Page 1

Akadémicos FOTO: ANDREIA MATEUS

Suplemento do JORNAL DE LEIRIA, da edição 1238, de 03 de Abril de 2008 e não pode ser vendido separadamente.

Mário Laginha Pianista e Compositor

“Sempre pensei que quando ensinamos, também podemos aprender” 06 e 07

De 13 a 19 de Abril

Semana Académica anima Leiria FOTO: PEDRO JERÓNIMO

05


Vai lá, vai... Abertura Director: José Ribeiro Vieira jose.vieira@movicortes.pt Director Adjunto: João Nazário direccao@jornaldeleiria.pt Coordenadora de Redacção Alexandra Barata alexandra.barata@jornaldeleiria.pt Coordenadora Pedagógica Catarina Menezes cmenezes@esel.ipleiria.pt Apoio à Edição Alexandre Soares asoares@esel.ipleiria.pt Secretariado de Redacção Ângela Duarte Redacção e colaboradores Andreia Mateus, André Mendonça, Carina Francisco, David Sineiro, Élio Salsinha, João Matias, Jorge Bastos, Míriam Gil, Paulo Amendoeira, Pedro Jerónimo, Rafael Costa, Sara Vieira, Vânia Marques Departamento Gráfico Jorlis - Edições e Publicações, lda Isilda Trindade isilda.trindade@jornaldeleiria.pt Maquetização Leonel Brites – Centro de Recursos Multimédia ESE–IPL leonel@esel.ipleiria.pt

«

Esta é uma edição temperada com algumas comemorações: a aproximação da Semana Académica de Leiria, cujo programa divulgamos, e o 50º aniversário das construções Lego que nos serviu de pretexto para uma reflexão sobre brinquedos. Mas esta é também a 25ª edição do Akadémicos, um marco que não poderíamos deixar de assinalar nesta abertura. Com a preocupação de combinar teoria e prática do jornalismo, o Akadémicos tem vindo a constituir-se como um espaço de aprendizagem complementar ao trabalho desenvolvido curricularmente. Da planificação da edição à sua revisão final, da recolha de informação à redacção de conteúdos, da captação de imagem ao trabalho de composição gráfica, várias competências têm vindo a ser exercitadas. Pode o trabalho nem sempre resultar perfeito. Pode necessitar de acertos, revisões, correcções mas, no Akadémicos, o mais importante é isso mesmo: experimentar, errar, fazer de novo. Com a certeza de que a aprendizagem reside nesse vaivém de experiências e de que cada uma das edições resulta numa série de

reflexões técnicas e éticas indispensáveis ao exercício da profissão de jornalista, ao perfil de um comunicador. Mantemos, por isso, o convite à participação de todos: alunos de Comunicação Social e Educação Multimédia, que têm na publicação uma oportunidade de aprofundar competências de produção editorial; mas também alunos de todos os outros cursos que terão possibilidade de diversificar a sua formação numa área que cruza, cada vez mais, todas as outras. Para todos, a oportunidade de participar na construção de uma edição escolar que, sendo dirigida a toda a comunidade, tem procurado dar especial destaque aos jovens e à vida académica, que raramente se vêem protagonistas noutros tipos de publicação. Estas 25 edições são resultado de um trabalho de equipa, onde cada mão prepara e coloca uma peça indispensável à construção final; uma equipa que tem vindo a ser renovada ao sabor da passagem dos anos lectivos. Parabéns, equipa de hoje e de ontem. Parabéns Akadémicos! Catarina Menezes

Uma agenda do mês

presidencia@ipleiria.pt

Presidente do Conselho Directivo da ESE José Manuel Silva jmsilva@esel.ipleiria.pt

Directora do Curso de Comunicação Social e Educação Multimédia Alda Mourão amourao@esel.ipleiria.pt

Os textos e opiniões publicados não vinculam quaisquer orgãos do IPL e/ou da ESE e são da responsabilidade exclusiva da equipa do Akadémicos.

akademicos@esel.ipleiria.pt

TEATRO 11 de Abril A delicada arte de amar Trata-se de uma peça que se baseia num poema do séc.I de Ovídio que defende que o sentimento de amar pode ser ensinado, algo que vem a ser desmentido numa hora e dez minutos no Teatro José Lúcio da Silva. 6 euros

MÚSICA Hoje, 21:30 Ópera Madame Butterfly de Puccini é um espectáculo de ópera que apela ao sentimentalismo e cuja história é baseada em factos reais ocorridos no Japão. Para ver no Teatro José Lúcio da Silva. A partir de 25 Euros.

20 de Abril Boa noite mãe Estreia no Teatro José Lúcio da Silva a peça Boa noite mãe que junta Sofia Alves e Manuela Marinha no mesmo palco. O relato de uma fase difícil entre mãe e filha que leva a última ao suicídio. 10 euros

24 de Abril, 21:30 Fados e Poemas de Ary dos Santos Poemas cantados de Ary dos Santos. Um espectáculo de comemoração do 25 de Abril no Teatro Miguel Franco. 5 Euros.

EXPOSIÇÕES Até 11 de Abril Virus 2008 1ª Mostra de Banda Desenhada, Ilustração e Cinema de Animação de Leiria. Para ver no Edifício do Banco de Portugal. Entrada livre.

DR

Até 30 de Abril Viagem do Açúcar Uma exposição doce, organizada pelo Clube Português de coleccionadores de Pacotes de Açúcar e patente ao público na Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira. Entrada livre.

02

JORNAL DE LEIRIA 28.02.2007

VÂNIA MARQUES

CINEMA Até 27 de Abril Horton e o mundo dos quem Um filme com muita animação que junta Horton – um elefante – ao microscópico mundo dos “Quem”. Uma comédia para maiores de 4 anos que promete pontos de vista diferentes com a voz de Jim Carrey e Steve Carell a darem vida às personagens. Em exibição nos cinemas O Paço. De 25 a 30 de Abril Into the wild Um filme que remete para o pouco valor que os bens materiais têm nas nossas vidas. O jovem Cristopher McCandless deixa tudo para viver uma aventura que acaba por se tornar num grande desafio à resistência física e psicológica quando não se pode voltar atrás, quando os portos de abrigo ainda estão por descobrir. Em exibição no Teatro Miguel Franco.

DR

Presidente do Instituto Politécnico de Leiria Luciano de Almeida


DR

Está a dar

Legos e companhia PAULO AMENDOEIRA, RAFAEL COSTA E VÂNIA MARQUES

O ser humano vem programado para aprender desde muito cedo e muito depressa, e a brincadeira é um dos pri-

Brinquedos para todos

João Lázaro explica que “brincar é de facto a nossa primeira fonte de criatividade, em que arranjamos esquemas que nos fazem sentir mais pró-

ximos dos nossos modelos de socialização: os nossos pais”. Daí que haja a ideia de que os meninos brincam com os carrinhos, ligados à figura do pai, e as meninas com as bonecas, tomando como exemplo as mães. “As crianças têm tendência para imitar nas brincadeiras aquilo que vêem os pais fazer”, acrescenta o psicólogo. Certo é que todos um dia fomos crianças e brincámos, com este ou aquele “boneco”, mas o brinquedo não é um exclusivo da infância. Bruno Sousa, 22 anos, estudante afirma que hoje usa outro tipo de brinquedos, “o mp3 ou o telemóvel acabam por substituir os brinquedos de infância”. João Lázaro também é desta opinião: “Mal de nós se deixássemos de brincar. O que acontece é que à medida que ficamos mais velhos usamos outros objectos, mais adequados à nossa actividade diária e às necessidades pessoais”.

Comemoram-se, este ano, 50 anos de existência de uma das criações que mais gerações uniu: o Lego. Um pretexto para fazer uma viagem ao mundo dos brinquedos

DR

A verdade é que os soldadinhos de chumbo, as bonecas de trapo, os piões, as caricas e as bolas de serradura, deram lugar a carrinhos telecomandados ou a barbies e mais recentemente a playstations, videojogos e computadores. A própria Lego tem vindo a adaptar-se aos novos tempos e apresenta hoje, na sua página de Internet, inúmeras soluções de jogos, filmes, clube online e material para download. As brincadeiras vão mudando e as gerações podem reconhecer-se pelos seus brinquedos. Paulo Lameiro, professor de música na SAMP, Sociedade Artística e Musical dos Pousos, e responsável pelo programa Berço, actividade destinada a crianças com idades compreendidas entre as 3 semanas e os 5 anos que concilia o teatro, a música e a dança, acredita que “os brinquedos manuais têm tendência a ser substituídos por brinquedos digitais e num futuro próximo as construções vão passar a ser feitas em suportes informáticos comandados por voz”. Ainda assim, o professor de música, sublinha que “o essencial continua a ser construir”. Mas as crianças não nascem já a pensar em consolas ou em carros telecoman-

As brincadeiras vão mudando e as gerações podem reconhecer-se pelos seus brinquedos

meiros pontos de partida para essa aprendizagem. Como refere Paulo Lameiro, “os problemas surgem quando a criança não brinca”. Assim como as bonecas de trapos e os carros de madeira foram substituídos pelos brinquedos tecnológicos, um dia estes serão substituídos por outros. Por isso, não interessa como, quando ou com o que se brinca, o que interessa é mesmo brincar. Ainda assim, João Lázaro vê, nos videojogos, uma fonte de preocupação: “Brincar é criar soluções para as situações que nos aparecem. Ora, nos videojogos, só existem duas: a certa, que nos leva para outros níveis do jogo; e a errada que nos faz perder. Assim as crianças vão perder uma arma importante que é a imaginação. Não vão conseguir criar soluções”.

DR

Mudam-se os tempos

dados. Paulo Lameiro considera que as muitas diferenças que existem, entre as crianças de hoje e as da sua infância, “não estão nelas, mas sim no que as rodeia”. Com a publicidade, nos diferentes meios de comunicação, surgem novas modas e desde tenra idade, são impelidos a desejarem certos brinquedos em detrimento de outros: os berlindes, Legos e carros telecomandados seriam, provavelmente, tão desejados como agora o são os videojogos ou os produtos do Noddy, explica.

FOTO: RAFAEL COSTA

Os pequenos blocos da Lego foram, para muitas crianças, uma companhia em horas de lazer. Um conjunto de peças de vários feitios e dimensões que, unidas, permitem construções diversas. Mas este aparentemente simples brinquedo parece ser dos que mais estimula as crianças a nível intelectual. Como refere o psicólogo João Lázaro “esse tipo de brinquedo ajuda a criança a fixar modelos de interacção e é esse o sucesso dos Lego, permite que a criança possa interpretar o mundo, construir o que quiser.”

JORNAL DE LEIRIA 28.02.2007

03


Está a dar FITEC promete regresso ANDRÉ MENDONÇA

O Fitec, primeiro Fórum de Inovação, Tecnologia e Emprego que decorreu na ExpoSalão, Batalha, excedeu as expectativas com cerca de 25 mil visitantes durante os quatro dias de exposição. A estreia do IPL na organização deste tipo de certame foi acolhida pela ExpoSalão de 13 a 16 de Março. Segundo Leopoldina Alves, docente do IPL e membro da comissão de organização, o balanço é “claramente positivo”, tendo em conta não só o número de visitantes, mas também o facto de terem recebido inúmeras visitas organizadas de escolas secundárias e de formação profissional. “Um dos objectivos principais era mostrar a todos, alunos e não só, as valências do IPL e divulgar a oferta formativa da nossa escola.” Saúde, Educação e Ciências Sociais, Artes e Design ou Engenharia Tecnológica eram algumas das áreas do saber em que estavam organizados os cursos das cinco escolas do IPL. Leopoldina Alves justifica essa opção como forma de “mostrar o IPL como um todo”, em detrimento da frequente individualização das escolas. Esta aproximação entre escolas foi vista de forma positiva por todos. Inês Tenera, aluna do IPL no curso de Animação Cultural, colaborou nas actividades do seu curso na feira e destacou a importância da “convivência e proximidade com os outros cursos” além

de considerar estar “mais integrada no IPL” depois desta experiência. O responsável pelo gabinete de relações públicas e cooperação internacional da ESEL, Alexandre Soares, realça que uma das mais-valias desta feira, na perspectiva dos alunos do IPL, era a de “dar-lhes a oportunidade de perceberem um pouco melhor o que se passa em todas as escolas do Instituto”, mas também, “os alunos ganharem algum protagonismo” na promoção do seu curso.

Formação e Emprego

Além do IPL, estiveram representados no Fitec outras instituições de ensino superior e formação profissional e até centros de recrutamento. A representante e directora do Centro de Formação Profissional de Leiria, que aceitou o convite por entender que era importante para promover a sua actividade, mostrou-se também satisfeita com o evento. Ana Elisa Santos afirmou ter tido muita adesão, principalmente dos jovens, apesar da instituição ser direccionada também para faixas etárias mais avançadas. “Para o ano, se houver, vamos voltar, principalmente pela experiência que é proporcionada aos nossos formandos”, rematou. Em acção estiveram os alunos dos cursos de serviço de mesa e de cuidados e estética do cabelo, que aplicando os conhe-

cimentos adquiridos, fizeram as delícias dos visitantes com um novo penteado ou um saboroso cocktail. Ana Santos, de 21 anos, recém-licenciada em Ciências da Comunicação, fez questão de visitar a feira pois, além de procurar oportunidades de trabalho, está a pensar ainda em continuar a estudar. A feira agradou-lhe, mas lamentou “as poucas ofertas de emprego na sua área”. Segundo José Frazão, director-geral da ExpoSalão, o caso da Ana não é único. “Muitas pessoas vieram à procura de opções para continuar a sua formação. Às vezes, mesmo com licenciaturas concluídas, as pessoas acham, e bem, que falta qualquer coisa para a sua total realização pessoal e profissional.” À procura de emprego, licenciaturas, cursos profissionais ou novas oportunidades, as visitas ao Fitec vão continuar para o ano. Pelo menos, assim desejam as partes envolvidas neste projecto. Enquanto José Frazão sublinha o “enorme orgulho” que sente da proximidade entre a ExpoSalão e uma instituição como o IPL, Leopoldina Alves e Alexandre Soares não têm dúvidas em referir que, pela “adesão das pessoas” e “pela forma positiva como todas as actividades decorreram”, a aposta é para manter. E, possivelmente, com periodicidade anual. Alexandre Soares conclui: “queremos que o Fitec se torne num evento de referência”.

TAK Tomografia Axial Komputorizada

JORGE BASTOS

Promessa para as redes nacionais

DR

É actualmente um dos jovens em maior destaque no desporto português. Natural de Leiria, mais concretamente da freguesia de Regueira de Pontes, Rui Patrício é o actual dono da baliza do Sporting Clube de Portugal. O futebol entrou na vida de Rui bem cedo, por influência do pai, também ele um amante do desporto rei. Foi com naturalidade que o pequeno Rui deu entrada nos escalões de formação do Sport Clube Leiria e Marrazes, onde começou, curiosamente, a jogar como avançado. A mudança de posição dar-se-ia aos 9 anos de idade. O Sport Clube Leiria e Marrazes deslocouse a Pataias para disputar um torneio, contudo

04

JORNAL DE LEIRIA 28.02.2007

o habitual guarda-redes não pôde comparecer. Rui Patrício foi então chamado à baliza, tendo actuado a bom nível. E a sua exibição foi tão convincente, que Aurélio Pereira, responsável pela formação leonina, gostou e rapidamente encetou contactos para levar o jovem Rui Patrício para Alvalade. Assim sucedeu e Rui Patrício entrou para a tão famosa academia leonina, onde continuaria a sua formação enquanto homem e jogador de futebol. A estreia na equipa sénior do Sporting deu-se a 19 de Novembro de 2006, a jogar como titular frente ao Marítimo, beneficiando da ausência de Ricardo. Além de se tornar no

segundo guarda-redes mais jovem de sempre a actuar pelo Sporting (tinha apenas 18 anos), Rui Patrício defendeu uma grande penalidade, garantindo a vitória sobre o Marítimo. Esta época tem sido de afirmação para um jovem em que os dirigentes leoninos depositam grandes esperanças para o futuro. Depois de tirar o lugar a Vladimir Stojkovic, habitual titular da selecção Sérvia, Rui Patrício tem demonstrado um carácter e qualidades ímpares para um jovem da sua idade. Tal maturidade valeu-lhe a convocação por parte de Luiz Felipe Scolari para o particular entre Portugal e Itália, tendo sido suplente não utilizado. Um jovem para continuar a acompanhar.


Konsumo Obrigatório Shnick

Requinte no olhar e no paladar

Festival da Canção dá o tom

Se para os mais cépticos seria impossível juntar termos como qualidade e rapidez ou simplicidade e requinte seria talvez ainda mais impensável juntar tudo isto num tradicional café. Mas desenganem-se os mais desacreditados. Pensado detalhe a detalhe por Sandra Júnior Gineto e Paulo Alecrim, Shnick, aberto desde 3 de Março de 2007, conjuga saborosamente dois termos à primeira vista incompatíveis, snack e chic. O gosto pela alimentação, a rapidez e os preços acessíveis, misturam-se com um ambiente calmo e elegante. Situado na Travessa do Município junto à primeira repartição das Finanças, e com um horário moldado, Shnick descansa ao domingo e encontra-se aberto de segunda a quinta-feira das oito da manhã às 24 horas. À sexta das 14 às 2 horas da manhã. E aos sábados das 21 às 2 da manhã também. Das 12 às 15 horas, pode contar-se com um moderno e sempre requintado serviço de almoços com forte influência Mediterrânea e com múltiplas opções saudáveis como saladas ou frutas. Sinónimo de multifacetado, este conceito de café, com área separada para fumadores e não fumadores, dispõe uma zona que prima especialmente pelos quadros que, variando sempre, são, neste momento, assinados por Sandrine Cordeiro (1976), pela pequena biblioteca aberta, pelos candeeiros de secretária, pelas mesas de madeira.

FOTOS: JOÃO MATIAS

Real FesTA (en)canta Leiria

FOTOS: JOÃO MATIAS

Está a dar

ANDREIA MATEUS E CARINA FRANCISCO

PEDRO JERÓNIMO

Linda Leiria é o cartão de visita da Tum’Acanénica, tuna mista da ESEL, que pretende perpetuar os tons da sua música de eleição na XI Real FesTA, reunindo cinco das melhores tunas mistas do país. Um “aperitivo” à Semana Académica de Leiria (SAL), a servir nos dias 11 e 12 de Abril, na Praça Rodrigues Lobo e Teatro José Lúcio da Silva, respectivamente. ESCSTunis, Tuna Económicas, Tuna Médica e TAISCTE, todas de Lisboa, e EnfTuna, de

Portalegre, são as cinco tunas a concurso, dia 12, às quais se juntará, extra-concurso, a anfitriã Tum’Acanénica. “O tema do festival deste ano, e para o qual lançámos o repto às tunas é o Festival RTP da Canção, e as músicas que ficaram na memória colectiva nacional”, avançou Paulo Marques, da organização. Três dias de Real FesTA são a novidade deste ano. O primeiro, que decorreu no dia 15 de Março, serviu para escolher as três

que se juntariam as Tuna Médica e TAISCTE, completando assim o elenco final. Segue-se agora a última fase, que começa com uma noite de serenatas, dia 11, “com todas as cinco tunas que irão a concurso no dia seguinte, e ainda as cinco tunas de Leiria – Noctuna, Trovantina, Instituna, TAIL e, claro, Tum’Acanénica.” Associando o Festival de Tunas Académicas a D. Dinis, o Trovador, foi lançado recentemente o site do evento: www.realfesta.com.

Leiria e Caldas da Rainha

FOTO: PEDRO JERÓNIMO

PEDRO JERÓNIMO

A guitarra portuguesa dá o mote, os caloiros traçam as capas pela primeira vez e passam a corvos. É a Serenata. Seguem-se os Clã, Quim Barreiros, Tara Perdida, Jorge Palma e Xutos e Pontapés, os “pratos” principais a servir na SAL|08. Entre novidades e regressos, aí está o cartaz da semana mais ansiada entre a comunidade estudantil leiriense. Pelo palco, a instalar jun-

to ao IC2, vão passar, de 13 a 19 de Abril, alguns dos melhores nomes do panorama musical português. Um mar de capas negras é esperado junto à Sé de Leiria, no arranque da SAL|08, para a tradicional Serenata. Nos mesmos tons – música e cor – será pautada a noite seguinte, já no recinto, onde subirão ao palco as tunas (dia 14). Seguese o reggae de Quem é o Bob? e, em

bom português, a inconfundível Manuela Azevedo, com os Clã (dia 15), para tirar as teimas. Qual baile da paróquia, Big Jovem e Quim Barreiros dão continuidade à animação no recinto (dia 16), seguindo-selhes, numa “onda” mais pesada, os Alcoolémia e os Tara Perdida (dia 17), naquele que será o regresso da banda de João Ribas à cidade do Lis, onde apresentará o seu mais recente trabalho Nada a Esconder. A “jogar em casa” os Apartitudo abrem o penúltimo dia, marcado pelo Voo Nocturno de Jorge Palma no recinto (dia 18). E porque a última noite épara ser Simply The Best, os Xutos e Pontapés reeditam o fecho da SAL do ano passado (dia 19). Na semana seguinte – 23 a 27 de Abril – é a vez das Caldas da Rainha terem a sua semana académica. Os nomes que compõem o cartaz ainda não eram conhecidos à hora do fecho desta edição, no entanto, poderão ser consultados brevemente em www.semanaacademicacaldasdarainha.com. No caso de passares pela net, aponta ainda o endereço www.sal.pt.la.

FOTO: ANDREIA MATEUS

SAL para todos os gostos

O sofisticado toca o olhar, o moderno ressalta à vista e o atendimento traz o primeiro toque de qualidade. A informação espreita por entre jornais e revistas ao dispor dos clientes, o entretenimento está disponível nos inúmeros jogos didácticos (Scrable, Monopólio, Trivial Pursuit, entre outros). Definir Shnick numa palavra não é de todo fácil, distinguir uma especialidade talvez não seja justo, compará-lo a um café tradicional é desnecessário. O conceito fala por si, há atracções para todos os gostos, para todas as idades, para qualquer altura do dia ou da noite.

JORNAL DE LEIRIA 28.02.2007

05


Mário Laginha, pianista e compositor

“Os concertos são o verdadeiro Sentado no mocho ganha-pão dos músicos” Sentou, vai ter k explicar

MÍRIAM GIL E SARA VIEIRA FOTOS: ANDREIA MATEUS

Foi seduzido pelas cordas da guitarra, mas depressa percebeu que eram as teclas a sua vocação. Hoje compõe grande parte dos temas que toca e garante que esse é um grande prazer. Mário Laginha esteve em Leiria para um workshop no Orfeão, mas não se importou de ser Sentado no Mocho

06

O Mário Laginha compõe muitas das músicas que toca. Isso permite-lhe viver os temas com mais intensidade? Compor o que toco é, de facto, aquilo que mais gozo me dá. Como todas as pessoas, também tive, numa determinada altura da minha vida, de tomar uma decisão importante. Ao enveredar pelo caminho do jazz, percebi que não me sentiria realizado se tocasse só standards. A verdade é que havia já muita gente que o fazia – e bem. Senti que não iria trazer nada de novo se me dedicasse exclusivamente aos standards. Compor a minha própria música, com a qual me identifico tanto, traz algo de novo para quem ouve, marca a diferença. O que prefere: compor ou tocar? São complementares. Gosto muito de tocar para o público aquilo que eu próprio compus. Acho que me realizo muito podendo fazer as duas coisas. Quando está no piano recorre muito à expressão corporal. Essa é também uma forma de comunicar com o público? A expressão corporal é

JORNAL DE LEIRIA 28.02.2007

uma consequência da música. Mas não o faço para comunicar com o público. Faço-o porque não consigo estar quieto. Trata-se de um envolvimento físico. Quando era mais jovem pediam-me, muitas vezes, para que não me mexesse quando tocava. Mas, para mim, o jazz não é nada isso. Para sentir o ritmo, às vezes, bato o pé e isso não é um tique. É uma relação física que se estabelece com a música. É algo que é natural, que é bom e que não se deve travar. É uma forma de viver e de sentir a música. Qual é o gosto especial que encontra no jazz? Gosto de outros géneros além do jazz. Foi o fascínio pelo pianista Chick Corea que me levou definitivamente para este género. Esta admiração levou-me a tocar piano mais a sério. Eu até comecei a estudar jazz de uma forma muito ingénua. Lembro-me de pensar: “Ah! O meu ídolo estudou jazz, então eu também vou estudar”. Depois, aos poucos, fuime interessando mais e mais. Fui descobrindo que, afinal, era naquele universo, ou ali perto, que eu queria mesmo estar. O Orfeão de Leiria recebeu-o para um workshop de jazz. Transmitir conhecimentos e experiência às gerações

mais jovens é algo que lhe dá prazer? Dá muito prazer. Sempre pensei que quando ensinamos, também podemos aprender e isso é muito estimulante. Gosto de estar a ensinar algo, de ver a reacção das pessoas e de lhes pedir para tocarem. Essa relação é muito positiva. Além disso, é muito gratificante sentir que posso ser útil ao transmitir a outros aquilo sei. Nos últimos tempos, temse apresentado em duo com o pianista Bernardo Sasseti. Como se conjuga o trabalho de dois pianistas? De facto, sou das pessoas que pode falar sobre este tema, porque tenho tocado muito em duo. Sempre gostei, e continuo a gostar, de juntar personalidades musicais. Tive a experiência de tocar com a Maria João. Nesse caso, estamos a falar de voz e piano, dois instrumentos diferentes, em que é difícil um ocupar o espaço do outro. Quando tenho um duo com alguém que toca o mesmo instrumento, há uma união muito forte. Mas há também um problema: facilmente um ocupa o lado do outro. Mas é aí que reside o desafio, porque nos obriga a pensar noutras soluções. Isso tem que ver com a musicalidade das pessoas e o Bernardo é um músico muito estimulante e

com quem dá gozo trabalhar. Que projectos tem para o futuro? Vários. Eu e a Maria João vamos gravar um disco este ano. Ela comemora 25 anos do seu primeiro disco, no qual também participei. A ideia é fazer um trabalho que lembre o primeiro, por isso vamos ter os mesmos instrumentistas na voz, no piano, no saxofone, no contrabaixo e na bateria. Queremos também tocar alguns standards e ter alguns originais, que irei escrever. É uma espécie de homenagem ao princípio do princípio. O cinema faz parte dos seus planos? Não está necessariamente nos meus planos. Já trabalhei uma vez para a “sétima arte” e até gostei. Mas há pessoas que são mais competentes para o fazer, nomeadamente o Bernardo que já participou em alguns filmes e o público gostou. Acho que ele é a pessoa ideal para o fazer. A Internet e os downloads são uma oportunidade ou uma ameaça? Aponto mais para que seja uma oportunidade. É, no fundo, um sinal dos tempos. A internet faz parte das nossas vidas, não há volta a dar, já está integrada. Apesar


Kultos

DAVID SINEIRO

Sweeney Todd

O Terrível Barbeiro de Fleet Street Sweeney Todd é o mais recente filme da obscura mente de Tim Burton (Corpse Bride/Edward Scissorhands) e, como já é hábito neste realizador, é um filme com uma forte personalidade e uma grande originalidade. O elenco, composto por inúmeros actores de renome, é encabeçado por Johnny Depp (Pirates of the Caribbean/Edward Scissorhands), mais uma vez o escolhido de Tim Burton para o papel principal, Sweeney Todd, um barbeiro injustiçado, a quem foi roubada a mulher e a filha, e que volta do exílio para exercer a sua vingança. Também presentes no filme estão, entre outros, Helena Bonham Carter (Big Fish/Fight Club), Alan Rickman (Perfume/Harry Potter), Sacha Baron Cohen (Ali G/Borat) e Timothy Spall (Harry Potter/The Last Samurai). Este negro musical é comparável apenas a outros grandes clássicos de Tim Burton, como Edward Scissorhands ou The Nightmare Before Christmas, o que o torna em algo único, que vai prender o espectador do princípio ao fim, quer seja através da sua história ou ambientes intensamente cativantes, ou das suas músicas geniais, a cargo de Stephen Soundheim, compositor de renome e criador da peça de teatro baseada na mesma obra.

de todas as vantagens que a internet possa trazer, a verdade é que músicos como eu não ganham dinheiro com ela. Há um lado injusto, é verdade. Quando alguém faz um download está a roubar um bocadinho do artista. Quando vou ao estúdio gravar tenho de pagar por isso. Nesse sentido, a internet faz repensar muitas coisas. Hoje já se percebeu que não é com os discos que se ganha dinheiro. Temos de encará-los como uma forma de promoção dos concertos que são o verdadeiro ganha-pão dos músicos. Viver exclusivamente da música é um desafio? É um desafio, é difícil. É mais ou menos impossível, a menos que se tenha sorte. Se fosse um artista pop e fizesse umas músicas que até estavam na moda, podia chegar muito rapidamente ao topo.

Mas na minha área é mais difícil. Tem de se ir conquistando um lugar. Os meus primeiros dez anos de carreira foram passados com a corda na garganta, sempre no limite. É preciso alguma resistência, muita convicção e fé para se conseguir atingir os objectivos. Agora posso dizer que não estou no limite da subsistência. Tenho sempre uma esperança de trabalho que me permite estar relativamente despreocupado. Este ano está praticamente cheio. Claro que tenho datas disponíveis, mas se não forem preenchidas não fico logo aflito. Se aparecerem mais propostas para concertos melhor, claro. Já dá para fazer uma casa e colocar umas torneiras.

DR

“Quando era mais jovem pediam-me, muitas vezes, para que não me mexesse quando tocava. Mas, para mim, o jazz não é nada isso.”

KURTAS Um tema In front Um compositor Bach Um filme Morte em Veneza Um prazer Comer Um Ídolo Chick Corea Um instrumento Piano

Apesar de muitos poderem torcer o nariz ao género musical, este é um filme que não desapontará qualquer um que se interesse por bom cinema. O elenco mostra o que vale, em especial Johnny Depp, que tem uma prestação brilhante, que lhe valeu um Globo de Ouro e a nomeação para Óscar de Melhor Actor. A realização de Tim Burton não dispensa os habituais cenários sombrios, os particulares movimentos de câmara e o riquíssimo jogo de cores. As músicas conjugam melodia e letra de forma poderosa e, aliadas à divertida e sarcástica crítica social presente no filme, fazem com que este seja uma mistura única de drama e comédia negra. Dono da melhor banda sonora do ano, Sweeney Todd é um filme em que todos os factores se conjugam da melhor maneira possível, criando uma experiência inesquecível. 10/10

JORNAL DE LEIRIA 28.02.2007

07


Últimas

A Fechar

ÉLIO SALSINHA

IX Jornadas dos alunos de enfermagem Estão já a decorrer, no auditório da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, as IX Jornadas dos alunos de Enfermagem, tendo como tema: Enfermagem Oncológica: Diferença(s) no Cuidar. O programa prevê para hoje painéis sobre: Ética em Oncologia, Qualidade de vida do doente oncológico, Quando a cura já não é possível e Comunicação em Oncologia. A iniciativa destina-se a todos os que quiserem participar.

Concurso Jovens Criadores 2008 concurso[\j`^e [\\hl`gXd\ekf v’deo ilustra‹o afXc_Xi`X Jovens cRiadoResÎ08 ^glg_jY^aY\Yf…Y DESIGNGRçFICO Xik\jgc~jk`ZXj dal]jYlmjY e”ka[Y eg\Y [aZ]jYjl] Taça da Liga em FUTSAL banda desenhada INTERNETES Setœbal DYj_gBgk†9^gfkg *1((%,*1K]l”ZYd l]d2*.--*)*(( ^Yp2*.--+*1.+ ]%eYad2ahb&k]lmZYd8ahb&hl

Estão abertas até ao dia 12 de Maio, as inscrições para o Concurso Jovens Criadores 2008. A iniciativa visa incentivar e promover valores emergentes de diferentes áreas artísticas: Artes Plásticas, Banda Desenhada, Ciber Arte, Dança, Design de Equipamento, Design Gráfico, Fotografia, Ilustração, Joalharia, Literatura, Moda, Música e Vídeo. Os concorrentes podem participar individualmente ou em grupo, devendo ter no máximo 30 anos e nacionalidade portuguesa ou residência em território nacional. Do concurso

Ensino Superior para maiores de 23

Estão a decorrer, até 15 de Abril, as inscrições para as provas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência dos cursos superiores do Instituto Politécnico de Leiria (M23). Estas provas destinam-se a permitir aos maiores de 23 a possibilidade de frequentarem o ensino superior. Mais informações em www.ipleiria.pt.

Viseu ;Yjj]ajY\gk;YnYd]ajgk HgjlYdYg>gfl]dg +-((%(++Nak]m l]d2*+*,0+,)( ^Yp2*+*,+)(/( ahb&nak]m8ahb&hl

CARINA FRANCISCO

útil

JORGE BASTOS

O Instituto Politécnico de Leiria (IPL) entrou com o «pé direito» na recém-criada Taça da Liga Universitária de Futsal. O conjunto, orientado por Tó Coelho, derrotou em Leiria o Instituto Politécnico do Porto (IPP) por 5-2. Deste modo, os leirienses garantiram lugar na segunda eliminatória da prova, a disputar hoje. O IPL defrontará nessa ocasião a Associação Académica da Universidade de Aveiro (AAUAv), equipa que derrotou a Universidade Fernando Pessoa (UFP) por 6-3 sob a condição de visitado. Recorde-se que o IPL derrotou a AAUAv na

O Banco Local de Voluntariado de Leiria dispõe de cinco novos programas de voluntariado: GPS – A Brincar vamos Aprender, Espiral Intergeracional, Castor II – Alfabetização/ Novas tecnologias / Sensibilização para a cidadania, ANIM’ARTE e Saúde e Movimento. Nos projecto de voluntariado podem participar todos os indivíduos com mais de 18 anos, com alguma disponibilidade temporal e, sobretudo, interessados em ajudar de forma livre, gratuita e responsável. Mais informações em: www.cm-leiria.pt.

quinta jornada da Liga Universitária de Futsal (triunfo por 3-1), pelo que se repetir o feito abrirá a porta das meias-finais da prova. Na Liga Universitária de Futsal (LUF), o IPL continua em dificuldades para garantir um lugar na final four da prova. No último encontro, a equipa leiriense visitou o Instituto Politécnico de Coimbra tendo perdido por 5-2.

Atletismo também em evidência Em destaque está também o atletismo do IPL. Os resultados obtidos no Campeonato Nacional Universitário

de Atletismo no passado dia 2 de Março, no pavilhão da Expocentro em Pombal, permitiram ao IPL alcançar o primeiro lugar por equipas, à frente da Universidade do Porto. No plano individual, o IPL alcançou medalhas de ouro graças às prestações de Cândida Bairradas (60 metros femininos) e João Lopes (1500 metros masculinos). O IPL arrecadaria ainda o ouro nas estafetas 4x200 metros, com a equipa feminina constituída por Cândida Bairradas, Catarina Rosa, Diana Morgado e Ana Neves, a ser a mais rápida a completar o percurso.

O site ideal para os jovens. Se queres saber as últimas vantagens do cartão jovem, ocupar os teus tempos livres, fazer voluntariado ou até mesmo trabalhar, aqui encontrarás todas as respostas. Não fiques à espera que as coisas te caiam do céu… Informa-te e vai em frente!

http://juventude.gov.pt/portal/

agradável

A Primavera chegou e com ela vem a vontade de renovar o guarda-fatos. Porque não começar por umas t-shirts bastante engraçadas? A loja do cão azul põe à tua disposição t-shirts com variadíssimos temas ironizados. Podes comprar na loja ou através da Internet. Pesquisa e diverte-te…

DR

JORNAL DE LEIRIA 28.02.2007

Vila Real JmY<j&EYfm]d;YjZgfY -(((%--0NadYJ]Yd l]d2*-1+(1.,( ^Yp2*-1+/,/,, ]%eYad2ahb&nadYj]Yd8ahb&hl

IPL segue em frente

Voluntariado com novos programas

08

resultará uma selecção de projectos que será apresentada numa Mostra Nacional onde serão seleccionados os representantes portugueses para um evento internacional. Será ainda produzido um catálogo geral dos seleccionados bem como uma edição da coletânea Jovens Escritores 08. O concurso é uma organização conjunta da Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto, do Instituto Português da Juventude e do Clube Português de Artes e Ideias. Informações sobre o regulamento e ficha de inscrição em: http://juventude.gov.pt.

Viana do Castelo JmY\gHg…g$).'*. ,1((%-)1NaYfY\g;Ykl]dg l]d2*-00(00(( ^Yp2*-00(00)1 ]%eYad2ahb&n[Ykl]dg8ahb&hl

http://www.caoazul.com/loja/

Akadémicos 25  

Edição N.º 25 do Jornal Akadémicos Kapa: Semana Académica anima Leiria

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you