadenWürttemberg. Lá, 274 mil pessoas produzem o equivalente a 45

14 - Baden-Württemberg

tendências e quem é multiplicador, escolas superiores e empresas, economistas e políticos. Dessa forma, Baden-Württemberg almeja ser, também no futuro, o local escolhido para sediar muitas empresas. Biotecnologia e ciências da vida - O Estado de Baden-Württemberg aposta na biotecnologia e nas ciências voltadas para a vida e, graças ao desempenho de suas instituições de pesquisa, de suas empresas e das administrações regionais, não quer apenas manter sua posição de destaque dentro da Alemanha, mas ocupar posição cada vez mais relevante no cenário mundial.

Em janeiro de 2003, a agência BIOPRO de Baden-Württemberg Ltda. iniciou suas atividades, centralizando todos os assuntos concernentes à biotecnologia no Estado. Além de estimular o intercâmbio de informações e da comunicação, coordena o trabalho conjunto de setores econômicos, científicos, investidores e organismos de fomento. A meta é tornar o Estado atrativo dentro do próprio país e no exterior na área da biotecnologia, tanto para a pesquisa quanto como do ponto de vista do retorno financeiro.


Baden-Württemberg e o Brasil Brasil e Alemanha estão unidos por fortes laços históricos. Tradicionalmente, as relações políticas, econômicas, científicas, esportivas e culturais são muito boas e essa qualidade resulta no fato de o Brasil ser importante parceiro para a Alemanha. O Estado de Baden-Württemberg sempre desempenhou um papel relevante nessas relações econômicas. Certamente, também no futuro, o Brasil vai continuar sendo o mais importante parceiro econômico e o maior mercado para a Alemanha e para este Estado dentro da América Latina. Em 2008, o Brasil ocupou a posição 20 (em 2007: 20) entre os países para onde o Estado de BadenWürttemberg mais exportou e a posição 20 (em 2007: 23) entre os países que mais importaram. Dessa forma, o Brasil confirma sua hegemonia como parceiro econômico dentro da América Latina.

As exportações de Baden-Württemberg para o Brasil somaram, em 2008, cerca de 1,61 bilhão de euros (um acréscimo de 20,2% em relação a 2007). Isso representa: • •

1,1% do total das exportações do Estado de Baden-Württemberg e 18,6% do total das exportações da Alemanha para o Brasil.

As importações do Brasil realizadas a partir do Estado de Baden-Württemberg possuem quadro semelhante. Em 2008, somaram cerca de 1,32 bilhão de euros (acréscimo de 47,1% em relação a 2007), o que representou: • •

1,0% do total das importações do Estado de Baden-Württemberg e 14,2% do total das importações alemãs a partir do Brasil.

Alguns global players sediados em Baden-Württemberg

Produção do famoso chocolate “Ritter Sport”

SEGUE >>

Baden-Württemberg - 15


Contatos duradouros, vale a pena mantê-los

Responsável pela manutenção das relações econômicas internacionais, o Ministério da Economia do Estado de Baden-Württemberg gera inúmeros contatos pelo mundo afora. Cultivando boas relações com alguns Estados brasileiros há quase trinta anos, especialmente nas áreas da ciência e da formação profissionalizante, esses contatos beneficiam tanto as empresas brasileiras como as alemãs. Devido à forte vocação exportadora do Estado de Baden-Württemberg, a economia local fica extremamente dependente dos impactos da globalização. Nesse sentido, mercados, produtos, processos e formas organizacionais precisam ser repensados e adaptados com crescente frequência e rapidez. Pequenas e médias empresas são muito mais suscetíveis ao imponderável e ao risco, especialmente quando um país como o Brasil começa a ser visado. Esse é o motivo pelo qual o Ministério da Economia do Estado de Baden-Württemberg assessora as empresas que se estabelecem no Brasil, especialmente nas áreas de processamento de madeira e indústria moveleira, além de tecnologia ambiental. Os Centros Tecnológicos do SENAI de Curitiba fornecem informações e prestam ajuda aos alemães em seus primeiros passos no território desconhecido. Processamento de madeira e indústria moveleira - Desde 1993, o Centro Nacional de Tecnologia da Madeira e Móveis – CETMAM, de Curitiba, serve de elo entre o SENAI Paraná e a Secretaria de Economia de Baden-Württemberg.

16 - Baden-Württemberg

Por se tratar de um centro nacional, propaga tecnologia por todo o Brasil. Desde 2005, Uli Böhmerle, do Ministério da Economia e na função de “especialista integrado”, assessora o SENAI do Paraná na expansão do Centro para quatro sedes distintas, cada uma com uma ênfase regional: decoração (Curitiba), fabricação de móveis em série (Arapongas), janelas e portas (União da Vitória) e marcenaria em geral (Guarapuava). As principais tarefas do Centro Tecnológico concentram-se na assessoria à industria moveleira quando da implantação de tecnologias modernas, bem como na qualificação da mão-de-obra por meio de cursos de formação, de aperfeiçoamento e de extensão. Desde 2001, o CETMAM executa anualmente projetos conjuntos com a Escola Profissional para Tecnologia da Madeira, de Stuttgart-Feuerbach, com a qual mantém uma parceria. Além da assessoria empresarial, o CETMAM submete vários produtos e materiais da indústria moveleira a testes em seus laboratórios. O CETMAM é considerado pólo de tecnologia e coloca-se permanentemente à disposição das empresas alemãs e brasileiras como centro de competência. As organizações alemãs estão ali representadas com máquinas, ferramentas e instalações de laboratório.

O CETSAM é hoje a instituição-líder no Brasil, quando o assunto é assessoria ambiental para a indústria de um modo geral. Devido a padrões mais exigentes e à crescente conscientização ecológica da população, a busca por assessoria do CETSAM tem aumentado por parte da indústria. Importantes áreas de atuação constituem a formação de agentes ambientais: saneamento de áreas contaminadas, abastecimento de água e tratamento de efluentes. Cerca de 10 mil pessoas participam anualmente de cursos de curta e longa duração. O CETSAM oferece amplo leque de serviços que são disponibilizados às empresas brasileiras e alemãs. Contatos e informações: Uli Böhmerle, especialista em madeira e móveis, SENAI Paraná: uli@boehmerle.biz Reinaldo Tockus, coordenador para a transferência tecnológica e para assuntos internacionais, SENAI Paraná: reinaldo.tockus@pr.senai.br Ewald Stirner, assessor para assuntos dos países da América Latina, no Ministério da Economia do Estado de Baden-Württemberg: ewald.stirner@wm.bwl.de

Tecnologia ambiental - O Ministério da Economia de BadenWürttemberg trabalha em conjunto com o Centro Nacional para Tecnologia Ambiental – CETSAM, do SENAI de Curitiba, desde 1996. Uli Böhmerle (esq.) e Reinaldo Tockus (dir.)


Centro de Exposições de Stuttgart.

Feiras em Baden-Württemberg No coração do mercado

A oferta de feiras em BadenWürttemberg é tão variada, multifacetada, instigante e movimentada quanto o próprio Estado. Lá se encontram parceiros econômicos e clientes do hoje e do amanhã. Além disso, estabelecem-se contatos que superam fronteiras e continentes, abrem-se portas para uma intensa e eficiente rede de contatos, formada pela indústria, pelo Estado, pelo fomento econômico, pela pesquisa e pela ciência. As feiras fazem do sudoeste alemão uma região de vivência direta e imediata em todos os sentidos, pois, mesmo em tempos da mais moderna tecnologia de informação, o contato pessoal, a conversa individual, a comparação in loco são imprescindíveis. Dentro desse contexto, no núcleo desse mercado, região conhecida por sua força econômica, foi inaugurada, em outubro de 2007, uma vitrine para os negócios mundiais: o novo Centro de Feiras de Stuttgart. O projeto de 806 milhões de euros possui localização privilegiada, já que está junto ao aeroporto e possui ligação direta com estradas e rede ferroviária. Tanto a imprensa especializada nacional como a internacional demonstram entusiasmo com as formas modernas do

conjunto erguido em aço e vidro, assinado pelo escritório de arquitetura Wulf & Partner, de Stuttgart. Os 105.200 m² de área de exposição distribuem-se por sete pavilhões com cerca de 10.000 m² cada, um com 25.000 m² e outro, menor, com 5.000 m². Para completar, a esse conjunto soma-se ainda o moderno Centro Internacional de Congressos de Stuttgart. Mesmo antes da inauguração, realizada pelo Presidente da República, Horst Köhler, o mais moderno centro de feiras da Europa foi premiado. O inovador sistema de isolamento por camadas é pioneiro na construção de pavilhões de exposição, proporcionando economia de cerca de 30% no custo de energia em relação às tradicionais formas de construção. De um modo geral, foi dada ênfase aos aspectos ambientais do projeto. Além dos sistemas de aquecimento econômicos assim como de refrigeração de ambientes e de várias bacias de retenção de água, que permitem de-

volvê-la purificada à natureza, mais de 50% da área do novo centro de feiras é ocupada por espaços verdes, o que lhe confere destaque no cenário europeu. Planeja-se, ainda, a instalação de 30.000 m² de placas fotovoltaicas sobre os pavilhões de exposição e sobre o centro de congressos. O portfólio do Centro de Feiras de Stuttgart conta com diversos eventos internacionais de primeira linha voltados a capital e bens de consumo industrial, que receberam investimentos estrangeiros que chegam a 60%. Destacam-se, por exemplo, a Feira Mundial R+T (persianas e portões), a Intervitis Interfructa, maior evento internacional de vinhos e sucos, a Interbad,

Baden-Württemberg - 17


a Feira de Máquinas AMB, a Intergastra e também a Vision, fórum mundial para processamento industrial de imagens. O leque completa-se com o crescente número de acontecimentos internacionais privados, como as feiras de tecnologia de produção - Motek, Blechexpo e Control - promovidas pelo grupo P.E. Schall e as LogiMAT, Medtec e Automotive Testing Expo. Além disso, Stuttgart ganhou reconhecimento como sede de importantes feiras de artesanato, bem como a maior feira de turismo e lazer em número de público - a CMT.

sua rede de representações para 36 países. Ela estáAsempenhada em quedas d’água Gertelbachwasserfälle perto da expandir eventos-satélite de suas cidade de Bühlertal mais conhecidas feiras para lugares como a Cidade do Cabo (África do Sul), Talca (Chile), Viena (Áustria), Shanghai e Yantai (China), Mumbai (Índia) e Krasnodar (Rússia). No Brasil, a empresa trabalha em conjunto com a Câmara de Indústria e Comércio Brasil-Alemanha de São Paulo. Contatos e informações: Thomas Brandl, portavoz da Landesmesse Stuttgart GmbH (Feira Estadual de Stuttgart Ltda.): thomas.brandl@messe-stuttgart.de Bernhard Müller, coordenador de contatos com o exterior da Landesmesse Stuttgart GmbH: bernhard.mueller@messe-stuttgart.de Debora Creutzberg, diretora do setor de feiras da Câmara de Indústria e Comércio Brasil-Alemanha de São Paulo: feiras@ahkbrasil.com

O foco para os próximos anos é a ampliação e a internacionalização desses eventos. Com o objetivo de tornar as marcas das feiras de Stuttgart ainda mais conhecidas mundialmente e conquistar novos 90x130_Bras_NEU 23.03.2009 7:41 Uhr Seite mercados,RZ_IVIF10_Anz a empresa Feira Estadual www.messe-stuttgart.de, ww.bw-fairs.de, www.ahkbrasil.com de Stuttgart Ltda. (LMS) ampliou

INTERVITIS INTERFRUCTA

Feira tecnológica internacional para vinho, fruta, sumos de fruta e bebidas espirituosas

2 4 . – 2 7. 3 . 2 0 1 0 FEIRA EM ESTUGARDA, ALEMANHA www.intervitis-interfructa.de

Colhe successos

CONTATO: Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha | Débora Creutzberg | Rua Verbo Divino, 1488 | 04719-904 São Paulo – SP | Tel.: (+55 11) 5187 5211 | feiras@ahkbrasil.com

18 - Baden-Württemberg


Sotaque suábio em São Paulo

presença do Banco do Estado de Baden-Württemberg O que caracteriza a economia de Baden-Württemberg? O renome mundial de que este Estado do sudoeste alemão goza está baseado, principalmente, na força inovadora das pequenas e médias empresas da região. Mas é justamente companhias desses portes que se defrontam com os maiores desafios ocasionados pela globalização. É nesta hora que o Banco do Estado de Baden-Württemberg LBBW (Landesbank BadenWürttemberg) se coloca como um parceiro confiável ao lado de seus clientes e daqueles das Caixas Econômicas Regionais (Sparkassen). Com uma rede mundial de filiais, representações e German Centres, o LBBW acompanha seus clientes ao exterior e lhes oferece, onde quer que estejam, um amplo leque de soluções, produtos e serviços – e isso, naturalmente, também no Brasil. Mais de 1.300 empresas alemãs estão presentes no Brasil, das quais mais de duzentas são oriundas do Estado de Baden-Württemberg. Não é para menos que São Paulo tornou-se, nos últimos anos, o maior pólo industrial alemão fora da Alemanha. Também no Brasil, a frase “Made in Germany” é como um selo de qualidade – isso vale tanto para produtos industrializados como para a oferta de serviços bancários. Competência no Brasil Há mais de dez anos o banco do Estado de Baden-Württemberg opera em São Paulo por meio de uma representação. O Chief

A equipe do Banco LBBW em São Paulo

Representative, Cristian Oppen, e sua equipe desenvolvem, em conjunto com os clientes, soluções individuais para seus negócios. Na representação, os empresários encontram know-how sobre o mercado brasileiro, informações sobre as normas jurídicas e econômicas vigentes, bem como dicas sobre características culturais. Os funcionários falam alemão e fazem parte de uma rede de assessoria empresarial e fiscal da qual também participam advogados e outros empresários. Estabelecem contatos com bancos e órgão públicos e oferecem apoio abrangente em todas as questões concernentes ao ingresso no mercado.

curto e longo prazo, inclusive préfinanciamentos e aqueles destinados a investimentos e ao capital de giro, além de leasing financeiro internacional. Ao lado da oferta diferenciada de serviços, no LBBW a parceria está em alta. Acreditamos que só o diálogo muito próximo e a transparência no trabalho conjunto garantem o sucesso no exterior. Fale conosco, pois parceria começa com uma boa conversa. Representação do Banco do Estado de Baden-Württemberg – LBBW em São Paulo Av. Nove de Julho, 5519 –11.º andar 01407-200 Itaim-Bibi/São Paulo Tel.: +55 11 37047010 Fax: +55 11 30986459 sao.paulo@LBBW.com.br 

O foco da representação está claramente voltado para a assessoria em soluções de financiamento sob medida. Entre os serviços disponibilizados encontram-se financiamentos empresariais de

Baden-Württemberg - 19


Caixas de som em formatos diferenciados (esq.) e o Surround System (dir.) feito em Arboform®

Madeira líquida, o plástico do século XXI

Madeira líquida, o plástico do século XXI Jogue a carcaça de seu velho celular, as caixas de som sem uso e os brinquedos estragados de seu filho num local de compostagem, em vez de mandálos para o oneroso processo de reciclagem. Esses resíduos podem ter um destino diferente. A empresa Tecnaro desenvolveu um processo por meio do qual é possível produzir peças à base de “madeira líquida”. Assim, peças em plástico, não-biodegradáveis, são substituídas por material proveniente de matérias-primas vegetais e que, posteriormente, são descartadas biologicamente a baixo custo. Além de facilitar o processo de reciclagem, reduz custos na indústria de plásticos. A descoberta é tão simples quanto genial. A empresa Tecnaro conseguiu desenvolver uma matéria-prima que pode ser utilizada na indústria como se fosse plástico convencional, sendo, no entanto, produzida inteiramente a partir de vegetais. Com o nome de Arboform®, a companhia produz e distribui esse material termoplástico desde 1998, quando os até então cientistas do Instituto Fraunhof para Tecnologia Química, Jürgen Pfitzer e Helmut Nägele, passaram a desenvolver pesquisas independentes. O diferencial do Arboform® é o fato de aliar as características da madeira e do

20 - Baden-Württemberg

plástico convencional. O produto é obtido à base do polímero natural lignina, encontrado numa proporção de 30% em cada árvore e em cada planta lenhosa (palha), e que se forma através da fotossíntese, constituindo-se em 70% de celulose. A empresa obtém sua matéria-prima principalmente dos resíduos da indústria de celulose e transforma o polímero na substância básica da madeira líquida, adicionando fibras e aditivos naturais. Sem petróleo e biodegradável A produção da matéria-prima termoplástica pode ser retrabalhada mediante aquecimento na forma de peças injetadas, chapas e perfis. A lignina faz com que o material adquira dureza semelhante à da madeira em seu estado natural e as fibras integradas proporcionam-lhe adequada resistência à tensão. Com o emprego do Arboform®, a indústria de plásticos pode produzir utilidades à base de matéria-prima ecológica e de fácil descarte, eliminando a dependência do uso do petróleo. A produção de Arboform® demanda relativamente pouca energia e ele pode ser descartado na forma de compostagem. Na queima, libera apenas a mesma quantidade de dióxido de carbono que a planta absorveu durante seu crescimento.

Os clientes do produto são a indústria da madeira e do plástico e, por sua vez, os clientes dessas empresas. Para a indústria eletrônica, por exemplo, foram desenvolvidas caixas de som, cuja produção em série pode ser iniciada imediatamente. Além disso, podem ser produzidos instrumentos musicais, como a flauta doce, a gaita de boca e afinadores de acordeons. Esses instrumentos apresentam características acústicas que, no mínimo, são idênticas àquelas de instrumentos manufaturados a partir de madeiras convencionais. Materiais da Tecnaro também são utilizados em produtos fornecidos a global players, como Volkswagen, Porsche e Bentley. O Brasil é um dos principais mercados dessa empresa inovadora. Junto com o Senai/Cimatec - centro de formação de engenheiros e técnicos localizado Jogo de tábua feito de “madeira líquida”


em Salvador, na Bahia - a empresa desenvolveu, com base no Arbofill®, uma matéria-prima de baixo custo, especial para o mercado brasileiro, e que utiliza a fibra da cana-de-açúcar. Perfil da empresa: A Tecnaro foi criada em 1998 como uma spin-off do Instituto Fraunhof de Tecnologia Química. A empresa realiza, principalmente, o aprimoramento, a produção e a distribuição de matérias-primas que possam ser submetidas a tratamento termoplástico, com base em materiais renováveis adequados à produção de bens com tecnologia avançada. São, por exemplo, os

empregados pela indústria de brinquedos, veículos, móveis, vestuário, eletrônica, música e construção civil. Esse grupo de matérias-primas leva os nomes Arboform®, Arboblend®, ® Arbofill ou Arbophonic®, respectivamente. Atualmente, a Tecnaro possui dez funcionários e atua em todo o mundo.

Estojo para joias em em Arboform®

Contatos e informações: Jürgen Pfitzer, Diretor-Gerente: juergen.pfitzer@tecnaro.de Dr. Lars Ziegler, Diretor de pesquisa e desenvolvimento: lars.ziegler@tecnaro.de www.tecnaro.de

Entrevista com Jürgen Pfitzer, Sócio-Gerente da Tecnaro Ltda.

Jürgen Pfitzer: O representante comercial Alberto Rejtmann, da empresa Transclima, interessou-se pelas nossas matérias-primas produzidas à base de plantas e candidatou-se a ser distribuidor exclusivo para a América do Sul. Valeu a pena?

J. Pfitzer e H. Nägele

Sr. Pfitzer, poucos anos depois da criação da Tecnaro Ltda., vocês já tinham um distribuidor no Brasil. O que levou uma empresa tão nova a fazer isso?

Jürgen Pfitzer: Desenvolvemos uma bem sucedida cooperação. Hoje, o Brasil é um dos nossos mercados mais importantes. A empresa Coza, por exemplo, é um dos nossos mais antigos clientes. Ela apostou em matérias-primas com base em plantas e introduziu no mercado a “Bios Line”, uma linha própria de produtos com um design ambiental muito bonito.

E como será o futuro? Jürgen Pfitzer: No âmbito de um projeto das chamadas parcerias público-privadas, que desenvolvemos com apoio da SEQUA e da BMZ, elaboramos um plano de negócios com um parceiro brasileiro. Esse plano consiste na produção de materiais especiais baseados em matérias-primas do Brasil, como o bagaço da cana-de-açúcar. Tão logo tenhamos concluído o levantamento do potencial de vendas, poderemos continuar com os investimentos. Ainda durante a fase de projeto, uma renomada montadora de veículos examinou o produto e aprovou sua utilização.

Baden-Württemberg: especialista em plásticos e produção de formas Um dos setores econômicos mais fortes do Estado de Baden-Württemberg é a produção de máquinas, ferramentas e formas destinadas à produção e ao retrabalho com plásticos. Entre as empresas que se destacam, encontram-se a Arburg, a Ferromatik Milacron, a Coperion Werner & Pfleiderer e a Hermle. A formação de mão-de-obra qualificada é um dos motivos que proporcionam ao Estado competência na área do plástico. A aprendizagem ocorre por meio de escolas técnicas superiores, academias profissionais e universidades. A presença de vários importantes institutos de pesquisa aplicada também é relevante para o desenvolvimento dessa especialidade. No Estado de Baden-Württemberg há mais de 500 empresas que produzem utensílios plásticos. As vendas anuais desse setor industrial alcançam 7,5 bilhões de euros e cerca de 47 mil pessoas geram produtos para a indústria do plástico, bem como artigos de plástico para inúmeras aplicações. Além disso, as empresas produtoras de plásticos são responsáveis por uma participação de 8% na indústria química do Estado, representando um montante de 2,2 bilhões de euros em vendas. A Associação Alemã de Fabricantes de Ferramentas e Formas, com sede na cidade de Schwendi bei Ulm, neste Estado, congrega mais de 80 empresas da área. Grande parte delas, as melhores do setor, são oriundas do Estado de Baden-Württemberg. A FAKUMA é uma feira com renome mundial, especializada em máquinas para a indústria do plástico. Ocorre anualmente em outubro, em Friedrichshafen, junto ao Lago de Constança.

Baden-Württemberg - 21


Quem bebe vinho tem boa aparência, é inteligente, sexy e saudável A vitivinicultura em Baden Württemberg tem longa tradição e remonta aos tempos da colonização pelos romanos. Hoje, o Estado detém 25% da área de videiras da Alemanha, ocupando o segundo lugar, atrás apenas da Renânia-Palatinado: A mais tradicional uva do Estado é a Trollinger - da qual se faz a bebida ‘nacional’ dos suábios. Lemberger é a mais fina casta de vinho tinto produzida na região de Württemberg. No verão, muitos apreciam uma taça de Riesling, a mais importante uva branca da redondeza.

de Baden como de Württemberg, esbanjam qualidade. Com esse argumento, os vinicultores dessas regiões querem convencer os consumidores brasileiros e tornar seus vinhos tão conhecidos como as marcas da indústria automobilística do Estado, como Audi, Mercedes e Porsche. Exportação para o Brasil No início de 2008, 16 empresas do ramo vinícola criaram um escritório de exportações com a finalidade de contribuir para a exportação dos produtos de pequenas e médias vinícolas.

A região de Baden é conhecida como ‘a terra dos vinhos burgundos’, pois mais da metade dos vinhos Spätburgunder são produzidos ali, o que torna a região um dos mais importantes centros produtores desse tipo de vinho no mundo. Além disso, também são muito significativos os burgundos claros, como os cinza e brancos (Grauer Burgunder e Weißer Burgunder).

Michael Dilewski ocupa desde 1º de agosto de 2008 o cargo de Director International Key Accounting no Escritório de Exportação de Vinhos do Estado de BadenWürttemberg. Ao lado de sua colaboradora brasileira, Fabiana Cherubim, pretende dedicar-se ao mercado brasileiro. Confira, a seguir, uma entrevista com o executivo:

Mas, no conjunto, os vinhos, tanto

Baden-Württemberg é reconhecido no Brasil por seus produtos de alta qualidade, especialmente nos ramos de máquinas e automóveis. Agora, o Estado quer exportar vinhos para o Brasil. Por que justamente o Brasil? Michael Dilewski: Baden-Württemberg desempenha um relevante papel nas relações econômicas com o Brasil, país que sempre será o mais importante parceiro comercial e um importante mercado futuro para o nosso Estado na América Latina. Analisamos o mercado e acreditamos que o mercado brasileiro de vinhos possui enorme potencial de vendas. Além disso, o consumo individual de vinhos no Brasil tem se desenvolvido e a renda média per capita também tem subido.

22 - Baden-Württemberg

Michael Dilewski e Fabiana Cherubim

Mas o senhor já sabe que o brasileiro bebe mais cerveja que vinho, não é? Michael Dilewski: Sim, claro, mas provavelmente também o Brasil seguirá a tendência observada na Alemanha e em outros países europeus, onde se bebe cada vez mais vinho em vez de cerveja. Beber vinho está em alta. Mais e mais, o vinho vai deixar de ser um artigo de luxo no Brasil para tornar-se um artigo de consumo de amplas camadas da população. Além disso, vinho não é apenas saboroso, é saudável também. Isso me interessa. Por que o senhor afirma isso? Michael Dilewski: Há muito tempo o vinho serve como estimulante. Além disso, seu consumo moderado contribui para a revitalização de energias desgastadas e estimula o corpo e o espírito. O ex-triatleta alemão, Jürgen Zäck, aquele que atingiu a segunda melhor marca mundial de ironman de todos os tempos, apreciava o uso moderado do vinho. Theodor Heuss, primeiro Presidente da Alemanha, que, por sinal, provinha da região vinícola de Brackenheim em nosso Estado, certa vez disse: “Escrever um bom


discurso me leva o tempo de degustar uma garrafa.” Mas proponho que levemos mais em consideração as palavras do conhecido apreciador de vinhos Hugh Johnson, que assim se expressou: “Quem bebe vinho tem boa aparência, é inteligente, sexy e saudável”. De momento, vinhos alemães não gozam de boa reputação no Brasil. Que resposta o senhor acha que um brasileiro vai lhe dar, se lhe perguntar a respeito de vinhos alemães? Michael Dilewski: Doce e barato, colocado na prateleira mais baixa da loja. Parabéns, Sr. Dilewski, a avaliação é perfeita. Mas, o senhor acha que pode mudar isso? Michael Dilewski: É óbvio, pois, caso contrário, poderíamos ficar em casa ou tentar a conquista de outros mercados. Até 1995, a Alemanha ainda era o maior fornecedor de vinhos estrangeiros ao Brasil. De momento, a participação alemã não chega a 0,5% do mercado brasileiro e, provavelmente, não está entre os dez maiores fornecedores. Mas gostamos de desafios e apostamos tudo na tentativa de melhorar a reputação dos vinhos alemães. É claro que isso não vai acontecer da noite para o dia e, demanda uma estratégia. Richard Drautz (quarta pessoa à esquerda), Vice-Ministro da Economia de BadenWürttemberg, com importadores brasileiros na Feira ProWein em Düsselforf.

Os alemães são conhecidos por serem bons estrategistas. O senhor quer se valer do armador e do capitão da seleção alemã de futebol como garotos-propaganda? Michael Dilewski: A ideia até que não é má! Eu chegaria a cogitar outros nomes, como Gisele Bündchen, Dunga ou Giovane Elber. Mas, naturalmente, para obter sucesso no mercado brasileiro é necessário muito mais. Os pontos-chave da nossa estratégia são: o estabelecimento de vínculos comerciais com importadores dinâmicos e engajados e o desenvolvimento de modernos produtos de marca com diferentes preços, tanto para o comércio varejista de alimentos, como para o comércio especializado e para a gastronomia, pois o mais importante é o consumidor final. O senhor pode nos revelar mais sobre isso? Já estabeleceu contato com importadores e quando e onde poderemos degustar o vinho de BadenWürttemberg? Michael Dilewski: Importadores como Stuttgart Artigos Finos, de Blumenau, Santar, de São Paulo, e Del Maipo, de Brasília, estão muito interessados em nossos vinhos ou, até mesmo, já os revendem. Também estamos em negociação com a cadeia de supermercados Pão de

Açúcar, de São Paulo, apenas para mencionar alguns. De 5 a 7 de maio de 2009 participaremos da feira internacional ExpoVinis, em São Paulo. Somos o único representante da Alemanha nesse importante evento e, naturalmente, ali vocês poderão experimentar os nossos vinhos. Depois da feira, ainda ofereceremos a importadores, público especializado e à imprensa, no Rio, em Brasília e em Blumenau, jantares especiais para degustação de vinhos.

Tanto na feira, como em nossas promoções nas cidades mencionadas, apresentaremos diversos vinhos de nossa recém-criada marca Dyade52. Mas queremos apresentar esses vinhos junto com conhecidos degustadores brasileiros, como Carlos Cabral, Daniel Braga e Cyro Torres Júnior. Dyade52, o que significa e por que foi desenvolvida uma marca própria? Michael Dilewski: Quero explicar-lhe isso por meio de um exemplo. Quando na Alemanha mencionamos o Brasil, logo nos vêm à mente as imagens da paisagem do Rio, o carnaval, o Pão de Açúcar, a praia de Copacabana, caipirinha, samba e futebol. Além disso, associamos o Brasil a bom-humor, muito sol e alegria contagiante. Mas, naturalmente, sei que o Brasil é muito mais que isso e que tem muito mais a oferecer. Assim é também com os vinhos alemães: existem outros, além dos doces e baratos.

Baden-Württemberg - 23


O que quero demonstrar, é que, um produto para se tornar representativo de uma região precisa apresentar uma característica bem própria. Precisa ter um diferencial e um apelo emocional. A palavra dyade vem do grego e, em uma tradução livre, significa ‘união de dois, comunhão’. Representa as duas regiões vinícolas, Baden e Württemberg. 52, porque em 1952 foram criadas as bases para o surgimento do Estado de BadenWürttemberg. O resto lhe conto durante a feira.

na gastronomia e na imprensa, até mesmo com viagens para Baden -Württemberg. Temos, ainda, outras idéias que precisamos aprofundar com nossos parceiros brasileiros. Pensamos, por exemplo, em vinhos para mulheres, vinhos leves, vinhos para o verão, apresentações de cozinheiros na TV. E, quem sabe, em breve, vocês vão poder beber um bom vinho de Baden-Württemberg em

um barzinho da orla de Copacabana ou Ipanema. Estamos preparando uma página na internet (www.dyade52.com), e convidamos à acessá-la. Muito obrigado senhor Dilewski por essa interessante e informativa conversa. Fico na expectativa de cumprimentá-lo pessoalmente e sua equipe na feira e de provar o vinho de BadenWürttemberg. Colheita de Vinho na cidade de Bühl na região de Baden.

E o que mais o senhor planeja? Como é possível entrar em contato e onde se pode obter mais informações sobre as castas ou as regiões vinícolas? Michael Dilewski: Planejamos ações de venda em conjunto com os distribuidores e importadores em cidades-chave, degustações e eventos promocionais para sommeliers e pessoas que possam vir a ser multiplicadores no comércio,

Uma alternativa moderna

Na indústria da construção civil, eficiência energética com emprego de materiais oriundos de plantas A empresa Weinmann Holzbausystemtechnik GmbH (Weinmann Tecnologia de Sistemas de Construção com Madeira Ltda.) é líder na produção de modernas e eficientes máquinas e instalações para a construção de casas de madeira. Aos seus clientes, oferece tecnologia para a produção de casas, bem como assessora no planejamento e na elaboração do projeto de construção do pavilhão para linhas produtivas – desde uma pequena marcenaria até uma linha de produção industrial completamente automatizada. Faltam-lhe o know-how ou os equipamentos técnicos adequados? Naturalmente, a Weinmann também

24 - Baden-Württemberg

se preocupa com o treinamento de seus colaboradores. Por isso, trabalham no Brasil junto com um parceiro experiente no treinamento de pessoas, o SENAI. Multiplicidade arquitetônica e construtiva Diferenças entre modernas casas em madeira e aquelas em alvenaria não são mais visíveis atualmente. Seu acabamento exterior é surpreendentemente multifacetado e, não raras vezes, até dita tendências no desenvolvimento arquitetônico. Casas em madeira podem facilmente ser inseridas em uma paisagem e têm longa vida útil. Algumas das muitas vantagens oferecidas

pela companhia são o planejamento personalizado com flexibilidade no projeto arquitetônico de residências para uma família, a produção em módulos e o elevado grau de padronização na construção de casas geminadas ou em série, e a eficiência financeira na produção em grande escala quando da construção de áreas residenciais inteiras. Outra vantagem advém do fato de o construtor poder utilizar matérias-primas locais. O leque de opções vai desde madeira maciça, seca por processo técnico, até suportes TJI de alta tecnologia, ou chapas em fibra de madeira macia até chapas de alta resistência com


grande variedade de alternativas. O abafamento de ruídos pode ser conseguido por meio de fibras minerais ou com o uso de materiais biológicos, como a celulose, a chapa em fibra de madeira macia, o linho, o cânhamo ou a lã de ovelha. Materiais de construção oriundos de plantas dão retorno energético positivo A madeira ainda oferece outras vantagens específicas quando utilizada como material de construção em residências modernas, além das arroladas acima: não se trata apenas de um material que se renova por meio do crescimento das árvores, mas que também necessita de muito menos energia na produção. Deste modo, por exemplo, a transformação de madeira em material de construção usa cerca de 190 kWh/ m3, enquanto o concreto necessita de cerca de 1.700 kWh/m3 e o aço cerca de 82.000 kW/m3. A isso se acresce o fato de que madeira é reciclável, pode servir de compostagem ou, até mesmo, pode ser incinerada sem grandes problemas. Sendo matéria-prima que volta a crescer, não é apenas neutra quanto ao CO2 , mas prédios em madeira podem até servir para a armazenagem desse gás, contribuindo para sua redução na atmosfera. Até a sustentabilidade da silvicultura corrobora a opção pela madeira. Colhe-se apenas o suficiente para permitir a reposição, bem ao contrário das matérias-primas de origem fóssil, cuja escassez já agora é previsível.

Moradia com ambiente saudável e reduzido consumo energético Os principais marcos da construção ecológica são a preocupação com a saúde dos moradores e o consumo de energia. Em ambos os casos, o emprego de madeira traz vantagens especiais. Construções em madeira propiciam ambiente saudável e aprazível, e as paredes externas, com suas aconchegantes superfícies internas, conferem bem-estar aos moradores. A redução, ou até a exclusão do uso de produtos que contenham substâncias químicas, como tintas e outros materiais de construção, exerce efeito positivo sobre a saúde e a qualidade de vida dos moradores. Além disso, a concentração de poeira no ar dentro dos cômodos é muito pequena, o que beneficia pessoas portadoras de alergias ou de asma. Os isolamentos acústico e térmico já são parte integrante da tecnologia de construção residencial, além de serem decisivos na economia energética. Todo o desenvolvimento dessa tecnologia leva muito em conta a melhoria desses isolamentos. Construção rápida e de qualidade garantida Modernas residências em madeira são produzidas em galpões fechados e em condições controladas. Isso significa, acima de tudo, precisão no fabrico que não pode ser igualada em um canteiro de obras.

www.homag-south-america.com

Como na produção de peças para a indústria automobilística, todas as partes produzidas com o emprego de máquinas mantêm elevado índice de qualidade. O alto grau de emprego de peças prontas traz vantagens importantes na redução do tempo de construção e, por consequência, do período em que o proprietário fica onerado com o pagamento de aluguel e com o financiamento da obra. Hoje, bem treinadas equipes de montagem necessitam de um a dois dias para erguer uma casa, dos alicerces ao telhado. Deseja trabalhar conosco ou saber mais sobre nós? A empresa Weinmann Tecnologia de Sistemas de Construção com Madeira Ltda. integra o Grupo Homag – líder mundial na produção de máquinas para o beneficiamento de madeira –, há anos com filial em São Paulo. Tobias Ott, filho do Diretor Administrativo, Hansbert Ott, é o seu contato em Curitiba. Além disso, a empresa planeja disseminar informação em diversas cidades do país por meio de simpósios temáticos como, construção com madeira, eficiência energética, tecnologia de segurança e treinamento e aperfeiçoamento de funcionários. Contato: Homag South America Rua Francisco D’ Amico, 155 Pq Industiral - Taboão da Serra 06785-290 São Paulo - SP Tel.: (+55 11) 4138-9000 Fax: (+55 11) 4138-9001 info@homag-south-america.com.br www.homag-south-america.com

Baden-Württemberg - 25


Matérias-primas renováveis nos conduzem ao futuro Até 2020, o governo do Estado de Baden-Württemberg quer aumentar para 12% a parcela do uso de energias oriundas de plantas na matriz energética da indústria e, para 20%, na geração de eletricidade. Na consecução dessa política, cabe importante papel à bioenergia. Somente na geração de eletricidade, sua participação deve ser incrementada de 2,5% para 7%. Para tanto, o uso de biomassa é essencial do ponto de vista ambiental e econômico. No entanto, considerando a pequena área de plantio disponível em relação à população, é quase impossível atingir esses objetivos sem a importação de biomassa, especialmente se forem levadas em conta as metas estabelecidas pela União Europeia no que diz respeito ao incremento do uso de matérias orgânicas. Em Baden-Württemberg há uma multiplicidade de instituições altamente competentes em pesquisa, ensino e economia que se dedicam à intensificação do plantio, do tratamento e da conversão técnica de matérias-primas renováveis, bem como a análise das consequências econômicas do seu uso intensivo. As atuais e futuras prioridades de estudo são as diversas modalidades de geração de gases a partir de biomassa. Simpósio de Energia de Biomassa em Curitiba

Cientistas de Baden-Württemberg participaram de simpósios entre 3 e 7 de março de 2008, em Curitiba, São Sebastião e Salvador, atualizando a informação sobre resultados de pesquisas e tecnologias na geração de matérias-primas renováveis e sua utilização. Os três eventos obtiveram amplo sucesso e cerca de mil pessoas participaram das palestras apresentadas. A realização de palestras com participantes do Brasil e do Estado de Baden-Württemberg proporcionou amplo intercâmbio de informações. No âmbito das conferências, foram abordadas intensivamente tanto questões relativas à eficiência energética, à proteção do clima mundial e aos recursos naturais, quanto a um assunto específico: “Políticas da bioenergia – pesquisa e tecnologia e produção de energia a partir da biomassa”. De Baden-Württemberg palestraram colaboradores do Ministério da Economia e cientistas de institutos de pesquisa das Universidades de Hohenheim e Stuttgart, do Centro de Pesquisa de Karlsruhe e da Escola Superior de Rottenburg. Em alternância com os alemães, cientistas brasileiros das três regiões apresentaram os resultados de suas pesquisas.

Cada bloco de palestras era encerrado com painéis de discussão, no qual o apresentador era questionado pelo público presente. Além dessa programação, houve inúmeras oportunidades para a troca de ideias entre os pesquisadores, palestrantes dos dois países e o público. Cientistas de ambos os lados buscaram a ampliação das possibilidades de trabalho conjunto e da troca de conhecimentos. Contatos e informações: Konrad Raab, Encarregado das energias renováveis e aplicação racional de energia, do Ministério da Economia: konrad.raab@wm.bwl.de Dr. Ludger Eltrop, Diretor do setor de análise de sistemas e energias renováveis, Universidade de Stuttgart: le@ier.uni-stuttgart.de Prof. Dr. Bastian Kaiser, Reitor, Professor de Administração Aplicada, Escola Superior de Silvicultura de Rottenburg: bkaiser@hs-rottenburg.de Dr. Hans Oechsner, Diretor do Instituto Estadual para Agricultura, Máquinas e Construções, Universidade de Hohenheim: oechsner@uni-hohenheim.de Dr. Christine Rösch, Colaboradora científica, Centro de Pesquisas de Karlsruhe: roesch@itas.fzk.de www.wm.baden-wuerttemberg.de www.ier.uni-stuttgart.de www.hs-rottenburg.de www.uni-hohenheim.de www.itas.fzk.de Desenvolvimento da participação de energias renováveis na geração bruta e no consumo primário de energia no estado de Baden-Württemberg

Fonte: Energias renováveis em Baden-Württemberg 2006 e Programa Energético Baden-Württemberg 2020

26 - Baden-Württemberg


Formação Dual

Estágio na empresa e teoria na escola garantem formação de alta qualidade Na Alemanha, a formação profissional ocorre tanto na empresa quanto na escola profissionalizante. Uma característica do sistema dual, que confere qualidade ao método de ensino adotado no país. Ele consiste num período, que geralmente é de três anos, no qual o aprendiz passa a maior parte do tempo numa empresa. Sob orientação especializada, conhece o cotidiano de sua futura profissão, coloca-se próximo a colegas experientes de trabalho e, gradualmente, executa tarefas dentro do princípio do “learning by doing”, ou seja, aprender fazendo. Paralelamente o aluno frequenta uma escola estadual profissionalizante por um ou dois dias da semana. Ali, o ensino é misto, composto de matérias técnico-específicas e de formação geral, que se constituem no ferramental necessário para o desempenho de sua profissão. O ideal é que empresa e escola trabalhem em conjunto e coordenem o processo de formação do aluno. Dessa maneira, ao término da escolarização, o aluno estará bem preparado para atender às crescentes demandas do mercado de trabalho e atender de maneira adequada aos clientes. Competência na formação de aprendizes O sistema dual é submetido a regras rígidas de funcionamento: para

participar, a empresa deve ter capacidade para transmitir competência e conhecimento, além de habilidade para desenvolver um bom trabalho. Além disso, o Estado define e implementa regras sobre a metodologia de formação. Cabe, ainda, à empresa dispor de pessoal que não só tenha alta capacidade profissional, mas que também preencha pré-requisitos pedagógicos e de trabalho. Finalmente, as respectivas Câmaras da Indústria de Manufatura e Câmaras de Indústria e Comércio verificam se todas as condições pré-estabelecidas foram cumpridas. Só então o contrato de formação entre empresa e aprendiz é registrado e é concedida a licença para iniciar o processo de formação. O papel das Câmaras As Câmaras assessoram as empresas tanto antes do início da formação quanto durante o período de aprendizagem. Para dar uma idéia da extensão desse trabalho, apenas a Câmaras da Indústria de Manufatura da região de Stuttgart supervisiona 12 mil contratos e acompanha anualmente o aprendizado de cinco mil novos candidatos em quase 120 ramos profissionais. Entre as principais tarefas das câmaras consta a organização de provas. Após cursar cerca da metade do período previsto, o aprendiz submete-se a uma prova intermediária, na qual é verificado seu desempenho. Dependendo do resultado, empresa e escola profissionalizante oferecerem reforço onde for necessário. Ao término aprendizagem ocorre uma prova final em que o aluno precisa comprovar ter adquirido todo o conhecimento necessário à sua

qualificação profissional. A prova consiste em duas partes: uma na qual se exige um trabalho prático ou a elaboração de uma peça e outra de conhecimentos teóricos, que pode ser escrita ou oral. Ambas as provas são realizadas diante de uma banca examinadora constituída de voluntários, que inclui empregadores, funcionários e professores. Somente na região de Stuttgart, a Câmaras da Indústria de Manufatura conta com 1.500 examinadores, sem os quais o sistema de aprendizado não funcionaria. Resultados alcançados A combinação entre formação prática na empresa e teórica na escola profissionalizante comprovou sua eficiência. Quem passa por esse sistema está apto a atender às exigências de uma profissão, tem sólidos fundamentos para iniciar uma carreira de sucesso e colocação assegurada no mercado de trabalho. Entretanto, isso não é tudo. Afinal, o atual mercado de trabalho exige constante aperfeiçoamento e muitos buscam a qualificação para o título de ‘mestre profissional’ ou ‘administrador profissional’. Campo no qual a Câmaras da Indústria de Manufatura da região de Stuttgart é uma assessora competente e qualificada. Contatos e informações: Jürgen Schäfer, Diretor-Gerente da Handwerk International: js@handwerk-international.de Júlio Duarte Neto, Vice-Diretor-Gerente da área internacional da Câmara de Indústria e Comércio da Região de Stuttgart: julio.neto@stuttgart.ihk.de www.handwerk-international.de www.stuttgart.ihk24.de

Baden-Württemberg - 27


Os campeões da Liga Alemã em 2007 com o VfB Stuttgart, Cacau (segundo à esquerda) e Antônio da Silva (quarto a esquerda).

Esportistas brasileiros despontam em Baden-Württemberg O clima no sudoeste alemão é um dos mais amenos do país. Talvez esse seja o motivo pelo qual tantos esportistas brasileiros sentem-se tão bem em Baden-Württemberg. Além disso, muitos clubes alemães valorizam o jeito amistoso e o alto desempenho esportivo desses atletas. Muito do que ocorre em várias modalidades praticadas no Estado dificilmente seria possível sem a presença brasileira. Não dá para negar que a elite do futebol alemão provém de BadenWürttemberg. O treinador da seleção, Joachim Löw, nasceu em Schönau, em meio à Floresta Negra. Seu assistente, Hans-Dieter Flick, veio de Heidelberg e o gerente da seleção, Oliver Bierhoff, é originário de Ettlingen, perto de Karlsruhe. No futebol feminino, Renate Lingor, de Karlsruhe, e Melanie Behringer, de Freiburg, tornaram-se campeãs mundiais,

em 2007, depois da vitória sobre a seleção brasileira. Mesmo com tantos talentos locais, cabe a pergunta: Mas o que seria do esporte de Baden-Württemberg sem a presença brasileira? Tanto faz se no futebol, no tênis, no handebol ou no voleibol – os brasileiros destacam-se em todas as modalidades. A presença dos brasileiros Juliano Bendini e Idner Faustino Lima Martins, praticantes de voleibol no clube que lidera o campeonato alemão, VfB Friedrichshafen, é um exemplo relevante. Os dois atletas treinam numa cidade que fica junto ao Lago de Constança, de onde, provavelmente, podem buscar inspiração – mesmo que isso não substitua o mar. Ainda assim, eles estão muito satisfeitos atuando pelo campeão alemão e vencedor da Liga Europeia de Campeões de sua modalidade. O mesmo acontece com o handebol. Nos jogos da Liga Nacional exige-se pleno empenho físico. É aí que Bruno Souza se sente à vontade. O atacante jogou durante muitos anos na Liga pelo Frisch Auf Os astros do voleibol Idner Faustino Lima Martins (esq.) e Juliano Bendini (dir.)

28 - Baden-Württemberg

Göppingen, tendo recentemente passado a jogar no norte do país, pelo participante do campeonato europeu, o HSV Hamburg.

O atacante da liga nacional de handbol Bruno Souza

Baden-Württemberg também se destaca no tênis. Steffi Graf nasceu em Heidelberg e Boris Becker passou a infância em Leimen. Além disso, um dos principais torneios femininos, o “Porsche Tennis-Grand Prix” é disputado em Stuttgart, na “Porsche Arena”. Para os homens ocorre uma disputa a céu aberto, a “Mercedes Cup”. Em ambas as competições, o vencedor pode dar uma volta no estádio com um carro que então passa a ser seu. Isso dá um atrativo especial aos torneios em Baden-Württemberg. Ainda no tênis, um brasileiro já entusiasmou o público de Stuttgart. Gustavo Kuerten, então profissional da modalidade e com ascen-


rua, às quais dedica grande parte de seu tempo. A presença de Dunga também provoca grande entusiasmo em Stuttgart e no seu entorno. BadenWürttemberg tornou-se como uma segunda pátria para o treinador da seleção brasileira. Lá nunca foi esquecido por ser atencioso e ter jogado dois anos pelo VfB Stuttgart, de 1993 a 1995. Também estabeleceu em Leonberg, próximo a essa cidade, a central europeia de um importante projeto: o “Instituto Dunga for Kids”, que atende crianças de rua, buscando formação e desenvolvimento esportivo.

Gustavo Kuerten no Mercedes Cup em Stuttgart

dência alemã, saiu de carro novo em 1998 e 2001. Esse catarinense, nascido em Florianópolis, conseguiu vencer duas vezes a “Mercedes Cup” nas quadras de saibro do estádio “Weissenhof”.

Bundesliga junto com Marcelo José Bordon que jogou de 1999 até 2004, em Stuttgart. Antes, ele se destacou no São Paulo Futebol Clube e no Botafogo, de Ribeirão Preto.

Mesmo que o entusiasmo por qualquer esporte disputado com bola seja grande, nada supera a participação brasileira no futebol do Estado de Baden-Württemberg.

Outro exemplo é o do jovem Giovane Elber, que em 1994 transferiu-se de um clube de Zurique para o VfB Stuttgart. Ele nem sabia muito sobre a cidade, mas logo se aclimatou e passou a gostar de comer Spätzle e Maultaschen e de construir bonecos de neve no inverno. Elber jogou durante três anos em Stuttgart, ajudando sua equipe a sagrar-se campeã da Copa Alemã, em 1998. Então passou para o Bayern de Munique e, mais tarde, para o Lyon, da França, onde pode festejar sucessos nesses times: quatro vezes campeão alemão, quatro vezes vencedor da Liga dos Campeões. Foi uma carreira brilhante para esse atleta de Londrina, que conquistou seus fãs no ataque e no engajamento com crianças de

Cacau joga desde 2003 no VfB Stuttgart (até 1999 atuou no Nacional AC São Paulo). Esse rápido e talentoso atacante de nome Jerônimo Maria Barreto Claudemir da Silva, foi campeão nacional pelo Stuttgart, em 2007. Antonio da Silva, nascido no Rio de Janeiro, é especialista em jogadas criativas no meio-campo e joga pelo Karlsruher SC. De 2006 até 2008 atuou em Stuttgart, tornando-se campeão nacional junto com Cacau, seu então companheiro de equipe. O meio-campista ofensivo Elson, desde 2005 no clube VfB Stuttgart, se destacou na temporada 2008/ 2009 e prorrogou o seu contrato até 2011.

Até mesmo um ambicioso clube como o 1899 Hoffenheim é atraente para jogadores brasileiros. Tanto que os estrategistas de meiocampo Carlos Eduardo Marques e Luiz Gustavo Dias transferiram-se no verão de 2007 para o clube que, desde 2008, também conta com o talentoso atacante Wellington Luis de Sousa. Hoffenheim localiza-se no Kraichgau, numa região entre Stuttgart, Karlsruhe e Mannheim. Lá a torcida está toda voltada para os jovens jogadores, apoiada pelo fã Dietmar Hopp, co-fundador da conhecida empresa de software SAP. Parece que os os brasileiros foram escolhidos a dedo e, até agora, demonstraram que são reforços importantes à Bundesliga. Na equipe técnica de Hoffenheim, atua ainda Bernhard Peters, ex-treinador da seleção alemã de hóquei e campeão mundial pela Alemanha. Carlos Eduardo e seus companheiros estão bem à vontade em Baden-Württemberg como, aliás, todo brasileiro que vai para lá. O vencedor da Copa Alemã, com o VfB Stuttgart em 1998, Giovane Elber.

Kevin Kuranyi, também nascido no Rio, jogou entre 2000 e 2005 no VfB Stuttgart. Hoje atua no Schalke 04, participando de jogos da

Baden-Württemberg - 29


Entrevista com Dunga Dunga atuou de 1993 a 1995 no VfB Stuttgart. O esportista vestiu 91 vezes a camisa do Brasil, chegando a ser capitão da seleção. O campeão mundial comanda a seleção brasileira desde 2006

pouco contato. Mas, em minha última visita, pude encontrar-me com o Presidente do VfB Stuttgart, Erwin Staudt. Fomos almoçar juntos, o que foi uma grande satisfação. O que você lembra em especial de Baden-Württemberg e de Stuttgart? Dunga: Quando lembro de Stuttgart, sempre me recordo das colinas que circundam a cidade – uma região muito bonita. Há muitas matas e, naturalmente, também lembro da feira de Natal. As pessoas em Baden-Württemberg são muito zelosas, amáveis e calorosas. Lá, a gente pode sentir-se bem muito depressa, mesmo no inverno, quando fica frio.

Dunga, embora já faça algum tempo que você deixou o país, quais são suas lembranças do período em que jogou na Alemanha? Dunga: Naturalmente, muitas, pois ainda mantenho contatos. A vida na Alemanha é muito organizada e gosto de lembrar dos amigos que lá deixei. De uma maneira geral, os alemães são muito decididos. Além disso, enfrentam os problemas com consciência e determinação. Como são esses contatos com a Alemanha? Dunga: Há mais contatos hoje do que no tempo em que joguei no país. Na época, o trabalho cotidiano me absorvia. Atualmente, tenho muitos amigos e conhecidos. Você mantém contato com o treinador da seleção alemã, Joachim Löw, ou com seu ex-clube, o VfB Stuttgart? Dunga: Como eu, Joachim Löw tem muito o que fazer e nós temos

30 - Baden-Württemberg

Com o seu projeto com crianças, “Instituto Dunga para Crianças”, você atua tanto no Brasil como na Alemanha. A central alemã encontrase em Leonberg, próximo a Stuttgart. Que importância tem esse projeto, considerando o seu trabalho na seleção brasileira? Dunga: O projeto é algo que vem do coração e sou muito grato aos colaboradores da Alemanha, que são muito engajados em conseguir mais apoio e, assim, poder ajudar mais. Trabalhamos nisso todos os dias, quando estabelecemos novas metas. A atividade com as crianças e suas famílias devolve-nos muita energia. Quanto a razão de a central alemã estar localizada próxima a Stuttgart, isso tem a ver com o fato de eu ter jogado lá. Era evidente que ela só poderia estar sediada ali. Diga algo sobre a seleção nacional alemã. Como você avalia o fato de haver muitos novos jogadores e um treinador recém-contratado?

Dunga: Na Europa, sempre há muito choro quando um jogador experiente se aposenta. Mas é preciso confiar nos novos jogadores. Joachim Löw está dando continuidade ao que Jürgen Klinsmann começou a realizar. Sempre se diz que o emprego de treinador da seleção brasileira é mais cansativo que o de Presidente da República. Você concorda? Dunga: Certamente o Presidente da República tem muito o que fazer. Mas o treinador da seleção também. O Presidente tem seus Ministros e Embaixadores e, como treinador, geralmente se está sozinho. Nesse sentido, talvez o Presidente possa distribuir melhor seu trabalho. Os brasileiros amam o futebol e por isso, às vezes, podese ter a impressão de que o treinador tem de assumir uma função com mais responsabilidades que a de um Presidente da República.

Dunga recebendo a doação do Estado de Baden-Württemberg pelo Ministro da Economia Ernst Pfister


Centros de Competência

Realidade Virtual e de Engenharia Cooperativa A tecnologia da engenharia virtual já se tornou parte essencial no desenvolvimento de projetos em muitos ramos industriais. Para manterem-se ativos na concorrência mundial, empresas e prestadores de serviço dependerão no futuro ainda mais da cooperação e do trabalho conjunto com universidades e instituições de pesquisa. Isso faz crescer a importância do Centro de Competência para a Realidade Virtual e de Engenharia Cooperativa - Virtual Dimension Center (VDC) - como referência no contexto da concorrência global.

Simulação aerodinâmica elaborada por VISENSO Ltda.

O Virtual Dimension Center foi criado em 2002 em Fellbach, próximo a Stuttgart, no âmbito da iniciativa de criação dos centros de competência de desenvolvimento econômico da região. Como tal, é um centro de competência e rede de inovações para tecnologias da engenharia virtual. Atualmente, o local reúne diversos parceiros que se complementam mediante aporte de suas competências individuais. O Centro concentra antigos autores de tecnologias de visualização e simulação em 3D, tais como os pesquisadores do Fraunhofer IAO,

os fornecdores Barco e CADFEM e os usuários Stihl e Porsche. As empresas conseguem reduzir custos no desenvolvimento de produtos e melhorar bastante sua qualidade através de simulações em 3D. O VDC constitui-se em uma central de assessoria e de transferência de tecnologia, caracterizando-se como plataforma neutra de comunicação para o setor da engenharia virtual. Para tanto, ele mantém um local de demonstrações e de prestação de serviços no qual os diversos produtos (hard e software) elaborados pelos associados são testados e disponibilizados para a transferência de tecnologia. Além da intensificação do conhecimento e do intercâmbio de informações entre os associados, a plataforma também serve para o lançamento de ações cooperativas entre empresas, bem como para a abertura de tecnologias de engenharia virtual para pequenas e médias organizações. A união dessas forças relevantes cria a base para ações sinérgicas e projetos inovadores que possibilitam o desenvolvimento e a disseminação de novas tecnologias de engenharia virtual. Partindo do princípio de que há um potencial não esgotado de engenharia virtual na indústria brasileira, o VDC planeja ampliar sua atuação na região de São Paulo. O objetivo desse projeto é estabelecer uma

Realidade virtual “Realidade virtual - RV” é um mundo fictício gerado com o auxílio da tecnologia e que se caracteriza por transmitir ao seu usuário uma multiplicidade de estímulos mediante o uso de várias interfaces. O propósito de um excelente sistema RV é estimular os sentidos do usuário de tal forma que ele se sinta completamente integrado. Dessa forma, a “realidade virtual” é um passo adiante na relação homem-máquina, cujo objetivo é criar um mundo artificial que, em situações ideais, não possa ser distinguido do mundo real. Os usuários podem movimentar-se nesse mundo virtual, verificar e modificar objetos. Há aplicação potencial na indústria, na pesquisa e no entretenimento.

plataforma de comunicação sustentável, voltada para todos aqueles que atuam no desenvolvimento de tecnologias de engenharia virtual. A rede vai se concentrar prioritariamente na aplicação do tema na indústria automobilística e no setor energético. O novo VDC brasileiro deve servir de ponte entre a Alemanha e o Brasil nessa decisiva área tecnológica, unindo todos os atores nacionais e internacionais relevantes. Além disso, o trabalho conjunto das instituições ampliará a transferência de tecnologias, o intercâmbio de know-how e a visibilidade do potencial de pesquisa e desenvolvimento. Na implantação, bem como nas futuras atividades do VDC no Brasil, o SENAI-CETA (Centro de Excelência em Tecnologias Avançadas), de Porto Alegre, desempenhará um papel importante.

Realidade Virtual aplicada na Medicina por VISENSO Ltda.

Contatos e informações: Dr. Christoph Runde, administrador técnico do Virtual Dimension Center: christoph.runde@vdc-fellbach.de www.vdc-fellbach.de

Baden-Württemberg - 31


Decole conosco Fórum Aeronáutico e Aeroespacial de Baden-Württemberg O Fórum Aeronáutico e Aeroespacial de Baden-Württemberg (LR BW) é o órgão que representa o setor aeronáutico e aeroespacial do Estado. Seus sócios são a ligação entre economia, ciência e poderes políticos decisórios que estabelecem relacionamento com grupos relevantes da sociedade. Em conjunto, essas empresas auferiram, em 2007, vendas de cerca de 4 bilhões de euros, sendo que um terço desse montante provém de exportações. O setor ocupa cerca de 13 mil colaboradores.

e Aeroespacial (DLR), o Instituto para Técnica Têxtil e de Processamento (ITV), bem como uma marcante infraestrutura formada por outros institutos de pesquisa econômica. Os objetivos do Fórum são reunir as atividades do setor e, mediante a cooperação entre empresas, prestadores de serviços, institutos e ciência, incrementar o Estado como central tecnológica e desenvolver projetos inovadores. Além disso, compreendem também em: • Analisar os segmentos de mercado, tendo em vista a cooperação entre pesquisa e indústria, • Atingir relevantes resultados na pesquisa, no desenvolvimento e na tecnologia,

As empresas do Estado de BadenWürttemberg investem, em média, 11% de seu faturamento em pesquisa e desenvolvimento de produtos. Quase a metade do valor investido é destinada ao setor aeronáutico e aeroespacial. Uma atitude notável, considerando-se que a maioria dessas empresas é de pequeno e médio porte. Uma das grandes vantagens é o ambiente propício criado pela parceria entre a Universidade de Stuttgart, o Centro Alemão para Pesquisa Aeronáutica

32 - Baden-Württemberg

• Estimular a criação de novos conceitos para a criação de produtos, • Planejar sólidas perspectivas de futuro, • Intensificar o investimento em novos colaboradores, • Elaborar propostas para o governo estadual e para ramos da economia, voltadas para a otimização e o direcionamento da aplicação dos recursos. Os trabalhos organizacionais referentes a temas tecnológicos,

trabalhos conjuntos de pesquisa e desenvolvimento, comunicação de resultados na forma de workshops e conferências são elaborados em conjunto pelos membros e acompanhados pelos grupos de trabalho do Fórum, denominados ‘Galileu’, ‘Feiras’ e ‘Indústria de Tecnologia Bélica’. Nessa tarefa conjunta, a composição dos integrantes é muito vantajosa, pois representa toda a cadeia produtiva – desde o fabricante de materiais e de componentes, passando pelo fornecedor de sistemas até chegar ao montador do equipamento final. O Fórum oferece importante apoio na conquista de novos mercados estrangeiros. Junto com a ‘BadenWürttemberg International’ e outros parceiros, o Fórum organiza rodadas de contatos e cooperações, viagens de delegações, bem como feiras dentro e fora do país. Não apenas os europeus, mas também os emergentes, e, entre eles, especialmente, o Brasil, auferem importância crescente para a indústria aeronáutica e aeroespacial de Baden-Württemberg.


No ano de 2008, o Fórum criou a ‘Future Aerospace Network – FAN’ (Rede Aeroespacial do Futuro), uma iniciativa que congrega a Faculdade de Técnica Aeronáutica e Aeroespacial e Geodesia da Universidade de Stuttgart, da capital estadual, a empresa Desenvolvimento Econômico da Região de Stuttgart Ltda. (WRS), o Centro de Transferência Tecnológica Lampoldshausen e a Associação Aeroporto de Böblingen/Sindelfingen. A FAN prioriza seis áreas de atividades: • ‘Plenárias’ para maior entrelaçamento do próprio conglomerado e para o intercâmbio periódico com outros conglomerados, • ‘Inovação’ para a utilização de potenciais inovadores em interfaces do conglomerado, • ‘Recrutamento’ para a formação de uma Academia Aeronáutica e Aeroespacial, • ‘Marketing e Divulgação’ para o direcionamento da publicidade e a elaboração de um atlas de competências, • ‘Arrecadação de fundos’ para assessoria na prospecção de verbas estaduais, federais e da União Europeia, • ‘Internacionalização’ para apoio na conquista de mercados internacionais.

Distribuição de Ozônio da Terra.

Como resultado, a FAN consegue agregar valor às empresas participantes: a cooperação entre as diferentes áreas gera novos potenciais sinérgicos. As parcerias inovadoras convertem mais rapidamente ideias em produtos e processos adequados ao mercado. A FAN força um acompanhamento ativo dos fornecedores no âmbito da real consolidação do mercado na busca pela sistematização nas entregas. Do ponto de vista das escolas superiores, a utilidade do projeto concentra-se na melhor qualificação dos estudantes que ingressam nos estudos aeronáuticos e aeroespaciais bem como na aplicação industrial mais rápida dos resultados das pesquisas. A região como um todo lucra com a manutenção e criação de empregos altamente qualificados e com o incremento na capacidade

competitiva. Um atlas de competências cria as condições para uma análise fundamentada e para um desenvolvimento estratégico da área aeronáutica e aeroespacial.

Contatos e Informações: Anita Vogl, Administração do Fórum Aeronáutico e Aeroespacial de BadenWürttemberg (Forum Luft- und Raumfahrt Baden-Württemberg e.V.): info@lrbw.de www.lrbw.de Uma visão geral das empresas sediadas em Baden-Württemberg pode ser obtida através de um texto específico sobre a área aeronáutica e aeroespacial em: www.wm.baden-wuerttemberg.de/fm7/1106/ Aerospace_LR_Standort_BW_03_08_07.pdf

Stand da LR BW.

Baden-Württemberg - 33


Base logística de primeira grandeza Baden-Württemberg localiza-se na intersecção dos eixos europeus de transporte, o que faz da região um dos locais de tráfego mais importantes da Europa. O Estado é, ao mesmo tempo, um importante centro industrial local e líder mundial em exportações, conferindolhe abrangência em seu envolvimento nas relações globais entre clientes e fornecedores. Tudo isso somente é possível porque o Estado de Baden-Württemberg possui um setor de logística de alto desempenho que se tornou fator fundamental na moderna economia caracterizada pela divisão das tarefas. O elevado nível e o amplo leque de ofertas de prestação de serviços, além de seu entrosado funcionamento, faz com que o setor de logística passe quase despercebido quando se analisa a região como centro produtivo. Entretanto, do ponto de vista da movimentação e do número de postos de trabalho gerados, esse setor ocupa o quarto lugar em importância econômica no Estado, logo atrás do automobilístico, da produção de máquinas e do eletrotécnico. Ao todo, são 17 mil empresas que movimentam 37 bilhões de euros, com seus 180 mil colaboradores. Todas as principais empresas de logística mantêm filiais em BadenEsteira CoraVarioFlow da Bosch.

34 - Baden-Württemberg

Württemberg. Além disso, há uma enorme gama de pequenos e médios empreendimentos capazes de oferecer soluções adequadas aos clientes. Além de todas essas características, um mercado potencial de 10 milhões de consumidores, duas regiões metropolitanas europeias e várias grandes concentrações populacionais fazem do Estado de Baden-Württemberg um dos mais atraentes mercados alemães para empresas de logística. Outro des-

Armazém logistico da Bosch em Eisenach.

Proporcional à abrangência do setor é seu o grau de pesquisa, de formação e de aperfeiçoamento. Nesse sentido, o Estado destaca-se pelo pioneirismo no estabelecimento de um modelo de formação acadêmico para o setor da logística. Do diálogo entre economia e ciência surgem cada vez mais modelos inovadores de formação e aperfeiçoamento. As redes de intralogística do Estado contribuem substancialmente para o estabelecimento de ótimas parcerias de transferência de tecnologia. Isso assegura que novidades tecnológicas surgidas para a indústria e para o setor de logística sejam rapidamente disponibilizadas para o mercado.

Intralogistica aplicada.

taque é sua localização, ideal para sediar uma empresa do setor. Um dos fatores que contribuem para isso é a área de transbordo de mercadorias, que é muito forte, com grande potencial de terceirização no transporte e no trânsito, criando oportunidades de crescimento e desenvolvimento na área da logística de contratos (vide definição abaixo), para empresas de médio porte. Não é por acaso que empresas líderes de mercado na área da logística eletrônica, como SAP e IBMAlemanha, têm suas sedes em Baden-Württemberg. Junto com outros 800 empreendimentos, formam o maior conglomerado de empresas de intralogística (vide definição abaixo) na Alemanha e na Europa.

Todas as informações relevantes sobre a comunidade logística dentro do Estado de Baden-Württemberg podem ser acessadas no site www.logistik-bw.de . Baden-Württemberg é uma base logística de primeira grandeza. Venha para cá. Tudo está à mão! Um prestador de serviços de logística de contratos assume as tarefas de logística ao longo de uma cadeia produtiva e estabelece elos entre os diversos participantes dessa cadeia. Disso se derivou o conceito de prestador de serviços sistêmico que, por vezes, é empregado como equivalente a prestador de serviços de logística de contratos. Esses prestadores de serviços estão integrados ao sistema de cadeias produtivas. Intralogística é o fluxo de materiais e de mercadorias realizado dentro de uma empresa. Esse conceito surgiu como diferencial em relação ao transporte de mercadorias que ocorre fora das organizações, geralmente, por intermédio de uma transportadora.


Programa Internacional de Mestrado Profissional Meio Ambiente Urbano e Industrial EDUBRAS-MAUI

O curso de mestrado internacional “Meio Ambiente Urbano e Industrial” visa à formação de pessoas que já estejam atuando profissionalmente. O curso forma técnicos na área ambiental, levando-os a atingir níveis técnico e científico internacionais. Dessa forma, atendese a uma crescente demanda por parte da indústria. O programa é

Aterro sanitário em Curitiba - PR.

oferecido e realizado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), em conjunto com a Universidade de Stuttgart e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI-Paraná), sendo reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Ampliação do Rio Tietê - SP.

Dentro da temática ambiental, o curso foca em pesquisas nas seguintes especializações: gestão da atmosfera, gestão de resíduos sólidos urbanos e industriais, prevenção da poluição, tratamento de esgoto e efluentes industriais, técnicas de abastecimento e tratamento de água, bem como hidroquímica e hidrobiologia. As áreas de especialização decorrem das prioridades dos docentes da UFPR, da Universidade de Stuttgart e das demais instituições envolvidas. Para obter o título de Mestre em Ciências, os estudantes devem ser aprovados em disciplinas obrigatórias e optativas, bem como no trabalho de mestrado, no prazo de quatro semestres. Interessados em completar parte do curso na Alemanha, podem frequentar preleções ou produzir sua tese na Universidade de Stuttgart ou, ainda, participar de um estágio nesse país. Os trabalhos de mestrado podem ser elaborados em especialidades que atendam a requisitos específicos de empresas, onde, também, são postos em prática experimentalmente. Esses trabalhos são orientados por um corpo docente internacional.

Excursão de alunos EDUBRAS à Itaipú - PR.

Contatos e Informações: Universidade de Stuttgart: www.edubras-maui.uni-stuttgart.de uwe.menzel@iswa.uni-stuttgart.de daniela.neuffer@iswa.uni-stuttgart.de Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/PR): www.pr.senai.br/mestrado cic.cetsam@pr.senai.br Universidade Federal do Paraná (UFPR): www.ufpr.br prppg@ufpr.br

Tratamento de água em Belo Horizonte - MG.

Baden-Württemberg - 35


Em Baden-Württemberg, ciência e pesquisa têm tradição O desenvolvimento da ciência e da pesquisa no Estado de BadenWürttemberg existe há séculos. As mais antigas pinturas em livros por sinal, tombadas pela UNESCO como patrimônio da humanidade encontram-se no Mosteiro de Reichenau junto ao Lago de Constança,

Estudos universitários O Estado de Baden-Württemberg oferece imenso leque de possibilidades de estudo em cursos superiores. Os estudantes podem optar por nove universidades (dedicadas a pesquisas), seis escolas superiores de pedagogia, 23 escolas técnicas superiores, cinco escolas superiores de arte e música, oito academias profissionalizantes - todas públicas - e dezoito escolas superiores privadas com diferenciados perfis de cursos. Para mais informações, acesse: www.study-guide-bw.com (página em Inglês)

Células Fotovoltáicas.

e a cidade de Heidelberg abriga uma das primeiras universidades do mundo. Hoje, Baden-Württemberg detém a liderança em capacidade inovadora entre as 68 regiões européias. A ciência é a base de nossa economia. Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento de produtos consomem 4,2 % do Produto Interno Bruto - um recorde internacional.

Pesquisa A ciência e a tecnologia modificaram o mundo. O desempenho tecnológico encontrado em BadenWürttemberg, o Estado dos “engenhosos e pensadores”, é notório. Exemplo disso são nomes como Robert Bosch, Carl Benz e Gottlieb Daimler, que fizeram história com suas invenções e seus espíritos empreendedores. Ao todo, já são doze as pessoas

Baden-Württemberg oferece a mais densa e mais moderna estrutura de instituições de ensino superior: 9 Universidades públicas (entre elas 4 “Universidades de Excelência” em Freiburg, Heidelberg, Karlsruhe e Konstanz - condecoradas na Iniciativa de Excelência 2006/2007) 41 Escolas superiores 8 Escolas profissionalizantes 21 Universidades privadas Uma rede de Centros de Transferência “Steinbeis” nas instituições de ensino superior estabelece a conexão entre indústria e pesquisa e garante um acesso rápido aos resultados das pesquisas. Universidades Públicas Escolas Superiores Escolas Profissionalizantes Universidades Privadas Universidades de Excelência

36 - Baden-Württemberg

Análise Microscópica.

nascidas no Estado e que foram agraciadas com prêmios Nobel. Além disso, há muitos laureados com outros prêmios e que passaram alguns de seus anos decisivos realizando pesquisas em nosso Estado. O mais conhecido de todos é Albert Einstein, nascido em Ulm. Um quarto da capacidade das grandes instituições de pesquisa concentra-se em Baden-Württemberg. Um exemplo é o Centro Alemão de Pesquisa sobre Câncer, em Heidelberg. O Estado abriga, ainda, treze diferentes órgãos de pesquisa da Sociedade Max Planck e catorze dos 48 dos Institutos Fraunhofer. As mais de cem instituições de pesquisa não universitárias estão, no entanto, conectadas em rede com as escolas superiores do Estado. Essa infraestrutura - constituída por universidades, escolas técnicas superiores e demais estabelecimentos de pesquisa, com sua diversidade de competências em pesquisa básica e de aplicação - terá papel decisivo no futuro do Estado. Internacionalização O foco das medidas voltadas à internacionalização nos campos da ciência e da pesquisa concentra-se no apoio a ações que congregam escolas superiores. Isso ocorre principalmente por meio do intercâmbio de estudantes e jovens


pesquisadores e é complementado pelo apoio a propostas específicas de pesquisa. Há uma crescente oferta de cursos para estrangeiros. O intenso intercâmbio com os Estados Unidos, o Canadá e as regiões asiáticas com alto desenvolvimento tecnológico constitui a base da política de pesquisa em cooperação com o exterior. Entre as medidas que o Estado utiliza para apresentar-se em outros países está o recrutamento de expoentes e jovens pesquisadores. Interessados encontram na Sociedade para Cooperação Econômica e Científica uma parceira que lhes propicia a sondagem e a oferta de contatos e ações em cooperação junto a escolas superiores e instituições de pesquisa.

Abastecimento com Hidrogênio.

Trabalho conjunto com o Brasil Desde o ano 2000 está em vigor um acordo entre os Estados do Rio Grande do Sul e Baden-Württemberg para a cooperação na área científica e tecnológica. Esta convenção prevê o incremento do trabalho conjunto, com destaque para a concessão de cinco bolsas de estudos anuais por ambos os lados a estudantes em estágio avançado ou para jovens pesquisadores. As instituições executoras são a Universidade de Tübingen e a Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul FAPERGS. Essa medida levou a Secretaria de Ciências do Estado alemão à criação do Centro BrasilAlemanha da Universidade de Tübingen. Ali se coordenam as iniciativas voltadas ao estímulo às

Instituições de Pesquisa de Grande Porte Instituto Max Planck Institutos Fraunhofer Instituições de Pesquisa Subcontratadas

Baden-Württemberg oferece uma inigualável estrutura de pesquisas 3 Instituições de pesquisa de grande porte 12 Institutos Max-Planck* 14 Institutos Fraunhofer** 13 Instituições de pesquisa subcontratados * inclusive filiais de institutos com matrizes fora do estado de Baden-Württemberg ** inclusive um instituto com duas sedes

cooperações científica, técnica e cultural. O Centro desenvolve atividades que abrangem todas as escolas superiores em Baden-Württemberg, assessorando todas as instituições de ensino superior bem como as escolas profissionalizantes. Além disso, há trabalhos conjuntos com a Câmara de Indústria e Comércio e a Câmara de Ofícios. No momento estão em andamento 39 ações de cooperação entre escolas superiores de BadenWürttemberg e do Brasil. A cooperação entre a Universidade de Tübingen com as congêneres em Recife, São Paulo, Porto Alegre e Rio de Janeiro, nas áreas da biologia e das geociências, merece destaque. De maneira especial, deve ser mencionado o trabalho conjunto entre a Universidade de Tübingen e a Pontifícia Universidade Católica de Rio Grande do Sul - PUC/RS - nos seguintes setores:

Reator de Plasma da Bosch.

• Pesquisa conjunta das Universidades de Tübingen e Freiburg para “Identificação e Caracterização de Substâncias Ativas em Plantas Medicinais Brasileiras”. Esse projeto está em andamento desde 2007, tem duração de três anos, é financiado pela Secretaria de Ciências de Baden-Württemberg e tem como coordenador responsável o Professor Dr. Laufer, do Instituto de Farmácia da Universidade de Tübingen. • Estação de Pesquisas Pró-Mata: Esta estação foi instalada e é gerida em conjunto pela PUC/ RS e pela Universidade de Tübingen. A aquisição da área, com cerca de 4.900 ha na Serra Geral, ocorreu mediante generosas doações de empresas de Baden-Württemberg e conta com o apoio financeiro da Secretaria de Ciências. Os objetivos do projeto Pró-Mata são a pesquisa, visando à reconstituição de matas de araucárias em sua situação natural, o desenvolvimento de modelos para a utilização conservacionista e sustentável de matas e a pesquisa sobre o microclima biológico da zona sub-tropical. Participam do projeto a Universidade de Hohenheim e a Escola Superior de Silvicultura de Rottenburg. Desde 1997, a estação recebe

Baden-Württemberg - 37


subs��dios financeiros do Ministério Federal Alemão para Formação e Pesquisa. • Museu de Ciências e Tecnologia - MCT - vinculado à PUC/RS é o maior museu de ciências da América Latina. Inspirado no Museu Alemão, em Munique, ele foi inaugurado em dezembro de 1998 e possui múltiplas estações para experimentações que levam a um aporte lúdico às ciências modernas. Um setor do museu é dedicado, ainda, à paleontolozoologia. Treinamento de Endoscopia.

Contatos e informações: Ministério de Ciências, Pesquisa e Arte do Estado de Baden-Württemberg (Ministerium für Wissenschaft, Forschung und Kunst Baden-Württemberg) Königstraße 46 D-70173 Stuttgart Tel. (+49)711/279-0 Fax (+49)711/279-3081 poststelle@mwk.bwl.de www.mwk.baden-wuerttemberg.de/ Sociedade para Cooperação Internacional em Economia e Ciências (Gesellschaft für internationale wirtschaftliche und wissenschaftliche Zusammenarbeit - BW-I) Willi-Bleicher-Str. 19 D-70174 Stuttgart Tel.: +49 (0) 711.22787-0 Fax: +49 (0) 711.22787-22 info@bw-wfk.de www.bw-i.de Centro Brasil-Alemanha da Universidade de Tübingen, em Baden-Württemberg (Baden-Württembergisches BrasilienZentrum der Universität Tübingen) Wilhelmstraße 113 D-72074 Tübingen Tel.: +49 (0) 7071.2974823 Fax: +49 (0) 7071.295120 brasilien-zentrum@uni-tuebingen.de www.uni-tuebingen.de/brasilien-zentrum/ index.html Laser de Fibra.

Os quatro motores da Europa, quatro vezes ‘power’ Quem são os “quatro motores da Europa”? É uma rede de quatro grandes regiões europeias: BadenWürttemberg (Alemanha), Catalunha (Espanha), Lombardia (Itália) e Ródano-Alpes (França). Elas são economicamente fortes e possuem um total de mais de 33 milhões de habitantes. Para explorar esse potencial, em 1988, criaram uma nova e poderosa cooperação com o objetivo de trabalharem em conjunto. Trabalho conjunto Os “quatro motores da Europa” não têm fronteiras comuns, mas,

38 - Baden-Württemberg

tivas conjuntas, especialmente nas áreas de pesquisa, economia, ensino superior, cultura, formação profissional, juventude e esporte. Por meio dessa atuação conjunta, elas fortalecem sua posição dentro da Europa e promovem a concretização do ideal de maior aproximação entre os cidadãos de todo o continente.

possuem semelhanças que passam, por exemplo, pela vontade de implantar ações inovadoras. As regiões criaram uma série de inicia-

Atuação global Embora a abertura do próprio mercado estivesse no centro da atividade econômica, hoje se torna cada vez mais importante a conquista do mercado mundial através do trabalho cooperado. Representantes


Baden-Württemberg

Ródano-Alpes

Lombardia

Catalunha

Quatro vezes “power” para a Europa.

de assuntos econômicos de cada região parceira participam efetivamente dos contatos comerciais das demais regiões. Atualmente, já negociam em conjunto, com China, República Tcheca, Marrocos, Índia e Rússia – e o Brasil é a próxima meta. As regiões de Flandres (na Bélgica), País de Gales (Grã-Bretanha) e Malo-polsca (Polônia) mantêm contatos regulares com os “quatro motores da Europa”. Foco na ciência, juventude, cultura e esporte Além dos aspectos econômicos e políticos, a juventude, a cultura e,

sobretudo, a ciência chamam especial atenção para essa rede de regiões européias. Ela promove seminários, congressos e projetos conjuntos de acordo com o princípio “dividir conhecimento significa concentrar conhecimento”. Outro benefício é que as regiões parceiras também conseguem participar de maneira mais efetiva em programas europeus de fomento. Em encontros periódicos, jovens cientistas ampliam seus conhecimentos e horizontes. Estudantes, aprendizes internacionais e estagiários estabelecem novos contatos que se tornam a base para ações eficientes de cooperação.

Intercâmbios de alunos, acampamentos de trabalho para jovens e atividades esportivas aproximam a todos, fazendo com que sua compreensão e o interesse por outras culturas cresçam. Desde cedo, desenvolve-se a percepção pelas particularidades dos diversos países, aprende-se diferentes línguas e estabelecem-se redes que trazem benefícios para toda a vida. Contatos e informações: Dra. Nicola Schelling, Diretora para a área de cooperação supranacional e internacional da Casa Civil do Estado de Baden-Württemberg: nicola.schelling@stm.bwl.de www.4motors.eu

Baden-Württemberg - 39


O castelo de Karlsruhe.

Bem-vindos

à terra dos admiradores da cultura, da natureza, do bem-estar e da gastronomia Quando as pessoas da região de Baden e os suábios falam dos "admiradores de Baden-Württemberg", não se referem apenas aos prazeres da cozinha – apesar de o sudoeste alemão ser comprovadamente a região número um em matéria de gastronomia. Referem-se, também, ao bem-estar, ao prazer de apreciar a natureza e, até mesmo, à satisfação com a programação cultural oferecida. “Schloßplatz” - A maior praça no centro de Stuttgart.

Se você se interessa por palácios, castelos antigos ou igrejas, só há uma coisa que Baden-Württemberg não pode lhe oferecer: tempo suficiente para visitar todas as construções, locais históricos e cidades. No Estado, há 150 importantes

40 - Baden-Württemberg

palácios, castelos e ruínas, igrejas e mosteiros, bem como 90 jardins e parques históricos. A maioria está aberta à visitação pública. Por exemplo, no Palatinado, não deixe de visitar o Palácio de Mannheim. Ali, Mozart tocou com a melhor orquestra europeia da época. É imperdível a visita ao Palácio de Schwetzinger, mundialmente conhecido por seus jardins. Heidelberg oferece, além de uma pitoresca parte antiga, a famosa ruína de um castelo, anualmente visitada por inúmeros turistas de todo o mundo. Próximo a Stuttgart, o Palácio de Ludwigsburg representa uma das maiores residências europeias da nobreza em estilo barroco. Na capital do Estado, também há dois conjuntos que merecem ser vistos: um é o Novo Palácio (Neues Schloss), do século XVIII, e o outro, o Velho Palácio (Altes Schloss), ex-sede do ducado de Württemberg. Este último é uma construção renascentista que desde 1948 abriga o Museu Estadual. Possui um pátio interno com arcadas e está conjugado a uma igreja em que estão enterrados vá-

rios integrantes da nobreza. Vale conhecer também o Palácio de Karlsruhe, que foi transformado no Museu Estadual de Baden, em meio a casas em estilo enxaimel. Essa cidade abriga, ainda, obras internacionais da arte com mídia, no Centro de Arte e Tecnologia da Mídia e no Museu de Arte Moderna. Muito famosa é a catedral gótica de Ulm. Sua torre com 162 metros de altura é a mais alta do mundo localizada em um templo religioso. Logo ao lado, ergue-se a Casa do Cidadão, uma obra pós-moderna

A catedral de Ulm, com a torre mais alta do mundo.


A famosa cidade de Heildelberg no Rio Reno.

do mundialmente conhecido arquiteto norte-americano Richard Meier. Ele também está representado na estância termal de BadenBaden, onde projetou o museu que abriga a coleção de Frieda Burda. Muito conhecida, a catedral de Freiburg, a cidade mais meridional do Estado, junto à fronteira com a Suíça e a Alsácia (França) merece atenção do visitante. Baden-Württemberg apresenta, ainda, outras obras que testemunham a mais remota história de ocupação da Terra pelo ser humano: pequenas esculturas em marfim ou em ossos de animais, escondidas há 35 mil anos em cavernas – fascinante arte da era do gelo, testemunhos do berço da civilização humana. Mas é possível olhar ainda mais atrás: quando, há 150 milhões de anos, surgiu o maciço Schwäbische Alb, muitos sáurios deixaram ali suas inapagáveis pegadas, hoje fossilizadas e visíveis em vários museus do Estado. Ao falar da capital, Stuttgart, o pensamento logo se volta não apenas para o Balé da Cidade (Stuttgarter Ballett), para a Galeria do Estado (Staatsgalerie), ou para a Torre de Televisão, mas também para nomes como Bosch, Daimler e Porsche. Essas empresas não só produzem

O Ballet de Stuttgart

tecnologia automotiva de primeira linha como também apresentam em grande estilo a história dos veículos automotores, seja no museu da Mercedes, seja no da Porsche. Quem se interessa pelo desenvolvimento científico de um modo geral e seu efeito sobre a sociedade, pode aprofundar-se na fascinante história da técnica, da economia e da sociedade do Estado de Baden-Württemberg no Museu Estadual de Técnica e Trabalho, em Mannheim.

Mas não é só por causa dos grandes cozinheiros que o Estado tem renome de paraíso gastronômico alemão entre os gourmets. Há ainda um "exército" de despretensiosos restaurantes de alta qualidade. A vizinha França manda lembranças culinárias, os vinhedos estão em frente à porta e os restaurantes sentem-se na obrigação de servir produtos e vinhos da região, preparados à moda regional. Grelhados, Spätzle, Maultaschen, presunto da Floresta Negra, Bodenseefelchen, Brezeln, tortas de cereja, Lemberger, Riesling, Grauburgunder. E tudo com uma boa dose da conhecida hospitalidade local.

Os apreciadores de música encontram concertos a toda hora. O Estado oferece opções durante todo o ano todo. Em inúmeras instituições e, especificamente, em cinco escolas superiores altamente renomadas estudam talentos de todo o mundo. Dez significativas orquestras sinfônicas e de câmara distribuem-se de Freiburg ao Palatinado. O Estado promove cerca de doze eventos especializados, como o Festival Europeu da Academia Internacional de Bach, em Stuttgart, os Festivais dos Palácios de Ludwigsburg e Schwetzinger, além das apresentações de Pentecostes, em BadenBaden.

Quem quiser vivenciar BadenWürttemberg à plenitude não deveria deixar de presentear-se em alguns oásis: as incontáveis estâncias termais e centros de bem-estar do sudoeste alemão são locais em que se pode lavar a alma. Descontração, banhos, saunas, massagens, mimos, "adeus" ao cotidiano. A oferta é grande: o Estado oferece quase sessenta termas e estâncias climáticas, o que lhe dá o título na Alemanha de 'terra da saúde'.

Existem, em muitos lugares, clubes e danceterias com rock, hip-hop e outros estilos. Ali podem ser ouvidas bandas internacionais e renomados músicos jovens, provenientes das escolas superiores ou da academia pop de Mannheim. É evidente que música de qualidade facilmente se alia à gastronomia no Estado de Baden-Württemberg. Falar em boa comida e bebida é falar dos destaques que caracterizam o Estado: tanto faz, se no Guia Michelin ou no Gault Millau, todos os anos a maior parte das estrelas vai para Baden-Württemberg.

O cartão postal de Stuttgart e atração para os turistas: A torre da TV com seus 217 metros de altura.

Baden-Württemberg - 41


ao Estado de Baden-Württemberg, terra dos apreciadores. 53 dos 210 laureados restaurantes alemães encontram-se em Baden-Württemberg

As águas termais de Caracalla na cidade de Baden-Baden.

A natureza de Baden-Württemberg também deve ser apreciada. Há uma fascinante multiplicidade de paisagens: montanhas, lagos, vales, desfiladeiros, alagadiços, encostas com vinhedos. O romantismo das matas naturais da Floresta Negra, a alegria sulista em torno do Lago de Constança, os campos com arbustos de zimbro e as gargantas pedregosas do Alb – são paisagens que valem a pena descobrir a pé, de bicicleta ou de barco. Aprecie ainda a oferta cultural, vivencie a natureza, revigore-se nas estâncias, presenteie-se com sonhos gastronômicos – bem-vindo

Baden-Württemberg constitui-se na "meca alemã dos gourmets" por causa de seus 53 restaurantes laureados. No novo Guia Michelin, há agora dois restaurantes com três estrelas e 51, com uma. Assim, este Estado coloca-se à frente da Baviera, com 34 restaurantes destacados, e a Renânia do NorteVestfália, com 32. No total, 210 estabelecimentos alemães foram distinguidos com as cobiçadas estrelas por sua arte culinária. Os dois cozinheiros de Baiersbronn, Harald Wohlfahrt, do restaurante Schwarzwaldstube, no Hotel Traube Tonbach, e Claus-Peter Lumpp, do restaurante Bareiss, em Mitteltal (no distrito de Freudenstadt), conseguiram sustentar sua primazia com três estrelas. Henrik Weiser von der Traube, em Efringen-Kirchen, e Hans-Harald

O centro histórico de Meersburg.

Reber, do restaurante Rebers Pflug, in Schwäbisch Hall, mereceram destaque pela primeira vez no Guia Michelin, com uma estrela. A capital estadual mantém a evidência como eldorado gastronômico. Conta com cinco restaurantes laureados – Breitenbach, Délice, top air, Wielandshöhe e Zirbelstube, no hotel junto ao Schlossgarten. Baden-Baden dispõe de três estabelecimentos que se sobressaem: Jardin de France, o restaurante ao ar livre no Brenner's Park Hotel e o Palácio Neuweier – bem como Mannheim, com Da Gianni, Doblers und Grissini.

Brezel.

Os ingredientes para um “Brezel“ são tradicionalmente farinha de trigo, cevada, sal, fermento e água. Em algumas regiões se adiciona também gordura, principalmente banha de porco. Antes de assar no forno, o “Brezel” é mergulhado e uma solução de água fervente com hidróxido de sódio e salpicado com sal grosso. Existem diferentes histórias sobre a invenção do “Brezel”. A mais conhecida é esta: um padeiro condenado à morte da cidade de Urach, para salvar a sua pele, teve de inventar um pão através do qual os raios do sol pudessem passar três vezes. Aconteceu o impossível, o nascimento do “Brezel” foi também o renascimento do padeiro.

42 - Baden-Württemberg

Maultaschen

Os “Maultaschen”, uma espécie de ravioli alemão, são uma especialidade da culinária suábia; são bolsinhas de massa com recheio de carne, espinafre, cebolas e pão umedecido. Muitas famílias tem receitas especiais, que incluem outros ingredientes como presunto cozido, salsicha defumada, carne moída ou restos de carne assada. Existem diferentes lendas sobre o surgimento desse prato. Uma dessas conta, que através dessas bolsinhas, os monges da ordem de Zisterzienser do monastério de Maulbronn (daí o nome “Maultaschen”) queriam esconder, na época de quaresma, a carne do querido Senhor Deus. Numa variação dessa lenda, foram os protestantes que adicionaram secretamente a carne nas bolsinhas de massa, as quais originalmente eram recheadas somente com especiarias e espinafre.


Endereços Ministério de Economia do Estado de Baden-Württemberg Wirtschaftsministerium BadenWürttemberg Theodor-Heuss-Str. 4 D-70174 Stuttgart Tel.: (+49 711)123-2353 Fax: (+49 711)123-2250 ewald.stirner@wm.bwl.de www.wm.baden-wuerttemberg.de Centro de Informações sobre Madeira Fachinformationszentrum Holz BadenWürttemberg Especialista da Madeira e do Mobilário SENAI Departamento Regional Av. Cândido de Abreu, 200 – 2º andar 80530-902 Curitiba – PR Tel.: (+41) 3271-9371 uli@boehmerle.biz Câmara de Indústria e Comércio do Estado de Baden-Württemberg Baden-Württembergischer Industrieund Handelskammertag e.V. Jägerstr. 40 D-70174 Stuttgart Tel.: (+49 711) 2255-0060 Fax: (+49 711) 2255-0077 info@bw.ihk.de www.bw.ihk.de Associação da Indústria do Estado de Baden-Württemberg LVI-Landesverband der Baden-Württembergischen Industrie e.V. Gerhard-Koch-Str. 2-4 D-73760 Ostfildern Tel.: (+49 711) 3273-250 Fax: (+49 711) 3273-2569 info@lvi.de www.lvi.de Associação da Indústria do Estado de Baden-Württemberg (Departamento Meio-Ambiente) LVI – Beratungs- und Service GmbH Plattform Umwelttechnik Gerhard-Koch-Str. 2-4 D-73760 Ostfildern Tel.: (+49 711) 3273-2533 Fax: (+49 711) 3273-2569 pu@lvi.de www.enviro-company-guide.com Associação da Indústria do Estado de Baden-Württemberg (Departamento aeronáutico e aeroespacial) LVI – Beratungs- und Service GmbH Forum Luft- und Raumfahrt BadenWürttemberg Gerhard-Koch Str. 2-4 D-73760 Ostfildern Tel.: (+49 711) 3273-2535 Fax: (+49 711) 3273-2569 info@lrbw.de www.lrbw.de

Câmara da Indústria de Manufatura do Estado de Baden-Württemberg Baden-Württembergischer Handwerkstag e.V. Handwerk International BadenWürttemberg Heilbronner Str. 49 D-70191 Stuttgart Tel.: (+49 711) 1657-227 Fax: (+49 711) 1657-827 info@handwerk-international.de www.handwerk-international.de Ministério de Ciência, Pesquisa e Arte do Estado de Baden-Württemberg Ministerium für Wissenschaft, Forschung und Kunst Baden-Württemberg Königstraße 46 D-70173 Stuttgart Tel.: (+49 711) 279-0 Fax: (+49 711) 279-3081 poststelle@mwk.bwl.de www.mwk.baden-wuerttemberg.de www.study-guide-bw.com Universidade de Stuttgart Universität Stuttgart c/o SENAI/CIC - CETSAM Rua Nossa Senhora da Cabeça 1371/1441 - CIC 81310-010 Curitiba - PR Tel.: (+41) 3271-7186/7147 Fax: (+41) 3271-7156 daniela.neuffer@iswa.uni-stuttgart.de www.edubras-maui.uni-stuttgart.de Virtual Dimension Center Auberlenstraße 13 D-70736 Fellbach Tel.: (+49 711) 5853-090 Fax: (+49 711) 5853-0919 info@vdc-fellbach.de vdc-fellbach.de Consórcio de Exportadores de Vinho de Baden-Württemberg Raiffeisenstraße 2 D-71696 Möglingen Tel.: (+49 7141) 4866-120/160 Fax: (+49 7141) 4866-75 fabiana.cherubim@wsg-moeglingen.de www.dyade52.com Banco Estadual de BadenWürttemberg Landesbank Baden-Württemberg Representative Office São Paulo Avenida Nove de Julho 5519-11° andar 01407-200 São Paulo - SP Tel.: (+11) 3704-7010 Fax: (+11) 3078-6459 Cristian.oppen@lbbw.com.br www.lbbw.com.br

Feira de Stuttgart Landesmesse Stuttgart GmbH Messepiazza 1 D-70629 Stuttgart Tel.: (+49 711) 18560-0 Fax: (+49 711) 18560-2440 info@messe-stuttgart.de www.messe-stuttgart.de Agência de Turismo do Estado de Baden-Württemberg Tourismus-Marketing GmbH BadenWürttemberg Esslinger Str. 8 D-70182 Stuttgart Tel.: (+49 711) 23858-10 Fax: (+49 711) 23858-99 m.kohler@tourismus-bw.de www.tourismus-bw.de Sociedade para Cooperação Internacional em Economia e Ciências Baden-Württemberg International Willi-Bleicher-Str. 19 D-70174 Stuttgart Tel.: (+49 711) 227-8759 Fax: (+49 711) 227-8722 ines.banhardt@bw-i.de www.bw-i.de, www.bw-global.de Homag South America Rua Francisco D’ Amico, 155 Pq Industiral - Taboão da Serra 06785-290 São Paulo - SP Tel.: (+55 11) 4138-9000 Fax: (+55 11) 4138-9001 info@homag-south-america.com.br www.homag-south-america.com Câmara de Comércio BrasilAlemanha de São Paulo Rua Verbo Divino 1488 04719-904 São Paulo - SP Tel.: (+55 11) 5187-5100 Fax: (+55 11) 5181-7013 ahkbrasil@ahkbrasil.com www.ahkbrasil.com Câmara de Comércio BrasilAlemanha de Porto Alegre Rua Castro Alves 600 90430-130 Porto Alegre - RS Tel.: (+55 51) 3222-5766 Fax: (+55 51) 3222-5556 ahkpoa@ahkpoa.com.br www.ahkpoa.com.br Câmara de Comércio BrasilAlemanha do Rio de Janeiro Av. Graça Aranha 1 20030-002 Rio de Janeiro - RJ Tel.: (+55 21) 2224-2123 Fax: (+55 21) 2252-7758 info@ahk.com.br www.ahk.com.br

Baden-Württemberg - 43


Globe Inventor: Martin Behaim Germany, 1492

Global View. Made in Germany. All over the world. The globe helps to capture the world at a glance. Landesbank Baden-WĂźrttemberg supports you in the global competitive environment and wants to be your preferred partner in entering international markets. We advise you locally in the economic hotspots all over

Banking – Made in Germany. 44 - Baden-Wßrttemberg

the world and provide you with tailor-made solutions respecting regional and local features. Of course we are on the spot in Brazil, too. For more information please call +55 11 3704-7010 or visit us at www.LBBW.com


Revista Baden Wurtemberg