Agenda Cultural FEV | MAR | ABR 2023

Page 1

MARÇO FEVEREIRO 04 | 16H00 RECITAL DE PIANO - SIPO CCC FORA DE PORTAS - CENTRO DE ARTES 05 | 16H00 LANÇAMENTO DE SERIGRAFIA COM IMAGEM DA FESTA DA AMIZADE PORTAS DE ABRIL | CAFÉ-CONCERTO 12 | 17H00 LUÍSA SOBRAL FESTIVAL MONTEPIO ÀS VEZES O AMOR 14 | 22H30 AMOR VIVO CAFÉ-CONCERTO 17 | 21H30 A GAROTA NÃO + FEMME FALAFEL SEASON IMPULSO 2023 22 | 21H30 MEMÓRIAS DE PARIS CINEMA 24 | 21H30 MONÓLOGOS DA VACINA SESSÕES EXTRA: 25 FEV | 16H00 E 21H30 28 | 21H30 DIGA 33 - POESIA NO TEATRO TEATRO DA RAINHA 03 | 21H30 ORQUESTRA CLÁSSICA METROPOLITANA 04 | 22H30 TERYLENE CAFÉ-CONCERTO 08 | 21H30 CESÁRIA ÉVORA CINEMA 11 | 21H30 CASCA DE NOZ MIGUEL ARAÚJO SESSÃO EXTRA: 18H00 16 | 21H30 AS PORTAS DA REVOLUÇÃO CONCERTO COMEMORATIVO 18 | 21H00 ÁGUAS DE D. LEONOR TOMALÁTUNA I FESTIVAL DE TUNAS MISTAS 2
ABRIL 21 | 21H30 DIGA 33 - POESIA NO TEATRO TEATRO DA RAINHA 22 | 21H30 POR DETRÁS DA MOEDA CINEMA 23 | 21H30 MINHA MÃE GANSO SOLISTAS DA METROPOLITANA 24 | 21H30 MARINA HERLOP SEASON IMPULSO 2023 27 | 21H30 FILHO DA PUTA TEATRO DA RAINHA 29 | 21H30 GARDUNHOS SESSÃO PARA ESCOLAS - 14H30 05 | 21H30 COM AMOR E COM RAIVA CINEMA 14 | 22H30 PALMERS CAFÉ-CONCERTO 15 | 21H30 THE GIFT - CORAL 19 | 21H30 NO BEARS CINEMA 20 | 21H30 FLAUTA COM MOZART SOLISTAS DA METROPOLITANA 21 | 21H30 ANGELICA SALVI + SURMA SEASON IMPULSO 2023 24 | 21H30 PORTAS DE ABRIL TRIO ANDRÉ SARBIB + ISABEL CAMPELO 28 | 21H30 O AQUI CIM - COMPANHIA DE DANÇA 3

ABRIR PORTAS, PARA DEDICAR MAIS TEMPO À CULTURA

Neste início de 2023, ancorados numa nova linha de rumo do município, estamos a abrir novas portas à programação do CCC, para que se dedique mais tempo à cultura. Em janeiro foram dados os primeiros sinais e assim continuamos, como se pode ver nesta agenda de fevereiro, março e abril e no que virá a seguir. Uma programação muito especial, que abre portas a projetos de grandes dimensões e latitudes, com foco nos agentes culturais locais, muitos de dimensão nacional, numa perspetiva mobilizadora e envolvente. Um incremento de parcerias com projetos diferenciadores, num território em efervescência criativa.

Programação que abre as “portas de abril”, escancarando um espírito de democraticidade participativa, desafiante e descentralizadora, assim como no chamado “CCC fora de portas”, com propósitos de sair, a pouco-e-pouco, para lugares improváveis da cidade e do concelho. Ao encontro dos públicos.

Querendo contribuir para dotar a cidade das Caldas e o seu território de uma nova centralidade cultural no país, o CCC reforça o seu posicionamento através de uma programação diversificada e de qualidade, apostando em novos formatos, misturando linhas, conceitos e temas. Assim se abrem as portas a vários acolhimentos, espreitando apoios à criação artística e lançando sementes para o que virá, sustentados numa linha de mediação mobilizadora, para mexer com as pessoas. Numa cidade criativa classificada pela UNESCO, moldamos novos desafios à participação e fruição, onde todos contam, no palco ou na plateia, mas sempre no orgulho do seu Centro Cultural e de Congressos. Assim esperamos, esperando por si!

Mário Branquinho

Diretor Geral e de Programação

4

MÚSICA

04FEV INÊS FILIPE

16H00 | CENTRO DE ARTES

INÊS FILIPE vencedora de inúmeros prémios em concursos de piano Nacionais e Internacionais, destacando-se o “Prémio Antena2” do XVII SIPO Internacional Piano Festival, sob o olhar atento de um prestigiado painel de jurados que contou com a presença de Boris Berman, Luiz de Moura Castro, Josep Colom e Paul Badura-Skoda. Apresenta-se regularmente em recitais como solista, contando já com performances em inúmeros países tais como Espanha, Inglaterra, França, Itália, Bélgica, Alemanha, Tailândia, Panamá e Costa Rica. Apresenta uma grande versatilidade no que diz respeito à escolha e execução do repertório pianístico, incluindo obras em concerto que vão desde Bach até música contemporânea. O interesse pela música moderna e contemporânea portuguesa faz com que tenha desempenhado um papel ativo na divulgação da mesma, contando já com várias estreias de obras de compositores portugueses, destacando-se a parceria com o premiado compositor Gerson Batista. Frequentou o CMACG, na classe da Prof. Patrícia Sousa. Graduou-se no Conservatorio Stanislao Giacomantonio em Itália, Conservatori Superior del Liceu em Barcelona e Universidade de Aveiro, tendo estudado com Rodolfo Rubino, Josep Colom e Fausto Neves. Atualmente encontra-se a frequentar a Pós-Graduação no Mestrado em Ensino de Piano na Universidade do Minho com o pianista e pedagogo Luís Pipa.

Recital de Piano CCC FORA DE PORTAS ENTRADA LIVRE 5 CCC | FEVEREIRO ‘23
CICLO DE CONCERTOS COMENTADOS | SIPO – SEMANA INTERNACIONAL DE PIANO DE ÓBIDOS

Luísa Sobral abre as portas ao pop solar de ‘DanSando’, o seu novo álbum de originais, no Montepio às Vezes o Amor, o festival de música do Dia dos Namorados. Explorando com leveza os terrenos da pop, e sem nunca perder os tons jazzísticos, ‘DanSando’ é preenchido por 11 temas originais, guiados pela necessidade de cantar o amor. A nova aventura discográfica de Luísa é um trabalho íntimo e pessoal, mas também socialmente consciente e implicado, reunindo canções que se assumem mais luminosas e nas quais amor é a matéria-prima. Um álbum que a autora admite “que já queria fazer há muito tempo: uma ode à vida”. ‘Gosto de Ti’, o primeiro single, tem-se revelado um verdadeiro hit, tendo rapidamente ultrapassado as 140 mil visualizações no Youtube.

Considerada uma das cantoras e compositoras mais importantes da nova geração de músicos portugueses, Luísa Sobral estreia-se em 2011 com ‘The Cherry on My Cake’, ao qual se segue ‘There’s A Flower In My Bedroom’ (2013), com convidados como Jamie Cullum, António Zambujo e Mário Laginha, ‘Lu-Pu-I-Pi-Sa-Pa’ (2014) e ‘Luísa’ (2016), produzido por Joe Henry (Madonna, Elvis Costello). ‘Rosa’, produzido por Raul Refree (Silvia Pères Cruz, Rosalía, Rocío Márquez) chega em 2018.

A sua faceta de compositora vai-se destacando, chegando a compor para artistas como Ana Moura, António Zambujo, Sara Correia, Mayra Andrade, entre outros. Em 2017 assina ‘Amar Pelos Dois’, tema interpretado pelo irmão Salvador Sobral e vencedor do Festival Eurovisão da Canção. Volta a expandir os seus horizontes criativos em 2020: lança um single com a cantora espanhola Zahara e estreia ‘O Avesso da Canção’, podcast sobre a arte da escrita de canções. No ano seguinte, revela ‘Camomila’ (2021), mini-álbum de canções de embalar.

|
12FEV LUÍSA SOBRAL Festival Montepio às Vezes o Amor 17H00 | GRANDE AUDITÓRIO 6 MÚSICA
Voz: Luísa Sobral | Guitarra: Manuel Rocha | Baixo e contrabaixo: António Quintino
Bateria: Carlos Miguel Antunes Classificação: M/6 Duração: 90 min Bilhetes: 1ª Plateia: 20€ | 2ª Plateia: 18€ | Tribuna e Camarotes: 15€ - 20% para os portadores do cartão associação mutualista montepio a partir de 1 de Janeiro na compra limitada de 2 bilhetes por pessoa/cartão.

AMOR

Joana (voz) e Tiago (guitarra) apresentam um concerto de homenagem a Pedro e Inês e ao Humanismo. O cruzamento de experiências musicais de ambos os músicos dá um novo fôlego a música que faz parte da nossa cultura. (Re)Interpretações sonoras e poéticas, a dádiva de amar só porque sim. A linguagem do Amor em Português. Sonoridades do passado, presente e futuro romance de Fado, música tradicional, Rock e melodias de sempre. O amor para além do romântico e a continuidade da vida no lugar imortal da poesia, da Arte. A liberdade é pequena como um grão e ter o mundo dentro do peito.

22H30
7 CCC | FEVEREIRO ‘23 MÚSICA
14FEV
VIVO Tiago da Neta e Joana Rodrigues
| CAFÉ-CONCERTO Voz: Joana Rodrigues | Guitarra: Tiago da Neta Classificação: M/6 Bilhetes: Entrada Livre

17FEV A GAROTA NÃO + FEMME FALAFEL Season Impulso

A GAROTA NÃO canta a intervenção através de uma doce reflexão sobre os tempos que vivemos. Uma viagem social, política, de quem luta com o coração e dá corpo, alma e voz a um projecto absolutamente único. Em 2022 lançou “2 de abril”, álbum de homenagem ao bairro homónimo onde cresceu, em Setúbal. Um álbum, segundo a própria, “temperado com vontade, comoção, repulsa, cansaço e aquela dose de angústia de onde se arrancam os temas mais doridos. E depois serenidade. E depois alegria. E no fim disto tudo, uma grande gratidão.”

FEMME FALAFEL (aka Raquel Pimpão) é uma rapariga de 27 anos, alfacinha de nascença, caldense de coração, apaixonada por disco, hip-hop, salsa e pastéis de nata. Usa o piano, a voz e o logic para arrancar as amarguras mais profundas debaixo dos glaciares da consciência. Põe as emoções a rimar para parecerem mais legítimas e serve num prato temperado com sarcasmo e coentros para que não se veja a olho nu. Julga-se uma trapalhona com classe e o seu objectivo artístico é o elogio da tolice. Afinal de contas, a fatalidade não é o seu forte. A banda de luxo gourmet que a acompanha nesta aventura é protagonizada por Francisco Santos na bateria, Tiago Martins no baixo e Lana Gasparotti nas teclas e sintetizadores.

Classificação: M/6

Bilhetes: Geral 12€ | Estudante 7€

2023 21H30 | GRANDE AUDITÓRIO
MÚSICA 8

Em novembro de 2015, Paris e Saint-Denis foram alvo de ataques terroristas. Ocorreram três explosões simultâneas em locais diferentes, mas o ataque mais mortífero foi na casa de espetáculos Bataclan, onde os terroristas fuzilaram várias pessoas e fizeram outras reféns até o início da madrugada. No total, o ataque resultou em 130 mortes e 350 feridos, alguns em estado grave. No dia seguinte, a organização jihadista do Estado Islâmico assumiu a responsabilidade pelo sucedido. Mia, que se encontrava em Paris nessa mesma noite, sobreviveu quase por milagre. Mas a situação foi de tal modo traumática que ela apagou tudo da memória. Três meses depois, apenas recorda o sentimento de terror. Num esforço de superar aquilo tudo, decide refazer todos os passos e evocar aquelas horas terríveis.

Bilhetes:
4€ | Estudante/Sénior 3€ 22FEV
21H30 | PEQUENO AUDITÓRIO CCC | FEVEREIRO ‘23 CINEMA 9
Realizador: Alice Winocour | Elenco: Benoît Magimel, Grégoire Colin, Virginie Efira | Género: Drama | Ano: 2022 | País: França Duração: 105 min Classificação: M/12
Geral
MEMÓRIAS DE PARIS Cinema
Parceria:

21H30 | GRANDE AUDITÓRIO

24FEV MONÓLOGOS DA VACINA

Sessões extra: 25 FEV | 16H00 e 21H30

João Baião é sinónimo de Alegria, Energia e Boa disposição! Refletindo todos estes elementos neste espetáculo que idealizou. Não se deixe enganar pelo nome, é um Monólogo que rapidamente passa a uma eletrizante sequência de diálogos, coreografias, canções e cenas recheadas de humor, temas atuais tudo envolvido numa cenografia contemporânea, pensada para adaptar-se a cada número, criando um novo espaço cénico a cada cena. Uma autêntica explosão de luz, vídeo e dança! Conta com um elenco de Bailarinos e Atores queridos do grande público, juntos nestes “Monólogos da Vacina”.

Atores: João Baião, Cristina Oliveira, Mané Ribeiro, Susana Cacela e Telmo Miranda Duração: 120 min Classificação: M/12 Bilhetes: 1ª Plateia e Fosso de Orquestra: 22€ | 2ª Plateia: 20€ | Tribuna e Camarotes: 18€
10 TEATRO

Poesia no Teatro é um ciclo de conversas com poetas, editores, ensaístas, em torno da poesia. Debatem-se obras, partilham-se percursos, lêem-se textos.

28 FEV 21H30 | SALA

MULTIUSOS

Romancista, ensaísta, poeta, Luís Carmelo (1954) doutorou-se pela Universidade de Utreque. Começou a publicar em 1981. É autor do romance “A Falha” (1998), adaptado ao cinema por João Mário Grilo. Em 2022, para comemorar 40 anos de vida literária, publicou a trilogia Órbita, composta pelo romance “Visão Aproximada”, o ensaio “Respiração Pensada” e o livro de poemas “Biografia do Mundo”.

21 MAR 21H30 | PEQUENO AUDITÓRIO

No dia da poesia vamos evocar o editor Fernando Ribeiro de Mello (1941-1992) e as suas edições Afrodite, responsável pela polémica publicação da “Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica” (1966) organizada por Natália Correia. Será exibido o documentário “Editor Contra”, de Luís Alvarães, baseado na obra com o mesmo nome de Pedro Piedade Marques, seguido de debate com os respectivos autores.

Organização: Teatro da Rainha Bilhetes: 3€

TEATRO 11

São muito jovens, mas a exigência dos repertórios que tocam mostra bem o nível de formação musical a que chegaram. Sediada na Escola Profissional da Metropolitana (EPM), a Orquestra Clássica Metropolitana permite aos instrumentistas a prática de conjunto essencial para o seu desenvolvimento musical. O agrupamento, nascido no ano letivo de 2012/2013, começou desde logo a desenvolver um esquema de trabalho específico, com ensaios semanais e programas a apresentar publicamente.

Solista: Vencedor do Concurso Jovem Solista Inatel 2022 | Direção Musical: João Malha Classificação: M/6 Bilhetes: Geral 10€ | Estudante/Sénior 7.5€ 03MAR ORQUESTRA CLÁSSICA METROPOLITANA Prémio Fundação Inatel 21H30 | GRANDE AUDITÓRIO MÚSICA 12

Terylene é um dueto de voz, harmónica e guitarra, que se dedica a interpretar canções portuguesas de que já muito poucos se lembram. Ou porque foram escritas há cinquenta anos, ou porque, simplesmente, são boas demais para passar na rádio.

Os terylene acabam de lançar o seu segundo álbum, Ritz. Neste espetáculo de lançamento do álbum, os terylene pegam-nos pela mão e convidam-nos a visitar esse recanto de sedução retro que é a canção ligeira portuguesa. É aqui, neste Ritz, que vivem as canções que se tornaram verdadeiros lugares de culto onde é reservado o direito de admissão. O portuguese songbook no que tem de mais genuíno, limpo, galanteador e gracioso. Os terylene são o Francisco Ferro (Enapá2000, Irmãos Catita) e o Rui Correia (Gaarbo, Gardunhos) e atuam preferencialmente em espaços intimistas, sítios onde as letras das músicas se percebem.

Voz e Harmónica: Francisco Ferro | Guitarra: Rui Correia | Design: Cecília Pimenta | Fotografia: António Figueiredo | Editora: World Music Records Classificação: M/6 Bilhetes: Entrada Livre 04MAR TERYLENE 22H30 | CAFÉ-CONCERTO 13 MÚSICA CCC | MARÇO ‘23

A “diva dos pés descalços”, a icónica Cesária Évora num documentário que mostra imagens nunca vistas e oferece uma visão nunca antes explorada sobre a vida da cantora cabo-verdiana que, apesar de não corresponder ao modelo normal de sucesso, foi capaz de superar todas as condições que normalmente a afastariam da ribalta. Esta é a história de uma mulher negra, africana, com mais de cinquenta anos e vinda de um contexto pobre, cujo único sonho era ser livre.

Realizador: Ana Sofia Fonseca | Género: Documentário | Ano: 2022 | País: Portugal Duração: 94 min Classificação: M/12 Bilhetes: Geral 4€ | Estudante/Sénior 3€ 08MAR CESÁRIA ÉVORA Cinema 21H30 | PEQUENO AUDITÓRIO Parceria: CINEMA 14

"Em 2019 dei a volta ao país numa digressão de auditórios a que chamei de “Casca de Noz”. Eu, sem guião, sozinho no palco, amparado pelos meus instrumentos e pelas minhas músicas. A aventura passou pelas principais salas do país e culminou com sessão dupla no Coliseu do Porto. Na altura ainda só ia a meio do que é a minha discografia editada. Sinto que já justifica uma nova temporada. De quando em quando as minhas músicas sentem vontade de se passearem por aí da forma que vieram ao mundo. E eu tenho muitas que ainda não toquei ao vivo. Venham!"

M.A. Duração: 90 min Classificação: M/6 Bilhetes: 1ª Plateia: 25€ | 2ª Plateia: 22€ | Tribuna: 15€ 11MAR CASCA DE NOZ Miguel Araújo Sessão extra: 11 MAR | 18H00 21H30 | GRANDE AUDITÓRIO CCC | MARÇO ‘23 15 MÚSICA

16 MAR AS PORTAS DA REVOLUÇÃO

21H30 | GRANDE AUDITÓRIO

Concerto Comemorativo

Espetáculo comemorativo do primeiro movimento revolucionário saído de Caldas da Rainha a 16 de Março de 1974, a porta de entrada para a revolução que viria a acontecer no dia 25 de Abril do mesmo ano. Uma visita e homenagem à banda sonora da revolução, as canções que refletem o sentimento de inquietação e emergência de mudança que se vivia na época.

Voz e Guitarra: Nelson Rodrigues | Acordeão e Piano: Luís Agostinho | Bateria e Percussão: Nuno Ferreira | Baixo: António Macedo | E convidados Classificação: M/6 Bilhetes: 5€

16 MÚSICA

A TomaLáTuna tem imenso gosto em anunciar o I Águas de D. Leonor, Festival de Tunas Mistas da TomaLáTuna, a realizar-se nos dias 17 e 18 de março de 2023, na cidade de Caldas da Rainha.

Esta 1ª edição do Festival de Tunas Mistas em homenagem à nossa padroeira, Rainha D. Leonor, “Águas de D. Leonor”, com início no dia 17 de março, às 21h30, no Largo D. Manuel I (junto ao Hospital Termal) para uma noite de serenatas. No dia 18 de março, às 21h00, o Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha (CCC) recebe a noite de espetáculo, onde 4 tunas entram em disputa por vários prémios de diversas categorias.

Duração: 4h / Intervalo: 20 min Classificação: M/6 Bilhetes: Geral 8€ | Estudante 5€ | Crianças (até aos 9 anos) Gratuito 18MAR ÁGUAS DE D. LEONOR I Festival de Tunas Mistas da TomaLáTuna 21H00 | GRANDE AUDITÓRIO CCC | MARÇO ‘23 MÚSICA 17

Realizador: Luís Moya | Elenco: Nuno Norte, Miguel Cerqueira, Músicos de rua do Porto, Alexandre Amorim, Carlos Maciel, Philipe Santos, Alline, André Rasta, Nelo Punk, Zé Punk, &quot, Stones&quot, Romeno | Género: Documentário | Ano: 2019 | País: Portugal | Outros: Distribuição em Portugal: Filmógrafo-Cinema e Audiovisuais Duração: 93 min Classificação: M/14 Bilhetes: Geral 4€ | Estudante/Sénior 3€

PORTO. Dias acelerados ao som da música dos artistas de rua. Deixamos cair uma moeda, prosseguimos, mas que histórias se escondem “por detrás da moeda” !? Das ruas para os palcos, da ribalta para as ruas. Almas que buscam alimento, corpos que procuram sustento, mas no final apenas a música sobrevive.

22MAR POR
CINEMA 18
DETRÁS DA MOEDA Cinema 21H30 | PEQUENO AUDITÓRIO Parceria:

21H30 | PEQUENO AUDITÓRIO

Ficha artística: Anna Tomasik, Savka Konjikusic (piano a 4 mãos)

A quatro mãos, este recital folheia o primeiro caderno das nossas vidas por intermédio de três obras musicais. Inicia com uma melodia que todos reconhecemos de imediato, tal é a sua popularidade. Trata-se da Pequena Serenata Noturna de Mozart, escrita em Viena, no verão de 1787, poucos meses antes da estreia da ópera Don Giovanni. Reúne quatro peças bem humoradas que, em reduzida escala, replicam a configuração de uma sinfonia. Originalmente, foi escrita para quarteto de cordas, mas adaptou-se ao longo do tempo às mais variadas formações instrumentais. Ouvimos depois os «Jogos de Crianças» de Bizet, um ciclo de doze miniaturas que ilustram habilmente brincadeiras como o baloiço e as bolas de sabão. Por fim, Minha Mãe Ganso de Ravel, cinco peças que evocam contos que todos conhecemos, tais como a «A Bela Adormecida», «O Pequeno Polegarzinho» ou «A Bela e o Monstro».

23MAR MINHA MÃE GANSO Solistas da Metropolitana MÚSICA 19

W. A. Mozart | Pequena Serenata Noturna G. Bizet | Jeux d’enfants M. Ravel | Suíte Ma mère l’Oye
Ilustração: Rita Antunes Classificação: M/6 Bilhetes: Geral 7.5€ | Estudante/Sénior 5€ CCC | MARÇO ‘23

MARINA HERLOP

+ A ANUNCIAR Season Impulso 2023

Marina Herlop é uma das promessas da nova música independente Europeia. Após os aclamados álbuns “Nanook” e “Babasha”, emerge em 2022 de forma vibrante com o hipnotizante “Pripyat” lançado pela conceituada editora PAN. A catalã, compositora, vocalista e pianista com formação clássica, canaliza o ambiente do álbum de uma forma verdadeiramente pós-humana; Herlop executa acrobacias vocais alienígenas, inspirando-se na música do sul da Índia, enquanto planta uma diversidade de sementes sonoras que florescem brilhantemente num suntuoso jardim de composições quiméricas produzidas, pela primeira vez, exclusivamente eletronicamente. Num ano em que se apresentou no Primavera Sound Barcelona e LA, CTM, Mutek, Dekmantel e Le Guess Who?, traz ao Impulso um álbum referenciado pela crítica internacionalinclusive considerado um dos melhores discos de 2022 para a Pitchfork - tendo recentemente recebido a atenção de artistas como Bjork ou Animal Collective.

Classificação: M/6 Bilhetes: Geral 10€ | Estudante 6€
24MAR
21H30 | GRANDE AUDITÓRIO
20 MÚSICA

O filho-da-puta é um comemorativista, um amante das datas que celebram as mortes, um militante da acumulação do regresso do passado como peso e inércia dramática e kitch, ele grita em surdina para si mesmo “viva a morte”, como o general de Franco, pois cultua as abstrações herói-maníacas, a megalomania e a grandiloquência, sendo admirador da tortura e do castigo, da sevícia. Sim, nele, tudo tem a ver com a morte, como refere Pimenta, com celebrar a morte mas também com flores de plástico. Esta peça é um grito gramaticalmente impecável, rigoroso, pela liberdade livre e contra o preconceito e o amiguismo hipócrita e nepótico que continua a constituir os modos da nossa sociabilidade sempre muito atravessadas de ambições de poder e poderes.

“AQUI

Texto: Alberto Pimenta | Direção: Fernando Mora Ramos [Encenação] e Miguel Azguime [Composição Musical] | Galeria de retratos FDP’s: José Serrão | Estátua do FDP: Mariana Sampaio | Iluminação: António Anunciação e Lucas Keating | Cenografia e Figurinos: Fernando Mora Ramos | Fotografia: Lina Cruz e Paulo Nuno Silva Quarteto de Cordas Vocais: Beatriz Antunes, Fábio Costa, Marta Taveira e Nuno Machado Duração: 1H40 Classificação: M/14 Bilhetes: Entrada Livre - Dia Mundial do Teatro Lotação limitada. Levantamento de convite na bilheteira uma hora antes do início do espetáculo.

27MAR
21H30
O FILHO DA PUTA Teatro da Rainha
| PEQUENO AUDITÓRIO
CCC | MARÇO ‘23 21 TEATRO
JAZ O BEM-AMADO… ONDE AS MINHOCAS O COMEM; FOI HOMEM DALGUM ESTADO MAS PERDEU ESTADO DE HOMEM.”

GARDUNHOS 21H30 | GRANDE AUDITÓRIO SESSÃO ESCOLAS: 14H30

Direção musical: Rui Correia | Composição e lírica: António Correia | Músicos: António Correia, Rui Correia, Nuno Ferreira, Paulo Seixas e Carlos Karella | Ator: José Ramalho | Produção musical e sonoplastia: Jorge Quintela | Textos e pesquisa histórica: Rui Correia | Vídeos: António Correia | Design e guarda-roupa: Cecília Pimenta e Teresa Lourenço Classificação: M/6 Duração: 90 minutos Bilhetes: Geral 10€ | Estudante/Sénior 7.5€ | Sessão escolas 3€

“Gardunhos” é um projeto musico-literário que consiste numa fusão experimental entre a música tradicional portuguesa e uma afeição pela era medieval lusa e pela cultura, mentalidade, história e estética medievais. O espetáculo “Gardunhos” integra criações vídeo e sonoplastia que produzem uma atmosfera de imersão evocativa do assombroso período do nascimento de Portugal. O espetáculo “Gardunhos” consiste num exercício de historytelling musical, em que se percorrem quatro séculos da História portuguesa, tomando por referência alguns dos mais empolgantes momentos deste tão equívoco e fascinante período histórico.

29MAR
MÚSICA 22

Jean e Sara vivem juntos há dez anos. Quando se conheceram, Sara vivia com François, o melhor amigo de Jean. Jean e Sara amam-se. Um dia, Sara vê François na rua. Ele não a vê, mas um sentimento que a vida pode mudar repentinamente apodera-se dela. François contacta Jean. Sugere que trabalhem juntos. A partir desse momento, tudo fica fora de controlo.

Realizador: Claire Denis | Elenco: Bulle Ogier, Issa Perica, Alice Houri, Mati Diop, Bruno Podalydes, Lola Creton, Richard Courcet | Género: Drama | Ano: 2021 | País: França | Outros: Festival de
Urso de Prata -
Duração: 116 minutos Bilhetes: Geral 4€ | Estudante/Sénior 3€ 05ABR COM AMOR E COM RAIVA Cinema 21H30 | PEQUENO AUDITÓRIO CCC | ABRIL ‘23
CINEMA 23
Berlim -
Melhor Realizadora
Parceria:

Palmers são Cláudia, Raquel e Vasco. Conheceram-se e formaram a banda em 2018. A sua caminhada começou com o lançamento da demo “I Don’t Care” que foi gravada num sótão. A banda lançou dois EPs: Younger Days (2018) e Running Thoughts (2019). Após passarem algum tempo a tocar em várias salas do país (Music Box, Maus Hábitos e Sabotage) e partilharem o palco com bandas como Iceage, The Last Internationale e Parkinsons, a pandemia forçou-os a parar. Esta pausa deu-lhes a oportunidade de trabalhar no seu álbum de estreia “Seasonal Affective Disorder” que já se encontra disponível nas plataformas digitais.

Voz: Raquel Custódio e Cláudia Brás | Guitarra: Vasco Cavalheiro | Baixo: Cláudia Brás | Bateria: Raquel Custódio Classificação: M/6

Bilhetes: Entrada Livre

14ABR
22H30 | CAFÉ-CONCERTO MÚSICA 24
PALMERS

Coral saiu sem aviso. Saiu de dentro, sem ninguém estar à espera. O músico de hoje tem de seguir instintos, mas sobretudo respeitar os impulsos. Nada se organiza com tempo. As coisas saem. Ou se aproveitam, ou não. A digressão deste Coral é um desses momentos. Únicos, que nos saem de dentro sem aviso... O nosso impulso, fazer os concertos certos, nos locais certos. Será sobretudo por respeito àquilo que não se prevê, os nossos impulsos. Ou se aproveita ou não. Por detrás da cortina de cada teatro e auditório, um coro que enche o palco, e os Gift. Uns agarrados às letras, outros agarrados ao laboratório rude da eletrónica. Coral ao vivo é sobretudo uma celebração. Da vida. Do impulso. De estarmos ainda aqui a seguir aquilo que não se vê, o nosso instinto.

THE GIFT | Voz: Sónia Tavares | Teclados: Nuno Gonçalves | Teclados: John Gonçalves | Teclados: Miguel Ribeiro

CORO: Manuel Rebelo, Catarina Rebelo, Bianca Varela , Miguel Carvalho, Rita Meireles, Henrique Coelho, Martim Líbano Monteiro, Mateus Líbano Monteiro, Sérgio Fontão, Rui Miranda, Luis Beirão, Filipe Teixeira, Carolina Saldanha, Maria Castanheira, Isabel Fernandes, Sofia David, Catarina Brown, Lia Frusoni, Tomás Aragão, Nuno Pimenta

TÉCNICOS | Som: Nuno Ruas - FOH, Andrés Malta - Monitores | Iluminação: Miguel Valério | Vídeo: Diogo Cigarro | Roadies: Tiago Areias, André Frutuoso, Cristóvão Carvalho, Henrique Bértolo | Road Manager: Paulo Bismarck

Fotografia: Pedro Ferreira

Classificação: M/6

Duração: 75 min Bilhetes: 1ª Plateia 25€ | 2ª Plateia 22€ | Tribuna e Camarotes 20€

CCC | ABRIL ‘23 MÚSICA 25
15ABR THE GIFT - CORAL 21H30 | GRANDE AUDITÓRIO
Filmado secretamente no Irão por Panahi, Naser Hashemi, Vahid Mobasri, Bakhtiar Panjei e Mina Kavani, o filme conta duas histórias de amor paralelas nas quais os parceiros são frustrados por obstáculos ocultos e inevitáveis, a força da superstição e a mecânica do poder. Realizador: Jafar Panahi | Género: Drama | Ano: 2022 | País: Irão | Outros: Festival TIFF Duração: 106 min Classificação: M/12 Bilhetes: Geral 4€ | Estudante/Sénior 3€ 19ABR NO BEARS Cinema 21H30 | PEQUENO AUDITÓRIO Parceria: 26 CINEMA

Terá sido durante uma curta permanência na cidade alemã de Mannheim que, no final da década de 1770, Mozart escreveu três dos seus quatro Quartetos com Flauta. O terceiro foi escrito pouco tempo depois. Nessa altura, a flauta beneficiava de novas técnicas de construção, o que se refletia na melhoria da precisão sonora e das capacidades expressivas. Os compositores começaram então a explorar esses mecanismos com variações sonoras subtis. Neste caso, são quartetos que quase se parecem com pequenos concertos, tal é o protagonismo da flauta. Nunca se perde, porém, o caráter intimista da música de câmara. Já de 1782, o Quinteto com Trompa KV 407 revela-nos um Mozart recém-chegado a Viena, quando ainda procurava construir o seu círculo de contactos. Foi dedicado a um trompista seu amigo de infância que também se radicara naquela cidade. É um exercício de combinações tímbricas meticuloso, capaz de entrelaçar harmoniosamente a sonoridade peculiar da trompa e o registo voluptuoso das cordas.

Flauta: Nuno Inácio | Trompa:
| Violino:
| Viola:
| Violetista:
| Violon-
Duração:
Classificação:
Bilhetes: Geral 7.5€ | Estudante/Sénior 5€ CCC | ABRIL ‘23 W. A. Mozart | Quarteto com Flauta N.º 3 W. A. Mozart | Quarteto com Flauta N.º 2 W. A. Mozart | Quarteto com Flauta N.º 1 W. A. Mozart | Quinteto com Trompa 20ABR FLAUTA COM MOZART Solistas da Metropolitana 21H30 | PEQUENO AUDITÓRIO 27 MÚSICA
Daniel Canas
Alexêi Tolpygo
Valentin Petrov
a anunciar
celo: Nuno Abreu
60 min
M/6

A harpista espanhola Angélica Salvi, radicada no Porto desde 2011, dedica-se à improvisação e à música contemporânea e eletroacústica, explorando várias técnicas de preparação e amplificação do instrumento na busca de novos timbres e sonoridades. A harpista convida o público a mergulhar nos seus referenciais emocionais e espirituais, servindo-se deles como guião de um sonho. Partindo da acrobacia do respirar (inalar, exalar) e da dinâmica das marés, Salvi explora o universo da repetição numa invocação cósmica e estruturada do transe num movimento magnético e sincopado. Nesta viagem interior, onírica e intimista, o público é guiado por caminhos sinuosos e tropicais, numa experiência potencialmente xamânica, por sonoridades ambíguas e multifacetadas, desde Papé Nziengui a Alice Coltrane.

A carreira de Surma tem emitido uma luz especial e rara, traduzida pela adição de prémios e impressionantes conquistas que nos explicam o alcance da sua música, das suas ideias e da sua personalidade. “Antwerpen”, editado em 2017, fê-la percorrer o mundo, atuando mais de 250 vezes por uma quinzena de países, entre pequenos clubes a imponentes festivais ao ar livre. Ao longo deste extenso passeio que fez para mostrar o seu disco de estreia, Surma acumulou ainda inúmeros projetos paralelos – bandas sonoras, sonoplastia, música para teatro e dança, colaborações com outros músicos -, mostrando a sua energia, mas também a sua generosidade e vontade de ir além, fazendo mais e, sobretudo, diferente. O novo disco “alla”, considerado um dos melhores de 2022, é um desafio sem barreiras, onde se rodeia de várias participações, de variados géneros musicais para adensar e consolidar ainda mais o seu universo tão próprio. Em palco apresenta-o assumindo um formato de trio onde cabem também, para além de Débora Umbelino, os cúmplices João Hasselberg e Pedro Melo Alves.

Classificação: M/6 Bilhetes: Geral 10€ | Estudante 6€ 21ABR ANGELICA SALVI + SURMA Season Impulso 2023 21H30 | GRANDE AUDITÓRIO 28 MÚSICA
Neste projeto
Sarbib
viajam pelas
de intervenção
Zeca Afonso, José
Branco,
Godinho
portância que
da revolução de abril. Voz: Isabel Campelo | Piano e voz: André Sarbib | Contrabaixo: José Lima | Percussão e bateria: João Cunha Classificação: M/6 Bilhetes: Geral 10€ | Estudante/Sénior 6€ CCC | ABRIL ‘23 MÚSICA 29 24ABR TRIO ANDRÉ SARBIB CONVIDA ISABEL CAMPELO Portas de Abril 21H30 | GRANDE AUDITÓRIO
André
e Isabel Campelo
obras dos cantores
como
Mário
Sérgio
lembrando a im-
a música teve no sucesso

28ABR

21H30 | GRANDE AUDITÓRIO

O AQUI CIM - Companhia de Dança

O AQUI é um espectáculo de dança cujo tema é o tempo. O tempo cronológico e o tempo interior, explorados através do cruzamento de linguagens, tecendo uma peça em que os sentidos e as emoções nos conduzem a um reequilíbrio constante. Em palco, é criado um espaço de desafio, uma arena de olhares e de questionamento, que induz à reavaliação de quem sou Eu e de quem é o Outro.

O AQUI pretende ser um lugar de paragem nas modelações e encenações que a sociedade produz, numa procura constante do humanismo absoluto. Um espectáculo com uma narrativa por vezes fluida, por vezes fragmentada, onde se encontram mundos com diferentes circunstâncias de ser e de estar, onde confluem o risco e o afecto, o arrojo e a generosidade e se conquista um espaço de igualdade.

Direção Artística e Coreografia: Ana Rita Barata | Direção Artística e Realização: Pedro Sena Nunes | Dramaturgia e Voz: Natália Luíza | Interpretação: Bruno Rodrigues, David Fernandes, Joana Gomes, Jorge Granadas, José Marques, Maria Figueiredo, Maria Inês Costa, Sofia Kafol | Música: João Gil | Música Gravada & Interpretada: Artur Costa (saxofone, sintetizadores e programações), Daniela de Brito (violoncelo), João Gil (viola e cavaquinho) | Gravação de Voz: Nuno Costa | Estúdio de Gravação de Voz: Timbuktu | Cenografia: Wilson Galvão | Figurinos e Adereços: Marta Carreiras | Desenhos e Pinturas: João Ribeiro | Direcção Técnica: Sérgio Joaquim | Produção Vo’Arte: Inês Baptista | Direcção e Coordenação Executiva CiM: António Barata, Célia Carmona | Co-produção: Vo’Arte, São Luiz Teatro Municipal e Teatro Nacional São João Classificação: M/6 anos Duração: 60 min Bilhetes: Geral 10€ | Estudante/Sénior 7,5€

30
DANÇA

A 4 de Fevereiro de 1983 aconteceu em Caldas da Rainha A Festa da Amizade, organizada por um grande grupo de amigos que José Afonso aqui criou.

Foi um concerto solidário que reuniu nomes maiores da música e literatura portuguesas, sendo também uma das últimas presenças de José Afonso em palco.

O lançamento da serigrafia que reproduz o cartaz então editado, tem um significado especial e corresponde à primeira iniciativa do programa "O que faz falta - celebrar José Afonso ".

Organização: Associação José Afonso | Núcleo das Caldas da Rainha Apoio: Município das Caldas da Rainha Entrada Livre

31
05FEV LANÇAMENTO DE SERIGRAFIA COM IMAGEM DA FESTA DA AMIZADE Portas de Abril 16H00 | CAFÉ-CONCERTO

EXPOSIÇÃO JOSÉ SARAMAGO | UM ESCRITOR DE INQUIETAÇÕES

O STAL – Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local, associou-se ao centenário de nascimento do Prémio Nobel da Literatura, através de uma exposição com a chancela da Fundação José Saramago, e que está a percorrer vários distritos de Portugal. José de Sousa Saramago nasceu no seio de uma família de camponeses humildes, na aldeia de Azinhaga (concelho da Golegã; distrito de Santarém), no dia 16 de Novembro de 1922, e veio a falecer na ilha espanhola de Lanzarote, a 18 de Julho de 2010. José Saramago, o único Prémio Nobel da Literatura em Língua Portuguesa, dominou a palavra escrita com grande vigor, engenho e arte, tendo-nos legado 40 obras, às quais acrescentou sempre um cunho social, sendo, muito justamente, considerado um dos maiores vultos da literatura mundial, para orgulho de todos os que amam a Língua Portuguesa.

Modelo: Exposição itinerante | Curador: António Marques

32
11
FEVEREIRO - 12 MARÇO

EXPOSIÇÃO ITINERANTE

DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA ASPIRING GEOPARQUE OESTE FEVEREIRO E MARÇO | CAFÉ-CONCERTO

O Concurso de Fotografia no aspiring Geoparque Oeste foi coorganizado pela Associação Geoparque Oeste (AGEO) e a Revista National Geographic - Portugal. Esta iniciativa decorreu durante os meses de abril a junho de 2022 e teve como objetivos a promoção do património natural e cultural do território, a divulgação deste aspirante a Geoparque Mundial da UNESCO, a apresentação de um território de paisagens e cenários icónicos e a projeção da fotografia como ferramenta de promoção e divulgação.

A exposição itinerante pelo território do aspiring Geoparque Oeste com as fotografias vencedoras já esteve patente no Salão Nobre do Município do Bombarral, no Hall da Câmara Municipal da Lourinhã e em seguida e no Hall da Câmara Municipal do Cadaval.

33
“Sinking Inside” – Autor Rui Santos

MEDIAÇÃO DE PÚBLICOS

OFICINAS CRIATIVAS NO

CCC Férias da Páscoa | Informações Brevemente educa@ccc.com.pt

RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS

O CCC terá um Programa de Residências de Criação que procura contribuir para o desenvolvimento dos percursos dos criadores nacionais e internacionais, através de vários apoios e condições artísticas para a produção e difusão das artes performativas.

34 O FICINAS CRIATIVAS

FICHA TÉCNICA DIREÇÃO

Presidente Pedro Brás

Vice-Presidente João Bernardes e Silva Tesoureiro Nuno Aleixo Santos EQUIPA

Direção Geral e de Programação Mário Branquinho Coordenação | Secretariado Vanessa Gonçalves Produção Dina Santos Comunicação | Marketing Catarina Alves Design de Comunicação Mara Pereira Mediação de Públicos Maria João Ferreira Contabilidade | Recursos Humanos Olga Castro e Ana Morgado Coordenador do Departamento Técnico José Manuel Ramalho Técnico de Som João Nunes Técnico de Palco Pedro Godinho Técnico de Iluminação Vasco Cavalheiro Técnico de Vídeo | Projecionista Sérgio Roxo

Técnico Operacional e Manutenção José Carlos Vieites Posto de Informação Isabel Roldão e Ângela Pereira

Coordenadora Frente Casa Raquel Adrião

Bilheteira Teresa Alves e Natércia Tempero Higiene e Limpeza Natalya Mironik e Eugénia Ferreira

35